Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06747


This item is only available as the following downloads:


Full Text
PAHTIBAS DOS OOHBIIO.
, '. Parah!). segundas c extas-fciras.
&7au$rXo. U-, juinl.s-f.lr.. .o melo-
r ,f'asorinhc.n. Rio-Formoso, Porto-Calvo
C,M,;c"! %t.Valle21dc cada ii.cz.
Gara..hun.eBoo.tofa 8 e23.
Boa-Vista e Horca. 13 e 28.
Victoria, as quintas-reirs.
Olinda, todo o das.
PmsE d lu. Mlng. a D, s 4b.e33m.da t.
NoVa a 14, a lh. clKm. da t.
Creic.a2i\ as.r>h.e21 ra.da m.
Cbeia a 20, 11 h. e 41 m. da ra.
rnciMn de hoje.
Primeirasi 3 hora e42 minuto da tarde.
Segunda as 4 horas e U minutos daaianh.
FBEIJOS DA SUBSCZlIPipiO.
Portreimezes(adian(do) 4/000
Por seis mezea BWJ
Por mu anuo 15/000

da* da semana.
24 Seg. S. Gregorio. Feriado para os negocios lo-
25 Terv?4# Nasclmcnto de Nosso Scnliot Jess
S6 QuarV.0'** l.'O.tava.S.EstevoProtomartyr.
V guint. % i.' Oitava. S. Joao apostlo e evau-
28 oext"* 3.* Oitava. Os Santos Innocentes.
2>J Sab. S. Thomaz.
30 Doni. S. Sabino.
CAMBIOS KM 28 DE DEZEMBB.O.
SoBre Londres. 27'/, A. por I/O00 r. a 60 dia.
Pars, 3i.
. Lisboa, 100 por cento. _-. o-aa
Ouro.-Oncas hespanhoes........ 29/000 a Mtaw
Mocdas de 6/400 velhas.. Ib/900 a 17/100
de 6*400 novas .. 10/200 a lbMOO
. de 4/000........... 0/200 a 9/400
/>rU.-Pa'aces brasilciros...... IJWBO a W
Pesos columuarios....... 1/M a J/9/0
Ditos mexicanos.......... 1/850 a JfgO
PARTE OFFICIAL
Commaiido das armas.
Ounrtel-general do commando dai armm na
eidade do Becife d, Ptrnambuco,22 de
dezembro de 18*9.
OnDEM DO DIA.
Tendo.por aviso do 24 de oulubro do cor-
rente atino, se dignado S. II. o Imperador
ornear ao Sr. tenentedo segundo balalhfio
,le caladores Manoel Claudino de Oliveira
Cruz para commandar o destacamento da
ha de Fernando de Nornnha. e por aytso
de 2* do mez prximo lindo determinado o
mesmo Imperial Senhor que fique sem er-
leilo o citado aviso de 24 de outubro, pelo
qual se fez a dila nomeagflo, como foi com-
municado em oflicio do hontom dalado pelo
F.xm. Sr. picsidente da provincia ao Exm.
Sr. marecnal commandant da armas, or-
dena o mesmo Exm. Sr. que o-refendo Sr.
lenlo, a vista dadisposigfio cima, esleja
prompto fiara quanlo Miles reunir se ao
batalbfio a que perlonce.
ioic Pedro Heitor, ajudanlede ordens in-
terino
por ventura os Ijoiiver; e V. S., conhecendo
nelles esses sentmentos elevados, sahera
acomranba-los/como em murtas occasiocs
o tem mostrado: o deixar, porm, os meus
companhelros e amigos, e tilo prestantes
cidadfios, algo do meu rigoroso dever a
todos agradecer os bons servicos que pres-
taram ao paiz, o a benevolencia e amizade
enm que sempre me henrarsm ; c igual-
mente asseverar-lhes o meu eterno reeo-
nbecimento e gratidlo. Queira V. S. la-
zer-lhes constar estes meus sinceros votos,
assim como minhas saudosas despedidas
Heos guarde a V.S por mnitos annos.
rtecifo, 28 deJezembro de 1849 Sebasfiio
do Pego Barro, commnndsnte dos volunta-
rios. Illm". Sr. major l.uix Antonio Alvcs
Mascirenhas.
interior'.'
ALAGOAS.
I Extracto do expediente do Kxm. Sr. presiden-
te Dr. Jote Dent da Cunha e ligueiredo.
29 1 E NOVEMBT.O.
Oflicio.--Ao commamlarrle interino do se-
cundo balalhfio da guarda nacional do Ana-
! da, dizendo-lhe em resposta ao seu ofcio
de 22 deste moz, acerca da falta de prisilo
especial para os guardas nacionaes, que.se
alguns dos mesmos guardas recusarem o be
decer detensfio por tros das na cadea, os
remetta presos para a capital, nSo convinlo
queseiam confundidos com os criminosos
no mesmo quarto da prisfio da justiga.
Dito.-- Ao mesmo commandanto uo se-
gundo bstalhao cima dito, dizendo-lhe en
resposta ao seu oflicio ue 20 do presente
mez, que mando capturar e remelter para a
capital os guardas nacionaes que houverem
desertado do destacamento de Jacuipe, com
declarado dos solteiros que estiverem as
circumstanciis de assenlar prega ; e o mes-
mo praticar com os que from rebelde! a
nolilicagito para destacar.
Dito. -- Ao delegado do termo da Atalaia,
para que, a vista do oflicio que se fho remet-
i do tenenle-coroncl coinmandante do se-
gundo balalhfio de guardas nacionaes doste
municipio,informe com urgencia qual o mo-
tivo por que mandou Soltar o recruta que
na prisfio havia mandado rccolher o mes-
mo lenente-curoiiel.
Dito. Ao commandante superior Sal-
vador Pereira da llosa e Silva, commandan-
te da guarnilo. --Em resposta ao ollicio
de Vmc. com data de 27 doste mez, acompa-
nhado de outi'o do commandante do bala -
IbfiO provisorio da guarda nacional desta-
cada, em que representa acerca da gradua-
gfioe sold de tenonte quo Ihe paruco de-
vala ter o ajudante e quarlel-meslre do dito
batalbfio, leiiho a dizcr-lhe que nenliuma
rasSo ha para que seja a sua urganisagfio
em ludo igual a dos balalhoes da guarda
nacional, porquauto ao govoruo be permil-
lido dar aos corpos destacados da mesma
guarda a organisagfio que adiar mais con-
vi'immi',cuno dispOem a lei de 18 deagosto
de 1831 e o decreto d: 16 de outubro de
1844.
durio de pnsHiirco.
RCCIFE, 28 DE DEItMBBO DE 18*9.
hiio de ser devldainente apreciadas, e a nada
menos tendlam do qne a evitar que anda urna
vet o langu braiileiro lingisse as campias do
malfadado Pemambuco. Tudo, porm. loi
baldado. O ino fado nao estava cansado ae
perseguir-nos. Os defensores da legalidade
ainda linbam de medir suas armas com as dos
rebeliados; c o ataque do Coueeiro velo de-
monstrar que tmente a. pl.llanlhropia. e nao
a carencia de tropas bem dlspostas e denona-
das, aconselhava ao governo a brandura e a
conciliacao.
conhecer que naquella provincia teem di-
minuido cm grande escala os criroes con-
tra o direito de propriedade.
Em Aqoiraz, lendo-se Joao Remigio op-
posto-a que urna patrulha prendesse para
recrnlas a dous rapazos de mo proccdimen-
to, recebora da mesma patrulha uin tiro do
que liera gravemente ferido.
Apenas soube do facto, ochefede poli-
- cia mandn proceder contra a frga, para
| que se conheg se ella praticou o acto em
Com eile numero completa o Diario d# Prr-
ntmbueo o sen XXV anno de existeneia ; e com-
pleta-o, conencldo de le ter esforcado por
bem cumplir os deveres que se impoa deide
que comecou a faicr parte do jorualiimo bra-
Sem que leja folba poltica, o Diario de Per-
nambuen nunca dcixou de advogar a causa da
ordeni e da monarchla constitucional : sempre
que essa caos, ha sido guerreada, o Diario a
tem deendldo, sem recitar ante perlgo algmn ;
e, abracado com io aagrados objeclos,. se lia
subjeitado com ellcs a todos os riscos, termi-
nando sempre sua larefa por feliciur-se de ha-
ver concorrtdo, fraca slm. mas lealiueotc,
para o triumplm da rasan e da verdade.
Ainda no correr do cadente auno de 1819 tc-
vc elle mais de urna occasiao de por em prova
o sel sontlmrntos, combatendo com nrnieza
a rebellio. mesmo quando se achava ella a
portas da caplul; e, com suas bolles cerradas
e compactas, ameacava aniquilar ludo quanto
porventura se oppozesie a execucao de leus
planos. Entreunto, como o Diario de Fernn-
eo niio respira aj paixoei ruinados pulidos,
nem tao pouco se dcixa Inlloencl.ar pelas con-
veniencias pessoaes dos que le teem arregado a
direccao das parcialidades em que desgranada-
mente eata relalliada a nossa populacao ;
como nao pugna senao pelos inleresses geraes
do imperio, e nao sabe comprehemlcr poltica
alRiima que leuda a enfraqueccr os elos da ca-
deia que pren le a, familia brasileira -logo
que se collocou testa dos negocies pblicos
da provincia o estadista profundo que aceitara
do enverno Imperial a nobre e honrosa missao
de pacificar os nimos, elle te nSo demorou
cm prgar a conciliacao,em demonstrar a
necessidade de .erguer-ae forte muralha de
brome entre o passado e o presente ; para que,
esquecidns os anligoi odios e resentlmentos,
todos os Ilraiileiros sensatos c honestos se II-
gassem entre si, c alistados sdb urna nica
bandeira,a da regeneracao do paiz pela no-
ralisacSo do povo, ie afanassem por promo-
ver o bem-eitar da trra da Saiila-l.riiz, cuja
aorte, por longo tempo, como que correr a
revelia. -
Para prova de que as noasas palavrai nao
eram vasias de sentido, ou nao passavam de
bellas declamares com que algumas redac-
Cdes sueni encher as columnas das respectivas
folhas, toda a nacao tem vilo o cuidado com
que o governo, sem atlencao a patronatos, e
sem se Importar de ofiender mal eudendid.is
susceptibilidades, procura eipellir das repar-
inciliacao. 11118 se coimei; p>------,---------
Se bem que dolorosa. a licSo nao aproveliou: jttSta defesa, ou por qualquor motivo pill-
os loucoi que, parecendo deaejoaos de darem g0 e monos justo,
rim urna existencia que J Ibes pesa, provoca'.' j Em pari)|.jua nada novo occorrCra.
conflicloi sobre conflicto, recolhcrain-se as "
maltas depois de batidos; nao para se disper- d R0.r,rando
aarcni.ccontrictosimpctraremperdaodetama-' lomos a v,s'".um" r1"" p s
nliani tinada, mas flm para cnllnuaremem do norte, a qual noticia que a rrnvincia se
al,U^ehoil,e.novere.naodtro,,.inda....is .cha em tranqiiillidade. e nos communica
louens doqueelles, a virem por em insto a0 resultado linal da eleigilo a quo se cana
capital, enlranhando-ae no Caluc, para d'ahi Je proceder all para un senador. Ei-lo :
S^^^"^^ -** votado, extU^e os coiUgio,
fosse numerosa, coiiiludo havia de portarse norlutai em duplcala.
com a coragein, que s > conscicncia do cun- os SRS votos.
primento do dever pode Inspirar. I |anop| ,ie xsss Mascarcnhas 2"
Rale faci he de dala, mui ^"; P visitador Manoel Jos Eeriiandes 238
s.al.WriM^^ 2.,7
do-se dominar pelo impulso de paixes mas, es Mariz ,.,., ~
cerram os olhos verdade, e caminham a pas- Thomaz Xavier (.urcia de Almeida O
sos rargoipj''a perdilo. Jofio Valentino l'inaj u
Agoa-Preu: tpe "w.HSZ StCT. \fc I -* da votocao. inclu.keo, coUegio.
monos referimos, o julgamoi nos dispersado) i nortislat em duplcala.
que o governo tem de revocar para a vereda Qg SBg_ VOTOS,
da legalidade: l rita na comarca de Flores, Minop| 404
em o lugar denominado Sirrit-Negra, nm ban-
PEt.WAWBUCO
BATAUIA DE V0I.U.NTIII0S.
Tendo recehido do Exm. Sr. tenenle-coro
nd commandante do hatalhiio o ollicio junto
que por oecasifio de partir para a corte do
iiio-de-Janeiro, como deputado assemblca
geral, mo dirige despedid Jo-se do bravo ba-
lallifio que commanda, e igualmente uffe-
recemo seus valiosos servigos; cumprc-me
reiommendar aos Srs. conimandanles das
enmpanliias, qunsedignem de, na primeira
occasifio.de forma tur, fs/erem a leilura do
referido ollicio, cuja copia extrahirSo.
Acompanba-me o pezar do ufio poder bem
substituir o commando interino do bata-
lbfio na ausencia de ifiu digno e bravo che-
fe ; mas espero da botidado dos Srs. ollici-
aes.que saherfio desculpar as minhas.faltas,
e contiiiucm, como al agora, a cooperar
para o bom andamento do servigo 'e dis-
ciplina.
Quaitel do Recifo, 28 de dezembro do
1849.vis ^aowo Airee latcarenhae
Illm. Sr. major.-Tendo eu sido eleito por
esta provincia para ser un dos seus repre-
sentantes assembla geral, son obrigado
o deixa-la poralgum lempo, para ir cum-
prir o mandato que porella mo fui conferi-
do;em consequencia do que tenho de passar
o commando do corpo dos bravos e loies
voluntarios a V. S., que, por riles sendo
bem condecido pelo seu zelo, patriotismo
e valor, saber coadjuvar seus esforgos,
so necessario frem : lo lavia he-me peno-
so aparlar-me de meus cantaradas nss cir-
cumstancias ainda melindrosas em que se
ada a provincia ; porm levo a conviego
de que, se o governo precisar dos seus bra-
gos para a defesa da ordem edas institui-
ges juradas, encontrar ainda ndles a
mesma dedicagfio e valor que as crises
anisCid s sabein sempro apresontar os
nossos constantes alijados e amigos, assim
como esquecer pequeos resetitiinenlos, se
241
227
201
193
do de criminosos, q.. iaaHm BAo querem Visitador Fernandes
arripiar carrrlra,que tambem querem ver J'"1
correr naquella paragem o singue de ieui pa- I liomaz Xavier
tridos; na he lal a confianca que deposita- l'inaj
E'xm.'sr. SS& EfiStiJStA!: PMf* f ?' *W-* Touro, rVM-
o acert das suas providenciaa, e com a promp- pe, Imperatnz e Apudi, em que nao hou-
lidao com o que o governo imperial cmtiiina ue duplcala/.
attender a suas requislcei, que temos fe" de 0(j SRS votos.
nao estar longc o momento em que terrinos a u,noe| 119
ventura de annunciar que a provincia se acha 99
perfeitamente pacificada, c o mesmo governo lernanaes
habilitado pira desinvolver ampia c livrcmcii- Mariz
te a paternal poltica que se ha preacrpto. Thomaz *"
trabalhandn na icgeneratao do paii,nessa Pinaj '
obra grandiosa e patritica, que tiio adiantada | ___
vai, apezar dos bices que tem encontrado em
a nossa siiuacao excepcional. | O vapor Paraeme.aue, procedente dosi por-
Este quadro he alllicllvo, _e niio fftra certa- (os ,|0 su|, entrOU hontem o desta eidade,
nenie tracado por nos, a no er a obrigacao irollX)j.nos jornaes lliiminense de 3 a 13 co
que nos temos imposto de tnrininarmos a.tare- corro|)te e folhas da Babia que alcangam
la de cada auno com o registro das occuri en-
cias mais notavels que. durante elle,^ houve- "- publicado no ultimo numero a
rem dado na trra que habitamos ; mas, pon- | 11" >' ,. ., ar,pn..o |H.
gente como he, licria elle incompleto, seo relaglo dos despachos do da2 P""""
deramos por acabado sem memorarmos essa mos de communicar aos leitores as de mais
* noticias com que deparamos nos peno Jicos
da corle. .
Tinham sido nomedos:presidente da
provincia deSanla-Calharina, oSr. Dr. JoUo
Jos Coutinho -dito da de Piauhy, o Sr.
lula que ainda ha pouco se travou entre os
memhros do partido goven.ista por occasiao
da eleicao dos seis cidadaos, dentre os quaes
Sua Magestade o Imperador ha de elcolher os
dousqne devem oceuparas duas cadeiras que,
vai para quarenla e oito mezea, esta provin- *""*,''''"?'""SLI^Z.nt&nlda Mo'ta -
cia ten. vaga, na cmara vitallcia;-poisquc Dr. Ignacio ["""""^^i!? .^j! V..
se.nelhante Iota correa com toda a llberda.le, major commandanto do stimo corpo do .,,
sem que nella inlluisse o governo nem mesmo fantaria, Jos Joaquim ua Miva1, lerea
Indirectamente, e inuilo concorreu para que secretario do refer lo corpo, fcenlo de
ae conhecesie que o actual gabinete quer a Souza Moraes Barbosa ;cirurgiio-ajildan-
realidadc do sysiema monarchico-constitucio.. j0 j0 ,jecjmo-primeiro corpo da mesma ar-
nal;que o actual presidente, um ,,o "'"'*; m |)r Anlonio Rodrigues da Cunha ;
(Xtrenuos defensores de tao excellente reg- .. n1| de guerra e das obras
inen, est d.aposto a suslenta-lo com tedas M. ,, c6rle 0 mareehal do campo
mas Coreas -que os scntlmentos de gralidao. militares na ciivi Ititancourt
nao se acliain inteiramente banldos dos pe- graduado Jase Mana ^llva BIMncounj
tos pernambiicanoi.
Pelo vapor S.-Salvador, chegado anto-
hintem doi portos do norte, recebemos
Mamnlifio at 15,
rabiba at 21 do
ai.sceptibilidades, procura expeuir uu. "r-'-i "- --- '.-;:;- ~Hn Marinhao at 15.
lices fiscaei a prevaricatao e o deleixo, fazen- jornaes do Para alo 8, do lian
d-01 substituir pela honra (ezc aclividade ; j0 Ceari ato 19, 0 da I a'H
toda a nacao tem teslemur.hado o esmero com correnle
tdti.t a iiayiu iim *.--* .. ..----------------
que a autorldade publica proporciona traba-
II10 ao operarlo, fjcultando-lhe desl arte os
meios de occorrer as suas mais palpitantes ne-
*' ...._______. 1.. 11.,, .,nr .^uilOOlllllll'
Para ficra tranquillo.
O presidente dessa provincia negara
%J |l|CB|UVI>'. mwuw r- --------------
^^:7e^na0-^^^e^ -ccfiO a,, projedo fjgjj*gfe
ojX w nd, ducrimi-Ja I 8.EXC reputa inconveniente a do.-
uaeSi!. lem presenciado o lo.ivavel elocom que trin pola qual O projecl tira a presidencia
. 'ftv___..... ...hiniinG hn Intrndiuido serios
os dilTerentcs niinUtei ios hao Introdund > serios
mclhoramntos nos vaiios ramo da adiniim-
tracao por be:n pensados e. previdentes regu-
lamcnlos, nao le eiquecendo mesmo o da jus-
tica de lomar menoi precaria e menos depen-
dente da volitad* do poder a aituacao dos iup-
plenles dosjuizes inunicipacs-
iriua iiniiu.ivfv------------ -i-------.
a altribuigfin de nomear c denuUir livre-
mente os olliciaesdo corpo de polica, tor-
nando asna demissfio, exclusive somon-
te a do commandante, dependente de sen-
tenga de uro concelho de julgamento; vislo
iluaco dos sup- leoga no ui" i~"w-" ',:>------, '
" d-oq.haos ;- que enlende quo esses ofllciaes sao empre-
oda'a"na9ao* sabe, emfi.n. da geiierosidailc | gados de coinmlslo, e por conseguinte de
mu J inyaw oa,-%., ~......... o-------------- .
com que o preeminente pcrsonagein que hoje
preside aos destino deste Pernainbuco, 1
mera conlianga
preside aos destino deste PernaiiiDuco, onn-i 2 S. ExC. dosapprova o principio que
comprehendendo as paternaes Intences do jaconse|hou aos autores do projecto a da-
monarcha brasileiro, e dando lielJesinvolvi-1 ffl aQ cjlcfe je polica, influencia directa
uienlo aos senlimentos piedosos que Ihe ani- j o rer,,rjj0 corpo, conferndo-lhc a
mam o magnnimo ccracaov dcidobmu o >an-(-. expedir-ihe ordens ao mes-
*!*32h2X*23^3SSB "otmtnue.'presidencia, e, atcerlo
com elle acoberuir-ae, proteslaudo arrependi-
inento dos frescos crroi, e sincera obediencia
a leis e aos seus execulorci.
Inlelizmcnte, porm, os significativos acto
Oo governo fram esqiiccldoi;a gencrosida-
de do nobre administrador da provincia dei-
xou de ser coniprebeiidida, ou, antes, foi pr-
fida c malignamente Interpretada nonas vo-
mo lempo que a presidencia, e, atcerlo
ponto, com auloridade superior da admi-
nistradlo provincial; o dcsapprova-o por-
que elle inlroduzir a desordem as bynar-
chias socaes, e estabelccera urna origem
de perpetuos conflictos, por isso que sub-
jeiti um s subordnalo a dous superio
lidac malignamente interpretada nonas vo- j--- "",.. iPS
.e. aoaram no deserto, ou multo de propoaito res com poJcre. iguaes.
>...... ___1_____..__........ii ,>,r-i r,M,. Mir.iniiio uo/a\a i.c
le, soarain nu ut-iit, ... .* ^--
fram arleiraincnte commeiilada, para que
nao prodiizisseui o drsrjado clleito e, ao
passo que, l no velho mundo, todos 01 paizes,
ioclusive a propria Franca, relrogradavam da
senda revolucionaria com admiravel rapldei,
e com lofreguido entravam as vial da modc- 1 q.,,d .o rs
raco, e desse progreaso lento que s pode "">''"" '_..
provir da experiencia de longos anuos -ao A 12do corre lia
. ',..._ ..____ ...._____..1,,.1 .1 nr:ir:i iiiS.- .11 /.
a t/iii (w-vi -o--------- .
alaranhfio gozava do perreil paz; e o
respectivo administrador conlinuava a sor
acatado pela imprensa opposicionista.
De 16 a 30 de novembro ultimo, o the-
souro provincial maranliense arrecadra
. o cambio fluctuava, na
provir da experiencia de longos anuos;ao I ""-Y .. ;. .i,in07 lio d nnr
passo que a idade eterna, envergonhada das praga de S.-l^ilZ, entro 27 0 27 1|2 d. por
rollcuraSdavespera,.uppl,cerecla,..avaapre- I.OOOris; e, supposto anda se desse al
senoa do vlrluso ponllfic^ .pie expeBIra de seu J falta absoluta de pegas de 0,400 rs., com-
seio com loqiiallficavel iugialido;algn tuj0 havia abundancia das de 4,000 res
l__ .-. ....a ..^..ilnru ti'ln (lllvfl.1 la___ "' -** ** nn------ i. _.
Clil 'mil im^.. .. -"B------------------ > 7 _
lioinens meuos pensadores, e sem duvida lai-
cinados pelo phantasma de urna influenia que
tuppunbam incxtingnivel, masque vlam esca-
par se-lhes das inos, conaervavam-se com ar-
mas em punho, e oslentavam disposlyao para
reiiovarem as luctuosas sccnai qu* liveinos o
deiprazer de testemiinhar neise faul dia 2 de
fevereiro, em que jmai quizeramos fa"ar-
Tanta obilinaco no erro,tanta teuacidade
uo criine, mo grado os meioa conciliatorios a
que valiam de 9,500 a 9,600 is.; bem como
d oncas hespaiiholas e mexicanas ; cor-
rendo estas a 29,000 ris, c aquellas a
29,500 ra.
Cear estava em socego.
Iljll l<> #JOV --------- -
em lugar do coronel Antonio Joao ngel
do Vasconcellos, que solicitou e conseguio
dispensa do semelliante commisslo ;-chefe
da segunda secgfio da secretaria de oslado
dos negocios estrangeiros, o respectivo olli-
cial Jos Pinheiro Guimarfies ;-brgadeiro
graduado, o coronel commandante do de-
posito de recrutas da corte, Jos l.eito Pa-
checo ;--concelheiro de guerra, o tencnle-
geneial graduado, o vogal do concelho su-
premo militar, Anlonio Elgeario de Miran-
da e Brito.
O bacbarel Jos Roberto de Mello tranco
pedir e obtivora demissfio do lugar de juiz
municipal c de orphfios do termo de Jundia-
hy. em San-Paulo.
Ilaviam si lo demittdos os seguinles cm-
preg8dos do fazenda:
ALFANDtG.l DE l'ERNiHBDCO.
reilor-conferenle, Gustavo Jos do Reg.
ALFlNDEGA DO niO-GttANE K S.-J0SE'
00 NOR9R.
Primeiroi tscripturarios :Joaquim Maria
de Azevolo Guerra e Ricirdo Jos Itiheiro.
'eitor-conferenle, Heuiiqua Josc I'.'rcirs.
Ajudanle-oonferente, Antonio da Silva Ras-
leiroi,
manuenie, Jos Manoel Lopes.
Kjudanle do guarda-mr, Joao Soares de
Paiva.
Escrivao da denarrja, Baventura da Cos-
ta Torres.
ALFAKDEOA UE POtlTO-ALBGBE.
/imanuentet Francisco Manoel de Azc-
vedo e Joaquim Manoel de Azevodo Jnior.
TIIESOCKAR1A VO RIO-GRANDE UO SOL.
Primeiroi escripturarioi -Francisco Jos
Furtado e Joaquim Francisco de Oliveira
Furlado.
Fra promovido graduagfiode coronel
com antiguidade de 14 de margo de 1847 o
lenente-uoronel Manoel de Frias e Vascon-
cellos.
A 11 eelebraram-se na igreja da Ajuda os
oflicios fnebres pelo eterno repousodeS.
M. a Imperatriz Leopoldina, augusta mfii
Cear estava em socego. do S. M o Imperador.- Assistiram ao acto
Urna tentativa de roubo-aobre a casa do .SS. MM. IL.acompanliados d.o ministerio e
Bernardo de lal, impressor aisSaquarema,' de n.uitas pessoas da corte,
dora motivo a que o CenrenM qgalilicasse del Segundo o Correio Mercantil, o supremo
pouco enrgicas as providencias tomadas tribunal de justiga, depois de haver consi-
Enlretanto, nota- demdo a quelxa que contra o vice-presi-
que coiiiindizivel bondade recurrerao imuiic a(li C|llrM()S rac|orag_ bnirelanlo, ola- de'auo a queixa que contra o vice-presi-
distincio presidente da provincia. rrani causa re(|loj j pass ,gen)j que> guiando-nos mes-' dente do Kio-Grande do sul Ihe enderegra
para que eile adoptauealgumai medidas e mo o temog j|j0 |lag pag|iag aBSSB 0 rospeclivo ebefo de polica Sayfio Lobato,
prevencao, que iccm ^a*l''?ea^Jea^'l,1e,(" t. ultima gazeta, nfio podemos deixar de re-'. decidir que nfio havia materia para pro-
J MUTILADO
nuncia daquelle funeconano, e mandara
que o qucixoso fosse responsabilsimo pe-
rante a relaglo da corte por crime de pre-
varcagio.
Tinham tomado o grao de hachare! em
malhematicas os seguintes alumnos da es-
cola militar
Primeiro tenente de engenheiros Marcoli-
no Rodrigues da Costa.
Alferes do eslado-maior Francisco Rs-
phael do Mello Reg.
Segundo lenlo de engenheiros Francis-
co Jos do Freitas.
Dito, dito, dito, Jofio Ernesto Virato de
Medciros.
Miguel Joaquim Pereira deS.
A 4 do corrento desfocbra sobre a cda-
do do Rio-de-Janeiro um rijo vendaval, a-
companhado de muita saraiva, ede chuva
lo grossa, que em menos de dez minuto/
Inundou as ras da mesma eidade.
O Dr. Saul'orde Sauvo communiesra ao
Correio Mercantil o registro que de seme-
Ihante phcnoineno lizera em son diario de
observles meteorolgicas. Ei-lo:
pola volts das 4 horas e 45 minutos da
tard>\ espessas nuvens ao NNO, e com in-
tervallos asss longos, relmpagos e tro-
vio : a essa mesma hora o vento sopra ain-
da de SO ; o ihermometro-padrfio, som-
bra, marca 24, 90 ( centgrados ); o bar-
metro mtrico, que desde o dia primeiro do
crrante nfiotinha cessado debaixar, indi-*-
ca 753, 68 millimetros ; a tenso (elastici-
daile ) do vapor d'agoa, deduzida das indi-
ragoes do psvehrometro de Auguste, eleva-
se a 2,207 millimetros. \s 5 horas menos
i mi.iutos o temporal destecha com violen-
cia, tendo o vento sbitamente passido-se
de SO para o NO. e por ultimo para o NNO :
durante obra de 43 minutos choveu copio-
samente e cabio saraiva mpellida com tor-
ga pelo vonlo : a temperatura da chuva, em
lugar ondeos granzo3 niio podiam acci-
dentalmente baixa-la, manteve-se em 19.",
40 approxmadamente. Os granizos eram
asss grossose alguns tinham de dimetro
16 a 17 millimetros: sua structura era em
geral irrrcgular, e seu ncleo mui opaco.
No espago ile pouco menos de tres qn.irlos ..
de hora cahiram 22 millimelros d'agoa.
A 8 tivera lugar a exposigo geral da aoa- .
demia dtfs bellas-artes, a qual Suas Mages-
tades imperiaes so dignaran de assistir.
Apenas onlraram o edificio. SS. MM. passa-
rani-so para a sila do docel por entro alas-
das personagens presentes e da congrega-
gfio dos professores do eslabeleciment, cu-
Jo director pronunciou ah a seguinte allo-
cugilo:
i. Senhor.A humandade, empregando-
sceste termo no seu sentido mais latoe ge-
ral, flha querida do supremo poder crea-
dor, sempre renovada e sempre a mesma
no seu progresso. deve particular obrga-
gao as bollas-artes, por cujo meo, i pro-
porgfio que tuina conheciment do si pro-
pria, he Iho permitidlo, atravs do tempo e
do espago, comparar as individualidades
mais conspicuas, os exemplares mais per-
feitos da sua complicada e admiravel orga-
nisaglo.
a Quantas gragas nao merecen aos in-
telligentes esses genios dotados do sent-
monto intimo da belleza e da faculdade da
sua represenlagfio.qiienos legaramas fe-
gOes dos vares Ilustres e dos chefes de ne-
gos boje estinctas
i A posteridado tributar os mosmos lott-
vores a nossa poca que, debaixodos aus-
picios de Vossa Magestade Imperial, favo-
roce e promove a nobre manifestagSo arts-
tica, issiiii serfio conservadas as fiis ima-
gens das notabilidades do paiz e das augus-
tas personalidades quo presiden aos des-
tinos da nagfio brasileira, e prparam o seu
grandioso porvir.
' Possa a lembranga de tSo importan!
interesse servir, ao menos em parte, de ex-
presslo ao rcconheciinento profundo com
quo esta academia recebe a honra da au-
gusta visita de Vossss Magestades Impe-
riaes.
Ouvida a allocugfio, SS. MM. comegarato
n examinar varios trabadlos em exposi-
gilo, dentre os quaes os de pintura attra-
hiam mais que todos as attenges dos es-
pectadores.
Sahira luz sobo titulo de ouAsaAA
urna revitla mental, scientifica ealterara, di-
rigida pelos senhores Manoel de Araujo Por-
to-Alegre, Antonio Gongalves Das e Joa-
quim Manoel do Macado.
L-se no Monitor Campitla i
u No dia 18 do correnle procedeu-se a
corpo de delicio em o cadver de Jos Ri-
heiro da Silva, encontrado por seu irmfio
Domingos da Silva Alvarenga, no dia ante-
cedente, pelas quitro horas da tarde, em
as rogas do seu proprio sitio no lugar do
Corrego-Secco, districto do sertao do No-
gueira, o qual se achava barbara e atroz-
mente'furido, e sem falla, vindo a fallecer
una hora depois do ter sido encontrado.
Ignora se poremquanto quem fossem os au-
tores de tio borrivel crime
Fallecer, e fra sepultado na igreja dos
religiosos benedictinos, o capitfio-teoente
da armada portugueza Jos de Mello Brey-
ner, perteucentea guaroigfioda nao Vatco-
da-Gama.
Noticiando este fallecimento, o Jornal do
Commtrcio a ce rosco ola :
Ocnterro foi feito com todas as honras
militaros, sendo acompanbado o corpo des-
do o arsenal de marinha at o mosteiro pelo
chefede esquadra encarregado do qurtei-
general de marinha, pelo inspector do ar-
senal, pelo general commandante das ar-
mas e seu eslado-maior, pelos coronis o
olliciacs do primeiro corpo de cavallaria
ligeira o primeiro corpo de arlilliaria a p.


nwKisn
pelo commandante e nfflcialidade da fraga-iras, a scntnea do juiz imniirip il fui sus-
ta Conitituicdo o muitog ofliciaes da arma- [tentad* p-lojuiz de dircito o o processo
ta nacional, pelos ofliciaes dos vasos delsiibmeltido ao julgamento do jury. 4 de-
guerra inglezes, pelo encarregado de neg- lehilo desto, proferida a 8 do mez passado,
ios ihlerino e pelo cnsul geral de Portu-
gil.epor grande numero de subditos do S.
.M. F. O prestito era fechado por toda a ofli
cialiilade dos dous vasos de guerra portu-
j,'ue/.s surtos no porto.
Para dar as descargas do eslylo desem-
barcou da nao Vatco-da-Gama um destaca-
mento de 110 pracas do batalhflo naval.
A praca do commercio do Rio-de-Janeiro
nomera metnbros da respectiva commis-
sflo para o anuo de 1850 os seguinloa senta-
res: .
Brasileiros. Candido Rodrigues Ferreira
e Joo l'ereira llarrigne Caro,
lnglezes. Diogo Mackinell e M. S. Col-
lings.
Porttiguez.--Bcrnsrdo Ribeirode Carvalho
llespanhol. --Antonio de Aranaga.
Americano Roberto Clinton Wright.
Francez. E. I>. Daudinot Ain.
Allemflo. C. Siockmeyer.
U Sr. I)r. Urbano Sabino Pessoa de Mello
abandonara a carreira da magistratura, e
abrir escriptorio de advocacia.
Accusando folhas e cartas do Porto-Ale-
gre at 5, e do Rio-Grande al 6 do corren-
te, o Jrnal do Commercio resume assim as
novas que abi col hora:
n Segundo todos os ornaos o cartas qutr
vimos, reinuva maior effervescencia ein
toilaa fronleira; tinham-se reunido diver-
sas partidas pura tiraren) dcsforpo de alten-
lados que se diziam pralicados por gente de
Oribe; havia corrido ja algum sangue, e re-
ceiava-se minio que essas rixas lomassem
un caiacler mais grave.
_ i\a parte interior publicamos o qu.e di-
jjeni as follias, oas devemos accrescenlar
aqu que al o dia 5 do corrcnle n3o cons-
lava oflicialinenle em Porto-Alegre senilo
que pelo l'oncbe-Verde tinharn sido encon-
trados o coronel de legiflo Severo e o coro-
nel oiiental Calengo com uns 60 liomens.
Tinlia marchado sobre elles o tenente-no-
roncU)zoro com 200 liomens de linha.
" He Santa-Calharina alcanpam as ful has
a 8 do roiiente O Sr. I)r. Antonio Pe eir
Pinto entregou a presidencia da provincia
no dia 30 do passado ao terceiro vice-presi-
Jenle o Sr. Severo Amorim do Valle. O Sr.
J'ereira pinto fOra exonerado duquelle cargo
por carta imperial de 19 de novembro.
Ao que refere o contemporneo addicta-
i emosos seguidles extractos do Rio-Gran-
dtnst, os quaes s3o os mesmos que se elle
repolla.
llag, 23 de novembro.
NSo se se ja por ah sabeiflo que corre
porceita a paz convenrionada entre o go-
vernador Rosase o Paraguay. Se com elfei-
lo una tul noticia est cuiihada pela verda-
de, acabaran) essas desiulelligencias que
iam disputar-se no campo da batalha: allir-
nia-se rmliiii que o Paraguay ja nomera o
BOU representante junto an governo de Bue-
nos-Ayres.
Ao fazer esta, acabo de ser informado
que o coronel Lamas fdra balido no seu
acampamento. Sobre a torca que o aconi-
metleu, dOo serei eu o noticiador, porque
ii.lo fallara quem o publique. O estado de
Coosas em anossa campaulia reclama a mais
seria altenpo, por isso o partido que mais
adaptado julgo em laes aconlccimeiitos lie
o uso de prudencia e poltica. S assim evi-
taremos n:alcs que nos poduiao ser funes-
tos.
Jaguarflo, 28 de novembro.
... Peisuado-ine que anda por ahi
nSo se sabea das noticias recentemente
chegadas a este-lugar.
Lamas, no estado Oriental, leve um pro-
cedimento desregrado e indigno para com
gente nossa que d'alli conduza urna tropa
para este lado. Diversos individuos fram
morios, inclusivo um oflicial; outros forera
aprisionados. Mi obstante estes alterna-
dos, fratn fazenda do liaiflo de Jacuhy,
levantarun.-llie o gado, o queiiuaramihe "a
casa.
Esta noticia ebegou nossa Ierra; e
qual seria o resultado? Ilizem que Lamas
loi balido: responderam-ihe ao peda let-
tra. Consta que se preparan) alguns para
defender a dignidad nacional e direitos
dos Brasileiros, por tantas vezes zombo-
leados.
" Si i-va-I he islo de governo, a bem do ne-
gocio que lem a roslisar....
Rio-Grande, 4 de dezembro.
Lonslava t-m Porto-Alegre que uma par-
tida do eslado Oriental invadir a fa/euda
do Sr. Jos Antonio de Araujo llibeiro, on-
de perpelira atlentados bornveis. Dego-
lara em summa lodas as peseoas quo podo
apprebeuder.a
de dezembro.
Pessoa que acaba de chegar da campa-
lallando sobre as noticias que at aqui
nli
leem grassado, diz o seguinlc :
Cilengo, coronel oriental, com uma
frca de 200 liomens, COOposta de emigra-
dos, passou a oulra banda, sorprendeu o
coronel Lamas, e derrolou-o completamen-
te. Ko fez neulium prisioueiro, mas mul-
lo* morios houvcram em resultado d^-sla
sorprez'i, e ueste numero conla-se um le-
nenie-coronel de intima inunde ue Lomas.
Calengo seguio logo depois com a sua
loica pela costa do Rio-Negro em direceflo'
a Sandu.
O baro de Jacuhy achava-so na costa
deQuaraim com Demetrio Ribeiro, o uma
forca de 800 liomens.
< JeronytiioJaciiittio e o (enento-coronel
Joflo Severo, com ceica do 500 liomens,
marcharan! a reunir-se ao barOo. (luirs
rounioes so preparam ; ignora-se, poiui,
o liii. de semeltiintes movimentoa.
No Rio-Grande, linliam apparecido na
circuladlo algumas notas falsas; mas ha-
viam sidoapprehendidas, e a polica prose-
gua em suaa avengoapOes aliin de descu-
brir os individuos que as pozoram em gyro.
Com referencia a acontecimeutos daquel-
la provincia, o Correio Mercantil diz o se-
guidle : j
Utn proceuo notavel no seu genero, e
nao sabemos mesmo se o primeiro ueste
paii, claasico om quebras fraudulentas, le-
va lugar na ciJado do Rio-Grande. Antonio
Jos Alve, Jnior fo aecusado de crime de
eslellionato porClassen & C. e mais alguns
pagociautas, tin consequencia de luver
inesperada dolor osa menlo fallido, aprc-
seuUiid em ser um sortimeuto apaas de
23.96,3fl icis i ai a solver n nomina e
+ < :795,30 i de quu I lie era rredora a prap a.
0 11 uvi sau se.tuiu lentamente o curso orui-
J'ei'iv, e depoia de recursos alleritadeuien-
com a qual se conforinou o juiz do dircito,
absolveu o reo, que todavia contiouava
preso at que a seutenca passasso cm jul-
gado, por ser o crime inafianpavel
De Matto-Grosso sabia-se que o Sr. Ma-
noel Alves Ribeiro obtivera a maioria da
votacSo para deputado assembla geral
legislativa.
De Minas constava que o Sr. barrio de Sa-
bara lomara posse da presidencia da pro-
vincia.
As ultimas datas de Montevideo eram do
primeiro do crrante, e as de Buenos-Ayrcs
da 26 do passado.
Km Montevideo nada do i ulerease occor-
rra.
Quanto ao outro paiz, eis como se expri-
me o Jornal do Commercio :
De Buenos-Ayres annunciam na ultima
data que o Sr. Southern anda nSo liona si-
do recebido pelo governo argentino no seu
carcter oflicial. Segundo o Britith Packet
do dia 2i, nada se linha concluido al
aquelledia. Dizesse jornal:
J nSo ha a menor duvida de que a tilo
fallada quvstSo da intervengo europea no
Rin-da-Prata, pelo que loca Inglaterra,
est em ves pe ras de ser definitivamente a-
justada por meio de uma convenci sepa-
rada entre aquella potencia e estas rep-
blicas. A diplomacia oceupa se actualmen-
te com solicilude dos pormenores deste im-
portante trabalho, cujn resultado espera-
mos ver promptamciite desinvolvido.
Seria Curtamente para desojar que toda
a quesillo se ajustasse de uma vex, e os mi-
nistros de S. M. lizeram muito bem em dif-
fonr por algum lempo a sua decisSo com
vistas de alcanzaren) esse lim. Porm, como
as circumslancias obstnram concurrencia
do gabinete francez, ciemos quo o governo
deS. M. se conduzio com moita discric/io,
tomando a resoluto que tomou ; tanto
mais que, depois de 13o tonga demora, a
susceptibilidad franceza nSo pJe quei-
xar-sc de falta de urbanidade, e que ulte-
riores dilacOes nao podiam j cooduzr a
um ti inconveniente.
Depois do passo decisivo dado pela
Graa-Urolanha, a Franca nSo pJe ter inte-
resse em diirerir a soluc.lo da questilo. A
assembla nacional ia tornara reunir-so no
primeiro do passado, e como ha toJas as ra-
sOespara acreditar na sinceriJade da pro-
messa dos miiiistros de apresentarem im-
mediatamente assembla a convencSo Le
Prdour, hoinuilo provavel quo a tccOo da-
quellecorpo se baja pronunciado j sobre
o projeclo.
Como ningucm ignora, Ilritiih Packet
nlo puldca senilo aquilloque o general.
Rosas quer que laiba ediga. Carlas parti-
culares accresccntam que pelo paquete Kes
trel remelle o Sr. Southern ao seu governo,
para ser raliiicado. o projeclo de conven-
filo que fora aulorisado a celebrar.
Coiitiuuava a assegurar-sc que havia
desinteiligencias graves entre o general
llosas e Urquiza governador de Entre-Ros.
O Sr. Pedro Pereira de Oliveira, chele
da eslaco naval do imperio no Rio-da-Pra-
la, linha olilido um mez de licenca para
vira cuite, e licava a sabir no brigue-escu-
ua Oanla. Durante a sua ausencia ser com-
mandada a diviso pelo Sr. capilo de mar
e guerra Parker.
De posse de tullas de New-York al 18 de
outubro, o precitado lmnal diz :
a A ordem esteva completamente eslabe-
Iccida em Pliiladelphia.
As datas da California silo as mesmas
que ja tinhamos. Uma caria do comino (ore
L'oorhes, escripta|a bordo da SavannaA.surla
em S -Fiancisco, diz que be immenso o nu-
mero dos navio que exislom as agoas da
California, e que se acham quasi todos
abandonados. Ocommodore calcula que
antes de chegar o invern haver nos diver-
sos portosda Ci I i furnia 400 a 500 embarca-
Qoes entregues merc das onda o dos ven-
tos ; e pensa que, a continuar o estado
de abandono em que se acham, flcarSo
todas destruidas pelo | rinieiro tufSo que
li.iuver. -
Babia nada sofTiia quanto tranquillida-
de publica; mas anda I uta va com a polka,
cumliluiile, ou california. Entretanto, he
cirio que a pesio como quo limilavasous
estragos na ruja, a os Alinanos, e aos
estrangeiios anda uo aclimalisados no
paiz, com esprcialidade os Allemaes.
A 21 a corporaQilo mdica da capital obti-
vera do provedor da santa casa da Miseri-
cordia a precisa faculdade para I he sor fran-
queada urna das salas do respectivo hospi-
tal, em que sejam tratados os alTectados da
epidemia; (cando a mesma corporafo
obrigada a publicar o resultado do trata-
inenlo, c a eslulislica da morlalidade pro
duzida pela peste. EUcclvamenle, come-
(;ou ella a publicarlo a 22, o se licou sa-
liendo que nesse dia subi a 48 o numero
dos quo suecumbiram ao mal, mo grado
os cuidados da medicina. lieos aparto de
nossos irmos bahianos to lerrivul fla-
gello!
O Mercantil annuncia em o n. 18 a no-
meaeo do Sr. Jos Agostinho de Salles
para cnsul de S. M. Fidelissma uaquella
provincia ; o no de 14 diz o seguidle :
As iiformac,es que temos obtido d
pessoas lidedignas acerca do assassiuato
quo houvcra lugar na villa de Jequirica, silo
os seguiiles
$ Depois de ludo haver envidad j o Sr.
Ilygino Pires Gomes para a captura do mal-
vado Anacilo, que loatroz o cobarde-
mente havia assassinado ao seo irmo o Sr.
capiUlo Joaqum Piros Pedreira, voltaram
as pessoas quo linliam ido no encalco a
aquelle monslro, a noticiar que o seu ca-
dver achavu-sc pendurado em umaarvore
viziuha ao lugar em quu to horrivol as-
sassinio havia sido perpetrado. De feito,nas
iminediacOes da malta em quo o infeliz ca-
pilSo Joaqnuil Pires Pedreira eslava fazendo
um rucado, cncoiiUou-se o monslro enfor-
c.ido cm um sipo cuidadosamente trancado,
Conservando anda ao p de si a foice com
que lora trucidada a victima O seu corpo
que ja servia de pasto as avos carnvoras,
nao eslava de todo arruinado as nios
achavam-se intactas: como que a Providen-
cia as deixra para mostrar o instrumento
d'um crime tflo grave O rosto u trauco do
corpo estavam completos, exceptu das
cxas o peinas que linliam sido devoradas
pelos ni uliiis.
_ > Foi couduzido o cadver para a men-
cionada villa, onde se fez o corpo de delic
pessoa por um numeroso concurso de ho-
incns circunspectos.
SfH
ALFANDEGA.
Ileudimento do dia 37.....
dem do dia 28.........
CONSULADO GERAL.
Ileudimento do dia 27.....
Diversas provincias......
10:452,690
5:537,294
1:758,523
81,062
1:782,585
dem do dia 28.........1:338,006
li:vn.-iis | rovincias...... 23,279
1:361,285
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmento do dia,
dem do dia 28. .
27.
795,951
1:124,723
Movimento do .Porto.
fi..i. r v -w^----ivu-icionaua vina, onue se lez o corpo ue aenc-
* iUMrpoitoi pela* duu partai V" -Uo- 'to, e omie oi recoaiiecid deBUdude dt
Navios enlradi no dia 24.
Santa-Catharina 24 das, patacho brasi-
leiio y ova-Lu; de 130 toneladas, capitilo
Francisco de Paula Fonseca, equipigem
II, carga farinha de mandioca ; a Manuel
Ignacio de Oliveira.
Macei 11/2 das, brigue ioglez Eurydi-
ce.de 211 toneladas, capiUo Arcbibald
Rrovrn, equipagem 13, carga assucar; a
Johnson Paler & Companhia. Seguio
para Liverpool.
Trieste, Gihraltar e Cabo-Verde 6 mezes
e meio e do ultimo porto 38 das, patacho
poituguez Ledo, de 126 toneladas, capi-
to Manuel Joaquim de Freitas, equipa-
geni 14, carga familia de trigo ; a Amo-
rim Irm.los.
Navios tahidoi no menno dia.
Lisboa llriguo porluguez Maria-Joii, ca-
pitao Joaquim JosdeMesquita, carga as-
sucar.
Camaragibe Hiato brasileiio Novo-Dttli-
no, ca pililo Estevao Ribeiro, carga varios
generas.
Navios entrados no dia 25.
Rio-de-Janeiro 13 das, galera dinamar-
queza l'olluz, de 339 toneladas, cap i tflo J.
Jeverson, equipagem 13, m lastro; a
Louis Brouguire & Companhia.
New-York 41 das, brigue sardo l.egure,
de 197 toneladas, capitOo Constantino Li-
cety, equipagem II, em lastro; a N. O.
Biebcr.
Genova por Gibraltar 48 dias e do ultimo
porto 18, baca sarda bonna-Maria, de
270 toneladas, capillo Paula Villa, em
lastro ; a N. O. Bieber.
Baha 7 dias. barca ingleza Cruzada, de
224 toneladas, capilflo William Nangh-
ton, equipagem 12, em lastro ; a Johns-
tou Pater & Companhia. Ficou de qua-
rntena.
Navios sahidos no mesmo dia.
Maranho e Para Patacho brasileiro Joie-
fina, capilflo jote Mara Porto, carga va-
rios gneros.
San-Malheus Patacho brasileiro Bella-Ca
rolina, capilflo Joaquim Baptista Pitia,
em lastro.
Liverpool por Paradina Brigue hambur-
guez Ed, capilflo J. 01 Jrey, em lastro.
Asad Pataeho brasileiro San-Juo Vence-
dor, capilflo Jos Francisco Tliomaz do
Nascimento, carga varios generas.
Navios entrados no dia 26.
Macei 3 dias, barca ingleza Uary-Queen-
of-ScoU, de 256 toneladas, capilflo W
Willcox, equipagem 13, carga algodSo e
assucar; a JamesCrablree & Companhia.
dem 3 1/2 dias, barca ingleza Dyson, de
267 toneladas, capilflo R. Cumming. equi
pagem 13, carga algodfio ; a Manoel Joa-
quim Ramos e Silva.
Ilull 36 dias, galera ingleza lnius, de 419
toneladas, captflo W. Cox, equipagem
18, carga carvflu de pedra ; a Me. Calmonl
& Coaipauhia.
Babia -^ 9 dias, brigue inglez Tnymouth-
Caitl; do 281 toneladas, capilflo John
Miller, equipagem 13, carga assucar; a
Me. Calmont& Companhia. Fieou de
quarentena.
Rio de-Janeiro.18das, charra braslei-
ra Pernambucana, commanilanle o capi-
Io-tenente Achules l.acombe. Conduz
1 segundo-lenente da armada, 1 scrivo,
os ex-cadetos do exercito Manoel Jos da
Silva lavares com sua familia, Francisco
de L. Duarte, o preso de justica Antonio
da Costa Moreira dsposicSo do chefe de
polica, uma machina de descaroc,ar al-
godflo, 4 pares de parola para a quillia de
um brigue e uma prensa de sellar ofli-
Cios ; para o Marauhflo, 3 pracas do exor-
dio ; para o Para, 1 cadete, 4 pravas do
exercito, i ex-fuzileiro naval e o preso
dejuslica Ziicharias Antonio Cmara
disposi(flo do chefe de polica. Segu
para Marauhflo e Para.
Rio-de-Janeiro 19 das, escuna de guer-
ra brasileiro Qulndoria, comman lante o
piloto Moreira. Veio para pertencer a
alfandega.
Para, Marauhflo e mais portos 14 dias e
16 horas e da Parahiba 10 horas, vapor
brasileiro San-Salvador, de 240 toneladas,
coinniandaule o primeiro-tenento Anto-
nio Carlos de Azeredo Coutinho, equipa-
gem 28. l'assageiros : para esta provin-
cia, o capilflu Julio Francisco Clele, Jos
Antonio da Silva Conrado, Jusliuiano Pi-
no de Moraes e Castro, o Americano Geor-
ge Upter, com sua senhora, o senador
Antonio da Cunha Vasconcellos, o Or.
Fredericode Almeida e Albuquerque, iJ
escravo a entregar, 7 reerulas para a ma-
rmha, 1 desertores soldados : para a Ba-
bia, o Dr. Joaquim Rodrigues da Silva
com sua familia e 6 escravos : para o Rio-
do-Janeiro, os deputados Joflo Baplisla
de l'iguuira Tenreiro Aranha com 1 fllho
menor I escravo e o commendador Joa-
quim Mariano Franco de S com 3 escra
vos, o niajor Jos Joaquim Corris de Mo-
raes, o leiionte Uernardino Freir Madai
Jacome Candido de Freilas, Joaquim Pe-
reira Jardim, Manoel Estoves da Rocha,
Aliterada Costa Albanoe 1 escravo en-
tregar.
Navios entrados no dia 27.
Rio-de-Janeiro, Babia eMacei II dase
131/3 horas e do ultimo porto 19 1/2 ho-
ras, vapor brasileiro Paratnss, de 240 to-
neladas, commaudante o capilflo de fra-
gata Manoel Fiancisco da Costa Pereira,
equipagem 30. l'assageiros: para esla
pruviucia, Joaquim de Mello Gardoso, o
luu te de arlilUiria. Joaqun ot Fenei-
i I ra Souto; para o Maranhflo, Banto Perei-
ra Souto, o Inglez M. S. Mauson, o Fran-
cez liafael lleiena, oalferes do quinto de
fuzileiros Pedro Lino de Barros com sua
s 'iihuia, 1 fllho menor e I escravo, o
Francez Ijusonl Marr Antoni, o alferesdo
corpo flxo do Para Antonio Caetano da
Silva, o Dr. Marcos Jos Tlieofllo com sua
senhora, Agoslinho Hermes.
Gottenberg 45 diss, brigue sueco D.-The-
zn, de208 toneladas, capilflo Zscharias
Dounberg, equipagem II,carga taimado
e ferro; a Me. Calmont & Companhia.
Sidney 83 dias, barca ingleza Lalla-llook,
de 372 toneladas, capilflo W. Haincs, e-
quipagem 18, carga sebo, lila e azeitede
peixe ; ao capilflo. Segu para Londres.
Genova 46 dias, haica sarda Concordia,
de 362 toneladas, capilflo Jos Itafo, equi-
pagem 14, carga oleo; massss, papel e
mais gneros; a Joflo Pinto de Lemas.
Montevideo 39dias, brigue. sardo Cont-
tante, de 169 toneladas, capilflo Bartholo-
meuRotnagine, equipagem 12, em las-
tra; i ordem.
Lisboa 33 dias, brigue sueco Helena, de
350 tonelsdss, capilflo J H. Knoll, equi-
pagem 14, em lastro ; a N. O. Bieber.
Terra-Nova 48 dias, barca ingleza Ckero
kce, de 378 toneladas, capilflo James Cal-
dwell, equipagem 16, carga 3,000 barri-
cas de bacalho; ao capilflo.
Navios sahidos no mesmo dia.
Lisboa Brigue portugus Conctlcjode-
Harta, capilflo Alexandre Braz de Mallos,
carga assucar. Passagoiro, o AllemSo A-
dolfo Scheftieitlin.
Havre Calera franceza Minerva, capilflo
Dusenly, carga assucar e mais gneros.
Msrseilles Brigue francez l'autine, capi-
lflo Julio Rojeau, carga assucsr e couros.
Rio-Grande do sul pelo Rio-de-Janeiro
Brigue brasileiro Sun-Manoel-Auquito, ca-
pilflo Jos da Cunha Jnior, carga assu-
car, sal e mais gneros, l'assageiros, Je-
suinoJos de Carvalho com 1 escravo e
2 ditos a entregar.
Observa'-3o.
Fundeou no l.ameirflo, psia acabar de
carregar, a barca sarda Elena, capillo Ca-
nessa.
Navios entrados no dia 98.
Caslello-ds-Mins ( frica ) 16 diaa, pata-
cho sardo Primo, de 104 toneladas, capi-
lflo Francisco Cszanova, equipagem 10,
rm lastro ; ordem.Arribou a este por-
to psra refazer-se d'agoa para 9 passa-
gelros queseguom para a Bahia.
Sanla-Calharina 34 dias, polaca brasllei-
ra Senhora-da-Conctic&o, do 94 toneladas,
capilflo Felizanlo Jo.- Mara, equipagem
10, carga farinha de mandioca ; a Manoel
Ignacio de Oliveira.
Macei 9 das, hiate brasileiro San-Dene-
dicto-Grande, de 36 tbela -las, capilflo Jo-
s Antunes Guerra Jnior, equipagem 8,
carga farinha; aocapitSo.
Navios sahidos no mesmo dia.
Liverpool Barca ingleza Mary-Qum-v{-
Scots, capilflo w. Wilcox, carga assucsr.
dem Bares ingleza Dyson, capilflo Ro-
I rt Cumming, carga algodSo.
Parahiba Barca sarda Bona-Uaria, capi-
lflo Paulo Villa, em lastro.
Loodies Barca ingleza lalla-Rookk, ca-
pilflo W. Ilains, carga a mesma que
truuxo.
Coik Brigue inglez Taymouth-Castle, ca-
pilflo John Mi.Her, carga a mesma que
trouxe.
Portos do sul Vapor brasileiro San-Sal-
vador, commandante o primeirn-lenente
Antonio Carlos de Azeredo Couliuho. A-
lm dos psssageiros que trouxe dos por-
tos do norte para os do sul leva a seu
bordo : para Macei, Manoel Januario Be-
zerra com I fllbo in dflo da Rocha, S. lleudan, Jos da itocba
Wanderl. y, o alferes Candido Benjamin
l.ins Vasconcellos : para o Rio-de-Janeiro,
Manoel Teixeira Ceimbra, Joflo Francis-
co de Araujo Lima, Jos Mara da Silva.
Partos do noiie Va or brasileiro Para-
se, commandante o capilflo de fragata
Manoel Francisco da Costa. Alin dos
pssageiros que trouxe dus porlos do sul
para os do norte, leva a seu bordo: para o
Cear,Francisco Maximiano da Castro.
Genova Luger sardo Andre-Doria, capilflo
Henrique Mulinari, carga assucar.
Havre por Maranhflo e Para Brigue fran-
cez Beaujeu, capilflo Evers. carga parle
da que trouxe. Pssageiros, Sebastian
Gomes da Silva llelfort. Hermenegildo
Antonio da Purilicac.no e Silva, Torquato
Teixeira Mendos, Brasileiros ; Jules Du-
cheinen com sua senhora, Francez
ment ds arrematares de 11 de jullio d.
1843.
Reclfe, 24 de dezembro de l849.--Oenae.
nheiro do termo do Recite, Joie MameJe Al
ves Ferreira.
Declararles.
Pela segunda seceso da mesa do co
sulado provincial desta cidade se avisa aus
Srs. proprietsrios de predios urbanos, jub-
jeitos ao pagamento da decima, que do 1
do andante mez ao principian) acontar oj
30 dias para o pagamento de semelhante
imposto do primeiro semestre do anno de
1849 a 1850, e que, lindo esse prazo, ncor-
rem os que nlo pagarem na multa de 3 por
cento sobro seus respectivos dbitos; 0
bem assim que do 1,* de Janeiro prximo
futuro, principia a cobranza do imposto da
12,800 sobre di rersos 'estabelecimentos que
possuem mais de 3:000,000 rs., segundo
dspOe o rcgulamento da presidencia da
provincia, de 12 de novembro do correte
anno, dado a semelhante respeito.
Pela inspectora do arsenal
de marinha ce convida a todos os
individuos livres, at o numero de
5o, que se quiteremempregar co-
mo serventes as obras do mesmo
arsenal e as do melhbrmento do
porto, a se eutenderem com o res-
pectivo inspector, o qual, em vir-
tude de ordens do Kxm. Sr, pre-
sidente da provincia, Ihes garante
a iscncSo do recrutamento, em-
quanto se ocenparem eiTcelivamen-
te nessas obras ; sendo o
jornal
dar-se de 64 o rs por dia.
Pela subdelegacia da freguezia de S.-
Anlonlo fram pegados dous cavallos:
quem se julgar com dircito aos mesmos,
comprela em dita subdelegacia, que, pro-
vando pertencer-lhes. Ih serflo entregues
Carlas seguras viudas do noite pelo
vapor San-Salrador em 27 de dezembro de
1849, a saber: Croco & C, Joflu GarJozo Ay-
res, Luiz Brouguire, Luiz Antonio de Si-
quoira, Mara Joaquina llorges Leal.
FRESE l'K
no theatro de S.-Francisco.
EDITA L
Olllm. Sr. inspector da the-ouraria da
fazenda provincial, em cumprimento da or-
dem do Kxm. Sr. presidente da provincia,
de 20 do correte, manda fazer publico que,
nos dis 8, 9el0 de Janeiro prximo vin-
douro rao praca, permite o tribunal ad-
ministrativo da mesma lliesouraria, para
serom arrematados a quem por menos fizer,
os concertos da ponte do Caxnng, sb as
clausulas especiaes abaixo transcriptas, e
pel Breca de 419,320 rs.
As pessoas que so propozerem s esta arre-
mataeflo, comparecam na sala das sessOes
ao sobredito tribunal nos dias cima men-
cionados, pelo moio-dia, competeolemeiite
habilitadas.
E para constar se mandou allixar o pr-
senle e publicar pelo Diario.
Secretaria da lliesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernainburo, 27 de dezembro de
1849Usecrelirio, Antonio Ferreira da An-
nunciacto.
CLAUSULAS ESPF.CIAES DA ARRE-
UATACA.
1.a As obras do concert da ponte do Ca-
xang serflo feitasdd confu midade com o
ornamento a pro vado, pelo Exm. presidente
da provincia, e p< lo pre^o de 423,240 rs.
2* As obras principiarflo no prazo dedez
dias e serflo concluidas no de trinta dias,
vonforme dterminam os arts. lo e II do
icgulameiilodas arreinatoQes de 11 de ju-
Hiode18l3.
8.' Todos os materiaes seifio. previamen-
te examinados pelo engenheiro; e, approva-
dos, lavrar-se-lia um termo.
4.a O pagamento do importe da arremata-
dlo realisar se lia de| oisde concluida toda a
ulna.
5 Para ludo mais que nflo estiver deter-
minado uas presentes clausulas suguir-se-
bi ialeirameule o que dispOe o regula- |dade*.
NOVOS K AUMENTADOS I.NTRVAU.0S PILA MA-
NBiaA SECUINTB
DOMI.NCO, SO DE DEZEMBRO DE 1849.
SEGUNDA REP*RSKNTAQAO.
Grande e variado divtrlimenlo pastoril.
Depois de executada pela orchestra uma
das melliores symphouias, representsr-se-
ha o mu insigne drama sacro em 5 actos
O NASCIMF.MTO DO MESSIAS,
no qual apparecr a vista toda nova, que
representa uma sala de audiencia de Lu-
cifer, pintada pelo insigne artista brasi-
leiro, o Sr. Andr Alves da Fonseca.
ACTO I.
Audiencia de l.uc fer, com uma danca no-
va dos diabos, dirigida por Mr. Adolphe, a
o esbravejamenlo de todas as furias. No
lim deste aclo segue-se um engrapado
Pasdedeux dangado por duas das mais
jovens meninas. B
ACTO II.
A appnriciiu do anjo annunciando o nas-
cimento do Messias.
ACTO III.
Oallcntadoda furia mallogrado.
ACTO IV.
A embriaguez de Facundo e a viuda ds
todas as pastoras.
ACTO V.
As offertas das pastoras.
Todo o drama ser preenchido com arias,
Cros, e llancas.
Os adores serflo 24 meninos e 13 moni-
nas, pditencontes a familias honestas que,
inteiradas da vigilancia e cuidado que pre-
siden! aos ensaios, nflo duvidaram confa-
los ao director.
Terminar o espectculo com uma con-
tradanza campestre, anda nflo vista.
Os Srs. assignanles e mais pessoas, que
pretenderen) bilbetes de camarote e platea,
pdern mandar receber os carlOes na rasa
annoxa ao theatro, residencia do director,
onde se ellos acham venda pelos precos se-
guiotes:
Primeiro ordem.
Camarotes de lado 5,000 rs.
Para assignsules de 12 recitas, cada urna
3,33.3 rs., 40,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 3,500 rs.,
31,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 7,000 rs..
Para assignanles de 13 recitas, cada uma
5,000 ris, 60,000 rs.
Hito para 6 recitas, cada uma 5,333 ris.
32.000 rs.
Segunda ordem.
Camarote de lado 6,000 rs.
Para assignantes de 12 recitas, Cada uma
4,166 tis, 50.000 rs.
' Dito para 6 recitas, cada uma 4,500 ris,
37,000 rs.
Dlo de frente da mesma ordem 11,000 rs.
Dito para 12 recitas, cada una 7.500 ris,
90,000 rs.
Dito, para 6 recitas, cada uma 8.000 ris,
48.000 rs.
Tercelra ordem.
Camarote de lado 4,000 rs.
Pra assignantes de 12 recitas, cada uma
2,166 ris, 26,000 rs.
Hilo para 6 recitas, cada uma 3,500 ris,
15,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 5,000 rs.
Dito para 13 recitas, cada uma 3,333 ris,
40,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 3,500 ris,
31,000 rs.
Os bilhclcs de platea par* 12 recitas 9,000
Dito*) para 6 recitas 5,000 rs.
Cama rol i n bo de bocea para 12 recitas,
cada uma 3,000 ris, 24,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada uma 3,500 ris,
15,000 rs.
Veranda, 500 ib.
As asignaturas seflo pagas sdiantadas,
exhitiindo recibo a direcpflo.
O theatro estar decentemente ornado.
Principiar o diverliuienlo as 8 e meia
bo as da noi te, con a chegada das aulori-
_ i_


N li -rwrantc as meficnnadns rloze Tecl-
as se'repiwentarno os millo apphudiitps e
;?C0, Uta dramas pastonsque tanto embcl-
Uuran as represcntic-ois da sooiedade
TtUlense; sendo intcrirediados de novas
janeas campestres, grupis. pas-de-deux,
ras, entremezes raslons, etc.
Publicaead lilterarli.
A GftlNAjiDA.
Peridico dedicado s
damas.
Publicou-se o primeiro numero desle in-
erossanle jornal, contando Introdvccdo
- o cometo de um romance a Freir,
Revista do Reeife, e Votziat.
Espera-sea coadjuvaeflo do sexo amavel
ara esta publicacSo, em que as suas virlu
les e bellas qoaliades silo o principal ob-
BCtO.
Acha-se venda na livraria do Collegio,
limero 9.
Avisos martimos.
-Para o Rio-de-Janeiro sabe, no dia 2
ie Janeiro, o brigue Josefina : s recebe car-
ga miuda, escravos a frete e passagelf*-
)sSrs. carregadoreshajam de levaros c0~
ilierimentos no primeiro andar da esa da
ra do Trapiche, n. 4, ou dos T>loeiros>
armazem o. 5.
Para Lisboa
sahe impraWfivelaiente no la 29 do cor-
rente o bfigne portuguez Veloz, capilao An-
onio Pedeo de Fqjueiredo : para o resto
,a carga ou passageiros, trala-se com os
eus consignatarios, Oliven a Irmaos H Com-
lanbia, ra da Cruz, n. 9. ou com o sobre
(o capullo, na prc do Commercio.
" Para Lishortahe com a maior brevida-
e possivej a escuna portuguez Mnlhtiro-
'rimeir, capilfio Juo Itibeiro Palha para
arga trata-eacom aeus consignatarios, 011-
eira Irmfios & Companhia, ou com o re-
ndo capillo, na prac,a do Com.-.erci.
Para o Rio-de-Janeiro va i sabir com
uita brevidade, por lera maior parte do
irregamento prompla, a polaca Socieilade-
'elie : quem na mesnia quizer carregar,
irija-se aos seus consignatarios Oliveira
ra>8os & Companhia.
Para o Itio-de-Janeiro segu viagrm
om n.uito brevidade o patacho S -Joao-
encedor : anda recebe carga e escravos a
..ele. para o que tratase com Francisco Al-
vos da Cunha, na ra do Vigario, n II.
--Para o Aracaly sahe impretervelmeir-
nodialO de Janeiro a sumaca nucio-
'; Carila, meslreJos Conexivos Simas,
$r seachar com a maior parte da car-
a prompla : para o restante e passageiros,
rala-se com o meslre, ou com l.uiz Jos
e S Araujo, na rua da Cruz, n. 33.
Para Lisboa sahe impreterivelmenle
jor todo o correnle mez o brigue portu-
gus S.-Otf"'no*, capil.lo Manuel Concal-
es Vianm : para o resto da carga e passa-
geiros. trata-ae com o consignatario, Joa-
quim Ferreira Mondes Guimariics, na rua da
Cruz, n. 49, primeiro andar, ou com o refa-
i-lu capitilo, na prac,a do Cummercio.
Fara o Uio-dc-Janeiro sahe
or estes das, por ler a maior
arte do seu carregamento promp-
la, o bem contiendo e veleiro bri-
gue nacional Bom-Jess : para
carga e passagei- '--ta-se com o
capilo no caes da Allana ~*. ou
na rua da Madre-de-Dos, n. C#
ter.eiro andar.
Para a Babia sahe, em poucos dias, a
sumaca t'lor-do-Kngelim, meslre Bernardo
deSouza, por ter a maior parte da carga
prompla : para o restante e \?B.ssageros
lr*ta-se com o mesmo meslre ou com l.uiz
Jos de S Arauio, na rna da Cruz. n. 33.
-- l'ara as Ibas de A-Miguel,
Terceira e Fayal sabir brevemen
te a escuna portugueza favorita,
forrada e pregada de cobre, cepi-
tao Antoni ra 'drrga e passageiros-, trala-se
deronle do.lranicii^novo, n. 6,
com Tliontaz oe Faria.
Vende-se a bonita barca franceza Al-
oyan, de lote de 180 toneladas, do presen-
te ancorada df fronte o trapiche do Ange-
lo, lado do in.re. F.sla barca lo i construi-
da etn 1847, e he de urna marcha amito su-
perior, sendo por iss.) propiia para qual-
quer especulado que requeira promptidSo,
por estar | rovida' de um ludo e seachar
prompla a seguir para qualquer porto. Oa
prdeiidcules dirijam-so ao capito a bor-
do, ou a casa dos consignatarios, II. Las-
serre & Coinpinhia, para tratar do ajuste
da mesina.
Le i loes.
LrilAu que faz o capilfln Andrea Prev
da haica saida Ciusstppina, em presencia
do Sr. cnsul sardo, por corita e risco do
quem pertcncer, e por inte rveneno do cor-
retor Oliveira, do casco da mesnia barca e
cobro de forro que se Ibe adiar, a qual se
acba encalhada no lugar denominado Ma-
lia-Farinba, onde o arrematante .lilla to-
mar conla; sabbado, 29 do crrente, ao
meo-diaem ponto, porta da aasociacSo
couimercial.
ii c pililo Audrevv Peve far leiliin, em
presenta do Sr. cnsul sardo, porcontae
risco do quem pertcncer, o por inteivenciio
do corretor Oliveira, de correntes, ancoras,
masiaios, vergas, panno, cabos, bolinete,
gimo, lancha, boles e m.is salvados da
liaica sania Ciuiscphina, encalhada no lugar
denomina.io m;u ;., Farinha, na sua rcenle
viagem com destino a este porto: quinta-
ana, 3 do Janeiro, s 10 horas da manliaa,
nu.trapicbe da Companhia.
Avisos diversos.
- Precisa-se de om homem capa? para
caixeiro de casa de purgar de um eagenho:
quem eshver nrts circumsiancrs, tlirl-
j-c a rua da Cruz, n. 64, casa'de l.omen-
to Jos das Nevos, para ti alar do ajuste.
Na rua da Ca lea de S*n'n- Antonio, n.
13 r.o primeiro andar, se dn quem lem
un negro de 30 a 35 anuos *em achaques,
multo rubuslo, e proprio para semeo
bracsl- ,
Precisa-se de urna pessoa Torra e ca-
pz para ama de urna casa do ronca fami-
lia-na-rua das Cruzfs, n. 21, segundo
andar.
Precisa se de um fetor para lomar
eonla de urna ilha ao pedos Afogados: quem
esliver neslas circumstancias, dirija-so a
rua da Cadeia do Recite, loja n 54. Na mes-
ma vende-se urna porc.no do taboas de assoa-
Ihodo amarello. .
Precisa-se de um bom cozmliciro : na
casa de pato da rua da Cruz, n. 18.
Chapeos/ de sol
RuadoPsseio, n.5.
Nesta fabrica/ presentemente um rico
sortimenlo AeA*.objectoa de todas as co-
res e qualiuvr"es< l,,,l de 8eda como de
oanninho./or Prf?os commodos j ditos pa-
ra sriiho"3' de bom gosto: estes chapeos
silo fe i* Pe'a u'l'm-1 moda ; seda adamas-
cada-0"1 ricas franjas de retroz. Na mes-
m>;asa se acha igual sortimenlo de sedas,
opanninhos imitando sedas, pata cobrir ar-
macOes servidas : todas estas fazen las ven-
dem-se a porco oarealho: concerlam-se
quaesquer chapeos do sol, tanto de basteas
de ferro como de baleia, assim como umbe-
las de igreja : ludo por preco commo.lo.
Fucio de bordo do patacho Nicthtroy,
em principios do mez de ootrbro, o prclo
Vicente, do nacSo, de 30 a 40 annos. de es-
tatura baixa, magro: quem o pegar leve-o
atrs doCorpo-Santo, casa n. 66, quesera
recompensado.
-- Fugio no dia 21 docorrente mez de de-
zembro. de bordo do brigue brasileiro Inea,
uro caboclo donme Manoel. o qual repre-
senta ler de idade 35 40 annos ; tcm fei-
cio de branco, e he bastante escuro, ja com
alguns cabellos brancos na ba'ba; levou
vestido camisa e calca ds algodilozinho, bo-
nete manija quemo pegar poje leva-lo
atrs do Corpo-Santo, casa o. 66.
Francisco Antonio Vital de Oliveira, Dr.
em medicina, medico consultte do hos-
pital d.s marinln desta provincia, acha-se
residindo na rua do l.ivramento, n. 20, on-
de pJe ser procurado a qualquer hora do
dia ou da noite para exercerasua prolis-
s3o; curando ao* pobres gratuitamente
-- Manoel Ignacio da Silva Teixeira par-
ticipa aos seus frgueaes que Ibe fazem o
obsequio de man lar buscar o pilo no sen
deposito na tr ve 5, que lo.n resolido manda-lo toJ is as ma-
niaas com um poitidor aentregar as ca-
sas ilaquelles que assim o quizerem, poden-
do mandar dizer no referido deposito as
suas inoradas e qualquer cousa qce quizo-
rem alm lo pilo ; como seja bolacha, bo-
lachina de agoa o sal, doce, regala e caf,
que Ibe ser fornecido pelo mesmo porta-
dor, segundo suas encomiendas.
Precisa-se de urna a ma de leile, captiva
ou forra .quem pretender, dirija-se rua
do Vigario, n. i, primeiro andar.
klatliiai de Azevedo VilUrouco com-
prou, pircoiiia de Antonio Moreira Vinha,
o leeio bilbele da oitava lotera do llieatro
de San-Pedro- le-Alcai|lra do Rio-de-Janei-
ro, n.'2!04, o qual fies am poder do annun-
ciante.
__jija r-ja das Cruzes, n. 35. segundo an-
dar, ensinam-se meninos e meninas a lr,
escrever, contar, arithmetica, grammalica
da lingoa nacional: promellc-se a maior
a'ctividad^, tanto para oprogreiso de ditas
disciplinas coiio para a pratici de bous
costumes. Na mesma aula lamben so re-
cebem p nsionistas.
Piecisa-se de urna ama de leite forra
u-i captiva ; na rua Direila, n. 76.
-- Oabafso assignado deseja fallar ao Sr
Manoel Vieira dos Santos. -- Jm*" Vitira doi
Santos.
A "poca.
Aos*senhores assignarftes deste jornal se
fazcertoe igiialirranle awespeifavel publi-
co, que acaija nuagflodoSWrnieros destedornal al o nu-
mero 52; e como tenhatn Onega lo dilTereii-
les collocijOesi.completas, CTrnvils-se aos
aiiianleiu HJ.rui'i;o a concurroicili para
n siiji exThicijno, visto como he esle jornal
de lana importancia.
Assigna-se na rua da Cadeia do Reeife,
loja'rfb ferragom deJoflo Jos do Carvalho
Moracs.
O piec.o da assignatura he :
Por um anuo, dinlieiro a visla 6,400
Por seis mezes, di lo dito. 3,200
Manoel Ignacio da Silva Teixeira, dono
da anliga padaria de una soporta, acha-se
agora na loja debaixo do sobrado junto a
mesma padaria,n. 106, temi lechado aquel-
la porta, aonde conliui a fabricar,iilni do
excollente p.l de forme anliga e Provenga,
bolacha furada dedifTiirenies'tamanlios, bo-
lachinha de agoa e sal, e doce intitulada re-
gala, ludo da o elbor farinha, bolachas de
lamillas mais baixas para vemlas e para o
inatto pelos prec,os crranles, caf muido, o
meltiorque be possivel e sem mistura, ce-
va ia torrada e em gnlo, caf em gr.lo, bom
cha bysson, assucar refinado e em caruro:
ludo o mcllior possivel e preco commo^o.
Dcsappuiecuu, no dia 22 do corrento, as
8 boras da noite, orna parda de nomo Jus-
tina, de 24 anuos pnuco mais ou menos,
com ns signaesseguintea: levou vestido de
cliila rouxa ; estatura regular e um tanto
clarada cor; ha de querer iulular-se por
forra ; tcm um denle quebrado no queixo
do cima ; o inmediato do dedo gratulo dos
ps he mais pequeo : roga-se s autorida-
des puliciaesou ouira qualquer pesioa que
a apprehender que a coiiduzain Capun-
ga, ao sitio de Joo Leile do Azevedo, ou ao
Reeife, loja de cabos, defronte do Corpo-
Santo, n. 17, que generosamente se recom-
pnsala de 50,01)0 rs. paj-a cima.
Seeodicine socit pbilanlropi-
qtie (mle )
Tioisime Souseriplion.
'lusieurs personnes, sachant qu'unedeu-
xime souseriplion roulait, pour un deu-
xieme acle dit de b'enfisance, proposenl
une troi.-me souseriplion pour Isire frap-
per une n.daille. d'or, en l'honneur des co
lillons pliilanlropes donl les vertussi dis-
linguesont plus d'une fois excit ia cbaiite
ilc leurs couipaUiules.
Kffi'jw de la mdaille.
Sur la free une fenune repiseutaiil la V-
--3
ril d.-ins son Poalu no milional, elsorlant
le la I), iirlie d'un puits arlsien.
Sur l revers co qu.itruiu qui, quoique
vieui, n'en est pas nuillcur:
Saint l'oul dsait aux Corintbions
Faites des aumones, mes fieres,
Car la charil, des ebretiens
Des trois verlos, est la premi-re.
Signes, Pluseurs Fra,n(ais litis galants,
qui poursedrober a la reconnaissance de
ees damos, dsirent garder l'anonyme.
uSdIcao;
DAURORA
. i.... j
C. Starr & Companhia leem a honra de
avisar aos seus freguezes, o ao publico em
geral, que sua grande fundiclt em S.-
Amaro alm do sortimenlo que constan-
temente lem t acha-se de novo provida de
muitas moendas do caona, e do varios l-
mannos feitas no mesmo eslabelecinicnlo
pelos mais peritos ohlciaes, e con.) o maior
cuidado eperfeiclo; tnto assim bo que
osannunciantcs.se ufanam em garanti-las
pelo primeiro anno. As moendas inlciras
todas de ferro', construidas as olTicinas
dos annunciantes, silo Ouilo superiores a
quaesquoroutrasda mesma natureza que
at agora teem sido aqui offereeidas, pois
aquellas encerram em si corlse importan-
tes melboramonlos resullaJo do mais dr
20 annos de experiencia e pratica do pais.
Aluga-so a casa terrea da rua Augusta,
n. 30, com commodos para urna familia : a
tratar na rua 1 irga do Hozario, n. 18.
Precisa-se alugar un prelo para car-
rogar um panicum de pilo e faser o servicio
de casa : na rua do Pires, n. ti.
Mo las IVanee/ i-.
Madama Theard, com loja de modas, r?ia
Nova, n. 32, recebeu um sorliinento muito
rico do chapeos de soda.de escomilha, de
dina, de (li e de palha, todos de muito bom
gosto ; charcos de uslha para meninos e
meninas, de moda multo nova ; mantele-
tes ; capotolios ; visitas muito ricas ; Irn-
Cas de militas qualidades ; lieos de lindos ;
fitas milito ricas e dos ultimo padrOes ;
capellas de flores para bailes e casamenlos ;
lloros muito finas ; e amitos outros enfeitcs
para senboras. Mamada Theard faz sompre
enfeites com multo gosto, e na ultima moda
vestidos para bailes e casamenlos; cha-
peos ; brinetes do monttria ; rOUpfiei; palito
de meninos ; vestuarios do meninos, o to-
dos os enfeiles para senliora.
Precisa se de um cozinheiro esoravo
para urna casa estrangeira : no Trapiche-
Novo, n. 16.
Na rua do Sol, n. 9, se dir quem d
drnheiro a premio sobre peuhores de ouro
ou prata. Na mesma casa vendem-se pecas
de tremoia, toalhas e guardamipos i lulo
fabricado em Cuimarilcs : tambem se ven-
dem capachos grandes o pequeos, rodon-
.dos e rompridos, por preco comino lo.
Na rua do Sebo, n 10, luga-se um mo
lequebom comprador, coziuba solfrivel. he
fiel e niTo lem vicios. Faz-se negocio com
urna byplhecn na casa da rua da (.loria.
n. 77, pelo qunntia de 600,000 rs Vende-se
urna boa carioca para hoi
Sorveic.
No principio da rua da Aurora, ao p da
ponte, ro armazem da porta larga, se acha
prompto e com asseio para todas as pes-
soas que quizerem lomar sorvote, pois uo
s acnarfio bom sorvele, como bou licor
marrasquino o superiores charutos, pois
silo cousas muilo proprias para depois do
sorvele; todos os dias, das seis horas e meia
la tarde em diante.
Precisa-se de urna rapariga solleira
queso queira subjeitar a servir a urnas se-
nhoras honestas, ou mesmo alguma miillier
j idosa o de boa conducta, daudo-se o sus-
tento, vestuario e pagando-se-lbe algunia
Cousa conlo'mo o ajuste : muito se estima-
r se a rapariga solleira fr orpba : na rua
Relia, sobrado da esquina, no segundo
andar.
Precisa-se alugar um primeiro andar
do sobrado com quintal e cacimba, e que se-
ja perto da mar, e com commodos para
grande familia, ou mesmo una casa terrea
com as mesmas commodidades, mas que
nSo esteja desconcertada para o que se da-
r fiador a-contento: quem tiver annun-
cie.
Na rua de Agoas-Verdes, n. 26. engom-
ma-se e lava- se toda a qualidade de roupa ,
com todo asseio, promptidSo e por preco
mais coinmodo do que em outra qualquer
parte.
Alugam-sedous sitios na campia da
Casu-Forlo e um outro na rua da mesma po-
voagiio, com mullos arvoredos e ptimas
accomuioitncfics; bem como varias casas
pequeas, proprias para se passar a fesla :
a tratar na rua do Amorim, n. 15.
Debites arliciaes.
i, A. S. Jane, dentista, participa ao res-
peitavel publico quo contina a exercer a
sua prolisso, na rua estreila do Rozario,
n. 16, primeiro andar.
Joo Jos Innocencio Poggi, l>r. em
medicina, faz publico que tem Jixado sua
residencia no Alcrro-da-lioa-V'isla, sobra-
do,- n. 3, onde o acharo prompto para
exercer sua arte, curando gratuitamente os
pobres.
Fugio, no dia i6do corren-
le, pelas quatro boras da larde,
um prelo da Costa, ebegado lti-
mamente da Babia, que mal sabe
dizer quem he seu senbor, e lem
os signaes seguintes : um grandt
golpe | or cima de urna ionice un
pedacode urna orelba de menos :
levou camisa de algotlao branco
trancado e calcas de algodao ris-
cado a me i i can o : a pessoa que o
pegar ou delie der noticia dirija
se praca da Independencia, n.
68, que ubi se dir quem be seu se-
nbor, e ser bem recompnsalo.
-- Quem precisar de um homem para ad
ministra Jor de engenhu, o qual teo co-
da fabrica de Gantois Pai- f|
l/iel&c Companhia, na fa- !?
hia. fy
Domingos AlvesMalhcus, agente da 4
fabrica de rap superior arcia prcla ?
uhecimentos theoricose pralicos do dcsli-
lai, dirija-se ao Alerro-da-Rua-Vista, n. 80,
venda.
Augam-seas lojasdo sobrado da rua
da l'enha, n. 6, e da rua Augusta, sobrado
amarello, proprias para qualquer esla-
belecimento : a tratar na rua do Amorim,
n. 15.
| DEPOSITO GERAL
? do superior rap a/eia-przta I
%
i
i
i
?. fabrica de rape superior area
^ e meio grosso da Rabia, tem aberlo o &
^ seu deposito na rua Cruz, no Reeife > n. 52, primeiro andar, onde se achara )
Gj) sempre deste excellentee mais acre- ^
v>-, ditado rap que al o prsenle se tcm }
> fabricado no brasil: vende-se om bo- 4
J) les de urna e meia libra, por prego 4
r>, mais coinmodo do que em outra qual- 4
S quer parte.
m *
-- I)-se dinheiro a premio sobre penho-
res de ouro, prata e hypothecs em casas
terreas, ou mesmo em algum sitio : na rua
estreila rio Rosario, n. 30, segundo andar,
so dir quem d.
Precis.i-S'i alugar um prcto qua enten-
da do cozinba, Silba comprar e lazer o ser-
vqo de urna casa depouca familia : na rua
doTrapiche, n. 6, primeiro andar, ou an-
nuncie.
-- Charles Chapronl, relojoeiro francez,
rua Aova, n. 32, Concerta relogios do tO'las
as qualidades com muito cuidado e muila
perieicflo, assim como vende relogios pa-
tentes, muito superiores.
o &
QJ Alugam-se e vendem-so as verda- Q
,;.';;, deiras bisas de llamburgo : na praga ^
0 da Independencia, n. io, ao voltar /j
r\ para a rua das Cruzes. Q
O 0
Aluga-so urna casa no Cacbang para
so passar a fesla, com esliibaria e coebeira,
por preco Commodu : na rua Nova, n. 63
-- O Sr. Joo Cyprianno Rangel queira
ter a boudado de apparecer na na .la Ca-
deia de S.-Antonio, p ra decidir sobre cer-
ta cotila que S. Me. recebeu.

ROWMAN & MC. CAI.I.L'M, engenhei-
ros rnarjiinistas e fundidores de ferro, mu-
respeilosamente anniinciam aos Senhores
proprielarins deengenbos, fazonileiros, mi-
neiros, negncianlcs, fabricantes e jo res-
neilavel publico, quo O spq,eslalielecimento
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em effectivo exerciciu, e se acba com-
Lotera d > Bo'-dc*
Janeiro.
Aon 20:000,000 de rs.
Na prac da In lependencia, n. *, WBr
dem-sebilhetes, meios, quarlos, oitayos e
vigsimos da 8.' lotera a beneficio do tnoa-
trode San-Pedro-dc-AlcanUra. Na mesm
lojasemostra alistada 51/lotera da Mi-
sericordia-
farinha de Ingo.
Vende-se superior familia de trigo fran-
eei ile Provenca, chegada ltimamente de
Marsellia: em casa dflJ. J. Taso Jnior, na
rua do Amorim, n.'35.
Vendem-se 200 barricas vasias: na tra-
vessa ila Madre-de-Deos, n. 5.
Vende-se um braco de batanea grande,
com conchas do pao e cabos, e um terno de
pesos de duas arrobas at meia libra : na
praca da Santa-Cruz, na padaria debaixo
do sohrado n. 106.
-- Vendem-se 50 varas de lages de Lisboa
a 3,200 rs. cada urna ; urna canda de ama-
rello, propria para abrir barcaca, com 58
palmos de comprido e muito sa : na rua
da Praia, serrara do Cardeal.
Chogaram pelo ultimo vapor vindo do
su! destes superiores queijos muito fros-
caes, dos melboresquc teem viudo a este
mercado : vendem-se por preQO coinmodo,
no armazem de molbados atrs doCorpo-
Sanlo, n. 66.
ae*,'x ^mttxtjfia m shu #. *
|Kua do Collegio, n. 9.|
LOTERA DOUIO-DE-
JAflEIRO.
{ 20.000^000
i; *
9 8/ do Iheatro de San-Pedro.
Vendem-se commendas de Chnsto e
ditas da Rosa, babilos de Christo, e ditos da
Rosa : na rua do Crespo, n. 17.
--Vendem-se chapeos de todas as que*
lidades.-para senliora; finos manteletes e
capotinbos do chamalote, tafet e bico; lu-
vasde pellica, de seda e de rod ; chapeos-
zinhos ricos, para meninos e meninas i no
Alerro-Ja-Roa-Vrela, n. 1, casa de modas
francezas.
Na rua dos l.inrarapes. n. 7, em Fora-
dc-Portas, vendo se urna negrinba rrioula,
de 9 annos, de muito bonita figura, o com
principos de costura.
Vende-se urna boa padaria com todos
os seus pe'tencos e prompla a trabalhar, na
rua Direila, n. 26 : na mesma padaria se
dir quem vende
Vendem-so luvas de torzal de seila,
prctas 0 brancas, com linla renda para se-
nboras e meninas, meias de algodo para
meninos e meninas, a 120 rs., 160 rs e 200
rs. : na rua da Ca leia-Wlha, n. 15.
May.a Itanios&C.
\
tinuaem ellectivo oxercicio, e se acua com- __- ,,
(.lelamente monladoconiapparelhosdapri- COin loja lia Illa dOia^n.O, aca-
meira qualidade para a perfeita confucQtol
das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprebender quaesiiuer
obras da sua arle. Ilowman & Me. Callum
ilesejam mais particularmente chamar a
lltenc&o publica para a sseguintes, por
terem deltas grande lormenloj prompla, j
bain de receber de l/isba um
soitimento do livros com as de-
nominacoes seguintes
(i Honge de Clster ou a poca do D. Joo
I por Alexandre lleiculano, 9 v. em broch.
Historia da revolucao franceza porThiers,
as quaes conslruidas na sua fabrica podom 6 v orllajos lie estampas finissmas.
competir com as fabricadas em paz es-
Irangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade das materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de va por da mcllior construcclo.
Moendas de caima para engenhos de lo-
llisloria do grande NapoleSo, 4 v. por
Norvins, e trailuzi'la em portuguez por....
O Secretario universal portuguez, ou rae-
thodo de escrever to.la a especie de cartas,
seguido de um formulario de memoriaes,
requerimentos e cartus do commercio por
dos os tamaitos, movidas a vapor por agoa M 'A s
ou animaos. A virgem da Apulonia, I v., pelo com-e-
Rodas d'agoa, moinbos de vento o serra
ras.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilboes, bronzes e chumaceiras.
Cavilbes e parafusos de todos os tama*
olios.
Taixas, pares, crivos e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a m3o ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogo e frnos de farinha.
Canos de ferro, tonoiras de ferro e do
brouze.
Bombas para cacimba e de repudio, mo- xamjr uuniBS.
..:.I<.n n m?:.. i. i i i ii i -, ,i !i i Iheiro Rastos.
McdilaQes ou discursoj religioso, 1 v.,
pelo mesmo concelboiro.
Tboologia do homem casado, 1 v., por
Paulo Cock.
Os S. te Peccados Morlaes, a inveja ou
Frederico Uaslen, 3 v., por Eugenio Sue.
A Soberba, romance, 4 v., por Eugenio
Sue.
Ensaios de critica o lilteratura, 1 v., por
A. P ;,. do Ueadonca.
Historia aos Ires dias da revolucao de fe-
vereiro do 1818, por Eugenio Pelletan.
O Cavalheiro d'Harmenlal, 4 v. por Ale-
vidas a mio, por animaes ou vento.
Cuindastes, guinchos c macacos.
Prensas hydraulicas o do parafuso.
Ferragens para navios, carros c obras pu-
bli.ias.
Columnas, varandas, grades o porles.
Prendas de copiar cartas e de sellar.
Camas, carros do milo o arados de ferros,
&c, &c.
Alm da superioriade das suas obras, j
geralmente reconbecida, Ilowman & Me.
Callum garanten! a mais exacta ennformi-
dade com os moldes e dezenhos remeltidos
pelos Senhores que se dignarem de fazer-
hes cncommendas, aproveilando a occasio
Obras poticas de D. Leonor de Almeida
Portugal Losne e Lencastre, marqueza de
Losna, condessa de Assumar e d'Oeinbau-
seu, conbecida entre os poelaa portuguezes
pelo norhe de Alccepe, 6 v.
Portugal piloresco ou a descripcSo hist-
rica desto reino, 4 v., por Fernando Diniz.
Colleccilo de pensamentos, mximas
.. proverbios, 1 v., pelo concelheiro-Bastos.
Leilurs populares por Alvaro d Azeve-
do, um folhelo.
lieos o quer, opsculo escrplo em fran-
cez pelo visaonde de Arhncourt, seguida
da relarao de seu processo no tribunal do
polica rorrecional, o do seu discurso pa-
rante ojuiy.
Obras do concelheiro Almeida Carret,
para agradeccrcm aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, o asseguram-lhes1 vVimos"
que nSo pouparo esorcos e diligencias; 0 Cavalheiro da cas
para continuarem a merecer sua conli-
tnea.
Al-
3 V.
Compras.
Compra-se um sopha. duas cadeiras
de balanc e um | ar de consoles : ludo de
oleo e em segunda nio : na rua de llortas '
casa ten ea com a frente pintada do azul,
se dir quem compra.
vermelha por
xandre Humas, 6 v.
A Salamandra, romance martimo,
por Eugenio Sue.
O Mona.-licon por Alexandre llerculano,
1 volume.
OAnte-Christopor Julio da Tournefoit,
2 voliimi s.
O Huido, romance original portuguez
por Collares Leal.
A di smoraiisarao e o secuto, fragmen-
tos por S J. Riboiro de S.
O Rom menino, conlos moraes de um
linde--.o- a seus discpulos.
Ilaphael, paginas do vigsimo anuo por
i Lamartine.
--VENDE-SE urna rommeuda da ordem Cartas deOlindaa Alzra, 1 folhelo; Ul-
de Christo : no pateo do Terco, n 1, segn- limos dias de Pompea, 2 v.; o Sptico, ro-
do andar. manee pbilosophico, i v.; e outras muitas
. Vende-se urna prela muilo 'moca, e de obras quo por falta de espaco n8o se publi-
bunita (guia, e urna parda acaborlada, am-1 cam seus ttulos, us queesttrfio patentes
bus fazcm alguma cousa; dous pretos criou- | em urna relac.m que na mesma loja have-
!os ; um pardo : lodos muito mocos, de bo- ra. e promelle-secommodidadede pre^o.
nilas figuras, j com alguma pratica de ar-j Venden.-se barricas com macSas vin-
mazem de assucar: sao muito |iossantes e j das debaixo do guio, pelo baralissimo pre-
pori.-su srvem para lodo o servico na iua,co do 4,000 rs. : no Alerrc da-Boa-Visti,
da Senzalla-Velba, casa terrea, n. 64. I n. 24, veuda.
Vendas.
I
MUTILADO


*
_.e

,."* \endem-se bons queijos londrinos,
lite- de prato muito frescaes e de superior
quaiuinde, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos porluguezes para panella, Utas
com a e 4 libras de marmeladu, cfitws com
bolechinha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas c<>m hcrvilhas. frascos com conservas
inglezas, queijos de oualha vimlos do Ccn-
ra, por larato preco, mantas de loucinlio
ingle/ (le rumeiro.de 7 a 8 libras cadauma,c
oulros mullos gneros de boa qualidade :
a nrua da Cruz, no Recite, n. 46.
Corles de cassa para ves-
tidos com 116 cavados
por 5,500 rs.
Vendetn-se corles do cassa para vestidos,
com 16 covados, a 3,500 rs.; ditos com 6
(ovados, a 1,760 rs. ; pecas de cambraia li-
sas eom oilo varas e meia, a 2.720 rs.; pan-
- no de linho mullo fino, a 480 rs. a vara : na
ruado Crespo, loja da esquina que rolla
para a cadeia.
Taixas para engenho.
Na fundicSo de ferro da ra do Brum,
caba-se de receber um completo sortimen-
tode taixas de 4 a palmes de bocea as
quaes aenam-se a venda por preco com-
nodo -, e com promptidSo embarcam-se,
cu carregnm-seem carros sem despezas ao
comprador.
Cascas e cambraias.
Vende-** um sorlimentn de caass, cam-
braias. chitas, riscados, chales de seda,
ditos de lila, luvas, meias, bicos de liulio,
brancosoprelos: tudoo mais barato pos-
aivel, por seren fazendas fra da moda : na
ra do Crespo, n. 9.
Arados de ferro.
i
Na fundicSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferio diversos mo-
delos.
AG<:NIA
da fundicSo Tow-Moor,
BA Dk SF.UZALTA-ISOVA, N. !\1.
Neste estabelecimento conti-
na a haveium completo sorli-
menlo de moendas e meias moen-
*das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, Je todos os tamaitos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Haba
Vende-se ei* casa de IV O. Hieber & C.
a ra da Cruz, n. 4, alcodo trancado
daquella fabrica, milito proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Cha" brasileiro.
Vende-se cha I issilriro noarmazem de
molhados, alias do Cnrio-Sanlo, n. 66, o
mais cxcellenle cha produzido em S.-Pau-
lo que lem vindo a este mercado, por
preco muito commodo.
Moendas superiores.
Na fundicSo de C. Starr & Companhia ,
em S.-Amaro, cham-se venda (metidas
de ranna, todas de ferro, de um modelo e
conslruc$5o muilo superior,
des fumantes de bom gasto.
Noarmazem de mnlhadbs atrs do Cor-
po-Sanln, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em oulra qualquer parle : bem como
cigarrilhos hespanhes ditos de palha de
millio, que seesISo venciendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
Corles de brim de cores
com Hshf sao lado, a
l iO rs.
"Vendem-se cortes de brim de cores com
listras ao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
godSo americano, proprio para escravos, a
140 rs. o covado : na ra do Crespo, loja da
esquina que volla para a cadeia.
Tecidos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
>'a rtia da Cadeia, n. 5*2,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Ruarles de furla-crcs a
StJtt rs. o cov/lo e ris-
cado monslro a 120 rs.
Vende-se zuarte de furta-cores muito
encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monslro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra oo Crespo, loja da esquina que
volla parr a cadeia.
Batatas novas a 300 rs.
o gigo:
venJem-se no armazem doJ. J. Taso J-
nior, na ra do Amorim, n. 35.
rara t| ii em I i ver bom
gosto.
Vendem-se redes de cores muilo grandes
e muilo bonitos padrdes, e o inelhor que
lem apparecido neste mercado : na ra do
Crespo, loja da esquina que volla para a
cadeia.
Vendem-se amarras uc i/rro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
Saccas com fardo novo,
de 0 a 00 libras, a i.*?:
vendem-se no armazem de Antonio Annes,
no caes da Alandega, e no de Vicente Fer-
reira da Cusa, na roa da Madre-de-Deos,
cliegadas ultimameiile de Lisboa e de
(rauca.
Veudc-so una pule dos sobrados de
Iras andares, na- l*e >c, lites na esquina
da ra dn Cadeia, defronte do tliealro de
San-rranciseo : a falla rno primeiro andar
dos dilos, com Joaquim Teixeira Peixoto.
Vendem-se queijos londrinos, presun-
tos muito frescaes. frascos com mostarda,
ditos rom frucias. botijas de corinlhos, fias-
quinhos de mollio para carne, e oulros
objeclos : ludo chegsdo ullimamente de
l.ivorpool na galera Seword-Hsh : na rus da
Cruz, n. 7. armazem do Davis & C.
Ultimo gosto.
Vendem-se os melhores chapeos de mas-
sa franceza que teem vindo esle auno, tan-
to em forma como em boa qualidade i ha
para caheca bastante pequea, a 7,500 e
8,000 rs. : na ra do Collegio, n. 1, loja da
estrella.
Vende-se urna escrava cr
oula, bonita figura, piopria para
qualquer servico de una casa : na
ra da Cadeia do Recife, loja de
Jooda Cunha 31agalh3es, n. 51.
Os mais ricos mantele-
tes e ca poli Ib os.
Vendem-se os msis asseiados mantelete:
c capotilhosde chamalotc de seda e gor-
gurao, os mais ricos que teem apparecido s
na ra do Queimado, n. 9.
Vende-se superior farinha a bordo da
polaca N.-S.-do-( armo, fundeada defronte
do Passeio-Publico, por commodo prego, e
em saceos : na ra do Vigario, n. II.
Vendem-sesaccas com fare-
os de g4 libras cada urna : no ar-
mazem de Hacellar, no caes da'
Alfa^ndega.
Potassa da Russia.
Vende-se a verdadeira potassa da Russia,
desembarcada agora, em barris requenos :
em rasa dos Srs. Rolhe & Bidoulac, ra do
Vigario, n. 4. '
Ven-'em-se cortes de cambraia de cO-
res, pelo baralo preco de 2,000, 2,500, 3,000 '
3,500 c 4,000rs.; cambraia de seda, a-3/
rs.: meias para meninas, a 160 rs.; 19a
rom listras de seda, a 600 rs. >> covado; lan-
zinlia propiia para roupa de meninos eves|
lidos de senhora, a 240 rs.; lila superior pa-
ra caigas, a 500 e 600 rs. ; lencos de algo-1
dSo e seda com franja, a 600 rs. ; corle s le (
rollete de velludo, a 1,600 e 2.500 rs. ; cas-
sa-chita, a 400 rs a vara ; garca de seda, a
500 rs. o covado; cambraia de seda,a 560 rs.
o covado e nutras muilas fazendas por
baralo prego : na run do Crespo, n. 15, loja
de Jorquim dclHiveira Meya Jnior.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Saolo, n. 66, por preco com-
rr-odo, velas de carnauba, sendo szues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e alurarem mais que as de espermacele,
e nao fazerem morrSo.
Vendem-se saccas eom trelo, muito
grandes e boas, por 4,000 rs. : na ra da
l'raia.n. 20. ,' i
--Vendem-se,por prego commodo, duas
ricas toalhas de lavarinto : a tratar n'rt Aler-
ro-da-Hoa-Visla, armazem de louga da Ha-
ba, de Ccsme Jos dos Santos Callado, onde
seacliam penquen quizerve-las.
.- Na ra do l.ivramento, n. 11, vendem-
se sapatos de marroquim ureto n rniiro o
500 rs. o par.
Aviso impelante.
Beneficio publico.
O armazem anlign da ra da Madre-de-
Deos, n. 36, est de novo estabelecido de-
baixo das mesmas condicOes, offerecendo
a deliciosa pinga do vinbo da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinhobranco de Lis-
boa por220rs. a garrafa, c 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de P.ordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. Nao se admirem
os freguezes do haixo prego por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprielario querer sustentar o anligo pre-
go, emhora esle genero lenha subido o me-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examinen) os
amantes a qualidado para reconlircimenlo
da verdadMkcontinoaco da antiga fregu-
/ia. K pnra'-clo haver usuras, esl3o promp-
tas garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barris de diversos ta-
maitos para provlsiio do prximo Nalal.
O proprielarioconta com a concurrencia;
do contrario, tornr.rSo os pregos do reta-
Ihoa primitiva de210e 280rs. a garrafa.
Vendem-se sapatoes de cou-
io de lustro pelo baratissimo pre-
co de 3,0(0 rs. ; ditos superioies
e de ponto ixo, a q^ooo rs. ; dilos
de lustro para meninos ; ditos do
Aracaly para bon.em : na ra da
Cadeia do Kecife, lojan. 9.
Deposito de Potassa.
Vende se muito nova potassa,
de boa qualidade, em barriszinliot
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
lempo se nao vende: no itecife,
ra da Cadeia, armazem n. I*.
Anligo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgen) de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Macaas.
i
Vendem-se as mais superiores
em barricas, viudas no gelo, a rs
5,ooo cada urna : na venda da rua
da Cadeia do lenle, ti. a5, defron
te do Bccco-Largo.
Vende-se superior vinho de
Champanhe : na rua do Trapiche,,
n. i3.
Na ruado Amorim, na. 56
4-
e 58, vendem-se fardos em sac-
cas grandes por preco commodo :
a elles entes que se acaben).
Alteneao.!
No srmazcm de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha chegado pelo ultimo
navio de Lisboa el.iverpool, superior mar-
melada, (frutas em hcelas-frascos do or-
chats, boies com geleia de marnelo, latas
com bolachinhas de Lisboa, chocolate,
paios de lombo, queijos londrinos, presun-
to para fiambre, conservas, potes com sal
refinado, latas com biscoutinho inglez, e
cha; ludo do mais superior que lem appa-
recido neste mercado: assim como um
completo sortimento de exrellentes vinhos,
proprius psrs o lempo de feala, o que tudo
se vender por menos do que em outra
qualquer parto.
Calcado de I,80 a 1,600
rs., no Aterro-da Boa-
Vista, defronte da no-
neca.
SSo chegados sapatos francezes de couro
de lustro para aenhora, a 1,280 e 1,600 rs. o
par; borzeguinspara homem, a 4,000 rs.:
bem como um completo sortimento de cal-
gado de todas as qualidades, tanto para ho-
mem. como parasenhora e meninas; sapa-
tOcs blancos do Aracaly para homem, a 1/
rs ; ditos do couro de lustro; pelles de cou-
ro de lustro hamburguezas e francezas ; di-
tas de marroquim ; botdes de seda para ca-
saca : tudo por prego commodo.
Calcado rancez
sabido da alfaudeg ha dous dias, sendo ss-
patos de couro do lustro para senhora, a
2,000 rs.; ditos de urna sola para homem,
a 4.000 rs ; ditos de beaerro de Nantef, so-
la grossa e fina, a 5,000 rs.; sapaUtes de
couro de lustro, a 6,000 rs.; botzeguins
gasieados, a 7,000 rs. : na rua do Crespo,
ao p do arco, loja do miudezas, de Joaquim
llenriques da Silva.
1
Chapeos do Chile |
"4 ^5*'r,cr'0r qualidade.

rf
9 Pelo ultimo vapor rereberam-so
9 mais chapeos do Chile de supenor-#
9 qualidade, que continuam a vender-A
st se ( a i'rceos mais com modos do que 9
A em oulra qualquer parte ) na rua do Q>
t> Collegio, n. 9. A
_______
Superiores chapees do
Chile.
Vendem-se Chapeos do Chile em porgues':
na praga doCommercio, n. 6, primeiro an-
dar, s!o muito bonse muito claros.
Farinha de S.-Catharina.
Vonde-se a borlo do brigue Ihiut-Amigo!,
fundeado defrodledo caes do Ramos, on
na praga do Commercio, n. 6, primeiro an-
dar, farinha de S.-Calharina.
Vcndem-sc meias barricas
com superior farinha gallega, che-
cada prximamente de Itiche-
mond : na ma da Senzalla-Velha,
armazem de Matheus Austin &
Companhia ou na rua do Tra-
piche, n. 3G.
Agoa de Ungiros cabellse suissaa.
Conlina-se a vender a agoa de tingiros
cabellos e suissas: na rua .do Queimado,
n. 31. Omelhodnde applicar a dita agoa
acompanha os vidros.
Farinha de mandioca.
Na rua do Queimado, n. 14, loja de Ter-
ragens, ainda ha algumas saccas da boa
farinha de mandioca, muilo alva e bem tor-
rada ; bem como urna porg3o de peonas de
enn, proprias para espanadores ; urna es-
crava de 20 annos, propria para lodo o ser-
vigo ; outra ditaque se vende barato, por
ser de maisidade, e que he boa para ven-
der na ru, e sabu muito bem lavar roupa;
urna parda moga, do bonita vista ; saccas
de goinma deengommar, muito alva : tudo
se vende baralo.
Velas de espermacele
em caixasde 30 libras, o da melhor quali-
dade que ha neste mercado : vendem-se na
rua do Trapiche, n. 8.
Chapeos de palha
muito finos e superiores: vendem-se na
rua do Trapiche, n. 8.
-- Vendem-se chaposzinhos ricamente
enfeitados para meninos e meninas de um
a tres anuos: no Alerro-da-Boa-Vista, n. I.
Chegaram novamente ruada Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogiosde ouro e prala
patente inglez, para homem e senhora.
Bous queijos do sertap.
SSSF.
Manocl da Silva Santos vende
faiinba de trigo superior da marca
cima mencionada c chegadu a es-
te mercado no ultimo navio vindof
de Trieste : quem pretender, po*e
dirigir-se ao armazem do Annes,
nocesda Alfandrga.
Xarope do bosque.
SALVACAi DE MAIS UM A VIDA.
Eu abaixo assigoado, morador na rua da Val-
la, n. 10, tendn padecido por espaco de 13 an-
nos do mal de aithina, proveniente de unta
conallpaco que apanhei quando morcl no lu-
gar chamado l'onta-iVgrn, no diitriclo de Ma-
rica, durante esle ien.,o nunc. cesset de to-
mar remedios, una apiHcados por amigos
meus, outros por profesares a quein consul-
te!; ppr fim desengaram-nv> qUe o meu mal
nao tinha cura, por ser j lutiio amigo ; eu
nesla triste situaciio, coui os alivies continuoa
que me perseguan) em tedas at^udaofas da
la, e com o desengaao de nao po curado, rsperava a Masarte a todos oa .uientos
em que me vinbainasa ataques, porq>e cava
tao sullbcado.q'ie perda a respiracao; > ssm
que me passava a malor fOrta do ataque cu,1P_
cara-ine ento urna toase t3o forle.que nem |.
lado, nem de manrira alguina podia socegai,
e para descansar algumas poucas horas, passa-
va recostado na cabeceira da cama, lia sete
annos para ca, quando vim para a corte, fui
aconsrIludo para ir residir fra da cldade, ede
tomar de lempos cin lempos vomitorios de
poaia : assim flt, porm ludo fol intil. Con-
inuavam os msenos ataques da mesnia nianei-
ra: j cansado de lantos aoOrlmenlos voltei
para a cldade : nesla occasio disseram-ine
ue havla in novo remedio que curava a
asihma, e que se vendia na rua do Hospicio,
n. 40. Ora, eu lendo j gastado tanto dinheiro,
e nao tendo obtido resultado alguin favoravel,
pouco esperava do tal remedio da rua do Hos-
picio, n. 40 ; porm n5o fol o que eu esperava,
fol a Miaba salvacao Coinprel uina garrafa do
xarope do bosque, pie he o tal remedio que la
se vende ; principie! a lomar este precioso e
iinpasavel remedio : desde odia em que prin-
cipie! a tomar a primeira dse logo sent que o
Temedio comecava a fazer-ine bein; nao me
enganei, fui todos os dias a melhorar ale aca-
bar urna garrafa, c ha j um mea que nao se! o
que he ataque de asinina. Dos prolongue os
dias de vida ao descubridor deste t> precioso
reme io para bem da humanldade soffredora,
assim como eu ; digo, e sempre o-direi, que o
jarope do bosque he um grande e exceilente
remedio para as molestias de pello.
Esta iiiinha declaracao foi feita de multo mi-
nha livre vontadr, e em reconhecimento ao
bom cuello ; port nto, recoinmeudo a to-
dos os que solfrerein, assim como cu sotlri,
que nao percain trinpaciu irem rua do Hos-
picio, n. 40, comprar o incomparavel xarope
do bosque, para gozarrm do que estou gozan-
do, que he de minha pee feita san de.
Todo o cima referido juro aos santos evan-
gelhosque he verdade ter en soifrido.
Itio-de-Janeiro, 14 de agosto de 1848.Jos
Antonio da Silva.
Reconheco verdadeiro o signal supra feilo
perante inim.Joaquim Joiit Castro.
Vende-se na rua dos Quartels, n. 12.
Pos. galvnicos para
prafear.
Na rua do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objeclos
praleados e que tenham perdido a cor ar-
gnntea, estando por iaso indecentes, ou inu-
tilisadus, teem nestes pos um exeellente
restaurador e conservador dos mesmos
objeclos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se ussr delles o mais simples,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho moldado em agoa fra e passado
nos mesmos pos.
Urna caixinha contendo quantidade suf-
ficiente para pratear mais de 40 palmos'
quadrados cusa a mdica quantia
mil rs.
Charutos de I lava na
verdadeJros :
ga, loja
Lody.
Mvro luKspeiisavel U
/ dos os escriptoros i:
, glezes.
jln Encyvlopcedia of Geogn
phy comprising a complete del
cription of the Earth, physica
statistical, civil, and political ; e
hibiting it relation lo the heave
\y bodies, i'ts physical structu
the natural history of each cou^
try, ond the industry, commerc'
political inslitutions, and civil ai
state of a II nations, Iry Hua
Murray, Ilustrated by eiglitA
two Maps.
He um volume de mais de i,5o
paginas, e vende-se na ruado Ro
zario larga, loja de miudezas de J
i. Lody.
Na loja de Maya Ramos & Companhi
''a -urna interessaiile obra, intitulada M
ni-nl annuario da sade, ou medicina
phai-nacia domesticas, contendo todos o
conhcumentos theoricose praticns neces
sarios ps-a cada um saber preparar e en
pregar poi si mesaio os medicamentos, i
com pouca despeza, da maior parle di
doencas curavs e procurar um allivio qua
si equivalente a sade as duencas incu
raveise chronicas, por F. V. Haspil, Conn >
poderei eu chamar-me doutor quando In-
dos vilo ser, sem muito Irabalho, tSo doi
tos como eu?

fcgcravos Futidos
Fugio, nodia 17 do corrente, o prel
Caelano, de nacfio Angola ; he ollicial
sapateiro bastante ladino, por ter vindo d
sua trra de tenra idade ; he bem fa'lantr
de estaUra baixa ; be moco ; lem muitd}
pouca barba ; levou calcas e jaquela bran
cas. chiro pret de pello: quem o pe-l
par leve o ao Merro-ila-iioa-Vista, n. 9,
seu senhor Francisco da Silva Santiago
que gratificar generosamente.
Fugio, no dia 15 do corrente, pelas
horas da manli.ta, um moleqpinho de o
me Ludgero, crioulo, que representa ter I
annos, bem preto, olhos grandes ; tem ,ei
um braco urna esfoladura de urna chicu'-.
da ; levou camisa de chila muito mi ib
nha com dous clcheles no cdeiiiibo,
(as de algodflo azul de cufiar o sem coz,
nele azul sem pala e j usada : quem o
gar leve-o rua da Cadeia do Recife, n.
que ser recompensado.
lo a gralicacao.)
Fugio, no dia 3 de novembro do corren
anno, um cabra de nome Ildefonso, de e
tatura ordinaria, cabellos desandado
olhos grandes, beioos grossos, com u
denle de menos na frente ; seive-se com
a iiio es(|(K".da ; lie canholo; lem dous di
dos de menos ;m um dos ps, o mnimo e
vizinbo ; leva urna carta com sobscripla
Flix Antonio de Brito, senhor quo o vet
deu ; he morador ein AUga-Grande-dc
Pao, provincia da l'arahib do norte. Rogt
se as autoridades policiaca, capilfles i
campo, ou oulra qualquer pessoa, que
apprehendam e i<*"m-no ao capilSo Vi
cente Cav'- .huquerque, no engel
aho^i" .eir, comarca de Nazareih, oii
a praca a Francisco Cavalcaute de Al
nuquerque, na ruado l.ivramento, ri. 14
que sero gratificados.
Fugio, no dia 7 do corrente, do enge-
nho Pintos, o crioulo F.duardo, alto,' feip
tem urna falla na faite superior de uni
das orelhas; consta adiar-se nesla cidade
vendem-se em caja de Kallcmann l/m5os, no lugar doV.iqui, em urna casa junle l
na iua da,t.ruz, ik.io. un)I 0|ara qUCm o pegar leve-o a rua Dil
('ni i(i 1 ishVl reila, n. 124, que ser recomnensado.
. viu rnvtnjyM. Fugio do poder de Francsca Maria d
Vendem-se barris com cal virgem de Lis- Conceic.1o, nodia 21 do corrente, pelas
boa de supegor qualidade, por prego com- horas da manlifla, a escrava Ignez, criouls
mo lo : na rua da Cadeia do Recire. n. 50. ,la M ann08> com marcas muitJ receutesd
Vendem-se bustos de esso-^epresen-juexigus |evou veslWo branco e panno d
tando fielmente a ramha Victoria e o f rin-^ (osla ; foi comprada no da 19 do corren
cipe Alberto; relogiosde ouro e do pral
chegados ullimamente da Suissa : "sjes re-
logiosque silo mu bem acibados, so tor-
nam muito recommendaveis a qualquer
particular, e advcile-se quo ha enlreelles
a'gunsque andam 8 dias sem precisarem
de corda : na rua da Cruz, no Recife, n. 55.
Vinho de Bordeanx,
das mais superiores qualidades; lem como
vinho de Champan ha da nova maica estrel-
la, j muito apreciado, tanto aqu como na
Europa : vende-se em casa de Kallcmann
Irmiios. na rua da Cruz, n. 10
Na foja de Vaya llamos
& <'., na rua Nova, n. 6,
ha um lindo sorlimento.de sapatos de cou-
ro de lustro para senhora, forrados de ca-
niurcae da melhor qualidade possivel, pe-
llo diminuto preco de 2,000 rs. o par: tam-
iva ruado Queimado, loja de ferragens,! bem se vendern na mesnia loja chapeos de
a a i .. n .1 a -* i k n^l a %Vaa1 I/h /v n flli. Yj-v v n -_____ 1 a Ia ^sr ^. M______a._ ^^ j* 1. _. _^ ...__i__I. ^^
n. 14, vende-se este exeellente pelisco, por
preco commodo.
Novo sorliiuento de fa-
x 'itdas baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao p
do lampean.
Vende-se cassa-chita muito lina, de bo-
mola de merino pretu, e chapuszinhos
brancos enfeitados para meninos : tudo por
pregos que nao cloixarfio de agradar aus
compradores.
A eaba de cllegar loja de
Maya Hamos $ C,t
um lindo sortimento de papis psra forrar
salas, acooipanhado de riquissimas barras
le a Sura. H Auna Joaquina l.ins Wauder
ley ; a vista do que a snnunciante pede qus]
ninguem faca Trato de qualidadealgum
com dila escrava, que ha'dias tinha vindd
de Itamarsc para o poder da dita Sur. 0
Anua : quem a pegar leve-a rua do llospi
ci, casa do Sr Thomaz de Aquino Fon-
seca, que lecompcnsara generosamente.
Fugio, no dia 16 de outubro de iM,
um eteravo cabra, do nome The moteo, olH-'
cial de carpinleiro, de estatura alta, ma-
gro, zambro das pernas ; tem falta de um
dedo em um p, denles Yo Ires, e um sig-
nal de um pequeo lalho na pona do na-
riz ; he bem parecido de rosto, com prin
cipio de barba ; levou boa caifa de brim
azul, cao>isa branca e gndola I ranea lina,
cojo eteravo foi do lllm. Sr. Affon.-o de Al-
buquerquee Mello, da provincia do Par,!
por ordem de quem foi vendido na cortel
pelo Sr. rapitau de fiagi.la Jesuino L'iiurgo|
Costa ; consta q'iese intitula forro a todo
iiv| lidies que o nao conheccm, e bem o per-
suade por saber ler, escrevir e contar, a
quem o conlrece diz a uns que anda por or-
dem de seu senhor a procurar quem u ctm-
pre, o a outros que anda em procura d
obra para Irabalhar: o que se previne aos
IIIms Srs. oulciaes do cxercilo e armad>,
para que o mo recrulem ; capites de n>-
vio, para que o n3o recebam a seu bordo i
, o nao
pretexto algum ; mestres de obras,
e bellas guarnieres : ludo da melhor qua- dmillam as mesmas ; aos Sora. encane-
dos da vizita dos navios o nao deixeru aa-
ein uavio algum, qureja nacional,
qnr eslrangeiro : e a todas as pcesoas em
geralserogao nfio rcoitem, nflo ^o para
eviUr o procedimento criminal, ma a lam-
bem de pagar o jornal de 1,600 ra. da
riitos padrOes, corra fixas e cum 4 palmos, lia.Ie possix'el, e goslos os mais modernos:. u
de largura, pelo baralo preco de 320 rs.. o -aquellnv pessoas que quizeretn Torrar suas hir ,
wv.do; casas franceza de quadros, muito faUg com ,gse e gosto, dirjam-se rua qnr
fina, a 260 rs. o covado; riscadinho de lis- Nova, n. 6. na indip.da loja cima que se
Iras de linho, a 240 rs. o covado,- brim de1--
algndSo de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padrOes, a 320 ra. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte do
duas varase urna quarla ; cassa preta com
ramagem brnc. para luto, a 140 rs. o co-
vado; zuarte de cores, com 4 palmos de
Uf gura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monslro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOes e cores fixas, a 160 e 180
rs. ocovado ; chales de tailatana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodflo america-
uo, muito supcnoies, a 640 rs.
Ibes promelte commodiadde de prego.
Para todas as profisses
do mundo.
Artf nE Furtar, pelo padre
Antonio Viura, reimpressa cui-
dadosamente e>n Londres, com o
retrato do autor frente. Um vo-
lume in 8.", cncadernacSo ingleza.
Vende-se na rua do lozario lar-
desdo que o mesmo liver fgido, que lie
tanto quanlo se protesta haver daquella
pessoa quo Ihe der coito : para cojo liratra
faz o presente annuncio, para que ningueni
so chame a ignorancia e se darflo boas alvi-
caras a quem do mesmo der noticias onde
existe, ou o levar a rua de S.-Luza, n *,
na corle, ou nesla praca. a Francisco Alves
da Cunha, na rua do Vigario, n 11.
Paaii. : ra tip. o m, o
pasia. -.1W9
MUTILADO
x


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ5TPTVQA_0SZSQA INGEST_TIME 2013-04-24T19:41:54Z PACKAGE AA00011611_06747
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES