Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06742


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXV.
Quinta-(oir 20
PARTIDAS SOS COXIEEIOS.
Ooianna eParahiba,segunda eaeiws-feira..
lo-Graude-do-Piortc, quinlos-feirasao melo-
Cabo.Serinhcm, Rio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no 1., alie 21 de cada me.
Garanhuns e Bonito, a8e3,
Boa-Vista c Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-feiral.
' iilm l.i, todos 09 dias.
EFHZMEB.IDES,
. *
Fhases djl l. Ming. a 6, s 4 b. e 33 m. da t.
Nova a 14, 1 h. e 18 ni. da t.
Gresca 22, ai5h.e21 m.da m.
Cheiaa29, llh. e 41m.da ni.
PREAMAB. DE HOJE.
Prlmelra as 9 horas e 18 minutos da manh.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da larde
imbrodel849.
N. 283.
rasos da sDBSoaivoAo.
Por tres mezes (adiantadot) 4/000
Por seis mezes 8/000
Por um anno 15/000
*r****!Z^
OAS ni SEMANA.
17 Seg. S. Ilartholomeo de S. Gcminiano. Aud. do
J.dos nrf.e do in. da 1. v.
18 Tere. ISossa Scnliora do O'. Aud. da chae, do
J. da 1. v. do civ. e do dos feitos da fazenda.
19 Quart. S. Fausta. Aud do J. da 2. v. el.
20 Quint. S. Uoiuiugos de Silos. Feriado para os
negocios forenses at 31.
21 next. >Jf S. Thom.
22 Sab. S. Honorato.
23 Dom. S. Servulo.
CAMBIOS KM 19 DE DIZIMBBO.
Sobre Londres, 273/, d. por 1/000 rs. a 60 dias.
. Paris, 3i.
Lisboa, 100 por cento.
Ouro.-Oncas lirspanliocs......... 20/000 a 29/800
Aloedas de 6/100 velhas.. 16/800 a 17/000
de 6/100 novas.. 16/200 a 16/illO
. de 4/000........... 9/200 a 9/300
Prala.Pataces brasileiros...... 1/.I50 a IwO
Pesos columnarios....... 1/940 a 1/Wjii
Ditos mexicanos.......... 1/860 a 1J870

IARI0 DE
^1gf^^*'*\tt^^"**,aj"1i**mar*),'llir*1
PARTE OFFICUL.
DECRETO N. 649. DE >1 DE NOVTMBRO
8 DE 1819.
Jltqula a maneira por que te dte proceder na
nomeaco dos tuppknlet dos juizet muni-
cipaet.
11.'i por bem, usando da attribuicflo de-
clarada no artigo cento e dous paragra.
pho doze da constituicSo, decretar o se-
gTrte.' A nomescSo, que o governo ns
corte eos presidentes as Provincias de-
vem fazer, por disposIcSo do art. 19 da le.
de 3 'le dezembro de 18*1. de seis c.dadflos
pa substituiremos juizes municipaesnos
seus impedimentos, s ter lugar nos casos
"b'I'i Qoando se crear algum lugar de juiz.
municipal, ou algum dos municipios exis-
tentes adquiriros requisitos necessnrios
pira ter foro civel. na forma dos arts. 2. e
3." do decreto n. 27C de 24 de marco de
2 o Quando findar o quatriennio marca-
do duracSo do -exercicio dos nomeados
para os municipios existentes.
<; 8 Quando no decurso dos quatro an-
nos se esfrotar a listados nomeados.
Art 2 o Dos seis cidadSos nomeados pa-
ra siibslituirem os juizes municipaes em
seus impedimentos, se formar urna lis-
ta pela ordem numrica de primeiro
soilo. .
Art. 3 A nomeacSo dos supplentes sub-
sistir em seu inleiro vigor, e a lista em
sua ordem, pelo espaco de quatro annos,
nos casos do art. !. I. e2.; no caso, po-
rm, de se haver de nomear novos, em virtu-
dc do 3 ', subsistir a nomeacSo e se con
servar a ordem da nova lista pelo tempo
que faltar aos primeiros para preencher o
quatriennio.
Art. 4." Os supplentes serio chamados a
substituirlo dos juizes municipaes e de or-
phSos, nos casos designados no art. 18 da
lei de 3 de dezembro de 1841, seguindo a
ordem em que seus nomesestiverem na lis-
ta, precedendo sempre o primeiro ao segun-
do, este ao lerceiro e assim por diante: nSo
podendo. em caso algum, o de numero in-
ferior enearreger-se da substituirlo sem
que faltcm ou estejam impedidos os que o
precederem.
Art. 5 o Nilo he permiltido fazer nomea-
ces parciaes, durante o quatriennio, em-
quanto nSo estiver totalmente esgolada a
lista dos primeiros nomeados.
Art. 6." Tambem no he permitUdo, a
qualquer pretexto, alterar a ordem em que
forcm designados os supplentes na occasiSo
da nomeaQ.lo, ou esta seja feita por lonja do
art. 1.*, l.'e 2.", ou por frcA do mesmo
art., 3."
Art. 7. Emquanto n lista se nilo for-
mar, nos casos do art. Io serv rilo de subs-
titutos os vereadoras, pela ordem da vo-
tagSo.
Art. 8. As disposicOes deste decreto nilo
prejudicam o estado em que actualmente
seacharem, em quaesquer municipios, as
listas dos supplentes dos juizes municipaes,
apezar de nomeacOes ou alteracOes que te-
nham feito os presidentes das provincias,
soao tempo da publicacfloj tiverem tido
effeito.
Ait. O.^Acontecendo, porm, que ao to.n-
poda piililiciic.au deste decreto as nomea-
co>s e alleraces, de que trata o artigo an-
tecedente, anda nfio tenbam tilo algum
effeito, nSo se havendo prnlicado acto al-
gum em virlude dellas, serflo cassadas, ob-
servando-so o disposlo nos arts. 1., 2", 3.,
5. e 6."
Euiebio de Quciroz Continho Mattoso da
Cmara, do meu concelho, ministro e se-
cretario de estado do negocios da juslca, o
tenha assim entendido e faja uxecutar.
Palacio do Hio-de-Janeiro, em 21 de no-
vemhro de 1849, vlgesimo-oitavo da inde-
pendencia e do imperio.Com a rubrica de
Sua tlagestade o Imperador. Eusebio de
Queiro* Cuutinho Mattoto da Cmara.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 10 DE DEZEMBRO.
Ofllcio.Ao Exm. commandante das ar-
mas, para mandar receber e dar o destino
conveniente a 1 sargento, 2 cabos, 15 sol- j
dados e 6 recrutJs,|vindos do MaranhSo no
vapor Impealri-, e cujas guias so remelle.
Communicou-se ao Exm. presidente da-
quella provincia, e ofllciou-se ao agente dos
vapores, para mandar entregar as pracas ci-
ma mencionadas.
Dito.Ao mesmo, exigindo para ser en-
viada ao Exm. ministro da guerra, em cum-
primento ao aviso que por copia remelle, a
guia do segundo cadete segundo sargento
do segundo batalhSo de fuzileirus Rosen-
do Pereira de oliven-a, nxtrahida do livro
mestrodn lerceiro de arlilharia a p, onde
elle leve praca.
Dito.Ao mesmo, communicando que S.
M. o Imperador, segundo constou de aviso
do ministerio da guerra do 30 de outubro
ultimo, houve por bem conceder dous me-
zes de cenla com sold ao alferes do quin-
to batalhilo de fuzileiros l-uiz Jos Pereira,
ysj* ti alar de seus negocios na corle.Sci-
ntificou-se a pagadoria militar.
Dito.Ao inspector da thesouraria de fa-
zenda, transmttindo um aviso em que o
inspector da Ihcsouraria do Rio-Grande do
ii." i.- participa o saque de urna lettra de
624/kOO rs. a favor d Diogo & Henrique.
Communicou-seao piesidenledaquella pro-
vincia.
Dito.Ao mesmo, remetiendo um aviso
em que o Inspector da thesouraria de fa-
zenda do Rio-Grande do norte Iho partici-
pa o saque de urna lettra de 2:024*169 rs. a
favor de Barroca ii PinhelroIntoirou-se
o presidente d'aquolla provincia.
Dito. Ao presidente do concelho geral
de salubridade, participando ter o cnsul
geral do Rrasil em Liverpool declarado em
offlcio de 20 de outubro ultimo que abatra
consideravelmente naquella cidade o chn-
lera-morbus, a ponto de nos 3 das anterio-
res no lee havido uro s caso no porto da
mesma cidade Fez-se igual communica-
cSo ao provedor da saiide do porto.
Portara. O presidente da provincia ha
por bem dispensar do cargo de engenheiro
civil ao capitSo do estado-mainr da primoi-
ra classe Manoel Rodrigues de Barros Fon-
seca de Brito, nomeado para o referido car-
go por portara de 15 de novemliro do cor-
rente anno, em consecuencia da falta de
instrumentos proprins para desempenhar os
trabalhos de que lora encarregadn.
Dita.O presidente da provincia resolve
demittir do cargo de engenheiro civil, para
o qual havia nomeado por portara de 15 de
novemliro, ao tenente do estado-mainr da
primeira classe Manoel Francisco Coelho de
Olivoira Soares, em consequencia da falta
de instrumentos proprios para o desempe-
nho dos trabalhos do que este fra encar-
regado. Fizeram-se as convenientes com-
muncaces.
DEM DO DA 11.
Ofllcio.--Ao inspector da thesouraria do
fa/eiida, transmillindodous avisos em quo
o inspector da thesouraria defazenda do
Ro-Grande do norte participa haver saccado
duas lettras na importancia de 1:800/000
rs. a favor de Canuto Ildefonso Emerenoia-
noInteirou-se o Exm. presidente d'aquel-
la provincia.
Dito.--Ao insppctor do arsenal de mari-
nha, remetiendo copias do aviso do minis-
terio da marinha, datado do 9 de agosto ul-
timo e da memoria que se elle refere, a-
fim de que faga por GUI pralica na enferma-
ra do mesmo arsenal os artigosda referida
memoria que fr possvel executarem-se,
representando acerca dos melhoramenlos
nella propostos para a sobraditl enferma-
ra.
Dito.Ao inspector da thesouraria da fazen-
da provincial, para mandar pagar a quantia
de d5,580 em que iinportarain os jornaei dos
pedreiros e serventes que trabalharam no alim-
pamento feito requisicio do chefe de polica
na latrina da cadeia do RecifcInteirou-se a
repartidlo das obras publicas.
Dito.Aojuiz municipal da ).* vara.Em
resposta o ofhclo, datado de 6 do crrente,
em que Vine, pergunta desde que dia se deve
contar a pena temporaria de galds, visto que
actualmente se oll'erecem duvidas a respeito,
tenho a declarar-lhe que Vine, deve contar a
peni de gales temporaria do dia em que ella
se comecar a cumplir pela manelia ordenada
no art. 44 do cdigo criminal. E porquanto
tenho noticia que Vmc. tem dado por cumpri-
das para alguns ros as penas temporarias de
gales para a ilha de Fernando em que se acba-
vam condemnados por virtude da disposi(ao
do art. 8. da lei de 3 de outubro de 1833, sem
que tacs reos efi'eclivainente estivessein na
illia de Femando o tempo mencionado as suas
respectivas sentencas porque Vine. Iho leva
em conta da pena de gales o tempo de priso
solTri.la depois da sentenca ; e parecendo-mc
que he esta a questiio que Vine, pretende que
se decida com a pergunta que me faz, julgo
conveniente declarar-lhe que tenho como abu-
siva a prtlca existente no seu juizo a seme-
lliante respeito ; porquanto, sendo os juizes
ni ti i. ip i. s meros executores das sentencas,
nao Ibes he licito altera-las e substitui-las por
outras, sem expressa detrrminaco da lei; e,
sendo assim,nao se pode contar aos reos o lem-
po de gales cin que frem condemnados para
a Ilha de Fernando senao do dia em que che-
j;.n-o-.u referida ilha em dimite ; pois, aiodn
quando sem culpa dclles o seu transporte para
a ilha seja retardado, e assim teuham um
accrescimo deprisao simples a sotTrer, nem por
isso compete ao juizmunicipal contar o tempo
dessa prisio como pena de gal<5s ; pois, a me-
rece! .lignina atteiicaocsseaccretcimo de pena
pelo tempo dilatado que Imuv -i decorrido des-
de a publicacao da senlenca exequivel at a
ebegada do reo a Fernando, hcao poder mode-
rador a quem se deve em taca casos recorrer,
e a quem nicamente compete a modilicacao
das sentencas: sendo absurda e arbitraria a
prtica contraria em vista do argumento que
se deduz do art. 49 do cdigo criminal pois
que se,na falta de casas de prisa.> com comino-
dldades e airan jos necessarlos para o trabalho
dos reos, a pena de prisao com trabalho se
subslitue pela de priso simples com accres-
centamento de sexta parte do teihpo, he ina-
demissivel que a pena de gales que he mais
grave seja substituida, por mero arbitrio dos
juizes municipaes, por outro tanto tempo de
prisao simples.
DEM DO DIA 12
<>llcr..~ Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda, communicando que tem nomeado a
Antonio Lopes Pereira de Carvallio para oceu-
par o lugar de capatai da uiesado consulado,
que se acha vago por fallccimento de Domin-
gos de Svllos Thom.
Dito.As cmaras municipaes da provincia.
Devendo ter lugar na tercena dominga do
mes de Janeiro prximo futuro a revisan da
aiialilicacao, segundo o disposto na lei de 19
e agosto de 1846, cumpre que Vinca, prati-
quem a respeito o que a mesma lei Ihcs in-
cumbe, quando anida o nao tenhain feito.
Comiuando das armas.
Quarlel-general do commando dtit armai na
cidade do Itecife de Pernambuco, 17 de
dezembro de 1849.
ORDEM DO DA.
S. Exc. o Sr. marecbl de campo grada
do, commandante das armas, manda publi-
car, para conhecimento da guarnieflo, que
por ofilciosdo Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, datados de 13, Ihe foi participado
ter o mesmo Exm. Sr. concedido 40 dias de
licenca com sold ao Sr. alferes do oitavo
batalho de caladores Joflo Antonio Leito,
para tratar de sua saiide, o de 15, ludo do
corrente mez havorS. M. o Imperador, por
aviso da reparcflo da guerra de 27 de no-
vembro ultimo, concedido tres mezes de li-
cenca com sold simples para Ir provincia
da Bahia ao Sr. capiUo do segundo batalhSo
deartilharia a p Alexandre Gomes de Ar-
golo FerrSo.
Igualmente o mesmo Exm. Sr. manda pu-
blicar os olilcios abaixo transcriptos, que
tambem Ihe foram dirigidos em data de 15
pelo mesmo Exm. Sr. presidente, allm de
que tenhatn a devida execucflo :
c film e Exm. Sr. Concordo com a opi-
nilo que V. Exc. emiti no seu ofllcio de 6
do corrente, sobro compelirem ao coronel
Jos Vicente de A.norim Bezerra osvenci-
menlos de commandante de brigada desde
quo tomou conla do commando geral das
frcas estacionadas n'AgOa-l'reta, Verde e
Bonito, bem como que deve ter um major
de brigada, e um aju lauto de campo; e, pa-
ra quo taes" vencimentos Ihe sejam abona-
dos, expeco nesta data ordem i pagadoria
militar.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do go-
verno de Pernambuco, 15 de dezembro de
1849. Honorio Hermto Carneiro Ledo.
Sr. marechal commandante das armas.
lilil, o Exm. Sr.Remetto V. Exc, pa-
ra sua inlelligencia c devida execuijao, a in-
clusa copia do aviso do primeiro do corren-
te, em que o Exm. ministro e secretario de
oslado dos negocios da guerra me contmu-
nicou que S. M. o Imperador houve por bem
perdoar os crimes de que oram reos os sol-
dados do quarto batalhSo de arlilharia a p
indicados na retaceo tambem por copia, e
mandar que revertam s (ileiras do exercto,
atteudendo a que elles totnaram parto ex-
pontmieamente na defesa desta capital no
dia 2 de fevereiro ultimo.
Dos guarde a V Exc. Palacio do gover-
no de Pernambuco, 15 de dezembro de 1849.
Honorio Hermto Carneiro Ledo. Sr. ma-
rechal commandante das armas
lllm.e Exm. Sr. Havendo S. M. o Im-
perador perdoado os crimes de quo eram
reos os soldados do segundo batalbSo de ar-
lilharia a p, cujns nonies constam da rela-
(So inclusa, em nltcoo a lerem, sellndo-
se presos, tomad espontneamente parte
nadefesi da capital dessa provincia no dia
2 de fevereiro do presente auno, portndo-
se distinetamente no combate em que al-
guns delles fra ni ftidos; assim o coininu-
nico V. Exc. para seu conhecimento, pre-
venndo-o de que os agraciados revurterSo
s Hleiras do exercto.
< Dos guardo a V. Exc. Palacio do Rio-
de-Janeiro em o primeiro de dezembro de
1849. Manoel Felisardo de Soma e Mello
Sr. presidente da provincia de Pernambuco.
Cumpra-so. -- Palacio do governo do
Pernambuco, 14 do dezembro de 1849.
Carneiro Le-'O.-Conforte. O oflicial-maior,
Jote Moretra Brand&o Cattetto Branca
* ttiot dotegundo balalho di arlilharia a p,
ptrdoados pelos servicot feitos no dia 2 de
fevereiro de 1849.
Zeferino Gonijalves da Encarnado, Luiz
Francisco Connives de S, Sabino Contal-
ves de Oliveira, Francisco Jos de Oliveira,
Antonio Garcia da Silva, Manoel Antonio Fi-
lippe, Frederico Antonio Nina,Jos Antonio,
Joaquim Rodrigues, Marcellino Jos, SimSo
Pereira da Silva, Feliciano Pereira do Jess,
Manoel do Espirito Santo, Ignacio da Costa
Cabral, Joaquim Francisco Gomes.
i. Paco 1.* de dezembro de 1849. Mello.
~ Conforme. Oolcal-msior, Jos Morei-
ra Dranddo Catlello Bronco
Jot Pedro Heilor, ajudante de ordens in-
terino.
Quarlel-general do commando dat armas na
cidade do Becife de Pernambuco, 18 de
dezembro de 1849.
ORDEM DO DIA.
Para que tenha a devida execur.lo, S. Exc.
O Sr. Marechal commandante das armas
manda fazer publico,para conhecimenlo da
guarnicfo.que por ofllcios do Exm Sr. pre-
sidente da provincia, o primeiro de 15, c os
mais de 17 do corrente, lite foi participado
que por aviso do ministerio da guerra de
15 do novembro ultimo llie constara haver
S. M. o Imperador,por decreto de 12 do mes-
mo mez, concedido ao primeiro tenente do
segundo batalhSo de arlilharia a p Miguel
Joaquim Pereira de S a demissSo quo pe-
dio do servido do exercto ; eque pelos de-
cretos do mesmo mez, communicados em
avisos tambem do mesmo mez e dalas abai-
xo, Ihe constara haver o mesmo imperial
senhor se dignado conceder as passagens
seguinles:
por decreto de 20, em aviso de 28, para o
imperial corpo de engenheiros, ao segundo
tenente do lerceiro batalhSo de arlilharia a
p Augusto Dias Carneiro.
Por decreto de 26, em aviso do 29, para o
quarto batalhSo de arlilharia a p,ao segun-
do lenle do segundo batalhSo da mesma
irnia Ayres Antonio de Moraes Ancora.
Por decreto de 12 em aviso de 15, para o
primeiro batalhSo da supracitada arma, ao
segundo tenente do segundo batalhSo da
mesma arma Leonardo Jos da Fonseca
Lessa.
jse Pedro Heitcr, ajudante de ordens in-
terino.
INTERIOR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. presiden-
te f)r. Jos Benlo da Cunha e Figueiredo.
24 DE NOVEMBRO.
Ofllcio. A' cmara municipal de Macoi,
determinando que envi urna conta exacta
do estado do cofre de sua municipalda.le,
afim de poder deliberar acerca do que re-
quisita em seu ofllcio datado dehonlem.
Dito. -- Ao inspector da thesouraria de
fazenda, para mandar satisfazer ao alferes
encarregado do deposito de artigos bellicos
a quanlia de 36,200 rs constanto da conta
junta, e proveniente da compra de objectos
necessarios para tal deposito.
Dito. Ao mesmo inspector, para man-
dar pelo almoxarifado fazer a despeza que
no ofllcio que se Ihe remelle requer o alfe-
res encarregado do deposito de artigos bel-
licos.
Dito.-- Ao agente das rendas desta pro-
vincia em Pernambuco, para que compre e
remol* para esla cidade 2,000 espoletas de
pr a seu cargo.para ser depois indemnisada pe-
lo cofre geral.
Dito. Ao chefe de polica, para que in-
forme em que lugar desta provincia existe
Agostinho Moreira de Qeiroz.
Dito. Ao mesmo Dr. chefe de polica.
N. 68 lllni. Sr. Em virlude do ofllcio
de y. S., datado de 22 do corrente, mnndei
log'6 recolher ao eslado-maior o tenente Da-
rio Feliciano da Rocha, pira averigoar o
fado por V. S. acensado de ter elle soltado
dous rect'utas, mandados ininba ordem
para o xadrez: eenlSo vim ao conhecimen-
lo do quo dito oflicial nSo fizera mai-t de
que cumprir o disposto em ordem do dia 18
que por copia remello ; e que os dous or-
denanzas de V. S.,que acompanharam os re-
crutas, fdram causa de que esses se evadis-
setn ; porque, mandando o dito tenente que
elles condiizissem os recrutai sala das or-
dens afim de seren ahi recebidos o manda-
dos para o xadrez na forma de minhas de-
terniinaces, elles o largaran! de ni fo. Ac-
cresco que,anda quo o oflicial de esla.lo in-
corressfl em alguma culpa leve no caso do
que so trata, lie claro que deve ser punido
militarmente, por ser qnasUJo do disciplina
e nSo estar eomprehendiJa na especie do ar-
tigo 125 do cdigo penal, por V. S. citado :
o que tudo espero que lome em considera-
dlo. Todava tenho dado as or.lens para
que Ihe sejam apresenlados os soldados quo
requisita em setl ofllcio de nonlem.
Dito. Ao cirurgiSo-mr Raymundo Jos
de Sotiza elto, deermidando-lhe que pas-
sn boje a bordo do hrigne Canopo a fazer
segundo exame do sade ao preso bacharel
Jos ngel.i Murcio da Silva, no que proce-
der mui escrupulosamente, a din de ser o
governo informado com toda a exactidSo.
Dito. -- Ao chefe da legiSo de Atalaia, do-
clarandn-lhe que, atlendendo ao que infor-
ma easseguraacerca do comporlamento dos
quatroguardas nacionaesde que trata em sou
ofllcio de hontem, totn resolvido isenta-los
do recrutamento, mandando com ludo con-
serva-Ios presos para corrcgSo, vista a ne-
gligencia em que iticorreram ilexatulo fu-
gr o preso quo condtiziam para esta cidade.
26.
Oflicio Ao agente dss barcas de vapor,
para que mande dar passagem pata Pernam-
buco no vapor San-Salvador ao major Anto-
nio Jos Fet reir M iii.'
Dito. -- Ao inspector da thesouraria de
fazenda, transmitlivlo-lho o oflicio do Dr.
Manoel Joaquim de Mondonga Castello Bran-
co, em que participa acliar-so doente, e por
isso nSo poder exercer o seu cargo de juiz
municipal corphSos de Anadia o l'oxim.
P7liAWBCr'~
GAHABA MUNICIPAL D RECIFE.
7.' sessaO ordinaria em 14 de novembro
de 1849.
Presidencia do Sr. Oliveira.
Presentes os Srs. Carneiro Monleiro, M-
mele, Dr. Moraes, Rarata, Vianna o Pires
Ferreira, faltando com causa os domis
Srs., ahrio-so a sessiio, e foi li la eappro-
vada a acia da antecedente.
O secretario deu conta do seguinte expedi-
ente :
Um officio do Exm. presidente da provincia,
aecusando recebido o desta cmara em que lhc
remetteu copias das actas d. clcicao de eleito-
res das freguezias deste municipio.Inteirada.
Outro, remetiendo um exemplar do Diario
di Pernambuco n. 243 de 30 do mez passado,
contendo avisos expedidos pela secretarla de
estado dos negocios do imperio em 30 e 31 de
jolho, 13, 19 e 31 de agosto, 4 e 18 de setem-
bro do corrente anuo, todos solvendo duvidas
occorridas na execucao da lei regulaincntar das
elcicOes.Que se aecusasse a recepfo e se li-
zessem as rcmessas do costume.
Outro, respondendo haver providenciado a
lini de que a irmandade do Sanlissimo Sacra-
mento da matriz da boa-Vista restllua a esta c-
mara os trinta braudes que, sendo remettidos
para a referida matriz afim de solcninisar-ie o
ft-lirum que ltimamente all leve lugar, os
eleitores da mencionada freguezia iudevlda-
menteollertarain a dita irmandade. Inteirada.
Outro do contador, informando sobre a exi-
gencia feita pelosecretaiio do supremo tribu-
nal de justica da quanlia de 28,000 rs. de cus-
las de processos de revista em que foi recr-
reme esla cmara, consumes da relacao que
remetteu.Que se ordenasse ao procurador
de mandar pagar.
I Outro do procurador, apresenlaudo urna re-
lacao dos termos de contraveneno as posturas
que se lornaram incobraveis pelos motivos
mencionados na tabella que acompanhou o
mesmo officio, afim deque a cmara mandasie
fazer o devido abaliniento no livro de entradas
e sabidas das mullas dadas pelos t'uc.ies, para
que nao fossem incluidos como divida no ba-
lanco geral que tem de ser remettido assem-
hla provincial.Que se espedisse ordem .
contadoria para levar a effeiio dilo pedido.
Outro do mesmo, pedindo que a cmara dc-
liberasse, para que podesse elle arrendar a ca-
sa da ra Imperial, visto o nao ter sido quan-
do .iii quem a queira arrendar.Que contrate o ar-
rendamento com as camellas legaes.
Outro do fiscal da tti-Vista, participando
er a importancia das multa impostas no mez
de outubro passado de 200,000, e pedindo se
mandaaie pagar ao Dr. Caetano Xavier Pereira
de Unto a quantia de 3,200 rs de urna corrida
de sade.Inteirada, c que se passasse man-
dado.
Outro do advogado da casa, informando re-
lativamente questao do muro de Hercnlano
Alves da Silva, que tem de ser demolido.A-
diado.
Outro do fiscal da Vanea, participando ter
Rrrnardo Antonio de Miranda aberto urna rala
na estrada que conduz aos Aplpucos, Zongu,
sitio da Ilha, etc..privando assim a amiga ser-
venta da mesma estrada.Que fosse remetli-
do commissao nomcada anteriormente para
tomar conhecimento de negocios da mesma
ii.im.-e/ i, e se ordenasse ao fiscal proceda con-
tra o infractor na forma das posturas e trate
de r. stabelecer a dita serventa,_ requerendo
para esse fim, se necessario fr. forja publica.
Nao houve quem arremalassc o caljaincutn
dos pateos do Carino e San-Pedro,c em conse-
quencia resulvcu a cmara que secommunl-
casic isto inesmo ao Exm presidente da pro-
vincia, dlzendo-lhe que la mandar fazer cssa
obra, assim como a dus cotcenos da pontezi-
nha da ra da Aurora, que tambem nao fraui
arrematados, por admiiiistracao incumbindo
vigilancia a respeito de cada urna dellas dous
vereadores.
Os vereadores nomeados para inspccciona-
rein ditas obras franios Srs. Mauoel C. Soares
Carneiro Monleiro para a do cal?menlo, e o
Sr. Ilarata para a dos reparos da ponte, a quem
se mandou rcmetier as respectivas plantas e
oreanienlo.
O secretario declarou que, lendo de seguir
para o Rio-dc-laneiro, como deputado as-
sembla geral,nao poda continuar a compare-
cer as sessfies, c em consequencia passava a
chave do cofre ao porteiro que o tem de subs-
tituir
Mandou-se passar mandado de pagamento a
Jos Rodrigues Pereira, e levanlou-sea sessao.
Eu, Joo Joif Ferreira de Aguiar, secretario a
subscrevi.
Declaro em tempo que foi approvado um pa-
recer da commissao de odiflcacao relativamen-
te pretenjao de Manoel Antero de Soma liis
e de Antonio Lopes Guimaracs, e man-
dou-sc ofiiciar ao governo da provincia; assim
como que o Sr. verealor presidente deu-se
porsuspeitona questao de lien-ulano Alves da
Silva, occiipando a cadeira presidencial o Sr.
Mamede.
RURIO 1)8 PoNilMICO.
BECIFE, 19 DE DEZEMBRO DE 18(9.
Consta-nos que retirou se do Catuc, e to-
mou direejao desconhecida, o grupo de rebel-
des, cuja entrada naquelle lugar notlcimo
em o Diario n. 282, de 17 do corrente.
Correspondencia.
Srs. redacloret. O reconhecimento pu-
blico e as honienagens tributadas ao ver-
da leiro mrito s,"(o um dever sacrosanto
que be ohrigado todo o homem honesto ; e
aquello que, por inveja ou outros quaesquer
scnlimentos mesquinhos, se subl.aeja cssa
manifcstaQSo, he indigno de viver em soce-
dade; por iso venho procurar as columnas
do seu inestimavel jornal, afim de por yia
dellas traduzir ao publico a effusSo de sin-
coridade o gralidSo que me trasborda do
peilo para com a lllm.' Sr." D. Joaquina
de Jess Luna, como professora de minha
Ulna.
NSo he o podre incens da adulaco que
veniio queimar lllm professora ; he um
feudo da mais solemne gratidSo que por
parto da minha filha rendo aqu lllm." Sr.*
D. Joaquina do Jess I.una. O zelo com que
e ella houve para com minha filha, as can-
didas virtudes quo lho infiltrou no tenro
espirito sao urna prova viva do subido m-
rito e das inexprimveis qualidades que
hablilam a lllm.* Sr.* D.Joaquina para o
apostolado augusto que exerce nesta ci-
dade.
Iteceba, pois, a lllm.* Sr.' D. Joaquina os
sinceros protestos da minha mais subida
gratidSo o o eterno reconhecimento da mi-
nha filha e as suas saudades|indescreptives.
Becife, 19 de dezembro de 1849.
J. L. G.
VaRIEDaDIS.
CAL HYDRAUL1CA.
Havendo o marquez de Argenteuil legado
a somma de 40,000 francos para com os ju-
ros accumulados de sois era seis annos se
premiar o descobridor nacional que, duran-
te esse inlervallo, tivesse apresentado a
mais importante descoberta na industria,
foi no anno de 1845 julgado digno de tSo
honroso premio o Sr. Vicat, engenheiro
em chele de ponles e calcadas, pelas suas
admiraveis descobertas relativas a nature-
za da cal hvdraulica.
Transcre'vendo o discurso nessa occasiSo
pronunciado pelo Sr. Dumas, presidente da
sociedade de industria em Franca, alm do


I I
( uinpi'ir o Auxiliador o dever da registrar a
e-roberla que aquella distincta sociedade
JulgOU mais importante durante o periodo
la 1889 1815, provocar nos loitorcs va-
lias o proficuas reflexoes.
A alguns homcns parece a Providencia
conceder o privilegio de apparecer sobre a
trra no preciso momento em que seus vas-
tos designios os tornam indispensaveis;
nesse numero est o Sr. Vicat.
c.Alguns anuos mais tarde teriam as des-
cobortas do Sr. Vicat causado grande senti-
menlo, visto que os traliallios de construc-
Co execulados com (unto ardor na Cumpa,
ncsta poca de paz, conservariam o carc-
ter de imperrcic<1o e a falta de solidez que
apresentam tantos monumentos modernos.
Um seciilo antes o Sr. Vicat teria talvez
tido a sorte do descobriborda machina de
vapor, a sorte de Papin. A cbimica moder-
na entSo nSo existia para constituir seu
scu mais precioso instrumento. A arte da
ConstruccaO, boje to segura em seus pro-
cessos, tilo universalniente praticada, nSo
Un' offereceria Uto frequentes e solemnes
occasioes de verificar seus processos.
No nioinento em que o homem, devo-
rando o espado quo o separa do bomem,
percorro sobre trillios de ferro todas asdi-
rerces, no momento em que por mil ca-
naes silo os productos da trra e da indus-
tria por toda parte espalhados, apparcceu o
meio de construir, por diminuto preco e
para durar quasi illimitadanienla, todos
esses canaes, puntes, aqueductos, veaduc-
tos, e lunnel dos caminhos do ferro.
Cracasao Sr. Vicat, pde-so boje cons-
truir debaixo d'agoa 13o fcil e slidamen-
te como fura desse liquido.
Os privilegios de alguns gneros de cal
justamente clebres,de alguns cimentos ra-
ros, da pouzzola da Italia, ludo isso se ex-
plica da mancira mais simples, se reproduz
com extrema facilidade c< m materiaes que
a Da tu reza prodigalisa.
Viudo isso so obtin com cal e torra argi-
losa, diversamente misturados. Foi o Sr.
Vicat o primeiro que o disse, que demous-
111111 e praticou.
Sem trra argilosa a cal fornece|uma ar-
gamassa que endurece exposta ao ar, ape-
nas be o acido carbnico absorvido. Mis-
turada de Ierra argilosa a cal, depois da
calcinaQo, fornece urna argamassa que
submergida n'agoa toma a consistencia de
ledra.
Fui, poii.o Sr. Vicat o que defini o que era
cal gorda, cai magra, cal hydraulica ; a pri-
nieira be pura, a segunda conten magnesia, e
a cal bvdaulica fejta com argilai calcreas ad-
qtllre debaixo d'agua a dureza da pedraCom
10, 15, 35 por "i,, d'argila, a cal lorna-se cada
vez mais hydraulica.
I i ii i 11 y ni' I o-e 33 por "i, d'argila, nbtm-se
o cimento romano, (ao im|iropriaincn(c deno-
minado.
Depois de baverdrscoberlode que substan-
cia* se compc a cal hidrulica, como se pdc
fabricar, era fcil ao Sr. Vicat reconhecer a
ii i ni n/ i da pouzzolana natural, de que os Hu-
manos l'azian tanto uso, a qual nao be mitra
cnisa senao argila calcinada pelos voleaos. O
Sr. Vicat uiostruu (juc allomas arelas silicosas
pdeni lubitituir a pouuolatia.
Estas arelas silicosas misturadas com cal
g'irda e calcinada tornam esta hydraulica.
(liando nos temblamos que mu palacio de Bl-
niegue fui demolidn paraseaproveiiar o mate-
rial para aigamassa, vc-sc que valor se dava a
materias tao coinmuns em todas as locali-
dades.
Observadas as legras do Sr. vicat, a cal hy-
draulica serve para as coustrucees suu-ina-
rinat,
-l'dc avaliar-se a economa que lea a Franca
depois das descobertas do Sr. Vicat na soiiiiua
.ir 300,000:000.
iiA pensao cancedida pelas cmaras de (,000
francos ao Sr. Vicat, a titulo de recompensa
nacional, be inui pequea, tenbamos a cora-
'.'m de o diicr. fina grande n i. ao como a
F'raucadeveria trataros marecbacs da pai c da
crcacSo do mesmo modo que trata os mare-
chaes da guerra e da deslruicao.
SOMMEKCIO,
Hend ment
ALFANDEGA.
do dia 19. .
las e 1 barrica miudezas, I dita suspenso-
rios ; a Cesar Kruger.
1 caixa sapatos e pclles de c.irnoira, 1 di-
ta pannos, 1 dita chapos de sol daalgo-
dfio, 1 dita caixas de huxo, 3 ditas fazan-
das de algodfio, ditas chapeos, 3 ditas
miudezas e modas ; ordem.
I.'Atpirant, briguo francez, vindodoCet-
te, entrado nesto mez, consignado a B.
I.asserre & Companhia, manifestou o se-
guidle :
100 pipas, 21 quartos e 8 harns vinho, 25
fardos velas stearinas, 100 caixas vinho
moscatel, 4 fardos saceos vasios, 80 fardos
papel ile ombrulho, 400 barricas farinha de
trigo, 10 barris oleo do linhaca, 40 caixas
ac, 50 fardos chumbo de muni<;3o, 20 ditos
alfazema, 5 hahus.pomada, 24 caixas papel,
1 dita sapatos, 1 bah carnizas de algodilo,
30 barris azeite-doce, 20 caixas queijos, 20
ditas cnxofre ; ordem.
Gentral-Jesup, barca americana, vinda de
Itichmond, entrada nesle mez, consignada
a Malheus Austain & Companhia, manifes-
tou oseguinte :
49 volumes fazendas dealgodSo, 350 bar-
riquinhasbolachinha, 120caixasch, 1,840
lu ricas e 50 nietas ditas lamilla de trigo ;
aos consignatarios.
CONSULADO CERAL.
Rendimento do dia 19.....4:927,517
Diversas provincias...... 139,210
5:066,727
CONSULADO PROVINCIAL.
lien,lmenlo do da 19.....3:721,222
i., i.ii-t. i .. .......
Movimento do Porto.
Navios enlradot no dia 19.
Rio de-Janeiro 34 dias, escuna knippau-
siuna Neplune, de 99 toneladas, capitSo
T. Pcters, equipagem 5, em lastro; a
llrander a llrandis.
liba de Sumatra87 dias, barca america-
na Uull, de 296 toneladas, capitSo Ben-
jamn llalch, equipagem 13, carga piojen-
ta ;a II. I'nster c\ Companhia.
Navios sonidos n mesmoidia.
Genova Polaca sarda Sumariva, capitSo
Julio Romano, carga assucar, couros e
ponas de boi.
Aracaty lliale brasileiro Duviaoso, capi-
MtoJos Joaqun Alves da Silva, carga
varios gneros.
Parahiba lliale brasileiro hlor-do-Kccife,
capitSo Antonio Manuel Affbnso, carga
varios gneros.
Freguezia do San-Josdo Recife, 19 de de-
yetnbro de 1849. E eu, Jos f.oncalves da
Silva, oscrivSo de paz interino o escrevi.
Ianql lote Teixeira Batios.
Declaracoes.
EDITA ES.
. 25:206,026
IMPOHTACA.
Ileaujtu, biigue francez, vindo do Havre,
entrado nesle mez, consignado a 11. I.asser-
re & Companhia, uianifcstou o seguinte :
5 caixas vidros, 1 dita couros de lustro,
2 ditas carneiras ; a Bolli.
1 caixa fazondas de seda, 3 ditas ditas de
seda e algodSo, 3 ditas fazendas de algodilo;
aJ. Keller & Companhia.
7 caixas fazendas de algodSo, 5 ditas di-
tas de seda, 3 ditas ditas de linho e algodSo ;
a Kalkmann & IrmSos.
5 caixas arcOes, 2 ditas pelles proparadas,
2 ditas bijouterias, 9 ditas fazendas de al-
godilo ; a Schefleitlin & Tobler.
2 caixas carneiras, 75 barris e 25 meios
ditos manteiga ; a N. O. Bieber & Compa-
nhia.
25 cestos do champanha ; a L. Biuguiro.
2 caixas louga, 4 ditas trastes velhos, 2
ditas oljcctos da moda ;a Llias Baplisl da
Silva.
1 caixa objectos de relojoeiro; a C. Gar-
nier & Companhia.
2 caixas clcanos ; a Cals Iteres.
325 barris e 140 meios ditos manteiga,
100 caixas velas, 1 dita sabSo, 65 caixas
queijos; a B. Lassarrect Companhia.
7 caixas vidros, 2 ditas fazendas de al-
god3o e lindo, 2 ditas pelles preparadas ;
Avrial Frres.
2 caixas diversos objectos, 1 dita estojos ;
a A. Robert
1 caixa fazendas de algoduo; a A. I.
Slrauss
6 caixas objectos para sapatiro, 3 ditas
rouro de lustro, 2 ditas fazendas de 13a, 8
ditas ditas de algodSo, 1 dita pannos, 1 dita
ferragens, 2 ditas diversos objectos, 2 ditas
chapeos de sol de algod3o, 2 ditas perfuma-
ras, 1 dita fazendas de seda, 2 ditas pelles,
2 ditas drogas, 2 ditas chapeos, 1 dita obras
de ouro, 1 dita chapos deso de seda ; a
Dedier Colombiez & Companhia.
3 caixas vidros, 4 ditas chapeos, 8 ditas
louca, 1 dita fazendas o plumas para cha-
pos, 1 dita objectos para chapeleiro, 1 dita
jogua, 2 ditas miudezas, 1 dita objectos pa-
ra caca, 1 dita ferragens, 1 dita papel e ob-
jectos para escriptorio, 1 dita papel pinta-
do, 2 ditas obras de palba, 1 dita caslicaes,
1 dita luvas e miudezas, 1 dita tinleiros, I
dita fazeudas, 1 dita ditas e miudezas; a J.
Pedio Adour & Companhia.
1 caixa objectos de relojoeiro ; a Ulysse
Drot.
2 caixas perfumaras, 1 dita obrejas, 1
dita obras de papelSo, U dita drogas, 2 di-
Pela inspectora da alfandoga se faz
publico que, no dia 20 do crreme, depois
do meo-da, porta da mesma, se hSo de
arrematar trezo temos com 117 condeces,
porfaclura cada temo 4,000 rs. total ris
52,000 ; impugnados pelo amanuense Jnlo
AitiaiiBzio Botelho, no despacho numero
574 de 18 do corrente : sendo dita arrema-
tado subjeita aos direitos.
Alfandoga de Pernambueo, 18 de dezem-
bro do 1849. O inspector, luiz Antonio de
Sampaio l'ianna.
Pela inspectora da alfandega se faz
publico que, no dia 21 do corrente, depois
do meio-dia, na porta da mesma, se hilo de
arrematar em hasta publica 140 duzias de
conlnhos [ara chapos, por factura duzia
1,200 rs total 168,000 rs.; 161 duzias e 2
tercos de forros para os ditos, por factura
du/ia 1,020 rs. total 161,900 rs.; impug-
nados pelo guarda Antonio Luciano de Mo-
raes da Mesquila Pimentel, no despacho n.
592 de 18 do correle : sendo dita arrema-
tado subjeita aos direitos
Alfandega de Pernambueo, 19 de dezem-
bro de 1849. O inspector, Luiz Antonio de
Sampaio Vianna.
Manoel Jos Teixeira Bastos, juiz de paz da
freguezia de San-Jote do Recife, em virtude
da lei, etc.
Tendo-sede proceder revisiio da quali-
(icacSo dos votantes desta freguezia na ter-
ceiradominga de Janeiro vindeuro, na con-
formidaue do artigo 25 da lei regulamenlar
das eicieoes, convoco em observancia do ar-
tigo 4 da citada lei, e ordens da presiden-
cia que me l'ram transmitidas pela cma-
ra municipal, aos senhoros elcitores e sup-
pleules da mesma freguezia abaixo nnmea-
iliis, para que comparecam oao o dia 20 de
Janeiro vindouro em a igreja de Nossa Se-
nhora do Terco, que serve de matriz desta
freguezia, as nove horas da mauliHa do re-
ferido dia, alim de se formar a junta quali-
licadora.
ELEITORES.
Os senhores.-- Antonio Lopes Peroira de
Carvallio, Jos llygiuo de Souza Peix*, le-
ncute-coronel Joaquim Lucio Mouleiro da
Franca, Manoel Fcrreira Accioli, Francisco
Baplista de Almeida, Amaro Benedicto de
Souza, Francisco Martins dos Anjos Paula,
Joaquim Clemente dos Santos, Manoel Joa-
quim Ferrera Esleves, Joaquim Pedro dos
Santos Bezerra, Jo3o Baplisla de S, (.lina-
lo Lopes Lima, Antonio Francisco Xavier,
Joaquim Antonio de Castro Nunes, Torqua-
to Henriques da Silva, Francisco Carneiro
da Silva. Manoel Flix Alves da Cruz, JoSo
de Britto Correa, Jo3o Francisco Reges dos
Anjos, JoSo Rodrigues da Silva, Antonio da
Silva Gusmo, Joaquim Francisco de Mello
Santos.
SUPPLENTES.
Os senhores. -- Francisco Jos Vianna,
Manoel Fonseca de Medeiros, JoSo Moroira
de Mondonga, Antonio Moreira de Mendon-
im, lente Thomaz Pereira Pinto, Antonio
Francisco Dias, Joaquim Jos dos Santos,
Innocencio da Cunta Goiannna, Antonio
Xavier de Couto, Francisco do Oliveira Mel-
lo e Silva, Miguel Jos da Silva, Justino Pe-
reira de Andraqe, Manoel de Mnenla Lima,
Luiz Francisco Moreira de Mendonca, Anto-
nio Paulino da Silva, Jusliniano Antonio
Alves Soares, Jos Carlos do Souza Lobo,
Manoel da Silva Couto, Jos Concalves da
Silva Bastos, Claudino Jos Rapuzo, JoSo
Saraiva de Araujo GalvSo, padre Manoel
Adriano de Albuquerque Mello, padre Fran-
cisco Joaquim Pereira. Francisco Epifanio
de Souza.
E para constar mandei fazer o presente
edilal que sera adixado nos lugares mais
pblicos desta freguezia, e publicado pela
taipreusa.
Perante o concelho de administracSo
naval tem de contratar-se porarrematacSo
o fornecimento dos gneros seguintes, por
lempo 13o somonte de tres mezes, para os
navios armados e hospital de mantilla :
ago'ardente, bolacha, carne verde, carne
secca, caf moido, farinha, feij3o, lenha,
p3o e sal; pelo que convida-se a quem con-
vier fazer semelhante fornecimento a com-
parecers^ horas da manhia do dia 21 do
corrente, nB sala dassessOes do mesmo con-
celho, munido da proposta em que declare
o ultimo preco e o nome do fiador, que se-
r para esse fim pessoa habilitada : decla-
ra-se que as propostas devem vir assigna-
Jas, e que os concurrentes devem-se achar
presentes no acto da arrematado, sob pe-
na de iio seren aceitas as mesmas pro-
postas.
PACADORIA MILITAR.
Em cumprimente da ordem do lllm. Sr.
inspector, e da do Exm. Snr. concelheiro
presidente, de 15 do corrente mez, annun-
cia-se que pcranle esta mesma pagadoria se
arrematado em hasta publica 17 cavados
qiiepertenceram a companhia (xa d ca-
vallaria, principiando no dia 18 desle pre-
sente mez a primeira praca sll horas da
manlina, e continuara as citadas horas nos
seguintes dias 19 e 20. Os pretndanles p-
demirver na cochia da predita companhia
os ditos csvallo.
Pela subdelegacia do Recife foran ap-
prehendido diversos objectos na mSoda par-
da Maria do l.ivramento e da preta Luiza, es-
crava de Francisca Maria da Conceico, por
terem confessado seren os mesmos com-
prados com urna porcSo de dinheiro achado
em urna carteira que cahira da algibeira de
um moco com quem a referida preta diz
estivera na noile do dia 22 de novembro
findo : quem se julgar com direito ao di-
nheiro adiado, apresente-se neste juizo pa-
ra justificar o seu dominio.
Pela subdelegacia do Recife se faz pu-
blico quey no dia 16 do corrente, pelas 9
horas da noite^foi achado na ra da Cruz
um crioulinho.que representa ter 8 anuos
de idade c diz ser forro: a quem elle perten-
cer, dirija-se mesma subdelegacia para
Iheserentrogue. ^^k .
O agente da |>vnca das
Alagas reside presewementc no
segundo andar da casa da ra da
Praia, n. 35
A administrac3o do correio precisa eu-
gajar4bomens bons caminheiros, para fa-
zerem viagem para differeutes partes: quem
estiver tiestas circuinstancias, queira co:n-
pureeer na mesma administraeflo-
TI1KATKO DE APOLLO.
IIOJE, 20 DO CORRENTE.
I'/iytica experimental em tres aclot.
Depois que urna grande orchestra li ver
desempenhado lindissima overtura dar
principio o seguidle:
I ACTO.
Qiiadrot de nuteni.
1. As duas faces do globo.
2. O templo d'Apollinopoles, no Egypto.
3. Baalbec, visto pelo lado do rio.
4. As pirmides da Esphinx, no Egypto.
5. Abbotsfard, na Irlanda.
6. A mgica.
7. Alexandria, na Turqua.
8. IIiiiii, na Suissi.
9. Um nioinho d'agoa.
10. O interior da sala do senado, no pala-
cio do doge, em Veneza.
11. O interior do mosterio de Santa So-
phia, em Constantinopla.
12. Naufragio de urna galera.
13. Entrada de um vapor em um porto
da Turqua.
14 Systeina dos planetas.
15. Diversos grupos de figuras humanas.
Iiiletvallo de 20 minutos.
II ACTO.
(Juadros de nuvent.
1. As muan has da I na, I yebo e Aristte-
les, como vio lord Ross's pelo seu grande
telescopio.
2. aples e o Visuvio visto de da.
3. dem dem visto mnte de la.
4. O templo de Memnon, em Tnbas
5. Baalbec, vista de dia.
6. A ponte da Seyhs, em Vienna.
7. O templo do llolyrora em Ednburgo,
visto noile de la.
8. Urna parte da estrada de S.-Bernardo,
nos Alpes.
9. O exterior e interior do scpulchro de
N. Sonbora, em Jeruzalem.
10. O interior da calhedral, em Lyon,
com a capella de S. Luiz.
11. Lisboa, pela Almada.
12. OTivoli na Italia.
13. Olagodelzolablla, na Italia.
14. Um nioinho por vento.
15. Um caminho de ferro, na Inglaterra.
16. Diversos grupos do figuras humanas.
Intervallo de 20 minutos.
III ACTO.
1. Doze diversos coros de chromaleopes.
Principiara s 8 horas chegada de S.
Exc. e lindar s 10 pouco mais ou menos. I
O director tem a honra de fazer sciente
ao respeitavel publico que desta vez em tu-'
do estar mais brilhante o espectculo, por
sorem melhores as vistas o tor-se preveni-
do para que saia ludo cora toda a clandade
necessaria.
Osblhetesacham-se a venda na ra da
Cruz, n. 15, al s 6 horas da tarde, e o
resto na porta do theatro pelos preeos
seguintes : primeira ordem 1,500 rs. se-
gunda dita 2,000 rs. tercoira dita e plaloa
1,000 rs. \_______________
FRESEFE
no theatro de S.-Francisco.
QUINTA-FEIRA, 27 DE DEZEMBRO DE 1S49.
pbimeir RBraiSKimc>0.
Grande e variado diverlimenlo pastoril.
Depois de executada pela orchestra urna
das milhores symphonias, representar-se-
ha o mui insigne drama sacro em 5 actos
O NASCIMEMTO DO MESSIAS,
para o qual o Sr. Andr Alves da Fonceca
se acha pitando urna vista toda nova, que
representa a sala de audiencia de Lucifer.
Todo o drama ser preenchido com arias,
coros, e danc*s.
Os actores serSo 24 meninos, e 13 meni-
nas pertencentes a familias honestas que,
inteiradas da vigilancia e cuidado que pre-
sidem aos ensaio, nBo duvidaram confa-
los ao director.
Terminar o espectculo com urna con-
tradanca campestre.
Os Srs. assignantes e mais pessoas, que
pretenderem bilhetes de camarote e platea,
pdem mandar receber os cartees na casa
annoxa ao theatro, residencia do director,
onde se el les acha ni venda pelos preeos se-
guintes :
Primeira ordem.
Can ..otes de lado 5,000 rs.
Para assignantes de 12 recitas, cada urna
3,333 rs., 40,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 3,500 rs.,
21,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 7,000 rs.,
Para ssignsntes de 13 recitas, cada urna
5,000 ris, 60,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada urna 5,333 ris,
32,000 rs.
Segunda ordem.
Camarote de lado 6,000.
Para assignantes de 12 recitas, cada uma
4,166 ris, 50.000 rs.
Dito para 6 recitas, cada uma 4,500 ris,
27,000.
Dito de frente da mesma ordem 11,000 rs
Dilo para 12 recitas, cada uma 7,500 ris,
90,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada uma 8,000 ris,
48,000 rs.
Ter cetra ordem.
Camarote de lado 4,000 rs.
P im assignantes de 12 recitas, cada uma
2,166 ris, 26.000 rs.
Dito para 6 recitas, cada uma 2,500 ris,
15,000 rs.
Dito de frente da mesma ordem 5,000 rs.
Dito para 12 recitas, cada urna 3,333 ris,
40.000 rs.
Dilo para 6 recitas, cada uma 3,500 ris,
21,000 rs.
Os bilhetes de platea para 12 recitas 9,000
Ditos para 6 recitas 5,000 rs.
Camarotinho de bocea para 12 recitas,
cada uma 2,000 ris, 24,000 rs.
Dito para 6 recitas, cada uma 2,500 ris,
15,000 rs.
Asassignaturas ser3o pagas adiantadas,
exhibindo recibo a direccHo.
O theatro estar decentemente ornado-
Principiar o diverlimenlo as 8 e meia
horas da noite, com a chegada das autori-
dades.
Kcparticao da polica.
lllm. e Exm. Sr. Segundo as cominuiii-
rac/ies boje dirigidas n esta repartidlo,
consta terem sido honlem presos : ordem
do subdelegado da freguezia de S.-Antonio
desta capital, Tertulianno da Costa, sem
que se me parlicipasse o motivo: do sub-
delegado do segundo districto dos Afoga-
dos, o prelo Jos, cscravo de luiz da Motta,
por crime de furto.
Dcos guarde a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambueo, 15 de dezembro de
1819.-Illin. e Exm. Sr. Honorio Mrmelo
Carneiro Lo3o, concelheiro de estado, pre-
sidente desla provincia.--O chefe de poli-
ca, eronymo Slartiniano b'igueira de Helio.
lllm. e Exm. Sr.Participo V. Exc. que,
segundo as participacOes que honlem e boje
me foram dirigidas, consta terem sido pre-
sos : ordem do subdelegado da freguezia
de S.-Antonio desta cidade, o Portuguez
JoSo Jacinthodo Amaral, por crime de cs-
tellionato : do subdelegado da freguezia
do S.-Jos, o preto Liberato, escravo de An-
tonio dos Santos Lefio, por andar fgido.
Dos guardo a V. Exc. Socrelaria da po-
lica de Pernambueo, 17 de dezembro de
1849.lllm. e Exm. Sr. Honorio Mermlo
Carneiro Leflo, concelheiro de estado, pre-
sidente desla provincia.O chefe de poli-
ca, Jeronymo Marliniano l'igueira de Mello.
lllm el'.xm. Sr.-Commmico V. Exc.que,
segundo as parles que boje me fram dirigi-
das, consta terem sido presos : minha or-
dem, o preto Joiquim, escravo de Jos Tei-
xeira Bastos,pin uso de armas defesas: or-
dem do subdelegado da freguezia de S.-
Antonio, o preto forro Vicente, por em-
briaguez : i ordem do subdelegado da fre-
guezia de S.-Jos, o preto Francisco, escra-
vo de Francisco Baptista de Almeida, sem
que o motivo me fusse declarado : ordem
do subdelegado de um dos districtos da fre-
guezia dos Afogados, Jos Simplicio, por
suspeito de desertor.
Foi recolhido cadeia desta cidade o
reo de morle Jos EslevSo Men les, que me
remetteu o subdelegado do primeiro dis-
tricto da freguezia de JaboalSo em data de
hoiitem, por ter assassinado a Jos Ignacio
Feliciano.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da po-
icia de Pernambueo, 18 de dezembro de
1849--lllm eExm Sr. Honorio Mermlo
Carneiro LeSo, concelheiro de estado, pre-
sidente desla provincia.chele de poli-
ca, eronymo Marliniano Figueira de Mello.
rente o brigoe portuguez Veloz, capilfio An-
tonio Pedro de Figueiredo: para o resto
da carga ou passageiros, trala-se com os
seus consignatarios, Oliveira IrmSos k Com-
panhia, ra da Cruz, n. 9, ou com o sobre
dito capitSo, na prac do Cotnmercio.
Para o Rio-de-Janeiro segu, nestes
seis dias, por estar com o seu carregamen-
to engajado, o brigue nacional iotephina
ainda recebe alguma carga miuda, escra-
vos e passageiros : trata-se com o consigna-
tario, Domingos Rodrigues de Andrade, na
ra dos Tanoeiros, armazem n. 5, oucom
o capitSo na praca.
Para Lisboa sabe com a maior hrevida-
de possivel a escuna portuguez Malktiro-
Primeiro, capit.lo JoSo Ribeiro Palha : para
carga trata-se com seus consignatarios, Oli-
veira IrmSos & Companhia, ou com o re-
ferido capitSo, na praca do Comrr.ercio.
Para o Rio-de-Janeiro vai sahir com
muita brevidade, portera maior parte do
carregament prompta, a polaca Sociedade-
Feliz : quem na mesma quizer carregar,
dirlja-se aos seus consignatarios, Oliveira
IrmSos & Companhia.
Para o Para e Haranhao
Segu? viagem impreterivelmente no dia 21
do corrente para o Par com escala pelo
MaranhSo o patacho Jesephina, com excel-
lentescommodos para passageiros; ospre-
lendentes dirijam-seao capitSo, Jos Maria
da Silva Pona, ou a Jos Baptista da Fon-
seca Jnior, na ra do Vigario, n. 23, se-
gundo andar.
Francisco da Silva Motta Jnior, capi-
tSo do bergantn! porluguez IWatidao, pre-
cisa tomar a risco n aritimo at a quanta
de 2:500,000 rs. pouco mais ou menos, em
moda corrente, sobre hypotheca do casco
e apparelho do dito brigue, e, sendo neces-
sario, sobre a carga queconduz, para paga-
mento das despezas feitss com o concert
do navio, e oul'as pela arribada forrada
que fez a esto porto na sua viagem do Rin-
de-Janeiro para a cidade do Porto : os pre-
tendentes queiram dirigir as suas propos-
tas em carta fechada ao consulado de Por-
tugal nesla provincia (casa n. 6, defronle
do Trapiche-Novo ; at ao dia 21 do corren-
te, pelo meio-dia.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem
com iT,iiito brevidade o patacho S -Joto-
Vencedor : ainda recebe carga e escravos a
frete, para o quo trata-se com Francisco Al-
vesda Cunha, na ra do Vigario, n. 11.
Para a Bahia segu, com a maior bre-
vidade possivel, o hiate Ligeiro, forrado e
ipregado de cobre : para carga e passagei-
1 tos trata-se na ra do Vigario, n. 5.
Para o Aracaty salte impreterivelmen-
te no dia 10 de Janeiro a sumaca nacio-
nal Carlota, mestreJos Gongalves Simas,
por se achar com a maior parte da car-
ga prompta : para o restante e passageiros,
trata-se com o mestre, ou com Luiz Jos
de S Araujo, na ra da Cruz, n. 33.
Para Lisboa sabe impreterivelmente
por todo o crrenle mez o brigue porlu-
guez .s.-Dominaos, capitSo Manoel Concal-
ves Vianna : para o resto da carga e passa-
geiros, irata-se com o consignatario, Joa-
quim Ferreira MendesGuimarSes, na ra da
Cruz, n. 49, primeiro andar, ou com o refe-
rido capitSo, na praca do Comtnercio.
-- Para Lisboa salte Impreterivelmente
no dia 29 do correle o brigue portuguez
Conceico-de-Maria : para o resto da carga e
passageiros, para os quaes olTerece excel-
lentes commodos, trata-se com os consigna-
lai ios,Tlioma/. de A. Fonaeca & Filhe,na ra
do Vigario. n 19, primeiro andar, ou com
o capitao na |U',iea do Comtnercio.
I'ara o Kio-de-Janeiro salte
por estes dias, por ler a maior
parte do seu carregamento promp
la, o bem conhecido e veleiro bri-
gue nacional Bom-Jesus: para
carga < passageiros trala-se com o
CapitSo no caes da Alfandega, ou
na ra da Madre-de-Dos, n. 3,
terceiro andar.
Para a Babia sabe, em poucos dias, a
sumaca Ftor-do-Kngelim, mestre Bernardo
de Souza, por ter a maior parte da carga
prompta : para o restante e passageiros
trata-se com o mesmo mestre ou com Luil
Jos de S Araujo, na rna da Cruz, n. 33.
Para o Ro-de-Janeiro
sabe al o dia 20 do corrente mez o briguo
nacional S.-Manoel-Augutto '. para alguma
carga e passageiros, para o que tem excel-
entes commodos, trata-sena praca do Cor-
po-Santo, n. 6, primeiro andar, ou com o
capitSo Jos da Cunha Jnior, i borlo.
Fara as illias de S.-Miguel,
Terceira e Fayal sahir brevemen*
te a escuna portugueza Favorita,
forrada e pregada de cobre, capi-
tSo Antonio Jos de Medeiros: pa-
ra carga e passageiros, trala-se
defronle do trapiche novo, ti 6,
com Thomaz de Pars.
avisos martimos.
Para Lisboa
salte impreieiiveliueuie no dia 29 do cor-
Leilo.
N. O Bieber & Companhia farSo leilSu,
por intervencSo do corretor Oliveira, por
conta e risco de quem pertencer e em pre-
senca do Sr. cnsul de.Ilamburgo, de 200
barris de aicalrSo em lotes a vontade dos
compradores, desembarcados da barca ham-
bii'gueza Syria, prximamente arribada a
este porto em seguimento da sua viag^f"
para Calcula : sabbado, 22 do corrente, as
II horas da manhSa em ponto, no arina-
zem de Motta, no porto das candas antigo-
Avisos diversos.
MUTILADO
Aluga-se, por preco commodo, uma
propriedade de pedra a cal, no lugar da Ca-
sa-Forte, junio ao Sr. major Vilella, por
festa ou nnualmente ; a fallar na ra do
Brum, ns 6, 8 e 10, fabrica de machinas
fundico do ferro. Jl'
Aluga-se uma casa terrea na Soleda-
de, n. 17, com bons commodos para fami-
lia, quintal grande, todo murado : a tratar
no pateo do Carmo, n. 17, com Gabriel An-
tonio.
Aluga-se o segundo andar e sotSo cor-
rido do sobrado amanillo da ra Augusta-
a tratar na ra do Ainorim, n. 15.


--0
urna carta na
gundo andar
Sr Francisco Manoel Coelho lem
ra do Vigario, n. 19, se-
rlgt-se urna casa e sitio, Pasando o
achanga, ou se vendo : no Aterro-dos-
AfogaddS, defronte do coqueiro, n. "'
* !?Iotonlo Correia Maya ret.ra-ae para a
corto do Rio-de-Janeiro
Quem precisurda u... =--;--, '..
celebrar missas nos di santos feMU:
riia-se a loja do Jos Morera Lopes & Com-
panhia, na ra do Quemado, r>. 29.
V Agencia de passaportes.
Tiram se passaportes para dentro e fora
do imperio, e umbom para escravos, por
p?oCocommodo:naruadoRangel, n. 57,
""-"Scisa-se do um bom forneiro: no
Aterro-da-Boa-Vist, n. 80.
Precisa-sede urna ama
de Icile :
raga-sebem: na ra larga do Rozario, n.
,9, defronle da igreja, segundo ou terceiro
""--"lioga-se ao Sr. P. J. E. V. I., qua tenha
a bonJade do mandar remir a sua lettra
que tero em uma venda em linda.
precisa-se de um feilor portuguez que
entenda do plantaeOes de arvoredos de fruc-
to. de flores e verduras.para tomar conta do
uiii pequeo sitio : no Aterro-da-Boa Vis-
la, n 26, segundo andar.
Benjamn Jones, stidito inglez, reti-
ra-separa fra da provincia.
Arrenda-se um sitio na estrada de Be-
lm, com casa de vivenda, bastante trra
para plantado de mandioca, ou pasto para
oilo vaccas, boas baixas para plantagOesde
capim aborta I ice, com 500 ps de laran-
geiras, 15 ditos de mangueirts, 7 ditos de
pitombeiras, 1 dito desapoty, 1 dito de pi-
nbeira; 30 e tantos ps de coqueiros, 100
ditos ditos do cajueiros: a tratar no raes-
mo sitio, que extrema com o do Sor. Dr.
Feilosa. '
Oabaixo assignado, com cavallance
tras do tbeatro, prometa gratificar a
uuem Ihe der noticia de um cavallo mela-
do, castrado, alto, bem ardigo, carregador
baixo.com cauda a dinas pretas, de boas
carnes e sem o menor achaque o qual l'ur -
taram no domingo, as 8 horas da noite, no
Alerro-da-Boa-Vista ; isto he o que diz o
portador que ia puxando este e montado
em outro. Joilo da Cunha Reis.
Ama de leite.
Na praia do Caldeireiro, n 8, precisa-se
de uma ama forra ou captiva, que tenha
lcite com abundancia.
-simn lluiman, Francez, retira-se para
as provincias do sul.
Aluga-se uma casa no Cachang para
te passar a festa, com estribara e cocheira,
por prego commodo : na ra Nova, n. 63.
Pn-cisa-se urna ama de lei-
te forra ou captiva, sem cria ; na
ra do Fadre-Florianno, por ci-
ma da venda, n. 72.
Muito se deseja tallar com o
Sr. Joao de Lima Bastos, morador
no lugar do Barro, freguezia dos
A Togados, para negocio que muito
o deve interessar : na esquina da
ra do Queimado, loja de fazen-
das, n, a.
Altencao!
OSr. que offerercu 330,000 rs. por um
moleque que foi ver na ra do Sebo, n. 29,
tenha n bondade dedirigir-se mesnia ca-
sa, para traiar-se sobre o mesmo negocio.
Gratificacao! I'ecbincba !
Do dia Hipara 17 do crtente
desappareceu um escravo, de no-
me Sitnao, chegado ha dotis para
tres mezesdo Aracaly, o qual tem
os signaes segnintes: cor acabo-
ciada, porm tem cabellos carapi-
nhados, amianto baixo, meio son
so e falla um tanto fina ; levou
vestido camisa fina de madapoln,
calcas de brim de quadros j des-
botado e chapeo de palha j ve-
l!io na cabeca ; foi visto no dia 17
na estrada de Santo-Amaro, tai-
vez para seguir para l'edras-de-
PogOi roga-se polica e aos ca-
pitaes de campo, ou a qualquer
pessoa qne o capturen), que se pa-
garao todas as despezas e se gra-
tificar, entregando-o na loja da
ra do Qneimado, n. 46, a Aze-
vedo& Irma o.
Bernardino Pinto de Moinv.es retira-se
para Portugal.
O Sr. Joilo Cyprianno Rangel queira
ter a.bondade de apparecer na ra da Ca-
deia de S.-Antonio, pira decidir sobre cer-
ta r,ma que S. Me. receben.
i\o lio! l-Commnrcio,
contina a haver sorvale das 6 s tO horas
d noiio, e ha salas separadas para fami-
lias.
A pessoa que guardou um embrulho
contendo varias pecas de roupa, sendo
urna toalha de lavarinto em roda e de es-
guiSo; una dita de bietauha oom lavarin-
to nas pon tas ; urna saia de panno de linho
de lavarinto estrello ; duas frondas peque-
as com lavaiinto no centro ; dous panni-
nlios camisas do maaapolSo com baados, de se-
nhora, que por acideule um prelo desampa-
rou na ponte da Boa-Vista, em occasiSo de
passar um matulo que laneou por trra um
panicuin em que iam as ditas pecas que to-
das ei a 111 novas ; e bom assini um appare-
Iftode chaquoficou todo em pedagos, ro-
ga-se i "esta pessoa, ou a quem der noticia
uestes objeetos, dedirigir-se ra do Co-
dorniz, n. 8, no Forle-do-Mallos, oueser
gratilicada ; do contrario, em qualquer
parle que se encontraren) algunas deslas
pocas,suro tidascomofurto.porserem bas-
tante condecidas.
Fugio, no domingo, 17 do corrente, do
sobrado n. 40 da ra da Senzalla-Velha,
um papagaio, com as guias das azas apara-
das ; consta ter voado para as bandas da
ra do Apollo : roga-se a quem o achou de
restilui-lo, ou annun'ciar por esta folha,
que, sendo necessario, se recompensar.
Precisa-se alugar uma prota cscrava
que faca todo o servigo de uma casa : no
Forte-do-Mattos, ra do Codorniz, n. 3.
Avis aux amateurs.
TIR AU PISTOLET.
Situ dans une des plus belles positons
des alentours de la viile et la portee de
tour les promeneurs moment des fstes la campagno pour ou-
bler les ennuisde la vlle, c'est au tirqu'il
faul aller, c'est un xercice nouveau ou
l'amour propre dea amateurs est mis en
jeu pour exercer leur adresse. Les amateurs
sont pris de venir visiter cet lablisse-
ment ou les proprietaires s'empresseront
d'tre en tout agreables an publie qui y
trouvera d'excellentes armes, tous les jours
des retes et les dimanches de midi a 9 lteu-
resdu soir.
Ce tir est situ lendroit appel Chora-
Menino, au com meneen ment du chemin qui
va au Passage-de-la-Magdeleine.
Precisa-sede um homem que queira
encarregar-se da distribuigSo e cobranga de
um peridico: na ra do Rangel, n. 42.
A um certo Sr. que mora pouco longe
do becco indo do Livramento at o Palaco-
Vellio, para evitar maiores incommodos, se
pede que queira saldar o seu engajamento
do30de junlio passado por lettra refor-
mada. O Sr sabe aonde est a dita let-
tras, por 483,730 rs. vencida no primeiro do
mez, e nao se admiti mais demora.
Precisa-se de uma ama de leite, forra
ou captiva : na Boa-Vista, travessa do Ve-
ras, n.9.
Antonio Pereira da Silva Martina, Bra-
sileiro adoptivo, relira-se para fra do im-
perio.
~ Precisa-se de uma ama para o servigo
de uma casa de pouca familia ou uma es-
crava para o mesmo servico : na travessa do
Corpu-Santo, n. 27, segundo andar.
Aluga-se, a quem quzer passar a fes-
ta, uma casa na malla da Torro, pelo bara-
to preco de 25,000 rs..' a tratar na ra da
Aurora, n. 18.
Precisa-sede uma ama secca que sai-
baengommar : na Boa-Vista, ra da Santa-
Cruz, n. 38.
Precisa-se de um caixeiro para tomar
conta de uma venda por bataneo o qual d
fiador a sua conducta, e tenha qualidades
necessarias para negocio: quem cstiver
nestas circunstancias annuncie.
Alnga-se o segundo andar do sobrado
n, 24, da ra da Aurora : a tratar no pri-
meiro andar do mesmo sobrado.
Sorvete.
Excellente sorvele: no pateo do Colle-
gio, a 200 rs., com muito asseio.
-- Aluga-se uma casa terrea, sita na ra
da Conceico da Boa-Vista, 11. 29 : a tratar
na praga, n. 6, botica.
Aluga-se a casa de 2 andares, na pra-
ca da Boa-Vista, defronte do chafariz, a qual
lem comino.los para grande familia, com
quintal e cacimba : quem a pretender diri-
ja-se a ra do Trapiche, armazum n 19, do
Domingos Soriano Gongalves Ferreira.
Casa de modas franeczas.
Buessard Millochau.
RA 00 ATERRO-DA-HOA -VISTA, N. 1.
Itecebeu-so pelo ultimo navio, vindo do
Havre, um grande sortimentode chapos de
soda para senbora, ditos de palha para se-
horas e meninos, ricos mantelleles e capo-
tinhosdeseda etilo, camixinhas, collari-
nlios, romeiras o cahegOcs bordados, lindas
fitas, luvas do pellica, ditas de seda, ditas
de malha a bertas, transas, franjas de se.la
de cores para enfeitar vestidos, capellas e
caixos de flores finas, cortes de cambraia
bordada, filos, lencos de cambraia de linho
bordada, ricas fitas de velludo, transa fina
de linho para enfeitcs de vestidos, lucos de
linho do todas as larguras, ditos de blond,
cambraia de linho, bonetes de monlaria,
plumas para chapeos, e mais outras fazen-
das de moda. Fazem-so sempro vestidos de
casamento, de baile e de montara, chapos
do senhora, vestidos de baptisado, etc. ,
etc., da ultima moda, e por preco mais
commodo do que em outra qualquer parte.
Na noite do dia 15 para
fugio, da casa de seu senhor, o
pardo Laurentino, de 18 annos,
altura regular, cheio do corpo,
bem parecido; no se pode men-
cionar a roupa com que foi vesti-
do por ter levado todaquanto pos-
suia ; passou na cidade de Olinda
bem vestido, de tumancos, meiase
grvala; foi visto no engenho l*au-
liota, e he d presumir que, nSo
brando por all, siga para o enge-
nho Abre os, donde foi e tem mai
e irmaa : roga-se aos senhores
dos mencionados eugenhos, auto-
ridades policiaes e mais pessoas
que delle tiverem noticia, de o
mandarem conduzir ou dar parte a
seu senhor, na ra Imperial desta
cidade, n. 167.
6 O
> Qualquer pessoa que tiver boa le- Q
q Ira, e escreva certo, querendo se en- q
q carregar de uma pequea escriptu- ...
,v racSo.appareca na ra da Cruz,na bo- *
*T tica de l.uiz Pedro das Neves, para ^
O ajustar-se. Adverte-se que a hora O
O ser marcada volitado do escriptu- Q
O rano. O
Q O
Joilo Cavalcante de Albuquerque faz
sciente ao Sr. Antonio Vieira de Souza, que
se aclia fgido o escravo Virginio, que Ihe
havia compiado em 16 .de junho de 1848, e
como foi com a condicSo de que, ae o refer
do escravo fogisse no prazo de dous annos,
elle so obligara a entregar aquantiapoi
quanto vend o, para qoe nao allegue ig-
norancia, se faz o presente annunciu.
I'iecisa-se de uma ama de
""'Z
leite : ni ra da Caricia do l\eci-
fe, n. 4o.
Csabaixo assignados rogam ao 11 lu.
Sr. cliefe de polica de nao dar passaporle
aoSr. llcnrique Munzel, subdito allemSo,
sem que este tenha pago aos mesmos a
quantia de 36,940 rs.
Hebrard& Companhia.
Precisa-se de um rapaz bolioiro, ou
que tenha babilidade para aprender esto
ollicio, o qual d fiador a sua conducta : na
ra do Livramento, n. 33.
Na ra do Queimado, n. 14, segundo
andar, se dir quom d dinheiro a premio
Compras.
Compram-se efectivamente diarios,
a 3,200 rs. a arroba : na ra larga do Roza-
rio, n. 15.
Compra-se uma bomba para cacimba :
na ra Direita, n. 17. __________^^
Vendas.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, n. 4, ven-
dem-se bilhetes, ineios, quartos, oitavos e
vigsimos da 6.a lotera do thesouro. Na
mesma loja recebem-se bilhetes do Cuada-
lupe premiados em troca dos do Rio.
Noarmazemde Antonio An-
nes, no raes da Alandega, ven-
Vcndcm-scsaccas com fare-
los de 94 libras cada urna : no ar-
Bacellar, no caes da
dem-se charutos finos de San-Fe
lixa a,5oo rs. a caixa, e saquare-
mas e imperjaes a a,300 rs
Vendem/se pecas de algodSozinho de
20 jardas e com algum toquo de avaria, pro-
pro para escravos e pannos de cozinha, a
1,280 rs. ; pecas de chita de bons pannos e
com toque de avaria de chuva, a 4,600 rs. ,
ea 120 rs. o covado ; historia de Gil Braz
em bom uso, por 5,000rs.; historia da
America Ingleza em portuguez, por 5,000
rs.; Saluslio em portuguez e latim por
5,000 rs.; Diccionario de Mora es da quarta
edico, quasi novo e limpo, por 20,000 rs.
Guarda-I.ivros moderno, em bom uso ; un
fole de folear formigas, por 5,000 rs. : no
paleo do Carmo, n. 18, primeiro andar do
finado J0S0 Poixe.
Vendem-se superiores ancoretas
de azeitonas,
chegadas prximamente: no caes da Al-
fa ndega, a rmazem de Francisco Dias Fer-
reira.
Para todas as profssoes
do mundo.
Abte he FuitTAit, pelo padre
Antonio Vifiiu, reimpressa cui-
dadosamente em Londres, com 0
retrato do autor frente. Um vo-
iume in 8., cncadernacao ingleza.
Vende-se na ra do llozario lar-
ga, loja de iniude/.as de J. J.
Lody.
Vende-se uma porco de sebo refinado:
na ra do Hospicio, n. 4.
Chapeos de palha
muito finos e superiores: vendem-se na
ra do Trapiche, n. 8.
Velas de espermacele
em raixas de 30 libras, o da mellior quali-
dade que ha neste mercado : vendem-se n
ra do Trapiche, n. 8.
-- Vendem-se 4 molecotes de 10 a 15 an-
nos ; 5 escravas mocas de bonitas figuras;
3 negrinhas de 16 annos; 4escravas de bo-
nitas figuras: na na hireita, n. 3.
Vende-se urna carroga em bom esta-
do, que serve para ser puxada por cavallo
ou boi: na cocheira da ra da Roda.
Livro indispens tve! a to-
dos os escriptorios in
glezes.
An Encyclopcedia 0} Geogra-
phy : comprising a complete des-
cription of thc Earth, physical,
slalistical, civil, and political ;ex-
hibiting its relation to ihe heaven-
ly bodies, its physical structure,
Ihe nalural bistory of each coun-
try, and Ihe industiy, cornmerce,
political institulions, and civil and
slate of II na lioiis, by Hugh
Murray, illustrated by eighty-
two Maps.
He um volume de mais de i,5oo
paginas, e vende-se na ra do Ho-
zarlo larga, loja de miudezas de J.
J. Lody.
-- Na ra Nova, n. 40, defronle da Con-
ceicSo, vende-se manleiga ingleza, a 560 e
640 rs.; dita para bolo ou tempeiro, a 280
rs. ; espermacele, a 800 e 840 rs,; touci-
iilni, a tso rs. ; tapioca muito boa, a 120
rs.; cevadinha de Franca, a 240 rs. ; cha, a
2,400rs.; presunto o inelhor que ha no
mercado, a 400 rs. ; ameixas, a 240 rs.; e
outros muilos gneros pueagradar o, lau-
to em qualidade como em prego
Farinha de mandioca.
Na ra do Queimado, n. 14, loja de fer-
ragens, anda lia algumos saccas da boa
farinha de mandioca, muito alva e bem tur
rada ; bem como uma porgan de peonas de
orna, proprias para espanadores ; uma os
crava de 20 annos, propria para toJo o ser-
vico ; outra dita que se vende barato, por
ser de maisdade, e que he boa para ven-
der na ra, e sabe muito bem lavar roupa,
uma parda moga, de bonita vista ; saccai-
de gomma deengommar, muito alva : tudo
se vonde barato.
-- Vende-se um lindo moleque de bo
conducta; uma bonita mulatinha recolln-
da, com habilidades precisas para uiucauu
a ra do Rangel, u. 57, sobrado.
niazeni de
Alfandega.
--Vende-se um prelo do 25 a 30 annos,
proprio para agricultura : na ra do Cabu-
g, loja n. 1 C.
Yinho do duque.
O mais superior quo neste genero tem
vindo do Porto a" este mercado em barris
de oitavo ; salsa-parrilha chegada do Para
no ultimo vapor ; barris com oleo de cupa-
hiba muito velho; fecbaduras sortidas para
portas ; sola muito grande e de muito boa
qualidade, em pequeas e grandes porgOes :
na ruado Trapiche, n. 26, casa do Manoel
Duarte Rodrigues.
Attencao.
Em Olinda,ao saltar no Varadouro, segun-
da venda a esquerda, vendem-se em muito
bom estado, que o comprador ver, e pelos
diminutos pregosdeste annuncio, as encl-
lenles obras que se seguem : Mysteros de
Pars, em inglez e com estampas, por 8,000
rs. ; Historia de Napolclo, escripia em me-
morias por elle mesmo e publicada por Cal-
lois 4 v. em port., por 4,000 ; Corinta ou
a Italia, obra prima de M. de Stael, 2 v. ,
por 6,000 rs ; Theora do gnverno repre-
sentativo por Cuisot, linda encadernagSo,
t v. por 3,000 rs.; Gudwin's polilicle jus-
tice, obra interessante, 2 v,, por 6,000 rs. ;
r.oovernemenl civil de l.ocke, 1 v. por
3,000 rs,; Amold's Phisc, 2 v., por 5,000
rs : Direilo publico por Ramn Salas, 1 v. ,
por 2,000 rs.; Crammatica da academia
franceza de l.evisac, 1 v., por 2,000 rs. ;
Tales of Ihe preat, and bravo by Fraser
Tylher, 1 v., por 2,000 rs. ; a Formosa don-
zella do Perth, romance de W. Scott, por
2,000 rs. ; Institutiones juris natura?, et
genlium, por Flescher, 1 v., por 2,000 rs.'
The lliad, trad. de Pope, por 4,000 rs. ; Ari.
mlica do Besout em francez, 1 v. por 2/
rs.; Compendio de la historia grega por
Goldsmilh, 1 v., por 1,000 rs. ; Methodo
racional de aprender a lingoa latina,! v.,
por 1,000 rs.; Quintiliano em latim, 1 v.,
por 2,000 rs. ; um Magnum Lexicn, por
5,000 rs. C imillas obras elementares como
Virgilio, Horacio, Saluslio, Rhetorica, Plie-
dro, Cornelio, the third bookof reddingjles-
sons : tudo desta forma.
Vendem-se potes de sal in-
glez refinado com o peso de uma
libra, proprio para mesa, a 32o
rs. : na ra do Cabug, loja de
miudezas, n. 1 D.
Vendem-se dous prctos possantes e
robustos, do bonitas figuras, sendo um de
24 annos, e o outro de 40, ambos canoei-
ros : em Olinda, no Varadouro, a fallar com
JoSoEstevesda Silva.
A 1,000 ruis.
Vendem-se superiores queijos do reino,
muito froscaes, e dos mais modernos que
ha no mercado, pelo barato prego do mil
rs.': no paleo do Carmo, n. 13.
Fabrica de licoresda ra
Direita, n. 17.
Neste eslabi'lecimento vende-se por pre-
go mais barato do que em outra qualquor
parto ago'ardentel do reino, .encina, aniz,
licores ile todas as qualidades, espirito de
vnlio, ago'ardente do canoa : tudo a ven-
tado do comprador.

I
i
i
i
b
3
K
O
s3
gz
es
ce
a

4
9
i
f
""E #
para engenhos de fabricar assucar, bem
como laixas de ferro coado e batido de dif-
terentos tamanhos e modelos, moendas
do dito, tanto para armar em madeira come)
rodas de ferro para animas! e agoa, ma-
chinas do vaporde frga do 4 cavallos, alta
pressSo, reparlideras, espumadeiras, etc.
de ferro cstanhado. Na mesma agencia adia-
se um SOrtimentO de pesos para balangas ,
escovins para navios. Ierro em barra, tanto
quadrado como redondo, salra para ferrei-
ro c uma porgo de tinta verde em latas :
tudo por barato prego.
Cha rn tos de Ha va na
verdadeiros:
vendern-so em casa de Kalkmann IrmSos,
na ra da Cruz, n. 10.
-- Vendem-se bustos de gesso represen-
tando fielmente a rainba Victoria e o prin-
cipe Alberto; relogios de ouro e do prala,
ebegados ltimamente da Suissa : ostes re-
logios que silo mili bem acabados, so tor-
nan) muito recommeiiJaveis ,i qualquer
particular, e adverte-se que ha entre elles
algunsque andam 8 dias sem precisaren!
de corda : na ra da Cruz, no Itecife, n. 55.
Na loja de Maya Ramos & Companhia
ha urna iuteressaiito obra, intitulada Ma-
nual annuario da sale, ou medicina o
pharmacia domesticas, contendo todos os
cunhecimento'* llieoricos e praticos neces-
sarios para cada um saber preparar e em-
pregar por si mesmo os medicamentos, e
com pouca dsspezs, da maior parle da*
lo u; i- curnvois a procurar um allivio qua-
si equivalente a saJe nas doencas incu-
ravese clironicas, por F. V. Raspail. Como
poderei eu chamar-mo doutor quando to-
dos vSo ser, sem muito trabalho, Iflo dou-
tos como eu?
Na ra do Queimado, n. 22, loja
do chapos do Itamalho, vendem-
^ se chapos de palha da Italia, pelo
prego do 2,500 al 4,000 rs.; ditos do Chile;
o bonetes para meninos.
Vendem-se irascos de
vldro
de bocea larga e com rollia, grandes e pe-
queos, em porgflo e a realho : na ra da
Cruz, armazem n. 48.
Vende-se um tanque para deposito de
mel, o qual leva 8 cargas, todo forrado de
chumbo, chapeado de forro, de amarello e*
estando em bom estado, por prego com-
modo : na praga da Independencia, n. i,
loja.
Vondo-se um parda de 1i annos, do
boa figura e morigerada ; urna cabra de 17
annos ; um dito do 22 anuos; 4 quartos e 1
pnblro, este de primera muda, de grande
figura, passeiro, com principios de carrego
baxo, e que he ptimo para carro, por ser
decrrosilho le alaziio, e aqusUSS dous
carregadoresdebaixo a meio, para o ser-
vigode sella, e os dous de caugalhas: em
S.-Amaro, ra da Fumligao, defronte da
fortaleza do Brum, na quarta casa doquar-
tarSodasperteneenlesan Sr. Antonio Jos
Comes do Correin, das 6 as 8 horas da ma-
nl)Sa, o das 4 as 5 da tarde.
Vende-se fio" pnete do Porto, de mui-
to boa qualidade, em paCoT de quatro ar
rob^s : na ra da Cruz, n. 3.
Piraas Sras.doceiras.
Vendem-se lernos de becetas do pnho
para doces com 6 hcelas, por 1,200 rs.: no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 48.
Conlina-se a vender manteiga, a 200,
400, 480 e 720 rs.; cha, a 2,000 e 2,240 rs. ;
aletria. a 240 rs. talharim, a 200 rs.; tou-
cinho de Lisboa, a 280 rs.; dito do Santos,
a 160 rs. ; espermacele, a 880 rs. ; carnau-
ba de 6, 7e.8 em libra, a 2S0 rs.: caf, a
140 rs.; farinha do Maranhilo, a 100 rs. ;
passas, a 240 rs. ; figos, a 120 rs. ; rap
Mearon, a 1,040 rs. ; arroz de casca e mi-
lito, a 120 rs. a cuia; fcijao molatinho, a
210 e 400 rs. ; dito preto, a 360 rs. ; bola-
eliinha ingleza, a 240 rs. {dita deararuta, a
ea
<
I 320 rs ; q'ueijos llimengos rescaes, a 1,200
'"* rs. : no pateo do Carmo, n. 2, ve'da nova.
;

Lotera do Rio-de-
Janeiro.
os 20:000,000 de rs.|
Pelo vapor S.-Seluutiao, sabido do
Rio-de-Janciro no dia primeiro a tur- 9
de/recebemos as listas da 21." lotera
do monte pi e da 11." a beneficio das ft
'i conslrucgoese reparos das inatri/.es : #
* tambero recebemos os afortunados
Jhilhelese ineios bilhetes da 6. lo- &
teria do thesouro do Bio-dc-Janeiro, 9
cujas rodas deviam andar no dia 17
do corrente.
5 "
Nesta loja vendem-so pegas do brim liso
.fino com niuilo pouco toque de avaria, a
6,000 rs. ; ditas de algodo trancado no
mesmo estado, a 3,500 rs. : tamben) se ven-
den) meias pegas : he a melhor das pechin-
chas que teem apparecido, em lo lo o an-
uo de 1849. a ellas, freguezes, que estilo se
acabando,antes de (indar.
Manas de seda.*
Anda existe um resto das mantas de se-
da que se teem annunciado, a 7,000 rs.: na
ra larga do Rozario, padaria n. 48.
Vende-se superior farinha a bordo da
polaca N.-S.-do-Carmo, tundeada defronte
do Passeio-Publico, por commodo prego, e
em saceos : na ra do Vigario, n. 11.
Vende-se, a bordo da sumaca Helia-Ar-
gelina, fondeada em frente do caes do Col-
legio, farinha a 2,400 rs. o alqueire da me-
dida velha.
Vendem-se 8 lindos moleques de 10 a
18 annos; 8 prctos de 20 a 30 annos, sendo
um delles ptimo sapateiro, e dous dos di-
tos para liquidar cuntas, um por 400,000
rs., eoutro por 350,000 rs. ; um pardo de
16 anuos, ptimo para pagem ; 3 pardas de
16 a 20 annos, com habilidades; uma dita
do 20 annos, com habilidades, e com dous
lllios, urna de 5 annos e outro de um anno;
Tod8s'as"pes"Sors"qeBposs'u'em objeetos 6 P^tas de 14 a 25 annos, com habilidades
~ Vende-se uma escrava da Angola, de
20 a 22 aniinos, sadia, sem vicio algum,
que lava, cozinha, tem principios de en-
gommar, e he muito fiel : o motivo porque
se vende he por sen dono relirar-se para
Portugal : nasCinco-Pontas, n. 71.
(arralas vasias.
Vendem-se gigos com garrafas
vasta?, no armazem do Annes, no
raes da Alfandega : a tratar com
Manoel da Silva Santos.
Pos galvnicos para
pratear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
prateados e que lenham perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, ou inu-
tihsados, teem uestes pos um excellente
restaurador e conservador dos mesmos
objeetos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho moldado em agoa fra e passado
nos mesmos pos.
Uma caixinha contendo quantdade suf-
ficiente para pratear mais de 40 palmos
quadrados custa a mdica quantia de
mil rs.
cpioprias para todo o servigo : na ra do
Collegio, n. 3.
Ultima moda.
Vendem-se ricos manteletes fe chamalo-
te, de tafet e de bico; lindos chapeos da
seda para senhoras; lus de pellica bran-
cas, protas o deerea; luvas de malha fina
pretas; e cortes<*ecambraia fina imprimi-
das, chegado* pela Minerva, ultimo navio
vindo do ilavre: no Aterro-da-BOa-Visla,
loja, >. 1.
Pannos finos.
Vende-se excellente panno fino cor de ca-
f, pelo diminuto prego de 3,500 e 4,800 rs.
Igencia de hvia !F*w.
Na ra de Apollo armazem n. e, le M. Cal- j o covado ; dito preto, a 3,000, 3,500, 6,000.
moiit&Coinpanhia, acha-se instantemente 7,500 e 8,000 rs. o covado, prova de limSo:
um grande sortimenlo d m



Taixas para engenho.
Na fundido de ferro da ra do Rrum,
acaba-se. de rereber um completo sorlimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes aeham-se a venda por prego com-
modo e con promptidSo embarcam-se,
ou carreeani-sncm carros sem despezas ao
eomprador.
Cassas c cambraias.
Vende-se um sortimento de raasas, cam-
braias, chitas, riscados, chales de seda,
ditos de la, luvas, meias, bicos do linho,
brancoseprelos: tudoo mais barato pos-
sivel, por seren fazendas fra da moda na
mu do Crespo, n. 9.
Vende-se muito superior fa-
rinlia gallega em meias barricas :
na ra da Cadeia do Kecife, es-
criptorio de Deane Youle & C. ,
ou no primeiro armazem do becco
do Goncalves.
No armazem do barateiro
Silva Lopes, na porla da alfande-
ga, vende-se farinba de trigo de
l'biladelpbia muito nova e a mais
mi per or que tcm no mercado ; e
Larris com igos de comadre, mili-
to novos.
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro diversos mo-
delos.
AGENCIA
da fu n di cao Low-Moor,
RA DA SKKZALT.A-NOVA, N. 4^.
Neste estabelecimento conti-
na a haveium completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenbo ; macbinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
" Deposito da fabrica de
Todos-os-Sanlos na Baha
Vende-se en' casa de N. O. liieber & C.
a ra da Cruz, n. 4, alcodfto trancado
aquella fabrica, muilo ptoprio para saceos
de assucar e roupi de escravos.
Chtt hrasileiro.
Vende-se che I rasileiro no armazem de
molliadns, alias ilo (or n-Sanlo, n. 66, o
mais exrellenle cha produzido em S.-Pau-
lo que leni viudo a este mercado, por
preco muito commodo.
Moendas superiores.
Na ftindigSode C. Starr A Companhia,
em S.-Amaro, acbam-se venda moendas
de caima, lodas de ferro, do um modelo e
conslrucc.no muilo superior.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados alfas do Cor-
po-Sanlo, n. 66, lia para vender, chegados
pelo ultimo vapor viudo do sul, superio-
res charutos S.-Flix, e de outras muilas
qualidades que se vendeiSo mais barato do
que em oulra qunlquer palle : bein como
cigairilhos hespanhes ditos de palha de
rr.ilho, que se estilo vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
Corles de bi im de cores
ecm listra sao lado, a
1,280 rs.
Vendem-se curies de brim de cores com
listrasao lado, a 1,280 rs. ; riscado do al-
podSo ameiicMio, pioprio para escravos, a
140 is. o covado : na ra do Crespo, lojg da
esquina que volla paia a cadeia.
Os mais modernos cor-
tes de cassa para vesti-
dos a oito patacas e
meia o corle
Vendem-se nodernos cortes de cassa pa-
ra vestido, com 7 varas, a 2,720 rs. o corte :
na ra de Queimado, n. 8, leja confronte a
botica.
Tecidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na ra da Cadeia, n. >2,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Ruarles de furla-ercs a
20 rs. o covado e ris-
cado monstro a 220 rs.
Vende-se zuarte de furta-cres, muito
encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra volta lian a cadeia.
Vendm-se bons queijos londrinos,
ditos de prato muito frescacs e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos portuguezes para panella, latas
com 2 e4 libras de mai-nielada, ditas com
bolachioha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas cciim bervillias, frascos com conservas
inglezas, queijos de quilha vindos do Cea-
r, por barato preco, mantas do toucinho
inglez de fuiiieiro.de 7 a 8 libras cadauma.e
oulros mullos gneros de boa qualidade :
a nrua da Cruz, no Rccifc, n. 46.
Bom c barato.
Vendem-se sapalos sabidos hontem da
alfandega, de couro de lustro para senho-
ra, a 2,000 rs ; ditos de sol e vira para ho-
meni, a 6,000 rs.; ditos do una sola, a 4,000
rs. ; dilus de soba e vira, chamados de Nan-
les, a 5,000 rs. ; meios holins gaspeados
para hornera a 7,000 rs : na loja de miude-
zs de Joaquim Uenriqucs, junto ao arco de
8,-Autonio,
Vendem-se saccas com farinba muito
boa e hem torrada, por preco commodo : no
armazem do finado Ilraguez: na ra da Ca-
doia, o p do arco da Conceigflo, n. 6 0, ou
a fallar na loja de Jolo Jos de Carvallio-
Moraes, eno mesmojarmazem.
Paraquem tiver bom
OStO.
Vendem-se redes de cores muito grandes
o muilo bonitos padrOes, e o melhor quo
temapparecido neste mercado: na ra do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia.
Vendem-se amarras ao ijrro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
Vendem-so 4 pipas que fram de azei-
te de carrapato : em Olinda, ra dos Qua-
tro-Cantos, n. 1.
Saccas com farelo novo,
de 80 a 90 libras, a 5#:
vendem-sc no armazem de Antonio Annes,
no caes da Alfandega, e no de Vicento Fer-
reira da Costa, na ra da Madre-de-Deos,
ebegadas ltimamente de Lisboa e de
Franca.
Farinba de trigo ame-
ricano.
Vende-se farinha de trigo americano, da
marca Brand-Wine, chegada ltimamente,
por prer;o commodo : em casa de J. J. Tas-
so Jnior, na ra do Amorim, n. 35.
-- Vende-se urna parte dos sobrados do
tres andares, ns. 14 e 16, sites na esquina
da roa da Cadeia, defronte do tbealro de
San-Francisco : a falla rno primeiro andar
dos dilos, com Joaquim Teixeira Peixoto.
Esle no resto.
Vende-se farinha de araruta de
qualidade e ltimamente chegada
<4'
Para se acabar.
Vendem-se superiores cortes de cam-
braias linas antigs, pelo barato prego de
2,500 rs. o corte; bem como novos cortes
de cassa-chita, de lindos gostos, a 2,*800 e
3,000 rs. o corte : na ruado Collegio, n. 1,
loja da estrella.
Pecbincha.
Vendem-se cortes de calcas de meia casi-
mira de lila, a 1,600 e 2,000 rs. o corte, bas-
tante encorpado; bem como meias para
senhor8, a 200 rs. o par, e a duzia a 2,000
rs. : na ra do Collegio, n. 1, loja da es-
trella.
Casimiras a 3,5oo rs.
Vendem-se cortes de meias casimiras de
bonitos gostos, com tres corados e meio,
pelo barato prego de 3,500 rs. o corte ; ca-
simiras superiores, tanto em padrees romo
em qualidade, a 4, 5,6 e 7,000 rs. o corte :
na ra do Collegio, n. 1, loja da estrella.
o o
g Fazendas modernas, g
Na ra do Crespo, n. 9, loja de Joflo O
9 A. G. GuimarSes, acha-se um lindo O
9 sortimento de fazendas modernas de O
i> bom gosto, chogadas pelo ultimo na-
) vio de Franca, como sejam : sedas
Q brancas, prctis, decores e com bar- Q
$ ra ; chales de setim bordados; man- q
<\ tas de seda ; lencos; luvas ; cassas ; q
j cambraias ; parisienses; casimiras; q
/', brins; chapeos; um sortimento com- *
n pleto de fazendas de linho; cor-
Jj: tes de velludo bordado para collete ; Js
dilos do setim ; ditos de fustSo ; len- S?
gos de cores para grvala ; e outras J*
V muitas fazeudas : ludo por prego ^
0 commodo.
Q
superior, q^q^O^^OOOOOOOOOOO
mercado em barriquinbas de arroba e meia,
pelo diminuto prego de 3,000 rs. a arroba:
no becco do Azeito-de-Peixe, armazem de
Francisco Antonio da llosa.
Vendem-se queijos londrinos, presun-
tos muito frescacs, frascos com mostarda,
ditos com fruclas, botijas decorinthos, fras- com TcVados,
quinlios de mollio para carne, e oulros covados a 1 760 rs
objeclos: ludo chegado ltimamente de
Liverpool na galera Snvord-Htk : na ra da
Cruz, n. 7, armazem de Davis & C.
AI leu cao ao barato.
Na rua do Livramenlo, n. 14, vendem-se
ricos cortes de vestidos de barra de todas
as cores ; cambraia de seda do superior
qualidade ; cassa-chila dn ricos padrOes ;
lencos de linho; panno azul e preto para
palitos : o outras muilas fazendas baratas.
-- Vendem-se lingoigas de porco do ser-
lo, a 320 rs. a libra ; carne do sertffo, a 240
rs.; queijos do reino, a 1,400 rs. ; feijo
mulalinho, a 320 rs a cuia ; o cutrns mui-
tus objeclos : ludo de boa qualidade: nos
Quatrn-Cantos-da-Iioa-Visla, esquina de S -
Colgalo, por baixo do sobrado n. 1.
Nao jile baver maior
pecbincha.
Na rua do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se corles de
casimira pelo baratissimo prego du 4,500
rs. o corte.
Ultimo gosto.
Vendem-se os meibores chapeos de mas-
sa frunceza que teem vindo esle anno, lan-
o em fdrma como em boa qualidade : ha
para cabega bastante pequea, a 7,500e
8,000 rs. : na rua do Collegio, n. 1, loja da
estrella.
Vende-se espirito de 37graos, a 1,200
rs. a caada, c 160 rs a garrafa : na rua da
l'raia-de-S.-llita. n. 1.
Vende-se, na eocheira de .Miguel Su-
ger, um bom carro de duas rodas.com ar-
reios para um e dous cavallos : na rua da
Aurora, n. 48.
Vende-so um cabriolct mu leve eelo-
ganle em bom uso, por prego commodo :
na rua do Hospicio, n. 9.
miatm Mmmmmemmm&.mmm
I i
| Chapeos do Chile de I
| superior qualidade. i
B
H Na rua do Collegio, n. 9, recebeu-se \]
m um imdo sortimento destes llioapre- a
ciados chapeos, que se vendem por $
m prego eouiBOdo JE
%mmimmmwmm wwsreswc
Vende-se una escrava cri-
oula, bonila figura, propria para
qualquer servico de una casa .- na
rua da Cadeia do Hecil'c, loja de
Joo da Cimba Magalbaes, n. fl
Novos gambreCes a 2,000 rs o
corte.
Vendem-se superiores corles de caigas de
gambreSo, com 3 covados e meio, pelo di-
minuto prego de 2,000 rs. o corle, esle fa-
zenda lorna-se recommendavel pela sui
boa qualidade ja bem conhecida, de boni-
tos padrOes : na rua do Collegio, n, 1, loja
da estrella,
Os mais ricos mantele-
tes e capotillos.
Vendem-se os mais asseiados mantelete:
e capotilhos de chamalotc de seda e gor-
gurflo, os mais ricos que teem apparecido s
na rua do Queimado, n. 9.
-- Na rua da Cadeia do Recife, n. 56, loja
de ferragens.de l'ontes &Sampaio, vendem-
se sele duzas de taboas de louro para as-
soalho, por prego commodo.
di a
Cassa-seda moderna. n
H Vendem-se cortes de vestido de #
cassa-seda transparante,padrOesmui- >:$
lo modernos, e fazenda a mais su- ')
perior possivel, lano em gosto como ?4
em qualidade : na loja do sobrado )
amarello, nos quatro cantos da rua :.*
do Queimado, n. 29.
fe
Cortes de cassa para ves-
tidos com 16 covados
por 5,500 rs.
Vemlem-se cortes de cassa para vestidos,
rs.; ditos com 8
pegas de cambraia li-
sas com oilo varas e meia, a 2,720 rs.; pan-
no de linho muilo fino, a 480 rs. a vara : na
rua do Crespo, loja da esquina que volta
para a cadeia.
Vendem-se chspeoszin.os, ricamente
enfeitados, para meninos e meninas de um a
tres timos: no Aterro-da-Ba-Vista, n. 1.
Na rua Nova, n. 5,
vendem-se dous lindos mulatinhos de 15 a
16 annos, ptimos para pagens, e um del-
les sabe bem bolear, e he bom copeiro; 1
lindo moleque de nago, de linda figura ;
um casal de escravos de lindas figuras, com
urna cria, a negra engomma cose, faz la-
varinto e marca ; 2 prclas com habili-
dades; una mulatinha de 14 annos, muito
linda, com principios de coser e engom-
niar ; 4 pretos bous Irabalhadores de en-
xada ; um pardo bom ollicial de alfaiate ;
um molccote ollicial de alfaiate de toda
obra : una parda de linda figura.
Acabado i liega r, e veude-secom o se-
gundo, o primeiro tomo do Annuario Poli-
tico histrico e-l. ti-tiro do Brasil, por
prego commodo, na praga da Independen-
cia, loja, ns. 6 o 8; na rua da Cadeia-Vetha,
loja do Sr. Cardoso Ayres, e na rua da Cruz,
loja dos senhores Santos & !.
Lscusado be lecer encomios esta obra,
que he um verdadeiroe inleressanle archi-
vo nacional, porquanlo o publico j reco-
nbecu o seu mrito; eogoverno tein pro-
curado coadjuvar a empreza.
Italatas novas a 300 rs.
o gigo:
vendem-se no armazem do J. J. Tasso J-
nior, na rua do Amonio, n. 35.
Novo trem de cozinha.
Vendem-sc cagarolas, chaleiras, fregi-
deiras e panellasde ferro forradas de por-
celana ; machinas para caf; bules e ca-
fetciras de metal: na rua Nova, n. 16, loja
de fvrragens de Jos Luiz l'ereira.
I'otassa da Bussia.
Vende-se a verdadeira potassa da Russia,
desembarcada agora, em barris pequeos :
em casa dos Srs. Rolhe & Bidoulac, rua do
Vigario, n. 4.
Vendem-seciteg de cambraia de co-
res, pelo barato prego de 2,000, 2,500, 3,000,
3,500 e 4,000 rs.; cambraia de seda, a 3/
rs.: meias para meninas, a 160 rs.; la
com listras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
zinha propiia para roupa de meninoseves-
lidos de senhora, a 240 rs.; la superior pa-
ra caigas, a 500 e 600 rs. ; lencos de algo-
dfio e seda com franja, a 600 rs. ; corte s de
rllele de velludo, a 1,600 e 2,500 rs.; cis-
sa-chila, a 400 is a vara ; garga de seda, a
500 rs. o covado; cambraia de suda,a 560 rs.
o covado, e outras muitas fazendas por
barato prego : na rua do Crespo, n. 15, luja
de Joaquim de Cliveira al.ya Jnior.
l'ara presente de festa.
Mathilde, por EtcExio Sue,
excellente traduccao de Lisboa,
por Mcndunra c 31 ello 8 voln-
nies in 8."
He este sem contradiccao o pri-
meiro romance d'hugenio Sue,
muito superior ao Judeo errante
c aos Mysterios de Pars, por sua
importancia moral
Vende-se na rua do Rozario
larga, loja de miudezas de J. J.
Lodi.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem antigo da rua da Madre-de-
Deos, n. 36, est de novo estabelecido de-
baixodas mesmas condigOes, oflerecendo
a deliciosa pingado vinho da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco do Lis-
boa por220rs. a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Bordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. NSo se admirem
os freguezes do baixo prego por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietario querer sustentar o antigo pre-
go, embora este genero tenhi subido o me-
lhor de 30,000 rs. por pipa. Examinem os
amantes a qualidade para reconheciment
da verdade e continuagflo da antiga fregue-
zia.Epara nSo haver usuras, esto promp-
tas garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barris de diversos ta-
manhos para provIsSo do prximo Natal.
O proprietario conta com a concurrencia ;
do contrario, tornarSo os pregos do rett-
Ibo a primitiva de 240e 280 rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Yende-se muito nova potassa
de boa qualidade, em barriszinbot
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
tempa se nao vende: no ttecife,
rua da Cadeia, armazem n. 12.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
mu".t-~ superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Luvas de pellica a
640 rs.
Vendem-se luvas de pellica preta para
meninas, a 640 rs ; ditas brancas para se-
nhora, a 1,000 rs.; ditas de edres de supe-
rior qualidade, a 1,600 rs..; ditas para ho-
mem, a 1,500 rs. ; ditas bordadas para se-
nhora, a 2,000 rs.: na rua do Queimado,
n. 16, loja de miudezas.
Ricas franjas para cor-
tinados.
Vendem-se ricas franjas para cortinados,
com boletas brancase de cores e sem ellas,
por prego mais commodo do que em oulra
qualquer parte: na rua do Queimado, n.
16, loja de miudezas.
Ricas fitas.
Vendem-se ricas filas de setim lavrado e
do sarja, proprias lambem para grvalas de
senhora: na rua do Queimado, n. 16, loja
de miudezas.
Pecbincha.
Na rua do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se luvas de pe -
lica inglezas e muito novas, para bomcm e
senhora, a 1,000 rs. o par; panno fino,
muilo bom azul e cor de azeitona, a 3,000
rs. o covado ; crtesde fustlo branco, a 500
rs. ; lengos de seda de cores para algihci-
ra, a l.OOOrs.; ditos de setim para gravata,
1,000 rs. ; e outras muitas fazendas por
commodo prego.
Na ruado Amorim, ns. 56
c 58, vendem-se fardos cm sac-
cas grandes por preco commodo
a el les antes que se acabein.
Vende-se superior vinho de
Champanbe : na rua do Trapiche,
n. i3.
Alten* fio!
No armazem de molhados atrs do Cor-
no-Santo, n. 66, ha chegado pelo ultimo
navio de Lisboa eLiverpool, superior mar-
melada, [frutas em bocetas frascos de or-
chata, boiOes eom geleia de marnelo, latas
com bolachinhas de Lisboa, chocolate,
paios de lombo, queijos londrinos, presun-
to para fiambre, conservas, potes com sal
refinado, latas com biscoutinho inglez, e
cha; tudodomais superior que temappa-
recido neste mercado: assim como um
completo sorlimento do exccllentes vinhos,
proprios para o lempo de festa, o que ludo
se vender por menos do que em outra
qualquer parto.
ra rua Nova, n. !*5,
acaba-so de despachar um completo sorti-
mento de fazendas francezas escolhidas por
Mr. Poudra e chegadas no ultimo navio
francez a este porto, todas proprias para o
luxo da festa,; as quaes conla-se um rico
sorlimento de chapeos de palha para senho-
ra ; chapeos de pello de seda muilo finos
para hnmem ; luvas de seda preta maia de
rede e com dedos ; um grande sortimento
de bonetes de panno lino e de palha para
horneen o meninos; luvas de pellica com
bolotas para senhora ; ditas pesponladas
para homem; leques muilo modernos;
bengalas ; um grande sortimento de chico-
tes para carro e para montara ; flores de
seda de todas as qualidades; pennas de ma-
rab para chapeos de senhora : advcrle-.se
que ludo se vende muito em conta, por se
ter recebido directamentedo Frauga.
Calcado de f ,i0 a 1,600
rs., no Aterro-da- Boa-
Vista, defronte da no-
neca.
Silo chegados sapatos francezes de couro
de lustro para senhora, a 1,280 e 1,600 rs. o
par; borzeguinspara homem, a 4,000 rs. -.[
bem como um completo sortimento de cal- i
Vende-se, de urna pessoa que se reti-
ra para fora da provincia, ama porglo de
louga fina azul, sem ainda ter servido n
outra com algum uso : na rua Imperial
n* >.'.
Maras.
Vendem-se as mais superiores
em barricas, viudas no gelo, a rs.
5,ooo cada urna : na venda da rtu
da Cadeia do Uecife, n. a5, defron.
te do Becco-Largo.
Vende-seum preto de 25 annos pon-
co maisou menos, sem vicios nem acha-
ques, de bonita figura, e que ho ollicial de
marceneiro: na ruado Vigario, n. 23, se-
gundo andar.
Vendem-se vassourag americanas, por
prego commodo: no becco da Madre-de-
Deos, n. 17, armazem do Candido.
Vendem-se bicos de filo de linho, de
um a oilo dedos de largura, de lindos pa-
drOes, por prego barato ; grozai de botoes
de madre-perola, lisoe lavrado para ca-
misas : na praga da Independencia, n. 4.
Sapa toes do Aracatya
1,000 rs.
No Aterro-da-Boa-Vista, n. 58, vendem-
se sapalOes muito bem feilos, a 1,000 rs. o
par.
Vende-se a lista peral dosbilhetes pre-
miados da lotera de N. S. do Guadalupe:
ns livraria da praga da Independencia, ns,
6e8.
Sola paraselleiros.
Vende-se muito superior sola,
alv, grada e bem cor I ida : no
Aterro-da-lJoa-Vista, loja de cal-
cado, n. 58.
-- Vendem-se sapatOes de couro de lus-
tro, obra moderna e bem feita : na rui do
Calinga, n. l, loja.
Vendem-se os mais finos sellins, for-
rados com couro de porco; cabega las in-ij
glezas, chalas e rollgas: ludo por prego
commodo : na rua larga do Bozario, n. 30.
Vendem-se sapatSes de cou-
io de lustro pelo baratissimo pre-
co de 3,ooo rs. ; ditos superiores
e de ponto fixo,a 4,000 rs. ; ditos
de lustro para meninos ; ditos do
Aracaty para homem : na rua da
Cadeia do Kecife, lojan 9.
-- Vendem-se duas toalhas de lavarinto
com bico em roda, dous lengos de lavarin-
to, 300 couros miudos, 14 saceos de gomma
de engommar, um lavatorio de angico, urna
meia cominoda e um cannap : na rua es-
trella do Rozario, n. 13.
-- Vende-se caf de mangirioba em grBo,
muilo bom : na rua larga do lio/ario, n 29.
jcscravos Fgidos
lio abaixo assignado, morador em
urna das casas do arsenal de marinha, fri-
gio, em o da 8 do corrente, pelas nove ho-
ras do dia, um moleque crioulo, de nenie
Lino, de 19 a 20 annos, cor fula, nariz gros-
so e chato : lem um denle da parte supe-
rior arrancado e urna marca de queimadu-
ra sobre um dos olhos, pomas arqueadas,
corpo grosso : levou camisa de algod.lozi-
nho e caigas de panno azul : adverte-se que
elle costuma a mudar de roupa e andar pe-
los suburbios da cidade, Ponle-do-Ucha,
l'assagem-da-Magdalena; e como seja elle
muilo conliccido, roga-se, pois, aos capi-
tScs de campo e aquellas pessoas que delle
souberem, de o apprehenderem e levarem
ao seu senbor, ou enlSo communicarem o
que souberem a tal respeito, que scro ge-
nerosamente recompensado.s
Thom Fernanda Madeira it Castro.
Fugio, no dia 16 de outubro de |1849,
um escravd cabra.de nomefliemoteo, ofll-
cial de carpinleiro, do estatura alta, ma-
gro, zambro das pernas ; tcm falla de um
dedo em um p, denles podres, e um sig-
na] de um pequeo talho na ponta do na-
riz ; he bem parecido de rosto, com prin-
cipio de baiba ; levou boa caiga de brim
azul, camisa branca e gndola branca fina,
cujo eteravo foi do 111 ni. Sr. Alfonso de Al-
buquerque e Mello, da provincia do Para,
por ordem de quem foi vendido na corte
pelo Sr. capitao de fragata Jesuino I.aniego
Costa ; consta q'ie se intitula forro a todos
aquelles que o nilo conheccm, e bem o per-
suade por saber ler, escrever e contar, e a
quem o condece diz a uns que anda por or-
dem de seu senhor a procurar quem o com-
pre, o a oulros que anda em procura de
ubra para trahalhar: o que se previne aos
lllms Srs. ofllciaes do exercilo e armada,
para que o nilo recrutem ; capilfles de na-
vio, para que o nSo recebam a seu bordos
pretexto algum; mestres de obras, o nao
adniittam as mesmas ; aos Snrs. encarre-
dos da vizita dos navios o nOo deixem sa-
bir em navio algum, qurseja nacional,
qur estrangeiro : e a todas as pessoas em
geral so roga o nSo aCoitem, nSo so para
evitar o procedimento criminal, mas lam-
bem de pagar o jornal de 1,600 rs. diarios
desde que o mesmo tiver fgido, que he
tanto quanlo so protesta haver daquell*
pessoa que Ihe der coito : para cujo Um se
faz o presente annuncio, para que ninguem
se chame a ignorancia e se darSo boas alvi-
garas a quem do mesmo der noticias onde
existe, ou o levar a rua de S.-Luzia, n 48,
na corte, ou nesla praga. a Francisco Alves
da Cunta, na na do \ gario, n 11.
Fugio, no dia 29 de novembro prxi-
mo passado, do engenbo Cachoeira-Grande,
freguezia de Serinhem, um preto crioulo,
de nome Aflbnso, de 30 annos pouco mais
ou menos ; lem o rosto comprido e com
muitas marcas de bexigas ; levou camisa
azul e caigas pretas, ludo j velho, e bonete:
mem, como para senhora e meninas; sapa
^"d0--.--p,d,i?;?fl," PrP;ecc- toesbrancos do Aracaty para homem, al/
e carnauba, sendo azues, rs ; ditos de couro de lustro; pelles de cou-
gado de todas as qualidades, tanto para lio- ."m o P',r leve_0 a0 mesm0 engenlio, ou
lorae meninas: sana-inoRio-Fonnoso, em cas* de Joaquim Luiz
*
- Vendem-se duas prclas mogas, de bo-
nitas figura*: na rua da Cadeia do Itecife,
hoja n. 53, se dir quem vende.
u.odo, velas _
cor de rosa e lustrosas, as quaes se lornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e aturaren! mais que as de espermacete,
e nao fazerem morrfio.
Foiha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flandres-
na rua do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
uto Jnior.
ro de lustro hamburguezas e francezas; di-
tas de marroquim ; botOes de seda para ca-
saca : ludo por prego commodo.
Vende-se um bom preto, bastante mo-
go, boa figura, ptimo irabalhador de en-'
Xada, fouce, machado,laueiro e caldeireiio
de engenho : ao comprador se dir o mol- j
*o por que se vende : na rua da Cadeia-do-J
Kecife, loja de ferragens,u. 59. p^.
da Silva, que ser gratificado.
-- Fugio a preta Luiza, de nagflo Moca;
bique; he cega de um olho; he multo
conhecida as estradas que va pari tleb-
ribe, por ser lavadeira; levou vestido <*e
chita rouxa com palminhas: quem a pe-
gar leve-a ao Recife, ru da Cadeia, o. U
que sera gratificado. *
HA TYP. DE II
DE fA* 14. 1849
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAV6RDWV8_B573YI INGEST_TIME 2013-04-24T20:27:51Z PACKAGE AA00011611_06742
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES