Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06755


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AimoXJCVI.
Qiiint.i-feira 10
PARTIDAS SOS COBHEIOI.
Golnnnac Panblba, segunda, e.exla. lebas.
llio-Grandc-do-Norte, quimas fciras ao melo-
da.
Cabo, Serlnhaem, Rlo-Forinoso, Porto-Calvo
e Macei, no I.', a 11, e 21 de cada utez.
Garanbuus e Bonito, a 8 e 23.
Koa-Vitta c Florea, a 13 e 28.
Victoria, aquintal fciras.
Olinda, todos os das.
1*11 SI t DA II-..
HEMERIDEI.
Mlng. a 5, 6h.el8m.da ni.
Nova a 13, as Oh.dainanliaa.
C'csc. aSI,a 7li.e 2 ni, (la m.
Clicia a 27, as 10 h. e 3ttm. da t.
rREAMAH DE HOJE.
Prlmcira a 2 horas e (I minutos da tarde.
Segunda as 2 hora* e 30 minutos da maobaa
il Janeiro do. 1850.
N. H
PRESOS DA SDBSCRIP9AO.
Por tres mezes (adimia<"M) 4i"000
Por seis mezes 8/000
Por u 111 anuo 15/U00
DTA3 DA SEMANA.
7 Seg. S.TIieodoro. Aud. do I. dos orf e 111. t. v.
8 Tere. S. Loiiicnco Justinlano. Aud. da chae,
do J. da 1. v. do civ. e do dos feltol d.i hienda.
9 Quart. S. Juliao. Ainl. do J. da 2. v. do cncl.
10 yuiut. S. Paulo, prlmeiro eremita. Aud. du J.
dus orf. edo 111. da I. v.
11 Scxt. S. Hygino. Aud. do 1. da 1. v. do civ. c
do dos felts da fateuda.
12 Sab. S. Satyro. Aud. da Chano, edo J. da 2. v.
do criinc.
13 Doiii. S. Hilario. ____ ___________.
CAMBIOS EM 9 DE JANEaO.
Sobre Londres. 27'/, 4. Pr 1/000 r. a (50 das.
.. Paris, 3i(i.
Lisboa, 100 por cento.
Ouro.Oncaj hespanhocs.......
Jlocda de (i/400 velhas
de C ico novas
. dc4/000.........
Prata. Palaedes brasileiros......
20*000 a 29/TiOO
Ki'lliK) a 17/IOU
1 (i/200 a l#4nu
9/200 a 9/40U
1/WiU a 1/9*1
Peso.coluuina.io........ 1**M \f'v
Ditos mexicano........... J#Hau.-.a_' .".
PARTE OFFICIAL.
TRIBUNAL DA KELACAO'.
SESSA.0 DE 8 DE JANEIRO DE lea).
mr.SIUF.NCI DO KtM. SINIOR
CONCILUEIRO AZKVEDO.-
A'a des horas da niaohSa, acbando-se nre
entes o. Sr. dc.rmhargadores Hamos, Has
tos. Leo, Souza, Rebello e Telles, faltando
com causa os Srs. de.embargadors Luna
Freir, Ponee e Villares, fol abena a seitao.
O Sr. presidente apresentou ut iriesa utn
oilieiii elle dirigido ein dala de ti de dezem-
bro prximo findo, pelo Ein. Sr concelbelro
de estado presidente da provincia, eominuni-
eai.ilo-llie havor iioineado o bacliarel I.ouren-
co Franci.co de Almeida Catanlio para ecreer
as J11ri.diccfie.de julz municipal e crpliao do
municipio de Caruar ; Ihe remetiendo por
copia as portarlas.
ICIIOM. .
Arcarse. eW.
Recorrcnte, o Dr. promotor publico de Extre-
mos ; recorridos, Francisco de Paula Soares
da 1 amara, Jos Francisco do Reg e Joa-
qun) da Costa Soares__Julgaram procedente,
0 recur.o.
Recorrente, o juiz de direlto do Lttnoeiro ;
1 ecoriidu, Lu de Franca.Foi csmSruiado
o despacho recorrido.
Afftlhfn erhne.
Appellantc, D. Florencia de Andrade Rezerra
Castro-, appellado, Joaqulin Ferreira de
Souta Jacaranda.NSo se tomoit conheci-
meoia.
Foi asslRnado o prlmeiro dia all para o jul -
jmenlo da. trgulote. appellac.de. elveis:
Appellantes, os berdeiros de Francisco Jos
da (.osla Gulmaroe. ; appel!..do, Jos Joa-
qun! llezerra Cavalcante. .
Apiiellanies, a vluva hrito & Filhos ; appella-
iln. Iiai ilmlnmeu Francisco de Souza.
Appellaiue, Joo Goncalve. Valente ; appella-
do, Antonio Ferreira dos Santos Caininba.
SEVISES.
Passou do Sr. de.embaagador Pasto, ao Sr.
desembargador i>ao a appellacao clvel em
que silo:
A1 n>> liante, Joaquiui A nlonio do Forno ; ap-
pellado, Jos da Co.ta Guimaraes.
Passarain do Si. deaeiubargador Souza a Sr.
desembargador Rebello as appcllacoes civeis
em que sao :
Appcllanle, Mara Uanocla da InvencSo da
Santa-'rui; appellada, Mara Manuela de
Jess.
Appellante, Manoel Blas de Moura ; appella-
do, DelHno dos Aojos Teixeira.
Appetlanle, Manoel de Almeida Lima ; appel-
lada, Diaria Joaquina dos Anji.
Appi'liante, D. Barbara Francl.ca Xavier de
Mallos Moreira ; appellados, Antonio Lina
Calda, e Mara Candida de Magalhes.
As appcllacoes trimes em que .So :
Appejlante, Antonio f*une. Vianua ; appclla-
dos, Antonio Martina Prdrinba e nutro.
Appellante, o juiz de direlto da comarca do
Ico ; appellados, Jos Antonio Nola.co La-
vor c outrn.
Passou do Sr. de.embargador Telles ao Sr.
desembargador Ramos a appellacao criinc em
que sao :
Appcllanle, Francisco Jos Perelra; appella-
do, Mrtiotio de Borge.
I.evanlou-sc a sessao lis 2 har, da tarde.'

EXTERiOK.
questaO romana.
Aiftmhlea legislativa e Franfa.
Sessilo de 19 de oulubro.
(Continuaco do n. 7.)
M. Th. (la la Rozire, obtrrrdo a palavra
para concluir o discurso, que comecrt na
(01*80 pssscda, assim se exprime :
Senhores.Ilontem IIz s minha educiciio
a voss custa, procurare! fazer que ella vos
iroveile hoje; esforsar-rr.o hei por ser
breve, e (1 iitaiei de ser claro.
Eu i'isse hoiiiem que os grandes in crea-
ses d Franca estavatn empenhados no mal
alio grao em suas relicOcs com o pontiiiea-
d.'.e que impoitava que a assembla apreci-
aste e^tcs inloresses.e desse uma| conla ex-
ncla dcllfll a si mesma. A assen.blca sabe que
pm em Roma, nao direi urna posiQo
frepondersiite, essa palavra n3o seria bas-
jnlo respeitosa, poim urna pi sicu acic-
dilads, acreditada em couseqtiencia dos
grandes servicos, que a rn.iica lem presta
do em lodos os lempos sania s. A as-
scnibla sibe tanbeiii que os destinos do
mundo silo regulados por cinco lotcncias
1 onsuleraicis, das qui-cs duussilo cal holl-
eos,--a Franca he urna tiestas, e as unirs
tres sSo : duas protestantes, Inglateira, e
n Prussia ; e a terceira scisinniic.., a Itussia.
.Nao dareiomenor desenvolv metilo a osla
imlicacio; .'sm! assumpto nilo admilte
desenvolvimento. Direi smente, que a
Itussia lem 1 <>r appeudicea Polonia, que he
catliolica, que a Prussia lem por appendice
ks provincias Jo.llheno, que sSocatholicas,
o que a Inglaterra conla no numero de suas
pu.ssi s- Malta, e as llhas Jonias, que silo catliolicus.
S- gue-sc dahi, que quando orcupamos em
Roma una pisico, como j disje, acredita,
da, ossas tres grumlcs potencias silo oliri-
gadas a toma-la em grande consideraco.
QuBnto as potencias menos importantes
e que Silo uossas amigas, lo las as vetes que
ollas leem tido desavengas com a santa s,
lie por nossa inletvencfio que essas ilesa-
vengas lem siJo pleiteadas c resolvidas.
Assim, uo fallando tenSo do que lenho
cabal ronhecitnento, o Brasil, a Grecia, a
llespantia lem tido difllculdades com a san-
ta so ; por nossa inturveuclo be que essas
diflculdades tem sido resolvidas, ou leva-
das ao lumiar de urna aoliiciio. Sendo a
Franc a nica potencia tnaritima catholi-
cb, temos naturalmente o protectorado de
todo o catholecismo de alm mar. Quando
se traa do fundar missties, de instituir bis-
psdos, -deeslabelecer escolas chrisliles om
todos esses paizes, nos be que somos os in-
termediarios, nos he que temos o til pri-
vilegio de transportar para todos os pontos
do ovo mundo, osses misaionarios, que
quando nossos navios abordSo s praias
para as quaos os temos transportado, siu-
dam o nosso pavilbfio, como o pavilhSo da
patria politic, e nos prestara seTlricos do
todo o genero em reconheeimento do ctb-
dilo, que os temos ajudado a fundar.
Pens que a assembla comprehender a
importancia dcslas consideracoes. F.u po-
den'a IbemliTar-lhe a actividade da propa-
ganda biblica pela Inglaterra, podoria
Icmbrar-lhe que um mis9ionario inglez
quasi nunca pOe o pe em urna trra longin-
qua, sem que, cedo ou tarje nao se funde
ah umi colonia ingleza, ou urna feitori'a
ingleza, ou pelo menos um ponto de abas-
tecimiento. PJorvontura n3o ser de nosso
inleresse lutr contra esta dupla propa-
ganda ?
Oigo isto, scnliOres, pera moslrar a gra-
vidade de nosso protectorado no Oriento.
Se deitassemos perecor ste protectora Jo,
a Austria o herbaria, o como ella nilo leni
marinha, se servira da Sardenlia: ou al
pedera succeder, que com a libr da Aus-
tria o protectorado passasse oTectvamenle
para as mios da Inglelerr, cuja vigilancia,
e actividade patriticas sao conhecidas.
SeoITcndermosocabeca dos calholcos,
em lugar das vanlagens que resulto para
nos de um bom accordo com elle, ex;eri-
mcnlaremos dainos consideraveis. Isto
qusnlo o exterior. No interior os incon-
venentes desse desacord seriam anda
mais graves.
A revoltifo de fevereiro lem sido respe-
losa para com o cleo. 0 clero tem sido
benvolo para com a revolucio de feverei-
ro. Se olTendessemos o chelo dos calhol-
cos, jugis,que estes sentimentos poderiam
manier-se? Pensis, que dessa mudanca
de sentimentos no resultara urna inllueu-
cia desgranada as popularles.
Um representante Tez intervir nesla ds-
cusso o nome de NapoleSo. Peco licenca
para cila-lo tambem Nipoleito conduzio-
sededous modos diflerenlesa respeilo do
pontificado. Elle foi aiternalivamenle res-
peitoso, e violento pora com elle. Quando
respetoso, elle dizia a seus embaxadnres :
Tratai o 1 apa como se elle tivesseaps de
si 200,-000 homens,
Era isso urna palavra grande, digo gran-
de, porque era respetosa. Nada assenta
ianto na gitndeza como o espeito. ( Ap-
provafo.) Era (ambem una palavra polti-
ca, porque m ostra vi, que Napulclo tinha o
stnlimento do inmenso poder moral, de
que di.spe o soberano, com que elle traa-
la. Pela minha paito, nflodirci : Tratai o
papa, como se livesse aps d si 200,000
homens ; porem direi : Tratai o papa como
urna potencia, b cuja palavia se incli-
na m 200 milhfirs do homens no universo.
( Muito bm Muito bel!)
Disse-se, que a consliiuico nilo nos per-
millia at; car urna repblica, ucm a liber-
dade de nenhum povo; crcio, senborcs, que
se a conslituicilo dlssesse de urna maneira
absoluta,que nunca seria perinilliilo rep-
blica franceza obrar contra um cslabeleci-
menlo qoalquer que screvesso em sua bau-
deira a pjlavra-republica.sso compromete-
ra os interesses;mas deUcads da Franca,
e mcsnio nHo sei bem.com essa iiiterrrela-
Cao, como ella se biveria com 1 Alegra.
[Sijnaei de atientimtritos dirtita.Suuurro
rvm"rr esqutria )
-Equinto & I berdadp, exist ella porvon-
tura ero Romi sb a dictadura do Sr. Maz-
7ni ? Pan quem existia II f Seria para o
clero? N;1o; porque is igrejas enm piula-
das, es btns do clero conslic.idos, as reli-
giosas lineadas fra de seus mosteiros, os
conegos de San-Joflo de Utn ni. ( Excla-
maeBa.1, e risadas etquerda.)
Urna voz i direila, io ornior.Dga os fl-
daddos contgot e sso passiri '. viva hilari-
dade ).
Ir. Th. dla Rvierc:--0 conegos de Sin-
Jo3o de Latriro, digo, preferinm as ordens
de seus chefes es ordens expressisdo Sr.
Mazziui, este julgou que ellos ttihim ofTen-
dido 1 migesiade di repblica romana, e
impz 1 lodos individualmente a multado
150 escudo*.
Seria par os propietarios, quo 1 libor-
dido exista t Nilo i porque lites tiravam
seus cavallos e seus carros.
Seria para os commerciantes, que l-
berdade exist? Nuo; porque linliam pavpel
moda cora curso foroido, empreslmos
Toreados e moda falsa.
Seria pan os estrangeros ? NSo ; porque
suas casas erain a cada instinto ssaltada.'.
e pilludas.
Seria para 1 diplomacia ? Menos linda ;
porqutMr. de Lesseps nos pirticipo que
lora obrigado a procurar no campo frincez
um refugio contra o puiihaljfl tres piltros
encarregados de negocios tendo querido sa-
hir de boma, dous d'ntre ellos, em su re-
lirada, receberam tiros.
Nilo acuso o Sr. Mazziui do todos estes
factos, mo. (Suiurro eiqueida). Porm
digo que um tal rgimen era a mais deles-
lavel e a mais espantosa de todas as lyran-
nas, a tyranuii da anarcliia. [ Muito bem !
iVu/11 bem )
Exista a berJadepara a misil dos ci-
dadaus ? Nilo porque liulia sido publicado
um decreto, que dizii: A repblica da di-
nheiro, honras e empregos ios defensores
da patria ; aos indifferentes, ella d 1 infi-
mia ; aos traidores, morte. E issem-
bla sabe quintil pessoas se podan com-
prehender debaixo desta qualificncfo de
traidor.
Exists ella pira a guardi cvica? Mui
to menos ; porque querendo esta na
vespers d entrada de Garihildi em Roma
ibrrs porlas da cjdade aos Francezes, es-
te, quandoentrou.mmdou desarma-la. As
espingardas de podra quetinliam, IbeifO-
nm lomidas, c em troc elles receberam
espingardas de espoleta. ordenndo-se-lho
logo dopois quo nilo sibissem de seus res-
pectivos quarteis.
Exista a liberdiide para os reginientosde
linha? Menos linda; porque estes se li-
nliam issociado guarda cvica; como ella,
elles queriam abrir is porta* deRomiaos
Francezes; e mais tarde elles recusavain
r ao fogo, depois de j tere.n do a elle duas
vezes, dizendo que nilo se queriam separar
da guarda cvica.
Emflm exista 1 lberdade para o Sr. Ar-
mellini, o colleg do Sr. Mizzin ? Nao; por-
que elle quer!a tratar com o general Oud-
nol, eoSr. Maz/n seoppoze isso.
Para quem, pois, existia 1 lberdade em
Roma ? Ella exslia em primeiro lugar para
esses artfices de revnlucOes, que tinhim
levado por toda a parto o ferro e o fogo ;
pan esses homens vindos de todos os pai-
zes, de Genova, de l.nmhrdii. da Allemi-
nhi, da Polonia,para se alistirem debaixo
da bandeira de Garihildi; e em segundo lu-
gar pan esses homens que tnhim sido ti-
rados di priflo pira tomnrem a ser intro-
duzidos na lberdade civil, pela lberdade
poltica. (Muito bem muito bem } Motive
anda ilguem livre em Home no tempo do
Sr. Mazzini, e foi um hispo scsmatico, no
quil muito se fall. Eu vou narrar em duas
palavris, a sua historia.... {Exclama^Sts
etqutrda.)
Vo;e< deste lado : Trate da quesillo! tra-
te da questo!
Owrn roM: Fallo Falle!
Mr. Th.de la llovere: -- Digo, que 1 l-
berdadetambem existi em Roma para um
matar outra repblica. A Isto respondo : sim
he verdade, una repblica suecumbio e.n Ro-
ma, porm ha aqu um abuso calumnio da.
palavras- Nao he a repuhlica.coino repblica,
que foiims destruir em Roma, linio o cslal.e-
leciinento anardiico, que com lesiio de nossos
dircitos. c em prejuio de nossos intereses,
liona em Roma a pretenefio de nos desapossar
do que chamo urna propriedade indiviza dos
calholcos.
Do que tenho (do, parece-me que resulta
que o governo france. OD podia deixar de de-
cidir-se a operar a restauraco do papa, res-
laiiravat. que dava a llalla sua ultima prohib-
lidade de independencia.
O honrado representante termina o sen (lis-
curs, fa/.endo um elogio caloroso i disciplina
e valor do exercito fraucc.
(Conlinu'a.)
INTERIOR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. presiden-
te Dr. Jos Beato da Cunha e. Figueiredo.
5 DE DEZEUBRO.
Ollico. -- Ao nsnector doilgO'llto. -- Em
resposta ao s-u olFicio n. 49, de 90 dse-
tembro ptoximo passado, sou a dizer-lhe
que alguuia culpa leve Vine, em nilo fazer
que as saccis fiissem icoropanhidis com a
competente guia para o deposito de Jaragu
na forma do regulamento e leis em vigor,
dan.lo com isto pretexto a fiel dos arma*
lem para nilo recebe-las. Iguilmento con-
sidero Culpado o dito fiel coi ilcxar por fal-
la desta forinalnlade, que is sacra* ficas-
sem expostas 10 extravio, quando as ins-
trucOes da lliesourarii provincial impea
olirigiQIo do acn licionnr inesnio as que
casualmente forem encontradas fra du ar-
mize-n Tambem considero culpado o re-
coveiro por ter desamparado as saccas na
porta do arrrizetn sem vir dar parle de quo
o liel as nao quera recibir. E poi tanto
pdenlo ser o inesmo relevado da mulla
em raso de sua ignorancia, e de ter cum-
plido com urna ordem costumeirs deseu
superior, n3o levando a guia que devera le-
var, parece-nioinconteslavel que V.nc. eo
bispo. scsmatico, o qual, falsario'cm es- referido fiel dos armazens so rosponsaveis
crptura publica e em escrplura privada, pelo prejuizo quo livor soffrido o dono do
por meo de mentiras continuadas com a genero. -- luinmuiiicou-se ao inspector
mais depravada perseverante, lnha conse- provincial.
guido lorprehender a religlBo de l.eao XII Dito. Ao inspector da thesouraua de la-
e tinha sido sagrado hispo. (Xovas Mc/a-zenla. para mandar;pagar 10icomminain-
maces etquerda.) Elle estiva expiando te superior Salvador l'ereira da Rosa c Silva
pela mais branda prsilo essa velliacarii sa-1 desde o da 28 de oulubro lindo quo entrou
crlega.a qual em qualquer outropaz teria |eni_ exercicio d; cominandaiite da guar-
sido punida com gales perpetuas, quando nieo.
fui posto em lberdade. {lovimenlo tu- Dito. -- Ao mcsnio inspector, para mandar
mores etquerda.) | pagar os recrutas que esliveram em custo-
He bem possivel que o rgimen quo ac-dia 110 mez de iiovembru; e cuja rclacilo se
bo de descrever, pareca um rgimen de l- Ihe remelle,
berdade 1 certas pessoas; mas essas pessoasj Dito.--Ao inspector provincial, aulori-
silo as mesmas, que achavam quo eramos san lo-o par mandar pagar pela verba des-
livres, quando lodos os direi tos, 'todas ai tinada na lei do nrgamento para o veslua-
garantiis, 11 espada dos nossos generaos, os rio e medicamentos dos presos le justici
costunies de nossa sociedade pulida, ludo pobres a gratificarlo diaria de320 risao
era calcado aos ts. .(tlumeits violentos -jcarcereiro da cadeia desta cidade, pelo a-
querda.) crescimd de Irabalbo que leve com os pre-
A'direila: -- Muito bem.' Muito bem |ios pebres de juslica, emijiiaiilo ellos esti-
Uma vos t tsquerda: us o piotegmos vera 111 na enfermara,
nesso tempo; | Portara. Nomeando para instructor
Mr.Th. de'la Rozire: Eu nao Uve ne- parcial do segundo batalliao da guarda na-
cessidade da protecQao de ninguein na po- cional du Anadia, ao cipilo do inesmo,
ca'deque fallo, eu me proteg a mim mes- ] Claudio l'iancisco de Anujo Franco do que
inocomi minha espingarda. {Muito bem tinha sido exonerado llernardo Joaqunn Pe-
Muito bem 1 Violenlot mormurios etquerda.
O Sr. Fretidente (par a esquerdaj: Pa-
rece-me que o orador tem o direito de con-
tar estes fados, os senhores leem oradores,
elles o contrudirilo.
Mr. Th. de la Kozicre : Quinto 1 mim,
que amo apiixonadamenlo a libordado o
que sou muito zeloso da sua honra, quo
creio que a lberdade he o movimento, o
progressp, s vida na segrenla, no direito,
najuslica; nunca j rodigalisare a gnnde
palavra de lberdade a essas saturnaes san-
guinosas e ignobeis. (Muito bem! AJuo
bem!)
Km todo o caso, se era preciso que Roma
sneeiimbiise debaixo da inici venco, e da vic-
toria, a victoria iuflexivel da Austria valia por
ventura mais do que a victoria clemente da
Franfa ?
Sabis, senhores, porque o Sr. Mazzini tem
direlto de insultar hoje a nossa repblica, o
chele do goveruo, o exercito Iran e/, n Fran-
ca iuteira .'. {IntirrupcSo etquirdt.) Duvidam
do que digo? j csqueceraiu que o ir. Mazzi-
ni nos chamoii urna na.io de mercadores, cu-
jo coraco est na bolsa ?
Se o Sr. Maiziul pode prodigalizar Franca
todos este, insultos, he porque be protegido
pela clemencia da bandeira que elle combateu.
iluilat i'iurJ :lie verdade he verdade !
il. de la Rosiri :-yueieis urna prova da
conhanca, que nossa protecrao podia inspirar,
c inspirava al ao. proprio. libanos. Ei-la :
O coinuvandante de mu navio franela acliaya-
se ein Ancolia ames la ciicgada dos Austra-
cos, liouveram conferencias para saber-se, se
a cidade se entregara a elle, l'revaleccu a opi-
iii.ui contraria. O coir mandante franecs reli-
rou-se, os Austracos se approxiroarain. Imine-
ilialaiueule a cidade inandou urna depulacao
ao comuiandanle franoez, querendo antes en-
(regar-se as uossas nios, do que nai da Aus-
tria, porm j era larde.
Eu dlssc hontem que nao havia nacionalida-
dc romana. Creio inesnio, confesso-o, que
nunca a houve. (Suiurro i Mua.rda) Bouve um
dominio romano uo mundo, porm nao creio,
que nunca tenha existido urna nacionalidade
romana. Em lodo o caso, repito-o, ella lio
existe hoje ; meno. que se quena chamar na-
cionalidade lujnana, .1 mu nacionalidade cos-
inopnlita e nioVcl, que trauspottando-se para
tal ou tal pouo da Europa, poderia prohibir-
nos successivamente por toda a parte o exerci-
cio dos no.sos direitos.
Dissc-se que fomos malar a repblica roma-
na, que era cousa monstruosa una repblica
I
PEnNAMBUCD
CLNICA lIliMOEGPATIIICA Vil.
Caridade e beneficencia.
OSr. Geraldo Pcreira Dulra, com *3 an-
uos ilo idade, teiplo loja M rna do l.ivra-
mento n. 31, achindo-.io dnenlo de una
liomorihagia pulmonar hastanto forto; e
apezarde terfeilouso de varios remedios
allopalhicos, leceitados pur um hbil fa-
cullalivo, (o Dr. Ferreira) mas sem resul-
tad!) ; c. tendo ja perdido toda 1 esperance,
recorren a homoRopilhii, Coi 110 da 21 de
dezembro prximo passado que fui cha-
mado para este lim. Dopois de examinado
o doente que o acbei lancando, c linha ja
lineado uaquello instante perto de tres li-
bras de sangue puro.
imme.liaiamente Ihe edmimstre um re-
'medio borruBopalhico, que tomou do tres
em tres Iioihs um porcao, o no dia seguid-
lo ( -21) linha parado a liomorrhigia o o do-
ente se ichava melhor. apenas cscarrava
tima gosma com riscas de sangue. No da
23 noeSiisliaiii miisymptomaida hemor-
rWgb), como prova carli aeguinle que
me dirigi.
Consultorio homojopalhco de P.rnam-
buco, rua da Cadeia de SanloAntoino, nu-
mero 2. Catanova, m-.'dico.
lllin. Sr l)r. Cisinova. Felizes re-
sultados tem ft to om mim ossens milagro-
sos remedios, parece incrivel quo leudo si-
do atacado deumi liemnrrhigii do singue,
levasse tres das adeita-loem grandoquan-
tidade, sii ser possivel estancar, apt-zar
do grandes esforcos do hbil medico que
meassislii ; (doqun lliesou bantantc gra-
to ) no lercciro du de minha molestia, per-
dida quasi tola 1 esperanza de ninllioia,
mande! chamar V. S. que, com urna peque-
a dose de sua agua, fez immediitimonle
parsr o'singue, ecuntinuei 1 lomar at a
quaita dose, com as quaes me julgo de to-
do restabelecido.
Queira, pois, o Sr. Dr. Casanov rece-
bor os meus Hgradecimenlns por tilo feliz
rostillado, o praz aus Coa quo lo Jos se
cooipeuetreui que ein seus medicamentos
pa*
achiriln sempre remedios pan lodis cn-
fermidadescom incrivel rapidez e srm o
menor solTrimento. Com estima sou de V.
S. menor servo obrigidissimo
ii Heraldo l'ereira Dulra
1 S. C. 29 de dezembro de 1849.
Rll \C\0' DOS B ATIZADOS DA FRF.CrE7.IA
DG S.-ANTGNIO 1)0 RECIFE NO ME7. W-
lF.ZEMRRO DE 1819.
Da .--Manoel, pardo.Nascou aos 19 de
dezembro lo I84S.
dem.Joflo, brinco.- Nascou aos 9 de
marco d.- I8S
dem.Guilhermioi, parda.Com 5 nie-
zes de dado
dem.Fortunato, prelo.Eicrivo.Nis-
Cju aos 3 de junho du 181C.
dem.Jos, branco.Nasccu" aos 11 de
iu'.ho do I sis.
dem 5.Urbano, pardo.Nisceu aos 94
de maiude 1839.
dem 0.-Nicolao, cioulo Fscr.ivo.-Nas-
ccu aus 2C de oulubro de 1849.
dem ".--Julio, branco.Nasccu a 1 da
julho ilc 1859.
dem 8Anua, branca.Nisceu ios 20
de agosto de 1849.
I.lem 9 --Amelia, brinca.Com 3 mezes.
dem.Joflo, branco.-Com 7 mezes.
dem.-Joiquim, pirdo.Nasreu aos 2
de feverejro de 1849.
Mein.--Jos, branco.Nasceo aos 3 do
fevereiro do 1849.
dem.-Francisca, parda.F.scnvi.-Nas-
ccu aos 19 de marco de 1847.
dem II.--Joaquina, parda.Nasccu ios
12 tle agosto da 1849.
IJem 13.--Benedicto, pardo.Com 13
mezes-
Idooi IC.Jos, pardo.Nasceu aos 12 do
setemhrode 1849.
dem,Progniz.io, pardo.Nasccu aos 22
denovcmbrode18l9.
dem.Antonio, branco.Nisceu aos :!
de selembro de 1849.
Mein.Thercza, branca.-Com 9 mezes.
dem 17 Virginia, parda Escrava.
Nasccu aos 4de dezembro de 1849.
dem.-Josefa, parJa.-N'asceu aos 11 do
dezembro de 1848,
Mein Uiiibelini), pardo.-Nasceu aos 2U
de agosto de 1843
dem 18.--Melena, branca.-Nasccu aos
20 de selembro do 1849.
Mein -Joaquina, parda.-Nasccu aos .10
de agosto d.) 1849. *
dem 19.--Agoalinll0, crioulo.-Lscravo.
--Nasccu em maio de 1847.
dem 21.-Liberata, crioula.--Escrava.
Nasceti aos 23 de agosto de 1849.
dem.-Antonio, branco.-Nasceu aos 12
de abril de 1849.
dem.--Domingas, crioula.I.scravi.
Com 3 mezes.
Mein 23.Rufina, crioula.Escrava.
Com 3 mczrs.
Mein.--Custodio, bronco.--Nisceu aos 30
do dezembro de 1848.
Mem 84.Francisca, branca.Nisceu aos
14 de maio de 1848. .
dem 25.leopoldina, parda.-Lscravi.--
Nasceu aos 28 do scteiubro de 1849.
dem 28.Floriina, parda. Nasceu aos 4
de maio do 1847.
I lem 29.Celicina, branca.Nasceu aos
22 de marco de 1849.
Idem30.-Maria, branca.Nasceu aos 9
de agosto de 1849.
dem. Jacnllio, prelo.Escnvo.Com
18 anuos.
Mein.Mara, crioula.--(".om 4 mozes.
Mero.Elouterio, pardoNasceu aos 20
de fevereiro de 1849.
dem 31.Anizia, branca.Com idade
de I anuo
A o todo 40.
R..Antonio, } de jineiro de 1850.
O padre ./oao Joe da Costa Ribtiro.
Coadjutor pro-parocho.
v u;i) voss.
L'MA VIACE1I NA ITALIA.
A cidade de Rieli chimada Reate pelos la-
tinos esta situada n'um vallo amenissmo e
frtil junio aos Apeninos. Tendo primera-
mente sido habitada pelos aborgenes, foi
depois, por muito lempo, metrpoli dos sa-
binos. Siib.ieila ao poder dos romanos le-
ve um prefini at ser declarada municipio.
Sb o dominio dos Lombardos incorporou-
se a Utiibria, formando parte do durado de
Spulelo. Em ronsequoncia dis guerras ci-
vs entre guelphos e gibelinos declirou-se
ommUndade, IsG) be, cidade livre, it
que espontneamente se uni i S iposto-
liua. Actualmente be cabera da subJelegd-
Cilode Sabilli.
Riet jaz entro o 42. e 43." de latitu le, o
10." c 11 do longitud! oriental Ao S. do
Roma esli cm distancia de 52 milnas; ao N.
O. fle Terni a 20, e 10 E. d'Aquili, no reino
do aples, a 32. O seu clime lio doce o
lemperadu, aiuda que um pouco hmido.
Muitos romanos enslnmavam ir passir man
commodimento 1 Rieti os rigores do esto,
segundo se 10 em Cicero, livro4., epstola
14." a tico: lleatini me ai sua tempe du.tr-
runt, ul cautam agerent contra interamnates...
In Rosen viv cum axio. Desta aldeia Rosea
veom-se os vestigios 10 N. do valle de Rieti,
prximo as agoas de Velino, emsilioconhe-
cido pelo nome de 6'miai de Sdo Hieolo.
A anlig vil Sibini pissiva pel cidade
ta Itleti, ou mu porto delli, trsegundo o
tostemunlio de Plinio he por ella quu part -
cularincnle se transportivi o sal a trra Ola


fiscwawcj i .r.tty..u?.mmm*i&^-&*n."e
Rabtaas. A aigumas ii.illi. s de Iticti vimos
nll.maijic.ote os adiniravnis resRH do sou
pavimento ladrilhadn. Tambem p.issavam
mu prximas aquella cidade si duas vas
Qmnzia eCiscaia.
< rio Velino, que nanea nos Apeninos, no
rano de um curso de poueas milli is, no ter-
ritorio napolitano, atravessa todo o valle do
llieli. recebendo as agoas do Salto, Turauo,
>' Santa Suzana ; rorrendo depois at N. O.
I -ma o magnifico luco Piodiluco, lamoso
;iela admiravcl exactidio com que o sen
clin repeto a larga distancia todos ossoih.
Finalmente ocitalo rio prciplU-se no val-
le por moio de tres granJcs cscalas o se
junta ao .era. O espectculo da cscala
llamada de Uarmore be btilhante, magos-
toso e sublime.
CONSULADO GEIUL.
Itendimeqto do dia 9.....
Diversas provincias......
9i
3:I90,S8
'.60,720
3:381,288
CONSULADO 1'IIOVINCIAL.
Hendimento do lia !)..,.. 4:8:13,088
M
"'.UM illl ,_j jj__j_CL
i>2oviicnto
do 'orto.
Navios entrados no din 9. .
Itio-de-Janeiro Sodios, briguosueco ile-
lena, de 200 toneladas, capilo J. I. As- [ por canto sobre seus dbitos
a isencao do recrutamento, em-
quaiito se oceuparom elTectivainen-
te nessas obras ; sendo o jornal a
dar-se de G/o rs. pordia.
- Pela segunda seceflo do consulado pro-
vincial se faz publico, que os 30 diasuteis
para a cobranza a bocea do cofro, da dci-
ma dos predios ui baos do pritneirosemes
tre do correle auno (nanceiro de 1849
1850, se (indam nodia 10 do corrente mez
e que (indo semelhsnte prazo, incorrem os
respectivos proprieta rio.-, na multa de tres
assim corno
herg, equipagem 9, em.laslro; a Lo Bre-
tn Scbarainm & Couipanhia. Fundiou
no l.ameirflo.
i..N.iS^t!!lin,S qU0. roro,m vall reatimo Babia 12 dias, barca sarda Alexandre, do
ta alguns conventos santificado* pelo pa-
riarrha San-Francisco de Assiz. O de Cre-
cto.-entre outros foi fundado pela mesina
pa mito sobre urna grande rocha.
A cidade de Bieti n.1o possue muitos ob-
312 toneladas, cspilSo Domingos Jeito
Baplista Couto, equipagem 14, em las-
tro ; a Le Bretn Scliramm & Companbia.
Nflo quiz fazer quarentcna, voltou pa-
ra a Babia.
.mLr1^*e,I*?n,*,,or,e"nll8u'''.'nM no-de-Jneiro- 18 dias, brigue portu-
,w S222 ,Xa de S8,lsr"z.er e'laK->- gtlBZ Cocei,aa.l-lur-dc-/Mn, de 218 lo-
mrdenrt2,,;.en7lajant-OCUriT- sadi6-| neladeaVcapitao Joflo BOTO? Pamplona
lias de particular mencSo as duas pontea,
.ii|a oonstruccSo he do lempo feliz dos ro-
tnpo L..
manos, urna sobre o rio Turano e oulra so-
bre O Velino. a segunda est edificada na
parle crnquo as agoas tocam nos cimenlos
la enfade, lie tAo sol la a sua construccAo
quo no espaco de tantos seculos linda SC-
nflo moveu della urna su.pedra, nSo obstan-
te o crescimenlo das agoas durante o inver-
n. O palacio episcopal be um bom edifi-
cio de estylo simples e severo que marca a
.'pocha do renascimento das artes na Italia,
he obra d<> celebre arebitecto Nicolao Pisa-
no, artista, de grande mrito no seculo 14."
Na praca da mutiicpalidade ha um bom pa-
lacio com um jardn] e urna casa de goslo
elegante e gracioso.
A COOstruccBo da cidade, senao be inlei-
ramenteboa, he pelo menos simples c agra-
lavrl. A cathedral he rica de ornamentos
sagrados, o tem urnacapella dedicada a San
ta Barbara, patrona da cidade, na qual o
pesado gosto do desonho est compensado
pela grande quantidadode escolhidos mar-
mores que all se veem. A meia laranja do
sacrario ha do pedra preciosa, trabalhada
rom muilo primor, lia em Rletl poueasos-
culpturas, e estas de muito mo goslo ; po-
ii-m encontra-se ah um pequeo e bello
monumento sepulchral, obra do clebre
Thorwalsen, na igreja da Aladonr.a'da Scala,
o qual me ece ser visto. A escara luz (|ue
havia qnnndo ubi eslivemos, n o obstou a
que admrassemos o delicado gosto daquel-
le hbil artista. Rste monumento cobre as
Cllltal da esposa do poeta Angelo Mara Itic-
r,e representa em baixo-relevo um genio
chorando entre lindos at-cessorios.
Alem da rica colleocflo de pinturas do ci-
tado llicci, de que em seguid, filiare nos,
ha e n nlgumas igrejas quadros de bons
pinceis. Na de San-Francisco existe un i
especie de Bafaellin del Colle, uo stvlo
- simples do seculo 15." Na mesma igreja",- e
em vatios palacios particulares bu bous
quadros do pintor Sabino Vicente Manele,
discpulo do Domingos /ampien, dequem
dizia Lanzi que era artisU diligente e babij
no Colorido. Bieti produzio outios escol-
enles pintores, como Ceraido, discpulo de
Cetrino, de slylo fcil o elegante, o Cesi,
do qual seciicontram noucas obras
No convido de Saii-floroiiigos ha um a li-
tigo oratorio, en cojas paredes estilo pinta-
dos o purgatorio, o inferno e o paraizo. s-
tas pinturas que lauto revelan! o gosto a
esiylo do divino Itapbael, silo obra de varios
artista* emigrados do Boma por causas po-
lticas, quo vieran a esta provincia para
exorcerein a sua arlo. Atenas se lixan. os
olhos naquellas obras, logo se con
seus autores tnmaiam para a
alguna pensamentos de liante.
lia nesla cidade una academia de deze-
IlllO, mandila pela muniripalidade o dirigi-
da por Joto Ceaiarini Romano, discpulo do
immortal Canova.
O quo mais de notar vimos he a ColleccSo
de pinturas do famoso poeta Bicri A ama-
bilidade e delicadeza daquelle ravalbeiro,
jiermillio-nos examinar detidamenleo bo:n
numero de obras classicas da arte...
Ha tambem all aigumas esculplurns de
muilo merecimento, como sAo, una esta-
rna de tlebe, de tamanho natural, dada a
liicci pelo seu autor o celebro Canova ; una
Nyade ile Fabria e vatios bustos. Final-
J unior, equipagem 1C, em lastro ; a Amo-
ro. I raaos & Companhia. Passageiro,
Jos Francisco Maia, Porluguez.
J\aric,s sahidos no mesmn din.
Babia Barca sania Mexandre, caplflo
DomingosJoflo Baptiata Couto, cargas
mesaia que Irouxe.
Lslia Brigue portuguez San-Domingos,
capltflo Manoel Concalves Viana, carga
assucar o Risdeira.
ObstrvacOa.
O brigue ingles Peleen, capitilo Bobcrt
Crawford, rundiou no l.imeirflo nodia 7 do
correle, viudo da Babia eu.ldias-, icou
de quarctitena.
Fundiuu no LnmeirAo o brigue-escum
dogucira inglez Grifn, comtnandanlo o
lenle Tliurhurn.
m
EDITAES.
Iivce que
coinposii,';'io
mente duas antigs armaduras completam
u bella collecgfio de objectos aitsticos, que
admiramos na casa do eminente poeta ita-
liano.
Beli, de enjes glorias passadas e oceultas
bailesas actuis acabamos de fallar, he
urna cidade alegre e animada, aonde a di-
yisflo bespanhola deixou gratas recordacOes.
iguaes as que os hespanhues eonsui vam dos
eneros realinos. Parece que estes 13,000
habilantis se consagraram exclosiramenle
a prodiyalisarao nosso eseretto luda a cas-
ta do lineza, para que elle jamajs esqueca
antiga a capital do Sabina. -- Notaiemos
nqui, por exempl.i, o obsequio que os dous
batalbOes dcSaii-Marcal lecebeiam das r i-
rasdeRieli e do que fallamos n'ouiroaiti-
K<>. Aclualmente exislem na ila cidade os
citados halalhes, chamando a utlencao ge-
ral pelo nobreza com quo correapoQdem a
tantas distincces. N'outro artigo fallare-
mos deTerni. Spoleto e Narni, tontos que,
romo Bieti, esiao agora oceupados pelas
tropas lies pandlas.
Ternl, 15 lo agosto le 1849.
J. Gutirrez de la Vega,
(lieratdo.j
^^^^^^^^^^^ i /Mario do Governo
--Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no da II do correte, se ha de
arrematar em hasta publica, na porta da
mesma, depois do meio-dia, ama caisa com
23 Justas e meia le baralhos de carta para
jogar, adiadas de maia na conferencia ;lo
manifest do brigue francez Fabir, e queja
b'irain annunciadaspor edital de 22 de de-
zetnbro do anuo p:i>sa.Io : sendo a arreina--
laf.lo lvre de di re tos,
Alfandega de IVriiimbuco, 8 do Janei-
ro de 1850. O inspector, Luis Antonio di
Sampnio \\'iiinna.
--Pela inspectora da alfandega se faz
publico que, no dia II do corrente, sa hilo
de arrematar embasta publica, na porta da
mesma, depois do meio-dia, 17 barricas
com 3S8 dozias de garrafas com tterveja
averiada, viuda deClasgow i'lo briguo n-
gler Livonia, consignada a Adamson lluwie
& Companhia,jia forma do 4 do artigo
363 do reguhiinento : sendo'a arre!nala?:"o
livtOde dircitos ao arrematante,
Alfandega de Pernambiico, 8 de ja ei-
ro de 18411 (i inspector, Lu; Antonio de
Sampnio Vidnna.
O film. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em rumpriuiento da or-
ih'in do V.\m. r. presidente da provincia,
de H do corrente, manda fazer publico que,
nos dias 8, 9 e lo de Janeiro prximo vlo-
douro rO praca, peranle o tribunal ad-
ministrativo da mesma thesouraria, rara
seren arremata los a quem por menos Hser,
os concertos da ponte do Casanga, sdhas
clausulas especiaos abaixo transcriptas, e
pelo puco do 419,320 rs.
As pessoas que se propozerem osla nrre-
mutacio, comparocam na sala.das sessOes
ao sobredito tribunal nos dias cima men-
ciona lo-, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas,
F. para constarse maudou allixar o pre-
sento o publicar pelo diario.
Secretaria da tlisnuraria da fazenda pro-
vincial de Pernamhuro, 87 le dezernbro de
1819 Osecretario, Anlonio Ferrara da An-
nunciaco.
tambem lembra-se aos donos dos diferen-
tes estahelecimeutos que possuem mais de
2:000,000 rs. que ja se deu principio a co-
branen do imposto de 12,800.
--Ituh'no Jos Coi rea de Almcida, juiz
de paz do segundo anno e do segundo dis-
mil da freguezia da Boa-Vista desta cida-
de, faz publico que se acha em exercicio, e
da audiencia as segundas e quinlas-feiras
de (odas as semanas, sendo dias utois, na
casa de s'ta residencia, ruada S.-Cruz, n.
78, e despacha tudos os dias que nao frem
impedidos.
SIBDF.LF.CACIA DE S.-ANTONIO.
A pessoa que foi roubada varias pecas de
roupae varios o'"jfclos miudos, compare-
ce nesla suhdclegacia, ou falle com o ins-
pector de luarteYro Joo Pereira da Sil-
veira, na Toa do Fogo, n. 26, que, dando os
signaea cortos, I he serSo entregues.
Odnutor juiz de direito da segunda
vara do eivel, presidente da junta revisora
pira a qual lira cao dos jurados, avisa a
quem convier quo a referida junta comes-
so hoje os seus Irabalbos.
Avisos asaritimos.
Para o Itio-de-Janeiro se-
gu em poucos dias o brigue na-
cional1 'Adamaator : para o realo
da carga, passageirose escravos a
lele, trala-se con Machado &
Pinheiro, na ma do Vigario, n.
9, segundo ailar, ou com o ca-
pitulo na proco,
I'ara a Fjgneira, com escala por Lisboa,
sabe com brevidade o muilo veleiro pata-
cho poituguez Marta K Joaquina, do qual he
rapilao Manoel da Cosa e Silva : para car-
ga ou passageiros truta-se com os seus con-
signatarios, Francisco Severiano ltabello&
Fillio. ou como mesmo capilo na praca.
Para o Aracaty sabe impreterivelmon-
to no da 10 de Janeiro a sumaca nacio-
nal Carlota, mesireJos Goncalves Simas,
por soachar com a inaior parte da car-
ga prompta : para o restante e passageiros,
Irata-secomo tneslre, ou com Luiz Jos
de S Araujo, na ra da Cruz. n. 33.
Para a Babia sabe, em poucos das, a
sumaca llor-do-\nyeUm, Diestro Bernardjj
de.Souza, por ler a inaior parte da carga
prompta para o restante e passageiros
trata-so com o mesmo mestre ou com Luiz
Jos de S Araujo, na ma da Cruz, n."33.
Para o Cear.
O hiate I.igeiro, pregado e forrado de co-
bre, por j ler parlo de seu carregamenlo
engajado, para o resto liala-se na ruado
Vigario, n 5.
Para Marseille pretende sa-
liir aleo dia 15 do corrente a mui-
lo veleiro bares francesa
recebe
de cobre, e prompto a seguir vio-
gem para qualquer parle : os pre-
tendenlcs lirijatn-.se a Maleus
Austin ck Companbia, ra da Al
fandega-Velha, n. 36.
Ni'ni a menor la.
Sabe qninla-feira, 10 do'cor-
rente, para o Rio-de-Janeiro o
brigue nacional Bom-rfesus : para
passageiros e escravos a frote, por
t'T exc-lenles coinmoilos, trala-se
com o capilo no caes da Alfande-
ga, ou Ha ra da Cadeia, n. 4o>
terceiro andar.
Para Lisboa sabe, nodia 20 do corren-
te, o brigue portuguez Anna-Adelaidt, ca-
pitilo Ignacio Jos de Aranjo : recebe carga
e passageiros, para o que trata-so com o
consignatario, Joaquim Ferreira Alendes
Cuimarflcs, na ra da Cruz, n. 49, ou com
o rele ido capilio na praca do Commercio.
A escuna nacional Emilia, capitilo e
pralico Antonio Silveira alaclel Jnior,
Irnferio a sua viagem para o MaranhSo e
Pai, dcixando por consequencia de fazer a
escalado Cear, o que se avisa as pessoas
que se dignaram offereccr carga para este
porto : recebe alguma para o MaranhSo e
miudrtzas para o Para, e passageiros para
ambos os portos : trata-so com o capitn
napraca lo Commercio, ou na ra da Cruz,
armazem n. 13.
Le i les.
Achule :
Mmente, para
CLAUSULAS F.SPKCIAF.S DA ABBF.-
MATACAO.
I." As obras do concert da ponte do Ca-
sanga ser fio feilas de conformidade com o
orcainenlo aprovado pelo Fxm. presidente
da provincia, o pelo preco de 422,250 rs.
2* As ninas principiarfio noprazo de dez
dase serio concluidas-no de tiinta dias,
'.-onforme determioam os nrts. lo e li do
rcgulainenlo das arremalagOes de II do ju-
dio de 1813.
3." Todos os maInriacs seto previarnen-
inssageiros
oque tem excellentes coinmodos :
os prclendentes dirijam-se ais
consignatarios da mesma, J3. Las-
sene ev Companbia.
Yende-se bonita barca
franceza Alcyon, de lote de 18o
toneladas, de prsenle ancorada
defronte do trapiebe do Angelo,
lado lo norte. Ksla barca foi cons-
truida em 1847, e be de urna inar-
cba muilo superior, sendo por is-
so propiia para qualquer especu-
laco que requeira promptido,
por estar provida de um tudo e se
adiar prompta a seguir para qual-
Jo;.^ Keller, lendo do retirar-so para
Tora da provincia, TarleilSo, por interven-
cSo do corretor 01 iveira.de toda a moblia
o mais per lencos da casa de sua residencia
no campo, consislindo em ricas mesas re-
dondas, ditas para cha, consolos, sophs,
cadeiras, dilas de balance, tanto de jaca-
randa fritas na trra com a malor perfeicSo,
como de ferro, e oulras americanas, um
ptimo lustre de bronzo com 4 luzes e vi-
drosdo sobrtsalente, globos de cima de
mesa, ditos de corredores, palmatorias, lan-
lernas de metal lino com maogas, leitos in-
gleses de ferro com todos os perionces an-
da nSo usados, lavaiones grandes, guar-
da-vestidos, aparadores, secretaria, arma-
rios, sendo um delles rqiiissimo e feilo em
Hainburgo, tapetes, esteiras de sala, jelo-
sias, cortinados, excellentes vasos para llo-
res, relogiosde paredaedecima de mesa,
urna machina galvnica, mascaras e mais
perlences para aprender esgrima, a mais
linda o admiravel coeccilo de quadros
existente tiesta ci lade, tanto a oleo como
em gravurasinissimas, representando as
sumptos histricos os mais inleressanles,
loucade porcellanaedo uso, aparelhos de
clia, garios, facas, colheres e salvas de nie-
la! lino, copos para vinho, ditos para cham-
panha e para agoa, cryslaes diversos, um
completo trem de cozloha, um carro de 4
rodas com arreios, 3 cavallos de carro, 1
Jilo desella proprio para menino por ser
mu.to pequeoo, dous pianos mu superio-
res, o outros n.uitos objectos uleis, e que
sena desneccssar.o innumerar, basta affir-
riiar-seserombem tratados e quasi novos,
leilos con. perfeicin c dos goslos mais 100
demos todos os arligos supramencionados,
coja venda sera .ndubitave>nienle efectua-
da sen. limites ci preCo : terca-fera. 15 do
corronte, as 10 horas da manhi. em pon-
to, anda que poucos licitantes tenliam
comparecido a ta| hora, na pritneira dds
duas casas novas ltimamente edificadas no
5. L ...' 9f seu P'P"etoro, na oslra-
-- Jos Soaros de Azevcdo, professor do
lingua franceza no lyccu, tem aberlo oui
sua cava, ra larga do Rozario, n. 36. se-
gundo andar, om curso de CFOCRAPHIA i:
HISTOIIIV o oulro do RIIF.TOUICA E POETl-
;'CA. As pessoas que desejorem estudar una
ou oulra deslas disciplinas pdem dirigir-
se indicada residencia a qualquer hora.
PrecisD-se de urna ama secca para todo
o servco de urna casa de pouca familij : na
ra do Vigario,'n. II, lerceiro andar.
Urna senhora sotleira que vive em
companhia do seu pai pretendo abrir aula
de pritneira leltras, na ra do S.-Thcreza,
n. 23, devendo ler principio no da it do
corrente om dianlc, prometiendo desve-
lar-se no adiantamento de suas "alumnas e
o faz por prcQO commodo.
O Sr. I)r. Vascurado lem urna carta na
ra do Vigario, n. 15, terceiro andar. ,
Deseja-sc saber a morada do Sr. Felis-
berto Pereira iiabello para se Ihe onteoar
urna encommenda vinda da Baha.
Apolinario Jos dos Santos Andrade
deixou de ser caixeiro de seu irmo, Joa-
quim Antonio dos Santos Andrade, desde
o dia de Janeiro de 1850.
Flix Ferreira de Mallos retira-so para
fra da provincia.
0 abaixo assignado, llebrard, sclcnli-
fica ao publico que, desde odia 22 do de-
zernbro prximo passado, deixou de ser so-
cio com o Sr. Alborto Tallone no assoguo
sito na ra dos Tanoeiros. Reclfe, 7 de Ja-
neiro de 1850. flet/rqrd.
O padre Jeito Jos da Costa Ribeiro a-
brea sua aula de latim e francez nodia 14
do corrente, e contina a receber pensio-
nistas : na ra do Queimado, n. 37.
--Antonio Mximo de llairos Leite, pro-
fessor jubilado na pritneira cadeira publica
de primeiras leltras la cidade do Coianna,
faz scicnle ao respeitavel publico que so
acha presentemente mudado para esta ca-
pital, e a sua residencia he dentro do Re-
cita, na ra da Cadeia, ti. 40, primeiro an-
dar, onde vai continuar no mesmo magis-
terio ; porm particular, e po/ isso convi-
da a todos os Srs. que quizernm educar seus
filhos, que nSos receber alumnosjexter-
nos como tambem internos.
tUMi^t^li
**m
Jieudimeiilo
ALFA.NDECA.
do dia 9 .
18:4C,0(i3
te examinados pelo engenhoiroj'e.approva- quer porlc. Os pretendentes diri
dos, lavrr-se-ha um termo. i jam-sc ao capilo a bordo, 011 a
4.c Opagaiiieui do iii.porlo da arremata-, eaM ,fts -nimio
jilo reelisar-se-ba le os de concluida toda a sa uos., C0,KS|g
obra. serr ck Lompan
." Para ludo mais que nilo estiver doler- i miste
minado as presentes clausulas sogur-te- *
ha inieiramet.td o quo riispOe o regula-1
ment das airematai0csdd 11 de julho deiTe
1843.
Recita, 24 de dezernbro de I8i9.--0enge-11< c.'Cnna portiigucza Favorita,
nbeiio do termo do Recita, Jos Mmale Al-l forrada e pregada de cobre Cani-
vu Ferreira. ,~ .. '. P ..,.
Pela capitana do poto desta pr.rvin- ta A,,lo0 J0-s de 3Jedeiros: pa-
ca se faz constar a lodos os Diestras le| M carga e passageiro-, trata-se
arcacas, canoas, e outros vasos pequeos, | delronte do
consignatarios, B. l.as-
iia, para tratar do
Para as Ibas de S.-Miguel,
eiceira e Fayal sabir brevemen.
n.
S,
IMPORTAgA.
.-F.-Loptr, patacho americano, vindo
do Philadelphia, .entrado neste mez, con
signado a Malheus Austiu n.auifestou o seguinte:
1,100 barricas fatinha de trigo, 158 ra-
xas com cha, 73 voluntes fazendas de algo
13o, 400 barriqinnhas bolarl.inbas ; aos
consignatarios.
Elisa, barca ingleza. vinda de Antuer-
pia, entrada neslfl me/, consgnala a U
Uretoi) Scli/aitAu tv C'ompaninu, inanlestou
V seguiute :
616 'jiio btelas.
que navegarii nesla cosa, que nao pdenlo I "' ""'^ "v ,r*P**** "ovo>
sair dcsie porto, sern que prmero rompa- com nomaz de Paria.
recao na mesma capitana comas volas del -Para o Rio-de-Janeiro sabe com 3
suas embarcrces p^ra seren mudadas as muior hrevi !ade possivel, por ler paite de
resi olivas nui.dacoes, na forma prescrip-; seu carreganiento prompto, o brigue na-
la na orden] da | residencia de 8 do corren- cional i.igeiro : quem no mesmo quizer car-
te mez sb pena de seren multados, e no regar, ou ir do passaaem, para oque tem
uia.som que incr.ircrem. i excellentes coinmodos. dirija-se a Antonio
Capitana do porto de Pernambuco, Dde; Alvea de Mranria Cuim'ariies, ou a Novaei
Janeiro de 1850.Ilodriyo Theodoro de l-iei- i v Companhia, na na do Trapiche, n. 34
/!",',rJr'lilJ'1"'1'"''^___:_^_____________I Para a Babia sabe no dia 1 j d coire'n-
: le con. a carga que liver a bordo a suma-
ca lir-ilo-Anqelim, tneslre lien.ardo de
Souza : quem na mesma quizerearreg*ron
ir de passngern p le enlen tarso com o
mesmo mestre ou com Luiz Jos de S Arau-
jo, na ra da Cruz, 11. 33.
-- Para o llio-ita-Janeiro sabe infalivel-
, mente no dia 15 do correnie a polaca na-
00, que se rruueremempregar CO- cional otiedade-Feli*-. para alguma caiga
010 serventes as obras do mesmo {|,"'a'l"'il '''!" e passageiros, trata-so com
da de Joilo de Barros, quasi defionte do S,-.
ex-inspector da alfandega.
- O Corretor Oliveira at leil.lo. por or-
den, e em preaenca do Sr. cnsul da repu-
f.',""ce". loa ben, do finado Lis
Vctor Desenc os, subdito francez, consis-
lindo em mobil.a, inclusive arligos de cs-
f^P^r'OomMhiiii do copiar crtas, trem
aecozmha, inslrumenlos de agricultura.
tn l!C,,lc,do' "Vr,s- d08 excellentes re-
? sdeouro umeom a competente cor-
dio,f'JJtTT?'01' f,!0'"'os Para jar-
dn, um par ,le pistolas, 23 pipas de agoa-
. dente, 2ditas de espirito' do vinhofs
ba. I",..*.!!.C0,n. ""Pftente /unil, bom-
cor
Bru
L ,n,edid,,!i' e^-- segunda-feira," 14 do
correte, as 10 horas da manhaa, na ra do
fon m w.*0"-dMorUs, rasa contigua
fundico de Bowrnan & M. Callum.
Heciara^s.
Pela inspectora do arsenal
demarinlia se convida a lodosos'
individuos livrcs, ate o numero de
arsenal e nns do mclboramento do
porto, a seentenderem com o res-
pectivo inspector, o qual, em vir-
tude de ordena do fixn. Sr, pre-|ntericano A.-f.-Loper, des
OS seus consignataiios, Oliveira Irmiios &
Companhia 1 na ra la Ouz,.n. 9.
Vende-se o muilo veleiro e
bem -'..iiIh ciiln
a-
jrigue-escuna
.~fj>per, de soui
I sJdenie da provincia, Jbes garante'rior maicba, fonado 0 cavilltado
W
Avisos diversos.
Francisco Antonio de Oli-
veira, tbesoureiro da coinuis>o
cncarregada de distribuir a snbs-
crpcBo agenciada na corte a favor
das vinvas e orpbaos dos que pe-
recet-am cm d.Test da ordem pu-
blica nesla provincia, contina lo-
dosos dias uleis, (|3s ti boras da
DianbSa a 1 bora da tarde, em seu
esbriptorio, ra da Aurora n. 36,
a fazer os pagamentos a lodas as
pessoas contempladas na relaco
da disliibuico provisoria de 4 do"
con ente, na conformidade das or
dens do lixm. presidente da pro-
vincia.
I111 orlante descoberta
para os denles
M. S llawson, cirurgiao dentista, ehega-
do ha pouco de Inglaterra con. destino aos
por los do sul, pelos poucos dies que tem
dedemorar-seaqui, ofTercce seu presumo
a aquellas pessoas que precisa rom dos soc-
corros de sua aae: para o que pode ser
procurado no Hotel-Francisco.
Precisase de urna ama para cozinhar
em casa de un. homcm sollciro : na ra da
Cruz, n. 49, loja.
"s,'*,a"r,!'r,'> do correle, poita do
>>r. dodoiil'ji-juizdocivclda pnmeira vara,
eporser a ultima praca, so ha de arrema-
tar urna casa terrea Sita na Solidado, ava-
llada en. 1 :oo,otio rs., pertencente a Joa-
quii .Xavier da Maya, por exccuclode An-
louio d Silva. Cusmao.
BOW.MA.V ros machinistas e fundidores de ferro, mu-
respei losa mente annunciam aos Senhores
propretanos deongenhos, fazeudeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, quo o seu eslabelecmento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em offectivo exercicio, e se acha com-
pletamente motilado coro apparelbos da pri-
meira qitalidade |>^ra a petfeita coofcccSo
das maiores pecas de machinismo.
Ilabiliados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
attenc,o publica para a sseguinles, por
tercm dolas grande sorliinonlo j prompta,
as quaes construidas na sua falihca poden.
competir rom as fabricadas em paiz es-
Irangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade das materias piimas e inflo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhorconstrucgilo.
Moendas de canna para engenhos de lo-
dos os la manilos, movidas a vapor por agoa
00 aiiim;i"s
Rodas d'agoa, moinhos de vento o serra
rias.
Manejos indepoodentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilhdes, bronzesechumoceiras.
Cavill.Oes e parafusos de todos os tama-
nhos
Taxas, pares, crivos c boceas de forna-
lha.
Moinhos de mandioca, movidos a niSo ou
por mimaos, c prensas para a dila.
Chapas de fogAo e frnos de farinha.
Canos de ferro, lorneiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mAo, poranimaesou vet.lo.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hydraulicas e do parafuso.
I'erragens para navios, carroso obras pu-
blioas.
Columnas, varandas, grades a por toes.
Prensas de copiar cariase desellar.
Camas, carros do inflo e arados de ferros,
&c Sic.
Alem da superioriade das suas obras, ji
geralmenle recnnhecida, Bowman illc.
Callum garanten, a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remel lulos
pelos Senhores que se dignarem de fazer-
lliaa encommendas, aproveitando a occusiAo
para agradeccreiu aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por ellos honrados, o asseguram-lhes
que 1.A0 pouparflo esforcos e diligencias
para continuarem a merecer a sua cot.fi-
anca.
Jos Valentim d Silva, bem conhecdo
por ensillar latim ha 1 i aic os,e ler a felici-
dado do seus alumnos seren seinpre appro-
vados na academia, avisa a quem convier
que abri a sua aula a 7 do curente mez
na roa da Alegra (na Hos-Vistaj 11. 38, on-
de n cebe alumnos, laido externos, como
peticionlas. Tnn.bem ensina em horas
reservadas aos que nao po.icrem frequen-
lar as horas da aula.
I'ara
as pessoas que tmcionam
seguir
viagem.
A bomconlucida agencia le passapnrles
da uta do Rangel, n. 9, contina a tirar
passaporles para dentro e forado imperio,
a despachar ejeravoa e correr folbas tulo
coji a tnes.ua brevidade e commodidade
nos ajustes, coiifornie a exuberante prova
que lea dado no decurso da oilo anuos.
Passiipoiles.
Tiram-so passaporles para dentro o fra
do imperio, corietn-sa foll.as, despacham-
se ecuvos o lirani-se Ututos de r. sulencia
para sempro : para estadal procurarse na
praca da Independenciat liviana ns. C e 8,
e na ra do Queiinado, 11 2b, loja demiu-
dezas.
frecisa-se de um ou dous aprendizos,
furroi ou captivos, c do boa conduela para
ipretnlerem o oflicio de laloeiro ou fuuiloi-



^^^
r-n
/
-- Roga-se s titorldaics policiaes e ca-
pillos de campo apprehcnso do escrevo
cabra donme .eonar.Jo, do 2* annos de
dado, estatura mili baixa, um poucu gros-
so do corno, maguas do rosto hem salien-
tes e cabellos compridos; fui vestido com
carniza e calca pretas, e chapeo do massa ,-
he ollicial desapaleiro : quem o apprehen-
der condu7-o ra da Piaia a Sra. viuva
liorna, quo ser* bem recompensado.
Heseja-se alugar nm pelo do boa fi
gura : pagi-se bem : quem o tiver annun-
cie, o) dirija-so ao Aterro-da-oa-Vista,
n. 39, segundo andar.
--Antonio llunrque de Cusmfio ombarea
pura o Rio-de-Janeiro, por ordom do Joa-
quina Jote dfl Mello Pimonlel, o moleque
lt u fi no, para la ser vendido.
--Aluga-se o terceiro andar da casa da
ra ila Madre-de-l>eos, n. 3 : a tratar na ra
da Cadeia do Itecife, com Joo Jos deCar-
valho Moraes.
Precisa-sede um feitor: no sitio da
capella da Conceicflo, estrada de Joilo-de-
Iiarros.
--Aluga-se o segundo andar e sotflo do
sobrado ao entrar do l.ivramento para a
ra Dircilt, n. \2, com bastantes eommo-
dos : a tratar na ra cstreila do Rozario,
n. 3\ loja de encalerna lor, do Joaquim
Jos Thomoteo Pinto.
Aluga-se tima casa terroa na ra do
Padre-Flrianno, n. 41 : a tratar na ra
larga do Rozario, n. 39, segundo andar
Deseja-se fallar ao Sr. Jos da Cunha
Rozerra para se Ihe entregar urna encom-
menda,vinda doAracaly na escuna Naria-
Firmina : na ra da Cadeia do Itccifi, os-
criptorio de Jos Antonio Basto.
--Vicloro Antonio Martins, ora passan-
do a r.\-u na Torre, defronte da olaria de
S.-Podro, appareceu ha das em sen porto
uma canoa grande, bastadle arruinada ;
por isso avisa a quom fr seu dono, de ir
tomar oonla da inosma, po;s nio se respon-
sahelisa por nada que possa acontecer.
O abaixo assignado faz sdenle ao com-
merciodesla praca que, desde o da primei-
ro do corrente, fez urna sociedale em com-
manditecom seos irmilos Marcallino Jos
Concalves da I'onlo eManoel l.uiz Concal-
ves da Fonle, gyrandn dobaixo da firma de
Fonle& I ni.fin, cuja (Irma fica cncarregada
da liqnidacHo de todo o activo e passivo da
anliga firnfa. Jos Gonfafoe da Fonle.
-' No dia 2 do corrente dcsappareceu um
escravo crinulo, de nonie Joaquim, que re-
prsenla 24 annos de i.indo, boaesUtur,
chelo do corpo, con} buQO en: haixo do
quoixo. peinas finas, pos apalhctados, mui-
tn |.f qnenns, a ponto de ser defeituoso ; es-
te escravo he nniiio conhecido nosta praca
por ter sido escravo do Dr. Teberge, depois
passou para o liernardino, e este o vnndeu
a Pedro Alcxamlnnn Gomes, por ter ido
em Braca o anno prximo passado ; he co-
zinheiro, o vivia trabalhamlo cm armazn
dcassucar noRecife: rnga-se a todas as
autoridades e cap tiles do campo-que o ven-
do o niandem pegar e levar a seu senhor,
ni rua Nova, n. 67, que ser hom recom-
pensado.
Aula de navegficao.
Agostinho Fernandes Catanho do Vas-
coucellos ensilla navegac^ln pralica, o a teo-
ra uecessaria para o coiihccimento o de-
m insiraolo da origem maihemalica, em
que se baseam as regras i-ralicas ; no largo
da Assembla, casa da esquina da rua da
l.apa. no segundo andar.
Precisa-se alegar uma casa tprrea ou
sobrado, que nTo exceda de 10,000 rs. men-
sacs, semlo as ras das l.arangeiras, Trin-
cheiras. I-lores, airas dos Quarteis, pateo
d.i Paraizo, Roda, Mundo-Novo, San-Fran-
cisco e Cruzes : quem tiver aniiuncie.
fund ica*:
DAlfROR/V
C. Slarr & Companhia tenm a honra de
avisar aos seus fregczes, e ao publico em
geral.quoa sufl grande fundicilo em S.-
Ainaro, almdti sorliinenlo que constan-
temente loin acha-se de novo provida do
muilas moendas de caima, e dn varios ta-
iiianhos feitas no inesmo eslabeleciiiiento
pelos oais peritos ofilciaes, o com o maior
/ cuidado e perfeicao; lauto assim he, que
ns aniiiincinnlesse ufanam em garaiiti-las
lelo primeiro auno. As moendas inleira*
todas de ferro construidas as olicinas
, dos anminciaiiU's, sHo nmito superiores a
quaesquer oulras da mesma nalureza que
ul agora teem sido aqu olerecidas, pois
aquellas encerram em si cerlos e importan-
tes inellioramcntos resultado do mais de
20 anuos de experiencia e pralica do paiz.
Desapparcceu, da rua do Calinga, da
loja do miulezas, n.- 4, uma caiteira con-
tendo varios papis, ntreos quaes qualro
vigsimos da lotera do Ibcat/o de S.-Pt-
ilro-ile-Alc.intara do Rio-do-Janeiro, ns.
) 456, ,907,3,300.3,418, os qunes estavam
r asignados r.elo socios Manoel Joaquim
Rihciio e Antonio dos Santos Cordeiro; por
isso roga-se aos Srs. nadadora* de bilne-
tes o obsequio do os observar.
Aliigau-so oprimeiio o segundo an-
dares do sobrado da rua do Rangel, hastan-
t-frescos, com cozinha fra e quinlal : a
tratar na na Direita, n. 3.
4 -- Antonio Eusebia Rabello, Uiasileiro
vai a Lisboa tratar dosua sade.
No dia 12 do corrente, pilas 4 horas da
, tarde, na pia^a du juiio do civi.-i da se^un-
da vara, na i ua Nova, so hflo de Arrematar
y quatro iscrav4is de ambos os sexos, penho-
( J.!os por exccuvilo do Joiio Kelles & Cnin-
Vpanhia c.inlia a viuva Colilla e Cuuiiaies,
' escrivo Santos.
Mnuoe! de A Impida Loprs
esl fazeiido o inventario de sen
%
I
pessoa a quem dilo relogio soja olTarecido,
ii'ija de o tomar, ou declarar o autor da gra-
ca, que ser hem rccompcnsa'lo, participan-
do ao iiiesinn Sales, na rua da Cadela do
Itecifo, n. 46, ou a Fredorico Chaves, no
Alerro-da-Roa-Vista, n. 17.
Aluga-so a casa terrea do Aterro-da-
Boa-Vista, n. 73, aqual por sua sltuacSo o
eommodos pode servir, tanto para negocio
como para morada: a tratar na prBea da
Itoa-Vista, botica n. 6.
Jo3o Canrairo da l.ima Rrito que Um
examelalim, franez e mais preparatorios,
propOe-seaonsinar a lingoa nacional e os
preparatorios em casas particulares, envi-
dando seus exforgos para adianla-nento do
si ns al ii unios,do que disto ja I'jiii dado pro-
vas, tanto nesla piara como fra della :
3uem o pretendar, dirija-se rua estreita
o Rozario, em casa de Jos Anacleto, den-
tista e sangrador.
- A viuva do terceiro matrimonio do
fallecido Jos da Costa Nogueira jvisa aos
credores do sen"casal, quo leudo lo proce-
der a inventario pelo juizo de orpliSos do
l'o-do-Alho, devemellesjustificatem seus
ttulos al o meiado do corrente Janeiro,
aliindo sern attendidos ni parlilha de
lieos : e para prevenir qualquer oiuisso,
faz o presente annuucio. .
Na rua de Agoas-Vcrdes, dolado de
S.- Pedro", casa terrea n. 13, cose-se o en-
gomma-se com lodo o esmero e perfciQilo
UlysusDroz recentemeiito chegado da
Suissa tem a honra de prevenir aos ourives
e uh'oji oros que tem u:n sorliinenlo de
reiranientas pioprias para qualquer desse
nlliciiis. Plem dirigir-so casa do sua ro-
sioencia ua rua da Cruz, n. 40, sogundo an
Jar, casa do cnsul da repblica Helv-
tica.
Prccisa-se de um feitor que saiba tra-
tar do borla, pomar e enchertar : ni Mag la-
lena, estrada da Torre, n. 78.
Distante desta praga 9 legnas precisa-
so do um profrtssor liara cusinar as pi imei-
ras leltras, latim o francez : prefure-se ho-
mem casado com pojea familia: a tratar
na rua do (jueima lo, n. 7.
Antonio Jos Soarcs rctira-se para a
Rabia a tratar de seus negocios.
-- Uma mulher de bous costumes se olTe-
reco para prestar internamente seus serv
eos cm uma casa do qualquer hoincm sol-
leiro : quem a precisar aniiiincie.
Precisa se lugar um proto idoso. que
sirva para tratar du um ou dous cavallos e
lomar cunta do urna pequea casa do cam-
po : na rua do Trapiche-Novo, n. 10, pii.
meiro andar.
Na rua da Ca Icia d Santo-Antonio, n.
13, no .primeiro amlar, se dir quem tem
um negro do 30 a 35 annos sem tebaques,
ffluitn robusto, e propiio para seni^o
brafal.
_ I). W. Raynon, cirurgiSo dentis-
^la.na ruado Trapiche-Novo, n.
'rtxjj 14, respetosamente informa ao
publico que, pelos seus muilos afizeres, a-
r obrigado a deuiorar-se mais algum lem-
po nesla cidade, antes de sua retira Ja para
os Kslados-IJniJos, e ofioreco si;u.preslimo
para toda qualidado de o,ei',e. s deolaes,
para por denles novos, tanto singlos com,
dentaduras inleiras, chumbar denles com
ouroeprala, conforme as ullimas deseo-
bertas neata tera.
-- A' casa da residencia do Dr. l.ouren;o
Trigo de Lourcirn, no hairro da lloa-Visla,
rua da Saudade, defronle do Hospicio, p-
dojndirigir-se por carta, ou pesgoalmeute,
aloliin do inez de fevorciro prximo fu-
turo, todas as | cssoas, quo quizercm sei
assignanies do novo compendio de pralica
do procesan adoptado pela rongregacTIo dos
lentes do curso de scionrias sociaes c ju-
rdicas de Olinda para a segunda aula do
quinto auno, sendo cinco muris o precu
da assignatura dcada exemplar ; e em to-
do o lempo as quo o qui/ciem ser do iulc-
ressantissimo ndice chrouologico da Ic-
-'islagiio brasileia que ha d' conler em
oilo volumes infolio, ou punco mais, toda
a legislac^to brasileia vigente desde 182:2
al 1818, n qual, com a que esla revoga Ja i
a quelom cabido em desuso, coinpo as
Coheches actuacs vinto c tintos grossos
lolumcs, e cusa para mais de 150,000 rs ,
entretanto quo o preco da assigualura do
referido ndice he a (equena quanlia de
34,000 rs. paga ao receber o 1. e 2.' volu-
mes, de queja existem varios excmplarcs
em podiV do annunciantce brevemente su-
bir aluzo terceiro Volume. Na loj-i de
livrosdoSr. reverendo pairo Ignacio Fian-
cisco dos Santos na ru i da Cruz do llcci-
f, c na ilo Sr. Manuel Figuoiroa de Parta
na |u-ai;.i da Independencia, pode lambcrn
assignaro seu nuuie quem quizer ser as-
signante de qualquer das icferiJas obras
Os Srs. assign.inles que j receberam o pri-
nii'iro volume do indico chrouologico, dig-
nem-sii mandar buscar o segundo casa do
anunciante.
A i ion la-so animalmente o excollcntc
sitio da viuva do Burgos, na pairada do Ar-
raial, com elegante casa, o todos os mus
arranjos precisos para cummodidade di
uma grande familia : a tratar com l.inn Josi
de Castro Aruujo, na praga do Corpo-Santo,
n.2
Alugatn-se por prec;o rasoavel
o sobrado e loja da rua dos Quar-
teis, n io : a ta lar no tMondegn
com L. C Fcrreiva
%
bendo a gratificado me isa I o 3,000 rs.
por cada alumno: lambem leccionarn rha-
torica o geogra: lii.i ccihii lo a gratilica-
Cilo do 4,000 rs. : na la DifCita, n. 120, se-
gundo andar.
DEPOSITO CAL !
do superior rap areia-pnta ^
da fabrica de Gantois i"ai- 3
IftelSc Compartira, na Ba-
%) na. ,;$
?) Domingos Alvos Matheus, agente-la -1
# fabrica de rap superior areia prela '4
@ e meio grosso da Babia, tem aborto o fy
^> seu deposito na rua Cruz, no Kecife 9
? n. 52, primeiro andar, onde se achara i)
) sempre deste excollentc e mais acre- i*}
-" dilado rap que at o presente se tem t
^ fabricado no Brasil: vende-se em bo- *)
i: tes de uma o meia libra, por preco 2
i, mais commodo do que em outra qual- 4)
t^ quer parte. :?
->
9d999999999 v-
O Sr. JoSo Cyprianno Rangel queira
ter a bondade deapparecor ua rua da Oa-
deia de S.-Antonio, p. ra decidir sobre cer-
ta conla que S. Me. recebeu.
Os abaixo assignados scien-
coode subjoitar^m-se ao tirocinio oscilo- ministralivoi o a nomenclatura da lodoso-,
laslico, sem diiiJa deaejarpencontrar um jeaUbelecimeoto labria, mercanlis a indus-
mein fcil ea comino lado para consegu-Jjrlaes, aoqual aei adicionouuro rnatino ea-
rom cs;a ioslruccJlo, poupando d'est'arte a
faslidi si larefi de saludar da er vorboa
significados, qual a da grammaticn do
Sr. l.oi'. AntoiiiuHeiigiiii!, dada a luz lti-
mamente ao Rio-dd-Janeiro, a de qu limi-
to elevad ) oonceilo faz o nosao oxcellonte
professor, o Sr. dottor Jos Soarcs de Aze-
"vedo.
Avisase, portanto, aos amadores da men-
cionada lingoa quo dilas grau.uialicas se
achaiii a venda napraca do Commercio, n.
2, pi i meiro andar.
Nova loja de fazendui e modas
frunce zas, no Aleno-du- l'xia-
Pista, n. 12.
Alailama Anccllc acaba de esl,-
brlficer-se no \torro da-Ita-Vis-
ta, n. ir?, com tuna lua de finen-1 ,
. ir i i dado tem 4 qiiartos. sala adianle e airas,
das e modas irancezas, na qual os coUnhatra.eeat multotntemaanta p->r
t ilislicu ra cid i ran jas fivguo/.i"', temise municipios das
comarcas da provincia e final lente a tabel-
la do i.asci uaiito e ocaso do sol para regu-
latonlodosrelogio, .rganitada peloex-
cellenle pillo Portugal, de aaudosa lem-
branra.
lia tatas.
Vcn.li'in-sc btalas a 1,000 rs.
a arroba mo armazem di rua do
Azeite-de I'exe, n. i'|, defronte
daMadre-de-Deos
-- Vende-se urna famosa propriedade
com grande quintal, cacimba, e com dif-
ferenlcs qualidades da arvoredos, duas la-
tidas de boan uvas), alos do oulras duas
einila novas,um jardim de flores e cantei-
roade hortaliee alverlc-se quea prooric-
compradoresencontrarSo o que ha
de mclhor e de mais apurado gos-
to na(|^clle genero. Ali acha-
rao o mais rico sortimento de
cliapoa de seda, de palba, com
ficam ao commercio desla praca llores qu peonas para senhoras ;
que, desdeo i.de juueir i de 185i>|1uvqs de pellica, seda cl.ulio, tau-
ein diantc, deixa de ser socio da
Urina Oliveira Irmaos Se Compa-
nbir o Sr Jos de Oliveira c Mel-
lo, boje residente em Lisboa, l'er-
nainbuco, 3i de dezembru de
1849 Oliveira Ir nulos & C*
--Precisa-s9 de 11 ni honiem que queira ,|a(|a ,. Je pendas
foilorisar escravos em um eiiueiilio dis'an-
to dcsta praca 10 legoas: prefare-se Por-
tuguez : na rua Direita, n. 03.
A poca.
Aos senhores assignantes lesle jornal se
faz certo e igualmente ao rospeitavel publi-
co, que acaba de Chegar de Lisboa a conti-
nuaciio dos nmeros deste jornal at o nu-
mero 52 ; e como tenham Chegado diHeron-
les rolleccdes cmplelas, convi la-se aos
amanlcs da itistrncg.tr> a colicorrciem para
a sua exlraccflo, visto como hoste jornal
do tanta importancia.
Assigna-se na ru da Cadera do Recite,
se ter (Vito obra, o qu para recreio, sita era olinda, na rua Ja Roa-
na mesma casa.
Arantes, na
Intlopeiilen-
c IS,
llora, 11. 35 : a traa 1
-V:i Ioj.'i do
|)n*aca da
ca, ns. 13
lo para liotnens corno para senho-
ras ; ricos manteletes; fila* pata
chapeos ; lencos de cassa borda-
dos 5 chapeos eboietesde monta-
ra,' collarhihos e punhos para
montara ; manteos de cassa bor-
prelas e bran-
cas j Mondes de sedi ; rendas c
bicos de; linbo ; loucapara bapti-
sados ; lencos de catnliraia de li-
nho bordados e com vnhetas, ri-
cos aventaes de seda ; vest dos de
cassi oriental ; ditos de caria pa-
ra bailes; franjas e enfeites para
vestidos emanteletes, lencos de
seda para Itomcni; grvalas pretas
e de coren ; a mais cscolhida ner-
l&s.ru""l,'','n dcJo3 j5i0,toCarMlh01 fumaria ; vasos c olidos objectos
0 preco da asaignatura he : de porcellana Por un anuo, dinheiro a vista G.iOO
Por seis mozos, di lo dito. 3,200
s
esc ivas
& Alugam-so evenJer-so as verda-
jj di-iras luxas de H imliui-.'.) ;napraca
Q da Independencia, n. lo, ;o voltar
;vj para a rua das Cruzs.
&
ot&.oa0a O Dr. Joaquim du Oliveira a Souza an-
sinn a tradu7ir, fjillar c escrever a lingoa
frauci'za no lerro-da-Ri a-Viia, 11. 82.
Altencfio."
No dia sabbado, 2-2 de solembro do anno
prximo passado, o abaixo assignado en-
iregou um bilhelea sua escrava .Mara Jos
,
casal pelo juizo dos orphfios : quem
se julgnr credor do inesmo casal
aprsenle suas conlas no praza de
oilo .Mas
I'nriaram, no lia C do corrente, de 5 s
C horas e meia da larde.de luna das salas da
casi de Can lijo Jos de Salea, no Maugui-
iilu, noi relogio"dt 011ro de r#picicno, autor
J.1I1 l'oLtger KauJTman, 11. 187: pede-so
uUullK'i' Sr. ii'lni i--i 11 ."i mi,1,, .< 111 Imii.x-
gg Chpeos do sol.
Ruado Passeio, n. 5.
Neata fabrica ba presentemente um rico
soi lmenlo destes ohjeclos deludas as co-
res o qualniades, lauto de seda como di
paiininlio, por precos eommodos ; ditos pa-
ra S'iiboras, de hom gosto: esles chapeos
silo feilos pela ultima moda ; seda adamas
cada com ricas franjus de relroz. Na mes-
ma casa se aclfa igual sortimento de sedas,
o panninhos imitando sedas, paia cobrir ar-
macOes servidas : Indas estas fazenlas ven-
dem-so a porgUo o a relalho : concerlam-se
quaesquer chapos de sol, tanto de basteas
de ferro como de baleia, assim como umbe-
las de groja : tudo por preco commodo.
Obaclmrel Antonio Aunes Jucouio Pi-
res prope-se a advogar, c recebe as pus-
soasqne se dignarem procura-lo a qual-
i] uer hora, no primeiro andar do sobrado
i). 14, no palco dn matriz do S.-Antonio.
lima essoa habilitada e que por mu i
tos anuos se teai dedicado ao ensillo da mo
oiilade, :.i. |n>. --o a ensillar grammatica la
co
consta ao abaixo assignado quo esla sua
escrava fra vendida em Pe Iras-de-fogo,
por um biim.-ni morador an laricola, o
abaixo a-signado prole-la contra a pessoa
anllde fiir capturada dita sua escrava para
Ihe pagar todas as despezss causadas por
cssli sua ausencia c dias de servic/i, o mes-
mo abaixo assignado loga aos lllius. Snrs.
o carregados da polica de Podras-do-Fogo
e do oulro qualquer lugar para que a man-
dein prender o romctle-la a seu gimo se-
nhor que he o nbaixo assignado, que paga-
r as despezss ; assim como por meio des-
te encoiii monda a todos ca pililos de campo
para empregarem o cuidado preciso para o
mesmo lini teima menciousd. Os signaos
desla escrava silo os seguintcs : estatura
rotular, crioula, fula, reprsenla ler 24 an-
nos do idade, clieia do corpo, rosto redun-
do, olhos vivos, bem feila de corpo, muilo
Convi vente i l.e casada com um cabra de
nomo Camlo que o abaixo ajgjgnado gou-
ra qui-in he seu senhor boje : esta escrava
M.iria Jos nascru para as bandas de liarla-
l'.o ndia, o quiin.lo raparigaioba fugio da
casa de.ste SMihor oii'o nasceu, para o en
geiiho Cinipapo, a scuhnra deste eogenbo
i'oinpiou-a e casuu-a com o dito Gamillo,
e viudo dita seuhor.1 do ingcnho Ginipspo
de Iguarass, 1). Ambrosia de Rrito Bczerra
a esta prscsi no mez do iUaio vender dita
escrava Mara Jos a 24 do inosmo mez ao
abaixo assignado: quem apprcbende la
ronduza-a, ou mando conduvu-la rua No-
va, o. 49, cusa pegada a torro da igreja de
N S. da Concerno do militares, que ser
recompensado por o annuiirianto.
Manoel Franmco Coimbra.
E n si no dp pricueirus let-
Iras.
No Atierro da Ra-Vista, sobrado, ti. 5,
ha uma pessoa subeijamente habilitada,
que se propon a dar por casas particulares
e com peil'uico, licesde piimeiras leltras
e grammatica da lingoa nacional: as pes-
soas que se quizercm ulilisardo seu pr-sti-
mo dirijam-se a dita casa a qualquer hora
do dia.
cudom-se aapaUtaa do couro do lustro, a
5, ti c 7,001) is.; borzeguios para homem, a
i o T.imo rs, aap iIojs da bezerro, de pala
o de costura a inglaz*, a 5,000 rs. ; sapatos
do lo,no para senhor-a, a 1,000, 2,000 e
2,240 rs. ; ditos do marroquim, a 1,440 rs. ;
sipati'S do Araraly, 8 1,000 rs. ; pellos do
J^couro de luslro francoz e hamburguez de
superior qualilade; ditas do marroquim
do lo las as cores; chapeos franceses da
ultima moda ; cortes de tapate pan sapa-
tos; lencos de seda para grvala; a muilo
ricas perfumarlas, por pracucommodo.
Vende-seuma escrava de meia idade,
com habilidad.! i : na rua Velia, n. 71.
Ao bello iiiadlamisiiiu
se eflorece Irajisvparentes e lin Ussimas oas-
ssda mais moderna expsito de l'aris.
Corles de 10 varas, pela rasoavel preco dn
7,oou rs. : na loja de Antonio Luis dosSMi-
tos a C., na roa do Crespo, n II.
Vendeui-se bisas do Porto, pequeas,
de 50 para cima a 100 rs. : na rua das Cru-
7.os, a. 40.
Salsa-parrilha de Sands
para remover e curar ralleaimente ludas
as ei.lomuda les qu i procedem da impu-
rc/a do singue, o. iabito do sysiema.
Bstamelieina o.-.a o;ieraaJo canstaale-
me ilo curas que I incrlvais de molestias
que p oe-< lein da iingu eza do saugue. A
infeliz victima da moleStijs hereditarias,
con glanddlas nchadas, u irv is IncThfds
e os ossos meio arruinado:, lie iu restahe-
leci la com lo la sus sa le e f ireas. 0 doen-
le escrofulosO cohorte dochagas, causan-
do nojo a si mes mi, o a quem o .servia, fi-
cou pjil-itn. Ceiilenar,s de pessoas que ti-
iiliiin soflViilo por anuos a ponto do deses-
perarom da sus torta molestias cutnea.--,
I glndulas, rheiimalismo ehronicio militas
oulras eufermi lados proco ionios do desar-
i mujo dos orgffns de S"crcr,noe da circula-
i pilo, leen.-se orgui lo quasi milagrosamon-
11' di leito da morte, c lioje, rom oonstilui-
ci"ies rogencradas, com prazer altcstain a ef-
llcacia desla incslimaval prepiracflo.
Comquanto tenham anparecirlo grandes
sendas sSochegadas pelos ltimos cur Jt ,rii |irdjniMU peio uso desta
navios francezi-s ;Na mcsin i loiai^stimavel medicina, contudo a experien-
se hiem chapos (le indas as qua-'S^ B,,re4enU reU,udM lidadc eloda a especie de ornatos| Ncw-York, 23do alwil dei848.
para senhoras ou meninos: tudo: Srs. A. B. e l>.-Sands. Julganlo ser
, ti I um dover piM co:ii vosco c para com o pu-
tsto segundo omclhor e nllimo blico am geral, rematlo-voa aste certiQca-
,'OSlO, visto COmO a Ma propretd-l do (las gran Jes virtudes da vossa salsa-;, ar-
i-i i>no--i imeng-JOll uadas insis pi nlds> r|.niilo ,,,,,,,, lllt,hor a sua confian-
gSlO
5
tes
liomcm
mizs
; cpon
espclhos
; ricas metas
; -ici is para meninos ;
naneas c ds cor ; bonetes
p'n-
para
ca-
T
para lioiriem c meninos ; ricos cn-
frcziuSios para perfumaras ; rna-
los para luto, du muilo liom gosto :
chicolinl'os de montara, lauto pa-
ra homem romo par sen hora ;
bengalas de uucorne .e de outras
rjnali lacles ; ricos suspensorios ;
chapelinhos deso para aeiihor.
ra procuiarquemaquizes.se comprar, el J ."' S nj!,,rn,ll) W*ta 5 c '",1,."0;:
orno al o presente anda niio voltasse, e muitOS OujectOS lol.is esldS li-
sSocheeadas pelos ltimos
modistas, clieg-idas ltimamente na efafam sem demora uao davvossa med-
de l'aiis. As pessoas que paa tnes 1 cina\,. ., ,
. i! i- *i-mc perseguido com urna grande fo-
objeclos a di i se dingirem serao ri la no lornuzelo, que so satandia pela m-
serviJ iscom a maior nromptidSo nclla ei-ma-alao Joetbo, lancava grandn
i ... '. i porcao de noieuta materia, com comichees
Cira a Itcarcm sati;>leitas.;,,,.,. ,,. ,,r,vavani niuitas noites lo meu dos-
Ul'i'i'ii' ii eaocOt a eram muitopenosas deaupportar.
" c-""' "* ; ()Sr. PiogoM. Conncl, que havia sido
Agostinho l-.rmes, chegado da coito dO|CUMjaCom a VOMa ulA-parrilba, reenm-
Rioho Janeiro, faz sciontn so respeiUvell mBudou-mequeeu flzessouso dclls, de-
publicc- que doma o pratea todas as quali- poH do ,laver tomadococa garrafas Oquci
dades le obras mclahcaa, caisas de rolo- perfei la monte curado,
gios e-usas de rapo, obras lisas elavradas,] Tenho demorado um annomandar-vos
de lilagra,caslicaeses Ivas do caquuihs, e,iB certifleado, para conhecercom corte-
apparcjbos de oratorio, cruzos e resplan- Zll sc ;1 r.ura era permanente, e tenho agora
llll
doii s, o toda e qualquer ulna que lepare
cer : lulo com brevidinloo | uro commodo,
Precisa-seda um rapaz que queira
praliear a arto de pharmaci-i : na rua larga
do Rosario, n. 30.
:W"'JBB'ypa!"i"aB*'l'.g|iiii.'j!Jg
Compras.
Novo mclhodo prlico e
llieorico da liitgoa l'ran-
ecza, ou arlefaciliaia
de aprender com pcrfeieHo e em pouco lem-
po a fallar, Ir. du, ir o iscievcro franooz.
Mngiiem poder negar a utili lado da
Ijncoa (ranceza, porquanloque sendo ella
hoje universal-, rene oni si uma mavi sida-
de inaudla, uma excedencia que Ihe lio
prop ia : ella he abracada sem a inonnr exi-
l:1o por lodos os povos do mundo conlio-
cido, por isso os grandes hoiucns do seeu-
lopresente teom envidados os seos exfor-
?osulimdo que ella faca longevos sobro a
ierra, e para prova de uma tal assorc'ui
muilo hom ilisse o Sr. Sevone Indispon-
cavel a muilos a lingoa francz.i be di
aumma ulilldado para lodos.
As pessoas, pois, que reconlieco'iiilo esla
Coinpra-seum scllim nglezj usado, e
com todos os arrojos: na rua da Cruz, n. 64.
-- Compra-se um escravo moco do boni-
ta lisura, leudo qualquer ollicio : na ru.)
do Nogueira, II. 39, sobrado.
Conipiani-se, cfleclivamente, bolfias e
garrafas : na rua do Rsngol, n. 51.
Compra-se uma carrosa para um ca-
vallo, a qual estej i em boni esiaJo : na rua
da Cadcia do llecfe, n 60.
-- Compram-se ossos : na rua da Concor-
dia, rclliuiria franceza.
Compra-se urna cabra ( biso ) que es>
toja parida*, e soja bailante leiteira : is
Circo-Pon s, n. :<>
Vendas.
Foiliinlicis para IHO.
Na livraria ns. fies da pra?a di Indepen-
ilencia, vi-iidi'in-su as b ai conioci las fo-
Ihlnbas improssaa nesta typographia, das
seguintcs qualidades:
lOl.lllMIA IU'; POIlTAconteiidookalen-
dario, tal ellas de ffiados, das de audien-
cia c resumo de pocas nacionaea egeraea
IdiA ni- AI.C.IHKiitA contendo o mesmo
cima, e um resumo de cbronologia, a qual
tan bem d preamar, e tem uma colleccRo
a mator satisfacen em declarar que niio le-
nho visto, nem senlido cousa alguma du-
rante hilo esto lempo, e arho-me perfeila-
mCllle I -.'al' decido. Son vosso, ele.
ii Snruh U. Inlire.
ato, rua Delancey.
.Nesla provincia o nico agente deste ma-
ravlhoso icmedio lio Vicente Jos de Brilo.
Cliarutus vcrdadeii'os :
vendeni-se em casa de kalkmauu Irmilos,
na rua da Cruz, n. 10.
Fardara.
V'eude-se urna padaria muito
boa e com lodos os seus perten-
ces, prompta a trabalbar : na rua
Direita, n. >., se dir quem
vende.
Veiule-SO, na rua do Trapiche, n. *2,
ptimo lio de vela, o melhor possvel para
Coser saceos, e por preco commodo.
--.Va na do Trapiche n. 42, om casa da
Adamsoii llowie & Companliia, vende-se
um reatante ilo nmito excdante cha preto,
por preco rasoavel, cm caixas de 50 libras.
--Km casa do Adamson llowio & Com-
i anhia, rua do Tripich u. 42. venJcm-su
scllna inglezes da melhor qualidade, as-
sim como maulas de lia para 09 mesmos,
('..becadas e ealrtbOS oTaCOI ludo por pro-
cos eommodos.
Vende-se a taverna da csa, n. 65, na
rua nova : a tratar ua mesma.
Vinlio tle Bordeaux,
das mais superiores qualidades ; bem como
de remedios e Segredos Uleis para uso to- viiibo do Chanipaiiba'da nova marca estrel-
,"'',|."'u ..... [la, ja muilo apreciado,-tanto aqu como na
ma DE ma com o almanack dos em-1 Europa ; vende-se em casa de Kalkmauu
k 1X11 AHA



- Vende-se umajvenda com pnucos fun-
dos, com cominodos para familia, com
grande quintal, proprio para rancho e com
iiortUo para o fundo : no ra do Arag3o,
n. 1*.
Vende-se urna preta crioula, de 20 an-
uos, de elegante figura, sem vicios nem
achaques, e que he propria para todo o ser-
vico : na ra do Amorim, n. 35.
Na ra da Crin, annazem
n. 33, de S Araujo, vende-se su-
perior rap de Lisboa cm frascos
de meio libra, chegado pelo bri-
gue Maa-Jos.
Vendem-se hons queijos londrinns,
ditos de prito muito frescaes o de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos porluguezes para panella, Utas
com 2e4 libras de marmelada, ditas com
holachinha de Lisboa, dit8S de sardinha, di-
las com liervilhas, frascos com conservas
inglezas, queijos de qualha vimlos do Cea-
r, por barato prego, mantas de toucinho
inglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauroa.e
uniros inultos gneros de boa qualidade :
a nrua da Cruz, no Recifc, n. 46.
Cortes de cassa para ves-
tidos com 6 eovados
por 5,500 rs.
Vendem-se cortes do cassa para vestidos,
rom 16 covados, a 3,500 rs.; dilos rom 8
covados, a 1,760 rs. ; pegas de cambraia li-
sas com oilo varas e meia, a 2,720 rs.; pan-
no de liuho multo fino, a 480 rs. a vara : na
ra do Crespo, loja da esquina que volta
para a cadeia.
4'
Vendem-si superiores navallias da Chi-' na ra do Collegio, n. 21, primeiro andar
na, caivetes do duas folhas, tesouras de
unas e de costura, o mais fino possivel: na
praga da lndopendencia, n. 5, loja.
laixas para engenno. 4 naoraze.
Na fundicSo de ferro da ra do Brum,
acaba-se de receber um completo sorlinien-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
AGENCIA
da fiindicao Low-Moor,
RA Da SKNZALtA-NOVA, N. l\1.
* Ncste estabelecimento conti-
na a haverum completo sorti-
nienio de moendas e meias moen-
das, para engenno ; macbinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
coado, de todos os tamanbos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na laliia
Vende-se em casa de N. O. liielier & C.
a ra da Cruz, n. 4, aleodo trancado
aquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar e roupa de cscravos.
Cha brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no ai ma/cn do
moldados, alias do Corro-Santo, n. 66, o
mais excellente cha produzido em S.-Pau-
lo que tem viudo a este mercado, por
preco muito commodo.
Moendas superiores.
Na fundicSode C. Starr A Companhiaf,
einS.-Amaro, acham-se a venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
conslrucgSo muito superior,
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, ebegados
pelo ultimo vapor viudo do sul, superio-
res charutos S.-Flix, e de cintras militas
qualidades que se vendeio mais barato do
que em oulra qualquer paite : bem como
cigarrilhos hespanhes ditus de palha de
millin, que se eslo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
Corles de brim de cores
rom lislras ao lado, a
1,280 rs.
Vendem-se corles de brim de cores com
lislragao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
godo americano, pioprio para escravos, a
140 rs. o covado na ra do Crespo, loja da
esquina que volta para a cadeia.
Tecidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na rua da Cadeia, n. >*2,
vendem-se por atacado duns qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Ruarles de furta-cres a
200 rs. O cov (i) e ris-
cado monstro a 220 rs.
Vende-se zuarte de furta-cores muito
encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : ua rua do Crespo, loja da esquina quo
volta par? a cadeia.
Para quem livor bom
g'OSO.
Vendem-se redes de cores muito grandes
e mullo bonitos padrcs, e o melbor que
tem apparecido ueste mercado: na ruado
Crespo, loja 'la esquina que volta para a
cadeia.
-- Vendem-se aroarrns uc i/rro: na rua
da Senzalla-Nova, n. 42.
Os mais ricos mantele-
tes e capotudos.
Vendem-se os mais asseiados mantelete:
e capotilhos de cbamalole de seda e gor-
guriio, os mais ricos que teem apparecido s
na rua do Queimado, n. 9.
Potassa da Russia.
Vende-se a verdadeira potassa da Russia,
desembarcada agora, em barris pequeos :
em casa dos Srs. Kolhe & Uidoulac, rua do
Vigario, n. 4.
Vendem-so cortes de cambraia de co-
res, pelo barato prego de 2,000, 2,500, 3,000.
3,500 e 4,000 rs.; cambraia de seda, a 3/
rs. : meias para meninas, a ICO rs.; 13a
com lislras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
zinha propria para roupa de meninos e ves-
tidos de senbora, a 240 rs.; 13a superior pa-
ra raigas, a 500 e 600 rs. ; lencos de algo-
dlo e seda com franja, a 600 rs. ; crt s de
collele de velludo, a 1,600 e 2.500 rs.; cas-
sa-ebita, a 400 rs a vara ; garga de seda, a
500 rs. o covado; cambraia de seda,a 560 rs.
o covado e outras muitas fazendas por
barato prego : na rua do Crespo, n. 15, loja
de JoaquimdcOlivcira Muya Jnior.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Saoto. n. 66, por prego com-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e aturarem mais que as de espermacete,
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem antigo da rua da Madre-de-
Dcos, o. 36, est de novo eslabelecido de-
baixo das mesmas condigOes, offerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
boa por 220 rs a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de l'.ordeaux por ICO rs. a
garrafa levando o casco. NSo se admirem
os fieguezes do baixo prego por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietario querer sustentar o antigo pre-
go, embora este genero tenha subido o me-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examinem os
amantes a qualid&do para reconhecimento
da verdade e continuagio da autiga fregue-
zia.Epara nilo haver usuras, estSopromp-
tas garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barris de diversos ta-
maitos para piovisiio do prximo Nalal.
O proprietario conta com a concurrencia;
do contrario, tornarlo os pregos do reta-
llio a primitiva de240e 280rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende se muito nova potassa,
de boa qualidade, em barriszinboi.
pequeos de quatro arrobas, por
preco btalo, como j ba muito
lempo se nao vende : :ic ltecife,
rua da Cadeia, armazem n, 11.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muilo superior cal virgen de Lis-
boa, por preco muito commodo.
JNa ruado Amorim, ns. 56
c jH, vendem-se ltelos cm sac-
cas grundes por preco commodo :
a elles antes que se acabem.
Farinbi) de mandioca.
Na rua do Queimifdo, n: 14, loja de fer-
ragens, linda bu algumas saccas da boa
farinha de mandioca, muito ulva e bem tor-
rada ; bem como urna porgflo de peonas de
cia, proprias para espadadores ; uina es-
clava de 20 annos, propria para lodo o .ser-i"- 3
se dir quem vende.
*-- Vendem-se chapcoszinbos ricamente
enrollados para meninos o meninas de um
a tres annos: no Alerro-da-lioa-Vista, n. U
Chegaram novamenle ruada Sen-
zalla-Nova, n,"42, relogios de ouro e prala
patente ingle/, para bomem e senhora.
Novo sor timen to de fa-
zendas baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao p
do lampean
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padres, cores lisas e com 4 palmos
de largura, pelo barato preco de 320 rs. o
covado; cassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; riscadinbo de lis-
tras delinho.'a 240 rs.o covado; brim de
algodSo de cores com listra a lado e de be-
nitos padree*, a 320 rs. o covado ; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varas e urna quarta ; cassa preta com
ramagem branca para luto, a 140 rs. o co-
vado ; zuarte de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOes e cores fixas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de larlatana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodSo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
SSSF.
Manocl da Silva Santos vende
farinha de trigo superior da marca
cima mencionada c chegada a es-
te mercado no ultimo navio viudo
de Trieste : quem pretender, pode
dirigir-se ao armazem do Anne.s,
no caes da Alfandega.
Vendem-se chapos de todas as qua-
lidades, para senbora ; finos manteletes e
capotinhos do chamelote, tafet e bico; lu-
vasde pellica, de seda e de rede ; chapeos-
zinhos ricos, para meninos e meninas : no
Alerro-da-Boa-Vista, n. 1, casa de modas
fraucezas.
Vende-se urna preta muito boa cozi-
nheira, que engomma e cose, e porisso
propria para ama de casa, mesmo de bo-
mem solteiro, ni temiendo a sua boa con-
ducta : na rua larga do ltozario, n. 35, lo-
ja de miudezas.
Oculos patente.
Na rua do Queimado, loja de ferragens,
n. 37 A, vendem-se excellentes oculos de
ver ao longe, por prego commodo.
Vendem-se pegas de algoJ&ozinho
com 20 jardas, com toque de averia, pro-
prio para escravos e pannos de eminha, a
1,280 rs.; ditas de chitas de bons pannos
e com toque de arvaria de chova, propria
para prelos.e fonos de bslis, a 4,500 rs. ;
Historia da America ingleza em porluguez;
por 5,000 rs ; Cuarda-Livros modernos, por
6,000 rs ; Saluslio traduzidoao p da let-
tra, por 5,000 rs.; Diccionario de Moraes da
quartaediglo quasi novo, por 20,000 rs. ;
um fule de folear formigas: no pateo do
Carino, n. 18. primeiro andar.
Vendem-se boas saccas com bom m-
Ibo, por prego commodo : no caes da Al-
fandega, armazem de Das Ferreira.
Vendem-se 8 lindos moleques de 10 a
18 anuos; 8 protos de 20 a 25 annos, sen-
do um deles ptimo sapaleiro ; um pardo
de 16 annos, ptimo para pugem, e que ha
bom cozinbeiro ; 3 pardas de 46 a 25 an-
uos, com algumas habilidades; una dita
de 20 annos, com habilidades, e com 2 II-
Ihos, u ni de 1 anno, e outra de 5 ; 6 protas
de 14 a 25 annos, com habilidades, e que silo
proprias para todo o servico; na rua do
Collegio, n. 3, se dir quem vende.
Vende-se um trancelim para relogio,
um bahuzinlio de tartaruga todo appaie-
I' .ilo de prala lavrada, proprio para me-
ninas quo v.lo para u escola, meia duzia de
collieres de soupa, meia dita para cha, todas
sem eslarem servillas; um terreno entre a
matriz nova e a fabrica de vinagre ; una
casa na rua de Motucolonib nos Afogados,
n. 16; urna parle do urna casa na rua da
Clona, n 29 : a tratar as Cinco-1'ontas,
nos, multo lindos; aescravos de bonitas fl-' Cera de Camaba.
curas, comofficiode carreiro ; 2 ditos de] .... ..
meia idade, sendo um dalle, oozinheiro ;' Vende-se superior cera de carnauba che-
neerinhaideiB annos. que cozinham e gad, hi ponco do Aracaly : n '
gommam liso; urna parda com um 11- da.u^M.indira quenr yeqde
Um de 6 mezes ; outra dita ptima para
vigo ; oulra (lila que se vende barato, por
ser de mais idade, e gue he boa para ven-
der na rua, e sube muito bem lavar roupa
urna perdf moga, de bonita vista ; saccas
ile goinrna deengommar, muito alva : ludo
se vende baralo.
fe.
Cha] eos do Chile
de superior qualidade.
i
9? l'elo ullin.o vapor rereheram-so 9
mala oliaios do Chile de superior qualidade, que continan) a vender- (f
O se ( a pregos mais commodns do que V
($ em outra qualquer parte ) na rua do <
i Collegio, n. 9. ?
Superiores chapees do
Chile.
Vendem-se chapeos do Chile em porgOes
na praga do Cominercio, n. 6, primeiro an-
dar, s3o muito bous e muito claros.
Farinha de S.-CaJdarina.
Vende-se a bordo do briguo fnui-Amigor,
fundeailo "lefroitte do caes dn liamos, On
na praga do Commercio, n. 6, primeiro an-
dar, farinha de S.-Calhariua.
Farinha de trigo.
Vende-se superior familia de trigo fran-
Ceza de Provenga, dictada ullimamenle do
Maisellia : em casa de i. i. Tasso Jnior, na
rua do Amorim, n. 35.
Arbam-se a venda todas as qualidades
do chaiutos linos da Ualna
Saccas com Trelo novo,
de 80 a 90 libras, a S#:
'' i de chaiutos linos da Ualua : na rua da Cruz,
vendem-se no armazem do Antonio Annes,' no Ilecife, deposilo n 49.
no caes da Alfandega, e no de Vicente Fer- Vende-se urna pela moga, de boa f-
reira da Costa, na rua da Madrc-dc-Dcos,'gura, que cose, engomma o cozmh, ludo
chegadas ltimamente de Lisboa e de muito bem ; una dila que lava vendo na,
Franca. rua, por prego muito commodo; 2 n.ole- betl, na rua da Cadeia do Recife, u. 48.
-- Vende-se uma parte dos sobrados de ques, um de 12annos eooulro de 16. op-1 -- Venue-se urna correte de ouro com 2
tres andares, ns. 14el6, sites na esquina timos para o que se quiker aplicar ; um pre-'sinetes para relogio, por 20,000 rs.: na
da rua.da r:aile8, defronte do tbealro de to velho, ofitimd para servir a urna casa,' rua larga do Rozarlo, n. 24, loja Vicloiino
San-Frncisco : a falla rito primeiro andar por 200,000 rs. ; um mulatinlio de 10 ari- & CuimaiSes.
us ditos, com Joaquina Teixeira I'eixolo. i nos, muito esperto para servir a uma casa : I Vcudein-se 4nioIeque de 14 a 18 an-
-- Vende-se ummolequede bonita figu-
ra, sum vicios nem achaques, proprio para
lodo oservigo, e mesmo para especulagilo
de negocio : na rua Direita, n. 93.
Batatas.
Vendem-se gigos com.muilo boas bata-
tas, por prego commodo : no annazem so
I da botica do aico da Conceigo, o no
caes da Alfandega, no primen o annazem
defronte do chafar:*.
Albos.
Vendem-sflcanastMscom alhos, a 30 rg.
cada mago : tamben) se vendo muito boa fa-
rinha de ararula : no becco do Azeile-de-
l'cixe, armazem n. 16
Vendem-se queijos londi inos, presun-
tos de Westfalia, blalas iuglezasa gomel,
chegadas pela galera ingleza Inus de Li-
verpool ; lambe in ha na misma casa rol has
muito superiores para engarrafar vinho,
mahtas de toucinho de fumeiro, conservas,
lijlos para limpar facas, cunles para po-
dios, vinlins do diiTerentes.qualidades, agoa
ardente de Franga, e oulros muitos objec-
los por prego commodo : na rua do Trapi-
che, n. 34, armazem de llaymond & C.
Vende-se vinho do Porto muito supe-
rior, em barris de quarto e quinto ; farinha
de trigo de todas as quali ades e em meias
barricas; relroz do l'orlo, prlmeira quali-
dade: panno e meias de linho ; arcos para
barricas ; farinha de mandioca em saccas
grandes e a garnel a bordo da sumaca >.-
S.-iIo-Cnrmo : ludo por prego commodo :
na rua do Vigario, n. 11, primeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cindia.
/Irados de ferro.
Na 1'umlico da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-sc arados de ferro diversos mo-
delos.
Vende-se uma porgilo da melbor agoa
ardente de Franga ( pal Broudy) que lam
vindo para este mercado, em caixas de uma
duzia cada urna : na casa de Augusto Cor-
"3
MgOOl
mezes .
ama dec isa; na rua Direita, n 3.
Vende-se um mulatinho de 16 annos,
bom bolieiro e oopeiro ; ? moleques do
elegantes figuras, aendo dous delles corta-
dos na melade de seu valor; 2 pretas com
algumas habilidades; 2 pretos de 30 a 40
annos, sendo *im delles bom canoeiro, e
vende-se por muito commodo preco para
liquidaglo : no pateo da matrii de S.-An-
tonio, se dir que vendo.
-- Na rua das Cruzas, n. 30, vende-se vi-
nbcengarrafado, tinto e branco, demaisde
6 annos, e da melbor qualidade que boje ha
no mercado ; bem como os maiJ superio-
res queijos que existen) ha yenda ; mantei-
ga ingleza da melbor qualidade: ludo por
preco mais commodo possivel.
Venfe-se, por prego muito em conta,
Jacaranda muito superior, no caes da Al-
fandega para examinar; redos do Par; cha-
peos de palha do Cbile; bandeiras nacio-
nnes ; farinha de mandioca : nos armazens
de Das Ferreira, no caes da Alfandega, n.
I, ou na rua do Trapiche, n. 34, a fallar.
com Novaes & C.
Vende-se um escravo mogo, proprio
para o servico de campo : na rua da Cruz,
n. 28, a tratar com Lima Jnior & C.
Vendem-se 10 apolices da companhia
de Iteberibe, as quaes estSo em da com a
companhia : na rua da Cruz, n. 64.
Sola para scllciros.
No Aterro-da-Boa-Vista, n. 58, loja de
sapalos, vende-se sola grande, grossa e
bstanle alva ; sapalOes do Aracaly, a mil
res.
Ven lem-se figos de comadre, a 100 rs.;
batatas inglezas, a 60 rs*.: no. pateo do
Carmo, n. 2, venda nova.
Avista faz f.
Vendem-se 2 escravos du Angola, sendo
um canoeiro, e oulra lavadeira de varrella
edosabo, que cozinha o diario de una
casa, trabalha no campo em qualquer ser-
vign, e he boa tratadeira de enancas, e s
para que nio serve he para vender na rua,
o que todo se aliang, por barato prego : em
Olinda, rua da Boa-llora, casa de funileiro,
se dir que vende.
Vendem se, muito em conta, dous re-
logios patentes, sendo um de ouro e outro
de piala dourada : na rua do Queimado,
ii. 10, loja.
Vende-se uma casa de sobrado de um
andar o sotJo na tua Augusta; um preto
cozinbeiro e caiador: na rua de S.-Fran-
cisco, casa apalagada, onde lambom se ven-
de um alambique pequeuoem bom uso.
Vendem-se duas escravas proprias pa-
ra todo o servigo, saliendo uina deltas en-
gommar sofFrivel, cozinhar o diario de uma
casa e coser chSo: defronte da ribeira do
peixe, n. 3.
Vende-se um sitio i beira do rio, com
bastante terreno para planlagoes, baixa de
capim, grande casa moderna, com doas
salas grandes, dous gabinetes, duasalcovas,
tres quartos e cozinha ; he perto da prag
por ser antes de chegar o l'ocp ; na rua de
S.-Amaro, n. 16.
Na loja de qnalro portas
vendem-se corles de riscados para vestidos,
com campo escuro, lavoures tecidos, e de
milita duragfto, 3,000 rs. ; cortes de cam-
bra ins escuras, a 2,800 rs. e claras a 3,500
rs.; cortes do vestidos imitando lanzlnba,
proprios para amas de casa por serem es-
enms, a 3,200 re.; calcinitas de fil de li-
nho para criangas, a320is.; cortes de col-
letes de lila, boa fazenda, e qUe j so ven
derem a 3,000 rs., a 1,280 rs.; ditos muito
bons para meninos de escola, a 400 rs. ;
renda lisa, a 80 rs. a vara ; chapeos para
meninas, de cambraia, a 1,000 rs. e de se-
da, a 2,500 rs. restando nimia alguns dos
afamados chapeos de castor, a 3,000 e
3.B00rs
Na rua das Cruzes, n. 22, segundo an-
dar, vendem-se 10 escravos, sendo : duas
escravas mogas, que engommam, cos ni
chSo, cozinham e lavam de sab&o ; 3 ditas
ptimas quitandeiras ; 3 escravos de ele-
gantes figuras, proprios para 0 servigo de
campo ; dous moleques de 14 a 15 annos,
de bonitas figuras.
Umversalmente hoje be reconhecido
que ua presenca de um par de oculos lisos
apropriadosao grao da vista do paciente,
fica inutilisado tudo quanto 09 diversos au-
tores desde llippocrates at Raspailhe teem
rscripto em medicina, tendente a curar
vista curia ou cansada, e tanto islo he cer-
to que elles mesmos usam delles, em con-
sequencia quem osquizer, at mesmo com
o antidoto das cauelUdas, IramboIbOes, ca-
begadas u mais cataslrofos, dinja-se ma
larga du llozario n. 35, loja de miudezas.
Vende-se um cxcellcnlo cavallo, bom
andador e sem achaques: na rua do Quei-
mado, n 9.
Os mehores chapeos do
Chile que se vendem no
mercado.
Vendem-se 8 duzias de custado de
madeira de louro, sendo interisso; 24 t a-
vos de varias qualidades: tudo por prego
commodo no boceo do Carioca, segundo
armazem de duas portas, que achara com
quem tratar avista da madeira ; bem como
lambom se vende arroz de casca.
Na rua do Passeio, n. 5.
vendem-se chapeos de sol da marca mui-
to grande, proprios para senhores e feitores
do engenno : estes chapeos silo muito bem
construidos e muitos fortes.
Yende-se um engenlio sito
na fregttezia de Serihnaem, com
meia legoa de trra de frente e ou-
tro tanto de fundo, com imi.to
boas obras, e excellente moenda
d'ugoa, sendo alcm disso de muito
boa prodcelo : na rua da Guia,
n. 5,ou na rua do Crespo, n. I7.
Vende-se cera para limas de
clieiru, a mil rs. a libra; na rtu
do itangel, n. 52, sobrado.
-- Vende-se uma bonita n ulalinha de 17
annos, recolhlda, de m excellente genio,
por isso prop ia para mucama : na rua lar-
ga do ltozario, n. 48, segundo andar.
Agencia de Pdwih Maw.
Na rua de Apollo armazem n. 6, de M. Cal-
moni & Companhia, acha-se constantemente
um grande sortimnto de ferragens inglezas
para engenhos de fabricar assucar, bem
como taixas de Trro coado e balido de dif-
terenles tamaitos e modelos, moendas
de dito, tanto para armaren) madeira como
rodas de ferr para animaes e agoa, ma-
chinas de vapor de frca de 4 cavados, alta
pressSo, repartideras, espumaderas, etc.
de ferro eslanhado. Na mesma agencia adia-
se um sortimnto de pesos para balances ,
escovins pata navios, ferro em barra, tanto
quadrado como redondo, salra para i'errei-
ro e uma porcOo de tinta verde em latas :
tudo por barato prego.
P
liscr&vos Fu-piao*
Acabam de chegar fabrica de chapeos
de Joaquim de dliveira Maya chapeos do
Chile muito finos, por prego cummodo.
Vende-se banlia de porco n.uilo nova
e bom alva, em bariis, em latas, as libras e
u relalho, a 240 rs. a libia; na rua Impe-
rial, n. 37.
Vende-se um pelo mogo, bom nllici.il
de pedreiro : na rua do Collegio, n. 21, pri-
meiro andar, se dir quem vende.
Ni praga da lodei endencia, n. 12, ven-
dem-se os seguiutes livros : Diccionario in-
gle/ por Vieira ; Diccionario francez-por-
tuguez por Fouseca, 2 v. ; ligues de litte-
ralura e moral; Historia Romana ; Guallier,
geoiiraphia e alias ; Lilleraiy scrap-bock ,
Completo Bouk of frades; Alagnum Lexi-
cn ; Discursos religiosos ; llistory de Kn-
gland ; Guarda-i ivros moderno, 3 v ; Wan-
ders of nalureart; Diccionario p. e ingle/,
2 v. ; lloras da Semana Santa; Tlioiiipsou;
Macare!, dileilo poltico ; Meslre ingle/ ; e
outras muitas obras, por prego commodo.
t Vendoni-se dous moleques e um mo-
linillo, ambos de 8 a 9 annos, do muito
ailas figuras, sem vicios nem achaques, u
ue sfio proprios para pageos: ua 1 ua do
i rail
lamento, n. 4, se dir quen vendo.
Desappareceu, no dia piimeiro do cor-
rente, um moleque de 20 innos pouco mais
ou menos, de nagSo Conco, de minie An-
tonio, de estatura regular; tem urna cica-
triz na face direita de um (albo que solfeen
por causa de uma espinha, ficando essi
parte um pouco indiada : quem o pegar
leve-o rua do Cabug, n. 16, que ser ro-
compensado.
Em 16 desetembro de 1849, fugio do
sitio da Solidade, dn abaixo assignaJo, a
preta Mara Angica, lavadeira, de 50 annos
pouco mais ou menos ; tem a cara retalha-
da de ambos os lados, marca de sua Ierra, e
tem anda fra deslesignal um earogo no
pescoco do lado esquerdo, bem visivcl, que
parece lobinho, rujo caroco ella traz sem-
pre escondido para nlo ser visto ; he de es-
tatura baixa ; tem as pomas grossaa e lor-
ias ; rosturna a levar roupa em Apipucos,
l'ogoeBeberibe; consta que est acoilada
em algum mocambo do engenho Apipucos :
quem o pegar leve-a rua Direita, sobrado
do abaixo assignado, que tem na porta o
nicho de Jess Mara Jos, ou na Solidado
em seu sitio, que aera recompensado com
20,000.rs. l'ranciico Antonio Kabtllo de
Carmino.
No dia 2 do correte desappareceu da
pevoacSodo Rom-Jardim, comarca do Li-
moeiro, um escravo de nome. Januario, de
26 annos pouco mais ou monos, altura re-
gular, crvermelba,sem achaque atgum ;
conduzio um cavallo preto-ruco pequeo,
capado, multo novo, com cangalha e um
par de ancoras grandes : quem o pegar le-
ve-o a dila povoacflo do Bom-Jardim, a seu
senhor, Mi noel de Faria Maclel, que recom-
pensar generosamente.
Fugio, no di 1. de Janeiro do corren-
te anno.da casa do abaixo declarado, o es-
cravo Selslino, crioulo de 23 annos, cor
preta, corpo seceo, altura regular, cabeca e
orelhas pequeas,' olbos salientes, rosto
descarnado, nrriz grande, rsseeco, pou-
ca barba, cose um pouco de alfaiate, com
uma cicatriz as costas um pouco levanta-
da da parte esquerda ; costuma trazer o
cabello levantado na frenle; levou uma ja-
queta de merino preto j usado, chapeo
preto de mola j velho. 4 camisas de ma-
dnf)ifA uftja dita de sl^odo trst^c-dc com
Iislras, 4 caigas, sendo uma do brimj ve-.
Iba de quadros azues, oulra dita do brim
lislras, outra de algodlo com lislras cor de
caf, e outra de algodlo com litras rouxa :
quem o pegar leve o a Jos Ferreira Mari-
nho, que recompensar generosamente, na
rua do Amparo, n, 7, em Olinda.
~ Fugio, no dia 20 de outubro do anno
prximo paseado, a prota Josepha, que re-
presenta ter 26 a 30 annos, de nacSn Congo,
altura regular, testa eslreila e batida, ros-
to redondo, qneixo grande, pescogo fino e
comprido, loaros meins grossos, feiancho-
r-.a, com falta de dous denles na Tente, sec-
ca do corpo; le ni siguaes de chirote, as
costas; he bastante preta e bem condeci-
da nesla praga por ter andado venden lo
pilo com um preto foiro airas ; lambem he
bem condecida 1 orj ter andado com um
ferro no pescogo j levou vestido de ganga
82ul, e panno da Costa com liStras mlu-
das. Itoga-se as autoridades policiaes, ca-
pules da campo, ou oulr qualquer pe-so,
que a npprehendam e levem-na rua larga
do ltozario que vai para palacio, n. 18, se- .
gundo aiidnr, que soro bem recompensa-
dos.
Fugio, no principio de novembro do
anno prximo passa lo, o preto Antonio, de
nagilo Renguella ; tem uma bilida no odo, e
urna frrida grande na canolla da peni di-
reita ; tem um dedo dn mesmo | junto o
grande corlado ; suppOe-se que eslja oc-
culto em algum sitio ou rasa particular, e
por islo se protesta com todo o rigor da
iei contra qjem o liver oceulta. Itoga-se a
todas as autoridades policiaes e eapitae* de
campo, que o appreliendan e levem-no k
rua da Solidade, n 29 ou rua do (Jucima-
do,n. 20, que serflo gratificados.

I l'kl'.N.

NA TVl'. b U 1. DE FARIA. 1800


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7CGQ1FFU_74SD3X INGEST_TIME 2013-04-24T17:23:18Z PACKAGE AA00011611_06755
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES