Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06772


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXVI.
Quara-feirn 50
rABTlQAI DOS COHBX10S.
Colanna e Pirablba, segundas e sextas felras.
liio-Grande-do-Noilo, quimas feiras ao nieio-
Cabo, Serlnhaem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, o !.,* 11, e 21 de cada mez.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Koa-VIsta c Flore, a 13 e !}8.
Victoria, squintas felfas,
Olinda, todos os das.
... .-j.'. *y*?Trtytjfasa
xpnEiixaiszs.
/Mlng. a .'), s 6 b. e 18 m. da ni.
n .. (Nova a 13, s t> h. da inanhaa.
PnSESDLD. Cie4C a2, s 7fc c 2in.da.n.
[Cheia a 27, islOh. c3tim.dit.
rBElHAK DE HXW*.
Prlmelra hora c 54 ni nulos da inanhaa.
Segunda J 7 horas c 18 niiu mus da tarde.
JBMgjWSJSjSi) 'JL'jgJf.
(le Janeiro de 1880.
N. *&
rasos da suBsoairolo.
Por tres inezes (adiantados) tyOOO
Por seis inezes 8/000
Por un anno 15/000
smsi nuil miliII11 jar~ta_-_**-joiuussbsmssMSSISS
DAS DA BXMASfA.
28 Seg. S. I') rilUi. Aud. do J.dos orf. e do m. 1. v.
29 Ter?. .*. francisco de Sales. Aud. da chae, do
J, da 1. v. do civ. edo dos fritos da l'a/.cnila.
30 (Juan. S Mutilaba. AuJ. do J. da 2 v. civel.
31 Quint. S. Pedro Nolasco. Aud. do J. dos orf.
c do m. da 1. v.
1 Sext. S. Ignacio. Aud. do J. da 1. v. do civ. e
do dos feitns da fatenda.
2 Sab. iff>)f Purillcariio de Nossa Scnhora.
3 Dom. S. Uraz.
UBHSJV..***M.>.W!J^-i<<*jf'-^*fc^*^;
CAMBIOS KM 29 DB JAWEIBO.
Sobre Londres, 28 d. por 1/J00 rs. a 00 da*.
. Pars, 3 0.
. Lisboa, 100 por cent.
OH.o.-Oneashespanhaes.........28*300 a WfUW
Moeda.der6/400velbas.. 7ffM a VjW
. de 6/400 novas .. 10/200 a I6#40
de $000........... WpOOa %m
Pralo.-Palar.Oesbra.ileiros...... /50 a /.-
Pesos columnarios....... !/> a 1/970
Ditos mexicanos.......... 1/800 a 1/8*
,m-^i-^gMii^'.sBW!sw*Mwm^'^ai^'re^-|g*
rwin,"irirr."^'i^J',-''^:^-f-''-.!?-;. -- -
PARTE OFFICItU.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO OA 18 DE JANEIRO.
Ofllcio.Ao commnndante da pnce, re-
metiendo copia do sviso circular de 19 de
dezembro ultimo, acerca do embirquo dos
offleiaes as barcas da compsnhis de paque-
tes de vapor.--Intcrou-so o inspetor da
pagadura militar.
Dito.Ao inspector 0a Ihesourari da fa-
zenda provincial, para que mande entregar
ao arrematante da pintura do theatro pu-
hliro desta eidide ArWr Wlmer a quintil
de 1:826,206 rs., a que lem lledirnito se-
gundo o contrato, por estar em mnis da me-
lad? a referida pintura, e adianlar o admi-
nistrador do ironcionado theatro a doris
20:000,000, para pagamento das ferias e
maisdespezaa da obra do mesmo theatro.
Inleirou-se o supradito administrador.
Dito.-'-Ao mesmo, ordenando mamle aJi-
antar a reparticao das obras (publicas a
qnantia de'131,530 rs para ser d-spendida
com os concertos da cadera da cida le de
olinda.---Inlelligenciou-se o administrador
daquella reparticilo '
nilo.-Ao director do lieeu.commi^iicando
haver deferido,a vista do sui informacAo, o
requerimenio om que Possidonio da llorn
l'ereira pedia ser removido da cadeira de
jirimeirss letras de Papacaei para a da villa
dellamarsc.--Nesle sentido oflicuu-so
thesouraria da fazenda provincial, e s c-
maras municipaes de lguarsss o Gira-
nhuns.
Portara.--Dispensando a I.uiz Antonio
Alves Masrarenbas do lugar de instructor da
guarda nacional dcste municipio.Com-
municou-se ao commandonte superior res-
pertivo eso inspector da thesouraria da fa-
zenda. .
Coamiando da pracn
Qunrlel do eommando da praca na eidade do
lltcife de Pernambuco, 21 di Janeiro de
1850.
011 DEM DO DA N. 9.
Faco publica, para conhecimento da
guarniclo, a ordem do dia ahaixo trans-
cripta do Exm. Sr. marechal commindm-
te das armas:
u Quar le-general do eommando din armas
nadilla d* Agoa-I'rela, 13'Je Janeiro de
1850.
OflDEM DO DIA.
Tcndo rhegado esta villa para de
novo dirigir em chefe as operaces contra
os rebeldes, assim o faco constar spraess
que se scham no campo ; bom como que tc-
nhonoineado oSr. coronel Manuel Munlz
Tavares para meu ejudante-general, e para
seti assistento n Sr. cai-ilfl do eslado-milor
de primeira elasse Manoel Rodrigues de
Itarros Fonseca de Brito. Senielbantemen-
to previno a mesma loica de que em meu
impedimento, porqualquer motivo aquel-
Id Sr. coronel lomara o eommando da toda
a frca.
Assignado, Jote Joaquim Coelkt. Con-
forme. Manoel Rodrigue! de Barrot Fonse-
ca de Drill, copilo-ajudante do ajudante-
general.
Oulrosiin, publicidade don a inclusa co-
pia do aviso circular de 19 de dezembro
ultimo, que, por portara do Exm. Sr. pre
sidente da provincia do 18 do coi rente, me
fui remullidii :
Circular. lllm. eExm. Sr. llaven-
dopor bem S. M. o Imperador determinar
queaos ofllciaesque marcharem em servi
co, eembiicarem as barcas da companhia
de paquetes de vapor, se nflo aboneni as
romedorias de embarque da tabella n. 7
das inslrucces de 10 de Janeiro de 18*3,
por isso que o governo paga aqu as come-
dorios respectiva companhia, assim o de-
claro a V. Ese para seu confieci ment, fl
cando na intelligencia deque nunca dever
V Exc. mandar dar transporte nessas em-
barcscOes a ofliciaes que no marchem em
servico, nem tao pouco aos que sigan) a
reunir-se a seus enrpos. depois do gozo da
liecnga que lenliam obtido. Deus guarde a
V. Exc. Palacio do Kio-de-Janeiro. em 19
de dezembro de 1849. Manoel Felitardo
de Souza e Mello Sr. presidente da pro-
vincia de Pernambuco. Cumpra-se. Pa-
lacio do governo de Pernambuco, 16 de Ja-
neiro de 1850. Carneiro Leo. Confor-
me. O ollicial-maior. Jote iloreira lran-
dilu Cotlello-bronco
Asssi'Mindn, Jote Mura I defamo aconte
da Yeiaa Feuoa, lenenle-coronel comimii-
danle da praca.
TRIBUNAL DA HELACAO*.
*
sESSAO DE 26 DE JANEIUO DE 1850.
PKKSIUENCIA DO EXM. SKNIIOR
COCCEl-BEIRO AZEVBDO.
A's des horas da inanhaa, achando-se nre-
senles oa Srs. deaembargadures Hamos, bas-
tos, Lefio, Souza, Luna Freir e Telles, faltan-
do com causa ns Srs. desenibargadores Pun-
ce, Villares e Rebello, o Sr. prestdeute decla-
rou aberta a sesso.
IUL01MINTOS.
Apptllafte crimtl.
Fol assignado o primelro dia til para o jul-
gamento das seguintes appellaOes t
Appcllante, Policiano los da Luz ; appellado,
u julio.
Apprllante, o julio; appellados, Joao Antonio
Nolasco Lavor e outro.
desembargador Leao as seguintes appallaces
em que silo :
Appellante, Anna Jaclnth de Soma braga:
appellados. Jones Paln Hi C.
Appellarttes, Joo Pcreira Lagas eoulros; ap-
pellado arlholomeu Francisco de Souza.
Passaramdo Sr. desembargador I^fio ao Sr.
desembargador Souza ai seguintes appellacoes
em que sao :
Appellante, AntoDio Gomes Villar ; appellado,
Domingos Francisco Tavares.
Appellante, Agostlnho Tavares Rodovalbo; ap-
pellado, Joaquim Perelra Qomem.
Appellante, Antonio Bernardo Fencira, admi-
nistrador de sua iiiullicr; appellado, Joaquim
Riuciro de Brito.
Paisoudo Sr. desembargador Luna Freir ao
Sr. desembargador Telles a appellacao ciime
em que sao :
Appellante. o julzo ; appellado, Jos Antonio
da Silva Prci.
Do mesmo Sr. ao Sr. desembargador Telles
as appellacoeicivels em que sao j
Appellante, Manoel Jos l'ereira de Mello ; ap-
pellado, Joo de Burros Brandao.
Appellante, Jos Goncalyes Torres ; appella-
dos, os herdelros de Joo da Silva Santos.
Vassnu do Sr. desembargador Telles ao Sr-
desembargador Hamos a appellacao civil mi
que sao :
Appellantcs, Gabriel Germano de Agolar Mon-
tarroyos, sua inulbcr e Manoel Antonio Go-
mes ; appellados, Manoel Ferrcira Deniz c
outres.
DISTRIBUICm-S-
Ao Sr. desembargador Ramos a appellacao
crime da comarca da Victoria em que sao-
Appellante, o julzo ; appellado, Manoel Fer-
rcira da Silva.
Ao mesmo Sr. a appellacao civel desta cidade
em que sao:
Appellante, Goncalo Jos de Mello ; appellado,
Jofio DlasFerreira. a
Ao Sr. desembargador Leao o prooesso crime
do che fe de polica desta cidade em que sao:
Recorrenle, o julzo ; recorridos, Antonio Af-
fonso Ferreira.Fcllx Peixoto de Brillo c Mello
e Jos Francisco de Arruda Cmara.
Ao mesmo Sr. o recuriocriine do juiz de di-
reito doPombal em que sao :
Recurrente, o Julzo; recorrido, Izidro Lcitc
Fcrrelra.
pKo Sr. desembargador Souza a appellacao
civel desta cidade em que sao :
Appellante. Francisco Carneiro da Silva ; ap-
pellado, Jos Alves deCarvalho Cesar.
An mesmo Sr. o processo de responsabilida-
de da comarca de Anadia em que sao :
Recrreme, o julzo ; recorrido, Antonio de S
Cavalcante
Ao mesmo Sr. o recurso ciime desta cidade
em que so:
, Recorrenle, o juico; recorrido, o bachaiel
Jos Baymuodo da Cosa Mrnezes.
AoSr. desembargador Luna Freir o aggra-
vo de pellejo desta cidade em que sao:
Aggravaale, Jos Joaquim Rezerra Cavalcante;
aggravados, os herdelros if. Francisco da
Silva.
Ao mesmo Sr. a appellacao civel desta cida-
de em que sao:
Apellante, Anna Joaquina da Silva Brrelo ;
appellada, llana Joaquina dos Anjos,
Ao Sr. desembargador Telles a appellacao j
crime do julio de Nazareth em que sao :
Appellante, o julio ; appellados, Joo e Joi,
prclis, e escravos que fram de Pedro Alves,
Nohouve julgamentos por fallaiem os se-
nlioies desembargadores Villares e Rebello.
A uini hora da tarde encerrou-se a jeasao
Foi no meio desta scena lgubre o horro-
rosa que occorreu o maislasiiinosodesastre
no ameno valle qu separa a freguezia da
S da de Santa-Ephigenia. No fundo leste
valle cnsro o arroio Anliangabah, que he
cortado por tres principaes e bem construi-
das pnntes de alvenariado Lorena, do
Ac e da Constituido.
Quem conhece a cidade do S -Paulo saba
queasmargens dcsto arroio silo bordadas
de casas no espaco comprebendido pelas
tres Indicadas pontos.
Eram 9 horas mais o ti monos da noile,
eseuriililo era completa, e a tempesta le
t feito um montflo de ruinas, assim como
a hclla propriedade contigua, pprlencenlo
ao Dr. Antonio Roberto de Almeida.
OSr. Honriquenilo retal sous prejuizos
com lOcontosde lisj e receio quo as rui-
nas de sua casa n.lo estragassem as cnllec-
crtos e interessanti'S mamiscriptos da viagem
mineralgica quo ha tres anuos faz nests
provincia o Dr. Rathz, Prussiano que coai
elle mur.iv.i.
Mais driz cssas, sondo a maior parlo do
pouco valor, fdram ilestruidas, e urna del-
tas esinagou urna velha de mtis de 100 an-
uos, que cortamente se alegrnva de ver o
conlinuavacomdobrada frca, quan lo re- anuo do 1850 : mal sabia que n.-.o liavia vi
pentinamele urna enormo misa d'asoa.i vor at o fim do primeiru dia! Os arma*
precipilandosedascabeceiras do Anlianga- zens e Inverna* icarsm totalmente estraga
babd, invadi tolas as casas mais prximas! dos, e muito prejuizo houve s nesta es-
da primeira ponto, e,cst quena pratja denominadado Bexiga,| N ponto do Ac desabaram 13 casas, mas
conveiteu ludo om um profundo lago em t'jJns pequease geralmente velhas ; porein
que rula varo- impetuosas ondas de involta se O valor da ponte, quo mo pode ser re-
com arvores e maiciros, e alfuns auimaes CODstruid com monos de 12 sontos de ris,
quo iifiu tiveram lempo de fugir.
Imagine-se o horror desta scena, acom-
panbada dos lamenlos dos moradores das
casas inundadas o dos gritos do povo, que,
t.ii ii.i
veis.
as perlas ueste lugar cunsidcra-
Coiistn que algumas pessoas perecern)
cahiiido no precioicio, engaadas pela os-
INTERIOR.
RVISES.
Passaram do Sr. desembargador Bastos ao Sr.' o'endcsso algum.
1NUNDACA0' EM S.-PAUI.O. .
S.-Paulo, 2 de Janeiro de 1850.
Se he cerlo que o primeiro dia de Janeiro
marca n feijllo gcral do anno, muito mal
agourada est a cidade de S.-Paulo, rorquo
foi hontem testemunha e victima da um
desasir horroroso que tem de maicaruma
poca de dolorosa lecordacao em seus an-
naes.
Tivemos secca abrasadora desde malo do
anno lindo, e taes eram as queixas e preces
do povo, que parece que a Providencia re-
solveu dar-nos agua a fartar nos ltimos
ihas do anno.
Com effeito desde 21 de dezembro come-
cou a chover sein interrupeflo al 30 : sem
exageraeflo poso aflirmar que, durante es-
tes 10, sommadas as horas em que suspen-
diam-se as cataratas do co, nao chegariam
cei lamente a quareuts. Desde que me en-
tendo, mo vi chuva nem tflo abundante
nem tilo duiadoura.
Os campse vaneas vizinhas da cidade
lira rain ISo alagados, quo assemellisva-se a
urna vasla baha, eircunnlada pelas collinas
pilorescas que ornam as bellas paisageus
dos contornos da capital.
O dia 31 de dezembro foi carrancudo e es-
curo ; poitu nflo ohuvia, eo fatdico pri-
meiro de Janeiro do 1850 apreseulou-ae r-
dianle, brilbando o sol com todas as suas
galas em um co de i uro azul. A's 3 hoias
comecou a atmosphers a obumbrir-se,
carregando-se de nuveus negras tocadas
por urna brisa frouxa e morna de nordeste
Ninguem, porm, suspeilava que a chuva
qu comecou a cahirs5 huras passasso de
urna trovoada, das que sSo muito frequen-
tes aqu nesta qna Ira.
Entretanto das 5 e meia em dianle desfe-
chou urna tempeslade horrenda, acompa-
nhada de relmpagos e trovOes incessanles:
despejavam as nuvens negras e baixas, que
cohriam a cidade, ondas de chuva que (izc-
ram do cada rus um cau laloso rio.
O ruido da agoa, o rolar constante do
truvfio, eram apenas intoriompidos pelo es-
tampido do raio que de espaco om espaco
fsxil Irou.er os edilicius, sem que conitudu
apezar da tempestado, acudi para soecur-.curido da noile e bulla que. falla a tem-
rer nquelles desgracados. I peslade. Emhalde algnns vizinhoshradavam
Por entre u negrumo da noito mal se dis-1 aos pausante* que Voltaasem i poneos apro-
tinguia o clarSo lgubre dos ardiles quo veilaran o aviso que nflo podiam ouvir,
circulavam o lago, nlgnns dos quacs vlam-laique um que trazia urna lariterna JulgOU
se brilliar no meio das ondas espumantes e j dever c.inservar-se dolado occidental at
lodosas, levados por humens corajosos o que viosso alguem parasubstitui-lo j e foi
magnnimos que airiscavam suas vidas orna forluns, porque entre oulroa beneli-
para irem s casas salvarcn os moradores. cios quo fez cvitoii que una canuagen que
Esles salvadores carregavam aos hombros coiuluzia gente dus airabaldos se precipi-
es senlioras e as crianesa com agoa al os jlasse no ahysmo.
peilos, e, seguindu a duvidosa direCQflo de Dumu este abandono al periodoi 11 ho-
uina vacilante ponte do maduira que, es-'ras da nuile, que foi quandna polica co-
taudd snbmergida, era ciilrclanlo o unic > i mecou a mover-sc : infelizmente nessa bor-
triio por onde pudera pasisr para iras'rivel noitnatos Ismpeflesda illuminaeSo
habilacOes: um erro na drecQ.lo da ponli j eslavam apagados, naturalmente porquo
arrojara o slvalorea vielima no leilo int-fhavia n presumpcfio legal lo que era noile
petuoso e profunJode um hraqo do mencio-j de la, outilvez porque a chuva US apa-
ado arroio. I gasso.
Para se fazer urna idiia da grandeza do i lie doloroso dzcr que a salvadlo de mui-
voluine das agoas arrojadas sobre a ponto, las victimas deve-sa de lica^no e valor do
de l.orena, b&sla saber que o seu arco lem f alguns particulares : so esperassem pelas
15 palmos de altura, com 10 de largura, o providencial da autorldlde, muito mais nu-
que anda assim nao baslou para a exped- merosas seriam as deigriCJS.
efo das agoas, que assuberbaram-so tanto, I Kilo me reliro ao digno chofo de polica,
quo passaram por cima da ponte, que lem 'que mo eslava em casa; mas que, ap "ns se
seguramente 25 pilmos sobre o nivel do reenlheiiorecaheuas parlicipagOes, diiigio-
arroio. 186 i poni do l.orena, o all conservou-se
Igual successo mesma hora, e com den-'grande parto da noito.
ticas rircunistancMS, se realisava ni ponte lloje as 9 horas da inanhaa S. Exc. o preii-
do Ac, urnas 300 bracas abaixo daquella; denlo eia visto omdiversos pontos, acom-
masaqui o estrago foi anda maior, purquo paohadode alguns s ddados : veremos so
esta bella e bem construida punte mo pode, se previnom muitasdesgracia o prejuizos
resistir forte presso da enormissima que p lem anda oceuner com a con'iiiiia-
Diassi d'agoas, edesabou toda inteira, sen- 'cilo das chuvas, que be um facto com que
do seus malcriacs arrojados a grandes dis- devenios coniar.
tancins, ) A valia-so geralmente o prejuizo dos par-
Vejo que ha de estar inquieto e tflliclo licularesem89 a lOOcontos de res maisou
por saber da sorle dos habitantes das casas monos, o oda muicipalida le em cerca de
inundadas: ha o ponto quo exactamento 20, s as duas pontisdo l.orena e Aru,
mais rr.e custa locar desta triste historia.' sem fallar de utios mullos lugares que li-
Salvaram-se mail de 60 pes dentro das
vam desfall
limo refugio -
desabar aos pedacus, a proporcilo quo ai de chuva, por falla de capacidade de esgos-
naredes iam sendo destruidas. Mais de 100 tos, etc.
pessoas conseguiram escapar cnchente, I O campo do Curro, por cxcmplo, hcoii to-
rugindo com precipitagiio por entre as ago- do alagado, eas casas qua o crcan Oram
ss, quando ellas comecavam a subir ; mas,'inundadas com alguns palmos do agoa e
oh desgraca at esta hora ( urna da tarde ) muitn cmisa so perdeu ; em outios pontos
j se leeni encontrado quatro cadveres, aconteceu o mesmo.
dous enterrados as ruinas das casas que I Attribuo-se o grande desastre a ruptura
desabaram, e dous afogados na torrente,! do dous tanques do reserva dos cbafanzes
eisto s na ponte do l.orena, onde estOo! da cidade, e mo so pdeduvidar que fusse
mai." activos os trabalhos do dcsentullia- esta a causa por que com chuvas menores ja
-se mais de 60 pesioas tiradas de. caram damnilicailos pilas ciixuiiauas, e
iscaS'S, algumas das quaes esta-' nos prejuizos que sufirciam outios muitns
llecidns, coutras linham por ni-' propietarios, ja em muros, ja oin edilieius
zio os lelhados quo eslavam vendo que se arruinaran! com a invasu de agoas
O bom conhecido proprietario Antonio
Manoel Teixeira. que aqu est hi mozos
com sua numerosa escravatura fazendo va-
ras uliras importantes, leve agora occssiSo
de. prestar mu i tos servicos applicando
mais do duzcntns Irabalhadores em qual-
quer punto que he mister acudir dirigin-
docliu proprio com sua condecida activi-
dad- os Iralialbos.
Una niulhcr velha da ponto do Lorena,
no momento de maior perigo, qusndo sua
pequea casa eslava com cinco palmos d'a-
goa, fez sahir a familia, e teimou em nflo
abandonar sua liuhitaQo, como que que-
rendo defend-la : agarrada a una argola
de um pin tal, resista torc da crrente,
o leve a constancia do ver glosaba rom todos
os reporliiiient is da casa exceptu da-
quelle em quo ella ostava, que lieou em p.
U Dr. Pinto Jnior, quo mora na ladeira
prxima, correu mi lugar do perigo apenas
o recuiilieeeii, e son energa e coragetn
deve-ie em grande parle a lalfaeAO 'o mui-
tai vidlS) pois que futre a pcilurbaco e
desordom suube organlairoaaoeeorroada
modo quo fossem proQcuos,
O Si. Celeslino II uroul, negociante da
fazendas, mostruii lambem muin coragem:
u.lo hesitou em arriscar sua vida, lauca i-
do-sc ao pelago i-ara ir salvar seu runlrulo
o Sr. Manoel Jonquim OTOellia que eslava
em perigo eminente sobre um leln.'iro ; e,
informado do que este luha om urna g.ve>
la alguns conlos de ris pertoucenies i fa-
zenda nacional deque he colleclor, vol'ou
no viniente e nolrepidou om entrar n'u-
mi casa que eslava dessbando, e ronsoguio
por entio os lovois boiaules adiar uquelle
que encerrivi o dinheiro : nesle acto de
dedicidlo foi o Sr. liouroul acompanbado
por um moco alU inilo do nome Pedro.
Um lainanquoiro de nome Jos foi o pri-
meiro que se alreveu a ttnvessar o lago,
indicando a perignsa vereda da pequea
ponte, para salvar a familia do Sr. Delin-
que; e foi logo seguido pelo mejor Nevos
que fui o primeira quo ousou entrar as
casas que cabiain para tirar ns pessoas que
dentro eslavam. O Dr. Pinto Jnior o acom-
panhtva.
Todos osles o outros cujos nomes ignoro,
que primeiro se arrojaran! a salvar seus se-
melhmtes, arriscaram corajosamente suas
vidas, porque podiam perecer ou afogados
uu esmagados sp'.i as ruinas dos edilicios.
Unjo sc quo a pessoa quo esleve muilo
temi com urna laiilerna uu ponto do Ac
dando avisu aospassanlescra o Dr. Azeve-
do Jnior, lie consolador rcconhccer que
bouvo una noble emulaciio do sacrificios
paia lllvicfjo das vctimas.
(Carla particular.)
; ornul do Commercio. )
mcnio.
No se pode anda conhecer o numero
das victimas que perecertm, porque a gran-
de quautidade de Ierras depostalas pelas
agoas allersram por lal modo a supeilicie
das margeos do arroio, que lie mister ca-
var profundtmenlo para desenterrar mo-
vis e mili-.is objeelos, o he indispeusa-
vel revolver ludo al embocadura do
arroio no Tanundatehy, em urna distancia
de mais de 1,000 bracas. A mirgiiiafu'o do
povo, profundamente excitada, avalia tal-
vez exageradamente o numero dos morios,
calculando pelas noticias das pessoas que
desde honleni tarde fallam a diversas fa-
milias Ja ii-i.l.o ldo occssiSo de verificar
k falsidade de alguns boatos a esto respcilo,
O prejuizo em valores he muito con-ile-
ravel, tanto para os particulares como par
o publico. Ni ponte do l.orena desabaram
1.'j casas, c algumas estilo cm tal estado de
ruina que espera-so que caiam a todo o mo-
mento.
Ileum ponto de muito commercio, por-
que lili dcscarregam c.se depositan! em nu-
merosos e vaslos armazens muitos gneros
de consumo que veem psra o mercado de
muitos poutos desta provincia e de grande
paite da do Minas ; o por essa mesma rasilo,
deseralli um n>eica.!o muito froquenlado,
lia grande numero de armazens, lvenlas e
casas de negocio de oulros gneros.
O Sr. Antonio Jos Das Leite possuia urna
extensa galera de casas de sobrado, cujas
lujas eslavam cheias de mercaduras do paiz
e eslrangdiras, inclusive urna grande quin-
lidade no tai.
As casa sesl0odestruidas, e he desneces-
ssno dizer o que acunteceu s mercaduras:
s esto negociante perdeu mais do 20 coti-
los de ris.
G S' Honrique llenriqksin, um industrio-
so Allemfo que morava cima da ponte,
possiiis um bom sobiado, com muitos odi-
ficios contiguos, onde tinlia uns boa fabri-
ca do licores de que lirava grande proveilo,
e um pequeo mas bem arranjado theatro
tonde i'uuicsentavuiii osAllemSes, ludo es.
algumas vezes lcom-sedesmorona lo osacu-
des de alguns desses tanques e causado al-
guns estragos. Parece, pois, in.vilavcl ou
destruir csses tanques uu Cazor um solido
canal empedrado que conduza as agoas sem
perigo pelo valle indicado at sahircm da
cidade, mesmo quando arrebentem os tan-
ques : veremos o que resulvo a municipali-
dade, que ( seja dilo de passagem ) al esta
hura nio so moveu, nem anda resolveu reu-
nir-so liara aotnenos indagar o que tem
acontecido e lomar alguinas providencias.
Quando acontece algums desgrana dosta
ordem na cidado da Babia, ou em alguma
nutra do impciiu, os esforcos i!os rrspecii-
Visdeputados teein conseguido da lliem-
bli geral soccorus scno para indemni-
saqao dos uuo ludo pordoram, ao menos
para suavisar-lhes os sulfrimentos, livran-
du-os da indigencia : veremos o que faz a
110-81 deputacSo.
Suspendo qui esla carta, que amanliaa
conciuirei cun ss novas inforinacOes que
poder colher.
3 do j.i/jeiru. Nlu he som rasao quo os
habitantes da capital mostram-se hoje cons
temados, o que urna espressao de tristeza
reina em lodos os semillantes. Currem ru-
mores ui.suMiiduic sobie o numero dos
mortus na ponte do Ac : hontem achou-se
um cavallo arieiadn, que supponhe-se per-
tencor a Antonio Horuel, um lavrador das
vizinhanci-S quo \ co acidado no da l'e al
boje nflo consta que tenlia apparecido em
seu silio. Diz-so que cadveres fram vis-
tos pa.-sar no ponto do Sant'-Aiini, e nao
ha noticia de algumas pessoas que sahiram
ules da loi:-.pesiide quasi lodos escravos.
lloje desabuu um l.nicu dos armazens de
Juan Sei tono, queja linlia perdido urna ba
casa no dia primeiro : outras casas que con-
serva m-se em p estilo em lisco de desa-
bar ; e, quando islo nao acuntOfa, a repa-
rav-iu sera quasi tao dispendiosa como urna
edilcadlo nova.
lio muito considcravel o prejuizo om mu-
ros que a todo instante estilo cahindu em
toda a cidade e nos arrabaldes, pois quo as
chuvas leuuicouUuuado.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. presiden-
te DrTJoti liento da Cunha e l'igueircdo.
13 HE DKZKMBO.
Ofllcio. A Jos Goncalvcs de Albuquerque,
agente procurador das icndas desla provincia
em Pernambuco. Nao couviud o preco an-
imal ile .160.000 rs. que exige o eililor do nrio
de l'einambuco pela iiiiprrssao do expediente
da presidencia delta provincia, como VlBC. me
participa einseu oAclode H de unveiiibro ul-
timo, llie ordeno que pague smente essa dcs-
peza na rasao do expediente que ja foi reniel-
inlo e do que se tem de fazer al o mu do pre-
sente anuo.
p^NAMBUCO
.CAMAUA MUNICIPAL DO RECIFE.
SESSA EiTBAOnDISABU BM 8 DE JlNBI
no de 1850.
Presidencia do Sr; Mamule.
Presentes os Srs. Carneiro Monteiro, Dr.
Muraos, Vianna, e PiresFerreir*. faltando
com caust os mais senhores, abrio-se a ses-
so, e foi lida e approvada i acta da ante-
cedente. .
O secretario Tez a leitun do seguinte ex-
pcdionle:
Lu olficiodo Exm. presidente da provin-
cia, mandando a cmara dar.es precisas or-
dens para quo tcnlia lugar na terceira do-
minga deste mez a revisad da qualilcac,ao.
Inteirada, por j se terem expedido ditas
ordeus.
Outro, communicando ter dado ordem 10
adminislrador das obras publicas para for-
necer esta cmara a pedra de Fernando
quo fr nccessarla para o cilcamento de al-
gumas ras desla cidade.
Outro do desembargador chefe de polica,
o rticiosdo lor mandado entrrtaar m> pro-
curador desla cmara a quanlia de 303,000
ris, importancia de mullas dadas de con-
forinidade com os aits. 98, 99 e 108 do re-
gulameiito ii 120 do 31 dejaneirode 1812
aos eslrangeiros constantes da relaeflo que
remcllia. -Que so aecusasse a recapcao, e ae
parlicipassq A conladoria para debitar o
procurador.
Outro de Jos Marques da Costa Soares,
provandu com attestido de facultativo a sua
molestia chronci, e pedindo assim escusa
do cargo do supplente do vereadur pira
exercicio do qual fra cunvidado.Que fos-
seaceta a escusa, e se chaaiassemdous sup-
plentes inmediatos.
Outro do juiz de paz mais votado do pri-
meiro dislricto ao Po?o, propondo a Jero-
nvmodo llego Barros para servir o Cargo
d cscrivilo do paz, por ler dado demissao o
quo oxercia este cargo, o apresentindo a
aulorisacao que tinha do juiz de direito pa-
ra ler esciivao separado do da subdelega-


V-MaiC
"*
\9n
cia-Foinpprovadooproposfo, mandou-se-lcm lodos os enlrinclioiramenlos e acampa -
Ihe passar Ululo e offleioii-ae ao Juiz de m,n,os dos rebeldes.
jaz.
Oulro do presidente do concelho de sa-
lubridado, reclamando providencia cotilla
o nl>us3 do se fazeram despejos i qualqner
hora ilo dia e nos primcirns da noilo lora
dos lugares mrcalos, eni vasos deitmdo
maorheiro das materias nellescontidas, om
prejuizo da popnlacflo -Que visto nilo te-
rem os flscaea por si sos a frca sufllciente
para fazerem reprimir somelhanti! ahuso
ge pc.lisse ao governo da provincia oscoad-
juvasse com a polica militar, dando or-
dem que pelo corpo de polica se ponha
disposiQfio de cada nm dos fiscaes desta ci-
da de, sempre que ellos os requisilarem,
dous sollados para os acompanharcm, ose
incumhirem de suas ordens relativamente
xecucflo das posturas ;e bem assim que
se pedisse ao mesmo governo mandasse
postar urna senlinella na exlremidade da
ponleda Roa-Visla ao lado do poente para
evitar os despejos que ahi su fazem; e se oll-
ciasse aos subdelegados das froguezias des-
ta ridale, pcdiudo-lhes a sua coadjuva; ilo ;
o i este sentido se respondesse ao presiden-
to do coneellio.
Outro do mesmo concelho, rogando n c-
mara cmpenliasse todos os estorbos afim de
serem conserva.las limpaso livresdeem-
poenmetilos do ngoas o di depsitos de
mnntiirus as roas desta'cidaiie, para quc.no
caso de so manifestar aqu a robre epidmi-
ca quera tm desinvorVido na capit-l da
Rabie, c nhi feito militas victimas, iidoto-
me carcter anda mel assustador do que
tem apresenledo naquella provincia.--Que
e oruenasse aoi haeaea(como pormuitas
vezes u tem fejto, a restricta observancia
das posturas nesta parte, au'orisaudo-ns a
engajar maior numero de serventes pstao
trabadlo ila limpezi das ras ; e que isto
mesmo se respondesse ao presidente do r jn-
celho.
utro do mesmo concelho, instando pelo
cuoiprimento do art 3." til. 5: das postu-
ras municipaes, relativamente remoeflo
dos rslahelecimenlos comprehendi-los na
disposicHo destoartigo.-Que se ofllciasse
aos liscacs.perguntandu-llies o que leem fei-
to a semelliantercspeito, e se respondesse
ao concelho.
Outro do mesmo, pedindo copia do plano
dos ionios de padarias situadas nesta ci-
dade o das nstrucQes respectivas, afim de
proceder a umexameem toesestalieleeimen-
tos, c ver se estilo conformes com dito pla-
no ; assim como que a cunara ordenasse ao
engenbeiro cordeadore liscaes so prestas-
s-m ao convito do concilio para este fim.
Adalo.
Otil'o do procurador, communicando ter
em sen poder a quantia de 920,000 rs pio-
venient-s de depsitos f.-itos no mez de de-
zembro, e querer recolhe-los ao cofre.-Quo
.86 odlciasse nos dous claviculnrios que se
acliam impodidos paia passarem ascliaves
ans que estilo f.zend'o suas vezes, afim da se
cdVctuar o reculliiinento do dinheiro.
Oulro do mesmo procurador, apiesentan-
doo bataneo da receila cdespeza municipal
do trimestre lindo no ultimo de dezembro,
o oulro deoilodias do correle mez, pilos
quaes se demonstra o saldo do i.0167167 rs.
a favor do cofre. Inteirada.
Oulro do fiscal do Recite, participando
ter feito corrida de porcos no mez de de-
zembro, que produzio, livres ilo todas as
i!espc/s,l lifoao rs, a qual quantia passra a
entregar ao ibesoureuo do Hospital dos ta-
zaros. Inteirada.
Otitro do audai>te do porteiro desta c-
mara Jos Clemente dos Sanios Siquera
participando ainda continuar a sua moles-
lis, c ser precisa por mais algum lempo a
sua estada no serillo, segundo o attestado
do facultativo que junlava. = Inteirada.
Fdram lidas, e mtfndoo-se adiar as in-
formacoc's do cordeador c do fiscal do bair-
ro da Boa-Vista, relativamente i pelieflo de
queixa do alguns proprielarios de esas da
Capunea contra o alinliametito das ras
daqueile luj.-a'-.
A cmara approvou o conlralo celebrado
entre o toreador Mamcde c o mestie pedral-
10 Andi Willmer, pelo qual este se obrigd
a fazer os cooccriosd ponleda ra da Au-
rora por a quantia de 600,8000 rs., median-
te as condifoes do mesmo contrato.
Foi approvado um parecer da couiniissflo
especial Horneada para tomar c.inhccinicn-
to da materia da pelieflo de Tliom Correia
ile Araiijo e outros contra Bernardo Anto-
nio de Miranda, relativamente a usurparn
de serventa de estradas, e no sentido do
mesmo parecer se mandn oliciar ao fiscal
respectivo.
Mandou-se ordem ao procurailor para, de
acrrdo com o advogado, proceder pelos
me ios legaes desappropriaeflo du muio de
llerculano Al ves Alves du Silva, silo na ra
nova da Soledade.
Foi Humeado o fiscal do. Recite para ser-
vir 8 das na freguezia de Santo-Alilonj ,
visto constar achar-se doente o (Ucal res*
peciivo.
Despacharam-se as pelices da adminis-
trado dos estabelecimenlos de caridi.de,
de Antonio Pedro Rodrigues, de Antonio
J'into le Moraes, le Antonio Moreira iteis
de AntonioDieeda Silva Cardcil, deCer-
vazio Goncailve da Silva, de Tliom Correia
dcAraujo, de Delfino i.nunilvs l'creira l.i
roa, de Eugenio Nurberto Alves Ferreira,
do i)r Joaquim de Aquino Foncrca, de Joflo
Deodalo Itoman, de Joaquim Corroa da
Costa, de Jo-Concaives da Cruz, de Juilu
deSouza Res do l.ourcnco Ferrira Alves,
de Manuel liuarquo de Macdo I.una, de
Alaiioel Jos da Silva Neiva, de Manuel Fi-
gueirOa de Faria de llerculano Alves da
Silva de Thyniaz d'Aquino Fonceca, de
Jos Pires do Moraes ile Jos Francisco
M ni I id. Ilmt.ml l>........ I,. l-,., i
..........> u~ "- buutw iiu.ifigues, du
proprielarios de terrenos da ra nova da
Soledade.
Ku, Manat Ferreira Aecioli, secretario in-
terino, a escrevi. Ra ro pro-presideu-
lo. -Mamede. Carntiru Monleiro. fer-
reira. Moraes. --Auge/u. Ilenrigues da ilva.
Todos os bata Ihoes do que so compOem
as duas brigadas estacionadas as maltas
marcharam, segundo o plano precedente-
mente dado pelo commandanto das armas,
para seusdeslinos;eaoarvorecerdodia rom-
ii o fogo por todos os lados, menos pelo
Riachflo, destinado ao corpo do baledores,
quonlo chegDu a Inra mrcala, sem du-
vida por encontrar obstculos em sua
marcha.
Os rebeldes ao principio quizeram oppr
alguma resistencia no Cousseiro, Capim e
Japaranduba, mas fram logo repellidos pe-
lo valordas funjas tlo;governo,e,abandonan-
do as referidas posicOes, combaliam como
em retirada talvez por ouvirom rom per o
fogo em quasi lodos os ponlos. Assim olTere-
oeram elles pouca resistencia, do maneira
quo as tropas do governo das 11 llorase
meia do dia em diante comec,aram a oceu-
par a l'rata, ten-lo tomado e incendiado tre-
ze trincheiras inimigas no Cousseiro, Japa-
randuba, Capim, Pirangi, Catu i ma e Prata.
Nesle ultimo lugar pernoitou o mareclial
na habihco de Caetauo Alves.
Ao romper do dia 27,nflo tendo ainda che-
gado o oorpo de batednres, fez o mareclial
marchara primeira brigada pelo Riachflo al
Calende, para saber do motivo doralarda-
mento, e hora em que olliciou eslava infor
mado de bavor j o dito corpo feito junccHo
com a mencionada brigada.
As trojas do governj tiveramlres morios
eli feridos, entrando nesic numero dous
olliciies, sen lo um dellesobravo lenle
II rmes feriio ni coxa direita.
O combale le PenJeraca j tin ha desco-
ro;oado os rebelde s, queso viram abando-
nados pelos serta nejos qua acompanharam
a Joo Tin!a, e que desertaran! tolos de-
ponda morte deste cabecilla ; o combale
d 26 do crrenla acibuu do dcsmnralisa-
los ; e, pois que ellos si ac^am dispersos,
suas posicO.'S principaes estilo oecupadas
pelas tropas do governo. c omarechal coin-
mandante das armas preten lo faz-los per-
seguir incessintemoite, temus a esperan-
qn Je quo em breve so conseguir a piclfl-
caciloda provincia, equeoExm. Sr. mare-
clial Coclho ter o gloria de onclui-la, an-
tes da chegaila do Seu successor.
DliHIO E PBMIBCO.
BECIFE 28 DE JANEIBO DE 1860.
Obsequianm-nos rom os 7V 2V lo dezembro do auno prximo pastado :
vamos communicar aos nossos leilores o
quede sua leitura colhemos.
Inglaterra, India e China. .
Nala de extraordinario (vera lugar nes-
les paizes. os quaes se conservam om
paz. Asautorl ladea chineaos ainda mo ti,
nliom entregado a calieca o mflos do infd-
liz guvernado.- do Macao, e rarc:iam dis-
poslas a conserva-las em seu poder, em-
quanto os l'orluguezes nilo pozessoni em
libar Jade os tres Gbins qaeflzeram pristo-
"Ciros, o que elles nilo leem querido clfei-
luar.
Em Londres os ronfo/i Qearam de 96 1/8
a 06 1/4 ; o os fundos hrasileiros a 89.
Franfa, llespanha e Italia.
Tolos c-des paizes ficaram em paz, e na-
da de extraordinario Uvera nelles lugar.
Corra em Pariz que se eslavam fazendo
negociaco-s tara o limde cITeituar-se nina
uuiSo entro os dous ramos da casa de Bur-
Imiii, ecria-se qux estas negociacoes nro-
vavelmente acabariam em urna completa
reconciliado entre as partes mais inters
sidas no SUCCCSSO das inesoias.
Dcpoiiquc osl'rancozes tomaram Ziat-
cha na Algeria, ludas ts tribus do Ziban
cnrrerain ao acampamento do general llr-
billon para darem refens em penhor de sua
submiasfloe do pagamento das multas quo
Ibes foram impostas.
No dia 29 da uovembro urna aceito leve
lugar em Djebel-Messad oulro as tropos
f'uiicczase as fAreaa commanilas pelo Ou-
Itii-Aiiieiirben-Feradj, a quil lerminou
pela derrota drslas ultimas, caldudo em po-
der dos Fitncezos,nflu smente as suas bar-
racas, senflo lambn urna grande pune do
seus r.'bauhos.
A riinha Izabel, uo obstante a inter-
rupc3o das relacoes diplomticas entro a
CrAo Brelsnba ca llespanhi, ordenou que
a corle de Madrid lomasse luto por espaco
de 21 das] por occasio da niorte da rai-
uha Adelaida.
A maior parle das tropas hespinholas que
se iichavan nos estados pontificios, j ti-
nhain regresado a llespanha.
O CoMliluiOMb ile Klorciira. rcferlndo-ne
lima carta de Roma de 7 de dezembro. di* que
o general Uaraguay d'lliliers linha signilicad.i
au papa o seu arlimaluin, c llic havia prescripli
um periodo dentro d-i qual devena reuresnar
para liorna, asseverando a Sua Santidade que,
no caso de se recusar a jo, as autoridades
fi anecias, lindo o periodo prescriptu, proda-
inariaui mu governo provisorio.
Entretanto, oulrai cartas da mrsina cldade,
recebidas em Toln, aiinuiiciaiii qu-' o p3pa
ealava menoa disposto que nunca a voltar para
sua capital, e qut os piutesios e persuasdes do
general Uaraguay d'lliliers nao tiuhiuii produ-
cido sobre elle ii. iiliiini i'U'eito. Cria-se que
Sua Santidade Insistira ua evacuaffio de Itoma
pelas tropas franceai todava o correspon-
dente do Slalulo (gaieta de Florenca) eocreve
(Se Roma em dala de i3 de dezembro que o pa-
dre santo era all espetado ateo mciado de Ja-
neiro.
O cardeal Anlonclli /ora encarregado por
~ii i Santidade de una missao i corteo catli-
cas, e ditia-se que seria substituido no lugar
de secretario de eslado e presidente do conce-
lho pelo cardeal Lambruschiul.
O duque de Parma, segando urna carta d'alli,
transcripta pelo o'laluto de Florenca, pedio
corte de Vieunu a revisti do tratado de |8M,
allegando que o nao tinlia assignodo, alm de
ser elle mu prejudicial aos seus liiteressci.
Allcmanha.
dille, a dieta federal pronunciou luapropria
ilissolucao, e a assembla nacional mata tarde
seguio o seu exemplo, coiuprehendl que nao
poda ceder mlnha inclinafo sein deapeda-
cai os I icni que ligain os estados germanlcoi,
e sem expr por conseguate (oda a Allemanha
a grandes perigos e a total ruina.
Meus deveres obrlgaram-me a permanecer
no posto que oceupava at que outro orgao
fosse creado para dirigir os uegociosdo paiz
F.ste moinento he agora chegado. Os dous
sustentculos do ineu poder fraina totalidade
dos governos allemaes c a assembla nacional
germnica, c a estes dou os mais sinceros
agradecimentos pela cooperaco e asslstencla
que aemprc me prestoram.
A assembla nacional j nao existe. F.lla
apressnu seu proprio flu, passando aliu dos
limites legaes, e dando as mais largas passadas
em mu i iine.-, ni falsa, em uin lempo eioque
n curso dos acontrclmcntos era tal, que o mais
ligeiro desvio do lado legal da questSo devia
necessariainente conduzlr ulna ruina certa.
A queda da assembla nacional he urna
licito para o povo alio mo. Ella mostra que
s ha um caminho para a nossa constitui-
C.ui, o caminho do progresso calmo e intr-
pido, ede um respeito consciencioso jus-
lica e lei.
a Depois da dissolueflo da assembla na-
cional eu nao podia resignar o mou posto
senflo totalidade dos governos germni-
cos, e a Austria o a Prussia acabam de con-
cluir urna convencao provisoria, a qual os
oulros membros da confederado julgaram
proprio aceitar.
Em consequoncia do consentmento
quo preslei a 6 de outubro, e segundo o
paragrapho 7 da dila convenci, resigno o
mru posto do regente, e resigno os diroi-
los o deveres da coiifederaQflo as mflos de
Suas Magestades, o imperador da Aus-
tria e o re da Prussia.
Tenho a conscieocia de haver fielmente
Irabalhado por exercer o mou poder para
a gloria c o hom da patiia.
O sucasso ainda nflo coroou os esforgos
fe i tos para ligar este paiz por moio de ou-
tros lacos'conslitucionaes, assim codo para
assegurar e reforcarsua grandeza e poder ;
porm os antgos lac js sflo preservados e a
paz eslassegurada. Entretanto nflo poderei
consideiar rom prazer o tempo de minha
a Iminislracilo, emquanto o futuro do paiz
nflo se adiar assrgurado por urna uulflo
mais duradoura. Os meus cuidados acerca
desta uniflo sflo agora menores, porquaulu
a vejo dehaixoda proteo jila do dous dos
mais poderosos governos allemfles Se es-
tes dous governos obrarcm de aecrdo, se
nflo ultrapassarem os seus direitus, todos
os outros os seguirflo como a seus guias, e
o successo coroara a obra.
i i\;i 11 que a Allemanha lire proveito da
experiencia, o quu sua proaperidade medi-
ante a assislencia do Omnipotente, soja
promovida pela harmona e patriotismo dos
principes allemfles, como lambom pelo bom
espirito da naQflo.
Rusta t Turqua.
As di Abronca! ende a Turqua e as duas
potencias impeliera tlllada esiflo anda
lunge do ser reguladas,- e um corresponden-
te do Alie gemeine '/.titting assvera que no
decurso do correte auno terflo sem duvi-
da lugar acoutecia>eu(os polticos impor-
tantes.
Em todos OS portos russos do mar Negro
desinvolve-se grande aclivi lade. Militas
tropas o mantimentoa team sido transporta
dos de Odessa para Sebastopol, onde se acha
ancorada urna esquadra russa, a qual as-
segurava-se que brevemente partira para
os Dardanellos alim do apodorar-se desta
poslcflo importante, que para o governo
rusao tem mais valor do que lo lo o resto da
Turqua, pois he a chave dos dominios ori-
entaes.
A esquadra franceza no Levante linha re-
cebido orden< de relirir-se, o quo causara
grande sorpreza e desgoslo em Constanli-
nopla. Muilas pessoas consideravam a ro-
vocaffio da esquadra franceza como o pri-
meiro passo pira destruic,floda entente cor-
deale entro a Franca o a Inglaterra, e como
urna approxiroacfio para a allianca, ha tanto
lempo anticipada entro o C2ur o Luiz Na-
poleflo.
Segundo um documento publicado pelo
ministro do interior russo, fram atacados
pelo cholera nsquelle paiz em o anuo pr-
ximo passado 1:686,8*9 individuos, dos
quaes 668,012 perecern ; entretanto m-
dicos experimentados, que analysaram o dl-
tu documento, declaroram que a destruido
cansada pelo cholera fra inuito mais ter-
rivel, c que o numero das pessoas que na
Russia lram viclimas desle (lagello nflo
podia ser ayaliado em menus de 2 000,000.
xa com objoctos para chapeos de sol; a I.
Ka Ib.
2 quartolasde vinho, I caixa objoctos de
relojoeiro ; a Melroz & C.
1 cdxa objeclos de chapeos de sol; a Lou-
bel.
1 barril pasta de lichen, 1 boceta livros;
a C. I.ihautier.
2 caixas missangas e perfumaras; a J. D.
Wolpho*jp
2 caixas quadros. 1 dita biscoilos, 1 dila
fazendas de algodflo; a Biduchaud.
1 caixa livros; a Rosas & Braga.
2 caixas chapeos do sol dealgodflo, 4 di-
tas clcheles, toditas chapeos, t dila objec-
los de cirgueira, 4 ditas allinetes, 75 barris
e 50 meios ditos manteiga ; s Cals Frers.
4 caixas fazendas de seda, 15 ditas de dita de
algodo, 1 dita dita de Ua; a Kalkinau & Ir-
mos.
liu gigos batatas. 6 calas e i barris niiude-
sas e inndas, deaixas chapeos', 5 ditas goinma
lacre, 13 ditas queijos, 80 ditas velas, 20 barrio,
10 ineios ditos e 50 polinhos inanteiga, 2 redo-
:seda, 3
masde vidro, I caixa loU(a, 2 ditas iiuudezas,'
2 ditas peona de ac, 1 dita leufos de o
ditas bixas ; ordein.
2 caixas vidros, 3 ditas louc 3 ditas fazendas
de laa, I dita ditas de algodo.:
wMmncio.
AI.FANDECA.
Rcudimento do dia 29. .
No dia 20 de dezembro prximo passado o
archiduque ioo, regente do Imperio allemo,
den asna deinisso deste posto.
Eisaqui a falla que Sua Alteza fez nesta oc-
casio.
Sinhorei. Ha milito que dezejei resignar
bue no da 26 leve lugar um ataque gcrul lo au posto mas, como, quando toiuei poce
Consta, porollico do mareclial coinuian-
danlc das armas, datado de 27 do crtenle,
. 25:860,700
I)ecarregam hoje 30.
Brigue lud. n.lv. l'auline mere ulorias
llrigue portuguez Maria-tel: dem.
Barca ingleza -- Prscillaidom.
Rarca hamburgiieza Mariana queijos
Rrigue austraco Mir ~ faiinha.
llrigue sueco Rapid taboado.
Brigue sueco Zefe idom.
Barca ingleza ~ Monarch ferro.
Baroa franceza Jeune-Ragmoni -- vinho.
IMPORTACA.
L'onie, barca franceza, vinda do havre,
entrada no crrante moz, consignada a i;
l.asserret C, manifeslou o seguinte:
80 barris e 10 moios dlos msntoiga ; a J.
J. Monti'iru.
4 caixas chapis, 5 volumes fazendas
de seda e algodflo 1 dito fazendas de
seda, 8 caixas rhampaiilia, 4 ditas extrac-
to de atltintbo, 4 lilas kirocli, a Kellor
&C.
7 volumes fazendas de algodflo, 3 dlos de
dita de seda ealgolflo.l caixa chapeos de
sol de algodflo, 3 lilas chapeos; a Schafhei-
llin e Tobler cV C.
50gigos clinmpanlia ; aCalmont&C.
5 caixas mantelga em frascos, 1 dita miu-
dezas, 1 dita fazendas de algodflo, luvase'
palles pieparadas, 1 dita pe fumarias; a 1.
Routier.
1 piano ; a I. Vgne.
i caixa papel paulado, 6 ditas vidros; a
Bol y.
1 lardo ferro balido, 1 caixa burnidores
de pao e um boceado de barro, 12 pedias do
amolar; a J.icques Kellor.
3 bahs chapeos de sol de algodflo, 1 cai-
Igodo, 2 ditas chapeos,
2 ditas obras de ouro.l dita obras de cirgueiro,
1 ilii i calcado, 1 dita louca e vidros, 1 dita can
dieiros, 1 dila miudezas, i dita pistolas ; a A.
Robert.
327 barris e 125 ineios ditos inanteiga, 17 far-
dos cabos, 2 ditos lio de vella, 300 barris farl-
olia de trigo, 21)0 ditos bacalho, 2 calas cha-
peos, lOO ditas velos. 95 ditas e l barrica quei-
jos, 10 barris estando; B. I.asserre & C.
2 caixas brelas, 2 ditas papel de embrulho,
2 ditas perlumarias, 1 dita obras de folha, 3
ditas obras de papelo, 3 ditas Untas, 1 dita
drogas, I dila efpelhos, 4 ditas iniudezaa, l
dita ferragens, 1 dita papel e miudezas, l.dita
pclles ; a C. Krugcr.
8 caixas pelles preparadas, 1 dita palles pre-
paradas e chicotes, I ditas miudetas, 1 dita
ubjectos de daguerrcotypo, 1 dita capsulas. 1
dita artigos de moda, 4 ditas chapeos, 8 ditas
lazendas de algodo, 2 barris barbante,2t cai-
xas velas, i-2 duas papel,4 ditis perfumaras,
I dita confeites, 4 ditas vidros, 9 ditas louca,
I dita livros em branco, 1 dita livros, I dita
obras de ouro, 1 dita pentes de chifre, I dita
beugallas,2 ditas njodas, I dita livros, caudcei-
ros e boldci, I dita calas para tabaco, 1 dita
cordes ; a Avrial Frercs.
I caisa scllins, 1 dita luvas de seda, lencos
de algodo e msica, 2 ditas pelles de carneiro,
I dita instaiinentos de msica, 2 ditas garrafas
vasias, 2 volumes rogas, 2z volumes fazendas
de algodo, 1 dito ditas de la, 1 caixa louca, 1
dita vidros, 3 ditas chapeos de palha, II ditas
chapeos, I dita nelles preparadas, 1 dita l.i
/en i is para chapeo, 1 dita suspensorios, 3 di-
tas bonetes, 1 dita flores arlillclaes,3 ditas cha-
peos de sol de algodo. 2 ditas perfumarlas, 1
dila lapis e peauhas, 1 dita papel para msica e
caixas parajogo, 1 dita arces e chicotes, I di-
ta calcado de la e miudezas, 1 dila pennas de
ferro, 1 dita chapla! de oleado, 1 dila louca r
escovas, I dila louca e briuquedos, I dita sa-
l un, e bahs, 3 ditas sapatos, ferraiuenia e
objeclos para sapaleiro, 10 ditas com objectos
para sapaleiro, para bahs c calcados ; a l)i-
dier Culoinbicz C.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 29.....5:614,650
Diversas provincias...... 76,677
5:691,3 V
EXPORTACAO.
Despachos martimos m da 29.
Genova por Gibraltar, brigue sardo Josrphi-
iin, de340 toneladas, nianll'estou o seguinte:
3.845 saceos de assucar com 111.225 arrobas
Alcobaca, Ih.il- brasilciroSan-firiudclo-tiran-
de, de 3 toneladas, manifest!! o seguinte :
8U arrobas de carnc-secca, 2 pedafos ue ierro
com 7 arrobas c 55 libras. 200 iilquelres de cal.
2 barricas de assucar com 113 arrobas e 2a li-s.
bras.
Falmoulh, brigue sueco JooonJodon/lon, de
215 toneladas, manifeslou o seguinte :
100 barricas e 2,400 saceos de assucar com
IV.S33 arrobas e 29 libras.
(remen, brigue sueco BrithanU, de 383 to-
neladas, ni niiiestiui o seguinte :
3.950 saccas de assucar com 19,750 arrobas.
Gibraltar, patacho haiiibuiguez Chrislins, de
184 toneladas, inanlfestou o seguinte :
I ."liii saceos de assucar com 9,800 arrobas.
Liverpool, brigue ioglcz fandolph, manifes-
tou o seguiute:
Lastro de pedra e 570 barricas de bacalbo,
que nao descarrrgou.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 29.....3.757,816
t Clausulas etpeeiaes da arrematacio.
t I." Os I rabal los e obras para osconcar-
tos do janlim Botnico de Olinda serflo lej-
os pela forma esb as condicoes indicadas
no orcaoiento, apreaentado nesla data a ap-
provaijflo do Exal. Sr. presidente, pelo pro-
co de 726,40o-
2.a As obras principiarlo no prazo de
um mez, e acabarflo no de quatro, ambos
contados em conformidide do artigo 10.
do regulamento das arrematsc/Oes.
3 O pagamento do importe da arre-
matarlo rcalizar-su-ba depois das obras to-
das concluida* e examinadas pelo engo-
nheiro.
4.' Para tudo o mais qua nflo est de-
terminado pelas presentes clausulas seguir-
se-ha inleiramonte oque disoOe o regula-
mento das artnatacoes de 11 de julho de
1813.
Gabinete dos ensnnlieiro, das obras pu-
blicas, 12 de abril do 1849. O engenbei-
ro, 1. L. Vctor Lieuthter.
O Dr. Joio Floripes Das Barrito, ful m -
cipal tupplenle em txtreicto da segunda va-
ra do termo do Recift, t preparador dos
proessos que leem de ser submtttido* ao ju-
ry, por S. itf. I. C., OM Osos guardo, etc.
Faz saber que palo Dr. juiz de dirilo in
termo da primeira vara do crime desta co-
marca, Manoel Jos da Silva Neivas, Ihe foi
felta a ponicipaeflo de baver nesle termo
convocado para o dia 14 do prximo mez
vindouro, pelas 9 horas da mantilla, a pri-
meira sessflo ordinaria deste anuo, para a
qual sahirain sorteados os 48 senhores ju-
rados que seseguem : Francisco Rodri-
gues da Cruz, Jos Jacinlho Silveira, Ma-
nuel Joaquim do Reg Albuquerque, Fran-
cisco Jos da Menezo's, Joaquim Cardoso
Ayres, Dr. Simplicio Antonio Mavignier,
Manoel Estanislao da Costo, Francisco (ie-
raldo Mnreira Temporal, Vicente Ca/doso
Ayres, lir. Joflo Ferreira da Silva, Dr. Jos
Moreira Brandflo Caslello-Brauco, Dr. Jos
Antonio Pereira Ibiapina, Manoel Ferreira
Aniunes Villar,*, Fernando Francisco de
Aguiar Montarroyo, Joflo Goncolves da Sil-
va, Manoel Antonio Simoes do A ma ral, Cus-
todio Jos Alves, Domingos Suriano Gon-
tjalves Ferreira, Francisco Baptista de Al-
uiciila, ^Chnstovflo do Santiago Olivaira.
Dr. Antonio de S Albuquerque, Jos Mara
de Carvalho, Lucio Rodrigues Pereira, Luiz
Manoel Rodrigues Valenca, Manoel Floren-
cio Alves de Moraes, coronel Jos Peris
Compeli, Jos Andr de Oliveira, Dr. Ma-
noel Adriano da Silva Pontos, Manoel Ca-
valcanle de Albuquerque, Dr. Agostinho da
Silva Nves, Manoel Jos Teixeira Bastos,
Dr. Caetano Estelhla Cavalcanta Pessoa,
Angelo Custodio da Silva, Jos Alfonso Mo-
reira, Jos Bernardo de Souza, Joaquim
Jos de Miranda, major Jos Francisco de
Souza l.eu, Feliciano Jos Gomes, Onofre
Jos da Costa, Joaquim llerculano Pereira
Caldas, capilfloFirmino Theotoiiio da C-
mara Santiago, Filippe Menna Callado da
Fonseca, Joflo Baptista de S, Jos Mara do
Castro Nuncs, Claudino de Oliveira Cruz,
J*flo Miguel da Costa, Francisco de Pinho
Borgcs, coronel Agostinho Bczerra na Sil-
va Cavalcante.
Os quaes hflo deservir durante a referi-
da sessflo, para o que sflo pelo presente o I i -
lal convidados, devendo comparecer, assim
como os interessados, no dia e hora desig-
nados, sobas pennas da lei.
E, para que chegue a noticia de todos,
mondn passar o presente quesera publi-
cado pela imprensa ealxado nos lugares
mais pblicos desle termo.
Dado o passado nesta cidade do Recife,
aos 2t du Janeiro de 1850, Eu, Jos Alfonso
Guedes Alcanforado, oscrivflu do jury o es-
c/evi.
Jodo Floripes Das Brrelo,
Deca raides.
.VI o vi me nto do Porto.
Navios entrados no dia 29.
Cruzeiro Corveta ingleza Ticed, commandan
te Lord Francis Russell. Fundcou no La
meirn.
llio-de-Janeiro 20 das, polaca austraca Cn-
dor, de230 toneladas, capito Antonio Nico-
lao P., equipagein 9. em lastro; a Russell
Mellorrs & C. Flcou de quarentena por
seis das por nao trazer carta de snde.
Aai'/o sahido no mesmo dio.
Itio-de-Janeiro Vapor americano B'oit-Poinl,
cominandante Mores lluui,
EDITAE8.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, se ha de arrematar em hasta pu
Idici, no dia 31 do crrente, a porta da Al-
fandega, depois de meo dia, cem pegas de
madapolflo com varia geral, na conformi-
dade do art. 263 4 do regulomenlo de 22
dejunbo do 1816, a requerimento de Ja-
mes Crablree & C.i sendo a arremataeflo li-
vre de direitos.
Alfandega de Pernambuco, 29 de Janeiro
de 1850.O inspector, Luis Antonio de Sam-
paio l'ianna.
O lllui. Sr. inspector [da Ihesouriira da
fazonda provincial, em cumprimenlo da or -
dcmdoEicm. Sr. piesidenle da provincia
de 21 lo correnle, manda fazer publico, que
nos dias 5, 6 o 7 de fevereiro prximo vin-
douro, irfloa proQa, permite o tribunal ad
minislralivo da misma Ihesouraria, para
serm arrematados a quem por menos li-
zcr, os concertos do jardim Botnico de
Olinda, sb as clausulas especiaes abaixo
transcriptas, e pelo prec-3 de 726,400
As pessoas que se propozerem a esta ar-
rematadlo couiparecarn na sala das sessdes
to subredito tribunal nos dias cima men-
ciunrdos, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandou allixsr o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 26 de Janeiro de
1850. O secretario, dntonio Ferreira d'An-
nunciaglo.
Aula de obstetricia.
A matricula estar berta desde o pri-
mero at o u limo de Fevereiro : as licOes
principiarflo no dia 15 do mesmo mez.
CORREIO.
Por ordem superior foi transferida a sabi-
da do vapor Paraense para hoje (30 ), de-
vende fechar-so as molas a t hora da tarde :
as correspondencias que vierem depois des-
sa hora pagarflo o porte duplo al as duas,
e linda ellos nflo se receberflo mais.
Kcpartic-Jio da polica.
Illm. e F.xm. Sr.Segundo as parles hoja
e hontem recebidas, fram presos : mi-
nha ordem, Rernardo Jos Dias, porcrime
deull'ensas physicas ; Jos Ramos, por cor-
recalo; Anlouio Tolenlino de Mello, posto
em custodia para averiguares poliriacs :
a ordem du juiz municipal da segunda vara,
o prelo Jacinlho, escravo, sem doclaracflo
do molivo: ordem do delegado do segundo
d stricto deste termo, o prelo Jos, [escra-
vo de Joflo Ribeiro Pessoa da Vasconccllos,
pur currec<;3o : ordem do subdolegado
da freguezia de S -Frei-I'edro-Goncalves, o
Porluguez Joflo Pedro do Rosario, por con-
traveneno de postura municipal: orden
do subdelegadu da freguezia de S.-Antuulo,
a preta Gerlrudes, escrava : do sub lele-
gado de um dos distados da freguezia dos
Afogados, Romana de tal, pur correcto.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da
policio le Pernambuco, 28 dejaueirode
18-iU.--Illni. e l-Ain. Sr. Honorio lleroito
Carneiro Lefio, concelheiro de estado, pre-
sidente desla. provincia.Aiie Nicolao lie-
gueira Cosa, chele de polica interino.
Pessoas hoje despachadas com passaporte por
esta T'purticio.
Para o Rio-Grande do sul, a preta Igncz,
esciava de Antonio Goncalvez Ferreira.
Secretaria da polica de Peruambuco, 28
de Janeiro de isiO.--Antonio Jos de FreUas,
prioieiro amanuense.
Illm. e Exm. SrParticipo aV. F.xo. quo
das comniuuicacOes hoje recebidas nesta
repariicflo, consto lerem sido presos: mi-
nha ordem, Joflo Antonio l.eitflo, por crimo
de falsidade : or-leui do subdelegado da
freguozia do S-Froi-Pedro-Goncolvez, a
parda Rosolina Maris da Conceicflo, e Jus-
tina, escrava do Francisco Nascimcnto de
Albuquerquo Wanderley, por correceflo : &
ordem do subdelegado da freguezia de S--
Antonio, o Africano Jeronymo, para averi-
guares policiaes: i ordem do subdelegado


^tium
JMggggggg
da freguezia de s.-Jos, o preto Francisco,
escravo de Porfirio da Contta Moreira Alves,
para o mesmo fim i do subdelegado d.
freguezia da V.rzea, a preta Mana, escra-
va de Francisco de tal. por andar fgida.
Dos guarde a V, Exc. Secretiru da
polica de Pernambuco, 29 de Janeiro do
1850.-111). e Exm. Sr. Honorio Hermt-
Carneiro Leflo, concelheiro de estado, pre-
sidente desta provincia.Jos Nicolao Re-
yueira Cotia, clicfe de polica interino.
Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com muta
brevldadeo brigue nacional Minerva, para
oque tem grande parte do carregamento
prompla : quem no mesmo quizer carregar
ou ir de passagem, dirji-se ao aeu consig-
natario, Francisco Alves da Cunta, ra do
Vigaro, n. II, primeiroandar.
Para a Paraliiba sahe por estes quatro
dias a polaca N.-S.-do-Carmo : quem quizer
carregar ou ir de passagem, dirija-se ao seu
consignatario, Francisca Alves da Cunha,
ra do Vigario, n. 11, primeiro andar.
Para o Rio-de-Janeiro segu com bre-
vidade, por ter parle da carga prompla, o
brigue nacional Dota-Amigos : quem no
meamo quier carregar, ir de passagem ou
embarcar escravos, falle com o capitflo,
Francisca Jos Prates, ou com Manuel Ig-
nacio de Olivcira, na praca do Commercio,
n. 6, primciro andar.
--Vende-se urna barcada de lote do 25
caixas de assucar, construida ha 3 annos
das melhores madeiras, ou troca-se por un-
ir menor acha-se prompla de un ludo para navegar :
quem pretender um ou outro negocio, di-
rija-se a ra da Cadeia do Recite, a fallar
com Jos Comes Leal.
Precisa-se de um navio para carregar
185 caixas/3 feixos e 101 saceos com assu-
car, e SO couros para Falmouth, para rece-
berordem, e vndia doMaroim na galiuta
haniburgueza Carl-Aiolph, capilflo N. Fick,
urribada a ste porto, e legalmente con-
dena nada: os pretendentes queiram com-
parecer n consulado de llamborgo, na ra
da Cruz, n 4, quinta-feira, 31 do correte,
o meio-dia.
Para a Balia,sahe, na presente sema -
na,o brigue-escuna Laura: pode receber
alguma carga miuda, ou passageiros: tra-
ta-se com o capilflo a bordo, ou com No-
?aes & C., na ra do Trapicho, n. 3.
Pera Lisboa pretende sahir-com a maior
brevidadepossivel o brigue porfuguoz No-
vo-Venador, por ter grande pule de sen
carregameoto prompto : para o restante e
passageiros, para o que offereco oxcellentes
commodos, trata-se com os consgnatenos,
Thoma/ de Aquino Fonseca & Fillio ; na
rita do Vigario, n. 19, primeiro andar, ou ao
capilflo, na praca do Commercio.
Para Loanda com escala por Blossamodese
Benguella
a barca brasileira Ttntativa-Feli: seao para
todos estes porlos, esc acha prompla a re-
cebar carga e passageiros : as commodida-
des que a mesma ollerece, ja s3o bastante
condecidas nesla praca, e para melhor des-
engao os pretendentes poderHo ir a bordo
du mesma que se acha fundeada defronte
do Trapiclic-Novo, e para tratar, na ra da
Madre-de-Deos, n. 3, com Silva & Grillo,
ij(ii- pretendem faze-la seguir at oiim de
fe.vercira prximo futuro.
-- Para o Aiacaly pretende sahir cm pou-
cosdias a sumaca Carlota, por se adiar
com tres partes da carga a bordo : para o
rstanlo da carga e passageiros trata-se
com o meslre, Jos Concalves Simas, ou
com Luiz Jos de S Araujo, ra da Cruz,
u. 33.
Compra-seum navio, patacho, brigue
ou polaca, sendo de boa construido e
prompto a seguir viagem, devendo carre-
gar para cima do -2,500 saceos, o que nflo
demande mais de 15 palmos pouco mais
ou menos : a tratar ao lado do Coipo San-
to, toja de cabos, de Miguel Anlonio da Cos-
ta e Silva.
Para o Kio-de-Janeiro partir, com
muita brevidade, o patacho brasileiro For-
tuna, de loto de seis mil arrobas : tem me-
lado de sou carregamento engajado : para
o restante trata-se com Firmino Jos Flix
da Rosa na ra da Senzalla, n 49.
-- para a illia de S.-Miguel segu via-
gem com brevidade por ler parte de seu
carregamento prompto, o brigue nacional
Fspirilo-Santo, capilflo Alexandre Jos Al-
ves : para carga e passageiros, (rata-se com
Francisco Marlins Ferrara, no largo do
Terco, n. 139.
Leiloes.
James Crabtree & C. faro leilSo, por
intervengo.do correlor Oliveira, de gran
de sorti ment do fazendas inglezas, pro-
!> ias do mercado : quarta-feira, 30 no cor-
rente, s 10 horas da mantilla em ponto, no
seu armazem da ra da Cruz.
Quarta-feira, 30 do corrente, haver
leilflo, por conta de quem pertencer, de 16
caixas de 50 queijos cada urna, e 100 quei-
jos pratos: ludo em lotes a vontade dos
compradores : no caes da Alfandega, as II
horas da mandila.
- N O. Bietier & Compendia frrflo leilo,
por inlervencflo do eormtor Oliveira, em
presenca do Sr. cnsul de llamburgo, e por
conta e risco deqnem pertencer, da galiola
haiiiliurgueza ''.arl-Aiolph, capillo) N. Fick,
arribada a este porto, onde foi legalcente
condemnad, na sua recente viagem proce-
dente de Uaroim com deslino ao Canal ln-
glez, para onde segua com u seu carrega-
menlo do assucar : sexta-feira, 1.' de feve-
reiro, ao mcio-dia cm ponto, porta da aa>
aociacBo commercial desta cidade. Adver-
te-se que o casco da dita galera, sua mas-
treacSo e apparellio completo, ul qual se
acha actualaiente fundeada neste porto,
defronle do Trapiche-Novo, onde os preten-
lei.les i leni examina-la com anticpsc3o,
furuiaro um nico lute, e dito correlor
igualmente mustiara o respectivo invenla-
liu aqueles, que em seu escriplorio quize-
jcui v-lo, para seu governo.
Avisos diversos.
l'recisa-se alugar uma preta que cozi-
nlie o diario de una rasa c engomme : na
ra do Brum, armazem do Torres Jnior &
Companhia. Na mesma casa compra-so um
cordflode miro, quo lenha do 8 a 10 oita-
vas, sem fcitio.
OsSrs. que deram alguns livros para
encadnrnar na ra estreita de Rozario, n. 4,
tenham a bondade de manda-Ios buscar
at odia 5 de fevereiro prximo futuro.
Na ra estreita do Rosario, n 4, existe
uma carta para sor entregue ao Sr. Dr.
Amaro Carnciro BezerA Cavalcanle.
*-Diu-se 400 ou 500,000 rs. a premio com
h^lotheca e.n alguma casa terrea sita nes-
ta cidade : na ra do Sebo, n. 8, a qualquer
hora do dia.
lU.ubo.
Na iua do Torres, n. 6, foi rou-
bado Joaquim Pinto da Cunha por
Jo3o Francisco de Lima, consis-
tindo o roubo em um baln de
couro amarello com 3 palmos e
meio, fecliadura preta, tendo den-
tro do mesmo roupa de homem e
109,000 rs. sendo cento cum mil
rs. em sedulas, tres patacSes e
uma moda portugueza de prata
de 4 r* s signacs do dito
roubador sao : pardo escuro, bai-
xo, grosso do corpo, rosto redon-
do, sem barba, cabellos cacheados;
tem nos peitos urnas popocas que
parecem espinhas ; julga-se ter
ido paia o sertao, por ter o mes-
mo dito que era desse lugar : ro-
ga-sc, porUnto, s autoridades
policiaes que, em qualquer parte
que for encontrado, bajain de o
apprehender.
Avisa-sa aos deis devotos do Sagrado
Corceo de Mara, que na igreja da Madre-
de-Deos, no dia 2 de fevereiro prximo fu-
luro, de madrugada, se collocar um simle
do mesmo corceo no altar de N. S. da Sa
Je ; assim como tambem la henzer a cera
que apresenlarem os fiis, segundo as ins-
lituicOes da sania igreja nesse dia.
fe
f.y HOMEOPATIIIA. $
y O consultorio homecopalhico de fe
* Pernambuco est aberto lodos os dias 8/
ftj desde as 8 horas da manhfla al as 4 fe
M datante. fe
0 Adverte-se as pessoas que quize- fe
fe) rem usar da homceopiitliia, de diri- >
fe gir-se no mesmo consultorio e eiiten- fe
4 der-so com o director Juflo Baptista fe
$ Casanova. %
4 Alguns curiosos andam as casas fe
% particulares oiTerocendo administrar fe
^ a honiocopalhia em nome do cnsul- fe
4 torio, estes curiosos facam as especu-
^ Incoes como melhor o entenderom,
. mas nflo se sirvam do nomo do con-
J| sullorio, porque ro consultorio nflo
jf exislem agentes nein cacheiros, vis-
se quizer utilisar, ilirija-se a Camboa-do-
Carmo, n 8, d is 6 horas da manhfla s 6 da
tarde.
Precisa se alugar 4 escravos, mensal-
mente : paga-se bem : na ra do Sol, n. 15.
O abaixo assignado relira-so para Por-
tugal a tratar de sua saude, e deixa nesta
praga por seus procuradores aos Srs. Bar-
tholomeu Francisco deSouza, Anlonio Ro-
drigues da Cruz e seu irmSo Joaquim An-
tonio Pereira, ao qual dou sociedade no seu
cstaheleciment da ra larga do llozario,
d. 28, cujo estabelecimenlo fica gyrando
sol a firma' de Silva & Irmflo.
Antonio haquim l'treira da Silva.
Francisco Jos Fernandas Piros, sub-
dito portuguez, relira-se para fura do im-
perio a tratar de sua saJo, e n3o podendo
pessoalmente despedir-se de scus amigos,
pede-llies desculpa desta falta.
Pessoa alguma faca transacgflo com
uma lettra de 150,000 rs., sacada por Filip-
pede Albuquerque Mello, e aceita por Jos
Lucio Teixera Cavalcante, por ler sido des-
encaminhada da mflo do sacaJor, e se adiar
prevenido o aceitante para a nflo pagarse
nflo ao propro sacador.
Desappareceu, no dia 23 do corrente,
da ra da Cruz, 110 Recife, da porta da ta-
bernado Manoel Jos Correia, urr poldro
alazflo.com os signaes seguiotes : sem mu-
da alguma, com tresps calcados, uma es-
trellinha na testa, um sgnal no Heico su-
perior, signal encoberto, com o ferro MI ;
julga-sc ler fgido : quem o pegar leve-o a
dita taberna, quesera gratificado.
-- Roga-seaoSr. Joaquim Carneiro Ma-
chado Ros a bondade de declarar por eslu
follia qual o engenho que annunciou tras-
passaro arremlamento, allin de ver se con-
vena um l'relendenti.
--Francisco Paulino Cabral, Porluguez,
retira-se para Lisboa.
Francisco, de na<;3o Cosa, liberto, es-
cravo que foi de Gregorio Aulunes de Oli-
veira, retra-se para a Baha.
Fernando Joaquim de Mesquita llen-
riques, Portuguez, rclira-se para fura do
imperio.
Malinas Smtz relira-sc para Europa
com sua mulher e dous liilios.
Est fugiJo o moleque Freilerco des-
de sexta-foira passada, o qual he cnoulo, e !
tem os signaes seguint,'S : secco do corpo,'
falla de denles na frente, estatura regular,
um p torio : quem o pegar leve-o na da
Alegra, n. 8, ou ao Atlerro-da-Ba-Vista,
n. 34, sobrado de 3 andares, que ser re-
compensado.
O padre mestre, prgador effectivo da
capella imperial, Fr. Jos de S. Jacintho
Mavignier, oncarregailo da adminislracfl da
obra e reparos da igreja do convento de S.
Anlonio do Recife, leudo de .dar principio
a ell 1 no da 5 de fevereiro do corrente an-
no a nina tal empreza, convida ao respei-
tavel publico, que sempre nos tem honra-
do e acodido com suas esinolas, que, atlen-
dendo a falla de meos que leem os religio-
sos franciscanos pela sua profissflo, que
quelles que quizerem mostrar a sua devu-
eflo possam mandar os seus escravos para
trabalharem os dias que cada um possa
4 to que, a medicina nflo se admins-
4 Ira por Ineios de agentes ou cacliei-
# ros.
<} Consultorio homecopalhico de Per-
4 Anlonio, n. 22.
5
Na ra de Agoas-Vordes, n. 30, sobra-
do de um andar, engomma-se, lava->e e
cozinha-se para fra : ludo bem foi4o e por
preco mais commodo uo quo cm oulra
qualquer parte.
Denles arliiciaes.
J. A. S. Jane, dentista, participa ao res-
peitavel publico que contina a exercer
sua profissSo, na roa estreita do Rozario,
n. 16, primeiro andar.
Passa portes
Tiram-se passaportes para dentro e fra
do imperio, correm-se folhav, despacliam-
se escravos e liram-se ttulos de residen-
cia para sempre : para este lim, procura-se
na prarada Independencia, livrarians. 6 c
8, e na ra do Qucimado, n. 25, loja de miu-
dezas.
Na ra Nova precisase de um caixeiro,
de 14 a 18 annos, o qual d fiador sua
conducta.
Fabrica de funileiro.
Na ra Nova, defionte d Concecflo, pre-
cisa-se de ofliciaes do mesmo ollicio : pa-
gam-se bem, sendo peritos.
F. 11. Lutlkens tom o seu escriplorio e
armazem, na ra do Trapiche-Novo, n. 14.
Retira-se para a Baha o preto forro
Joaquim, ile na$3o Costa.
A matricula d'aula de philosdpliia do
collegio das artes est aberta de boje al o
lim de marco, ni a casu da residencia do
respectivo professur, em Olinda, ra de S -
Pedro-Novo, n. 2.
Precisa-sede um caixeiro para uma
taberna, do que lenha pralica : na ra lar-
ga do Rozario, n 37.
O Sr. Joaquim Jos da Silva quera ir
tirar seus penhores que tem em mflo de Do-
mingos Barrozo de Souza : isto no prazo de
15 dias ; do contriiu, lem do os vender pa-
ra seu pagamento, o que se Iho faz ver pa-
ra seu governo.
-- lloga-sc a qualquer pessoa que tivrr
achado uma jaqueta branca com 2 lencos de
seda, um titule, urna cerlidilo de idade, un
nnelflo com a legenda azul--grato e
um buiflu de (turo de abertura de camisa, o
obsequio de entregar no becco da Lingo-
ta, 11. 2, quo ser lecompensado.
Quem precisar de uma ama para casa
de um homem solleiro, ou que teuha pun-
ca lamilla, a qual sabe cozinhar e engom
mar, diriji-se defionle da nbeira do peixc,
n.3.
Precisa-so alugar uiib casa terrea na
freguezia de S.-Aulohio. com quintal e ca-
cimba : na ra do muro da l'enlia; casa das
afericOes.
--Um moco casado que enlende perfei
lamento a lingos franceza, pela resi leu
cia do muilos annos quo fez em Franca, si
pi'op ra, de que tom grande conlicciment, em
qualquer eogenlio : quem de seu presume
O Sr. Antonio Gomes de Freitas,
lilho do negociante, o Sr. Jos Antonio de
Freitas, e da Sra. I). Anua Casemira de Frei-
tas, da cdado do Porto, do reino de Portu-
gal, ho rogado para apparecar nesta typo-
graplna para dar noticias suas, as quaes
devem ser communicadas a seu irmflo,
Francisco Gomes de Freitas, existento no
Rio-de-Janeiro ; o so alguem do mesmo Sr.
tivar noticia, queira ter a bondade de com-
municar onde existe, quo muito' se agra-
decer.
Roubaram uma trouxa de roupa, que
ia lavar-so em Beberibe, conduzida pela
preta forra de nome Izaba!, no lugar da
Cruz-Jo-Almas, da porta da venda quo fica
junta ao assougue, em seguimento da estra-
da de Beberibe. Tendo a dila lavadeira cha-
mado um preto paracarrogar a dita trouxa,
o entrando na venda para comprar sabflo,
(cara o preto na porta com a Irouxi, o dahi
evadira-socom a mesma comas pe^as se-
guintes : 3 carnizas delionvm com bertura
de esguflo, 5 calcas do brim trancado bran-
cn, colletnlios de mursiilina com botes
do madreperola, 2 fronlias pequeas de
liretanli 1 com renda, 4 saias de senliora de
panninho fino, 4 carnizas de sonhora de
panninlio, 1 toalha de mesa adamascada, 2
leiices grandes, 1 vestido do cambraia
branca, 2 pares do meas, sendo um de
homem e outro de sonhora, 1 fronda de
panuinlio, I carniza de menino, 1 dita com
abertura de panninho, 2 calcas pequeas de
algodSozinho, 1 carniza pequea de di lo, I
carniza grossa do preta : tambem ia nesta
trouxa uulra com uma poreflo do roupa :
queindellader noticia na ra da Alegra,
casa 11. 34, do M.irccllioo Jos Lopes, sera
bem recompensado.
\ IV iii-n Jos de Oliveira, profossor ju-
bilado na cadeia de geographia e historia
do lyccu desla cidade, propOe-se a entinar
grammalca latina, rdclorica e geographia :
as pessoa que de seu prcslimo se quize-
rem utilisar, poden procura-lo na ra Di-
reila, 11. 120, sesundu andar.
O Sr- Ilenrique Jos fireine
de Souza llangel queirt por favor
apparecer na ra da Cruz, no lle-
cije, n 63, segundo andar, a ne-
gocio : isto com brevidade, afim
de se poupar de continuar com
annunciou, e ir augmentando a
lettra; icando certo, que nao
deixar3o du continuar os annun-
cios at que appareca.
Aluga-se o irmazem da casa n. 52 da
ra da Cruz : a tratar no segundo andar da
mesma casa.
Por causa de molestia e n!to poder o seu
proprietario exercer o seu ofcio, por isso
quem quizer arrendar o dito ollicio de es-
crivflode orpliflos da villa da Anadia, na
provincia das Alagoas, dirija-te ra da
Cruz, n. 6,que abi achara com quem tratar,
ou na cidade de Macei.ao Sr. Dr. Fernan-
do Alfonso de Mello, que se acha autorisa
Vendas.
prestar de esmolla, que se apresen tem nes-1uo Par* Jlto "m, ., ,
te convonto no mencionado dia, declaran- Perdeu-se, da Cruz-do-Almas, pela es-
do os nome* dos sendores que os manda- ] t1** ll<,s Aniictns, ule a coclr ira do Pcs-
Lolcria to Uio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, n. 4, ven-
dom-se bilhetes, meios, quarlos, oitavose
vigsimos da primeira loleria da Misericor-
dia de San-Joflo. Na mesma loja so moslra
a lista da 12." loleria de Niclberoy, o tam-
bem se recebem bilhetes premiados em tro-
ca dos que tem venda.
Livros cm bronco.
Vcndom-se livros em branco, de 100 1
300 foldas.de ptimo papel, mulo fortes
o com as ponas chapeadas de metal: na
praca da Independencia, livrnria ns. 6 e 8.
Vende-se um ptimo escra-
vo marojo, moco, sem vicios nem
achaques: na ra do Vigario, n.
:3, segundo andar.
No engenho Paratibe, distante desla
praca 3 legoas. ven lem-se 30 quartos o
destas mansHSde roda, 3 vaccas mulo boas
de leite, 14 bois mansos de carro : t-ido om
bom estado.
Vende-seum cavallo rodado, grande,
novo, um tinto descarnado e com lodos os
andares: na rm do Crespo, lojt da esqui-
na que volU para a ca lea.
Vende-s*. por precisflo, uma bonita es-
crava da Costa, de 29 annos pouco mos 011
menos, sem vicios nem achaques : na ra
do Nogueira, n. 27, so dir quem ven le.
Vendem-sc, para pagamento, del casas
de lijlo pequeas, que renden) dous mil
ris inensaes cada uma, nos Afigalos:
quem as quizer comprar, dirija-se a na do
l.ivramcnlo, n. 26, ou nos Afogados, ra de
San-.Migul, 11. 101.
agencia de Kdwin aw.
Na ra de Apollo armazem n. 6, de M. Cal-
montutCompanlia, acha-se conslaiituuiente
um grande sorlimento de ferragens inglezas
para engenhos de fabricar assucar, bem
como laixas de ferro coado e balido de dif-
(erentes tamanhos e modelos moendas
de dilo, lano para armar em madera como
rodas de ferro para animaes e agua, ma-
chinas de vaporde frca de 4cavallos, alta
pressflo, reparlideiras, espumadeiras, etc.
de ferro estandado. Na mesma agenria adia-
se um sortimenlo de pesos para balaifcas ,
escovins paia navios. Ierro cm barra, tanto
quadrado como redundo, salra para ferrei-
ro e uma porclio de tinta verde om latas
tudo por barato preco.
X.i loja de Maya llamos
& C na roa Xova, t>. C,
vendem-se papis para forrar salas, de lin-
dos gostos e de boa qualidade, sobre salun-
do entre elles uma riquissima sala loda
dourada.com sua guarnieflo avelludada ;
tambem se vendem barras e guarnicOes se-
paradas, c como melhor o comprador qui-
zer.
rem. As pessoas livres que so di
zeraniesma esmolla igualmente se pre-
sentadlo : todos ser lio recompensados por
Dos Nosso Sonhor, que lie paide Lodos, e
os religiosos nflo cessarflo de rogar por to-
dos ao l'ai das Misericordias.
olalos.
Cincinato Mavignier, retratista, tendo
merecido sempre do benigno publico toda a
protereflo, pretende em signal de muita
gratido continuar a retratar com tolo o
narom f>!'* umaoaixa do Inilarug, com aros de
' ouro, o urna chapa gobie o lampo, leudo
um liima com as UltrasC. T. C. do V. Ro-
ga-scaquema achou, querendo restituir.
|eve-a ruii Uireila, n IIS.OU na travessa da
Cruz-do-Almas, ao escrivSo Vasconcolloa,
que recompensar
Ag ncia do passaportes.
Tiram-se passaportes para dentro e fra
do imperio, ecorrem-se folhascom preste-
za: na ra do flmgel, n. 57, sobrado de
um andar.
esmero possivel aquellas pessoas que a esse
lim se proposorem, prometiendo a boa exe-
cucoem tudo quanto se requer, para apro-
vacflo geral do mrsmo publico, a quem sera
eternamente grato. Oannuncianle declara
Tendo fallec lo nesta provincia de Per-
nambuco Manoel liibeiro de Cimillo ou
Manoel Ribeiro Jnior, que era natural da
freguezia de San-Joflo-Kvangelsla do Nes-
preira, lugar denominado Carvalho. na co-
pintura a pedido de muilos de seus ami-j no reino de Portugal, o qual consta ter la I -
)S, e para esso fim, aquellos pessoas que lecido no Varadouro da cidade de Olinda
em o mez de Janeiro do 1849, muito se de-
seja sabor se fulleceu com testamento ou
sem ello, ou com alguma nutra disposieflo
relativa ao que possuia em Portugal; por
isso se pede a qualquer pessoa, que sobre o
mesmo lim possa dar algum esclarecimen-
to, u favor do o participar no Aterro-da-
Boa-Visla, venda n. 2, ou annunciar por es-
ta Tollia.
O professor de lalim da freguezia de
San-Jo-do Recife, abaixo assignado, faz
nenie ao publico que dar comeco ao
exercicio da aula de grammalica latinada
mencionada freguezia no dia primeiro de
fevereiro prximo futuro : qoem se qui-
zer matricular, dirija-se ra Augusta,
n. 54. Manoel Francisco Coelho.
O Sr. Jos Polica po de Freitas lenha a
bondade de apparecer na cssa do Novaes &
Companhia, na ra do Trapiche-Novo,
11. 34
Compras.
quovaiabriruma erando aula de desenlio! marca de Penaliel e concelho do Louzada
gos
se quizerem utilisar de seus fracos enslnos,
poderflo dirigir-so a Iravessa do Carmo,
n. 1, segundo andar, das 10 horas da 111:1-
i-.lia s 4 da tarde.
U liar ha 1 ti A. R. de Torres
Bandeira, professor adjuncto de
rhelorica e geograpbia no lyceu
desta cidade, se propue a dar l-
res das mesmas disciplinas, e
bem assim de philosophia e fran
cez : quem de seu prestimo se qui-
zer utilisar, pode dirigir-se casa
de sua residencia, na ra estreita
do Kozario, sobrado n. \\, segun-
do andar.
Um preto escravo, de nome Patricio,
oflicial do podreiro, que foi escravo do fina-
do marquez do Recife, ha poucos dias fugio
de casa, e consta que an.la pelos engendos
do Cabo trabalhando. (I dito preto he alto ;
tem cicatrizes no pescoco do alporcas ; le-
vou camisa de dula azul: recommenda-se
a quem o vir demandara sou senbor, Fran-
cisco Cavalcanlo de Mello, no Monteiro, ou
na ra das fruzes, n. 18, terceiro andar, ou
a entregaran Sr. Manoel Figueira de la-
na, na praca da Independencia, ns. 6 e 8.
O i
0 Alugam-se e venderr.-se as verda- Q
.3 deiras bixas de Hamburgo : na praca
q da Independencia, n. 10, ao voltar q
n para a ra das Cruzes. (3
Aluga-se um excellente sobrado do um
andar, nflo pela sua areditectura que de um
pouco antiga, mas sim pela localidade em
quesaadha situado na Solcdade, e dentro
do sitio do Sr. Ilercolano Alves da Silva,
tendo uma excellente vista por todas as
quatro frentes, sendo muito frosco dimi-
to sadio, o que se prova com vinle e tantas
familias que all leem ido restabelecer seus
.lenles em mudo poucos anuos, com per-
da apenas de una senliora que, pela sua
ayancada idade, nflo pode resistir gravi-
dadeda molestia: este sobrado alugu-se
por commodo preco tnensalmente, ou como
convier aos pretendentes, os quaes se po-
derflo dirigir ao mesmo, onde arharflo com
quem tratar.
Compram-se escravos do ambos os se-
xos, de 10 a 40 annos : pagam-se bem : no
paleo do Carmo, n. 18, primeiro andar.
-- Compra-se calcado feto na Ierra, para
homem, senliora e meninos, de lodas as
qualidados : defronle do nixo do Corpo-
Sanlo, na loja nova sita na'esquina datia-
vessa'que vai para a ra do Vigario. Na
mesma loja se vende a relaldo sulla, mar-
roquins, bezerro, couro de lustro, couros
de cabra em branco e lintos.e todos os mais
preparos para o ollicio de sapaleiro.
Compra-se uma casa torrea para pe-
quena familia, com quintal c cacimba, c
que nuo seja muito distante u'a ra uo Li-
vrament, cujo preco nflo exceda do 800/:
no Aterro-da-Boa-Visla, n. 36, primeiro an-
dar, de manhfla sedo ou a larde, ou annun-
cie.
Compra-se o Diccionario inglez de
Vieira, em formato grande; Historia ro-
mana em inglez por Coldsiuith ; a polka
americana copiada para piano : na praca do
Corpo-Santo, 11. 2.
Compra-seum cavallo com andares:
na ra da Ponda, casa das afericOes.
Compra-se um sellim cm bom uso ;
bem como um quartu, sendo novo, e com
alguns andares : na taberna da esquina, 11.
52, dciroiitu da igreja du Roiario, ou an-
nuucie.
--Compra-so um diccionario portuguez
de Constancio, da ullima tdiecfio, cm bom
estado : na ra da Cadeia, u. 1.
NA RIIA DA CADEIA DO RECIFE, 1 21,
LOJA ECAMBhi DA V1UVA VIEIRA
& mili.
Lotera d.i Rio-dc-
Janeiro.
Aos 20:000,000 ders.
Pelo vapor Imperador recebemos as listas
da 12.a loleria du thoatro do Nielheroy eos
muito afortunados bilhetes e meios ditos
da primeira loleria concedida a beneficio da
santa casa da Misericordia da cidade deS.-
JoOO-d'EI-Rei, a qual devia ter andado ao
da 19 do curenle mz.
pingos
Bilhetes 22.000
Meios 11,000
Oua ros 5,500
Oilavos 2,800
Vigsimos 1.300
PREMIOS VENDIDOS DF. DIVERSAS LO-
TERAS.
11.a lotera das matrites.
Ns. 2432 400,000
2134 20:000,000
975 100,000
4377 100,000
91.* loleria do Monte-Po.
2220 4:000.000
2090 200,000
4-32 100 000
2149 100,000
51.a loleria da Misericordia.
483 4:000,000
2459 200,000
1205 100,000
6." lotera do tkesouro.
39 4:000,000
12.a do theatro de Nielheroy.
4123 1:000,000
5343 2:000,000
2036 400,000
18C0 100,000
1884 200,000
5578 200,000
694 40,000
Vcnde-se uma nogrinha de 13 a 14 an-
nos, propria [para mucambi por sor reco-
mida, a qual coze cbflo, faz lavarinto e lo-
do o mais arranjo de uma casa de familia:
a tratar no Forte-do-Mattos, n. 10.
--Vende-so 3 escravos de ambos os sexos,
mocos, de bonitas figuras o sem achaques :
na esquina do lecco-l. .igo, loja do Uzea-
das se dir quem vende.
~ Vende-se uma correte para aenhora,
me laidas, anneles, cordOes, brincos, 2 re-
logios, e oulras obras de ouio, um par de
calc,aes de piula e oulras obras de prata :
na 1 ua estreita do Rozario, 11. 28, segundo
andar. Na moama casa se dir quem da di-
nheiro a premio.



--Vende-se oxrcllente bolacha 'o pri-
meira. segunda e teiceira qvlclade. sondo
la I. por 3,800 res a.arroba, da segtinda
por 3,520 rs. e da terreira por 9,200 rs. c a
110 rs. pnr libra, sr-ncjo Indas do masara oro
nroporcdo : i>n nadara d ru dos Qiiartois
de polica! n 18, onde achanto rom quem
trwtur.
- Vendom-se commendas de rflical
ila Rosa ; ditas de Christo ; lima dicnitaria
da Rosa ; hbitos de Christo o da Rosa,
grandes o pequeos : ludo isto he da nie-
llmr qualidade c posto : avista do ol'joolo
so dar o proco : na rua do Crespo, n- 12.
Vende-se.um escravo muito bnm eo-
tinheirn, que lie milito rapaz e nlo tem vi-
cios nciri achaques : o motivo por que se
vendo so dir no comprador : na rua da Ale-
gra, n. 2G. de manbfla ateas 9 horas, e de
lardo a qualquer hora.
-- Vendo-se um relopio de prata siiso,
rom corrento, ou som ella : na rua larga do
Rotario, n. 26, leja do miude7as.
Vende-te um cavallo. proprio para car-
ro, i or j ler sido do mesmo, e que carre-
ta hem haixo al meio : na rua do Passeo-
l'nlilico, n. 13, toja.
Vendo-se u.na prcta de 18 annos, de
iificflo Ronpuella. que rozinha o diario de
uma cas, lava de sabio o eocomma liso:
0 motivo por que so vendo se dir so rom-
1 rador : na rua Bella, n. 21.
Vendem-sc cortes do cambraia do ce-
ros, pelo barato proco do 2,000, 2,500, 3,000.
3,500 o 4,000 rs.; cambraia de soda, a .1/
rs. : meros para meninas, a 160 rs.; 1,1a
com llslras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
/inhapropria para roupade meninos e ves-
tidos de senhora, a 240 rs. ; lila superior pa-
ra caigas, a 500 e 600 rs. ; lencos de algo-
dflo B seda com franja, a 600 rs. ; crt s de
collele de velludo, a 1,600 e 2.500 rs.; cas-
si-chita, a 400 rs a vara ; garca de seda, a
500 rs. o covado; cambraia de seda,a 560 rs.
o covado, e outras muilas fazendaa por
barato prego : na rua do Crespo, n. 15, toja
de Joaquim de liveir.i ata va Jnior.
Na rua da Cadeia, n. 17.
loja de miurTfZAjt,
vendem-sc luvas de algodilo de ces, com
algum mofo, a 1G0 rs. ,c som ello, a 240
i<. proprias para montara ; c Babonetes,
a 40 rs
Deposito da fabrica de
Todoa-os-Santos na ftahfa
Vende-se rm rasa do N.O. Pielor & C.
< ru.i da C1117, n. 4, aleodfio trancado
daquolla fabrica, rrulo proprio para'accos
do Manear e roupa de escravos.
Corles de brim de cores
rom lislrasaolado, a
1,200 rs.
Vcndom-se corles de brim de cores com
1 si 1 as ao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
podAo americano, pioprio para escravos, a
140 rs. o covado : na rua do Crespo, loja da
esquina que volt para a cadeia,
Tecidos de algodo tran-
cado dos*os>Saiitus.
Na ma da Cadeia, n. >2,
vondem-so por atacado duas qualidades
proprias para saceos de assucar e roupa d
escravos.
AHenean!
Vendem-se, nos Arronzados, muito boas
travos de 30a 37; ciiclian.eis de 22 a 25
mfio-travessaa de 30; caibros: ludo por1
prego con modo, por se querer acabar com
este negocio.
""Tlieard.
com loja de modas na rua Nova, n. 32, re-
ceben un grande sorlimenlo de chapeos
muito ricos e muito modernos, Imito de se-
da como do 1 alba, que os vende muito 801
conU hem timo tambem recehou fitas,
llore, trancas de seda e enleites de sodas as
qualidades part senhora.
I arelo de arroz.
Vende-SC esta j tilo conhecida quanto
til substancia alimentaria |aia o susten-
to de cavallos, em barricas do quatio ano- Vende-se superior farinha de trigo tran-
Ji-spara ruis, pelu diminuto proco de 3/ a ceia de 1'rovmga, chegada ltimamente de
bairira: nos armasen* do Oiiofre, na rua! Marselhs: cm casa de J. J. Tasso Jnior, na
da llidre-de-Deoa, e no defronlu do chafa- rua do Aniorim, n. 35.
'i'da 1 onte do llecife.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Santo. n. 66, por prego com-
iendo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaves pela sua superior qualida-
de e aturarem mais que as de espermacele,
e nao fazerem morrSo.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem antlgo da rua da Madre-de-
Deos, n. 36, est de novo ostahelerido de-
baixo das mesmas condigOes, offerecendo
a deliciosa pinga do violto da Figueira pe-
lo limitado proco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a cunada, a de vinbo brancode Lis-
boa por 220 rs a garrafa, c 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Itordeaux por 160 rs. a
carrafa levando o casco. NSo se admiren
os freguezes do haixo prego por que se ven-
do a deliciosa pinga, e sim da audacia do
propretnro querer sustentar o anligo pre-
go, emborii esto genero tenha subido o oie-
Ibor de 30,000 rs. por pipn. Examinem os
amantes a qualidade para reconhccmenlo
da verdade e continuagno da autiga fregue-
zia. Kpara nBo liaver usuras, esto promp-
las garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barril de diversos la-
ntanhns para provisto do prximo Natal.
O proprietario conta com a concurrencia;
do contrario, tornarSo os pregos do rtta-
II10 a primitiva de 240 e 280 rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potassa j
de boa qualidade, em barriszinhoi.
pequeiros de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha milito
lempo se nao vende : nc ectfe,
rua da Cadeia, armazem n, 12.
Antigo deposito de cal
virgei.
Na rut! do Trapiche, n. 17, ha
muilo superior cal virgem de Lis-
boa, por pieco muito commodo.
Farinha de mandioca.
Na ruado Queimado, n. 14, loja de fer-
ragens, anda ba algumns saccas da boa
farinha do mandioca, muito alfa c h< m tor-
rada ; hem como uma porgflo do pennas de
ciin. proprias para espilladores.
Vi nde-se vinho do Porto muito supe-
rior, em barra de quarto equinto ; farinha
de trigo do tudas as qualidades e em rneias
barricas; retruz do porto, irlu.eia quali-
dade: panno o ineias de lindo ; arcos para
barricas ; farinha do mandioca em saccas
grandes e a garnel a bordo da sumaca V.-
S.-o-Cnimo : ludo por prego com modo :
na rua do Vigario, n. II, piiuieiro andar,
casa do Francisco Alves da Cunba.
Farinha de
4
Chcgaram novamenle ruada Sen-
zalla-Nova, p. 42, relogios de ouro e prata
patente nglez, para homcm e senhora.
Novo sortimento de fa-
zendas baratas, na na
do Crespo, n. 6. ao p
do lampea^.
Voqde-se cassa-chita muilo Ana, de bo-
nitos padrfles, cores fixas e com 4 palmos
de largura, pelo barato prego de 320 rs. o
covado ; cassa franceza do quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; riscadinho de lis-
Iras de linho, a 240 rs. o covado; brim de
alpndflo de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padrOes, a 320 rs. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e "1,600 rs. o corte de
duas varase uma quarta ; cassa prcta com
ramngem branri para luto, a 140 rs. o co-
vado ; zuarte de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padroes e cores flxas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de tarlatana, a 500 o
800 rs,; cobertores de algodSo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
A bordo da brigue S.-]oi, chegado
prximamente, vende-so farinha do man-
dioca de superior qualidade, e por menos
prego do queem outra qualquer parte: os
pl'clendenles dirijam-se a bordo do dito
brigue, fondeado defronte do arsenal de
guerra, ou ao Itecife, rua da Cruz, n.,66.
-Na rua do Crespo, n. 15, loja de Joa-
qun! de Oliveira Maya Jnior, lia, alm das
fazendas j annunciadus, o de outras mui-
las por burato proco, um sorlimenlo de lin-
dos chapeos de sol, de piiiii.ii.hu estampa-
do, muilo pioprios para os meninos o me-
ninas quo indam na escola, e mesmo para de setim preto lavrado, pelo diminuto pre-
fls senhoras que anda estilo no campo, pc-'go de 15,000 rs.
lo prego de 2,000 rs. Vende-se uma mulatnha do 12 annos,
[:...._ '-;:',, .;.:'-.: P,".;:.-.. do muilo linda pura para mucama, e con,
' p bous principios de habilidades; um preta
zias, cm perfoito estado e entre estas exis-
tem 200quefrm de farinha franceza, a
quaes se venderflo por 320 rs. cada uma, o
sendo todas se fara todo o negocio, afim do
itesorcupar-se o lagar deltas : na rua larga
do Rozario, padaria n. 18.
Na rua da Cruz, armazem, n 33, de S
Araujolia para vender umeestantede frascos
de rap de Lisboa do rr.cia libra; assim como
fonros muidos, sollk, calcado do Arscaty,
tanto ordinario, como de lustro; caixas para
rap e saccas com frijfu ordinario : tud#ae
vende pura liquidsgAo de cuntas.
& 6
o Colletes. g
Vendem-sc gorgurlo de seda, a J*
V 1,600 rs. o corte; ditos a 2,000rs.; w
O velludos de lindoa padrOes, a 3,000 O
O rs. o corte : na rua do Crespo, n. 9. O
e
Vende-se um moleque de 9 annos,
muito bonito ; 1 pardinhode 1t annos.de
bonila fignra : ambos para liquidagOo : na
rua larga do Itozario, n. 46, primeiio an-
dar.
Pesas com !0 covados a
2,800 rs.
Na rua do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se pecas de
metlm verde, azul e cor de caf, com 20 co-
vados, por 2,800 rs.: fazenda muito pro-
pra rara vestidos de prctas, por ser tscu-
ra e de muita duragSo.
Pechincha.
Na rua do Qutimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, anda resta uma pe-
quea porg.lo dos ricos cortes de vestidos
Fzendas modernas.
j| Na rua do Crespo, n. 9, vendem-s, |
H por commodo prego, lindas fazendas
| modernas, tanto para homem como 5?
I para senhora, como sejam corles de
seda fuila-cOres ont barra para ves- &
M l ido ; CSSSSS; camhrains de barra ; i?
chales; nantas; manti lelos; len- a^
gos ; luvas ; sarjas ; chapos fiance- |f
% zes modernos ; casimiras pretas e de al
i cores; colletes de velludo, setim, S
t| sarja e fuslilo; hrins hrancose de
% Cores; lencos para grvala ; suspen- p.
^i sorios; cambraia de linho muito fina i
as^rs!,ff wmmmmm m
Batatas.
trigo.
iNi rua da Cadeia, n. I 7,
Foja de miudezas,
vendem-se pedos de tartaruga bordados, de
n.uilo hom oslo para prender cabello, .,
4.500 c 5.000 rs.; e galanteras de vldro
l>ara en fe lies de mesa.
Vendo-se um escravo pega, de 20 an-
uos : na rua do Crespo, loja da esquina que
volla taia a cadeia.
--Vende-se una bonita cscrava moga,
som vicios, cquccozinha, lava o engm-
ala : na rua ltella, u. 21.
hitarles de furta-eres a
!2(! rs. o ccjv (o e ris-
cado monstro a 220 rs.
Arados de ferro.
Na fundigio da Aurora, cm S.-Amaro,
I vcndom-se arados de ferio diversos Dio-
' dlos.
prego,


Vendem-se tlalas cm gigos.peio commo-
do piego de 1.000 rs., de muilo boa quali-
dade, para fechar coalas : no armazem
juntos botica do arco da Conccigilo.
(&QQQ<5
{3 qualro-caiilos da rua do Queimado, {
% n. 29, vende-se um grande toril- %
A monto de novas cassa -chitas de eo-
^? es lixas o hons padrOes.'pi lo din i- *
^ uto | reg de 400 rs. a vara : fazen-
O da que se tem vendido a 800 rs., e
que so vende por Iflo baix
por teter grande purgito.
O
Ao barato,
Panno da Costa, com 8 palmes de largu-
ra, a 320 rs. o covado, propiio para pannos
de | ritas, roberas e qualquer obra de es-
cravos : na rua da Cadeia do icife, n 0,
ja.
Farclo.
Vende-so Trelo, pelo commodo prego de
4,000 rs. em saccas grandes e de boa qua-
lidade : a vista faz fe: no armazem o p
da butica do arco da ConcegSo.
Rap Panlo-Cordeiro, a
,280rs. cada libra:
Cal virgem.
Cunba & Amorim, na rua da Cadeia, n.
50, eonlinuam a vender barra com cal de vende-se na loia de Antonio Joa-
lislioa, da mais nova que ha no mercado, I .,.,;. VI.UI ..___ i i^ i i
por isson ais bauto do que en outra qual- (l""n "W!> MU da Cadeia do
que
quer paite.
-- Vendem-se amarras uo lrro: na rua
da Senzalla-Nova, n. 42.
I'encennr, ou lunetas do dous vidros :
estas lunetas fichadas parece de um s vi-
dro, mas logo que se lora cm uma mola,
tramforma-se em um pardo oci 1 M do ean-
galbas, os quaes se pom fixos no nariz:
esta doscoborta he uiodernissiiua e a f.vor
Vendo-se zuarte de furta-cres muilo da luimanidado, porque urna luneta de grao
cncorpado e com 4 palmos do largura, pro- 'PPiicaila por muito lempo a um s ollio cs-
jirio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-| ,r!'K" avista do outro ollio : vendem-so na
cadu monstro muito boin a 220 rs. ocova-r."a lrgado liozario, n, 35, loja de miu-
9VrV'%!S;f^^V;9ii5;,?1?,''^(S'f^
Cisses e cambraias.
Vendem-se camhraias de ci'ires, de*
S mais de vara de largora, a 240 e 800 2'i
barrica : a tratar no eses da Alrandega com g, rs. o covado ; Oasssa do cores, a 2> o, |
^. 240 o 320 rs. o covado; leugos de seda, ^
i> al.OOOis.; ditos grandes, proprios ;
do : na rua do Crespo, loja da esquina que deziS-
miK.i nar ; a cadeia.
V ende-fic armha de lia I-
t'.'inor c l'hiladrlpbia,
muito boa para bulacha, a 12,000 rs. cada
barrica a tratar no ca
Joio lavares Cordeiro.
Cortes de vestidos decas-
sa a 2,000 rs. cada um.
Vendem-se cortes de vestidos de cassa, de
muito bom gosto, e com II covados : na rua
do Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia.
Potassa nacional.
Vende-fe potaisa nova da fabrica nacional
do lllo-de-Janeiio ao baratissimo prego de
180 rs. a libra. (Is senborosdecngeuho de-
vem todos mandar comprar desta pot?ssa
aliin do animar a fabrica que com tantos
sacrificios se esluheleceu o fui a causa de
baixar a este prego : na praga do Com me r-
CO, n. 6, prnii. iro andar, OSCrptorio dt
& para hombros de senhora, a 1,280
W ditos com Franja, a 1,000 o 1,280 rs ;
> moiaa para meninas, a 190 rs o par;
uro
.Mauocl iKuacio de Oliveira.
Pentcs.
^ e outras muitas fazeodss por neis*
^ de de seu cusi: na rua do Crespo,
M. n. 9, luja.
m
Na rua do Queimado, n. 24, cslflovei:-l -- Vende-so ur
da pelo diminuto piecode 4,500 e5,noors .jlamenha, proprii
Gomma deeogommar.
Vcndem-so saccas com muilo superior
goitima do engommar, a 9,000 rs. cada sac-
ca : na ruado Amonm, n 35, casa de Tas-
so Jnior.
--Vendem-se pegas de madapolflo com
20 varas, muito encorpado c com algum
sujo, a 2,700 e 3,000 rs. proprio para for-
ro de allaiale : no paleo do Carmo, n. 18,
primeiro andar.
llecife.
-Vende-so urna farda, espada, talim,
banda, barrelo : tudo novo para guarda
nacional: na rua do Itangcl, venda da es-
quina, do Jos Rodrigues Cocido & Com-
panhia, se dir quem vende.
Vende-se superior farinha
de millio em ponts e a retolbo.
leudo de todas as qualidades a
vonlade do comprador, e por pro-
co mais commodo do que em ou-
tra qualquer parle: na rua do
Brum, n. 28.
-- Airoz a 50 is a libra e 1,400 rs. a
arroba, sendo cm sacca ainda por menos ;
espirito de 37 graos a 1,000 rs. a caada:
no pateo do Hospital do l'traizo, venda
n. 20.
A #000 o corte.
Vendom-sc cortes de cassa-chta, fina, de
bonitos padrOes e com 6 varase meia, pelo
diminuto prego do 2,000 is. o corle : mi
rua do Crespo, n. 6, luja ao p do lampean.
A 800 rs. a irroba.
Vendem-se batatas do l'orto ;
no uimazem de francisco Dias
i'erreira, no caes da Alfondega :
a ellas antes que >c acabe a
chincha,
Vende-se um cabriole! elegante, mui-
lo leve e em |bom uso, por mdico prego :
na rua do Hospicio, 11. 9.
Vendem-so 16 escravos, sendo : um
pardo de elegante figura ; urna preta de 14
anuos ; urna uita rom uma cria de oilo me-
zes ; 2 moloques do Lumias figuras; uma
escn.va com 3 ciias ; 2 uretas para o sur-
por prego muito commodo ; um preto co-
zinlieiro; um dito bom bolieuo ; 2 molo-
ques, um de 12 annos, e o oulro de 16 ; um
preto velho, bom para servir a uma casa,
por 150,000 rs.: na rua do Collegio, n. 21,
primeiro andar.
Vende-se um moleque de nag.lo An-
gola, de 16 a 17 annos: na rua da Penda,
11. 33.
Vonde-se, por barato prego, um preto
de nagilo, de meia idade, sem vicio, e que
he proprio para sitio, por saber trabalnar
e tratar de animaes : na rua da ilangueira,
n. 9, na Loa-Vista.
rs. a libra.
Muilo novos, clu'gados pelo ultimo navio:
vondem-so no armazem de molhados, atrs
do Corpo-Santo, n. 66.
Vendem-te sellins inglezes, feilos de
cu ti re do porco ; ditos.de sola ingleza ; si-
lt Oes inglezes para montara de senhora,
forrados de couro de porco; ditos de eu-
coslo, bordados ; bridis de todas n quali-
dades ; estrivos de metal branch ; ditos
rraleados; ditos delalflo de modelos mais
modernos que leem vindo; cabegadas de
Indas as qualidades ; fundas de patento pa-
ra lodos os lados, e que se dito" a contento
ao comprador experimentando-as ; e ludo
o mais que perlence a loja de selero, por
liego commodo : na rua Nova, n. 28, dc-
fronle da i(;reja da Conccigo dos militares,
loja de Antonio l-erreira da Costa Braga,
--Vende-so uma mulatinha de 14 annos,
de linda figura, ptima para se fazer uma
dadiva, por ser ainda donzella ; 3 pretas
niveas com ilguinas habilidades; uma par-
da do 30 anuos, que eugomma, cose e cozi-
nda ; um n oleque de 10 annos, muilo lin-
do, e que de ptimo para aprender algum
oulcio; um pardo sapateiro ; um preto bom
marinlieiro ; um dito oplimo olciro ; o ou-
tros escravos do servigo de campo : na rua
das l.arangeiris, n. 14, segundo andar.
Cal virgem.
Vende-se superior cal virgem em pedra,
Chd brasileiro.
Vonde-se cha brasileiro no armazemfde
molhados, atrs do Corpo-Santo, n.66 o
majj exceliente cha produzido em S..pau.
lo que tem viudo a este mercado, por
prego muito commodo.
Cortes de cassa para ves-
tidos com i6 covados
por 3,300 rs.
Vendem-se cortes de cassa para vestidos,
com 16 covados, a 3,500 rs.; dilos com 8
covados, a 1,760 rs.; pegas de cambraia li-
sas com oilo varas e meia, a 2,720 rs.; pan-
no de linho muilo fino, a 480 ra. a vara : na
rua do Crespo, loja da esquina que volla
para a cadeia.
Taixas para engenho.
Na fundigto de ferro da rua do Brum,
. oh La-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de* a 8 palmos de bocea, as
quaes scham^-se a venda por prego com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou rarregam-seem carros sem despezas ao
comprador." *.
Batatas.
Vendem-se batatas a 1,000 rs.
a arroba : no armazem da roa do
Azeite-de-I'cixe, n. i4, defronte
da Madre-de-Deos.
Vendem-se bous qneijoa londrinos,
ditos de prato muito frescaes e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, dilos porluguezes para panella. Islas
com 2 e4 libras de marmelada, ditas com
bolachinha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas com homilas, frascos com conservas
inglezas, queijosdo qualha vindos do Coa-
la, por barato preco, mantas de toucinho
inglcz de funioiro.de 7 a 8 libras cadauma.e
outros muitos gneros de boa qualidade:
nrua da Cruz, no Itecife, n. 46.
4cs (untantes de bom gosto
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegadoa
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras omitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em oulra qualquer parle : bem como
cigarrilhos hespanhoes, ditos de palba de
milho, que se eslflo vendeudo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
em harria de 4 arrobas e meia, chegada no
correle mez do Lisboa, pelo brigue Novo-
Vtneedur : na rua da Mu la, armazem n. 5.
Vendem-se duas parles de uma rasa no
bairroda Boa-Vista, em limadas nielhores
ras, a qual existo com venda ; e tambem
urna parte de um terreno annexo a meama
casa ; um oulro terreno na matta da Tor-
ra, com 3C0 palmos de frente e 600 de fun-
do, prximo ao rio Capibarbe : ludo por
prego commodo : na Iravessa da Concor-
dia, n. 5.
Novo trem de cozintia.
Vcndem-scchaleirar, fregideiras, panc!-
las e cagarolas de ferro forradas de porcel-
ana ; blese cafeteira de metal ; macbi-
listrivos Futaos
-- Fugio, no dia 21 do crrrenle, do sitio
Agoa-lria, do engenho Ar pucos, a cscra-
va cabra, de nome Mara Thereza, altura
regular, secca do corpo ; (em no rosto urnas
pinla.4 pretas de sarda e um dente t;rdo na
frente da mandbula inferior; tem na ca-
dega uma pelladura de um tumor que teve
ha pitucos dias ; levou vestido de riscadi-
nho de listias azues e panno da Cosa. Ro-
ga-se as autoridades policiaca e capites de
campo,que a apprehendam e levem-n a seu
senhor, liento da Rocha Wanderley Una, no
mesmo sitio, que recompensar*.
-- Fugio, na tardedodia 27 do correntp,
de S.-Atnaio, um crioulo marinbeiro de
bordo do brigue Dov$-Amigoi; levou cal-
gas brancas, camisa de rscado azul de 25
a 30 annos pouco mais ou menos, de esta-
tura regular; tem aa orelhas cotnpridas:
quem opegarleve-o a prag do Commer-
cio, n. 6, escriptorio de Manoel Ignacio de
Oliveira, quo ser recompensado.
--Fugio, no dia28 do correnle, pelas 5
horas da taide, o moleque Constantino,
crioulo, dolannos, secco do corpo, fulo;
levou camisa e caigas do riscado de algo-
dilo aa. erica no bastante sujas, bonete de
panno ; da noticia que no mesmo dia pas-
sou na Ponte-do-Uchoii; he de suppOr que
ande pela (asa-Forte, Slonteiro e Apipucos ;
he muilo ladino : quem o pegar leve-o i
rua do Rengil, n. 36, que ser gratificado.
Fugio, no dia 14 do correnle, da pro-
priedade de S.-Joaquim-de-Larsngeiras,
freguezia do Nazarelh, o escravo Manoel, de
estatura baixa, gordo, roato redondo, nariz
chalo, res um pouco chatos e turtos para
fra. Roga se es autoridades policaes e
capites de campo, que o apprehendam e
lavem-no a dita propriedade, ou no l'ortr-
do-Mattns, n. 12. que serfio recompensados.
Fugio, no dia 20 do correnle, um mo-
leque crioulo de nomeFilippe, de 20 annos;
lie um tanto fulo, cambado, estatura regu-
lar, denles abortos ; levou caigas azues,
camisa de aigodflo trangado, chapeo de pa-
lba. Roga-se as autoridades policiaes e
capitSes da campo, que o apprehendam o
levem-no i rua da Cruz, no Itecife, n. 62,
que ser.lo gratificados.
Fugio, no dia 10 de dezembro do an-
uo passado, a preta Rosa, de nagfio, de 50
naa ['ara fazer caf : na la Nova, n. 16, lo-| J.ni,0,s 'ouco "'".'?!)U men':s foi visla
|e-
im corle da verdadeirn es-
, i.i para habito leicciro dejvigo de campo ; um'mulalinho'de 17 an
os ricos | entes uaverdaaelralsrl*ruga,pa-|S. Francisco, por reg cuinmodu na rua'nus, nropiio para pauuui; 2 pretos do lia-
ra trangas, com d ff renga de 3,000 rs. o o- do Nogoeir, n. 1. | gilo, proprl para armazem de assucar
nos avista dos prejos por quo se vcndrinj -Vonde-se uma porcllo do sola muito l no paleo da matriz de S.-Antonio, so dir
tii: outra qualquer p^rlo, e que niio sflo de^ superior o | or prego commodo : no lecco- quero vende.
ja do Jos I.uiz l'ereira.
Vede-so um mulalinho do 8 annos, de
muito Mnita figura, sem vicios ncm acha-
ques, e que ho proprio para pageut ou para
aprender cfTicio : na rua do i.vame, lo,
n.4. Na mesma Casa d.'.ii y; 500,000 rs. a
juros sodre penhores de ouro ou prata.
-- Vcnde-sc, na praga da Independencia,
loja do Justina Meioz. ns 18 o 20, um habi-
t da Rosa, pequeo, proprio para casaca.
--Vendem-se suieriorcs bixas de llam-
burgo, que tambem se alugam, por prego
commodo ; chourigos de Lisboa, a 400 rs. a
iha; superior maulera nghza, a 640 rs.;
superior cha, a 2,000 o 2,240 rs. ; queijos
superiores, a 1,200 rs. cada um : no Aterro-
da-Uoa-VisU, taberna quo foi do Maya.
.aGMNCIA
da ftindieao -otv-Ufoor,
ht'A da si:^ZALI.A-^ovA, n. 4a.
Neste estabclecimento conti-
na a hattium completo sorti-
ir.enlo de moendas t rneiai moen-
ds, para ent/,enbc ; macliinas de
vapor, c tedias de ferro balido e
co.de, de toJos os tamanhos,
ara dito.
t.'io bom gusto.
i Largo, n. 1, segundee dar.
MoendriS superiores.
Na rundigSodu C. Starr & Conipanbia,
cm S.-Amaro, acham-se venda nioendas
de carina, todas de ferro, de um modelo e
i Vendem-se 500 barricas de faiinha, va- fonstrucgio muilo superior.
Muriheca, onde j foi moradora,'por t*r sido
escrava do lllm. Sr. coronel Agostinho Bc-
zerra, ou de um de seus prenles ; he bai-
xa, cheia do corpo, ndelas empinadas, ca-
ra redonda e lustrosa, feigOos amacacadas ;
l'-ni a pelle dos bragos enrugada e cinzenla,
ps pequeos, andar cambaio, por ter uma
estrepa ta na sola do p dreito, e uma fe-
li.'u no dedo pequeo do p esquerdo e os
dedos grandes luidos de bexos, com falta
de dentes na fenle do lado inferior, falla
queso percebe ; levou camisa de algodSo-
zindo com mangas de madapolSo, saia de
edita o panno da Costa azul ludo velho:
quem a pegar leve-a a rua da Praia, arma-
zem de carne, de Ignacio Luiz de Brito Ta-
borda, que gratificar.
Fugio, no dii 25 do correnle, o preto
Joaquim, de nagilo Cagangc, do eatatura
regular, ertr um pouco fula, cara redonda,
pouca barba, nariz chalo, mas lodo repu-
xadoem roda que parece ter sido queima-
dura ; tem os dedos dos pos feridos por
alguns bixos que Ihe apostemaram ; levou
camisa c caigas do aigodflo trangado e cha-
peo de seda. Roga-se a todas as autorida-
des policiaes e pessoas particulares, que O
apprehendam e levem -no rua larga do Ro-
zario, p a lana n. 18, que se rilo gratifica-
dos generosamente.
Fugio, no dia 27 do correnle, uma
prcta crioula, de nome Antonia ; lie um
lauto carrancuda ; tem o beigo inferior um
tanto cadldo. de 18 a 20 annos ; levou ves-
tido rouxo bastante sujo : quem a pegur
leve-a a seu sendor, ngulo Roque, no nec-
eo da Lingota, que recompensar.
PfRM. NA W. UES f. DEFASU. 18**


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFDDO7294_AJLYVN INGEST_TIME 2013-04-24T20:00:35Z PACKAGE AA00011611_06772
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES