Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06766


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXVI.
Quarta-feira 25
y
V
1

WBTID1I BOI CORHEIOS.
Goianna e Parahlba, segundase sextas feiras.
Rio-Grande-do-orte, quintal feiras aomeio-
dio.
Cabo, Serinhacm, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no!.*, a II, e2l dcadamez.
Garaubunt e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Viita c Florea, a 13 c 28.
Victoria, i quintal foiras.
Oliuda,. lodos os lias.
Piujks Di LOA.
KFHEKXHIDES.
Mlng. a 6, s (i b. e 18 ni. da m.
Nova a 13, s 0 h. da manliaa.
Cese, a21, s 7 h. e 2 ni. da m.
Chela a 27, s 10 h. e 36 m. da t.
de Janeiro de 1850.
N. 19.
PRSAMAR DE HOJE.
Primelra a 1 hora e 18 minutos da tarde._
Segunda a 1 hora e42 minutos da inanhaa.
"
lBEtJOS DA SUBSCB.IP0AO.
I i'or tres mezes (adianadoi) 4/000
I Por seis me7.es 8/000
Por mu anno l/OOU
i,i mm w sssssutoss
das da natnt.
21 Seg. S.Ignes. Aud. do J. dos orf. e do ni. I.v.
22 Tere. 8. Gaudencio. Aud. da chae, do J. da 1.
v. do clv. e do dos feitos da fazeoda.
23 Quart. S. Ildefonso. Aud. do 1. da 2 v. civcl.
24 (Julnt. S. Theinoteo. Aud-. do J. dos orf. e do
ni. da I. v.
26 Seat. S. .Inanias. Aud. do J. da I. v. do clv. e
do dos feitos da faienda.
26 Sab. S. Policarpo. Aud. da Chae, edo J. da 2.
v. do crime.
27 Doin. S. Joo Chrisostomo. '_______
aBmubumtammmmmammimmm
CAMBIOS KM 32 DI JANEIRO.
Sobre Londres, 28 d. por 1/000 rs. a 60 das.
. Pars, 346.
Lisboa, 100 por cento. ____ _
Ouro.-Oncas hespanhoes......... 28/500 a 29^300
MocdasdeO/.OOvcIhas.. 17/000 a ffi
. de 6/4H0 novas .. 16/200 a 16*400
. de ifiM........... 9/000 a 9/200
frala.-PatacSes brasilelros...... J/V50 '/i
Pesoscolumnario........ 1#gM gg
Ditos mexicanos.......... 1/800 a^J/820
DIARIO
PE IIMHIUC0.
PARTE OFFICIU.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 5 DE JANEIRO.
Ofllcio.--Ao presidente do MaranliSo, re-
metiendo copia rio offlco em que o Inspec-
tor da pagadoria desta provincia declara
que rtoixa de enviar a guia do segundo l-
enle do qtiartn nslalhSo de arlilharia a p
Jos Angelo de Moraes Reg, por se nflo ter
abonado por aquella repartirlo no referido
lente a prestarlo que'seu pi, o major
Pedro Paulo de Moraes Reeo, Ihe consignara
na corte em o anno de 1813.
Dito.r-Ao commindanle da praca, traos-
miltindo, para que llres d deyjd,a_publi-
cidade, varios' exomplsres da fulla com
que S. M. O Imperador abri a primel-
ra sessflo Ja oilava legislatura da assembla
geral. Fizeram se Iguaes rcmessasao pre-
sidente da relaeflo e a cmara municipal
desta cidade.
Dito.Ao mesmo, communicando que S.
M. o Imperador, deferindo a supplica do al-
fares do sexto bntalhili) de Caladores, Ma-
nuel Cavalcente ns Walcacer, houve por
bem, por decreto de 22 dezembro ultimo,
conceder-Ule a demissflj) que pedio do ser-
vico do exercilo.fnteirou-se o inspector
da pagadoria militar.
Dito.Ao mesmo, scentificando-odeha-
ver S. II. o Imperador mandado dar baixa
ao primeiro cadote do primeiro balalhflo
de'fuziloiros, addidoao segundo da mesma
arma. Pe tro Jos Vieira.
Dito.Ao inspector da thesouraria de fa-
7enda, communicando que, segundo cons-
tado aviso do ministerio da fazenda, data-
do de 22 de dezembro ultimo, fflram appro-
vadas as nomeaces feilas pela (residencia
para guardas da alfaiidcga dcsla cidade, as
quaes constato da relaeflo que remelle.
Helado Jos individuo* a que te rtfere
o of/icio cima.
Jos Concalves da Silva Bastos.
FeMx Paesda Silva Pereira.
Joaquim Jos Ferreira Penlia.
Francisco da Silva Reg.
I.uiz Fr.--iici.sco de Paula Ramos.
Franrklin Jos de Moura Pogge.
Antonio Machado Pereira Vianna.
Manoel Simplicio Crrela Leal.
Jos Mara da Trindadc.
Antonio Luciano de Moraes da Mesquila P-
mentel.
I.uiz Antonio Faviila Jnior.
Manoel Francisco Chefler.
Antonio Mximo da Costa Ferreira.
Antonio Jos dos Santos Servina.
Ernesto Augusto Cesar de Sampalo.
Jos Miguel de Lira.
Diio.-Ao inspector da pigadoria militar,
para que remella secretaria da presiden-
cia, afim de ser enviada ao Exm. ministro
da guerra, a guia de Jos Fernandes dos
Santos, que, sendo cadete do segundo lia-
taltifio de catadores, foi promovido a alfa-
res pora o stimo de fuzileiros, por decreto
de 14 de marco do anno prximo passado.
Dito.Ao commandante da corveta )-
Jnnuaria, ordenando mande para bordo da
corveta Eulerpt o soldado do corpo de fu-
zileiros navaeseum menor pertenecnte
guarnirlo do vapor D.-Afronto, os quaes
ficaram doentes nesta provincia, afim de
seren transpor'ados para a rOrto quando
houver de para alli seguir a referida cor-
vela.
Dito. Ao presidente do concelho geral
de salubridad!-, autorisando-o, nao s a en -
gajar duas pessoas, urna para oceupar-se do
servido interno do hospital que so mandn
crear na ilha do Nogueira, e nutra para ser-
vir alli de cozirfheiro; mastambem a fazero
supprimeiilo dos alimentos necesarios aos
enfermos que nelle frem tratados, e a
comprar os objectos precisos para a enfer-
mara e cozinha do referido hospital.
DitoAo inspector da thesouraria da ra-
znela provincial, para que mande adiantar
ao engenheiro Milcl a quanlia de 600,000
rs. paia coiitinuacflo dos IrabalOosilos es-
Indos graphicos da estrada da Victoria, vis-
to achar-se esgotada a quo para o mesmo
fin selhemandou abonar.Scieulilicou-se
ao referido engenbeiro e ao administrador
das obras publicas.
Hito.Ao administrador das obras publi-
cas, remetiendo as contas da despeza feita
do primeiro a 15 de dezembro ultimo com
as obras do dcimo-stimo IuiiQO da estrada
da Victoria, na importancia de 84,620rs., a-
lim de que mande acreditar o engenheiro
Milet na mencionada quanlia.
Dito.Ao administrador do correio, com-
municando que a cmara municipal do
Ex propozora para agentes do correio na
mesma villa a Jos Pereira da Cosa Miran-
da o no Ouricury a Joaquim da Cunta Frei-
r Pedrosa.lnteirou-se a mencionada c-
mara.
INTERIOR.
sou obrigado a dar alguns esclarec atentos
so Ilustre deputado pela provincia da Ba-
bia acerca da emenda quo tivea honra de
mandar mesa. O nobre deputado repa-
ro u que na emenda se requeresse que a dis-
cussilo da segunda parte do parecer sobre
as eleicflcs do Rio-Grando do norte ficasse
adiada para a sessilo de hoje. Direi o mol i -
vo por que conceb nestes termos a minha
emenda. Vendo que estavamos a 24 do mez.
equerram quasi 3 horas da tarde, entend
que no era conveniente que o nobre depu-
tado pelo Rio-Crniide do norte deixasse de
tomar assento, visto#que acerca dasua clei-
eflo nflo poda ha ver duvida. Poderiaha-
ver duvida acercado maior ou menor nu-
mero de votos por que foi eleito ; masn.to
a respeilo da sua eleico, a qual ho, na for-
ma do parecer, o na opiniflo da cmara,
muito liquida. ( Apoiadot.) Tamliom en-
tondi que o objecto da segunda parle do pa-
recer deveria ser discutido e votado com
brevdade; porque, ficsnJo adiado para de-
poisquo a cmara estver constituida, tera
grande demora, porque a cmara depoisde
constituida tem de se oceupar com nego-
cios importanlissimos, ede ordinalio nflo
tem lempo de discutir semelhsntes parece-
res. Julgue necessaro,pois, que, acamara
fixasse o sou juizo acerca desla parte do pa-
recer da commissflo. para que na provincia
nao houvesse duvida cerca da validado ou
nflo validado das elcices primeriase se
cundarias de que trata o parecer ; porque
esta decisflo, como bem ola o nnbro depu-
tado da Baha, deve servir de regra psra a
elei<;o dos deputados provinciaes c psra a
verilicnco dos seus poderes.
Eis a rasllo por quo eu ped na minha
emenda que na segunda sesso so tialasse
da segunda parte do parecer, tanto mais
quando isto era caso julgado, porque reqne-
rimento, se nflo idntico, ao menos anlo-
go, tinha-se offerecdoa respeilo das elci-
cOesdeS. Paulo.
Poitanto j veo nobre deputado, a quem
tenho a honra de me referir, que tive mo-
tivo plusivel para offerecer a emenda cm
rJiscusso.
Senhor presidente, um derer sagrado me
obriga a tomar parte na presente discussflo.
Se no tenho a honra actualmente de ser
deputado pola provincia do Rio-Crandc do
norte, j por duas vezes me sentei nesta ca
sa como representante da narilo por aquel-
la provincia e tantas prnvas de eslima, de
amizadeede bondade recebi desde o anno
de, 1838 da grande maioria dos habitantes
daquella provincia ; tanto teem elles feito
por mim, mesmo nestes ltimos lempo*,
quo cu, srnhor presidente, passara pelo
mais ingrato dos homens se porventura.
vendo atacados truilos amigos meus, a al-
guns dos quaes tributo amizade quasi fra-
ternal, ficasse em silencio, e nflo provasse a
injustiqn das arguic.0esque Ibes fram fei-
ta-, c com meu voto sanecionasse urna pro- ter votos, ( nflo entro na quesillo, nem sei
posicno do nobre dcpulado da Baha, isto que usasse para isso de meios deshonestos)
he, que acamara devia recommondar ao foi derrotado, o desde ento a provincia li-
governo que.rrandasse rcsponsabilisar a cou dividida entro os dous paitidos domi-
pessoas que tantas provas teem dado de sua nantes, su) e norte. (Kpoiadoi.)
Icaldadeao mesmo governo, (apoiadot) ej Note a cmara que nesta denominac,flo
que lano honraram o ex-presidente do Re-! nada ha de poltico, tanlo que se dizia que
Grande do norte com sua particular esli-| alguns dos influentes do parlJoquesusten-
ma, respeilo e consideraeflo nos prmeiros tava o Sr. Guerra, estavam em urna occa-
nfio duviilo afTirmarquea elecio do meu
nobre amigo he o resultado de urna votaeflo
muito lvre, e que nesta casa nnguem tem
assento por voto mais livre do que elle,
( apoiadot) e que a eleicilo do meu nobre
amigo he justamente a expressfloda vonla-
de da provincia. Apoiadot.) Eu sabia com
milita anticipadlo que a grande maorla da
provincia lnha-so declarado pela candida-
tura do meu nobre amigo ; at me assove-
raram que o honrado deputado pela pro-
vincia da Babia applaudira esta escolhn,
achnva-a mesmo do maior acerlo e a consi-
derava como urna prova de gratidflo dada ao
meu nobre amigo pelos bons servicos que
tinha feito na ea.nar.i, e pela maneira por
que se tinha portado em urna poca asss
critica, [apoiadot) de que todos nos temos
perfaita recor.lacSo.
Portanlo nflo padece duvida que o meu
honrado amigo he deputado pela provincia
do Rio-Grande do norle, tendo-lhe sido da-
do os votos com a maior satisfaeflo, digo
mesmo com o maior cnthusiasmo, porque
taes so os termos deque se servem as suas
cartas as influencias da provincia queoc-
cuoam alli desde muitos annos as posiQes
i llk'iars, i- que sflo sem duvida os directores
pa poltica da provincia.
Repilo que nflo entraiei na analyse mi-
nuciosa das rasOcs com que o nobre depu-
tado quiz conibster esta parte do parecer
da rommissflo ; nflo tomo sobre mim esta
tarefa ; farei simplesmente algumas consi-
derarles geraes, para que V. Exc. e a cma-
ra se conven?am de que no he po-sivel que
um partido composto da grande maioria da
provincia lancasso mflo de meios deshones-
tos e reprovados para ti umpbar as elei-
r;6es.
Primeiramente (levo dizer que desde mui-
tos annos a provincia do Rio-Grande do nor-
te, ou a maioria della que se intitula o par-
Rio-Grande do norle; por exemplo, o Sr. j ALAGOAS.
Silveira Borges um dos cidadflos miis res- Extract0 io ,xpfdietl do Exm. Sr. preridtn-
pe.taveis daquella provinca, que no SOU (g fr j0!i DenU rf Cunha e Figveiredo.
municipio goza de urna grande influencia I
muilo legitima, e se nflo fosse elle, talvez o 10 DE DEZEMBRO.
sangue livesse corrido em jorros no moni- 0(rcjo _. Ao inspector l)a thesourari
cipiodelouros. ^o',,",?,,, ^m .^.c,!, pm nuidir rmir o nireinei-
que me foram dirigidas? Mo he este c.da- {, l)ornngog ,ios Passos Franca Ramos a
dlo digno dos maiores encomios do todos
os Rrasileiros honestos e imparciacs P
Kilo quero, portanlo, que se presuma que
aquelle respeitavel cidaililo eontribuio para
desordens que tiveram lugar em Touros.
Se o nobre deputado aprescnlasse docu-
mentos, o provasse que as suas asserc,6es
eram venladeiras, eu ficaria talvez vacil-
lante, mas o nobre deputado disse : Os
documentos estilo lodos espalliados ; elles
se acham cm um grande volume ; eu nflo os
posso encontrar. Ello nflo fez como o no-
bre deputado pelo Rio-Grande do norte,
que trouxe documentos pa-a provar todas e
cada urna do suas asseir,0es, documentos
alguns dos quaes tenho em meuiodf'r por
copias quo mo lemetteram do Rio-Grande
do norte, assiii como muilas e extensas
cartas ile pessoas capacissimas.
O nobre deputado pela Bahia deveria ter
altendido a sua posicno relativamente -
quella provincia, e entilo se convencera de
que nflo est milito habilitado para discutir
com imparcialidade a respeilo das elei<;>s
que alli sa procedeu durante a sua admi-
nistraQflo. Se o nobre ilepulado livesse si-
do aggredi lo, se a sua n Iministracao lives-
se sido aecusada de faltas, erros e crimes,
entflo enlendo que era de sua rigorosa oln -
gac.flo defender-se; masa commjss.lo nflo
fez tal. Mi-smo dado o raso que existissem
errse irregularidades pratira las as elei-
r,0e., taes eiros e irregularidades [ tem
muito bem nflo ser imputaveis so presiden-
te da provincia. Tena sido mais iiruilente
tido do sul, est na posse de fayer nflo s o que o honrado dcpulado os conservasse em
deputado geral, mas al o supplente, lodos
os vinte lepiitacios provinciaes, a maior
parte dos juizes de paz e camaias munici-
paes, (apoiadot) e por isso tamliem os go-
vernos respeilavam asoplnoes da provin-
cia, manifestaitas de urna maneira tflo pu-
blica, Iflo solemne.
Senl ores, a primeira notahilidade da pro-
vincia foi sem qneslflo o honrado leoadoj
j fallecido o Sr. Francisco de rito Guerra.
Apoiadot.':
Quando se tratou da eleicflo desse hon-
rado, boje fallecido senador, para de-
putado, apresentou-se como candidato o
presidente da provincia, que era o Sr.
Manoel Lobo. Ora, nessa orcasiflo a pro-
vincia preferio um fillio della tflo ds-
lincto como era o Sr. Guerra, distinrto
por innumeraveis servidos feilos mesma
'silencio, e deixasse ao criterio e sabedoria
da cmara decidir como fusso de Justina
acerca das ele;r,0es do llio Grande do norte.
Eu dcc'aro que nflo peqo favor. Se a ra-
mam jjilga que he anda preciso tre litar
na segunda parte do parecer; se ella enleii-
de que mereeciii peso as observ-QOes do no-
bre deputado da Babia, eu de boni grado
concordarci em que a discussAo se demore,
porque eu e todos os meus amigos pedimos
justca, e justica sera feita por esta augus-
ta cmara.
Segumlo o exemplo ilo meu nobre ami-
go, deputado pelo Rio-Grande do norte,
nflo quero ctitiar nos actos da administra-
i,-a o Jo tiobre deputado da Babia, nflo ; o
quo digo he que o nobre deputado da Ba-
ha foi menos justo para com urna grande
maioria com que esteve ligado por poito de
provincia e por immensas obras decaiida- <> mezes, ( apoiadot ede quem receben re
de, de que dexou lesteniunhos. {Apoiadot.)
O presidente, naturalmente desojoso de oh-
RIO-DIi-JANKIRO.
CMARA DOS SRS. DEPUTADOS.
DCIMA SF.S6A PBBFARITOIIA HA OITAVA LEGIS-
LATURA, KM 28 Ha DtZBMBRO DB 1849.
Pritidtncia do Sr. Gabriel Mendet dot Sanios.
011111:51 no da.
( Continuarlo do n. 18.)
Eiticti do Rio- Grande do norte.
Conlina a discussflo interrumpida.
OSr. D. Afanoe/:--Senbor presidente, eu
mezes da sua adminstraeflo.
-Senhor presidente, eu nflo quero agora
oceupar a atteneflo da cmara com a repeti-
eflo do que foi dlo pelo meu nobre amigo
Jeputado pela provincia do Rio-Crandc do
norte. Na verdade ella nada doxou a dese-
jar, nflo s as queslOes de direilo, como
as de facto. Nenhum s argumento do hon-
rado deputado da Bahia flcou em p, ao
contrario todos fram cabalmente des-
truidos.
Eu nflo desejava scmclhante- discussflo ;
alguns esforcos fiz para que ella nflo lives-
se lugar. Eu degejaria que, urna vez que o
nobre deputado da Bahia recondena quo o
meu honrado amigo deputado pelo llio-
Grande do norte nflo poda delxar de ter as-
sento na casa, apeiar de algumas irregula-
ridades que, no sentir do honrado deputa-
do da Baha, exislam em um ou mitro col-
legio, cm urna cu outra freguezia, nflo pro-
vocasse esta discussflo, tanto mais porque
a nobre commissSo de poderes nada disse
em desabono do honrado membro,
l'ara nflo provocar urna semelbante dis-
cussflo bastarja que o honrado deputado da
Bahia reparas.se as assignaturas que se
acham no parecer da commissflo ; se o li-
vesse feito, loria lido nomes dignos do
maior respailo. Por minha parle, logo que
vi o parecer da commissflo, eu me pronun-
ciei pelas suas conclusas. Accresce que
laes concluses eram conformes a informa-
(,-oes exactas que eu linlia recebido da pro-
vincia. Um amigo meu recommendou-me
este negocio, pedindo-me mesmo que sus-
tentasse na cmara a causa da justica, m-
nistrando-me os precisos esrlarecimentos.
Portanlo eu. nflo tinha mais necessidade de
entrar em discussflo para saber so o nobre
deputado devia ter assento, e se os colle-
gios quo a commissflo prope que sejam
Humillados o devem ser. Tenho sobre isto
um juizo formado antes do parecer da coov
missflo. Mas o nobro deputado pela pro-
vincia da Bahia quiz atirar-nos a luva, sa-
liendo elle de anleniflo quo eu nflo poda
deixardoa levantar, que eu nflo poda con-
sei-vai-me em silencio, ouvindu accusac.0es
Iflo injustas contra os meus amigos por cri-
mes que s exislem na imagineffio do
senhor ex-president do Rio-Grande do
norte.
Eu sou franco, eassim eu nao quero oc-
cuitar que estas elcicOes se acham invadas
de muilas nullidades; mas, apezardisso, eu
siSo sentados do lado do sul, e os quo
apoiavam a candidatura do presidente do
lado do norte ; mas esta denominaeflo nflo
tinha nom tem actualmente signilcaeflo *l-
guma poltica ; (apoiadot) fr?a he confis-
sa-lo em honra do partido do norte, tanto
maisquantf poda soppr-se que liava em
tal denominaeflo um lm menos convenien-
te sos interesses do imperio e sua iutegri-
dade. (Apoiadot.)
O partido do sul, porm, foi triumphante
nessa eleicJlo, porque era composto da
grande ffiaioria da provincia, e em geral
das pessoas mais influentes das localidades;
e he fcil triumphar as eleices quando se
tem taes elementos. (Apoiadot) Anda mes-
mo quando alguns presidentes quizeram
pr-lhe estorvos, o partido do sufsempre
Iriumphou. (Apoiadot.)
Nflo honecessario.Sr, presidente, entrar na
analyse dos'actos dos presidentes da provin-
cia, nem enumerar os seus nomes; basta di-
zer que em lodosos lempos o partido do su
manilou para esta cmara, para o senado,
para as issemblas provinciaes, e para as
cmaras municipaes homens de seu lado ;
e foi tal a Ii en do partido, que nflo se con-
lenlou em fazer depulados, mas fez tam-
ben! prmeiros supplentes. Assim foi elei-
to para debutado o meu nobre amigo, e
supplente o meu particular amigo o Sr. Joflo
Carlos Wanderley, primeiro vice-presiden-
te, a quem nesle lugar me encho do satis-
fago confessando que lhe consagro amiza-
de quasi fraternal. Tal era o numero de
votos que o partido do sul tinha em seu
favor.
Ora, um partido que tem (anta frfa nflo
precisa de laucar mflo de meios Iflo repro-
vados paia vencer as eleic,0es. Se elle
lancasso mflo deiles, eu sria o primeiro a
desconfiar da sua l'rca e influencia ; por-
que, urna vez que um partido se com oe de
um maioria tflo consideravel, anflohaver
ubstaculo insupersvel, como o de lula com
o governo, lem sempre a ceiteza de obter
o triumpho.
Depois da refutaeflo victoriosa que fez o
meu nobre amigo, deputado pela provincia
do Rio-Grande do mulo, dos argumentos
com que o nobre deputado pela Baha i re-
tendeu combalero parecer da commissflo,
poderia a cmara deixar de approvar esta
parte do parecer? Deveria ella recommen
dar ao g overno ^ue qiandasse processar
tanta gente capaz, excedente, ptima, do
petidas provas il estima o consideraeflo.
( Apoiados.)
Noto mais que, quando se creou no Rio-
Grande do noi te urna folln para guerrear o
nobre ilepnlado d i Caliia, mu Olltra folha
se estabeleceu pelo lado chima lo sul isla
para defender o nobre deputado da Babia
das injustas argtiicO.'S que se lhe faziam.
Noto mais que a nssembla praviocaldo
Rio-Grande do norte dirigi urna felicta-
flo ao nobre deputado da Bahia como pre-
sidente da provincia por meio do tima de*
puta^flo, nflo s para folicila-Io, mas tam-
bem para Ih.; offerecer toda a sua coadjuva-
cJJo, a qual com effeto lhe foi prestada com
a maior franqueza.
Eu desejava que o nobre deputado da Ba-
hia explicasse na tribuna que motivos te-
ve pBra separarse de tanta gente gia la da
provincia, e dd rcunir-se com aquellos de
quem nflo tinha cortamente motivos de gra-
lidflo, antes pelo contrario sobejas rases
do queixa
po<;o ao nobre deputado quedadevda
a i ti M- mi an estado do Rio Grande do norte,
qnoheassaz melindroso: os esidritos es-
lo alli em grande ngitagflo ; Dos sabe
quem disso ho causa. Uxala que aquella
provincia do imperio, anda quo pequea,
nflo escape, como nflo ha de escapar de cer-
lo, s vistas benignas do governo imperial;
oxal quo se remova com brevidade urna
das causas piincipacs dos malos quo po-
sa ni sobre ella ; oxal que os meus amigos
que tantas provas dcam de lealdade nos
dias mais crticos, quando a imprensa na
coi te quasi todos os das asseverava que
nflo devia o governo confiar no partido su-
lista. porque eslava unido com os revolto-
sos de i'ernambuco ; oxal, digo, que o go-
verno veja nesses homens amigos muilo
leaes e dedicados .' Eslou convencido que
taesescriptos tinham principalmente por
ti ni dcscunceitiiara grande maioria da pro-
vincia, e fazer com que o governo demit-
tisse a tflo respeitaveis cidadflos que sflo
vice-presdentes, sendo um dclles o meu
particular amigo o Sr. Joflo Carlos Wander-
ley, queho sem duvida urna das'primoiras
notabilidades do Rio-Grande do norle pela
sua capacidade, servicos e probidade, e que
nos tres mezes de sua ultima adminislra-
c,5o respondeu victoriosamente s calum-
nias de seus adversarios, maniendo a pro-
vincia no maior socego, e offerecendo ao
presidente de Pernamhuco lodos os pouros
recursos do Rio-Grande do norte para de-
b llar a rebelliflo desla provincia. ( Apoia-
dot.) O governo tem os documentos que
comprovam as (nimias assdrc,ucs, por isso
nflo temo ser desineuliJo. A cmara esta
fatigada: paro aqu, votando pela segunda
parte do parecer da nobre cummissflo do
poderes acerca das eleic,des da provincia do
Rio-Grando do norte.
quanlia de 136.360 ris constante da conta
que se lhe remelle por elle assignada, e pro-
veniente do accrescimo que fez nos arma-
rios do archivo da secretaria da presidencia.
Dito. -- Ao inspector da thesouraria do
fazenda, declarando-lheem resposta ao seu
ofiico de 29 de novembro ultimo, queau-
torisa, na conformidade do decreto de 7 de
maio de 1842, para continuar a'despender
com as rubricas Frc.a de lnha, gralifl-
oaeiVs diversas, diversas despezas e arota-
z-nsde artigos bellicos, at nova ordent
do governo imperial.
Portara. Kemovendo a bem do semejo
publico o bichare! Antonio de Csrvaiho Ra-
poso de promotor publico da cmara da Ata-
laja, p-MM a de Anadia, o ao promotor desta
hacliarel Joflo Rodrigues da Silva para a-
quella. Fizeram-se as communicaces
respectivas aos removidos.
Ollico. Ao Dr. chele de polica, dizen-
do-lhe em resposta ao seu offlcio de 7 deste
mez que ordene ao subdelegado de Jaragua
que fica recolherao deposito de artigos bel- r
lieos desta cidade os objectos deste genero
que se arharem no corpo da guarda da al-
l'andega, ton Jo sdoappreheuddos pela po-
lica, remetiendo urna relaco dos mesmos
no alfares Jos Alves deSouza, encarregado
do dito deposito
Dito. ~ Ao lenente-coronel Pedro Vieira
Jnior da M.itta-Granle, dzendo-lhe que so
passa a dar ordem para serem presos os des-
ertores que se acham na Palmeira-dos-ln-
dios, e autorsanJo-o para levantar um des-
tacamento de. 20 ou 30 prarjas em Agoa-
liranra pelo temno que durar o ataque de
Serra-\eira, podendo com esse socoorro
nflo s capturar os desertores, como fazer
recrulamento nos individuos que estojara
no caso de assentar prarja e so rooslrarem
hoslis a ordem publica, assim como que
qui ira emprestar ao captflo Manoel Jos de
Espindola o dinheiro do quo elle precisar
para a fres do seu comman lo, quo a vista
dos recibos ser promptamente indemnisa-
do pela thesouraria de fazenda
Dito. Ao Dr. chefe de polica. N. 79.
Htm. Sr. Tendo chegado o juiz de di-
reilo da Atalaia, Manoel Ji'iony i,d_ Guedos
Alcanforado, a quem nnmeei para', na au-
sencia de V. S., exercer inlerinamente o lu-
gar do chefe de polica da provincia, srva-
se V. S de passar-ltie todos os'papeis con-
oernentes essa ramo de servc.o publico. E
valonilo-me desta opportumdade nflo devo
dcixardssVlouvar a V. S. polo muilo quo rae
ajudou na miiniilenQflo da ordem publica
em lodo o lempo que com migo tem se'Vldo,
eque eu desejaria continuasse, se missflo
mais importante o nao rlianmsse a corte.
cm
ALFANDEGA.
Rendimento do da 22.....12:323,852
IMPORTACA.
Minerva, brigue brasileiro, viudo do Por-
to, entrado no correte mez, consignado a
Francisco Alvs da Cunha & C manifestou
0 seguidlo:
1 caixa chapos varreros, 2-4 canastras
albos, 4 caixas linhss; a Manoel Joaquim
Ramos e Silva.
4 caixas archotes, 20 cunhetes vella de
sebo, 200 ancoretas aieilunas, 40 rodas de
arcos para pipas e barris ; a Domingos Ro-
drigues Andrade.
12 capachos e urna esteira ; a Francisco
Deller.
2 volumes com arcos pira mastros, fer-
ros e garranchos, 6 barris azeile-doce, 60
saceos sevadnhas, 222 canastras batatas, 1
caixa panno de linho, 40 saecossevada ; a
Francisco Alves da Cunha & C.
1 cunhele pentes de chfre ; a Joflo de
Oliveira Leite.
1 caixa tromoios e panno de linho ; a An-
tonio Jos Pereira Miranda.
15 canastras alho; a Victorino Castro
Moura
2 caixas chitas; a Jos Antonio Cunha
Irmflos.
4 canastras maeflas ; a ordem.
4 canastras macaas, 6 ancoretas azeto-
nas; a Mesquila & Dulra.
1 barrica ervlhas ; a Francisco Moreira
Pinto Barbosa.
3 caixas de Ifla em cascos para chapos,
1 caixa freios; a Antonio Joaquim dos San-
tos Andrade.
2 meias pipasebarris vinho; a Carva-
Iho i Ramos.
610 barras de chumbo ; a N. O. Bieber
Companhia.
1 canaslra rolbas,' Manoel Ramos Pon-
tos.
2 caixas fechaduras; a Antonio Jos do
Oliveira.
2 caixas massas para chapos; a Joaquim
Ribeiro Ponles.
1 cunhele moJa de prata ; a Antonio de
Souza Moreira.
1 c.iixa miudezas ; a Joaquim Pereira A-
ra ules.
15 canastras alhos ; a Jos Jaciolho Cun-
des.
35 caixas pomada, 200 caixas velada se-
bo ; a Joflo Francisco da Cruz.
40 saceos treinocos; a Joflo Evangelista
Costa e Silva,


i'i'Timv'wimaBsmammwmBcaaatmmmmmaatmmmmmaKs^sLr3m&
6 saceos feija ; a D
1 caixa iloce o p.'lles de lisa ; a JoSo Jos
lo i'.:.rvalho.
1 caixa pentes; a Joaquim Montelro da,
G canastras relilas
Margarida Jo lesos.
6 caixas tabolnhasde poni; a Francisco
S&variano liibcllo & Pido.
55 p.ncoretas azeitoms, 1 cunheto doce ;
a Jolo Antonio de Moraes.
1 o-nx.i volante-, i.>n las c galoes, etc ; a
Francisco Cucdcs de Araujo.
52 emoes ameixasseccas; a Antonio Jo
s Pedro Concalves.
5caixas echaduras, 2 caixas palitos, 1
cunhete fechadurns sortijas, 3 caixas cera
em veles, 2 par-otes lio porrete, 30ciinhc-
tes vela de sebo, 250 ancoretas azeitonas,
90 canastras albos, 4 caixas arenles, 9cu-
nheles machados, foicM e freios, 2 caixas
pe Iris, 1 dita panno do linho, ditas li-
nhas, 3 caixas ferros de engommare can-
deiros, 13barris pregos, 2 caixas ferros pe
Aretes, 1 fardo peneiras ; a Antonio Valen-
tito da Silva llarroca.
1 cunhete freios ; a JosLeSo de Castro.
710 hacas de vioies ; a Manoel Rodtigues
Carvalho.
1 caixa chapeos de pello de coelho; a
Joaquim deOliveira Maia.
-o pipas, 10 meias ditas e 20 quarlosvi-
liho; a Antonio Francisco de Moraes.
50 canastras btalas, 10 barricas casta-
nhas, 100 ancoretas azeitonas; a Justino
Antonio Pinto.
I barril presuntos; a Jo3o dos SantosNu-
nes Lima.
Julieta, brigue americano, vindo de llal-
liinorc, entrailo no corrcnle moz, consig-
nado a Me.Culmont & C, mantfeslou o sc-
guinte:
18K2 barricas e 185 meias ditas familia de
trigo, 50 barris carne salgada ; aos consig-
natarios.
Iliia-Feli:, brigue portuguz, vlndo do
l'oto, entrado nesle inez, consigna lo a An-
tonio Juaqoiffl de Souza Ribeito, manifes-
tou o segunde :
1 barril presuntos, 1 caixa aposj a
JolO da Silva .Morena.
2 barris presuntos; a Fortunato Carva-
lho Guedes.
2o rodas de arcos de pao, 1 fardo coni ces-
tos c condecas, 1 ranaslra nozes, 1 dita cas-
.tatihns. 2 gaiulis canarios, 1 dita cotn urna
lebre, 2 bairis violo; a Domingos deOli-
veira Piulo.
24 rodas c 13 feixes de arcos de pao, 1
ounhele cotn ciguras e 20 varas de linho; a Joflo Rodrigues de Andrade.
1 caixa doce ; a Antonio Pereira.
1 caixolc mar melada; a Jos Dis Simo s
270 ancoretas azeitonas, 2 pacotas fio
pnete, 1 caixa linhas e pentes ; a Anto-
nio V. ilaSilva Barroca.
C cana-da albos, 1 caixa drogas; a No-
vara c* O.
2 barris pcixe salgado, 1 caixota doco ; a
Ib-nrique los da Cunha.
2 caixas rseos para chapos, 7 ditas li-
nhas e panno d ; linho, 100 ancoretas azei-
tonas, 4(i Micas ees, 7 caixas fechaduns. 6 caixas pomada
5 Cunttetes machados, 159 canastras btalas,
43 ditas Mlios, 31 temos de condeces, ba-
laiiihos e caales, 50 cacitos, co cesto
Cnrn 97 ccslinhos e 96 resinlias de nejos
28.800 millas de cortica, 1750 pesos e 1,91
pala res ; a Antonio Joaquiai de Souza Iti-
ieiro
32caisas lotice, 1 dita figuras de barro, 1
dila looro, 115 eeslinhas tic vimos, 2 bar-
ris peixe salgado, 274 Canaslras balatis, 2
dila ni -tanlias, 100 ancoretas de azeitonas,
1 cunheto cotn diversos ubjeclos ; a ller-
nardtno Pinto..
4caixas linhas, 2 canaslras maculas; a
Manuel Joaqutm liamos c Silva.
eaixs lecbiduras, SO canastras albos
312 ditas batatas, 100 ancoretas nzeit'.iias,
;>.'> indas de arcos de pao ; a Jos Aflon-i
.11 ore ira.
1 caixi livros impressos e 5 lencas de se-
<-'a; a Antonio Marques Rodrigues.
55} llagas de vimes; a Manoel Rodrigues
do Carvalho
1 caixa brides; a Joaquim Itibeiro Pontos.
9 cunlictes doce; a Antonio Jos Cuim-
bra Cuimares.
1 c.iixa bi incos de chumbo ; a Jos Car-
los Fetreira Soares.
1 caixa diversos objeclos ;. a Joaquim
llonli Ir da t ruz.
4 botris ffcli lloras, 2 canastras ceblas,2
ditas btalas; a Manoel Francisco .Marques.
1 caixa com cascos de madoira para sel-
los, 1 eunltciocom pentes, 1 torno de pao;
u Manoel Jos Soares.
1 caixa diversos objeclos ; a Antonio Joa-
quim Vidal.
3 fardos e 1 caixa com diversas miuJezas;
a l.ourenco Fet nandes do Caraio.
(i rnnb. le cnxs e machados, 21 barris
pregos; a Pontos Sampiio.
50 canaslras albos, 1 caixa nozes, 1 dita
drogas, f br.i^o de balanza ; a Antonio
Francisco dos Santos.
1 sai tuario, 2 canastras caslanhas, 1 cu-
nhete n ni melada, 37 canastras sitios, 150
ditas batata*; allenrique liernardes de Oli-
veiri.
sOreiteas de ceblas; a Lourenr;o Jos
da Corta.
1 caixa fazemlasde linho, 1 canaslrj cas-
tlidas : a Jos Anlonio Carvalho.
C pipas, 20 meias ditas e 40 barris vinbo;
a Anlonio Francisco de Muraos.
1 cunhete brides ; a Joaquim Antonio dos
Santos Andrade.
1 runhelc marmelada, 1 ranaslra casta-
nbas ; a Jos Pereira da Cunta,
8canaslras batatas, 1 cmhruhocom pan-
no ue linho ecoturnos; a Thenieteo Pinto
Leal.
2 canastras macis; a Manoel Jos de
Souza.
6 canaslras albos ; a Manoel Antonio da
Silva.
2canastras ceblas, 1 dita rastanh.is, 1
dila maculas, 8 ditas htalas; al). Mara
Bai bosa Cunha Metra.
1 santuario, 1 caixa inwj'ii- ; a I). Clau-
dins Martnha do Sacrament.
1 embrnllio vetbiilina e cabreadas de fer-
ro; a Antonio Ferrcia liraga en'.
ScaiMS fechad utas, 30 saceos fejo, 50
saceos tremoc/is ; a Jos Monleiro Siqueira
t santuario, 1 jaJxa imagens, 1 commo-
da ; a F< ancuco Joaquim Cardoso.
90 canastras hlalas. 30 ditas a I nos, 2 bar-
ris vinagie; a Antonio Jos Pedru Cun-
ea I ves.
1 pucote relroz; a JoSo Jacintbo Guedes.
siefV
3 gaiolas canarios ; a Jo Jo los Antunes.
1 caixAo obras de prata ;*a Jas Anlonio
d i Cunha.
1 gaiola com pintacilgos ; a Joaquim An-
tonio dos Santos.
2 caixOes obras de ouro e prata, 1 sacca
nozes, 1 gaiola perdizes, 1 condessa com
macella, rap o nnriii, 1 gaiola canarios,
t (landres com peixes de cores ; a Joaquim
da Cunha Meircllcs.
1 sacca casta tilias, 2 gaiolas com meh'os;
a Manoel da Silva Santos.
1 barril vinho; a Francisco Moreira da
Costa.
5 barris peixe salgado, 2 ditos lingoas de
porco ; a Antonio Joaquim Pereira di Silva.
CONSULADO GERAL.
Rondimento do dia 22.....2:661,832
Diversas provincias...... 157,006
2:821,838
EXPORTACAO.
Despacho marilimos nj dia 22.
Paradina, escuna nacional Berenite, ma-
nir.'.ion o segoinle :
1,100 saccas farinha, e 2,500 arrobas do
carne secca.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 22.....1:606,774
ftovimento fio Porto.
Navios ntralas no dia 22.
JJuenos-Ayres 38 dial, patacho dinamar-
quez l'iiion, de 132 toneladas, capilSo C.
M. Smith, eqiiipagem 8, carga alatelo e
earvflu de pedra; aGaudino Agostinbode
Barros.
London 54 dias, brigue inalez Leghlnimj,
de 181 toneladas, capilo W. Frork, cqui-
pagem 11, em lastro ; a Lo Bretn Sob-
ra inm & C. ~ Ficou de quarentena por
Seis dias.
Liverpool 47 das, brigue inglez llar
hinger, de 243 toneladas, capito Jodi
Towns, equipagem II, carga carvfo de
pedra; a Manoel Joaquim llamos e Silva.
New-Yoik -26 dias, paquete de vapor atne-
rinoGotdhuntor, de 536 toneladas, capi-
tn K. Coullard equipagem 36; ao c insul.
Isl-iy 85 dias, brigue inglez iames-F.nki-
ne, de 231 toneladas, capilSo W. Cltur-
Chevard, equipagem 12, em lastro; ao
capilSo. Velo refrescar e seguo pira o
Canal.
Liverpool 31 das, patacho inglez Bjr-
zanlmon, de 197 toneladas, capitn John
Caplond, equipigetll 12, carga azendas
c c.-rvo de pedia ; a Jobtisloii Paler & C.
Genova 62 dias, brigue sardo Eugenio,
de 202 tone'adas, pililo Raymundo Ite-
becca, equipagem 10, cu l-slro; a Lo
Bretn sciuamm & C.
Babia 14 dias, brigue brcmen.se Anni-
\dclaiil. de 200 toneladas,, cnptUo lien'y
Niab-r, equipagem 9, carga lasiro ; a N
O Bieber & C. -- Ficou de quarent"na.
Rio-le-Jatieiro 31 dias, brigue brisilei-
|ii l'tHsamtnlo, de 221 lotlrtladas, Capilo
Francisco Antonio Simos, equipagem 11,
carga carne; a Gaudino AgoslintiO de
Barros.
Navios sabidos no uiesmn dia.
El) COmmissSo Vapor do guerra hrasilei-
to Urania, romtnanJanle o primeiro-le-.
nente JoSo Joaquim da Silva Cuimarfl
Canal KrigUO inglez mnes Erskine, capi-
IAo \V. ChurcbevarJ, carga a mesilla que
trouxe.
Philadelphia Brigue americano R.-F.-I.o-
per, eapitoW. F. North, cirga assucar.
Wisl-lndies Brigue inglez Geurge-ltitbin-
son, ca,litito James Hoyo, em lastro.
pjblico, pelos applausos renebidos na reci-
ta pnssida. >
Terminar o espectculo com urna nova
contradanza campestre.
Os Srs. assignantes e mais pessoas, que
pretenderem bilheles de camarote e platea,
p lom mandar receber os carios na casa
annoxa ao Diestro, residencia do dircelor,
onde se ellos acliam i venda pelos precos se-
guintes:
Primeira ordem.
Camarotos de lado 5,000 rs.
Para assignantes de 5 recitas, cada urna
3,500 rs. 17,500 rs.
Dito de frente da mesma ordem 7,000 rs.,
Para assignantes de 5 recitas, cada urna
5,333 ris, 26,665 rs.
Segunda ordem.
Camarote do lado 6,000 rs.
Para assignantes de 5 recitas, cada urna
4,500 ris, 22,500 rs.
Dito de fren lo da mesma ordem 11,000 rs.
Dito para 5 recitas, cada urna 8,000 ris,
40,000 rs.
Tercelra ordem.
Camarote de lado 4,000 rs.
Para assignantes de 5 recitas, cada urna
2,500 rs., 12,500 rs.
Dito de frente da mesma ordem 5,000rs.
Dito para 5 recitas, cada urna 3,500 ris,
17,500 rs.
Os bilheles de platea pelo mosmo preco
de 1,000 rs,
Camarotinho de bocea para 5 recitas,
2,500 ris, 12,500 rs.
Varanda, 500 rs.
Asassignaturas sorSo pagas adiantadas,
oxhibindo recibo a direegao.
O tiiealro estai decentemente ornado.
Principiar o divertimenlo s 8 e meia
horas da noite, com a chegada das autori-
dades.
. :r*3a:
KDITAL
o Sr. Dr. juiz de dir tu ebefe de poli-
ca interino manda fazer publico que todos
os estfangeirosque obtiveram ttulos de re-
si lencia por esta repartign, os devem apro-
senlar para corta averiguado, no impror-
rogavel prazo de 30 dias, contados da pu-
blicacilo desle, sob as penas da le.-- Se-
cretaria da polica de Pernambuco, II de
Janeiro de 1850. Anlonio Josi de Freilai,
primeiro amanuense.
Declaragoes.
--OSr. direclor do lyeeu desta cidade,
em ciimprimenlo portara do Exm. Sr.
presi lente da provincia do 5 deste correle
mez e auno, insuda fazer publico que est
a concurso a cadeira de primeiraa leltras da
cidade da Victoria, para o sexo femnino :
portanlo, as senboras brasileiras que qni-
zercm oppr-se a referida cadeira, loverio
comparecer f da dla deste a 60 dias J na
sala do palacio da presidencia, pelas 9 ho-
ras da manhaa, tendo rcmellido(8 das
antes do concurso diloj a secrolaiia do ly-
eeu os seus requerimeutos documentados,
segundo a le.
Secretaria do lycru, 21 de Janeiro de 1850.
Jcinu'iro Mexundrino da Silva tabello Ca-
neen, prol'essnr de desenlio e secretario.
--O abaixo assigna lo, cnsul de S. M.
Britanuica nesta provincia, requisita o
apnutamonlo de todos os subditos biitan-
nico qualificados pelo acto do parlamento
G. Geo : IV cap : 87. como votantes, no con-
sulado britannico, no dia terca-feira, 29 do
corrento ao mcio-dia. -- Consulado britan-
DCO em Pernambuco, 21 do Janeiro do 1850.
//. Augustus Cowpir,
Cnsul.
I'\ESEI*K
no theatro de S.-Francisco.
Grande e variado divertimenlo pMfOfM.
QUINTA-FEIIIA, 24 DE JANEIRO DJi 1850.
OlTAVi nEi'aasKNTA^AO.
Depois de executada ptda orchestra urna
das melbores symphonias, ropresenlar-se-
lia pela ultima vez o mui insigne drama
sacro em 5 actos,
OS MAGOS DO ORIENTE,
s 'minio de um solo, danchado por urna me-
nina das mais jovens : heguir-so-lia o bri-
lliante e mui applaudnlo novo acto
DA MAMAl VOVO'ESUAS NETAS,
comnoslo de onie arias e tres coros O Sr.
S. Rosa ilesertipeuhar a parle da velba,
e sua lilba oc id -do de 5 Anuos cantu' urna
ai id etn igual de gri.lid.lu ao respeitavelf
{Scparticiio da polica.
Illm. e Exm. Sr.-Participo V. Exc que
fram hontem presos, nesta cidade : or-
dem do subdelegado da freguezia de S.-
Frei-Pedro-Gongalves do Recife, Feliciano
da Silva Gomes, por crime do furto : do
subdelegado de um dos distrelos da fre-
guezia dos Afogados, os pardos JoSo Ro-
ii.ao de Moma e Antonio Francisco do Nas-
cimento, por corrrcrjilo.
O delegado do termo de Garanhuns com-
municou-me, em oflicio de 16 do crrente,
que, nodistucto de Corren'e, fra motto,
com urna descarga de fuzilaria, o reo de
furtos de cavalloi, de nonio Miguel Pereira,
.ii vii :n le de ter com urna facca frid a
Mano.-I Jos e Manoel Joaquim, que I', ziain
part da patrulha que o conduzia ; assim
como que, fram presos, JoSo Muniz llar-
ret.), rodelrose mortes ; Raymundo Al-
ves Feiloza, por crime de ferimenlos ; An-
tonio Pinto de Rezcnde e Roberto Jo Vi-
ann, por furto de cavallos ; Diogu Jos de
Itrito, por tima morie feila no termo dol.i-
niociro : ludo no dia 11 do rorrelo.
O delegado do lermo de Flores, partici-
pou-me, por olficio de 12 do corrente,|quo,
no da 23 de dezembro ultimo, (rayndo-
se urna bhga cutre o carcereiro da respec-
tiva r.i le i, Lili! Car neiro .le Al] Irado, o o
soldado do corpo do p.dicia Joaquim da
Silva lles, fra este morlo por aquelle, que
ia i a pouco leve igual o lo, por haver re-
sistido a patrulha do polica que o preten-
da Capturar.
Doos guarde a y. Exc. Secretaria da
polica do Pernambuco, 22 de Janeiro de
180 Illm. e Exm Sr. Honorio Menucio
Carneiro LeBo, concelheiro de estado, pre-
sidente desta provincia. Jos Nicolao He-
ijueiraCosla, cnefe de policia interino.
I'tssont lioie despachadas com pustaporte por
esta reparlicSo.
Par o Rio-de-Janpiro, Napoleo Gabriel
Bez, ci lado Franccz, levand) em sua coin-
panbia seu criado Francisco Anlonio de Li-
ma, subdito l'oriiigu / ; Raquel, escrava
do Jos Joo do Amorim ; a parda Bernar-
da, escrava de Jos Coelho da Rocha ; Pe-
dro, escavo de Uernardino Martins de Al-
mei'la.
Secretaria da policia de Pernambuco, 22
do Janeiro de 1850.Antonio Jos de Freilas,
primeiro amanuense. '
gar para cima de 2,500 saceos, e que nfio
demande mais de 15 palmos fjouco mais
ou menos : a tratar ao lado do Coi po San-
io, loja de cabos, de Miguel Antonio da Cos-
ta e Silvs.
- Para o Rio-de-Janeiro partir, com
muita brevidade, o pitjcho brasileiro /--
luna, do lote de seis mil arrobas : tem me-
lado de sou carregamento engajado : para
o restante trata-si com Firmino Jos Flix
da Rosa na ra da.Senzallt, n. 42.
JLeiloes.
* C. J. Aslley i C. farflo leilflo, por inter-
ven;So do corretor Oliveira, de grande sor-
timento de fazendas inglezas, eoutras, para
uliimacflo de certas contas : quarla-feira,
23 do corrcnle, s 10 horas da mandila no
seu armazem da rui do Trapiche-Novo.
- O crrelo Oliveira far leilSo, por or-
dem e em presen;* do Sr. cnsul da rep-
blica franceza, dos hens do finado l.ois Vc-
tor Dosenclos, subdito francez, consislin lo
em mobilia, inclusive artigoa de escripto-
ri.i e machina de copiar cartas, trem de co-
zinba, instrumento de agricultura, falo
calcado, livros. dous excellentes relogios
de ouro, um com a competente correte,
3depsitos d'agoa, proprlos para jardn],
um par de pistolas, 23 pipas de ago'ardeo-
te, duas ditas de espirito do vinho, 18 ditas
vazias com o competente funil, bomba, me-
didas, ole: sexla-feira 25 do correnle, s
10 horas da manhSa, na ra do Brum, em
Fra-de-Portas, casa contigua a fundiciio
de llowman & M. Cal I ii ni.
Avisos diversos.
Avisos martimos.
___________-----------------
-- Para a Baha sabe impreterivelmente
quinta-feira, 24 do corrente mez, a sumaca
l-'lor-do-Anqilim, por ler o seu carregamen-
to prompto : recebe tilo rnenle passagei-
ros : traia-se com o mestre, Bernardo de
Souza, ou com Luiz Jos de S Araujo, ra
da Cruz, n. 33.
Para o Aiacaty pretende sahir em pou-
cnsdias a sumaca Carlota, por so achar
rom tres_parles da carga a burdo : para o
i es'a ii le ".la carga e passigeiros ir ata-so
com o mostr, Jos encalves Simas, ou
com Luiz Jos du S Araujo, ra da Cruz,
n. 33.
Para Lisboa, com escala pelo Porto, se
dispe a receber carga o bem conhecido
brigue portuguez ConceicHo-1'lor-de-l.iiboa,
e a sabir breve, para o que tem engajado
urna parte do caTegamenlo : quem no mes-
iri i quizercarregar, ou ir de passagem, po-
de entender-se com o capilSo, Joflo Bnrges
Pamplona Jnior, ou cotn os consignata-
rios, Amorim Irmflos, na ra t)a Cadeia,
n. 39.
Para o Rio-Grande do sul segu viagem
neslesdiaso patacho nacional ulerpe, ca-
pito Manoel Luiz dos Santos, por ter o seu
carregamento prompto, podendo tilo g-
menle roceber algumas miudezas, passa-
geirose escravos a ir. I-: trata-se com Luiz
JosdeS Araujo, na ra da Cruz, n. 33,
ou na ra de Apoilo, armazem n. 14.
Para O .Macan lia o o Para
sahe impreterivelmente no dia 25 do cor-
renle a veleira escuna nacional Emilia, ca-
pitflo e pralico Antonio Silveira Macicl J-
nior: para carga e passageiros, trata-se at
o dia 24, com o ca, icio na piuca do Com-
inee i o, ou na ra da Cruz, arma/em n. 13
Vende-seo hiato nacional S.-Joo, Tun-
deado ao i do trapiche do algodflo, promp-
to de ludo para navegar para qualquer par-
te : qunm o pretender comprar, pode exa-
aiiua-lo, e para tratar na ra Bella, n. 30,
ou ria ra do Trapiche, n. 34.
Compra-so un navio, patacho, brigue
ou polaca, sendo de boa conslruccflo e
prompto a seguir viagem, devendo carre-
^emprc que os habitantes
desta capital receiam que a clera
divina, provocada pelas reitera-
das e graves culpas da mor parte
delles, se prepara a feri-Ios mor-
talmente, hio invocado com suc-
cesso o patrocinio do milagroso
San-Sebasti3o, fielmente repre-
sentado pela respectiva imagem
erecta na matriz doSantissimo Sa-
cramento da Ba-Visla. Firmados
na experiencia de longos anuos a
mesa regeddra da irmandade da
mesma matriz leve a feliz lem-
branca de fazer trasladar a referi-
da imagem, no dia 2o do corren-
te, para a igreja de Sin Goncalo,
e tencioha reconduzi-lopara o seu
nicho habitual a 4 de fevereiro
prximo futuro com a solemnida-
de devida & to insigne interecs-
sor dos pecadores. Keleva, pois,
que, durante a estada da mesma
imagem em o segundo dos men-
cionados templos, todos os fiis
ebristos Ihe vo enderecar fervo-
rosas supplicas pela dcsapparico
dos males que nos affligem, bem
como aos demais -habitantes des-
te -imperio e que, no dia apra<
zado pata a sua volta, ovoacom-
panbar, em testemunho de grati-
dao pelos beneficios que elle ne-
cesariamente Ibes ha de otor-
gar.
OSr. Ilenrique Jo e reine de Souza
Itangel queira por favor apparecer na ra
da Cruz, no Itecife, n. 57 ou 63, para so tra-
er de negocio : isto com brevidade.
Theatro de Apollo.
A commissSo administrativa da rompa-
ulna de accionistas avisa a estes ltimos
Srs. que. acdindo-sa promptas as apolices
do segundo ompreslimo para a edifiracSo
do mesmo theatro, tem sutorisado ao seu
primeiro secretario para a competente en-
trega desses ttulos, a qual ter principio
boje, 21 do crtente, continuando lodosos
dias uteis at 9 de feveroiro futuro, desdo o
meio-dia as i huras da tarde, na casa n. 6,
defronto do Trapiche-Novo ; e sera feila s
propriai pessoas a quem aquellas deverem
pertencer, em vista dos respectivos docu-
mentos que comprovem a sua propriedade.
flfopateodo Carino, n. ,lo, precisa-se
de urna ama 'para comprar e fazer o mais
servido interno de urna casa de pouca fa-
milia.
* O abaixo assignsdo desoja saber onde
mora o Sr. Manoel Vieira dos Santos.
Jostfieira dos Santos.
~ Os Srs. Joio de Carvalho e Jos de Car-
valho queiram fazer o favor de dirigrem-
ae ra do Queimado, n. 30, realsarem ne-
gocios que Ibes nilo s3o eslranhos ; senlo ,
se farlopblicos.
-- Arrenda-se um sitio na Torre, com
muilo boas trras para plantajes e para
sustentar 4 vaccas de leile annualmenle,
com baixa de capim o mais commodidades,
por commodo piego : na travessa da /ua da
Concordia, n. 5.
0 abaixo assignado deu sociedade na
sua venda da ra da Aurora, n. 48, ao seu
cuuhado Joaquim llapliael de Lima, desde
o primeiro de Janeiro "de 1850, ficando a
dita venda gyrando na lirma de Silva &
Lima. Bernardina Jos da Silva.
A pessua que' annunciou querer urna
senbora para ensinar utna menina em tr-
ras de Ipojuca, dirija-se ra Imperial,
n. 34.
Francisco de Mello relira-se para a
ilha de S.-Miguel.
*Luiz Jos do Magalhfles, resiliente na
cidade do Para, tem de retirur-se para Por-
tugal,e como so Julga nada dever a esta piu-
ca i mas se alguma pessoa se julgar aua
credora, baja de presentar sua cunta, no
prazo de mto das contados desta dala, pa-
ra ser paga na praca da lloa-Vista, n. 13, ca-
sa de Antonio Jos dc.Magalhil.es.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra larga lo llozario, n. 40, concertado
e preparado de-novo : a tratar na loja do
mesmo sobrado. ,
-- O baclurelManoel Joaquim de Miran-
la Lobo faz certo ao seus amigos do Olinda,
e a quem convior, que elle contina, a resi-
dir na ra do ltom-Sucesso, casa terrea n.
14, e que smente sua familia foi que se
mudoupsraa ra do S.-tiento di mesma
cidade. i
OSr. Jos Brazelioo da Silva queira lera
bondadedo virou mandar pagar o importo
de sua letlra que se aclia vencida, o nao
ignora a quem.
Precisa-sede urna preta captiva para
ama de urna casa eslrangeira, que atiba
engommar : na ra do Trapiche, armazem
u.44. *
Roga-se ao Sr. Dr. A. J. do S. G. que
quoira ter a bondade de ir na loja de fazen-
das da ra do Passeio, n. 21, pagar a qua ti-
lia de 137,121 rs. saldo da sua ledra quo
aceitn no da 28 de marco de 1839; do con-
trario, ter de ver o seu notne por extenso
nesta folha at que emboles a dita-quantia.
O Sr. Theodoro Tavaros Junior queira
ter a bondade de ir na loja de fazendas da
ra do Passeio, n. 21, pagar a quantta de
39,684 rs., saldo da sua letlra que aceitn
nouMa 17 do selembro de 1836 ; do contra-
rio, ter de ver o seu nome at que pague a
dita qantia.
Koga-sea qualquer pessoa e especial-
mente aos Srs. relojoeiros, a quem for offe-
recido um relogio com caixa, saboneta, de
rala lavrada, com os eirhos dourados, ma-
china cylindro, mostrador de prata esmal-
tado, trabalhando sobre qualro diamantes e
n. 4,933, queira toma-lo, pois foi furia Jo
salibado deiflanhSa, 18 do corrente, da pa-
llara do.Sr. Barrellier, no Aterro-da-Ba-
Vista, e lvalo ao rnesmo Sr. que genero-
samente recompensar.
O padre Francisco JoSo de zevedo
participa aos pas de seus alumnos a
quem convier, que se acliam abertas as au-
las do seu tstabuleciinenlo no segundo so-
brado do caes do llamos, onde lambem re-
cebe pensionistas e oieios pensionistas,
prometiendo desvelar-se no tralamento dos
alumnos que frem confiados a sua direc-
qSo, e promover o adiantmeoto dos mes-
mos.
OSr. a 1 reres Al.
tcnlia a bondade de mandar pagar os 23,00o
rs. que devo na loja da rus do Crespo, n. 16.
--Para a provincia do Para ou Mara-
nhilo se offerece um Pernambucano que
tem muita pratica para administrar enge-
nho, sogundo o usa de muitus anuos, en-
tende bem da agricultura da canna, de fa-
bricar e retinar assucar; tambem enlende
domachanisinode engenho de moer com
agoa, ou animal ; faz asscnlameutos, e em
sua pessoa se descol.rem outras muita* ha-
bilidades. 0 annuncianto tem familia.
Quem de sou prestimo sequzer utilisar, an-
iiuncie, pois o mesmo far todii o negocio,
dando informado de sua conducta.
-- O abaixo assignado, propietario do
engenho S.-llosa, avisa a quem qtier que
comprar, ou arrendar o.engenho Mammu-
caia, se mo illuda com o terreno deste pe-
queo engenho que se ha utilisado mu lis
vezes das trras e mattas do S.-liosa ; cujo
favor, ou descuido nilo pdem, nem haue
continuar como at agora, o que so ante-
cipa e adverte para evitar conteMaQdns ou
equvocos. -- Antonio da Costa Nogwira.
Precisa se de um feilorque satba tra-
biilhar de hurta, pomar o encherlar: no
Aterro-d-Iloa-Vista, n.43, ou na Magda-
lena, estrada da Torre, n. 78.
I'rccis i-se de um obrado de
um andar, ainda mesmo com pon-
eos commodos, para morada de
um estrangeiro sem familia no
bairro da Boa-Vista at a Trein-
pe : na ra do Vigario, n. !\.
- Traspassa-seo airen.lamento de um
engenho porto desta praca, com safra para
9H0 a 1,000 p.les, 20 animaos de roda e 8
bois mansos : quem pretender entenda-se
com Joaquim Carneiro Machado Ros.
Precisa se a lugar urna preta que saiba
lavar, engommar e coser, para una cata
eslrangeira ; na ra do Torres, n. 34, das
II horas at s 3 da tarde. Na mesma casa
tambem se precisa alugar um prclo que
entenda do servido interno, e saiba tratar
de cavallos.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado
da ra da Senzslla-Velha, n. 70, com bas-
tantes coninindos: a tratar no primeiro an-
dar do mesmo sobrado.
--Pcrdeu-se urna pulceira de ouro com
urna pedra encarnada fina, desde o laigo
dos Marlyrios, becco do mesmo nome, pa-
teo do Terco, Cinco-Pontas a voltar para
ra Augusta : a pessoa que a achou, ou que
a tivercomprado dirija-se ra Augusta,
primeiro sobrado dos quatro do Muniz, on-
de ser gratificada toda a despeza.
lu olante descoberta
para os denles
M. S Mawson, cirurgiSo dentista, chega-
do ha pouco de Inglaterra cum destino aos
portos do sul, pelos poneos dias que tem
re demorar -se aqni, olTerece seu prestimo
a aquellas pessoas que precisaren) dos soc-
corros de sua arle: para o que pode ser
procurado no Hotel-Francisco.
0

m
IIOMOEOPATHIA.
10 O consultorio homccopatdico de
(Jf, Pernambuco est aberto lodos os dias
f> desde as 8 horas da manhflu at as 4
|B da tarde.
ffi Advertese as pessoas que quize-
*- rem usar da domrnopalhia, de dlri- 9
4 gir-se no mesmo consultorio e enten-
.; der-sc cum o director JuSo liaptista
4 Casanova.
Alguns curiosos andam as casas
4 particulares ofTerecendo administrar
a homecopalhia em nome do cnsul- qp
% tono, estes curiosos facam as especu- >
% lacOes como melhor o entenderem, #
4 mas n.lo se sirva m do nome do con- $)
4 sultorio, porque no consultorio no fc)
? exislem agentes nem cacheiros, vis- 9

4 tra por meios do agentes ou caclut- 0
% ros. k)
Consultorio homceopathico de Per- tf
K) namhuco, na da Cadeia de Santo- #>.'
4 Antonio, n. i.
?


--Os senhore Jos Joaquim Ferreira,
Manoel Joaquim Ferfeira e Antonio Joaquim
Ferreira, teem oartas do Porto: ni pracmha
do l.ivramenlo, sobrado de Manoel Joaquim
Ferreira. j'
I. Ch. Keller rtordorf, tendo de retirar-
se para Frunce, o nopodemlo despeUir-se
ressoimente de todos es seus amigos pela
brevidade da viagem e os seus muilosna-
zeres, por isso Ules roga o desculpem fies-
ta falta involuntaria, eofferece o seu limi-
tado prestimo, nflo so em Franyi, como em
outro qualquer lugar da Kuropa, aonde se
possa adiar.
Oaltaixo assignado, subdito portuguez,
retira-se para Portugal. -- loi aria da
Coila.
-- Jos Antonio de Carvallio embarca pa-
ra os porto fio su I a sua osera va de-nomo
Fortunata,de nacilo Angola.
Francisco Jos Fornajides Peres, subdi-
to Portuguez, retira-se para fra do im-
perio.
I)escja-se fallar, com o Sr. Jos Xavier
Carneiro Itodrigues Campello, a negocio do
seu interesse : na ruada Cadeia do Itecife,
luja de fazendas, n. 51.
O procurador da igreja de
Santo-Amaro das Salinas de novo
annuncia, que a festa do glorioso
sanio lie impreterivelmente no lio-
mingo, 27 do coi rente, tendo se-
ment vespera u dia.
Aluga-seo segundo andar da esa, 11.
72, da ra lo Ranga!, confronte a botica,
com bons commodos para familia : na ra
da Cadeia do Recife, 11. 48, lercei o m lar
-- O Sr. mejor Manoel Goncalves da Sil,
rasado com urna seiihora da familia dos
Cuaranas, da fregueziadeMuriliba.da pro-
vincia da Babia, tem urna carta de seu ir-
mflo, da mesma freguezia, na ra da Ca-
deia do Recife, n. 3, primeiro andar.
O abaixo assignado, labelliao do ter-
mo da cidaito dcOlinda, tendo tirado em
publica forma a demarcarlo do engenho
Poco, da freguezia do Pao-d'Alho, cujo au-
to Ihe oi apresentado, tem agora noticia,
que se sirviram de sua lettra e signal para
subscreverem e assignarea urna certidflo
do mesrao aulo de demarcado, ou de mi-
tra quslquer cousa, para flus que o annuu-
ciante ignora, requerida ueste juo muni-
cipal por Manoel Flix da Costa, tendo sido
sellada dita cerlidffo na collectoria desta
mosma cidade no dia 7 de janei'o corrente,
pagando o serlo de 3,520 rs.; por isso avisa
a quem convier, que so he verdadeira a di-
ta publica forma cima dita, escripia e as-
signada por sua propria lettra, e que a men-
cionada certidno he falsa, pois que nao a
subsereveu e nem assignou ; e para que
chegue ao conhecimenlo de quem convier,
e a conducta do annunciante aparece sem-
pre ilibada. faz o presento annuncio, e o
mandou publicar, inda, 21 de Janeiro de
1850. Joaquim Jote Cyrinco.
Precisa-sede um feitor de boa con-
ducta, pira um sitio no Manguinho : a tra-
tar na ra da Ciuz, n. 2.
Offerece-se um muco portuguez para
caixeiro de qualqucr estabelecimento, o
dual d fiador a sua conducta: quem de
sen prestimo se quizar utilisar, dirija-so
ra de S.-Jos, n. 2.
Ufferecc-so urna ama Sf-cca para casa
capaz : quem de seu prestimo se quizeruti-
lisar, dirija-se i ra das Flores, n. 7.
Aluga-se a excellenlecasa pertencen-
te ao Exm. Manoel de Carvalho l'aes di
Andrade, sita dentro do sitio do mesmo
Exm. Sr. no Corredor-do-Bispo : os pre-
tendentes dirijam-se ao corretor Oliveira.
O autor do annuncio de sabbado, 19
do correte, responde aoSr. Jos lirazeli-
110 da Silva que so o convidou por c^lc jor-
nal para que viesse pajaro importe de sua
lettra que eslava vencida, fol por ler o mes-
mo Sr. cima respon ido a pessoaqtie Ihe
apre.seiili.ua lettra quea nao paga va, porque
no lempo em que rontrahio esta divida,
tinba casas pagas, almoco, jantar o seis, 1
que nflo linda pago nesse lempo, como pa-
gara agora, e que o dono da lettra n clia-
masseaojuizdepaz ; forcoso he dizer ao
Sr. Rrazelino quo Smc. nfio tencionava pa-
gar este debito, segunde a sua resposta, e
o meio por que contrahio esl 1 divida.
--Precisa-sede um menino com princi-
pios de pharmacia, ou sem ella ; no Alcrro-
da-Boa-Vista, botica n. 76.
Lotera da matriz da Boa-
Vista.
0 respectivo Ihesoureiro, M. noel Gonca-
vcl da Si'va, pretende nflo illu'ir a expec-
tacflo do publico com annuncios imporlu-
11.is do andamento das rolas desta lotera ;
esforcar-se-ha quanto couberem suas for-
jas para com a possivel presteza annunciai
o dia, aiem do quai nao devera passar a os
peranca dos compradores ; porque ontende
queaessa illusilo em que alguns teem pur
vezes detxado o respeitavel publico, se de-
ve essa especie de descrdito, que tanto
lem demorado o andamento das nossas lo-
teiias ; por isso limila-.se por ora a annun-
cniravenda dos bilheles, e a extrahi-los
com todo o empenho, aflm de poder asse-
gurar aos compradores o dia em que deve-
r ella imprelerivelmenlo correr.
A vanlagem do plano ja publicado e oim
religioso uaia que foi esta lotera concedi-
da, convida e seduz os tentadores da surte
1 concn eiem sem demora para a compra
dos nmeros que Ules preparam a suave
equisiefio de bous da fortuna, sem risco
do grande capital, e com o importe smen-
le da diminuta quanlia de 5 ou 10,000 rs.
porpoucos das.
Desde ja achar-sc-hao os bilbetes: no
Recife, lojas do Ihosoureiro e do Vieim
cambiis ; em 8.-Antonio, botica de Jolu
Moreira Marques, 110 pateo da.Matiir, e de
Francisco Antonio das Chagas* na ra do
l.ivramentu ; loja de iiernarJino Jos Mon-
ten o, pr.iciiiha do Livramento, n. 44 ; no
Alerro-d.-iloa-Vi-.la, lojas de GuimarSes,
11. 44, e do Iiuarle Uorges da Silva, n. 18.
Candido los Lisboa.
piincipiara a leccionar primeiras lettras,
ln.gua nacional, franceza, lalim o msica
no primeiro do feveieiio do corrente, tan-
to eui sua aula, na ra do Apollo, com poi
casas particulares.
Prerisa-se alugar um preto que enten
da alguma cousa do cozinha, para urna c>-
sa fruiiceza : na ra do Trapiciie-Novo, ar-
mazn ns. 20 e 22.
--O abaxo assiguado abri en casa de
seu pai, na ra da Florenlina, n. tt, urna
aula para desenho lenear, architectura, or-
namento, perspectiva e con.strucc.1o. He
desnecessario gastar palavras para fazer
sentir ao publico a coaujuvac.lo que aquel-
las artes prestam as diversas industrias
que dolas estilo em inteira dependencia,
t) annunciante fez a sua edcacSo em Pars,
enasta cidadetamdado exhuberantes pro-
vas de sua pericia, j em seus trabalhos
particulares^ j como meslre da soeedade
das a res mechanicas, e i* como professor
que foi no collegiodos orphflos, em o qual
emprego flzeram seus|dscipulos reconheci-
dos progressos, deque existem provas na
assembla provincial, a quem fram paten-
tes os respectivos trabalhos. -- Francisco
Manoel Berangir.
Antonio Jos do Nascimento rotlra-se
para a Bahia.
Quom precisar de um administrador
para engenho, longe que soja da praca, di-
rija-se i ra Direita, n. 42.
Sexta-feira, 25 do corrente, por ser a
ultima praca, se ha de arrematar a porta do
l)r. juiz do civel da primeira vara, renda
do engenho Barballio, coui seus accesso-
rio?, moente e corrente, por execuefto de
Paulo Caetano de Albuquerque, contra
J lio Baptista Pereira Lobo.
--A pessoa quedistrihue em nono de Fe-
IicidadeJMaria da Cpnceicilo.a esoriplora da
compra de urna caznha de tiipa na villa du
l.imueiro, quoira aparecer no cartorio du
tab llio Costa Monlciro.na rila das Cruzos,
quanto antes : a bem da mesma compra se
fazo presente, que servjr de preveneflo.
Novo melhodo prticoe
theorico da lingoa fran-
ceza, ou artefacilima .
de aprender com perfeicrto e em pouco lem-
po a fallar, traduzire escrever o francez.
Ninguem poder negar a utilidade da
lingoa francoza, por quanto que sendo ella
huje universal, rene em si urna maviosida-
de inaudita, urna excallencia que Iho he
propria rolla he abracada sem a tnenor exi-
lado por todos os povos do mundo conde-
cido, por isso os grandes homens do seeu-
lo pies -nte teem envidados os seus ex|pr-
cosafimde que ella faga longevos sobre a
trra, e para prova de urna tal assercSo
mnito bem disse o Sr. Serene indispen-
cavel muitos a lingoa franceza he de
sunima utilidade para todos.
As pessoas, pois, que reconhecendo estas
grandes vantagens, c nflo estando em posi-
cSode subjeitarem-so ao tirocinio escho-
lastico, sem duvida desejaro encontrar um
meio fciles comino.lado para consegui-
rem esta instruccHo, poupaudo d'est'aite a
fastidiosa tarefa de esludar de cor verbos
o signifcalos, qual a da gramraalica do
Sr. I.ni/. Antonio Rengaim, dada a luz lti-
mamente no Rio-de-Janeiro, e de que mul-
to elevad) cooceilo faz o nosso encllente
professor, o Sr. duutor Jus Soares do Aze-
vedo.
Avisa-se, portanlo, aos amadores da men
clonada lingoa que ditas grammaticas se
"Cham a veoda na praca do Commercio, n
2, p'imeiro andar.
o o
> Alugam-se evendei-se as verda-
(?) deiras bixas de llamburgo : na prar;a q
0 da Independencia, 11. 10, ao voltar /
m para a ra das Cruzes. <^
- Aluga-se urna excelli-nte casa terrea
a ra da Mangueira : a Iraar na ra larga
do Rozario, n. 38.
Fabrica de asphalto, Fo-
ra-dc-Portas, em fren-
te aocliiiriz da rua do
Brum.
O proprietario tem a honra de annunciar
ao respeitavel pulilico esta composi<;8o an-
da nflo condecida nesta cidade, e que se
aclia pronipto a trabalhar em tola a qual j-
dade de obra que admita a massa denomi-
nada asphalto, como soja ladrilhar casas
terreas, terracos, armazens, passoios de
ras, igrejas, tanques, etc. Fsta composi-
cBo he forte como a pedra e de grande uti-
lidade, desviando de si o daninindo copin
e os ralos, e oflerecendo mai-i a vantagem
de ser muito saudavel para as senhoras,
pudendo sem recen algum senlarem-so
se:n que Idos seja precisa alcatifa. A mes-
ma composictfo a 1 mil te o'iros embutidas e
fixas, podeodo-se lavrfr sem que largue as
corea. Assim tambejn se l'-iz flores de cores
e de pedra, etc. O proprietarioesi mu
do de to la a fon-amonta, um bom meslre da
arle e gente bem habilitada no dito traba-
Iho, como pode mostrar com obra ji leila
nesta cidade. Para tratar, dirijam-se ao
lugar cima mencionado.
1 DEPOSITO GEWAL
.* do superior rap areia-preta f
9 da fabrica de Gantois Pai- s,
M l/iel&c Coiupanhia, na Ba- |
w hia. a
i/;, Domingos AlvesMalhetis, agente da %
$ fabrica de rap superior aroa prela *
$ e meio grosso da Bahia, tem aberto o ^
seu deposito na rua Cruz, no Itecife ^
? n.52, primeiro andar, onde se achara :'a)
a> sempre deste excellentee mus acre- c%
?/,) ditado rap que at o presente se tem >'
jj fabricado no Brasil: vende-se em lio- |
a^ (esdeumae meia libra, por prego *
ty mas commododo que em outra qual-^
X quer parte. ^
i
Chapeos de sol
Rua do Passeio, n. 5."
m
Neata fabrica ha presentemente um rico
sorlimento destes objectos de todas as co-
ros e qualidades, tanto de soda como de
panninho, por pr. eos commodos ; ditos pa-
ra senhoras, de bom goslo : estes elopis
silo folios pela ultima moda ; seda acamas-
cada com ricas franjas de relroz. Na mes-
ma casa se acha igual sorlimento de sedas,
e inmundos miando sedas, para cobrir ar-
maedes servidas : todas estas fazendaa ven-
dem-se a porgflo earetalho: concertam-sc
3uaesquer chapeos do sol, lano de basteas
e ferro como de baliia, assim cumo umbe-
las de igreja : tu Jo por prego com modo.
O abaixo assignado, proprietario do
Hotel-Commercio, tendo breve de retirar-,
se para Portugal a tratar de sua sale, por
conselhosde seus professores assistentes,
tem resolvido entregar a adminislragJo do
dito estabelecirrenlo a algumii pessoa in-
telligenle e zelosa, e que garante a sua pro-
bidade; o abaixo assignado nflo ter duvi-
da de vendero referido estabelecimento a
dindoiio mi a prazo, com responsabilida-
de iiloiiia, se porventura nflo houver quem
pretenda administra-la'com lucro vanta-
joso. lie presente o estabelecimento conta
de assignatura mensal de cornedonas para
mais de 1:500,000 rs. e excederla se con-
viesse nflo regeitar mais numero de assig-
nanles : quem pretender a administrogflo,
ou compra do referido estabelecimento, di-
rija-se ao abaixo assignado a qualquer ho-
ra do dia.l'ranciico SmOts da Silva Mafra.
Affonso Jos de Oliveira, professor ju-
bilado na cadeira de geographia e historia
do lycou desta ci.lade, propOe-sc a ensinar
gramWatica latina, rhotorica e geographia :
as pessoa que de seu prestimo se qui/.n-
rem utilisar, | le.n procura -lo na rua i-
reila, n. 120, segundu andar.
tes, defronte da rua de Santo-Amaro, n. 59. .tambem se ven lem barras e giiarnigois, sa-
-Compram-so 2 primeiros, tomos das I paradas, e como meldor o comprador qui-
oragoes de Cicero, ou 'duas obras inteiras zer. "
Xarope do bosque
para cura da phlbislca em todos "9 seu dille-
rento cVos, qur inolivala por comlipa-
efie, los*c, aslhpia, pleuri/., esearroadesan-
eue, dor de costado e pfito, palpltavao no
coracao, coqueluche, broncliite, dr na gar-
ranu c toda a molestias dojuigaoj pulul-
lo mesmo aulori usatlas : na Boa-Vista, na
rua da Mangueila, n. 5, ou annuncie por
esta Tolda.
--Coinpra-se urna sella o um sildflo em
meio uso : as Cmco-Pontas, n. 71 : quem
tiver annuncio.
Compra-se o Diccionario inglez de
Vieira, em formato grande ; a Historia ro-
mana em'inglez; (oldsmild, embornes-
lado : na praga do Corpo-Santo, n 2.
Compra-se a msica polka amaricana,
copiada para piano: quom tiver annun-
cie.
Vendas.
Almanik
DOS
0FFICIABS DA 1 CLASSE DO F.XERCITO :
ven.e-so por 2,500 rs. cada exemplar : na
livraria ns 6e8 da praga da Independen-
cia.
ROW.MAN & MC. CAI.I.U.M, engenhei-
ros machinislas e fundidores de forro, tnu-
respeitosamente annunciam aos Senhores
propriolanos ileengendos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fadricantes e ao res-
peitavel publico, que o seu estabelecimento
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em effeciivo exercicio, e se aeda com-
pletamente montado com appareldos da pri-
meira qualidade para a perfeita confecgflo
das maiores pegas de maedinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmento chamar a
attengiio publica para a sseguinles, por
terem dellas grande sorlimento j prompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas em pai/. es-
trangeiro, tanto em prego como cm qua-
lidade da materias primas e inflo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhrrconstrucgflo.
Moendas de caima para engenhos do lo-
dos os lamauhos, movidas a vapor por agoa
ou animaos.
Rodas d'agoa, moinhos do vento o serra
rias.
Manejos ndependenles para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguildos, bronzes e chumaceiras.
Cavillies e parafusos de lodos os lama-
uhos
Taixas, pares, crivos o boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a inflo ou
por animaos, e prensas para a dita.
Chapas de fogflo e Ionio-, de farinba.
Canos de ferro, torneiras du ferro e de
brnnze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mflo, por animaos ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varsndas, grdese portes.
Prensas de copiar cartas o sellar.
Camas, cairos do infl e arados de ferros,
etc., etc.
Ali'in da superioridaile das suas obras, j
gerlmenle reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes o dezenhos remedidos
pelos senhores que ;se dignarem de fazer-
Ihes encoiumendas, aproveilandoa necasiflo
para agradeccrcm aos seus numerosos ami-
gos e licguezes a preferencia com que teem
sido por ellos honrados, e asseguram-lhes
que nflo pouparflo esforcos e diligencias
para conlinuarem a merecer asuaciiiili-
anga.
IS ('falos.
Cincinato Mavignier, retratista, leu lo
merecido sempre do benigno publico toda a
protocgSo, pretende em signal de muita
gralido continuar a retratar com todo o
esmero possivel aquellas pessoas que a osse
lim se propocrom, prometiendo a boa exe-
cueflo em ludo quanto se requer, para apro-
vagiio goral do mrsmo publico, a quem ser
eternamente grato. O annunciante declara
que vai abrir urna grande nula de desenlio
* pintura a podido de muitos du seus ami-
gos, e para esso lim, aquellas pessoas que
so qui/.ciem utilisar de sous flacos ensillos,
pdenlo dirigir-so a travessa do Carmo,
n. 1, segundo andar, das 10 horas da ma-
ndila s 4 da tarde.
U bacharel A. R. de Torres
Bandeira, rirofessor adjuncto de
rhetorica e geograpliia no lyceu
desta cidade, se propoe a dar li-
coes das mesmas disciplinas, e
bem assim de pbilosophia o fran-
cez : quem de seu prestimo serjui-
zer utilisar, pode dirigir-se i casa
de sua residencia, ta rua estreila
do Hozario, sobrado n. 41, segun-
do andar.
lobilias de alugucl.
A i iigam-se cadeiras para bailes e cilicios ;
tambem se alugam mobilias a voctado dos
pretendeules : na rua Nova, n. 59, arma-
zem de trastes, defronte da rua do B.-
Amaro.
NA BIJA DA CADICIA DO RECIFE, N 21,
LOJA DE CAMBIO DA VIU'A VIEIRA
& FII.IIOS.
Lotera d Hio-dc-
Janeiro.
Aos 20:000.000 de rs.
Pelo vapor Bahiana, recebemos os muito
afortunados bilhctos e meios ditos da 12*
lotera a beneficio dotheatro ile Nictheroy,
cujas rodas deviam andar no dia 8 do cr-
renle.
PRECOS
Bilheles 22,000
Meios 11,000
O'ixrtos 5.500
Oitavi.g 2,800
Vigsimo 1,300
-- Confronte ao oit.to (lo l.ivramenlo,
gue,
cora(
Hiinta i
"ar< AGENTES GERAES NO BRASIL,
RIO-DR-JANEIBO, n* no HOSPICIO, Tt. 40.
Sub-agenln:
Baha, o Sr. Lima Irinao.
I'ern iinlmco, os Sr. Novae fi C.
CtaraV, o Sr. Hrnrique Bllery.
Macelo, o Sr. Diogo lliirnclt.
Maranhao, oSr. Jo Domingos Catro k C.
Para, oSr. Alfrede lireloir.
Rio-Grande do ul, o ir, Antonio Teiaelra
Pautares.
Campos, o Sr. Eugenio Bricolens.
Porto-Alegre, o Sr. A. Cornett.
S.-Paulo, o Sr. llenrlque Fox.
Parauagu, o Sr. Joo Crostsn.
Porto-das-Cnlxas, o Sr. Nev & Tinoco.
Ciilade do Paracat (profncia de Mina), o
Sr. Joiio Jos do Santa-Anua.
Porto da-Estrella, o Sr. Franchco Alvcs Ma
chado.
Santos, o Sr. Sabino de S Vasconcollo.
Desterro (Santa-I atharinaj, o Sr. Jos Gon-
calves dos Santo Silva Jnior.
Porto, o Si. Charlo John Kunharat, rua dp
S -Miguel, o. 47.
Lisboa, Sr. JosMaiia Barral, ruadoOuro,
n. 230 e 231.
Lembrar-ie-ha o publico que cada garrafa
tem dous papis com a propria asilguaturadoi
agente* B.C. Tales/d C., um na garrafa com
una perfeita direcela sobre o modo de uar
doli, c outro no papel iuvolto.
Pode sor mandado com toda a segundado
para qualquer parte do imperio. A' urden-,
exrcuiam-se pontualmente.
Veode-se na rua dos Quirtois, n. 12.
Charutos de Ha va na
verdadeiros :
vendem-se em casa de Kalkmann lrmUos,
na ruada Cruz. n. 10.
-- Na rua das Cruzos, n. 22, segundo an-
dar, vemem-se Oescravas, sendo : urna lin-
da crioula de elegante figura, de 20 annos,
que en-omina, cozinha, lava, e que no
tem vicios nem achaques ; um ptimo os-
era vo para o servido de campo; 3 pretal"
ptimas quitanJeiras ; 1 moleque de 13 an-
uos.
-Joaquim Jos Moreira, como tem de rc-
lirar-se, vende o seu estabelecimenlo de
barbeiro, na praca da Independencia, n.
10, ao voltar para a rua das Cruzes.
Vende-se um sitio boira do rio.com
mais de mil palmos de frente, baila do ca-
piui para 30 feites por dia, com grande ca-
sa moderna, conioii.lo duas salas grandes,
ladorna n. 4, vaode-M uma molecola de tfi
a 18 annos, com principios de engom.nar,!
ensere cnziiihar bem, propria s para ser,
rocolhida. Na mesma taberna precisa se gabinetes, 2alcovas, 3 quarlns o cozinha;
Compras.
-- Compra-se un a prela qne seja perfei-
ta costureira e eugotnmaeira : agradan-
do paga-se bem : no Aterro-a-Boa-VUla,
n. 18, loja.
Compra m-se escravosde ambos os se-
xos, de 10 a 40 annos : pagam-se bem : no
pateo do Carmo, n. 18, piimeiro ailar.
(.'onipra-se toda a qtialid-
dn de trastes usados, c tambem se trocam
por novos : na rua Nova, arnuzciu de tras-
;illi::n llnl pela, ll.osllli dl'ld.lilo, para
comprar e cozinhar.
Luvasde pellica a 1,000
rs. o par.
Vondem-p luvas de pellica de muito boa
qualidade pa-a senhnr, a 1,000 rs. o par;
igualmente para homem, brancas,a 1000 rs ;
o de rrtres a 1,5>0 r.s. : na rua do Queiinado,
loja de miude/as, n. 16.
Ricas fitas.
Vendem-se as melhoivs qualidades o :>a-
drOcs lie filas lavradas, proprias para enfoi-
tes de chapos, do sinlciros e de grvalas
para miudezas, n. 16.
Vende-se um sellim qnasi
novo com lodos os arreios : no rua
Jo Queiinado, n. p
Farelo.
Vende-se farelo, polo commodo preco de
4,0(10 rs. em taoeal grandes c do boa qua-
lidade: a visla faz fe : no armazem no p
da bolira do arco da Conceigo.
Batatas.
Vendem-se hlalas em gisos.pelo comrro-
do pieco de 1 000 rs de milito boa quali-
dade, para fechar co'.tas : no armazem
junto n hnlica do arroda ConceicSe..
-Vendem-se selljns inglezes, foilos de
couro de porco ; ditos de sola ingleza ; si-
Ihdrs inglezes para montara de senhora,
torrados de couio de porco; ditos de en-
cost, bordados ; brides de todas as quali-
dades ; estrivos de metal branco ; ditos
praleai'os; ditos de luan de modelos mais
Mioiloi i.o.- que teem viudo; cabezadas de
Indas :s qualidades; furnias de patente pa-
ra todos os lados, e que ledflo a contento
aocnmprador esperiinonlarulo-us ; e ludo
o mais que pcitoiice a loja deseleiro, por
PIpqo con,modo : na rua Nova, n. 28, de-
fronte da igreja da Conceicflo dos militares,
loja de Antonio l'eiicia d Cusa liraga.
rariithadeS -Calliarina.
A bordo do berganlim Maria-L'bania,
Tundeado no caes do Collegio, ou na rua da
Cadeia do Itecife, n. 14, vende-se a muito
superior farinhl de mandioca chegada l-
timamente, tamo em porefio como a re-
talho.
Vende-se um prelodo Angola, de 20
anuos, bom holieiro, e queco7inba o dia-
rio de una casa ; urna mulatinlia |de 12 an-
nos,,muiio nula para mucama, e com bons
principios de habilida des : na rua do Col-
legio, n. 21, primoiro andar, se dir quem
vende.
Igencia de Edwin Ifaw.
Na rua de Apollo armazem n. 6, de M. Cal-
monl & Cumpa nhia, acha-se consUnteuiente
um grande sorlimcnlo de ferragens inglezas
para engenhos de fabricar assucar, bem
como taixas de ferro cuado e batido de dif-
terenles lamanhns o modelos, mocadas
de dito, tanto para armar em madeira comqJ
rodas de ferro para animaos e agoa, ma-
chinas de vapor do lre.i de i eavallos, alta
pressSn, repartideiras, espumadeiras, ele.
de ferro estanhado. Na mesma agencia acha-
se UIII soi I menlo de pe.-os para balanzas,
escovins paia navios. Ierro em barra, lano
quadrado como redondo, salra para lerrei-
ro e uuia poreao de liula verde em latas :
tu.io por barato prep,o.
X<\ loja de Maya Hamos
& C na rua Aova, n. 6,
vendem-se papis para forrar salas, de lin-
dos goslos c de ba qualidade, sobre salan-
do entre riles urna riquissima sala toda I
dourada.com sua guampo avelludada ; I relor Oliveira,
de pe toda praca, pois de au'.es do cliegar
noPofo-da-Panolla: na rua de S.-Amaro,
II. 16. .
Ven lem-se 20 cscravos, scmlo2carre-
ros ; 4 molecotes de 10 a 20 anuos ; 3 escra-
vasde todooservico; 2 inulatindos de 15
annos, sendo um dalles bom holieiro ; duas
uegrnihas do 16 annos; dual mulalinhas
rocolhidas, que cosem o engommam liem :
na rua Direita, n. 3.
A 000 rs. a arroba.
Vendem-se hlalas do Porto :
no armazem de Francisco Dias
Ferreira, no caes ila Alfindega :
a ellas antes que se acabe a |>e-
chincha,
Queljos londrino a 640
rs. a libra.
Muito novos, chegados pelo ultimo navio:
vendem-se no armazem do motilados, atrs
do Corpo-Santo, n. 66.
Garrafas vasias:
vendem-se, em casa de Adamson llowie
6; C, pa rua do Trspixe, n. 42.
-- Vende-se um moleque de bonita figu-
ra, sem vicio nem achaques, proprio para
todo servido : na rua Di ro la, venda n. 93.
Vendo-so superior algodSo da trra,
le muito boa qualidade, a 220 rs. a vara e a
200 rs. em porcOes ; cortes de cassa-chita,
de bonitos goslos, a 2,000. 2,400 e 2,800 rs.
o corle ; lencos braiic.s de cassa, a 200 rs.
cada um ; ditos de chita finos, a 320 rs. ;
ditos para grvala do bonitos gustos, a rs.
1,600; casimiras decores, de muito boa
qualidade, a 4.400 rs. o corlo ; panno fino
piolo, do ni ni o boa qualidade; casimiras
prelas, e outras militas fazendas, por pre-
co muito commodo : nos quatro cantos
da rua do (jocima lo, n. 20, loja de Jos Joa-
quim Pe re ira de Mendonca.
Vende-se cera para lima de cheiro, a
1,000 rs. a libra : na rua do Rangel, n 52,
sobrado.
.omina de egommar.
Vendem-se sarcas com muito superior
gomma de engominar, a 9,000 rs. cada sac-
es : na rua do Amona), n 35, casa de Tas-
so Jnior.
Vende-se, ou troca-se por um bom
prelo iim pardo moco, de bella figura, a
que de ptimo para pagem : a tratar no
convento de S. Antonio desta cidade com
o guardi.to.
Arroz a 50 rs. a libra e 1,400 rs.
arroba, sendo em sacca anda por menos:
espirito de 37 graos a 1,000 rs. a caada;
no pateo do Hospital do Paraizo, venda
n. 20.
Na loja de miudezas da rua
do Queimado, n. a4, vende-ae um
compielo sorlimento de trancas de
relio/, para enfeilea de vestidos e
palitos de menines ; bem como
um sorlimento de agullias linas de
s. i2, i3e 14? e outras mu tas
miudezas, por preco muito em
conta.
( corretor Oliveira contina a vender,
por preces rasoaveis, ptimo vinbo do Por-
to, em barris de quarto, stimo, ottavo e
em pipa, proprios para mimos; cobre e
pregos correspondentes para forro de na-
vio ; bem como tem na alfandega, para o
mesmo lim, chumbo em lencuj, e de muni-
ciio ltimamente chegado de Inglaterra :
os pr. tendentes dirijam-se ao mesmo cor-


1/
Vende-se um mulatinho muito bonilo,
proprio para so mandar ensillar um cilicio,
ou dar-se de festn a qualqucr filho, do II
iinnos, e que he vendido por necessidado :
na ra larga do Rozario, n. 35, loja.
Batatas.
Yendem-se batatas a 1,000 rs.
a arroba : no armazem da ra do
Azeite-de-Peixe, n. 14, defronte
da Madre-de-Dcos.
Vendcm-se bons queijos londrinos,
ditos de prato muilo frescaes e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos portugueses para panella, Ihtas
rom 2e4 libras de mermelada, ditas com
bolacliiDha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas com liervilhas, frascos com conservas
inglezas, queijos de qualha vindog do Cea
ra, por barato preco, manas de toucinho
inglez de fumeiro.de 7 8 libras cadauma.e
oulros muitos gneros do boa qualidade
a nrua da Cruz, no Recifc, n. 46.
Cortes de cassa para ves-
tidos com 16 covados
por 5,800 rs.
Vendem-se cortes do cassa para vestidos,
com 16 covados, a 3,500 rs.; ditos com 8
covados, a 1,760 rs. ; pecas de cambraia li-
sas com nito varas c nicia, a 2,720 rs.; pan-
no de ; 11 l.D multo lino, a 480 rs. a vara : na
ra do Crespo, leja da esquina que volta
para a cadeia.
Taixas para engenho.
Na fiuucSo de ferro da ra do llrum,
acaba-se de receher un completo sorlimen-
todo Inixas de 4 a 8palmos de. borca as
quues acham-se a venda por i reco rom-
modo e com promptidSo embarram-se,
ou carrcpam-seem carros sem despezas ao
comprador.
AGENCIA
da fundico Low-UBoor,
RA fl\ SEZALT.A-KOVA, N. ^1.
Neste estabelecimento conti-
na a haveium completo sorti-
mento de moendas e meias rr.oen-
'3as, para engenho ; macbinas de
vapor, e taclia! *>. ferro batido e
coado, de todos os tamanbos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Snntos naltahia
Veniie-se ow casa de N.O. Hieber & C.
a ra da Cru7, n, 4, sleodo trancado
aquella fabrica, muilo proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos,
Chrbrasileiro.
r,1nnn'!rM"'!' b""!f,r0 no nrmazemlde
ri'oll ados, alias r'o Con n-Sj.(0 n fr
~ Vendem-se cortes de cambraia do co-
res, pelo barato preco de 2,000, 2,500, 3,000.
3,500 c 4,000 rs.; cambraia de seda, a 3/
rs. : neins para meninas, a 160 rs.; Ifla
com lislras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
7inha piopria para roupa de meninos e ves-
tidos de senbora, a 240 rs. ; Ifla superior pa-
ra calcas, a 500 e 600 rg. ; lencos de algo-
d5o e seda com franja, a COO rs. : crt s de
collete de velludo, a 1,600 e 2,500 rs. ; cas-
sa-chit, a 400 rs. a vara ; garca de seda, a
500 rs. o covado; cambraia de seda,a 560 rs.
o covado e outras muitas fazendas por
barato proco : na ra do Crespo, n. 15, loja
de Joaquini do Oliveira Maya Jnior.
Veas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Saolo, n. 66, por preco com-
irodo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de o aturarem mais que as de espermacete,
e nBo fazerem morrSo.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem antigo da ra da Madre-de-
Peos, n. 36, esta de novo estabelecido de-
haixo das mesm8s cmulicoes, offereccndo
a deliciosa pinga do vinbo da Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
boa por 220 rs. a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Rordeaux por 160 rs. a
enrrafa levando o casco. NSo se admirem
os freguezes do haixo preco por que se ven-
do a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietario querer sustentar o antigo pre-
CO, embora este genero tenha subido o me-
Ihor de 30,000 rs. ror pipa. Examinen! os
amantes a qualidade pura reconhccimcnto
da \erdadee continuacHo da anliga fregue-
zia. E para nito baver usuras, estopromp-
las garrafa* lacradas o com o competente
rotulo, assim como barris de diversos ta-
maitos para provlso do prximo Natal.
O proprietarioconta com a concurrencia;
do contrario, tornarSo rs precos do reta-
lho a primitiva de 240 e 280 rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Yende-se milito nova potassj
de boa qualidade, em barriszinhob
pequenos de qtiatro arrobas, por
preco barato, como a ha multo
tfmpo se nao vende: nc iecife,
ra da Cadeia, armazem n. 12.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Farinha de mandioca.
Na ruado (Jueimado, n. 14, loja do fer-
ragens, liiula lia alguiiias saccas da boa
farinba de mandioca, muito alva e I in (or-
4
Vendf-se a taberna sita na praca da
Boa-Vista, n. 15, com os fundos a vontade
dos compradores esteestab"lecimento of-
ferece todgg as vantagons, aluguel barato
ebemafreguezada para a trra : o motivo
por que se vende, be por um dos socios re-
tirar-ge para Europa a tratar do sua sade :
a lidiar un mesma taberna.
Os mais modernos cor-
tes de cassa-chitas, a 27
cada nm:
Queimtdo, loja n. 8,
maisexcellei.te cha produzid., Pm ZL "i"-'*."'" pi tor-
io, que lem vindo a este LULStS: '"'*"' '"'ni com., urna porcSo de pennus de
mercado,
por
Pre^o muito commodo.
Moendas superiores.
Na fnn'licSode C. Starr & rompanbia',
nn S.-Amnr0 acbam-se venda rroendas
de canna. 'odas de ferrp, ,|e um moi!e!o e
conslrnrco muito superior.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados airas do Cor-
fo-Sanlo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor viudo do snl, superio-
res charutos S.-I'elix, e de outras militas
qualidades que se venderSo mais baralo do
que en; nulr qualquer parte : beni como
ciearrilbos hespanbes ditos de palha de
n ilho, que seeslo vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cenlo.
<;r!cs de brim de cores
com listrasaolado, a
I.SaOrs.
Vendem-se corles de brim de cores com
lislrasao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
podflo americano, proprio para escravos, a
140 rs. o covado : na ra do Crespo, loja da
esquina que volta para a cadeia.
Tecidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os* San tos.
Na rna da Cadeia, n. J'i,
vendem-se por atacado duas qualidades,
pioprias para saecus de assucar o roupa de
escravos.
Ruarles de fnrla-crcs a
2i( rs. o ovf ro e ris-
cado monstro a lo rs.
Vende-se zuarte de furta-cres muito
encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra do Crespo, loja da esquina que
volta narr a cadeia.
-- Vendem-se chulearas, fregideiras, pa-
nfilas v cacarolas de ferro forradas de por-
celana; blese cafeteiras de metal : na
ra Nova, n. 16, loja de ferragens, de Jos
l.ni/ IVreira.
Vende-se urna parte dos sobrados de
tres andnres, ns. 14 c 16, sites na esquina
da ra da Cadeia, defronte do tbeairo de
San-I'rancisco : a falla rno primeiro andar
\in'- ditos, com Joaquim Tcixeira Peixolo.
Yende-se um sitio na entra-
da da estrada nova, na AJpgdalc-
n,i, com excellente casa terrea,f
com multo bons commodos, esl
bem plantado, e que olTerece to-
das as vantagens para queni liver
bom goslo : negocia-se em conta .-
quein o pretender, dirija-sc ra
do Crespo, 11.9, que se ibe daio
as fiiormafSea.
Vende-se, n loja de Fernandos da Luz
Iniiilo, na rua do l.ivran.cnto, n. 10, al-
godflo da terrv multo superior, por menos
preco do que em outra qualquer parte.
erna, proj ras paia espanadores.
Vende-se vinho do Porto muito supe-
rior, em birria de quurlo e quinto ; farinliu
de ir {.'o de todas ns qualidades e un meias
barricas; retrozdo Porto, prlmeira quali-
daile : pannoemeiagde linho j treos par
barricas ; fnrinlia de mandioca em sacras
grxndes c a garnel a bordo da sumaca r>.-
S.-do-Carmo: ludo por preco commodo :
na rua do Vigario, n. 11, primeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunha.
Fitrinha de
trigo.
Vende-se superior familia de trigo fran-
eeza de Produc, chocada ltimamente de
Marsclb : em casa de J. J. Tasso Jnior, na
rua do Arnoriut, n. 35.
"rados de ferro.
Na fundico da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de Ierro diversos mo-
delos.
Cal virgem.
Cunha & Amorim, n rua da Cadeia, n.
vendem-se na rua do
defronte da botica..
A #000 o corte.
Vendom-sc cortes de cassa-chita, fina, de
bonitos padrOos e com 6 varas e meia, pelo
diminuto pirro de 2,000 rs. o corte : na
rua do Crespo, n. 6,loja ao p do lampeSo.
Vende-se um preto da Costa, ainda
moco, muito sadio, ptimo para todo o ser-
vico de urna casa, ou para ganhar na rua,
por ser muito diligente: na rua Direita,
n. 6!).
Chegaram novamente rua da, Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata
patente inglez, para homem e senbora.
Novo sor timen lo de fa-
zendas baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao p
do lampea".
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padrOes, cAres fixas e com 4 palmos
de largura, pelo baralo preco do 320 rs. o
covado ; cassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado ; rlscadinho de lis-
tras de linho, a 240 rs. o covado,- brim de
algndo de cores com Mitra ao lado e de bo-
nitos pailrOes, a 320 rs. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varase urna quarta ; cassa preta com
ramagem brnnet. para luto, a 140 rs. o co-
vado ; zuarte de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOese cores fixas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de larletana, a 500
800 rs,; cobertores de algodflo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
Ka rua do Passeo, n.
vendem-se chapeos de sol da marca^ mui-
to grande, proprios para senhores e feitores
de engenho : estes chceos sao muito bem
construidos e muitos fortes.
Vendem-se pecas de algodSozinho com
20 j:- i-.ijis e com toque de avaria, a 640,
1,280 e 1,760 rs. climpo a sete patucas;
pecas de chitas de bons pannos, a 4,500 rs. ;
o diccionario de Moraes da quarta edicilo,
quasi novo, por 20,000 rs. ; 1 foledefolear
formigas : no pateo do Carmo, n. 18, pri-
meiro andfr.
A bordo da brigue S.-iot, chegado
prximamente, vende-so farinha de man-
dioca do superior qualidade, o por menos
preco do que em outra qualquer parteros
prelendentes dirijam-se a bordo do dilo
brigue, fondeado defronte do arsenal de
guerra, ou ao Itecife. rua iIa Cruz, n. 66.
A 511 ris.
Vendem-sc potes de sal refina-
do inglez : na rua do Cabug, lo-
ja de miudezas, n. i D.
Dome barato.
Na rua do Qiieim.do, vindo do Rozario,
segunda loj,n. 8, vsridem-se cortes de
cassa para vestidos, a 2,000 rs. ; ditos de
casimira elstica ede bons padrOes, a 4,500
rs. ; panno fino muilo bom, azul e cor de
zcilnna, a 3,000 rs. ; lencos de seda, a
mil rs. ; riscdos francezes, a 160 rs. o co-
vado ; coi tes de calcas de brim pardo tran-
cado de linho, a 800 rs. ; ditos de brim par-
do liso, a 800 rs. o corto ; e outras muitas
j fazendas por commodo | reco.
Gaz bydrogeneo liquido :
vende-se na destilacSo da travessa da Con-
do 16; urna preta para quitandeira, por
preco commodo : todos estes escravos si
do muito em conta : na rua do Collego
n. 21. primeiro andar, jo dir quem vende,
O....... 0
S .Jannna- l,e S.-Calhnrina, muito
boa, a 120 rs.a cuia dita da trra, a 160
rs. ; cerveja muito boa, a 440 rs., o meias
garrafas a 340 rs.; estehiw de pirpirv
grandes, a 320 rs. ; ditas pequeas, a lijo'
rs. ; vinagre de Lisboa, a 100 rs. a garrafa
q Na loja do sobrado amarello, nos vj quatro-canlosdarua do Queimado, :\ '
n. 29, vendem-se cortes de caigas de A
^L brim amarello, depuro linho, a 1,440 #j
rs. jditos de dito de corea, a 1,440 J
w rs. ; ditos de dito branco de listraa, ^
fazenda superior, a 1,800 rs.; ditos O
O de calcas de casimira de cores, a O
O 5,000 rs., havendo grande sorlimen- O
O to do padrOes para escolha ; risca- O
QH dos monstros de quadros, e de urna 0
O s cor, a 220 rs. o covado ; e outras 0
0 muitas fazendas muito em conta. q
O x O
Yende-se cal virgem em pe-
dra, vinda de Lisboa no brigue
Novo-Vencedor^ chegado no ccr-
rente mez : no trapiche do Barbo-
e
na
5.
za, praca do Corpo-Santo, n. ti.
Vede-se urna duzia de cadeiras de jaca-
randa, urna commoda, umfeannap, urna
marqueza de o'eo, urna mesa propra para
alfaiate, duas ditas de sala, duas camas de
armac-lo, e mais alguns objectos porten-
cantes a urna casa por prego muito em
conla ; na rua das l.araogeiras, n 21, se
dir quem vende.
Aos amantes do bom
gosto.
A loja de charutos da rua Nova, n. 56,
achare preparada e assejada de novo para
re.ee! heme com todo agrado a todos os
fregui, i ; que a procuraren), ondo acharflo
um grande e variado sortimento das me-
Ihores qualidades de charutos quem leem
vindo a este mercado, contendo oeste sor-
timento as qualidades seguiolet:
Deputados,
Senadores,
Saquaremas,
Libones,
S. -Flix verdadeiros,
Archeiros,
Cacadores-da-Bahia,
Cavalheiros,
Venus,
Quem-fumar-sabera,
A fama v,
Yy,
e outras mais qualidades de charutos que
gerno patente aos freguezes e se venderio
conforme suas qualidades.
lodosos mais genero*muito em conta
rua Augusta, n. 96.
A t ten cao!
Na rua do Queimado, n. 22, loja de cha-
peos, de l). F. It.mallio, acaba-se de rece-
ber um sortimento de chapeos sem pello o
de copa baixa ; ditos altos do ultimo gos-
to ditos do palha da Italia, de 2,500 at
4,000rg. ditos do Chile ; ditos de massi
franceza do ultimo gosto; ditos feitos na
trra, de todaa as qualidades ; estojos de
barba; jogos de viaporas; honetes para ho-
mem e meninos: ludo por preco mais bara-
to do que era outra qualquer parte.
Leite puro a <200 rs. a
garrafa.
Vende-se leite puro todos os dias : na rua
da Cruz, porta da casa do pisto, n. 18.
1 Vende-se urna metade de casa na rua
de S.-Jos, por prego commodo : na roa de
S.-ltita, n. 27.
Vendem-se duas escravas com algumas
habilidades, sendo urna de nac<1o e outra
crinla : na rua da Praia-de-S.-Itila, no pri-
meiro andar do sobrado de 3 ditos.
Vende-se nm escravo de naco, moco,
de bonita figura, e que he hbil para todo o
servico, por ser possanie e nSo ter vicios
nem achaques: na rua do Livramenlo,
n. ni.
Vende-se urna cama de armado, com
colchos ; meia duzia do cadeiras america-
nas; duas mesinhas; I par de mangas do
vidro lisas com caslicaes do vidro ; um tou-
cador: na rua do Fogo, n. 7.
Vende-se un sobrado de um andar,
sito na rua das Cinco-Pontag, em chSos pro-
prios, com bom quintal -e cacimba, duas
salas bastante largas : na rua da Cadeia, no
segundo andar do sobrado da esquina do
bteco do Ouvidor.
Vendem-se, na venda da etquina do
becco das Rarreiras, n. 49, 200 barricas va-
sias, que fram de farioba do Reino, em
bom estado, por preco commodo, para des-
ocenpar o lugar; I tonel que foi de azeile
de carrapato, em bom estado.
escravos afligaos
50, continame vender barris com cal' d i co"lia aon,l os madores o acharOo sem-
ita rua
Lisboa, da mois nova que ha no
por isso mala barato do quo em ou
quer parte.
--Vendem-se amarras ue ifrro
da Senzalla-Nova, n. 42.
Ivncenor, ou lunetas de dous vidros
estas lunetas fechadas parece de um s vi-
dro, mas logo que se toca em urna
liiinsforina-sc em um par de oculos d
galhas, os quaes se [Oem tizos no nariz:
esta descoberla he iiiodernissirn e a favor
da humanidad?, porque una luneta de grao
applica-.'a por inuilo lempo a um s olho es-
l ga avista do ouiro oiho: vendem-se na
rua larga do Rozario, n. 35, loja de niiu-
dozas.
Rape Paulo-Cardeiro
Acaba de cliegar do Ilio-de-Janeiro, pelo
vapor Utilitaria, ao deposito da rua da Ca-
deia do Itecife, luja de Antonio Joaquun
Vidal, o superior rap P.;ulo-Cordeiro.
Vendc-sc superior io de al-
godo para poviosde velas: em
casa de Gco : Kenworlhy & C,
na rua da Cruz, ti. a.
Ao bello madamismo
se oirerece transiiarcnles e lindissimas cas-
sasda niiis niodeina exposicfio de Caris,
coiti s de 10 varas, pelo rasoavel prego de
7,000 rs. : na luja do Antonio Luii dos San-
tos C. na rua do Crespo, n. 11.
Corles de vestidos de cas-
sa a 2,000 rs. cada itm.
Vendem-se cortes de vestidos de cassa, de
muilo bom gosto, o com 11 covados : na rua
do Crespo, loja da esquina que volta pira a
cadeia.
mercad i l'r6 sem "terrupcSo, em quantidade suf-
ili a qual- ''ci,'ll,e e de ,l" qualidade.
Vende-se um ahmbiquc fraocez, de
cobre e coro pouco uso, levando a caldeira
50 caadas, com muilo boa serpentina de
estando, a qual pega 300 libras e trabalha
por dous sy.-temas, unpara a garapae cu-
mula'"'1 p"ri1 r,'sliliir ago'ardente, para este lem
a can- I relilicadores, os quaes fazem com que
" oalcoolsaia sem cheiro muilo superior
em grao e muito simples para qualquer
pessoa poder Irahalhar; cha-se motilado
e prompto a trabalhar para o comprador
ver, por proco commodo : no Ateiio-da-
IJoa-Vista, n. 17, fabrica de licores.
Vende-se um cavallo rodado, pequeo,
figuia elegante, rom lodus as qualidades
boas, and em toda altura, t.c muito man-
so, manloudo, e que he muito proprio para
senbora : na travessa do Rozario, n. 18, a
fallar com l.auriaiio Jos do Barros.
Vendem-se relogios de ou-
ro sabonete, patente inglez: em
casa de Geo: Kcnwoithy & Com-
panhia, ruada Cruz, n. a.
Na rna i\ova, n. 5,
vcn/lc-;e um casal de escravos com urna
cria, sendo a preta perfeila engommadeira
e coslureira ; 3 moleques de naco, de lin-
das figuras; um preto de 22 anuos, perito
ofliclal desapateiro; um dito de 22 annos,
de lin'la figura, eipie he proprio para ca-
deirinha, por ser bastante alto; um pardo
oOlcial de alfaiate<; um mulatinio de 15 an-
uos, proprio para pagem; um dito de 11
annos, proprio para aprender oflieio, por
ser muilo esperto e ler boa memoria; um
molequede 18anuos, efiicial de alfaiate;
urna preta de 20 anuos, boa cozinlieira ;
una dila de 16 annos urna mulalinha com
principios de costura e engommado.
Vendem-se 8 escravas; urna dita de
muito boa ligora, que cose, enguinma eco-
zinlia, ludo tu m feto ; um escravo moco,
lom rdlicial de pedreiro ; um dito bom co-
Na rua Nova, n. 69,
> casadecomestives.
| Nestacasa recebeu-se ltimamente
de Franca um variado sortimento de
conservas de superiores qualidades,
' com sejam : latas com cepes, ditas
1 com carottes, ditas com asperges,
ditas com saucisses truff, ditas com
aloute. ditas com becasse, ditas com
becassine.ditas com cuilles, ditas com
perdrix,dilascom grive, ditas com
artichaux, dilascom carottes au jus,
ditacom choux fleurs, dilascom pa-
l do l.ievre, ditas com perdrix Iruff,
ditas com juliene, ditas com perdrix
saos trufrs, saucisses daubes, pe-
lits pois, sardinnes; tambera ha vi-
nhosde todas as qualidades ; licores
muilo finos; absinlh verdadeiro do
Suissa ; kersche; cognac vieux ; ver-
moulh ; marrasquinho; champanha,
o mais superior que lem vindo a es-
te mercado; conservas em vinagre
ditas de Trueles em calda ; e outros 4$
i

muitos gneros ;bam como os supe-
riores charutoj regala de S.-Felix,
regalos de llavana e outros, que avis-
ta dos freguezes ludo se vender por
um preco rasoavel.
?
Pechincha igual nao ha.
Na rua doQneimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se ricos cortes
de setim preto lavrado para vestidos, com
12 covados e meio e mais de 4 palmos de
largura, pelo baratissimo preco de 15,000
rs. : esta fazenda torna-so recommendavel
por estarmos prximos da <|uaresma.
Novos riscados escoce-
zes, a oitn patacas o corte.
Fugio, no dia 11 do correte, de Ierras
do engenho Tumbador, da freguezia da Es-
cada, o escravo Sevrrino, moco, secco do
corpo, cor prela ; levou chapeo oleado :
quem o pegar leve-o ao dilo engenho, a
seu senhor, Flix Martins Pimenlel, ou nes-
la praca. no paleo do Carmo, venda n. 1,
que se gratificar.
Fugiro, do engenho Matlo-Grosso, co-
marca do Cabo, na noite do primeiro do
corrente, o escravos Rento,' pardo, bs-
tanle claro, baixo, feices regulares, pouca
barba, cabellos castanhos, denles limados,
peritas rossag e um tanto arqueadas ; leve
bexigas ha pouco lempo, por isso est com
a cara marcada ; tem apsrencias de mari-
nlieiro e quer passar por forro ; nto he a
primeira vezquefoge; foi preso no anno
prximo passado no Rrejo-da-Areia ; levou
camisa de algndo, ceroulas c chapeo de
palha ; representa ter de 24 a 25 annos;
foi visto em Coiannioha, onde disse que ia
procurar urna tenda desapateiro para tra-
balhar : quem o pegar leve-o ao dito enge-
nho, ou no Recife, casa de Jos Theodoro de
Sena,quo recompensar.
Fugio no dia 10 do corrento pelas 6 ho-
ras da tarde um molequinho, de nome l.ud-
gerio, de 12annos de idade, bem preto,
olhos grandes, tem em um p um dedo,
que levanta por cima do nutro, levou vesti-
do carniza de riscado e calcas de brim I i/o :
quem o pegar leve-o na rua da Cadeia do
Recife, 51, que ser recompensado.
Fugio, no da 31 de dezembro prximo
passado, um escravo pardo claro, de 55 an-
nos, de boa altura, grossu, espadando, ca-
bcra calva e pintando de branco, falla fina,
auda meio carcunda ; foi escravo de Jos
da Rocha de Carvalho, morador na fregue-
zia de Tigicupapo, ondo o dito escravo
nasceu e tem prenles; quando foge cos-
til ma ir para o dilo lugar ; ha noticia que
elle tem andado vendendo palitos de fogo
quem o pegar leve-o ao pateo do Carmo,
venda n. i, ou ao sitio Lameiro, ao p do
engenho Cordeiro.
~ Fugio, no dia 12 do crrenle, do en-
genho Fomo-da-Cal, o preto Andr, de na-
C1o Calmuda, alio, secco. rosto redondo O
descarnado, beicos um tanto grossos, com
ra.amelhor fartnda para vestidos, lano
pela variedade de padrOes como por screm
de cores fixas, a 2,560 rs. o corte: na rua
do Queimado, n. 8, loja defronte da botica.
Vende-se superior farinha
de inillio nn porcoes e a retalho,
leudo de todas as [qualidades a
vontade do comprador, e por pre-
co mais commodo do que em ou-
tra qualquer parte: na rua do
liiiini, n. 28.
Vendcm-se caixinhas com cem qua-
lidades difierentes de gementes de flores
muito novas e escolhidas das melhores
qualidades, acompanhadas de urna noticia
exarla de onde sflo uriun 'as, o a que fami-
lia peitencem, bem como a maneira de pre-
parara trra para a sua semenleira ; cousa
bem curiosa c interessantc para quem tom
bom goslo, e lie apaixonado das flores : na
ruada COI, n. 9, esenptorio do Oliveira
Irm.tos & C.
Vende-se urna mulalinha de 16 annos,
rece linda, por isso propria para urna casa
de familia por 11.I0 ser viciada: na rua de
llortas, o 64, se dir quem vende.
Na rua do Rangcl, n. 40,
I Olc'JSSa 11'rlClOIiai. Vendem-se 8 escravas; urna dita de vende-se arroz branco pilado; ditoverme-
Vende-se potassa nova da fabrica nacional multo boa figura, que cose,enginma eco- velho ; dilo de cisca ; milho pela medida
do Rio-ite-Jiiieno ao baratissimo proco de zinlia, ludo tu m feto ; um escravo moco, velha e a retalho, por preco minio barato.
180 is. a libra. Os senhores de engeiiho le- bom nllicial de pedreiro ; um dilo horneo- Vende-se manleiga ingleza. a 240, 400
vem todos mandar comprar der-ta potassa zinbeiro do di. rio de urna casa; um dito c 640 rs.; queijos novos, a 1,280 rs. ;'cha,
iliui de animara fabrica que coru tantos bom ollicial de sapateiro de cortar e fazerja 1,920 e 2,240 rs ; superiores velas de car-
sscrificioa se estabelecau e foi a causa de j toda obra ; um dito de meia idade, por nab.i, a 260 rs ditas de espermacete, a
bailar a este preco na prac do Cou.mer- j 150,000 rs. ptimo para trabalhar e botar 900 rs. ; bolacbinha ingleza, grande c pe-
cio, n. G, primeiro andar, cscriplorio de. sentido a um sitio, ou servir urna casa; quena, a 240 rs.; passas a 220 rs. ; farinha
.Manuel Ignacio de Oliveira. {dous moleques, um de 12 anuos, e o outro de Maranlio, a 80 rs.; dita de ararula, a
jaqueta prela, chapeo de pello preto, e mais
roupa : quem o pegar leve-o ao senhor do
mesmo engenho, que gratificar.
Fugio, no dia 19 do corrente, pelas 6
hornada larde, o escravo Joaquim, de na-
CfloCota; he alto, chcio do corpo, rosto
redondo o com 3 laidos do cada lado das fa-
ces em comprimento dellas e muilo sahi-
dos para fra, cor prela, com principio de
barba, de 24 annos pouco mais ou menos;
tem um dos ps algum cousa grosso, mas
pouco se diflerenca, e no mesmo em rime
do tornozelo urna marca ilo ferida; he pa-
deiro ; levou camisa e ceroulas compridts
do algndo trancado ; tal vez nto sai lia di-
zer o nome de seu senhor: quem o pegar
leve-o a rua da Boa-Vista, n. 24, que ser
bem recompensado.
-Fugio, no dia 10 de dezembro do an-
no passado, a prela Rosa, de naedo, de 50
annos i ouco mais ou menos; foi vista em
Muribeca.ondej foi moradora, por trr sido
escrava do lllm. Sr. coronel Agoslinhn He-
zerra, ou de um deseusprente*; he bai-
xa, cheia do Qorpo, nadegas empinadas, ca-
ra redonda e lustrosa, feicfies amacscadas; .
tem a pelle dos bracos enrugada e cinzenta,
ps pequenos, andar cambaio, por ter urna
estrepita na sola do p direito, e urna fe-
rida no dedo pequeo do p rsquerdo e os
dedos grandes ruidos de besos, com falla
de denles na frente do lado inferior, falla
queso percebe; levou camisa de algodSo-
zinhocom mangas de madapolOo, saia de
cinta e panno da Costa azul tudo vilho:
Iuem a pegar leve-a a rua da Praia, arana-
nn de carne, de Ignacio Luiz de Unto Ta-
oorda, que gratificar.
Psrn. : ni Trr. ue h p. db pasia. 18S0


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBWFX8S7T_YI9CAM INGEST_TIME 2013-04-24T19:13:25Z PACKAGE AA00011611_06766
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES