Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06761


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo
\ j
xxvi.
Quintfl-fern 17
PARTIDAS DOS OOBBSIOt,
f.oianna c Parahiba, segundas esellas feiras.
ltlo-Giandc-do-Noite, quintas feiras ao meio-
iin.
Cabo, Scrnhacm, IUo-Formoso, Porto-Calvo
c Macelo, no 1., a II, e 21 de cada raez.
Garanhum Bonito, a 8 e 23.
Itoa-Vista < Florea, a 13 e 28.
Victoria, as quintas reirn.
Dllnda, todos os dias.
irSZMXBIOU,
MIng. a 6, as Oh. e 18in. da ni.
Nova a 13. s 0 h. da inanliaa.
Cresc. a2i,s 7 h. e 2ui.dam.
Chcia a27.asl0h.c36iu.dat.
fHHiH BE HOJE.
Prlineira a* 8 hora e 30 minutos da tarde.
Segunda as 8 horae M minutos da manilla.
<1<; Janeiro de 18150.
N. 14.
rita
rasgos da 30ESCB.ir'Y'io.
Portres meza (adianlado) -^OOO
Ponis raezes fyrDOO
Por uui anno 15/100
lM0*MBasssH
SIAS DA UMAHA.
H Sep. S. Flix. Aud. do J. dos orf. c IB. 1. v.
I Tere.. 8. Amaro. And. da clianc, do J. da 1. v.
do clv. e do dos feitoi da faienda,
l(i Quart. S. Herardo Aud. do J. >la 2. v. do civcl.
17 (luint. S, Antao. Aud. du J. dos orf. c do ni. da
I. V
18 Sext. S. Piisca Aud. do J. da I. v. do civ. e do
dos feitos da faiouda.
19 Sab. S. Canato, Aud. da Chana, e do J. da 2. v.
do criine.
20 oiii. O Sanlissinio Nomc do Jess.
CAMBIOS CH 16 BB JAWEtSvO.
Sobre Londres. 7/, a 28 d. por 1/000 n. 60 das.
- Pars, 3(0.
Lisboa, 100 por oento.
Ouro.-Oncas heman hoes......... 2>/000 a 29/5)0
MocdasdeQrMOOvclbas.. 1W900 a 17/100
. de 0/400 novas .. 10/200 a 16M00
de 4/000........... 0/200 a 9/400
/>,,..-. PatacScsbrasileiros..... fi $>!!!!
Pesos coiuinnarioi....... 1/J50 a 1/9/0
Ditos mexicanos..........
BSapg*-^ssegassgwasBMt^!!?^*ltg*
iSMSaravflSianwHSMese^!sV.--
paute rnciAL
MINISTERIO DO IUPEIUO.
EM 27 DK JULHO DE 1848.
Declara que nao tendo a lei do 1.* de outubro
de 1828, nem outra alguma posterior consi-
derado incoiupativel o exerciclo dos cargos
de vtfreailor e de parocho, s pela asscmblca
ge ral pude tal compatibilidade ser decreta-
da : mas que no entanto pdem os parochos
requerer escusa do emprego municipal, urna
vez que nao tenhain quem os substltua no
scu ministerio.
lllui. e Exm. Sr.Subi presenta de Sua
Nagestade o Imperador o officio de 15 do cr-
reme, rm que o cmara municipal da cldade
de S -Sebastian, nessa provincia, expondo os
inconvenientes que resultam de seren os pa-
rochos chamados s fmiccSct de vereadores
das cmaras munlcipaes, por Ihe parecer que
ha Incoiupalibilidade no exercicio conjuncto
do dous cargos, submette decisao dognver-
nn imperial a duvida em que se ada a tal res-
pelto : e o mesmo augusto Seiihor manda sig-
nificar a V. Exc, para que o coinmunlque
dita cmara, que nao tendo a lei do l. de ou-
tubro de 1828, nem outra alguma posterior,
declarado incoiupativel o exerciclo dos cargos
de vereador e parocho, nao pode o governo
considerado cuino tal mas julgnndo aitendi-
veis as rases que aquella corporacao_ allega,
resolveu remelter a sua representacao assem-
blea geral legislativa para ser lomada na con-
siderarlo que urerecer podendo entretanto os
parochos que freui eleitos vereadores, e coja
prescn;a as respectivas freguezias nSo poder
ser substituida por outros sacerdotes, seus dob-
legados, solicitar das cmaras munlcipaes, de
que frem membros, a competente escusa nos
termos dos arts. 19 e 20 da referidj Ici.quepro-
vldenciou eflicaunenie sobre este e outros in-
convenientes semelhantes.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-dc-Ja-
neiro, rm 27 de jullio de 1848.Sot Pedro
Da* d Curtwilao Sr. presidente da provlocla
de S.-Paulo.
EM 31 DE Ji l.lio DE 1848.
Declara que no sorteio para saberse qual dos
eleitores supplcntes ser designado para fa-
ter parte das turmas na organisac3o da mes
parochal, deven) entrar to lmente os sup-
plcntes empatados presentes, e nao os Impe-
didos por ausencia temporaria ou mudanca
de parochla.
lllm. e Esto. Sr.Suido presenta de Sua
Magestxde o Imperador o ofliclo de V, Exc. de
18 do corrente, com a copla do que Ihe dirigi-
r o juiz de pai do primeiro anno da villa da
Mangaratiba, apreseutando a segulntcduvlda :
Se, tendo-se de proceder oo sorteio para sa-
bcr-se qual dos eleitores supplentes empala-
dos sera o designado para fazer parte das tur-
mas na organsac.ao da, mesa parochial no dia 7
de setembro prximo futuro, deviam entrar
nelle dous dos ditos supplentes que se acham
impedidos, un por ausencia temporaria, e
outro por mudanfa de parochia. E o mesmo
augusto Senhor manda responder que bein de-
cidlo V. Exc. aquella duviila, declarando que
na referido sorteio deviam entrar to smente
os supplentes empatados, preseules ao acto da
prganlsaf lio da mesa parochial, podendo o que
se achar impedido por ausencia temporaria
ser contemplado no caso de ter voltado ao scu
domicilio, c nunca o Impedido por mudanca
de parochla, porque se considera excluido de
contribuir para a elelc.5. della : o que ludo
est de accflrdo com a dlsposjrao dos avisos do
1 e 20 de fevcrelro do anno^hssado.
|:eos guarde a V. Esc. Palacio do Rio-de-Ja-
neiro. em 31 de julho de 1848.-Joi Pidro Oiat
de Carvallto.Sr. presidente da provincia do
Rio-de-Janeiro.
Adverle ao juiz de pz do primeiro distrelo
da fregurzia da Gloria que dovetn as au-
toridades de igual calhegoria, qoando live-
rem de se remelter alguns papis omelaes,
fai-los acompanhar de officio, e no ordenar
a remessa pelo rscrivao do juio.
1.a Scccao. Itio-de-Janeiro. MinlstcriOjgios
negocios do Imperio, em 19 de agosto de falS.
Ileconhecendo-se pela infoi maco que Vmc.
deu na data de 12 do crrenle, que a i datan
dos volantes dessa freguezla fra enviada ao
Juiz de paz mais votado della por mo do res-
pectivo escrivo : manda Sua Magcstade o Im-
perador advertir-lhe que, sendo mais confor-
me com os n-.ii-. recebldos, c com a urbanida-
de, com que devem intiluamente tralar-se as
autoridades de igual calhegoria, que a remessa
de quaesquer papis, quando urna outra te-
lilla de pastar a jnrisdicco, soja sempre acom-
pandada de ofliclo, c nao siinplesmenlc feita
pilo escrivo do julio, deve Vmc. observar
aquelle louvavel costume, todas as vezes que
se der igual ocenrreucia. K como na Informa-
cao que Vmc. baviaj prestado em II do men
clonado incz nao conste se Vmc. remellen,
como devra, na conformidade do arl. 38 da
lei regulamentar das eleicOes lllm.* cmara
municipal o livro da qualificn(o, logo que
esla se coneluio, cumpre que Vmc. Infurine
com urgencia se leve lugar aquella remessa,
i.i/.-n-.io-a iuimcdiataiiieiiic no caso contrario,
Dos guarde a Vine.Joi l'edro Dios de Car-
ta/fco..ir. juiz de pa do 1. dislricto da fic-
gueiia da Gloria.
TRIBUNAL DA KELACA'.
SESSAO DE 15 DE JANPJUO DE 1850.
rnesiDKhCiA do exm. senhor
Cor A'i dez horas da manha, achando-se pr-
senles os Srs. desrmbargadores llamos, Villa-
res, Haslos, l.eo, Souza, Rebello, Luna Frei-
r e Telles, faltando com causa n Sr. desem-
bargador Punce, u Sr. presidente declaruii
abena a sesso.
JULGIUENrOS.
Ilccuiio crate.
Recorrcntes, l.uw Paulino Cavalcante Vellez
de Guevara c outros ; recorrido, o |uizo.
Nao se tomou conhcclmento, por nao esta-
re ni presentes os reos.
Appellaeti erime*.
Appellante, o juizo; appellado, Henrique .losi!
Cavalcante.Fol confirmada a senlenca.
Appellante, Jos Mara dos Santos Cava.Ican-
lc ; appellado, o jgiso.Mandou-sc a novo
Jury- .
AppeUac" ctvtn.
Appellantes. os herdeiros de Francisco Jos
da Cosa Guimaraes ; appellado, Jos Joa-
qun) Mezerra Cavalcante.Desprczs.ram-se
os embargos dos appellantes.
Appellante, Joo Gonfalves Valcnte ; appella-
do. Antonio Ferreira dos Santos Caminha
Deinrczaram-sc os embargos do appellado.
Appellanic. Alfonso Jos de Alhu.,uerque Mel-
lo appellada.a irmandade das almas do Re-
cife.-Foi reformada a senlenca.
Appellante, Antonio Lopes Pcrclr de Mello ;
appellado, Antonio Joaqun) de Almeida
Guedes.Despreiaram-se os embargos do ap-
Appel'laiae, Auna Maria de "falda Castro"!
appellada, Joanna Mara de Miranda Castro.
Foi reformada a sententa.
Appellante, Ignacio do Reg Mcdeiros ; appel-
lado, o coronel Henrique Pereira de Lucena.
Fol confirmada a sententa.
Appellante, Joao Xavier dos Santos; appel-
lado, Jos Joaquim de McsqulU.-roi con-
firmada a sentenf a. .
Appellantes, a viuva Rrlto & Filhos ; appella-
do, liartholomeu Francisco de Souza.Foi
confirmada a sententa.
Appellanies, Antonio Lins Caldas e Mana Can-
dida de Magalhacs appellado. Antonio Pe-
dro de Mciidunca Corte Real.-Desprezaram-
sc os embargos de f. 319, e receberam-se os
de f. 320. .
Anpcllaiile. Joao Vicira daCunha ; appellado,
Francisco Jos da Cosla.-De;piezaram-se
os embargos do appellado.
DESIGNifES.
Foi assignado o primeiro da til para o jul -
gamento das segulntcs appcllates :
Appellante, Manoel de Alinelda lima ; appel-
lada, Mara Joaquina dos Aojos.
Annellanle, Antonio r>unes \ianna | appella-
doii Amonio Marlins Pcdrmha c outro.
IEVISES.
Pasiaram do Sr. deseuibargador Ramos ao
Sr. deicmbargador Villares as appellafes ci-
veis em que sao :
Appellante, Josu de Jess Jardhn ; appellado,
silvestre Joaquim do Naicimento.
Appellante, Nicacio Jos de Mello; appellado,
Jos Vicente de Medelros.
Passaram do Sr. deseuibargador Villares ac
Sr. desembargador Haslos as appellafues ci-
veis em que sao :
Appellantes, Joo Jos, Jos Joo, Joaquim
Jos ; appellados, Luther& Llkhu.
Appellante, Anna Jaclnlha de .Souza braga ;
appellados, iogo Cokehot & C, e oulros.
Passaram do Sr. desembargador Souza a. Sr.
desembargador Rcbeilo as appellaces civcls
em cfae sao:
Appellante, Jonqnlm Antonio do Forno ; ap-
pellado. Jos da Costa Guimsraes.
Appellante, amonio Germano das Neve ; ap-
pellados, Me. Calmont & C
Passaram do Sr. desembargador Rebello ao
Sr. desembargador Luua Freir as appellaces
civeis em que sao :
Appellante. Manoel Elias de Moura ; appella-
do, Delfino dos Anjos Teixeira.
Appellante. Maria da Malcrnidade da Invencao
da Santa- ruz ; appellada, Maria Manocla de
Jess.
Appellante, o juiz de direlto da comarcado
Ico; appellados, Joao Antonio Nolasco La-
vor e outro.
Passoudo Sr. desembargador Luna Freir ao
Sr. desembargador Telles a appcllatfio civel
em que sao!
Appellante, Jos Vleira de Mello ; appellada,
Anua dellollanda Cavalcante.
Passaram doSr. desembargado)- Telles ao Sr.
desembargador Villares as appellats civeis
em que sao :
Appellante, o juizo de ausentes desta cidade ;
appellados, Pollcarpo Jos Laymc c outros.
Appellante, o juizo dos fcitos da faienda ; ap-
pellados, os herdeiros de Joaquim Ignacio
Correa de Brillo.
Levantou-sc a sssao a 1 hora e tres quarlos.
INTERIOR.
RIO-DE-JANEIRO.
CAMAIU DOS SRS.DEPUTAD0S.
DCIMA SESSAO PaRPASATOSIA DA OITAVA LICIS-
lATUnA, KM 28 1>R DRZKMBHO DR 1849.
Presidencia do Sr. Gabriel lltndei dot Sanios.
A'n 11 horas monos 10 minutos da ma-
ntilla abre-so a sessfio, Ic-se o spprova-so a
acts da antecedente.
ORDEM DO DA.
EI.RICSS DO RIO-CRANDB DO SORTR.
Enlra cm discussiio a parte do parecer da
commissflo de po 'Otes sohre as eleigOes do
Rio-Grnnile do norte, snnullando as elei-
cOes de varias purochiss e collegios, que
licou adiado a reiiuenmcnlo do Sr. D Ma-
noel na sessfio de 24 do corrente.
USr. Taque* :Sr. presidente, parece-me
que,/segundo o espirito de varias emendas
quo em inaioi ia| leilc I se teem apresenla-
do nesta caa, nSo he esla a occasiilo rrals
opporluna para ser discutido este parear.
V. Exc. lein bastante liondade pata que me
peruulU adiantar a este respeilo urna pe-
quea observaeflo. Pcrauadouie que o piu-
sa me uto da casa approvando o adiamento
desta paite do parecer nao era adiantar tres
ou i| na 11 u dias a approvaffio do diploma do.
honrado deputado pela | roviucia do Ilio-
t; i a n Je do Doite; eia smi, como so leu fei-,
to acera de cleiQOes primarias de outras
provincias, transferir para sa submelter ao
jnlgaoiento da cmara, depois de constitui-
da, a discussiio dessa elaiQio : julgo, pois,
comodis.se, que a cmara nlo poderia ter
em visla nesse adiamenlo senlo o que aca-
bo de referir, porque do contrario seria fri-
volo o adiar-se essa approvacni por lre>s ou
qualro dias, lendo do ser continuada a d's-
cuss.lo ainda em scssilo preparatoria. Eu
niio pretendo, Sr. i residente, tirar daqui
consequencia alguma.nem Sllbmetleri con-
sideracno da casa nenlium requerimento a
esto respeito : se a nobra commisso ou al-
gum dos nossos Ilustres collegas entender
quo deve formular algutu requerimento ad-
mittindo minhst i lelas, nao duvi lo volar
por elle: mas, ja o disse, no pretendo tirar
do que acabo de dizer consequencia al-
guma.
Agora, Sr. presidente, rasgare) i tomar
em considerado n parecer da nobr. corn-
missao de poderes relativamente s elei-
grtes primarias da provincia lo Rio-Grande
do norte, lie srr.ente o s^nlimento do de-
ver que me impelle a tomar parte nesta dis-
cussiio. Achando-me a frente da idminis-
triiQilo daquells provincia durante o tenido
em que so procedeu a essas eleicOes, nii"
poderia conservar-me em silencio an'e a
maneira injusta e infundada por que o pare-
cer de commisso de po teres encara as clei-
<;0es .'aquella provincia. Eu niio vi o paro-
cerem aiscossllo sen.lo depola que foi pos-
to suliM'a mesa ; o liobro relator di cnii-
niisso (o Sr Ferreira IVnn) no so dignou
ouvir o ex-presidente daquella provincia
obra alfuatas duvidas quo se susoitaram
acerca da eleigo, entretanto eu noto casa
que bein poneos dos honrados meinlirns
que aquiteem nssentn conheccm o que se
passa na provincia do Rio-Granilc do norte.
Eu nilo quero fazer qucixas do nobre rela-
tor da cominisso, respeito milito a sua
eonsciencia c os scntinienlos que o levaram
a dar este pirecer; mas ni pojeria deixar
de uotarque, achando-se na casa mu meiu-
bro.o limen un.' ass'stios eleicOes naquella
provincia, e sendo este inenibro aquelle que
eslava i frente da adninistncSo di provin-
cia, a nobre com-r.issSodc poderos, ou an
tes o seu nobre relator, nflo o quizesso ou-
vir sobre tantas duvidas que cesuscitaratn
acerca dessa mesma cleie;i.i. 'todava, Sr.
presidente, eu advert a un dos honrados
merrbros da comniisso do podetes que o
parecer, na mintia opinifio, se apuiava em
dados inteirameute inexactos, se apoiav.i
em bases que eu replu';falS'.s.
A casa sabe j que esta discussiio nao tm
consequencia alguma em relacaoao diplo-
ma do honrado membro elelto pela provin-
cia do Dio- Grande do norte, puis ja se aclia
reconhecido como deputado por aquella
provincia. A discussiio em que vou entrar,
Sr. presidente, be sinente, como disse lia
pouco. exigida pelo respeito que consogro
ii imi ni publica; he smente exig:da pulo
sentimonlododever.
A nobro commisso, ou seu honrado re-
lator, me permiltira que Ihe diga, foz un
exame niuito perfunctorio nos numerosos
documentos que acompanhaoi as actas da
eloieflo primaria : para prova-lu basta um
facto mui simples, e vem a ser : na frogue-
zia do Acary toda a elcicao se fez no dia 5
de agosto, eabi se achaaacta feita nesse
mesmo dia, do sorte que as tres chamadas,
dasquaesa lerceira deve ter lugar posteri-
ormente, na elegi da freguezi do Acary
foram feitas em um mesmo dia, e, issn no
obstante, o parecer da commisso nem du
leve locou no que occorreu nsssa freuezia
Este facto, pois, por si so,demonstra que o
exame quo procedeu a Ilustre commissiio
foi muilo perfunctorio, entretanto que tai-
vez quede tienhuma outra eleicao livossem
viudo as acias acompanhadas de lautos do-
cumentos como as da do Rio-Grande do
norte,
A nobre commisso consiJcrou em pri-
meiro lugar a eleico da freguezia do Apo-
dy : e eleicao dessa freguezia, emquonio
houve duplcala alguma, foi fulminada pelo
parecer da nobre coniiiii.sso. A nica vida, o nico vicio ou defeito que occorreu
nessa eleicao foi relativo a qualilicacilo,
por ter sido encartado o prazo quo deve ha-
ver entre a convucaco o a reuni.lo da
junta.
Algumas duvidas se suscitaram na fre-
guezia do Apody acerca do juiz do paz quo
ilevia presidir junta parochial. .No Apo-
dy, que he uma freguezia remota, no centro
do Rio-Grande, es^as duvidas deram lugar
a um protelamento na convocacSo da junta
de qualilicaQiio, de sorte que a junta no
pude ser constituida nula dias depois da
Sr presidente, s 'ia esse prazo de nula dias
de tl ojodo\esiahelecido,inio nilo possa ser
encurtido de maneira alguma? Me parece
que a ciicumstancia do lenii o he urna cir-
cumslanci accidental, lio urna ciicunisian-
ca menos importante, de que provem urna i
irregular! lade senlo a que se deu na de
quo trato ; se algumas outras irregularida-
des se soijuissein, polas quaes se po !es suspelarque as eleicOes da freguezia do
Apody lioham sido essoDciilmente viciosas,
eu nilo dcixaria de ipprovar que sn emnre-
gassa mtis est argumento, que sn anisan
mais esta irregulariila lo ; mas, Sr. pre-i-
denle, quando i'st) he a unios irepulari-
dado queso d na freguezia do Apody, eu
nlo vejo risSo pela qual oossa ser inulla-
da aquella eloiclo. Note V. Exc. bem que
na freguezia do Apody nlo houve duplcala,
oqueprovaquo all domina inteirameute
um partido compacto, unido, do sirte que
nno se p -o suppor que *hi houveise dolo.
astaScirciimstanci'S, pois, julgo que aca-
mara obrara com Justina se, usin lo do di-
reito que lein ele approvar as eleigfl s pri-
marlas do imperio para eleiQlo de seus
membros, d clarar vli la a RlelcRo da fre-
guezia do Apody, no obstante a irreguli-
ridade de no ter sido reunida a Junta de
qualincafilo com o prazo que a lei deter-
mina,
Passarel agora, Sr. presidente, a consi-
derar as eleicOes de algumas outras fiegue-
zias, eleicOes que, apotar de tolos oaseus
vicioseirregulsrida les, a Ilustre commis-
so nil duvido'.i Hppiovar.
A freguezia de Touros por si s constiiue
um cnllegio eleiloral, mas alli houve du-
plcala du eleico : huuvc urna eleicao pro-
sldida pelo juiz de pal legitimo, houve ou-
tra presidida por um quinto Juiz de paz ju-
ramentado pelo delegado .lepiilicia.. .
USr. Moraei Sarment: Delegado que
era Umh'm juiz municipal.
O Sr. 'taques : Nilo tu iicuhuma duvda
a este respeito.
A nobre commisso concordan lo, com a
camin municipal daquella provincia, de-
clara vli la a cleica presidida pelo juiz de
paz legitimo. A raso nica que se pode
apresenlara favor d i oleie^o presid la pelo
quinto juiz de paz he que foi feita ni ma-
triz, amquantoqnea feita polo juiz de paz
legitimo, principiando na matriz, foi ser
acallada ii'unia casi particular. Ei no ni
a liniriiria, Sr. presidente, se a nobre coui-
misSO tivesse passn !o a esponja sobre es-
siseleicOes,anllandoambas; mas appro-
var aquella a quefaltem os principis ca-
racteres de legillmidado e reprovar a outra,
isto mo parece destituido do tolo o funda-
mento.
Sr. presidente, nessa eloicSo da reguc-
zia de Touros nao houve gmenle ralla de
observancia da lei, ftlta do regularidade no
processo cleitoral ; a eleic.lo de Touros foi
falla dobaixo de armas, foi urna eleiclto fei-
ta con violencia. V. EXC sabe que uria
freguezia no p le ter mais de q na tro jui-
zos ilu pazjuramentsdoj; o co ligo do pro-
cesso criminal, ns nslruccOes que biixa-
rara para a sua execueo, e innmeros avi-
sos do governo estibelecem que s se de-
ve juramentar quinto juiz de paz quando
ha impedimento permanente dosqualro.j
poique, mesmo no oso de um impedimen-
to accidental, recorre-se ao juiz de paz mais
vizinbo Ora, so nao se deve fcilmente ju-
ramentar um quinto jui/. de paz, como se
poder fize-lo em materia ole.toral, mate-
ria importante, s porque o legitimo juiz
nflo comparecen a um acto especial e deter-
minado, soltando se tile no lugar do sua
jurlsdiccSo ? Quando os quatro juizes jui a-
menlsdos so acham ausentes, seguramen-
te lcm-se du juramentar um outro para
substitu los; ueste sentido comprobando
sera decisao do governo imperial, que um
nobro deputado me acaba du citar ; polen
quando ellos se aeliam presentes no dislric-
to de sua jurlsdiccSo, quando no ha mo-
lestia que os nipossibilito de funecionar,
como juranicnlai-so utn quinto juiz?
Tamben!, Sr. presidente, mo parece que
no be licito nverler facilmanto as luis,
dars autoridadesalMbuicOesque nao Ibes
competen): assm, entendo que um delega-
do de polica ou juiz municipal nao poda
juramentar juizes do paz.....
O Sr. Morad Sarment : So ustruc-
^Oes do governo.
O Sr. Taques: ..... determinando a lei
queesse juramento saja prestado perante a
cmara municipal ; e cm verdade, senlio-
res, o j'ii amento, um acto to sagrado, nilo
pode ser valido prestado perante qualquor
pessoa..... .
OSr. Cruz Machado : Nilo apoiad i.
O Sr. Taques :.... Entilo nSo ora ne-
cessario mais quo presta-lo auto o cej e a
trra.
llai nobre deputado que ha pouco mcin-
tei rompeu disse que inslruccOos do gover-
no permittem aosjuuos municipaes jura-
mentarem aosjuizes de paz; mas as ins-
IruccOes de 2S de julho dizem quoeai falta
dos juizes do districto da matriz se recor-
ra eo dodstriclo mais vuinlio, o un) aviso
do governo declaia que o juiz municipal
nilo he competente para lomar juramento
dos vereadores: este aviso foi dirigido a
prcsidcncie-du Minas-ieracs eifi SohtoOe a
municipal da
itregularidade para a eleicao, masque n5oduvidas proposlas pelo juiz municipal da
nflo conslitue urna falta essencial quo a pos- cidade da Gampanba, o ha o do n, ios de
saannullar. O governo imperial tem em h-3 de abjil dcsle anuo, quinta decisuo. 1 o -
muilos de seus avisos delmado que os pra-1 tanto, Sr. presiJente, a eleicao approvala
zos marcados na lei eleiloral i .lem ser res-! pela nobre commisso he justamente aquel-
Iringidos, e mesroo as insiruccOes de 28 do la que foi presidida por um juiz incompu-
junbo declaram que em tal circunistaucia tente.
se tornen) os votos em separado, para que Agora mostrarei quo essa eleiciio fol feita
acamara dosdepulados decida da valida- debaixo de violencia, com omprego de ar-
de das eleicOes. Entretanto, Sr. presiden- mas da parte do delegado e mais aulorida-
le, a nobre commissflo piincipalniento saldes. Persuado-meque nflo posso ser sus-
apoia no aviso do governo para annul- ] pcito quando me oxprimo desta maneira ;
lar a cb n.-io da freguezia do Apody s autoridades policiael da freguezia de
Um aviso do governo merece todo o res- ( touros fram conservadas por uni al o
pello, oas ua he bastante paia ful un- dia da eleicao, o que prova que nfio era mi-
nar urna elei$ao quando nella no ha outraliiha iuteu^ao obtor por meio da mudanza
ase-
das autoridades um resultado na eloic.lo da
freguezia de Touros : reconhecendo que es-
sas autoridades abusavam da confianza quo
nellas cu havia depositado, estando con-
vencido quo o delegado o o subdelegado ha-
viam o reunido fOrca, contra o que eu posili-
vatnuntu Ibes havia recommendado, pois
ezpe li mais de um oflicio ordenando a es-
sas antorilides que por maneira alguma
interviessem como taes as eleiQOes; de-
mitli o delegado e <> subdelegado, e sus-
pend o juiz municipal, manan lo respon-
sabilisa-lo :c, se eu tivesse em vista influir
as eleic,0es de Touros, leri i jeito esta mu-
dmci antes la eluicilo ; mas o que fiz foi
S| enas infligir um castigo.
Senhor presidente, pira soconhqcer que
houve viol-'ncia na freguezia de Touros, a
que a eleQSo spprovsds pela nobre com-
missflo nflo he aquella que fui feita com a
regularidade devida, basta ponderar o in-
teresse que mos'raram contra a qualifica-
(jo dessi rreguezia os chefes lo partido ila-
q elli rreguezia cuj eleiclloheapprovsda.
Antes da eloicSo subi minba presenca
como presl lente da provincia nina repre-
sentiifio do partido cuj eleicflo he appro-
vala pcli nobre commisso, reclamando
cintra a qualifloacao; essa representac;'o
leinonst'a que||-s que t:am alguma pr-
lica de negocios oleltones, que esse pirti-
do il.lo contava com a qualiflcacfio, porque
a'mi loria dos qualiflcados Ihe eradesfavo-
ravcl. F.ssa representicl hflo foi attendi-
da. l!:n segundo argumento quo trarei para
mostrsrquea eleico approvada nflo fui a
expressfloda maioria da freguezi, e que
houvn violencia, be que a mesa regular, a
mesa p'osi lidn pelo juiz do paz competon-
tc, c que fez a prlmeira e segunda sessflo
na matriz, eompunha-se em sua maioria do
pessoas oppostSS ao partido, cuja eleicflo be
approvada pola nobre commisso. Ora, se-
nhor presidente, ple alguemcrer que um
partido quo tem em seu favor urna qualifi-
cacfto, que tem em seu favor a maioria da
mesa, abandonaste a eleico para se ir reu-
nir em urna casi particular? llavera al-
guem que supponba que a violencia nflo foi
a causa de um tal procedimento ? Me pare-
ce que seria abusar do bom senso da casa
mo demorar mss sobreest ponto. Qje
houve reunlio de frca be o que so acha pa-
tente du tojos os documentos : seria ella
cnpregadi cm proteger autoridade loai-
titna? Nilo, que a mesa foi obrigads a l'u-
ir, c oslivros Ihe foram arrebatados.
U Sr. Maraes Sarment : Nos mostrare-
mos a ras disso.
OSr. Taques -- Nflo sei de outra rasflo.
Din partido que eslava em maioria na quali-
llcacffi), que eslava em maioria na mesa pa-
rochial, mas quo nflo linha em seu favor ss
autoridades polieiaes, porquo rasflo se reti-
rara ,1a matriz ? S pela da violencia. Re-
g, paranlo, a nobre commissflo que, ou
annulle ambas essas eleicOes, porque nflo
lenho interesseem queseja approvada urna
ou outra, ou approve aquella que tem al-
gum carador de legitimidade.
Eu referir! a casa como essa eleicflo foi
feila, segundo o que consta dos documen-
tos. O delegado do polica chamou o quin-
to juiz ile paz, e obrigou-o a prestar jura-
mento ; o juiz de paz roclamou que nflo. ere
o competente, pois que os quatro juramen-
tados eslavam na freguezia ; mas o delga-
lo era forte, e o homem nflo leve remedio
senlo prestar juramento e presidir mesi:
para essa segunda mesa concorreu apenis
u ni dos membros da outra, mas o delegado
Chamou tres individuos do sau agrado, e
compz a nova mesa. Ao menos, se o dele-
gado livesse organisado urna nova mesa,
llamando para ella os juizes de paz e seus
inmediato! na falta dos eleitores e sup-
plentes; se a tivesse revestido com alguma
Cor de legali la le, ossa segunda mesa pode-
ria lor alguma probahilidade de legitima;
mas, lendo sido a maioria della organisada
pelo delegado de polioia seui as formulas
da lei, nflo entendo esmo a cmara poder
approvar urna scmclhantc eleicflo. Eis-
aqui 0 que disse esse quinto juiz de paz que
presidio essa eleicflo, e que depois da de-
missflo do delegado de polica llcou servn-
do como delegado supplonto que ora ; di-
rige-seao chafe de polica a quem encar-
reguei de fazer urna invesligaeflo acerca
dos aclos occorridos durante a eleicflo.
( aj-
ilas actas consta que nflo houvo regula-
ridade alguma na composigo dessi nova
mesa ; que apenas um dos membros da an-
lga ella compareceu, e quo o delegado
chamou mais tos Individuos para comple-
ta-la. Julgo quo nflo devo dizer mais na-
da sobro a eleicflo da freguezia de Touros ;
seria abusar muilo da paciencia da casa.
iMssarei, senhor presidente, freguezia
de Angicos. Esta freguezia he dupla, he
ilc Angicos e de Maco, e a rasflo disto he a
que paseo aexpr: a rreguezia de Angicos
foi creada depois do militas solicitaces da
.arle dos moradores do lugar, e com mui-
ias coudices--ereceflo da matriz, casa de
cmara, etc.; porin depois foram trans-
feridas a villa c matriz para a povoacflo de
Maco: a transferencia da villa se fez na
forma da legislagilo civil ; mas a transfe-
rencia da matriz, como esto objecto he ec-
clesiastico, e o ordinario no deu seu asseu-
timent a traslacflo, licou permanecendo a
matriz na povoarflo de Augicos. Todava
os moradores do Maco, u3o querendo re-
signar-se, entendern) que de sua vontade
depondia esla transferencia e continuaran)
a oxercer todas as funccOes eleitoraes em
Macao. As pessoas quo eslflo ao facto de
negocios eleitoraes faciimonU) ajuizarfloa
causa dessa transferencia....
O Sr, alora Sarment: N3o spoiado


W1
O ,Sr. rages :--0 BSUr a sJe da fregue-
zia em Angicos servia de obstculo a certos
resultados de eleicoes e por s*> a assem-
Lla provincial julg:ju dever transferi-la pa-
ra Maco ; he esta a nica rasflo que so pode
dar urna transferencia com que niocon-
cordou o prelado de l'ernambuco e contra
a qual tem informado seu visitador resi-
dente e natural do Rio-Grande do norte.
O Sr. Mornet Sarment : Est enga-
ado.
OSr. Taque: Por consequencia An-
gicos era o lugr competente para se proce-
der eleicflo primaria : a nossa iegislacflo
a este respeito he conhecida ; nflo pde-se
transferir una parochia sem intervencflOj
do bispo, e, emquanto nflo se traslada n pia
baptismal para a nova igreja, na amiga se-
do coutinuam a ser exercidos tanto os ac-
tos espiritunea como eleitoraes, porque no
nosso paiz os actos eleitoraes se regulam
pelas parochias ; as parochias dominan) in-
teiramente lodo o nosso systema eleitoral,
e mesmo a respeito de Angicos ha um aviso
de 6 de marco de 1848 que decide que a-
quella nutriz devra continuar a sor a da
fieguczia.
Agora vejamos quacssflo as rasOes pelas
qaes a nobre commissflo de poderes enten-
ded que a eleicflo de Maco era vlida e nao
a do Angicos. ( Le.)
O primeiro argumento be inleiramente
improcedente, porque as matrizus nflo so
transferem por acto do poder civil, a sim
por acto do po ler espiritual; |ortanlocste
argumento funda-so em erro de facto ; a
nobre commissilo ignorava que o prelado
diocesano recusa a transferencia da paro-
chia.....
OSr. Carvalho Moreira : Sabemos disso
perfeitameule.
O Sr. Tuques : He s como posso expli-
car esta rasflo. (L o segundo argumento.)
M3o ha duvida quc|i> juiz de paz, coulra-
r i.in lo todas as ordens do governo, contra-
riando o aviso de 6 de marco, contrariando
as ordens do presidente da provincia, cou-
vocou a assembla paroclnl para um lugar
incompetente; perguntoeu, deve a cma-
ra approvar o procedimento de um juiz de
paz que com conhecimento de causa viola a
lei ? Me parece que nflo ; esse procedimen-
to nflo he digno da npprovacflo desla casa.
He verdade que o juiz de paz que presidio a
'eleicflo de Angicus presidir no primeiro
dia a do Ass....
O Sr. Carvalho Moreira : Nada mais do
quefazer urna viagem de vintee tantas le-
gos em 24 horas !
OSr. b.Josi : Mas la n3o ha vapor?....
O Sr.Taques: Julgo que tambem nisso
ha erro de ficto.
O Sr. Sloraet Sarment : Nflo, senhor,.
sflo vinte e tantas legons.
OSr. Taguu: Os nossos mappas topo-
graphicos sflo inexactos, e por isso a pre-
sentare! um oulro argumento : em urna lu
provincial do liio-Grandedo norte vrjo urna
tabella que marca a ajuda de custo dos de-
pulados, c nesta tabella se diz que da capi-
tal a Angicus sflo 42 legof.s, e que a Ass,
que lica na mesma dircc(3o que Angicos,
cincuenta legoas : portanto de Angicos ao
Ass sflo oito legoas: he um argumento
que trago cmara, ella o apreciar como
entender.
O Sr. Carvalho Moreira : Foi um perfei-
to milagro igual ao de Santo Anlonio.quo,
estando em Padua, emquanto se respu una
Ave-Marin, foi Lisboa salvar o pai.
O Sr. Taques : Mas esse juiz de paz nflo
fui ao Ass no mesmo dia em que presidio
a eleicflo de Angicos, pelo que teve lempo
sullicienlo para fazer urna viagem de oito
legoas.
O SrCarvalho Moreira : Tambem o no-
bre depulado nflo assevera que sejam oito
legoas; nflo ho assim ? .
OSr. Taquet: Nflo tenho viajado pelo
lugar; mas sou levado a crr, vista da lei
que acabo de citar. Continu'a a ler. Tercei-
ro argumento )
A lei he que diz que o supplente que
compaece chame outrodesua ronlinnca.c
ambos sejam m>mbros da mesa: nflo sei,
portanto, em que houvo violacflo da lei; vio-
lacflo da lei he a daquellesque nao quize-
lam comparecer ao lugar a que deviam
comparecer para irerr furmar esse couloio.
tU)
Creio que sim ; mas supponho que des-
sas irregularidades se acham em muitas ou-
tias actas. (Li. Quurlo argumento.)
Creio que esa o contrario a acta ; e, pa-
ra eselarecimento da nohre comniissflo, di-
r! que a eleicflo da freguezia de Angicos
nflo foi feita pela qualilicagflo deste aduo,
in'iii pela do anuo psssado, e mu pela qua-
lilicac/io doanno atrasado. Vou explicar a
rasflo disto. Desde que appareccu a divi-
so entre os habilantes de Angicos e Maco,
em rasflo da transferencia, tem havido urna
perfeila duplcala em tudo, de matriz, de
vercadores, deelcilures, etc.; ueste estado
do cousas.nflo occorrendo duvidas acerca da
qualilica^fio desle anuo e da do auno passa-
Jo, cnlendi, fundado em um aviso do go-
verno, quedevia ordenar que l-se feitl a
eleicflo desse lugar pela qualilicaqflo do an-
uo atrasado.
O Sr. Carvalho Moreira : Mas um motivo
do nulli fade.
o Sr. Tuquei: F.nlflo para ambas as elei-
cOes, porque fram latas pela mesma qua-
lificar,o.
OSr. Carvalho Mereira : Os papis resam
o contrario.
OSt. Taques: O nobre depulado me
obriga a examinar esses papis [l'rocura-ot.)
OSr. Carvalho Moreira: Sinlo multo
dar-lbe este incommodo.
OSr. Taques (depois dcalguma pausa) :
Ksle facto nflo lio duvidosu; ambas as elei-
cOes se lizeram pela qualilicar;flo conformidade de ordens minhas.p'ub'icadas
com muita antecedencia: os papcis cstflu
por tal forma barulhados que agora nflo os
posso examinar, mas nflo lenhu duvida al-
: nina a este respeito. (Continua a lr.)
O quinto argumento he destruido pela
acta.
O ultimo argumento que presenta a no-
bre commissflo he o que fez a cmara pus
.Mida, mas nisto huuve erro de facto : con-
tra esta decisflo cxisle o aviso do governo,
quo declara que a matriz ho de Angicos e
nlo de Maco : acamara de48 enganou-se
a este respeito. Julgo, pois, Sr. presidente,
que a eleicflo de Macao nflo pode sor appro-
vada ; foi loitu contra a lei em lugar incom-
petente.
iContinuar-e-ha.)
ALACOAS.
Extracto do expediente- do Exm. Sr. presiden-
te Dr. Jos liento da Cunha e Figueiredo.
7 DE DEZEMBBO.
Oflicio. Ao inspector da thesouraria de
fazenda, devolvendo-lho.com a informaeflo
docapilflo do porto,as ful lias para pagamon-
lodos trabilhadores e material da obra do
telhoiro de Jaragu na semana prxima pas-
sada.
Oito. Ao promotor publico da comarca
daAlalaia, para responder com urgencia a
rovpeilo dos factos deque he aecusado no
oflicio que S9 Iho remelle do Dr. chefe de
polica com dala de 3 do correnle, acompa -
uhado dos documentos a quo se refere o
mesmo oflicio.
Dito. Ao inspector provincial, para que
remella quanto antes urna relaeflo dos coad-
juclores desta provincia, com declaradlo
dos lugares que se acham vagos ou pr-
vidos.
Dito. Ao delegado das Alagoas, decla-
rando-lhe que para l vai o alferes Kosendo
Monleiro de Lima, com quem se entender
a respeito da diligencia que Ihe incumb, e
dellc receber as armas que requisitou.
Dito. Ao primeiro commandanto da
companhia de polica, para que a vista do
oflicio que se Ihe remeti do inspector pro-
vincial informe acerca do excesso que se
nota de urna praca de prel no estado com-
pleto da companhia do seu commando,
Cortara. ~ Nomeando para lencnlo-co-
ronel chefo do primeiro batalhflo da guarJa
nacional da Alalaiaao majordo mesmo ba-
talhflo Antonio Ignacio da Costa,-e para
major em lugar esto a Manoel da Cuijlia
Lima llibeiro. Communicou-se ao com-
mandante superior respectivo.
igl
Courtois Punnmare, carga parte da que
trouxe.
Genova Barca sarda Catharina, capilSo
Joflo Baptista C, em lastro.,
Falmoulh Brigua inglez ll'aifmore/anrf.ca-
pitflo Conway, em assucar.
ED1TAL
-- O Sr. Dr. juiz de dlreito chefe de poli-
ca interino manda fazer publico que todos
os estrangeirosquo obtiveram ttulos de re-
si lencia por esta reparlicflo, os devem apre-
sentar para certa nveriguacflo, no Impror-
rogavel prazo de 30 dias. contados da pu-
blIcacSo deste. sb as penal da lei.Se-
cretaria da polica de Pernambuco, II de
Janeiro de 1850. -- Antonio Jos*" de Freitas,
primeiro amanuense.
Declarares.
Limii lie i'EKYuiii i:o.
BEOIFE, >0 DE JANEIBO SE 1810.
Consta-nos quo o Sr. coronol Jos Vicen-
te de Amorim Bezerra acha-se nomeado
presidente da provincia da Parahiba.
Consta-nos que o Sr. marechal Antonio
Corroa Scra, actual commandanle das ar-
mas na Baha, vira substituir aqui no mes-
mo cargo ao Sr. marechal Jos Joaquim
Coelho, c que ter a esto por successor na-
quclla provincia.
Pelo brigue brasilciro Minerva, chegado
hoje do Porto, recebemos alguna exempla-
res do l'eriodico dos Pobres daquella cidade,
osquaesalcanam a 27 de novemhro ulti-
mo, c por conseguinte nada ailianlun as
noticias do reino de Portugal, ltimamen-
te publicadas ueste Diario.
OescrivSo, servndo de administrador
da recebedoria de rendas internas geraes,
avisa a todos os devedores de imposto de
lujas aberlas, seges, carrinho e barcos do
interior, dos bairros do Recife, S.-Antonio'
Boa-Vista e Afogados, para que compare-
5am a pagar oque estiverem a deves dos
ditos impostos relativo ao correte auno fi-
nanceiro de 1849 a 1850. *
Francisco de Paula e Silva, segundo
cscripturario da segunda seceflo do consu-
lado provincial, faz acientc aos propieta-
rios Jos predios urbanos do bairro do Reci-
fe, que prncipiou a fazer o lancamenlo da
decima do dito bairro do anno correle, no
dia 14 do correle mez.
-- O Sr. director do lyceu desta cidade,
em cumplimento a (portara do Exm. Sr.
presidente da provincia de 2 deste correte
mez e anno, manda fazer publico que a
cadeira de prmeiras lettras de llamarac,
para o sexo masculino, est' a coacurso :
(unanlo os cidadflos brasileiros quequize-
rem oppr-se a referida cadeira doverflo
comparecer ( da data dele a 60 das ; na sa-
la do palacio da presidencia, pelas 9 horas
da manhfla, leudo remettido a secretaria do
lyceu, oito diasantes do dito concurso, os
seus requerimentos documentados segun-
do a lei. Secelaria do lyceu, 14 de Janeiro
de 1850. anuario AUxandrino da Silva
tabello Caneca, professor de desenho e se-
cretario.
COMERCIO.
ALFANDEGA.
RendJmento do dia 16.....14:285,920
Descarreqam hoje 17.
Brigue inglez F.arl-of-Dolhansea merca-
dorias.
Barca americana -- Ntw-World bacalho
Brigue inglez-- Geonje Robmson ~ idom.
Brigue brasleiro San-Jos mcrcadorias.
IMPOrtTACA.
Brigue inglez Earl-of-Dalhousie, viudo
de Glasgow, entrado no correnle mez, con-
signado a Adamson llowie & Companhia,
iiiiiinfi siou oseguinte:
35 toneladas carvflo de pedra, 400 barri-
cas cerveja, C3caixas c 44 fardos fazemlas
de algodo, 1 caixa laia e algodfio, 20 di-
tas queijos, 22 ditas lio lias de algodflo, 1
barrica lcali, 2 ditas cal, 52 ditas aren-
ques, 2 caixas couros em obras, 14 tonela-
das carvflo queimado, 9 barricas tinta ; a
Adnrnson llowie & C,
40 toneladas ferro ; a C Starr & C.
5 barricas, 3 mcias pipase 120 potes fer-
ro, 100 fogareiros ; a S. P. Johnslon & C,
1 laixa, I chapa para fogflo, 600 fogarei-
ros, 20 potes e 2 barricas ferro ; a Jones
Patn & C
6 fardos fazendas de linho e 2Cdixas di-
tas de algodflo ; a C. J. Asilev & C.
410 barricas carvflo, 269 pecas ferro om
barra, 22 feixes ferro em verguinha, 200 pe-
cas ferro, 18 ditas zinco, 4 ditas estanho, 1
barrica formgens, 1 encapado ditas, 2 fei-
xes ac, 50 toneladas ferro; a Bowman &
Maccalluin.
5 caixas fazendas de algodflo ; a II. Gib-
son.
Brigue inglez Getrgt-fobmton, vindo de
Terra-Nova, entrado no correte mez, con-
signado a Le Ilicin Schramm & C., ma-
nifestou o seguinle
2,343 barricas bacalho; aos meslos con-
signatarios.
CONSULADO CtllAL.
Itendimento do dia 16.....3:166,676
Diversas provincias...... 189,183
PRESEPK
no theatro de S.-Francisco.
NOVO ACTO DA VELIIA COM SUAS NETAS,
cuja parte ser desempenhada pelo Sr. S.
llosa ; este acto he composto de onza arias
e tres coros.
A .MAM IA V, 18 DE JANEIRO DE 1850.
SF.XTl nEeRKSKNTAQAO.
Grande e variado diverlimento pastoril.
Depois de execulada pela orchestra urna
das melhorcs symphonias, ropresentar-se-
ha o mu insigne drama sacro em 5 actos,
OS MAGOS DO ORIENTE,
(indo este seguo-se o acto
DA MAMAl VOVO".
Terminar o espectculo com una nova
contradanza campestre.
Os Srs. assignanles e mais pessoas, que
pretenderen) bilbelcs de camarote e plala,
I o icm aiandar receber os carlOes na casa
anuexa ao theatro, residencia do director,
onde se ellos acham venda pelos precos se-
guintes:
Primeiro ordem.
Camarotes de lado 5,000 rs.
Para assignanles de 6 recital, cada urna
3,500 rs. 21.000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 7,000 rs.,
Para assignanles de 6 recitas, cada urna
5.333 rcis, 32,000 rs.
Segunda ordem.
Cumarote de lado 6,000 rs.
Para assgnaiites de 6 recitas, cada urna
4,560 rcis, 27,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 11,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 8,000 ris,
48,000 rs.
Tercelra ordem.
Camarote de lado 4,000 rg.
i'i-n assignantes de 6 recitas, cada urna
2,500 r.s, 15,000 rs.
Dito de Trente da mesma ordem 5,000r;
Dilo para 6 recitas, cada urna 3,500 ris,
21,000 rs.
Os bilhetes de plala para 6 recitas6,000
Camarotinbo de bocea para 6 recitas,
2,500 ris, 15,000 rs.
Varanda, 500 rs.
As asignaturas serSo pagas adiantadas,
exhibindo recibo a direcQflo.
O theatro estar decentemente ornado.
Principiar o diverlimento s 8 e meta
horas da noite, com a chagada das autori-
dades.
Bandeira, som que o motivo me tivesse si-
i.'ocommunieado.
D sos guarde a V. Exe. Secretaria da po-
lica do Pernambuco, 14 de Janeiro de
1850,-lllm. e Exm. Sr. Honorio Hermlo
Carneiro l.oflo, concelheiro de estado, pre-
sidenta desta provincia. Jos Nicolao He-
gueira Costa, chefe de polica interino.
111 m. e Lxiii. Sr. Fram hontem presos
nosta [cidade : ininha ordem o pardo Ma-
noel, que diz ser escravo de Francisco Ro-
drigues da Cruz, mas que se suppOe ser li-
vre, para averiguacOes policiaes : ordem
do subdelegado da freguezia de S.-Frei-
l'cilro-i.onc/ilvfs, o Susso E. Johansson, a
requsigno do respectivo cnsul : do sub-
delegado da freguezia de S.-Jos, o prelo
Bernardino de Sena, por desordeiro ; Joa-
qnm Thootono do Espirito-Santo, por ha-
ver tentado deflorar, por um meio bem
singular,a urna sua flha de idade de qualro
annos, como ver V. Exe. do oIBcio por c-
pia junto.
Dos guarde a V. Exe. Secretaria da
polica de Pernambuco, 15 de Janeiro de
1850-IIIm. e Exm Sr. Honorio llermeto
Carneiro Lefio, concelheiro ele estado, pre-
sidente desta provincia. Jos Nicolao lie-
gueira Costa, chefe de polica intonno.
Illm. e Exm. Sr. Segundo as partes que
hoje me fram transmitidas, consta terem
sido presos: i ordem do subdelegado da
freguezia de San-Jos desta cidade, Geraldo
Machado do Loureiro, por estar brigando :
ordem do subdelegado da freguezia da
BOa-Vista, a escrava Ignez, por andar fgi-
da : a ordem de um dos subdelegados da
Ireguezla dos Afogados, o pardo Francisco
Martina, por correcto : do sub lelegado
da freguezia deMuribera, o preto Tliora
Gomes, por desobediencia.
Dos guarde a V. Exe. Secretaria da po-
lica dePranamhuco, 16 dejanoiro de 1850.
Illm. e Exm. Sr. Honorio Hermlo Car-
neiro Leflo, concelheiro de estado, presi-
dente da provincia. os Nicolao Reguei-
ra Costa, chefe do polica interino.
m
<;a de mandar remover o asss grande e an-
tiquissmo entulho que oceupa todo o quil-
tale part" da cns de albergara da ruadas
larangeiras, pois que elle he o receptadlo
de todo o lixo e mais despejos da visnhau-
ja, e por conseguinte o fogo pestfero do
crueis miasmas que s por si piem dar
origem a urna epedemia de febres perni-
ciosas. O Medroso.
Deseja-se saber se he vivo,
e onde mora Joao Machido de
Magalliaes, e caso seja morto,
quacs os seus herdeiros, e onde
residem.
Deseja-se saber onde mora
Joo Josjdc Miranda.
^
m
Avisos. martimos.
Keoarlicao da polica.
CONSULADO PROVINCIAL.
3.315,859, Illm. e Exm. Sr. Participo a V. Exe.
que, segundo as parles hoje recebidas nes-
llendimento do dia 15. .
dem do dia 16.......1:820,893
lovimenio do 'orto.
1:274 849 ,rl reparlicSo, nflo consta ter liando ondas
oceurrencias alm de ter sido preso : or-
dem do subdelegado do Recife, os pardos
Leandro de Souza e Cuilherme Raymundn
por sn liuvi i em i, ii.lo mutuamente :
do subdelegado do Sanlo-Autonio, o l'oitu-
guez Pedro Clemente por haveratirado urna
podra sobre um sobrado.
Dos guarde a V. Exe. Secretaria da po-
Para a Figueira, com escala por Lisboa,
pretende sahir al 18 do corrente mez o pa-
tacho portuguez Maria-Joaquina, para car-
ga ou passageiro Irata-se com os seus con-
signatarios F. S. Rabello & Filho o com o
capitflo Manoel da Costa e Silva na praca do
commercio.
-- Para Lisboa sahe, no dia 20 do corren-
te, o brigue portuguez Anna-Adelaide, ca-
pilSo Ignacio Jos de Aranjo : recebe carga
e passageiros, para o que trala-se com o
consignatario, Joaquim Ferrcra Mendes
(anuianios, na na da Cruz, n. 49, ou com
o referido capitflo na praca do Commercio.
A escuna nacional Emilia, capitflo e
pratico Antonio Silveira Maciel Jnior,
transferioa sua viagem para o MaranhSo e
Para, deixando por conseqiiencia de fazer a
escalado Cear, oque se avisa as pessoas
que se dignaram offereccr carga para este
porto : recebe alguma para o Maranhflo e
miudezasparao Para, e passageiros para
ambos os j ortos : trata-se com o capitflo
napraca do Commercio, ou na ra da Cruz,
armazemn. 13.
--Para Lisboa, com escala pelo Porto, se
dispOj a receber carga o bem contiendo
brigue portuguez ConceitSo-Flor-de-Lisboa,
e a sabir breve, para o que tem engajado
uina parte do ca'regamenlo : quem no mes
moquizercarregar, ou ir de passagem, po-
de enlenler-ae como capitflo, Joflo Borges
Pamplona Jnior, ou corr os consignata-
rios, Amorim Irinflos, na ra da Cadeia,
n. 39.
para o Rio-de-Janeiro sahir, na pr-
xima semana, o brigue Mafra, capitflo Jos
Joaquim Dias dos Prazeres; o qual recebe
uncamento escravos de passagem : quem
pretender pode contratar com o sobredito
capitflo, ou com Amorim Irmflus, na ra da
Cadeia, n. 39.
Para o Rio-Grande do sul seguo viagem
oestes dias o patacho nacional Eultrpe, ca-
pitflo Manoel Luiz dos Santo*) por ler o seu
carregamento prompto, podendo tilo t-
menle roceber algumas miudezas, passa-
geiros e escravos a frete: trata-se com Luiz
Jus de S Aranjo, na ra da Cruz, n. 33,
ouna ra de Apollo, armazem n. 14.
Para o Cear sahe o hiate Iitjciro,forni-
do e pregado do cobre, na presante semana,
por ja se acnar com seu carregamento enga-
jado: para o resto e passageiros trata-se na
ra do Vigario, n. 5.
O brigue nacional Adamas-
tor segu para o Bio-de-Janeirj
domingo, ao do corrente: recebe
carga minda, escravos e passagei-
ros, para osquaes tem buns com
modos : trata-se com Machado &
l'inheii'o, na ra do Vigario, n.
ig, ou com o capilao na praca.
s DEPOSITO GERAL
9 do superior rap areia-preta
0 da fabrica de Gantois Pai-
Ihet &c Companhia, na Ba-
ha.
Domingos Al ves Malheus, agente da I
fabrica de rap superior areia prota #
e meio grosso da Baha, tem aberto o '^
seu deposito na ra Cruz, no Recife, fi#
n. 52, primeiro andar, onde se achara %
sempre deste excedente e mais acre- #
% ditado rap que at o presente se tem S%
fabricado no Brasil: veude-se em bo-
mais commodo do que em outra qual-
quer parte.
.Leiloes.
Navios nitrados no dia 16.
Porto47 dias, brigue brasileiro Minerva,
de 151 luucliailas, capitflo Cliristoviu Pe-| licia de Pernambuco, 12 de Janeiro de 1850.
dro de Carvalho, equipngem 12, carga vi-i Illm. e Exm. Sr, Honorio Herrr.lo Gar-
ullo, hlalas e mais gneros; a Francisco neiro Leflo, concelheiro de eslado, presi-
Alves da Cui ha. ; denlo desla provincia.- us Nicolao tteguii-
Geuova 55 dias, brigue sardo uino, de ra Costa, chefede polica interino.
172 toneladas, capitflo Manoel Buzzano, Illm. e Exm. Sr.Das partea hontem e
equipagem 12, em lastro ; a Oliveira Ir- hoje recebidas nesja repartieflo, consta te-
maos. | ioin sido presos : ordem do subdelegado
Baltimore 70 dias, brigue americano/- da freguezia deS.-Frei-Pedro-Goncalves, o
liet, de 210 toneladas, capitflo Slwem Ea-( pelo Benedicto, escravo de Manoel Joa-
ton, equipagem 10, carga fazendas; a Me.' qiiim, por assim o haver requisitado o res-
Calmunt G.
Navios sahidos no mismo dia.
lectivo senhor: or.lem do subdelegado
da freguezia de S -Antonio, Jos Alexandrc
Babia -Patachosardo l'rimo, capitflo l'rnn- da Silva, por desorJeiro : ordem do suli-
ciscoCasanova, carga a mesma de lustro, delegado da freguezia de S.-Jos, o Portu-
Passageiros, os mesmos que truuxe. | guez Juflo Antonio Nogueira, para averigua-
New-London Galera americana Ater, ca- co>s policiaes ; a preta Vicencia, escrava do
puo J. M. Groen, carga a mesma que Joflo Correia Lial, por andar fgida : do
Irouxe.
Lathau tt llibberi faiflo leilflo por in-
leryencflo do corrector Oliveira, de grande
variedade de fazendas inglezas que se vn-
denlo para ullimacflo de certas conlas:
quiula-fera, 17 do correnle, as 10 horas da
manhfia, no seu armazem, ra do Trapiche-
Novo.
Joflo Keller, nflo Ihe sendo possivel
vender melado dos objectos em seu leilflo
de 15 do corrento, pela rnulliplicidade dos
objectos. continuara o mesmo, por inter-
veneflo do correlor Oliveira, sexla-feira, 18
do correnle, s 10 horas da manhla, na
mesma casa em que mora, no Manguind,
sitio do Sr. Cux, com entrada pela "estrada
defronle do sitio do Sr. ex-inspector da al-
fandega. Adverte-se que licaram por ven-
deros carros, cavados, umriro piano ori-
sontal com caixa de relevo, trem de cozi-
nha, leitos, guarda-roupas, toucadores, es-
tantes, secretarias, .commodas, lavatorios,
bancas de jogo, e tudo quanto orna o pri-
meiro andar da rcfeiida casa.
Avisos diversos.
Lembra-sc ao respcilavel concedi de
salubridado publica, que em suas sabias e
prudentes medidas que lem proposto e con-
tinua lembrar para fazer desapparecer a
subdelegado da freguezia da Varzea, Joflo I febre que nesta cidade j linha talvex prin-
IBaiud Brigue fraucez Ueoryette, capitflo, Bapliatu do Sauta-Auna, Mauoel Gaupelly I cipiado ceifara populagAo, so ufloesquo-1 bairro da Boa-Vista.
Alugam-se os primeiro o segundo an-
dares do sobrado na ra Direita, n. 43, com
excedentes commodos e muito frescos, a
tratar com o barbeiro, quo mora na loge do
m?smo sobrado.
Aula de prmeiras ledras
Policarpo Nuncs Correia participa ao res-
peitavel publico e especialmente aos pas
de seus alumnos, que no da 10 do corren-
te mez abri as suas aulas de meninos e
meninas na mesma casa de sua residencia,
na ra da Alegra, n. 9, onde pode tambem
receber alguna meninos pensionistas me-
diante urna mdica remuiieracflo. U annun-
ciante espera do respeilavel publico que as
suas aulas conlinuem a gosar do mesmo
crdito e conflairca como at aqu.1
Jg; Chapeos de so!, jte
Rua do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimenlo destes objectos de todas aa co-
res e qualidades, tanto de seda como de
panninho, por precos commodos \ jdjttos pa-
ra senhoras, de bom gosto: estes chapeos
sflo feilos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mes-
ma casa se acha igual sortimenlo de sedas,
e panninhos imitando sedas, paracobrirar-
.macfle.s servidas : todas estas fazendas ven-
denr-se a poreflo oarelalho: concertam se
quaesquer chapeos de sol, tanto de basteas
de ferro como de baleia, assim como umbe-
las de igreja i tudo por preco commodo.
o O
0 Alugam-so evendem-se as verda- Q
Q deiras bixas de Hamburgo : na praga q
^j da Independencia, n. 10, ao voltar a
q para a rua das Cruzes. n
O O
Precisa se alugar urna preta que saiba
lavar, engommar e coser, para urna casa
estrangeira : na rua do Torres, n. 34, das
II horas als 3 da tarde. Na mesma casa
tambem se precisa alugar um prelo que
eutenda do servico interno, e saiba tratar
de cavados.
A poca.
Aos senhores assignanles deste jornal se
faz cerlo e igualmente ao respeilavel publi-
co, que acaba de chegar'de Lisboa a conti-
nuadlo dos nmeros deste jornal at o nu-
mero 52; e corno tenham chegado difieren-
tes colleccOes ampielas, convidase aos
amantes da instrucgflo a concorrerem para
a sua extraceflo, visto como be este jornal
de tanta importancia.
Assigna-se na rua da Cadeia do Recife,
loja de ferragem de Joflo Jos de Carvalho
Moraes.
O preco da assignstura he :
Por um anno, dinnero vista 8,400
Por seis mezos, di Jo dilo. 3,200
Ensino de priruciras
# lettras.
Jos Xavier Faustino Ramos.com aula de
prmeiras lettras no Aterro-da-Boa-Visla,
sobrado n. 5, previne aoa Sr'a. pas de seus
umnos e aa pessoas que delle quizercm
confiar a educaeflo de seus lillios, que os
exercicios da mesma aula aa acham em el-
feclivdade desde o dia 7 do corrente ; as-
seguran lo que pelos novos arranjos e me-
horamentos que ha inlroduzido no seu es-
tabelecimentoe no respectivo regimem.se
acha habilitado para recebereleccionarum
mais crescido numero de alumnos. No
mesmo estabolrcimento, separadamente e
suba -lireccSode urna lidia do anuunclan-
le, convenientemente habilitada, se acha
em exercicio urna aula para meninas, onde
se ensilla a ler, escrever e contar correcta-
mente, grammatca da lingoa nacional;
bem como a fazer todo o genero de costu-
ras, bordados e lavarintos i tudo com zuln,
carinho e disvelo.
PrecisAo.
Precisa-se de ofiiciaes de funileiro ; na
rua Nova, n. 38, defronle da Conceicflo. Na
mesma casa tambem se veode um moleque.
Wickstrom, capitflo do brigue sueco
Inllianl, faz publico que so nflo responsa-
bilisa por cousa alguma que a sua tripola-
eflo lome em seu uome, ou do mesmo bri-
gue.
Cattano Mendes da Cunha Azevedo en-
carrega-se de comprar o vender eacravos,
mediante urna commissflo rasoavel, e para
cujo lim prometi ompregar toda activi la-
do no melhor dosempenho drssa trela : os
pretendentes o acharflo prompto em casa de
sua residencia, na rua da Alegra, n. 26,



Precisa-se de utn bom cuzi-
nheiro para a galera Franceza
chilla, prompto a segnir viagem
para Marseille: a tratar com -o
capitSo, 011 com fi. Lasserre & C .,
consignatario da inesma.
--OSr. que annunciou no Diario de 13
do corrente ter urna taberna bem afregue-
zada, com poucos fundos, propria para um
principiante, queira dirgir-ae ra do Ro-
sario larga, botica do Sr. Jlanoel Filippe,que
achara com quem tratar.
--Como nfio tem sido possivel encon-
trar-so o Sr. Francisco Xavier Carneiro da
Cunha Caoipello, roga se-lhe o favor da ap-
parccnr na ra de S.-Rita, a. 85, que muito
se llie deseja fallar.
, O Sr. I)r. Antonio Joaquim de Figuei-
redo Siabra tenha a bondade da ir ou man-
dar pagar sua leitra da quantia de 82,480
rs. vencida a 27 mezes e9 das, por nflo
se poder mais esperar; bem como o Sr. Ma-
nuel Joaquim de Figueiredo Siabra 43,870
rs., coniraliida de 1814 a 1847, na ra Na-
va, u. 18.
Precisa-se de urna ama: na ra do
Rangcl, n. 25.
Na ra Imperial, n. 15 prccisa-se alu-
garduas negras ou moloques para vende-
rem na ra : psga-se bem, e nflo se duvida
diantar algum dinheiro por tonta do alu-
guel.
Precisa-se saber da morada da Sr.* D.
Senhorlnha Maris da ConceicSo para nego-
cio de inleresse.
Prcciia-s; de urna mulher
de boa conducta, e queseja capaz
de ensinar bem as piimeiras Ul-
tras a una menina, em um enge-
iilio na freguezia de Ipojnca, onde
achara todas as comtnodidades e
excellente tratamento : a pcssoa a
quem convier este negocio, an-
nuncie sua morada para ser pro-
curada.
Deseja -se fallar aos Srs. Bernardo Di-
mino Franco e Manuel do Mascimento Uas-
tos: na ra Nova,n. 16.
--Os herdeiros'do finado vigario Braz
Manoel Machado avisam aos sens credores
que apresenterh as suas contas justificadas
at o dia 28 do corrente, para seren alten-
didas as parlilhas de bens.
| Angelo Francisco Carneiro embarca pa-
ra o Rio-de-Janeiro o seu escravo crioulo,
donme Flix.
Pede-seaoSr. fiscal da freguezia de
S.-Jos que lance suas vistas para a traves-
a do Pocinho, que nflo se pude passar por
causa de urna porcSo de lijlos que tomam
o transito, poisj tem havido algum pre-
juizo. -- Umprefvdicado.
Na porta do doutorjuz da segn Ja va-
ra municipal, se ta de arrematar em hasta
publica, no dia 19 do corrente, um quarto,
por execucSo de Francisco Jos Rodrigues
contra Jos Nunes Bronco.
--Arhando-se o abaixo assignado a li-
quidar as contas do llotel-Commercib, por
ter de retirar-so breve para Portugal a Ira-
ttrdisua sado,avisa a seus devedores de
irem resgalaros penhores que existem em
seu poder, apresentando as cautelas que
lln's pssou, sb pena de screm vendidos
rara seu pagamento, lindo o prazo de 30
lias.-- Francisco Simtu da Silva Mafra.
O abaixo assignado, proprietario do
Iltel-Commercio, lendo brove de retirar-
se para Portugal a tratar de sua siJe, por
conselbosde seus p'ofessores assistentes,
tem resolvido entregar a administracSo do
ditoestabelecirrento a alguma pcssoa in-
telligente e zelosa, e que garante a sua pro-
bidades abaixo assignado nao ter duvi-
da de vender'o referido estabeleciment a
dinheiioou a prazo, com responsabilida-
de idonia, seporveulura nflo houver quem
pretenda administra-la com lucro venta-
joso. De presente o estabeleciinento conta
de ssignatura mcnsal de comodonas para
mais de 1:500,000 rs. e excedera se con-
viesse nao regeitar mais numero de assig-
nantes : quem pretender adniinistracflo,
ou compra do referido estabelecimeiilo, di-
rija-seao abaixo assignado a qualquer ho-
ra do dia.Franciuo SimOes da Silva Mafra.
S.-Scbastiao.
Na ra Nova, n. 63, existe urna grande
porcSo de resistos da milagrosa imagem de
S.-Sebastin advogado, contra a peste;
igualmente S.-Braz, advogadoda garganta;
eoutras muilas qualidades de diU'crenloa
imagens.
Aluga-so urna ama de Iei te, livreou
escmva : no largo do Terco, n 41, segundo
andar.
--Precisa-se singar urna preta para wi-
der na ra, sen lo dasC Moras da manhfla
at as!4 da tarde i a tratar na ra Bella, n.
45, a qualquer hora.
No dia 18 do corrente, pelas quatro ho-
ras da larde, na casa da residencia do lllm.
Sr. Dr. juiz do civel ua-primeira vara, na
rus das Flores, teem de sor arromatados,
por ser a ultima praca, diversos bens, sen-
do dentro ellcsties prelosde typographia e
seus perlences, i enhrnelos pela admiuis-
trueno dos orphflos a viuva e iilhos de Luiz
Ignacio Ribeiro Roma.
AlToiiso Jos de Uliveira, professor ju-
bilado na cadeia de geographia e historia
do lycou desla ciJade, propOe-se a ensinar
grammalica latina', rholorica e geographia :
as pessoa qun de seu presumo se quizc-
rem utilisar, poden procura-lo na ra l)i-
reila, n. 120, segundo andar.
O abaixo assignado com loja de calca-
do na ra o i.ivraiuenlo, n. 11, Brasileiro,
relira-se para fura a tratar de sua saude, o
por isso faz negocio com o dito eslabeleci-
menlo, e avisa aos credores que compare-
cu o na mesma casa, alim de.receberein seus
crditos, estejam ou nflo vencidos; assim
como avisa as pessoas que teem penhores
em inflo do mesmo, que venham resgala-
los, o mesmo aviso faz as pessoas quolhe
devein que venham pagar ou tratar a res-
peilo no praso do oito dias da data deste;
do contrario, deixar pessoa encarrugada a
cobrar com todo o rigor que a le Ihe con-
cede. llemurdtno de Sena i Silva. '
Dflo-se 200/ rs- a premio de 2 por cen-
toeo mez sobre penhores de ouro : na ra
Augustu, segundo sobrado no lim da ra,
indo dos Marlyrios, iado do puente.
- Aluga-sa, por proco commodo, a casi-
nh.'i que foi acougue, sita ao sabir do pateo
do Carino, para as ras do Rozarlo e Trin-
cheiras, muito propria para o mesmo ne-
gocio, pelo bom local : a fallar no pateo do
Carmo, n. I, venda.
OSr. major Manoel Concalves da Silva,
que he casado com urna senbora da familia
do Guarnas, da freguezia da Mooitila da
provincia da Babia'; tem urna carU de seu
irmilo, morador na mesma freguezia, na
ra da Cadeia, n. 34, primeiro andar.
-- Luiz Monler, querendo rotirar-se deste
imperio, convidas seus credores a opren-
Urem suas contas por estes 15 dias ; bem
como roga aos sjus devedores de Ihe satis-
fazer a importancia de seus dbitos rib mes-
mo espaco de lempo.
OSr. que ha irinta e tantos dias levou
um cavallo para a cocheira da ra da Roda
queira mandar pagar o sustento no prazo de
8 dias; do contrario, ser o mesmo cavallo
vendido, visto que pouco mais vallo do que
tem vencido.
Aluga-so urna casa de um andar na ra
da ruino, com excellentes commodos para
grande familia, e boa vista para a barra:
OS pretenderles dirijarn-se a Manoel Alvos
Guerra.
Alugam-se por preco rasoavel
o sobrado e loja da ra dos Quar-
teis, n. io : a tratar no Mondego
com L. G Ferteira
Precisa-sede um caixeiro para bilhar
e todo o mais .orneo de urna casa publica:
no Hotel de Duropa, na Linguete, n. S.
--Aluga-so ou arrenda-so una campia
na Estrada-Nova, denominaJa do l.ucca
, propria para pastngem do gados, ran-
chos, ou qualquer plantaeflo que se quei-
ra : a tratar na ra do Vigario, n. 7, pri-
meiro andar.
e>^- Xtt.
BOWMAN & MC. CALI.UM, engenhei-
ros machinislas e fundidores de forro, mu-
respeosamente annnnciam aos Senhores
proprietanos deongenbos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e o res-
peitavel publico, quo o seu estahelecimento
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualidade para a perfeita confeccilo
das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arle, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmento chamar a
atteneflo publica para a sseguintes, por
terem dolas grande sortimonto j prompta,
as rpiaes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em prego como em qua-
lidade da materias primas e inflo d'obra.
a saber:
Machinas de vapor da mellior constnieeflo
Moendas decanna para engenhos de to-
dos os tamanbos, movidas a vapor por agoa
ou animaos.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e sorra
ras.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzes e chumaceiras.
CavilhOes e parafusos de todos os lma-
nnos
Taitas, paros, crivos e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mflo ou
por animaos, c prensas para a dila.
Chapas de fogflo e frnos de farinha.
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze.
Bombas yiara cacimba e de repucho, mo-
vidas a inflo, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e portos.
Prensas de copiar carias e sellar.
Camas, cairos do mflo e arados de ferros,
etc., etc.
Alm da superioridade das suas obras, j
senilmente reconhecida, Bowman & Me.
Calldin garantem a mais exacta conform-
dade com os mobles e dezenhos remettidos
pelos senhores que .se dignarem de fazer-
llios ciicomHiendas, aproveilandoa occasiilo
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e froguezes a prefi rencia com que teem
sidoior ellos honrados, e asseguram-lhes
que nflo pouparSo e.-1'oroos e diligencias
par cnnliniiarein a merecer a sua corifl
iofa>
- O abaixo assignado como administra
dor de sua mulher, berdeira do liudo Ilen-
rique l'oppe Girflo, faz certo que o mesmu
liudo deixra em seu testamento a cada
um dos seus afilhados, que apreseularem
certidesde seus respectivos parochos de
boa conducta, o legado de cem mil ris em
molida corrente ; e cornu se esteja na villa
de Iguarass procedendo a parlilba, quei-
ram apresentar-so emdita villa, munidos
dos documentos, devendo rrquercrem ao
juizo. O mesmo abaixo assignado adverte
a todas as pessoas, a quem o dito liudo
deixou legados queosdevem requerer,lim
de nflo llcarem encravudos no casco do en -
genho d'ago, pois ha bens movis para pa-
gamento dos mi sinos, productos de safras,
rendas de propriedades e dinheiros.
Varccllino Jote lapes.
Antonio Joaquim Vidal faz scicnte ao
publico que elle autorisa a Joaquim Flori-
do Fernandas Lima, para (receber qualquer
conla que so Ihe deva.
Engommado.
Kngomma-SR toda a qualidade de roupa
com muita perfecflo : na ra da Cadeia do
Recito, n. II, primeiro andar.
5
promisso, q*ue se adiar presente
pela commisso cncarregada ; em
consequencia do que convida as
meamos irmaos de comparecerem
no consistorio competente, s ho-
ras indicadas.
Na ra Nova, loja n. 58, se dir quem
d a premio a quantia de 400,000 rs. com
hypolheca em casa terrea. Na mesma loja
vende-so una curroca para boi.
Aluga-so as seguintes casas< o tercei-
ro andar da casa n. 6 do Aterro-da-Boa-Vis-
ta, com soto e muito bons commodos para
grande familia por 250,000 rs. annuaes ;
urna casa terrea na ra da l'niflo, com quin-
tal e grandes commodos para familia, por
14,000 rs. mensaes; a loja do sobrado n.
14 do pateo da S.-Cruz, por 6,000 rs. men-
saes : os pretendentes, dirijm-se ra da
Aurora, n. 26, escriptorio de F. A. de Oli-
veira.
J'recisa-se de um mixto para
curar sardas : quem tiver annun-
cie.
O primeiro secretario da S II. T, faz
sciente que a actual direceflo pretende dar
como divertimento extraordinario dous bai-
les de mascaras, no carnaval do presente
armo, e que para isso os socios quo quize-
rem subscrever, dirijam-se ao salflo do
Diestro at o dia 18 do corronto, das 3 s 6
horas da tarde, sonde acbarflo a comm3s3o
oncorregada de receber assignaturas : ad-
vertindo, porm, quo estes bailes sflo em
costum ou sem ello, como a cada um Ihe
aprouver ; heni como que lie permit i lo
aos socios fazerem urna ou mais assigna-
turas.
Todos os Srs. desla praca
e fra della que tiverem contas
com a livraria da esquina da rm
do Collegio, tenbam a bondade de
asir pagar no prazo de oito dias,
contados da publicacao deste ; do
contrario, passar2o pelo desgoslo
de verem seus nomes por exlenco
nesta folha.
Quem se julgar credor da administru-
queira u presentar suas contas ao abaixo as-
signado no praso de tres das, para screm
pagas: o mesmo abaixo assignado nflo he
responsavel por qualquer cont quo deixe
de lim sor a presentada mi menciona praSO,
e nem. por qualquer divida quu depois ap-
pareca.--Como adininistrador.'.Fi'en/e Fer-
reira da Cosa.
Antonio Joaquim Tavares lendo ven-
dido a sua venda sita na ra da Cadeia do
Recife, numero 1, ao Sr. Lino Jos de Castro
Araujo em o I." do correnle, roga a todas
as pessoas que sejulgarem seus redores
de apresenlarom suas contas no prazo de
15 dias ao Sr. Vicente Ferreirr ila Costa.
l'recisa-se de um bomem
modo : Diccionario jurdico de Pereira
. Souza ; dito porluguez de Constancio ; ur-
da provincia : na na Uireita, ntl-|,|eiiacOese leis do reino do Portugal, pri-
seja bom refinador, sem vicios e
que tenha bons coslumes : paga-
se bem .- na ra Direita, n, (<>.
Compra-se um ou dous violOes e urna
cirmela em segunda mflo: na ra da Glo-
ria, n. 95, ou annuncie.
Compra-se um pao de rede e seus per-
lences novosou usados: no paleo do Car-
mo, n. 1 venda.
Compra-se urna cabra ( bixo) que es-
teja parida o seja boa leitoira : as Cinco-
Ponas, n. 82.
Compra-se urna preta que seja perfeita
costureira, engommadeira e quo saiba fa-
zer vestidos, se agradar paga-so bem ; urna
dita que saiba engomrnar e cozinhar e que
nSo seja viciosa, ambas sflo para fra da
provincia: na praga do coromercio, n. 6,
primeiro andar.
Compram-se, effectivamente, garra-
fas e botijaj vasias : na reslilacflu da l'rata-
do-S.-Rita.
Vendas.
Almanak
DOS
OFFICIAES DA 1 GLASSE DO F.XERCITO :
vende-se por 2,500 rs. cada exemplar : na
livraria ns 6 e 8 da praca da Independen-
cia.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, n.
4, vendem-se hilhctes, meios,
finarlos, oilavos e vigsimos da
12.* lotera a beneficio do tbeatro
de Nicteroy: a elles- ([tic j tem
poucos. Na inesma loja se mos-
tram as lisias da sexta do tbesou-
ro e oilava do tbeatro.
- Vende-se o generoso vinho de caj,
com 3 anuos de engarrafado, proprio para
mimo de fra da provincia : na restilaeflo
da Praia-de-S.-llila.
Vende-se, por preco commodo, una
agulha de marcar : na ra Direita, n. 49.
-- Vendem-se t arrobas de sobo de boi,
superior, a 3,810 rs. : ni dos Quarteis, n.
5ou 8, a filiar com Joflo Dirbois.
Vende-se urna mulatinha de 14 anuos,
de linda (igura, ptima para se fazer urna
dadiva, por ser anda douzclla ; 3 prelas
mocas com algumas habilidades ; urna par-
da de 30 anuos, que eugomma, cose e cozi-
nha ; um moleuue de 10 annos, muito lin-
do, e que be ptimo para aprender algum
oficin; um pardo sapateiro ; um prelo bom
marinheiro ; um dito ptimo oleiro ; o ou-
tros escravos doservico de campo : na ra
das l.a-an.-o ri's, n. 14, segundo un lar.
-- Na ra estreiU do Rosario, n. 4, ven-
Jem-se os seguintes livros, por pree,o com
mero 6g.
Precisa-se alugar negras quilandciras,
na ra do Collegio, n. 13: quem as tiver,
dirija-so alli, das 10 horas da manhfla s 3
da tarde.
Umbelina VVanderley Peixolo.com aula
de piimeiras lettras no segundo andar do
sobrado na esquina do Ouvidor, avisa aos
senhores pas de suas alumnas e a quem
meira edieflo ; T. bivio em francez e latim,
2 grossos volumes; dito cin latim, 6 v.
Obras completas de Ouvidio, 4 v.; Diccio-
nario francez e latim de Boeast, 1 v.
Grammaire ces prammairis ou analyse;
Raisonne des melleures traites sur la lan-
gue francais, 2 grossos volumes ; urna pnr-
Qflo de livros inglczes sobre rligiSo, com-
mcrcio e navega^flo, por muito diruiiuto
convier que, derfe odia Udo^correole.sc vv-cnde.se um sohraJo de Um andar,
"! ".^,"?!!ld/.iC."m'B.!ftl.LW: em chflos pronrio.. sito as Cino-Ponias!
rrnandade de S. Jo d'Agona.
secretario da referida rrnan-
dade Ui cerlo aos Srs. irmos, que
a actual mesa regedora tem mar-
cado odia ao do corrente, pelas 9
horas da manhaa, afim de que,
reunidos em i-nesa geral, passein
a dicutir osartigos do novo com-
mclte toda actividade pora o adantamento
de suas alumnas, ensina a lr, escrever,
contar, anthmetica, grammatica nacional;
lambein haverflo meslres de danca, msica
vocal, piano, francez, geographia edezc-
nho.
Lotera da matriz da Boa-
Vista.
Os bilhetes desta lotera acham-so a venda
na loja de cambio doSr. Vieira, na ra da
Gadeia do llocife; na botica do Sr. Joflo
Moreira Marques, pateo da matriz de S.-An-
tonio ; e na botica do Sr. Francisco Anto-
das Chagas, na ra do Livramnto. O tho-
soureiro tenciona brevemente marcar o an-
damento das rodas, e por isto pede a quad-
juvagflo do publico para este firn. Os apai-
xonados deste jogo que tflo i roJigamente
concorrem em snciedade para a compra de
I.Hielos das loteras do Ro, em nada su-
perior a esta, coucorram com seus capitaes
para a extrureflo rapidu desta lotera.
Novo methodo prticoe
theorico da lingoa (ran-
ecza, ou arte facilima
de aprender com perfeicflo o em pouco lem-
po a fallar, traduzire escrever o francez.
Minguem poder negar a utilidade da
lingoa franceza, porquanloque sendo ella
hoje universal, rene em si urna maviosida-
de inaudita, urna excellencia que Iho he
propria : ella he abracada sem a menor exi-
tacSo por todos os povos do mundo conlie-
cido, por isso os grandes homens do secu-
lo presente teom envidados os seus exfor-
(os afim de que ella ruca longevos sobres
trra, e para prova de urna tal assereflo
muito bem disse o Sr. Sevene indispen-
eavel mijitos a lingoa franceza he de
siimma utilidade para lodos.
As pessoas, pois, que reconhecendo eslas
grandes vantagens, e nflo estando cm pos-
eflode subjeitarem-se ao tirocinio escho-
laSli'co, sem duvida drst'jaio iicuiitrar um
ineio fucilo a commodalo para consegui-
rem esta inslruccflo, poupando d'est'arte a
fastidiosa tarefa de esludar de cor verbos
e signlicados, qual a da grammatica do
Sr. Luiz Antonio Bengaim, dada a luz lti-
mamente oo Rio-de-Janeiro, e de que mul-
lo elevad? conceito faz o nosso excellonte
professor, o Sr. doutor Jos Soares de Aze-
vedo.
Avisa-se, portento, aos amadores da men-
cionada lingoa que ditas grammaticas se
acha ni a venda na praca do Commercio, n
2, primeiro andar.
Compras.
Compra-se um prelo, que
propr
os pretendentes diiijam-se a ra da Caileiu,
sogundo andar do sobrado da esquinado
Ouvidor.
Vende-se um neg'o de idade do 30 an-
nos, pouco mais ou menos, para todo o ssr-
) vico : na na da l'raia, armazem, n. 18
Vende-se um bom cavallo carregador
baixo at meio, bem como todos os arreos
novos ou sem elles: Da ra da Praia, arma-
zem, n. 18.
Farinha de millio.
Vende-se farinha de milhoom porches
o arrctallio por preco commodo, na ra do
ruui, n. 28; sendo de 1.*, 2." e 3." sorle.
-- Veode-se una mu i linda molulinha do
16 annos com todas as qualidades aprecia-
das pura iriocaniba, alm do que, engoma e
coze perfetamenttf ; dr-se-ha o motivo da
venda, na ra do Rangcl sobrado, n. 57.
Vende-se um lindo moleque, chama-
do pega, de 17 anuos, de illiliada conduc-
ta, o corno tal, prefero-se para dentro di
cidade, por se oBancar sua conducta, na
ra do Rangel, n. 57.
Arroz a 50 rs. a libra c 1,408 rs. c
arroba, sendo em sacca linda por menos :
espirito de 37 graos a 1,000 rs. acarrada;
no paleo do Uuspilal do Puraizo, venda
n. 20.
Vende-se a casa n. 3, cita na ra do
Rom Susseco em Olinda por commodo pre-
co : na ra de S. Francisco, casa n. 24,
defronte da venda do Nicolao, se dir quem
venite.
Vendem-se bustos de gesso represen-
tando Fielmente a rainba Victoria e o prin-
cipe Alberto; relogios de ouro e do prala,
chegados ultimameulo da Suissa : estes re-
logios quo sflo mu bem acabados, so tor-
iiiini muito rccoinnieudaveis a qualquer
particular, e adveite-so que ha entre elles
algunsque andam 8 dias sem precisaren)
de corda : na ra da Cruz, no Recife, n. 55.
Agencia de JKdwiii Waw.
Na ra de Apollo armazem n. 6, de SI. Cal-
mout&Companhia, acha-se constantemente
um grande sm tmenlo do ferragens inglezas
para engeridos de fabricar assocar, bem
como laixas de ferro coado e balido de dif-
leientes tamanln) e modelos moendas
de dito, tanto para armar em madeira como
rodas de Ierro para animaes e agoa, ma-
chinas de vaporde frca de 4cavallos, alta
pressflo, reparlideiras, espumaderas, etc.
de ferro estanhado. Na mesma agencia acha-
se um sin tmenlo de pesos para balangas ,
escovins paia navios. Ierro cm barra, tanto
quadrado como redondo, salra para ferrei-
ro e urna poreflo de linta verde em latas \
tuuo por barato prego.
Veudo-so urna mulata de 22 annos de
idade, do bonita figuia, sem vicios e com
habilidades: no segundo audar do sobrado
da esquina do Ouvidor.
Xarope do bosque.
SALVACADF.MAIS UMA VIDA.
Eu abaixo assignado, morador na ra da Val-
la, n. 10, tendo padecido por espa;o de 13 an-
uos do mal de aystluna, provenieule de una
constipacao que apanhel quando inorel no lu-
gar chamado Pona-Negra, no dislricto de Ma-
rtu, durante este lempo nunc; cessei de lo-
mar reincdioi, uns applicados por amigos
incus, ourro por profeisores a qucmconsul-
lei ; por lim desengarain-me que o meu mal
nao linha cura, por ser j muilo antigo ; eu
nesta triste sltuacao, com 09 ataques continuos
que me perseguan! em todas as mudancas da
la, e com o dcseiigauo de nao poder ser mais
curado, esperava a morte a todos os momentos
cm que me vlnliain os ataque, porque ttcava
lao-sulliicado.qoe perdis a respiraco e assim
queruepassava a maior frca do ataque conie-
eavi-mr cniSo urna tosse lao forte.que nem dei-
lado, nem de maneira alguma poda socegar,
e para desoaosar algumas poucas horas, passa-
va recostado na cabeceira da cama. Ha sete
annos para ca, quando vtin para a corle, ful
aconselbado para ir residir fra da cidade, ede
tomar de lempos em lempos vomitorios de
poaia : assim fis, porm ludo foi ioutil. Con-
11 nu ivam os iiiesmos ataques da mesma manei-
ra: j cansado de tantos solTrlnienloa voltei
para a cidade : nesta occasiao disseram-me
que liava um novo remedio que curava a
asihma, c que se venda na ra do Hospicio,
n. 40. Ora, eu tendo j gastado tanto dinheiro,
e nao tendo obtido resultado algum favoravel,
pouco esperava do tal remedio da ruado Hos-
picio, 11. 40 ; poriu nao foi oque eu esperava,
foi miaba salvaco Coinprel urna garrafa do
xarope do bosque, que he o tal remedio que la
se vende ; principie! a tomar e9te precioso e
iuipagavel remedio: desde odia em que priu-
olplei a tomar a primeira dso logo sent que o
remedio comecava a faxr-me bem ; nao me
enganei, fui lulos os dias a nielhorar at aca-
bar una garrafa, C ha j um me/, que nao sci o
que he ataque de aslhina. Dos prolongue os
dias de vida ao descubridor deste tao precioso
reme do para bem da liumaiiidade sollredora,
assim como en ; digo, c semprc o dirci, que o
xarope do bosque be um glande c excellente
remedio para as molestias do pello.
Esta iniiha declarajao foi feila de muito mi-
nha livre voutade, e cm reconheciuento ao
bom elleilo ; port uto, reconuneiiHo a to-
dos os que sonreren, assim como eu sollri,
que nao porcam lempo em irem ra do Hos-
picio, n. 40, comprar o Incomparavel xarope
1I0 bosque, para gozarem do que slou gozan-
do, que lie de iiiinha perfeita sade.
Todo o cima referido juro aos santos evan-
grlhosque he verdade ter eu otf*i,0
ltio-dc-Janeiro, M de agosto de 1848.Joit
Antonio da Silva.
Reconheco verdadelro o signal supra feito
perante iiiin.Joaquim Jote de Catiro.
Vende-se na ra dos Quarteis, n. 12.
Charutos de Ha Va na
verdadeiros :
venilem-se em casa de Kalkmann IrmSos,
na ra da Cruz, n. 10.
Vendem-se mascaras fmissi-
mas para o carnaval: na loja de
Maia Ramos & C, na ra Nova,
... 6.
Vende-se urna taborna sita na travessa
da ra do Vigario, n. 3. pertencenle a Ma-
cioira&Cuimaiflcs: esta taberna vende-so
porque um dos socios deseja-se retirar para
fra da provincia : a tratar na mesma ta-
berna, 011 no Forte-do-Mattos, casa de Fran-
cisco Jos da Silva Macieira.
Vendem-sc a taberna da praca da Boa-
Vista, junto a botica do Sr. Manoel Elias de
Moura, muito alreguezada para aterra: a
tratar com o Sr. Jos Francisco deTeive, na
ra do Hozario da Uoa-Visla, n. 2.
Vende-se urna taberna em muito bom
lugar, bem afreguezada, com poucos fun-
dos, muito propria para um principiante,
por ter commodos para morada, e a arma-
cao ser muilo em conta : vende-se por seu
dono se querer retirar, por isso se offerece
grande vantagem ao comprador: quem a
preterrder annuncie por esta folha.
Vende-se urna parda muilo boa cozi-
nheira, doceira e engommadeira : o motivo
por quo so vende se Uir ao comprador : na
ra da Cruz, n. 50.
Vinho generoso.
Na ra do Crespo, loja n 8, e defronle da
ribeira do poixe, n. 3, vende-se o superior
vinho engarrafado, chegado ltimamente
do Porto, a 12,000 rs. a duzia.1
-- Vende-se um escravo de 30 a 32 annos,
ptimo vaqueiro, o que he proprio para o
servico de campo : na ra da Madre-de-
Deos, n. 34, loja de fazendas.
NA BIJA DA CADEIA DOllKCIFE, N 24,
LOJA DECAMIIIil DA VIUVA VIEIUA
& I- II.IKK
Lotera doRio-de-
Janeiro.
Aos 20:000.000 de IS.
Pelo vapor Haitiana, rocehemos os muito
afortunados bilhetes e meios ditos da 12*
lotera a beneficio do tbeatro de Nictheroy,
cujas rodas deviain andar no dia 8 do cor-
rente.
PRECOS
Di I heles 22,000
Meios 11.000
Outrtos 5,500
Oilavos 2,800
Vigsimo 1,300
-- Vendem-se 6 lindos escravos de naci
e crioulos, de 18 a 30 annos, sem vicios,
nem molestia, um pardo de 24 annos, p-
timo para tratar de cavallos, e se d muito
em conta ; G prelas de 16 a 25 annos, com
algumas ahelidades, sendo algumas muito
boas quilandciras o sem vicio ; urna negri-
nhadel2, muito linda; urna molatiuhade
l2annos.com principio de habelidadeseca-
ri idiosa para meninos ; urna preta deineia
idade; assim como outros mu i tos escravos
por precos commodos, na ra da Cadeia do
Itecife, n. 51, primeiro andar, se dir quem
os vend". '
Vendem-se 3 methodog para vioISo,
seirdo 2 do auclorCarulIe, e uro Ua 6 ed-
co, na ru do Vigario, n. 10 na loje.


aaa
I
-* Vende-se um mulatinho muito bonito,
proprio para so mandar ensinar um officio,
ou dar-se de fasta a qnalqucr fllho, do 11
nnnos, o que he vendido por necessidado
na ra larga do Itozario, n.,35, loja.
Na ruado Vicario, n.7, primeiro an-
dar, ha para vcnder-se duas pretas, sendo
urna mo(a e outra j de idade.
Rata tas
Vendem-se batatas a 1,000 rs
a arroba : no armazem da ra do
Azeite-de-Peixe, n. i4, defronte
da Madre-de-Deos.
Vendcm-se hons queijos londririos,
ditos de prato muito freseaes e de superior
qulidado, presuntos jnglezes para ham-
bre, ditos pnrtuguezes para panella, Utas
com 2 e* libras de mermelada, ditas com
bolachiiiha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas com hervidlas, frascos com conservas
inglezas, queijos de quaiha vindos do rea-
ra, por barato proco,' mantas de toucinho
inglez de Tumeiro.de 7 a 8 libras cadauma,o
oulros muilos gneros de boa qualidade
a mua da Cruz, no Recife,.n. 46.
Cortes de cassa para ves-
tidos com 16 eovados
por 5,500 rs.
Vendem-se corles de cassa para vestidos,
comi co va dos, a 3,500 rs.; ditos com C.
covados, a 1,760 rs. ; pecas sas com oito varas e meia, a 2,720 rs.; pan-
no dn linho muito lino, a 480 rs. a vara : na
ra do Crespo, loja da esquina que volta
para a cadeia.
Taixas para engenho.
Na fuiulieilo de farro da ra doBrum,
acaba-se do receber um completo sorlimen-
todo taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prefo com-
modo e com promplidSo emharcam-se,
cu carregam-se ein carrossem despezas ao
comprador.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor,
RA DA SKNZALT.A-KOVA, N. ^1.
Neste estaneiecimeuto conti-
na a havfriim completo sorti-
tnento de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os taannos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos lia ftahia
Vende-se em casa de N. O. leber & C.
ra da Cruz, n. 4, JgodSo trancado
ilaquella fabrica, Diuilo proprio paia saceos
de assucar e ruupa de escravo?.
Chr hrasileiro,
Vende-se che hiasileiro no arm.-,zeni(de
Moldados, airas do Cor|o-Santo, n. 66, o
mais excollenle cha produzido cm S.-Pau-
lo que lem viudo a este 'mercado
prego muito com modo.
por
Muflidas superiores.
Na fundieo de C. Stnrr & Compendia!,
era S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, lodas de farro, de um modelo e
construcgiio muito .superior,
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de mediados atrs do Cnr-
po-Sanln, n. 66, ha para vender, enejados
pelo ultimo vapor viudo do sol, superio-
res charutos S.-Flix, e de outras militas
qnalidadf-s que se vndenlo mais barato do
que pin nnlra qnalqncr palle : bem como
riganilhos hcspaiibes, ditos de palha de
milho, que se eslo vendendo pelo diminu-
to prego de 5C0 rs. o cento.
Corles de brim de cores
rom lislras solado, a
1,280 rs.
Vendem-se corles de lirim de cores com
listrasao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
godSo americano, ptopiio para escravos, a
140 rs. o covado : na ru do Crespo, loja du
esquina que volta para a cadeia.
Tecirtos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-Saittos.
* a roa f)a Cadeia, u. 8, ?
iendem-so por atacado duas qualidades,! 2?
proprias para saceos de assucar e roupa de I
escravos.
Ruarles de furta-cres a
4 is. o ceVfo e ris-
cado monstro a 990 rs.
Vcude-se zuarlo de fiirta-rAres muito
encorpado e com 4 palmos de largla, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra lio Crespo, loja da esquina que
volta parr a cadeia.
Paracjucn (ver bom
gosfo.
Vendem-se redes de cores muito grandes
e muito bonitos padrOes, e o melhor quo
tem apparecido neste u.ercado : na ra do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia.
- Vendem-se amarras ue lrro : na ra
Ja Senzalla-.Nova, n. 42.
Veude-se urna parte dos sobrados de
tres andares, ns. 14 e 16, siles na esquina
da ra da Cadeia, defronte do Iheatro de
San-Francisco : a falla rno primeiro andar
dos ditos, com Joaquim Teixeira l'cixoto.
'i'reni para coznia.
Vendcm-se panellas, escarolas, chaleirss
o fregideiras forradas de porcellan8; e lam-
be m o mesmo sor timento de louga france-
za eslanhada, e um completo soi timento de
bules o Cafeteiras de metal; na ra da Ca-
deia, n. 56, loja do fcnv.gcns, de Antonio
Joaquim Vidal.
Fioporretc.
Vende-so superior fio porrete, o me-
lhor que tem vindo ao mercado: beni co-
mo o superior lio de vela, por menos pro-
co do que em outra qualquer parte : na ra
da Cadeia, n. 5G, loja de ferrangens, de
Antonio Joaquim Vidal.
Os mais ricos mantele-
tes e capotudos.
Vendem-se os mais asseiados mantelete:
o capotudos de ehamalote de seda e gor-
guro, os mais ricos que leem apparecido s
na ra do Queiroado, n. 9.
Ferro inglez.
Vende-se um completo sortimcnlo de fer-
ro inglez, por mdico preco na ra daj Ca-
deia, loja de ferragens, n. 56, de Antonio
Joaquim Vidal.
--Vendem-se cortes de cambraia de co-
res, pelo barato preco de 2,000, 2,500, 3,000
3,500 e 4,000 rs.; camhraia de seda, a 3/
rs. meias para meninas, a 160 rs.; 13a
com lislras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
itnhl propria para roupa de meninoseves*
lidos de seuhora, a 240 rs.; 1:1a superior pa-
ra caigas, a 500 e 600 rs. ; lencos de algo-
dlo e seda com franja, a C00 rs. ; corle s de
collele de velludo, a 1,600 e 2,500 rs.; cs-
sa-chita, a 400 rs a vara gaica de seda, a
500 rs. o covado; camhraia de seda,a 5C0 rs.
0 covado c OlllraS muilas fazrndas |or
barato prego : na ra do Crespo, n, 15, loja
de Joiquim de Oliveira Maya Jnior.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Corro-Sanio, n. 66, por prego com-
nodo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se lornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e alurarem mais que as de espermacele,
e nao fazerem morrSo.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem anligo da ra da Madre-de-
Deos, n. 36, est de novo eslabelecido de-
haixo das mesmas condigfles, offerecendo
a deliciosa pinga do vinbo da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a ranada, a de vinho hraneo de Lis-
boa por 220 rs a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a ile vinho de l'.ordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. NSo se adnlrem
oa fieguezes do haixo prego por que se vari-
lle a deliciosa pinga, e sim da auilacia do
proprielario querer sustentar o anligo pre-
go, emhora este genero tenlia subido o me-
lb.ur de 30,000 rs. por pipa. Examinem os
amantes a qualidade para reconhrcimento
da verdr.de e conlinuagflo da anliga fregue-
zia.Epara nito haver usuras, estjopromp-
las garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim romo barra de diversos l-
mannos para provlso do prximo Natal.
O proprielarioconta com a concurrencia;
do contrario, lornarSo os pregos do reta-
Ihoa primitiva de240e 280rs. a.gar.-afa.
Deposito d Potassa.
Vende-se milito nova potassa,
de boa qualidade, em borriszinho;
pequeos do qnalro arrobes, por
preco batato, como j ha muito
lempo se nao vende: nc ilccife,
ra da Cadeia, armazem n. 12.
Anligo deposito de cal
virgen).
Na ra do Trapiche, n. 17, ka
muilo superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Farinha de mandioca.
Na ra.do (Jueimado, 11. 14, loja do fer-
'4
-- Vende-so banha de porct muito nova
e bem alva, em barris, em Utas, as libras e
a retalho, a 240 rs. a libra i na ra Impe-
rial, n. 37.
Para porcos.
Vendem-se saccas com feijao
com algnm furo, a 3,000 rs. cada
urna : no caes da Alfandega, ar-
mazem de Francisco Dias Ferreira,
Umversalmente hoje he reconhecido
que na prrsenca de um par de oculoa fixos
apropriadosaogrto da vista do paciente,
Tica nntMisado tudo quanto os diversos au-
tores desde Hippocrates al. Itaspailhe leem
esciipto em medicina, tendente a curar
vista curta ou cansada, e tanto islo be cer-
to que elles mesmos usara delles, em con-
sequencia quem os quizer, al mesmo com
o antidoto das canelladas, trambolhOes, ca-
hegadas o mais catastrofos, dirija-se ra
larga do Rozario, n. 35, loja de miudezas.
--Vende-se um mulatinho de 16 annoi,
bom bolieiro e copeiio ; 4 moleques de
elegantes (guras, sendo dous delles corla-
dos na melade de eu valor; 2 prelas com
algumas habilidades ; 2 pretos de 30 a 40
aunos, sendo um delles bom canoeiro, e
vende-se por muito commodo prego para
liquidagSo : no pateo da matriz de S.-An-
lunio, se dir que vende.
--Chegaram novamenle ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prnla
patente inglez, para homem e senhora.
Novo sortimento de fa*
zcrtdas baratas, na uta
do Crespo, n. O. ao p
do lampean.
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padrOes, cores lixas e cjim 4 palmos
de largura, pelo barato prego de 320 rs. o
covado ; cassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; rlscadinho de lis-
lras de linho, a 240 rs. o covado,- brim de
algodSo de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padros, a 320 rs. o covado ; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varase urna quarta ; cassa preta com
ramagem branca para luto, a 140 rs. o co-
vado; zuarle de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dilo azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padroes e cores lixas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de tarlatana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
A 5!20 res.
Vendcm-so'cliilas francezas, largas, mui-
to finas, lixas, muito miudinhas, cor de
rosa erouxas, pelo.barato prego do 320 rs.
o covado : na ruado trespo, n. 14, loja de
Jos Francisco Dias.
-- Conlina-se a vender bolacha de fari-
nha de milho, a 80 rs. a libra : na ra larga
do Rozario, n. 48, padaria.
\a ra do Passeio, n. >.
vendem-se chapeos de sol da marca mu:
togrande, proprios parasenhores efeitores
de engenho : esles chapeos silo muito hem
construidos e muilos fot tes.
Vende-se panno azul
proprio rara faumento ;
sola envernizada
para correiamc ;
cobre
para caldeireiro e para forro ;
couro* de lustro ; phos-
pboros de Uamburgo
em eaixas forradas do zinco ; um sorlimen-
lo completo de copos, clices, garrafas, ele.
i Superior fio de al-118 !nnos 8 pretos de 20 a 25 annos, sendo
A loo delles ptimo sapateiro; 1 mulatinho do
yiOS,ae veas ein i6 annos, ptimo para pagem ; duas par-
' das de 16 a 20 annos, com habilidades;
uma dita de 20 annos, com dous fllhos',
urna de 5 annos o outro de 1 anuo ; 8 pre-
las de 12 1 20 annos, com habilidades, e
quesoproprias para todo o servigo: na
ra do Collegio, n. 3.
~ Vendem-se chaleiras, fregideiras, pa-
nellas e cagarolas de ferro forradas de por-
celana ; blese cafeleiras de metal : na
ra Nova, n. 16, loja de ferragens, de Jos
Cun Pereira.
Vende-se um violSo de- jaearand : na
ra Nova, n. 16.
Vende-se urna casa terrea mei^agoa,
depedrae cal, bem construida, no lugar
do Coelho, roa do Jasmim, com quintal, 3
jancllas de frente, ecom caixilhos, por pre-
go commodo; na ruado Collegio, n. 16,
segundo andar.
Vendem-se pegas de algodSoZinho coin
20 jardas e com toque de aviria, a 640,
1,280 e 1,780 rs., ellmpo a sete patacas;
pegas de chitas de hons pannos, a 4,500 rs. ;
o diccionario de Moraes da quarta edigSo,
quasi novo, por 20,000 rs. ; 1 fole d folear
forrrigas : no paleo do Carmo, n. 18, pii-
meiroandsr.
--Vendem-se 8 escravas ; urna dita de
muito boa figura, que cose, engomma e co-
zinha, tudo bem feilo ; um escravo mogo,
boui ollicial de pedreiro ; um dilo bom co-
zinheiro do diario de urna casa; um dito
bom ofllcialdesapaleiro de cortar e fazer
(oda obra ; um dilo de meia idade, por
150,000 ra. ptimo para trahalhar e botar
sentido a um sitio,' ou^servir a uir.a casa ;
dous moleques, um de 12 annos, e o outro
de 16 ; urna prela para quilandeiri, por
prego commodo: todos estes escravos sa
dilo muito cm tonta : na ra do Collegio,
n. 21, primeiro andar, se dir quem vende.
Vende-se um bom cayado com todos os
ailares de redea tolla, muito manso e man-
anlo, por prego commodo : na ra do Col-
legio, n. 16, taberna.
Yende-se
godo para po
osa de Geo : Renworthy & C. """de
na ra da Cruz, n. a.
Ao bello madamismo
se offerece transparentes e lirnlissimas cas-
sssda nnis moderna exposigflo de l'aris,
cortas de 10 varas, pelo rasoavel prego de
7,000 rs.: na loja do Antonio Lui dos Sin-
tos& C., na ra do Crespo, n, 11.
Potassa nacional.
Vende-se potassa nova da fabrica nacional
do Kio-de-Janeiro ao baratissimo prego de
180 rs. a libra. Os senhores de engenho de-
vem todos mandar comprar desta potassa
afim de animar a fabrica que cora tantos
sacrificios se estabeleceu e foi a causa de
baixar a este prego : na praga do Commer-
cio, o. 6, primeiro andar, escript6fio de
Manoel Ignacio de Oliveira.
Na loja da rna do Cres-
po, n. 14, de Jos Fran-
cisco Das,
vendem-se riscadinhos muito finos, mu-
ios, encarnados e cor de caf escuro, mui-
to fixos, pelo barato prego de 200 rs. o co-
vado ; eassa-chilas francezas, muito filas,
a 480 rs. a vara ; chitas largas francezas, a
360rs. o covado; brim de linho azul rniu-
do para agela, 440 rs. ; brim amarello
entrancado e de puio linho, a 1,600 rs.;
meias para meninos, a 200 rs. ; ditas harn-
hurguezas, muito cncorpadas, fazenda mui-
to superior, a 400 rs.; picote muito encor-
pado, fazenda de muila durago e propria
para escravos, pelo diminuto prego de 200
rs. o covado; cortes de brim de lislras e
quadros, a 1,120 rs. o corle ; ditos de qua-
dros o lista ao lado, fazenda muito encor-
pada, pelo barato prego de 1,400 rs. o cor-
le ; e outras muitas fazendas por barato
prego.
Vende-se a loja de livros,
com todos os seus pertences, que
foi do bacliarel Bernardo Jos Vi-
eira Coutinho, sita na esquina da
ra do Collegio : os pretndanles
dirijam-sc ruado Vigario, n. 7
primeiro andar.
:. Aloalhado de linbo. %
S- Vende-se aloalhado de puro linho, 4B
f> com 8 palrr os de largura, a 3,500 rs. * a vara ; dilo com 9 palmos, a 4.C00 *
ff rs. ; guardanapos finos de puro II-
;^ 11I10 e adamascados, a 10,000 rs. a
~y duzia ; um completo sortimento de
> toalhasda mesrna fazenda, de varios
i tamaitos e de ilillerentes pregos :
$). na loja do sobrado amarello, nos
;> qualro cantos da ra do Qucima-
j> do, 11. 29.


fi
m
e
. ^5
OAAAAAA-AMaO
-- Vcnde-se, no (im da ra da Aurora, n.
4, um torno de tambores com aguilhOes e
rodetes, por 320,000 rs.; temos de carretas
solas, por 20.000 rs ; urna canoa de car-
reira, de um so pao ; urna dila. grande do
1,200 tijulos, e que precisa de obra no
fundo.
-- Vende se um sitio beira do rio, com
mais de mil palmos de frente e baixa du
capi 111 para 30 faixeS lorcha, rom grande
casa moderna, conlendo duas salas gran-
des, dous gabinetes, duas alcovas, 3 quar-
los o cozinlia fra.; he pertoda praga, por
ser antes de chegarao l'ogo-da-l'anella : na
ra de S.-Amaro, n. 16.
Vende-se um pardo de bonita figura ,
, Velha, n. 5.
rugeos, anula lia algumas saccas da boa! -Vende-se um escravo refinador : na ra
familia de mandioca, muito alva c brm tor- d8s Cruzes, n. 40.
rada ; hem como una porgo de peonas du,-,' > ', e> Cae
cma, proprias para espanadores. ( aiC.'KIO IrailCCZ IllICira-
_--Vende-se vinho do Porto muito supe-i tninl# nnvn
rior, em bamsdequartoequinto ; farinlial iiciiic uvvu.
de trigo de lodas as qualidades o em meias Na ra do Crespo, ao pe do arco de S.-
harricas; retroz do Porto, | rlmeira qua- Antonio, loja de miudezas, de Joaquim
iladn; panno e meias de linho ; arcos para llenriques da Silva, sapatos de couro de
barricas; familia do mandioca em saccas lustro para senhora, a 2,000 rs.; sapatOes
0
grandes e a gsrne) a'bordo da sumaca >>-
S.-ilu-Oirmo ludo por prego cominodo :
na ra do Vipnrio, n. 11. primeiro andar,
casa do Fraoclsco Alves da Cunha.
J Chfeos do Chile 1
de superior qualidade. S
Pelo ultimo vapor receheram-so &
mais chapos do Chile de superior g>
qualidade, que continan) a vender- 1-
sc ( a preooi mais commodos do que fla
rm'outra qualquer parte ) na ra do ^
(# Collegio, n. 9. ^
ir. **********<.. **#*?
Fnriiiha de trigo.
Vendc-se superior l'ii'iiiha de liigo fran-
ceza de Provenga, chegada ultirnamenle de
Marselha : cm casa de J. J. l'asao Jnior, uu
roa Vendem-se saccas com lare-
lo, pesando yG libras, editas com
leijao rajadinlio e branco : tudo a
5,ooo rs. a sacca : no caes da Al-
fandega, armazem do Lacellar.
Arados de ferro.
Na fundigilo da Aurora em S.-Amaro ,
vciidem-se arados de. ferro diversos mo-
delos.
tal virgen).
Cunli8 & Amorirn, na ra da Cadeia, n.
50, conlinuam vender barris com cal de
Jsba, da mais nova que ha no mercado,
por isso mais barato do que em outia qual-
quer parte.
Follia de Ialao.
Vendc-sc foi ha de la tilo de todas as gros-
o vidro c de crystal: na ra da Alfandega- ProPriu P' Pgem : "a rua ds Larangei-
ras, n. 18
Vendcm-se ricas toalhas de
lavainio ; na rua da Cadeia do
llecife, n. 9, loja.
Vende-se urna preta de bonita figura,
de 20 annos pouco mais ou menos, que co-
se chao, cugomina liso o faz lodo o mais
servigo de urna casa : na rua do Livrameu-
to, n. 19.
-- Vendcm-se 3 escravos de 22] a 3 an-
nos, de bonitas figuras; 4 molecoles de 10 a
18 annos ; duas pardas mogas; 3 negrnihas
de 18 annos; urna escrava da Costa; duas
lindas mulalinhas de 18 annos: na la lli-
reila, n 3.
-Vende-se um cavallinlio, proprio para
montara de menino : na rua da Aurora,
venda por haixo do sobrado 1 roximo a ca-
pella dos Inglezes.se dir quem vende.
Vende-se um troinliSo eni bom esta-
do, por prego commodo: na rua do Ara-
go, n. 8. '
Vende-se urna escrava, de 22 annos
st-rhvos Fuiricc^
de couro de lustro, a 6,000 rs. ; ditos de
duas e ti es solas, a 5,01)0 rs. ; sapatos de
couro de lustro de una sola para homem.
a 4.OC0 rs ; horzeguins gaspeados para ho-
111 o ni, a 7,0-0 rs.
-- Vende-se um relogio de prata suisso,
com correle de ouro ou sem ella : na rua
larga do Itozario, n. 26, loja de miudezas.
Estanto em verguinba e
filiade 1 landres.
Vende-se estanto em verga, e folha de
Klandres de superior qualidade, em porgilo
ea retalho: na rua da Cadeia, n. 56, luja
de feragens, de Antonio Joaqum Vidal.
lirados para balanza do
autor liorna'o &C.
Vrndem-se os excidlentes hragos para ha-
langa, do meihor autor llomilo, j bem co-
uhecidos pela sua boa qualidade : na rua
ila Cadeia, 11. 56, loja de ferragens, de An-
tonio Joaquim Vidal.
Vende-se nina mobilia
de Jacaranda quasi nova, sendo duas ban-
cas, um sopha, un a mesa dn meiodo sala,
14 cudeiras, sendo du. s de hraeos, urna ca-
ma du angico, do aimaco: no paleo do
Carmo, n. 13, sobrado dn varanda de pao,
esquina do Inoro da bomba.
--.Vende-se urna | orgfio de madeira, pro-
pria pura < nchimenlo de casas de taipa, a
ijuai foi (irada (ara esto lim, e existe jun-
to ao embarque, no fnn do Becco-Largo, no
Itecife, ondeioi tanque d'agoa.
Na rua Nova, n. 10, ven-
Fugiram, do engenho Matto-Grosso,
comarca do Cabo, na noite do primeiro do
corrente dous escravos : Dent, pardo, bas- ,
tanle claro, baixo, feigflcs regulares, pouca
barba, cabellos caslanhos, denles limados,
pernas grossas e um tanto arqueadas ; leve
hexigas ha pouco lempo, por isso esta com
a cara rna i cada.; tnm aparencias de mari-
heiro e quer passar por forro ; nao ha a
primeira vez que foge ; foi preso no anno
prximo passado no Brejo-ua-Areia ; levou
camisa de algndao, rnulas e chapen de
palha; reprsenla ler do 24 a 25 anuos;
Joan, | reto, de nacao Cnhinda, representa
25 annos, ladino, beigudo, barbado, corpo
o tamanho regulares ; lem parte da cuhega
pellada ; est um tanto amarcllado ; fdram
juntos : quem os pegar leve-osao dilo en-
genho, ou no Recife, casa de Jos Thcoilc-
ro de Sona, quesea recompensado.
Fugio no dia 10 do frrenlo pelas 6 ho-
ras da tardo um molequinlio, do nome Ld-
gerio, de 12 anuos d idade, bem prelo,
olhos grandes, tem em um p um dedo,
que levanta por cima do outro, le ou vesti-
do carniza de riscado e caigas de brim tizo.:
quem o pegar leve-o na rua da Cadeia do
Kecife, n. 51, que ser* recompensado.
Fugio, no dia 10 de dezembro do an-
no passado, a prela llosa, de nagHo, de 50
annos pouco mais ou menos; foi vista cm
Morillera, onde j foi ir oradora, por t> r sido
escrava do IIIm. Sr. coronel Agostinho lie-
zerra.ou de um de seus prenles ; he bai-
xa. cheia do corpo, nadegas empinadas, ca-
ra redonda e lustrosa, feigOes amacacadas ;
lem a pello dos bragos enrugada e cinzenta,
pos pequenos, andar cambaio, por ter urna
estrepaJa na sola do p direito, e urna te-
lilla no dedo pequeo do p (Squerdo e os
dedos grandes ruidos de bezos, com falla
de denles na frente do lado inferior, falla
queso percebe ; levou camisa de algodSo-
zinho com mangas de madapolflo, stia de
chita c panno da Cosa azul ludo vdho:
quem a pegar leve-a a rua da Traia, arma-
zem de carne, de Ignacio Luiz de Urito Ta-
borda, que gratificar.
20,000 rs. de gralificagao
a quem IrouxerOu der noticia certa de um
escravo da nome Amaro, de nagflo Costa;
lio muito rudo, mesmo porque nilo quer
fallar; aiuda nSo sabe dizer o nome de
s.'ii senhor; levou caigas de algodo tran-
cado o camisa do meso>o, mas de riscado
j usado ; tem em cima do olho direito um
signal de taino pequeo anida fresco da
poucos dias, rosto rompilo, barba prela,
olhos grandes, sem deleito algum : quem o
pegar leve-o a rua da S.-Cruz, n. 24, que
receber a dita gratificagSo.
No dia 7 do corrente, dessppareecu da
catt do abaixo assignado, morador na rua
da Concordia, na quarta casa, passando a
ponlezinha, do ladoesquerdo, o aeu escra-
boa cozinhcia, lavadeira, enpommadeira, Y ""q""", de nagfio, que representa ter
ptima para o arranjo de urna casa, e con! 40 nno;s P"co "l" U """"" '' ."" ?
urna cria de 3 para 4 annos : na rua da Na- *.* de algodOoazu com coz de enhar, ca-
para
dre-de-l)eos, n. 36.
Vende-se genebra da llollauda em fras-
quenas ; agurdente de Fianga; vinho
Claret em caixa de una duzia ; charutos da
Baha : ludo muito barato : na rua da Al-
f.ndega-Velha, n 5.
Para quem quer ser bem
servido.
Vendem-se 3 bonitos moleques de 17 a
18 annos ; um escravo de 30 aii'ios, para to-
do o sei viro ; um dito de meia idade, opli-
timo para tratare fettorisar um sitio; urna
escrava de nagSo, insigne cozinheipa e en-
gommadeira ; urna dita para lodo o servi-
go ; urna dita do meia idade, por 150,000
rs.; a parte de um sobrado na principal
rua do bairro do S.-Antonio : lodos estes
escravos so vendem por prego mais em cun-
ta do que em outra qualquer parte, e com a
parlicularidade de se aliangaras suas ven-
dase boas qualidades: na rua de Aguas-
Verdes, n. 46, se dir quem vende.
-- Vcndcin-se pias de (edra para filtrar
dem-se encerados noves,
muito bons, de todas as larguras o de bo-[agoa, muitouteis'para agoj do eeanamen-
nilos padiOes, por piego muito commodo. lo : na rua da l'raia, serraria do Cardeal.
Vende-se urna escravade nagSo, moca.! r i,.,.!_.. i .. i
piopria para lodo o servigo; urna cabra-|waZ ll) ll lO^LIK'O ll(( II lili) :
quo coziuha o diario" de urna casa, engom- vende-se na destilago da travessa da Con-
ina solTrivel, o he boa ensahoadeira : do- cordia, aonde os amadores o acharSo sem-
suras, em porgilo o a reWho: na rua da fronte da riheira do peixe, n. 3. | pro e sem nterrupgo, em quaulidade sul-
Cadeia, n. 56, loja de ferrag ns, du Antonio I Vendc-se urna agulha de marear, fei- licientee de boa qualidade.
I Joaquim Vidal. ila toda de metal : na rus da Cruz, n. 64. I -- Veudem-se 6 lindos moleques de 10 a
misa de algodfio branco, bonete pelo na
cabeg e un lengol de algodilo ; o qual be
bem conheciilo, por ter sido escravo do pa-
dre Thuro da Silva CuimariTcs, e ler ser-
vido du servente de pedreiro com diversos
misiles ; lem estatura regular, o um dos
calcanhares dos ps gretndos quo parece
principiosde arislim: quem o pegur le-
ve-o em dita casa que sera recompensado.
Jos Antonio Concia Jnior.
Fugio, no dia 13 do cnenlo, a tarde,
urna parda de nome alaria Thercza, de 40
annos, secca do corpo, bastante alta, resto
comprido.com bstanles marcas de hexi-
gas, pese n.iios grandes ; eos!urna a tomar
roupa para lavar, cabellos grandes ; sup-
pfle-se estar escondida em algurr.a casa. I'.o-
ga-se a lodts as autoridades policiaes eca-
piles de campo, que a approtiendam e lc-
vem-na rua lineita, n. 3, a entregar a sua
senhora, a viuva do fallecido Antonio luj-
urio Ferreira l'adilha.
Fugio, doabaixo assignado, um prelo
de nome Cuillierme, de nagilo Congo, de 25
anuos pouco mais ou menos ; he baixo ;
cos urna a embriagar-se ; lem os dedos m-
nimos dos ps deffeituosos : quem o pe-
gar leve-o i rua da Senzalla-Velha, n. 68
ou 94, que ser bem gratificado. Adverte-
aequefugiono dia 14 do corrente, e que
lie quebrado do escroto esquordo.
Joilo A/mi deSouca.
PlHN. : Ni TTP. DE M f UE PAMA. Ir JU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESPXV2S8R_FN0QJA INGEST_TIME 2013-04-24T18:34:54Z PACKAGE AA00011611_06761
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES