Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06771


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV.
Terga-feira 29
IAKTIBH DO* COBBZlOa.
Goianna c Parahlba, segundase aellas feiras.
Rlo-Grande-do-Norte, quiolas feiras aomeio-
dla.
Cabo, Scrinhaein, Rlo-Forinoso, Porto-Calvo
e Macelo, no I.", a 11, e 21 de cida me*.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-Vlata e Flores, a 13 e 28.
Victoria, squintas feiras.
Ollnda, todos os das.
UHElfEBIUES.
/Miog. a 6, s 6h. e 18 m.da m.
Piules mu. )?ov* **4 3|> > Creso. rSI, as 7h.e 2m.dain.
(icia a 27, s 10 h.e3um.dat.
VBEAMAK DI HOJE.
Primelra aa Choras c f minutos damanlia.i.
Segunda as G horas" c 30 minutos da tarde.
de Janeiro de 18J50.
N. 31.
pnepos da ubscuif^Ao.
Por tres mezes (adiaatadosj 4/000
Por seis meies 8/000
Por um auno 15/000 j
J>IAS DA SEMArfA.
28 Seg. S. Cyrillo. Aud. do J. dos orf. c do m. I.T.
20 Tere. francisco de Sales. Aud. da chae, do
J. da I. v. do clv. e do dos fritos da fazenda.
30 QuarL S. Martinha. Aud, do J. da2 v. clvel.
31 l>unt. S. Pedro Nolasco. Aud. do 1. dos orf.
c do m. da ). v.
1 Sext. S. Ignacio. Aud. do J. da 1. v. do clv. e
do dos hilos da fatenda.
2 Sab. *>< Purilieaciio do Nossa Senhora.
3 Uoin. S. Uraz.
OnWMH I I i iWitli
CAMBIO EM 2 DK JANEaO.
Sobre Londres. 28 d. por 1/000 rs. a 60 das.
. Pars, 349.
Lisboa, 100 por cento.
Owro. Onca hespanhocs........
filocdas de (100 velhas.
. de 8^*10 novas .
de 4/000..........
/rato.Patac5es brasilelros.....
Pesos coluinnarios......
Ditos mexicanos......
28(T>00 a
l7f0flD a
lli/200 a
0/000 a
1/iljO a
1/biO
29/000
17/200
lofOO
M200
1/970
1/070
^soo a ; 1/82
PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DA. FAZENDA.
EVTRACT DO EXPEDIENTE 00 DA 3
DE JANEirtO.
An presidente de Pernambuco, respon-
dendo ao ollicio de 41 de deembro. que
scompanhnu o officin do inspecUr da the-
norarii sobro a duvida que se oferece de
ilcvercm ou n&o pagar sello as letras pasu-
das, negociadas ou aceitas pelas Ihesoura-
riss provinci?es, se declara que a isencilo
do sello decretada pelo irt. 15, i da le de
21 do outuhro do 1843. nSo he extensiva as
letras, bilhetes ou outros ululas de crdito
emdidos pelas thesourarias provinciaes,
queso nao comprohendem debaixo da de-
nomicSo do thegouto publico, nom da de
delega do do governo : sendo por isso que
para dar-so essa iniencSo 4 transferencia
das plices provinciaes, tem sido precisas
disposicOes de lea que asdrclsrassem Igua-
ladas s do thosotiro publico nacional.
EXTERIOR.
rou-se^ da ilha do Tigre, fazendo arrear
bsndera da repblica e arvorando a in-
gleza.
A ilha do Tigre tinha sido cedida recen-
temente aos Estados-Unidos pelo governo
de Honduras. Exigi, pnis, o encarregado de
negocios do governo de Washington a des-
occupaQo immediata da ilha, ao que ni
tienden o officiil inglez, or nflo reconhe-
cer direito no governo do Honduras de ven,-
iler ou ceder parto de seu territorio, visi.o
n5o ter existencia nacional esersmente
iini fragmento da confederadlo americana
central. A quesillo eslava all'ecta ao gov;r-
no dos Estados-Unidos.
(Do Jarnal do Commercio.'j
NOTICIAS..DE NEW-YORCK ATE' 13
DE DI'ZEMlMtO.
Ainda ndo eslava constiluiJo o congres-
so por nfl ler sido possivel nomear o pre-
sid nlc da esmara dos representantes.. Km
32 escrutinios corridos ateo dia 10, nenhum
dos candidatos ubtivera maioria absoluta
Os whigs continuavam a votar cerrados no
seu candidato primitivo o Sr. Wintrop,
mas os demcratas, conscios de que nao
podiam elevar o seu candidato,o Sr. Cobb,
cadeira presidencial, haviam abandonado
aquella en lidalura, e dividido os seus vo-
tos por diVrentes membrns, para ver se
algtini ilclles reunia a maioria. Na la po-
rm, consegiium at p dia 10; porqun.cnmo
dissemos, os whigs cons.ervava.m-se Armes,
e us partidarios do/ree soil recusa va m votar
em qualquer dos candidatos demcrata ou
whi
Nesle estado se achavam ascousas quan-
do comecou a sesso do dia ti. Concentra-
rain entSo os demcratas a sua volacilo no
Sr. II-. J. Brown.da Indiana, e, corren Jo nes-
se dia 7 estrulinios, deram o resultado se-
guinte :
Escrutinios.
33a 34 35 36" 37'38 39
Votos.
Winlhrop, 101 101 101 101 101 10 101
Browa 80 84- 88 97 107 100 10
- O Sr. Ilrown, cuno se vo.ganliou 29 votos
al o stimo e ultimo escrutinio do dia 11;
ms,sendo-llie precisos lia para obter a maio-
ria absoluta, nfio foi eleito. e a ornara a-
diou a s-ssfio s 4 horas e viole minutos da
Urde.
O Sr. Winlhrop disse que teria retirado
de he muilo a sua candidatura se os seus
amigos o livosseni prrmi'lido. Bepclia on-
Uo o que mudas vezes hav declarado fra
da tribuna ; que nada llieseria msissetisi-
vel doqucsupi r que o seu nome diva mo-
tivo a demorar-se a urganisacnn da cmara.
Accreseeniou que agradeca cordialmente
aos seus ainigosoapmo que Ibelinbam dado
e Ibes pedia concentra as-m seus votos om
outro candidato. OSr. Thompson -respon-
deu que o partido prefera o Sr. Winlhrop.
masque, scate-relieave a sua candidatura,
escolheria oulro candidato.
Assim ieou a .quesillo d eleicilo na lar-
de de 11, ultima Juta de Washington. lie
prbva'vel.dizo Sun de 13, que honlom fos-
se eleito o Sr. Ilrown, bem que a posicS
dos partidos solTresse no dia II urna mu-
danc Ifiosbita, que mal se pode dizer qual
sera realmente o resoltado. Da California
alcatifan) s datas ao' priineir de novem-
br. O vapor sabido deS -Francisco na-
quelle dia transportara a Chegres um Bi-
lbao de pesos em ouro. As noticias da re-
gulo aurfera nSo annunclam a menor ni u-
lUnca. As pesaoas que podiam supportar
trabalho pesad coiainuavain a faz r boa
collieita. ,.
'' .\o dia i> de oulubrofoi vot; da e assig-
nada em 41onlrey, pelos delegados do. poyo
rpni'djosem cprivencilp, coiistituiijlo po-
llica do tiovo eslado.da California." No dia
13 d riovmbro devia reunir-se pvo nps
seus respectivos, d.istriclos. para ap'prova-a
u rejeita-la, c para nomear as novas auln-
riJades iccliva'4'c os membros das duas
Caill.il as. .
'" J'8 do arlt f. da coristituieo p'rohj-
bo a escrayidlp e o 1. do ftit-'d ? exclue
d direito de votara lodosos hpmensd cr
coui a nica ixcepcilo dos indios e.seus dns-
cndonies, que por votaejo de ilpuj t'cos
dos 'membros de cada um ..las cmaras po-
denlo ser ad :i>11li Jos ao sffragio rri Casos
especiaes e.na prpprfto qu s jnesmas c-
maras parecer justo o,poltlc.v.
. lia Amrica cenjraT anhnpiam as fo-
llias rrcricanas dous aclos de bosliliJade
praticados'por cruzadojes inglezes. Km 4
d ouibrb e'tjlrou' o vapor f'lmpir. npr.,
to.de Tr'niilpi.costa de Honduras, e.exigi
^ipvernad'oro pugimentOj.dentro de seis
horas, de II t,tf62 pesos fortes, Tmpnrle das
recJam'acOes que faziam alguns subditos
britnncos o govrnode Honduras, C'o-
mp ogoveruador recuasse annuir a exigen;
ca do epirirnandnlo do Plump'er, desem-
b'arcpu sle" parte da gusriiiclo, apbderqu-
se da foi tale/ de Truxillb, e receben, diz o
lierali'iie Nw-York, 1,'200 pesos para, nao
fjier..fgo 4 cjdd......',. .....*
..* .bmtflr,dM.depoU.la *e. 110 cnirou
vapor Gorgon no | orlo de IVealijo, na cos-
ta do sul, e com o mesnio pretexto apotle-
NOTIC1VS DF. MONTKVIOE'O E BUE-
NOS-ATRES.,
Recebemos o Carrero diU'Ula de Montevi-
deo ate 24 do passado.
O do dia 22 diz o a/gulnle :
" Infonn.im-no* que pessia viuda hontiim do
campo ininilgiid a milicia seguinle :
" Que Oribe mandara prendar \o conviiian-
cl.inii-r.il da Colonia, por cujo nrotivose suble-
vara este com a f6rca que conimahdarn e se
dirigir Mercedes, oude entrara depois de ter
morto .-ligninas pracas daguarnlco. Que por
isso se embarcara parte da dita gnarnlco, a
qual fui encontrada em direceo a Uucnos-
Ayres por um barco vindo do Sallo, que antc-
bontein chegou ao linceo. Que se presuma
que no Cerni havia noticias tuals graves, visto
o grande moviinento que se nolava un quarlcl-
general, a saluda de propios cm todas as d-
reccles c a grande eialtacao cm queseacba-
va Oribe.
" Ist', nos di/cm, assegura pessa digna de
crdito.
Por este motivo diremos, a respeito dos
boatos que estes das teein corrido com tanta
geiicr.ilid.ide acerca das operacoes do valente
coronel Centurin, que a nica cousa i|iie au;
agora temos por iudubitavcl que de feito en-
trara elle con lrca armada no territorio orien-
tal, vindo da provincia do Rio-Grande ,,
De l'.ccenns-Ave es ha va ditas at 21. 0
correspondente do 6'onmrreii dil Piala di/.:
' l.alve saiba das sessdes dos represen-
tantes desde d da 12 e do resultado utllissi-
ino c humanitario que tlveram; porque, tendo
perguntado Lourenco Torres no dia 1 i o mo-
tivo por que os cleros tra'.iam a divisa smente
com a legenda : Viva a Confederado Argentina,
e n"ni como a dos mal cidados, succedeu ap-
parecerem logo todos os cleros da sala com o
accrcsciino de rnorrnm os sslcagcnt unitarios, e
boje todo o clero da provincia usa de igual
divisa.
" Parece qnc as informacoes que em outu-
bro de 1818 ir andou o comiuodore Herbec
Sr: Southern sobre o estado dos vasos de gucr-
nenlium resultado consideracao do niesmo.
Aextencao da costa dos Kstidos-Unidns ao
longo do i'acillco, c a rapidez sem rxcmplo
com que os habitantes da California, especial-
mente, vao augmentando em numero, tem
communicado grande importancia s nossas
relacoes com os outros palies cujos territo-
rios sao banhados por aqueHc oc-ano. He
provavcl que a correspondencia entre eses
paites, particularmente a repullca do Cbili. e
as -nossas possesses naquelli parle, se tor-
narla extensas e mutuamente vantajosas
proporcao que a California e o Oregito lrem
augmentando em populaciio c riqueza. He
pira desejar, pnis, que este governo faca tudo
o que esliver ao seu alcance para nianter e
r. I .i-,.ii- suas rrliMis com aquelles estados,
e que o espirito de amiadc entre mis c cllcs
seja mutuo e cordial.
llecoinmendo ao congresso a observancia
da incsina poltica pira com todos os outros
estados da America para que elles, conside-
rando a I' ni.i i Americana, como nina potencia,
sua adiada natural e amiga, cslcjam sempre
dispostns a pedir, piinicien que a quali|uci|
.nuc potencia, a sua inecliaeao e succorro,
no caso de collisao com alguin na. .in europea
Como grande potencia americana, podcrcnios
militas vezes iulervir beiiiguainente em favor
delles, sem cointudo eiupeuharino-nns em
guerras eslrangeiras, ncm em controversias
desnecessarias Sempre que a fe de noSIOI
tratados com algum desses estados reclamara
noasa interven.-ao, devcrcmos uiccssariaincn-
le iutervir.
Urna conveneo foi negociada com o brasil
para o fim de prover satisfacao das reclama-
e&ea americanas l'eilas aquelle governo esta
convencao ser loga submelliila considera-
cao do senado. Ilcpois da ultima scssiio do
congresso recebemos mu enviado extraordi-
nario e ministro plenipotenciario daquelle im-
perio, c nossas i el.n-Oes ruin elle sao fundadas
lohre a mu. amlgavel intelligeucin.
Chamo, concidadaus, a vossa attencao para
as nossas leis actualmente cm vigor .acerca do
ciinniuTcio de esclavos africanos as qii.es
devem ser revistas para bahililar-nos^ c inse-
guir a suppressao ell'ecliva destt bubaro tra-
uco. Forja be confecar que este coinmercio
he ainda em parte mauliJnp >r ineio de navios
. iimti iii'ms nos Estados-Unidos, e possuilos
ou tripulados por alguna de nussos eonclda-
diios. A correspondencia entre a secretara de
estado e o iniuistro e cnsul dos K-l id.is lui-
dos no Kio-de-Jauciro, a qual de qu.iiido em
(ce ui'\o te,u sido api c'scni id i ao congresso,
W*r4.-..
cirKir do tratado'de Cuadeliipe-Ilidalgo leve tender os inelos que elles tecm de serem utels
ordem do olleroccr una grande snuinia pelo ao pau, niiillipllcando as fontes donde por-
direito de transito atravs do isllinio de Teliu- sam tirar nforuiafSes, deve ser o escopo de
antepec ; mais o governo mexicano nao acce- todo o estadista, c o ohjccto primario de todo
den proposla para a compra dcslc direito, o legislador.
provavelmente porque ilnha ji contratarlo (anuo o conrresso nao tivesse eslabelecido
com individuos particulares a constru-cao do nenhum governo civil par a California, o
una estrada do rio l'iiiasacualco para Tchu- povo daquelle territorio, impedido pelas n'e-
autepec. Nao serri cu que renov a proposta cessidades de iui condicao poltica, reunio-se
de comprar por dinheiro um dlrcltoque deve recentcinente em convencilo para o tiiu de fr-
ser igualuiente asveKurado a todas as naciies, mar urna consllluirao e um governo, os quaes,
mediante o pagamento de ama lasa ratoavel segundo as nolicias iiltiniamente recebidas, te-
aos propilelarins Vto incllioramento, os quics nho rasSo para soppArque scacham completa-
sen! duvida.se lulo de contentar com esta coui- dos cr-se geralniente que esse mesinn po-
pensacao e com as garantas dos estados niari- vo se dirigir brevemente ao congresso, pedin-
timos do mundo, em tratados separados liego- do que a California seja aduiitlida na Uniao.
ciados com o Mxico, pelos quaes todos scjain como timestadnsoberano. Se istose realisar, e
obrigados a proteger aquelles que consti ui- se sua consliluicao fr conforme com os re-
tara a obra. Taes garantas contritiuiro (|iiisitos da eonstluicao dos Kslados-Uuidos'
mais para assegurar a execucao da coinmu- recoinmeudo a suapticso considera<;ao fa-
nicacao pelo Mxico do que qualquer oulra voravel do congresso.
consderacao rasnavel que possa ser oli'ercclda, Aliin de que a situado e carcter dos princi-
pacs drpoiltoi niiiier.es da California pnssain
ser vci ideados, reconiuiendo que se mande
proceder all una cxploraciio geolgicaeiniue-
1.11 mica i proponhoqueaaterraimlneraeasejain
e como csic estado sera o que mas ha de gt-
iihar com a abertura desia communica ai en-
tre o gnlpho e o ocano Pacifico, presume-se
que Hu hesitara emprestar osen apolo da
mancha proposta para n Qin de elleiluar-sc divididla em pequeos lotes, acruuiiindadns
um mclhnramciilo lao iiif^iorlaute para os seus
puquios iuteresses.
Temos ras"iu de esperar que o raninlio de
ferro, propostn atravs do istlliico de Panam,
ser cllr-divamcntc construido debaixo da
prnteccao do Ultimo tratado com a Nova-tica-
ininer.ie'.e qUCOSICl scj dos para que muso concillad,os lenham una
opportunidade de adquerir un direito de pro-
priedade permanente o. solo, oque ser inui
importante, lauto para o l...;ii resultado da
mlneracao, como para o das emprezaa agri-
llada ratificada e trocado pelo incn predeces- culas.
sor a 10 de jiiilin de 1818, o qual galantea! A grande riqueza mineral da California e
perfrila nriitralldade do IllhinO, e os dircitos as vantageiis que seus portus, assim como os
de soberana e preprledade de Nova-Granada do Orego, cooccdeu ao coinmercio, especial
sobre c-sc territorio, upara que o livre tr.ui' mente com as illias dos dous ocanos, Paci-
silo de ocano a ocano nao possa ser nter- lien c Indico, e as regides populares da Asia
rompido nem embaracado emquanto durar oriental, asseguram-uosque dentro' depoueos
o tratado. Nussa poltica he animar toda a
coniiiiuiiicaco pralicavel atravs que ajilla as dual Amo cas, qur seja por
inco de um camiidio de ferro, qur por uiciu
anuos se levantaran cm nossas costis occi-
iiiut os grandes e prosperas povoacOes, he por-
laulo necessario que una llalla de coininuni-
jf.o, a mi'l'ior, i mais expedita que a natu-
dc um canal ; e considero do meii deveradop- rezado pai/. admittlr, seja aborta dentro do
lar essa publica, cspecialiuenle em conse- territorio dos Kslados-Uuni.los. desde as agoas
liuencla da absoluta nccessidaJeque temos d navegavcil do Atlntico, ou o Golfo do Mxico
l'ieilctir a couiiiiuiiicajao com as nossas pos- ale o Pacifico.
sessi.es do Pacifico. j Duas convnceles grandes e respetaveis ul-
A pnden (las ilhas Sandwich .1 respeito do '(mmente- reunidas em S.-I.iliz c Meiuphls
territorio dos Estados-Unidos no Pacifico; oexpressarain a opinllo deque um caminho
bom resultado que ns cm s..s perseverantes 0 de ferro, sef6rpralicavel, ser a que inelhor
benvolos concidailaos,cine sedirigiram aquel-; satisfar os desijos e necessidades do pala;
la remota trra, leem obticlo cm redim- aq'porm, posto que en reconheca que eslaobra
chrisiiaiiismo os indgenas dnquelles paizes,'seria de urna grande Importancia nacional, e
assini como em peisuadi-los a adoptareiii un de uifl valor para o paii que nao seria fcil
! sysleiua de governo e leis appiopriados su i' apreciar, todava julgo que deve taoibein ser
uiostra que elles costil mam evitar as penas J capacicladc e necessidades; e tambeiii o USO considerada com una empreza de grande mag-
inipostas pelas nossas leis por ineio de carias |:que nossas halieras fa/.eni dos pintos dessas nituJe c dispendio, a qual aind-i qunelo pra-
de guia. Navios vendidos na llrasil.Iogoque sao ilhas, mide van procurar refrescos a reparos, ticavel, encontrar militas difliculdades em
pelo cnsul prvidos de taes pipis, em vez de tudo concorre para que nos interesseinos pelo sin coustruccao c uso; portanlo, alim de evitar
regressarem para os Estados-Unidos alim de se destino das mesinas. He, perianto, de nosso'queee pcrcain irabalhos, e alim de habilitar o
i- registrarem de novo, diigem se para a costa dever animar as autoridades do palmes eif.tr- congresso para julgax.se eat* obra be ou nao
oda frica para obterri cargos de escravosl eos que lazciu para uielliorar e elevar a con- pralieavel, e no caso de o ser,
ra argentinos nao eram inleiramenle exactas,
e que, longe de se acbarein em estado de
pendencia i que a' coi po scieutifico as diversas estradas propostas
ueste sen- ;e que este corpo lindo o seu tr.ibalho, seja
s ser', ehrigado aaprcsciitu- utnrelitorio .icercada
se convela
inflo iu.ce,eir\ do niesmo genei~o loraui recente- dcS moral e poluea dos leus habitantes, as- 'que seja felta pelo governo, ou i>or tima eiu-
ineiite iraiismitiiel is secretaria de estado. I siiu como ajud.i-las a vencer as dillicoldades preza particular, proponbo, como medida pre-
Confesso que toda B altcrac.an.das leis, a qna. I separaveis desla larefa Desejamos que as ilhas limiur. i|iie_ se iiijude reconhecer por un
admillir coicerlo para acrem entregues a Ro- possa ter qualquer tendencia para impedir a possam inanter sua independencia c qu
las, sei pdem servir pora combustivcl. lista livre transferencia dos nnvios entre nossos ci- joutras naees voncorram com iiosco ueste
noticia contristou multo aoSr. Sotitbern, por- dados, ou a livre navegaca dos me sinos as j limento. Em ncnbum caso nao podcrcnios
que esperava que com peguenas reparacOcsIdillerciilcs parles do inundo, quando eniprc'- iinlillereiites sua passagein para debaixo do praticahilid ule de una tal estrada, ciunlamen-
aerlam entregues a Rosas, cservirlam para que gados em coinmercio licito, deve ser bem e!dominio de qualquer outra potencia. Os prin-fte p.orcamento do cu,to de sua coustruccao e
pelo menos o adiniltisse eroeiiori'iimnt* a repre- prudenlcmenle considerada; porm conlio cipaes estados coiniuerciaes leem nissuun in- iistenlacao.
que .a sabedoria do congresso achara um me-1 te.resse coinmum c he de esperar que ne-| Pela le de .i de mareo de 1819 urna coinmis-
thodoque nos habilite a preservar uossa poltica ni.....i delles leulai oppor obstculos com- sao f.I creada para o lim de faser o< arran-
gcral a este respeito, c aprevenir ao mesnio : pela independencia das Ibas. i jmenlos necessarios para a OrgaalSaeaO do
tempo abuso de nossa l.andeira pelo lucio ) Areccitado anuo linancciro que acaliou a' stimo censo. Esta coiiiniissiio, para a qual
daiTcarfs de gua, como Hca dito. 130 Be junllo pusado, ful de S0:Uii,ll97 dollarsj fram Horneados sooretarlo de otado, o pro.
Tendo-me convencido de que mo ha proba-1 sendo 1':8,'I0,0^7 em inoda metlica,eIO:8.'l'!(ino ciir.idoi-get-,1, e o director geral di crrelo,
bilidade de que se reunam mais os cinco es-'ein notas; e a despeza no irSl'nu rempu ful (inlia por uiisso preparar c mandar Impri-
tados da America central, qoe antigameuic jde j7:oll,('.7dollais, sendo 4li:7y8,li7 cm nio-jinir os modellos e sedulas que fsscm neees-
coiupunbam a repblica deste ilom, nogociei da mcnlica, c 10.8:13,000 cm olas. siriaspara a completa euuineacao das hab.
Os calculojque scro siibmelliilos conil-l tantea dos Estads-niJos, e tainbem model-
pelo menos o admiltisse proeisoriuinenfr a rep
sentar a ana rainba. Mas a corveta Vinte-cnco
detnaio uo pode mover-sc dease porto; e, quan
to s salvas de que tanto ae tem fallado, ainda
lio se sabe au- que ponto a isso se prestara o
almirante ItcjmuiJs. ,,
Como diz a carta que acabainoa de extrac-
tar, eslava reunida a sala para tomar cm eou-.
sillera..!!., tres projecto'a redigidos pela coin-
iiiisso umiiraila para dar o aeu parecer Sdbre
a pelico relativa auppostaresgnacao do ge-
neral llosas do cargo de dictador.
priuteiro destes projectos be o quo dia-
pcic se acceda peticao; -o segundo be amani-
feslSCiio dcgialid e alto ajireco provincia
por ter iniciado aquella pcl^o, o lereeiro.naU.
mente be a resposta nina expusican verbal que
ae di/ ii/eia ha lempos o general Rosas certa
couiiiiisso da sala.
Daremos alguns extractos deat.i rcapoata
como a mol Ira da liiigoagem olbcial do poder
legislativo de Uuenoi-Ayres.
" Os represculaulos assusiarain-se. deata
vez mala que nunca, ao ouvirem a nova re-
nuncia de V.. Exc. A .modeslU de V. Exc. me
estima observar que esse anuuncio sorpreinleu
os Argentinos como p annuucio da Icmpestadc
liquelles'que teein sentido leus frorei.
" Quera provincia que V. Ex*, pennaneca
nn governo ; mal quer tanibrm que nao com*
prometa sua preciosa vida, ewoin ella a da
repblica. .........
" .A fervorosa dedcac.ao com que a .ill.cv. 1,
Virtuosa,.Intelllgeule e digna fittia Je V, Exc,
pa licipad.is heroicos servicos que presta
patria leu Ilustrado pal reclauavn j o vol
degratido inuiiido na inclusa peticao. Os
representantes repeiem, e..... ir me Intereses,
o mime da aenhoriCa I). Manoela de llosas, -r
csto serlos de' que aswctaiu a la etnoco lo
ilusos que. leem tido a fortuna de coahecer a
este Joven modelo peregrino, animaco aiigi-
Ifcil ele' tildo 11 uaiito he mili re e ainavel '. .
'" l'.i.l V. Eitc. infoi nenio da ve.cu.id.' sobe-
rana do povo que Ihe prescreve continu no
goverfio,' utas nao Ttigando-se tanto como at
boje. Anda que des ta ileli-i i n i un a i res u I le ni
di inoras, aejain quaes freiu-os assinnptns de-
morado! os representantes < os cidadaoerepre-
sentados aliaiifaiiiasconscqueiiciascoin as Miat
vlda<, llave i es, fama e porvir. 1 udo lici de no
vo disposieo de \ Exc.... ,, .
Unia^cartji de llueuos-Avre com'data de
20, e qqcn'os foi cniniiinlcada, diz:
" iy ir. ooutliern anda u,uilu l.lste pan nao-
poder conseguir que Ilusas o receba, nem
lueiiiiii protu'iori,nnente. J cata desengaado,
depulado Torres mallralou scll'riveliueute
os Inglezes.nesut ultimas. essoes ; c, se sou
bem informado, nao serio poupados iia.cna-
ma'd liinsagem da sala. ,",
.......- '[dem)
i-.SI'UIOe-lj MIJOS.
Mentagem tlu presidenle ao congresso. .
-... (Concluso.)
A sanguinos guerra civH, que devastava.fr
repblica de Vrueiucla, acba-ae felitineule
terminada. Dorante o seu pVogreaso os llirei'-
tos de alguns de. uosio couciiladaoa. que.J-
icsidiiin, no ciiuniei i avalo, lr.iin violados.
A ri'ltaiirar.o da'nrdem pMiiiltri d"governo
daqiMlla upublin etaminare reparar- e>tes
males e varios outros que uosaoa representan-
tes em Caracas leem ubweitido ate boje scui
sepa rada me uli- com alguns delles tratados
de amizailc e coiuiieicio, os.quiics scio loga
subinetlidos a considcracie} do senado*
Sendo nfoi-mado de que uina companhia,
coniposta de cldtlaos ainericanos concluir
um contrato com 0 senado de Nicaguara para
derafo do congresso no relatorio do acrela-' los c sedulas' pruprias para collegir em ta-
ro di fazenda mostrara que no I.' de jullio! boaseslatisticas. dchalvo de ttulos conveoien-
proxiiuo futuro, C 1830) llavera pruvavel-1 les,- informacoes taes respeito da minas,
mente por causa da) despezas fritas com a 1 agricultura, couiniercio, ii.aiiufacliiras, edn-
- guerra e o tratado mexicanos, um dclicil de 'cieo e outros tpicos, que dessem uina idela
o lim de abrir nm caual atravs do terrltoiio.':S->,S,|-2l dollars, e no 1 de julho de lbl ou-l cxicla da industria, educjcSo c recurso do
daquelle estado, para por este nielo ajiintiro tro dellcit de 10:547,1 \)3dllra os quaes junios I paiz. Como a conunissao tetilla cttmprido
ocano Atlntico como Pacifico, proco r. ni -1 aoniniaui em l 370,214 dollars. Recoiiiiiieudo, { com suas uliriout.'des, resta que 0 COUgrcs-
gociar um tratado coji Nicaguara, pelo qual
ambos o govetnos se obrij-assem a proteger
assim os niiprelii-ii.il dores como os Irabalha-
dores da dil.i obra. Todas as muras nacocs
sao convidadas pelo estado de Nicaguara para
l'.i/ereiu cun elle as (nesulas estlpularoes ; c o
beneficio que devem tirar dcste arranjamenlo,
he a protec{ao de.ta grande conimunicacao
iiitei-ocraiiir.i contra toda a potencia que pro-
curar empece-la ou mouopolisar suas vanla-
gens, Todosos estados que loiiiaieiu parte em
um tal tratado, gozara do direito de passarein
pelo canal sobre o pagamento da inisnia laxa.
A obra, ae for concluida debaixo destas ga-
rantas, ser un penlior de ainizade, em vea
de um objecto de contenda e lata entre as pa-
edea da tena reirs grandea pteucias mari-
liuias da Europa consentirein ueste arraujn-
ineillo i e o co lenlni i.enliiiiii.i ris.io p.n.i sup-
por que ajguina se oppunba anua pinposli
lao bella e tao honrosa ), suas populacdcs e as
nossas cooperario enrgicamente para o bom
sceeso da nprcza. .Nao rconimciidarei ao
coiigressoqne appliqiic os dinbelros pblicos
para este l'mr, |iols crelo que urna tal applica-
co nao aera neerssaria. A empresa particu-
lar, se for convenientemente protegida, con-
cluir a obra, se esta fr pralicavel. As pes-
soas qur pii.ciii.ii.ini a cana de. Nicaguara
para sua eiecpsfl uo pediram aassisiencia.
dest'governo, acmio a sua proicccn, c allir-
iii.n .un qu frito o exaiiie da liuli de coinmu
nlcac.ao' jifbpoti est'ariani jiromplas para co-'
uiecr empreza, logo que esta protecyao
Ibes iosse' prestada. Se pela considerara o das
prava, parecer haver alguma rasaopara duvi-
d.ir-se s-i laiiicnlc da |uissibilidadc da aber-
tura de um tal canal, esta duvida poder ser
proni.plamenie.solvldapor una explora(io da
estrada. .
Se una tal obra for concluida debaixo da
poldcao cominuui de todas s iiacdcs para
seu igual beneficio, nao sn.r justo nem conve-
niente que iiciihum grande estado inarirmo
ciiniiiaiiili- a cimiiiiuiiieai lio. O territorio pelo
qual o canal devera ser aberlo, deve esla* li-
vre. das. rcclaiuarocs de toda a potencia cs-
trangbra. Nciihuuia potcncf lal dever de-
capar nina poslf qut para 0 futur'lhe da-
ra iiispeei.-.in sobre a cunmicrcia do' mundo,
ou a habilitara-para-obstruir uuiastrada, a
ual dev ser dedicada aoj usuhs coiniiiuna do
grurro liiiniaiio. .....
As eslrados alravs d IstBmtt cu! Tehliaii-
(epec c Panam sao (ambeili-dignas ih- nuss.1
seria considcravo. Ellas nfio dcixaram de at-
traUir a atten(ao de meu predecessor. O uego-
portiiitn, que o itovi-i-iio srj.i auturisado para so faca tuna lei para levar a effoilo a dis-
, ... ^1_ .1 u.......in i .- >..... ^ .... '.1. .. .
ohlrr por ineio de emprestiino a asinina ne-
cefsaria paia cubrir este delicie e igualmente
recoiiiincudo a observancia da mais estricta
econoiuia na applicaeo d-is diuliciros pu-.
bleos. ,
Recninmeiido lambein una revisan na at-
rilla, actualmente existente, e que seja ajustada
sobre una base que possa augmentar a renda.
0 congresso tfiu o direito, ou antes o dever
de aiilni.if a induatra interna, a qual he a
grande fon le da riqueza c prosperidade, assim-
publica como particular, e por isso espera de
sua s.iii. dona e patriotismo que adoptar mu
svstem.i, o qual possa liiialincute, nao s esta-
belecer o trahallio Interno sobre nina base se-
gura c permanente, seno lambein dar, por
Hielo da devida aninaeo das iiiaiiiilacturas,
um novo c augmentado estimulo agricultura,
e promover o dcseiivolviiueiilo de nossos vas-
tos recursos e a i Stencfie or nosso couiiitcrco
i.i-i-ud.i que para a caDsecuoao destes boas
1 coinii taiiilieiu para o necessario auginciito
das rendas e a prevenco das fraudes ) mu
syiiema de direiios cspcflllcoa be o mellior
adaptado, rccoinhiciido multo no congresso a
adopeo d um tal sjsleina, c que os dircitos
sejam lixados em uina altura tal que possam,
neo smente dar ama animarlo substancial e
sulbcieulc SV nossa j -1 f 11 i imlustiia, seno
i.iiuli.'iii assegurar ao uicaino tempe a sua
i -.t.clii-lnl i le.
Siiliiueiiei i-espeitos luiente sabeporia do
controlo a questo da coniinuacao do syle-
nia de llicsurarias iliaes, julgando entretanto
dever obaervar que, iio caso Uc se deciifir qu
o tiilu sysienia deve contitiHar, sein-tmlispen-
savel fa/cr-lhe iuiporlaiitrs inodilicacoes.
No ie l.iioi io do secretario ia fazenda achara
o congresso mais ampios dcseiivolviuieutos,
nao smente a respeito desta materia, seno
taiubeiu a respeito de oulrasiiue teem conne-
\o coni b coiiuuercio, Cuu'i as linaneas 'coin
as rendas.
Nenhum soccorro directo tem sido d.ulo pe-
lo govrrhu geral ao inclhormento'd agricul-
tura, cxceplo pelo dispendio tle pequenaa som-
mas para a I.. r 11111 r".., c publicaran) de estatlsli-
e.is agrcolas, c de algiiiuas aualyses cliimicas.
Este aoceoriNi lieeiu uiuiha. opiiao inleiramen-
le insulliciriiie. Para.dar a este ramii princi-
pal da industria americana a aiiiiuae.ao qu..-
merece, iccoiiiuiendo rrsprilosamciUe o esta-
ijeleciiiicnlo de in repaitijio de griciiKu-
ra-, !rq!it drveiiiser addida repnleo do
Interior, Elevar a COndlcio social dos agri-
cultores, auguieutar sua prosperidade, c cs-
posieo da consliUiico, a qual lequer unta
enuiiieraciio do povo dos Bstados-Uoidos
dentro ilo auno prximo futuro.
(I nosso gpvero lie um governo de po-
deres limitados, e o hora andamento de sua
Hliiiinistrar;Oo depende eminentemente do
ciiccrramciit.ii de cada um de seus ramos
eli-ciii.i da uibila que llio lie assignuda. A
primeira sccgilo da consliluicao ostubelece
que ii o poder legislativo ser exercido por
um congresso dos listados-I nidos, compos-
to de utn sonado e de urna casa de repre-
sentantes. O executivo tum o direito de
recumineuilar ( nao de diciar ) medidas ao
congresso. O poder executivo, leudo desom-
peuhado a sua missSo, nao pode com Jus-
tina idspci'ciotiar a decisao do congresso
sobre neiiliuin objecto do legislarlo, cm-
quaulo cala decisao no tiver sido ollicial-
inctile submellida ao prusiilcitlu para quo
osto Ihe d a sua Bppravac-no. A repressao
csUbelc."ida pela cotislitui(;.o na clausula
que i'onfcro o vetoipialilicado, iiHnca se-
ra por in i nx exeteida, excepto nos casos
contemplados pelos pais da repblica. Ku
coMsidero csla repressao como tuna medi-
da extrema, a qual nao se deve recorrer se-
nOo em casos extraordinarios, bem como
quando se tornar necessario defender o po-
der executivo contra as usurpaccs do lo-
gi.iaiivu, uu prevenir uina iegisiaco iu-
coiisiderada. o inconstitucional. Limitando
ii iidi-.ileaH'iil" este remedio dentro da es-
pbera qu&lhc he proscripta as exposices
t'ontiniuinincas dos autores da constitui-
Qo, a Minia.le: do povo, logititnamcnlo
expressada sobro todos os objectos do le-
gislagiio por ineio dos seus org3os eoiisii-
luoiopaes, os senadores e rupieseiilantes
dos. Estaios-liuidos, lera sou pleno el-
l'oil.
Como iiulespensavel para a preservadlo
de nosso syslcma de governo pessoal, a in-
deirendeucta dos Topreseirtantes dos Esta-
dos c do povo he garantida pela constitui-
r-o ; ellos iiodcrcirrresponsabilidade al-
guma a'nenlium poder humano seuSo aos
seus constituimos. Kazendo os representan-
tes smente respousaveis ao poyo,e isentan-


<1 a oslo de quaesquer innuencias. elev-
ii os o carcter dos constituinte* e avivamos
o sen sentimento do responsabilidudacom
o paiz. lio debaixo destas circumstancias
somonte que o eloitor pode sentir que, na
escolha do legislador, elle he. vcrdadera-
incnte urna parte componente do poder so-
berano pa flnco. Com nal cuidado devo-
inos procurar defender os direitos dos po-
deres executivo ejudiciario. Nosso gover-
no s pode ser preservado em sua pureza
.pela suppressfo o inteira climnagilo de
toda a roclamagiloou tendencia de um ra-
mo coordenado pura usurpar os direitos dos
outros. Com a estricta observancia desta
regra e e oulras disposiges da constitui-
dlo, com um ensino cuidadoso desse res-
peitoeamor aos Estados-Unidos quo nos-
sos pais sentiram e cnsinaram aos seua
iilhos, c finalmente com a assistenein desss
Providencia que porlanto lempo c tilo be-
nignamente tem preservado nossas libcnla-
desenossas intluieos.pdcmos racionavcl-
inentc esperar que as transmitliremos com
suas innumeraveis bencoes mais remota
posigridade,
Ha jamis de meio seculo quo esta l'niflo
permanece inabalavel, entretanto que va-
rios reinos e imperios lee ni cabido. Os pa-
triotas quo a brmaram, dcsceram, ha mili-
to, ao sepulcliro, e ella nimia permace
como o monumento mais orgnllioso de sua
memoria, e o ohjecto denfleigilo e admira-
cito de todos aquelles que merecem ler o
nomo de Americanos. Ao meu ver, a gua
dissolucio seria a maior das calamidades,
e todo o Americano, porlanto, deve Ira-
balhar por desvia-la. De sua preservarao
depende nossa propria felicidado c a da
innmeras geraces futuras. Quaesquer
que sejaiu OS perigos que a ameaccm, eu
permaoccerol semproaao seulado, e nro-
curarei mnnle-la ein sua integridade com
todos os mcios ao meu alcance, segundo as
obrigaces que me sao imposta pela cons-
tituico. (*)
Washington, 4 .le dezembro de 1849.
/. Taylor.
INTERIOR.
P.IO-DE-JANEIKO.
Espalhou-so nnlc-hontem a noticia do j
tercm apnarecidono Rio-de Janeiro algnns
fcasos da fehre que desvasla a Babia Dzia-
se que alguns nurinheiros americanos, del-
la acommellidos, liubam sido levados
santa cas da misericordia, Estamos con-
vencidos de quc.senilo he inexacta essi no-
ticia, be ella muito exagerada e fiiha do ter-
ror de que so pnssuio a populacio com a pu-
blicacSo do officio, alies animador, cm que
o digno presidente da Rabia d cunta ao go-
verno dos eslragos dessa e demia. Esse
officio he, dizemos, asss annimadpr, pnis.
se ii'in iiL-iima exaclidilo os seus alga risnins,
o numero d )8 morios, comparado com o dos
aceommitiidos por essa eiif-rmidade, he
tffo insignificante, que muilo lonio fica dos
typhos, perniciosas c escarlatinas que asso-
lam o l'.io-de-Janeiro. Aqui damos a in-
tegra desse cilicio .-
lllm. e Exm.Sr. Nio posso ainda ter
o salisfaciio dcannunciar V. Exe. que Icui
cessaco a febre que tanto tem fllisblo esta
eidade, e rresmo alguns pontos do liton I e
desuas i roxmidades, e supposlo quo efTee.
tivanic-nte livesse diminuido, com ludo tor-
noua ganbar sua primitiva intensidadecom
a tiovoada do da 25 do passado dezembro,
continundoos calores, surcedidos a corlas
horas do da do grandes pancadas de agoa,
depois das uuaes contina a atmo.sphera a
moslrar-se ainda carregada e quente. Nilo
posso deixar de allribuir esta circumstan-
cio a continiiagflo da f.bre, pos que nunca
conheci o clima desla Ierra tilo irregular
Algunas opinicsspparecem de que a epi-
lemia fsse nlroduzida por Igum navio,
iiolaiiiln-so com espcciadadc um que aqui
focara viudo da Mova-Orlcans com uirecgilo
ii California, no qual conta-se que lavrava
aiguma epidemia dequefram victimas va-
rios passageiros, oque muilo de proposito
occultaram entrada deste porto. En, po-
rm, reputo laes boalos fabulosos e pru-
prios da posiglo em que nos ncliamo', quan-
do se quer dar urna causa nos effeilos que
sentimos, c me parece que.tendo em outros
unos menos irregulares appar-oido f bres
drbaixo de diversas denominag s, nilo de-
ve causar sdmiracSo que ueste anno, em que
as esiacies teem-se moslndo mais irregula-
res, a epidemia tenha sido mais geral, e
mesmo mais falal em suos consequencias.
Caleloque tenliam sido affeclalos dalla
mais de'20 mil pessoas; porque, sendo as
familias desla ci.lade em geral muito nume-
rosas,em nlgumas as fobres teem tocado to-
dos os individuos, em muitas mais de meta-
ile,u urna grnde Historia mais de um lo.go,
e diflieilmcnle se achara slguma quo lenba
oslado inteiramente illrsa. A febre em sua
grande generalidado tem si,lo benigna, e
denlro de oito das o enfermo se acha livre
della, posto que alguns sintnm por mais al-
gum lempo anda seus effeilos. Se a mo-
lestia he dPsprezada no seu en meco, ou sof-
fre um curativo errado, ou finalmente seo
rioente pratiei actus de irregularidades,
piincipalinmlc que compromellam o esto-
mago, lurna-se ella grave,e em inultos pou-
co tem ella sillo ainda falal, a nio encon-
trar, como tem succcdido algumas vezes,
eomplicagfio de oulras molestias, podendo-
se classilicar nesie numero a maior parte de
suas victimas. Julyo que uiloestarei mul-
lo distante da exaclidilo, se disser V. Exc.
que calculo no terem morrido nesta ci Jade
propriaii.ente das febres cein nacionaes.
Uulro tanto uo posso dizer dos estrangei-
ros, Cuan vspeciaiidade dos que vivem a bor
do das euibarcacoes.ts quacs teem uceum-
bido em grande numero, ou porque, sejun-
do se me allirma, ein laes crises soll'rem
mais aquelles que se mo acham aclimatadas
no paz, ou poique sua vida be menos ic-
gular, sua comida salgada, e calculada para
outros climas, ou finalmente pela rasSo de
quasi seoipre nflo sciem tratados com toda
a cautel no comeco da enfermidade. Na
verdade, segundo alguns eselareciinentos
que tenho procurado obler,approximar-me-
liei da exaclidilo, so elevar o numero dos es-
liangeiros moitos a 160, pela maior parta
das Iripolaces das eoibarcages mercanlus
surtas no rorlo, que se acham desta forma
s'm recursos para a navegac.Ho. Em urna
nrfta junta envi V. Exe. alguns dados po-
sitivos sobre o numero de tacs mortos ; e
devd observar ainda que esU mortaniade
fii em grande parte devida ao abandono
dos enfermos nos prlmeiroi momentos de
sua molestia, principalmente quando esta
nilo era asss c inhecida, ao que tem acres-
elo depois o terror dos enfe-mos com o
exemplo dos primeiros. Agora os cnsules
em geralleein aprescnlado o maior zelo no
iratameiNo do seus compatriotas.
O eovf nn da provincia no podia ser me-
ro observador do tantas desgracis, e, liel ao
pensamenlo do governo imperial, tratou de
I.ii' id:l i. as providencias ao seu alcance
para mclhorar o mal, s).a l'rovj lencii Di-
vina n9o quizesso do lodo acabar com ello.
Convocou diversas reuniOes de mdicos^
ouvio os ou juntos otJ separados ou cm
ruinmissoesque nnineou;,encarre^ouJI es-
tas a cura dos pobres dis fro^uezia's, a^uem
niandou subministrar os necessarios nreli-
camentos; providenciou que em todos os
hospitaeshoiivesscm me lieos a toda a hora
dodia o nito para acudirem do prompto
aos doentes que all fossom levados, e que
poderlam ficar por 12 e 20 horas a espera da
visit regular do facultativo; crcou um hos-
pital para os estrangeiros, dando a estes um
edificio, urna commisso detr.s distinelos
mdicos e um administrador, e oirereceu-
Ibea todos ossocenrros de que precisassem
os cnsules, sem stteneflo a quilqunr gene-
ro do dospeza, nilo leudo comtudo altos
at o presente aceitado esta ultima parte;
aceitando,porm,a primeira c por ella mos-
trando-se muito agrn.lccidos. I'iohibio os
repelidos dobies de sinos que atoiravam os
enfermos; nilo consenlio que continuas-
sera no enrpo c adros das igrejas o entrra-
melo dos cadveres ; tomou nutras provi-
dencias, relativamente ao sceio das mas e
casas, o polica propiia da clise cm que nos
adiamos; (linimento, ii pondo em exe-
CSQO asquefdrem lembrando as diversas
coinmissoes o prulessores para isto no-
meados.
Juntos achara V. Exc, por copia, os actos
desta presidencia de que se tem filiado, e
que involvem despezas quo n:To podem ain-
da ser hem calculadas Tenho esperanca que
o mal que nos afll'ge ir em iliiniiuicfio. e
quo cesse totalmente neste mez: porcm
seus elTeitns dovem ler maior duracfio : a
safra, atrsala no principio pelas contina-
las cliuv. trapiches por falla de transporte; os fiel
neste ciso subirilo, o o? gneros descerno
de valor ; as embarcaces fogem doste por-
to ; ocommcrcio est estagnado ea mesma
populacho do interior da provincia recera
approximar-se desta capital.
Esta mesma febre, benigna para os nacio-
naes, tem tornado desellas as repartieres,
os arsenaes o obras publicas : a guarda na-
cional tem sido menos prompLa no servico,
em conseqiiencia das molestias nos solda-
dos, e a guarnicilo precisa de um aquarteh-
mento numeroso, mo s para acudir de
prompto falta de sor vico gratuito, como
porque um terco da frca aquartelada te:n
estadu afiVctada da molestia.
Concluirei este cflieio citando V. Exc.
o cxcmplo da guarnieo da fragata l'ara-
giiatsu', que.tendo tido mais de 100 doentes,
estesno teenisuccutiibido,pela maior paite
tratados a bordo, o eJguna no hospital, sen-
do muitos delles estrangeiros, o quo con-
lirnia n mlnha ideia de que a mortalidade
deates nos navios rrecantes tem provindu
das cansas que j referi. a referida rragata
tem perdido apenas 3 a i mainhciro, dous
dos quaes, leudo viudo i Ierra, adoeceram
o f.rain adiados dits depois em eslado j
sem leincdio.
A pressa com que este he feito n3o me d
tinipo pur.i ser mais minucioso como deso-
jara.
. Dos guarde a V. Exc. Palacio do governo
da Baha, I.* do Janeiro do 1850 --lllm. c
Exm. Sr. visconde de Monte-Alegre, minis-
tro c secretario de estado dos negocios do
imperio. l'rancisco Cunrol'-es Martim,
( Do Ilrasil.)
rgos incendiarios e anarchicos se conlcem
as gnzetas anti-governlslas que all vilo
ler.
11 forma lo de quo a mitiga cmara muni-
cipal do Alcntara pretenda servir-se de 2
acias falsas para fazer a apuracilo dos votos
pira os novos vareadores de maneira a ex-
cluir todos os nones dos goveruistas, o
Rxm. Sr. Honorio l'ereiro de Azeredo Cou-
tinho resolver se a dar um passeio at a-
quella villa atim de examinar ascousrs por
si inesuio. Esto acto de S. Exc. proluzio o
1-a^ado elfeilo : os falsificadores acanha-
(*) Declaramos que onimellinios varios
puragraplios desla incnsagem, que nos pa-
recer m menos importantes.
O, lili.
ALACOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. prenden-
te r. Jos liento uta Cu/iha e l'igueircdo.
12 DE DEZEIIBRO.
Ollicio. -- Ao inspector provincial, dizen-
do-lbe que appiova a niiiiwi;;in que propoz
deJoaqulm Vieira de Alhuquerquu para es-
ciiv.1i) da agenci de rendas da villa da Ata-
laja.
Dito.--Ao inspector do llgodffo de Ma-
cei, dizendo-lt.e queapprovaa nomeacSo
interina que fez de Joflo Antonio das Cha-
gas Craveiio pura substituir ao conferente
da mesma lepartico durante o seu impe-
dimento. ,
Dito. Ao inspector de fHzenda, decla-
rando-lhe que pode mandar abonar nos
depulu-los eleilos, que desta provincia teem
do seguir para a coi te a tomar assento na
cmara, a quanlia do 800,000 rs por con-
la doajiidadecusloqui) jhei deve compe-
tir, i- i perial a tal respeilo.
Dito. Aocommandenle do brigue-es-
cuna Canpo,para que f.^ca seguir para l'e--
nanihuco, no primeiro vapor que para o
noitedirigir-se,ao guarda marinba Cons-
tanlinodo Ainaral 'I..vares, alim do Iratar-
19 couveiiieiiteiiienle naquella provincia,
visto quo o hospital desla nilo oltereco os
necessarios commodos.
Dito. Ao primeiro commandante da
companhia de polica dizeudo-llie, em res-
posta ao seu officio de boje, quo mande re-
colher a iiispcccdo as duas suecas de algo
dito, e que faca toda a diligencia por des-
Cubrir o cavallo que desappareceu sem du-
vida pelo pouco cuidado que houvo.
ajSJBJBJBJSJBJBJ
BCIFE 28 DE JAHEIBO DS 1850.
O vapor Paraense, chegado boje dos por-
los do noite, Irouxc-nos jornacs do Pa-
ra al 5, do Alaranho al 15, do Cear at
19, o da Parahiba ale 28 do correnle.
Ein Para nada novo occorrra.
Maranho ia bem, no obstante o emp -
nbocomquca respectiva impreusa oppo
aiclooiala se esforfav.' por excitar as pandes
mas da populacho, tianscreveudo quanlos | vado procediinento.
ler ; as mencionadas actas desapparece
rain, ea apuraclo foi feila legil e escrupu-
losamente.
Durante o mez de dezembro ultimo a al-
fandega de Jlaranhio reudra 49:922,C59
ris.
Da 16 a 31 do mez citado, o thesouro pu-
blico provincial marsuhense arrecadra rs.
8:739,798.
Cear ficrs tranquillo.
A 2 do correnle alacaram fogo cadeia do
din, com o lim de prem em liberdade a
Domingos Lopes o .Manuel Quizaba, rle-
qres agentes de una quadrilha que, sb a
denominacSo de tociedade do$ serenoi ,
oceupa-se de furtir cavallo* ; mas o alteres
Negreiros lomou medidas tilo acertadas, lo-
go quo se manifeslou o incendio, que logrn
inutilisir o plano dos que o promoveram, e
salvar as vidas de toJos os presos, com-
quanto o lelo da cadeia ardesse lo lo, o as
madeiras mais grossas de,la ficasiem quei-
madas em grande paite.
I'c.i alnba j eslava sob a administriQilo do
Exm. Sr. coronel Jos Vicenlo de Amorim
Itezerra, o qual tomara posse da presiden-
cia no dio 23 do correnle, com as formali-
dudes do estylo.
Dando cunta deste aconleciinento a Or-
dem diz :
, l'inalisou a sua adminislraco n Exm.
Sr. Dr. Jolo Antonio do Vasconcellns, ex-
iiresidente desla provincia, o volta ao seio
de sua familia a descansar das affliccOes
quo o pungiram em sua mehndrosa posi^Slo.
Os ventos Ihe sejam prsperos, e a Provi-
dencia lhequeira conceder longos momen-
tos do vontura..
Corlamentoque o Exm. Sr. Vanconcel-
los no deve ter muitas saudades do sua
preisdencia.
Bnearregado desla administrajSo cm
urna poca perigosa, principiou-a sb as
naligna? influencias de una l'arciio anar-
chia, quindo elle desconhecia as capacida-
des dessa faccilo, e o seu pessoal que lo-
do se achava grympado na cpula do po-
der. Assim lev do ser Iludido por ella,
que arleiramenta deaconceituava para com
a admfnlatraello os hoaiena da ordem e
para com a ordem a administraQn com in-
dignas fhtriguiihas, at quo a experiencia
amarga das infames traices Ihe fizeram
coiiiprnbeiider a moral dos homens, que
dirigiram por cinco anuos os deslinos da
provincia.
Esta illusfio doExm. Sr. Vasconccllos
por pouco que no foi fatal sua adminis-
IraoSo; e, a no sera excessiva prudencia
que o orna, lulvez que ellaseensanguen-
tasse: laes era m as tendencias da facerlo.
Felizmente, porm, em tempo conhe-
ceu o Exm. Sr. Vasconccllos que eslava ro-
deado de traidores, e com todo o lento que
o estado melindroso da provincia Ihe per-
niillia, enlrou a despojar das pos<;es de
confianca os alins da lebeldia do Pernam-
bnco, cbaoiando a ellas os homens da or-
lem, os amantes das inslitoigoes juradas.
Qualquer outro talvez nao conseguisse
fazer essa substituico ao som do estampi-
o das armas rebeldes da provincia vizinha,
que eram intimamente ligadas com os dcs-
gns'osos dota ; mas por tal geito se con-
luzio o hbil administrador, que conseguio
razo-la e noutralisar a actiiodosanarchis-
las, sem que elles poclessem bastear nesla
provincia ahandeira da rcvolta, elpoucos en-
rossaram ostensivamente as" llleiras rebel-
des de l'erniimbuco.
Entre os desgostos e mortificices de
sua tiabalhosa edifficil administraco, leve
o Exm. Sr. Vasconccllos de sofTrer os vene-
nosos tiros que a faceto Ihe desfexou, em
seu iminunlo e nauseativo pasquioi.
a Cerlsmente que no fnriamos entrar cm
conta de seus soll'rimentos o zumbido des-
so insecto, se nilo conhecessemos sua extre-
ma sensibilidade, que muito se choca va
eonaa ingralidiiodaquelles queem recom-
pensa do pilo que Ibes consorvava, sb ca-
pa, Ihcatassalhavama repulacflo ; e nilo o
fariamns entrar, porque conbecemos que
he um titulo futura reputacilo de S. Exc.
esse mesmo pasquim, que niiodexa duvi-
da da opposicilode ideias que o sepan da
inmunda Cuy fio que devasta o imperio.
l'nr entre as enea pelladas ondas, quede
tortas as partes aroeagavam traga-la.'s. Exc.
dirigi a provincia e tem o prazer de entre-
ga-la ao seu digno successor em paz, des-
assomhrada do sustos, c de ndicar-llie
quaes os homens capazos, por long* expe-
riencia, de auxilia-lo na conservaQiio dos
bens que principia a gozar ; assim como
do apiesenlar-llie alguns meios de defesa
no caso de aggresso, cuja falta tanto o a-
mesquinhou no principio de sua adminis-
tra cao.
Concluiremos dando os emboras ao
Exm. Sr. Vascoucellos pela sua administra-
cao, e dPsejando-lbe quo seus servicos nilo
liquem no olvido pelo goveino imperial.*
U citado peridico refere o seguiute em
seu numero 24; de 28 deste mez :
No da 19 s liberas da uoilo sahio
urna escolta de oitenla homens de primeira
linha e polica, ao mando do lente Fran-
cisco Jos iln osario, indo tamben! o dele-
gado desta cidadoe subdelegado de S.-Rita,
cm dirccciloaocngenho Espirito-Santo, pa-
ra capturar um grupo de assas>inos e rebel-
des, que all constava ncharom-so.onlreel-
les os famgerados Cuedes e Sanios Leal,
Antonio Joaquim e outros. Dado o varejo
no da seguintc ao engenio iienhuin dos in-
dicados foi encontrado ; porque se haviam
retirado as matU/s do mesmo engenho em
pequeo numero, donde sahiram na noite
do ia seguintc, tomando a estrada do
Pilar.
A escolta regressou o no engenho S.-
Andr um soldado de cavallaria policial foi
desarmado falsa f por um apaniguado
desle engenho, pelo que leve ell: de ser va-
rejado. A arma foi entregue no dia soguin-
tc por ordem de pessoa importante daquel-l
le engenho, que se iudignou com 13o repro-
No dia 20 clicgou i esta ciJade o prs-
tanlo coronel do Pilar Ismael da Cruz Gou-
veii em volta de Vatuba, e trouxe urna frga
maior do cem homens, nflo contando mu-
tos cidadilos importantes que escoltavsm
os seguintes rebebes, presos pela frca do
dito coronel na serra do L'russu.
Antonio Joaquim llcnriquoj ds Miran-
da, intitulado tonoiito-coronol comman-
danle da columna do norte; .Manuel Con
calves Wandcrley, intitulado lente; Ma-
noel llodriguos da &i I va ; Francisco Xavier
das Cnagas ; Francisco Antonio de Mello ; e
ram-secoma piosenca do recto administra^ mais tres rocrulas de perversas inclinarles
e procedimenlo.
Os rebeldes embarcaram no dia 23 para
l'crnainlineo no vapor do guerra 7 sim como o emissario Peregrino de tal Oli-
velra
Coiumunicado.
NCCBL06IA
LA LACRIMA DE SAUDADE EX-TIlEMA !
Ftos fuerant fuetut j florm fortuna fefellit \
Flonnttm [torem florida Flora fleat.
No excesso c na amargura da dr que mo
despedaca o coraeflo, nos xtasis profundos
que mo arrebatam a alma s mais eleva-
das regios do sentimentalismo, eu busco
e nlo encontr urna s lagrima que signifi-
que,una s expresslo em que cailia o golpe
tremondissimo com que a morte acaba de
ferir-me ... Sim, a morto feiio-me cruel-
mente na liarte mais sensitiva, porque ella
ferio de aniquilacilo o meu inestiaiavel
amigo, o eximio c sempre deplorado Per-
nambucano. o lllm. Sr. Fabio Velloso da'
Silveira.' Oh .'.... Na flor dos annos, naes-
taQo dos mais vividos folgares, na quadra
das mais rsoiihasesperencas, no periodo
emli n cm que a vida alardeia da vida, ei-lo
quo desapparece no sumido horizonte, qual
nuvemzinha levada pelos euros !... Fabio!
Seria a la existencia um sonho para mim ?
Ah nilo...'. <4le existi ; ainda hontem
rumorejam em meus o lvidos; sua sombra
veneranda ainda volteia em torno de mim...
Fabio !... Justos cos Que he do astro que
ainda ha pouco biilhava na iinmensidade
'lo espaco 1 Que profunda noite se aiode-
rou delle.'... Mundo! chimera lustrosa,
mar de arremcsses, labyrintho de enga-
os, o que sflo las realidades senfio me-
ros nadas, sendo meros phantasmas que se
iissipam, como o roci da manhSa ao luzir
do.planeta rei ? Oh Ilorrivol momentanei-
dade das cousas humanas fonle de lagri-
mas .'suspende o leu curso.. Phantasia! ce-
de o lugar a rasilo... Uaso curva-leaos
decretos da DivinJado.. Divindade.' for-
talece o meu espirito....
Agina audaciosa.eu seguirei teus vos!...
Rrasileiros, cscutai a histoiia do Fabio Per-
nambucano, em ludo rival do Fobio lio-
mano :
D urna alma cheia de vivacidade e anhi-
la uto de gloria ; --devorado do maisexces-
sivo amor da palra ; -- filho querido de um
futuro que risonho se Ihe antolhava, o meu
Ilustre amigo nilo podia ser indifferente
aos males da situaciio actual. As vi lira (Oes
patriolicas cm que turbilhonava sua alma
pululante o arrastavam sempre para a mais
ampia osphora de aclividade, e estes ins-
lnclos magnnimos produziram o seu rpi-
do e fatal passamento !
Apenas arrelienton nesta provincia a no-
gregada rebollio de novembro, o joven
ardento nilo trepidou em seguir a direila
de seu pai na defesa das instiiuiccs do paiz:
uessa crise do horrores praticou elle os
maiores prodigios de valor, valor tflo deno -
dado,quo (sem olTensa de seus manes) dege-
nerava algurnas vezes n'uma especie de le-
meridade !
Terminada essa lula de sangue, recolheu-
se o joven victorioso ao seu lar domestico,
e continuou nos estudos do quartoanno
inri lien, em que se achava matriculado.
Feito o seu acto acadmico, he senfio quan-
do reapparece odesgrenhado monstro da
guerra civil. Novo enlhusiasmo rele ve no
peilo do magnnimo, do intrpido mogo, e
para logo aspira a urna expansSo corres-:
poodento. Consulta a seu pai, se deve an-
da urna vez brandir a lenra espada em fa-
vor da patria, e.obtendoa resposla pela af-
lirinativa, pe em aclividade seu ardor pa-
tritico, oflerecendo-se voluiitariamenlo
ao Exm. Sr. presidente da provincia,o qual,
acceitando suas boas disposicOes, o enear
regou de vigiar sobre a fregueziada Escada,
em cuja commissflo so ellehouve com um
zelo superior i toda a expeclacHo, at que,
marchando aps um trogo de rebeldes que
dema ma vam cerlus engenhos que hilo sido
foco da rebelda, l encontrou resistencia,
para nilo dizer a morte Urna nuvem de pe-
louros, arremessada de emboscadas, como
he uso dos liberaes frairicidaa, corlou o
estame vital d# meu nclito..... oh! neste
tranco do angustias a penna refoge-mo da
nulo L purpuia a trra com seu sangue
no mais nobre dos empenhos !.... Bencitos
da patria, susurra! sobre a lousa do novo
Lenidas Moeidado pernaiiiliucaiia .' bene-
mrito corpo acadmico saud.n pela ulti-
ma vez aquello efluvio fulgurante, quo se
vai enlranliando pela immensida'oetherea...
Nem tanto luzio no co de Roma a alma de
Julio!
Enlictanto, mergulhado no pranto da'
saudade mais extrema, acompanho neste
mol.....lo o meu cordial amigo, oSr. coro-
nel Jos Pedro Velloso da Silveira, e sua
desolada familia nos amargores da dr in-
tensa, que Ihe deve ler prodazido a mora
de um lilho tilo querido.
Fabio! mieos....
Recife, 24 do Janeiro de 1850.
ioaquim finio d* Campoi.
IMPORTACA.
Pritellla, brca ingleza, vinds de Liver-
pool, entrada no correnle mez, consignada
a Johnston Patero; C.; minifestou o se-
guinte : "
4 calzas fazendas de algodSo, t dita miu-
dezas; a II. Cibson.
I caii| objeclos para escri; torio, a ditas
modda ; a N. 0. Biebor & C.
5 barricis misagras, 3 caitas e 3 barricas
forragens, 2 caixaa navalnas, 5 correntes, 1 :i
ancoras, 9 caxas metal amarollo, 1 birrica
cobre, t caixi vidros, 1 dita sellins, 15 (ai-
xas, 1 caixa bicose rendas de slgolflo, t
embrulho um livro, 1 barrica pregos; a S.
P. Johnston & C.
1 caixa ferragens; a E. II. Wyalt.
2 fardos fazendas de lila, 13 ditos dita de
algodSo ; a Russell Mellors & C.
6 barricas enxadas, 15 Tardos e 1 caixa
fazciidas de algodOo; a Fox Brothers &
Companhia.
30 tonelladas ferro em lingoado; a Star
& Companhia.
2 barris ago'ardente de Franga, t Caixa
queijos, 65 ditos, 1 caixa biscouto, i barri-
cas conservas, 3 ditas sal, 1 caixa mostar-
da, 3 saceos toucnho, 30 presuntos ; a R.
Coble
33 barricas enxadas, 40 embrulhos ps,
43 barricas prgos, 55 caxas cha. 6 ditas li-
abas de algodSo, I dita quincalharias, 31
barricas ferragens, I caixa sellins, i dita
couros, t dita fazendas de inho e algodflo,
3 fardos dita de dilo, 8 caixas e 3 fardos dila
ile algodflo, 1 fardo baeU, 1 dito fazendas
de algodSo e lila, i omlirulho cordas para
piano, 1 boifo hemances ; a C. Kenworlty
& Companhia.
I caixa livros e papel; a Adamson llowta
& Companhia.
t tonelada e 10 quinlaes ferro em barra
elengol; a Brandara Brandis & C
15 fardos Imitas, 3 hirricas arame.de la-
tilo, 100 embrulhos ps, 17 fardos I cai-
xas fazendas de algoJilo, 3 fardos ditas do
linlio 10 caixas linbas, I dita ferragens, 3
barricas ferragens, 5 caixas fazendas de
iinho, 1 ombrnlho papel e barbante, I ciixa
com um banco, 100 ditas l'ollias de Flan-
dres, 6 barricas ferro para engommar, 3 far-
dos fazendas de lila, l caixa rh ; a Jones
Patn & C.
5 fardos fazendas de algodSo; a J. Crab-
troe & C.
II caixas fazendas de algolilo, 1 dita dita
de lila ; a Rosas Braga & C.
34 caixas e 75 fardos f jzendas de algodflo,
26 barricas ferragens, 5 caixas fazendas de
Iinho, 15 ggos e 35 meios ditos louga, 4
caixas zincos, 150 barris manteiga; a Johns-
ton Patero; C.
7 barricas, 4 caixas e2 jarras drogas: a
V. Bravo & C.
1 caixa conservas; a 1. Ruder.
I caixa fazendas de algodflo, 1 barrica
ferragens, 300 fogareiros ; a Silva Barroca.
1 f'rdo fazendas de Iinho, t caixa dita
dito; a R. Jamcsou & 1.
Rapli, hrigiio sueco, vindo de Cdiz, en-
trado no correnle mez, consignado a Me.
Calmont & C, manifeslou O seguintc:
3.924 taboas ; aos meamos consgnanos.
Richard, brigue inglez, vindo de Liverpo-
ol, entra Jo no corrente mez, consignado a
J. Crabtree & C manifeslou o segu'nte
300 toneladas carvSo do pedra; aos
consignatarios.
liyi-imtiuM, patacho inglez, vindo de Li-
verpool, entrado no correnle mez, consig-
nado, a Johnston Pater& C, man festou o
seguintc :
30 gigos e80 meios ditos louga, 120 tone-
ladas carvilo de pedra, 109 fardos o 50 cai-
xas fazendas de algodSo, 1 dita e t fardo
lencos de olgodflo, a Johnston Paler&C.
400 barris plvora ; a Fox Brothers & C.
1 caita fazendas de Iinho, 2 ditas ditas
do algodSo ; a II. Cibson.
2 caixas cadargo de algodSo, 3 barricas
sellins, 4 ditas enxadas, 3 ditas ferragens,
1 caixa bandejas de papelflo, 27 ditas li-
nhas, 1 gigo conservas, SO tuixas fundidas,
18 ditas batidas ; a 8. P. Johnston & C.
Franee, barca tranceza, vinda deMarseil-
le, entrada no corrente mez, consignada a
B Lasserre k C, manifeslou o eegurnte :
100 pipas vinlio, 125 caixOs chumbo de
munigSo, 200 barricas bacalhao, 400 ditas
farinha. 300 balea papis de embrulho, 20
caixas papel, 416 tornos louga ordinaria, 10
caixas ago'ardente e licor ; ao capitflo.
t caixa objeclos religiosos : ao prefeilo
da Penha.
CONSOLADO CERAL.
RendimeQlO do dia 28.....5:403,530
Diversas provincias...... 113,436
5:516,956
CONSULADO PROVINCIAL.
Itendimeiilo do dia 2H.
2:752,318
>Iov ment
do Porto.
tO^Irrltntitf.
ALFANDECA.
Rend monto do dia 38.....14:660,003
Deicarregam Ao/'e 29.
Brigue Uir farinha.
Barca ingleza Uonarch ferro.
Brigue llapid taboado.
Barca franceza -- Ltonit mercadorias.
Brigue sueco Zefci taboado.
Brigue inglez Cynthia bacalhao.
Barca franceza Franee louga.
Barca franceza Jtune-Raymoni vinho.
Brigue bollsndez Pauline mercadorias.
Navios mirados no dia 38.
Pare poitos intermedios 15 das e4ho-
ras o do ultimo porto 13 horas,vapor bra-
sileiru Paraense, de 340 toneladas, com-
mandante o capitilo de fragata Manoel
Francisco da Costa Pereira, cquipagain
90. I'assageims: para esta provincia, Se-
li.isli.1o Cunes da Silva Uelfort.Brasih'iro;
Julin Azanzel, 1 'ranee?; 7 recrtas para
o exordio, Sabino Seralim ifa Silva, Jos
Correia dos Santo-,Joo Antonio de Arau-
jo Vascoucellos, Pedro Antonio Bernar-
dino, Jolo Ribeiro Vasconcalloi Pessoa,
Joaquim da Silva Coellio e um escravo,
bernardo Comes da Silva : para a Baha,
loSo Antonio do Vascoucellos e 3 escra-
vos: para o Rio-de-Janairo Mara Joa-
quina, Victoriano Augusto Borgas e um
csciavo, Manoel Mendos da Cruz Cui-
maifies, Antonio Mendes da Cruz Cui-
mariies, Francisco Joaquim deOliveira,
Cyrillo Dalennando Silveira, 3engajados
paia o exercilo e II rerrulas para a corte.
Liverpool 33das, brigue inglez .Suxaa,
de 163 toneladas, capitfioPelre Rongier,
cquipagem II, carga louga e mais gene-
ros; a Me. Calmont &C. NSoquiz ter
communicacSo com a trra e seguo para
osul.
Arucaty II dias, hiate brasleiro Duvidoso,
de 43 toneladas, capitSo Jos Joaquim
Alves da Silva, cquipagem 5, carga con-
ros salgados, sola e mais gneros ; a Jo-
s Manool Martina. I'assag- iro-, Manoel
Comes Chaves, Bcmvenuto Jos Pessoa de
Vasconccllos, Antonio Josquim Amando,


Lucio Ignacio do Nsscmenlo, JoSo Pedro
Umbosj, Brasileiros; e 2 oicravos a en-
trega r.
Ilio-Grande rioSul 37 dia], barca brasi-
i. ira Firmeta, de 21* toneladas, capilSo
Narciso Jos de Sanl'Anna, equipagem
16,carga carne; a Manocl Francisco da
Silva.
Navio lahiio no mismo dia.
Torio* do sul litigue inglez Sutan, eap-
tflo Potro Itongier, carga a mesma que
trouxe.
JBDITAL.
--Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, ae hno do arrematar em hasta
puhhca, portada mesma, no dia SO do
correte, depois do meio-dia, 2 reama de
papel pardo para embrulho, de 17 polega-
das, urna 2,500 rs., total 5,000 rs. ; 16 ca-
dernos de papel brinco de machina, por
1,730 rs.; apprehendidos pelo ajudante do
Ruarda-mr, a bordo da polaca sarja Ca-
tharina, na conformdade do art. 155 do ro-
gulamentq de 22 dejunho de 1836 : sendo
a arreinat;8o livre de direitos.
Alfandega do Pernainbuco. 28 de ja :c-
ro de 1850. O inspector, Lit Antonio it
Smmfaio Vinnna.
Iteclaraeoes.

O arsenal
de guerra preeisa de um
oincial de ierre i ro : a tratar com o ajudan-
te do director, no mpsnjo arsenal
-Oarsenel de guerra compra costados
de pao d oleo para o fabrico de suas ofllci-
nas :quem os liver para vender comprela
na sala da directora do mesmo arsenal,
com sin proposta em carta fechada, at o
dia 30 do correte mez.
Aula de obstetricia.
A matricula catar berta desde o pri-
meiro at o ultimo de Fevereiro: as licOes
priociplarlo no dia 15 do mesmo mez.
O vapor Paraeme recebo as
malas para os portos do sul
' boje urna hora da lar le as
correspondencias que vierem
depois dessa hora al s 2 pagarflo o porto
duplo.
Theatro deS.-Francisco.
Familia Berteaux. atlistas franceies, sb
a direcgilo da Sra. vinva Berteaux.
Estes artistas que vieram a esta capital,
dispnstos a darem alguna espectculos dos
mais divertidos e curiosos, encelarlo scus
trabalhoi hoje, 29 do correle, pela ma-
neira scguinte:
PR1GBAMMA.
Abertura do it per l aculo.
I'rimeira parte.
Grande danca de Corda lesa.
Iluitos pisaos executados pelo joven Gui-
Iherme.
Madamoisella Serafina executari alguns
p8Ssosdo vigor.
Mullos pasaos grotescos por Mr. Codan.
Exercicioa de cadeira por madenuisella
Berteaux.
Segunda parto.
0 carnaval de Venezs, ou a pyramide ra-
be por toda a companhia.
'Terceira parte.
A tranca hcspanhol, danca anti-pndal,
execulada sobre o scenario pelo Sr. Ber-
teau Cadet.
Quarla parte.
Os grupos fraucezea pelos tres rmaos
Berteaux.
Quinta parte.
Os jogos scarianos pelo Sr. Berteaux
Cadet, e os jovensGuilberme e Brema ni.
Sexta parle.
Soberbo pantomima de alucia em doos
actos.
Stima parte.
PosicOea plsticas, ou o quadro vivo
da paixSo de osso Senhor Jesua-Cliriato
em qualorze quadros por toda a familia
Berteaux.
ASra.viuv Berleaux previne o publico
do que nada poupara por cumprir seu de-
tor, e adquirir a eslima do mesmo publico.
Os precos. da entrada sflo os seguintos
I'rimeira ordem.
Camarotes de liento
* lado
Secunda ordem.
Camarotes de frente
> lado
Terceira ordem.
Camarotes de frente 5,000
lado 4,000
pareeerno consulado deHamhurgo, na rua
da Cruz, n *, quinta-feira, 31 do corrento,
ao meio-dia.
--Para a Babia sabe, na presente sema-
na, o brigue-escuna Laura: pode reeebBr
alguma carga miuda, ou passageiros: tra-
ta-se com o capullo a bordo, ou com No-
vaes & C., na ra do Trapiche, n, 34.
'ara Lisboa pretendo sabir com a niaior
breviilade 1 o-sivcl o brigue porfupuez No-
vo-Vencedor, por ler grande pule do seu
enrregamento prompto : para o restanlo e
passageiros, para o que offorooe oxcellentes
commodos, trata-se com os consignatarios,
Tbuinaz do Aquino Fonseca & Filbo; na
ra do Vigario, n. 19, primeiro andar, ou ao
capiiao, na praca do Commercio.
Para I.oanda com escala por Mossaniedcse
Benguella
a barca brasileira Tntativa-Felis segu para
todos estes portos, ese acha prompta a re-
ceber carga e passageiros': as comtnodida-
desquea mesma olerece, j silo bastante
conhecidas nesla praga, e para molhor des-
engao os prclendentes poder fo ir a bo'do
da mesma que se acha Tundeada defronte
do Trapiche-Novo, e para tratar, na ra da
Madre-de-Deos, n. 3, com Silva & Grillo,
que prcleiidem faze-la seguir at o fim do
fevereira prximo futuro.
Para o Aiacaty pretende sabir em pou-
icosdias a sumaca Carlota, por so adiar
com tres partes da carga a bordo para o
restante da carga o passageiros trata-st
com o mestro, Jos Concalves Simas, ou
com Luiz Jos ;de S Araujo, ra da Cruz,
n. 33.
--Compra-so um navio, patacho, brigue
ou polaca, sendo de boa construc^lo e
prompto a seguir viagem, devendo carre-
gar para cima de 2,500 saceos, e que nao
demando mais do 15 pairos pouco mais
ou menos : a tralar ao lado do Cnipo San-
to, loja de cabos, de Miguel Autonio da Cos-
ta e Silva.
- Para o Itio-de-Janeiro partir, com
muita brevidade, o patacho brasileiro l'w-
luna, de lole de seis mil arrobas : te-m nie-
lado de sou carregamento engajado : para
o restante trata-s com Firmino Jos Flix
da Rosa ,-na ruadaSenzalla, n. 42.
-- Para a ilha de S.-Miguel segu via-
gem com brevidade por ter parte de seu
carregamento prompto, o brigue nacional
Kspirilo-Santo, capitiio Alexandre Jos Al-
ves : para carga e passageiros, trata-so com
Francisco Martins Ferrera, no largo do
Torco, n. 139.
'3
Loilu
eiloes.
7,000
5,000
11,000
6,000
Plateia 1,000 is. Varanda 500 ra
' "' "I .1 .. .un
Kcparlicao da policia.
Illm. e Exm. Sr.--ll.,s partes que mo f-
r.im hoje dirigidas, corista terem sido hon-
tem presos: ordem do delegado do
primeiro districto deste termo, Manuel Ma-
ximiano da Silva c Bazilio Bernardo Itibei-
10, sem que so me tivessi declarado o mo-
tivo : do subedelgado da freguezia de
S.-Frei-Pedro-Goncalvez do liedle, o Fran-
cez p. Clraal, por assim o haver roquisita-
do o respectivo cnsul.
Por ofllcio do delegado do termo de Po-
d'Alho, sb a data da 22 do corrente, foi
me communicado que, no dia primeiro des
te mismo mez, na malta de S.-Jon, bavia
sido aasassinado Jos Paulo, sendo que at
agora senflo leuha podido descubrir o aulor
de scmelbante attentado; assim como que,
110 (lia 6 do dizembro ultimo, Bernardo
Jos Diaa ferira levemente a JoSo da Sil-
veira Oulra, por ter este intentado urna
queixa contra elle, por crime de furto de
CBVtlUlS.
l)eos guarde a V. Exc. Secretaria da
policia de Pernambuco, 26 de Janeiro de
1850 Illm. e Exm. Sr. Honorio llcrmto
Carnoiro Leao, concellieiro de estado, pre-
sidente desta provincia. Jote Nicolao He-
gueira Costa, chefe de policia interino.
Avisos martimos.
Precisa-sede um navio para carregar
185 caixas, 3 feixos e 104 saceos com assu-
car, e 30 couros para Falmouth, para rece-
ber ordem, e vinel do Maroim na galiota
hamburgueza Carl-Adolph, capilao N. F ick,
anibada a este porto, e legalmenlo con-
demnada : os pretendeiites queiram com-
-- Kalkmann Irmilos fario leildo, por in-
lervenclodu corretor Oliveira, de grande
sortimento do fazendas islezas, francezas,
mistase allemilas, propiias do mercado:
terca-feira, 29 do corrente, s 10 horas da
manlia, no seu armazn) da ra da Cruz.
James Crabtree & C, farao lelo, por
intervenido do corretor Oliveira, de glan-
de sortimenlo de fazendas inglezas, pro-
prias do merca lo : quarta-foira. 30 no cor-
rente, s 10 horas da mandila em ponto, no
seu armazem da ra da Cruz.
Quarla-feira, 30 do corrente, ha ver
leilflo, por conta de quem pertencer, de 1C
caixas de 50 queijos cada urna, e 100 quei-
jes pratos : ludo em lotes a vontade dos
compradores : no caes da Alfandega, s 11
horas da manhaa.
- N O. Bieber & Companhia f*ro leilflo,
por interven?io do correlor Oliveira, coi
presenca do Sr. cnsul de Hamburgo, e por
fonta e risco de quem pertencer, da galiota
hamburgueza Carl-Adolph, capilo N. Fick
arribada a este porlo, onde foi legalmcnle
condemnada, na sua recente viagem proce-
dente de Maroim com deslino bo Canal In-
glez, para onde segua como seu carrega-
mento do assucar: sezta-feira, 1.' de feve-
reiro, ao meio-dia em ponto, porta da as-
sociacSo commercial desta cidude. Adver-
te-se que o casco da dita galera, sua mas-
IrracSo e apparelbo completo, tal qual se
acha actualmente fundeada neste porto,
defronte do Trapiche-Novo, onde os preten-
leoles pJeni examina-la com anticipadlo,
formarilo um nico lote, e dito correlor
igualmente mostrara o respectivo invenla-
1 io aquellas, que em seu escriptorio quize-
rem v-|o, para seu governo.
execuQtlooe Jo.lo Keller Q. contra a viu-
va Cunha Gulmir5es, n*crivai) S mos.
DOo-so 450,0.10 rs. a premio com pe-
nhores, ou com lirni's a contento, variando
o premio de una oulra traiisacc5o, pelo
lempo que se conveneionar na rua Augus-
ta, sobrado junto ao major Kellcr, do 111a-
nh5a ou a tardo.
-- Precisa-sc alugar un moleque, men-
snlmenlo, para trabalhar nesta cidade com
um cavallo o um prcto canociro : na tra-
vessa da matriz de S.-Antonio, n. 10.
Roga-so a quem for dono do um caci-
to que fui tomado para una diligencia, na
segunda-feira, 21 do corrente, haja de pro-
curar 110 quartel do sogundo batalbao de
fuzileiros, que, dando os signaos, Ihe ser
entregue.
Francisco Paulino Cabra!, I'orluguez,
relira-se para Lisboa.
Na obra do hospital I). Pedro II, no lu-
gar dos Coelbos, precisa-se de servonies
forros ou captivos a tralar na mesma obra
com o administrador.
--Precisa-se alugar urna preta que lave,
engorame e faca todo o mais servido de
una caza, tanto interno cono externo : na
rua Imperial, as Cutcu-Pontas, sobrado
do Peixoto.
Aluga-seum andar do sobrado da rua
da Penhs, ou o primeiro ou o segundo an-
dar, conforme o prelendente quizer : a tra-
tar na rua do Cabug, n. I, luja de Guima-
Avisos diversos.
-- O professor de latim da freguezia de
San-Jos do Recife, nbaixo assignado, laz
sciente ao publico que dar comeco ao
exercico da aula-de grammalica latinada
mencionada freguezia no dia primeiro de
revoreiro prximo fuluro : quem se qui-
zer matricular, dirija-se rua Augusta,
n. 54. Uanoet Francisco Cutlhu.
Quem precisar de uina ama de Icitc, a
qual nao leni lillios, te ni ptimo leile e he
muito sadia, dirija-ie rua da Roda, no so-
brado onde estiveram os exposlos, na luja
junta a escad.
Acha-se competentemente habilitado
para ensinar primeiras leltras e grammali-
ca latina, um 11101,0, o qual ensina em casas
particulares, por preco commodo : quem
pretender dirija-ss rua do Aragao, 11. 19,
que adiar com quem tratar.
O Sr Jos Policarpode Freilas leuha a
bonJade de apparecer na casa do Novaea &
Comianhia, na rua do Trapiche-Novo,
n. 31
Precisa-se aluger um preta cozinbei-
ra para urna casa esliangoira sem familia;
na rua do Vigario, n. 4.
--Opiofessor de rbetorica do collegio
das artes avisa a quem couvier que esta
abcrla a matricula ; e que ss pessoss que
quizerem frequenlar o anuo lictivo, devem
comparecer inscrever-se, na rua de Ala
Ibias-Ferreira, sobrado confronto a igieja
de S.-Pedro-Novo, em lodos os das uleis.
No botiquim da Cova da On(a, rua
do Rozario larga, 11. 34, precisa-se de un.
moleque ou piulo para o servido do mes-
mo, ficando o senhor ou seuhora responsa-
veis pelo mesmo.
-Quem precisar de urna ama do leite
dirija-se rua Direila, n. 89.
--Jos Vorissimo de Azevedo desej fal-
lar com Sr. Dr. Vascurado a negocio do sou
atrrate.
No dia 30 do corrente, na praca do jui
zo municipal da segunda vara, pelas 4 lio
ras da tarde, na rua Nova, se nao do arre- nade 137,121 rs. saldo da sua leltra que
matar 4 escravos de auibc* os sexos, poi[ aceitou oodia 28demarco de 1839 ; docon-
Alugam-se escravas quitandeiras : na
rua do Collegio, n. 13, das 10 horas da ma-
ullan s 3 da larda.
Trapassam-s>! as chaves do armazem
de urna s porta da casa da rua da Praia,
n. 31 com todos os seus pertences, pro-
prio para principiante : a tratar na mesma
rua, n. 26.
~ Nos abaixo'assignados fazemos scien-
te ao respeitavel publico que Manoel Jos
da Silva Cu i ma riles deixou de ser nosso
caixeiro dpsleo da 23 do corrente, e por
isso asta desonerado dos serviros de casa e
de rua Victorino & Guimarei.
Traspassa-se o arremlameiito de um
engenbo fieito desta pra^a, com safra para
900 a 1,000 piles, 20 animaes de roda e 8
bois mansos : quem pretender entenda-se
com Joaquim Carneiro Machado Rios.
--Precisa se alugar urna preta que saib
lavar, engommar e coser, para urna casa
cstrangeira : na rua do Torres, n. 34, das
11 horas al s 3 da tarde. Na mesma casa
tamben) se precisa alugar um prclo que
entenda do servico interno, c saibs tralar
de cavallos.
Aluga-so um silio com osa grande,
que leuha commodos para grande familia,
e que leuha porlilo fechado : piel'erc-su do
Mondego al a Ponle-dc-Ucha : a pessoa
que o tiver, dirija-se o Aterro-da-Boa-
Vista, n. 45.
Quem precisar de urna ama para o ser-
vico de urna casa, dirija-se rua Dircila,
n. 29, primeiro andar.
Francisco, de na(5o Costa, liberto, rs-
cravo que foi de Gregorio Antones do li-
voira, relira-se para a Babia.
Fernando Joaquim de Mesquila Man-
riques, Portuguez, relira-se para fora do
imperio.
Prccis-se de um moco de 12 a 18 an-
nos, que tenha pratica do venla e de Mador
sua conduela : na rua Augusta, n. I.
Precisa-so de urna ama de boa conduc-
ta para cozmhar em casa do um homem
solleiro : na rua da Cruz, no Recife, n. 49,
loja.
Una parda moga o robusta se offere-
ce para lodo o servico interno do qualqncr
casa :quem a pretender dirija-se rua da
Scnzalla-Mova, n. 18, loja.
Aluga-seum moleque para o servico
de urna casa, o qual sube coznliar o diario
da mesma : quem o pretender dirija-se
puen da Independencia, 11. 3, loja.
Ao publico.
furiaram, ou fugiramdo eslaleirodo Sr.
Joilo do Rrito Crrela, defronte da ribeira,
5 paos do jangada embonados, com gros
sura de Ires e meio a 4 palmos : quem
delles der noticia, dirija-se a mesma rua,
serrarla do Cardial, que recompensar. Na j
mesma serrara vendem-se pedras para fil-
trar agua : traste este mui necessano para
as agoas do encanainento.
--Offercce-so um uaixeiro para padaria,
do que ja leve platica, de idade de 12 ali-
os, e que d iladur a sua conduele : quem
precisar dirija-se a rua da Senzalla-Vclha,
n. 96.
Aluga-se o segundo andar da casa, n.
72, da rua do ftangel, confronte a botica,
com bous commodos para familia : na rua
da Cadeia do Recife, 11. 48, terceiro andar.
Aluga-se a excellentc casa perlcncen-
te ao Exm. Manoel de Carvalho Paes de
Audrade, sita dentro du sitio do mesmo
Exm. Sr. no Corredor-do-Rispo : os pre-
lendi ules dirijam-se ao correlor Oliveira.
m ;!
S Modo asseiado c econmico
i para ahimior una sala.
m lio reconliecido que o gaz hydroge- p
fneo liquido d todos os combustives ijj
queseempregaram at boje 1 ara alu- j
miar-se, heo mais econmico, mais '\
8 asseiado, e que d a luz mais brl-
f| litante. Os arraigos dos caudieiros S?
4. de gaz sflo mui simples, e nilo se en- W
fi'uniran nuiles os incunvenieiiles :.,
quo a cada instante apresentum os ile ;j
ii; azeite, 'Os ama.lores do gaz acharilo >:
Iji semprecm quanlidade sulllcienle, *\ ;;
H de boa qualldade, na deslilacSo fran- r,<
M ceza da iravessa da Concordia. !g
9$ I
tioaiis&BWKmm wwwttmmmm
Mrecisa-se de um caixeiro de 20 anuos
do idade para lomar cunta de um deposito
de bolacha por balando, afianzando sua
conduela : na rua da Florentina, n. 3.
Aluga-se o segundo andar da casa n.
24, sita noAlerro-ua-Boa-Visla : a tratar no
mesmo Aterro, loja do fazendas, n. 18.
Afobilias (ic aluguel.
Alugam-so cadeiras para bailes e oflicios ;
tambeni se alugam mobilias a vontade dos
pretend'entes : na rua Nova, 11. 59, arma-
zem de trastes, defronte da rua de S.-
Amaro.
--Roga-se ao Sr. Dr. A. J. do S. G. que
queira ler a bondade de ir na loja de fazen-
das da na do Passeio, 11. 21, pagar a quan-
trrio, lora de ver osen nome por extenso
nesta fiijha at que embolrc a dita quantia.
OSr. TlieoJoro Tavaros Jnior queira
ler a bondade do ir na loja do fazendas da
rua do Passeio, n. I, pagar a quantia de
39,681 rs., sallo da sua lellrn quo aceitn
110 dia 17 de selembro do 1836 ; do contra-
rio, lera de ver o seu nomo at quo pague a
dita 1 -j : 1 ..
O padre Francisco Joilo de Azcved
participa aos pais de scus alumnos o a
quem convier, que se acbam iberias asau-
ado leu estabelecinicnlo nosegundo so-
bra cebe pensionistas e meios pensionistas,
prometiendo desvelar-so no tratamento dos
alumnos quo foro 111 confiados a sua direc-
cSo, o promover o adianlamento dos mes-
los.
-- No Aterro-da-Roa-Visla, n. I, precisa-
se do urna preta para o servico de C3sa.
--Precisa-se de una preta captiva para
ama do nina casa eslrangcira, quo saiba
encaramar 1 amado Trapicho, armazem
n.44
A refinaria franceza da rua da Concor-
dia precisa de tres escravos possanles para
trabalbarem na mesma.
--Aluga-se um sobrado da um ailar,
com commodos para giando familia, bom
quintal e Cacimba, sito na rua das Trin-
cheras : quem o pretender alugar, fallo na
rua da Cadeia do Recife, defionlo do Boc-
eo-Largo, n. 25. *
No dia 31 do corrente, depois da audi-
encia do juiz dos orphilos, tenido ser ar-
rematada, a requerimento da vinva de Luiz
Ignacio llibeiro Roma, a l.ija do Irnos e ai-
macilo, sita no largo do Collegio, n. 2, 110
valor de 7:797,890 rs. para pagamento dos
credores do seu casal : os licitantes comp-
rela m na dita loja no dia indicado
Na rua da Cadeia-Velha do Recife, n.
51, segundo andar, ciisina-se latim, rhelo-
rica e philosuphia, com Indo desvelo o per-
feiffio, por pesaoa dealgum uierecimeuto,
que so offe.cco a quem queira.
Mallias SiniU lelira-se pora Europa
com suamulber u d nis lilhos.
-- Jos Cypriano de Moraes Lima embar-
ca para o Rio-de-Janeiro o seu escravu Eva-
risto, crioulo.
Callos l laiuo Ticsse, fabricanle
de igaos e realejos, na na das
Flores, n. 19
Avisa o respeitavel publico que concerla
orgilos o realejos, pOe marchas modernas
deslc pai/, concerla planos, saratina, cai-
xas de msica, ncordons o qualqucr instru-
mento quo i.ppaieca ; lambeiii faz obras no-
vas o alia planos em casas particulares. Na
mesma casa so fazem caixas para guardar
joias. por 1 ri-Qu commodo.
oiopras.
conta : quem o pretender, dirja-
se roa o Crespo, n. 9, qtie se
lliedarao as infornucojs precisas.
.Na rua estreitado Itozario, 11. 4. ven-
dem-se, por prego commodo, os seguintes
livros: r>iscripgiIod:i cidade do Porto, 1 v. ;
Diccionario jurdico de l'ereira o Souza;
dito portuguez de Constancio ; Compendio
degeographia da Casado Oiraldes, 1 v. ;
T. Livio, C v. ; Ovidio, 4 v.; Montesquieu, 2
v. ; Manual oncylopodico, 1 v. ; Philoso-
phiadeCousin Charnea Damiron e Ge-
ruzcz ; Diccionario potico, 1 v. ; Brasilia-
da, I v. ; Biblia sagrada, I v.; Drcito pu-
blico, das gentes, do liomem e Anglais de
varios autores ; Oedueo chronologica, 5
v.; Feliz indepcndcnlo, 2 v. ; Historia da
iiiquisic,o, I v.; Quadros histricos do
Portugal, por Castillio, com ricas estampas,
1 v.; una porgSo de livros em inglez quo
tratam de re 1 giO, commercio. lilteralura
o navegaijilo, por muito diminuto prego.
la 111 do Collfgio, 11. 9.
L0TKI\lASDnlO-DE-
JANlilBO.
\os '20:000,000 res.
Pelo vapor Imperador, sabido do Rio-de-
Janeiro em lodo corrente, vieram bilhetes
e cautelas das seguintes loteras :
i .a de San-Joilo-d'ia-llei (a exlrahir em 19
do corrente : o 2 de N -S.-da-Gloria ( a ox-
trabirem 31 do corrente ).
Pelo mesmo vapor cliegoii a lista da 12
lotera do theatro do Niclhcroy, da qual le-
vo a toja da rua do Collegio, n. 9, a fortuna
de venderos seguintes premios gran les :
3484 10:0110,000
:.3i:i :000,0.i0
5398 1 :OUO,000
SfiSI 200.000
375 100,000
2178 100.0(10
5137 100,000 f
e mais demetade dos billiotes e cautelas
que vendeu, com premios de 40 e 20,000
N. II Os premios do t :000,000 rs., o
dahi psra cima, eslilo subjoilos ao imposto
de 8 por eento para o estado.
Iguala culo soll'reni um descont rasia-
vel ( em beneficio do vendedor ) para despe-
tadecobranca os premios do 100,000 rs ,
o da1.i para rima, como ha muito so dccla-
rou em um impresso quo esl patente na
porta'da mesma loja.
Farinha Fonlana.
Vcnde-sc a mais superior lari-
nlia fonlana que leni viudo a e>le
mercado, dictada ullitnamcnle :
a tratar com Manoel da Silva San-
Ios, "no-armazem do Annes, no
caes da Alfandega,
-- Vende-ae parle de urna casa terrea.
sila no lugar do Tere.', a qual rende 14,000
rs. mansaes, tem lioni commodos, e he
bastante larga : vemle-sa tainhom a parle
-- Compram-so esciavos de ambos os se-
xos, de 10 a 10 anuos : payam-se bem : no
pateo do Carmo, n. 18, primeiro andar.
Compra-se toda a qualids-
dc do trastes usados, o lambem se troca mi de oulra casa terrea com WtOo todo cor-
por noyos: na rua Nova, armazem de tras-1 "ido desde a frente at o fundo da casa, e
les, defronte da rua de Santo-Amaro, n. 59.1 one lambom rende 14,000 rs. mansaes, com
-- Conipra-secalg.dofeilo na Ierra, para'jan ellas na fenlo cuvidracadas, tanto no
hrnem, san hora o monillos, de todas ,s snl.lii runoa casa, n.> principio do Aterro
qualidades: defronte do niso do Corpo- ,la r"" Imperial : os preten lentes dirijam-
Santo, na loja nova sita na esquina da Ira- ! vessa que vai par a rua do Vigario. NalrP',a. sobrado ile um andar, defronte da
mesma loja se vendo a rclallio sola, mar-botica, que est autoiisadoa faier todo o
roquins, bezerro, couro de lustro, couros
de cabra em branco c tintos,e to los os mais
picparos para o oflicio di sapaleiro.
-- Compra-se una rasa tciroi para pe-
quea familia, com quintal e cacimba, c
quo 11.I0 soja muito distante da rua do l.i-
vraiiiento, cujo prego nao exceda do 800^:
no Aler.'o-da-Boi-Vista, 11. 36. primeiro an-
dar, de mantilla sudo ou a tardo, ou aiiiiuu-
cie.
Compra-seo Diccionario inglez rio
Vieira, em formato grande; Historia ro-|
mana em inglez ror Goldsinilh ; a polka,'
nmeiicana copiada para piano : na praga do
Corpo-Santo, 11. 2.
VeiiS.s.
Lotera do tio-dc-
Janeiro.
A os 0:000,000 de rs.
\'a praga da Independencia, n. 4, ven-
.dem-se bilhetes, meios, quarlns, oitvose
vigsimos da priineira lotera da Miscricor-
negocio.

<-:
1
e
m
46
a

i
v?
:>
^> Para colirlr mesas,
? Vctn!e-sc, na loja de clia-
i> pcos (le Joiquim de Olivei-
ra Maia, oleados pintados,
de riros pndics, (le diver-
>as larguras, excorenles pa-
ra courir mesas, bancas,
conimodas, etc., a 3,000 rs.
o cov^do.
->
>
>
>
ss-
;>
m-
*ftftftAAaAftA*Aas
Ven em-so, na rua do Crespo", n. 11,
os seguintes livros para as aulas: Dicionano
portuguez, rranccze inglez j l dito do pro-
nuncia ; Atlas do Simencourt; 1 Dicciona-
rio brasileiro, com seu atlas, 2 v. ; Eserip-
turas sagradas, novas ; llorado ; Tito l.ivio;
Virgilio; Saluslio; Cornelio*; Fbulas; No-
vo metbodo; Slnlaxe do Dantrsj Cicero ;
dia duSan-Joiio. Na mesma loja se mostra I Ovidio; grammalica latina ; dita portugue-
, c tam- *" : EotropiOj Selecta; His
a lisia da 12.' loleria do .Nictberoy.
bem se recebem bilhetes premiados em tro-
ca dos qnolciii avena.
Vendem-se 20 escravos. sendo: 2 es-
cravos caireiros; 6 ditos do 10 a 21 anuos ;
2 lindas negiinhasde nagflo, do II minos ;
2mulatinliosde 18 anuos, sendo um delle.s
ptimo bolieiro; 8 escravos mogos : na rua
Direita, 11 3.
Vcnde-se urna corrento para senhora,
me.lalhas, annel 'S, cordes, brincos, 2 re-
logios, e outras obras de ouro, um par de
castigaes de prata. o outras oblas de prnta :
na rua eslrcla .ioKozaro, n 28, segundo
andar. Na mesma casa su dir quem d di-
nbeiro a piemio.
Na rua Nova, n. 18, loja de M, A. C'j,
vendem-se casacas ilc panno fino de diflV-
rcnlcs cores e qualidades ; sobre-casacas
de panna o merino ; palitos de todas as
quididades); jaquelas de panno, merino, ris-
cado trances a de brlm ; caigas de lo las as
qualidades; ricos col leles para bailes e
CBsainenlos, de difTerentes qualidades : cha-
peos de seda (raneetOS; suspensorios; lon-
gos para grvala ; um snrlimenlo do Caren-
cias para qualqucr obia de eiicommenda,
consislindoem pannos linos do dilTerentes
qualidades; casimira e meia dita preta c
decores, pTOBfrsS para palitos o gongas;
brins, e oulras multas fazendas: lamhem
se vendem ellees para meninos de 8 a 10
annos, a 1,000 is. ; casacas lora da moda, a
12,000 rs. ditas de panno lino a 18,000 rs.
Vende se um sitio na entra-
da da Lslrada-Nova, na .Magda-
lena, com una excellentc casa Ier-
re com muito Lons commodos :
o silio est bem plantado e ole-
rece lodas as vanlagenspara quem
liver bom goslo : negocia-se em
stora sagada
Fbulas de La Fontaine ; Talemaco ; Gram-
malica franceza Tlieoncae pratica; Elo-
qoencia nacional ; Chames, memorias His-
tricas, novas, 4 v. ; Systema social ; Car-
valho, historia da theologia; Historiado
Brasil; ttestre Inglez 1 Gramntatica dita;
Grammalica de Seveno : estas obras sj ven-
dem 25 a 30 por cento mais burato do que
em oulra qualquer parte.
$Q94?009990999Q9$
o
o
Na loja do sobrado amarello nos
q quatro-canlos da rua do Quoimado,
Xj n. 29, vcnde-se, por pregos rasoa-
r^. veis, sarjide seda preta, a verda-
^j deira bespanliola, Laven lo varias
^ qual ludes para so escoiher; selim
,f i reto do Maco, muito oncorpado,
'% lustroso e sem gomma, pro'prio para
* vestido de senhora; lindos los pro-
"} tos bordados de soda o com lindos
3 desenhos, fazenda superior; meias
'O do se I do poso; um completo sor- &
<> tmenlo de pannos pretos finos, pro- O
55 ya ds limBo, havendo urna qualida- ?
Q do quo le o mais lino que aqu tem Q>
Q apparerido ; casimira preta clstica O
j do diversas qualidades ; selim preto y
r\ de Macso, muito superior ; chapeos q
\ francezes de superior qualidade o da q
,' ultima moda ; e outras fazendas li- ^
q as: ludo por prego de agradar ao ^
% comprador. -,
Vendc-so cxcellcoto bolacha do pri-
meira, segunda e teiceira qualidade, sendo
da 1.a por 3,800 res a arroba, da segunda
por 3,520 rs. e da terceira por 3,200 rs. ca
llOrs. por libra, sondo todas de massas em
proporgilo : na padaria da rua dos Quarteis
de polica, n, 18, oudeachaiflo com quem
tralar,


N
Vendem-sc, ou alugam-se por lodo o
preco vestuarios para o entrado, ou masca-
rados : na ra das Cruzes, n. 28, venda.
Batatas.
Vendem-se batatas a i,poo ra.
a arroba : no armazet da ra do
Azeite-de-Peixe, n. i4> defronle
daMadre-de-Deos. ,
Vendem-se bons quoijos londrinos,
ditos de prato muito fresases e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
l're, ditos porluguezes para panella, Utas
coni 2e* libras de marmelada, ditas com
bolachioha de I isba, ditas de sardnha, di-
tas com hervillias, frascos com conservas
inglezas, queijos de qualha viudos do Cea-
r, por barato preco, mantas de toucinho
inglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauma,o
outros muilos gneros de boa qualidade
a nrua da Cruz, no Recifo, n. 46.
Cortes de cassa para ves-
tidos com 16 covados
por 5,800 rs.
Vendem-se corles de cassa para vestidos,
com 16 covados, a 3,500 rs.; ditos com 8
covados, a 1,760 rs. ; peras de cambraia li-
sas com oilo varas e meia, a 2,720 rs.; pan-
no de lii-ho mullo fino, a 480 rs. a vara : na
ra do Crespo, loja da esquina que volla
p8ra a cadeia.
Taixas para engenho.
Na fiiiuriio de ferro da ra do Brum,
iraba-se de receber um completo sorlimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por preco rom-
modo e com promptidSo embarcam-se
cu caricfiam-seem carrossem despezas ao
comprador.
AGENCIA
da fundico Low-lfoor,
RA DA SKNZALTA-KOVA, K. 4^.
Neste estabelecimento conti-
na a havemm completo serti-
menlo de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
.vapor, e taclias de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
Deposlo da fabrica de
Todos-os-Santos na Rabia
Vcnde-se em casa de (t. O. Iiieber & C.
a ra da Cmz, P. 4, aleodSo trancado
aquella fabrica, mnito proprio para saceos
fe assucar e roupa de escravos.
Cha hrasileiro.
Vende-serba 11 asilciro noarmazenVde
molbados, airas do forro-Sanio, n. fifi, o
maisexcellcrite rbn prodii7do em S.-Pau-
*\, que lem vindo a este mercado por
reco muito commodo.
Mtiendas superiores.
Na fundicSo de C. Slarr A fompanhiaf,
cm S.-Amaro acham-se venda iroendas
de raima, 'odas de ferro, de um modelo e
conslruciio muito superior.
4cs fumantes de bom gosto.
Noarmazem de molbados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Flix, e de nutras umitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em oulra qualquer paite : bem como
ciparrilhos tiespanhes ditos de pal ha de
milho, que se esto vendendo pelo diminu-
to prc?o de 500 rs. o cento.
Corles de brim de cores
com lis tras a o lado, a
I.SftOrs.
Vcoden-se corles de brim de cores com
listrasao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
godSo americano, proprio para escravos, a
140 rs. o covado : na ra do Crespo, loja da
esquina que volta para a eadeia.
Tecidos de algodao Ir air-
eado da fabrica de To-
dos-os*Santos.
Na rua da Cadeia, o. >,
vendem-se por atacado duas qualidades
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Ruarles de furia-cor es a
2 cado monstro a 220 rs.
Vendc-se zuarle de furta-cres, muito
eneoipado e com 4 palmos de largura, pro-
prio | ai a escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na rua Volla nai; a cadeia.
Vendc-se urna parte dos sobrados de
tres andares, ns. 14 e 16, siles na esquina
da rua da Cadeia, defronle do thealro de
San-Francisco: a falla rno primeiro andar
dos ditos, com Joaqun Teixeia I'eixoto.
Vendc-c iarinha de
Vendem-se cortes de cambraia de co-
res, pelo barato preco de 2,000, 2,500, 3,000
3,500 e 4,000 rs.; cambraia de sed, a 3/
rs. : meias para meninas, a 160 rs.; Ifla
com listras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
zinha propria para roupa de meninos e ves-
tidos de senhora, a 240 rs.; lila superior pa-
ra calcas, a 500 e 600 rs.; lencos de algo-
dSo e seda rom franja, a 600 rs. ; crt s de
collete de velludo, a 1,600 e 2,500 rs.; cas-
sa-chit, a 400 rs a vara ; garca de seda, a
500 rs. o covado; cambraia de seda,a 560 rs.
o covado e outrs umitas fazendas por
barato preco : na rua do Crespo, n. 15, loja
de Joaquim de OliveiraJMaya Jnior.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molbados
atrs do Corpo-SaDlo, n. 66, por preco com-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e aliirarem mais que as de espermacete,
e nSo fazerem morrSo.
Aviso importante
Beneficio publico.
O armazem antigo da rua da Madre-de-
leos, n. 36, est de novo estabelecido de-
baixo das mesmas condi^Oes, ofTerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada-a de vinho hranco de Lis-
boa por220rs a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de liordeaux por 160 rs. a
carrafa levando o casco. NSo se admiiem
os ficguezes do balso preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprielario querer sustentar o antigo pre-
(o, embora este genero tenha subido o me-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examinem os
amantes a qualidade para reconhecimento
da verdade e continuacHo da antiga fregue-
zia. E para nSo haver usuras, esiSopromp-
tas garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barra de diversos ta-
manhos para piovisSo do prximo Natal.
0 proprielario conta com a concurrencia ;
do contrario, tornarSo os precos do rcta-
llio a primitiva de 240e 280rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende-se mnito nova potasse,
de boa qualidade, em barriszinhoc
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
lempo se nao vende : nc itecife,
rua da Cadeia, armazem n. 12.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Farinba de mandioca.
Na ruado Queimado, n. 14, loja de fer-|
ragens, anda lia algumas saecas da boa
farinba de mandioca, minio alva e bem tor-
rada ; bem como una porcSo de peonas de
cma, proprias paia espanadores.
Vende-se vinho do Porto muito supe-
rior, em barril de quarlo e quinto ; fariulia
de trigo de todas as qualiilades e em meias
barricas; retroz do Porto, irluieira quali-
dade : panno e meias de linho ; arcos para
barricas ; fariuha de mandioca em sacras
grandes e a garncl a bordo da sumaca H.
S.-d na rua do Vignrio, 11. 11, primeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunta. *
1 ,11 nba de
Novo sor timen to de fa-
zendas baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao p
do lampea1*.
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padres, cores lilas e com 4 palmos
' largura, pelo barato preco de 320 rs. o
Chegaram novamenle rueda Sen-' c.lo, proprios para armazem de assucar : j Vendem-se as seguintes obras em
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata no paleo da matriz de S.-Antonio, se dir muito bom uso :
latente inglez, para homem e senhora. quom vende. I Novo tratado de medicina e cirurgia do-
- Vendem-se 500 barricas do fariuha, va- mestica adaptado a intelligencia de todas
zias, em perfoito estado eentre estas exis- as classes do povo, com os ailigos espeds
lem 200 que fram de farinba franceza, as sobre as molestias epidmicas, cholera,
quaes se venderSo por 390 rs. cada urna, e febrese tiphoides, coin 64 estampas,
sendo todas se far todo o negocio, alm de
desoecupar-se o logar del las na rua larga
do Rozario, padar* n. 18.
Na rua da Cruz, armazem, n. 33, de S
Araujo ha para vender um restante de frascos
de rapde l.isba de meia libra; assim como
couros miudos, sola, calcado do Aracaly
=^v=f,^E^s:^^^^ssv'a';:
Iras de linho, a 240 rs. o covado; brim de
algodSo de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padrees, a 320 rs. o covado ; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varas e urna quarta ; cassa preta com
ramagem branu. para loto, a 140 rs. o co-
vado; zuarle de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOes e cores fizas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de tarlatana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodSo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
A bordo da brigue S.-ioti, chegado
prximamente, vcnde-se fariuha de man-
dioca do superior qualidade, e por menos
preco do que emoutra qualquer parteros vit. nn* nua
pretendemos dirijam-se a bordo do dito ,:.'." ...
brigue, tundeado'delront. do "arsenal do ZSSOSJEX
guerra, ou ao Itecife, rua da Cruz, n. 66.
-Na rUado Crespo, n. 15, loja de Joa-
quim de oliveira Maya Jnior, ha, a lem das
lazendas j annunciadas, e de outras min-
ias por barato preco, um sortimento de lin-
dos chpeos de sol, de panninho estampa-
do, muito proprios para os meninos o me-
ninas que tndam na escola, e mesmo para
assenhorasque anda estilo no campo, pe-
lo pre^o de 2,000 rs.
Vendem-se relogios de ou-
ro sabonete, patente inglez : em
casa de Geo; Kenwoithy & Com-
panhia, rua da Cruz, n. a.
$mm.mmmmmm mmmmm.mm.m
Fazendas modernas.
Na ru do Crespo, n. 9, vendem-s?,
por commodo preco, lindas fazendas
modernas, tanto para homem como
para senhora, como sejam cortes de
seda fuita-crescom barra para ves-
tido ; cassas ; cambraias de barra ;
chales; mantas; manteletes; len-
cos ; luvas; sarjas ; chapeos franec-
zes modernos ; casimiras pretas e de
cores; colletcs de velludo, selim,
sarja e fusISo; lirios brancose de
cores ; lencos para grvala ; suspen-
sorios; cambraia de linho muito fina.
trigo.
Vende-se superior farinba de trigo tran-
cis de Provenea, chegada ltimamente de
liarsellia : cm casa de J. J. Tusso Jnior, na
' rua do Amorim, n. 35.
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora, em S.-Amaro,
vendem-se arados de ferro diversos mo-
delos.
Cal virgem.
Cuiiha& Amorim, na rua da Cadeia, n.
50, rnntinuam a vender barris com cal de
Lisboa, da mais nova que ha no mercado,
por isso mais baralo do que em oulra qual-
quer paite.
-Veudem-se amarras ue irro: na rua
da Scnzalla-Nova, n. 42.
I'encener, ou lunetas de dous vidros :
estas tunelas fechadas parece de um so vi-
dro, mas logo que se toca em urna-mola,
Iransforma-se em um par de oci 1 >s de can-
gallias, os quaes se fOem (ixos no nariz:
esta descoberta he o da huinanidade, porque urna luneta de grao
applir-ada por muito lempo a um s olho es-
traga avsla do oulro olho : vendem-se na
rua larga do Itozario, n. 35, luja de miu-
dezas.
-. Vende-se urna canoa para mais de
1,200 lijlos : quem a quizer comprar po-
de ir vO-la que se aclia virada e se calafe-
tando no porto de Manoel Firmino Ferrei-
ra, cuja canoa ha mais de 3 anuos que nao
tinha sido virada, e era muito do suppr
que estivesse toda picada do bixo.mas agora
se vC que nSo tero furo ncnlium, por isso se
toma a canoa o melhor possivel, porque
pode andar por mais 3 annos, sem precisar
de obra : na tua do S.-Francisco, casa apa-
lacada.
Batatas.
Cass&s e cambraias
lia I
temor c Ikhiladelphia,
muito boa para bolacha, a 12,000 rs. cada
barrica trabr no caes da Alfaudega com
JooTavares Cordeiro.
Cortes de vestidosdecas-
. sa a 2,000 rs. cada um.
Vendem-se corles de vestidos de cassa, de
muilo bom goslo, e com 11 covados : na rua
do Crespo, loja da esquina que volla para a
sadeia.
Polas.sa nacional.
Vende-se potassa nova da fabrica nacional
dp Ilio-de-Jandiio ao baratissimo prtco de
180 rs. a libra, lis senhores de engenho de-
ven) todos mandar comprar de-U potaisa
iiiiiu do animar a fabrica que com tantos
sacrificios se esjabeleceu e fui a causa t'e
baixnr a este preco : na praca do Com mer-
ejo,.. D. 6, primeiro andar,
Manoel Ignacio de Oliveira.
? Vendem-se cambraias de cores, do
' mais de vara de largura, a 240 e 300
g), rs. o covado ; cassas de cires, a 2C0,
^ 210 o 320 rs. ocovado; lencos de seda, <"
i> a 1,(100 rs. ; ditos grandos, proprios ^
> para hombros de senhora, a 1,-280 ; <-,
*| ditos com franja, a 1,000 e 1,280 is.;
n.eias para meninas, a 120 rs o par;
u nutras limitas fazi mas por mela-
do de seu custo: na rua do Crespo,
u. 9, Ipjt.
m
m
<-
(omina de engommar.
Vendem-se saecas com muito superior
gomma de engommar, a 9,000 rs. cada sac-
ca : na ruado Amoro), ti 35, casa de Tas-
so Jnior.
Vendem-se pecas de madarolSo com
20 varas, muito enrorpado e conr algum
sujo, 2,700 e 3,000 ts proprio para for-
ro de alame : no paleo do Carino, o. 18,
primeiro andar.
Vende-se um corte da verdadeira es-
lamenlia, propria para htbilo terceiro dp
S. Francisco, porireco comiubdo: na rua
de Nogueira, n. 1.
-.Vende-sc urna porco de sola muilo
Vendem-se batatas em gigos.pelo commo-
do piero de 1.000 rs., de muito boa quali-
dade, para fechar rontas : no armazem
junto s botica do arco da Conccicic.
Vende-se um preto de Angola, de 20
annos, bom bolieiro, e que coziolia o dia-
rio deuma casa ; urna mulitinha de 12 an-
nos, muito linda para mucama, e com bons
piincipios de habilidades : na ruado Col-
legio, n. 21, primeiro andar, se dir quem
0 Na loja do sobrado amarcllo, nos
q quatro-cantos da rua do Queimado, n
n. 29, vende-se um grande sorli- ~
~ ment do novas cassa-chita de c- S:
~* res lixas e bons padres.tp lo dimi- Jjf
rulo preco de 400 rs. a vara Tazen- ^
O da que se lem vendido a 800 rs., e 9
O que so vende por tilo baixo preco,
O por se ler grande porcilo. Q
> Q
Ao barato
Panno da Costa, com 8 palmos de largu-
ra, a 320 rs. o covado, proprio par pannos
de pretas, cuberas e qualquer obra de es-
cravos : na rua da Cadeia do Itecife, n 20,
loja.
Farelo.
Vende-sc farelo, pelo commodo | reco de
4,000 rs. em saecas fraudes e de boa qua-
lidade : a vista laz f: no armazem ao pe
da botica do arco da ConceicSo.
Rap PauloCordeiro, a
1,280 rs. cada libra :
vende-sc ua loja de Antonio Joa-
qnim Vidal, na rua da Cadeia do
Hecife.
- Vende-se urna farda, espada, talim,
banda, barrclao : ludo novo para guarda
nacional: na rua do Rangcl, venda da es-
quina, do Jos Rodrigues Coelho & Cum-
pauhia, se dir quem vende.
Vende-sc, por nao querer
servir ao senhor, urna mulalinha
de 13 minos, propria para muca-
ma,, por saber lazer o diario de
urna casa : na ruadas Crnco-Pon-
tas, n-, gr.
Vende-se um cabriolel elegante, mui-
vende para liquidaQSo do contas.
o Colletcs.
Vendem-so gorguro de seda, a
O 1,600 rs. o corte ; ditos a 2,000 rs.; O
O velludos de lindos padrOes, a 5,000 &
O rs. o corte: na rua do Crespo, n. 9. >
Vende-se um moleque de 9 annos,
muilo bonito ,- 1 pardinhode 11 annos.de
bonita figura : ambos para quidacflo : na
rua larga do Rozario, n. 46, primeiro an-
dar.
-- Vende-se a casa terrea, sita na lioa-
qualro-cantos da Ponte-Velha,
ra a rua da (loria, n. 56, livro
o desembaraoada, a qual rendo 10,000 rs.
mensaes : na rua do Queimado, loja n. 37 A.
Pecas com 'JO covados a
2,800 rs.
Na rua do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se pecas de
metim verde, azul e cor de caf, com 20 co-
vados, por 2,800 rs.: fazenda muilo pro-
pria para vestidos de pretas, por ser escu-
ra e de muila duracSo.
Pechincha.
Na rua do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. .18, anda resla urna pe-
quena porcffo dos ricos cortes de vestidos
desetim preto lavrado, pelo diminuto pre-
co de 15,000 rs.
Vende-se urna mulalinha de 12 annos,
de muilo linda figura para mucama, e com
bons principios le habilidades; um preta
por preco muito commodo; um preto co-
zinheiro; um dito bom bolieiro ; 2 molo-
ques, um de 12 anuos, e o oulro de 16 ; um
preto velho, bom para servir a urna casa,
por 150,000 rs.: na rua do Collegio, n. 21,
primeiro andar.
Vende-se um moleque de nacilp An-
gola, do 16 a 17 annos: na rua da Pcnba,
n. 33.
Vende-se, por barato prego, um preto
de nacio, de meia idade, sem vicio, e que
he proprio para sitio, por saber trabalhar
e tratar de anirraes : na rua da Mangueira,
n. 9, na Boa-Vista. .
-Ocorretor Oliveira contina a vender,
por preces rasoaveis, ptimo vinho do Por-
to, em barris'de quarto, stimo, oilavo e
em pipa, proprios para mimos; cobre e
pregos correspondentes para forro de na-
vio ; bem como tem na alfaudega, para o
mesmo lim, chumbo em lenroi, e ue muni-
eflo ltimamente chegado de Inglaterra ;
os pretendenles dirijam-se ao mesmo cor-
retor Oliveira.
Vende-se superior farinba
de milho em poredes e a retalho,
tendo de todas as qualidades a
vontade do comprador, e por pre-
co mais commodo do que em ou-
tra qualquer parte; na rua do
Brum, n. 38.
Vendem-se caixinhas com cem qua-
lidades differentes de sementes de flores
muito novas e escolhidas das melhores
qualidades, acompanhadas de urna noticia
exacta de onde silo 1111 undas, e a que fami-
lia peilencem, bem como a maneira de pre-
parara trra para a sua scmenleira ; causa
bem curiosa einteressanto para quem tem
bom goslo, e lie apaixonado das flores : na
rua da C>uz, n. 9, escritorio do Oliveira
limaos & C.
A #000 o corte.
VrnJom-se corles de cassa-chita, fina, de
bonitos padrOos e com 6 varas e meia, pe
diminuto preco do 2,000 rs. o curie : na
ua do Crespo, n. 6, loja ao pe do lampeflo.
A 800 rs. a arroba.
Vendem-se batata do Porto 1
no armazem de Francisco Das
Ferreira, no caes da Alfaudega :
a ellas antes que se acab a pe-
chincha,
Queijos londriiio a 640
rs. a libra.
Muito novbs, cliegdos pelo ultimo navios
vendem-se no armazem t'e molbados,airas
do Corpo-Santo, n. 66.
Vcndcm-se sellins inglezes, feitos de
courodo porco ; ditos de sula ingleza ; si-
Itfles inglczes para montara de senhora,
forrados de couro de porcoj ditos do en-
cost, bordados; luJis de todas as quali-
dades ; eslrivos de metal tranco ; ditos
I rateados; ditos de lato de modelos mais
modernos que lee ni vindo ; ca'bc(adas..d.
todas as qualidades; fundas de patento pe-
ta lodos os lados, e que se d'nb a contento
ao comprador experimentando-as ; eludo
o mais que peiterice a"lbj* de sleiro, por
preco commodo : na rua (Nbva, n.. 28, dp,-
fronteda igreja da ConceirSo dos mi!iia.rcs|
loja de Antonio'Fereir da Costa Braga.
Vende-se urna mulalinha de 14 annos,
de linda figura, ptima para se fazer urna
dadiva, por ser linda donzella ; 3 prelas
mocas com algumas habilidades; urna par-
da de 30anuos, que engomma, cose e cozi-
nha ; un moleque d 10 annos, muito lin-
do, e que he ptimo para aprender algum
Cdigo pharmaceutico de Agostinlio Al -
bao, ultima odieflo, com a lista alphabeti-
ca de todas as plantas medicinaes da Euro-
pa'e America, sua colheita, eonservacSo,
uso e virtudes, com 18 estampas.
Vademcum do cir.urgifio, com o diccio-
nario dos termos da arle, pharmacia-cirur-
Sica, em que se descreve o oso, virtude e
ose dos remedios, obra muito interessante
a todes os fazendeiros, com um tratado de
cirurgia forense para lodos os autos de vis-
lorias.
Diccionario classico, histrico, geogr-
fico e inilheologico.
Prozodia, vocabularum belrngue, lati-
numet luzitanum.
Ordenacb do reino, livro primeiro.
Fbulas de La Fontaine, 9 v.
Arte potica, principios elementares da
vercilicaco portugus.
ConstiUiicllopolitica do impetio, le de
busca, dos guardas municipaes e cdigo
criminal do imperio, diminuto volume por-
ttil para os Srs. jurados.
F.iheca de Job, quinto lloralii Fiteci em
latim e portuguez, 2 v.
Fbulas de l'hedro em latim e portuguez:
M. Tullii Ciceronis; Pedro Caldern de la
Barca, 8v.; Vctor ou o menino da Selva,
3 v.; segredo da naUreza ;' Revolueflo de
Pernambueo; LuziadaadeCamOes, S v.
Na rua estreila do Rozario, n. 2, loja de
encadornactlo de Jos llibeiro SimOes.
Cal virgem.
Vende-se superior cal'virgem em pedra,
cm barris de 4 arrobas e meia, chegsda no
corrente mez do l.isba, pelo brigue Novo-
Veneedor : na roa da Mocda, armazem n. 5.
--Vende-se um preto bom padeiro: no
Om da rua da Aurora, n. 4.
'Vendem-se duas partes deuma casa no
bairioda Boa-Vista, em urna das melhores
ras, a qual existe com vende ; e tambem
urna parte de.um terreno annexoa mema
casa ; um outro terreno na inulta da Tor-
ra, com 300 palmos de frente e 600 de fun-
do, pcoximoao rio Capibaribe : ludo por
preco commodo : ua travessa da Concor-
dia, n. 5.
Novo trem de cozlnha.
Vendem-se chaleiras, fregideiras, panel-
las e cacerolas de forro forradas de poreel-
lana ; bules e cafeleira" de. metal; machi-
nas 1 ara fazer caf : na la IS'ova, n. 16, lo-
ja de Jos I.uiz l'ereira.
--Vede-so um mulalinhode 8 annos, de
muito bonita figura, sem vicios nem acha-
ques, e que he proprio para pagem ou para
aprender oflcio: na rut do Livramento,
n. 4. Na mesma casa dflo-se 500,000 1 s. a
jqros sobre penhores de ouro ou prtta.
- Vende-se, na praca da Independencia,
loja de Justino Meroz.ua 18 o20, um habi-
to da Rosa, pequeo, proprio para casaca.
~ Vendem-se superioros bisa-i de llam-
burgo, que tambem se alugam, por preco
commodo; chouricos de l.isbda, a 400 rs. e
libra; superior mauteiga ingleza, a 640 rs.;
superior cha, a 8,000 e 2,240 rs. ; quecos
superiores, a 1,200 rs. cada um : no Aterro-
_l:JL"!'lvllsi;^lab0f'"_que foido Maya.
Kscravos Fugfoos
escriplorio delsuperore for preco'commodo : na liecco-
11 argo, n. 1, segundo andar.
to levecem|bomuso, nor mdico preco: IolTlcio;um pardo sapaleir; um preto bom
na rua do Hospicio, n. 9,........marinhero ; um dilo ptimo olciro;o o'u-
- Vendom-Bd 16 escravos, sendo : um 'ros fn}'6* d servico de campo : ns .rya
pardo de elegante figura ; urna preta do 14 d,s -ranBeii's, n. 14, segundo anijr.. .
unos ;urn. lila fonruma cria .le oilo me-; -- Airoz a 50rs a libra e 1,400 rs. a
zea; 2 meleqoes do bonitas figuras; urna arroba; sendo cm sc anda por menos :
esciava eom 3 crias-; % pretas para o ser- espirito de 37 graos a l.OOOrs. a caada:
vico de campo ; um mulalrnho de 17 ao- ho pateo do Hospital do 'l'a'raizo, venda
nos, proprio peraoagemj 2 pretosde n* p. 90, ............
-- Fugio, no dia 21 do corrente, do en-
genho Po-Santo, fregoezia do Cabo, urna
parda escura, da noae Eleuteria, de 20 a
25 annos, de baixa eslatur, cheia do cor-
po ; tem em una daaorelhas falla de car-
ne arrancada, falla bm e be bstanle ladi-
na ; tem os beicos bastante grossos; leyou
saiade-algodSo azul trancado j usada, ca-
misa de algodSozioho liso j velha, e um
lencol de algodoiinho liso quem a pe-
gar leve-a ao dito engenho, ou nesta pra-
ca, na rua do Collegio, 11. 1, qu0 ser re-
compensado.
Fugiro, do engenho Matto-Crsso, co-
marca do Caho, na noilc do primeiro dp
corrente, o yeravoa liento,' pardo, Las-
tanle claro, baixo, feicfies regulares, pouca
barba, cabellos castanhos, denles limados,
pernas grossase um tanto arqueadas; leve
bexigas lia pouco lempo, por isso est com
a cara maleada ; lorn aparencias de maii-
nlieiro e quer passsr por forro ; nlo, be a
primeira vez que foge ; foi preso no anno
prximo passado no Brejo-da-Areia ; levou
camisa de algodSo, ceroulaa e chapeo de
palha; representa ter do 24 a 25 anuos;
foi visto cm Coianninh, onde disse que ia
procurar una leuda de sapaleir para tra-
balhar : quem o pegar leve-o ao dittr Tnge-
n lio, ou no Hecife, casa de Jos Tbeoderode
Son, que recompnsala.!
-Fugio, no.dja cguflda-Ieira, 21 do
cor rente, um moleque de 16 anuos, de uo-
me Paulo, bem preto, com um signa! 1.0
queixo rsquerdo, e 3 finipes na p,-riia es-
querda kvou camisa de madapolilo e cal-
cas de riscado : quem o pegar leve-o rua
Nova, n 46, loja, que sr ra gratificado-
Fugio, emdezeinbro de 184-7, o pardo
Jacob, de 18 anpos, secco do corpo, cabello
estirado; tem falta de um dente ua fenle e.
um pequeo lalho na mauSa do rosto. Este
escravo j esteve fgido em 1844 na ilbed
llama raca, paia onde se detconfia ibsse.no
vamente, e seeslejt inlilulando de iotxo
lew um siynal muito visivel as costas por
causa de um caustico: quemo pegar,, ou
delle der noticia, dirija-ae* Jos l.u. Pc-
rejralxn..rua-Mosajquegralificatio .- -.
.-.- Fugio, no da 2.5 do corrente. o ereto-
Joaquiru, ,oe qacflo Cacange, da estatura
regular, cor um pouco fula. caca., radon lia,
pouca/barba, nariz chalo, mas todo repu-
xadqem.rqda.que parvee lar sido, queuna-
dura ; lem os .dedos, dos .ps fendos por
alguusbixosquc Ihe. ai oslemaraai: levou
camisa e caigas de.sIgodilo Irancado.. e clia.-
ptleseda. l(oga-se a .todas as auloda*
des polieiaes e pcsspa particulares, oue o
appreheiidam e levem -110 rua larga do Ro-
za-, 1 udaria nr-18, que serflo grsiiflci-
dos generosamente,
Fugio, no dia 27 do correle, urna
prela crioula, de nome Antonia; lie 11 m
tanto canancud ; tem o beico inferior um
lano cabido, de 18 a 20 anuos;' levou Vea-'
lido iohxo bastante sujo :" quem a pegar'
levu-a a seu senlrof,' Angel Hoque; no lie-
co da lingocta, que recompensar'.'
pun: :' tir. de* K.'B'riti. S"1W


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN970UTKU_V0C4ZL INGEST_TIME 2013-04-24T17:50:09Z PACKAGE AA00011611_06771
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES