Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06759


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
Atino XXVI.
Ter^n-fera
ti;
PARTIDA! DOS COHBElOi.
Goiaiina e Parahlba, segundase sextas feiras.
11 (>-("iandcdoINor te, ijuiulat feiras ao incio-
dia.
Cabo, Serinhoem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macei, no l.", a II, e '21 de cada mez.
Garanbunt r. Bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vista e Florea, a 13 c 28.
Victurla, lis quintal feiras.
Olinda, todos os das.
irnimniDis.
/Ming. a 5, s 6h.el8in. da m.
Piusrsn. im Nova o'3-" 9 h. da inanhaa.
1IUSESBALDA. JCiMC a2| J ?he ,. da ,,
(Chela a 27, isl0h.e36m.dat.
PnCAMIH DI BOJE.
Primeira as (i horas e 54 minutos da larde.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da inanhaa.
aBssBBa
de "Janeiro de 1850.
N. 12.
''Tito
vacos da suBScnipqo
Por tres mezes (adiaiuVuios) 4/000
Por seis mezes 8/M10
Por um auno 15/000
DAS da semana.
14 Seg. S. Flix. Aud. do J das orf. e ni. 1. v.
15 Tere. S. Amaro. Aud. da clianc., do J. da 1. v.
do clv. c do din I. i ios da fazenda.
10 Quart. S. Heraldo Aud. do J. da i. v. do civel.
17 Ouint. S. Anto. Aud. d J. dos orf. c do tu, da
. v.
18 Sext. S. Prisca Aud. do J. da 1. v. do civ. c do
dos feitos da fatenda.
19 Sab. S. Canuto, Aud. da Chae, cdo J. da 2. v.
do crlme.
20 Doiii. O Santissiuio Nomo de Jess.
: iiihummM'iiwt *. -* -2K^v. -jfi.: ir jgjgaHBMWPTEMg*
CAMBIOS MU D* JANBiaO.
Sobre landre*. 27J/t a 28 d. por 1/000 ts. a 60 dias.
. Paris, 310.
. Lisboa. 100 poj cento.
Ouro.-Oncas hespanhoes......... 29/000 a 29/500
Moedas de 0/400 vclhas.. lMHW a 17/00
. de 6/4(10 novas.. 10/200 a 10J40
. de 4/1)00........... 9/200 a 9/40U
/Vula.-Patacocs brasilclros...... W> J/g
Pesos columnarios....... 1/J50 a 1/970
Ditos mejicanos.
EXTERIOR.
L0NDP.ES, 9 E NOVEMBRODE 1849. *
Desde o comeco da desgrsesda lula qins
alienou tima poreflo dos dominios dinamar-
quezes da obediencia devida ao seu sobe-
rano, e condemnou rssas provincias aos
horrores da guerra civil, agravados por
urna invaso cslrangeira, no temos nunca
rerdidode vista oapiinc'p'osqoe o valore
honestidade dos liinamarquezes tcm firme-
mente defendido, esforcndo-nos por exrr
os artificios o illusfles pelos quaes a causa
dos ducados deHolstein e Schleswig ha silo
levada a arbilraoQSo da espada ; porm no-
va luz he agora lancada sobre oslo objecto
pela pulilii-;\q"m de urna poreflo consilera-
vel da correspondencia secreta do duque
de Austemburgo coro seos parentes mais
chegados.e seus agentes secretos.
Estes documentos fram apprehendidos,
ha algum totopo, pelas frcas dinamarque-
: zas na lita de Ais; elles sflo agora publi-
cados com a ssncQRo do governo dinamsr-
que7, e poslo quenflo alcancem ao periodo
. mais recente deslas transaeces, todavia
expoem olaraeeTeclivamente luido di,
praliras Wo vis, tilo interesase*, e um tissi-
dotal de villanas, quedevem dar um gol-
pe m0'tal na caust sustentada pela opiniflo
pervertido da nacflo germnica.
O duqup de Augustemburgo he o prenle
colleteral mais chegado da casa real da Di-
namarca. Elle reprsenla essa familia de
HolsteinCottorp (na ausencia do ramo rus-
so), cuja inimizade com o outro ramo da
familia reinante deu lugar a esses incessan-
tes disturbios do norte da Europa no secu-
lo XVII, os quaes fram filizmente termina-
dos pelo tratado de 1720, e pelas garantas
das grandes potencias ; porm, comquanto
os representantes desla faniila oceupassom
urna posieflo elevada no reino da Dinamar-
ca, comquanto gozassem da dignidade de
principes do sangue real, cOtr.quanto lives-
sem um direilo revcrsi'vo cora, fossem
honrados com a cndanla do soberano e
exercessem altos empregos nos ducados,
esses papis, alguns dos quaes aleancam a
30 .unios passados, moslram que estes prin-
cipes de llolsleinteein constantemente-con-
siderado seus proorios direilos e inleresses
como distinclos dos da cora dinamarque-
za, e que em lempos mais recentes, n;1o
escrupulizaran) em fomentar um espirito de
tTeiciio por meio das mais osean I,.lusas
i, eliinces, excitando linalmento urna in-
surreicflo, que linlia porobjocto adesmem-
l)iac.no do reiuo.
He curioso observar que no principio des-
tas ii trigas o duque de Augustemburgo e o
principe do .\oer, seu irmflo, fram os ho-
mens que mais ardenlemcnlo se opposeram
a e.t- s direilos populares que dopois servi-
ram de pretexto a sua rebclliio. Em 1831
o principe de Moer represenlou o rci con-
tra o projecto de urna constituidlo para os
ducados, epropoz um plauo pira evitara
uni'iu administrativa dos meamos Em 1837 o
piineipe ridicularisou o epstola dirigida
pelos imbeceis professores de Kiel aos
miseraveis que tintiam sido expulsos de
Coi Impon pelo le de llanover; sendo osles
miseraveis os seto professores, Dalil-
inan, Gervinus, Grirnms, Ewal I, ele, os
quaes deviam ser os principos alijados dos
imbeceis professons de Kiel edesles mea-
mos principes na proclamaijflo da indepen-
da dos dundos Comludo neste iiiesmo
lempo o duque do Augustemburgo tintn
entecado o ganhar a imprensa e liuha pu-
blicado em Halle no mais profundo segredo
um opusculo annimo, escripto por elle
ii:osmio, sobre a sucqflo de Schleswig-llols-
tein, no ()ii..l enunciou fs ideas subsrauen-
lenirnle adoptadas pelo publico germnico.
Desde este lempo ionio, conhecimento de
joa cbI'bI do mais extraordinario genero
para o flm do empecer todas as meJidas do
governo dinamarquez nos ducados, para sc-
mear a disaiTeico, e sobro ludo para obrar
sobre a o| iuiSo publica por meio da im-
prensa.
Por muitos anuos o proprio duque de Au-
gustemburgo foi o principal corresponden-
te das gazetas que poderam ser induzidas a
favorecer seus projectus. Elle empregou
urna multidiiu de agentes, pela maior parto
de um carcter mu baixo e miseravel, para
ajudaiem-noa proseguirnesta guerra clan
de tina, e he sabi.o, qoa lingoagem das
seguintes gazelas-- Mercurio de Aliona, a
Cazela de llzehoe, o correspondente de Kiel, a
Caz,la de Ilendsburgo e o lorienhalle, he per-
fcitomenle idntica. Seus artigos pai liam
de urna mesma fonlo. Em alguns casos, u
tonillos artigos do duque foi tilo violento,
que fram regeilados. Urna tentativa au-
Uuciosa, lona para publicar urna gazeta na
lingoa dinamarqueza paro o tiin do atacar a
supremaca da Dinamarca, foi inleiramente
mal succedida.
A Caseta de \uiburgo foi tambem suppri-
mida pela ir. es ni a abundosa fonto, e parece
quoalem Franca e Inglaterra se fizeram
tentativas de urna impudencia anda mais
eslravaganle. Eis-aqui una carta escripia de
Pars sus 28 de novembio de 1843 por um
ll Sr. Vf> uckett ao duque de Ausgus-
teriiburgo.
Se vossa alteza serensima lie de opt-
IrtUo que a imprensa cslrangeira, obe.lecen-
do a um impulso oceulto e hbil, pode con-
correr para a manuteneflo e defensa dos di-
reitos de sua CHSa, terei muilo gosto em por
a disposic.lo de vossa alteza o conhecimen-
to pessoal que lenho (leste solo instavel,
Iransmiiiindo as gnzelas de Paris e Londres
^especialmente ao times do qual um dos
priucipaes editores, o Sr. Hirwao, advoga-
do do banco da rainha, he met amigo,) urna
recommendacSo e urna ordem calculadas
para influir mais ou menos directamente, e
mais cedo ou mais tarde, na declsilo de urna
qliestAo, A qual estilo ligadas as mais sitas
considerarlos polticas. Fico espera das
instrueces do vossa alteza.
Nilo oceultnremos a imlignacSo que nos
causou esta dupla impostura deque fram
victimas o duque e o mundo ; o duque son-
do ni 1 uy ido a crr que eramos capazos de
tornar-nos os instrumentos <) que em outra parle tinham tido tilo feliz
successo; o mundo sondo levado a abraQar
urna causa defendida por meios taes como
estes.
He quasi superftuo accrescenlarmos que
as pessoas, cujos nomos figuran neste ne-
gocio, nflo t'-em nenhuma connexlo com o
Times, e poto que nflo tivessomos os moios
de penetrar as profundidades destas iniqui-
dades ; quando os negocios dos ducados
comecaram a attrahir a altenco da Europa,
todavia o juizo que formamos foi inleira-
mente hostil ao partido do duque; por-
quanto o direilo eslava de urna parte, p a
fraude da outra. O tempo ha justificado a
nossa desconfianct ceica da un causn
quo foi deshonrada por um tal cliefo.
Os limites de um arligo de gazeta nilo
nos permiti multiplicar as particularida-
des desla conspirarlo, as quaes a corres-
pondencia publicada abundantemente pa-
tntela ; diremos smente quo entretanto
que estes principes desloaos aceitavam os
maiores signaos de oontianca do rci do Di-
namarca, caffeclavam una solicitude exa-
gerada pela seguranza do sua pessoa, esta-
vam tialiin to (isto uo admiti iluvila) o
seu soberano da maneira a mais baixa.
O ti ni que se propun'ia, era estabeleccr um
partido allemao tu poderoso nos ducados que,
quando a successo norte passasse do presen-
te inenarcha, o qu.il nao tein descendencia,
para a familia Augustemburgo, esta fosse acei-
ta como herdeira afini de reunir todos os do-
minios dos reis dinainarquezcs debaixo de um
s sceptro. Em lodo o caso, disse o princi-
pa de Noer a seu frmao no anno de 1844, os Di-
namarqueses vos preferiram aos Ilersianoi ; e
pelo iiiesino tempoSamwer, jurisconsulto era-
pregado pelo duque para escreveruui opscu-
lo c g.inliar a imprensa, fj/.ia a seguinte obser-
vo, .m : O outro meio de assegm ar a unida-
de da monarchia lie a miunciu da tinhi /irula-
ra. Pelo menos he consolatorio reflectir que
se ellos, csusaram iuiiuineraveis males ao seu
paiz, lainbeni liveram seus iiicreciincntos, c
hao sido punidos pela perda de tudo, at do
seu bom noine.
Nao deixaremos eomtudo este assiinipto itin
fallarinos das indicarnos fnrnrcidas pela cor-
respondeDcia cilada relativamente conducta
do rei da Prussia. Km novembro de 1844, o
principe Waldemarde Augusteu burgo, escre-
vondo de Potsdam a seu pai, disse que o pen-
saucnto germnico ia coinecando a irevalecer
all, e que, se ocaso se lornasse urgente, al-
guma cousa se poderla faier naquella parle.
Mos circuios mais altos, di/, o duque, nada
buco, rita da Cadcia de Santo-Antonio, nu-
mero 22. Casanova.
lllm. Sr. Dr. Casanova. Sendo eu cu-
rada porV. S. do urna hemorrhagia, que
linha resistido os remedios prescriptos p> la
allopslhia, jnlgo dever dar-lhe um tete-
munlio do met reconhecimento ao boncli-
cio que de V. S. recebi, pois que usando do
remedio homccopalhco por V. S. applica-
do, dentro de qualro dios recobrei a laude,
e me aclio perfeitamonlc restabelecida de
tilo torrivel enfermidade. Queiram oseos
dilatar os rlias de V. S. para bem da huma-
nidade subjeita a tantas molestias, as quaes
encontram liloprompta rura na homecopa-
thia.emquanto ouassiz agradecida me de-
claro de V.S serva humilde
Liandra ila'ia da Encarnario
niilRIO HE PKRTMBIICO.
1XECIFE, 14 DE JANEaO DE 19S0.
Pelo vapor Bakiana, chegado hojo dos
[mitos dosul, recebemos gazotas flumiiicn-
ses ot 2, e da Babia al 10 do correte.
Na corle Indo corra regularmente.
Em sessto preparatoria de 29 de de-
zembro ultimo, a cmara vitalicia ap-
provra e declarara gemdores do im-
perio os Srs. Mauoel Felisardo d^ Snuza
n Mello, Candido Itaplista do Olivcira,
Francisco de Paula Pessoa, Paulino Jos
Soares do Souza e Joaquim Franco do.
S, dos quaes os qualro primeiros tomaram
assento o prostaram juramento nessa mes-
ma sesso, eo ultimo na seguinte.
A enmara temporaria, ao terminar sous
trabalhos preparatorias, linha approvado as
eleices tiesta provincia, de MaranhiTo,
Minas-Ceraes, S.-Paulo, Rio Grande do nor-
te, Babia, Coyas, Para e Sertripc; sendo
que, no correr da discnsso sobre os pare-
ceres relativos a algumas dessis eleices,
pronunciaram-se varios discuros dignos
de serom lidos, entre os quaes prima, quan-
to a nos, o do Sr. Sonza Hamos.
A 1 Uvera lugar a imperial sesso (da
abertura sb a protideooia do Sr. baro do
Monlc-Santo pola maneira seguinte :
Ao meio-dia, reunidos os scnliores do-
putados e senadores, so nrjmcados para a
depulacSo quo deve receher a S. M o Im-J
perador os scnliores deputa los Alhuquer-
quo c Mello, Carneiro de Campos, Jobim,
Cruz Secco, Pedreira, Fernandos Vivir,
Silva liiiimai .o s. SOUZa llamos, Nuiles do
Aguiar, Pereira da Silva, Cnneiro da Cn-
nna, Bastos de Oliveira, Zacliarias, Araujo
l.ima, Mondes de Alinela, Jansen do Paco,
Pereira de Vasconcellos, Aprigio, tiraca,
Nabuco, vigario Silva, Monleiro do Barros,
monsenhor Silv-rira o Antonio Joaquim de
Mello ; os senliores senadores viscoude) lo
dasinvolvimento da industria : urge, pois,
dar-lhe maior estabilidade e felizmente o
melhoramenlo do nossas rendas permute
que comecemos a empregar alguns meios
para consegui-lo.
BccommenJo-vos muiloespcn;almcnle
que providenciis sobre o modo dosupprir
lavoura os bracos que diariamente Iho v3o
faltando. .
ii vossa ronsideracilo sero submeltiJas
alguma%proiostas sobreests ooulrosob-
jectosquosOo reclamados pelos inleresses
lo paiz.
Augustos o dignissimos senliores repre-
sentantes da naQilo. As nstiluC-0es monar-
chico-representativas consagrando a inler-
ven des interosses, garantiudo os direilos o li-
bertado dosciuad.ios, protegendo odesin-
volvmonto da industria o conmercio, so
o mais seguro ponlior da prosporid ido na-
cional: esforcemo-nos, pois, por mani-las
illosas. A harmona entre os po lrca poli-
ticos do estado he o meio mais efflcaz do
consegiiirnus esso lin ; e dar ao paiz o
exoinplo de uniio e concordia, som as quaes
nSo pnlera elle alcanQir a frca e grande-
za a quo o tcm destina lo a Providencia.
Est a berta a sessflo,
Terminado este acto, retiram-sa SS. JIM,
II. como mesmo ceremonial com quo lia-
viam si lo recebi los, e iininediatainmito o
Sr. presidente levanta a sesso.
S. M. o Imperador dignr.vsc de conferir
honras de grande do Imperio ao bar-fio do lla-
pciiiei'lin, Joaquim Mareellino da Silva Lima.
O 3r. concellieiro Manoel Kebardo de Son/1
e Mello fra condecorado com a giaa-ciu/. de
Cliristo por S. M. a rainha da Portugal, em
consequencia dos servicos prestados pela mari-
nln brasilera a nao Vascn-tla-i*imt.
Por decreto de 18 de deseiubro Ultima fra
nouieado conimandantc superior da guarda
nacional do llrejo e Ciuibresfo cidado Fran-
cisco Alvos Cnvalcantc Gamhoiin.
Obacharel Francisco Caelho borgei Obllvera
recondu9io no lugar de juii municipal e de
orphaos do lernio de Santo-Antonio, na pro-
vincia de San-Pciii'o do Hio-Grande do sul.
O Jornal lo Cnmmereio de 1 do crreme noti-
cia que o Sr. Bonard, novo governador de Tai-
tv, levar i instrueces para estabeleccr naquel-
la ilba um arsenal que olereca navegaciio
de todas as nacoes os neeessarius meios de
mainriaa um delles, recusaram votar em
qualquerdos candidatos, e tornaram assim
mais complicada a situae9o.
Neslas cireiimstancias impossivel era
ehegara um resulladosem alguma transae-
?f(o. Era o que so presuma acontecera
no dia 5, votando os whigs no candidato
aprsenla lo pelos mentiros dissidenles
do seu partido, olim de tiraren a adminis-
traco dos embara(os em quo s" cima.
Decidida, porm, a questilo da presi-
dencia, Rea em p a da escrayido, quo
Miue.ioa peiturhar a paz da Uniio. O He-
rald do da 5 diz :
Nilo voinos taboa do silvarjio pira o ga-
biuein ou par o partido vrhig. Docidam
quesillo comi quizerem, sera s^mpro em
dcsvantagc.il sin; o, so a no deeidirem,
augmentarflo suas dissenQ*ics. E tambem
no est oni mellior posiijiio'o partido de-
mcrata. A quesillo d i escravido divide e
abala a s:a orgniisaco ; mas no congrosso
essa divergencia he-lho menos prejudicial
do que aos whigs. O partido wliig esla no
poder edev-i ineurrer a respousabtlidade do
governo. Eis-alii o banco em que ha do
naufragar.
A d'.llicublade desla questilo de escra-
viJilo he extra constitucional. Nenhuma
disposiefio ha na constituiQlo quo Iho seja
a;iplic*vel: os seus autores nunca sonlia-
ram em urna contingencia como esla da >
California e Novo-Mexieo. Tiveram diflicul-
dadesSobre a escravido, etaes que amea-
Caram graviisimas consequencias. Mas, por
proposta do Dr. Pranklin, eio a conveiiQflo
de isi7 a urna Iransacgflo da qual resultou
um pacto que ligou os estados por mutuas
concessGes o obrigi^es.
Em 1820 a questilo do Missouri apresen-
lou os'a lillicul la I i doliaixo de urna nova
forma. Arranjou-so, porm, por meio do
nova Iransacco; e, posto to/lo o paiz flcas-
se saiisloilo, nflo lioujre um s mimbro do
norte que por ella volasse quo no perdes-
se a conflanca dos seus coiistituintes, por
ter cedido as preten(0es dos senliores do
oscravos do sul. O nosino acontecer boje.
Si os whigs do noite se roiinirem aos
niiigs o aos demcratas do sul nesta ques-
t i, desapparecer inevitavelmente o par-
tiilo w \ig do norte. Se n iransacco no so
concerte reparacSo de que poisaui carecers, |)0 )e Jugiar a queslo, o a divergencia en-
cn.barcaroes que navegam aque les mires. Ufe 8S dU8S SeCCOeS da UtliilO toma um as-
ina
se sabe sbreosle negocio, e em verdadcellcs
leeiu mu pono scencla das cousas liuiiiaiias
em geral, e esta talvez seja a rasao de inuiaa
pessoas prociirarem sua felicidade no co. O
reinu Imi ntnhum conhecimento da qaestJo, amr-
uio isto [irlas conveisaces que com elle tenlio
tido ; 'porm abraca o interesse germnico,
todas as veies que se llic aprsenla esta ideia,
infelizmente elle mesmo nao 1.
Olinda, elemento Pereira, l.impode Abreu,
Araujo Vianna, Olivcira Coulinho, Araujo
llibeiro, Fernandes Torres, Alves Branco,
Mello Mallos e viseondo de branles ; e pi-
ra a doputacn que lcni de recebor a S M. a
Impcratrizos scnliores doputados viseondo
do Baependy, Jos Joaquim do l.ima e Silva,
D. Manuel do Assis Masca, en tas o Francisco
I l> U US Mii.n .> Oi'O
Ja eslava na corte, de vnli.i da provincia de | .Y
Minas, o prlnieiio batalbao de fuzlloiro. pecio aros ifa lor.
Fallecer o Sr. Joan Fernandes Lapes, vea- MS 0 que Sao OS partidos, O.que
dor de S. M. a lmpo.atri/., o qual, havendo'adiniiiistrac.no, comparados com a manu-
prettado serviros ao paiz na poca da indepen-1 tencRo da UniSoP Nada, absolutamente
dencia, sempre e conservara fiel monarchia, I nada. II; o perigo que corre a tluiao que
nao obstante as perseguices que souTrra de-, da a esla queslo da escravido a sus im-
pois dos acontcciini utos de 30 de outubro
de 1822.
Acensando datas dos Estldoi-nldoi at! 12
de iiovenibro, o Jntnal di Commercio diz o se-
guinte e ii sen n. .'152 do anii'i passado :
As datas da California aleaiicaui ao 1. de
outubro- A convencao para decretar a eonatl*
" portancia.'o torna orna transacQo objecto
do primeira necessidade. Para conseguir
osto resultado no podemos contar, nom
com os esqucntadosdosul.nem com ospah-
naticos do nuil-, o gabinete nada polo fa-
zer Nflo podemos contar seno com o bom
tuicSo do estado eslava reunida baria tres se-1senso, prudencia o patriotismo do presi-
manas. O artigo que prohibe a esoravidSo foi denlo, o COS a sabodoria o inlluencia dos
adoptado iiiiauinieiiieiitc. Todas as pessoas
que livcrcm seis mores de residencia e 21 an-
uos de idade,excepto os Africanos c os deseen
cinco grandes bonicos do seuado: os Srs.
Clay. Calboun, Cass, Bsntou e Webster.
Elles represeiitiiin todos os extrenos da
Dous anuos dcpols adiamos, em nina carta Joaquim Gomes llibeiro e os senliores se-
do duque de Olucksburgoaoduque de Augus-j nadores viscoade de Jlacalie o marquez de
teinburgo, slgnaes de urna uiudaii(a caracte-
rstica : O rei da Prussia, diz o escritor, o
qual ao principio linha tomado a peito a lensao dos direilos germnicos, inudou com-
pletamente depois da chegada do cunde Mul-
lico, c presentemente denomina o uiovimento
dos ducados una ellervescencla revoluciona-
ria que notso rei (de BBnaiiiaica) deve comba-
tei com todas as suas forjas.
Tacs sao os principes, e tal he a causa que o
rei da Prussia drfcudeu e sitslcntou com o seu
exerciu; laes sao os homens, cuja inlluencia
clandestina sobre a Imprensa da Ailemanha le-
voii o povo allemao a um paroxismo de vio
lcncia ; tacs sao as artes pelas quaes a guerra
foi aleada, devendo a Dinamarca ser sacrilica-
da, ou a casa de Sonderburgo elevada ao til ro-
llo Esta correspondencia demonstra que arc-
bclliiu foi obra delles, e que fura promovida
pelos mais os mais vis, e para lins os mais in
teressaes.
(Timei.)
mmswmtm i ^wwww^^1
PEi.NA^BUCO
CLNICA HOMOEOPATHIOA VIII.
Caridade e bene/ieiencia.
No dia 20 de dezembro prximo passado
fui chamado para visitar a Sra. Dona Lian-
dra Mara da Encarnaco, com 48 anuos do
idade, moradora na ra das Trmcbciras,
que se a cha va doenle desde o dia 16 de urna
forte hemorrhagia pulmonar, proveniente
leum esforco. Porm, anles de recorrer
liomceopatliia, linha usado de remedios al-
lopathicos. ano um facultativo, chamado
para esle lim, lite linha receitado, mas sem
resultado.
No mesmo dia (20 Jibe adminislre um
remedio hoorcoopathico para tomar emires
eolheres de qualro om qualro horas, porem
no dia seguinte (21 ) pouca melhora levo
Perguntando, pois, a doenle seso lembrava
de ter eito alguma frca, declarou que no
domingo tinha levado, da um lugar para
outro, um vaso com cravos, e que naquclle
listante appareceu-lhe urna dr no peito,
mas que pouco caso fez dola, o no niesnio
dia do tarde appareccu-lhe a hemorrhagia ;
depois estos esclareeimentos, que nilo pude
administrei-lhc outra doso
au"oo7izar'ar a hemorrhagia, tanto que verno a augmentar a ..rC uu exe.cuu o
no (loarlo da no existiam mais sympto- marinba, o Ihes dem organisac.no mais re-
Valenci.
A'um.i hora da larde, annunciando-so
a chegada de S. M. o Imperador o de S. M. a
Imper'lriz, sahom nsdeputai;0es a esmra-
los porta do edificio.
Entrando S M o Imperador na sala, he
ah recebido pelo Sr. presidente o secreta
rios, os quaes unindo-sc a depotac/So acom-
panham o mesmo augusto senhor at o
tlirono, no qual toma assento. S. M. man-
da assenlarem-sa os senliores deputados e
senadores, c pronuncia a seguinto falla :
Augustos e dignissimos senliores ropro-
sonlantes da nacflo.
Possuido do mais vivo prazer viera eu
abrir a primeira sesso da oitava legisla-
tura,so no me fsse lo penoso ter de com-
memorar os desgranados acontecimentos
que occorreram recenlemenle na provincia
de Peruambuco.
Homens dominados por paixdes violen-
tas pe turbal am a Iranquillidade e a ordem
publica, e tentaram alterar as insttuices
do Brasil.
Gomprazo-me, porm, de communicar-
vosque essa criminosa e.npreza foi repri-
mida pela coragem e firmeza da guarda na-
cional, do excrcito, da marinha, e pela pa-
tritica coadjuvaeo da grande maioriados
"Pernambucanos.
Agradeco-lhos o apoio que prestaram
ao meu governo, e os testomunhos do leal-
dade e alfeicflo que me dorain.
A provincia de Peruambuco anda nflo
esla de todo pacificada. Homens pordidos
que, surdos a voz de mintia imperial cle-
mencia, se rotrahiram as maltas para per-
sistirem nacarreira de seuscrimes, procu-
lain uovaiiioiite perturbar a trauquillidade
publica. 0 nieu governo contina a empre-
gar meios enrgicos para extinguir este gor-
men revolucionario.
A paz he condiciio essoncial da prospe-
ridade dos povos. Desvelar-me-hoi, pois, em
manter as rclacOes pacificas que existem
entre o Brasil e as potencias estrangeiras,
cmquanto poder faz-lo sem quebra da
honra e dignidade nacional.
Chamo a vossa allenco sobre a neces-
sidade de providencias que habilitem o go-
verno a augmentar a fflrga do exercito o
IIO (lUarlO Uia UIIO ol>i.o, mol .i,i|iii,-.
mas da hcmurrliagia, conforme o prova a guiar e vigorosa
I A lluetuae.Hi do valor do meio circu-
- liante paralys as transacqes e acanita o
caita quemo dirigi.
Consultorio liouiuiopathico de Pernam-
, i ni "^r...-....-...-1fj;i|e9 representan! lodos os exireuos da
denles de Africanos, te.ein direilo a votir. A.,, .. : ?* .!!. -i j,i
legislatura con.pr-scha iJc d.ias cmaras. O P''ifiu esta respellO, o nollea esta deposi-
governo ejecutivo consta de um governador, lada nossa nica esporanca.
vice-governador, secretario de estado, tbesou-1 Baha nada s.illna quanto a tranquilllda-
reiro-geral, colleclor e procurador-ger.il. Suas da publica ; mas ainla lio eslava inteira-
alli ilioooir's siio igu.ies s das coustituces dos
amigos estados da Uuiao.
* As noticias que corriam em S.-Francisco
acerca das lavras cram contradictorias. Os de-
psitos do rio das Peonas cstavam exhaustos,
mas dizia-se que se tinhan feilo novas deseo-
bertas no rio Trindadc, c que os iiiineiros ti-
ravam, termo medio, urna oca por dia.
Do posse de folbas de Ne^v-^ oik at 5 de de-
zembro, o precitado Jornal resume assim as no-
ticias com que nellas deparara :
Vi dia 3 aiu io so .mi Washington a pri-
meira sesso do 31 congresso dos Estados-
r I idos; mas at o dia 4 no linha sido
apresentada a meiisagcm do presidente da
Uniflo, por no ter a cmara dos represen-
Untes eieito anda o seu presidente.
Ao; aulo-s presentes 2-21 membros,
iicnlium dos candidatos reunir a maioria
absoluta nas dez vezes que corren o escru-
tinio as sesses d.i 3 o*. O Sr. Cobb,
candidato demcrata, quo tivera 103 votos
nas primcirs votaces, perdn i nas suc-
cessivas, obtemlo somonte 99 votos no d-
cimo escrutinio. O Sr. Winthrop, candi-
dato whig, quo na primeira volacao reuni-
r 9C votos, ganhou 1, vindo a ter 97 na
ultima. Os restantes 27 votos dividiram-
se por 10 candidatos.
< No podendo chegar a um resultado,
adioii a cmara dos representantes a sesso
do dia 4, deixando para o dia seguiulo a
continuaeo do escrutinio.
Os whigs, posto eslivessem em minora
na cmara desreprcsenlantes.ondonflo con-
tain scuo I05votos,es.,cravam vencer a olei-
fflo do presideule com o auxilio das peque-
as fraccOrs que no perlencem a iionhum
dos dous grandes partidos da Unio--o whig
o o demcrata--, mas quo nas questes
goraes vouiin ordinariamente com o pii-
meiro. Veio desuni-los, porm, a questilo
quemis grave se aprsenla hojo nos Esta-
dos-Unidos,a da esccravido. Em urna
reunifio quo lizeram no dia primeiro para
designar o seu candidato presidencia da
cmara, exigiram alguns membros dos es
talo* moridionaes quo lodos os whigs dos
oslados livresdeclarassem queso opporiam
a qualquer lei quo prohibiese a escravido
na Callornia o Novo-Mexico.
Foi o pomo do discordia lanzado no
campo whig; poiquanto, repellida seme-
Ihaulo exigencia, separrain-se os inem-
bi os que a linham apoiodo, licando reduzi-
do o partido a 96 votos
Por outro lado, os membros ostranhos
aos dous partidos, e que |poderiam dar a
nieulc livre di febre epidmica, que conli-
iiuava a facr victimas, entro as quaes no-
taremos o juiz de direilo da primeira vara
do civel daquella capital Thoodoro Prxe-
des Fras, e o cncarregado das visitas do
porto Jos l.ourenco Sobral.
Entretanto, o Sr. Go 'Qalves Martins nada
lem esquecido em beneficio dos infelizes
que,baldos do recursos pecuniarios sflo as-
sallados p"la epidemia ; pois que desdo 21
do dezembro dislribuio mdicos pelas fro-
guezias em quo ella mais se tom desinvolvi-
do, o exnedio as convenientes orden* para
Cjuo as boticasahi eslabelecidas fornecessem
a pobreza os romoJios que por esses mdi-
cos fossem receitados, para receberem sc
manalmente di fazenda publica a impor-
tancia dos mesmos remedios.
O Dr. Jos Joaquim BoJrigues, a quem
coubora o curativo dos pobres da parochia
do Sanio Antonio, publicou no Correio
Mercansil do 8 do oorrente o resultado das
suas observacoes durante dez dias em que
os ti alai.i, o icrminou osou rclatorio com
o seguinte:
Demonslratico dos doentes pobres tratados,
reslabelecidoi, morase em convalesicnca at
4 P.eceitados 91
Beslabe lecidos pctfcitamcnto 5S
Morios a
Em eonv.ilos.viiea 36
o qual demonstra que a febeo nflo continua
a zombar no todo dos soccorros mdicos,
visto quo de 91 enfermos apenas peroceram
dous.
Ao passo que a allopathia vai dest'arte
salvando algumas vidas, a homoeopalhia
uo lem sido menos feliz ; porquanto o dou-
lor Luz que a oxerce em Pregui^a assevera
ter salvado a -i"i pessoas atacadas da epi-
demia; o o doutor Mello Moraes, homoeopa-
ttia do nota, allinna tor colhido, na aclua-
lidade, bous resultados do seu systoma,
upoiaulo a afllrmativa em urna carta do
barflo da Faes, em que este Sr. certiGca
quo de 76 individuos de sua cass, que, tea-
do adoecido de Libre, fram tratados ho-
mooopalbicamente, nenhum suecumbio.
VaIUEDaD.
~~ao"asso vei.ho.
Acaba anno ruuoslo, acaba cedo,
Teu hlito fatal depressa extingue,
Osoluco extremo d'uma vez arranca.
^\


BS**1
MHM
I)n ocano los lempos, onde volves.
Vai descamar no fundo, al quo um dia
O (remend clangor da luba mmensa
Te convoque ao juizi temeroso #
Do monarcha, do< homcns-edos src'los.
Raiaste envolto as espessas nuvens
D'um negro, procelloso firmamento ;
Fo oteu lerijo um bcrr;o de mysteiios.
Que sinislros presagios enibalaram ;
F.nvolto.em densas nuves tambem desees
Ao sepulchro voraz, onde do espera
Um immenso cortejo de infortunios,
K urna negra mortallia .. o odio eterno.
Na balan*}* do bem quanlo pezaste ?
Que gloria, quo esperanea, que forluna,
Que nllmos, que consolos te dotemos -v
A' liberJade, aos povos que trouxestes .'
Que legas ao porvir seiiflo misoria ?
Kosle a patria fatal, faltal ao mundo ..
Kechaocirc'lode ferro em que envolveste
Os homens, as nacfles, o universo.
Foge, foge, n3o mais nosannuncies.
Cala momento um sbito desastre,
Nova desgrana a cada instante novo ;
Morre, niotre depressa queja deixas
Longo raslo de lagrimas e sangue
Que nada apagara ... morre, e comtigo
l.cva tr Mil., ni, arrasta sepultura
A memoria smistra de teus dias .'
A Lima.
( h'xtruhido. )
!2!
{
OMftEHClO,
CLFANDECA.
Reudimenlo do dia 14.....9.293,015
CONSULADO GF.RAL.
Rendimeuto do dia 12.....2:962,043
Diversas provincias...... c 294
2:968,337
IDEU 1)0 DIA 14.
^eral.............2:464,040
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimenlo do dia 14.....1:458,224
RIO-DE-JANEIRO.
CANDIOS NO DIA 31 DE DEZEMBRO.
/ Cambios sobre Londres 28 a 28 1,4
Pars. nominal.
" llainbiirgo li.'fn a (i2.r>
Metacs. On^as licspanliolas .'Ih.'umi
da patria 30^0(10
Pejas de/'iuO, vclhas. 18/000 a 180300
Pesos despalillos. 2/000 ,
da palria. I/.ISO a 11940
> I'atacocs .... 1/920 a 1/940
Apoliccs de G por ccnlo 88 1;2 a 89
provincia ... 88
(Jornal do (.'ommercio.)
UAIIIA.
CAMDI3S NO Bu 9 ni: JANEino.
Londres........ 2? i|2
Pars.'........ nominal.
Ilaniliiirgo.......
Lisboa c Porto..... 115 p. %.
MITALS.
Oii9QS Despalilllas. 30/000 a 30/1.00
mexicanas .... 29/.VI0 a .".iisiuh
Pecas de /4(M) ..... 17*200 a 17/5U0
novas...... 16/500
Modas dr 4/000..... 9/00
Patacffes braillelrot. 1/9G0 a 1/980
a heapaubdet l/!Hio a 1^980
mexicanos. 1/40
[Mercantil.)
Movimento do Porto.
Navios mirados no dia 14.
Rio-de-Janeiro, Rabia e MacciII dase
16 boras, vapor brasileiro fahiana, de
240 toneladas, cnmrr andante o primeiro-
lenenleJos Segundino Gromensoro, e-
quipngem 28. Passageiros : para esta
provincia, I) Olympia .ins com urna so-
iriiiha e una criad, Seratim Alves da
Rocha Bastos com sua mana e 2 escra-
vos, Antonio l.opeslllodrigucs Sobrinlio,
Antonio Corrcia de Mi mmica com 1 es-
clavo, o segundo lente da armada Ma-
nuel Kruesto deSouza I'aneo, os alferes
Pedro de Alcntara Montciro e Francisco
Pinto Pereira, o Francez Vctor Brasser,
o Portuguez Jos I.iris Ferrciia da Silva,
Pedro de Alcntara Lima, Francisco de
Albuquerquc eMello com sua n ana e 2
escravos e 4 ditos a entregar : para o
norte, o lente Cassianno Jo.- Maga-
Ibes, ol)r. Fernando Antonio l.ial J-
nior com 1 ccravo, Manuel Joaquim llen-
rique de Paiva, Joo Jus Saldanba, 2S
recrutas do exeicito e 1 cscravo a en-
tregar.
Montevideo e Rabia 48 das e do ultimo
porto 12, polaca sarda Vnio, capitiio Luis
Gmsenbor, equipagem II, eai !a;tro ; a
Joflo Pinlo de Lemos.
tto-dc-Janeiro 30 dias, brigue inglez
Hercio, de 252 toneladas, rapitao Tbomas
Me. Kenzie, equipagem 9, cm lastro; a
ordem.
lorra-Nova 37 das, brigue inglez Geor-
ge-lobinsn, de 189 toneladas, capitn
Jolm Royes, equipagem II, carga 2.340
barricas com bacalbo; a l.c Rrclon
Scbramm.
':io-de-Jaii(iro 23 dias, biigue biasileiro
San-ioic, de 152 toneladas, capilUi Jos
llamos de Souz, equipagem 12, carga fa-
rinbs de mandioca e mais gneros ; a
Caudillo Agostinbo de barros. Passagei-
ros, Manoel Pereia e o prelo forro Ma-
noel Ignacio.
Camarsglbe7 dias, hiato brasileiro No-
to-Destino, capilflo F.slevflo Ribeiro, equi-
pagem 4, carga issucar; a Jos Manoel
Mar litis.
Obsertacdo.
Esl, para acabar de carregar, a galera
rranceza Achules, capito l.amier.
ED1TAES.
-- O Sr. Dr. juzde direlo cbofe de poli-
ca interino manda fazer publico que todos
os esliangciros que obtiveram ttulos do re-
siJenca por esta rcparlcflo, os devem apre-
sentar para certa averiguatflo, no impror-
rogavel piazo de 30 dias, contados da pu-
blicarlo deste, siMi as penas da lei. Se-
cretaria da polica de Pernambuco, 11 de
janciro de 1850.-- Antonio Jote de fruas,
primeiro amanuense.
- Ocbefe de polica interino da provincia
ordena ao Sr. ollicial encarregado do regis-
lo do porto, t,ur, de actrdo com a reparli-
(ao da dauao, consinla desembarcar de
bordo de qualquer navio as pessoas que
nelles estiverem afectadas da peste que
grassa na Rabia, e neaj tilo pouco que se-
jam conduzidos para trra os cadveres dos
que fallecerem da mencionada peste, os
quses far laucar no mar alio com as caute-
las necessarias, afim da quo nflo venbam
ter a costa; o que ludo far observar sb
sua responsabilidade.
Secretaria da polica de Pernambuco, 12
de Janeiro de 1850.
O Dr. Xlexandre Rtrnardino dos litis e Silva,
juitile direilo da segunda cara do crime na
comarcado fecife por S. U. 1. e C.que Dos
guarde etc.
l'ai; i saber, omconformidade do artigo
28 do coJigr do processo, quo fdram mais
asslduos em assislir a segunda sess3o orJi-
natia do jury deste termo, a qul foi aberla
no dia 3 do correte, e incerrada no dja 18,
os seguintes jurados que comparecern!,
saber os sorteados '.--Joaquim Leocadio de
Freitas, JoSo Paulo Xavier de Salles, Dr.
Antonio Vicente do Nascimento Feito-
/i, in-r Francisco Marinho, Jos Januario
de Carvalho Paes de Andrade, Caetano
Mendes da Cunba Azevcdo, Manoel Ferrei-
ra Ramos, Jos Diogo da Suva, Jos Mara
Scbefler Jos Jcronymo Moutoiro, Joaquim
Reruardo dos Res, e Manoel Francsco da
Silva.
Os chamados em virlude do artigo 315 do
nir.Mii i cdigo, a saber :--Antonio4ta Silva
Cusmo Jnior, Antonio Ignacio de Torres
Randeira, Miguel Felicioda Silva, Marcel-
lino Antonio Pereira, Antonio Joaquim de
Oliveira lladuem, Anlonio Luiz de Souza,
l)r. Antonio Atines Jaome Pires, bngadei-
ro Alcizo Jos do Oliveira, Rartholomeo
Francisco de Souza, licrnardo CarJozo Ai-
res, Caetano Cyriaco da Costa Moreira,
Cliristovo Cuilnorme Urekenlield, Domin-
gos dos Passos Mu.>ti la, Eduardo da Costa
Oliveir8, Francisco de Paula de Queiro
Fonceca, Manoel Ribeiro da Cunta Oliveira,
Manoel Luiz Goncalves Jnior, Manoel Eli-
as e Moura, Maooel Joaquim Kerreira J-
nior, Joaquim Jos de Paira, Joaquim
Flix Macliado, Joaquim Franciscode Al-
buquerque Santiago, Jos l.eilo da Cas-
tro Jnior, Jos Marcellino da Roza, Joa-
quim lleniique da Silva, Antonio Alves
da Fonceca, Antonio Valentim da Silva
Rjrroca, Antonio Ignacio da Silva, Anlonio
(ermano das Ncvcs, brigadeiro Antonio
Rodrigues de Almeida, Candido Jos Lis-
ba, Francisco Ribeiro Pires, Ludgero Tei-
xeira Lopis, Filippe Huarle Pereira, Anto-
nio Luiz Pereira .Uastus e Manuel Luiz da
Veiga.
Outro sim, que fram multados na quan-
lia di) ce tito oquarentt mil risom lodas as
scssOes, a saber :--Jos Pereira di Silva,
Antonio Candido de Miranda, Antonio Fran-
cisco daGama.Jos Rezerra Monteiro,Manoel
Gomes Ualtazar Araujo, Antonio da Costa
Wanderley, JoSo de Carvalho Paes de An-
drade, Anlonio Jos Pestaa, Antonio Jos
Coelbo, Manoel Ncllo de Smi/a Randeira,
Joaquim dos Sanios e Manoel de Caslro de
Oliveira GuimarSes.
Na quantia de quarenta mil tis Jos
Alves Guerra.
Dadu e passado sobo meu signal e sello
do juizo nesta cidade do Rccife. aos 24
do dezembro de 1849. Eu, Jos Affonso
Cuides Alcanforado, escrivlo o escrevi.
Alcxundre Utrnardino dos liis e Silva.
Declarares.
~ Oescrivo, servindo de administrador
da recebedoria de rendas internas geraes,
avisa a lodos os devedores de imposto de
lujas abenas, seges, carrinbo e barcos do
interior, dos bairros do Recifo, S.-Autonio'
iloa-Vista e Afogados, para que compare-
i;ani apagar oque estiverem a deves dos
ditos i !n| nanceiio de 1849 a 1850.
A sabida do vapor San-St-
\/1nv bastido- para os portos do sul
foi transferida para boje (15)
prlncipiando-se a fechar as
malas ao meio-dia, e at urna hora da tarde
recebe-so correspondencia com o porto du-
plo.
v smalas que temdecon-
fl& duzir o vapor llahiana para
os pintos do norte, prinei-
piam-se a fechar boje (15) a
urna llora da tarde, e at asduas huras re-
cebe-so correspondencias com o porte du-
plo.
PRESEFE
no tliealrodc S.-Francisco.
NOVO Atrio DA VELUA COM S.VS NETAS,
coja parte ser desempenliada pelo Sr. S.
Rosa ; este acto l;c composto deouze arias
e tres coros.
II0JE, 15 DE JANEIRO DE 1S50.
QUISTA rEl'BtSKNTkQ.
Grande e variado diverlimento pastoril.
Depois de execulada pela orehrstra urna
das mclhores symphonias, represenlar-se-
ha o mu insigne drama sacro em 5 actos,
anda nSo visto ueste tbealro
OS MAGO DO ORIENTE,
(indo este segue-so nm pasdedeux danzado
por iluas Pastoras das mais jovens ; no lim
do mesoio pasdedeux, segue-se o acto
DA MAMAl VOVO'.
Terminar o espectculo com urna nova
contradanza campestre.
Os Sis. assignantes e mais pessoas, que
pretenderen! bilbeles de camarote e platea,
pdem mandar receber os cartOcs na casa
annexa ao tbealro, residencia do director,
onde se clles acham venda pelos preros se-
guintes :
Primeira ordem.
Camarotes de lado 5,000 rs.
Para assignantes de 8 recitas, cada urna
3,333 rs., 26,604 rs.
Iiiin para 6 recitas, cada urna 3,500 rs.,
21,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 7,000 rs..
para assignantes de 8 recitas, cada urna
5,000 ris, 40,000 js.
Dito nara G lecitas, caja urna 5,333 ris,
32,000 rs.
Segunda ordem.
Camarote de lado 6,000 rs.
Para assignantes de 8 recitas, cada urna
4,166 ris, 33,328 rs.
Dito para 6 recitas, cada una 4,500 ris,
27,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 11,000 rs
Dito para 8 recitas, cada urna 7,500 ris,
60,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 8,000 ris,
48,000 rs.
Tercelra ordem.
Camarote de lado 4,000 rs.
Para assignantes de 8 recitas, cada urna
2,166 ris, 17,328 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 2,500 ris,
15,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 5,000 r*.
Dito para 8 recitas, cada urna 3,333 ris,
26,664 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 3,500 ris,
21,000 rs.
Os burieles de platea para 8 recitas 6,000
Ditos para 6 recitas 5,000 rs.
Camarotinbo de pocca para 8 recit.as
cada urna 2,000 ris. 16,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 2,500 ris,
15,000 rs.
Varanda, 500 ts.
As assignaturas sor9o pagas adiantadas,
exliibindo recibo a diiecc.no.
O tbealro estar decentemente ornado.
Principiar o diverlimento as 8 e mota
horas da noite, com a chegada das autori-
dades.
N.U.Durante as mencionadas oilo reci-
tas se representan! OS muito applaudidose
ricos dramas paslors que tanto embcl-
lezaram as rcpreseutar,0es da sociedade
NaUlense ; sendo intermediados de novas
dangas campestres, grupos, pas-de-deux,
arias, entremezes paslors, etc.
Repartidlo da polica.
IIIni. e Exm. Sr.Participo V.Exc. que,
segundo as communicaQfles, lentelo e hoja
dirigidas a esta repartirlo consta terem si-
do presos nesta capital : minba ordem, o
pardo Mauricio Jos da Luz, para recruta; e
Jos Antonio Feruandes, por correccSo :
ordem do subdelegado da freguezia de S -
Frei-Pedro-Goncalves do Recife, a parda
Auna Roza, por correcto : i ordem do
subdelegado da freguezia de S.-Antonio,
Vicente Ferreira de Souza, porembriaguez;
Miguol de Souza, como desertor : a ordem
do subdelcgaJo do segundo districto dos
Afogados, J.ieiutho de Souza Delgado, Jos
Jacinllio Ribeiro, Flix Jos de Cantalice,
por correccHo.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambuco, 31 de dezembro de
1849.Illm. e Exm. Sr. Honorio llermto
Carneiro Leilo, concelheiro de estado, pre-
sidente desta provincia.y guaira Costa, cliefe de polica interino.
~:-----------i ~ i ni iiii
avos martimos.
Para a Figueira, com escala por Lisboa,
prelende sabir al 18 do corrente mez o pa-
ladn portuguez alaria-Joaquina, para car-
ga ou passageiro trata-se com os scus con-
signatarios F. S. Rabello & Filho ou com o
capitTo Manoel da Costa e Silva na praca do
sommereio.
Vende-se o patacho americano Justina,
de superior marcha, forrado e encavilhado
de cobre, e prompto para segoir viagem
para qualquer parle : os pretendentes p-
dom dirigir-se aos consignatarios, Deaue
Youlet & Companbia, na ra da Cadeia.
Para as ilhas de S.-Miguel,
Terceira e Fayal sahir brevemen-
te a escuna portuguezS Favorita,
forrada e pregada de cobre, capi-
tao Antonio Jos de Mcdeiros; pa-
ra carga e passageiros, trata-se
defronte do trapiche novo, n. 6,
com Tboniaz de Faria.
Para a Babia sabe no dia 15 do corren-
te enm a carga que tiver a bordo a suma-
ca llr- Souza : quem na mesma quizer carregar ou
ir de passagem pode entender se com o
mesmo mestre ou com Luiz Jus de S Arau-
jo, na ra da Cruz, n. 33.
Para Lisboa sabe, no dia 20 do corren-
te, o brigue portuguez Anna-Adelaidt, ca-
pilSo Ignacio Jos de Araujo : recebe carga
e passageiros, para o quo trata-se cun o
consignatario, Jotqoim Ferreira Mendes
Guimanics, na ra da Cruz, n. 49, ou rom
" lelendo capito lia praca do Conimercio.
A escuna nacional Emilia, capitSo e
pratico Antonio Silveira Maciel Jnior,
transferio a sua viagem para o Maranbao e
l'aia, deixando por consecuencia de fazer a
escala do t>ar, o que se avisa as pessoas
quo se dignaram offereccr carga para este
porto: recebe alguma para o MaranhSoe
miudezas para o Para, e passageiros para
ambos os [ortos : trata-se com o capitBo
napraca do Coiiiiuercio, ou na iua da Cruz,
armazem n. 13.
Para Lisboa, com escala pelo Porto, se
li.-i o a leceber carga o bem conliecido
brigue portuguez Concento-l'lor-de-Lisboa,
e a sabir breve, para o que tem engajado
urna parle do carrcgameuto : quem no mes-
mo quizer carregar, ou ir de passagem, po-
de cnlender-se com o capitSo, Joo Uorges
Pamplona Jnior, ou com os consignata-
rios, Atnorim irojilos, na ra da Cadeia,
ii. 39.
--para o Rio-de-Janeiro sahir, na pr-
xima semana, o brigue Nafra, eapitSo Jos
Joaquim Dias dos Prazeres o qual recebe
nicamente escravos de passagem : quem
pretender p-Je contratar com o sobredi lo
capitn, ou com Amor i ai innSos, na ra da
Cadeia, n. 39.
Para o Ro-de-Janeiro.
O brigue nacional Adamattor, capitSo An-
lonio Coelbo Ribeiro, segu para o Rio-de-
Janeiro at o dia 18 do coirente : recebe al-
guma carga niiuda, passageiros e escravos
afrete: trata-se com Machado & Piuheiro,
na ra do Vigario, n. 19, segundo andar, ou
COill o c.i .il.'iu na firaca.
Para o Rio-Grande do sul seguo viagem
nesles dias o patacho nacional Euterpe, ca-
pito Manoel Luiz dos Santos, por ter o seu
carrcganicnto prompto, pudendo tilo -
menle rnceber algumas miudezas, tassa-
geiros e escravos a frete : tmta-sc com Luiz
Jos de S Araujo, na ra da Ciuz, n. 33,
ou na ra de Apollo, armazem u. 14.
Leiloes.
L. Rrugulere far leilflo, por interven-
ido do corretorOliveira,de grande sorlitnen-
to do fazendas francezas, einglezas, sondo
mantas deseda,chales do dito,lencos,rassas,
cortes de seda, rolletes, sclins, chapeos de
sol, litas, luvas, meias e peifumarias de
todas as qualidades, mirin, sarja, cam-
braias, bicos etc., etc.: quarta feira, 16
do corrente, s 10horas da manhfla, no
seu armazem, ra da Cruz, n. 1.
Joo Kellrr, tendo de retirar-so para
fra da provincia, far leilo, por interven-
(o do ebrretor Oliveira, de toda a mobilia
o mais perlencesda casa de sua residencia
no campo, consistindo em ricas mesas re-
dondas, ditas para cha, consolos, sopbs,
cadeiras, ditas de bataneo, tanto de jaca-
randa feitas na trra com a maior perfeicSo,
como de ferro, e outras americanas, um
ptimo lustre do bronze rom 4 luzes e vi-
drosdo sohrcsalente. globos de cima de
mesa, ditos de corredores, palmatorias, lan-
ternas d metal fino com mangas, leitos in-
glezcs de ferro com todos os pertoncos an-
da uo usados, lavatories grandes, guar-
da-vestidos, aparadores, secretaria, arma-
rios, sendo um delles riquissimo e feilo em
llamburgo, tapetes, esleirs de sala, jelo-
aias, cortinados, cxcellentes vasos para (lo-
res, relogios de paredae de cima de mesa,
urna machina galvnica, mascaras e mais
prrtenr.es para aprender esgrima, a mais
linda o admiravel collecco de quadros
existente nesta cidade, tanto a oleo como
em gravuras finissimas, representando as
sumptos histricos os mais inteiessantes,
lougade porcellana e do uso, aparclhos de
cha, garfos, facas, colheres e salvas de me-
tal lino, copos para vinlio, ditos para cham-
panba e para agoa, crystaes diversos, um
completo trein de cozloha, um carro de 4
rodas com arreios, 3 cavallos de carro, 1
dito desella proprio para menino por ser
muito pequeoo, dous pianos mui superio-
res, e milius inultos objectos uteis, e que
seria desnecessario innumerar, basta aflir-
mlr-se seren bem tratados e quasi novos,
feilos com perfeic3o e dos gostos mais mo-
dernos lodos osarligossupramencionados,
cuja venda ser inJubitave'mente effeclua-
dasem limites cm preco : terca-feira, 15 do
corrente, s 10 horas da manhila em pon-
to, anula que poneos licitantes lenhain
comparecido a tal hora, na primeira das
duas rasas novas ltimamente edificadas no
sitio do Sr. Coi, seu proprielario, na estra-
da de Joo de Barros, quasi defronte do Sr.
cx-inspector da alfaudega.
Leilflo de urna partida de 200 saccas
de farinha de mandioca, na polla doarma-
lem do Racellar, no caes da Alfandega : ter-
(a-feira, 15 do correte, s 10 horas da mi-
Leilflo de urna porefio de inassas em
caixas, no dia 16 do corrente, poita do
armazem de Antonio Aunes, por conta e
risco de quem pertcncer.
Lathan & Ilibbert fardo leilflo por in-
tervciicao do corrector Oliveira, de grande
variedade de fazendas inglezas que se ven-
derflo para ultimado de certas cotilas :
quinla-feira, 17 do corrente, as 10 horas da
manhfla, no seu armazem, ra do Trapiche-
\ovo.
Avisos diversos.
I.embra-se ao respoitavel concelho de
salubridado publica, que em suassabase
prudentes medidas que tem proposto e con-
tinua lembrar para fazer deaapparecer a
febre que nesta cidade j tinha tal vez prin-
cipiado ceifara populacho, senfloesqlle-
ca d mandar remover o asss grande e an-
tiquissimo en tul to que oceupa lodo o quin-
tal e parte da casa de albergara das ras das
larangeiras, pois que elle (le o receptculo
de todo o lixo e mais despejos da visinhan-
ca, e por conseguidle o fogo pestfero de
crueis miasmas que s por si pdem dar
origem a urna epedemia de febres perni-
ciosas. O Medroso.
Fazem-sc jautares diariamente, con-
sistindo em sopa, cozdo, assado e arroz,
por commodo prego ; tambem se fazem as-
sados, inassas de carne e peixe, pastis de
carne, de gallinha, de nata e de oulras qua-
lidades, leite creme, podios, bollos de dif-
ferentes qualidades, bollinholos, armam-se
bandejas para bailes e cazamentos: tudo
com muito asseio, promptidflo e preco com-
modo : no o tan di Ponlia, n. 2. Na mesn-.a
casa tambem se fazem doces de calda, sic-
co, de caj ede todasfes fruclas para esse
lim ; euilini, ludo quanto he perlencenle a
cozinha so faz em dita cas i.
luir orlante descoberta
para os denles
II. S Mawson, cirurgiSo dentista, chega-
do ha pouco de Inglateira com destino aos
portos do sul, pelos poucos dias que lem
dedemorar-seaqui, offerece seu presumo
a aquellas pessoas que precisaren) dos soc-
corros de sua arte: para o que pode ser
procurado no Hotel-Francisco.
Antonio Mximo de Barros Leite, pro-
fessor jubilado na primeira cadena publica
de primeiras leltrasda cidade de Comuna,
faz sciente ao respeitavel publico que se
acba presentemente mudado para esta ca-
pital, e a sua residencia be dentro do Re-
cife, na ra da Cadeia, n. 40, pritneiro an-
dar, onde vai continuar no mesmo magis
torio ; porm paiticular, e por isso convi-
da a todos os Srs. que quizerem educar seus
filhos, que uo s receber alumnos exter-
nos como tambem tlHernos.
Na ra do Sol d-se dinheiro a premio
sobre penhores de ouro ou prata : na mes-
ma casa vende-se tualhas de mesa e guarda-
apos, fabricados em GuimarSes, capachos
redondos e compridos, e pefas de trimoia.
Aula de primeiras le tras
Policarpo Nunes Correia partiera ao res-
peitavel publico e especialmente aos pas
de seus alumnos, que no dia 10 do corren-
te mez atrio as suas aulas de meninos e
meninas na mesma casa de sua residencia,
na ra da Alegra, n. 9, onde pode tambem
receber alguna meninos pensionistas me-
danle urna mdica temuneraeflo. O annun-
cialite espera do respeitavel publico que as
suas aulas continen! a gosar do mesmo
crdito e conlianea como at aqui.l
Aluga-seuru sitio com bom sobrado,
jardim, cacimba, tanque para banho, po-
mar de larangeirase mullas fruclas de .di-
versas qualidades, na Solidado: na ra do
Hospicio,,ii. 21.
-Qu acta-fe ira, 16 corrente, he a ultima
praca, enrgro de adjudicacSo, da casa n.
1 da travessa do Queimado, por execueflo
pendente no juizo da segunda vara tendo
lugar a praga as horas do costume.
Aluga-seum prelo para o servico de
urna casa de pouca familia : na ra do Tra-
piche, n. 8.
-- OlTerece-se urna pessoa para caixejro
de loja, armazem, venda, ou para nutra
qualquer oceupacto, e meamo para algum
sitio ou engonlio : quem de seu prestimo
se quizer uti Usar annuncie.
l/aliel Mara da ConceicSo participa ao
respeitavel publico que abri aua aula de
primeiras letlras no dia 7 do corrente, no
becco de Joflo-da-Cosla, n. 6, primeiro an-
dar, em cuja disciplina admi'to alumnas
internas e externas por mdica mensalida-
de: quem quizer utilisar-se da proficua
educaeflo a suas Albas, dirija-se ao mencio-
nado lugar de sua residencia
Relira-se para o Aracatv o cidadlo bra-
sileiro Marcellino Antonio da Silva Pavflo,
sua mulher Francisca Nunes das Chagas,
seu filho Ricardo da Silva Pavflo e um es-
cravo de nacflo, de nome Geremlas.
Quem tiver para alegar urna casa ter-
rea com commodos sulllcientes para urna
familia, e que lenha cacimba e bom quin-
tal, sendo as seguintes ras: Praca, Con-
ceicflo, Velha, Aragflo, S.-Cruz e Rozario,
dando-se 12,000 rs. mensaes, annuncie.
A negocio de seus interesses desejam-
noliciasdos Srs. Francisco Luiz da fa-
dos sitios da Barrada, districto de
se
Ihac
Coimbra, em Portugal; sabe-se que esteva
aqu oceupado na fabrica das caracas, do
Sr. Jos Januario Soarea Ferreira, sobrio lio
do fallecido padre Anlonio Soarea Ferreira,
casado com a Snra. I). Ignacia Joaquina de
Jess Ferreira : A pessoa a quem interessar,
ou fizer o favor de dar noticias, dirija-se ao
Recife, atrs do Corpo-Sanlo, na ra da
Cruz, n. 66.
Jos Mara de Figueiredo,
prifessor particular de primeiras
lettras, scientifica ao respeitavel
publico que a i5 do corrente,
abre a sua aula, e contina a en-
sillar por principio a grammatica
portiigtieza, latina e franceza, ad-
mittindoalumnointernse exter-
nos : quem de sen prestimo se qui-
zer ulilisar,drija sea ra da Ca-
deia-Vcllia, n. i3, terceiroandar.
Na ra Imperial, n. 165 precisa-se alu-
gar duas negras ou moleques para vende-
ri'in na ra : paga-se bem, e nflo se duvida
adiantar algum dinheiro por conta do aiu-
guel.
Ensino de primeiras
lettras.
Jos Xavier Faustino Ramos, com aula de
primeiras letlras no Aterro-da-Boa-Visla,
sobrado n. 5, previne aos Srs. paia de seus
alumnos e as pessoas que delle quizerem
coniiiir a educaeo de seus filhos, que os
excrcicios da mesma aula se acham em ef-
feclividade desde o dia 7 do corrente; as-
segurando que pelos novos arranjos e me-
Ihoramenlos que ha inlroduzido no seu es-
talieloeiment e no respectivo reginiem.so
acba habilitado para receber e leccionaruoi
mais crescido numero de alumnos. No
meamo eslabolrcimento, separadamente e
sb a direcijflo de urna fllha do anuuncian-
te, convenientemente babilitida, so acha
em exercicio urna aula para meninas, onde
se ensilla a ler, escrever e contar correcta-
mente, grammatica da lingoa nacional;
bem como a fazer todo o genero de costu-
ras, bordados o lavarinlos : tudo com zelo,
camino e disvelo.
Precisao.
Precisa-se de ofliciaes de funileiro ; na
ra Noa, n. 38, defronte da ConceiQflo. Na
mesma casa tambem se vendo um moleque*
Precisa-se de um bom forneiro, a
quem se pagar com generosidade: na ra
da Senzalla-Velha, armazem n. 106
Precisa se alugar urna preta que saba
lavar, engommar e coser, para urna casa
eslrangeira : na ra do Torres, n. 34, das
11 horas al s 3 da tarde. Na mesma casa
tambem se precisa alugar um prelo que
entenda do servico interno, e saibi tratar
dd cavallos.
A poca.
Aos senhores assignantes deste jornal se
faz certo e igualmente ao respeitavel publi-
co, que acaba de chegar de Lisboa a couti-
nuaeo dos nmeros deste jornal at o nu-
mero 52; e como tenham chegado difieren-
tes colleccOes completas, convida-se aos
amantes da instruceo a concn erem para
a sua extrace.no, visto como be este jornal
de tanta importancia.
Assigna-se na ra da Cadeia do Recife,
loja de ferragem deJoflo Jos de Carvalho
Moraes.
O preco da assignatura he :
Por um anno, dinheiro vista 6,400
Por seis mezes, di Jo dito. 3,20o
Sabbado 12 do corrente desappareceo
um molatinbo, tendo vindo ao Recife en-
tregar leite em um cavalln russo magro,
por nome Francisco, idade 12annos, levou
carniza azul e caigas de algodflo trancado
tambem azul chapeo de palba, o milhor
signal por onde pode ser condecido lio ser
vesgo do um olbo : quem o pegar leve-o a
ra Direita, venda n. 61, ou ao Remedio,
sitio que foi do fallecido Joo de Barros,
que sera bem recompensado.
tllysse ni n/i prviens l'honorable pu-
blic dol'ernanbouc qu'il vina d'aniver do
la Suisse, avee un bel aasorliment de mon-
tresd'or, irgent plaqu d'or, argnt dor
et boles metal dreos, des quelles il ga-
rante la bonte des movements ; il se cbarge
galement des chabillages de montrea el de
pendules, et remet les cadrans d'argent
neuf, des quels il peut garantir la bionfac-
turedesonouvrage. II prviens aussi Mrs.
les horlogers et bijouliers de l'endroil qu'il
a un bel assorlement de fourmtures pour
liorlogerie et bijoulerie. I pose guale-
ment loutessortesde verres aux montres.
Ilcspored'aprs la bienfacture dosontra-
vail mriter la conlianco de l'honorable
public.
Precisa-so saber da morada da Sr.' D.
Senhorinha Mara da Conceicflo para nego-
cio deinteresse.


./
-
O bailo asignado com lo Je calg-
do na ra du l.ivrumento, n. 11, Brasileo,
ratira-se para fra atralar de su aade, o
por isso faz negocio com o dito eslabelec-
nienlo, a visa oa oradores que compare-
cam na mesma casa, afm de receberem seus
crditos, estejam ou nSo vencidos; assim
nomo avisa as pessoas que tcem penliores
em nio do mesmo, que venham rescta-
los, o. mesmo aviso faz as pessoas quo lhe
devein que venham pagar ou tratar a res-
peito no praso de oito dias da data deste;
do contrario, deixar pessoa encarrogada a
cobrar com lodo o rigor que a lei lhe con-
cede. Bernardina de Sena e Silva.
--Est fgido, desde o dia sexta-feira pro-
simo passado, um escravo do nowe Cosme,
com idade de 20 annos, pouco oais ou me-
nos, sapatciro, coixo de urna perna o ruin
um dedo do pe ferido: quem o levar ao Al-
ternada-Boa-Vista, n. 34, sera grtlllicado-
Precisa-se de urna ama: na ra do
Rangel, n. 25.
DSo-se 200/ rs a premio de 2 por cen-
to ao mez sobre penhores de ouro : na ra
Augusta, segundo sobrado no fim da ra,
indo dos Marlyrios, lado do poente.
- Aluga-se, por prego commodo, a casi-
nha que Toi acougue, sita ao sahir do pateo
doCarmo, para as ras do Hozario e Trin-
cheiras, muito propria para o mesmo no-
gocio, polo lioiii local : a fallar no pateo do
Carmo, n. 1, venda.
-Pelojuizo da segunda vara do civel,
quarta-foira, 16 docorrenlo, se ha de ar-
rematar urna escrava de notne Mara, criou-
la, de 25 annos pouco mais ou menos, cuja
arrcmatoc.no he feita para as despezas do
inventario do Qoado Jos Antonio da Silva
Costa.
S. Se has la o
Na ra Nova, n. 63, acha-se feito urna
grande porgSodo resistos da milagrosa ima-
gem de S.Sebaslio, advogado contra a
peste ; bem como as milagrosas imagens de
S. Amaro e de S.-Uraz, advogado das dores
de garganta. Na mesma casa existe urna
grande porc.no de resistos de differentes
qualidades, por prego commodo.
Offerece-se lima ama para casa de ho-
moni solteiro : no pateo de S.-Jose, n. 70.
OSr. niajor Manuel Gongalvcs da Silva,
que he casado cem urna senhora da familia
doCuirnas, da freguezii da Monitila da
provincia da llahia, lem urna carta de seu
irmiio, morador na mesma freguezia, na
i ua da Cadeia, n. 34, primoiro andar.
-- l.uiz Monier, querendo rclirar-so deste
imperio, convida a seus credores a apron-
taren) suiscontas por estes 15 dias ; bem
como roga aos s'US devedores de Iho satis-
fazer a importancia de sousdbitos no mes-
mo espigo de lempo.
0 Sr. que ha trinta e lanos dias lovou
um ('avallo para a cocheira da ra da Boda
queira mandar pagar o sustento no prazo de
8 dias ; do contrario, ser t mesmo cavallo
vendido, visto que pouco mais valle do quo
tem vencido.
Perileu-se, no di 14 do correnle, um
ombrullio com 350,000 rs. em cdulas, sen-
do urna de 100,000 rs., duas de 50,000 rs e
o resto de 20 e 10,000 rs desde a ra do I
Encantamento al o trepicho novo : quom o I
achou, querendo restituir, para ver sen*
remreos, dirjase a ra do Eucautamen-
lo, fabrica de bahs.
l'reciss-se de um misto para
curar sardas : quem tiver annun-
cie.
-- Aluga-se urna casa de um andar na ra
da UiiiSo. com excedentes comnnodos para
grande familia, e boa vista para a barra:
os pretendontes dirijam-se a Manuel Alves
Guerra.
Casa propria para esta-
belecimento,
Aluga-se urna casa annexa a fabrica de
sabao que tem os commodos precisos para
os estabelecimontos quo lew-se demudar
para fra da cidade, cuja casa est em ar-
iiiazem; lem um boui lellieiro no fundo e
H> ande quintal murado, leudo urna cambOa
sop, tom commodo para moradia por ser
ssobradada : trata-se na ra Direita, n. 8-2.
l'rectsa-se de um caixeiro para bilhar
e lodo o mais survigo de uina casa publica:
no Hotel de Duropa, na Linguete, n. 3.

BOYVMAN & MC. CALI.UM, engenhei-
ros niachinistas e. fundidores de ferro, rmi-
respeitosamenle nnunciam aos Senhores
proprielarios de engenho, fazendoiros, mi-
noiros, negociantes, fabricantes e o res-
peitavel publico, quo o seu estabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meir qualidade para a perfeita confocgao
das maiores pocas de machinismo.
Habilitados para emprehonder quaesquer
obras da sua arte, liowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
altencSo publica para a sseguintes, por
terem dellasgrande sorlimonto jpronipta,
as quaes construidas na sua fabrica pdam
competir com as fabricadas em paiz es-
Irangeiro, tanto em .prego como em qua-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor construcgilo
Mocndas de canna para engenhos de lo-
dos os lmannos, movidas* vapor por agoa
OU MlillliiCS.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra
rias.
Manejos independeutes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilhocs, bronzes e chumaceiraa.
Cavilhoes e parafusos de lodos oa lma-
nnos.
Taixas, paros, crivos e boceas de forna-
lha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por animaos, c prensas para a dita.
Chapas de fog.lo e frnos de farinha.
Canos de ferro, lorneiras de forro e de
bronze.
Bombas para carimba e do repucho, mo-
vidas a mio, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hydraulicas c de parafuso-
Ferragens para navios, carros o obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e portes.
Prensas de copiar carias e sellar.
Camas, carros do inflo e arados de ferros,
etc., ele.
Alm da superioridade das suas obras, j
geralmente reconhecida, liowman & Me.
Callum garanten) a mais exacta ;onformi-
dade com os moldes e dezenhos remettidos
pelos senhircs que se-dignarem de fazer-
Ihes encommends, proveitandoa occasiio
para agradeccrem aos seus numerosos ami-
gos e rreguezes a preferencia com que teem
sido por files honrados, o asseguram-lhes
que nSo poupsrSo esforgos e diligencias
para continuaren) a merecer a sua confW
anca.
A inmutada de Nos9 Senhora da So-
leJade do bairro da Ba-Visla previne ao
publico, que casa terria e sitio de Joa-
qun) Xavier da Maya, que anda em praga
ror execucilo de Antonio da Silva G os mil o
l.ie he devedora da quintil de quinhenlos
quarenta mil cento e vinte ris importan-
cia de foros vencidos do chao, em que se
acha edificada : e que protesta haver dita
quanlia de quem quer que ficar com o pro-
dio.
DEPOSITO GEItL
2 do superior rap areia-prsttt X
$ da fabrica de Gantois Pai' 9
l/iet&c Compartida, na Ba- 1
% hia. ft
av; Domingos Alves Matheus, agente da #
fabrica de rap superior areia prota w
e meio grosso da Babia, tem iberio o -Q
seu deposito na ra Cruz, no Recife $
?n. 52, primeiro andar, onde se achara (
sempre deste excellente e mais aero- i
$1 fabricado no Brasil: vonde-se em bo- 4
$ tes de urna e meia libra, por prego tj
a>, mais commodo do que em outra qual-j
i quer parte. ?
?/' *
4*^^* *?***** **'*^*^*
Aluga-se a casa terrea do Ateiro-da-
Boa-Vista, o. 73, a qual por sua situagSo e
commodos pode servir, tanto para negocio
como para morada : a tratar na praga da
Boa-Vista, botica n. 6.
A viuv;i do terceiro matrimonio do
fallecido Jos da Cosa Noguoira avisa aos
credores do sen casal, que lendo do proce-
der a inventario pelo juizo de orphlos do
Po-do-Alho, devemelles justificarem seus
ttulos at o meado do correte Janeiro,
afim de sern Hendidos ni parlilha de
bous : e para prevenir qualquer omisso,
faz O prsenle annuncio.
Na ra da Cadeia de Santo-Antonio, n.
13, no primeiro andar, se dir quem tem
um negro do 30 a 35 annos som achaques,
muito rubusto, e proprio para servico
braga I.
Alugam-se por preco rasoavel
o sobrado e loja da ra dos 011,tr-
iis, o. 10 : a tratar no iMondego
com L. (J Ferreira-
O &
( Alugam-se evenderc-se as verda- Q
n\ deiras hixas de Hamburgo : na praca s
g da Independencia, n. 10, 10 voltar q
j paras ra das Cruzes. m
-- rstante desta praga 9 legoas precisa-
se de um professor par* ensillar as primei-
rasleltras, latime francez : prefore-se ho-
mem casado com pouca familia: tratar
na ra do Queima lo, n. 7.
Chapeos de sol.
Ittia (lo Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
ortimentodeslesobjectos de todas s co-
res e qualidades, tanto de seda como de
panninho, por pregos commodos ; ditos pa-
ra SPihoras, ile bom gosto : estos chapeos
silo feilos pela ultima moda ; seda adamas
cada om ricas franjas de relroz. Na mes-
ma casa se acha igual sortimento de sedas,
e pinninhos imitando sedas, para cobrirar-
magOes servidas : lodas estas faz en bis ven-
dem-se a porg3o o a retalho: coneerlam-se
quaesquer chapos do sol, tanto de basteas
de ferro como de baleia, assim como umbe-
las de i-reja : ludo por prego commodo.
Novo inethodo prticoe
theorico da liugoa frau-
ecza, ou arle facilima
de aprender com perfeigito e em pouco tem-
po a fallar, traduzire escrever o francez.
Ninguem poder negar a utilidide da
lin-o.i francezs, porquanlo que sondo ella
boje universal, reno em si nina maviosida-
de inaudita, uina excellencia que Iho he
propria : ella he abrogada san a menor exi-
lagSo por lodos os povos do mundo conde-
cido, por isso os grandes homens do secu-
to prsenle, teem envidados os sous exfor-
gosanmde que ella faga longevos sobre a
Ierra, e para prova de urna tal assergflo
muito bem disse o Sr. Sevene indispen-
;avel muitos a lingoa franceza he de
summa utilidade para lodos.
As pessoas, pois, que reconhecendo estas
grandes vantagens, e nao estando em posi-
gSode subjeitarem-se ao tirocinio escho-
lastico, sem duvida d moio fcil ea commodado para consegui-
r ni esta iiislruogilo, poupando d'est'arte a
fastidiosa tarefa de estudar de cor yerbos
e siguilicados, qual da grammatica do
Sr. Luiz'AntonioBengaim, dada a luz ulti-
mamentqVu) Bio-de Janeiro, e de que mul-
lo elevad i^iiceilo faz o nosso excellente
professor,^Br. doutur Jos Soares de Aze
vedo.
Avisa-se, porlanto, aos amadores d* men-
cionada lingoa que ditas grammaticas se
nidia ni a venda na praga do Commercio, n.
2, primeiro andar.
Aluga-se ou arrenda-se urna campia
na Estrada-Nova, denominada do l.ucca
, propria para pastagem do gades, ran-
chos, ou qualquer plaiiUgSo que se quei-
ra : a tratar na'ra do Vigario, n. 7, pri
inoiio andar.
Cattano Mendos da Cunh Azevedoen-
carroga-se de comprar e vender escravos,
mediante urna commissto rasoavel, e para
cujo fim promello ompregar toda activida-
de no melhor desempenbodessa tarefa : os
pretendentes o acharo proinpto em casa de
sua residencia, na ra da Alegra, n. 26,
bairro da Boa-Vista.
L'lissesDroz tem honra de participar
aos habitantes desta provincia que lendo
chegado ha pouco da Suissa, trouxe comsi-
go um excellente sortimento do relogios de
algibeira, ddouro e prala dourada, cha-
peados de ouro, relogios de prata e do cai -
xas de metal dourados, dos quaes se garan-
te sua regularidad: tambom se cncar-
rega de concertar relogios da algibeira e
pndulas, pOuvidrosnos mesnios, limpa os
mostradores de prata, garantindo-se a su-
perioridade de todas estas obras. Os Srs.
relojoeiroseourivcs acharSo em sua casa
na ra da Cruz, n. 40, segundo andar, um
completo sortimento de instrumontos des-
tes officios. Ella espera que avista de seu
trabalho conseguir merecer a conanga do
respeitavel publico.
Lotcria da matriz da Boa-
Vista.
Os bilheles desta lotera acham-so a venda
na loja de cambio do Sr. Vieira, na ra da
Cadeia do necift; na botica do Sr. Joio
Moreira Marques, pateo da matriz de S.-An-
tonio ; e na botica do Sr. l;rancisco Anto-
das Chagas, ni ra do l.ivramnto. O llic-
l,i o chin das rodas, e por islo pede a quad-
luvscflo do publico para este Um. Us apai-
xonados deste jogo que t.1o irodigamente
concorrem em sociedado para a cpmpia de
bilheles das luterias do Rio, em nada su-
perior a esta, concorram com seus capitaes
para i extraegilo rpida desta lotera, cujo
plano he oseguinle :
Plano
de meia lotera, comprehendendo a segun-
la e terecira quartas partes da terceiru no-
va (olera concedida pela le provincial n.
100 do 9demaio de 1812, beneficio das
obras da matriz da Boa-Visia.
5,000 bilheles a 10,000 50:000,000
Beneficio de 12
por cento 6.000,000
Imposto do 8
por cento 4:000,003
Sello de 150 rs.
por bilhelu 750,000
___ 10:750,000
tratar com o barbeiro, quo mora na logo do
mesmo sobrado.
A' casa da residencia do Dr. I.ourengo
Trigo de Lourciro, no bairro da Boa-Vislu,
ra da Saudado, dofronto do Hospicio, p-
demdirigir-so por carta, ou pessoalmonto,
atolim do mez de feverciro prximo fu-
turo, todas as possoas, que quizerem ser
assignanies do novo compendio de pratica
do processo adoptado pela congreguco dos
lentes do curso de scioncias sociaos e ju-
rdicas do dunda para a segunda aula do
quinto auno, sendo cinco milrso prego
da assignatura decadi ejemplar ; e em lo-
do o lempo as que o quizerem sor do inlc-
ressantissimo ndice clirouologico da le-
gislagfo brasleira que ha do conter en
olo volumcs ia folio, oa pouco mais, toda
a leg$lagiU>bruslera vigente desde 18-22
al 1848, a qual, com a que est rovogadae
a que tem cabido em dosuso, cpmpe as
collecgOes actuaes vinte o tantfs grossos
volumes, e cusa para mais de 150,000 rs ,
entretanto que o prego da assignatura do
referido ndice fio a pequea quanlia de
31,000 rs. paga ao receber o 1.' c2." volu-
mes, do quoj existem varios oxcmplarcs
em poder do anunciante e brevemente sa-
hir a luz o terceiro volunte. Na loja de
livros ilo Sr. rovejendo padro Ignacio h'ian-
ciscodos Sanios naruadaCru do lleoi-
fe,euado Sr. Manoel Figueiroa de Earit
na praga da lndopomlciicia, polo la-i licn
aasignar O seu nomo quem quizer sor us-
signaiito de qualquer das referidas obras.
Os Sis. assiguanles que j recebeiam o pri-
meiro volunto do indico clironologico, dig-
nem-so manilar buscar o segundo casa do
snuuncianle.
1 bilhele
I dito
4 ditos
8 ditos
10 ditos
12 ditos
20 ditos
40 ditos
1,154ditos
2 ditos (I.0 e 2.
brancos)
1,252 premiados
3,748 brancos
39:250,000
10:000,000
5000,000
900,000 3.600.OU0
500,000 4:000,000
2410,000 2:000,000
100,000 1:200,000
50,000 1 000,000
20,000 mo,un)
10,000 11:540,000
55,000 110,000
39:250,000
5,000
N. B. Os dous premios grandes estilo
subjeilos ao descont de 8 por rento do im-
posto gcral que ser extrahido no aclo do
pagamento. Conforme. O oflicial-
inaior, l'lorianno Correia de Brito.
Aluga-se urna casa de 3 andares no Re-
cife, ra do Amorm, n. 13, por prego com-
modo ; tambem se sluga a Inja da casa do
Aterro-da-Boa-Vista, n. 22, ptima para
qualquer estabelecimento: quem preten-
der, dirija-se a Manoel Luiz da Veiga, que
dir quem aluga.
HOMOEOPATIHA.
consultorio homocopathico do
Perna rnliuco est iber lo lodos OS das
desde as 8horas da manliSa ateas 4
da tarde.
Advertc-se as possoas que quize-
rem usar da homccopalliia, de diri-
gir-so no mesmo consultorio o enten-
der-so com o director Jo3o Baplista
Casanova.
Alguns curiosos andam as casas
particulares offerecendo administrar
a homceopathia em nom do consul-
torio, estes curiosos fagam as especu-
lagCes cmo melhor o entenderem,
mas nao so sirvam do nomo do con-
sultorio, porque no consultorio nfio
existem agentes nein cachnos, vis-
to que, a medicina nflo so adminis-
tra por meios de agentes ou cnchoi-
ros.
Consultorio homocopathico de Por-
namhtico, ra da Cadeia de Santo-
Antonio, n.22.
Compras.
Comira-se un pao de role o seus per-
tenecs novosou usados: no pateo do Car-
ino, n. 1 venda.
Compra-so unta cabra ( biso) que es-
teja parida esoja boa Iciteira : as Cinco-
Pontas, n. 82.
Compra-so urna cisa torrea as se-
gundes mas : Praga, Aragiio, Conceigo,
Rozarin, S.-Crnz e Vollia, sendo da um con-
tu eduzentos mil rs. o agradando ao com-
prador dir-se-ha mais : quem livor an-
nuncie.
~ Compra um tacho grande de cobre, em
bom uso : na ra Imperial, n. 165.
Compra-so una pequea morada de
casa torrea, dspedra ecal, que esteja em
muito bom estado, o quo seja na freguezia
de Santo Antonio, mo excedendo seu valor
a cento e cincuenta mil rs.; quem a livor e
queira vender, annuncio paia sor procu-
rado.
Cnmpram-se 10 a 15 milheiros do li-
jlos de alvenaria, sendo do muito boa quB-
lidadec bastantes grossos ; urna rodo de
arrasto de malba do camariio: no Aterro-
da-Uoa-Vista, n. 17, fabrica de licores.
Comprara-Be, cffectvamento, botijas e
garrafas i na ra do Raflgol, n. 5i.
-- Compra-sc una prela que seja peifoita
coslureira, engommadeira e que suiha fa-
zer vestidos, se agradar pagase bem ; uola
dita que saiba engommar e cozilihar e quo
nflo seja viciosa, ambas s.lo para fra da
provincia: na praga do commorcio, n. fi,
primeiro an lar.
Vendas.
-- Affonso Jos de Olveira, profossor ju-
bilado na cadeira de geographia e historia
do lyccu desta cidado, prop0e-so a ensillar
grammatica latina, rhotorica e geographia :
as pessoa que de seu prestimo se quize-
rem utilisar, pdem procura-lo na ra Di-
reita, n. 120, segundo andar.
Charutos.
A' nova fabrica de charutos do Alerro-da-
Boa-Vista, n. "7, junt a matriz, acaba de
chegar um completo sortimento dos me-
llioies charutos que teem viudo osla pra-
ga, de entre os quaes rivalisam em superior
qualidade os seguintes : senadores, depu-
tados, Venus, beija-flor, regalos de ilavana,
imperiaes, quem-fumar-saber, regalos e
mimos de yaya, cvamenos, meia-regalia,
populares, integridade,archeiros, fluminen-
ces, lanseiros, regala du S.-Kelix, impe-
riaes-archeiros, com especialidade recom-
niemlam-se os fumantes de bom gosto
{_7* brame vejam ^t vindos pela pri-
meira vez a esta praga dez caixas para
amostra ; convidaro-se, pois, os apreciado-
res da boa fumaga a coucorrerem a mencio-
nada fabrica, onde acharam, lm destas
qualidades, nutras muiUs por mais bara-
to prego do que em oulra qualquer parte.
Deseji-se fallar com o Sr. Joilo Baplis-
ta Correia, n* ra da Cadeia do Recife,
n. 34.
Alugam-se os primeiro e segundo in-
dares do obrado na ra Direita, n. 43, com
exfolenles commodos e muito frescos, 8
Vende-so um moleque de H annos,
sem vicios : na ra do^ueimado, n. 61.
Vende-se uina negra moga, que sabe
bem cozinhar o diario de una casa, engom-
mar, co/er, fazer ron I, e he tambom tapa-
tetra na rua da l'raia, nrmazem, n. 18
Vende-se um neg o de idade do 30 an-
nos, pouco mais ou menos, para todo o ser-
vigo : na rua da l'raia, armazem, n. 18
~ Vende-se um bom cavnllo carregadnr
baixo at meio, bom como lo Jos os arreios
110V..S ou sem ellos: na rua da l'raia, arma-
zem, II. 18.
-- Na loja, n. 21, da rua do Queimado,
vendom-se os seguintes livros om bom uso
e por prego coinmbdo: Vanguerve Pratica
Judicial ia ; Caminba de l.ibellis ; Disscrta-
gOes Jinidicas, sobre a inteligencia de I-
gumas ordenagoes, em supplemonloao Ma-
nual Pratico, por A. C Comes; poileose
obrigagoes do jury, por Carlos Cont ; pri-
meiras nogOcs de direito positivo por Loba-
to ; DireilO Natural, por Fortuna ; Eusaio
sobre ns garantas individuaos, por Dan-
nou ; Diccionario porttil, pnrtugucz o fran-
cez ; Resumo da historia do Brasil e das
Cuicnas, em fiancez, por Fernando Diniz.
Vendein-sc mascaras linissi-
mas para o carnaval : na loja de
Maia Ramos & C, na rua Nova,
n. 6.
Salsa-parrilha de Sands
para remover e curar radicalmente lodas
as enferinidades que proecdom da impu-
reza do sanguc, ou habito do systema.
Esta medicina est operando constante-
mente curas quasi incriveis de molestias
que procedem da impureza do sangue. A
infeliz victima de molestias hereditarias,
com glndulas inchadas, ervos incolhidos
e os ossos meio arruinados, flcou restabe-
lecida com toda sua sade e fdrgus. O doeu-
te escrofuIriso, coberto de chagas, causan-
do nojo asi mesmo, ea quem o servia, fl-
cou perfeito. Coiitcnarcs do pessoas que ti-
n ha ni Mili m do ( por anuos a ponto de deses-
peraron da sua soito ; molestias culaneas,
glndulas, rhoumatismo chronico o minias
outras oufonnidados procedentes do desar-
ranjo dos orgSos de secrcgio o g.lo, leem-so ergui Jo quasi milagrosamen-
te do Icito da morte, o boje, com constilui-
coes regeneradas, com praxor alteslam a ef-
licacia desta ineslimavel preparag3o.
Comquanlo tenham apparecido grandes
curas al aqu produzidas pelo uso desta
estimavel medicina, comtudo a experien-
cia diaria aprsenla resultados mais no-
laveis.
Ncw-York, 22 de abril de 1848.
Srs. A. B. e I). Sands. Julgnndo ser
um dovor para com vosco e para com o pu-
blico em geral, remetlo-vos este cerlilica-
do das grandes virtudes da vossa sslsa-par-
11 Iba, ( ai i q ni' uniros quo boje eslSo Sof-
frendo esta.belegam melbor a sua conan-
ga e fagam sem demora uso da vossa medi-
cina.
Vi-me perseguido com urna grande fo-
nda notornozelo, que se eslenda pela ca-
nda cima al ao joclho, langava grande
porclo de nojeuta materia, co:n comicbis
quemo privavam muitas noiles do meu des-
canso, o ortini muito penosas dosupportar.
.. OSr. tiogo>M. Connel, que havia sido
curado com a vossa salsa-parnllu, reco-n-
mondou-me que eu (i/.esse uso dclla, rje-
pois de haver tomado cinco garrafas ilquoi
perl'eitainente curado.
Tenho demorado um anno manoar-vos
esto rerlilicado, para conhecercom certe-
za se a cura era permanente, e tenho agora
a maiorsatisfagfoem declarar que n3o te-
nho visto, nem sentido cousa alguma du-
ranlo todo esto lempo, o acho-mo perfeila-
menlo restabolecido. Son vosso, ele.
< Saruh M. lntire.
210, rua Delancey.
Nesta provincia o uifico agenle desie ma-
ravilhoso remedio he Vicento Jos de Brito.
Aarope do bosque.
A nlroJuc(iiodr) tarop dobotqui em o Drai|g)
foi animada por succcsio nein Igual not F.tia-
dos-LTuidns, ende depois de sete annos de ex-
periencia e uso foi elevado a to alio mrito,
que s vezes aj exigencias excediain minio i
|ii n.ii.t i.le que se podia nianufaclurar.
No principio de sua introduccao aqu nao s
pode logo ivr vcni o seu mrito nesteclima :
mas as iiiiineiisas piovis que os agentes recc-
bein diariamente dai curas maravilhosas que
elle prodiw. os habilita a cerlilicar que oinro-
p do lionue tie una cura certa para a plilhisica
em t odos os seus dillercnlos gios, qur moti-
vada por conslipacocs, tosse, coqueluche,
plcutiz. aslliiua, broncliites, palpitacao no co-
raeSo, drde costado e peito, escirros de san-
gue, dr na garganta e lodas as molestias dos
oi'gaos pulmonares.
Depoll de tantas provas do seu inerecimento
como outroitm dipuis de se trstemunhar un
lirine augmento da venda deste remedio, como
igualmente a accumulacao de lanos lelos que
coiiiprovaiu o seu bom successo durante a ex-
periencia de 14 meies, os agentes nao scrao
acensados de tei-om imposto sobre o publico,
reoommendando um remedio de um valor n-
certo, ou da exigir de qualquer invalido que
liso as suas rsperancas de cura por nmallivio
iiuaginario. O uso principal do xarope do bft$-
que tem sido feito nicamente na cidade do Rio-
de-Jaiiciro e suas vi/.iubaucas ; mas, agora que
as suas virtudes se pdem conscienciosamciile
asseverar, os agentes o oBercceni ao publico
com a mais segura confianca, c que em quil-
quer caso se achara um remedio de infallivet
mrito como de feliz successo.
Ha casos destas molestias, quando por nc-'
gligencia se deisa que a molestia tome coipo
sobre a substancia dos bofes, at que os restos
deslcs liquem iiisullicientes (se a sua declina-
cao poder ser reprimida) a poder furnecer o
singue aos elementos necessarios i vida de
Uina pessoa, c seinclhantes casos sao e seriio
sempre alcni do conhecimcnlo da assistencia
humana, e he pcior quecliarlatao aquello que
quizor cuganar a liguen com esperancas fal-
sas de oura ; mas ha muilos casos que appare-'
cem sem esperancas, mas pdem ser curados
COl remedios pruprios.
t'oin alguns a tendencia para estas molestias
veui mente Iransmitiida as suas descendencias. Isto
he geralmente conhecido por phlhisica cons-
titucional. Fui somclhanles casos a doenca
apparece goialniciile na inesiiia familia em
nina certa idade, c familias inteiras falleceni a
proporeSoque vio chegaudo quelle periodo.
Como dilieinoi cima, remedio algum pode
remediar estes casos, onde urna tonga moles-
lia se acha erreigada, c por conseguinte lem
consiiiiiido todos os recursos da vida, mas he
polo uso de .scinclh.iiite remedio como o Taro-
pe do Oaique, e o muito cuidado na saude, que
,'sles periodos crticos se pdem passar, ea vi-
da se pode prolongar at una idade avancada.
Km caso de molestia de bofes, occasionado
por exposiciio ou negligencia, a molestia ap-
proxinia-se por dilli'ienlcs formas, mas qur
no broebial ou atbuiltic*, as membranas sao
adietadas e as suas secrecoes improprias ou
mais que exciladas fazein logo senlirein-se
symptomas que iiiio se devero desprezar;
nina couslipac.ao pode produiir urna inll.imina-
cao as delicadas membranas que guarnecciu
os tubos broneliiaes, esla irrita^oproduz urna
tosse, e em seu turno a tosse augmenta a in-
llinimacao; e, se se despreza, as membranas
dos bofes toriiain-sc seinelhaiitcmente all'ecla-
il.i-, c por un a incsuia substancia dcstes he
atacada, lie verdadeque muitos bofe sao bas-
tante lurtes, s vezes, para resistir ao primeiro
curso, se este nao fr muito forte ; mas nin-
guem escapa de uina maneira fcil, urna vea
que teiiha padecido molestia que tenha atacado
aquellos. He portauto que elles precisam de
algum remedio seguro para ajudar o systema,
atim do corrigir as sccrocdcs e restaurar forca
aos orgaos puliuoiiarcs ; em casos como estes
o xarope ilo boique tein-sc tornado infallivel, e
nao be s no principio como na forma simples
destas molestias que este remedio he uina cura.
Teem j havido muitos exemplos em que a sa-
de se lem restaurado a pessoas que haviam si-
do abandonadas pelos seus mdicos e amigos.
O jarope du boique nao se ott'erece como um.
remedio par qualquer doenca, mas aim he
oli'erecido com nina perfeita confianca como o
in.iis ulil remedio at aqu dcscoberlo para as
molestias de garganta c dos bofes, a quaNie
composto orne.menle de vegetaes, e que te
pode tomar sem aqucllc cuidado em prlica
qur na dieta ou no exercicio.
O publico deve-selemii.ii que cada garrafa
lem dous lelreiios com a propria assignatura
dos agentes B. C. Vates e Conip., um oa garra-
fa com todas as direccoes para uso, e um no
papel de tura.
I'de ser enviado com toda a seguridade
para qualquer parte do imperto, c as ordena
seriio pM.ni.lmenle executadas.
Vende-se nicamente na botica do Sr. Jote
Mara Goncalves llamos, rua dos Quartels,
o. 12.
Farinha de mil lio.
Vende-se familia de militocm porgfies
e arrelalho por prego commodo, na ru do
Brum, n. 28; sendo de 1.*, .' e 3. sorte.
-- \ ondc-.-i' urna mui linda molstinha de
Ifi annos com todas as qualidades aprecia-
das para mocamba, alm de que, engoma e
cozo perfeitamente ; dir-se-ha o motivo da
venda, na rua do Bangel sobrado, n. 5".
Vende-se um lindo moleque, chama-
do pega, de 17 annos, de illibada conduc-
ta, ccomo tal, prefero-se para dentro da
enirioo, por se adigar sua conducta, na
rua do Bangel, n. 57.
-- Arroz a 50 rs. a libra e 1,409 rs. a
arroba, sendo em sacca ainda por menos :
espirito de 37 graos a 1,000 rs. a cnida ;
no pateo do Hospital do Paraizo, venda
n. 20.
Vendc-se i casa n. 3, cita n* rua do
Bom Sussego em Olnda por commodo pre-
go : na rua de S. Francisco, casa n. 24,
defroute da venda do Nicolao, se dir quem
vende.
Vendem-se relogios de ou-
ro sabonete, patente inglez : em
casa deGeo : Kenwojthy & C. ,
na ruada Uruz, n. a.
ii Lcrciv/ri


/
-- Vende-fc un mulallnlio muito bonito,
proprio par so mandar ensioar um officio,
tul dar-se de festa a qualqucr lillio, de 11
minos, o que he vendido por neccssidade :
na ra larga do l'iozsrio, n 35, luja.
--Na rua do Vigario, n.7, primeiro an-
dar, ha para vender-te dua*s prctas, sendo
una moga e oulra j i'e dado.
Hlalas
Vendem-se batatas a 1,000 rs.
n arroba : no armazem da ra'do
Azeite-de-Peixe, n. i/j, defronte
da Madre-de-Deos.
Vendem-se hons queijos lonirinos,
ditos de prato muito frescaes e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos porluguezes para panella, Utas
rom 2 e 4 libras de tnarmelada, ditas com
bolachinha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas com hervilhas, frascos com conservas
inglezns, queijos de qualha vindos do Cea-
r, por barato preco, mantas de toucinho
inglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauma.o
ouirns inuitos gneros de boa qualidade :
a nrua da Cruz, no Kecifo, n. 46.
Corles de cassa para ves-
tidos com* i 6 covados
por 5.800 rs.
Vendem-sc corles de cassa para vestidos,
com 10 covados, a 3.5CO rs.; ditos com 8
covados, a 1,760 rs. ; pecas de carrbraia li-
sas rom oilo varas e meia, a 2,720 rs.; pan-
no do linho mullo fino, a 480 rs. a vara : na
ra do Crespo, loja da esquina que volla
para a cadeia.
Taixas para engenho.
Na fundicSo de ferro da ra do Brom,
araba- si- de reoeher un completo sorlimen-
todo taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por proco com-
modo e com promptidfio einharcam-se
cu carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
AGENCIA
da fundieo Low-Hoor,
RA DA SINZALT.A-KOVA, K. 4'.
Neste estabelecimento conti-
na a havcinm completo sorti-
rnento de tnoenuas t meias moen-
das, pira enpenho; machinade
vapor, e tochas de ferro batido e
Coado, de todos os tamanhos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Sanlos na Rabia
Vende-te em casa de N. 0. Ilieber & C.
a rua da Cruz, n. 4, altodiio truncado
daquella fabrica, muilo proprio [ain sarcos
de assucar e roupa de escravos,
Chii brasileo.
Vcnde-se cl 1 lasiloiro no ariri.izem'de
molhadcs, aires do Corro-Santo, n. 66, o
uiais excellentc cha prodozido em s.-Pau-
lo que lem vindo a este mercado, por
pre^o muilo commodo.
Moendas superiores.
Na fundicSo de C. Starr & Companhia',
em S.-Amaro, acbam-se venda n.ocndas
de canna, lodas de ierro, de um modelo e
construcgfio muito superior.
des fumantes de bom gosto.
No armazem de niolhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor .viudo do sul superio-
res charutos S.-Flix, e de oulras niuilas
qualidades que se venderfio mais barato do
que em oulra qualqucr palle : bem como
cipaiiilhos bcspanlies ditos de palha de
milho, que se eslfio vndeitdo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cenlo.
Corles de bi m de cores
com listras ao lado, a
I,20rs.
Vendem-se corles de brim de cores com
Jislras ao lado, a 1,2*0 rs. ; liscado de al-
godSo americano, piuprio para escravos, a
140 rs. o covado : na la do Crespo, lujada
esquina que volta para a cadeia.
Teeidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos- os-Sa utos.
Na rtia da Cadeia, a. l*!,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
e.scnvos.
Ruarles de furta-cres a
204* rs. o cvx c'o e rs-
cado monslro a 1220 rs.
Veudc-so zuarte de furta-cres muito
encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monslro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra "lo Crespo, loja da esquina que
volta parr a cadeia.
Para uein tiver bom
gosto.
Vendem-se redes de cores muito grandes
o muito bonitos padies, e o melhur que
temapparecido nesle mercado : na ra do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia.
-- Vendem-sc amarras ue irro : na rus
da Scnzalla-Nova, n. 42.
!4
Vende-se calcado de marroquim paral -- Vende-se banht de porco muito nova
senhora.a 500 rs. o par, marroquim, he- e bem elva, em barris, em latas, aslibrase
zerro, de Franca, fivelas, franjas, e outras a relalho, a 240 rs. a libra : na ra Impe-
m u i tas fazendas para calcado das melhores
Saccas com farclo novo,
de 80 a 90 libras, a 8,?:
vendem-se no armazem do Antonio Annes,
no caes da Alfandega, e no de Vicente Per-
Mira da Costa, na ra da Madrn-de-lieos,
cliegadas ltimamente de Lisboa e de
tranca.
Vende-so urna parto dos sobrados de
Iris andares, ns. 14 e 16, sites na esquina
da ra da Cadeia, drfronte do tliealro de
San-Francisco a falla rno priineiro andar
tos ditos, comJoaquuD Teixeira Peixoto. 1
que ha no mercado, por barato prego, sen-
do a dinheiro avista : na ra do I.ivramen-
to, n. 11.
Os mais ricos mantele-
tes e capotilhos.
Vendem-sB os mais asseiados mantelete:
e capotilhos de chamalote de seda e gor-
gurfio, os mais ricos que teem apparecido s
na rus do Queimado, n. 9.
Potassa da Russia.
Vende-sea verdadeira potassa da Russia,
desembarcada agora, em barris pequeos :
em casa dos Srs. Ituthe & Bidoulac, ra do
Vigario, n. 4.
Verulem-se corles de cambraia de co-
res, peloDarato preco de2,000, 2,500, 3,000.
3,500 e 4,000 rs.; cambraia de seda, a 3/
rs.: meias para meninas, a 160 rs.; 13a
com listras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
?inlia propria para roupa de meninose ves
(idos de senhora, a 240 rs.; la superiur pa-
ra calcas, a 500 e 600 rs. ; lencos de algo-
dito e seda com franja, a 600 rs. ; crb s de
collcte de velludo, a 1,6*0 o 2.500 rs.; cas-
sa-chita, a 400 rs a vara ; .mi en de seda, a
5C0 rs. o covado; cambraia de seda,a 560 rs.
o covado, e oulras muilas fazendas lor
barato preco : na ra do Crespo, n. 15, loja
de Jusquim deliveira Maya Jnior.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Santo. n. 66, por preco com-
modo, velas de carnauba, sendo azues
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e alurarem mais que as deespermacete,
e nao fazereot morrSo.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem sntlgo da ra da Madre-dc-
Deos, n. 36, est de novo estabelccido de-
baixo das mesmas condicOes, offerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a cariada, a de vinho branco de Lis-
boa por220rs a garrafa, c 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de liordeaux por 160 rs.
carrafa levando o casco. NSo se admlrem
os freguezes do baixo preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, e si ni da audacia do
propriclario querer sustentar o antigo pre-
CO, emhora este genero lenha subido o me-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Kxamiiicm os
amantes a qualidade para reconhccimcnto
da verdadee continuaffio da enliga fregue-
zia. Epara nilo haver usuras, est3o promp-
tas garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barris de diversos la-
niatihos para ptovisfio do prximo Nala!
O proprii'lario cunta com a concurrencia
do contrario, lornarSo os pregos do reta-
Iho a prioiitiva de 240 e 2S0 rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vndese milito nova potassa,
de boa qualidade, em bsrriszinhoi.
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muilo
lempo se nao vende : nc ftecife.
ra da Cadeia, armazem n. 12.
Antigo deposilo de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgeni de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Furnna *dc mandioca.
Na ra do (Jueimado, n. 14, loja de fer-
ragens, anda ha algumas saccas da boa
bnuba de mandioca, muito alva e bem tur-
rada ; bem como urna porefio de 1 cunas de
cma, proprias para espanadores.
Vende-te vinho do Porto muito supe-
rior, em lian s de quarlo e quinto ; farinlia
de trigo de tudas as quali.tades e 1 m meias
barricas ; retroz do Porto, prlmeira quali-
dade : panno e meias de linho ; arcos para
barricas ; familia de mandioca em sacras
grandes e a garncl a bordo da sumaca I.-
S.-do-C.armo : tudo por preco commodo :
na ra 1I0 Vigario, n. II, primeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunha.
Cba| eos do Chile
de superior qualidade.
Pelo ultimo vapor receberam-so &
*' mais chapos do Chilo de superior *
qualidade, que continuam a vender- fi
$ se ( a pr(Cs mais commodos do que p
em outra qualqucr parte na ra do f
H) Collegio, n. 9. gt
* *
Farinha de trigo.
Vende-se superior f.rinba de trigo fran-
ela de l'rovenca, chegada ltimamente de
Marsilha : em casa de J. J. Taf&o Jnior, na
ra do Amorim, 11. 35.
Yendein-se saccas com lte-
lo, pasando yG libias, e ditas com
l'eijao rajadiuho e branco : tudo a
5,ooo rs. a sacca : no caes da Al-
fandega, armazeiii doBatellar.
'a relalho, a 240 rs. a
rial, n. 37.
m
lados de ferro.
Na fundic-to da Aurora, em S.-Amaro,
vendem-se arados de ferro diversos mo-
delos.
Vende-se, por rreco comn.odo, um par
do adragonas (ara alteres na ra do Tra-
piche, n. 9, armazem de assucar.
Vcndem-se bixas do Porto, pequeas,
de 50 para cima a 100 rs. : na ra das Cru-
zes, D. 40.
Cal virgem.
Cunha & Amorim, na ra da Cadeia, n.
50, continuam a vender barris com cal de
Ljtbda, da mais nova que ha no mercado,
por lato mais barato do que em outra qual-
qucr parle. I
Vende-so um preto moco, bom otUcial
de pedreiro: na ra do Collegio, n. 21, pri-
meiro andar, se dir qom vende.
Para poicos.
Vendem-se saccas com feijao
com algum furo, a 3,000 rs. cada
urna : no caes da Alfandega, ar-
mazem de Francisco Das-Fet-reira.
Vepde-se
urna mobilia de Jacaranda quasi nova, sen-
do duas bancas, um 'soph, urna mesa da
rnciodc sala, 14 cadeiras. sendo duasdQ
bracos, urna cama de angicp, de armaefio .*
no pateo do do Carmo, n. 13, sobrado de
varaiida de pao, esquina do becco da
Bomba.
Umversalmente hoje he reconhecido
que na presenta de um par de oculos fixos
apropriadosao grao da vista do paciente,
tica inulilisado ludo qusnto os diversos au-
tores desde llippocrates at Raspailhe teem
escripto em medicina, tendente a curar
vista curia ou cansada, e tanto isto he cer-
to quo clles mesmos usmn delles, em con-
secuencia quem osquizer, at mesmo com
o anudlo das ('melladas, Irambolliocs, ca-
becadas o mais catstrofes, dirija-se ra
larga do Itozario n. 35, loja de m'iudezas.
Vende-se um mulalinho de 16 annoa,,
bom bolieiro e copeiro ; 4 moleques de
elegantes tiguras, sendo dous delles corta-
dos na melade de seu valor; 2 prelas com
algumas habilidades ; 2 pretos de 30 a 40
anuos, sendo um delles bom esnoeiro, o
vende-se por muito commodo preco pera
liquidacSo : no pateo da matriz de S.-An-
tonio, se dir que vende.
--Chegaram nova mente ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata
patente inglez, para bomem e senhora.
Novo sor timen lo de ta-
zn das baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao p
do lampean.
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padrdes, cores fizas e com 4 palmos
de largura, jielo barato preco de 320 rs. o
covado; cassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; riscadinho de lis-
Iras de linho, a 240 rs. o covado,- brim de
algod.to de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padrOes, a 320 rs. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varas e urna quarla ; cassa preta com
ramagem branck para lulo, a 140 rs. o co-
vado; zuarle de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200rs. o covado; risca-
do monslro, i 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOese cores flxas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de lar Intima, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodSo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
SSSF.
Manocl da Silva Santos vende
faiinhade trigo superior da marca
cima mencionada e chegada a es-
te mercado no ultimo navio vindo
de Ti este: quem pretender, pode
dirigir-se ao armazem do Annes,
no caes da Alfandega.
Vende-se genebra de HolUnda em
frasqueiras; ago'ardenle de Franca ; vinho
do Claretem caixas de urna duzia; charutos
da llahia : tudo muito barato: na rua da
Alfandega-Velha, n. 5.
A 5!0 ris.
Vendem-se chitas francezas, largas, mui-
lo Tinas, lisas, muilo miudinhas, cor de
rosa e rouxas, pelo barato preco de 320 rs.
o covado : na rua do Crespo, n. 14, loja de
Jos Francisco Dias.
Contimia-se a vender bolacha de fari-'
iba de milho, a 80 rs. a libra : na rua larga
do Itozario, n. 48, padaria.
Vende-se cera em velas fabricada no
Itio-de-Janeiro, sortimenlo a vontade do
comprador, por preco commodo: na rua
do Vigario, n. 19, segundo andar.
i\a rua do Passeio, n. 5,
vendem-se chapeos de sol da marca mui-j
to grande, proprios para seuhores e feilorcs
do engenho : estes chapeos silo muito bem
constiuidose muitos fortes.
\'ende-se panno azul
proprio [ara fardamenlo;
sola ciiVcrmzada
para corroame;
cobre
para caldeireiro e para forro ;
couro de lustro ; phos-
pboros de Hamburgo
cui caixas forradas de zinco ; um sortimen-
lo completo de copos, clices, garrafal, etc.
de vidro e de cryslal: ua rua da Alfandcgi-
Velbt, n. 5.
Cera de carnauba.
Vende-se superior cera de carnauba, che-
gada ha punco do Aracaly : na rua da Mo-
da, ii. 21, se dir quen vende.
--Vende-se um escravo relinador : na rua
das Cruzcs, n. 40.
Calcado francezinteira-
mente novo.
Na rua do Crespo, ao p do arco de S.-
Antonio, loja de miudezas, de Joaquim
Hcniques da Silva, sapillos de couro de
uslro para seuhora, a 2,000 rs.; sapatOes
de couro de lustro, a 6,000 rs. ; eilus de
duas e tres solas, a 5,000 rs. ; sapatos de
couro de lustro de urna sola para horacm.
a 4,000 is ; horzeguins gaspeados para bo-
rne ui, a 7,000 rs.
t\a loja da esquina do Deccn-Largo da
rua da Cadeia do tiente., vendem-se saccas
com superior milho, por preco mais barato
do que em outra qualquer parle.
Vende-se superior fio de al-
godSo para pavios;de velas: em
casa de Geo : Kenworlhy & C.
na rua da Cruz, ti. %,
Ao bello madamismo
se olTerece transparentes e lin lissimas cas-
sasda mais moderna exposieSo de laris,
cortes de 10 varas, pelo rasoavel pre^o de
7,000 rs.: na loja de Antonio Luia dos San-
tos & C., na rua do Crespo, n. 11.
l'otassa nacional.
Vende-se potassa nova da fabrica nacional
do Itio-de-Janeiro ao baratissimo preco de
180 rs. a libra. Os senhores de engenho de-
vem todot mandar comprar desta potissa
aflm de animar a fabrica que com tantot
sacrificios se estabeleceu e foi a causa do
baixar a este preco : na praca do Commer-
cie, n. 6, primeiro andar, escriptorio de
Manoel Ignacio do Oliveira.
Na loja da rua do Cres-
po, n. 14, de Jos Fran-
cisco Dias,
vendem-se riscadinhos muito finos, rou-
xos. encarnados e cor de caf escuro, mui-
to fixos, pelo barato preco de 200 rs. o co-
vado; cassa-chitas francezas, muito fixas,
a 480 rs. a vara ; chitas largas francezas, a
360rs. o covado; brim de linho azul liu-
do para (aqueta, 440 rs. ; brim amarello
entroncado e do puro linho, a 1,600 rs.;
meias para meninos, a 200 rs. ; ditas bam-
b rguezas, milito encornadas, farenda mui-
to superior, a 400 rs.; picote muito encor-
pado,.fazenda de mnita duracSo e propria
para escravos, pelo diminuto preco de 200
rs. o covado; cortes de brim de listras e
quadros, a 1,120 rs. o corle; ditos de qua-
dros o lista ao lado, fazenda muito enror-
pada, pelo barato preco de 1,400 rs. o cor-
le ; e outras muilas fazendas por barato
preco.
Vende-se a loja de hvros,
com todos os seus pertences, que
foi do hacharel Bernardo Jos Vi-
eira Coutinho, tita na esquina da
rua do Collegio : os prelendentes
dirijam-se ruado Vigario, n. 7
primeiro andar.
jj Atoalhadode linho.
^. Vende-se atoalhado de puro linho,
> com 8 paln os de largura, a 3,500 rs.
* a vara ; dito com B palmos, a 4,000
* rs.; guardanapos tinos de puro li-
;* nbo e adamascados, a 10,000 rs. a
* duzia ; um completo sorlimento de
O. uu/.rn um iuui|ribiu .l/lilluciilu uw ja,
toa Ibas da mesma fazenda, de varios
'_> tamanhos e.de differentes precos: ^
t, na loja do sobrado amarello, nos __
y quatro cantos da rua do Qucima- Z do, 11. 2. ^

*9Aift*AilAsA6AilO
Naya Ramos & Compa-
nhia, com loja
na rua Nova, n. 6, acabam do receher um
lindo sortimenlo de fazendas francezas da
melhor qualidade e gosto possivel, cons-
tando de lindos jarros para flores na tu raes,
lanternatde p de vidro; serpentinas de
ps bronzeados e de 5 luzes; jarros e ba-
cas de porcellana dourada, cousa de mui-
to bom gosto e qualidade; lin luiros de por-
cellana e tambem bronzeados; manteiguei-
ras de porcellana e de vidro ; caixinhas pa-
ra botar sabio, de vidro e porcellana ; cai-
xinhas para guardar escovas, tambem de
porcellana e vidro ; chicaras de porcellana
dourada c lisa ; palmatorias de j de .vidro
ede casquinha, proprias oara piano; di-
versas figuras com peso sullicient para se-
gurar papis ; divertidissimos jogos de vis-
pora pelo diminuto preco de 1,600 rs. ; ju-
gos do xadrez, damas e domin ; chapeos
de pnlliinha abertose fechados para senho-
ra ; filas para os ditos; luvas do seda para
meninas ; e outras fazendas novas, que se
vendem por preco rasoavel.
Vende-se, no fim da rua da Aurora, n.
4, un. temo de lambores com aguilhO.-s e
rodetes, por 320,000 rs,; temos de carretas
solas, por 20.000 rs ; urna canoa de ear-
reira, de um s pao; urna dita grande do
1,200 lijlos, e que precisa de obra no
fundo.
Vende se um sitio beira do rio, com
mais de mil palmos de frente e baixa de.
cai'.im para 30 fcixes por dia, com grande
casa moderna, contend) duas salas gran-
des, dous gabinetes, duas alcovas, 3 quar-
tos e cozinha fra ; be perto da praca, ror
ser antes de ebegarao Poco-da-l'anella : na
rua de S.-Amaro, 11. 16.
~ Vende-so um sobrado de um andar,
em cbaos proprios, na rua Imperial : no se-
gundo andar do sobrado da esquina do bec-
co do Ouvidor, 1 a rua da Cadeia, se dir
quem vende.
Cal \rgem;
Vende-se superior cal virgem em pedra,
em barris de 4 arrobas e meia, chegada no
correte mez do Lisboa, pelo brigue Nono-
Vtnetior : na rua da Moda, armazem n. 7.
--Vende-se um pardo de bonita figura ,
proprio para pagem : na rua das Larangei-
ras, n. 18.
Vendem-se ricas toalhas de
lavarinto ; na rua da Cadeia do
l'eril'c. n. 9, loja.
-- Vende-se urna preta de bonita figura,
de 20anuos pouco mais ou menos, queco-
te chito, cngouima liso e faz todo o mais
aervico de urna casa : na rua do Livramen-
to, n. 19.
-- Vendem-se 3 escravos de 22. a 30 an-
nos, de bonilas figuras; 4 moldeles de 10 a
18 anuos ; duas pardas mocas ; 3 uegrinhas
de 18 annos; urna escrava da Costa; duas
lindas mulalinhas de 18 annos: na la l>-
reila, n 3.
-Vende-se um cavallinho, proprio para
montara de menino : na rua da Aurora,
venda por baixo do sobrado prximo a ca-
pella dos Inglezes, se dir quem vende.
Vendem-se duas moradas de casas ter-
reas, ou cada urna de per si, no bairro de
S.-Jos, urna rende 9,000 rs. e a outra
5,000 rs,: na rua da Gloria, n. 86, ou an-
nuncie.
Vendem-se 162 palmos e meio de tr-
ra, com urna cacimba, arvores de Inicio,
murado e com alicerces para casas, chitos
proprios, no becco das Barrearas, perto do
ro, e com mais de 500 palmos de fundo,
ptimo para qualquer estabelocimento, ou
troca-se por casas terreas 00 escravos sem
vicios nem achaques: ua rua da S.-Cruz,
n. 66, defronte da ribera.
Vende-se um par de brincos, urna me-
dalha com diamante, um laco de (ilagrana,
um annel com dout diamantes : na rua do
Crespo, n. 12, loja.
Vendem-se peeas de algodflozinho com
20 jardas e com toque de avaria, a 640,
1,280e 1,760rs.,elimpo a sote patacas;
pecas de chitas de bous pannos, a 4,500 rs. ;
o diccionario de Moraes da quarta edicto,
quasi novo, por 20,000 rs.; 1 fole de folear
formigas:. no pateo do Carmo, 11. 18, pri-
meiro andar.
Vendem-se 8 escravas; urna dita de
muito boa figura, que cose, engomma e co-
zinha, tudo bem feito ; um escravo moco,
bom officral de pedreiro; um dito bom co-
zinheirodo diario de urna casa; um dito
bom official de sapaleiro de corlar e fazer
toda obra ; um dito de meia idade, por
150,000 rs., ptimo para trabalhar e botar
sentidos um sitio, ou servir urna casa;
dous moleques, um de 12 annos, e o oulro
de 16; urna preta para quitandeira, por
preco commodo: todos esles escravos ss
dito muito em conla : na rua do Collegio,
n. 21, primeiro andar, se dir quem vende.
Jbscravos Pugi o.s
--" Vendem-se 150 barricas vasias quej Vende-se um trombOo em bom esta-
fara m de farinha, por preco commodo; na' do, por preco commodo: ua rua do Ara-
rua larga do Hozarlo, padaria n 48. 1 gao, 11. 8.
Fugiram, do engenho Matlo-dosso,
comarca do Cabo, na noite do primeiro do
corrente doits escravos : Bento, pardo, bas-
tante claro, baixo, feicOes regulares, pouca
barba, cabellos castannos, denles limados,
nenias grossss e um tanto arqueadas; leve
bexigas ha pouco lempo, por isso est com
a cara marcada ; tmn aparencias de mari-
heiro e quer passar por forro ; nilo be a
primeira vez quefoge ; foi preso no anno
prximo passado no Brejo-da-Areia ; levou
camisa do algodfio, ceroulas e chapeo do
palha; representa ter do 2* a 25 annos;
Jo.lo, preto, de nacSo Cablnda representa
25 annos, ladino, beicudo, barbado, corpo
o tamanho regulares ; tem parte da cabeca
pellada ; est um tanto amarellado; fram
juntos : quem os pegar leve-os ao dito en-
genho, ou no Rrcife, casa de Jos Theodc-
ro de Sena, que se recompensado.
Fugio no dia 10 do corrente pelas 6 ho-
ras da tarde um molequinho, de nome Lud-
gerio, de 12 anuos de idade, bem preto,
olhos grandes,, lem em um p um dedo,
3ue levanta por cima do oulro, levou vesti-
0 carniza de riscado e calcas de brim li/o :
quem o pegar leve-o na rui da Cadeia do
Rerife, n. 51, que ser recompensado.
Fugio, no dia 10'de dezembro do an-
no passado, a preta osa, do nacSo, do 50
annos pouco mais ou menos; foi vista em
Muribeca, onde j foi moradora, por U r sido
escrava do IIIm. Sr. coronel Agostinho Be-
Lzerra, 011 de um de scus prenles ; he bai-
xa. cheia do corpo, nadegis empinadas, ca-
ra redonda e lustrosa, feicdes amacacadas ;
tem a pe le dos bracos enrugada e cimenta,
ps pequeos, andar ramhaio, por ter una
estrepa la na sola do p direito, e urna re-
nda no dedo pequeo do p rsquerdo e os
dedos grandes luidos de besos, com falla
de denles na frenle do lado inferior, falla
queso percebe ; levou camisa de algodo-
zinho com mangas de madapolflo, saia de
chila e panno da Costa azul ludo vi Dio:
qnem a pegar leve-a a ruada l'raia, arma-
zem de carne, de Ignacio Luiz de Brito 'la-
borda, que gratificar.
Fugiram do engenho Frexcira, fregue-
ziadcN-S.-da-Escada, na noite de quarta
para quinta-feira dos dias santos de Testa
do natal, um prelo de nomo Luiz e sua mu-
llier a cabra Mara, ambos de idade j a van-
Cada ; levaram urna cria (liba dos mesmos,
tambem cabra; suppOe-se que estes escravos
tinham vindo para esta praca, ou se tc-
nham dirigido para as parles do serlSo da
onde j fram, e que digam seren forros,
polsquea cabra Luiza tem isso por coslu-
me. Pede-te, porlanlo, os autoridades po-
licraese capitnes do campo, que os appre-
hendam o levem-nos a seu ligitimo senhor,
Josa de Sena Santos, no engenho cima
mencionado, 011 nesla praca, a Cunta &
Amorim, na rua da Cadeia do Recife, 11. 50,
que ae pagarfio lodas as despezas e se gra-
tificar.
No dia 7 do corrente, desappareceu da
casa do abaixo assignedo, morador na rua
da Concordia, na quarta rasa, passnndo a
ponleznha, do ladoesquerdo, o seu escra-
vo Joaquim, de nacSo, que representa ler
40 a unos pouco mais ou menos; levou cal-
cas de algodfio azul com coz de enliar, ca-
misa de algodSo branco, bonete preto na
cabeca e um lencol de algodfio ; o qual he
bem conhecido, por ler sido escravo do pa-
dre Thome da Silva Cuimarfies, e ler ser-
vido de servente de pedreiro com diversos
mestres ; tem estatura- regular, o um dut
calcanharcs dos ps gretados que parece
principios de aristim: quem o pegar le-
ve-o em dita casa quo ser lecompensado.
Joi Antonio Correia Jnior.
No dia 2 do corrente desappareceu da
povoaefio do lloni-Jaidiiii, comarca do Li-
moeiro, um escravo de nome Januario, de
26 annos pouco mais ou monos, altura re-
gular, cor vermelha, sem achaque algum;
conduzioum cavallo preto-ruQo pequeo,
capado, muito novo, com cangalha e um
par do ancoras grandes : quem o pegar le-
ve-o a dila povn;.i,'."io do Bum-Jaidiai, a seu
senhor, Mr noel de Faria Maciel, que iccom-
pensar generosamente.
Fugio, no principio de novembro do
anuo prximo passado, o preto Antonio, do
nacflo Benguella ; lom urna bilia noolho, o
urna firda grande na canella da perna di-
reita ; lem um dedo do mesmo ( junto ao
grande corlado ; suppOe-se que esteja oc-
culloem algum sitio ou casa particular, e
por isto se protesta cum todo o rigor da
lei contra quem o tiver occulla. Itoga-se a
lodas as autoridades rolicaes o capitfiea de
campo, que o apprehcndam e levem-no a
rua da Solidode, 11. 29 ou rua do Queima-
do^i. 20, que serfio gratificados.
l'KN. : Nt
TTI\ BEM t UE TAMA. lb&O


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1ZU3BT17_Q8WL1M INGEST_TIME 2013-04-24T18:50:31Z PACKAGE AA00011611_06759
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES