Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06765


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-t~4
Anuo \XVF.
Teica-fcira S1!
FABTIDA8 B08 OOBDZIOI.
Golonnn c Parahiba, segunda esextas feiras.
Rlo-Grande-doNoilc, quiulas feira aomelo-
da.
Cabo, SerlnhSem, Rio-Forinoso, Porto-Calvo
e Macelo, no I.*, a 11, e 21 de ca da mu,
Garanhuns c Bonito, a 8 e 43.
Hoa-Vista e Florea, a 13 e 28.
Victoria, as quintas feira*.
Ollnda, todos os das.
n,; ^-tt^^yWKtrtlCStSttWBWBSaHsMSUMftaMSa
xrnEMcaioES.
Miog. a 5, as 6 b. e 18 m. da in.
Nova a 13, s 9 h. da manhaa.
Jetea 21, s 7 h. e 2iu.datn.
Chela a 27, s 10 h. e 36 ni. da t.
MCiMia DE HOJS.
Primeira aos 30 minutos da tarde.
Segunda aoi 54 minutos da manhaa.
II IIB1IIII '!!
N. 18.
PBE9OS da DBSoaivqlo.
Por tres mezes (adi'aa'ado) 4/000
Por seis mezes 8/000
Por uhi anno 15/000
UjtaTraEBOrjmgjMS .JiMiilisiiliUsl.tsWifeMiSBaiMagiig. y
das da semana.
21 Seg. S. gnea. And. do J. dos orf. c do m. I.v.
2 Tcr9. 8. Gaudenoio. Aud. da clianc.do J. da I.
v. do citr. e do dos ftrtos da fazeuda.
23 Quart. S. Ildefonso. Autl. do J. da 2 v. civel.
24 Quint. S. Thcnioleo. Aud. do J. dos orf. e do
ni. da 1. v.
2o Se*t. S. inanias. Aud. do J. da 1. v. do clv. e
do dos fcitos da faienda.
26 Sab. S. Policarpo. Aud. da Chae, edo J. da 2.
v. do crime.
27 Doui. S. Joto i:hrlsostouio.
CAMBIOS EM 21 DE JANEaO.
Sobre Londres. 28 d. por 1/000 rs. a 60 das.
. Pars, 3(0.
. Lisboa, 100 por cento.
- J8IS"D:!,.::ISSS:SSS
IJiltWH lillHWIIli""~"l II" "l *3TsHW
f>AWTE OFFICIl.
MINISTERIO DO MPEIUO.
Declara que nao pode a mesa parochial de
Inhauma dcix.ir de aceitar o protesto apre-
sentado contra a sua deliberar3o de receber
cinco cdulas, desprezaado as que Ihe scr-
viam de sobrescripto, ecujos nomes estavam
rlscados.
1.* Seccao. P.io-de-Janero. Minliterio dos
negocios do imperio, ein 20 de dezcuibro de
1848.
Foi presente a Sua Magestade o Imperador n
ornffftrdc 18 do cornpnte, em que Vine, parti-
cipa que no arlo da apuracao dos votos para a
elrlcfl" primaria, que araba de proceder-se
nessa fregueiia, apparecendo cinco cdulas n-
v,lvidas em unirs que Ihes serv mi de so-
brescripto, deliberouajnesaque fossem rece-
blas, dcspreiando.se as que servlain de so-
brescripto, naiquaes estavam rlscados todos os
nomes, e nao podlain. pqrtanto, ser conside-
radas como cdulas. Contra esta deliberacao.
depols de feita a apuracao de votos, appaieceu
uin protesto, e, entrando Vine, e a mesa ein du-
vlda se odevlam receber, suspendeu os traba-
mos at que fosse esclarecido. Intcirado assiin
o iiiesmo augusto Senhor do objecto da sua vid, manda declarar-lhe que nao pode a mesa
deixar de teceber o protesto ; e, que de vendo a
acta-conter a succinta, mas exacta exposico
de ludo o que tiver occorrido no processo da
elrlcao.cuinprequenella nSot se mencione a
deli'hnacao da mesa acerca das cinco cdulas,
mas tambein se Inscreva o protesto Jeito con-
tra essa decisan, para qiie, na oceasiao da veii-
licaco dos poderes dos eleitos, seja tomada na
conslderacio que merecer.
Deus guarde a Viuc.rijcoad de Monl-Ale-
./re.-Sr. julz de pas presidente da asscirbla
paroebial da freguezia de Inhauma.
Reolve sobre a validarle das duas elclces pri-
marias da villa deVianna, na provincia do
Maranhao.
I.' Seccao. Rio-de-Janeiro, ministerio dos
negocios do imperio, em 22 de dezcuibro de
1848.
Illm. e Exm. Sr. Fram presentes a Sua Ma-
Sestade o Imperador, com oofficiode V. I .ve.
c 31 de outubro ultimo, as duas authenticas
da elelcao primaria, que se mandou proceder
na freguezia da villa de Vlanna dessa provincia,
das quaes e dos documentos relativos ao que
neenri en na dia eleicao e verifica que teve
ella lugar no dia 7 de teteiiibro prximo passa-
do, mas queemvezde ti.na se ficram duas
rleiees a o niesino teinpo, urna na igreja ma-
triz, presidida pelo juiz de paz inais volado
Gentil Mariano Travassos. e mitra em casa de
Mariano Kayinundo Correia, sb a presidencia
de Joo Francisco de Moraes, segundo juiz de
paz do 1.* districlo ; reproduzindo-se assiin
untadas irregularidades que serv rain de fun-
damento dccii.o que annilra a ptlmeira
elelcao,frita em 7 de uovembro do anno passa-
do na mencionada freguezia. K. inteirado o
mesmo augusto Senhor de todas as rasOes e
fados allegados contra cada una daqiiellas
cleices, houve por bem declarar por sua Im-
llirdiata rrsolucao de 21 do correntc mez, pro-
eriu.; C"'. Consulta da sereno do concelho de
estado dos negocios lio imperio de 6 do dito
mez :
1. Que,coiuo cmara dosdeputadnshe que
compete resolver definilivameule sobre este
objecto, a ella se remellara para este fim lo-
dos os documentos relativos eleicao.
2. Que, se antes da rraolucao da subredita
cmara tiver de proceder-se a alguma eleicao
de depatadas, a ella devem concorrer as duas
turmas de eleitores, tomndose em separado
os rolos de cada urna.
3.' Que para os casos em que nao he possl
vt'l o coucurso de ambas as turmas, romo or-
ganlsaco de mesas parochiaes, concelho de
qualificaco ede recurso, e oulros actos srinc-
lhantes designados por le, devem provisoria-
mente conslderar-sc legtimos os elellores da
eleicao Telia na matriz sb a presidencia do juiz
de pas inais volado Gentil Mariano Travassos.
O que liidocoinmunico a V. Esc. para sua
inlelligencla. .....,,
Dos guarde a V. Exc. Pucond di A/onl -Ale-
or. Sr. presidente da provincia do Mara-
nhao.
Declara que a revisao da lista dos volantes da
freguetia da Gula deve rechir sobre a lista
geral e stipplemenlar de 1847; e que compe-
le a qualquer cidado o dlrcllo de apresen-
Ur nos cinco dias da reunas dajunlade
qualifldcn as reclamaces ou denunciis que
entender convenienlcs.
1." Peceo. nio-de-Janeiro. Ministerio dos
nrgoeios do imperio, em 8 de Janeiro de 1841).
Illm. e F.xiu. Sr Sendo presente a Sua Ma-
gestade o Imperador, com a oflicio de V. Exc
n. 3 de 2 do crrenle, a copia do que Ihe dirig
ra o juiz de paz mal volado da frrgueiia da
Gula da villa da Estrella, pedindo csclarecl-
menlos acerca da nianrlra por que devera
proceder no correnle anno revi.o da lista
dos votantes daqueila freguesia, e a portara,
tambein por copia, que V. Exc. expedio ao dito
julz de pas, na qoal Ihe Arriar* : 1 que, nao
estando terminad a qualiflcaco do auno pas-
eado naquella frguciia, por nao ter funecio-
nado, como drvia, em forma legal, o respec-
tivo concelho municipal, segundo ja foi decla-
rado pelo aviso de 16 de uovembro do dito
auno, e nao havendo lempo, nem sendo ad-
misslvel a reunlo do dito concelho. deve re-
cahlr a revisti ordenada pelo art. 25da le de
19 de agosto de 1846, que se lem de proce-
der no crreme anuo, sobre a lisia geral esup-
..lemenlar do anno de 1847. pela qual se fez a
eleicao que ltimamente leve lugar na ine.ina
fremiez : 2.. que. visU d disimslcno termi-
nante doarl. 22 da dita le. he claro que com-
petrndo a qualquer cidadao. nos 5 da, da se-
gunda rruuiao das juntas de qual.llcacao, o
d cito de .presentar a. reclau.acoe. o denun-
cia que en ender convenidles acerca da. fal-
ta OU Ilegalidades com que. ellas lenha .. pro-
cedido, tanto a sen respeilo como en. relacao a
uua.,,uer ouiro, pMm Ue "SffffiU!
denu.'.cias versar nio s sobre a '"lev.da ns-
cripeo, mas tambem sobre a iujusU exclusao
dos volantes : e tendo o mesmo augusto Senhor
appruvado as declsdes dadas por V. F.xc. ao so-
bredllo juii de paz, assim cotnmunico a V.
Exc. para sen conhecimento.
Dos guarde a V. f.xc. Vlicondtdeilont'-AU-
gre.Sr. presidente da provincia do Rio-de-
Janeiro.
tiUVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DI\ 14 DE JANEIRO.
OIBclo.Ao commandante das armas, re-
cotnmendando a expedicao de su.is ordens
para que seja remeltlda secretaria da presi-
dencia a f de oflielo do major do quinto hata-
lliao de fiizilciroa Pedro Paulo de Moraes Reg,
a qurl l'in de ser enviada ao Exm. presidente
do Maranhao.
Dito. Ao Inspector da ihesourarla da faien-
da, Iransmittlndo os avisos s6b nmeros 44 e
45, communicando o saque de dtia letlras, na
impnitancia de 2:130,000, fello pela thesoura-
ria do Rio Grande do norte sobre essa, e a fa-
vor de Jos Gomes da Silva eTheoionlo C. Crr-
quelra.Parlicipou-sc ao presidente daqueila
provincia.
Dito.Ao commandante superior da guarda
nacional do municipio do Recife, recommen-
dando a expedicao das convenientes ordens
pira que seja dispensado do servco activo,
emquanto exercer as funcedrs de inspector de
qiiartrirao na freguezia da Varzea, o guirda
do sexto batalhao s>m seu coniuianilo, Antonio
da Costa Carvalho.luterou-se o chefede po-
lica.
Dito.Ao inspector do arsenal de m ario ha,
para que faca embarcar no vapor Ilahiuna a
prensa de dcscarocar algodao que lem de ser
remeltlda para a provincia do Rio-Grande do
norte, e no S.-Sebailijn a de sellar olrleios que
se destina capitana do porto dis Alagas.
Nesle sentido oiRcou-se aos presidentes das
mencionadas provincias e ao agente da compa-
uhia das barcas de vapor.
Dilo__Ao commandante da corveta Euttrp*,
declarando que, vista de sua informaciio e
das confrontacSes que a acompanharain, tein
i esolvido que continu a servir na tnarinha o
desertor do primeiro batalhao de cacadores
Antonio Mendes da Silva, que seacha a bordo
daqueila corveta com o nome de Antonio Jo
Gadclha.Sclcntlficou-sc o commandante das
armas.
Dilo.Ao inspector da pagadona militar.
intrirando-o de haver o Exm. presidente do
Maranhao declarado que o major do quinto
balalhan de fuzileiros Pedro Paulo de Moraes
Reg suspender a prestacao meiisal de dez
mil rcis, que llnha consignado na corle a seu
lillni, o segundo lenle do quarto batalhao
de ai tilharia a p Jos Angelo de Moris Re-
g, que se acha nesla provincia, e ordenando
que remeta a competente guia, a..m de ser en-
viada ao mesmo presidente/Inteiobu-se o
coiniuaudanle das armas. '
Dito. Ao insprtclor da Ihesotiraria da
fazenda provincial, para qno mande adian-
tar tres tnezes de sold no destacamenlo de
polica estacionado em Caruar, a contar:
odoo.lllcial commandanto do primeiro do
correiitf, e o das pracas de prct di) 11.
Intelligenclou-se o coramandanta do refe-
rido corpo.
Dilo. Ao administrador das obras pu-
blicas, enviando a cunta da despeza feita
de 30dodczembroa 5 do correnle com as
obras ilo 16.* lanco da estrada da Victoria,
afirn de que mande acreditar oengonheiro
Milet naquanlia de 81,470 rs ora que im-
porta n referida conta. Scientificou-se o
mencionado engenlieiro.
Dito. Ao com in anda uto do corpo de po-
lica, dzendoque, se heescravocomo Sitie,
declara, o menor Manoel, que se acha no
quartcl do corpo sb seu commando, llave
o respectivo dono apresentar esta presi-
dencia as [ii ovas da escravidao do dito
menor.
Dilo. Ao juiz municipal do Pio-d'Alho.
Contando-meque Vme.prever, interi-
namente no cargo do escrivilo do juizo mu-
nicipal da comarca do l'o-'Alho a Anto-
nio l.udgero da Silva Costa, sem ter a idade
legal, e que, em um ollicio por Vine, diri-
gido ao delegado dessa comarca, declarara
que, por despacho desla presidencia, se Ihe
determinou que liouvesse de prove lo,
quanlo o despacho dado ao requcrimenlo
do dilo Costa, que peds esta presidencia
a immescfio interina, foi simplesmenle,
que requeresse autoridade competente,
a qiicm competa neslc< caos o provinien-
loem viliidodoailigo 8 da le do II de
outubro de 1827, ordepo Vmc que fsca
cassaraditanoineagao, nomeanlo para o
lugar pessoa que tenha os requisitos da le.
Inteirou-^e o delegado daquelle termo.
Dilo. Ao Dr. Joaquim deAquinu l'on-
seca Tendo eu resolvido eslabelecer um
hospital provisorio na ilha do Nogtietra,
para a.i eren tratadas as pessoas perlen-
centes s guarniefles dos navios surtos ues-
te potto, que frem acommettidas da fehre
que ora reina, e que nflo podem ser (.rala-
das a bordo, ordeno a Vmc, como presiden-
te do concelho de salubrdade, que lome
conta da direecflo do dilo hospital, empre-
ando para o tratamoiilo dos doenles os
incifbrosdoriancellio. ajustando botica e
requsitando as providencias que lA.em no-
cetarias, na inlolligencia do quo tenho or-
denado ao inspecloi do n,lde1V'"
nlia que man le para a casa da illm do >o-
gueira, hoie mesmo, vinte leitos, vinle col-
Oes e iravesseitos, e os lencocs precisos
para elles; e bem assm ao commandante
da corveta Jauari'a_que ponha a sua dispo-
sijao um escaler guarnecido para o servco
do hospital, eao commandante da praca a
remessa de quatro solJados que sirvam co-
mo enfarmeiros. Nesto sentido deram-sc
as convenientes ordons, e delerminou-so ao
inspector do arsenal de marinha alugasse a
referida ilha ao seu arrendatario na rasSo
de 110,000 rs. mensaes.
Portara. Demiltindo o tercero com-
maudanto da quart companhi do corpo de
polica Manoel Francisco da Cunha, por as-
sim ohaver pedido.Intoirou-se o com-
mandante do referido corpo.
Commando da praci.
Quarlel dn commando da praca na'cidade do
lltcife de Pernambuco, 17 de Janeiro de
1850.
Ol DEM DO DIA N. *.
Facopublicn.n^ra conhecimento da guar-
nicuo, e exerucoda parte de qtiem perten-
cer, que o Exm. Sr. presidente da provincia
communicou em diversos olficios de 16 do
correnle o seguinte :
Primeiro.Que, por decreto di 17 de dn-
zembro prximo (Indo, houve por bem S. M.
o Imperador conceder psssagem pira a com-
piiiilna lixa desta provincia aoSr. lente
dn lereeiro regiment da mesma arma Jus-
liniann Sabino da Itocha, o que lhc foi com-
municaiio por aviso da repaili?3o da guer-
ra de 28 do dito mez.
Segundo.Que, por aviso da mesma re-
particitn de 25 do referido mez, houye o
mesmo augusto senhor por bam determinar
que o Sr. lente do quinto batalhil > de ca-
cadores Antonio Francisco do Avila conti-
nuo na commissSo em que esta na provincia
ilo Par.
Terceiro.Enviando por copia o aviso
circular de 17 do referido mez do dozomhro
, roximo lindo, em o qual o mesmo augusto
senhor, qucren.lo prevenir algumas irregu-
laridades que toem havido no reconheci-
menlo dos cadetes, mandi recommendar
toda a circumspecgilo na JustiflcicSO de no-
breza dos pas e dos qualro aviis, oqtnl
aviso circular be do lenr seguinte :
Circular.Illm. eExin. Sr.r-Tendo che-
gado ao conhecimento do governo imperial
algumas irregularidades havdas no rrco-
nhecimento dos cajetes, no que muilo se
tem ahusado com grande, prejiii/.o do servi-
co publico; manda S. M. o Imperador re-
commendar a V. Exc. toda a circumspecc.lo
as justilcarjOes de nobreza dos pas e dos
quatro avs. devendo tal nobreza ser noto-
ria e sem fama em contrario, cumprindo
que o concelho de direceiio c o auditor
avaliem devdamente as provas apresenla-
despeilo de um aviso imperial? Eu per;
gunlarei do mesmo modo : i Como sera
possivel que se approvc tima cleicHo que foi
feita n'um lugar para onde nflo linham sido
convocados povos. os eleitores e supplen-
tes, que se diz presidida por'um juiz do paz
que funecionra ivi vespera em lugar dis-
tante 20 a 25 leeoas ? Ha certo que a con-
vocaQflo frtra feita contra um aviso do go-
verno imperial, mas em vrlude de urna
decso desta augusta camra; e na collisio
de leguir urna deeiafio da tramara dosRrs
deputndos a respeilo de elek'es, e um aviso
do governo, quom deixar de estar pch de-
cisao da cmara dos Srs. depntados, muito
principalmente quan lo esso aviso laborar
n'um falso sui'posto. como labora esso de
qun so trata A eleicSo foi frita en Maeo
contra as ordens do governo da provincia ?
Mas como nio havia de ser, Sr. presi lent'*,
seo governo da provincia expedid tilo tardo
cssas ordens, que demais a mais eram con-
trarias urna drcisSo da cmara dos Srs.
denutados, contrarias boa rasilo e lei re-
gulamentar daselertns, a qoal inanJa que
a eleico se faca no ponto para que foi con-
vocada, com eleitores esupplentes, o pela
lista dos volantes, etc., etc i'
Onobredepiitadosuscilou diversas ques-
tons respeilo do juiz de paz que de vil
presidir a eleicflo, Disse que o competente
pira faze-lo era, em sua opiiio, o de An-
gicos, e nio o de Macao. A isto responde-
Wi, Sr. presidente, que, so ojuzJe Maeo .T "KisVvcrdade que havia sido .Iterada
fot a CiinvOCacilO e presidio a eleiCO, roil1"- r' S ,|on..l>.l nnnm re-
porque o governo da provincia, suscitando- l,p|! 1ue d,bse Sr> JePuUdo a 1uem res'
snduvida a este respeilo ein cons^quncia P0^0" _, u..in i.- n
de se ter supprimido o districlo de 'paz de Ta1ue> :"A 8?,d., ."c, he Uo
Angicos, decidi une com Detente era o de nlJPJ* 9,ua s' n,", poJo Mm~
Maco, O governo da provincia decidi des- *r
te modo, nflo ici se bem ou mal nflo quero!81 '''
SfrevoTo 2SS* iSSS. <." ,e c mteste o que disse sobre a impor-
le paz lie Maco? Queri fUnola de Maco, e a Inslgnicancia de An-
' gtcos.
Occupar-me-hei agora, Sr. presidente,
com a eleiro da ci lade da lmperatriz. Dis-
pelo que pertencia
Iralava dedil-
lo lo deveria
Iserem scolher, em discriminar actas fal-
tem mia duzia de casas, sendo alm disto
um lugar agreste, estril, sem proporces
para o commercio, e baldo de todos os pre-
dicados que fram de mister para que se
possa suppor que ella venha a medrare flo-
rescer. Assiin, pois, como so alreveu o
honrado denotado a fazer assemblea pro-
vincial do Rio-Grando do norte a injustica
dedl/erqtie fram motivos eleitoraes qui
fizeram com que ella transferissa a seled
freguezia para Maco, que, como disse, Sr.
presidente, he urna povoacflo grande, com-
mercial o norCscente ? ^flo fram, nflo,
meas senhores, motivos eleitoraes os que
aconselhiram scinelbanto transferencia ;
longo disto : foi a commodidade dos povos,
foi a justica que dictou aquella assemblea a
decreta-la ; pois nflo era de rasilo que moia
duzia de individuos tivessem ao pe de si o
pasto espiritual, estando privado delle, ou
tendo-o em ex'raordinaria distancia qusi
toda a populacho da freguezia. Devo nflo
disaimular V, Etc., Sr. presidente, e c-
mara, que lantojiSo foi o espirito de parti-
do, enea inleressede eleicfies que occa-
sionou lal mudenca da sede da matriz, que
foi justarnent- essa transferencia quo pro-
duzio a divergencia que ora existe nos ha-
bitantes de Angicos, os quaes antes disto
sempre fram Solistas : desejavam que a
sedo da freguezia fosse ali conservada
dospeito da rasflo e da justica que milita- }
vam para a sua remoqflo ; e, como a assem-
blea os nflo altendeu, dcclararam-se nortis-
Moraet Sarment : Nflo sei se he
nem so he doce, porque nuuca a
mas desali ao nobre deputado para
que OzeSSOluiZ de paz
quo coiilr.-ivicisc a ordem da presidencia?
Se ello assim houvesso procedido,o que nflo
diria o nobro depulado? Vfl lo-biamossam
d
(I
q
nflo teve resposta alguma; que culpa, pois
luvida acensar a esso juiz de paz do desobe- '. s/' depulado que, pelo qt
liante..... o nobre depulado dase mesmo elficSo.dasU cidade, nfloaeti
,Ue,tond0 consultado ao governo imperial, fe tas mas.que-o trab: ho
Diz do Ma-1M Jb ac,1s verdadeiras; e, como era da es-
lirandio Cattllo-Branco.
Quarto.Que o aviso da mesma repirll-
eflo de 22 do mesmo mez indica as provi-
dencias que S. M. o Imperador manda lo-
mar acerca dos tenentes Veridiano de Sou-
z Broxado Junior o Antonio Francisco de
Avila, o primeiro dooilavo batalhflo de ca-
cadores, e o segundo do quinto batalhflo da
mesma arma, bem como ao alteres do se-
gundo batalhflo do fusileiros Manoel Uaplis-
ta do Faria, os quaes so acham fura dos
seus cornos sem autorisacSo daquelle tiii-
nistorio, oqual ho do leor seguinte : *V
Illm. e Exm. Sr.Estando fra de seus
corpos sooi aulorisacflo dcste ministerio os
tenentes de, cacadores do oitavo batalhflo
Veridiano de Souza Broxado Junior, c do
quinto batalhflo Antonio Francisco de Avi-
la, assim como o alferes do segundo de fu-
zileiros Manoel Kantista ltibero de Faria;
determina S. M. o Imperador que V. Exc.
mande considerar estes olciaes atisentes.e,
depnisdd pralicadas as diligencias lgaos,
deseitores, so at o di 15 de morco prximo
nflo estiverem recolhidos aos corpos que
perlencem ; c previno a V. Exc que nesta
data se expedio ordem para as provincias
do Maranho e Para, onde consta que clles
rstflo, alim de seren presos e rcmetiidos
para essa.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Itio-
de-Jantiro, em 22 do de.zembro de 1849.
.Vnnoe/ Ftlisardo de Souza e Mello.Sr. pre-
sidente da provincia de Pernambuco.Cum-
pra-se.Palacio do governo de Pernambu-
co, 15 de Janeiro de 1850 Carneiro Leo .
Contorme.-O oficial-tnaior, Jos Moreira
frunddo Casletlo-Dranco.
Finalmente, quo por ollicio da presente
data S. Exc. communicou haver S. M. o Im-
perador por hom concedido tres mezes de
licenca sem vencimenios ao reverendo ca-
pcllflo do quinto batalhflo de cacadores frei
AntoniodoAmor Djvino, segundo Ihe fra
participado por aviso de 19 do referido mez.
Jote Vicente de Amortm Ueterra, coronel
commandante.
iilin lurisdiccflo eni Mac. pois s diz que o juiz Supi'o'.lia se,i;o_r';V,^U.B c^^';,lj,a^*0"
1\1U-DE-JANE1K.
CMARA DOS SUS.DEPUTAD0S.
DECIU SP.SS0 PnnpBATOniA DA 01TAVA lfcis-
LATURA, F.M 28 DR DBZI.M0IIO DE 1819.
Presidencia do Sr. Gabriel hiendes dos Santos'.
ORDEM DO DIA.
EJ.EIC0SS DO RI0-ORA.\Dtt DO NORTE.
(Continuacflo don. 16, )
Sr. Moraes Sarment { continuando ) :
Mas o nobro deputado, mostrando-so sum-
mamcnt:ordetro, excl.t.uou : Como sera
possivel que so approve una eleicflo que
fui feita contra as ordens do governo e a
mostrfcvlden'tctnei^: m^rcUlidad ,' de \ H^-se para o ^^B
que osla cheio o nobro depilado. seu que demo.ou quanlo pode a re.iiessa das aC.
amor a jslia, assim como que foi s im- Ut dos colleg-se rreguez.as em que o par-
questfl.
nflo poda
Angicos
quo a assemmea pr
supprimro distiielo de pzde'.aO.
Responder-lbe-hci apenas, Sr. | O Sr. Moraes.
presido te.quo.'tivesse a assemblea provin- sinuar, he dizer a verdade.
ciiil legislado tiesto caso com direiloou sem roo ou
Isto nflo he i o-
V. Exc. demo-
nflo as romessas das actas do Ass ?
.. o certo he, o o nobre depulado saTe" Disse ou nflo disse ao governo qu- as nSo
bellamente, que, emquantoeisa le orovn- env.ava porque esperava_ inrormacOesjua
oial nflo frrevogada pelo poder compelan-1
te, deve vigo'ar c reger.
. ..avi^ exigido ? 0 nobre deputado nflo podo
Esle distr icio de! negar islo ; c, se o lizer, ah est o seu o(Tl-
Mzrprtan\,naop"(fde'sulMsliremquanto Ci dirigido ao governo para palentear
o neo legislativo queosupprimiouflo for'quem lem rasflo: logo, nflo ostou insinuan-
)()of do, o sime somonte dizondo a verdade. (it-
prov
Gratulo do norte. Disse elle que transfe-
rencia da sede da freguezia de Angicos para
Macao linhe sido tnicamente determinada
por motivos eleitoraas. Esta propoS'CSo,
senhores, inlciranienle avossa verdade,
involve gravisssima injustica assemblea
provincial do Rio-Grande do norte, a qual,
comessa rcsulucflo estigmalisada pelo no-
ble depulado, s teve em mira o bem dos
povos da importante povoacflo de Macao. O
nobre depulado sabe perfeilamante quo es-
la povoacflo ho urna das uiaiores daquel.a
provincia, sabe quo ao sen porto concor-
re m todos os anuos do 5ua60 navios de
lio bordo. No lempo ta minha adm-
uistraeflo *ll concornara de 80 a 100, mas
pelo relatorio quo o nobre deputado apre-
senluu a assemblea esto anno vi que osle
numero ia decrescendo e:n oonaequenoia
do amorlcciiuento da procura do sil que
prnduzem as riras calinas do Ass ; assim
mesmo he do nflo pequeua importancia um
do partido nortista. do juiz municipal do
Ass !!! O mesmo procedimenio teve o no-
bre deputado para com asadas da cidade
da lmperatriz. E porque, Sr. presidente?
Porque espera vi infrmacoes que podira;
mas a qnom ? Cr-lo-heis, senhores?/!
Ao juiz de direito daqueila cidade,phreneti-
co partidario noitisla e lio do candidato da
seu pariido !!! Equem procedo assim deve
vir aqui ostentar imparclalidade e amor ao
dever ?'. E dover acaso V. Exc, Sr. depu-
tado, censurar a cmara di cidade da Im-
peralriz, se he que ella Ihe nflo remelteu
logo e logo as acias da eleicflo que lierara
os seus amigos polticos? Nio poderie por-
venlura oss municipalidada ter serias sp-
tirehcnsOcs de que essas actas houvessem
do ser adrede retardadas?.' Mas isto nflo
l>assa de urna reddXflo, porque a verdade he
que a cmara remelteu essas actas, e que
ellas fram prsenles a commissflo.
A segunda consideraeflo que fez o nobre
i lies ni u iic uu i,.,u >,'!,.., ,,,,... .-..*.------- .D. ,:.^f:._ -
porto a que vflo todos os anuos de 50 a 60 deputado para provar que a eleicao feita na
iba cacos de alio bordo, alm do innu- Itnpeatriz pelo partido sulisla era pbantas-
raveis de pequeo lote. O nobre depu- tica e as actas falsas foi a seguinte: Ocolle-
em
meraveis do peq
lado nflo pode ignorar quo no porto de Ma-
co se embaici grande qiiaulidade de cou-
ros, sola, muda uiaicna, cera do carnauba,
carne secca e varios oulros gneros O no-
bro depulado nflo | de deixar de saber que
ha na povoacflo do Macao muilas casas que
se pdem dizer ricas para o llio-trande do
norlo. O nobie deputido sabe que a mes-
ma povoacflo s acha em estado llorescent,
o quo ludo faz crer quo lera um brilliaule
futuro. Crcio tambein que o nobre depu-
lado nflo desconiiece que a villa de Angicos,
que est n'um recauto da l'r-guezia, apenas
gio eleitoral, apezar de ser em sua matoria
composlo do sulistas, totnou lodavi em se-
parado os votos dos eleitores sulislas da I n-
peralriz. O nobre deputado, Sr. presiden-
te, enganou-se completamente este respei-
lo. A maioria do collegio era do partido
que nos be adverso, o quu reconhecer fa-
cilinoate o nobre deputado se se der ao tra-
baluo de calcular os eleitores de um e oulro
lado queoucorreram ao mesmo collegio.
Sendo, pois, assim, Sr. presidente, ja v V.
Exc. quo a segunda coosideracflo que fez o
Ilustro membro que impugua o parecer da


commis3o de poderes desapparece, assim
cuno desappareeeu a primeira.
O Sr. Taques: 0 outro candidato leve
20 votos, o nohre deputado 22 : veja l de
i|iic lado estava a niaioria.
O Sr. Maraes Sarment : NSo me lemhro
iiuantos votos live e nem to pouco quanlos
leve o outro candidato ; o certo, porcni, h
q.;e aeleicSoquo fe/, o partiilo dosulna
Cidade da Imperalriz foi presidida pelo se-
gundo juiz de paz no impedimento do pri-
meiro, presentes todos os eleitores e sop
penles, sendo feita a chamada pela lista
dos votantes qualiicados, e preenchidas to-
das ss solemnidades que a lei recominenda,
cnti danto que a elei^lo do partido do nor-
te ful presidida por juiz de paz de districto
diferente; que no mesmo dia e mesma
hora tambero, consta das artas que presidir
a eleicilo do Portalegra! Isto so he bas-
tante para que seavalie e se qualilique a
n l>-(.','40 nortista da cidade da Imperalriz !
Kpoiados.) Quizera que o nobre deputado,
Sr. presidente, explicasse como no mesmo
lia e na mesma hoia esse juiz de paz de
Portalegre esteve em dous divorsos lugares,
distante um do outro qualro ouseislegoas
do pessinioscaminlus!
Algunt stnhores diputados: Isto mo dei-
sa dovida.
O Sr. Maraes Sarniento: Accresce, Sr.
I residente, que.dcsde que se fazem eleicOe
no Ro-Grande do noite, anda o partido Jo
sul n.'io peideu urna s ve? na cidade da Im-
peralriz. E como he possivet perd-la, se-
nhores, se eicepco de qualro ou cinco
individuos muito mal conceiluados, boje
capitaneados pelo juiz de direilo daquella
comarca, e pelo Iresloucado juiz municipal
0 bacbarel Amaro, nomeado pelo cx-presi-
lente.depulado pela Babia, toda a mais po-
puladlo hutiesta laboriosa e abastaba be
perieneente ao partido sulista.! Alli, Sr.
1 residente, mo he possivel perder eleicoes,
rorqueallj exerce legitima e mu poderos
influencia a numerosa c distincta familia do
Sr. Fernandes de Queiroz, cojos membros
andam por cerca de quinbenlos ou seisecn-
los moradores na Imperatriz e em Po-dos-
Fcrros, e esta familia be toda sulisla. O
ro listas, poiem.daquelle ponto quem s3oi
Apenas os clebres l'ombos, homens man-
chados por crimes atrozes, e conhrcidus pe-
lo scu genio tui blenlo o desordeiro. Esse
clles, no lempo da minha administracfiu
no llio-(.ranilc,niiocessava de represo:ilar-
ine que oses homens eram summamente
perigosos, poil viviam em conlinua hostili-
dado contra a propriedade e a existencia
dos dentis cidadlos pteilcos E-so mes-
mo juiz de direilo, que hojo conliaUrnisa
com os taes Pomhos, corren pengo do vid
no juiy. ondo elles fizeram una sedicSo,
doidos de baver sido condemn<,do un assas-
sino a quem prolegiam I O Sr. Dr. Jo3o Va-
lentino Dantas Pmnag entilo os pintou em
olllcios e cartas que me dirigi taesquaes
os cu desrrevo agora. K s*io individuos
taes, e os que os seguem, que pdenlo ven-
cer eb-icois por meios legilimos o regula-
res!?! Nio, Sr. presideot", s vencern
com osOccoiro do punlial e do li.ic.imailt-,
p n que os sulislas da Imperalriz e de to Ja a
provincia 80o homens pacilicOS e ordeiros.
e preft>ri'm perder eleicoes a derramar san-
pue. {ApoiuJos.) Em verdade, Sr. presideu-
te, quem tem conhecimento dos liomens e
das cnus.is 1I0 Rio-Gr guardarsangue-Trio ouvindoo que ha pou-
fO proferta o nohre mcinbo pela llailia a
respeilo da eleic.o que ello diz lizera o par-
tido do norte na cidade da Imperalriz.
OSr. I). Manoel: Apoiado.
OSr. Moraes Sarment: Sr. presidente,
sera um triste exemido de inimoraliJade,
sera um fado de que resiiltarSo inuilos ma-
les, se, como lo he de esperar desta au-
gusta cmara, ella approvasse as duplca-
las noilistas e annullassu as legitimas e re-
gulares eleicoes que fez o partido do sul
mis fieguezias sobre que tem versado boje
1 discusxlu! Seria semelbanlc acto o truui-
plm da fraude, das violencias c dos meios
reprovadoa que empregou esse me quinho
c vil partido denominado ~ nortista. A
Divina Providencia mo ha de perinilir que
assim succeda.
Acliando-me ja, Sr. presidente, bastante
fatigado, recejando suscitar una discussSo
desagradavel, mo historiarei agora os
meios iniquos que se empregaram, os ados
atrozes que so pralicarain no Ito-Craude
lo norte, afim deque fosse afaslado das
urnas o nomo do raudidalo que era mais da
aympallra da maioria da provincia. (Apoia-
d'os.) Eu faila horrorisar a V. Exc. e a esa,
se eu rasgasse o veo que encobre a serie de
dissimulacOcs, de pejlidias,os actos de pre-
potencia....
OSr. Taques :-- Da minha parlo dou-lhe
licenca.
O Sr. Maraes Sarniento : .... os actos de
iniquidade que se empregaram afim de que
0 voto da uiaioria dos lio-Ciandenses se
nflo n anifestasse
O Sr. Sitia Guimares :Nio apoiado.
O Sr. Moraes Sarment :N;1o me impor-
to com o nflo aioixdo do scnbor deputado,
que sabe tanto do lio-Crandedo norte quau-
du eu sei de Argel.
Enlrtlanto nao tocarei nesla materia,
poique cu espero que Dos me ha de depa-
rar urna occasio oppoiluuae favoravtl pa-
ra seren patentes na casa os fados quo oe-
coireram, iifios por occasio da eleicilo do
deputado, mas al do senador na provincia
do Itio-Crandedo norte.
V. Exc. e a casa sahem quo eu tenho si lo
solicito em exigir, em pugnar para que na
1 en I cae o lia.-, elcitOes ilu todas as provin-
ciasa cmara seja sefea e justa. Eu, se-
nhor presidente, o que quero para os outi os
quero para inim. Peco', portanto, a cmara
que seja justa, que seja smenle justa na
decmo que bouver de dar a respeilo das
1 leiciicsi|iie Irein ldo discutidas. Nada mais
quero. ( Apniados. Confio que a cmara lia
d proceder, como tem procedido, com im-
parcialidade o rectidSo. ( Apoiados. ;
Voto peia secunda parle do parecer.
O Sr. Taques (pela ordem ): Rogo a V.
Exc. que convide o seubor primeiro secre-
tario o ler na mesa esle pupel que achei a<'<>-
ra entre os papis relativos a eleicilo da
provincia do Lio-Grande do norte, oqual
prova o quo eu dissera na casa, o he que ti-
rilla hasiilo urna leprcseiitacao quanto a fre-
gue/ia il Toiiros, h que houve inlormacKo
do juiz de direilo liu-l-: de polica u esle res-
peilo.
O Sr. Silva Guimares oflorece urna emen-
da de ada minio, que osenhor presiden le ]
declara 11B0 podr lomar em considoracSo;
porque, na forma do regiment, um deputa-
do s pode propino adiamentoquandofhe
cabe a vez de fallar.
He apo'ada csl'outra emenda do mesmo
Sr. Silva Guimariles:
Que se declarem nullos os eleitores da
eleic/io da villa de Touros, presidida pelo
quinto juiz de paz Antonio Jos Correia,
os da eleicilo de Maco, e os da eleicflo da
cidade da Imperalriz presidida por Barros
l.ima, e sejam aprovados os da elciotu de
Touros presidida pelo juiz de paz Velloso
de Augicjs, e os da anlC&O da Imperalriz
presidida pelo juiz de paz de Purlalegre, rc-
commendando-se ao goveroo a puni(flo dos
autores de actas falsas da eleicilo annullada
da cidade da Imperalriz >
EleieSo da Parahib* do norte.
O Sr. Antonio los Henriquet :Tenho ne-
gocio urgente, senlior presidente: oslando
prximo o diada nobiliario da cmara, e
parecendo-me objecto da primeira impor-
tancia e uecessidade que a cmara funecio-
ne rom o numero do Miembros esta lie Incido
na con-tinic\"io e nas leis, peco a urgencia
para que sejam lidos os pareceres da eom-
nissilode poderes a respeilo das eleicoes de
4 ou 5 provincias que anda resta 11 a veri-
ficar. ( Apoiados. )
Apoiada a urgoncia, he approvada sem
disrussflo.
Intcrrompc-se por consequencia a or-
dem do da para so proceJcr leltura do pa-
recer sobre as eleicoes da Parabiba, cuja
cnnelusln he approvada depois de una pe-
quea questilo de ordem. Diz assim :
Que, communicando-se ao governo im-
perial o contedo do presente parecer para |
fa/0-lo constar a quem couvier, e dar as
providencias quo l'rem necessarias para a
rcsponsabilidadedos quo por proposito de-
libeado violarain a lei c procuraram per-
turbara eleiQfio, abandonando as mairizes,
o fazendo duplicaliis cm lugares diversos
ra-"
li'iram nomeados duques; 500 fAram nomoa-
dos condes, e 300 Idram nomeados bares.
O ministerio do imperador acha-s com-
posto da maneira seguinle :
Ministro da guerra e marinha. o lenle-
general l.uz Dufrene, duque de Tiburn,
gran-marechal do imperio ; ministro da
justica, Mr. JoSo Baplista Francisco, duque
de Limbo ; ministro da fazenda, o coronel
Luiz Felicit Salmn, duque do S.-Luiz.
O goveroador de Jacmel .he um principe
do imperio, Mr. de A. Souffrant. como ti-
tulo de alteza serenissiina. O governador
do Cabo-HayU betambem'um principe do
imperio, sua alteza serenissiina o principe
de liobo.
Ilhas Sandwich.
Um grande rnmpimenlo leve Mr. Dillon,
cnsul Trancez naquellas ilhas, com o governo
das mesillas.
Eis-aqui o que a este respeilo ie K- no Times
de 9 de novetnbro :
Mr. Dillon lia milito tempo que nao eslava
de boa iiuelligencia com o governo das libas
Sandwich. A chegada de una fragata e de um
vapor de guerra franerzes em Hooolulu iiulo-
20 este Sr. a fazer certas exigencias ao dito
governo, ameacando-o com a torca,110 caso de
nao seren ellas satisfeitas dentro de tres dias.
Como o re estivesse ausente) o almirante
francez esperou que voltasse, e,leudo elle re-
cusado salisfazer as exigencias de Mr. Djllon,
as tropas franceas deseinbarcaraui e appossa-
1 im m- do forte. Como nao encoutrasicui ne-
nliuica resistencia, os Francezes cravaram as
pecas do forte, reinuverain-as dos seus luga-
res, destruirn! as muniefies e os mantiinenlos,
e apoderaram-se de todos os navios havaianos
?uc eslavam 110 porto. A bandelra havaiana
j| arreada, c a francesa arvorada em seu
lugar.
a Ucpois de passarem tres dias em pacifica
posse do forte, os Francezes o abandonaran!.
e reliraram-se para bordo de seus navios, os
quaes logo depois se fuerain vela, indo nel-
les Mr. Dillon c sua familia. O cnsul geral
brltannico c o cnsul americano protestar 1111
contra aaccodas len-is francesas ; o primei-
ro oM'ereveu os seus servlcos como mediador.
iNAKiii m mumm.
BECIFE, 31 DE JANEIBO BK 1850.
Nas gazelas cuja recepefin honlem aecu-
smos, encontramos mais as seguidles no-
ticias.
Estados Unidos.
Esle raz firra em perfeita paz. Nenhu-
ma miiilanca tinha tido logar relativamen-
te poltica, bem que conessem boatos di-
urna alteracflo no gabinete. Dizia-ae que
o actual i i a>> i ue estado, Mr. Ca y Ion,
se retirara e seria substituido por Mr.
Ca y.
O governo americano tinha oblido da re-
pblica de Honduras a cesso da ilha do Ti-
gre no golplio de Fonceca.
O novo congresso, o qunl devo durar al
4 demarco do 1831, reunio-so no dia 3 de
dezembro prximo passado.
Cria-se que suas sesses offereceriam
bastante iaieresse, porquanto a maioria
nao sympaliiisa com a actual admims-
liaco.
O senado ncha-se composto do 34 mem-
bros democra'av, c2fi wiglis ; a cmara dos
represenlantcs, de 116 demcratas e 114
wighs.
U estado Onanceiro da unirlo americana
nilo be dos mais lisongeiros. O ornamento
feito para os dous anuos da 1819 a 1851a-
presenla um dficit do 25 a 30 milhOes de
dolais, isto he, mais de f.O millies do cru-
zades,--molida forte.
Segundo o orgo oDlcial do gabirTelo de
Washington,este dficit mo provm da in-
sufliciencia das rendas, ms das despezas
extraordinarias, resultantes da guerra do
Mxico e do lualo concluido com esso
palz. Parece que para reslabelecor o equi-
librio nas financia ser necessario recorrer
se ao empresliino.
Em 1846 a divida publica dos Estados-
Unidos era de 84,856,495 do dollars, em 1847
ella elevou-se a 45,C5?,659 e em 1848 clie-
;ou a C5.804,450. O quo mos'.ra que s-
Mr. Dillon tinha eicedido os seus poderes.
as
K'ublica^ao a pedido.
dos que a lei designa, sejam reconhecidos pnrm foi recusado. A opinio geral era que
deputados os senhores Francisco do Assis
Pereira Rocha Jnior, Antonio Jos Delin-
ques, Frederico de Almei la o Albuquerque,
Joaquim Manoel Carueiro da lamba e em
lugar do doutor Trajauo Alipio llollanda
Chacn ( que fui assassinado ) o iinmediato
em votos, Manuel Correia i.una, cojo di-
ploma etpcdido pela cmara municipal foi
presente a commissilo.
Sao, portanto, declarados deputados pela
Pa rali iba us senhores que constan) do pa-
recer.
{Conlinu'a.)
mente no espacn de dous anuos augmeu-
teu de mais uc 41 milhOes de dollars.
Mxico e Venezuela.
lima nova tentativa foi feita em Cooula
no Mxico por um tal I). Faustino Villalva
em favor do cenca I S. -Anua ; pnrm o ge-
neral Palacios, atacan lo inmediatamente
os revoltosos, conseguio dispersa-los. Vil-
lalva, sendo feito prisioneiro, foi logocxe-
cuiado.
Tilo grande he o numero de ladresque
prcsentemcnle iufestam o territorio mexi-
cano, que orespectivo congresso, para o tim
le reprimi-los, decrctou que lodos os in-
dividuos que fosscui Convencidos do criine
de roubo, solD/criam a pena capital, o esla-
belcceu en todas as propriedados ruraes
daquelle esudo urna fVga armada paga pe-
los respectivos proprietaiios
Depois da derrota c exrcucfio do general
Paez, Monagas, o governador de Venezuela,
ptlblicou una amnista geral, e o paiz acha-
la -se pe feilamente tranquillo.
Uuyti.
Este paiz ficara em paz ; comtu lo bavia
pone.i rnilianca no novo oslado de colisas
dcbaixo do im, crio, c receiava-se que urna
nova i cniluc.io em breve alli rcbeuiaria,
O imperador esforcava-se entretanto por
consolidar o -en poder. Elle tinha decreta-
da que a coia seria hereditaria, tinha
creado urna or.leiii militar com o titulo de
o dem militar e un; erial da legiode hon-
f, coutia como titulo de ordem militare
imperial de S.-Faustino.
Alm destas duas ordens o imperador
creou taiiibe.il varios lugares distuictos,
taes como o de gran-marechal do imperial,
ode inspector-geral do exercilo do imperio.
o do camarista-u,nr do iilipei'ador, o de j
comuiissano-geral do imperador, & Varios
individuos iram nomeados principes; 531 Reudlmento do dia 21,
SONETO
A sentida norte do I Un. s Rem. Sr. Fr. Joo
da Encarnando Quintal, religioso carmelita.
Anda no vigor da juventude,
No esperancoso alvor da mocidade ;
A Parca com severa austeridade,
Roubou-nos um exemplo de virtude I.'...
E assim pissa o viverque o mundo Ilude,
Cmoda luz se passa i escuridade,
Nem sexo e C.ondltyBo, nem mesmo a idade,
Pode Ilesa viver, sem que se mude.
Mas tu 11 u boje lamento, alma querida !
Astro da religio quo professislo ;
Eia um fardo p'ra ti, t3o crua vida I!
Para o seio de Dos enlilo voasle :
l'i'.is um laurel de gloria promellida
Pelo grao de virtude a que chegaste.
Por um amigo.
? *
Janeiro, 17 de 1850.
Movimcnio do Porto.
Navios intrads no dia 21.
Terra-Nova 47 dias, hrigue inglez Ron-
dolph, do 207 toneladas, cipililo Peter
Campbell, equipagem 10, carga 2517 bar-
ricas com bacalho; a Johnston Pater.
Porto 27 dias, hrigue porlmrnez Maria-
Ftliz, do 162 toneladas, cap tilo Louren-
eo Fernandos do Carino, equipagem 27,
carga vinho, batatas, ferragens e mais g-
neros; a Antonio Joaquim deSouzalti-
beiro. Passgeiros, Manoel Antonio Vioi-
ra, I). Anna Joaquina Vieira, Domingos
de Oliveira Pinto, JoSo Jos Antunes,
Christovao Jos de Abreu, JoSo Francisco
Aranha Jnior, Joaquim Moreira, Joa-
quim daCunha Meirelles, Domingos Jos
l'ewoto, Custodio de Carvalho, Jos de
Oliveira, Manoel da Silva Pereira, Joa-
3uim Moreira da Costa, Miguel Marques
e Lomos, Manoel LuizFerreira, Bernar-
dino Nunes de Carvalho, Joo Marques
da Silva Mendos, JoSo Marques da Silva
llenriques.Tosquino Theotonio de Abreu,
Jos de Oliveira, Auspicio Antonio de
Abreu, Antonio Jos Alves, Francisco Jo-
s Pinto de Oliveira, Victorino Ferreira
I-''aI, Jos Gomes, Joiio Rodrigues Bran-
coe Francisco Heurique, Portuguezes.
Gothenhurg42 dias, hrigue sueco Zeathir,
de 2<6 toneladas, capitao P. N. Hulttnan,
equipagem 12, carga taboado, ac a fer-
ro ; a Me Cal moni & C.
''"Iiiiouth 31 dias, patacho sueco Alert,
do 170 toneladas, capitao I. E. I.andherg.
equipagem 9, carga lastro ; a Astley &
Companhia.
Cadis 40 dias, patacho inglez Harriel, de
165 toneladas, capiulo Froncis Esnonf,
equ ">gem 10, carga sal; a ordem.
Glasgi.-v -57 dias, birca ingloza Monarck,
de 170 toneladas, capitao Robert Kerr,
equipagem 10, carga fizenJas e carvo
de pedra.
Rio-Grande do sul 26 dias, barca ameri-
cana IFif/iaia-ScArat/er, de 238 loneloJas-,
capililo Richard Upton, equipagem 17,
carga couros; ao capitn.
Copcnhagem -- 84 dias, brigue dinamar-
quez Sh'indinaren, de 150 toneladas, capi-
tao Swend KierulfT, equipagom 10, carga
carvo de podra o taboado; a RotbecV
Didulac.
Navios sonidos no mtsmo da.
Falmoulh por Parahiba Briguo dinamar-
quez Tnenwlsen, capitao J. N. Jessem, em
lastro.
Genova por Parahiba Polaca sarja Co4-
lante, cadilBa B. Ilumeguin, em lastro.
ObseivaeAo.
Arribou o brigue portuguez Anna-Kdelai-
de que linda sabido- honlem para Lisboa,
capitao Ignacio Jos de Araujo por eslar
com agoa aborta.
commeucio.
ALFANDEGA.
Rondimento do dia 21.....5:543,581
hetcarregam hoje 22.
litigue portuguoz Novo-Fencedor lage-
gcdo.
Brigue inglez Earl-of-Dotltonsea carvSo
de ferro.
Brigue brasileiro Minerva mercaduras.
Barca ingloza -- Columbus dem.
Brigue americano iulieta farinha.
Barca ngleza Genevieva mercaduras.
Briguo porluguez -- Mariafelix Trem de
passgeiros.
Barca franceza -- Jeune-Raymond farinha.
Barca francez i Leonit batatas.
Barca francozs --Zampa farinha e ba-
tatas.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 21.....2:148,838
Diversas provincias...... 412,502
2:561,340
EXPORTACAO.
Despachos martimos na dia 21.
Rio-de-Janeiro, brigue brasileiro Ada-
maslor, manifestou o seguate :
10 pipas do ago'ardcnlecom 180 medidas
cada um1, 1,000 cocos com casca, 15 pipas
de agurdenle com 180 medidas cada urna,
15 ditas dita dita, 1 0.litas dita dita,.10 saceos
com 2.10 arrobas de assueai, 50 barricas
com :'i;s arrobas e 4 libras de dilo, 50 ditas
com 3C9 arrobase 24 libras dedito,10 pipi
de ago'ardeuto com 180 medidas cada um,
loOsiccos com 750 arrobas de assucr, 30
barricas com 222 arrobas e 13 libras d as-
sucar, 150 barria doce do calda com 8 libras
cada um, 100 saccas com 500 arrobas de as-
sucar, 200 ditas rom 1,000 arrobas de dito,
6 pipas com 180 medidas de ago'ardenlo ca-
da una, 2 hcelas com 46 libras de doce
secco, 1 caixole com roupa de meninos, 100
saceos com 450 arrobas de assucar, 200 co-
cos sem casca, 50 saceos com 250 arrobas
le assucar, 150 saceos com 750 arrobas de
dito, 20 .lilas com 121 arrobas e 27 libras de
algodo, 6 duas com 31 arrobas e II libras
de dito, 15 meas pipas de azeite-doce com
68 medidas cada um, 10 dilas com dito di-
lo, lOOcaixascom 400 arrobas de chumbo,
100 ditas com 400 arrobas de dito, 200 di-
tas de msssas com una arroba cada urna,
100 ditas de ditas com 25 arrobas, 25 balas
papel florete, 4 fardos com 31 arrobas e 16
libras de erva-doce, 5 caixascom fazendas.
M M -eille, gaL-ra franceza Kchille, mani-
festou o seguidle:
4,750 saceos de assucar com 23,750 arro-
bas, 2 ca xas cun plaas. 1 dita com se
lllelHCS.
Genova, polaca sarda Fumeio, manifestou
o seguidle :
2,700 saceos de assucar com 13,500 arro-
bas.
Pliiladelpha, patacho americano II -F.-
Loper, manifestou o seguidle :
4,200 quintaes de assucar com 12,532 ar-
robas e 24 libras.
CONSULADO PROVINCIAL.
KDITAES.
Pela inspectora da alfandega se faz
Repartido da polica.
lllm. e Exm. Sr.Segundo as partes hon-
lem e hoje recebidas nesta repartidlo, fd-
rain presos: iiiuihi ordem, e a dispo-
sc3o de V. Exc, Flix da Cutiha Navar-
ro l.ins, como rebelde; os escravos Es-
lev3o e Domingos, por coi recelo ; Antonio
Marques do Espirito Santo, remettido pelo
subdelegado da freguezia do Poco, sem de-
claradlo do motivo ; e Fr. Manoel de Santa
Auna, por eslar ebrio, e fazendo assuadas
polas ras : ordem do delegado do se-
gundo districto deste termo, Christovao
Coolho de Brito, como desordeiro : or-
dem do subdelegado da freguezia de S.-
Antonio, Jefio Luiz e Manoel da Cunha Mes-
quita, por ebrios : do subdelegado de un
dos dislriclos dos Afogadus, o pardo Joa-
quim Coelho do Sanl'Anna e Manoel Mon-
ten o, porcorrceco.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambuco, 21 de Janeiro de 1850.
lllm. e Exm. Sr. Honorio Hermto Car-
neiro Leflo, concelheiro de estado, presi-
denta desta provincia. Jos Nicolao Regusi-
ra Costa, chefe de polica Interino
avisios martimos.
-- Para a Babia sabe impreterivelmenle
quinta-felra, 24 do corrente inaz, a sumaca
Flor-do-Anqslim, por ler o seu carregamen-
loprompto : recebe tilo somonte passgei-
ros: trata-so com -o meslre, Bernardo de
Souza, ou com Luiz Jos doSi Araujo, ra
da Cruz, n. 33.
Para o Aracsty pretende sahir em pou-
cosdias a sumaca Carlota, poc--ge adiar
com tres partes da carga a bordo : para 6
restante la carga e passgeiros Irata-sa
com o mestre, Jos Gonc,alves Simas, ou
com Luiz Jos de S Araujo, ra da Cruz,
n. 33.
Para Lisboa, com escala pelo Porto, so
dispOe a receber carga o bem conheeido
brigue porluguez ConceicSo-Flor-dt-Lisboa,
e a shir breve, para o que tem engajado
urna parte do caTegament : quem no mes*
mo quizer carregar, ou ir de passagem, po-
de entender-se com o capitao, JoSo Borges
Pamplona Jnior, ou com os consignata-
rios, Aulorim Irmaos, na ra da Cadeia,
ii. 39.
--Para o Rio-Grande do sul segu viagem
nesies dias o patacho nacional Kuttrpe, ca-
pitao Manoel Luiz dos Santos, por ler o seu
carregamento promptu, pudendo ido t-
menle roceber algumas tniudezas, pass-
geiros e escravos a frete: trata-se com Luiz
Jos de S Araujo, na ra da Cruz, n. 33;
ou na ra de Apollo, armazem n. 14.
Para o Cer4 sane o hiate fyeiro.forr'a-
do e pregado do cobre, na presente semana,
por ja se acnar com seu carregamento enga-
jado: para o resto e passgeiros trata-se na
ra" do Vigario, n. 5.
Para o Maranhao o Para
sahe impreterivelmenle no dia 25 do cor-
rente a velcira escuna nacional Emilia, ca-
pitao e pralico AntonioSilveira Maciel Jo-
para carga o passgeiros, trata-se al
publico que, no dia 23 do corrente, depois nior:pa
do meio-dia, porta da mosma.se hilo da o dia 24, com o capitao na praca do Com
arrematar em hasta publica 53 tapetes li-
nos para sof e cadeiras, por faclura um
4,500 rs total 238,500 ra. ] impugnados
pelo sdgundo escriplurario Antonio Fran-
cisca de .Moiiim no despacho por factura n.
357 de ttt? do corrente: sendo a arrediladlo
subjeita aosdireilos
Alfandega de Pernambuco, 21 de ja tet-
ro de 1850, O inspector, Luiz Antonio de
Sampaio Vianna.
i'ela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no dia 23 do corrente, depois do
meio-dia, porta da mesma, se hilo de ar-
remar em hasta publica 8 caixas com 10,408
varas de cassas estampadas, ordinarias, por
factura unta vara 180 rs total 1:873,440rs.;
impugnadas pelo segundo escriplurario Ga-
briol Alfonso Regueira, no despacho por
factura n. 380 de 19 do corrento]: sendo a
arrematacao subjeita aos direitos.
Alfandega de Pernambuco, 21 de Janei-
ro de 1850. O inspector, Luis Antonio di
Sampaio Marina.
O Sr. Dr. juiz de direilo chefe de poli-
ca interino manda fazer publico que lodos
os estraugeiros que obtiveram ttulos de re-
sidencia por esta roparlicu, os devem apre-
sentar para certa averiguagao, no impror-
rogavel prazo de 30 dias, contados da pu-
blicico desie, sob as penas da lei. --Se-
cretaria da polica de Pernsmbuco, II de
Janeiro do 1850. Antonio Jos de Freitas,
primeiro amauuense.
mcrcio, ou ua ra da Cruz, armazem n. 13.
Yende-se o hiate nacional S.-lodo, Tun-
deado ao pedo trapiche do algod3o, promp-
to de ludo para navegar pan qualquer par-
te: quemo pretender comprar, pode oxa-
mina-lo, e para tratar na ra Bella, n. 30,
ou na ra do Trapicho, n. 34.
Lo i loes.
Declarares.
Perante o Sr. Dr. juiz interino dos fei-
tosda fazenda so bao de arrematar na por-
ta da casa de sua residencia, na ra das Flo-
res, boje, 22 do corrente, pelas 4 horas da
tarde, os bens seguinles, ponhorados pela
fazenda nacional a diversos dovedores.
1 escr,,vo de. nome Antonio, de nacilo
Angula, de 16 anuos, por 400,000 rs.
1 dilo pardo de nome Estevo, por 400/.
1 casa de sobrado, sita na ra do Jar lim,
n. 71, avahada de renda annual em 216i/.
1 sitio e casa de vivonda no lugar do Cal-
deireiro, com as bemfeiturias constantes do
jscrpio em milo do porleiro, por 18.0UO/.
OSr. director dojyceu desta cidade',
em cumprimento i portara do Exm. Sr.
presidente da provincia do 5 deste corrente
mez e auno, manda fazer publico quo esta
a concurso a cadeira de primeiras lellras d
cidade da Victoria, para o sexo feminino :
portanto, as sciihoras brssileiraa que qni-
zcrem oppr-se a referida eadei'a, devern
comparecer fda dita deste a 60 dias J na
sala do palacio da presidencia, pelas 9 ho-
ras da inanliiia, leudo remettido ( 8 dias
anles do concurso dito) a secretaria do ly-
ceu os seus requerimentoa documentados,
segundo a lei.
-ecrcta i a do I ye. ii 21 de Janeiro de 1850.
lanunrin Alexandrino da Silva Rabillo Ca-
neen, ptskTyHsnr de desenlio e secretario.
1:197,215
O aJJaixo assignado, cnsul do S. M.
Britannica nesta provincia, requisita o
apontamento de todos os subditos britan-
nico qualificados pelo aclo do parlamento
6. Geo IV cap : 87. como volantes, no con-
sulado britanmeo, no dia terca-feia, 29 do
correle ao meio-dia. -- Consulado brilan-
n ico em Pernambuco, 21 de Janeiro de 1850.
//. Augustus Cowper,
Cnsul.
Luiz Bruguiere continala, por inter-
veneo do cndor Oliveira, o seu le loo de
fazendas liance/as e inglezas,consistndnem
manas e chales de seda, lencos, cassas,
corles de seda para vestidos, col leles, se-
tina, chapeos de sol, de seda e de algodo,
fitas, luvas, meias, perfumaras, merinos,
sarjas, cambraias, bicos, etc. : Urca-feira.
22 do corrente, s 10 horas da manha, no
seu armazem da ra da Cruz, n. 1.
I.eilao de urna porc/io ne nussas em
caixas, no dia 22 do corrente, porta do ar-
mazem de Francisco lijas Ferreira, por coa-
la o risco de quem pertencer.
C. J. Aslley & C. far8o leilo, por inter-
venco do corretor Oliveira, de grande sor-
t i ment de fazendas inglezas, eoutras, para
ultiumcSo de certas cuntas : quarta-feira,
23 do corrente, s 10 horas da manilla no
seu armazem da ra do Trapiche-Novo.
0 correto Oliveira far leilo, por or-
dem e em presenc* do Sr. cnsul da rep-
blica francoza, dos bens do finado l.ois Vc-
tor Desenclos, subdito francez, consistid lo
em mobilia, inclusive arllgos de escripto-
rio e machina de copiar cartas, trem de co-
ziuba, instrumento do agricultura, futo e
calcado, livros, dous excedentes relogios
de o.iio, um cora a competente corrente,
3 depsitos d'agoa, proprios para j.irdmi,
um par de pistolas, 23 pipas de agurden-
le, duas dilas de espirito do vinho, 18 ditas
vaziascom o competente fuuil, bomba, me-
didas, ole: sexla-feira.25 do correle, s
10 horas da maniia, na ra do Brum, cm
Fra-de-Portas, casa contigua a fundidlo
de llowman & M. Callum.
Avisos diversos.
OSr. Henrique Jos Breine de Souza
llangel queira por favor apparecer na ma
da Cruz, no Becife, n. 57 ou 63, para so Ira-
lar de negocio : islocom brevidade.
Tlieatro de Apollo.
A commiss3o administrativa da compa-
nhia de accionistas avisa a estes ltimos
Srs. que. aclundo-se promplas as apolices
do segundo empresliino para a edilicacao
do mesmo bcalro, (em lulorisado ao u
primeiro secretario para a competente en-
trega desses ttulos, a qu8l tere principio
hoje, 21 do correte, continuando lodosos
di.is uleis at 9 do fevereiro futuro, desde o
meio-dia s 2 horas da tarde, na casa n. 6,
delionle do Trapiche-Novo ; e ser feita ia
proprias pesios a quem aquellas deverem
perlencer. em vista dos respectivo* docu-
mentos quecomprovem a sua propriedade.
Precisarse alugar urna casa com com-
modos parsf^jrandc familia, e que seja em
alguma das principaes ras do baiiro da
Boa-Vala: quem tiver anuuucie, ou diri-
ja- ra da Cadeia-Velha, n. 20, primei-
ro andar.
Precisa-se de urna ama para todo o ser-
vico de urna casa : na ra da Cadeia do
ftecife, n. 27, loja.
K/irri uno rrvrrMDi /


i
-No pateo do Crmo. n. 110, precisa-se
de urna malpara comprar e fazer o mais
servico interno do urna cas do pouca fa-
perdeo-se urna pulcein de ouro coro
urna pcdra encamada fina, desde o largo
dos Martirio*, becco do mesmo nome, pa-
teo do Terco, Cinco-Pontas a voltar para
ra Augusta : a pessoa que a achou, ou que
a tiver comprado dirija-se i ra Augusta,
primeiro sobrado dos quatro do Muniz, on-
de ser gratificada toda a despeza.
Oabaixo assignado desoja saber onde
mora o Sr. Manoel Vieira dos Snlos.
Jote fieira iot Sanios.
OsSrs.JoodeCarvalhoe Jos da'Car-
valho queiram fazer o favor de dirigirem-
seijua doQueimado, n. 30, realisarem ne-
gocios que lites no sito ostranlios ; senilo ,
se farSo pblicos.
Acha-s nesta typographia urna carta
com urgencia para o Sr. Joaquim Podro do
Reg Cavalcante.
-Joaquim Jos Moreir, como tem de rc-
tirar-se, vende o seu estahelecimento de
harbeiro, na prega di Independencia, n.
10, ao voltar para a ra das Cruzes
Os irmos mesarlos
actualmente de N. S. da Conceicflo d Be-
beribe fazem sciente ao respeitavel publi-
co, que no primeiro domingo de fevereiro
do corrente anno* pretendem festejar a
mpsma Senhora, com vesuere e dia, com
toda pomoa e magnificencia que lie pro-
prjocBa-iaesactos, cuja festa he feita poi
esmolas que os novos.raos da actual
mesa tiraram entre si, sem bolir em nada
que oorteoceaojiatrimoriiodeN. S. ,e sim
emaceflo degracas pella entrada da nova
mesa.
Arrenda-se um sitio na Toire, com
mnito boas trras para plantarles e para
sustentar 4 vareas deleite annualmenlc,
com bBixa de capim o mais commodulades,
por commodo proco: na travessa da'rua da
Concordia, n. 5.
Oabaixo assignado uou socieJado na
sua venda da ra da Aurora, ti. 48, ao seu
cunhado Joaquim Raphael de Lima, desde
o primeiro de Janeiro de 1850, ficunJo a
dita venda gyrando na firmn de Silva &
Lima. Ber'irdino Joi da Silva.
A pessoa que annunciou querer urna
senhora para ensinar urna menina em ter
ras de Ipojuca, dirija-se i ra Imperial,
n. 34.
Francisco de Mello relira-se para a
i I ha ile S. -Miguel.
l.uizJus do Magalhaes, residente na
cidade do Para, tem de retirar-so para Por-
tugal,e como se julga nada dever a esta pra-
ca ; mas so algunia pessoa se julgar sua
credora, baja de presentar sua conta, no
prazo de oito dias contados desla data, pa
ra ser paga na praca da Boa-Vista, n. 13, ca
sa de Antonio Jos do Magalhaes.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da rus larga do Itozario, n. 40, concertado
e preparado de novo : a tratar na loja do
mesmo sobrado.
O bachaiel Manoel Joaquim de Miran-
da Lobo faz certo ao seus amigos do Olinda,
* a quem convier, que elle contina a resi-
dir na ra do Bom-Suces 14, e que smente sua familia foi que se
mndoii para a ra do S.-ilento da mesma
cidade.
-OSr. Brazelinoda Silva queira ter a
bondadedevirou mandar pagar o importe
de sua lettra que se acha vencida, e nilo
ignora a quem.
--Precisa-se do urna preta captiva para
ama de urna casa eslrangeira, que saib
engommar: na ra do Trapiche, armazom
n.44.
-- Rnga-geaoSr. lir. A. J. de S. G. que
queira ter a bondade de ir na loja de fazen-
ilas da ra do Passeio, n. 21, pagar a quan-
tia ile 137,121 rs. saldo da sua lettra que
aceitou no dia 28 de margo de 1839 ; do con-
trario, lera de ver o seu nome por extenso
nesta fullia at que embolec a dita quantia
(i Sr. Tlieodoro Tavtres Jnior queira
ter a bondade de ir na loja de fazendas da
ra do Passeio, n. 21, pagar a quantia de
39,684 rs., saldo da sua lettra que aceitn
nodia 17de setembro de 1838 ; do contri-
rio, lera de ver o seu nome at que pague a
dita q-ianlia.
Boga-sea qualquer pessoa e especial-
mente aos Srs. relojoeiros, a quem fr offe-
recido um relogio com caixa, sahonele, de
prata lavrada, com os Helios dourados, ma-
china cylindro, mostrador do prata esmal-
tado, trabalhando sobre quatro diamantes e
n. 4,953, queira loma-lo, pois foi Curiado
sabbado demanda, 18 do corrente, da pa-
danadoSr. Barrollier, no Aterro-da-lla-
Visln. e leva-lo ao mesmo Sr. que genero-
samente recompensar.
O padre Francisco Jollo de Azevedo
participa aos pas de seus alumnos e a
quem convier, queseacham abertas as au-
las do seu estahelecimento no segundo so-
brado do caes do llamos, onde tambem re-
cebe pensionistas e meios pensionistas,
prometiendo desvelar-se no tralatnenlo dos
alumnos que forem confiados a sua direc-
efio, o promover o adiamntenlo dos mes-
mus.
.OSr. o! reres M.
lenha a bondade de mandar pagar os 23,00o
rs. que devo na loj da ra do Crespo, n. 16.
Para a provincia do Para ou Mara-
nhSo se ofTerece um Pernambucano que
tem imilla pratica para administrar enge
nlio, segundo o uso de muitos anuos, en
leude bem da agricultura da canna, de fa
bricar e retinar assucsr; tambem entende
do machanismo de enenho de moer com
agua, ou animal ; faz assenlamcutos, e em
sua pessoa sedescobrem outras muiUsha
bilidailes. O annuncianlo tem familia
Quem deseo prestmosequizer ulilisar, an-
nuncie, pois o mesmo tara lo'i.i o negocio,
dando informadlo de sua conducta.
O ahaixo assignado, proprielario do
engenho S -llosa, avisa a quem quer que
comprar, ou arrendar o engenho Mamniu-
caia, se lio illuda comoteireno desto pe-
queo engfnho que se ha ulilisado muitu-
vezesdas torras e maltas de S.-llosa ; cuj-
favor, ou descuilo nSo p.lem, nem hade
continuar como *l agora, o que se ante-
cipa e adverte para evitar conteslacdes ou
equivucos. -- Antonio da Cusa Nogutira.
A pessoa que precisa de noticias sobre
JoSotlacnado Magalhaes, sua ntullier e li
lhus, dirija-se ra da S.-Cruz, n. 66.
-- Aluga-se una excellenle casa lorrec
na ra da Maugueira : a tratar na ra larga
do Roztrjo, n. 38.
Precisa se de umfeitor que saiba tr.t-
balhar de horla, pomar e euchertar: no
Aterro-da-Boa-Visla, n. 43, ou na Magda-
lena, estrada di Torro, n. 78.
Alugam-se os primeiro e segundo an-
dares do sobrado do ra da Praia, n. 43 : a
tratar na ra do Vigario, n. 19, primeiro
ndir.
Precisa-se alugar um pri-
meiro andar e um arrnazem as
ras do Trapiche, Cruz, Alfande-
ga-Velha e Cadeia do llecife, para
escriptorio de um negociante : na
ra do Vigaro, n. 4-
__Precisa-se de um sobrado de
um andar, anda mesmo com pon-
eos commodos, para morada de
um strangeiro sem familia no
bairro da Boa-Vista at a Trem-
pe: na roa do Vigario, n. 4-
Osabaixo assignados fazem publico
que dissolveram a sociedade que ti vera m na
loja da ra do Crespo, n. 17, que gyrou
com a firma de Santos Neves & GuimarSes ,
desde o primeiro do Janeiro de 1845 at 31
dedetembro de 1849; Picando o ex-socio
Jos dos Santos Neves encarregado de ha-
ver o activo, e obrigado a solver o passivo
da firma extincta, por ser quem ficou com
o estahelecimento. Becife, 1." do Janeiro
de 1850. J me da Silva Guimardes.
-- Traspassa-seo arren lamento de um
enjagnho perto dcsta praeja, com safra para
90o a 1,000 p3es, 20 animaes de roda e 8
bois mansos : quem pretender entenda-se
com Joaquim Carneiro Machado Bios.
Terca-feira, 22 do corrente, porta do
Sr.Dr.juizdocivel.se hilo de arrematar,
por ser a ultima Braca, os movis iiovus. pe-
nhoradosa viuvae herdeiros de Jo3o Bap-
lista llerbster, por execuciiode Miguel Car-
neiro, e urna cscrava penhorada a Paulino
la Silva MenJello, por execucao de Antonio
Rodrigues Lima.
Na ra Nova, loja n. 58, se dir quem
hypotheca em casa terrea. Na mesma loja
vndese urna earroca para boi.
O Sr. Custodio Jos Pereira tenha a
bon lade de apparecer na rasa de Novaos &
r.ompanhia, ra do Trapiche, n. 31, segun-
do andar, a negocio.
Quem liver para alugar urna escrava,
que saiba cozinliar e fazer o mais servico
inlerno e externo de urna casa, dirija-se ao
Aterro-da-Ba-Visla, armazom le louca da
Baha, que achara com quem tratar.
Alugam-se os primeiro e segundo an-
dares dosobrado na ra Direita, n.43, com
encllenles commodos e muilo frescos, a
tratar com o barbeiro, quo mora na loge do
mesmo sobrado.
Precisa se alugar urna preta quo saiba
lavar, engommar e coser, para urna casa
astrangeira : na ra do Torres, n. 34, das
II horas at as 3 da tarde. Na mesma casa
tambem se precisa alugar um prelo que
entenda do servico interno, e saiba Iralar
de cavallos.
Aluga-se o lerceiro andar do sobrado
da ra da Senzalla-Velha, n. 70, com bas-
tantes commodos: a tratar no primeiro an-
dar do mes no sobrado.
do lycou desta ci.late, propOese a ensillar
grammalica latina, rholorica e geographia I
as pessoa que de seu prestiino se quize-
rem ulilisar, poden procura-lo na ra Di-
reita, n. 120, segundo andar.
la e tratos.
Cincinato Mavignier, retratista, lendo
merecido sempre do benigno publico tods a
proteccao, pretende em signa I do muita
gratido continuar a retratar com lodo o
esmero possivel aquellas pessoasque a esse
fim se propoforem, prometiendo a boa exe-
cuqo em ludo quanto se requer, para apro-
vecho geral do mesmo publico, a quem sera
eternamente grato. Oannunciante declara
que vai abrir urna grande aula de desenlio
e pintura a pedido de muitos de seus ami-
gos, e para esse Hm, aquellas pessoas que
se quizerem utilisar de seus fracos ensinos,
pdenlo dirigir-se a travessa do Carmo,
n. 1, segundo andar, das 10 horas da nia-
nhSas 4 da tarde.
U bacharel A. R. de Torres
Bandeira, professor adjuncto de
rhelorica e geographia no lyceu
desta cidade, se propoe a dar li-
c5es das mesmas disciplinas, e
bem assim de philosophia e fran-
cez : quem de seu prestimo se qui-
zer ulilisar, pode dirigir-se casa
de sua residencia, na ra eslreita
do Kozario, sobradon. 4' segun-
do andar.
1 obilias de alugucl.
Alugam-se cadeiras para bailes ofiicios ;
tambem se alugam mobiliss a vonlade dos
prelendentcs : na ra Nova, n. 59,
zom de traste?, defronle da ra
Amaro.
arma-
de S -
Compras.
Preci-a-se de urna
mulher
de boa conducta, e qtieseja capaz
de ensinar bem as piimeiras Ul-
tras a una menina, em um enge-
nho na freguezia de Ipojnca, onde
achara todas as commodidades e
excellente tratamento : a pessoa a
quem convier este negocio, an-
nuncie sua morada para ser pro-
curada.
Aluga-se um sitio na estrada nova,
com casa de vivenda, cacimba d'agoa de
beber, bom pomar, e baslanle terreno para
plentacfies : a tratar no mesmo sitio com
Manoel Francisco Scheer.
'Aliigaiii-se por preco rasoavel
o sobrado e loja da ra dos Quar-
teis, n. io : a tralar no Mondego
com L. G Fcrreira
D. W. Baynon, cirurgiSo dentis-
ta, na ra do Trapiche-Novo, n.
14, respeitosamente informa ao
publico que, pelos seus muitos afaz'eres, se-
r obrigado a domorar-se mais algum lem-
po nesta cidade, antes de sua retirada para
os Kslados-UniJos, e offerece seu prestimo
para toda qualidade de operacOes dentaes,
para per denles novos, tanto singlos como
dentaduras inteiras, chumbar denles com
ouro e prata, conforme as ultimas deseo-
bertas nesta tera.
-- Antonio Mximo de Barros Lette, pro-
fessor jubilado na primeira cadeira publica
de primeiras ledras da cidade de Coianna,
faz sciente ao respeitavel publico que se
acha presentemente mudado para esta ca-
pital, e a sua residencia he dentro do lie-
ciffl, na ra UCadeie.n. 40, primeiro an-
dar, onde vrronlinuar no mesmo magis
lerio ; porm particular, e por isso convi-
da a lodosos Sis. que quizerem educar seus
lilhos, que n3o so receber alumnos exter-
nos domo tambem internos.
Angelo Francisco Carneiro embarca pa-
ra o Rio-de-Jnneiro o seu escravo crioulo,
de nome Flix.
U ahaixo assignado, proprielario do
llotel-Commerrio, lendo breve de retirar-
se para Portugal a tratar de sua 8*ude, por
conselhosde seus professores assistentes,
lem resolvido entregar aadministracSo do
dito eslabeleciirenlo a alguma pessoa in-
lelligente e zelosa, e que garante a sua pro-
bidade; oabaixo assignado nflo tora duvi-
da le vender o referido estahelecimento 8
linheiroou a prazo.com responsabilida-
de idonia, ae porvciilura nBo houver quem
pretenda adminislra-la com lucra vunta-
joso. De presente o estabeleciinento conta
le assignatora mensal de comedones para
mais de 1:500,000 rs. e excedera se con-
viesse nao regeitar mais numero de assig-
nantes quem pretender a administra^Ao
ou compra lo referido eslabelecimento, di-
rija-se ao abaixo assignado a qualquer ho-
ra do dia.l-'ranciteo Simes da Silva ilofra.
AflonsoJos de liveira, professor ju-
bilado na cadeira de geographia e historia
2 gabinetes, 2 ale,ivas, 3 quartos o cozinha;
he perto da praca, potshe antes de cliegar
ao PoQo-da-Panella : na ra de S.-Amaro,
o. 16.
Vcndem-se 20 escravos, sendo 2 carrei-
ros ; 4 molecotcs de 10 a 20 anuos ; 3 oscra-
vas do todo o sorvc,o ; 2 mulalinhos de 15
annos, sendo um dellos bom holieiro ; duas
nogrinhas do 16 annos; las mulalinhas
recolhidas, quo. cosem o engominam bem :
na ra Direita, u. 3.
A 800 rs. a arroba.
Vendeni-se batatas do Porto ;
no arrnazem de Francisco Dias
Ferreira, no caes da Alfandega :
a ellas antes que se acabe a pe-
chincha.
Queijos londrhio a G40
rs. a libra.
Muilo novos, chegados pelo ultimo navio:
vendem-se no arrnazem de molhados, atrs
do Corpo-Satito, n. 66.
li.-ii ralas vasias:
vendem-se, em casa de Adamson llowie
& C, na ra lo Trapixe, n. 42.
Vende-so um moleque de bonita figu-
ra-, sem vicio nem achiques, pronrio para
todo servido : na ra Direita, venia n. 93.
Vendem-se, na venda da esquina do
beccu das llarreiras, n. 49, 200 barrios va-
sias, quo fOram le farinhs do' Reino, em
bom oslado, por preco commo lo, para les-
oceupar o lugar; 1 tonel quo foi de azeite
de carrapalo. em bom estado.
Vendti-so superior algodao da Ierra,
do muilo boa qualidade, a 221) rs. a vara o a
200 rs. em porc.0?s ; corles de cassa-chita,
do bonitos goslos, a 2,000, 2,400 e 2,8'>o rs.
o corte ; lencos hrancos de rana, 200 rs.
"cada um ; ditos de chita finos, a 3 JO rs. ;
ditos fiara grvala de bonitos gpstos, a rs.
1,600; casimiras de cores, de muilo boa
qualidade, a 4.400 rs. o corte ; panno lino
prelo, de muito boa qualidade; casimiras
proles, e outras umitas fazendas, por pre-
(o muito commodo : nos quatro cantos
da ra do Queima lo, n. 20, loja de Jos Joa-
quim Pereira de M?iidonc,*.
Vende-se a excellenle obra Annuario
poltico, histrico e ecclesiastico do Brasil,
ou ver.ladi'iro archivo nacional, em doui
voluntes, por diminuto preeo : na praca da
Independencia, ns. 6 e 8 ; na ra la Cadeia-
Vel.is, loja do Sr. Car lozo Ayri-s ; na ra
da Cruz, loja do Sr. pailre Ignacio.
(i corretor (lliveira contina a vender,
por proQi-s rasoaveis, ptimo vinlio do Por-
to, em barril de quartn, stimo, oitavo e
em pipa, proprios pera mimos; cobre e
pregos correspondentes pera forro le na-
vio ; bem como tem na alfandega, para o
mesmo fim, Chombo em lencol, e ue muni-
cHo ltimamente chegado de Inglaterra .
os pretendentesdirijam-seao mesmo cor-
retor Oliveira.
Vende-se unta mulanha de 11 annos,
de linda figura, ptima para se fazer una
ladiva, por ser ainda donzella ; 3 pretal
-- Compra-se um preto que seja bom ca-
noeiro, que soja mo;o, sem achaques e ro-
busto ; assim como urna canoa eberta, que
carregue pelo menos mil lijlos : a lialar
na ra da Cadeia do Becife, loja de faseo*-
das, n. 54.
C.ompram-se*duas pipas que tenham
servido de ago'ardento, e urna dila quo sir-
va para mol: todas em bom estado: pa
prsca la Boa-Vista, n. 7.
Compra-se una preta que seja perfei-
ta costur.eira e engommailcira : agrailan-
do ptga-se bem: no Atcrro-a-Boa-Vista,
n. 18,loja.
Compram-so escravos le ambos os se-
xos, le 10 a 40annns : pagam se bem : no
pateo do Carmo, n. 18, primeiro andar,
Compra-se toda a qualida-
de de trastes usados, e tambem se trocam
por novos : na ra Nova, arrnazem de tras-
tes, de fronte da ra de Santo-Amaro, n. 59.
Comprsm-se 2 primeiros tomos das
oraedes de Cicero, ou duas obras inteiras
do iresmo autor, usadas: na Boa-Vista, na | m,tQas com algumas- liahiliilades ; urna par-
ruada Mangueira, n. 5, ou annuncie por ()a f 3oan0s, que engomma, cose e eozi-
estafolha. ha ; um n oleqne le 10 annos, multo lin-
Compra-se um navio, patacho, brigue ,\1o e qc|,e onlimo para aprender algum
ou polaca, sendo le boa BonstruccAo e Of|loo;um pardo sapateiro ; um preto bom
prompto a seguir viagem, dovendo carre- msrjnhelro ; u.n lito ptimo oleiro ; o mi-
gar para cima de 2,500 saceos, e que mo
demande mais de 15 palmos pouco mais
ou menos : a tratar ao lado do Corpo San-
to, loja de cabos, de Miguel Antonio da Cos-
ta c Silva.
Compra-se urna sella o um silhffo em
meio uso : nas Cinco-Pontas, n. 71 : quoui
liver annuncie.
Vendas.
Alian ik
DOS
OFFICIAES DA 1 CLASS8 DO EXERCITO :
vende-se por 2,500 rs. cada exemplar :, na
livraria ns 6e 8 da praca da Independen-
cia.
Vondem-se sellins inglezes, felos do
couro do porco ; ditos de sola ingleza ; s-
lliOes inglezes para montara de senhora,
lorrados de couro de porco; ditos de en-
cost, bordados; brides de todas as quali-
dades; estrivos de metal bronco ; ditos
i ratea los; ditos delalSo de modelos mais
modernos que leem vindo ; cabecedes de
(odas as qualidades; fundas de patente pa-
ra todos os lados, eque se d.lo a conteni
ao comprador experimentando-as; e ludo
o mais que perlence a loja de seleiro, por
preco commodo : na ra Nova, n. 28, dc-
fronte da igreja da*Conceic3o dos militares,
loja de Antonio Ferreira da Cosa Braga.
Farinha de S.-Cat harina.
A bordo do bcrgantim taria-Libania,
Tundeado no caes du Collegio, ou na ra da
Cadeia do Recife, n. 14, vende-se a muilo
superior farinha do mandioca chegada l-
timamente, tanto em porc^o como a re-
talno- nn
Vende-se um prelo de Angola, de 20
annos, bom bolieiro.e que cozinha o dia-
rio de urna casa ; urna mulatinha |de 12 an-
nos, muito linda para mucama, e com bous
principios de habilidades : na ra do Col-
legio, n. 21, primoiro andar, se dir quem
veude.
Vende-se um sobrado de um andar,
sito na ra das Cinco-Ponas, em chaos pro-
prios, com bom quintal e cacimba, duas
salas bastante largas : na ra da Cadeia, no
segundo andar do sobrado da esquina uo
becco do Uuvidor.
Na ra das Cruzes, n. 22, segundo an-
dar, vendem-se 6 esclavas, sendo : uina lin-
da i rumia do elegante iigura, de 20 anuos,
que engomma, cozinha, lava, e que nao
lem.vicios nem achaques; um ptimo es-
cravo para o servico de campo; 3 pretas
ptimas quitandeirus ; 1 mulequu de 13 an-
uos.
--Vende-se um grande sitio no lugar do
Manguind, que lica defroute dos sitios dos
Srs. Camellos, com grande casa de viven-
da, dequairo agoas, giande sonzalla, co-
cheiru, estribarla, baixa de capiiu que sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba com
bomba e tanque cubei lo para bauho, bas-
tantes arvoredos de fruclo : na ra a Cuii-
coruia, pnm< iio sobrado novo de um andar.
Veude-se um sitio beira do rio, com
mais de mil palmos do tiente, baixa do ce-
pini paraSOfeixespordia, com grande ca-
sa moderna, comeado duas salas grandes,
tros esoravos do servico de campo na ra
dasLarnngeiras, n. 14,segundo andar.
Arroz a 50 rs. a libra e 1,100 rs. a
arroba, sendo em sacca ainda por menos :
espirito de 37 gnios n 1,000 rs. a caada ;
no pateo do Hospital lo PtrsiZO, venda
n. 20.
-- Vendem-se 6 lindos escravos dnselo
e crioul-s de 18 a 30 annos, sem vicios,
nem molestia, um pardo le 24 annos, p-
timo para tratar le cavallos, esed muito
em conta; 6 pretas do 16 a 25 annos, com
algumas ahelidades, sendo algumas muilo
boas quitndolas e sem vicio ; una negri-
nha de 12, muito linda ; uina molaliiilia de
12 annos.com principio Je habelidadea e ca-
iiniosi para meninos ; urna preta do meia
idade; assim como oulros muitos escravos
por precos commodos, na rua da Cadeia do
Becife, n. 51, primeiro andar, so dir quem
os vende.
Salsa-parrilha de Sands
para remover e curar radicalmente todas
as enfermidades que procedem da impu-
reza do sangue, ou habito lo systema.
Esta medicina esl operando contante-
mente curas quasi incriveis de molestias
que procedem da impureza do sangue. A
infeliz victima de molestias hereditarias,
com glndulas indiadas, ervos incolhldos
e os ossos meio arruinados, ficou restabe-
Ipcida com toda sua s'ade e fdreas. O doen-
le escrofuloso, coberto dechagas, causan-
do nojo a si mesmo. e a quem o servia, fi-
cou perfeilo. Centenares de pessoas que ti-
nham soffridol porennosa ponto de deses-
perarem da sua sorle ) molestias cutneas,
glndulas, rheumalismo chronico o muitas
outras enfermidades procedentes do desar-
raigo dos org3os de secreto o da circula-
qo, leem-se erguido quasi milagrosamen-
te do leito da morle, e hoje, com conslilui-
efles regeneradas, com praz.er altestam a ef-
licacia desla inestimavel preparacSo.
Comquanto tenham apparecido grandes
curas al aqu produzidas pelo uso desta
esiimavel medicina, covtudo a experien-
cia diaria aprsenla resultados mais no-
taveis.
Ncw-York, 22 de abril de 1848.
Srs. A. B. e D. Sands. Julgando ser
um llover paro com vosco e para com o pu-
blico cm geral, remetto-vos este ccrtilira-
do das grandes virtudes da vossa salsa-par-
rilha, para que oulros que hoja estilo sof-
frendo esteheler;am melhor a sua confien-
ca e facam sem demora uso da vossa medi-
cina.
Vi-me perseguido com urna grande f-
rula no tornozelo, que te eslendia pela ca-
nda cima al ao joeiho, lancava grande
pui (,-iio de nojenta materia, com coniichOes
que me privavam muilas nuiles do meu des-
caiiCOi e eram muiltt penosas desuppoitar.
OSr. L'iogoM. Connel, que havia sido
curado com a vossa sal>a-parrlha, recom-
mendou-me que ou fi?essouso dola, > de-
pois de haver tomado cinco garrafas Dquci
perfeilamente curado.
Tenho demorado um anno mandar-vos
esto cerlilicado, para eonhecer com certe-
za se a cura ero permanente, e tenho agora
a maior satisfago em declarar que nSo te-
nho visto, nem sentido cousa algum du-
rante todo esle lempo, e acho-me perfeila-,
mente restabelecidu. Sou vosso, ele. i
Suriik M. Intire.
210, rua Delancey.
fiesta provincia o nico agente deste ma-
ravilhosn remedio he Vicente Jos de Bnto.
Vendem-se bustos de gesso represen-
tando lielmerafe a rainha Viclo.ia e o prin-
cipe Alberto ; relogios de ouro e do prata,
cegados ullimameute da Suissa : osles re-
logios que s3o mui bem acabailos.se tor-
na m muito recommendaveis a qualquer
particular, e advcite-se que ha entre enes
alguna que andam 8 dias sem precisirera
de cor-la : na rua da Cruz, no Becife, n. 55.
Xarope co bosque.
GRANDE Cl'aA.
Niift podendode ontra mauoira fater mala pu-
blica a minha gralidan pelo bom resultado que
oblive deein ponco lempo e debalto empie
de unta in estarau, como a que lem sido esle
ultimoiine;es, lempo em que princlplel a cu-
rar-me de uina enrermidade l>aa"te grave
que ja a mais de nove meies a soffrta
Urna linperlinenle tosse que fet-ine paitar
bstanle nolie sem quasi poder reconciliar o
omno ; nao obstante que sempre eaUvMSe em
uso le remedios niiuc. pude vei -me livre de
lio alllicliva molestia, a continuacao da tosse
atarreloii-me nutra molestia, que junta cau-
saviin-nie tantos sollrimeiilo, a tal pomo que
julguei umitas vetes o fatal termo de minha
existencia, que era na occaslao da totse vt-
rcm-me von.ilos detang.ie; veodo-me neasa
triste sltuacao pouco esperancosa, ouvi lanar,
e ful acoiHcthado que toinasseo x.rope do bos-
que que se vende na rua do Hospicio, n 10,
nao live lugo muito desojo de o tomar, quii
primeiro ouvir o conselho de algum professor,
dirigl-me a um bem acreditado nesta corle,
expui-lhe o oslado de minha molestia, ouvo-
ine. e disse-me que o meu mal neceasilava ser
curado com bastante cuidado, porque era mo-
lestia que deoni pouco lempo se tornara inul-
to mais grave, perguntebltlC o que dlia do xa-
rope lo bosque se seria bom, respmdeu-ine
que liiesse usodelle, pois quejulgava o mullo
conveniente para muha_cura ; dingi-mc im-
iii, dialanieiilc sobied/ta casa da rua do Hos-
picio, n. 40, coinprel Ama garrafa do dito xa-
rope. assim que choguei minba casa loiucl
urna dote deste sempre precioso remedio, por
mes preseaca Uina porcao de sangue. e inultas ve-
jes Uve estes ataques nas ras c em casas de
alguna dos meus amigos que se admiravain.
como eu ainda poda vver com somelhaote
molestia ; conllnoel a tomar com a graca f
Dos, c o bom cacito que produuo o xarope
do bosque, em menos de oito das ja nao del-
tava mais sangue pela bocea, t"se ja era
.....ilo menos, j poda dormir soB'rvelinente.
Continu! sempre a usar do xarope, nao preci-
se i in'ais do que duas garrafas desle precioso
remedio para ver-mc peritamente bom sem
o menor incommodo, e restabelecido ao meu
anlign oslado de sade do que poucas esperan-
ras linlia da recupcrat.o della, o que agora
posso di-cr sem lisonja, que o xarope do bos-
que he um insigne remedio conlra as moles-
tias do peilo, pns que antes do uso delle com
neuliun los que lomei achri o menor alllvio,
porm cun o xarope do bosque achei o que
jUlgava perdido, que era minba saudc.
Esta minha deelaraa foi feiu de minha
muilo livre vonlade. c offeiecida aos Srs. pos-
suidorrs di xarope do bojqne.para ser publica-
da da mancira que Ihes convier.para que toda
as pessoas que liverem a iiifelidadc de sofffe-
rem o que eu soll'ri, sabeicm aonde hao de
acharo alllvio de seus males assim como eu
riio-de-laneiro, J.'idenulubro de 184.Rua
de Malla-Oavallos. O. 161. J. J- rodmta.
Vende-sc na rua los Qiiartei, n. 12.
22,000
11.000
5,500
2,800
1,300
NA BA 0.4, CADEIA DO RECIPE, ^ 2*.
LOJA DECAMBItl HA VIVA VIEIHA
& FILIIOS.
Loteria dollin-de-
Janriro.
Aos 20:000,000 ders.
Pelo vapor Bahiana, recebemos os muito
afortunados bilhctes e meios ditos da 12*
loteria a beneficio dolheatro de Nictheroy,
cujas rolas deviam andar no dia 8 do cor-
rente.
PRESOS
Bilhetes
Meios
Quartos
Oitavos
Vigsimo
Vendem-se mascaras finissi-
mas para o carnaval; na loja de
Maia Ramos & C, na rua Novi,
n. 6.
Vinlio de Bordeahx,
das mais superiores qualidades ; hem como
vinho de Champadla da nova marca estrel-
la, j muito apreciado, tanto aqui como na
Europa : vende-se em casa de Kalkmana
lrm3os. na rua da Cruz, n. 10.
Na loja de miudezas da rua
do Qneimado, n. a/J, vende-se um
completo sortimento'de trancas de
retroz para enfeiles de vestidos e
paUis- de meninos ; bem como
um sortimento de agulhas Haas de
ns. i2, i3e i'i, e outras muitas
miudezas, por preco muito em
conta.
Vende-se cera para lima de chairo, a
1,000 rs. a libra : na rua do Ringel, n. 59,
sobrado.
(omina de engommar.
Vendom-se saccas com muito superior
gomma de engommar, a 9,000 rs. cada sac-
ca : na ruado Ainorim, n. 35, caa de Tas-
so Jnior.
Vende-se, ou troca-se por um bom
preto um pardo mogo, de bella Agora, e
que lie ptimo para pagem : a tratar no
convento de S. Antonio desta. cidade com
o guardiao.
R FNirONTRADO


etn-r-'-Ji i.!i/i',t y.'.ai.i. i-i. :. u-umbimi
Vende-se ni* taberna pnr balango, ni
estrada dos Alllirtos:a tratar na roesuia
taberna.
-- Vende-se um mulstlnho rr.uilo bonito,
propiio par so mandar entinar un cilicio,
ni dar-Sa de fptt qualquer Ulho, to II
annos, e que he vendido p.rr nrccssidade :
na ra larga do Hozarlo, n 35, laja.
Batatas '
Vendem-se btalas a t,ooo rs.
a arroba : no armazem ta ra do
Azeite-de-Peixe, n. i^, defronle
da Madre-de-Deos.
-- Vcndem-se liona queijoa londrinos,
ditos de plato muito frescars o de superior
qualidade, presuntos inglczes para fiam-
bre, dilos porluguezes para panella, Utas
com 2 e 4 libras de mermelada, ditas com
bolaehinha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
las com liervilbas, frascos com conservas
inglezas, queijosde qualh* vinitos do Cea-
r, por barato preco, maulas de toucinho
inglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauma.e
nutres multes gneros de boa qualidade :
a nrua da Cruz, no Recife, n. 46.
Cortes de cassa para ves-
tidos rom 16 eovados
por 5,806 rs.
Venden -se corles de cassa para vestidos,
eotn 1c covadns, 3,500 rs.; dilos com 8
corados, a 1,760 rs.; prcas 1 cambraia li-
sas com cilo vaias e meia, a 2,7-20 rs.; pan-
no de finito mullo fino, a 480 rs. a vara : na
run do Crespo, leja da esquina que volla
para u cadeia.
Tafeas para engenho.
i\a fundiefio de ferro da ra do Brum,
acaba-se de recebar m completo sorlimti.-
tode taixas de* a 8 palmos de bocea as
quaes uchatn-se a venda por preco com-
modo e Com promptidSo embarcam-se,
i.ii carregam-seem carros sem desposas m
comprador.
AGENCIA
d fundido Low-Moor,
VV.\ I>X Sr'SZAl.TA>KOVA, TS. 4?>
1 Reste cslaiielecimento cor.ti-
ia a baif'tim completo sorti-
roento do rr-oendas e meias mnen-
das, para enyerbo ; machinas de
vapor, e taclias de ferro bstido e
toado, de todos os tamaitos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Fia lua
Vndese err casa den'.O, Kieber & C..\
i ra da l'rm, n. 4, (IpodSo trancado|
dauurlla I';.I rica, iridio proj rio ara sacros
de assucar e roupa de escravos.
Cha brasileiro.
Vende-se ra I insileiro no armazeir-fde
D el1 :'< s e'is do D ais exci-erie rba prodtizido cr- S.-l'nU-
lo que lem viudo a cale oreado
pre\n nuio Pommodo.
fio porrete.
Vendc-se superior fio porrete ,
--Veude-s a taberna sita na praca da| Yendc-SC superior fio de al-
.Roa-VisU, ii.15.com os fundos a vontade.\,_ mvinu'dp velas- em
- idos compradores, esto estabelecimento o-, f.0*3''0 PaJa pa}IOSw(Je velas CID
\emlc-se superior fio porrete o me- Jos compradores esto estabeleciinonto ot-, p"u,u r"'" |", """ tul
Ih-r que tem vindo ao mercado: bem co- tvrece todass vaiitagens, aluguel barato,esa do UCO 5 Kenworlny & C. ,
mo o superior fio do vela, por menos pro- c bem afreguezada para a trra : o motivo i Crn* n i
godo que era outra qualquer parte : na ra por quo se vende, he por m dos socios re- *""'! Ul
por
Prendas superiores.
Na fundic'ode G. Rtarr & Con pan! it,f,
rm R.-Amaro, acham-se venda g oendes
de canna, todas de ferro, de um modelo e
conslrtcfld muito superior,
4c% fumantes de hom gasto,
Noarmazem de niolhadns airas do Cor-
fe-Srinln, n. es, ha r*ra vender, chepudos
pelo ultimo vapor viudo do sol, superio-
res rbrriitns S.-I'elix, e de otttras emitas
qualidade* mu- se venderSo mala barato do
ene i' nutra qi.eloner tai le : bem romo
rip/inilho* bespanboce, ditos de palha de
i iiln, que seeslfo vendendo pelodiminu-
t i ieeo de 5dfl rs. o cento.
Corles ti'.- bt'im de
da Cadeia, n. 56, loja de ferrangens, de
Antonio Joaquim Vidal.
Os mais ricos mantele-
tes e capotilhos,
Vendem-se os mais asseiados mantelete:
c capolhos de chamalolc de seda e gor-
gurflo, os mais ricos que leeni apparecido s
na ra do Queimado, n. 9.
Ferro inglez.
Vndese um completo sortimenlo de fer-
ro inglez, por mdico prego na ra ila| Ca-
deia, loja de ferregens, n. 56, de Antonio
Joaquim Vidal.
Vendem-se cortes de cambraia de co-
res, pelo barato preco de 2,000, 2,500, 3,000
3,500 e 4,000 rs.; cambraia de seda, a 3/
rs.: meias para menims, a 160 rs.; l!U
com lastras de seda, a 600 rs. o covadn; lan-
7 nlia propria para roupa de meninos e ves-
tidos de senbora, a 240 rs.; lia superior pa-
ra calcas, tu500'c 600 rs. ; lencos de algo-
dio e srda com franja, a 600 rs. ; crt s de
cllete de velludo, a 1,600 e 2.500 rs. ; cas-
M-chita, a 400 is a vara ; garca dcs<'da,a
5C0 rs. o eovado; cambraia de seda,a 560 rs.
o covado e oulras nuiitas fazrndxs ior
barato prego : na rua do Crespo, n. 15, loja
do Joaquini'dcOliveira M; ya Jnior.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de ominados
atrs do Cnr^o-Sauto, n. 66, tor prego corn-
il odo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se lornam
recommendaveja pela sui superior qualida-
de e aturarem n ais que as de esperuivcele,
e dSo fazerem morillo.
Aviso importante..
Beneficio publico.
C armazem anllgo da roa da Madre-de-
fleos, n. 36, est de novo eslabeleeido de-
baixo das o.csmas condigoes, ofterceendo
a deliciosa pinga do vinlio da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada,a de viebo brancodc Lis-
ba por 220 rs. a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de Violto de liordeaux por 160 rs. a
parral* levando o casco. Nflo se admirem
os fieguezcs do baixo prego por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da auiaeia do
proprietarioquerer auatentar o aniigo pri-
co, embor este genero tenha subido o n e-
Ibor de 30,000 rs. por pipa. Examinen) os
amantes a qualidade para reconlu cimento
oa verdadee continuagSo da enliga IVegue-
zis. Epara nohaver usuras, eatSoprooip-
Ias garrafas lacradas e com o competente
rotulo, cssini como barra de diversos l-
mannos para provlsfio do prximo i\alal.
O proprietariocoDt* com a concunenri;
do contrario,tornaro es pregos do rita-
llioa piia.iliva dc2t0e 280rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vcr.ile se nitrito nova potasss,
de loa (itiftlidade, etn barrtszinhob
pequeos de qiifitro arrobas,J-pop
puco btalo, como j lia mtiiio
lempo se nao vende: no ilecife
ia da Cadeiaarmazemn. \i.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rita do TrapicLc, n. 17, b
amito superior cal virgem de Lis-
Loa, por pceo mui(u commodo.
I'ai tSui
de
lirar-se para Europa a tratar de sua sade :
a tratar na mesma taberna.
Os mais modernos cor-
tes de cassa-chitas, a #
cada 11 m i
v.-ndem-sp na rua do Queimado, loja n. 8,
defronteda botica.
A i#000 o corte.
Venilom-se corles de cassa-chita, fina, de
bonitos padiOcs e com 6 varas e meia, pelo
diminuto prego de 2.000 rs. o corte : na
rua do Crespo, n. 6, loja ao p do lampeBo.
Vende-so m preto da Costa, anda
mogo, muito sadio, ptimo para lodo'o scr-
vico de urna casa, ou para ganhar na rua,
por ser muito diligente; na rua Direils,
n. 60.
Chegaram novamrnle rua da Sen-
zalla-Nuva, n. (2, irlof ios de miro e prata
patente inglez, para bomem e senhora.
Novo sortimenlo de fa-
zendas baratas, na rua
do Crespo, n. 6,* ao p
do lampea \
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padrfles, cores lixas e cm palmos
de largura, pelo barato | reg de 320 rs. o
covado ; cassa franceza de quadros, muito
lina, a 260 rSi o coxado; riscadiubo de lis-
trasdelinbo, a 240 rs. o covado; biim do
aldodllo do crtres com listra ao Indo e do bo-
nitos padres, a 320 rs. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varase urna quarla ; cassa prrta com
ramagem branca para lulo, a 140 rs. o co-
vado ; zuarte de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monslro, a 220 rs. o covado; chitas de
lonitos padrees e cores fixas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de larlatnna, a 500 e
800 rs,; cobertores de algod.to america-
no, muito su priores, a 640 rs.
fea rua do Fasseio, n, >.
vendem-se chapeos de sol da marca mui-
to grande, proprios par* senhores c feitores
de i ngenho : eslrs chapeos s.lo muito bem
construidos o aioitos fortes.
Vendem-.'e pegas de algodfloziobo com
20 jnr.ias e com ti que de avarla, a 640,
1,280 e 1,"60 rs e limpo a sete patacas;
pecas de chitas de I ons pannos, a 4,500 rs. ;
o dircionariode Moraes da quarta edigffo,
qunsi novo, jor 20,0CO rs. ; 1 fole de folcar
formig-s : no pateo do Carino, n. 18, pii-
meiro and: r.
A borlo da brigue S.-os, chegado
prximamente, vndelo furinha de :an-
dioca de superior qualidade, e por monos
prego doqucemuutra qualquer patelos
preiendentes dirijam-EO a bordo do dilo
brigue, fundeado defrouto do arsenal de
guerra,ou ao-ttecife, run da Crux, n. 66. .
-- Vende-se, lia taberna da rua da l'raia-
ilp-S.-ltilu, 1, defronle do mercado do
lia rua Direils, n. 53,
Ao bello niadamismo
se olTercce transparentes e lindissimas cas-
sasda insis moderna exposigSo de Caris,
cirtps do 10 varas, pelo rasoavel prego de
7,000 rs.: na loja de Antonio Loia dos San-
tos & C., na rua do Crespo, n. 11.
Potassa nacional.
Vende-se potassa nova da fabrica nacional
do Itio-de-Jandiio ao baratissimo prego de
180 rs. a libra. Os senhores de engenho de-
vem todos mandar comprar desta potassa
afim do animar a fabrica quo com tantos
sacrificios se estabeleceu o foi a causa de
baixar a este prego : na praga do Commer-
rio, n. 8, priroeiro andar, oscriptoo de
Manoel Ignacio de oliveira.
A 5!0 res.
Vendem-se potes de sal refina-
do inglez : na rua do Cabug,lo-
j.i de miudezas, n. i D.
U Aloalhadode iinho. %
^ Vende-se atoalbndo de puro Iinho, &.
>> com 8 pali os de largura, a 3,500 rs. <;
S> a vara ; dito com 9 palmos, a 4.000 *
*|* rs.; guardanapns finos do puro II- *
jr nho e adamaspaitns, n 10.000 rs. ir1*
^ duzia ; um completo sortimenlo de*^
^ toalbosda mesma fazpuda, de vaiios
15 ttmanbos e difl'erenlcs piceos- ^>
^ i loja do sobrado anarello, nos ^
;> i] o cautos da rua do Queima- ^ do, ...29. ^,
lime b?r.it .
Na rus do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se corles de
cassa par* vestidos, 2,000 rs. ; ditos de
casimira Plstica e de bons padrees, a 4,500
rs.; | anno fino muito hom, azul e cor de
azeitona, a 3.000 rs.; lengos de seda, a
mil rs. ; lisCidns francezes, a 160 rs. 0 co-
vado ; cites de caigas de brim pardo tran-
gado de Iinho, a 800 rs. ; ditos de brim par-
do liso, a 800 is. o c'lo ; c outras omitas
fazen tas por commodo | reg.
<; vende-se na destilagilo da travessa da Con-
cordia, onde osan a lores o acharo sem-
pre e seni inlerrupgfio, em quanlidade suf-
licii'iite e de boa qualidade.
Superiores arenques de
I.ocliine :
vrndem-^e, em casa de Adanison llowie &
Con pnnliia, em bairiiiulios pequeos, es-
tes suierioii'Sarenques, da mclhor quali-
dade que he possivel, tanto prlo se per
foto estado de coiiservac.lo, como pelaex-
celleueia do palsdar, por prego commodo.
Grainoialica portugueza brevee clara,
acommodada a capaeidade dos oieuinns, por
J. A S. II. Caneca, terreira edigSo : vende-
Vende-se urna (lauta de bano, com 5
chaves, e que he muito boa, por prego com-
modo : no becco do Ouvidor, toja de al-
faiate.
Vende-se um cavallo rodado, pequeo,
ffguia elegante, com todas as qualidades
boas, anda cm toda altura, l,o muito man-
so, manteudo, e que he muito proprio para
senhora : na travessa do llozario, n. 18, a
fallar com LaurianoJos de Barros.
Vendem-sc relogtQs de ou-
ro sabonete, patente inglez: em
casa de Geo: Kcnworthy & Com-
panhia, rua da Cruz, n. a.
Na rua Nova, n. 5,
vende-se um casal de eacravos com urna
cria, sendo a preta perfeilr engommadeira
e costureira j 3 moleques de nagflo, de lin-
das figuras; um preto de S2 anuos, perito
oflleial de sapateiro; um dito de 22 anuos,
de linda figura, e quo be proprio pra ca-
deirinha, por ser bastante alto; um pardo
official de alfaiale ; um mulatinho do 15 an-
uos, proprio para pagem; um dito de 11
anuos, proprio para aprender cflleio, por
ser muito esperlo e ter boa memoria ; um
molcque de 18 annos, oflleial de alfaiale ;
urna preta de 20 annos, boa cozinheira ;
urna dita de 16 annos; urna mulatinha com
principios de costura e engommado.
Jtsscrtvi'os Futraos
mandioca.
Na i na do Queimado, n. 14, loja de fer-
ragens, anda ha algumas aaccas da boa
lamilla de mandioca, n.uilo alva e )> m lor-
iada ; bem como urna porgAode turnas do
eiii.i. pioprias para espanailorcs, {
Vende-sevinho do Porto muito supe-|
iior, ini barris dequartoequinto fariiilial
i!, t r i ti> de todas as quslidadrsfl un iiifiiis Flaiulrrs de superior qualidade, em i orgilo
bairicas; retrodo Porto, prlmeia quali-:" <*ta1lM: na rua da Cadeia, n. 56, loj
dado: panno e meias de Iinho; arcos para de fciragens, de Antonio Joaqu'm Vidal.
barricas;farinlia de mandioca em sacras ItrflrrH rw l>;9.-itir>; rr
, grandpa e a garnel a bordo da sumaca ly^.^^^V |-* naLUI^.d l(
podio aoienci.no, piopno para eseravos, S.-do-Carmo: ludo por prego commodo: ailtOr RfimAnV^
140rs. ocovado: na la do Crespo, loja da ira ruado Vipario, II. piimeiro andar,
esquina que volla para a cadeia. Cam de Francisco Alves da Cunha. I
cores
c< m listisaojado, a
I ,L?0 rs.
Veedem-fe corles de luim de cores com
lislrasao Indo, a 1,280 rs. ; riscado de il-
mo'lo ; bolacbiiiba inpleza,280 rs ; pus-as.
a 210 rs. ; altlria, a 240 rs. ; graxa, a 200
rs. ; batatas, a 50 is. ; manleiga, a 320,
400 o 640 rs. j loucinlio de Santos, a 160
rst ; alpiste, a 1,000 rs. a cuia ; vinho do
Porto c de mais qiialidtdes, por prego com-
modo ; espirito de 38 graos, a 1,200 rs. a
carada ; cha brasileiro, a 2,000 rs ; dilo da
Cl ina, a 2.400 rs. ; e ludo o mais que per-
l i go commodo.
Dlanbo em verguinba e
('(.Ina de Fia odies.
Vende-se estanho em verga, o folln de
Tecidos de algodn tran-
cado da fabrica de 'i o-
dos-ci8Santys.
Ka rua da Cadeia, n. 1**1,
'cndem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e rouj a de
escravos,
Cuartea de furta-cres a
fitt rs. o revi < o eris-
cado monslro a '2'li) rs.
Vendc-se zuarte de furla-ciires muito
eucorpado e com 4 palmos de largura, pro-
firi para eseravos a 200 rs. o covado ; ris-
cadu monslro muito hom a 220 rs. o cova-
do : na rua do Crespo, loja da esquina que
volla narr a cadeia.
Vendem-schaleiras, fregideiras, pu-
nidlas e escarolas de ferro forradas de por-
cellana; blese cafetal ra de melal : n
rua Nova, n. 16, loja de ferragens, de Joscj
Luiz IVrcira.
Vendem-se ricas kvts de pellica, a
1,280fS. O par na rua larga do Hozario,
n. 26, loja de miudezas.
Vende-se u'ii moleque ciioulo, de 13
annos, apicndiz de carpina, c que he pti-
mo para pagem : na rua da Aurora, n. 44.
Venile-se uina parte dos sobrados de
tres andares, ns. I4e16, siles na esquina
da rua da Cadeia, defronle do thealro de
San-Francisco: a falla rno primeiro andar
dos ditos, com Joaquiui Teixeira Penlo.
I rem para cozmba.
Ven''em-sH pan' lias, eagarolas, chtb'irrs
Vende-se urna parrilla de embonos do
cedro, nova f i er prego commodo : na rua
ila Praia, serrara de Joilo da Molla liole-
llio.
Vcndc-se a nfinncao i!a rua
Ditcila, n. '2, com lodos os yeus
perienccse bem afreguezada, lan-
o pura le i a, como para o mallo:
a tratar na mcMiia a qualriuer
noi a.
Vende-se graxa do ftio-(>rando em be-
jtlaa, e ama canoa de carrei/a nova : i.a rua
da Praia, n. 3.
r;i inba de trigo.
Vende-se superior farinha de trigo fran-
ce/.a de Provenga, chegada ltimamente'de
Marselli : em casa de J. J. Tasso Jnior, na
rua do Aiiu.i !< u. 35.
1 rados de ferro.
Na fundig.lo da Aurora em S.-Aniaro ,
[vendem-se arados to ferio diversos mo-
delos.
Cal virgem.
Colilla & Amonm, na la da Cadeia, n.
50. continan a vender b.rris com cal de
Lisboa, da mala novs que ha no mercado,
por isso ii ais barato do quo em outi a qual-
quer parte. .
FlbvH de laido.
Vende-se folln de IstSo de todas as gros-
stnas, en porgilo e a relilho: na rua da
Cadeia, n. 56. loja de {prrsgcn?, do Antonio
Joaquim Vidal.
Cortes de uslidosdccas-
rfirgidi-iri-a lunadas iie potcrllana; e lam-j O OOO re furia hm
h^oi o mesmosot tntenlo de loug* france-l {,l -"i""" ,ft 0 IsUft.
za e-taiiliada, um conipleto soi tiniento del Vendem-se cortea de vestidos de cuma, do
boles ec.-if. leias do nielil: na la da Ca-|muilo hom gosto, e com II covadns: na ma roles e chabiins de Ierro forradas de por- i'ra (|||!i|(m(>
c. i.i, n. .'<", loja do foi i agen, Ue Antoniojdo Crespo, loja da esquina quo volla pan a {cellana, por prego mais commodo do que u
euioutra qualquer parle. lrun, 11. 20.
so vendem por picgo mais commodo que
cm outra parle.
Vendo-se um'alambique francez, de
cobie v. com pouco uso, levando a caldeira
50 caadas, com muito boa serpentina de
estanto, a qual pega 300 libras e traballia
pordous sy.-temas, uinparaa garapae u-
ti para restilar ago'ardenle, para este tem
tres relifcadores, os quaes fezern com que
oalcoolsaia se ni chairo, muito superior
em grao e muito simples para qualquer
pessoa poder trabalbar; rcia-se montado
e i i mil po a tiabaltiar raa o comprador
ver, por prego commodo : no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 17, fabrica do licores.
Venue-se, | or muito commodo prego,
um carro de carregar effeitos da al tandera,
em limo calado do poder Irab.lliar i na rua
Direila, n. 70, a tratar com Jos Joaquim
de Alien.
-- Vendc-se superior faiinha de mllho,
pelo diminuto preco de 60 rs. : lias Cinco-
Ponas, n. 152, venda defronle'da fortaleza.
Vende-se, na loja de Femandes da Luz
ilrmilis n* ruado l.iviamcnlo, n. 10, al-
godflo da Ierra muilo superior, por menos
prego do que em outra qualquer parte.
Vendcm-se 8 cscravas ; uina dita de
muito boa ligera, que cose, engomma e co-
zinlia, ludo bem feito ; un esrravo mogo,
hom nflicial do pedreiro ; um" dilo hom co-
zinheiro do diario de urna rasa; um dito
bniii oflleial de sapateiro de cuitar e fazer
toda 'obra; um diio de meia ida.le, i or
I5o;000rs. optiiUO para trabalbar e botar
sentido a lu sitio, ou servir* una rasa;
dous moleques, um oc 12 annos, k o nutro
de 16; urna prela paia qniamleira, por
prego commodo! tolos estes escravos se
riflo multo em conta : lia rua lo Colh'gio,
n. 21, primeiro andar, se dir%quein vende.
Pee bine lia igUrtnAoba.
Na roa do Queimado, vindo do llozario,
seguin a loj. Ii. 18, vend-m-se ricos irles
de seiiiu | r to lavrado para vestidos, com
19 covadose nielo e mais de 4 palmos de
largura, pe'o baratissimo prego de 15,000
rs. : esta fuzi nda lorua-sn recommendavel
por estarmos prximos da ..uaresma.
Notos riscados escoce-
zes, aoito patrtcasocrte.
Vendetn-Sfl modernos riscados escocezes,
'de (|uadios e com qnatro palmos de largu-
ra, a melhor azenda para vestidos, tanto
pela varK-dadn de pndiOes como por sercm
de cVcr. fixas, a 2,560 rs. o corte: na rua
iloQueinuno, n. 8, loj i defronte da botica.
Vende-se superior familia
de mil lio etn porces ^ a retalho,
Ve ndeni-se os exctllentes lingos | ora ha-
langa, do meilior autor llomilo, ja bem co-
ndecidos i ra sua boa qualidade : na rua
da Cadeia, n. 56, loja de feraseos, de An-
tonio Joaquim Vidal.
Vende-M umsitio na enlra-
|da da estrada nova, na Magdale-
na, com exctllenlc casa terrea,
[cen mullo lons commodos, esl
[bem plant-do, c rjuc olTercce to-
das a.s vitnlagens para quein tiver
hom gnslo : negociase fin coula :
quein o tirclciider, dirija-ge rua
do Crespo, n. g, que se lite dato
as ii.formacors.
-- Vende-se um temo de inedidis de | o,
para SCCCO, egigos com batatas ltimamen-
te chegadas, a 1,280 rs. o gigo : na rua da
Cadeia-Vellia, n. 23.
Vendem-se amarras u Ja Seuzalla-Nova, n. 42.
rrncencr, ou lunetas de dous vidros
estas lunetas fechadas parece de um s vi-
dio, mas logo que se loca em una mola,
transforma-sc em ua': pardo oculos de can-
galhas, osquiOS se jo.-m flxoa no nariz:
eslB descolicila be modernissima e a -favor'
da liunianidade, | oique urna luneta de ero;
applica'.'a por muito lempo a um s ollfo
tuga avista do oulro ollio : vendem-se na
rua larga do llozario, o. 35, loja do miu-
dezas.
Rap Paulo-Cordeiro
Araba de cliegar do l'.io-de-Janciro, pelo
vapor fiihiiina, ao deposito da rua da Ca-
deia do Herir-, loja de Antonio Joaquim
Vidal,omperior rape l'aulo-Cordciro. leudo de todas as qualidades a
rJWSM&^^taa d t1?"* e ,,orprc-
bon-doCrino veiidein-sn paiiell,]*, caga- lO muis Coniniodo lo que em 011-
r parle; ua ma do
Joaquim Vidal.
cadeia.
-- Fugiram, do engenho Matlo-Grosso,
comarca do Cabo, na noite do primeiro do
corrente dous escravos : liento, pardo, bas-
tante claro, baixo, figfles regulares, penca
barba, cabellos caslanhos, denles limados,
pe nas giossas e um lano arqueadas ; leve
bexigas ha pooco lempo, por isso est com
a cara mateada ; tnm aparencias de mri-
heiro e quer passar por turro ; nio he a
primeira vezquefoge; foi prrao no anno
prximo passado no Drejo-da-Areia ; levou
camisa de algodflo, ceroulas e chapeo de
palha; representa ter de 94 a 25 annos;
Joflo, preto; de naglto Cabinda representa
25 anuos, ladino, beigudo, barbado, corpo
e lmanlo regulares ; tem parle da cabega
pellada ; est um tanto amarellado ; fram
juntos : quem us pegar leve-osao dito en-
genho, nu no Recife, casa de Joa Theoto-
ro de Sona, que se; recompensado.
Fugio no'dia 10 do correle pelas 6 ho-
ras da tarde um molequinho, de nomel.ud-
gerio, deaani.os de idade, bem preto,
olhos glandes, lem em um pe um dedo,
que levanta tor cima do oulro, levou vesti-
do cu n. iza de riseado e caigas de brim I i/o :
quem o pegar leve-o na ni da Cadeia do
Itecife, n. 51, que ser recompensado.
' Fugio, no da 14, is 7 horas e meia da
imite, urna prela crionla, de 20 anuos ; le-
vou um vestido de chila azul, camisa de al-
godflo fino e pao da Costa ; lem n mlo di-
reila urna ferida no dedo proveniente de
una espelada que deu rom umgaifu, urna
quoimadura no brago direito, e urna marca
de ferro no tornuielo do p direito: quem
a pegar lave-a rus Nova, n. 33, que ser
bem recompensado.
Fugio, no da 31 de dezembro prximo
passado, um esciavo pardo claro, de 55 an-
uos, de boa altura, grosso, espadando, ca-
bega calva o pintando de hranco, falla fina,
anda incio carcunda ; foi esrravo de Jos
da Rocha de Cirvalho, morador na fregue-
zia de Tigicopapo, onde o dilo esciavo
nasceuetem prenles; quandn fnge.ros-
turna ir para o dilo lugar; ha ooticia que
elle tem andado vendendo palitos de fogo :
quem o pegar leve-o ao paleo do Carino,
venda n. I, ou ao sitio l.amciao, ao p do
engenho Cordeiro.
-- Anda cortil.lia estar fgido O pardi-
iihn de nome Francisco que dosappareceu
no sabbado, 12 do corrente, tondo viodo ao
RecifO entregar leite, conio se tem aiiiiun-
ciado por esta folha, apparerendo o caval-
lo em I oa ilc-l'o'tas ; consta que o mu-
lali nho andar na cidade de Olinda, no do-
mingo, por isso be de supprque ande por
la, ou que esteja nccnllo em alguma rasa,
o qual tem os signaea seguintes : de 12 an-
uos, cabellos grandes e bem sollos, cor al-
guma cousa descerada, vesgo de um olho,
falla fina ; levou chapeo de palha, camisa
de chila azul, raigas de algodflo trangado
tamliem azul: quem o pegar leve-o rua
Direila, vende n- 61, ou nos Remedios, si-
tio que fui do fallecido JoOo de Barros, que
se recompensar.
Fugio, ou dia 12 do rorrele, do en-
genho Forno-da-Cal, o prelo Andr, de na-
gf.o ('abunda, alio, secco. rosto redondo o
lescarnadn, beigos um lanto grossos, com
marcas de bexigas, espaduas largas ; levou
camisa do algoilfio azul, raigas brancas,
aqueta pela, chapeo de pello pelo, e mais
roupa : quem o pegar leve-o ao fenhor do
mesmo engenho, quo gratilicir.
--Fugio, no dia 19 do corrente, pelas 6
her. s da larde, o escravo Joaquim, de na-
gfij Costa; hi alto, cheio do corpo, rosto
redondo c com 3 la I los do cada lado das fa-
ces em comprimenlo dellas e muito sabi-
dos para fra, cor prela, com principio de
barba, de24 annos pouco mais mi menos;
tem um dos ps algum cousa grosso, mas
pouco sa dillereoga, e no incsmo em cime
ilo tornozelo una marca de ferida ; lie pa-
deiro; levou camisa e ceroulas compridis
do a'gudfio t'aiig. do ; talvez nio sailia di-
zcro nome ileseu senhor : quom o pegar
leve-o a rua da Roa Vista, n. 24, quo ser
lem recompensado.
Fugio, no dia 10 de dezembro do an-
oo passado, a preta llosa, de nagflo, de 50
annos i ouco mais ou menos; foi vista em
Mu ibera, onde j foi Dorador*, por ti r sido
esciava do Htm. Sr. coronel Agostinbo iie-
zerra. ou de um de seuS panntes : be bai-
xa, cheia ra redunda e lustrosa, fegdes amacncadas ;
tem a pello dos tungos eni ugada e cimenta,
fes pequeos, andar cambaio, por ter una
estrepa la na sola do p direito, e urna fe-
rida no dedo pequeo do p isquerdo o os
dedos glandes ruidos do bexos, com ralla
de denles na frente do lado inferior, Ul!a
que se percebe ; levou camisa de algodSo-
zinbo com mangas de madapolfio, aia de
chita e panno da Costa azol ludo vtlho:
quein a pegar levo-a a run da Praia, arrra-
2i ni de carne, Ue Iguacio Luiz de Urito Ta-
boida, que gratificar.
1'KhK. : KA TVP. UE U DE rA*l. 1^50


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH7K57O01_RGIXZL INGEST_TIME 2013-04-24T19:43:09Z PACKAGE AA00011611_06765
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES