Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06760


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4.
Auno XXVI.
itnrtft-ferh t6

PARTIDAS DOS OOBBZKM.
Golanna c Parahiba, segundas esalas feirai.
Klo-Grandedo-Norte, quintal felras aomeio-
dia.
Cabo, Serinhaem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macei, no 1.', a II, e 21 de cada mez.
Caranbuiis e Bonito, a 8 e :!'l.
Roa-Vista e Florea, a 13 e 28.
Victoria, as quintal furas.
linda, todos o dias.
efHEBIBIIlIS.
Mine, a 5, s 6h.e ISm. da W.
Nova a 13, s 9h.daii>aBbaa.
Ceie. aSI.i 7l- '*
Chela a 27, is 10 h. c 86111.* L
rnrunn be boje.
Primeira ai7horaic 42 mlnutoi da tarde.
Segunda ai 8 horas e 6 nlnuloi da inannaa.
de Janeiro N. 15.
FRENOS DA suBscaipcjo.
I'ortrf ime/.cs(oii'alac/oi) 4/000
Por ie is metes 8/000
Por U 111 anuo 15/000
DIARIO DE
das da semana.
14 Se g. S. Flix, Aud. do J. dos orf. e in. 1. v.
16 Tere. S. Amaro. Aud. da chauc, do J. da I. v.
do civ. c do dui fritos d.i (blenda.
16 Quart. S. Ucranio Aud. ilo J. da 2. v. do eivel,
17 ihnnt. S. Antio. Aud. do .1. doj orf. edo 111. da
l.v.
18 Six. S. Prisca Aud. do J. da I. v. do civ. c do
du, feltos da faicucla.
19 Sab. S. Canuto, Aud. da Chauc. c do J. da 2. v.
do criinc.
20 Doiii. Sanlissinu Nomc de Jess.
..-W.IW Mi
OAMBI03 m IS DE JAMEIBO.
Sobre Londres, 273/ a 28 d. por 1/000 rs. a 60 dias.
- Parla, 3. ,
Lisboa, 100 por cento.
Ouro.-Onca licspanhoes......... 23/000 a 20/500
Jloedas de 6/400 veluas.. 10/000 a 17/100
. de 6/400 novas.. H/>00 a 16*400
. de 4/000........... 9/200 a 9/40(1
Praia.-Patacoesbrasilcirog...... 1/960 a 1/S80
Pesos columnarios....... l/U" a 1/9/0
Ditos mexicanos..........
PARTE OFFICUl.
MINISTERIO DA JUSTICIA.
DECRETO N. 653 DF. 28 DE NOVEMBRO
DE 1849.
ReiuU a exeeucOoda lei de 9 t detembro di 1830,
. rfo arl. 44 da lei n. 389 d$ 18 de tetembro de
1845.
lid porbem. usando da atlribuicSo que me
confere o ISdo art. 102 da constltuicao, e
tendo ouvido a secco do meu concelho de fi-
lado a qoe pertencem os negocios da justica,
decretar que se observe o leguinte regula-
inento :
Art. 1. O requerlmenloi de licenca que as
corporacSe regulares devem dirigir ao gpver-
no para poder fazer as alllenacOe e quaesquer
contratos oneroso!, na formada lei de 9 de de-
ifiibro de 1830, e bem aisini para permutar
os irus bens de raz por apolicei de divida pn-
blica Interna fundada, na forma do art. 44 da
lei o. 369 de 18 de setembr de 1845, lerao
instruidos pela maneira srguinte:
1. Com urna ccrtidfio 011 publica-forma
dos tltuloi ein virtude dos quaes as ordena re-
gulares poisuem 01 bem lobre que quizerem
celebrar 01 contrato! a que te referem ai ditas
leis.
J Com a declaracSo dos lugares em que os
bens estiverem situados e de todas as suai con-
fronlacei, tp os bens forem linmoveis e nao
hnuvrr esta declara^ao nos ttulos, e com nina
indicaco clrcumilanciada que 01 faca conhe-
cer, se os bens forem de outia naturesa.
3 Com 1 avaliaciio dos bens, a qual deve
r serfelta, a requerlinento das ordens regula
res, perante o juii municipal do termo onde
estiverem os bens, coin aislitencia do procu-
rador-fiscal, ou de quem o substituir.
4> N01 luearrs em que nao houver procu-
rador-llical, nem quem o substitu, lera no-
111 rada pelo Juii Ulna penoa idnea para assis-
tir avaliaciio.
Art. 2. O governo, vista dos requerimen-
tos, e dos documentos e Informarles que os
acompanharem, concederi 011 negar a licen-
ca, onpoderi mandar proceder a outras ioda-
gaces que possa Julgar necessarjat.
Art. 3.' Quando o governo conceder a licen-
ca requerida, declarar o mnimo do preco
por que pdenlo os bens ser al licuados,e pode-
r determinar as lolemnidades com que enten-
der que deve proceder-se aos contratos, afim
de se eOectuarem vantajosamente.
Art, 4.* Panado un anno depoil de concedi-
da a licenca sem que se tenha celebrado o con-
trato a que ella se referir, ficar essa licenca
sem elleito, devendo rtquerer-se mitra con:
todas as condicdei prescriplai no presente re-
gulamento.
Art. 5.* I-ogo que, obtida a licenca do go-
verno, as ordens regulares tiverein celebrado
ni contratos para que frem aulorisadas, en-
viarao um traslado driles secretarla de eila-
do dos negocios da justica.
Art. 6." Haver na lecretaria da justica un
livro especialmente destinado para nclle se
averbarrm asilin as licenca! que ic concede-
itiii t ordena regulares na forma dcste regu-
lamento, como os traslados dos contratos que
tao obrigados a remetler noi tcroioi do artigo
antecedente.
Art. 7. Os reqnerimentoi de licenca jeitos
as provincias pelas ordens regulares sero en-
viados ao governo por mel dol reipectlvo
presidentes, os quaes, qnanda os remetlereiu,
devero informar sobre elles circuintlanciada-
incnte : c pela nieima forma serio enviadoi os
traslados dos contratos que se celebraren! as
provincias.
Art. 8." S5o nuliot e sem fucilo os contratos
de que trata o presente regulamento celebra-
dos pelas ordens regulares sem que tenha pre-
cedido licenca do governo com todas as clau-
sulas que (Icain proscriptas
Euzebio de Queiroz Coutinho Mattoso da C-
mara, do meu concelho, mililitro e secretario
de estado doi negocios da justica, o tenha
assini entendido e faca executar. Palacio do
Rio-de-ianeiro, 28 de uovembro de 1849, vi-
griimo-oitavo da independencia e do Imperio.
Com a rubrica de Sna Magcslade o Impera-
dor. Emtbio it Omfios Coutinho ilattoio du
Cmara.
MIS! iSTEBIODrF \ Z E N D A.
EXTRACTO 1)0 EXPEDIENTE DO DA 13
DE NOVEMBRO.
A thesDuraria da provincia do Espirito-
Ssnlo, reconhecendo por frivolo e injusti-
ficavel o motivo por que se mandou abrir
de noitea casa da thesouraria, sendo aquel-
la casa destinada legalmente para ser vico
publico e em determinadas horas do da, te
declara quo nio se deve abrir a casa da Ihe-
souraria-do noile, nem mesmo fra das ho-
ras do expediente, sonflo por motivo extra-
ordinario e urgente do servico publico e
por or!em do inspector, salvo os casos de
incendio, inundado ou roubo, suspeitan-
do-se que dentro estejam os ladificg, se po-
dei abrir em presenca da autoridade poli-
cial competente, tomando ella primera-
mente as cautelas necessarias para segu-
ranza dos cofres, livros, papis e mais oh-
jcelos que nella 1 stiverem, avisando se logo
o inspector e thesoureiro para comparece-
rem promptamente.
- A' de S.-Paulo, se ordene que faca of-
rec iva a licenca concedida a Antonio Pedro
de Alcncastro, como inspector da alfandc-
ga de l'aratiagu, com osseus respectivos
vencimentos, por nao obstar o ter sido pro-
nunciado por crimes particulares, pois que
a disposieflo do arl. 165 do cdigo do pro-
cesso, relativa a pronuncia por delicto de
responsabilidade, nio he geralmente exten-
siva a que he decretada por outros quaes-
quer deliclos, que a respeilo dos emprega-
dos s llio impede o exercicio quando os
obliga a priaSo, e o delicto ho inafian-
(avel. ^__^.^^__^_
GVEKNU DA FHVINCIA.
ESPEDIENTE DO DI\ 7 DE JANEIRO.
Ollicio. Ao inspector da thesouraria da
fazenda provincial, para que mando adian-
tsr tres meiei de sold As praess do coreo
de polica, que se ncham destacadas em Ta-
quaritinga, a contar do primeiro do mez
corrente. lnteirou-se o commandante do
mencionado corpo.
Dito. Ao director do arsenal de guer-
ra, sutoiisando o a despender a quantia de
150.000 rs. com a compra de papel, peonas,
tinta e ohreias para fornecimento das forta-
lezas da provincia, bem como do mencio-
nado arsenal e suas ofllcinas no trimestre
de Janeiro e marco dosteanno. Scienlifi-
cou-se o inspector da pagadoria militar.
Dito. Ao presidente da companhia de
Beberibe, remetiendo urna representado
dos moradores da ra Imperial, em que pe-
dem soja collocado um chaam que os
abastec! d'agoa que precisam; e bem as-
sim a copia de um olUciodo chele de poli-
ca, acompanhada do oulra do inspector de
quarleirlo da Cabanga sobre o mesmo as-
sumpto, ulim deque informe a respeito.
Portara Reformando o major da ex-
tincta segunda legiSode guardas nacionaes
do municipio do Cabo, Antonio Juvencio
Pires; o lente corone! do quarto bata-
Iti.To, Joaquim Pedro Patriota; e o major
do terceiro da fracgSo de Ipojuca, JosKo-
lix da Cmara Pimentel. Communicou-
se ao chefe da legiodo referido municipio.
DEM DO DA 8.
Officio. Ao commandante das armas,
communicando haver aceitado o offereci-
mentoque fez o lente Francisco de Pau-
la Meira l.ima de seus dous (i I has, francis-
co Victorino de Meira Lima e Flix de Pau-
la Meira Lima, para ser\'irem como volun-
tarios no quinto hatalhSo de cacadores ; e
recommendando-llie que, emquanlo uno
podrem elles entrar em servico activo,
permitta-lhes licenca para frequentaremal
aulas do lyceu desta cidade.
Dito. Ao inspector da thesouraria da
fazenda provincial, afim de que mande adi-
aiilaraoengenheiro-Milet 1:000,000 rs pa-
ra conclusSo do nono lanco a estrada da
Victoria ; visto que, tendo-'se adiantado
igual quantia para o mesmo 11ro. j se acha
ella quasi esgotada. Scienti<;ou-se o ad-
ministrador das obras publicas e o refe
ridoengetihetro.
Dito.Ao administrador das obras pu-
blicas, lemettendo asconlasdas despezss
feilascom o 16.' lango da estrada da Victo-
ria de 9 a l&e de 16 a 22 de dezembro ul-
timo, na importancia a primeira de 207,880
ris e a segunda de 67,880 ris, afim do
que mande acreditar o engenheiro Milet
nss mencionadas quantias.
Dito. Ao mesmo, para que mande a-
credilar o engenheiro Milet na quantia de
87,450 rs que elle despendeu com o no-
no lauco da estrada da Victoria de 16 a 22
dedezombro lndo, cujas conlas remello.
Dito. Aocapilflo do porto, ordenando
faca proceder a nova enumerando com lel-
tras minores, sendo estas collocadas no
meio das velas, as barca?, canoas e ou-
Primefra eompanhia.
apilao.Joo Franclico Xavier da Fonieca.
Tcnente.Antonio Joaquim da Coila Gomes.
Alteres.Samuel Joaquina de Lima.
Segunda rompanhla.
Capltao.Joaquim Travasso Sarinho.
Tenenle.Manocl Travasso Sarinho Jnior.
Alferes.Joao da Cruz da Purificarn.
Terceira eompanhia.
Capitao.Jos Antonio Caninos.
Tenenle. I.uiz Francisco Gomei de Mello.
Alferes. Joio Travasso Sarinho.
Ovarla companfifa.
Capillo.Ignacio Siraiva de Amida Cmara.
Tenenle.Feliciano Pereira de Lira.
Alferes.Luir Soarcs de Albuqucrque.
Quinta eompanhia.
Capito.Francisco Querlno Pinto.
Tenenle.Vicente Ferrelrada Silva.
Alferes.Jos Ruberto Pinto.
Sexta eompanhia.
Capitao.Manocl Severino Cabral de Ar-
rulla.
Tenenle.Joao Francisco de Moma e Silva.
Alferes.Joo Gomes de Olivrira Cnelho.
EiquadrSo de cavallariaPrimeira companila.
Capitao.Jos Thomaz Pereira de Aquino
Jnior.
Tenenle.Joao Capistrano da Costa Gomei.
Segunda eompanhia.
Capitao, Malinas Goncalves de Aquino
Guerra.
Trnente.Galdino Correa de Queirs.
Alferes.Manocl Marlins do llego lariis.
Dito.A Jos Lopes Guiniarrs.Conhecen-
do-ie pelo exame que inandii proceder, que
a ponte dos t'arvalhos necessita, alm das
obras por Vine, arrematadas, dos cnucerlos
indicados no orcamento por cpii incluso, os
quaes Imam avahados pelo engenheiro Lleu-
thier na quantia de 746,900; autoriso a Vine,
para mandar faier os ditos concertos pela men-
cionada quantia e nos termos do referido orca-
incuto no caso de que Ihe con ven lia, sem que
tenha Vine, posleiiorinentc direiloa reclamar
indeninisaces.Neslc sentido oiuciou se ao
inspector da thesouraria da fazenda provincial
e ao administrador das obras publicas.
mencionada apuraco, nSo notando Ilega-
lidades e vicios queaspossam invaliJar; e
he.portaiito.de parecer que sejam reconhe-
cidose proclamados deputados por aquella
provincia os Srs. barilo da Roa-Vista, con
celheirns Antonio PeregrinoMaciel Monlei-
ro e Sebaatiflo do llego R>ros,l)r. Jos l'lio-
maz Nal.iien de kraoio Jnior, dpsembarga-
dor Jrrnnymri Mirtintno Figueira de Mello,
Dr. Jos Bento da Cunha e Figueiredo, Dr.
Alvaro ll.ii lialho Uclla Cavaicatite, Dr. JoRo
Jos Ferreira de Aguiar, Dr. Franoiico ilo
Paula Raptisla, Rev Venancio llenriques do
Rezende, Dr. Joat|tiim Vilella de Castro Ta-
vaios, Dr. Francisco Xavier Pacs liarrcto e
Antonio Joaquim de Mello, consideran !o-se
legtimos os cleitoies constantes das mes-
illas actas, inclusive os da freguezia de
N'oisa Senhora das Dores de Caruar, eujos
votos em numero de 2J fran lomados em
separado no collegio do Ronito, e apurados
pela referida cmara municipal porquan-
tO, sendo O fundamonto da decisflo do col-
legio o augmento indevido de eleitores,
por ter dado esas freguezia 11 em 1847, tal
excesso lie justifioavel vista do art. 54 ds
lei ilc 19 de agoslo de |8tG, pois den a f. e-
guezia e:n qtiestio ca 18M, quan lo djsane-
xada da de llezerros, 21 eleitores, mxime
"ao solfrendp contestatjao a sua qualili-
caglo.
Nio obstante, julg-i a eommissilo de seu
rigoroso dever txprtr a cmara que a I gu mas
represntateles e protestos relativos s clei-
e/>es itos collegios do Ex, Golanna, Naza-
relh, Bonito e Victoria, lram por ella des-
alen.lidos pelas rasos que passa a ex-
pender :
Collegio do Exu'.
A cmara municipal da villa do Ex,
em dous ofllcios datados de 2 de agosto e
10 do sslombro deste anuo, COJOS originaos
fram rcmetlidos polo presidente da pro-
vincia de Perasmbuco ao ministro do im-
perio com ollicio do primeiro do Correte,
contesta a validado da eleQ8o dessecollegio
cun os s-guinles fundamentos :p imeiro,
que na eloifSo primaria a que so proreJeu
na freguezia de Out icury nao houve qualili-
(fio, por i-so que esta se nfio fez 110 auno
Por.aria.-Ordenando ao director do arsenal Pas"do "n com nle.-seRUt.do.quc no
de guerra, mande alistar na eompanhia de
aprendizes menores do mesmo arsenal, afim
de seren educados na forma dos respectivos
estatutos,os menores Manuel Querinode Veira
Lima c Ludgio de Paula Meira Lima, filhos
de Francisco de Paul. Meira Limar
DEM DO DA 9
Circular aos delegados dos districtos marti-
mo! da provincia.chegando ao conhecimen-
to desta presidencia, que na provincia da Ha-
ba teiu gracado una febre contagiosa, e con-
vindo evitar-se que este mal se comuiuniuue
de seletnbro lindo,p.das 9 horas da min^la,
fra a matriz da villa do Ex onde se ochava
remido o colleaio elciloral, crcala com
frca ai ma.ln 1 ein delegado de polica Pa-
cifico Lopes do Siqueira, que, depois de. or-
denar que se lizesse fogo para dentro, o que
se nao reahsou, (ret leu ojuii do paz 1 re-
sidente interino do collegio, Gualter Harti-
nilQO Carvalho do Alencar, o outros cida-
d.nis, ole'tores da rreguezia do Ex, de for-
ma que as II linas do dia eslava o Colle-
gio dissolvido, 1 i'i.n mo se no mesmo
esta provincia.^ ordeno a Vine, que empreguc 'edificio s 5 boros da tarde os eleitores
toda a sua vigilancia e cuidado, e exprc as de Ouricurv sOb a presidencia ilo quarto
"^"-"Hl^l^lSit'A'l'iiSif? J"iz de l,az du quarlo dislriCtO dossa f.e^'ue-
diitricto, para que nao consintam desembar-
car pessoas viudas daquella provincia em na-
vios que alii aportem, e principalmente Afri-
canos pelo duplo motivo da fehrc e de seren
tros vasos pequeos, que navegam na costa joni7abando~
da provincia, visto nio convir a que actu- officio.Ao Inspector do arsenal de mari-
almente se tem dado por aquella capitana,
nSo 80 p mo pela localidade em que so acham.
Dito. Ao commandante superior da
guanta nacional do municipio do l.imoeiro,
communicando haver approvado as pro-
postas para os ofllciaes do primeiro o ter-
ceiro balalhOcs e esquadrSo de cavallaria
da guarda nacional sob seu cominando su-
perior, constantes da iclacflo que remelle;
exceptuando porm o alferes porta-bandei-
ra Manoel Francisco de Aquino Guerra.
HKUCAO A QUE SE REFERE O OFFICIO
CIMA.
Primeiro batalhio. Eslado-maior.
Alfetes secretario. Jos Ignacio de Fi-
gueiredo.
Alteres porta-bandeira. llenrique Luiz
da Costa Gomes.
I'rimtira eompanhia.
Capitao. Francisco Antonio da Costa
Cabral
Tenente. Jos Antonio Pestaa.
Alferes. Joilo Antonio de Oliveira Coc-
ino e Antonio Luiz de Souza.
Segunda eompanhia.
Joao Bcrnardino .Nones R-
Capitflo.
beiro.
rer.ente.
meira.
Alferes. -
cante.
- Virissimo Jos de Souza Li-
Antonio do llollanda Caval-
Tertetra eompanhia.
C.ipililo.Lnurneo Soare Cordeiro de Mello.
Tenente.Joao da Motta Leal.
Quarta eompanhia.
Capitao.Joaquim de alUnda Cavalcante.
Tenente.Coime Teiseira de Carvalho.
Alferc__Paulino Telicirade Carvalho.
Quinta eompanhia.
Caplio.Luiz Franciico Barbota da Silva
Cun 11. .
Tenente.Manoel Francisco de Mourae Silva.
Atierra.Antonio Francisco Barbota da Sil-
va Cuinar.
Sexta eompanhia.
Capitao.Leandro Comes da Silva.
Tenente. Domingos Cabral da Silva Cnpira.
Alferes.Joaquim Olegario Gomei da Silva.
Terceiro balalhSo. Eitado-maior.
Tcnente-ajudantcJoaquim Ermelindo da
Silva Ramos.
Alferes-iecrelario.Jos doiSantoiSilvaMe-
dfiros Jnior.
Dito porta-bandeira.Luiz Francisco Teno-
rio da Cunha.
nli.i, para que mande recolher ao hoipital
daquclle arsenal o piloto da escuna Lindoya,
que se acha gravemente enfermo de nina fe-
bre, .iiiiu de ser alli convenieuteinente trata-
do__Inteirou-seo inspector da alfandega.
Dito.Ao commandante da eorveti Euterpe,
ordenando mande desembarcar o segundo l-
enle Jos Ribeiro Gumaraes e o guarda na-
liulia Euzebio Jos Antones, que se acham des-
tacados a bordo da corveta lio seu commando,
e os faca recolher s cmbarcacdcs que per-
tcnciain. Scientifcou-se os commandantcs
da corveta U.-Januaria e vapor Thetii.
DEM DO DA 10.
Officio.Ao commandante das armas, com-
inuiiicando que v.io 1er enderc9ados ao Exm.
ministro da guerra a reiaco e mappa dos ofli-
ciaes das dillcrenles elasses do eicrcito, exis-
tentes na guarnico desta provincia.
Dito.Ao mesmo, dizcudo que pode man-
dar assenlar pracaem um dos cor pos desla guar-
nico ao paisano Joaquim Rodrigues Ferreira
\ 1.11111 1 que ollereceu-ic para servir 110 ejer-
cito, e prevenindo-o dc_ ter arbitrado ao iifes-
110 paisana a gratif1ca9.no de cen mil rs.Si i-
cntilicou-se o inspector da pagadoria militar.
Dito.Ao inspector da thesouraria da fazen-
da provincial, para que mande achantar ao ad-
ministrador das obras publicas a quantia de
200,000 n-, alim de dar coinreo aos concertos
de que precisa a cadeia da cidade de Olinda. -
Intcirou-aeo referido administrador.
lino.--Ao mismo, ordenando que, vista
da conta que remelle, mande pagar Victori
no Moreira de Souza a quantia de 168,340 que
despendeu com o sustento dos presos pobres
da cadeia da cidade de Goianna.-Scieutifcou-
c o cliefe de polica.
Dito.Ao engenheiro Mainedc, para que,
examinando O caes do paiseio publico na 1 11.1
do Collegio, indique 01 reparos de que elle
precisa, e organice o respectivo orcameolo.
.NTEP.IOR.
RIU-DE-JANfilRO.
CMARA DOS SRS. DEPUTADOS.
STIMA SF.SSA0 PBRl'ABATOHIA DA 01TAVA Ll OIS-
1. A 11. n A, EM 22 l'K DEZEUDKO DE 1849.
Presidencia do Sr. Gabriel Slendcs doi Santoi.
ELEICA DE PERiNAMBUCO.
1.6-se o seguinle parecer :
A commissiio de poderes, tendo atienta
e acuradamente examinado as authenticas
do todos os collegios eleitoraes da provin-
cia de Pernaml'tico, menos a do Salgueiro,
onde se n.1o fez elcicyfio, o comparando-as
com 'i acta di apuraban gcral quo proce-
den a cmara municipal da cidade do Reci-
fe, achou-as regulares, e conformes toma
lia, Jos Firmo Ribeiro, a quem para esso
Do deferir juramento o proprio delegado
Pac,(Ico.
O presidente de IVrnambuco, no ollicio
j mencionado, declara que, supposlo a
villa do Ex seja a mais remol e a que
inauLru correspondencia mais atrasada,
suspeila que asduas rcprcsenlat;ocs da c-
mara do Ex fram de proposito o calcula-
damente retarda las para seren presentes
esta cmara, sem virem aconipanliaJas
das respostas dos aecusados, que ja exigi;
e ao mesmo lempo informa que etn Ourtcu-
ry existe a qualilicacSo de 1817, segundo
consta de urna copia que se acha na secre-
taria do governo daquella provincia, eque
essas prises relatadas pelos reclamantes,
dado o caso da sua realidade, nao llie pare-
ccm'condemnavois, porque taes individuos
se haviain comprometilo na sedico que
alli tevo lugar em Janeiro dcste anno, como
em varios assassiualos, e tinham sido pro-
nunciados poresses deliclos un poca an-
terior eleico de agosto.
a Estas mioi uiaifm.s de pessoa io quali-
lic.iil.i e inluirameiile nlheia aos interesses
eleitoraes da provincia de l'ornanibuco, a
falla absoluta do provas em aecusages de
tanta gravidade, alm do simples asserto
da cmara municipal do Ex, moveram a
commisso a excluir suas rcclamacoes.
Collegio de Goianna.
ce Neste collegio apparecem duas repre-
senta^es dirigidas ao presidente de l'er-
lambuco por quatro membros da mesa pa-
rocliial da freguezia da cidado do Goianna,
Francisco de Paula Ferreira Rabello, Filip-
pe Francisco Cavalcantc, Manocl Marlins de
Viveiiose JoSo Francisco Urandao, datados
do & de agoslo ultimo.
A primeira conten um protesto articu-
lado contra, os vicios e irregularidades des-
la eleiciici. Segundo os ropresoiiUntes a
eleicSo da parochia de Goianna henulla:
primeiro, porque ella se proceJeu servindo
a (jualilicac.'.o do anno correle que se con-
cluio posteriormente a poca do decreto de
19 de fevereiro ultimo que dissolveu a c-
mara dos senhoresdeputados, o quolhes pa-
rece urna flagrante violceo do art. 32 da
lei de 19 de agosto de 1846 ; segundo, por-
que, sendo elles na qualidado de eleitores e
supplentcs os competentes para a forma-
c3o da junta de revisti deste auno, nSo fd-
ram pura isso convocados em 24 de Janeiro
passado quando ella comecou a lunccio-
nar ; terceiro, porque nflo fOram convoca-
dos para a oiganisacn da mesa parochial
com um mez de antecedencia, segundo re-
commenda o art. 41 da lei, mas em dias pos-
teriores e prximos ao da eleicSo; quarto,
finalmente porque houve ostentarlo do
forca a despeilo do art. 408 da loi, tendo o
delegado de polica o bacharel Joao de Cal-
das Ribeiro de Campos mandado postar uta
destacamento a 100 pasaos da matriz.
o Este protesto nao quiz ojuizde paz
presidente da mesa que se lavrasse na acta,
sendo eoadjivailo pelo delegado de polica
o referido bacharel Campos, e a mullidao
congregada na matriz, que procuraran!
aterraros representantes com gritse in-
sultos, convindo todos depois de algum de-
ba'equese suspendessetn ostr.ibalhos da
mesa, e so consultasse o presidente da pro-
vincia ; mas, logo que os representantes sa-
hiram da matriz, fram substituidos nos
seus lugares por pessoas do povo, convoca-
das o.' hic pelo juiz de paz, postergada a
decisSoda mcsi, dando-se om seguida co-
meto ao reccliimenlo das listas coin os no-
vos mesirios ; e lie islo queconslitue o ob-
jecto do segundo protesto dos represen-
tantes.
Ambos os protestos nlo vcem acompa-
nhados de provas quanto a materia de facto,
verifleando-se no contrario em tbono do
procedimenlo da mesa parochial de Goian-
na que, nflo obstante ojuiz de paz se haver
opposio a que o protesto fosso escripto,
lodsvia lohs se elle exarado as authenti-
cas daquella mesa que f am presentes
oommissflocom maiornumero dc-sssigna-
tums, noiando-se enlre estas as de tros dos
qucixosos. Quanto ao direito, o art. 32 in-
vocado pelos representantes, ainda combi-
nado rom o 112 da lei, nao Ihes aproveita ;
porque, leudo a junta de reviso de Goianna,
como elles proprios confessam, encelado os
seus Iralialhos na tercei'a dominga de Ja-
neiro, prazo legal de 20 dias dentro do qual
ilevem funecionar as juntas de reviaSo,
quan loem 19 defoverelro ultimo foi puhli
oado o decreto la dissolucflo da cmara dos
senhoresdeputados, mormenteem Pcrnam-
buco; e por cooseguinte nao so deu nova
fl especial qualiflcacflo. Nio existi lo base
para a snnullacJIO da elcieo da parochia do
Goianna, e nem se prnvan lo quo os sulfra-
gios da maioria dos votantes fossem prete-
ridos e postergados, entondeua commis-
sfio que devia approvar a elei;So rontcs-.
tada.
Collegio de Nazarcth.
Deste collegio examinou commissao
urna representado com ilatadcide agos-
to finio, enderccaila so presidente de Por-
nambuc ) por quatro membros da mesa pa-
rochial da freguezia de N. S. de Nazareth,
padre Rernardo Antonio da Silva, Louron-
?o Vcllio de Mello. Patricio Jos do Ara OJO
e Manoel de Oliveira e Silva, cobrindo um
protesto articulado, nssigna lo por mais 22
eleitores esupplentas, no qual se impugna
a valida.lo do elcicao da mesma freguezia
com fundamentos pela mor parle futeis, o
em materia de facto completamente desti-
tuida de provas. Assim os mesirioi c elei-
tores deNazarelll prolcstam contras re-
gularidade da eleic."o primaria desta fre-
nuezia, porquo reputnm a cleicao quo
anteriormente alli se proco lr.i para verea-
doreso juizesde paz conlaminadado toda
a sorlede vicios; pela Incompetencia do
juiz do paz presidente da mesa parochial,
por ser o do qtialriennio actual e nao o que
lluvia presidido ,junta do reviso. esco la-
dos na comblnacDodosarUs. 3, 39ell2da
lei, quo a rasan nao sofire a repugna a men-
te, do legislador ; por se nao haver convo-
cado os eleitores c supplenles para a orga-
nisscloda mesa parochial com um mez de
antecedencia (art. 41); formalidade nflo
essencial, conseguido o lim da lei, a nolili-
cacao de todos os eleitores e supplenles em
lempo do so poderem apresontar no dia
aplazado para a elei(:7n ; ostentacilo e ar-
rumamentu do tropas; prises do votantes
na vospera e dia da eleicSo ; intervenefio de
individuos, armados, de fregueziasvizinhas,
c expulsio de eleitores, supplenles e vo-
tantes da opposico da matriz pela poli-
ca, etc.
a O presidente do Pernambucj ordenou
Iquo o juiz do diretlo da comarca, o Dr.
Joaquim Manocl Viera de Mello, informasse
sobre arguicOes tilo graves, o qual em olli-
cio de27 do setemhro conlestou os helos,
destruindo os captulos das aecusa^es com
o dopoiinenlo deoito lestemunlus contes-
tes, o maiores de toda a excepto, como al-
guns dos assignalarios do protesto.
Collegios da Victoria c lionilo.
ce \ commissao teve vista duas represen-
tarles, tima assignada por 20 eleitores e
supplenles da freguezia da Esca la, perten-
cente ao collegio da Victoria, outra acom-
panhada do documentos, assignada pelo vi-
gario da freguezia de Nossa Senhora das Do-
res da villa de Caruar, integrante do col-
legio do Ronito, e mais 234 enlaciaos votan-
tes, ambas dirigidas ao presidente de Pe -
narabuco.
Na primeira, datada da 19 de julho fin
do, queixam-se os reclamantes de nflo ha-
verein sido convocados pelo respectivo juiz
de paz ara a organisar,o da junta revisora
da mesma freguezia, a qual entilo funecio-
nra ; e outro sim que al aquella data nSo
tinliam lili) participacHo alguma para com-
parecern no dia 5 de agosto, designado
para a eleic.no parochial, alim de conslitui-
rem a mesa. O presidente de l'ernambuco,
mandando informar sobre este facto ao juiz
de paz do primeiro districto da Escada que
presidio a mesa parochial, Manool Goncal-
ves Pereira Lima, que pela sua parte tam-
il ni ofliciou ao do segundo districto Candi-
do Jos Lopes de Miranda, presidente da
junta de revisiio estes com documentos
valiosos, alguns fornecidos por muitosdos
asslgnanles da representacao, defenderara-
so perfeitamente do ambas as arguc.0es,
(novando que nao fallaran! a nenhum dos
preceilosimposlos pela lei das elejces.
A basa da reprcsentac.io dos volantes
da freguezia do Caruar consiste principal-


-"--CI'"
mente na incompetencia do juiz de paz elei-
to j>ra o novo quatrennio Joflo Cuilhcr-
ine de Azevolo, presidente da mesa paro-
cliial, que, suprem os queixosos, resulta
da combinar,!! los arlipos 93 elle como
segundo da lei, visto ntd ter sido Azevedo
oque funccionou na junta de revisilo, e
ronvorra os rleilorcs c suplientes para a
orgai isaco da mesa paroehini ein 5 de a-
gosto, artigos que s leem applicacSo no ca-
so das juntas de qualificacno, pois deixa-
ram de ser juizes de paz os do ultimo qua-
triennio,sendo esta excepcilo expressauen-
tn declarada na lei; c beffl ssini nanulli-
dade da eieicflo do Azevedo como juiz do
paz, que a commissio nilo pode devidamm-
to apreciar por ser ohjcclo de alguma sorle
eslranho questflo principal que ora se ven-
lila, c uno le para isso dados sufllcicnles
Sala das sessOes da commissao de pode-
res, 22 de dezembio de 1849. Candido
.Vendes de Almeida. -- .lo."o evangelista de
# Negreros Say3o l.obato.--A Nunes de A-
guiar. -JoSo Antonio de Miranda. I.. Pe-
dr.-ira. -- Jdanoel Corra l.ima. Joaquim
Jo> da Cruz Secco. Joaquim Augusto do
I.: vi Mnenlo. Francisco Domingues da
Silva. Antonio Gabriel de Paula Fonsecs
Souza llamos. Dr. C J. de sloraes Sar-
menlo. -- H. Ferreira l'enna --F. I. Carvallio
Mureira,
V 6r. I'residtnte : F.sl em discussflo o
parecer.
Nilo havendo quem peca a palavra sobre
elle,, d-sc por discutido o be npprovado,
sendo t-ni cuiscqueitcia declarados depuia-
dus pela | lovnit'ia de l'ornamhuro os se-
nliores deiguadus no mesmo parecer.
AI.AGOAS.
Exmelo do expediente do Exm. Sr. presiden-
te Dr. Jos lento da Cunha e Figueircdo.
6 DE DEZEMBRO.
(iflicio. Ao inspector da thesouraria de
fazenda, para mandar entregar ao commau-
to superior Jos Antonio de Mendonca a
quantin de 190.470 rs. para pagamento do
pret e relcelo de mostra que se llm remet-
tem de 20 pragas da gu. rda nacional, desta-
cadas em Ilarra-Gninde.
Dilo. A:> mesmo inspector de fazenda,
devolvendo-llie os papis que acempanha-
ram os seus dous olliciosdelioriteui em que
reprsenla no restar quotasuflicienlo para
pagamento dos objerlos requisitados pelo
ollicial enesrregado do armazem de urligos
bellicos, e dizendo ido quo faca essas des-
pezns si'ili respnisabilided ila presidencia
at ser a respectiva quola elevada pelo mi-
nisterio da guerra.
liilo.-- Ao administrador da mesa de ren-
das do l'euedo, aulorisando-o u alugar urna
casa 1 i.i .i do centro da cidade pra uella de-
positar a plvora que se neba na casa da c-
mara municipal, ulini decvitai alguui des-
astre cm caso de rice dio, assimeomo que
se deram as providencias para sei em satis-
feitns a's despeas quo fez com a expedidlo;
que niaichou para Tacaral, e com a con-,
duegilo dos obji'ctos appreden lidos no hia-
to Zrun-.S(W-/-.;':;.
CMARA MUNICIPAL DO RCCIFE.
SESSA EM 10 DE DEZEMBRO DE 1849.
Presidencia do Sr. Olivcira.
Presentes os Srs. narros, Mamede, Dr.
Mor nos e Vianm, abrio-se a sessfio, e foi
lida oapprovada a acta da antecedente. O
secretorio fez a leitura doseguinte expe-
diente:
Um ofli.:io do Exm. presidente da provin-
cia, remetiendo um exnnipUr do Diario de
l'ernatnbuco n. 2G9, de 30 do mez passado,
ponindoos avisos expedidos pela secreta-
ria de. estado dos negocios do imperio, em
18 de setembro e 9 do referido mez de no-
viinbro, solvendo duvidas oceorrilas na
aii',.i;jn da lei regulamentar das cleicOes
--Que se accuznsse a recepto, ese lizes-
srm as rerr.essas do coslume.
Outro, Eccusaiido recebido o desla cma-
ra em que (lie remetteu copia da acta da
apuraQilo gcral dos votos para depulaJos
assembla geial legislativa por esta provin-
cia.
Outro do mesmo leor, relativamente a c
pa da acia da apurarlo geral dos volos pa-
ra membros da assembla desla provincia.
Inteiada.
Outro de Jos Marques do Costa Soares,
ivs| ondendo uo poder scuir o cargo ilc
verei.dor em rasto dos seus solfriinenlos,
e prdindo o cusa dellc. (Juc se olliciasse,
di7endo que nflo poda ser aceita a escusa
i!ad, j orqu* nffo foi |p;;Blrrente provado o
mil ediiiiento alegado em vista da lei.
Outro do vereador Carneiro Monlciro,
i mi iiunir..ii.'i> nio poder comparecer a
srssiin, e devolvendo o ppela queesUvam
em sen |oder relativamente h querido de
ilerciilauo Alves da Silva, eniilliudo a sua
OpiniSu respeito desle negocio; entiando
em disctiss.to dito cilicio deu-se de suspelti
o Sr. vi leedor presidente ; e | or ser a ca-
maia de cinco uimhros sobr'eslcvc-so na
i scussilo.
(lutio dnjiiiz de |az dol.oreto, pro|on
do o cidadao Pedro Jos l'ereira dos Simios
Alvar tuga para seu escrivilo, visto ler per-
dido as qualidades exigiveis para este car-
go o individuo que d'oulra vez propozera
Une re respondase, e que apresenlasse
autu isaco do juiz de diieilo para ler es-
crivo separado do da subdelegad, como
j se Un1 fliciofl.
Foi Sido c approndo um parecer da com
missilo encarregada do examinar quaes os
imites denla cidade e Seosurrebaldes, opi-
nando que por iniermodio do governo da
provincia se pedisse assembla pmvincial
houvesse de......i ditos limites, visto que
nada eucontrou pelas estacos publicas que
salisfizesse.
Slainlou-se ofliciar ao governo da provin-
cia, pedindoscixo de Fernando para caiga
rr.enlo dea nas.
Autorisou-se ao procurador a supprir com
o dinl.eiro preciso ao vereador Carneiro
Munloiro, que se aclia encmegadi. da obra
do colgamento dos pateos do Carmo e San-
Pedro, e ao liscal do lenle que foi euearre-
gado de mandar concerlar o impedramento
das mas daquello bairro, a pro) orelo que
se frtr deteriorando. -- Fizeiain-sc as coin-
petenle> parlieipaeoes i contadoria.
O Sr. vereador .Mamede lieou eucarrega-
o de mandar fazer os cunccrlos da poute-
zinha da ra da Aurora, do conformidade
com a respectiva planta o orcamcnlo que o
Sr. vereador Itarata 8presenlari.
Tambem encarregou-se ao Sr. vereador
Barros de man Jar concerlar a ponte do Mon-
teiro ou fazfi-la de novo, segundo o seu es-
tado de ruina, de conformidade. com os or-
inientos j fcilos.
Mandou-se ofllcisr o Sr. vereador Jos
Joaquim de Oliveira,pedindo i ras3o porque
n5o tem comparecido as sessOes, para, no
caso de dar-se impedimento legal do sua
parte, poder-se cbamar o legitimo sup-
plenle.
Despacbaram-sa as petieOes de Antonio
Jos Comes do Correio, da administracSo
do patrimonio dos orpbSos, de Antonio Mo-
mia liis (2), de llellarmino Alves de Aro-
cba, do Manoel Antonio Domingues, de Ma-
noel Jos da Silva Neiva, de Matheus Anto-
nio de Miranda, de Manoel Joaquim Carnei-
ro l.ial, de Manuel Jos Preatello e Ievan-
tou-se a sesso. E eu, Manoel Ferreira Ac-
cioli, secretario interino a escrevi. Mame-
de, pro-presidente.f'ianua.--Carneiro Mon-
teiro. Ferreira. Morces.
Obsirvacilo%
SJFef-se de vela do Limeiro, ignoranJo-
se pira onde, a Barca sarda Alexandrt, opi-
mo Jos Baptiata C-, com a meso carga
delastro
ma
EDITAES.
Correspondencia.
Snr. Hedaclor. Sendo ft|gntdfo e rc-
couliecimento um dever da paito de qu'-m
seacba penborado, e alm disso nffo me-
recendo seusuiaa quem, convenci mente de predicados de algum individuo,
pateuleia as suas boas qualidades, o exalta
as suas virtudes, nilo posso deixar em si-
lencio, o que sobro maneira me tom feito
curvar de agradecimento, o Iralamento af-
favel daSra. profes>ora D Joaquina da Lu-
na para com miriba lilba c sua alumua
Cuillicrmina Tiburcia dos Aojos Paula.
Com elf.ilo lie iiirxplieavcl, e confesso in-
genuamente f."ltar-me a eloquencia para
expr o desvello, zelo, cuidado e parte ac-
tiva (]!! lomou a Sra. professora no adian-
lamenlode minlia filha ; pois que em todo
o lempo dos trabalhos escolares minba li-
lba lein bebido exemplos de vi: ldese re-
iigifio, modelos de sal-.-loria o iirbani lude,
cspelbos de honra e probidade ; alm dis-
to, a .nancira carinbosa no tratar, a pru-
dencia no leccionar, a modestia no adver-
tir e reprehender, u circuinspccfu no ins-
truir e persuadir: ludo cm 'nn concurre
para a presentar ilumnat perfeitamenle
e Ine.u! s e iiignas de louvoures, merecen-
do |ior isso toda attcriQo e preferencia dos
bous pais de familia que desejam ver suas
lillias instruidas nos irabalhos escolares.
Tcndo, porlanto, minlia lilha lerminado o
seu tirocinio, e eu sobre modo salisfeilo,
nao posso silenciar este tributo delouvora
Sra. professora I). Joai|uina, e ao mesmo
lempo agradecer-lbo por esta folha suas l.i -
digas, seus disvelos c bons desejos quo tan-
to uiostrou em Unto lempo quo loccionra
miaba lilba. Queira, pois, leeeber de mi-
rilla parle os ruis sinceros votos de reCd-
nbecimentoe gradito, o de minha filha
urna terna e san.osa despedida de tilo bel -
los e apreciaveis das que em sua eorapa-
nhia passra. Francisco Marlins dos -tn-
jos Paula.______________
fiMERClO,
ALFAMtECA.
Itendimenlo do dia 15.....8:393,948
Descarregam hoje 16.
Itriguc -- Enrl-of-Uolliansea mercaduras.
Ilrigue Noto-Ytncedor idem.
Barca -- fliw-World Racalliuo.
Ilrigue Georye Itubmson idem.
IMPOItTACA.
.Vie-ii'i-r/d. barca americana, vinda de
Terra-.\ova, entrada neste mez por fran-
qua, consignada a J Crablree C, man-
festou o segujnte:
l',mm barricas com bacalhao ; aos consig-
natarios.
CONSULADO CEIIAL.
Itendlme'ilo do dia 15....., 1:823,156
Diversas provincias...... 254,465
2:077,621
Movaleiilo do ?orlo.
r
Natos entrados no dia 15.
Itio-de-Janeiro 16 das, corveta ingle/a
Tttee-I, comrnandante lord Francis Bus-
sell.
libas de Sandwich, lendo sabido de New-
Loudon ha 29 inezes, galera americana
Alert, de 39s toneladas, capitSo James M.
Creen, equipagetn 25, carga azeite de
pexo; ao capillo.
Maioin "das, galiota hamburgueza Catl-
Adolpht, deS9U teneladas, cnpt.lo .Nico-
ls Fick, cquipagem 8, carga assocar e
cornos ; a N. O. Bieber& C. -- Veio arri-
n.i.ia com agoa aberta.
Da commissio -- Vapor de guerra brasfleiro
Thelii, commandanle o capito-tcnon-
le Antonio Francisco Pereua.
Navios sabidos no mesmo dia.
Liverpool Calera ingleza Imperador, ca-
pilo F.dward Forend, carga a mesilla que
irouxe.
Barbadas Briguo inglcz Mercia, ca, itrio
TnomazMaria Kenzie, carga a mesma de
lastro.
Em commissio Vapor de guerra brasileiro
Tctis, coininandante o capito lente
Antonio Francisco l'ereira.
I'orlosdo sul Vapor brasileiro San-Se-
bastiao, commandanle o primeiro-terTrnte
Alftonio Xavier de .Vironlia Torrczo
Alm dos passageiros que troiixe lea a
seu borbo : pafa Macei, padre Manoel
Vicente Ar.iujo: para a Babia, Jos Anto-
nio de Faria Coulo, Manoel Jos Teixeira
Jnior.
I'ortos do norte Vapor brasileiro Haitiana,
commandanle o primeiro-tenenle Jos
Segundino Comensoro. Alm dos passa-
geiros que Irouxe leva a seu bordo: pa-
ra o Bio-Craude do norte, Joaquim da
Silva Castro: para o Ceara, Jaco Cahu :
para o Para, II. I). Kalkmann.
Ilio-de-Jane ro --Polaca brasileira Socieda-
de-Feliz, capilao Joio Maria Soteno de
Uliveira, carga assuearo ago'ardeule.
Cenova Briguo sardo Catkarina, capilo
Angelo Celli, carga assucir c conros.
Paiaiiilia --Ilute biasileiro Flr-do-ltecife,
canillo Antonio Manuel Alfonso, carga
varios gneros.
Pela inspectora da alfandega se faz
publico que.no da 17 do corrente.depois de
meio-dia,se bSo de arrematar ein hasta pu-
blica, na porta da mesma, 19 pecas com 464
corados desotim prelo, por factura um co-
vado 1,500 rs., total 696.000 rs.; 9 iluziss
de beneta do panno para liomem.por factur
urna duzia 9,000.rs., total 81,000rs.: ludo
impugnado pelo segundo escripturario Ga-
briel Alfonso Regueira, nos despachos Hu-
meros 258 e 283 de 14 do correte : sendo a
arromatafio subjeita aos direitos.
Alfandega de Pernamhuco, 15 de Janeiro
ile 1850.O inspector, luis Antonio d Sam-
paio I' ianna.
0 Sr. Dr. juiz de direito chele de poli-
ca interino manda fazer publico que todos
os eslrangeiros que obliveram ttulos de re-
si lenca por esta reparticilo, osdevem apre-
sentar para certa averigua^flo, no impror-
rogavel prazo de 30 dias, contados da pu-
iilie.ie.ao (leste, siMi as penas da lei. Se-
cretaria da polica do Pernamhuco, II de
Janeiro do 1850. Antonio Josi de Freitat,
priineiro amanuense.
Declaracoes.
-- Oescrivflo, servindo de administrador
da recebednria de rondas internas geraes,
avisa a todos os devednres do imposto de
lojas bertas, seges, carrinho e barcos do
interior, dos bairros do Recfe, S.-Antonio'
rloa-Vista e Afngados, para que compare-
Qam a pagar oque estiverem a deves dos
ditos impostos relativo ao correle anno li-
nanceiro de 1849 a 1850.
Francisco de Paula e Silva, segundo
cscripturario da segunda secfilo do consu-
lado provincial, faz scien'e aos propriela-
rios dos predios urbanos do bairro do Reci-
te, que principiou a fazer o lanijamento da
decima do dito bairro do anno crranle, no
dia 14 do crenle mez.
O Sr. director do lyceu desla cidade,
em eumiui nenio a portara do Exm. Sr.
presidente da provincia de 2 desle crrente
mez canno, manda fezer publico que a
ea lena de primeiras lettras de Han.aiaea,
para o sexo mascolino, est a concurso:
portanto os cidadSos brasileirns que quize-
rem oppdr-se a referida cadeira llvenlo
comparecer ( da data dele a 60 das J na sa-
la do palacio da presidencia, pelas 9 lloras
da manhla, lendo rcmeltido a secretaria do
lyceu, oito das antes do dito concurso, os
seus requerimentos documentados soguri;
do a lei. Secretaria do lyceu, 14 de Janeiro
de 1850. anuario Mexandrino da Silva
/tabello Caneca, professor de desenlio e se-
cretario.
Cartas seguras vindas do sul para os
Srs. Antonio Jos de Siqueira, Antonio Ro-
drigues de Coveia Mello, Antonio Souza
Mai luis. Crocco & Gonipaiihia, Jos Fran-
cisco de S Leilio, Leopoldina Augusta
Ferreira Nery da Fonseca, Manoel Francis-
co Coeliio de Oliveira Soares, Manoel Ri-
beiro Granja, Nicolao Rodrigues da Cunhs,
Viuva Vieira & Filhos.
Kcparlico da polica..
(I ebefe de polica interino da provincii
ordena ao Sr. ollicial encarregado do regs-
lo do porto, que, de accrJo com a reparti-
Coda sa le, nfo consm.a desembarcar de
bnrJo de qualquer navio as pessoas que
nelles estiverem afectadas da peste que
grassa na Baliia, e nem tilo pouco que se-
jam conduzidos para tena os cadveres dos
que fallecerem da mencionada peste, os
qutes lar a lauca r no mar alto com as caute-
las necessarias, afim de que nSu venham
ter a costa : o quo ludo fara observar sol
sua res|onnblidade.
Secretaria da polcis dePernambnco, 12
do Janeiro de 1850.los Nicolao Regueiru
Cosa, chefe do polica interino.
Illm. e Exm. Sr.Segundo as communi-
ca(,0es que me [inain hoje dirigidas consta
terem sido p esos : or'.em do subdelegado
da freguezia de S -Frei-Pedro-Gongalves, os
pretos Domingos Joaquim da Costa, Lino da
Paz, e Delfina, por coirec^lo ; Evaristo, rs-
cravo de Jos Cypriano, poris-iui o lirver
requisitado o repeclivo senhor o manijo
Americano Carlos Imjirn, a rcques^lo do
respectivo cnsul: i ordem do subdelega-
do da freguezia de S -Jos, os pretos Bene-
dicto Jos da Cosa, Poifiria da Costa Al-
cela, Tbereza Bem dcla, pelo motivo, que
V. Exc. ver do ollico incluso ; parda
Maria Francisca, por (rime de furto : i do
subdelegado da freguezia de Moridera, o
pardo Manoel Francisco Ferreira, por criine
de ler linelo
Dos guarde a V. Exo. Secretaria da
polica de Pernambuco, 9 de Janeiro de
1850 lllm. e Exm Sr. Honorio Mrmelo
Carneiro Le.lo, concelheiro de estado, pre-
sidente desla provincia.Jos Nicolao He-
gueira Costa, dicte de polica interino.
lllm. e Exm. Sr.Das parles bojo rece
dulas consta terem si lo hontem presos:
oiil ni do subdelegado da freguezia de S.-
l-'rei-l'ed (i-Ciiiigaives, o pardo Jos Vieira,
por criine do estupro: ordem do subde-
legado da freguezia da Uoa-Vista, o l'orlu-
guez Joo Jos l.ei'.ao, o pardo Luiz Manoel
de Rezende, sem que o motivo mo tivesse
sido declarado.
O delega lo de polica do termo deS.-
Anlilo, por ollico de 8;do correnle, mecom-
munica, que, no dia antecedente, tendo-se
na respectiva colado sollado alguns fogue-
I s do ar em virlude do festejo de S.-Antflo,
que sli cosluma haver, fra um destes fu-
gete ferira urna croula osciava do capi-
llo Manoel Carlos Cavalcanle deAlbuquer-
<|ue, a qual poucos instantes depois fa I-
leceu.
Ojos guarde a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernamhuco, 10 de Janeiro de
1850.lllm. e Exm. Sr. Honorio llernito
Carneiro Lean, concelheiro de estado, pre-
sidente desla provincia.--Jos Nicolao He-
guei/a Costa, chefe de polica interino.
lllm. e Exm. Sr. Das communicaces
que mo fram boje dirigidas, nao consta
quenesia capital occorresse novidade cm o
da do tioulem.
Daos guarde V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambuco? II de Janeiro de 1850
lllm. e Exm. Sr. Honorio llerrr.to Car-
nern Leilo,- concelheiro de estado, presi-
dente desla provincia.lote Nicolao Reguei-
ra Cotia, chefe de polica interino.
Avisos martimos.
Para a Figueira, com escala por Lisboa,
pretende sahir at 18 do correnle mez o pa-
tacho portuguez Maria-Joaquina, para car-
ga ou psssageiro trata-so com os seus con-
signatarios F. S. Rabello & Filho ou com o
capiliio Manoel da Costa e Silva na praca do
comaieicio.
Para as illias de S.-Miguel,
Terceira e Fayal sohir brevemen-
te a encuna portugueza Favorita,
forrada e pregada de cobre, capi-
tao Antonio Jos de Mcdeiros.* pa-
ra carga e passageiros, trata-se
defronte do trapiche novo, n. 6,
com Tbomaz de Faria.
Para I.isda sabe, no dia 20 do corren-
le, o brigue portuguez Auna-Adelaid, ca-
piliio Ignacio Jos de Aranjo : recebe cargs
e passageiros, para o que trala-so com o
consignatario, Joaquim Ferreira Mendes
Guimar.tes, na ra da Cruz, n. 49, ou com
o referido capilSo na praca do Commercio.
--A escuna nacional Emilia, capillo e
pralico Antonio Silveira Maciel Jnior,
tran-feiio a sua vagem para o Maranho e
Para, deixando por consequencia de fazer a
escala do Cear, o que se avisa as pessoas
quOse dignaram offerecer carga para este
porto : recebe alguma para o MaranbSo e
miudezas para o Para, e passageiros para
ambos os portos : Irata-sc com o capitSo
napraca do Commercio, ou na ra da Cruz,
armazem n. 13.
Para Lisboa,.com escala pelo Porto, se
dispOe a receber carga o bem condecido
bngue portuguez ConceirSo-Flor-de-Lisboa,
e a sabir breve, para o que tem engajado
uina parle do carregamento : quem no mes-
mo quizer carregar, ou ir de pussagem, po-
de entender-se com o capiliio, Juo Borges
Pamplona Jnior, ou com os consignata-
rios, Amorim Irtnaos, na rus da Gadeis,
n. 39.
-r para o Ro-de-Janeiro sahir na pr-
xima semana, o brigue Mafra, eapito Jos
Joaquim Dias dos Prazeres ; o q'ial recebe
nicamente escravos de psssagem : quem
pretender p Je contratar com o sobrad i lo
capitn, ou com Ainoiiin limaos, na ra da
Cadea.n. 39.
) Para o Rio-Grande do sul segu vagem
nesles dias o patacho nacional Eulerpe, ca-
piliio Manoel Luiz dos Sanios, por ler o seu
canegamento prompto, podendo tilo M-
menle roceber algunras miudezas, passs-
geiros e escravos a frete: trata- se com Luiz
Jos deS Araujo, na ra da Cruz, n. 33,
eu na ra de Apollo, armazem n. H.
Para o Ceart sabe o dale Ligetrojom-
Ulo e pregado de cobro, n> pres mi te semana,
por j se acnsr com seu carregamento enga-
jado: para o resto e passageiros trala-se na
ra do Vigario, n. 5.
r O br,igue nacional Adanias-
tor segu para o tio-de-Janeiro
domingo, ao do corrente : recebe
carga iniuda, escravos e passagei-
ros, para osquaes tem bons com-
modos : trata-se com Machado &
l'inlieiro, na ra do Vigario, n.
iq, ou com o capiliio na praca.
Leiloes.
L. Bruguiere far leilflo, poriuterven-
co do eorretorOliveira,de grande soi tmen-
lo de fazendas francezas, e inglezas, sendo
mantas de seda,chales de dilo,lencos,cassas,
cortes de seda, colletes, setns, chapeos de
sol, lilas, I o vas, meias e pe fumarias de
todas ss. qualidades, mrin, sarja, cam-
brans, bicos etc., etc. : quarta feira, 16
do coi rente, s 10 horas da mantilla, no
seu armazem, ra da Cruz, n. I.
Leilio de urna porclo de massas em
eaixas, no dia 16 do correnle, poita do
armazem de Antonio Aunes, por con la e
risco de quem perlencer.
I.atlian Cllibberl fuSo Icilo por in-
lervcn^ilo do corrector Oliveira, de grande
variedade de fazendas inglezas que se vn-
denlo para ultimadlo de certas contas:
qunia-feira, 17 do correnle, as 10 horas di
m nimia, no seu armazn, ra do Trapiche-
Mdvo.
JoSo Keller, nSo Ihe sendo possivel
vender melado dos objectos em seu icilo
de 15 do correnle, pela multiplicidade dos
objeclos. continuara o mesmo, por iuter-
vencio do correlor Oliveira, scxia-ieir.i, 18
do correnle, s 10 horas da mauhSa, na
mesma casa em que mora, no Manguind,
sitio do Sr. Cox, com entrada pela estrada
defronte do sitio do Sr. ex-inspector da al-
fandega. Adverte-seque icaram por ven-
deros carros, c vellos, onrico piano or-
soiilalconi caxa de relevo, trem de cozi-
nda, leitos, guarda-roupas, toucadores, es-
tantes, secretarias, commodas, lavatorios,
bancas de jogo, o ludo quanto orna o pri-
ineiro andar da referida casa.
liquissimo enlulbo que oceupa todo o quin-
tal e part da casa de 'albergarla da ra das
/arangeiras, pnisque elle lie o receptculo
de todo o lixo e mais despejos da visinhan-
ca, e por conseguinlu o fogo pestfero de
crueis miasmas que s por si ptem dar
origem a urna epedemia de febres perni-
ciosas. 0 Medroso.
Importante descoberta
para os denles
- M. S Mawson, oirurgSo dentista, ebega-
do ha pouco de Inglateira com destino aos
portos do sul, pelos poucos dias que lem
de demorarse aqui, offerece seu presumo
a aquella pessoas que precissrom dos soc-
corros de sua arto: para o que pode ser
procurado no Hotel-Francisco.
Antonio Mximo de Barros Leite, pro-
fessor jubilado na primeira'cadeira publica
de primeiras lettras da cidade de Goianna,
faz sciente ao respeitavel publico que se
acha presentemente mudado para esta ca-
pital, e i sua residencia he dentro do Re-
cil'e, rio ra da Cadcia.n. 40, priineiro an-
dar, onde vai continuar no mesmo magis-
terio ; porm particular, e por isso convi-
da a lodos os Srs. que quizerem educar seus
filhos, que nflo s receber alumnos exter-
nos como tambem internos.
D. W. Raynon, cirurgilo dentis-
ta, na ra do Trspiche-SoTO, n.
14, respeitossmenle informa ao
publico que, pelos seus muilos afazeres, se-
r obrigado a demorar-se mais algum lem-
po nesla cidade, sntes de sua retirade pera
os Estados-Unidqs, e offerece seu presumo
para toda qualidade de operaces deotaes,
para por denles novos, tanto singlos como
dentaduras, inleiras, chumbar denles.com
ouro e prata, conforme as ultimas deseo-
bertas nesla lera.
d'aurora !
Avisos diversos.
Precisase de um eozinhei-
ro para o lio-pitai provisorio, que
poroidcm do Exm. presidente da
provincia tem de ser estabelecido
na Iba do Nogueira : quem qui-
zer, compareca na casa do presi-
dente do concedi geral de silu-
bridade publica, na ra Nova, n.
14 das c-s y horas da manba,
oo das 3 s 5 da tarde.
Lembra-sc ao respeitavel concelbo do'
salubridade publica, que em suas subase;
prudentes medidas que tem proposlo e con-
tinua a lembrbr para fazer dcsapparecer a
febre quo nesla cidade ja linha tulvcz prin- !
cipiado a ceifar a popula(,o se nao esque-1
ca d mandar remover o asss grande e an-'
C. Slarr & Companhia leem a honra de
avisar aos seus freguezes, o ao publico em
geral, que a sua grande fundcilo em S.-
Arnaro alm do sortimento que constan-
temente lem acha-se de novo prvida do
muitas moendasdecanna.^e de varios l-
mannos feitas no mesmo estabeleciment
pelos mais peritos oulciaes, e com o maior
cuidado e perfeieao ; lauto assim he, que
osannunciantcsse ufanam em garant-las
pelo prmeiro anno. As moendas inleiras
todas de ferro', construidas as ofllcnas
dos annunciantes ,: silo muito superiores a
quaesqueroutrasda mesma nalureza que
at acora leem sido aqu offerecidas, pois
aquellas encerram em si certos e importan-
tes inelboramontos resultado de mais de
-20 anuos de experiencia e pralica do paiz.
Aula de primeiras lettras
Policarpo Nuncs Corris participa ao res-
peitavel publico e especialmente aos pais
de seus alumnos, que no dia 10 do crran-
le mez abri as suas aulas de meninos e
meninas na mesma casa de sua residencia,
na ra da Alegra, n. 9, ondo pode tambem
receber alguna meninos pensionistas me-
danle urna mdica remuneraejlo. O annun-
ciante espera do respeitavel publico que as
suas aulas continuem a gosar de mesmo
crdito e confianza como at aqui.1
Aluga-seuru sitio com bom sobrado,
jardim, cacimba, tanque para bando, po-
mar de larangeirase umitas fructas de .di-
versas qualidades, na Solidado: na ra do
Hospicio, n. 21.
Na ra Imperial, n 165 precisa-se alu-
gar duas negras ou moloques para vende-
rem na ra : paga-se bem, e mo se duvida
adianlar algum dinheiro por eonla do alu-
guel.
Ensillo de primeiras
le l Iras.
Jos Xavier Faustino llamos, com aula de
primeiras lettras no Aterro-da-Boa-Vists,
sobrado n. 5, provine aos Srs. pais de seus
alumnos e as pessoas que delle quizerem
confiar educarlo de seus fillios, que os
exorcicios da mesma aula se acham em ef-
fectvidade desde o dia 7 do corrente; as-
segurando que pelos novos arranjos e me-
Ihoramertlos que ha introducido no seu es-
tabelecimento e no respectivo regimecn,se
acha habilitado para rcccbcrc Seccionar um
mais crescido numero do alumnos. No
mesmo eslabolrcimenlo, separadamente e
sb a liivecao de urna filha do anuuncian-
te, convenientemente habilitada, seacba
em exercicio urna aula para meninas, onde
se ensina a ler, escrever e contar correcta-
mente, ; rain in a tica da lingoa nacional ;
bem como a fazer todo o genero do costu-
ras, bordados o lavariults : ludo com zelo,
canudo e disvelo.
Prccisao.
Precisa-se do ofliciaos de funileiro; na
ra Nova. n. 38. dolroii'e d i Conceicio. Na
mesma casa tambem so vende um moleque.
Precisa-so de um bom forneiro, a
quem se pagar com generosidade : na ra
da Sen/all i-Vellia, aro a/ein n. 106
Precisa se alugar urna preta qui saiba
lavar, engommar e coser, paro urna casa
estrangeira : na ra do Torres, n. 34, das
II horas at s 3 da larde. Na mesma cusa
tan len se precisa alugar um preto que
enteiiila doservieo interno, e saiba Halar
decavallos.
A poca.
I Aos senhores assignantes desle jornal se
faz certo e igualmente ao respeitavel publi-
co, que acaba de chegar de Lisb.08 a conli-
nuacao dos nmeros desto jornal at O nu-
mero 52 e como tenliam chegado diiTeien-
tes collc(0es completas, cunvi.ta-se aps
amantes da inslruCQ.Io a concorrerem para
a sua extracto, visto como be este jornal
de tanta importancia.
Assigna-se na ra da Cadeia do Recito,
loja do ferragem de JoOo Jos do Carvalbo
Moracs.
O precqda assignatura ho :
Por um anno, dinheiro a vista 6,400
Por sois mezes, dido dilo. 3,20o


/
.u
.
'.
Wickstrom, capilio do brigua sueco
Briiliant, faz publico que se- nao responsa-,
bilisa por cous algumi que su tripola-
cflo lome em sau nome, ou do mesmu bri-
gue.
__ Em respnaia o Medroso do
Diario ile Pemambuco de boje
( |5), Jeclara-se que acamara
municipal lie que compete -fazer
remover os lixos que existem em
diversos pontos da cidade; e
que no archivo da administrado
dos hospitaes de caridafle deve
achar-se un ollicio do concelho
geral de salubridade publica, de
data mullo anterior, relativo ao
depos to do lixo lancado no quin-
tal dessa casa de albergara, que
est sb a drecco da dita aduii-
nistracSo.
O abano signado como administra-
dor desua mulher, herdeira do Tinado lluu-
riquePoppeGirao, faz certo que o mesmo
finado doixra em seu testamento a cada
um dos seus anillados, quo apresentarem
certides'de seus respectivos parochos Je
boa conducta, o legado de cem mil ris em
moda corrontp; e como se esteja na villa
de Iguarass procedendo a parlilha, quei-
nim apresentar-se em dita villa, munidos
los documentos, devendo requrrerem ao
juizo. O mesmo abaixo assignado adverle
a todas as pessoas, a quem o dito rutado
deizou legados queosdevem requerer, alim
de nffo (icarem encravados no casco do en-
genho d'ago, pois ha bens movis para pa-
gamento dos meamos, productos de safras,
rendas de propriedades edinheiros.
Marcellino Joi Lopes.
--Jos Jo.lo de Aiuorim embarca para o
Rio-Crade do sal a escrava de uome Ra-
quel.
Entornillado.
Engomma-ss toda aquslidade de roupa
com multa perfeicSo : na ra da Ca leia do
ltecife, n ti, pri'iieiro andar.
Antonio Joaquim Vidal faz sciente ao
publico que elle autorisa a Joaquim Flori-
do Fernandes Urna para receber qualquer
conla que so Ihe deva.
j/mandade de S. Jo (fagonia.
O secretario da referida irman-
dade faz ccrlo aos Srs. ir ni a os, que
a actual mesa regedora tem mar-
cado o dia ao do corren te, pelas 9
horas da maulia* afim de que,
reunidos em mesa geral, passem
a discutir osartigos do novo com-
promisso, que se achara presente
pela couimissiio encarregada ; em
consequencia do que convida aos
mesmos irmaos de coni-parecci em
no consistorio competente, s ho-
ras indicadas.
Na ra Nova, loja n. 58, se dir quem
da a premio a quantia de 400,000 rs. com
hypotheca em casa terrea. Na mesma loja
vndese una Carrosa para boi.
Aluga-se as seguintes casas : o tercei-
ro andar da rasa n. 6 do Alerro-da-Ros-Vis-
ta, com solio e muito bons commodos para
grande familia por 230,000 n. annuaes ;
urna casa terrea na ra da l'niflo, com quin-
tal e grandes commodos pira familia, por
11,000 rs. Bensacs; a loj do sobrado n.
tIdo pateo da S.-Cruz, por 6,000 rs. nien-
snes: os pretendenles, dirijim se a ra da
Aurora, n 26, escriptorio do F. A. de Ol-
vena.
l'iecisa-se de um mixto para
curar sardas : quem ti ver annun-
cie.
O priroeiro secretario da S II. T, faz
sciente que a actual direceflo pretende dar
como di vert ment extraordinario dous bai-
les de mascaras, no carnaval do presente
auno, e que para isso os socios que quize-
rera subscrever, dirijam-se o sabio do
Diestro ale o dia 18 do enfronte, das 3 s 6
horas da larde, aonde adiarlo a comraissn'o
encarregada de roceher ussignaluras : ad-
verando, porc.v, que estes bailes sflo em
coslumeou sem ello, cornos cada um Ihe
aprouver; bein como que lie permitirlo
aos socios fazeiem urna ou mais asigna-
turas
-- No dia 17 do oirenlc, pelas qualro ho-
ras da larde, na casa da residencia do Illm.
Sr. Ur. juizdocivel da primeira vaa, tofo,
de ser arrenatados, por ser a ultima (iraca,
diversos bens, sondo dentro elles tres prc-
I sdetyporaphiaoseus pertences, penho-
rados pili administraco dos nrphflos a
viuva e tllltos de l.uiz Iguacio Itibeiro
Roma.
Todos os Srs. desta praca
e fra della que tiverein coutas
com a lvi-aria da esquina a rui
do Collegio, teiibam a hondada de
asir pagar no prazo de oito diiis,
contados da publicaco desle ; du
contrario, passarao pelo desgosto
de verem seus nomes por exlcnco
nesla fu I ha.
l'reeisa-sc de um homem
que seja hom refinador, para fra
da provincia : na ra Dircila, nu-
mero Gq.
Quem sejulgar credor da alministra-
cilo da venda de Antonio Joaquim Tavares,
queira apicscnlar Mas roiils ao abaixo as-
signado no praso de tres das, para serum
pag.'S : o ii esmo abaixo assignado lio be
lesponsavet por qualquer lonta que deixe
de Um-er a|iirsi ntadii no menciona praso,
e nem por qualquer divida que desos ap-
|iareca.--Conio adiiinislradur,;Fin ter-
reira da Cotia.
Antonio Joaquim Tavares tendo ven-
dido a son venda sita na ra da Cadeia do
Recite, numero I, ao Sr. Lino Jos de Castro
Arunjo vm o i.* do rorreare, roj n todas
as pe.-soas que se julgarcm seus icredores
de a. rese.nl anvn suas COntas no prazo de
15.d as ao Sr. Vicente Ferreirr da Costa.
- Precisa-se alugar nosrras quitan loiats,
na ra do Collegio, n. 13: quem as tiver,
dinja-se all, das 10 horas da msnh.la s 3
da tarde. -
Umbelina Vanderley Peitoto, com aula
deprimeiras lettras no segundo andar do
sobrado na esquina do Ouvidor, avisa aos
senderes pas de sua* alumnas e a quem
convicr que, desde odia I* do crrante, so
acha no eiercicio de sou magisterio; pro-
moltaloda aclivilade para o adiantamento
ile suas aluoiiias, ensina a Iflr, escrever,
contar, arithmetici, grammalica nacional;
tnmbem havcr.lo mestres de dimea, msica
vocal, piano, francez, geographia o dze-
nho.
Novo melhodo prticoe
theorico da liitgoa fran-
ecza, ou arlefacilima
de aprender com perfeicno e em pouco lem-
po a fallar, traduzire escrever o francez.
Ninguem poder negar a utilidade da
lingos fralienza, por quanlo que sendo ella
boje universal, rene em si urna maviosida-
de infudita, urna excellencia que Ihe be
propria : ella he abracad* sem a menor exi-
lelo por lodos os povos do mundo conhe-
oido, por isso os grandes homens do seril-
lo presente tom envidados os seus exfor-
Qosaflmde que ella faga longevos sobre a
Ierra, e para prova de urna tal assercHo
mnio hem disse o Sr. Sevene indispen-
cavd muitos a lin'goa franceza he de
summa utilidade para todos.
As pessoas, pois, que reconhecendo estas
grandes vanlagens, e n3o estando em posi-
cSode subjoitarem-se ao tirocinio escho-
lasticn, sem duvida desejarOo encontrar um
meiofacilea commodado para consegui-
r m esta instruccllo, poupando d'est'arte a
fastidiosa Urefa de esludarde cor verbos
e significados, qual a da grammatica do
Sr. Luiz Antonio Itengaim, dada a luz lti-
mamente no Rio-de Janeiro, e dequi mul-
to elevad i conceito faz o nosso excellonte
professor, o Sr. doutor Jos Soares'de A/e-
vedo.
Avisa-se, portanto, aos amadores da men-
cionada lingoa que ditas grainmaticas se
acham a venda na praca do Commercio, n.
2, primeirn andar.
-- Caetano Mendos du Cunhi Azevedo en-
carrega-se de comprar o vender escravos,
mediante urna commisslo rasoavel, e para
cujo fim prometi empregar loda activida-
de nn melhor dosempenho dessa tarefu : os
pretendentns o acharflo prompto em casa de
sua resi lencia, na ra da Alegra, n. 26.
bairro da Boa-Vista.
Lotera da malriz da Boa-
Vista.
Os hilhetes desta lotera acham-se a venda
na loja de cambio dqSr. Vieira, na ra d
Cadea do ltecife; na botica do Sr. Joiii
Moiei-a Marques, cateo da malriz do S.-An-
tonio ;e na botica do Sr. Francisco Auto-
das Chagas, na ra do l.ivramnto. O ihe
soureiro teiiciona brevemente marcar o an-
damento das rodas, e por islo pede a quad-
juvac.lo do publico para este fim. Os apai-
xonados destejlo que tflo | rol iga mente
concorrem em sociedad para a compra de
hilhetes das loteras do Rio, em nada su-
perior a esta, concorram com seus Capitaes
para a extraerlo rpida desta lotera, cujo
plano he o seguinle :
ra no
do meia lotera, comprehendendo a segun-
da e tercoira quarlas partes da terecira no-
va lotera concedida pela le provincial n.
100 de 9 de maio de 1812, i beneficio das
obras da malriz da Roa-Vista.
molo ; tambem s i alug a l"j i da casa do
Aterro-da-Boa-Visli, n. 21, o: tima para
qualquar estaboleciiiionto : t|iiem preten-
der, dirija-sa a Manuel l/iiz da Vega, que
dir quera aluga.
Affonso Jos do Oliveira, profossor ju-
bilado ta ca.lera de geographia e historia
do lyceu ilosta cidale, propOo-so a oiisinir
grammalica latina, rholorica e geographia :
as pessoa qua do seu preslimo so quilfe-
rem utilisar, poden procura-lo na ra Di-
reila. n. 120, segn lo andar.
Oeseja-se Tallar com o Sr. Joito Rapts-
ta Corrcia, na ra da Cadcia du Rscife,
ir. 3*..
Alugam-se os primero asegundo an-
dares do sobrado na ra Direitu, n. 43, rom
oxcellentes commodos o muito frescos, a
trabalho ennsosuir merecar a confianca do
respoitivol publico.
--Aluza-so ou arrenla-se urna campia
na Estrada-Nova, donominaJa do l.ucci
, pro;iria para pastagem do gades, ran-
chos, ou qualquer planUcid que so quei-
ra : a tratar nar.ua do Vigiro, n. 7, pri-
mero andar.
Charntos.
A' nova fabrica de charutos do Atorro-da-
Roa-Visti, n. 77, junto a matriz, acaba de
chegiir um complnto snrlimonto dos mo-
Ihores chautos que leem viudo a osla pra-
ca, de entro os quaes rivatisom cm aup > ior
qualidadool seguinles: senadoras, dm-
tados. Veiius, heija-flor, regalos >\ Hivaiia,
imiieiaes, que.n-fu nar-sab.r, regalos C
mimos du yaya, cavalIHros. mcii-regilia,
tratar com o barbeiro, quo mora na loge do populares/inlegii la le.archeiris, fluiiiin-n-
o. ees, linseiros, regala de S.^'elix, impe-
mesmo sobrado
Sabhado 12 do correnle de5*tpareceo
um molatinho, leudo viudo ao Recife en-
tregar leite em um cavallo ausso magro,
por nome Francisco, idade 12 anuos, levou
carniza azul e calcas de algodilo trancado
tambem azul chapeo de palha, o mithor
signal por onde podo ser conhecdo hoser
vesgo de um olho : quem o pegar leve-o a
i na liireita, venda n. 61, ou ao Remedio,
sitio que foi do fallecido Joflo de l'.arros,
que ser bem recompensado.
-- Ulysse liroz, prviens l'honorable pu-
blic de l'ernambouc qu'il vens d'arriver de
la Suisse, avee un bel assortiment de mon
lresd"or, argont plaqu dnr, argent dor
et boles metal dores, d,s quelles il ga-
rante la bont dos mouvements; il so charge
galement des chabltages de montres ot de
pendules, et romet les cadrans d'argent a
neuf, des quels il pal garantir la bienrac-
ture de son ouvrage. II prviens aussi Mrs.
les horlogers et bijouliers de l'endroit qu'il '
a un bel assortment do fournitures pour
horlogerie et bijoulerie. il pos gale-
ment toutessortes de verres lllX montres.
II espere d'apros la bienfaclure de son tra-
vail mrter la conianco de l'honorable
public.
Precisa-so saber da morada da Sr." D.
Senhorinha Maria da Conceiejlo para nego-
cio le inleresse.
O abaixo assignado com loja de calca-
do na ra do l.ivramento, n. II, Rrnsilero,
retira-se para fra tratar desua sade.o
por lato faz npgociocom o dito estabeleci-
mento, o avisa aos credores que compare-
cen! na mesma casa, afim de receherem seus
crditos, estejain ou no vencidos; assim
como avisa as pessoas que teem penhores
em mo do mesmo, qno vciiham resgata-
los, o mesmo aviso faz as pessoas quo Ihe
devmn quo venham pagar ou tratar a res-
peito no praso de oito das di data deste;
do contrario, dexar pessoa encarregada a
cobrar com todo o rigor que a le Ihe con-
cede. ~ llernardino de Sena e Silva.
.*io-8e200/rs a premio de 2 por con-
t ao mez sobre penhores do ouro : na ra
Augusta, segundo sobrado no fim da ra,
indo dos Marlyros, lado do poent.
Aluga-se, por pieco commodo, a cas-
nli'i que foi aqougue, sita ao sabir do pateo
doCarmq, para as ras do Rozario e Trin-
cheiras, muito propria para o mesmo nc-
gocio, pelo bom local : a fallar no paleo do
Carmo, n. I, venda.
-l'elo juzo da segunda vara do rivel,
quarta-feira, 16 do corrento, se ha de ar-
rematar urna escrava de nome Maria, crioli-
ta, de 25 annos pouco mais ou menos, cuja
arrematac.no ha feita para as despezas do
inventario do finado Jos Antonio da Silva
Costa.
racs-arcliciros, com especialidade rocnin-
mcmiaoi-se aos fumantes do hom go>to
^ aliram e vejam ^^ viudos pela pri-
meira ve/, a esta praijt dez ciixas para
amostra ; convidam-se, pois, os apreciado-
res da boa fumaqa-a concorrarem a mencio-
nada fabrica, onde acharan!, al n destas
qualidades, outras muitis por inais bara-
t prego do que em outra qualquer parle.
Compras.
5,000 bilhetes 10,000 50:000,000
Beneficio de 12
por conio 6.000,000
Imposto de 8
por cenlo 4:000,000
Sello de 150 rs.
por bilheto 750,000
10:750,000 39.250,000
1 bilhete 10:000.000
1 dito 5:000,0110
4 ditos 900,000 3:C00,OOO
8 ditos 500,000 4:000,000
10 ditos 210,000 2:000.000
12 ditos 100,000 1.200,000
20 ditos 50,000 1 000,000
40 ditos : 0,0,10 00,000
l,IS4dilos 10,000 11:540,000
2 ditos (I." o 2.
brancos j 55,000 iiu,iioo
1,252 premiados 39:250,000
3,748 brancos -------
5,000
N. B. Os dous premios grandes estilo
suhjelos ao descont de 8 por cento do im-
posto geral queseraoxtrahido no acto do
pagamento. Conforme. O oficial-
maior, l-lorianno Correia de llrilo.
4
G-. H0M0EOPATHIA. >
fes consultorio homacopalhico do fe
$, Pernambuco est aberto lodos os das
(>; desde as 8 horas da msnh&a aleas 4
fe. da tarde.
ff Adverle-so as pessoas que quze-
e. r ni usar da hoir.rcopathia, dediri-
Conipra-se un prelo, que
sej hom refinador, sem vicios e
que tenha bons costutnes : paga-
se bem .- na ra Direita, n. Gg.
Compm-so un ou ilous violties e urna
clarneta em segunda nulo: na ra da Co-
ra, n. 93, ou aununcie.
Compra-se um pao do rede e seus per-
tences novosou usados: no pateo do Car-
mo, n. 1 venda.
Compra-se urna cabra ( biso) que es-
teja parida eseja boa leiteira : as Cinco-
Ponla.s, n. 82.
Compra-so urna pequea morada de
casa terrea, da podra e cal, quo esteja cm
muito hom estado, e que seja na freguozia
de Santo Antonio, nflo excedendo seu valor
a cento e cincuenta mil rs.; quem a tiver e
queira VenJcr, annuucio paia ser procu-
rado.
~ Compram-se 10 a 15 milheiros de li-
jlos dealvenaria, sondo de muito hoaqna-
I idade e Instantes- grossos ; una re lo de
arrasto de malla de eamaro : no Aterro-
da-I!oa-Vi.-ta, n. 17, fabrica d.i licores.
Compra-ee urna preta que seja peifeila
coslureira, engommadeira e que saiba fa-
zer vestidos, se agradar paga-so liem ; urna
dita que saiba engominar o coziuhar e que
no seja viciosa, ambas Rilo para fra di
provincia; na prtci do commercio, n. 6,
primeiro andar.
Vendas.
Lotera d > a-de-
Jaiiero.
Aos 50:000,000 de rs.
Na praca ila Independencia, n.
<, vedem-se bilhetes, meios,
quartus, o'.lavos c vigsimos da
12. loleiia a beneficio do theatro
de LNiclcroy: a elles que j tem
--OSr. majorManoeir.oncalvesdaSlva,| Ni mesilla Iota se nis-
queho casado com urna senhora da ramilia po'icos. I1J mesilla loja f,e mo.s
doGuanus, da fieguezia da Monilila da: Iran as lisias da sexta do llicsou-
provincia da Rabia, tem una carta de seu rQ c 0(ava Jo (dentro.
Irdfflb, morador na mesma freguezia, na
ra da Cadeia, n. 34, primeiro andar.
-- l.uiz Mnnier, querendo rclirar-se desle
imperio, convida a seus credores a apren-
tarein suas cuntas por estos 15 das ; hem
como roga aos s'iis devedoresde Ihe salis-,
-- Vcndo-sc urna mulata de 22annosde
idade, ile bonita figura, sem vicios o com
habilidades: no segundo andar do sobrado
da esquina do Ouvidor.
Vende-se una taberna sita na Iravessa
fazer a importancia de scusdebitos no mes-! d:' ra do Vigario, ... 8. perlencento a Ma-
mo especo de lempo i rlelra Culmirtee : esta taberna vende se
- OSr. que ha trinta o tantos das levou P.orQ',fl J-n dos socios deseja-so retirar para
umcavalloparaacocheiradarua da Roda ora P'ovincia,: a tratar na mesma la-
ira lan,lar pagar o sustento no prazo de u?e( ou no Forlc-do-Mallos, casa de Ira,.-
gir-se nomesmo consultorio e enten-
der-so enm o director Jo3o Raptista fg
Cnsanova.
Alguns curiosos andam as casas
particulares olTereccndo administrar
a lioinropalhia em nome do consul-
t lorio, estes curiosos faca ni as especu-
,4 Incoes como melhor o entender.n,
4 mas nao se sirvam do nome do con-
-J- fujlorio, purquo 1.0 consultorio no
*) existem agentes neui escheiros, vis-
S) (oque, a medicina nflo so aduiiuis-
^ Ira por meios de agentes ou cachei-
9
i
?
i
Aluga-se urna casa de 3 andares no Re I
cife, ra do Amoriui, n. 13, por preco com {
j
I


I
t
Consultorio homoeopathico de Per- i>
namhuco, ra da Cadeia do Santo- }
Antonio, n.22. I
ios.
queira mandar pagar o sustento no p
8 dias ; do contrario, ser o mesmo cavallo
vendido, vislo que pouco mais valle do que
tem vencido.
Aluga-se una casa de um andar na ra
da Unlo. com excellentps commodos para
grande familia, e boa vista para a barra:
os pretndanles dirijam-so a Manuel Alvos
Cuerra.
Casa propria para esta-
belecimcnlo.
Aluga-se urna casa annexa a fabrica de
sabilo que tem os commodos precisos para
os estahelecimentos que lem-se do mudar
par* fura dactilado, cuja Casa est em ar-
mazem; tem um bom lelfieiio no fundo e
grande quintal murado, tendo urna camboa
aop, tem commodo para moradia por ser
sssobradada : trnta-se na ra liireita, n. 82.
Precisa-sede um caixeiio para bilhar
e todo o msis >orvico de urna casa publica:
no lintel do Duropa, na Lingueta, n. 3.
-- A irmandade de Nossa Senhora da So-
ledade do bairro da Ra-Vista previne ao
publico, que a casa terria e sitio de Joa-
quim Xavier da May, que anda em praca
ior execueflo de Antonio da Silva Cosmflo
1,'ie he devedor.i da quantia de quinheutos o
Tu.....na mil cento e v.nte ris impoitan-
cia do loros vencidos do ch3o, cauqese
acha edificada: e que protesta haverdita
q uanlia de quem quer que (car com o pre-
dio.
A iuo.ini-.se por preco rasoavel
o sobrado e loja da ra dos Quar-
teis, n. 10 : a tratar no lUondego
com L. G Fcrreira
Ulisses Droz tem a honra de participar
aos habitantes desta provincia, quo tendo
chegado ha pouco da Suisse, trouxe comsi-
uo uin excellenle sortimento do relogios de
cisco Jos da Silva Macieira.
Vendeni-sn n taberna da pnce da Rua-
Vista, junte a botica do Sr. Mannel Klias do
Moura, muito afreguezada para aterra: a
tratar com o Sr. Jos Francisco do Teive, na
ra do Rozario da Boa-Vista, n. 2.
Venle-s urna taberna em muito hom
lugar, hem afreguezaila, com poucos fun-
dos, "milito propria para um principiante,
por ler commodos para morada, e a arma-
o ser muito om conta : venlc-se ;or seu
dono se queor retirar, por isso so ollerece
grande vanlagem ao comprador : quem a
pretender annuucio por ota tulla.
--Vende-so una parda muito boa cozi-
nheira, doceira o engommadeira : o motivo
por que se vende se dir ao comprador : lia
ra da Ciuz, 11 50.
Vinho generoso.
Na ra do 1.1 es. o, luja n .8, o defronle da
liben.-i do peixe, 11. 3. vende-se o superior
vinho engarrafado, cnegado ullim-mente
do Pollo, .1 12,000 rs. a duzia.
-- Vende-se um cscravo de 30 a 32 annos,
ptimo vaqcciro, e que he proprio para o
servido de campo : na ra da Madro-de-
Dc-os, n. 34, loja de fazendas.
3 Na luja do sobrado am.irello, nos )
gt qualro-canlos da ra do Oueimado, m
.i n. 29, vendem-se cuites de calcas ile q
brimamarello, depuro linho, a 1,440 A
S rs.; ditos de dito de cores, a 1,410 7^
v rs. ; ditos de dito brauco de lislras, **
5^ l'.i/en ia superior-, 11 1,800 rs. ; ditos *
O do raleas do casimira de cores, a
X 5,000 rs., havendo gran te soi tim'11- fcJ
0 to do padies para escolha ; risca- Q
3 dos m o ostros de quadros, e de urna 5 s c-, a 220 rs. o covado ; e outras Q,
Q mu i las fazendas muito em conla. ,v;
algiheira, ddouro e prata domada, cha- Vendem-se 6 lindos escravos delincan
peados do ouro, relogios do prala e de cai- [ e crioulos. de 18 a 30 annos, sem vicios,
xas de metal dourados, dos quaes se garan-
te a sua legularidado: tambem se encar-
regada concertar relogios de algibeira e
pndulas, (e vidros nos mesmos, limpa os
mostradores de prata, garantrtido-se a su-
penoridade de todas estas obias. Os Srs.
relojoeirose ourives acha rilo em sua casa
na 1 un da Cruz, n. 40, segundo andar, um
completo sortimeiilo de instrumentos des-
tes ollicios. Elle espera que avista de seu
mu n>oleslia, um pardo de 24 anuos, p-
timo para tratar de cava los, e se da muito
em conla ; 6 pretas de 16 a 25 annos, com
algumas abelidades, sendo algumas mu,u.
boas quitandeiras c sem vicio ; una ncgi i-
nhadelS, muito linda; urna molatinha de
12 niinos.com principio de habelidades e ca-
riuhosa para ineniuos ; urna preta de moia
idade; issim como < n i ros mu tos escravos
por procos commodos, na ra da Cadeia do
Recife, n. 51, primeiro andar, se dir quero
os vende.
Vende-se urna negrinha de 13 a 14^
annos propria para mucamba por ser roco-
Ihida ; Cozo xo o faz lavariuto, e lodo
erranju de umieasa de familia: a tratar
no forte doMa.lto, n. 10-
- Vendem-se 3 melhodos para riolSo,
sondo2doaucUrCarullo, o umdcdi-
e0, na ra do Vigario, il. 10 na loje.
NA BIIA BA CADEIA DO RECIFE, V 24,
LOJA DE CAMBIO DA VIUVA VIEIRA
& FILliOS.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 10:000,000 ders.
Pelo vapor llahiana, rcc-iomos os muito
afortunados bilhetes e meios ditos da 12*
lotera a beneficio do theatro de Niclheroy,
cujas rolas deviain andar do dia 8 do cor-
rente.
PREOOS
Bilhetes 22,000
Muios 11,000
IjUNllOS 5,500
Oitavos 2,800
Vigsimo 1,300
Xarope do bosque.
CASO DEt'M NEGOCIANTE DESTA PEAC4.
F.u aballo assiiinadn (o certificado original
dalo niOSlra-se a qualquer pessoa que quizer
chegar rua do tloiplole, n. 40, Rlo-(le-.lanci-
ro, verificado peranie o tabelliao Castro) com
casa de negoelo, declaro que ha vintc e duus
nnnus que padeca de urna palpitacao do cora-
ra ; esta palpitaco era tao fiirle que, quand
ineatacaVB, perda os senlidm, e a rrspiraco
de tal forma, que as pessoas que presrnciavmn
necias occasies esperavaui senipreque en suc-
cinnuisse fin alguns desles lerriveis ataques
Indos os recursos da medicina quanUis me f-
1.1111 piud'alisados nunca serviam mais que
para neslas occasidei iliuiiiiuir lao terriel mo-
lestia ; porm nunca pude obier inrlhora al-
gUtna. AI ni desta molestia sol>reveio-ine urna
outra : qual havia ella ser? a terrivel phlhisi-
ca, causada por urna conslipacao; c.lao rpi-
da se drelaruu, que suppuuba o meu nico re-
medio ser a morlc : o sanguc f|uc continua-
mente licitara pela bocea, a palpitaco, a los-
se, o l'astio, os suorrs noite a l'ebre continua,
ludo isto fe/.-iiie perder todas as esperan-
cas, e eslava bem persuadido querr impossi-
vel podr livrar-me da morir. Nesla deplora-
vel crlse, entregue trilleta, e vendoque li-
nlia gallado nao pequea quantia e sem nc-
111111111 provelto, foi c|i, lint., de rolladas Laran-
gelras, onde eslava resiilindo, por felici-
dade iiiinln iiio-lraram-me um annuucio em
um jornal que na ra do Hospicio, n. 40, se
venda o xarope dos bosque, remedio que j
linda frito adiniavels curas na America do
norte; rrsolvi-mr c fui comprar na dita casa
una garris. Principie! a lomar, como declara
n autor cm um papi-l que aconip.mbacada gar-
rafa ; foi a ininha salv irao este poderoso reme-
dio : em menos de oilo dias de uso j era ou-
tra pessoa: desappaweeram o sangue pela boc-
ci, o fastio, a toase e os suores de noite : con-
liiiuei a lomar, e forain desapparreendo lo
coiisideravelnientc todos os meus sollrimentos
de tal forma, que todos os mcus amigos e co-
uliecidos se aduiiravam Je vri'-me lo rpida-
mente melliorar : boje o que me resla de lodos
os ineus sollriinenlns lie de dias a dias me ap-
pareeer a palpitaco; porm vejo-me de tal
iiiaueira que j me niio d cuidado, porque
Militas veiei Icm sido lufficiente um copo de
agn para fa/.cr defapparecer, ou tnniando una
eolher do xarnpe do bosque desfeilo cm urna
pequea porco de agoa : digo que'nunca pas-
sei tobeni de sai'ide durante viole c um annos
de molestia como agora ha sele para olio me-
zes, depois que principie! a tomar o xarope do
bosque, porque cu recupcrel o que julgava
perdido, que foi n minlia satide, se nao perfei-
ta.ao menos quasi per ti i n. tSo fui s cu em
ininha casa que fiz uso deste poderoso xarope ;
tive militas occasies de o applicar em pessoag
de ininha familia ciu cisos de constipajes e
tosse, e mesmo trnho dado drste xaropa- a al-
gumas i essoal do mea conliecimenlo, e anda
ini iieuliuina oceasio falhou de produzir ad-
iniraveis ell'eitoi: portauto, recommendo a
todas as pessoas que he o mais eicellente re-
medio para as molestias que o seu autor re-
comnieuda sem exageracao porque ninguem
poder di/.er melhor o que he este remedio do
que cu mesmo.
Tudo qiiaulo cima tenho declarado he a
pura verdade debalxo de minha patarra de
honra, o que jurarri se necessario fr,
e justificare! com quanlas pessoas frem
necesserias as que me riram doenle, e me
eslo vendo agora no estado cm que me
acho ; c qualquer pessoa que melhur se qui-
zer informar pode diriglr-se ra do Hospicio
ii. 40, que o abaixo assignado Ihe refirir ini-
niensi. casos em os quaes o excellente xarope
do ti -rs pie tem Ceilo seus extraordinarios rl-
frllos.
Esta minha drelarafo mandei fa/-la e as-
signei de minha lirre ronlade, e cora o nico
iileressc de prestar uin semen bumanidade
he que a fiz para ser mostrada a quera quizer
saber o que he o xarope do bosque do Dr.
Motls.
Rio-de-Janeiro, 4 de Janeiro de 1848.
Vende-se na ra dos 'uarteis, o. 12.
Vende-se urna negra moga, que sabe
bom coziuhar o diario de urna casa, engom-
mar, i'n/er, fazer renda, e lie tambem sapa-
teira .- na rua da Praia, armazem, n. 18.
-- Na loja, n. 21, da rua do Oueimado,
vendem-se os seguintes livros em bom uso
o por pirco commodo: Vanguerve Pratica
Judiciaria ; Caminha de l.ibellis; Disserta-
c'""'. Jiii idicas, sobre a intelligencia de al-
gumas ordenucOcs, em supplemenlo ao Ma-
nual Pratico, por A. C. Gumes; poderes e
obr.gar.oes do jury, por Carlos Cont; pri-
meiras noches de direilo positivo por Loba-
to ; Direilo Natural, por Fortuna ; Eusaio
sobre as garantas iudividuaes, por Han-
non ; Diccionario porttil, porluguoz e fran-
cez ; Resumo da historia do Rrasil e das
Cuicnas, em francez, por Fernando Diniz.
Vinho de Bordeatix,
das mais superiores qualidades ; hem como
vinho do Cliampanha da nova marca estrel-
la, j muito apreciado;, tanto aqui.como na
Europa : vende-se em casa de Kalkmann
irmaos, na rus da Cruz, o. 10,


~_
-- Vende-so um mulallnho muito bonito,
proprio para so mandar ensinar um ofllcio,
ou dar-se de Testa a qualquer fillio, do II
'annos, e que he vendido por necessidade :
na ra Inrga do Rozario, n 35, loja.
Na ruado Vigario, p.7, primeiro an-
dar, ha para vender-se duas pretas, sendo
urna moca e outra j de idade.
Batatas
Vendem-se batatas a 1,000 rs.
a arroba : no armazem da rtia do
Azeite-de-Peixe, n. i4, defronte
da Madre-de-Deos.
--Vendem-se "hons queijos londrinos,
ditos de prato muito frescaes e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos porluguezes para panella, Utas
com 2e4 libras de mermelada, ditas con
bolachioha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas rom hervillias, frascos com conservas
inglezas, queijos de qualha vindos do Cca-
r, por barato preco, mantas de toucinho
inglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauma,c
oulrns mullos gneros de boa qualidade :
a nrua da Cruz, no HeciIV, n. 46.
Cortes de cassa para ves-
tidos com 16 corados
por 5,1500 rs.
Vendem-se cortes do cassa para vestidos,
com 16 covados, a 3,500 rs.; ditos com 8
covados, n 1,760 rs. ; pecas de cambraia li-
sas com oilo varas e meia, a 2,720 rs.; pan-
no de linho muilo fino, a 480 rs. a vara : na
ra do Crespo, loja da esquina que volta
para a cadeia.
Taixas para engenho.
Na fundico de ferro da ra do Rrum,
acaha-se de receber um completo sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por preco com-
modo e com promptid.To embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
AGI-NCIA
da fundico Low-Moor,
BA DA SKNZAI.T A-KOVA, I. t\1.
Neste estabelecimento conti-
na a haverum completo sorli-
mento de moendas t meias moen-
das, para engenlio ; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
CO?do, de todos os taanlos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Ssntos na llaliia
Vende-se ein casa deN.O. Hieber & C.
a ra da Cruz, n. 4, alcodo trancado
daquella fabrica, muito proprio para saceos
deassucar o roupa de escravos.
Cha brasileiro.
Vende-se cha Irasilriro no arrr.nzeoifde
mplliados, alias do Corro-Santo, n. 66, o
mais cxcellente cha produzido em S.-Pau-
lo que lem viudo a este mercado, por
preco muito commodo.
Moendas superiores.
Na fundido de C. Starr & Compendia,,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
construcfio muito superior,
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, chegs-.dos
pelo ultimo vapor .viudo do sul superio-
res charutos S.-Flix, e de oulrns muilas
qualidades que se vendero mais barato do
que em outra qualquer parle : bem como
(iparrilbos hespanhes ditos de palha de
millw, que seesISo vendendo pelo diminu-
to i i i'i;n de 500 rs, o ccnlo.
Corles de brm de cores
com lislias solado, a
1,880 rs.
Vendem-se curies de hrim de cores com
listras ao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
godSo americano, pioprio para escravos, a
140 rs. ocovado: na ra do Crespo, loja da
esquina que volta para a cadeia.
Tecidos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-Santos.
> a rua da Cadeia, n. 38,
vendem-se por atacado duas qualidades,
Fioporrete.
Vende-se superior fio porrete, o me-
Ihor que lem vindo ao mercado; bem co-
mo o superior fio-de vela, por menos prc-
0,0 do que em outra qualquer parte : na rua
da Cadeia, n. 56, loja de ferrangens, de
Antonio Joaquim Vidal.
Os mais ricos mantele-
tes e capotilhos.
Vendem-se os mais asseiados mantelete:
e capotilhos de chamelote de seda e gor-
gurio, os mais ricos que teem apparecido s
na rua do Queimado, n. 9.
Ferro inglez.
Vende-se um completo sortimento de fer-
ro inglez, por mdico preco na rua d| Ca-
deia, loja de ferragens, n. 56, de Antonio
Joaquim Vidal.
-- Vendem-se cortes de cambraia de-co-
res, pelo barato prego de 2,000, 2,500, 3,000
3,500 e 4,000 rs.; cambraia de seda, a 3/
rs.: meias para meninas, a 160 rs.; 19a
com listras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
zinha propria para roupa de meninos e ves-
tidos de senhora, a 240 rs.; lila superior pa-
ra calcas, a 500 e 600 rs. ; lencos de algo-
dSo c seda com franja, a 600 rs. ; crtr s de
colletc de velludo, a 1,600 o 2,500 rs. ; cas-
sa-chita, a 400 rs a vara ; garca de seda, a
500 rsi o covado; cambraia de seda,a 560 rs.
ocovado, e oulras muilas fazendas tor
barato preco : na rua do Crespo, n. 15, loja
de Joaquim de Oliveira Muya Jnior.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Saolo, n. 66, por preco com-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se lornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e aturarem mais que as de espermacete,
e nSo fazerem morrSo.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem enligo da rus da Madre-de-
Deos, d. 36, est de novo establecido de-
baixo das mesmss condiefies, offerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
boa por220rs a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de liordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. N5o se admirem
os fieguezes do haixo preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietario querer sustentar o antigo pre-
co, emhora este genero tenha subido o me-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examiriem os
amantes a qualidade para reconhecimento
da verdade e continuadlo da antiga fregue-
zia. E para nSo haver usuras, esUo promp-
las garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barris de diversos ta-
annos para piovlsilo do prximo Natal.
O proprielarioconta com a concurrencia;
do contrario, tornarSo os precos do reta-
Iboa primitiva de 210 e 280 rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende se mnito nova potassaj
de boa qualidade, cm bai riszinhot
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
lempo se no vende : nc rtecife,
rua da Cadeia, armazem n. 19.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Farinha ele mandioca.
Na rua do Queimado, n. 14, loja de fer-
ragens, nimia ha algumas sacCas da boa
farinha de mandioca, muito alva e bem tor-
rada ; bem como urna porcSo de pennas de
cnia, proprias para espanadores.
Vende-se vinho do Porto muito supe-
rior, em barris-de quarto e quinto ; farinha
de trigo de ludas as qualiilades e em meias
barricas ; relruz do Porto, prlineira quali-
dade : panno e meias de lintio ; arcos jara
barricas ; farinha de mandioca em sarcas
grandes e a garncl a bordo da sumaca 8,-do-Carmo: ludo por preco commodo :
na rua do Vigario, n. II, piimeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunta.
=4
-TV
M
5&Ja
Vendo-se banhr de porco muito nova
e bem alva, em barris, em latas, as libra e
a rctalhn, a 240 rs. a libra ; na rua Impe-
rial, n. 37.
Para porcog.
Vendem-se saccas com feij3o
com algum furo, a 3,000 rs. cada
urna : no caes-da Alfandega, ar-
mazem de FranciscoDias Ferreira,
Umversalmente hoje he reconhecido
que na presenca de um par de oculos fixos
apropriadosaogro da vista do paciente,
fica inutilisado tudo quanto os diversos au-
tores desde Hippocrates at Raspailhe teem
escripto em medicina, tendente a curar
vista curta ou cansada, e tanto islo he cer-
lo que el les mesnios usam delles, em con-
sequencia quem osquizer, at niesmo com
o antidoto das canelladas, IrambolliOes, ca-
bezada o mais cal asir (i los, dirija-se rua
larga do Rosario, n. 35, loja de miudezts.
--Vende-se um mulalinho de 16 annos,
hom bolieiro e copeiro ; 4 moleques de
elegantes (guras, sendo dous delles corta-
dos na metade de seu valor; 2 pretas com
algumas habilidades; 2 pretos de 30 a 40
annos, sendo um delles bom canoeiro, e
vende-se por muito commodo prego para
liquidacSo : no |i.leo da matriz de S.-An-
tonio, se dir que vende.
Chegara ni novamenle ruada Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata
patente inglez, para homem e senhora.
Novo sortimento de fa-
zendas baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao p
do lampea".
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padrOes, cores fizas e cm 4 palmos
de largura, pelo barato preco de 320 rs. o
covado ; cassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; rlscadinho de lis-
(rasdelinho, a 240 rs. o covado,- hrim de
algodSo de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padrOes, a 320 rs. o covado ; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varas e urna quarta ; cassa preta coro
ramagem brener. para luto, a 140 rs. o co-
vado ; zusrtede cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOes e cores fixas, a 160 e 180
rs. ocovado ; chales de larlalana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodao america-
no, muito superiores, a 640 rs.
A 5iO ris.
Vendem-se chitas francezas, largas, mui-
to finas, fixas, muito miudinhas, cor de
rosa erousas, pelo barato preco de 320 rs.
o covado : na rua do Crespo, n. 14, taja de
Jos Francisco Dias.
Contina-se a vender bolacha de fari-
nha de milho, a 80 rs. a libra : na rus larga
do Rozario, n. 48, padaria.
fta rua do Passeio., n. 5,
vendem-se chapeos de sol da marca mui-
to grande, proprios parasenhores efeitores
de engenno : estes chapeos sSo muito bem
construidos e nimios fortes.
Vndese panno azul
proprio para fardamenlo ;
sola envernizada
para corroame;
cobre
para caldeir eiro c para forro ;
couro de lustro
*
9
Charcos do Chile
de superior qualidade.
proprias para saceos de assucar e roupa d 2 Pe-' .u,l!m0 i V'P,?,P-, refel,ersnl:so
PKPravn*. mais chapeos do Chile de superior
escravos.
Ruarles de furla-crcs a
2i is. o cov o e ris-
cado monslro a 280 rs.
Vende-se zuarle de furta-cores muito
encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na rua do Crespo, loja da esquina que
volta par a cadeia.
Paraqtiem tiver bom
gosto.
qualidade, que rontiuuam a vender- ^
S se a presos mais commodos do que 0
*> em outra qualquer parle J na rua do #
* Collcgio, n. 9. .
? ?
Farinha de trigo.
Vende-se superior fr.nlia de trigo fran-
ceza de l'mwiica, ebegada ultiniainente de
Klarselha : em casa de J. J. Tasto Jnior, na
rua do Amorim, n. 35.
Vendem-se saccas com lte-
lo, pesando (j6 libias, editas com
Vendem-se redes de cores muito grandes j ieijao rnjadinlio e blanco i ludo a
e muilo bonitos padrOes, e o inelhor que
tem apparecido neste mercado : na rua do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia.
Vendem-se amarras a< rrro : na rus
da Senzalla-Novo, n. 42.
-- Vende-se una parte dos sobrados de
tres andares, ns. He tu, sites na esquina
da rua da Cadeia, defronle do theatro de
San-Francisco : a falla rno primeiro andar
aIos ditos, com Joaquim Teixeira Peixolo.
i rem para cozinha.
Vendem-se panellas, cacurolas, chaloirrs
e fregideirss Torradas de porcellana; e larn-
bem o mesmo sortimenlo da louga france-1
za estanhada, e um completo soitiinento do]
bules ecafeteiras de metal; na rua da Ci-
5,ooo rs. a sacca : no caes da Al-
fandega, aimaiem doBacellar.
* rados de ferro.
.\a riindic.Ki da Aurora, enr S.-Amaro,
vendem-se arados de ferio diversos mo-
delos.
Cal virgem.
Cunha & Amorim, na rua da Cadeia, n.
50, conlinuam a vender barris com cal de
Jslia, da mais nova que ha no mercado,
por isso mais barato do quo em outra qual-
quer parte.
Folha de lalo.
Vende-se folha de lat/o de todas as grs-
suras, em porgAo e a rclnlho: na rus da
phos
phoros de Hamburgo
cui caisas forradas de tinco ; um sortimen-
to completo de copos, clices, garrafas, etc.
do miIio e tic crvstal : na rua da Alfandcga-
Vclha, n. 5.
Vende-se um escravo refinador ; na rua
das Cruzes, n. 40.
Calcado francezinlcira-
mente novo.
Na rua do Crespo, ao p do arco do S.-
Autonio, loja de miudezas, de Joaquim
llcnriqnes da Silva, sapalos de couro de
lustro para senhora, a 2,000 rs.; sapalOes
de couro de lustro, a 6,000 rs. ; ditos de
duas e tres solas, a 5,000 rs. ; sapatos d
ruino de lustro de urna sola para homem.
a 4,000 rs ; borzeguins gaspeados para ho-
ineui, a 7,0v0 rs.
Vendc-se um relogio de prata suisso,
com crrente de ouro ou sem ella : na rus
larga do Rozario, n. 26, loja de miudezas.
Eslanlio em verguinha e
folha de Flandres.
Vende-se estanto em verga, o folha de
Flandres de superior qualidade, em porc..1o
ea retnlho : na rua da Cadeia, n. 56, luja
de fciragens, de Antonio Joaquim Vidal.
Bracos para balanca do
autor Homao &c.
Vendem-se os excellentes brtQos (ara lia
lauca, do mcihor autor Komio, j bein co-
ndecidos pela sua boa qualidade : na rua
da Cadeia, u. 56, loja defenagens, de An-
tonio Joaquim Vidal.
Yende-sc urna mobilia
de Jacaranda quasi nova, sendo duas ban-
cas, um sopha, una mesa de mciodc sala,
14 cadeirus, seudo duns de bracos, urna ca-
nia de angico, de arinaco: no pateo do
Cumio, n. 13, suhl'adu de varanda de pao,
esquina do buceo da Romba.
.Vendc-se urna |orcfio de madelra, pro-
pria para enchimcnlo do casas de laipa, a
qual foi lirada tara este fim, e existe jun-
to ao embarque, no lita do Becco-l.argo, no
Recife, onde roi tanque d'agoa.
Nu rua jNov i, n. 10, ven-
dem-sc encerados novos,
muito bous, de todas as larguras o de bo-
nitos padrOes, por preco muito commodo,
Vende-se umaescravade nacto, moca,
piopria para lodo o servico ; una cabra
que cozinha o diario de urna casa, engom-
ina sull'i im.'I, e he boa ensaboadeira : de-
Vende-se superior fio de al-
godao para pavios^de velas : cm
Asa de Geo : Renworthy & C.,
na rua da Gru, n. -i.
Ao bello madamismo
se offerece transparentes e limlissimas cas-
sasda mais moderna esposi^ao de Paris,
cortes de 10 varas, pelo rasoavel preco do
7,000 rs.: na loja de Antonio Lua dos San-
tos C. na rua do Crespo, n. 11.
Polassa nacional.
Vende-se potassa nova da fabrica nacional
do Rio-deiJaneiro ao haratissimo prer;o de
180 rs. a libra. Os senhores de engenno de-
vem todos mandar comprar desta potass
afim de animar a fabrica que com tantos
sacrificios se estabeleceu e foi a causa de
baixar a este preco : na praca do Commer-
cio, n. 6, primeiro andar, escriplorio de
Manoel Ignacio de Oliveira.
Na loja da rua do Cres'
po, n. 1-4, de JosFran
cisco Dias,
vendem-se riscadinhos muito finos, rou-
xos. encarnados e cor de caf escuro, mui-
to fixos, pelo barato preco de 00 rs. o co-
vado ; cassa-chitas francezas, muito fixas,
a 480 rs. a vara ; chitas largas francezas, a
360rs. o covado; brim de linho azul miu-
do para aqueta, 440 rs. ; brim amarello
enfranjado e de puro linho, a 1,600 rs.
meias par* meninos, a 200 rs. ; ditas ham-
burguezas, muito encornadas, fazenda mui-
to superior, a 400 rs.; picote muito encor-
pado, fazenda de muita duracto e propria
para escravos. pelo diminuto preco de 200
rs. o covado ; cortes de brim de listras e
quadros, a 1,120 rs. o corte; ditos de qua-
dros o lista ao lado, fazenda muito encor-
pada, pelo barato preco de 1,400 rs. o cor-
le ; e outras muilas fazendas por barato
preco.
Vende-se a loja de livros,
com todos os seus pertences, que
foi do bacharel Bernardo Jos Yi-
eira Coutinlio, lita na esquina da
rua do Collegio : os pretendentes
dirija m-se ruado Vigario, n. 7
primeiro andar.
doia, n. 56 loja do ferragens, de Antonio Cadeia. n. 56. loja de ferragens, de Antonio
Joaquim, Vidrt. iJoauim Vidal.
fronte da r i be ira do peixe, n. 3.
Vende-se una agulha de' marear, fei-'do, por prego commodo: na la
j U toda de metal 1 na rua da Cruz, n. 64. gfio, n. 8.
m
^ Atoalhado de linho. %
v> Wnde-sc atoalhado de puro linho, 41
pv com 8 paln os de largura, a 3,500 rs. 4B
k> a vara ; dito com 9 palmos, a 4,000 &
* rs.; guardanapos linos de puro li- J
* nho e adamascado, a 10,000 rs. a J
f duzia ; um completo sortimento do ]2
^ toalhasda mesma fazenda, de varios
'i-y tamanhos e de dilTerentes precos 1 ^
na loja do sobrado amarello, nos ^
y. quatro cantos da rua do Queima- ^
m d0 "29-
Maya Ramos & Compa-
nha, com loja
na rua Nova, n. 6, acabam de receher um
lindo sortimento de fazendas francezas da
melhorqualidade e gosto possivel, cons-
tando de lindos jarros para flores naturaes,
lanternasde p de vidro ; serpentinas de
ps bronzeados e de 5 luzes; jarros e ba-
cas de porcellana dourada, cousa de mui-
to bom gosto e qualidade ; linteiros de por-
cellana e tambem bronzeados; manteiguei-
ras de porcellana e de vidro ; caixinlias ps-
la botar salan, de vidro e porcellana ; cai-
xinhas para guardar escovas, tambem de
porcellana e vidro ; chicaras de porcellana
dourada e lisa ; palmatorias de p de vidro
ede casquinhs, proprias para piano; di-
versas figuras com peso sufllriente para se-
gurar papis ; divertidissimos jogos de vis-
pora pelo diminuto preco de 1,600 rs. ; io-
gos de xadrez, damas e domin ; chapeos
de palhinhaabertose fechados pura senho-
ra ; filas para os ditos; luvas do seda para
meninas; e oulras fazendas novas, quo se
vendem por preco rasoavel.
Vende-se, no fim da rua da Aurora, n.
4. un> temo de tambores com iguilhdes e
rodetes, por 320,000 rs.; temos de carretas
solas, por 20.000 rs ; urna canoa de car-
reir, de um so pao; urna dita grande do
1,200 lijlos, e que precisa de obra no
fundo.
Vende se um sitio i beira do rio, com
mais de mil palmos de frente e ha i xa de
capim para 30 feixes por dia, com grande
casa moderna, contando duas salas gran-
des, dous gabinetes, duas alcovas, 3 guar-
ios e cozinha fra ; he perto da praca, ror
ser antes de chegar ao Poco-da-PanelU : na
rua de S.-Amaio, n. 16.
Vende-se um sobrado de um andar,
em clios proprios, na rua Imperial : no se-
gundo andar do sobrado da esquina do bec-
co doOuvidor, na rua da Cadeia, se dir
quem vende.
Cal virgem.
Vende-se superior cal virgem em pedra,
em barris de 4 arrobas e meia, chegada no
corrente mez do Lisboa, pelo brigue Novo-
Vencedor : na rua da Moda, armazem n. 5.
Vende-se um pardo de bonita figura ,
proprio 1 ara psgeni: na rua das Larangei-
ras, 11. 18.
Vendent-se ricas toalhas de
lavarinto ; na rua da Cadeia do
Hecife, n. 9, loja
Vende-se urna preta de bonita figura,
de 20 annos pouco mais ou menos, que co-
se chflo. uiiu.ori.rna liso e faz todo o mais
ser vico de urna cisa : na rua do Li vi -ameri-
to, n. 1.
Vendem-se 3 escravos de 22 a 30 an-
nos, de bonitas figurns; 4 molecotes de 10 a
18 anuos ; duas pardas mocas ; 3 negrinhis
de 18 annos; urna escrava da Costa; duas
lindas mulalinhas de 18 anuos : na ma lli-
reita, 11 3. .
Vende-se um cavallinho, propiio para
montara de menino: na ma da Aurora,
venda por baixo do sobrado prximo a em-
pellados Inglezes, se dir quem vende. '
\ende-se um tromtSo cm bom esta-
do Ara-
Vendem-se duas moradas de cssas ter-
reas, ou cada urna de per si, no bairro d '
S.-Jos, urna rende 9,000 rs., e a outra
5,000 rs.: na rua da Gloria, n. 86, ou aiji
nuncie.
Vendem-se 162 palmos e meio de ier-
ra, com urna cacimba, %rvores de frurt0
murado e com alicerces para casas, chaos
proprios, no becco das Barreiras, perto Oo
rio, e com mais de 500 palmos de fundo,
ptimo para qualquer estabelecimento, ou
troca-se por casas terreas ou escravos sem
vicios nem achsques: ua rua da S.-Cruz
n. 66, defronteda ribeira.
Vende-se um par de brincos, urna me-
dalha com diamante, um lago do filagrana
um annel com dous diamantes : na rua d
Crespo, 11.12, loja.
Vendem-se pecas dealgodflozinho com
80 jardas e com toque de avaria, a 64o
1,280 e 1,760 rs. .elimpo a sete patacas-
pecas de chitas de bons pannos, a 4,500 rs.
0 difcionnrlo de Mc-raes da quarta ediefio!
quasi novo, por 20,000 rs. ; 1 fole de folear
fonnigas : no pateo do Carino, n. 18, pri-
meiro andar.
Vendem-se 8 escravas; urna dita de
muito boa figura, que cose, engomma e co-
zinha, tudo bem feito ; um escravo moco,
bom official de pedreiro; um dito bom co-
zioheiro do diario de urna casa ; um dito
bom official de sapateiro de cortar e fazer
toda obra ; um dito de meia idade, por
150,000 rs. ptimo para Irabalhar e botar
sentido a um siti, ou servir a una casa ;
dous moleques, um do 12 annos, a a oulro
de 16 ; urna preta para quitanders, por
preco com modo: todos estes escravos sa
d8o muito em conla : ns rua do Collegio,
n. 91, primeiro andar, se dir quem vende.
Vende-se, por preco commodo, urna
agulha de maroar : na rua Direila, n. 49.
1 -- 1 "'i ---------------- >
Escravos Fupcofr
Fugiram, do engenno Matto-G;osso,
comarca do Cabo, na noito do primeiro do
corrente dous escravos Benlo, pardo, bas-
tante claro, baixo, feicOes regulares, pouca
barba, cabellos castannos, denles limados,
pernas grossss e um tanto arqueadas; leve
bexigas ha pouco lempo, por isso est com
a cara marcada ; tem aparencias de mari-
heiro e quer passar ppr forro ; nilo he a
primeira vez que foge ; foi preso no anno
prximo passado no Brejo-da-Areia ; levou
camisa de algodao, ceroulas e chapeo de
palha; representa ler de 24 a 25 anuos;
Jofo, preto, de ns(flo Cablnda representa
25 annos, ladino, buicudo, barbado, corpo
e tamanho regulares ; lem parle da cabec
pellada ; est um tanto amarcllado; fram
juntos : quem os pegar leve-oso dito en-
genno, ou no Rpcife, casa de Jos Theodc-
ro de Sens, quesea recompensado.
Fugio no dia lo do correrito pelas 6 ho-
ras da tardo um molequinho, re nomc l.ud-
gerio, de 12annos de idade, bem prelo,
olbos grandes, tem em um pe um dedo,
3ue levanta por cima do oulro, levou vesti-
0 carniza de riscado e caifas de brim 20:
quem o pegar leve-o na rua da Cadeia do
Recife, n. 51, que ser recompensado.
Fugio, no da 10 de dezembro do an-
no passado, a preta Rosa, de nacilo, de 50
annos pouco mais ou menos; foi vista cm
Muribeca, onde j foi ir oradora, por t< r sido
escrava do lllm. Sr. coronel Agostinho lie-
zerra, ou de um de seus prente ; he bai-
xa, cheia do corpo, nadegas empinadas, ca-
ra redonda e lustrosa, feicdes amacacada's;
lem a pelle dos bracos enrugada e cinzf nta,
ps pequeos, andar camhaio, por ler urna
estrepa la na sola dop direito, e urna fe-
riila no dedo pequeo do p esquerdo o os
dedos grandes ruidos de bexos, com falla
de denles na frente do lado inferior, falla
queso percebe ; levou camisa de algodo-
zinho com mangas de madapolfio, saia de
chita e panno da Cosa azul tudo villio:
quema pegar levo-a a ruarla Paria, arma-
zem de carne, de Ignacio Luiz de Brilo Ta-
borda, que gratificar.
-- Fugiram do engenho Frexcira, fregue-
zia de N -S.-Ja-Escada, na noite de quarta
para quinla-feira dos dias santos de Testa
do natal, nm preto de nome Luiz e sua mu-
Ibera cabra Mara, ambos de idade j atran-
cada ; leVaram urna cria fllha dos mesmos,
tambem cabra; suppOe-se que estes escravos
linham vindo-. para esta praca, ou se tc-
nham dirigido para as partes do sertSode
onde j foram, e que digam screm forros,
poisquea cabra Luiza lem isso por coslu-
me. Pede-se, portanto, os autoridades po-
liciaesecapilfles decampo, que os appre-
hendam e levem-nos a seu ligitimo senlior,
Jos. de Sena Santos, no engenho cima
mencionado, ou nesla praca, a Cunha &
Amorim, na rua da Cadeia do Recife, n. 50,
que so pagarSo lodas as despezas e se gra-
tificar.
-- No da 7 do corrente, desappareceu da
ri do abaixo assignado, morador na rua
Concordia, na quarta rasa, passsndo a
ponlezinha, do lado esquerdo, o seu escra-
vo Joaquim, de nacXo, que representa ler
40 annos pouco malsou menos; levou cal-
Cas de algodSo azul com coz de enliar, ca-
misa de algodSo branco, bonete prelo na
cabec eum lencol de algodSo ; o qual he
bom conhecido, por ler sido escravo do pa-
dre Thom da Silva CnimarScs, e ler ser-
vido deservente de pedreiro com diversos
musties ; lem estatura regular, e um doJ
calcanhares dos ps gretados que parece
principios de aristim: quem o pegar le-
vo-oem dita casa quo si r recompensado.
Jos Antonio Correia Jnior.
--Fugio, no dia 13 do conenlo, a larde,
urna parda de nome Mara Tberezn, de 40
annos, secca do corpo, bastante alia, resto
Cilrprido, com iiasiautes mareas de hcxl-
gas, pese n,3os grandes ; cosiuma a lomar
roupa para lavar, cabellos grandes; sup-
pfle-se rstar escondida em alguma casa. Ito-
ga-se a todas as autoridades policiaes e es-
pitaos de campo, que a apprehondam e lo-
vem-na rua Direila, n. 3, a entregar a sua
senhora, a viuva do fallecido Antonio Ru-
fino Ferreira Psdilha.
-- Fugio, do abaixo ssignsdo, um prelo
de nou.e Cuilherme, de nacTo Congo, de 2j
annos pouco mais ou menos ; he baixo ;
cosiuma a embriagar-se ; tem os dedos m-
nimos dos ps deffeituosos quem o pe-
gar levo-o rua da Senzalla-Velha, n 68
ou 94, que ser bem (ratificado. Adverte-
se que fugio no dia 14 do corrente, e que
he quebrado do escroto esquerdo.
Joto Alces deSouza.
Pan. :Hi "I*. "EM t.
PE MU. ~ *50


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4Q40BX7M_EGAQ44 INGEST_TIME 2013-04-24T17:16:22Z PACKAGE AA00011611_06760
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES