Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06773


This item is only available as the following downloads:


Full Text
h- .
Anuo XXVI.
Qunta-fera 51
UBttMI SOI OOBREIOI.
Goianna e Parahiba, segundas esextas feiras.
Rio-Grande-do-Norte, quintas feiras aomciu-
dia.
Cabo, Serinhem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
c Macelo, no 1.a, a II, e 21 de cada mez.
Garanbuns e Bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vista e Floros, a 13 e 28.
Victoria, s quintas IV i ras.
Olinda, todos os dias.
PlIASES Dt : i:i.
EPHEMEHIDES,
Mlng. a 5, s (i h. e 18 m. da ni.
Nqv.i a 13, s U h. da manhaa.
Cese, a 21, s 7h.e 2m.dain.
Cbeia a 27, s 10 h. e 30 in. da l.
IBI4MAR BE BOJE.
Primeira as 7 horas c ii minutos da manhaa.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
de .? anerode I850.
N. 26.
PBEC/OS DA 3rjB3CB.iri/Io.
Portresnic/.cs'ailianiar'oi) l'Oiin
Por seis inezes 8/1)00
l'or un anuo 15/100 I
DAS-DA SEMANA
28 Seg. S. Cyrillo. Aud. do J. dos orf. e do m. 1. v.
29 Tere. ."*. l- lamisco de Sales. Aud. da chae., do
J. da 1. v. do civ. c do dos feitos da fazenda.
30 Quart.. S. Martinha. Aud. do J. da 2 v. civel.
31 (Juint. S. Pedro Nolasco. Aud. do J. dos orf.
e do in. da 1. v.
1 Sext. S. Ignacio. Aud. do J. da 1. v. do civ. e
do dos feitos da fasenda.
2 Sab. .%$< Purilicacio de Nossa Senhora.
3 Dcnn. .v Uraz.
CAMBIO ESI 30 DE JANEIRO.
Sobre Londres, 28 d. por i/000 rs. a 60 dial.
. Pars, 346.
Lisboa, 100 por cento.
Ouro.-Oncas bcspanlioes......... 28/500 a 29/000
Mocdas de 6/400 vclhas.. 17/000 a 17/200
de 6/400 novas., lti/200 a 161400
. de 4/000........... 9/000 a 9/200
Prala.Pataces braslieiros...... 1/950 a 1/WO
Pesos coluinnarios....... l/>50 a 1/9/0
Ditos mexicanos.......... 1/800 a 1/820
PART official.
DECRETO N. 051 DE 24 DENOVEMBRO
DE 184.
evoga em parte o artigo 32 do regulamento
n. 120 de 31 de Janeiro de 1842.
liii por bem, usando da attribulco que me
confere o artigo 102 paragrapho 12 da consti-
tuirn, e lendo ouvldo a gecco do meu conce-
Iho de estado, que pertcncem os negocios
da justica, decretar o seguinte :
Artigo nico, Fica re rogado o artigo 32 do
regulaineatn n. 120 de 31 de Janeiro de 1842 no
parte'que permitte reunir rnenle at tres
municipios, debaixo da jurisdicc.iio de un s
juls municipal,
Euieblo de Queiroz Goutlnho Mattosoda C-
mara, do meu concelho, ministro e secretario
de estado dos negocios da justica, o tenha ni-
ln entendido c faca executar.
Palacio dn Rio-de-Janeiro, em 24 de noven-
bro de 1849, vigesiino-oitavo da independen-
cia e do Imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador. Eu-
itbio de Qutiros Coulinho Maltosa da Camra.
MINISTERIO DO IMPERIO.
mente as formalidades preicrlptas no artigo
115 da lei regulamentar de eleices. oque
coinniunico V. l se, para seu cmihcciinenlo,
governo e execuco.
Dos guarde a V. Exc. Viiconde legre. Sr. presidente da provincia do Para.
1.' SbcSo,Rio-de-Janeiro. Ministerio
dos negocios do imperio, em 8 de Janeiro
de 1850.Em solucflo a duvida. que Vmc.
presenta em seu nflicio do 3 do crranle,
tenho de dcclarar-lhe, que, Miando jre-
conhechlos pelo poder competente os elei-
lores Momeados em 5 de agosto ultimo, nilo
pdem fonecionar os ds legislatura Onda,
cujos poderes icaram inteiramente cassa-
Idos ; cutnprindo por isso que fnnecionem
os noroB eleilores da junta do qualifcaco,
para a qual devem ser convocados um mez
antes, na forma do art. *. da lei regula-
mentar das eleices, o que torna indispen-
ssvel oadiamento daquelle acto do dia 20
deste mez, em querleveria ter lugar, para
o em que se complete o mez de convocado,
aqueconvm, quanto antes, proceder-se.
Dos guarde a Vmc. Viiconde de Monl'Ale-
gre.Sr. JoSo Aflbnso Lima Nogtteira.
Manda proceder nova qualifcaco na paro-
chia de Tracunbaem, pois que lie nulla a que
fr presidida por juit de paz incompetente,
coio foi a de que se trata.
Primeira srecao. Rio-de-Janeiro. -- Minis-
terio dos negocios do imperio, em 3 de feverel-
ro de 1849.
Illin. e Exm. Sr. -- Seodo presente a S. M. o
Imperador o officio desu presidencia de 17 de
malo de |847, em que ronsulla se deve man-
dar proceder nova qualifteaco na parochia
deTracunhaein, em virltide do que foi decidi-
do no decreto e aviso dc20 de fevereiro do dito
auno ha o mesmo augusto senhor por bem
mandar declarar, de conforinidade com o pa-
recer da accvo do hnpeiio do concelho de es-
tado, que, posto seja extempornea a decisao a
rita duvida, visto que teein havldo ditas quali-
fietcoes depois daquclla, todava compre qiu
em casos scmclhanles se proceda nova qua-
liticaco, pois que he sem duvida mili i a que
fr presidida pur juiz de paz iucoinpeteule'
como o foi a que se trata.
Dos guarde a V. Exc. Visconde de Monl'A-
Irgre. Sr. presidente da provincia de Per- Chaves,
naiubuco.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 19 BE JANEIRO.
Ollu'io.--Ao commandante da praca inte-
rino, dizendo ficar scientede llietcrsid
hontem Iransmittido o commando da praca
por ordem do dia do coronel Jos Vicente
de Amorim Rezerra, o qual tem do seguir
para a Parahiba a tomar conta da sdminis
traclo daquella provincia.
Dito -Ao mesmo, declarando haver arbi
trido a graliflciiQiio de cem mil a sollado
ilocorpode polica Feliciano Jos da'Silva,
e l'i'-n assim o paisano los Pedro llalbino,
os quaes se offereceram para servir no ejer-
cito, e a favor do qoem a junta de saude den
seu parecer. Inteirou-sc ao inspector da
flagadoria militar.
Dito.o inspector da thesouraria di fa-
zenda.--Podendo convr salubri lado pu-
blica, quealgumss emharcaccs, que estilo
a espera de carga, o cujas tripolares teem
sido alTectadas das febres reinsntes, saiam
do ancoradouro em que se ach ni para o
l.ameirflo at que tenha ib preparado sua
carga, ordeno V. S. baja de declarar ao
inspector da alfandcga, quo deve cons;ntir
nessa mudanga aquellas dessas embarca-
Ces cujos consignatarios Ihe requererem.--
Nesle sentido ofllciou-se ao capilflo do
porto.
Dito.Ao presidente do conceibo geral do
salubridade Tendo-meo cnsul ingloz re-
presentado sobre a conveniencia de s-'rem
os doentes accommettidos da febro conta-
giosa tratados em casis de palha, ordeno
Vmc. que, para os enfermos que frem ro-
metlidos de bordo dos navios ingleze, faca
construir casas para nellesserem alojados ;
o que, se axperienria mostrar ser vantajosa
essa medida, a faga extensiva tolos os
que para all forem rcmettidos.
Dito.--Ao administrador-do consulado,
para que remeta lo los os (lies ao redactor
lo Diario de Pernambuco e secretaria da
presidencia copinados msnifeslos com que
silo despachados os navios, visto s t do
nteresse publico que clles sejitn publi-
cados.
Portara.Domitlindo o subdelegado do
segundo districto de Agoa-Preta Domingos
Franciscoda Silva, c nomean lo para o subs-
tituir a Manoel il lino Wanderley,Com-
municou-so ao chele de polica.
Dita.Ordenando ao coinmandant* da
corveta Eulerpe recaba a seu bordo o menor
Francisco Jos do Oliveira, que so ofTereceu
para servir como voluntario as compa-
nhias de imporiaes marinbeiros.
Dita.Ao coinmandanto do corpo do poli-
ca, para que ponba em liherdada a Manoel
Ferreira Chaves Jnior e a Joaquim Forreira
Declara que o presidente da provincia deall-
uas-Gcraes deve ser sempre qualilicado na'
quella das freguezias que pertencer o pala-
cio na poca da qualificacio, urna vezque
tenha residido no mesmo palacio pelo menos
li inta dias antes daquelle CU que te fuer a
qualifcaco.
Primeira srecao. Itio-de-Janeiro. Mi-
nisterio dos negocios do imperio, em 5 de fe-
vereiro de 1849.
Illin. e Esm. Sr. Sendo presente a S M. o
Imperador o olftcio de 25 do mes findo, em que
V. Ese. expe a duvida que se suscita a respei-
to da frrguezia cm que deve ser qualilicado o
presidente desss provincia, visto dar-se a cir-
ruinstancia de pertencer de lempo (inmemo-
rial o palacio da presidencia, animal e alterna-
damente, ora freguezla do Ouro-Preto, ora
de Antoniu-Dias, nos limites das quaes be si-
tuado : manda o mesmo augusto senbor decla-
rar que o presidente da provincia deve ser
sempre qualilicado naquella das duas mencio-
nadas freguezias, que pertencer o palacio na
poca da qualiRcaco, urna vez que tenha re-
sidido no mesmo palacio pelo mciios trlnta
Commando da \mw i
Quartel do commando da pra llecife de Pernambuco, 2* de Janeiro de
1850.
ORDEM DO DIA N. 3.
Faco publica,para roobecimonlo da gUar-
nclo.-a ordem do dia do Exin. Sr. general
commandante das armis,abtixo transcripta:
Quartel-general do commando das armt
de Pernambuco na villa di Agoa-Preta, 1C
de Janeiro de 1850.
ORDRM DO DA.
Sendo necessario dar l'rca actual-
mente em operagilo contra os rebeldes io
sul da provincia uma organisac3o conveni-
ente, nao s s operagOes, como marcha
c regularidado do servico, tenho dividido
toda ella em duis brigadas : a primeira,
composta de um corpo de batedoros, 2 e
3." batalhfles de artilharia p, 5. dito
de fuzleiros e 8.* de cardadores, ao man-
do doSr. coronel graduado Jos Ferreira de
Aievedo; e a segundo, ao mando do Sr.
tencute-coroncl Antonio Mara de Souz
nina ao mando doSr. major Francisco Vc-
tor de Mello e Albuquerque,e vencer alDi
da etape ordenara outra, como gratifica-
gao, no valor da primeira.
O Sr. major Vctor me enviar uma re-
laciio nominal dos ofliciaes que frem mais
asados para servirem no referido corpo,afim
de serem por mira nomeados
u O Sr. cirurgio mor Justino Jos Alves
Jaculinga tomar a direcclo do hospital
desta villa, o o Sr. cirurgiilo ajudante Fran-
cisco Alves Ponlcs regressar ao seu bata-
Inflo
Finalmente o Sr. commandante da pri-
meira brigada ir oecupar o ponto do Ver-
de com o resto do 3. batalhAo do artilharia
a pe, logo queseapresenlar no Calendo o
corpo oxplurador.
Assignado, Jote Joaquim Coelh1).
Asssignado, Jote Mara Ildefonso acorn
da Vean Peima, icnenle-coroncl comman-
dante da praQa.
mez, afim de quo informe se aqui existem gurar carga aos navios, sendo uma terca
corretores, e qu nodificaces silo neces- i parte de po-brasil, que tinha de remetter
sarias faxer no dil-a regulamento, para se .para Londres, e queja assegurava o frete
observar nesta pro.vincia. dos navios : cuidei especialmente da fisca-
Igual officio se f'/ao inspector dt alfande- lisaclio das rendas publicas, emrmentedo
ga, e ao administrador do consulado. po-brasil, nflo s provendo sobre os abu-
Dito.--Ao ii ispector provincial, para ( sos, corno representando ao governo sobro
mandar prestar no carecreiro dosta cidade o mclhor metho lo de sua extraer/o, con-
01 objectos cor ulantes do pedido que se Ihe. servacilo a cultura: talvez fui o primelro
remelle por e',le assignado o rubricado pe-'quo no llrasil pu/em pratica o cdigo do
lo doulor cli fu Jr polica interino. processo ; oassim ia em paz sem a menor
Dito. /,o misino inspector provincial intervcn(;5o as eleiQos. Sempre, e prin-
approvand oa nomoagiio que propoz de lio-!cipalmenle noite, concorria min'ia re-
sendo Ce7.nr do Coc para servir, interina- sidoncia muita gente da primeira orden, o
mente dfj perito no termo de S.-Miguel, du-j com toda acalma all lrativa-se do tu lo
ranlp a ausoncia do commandante superior que iniercssava a provincia, inclusivo eloi-
Salvad or Pcreira ifi liosa e Silva. ces: em urna dessas reuni s dirigi so ao
Dit o. Ao subdelegado de Coruripa ac- ouvidor o capitilo-nir Jos Aluxandre, di-
cus n i a recepQo de seu ollicio de 23 do Zendo quo elle faria umu generosidade ce-
ijf'jximo passado me/., o louvanlo-lhe a! dundo a miin i sua candidatura, o ouvidor
d ilgeucia que empre^ou em acudir o desas-1 responden quo 08 seus amibos o linham
tre acontecido por occasiflo do naufragio aprcsenlado, e eslavam em sen direilo a-
TRIBUNAL DA HELAGAO'.
SESSO DF. 29 DE JANEIRO DE 1850.
PBESIORNCIA DO EXM. SFMIIi
CONCELIIEIRO AZEVEDO.
A's det horas da manhaa, achando-se pre-
sentes os Srs. desemliargadorcs llamos, Has-
tos, l.eao, Souza, Cuna Freir e Telles, faltau-
do eom cau ce, Villares e Kebello, o Sr. presidcijle decan
rou abena a sessao.
DKCIS5.
dias antes daquelle em que se tizera qualifica-jlambem composta dos balalhes de ca;ado-
{ao, nos termos do artigo 17 da lei de 19 de re | a," e5.u: primeira pertencer
agosto de 1840, pois que neste caso especial, c
talvez nico, residir no palacio importa o mes-
iiio que residir naquella das duas freguezias,
que elle animal e alternadamente perlencc.
ii que communico a V. Exc..para Seu cunheci-
iiicnio e execucao.
Dos guarde a V. Exc. Viicmde di Uoni'-A-
tigre. Sr. presidente da provincia de Minas-
Geraes.
Slvendo duvidas propotlas pela cmara mu -
nicipal da villa de Turyass, na provincia do
Para, sobre as eleices de juies de paz e ve-
llida a guarda nacional quo reunir na co-
marca do Bonito, e asegunda toda cqual-
quer frca que entrar em operares o sul
da mi'snia provincia depois da presente
ordom.
Os Srs. commandanles de brigadas no-
mearSoosSrs. majorese ajudar.les de cam-
po, participando a este commando, parase
lazer publico era ordem do dia, laes nomea-
fes.
O 5." batxlhflo de fuzleiros lera de
augmenlar a guarnieflo do Uonitn, donde
readoretque tiveram lugar na mcsina villa.' regressar a seus corpos a mais frca que
Primeira ecc.o. Rio-de-Jauriro. aiiiiis- ; ai S aChar d lnha.
terio dos negocios do Imperio, em 7 de feverci-j < O Sr. lenenle-coronel Feliciano Anto-
ro de iS-lu. ( nio Falcflo passar a exercer as funeces de
lllm. e Exm. Sr Foi presente S. M. o deputado iijudanLi-general, continuando
Imperador o officio de V. Exc.de 5 de Janeiro'- no exercicio em que se acha o Sr. capililo
ultimo, queacompanharam nao sa copia da do ostado-msior Monoel Rodrigues Barros
representafioque Ihe dirigir acamara muni- Fonsecs de llrito
cipal da villa de Turyasi sobre as fallas e irre- 0 Sr corone'| Manoe| Muniz Tavares rc-
SSSSMTa^w rn lor cc,nm"Dd0
ze. de paz e vereadores. cuja acia la.i.bc.n por 'P. P01r,ter,d8e ret,rfr P,ov" f"
copla velo junta aodlto ofticio, como tambe. o Sr. coronel Jos Vicente do Amorim Ue-
a da resposla que V. Exc. deu asemelhante res- ZOira, e tailibein para vigiar no seu bata-
peito: e o incsnio augusto senhor houvc por, Ihflo, cuja disciplina, anda nflo bem lir-
lieiii approvar a decisao de V. Exc com deca-! raada,exige a presenta daquelle Sr. coronel,
racao, porni, de que, competiudo s cmaras I a (i corpo de batedores ser coniposto
Hiuniclpaes e nao as mesas paroebiaes o sortea- jc J50 pracasdo 5." balalhflo de CUCadores,
ment dos empatados, deve V. Exc. expedir as1 e oulias la(ltas do 3/ de artilharia a p,
orde,,, convenientes para |iie se proceda a no- j 100 l)o 8.0 do cacadores, do Iridios du
vo soiiramento do tres cidadaos que oblive- "? ;r,i. ,ui,i i ,
rain igual numero de votos para presidente da, Cmbrcs, Jacoipo o guarda H oual que no
mencionada cmara, satisfaicndo-teieligota-| mandei reunir, formando ludo 0 compa-
/tabeas Corpus pedido por Antonio los,' Ja
Silva. Foi deferido para o dia 23 defeveveiro.
Aggravo de peticao de Jos Juaquliit llezer-
ra llavalcante, sendo aggravados os herdeiros
de Francisco da Mlva. Nao teve provimento.
Recurso crime dn Juila dn direito da se-
gunda vara, recorrido o bacbarel Jos Hay-
mundo da Costa MeMiesJllll municipal da se.
gmida vara. Foi conllrinado o despacho de
despronuncla.
Recurso cime do juiz de direito di comar-
ca do Pombal provincia da Parahiba, recorri-
do o bacharel Izldro l.eile Pcreira. Teve o
incsiiiojulgamento.
EvisrJES.
Passou do Sr. desembargador Ramos ao Sr.
desembargador Bastos a appellaco crime em
que sao :
Appellante, ojuizo; appellado, Manoel Fer-
reira de ouza.
Passou do Sr. desembargador Pastos ao Sr.
desembargador I.eo a appellaco civel em
que sao,;
Appellantes, os administradores do hospital de
caridade ; appellada, Rita Maria do Carino.
Passou do. Sr. desembargador I.una Freir ao
Sr. desembargador Telles a appellaco civel
em que sao :
Appellante. o julzo dos feitos da fazenda do
Cear ; appellado, Antonio Gomes Villar.
Passaram doSr. desembargador Telles ao Sr.
desembargador Ramos as appellaces criines
em que sao :
Appellanle, ojuizo; appellado, Jos Antonio
daSilveira Prei.
Appellante, ojuizo da comarca de Nazaielh
appellado, Joao e Jos, pretos libertos.
iiisrniBi'lcoiis.
Ao Sr. desembargador Ramos o recurso cri-
me desta cidade em que sao-
Uceen rente, o juico ; recorrido, o bacharel Jos
Raymundo da Costa Menezes.
Ao Sr. desembargador Bastos o recurso cri-
me desta cidade cm que sao :
Recrreme, o juito; recorrido, Filippe Nery.
Ao Sr. desembargador I.eo o recurso crime
desta cidade em que sao:
Recnrrente, o juio; recorrido, Jos Ilayman-
do da Costa Meuezes.
Ao Sr. desembargador Souza o recurso cri-
me desta cidade em que sao :
Recorrente, ojuizo; recorrido, Jos Raimun-
do da Costa Menezes.
AoSr. desembargador I.una Freir o recur-
so crime cm que sao:
Recorrente, o juizo; recorrido, Alexandre Jos
Perelra.
Ao Sr. desembargador Telles o recurso cri-
me em que sao:
Recorrente, Jos Luiz da Silva Guimaraet; re-
cocorrido, ojuizo.
AoSr. desembargador Bastos a appellaco
crime em que sao.
Appellante, Joao da llosa; appellado, o juizo.
AoSr. desembargador Lefio a appellaco cri-
me em que sao :
Appellante, o juizo de Nazarclh ; appellado,
Mauricio de Oliveira Goes.
A una hora da tarde encerrou-se a sessao.
N. B. Nao honve oulros jnlgamentos pnr
falla dos senhores desembargadores Villares e
Rebello._________________________________
~" i
do hiato S.-Joao-da-Cruz.
MARIO DE PI8.1IBC0.
BECIFE, 30 DE JANEIHO DE 1830.
Chamamos a o.llnenlo dos leitores para
os dous odirios que inser tos cm seguida,
dirigidos peio delegado do lormo do Rre-
jo da Madrc-de-l)eos ao Exm. Sr. eonce-
Iheiro de estado presidente da provincia :
* lllm. e ESO). Sr.-Ten lo eu participado
V. ESO. do tacto occorrido no da 20 dn
cnrrenle nest? termo, cojo consta do olTIcio
Incluso, succeileu, que o conductor do mes-
mo adoecera em caminlio ; e vindo so meu
conhecimento tal incedonte, desped urna
pessoa para receber o mesmo ollicio. e com
este ser entregue a V. Exc. Pela data do
mesmo ver V. Exc que nilo fui omisso em
participar do occorrido.
Bate termo goza per ora de tranquilli-
dado.
Dos guarde a V. F.xc. IMegatiirM do
Brejo, 25 de Janeiro do 1850.-lllm. e Kxm.
8f. concelheiro Honorio llnelo Cameiro
Icio, presidente desta provincia. Antonio
Francisco Cordiiro de Carvalho.
o lllm. e Exm. Sr-Participo V. Exc
que pelas 7 horas da larde de 18 do rorrete
appareccu com um grupo de 20 homeni ar-
mados, no lugar da Cacimba-de-Podro, des-
te termo, um intitulado tenente-coroncl
Manoel Tiburcio de Sa Rarreto. o qual, sa-
liendo que se achata m em caminho alguns
presos de Paje, escoltados por tropa do
polica, sedusio alguns habitantes deste
termo, e entre estes dous prenles meus, o
COm ellos Coi ao lugar de Santa-Mara, limi-
tropho deslo tormo com o do l.imoeiro, e
lomaram os mencionados presos som a me-
nor resistencia; acontecimento este que
muito me sensibilisifu pela loriga distancia
de 10 legoas, em que foi perpetrado, o que
s boje chrgou ao meu conhecimento. l'or
emellitnte motivo o porconhecer om urna
gran Je parte dos habitantes muita e mui
decidida propendo a favor do capillo Pe-
dro Ivo, eu rogo a V. Ex. a grac/i da mi-
nha densso, supidicando 8 V. Exc. que
quanto antes mande pessoa idnea, que
melhor do que cu descinpcnhe os ollicios de
IBo ardua como espinhosa larefa.
Aproveito osle tilo desagradavcl ensejo
para protestar a V. Ex. a minia submisso.
Dos guarde a V. Ex. por muitos annos.
Dclcgalura do Brejo da Madre-de-Deos, 20
de Janeiro de 1850.--lllm. e Kini. Sr. con-
celheiro Honorio llermto Carneiro l.eo,
presidente desta provincia.Antonio Fran-
cisco Cordeiro de Carvalho.
INTERIOR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. presiden-
te br. Jos liento da Cunta e Figueiredo.
14 HE DEZEMBI'.O.
Ofucio. Ao delegado da cidado de Po-
nedo, para que mando por em liberdade o
i cerna Jos Cardozo, que Ihe foi enviado
pelo subdelegado do Pau-de-Assucar, e se
acha preso na cadeia da inesma cidade.
Dito.-- Ao inspector do fazenda, para que
msnde entregar aopairao-mr, Jos Mana
do Sacramento, a quanlia do 148,110 rs.,
importancia das 3 folhascm duplcala que
so Ido rcmittem, pertonceutes a obra -do
lelhoiro de Jaragu.
Dito. Ao mesmo inspector de fizonda,
dizendo-lhe que, leudo de cumprir o avisu
do mmisteiio da fazenda com dala do 28 de
novembro ultimo, Ih transmute exempla-
res do regulamento o. 648 de 10 do dito
Correspondencias.
Sr. redactor. l.endo no Jornal do V,om-
mercia n. 356 do 30 de dezembio ultimo a
discuss.To na cmara dos Srs. deputados a
rospeito das eleices do Rio-Gran le do nor-
te, encontrei na falla do Exm. Sr. D. Ma-
noel mn trecho relativo a mim, quo, sup-
poslo n3o offenda a niinha honra, ( o que
lie cciio nilo ne capaz de fazer o Sr. I). Ma-
noel sem justica, ecom ella era impOffi-
vel) comtudo revela que nilo fram mui
exactas as informantes que so Ihe ministra-
ra rn a tal respeito ; e mao he que passom
desapercebidos Tactos incompletos que
teem do passar postoridado; portantoos
reslabelecerei, ecom isso muito obsequia-
re i ao meu amigo o Sr. I). Manoel, que, ce-
rno eu, solivio lo ama a venia le.
Removido da provincia dis Alagas para
o Rio-Grande do mirlo nos Mus do 1832,
all clieguei as proximidades da eleicAo ;
e, quando tiveram lugir, apenas conslava
no centro a niinha posso, niuguem me co-
nhtcia : all encontrei, nao dous partidos,
porm duas opinies divergentes nesse ni-
co ponto de eleices ; uma apresontava por
candiito o honrado P. Guerra, quo tnor-
reu senador; a outra o ouvidor da comarca:
a neiibuma apoioi nam guerreei, deixei-as
livres no campo em quo as acliei : cuidei
s mente dos meus deveres, procurando
man t entro todos a paz e harmona, e pro -
movendo os bens materiaes do paiz ; em
primeiro lugar animando o commercioem
direitura .ara Europa, o que teve comeco
indo aquello porto a primeira emba cacao,
vinda do Inglaterra, por inlervcncSo da ca-
sa commorcial de Pernambuco Rosas & Bra-
ga, com queiii coutratei de proporcionar
consumo aos gneros importados, o sso-
doplando qualqucr outro, e dingio-me ex-
presses obsequiosas ; cu n.lo quiz ser nic-
iiosgenoroso.dissc que uma candidatura tal
nilo era objecto de brinco, que ello tinha
melhores habilitaces, etc.; porm alinal
unnimemente coucordaram nessa transfe-
rencia ; e eu, ou purque eleiciio o ouro
lee o virtudes magnticas, ou porque em
negocios de tal natureza nilo aclio boin pas
sar por grosseiro, contelei-mo em llies a-
gradecer o projeclo, sem comtudo olrf'
gar-me a coinpromsso algum. Creio bom
que os meus patronos lizeram diligencias
para bem sortir a empreza, entilo anda co-
mo caloiros; e de niinln parte creio nSo ter
dado um passo.
Dias depois, estn lo cu com os meus
amigos vico-presidoiito P. Pinto o conce-
lheiro o coronal An Ir de Alliuquerque Ma-
ranl.nl, propoz e-te a aquelledu mu adop-
tar como candidato a depiilacao geral, o
leve em resposta que osen candidato era o
sen patricio e amigo o P. Guerra ; eu fiz-
Iho sentir quanto apreciava sua franqueza
0 di ; i i, i i le.
Reunido o collegio cleitoral da cidade
com 80 eleitores, coube-me a s'ja presiden-
cia por desempate do sorle entre mim eo
vice-presidente ; c foi l'eita com a msior
calma, tendo eu desappr-ovado todas as
exageraces suscitadas no comeco.
Fintla a eleiciio, todo o collegio acompa-
nhou-me minha residencia, o me teste-
m u ii lio i oxpresses da maior considoraco,
e respeito a minha conducta naquello acto.
Algucm nilo contente de haver-me inJis-
poslo com os eleilores, prevenio ao P.
Guerra do que eu pleileava a sua candidatu-
ra, pelo que solicitou elle e obteve a minha
demissao. Se alguem ho capaz, aponte o
menordespeilo de minha parte; nflo de-
mitti um s empregado, nunca tratei mal a
alguem ; porque a ludo isso sa oppuuha o
meu dever e edocacfio; se era grato aos
que me proligalsaraim seus votos, resaei-
tava igualmente a aquelles quo cram liis
osea amigo. AoSr. P. Pinto, che fe dessa
oplnio, distingu sempre com o respeilo
que Ihe ho devido, e corn a ainizade que mu
captaram seus innmeros obsequios : nflo
tenho um s desafecto naquella provincia,
c duas vezes que l tenho estado depois,
reeebi de todos ndistinctamente, nflo s
provas de consideradlo e generosidade,
porm da maior amizade : ho esse o meu
padrflo de gloria ; tiestas e as oulras pro-
vincias que tenho administrado nflo conhe-
qo um so inimigo por actos de meu empre-
go, nem tomo de responder menor ar-
guiefio.
A' vista do scmelliante conducta pareco-
me poder asseverar que nflo me apresentei
como candidato; por consequencia nflo fui,
que derrotado,e que igualmente nflo dei in-
cremento aos dous partidos acluaes. Minha
vida publica de tantos annos prova bem quo
cu amo de todo o coraeflo os principios da
tolerancia e justica, o que, pois.todos os ex-
tremos fazem cm mim o elfeilo do pora-
qu. Se nesse mesmo anuo havia eu rece-
bido emjullio o decreto de convocaeflo da
assembla geral, e sahi em dezembro da
provincia das Alagas sem ter marcado a
sua eleicTo, lendo a certeza possivel de sr
candidato, como chegaria ao Rio-Crando
do norto no mesmo momento com difieren-
te pensar? Nflo quero inculcar do indill'c-
rento a essas honras ; anda boje, se me Q-
zessem deputa lo ou senador, talvez que eu
me nflo zangasse ; se, porm, para isso fr
preciso abusar da autoridadu que so me
confie, creio que nflo abusaroi.
Com a ni-ei cao deslas linhas muilo obse-
quiar o Sr. redactor ao seu constante
lei lor Manoel Lobo de Miranda Uenriques.
llecife, 20 de Janeiro de 1850.
Sr. r/acir.--Aohava-se ha muito lem-
esta com marca do Rio-de -San Francisco,
provincia da Dahia, bispado do Pernambu-
co, choia de desordens, onde os povos, pela
maior parte esquecidos dos deveres de chrs-
Iflo, se achavam entregues uma vida In-
teiramente contraria aos santos precdilos da
reiigiflo que professamos ; agora, porm,
quochegou mesma comarca fru lenrique
do Castello de San-Pedro, religioso capu-
cliintio, lendo apenas pregado na freguezia
de Pilflo-Arcado, e nesla fregnozia, tendo
principiado na capella de Sanl'Anna da ilha
do Miradouro, ond rouuiram-se de cinco
a seis mil pessoas de divorsas parles, du-
rante treze dias do missflo, all houveram
cerca de cem baplisados e quatrocentas con-
lisscs, o nSo houveram mullos casamen-
tos, por nflo nio achar enlflo eu presente,
visto que nndava emgyro de desobliga, e
muito mais pessoas se cotifcssariam se alli
houvesse outro sacerdote, que porventura
ajudasso ao dito missiouario; igualmente

II
iwcri


prgoo na capella de S. Antonio do Porto-
Alegre, onde reuiram-se mil equinhentas
' almas, havendo cento e cincoenta conlis-
sfjes, trinta o dous baplisados eonze cisa-
mentos do pessoas concnbinadas, tudo isto
o-n cinco lias; eltegou finalmente esta
villa: indisivel admiracSo me lem causado
ver coro o povo, outr'ora arraigado no vi -
Ci, chega-sn espontneamente igreja,
procurando o sacramento da penitencia ;
que no espaco de sete dias de nssito se
teem reunido seis mil pessnas, pouro mais
on menos, que de todas asparles concor-
rem, oespera-sa que, para o fim da mis-
silo, reunam-se rhais de dez mil pessoas;
a ponto do confossarem-.se por dia cioeoen-
ta a sessents pessoas, o innumeraveis cisa-
mentos e haptisados; o que ludo se dove
altribuir a proteccSo de Mara Suntissima,
a quein o Itm. missionario fez recorrer os
povos tres vezes no dia com a res do santo
rozaro. E tanta be a divoQlo que tem-so
excitado nns povos, quo ninguem appare-
ce na ini-so sem resar suas conlas. Mais
de tres mil pessoas teem-so assentaJo na ir
mandade do nossa Senbora Auxiliadora,
alim do procurar dcste modo o auxilio per-
petuo de Mara Santissma, quo tanto tem
.protegido 13o digno prgador, que ttem
podida reprimir o vicio ; sendo elle, se-
gundo entend), a nica pcsso que pode
removeros nles que teem llagellodo econ-
linuam a llagellar estes sertOes, como, por
oxeniplo, a villa de Pililo-Arca lo, do Uru-
b, c l'.o-Prelo, quo lem sido sangeo
lento lliralro ia mais horrivel camagem:
achava, pois, Sr. reductor, que multo lu-
craramos, so S. Exa. Itm. ~o_ Sr. prefelo
tomasso a medida da Tazar coin que t9o vir-
tuoso varo se domorasse por alguns an-
uos as margens do ro de San francisco.
O santo rozario de Nossa Seutior tem pro-
duzi lo elf. osadmiraveis na conversilo dos
peccadores, e lodosoresam con muitade-
vocBo. Mas do tres mil pessoas so teem alis-
tado na contraria de nossa Senbora Auxilia-
dora, como ja disse.
Ja entro nos por aqu corra a fuados
mu valiosos servicos prestados a ivh;:i,n
c ao estado por este tilo fervoroso missiona-
rio, pacificando o reconcilian lo os povos
exaspralos pela guerrj civil nos sertes de
Pernambuco, durante os metal p. p., com
cspecialilade as povo C'''s de Uua-Vista,
lo Salgueiio.'Cabrob o Ex, e por sso
vsti's povos Ibo lizeram significar o muito
quo desejavam, antes que fosse i S-Rita,
para onde so diriga, ouvir suas inslruc-
Ces. Cbcgou finalinento o iucansavel mi-
nistro do Senhor entre nos depois de ter
andado, desde quo satura de Pernambuco
a 12 de setembro de 1818, mais de quinhen-
tas legoss as diversas direccOes de mus
DiissOea. Cdegou, digo, colliendo ahun-
danlissmos ructos, como anda aqu con-
tina a recolber.
Queira, Sr. Itedactor, pois, inserir as
columnas desua conceituadafolha estas mis
trabadas lindas, que muito obligara a mim
quesou do V. S. humilde e reverente ser-
vo.O Vigario, Jos Gregorio do Sanios,
provisor.
1 -^
Barca bamburgueza IfariafingarrafOes,
farello,
Hiato f'ividoso botijas vasas, sola o
esleirs.
importaca.
Mir, briguo austraco, vindo de Tiunie,
entrado no correnlo mez, consignado; a
N. O. Bieber & Companbia, manifostou o
seguinte :
2,200 barricas com familia, 45 caixas pa-
pel al maco; aos meslos consignatarios.
CONSULADO GERAL.
Kendimento do dia 30.....5:452,368
Diversas provincias...... 16,335
5:468,703
EXPORTACAO.
Despacho! martimos no dia 30.
Maranbo, eicuna nacional Emilia, de 111 to-
neladas, conduz o seguate:
30 barricas de assucar com 157 arrobas c 23
libras, 19 caixas de vela stearinas com 570 li-
bras, 20 dilas de ditas margarinas com 700 di-
tas, 6 rolos de salsa parrillia com G arrobas, I
caixo com 7 arrobase 12 libras de guaran,
II l'jrdos com 57 arrobas de fumo em ful lia, 1
tambor e 1 carreta de ferro coi 33 arrobas, 90
barricas com 395 arrobas e28 libras de assucar.
I rodete de ferro com 2 airobas,5 iacca< de col-
la com -'o arrobas, 1 caixo rateadas, 45 barri-
cas li ir ..Miau, 2 caixa e 0 fardos papel de Im-
primir, 20 barricas com bacalho, 4 caitas pa-
pel, 1 dita mcrcadorias, I fardo com papelo,
20 barricas com bacalho, 2 ditas cun semen-
t*, I caixa iniudczis, I dita pennas de escre-
ver, 2 dilas com brinquedos,.') ditas com cham-
pando, 2 ditas com fazendas, 1 dita com mer-
caduras, | dita com inuidczas, 10 gigus com
cliampanhe, 30 barris c.im manteiga, 35 barri-
cas com bacalho, 1 cinbrulho uarreleis de li-
nda, I cario de conduco de gneros, 1 cali-
te elixir, 10 caixas com 500 queijos, 1 caixo
com miudezas, 1 armirinho com papelao, 1
embriillio com sola envernizada, 130 caiies
com doce de biuana.
Para, escuna nacional Emilia, de 111 tonela-
das, coii'liii o seguiule:
40i barricas com l,(125 arrobas e 2 libras de
assucar, 1 caixa com livros c mais objeclos, 2
ditas brinquedos, Sdilas clitmpanbe, 10 ditas
viudo Hor.teanx, I dita gonebra, 1 barrica cer-
veja, \ caixas fazendas, 10 lalas cordas de ra-
me, \ caixas espelhos, I dita pellos envernisa-
ilas, 3 dilas vldroi, 10 barris uom 30 arrobas
do toucindo, I caixa livros, 40 barricas baca-
llio, I caixa Ulludeas, 1 dita chapeos de sol, 2
ditas diversos objeclos,1 lata lanuda de inillio,
1 cmbrulho pellucia prcta.
Pliiladdlplna, tingue americano W.-Pri-
ce, ds 329 toneladas, conduz o seguinte :
200 barricas e 3,200 suecos de assucar
com 17,522 arrobas u 10 libras.
Ilsmhurgo, navio inglez Aclive, do 264
toneladas, conduz o seguitlle :
3,300 saceos de assucar com 16,50 ar-
roda*, 5 caixas com ara rula c 2 caixas com
encommendas.
Canal por Parahiba, navio ingloz Il.ibeca-
Jane, de3l3 toneladas, conduz o seguidle :
iilenta toneladas de lastro de areia.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimcnto do dia 30.....3:258,560
!2!
1850. O secretario, Antonio Ferreira d'dn-
nunciacSo.
Ctautulas eipeciaes da arrcmatacJo.
i I.' Os trabalbos e obras para nsenneer-
tos do jardim Botnico de Olinda serfio fei-
tos pela forma e sob as condiedes indicadas
no ornamento, apresenlado nesla datt a ap-
prova?3o doExai. Sr. presidente, pelo pre-
CO de 726,40o
2.' As obras principiaro ao prazo de
iim mez, e acabarflo no de quatro, ambos
contados em conformidade do artigo 10.
do regulamenlo das arrematacooa.
i 3* O pagamento do importe da arre-
nialnefio reih/iir-se-ha depois das obras to-
das concluidas e examinadas pelo enge-
nbeiro.
4.* Para tudo o mais que nSo est de-
terminado pelas presentes clausulas seguir-
se-ha interamonto oque disnOe o regula-
menlo das armatacOes de ti de julho de
1813.
Gabinete dos engenheiros das obras pu-
blicas, 12 de abril de. 1849. O engendoi-
ro, /. L. Vctor Lieuthier.
Piiblicacao a pedido.
MA LAGRIMA?
Sobi'> o iiiiiiiiIo do nicii flnado
amigo,
Ernesto 1ngii9lo de SaMpaio.-
K rile ninrrou no vico de scus annos!...
K a lageui fria e muda dos srpulchros
Desfcchou sobre o ente esmorecido
Ao despnntar da vida.
To rico de rspi-rancas, tao cheio
De formusura e grabas!...
G. Din.
O que val a existencia neste mundo ;
Rsa luz frgil, inconstante dos mortaes,
Ouo o rijo tuf;1o dnirgra murle
Condensada so vfi por ntreos tmulos
l'.levar-se suhtil eternnlade ?
O que val da viitude trilliar somprc
O rido raminhn; seo mundo be nada,
Sendo a vida um soffrerde niagoas tantas?
I'.le exilio rerenne em que vivemos,
Esta sonno 13o breve que passan.os,
Nimio aprren Ibed a cruel morte.
Existencia fallaz, quoem mil carinbos
Nutrindo se rerea entro prazeres ;
Vidades, an bicilu, que, engolfado,
O misero mortal a viJa em gozos
Pensa longo fruir no breve son.no.
Para l marcharemos, qliando ti isto
A hora para nos soar de nioite '
E o que, pois, he esta vida?Um cuito sondo
Por sobre urr. fego so de amargas dores!!
L'm vago despertar, depois que a menle
Sondara u*n Edn de delirias go.slos,
IIni nada, urna illutflo, cbimcra--vida!
Tuniuln, tiimulo, que de v^zes piauto
Correr de ineus olhos sobre li,
Sobre o frgido marmore que te cobre.
Que de vfzes rneu peiloem dorexircme
De crer perdido amigo arranca o nonie!?
Com iru niirrada Icvaiilandoa fouce,
Aceiinu a mol te em sua fronte,
fc rojou sobre a trra eu cadver.
Avara pedra, que cin teu seiooccullas
0 meu amigo Ernesto charo 8 lodos ;
I)eXB-me vorseu paludo semblante.
Heixa que em meus bracos um aniplexo
lio vida para a murle eu ti isto cerr!
E o tirste genio, que preside a mort,
Com luivo aspecto, que pavor inspira,
1 ni torno as campas lucubre pcrcoTa :
E nos fros umbrues de sua estancia
Estes versos grave em negros lypos
Aqui jaz as fras cinzas d'um'morlal,
fjue, a vida exalando prematura,
Heixou aps si amargos prantos,
Que s termo tero na sepultura!!!
Mnnnrl liidrn Mov me nto do Porto.
Navios entrados no dia 30.
Rio-de-Janeiro 25 dias, briguo inglez Sarah,
de 184 toneladas, capilo W. Grahaui, equi-
pagcni 9, em lastro; a Me GaluioM & C.
Gibrallar 27 dias, brigue ingloz Wanderer, de
255 toneladas, capilo Ralph Palorson, cqul-
pagem 9, em lastro; a Dcanc Yuulc 8 C.
Navios sahidos no uiesmn din. .
Wcsl-lndics Brigue inglez Sarah. capilo W
O ih.iin, em lastro.
Genova Polaca sarda Josephina, capilo Joo
Chape, carga assucar.
Brrmeii llrigue sueco Brilhante, capilo 1. P.
vYcakslroin, carga assucar.
Portos do sulVapor brasileiro Paraime, coin-
niandauloo capio-lenente Mauoel Kiancis-
co da Costa l'ereira. Alin dos passageiros
que trouxe dos portos do noile leva a seu
bordo: para Macelo, Aulonio Freir de Mal-
tos Brrelo, Manorl Dnrans Lopes Viaiiua :
p ra a Babia, I. O. Klbostor. M. S. Mausson :
para o Riodc-Jaaeiro,ol)r. I.uizde liarvalho
Paes de Andrade e uin criado, o alferr-sdo
oilavo de fuzilcirus Garrete Eloy Pcssua da
Silva.
Babia Brigue inglez ft'anderer, capilo Ralph
Patierson, em lastro.
Alcobaca lliate brasileiro San-Dtnidicto-
Orande, capilo Jos Antonio Comes, carga
cal.
Rodrigo Theodoro de Freitas, olcial da im-
perial ordem da Roza, civalleiro da de
S.-Rento de Aviz, condecorado com a
nieda I ha da restaurarlo da Rabia por oc-
casio da independencia, eapitto de mar
e guerra d'armada nacional e imperial,
inspector do arsenal de marinha, e capi-
13o do porto desla provincia de Pernam-
buco, por S. M. o Imperador que Dos
guarde, etc.
Faz saber a quem convier, que lem desig-
nado para anroradouro das alvanrengas,
lanchas n mais embarcaQes que se em-
pregam no trafico do porto.no servico dia-
rio das cargas, e descargas dos navios, a
parte do Mosquciro, pelo lado de trra, que
medeia da segunda barca de viga da nlfan-
dega para o sul al a popa da terceira barra
da mesma nlfandega, ficando amarradas de
manen a que nao embaracem o transito das
emdarcacOes que tenham de seguir para o
ii'>11-y sul do mismo Mosquciro ; o para
ancoradoiiro daquellas dascitadasembarca-
c0es que no se empregam conslanlemeli-
te em taes servicos arparte do dito Mosquci-
ro que tica ao sul do ancoradoro dos navios
em descarga, em seguimento do canal que
vai para a barreta, o a que existe nos fundos
do arsenal de marinha, pelo lado da mar
pequen, para o norte at a praca publica
projecta pola cmara municipal na ruado
llrum, conforme j se declarou em edital
desla capitana de II de setemtro de 1817
Capitana do porto de Pernambuco, 25 de
Janeiro de tSO.ltodrigo Theodoro de l'rci-
tas, capito do porto.
zerra, morador no engenhe L'lin-
guinlia, dem 31 1,000
dem.Felii Jos Cavalcante,
morador no engenho Maranho,
dem 33 1,000
Idom.Estevo JoS, morador
no engenho da Malla, dem 33 1,000
I lemFrancisco Jos dos San-
tos, morador no engenho .Monte,
dem 31 l.oOo
dem.leronymo Jos da Silva,
morador no engenho Caxang,
dem 35 1,000
dem.Jos Ramos, morador
no engenho Seve, idom 36 1,000
dem.Luiz Mendes, morador
no engenho Oiteirc, idem 37 1,000
dem.Joaquim da Costa, mo-
rador em Fumas, dem 38 1,000
dem.Jos l.ourengo, mora-
dor em Crussahi, idem 39 1,000
Idom.--joo de Mello, morador
em Pernonte, (3 cavallos) dem 40 3,000
dem.--Jos Francisco, iporador
em Floresta, (2 ditos) idem i 1 2,000
Mem.--Franciscisco Jos da Sil-
va, morador no engenho Molinot,
(3 cavallos) dem 42 3,000
Idem.Joflo Francisco, mora-
dor em Sorra-Nova, idem 43 1,000
Pagaran). Rs. 58,000
Contadura municipal, em 8 de Janeiro de
i 850 Uanoel Gregorio da Silva.
O arsenal do guerra' precisa comprar
azeite de coco, velas de carnauba, lio de al-
godilo e pavios : quem taes gneros quzer
fornecer,comparecer na sala da directo-
ra do mesmo arsenal, com sua proposta,
em carta fechada, no dia primeiro de feve-
reiro prximo vndouro.
Aula de obstetricia.
A matricula estar berta desde o pri-
meiro at o ultimo de Fevereiro : as lices
principiarSo no dia 15 do mesmo mez.
Deca racoes.
Bellaca-) dos multados na freguezia do Bcci'fe,
nos (Has 20 e 21 de dezembro. (Almocreve,
mantudos em cavallos carregados e cavallos
sollos.)
1849. A saber :
Dezembro 20.Thom Paes do
Reg, almocieve,morador em Mu-
ribera, por infracco do artigo 15
do titulo 9 das posturas muniej-
piesde30dejunhode!849. fCa-
vallo solt) 1 1,000
Idem.Jos Antonio Paes, mo-
rador em Murbeca, idem 2 1,000
Idem.- Joilo Principe, dem,
dem 3 1,000
I lem.Antonio do Monte, idem,
dem 4 1,000
IdemAmaro Francisco, idem,
idem 5 1.000
I lem Luiz Alvcs, idem, i lem 6 1,000
Idem.Braz Jos do Santa-
Auna, morador na freguezia de
Ipojuca. (Com 2 cavallos e 2 por-
tadores.; 7 2,000
Idem.Manocl Lopes, morador
ni M ra i ij'| e. (Com 4 cavallos
EDITAES.
COMMEK0.
ALFANDEGA.
Itendimcnlo do dia 30.....12:093,879
Descurregam hoje 31.
Barca ingleza Columbus mercaduras.
lia i ca franceza Leunie-- dem.
Barca franceza Zampa idem.
Barca ingleza l'riscilla- tachas e ferro.
Brigue porluguez Maria-tels vi'nhu.
Brigue sueco Zefei taboado.
aica franceza l'ranci papel.
Biigue austraco -- Mir farinha.
Brigue sueco fapid taboado.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, na conformidade do a>t. 288 do
regulamenlo de 22 de junlio de 1836 ; se ha
do a lemaiai em hasta publica, no dia 31
do correnlc, depois di mcio-Jia, porta da
alian le, 89 frascos, com 50 pilulas de fami-
lia cada um, total 4,450 pilulas, a 80 rs.
urna, total 356,000 rs aprehendidas pelo
guarda JoSo Diniz o Silva.a bordo do bri-
gue portuguez Ten tur a-Feliz : sendo a arre-
mataciio livre de diretos.
AlTandega de Pernambuco, 27 de Janei-
ro de 1850. O inspector, Luiz Antonio de
Sampaio Vianna.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, na conformidade do art 288 do
regulamenlo de 22 de junho do 1836, se ha
de arrematar em hasta publica, no da 31
do correnlc, depois do meio-dia. poila da
alfandega, una caixa com viole e tres du-
ziasomcia de humillos de cartas de jogar,
no valor de 4,000 rs. a duza, total 94,000
i a. adiadas de mais na conferencia do ma-
nifest do biiguc francez l-'aber : sendo a
arrcmatacSo livro de diielos.
Alfandega de Pernambuco, 29 de Janeiro
de 1850.O inspector, Luis Antonio de Sam-
paio I launa.
O !!!!. Sr. inspector [da thesouraria di
fazenda provincial, em cumprimento da or-
dem doExm. Sr. presidente da provincia
de 24 lo correle, manda fazer publico, que
nos dias 5, 6 c 7 de fevereiro prximo vn-
douro, i rao a piae.i, peranle o tribunal ad-
ministrativo da misma Ihesouraria, para
ser-m arrematados a quem por menos fi-
zer, os concerlos do jardim Botnico de
Olinda, mMi as clausulas especiaes abaixo
transcriptas, e pelopreco de 726,400
As pessoas que se propozercm a esta ai-
reinalic-j coiiiparegam na sala das sesses
do m.Indito tribunal nos dias cima uien-
cionrdos, pelo m io-Jia, competeutementc
habilitadas.
E para constar se mandou affixar o pr-
senle o publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihesouraria da fazenda pro-
vincial de Peruambuco, 26 de Janeiro de
4,000
1.000
2.000
1,000
2,000
2,000
1,000
1.00o
u 2 portadores ) 8
Idem.Domingos Jos, mora-
dor no engrudo Tamataupc 9
Idem.--Antonio Carlos, mora-
dor em S.-JuSo-da-Malta. (2 ca-
vallos) Idem 10
Idem.Domingos Antonio, mo-
rador em Murbeca, idem II
Mein.--Juan I,Marino de Mello,
morador na freguezia de Po-do-
Allio, por InliaecTo do art. 10 do
titulo 9. Montado a cavallo car-
regado.) 12
Idom.los Tertuliano de Bar-
ros, morador em Orob, dem 13
Idem.Antonio Vieira Braga,
morador no engenho Morojo, pela
mesrna infraceflo 14 2,000
Idem.Antonio Ramos, mora-
dor no engenho Conceico, termo
de N.iziir. ih, por infraccSo do art.
15 til. 9. (| cavallo sollo.) 15
lieni.Manoel Nunes Evange-
lista, morador em Morojo, idem 16
dem.Antonio Francisco de
Azevedo, morador em Uezerros,
idom 17 1,000
Idem.-Francisco Jos, morador
na aix i-Verde, termo de Naza-
reth, dem 18 1,000
I lem 21 .Miguel dos Anjos,mo-
rador em Crussahi, 2 portadores
c2cavallos.) idem 19 2,000
Idem --l.oiiiciieo Rezerra, mo-
rador no engenho Terra-Nova,
Jein
Idem.Vicente l'crrcira de Li-
ma, dem, ilem
Idem.Trajano Jos Leocadio,
morador em Cuarabira, idem 22
ldeu).--Manoo| de Franca, mo-
rador em Ilom-Jardim, idem 23
demManoel Ignacio do Espi-
rito-Santo, idem, dem 24
Idem. Joaquim Jos de Santa-
Anna, morador em Caxoeira, por
infracco do art. 15 do titulo 9.
(1 cavallo sollo ) 25
Idem.Francisco Amaro, mora-
dor ni Caxoeira. (2 cavallos.) 26
dem.Germino Jos do Espiri-
to-Santo, morador no engenho
Pantorra, idom 27
Idem.-Anlonio Pcrera, mora-
dor em Lagoa-Secca, idem 28
rdem.Manocl Francisco, mo-
rador cm Lages, (deve) idem 29
Idem 22. Antonio Barboza,mo-
rador em Hiacho-do-Aralanje 30
dem. Alexandre Gomes Be-
Theatro de S.-Francsco.
Familia Rerleaiix, artistas francezes, sob
a direcco da Sr. vuva Berteaux.
HOJE, QU'NTA-FEIRA,3I l)E jANE|RO,
lera logar a segunda representaco, com-
posta de urna parte da prmeira (a pedido
de grande numero do subscriptores ) sen-
do o resto do espectculo variado de novos
oxercicios.
Ordim do espectculo.
Prmeira parle.
Grande danca de corda tesa, e diversos
passos por madamoisella Jenny.
Mullos pssns ex* rutados pelo joven Gu-
Iherme, companhado por madamoisella
Adelina.
Madamoisella Serafina executar alguns
passos de vigor.
Passos grotescos por Mr. Candot.
Os excrcicios de cadeira, perigosa, por
mademaisolla Berteaux.
Segunda parle.
O carnaval de Veneza, ou as pyramides
rabes por toda a companhia.
Terceira parte.
A tranca hespanhol, danca anti-podal,
execulada sobro o scenario pelo Sr. Ber-
teaux Cadet.
(Miarla parte.
Os grupos francezes, pelos tres rmos
Berteaux.
Quinta parte.
Mu visvel pantomimo em dous setos,
intitulado Oarlequm.
Sexta parlo.
Os jogos scarianos pelo Sr. Berteaux
Cadet, e os jovensCuilherme e Brema ni.
Terminar este brilhante espectculo com
ss posicOes plsticas, ou o quadro vivo
da paixiio du Nosso Senhor Jesus-Christo
em quatorzo quadros por toda a familia
Berteaux.
Os procos da entrada sao os seguidles :
Prmeira ordem.
Camarotes de frente 7,000
lado 5,000
Segunda ordem.
Camarotes do frente 11,000
lado 6,000
Terceira ordem.
Camarotes de frente 5.0P0
lado 4,000
Pialis 1,000 is. Varan.la 500rs.
N. B. As pessoas que pretenderen) ca-
marotes e pialis dirijam-se a este mesmo
healro quoacharilo os cartOas a rend em
m3o da directora.
Principiar o espectculo is 8 horas da
noito cm poni com a chegada deSs. Exs.
BSHHHHBPBHBBB^i^WI"
mesmo quizercarregar, ir de passagem ou
embarcar escravos, falle com o capilo
Francisco Jos Prates, ou com Manoel la-
nicio de Olireira, ni praca do Commercio
n. 6, primeiro andar. ~ '
Vende-so urna barcuc de lote do 25
caixas de assucar, construida ha 3 annos
das melhores madekas, ou Iroca-se por mi-
tra menor do igual construccSo : abarcara
acha-se prompta de um tudo para navegar :
quem pretender um ou outro negocio, di-
rija-se ra da Cadeia do Recife, a fallar
com Jos Gomes Leal.
Precisa-sede um navio para carregar
165 caixas, 3 feixos e 101 saceos com assu-
car, e 30 couros para Falmouth, pararece-
ber ordem, e vindas doMaroim na galiola
hamburgueza Carl-Adolph, aspilSo N. Fick,
arribada a este porto, e legalmeute con-
demnada: os pretendentes queiiam com-
parecer lio consulado dettamburgo, na ra
da Cruz, n 4, quinta-feira, 31 do corrate,
ao meio-dia.
Para a Babia sahe, na presente sema-
na, o brigue-escuna Laura i pode receber
Iguma carga miuda, ou passageiros: tra-
la-so com o cap (So a bordo, ou com No-
vaos & C., na ra do Trapiche, n. 34.
--Para Lisboa pretenda sabir com a maior
brevidade possivel o brigue porfuguoz No-
vo-Vtnctdor, por ter grande paite de seu
carregameuto promplo : para o restante e
pusageiros, para o que offerece oxcellentes
commodos. Ira la-se com os consignatarios,
Thomaz de Aquino Fonseca & Filho; na
ra do Vigario, n. 19, primeiro andar, ou ao
capilo, na praca do Commercio.
Compra-s un navio, patacho, brigue
ou polaca, sendo de boa construccSo c
promplo a seguir viagem, devendo carre-
gar pura cima do 2,500 saceos, e que uo
demando mais de 15 palmos pouco mais
ou menos : a tratar ao lado do Guipo San-
to, loja de cabos, de Miguel Antonio da Cos-
ta e Silva.
Para Loauda com escala por Mossamedes e
Benguelia
a barca braslera Tentativa-Feliz seguo para
lodos estes portos, e se acba prompta a re-
ceber carga e passageiros : as cummodida-
des que a mesma olerece, j silo bastante
condecidas nesta praca, e para inelhor des-
engao os pretendentes podero ir a bopdo
da mesma que se ach Tundeada defronte
do Trapiche-Novo, e para Iratar, na ra da
Ma-ire-de-Deos. n. 3, com Silva & Giillo,
quo prelendem faze-la seguir at olini do
fevereira prximo futuro.
Para o Aracaty pretende sahir om pou-
cos dias a sumaca Carlota, por so adiar
com tres parles da carga a burdo : para o
restante da carga e passageiros trala-se
com o mestre, Jos Concalves Simas, ou
com Luiz Jos de S Araujo, ra da Cruz,
n. 33.
Para o Rio-de-Janero partir, com
muita brevidade, o patacho brasileiro For-
tuna, de lote de seis mil arrobas: tem me-
lado de sou carregameuto engajado : para
o restante tratn-se com Firmino Jos Flix
da Rosa na ra da Senz-.lla, n 42.
Para a ilha de S.-Miguel segu via-
gem com brevidade por ter parle de aeu
carregamento promplo, o brigue nacional
F.spirilu-Saiito, capilo Alexandre Jos Al-
ves : para carga e passageiros, u alase com
Francisco Martins Ferreira, o largo do
Terpo, n. 139.
Le loes.
J0
21
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
2,000
1,000
1,000
1,000
1,000
Kcparlicao da polica.
Illni. e Exm. Sr.Segundo as partes boje
r.'ceidas nesla reparlicSo, loraui lmnle.ni
presos : minha ordem. Fiancisco Antonio
Tavarcs, para averiguares pociaes : or-
dem dosubdelegado da freguezia de S -
Frei-Peilro-Gnncalves, a parda Rozalina
Maria (JaConceicSo, por ge lomar suspeila :
ordem do subdelegado da freguezia de S.-
Antonio,Florencio Jos Concalves,o oescra-
vo Pedro, por corrcccSo : do subdelega-
do da freguezia de Murbeca, o Indio Jos
dos Anjos, porcrime de offensas pliysieas.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da
polica do Pernambuco, 30 de Janeiro de
1850.Illm. e Exm Sr. Honorio llermto
Carneiro Lefio, concelheiro de estado, pre-
sidente desla provincia. Jos Nicolao Be-
gueira Costa, chele do poiicia interino.
Avisos martimos.
Para o Rio-Gran Ja do sul sahe, at o
dia 7 do corr.ente, o palacho Dovt-lrtndos:
recoba algumt carga escravos a frete, o
lem rot.modos para passageiros : a tratar
na ra do Trapiche-Novo, n. 6.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com.mula
brevidade o briguo nacional Minina, para
oque tem grande parte do carregamento
prompta : quem no mesmo quzer carregar
ou ir.de passsgem, dirija-se ao seu consig-
natario, Francisco Alves da Cunba, ra do
Vigario, n. 11, primeiro andar.
Para a Parahiba sahe por estes quatro
dias a polaca N.-S.-do-Carmo : quem quzer
carregar ou Ir de passagem, dirija-se ao seu
consignatario, Fiancisco Alves da Cunta,
ra do Vigario, u. II, primeiro andar.
Para u Rio-de-Janeiro segu com bre-
vidudo, por ter parle da carga prompta, o
brigue nacional Doui-Amigos: quem no
NO. Bieber & Companhia faro leihlo,
por interveneflo do corretor Oliveira, em
presenga do Sr. cnsul de llamhurgo, e por
conta e risco de quem pertenc t, da galiola
bamburgueza CarJ-^rfo/pA, capitao N. Fick,
rribada a este porto, ondo foi legalmente
condemnada, na sua recente viagem proce-
dente de Maroim com destino ao Canal In-
glez, para onde seguia como seu carrega-
mento do assucar: sexta-feira, I." de Teve-
reiro, ao meio-dia em ponto, porta da as-
sociaeflo commercial desla cidade. Adver-
te-se que o casco da dita galera, sua mas-
treaeflo e apparelho completo, tal qual se
acha actualmente fundeada neste porto,
defronte do Trapiche-Novo, onde os preteu-
lenles pJein examina-la com anticipaco,
furmario um nico lote, e dito correlor
igualmente mostrar o respectivo inventa-
rio quelles, que em seu rscriptorio quize-
rem v-Io, para seu governo.
Russell Mellors&C. farlo leilo, por
interveneflo do corretor Oliveira, de grande
sorlimeiilo de fazendaa ingle/as, as mais
proprias do mercado: segunda feira, 4 de
fevereiro, s 10 horas da inauhfla, no seu
armazem da ra do Trapiche-Novo.
Avisos diversos.
Fabrica de asplialto, Fo-
ra-de'Porlas, cm fren-
te ao cliafariz da rua do
lirum.
O proprietario tem a honra de annunciar
ao respeilavel publico esta composico an-
da nflo condecida nesta cidade, o que se
acha promplo a trabalhar em toda a quali-
dade de obra que admita a massa denomi-
nada asplialto, como soja ladrilhar casas
terreas, te ira eos, armazens, passeins de
ras, igrrjas, lauques, ele. Esta composi-
Clo he forte como a podra e de grande uti-
lidade, desviando de si o damninho copim
o os ratos, o olTerecendo mais a vantagem
de ser moito saudavel para as sennoras,
pudendo sem recei) algum scntrem-se
sem que Ibes seja precisa alcatifa. A mos-
macomposicHo admiltacnrns embutidas o
flxas, podendo-se lavar sem que largue as
cores. Assim Ismbem se f-.i flores de cores
ede pedra, ele. O propietario est muni-
do de toda a ferramenta, um bom meslre da
arte o gente bem habilitada no dito traba-
Iho, como pode mostrar com obra j feila
nesta cidade. Para tratar, dirijau-se ao
lugar cima mencionado
-- Precisa-so de urna preta captiva para
ama du urna casa eslrangeira, que saiba
engommar : na rua do Trapiche, armazem
n. 44.
No dia 31 do corrente, depois da audi-
encia do juizo dos orphilos, tem de ser ar-
rematada, a requerimentoda viuva de Luiz
Ignacio RibeiroRoma, a loja de livros e ar-
iiiaco, sita no largo do Collegio, n. 2, no
valor de 7.797,890 rs., para pagamento dos
(redores de seu casal: os licitantes compa-
r'oui na dita loja no dia indicado.





BOWMAN & MC. CALI.UM, engenhei-
ros machinistiis 6 fundidores do ferro, mu-
respeilosamenle annunciam aos Senliores
proprietanos deonganhos, fazendeiros, rai-
nciros, negociantes, rubricantes e ao res-
peitavel publico, que o seu estabelccimenlo
da ferro movido por machina de vapor con-
tina era efTectivo exercicio, e se aclia com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualldade para a perfeita confeccao
das mniores pecas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
atlencao publica para a sseguintes, por
terem dellas grande sortimentoj prompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdom
competir com as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em prego como em qua-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machines de vapor da melhorconstrucgilo.
Moendas de canna para enge'nhos de lo-
dos os tamaitos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra
risa.
Manejos independenles para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzes e chtimaceiras.
Caviltides e para fusos de todus os tama-
nhos.
Taixas, paros, crivos e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a m3o ou
por animaes, c prensas para a dita.
Chapas de fog.lo e frnos de faTinha.
Ganos de ferro, torneiras de ferro e do
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mito, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades cp'ortOes.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Cantas, carros do mfio e arados de ferros,
etc., etc.
AIi'mii da superioridade das suas obras, ja
geralmente recoiihecid, Itovvman & Me.
Ciillum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remettidos
pelos senliores que se dignarem de fazer-
lliesencommendas, aproveitandoa occasiilo
para agradeccrem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nSc pouparflo esforgos e diligencias
para continuaren! a merecer a sua confl*
anga.
Precisa-sede urna ama para casa de
pouca familia : na ra do Hangcl, n. 52.
Aluga se urna excedente escrava, fiel,
que satic cuidar no assio de iinn casa, ves-
tir urna senhora e tratar de criangas com
toda caricia: quema precisar, dirija-se
ra do Hospicio, sitio n. 8, junto da viuva
Roma.
D-se, a quem precisar, urna porcilo de
lijlos quebrados : na ra do Queimado,
n. 40. ou na praca da Independencia, n. 22.
O artista offleul de pedroiro, Joaqun)
Lopes Perelra Guimarfles, leudo-Uto ja
acontecido por tres vezes ser usurpado o
scu trabadlo por tres Brnsileiros, donos de
obras, o mesmo Iho acaba de suceder no
lia 29 de Janeiro de 1850 com outro Brasi-
leiro : por isso avisa aos Sf hs rollonas, com
a excepeflodeum outro Brasileiro honra-
do, quo s se pode trabalhsr, comando com
a paga, aosestrangeiro.
Precisa-se alugar urna oscrava eozi-
nheira, para um estrangeiro sem familia :
na ra do Trapiche, n. I*.
-Precisa-se de urna casa pcrlo da Roa-
Vitt, para um estrangeirosem familia : na
ru do Trapiche, n. 14.
No pateo do Terco, n. 8, ha urna osera-
va para alugar.
Francisco Paulino Cabral, Portuguez,
retira-so para Lisboa.
Na ra das Cruzes, n. 40, taberna de
Domingos da Silva Campos, ha superiores
bixas Je ILimburgo, que se ven loitt e Um-
hem so alugam, tanto em porfo como a
retadlo, por prego commodo.
--Precisa-sede um homem para t'aba-
Ihar e ser feitorde um sitio aquuna prrea :
na segunda casa passando o quarlel do Hos-
picio.
Na ra do Fogo, n. 32, precisa-sc de
urna ama capaz, para urna casa de pouca
familia.
-- Alugi-se urna casa terrea na ra Bella,
cam 3 alcovas, 2 salas, cozinha fura, quin-
tal e cacimba : a tratar na ra do Collegio,
n 15,81'gundp andar.
Aluga-se un moleque quo seja capti-
vo, pira o servico interno de urna casa es-
tiungcira com pouca familia: na ra do
Trapiche-Novo, n. 8.
-Na cavnllarice, junto ao Motel-Com -
mercio, alogam-so bous cavallos para pas-
seios e viageus assim como tambom se
vendem alguus. No mesmo a para vender
sellius inglezes, francezes o da Ierra, si-
lbos para senliora. lauto cm uso como em
ni ii uso, com arreius ou som riles.
Sempre que o habitantes
desta capital receiam que a clera
divina, provocada pelas reiteradas
c graves culpas da mor parte del-
les, esprepara a feri-los niot tal-
mente, ho invocado com succes-
sp o patrocinio do milagroso San-
SebasiiSo, fielmente represent-
dmela respectiva imagem erecta
na matriz do Santissimo Sacra-
mento da Boa-Vista, firmados na
experiencia de longos annos a me-
sa regedra da rmandade da mes-
na matriz teve a feliz lembranca
de farer trasladar a referida ima-
gem, no da 20 do corrente, para
a igreja de San Goncalo, e tencio-
na reconduii-la para scu nicho ha-
bitual a 4 de fevereiro prximo
futuro com a solemnidad*; devida
a lfio insigne intercessor dos pec-
cedores. lieleva, pois, que, du-
rante a estada da mesma imagem
em o segundo dos mencionados
templos, todos os fiis christaos
Ibe v5o enderecor lervorosas sup-
plicas pela desapparicao dos ma-
les que nos afligen), bem como
aos domis liabitsntcs deste im-
perio ; e que, no dia aprazado pa-
ra a sua volta, o vao acompanhar,
em testcmunho de gralidSo pelos
beneficios que elle necessariamen-
te Ibes ha de outorgar.
Lotera da matriz da Boa-
Vista.
O respectivo thesoureiro, Manoel Gonca-
vel da Silva, pretende nfio illudir a expec-
tagflo do publico com annuncios importu-
nos do andamento das rodas desta lotera ;
esforgar-se-ha quanto coubercm suas fr-
cas para com a possivel presteza annunciar
0 dia, alcm do qual nSo deveri passar a es
peranea dos" compradores ; porque enlende
que a cssa illusao em que alguus teem po>
ve/i -s deixado o respeitavel publico, si de-
ve essa especie de descrdito, quo lano
lem demurado o andamento das nossts lo-
teras ; por isso limita-so por ora a annu-i-
ciaravenda dos bilheles, e a extrahi-los
com todo o empenhu, alim de poder asse-
guraraos compradores o dia em que deve-
r ella imprelcrivelmente correr.
A vanlagem do plano j publicado o ofm
religioso para quo fui esta loleria concedi-
da, convida e seduz os tentadores da sorte
a concorrerem sem demora para a compra
dos iiu ni rus que Ibes preparam a suave
acqusigno de hens da fortuna, sem risco
de grande capital, e cum o importe smen-
te da diminuta quanlia de 5 ou 10,000 rs
por poucos dias.
Desde j achar-se-hao os billtetes: no
Recife, lujas do lliasoureiro e do Vieira
cambista ; om S.-Antonio, botica de Jofl
Mureira Marques, no palco ila Mal i', e de
Francisco Antonio das Chagas, na tua d .
L'vramenlo ; loja de llernardino Jos Mun-
teiio, praciuha ilo Livraiuento, n 41 ; no
Aterro-da-Boa-Visla, lujas do Cuimares,
n. 44. e de liuarte Uorgus da Silva, n. 18.
*
DEPOSITO GEHAL
2 do superior rap areia-prsta a
0 da fabrica de Gantois Pai- $
IhetoC Companhia, na Ba- jjj
1,i hia. ()
*4 Domingos Alvos Malhcus, agente da |
fabrica de rap superior areia prcla 3
e meio grosso da Bahia, tem aberto o fl
sen deposito na rtia Cruz, no Recife :a)
n. 52, primeiro andar, onde se acitara f
sempre deste excellente e mais acre- 81
dilado rape que at o presente se tem t
fabricado no Brasil: vende-se em DO- @
tes de urna e meia libra, por preco *
mais commodo do quo em outra qual- 0
4>| quer parte.
Na ra da Cadcia-Velha do RecTe, n.
51, segundo andar, ensina-se. latim, rbeto-
rica c pliiliisupbia, com lodo desvelo eper-
fcirjilo, por pessoa dealgum nierecimento,
que so oflorece a quem queira.
Sfe Chapeos de sol. %
Rtia rio Passeio, n. 5.
Nesta f.ibiiea ha presentemente um rico
surtimenlo (lestes objectos de todas as co-
res e qualidades, lauto de seda como de
panninho, por precos commodos ; ditos pa-
ra st nltoras, de bom gosto : estes chapeos
sito feitos pela ullim.i moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retro?. Na mes-
ma casa se cha igual sortimento de sedas,
e panninlios imitando sedas, para cobrirar-
macOes servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se a porgo o a retalho: concertam-se
quaesquer chapeos do sol, tanto de basteas
de ferro como de lialeia, assim como umbe-
las de igreja : ludo por preQO commodo.
.Ilobilias de njuguc!.
Alugam-se c-idciras para bailes e ollicios ;
tambem se alugam mubilias a vontade dos
pretendentcs : na ra Nova, n. 59, arma-
zem de trastes, defronte da ra do S.-
A IIIII MI.
- Quem precisar de urna ama de leite, a
qual nao lemlilhos, tem ptimo leite e he
muito sadia, dirija-se a ra da Ruda, no so-
brado onde estiveram os expostos, na luj
junta a escada.
Achn-sc competentemente habilitado
para ensillar priineiras leltras e grammati-
c latina, um moco, o qu! ensina em casas
particulares, por preco commodo : quem
protender dirija-se ra do Araglo, n. 19,
quo adiar cum quem tratar.
I'rccisa-se aluger um prcta cozinbei-
iii para una casa estrangeira sem familia t
na rua do Trapiche-Novo, n. 14.
-- U professor do rlieturica do collegio
dns artes avisa a quem convier que est
.berta a matricula ; o que as pessons que
quizerem frequentaro anuo lictivo, devem
comparecer inscrever-se, na rua de Ma-
Ihlas-Ferreira. sobrado confronte a igieja
de S -Pedro-Novo, cm todos os dias ulois.
No boliquim da ('.ova ila On(a, rua
do Itozario larga, u. 34, procisa-se Jo un,
moleque ou pictupara o servico do mes-
mo, ficiim.'o osenhor uu senliora responsa-
veis pelo mesmo.
--Jos Vorissimo de Azevedo deseja fal-
lar com Sr. Dr. Vascurado a negocio de scu
inleresse.
-- liflo-9e 450,000 rs. a premio com pe-
nhores, ou com Armas b contento, variando
o premio de una outra transaecflo, pelu
lempo que se cunvencionari na rua Augus-
ta, sobrado junto ao utajor Kuller, do ma-
nhila ou a tarde.
- I'rccisa-se alugar um moleque, men
salmenle, para trubalhar neala cidade .coa
um cavado e um preto canoeiro : na Ira-
vessa da matriz de S -Antonio, n. 10.
-- Na ubra do hospital Pedro II, no lu-
gar dos Coclhoi, prcc:si-se de serventes
forros ou captivo: a tratar na* mesma obra
com o administrador.
Precisa-se atusar urna prota quo lave,
engomme e faija toJo o mais servido de
urna caza, tanto interno cu no uxlorno : na
rua Imperial, as Ginco-Ponlas, sobrado
do Peixoto.
- Aluga-se um andar do sobrado da rua
da I'enlia, ou o primeiro ou o sogundo an-
dar, conforme o pretondenle quiz-r : a tra-
tar na rua do Cabug, n. 1, loja de Guima-
res.
--^llugam-se escravas quitandeiras: na
rua lo Collegio, n. 13, das 10 horas da ma-
nha s 3 da tarde.
Trapassaru-se as chaves do armazem
de urna s porta da casa da rua da Praia,
ru 31 com todos os seus pertences, pro-
prio para principiante : a tratar na mesma
rua, n. 26.
-- Traspassa-se o arrendamento de um
engenho perto desta praca, com safra para
90Oa1,O0O pues, 20 animaes de roda e 8
bois mansos : quem pretender entenda-se
com Joaquim Carneiro Machado Ros.
Precisa se alugar urna preta que saiba
lavar, engommar e tfbser, para urna casa
ostrangeira : na rua do Torres, n. 34, das
II horas ats3 da tarde. Na mesma casa
tambom se precisa alugar um preto que
entenda do servido interno, e saiba tratar
de cavallos.
Aluga-se um sitio com cisa grande,
que leiilia commodos para grande familia,
e que touha portlo fechado : prefero-se do
Mondego at a Ponlo-dc-Ucha : a pessoa
que o liver, dirija-se o Aterro-da-lioa-
Vista, n. 45.
Precisa-so de urna ama de boa conduc-
ta para cozinhar cm casa de un homem
solteiro : na rua da Cruz, no Recife, n. 49,
loja.
Urna parda moca e robusta so offere-
ce para lodo o servico interno de qualquer
casa : quem a prelcnd-r dirija-se rua da
Scnzulla-Nuva, u. 18, luja.
Garlos Claudio Ticsse, fabricante
de orgiios e realejos, na rua das
Flores, n. 19.
Avisa o respeitavel publico que concerta
orgflos e realejos, pOo marchas modernas
deslo paiz, concerla planos, saralina, cai-
xas do msica, acnrdons e qualquer instru-
mento que appaieca ; tambem la/, ulnas no-
vas e alia pianos em casas porliculares. Na
mesma casa so lazem caixas para guardar
joias, por preco commodo.
Alu-a-se urn moleque para o servico
de urna casa, o qual sabe cozinhar o diario
da mesma: quem o pretender dirija-se
praQa da Independencia, n. 3, luja.
Ao publico.
Furtaram, ou fugiram do estaleiro do Sr.
Joflo do IfritoCorrcia, defronte da ribeira,
5 paos do jangada embonados, com gros
sura de tres e meio a 4 palmos : quem
delles der noticia, dirija-so a mesma rua,
serrara do Cardial, que recompensar. Na
mesma serrara veudent-se pedias para fil-
trar agua : traste este mui necessano para
as agoas do encanamento.
Olfercce-so um yaixeiro para padaria,
cia para sempre : para esto flm, procura-se
na praQa da Indepnidencia, livraria ns. 6 e
M, e na rua doQjoimado, n. 25, loja de niiii-
dezas.
Na rua Nova precisa-si de um caixeiro,
de 14 a 18 anuos, o qual d fiador sua
conducta.
Fabrica de funileiro.
Na rua Nova, defronto da Concoiciio, pre-
cisa-se de ofliciaes do mesmo ollicio : pa-
ga m-se bem, sendo peritos.
F. II. Lullkenstem o seu escriptorioe
armazem, na rua do Trapiclie-Novo, n. 1i.
A matrcula d'aula de philosophia do
collegio das artes est aberla di lioje al o
f i na de margo, em a casa da roJidencia do
respectivo professor, em Oiinda, rua de S -
Pedro-Novo, 11. 2.
Precisa-sede um caixeiro para urna
taberna, do que tenha pratica : na rua lar-
ga do Itozario, n. 37.
_ O Sr. Joaquim Jos da Silva queira ir
tirrseos penhores que lem em mflo de Do-
mingos f ir rozo de Souza : istono prazo de
15 dias ; do contrario, tem de os vender pa-
ra seu pagamento, o quu se Iho faz ver pa-
ra seu governo.
Ruga-sc a qualquer pessoa que tiver
achado urna jaqueta branca com 2 longos de
seda, um Ululo, una ceitidoo de idade, um
annello com a legenda azul--grato e
um butilo de 011 ro de ab;rtura de camisa, o
obsequio do entregar no boceo da l.ingo-
ta, n.2, quo ser iccoinpensado.
-- Uuem precisar de urna ama para casa
de um homem solteiro, ou que tenha pou-
ca lamilla, a qu .1 sabe cozinhar e engom-
mar, dirija-se defronte da ribeira do peixe,
n. 3.
Precisa-se alugar urna cas terrea na
freguezia de S.-Antonio, comquinlal e ca-
cimba : na rua do muro da l'enlia; casa das
afercOes.
-I'in moco casado quo entondo perfei-
tamenlo a lingoa franceza, pela resi len-
cia do muitos annos quu fe/, em Franga, se
propflea ensint-la Itera cora 1 marcena-
ra, de que tem grande condec ment cm
qualquer engenlio : quem dj seu preslim-j
se qujierulilisar, dirija-se a Camboa-do-
Carmo, n 8, das G horas da mantilla s 6 da
larde.
Precisa-se alugar 4 escravos, mensal-
mente : paga-se bem : na rua do Sol, n. 15.
Pessoa alpnma faga Iransicg.lo com
urna letlra de 150,000 rs. sacada por Filia-
pe Lucio T"ixfira Gavalcante, por ter sido des
cncaminhada da niilo do saca lar, e se adiar
prevenido o aceitante para a nflo pagarse
n5o ao proprio sacadur.
Desnppareccu, no ilia 23 do corrento,
da rua ila Cruz, no Recife, da porta da ta-
berna do Manuel Jos Coireia, urr poldro
ala7flo, rom ossignaes seguintes : sem mu-
da alguma, com tres ps calcados, urna es-
trellinha na testa, um signal 110 belgo su-
perior, signa! encoherlo, com o ferio MI
julna-seter fgido : quem o pegar love-o a
dita taberna, quesera gratificado.
Retratos.
Cincinato Mavignier, retratista, leudo
nos, e queda fiador a sua conduele : quem
precisar dirija-se a rua da Senzalla-Velna,
n. 96.
Aluga-se a excellente casa pertencen-
te ao ICxm. Manuel de Carvaliio l'aes de
Andrade, sila dentro do sitio do mesmo
Ex ni. Sr. no Corre lor-do-Ilispo : os pre-
tendentes dirijam-se ao Corrctor liveira.
do que j teve pratica, de idade de 12 au- I merecido sempre do benigno publico toda a
proteccSo, pretende em signai de muita
gralidiocontinuar a retratar com lodo o
esmero possivel aquellas 1 essoas que a esse
Um se propuserein, promellondo a boa exe-
cucao em ludo quanto se requer, para apro-
vacito geral do mesmo publico, a quem sera
eternamente grato. O annunciaiile declara
que vai abrir una gran lo aula de desenlio
e pintura a pedido de muitos de seus ami-
gos, p para esso lint, aquellas pessoas que
se quizerem utilisar de seus traeos ensinos,
poderflo dirigir-se a travesa do Carmo,
n. 1, segundo ailar, das 10 lloras da 111a-
nhfiais4da tarde.
O hacha re A. 1\. de Torres
Bandeira, professor adjuncto de
rhetorica e geograpiSia no lyceu
dest.i cidade, se prope a dar li-
coes dns mesmas disciplinas, e
bem assim de philosophia e fran-
cei : quem de seu prestalo seqtii-
'* 1
J: MoJo ass'ci ido c econmico |
para alumiar urna sala.
3 lie reconbecido que o gaz bydroge- |JJ
i neo liquido de todos os couibuslivcs
B que se empregaram al bojo para ah- &
miar-se, he o mais econmico, mais Sj
S asseiado, e que d a luz mais bri- '
%i lliante. (is arranjns dus candieiros p
' de gaz sito mui simples, e n.lo se en- 9
% contram nelles os inconvenientes i
Uj que a cada instante apresentam os de A
rj; azeilc. Os amadores do gaz acbaio i...
sempre cm quanlidade sullicienle, e ig
Q de boa qualldade, na deslilagflo fran- |2er ulilisar, pode dirifiir-se Casa
i ecza da travessa da Concordia. | ..,_.,
de sua residencia, na rua estrella
1 m
O padre Francisco Jolo de Azevedo
participa aos pais de seus alumnos e a
quem convier, que se acham aberlas as au-
las do seu estabeleciniento no segundo so-
la
do Hozario, sobrado n. 4' segun-
do andar.
-- Alfonso Jos de Oliveira, profossor ju-
bilado na raleia de geographia e historia
brado do caes do Ramos, onde tambem re- do lyceu desta cidade, propone a en,ina
cebe pensionistas emeios penaionislas, gramn.alica latina, rholunca e geographia .
prometiendo desvelar-se no tratamento dos "S pessoa que de seu presl.mo se quizo-
ce I;
pro 1:
alumnos que frtrein confiados" a sua direc-
go, e promover o adianlamento dos mes-
mo*.-
No Aterro-da-Boa-Vista, n. I, precisa-
se do unta preta para o servigo de casa.
Relira-so para a Bahia o prtto forro
Joaquim, de nagSo Cus.
D. \V. Itaynon, cirurgiSo denlis-
^"'"-r^^. la' "a rua do 1r8Piche-Novo, n.
'J'JrrTTT i4p respeilosaniente inl'01 mu ao
publico que, pelos seus muitos'afazeres, se-
r obrigado a demorur-se mais algum tem-
po nesta cidade, antes de sua retirada para
os Estados-Unidos, e oflerece seu prestimo
para toda qualidade de operagOcs dentaes,
para ponientes novos, tanto singelos como
dentaduras inteiras, chumbar denles com
uuro eprata, conformo as ultimas desco-
bertas nesta tera.
OsSrs. que deram alguns livros para
encade-mar na rua estreita de Itozario, 11. 4,
lenbam a bondade demainla-los buscar
al o dia 5 de fevereiro prximo futuro.
Na rua estreita do Itozario, n 4, exi;-te
una caria para ser entregue ao Sr. Dr.
Amaro Csiiieiru Bczerra Cavolcauld.
Dao-se 400 ou 500,000 rs. a premio com
hypolheca e.n alguma rasa lerrea sita nes-
ta cidade : na rua do Stho, u. 8, a quaquer
hora do dia.
Avisa-sa aos fiis devotos do Sagrado
Coragflo de Mara, quo na igreja da Madre-
di -Uros, no dia 2 de fevereiro prximo fu-
turo, de madrugada, se collucar um simile
do mesmo corag3o no altar de N. S. da Sa-
do ,* assim como tambem se benzer a cera
que apresentarem os fiis, segundo as ins-
liluiges da santa igreja nesse dia.
Fassaportes.
Tiram-se passaporles para dentro e fra
do imperio, correm-se folhas, despacham-
se escravos e tiram-se ttulos de residen-1
rem ulilisar, | dojn procura-lo na rua D-
reila, 11. 120, segundo andar.
Um preto cscravo, de nomo Patricio,
(inicial de podreiro, que fui escravo do (na-
do marqtiex do Itecife, bu poucos das fugio
do casa, e consta que aula pelos engenlios
do Cabo Irabalhando. O dito preto he alto ;
tem cicatrizas no pescogo do alpoicas ; le-
vou camisa de cbila azul : recommeinta-se
a quem o vir de mandar a sou senhor, Fran-
cisco Cavalcanlo de Mello, no Monleiro, 011
na rua das fruzes, n. 18, terceiro andar, ou
a entregar ao Sr. Manoel Figueiroa do Fa-
lia, na iiari ila Independencia, lis. 608.
Agencia de passaporles.
Tiram-so passaporles para dentro e fra
do imperio, e correm-se folhas com preste-
za : na rua do Rangel, n. 57, sobrado de
um andar.
O professor de latim da freguezia de
San-Jos do Recite, nuaixo assignado, faz
sciente ao publico que dar cumego ao
exercicio da aula de grammatica latina da
mencionada freguezia no dia primeiro de
fevereiro prximo futuro : quem se qui-
/er matricular, ilirija-se rua Augusta,
11. 54. -- Manoel Frtincitco Coelho.
-- Aluga-se o armazem da casa 11. 52 da
rua da Gru : a tratar no segundo andar da
mesma casa.
I'erdeu-se, da Cruz-dn-Almas, pela es-
trada dos Afilictus, al a rocn ira do Pes-
soa, unta cu 1 mi de lu taruga, com aros de
ouro, cuma chapa sobre o lampo, lendo
un linna com os lettrasG. T. C. e V. Ro-
ga-soaquema ucbou, querendo restituir,
leve-a tua Direila, n 112,ou na travessa da
Cruz-do-Almas, ao escnv&o Vasconcellos,
que recompensar
Compras.
Compram-so escravos do ambos os se-
xos, do 10 a 40 annos : pgam-se bem : no
pateo do Carmo, n. 18, primeiro andar.
Compra-se calcado feito na trra, para
homem, sonhora e meninas, de todas as
qualidados : defronte do nixo do Corpo-
Santo, na loja nova sita na esquina da tra-
vessa que vai pan a rua do Vigario. Na
mesma loja se vendo a retallio sol.a, mar-
roquins, bezorro, couro de lustro, couros
de cabra em branco e lintos.o todos os mais
prepares para oofflcio de sapateiro.
Compra-su una casa terrea para pe-
quena familia, com quintal e cacimba, o
que nflo seja muito distante da rua 00 U*
vramento, cujo preco n3o exceda de 800/:
no Atcr.o-da-Boi-Vista, n. 36. primeiro an-
dar, ue mandila aodo ou a t3rde, ou aunun-
cie.
Cqmpra-se o Diccionario inglcz de
Vieira^m formato grande; Historia ro-
mana em inglcz por Goldsmith ; a polka
americana copiada para piano : na praga do
Corpo-Santo, n. 2.
Compra-se um cavado com andares
na ruada l'enlia, casa das aforigOes.
Compra-se um sellim em bom uso;
bem como um quarto, sondo novo, e com
alguns andares : na taberna da esquina, n.
52, delronte da igreja dq Ruiario, ou an-
Duucie.
Compra-se um diccionario portuguez
de Constancio, da ultima edicc.5o, cm bom
estado: na rua da Cadeiarn. 1.
Compra-se urna canoa dn carreira, la
un s pao, usa la, mas om bom estado, e
que. seja mancira, de modo que qualro ho-
mensa possam transportar para qinlquT
parte : quem tiver aniiU'icie por esta folln.
Vendas.
Lotera do Rio-de*
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na praga da Independencia, n. 4, ven-
dem-so nilioles, rneios, quartos, oitavose
vigsimos da primnira loleria da Miscricur-
dia deSan-JoBo. Ni mesma loja so musir
alistada 12." lotera do Nictlieroy, c tam-
bem se receben! bilhetes premiados em tra-
ca dos que lem venda.
Livrs cm branco.
. Vendein-'se livros em branco, de 100 ;
300 folhas, de ptimo papel, muito fortes
e com as ponas chapeadas de m^tal : na
praga da Independencia, livraria ns. t o 8.
Haya Hamos & C., com
loja na rua Nova, n. O,
aeaham de recnbor um completo o variado
sortimento de fazendas francezas do me-
Ibor gosto o quali lade possivel, e que pro-
mettem vender por menos do que om ou-
Iro qualquer parto : as l'azen las siin as se-
guintes: riquissmos bicos de blnnde, tan-
to largos como estreitos, bem alvos e do
bordados feitos com o maior cuidado e
gosto ; serpentinas bromeadas com 5 lu-
zes* cada urna e com suas competentes
mangas lanlernas de p de vidro, tanto
grandes como pequeas; ditas de p bron-
zeado, muito liakas o rroprias para quem
, escrevo o esluda de noite ; p de casqninba, que serveni para piano; cha-
I eos de puliia alici t. c fech ida, para senno-
ra ; ililos enfeitadus blancos, pretus e par-
dos para meninos; mias de seda para me-
ninas de un anuo al 5; chales de seda;
mcius chales ; lenges e meios ditos, ludo
de muilo boa seda e de padres os mais mo-
dernos ; mu lindos jarros de porcellana
dourada que seivem para so botar flores
naturaes; veos pretosdo seda de todos os
lamanlios; sarja preta ospanbola ; s'tim
macan ; sodas pretas c brancas para ves-
tidos ; Uivas de pellica brancas e amarellas
para homem, as quaes podem-se comprar
sem receio de so estourarem, porque silo
feiUspplo mais acreditado fabricante de
luvus ; luvas de pellici enfeiladas para se-
nliora ; ditas curtas, pelo diminuto prego
de 1,280 rs. o par; saputos de couro de
lustro para senliora, pelo baratissimo pre-
go de 2,000 rs, o par ; luvas de camurga pa-
ra militares; penuas de varias cores, pro-
prias para enfctaraiijos deprncissfio ; cha-
pos de merino preto e de muito lindas for-
mas .- ditos de massa franceza ; caixas com
todos os preparos para Darba, de varios
tamaitos e diversos pregos ; o verladeiro
couro de lustro francs ; chapis de pal lia
da Italia, dobradpi e singlos para homem;
caixas para sabilo, escovas, frteiras, tin-
tenos ilourados, chicaras e pires, ludo de
pur.-i II n 1 douiada; liacias.j.irros.caixinhas
para escovas. ditas para stbio, ludo de vi-
dro lapidado efeito com muitu asseio o de-
licadeza ; castigues do vidro e do casqui-
nba una ; bonecasmui bem vestidas; coi-
fas pretas pura criangas de um mez al um
anno ; caixinhas com ferro de limpar den-
tes ; pontea do tartaruga para prender ca-
bellos ; ditos para manafas; espartiUios do
verdadeiro panno de linlio bem clieio de
baleias, no esquecendo a halcia larga da
frente ; jogos da xadn-z, damas e domin ;
litas lavradas para chapeos; cinleiros e
gravatinhas ; perfumaras; borzeguins pa-
ra senliora ; sapa tos despalillo para homem
o senliora ; marro (uns r5 espedios do pa-
rede ; jugos do vispora, pelo baxo prego
de 1,280 rs.
Vinlio de Bordea 11 x,
das mais superiores qualidades ; l*em como
vinho de Champanha da nova marca estrel-
la, j muito apreciado, tanloaqui como na
F.urnpa : vende-se em casa de Kalkmann
Irmilns. na rua da Cruz, n. 10.
Vende-se urna corrente para senhora,
inedalltas, anneles, cordOes, brincos, 2 re-
Ingins, e nutras obras de ouro, um par de
casligaes de piala e oulrasobras de prata :
na rua estreita do Rozario, n 28. segundo
andar. Na mesma casa se dir quem da di-
nheiro a premio.
Vendem-se bustos de gesso represen-
tando fielmente a rainba Victoria e o prin-
cipo Alberto ; relogios de ouro e de prata,
chegados ltimamente da Suissa : estes re-
logios que so mui bem acabados.se tor-
na m muito recommeudaveis a qualquer
particular, e adverle-se que ha entre elles
alguns quo aiidam 8 dias sem precisarem
de corda : na rua da Cruz, no Recife, n. 55.
Charutos de Ha va na
verdadeit'os :
vendem-se em casa de Kalkmauu Irmffos,
na ruada Cruz, 11.10.


--Vende-so excellente bolacha de pri-
meira, segunda eterceira qualidade, sendo
da 1.* por 3,800 ris a arroba, da segunda
por 3,520 rs. e da terceira por 3,200 rs. e a
110 rs. por libra, sendo todas de massis em
proporgfo : nn nadara da ra dos Quarteis
de polica, n. 18, ondeaeharlo com quem
tratar.
- Vendem-se cnmmendas de ofilcial
da Rosa ; ditas de Christo ; urna dignitaria
da Rosa ; hbitos de Chrislo o da Rosa,
grandes o pequeos : ludo isto lie da me-
lhor qnaliilario e posto : avista do ohjecto
*%o dar o prego : na ra do Crespo, n- 12.
Vende-se um escravo muito bom co-
zinheiro, que he muito rapaz e nlto tem vi-
cios nem achaques: o motivo por que se
vende so dir no comprador : na ra da Ale-
gra, n. 2C, de mandila at s 9 horas, e de
tardo a qualquer hora.
Vende-se um relopio de prat susjo,
com corrente, ou sem ella : na ra larga do
Rozarlo, n. 26, loja de miudp7as.
Vende-se um cavallo, propiio para car-
ro, ror j ler sido do mesmo, e que carre-
ta hem baixn al meio : na ra do Passeio-
l'ublico, n. 13, loja.
Vende-se u.na prcta de 18 annos, de
iugflo Benguolla, que cozinha o diario de
urna casa, lava desabito e enpomma liso:
o motivo por que se vende se dir ao com-
prador: ni ra Bella, n. 21.
Na ra da Caricia, n. 17.
loja de miudezas,
- Vendem-se cortes de cambrai de co-
res, pelo barato prego de 2,000, 2,500, 3,000
3,500 c 4,000 rs.; camhraia de seda, a 3/
rs.: meias para meninas; a 160 rs.; Ifla
com hslras de seda, a 600 r. o covado; Ian-
ziiiha propria para roupa de meninos e ves-
tidos de senhora, a 240 rs.; tfa superior pa-
ra caigas, a 500 e 600 rs. ; lencas de algo-
d3o e seda com franja, a 600 rs.; cortes de
collete de velludo, a 1,600 e 2,500 rs.; cas-
sa-chita, a 400 rs. a vara ; garga de seda, a
500 rs. o covado; cambraia de seda.a 560 rs.
o covado, e outras muitas faeendaa ror
barato prego: na ra do Crespo, n. 15, loja
de Joaquim de Oliveira Maya Jnior.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Cnrpo-Saoto, n. 66, por prego eom-
irodo, velas de carnauba, sendo azueg,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaveis pela sua superior quada-
de e aturarem mais que as de espermaceti,
e dSo fazerem morrSo.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem anllgo da ra da Madre-de-
D'iis, n. 36, est de novo estabelecidn d'e-
baixo das mesmas condicoes, ofTereccndo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
boa por 220 rs a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Rordeaux por 160 rs. a
vendem-se luvas de nlgodlo de cores com Carrafa levando o casco. N8o se admirem
alpummofo.a 160 rs. c sem elle,'a 240 os fiepuezes do baixo prego por que se ven-
rs. piopriaspara montara: csabonees, do a deliciosa pinga, e sim da audacia do
a 40 is. proprietario querer sustentar o antigo pre-
i : CO, embora este genero tenha subido o me-
' Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examinen! os
<*
Allencao!
\endem-se, nos Arrnmbados, muito boas
travs de 30 a 37; enchapis de 22 a 25 ;
mflo-travessas de 30; caibros : ludo por
prego commodo, por se querer acabar com
este negocio.
M.,neTlieard.
com loja de modas na ru Nova, n. 32, re-
cebeu um grande sortimenlo de chapeos
muito ricos e muito modernos, tanto de se-
da como de pallia, que os vende muito em
conta : bem como tambem recebeu fitas,
flores, trancas de seda e enfeites de sodas as
qualidades para senhora.
I arelo de arroz.
V'ende-sc esta j lito condecida quanto
til substancia alemenlaria rara o susten-
to de cavados, em barricas de quatro arro-
bas para mais, pelo diminuto prego de 3/a
barrica: nos armazens do Onofre, na rua
da Madre-de-Deos, e no defronte do cliafa-
rz da ponte do Recife.
Na rua da < adeia, u. 17,
foja de iDiudezns,
vendeir-se pentcs de tartaruga bordados, de
muito bnm posto para prender cabello, a
4,500 e 5,000 rs.; e galanteras de ,vidro
para erilViies de mesa.
--Vende-se um escravo pega, de 20 nn-
nos : na rua do Crespo, loja da esquina que
volla (ara a cadeia.
Vende-se una bonita escrava mofa,
sem vicios, e quocozinli8, lava e cngoin-
ma : na rua Relia, n. 21.
Polas.ta nacional.
Vende-se pntassa nova da fabrica nacional
do Itio-de-Janeiio ao baratissimo prego de
180 rs. a libra. Os senliores de enpenho de-
ven! todos mandar comprar desta potasas
ai'iMi de animar a fabrica que com tantos
sacrificios se estabeleceu e foi a causa do
baixar a este prego : na praga do Commer-
eio, n. 6, primeiro andar, cscriptorio de
Manocl Ignacio de Oliveira.
Pentes.
Na rua do Queimado, n. 24, estilo ven-
da pelo diminulo preco de 4,500 e 5,000 rs ,
os ricos | entes da verdadelra tartiruga, pa-
la trangas, com differenga de 3,000 rs. me-
nos avista dos prego* por que se vendem
em outra qualquer parte, eque nfio silo do
tflo bom posto.
-- Vende-se um escravo de bonita figu-
ra, de 18 a 20 annos, sem vicios nem acha-
ques : na rua da'Cadeia de S.-Antonio, n.
13, se dir quem vende.
No armazem do baralciro,
Silva Lopes, na porla da alfande-
ga, vende-se farinha fianccza no-
vb, da melhor que vem a esle
mercado, e de outias qualidades
dePhiladelptiia.
Vendem-se 4 molecoles, de 10 a 18
annos ;5 escravos mogos, de bonitas figu-
ras, sendo iious der's carreiros; 2 mula-
tiiilio-. do IG anuos, sendo um dellcs lioliei-
ro ; 2 ncpnnbas de 18 annos, qi;o engom-
niamc cozinham : na la Direita, n. 3.
Vende-se cera para lima de ebeiro, a
mil rs. a libra : na tua do Itangel, n. 52.
Vende-se bolacha de miltio, a 2,C00
rs. a arroba, e a 80 ra. a libra, ptima para
escravos : na rus eslreita do Rozario, n. 13.
Vende-se um cavallo rodado, grande,
novo, um tanto descarnado e com todos os
andares : na rua do Crespo, loja de esqui-
na que volts para a cadeia.
Vende-se, por precisflo, urna bonita es-
crava da Costa, de 20 annos pouco inaisuu
menos, sem vicios nem achaques: na rua
do Noguelra, n. 27, se dir quem vende.
Vendem-se, para pagamento, dez casas
detijolo pequeas, que rendem dous mil
ris mensaes cada urna, nos Afogados:
quem as quizer comprar, dirija-se a rua do
LivrBmenio, n. 26, ou nos Afogados, rua de
San-Miguel, n. 101.
Vende-se um ptimo escra-
vo marujo, moco, sem vicios -nem
achaques : na na do Vigario, n.
a3, segundo andar.
No engenho Paratibe, distante desta
praga 3 legoas. vendem-se 30 quartos e
beslas mansas de roda, 3 vaccas muito boas
de leite, 14 bois mansos de carro : tudo em
bom estado.
Vcude-se una negiinba de 13 a 14 an-
uos, propiia para mi.camba por ser reco-
ll.ida, a qual coze chflo, laz lavaiinto e to-
amantes a qualidade para reconhecimenlo
da verdade e continuagflo da antipa fregue-
zia.Epara nflohaver usuras, estflopromp-
tas garrafas lacradas c com o competente
rotulo, assim como harria de diversos l-
mannos para provls.to do prximo Natal.
O proprietarioconta com a concurrencia;
do contrario, tornarflo os pregos do reta-
Ihoa primitiva de 240 e 280 rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende se muito nova potasas,
de boa qualidade, em barriszinhot
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ba muito
tempa se nao vende: nc !?ecife,
ruada Cadeia, armazem n. 12.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Farinha de mandioca.
Na rua do Queimado, n. 14, loja de fer-
ragens, ainda ha algumiis saccas da boa
farinha de mandioca, muito alva e bem tor-
rada ; bem como urna porgSo de pennas de
enia, proprias para espanadores.
Vende-se vinho do l'orto muito supe-
rior, em barra de quarlo e quinto ; farinha
de trigo de todas as qualtades e em meias
barricas; lelroz do l'orto, irlineira quali-
dade: panno e meias de linho ; arcos |ara
barricas ; farinha de mandioca em sarcas
grandes e a garncl a bordo da sumaca !>.-
S.-do-Carmo: tudo por prego commodo:
na rua do Vipario, n. 11, primeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunha.
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata
patente inglez, para homcm e senhora.
Novo sortimenlo de fa-
zendas baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao p
do lampean.
Vende-se cassa-ebita muito fina, de bo-
nitos padr6es, cores (xas e cern 4 palmos
de largura, pelo barato prego de 320 ra. o
covado ; cassa franceza de quadros-, muito
fina, a 960 rs. o covado; rlscadinho de lis-
tras le linho, a 240 rs. o covado; brim de
alpodflo de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padrries, a 3B0 rs. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 ra. o corte de
duas varas e urna quarta ; cassa preta com
ramagem branca para luto, a 140 ra. o co-
vado; zuarte de corea, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado; riaca-
do monstro, a 220 ra. o covado; chitas de
bonitos padrees e cores fizas, a 160 e 180
rs. o covado ; chelea de tarlatana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodfio america-
no, muito SuperioreS. a 640 rs.
A bordo da brigue S.-io$, chegado
prximamente, vende-se farinha de man-
dioca do superior qualidade, e por menos
prego do que em outra qualquer parle: os
("'"'tendentes dirijain-.se a bordo 'Jo dito
'"gue, fondeado defronte do arsenal de
guerra, ou ao Recie, rua da Cruz, n. 66.
-amado Crespo, n. 15, loja do Joa-
quim de Oliveira Maya Jnior, ha, alm das
lazendas j annunciadaa, e de outras mui-
as por barato prego, um sortimenlo de lin-
dos chapeos de sol, do panninho estampa-
do, muilo proprios para os meninos e me-
ninas que sndam na escola, e mesmo para
;ls .Tulleras que ainda estflo nocampo, pe-
lo prego de 2,000 ra.
^m.mmmmmm.mmm*mm.m.mm^
I Fazendas modernas.
! Na rua do Crespo, n. 9, vendem-s?,
I por commodo prego, lindas fazendas
| modernas, tanto para liomem como
| para senhora, como sejam cortes de
3 seda furta-crescom barra para ves-
flido ; cassas ; cambraias de barra ; 1
t chales; mantas; manteletes; ten- M
gos ; luvas ; sarjas ; chapaos Trance- m
zes modernos ; casimiras pretas e de
& cores; colletcs de velludo, selim, A
8 sarja e fuslo; brins brancose de
'!; cores; lengos para grvala ;suspen- $
K sorios; cambraia de linho muito fina. 9
Farinha de trigo.
Vende-se superior farinha de trigo trn-
cela de Provenga, chanda ltimamente de
Marsellia : em casa de J. J. Tassu Jnior, na
rua do Amorim, n. 35.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados do ferio diversos mo-
delos.
Cal virgem.
Cunha & Amorim, na rua da Cadeia, n.
50, continuam a vender barris com cal de
Lisboa, da mais nova que ha no mercado,
por isso mais barato do quo em outra qual-
quer parte.
-- Vendem-se amarras uc lrro: na rua
da Sen^alla-Nova, n. 42.
-- Vende-se, na praga da Independencia,
loja de Justino Meroz. ns. 18 o 20, um habi-
to da Hosa, pequeo, | roprio para casaca.
Vende-se um lindo molequo do 17 ni-
o-, de boa conducta, t que he ptimo pa-
ra papem : o motivo por que se vende se
dir ao comprador : na rua do Itangel, n.
57, sobrado.
Vende-se urna muilo linda miilatinha
de 16 annos, n-colinda, que cngomma e co-
se com perfeigilo, e be de excellent" con-
ducta: amado Itangel, n 57, sobrado.
Vende-se um escravo da Costa, mogo,
bom trabolbador, muilo diligente,e|(or isso
|>roprio para oservigo de urna rasa e ga-
liharna rua : na rua Iiircita, n. 69, padaria
ue Antonio Alves de Miranda Cunnar.les.
> Cassas e cambraias
Vendem-se cambraias de cores, de
mais de vara de largura, a 240 e 300
ra. o covado ; cassas do cores, a 200,
240c 320 rs. ocovado; lengos de seda, .
a 1,000 rs.; ditos grandos, proprios }
Vendem-se, na rua da Cruz, n. 62 gar-
rafas com oleo de momona, a 900 rs. a gar-
rafa.
rentes de lar taruga pa-
ra prender cabello.
Vende-so a melhor qualidade do pentes,
por prego mais cummodu' du que em ou-
tra qualquer parlo : na rua do Queimado,
n. 16, loja do miudezas.
Ao barato.
Panno da Coala, com 8 palmo8 de largu-
ra, a 30 rs. o covado, proprio para pannos
de pretas, cuberas e qualquer obra de es-
cravos : na rua da Cadeia do Itecifc, n. 20,
oja.
Farclo,
Vende-se Trelo, pelo commodo prego de
4,000 rs. em saccas grandes e de bo-i qua-
lidade: a vista fazf: no armazem ao p
da bolica do arco da Couceigfiu.
Rap Paulo-Cordeiro, a
1,380 rs. cada libra :
vende-se na loja de Antonio Joa-
quim Vidal, na rua da Cadeia do
lllecife.
I Vende-so urna farda, espada, lalim,
banda, barretiio: ludo novo para guarda
nacional: na ruado Itangel, venda da es-
quina, do Jos Rodrigues Coelio & Com-
paas, se dir quem vende.
Vende-se superior farinha
de milho em porcoes e a retalho,
tendo de todas as qualidades a
vontade do comprador, e por pre-
co mais commodo do que em ou-
tra qualquer parle; na rua do
Biiiin, n. 28.
-- Atroz a 50ra. a libra e 1,400 rs. a
arroba, sendp em sacca ainda por menos
espiritodc 37 graos a 1.000 rs. a caada:
no pateo do Hospital do l'araizo, venda
n. 20.
A !#000 o erte.
Veiiilom-sc cortes de cassa-cliita, fina, de
bonitos padrOcs e com 6 varas e meia, pelc-
diminuto prego de 2,000 rs. o corte : na
rua do Crespo, n. 6, loja ao r do lampeflo.
A 800 rs. a arroba.
Vendem-se batatas do l'orto :
no armazem de Francisco Das
ces da Alfandcga :
que se acabe a pe-
Na rua da Cruz, armazem, n. 33, de S
Araujo ha para vender um restante de frascos
couros miudos, sola, calgado do Aracaly,
tanto ordinario, como de lustro; caixaa para
rap e saccas com feijfioordl.iario : tudo ae
vende para liquidaglo do cuntas.
Colleles.
Vendem-se gorgurflo de seda, a
O 1,600rs. o corle; ditos a 2,000rs.; 0
O velludos de lindos padrOes, a 5,000 Q
O ra. o corte: na rua do Crespo, n. 9.
O O
Vende-so um moleque de 9 annqs,
muilo bonito ; 1 pardinhode 11 annos.de
bonita figura : ambos para liquidaoOo : na
rua larga do Rozario, n. 46, primeiro an-
dar.
Pecas com 20 covados a
,800 rs.
Na rua do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se pegas de
metlm verde, azul e cor de caf, com 20 co-
vados, por 2,800 rs. : fazenda muito pro-
pria para vestidos de pretas, por ser escu-
ra ede muiladuragSo.
Pccliincba.
Na rua do Queimado, vlndo do Rozario,
segunda lnj, n. 18, anda resta urna pe-
quena porgflo dos ricos cortes de vestidos
de seiim preto lavrado, pelo diminuto pre-
go de 15,000 rs.
Vende-se urna mulatinha de 13 annoa,
de muito linda figura para mucama, e com
bons principios de habilidades; um preta
por prego muito commodo ; um preto co-
zinheiro; um dito bom bolieiro ; 2 molo-
ques, um de 12 annos, e o outro de 16 ; um
preto velho, bom para servir a urna casa,
por 150,000 rs.: na rua do Collegio, n. 21,
primeiro andar.
Quejos londrino a 640
rs. a libra.
Moilo novos, chegados pelo ultimo navio:
V. h.ii'm-se no armazem de molhados, alra
do C.orpo-Santo, n. 66.
Cal virgem.
Vende-se superior cal virgem em pedra,
em barris de 4 arrobas e meia, chegida no
corrente mez do Lisboa, pelo brigue iVoco-
Vtneedor : na rua da Moda, armazem n. 5.
--Vendem-se duas partes de urna casa no
bairroda Roa-Vista, em limadas melhorea
rusa, a qual existe com venda ; e tambem
urna parte de um terreno annexo a mesma
casa ; um outro terreno na malta da Tor-
ra, com 300 palmos de frente e 600 de fun-
do, prximo ao rio Capibaribe : ludo por
prego commodo : na travessa da Concor-
dia, n. 5.
Novo trem de cozinba.
Vendem-se chleiras, fregideiras, panel-
las e escarolas de ferro forradas de porcel-
lana ; bules e cafeleira de metal; mach
as para fazer caf : na la Nova, n. 16, | ja de Jos I.uizl'ereira.
brins, e outras muitas faienda tambem
se vemiem colletes para meninos de 8 a 10
annos, a 1,000 rs. ; casacas Tora da moda, a
12,000 rs. ; ditas do panno fino a 18,000 rs.
--Vendem-se 20 escravos, sendo: a es-
cravos earreiros; 6 ditos de 10 a 94 annos ;
2 lindas negrinhas de nago, de 13 annos;
2 mulatinhos de 18 annoa, sendo um delles
ptimo bolieiro; 8 escravos mogos : na rua
Direita, n. 3.
>-
O o
Na loja do sobrado amarello nos
Q quatro-cantos da rua do Queimado,
n. 29, vende-se, por pregos rasoa- c\
0 veis, sarja de seda preta, a verda-
deira hespanhola, havendo "varia* ~t
q qualidades para se escoiher; selim j
~ prelo de Maco, muito encorpado, i:
i lustroso e sem gomma, proprio pira ;?
vestido de senhora; lindos los pre-
2* toa bordados de aada o com lindos
desenhos, fazenda superior ; meias ^
de seda de peso; um completo sor-
tmenlo de pannos pretos finos, pro.
va de limSo, havendo urna qual ida-
do que he o mais lino que aqu tem
apparecido; casimira preta elstica
Q} de diversas qualidades ; selim prelo
n de Maco, muito superior ; chapeos m
Q francezes de superior qualidade e da /;<
0 ultima moda ; e outras fazendas li- m
n as: tudo por prego de agradar ao
comprador. **
O
fcscravos Fugiaos
Na loja do sobrado amarello, nos
quatro-cantos da rua do Queimado,
n. 29, vende-se um grande sorti-
menlo de novas cassa-chitas de co-
tes lixa.s e bons padres, pilo dimi-
nuto prego de 400 rs. a vara : fazen-
da que so tem vendido a 800 rs., e
que ao vende por tilo baixo prego,
por se ler grande porgo.
para hombros de senhora, a 1,280
diloscomranja, a 1,000 e 1,280 rs
meias para meninas, a 120 rs 6 par;
e outras muitas fazendas por meia-
dedeseu cusi: ua ruado Crespo,
n. 9, loj.
do o U.8S aiiunjo de una casa do familia :' primeiro andar
Gomma de engommar.
Vendem-se saccas com muito superior
gomma de engommar, a 9,000 rs. cada sac-
ca : na ruado Amorim, n 35, casa de Tas-
so Jnior.
Vendem-se pegas de madapolflo com
20 varas, muito encorpado e com alpum
sujo, a 2,700 e 3,000 rs proprio para for-
ro de alfaiaie : no paleo do Carmo, n. 18,'
Ferreira, no
a ellas antes
chinchat
Vende-se um cabriolel elegante, mui-
to leve e em bom uso, por mdico prego :
na rua do Hospicio, n. 9.
Vendem-se 16 escravos, sendo: um
pardo de elegante figura ; una preta de 14
annos ; urna dila com urna cria de oito nie-
zes ;2molequesde bonitas figuras; uma
escrava com 3 crias ; 2 pretas para o ser-
vigo de campo ; um mulalinlio de 17 un-
nos, proprio pura pagem ; 2 pretos do na-
glo, proprios para armazem de assucar :
no paleo da matriz de S.-Antonio, se dir
qiin vende.
Facas para mesa.
Vendem-sc facas e parios de cabo de ba-
lango, imitando marlim, e de muilo boa
qualidade, por prego mais barato do que
em outra qoalquer parle : na rua do Quei-
mado, n. 16, luja de miudezas.
O
Vendem-se mascaras flnissi-
mas para o carnaval; na loja de
Maia liamos & C, na rua Nova
n. 6.
Farinha Fontana.
Vende-se a mais superior fari-
nha fontana que (em vindo a este
mercado, chegada ltimamente :
a tratar com Manocl da Silva San-
tos, no armazem do Aunes, no1
ces da Alfandcga.
- Nt rua ealreitado Rozario, n. ven-
dem-so, por prego commodo, os seguintes
liyros: Discripenoda cidade do Porto, 1 v. ;
Diccionario jurdico de l'creira e Souza-'
dito portuguez do Constancio ; Compendi
degeographia de Casado Ciraldrs, 1 v. ;
T Livio, 6 v. ; Ovidio, 4 v.; Monlesquieu, 2
v. ; Manual encyclopedico, 1 v.; Philoso-
pii de l.ou-m I.Harnea Irami'ron e Ce-
ruzez ; liiccionario potico, 1 v : Brasilia-
da, 1 v.; lliblia sagrada, 1 v. ; Dircilo pu-
blico, das gentes, do homem e Anglais de
varios autores ; Dedugflo chronologica, 5
v.; Feliz independenlc, 2 v. ; Historia da
mquisigflo, i v.; Quadros histricos de
Portugal, porCastilho.com ricas estampas,
1 v ; uma porgfio de livroa em inglez que
trtamele religiSo, commercio, lilteralura
o navcgagiio, por muito diminuto prego.
- Vende se um sitio na entra-
da da Estrada-Nova, na Magda-
lena, com uma excellente casa ter-
rea com muilo bons commodos :
o sitio est bem plantado e offe-
rece todas as vanlagCns para quem
ttver bom gosto : negocia-se em
tonta : quem o pretender, dirija-
se rua do Crespo, n. 0, que se
Ihedaro as informanes precisas.
- Xa roa Nova, n. 18, loja de M. A. Caj,
vendem-se casacas de panno tii.o de dule-
reles cores e qualidades ; sobre-casacas
de nanna e merm ; palitos de todas as
qualidades); jaquetas de panno, marin, ris-
cado francez e de brim ; caigas de todas as
qualidades; ricos colletes para bailes e
casamentos, de differeutes qualidades; cha-
l tratar nu l-orte-do-llatlos, D. 10.
i Chegaram novaniente ruada Sen
pos de seda francezes; suspensorios; len-
gos para grvala ; um sortimenlo da fazeo-
i'.-is |.,-ira qualquer obia de cncommunda,
-..cas e ronsistindo om pannos finos de diflerenles
eias, muilo superiores, por menos prego nulidades; casimira e meia dita prela o
do que em outra qualquer parle. du corea, proprias para palitos e gungas ;
-jdo
-Na rua do Cahuga. n. 8, lija de follei-
ro. vendem-se buhas de Cviras brancas e
-- tupio, no dia 21 do corrente, do sitio
Agoa-Fria, do ongenho Apipecos, a escra-
va cabra, de nome Mara Thereza, altura
regular, sicca do corpo; tem no rosto urnas
pintas pretas de sarda e um dente Urado na
frente da mandbula inferior; tem na ca-
bega uma pelladura d um tumor que teve
ha poucos diaa ; levou vestido de riscadi-
nhode listiasazues e panno da Coala. Ho-
pa-s as autoridades noliciaea e capitSes de
campo,que a anprehendem e levem-na a seu
senhor, liento da Rocha Wanderley Lina, no
mesmo sitio, que recompensar.
Fupio, na larde do dia 27 do corrente,
de S.-Amaro, um crioulo marinheiro de
bordo do brigue Dovs-Amigot; levou cal-
gas brancas, camisa de rucado azul de 25
a 30 annos pouco maisou menos, de esta-
tura regular; tem as orelhas compridas:
quem o pegar leye-o a praga do Commer-
cio, n. 6, eseriptrio de Manoel Ignacio de
Oliveira, quo ser recompensado.
Fupio, no dia 28 do corrente, pelas 5
horas da tarde, o moleque Constantino,
crioulo, de i*annos, seccodo corpo, fulo;
levou camisa e caiga de ruteado de algo-
dio a o encano bastante sujas, bonete de
panno; lia noticia que no mesmo dia pas-
aou na Por.te-do-Lchou ; he de suppr que
ande pela Casa-Forte, Monteiro e Apipucoe ;
he muito ladino : quem o pegar love-o
rua do Itangel, n. 36, que ser gratificado.
-- Fugio, no dia 14 do corrente, da pio-
liriedn'do do S.-Joaquim-de-larangeias,
freguezia de Nazarelh, o escravo Manoel, de
estatura baixa, gordo, rosto-redondo, nariz
chalo, res um pouco chatos e torios para
fra. Hopa se as autoridades policiaes e
capitSes de campo, que o apprebendam
levem-noa dita propriedade, ou no Forte-
do-Mattoa, n. 12, queaerfio recompensados.
Fugio, no dia 10 de dezembro flo au-
no paasado, a preta llosa, de nagfio, de 50
annos pouco maisou menos; foi vista em
Muribeca, onde j foi moradora, por Ur sido
escrava do lllm. Sr. coronel Agostinho He-
zerra, ou de um de seus parentes; he bai-
xa, rlieia do corpo, nadegas empinadas, ca-
ra redonda e lustrosa, feigea amacacaas;
tem a pelle dos bragos enrogada e cinzenta,
ps pequeos, andar camhaio, por ler una
eslrepada na sola do p direito, e uma fe-
rida no dedo pequeo do p esquerdo e oa
dedos grandes ruidos de bezos, com falta
de denles na fente do lado inferior, falla
que se percebe ; levou camisa de algodfio-
zinho com mangas de madapolSo, aaia de
chita e panno da Costa azul tudo vilhu:
quem a pegar leve-a a rua da Traa, arma-
zem de carne, de Ignacio Luiz de liiito Ta-
borda, que gratificar.
-- Fugio, no di 25 do corrente, o preto
Joaquim, de nagfio Cagange, de estatura
regular, crum pouco fula, cara redonda,
pouca barba, nariz chato, mas todo repu-
tado ern roda que parece ter sido queima-
do r i ; tem os dedos dos pes feridos por
alguns bixosque Ihe aposlemaram; levou
camisa e caigas de alpodflo trangedo e cha-
peo de seda. Roga-se a todas as autorida-
des policiaes e pessoas particulares, que o
apprehendam e levem -no rua larga do Ro-
zario, padaria n. 18, que serflo gratifica-
dos generosamente.
Est fugiJo o moleque Frederico des-
de sexla-feia passada, o qual be crioulo, e
tem os sipnaes seguiiils: secco do corpo,
falta de denles na frente, estatura regular,
um p torio : quem o pegar leve-o rua da
Alegra, n. 8, ou ao Atterro-da-Ra-Visla,
n. 34, sobrado de 9* andares, que ser re-
compensado.
Fugio, no dia segunda-feira, 21 do
corrale, um moleque de 16 anna, de no-
me Paulo, bem preto, com um signal no
queixo esquerdo, e 3 golpes na prna es-
querda ; levou camisa de madapolSo e cal-
gas de riscado : quem o pegar leve-o rua
Nova, n 46, lojn, que sera gratillcado-
, -Fugio, em dezembro de 1847, o pardo
Jacob, de 18 annos, secco do corpo, cabello
estirado; tem falla de um dente na fente e
um pequeo tallio na niagSa do rosto. Este
escravo j esleve fgido em 1844 na ilhade
llama i ac, para onde se desconfa fosse no-
vamenle.e seesleja intitulando de forro ;
tem um signal muilo visvel nascosias por
causa de um caustico: quemo pegar, ou
deiie der noticia, dirija-se Jos Luiz Pe-
rcha, na rua Nova, que gratificar.
~ Fugio, no dia 21 do conenie, do en-
genho l'ao-Sanlo, fregueiia do Cabo, uma
parda escura, da nome. Eleuteria, da 20 a
25 annos, de ta i xa estatura, chela do cor-
po ; tem om urna das orelhas falta de car-
ne arrancada, falla bm e he bstanle ladi-
na ; tem os beigos bastante gruesos; levou
sala de algodflo azul trangado j usada, ca-
misa de algodfloziuho liso ja velha, e um
lengol de algodOozuho liso: quem a pe-
gar levo-a ao dito engenho, ou nesla pra-
ga, na rua doCullegio, n. 1, que ser re-
compe usado.
I'ISN. :n* TVP. BEM, t. UBFail*.- Itt?


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEGUV4HNA_DV52SW INGEST_TIME 2013-04-24T19:04:18Z PACKAGE AA00011611_06773
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES