Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06745


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ahijo \X*.
Segunda-feira '24
i(
PABT1DAS DOS COB.B.EIOS.
Uio-Graudc-dc-lNoi le, quintas-fcirasao mel-
CahoTscrinhaeii), Rio-Formoso, Porto-Calvo
atcelo, .i" l., alie 21 de cada mes.
Garanhun c Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista c Flores, a 1.1 e 28.
Victoria, s quintas-fciras.
lloda, todos os das.
-. IIIIIIISWSSSSSSSSSS
ZPHEMEBIDE3.
Piusks di lo. Miug. a G, s -i h. c 33 m. da t.
Nova al4, Ih. clSin. da t.
Cresc.a22, as5h.e21 ui.da ni.
Cuela a 29, llh. e 41m.da m.
FBSAMAB DI HOJE.
Primeira nos 30 iniuutos da larde.
Segunda aos 54 mininos da aiauh.

rasgos da azrnscaipyo.
Portres inezes (aiiiania-dat) 4^000
l'orgeismezcs 8/11(10
Por uui auno 15W)0
do fl)( omino d 1849.
_BIAS DA SEWAJCA.
24 "Se*. S. Gregorio. Perlado para os negocios fo-
renses at 31. ,
25 Tere. *>< Naseimciito de .Nosso Scnlior Jess
Christo.
20 Quart. >* 1.'Oilava. S. F.stevao Prolomartyr.
27 Ijiiint. 4> '-' Cilava. S. Juao apostlo e evan-
gelista.
28 oext. >)f 3." Oitava. Os Sautos Innocentes.
29 Sab. S. Thouiaz.
30 l)nin. S. Sabino.
mu*BmaKm*KKmcMmLBvaBttttji.M=i^^iam**. insiiii &.
N. ei
Oinat'il EN 23 D DBKSaSB&O.
Sobre Londres, iV/iV. por 1/000 r. a 00 diai.
Pars, 30.
> Lisboa, 1U0 por c:nto.
Ouro.Oncas Uespanhoea......... 20/100 a 29#>0()
.Uoedas do 0*100 vclhas.. 16>0.M a WKW
de6*400oras.. 16X200 a luTiou
dctyVOO......,... 9300 a
Prata.Palacoes brasileos...... 1/960 a I
Pesos coluinnarios....... 1/850 a l^t/U
Hilos mci.in.uios.......... ljfiU a US/
-ii .|TBn-ygMra<^Blll II Filil SSII 'sai I
PARTE 0FFIC9AL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 14 DE DF./.F.MBRO.
Ollicio. Ao commandante das armas,
rommunieando que, segundo conslou le -
viso do ministerio da euerra, datado de 28
.le novembro ulli'mo. 8. M. o Imperador, do-
ferimlo o requer monto do tenente-coronel
Feliciano Antonio Falcflo, houvo por bem
delorminnr que se Ihe pague a quantia de
182.833 de gralificacflo de exercieio e caval-
gaduras, correspondentes no comir.andode
brigada, por ter elle commandado urna
foro com posta de varios corpos, de 17 de
dezembro de 1848 a G de Janeiro subsequon-
te, e do 10 de fevereiro a 13 do marco do
aiinocorrcnte.--lnteirou-sea pagadoria mi-
litar. .
, Dito.Ao inspector da thesourona da fa-
zonda, communieaii'lo haver conferido por
despacho do 13 do correle a Joto Pinto de
Veras o lugar de guarda do alfandega desta
cidade, que so achava vago pela nomeaeflo
do Antonio Lopes l'ereira de Carvalho para
administrador da capatozia da mesa do con-
blllado.
Portara.O presidente da provincia or-
dena ao senhor commandante do hriguc-es-
cuna Uqaliuade aprsente smanhfla pelas
9 Moras do da ao doutor juiz dodireiloda
Segunda vara docrim", na sala dassessOes
do jury, o sargento do imoeraes marinhei-
ros JoHo Thomaz de Aquino, que tem de
responder pelo crimo de que he aecusado.
Inleirou-so o referido juiz de direito.
Hila. O presidonto da provincia, tondo
oni vista o disposto na le provincial n. 212
que o autorisa a mandar construir nesta ri-
dade nina casa do detensSo, ordenando que
0 projecto da obra seja suhmeltido ao oxa-
me de urna commssflo enmposta do me li-
eos, jurisconsultos e engenheiros, resolve
nomear para a dita commissfio no desem-
hargador Gregorio da Costa Lima Holmont,
doutor Joaquim Jos da Fonseea, doutor
Jus Eustaquio Comes, doutor Joaquim de
Aquino Fonseea, Francisco de Barros llar-
reto o Joflo Luiz Vctor Lieulhior, MDtJfl pre-
sidento desla commisslo o dosemhargador
H liiiiit. A conimissio se dever reunir
no palacio .da presidencia, fazendo sua pri-
mara ses-.io no ala 20 do correte, o po-
ra n te ella comparecer o engenheiro Jos
Mamei.'e Alves Ferreira, autor do projecto
que lemdoser submetli lo ao seu cxanie,
pa,ra dar asexplicac'squo lliefrem exi-
gidag.Fizeram-se as communcacOes ne-
cessarias.
DEM DO DA 15.
Olficio.An ooinmandaiilc das armas, com-
llinnicando que, segundo consta de aviso do
Ministerio da guerra, datado de 15 de novem
bro ultimo, S. M. o Imperador, por decreto de
12, houve por bem conceder ao primeiro l-
ente do segundo balalliao do artilharia a p
Miguel Joaquim Pereira de !-d a dcmlssao que
pedio do icrvlco-do exercilo.Inteirou-se a
pacailorla militar.
Dito.Ao iiiesmo, declarando que. segundo
pailiripou o L\m. ministro da guerra em aviso
de 27 do mei passado. S. M. o Imperador hou-
ve por bem conceder lie me*es de liecnca
cun suido simples para ir llallis ao copllao
do quarlo Eatalhao de artilharia a p Alexan-
dre (ornes de Arg.'ilo Fcrriio.Couuiiunicou-
se pagadoria militar.
Dito.Ao mismo.Piemetlo V. Exc, para
sua iutelligeiicia cexecuciio, a inclusa copia do
aviso de I do corrcnle, cin que o Exm. minis-
tro da guerra me commiiuica que S. M. o Im-
perador houve por bem perdoar os crimes de
i|iie eram reos os soldados doqu.irtn balalhao
de arlilliaria a p indicados na relacoo lambeiii
)ior copia junta, c mandar que reverlam s
liliiras do exercito, altendendo a que elles to-
oarain pane espontneamente na defesa des-
la capital no dia 2 de fevereiro ultimo.
Ii'lacao dos suldadoi t que se refere o officio cima.
/.rCciiud fioncalves da F.ncaruacao.
Luit Francisco Gomes S.i.
Sabino Comes de Olivcira.
Antonio Garca da Silva.
Manncl Antonio Filippe.
Fredcrico AulonioNiua.
.los Antonio.
Joaquim Rodrigues.
Marccllino Jos.
Simao Pereira da Silva.
Feliciano Primo de Jess.
Manoel do Espirito-Sanlo.
Ignacio da Costa Calirul.
Joaquim Francisco Comes.
Francisco Jos de Olivcira.
Uiio.Ao presidente da relacao, coinniuni-
camlo que S. SI. o luiperador, por decreto de
i de marco prximo passado, houve por bem
rcinovic para a comarca do Limociro o juiz de
ireilo da do llonilo Antonio Paplisla Gcliraiia,
por decreto de 28 de juiho uliiino jiara a rc-
rida comarca do Bonito o da do Alto-Ainazo-
s Caetano Vicenlc de AducidaFizciaiu se
b parlicipafoes do estylo.
Dito Ao iuspeclorda pagadoria mili lar. rc-
[Ltendo a relajao dos cavallos da companliia
xa (uc eslo no caso de seren arrenialados,
limde que os mande |.or em hasta publica.
DitoAo nicsuio.'Pendo fallecido Halla-
ra em o dU 28 de novembro ultimo, segundo
ne parlicipou o Exm. presidete daquella pro-
vincia cu( dala de 10 do crrente, o lente re-
formado Manoel Francisca Scrapiao, que havia
cuiisiguado de seu suido ucta provincia a
mas.Cominunico V. F.xc., para sua inlilll-
gencia, e aiim de que o faca constar ao capi-
lao do oitavo batalhao de caradores Antonio
Jos de Olivcira Fragata, que, secundo me foi
declarado em aviso do ministerio da guerra,
datado de 29 de novembro ultimo, S. M.o Im-
perador por imperial resolucao de 24 tomada
sobre consulta do concedi supremo militar
houve por bem indeferir o requerimeiilo em
que o referido capllao pedio reforma; visto
que, nao obstaule dizer a junta de sade que o
inspeccionoii que sao incuraveis as molestias
que elle soffre, todava 60 declarou que o acha-
va incapaz d6 servico militar activo, nao po-
dendo por esse motivo ser reformado, visto
qir muro he em taes casos o destino que a lei
n.COOde 1 de dcienibro de l84l daosolciac,
do exercito.
Dito. Ao iiiesmn, intelrando-o deque o
Elm. ministro da guerra expedir nrdem ao
presidente da Rabia e:n J7de novembro ultimo
para faicr vir para esta provincia, onde podc-
r tratar-se. o capitao do primeiro batalhao de
caradores Guillicrmino Jos da Silva.
Dito.Ao ines.no, declarando que S. M. o
Imperador,por decreto de 20 de novembro pr-
ximo passado, segundo coinmunlcou o Exm.
ministro da guerra em aviso de 29, houve por
bem conceder passagem para o quarto bata-
lhao de artilharia a p ao segundo tcnente do
segundo da nicsuia arma Ayres Antonio de lio-
raes Ancora.Inteirou-se a pagadoria militar*
Dito.Ao iiiesmo, iiiteiraiido-o de haver S.
M. o Imperador, por decreto de vO de novem-
bro prximo udo, conforme foi participado
em aviso do ministerio da guerra datado de 28,
concedido passagem para o imperial coipo de
engenheiros ao segundo tcnente do lerceiro
batalhao de arlilliaria a p Augusto Das Car-
neiro.Scienlilicou-sc a pagadoria militar.
Dito.Ao inesmo, communieando que S. M.
o Imperador, por decreto de 12 de novembro
passado, segundo conslou de aviso do ministe-
rio da guerra de 15, houve por bem conceder
passagem para o primeiro batalhao de artilha-
ria a p ao segundo lente do segundo da
inesma arma Leonardo Jos da Fonseea Lessa.
Inteirou-se a pagadoria militar.
Dito.Ao Inspector da tbesiirarla da (azoa-
da, inleirando-ii de baver S. M. o Imperador,
por decreto de 17 de novembro ultimo, exone-
rado do cargo de director do ciliso jurdico de
Oliuda o padre Migurl do Sacramento Lopes
Cama, nnineaudo parao mesmo lugar o vlscou-
de de Goianna. CominUDtcou-se ao padre
Miguel do Sacramento Lopes Gama.
Dito.Ao mesmo, scienlilicando-o dchaver
S. M. o Imperador,por decreto de 20 de novem-
As noticias da Sicilia silo sem importan-
cia : as concessfles liberaos feitas polo go-
verno do rei, eque contrastara tSo forte-
mente com oque se ortica aqui, parecem
ter dado perfeita satisfac.To ao povo sici-
liano.
(Correspondencia do Journal de bibati.)
INTERIOR.
Bl],B10!DEPSE.HSnC0.
KECIFE, 23 DE DEZSfaBB.0 DE 1849.
RIO-DE-JANEIRO.
AS ALFANDEGAS.
Um pensamcnlo ahjoltitamenlc anti-ad-
minislrativo e al impoltico fez cresr urna
inlinidade proclamando independencia commercisl
las provincias anda as mais insigilican-
tes. Tempo he do desengonar-se n de reco-
nhecer quenada nesso sysloma so ganha
tnmpo he que o exemplo da prosperidade
sem tire crescente do llio-de-Janeiro, onde
s ha a grande alfandega da corte, sirva
para abrir ns olhos dos quo porcegn espiri-
to do provincialismo pensam que he um
grand presente a una provincia pequea c
quasi S"m pommorcio urna alfandega.
Oquevabim por exemplo no Rio-Grande
do sul tres alfunilogas, o que vale no Piauhy
a que l ciiste ? Ocommorcio nocresce
.tmenlo sli a indueneia dcss.is facilidades,
he neccssnrio quo a prodcelo cresca, quo
crescain com a riqueza particular as necos-
sdades dos cooisumidoros. Com urna pro-
dficco limitadn, com limitadissimo con-
sumo, no estado de atraso em quo jaxeo
algumss provincias, nina alfiindega, nm vez
de nellas faznr apparecer a prosperidade,
nio sori sendo urna inutilidade dispendio-
sa e at nociva ; intil porque nflo far
aflluir um commorcio imposslvel; dispen-
diosa porque ns rondas netla arrecadadas
nio ohagarOO ncm sequr para satisfa/.nr
aos ordetiados dos sous oinpregai'.os ; noci-
va emm porque, nili so retardar 0 desin-
volvmento natural da provincia,o com-
pro obseiv.ir que lio esse o resultado cons-
tante dos esforcos do prematuro melhora-
nionto.como igualmonte facilitar o con-
bro passad'o.aposen'iado na forma do art. 34 do trabando O toda a casta de fruido. O quo
regulainento de 30 de niaio de 1830 o guarda tem ganho o Piauhy coma sua alfandega,
da mesa do uousulado dista provincia Jos
Joaquim Correa.
Vimos o Nacional { pazeta do Cdiz ) do 28
de novembro, trazido pela barca sarda Csj-
t$ppina,e 292 toneladas.capitSo Andr Pro-
ve, a qual, prorcJento do porto daquella
cdado em la>-.ro,eucalhou deigracadamnle propostos relo Sr. Miguel Fernandes Veira
a 18 do corrcnt'i ilepois do 20 dias do ^
SS. MM. II. deviso) sabir a 22 para a im-
perial fazenda do S.-f.ruz, o ahi se demo-
raran) al o fim desle mez.
A 15 houvera lugar a primeira sesso pre-
paratoria da oitava legislatura da cmara
quatriennal. Os trabalhos de tal sessSo
conslam da acta quo sbaixo transcrevemos :
A'slOboras cmeia da mnnhlla, reuni-
dos os Si s. depotadns em numero de 24. s.lo
gem na praia de Marnha-Farnlia ao norto
de Olinda, e do tal sorto so enchou logo
d'agoa, que lie provavel nao so possa salvar
de!la mais que o massamc.
As noticias de Madrid, publicadus pela re-
ferida gazcla, silo datadas de 2i de novem-
bro; as de Pars, do 19; as de Roma, de 12; o
e apnrovados por acclamacflo: para presi-
dente, o Sr. Gabriel Mendos ilos Sanios:
primeiro secretario, o Sr. Antonio JosMa-
ciaiio ; segundo, o Sr. Paula Candido,
t Formada atslin a mesa, 6 oceupandoo
respectivo lugar, o Sr. presidente, em enn
formidode com o que dispde o artigo j ,io
regiment, convidi os senhores deputadoi
a enviaren) mesa o seus diplomas.
ii Vem t mesa os diplomas dos senhores':
ns da Alloman!", do 1C ; o dolas no cons- Kuzeblo de Queiroz Coutinho, Candido Mcn-
f qu.,n.nl.....leste, paizes houvess. fa%^'A^*!:SSl
occorrido nada no extraordinario ; todava Antonio Gomes Candido, Antonio Jos Mon-
cm Franca esperava-se muJnnca no pesso-. teiro de Barros, Casimiro Jos deMoraes1
al do ministerio. Sarment, Antonio Nunes de Aguiar, Jou
Em Roma celebrou-se ltimamente na Evangelista N--grciroiido Sayao Lobato.
c Joaquim Augu-tn do Livrameuto, Joaquim
groja de S. Ignacio um sumptuoso ollicio v||e|a de Castro Tavares, Joilo Antonio de
pelas almas dos patriotas morios em de-Miranda, Francisco Ignacio do Carvalho
fenslo da independencia italiana. No fim Moreira, los Tliomai dos Sanios AJmei l .-
, ,..,., ,,, p.'dro Pereira da Silva Cmmarns, Jos I-
da runCQfio, a qual fura feito com a s.mples, ^^ (|e goaM Rim08 M:inne| v(ijra T()...
tutorisacno do general francez, varios dosUaj Herculono Ferreirn Penna, "joaquim
issislentes exclamaram : Martyres da Italia I Francisco Vianna, Francisco Dominguesda
gu morrales pela patria, detenruat em pas > i Silva, Itaymundo Ferreira de AraujoLima,
Genova fram u! ti mmenlo
EXTERIOR.
para cuja sustentaeo vc-sn o iniperii) oliri-
galoa fazel" tantos sscriflcios? l)iga-o o
atraso em quo s* acha essa provincia,
Dicemosquo heanli-administrativo esse
pens.imento do multiplicar ns alfandogas.
Ningueai no-lo contestar do certo desdo
aples, 30 i>E o-u ruimo.
Teni-so fallado tinto na morto de um dos
marinheiros da barca franceza Meyon quo,
' quo'altender a que rcndeni ellas menos do! procedente da Babia, ehegara aqu a 17 do
O gran duque Jo Bailen havi.i concedido |
amnista aos individuos eomprometlidos
nos movinentos revoltosos quo ultimasen"
lo all livcr.im lugar, o o rei deWurtem-
bergtinba finalmente adherido ao tr,tado
o 30 de selembro.
que gastum, por no navec commercio que
as alimento; ninguom igualmento no-lo
contostar desdo quo attender a quo no
tilo fcil adiar no paiz essa copia de empro-
gados habilitados c do conlianca a que se
possa ni entregar taes administracOes, o nlo
menos aos poucos meios de fiscalisagSo que
realam ao governo supremo sobre empre-
' gados delle separados por tamanhas distan-
;cias, ocmimn que, nao pudendo dar-se a
As noticias que recebemos hontem do Paris
porviaToulon inteiraram-nos do resultado
da discuBo sobro os negocios de liorna, o
nio deixaram de produzir aqui viva impres-
siTo. Em Portci ellas causaram 13o grandn
satisrac&o,aue decidio-se oxpedir a promul-
gaco das leis orgnicas annunciadas no
molu-proprio, o estender os limites dema-
aiadamento estreiloadaanjnisla. O padre etnpregados nm ordenado correspon-
santo partios a rnanbili para Benevento, ,, t 6imp5rtan0|s daasuas posiefles,ain-
onde pretende demoTar-se alguna das. hl-,d g eiIll)al.a(ai.0 Ver-se-ba o governo
lo considera o u'.limu voto da asamblea le-, jem vidamente habilitado
gislaliva da 1'ranea como tornando possivcl << ar
a sua volta ao Vaticano, o impondo-lho o H |m anii-politic.>; c lever de m.o permanecer por mais tempo eomo o nosso, onde tantos
longo de seus vassallos; cesta, portanto.de- e8Dr|t08 l;c;,nhadosentendem quo o palrio-
lismo osla na rivalidade exclusiva das di-
versas partes do imperio, ja tSo poucos silo
Iquanlia de dea mil rs. mensaes para ser entre-
Igue a seu lidio -Manoel Francisco Scrapiao Ju-
luioi, cadete do quarlo batalhao de arlilliaria
la p ; asiim o commupico V. Kxc. para sua
M:ilelligcncia c aliui de que facacessar o abono
lijis i prestaran da" cpoCa do rclcrldo falleci-
k'riiio em dianle.
Dito.Ao administrador das obras publicas,
"ritmando que, vista dos orcamenlos que se
loe rciiielleui,mande proceder ans conccrlos de
que nccessitain as ponlcs do Ilccifc e Boa-Vista.
DEM DO DIA 17.
Oicio,Ao uia.recb.al couuuaudsute das ar-
cididamento determinado a prepanr-se pa-
ra partir ilelinitivamento para Roma, logo
quo rogressar de llenovento.
Estas noticias silo favoravois, o a impa-
ciencia que todos sentem do ver o papa nu-
tra voz em liorna sera sem duvda breve-
mente satisfeita; porm a grande didicul-
dade anida existe: qual ser a frca auxi-
liar que dever sor encarregada da missilo
do manter a tranquillidado da cdade o a se-
guranga do sua sanlidado '! Esta questo he
do dilTicil soIuqo.
As prisOes, quo por um momento fram
aqui suspensas,comecaru.n agora outra vez,
sem que ninguem possa explicar a causa
disso. lio ccrUmeuto perigoso, anda mes-
mo em aplos, recorrer a medidas tSo pre-
cipitadas, tio rigorosas, sem se lomar a
precaueflododar algn) pretexto para ellas.
A sociedade dos Jesutas foi aqui solom-
iio e oflicialmenio instaurada, e souseirei-
tos j vo sendo sentidos. Um decreto real,
Jalado de 27 do corente, acaba do ser pro-
mulgado, o qual ordena quo para o futuro
todo o professor, qur publico, qur parti-
cular, edo mesmo modo tola a prdfessora,
qualquer que seja a natureza da ustrucQo
dada, sciencia, Literatura, lingoas ou bellas
artos, dovero ser prvidos do urna nutori-
HfcSo do rei, o outra da univeisidade, c de-
ver5o solTrer um examo por eacriplo sobre
o grande cathecismo da religiu chnsla, n
alm disso devoriio responder peanle os
membros da faculdado de thoologia a que-s-
tOes sobre os punios especiaes da disciplina,
por elles ensnada, que disserem respeito
religiffo.
O decreto ordena cxpressan.onlc quo esle
cxuiue seta exigido al dos mestres do pri-
meiras lellras o dos professores de lingoas
estrangeiras o uesenho.
lima indicaijSo no menos certa da reap-
pani;iio da celebro socidade o do sua in-
fluencia nos concclhos do rei he visivel
no lii.atru ; as danzarinas fram obligadas
a usar ouliu vez das calcas verdes quo li-
nbam posto do parlo em o auno passado,
quando a constiluigo foi proclamada, o re-
ceberam ordem de no trajarem vestidos do
cor encarnada, poique temo-so que a mistu- I
ra do encarnado e do verde com o brancoi
de suas saias lenlia o incoiivenieiilc de re- J
cuidar ao es/iii ilo a bandeira tricolor da in-,
dependencia italiata.
os nexos de dependencia, tilo poucasas oc
casiosde relaccs entre os diversos mem-
bros da grande familia brasileira, como no
sentir imprudencia quo pode haver em ro-
nuneinr essa ligSCSO intima quo o com-
morcio estahelcce, a essa reciproca depen-
dencia quo o aco.npaiiha ?
Compre, pos, extinguir essas alfandegas,
o at dessa medida pdenlo resultar grandes
vantagens s pequeas provincias que dol-
as ficarem privadas. Evidentemente, em
vez de serem supurulas pelo commcrcio ex-
terior, sii-lo-ho ellaspelo commercio das
grandes provincias quo mais prximas Ibes
licarem eassim alimentar-se-ha una gran-
de e acliv.i navcg8c3o de cabotagem, cujas
vanlage.is silo tila aprecinveis ; por outra
parte, em ver. de terem ellas todo o seu com-
mercio as mfios dealgumai poucas casas
eslrangeiras a quem ello aproveile, t-lo-
hiio dis^eminado pur numero mu ilo maior
do casas nacionaes que, embora menos Iu-
crem, rilo disseminando os capilses por
entre b populaco brasileira.
Rpidamente indicamos, sem aqui apro-
funda-las, es vantagens do toda a casta que
recomusan 'ain a extincQ.lu das pequeas a!-
fandegas ; S', pnrm, COUseguirmos chamar
a alleriglo e o debate para essa quojt.lo ad-
miuistraliva, procuraremos dar-lhe o desiu-
volvimenlo que merece.
Ja de ha niuilo nio fazemos pedidos ao
Mercantil; com to mo modo nos elle ac-
Iheu as tres ou quatro vezes quo livemos
a curiosidade de querer saber a sua opiniflo,
que devoras nos arrependemus de lar sido
indiscreto. Ncsla materia, porm, que he
essencialmcnto administrativa e tio inli-
uiainenle ligada com os ulereases com me r-
ciaes, que pois dobradamciite entra m\ or-
dem dos ussumptos de que o mercantil pro-
nielte tratar, dos interesaos que t-in por lim
promover, levar-nos-ha olio a mal que le ra os habitantes desla cdado do pnico igual
corrale com II dias de viagem ; 8O
tantos os queixumes que temos ouvido a
respeito, que nos resolvemos a tralar do
fado, depois do havermos colhido acerca
dello iiiform:ir;::s que nos parecem ldc-
dignas.
Kin vista do que publicamos em o nume-
ro 2S1 desto Diario, os leitores ja sabem
quo aquella provincia osla sendo llageiia.ia
por una epidemia cujossiguaes ci'racleris-
ticos sSo feb're intensa o vo mi los negros;
bem como que, sb a denociinac.no de pol-
cfta, scmelhante peste ha levadoalli muita
gento sepultura. Pois bem : logo quo a
mencionada barca entren, a ropa.tic.lo
da sainlo a visitn; e, enmquanto sou-
besse que ella conduzia um manijo doente,
todava a deu por desembangada, por ter
adiado correntes os documentos sobro os
qiiaes !be competa exercer inspeccio.
Immedialamento foi o enfermo trazido
pura Ierra afini do ser tratado; mas o Sr.
presidente do concelho geral de salubrida-
do publica, receioso de quo se communi-
casseaos habitantes desta trra o mal de
quegcralmenteso suppunha que elle esla-
va afi'eclado, o fez reembarcar ; o no mes-
mo dia cm quo isto houve lugar, ou no se-
gunte, falleceu o marujo.
Informado da existencia da pesie na Ba-
bia, o povo desU capital, apenas sotibe des-
se fallecimento, comegou a assustar-se ; e
alguns desses portadores de ms novas, que
lauto abundam entro nos, deram-se ao hio-
cenlc trabalbo de espalhar que dla pes-
te principiara a desenvolver-se -aqui : en-
tretanto, at o momento em que escre-
vemos estas Hullas nlo ha um s caso
que justifique o susto, nem tio pouco os
boatos.
Terminando, rogamos a rcparticilo da
sainle seja um pouco mais cautelosa, o que,
sempre que te.illa sciencia do haver .ppa-
recido epidemia em qualquer paiz, subjei-
to quarentena as embnrcages que, viudas
dello, deniandarem o nosso porto, como
acaba depralicar com o briguo sardo Tele-
grapho, chegado da Baha depois do Alcyon ;
pois desi'arte cumprir o seu dever, o livra-
pecamos so digno combater ou sustentar a
nosaa opiniflo, conformo a julgar til ou no-
civa f
lio Braiil.)
MUTILADO
i Mi"iiel Fernandes Vieira. Antonio JosMa-
;, t.enova loram ltimamente presos J8U ^Sode Pai, candido, Manoel
muitos individuos, contando-se entre elles Telxeira de Souza, Jos Martina d.i Cruz
alguns dos que toma rain parto nos ulti-1 Jobim, Joo Capistrano Bandeira de Mello,
mos aeontecimentos do Boma, o corra I JoaquimJos da Cruz Seeeo,Luiz Arres-Loi-
... ... .. te do Olivcira B? lo o Josc Tboinoz .\abuco
quo em pudor dos mismos tiabam sido el'- j (iy r (!
eontradosdocumentos importantes, e a cor-j a' proeede-se oleicffo da eommissSo do
espondencia seguida com os refugiados da j verificogflo de poderos, que, na conformida-
Sdissa jdedanovadisposicHo regimontal, deveser
composta de s membros*. Sabem elcitos
os senhores :
Antonio Joaquim le Mello, com 29 ve-
tos ; Manoel Correa Urna, 29 llerculauo
Ferreira Penna, 28 ; P.-dreira, 23 ; Na buco,
28; Souza Ramos, 28; JoBo Antonio de Mi-
randa, 2S ; Candido Mendos, 28 : Magallifles
<-siru, IX; Sccco, 2S ; !'. ula Fonseea, 27;
Vllcla Tavares, 27; Carvalho Moreira,27;
Nunes >!c Agujar, 20; Francisco Domingues,
26 ; Moraes Sarment, 25 ; Livramento, 25 ;
Saviio, 23.
a U Sr. Presidente observa que o artigo
addicional ao regiment manda quo seja
presidotitn da commissao o mombro mais
votado ; e havendo dous senhores com igual
numero de votos, v;:i decidir sorte qual
dovos*r o presidente.
i A sorto dscide a f-vor do Sr. Antonio
Joaquim de Mello.
O Sr. Presidente declara que vni-so pro-
ceder elejejtode Iresmemb'osque team
de examinas os diplomas dosis senhores
quo fram e|eftos para a commssflo de veri-
ficaeflo do poderos.
(i O Sr. .'/oruei6'(rici/i):-Sr. prestdenle,
ou iulgo desnocessara a eleicfio dessa com-
missao, porquanto nenhum inconveniente
In fii que a inesma do 18 membros exami-
ne nio s os poderes do todos os Srs. depi-
lados, como tamben) os sous....
O Sr. Presidente : Porm a cmara
nflo so acba reunida para poder alterar....
OSr. Moraes S-irmenlo :Parde-mo V.
Exc, no vamos alterar cousa alguma. Es-
ta slteracflo j foi felta pela emenda que
foi approvada o auno passado eque elevou
18 0 numero dos membros da commissin
do constituicSo c poderes ; en julgo que
dessi emenda so deprehende que he excu-
sada a cloiciio de urna segunda commissflo
de tres membros e rogo a V. Exc. que con-
sulte a casa se s acha ou nflo rovogado o ar-
tigo de que so trata.
x O Sr. Paula Candido, como nflo tem pre-
sente a redacglo da emenda a que se referi
o precedente orador, requera sualeitura
afim de regular o seu vol.
n O Sr. 1." Secretario faz a lcilura do se-
guidle :
No principio de cada logislatura as ses-
ses preparatorias da cmara dos deputa-
dos eomecaram a 15 do abril.
A commissao de poderes dessas seses
codslar de 18 membros, e o mais votado ser
o presidente della.
u Consultada a casa .acerca da duvida propos-
la pelo Sr. Moraes Sarment, resolve a favor
da oplnlao do Sr. presidente.
Em conseqiicncia procede-sc cleicao da
commissao de tres membros, c sao elcitos os
Srs. Olivcira bello com 17 votos, Telxeira e
Soma com 15 c Dr. Justiniano Jos da llocha
com II.
Os diplomas que se acliam sobre a mesa
vo remellidos s respectivas commissoes.
t OSr. I. Secntario d coma do expedien-
te, l.ndo diversos olcios do Sr. ministro do
Imperio acoropanhaudo as acias das eleiedes
de deputados asseuibla gpral pelas provin-
cias o Uio-de-Jaiieiro, Minas Ceraes, S.-Pe-
dro, Saiila-Lalharina, S.-Paulo, Uio-Grandc do
norte, Goyaz, Kspirito-Santo, Par.-i, Maranlino,
Alaoas, Pernambueo, Piauhy, Babia, Matto-
Grosso, que sao enviadas commissao de po-
deres c bem assiu^ontro ollicio remetiendo
as acias das elelces prhlarias que tiveram lu-
"ar nesta corle e municipio, e em algumas
frcgucjlas da provincia do Rio-dc-Jauero.
i. He tudo remttldo coimuissao de po-
deres.
O Sr. Moraes Sarment requer mesa baja
de dar o destino que julgar conveniente a una
representaro que os povos da villa de Touros,
provincia do Uio-Grandc do norle, endereca-
ram a esla cmara acerca da cleicao de depu-
tados.
a esso que nos consta hav-los salteado.
O vapor de guerra Affonso que, lendo salu-
do do Itio-do-Janeiro depois do da carreira,
pbegou a este porto com o quinto balalliflo
de cagaoio, apenas nos trouxo jornaes
lluutiueuses de 1C u 17 do crrente.


w-
V

m.

*m

> .Vi*. *ir.iittriiIr ilcrlji.i uur B r pi'i-scMa-
..... lie remeitlda comintuao de poderes, e
levanta a .-siu depois le haver mareado para
ordeni iioilia .le segunda-felra o resultadodoi
ir.ilialhos .lis duas coraiuluoei.
A 15 ornara posse da presidencia di pro-
vincia do l!o-de-Juneiro o respectivo vice-
presidente, o Exm, Joo l'ercira 0rrigue
Faro '
Nesse. mesmo dia o vapor lo guerra Rifie-
man apresara, na altura de S.-Sebastio,
urna barca de lastro que aprcsenlava indi-
cios de ter cnnduzido Africanos.
Depois de haver feito passar para son bor-
do o niostn: e o piloto do navio apresado,
e de ter mandado por em torra o rosto da
tripolaciio, o commandanlo do Rifleman
langou logo mencionada barca.
Segundo o Jornal de Commercio,o vapor n-
lepulsoes i'aullam di Influencia da.1 cor-
remes da II.
Tal ha a solugflo scientifica e mui clara
de phenomenos, em apparenria incomprc-
hensiveia. Onde os magnelisadores, i|ue
s3o no seculo XIX o que os feiticeiros era ni
na media idade, vem cloctricidadc animal,
iransmissflo de fluido, sympBihia, os sa-
bios vi\em siinplesmente elTeitos physicos,
correles de ar, calrico radiante ; e toda
cssa falsa poesia se desvanece ao sopro pro-
saico de una observarlo exacta.
I)r. Ilenriq Roner.
( Constilutionnel.)
commv7
ALFANDEGA.
Iloodimento do dia 89.....9:395,679
IMPORTACA.
Wm-Price, briRue americano, vindo de
Philadelphia, entrado neste mez, consigna-
gtezHydra, que partir para Inglatorra s9ido a Deane Youlc & C, manilestou o se-
horas da noito le 13, conduzira o tratado
asignado om Buenos- A y res pelo Sr. Sou-
thern.
Ja era sabido ni corte o resultado final
da eleigHo do dous deputados por Coyaz.
Ei-lo :
Os Sus. Votos,
l'.duardo Olympo Machado 71
I). Jos de Assis Mascarenhas 258
Jos Itudrigues Jardim 25
Antonio de l'.rlua Flcury 21
Francisco du Santa llarbara Carcia 7
vTrTeddes.
PROBABU IDADE DE VIDA EM LONDRES,
l'ABIS, A.MSTF.RDAM E VIF.NNA.
A morlalidade media em Inglaterra he
actualmente le 350,000 individuos, e a de
Londres de 47,000 por anno.
Como a populaco da Inglaterra e do paiz
de Calles he de lfi milhOM pnuco mais ou
menos, e a de Londres s por si de 1,900,000
de almas, segue-so quo a moiUlidade me-
dia aunual he para a metropole de 1 sobre
40 habitantes, e para lodo o reino de 1 so-
bre 45 habitantes. Ora, no cometo do se-
rillo 18 a mortalidade annual em Inglaterra
era de 1 sobre 25 habitantes ; e no meiado
do mesmo seculo, debaixo da influencia de
causas que p1o silo perfeitaineuto conheci-
<)as, esta mortalidade chciou a 1 sobre 20.
Desde esta poca at boje ella lem constan-
temente diminuido: eoi 1801 a morlalidade
era de I sobre 35 habitantes ; em 1811 de I
sobre 38; boje ella he de 1 sobre 45. I).;
sorte que no i'spago de 80 anuos a probab-
lidade de vida dobrou em Londres.
Este resultado he sem par na historia de
iii-i ti ii ni puvo. Can efieito em Caris, no
meiado do seculo passado, a mortalidade
era de 1 sobre 25 habitantes, actualmente
ella lio de 1 sobre 32 ; em Roma as morios
annuaesso de 1 sobre 25 habitantes em
Ainslerdain de 1 sobre 24; em Vienua de 1
sobro 22. fin habitante de Londres lem,
porlanlo, duas vezes mais probabilidade de
vida do que mu cidado de Vienna, e tsla
vautagem daCrati-Bretanha tem lugar, nilo
tmenle para lodos os dislrictos, seno
t iinlioin para todasas elasses da sociedude,
para os habitantes das cidades bem como
paia os do campo, para os agricultores hem
como para os obreiros das manufacturas.
(ournal du Havre.)
MAGNETISMO ANIMAL.
Amo ao extraordinario e o maravilhoso,
tanto quanto qualqucr viajante e qualquer
homem le systema ; mas, para ciOr, quero
ver com meusolhos, e apalpar com nimbas
inos, niio urna vez, porm muilas : e ain-
ila isso nao me basta: quero tambem ser
jodiido pelos olhos e mflos dos oulros.
Assim la i lava u iii doutor do seculo XVIII e
assim deveriam proceder os observadores
queemsua marcha enconlraTjkpor acaso al-
gum facto maravilhoso ; antes de exclama-
rom milagre elles deveriam recorrer aos
olhos dos outros mais perspicazes e menos
preoecupados; e entilo quasi sempre o so-
brenatural se explicara da maneira a mais
natural do mundo.
Mr. micros, conservando a inflo em dis-
tancia dealguns ccntimelros da campa de
um'galvanoscopo sensivol, vio, nao sem es-
panto, operar-se no lim de poneos minutos
um desvio de cinco, dez ealgumai vezes
mesmo de vinte graves na posiciio daagu-
llia : Incontinente esle fcto, visto atravs
do prisma engaador de uina imaginag3o
ardente, se Iransformou em um phenome-
no de electricidade, e logo o doutor sreu tor
a faculdade de exercer em distancia acedes
magnticas, pela influencia de sua vontade,
pelo nico poder do seu olhar; mas Mr. Dos-
pretli rodnziiido o prodigio ao sen justo va-
lor, provou quo estes desvos da guilla
magnetisada sfio prnduzidos nicamente
pela irradiagSo calorfica da mfio, e com ef-
ieito um lijlo, que fri no obra sobre a
agulba do galvanospoco, a desvia, bem co-
mo a nio humana, quaudo he elevado
temperatura da mesnia; una bogia posta
sobre urna lamina de vidro, um carvSo ac-
ceso posto sobie n:na taima, ou um lijlo,
exercom urna ceo milito mais enrgica.
Outra prova uo menos conveniente de
que a electricidade nSo lem parte na ma-
nifestarlo destes phenomenos be a se-
guinle :
Suspendendo-se ligciramcnle, como as
agulhas astticas, tirinhas de papel, (ios de
vidro, raminlios de palha, o approximando-
M delU-s a mo, observam-seuinaagitagao e
deslocameiitos semelhanles uestes differen-
tes pndulos, e empregandu-se corpos mais
quelites, os moviineotos produzdos sfio
milito mais consideraveis. Os desvos so
sobretudo assignalados, quando se faz a
experiencia com as agulhiiilias de vidro,
collocadas as lampas das agulhas magne-
lisadas; ellas gyrain s primeiras emanagOes
do calrico, um simples raio solar as des-
via e as faz percorrer mais de um quarlo do
circulo.
Finalmente ja em 1829 Mr. Pouillet, fa-
zendo experiencias que nodeixain de ter
analoga com as precedentes, dflmonstrou
que assim no ar, como no vacuo das moliio.
rus machinas pneumticas, as agulhas com-
pridas, lvese suspensas por um cabello,
mi por um lio de seda, so atrabidas ou re-
: pellidas pelos corpos quelites, ou frios, que
ibes sao apreseutados, anda mesmo em
grandes distancias, euue estas attracgGes ou
guinle :
1255 barricas farinha de trigo, 25 barris
carne de porco, 18 ditos dita do vacca,
50 saceos pimenta, 133 volumes fazendas
de algodo, 20,000 pes laboadojde pinho,
150 barris breu, 200 presuntos, 100 barri-
quinhas banha, 300 ditas bolachinhas, 20
caixas cha, 595 barricas abatidas, 28 ditas
com (ampos ; aos consignatarios.
l'leut, brigue inglez, vindo de Liverpool,
entrado neste mez, consignado a Me. Cal-
inont & C., manilestou o seguinlo :
180 toneladas carvflo de pedra ; a M. J.
Ramos e Silva.
25 caixas cobre em folha, 1 barril prgos
de composiro; a C. J. Aslley & C.
1 caixa sabfio, 2 ditas drogas ; a \V. Bra-
vo & C.
29 volumes fazendas de algo fo, 1 em-
brulho pertences de escriplorio ; a J. Rey-
der & C.
47 volumes fazendas do algod3o, 100 cai-
xas queijos, tij caixas genebra, 18 tonela-
das Ierro em barra, loiicol e aicus; a Me
Calnionl c\ C.
t; caixas mudezas, C dilas lio Je algodSo;
a 11. Cibson.
CONSULADO CERAL.
Rondimento do dia 22.....2:104,259
Diversas provincias...... 156,477
2:260,736
CONSULADO PROVINCIAL.
Itendimeulo do dia 22.....1.059,173
uiiiiii Jos Martina, rjuipageni '-'. carga
' farinha v iobis ^euoi;.a Jo3o Francisco
da Cruz. Passageiro, Joo Marcellino Bar-
bo'/a, I!rusileiro.
Lisboa (2 das, brigue sueco Terpesicho-
re, de 118 toneladas, CSpitBo K. I'. Jansen,
equipagem 8, carga sal ; a N. O. Bieber.
Navio sahidos no metmo dia.
Eti commissfio Brigue de guerra brasi-
leiro Caliope, commandaiite o primeiro-
lenenlc Antonio Carlos Figueira do Fi-
gueirodo.
Nova-HollandaBarca ingleza laura, ca-
pit3o Roberto Dowbrill. carga a mesina
que trouxe. Passageiros, lomer Purcell
com sua senhora e 6 filhos menores, In-
gle/, osllamburguezes, llenriquos Migvrel
com sua senhora e 3 filhos menores, Joo
Lcwnardo com sua senhora e 1 lilho me-
nor.
Ballimore Escuna americana .-A.-MU-
ler, oapito Johnston, carga assucar.
Navios entrados no dia 23.
Buenos-Ayres 27 das, brigue hespanhol
armenio, de 183 toneladas, capitao Boa-
vcntuia Bretan, equipagem 11, carga car-
ne ; a Jo3o Pinlo de Lemos & Filho. Se-
guio para llavanu.
Rio-do-Janeiro 5 das e 22 horas vapor
hrasileiro D.-Affonto, commandante o
capitSo de fragata Jesuino Lamego ('.os-
la. Conduz para esta provincia o quin-
to Imtalliii de caradores.
Navio sahido no me$mo dia.
Canal Patacho inglez Ussean-Queen, ca-
pilo Leboulellier, carga assucar.
r#m os qui1 nao pagarem na mull de :i por] N.B.Durante as mencionadla do/e rec.i
cento sol.iu HIM i-rspeclivos dbitos ; las su repieseniar.lo os muilu "ppUudidoib
* ricos tres dramas pastoris que tanto omliol-
le/aram as representaciies da sociedad^
Natalense ; sendo intermediados do novas
danQag campestres, grupos, pas-de-deux
arias, entremezes pastoris, etc.
tlTAta.
R10-DE-JANE1RO.
cmaioa no oi.v 15 uf. dezehdro.
Cambios sobre Londres 27 3/4
.. Paria. 845a348
ii llainliiirgo 630
Metaos. Onfas liespanlilas 3i>000
la patria 30^400 a 30/500
Petas de 8/400, volhas. I8/JU0 a IH4(I0
Pesos liespanhes. 1/990 a 2/000
da patria. 1/190 a VillOO
Patacoes .... 1/990 a 2/000
Apolices de G por cento 88 I/;! a 89
proviiiciacs ... 88
(Jornal do Commercio.)
PRACA DO RF.CIFE, 22 DE DEZEMBRO DE
1S49, AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios Houve saques a 27 3|4d.
por 1.000 rs.
Assucnr- As entradas e as vendas fo-
ram avultadas. No prin-
cipio da semana os p'eros
regularam de 1,950 a 2,600
rs. por arroba do branco
ensaccado e embarricado;
e do mascavado de 1,600 a
1;650rs.; mas para o lim
iieriinaimu alguma cousi.
Algodo-------- O de piiinoira sorte l'ni pro-
curado lie 5,450 a 5,500 rs.
por arroba; e o de segunda a
5,000 rs. Entraran! 779
saccas.
Bacalbo-------O deposito est reuuzido a
6,500 barricas -- As vendas
regularam de 8,500 a 9,500
rs. por barrica.
Carne-secca Em consequencia de ter
chegado um carregamento
esta semana, o deposito li-
rn boje elevado a 110,000
rs. por arroba.I'demqua-
lilicT-su de nominaos os
procos de 1.600 a 2,600 rs.
Erva-doce Vendau-se do 8,5oo a 9,000
rs. por arroba.
Farinha de trigo Ti vemos um carregamento
de 2,000 barricas le Tries-
te, o qual fui vendido a pro-
co oceulto. Existem no
mercado cerca de 13,000
barricas. Retalhou-se de
14 a 19,000 rs. por barrica,
conforme a qualidade.
Gmafes- Venderam-sc de 1,000 a
1,100 rs.. por cada um e;ii-
palbado
Massas dem de 4 a 4,500 rs. por ar-
roba.
Oleo doliiiliaca-ldeai de 1,600 a 1,650 rs.
por galSo om cascos de 111a-
deira.
Passas.....dem do 4 a 4,500 rs. por
caixa.
Presuntos-----dem de 13,500 a 14,000 rs.
por arroba dos do Porto.
Patos.....dem de 2,800 3,000 rs,
por duzia.
Queijos dem de 1,000 a 1,100 rs.
por cada um dos flamengos.
Vinagre dem de 40 a 50,000 rs. por
pipa.
Vinbos- dem de 125 a 130,000 rs.
por pipa do de Lisboa mar-
ca PRR ; de 100 a 115 do de
oulros autores ; e de 120 a
127,000 rs. do da Figueira.
Existem no porto 102 embarcacOes, 1 sa-
ber: 4 americanas, 1 austraca, 42 brasilei-
ras, 2 dinamarquezas, 6 franco/as, 1 bespa-
nliola, 3 Hamburguesas, 13 inglezas, I prus-
siana, 11 portuguesas, 9 sardas, 7 suecas, I
hauoveriana e 1 knapausiana.
>!oviraenio do *orto.
Navios entrados no dia 22.
Rio-de-Janeiro14 das, barca dinamar-
quesa l'itciosa, de 250 toneladas, capitao
II. Iteis, equipagem 12, em lastro ; a .Y
O. Bieber.
dem 22 das, brigue brasileiro C.ondes-
ieniucia, do 187 toneladas, capitao Joa-
Poli inspectora da alfandega se faz
publico que, no dia Sido correle, depois
do mcio-dia, na porta da mesma, se hfio de
arrematar em hasta publica 30 manteletes
de seda e de fil le olgodSo, por factura um
11,000 rs., total 330,000 rs.; 8 pegas com
141 covadoi de seda, por factura um
do 1,250 rs., total 180,000 rs,; 600 metros
ou 544 varas de frania de seda, por factura
urna vara 200 rs. ,' total 109,000 rs.; 21
chapeos de feltro para homem, por factura
um 3,000 rs tolal 72,000 rs : tudo impug-
nado pelo segundo escripturario Cabriel
AfToiUO Itegueira, 110 despacho 11. 713 ae 21
do correnle : sendo 1 arrematado subjeila
aosdireitos.
Alfandega de Pernambuco, 22 de dezem-
bro de 1849. O inspector, luiz Antonio de
Sampaio f'ianna.
O Itntnle-coronel Antonio Carneiro Hachado
Ros, jui de paz do primeiro dislricto da
freguetia do SS. Sacramento da Roa-Vista,
em virtude da lei, etc.
Fago saber que, leudo de se formar a jun-
ta de qualicagao e ruvisSo na tercera do-
minga de Janeiro de 1850, pelo presente
convoco aos Srs. eleitores e supplentes cu-
jos nomos vao abaixo declarados, para que
no dia 20 do referido mez comparegam no
corpo da igreja matriz, polas 9 horas da
iiianba, para se proceder a formago da
junta, como determina o artigo 25 cap. 2."
da lei das eleicflOM : e para que ebegue ao
conhecimento de lodos mandei passar o
prsenle que ser publicado pola imprensa,
e allixado lio lugar mais publico desla 1 re -
guezia.
Eleitores.
Os Snrs. Dr. Antonio Peregrino Maciel
Mouteiro, comilieudadoi' .Manuel de Souza
Toixeira, tenente-coronel Antonio Carlos
de Pinho Borges, Jos Marques da Costa
Soares, Augusto Frederico de Oliveira,
Amaro do Barros Correia, Francisco Igna-
cio de Atalude, Vicente Antonio do Rspi-
rilo-Santo, Luiz Antonio Rodrigues de Al-
ineida, desembargador Juronymo Marli-
niano Figueira de Mello, Joaquim Jos da
Costa, Juo do Reg Barros FalcSo, Jos
Antonio los Santos e Silva, Caetano Mon-
des da Cunba A/.evedo, padre Albino de
Carvalho Lessa, Francisco de Burros Cor-
reia, Marcellino Jos Lopes, Jos Marinho
Peroira dos Santos, Simplicio Jos du Mel-
lo, Francisco Antonio Cavalcanle Cousseiro.
padre Francisco Alves de branles, Jos
Gonga Ivs da Silva, Bento dos Santos Ra-
mos, Joaquim Jos Ferrcirs da Penda, Joa-
quim Rodrigues Pinheiro, Jos Mariano de
Albuquerque, doutor Jos Quinlino de Cas-
tro Leo, Jos Joaquim Autunes, Jos Mara
Freir Cameiro, Antonio Jos de Oliveira
Miranda, Rulino Jos Correia de Alenla,
Adelo Jus de Mondonga, Pedro Jos Car-
duzo, Maximiao Fraucisco Duarle, Theo-
touio Tiburliuo Couro Dantas, Jorgo Vctor
Ferr.ra Lopes, Joo Pinto do Lomos J-
nior.
Supplentes.
Os Srs. Dnr. Alexandre Bernar.lino dos
Res e Silva, Bernardo Jos Marlius Pereira,
Ignacio Jos de Assumpgao, Antonio Pe-
reira do Souza, Miguel Itibeiro do Amaral,
liento de Barros FalcSo, Joo Policarpo dos
Santos Campos, Francisco Jorge do Souza,
l'olro Alfonso Itegueira, Jos Ignacio da
Assiiniiirao, Antonio CCrinaiio Coi rea An-
tonio Lopes Cniiiaios, Malinas Jos da
Lupa, Manuel Caetano llaibo/.a, Francisco
de Lemos Duarle, Francisco Lopes Vianni,
Jos l'inbeiro da Silva, Jus de Barros Cor-
riea : Selle, Antonio Pires Calvfio.Alexaudre
dos Santos Barios, Aleixo Soares Pereira,
Joaquim Jos de S.-Auna, Joo do Monte de
Jess, Jo3o Francisco da Lapa, |Joaquim Me-
lelo Ma z, Jos'i'uoinaz da Silva, Zacaras
dos Santos Barros, Joo Miguel Toixeira Li-
ma, Jos Xavier Faustino Ramos, Luiz da
Veiga Pessoa, Themoleo Piulo Leal Jnior,
Antonio Augusto da Cmara Rodrigues Sel-
le, I homaz Antonio Macel Mouteiro, Cui-
Ihermnode Albuquerque Martins Pereira,
Jos Ignacio Soares de Macedo, Caetano Au-
relia no de Carvalho Coulo, Antonio Machado
Pereira Vianna, os quaes deverSo compa-
recer no suprameucioiudo da e hora sb
pena de lliesserem impostas as penas da le1.
Primeiro districloda fieguezia da Boa-
Vista, 18 de dezembio de 1849. Eu, Fran-
cisco de Barros Correia, escrivSo, o subs-
crevi. Amonio Carneiro Hachado /lu.
bem assim quo lo 1. de Janeiro prximo
futuro, principia a cobranga do imposto de
12,800 sobre di versos'estabelccimentos que
possucm mais de 2:000,000 rs., segundo
dispoe o rcgulamenlo da presidencia da
provincia, de 12 de novembro do correte
anno, dado a semelliante respeito.
O abaixo assignado. cnsul de S. M'
Britannica nesta provincia, requisita o
apontamento de todos os subditos brilan-
nicos qualificados pelo acto do parlamen-
tos. Gco. 4 can 87 como votantes, no con-
sulado britannico no dia sabbado, 29 do
crlenle, ao inrio dia.
Consulado britannico, 21 de dezembro de
1849. A. Augustus Cotvper, cnsul.
Pela inspectora do arsenal
de niarinha se convida a todos os
individuos livres, at o numero de
5o, que se quizeretnempregar co-
mo serventes as obras do mesmo
arsenal e as do melhormento do
porlo, a se entendereo com o res-
pectivo inspector, o qual, em vir-
tude de ordens do Exm. Sr, pre-
sidente da provincia, lhes garante
a isencSo do recrutamento, em-
quanto se oceuparem efectivamen-
te nessas o liras ; sendo o jornal a
dar-se de 6$o rs. por dia.
CONCELHO GERAL DESALUBRIDADE
PUBLICA.
Succedcmlo que as ultimas soma as de
dezembro eprimeiras de Janeiro poucas pes-
soas concorrem a ropartig.lo da vaccina,
deixando de comparecer aauellas que, sen-
do vaccinadas.teem de voltar no stimo dia,
e resultando d'abi que o concelho em to-
ov^" dos os annos por esse lempo se v exposto
a licar sem sement; julgo dever provenir
que a reparligao estara sempre aberla as
quartas-feiras e sbados,emliora sejam das
santos de guarda ; e convido aquellas pes-
soas que ainJa n3o fram vacciuadas qne
comparegam nesses das, das 8 s 9 horas
e meia da manhSa. RepartigSo da vacci
na, 22 de dezembro de 1819. Dr. 1. de
Xquino Fonseca.
-- Pela subdolegacia da freguezia de S.-
Autonio fram pegados dous cavallos :
quem se julgar com direito aos meamos,
cumparega em dita subdolegacia, que, pro-
vando perteiicer-lbes, Ihe serflo entregues
Keparliqao da polica.
Illm. e Exui. Sr.Participo V. Exc. que
rrnm hontem presos: minha ordem
remettido pelo subdelegado do primeiro
districtoda rreguezia dos Affogados, Justi-
no Marques de Almeida, para averiguagSes
policacs: ordem do subdelegado da
freguezia de S.-Frei-Pedro-Gongalves, o
preto Jos Francisco das Cbagas, os estran-
geiros O. Jansson, C. I. Sordermm, e Pedro
Brickroldt, por correcg.lo do subdelegi-
do da freguezia deS-Anlonio, o Portuguoz-
Sabino Jos Correia,por crime de formento.
Dos guardo a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambuco, 20 de dezembro de
1849.Illm. e Exm. Sr. Honorio Hermto
Carneiro LeSo, concelheiro de estado, pre-
sdento desla provincia.O chefe de poli-
ca, Jironymo Martiniano Figueira di Mello.
jUcclarac.oes.
Pela segunda secgSo da mesa do con-
sulado provincial desla cidade se avisa aos
Srs. proprietarios de predios urbanos, sub-
jeilusao pagamento da dcima, que do 1."
do andante mez so principalo a contar os
30 das para o pagamento de semelhauto
imposto u primeiro semestre do anuo de
1849 a 1850, u que, lido esse prazo, iucor-
I'a ESE PE
no theatro de S.-Francisco.
QUINTA-FEIRA, 27 DE DEZEMBRO DE 1849.
PatMinl nErRKSKM'AgiG.
Grande e variado diverlimcnlo pastoril.
Depois do executada pela orchestra urna
das inelbores symphonias, representar-se-
ba o mui insigne drama sacro em 5 actos
O NASCIMEMTO DO MESSIAS,
para o qual o Insigne artista brasileiro, o
Sr. Andr Alves da Foiisocb, se aclia pitan-
do una vista loda nova, que representa
urna sala de audiencia de Lucifer.
ACTO I.
Audiencia de Lucifer, e o esbravejamento
de todasas furias.
ACTO II.
A apprig3o do anjo annunciando o nas-
cimenlo do Messias.
ACTO III.
Oattcntadoda furia mallogrado.
ACTO IV.
A embriaguez de Facundo e a viuda de
todasas pastoras.
ACTO V.
As offertas das pastoras.
Todo o drama ser preenebido com arias,
coros, e llancas.
Os actores serSo 24 meninos e 12 moni-
nas, pertencontes a familias honestas que,
inteiradas da vigilancia e cuidado que pre-
sidem aos ensaios, uo duvidaram confa-
los ao director.
Terminar o espectculo com urna con-
tradanga campestre.
Os Srs. assignanles e mais pessoas, que
pretenderem bilhetes le camarote e platea,
pdem mandar receber os cartOes na casa
annoxa ao thealro, residencia do director,
onde se ellos acham a venda pelos pregos se-
gu ntes:
Primeiro ordem.
Camarotes de lado 5,000 rs.
Para assignaotes de 12 recitas, cada urna
3,333 rs., 40,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 3,500 rs.,
21,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 7,000 rs..
Para ssignantes do 13 recitas, cada urna
5,000 ris, 60,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 5,333 ris,
32,000 rs.
Segunda ordem.
Camarote de lado 6,000.
Para assignanles de 12 recitis, cada urna
4,166 lis, 50.000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 4,500 ris,
27,000|rs.
Dito de frente da mesma ordem 11,000 rs.
Dito para 12 recitas, cada urna 7,500 ris,
90,000 rs.
Dilo para 6 recitas, cada urna 8.000 ris,
48,000 rs.
Tercera ordem.
Camarote de lado 4,000 rs.
Para assignanles de 13 recitas, cada urna
2,166 ris, 26,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 2,500 ris,
15,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 5,000 rs.
Dilo para 12 recitas, cada urna 3,333 ris.
40.000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 3,500 ris,
21,000 rs.
Os bilhetes de platea para 12 recitas 9,000
Ditos para 6 recitas 5,000 rs.
Camarolinho do bocea para 12 recitas,
cada una 2,000 ris, 24,000 rs.
Dito para 6 recilas, cada urna 2,500 ris,
15,000 rs.
Varanda, 500 rs.
As asignaturas sorfio pagas adiantadis,
exlubindo recibo a direcgSo.
O tliealro estai decentemente ornado.
Principiar o diverlimenlo s 8 e meta
horas da noito, com a chegada das autori-
dades.
V
Avisos martimos.
Para Lisboa
sahe impreterivelmento no dia 29 do cor-
rente o brigue porluguez Velo;, capitao An-
tonio Pedio de Figueiredo: para o resto
da carga ou passageiros, trata-se com os
seus consignatarios, Oliven a IrmSos k Com-
panhia, ra da Cruz, n. 9, ou com o sobre
dito rapio, na pragr do Commercio.
Para o Itio-de-Janeiro segu, nestes
seis das, por estar com o seu carregamen-
to engajado, o brigue nacional osephina .
ainda recebe alguma carga miuda, escra-
vos e passageiros : Irata-se com o consigna-
tirio, Domingos Rodrigues de Andrade, na
ra dos Tanoeiros, armazem n. 5, ou com
o cap 11 o na praga.
Para Lisboa sahe com a maior brevida-
de possivel a escuna porluguez Malheiro-
Primeiro, capitfio Joo Itibeiro Palha : para
carga trata-se com seus consignatarios, Oli-
veira Innos & Companhia, ou com o re-
ferido capito, na praga lo Comi.-.ercio.
Para o Rio-de-Janeiro vai sabir com
minia brcvidsde, por ter a maior parte do
carregamento prompta, a polaca Sociedade-
Ftlie : quem na mesma quizer carregar,
dirlja-se aos seus consignatarios, Oliveira
IrmSos & Companhia.
-- Para o Rio-de-Janeiro segu viagem
com n.uito brevidade o patacho S -Joao-
Vencedor : anda recebe carga e escravos a
froto, para o quo trata-so com Francisco Al-
ves da Cunba, na ra do Vigario, n. II.
Para o Aracaty sahe impreterivelmen-
to no dia 10 de Janeiro a sumaca nacio-
nal Carlota, mostr Jos Gongalves Simas,
por se adiar com a maior parte da car-
ga prompta : para o restante e passageiros,
Irala-se com o mostr, ou com Luiz Jos
de S Aranjo, na ra da Cruz, n. 33.
Para Lisboa sahe impretervelmenle
por todo o corrente mez o brigue poflu-
guez S.-omingos, CapitSo Manuel C.ongal- '
ves Vianna : para o resto da carga e passa-
geiros. trata-se com o consignatario, Joa-
quim Ferreira Mondos Cumiarnos, na ruada
Cruz, n. 49, primeiro andar, ou com o refe-
rido capitilo, na praga do Commercio.
lJara o l\io-de-Janeiro salie
por estes das, por ter a maior
parte do seu carregamento promp-
ta, o bem coikhecido e veleiro bri-
gue nacional Bom-Jesus : para
carga e passageiros trata-se com o
capitao no caes da Alfundega, ou
na ra da Madre-dc-Deo*, n. 3,
terceiro andar.
Para a Rabia sahe, em poucos dias, a
sumaca Flor-do-\ngelim, meslre Bernardo
de Souza, por ter a maior parte da carga
prompta : para o restante e passageiros
trata-se com o mesmo meslre ou com Luiz
Jos de S Araujo, na rna da Cruz. 11. 33.
Para as ilhas de S.-Miguel,
Tercera e Fayal sabir brevemen-
te a escuna portugueza Favorita,
forrada e pregada de cobre, capi-
tao Antonio Jos de Vledeiros: pa-
ra carga e passageiros, trata-se
defronte do trapiche novo, n. 6,
com Tbomaz de Paria.
Para o Rio-do-Janeiro
o brigue S.-Manoel-Auguslo soguo viagem
no dia terga-feira, 25 de dezembro : quem
no mesmo quizer embarcar escravos pode
levar os conhecimentos a casa de- Manoel
Ignacio de Oliveira, na praga do Commer-
cio, 11. 6, primeiro andar.
Vende-se a bonita barca franceza Al-
cyon, de lote de 180 toneladas, de prsen-
le ancorada defronte do trapiche do Ange-
lo, lado do norte. Esta barca foi construi-
da em 1847, e he de urna marcha muito su-
perior, sondo por isso propri para qual-
quer especularlo que requeira promptidu,
por estar provida de um tudo e se adiar
prompta a seguir para qualquer porto. Os
prelendentes dirjam-su ao capito a bur-
do, ou a Cusa dos consignatarios, II. I.as-
serre & Compinhia, para tratar do ajuste
da mesma.
Leilo.
LeiaoquefazocapitSn Andrea Prev
da barca sarda (liusseppina, em presenga
do Sr. cnsul sardo, por conla e risco de
quem perlencer, e por intervengflo do cor-
retor Oliveira, do casco da mesma barca e
cobre de forro que se Ihe achar, a qual se
achaencalhadano lugar denominado Ma-
ria-Farinha, onde o arrematante della to-
mar conla: sabbado, 29 do crranle, ao
ineio-dia em ponto, porta da associagSo
cnmmorcial._______
Avisos diversos.
-- O Sr. Joaquim dos Santos Azevedo, san-
gro do Sr. Viegas, queira mandar pagar 17/1
rs. que devo ha mais de dous anuos na ota-
ria dos Coelhos: se n3o o zer, cbamar-se-
iia a juizo.
-Joo Francisco de Araujo Lima vai ao
pollos de tu!.


i-p ral da Cruz, n. u< .< .
SjmHM Nevos, para tratar do .jUte.
C DMiippnroceu, no dh 22 do correnle, as
R horas da noite, m. parda de nome Jus-
fina do2t annos pouco mais ou .nonos,
rom os sgnaos soguinte. : levou vestido de
Sitan" i estatura regular e u.n tanto
clara da cor ha de querer inlitular-se por
?or.;lemum dente quebrado no quenco
da c ma ; o immediato do dedo grande dos
Sean" mais pequeo : roga-se as autor.da-
e policiaes'ou ou.ra qualquerjcssoa que
a apprehender que a conduzam a (.apu-
ea ao sitio de Jolo Leite de Azevedo, ou ao
Recite loia de cabos, defronte do Corpo-
Santo.n. 17, que generosamente se recom-
pensar de 50,000 rs. para cima.
Preciso-se de um cozmheiro escravo
pira urna casa eslrangeira : no Trapiche-
Novo, n. 16. ,
.. |ieseja-se fallarcom o Sr. Zefonno Au-
relianode Figueiredo eMello, para se Ihe
entregar urna corta, vinda da cidade de A-
reia : defronte de San-Francisco, armazem
de taboado, n. 3.
owwv!""
-i
*horvetc c cosmorama.^
t> A casa de sorveles do Passeio-Pu- ^ blico. terga-feira, dia de fesla, apre- 3
? sentar aos seus freguezesduas qua-
* lidadesdesorvetes, e o cosmorama *
j?" com4 vistas principaesdesta cidade; J
5? e contina a apresentaroutras mui- ^
ty tas da cidade do Porlo e arrabaldes fc do Douro todas: quem tomar sor- _
vele ver graiis, e os mais pagarflo ^
gjj 160 rs. por cada pessoa. <}
OAA*iAAAAAAMAAi9iAfe*0
llano?! Alves Correia tein urna carta
na-tua doT.apiche, n. 17.
Perdeu-se, no dia 21 do correnle, des-
udes ponte do Rccie atoa ra da Cadeia.
' em frente a da Madre-de-I>eos, un cachor-
rinlio prelo, barriga e |s brancos, com
niiai estrellas brancas sob.e osolhos; d
pelo apellido de californio ou moleque, e
iicha-se bem nutrido e limpo ; s conserva
algumas pastas de alcatrSo no pello : quom
o adiar e levar ra da Madre-de-Heos, 11.
3, segundo andar, ser bem recompen-
sado.
; No Alerro-dos-Afogados, n. 80, ensi-
nam-se,por muito limitado prego.primeiras
lettras, com todas as formalidades do es-
'ilo que bem possam servir de boas regras
para os meninos; e assim todas e quaesquer
pessoas que quizerem bem pJem dirigir-
se para dita casa com seus menores, iloi
de la aprenderem a correr os primeiro* da-
do.', base fundamental para a boa perfeigao
de qualquer inembro da reunifio social.
Precisa-se de um capcIISo para dizer
as missas de natal at reis, em um sitio na
Capunga na praga da Independencia, li-
vraria ns. 608.
Secondieme socit philantropi-
que (mle )
Troiiicme Souscription.
Plusieurs personnes, sachant qu'unedeu-
xiemu souscription roulait, pour un deu-
xieme aclii dit de benfaisance, propOfent
une troisme souscription pour faire frap-
perune mdailled'or, ii l'honneur des co-
tillonspnilantropes dont les vertussidis-
tingues ont plus d'une fois excit la chai it
Ideleurs comiairiotes.
Kffiyif. de la midaille.
Sur la face une femme representan! la V-
ritdansson costumo national, etsorlant
de la boucho d'un puits artsien.
Sur le revers ce quatraiu qui, quoiqua
vieux, n'en est pas moillour:
Saint Paul disail aux Corinthiens
Failesdes aumones, mes fieres,
Car la charil, des chrtiens
bes trois verlos, est la premiro.
Signes, l'lusieurs Francais tres galants,
qui pour se drober la recomaissance du
ees da mes, dsirent garder I'anonyine.
O Sr. Manoel Alexandre- (ornes de Mel-
lo tnm urna carta na casa de Novaes & com-
panhia.
Gratificaco l'echincha !
Do dia l para 17 do correnle
desappareceu um escravo, de no-
me Simao, cliegado ha don para
tres mezes do A'racaty, oqual lem
os signaes seguintcs: rr acabo-
ciada, porm lem cabellos carapi-
nhados, um tanto baixo, meto son-
so e falla um tanto fina ; levou
ve.* tido camisa fin de madapolao,
cuicas de brim de quadros j des-
botado e chapeo de palha j ve-
Iho nacabeco ; loi visto no dia 17
na estrada de SanlorAmaro, tai-
vez para seguir para Pedras-de-
Fogo : roga-se polica e aos ca-
pitaes de campo, ou a qualquer
pessoa que o cnpturcm, que se pa-
garo todas as despezas e se gra-
tificar, entiegando-o na loja da
ra do Queimado, n. qO\ a Aze-
vedo & Irmao. U escravo cima
ha toda a certeza de que anda
tiesta praca. Quem o pegar tem
direito a 10,000 rs. que rece-
ber na occasiao da entrega.
--Alugam-sedous sitios na campia da
Casa-Forte e um ontro na rila da u.esuia po-
voacilo, com muitos arvoredos e ptimas
accommodacoes; bem como varias casas
pequeas, proprias para se passar a festa :
a tratar na ruado Amorim, 11. 15.
De..tes arl:itiaes.
J. A. S. Jane, dentista, participa ao res-
( peitavel publico que contina a exercer a
sua profissflo, na ra estreita do Itozario,
vit. 16, primeiro andar.
Joo Jos Innocencio Poggi, lr. em
medicina, faz publico que tem lixado sua
residencia no Atcrro-da-Boa-Visla, sobra-
do, n. 3, onde o acharao promplo para
exercer sua arte, cuiando gratuitamente os
pobres.
Alugaiu-se as lujas do sohialoda rtu
la l'enha, 11. 6, a amarello, proprias para qualquer esta-
belecimento : a tratar na ra do Amorim,
n. 15.

BOWMAN & MC. CALI.UM, engenhei-
ros machinislas e fundidores de ferro, mu-
respeitosamente annunciam aos Senhores
proprielanos deengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, quooseu estabelecimento
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se ada com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualidade para a perfelta confocefo
das mniores pecas de machinismo.
Habilitados para emprchender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
attenco publica para a sseguintes, por
terem dallas grande sortimento jprompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade das materias primase in3o d'obra,
a sabor:
Machinas de vapor da melhorconstrucgo.
Moendas de caima para engenbos de lo-
dos os tamanhos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
..precisa-sede una rapariga aolteira
i|ue se i|iieira subjeilar a serv. urnas se-
nhorai honestas, ou mesmu alguma mullier
j idosa e de boa conduela, .lando-se o sus-
tento, vestuario o psgando-se-lhe alguma
cousa conlormeo ajusto : muito se eslima-
r so a rapariga solleira fr orphfla : na rus
Bella, sobrado da esquina, no segundo
andar.
Precisa-so alugar um primeiro andar
de sobrado com quintal e cacimba, e que se-
ja perto da mar, e com commodos para
grande familia, ou mesmo urna casa torrea
com as mesmas commodidades, mas que
nDo estoja desconcertada para o que se da-
r fiador a contento : quem liver anuun-
cie.
D-se dinheiro a premio sobre penno-
res de ouro, prata e hypotheca em casas
terreas, ou mesmo em algum sitio : na ra
estreita do Kozario, n. 30, segundo andar,
se dir quem d.
-- Aluga-se o segundo andar do sobra-
do n. 120 da ra Direita : a tratar no pri-
meiro andar do mesmo sobrado.
l^ugio, no dia 16 do corren-
te, pelas quatro horas da tarde,
umprcto da Costa, chegado lti-
mamente da Babia, que mal sabe
dizer quem he seu senhor, e tem
os signaes seguintes : um grande
golpe por cima de urna fontc e um
pedacode urna orelha de menos
levou camisa de algodo branco>
- Veiide-SB um cuvallo bom andador
baixo, por praco commodo : na coche.ra
da ruada Horentina.
Oiicm quer lime ba-
rato?
Azeito de carrapato a 210 ris a garrafa;
queijosdos melhores que hoja se pa>m en-
contrar. 1,230 rs. ; azeito doco de Lis-
boa, a 460 rs. a garrafa; vinagro dito, a 70 rs.
a earraa ; toucinho de Lirua, a 180 rs. a
libra; vinho do Porto, JlOrs. agrrala;
caf primeira sorto, a lSf> rs. a libra ; ar-
roz do Maranhao, a 60 rs. a libra, o a
cuia a 360 rs. ; superiores velas de carnau-
ba, a 260 rs. a libra ; rnanteiga fr.incoza da
melhor que ha, a 500 rs. a libra ; bsnlia
muito alva, a 300 rs. a libra : familia do
Folliiiihas para 180.
Na hvrana ns. 0 e 8 da praa da Indepen-
dencia, vendem-se as bem coiinecnlas ro-
Ihinltn impressas nesla typograph.a, das
seguintes qualidadcs:
l'OI.IIIMIA DE POItTAcontondookalen-
dario, tabellas da friados, dias de audien-
cia o resumo de pocas nacionaes e geraos.
HITA DEALGIBEIRA contendo omes.no
cima, o um resumo de chronologit, a qoal
tambem di preamar, c tem urna collercEo
de remedios o segredos uteis para uso do-
mestico. ,
DITA HE HITA com o almanack dos em-
pregados civis, ocelesiastir-os, militares, ad-
ministrativos e a nomenclatura de lodosos
estab.'k'cimenlos labris, meroantis euidus-
Iriaes. ao qual se ailicionou um resumo es-
. I > 'f- K I 1 I 1 1 I I 1
muito iva. a 300 rs. a nura .amina 00 w, .vs-...- ""T",r unontu.
Maranl.no, a mais fina e alva que pode ap- filticoda cidade ^iMg .
parecer, a 100 rs. a libra ; letria, primeira eo das freguezi.s. ^UgM*
.._-.i.:k. .1 comarcas da provincia elinainienie a lauei
la do iiasrimento e ocaso do sol para regu-
"Vo'daTd-agoa, moinhos de vento e serra trancado e calcas de algodao ris-
rias. cado americano : a pessoa que o
Manejos indepondentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguillioes, bronzesechumacciras.
Aguimups, uronzes o uiiuiiimiuuoa. se a |ii< .1 uo iiiu5jii>.>ivi
Cavill.Oes e parausos de lodos os tama- Gg j^. 8ejr quem he seu se-
nhos. ,'t .
Taixos, pares, crivos e boceas de forna- nnor, e sera bem recompensado.
Iba. Precisa-se de um feitor portuguez que
Moinhos de mandioca, movidos a n.So ou entenda de plantacOes de arvoredos de fruc-
por animaos, e prensas para a dita.
Chapas de fog'io e frnos de farinha.
Canos de ferro, torneiras de ferio e do
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mSo, por animaes ou venlo.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas liydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blioas.
Columnas, verandas, grades e porldes.
Prensas de copiar carias e de sellar.
Camas, carros de mSo e arados de ferros,
tve, &C.
Alm da superioriade das suas obras, ji
goralmonte reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantema mais exacta conforini-
daile com os moldes e dezenl.os remettidos
pelos Senhores que so dignare.n de fazer-
Ihes encommendas, aproveitando a occasiao
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gse freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e assegurain-lhes
que nSo pouparfo esforcos e diligencias
para continuaren! a merecer a sua confi-
anza.
Modas francezas.
Madama Theard, com loja de modas, ra
Nova. n. 32, recebeu um sortimento muito
rico de chapeos de suda.de escoinilha, de
dina, de fil de palha, todos de muito bom
gosto ; chapeos de palha para moninos e
meninas, de moda muito nova ; mantele-
tes ; capotinbos ; visitas muilo ricas ; tran-
cas de muitas qualidades ; lucos de linhos ;
chitas muito ricas e dos ltimos padrOes ;
capellas de flores para bailes e casanienlos ;
llores muito finas ;e muitos outros enlejes
para senhoras. Mamada Theard faz sempre
cnfeilosconi muito gosto, e na ultima moda
vestidos para bailes e casamentas ; cha-
peos; bonetes drt montara jroupOes; palito
de meninos ; vestuarios de meninos, e lo-
dosos enfeites para senhora.
Carlos flardy, ourive,
na ra Nova, n 5,
acaba dereceberde Franca um sortimento
de obras de ouro de lei. como sejam ade
recos, meios ditos e pulseiras tan.bem re-
cebeu um grande sortimento de chapeos de
-o i ni e gorgurao do ultimo gosto e de dif-
ferenles cores e precos ; chapeos do palha
da Itaiia ; ditos muito finos, abortos o fe-
chados ; urmacoes de chapos do todas as
cores, muito lacis do se cobrirein ; lilas ;
llores; pennachos ; pennas para chapeos;
camisinhas do cambraia para senhora, mui-
lo bem bordadas ; luvasdeseda com dedos
e palmas de cores ; touoas de 19a para se-
nhora e meninas; meias de seda para me-
ninas ; cassa franceza muito lina : ludo se
vende mais baralo do que em oulra qual-
quer parte. .
Domingo
e lodos os mais dias santos do fosta llavera
bom soverte das mais saborosas frutas, por
preco commodo, das duas horas da tarde
em diante, na povoacaodo Monteiro.
Quem so julgar credorda casa de Jo-
nes l'aton & Companhia, queira apresenlar
as contas at o lim do mez para ser pago.
Na ra do Sol, n. 9, se dir quem di
dinheiro a premio sobre penhores de ouro
ou prata. .Na mesma casa vendem-se pecas
de tremoia, loalbas e guardanapos: ludo
fabricado emGuimar9es: fmbem se ven-
dem capachos grandes e pequeos, redon-
dos e compridos, por preco commodo.
Aluga-se a casa terrea da ra Augusta,
n. 30, com commodos para urna familia : a
tratar na ra larga do Kozario, n. 18.
Precisa-so alugar um prelo para car-
regar um panicum de pilo e fazer o servico
do casa : na ra do Pires, n. H.
Na ra do Sebo, n 10, aluga-se um mo-
leque bom comprador, cozinba solTrivel, he
filen.lo tem vicios. Faz-se negocio com
urna hypotheca na casa da ra da Gloria,
n. 77, pela quantia de 600,000 rs. Vende-se
urna boa carrosa para boi.
Jos Florencio Concalves, subdito pOr-
luguez, rctira-se para Lisboa.
Sorveie.
No principio da ruada Aurora, ao p da
ponte, no armazem da porta larga, se acha
prompto e com asseio para ludas as pes-
soas que quizereui tomar sorvete, pois 113o
su arliarno bom sorvete, como bom licor
mariasqiiino e superiores charutos, pois
sflo cousas muito proprias para ilepois du
sorvele; lodos os dias, das seis horas o mei
da tarde coi diaule.
cado americano : a pessoa que o
pegar ou delle der noticia, dirija
se praca da Independencia, n.
to, de llores e verduras,para lomar conta de
um pequeo sitio : no Aterro-da-Boa-Vis-
ta, n 26, segundo andar.
Sorvete.
Na Capunga, casan. 53, do lado direito,
quom entra pela ponte, ach-se este esta-
bolecimento com o maior asseio possivel o
bstanles commodidades at para familias :
estar aborto todas as vesporas de dias san-
ios e nestos, das 6 homs da tardo em diante.
Quem precisar de um homem para ad-
ministrador de eugenho, o qual tem co-
nhecimentos theoricoso praticos do desti-
lar, dirija-se ao Aterro-da-lloa-Visla, n. 80,
venda.
Aluga-se urna casa terrea, sita na ra
da Concento da Boa-Vista, n. 29 : a tratar
na piara, n. 6, botica.
-- Charles Chapront, relojoeiro francez,
ra Nova, n. 32, concerta relogios de todas
as qualidades com muito cuidado e muita
porfeicao, assim como vende relogios pa-
tentes, muito superiores.
0 &
0 Alugain-se e vendem-se as verda-
) deiras bixas do llamburgo : na praqa j
q da Independencia, n. 10, ao voltar ,-g para a ra das Cruzes. Aluga-se urna casa no Cachanga para
se passar a festa, com estribaria e coche.ra,
por prego commodo : na ra Nova, n. 63
l'recisa-se urna ama de lei-
te forra ou captiva, sem cria : na
ra do l'adre-Florianno, por ci-
ma da venda, b. 72.
-. Jacob i'.ahus, subdito francez, retira-
se para o Para
fe
DEPOSITO GERAL
I do superior rap areia-pista 9
j> Ihet&c Companhia, na Ba- ^
% hia.
% Homingos Alves Malhcus, agente da l|t
fe, fabrica de rap superior aroia preta *
i o meio grosso da Bahia, tem aberlo o %
% seu deposito na ra Cruz, no llecila (4
',' n.52, primeiro andar, onde se achara $JJ
) sempre deste excelleutee mais acre- (f
\) dilado rap que at o presente se tem %
6 fabricado no Brasil: vende-se em bo- #
H tes de urna e meia libra, por prego #
Smais commodo do que em outra qual- (9
quer parte. J
-Jos Maria da Silva, subdito portuguez
retira-se para o Itio-de-Janeiro.
O Sr. Joilo Cyprianno Bangel queira
ter a bondade deapparecer na ra da Ca-
deia deS.-Antonio, para decidir sobre cer-
ta conta que S. Me. recebeu.
O O
O O Dr. Alexandrede Souza
Pereira do Careno, medico, nii.du- g
O se para a ra Nova, sobrado de um w
O s andar n. 56, onde morou o gene- *3
Q> ral Seara. O
PHS
Compras.
Vendas.
Vendem-se luvas de torgal de seda,
prelas e brancas, com linda renda para se-
nhoras e meninas, meias de algodao para
meninos o meninas, a 120 rs., 160 rs e 200
rs.: na ruu da Cadeia-Velha, n. 15.
Obras de ouro.
Vende-se um par de brincos, urna meda-
llia com diamantes, um lago de lilagrana,
um annel com dous diamantes, um bzi<>
enrastoailo : na ra do Crespo, 11. 12, loja
Vonde-so um jogo de guinSo : na ru;
da Praia-de-S.-Bita, defronto da ribeira,
08.10011
Compra-so urna parda, ou erioula,
moga, que cosa bem, engomme ecozinhe
defronte da ribeira do peixe, n. 3.
sorte, a 220 rs. a libra ; bolacbinha doce,
a 180 rs. a libra, a ingleza a 220 rs.; as-
sucar refinado muito alvo, a 100 rs.; mas-
cavado a 60 rs.; branco muito bom a 90 rs.;
cha bysson, primeira sorte, a 1,920 a libra;
carne do serto, a 220 rs. a libra; bules
grandes pintados, a 480 rs. ; ditos brana
eos, a 400 rs. ; pratos, a 1,050 rs. a duzia ;
serveja a melhor que ha,'a 360 rs. a garrafa;
Hbfio amarello e prelo, a 120 rs. a libra ;
genebra de llollanda a 300 rs., oda trra ,
230 rs. ; fumo superior, a 300 rs. a libra ;
vinho branco de Lisboa, a 220 rs. ; alhos-
um molho90rs. ; o ludo muito bom, por
baralo prego: na ra de S.-Jos, esquina
quo volta para a abobada da Penha, venda
de 4 portas, n. 2.
SSSF.
Manoel da Silva Santos vende
farinha de trigo superior da marca
cima mencionada e chegada a es-
te mercado no ultimo navio vinrlo
de Trieste : quem pretender, pode
dirigir-se ao armazem do Aunes,
no caes da Alfandega.
Vendem-se saccas eom farclo, muito
grandes e boas, por 4,000 rs. : na ra da
Praia.n. 20.
Venden;-se barricas com magaas vin-
das debaixo do gelo, polo baratissimo pre-
go de 4,000 rs. : no Alorro-da-lloa-VisU,
n. 24. venda.
--Vende-se boje, vespora de festa, urna
pequea porgao, quo ainda existo, de lu-
vas de pellica para senhora, enfeitadag e
sem enfeites, e para nao licar rosto dallas
para o anuo novo vendem-se pelo diminu-
to prego da 1,000 rs o par: no Aterrg-da-
Boa-Vista, n. 72.
~ Vendem-se, por prego commodo, duas
ricas toalhas de lavarinto : a tralar no Ater-
ro-dn-ltoa-Vista, armazem de louca da Ba-
bia, de Cosme Jos dos Santos Callado, onde
se acham para quem quizer v-las.
Na ra do l.ivramento, 11. 11, vendem-
se sapatos de marroquini|preto e rouxo a
500 rs. o par.
Vendem-so leitdos de espeto, muito
gordos : na ribeira da Boa-Vista, n. 3.
Vendom-so 4 molecotes de 10 a 15 an-
nos ; 5 eseravas mogas do bonitas (curas ;
3 negrinha* de 16anuos; 4oscravasdo bo-
nitas figuras : na ra Direita, n. 3.
Vende-se. para fura da provincia, um
pardo ollicial de sapateiro, do 25 a 26 an-
no.s : na ra das Cruzes. n. 1.
Chegaram novainenle a na da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata
patento ingles, para boincm e senhora.
Bous queijos do sertSo.
Na ra do Quei.nado, loja do ferragens,
n. 14, vende-se este excellente petisco, por
prego commodo.
\ ovo sor tmenlo de fa*
zexulas baratas, na ra
do Crespo, 11. 0. ao p
do lampear.
Vende-se cassa-chila muito fina, de bo-
nitos padrOes, cores lixas o com 4 palmos
de largura, pelo baralo prego de 320 rs. o
covado ; eassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; riscadinho de lis-
Iras de linho, a 240 rs. o covado ; brim de
algodao de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padrOes, a 320 rs. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corle de
duas varase urna quarta ; cassa preta com
ramiigem branca para lulo, a 140 rs. o co-
vado ; zuarto de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chilas de
bonitos padrOes e c6ies lixas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de tarlatana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodao america-
no, muito superiores, a 640 rs.
Livro ndspeusavel a to-
dos os escriptorios in-
glezes.
sin Encyclopozdia 0/ Geogra-
nhy comprising a complete des-
cription ol* the Earth, physical,
statistical, civil,and poiticsl ;ex-
hibiting itsrelation tothe heaven-
ly bodies, its physical structure,
Ihe natural history of each coun-
try, and the industry, commerce,
pulitical institutions, and civil and
State of aII nations, by Hugli
Murray, llustrated by eighty-
two Maps.
He um volume de mais de i,5oo
paginas, e vende-se na ruado Ko-
zario larga, loja de miudezas de J.
J. Lody.
Acaba (Je chegar loja de
Maya Ramos Sf C,
um lindo sortimento do papis para forrar
salas, acompanhado de riquissimas barras
e bellas guamigOes : ludo da melhor qua-
lidade possivol e gostos os mais modernos:
.iquellas pessoas que quizerem forrar suas
-ahis com asseio o goslo, dirijam-se i ra
Nova, .1. 6. na indicada loja cima que se
Ihes promette commodiadde de prego.
lamento dos relogios, orgaiiisaa pelo ex-
cellenlo piloto Portugal, desaudosa lem-
branga.
Attencao.
Em Olinda.ao saltar no Varadouro, segun-
da venda a esquerda, vendem-se em muito
bom estado, que o comprador veri, e pelos
diminutos pregos deste annuncio, as excel-
entes obra que se seguem : Mysterios de
Paris, em inglez e com eslampas, por 8,000
rs. ; Historia do NapoleSo, escripia em me-
morias por elle mesinnu publicada porCal-
lois ,4 v. em porl., por 4,000 ; Oorint ou
a Italia, obra prima de M. de Stael, 2av. ,
por 6,000 rs.; Tl.eoria do governo repre-
sentativo por Cuisot, linda encadernag3o,
1 v. por 3,000 rs.; Godwin'i polilicle jus-
tice, obra interessante, 2 v,, por 6,000 rs. ;
Couvernement civil de I.ocke, 1 v. por
3,000 rs.; Arnold's Pbisie, 2 v., por 5,000
rs : Direito publico por llamn Salas, 1 v.,
por 2,000 rs.; (rainrnatica da academia
franceza de l.ovisac, 1 v., por 2,000 rs. ;
Tales of the prcat, and brava by Frasor
Tyllier, 1 v., por 2,000 rs.; a Formosa don-
zlla de l'ertli, romance de \V. Scott. por
2,000 rs. ; Inslitutioncs juris natura, et
gonlium, por Fleischer, 1 v., por 2,000 rs.;
The lliad, trad. de Pope, por 4,000 rs.; Ari-
metica de Besout em francez, 1 v. por 2/
rs ; Compen.iio do la historia grega por
Goldsmilh, 1 v., por 1,000 rs.; Methodo
racional de aprender a lingoa latina, 1 v.,
por 1,000 rs.; Quintiliano em latim. 1 v.,
por 2,000 rs. ; um Magnum Lexicn, por
5,000 rs., c muitas obras elementares coino
Virgilio, Horacio, Saluslio, Rhelonca, Phe
dFO. Cometi, the ibird buokorreddiugles
sons : ludo desla forma.
Xaropedo bosque
nara cura da plilliiscia em lodos os seus difl'e-
rentea graos, qur motivada por conslipacOes,
(osse, nsthina, pleurlt, escaos de sangtie.dor
de costado e peito, palpilacao no coracao, co-
queluche, broiicliite, dr na garganta e toaas
as molestias dos igaos pulmonares.
Vende-se na ra dos Quarle.t, 11. IX.
Velas de espermacete
em caixasde 30 libras, o da melhor quali-
dade quo ha nosle mercado : vendem-se na
ra do Trapichen. 8.
Chapeos de palha
muito linos o superiores: vendem-se na
ra do Trapiche, n. 8.
Vendem-se cbaposzinhos ricamente
nnfeilados para meninos e meniuas do um
a tres annos : 110 Aterro-da-lloa-Visla, n. 1.
95 bf
u
u
o
a <
H3

es
te
<
>
>o
-?.
u
U
O
^
Lotera do Rio-de- %
% Janeiro. 7
I Aos 20:000,000 dcrs.g
Pelo vapor S.-SebtutMo, sabido do 9
* rtio-de-Janeiro no dia primeiro a fr-
3 do, recebemos as listas da 21." lotera *
# do monto pi e da 11.' a beneficio das m
*? construeges e reparos das matrizes : #
R tambem recebemos os afortunados *
hilhetese meios bilhetes da 6. lo- #
B teria do thesouro do Rio-de-Janeiro,
cujas rodas deviam audar no dia 17
do correnle.

Pos galvnicos para
praear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objectos
prateados e que lenham perdido a cOr ar-
gntea, estando por isso indeconles, ou inu-
tilisados, teem nestes pos um excellente
restaurador e conservador dos mesmos
objectos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples,
nada mais do quo esfregar com um panno
de linho molhado em agoa fra e passado
nos mesmos pos.
Urna caixinha contendo quantidade suf-
ficionte para pratear mais de 40 palmos
quadrados custa a mdica quantia de
mil rs.
Charutos de Havana
verdadeiros :
vendem-se em casa de Kalkmana IrmSos,
na ra da Cruz, n. 10.
Cal de Lisboa.
Vendem-se barris com cal virgem de Lis-
boa de superior qualidade, por pre$o com-
modo : na ra da Cadeia do Recife, n. 50.
Vendem-se bustos de gesso represen-
tando fielmente a rainha Victoria e o prin-
cipe Alberto^ relogios de ouro e de prata,
c.cegados ltimamente da Suissa i estes re-
logios que sao mui bem acabados, se tor-
nan, muito rccoinnieudaveis a qualquer
particular, e adverte-se que ha entre elles
algunsque audaiu 8 dias sem precisaren
de corda : na ra da Cruz, no Recife, n. 55



EWntiiiim imiimuii
gas
I"II"' f111 *'* 11110 Vendem-se saccas com farinha mullo
..ii < cii^cuuui |j)n| 0 |)e||, torra,!n), r |rt.Qo commodo: no
fundicio de ferro da rua do Hrum,|armazomdotinado Rraguez: na ra da Ca-
deia. no p do aren la Conceicfto, n. C 0, ou
a fallar na loja ilo loSo Jos do Garvalho-
4
acaba-so de rcceber ni completo ortimen-
lode luisas de. t a 8 palmos de bocea as
qoaes aeham-se a venda por preco com-
tnodn e com promplido enibaream-se,
ou raricaiii-socm carros seni desuezas ao
compradora
Cassas e cambraias.
Vender uin soriimeiito de canas, cam-
balas, 'hitas, riscados, chales ilo seda,
ditos de Ifla, luvas, meias, bieos do linho,
brancoa e> pretos: tudo o mais barato pos-
sivel, por Berem razendaa fra da moda : na
illa do Crespo, n. a.
Vende-se um lindo molequo do boa
conduela; una bonita mulatinha recolhi-
da, rom habilidades precisas para mucama:
na i na ilo Rangel, u. 57, sobrado.
-- Venderse urna cania nova, de madeira
pnvornizadl, com armario e prompla do
colcbOaa o Iravissciro-: ludo novo e que
anda nfo foi servido, por preco commo-
do : na ra do Pires, n. 8.
No armazem do barateiro
Silva Lopes, na porta da alfandc-
ga, vende-se farinha de trigo de
l'biladelpbia limito nova c a mais
Miper or que tem no mercado ; e
i ai lis cora i^os de comadre, mul-
to runos.
irados de ferro.
Na fundirlo da Aurora, cm S.-Amaro,
vendem-so orados ci ferio diversos mo-
delos.
AGNCA
da fund cao Low-Moor,
BDA DA SKKZAT.T.A-NOVA, K. [\0.
I te estabelecimento conti-
nua ; haveium completo sort-
tnento de moendas t meias moen-
uas, para engenho; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
condo, de todos os tamanbos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-oS'Santos na ISahia
Vende-s .r rasa de N. O. Isieber & 0.
roa da Cruz, n. i, alpodlo trancado
di quolla fabrica, muilo proprio ara saceos
de assucsr o roupa de escravos,
(lid hrnsilcito.
Vciuh-so (lis hrasilelro no arrr.vem de
moldados, atis rio Corio-Si-nto, d. 66, o
naisexcelleuto cb produzido cm S.-Pau-
lo que ti m viudo a este mercado, por
proco muito com modo.
Aloendg s superiores.
NafundicSodc C. star: Companbia,
cmS.-Amaro, ccham-se i venda moendas
<'. calina, lodas de ferro, de um modelo e
i '.: IICCSO 1: llilO SUpi lior,
les fumantes de bom susto,
Nn irmazem de moldados airas do Cor-
1 i lo, ii. I:., ha on vender, Chogados
pelo ultimo v;.or .viudo do sul, superio-
res charutos S.-Flix, e de nutras multas
alidades que se venderSo mais barato do
que pm nutra qualquer parte: bem como
cigarritnos hespaiihes, ditos de palba de
r> ilbo, que soestfio vondendo peiodiminn-
' o reco ilo 500 rs. o cento.
Horaes,e no mestnojarmazem.
Para quem ti ver bom
posto.
Vendem-se redes de cores muito prandes
e muito bonitos padrcs, e o nolhor que
tem apparecido este mercado: amado
Crespo, loja da esquina quo volta para a
"I
de o i turaren] mais que as deesperrrtaoele
c nao fazerem niorrSo.
ir- 'cas grandes por preco commodo
iNa ruado Amorim, ns. 66!, VinlO f^llCl OSO
e 58, vendem-se ftelos cm sao; Na ra do crespo, loja,,. 8,'vcn'de*
s
Yendcm-so superiores corles de cam-j
hraias finas antipas, pelo barato proco do
3,500 rs. O cuito; bem como novos cortes
de casso-chita, de lindos gostos, a 2,800 o
3,000 rs. O corlo : na ruado Collegio, n. I,
loja da estrella.
I'echincba.
Vendem-se cortes de caigas de meia casi-
mira de lfla, a 1,6U0e a,000 rs. o corte, bs-
tanle encorpado; bem como meias para
senhora, a 200 rs. o par, e a duzia a 2,000
rs. : na ra do Collegio, n. t, loja da es-
trella.
Casimiras a 3,5oo rs.
Vendeni-se cortes de mpjas casimiras de
bonitos gostos, com tres covados e meio,
pelo barato prego de 3,500 rs. o corte; ca-
simiras superiores, lauto em padrescomo
em qualidade, a 4, 5, Ce'-,000 rs. o corle :
na ra do Collegio, n. 1, loja da estrella.
Cortes de cassa para ves-
tidos com il6 covados
por 5,500 rs.
Vendem-se corles de cassa para vestidos,
romlG covados, a 3,500 rs.; ditos com 8
covados, a 1,700 rs. ; pegas de cambraia li-
sas rom oito varas e meia, a 2,720 rs.; pan-
no de linho muito lii;o, a 480 rs. a vara : na
ra do Crespo, loja da esquina que volta
para a eadeia.
Acahade chepa r, e vende-secom ose-
cadeia.
Vendem-se amarras uo ,/rro: na na
Ja Senzalla-Nova, n. 42.
Saccas com Trelo novo,
rieftOaOOi.bras.aS,?:
vendem-se no irma/ern do Anlonio Aunes,
no caes da Alfainlega, e nodo Vicente Fer-
reira da Cosa, na roa da Madre-de-Deos,
chepudas ltimamente de Lisboa e de
I "ranga.
Farnha de trigo ame.
rica 11 o.
Vende-se farnha de trigo amoricano, da
maica Brnnd-YYine, chegad ltimamente,
por prego commodo : em casa de J. J. Tas-
so Jnior, na ra do Amorim, n, 35.
- Vende-se uir.a paito dos sobrados de
tres andares, ns. 14c1C, sites na esquina
da ra da Cadcia, dcfronle do theatro do
San-Francisco: a falla r'no primeiro andar
dos ditos, com Joaquim Teixcira Peixolo. ,
Vendem-se queijos londrinos, preMn-. *l:ndo, o primeiro tomo do Annuaiio Poli-
tos muito freso es, laseos com m os tarda, lico histrico oestslUco do Brasil, por
ditos com liurias, botijas de cormibos, fias- P'eco commodo, na praga da Independen-
quindes de molbo para carne, e oulros ci'.loja,ns G e 8; na ra da Cadeia-Velha,
ohjectoa: ludo ebepado ltimamente de '"Ja doSr. Cardoso Ayres.e na ra da Cruz,
Liverpool na galera Saeord-Fish: na ra da 'J*- dos senhorea Santos i C.
Cruz, n. 7, armazem de Davis & C. / Escusado he tecer encomios esta obra,
II.' j que ho um verdadeiro e interessanlo arebi-
uitimn gasto. : vo nacional, porqnanlo o publico j reco-
Vendcm-se osmelboreschapeos do mas-!nhece oseu mritoj eopoverno tem pro-
sa frauceza que leem viudo este auno, tan- curado coadjuvar a empreza.
lo cm forma Como em boa qualidade: lia PS.t | t ,,#,..c ~ -9A41 ..
para rabrea baatante pequea, a T.scool1*"41"1^ >-<>VaS a OO TS.
8,000 is. : na ra do Collegio, n. 1, loja da !
estrella. (
Vendr-se um cabriolct mui leve e ele-j
gante em bom uso, por prego commodo:
na ra do Hospicio, n. 9.
Vende-se urna escrava cri-,
_ i i / \e:i. cm-se caisas com folha de Handres:
Otila, bonita figura, propna para Inania do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
qualquer ser vico de un:a casa .- na so Jnior.
Vende-se um pr"todo 25 fannos pou-
co maisou menos, sem vicios nem acba-
clles antes que se acabem.
A lien cao!
o go:
vendem-se no armazem de J. J. Tasso J-
nior, na i na do Amorim, n. 35.
Polha de FJandres.
No 8rmazcm do molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha ebegado pelo ultimo
navio de Lisboa eLivorpool, superior mar-
melada, (frutas em bocetas frascos de or-
chata, boics com geleia de mormelo, latas
com bolacliinhas de Lisboa, chocolate,
paios de lombo, quoijos londrinos, presun-
to para fiambre, conservas, potes com sal
retinado, latas com biscoutinho inplez, e
cha,- ludo do mais suportar quo tem appa-
recido ueste mercado; assim como um
completo sorlimeulo de escellenles vinbos,
proprios para o tempo do fesla, o que tudo
se vender por menos do que em outra
qualquer parte. .
Calcado de 1,280 a 1,600
rs., no Aterro-ca*Boa-
Vista, cFronlc da bo-
neca.
Siio chegados sapatos francezesdecouro
de lustro para senhora, a 1,280 e 1,600 rs. o
par; borzeguiuspara homem, a 4,000 rs. :
bemomo um completo sortimonto decal-
Qa(fQfl todas as qunlidades, lauto para ho-
mem. como para senhora e meninas; sapa-
lOes brancos do racaly para homem, a 1/
rs._; ditos de couro de lustro; pedes de cou-
ro ile lustro liamhurpuezas e francezas ; di-
tas de marroquim ; botes de seda para ca-
saca : tudo por prego commodo.
Para todas as profissoes
do mundo.
Arte he Fuktak, pelo padre
Antonio ViriHA, reimpressa coi-
dadosamentc em Londres, com o
retrato do autor frente. Um vo-
lunte in 8., cncademacao inglcza.
Vende-se na ra do llozario lar-
ga, loja de miudezas de J. J.
Lody.
j penor vinho ongarrafudo, ebegado uiu-n"'
mente do Porto, a 12,000 rs. a duzia
Agoa do Ungir os cabellos o suissas
Continua-se a vender a agua do tincir *,
cabellse suissas: na ra do Queim.N
n.3t. Ometbododo appliosr a dita .,'
acompanhaosvidros. Koa
Para passar festas."
Vende-so urna porgiio de
dilTerentesI
lo; ou, p
tipa dos Quarteis, n. 8, ao"p da botica*
obras do ouro de )oi, om separado; ou nn,
an-l
r. Jos Mara. -cadj
J^'^sodaraomuitoem conta : ra ra an-
ruada (adela do Ilccife, loja de
Joao da Cunlia Slaga|lies, n. 51.
Novos gati.liiifics a 2,000 rs o
corte.
Vend m-SC su; ei ores corles de calcas de
gambreSo, com 3 coviios e moio, peo di-
minuto prego de 2,000 rs. o corle, osla lu-
zeiuia torna-so rccommendavel | ela su>i
boa qualidade ja bom conliecida, de boni-
tos padrOes: na ra do Collegio, n. 1, loja
daesticlla,
lis mais rices mantele-
tes e capo ti Jh os,
Vendem-se os mais asseiados mantelete:
o capotboa de chamelote de soda e gor-
purao, os mais ricos que Ucm apparecido s
na ra do (Jueimado, o.!.
itnportaute.
Cj Csssa-seda moderna.
Vcndem-so corles de vestido
de

Cortes de brim de cores
com lislif sao lado, a
1,280 rs.
Vendem-secrlesdebrim de c^vc-t comj
lisiras ao lado, a 1,380 rs.; ripeado do al-
pod.to meiicauo, pnipiio paia ercravos, a
140 is. o covado : na na do Crispo, lujada
esquina que volta para a eadeia.
Os mais modernos cor-
tes de cassa para vesti-
dos a oito patacas c
meia o corte
Vendcm-ae modernos corlea de cassa pa-
ra vestido, com 7 varas, a 2,720 rs. o corle :
na ra lie Quelmado, n. 8, loja confronte a
botica.
Tecidos de algodo tran*
cado da fabrica de To-
dos-os San tos.
Na rua da Cadeia, u. i>*2,
vi ndem-se por atacado duaa qiialidadcs,
prnprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
' 20 rs. o corado e ris-
eado monslro a 220 rs.
Vende-se zuarte de furia-cores, muito
encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
rado monslro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ruado Crespo, loja da esquina que
volta Dar a cadeia.
Vendem-se liona queijos londrinos,
ditos de pralo muito frescaes e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos portugueses para panella, Ihtas
com Se4libra*de mermelada, ditas com
bolachinba de Lisboa, ditas de aardinba, di-
las com hervilhas, frascos com conservas
inglezas, queijos de quallm vindos do Cea-
ri, por barato preco, mantas do toucinbo
mglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauma e
oulros mullos gneros do boa qualidade :
a nrua da Cruz, no llecifc, n. 46.
(' cassa-seda transparante.padrOes mui- ($
fe to modernos, e Calenda a mais su- *^
C-v perior possivol, tanto em posto como $
i em qualidade: na loja do sobrado c-S
(9 amarello, nos qulro cantos da rua f
ti do Q leidiado, n. 20. ^
-- Vende-se lio porrete do Porto, de mui-
lo boa qualidade, em par.te de quairo ar-
robas : na rua da Cruz, D. 3.
utas de seda.
Anda existe um resto das mantas do se-
da que -e ti > i iiinunciado, a 7,000 rs.: na
rua larga do Uozario, adaria 11. 48.
Vend-so superior larinha a bordo da
polaca N.-S.- du Passeio-Publico, por commodo prego, o
em saceos: na rua do Vigario, 11, 11.
Garrafas vastas.
Vendem-se gigos com' garrafas
rasias, no armszem do Annea, no
caes da lfandega : a tratar com
Manocl da Silva Sanios.
Vendem-se poles de sal in-
gle* refinado com o peso de nina
libra, proprio para mesa, a 32o
ra. : na rua do Cabug, loja de
miudezas.. n. 1 I).
Vendcm-sesaccis com Tre-
los de g4 libias cada nina : no ar-
mazem de liacellar, no ces da
Alfandesa.
ques.de bonita (gura, e quo he olTicial de
msrceneirn: na rua do Vigario, n. 23, se-
gundo andar.
Vendem-se vassouras americanas, por
preco commodo: no becco da Madrc-de-
Dcos, n. 17, armazem do Candido.
Aviso
Beneficio puUico
O armazem antigo da rua da Madre-de
Dos, 11. 30, est de novo estabelecido de-
baixo das msmas condicf.es, offerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado picc.0de 180 rs. o garrafa, e
1,300 rs. a ranada, a do vinho bruno de Lis-
ba porSaOrs. a garrofa, e 1,600 r.. a ca-
riada, a de vinho de liordeaux por 160 rs. a
Carrafa levando o casco. Nao se admlrem
os freguezes do baixo prego por que se ven?
de a deliciosa pinga, e si ni da audacia do
proprietario querer sustentar o amigo pre-
1.0, embora este gcneio tenha .subido o mc-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examinen) os
amantes a qualidado para recouheoimento
da verdade c continua((o da antipa fregue-
zia. Epara nitohaver usuras, esiopromp-
tas garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como larris de diversos ta-
mnnhos para provisflo do prximo Natal.
O proprietario conta com a concurrencia;
do contrario, tornarlo os pregos do reta-
a primitiva de840e 280rs. a garrafa.
Na rua do Qucimsdo, n, 22, loja
1/ do chapeos do llamalho, vendem-
se chapeos de palba da Italia, pelo
preco do 2,500 al 4,<00 rs. ditos do Chile;
c bonetes para meninos.
Vendem-se sapatoes de cau-
to de luslrp pelo liaralissimo pre-
co de 3,ooo rs. ; ditos superiores
e de ponto ixo,a /|,ooo rs. ; ditos
do
fe
#
Chapos do Chile
de superior qualidade.

5
Pelo ultimo vapor receberam-so t
mais chapos do Chile de superior
@ qualidade, que conlinuarn a vender-i
(jj> se< a oreos mais commodos do quo ^,
V em oulra qualquer parte) na rua do
j3 Collegio, 11. 9.
>
Vende-so na rua larga do Rozario n
22, um grando banbeiro dn folha cloFln I
dres, bem fcilo, envernisado, com carrinlil
de mover com tres rodas, torneira parj
despejo das agoas, e juntamente um ci.l
lindro bem (cito, quo serve do accendel
o fogo para esqueular a agoa dentro i
mesmo banbeiro : tamhcm se vende umL
caixio de ferragens proprias para marce.l
"Ciros ; tres livros francezes em mo c.sli.|
do, cujo titulo so ignora; urna porcDo dal
flandres, maiores e pequeos.
Farinha de mandioca.
Na rua do Queimado, n. 14, loja da fer.|
ragens, anda ha alpumas saccas da bol
farinha de mandioca, muito alva e bem tor-l
rada ; bem como urna poi'cilo do pennasdel
orna, proprias para espanndores ; urna cs-l
ciava de 20 anuos, propria para lodo o sor-l
vico ; outra ditaque so vende barato, poj
ser de mais idade, e que be boa para vea-l
der na rua, o sabe muito bem lavar roupa !
urna parda moca, de bonita vista ; soccasl
de gomma de engommar, muito alva: tudol
se vende barato.
& se rav o s F gil os
Potassa da Russa.
Vende-se a vertladeira potassa da Russa,
desembarcada agora, em birria lequenos:
em 'casa -dos Srs: Itotbei bidouluc, rua do
Vigario, i). 4.
Vendem-se cortes de cambraia de co-
res, pelo barato preco de 2,000, 2,500, 3,000
3,500 e 4,000 rs.; cambraia de seda, a .'1/
rs. : meias para meninas, e 1G0 rs. ; lila
com dstras re seda, a GAO rs. o covado; lan-
zi 11 ha propria para roupa de meninos c ves-
tidos de senhora, a 240 rs. ; lila superior pa-
ra calcas, a 500 e 600 rs. ; lencos de algo-
d.lo e seda com franja, a COo 1-. ; crt s de
rllele de velludo, a 1,000 e 2.600 rs. ; o.as-
aa-chila, a 400 rs .- vara garca de seda, a
500 rs. o covado; cau.brain de >eda.a 5<0 rs.
covado, e outivs muilas fazendas por
baralo preco : na rua do Crespo, n. 15, loja
de Joaquim de Oliveira kya Jnior.
Velas de cores.
Vendom-sc, no armazem de mo
Yinho do duque.
O mais superior que neste genero tem
vindodol'ortoa esto mercado, em barra
de o 1 lavo ; salsa-parrillia ebegada do Para
no ullimo vapor; barra com oleo do cupa-
hiba muito velho ; fechaduras sortidas para
.'.'LinLp11^""'10 8rand0 e e. muit0 l,oa trt d0 Corp-Saoto, n. 66, por preco c<
qualidade, em P'queiiesograndea porcuns :|0 ndo, velas de caraha sendo azuea '
ivum uoangues. 'recommundaveispelasuasuperior qualida-U. l3.
de lustro para meninos ; ditos
Aracaty para liorr.em : na rua da
Cadeia do liedle, lojan. o.
Deposito de Poassa.
Vende-se muito nova potassa,
de boa rpialidade, em barriszinlio;.
pequeos do quatro arrobas, por
puco La rato j como ja ha muito
tempo se nao vende: no siecifc.
rua da Cadeia, armazem n. 12.
Auligo deposito de cal
vr>em.
Na rua do Trapicbe, n. 17, |,a
muito superior cal virgeui de Lis-
boa, por pceo muito commodo.
Slacaas.
Vcndem-se as mais superiores
em barricas, viudas no gelo, a rs.
5,ooo cada urna : ni venda da rua
da Cadeia do Kecie, n. a5, defron
te do Becco-Larsto.
Ie chincha.
Na rua do Queimado, vindo do Rozario
segunda loja, n. 18, vendem-se luvas de pel-
lica inglezas c muitu novas, para homem o
senhora, a 1,000 re. O par; panno lino,
Vende-se una parda moca de bonita fi-
gura, quo lava o engomma soiTrivclmenle :
na rua Uireita, 11. 2, sn dir quem vonda.
Vende-se um moleque'hom cozinhei-
ro: na rua da AMfaOdega-Vciha, 11.9, no
Hotel-Francisco.
Pannos finos.
Vende-so excellente panno fino cor do ca-
f, pelo diminuto pceo de 3,500 o 4,800 rs.
o covado ; dito preto, a 3,000, 3,500, 6,000,
7,500 c 8,000 is. o covado, prova de limito :
na rua do Collegio, n 1, loja da estrella.
Vendem-se figos de comadre novos, a
tOOrs ; batatas inglezas,a 60, rs. : do*pa-
teo do Carillo, n -', venda nova.
--Vendo-so urna parda do 2 anuos, de
bonita figura, c que faz lodo o servico de
urna casa: o motivo por que se vende so
dir ao comprador: na rua do Crespo, n.
10, primeiro andar.
Calcado francez
sabido da alfandegl ha dous das, sendo sa-
patos de couro do lustro para senhora, a
2,000 rs.; ditos do una sola para'homem,
a 4,000 rs. ditos de beierro do Nanles, so-
la grossa e lina, a 5,000 rs.; sapatoes de
couro de lustro, a 6,000 rs.; borzegUDS
gas pea dos, a 7,000 rs. : na rua do Crespo,
ao pe do arco, loja de miudezas, do Joaquim
llenriques da Silva.
->

a>
>
',>
\>
>
-
Mantas e chales de %
seda. jjj
Na loja do sobrado amarello, nos *
qualio-cantosda rua do Queimado, *;
11. 29, vende-so um completo sor- ^
lmenlo de mantas e chales do seda, "**
de gustos muilo modernos c | orpre-
Cos muito em cunta. ^
3
Superiores chapees do
Chile.
Vendem-se chapeos do Chile em porcOes :
na praca do Commercio, n. 6, primeiro an-
dar, silo muito bous o muito claros.
Farinha. de S.-Catharina.
Vondo-se a bordo do brguo Doui-Amigt,
fundeado defrodtodo caes do llamos, 011
na praca do Commercio, n. 6, primeiro an-
dar, faiinha de S.-Calharina.
Vendem-se meias barricas
com superior furinba gallega, ebe-
gada prximamente de ttiche-
mond : na rna da Senzalla-Velba,
armazem de Alatheus Austin &
Companbia ou nj rua do Tra-
piche, n. 3G.
Vendem-se os Diccionarios grandes do
Vieira, inglez-poiluguez o poriuguez-in-
glez. obra
muilo bom i'zuTe-cdrdTazViCn a 000 U^T- nVMcSZ SSET 1"
rs. o covado ; crtesde fustito ufaneo, a'500 'Car 0Y0 v s. *""3' 'Ja U
r. ; lencos de seda de cores para algibei-i
ra, a l.Ouurs. ; ditos de selim para grvala, I "" Na rila Nova, loja de ferragons, de Joa-
a 1,000 rs. ; c outras multas fazendas por 1I1I!" ''" <:<,sla J'aya, rccoherani-so urnas
Miados C011im"" I'rcS- d0 root"11110 'lo gostos os mais modernos
" Chomi
loruum _
Vende-se sunnioi- winV 1 l'" c,,,lPIf'relhos de motal conleudo ca-
-e supciior vinliode foteira,bule, manteigueira, tigela, assuca-
'.aiilie: na rua do Irapiclie, rfro 'Heira,colheresda metal do 1 rio-
' fina ruru onu n^......n :..____. ^ i._-:^._ ...
Desappareceu.no da 4 do novembro
prximo passado, o preto Jos, ciioulo, d
25 anuos, estatura regular, cor fula, ca-
bellos pichaiiii, pouca barba, ou quas
nenbuma, rosto bastante liso, cabera um
poueo cumplida; tem por baixo do qurizo
um signal preto como que fosso de bexiga,
pes grandes e cooi os primeiros dedos tor-
ios para dentro ; foi vislo no cngenbo Sal-
gado no caminho do Recfe : quem o pe-
gar leve-oao seu senhor, Francisco Rodri.
gucsVillela, morador em sua propriedada
liba-Grande, em Serinhilem, quo recom-
pensar.
I'ugio do poder do Franc:sca Mora dn
Conceicilo, no da 21 do correte, pelas 8
horas da mantilla, a escrava Ignez, crioula,
de 20 anuos, com marcas muilo recentes de
hexigas; levou vestido branco e panno da
Costa ; foi comprada no da 19 do corren.
Jo a Snra. I). Auna Joaquina Lina Wauder-
ley ; a Vista do que a annunciante pede que
ningiiem faca trato de qualidade argoma
com dita escrava, que ha das linha vindo
de llamarsca para o poder da dita Snra. I).
Anua : ijucni a pegar leve-a a rua do Hospi-
cio, casa do Sr Tilomas de Aquino Fon-
seca, quo recompensara generosamente.
Fugio, no dia29 de novembro prxi-
mo passado, do engenho Cacbooir-Grand,
freguezia de Serinlieni, um preto crioulo,
denome AlTonso, de 30 .-.unos pouco mais
ou menos ; tem o rosto couiprdo o com
maltas marcas de bexigas; levou camisa
azul e calcas pretas, ludo j velho, e bonete:
quem o pegar leve-o au mismo engenho, ou
no lo-Formoso, em casado Joaquim Luiz
da Silva, que ser gratificado.
Fugio, no dia segunda para Irrca-fei-
ra, 18 do correle, urna escrava crioula, do
nome .Mana, de 25 annos pouco mais ou
menos, de altura regular, corpo reforcado,
beiios grossos, rusto e odos carnudos, pea
um tanto largse grossos, mitos e ponas
das ornlbas grossese estes um lano viradas
para cima ; te0 bexigas ha pouco, cujas
marcas asido Visivels ; levou vestido de cili-
la preta salpicada de pequeas llores bran-
cas. Esta escrava ha poneos das que prin-
cipiou a vender agoa ; he muilo amiga de
adjuntos, eacautela-se quaudo acha quem
a acuite. Quem a pegar leve-a rua de 'lici-
tas, n. 114,ob na rua da Praia, n. 14, que
sera recompensado. O mesmo pede-sea po-
lica emcujolugarapparecaa dita escrava.
Fugio, no dia 16 de OUlubro do 1849,
omescravo rabra.do nomoThenioleo, ofll-
cial do carpinlclrn, do estatura alta, ma-
gro, zambro das peinas ; lem falta de um
S dlo em um p, denles podres, c um sig-
nal de um pequeo talho na ponta do na-
riz; he bem parecido de rosto, com prin-
cipio de barba ; levou boa caiga de brim
azul, camisa branca e gndola branca lina,
cujo everavo foi do lllm. Sr. Afi'onso do Al-
buqueiquee.Mello, da provincia do Pai,
por ordem de quem foi vendido na corle
pelo Sr. capitSo de fragata Jesuino I.amego
Costa ; consta q-je se intitula forro .1 todos
aquellos que o nilo ronheccm, e bem o per-
suado por saber ler, escrever e contar, ea
quem o conheco diz a uns quo anda por or-
dem de sen senhor a procurar quem o com-
pre, o a oulros que anda em procura do
obra para trahalhar: o quo so previne nos
lllms. Srs. olTiciaes do excrcilo e armada,
para que o uno recrutem ; capitflcs de na-
vio, para que o nao iccebam a seu bordo a
pretexto algum; me.sires do obras, o nao I
admitlam as mesmas ; aos Snrs. cncarre-
dos da vizila dos navios o nfio deixem su-
bir em navio algum, qurcja nacional,
quer estrangeiro : e a todas as pessoas em
geral se roga o nilo acuiten,, nio s para
evitar o procedimento criminal, mas tam-
hcm de pagar o jornal de 1,600 rs! diarios
desde que O mesmo liver fgido, quo lio
lauto qoanto se protesta liavcr daauella
pessoa que lhe der coito : para cujo lim so
faz o presente annuucio, para que nlnguein
se chame a ignorancia e se daro boas alvi-
C" ras a que ni do mesmo der noticias ondo
existe, ou o levara rua de S.-I.uzia, n 48,
na corte, ou ne&ta praca. f Francisco Alves
da Cunba, na ruado Vigario, 11. 11.
--No dia primeiro de setembro do corren-
te anuo detappareceu da casa do ahsixo
asiigjiado, urna cscrava-parda de noine Es-
mera, na i xa, seco do corpo, cabellos cara-
pinhados. rosto marcado d bexigas, den- i.
le alvos o Mii-rliis, ollios pardos, nios e
ps pequeos, com falla de unhas cm al
guns dedos por el'eilos de bixos, falla com
desemharacoe clareza : quem a pegar le-
vt-a a Olinda. quesera gratificado.
iiilonio Xavier de Carvatho ileivlonca.
. Cipe, para cna e.uupa, jarros c bacas : tu-
1 do pur preyo commodo.
PanN. : Ni rri'. de 11, t. dl fabu. 18-49


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWDBLAPMT_G2CM7X INGEST_TIME 2013-04-24T18:39:46Z PACKAGE AA00011611_06745
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES