Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06735


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
Qunrto-fcirn 12
PARTIDAS DOS COBBEIOI.
Ooianna e Parabiba,segundas e leitas-feiras.
Mio-Graade-do-fiort, quiutas-feiras ao melo-
da.
Cabo.Serlnhem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no 1., a 11 e 21 de cada mes.
Garantios e llonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-feiras.
Dlui'Ja, todos os das.
irHEBEttlDES.
Fbuis di loa. Mlng. a (i, s 4 b. e 33 m. da t
Nova a 14, a 1 h. el8m. da t.
Cresc.a 22, as5h.c21 m.da ni.
Chela a 2'J, 11 h. e 41 u. da ni.
tRtiKAB SE HOJJ2.
Prlmelra ss 2 horas e 51 minutos da tarde.
Segunda as 3 huras e 18minutos da man;.
de Dezembro N. 278
razos na. suBsoaivoio.
Por tres mezes (arfianindo*) 4^000
Por seis mezes b>W Por uui anuo 15/000
das da semana.
10 Seg. S. Melquades. Aud. do J. dos orf. e do m.
dal.v. ,
11 Tere. S. Damao. Aud. da chae., do J. da I. v.
do civ. e do dos feitos da faxenda.
12 Quart. S. Justino. Aud. do J. da 2. v. civ.
13 Quiut. S. Luzia. Feriado para os ncg. forenses.
14 oext. S. Agncllo. Aud. do J. da 1. v. do civ.
e do dos feitos da fazenda.
15 Sab. S. Kusebio Verscleuse. Aud. da Chae, c
do J. da 2. v. do crme.
l Doiu. Ss. Aii.iui.iv Azarlas c Mlzacl
UIBMIUlMai
CAMBIOS EM 11 DE DEZEMBBO.
Sobre Londres. 27'/, a.28d. por 1/000 n. a 60 dias.
h Paris, 3M.
Lisboa, 100 por centn. ,..,
0ro.-bnca. heSpanl.es......... 2t}#000 a 29/50
Moedasdeb>100velhas.. 10/800 m)
de 60400 novas. 16/200 "
> de 4/000.......
Prata. PalaoSes brasileiros.....
Pesos colomiiarios.......
Ditos mexicanos..
1/200 a
1/030 a
1^130 a
1/850 a
17/000
16/400
y/300
j/ttO
i/950
1|870
wsjmk. xan***********?**
PARTE OFFICIAl.
Commando das armas.
Quarlel-general do commando da$ arma na
cidadt do llecift de Pernambuco, 8 dt
dezembro de 18*9.
oitnr.M no i'i\.
Tendo o Exm. Sr. marechal de campo
graduado, commandanto ds armas, no-
mrado o Sr. tenente-coronel da primeira
clssse do estado-maior do exercito, Jos Ma-
ra Ildefonso Jaeomo da Veiga Pessea, pura
commandar interinamente o quinto hata-
Ihiiode fozileirosqoe se acha em diligen-
cia fra da capital, assim o.manda fazer pu-
blico.para conhecimento da guarnido.
Outrosim. ordena o mesmo Exm. Sr. que
a companhia de guardas nacionaes, que se
acha addida ao segundo batalhSo de fuzi-
leiros, passe a ficar addida ao referido quin
to hatallijio da mesmaarma.
Finalmente, manda publicar que, porof-
licio do Exm. Sr. presidente da provincia
de 7 do corrente, Ihe foi communicado que.
leferindo o mesmo Exm. Sr. supplica do
Sr. alfares da lerceira classe do exercilo,
Jnaqiiim l'ereira Xavier, Ihe conceder per-
missBo para residir na povoacSo de Alaga-
Nova. ...
Joti Pedro Heitor, Bjudante de ordens in-
terino.
Quarlel-general do commando da* armas na
cidade do llecife dt Pernambuco, 9 de
dezembro de 18*9.
ORDEM DO DA.
Tendo ficado nesla capital a companhia
Jo corpo fixo de caladores de Piauhy. qu
veio da provincia do MaranhSo, addida ao
quinto batalhSo de fuzileiros que se acha
em diligencia fra da capital, ordena o
Exm. Sr. marechal de campo graduado,
commandantedas armas, que o Sr. tenente
do mesmo corpo fixo, Manoel Luciano da
Cmara Guaran, que a veio commandan-
do, continu no mesmo exercicio, e que li-
quem a ella addidas todas as pracas do mes-
mo quinto batalhSo de fuzileiros que nSo
marcharam com o mesmo quinto batalhSo.
Josa Pedro Htikr, ajudante de ordens in-
terino.
EXTERIOf..
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DF. PERNAM
11UCO.
Pari, 2 de novembro de 18*9.
Vojjdar-lhe urna noticia importante. O
nosso ministerio, quo tantos perigos arros-
trou as ras e Untos emba reos na assem-
bla, que superara tantas difllculdades, aca-
ba do suecumbir de modo inteiramente
inesperado ante a vontade do presidente.
Foi no momento, em que o homem impor-
tante do gabinete, oSr. Dufaure, acaba va
de reconriliar-se com a maioriu, mediante
um bello discurso, que o forio o golpe vi-
brado inopinadamento pela presidencia.
Desde a discussSo acerca do negocio do
liorna, terminada por um voto quo concede
os crditos pedidos, o presidente da rep-
blica eslava descontente da maioria Ore-
Istorio doSr. Thiers, os discursos pronun-
ciados pelos Srs. Tburit de la Itosre e
Montalembert, oiTendiam vivamente a sua
poltica, e elle exprobrava ao ministerio o
nilo ter defendido suflicicntemente sua
famosa carta. Denlro em pouco se Ihe ofle-
receu occasiflo do vingar-se da maioria e
do ministerio.
OSr. de Fallos, ministro da instruceflo
publica, deu a sua demissSo, pretextando
mi sade; mas o presidente nflo se apres-
miii adar-lhe um successor : deixou o ga-
binete incompleto, pondo a cada instante
olijeccOes a todas as propostas que Ihe fa-
ziamseus ministros para provorem a vaga:
"epois, quandosuas medidas estavam bem
tomadas, quandolinha terminado as nego-
ciarles secretas, elle, sem a menor cere-
monia, despedid o gabiuelc Dufaure-Barrot.
At a forma da despedida foi extraordi-
naria. Antes de hontem, 31 de oulubro,
foi que o negocio teve logar. Aborrecidos
dos en.baragos com que o presidente de-
roorava a substitucSo do Sr. Falloux, os
ministros enea mi libara ni-se ao Elyseu para
obterem urna explicacSo dellnitiva ; e foi
ah, em concelho, que o presidente Ibes de-
clarou, depois de muitos cumprimentos
pessoaes, que elle entenda dever privar-
se do seus servicos.
Anda isto uo he tudo, o Sr. Luiz Bona-
parle julgou necessario explicar-se para com
a assembla. Anles-de-hontem, pos, as 5
horas, quando a sessSo ia acabar, trouxe-
mui urna mensagein do presidente da rep-
blica, aqual foi lida em profundissmo si-
lencio. Eu a reproduzo aqu, porquo con-
ten todo um programma, eesl recheiada
de aconlecimentos. Eis o texto desta men-
sagem, que be dirigida ao presidente daas-
sembla :
Senhor presidente :- as graves cir-
cumstancias em que nos adiamos, nSo he
possivel manter-se o accordo quo deve rei-
nar entre os diflerentes poderes do estado,
salvo se, animados de mutua confianza,
lies se explicarem francamente um em
frente de outro.
< Alim de dar o excnplo desta slncerida-
oe, eu venbo dar a cunhecer assembla
quacs sao as rasOes que me determinara ni
a muilar o ministerio e a separar-me de ho-
mens, cujos servidos importantes meglori-
lico do proclamar, o aos quaes voto amisade
e gratidao-
t Para consolidar a repblica ameacada
de todos os lados pel anxrchia ; para asse-
gurar a ordem mas eflloazmente do que o
foi al boje ; para conservar Franca no
exterior o nomo do que ella goza, sSo ne-
cessarios homens que, animados de puro
patriotismo, comprehendam a urgencia de
urna direcc,So nica e firme, e de urna pol-
tica ntidamente formulada,que nflo com-
promettam o poder com irresolucSo algu-
ma,-quo se compenettem da mnha propria
responsabilidad!! como da sua, tanto da ac-
efo como da palavra.
lia quasi um anno bastantes provas le-
nho dado de abnegac3o,para que alguem so
possa engaar acerca de mnhas verdadei-
ras intencOes. Sem rancor contra nenliu-
ma indivdualidade, nem contra nenhitm
partido, dexei que so approximassem da
drecQSo dos negocios os homens das mais
variadas opinies, mas nSo ohtive de seme-
ntante accesso aa vantagens queesperava
Em vez de urna fusSo de parcialidades, s
alcancei urna noulrlisacSo de forras. A
unidade de vistas o de inlencSo tornou-se
dilllcil; e o espirito de conciliaQSo foi ca-
pitulado de fraqueza
Apenas acabam de passar os perigos
ilas ras, ej os antigos partidos arvoram
suas bandeiras, dispertam as rivali lades
e inquietam o paiz semeando o susto. No
meio de tal confusSo, a Frailea inquieta
(porque nSo v drecciloj busca a nio, a
vontade do oleilo de 10 da dezembro. Ora,
esta vontado nilo pode ser sentida, sem ha-
ver communidade inteira de ideias, de vis-
tas, de conviccOes entre o presidente e seus
ministros, e sem que a propria assembla
se associe aopensamento nacional, do qual
foi a expressao a eleicSo do poder ejecu-
tivo.
Um systema inleiro triumphou em 10
de dezetubro ; pois o nome de apoleno he
per si s um programma, e exprime : no
interior, ordem, autoridade, religiao, hem-
estar dos povos ; e no exterior, dignidade
nacional. Eis a poltica inaugurada por
minba oleicSo, e que eu quero fazer trium-
pliar com oapoio da assembla eo do povo.
Quero ser digno Ja conlian;a da nacta,
maniendo aconslituicSo quejurei.
Quero inspirar ao paiz, por minha leal-
dade, perseverante e firmeza, urna confian-
Ca tal, que faga com que os negocios mar-
chen regularmente, e se confie no futuro
A letira de urna constituiQlo tem sem
d u vi .la grando influencia nos destinos do
paiz; mas o modo deexecuta-la exerce tal -
vez urna influencia anda maor. A maiorou
menor duracSo do poder contribuo podero-
samente para a estabilidade das cousas;
mas be tambem polas ideias e principios,
que o governo pode conseguir que a socie-
dadese tranquillse.
Consolidemos, pois, a autoridade sem
prej'iizo da verdadeira liberdade. Desva-
necemos os sustos domando ousadamente
as ms paixOes, e dando aos nobres intinc-
tos urna directjilo til. Resgatemos o espi-
rito religioso sem nada abmdonarmosdas
conquistas da revolucSo; e salvaremos o
paiz apezar dos partidos, das ambicOes ; e
mesmo das imperfeicOes que as nossas ins-
tituicOcs posssm porventura conter.
Luiz Napolelo Bonaparte.%
O elTeito produzido por este manifest
foi immenso : a assembla flcou como atur-
dida. Cada partido, cada fraccSo de parti-
do acbava ah urna censura e urna ameaca;
mas cada qual se consolava um pouco, re-
flexionando que o partido contrario nflo era
menos censurado o amcacado Tudo ira
menos mal, so o presidente tivesse real-
mente um systema propno, que podesse
substituir aos que 13o acremontecensurava.
Infelizmente, a esse respeito om.nfesto
resente-se do um vacuo horrvel; e a nler-
pretaco que ten tara m dar-lhe, e que Ihe
dao geralmente, hn a seguinte: o presi-
dent^muda de ministerio, para conseguir
mudar a forma do governo. O que ello
quer he o imperio Muitas pessoas sequio-
sas de ordem e estabilidade participan! do
goslo do presidente, mas esto nquielissi-
mas: lembram-se das temerarias tentati-
vas de Strasburgo e de Bolonha ; e temom
que acabec.ada,tomandodesta vezaspropor-
ces de um golpo de estado, venha a ser uro
revs cstrondoso, qne na actualidade seria
a ruina e perda da Franca.
Eis como nos adiamos. Depois da mensa-
gem o Monitcur nos deu a conhecer a com-
posieflo do novo gabinete. He um verdadei-
ro ministerio de caixeiros, todos persona-
gens de segunda ordem, ou sem experien-
cia, ou sem talento. Ei-lasaqui: Guerra, o se-
nhor general d'llautpoul. Negocios eitrangei-
ros, o senhor de Kaynoval. interior, o se-
nhor Fernando Barrot. Financas, o satinar
Achules Fould. InslruccJo publica, o se-
nhor l'arieu ustica, o senhor Rouher. Na-
rinha, o senhor visconde contra-slmirante,
Itoman Desfosss. Obras publicas, o senhor
Hincan. Commercio e agricultura, o soubor
Dumas f do instituto ).
N.1o ha presidente do concelho. Bem se
entende que o presidente quer governar;
elle mesmo se encarrega de dar direccSo a
seu ministerio.
Brevemente veremos como a maioria se
accommodar com taes mudencas. Creio
que ella nSo recusar seu concurso, bem
que profundamente ferida; porm deve re-
ceiar que urna lula vivissima contra o pre-
sidente traga perturbares horriveis.
Os outros aconlecimentos havdos depois
da minha ultima caita perdem muito de sua
importancia em consequencia da revolu-
cSo ministerial que acaba de completar-
se. ToJavia eu vou resumi-Ios breve-
mente.
No centro da assembla houve alguns de-
batos tempestuosos. Tinha-so proposto um
decreto que tenda a abolir as leis que ex-
termnalo do solo francez os principes da
casa de Burbon. Oppoz-se o ministerio a
esse decreto, e a maioria que conta muitos
legitimistas e orleanislas rejeitou a rropos-
ta, allegando que as crcumstancias nilo
permittem trazer ao paiz novos elementos
de discordia.
Alm disto, e para agradar ao partido ver-
melho, o primo do presidonte, que est em
guerra encarn-ic.ada contra elle, o senhor
Jeronymo Bonaparte, pedio que se dsse
liberdade aos insurgentes de junho, doli-
dos em Bello-Ile. A maioria, como era de
presumir, tanibem rejeitou somelhante pro-
posta.
Tvemos, alm d'sso, n'esta quinzenaal-
gumas interpellacfles tormentosas. O senhor
Pedro Le-Roux, apostlo raivoso da Monta-
nha, queixou-se na tribuna de Ihe hayerem
prendido o genro como comprom^ttido na
insurreicSo de junho. Ai! Se se atrevern
a prender o genro de um representante, lio
porquo elle o merorou e parece que, effec-
tivamente, tinha aberlamoute e por meio
de cartas provocado seus amigos polticos a
revolta. A assembla ouvio o senhor Pedro
Le-Roux, e passou ordem do dia.
Ella tratou do mesmo modo a outra in-
terpellacSo relativa aos departamentos que
ainda se conservan em estado de sitio. _0
ministro do interior declarou que as eir-
cumstancas nilo prmittiain anda dar de
m3o ao rgimen excepcional que se adan
subji'itos esses departamentos.
Nada Importante se passou fra da assein-
bla. O processo de Versalhes como que se val
limitando a depolmentos insignificantes. As
testemunhas contradiiem-se; pois ha um i se-
rie de testemunhas que os aecusados flzerain
citar, e que nada menos sao do que verdadei-
ros cmplices ; por isso esforcam-se por con-
lr.idi/ir a gente honrada que depOe pura e
simplesmentc aquillo que vio. Seguem-sc de
tempus a tempos alguns duellos. Alm disso a
curiosidade publica ja uao se oceupa de seme-
Ihante processo. Nem urna s palavra tenho
que dzer a Vine, acerca das artes, industria e
lettras. Os negocios, que se tinliam vivamente
reanimado no comeco do mea ultimo, afrou-
xarain e quasi que pararam nos derradeiroa
dias do dito mea. Attribue-se esta estagnacao a
crise ministerial. Anda nao se sabe queclTci-
to produzir o novo gabinete sobre os nego;
cios iudustrlaes e coinmerclaes. Quanto a
bolsa, solTreu priinelramente urna balsa de
um franco e cincoenla centesimos: liontcm
houve um movirnentn de conlinuacao.
Runia i Turqua. Kis terminada dina grande
questao. Eu disse a Vuc. q ue a Russia e a Aus-
tria tinbain mandado pedir Sublime-Porta a
entrega dos refugiados hngaros e polacos que
se lia vi.un asvlado no territorio turco. O sul-
tao os recusara decididamente, e os einbaixa-
dores russo e austraco tinhain deixado Cons-
tantinopla. A Europa temen a guerra, e a
Franca e Inglaterra ja se preparavam para
ella Gracaa aos cos. tudo searranjou prodi-
toriamente. O czar, do qual se tema a colera
calculada, aioda nao est (segundo se crjem
humor de confiscar, em proveito seu, o impe-
rio turco, cuja inlegridade garanti. Elle aco-
Iheu as desculpas do sultao, que Ihe fram
apresentadas pelo Fuad-EOendi; e declarou
que se dar por satiifeitose expulsarem do im-
perio ottomano os Polacos e os Hngaros que
tomaran parle na ultima insurreicSo.
Austria t Hungra. Multiplicam-se na Hun-
riaascondeinnarescapilaes e as cxeeuces.
odas as pesioaa de bem estilo Indignadas com
essas carnificinas judlclacs ; e he por isso que
o gabinete austraco e alvorocou, e acaba de
decidir que nao haver inais execuces de
norte por crin! polticos ; j he tarde, e to-
dava anda se duvlda que este empenho se
observe.
Preparou-se urna uniao de medidas para a
reorgonisacao da Hungra e da Italia. O syste.
na austraco coasiste (para csses grandes feu-
dos do imperio) em fraccionar, quanto fr pos-
sivel, a accao local, de modo a evitar qual
quer tentativa geral deiusurreicao.
Allemanha. O vigario-geral do imperio, o ar-
chiduque Joo, deu a sua demissao. Ue a Prus-
sia de urna parte e a Austria da outra, que vao,
como ao passado, dar Allemanha urna direc-
cao cutral. A Prussia obslina-sc todava eui
tentar constituir, pela cleicao, um poder cen-
tral legislativo : ella convidou todos os esta-
dos que adher rain a suas ideias a convocaren,
para esse effeito, os eleitores para o da 15 de
Janeiro. Veremos o que sorlira deste ensaio
da Prussia. No emtanto delibera-se en Berln
acerca da constituicao particular ao remuda
Prussia, e j se decidi que a primeira cmara
(o senado; seja electiva em grande parle.
obstculos invonciveis no desempenho da-
quella gravee transcendente missSo.
He ardua e espinhosa aquella tarefa ^por-
que, emquanto as paixfiessc nSo metigam
a ponto de tirar de sobro os olhos dos par-
tidos o prisma que llics nSo detxa ver a
ver.la >e em toda a sua pureza, os mesmos
partidos revoltam-sc a cada passo contra os
eaforqos quo se fazem para os pacificar e
conciliar.
Uns acoimam de bypocrisia o que sSo
sinceras e leaes diligencias, filhasde tima
convicio profunda. Outros appdlidam fra-
queza e cobarda oque ho prudencia e for-
taleza de animo, o que significa verdadeira
illustracSo.
E como os partidos desconfan ordinaria-
mente uns dos outros, nSo acreditando que
a vordade possa sahir dos labios do seu ad-
versario ; e como osla poltica de toleran-
cia o cnnciliacSose presta a interpellacfles
tilo sinistras, quSo falsas, se presta pela sua
natural franqueza aos ataques menos leaes
dos seus nimgos. uns e outros a guerre-
an!. Aquellesalcunhan-a de cavilosa, j
porque nilo confian nella, j porque pre-
tenden desacredita-la, para a fazer impo-
tente. Estes dilo-lhn o nome do fosSo, ou
porque niloaentendem, noma aprecian, ou
porque a queiram desconceituar pela sus-
peila na opiniSo publica, para a nSo dnixar
fructificare para malquistar o paiz com a-
quelles que a praticam e apoiam. Se o go-
verno, porm, proseguir com perseveranca
nesla marcha Alustrada, ir vencendo pou-
co a pouco as difllculdades naturaes dessa
poltica, como j ten vencido algumas; per-
severando nella con firmeza e energa, lia
de acabar por convencer da sua franqueza
e lealdade os quo della desconfan ; ha de
i acabar por mostrar aos que Ihe attribuem
o di'sajo de suppostas fusOes, que o quo
quer he pacificar os nimos por meio de
urna poltica suave: e tolerante, afim de que
'as alineles se voltom todas para os as-
'sumptosde inleresso publico; o conciliar
| os partidos, nSo para fundir em urna s as
opiniese crencasde todos elles nilo para
firmar nessa conciliario pactos deshonro-
sos, mas simpara chamaros partidos s-
ra e gravo discusso dos melhoramentns
materiaes do paiz ; para os chamar a esse
campo neutro, onde todos podem e i\evem
discutir o promoveros nleresscs pblicos,
sen renegaren os principios da sua f po-
ltica, som quebra da dignidade propria ;
para os chamar finalmente a esso campo
onde os partidos j reconbecem que se po-
de dar entrod'versis parcialidades polti-
cas um aecrdo til ao paiz e honroso para
todos.
( Do Diario do Governo.)
Lisboa, de novembro.
He muito mais difllcil pacificar um paiz,
depois das gratules commocOes civis, acal-
mando as paixOes e desarmando os odios,
do que vencer as proprias revoltas. Se ha
quem ignore osla verdade, nSo haver por
certo quem a conteste.
As revoltas tlebelam-so principalmente
pelo meio da frca pbysica. A pacificado
dos nimos obtem-se pelos meios moraes.
Mas, como ha muito mais quem saiba fazer
uso da frca physlca, do que dos meios mu-
raos ; e como sempre se levanten mais em-
baracos diaute destes do que daquella, a
trela de pacificar, conciliando, he muito
mais ardua e espinhosa do que a de vencer,
pcleijando.
E a tarefa do governo he essa que ahi
designamos por mais ardua e espinhosa.
A sua principal missSo he, nSo ha duvi-
da, promover a prosperidade do paiz, dili-
genciar felicita-lo por todos os meios ao
-eu alcance. Porm a primeira condicSo,
a base indispensavel para o desempenho
dessa importantsima missSo, he irrecusa-
velmente a pacificado dos espiritos e a con-
ciliaco dos partidos. E, por isso mesmo
que esta base he indispensavel, he que qua-
si todas as admiuislrac,0es teeo encontrado
INTERIOR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. presiden-
te Dr. Jos liento da Cunha e l'igueiredo.
1* DE NOVEMBRO.
Ofllcin. Ao Dr. EsperidiSo Eloy de Bar-
ros Pmentel, nomeando-o para servir inte-
rinamente de procurador-fiscal da thesou-
raria provincial, durante o impedimento do
effectivo que se acha de lcenca. Com-
municou-se ao inspector provincial.
Dito. Ao tenente-coronel do prmeiro
balalhSo de guardas nacionaes do munici-
pio de San-Miguel, communicando-lhe, para
seu cqnhecimento e governo.que o recruta-
mento no mesmo municipio fica suspenso
at segunda ordem.
Do mesmo tenr ao tenente-coronel do se-
gundo batalhSo e ao delegado supplente.
Dito. Ao Dr. chefe de polica, devolven-
do o requerimento de Jos Antonio de Sou-
za, noqualsequeix da falta de providen-
cias da parte do subdelegado da povoacSo
do Pilar, e dizendo'lhe que proponha quem
melhor possa desemrenhar o lugar.
Dito. -- Ao inspector do algodSo, remet-
tendo-lhe o do da thesouraria provincial,
para que em vista delle informe de novo a
respeito do extravio das saccas de algodSo
de que trata o seu oflcio de 20 de setembro
ultimo.
Dito. -- Ao director do lycen, dizendo-
Ihe que ficam approvados para uso do lycu
os compendios constantes da relacSo que
acompanhou o seu ofllcio de 3 do corrente.
Dito Aojuiz dedireito interino da co-
marca de Anadia, reoictendo-lhe a repre-
sentadlo dos habitantes da freguezia da l'al-
meira contra o subdelegado respectivo An-
tonio Zacaras da Costa, bem como a res-
posla deste, e outra reprcsentacSo assigna-
da por Manoel Josquim Paranhos e mais
tres individuos, para quo i vista de taes pa-
pis proceda como fr de direito,dando par-
to do resultado. Communicou-se ao pro-
motor publico do Anadia, afim de que du
sua parte faca o quo Ihe cumpro a bem da
justic/i publica.
Dito. Ao mesmo promotor, para que
informe com urgencia e circumslanciada-
mente o estado em que se acha o processo
de es; oiisaliilida.le que pela presidencia
foi mandado instaurar contra ojuiz muni-
cipal supplente do mesmo termo, Antonio
de S Cavalcante.
Portara. Nomeando para alferes da pri-
meira companhia do batalhSo de guardas
nacionaes do municipio do Santa-Luzia do
norte a Antonio Ferreira Chaves, (cando
exonerado Jos da Rocha Lins. Commu-
uicou-se ao tenente-coronel respectivo.
Ofllcio. Ao inspector provincial, para
que informe acerca da despeza que exi-
ge a cmara municipal desta cidade no of-
licio que ae Ihe remelle.
Dito. -Aoinspector da thesouraria pro-
vincial, para pnr em arrematacSo como pro-
pe em seu ofllcio de boje os 700 caibros e
1,400 ripas, que para a obra do mercado re-
quisita o inspeclor gersl das obras publicas.
Portara Nomoando para subdelegado
da cidade das Alagas a Francisco Honorato
de Cerqucira. Communicou-so ao chefe
de polica.
Oflcio. Ao Dr. juiz municipal e de or-
phSos do Porto-Calvo, cliamando-o para ex-
ercer a vara do juiz de direito da comar-
ca de Macei. por se achar com licenca tan-
to o respectivo juiz de direito, como o seu
prmeiro substituto.
Dlo. Ao commanJante daguarnicSo.
~ Estando os guardas nacionaes destaca-
dos subjeilos a todas as condices e regula-
mento da tropa do linha, recommendo a V.
Me. que assim o publique em ordem do da,
e d as providencia para serein capturados
todos os que deserlarem, pondo o devido
cuidado em descubrir quaes as pessoas que
seduzem os mesmos guardas a abandona-
rom o seu pos!" de honra : o oulro sim de-
ve V. Me. certificar a todas as pracas desta-
cadas que serflo alliviadas do servico activo
em quo se acham actualmente, logo que as
circuinslaiicins o pormitlirem, ou O exigir a
necessidade urgente que um ou oulro tiver
de ir acudir sua familia.

PEHfa&MBUC
' i
RELACAO' DOS BATI8AD09 DA FltECUEZIA
DE .-ANTONIO DO RECITE N( HEZ DE
NOVEMBRO DE 18*0.
Da (.Braz, croulo, escravo.-Nascido
em 11 de setembro deste anno.
dem.Luiza, parda.--Nasdda en 27 de
setembro desto anno.
dem.loSo, bratifio."Nascido em 7 de
setembro deste anno.
dem 5.Ricardo, branco-Nascido em
12 de oulubro desto anuo.
Idem.Clementino. bronco. Nascido em
U de novembro de 18*8.
dem 7.Antonia, branca.--Nascida em
23 do setembro desto anno.
dem 8.Leopoldiuo, crioulo.Com 5
mezes do idade.
dem 10JoSo, branco.--Nascido em 27
de maio deste anno.
dem 11 Ladislao, branco.Nascido em
2 de junho deste auno.
Idom.-Carlota, branca.Nascida em 8 de
marco de 18*8.
dem.Fernandina, parda, escrava.
Nascida em 30 de maiodest auno.
dem.--Mara, crioula.Com dado do 2
mezes. .,
Idem.-Donatila, branca.Nascida em 9
de oulubro deste anno.
dem 12.Jos, branco.Nascido em 27
dejulho de 18*7.
Idem.-Maria, brancaNascida cm8do
setembro de 18*5.
dem -Julia, branca.-Nascida em 2 de
oulubro desto anno. ...
Idem.-Maria, parda.Nascida boje, 12 de
novembro desto anno.
Idem.-Francclna, parda.-Com idade de
5 annos. .,
dem 13-Maria, branca.Nascida em 21
de setembro desle anno.
dem IC.-Guilhcrmina, parda.Nascida
em 5 de junho deste anno.
dem 17.Olindina, branca.Nascida em
marco de 18*8.
dem.Luduvina, parda.Nascida em 31
do marco de 18*8.
dem 18 Maria, crioula.-Nascida em 28
de junho deste anno.
dem. Maria, parda.-Com idade de 2
mezes. ,
dem.-Jos, branco.Nascido em 30 de
junho desto anno.
dem 23Francisco, branco.Nascido em
28 de oulubro deste anuo.
dem 2*.Izabel, parda.Nascida em 19
de novembro desle anuo.
Idem.-Maria, parda.-Com 18annos.
Ilcm 25 Joanna, branca.Nascida em
23 de maio deste anno.
Idom.Zeferino, branco.Nascido em26
do agosto desto anno.
dem 26.JoSo, crioulo.-Nascido em 20
de oulubro deste anno.
dem.Amelia, parda.Nascida em7da
novembro de 18*8.
dem.Adelo, crioulo, escravo.Nas-
cido om 13 de julho deste anno.
Idem.-Aiiacleto, pardo.Com idade do
6 mezes. ....
dem 27.Adelaide, branca.Nascida em
27 de julho de 18*2.
dem 30.Izabel, branca.-Nascida em 10
de agoslo de 18*9.
Iddtii.Joaquina, branca.Nascida em 18
do oulubro de 18*6.
Ao lodo 37.
s.-Antonio, 3 de dezembro de 18*9.
O padre JoSo os da Costa Hibeiro.
Coadjuelor pro-parocho.
DiABI ul PIbAIBDCO.
BECIFK, 11 BE BMEBIBHO DI 1849.
Pelo paquete ioglez Peterel, chegado bo-
je de Falmouth, recebemos a carta do nos-
so correspondente de Paris, que cima fica
estampada, e juntamente o Times ovarios
outros peridicos, os quaes alcanzan a 5
de novembro protimo passado.
MUTILADO


----------- ------------------- UKm
As notiriis n:ais impoilantis que nol
imito o referido paquete so relativas i
Franca, e conslam da caita, cuja recepco
ja aecusatnos, todava am.-inha daremos o
extracto dispralas que recebemos, oque
lioje no lazamos |* la hora adjuntada eni
que nos loram entirgurs.
-- Para Llsbt sahr com a maior brevi-
dade possivel a veleira barca portugueza
Horlencia, por tora maior paite de seu car-
nella quizer
para o que
ALFANDGGA.
Rendimento do lia 11. .
81:455,030
IMI'OltTACAO.
Chii'f, palachu americano, vindo do Ball-
uiiiii', mirado noato mez, consignado u
llenriquo Forsler ('.., m.iui T'-sto;i o so-
punte :
in i barricas farinha do trigo, .r>o barra o
Slita* manleiga de porco, 14caitas fa-
rendas do algodflo, .'i0 barricas bolacha, 2:>
barris carne de vaoca ; ios consignatarios.
letitt, brigue inglez, viudo de Londres,
entrado ncsta mey, consignado a Me. Cal-
nionl & <'.. manifcalou o segunte :
10barris salitre, 150 barricas grata, 40
caixas quo'jos, 100 ditas velas, 4 barris e 20
caixks cndenle, 1 embrullio 6 resmas de
papal e 9lirios, 1 dito meias; ordeni.
5 liarricas garrafas de tinta ; a C. Kenw-
ortliy & C.
.".0 barricas praxn, 1 fardo fazendas de lila;
a I. I>. Wnlphopp (\ C.
Jim barris plvora ; a jjm-s Patn & C.
1000 barris plvora, 1 caixa urna machi-
na de amolar focas, 1 barril chouricas; a A.
S. Coibell.
4 volumcs i)m cirro e pe Henees; a E.
Schramm.
14 caitas cobro, 1 barril pregos de dito,
10 leucoes chuinbo, 50 barris dito de muni-
Cin, 100 caixas queijo, 1 dita fazendas de
13a e algodo ; I', (lomes do Oliveir.i.
13caitas fzenda; de algodo, 58 barris
cerveja ; a Beane Youle & C.
400 barril plvora ; a Me. Calmont & C.
C callas cobre ein tullas, 1 barril pregos
de dito ; a J. Crabtree C.
150 barris plvora ; a Johnston & C.
200 barris plvora ; a Fox Brothers.
:I5 toneladas carvo do pedra, 15 baris
alcatrflo, 5 dnos pite, 20 ditos cerveja, 1
/.lita fazendas dealgodDo, 1 barril agur-
dente, S caitas cbampanha ; a I. B.Smilh.
Mar a-Jos, brigue porlugucz, vindo de
Lisboa, entrado ueste mez, consignado a
Francisco Severiano (tabello e F1II10, mani-
estou o segunte :
36 pipas vinho, 10 ditas vinagre, 50 bar-
ricas farinha de liigo, I mita fazendas de
seda ; a Tbomaz de Aquiuo Fouseca e
Filho.
i pipas vinagre, 10 barris vinho, 1 caito-
te 40 milheirosde escoivas fulminantes. 24
pares de casliceei do metal hranco, 730 010-
jlios cebollas; nocapitiio.
8 barris presuntos e ChOUriciS, 1 barril
azeite doce, 52 ditos vinliu, 240 mollios ce-
bollas, 1 cjxh livrns impiessns, 267 picas
de ouro; a Francisco Severiano (tabello e
Filho.
1 ciisa marmelada; a Jos AAbuso Mo-
reira.
10 caixas lijlos, 63 barris peite, todi-
tos sardinhas ; a Lula Jos de Si Aiaujo.
4 caixas lijlos; a Jos Conexivos da
Fon le.
10 barris gios; a Joaquim Jos de Mes-
quita.
1i barris alpista ; a Joaquim Francisco
Torres.
1 caitote hordes de rame e retroz ; a
Joilo Jos da Cruz.
4 caixas velas, 50 duzias ceirinhas de fi-
gos ; a Joaquim Ferreira Mendes Guimariles
Sfardos capachos, 1 caltfio chapeos, 50
libras mcrcuiio ; a Augusto Cczar de Abreu.
1 caitote instrumentos cirurgicos; a J0S0
Pedro Machado da Fouseca.
4 caitoles marmelada ; a Antonio Fer-
reira Lima & ('..
4 pedras de cantara, 6 caitas ditas, 2 di-
tas d'Ogas, 1 dita coi os e vidro, 1 lardo
timise de seda, 5 saccas grao de bico ; a
Policarpo Jos l.ayme.
300 molhos cebollas; a Joaquim Itbeiro
Pontea.
50 barris vinb.o; a Francisco liento de
Oliveiri.
205ancorctas figos ; a Oliveira & Irmiios.
39 caitinhas ameixns, 9 hracos de balan-
za ; 11 Miinoel Ignacio de oliveira.
3 caitas marmelada, C0 ancorlas azeto-
nas ; ; Domingos AlvesMatheus.
4 barra milho moi.lo, 6 ditos linhac, 2
caitas drogas, 300 mullios cebollas; a Veria-
lo de Ficitas Tavares.
6 pipas e 10 bairis vinho, 6 meias ditas
vinajtr, 10 barricas semeas, coditas ceva-
da, 20 bar is chouricas ; a Antonio Joaquim
de SdUZa Itibriro.
1 lata joias a Moreira & Ilnaitc.
2 caixas cera ; a Monoei Itudrignes da
Costa.
I caitote cuida de toantes; a J080 Hil-
arte de I.cinos Jnior.
1 caisa rap, 1 dita bitas ; ordem.
5 canastras castanhas ; a Manoel Marques
Pereira.
1 ciisa rozarios ; 1 J0S0 Monteiro da
Cruz.
1 braco de balanca ; a II. Itcrnardes de
Oliveira.
1 barrica castanhas ; 1 C. A. de (tarros.
CONSULADO CERAL.
Rendimento do dia II.....4:721,422
Diversa provincias...... 116,414
4:837,836
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia II.....3:607,363
.iohn Le llrulcllier, equipagem 7, cm las-
tro ; i ordem.
Figueira 31 das, patacho portuguez ta-
r.a-locquina, de 114 toneladas, capito regamento prompto : quem ne
Manoel da Costa e Silva, equipagem 14, carregr, ou ir do passagem, j
carga vinho; a Francisco Severiano Ka- tem excellentes commodos, dmja-seao seu
bello. Passageiros, o l)r. em medicina o I capilao, ou a rua da Cruz, n. 45, casa de
cirurgia Jos Zacaras de Carvalho, lira-I Nascimento& Amorim.
sileiro ; Jos dos Santos Pereira Jardim --Para o Rio-de-Janeiro sahe!por estes
dez]dias a polaca nacional Socittladt-Feltz,
capito Manoel Antonio dos Santos: quem
na mesis quizer carregar, ou ir do passa-
gom. dirija-se aos< seos consignatarios,
Oliveira Irmiios & Companhia, na rua da
Cruz, 11. 9.
Para c SI a ra ihao.
O patacho Jos-fina segu viag"rr. para o
Par com escala por MirmhSo : recebe an-
da alguma carga e passageiros para os ditos
portos: trata-se com o capito Jos Mara da
Silva Porto, ou com Jos Baplista da Fonse-
Junior, Portuguez.
Liverpool 61 dias, barca ingleza Ueroint,
de 388 toneladas, capitilo F.dmondThom-
kins, equipagem 16, carga sal o carvSo
do pedia ; ao capitilo. Vinha refrescar,
e como nao quiz fazer quarentena, seguio
para o cabo da lla-Esperanca.
Falmoulh, Madeira e Teneriffu 34 das,
paquete inglez Ptlerel, commiiidanlc
Creser
Navios sahidos no meimt dia.
Iloston PataollO americano Fshool, capi-
to John C. Ilarding, carg assucar.
Canal por Pirihihs Patacho hanoveriano
Aurora, capilao II. J. liando, em lastro.
Dcmerra Brigue ingloz Fanny, capito
A.Cirraques, em lastro.
Portos do sul Vapor brusileiro Impera-
Iris, rommandante o prinieiro lenle
Joaquim Salom llamos. Alin dos passa-
de mallia abertss, transas, franjas de seda
decores paracnfeilir vestidos, capellas e
caitos de flores finas, cortes de cambraia
bordada, filos, lencos de cambraia de linho
bordada, ricas lites do velludo, transa fina
de lnho para enfeites de vestidos, bicos de
linho do todas as larguras, ditos do blund,
cambraia de linho, bonetes de montara,
plumas para chapeos, o mais outras fazen-
das de moda. Fizem-so sempro vestidos de
casamento, de baile e de montara, chapeos
do senhora, vestidos de biptissdo, etc.,
etc., da ultima moda, e por preco mais
commodo do que em oulri qualquer parte.
Chapeos de sol
Rua do Passeo, n. 5.
Nesti fabrica ha presentemente un rico
sortimento de chapeos de sul, de seda de
todas as cores as mais fitas que teeru appa-
recido, pan homem e senhora, e que se
Aluga-se urna casa no Catanga, com
bons commodos : a tratar na rua Augusta
n. 20.
ca Jnior, rua do Vgario, n. 23, segundo ven lom omito ein cunta ; ditos de panni-
andar.
Para o Porto lahe, impreterivelmente
no di 16 do coi rento, o brigue portuguez
Vtntura-Felit, forrado, pregado e encivilha-
do de cobre, capitilo /eferino Ventura dos
Santos : para o resto da carga e pissagei-
ros, para os quaes oflerece excellentes com-
geiros que troute dos portos do nortea- inodoSi ,rata:se Mm 0_ consignatario, Joa-
para a Itahia. AmerirodeS. Comes, le-
dro Ledo Velloso, JuSliniano l.eilo Vello-
so com 1 escravo, Cypriano de Almeida
Cruz, ii. 49, primeiro andar, ou coro o re-
feidocapilSo na praca do Commorcio.
Para as litas de S.-Miguel,
Silvflo, I). Mara Mirunha do Sacramento, Terceira e Fayal saldr brevemen-
Uanoel Gamillo da Costa. Firminn C. de J r?
Sou7a com 1 escravo. Francisco Maria de }* e.-Cnna porluglieza favorita,
a incida com escravo, JoOo iticardo da forrada e precada de cobre, copi-
osta Itiirmond, Jos Joaquim dos Iteis .. |n, Jp Mprlfiros' na-
com 1 filho c 1 escravo, Salustio Pereira ld0 Antonio Jos ae Jicaeiros. pa-
de Carvalho: para o ito-de-Janeiro, Joa- ra carga e passageiros, trala-se
*,J"JtoB!?i-rKi2.i* j^'&.SCJI' Wroma do IraplM novo, n. 6,
escravo, o I ir. Antonio Jos lleiiriquc r ; '
com 1 escravo. i com luminz de rana.
Cabo da Ua-Esperanca Barca ingleza PanoAss, at o dia 14 do correnlc,
lleroine, capitilo Edinond Thomkins, car- sa|le impreterivelmente o brigue Ltao:
'quem nelle quizer carregar ou ir ile passa-
! geni dirija-se rua da Cadeia do Recife, lo-
' ja de Joaquim Itibeiro Pontes, ou ao espitan
Movimento do Porto.
Navios entrados no dia II.
Micei 4 diis, barca ingleza Norcal, de
255 toneladas, capito Thomas Kirk, equi-
pagem 15, carg assucar e algodilo; a
Johnson Pater & Companhia. Veio em
procura decartis e segu pin Liverpool.
Mcei 3 dias, patacho brasileiro Amia-
de, de 10 toneladas, capito JoSo Dama-
ceno de Araujo, equipagem 10, em las-
tro a Joaquim Pinheiro Jacome. Veio
em orocura de pntico pira aeguir para o
Ais.
I!io-i1e-Janeiio 17 dias, patacho inglez
Octan-Quetn, de 130 toneltdas, capito
ga a mesma que troute.
jgnrrAL
-- Pel mesa do consulado provincial se
faz publico que, no dia 15 do corrente mez,
se ha de aneinatar em hasta publica, a
porta da mesma reparticiio, urna secen,
contend) 3 arrobas de caf com casc, ava-
hadas por 9,000 rs., aprehendidas pelo
marcador, servindo de lie!, Ernesto Augus-
to de Sampaio : sen lo a arremataco livre
dedireilos ao arrematante. Recife, II de
detembrn de 1849 JoUo Ignacio do llego,
escrivo da primeira secedlo.
Declara^es,
O arsenal de marinha adnilte para as
suas ul ras e obras do iiiellioraineiito do
pono serventes al o numero de 30, prefe-
rindo os livres a escravos, sendo o jor-
nal daquelles 6(0 rs. por dia e destes 560
rs. : os pretendentes apresentem-so ao Ulna,
Sr. inspector.
Para llossamedes
As pessoas quoquizerem fazer parle da
segunda eXpedieilO para Mossamedes so
convidadas a comparecerem no consulado
de Portugal nesta cidade lodos os dias
uleis, desde as 9 horas da manha at as 4
da tarde.
Avisos martimos.
Para o l'oito deve sabir
com muita breviade, por ler
grande parle da caiga contratada,
a nova e veleira baica portugueza
Santa-Cruz : quem quizer carre-
gar ou ir de passagem, para o que
tem excellentes commodos, diri-
ja-se ao capito, JoSo de Oliveira
Leitf, a bordo, o* ao scu consig-
natario, Francisco Alves da Cu-
nta, na rua do Vigaiio, n. II.
Para a baha sabe, em poucos dias, a
sumaca I'lor-do-kngeUm, meslre Rernardo
deSouzi, por ter a miior parte di carg
prompti : para o restante e passagliros
trata-se com o n.esuio meslre ou com l.uiz
Jos de Si Araujo, na rna da Cruz, n. 33.
l'ara o Uio-de-Janciro se-
gu com toda a brevidade, por ler
grande parle de seu carregamen-
lo prompta, o brigue nacional A-
damastor, forndo e pregado de
cobie, e de excedente marcha :
quem no mesmo quizer carregar,
ir de passagem ou embarcar es-
cravos, entiMiili-.se com os consig-
natarios, Macbailo & l'inbeiro, na
rua do Vigario, n. Ig, segundo
andar, ou com o capilao, Antonio
Coclbo Uibcito, no praca.
_Para Lisboa salina dentro de poucos
das o brigue portuguez Maria-ios, de que
he cipitilo Joaquim Jos Mesquili: para o
resto da carga e passageiros, trata-se com
Francisco Severiano Kabellock Filho.
--Pan Lisboa sahe com a maior brevida-
de possivel o brigue portuguez Veloz, ca-
pito Antonio Pedio ile Figueiredo : para
carga ou passageiros trata-se com o sobre-
dito capullo, ou com seus consignatarios,
Oliven i Irinus i Companhia, rua da Cruz,
n. 9.
Pino Rio-de-Janeiro segu, em pou-
cos dias, o brigue nacional losephina : quem
no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
gem, dirija-scao consignatario. Domingos
Rodrigues de Andrade, na rua dos Tmoei-
ros, armazem n. 5, ou ao capito bordo
do mesmo.
Pin Lisboa sabe, com a maior brev-
dide possivel, o brigue portuguez Concei-
rao-ile-Murid, por ler i maior parte da car-
ga prompta : pan o resto e passageiros,
para os quaes oflerece excellentes commo-
dos, trata-ie com os consignatarios, Tho-
miz de Aquiuo Fonseca & Filho, na rnu do
Vigario. n. 19, primeiro andar, ou com o
capilao ua prac,i do Commercio.
honlo, noForte-do-Mattos.
Pan Parahiha
sabe impreterivelmente por toda esta se-
mana a lancha nacional Tres-lrmos : quem
na mnsina quizer carregar, ou ir de passa-
gem entenda-se com o mestre Eslivio Mon-
des da Silva, no trapiche do algodilo.
I'ara o Hio-de-Janeiro se-
gu na quarta-eira, xa do cor-
rente, o brigtie-escuna nacional
Olinda: para passageiros e escra-
vos a frete trala-se com Macbado
& l'inbeiro, na rua do Vigario, n.
ni. segundo andar, pu com o ca-
pilao, Manoel Marciano Ferreira,
na praca.
Para o Itio Grande do sul
o briguo Inca, capitilo Mathias Fereira Bra-
ga, segu nestes oito dias: pode receberal-
guma carga e escravos a freto : a quem con-
vier, dirija-so a Caudillo Agostinhode Bar-
ros, ou ao capito.
A barca S.-Cru: sahe para o Porto im-
preterivelmente no dia 15 do corrente: s
recebe passageiros, para o que tem etcel-
leutes coinmodos.-os Srs. carregadores quei-
i'.nn mandar boje entregar ao consignatario
os conhecimentos para se legalisarem os
manifestos. na rua do Vigario, n. II, pri-
meiro andar, casa do Francisco Alves da
Cunta.
Para o Rio-de-Janeiro
sahe at O dia 20 do corrente mez o brigue
nacional S.-Nanotl-Augusto : pan algumi
carga e passageiros, para o qua tem etcel-
lentes commodos, trata-se na praQa do Cor-
po-Santo, n. 6, primeiro andar, ou com o
capito Jos da Cunta Jnior, i bordo.
Para a Babia segu o hiale Ligeiro :
quem quizer ir de passagem, dirija-so rua
do Vigario, n. 5.
Segu viigcm para Maranho e Para a
escuna Maria-Firmina : para carga e passa-
geiros trata-se na rua da Cadeia do Recife,
escripti rio de Jos Antonio Basto.
Leiloes.
Me. Calmont & Companhia faro loi-
lo, por intervcnQo do correlor Oliveira,
de urna por(o de cissis e algodOeszinhos
avariados, por conta e risco de quem per-
tencer ; e bem assim de varias porches de
fazendas inglezas limpas, para ultimico de
cuntas : quarta-feira, 12 do corrente, as 10
horas da manha em ponto, no seu arma-
zem do largo do Corpo-Santo.
Adamson llowie & Companhia faro
leilo, por iutervenco do corretor Olivei-
iii, de virios voluraes de fazendas inglezas
avariadas, chegadase despachadas recente-
mente : quiuta-feira, 13 do corrente, s 10
horas da manha, no seu armazem, rua do
Trapiche. ________
J
Avisos diversos.
- Alugam-sedous sitios na campia di
Casa-Fui iu o un oulrp ni ron da mesma po-
voarTio, com mullos arvoredos e ptimas
accommudacOes ; bem como vnas casas
pequeas, proprias para se pissar a festa :
a tralir na rua do Amoro), n. 15.
i'arinha de mandioca.
Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, de muilo boa quidide, por ser fa-
bricado na serri [Meruoca, perto da cidade
ile Sobral, por preco commodo: na ruado
Queima Aluga-se urna casa no Cacbangi pin
se passar a festa, com estribarla e cocbeiri,
por preco commodo : na rua [Nova, n. 63
O Sr. Joilo Cyprimno Rangel quera
ter i bondide deippirecer na rua da Ca-
deia de S.-Antonio, p.ra decidir sobre cer-
ta conta que S. Me. receben.
Casa de modas franeczas.
Buessaid Millochau.
RUA DO ATERRO-I)A-BOA-VISTA, N. 1.
Becebeu-se pelo ultimo navio, vindo do
Havre, um grande sortimento de chpeos do
seda para senhora, ditos de palhi pira se-
horis e meninos, ricos mantelletes e capo-
linhosdeseda e fil, cimiiinhas, collari-
nlios, romeiras o cabecOes bordados, lindas
litas, luvas de pellica, ditas do seda, diUs
nho imitando seda ; ditos muilo grandes, e
de pmno e armaees muito fortes, pro-
prios pira senhores e feitores de engenhos :
lambem se vende fazenda de seda e de pin-
uinho imitando seda para se cobrirem ar-
ma(0es. Ni mesma fabrica se concerta qual-
quer chapeo deso, com muita brevidade,
e por preco mais commodo do que em nu-
tra quilquer parte, e vendem-se baleias
para vestidos.
Francisco Alfonso Botelho abro a sus
pa.laria no da 10 de dezembro, em S.-Ama-
lo, na ultima casa do quartero pertencen-
te ao Sr. Antonio do Correio, e por isso pe-
de encarecida mente a lodosos moradores
daquelle bairro e do da Boa-Visla que Ihe
dem prefcienca, visto o pfio ser la lineado
dis melhores firinlus, e com mais perfei-
co e asseio do que regularmente em oulra
qualquer padirii, porser parle deate ser-
vico feito por sua familia. O mesmo preci-
sa de dous trabalhailores que entendam
desse servico, e tambem para entregar pSo,
osouaes dirijam-se a rua da Midre-de-Deos,
armizem do Sr. Vicente Ferreira di Costa,
que he o cncarregado de fazer este ajuste
~ O Sr. Innocencio Xavier Vianna tenha
a bondide de ippirecer, para se contratar
certo negocio que S. Me. nSo Ignora, na rua
da Cadeia de S.-Antonio, n. 13.
Gomma de engommar.
Vendem-se saccas com gomma de en-
gommar muitoatva ; na ruado Queimrdo,
ii. 14, lojade ferragens.
*
Na rua Nova, casa de co-
meslives, n. 69, b&ver to- j
dos os dias, das G horas da ^
- tarde em diante, srveles e #
9 refrescos de todas as quali- 9
(r dades. $
*
Francisco Jos Ccrmann, relojoeiro
suisso, uliiiiiauenti! chegido da Europa,
avisa ao publico que breve abrir urna lu-
ja ua rua Nov, n. 21, e que emqmnto se
no aprompta dita bija, se ach provisoria-
mente estahelecido no Recife. na rua da
Cruz, n. 41, primeiro andar, aondesoen-
carrega de todo e qualquer concert, fa-
bricarlo de qualquer peca que seja preciso
fazer de novo, tanto para relogos de pare-
de como de mesa ou algibera, e ah os con-
currentes achanto tainhem um completo
sortimento de relogos de todas as quali-
des.
O advogado Ibiapina conti-
na a ter o seu escriptorio na rua
do Caldeireiro, n. 12, primeiro
andar.
Ds-sedinheiroa premio sobre penho-
resde ouioe prala : va rua do Sol, 11. 9.
Aluga-se, com certas condicOes, urna
loja com doz portis e tres frentes, por ser
de esquina, e em muito bom local: a tra-
tar com Manoel Gomes di Silva, na ruada
Praa-de-S.-Rita, 11. 21.
Alugi-se una mei'agni ni rua de
Agoas-Verdes : a tratar na rua do Livra-
inuiito, n. 33.
--Precisa-se fallar ao Sr. Jos da Costa
Albuqueique : ni rua d Noguera, n. 15.
Sorvele.
No botiquim junto ao tbeitro ha ver sor-
vele muito bem feito e com muilo asseio,
lodos os dias, das 6 horas e meia da tarde
em diante.
Vicente Ferreira da Costa,com armazem
na ruidiMadre-de-beos, precisa comprar
um escravo de naco que seja liom padeiro :
paga bem.
Declin-se a quem possa interessar,
que as balanzas devem e so ubrigadas a
ser afondas, pois que a lei ou regiment
que se ach em vigor assim o determina no
artigo 4.", e todos aquelles que no aferi-
rem as mesmas bataneas acham-se incur-
sos na multa de 4,000 rs. e sero obrigsdos,
ir incontinente; aferir para no soll'ie-
reni segunda multa de reincidencia quo do-
bra ; por i-so, o inimigodag multas assim
avisi iquelles que talvez se deitem illudir.
O despertador.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado
da rua da Senzalla-Velha, n. 70, com com-
modos para grande familia : quem o pre-
tender dirija-se ao primeiro andar do mes-
mo sobrado.
Nuvacs & Companhia remeltem para
o Itio-Ciandedosul com escala pela Babia
e Rio-de-Janeiro o escravo Andr, por or-
dem de scusenbor, Caetano Jos Pereira.
DEPOSITO GEKAL
9 do superior rap areia-prsta i
9) da fabrica de Ganlois Pai- 9
Ihet &c Companhia, na Ba- 9
hia. ^
Domingos AlvesMatheus, agente da >*
fabrica de rap superior areii prola
e meio grosso da Baha, tem iberio o %
seu deposito ni rua Cruz, no Recife, 9
n. 52, primen o andar, onde se achara $#
fe sempre deste excedente e mais acre- #
tf ditado rap que it o presente se tem
fe fibrcidu no Brasil: vende-se em ho- #
fe les de urna e meia libra, por preco #
fe mais commodo do que eui oulra qual-'i)
fe quer parte. ^
fe) ^
Itt^H^S^AttAtttttta^^Aa^AA^ASM
Precisa-se do urna preta para umi casi
estringeira, que mi i ha lavar de vareiu :
quem tiver, indicando a sua casa no escripl
torio do Sr. E. Bidoulac, rua do Vigario, se-
r procurado.
-- Jo3o Pedro Adour & C. declarara que o
Sr. l.uiz Jos pondr no pode vender alo-
ja de fazendas que tem na rua Nova desta
cidade; porque, no tendo aqu oulros bens
o mesmo Sr. Poudr, o estando obrigado a
varas dividas com sentones exequivcl como
a divida de que os innuncianles sao credo,
res, est a mesma loja obrigada, ejsub-
jeita ao pagamento essas dividas.
-- Precisa-se de urna pessoa para caiiej.
ro de venda, que tenha bastante prtica e
que de fiador a sui conducta, para o que
da-se-lhe bom ordenado: quem se julgar
apto dirija-se a rua da Cruz, n 43, que thi
se Ihe dir com quem deve tratar.
O Sr. quo quera comprar urna tnar-
queza o bem assim urna cama dearmacSo,
ludo por preco commodo, v ao Itecife, rua
di Sanzila-Nova, n. 26.
Precisa-se lugar um preto pan andar
vendendo fazendts ni rui em companhia
de um homem a tratar na rua di Cadeia
do Recife, n. 25, defronte do Becco-Largo.
Ausenlou-se, no dia 6 do corrente, da
cisa de Jos Pedro do Regp, um Africano li-
vre, de nomo Manoel. de 10 annos pouco
maisou menos; levou camisa de algodo-
zinho liso e calcas do algodo azul ja usa-
das; falla tSo ozplicado'que parece criou-
lo, olhos grandes e um pouco abotoa-
dos parafra ; heum tanto cambado dos
ps ; costuma trocir o nome pelo de Joo;
tem um sgnsl no peito que parece de al-
garismo (2); j esleve em casado Sr. Joa-
quim da Silva Reg : quem o pegar leve-o
rua de Apollo, n. 16, primeiro mdir, ou
a rua do Trapiche, 11.13, armazem de as-
sucar.
Precisa-so de urna ama brinca, parda
ou prela, para lodo o servico de urna casa
de um homem viuvo com pequea familia :
na ina Formosa, penltima casa a ir pan o
Hospicio.
Precisa-se de urna ama para o servico
de urna casi de pouca familia: na rua da
Cruz, n. 53.
Alugam-se, para se passar a festa, duas
grandes casas, com muitos commodos e
bom hanho, sitas em S.- Anm-de-ontro : a
tratar no mesmo lugar, com JoSo Venan-
cio.
Pergunta-se
aonde he a venda do Mmguinho que annun-
ciou ter lomado um chapeo de sol da mo
de um moleque que andava vendendo, pois
ji se foi procurar cm luds as vendas do
Manguiuho, eem nenhuma deltas existe o
chapeo de sol, e por isso roga-se ao dono
da venda do declarar para se ir dar os sig-
naes.
--O Sr. Antonio Pereira Pinto de Faria
mande receber duas cartas no Alerro-da-
Boa-Vista, n. 10.
Kogi-so ao Sr. JoSo Bernardno Nunes
Itibeiro, morador no Ribeiro-Fundo, co-
marca do Limooiro, que v pagar urna iel-
tra venca ha quasi dous annos, no Aterro-
da-Boa-Vista, 11. 10, primeiro indar, se 11S0
quizer quo se diga mais alguma cousa.
--Quom precisar de 350,000 rs. a premio,
dirija-se rua do Itangel, 11. 3, sobrado
Arrenda-se o sobrado sito na rua do Sc-
ve, nudo estove o collegio S.-Antonio, cooi
excellentes commodos para familia nume-
rosa, e um abundante viveiro : a tratar na
mesma casa a qualquer hora.
Precisa-se de um csiteiro que tenha
pralica de venda, de 20 ate 40 annos : no
largo do Terco, venda n. 7.
Advertencia.
0 abato assignado scifiitidca ios credo-
res de sua mi a Snra. D. Luzia Caetana
Isabel de Mello, que para seus interesses
digoem-se apreseular as suas conlas deo-
trodo prazodel5 dias da publicacSo deste
ao mesmo nhaixu assignado, sob pena de
no seren altendilos depois do referido
tempo: anda mais previne que o innuu-
cianle acha-se legalmenle aulorisado para
intervir cm todo o contrato que sua mi
tenha de fazer com os seus herdeiros, ou
com oulra qualquer pessoa, o sem o seu et-
presso consent ment nennum negocio de
boje em diante poder ter validade; e por
isso adverte qne ninguem chame-se a
ignorancia para o futuro, e no se queite
las consequenciasque d'ahi pdeiu resul-
tar. iodo largues facalho.
.Sillos |>;u i la vi adores
de caima.
Quem pretender dous excellentes sitios
que offerecem todas is commodida Jes pa-
ra lavradores de canni, dirija-se ao enge-
nlio Caraba, na fieguezla de TracunhSem.
Mirvetc a 00 rs.
Na praca do Corpo-Sinto, esquina di rua
do Torres, n. 20, llavera sorvele do manha,
das 10 horas da manha em diante, e de
lardo das 7 al s 9.
Quem se adiar com direto 1 um mas-
tro que se pegou indo por agoa ibiito,
isto ha 1 mez, pagando a despezi que com
elle so fez, se entregara em S.-Amaro, ao
p di casi do Sr. Pedro Diis.
-- Quom precisir de umi ama para lodo
o servifo de urna casa, dirija-se a rua da
Roda, n 39.
--Precisa-se de um homem que saiba des-
tilar ago'ardente, e entenda de lanoeiro,
sendo eslrangeiro e sem familia, para um
engonbo distante desta praca 9 legoas : na
rua Ilireita. o. 93.
Os Srs. que deram livros para enca-
dernar na praca da Independencia n. 12,
tenham a bondade de os mandar buscar na
rua estrella do Roztio, n. 4.
Joaquim Jos Rodrigues da Costa alu-
gou o bi I liar e seus pertences que tinha na
casa do Passeio-Publico, n. 23, 10 Sr. C.
Bicqued de James, assim como deu com
o consentimento do proprietsrio as chaves
da mesma casa ao Sr. l.uiz Jos Marques, li-
cando o annunciante sem mais responsa-
bilidade ; por isso roga a todos os seus llo-
vedores de Ihe vireui pagar o miis breve
possivel, ni r'ui do Rozario-F.strcits, n. 20,
segundo indar, visto ter largado esse esta- I
belecimentoe as dividas serem antigs, do'
contrario passarao polo desgoslo de ver os
nonies por etlenso nesti folha. O mesmo
julga nadaduver;porm,sealguein Se julgar
seu credor, quera apresentar sua conta ha
dita casa, quo, sendo verdadeira, ser imme-
diaUmentepaga.
J


w
Precisa so |de urna mulher livre e de
1)oa conducta, quesequeira encarregar .le
Untar de duas crianzas de 18 mezes, j des-
mamadas : na praca da I)a-Vsta, casa n.
32, segundo andar.
l'rccisi-se lugar dous ou tres mule-
qus para trabalharem em vellas do car-
naulia : agradando paga-so bem : na ra da
Moeda, sobrado de um andar, n. 21, se dir
quem quer.
Precisa-se de um prqueno para caixei-
ro de venda, de 12 a 14 annos, o que d fia-
dor a sua conduela : prefere-se do mallo :
na run de llortas, n. 52
Precisa-se de um feitor para lomar
conta de um pequeo silio, o qual saiba
tratar de planlacOes de fructas, flores e ver-
duras : prefere-se Europeu : no Aterro-da-
lloa-Visla, n. 2C, segundo andar.
__Hojo, 12 do corrente, se ha de arrema-
tar em praca publica do Snr. doutor juiz
municipal da segunda vara, um moleque,
por cxecucBo de llolfina do Rozario contra
Joanna Francisca : he a ultima praca.
Cozinham-se todas as qualidades de
iguarias, guizados.e assados, para quem
uuWer mandar fazer jantares fra, e mes-
ino algumas cncoromendas bem como to-
das as qualidades de maesas, bolos holi-
nhos, pastis de nata, de carne, degallinha,
de folhado e liso, com asseio e commodo
prego : quem quizer, dirija-se ao oitflo da
Pcnha, n. 2.
Jos Gregorio Paes llarreto, actual ren-
deiro do engeuho Mega-de-Cma, preten-
de desistir da renda com as mesmus con-
dn'i's, visto estar sofTrendo sua familia
bastante ncommodo de molestias ; bom co-
mo vende carros, bois, maiaanimaese lu-
do quanto existe, que com avala se far
patente todo o negocio: a tratar no mesmo
engenho.
Aluga-so segundo andar do sobrado
n 19 da ra Nova : a tratar na loja do mes-
mo sobrado.
Precisa-se de offlriaes de funileiro: na
ra Nova, defronto da Conceiclo.
Quom annunci'u querer 200,000 rs. a
premio sobie urinas, dirija-so ra estreila
,doRozario, n. 22, loja de alfaiale, que se
dir quem d.
Alugam-se os segundo e erceiro an-
dares da casa da ruada Madre-de-l>eos, n.
3, em que moram os Sis. Johnston Pater &
('..: a tratar ra ra da Cadeia do Rccife com
Joflo Jos de Carvalho Moraes.
Aluga-se urna rasa terrea na Soleda-
de, n. 17, com bons rommodos para fami-
lia, quintal grande, todo murado : a tratar
nopateodoCarmo, n. 17, com Gabriel An-
tonio.
-- Ricardo Royle, tendo de ir para o Mil,
deixa encarregado de sua casa com procu-
rado bastante Ceorge Chadwick.
Francisco Alfonso Botelho.nilo llio sen-
do possivel abrir sua padaria no dia 10,
conforme annunciou, em virludo de nao so
ter acabado o torno, declara que no da de
festa sem falla eslaro a venda o superior
pao o bolinhos.
Apessoa que tem annunciado querer
200,000 rs. a premio de um e meio por cen-
to, por lempo de um auno, sendo querr
280,000 rs. sobre firmas a contento, penho-
resou hypothcca, dirija-se ra ireita,
n. 122.
Precisa-se alugar urna ama para urna
casa prefeiindo-se captiva : na ra do Co-
dorniz, n. 3.
~ Precisa-se alugar urna preta para ven-
der taboleiro de fazendfS com outra pessoa:
paga-se bem : na ra do Livramento, n. 19,
loja de calcado.
Ra ta Assumpcao, n. 4.
O arrematante das aferices (leste muni-
cipio faz ceito que o lempo das mesmas
marcado pela lei para aquellos eslabeleci-
mentos que j fram aferidos no anno ante-
rior esta tinalisando se por lodo este mez,
assiai como lembra aosdonos de gneros
quevendem pelas ras que devein ae-riras
suas medidas, pesos e bataneas, pois que
niuitos al vendem sem afericSo olguma. os
senhores pedreiros, carpinas, armazeiis de
madeiraa e oulros que usam de regou, os
armazens o candas de cal, os navios do car-
nes e outros generas que venderem por pe-
sos e medidas que devein quanto antes vir
aforir, pois acha-se aberta nos das uleis
das oilo horas do dia at as qualro da
tarde.
Roubo.
Para amanhecerodia 7 do corrente, rou-
baram do engenho llha-das-Cobras da casa
do Sr. do engenho o seguinlo: um bahu
novo de Iros palmos e meio com um vestido
decambraia deseda, umdito decambraia
branca de barra um dito de cambraia com
lislras cor de rosa um dito decambraia
decores aman-lla e rouxa urna saia de
cambraia de barra um par de luvas do pel-
lica urna capella um cinleiro de lita bran-
ca vara o meia de Ideo largo com tranca
por cima um vestido de sarja branco de
baptizar menina ; ealm do bah o seguin-
te : urna corrente de ouro, no valor de 203/
rs.; um alfinete de peito e brincos, em
60,000 rs.; dous annelles com brilhantes,
em 100,000 rs.; urna argola, em 40,000 rs.;
um par de brincos, em 10,000 rs.; um ade-
reco de pescoco, em 70,000 rs. ; dous bu-
zios encastoados, em 7,000 rs.; urna meda-
lini de prata, em 5,000rs. ; um cordflo bs-
tanle fino, em 10,000 rs.; e um clavinote.
Gralilica-se bem a quem isto dcscohrir, e
prometle-se guardar segredo se o exigirem.
A revelaclo ser feita nesta praca ao Sr.
Miranda, em casa do Sr. Manoel Goncalves
da Silva na ra da Cadeia do Recite, ou no
mesmo engenho a Antonio Ferreira Bailar.
Agencia d passaporles.
Tiram-se passaportes para dentro e fra
do imperio, e despacham-se escravos : na
ra do Kangrl, n. 57, sobrado.
tu abaixo assignado, com venda na ra
do Rozario da Boa-Vista, participo ao eom-
mercio desla praca que meu filho|Jos Fran-
cisco de Teive Jnior he de hoje em vante o
agente encarregado do dito eslabelecimen-
tosli rniuha direccflo e responsabilidade.
Recife, 10 de dezembro de 1819. ot Fran-
citco de Teivt.
As pessoas livies que qui-
'erem Iraballtar como serventes na
Capnlazia da alfundega durante o
seu expediente,dirijam-.se mesma,
a.ollar com o llin. Sr. inspector,
paja tratar do juste
PERDAS..
Quem arhou uns oculos de armaeflo de
ouro que fram perdidos do pateo do ('.ar-
mo r.o botiquim do Paiva, querendo resti-
tuir, leve-os ao mesmo pateo,n. 11,segundo
andar, que ser generosamente gratificado.
Manoel Joaquim Lessa relira-se para
Portugal.
Quem precisar de um caixeiro brasi-
lero, dejmenor idade, e de boa conducta, pa-
ra venda, ouqualquer outro negocio, diri-
ja-se ao paleo do Carmo, n. 16, toja.
Precisa-sede um rapaz de 14 a 16 an-
nos, quo queira praticara arte de pharma-
cia : na ra do Rozario, botica de Rartho-
lomeu Francisco de Souza.
Na na Nova, n. 69, ca-
sa de comeslives,
precisa-se alugar um preto, ou mesmo um
moleque, que seja robusto, e que sen se-
nhor se responsabilise por sua conducta.
Aluga-seo segundo andar da casa n.
2t do Aterro-da-lloa-Vista : a tratar na
ra Velha, n. 55. Na mesma casa vende-so
um terreno no melhor local da Capunga-
Nova.
O abaixo assignado faz ver ao respei-
tavel commercio desta praca e ao publico
em geral que desde o dia 27 de outubro pr-
ximo passado tem estabelecido no largo
do Paraizo, na casa n. 14, urna taberna na
qual tem admittido de caixeiro ao Sr. Ma-
noel Pacheco de Resende, a quem o abaixo
assignado no deu e nem d autoridade a
contrahir a mais pequea divida a que fique
suhj-ita a dita taberna, nem o abaixo as-
signado, poissolem autorisado a comprar
genero que Ihe seja preciso a dinheiro a vis-
ta; e para que no apparecam duvidas para
o futuro faz a presento declararlo. Recife,
10 de dezembro de 1849. Narciso Jote da
Coila.
Lotera do Guadalupe.
Se querem mais claro deitem-lhe
agoa.
A's8 horas da man haa do dia 14
do corrente mez, no consistorio d*
groja ('a Conceico dos militares,
andain impreterivelmente os ro-
das desta lotera, seja qual lr o
numero dos bilhetes que restem
por vender-se.
Aforam-se bons terrenos na Capunga,
sendo pela maior parte com arvorodus que
dito frutas : quom os pretender, dirija-se ao
sitio do Dr. Jacobina, no mesmo lugar ci-
ma dito.
Precisa-se do 500,000 rs. a premio so-
bre hypotheca em um predio; quem qui-
zer dar annuncie.
Na ra do Rangol, n. 43, fazem-so es-
panadores lisos e crespos, por menos prego
do que em outra qualquor parte.
Na botica da ra da Cadeia do Recife,
n. 61, se dir quem aluga dous moleques,
um cozinha o diario de urna casa, e o ou-
tro para servir, preferindo-se casa capaz :
alugam-se por preco commodo.
\o Hot< l-Coiiimercio,
contina a haver sorvete das 6 as 10 horas
da mulo, e ha salas separadas para fami-
lias.

Compras.
~ Compram-se uniformes militares, usa-
dos,sendo de ouro ou prata: na ra do Quei-
mado, 19, primeiro andar.
Compra-se pedra de cantara, 15 pal-
mos de sacada, urna soleira, duas hombrea-
ras, urna verga para porta de cocheira, de
boa qualidade : na ra do Sol, n. 15.
- Compra-se um sol 11 in inglez usado: na
ra da Cadeia do Recife, loja n. 50, ou an-
nuncie.
-- Compra-se um braco de balanza gran-
de e um ditode dita de balcflo com 4 pal-
mos : na ra da Cadeia do Recife, n. 23. Na
mesma casa, vende-se um terno de medi-
das de pao do padrflo moderno.
No becco do thealro de S.-Francisco,
por cima do boliquim.sogundo andar, com-
pra se um moleque cozinheiro, de boa con-
ducta, e que n<1o lenha vicios nem acha-
ques : paga-se bem : tambem se aluga ein-
quanto nao se acha para se comprar.
Compram-se os ensaios sobre a esta-
lstica das possessOes portuguesas no ul-
tramar, escriptos porordem do governo de
S. M. pelo concelheiro J. J. Lopes da Lima:
na ra do Amorim, n. 36, ou annuncie.
Na ra Nova loja de funileiro, defron-
re da Conceiclo, compra-se toda a qualida-
de de metal velho, a saber : zinco, chum-
bo, lalSo, cobre, estando, bronze, vesn.ute,
ote.
Vendas.
Folhinhas para 1850.
Na livraria ns, 6 e 8 da praca da Indepen-
dencia, vendem-se as bem conhecidas fo-
lhinhas improssas nesta typographia, das
seguintes qualidades:
FOLIIIMIA DE PORTAcontendookalen-
darin, tabellas de Triados, dias de audien-
cia e resumo de pocas nacionaes e geraes.
ItlTA DE AI.GIBEIRA contando o mesmo
cima, e um resumo de chronolngi, a qual
tambem d preamar, e tem urna collercflo
de remedios esegredos uteis para uso do-
mestico.
DITA DE DITA com o almanack dos em-
pregados civis, ecclesiasticos, militares, ad-
ministrativos e a nomenclatura de todos os
estabelecimentos fabris, mercantis e indus-
tries, ao qual se adicionou um resumo es-
tatistico da cidade do Recife ; a demonslra-
comarcas da provincia e finalmente a tabel-
la do nascimento e ocaso do sol para regu-
lamentodosrelngios, organisada peloex-
cellenle piloto Portugal, desaudosa lem-
branca.
Sal do Ass.
Vende-se a bordo do brigue Socieade fun-
diado na volts do Forte-do-Mattos : a tra-
tar com o capitSo a bordo do dito brigue,
ou no caes da Alfandega, armazem o. 3,
com Jos Marcellino da Roza.
Vende-se urna morada de casa na ru
le Colovello, n. 10, com bom quintal mu
rado por um lado e fundo, chao* e cacimba I
proprios : oa ra do Queimado, n. 44.
Lotera d ltit>-dc
Janeiro.
A os 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, n.
4, vendem-se bilhetes, meios,
quartos, oitavos e vigsimos da
11. lotera a beneficio das matri-
zes do Kio-Je-Janeiro:a elles, an-
tes que se acabem
Vcndem-se superiores queijos de Mi-
nas a 560 rs. : na ra Direita, venda n. 18
Vende-se, na ra Augusti, venda por
baixo do sobrado que foi de Jos Mam,
n. 1, muito superior carne do serlflo, a 210
rs. a libra.
Vende-se um pardo bom cozinheiro, e
quo engomma soflVivelmente; duas ditas
para todo o servlco de ra, por serem bas-
tante robustas ;2 moleques liem pretos, um
de 15 annos e o outro do 20; urna parda
que cosesoffrivelmente, e he propria para
tratar de crianzas e para todo o servido de
urna casa : na rus da Cadeia, n. 3-2.
Vendem-se queijos londrinos, presun-
tos muito frescaes. frascos com moslarda,
ditos com fructas, botijas decorinthos, fias-
quinhos de molho para carne, e outros l
objectos: ludo chegado ltimamente de
Liverpool na galera Seivord-Hth: na ra da
Cru, n. 7, armazem de Davis & C.
Economa.
No armazem devinhns, na ra da Madre-
de-Deos,j). 36, vendem-se laranjas muito
doces e elcellentes, a 400 rs. o cento, sendo
quando menos 50 por 200 rs., e nada em
menor quantidade.
Vendem-se duas pretas mocas.de bo-
nitas figuras: na ra da Cadeia do Recife,
loja n. 53, se dir quem vende.
Vende-se, por 450,000 rs.,
urna negra viuda do matto para pagamento,
moca, de boa figura, e que he muito boa
quitandeira : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 10.
Veodem-sa 10 lindos moleques de 10
a 18 annos, sendo dous dos quaes cozinhei-
ros ; 8 pretos, sendo um dalles sapaleirn;
dous ditos para se liquidar cenias, um por
400,000 rs., e o outro por 350,000 rs., to-
dos de 20 a 30 annos ; um pardo de 16 an-
nos, proprio para pagein ; 3 pardas de 16 a
20 annos, com habilidades ; urna dita de 20
annos.com habilidades, leudo dous filhos,
um de um anno o outra de 5 annos; 8 pre-
tas de 14 a 25 anuos com habilidades, e
que s3o proprias para toJo u servico : na
ruadoCollegio, n. 3.
Vende-so urna parda do 20 annos, com
principios de costura, j> >r pre^o commodo :
na ra do Queimado, n. 14, su dir quem
vende.
Na ra Nova, n. 38, vende-se um mo-
leque. de 12 a 13 annos, muito bonito, sem
vicios nem achaques.
Vende-se urna preta crioula, de 30 an-
nos pouco mais ou menos, que cozinha o
diario de urna casa, lava e trabalha bem de
enxadn, por tur sido do matto : na ra No-
va, n. 28.
Arroz gratdo de vapor :
vende-se por preijo mais commodo do que
em outra qualquer parte : no armazem que
foi do fallecido Braguez, ao p do arco da
ConceigSo.
Est no resto.
Vende-se familia de araruh de superior
qualidade e ltimamente rhegada a este
mercado em barriquinhas de arroba e meia,
pelo diminuto prego de 3,000 rs. a arroba :
no becco do Azeito-de-Pcixe, armazem de
Francisco Antonio da llosa.
-- Augusto Colombier, com loja na ra
Nova, atrs da matriz., ns. 2e4, vonde bo
nitos chapeos francezes para homem ; ditos
de palha .iberios para senhora ; ditos de ca-
bello; ditos oe renda ; remedio O|>timo pa-
ra as pessoas quebradas que sflo boas fun-
das de todas as qualidades ; bom couro de
lustro francez ; bonitos jarros do porcella
na para flores naturaes ; bonitos lencos de
seda para homem e senhora ; sapatos de du-
raque para aenhora, a 1,000 rs. ; ditos de
marroquim-, a 1,000 rs. ; perfumaras ; ap-
parelhospara cha, de bom gosto ; lencos de
cambraia de linho bordados : tudo a di-
nheiro a vista. *
V Vendem-se chapeos de castor bran-
I co, vinlos recentemente do Rio-
^^do-Janeiro ; excellente sortimen-
to de chapeos do Chile c da Baln, os mais
linos que teem viudo a este morcado ; ditos
apparclhados para meninos, do ultimo gos-
to ; sortimento do chapeos de seda fran-
cezes, do diflerentes formas e de superior
qualidade; bonetes para homem e meni-
nos a 400 rs. vindus ltimamente, e que
silo ptimos para a presente estagSo: na
praca da Independencia, ns 24, 26 e 28.
A 7,000 rs.
Vendem-se chapeos francezes da ultimo
moda : na ra do Quein-iado, n. 10, loja no-
va. Na mesma loja ha, alm de inuitas fa-
zendas modernas, de bom gasto c por pre-
go commodo, luvas de pellica de cores para
homom e senhora, muito baratas, pannos
linos de cores e preto. a 5,000 rs.
Jess Christo perante o se-
culo, por Roselly de Lorgues, ex-
cellente traduccao portugueza, i
volume.
Luiz de Camoes, obras cumple-
tas, nitida ediciio em 3 volumes,
emprebendida por Darreto Feio,
em Hamburgo.
Vendem-se estas i obras mui
bem ene-ademadas na ra larga do
Rozario, loja de miudezas de J.
J. Lody.
Na ra cstroita do Rozario, n. 4, ven-
dem-se os seguintes livros : diccionario
portuguez de Constancio, 1 v. ; dito poti-
co por Candido Luzitano, 1 v.; dito da f-
bula, 1 v. ; 1.* e4. volumes da Revista Uni-
versal ; o Iris, jornal publicado no Rio-de-
Janeiro, 3 v.; historia completa das inqui-
sices do Hespanha, Portugal e Italia, 2 v.;
Feliz Independenle com estampas, 2 v.;
CuilhermeTel, 1 v.
Vende-se um preto crioulo, novo e de
bonita figura : na ra do Queimado, loja de
ferragens, n. 14, se dir quem vende.
Aaropo do bosque.
A iotroducfo do xarope do basque em o Brasil
foi animada por succeaao sem igual nos F.sta-
dos-Uiiidos, onde depoia de sele annos de cj-
perientia c uso fui clevido a tito allmenlo,
que s vezes ai exigencias excediam umito a
quantidailc que te poda manufacturar.
No principio de sua inlroduccao aqui nao se
pode logo asseverar o acu ineiilo nesie clima ;
mas as iinmensas pravas que os agentes rece-
ban diariamente elle prodiu os habilita a certificar que oxaro-
p do boiqat he urna cura certa para a pluhisica
em todos osseus diflferentes graos, qur moti-
vada por constipaedea, tosse, coqueluche,
pleuriz. aslhma, bronchites, palpitado no co-
rafao, drde costado e peito, escarns de sin-
gue, dr na garganta c todas as molestias dos
orgaos pulmonares.
Uepois de tantas provaa do seu merecimeuto,
como nuirosiin depois de se lettemunhar um
firme augmento da venda deste remedio, como
igualmente a accumulacao de tantos fictos que
comprovam o seu bom successo durante a ex-
periencia de 24 meses, os agentes nao tarta
acensados de lerem imposto sobre O publico,
recommendando um remedio de um valor in-
certo, ou de exigir de qualquer invalido que
fixeas-suas esperanzas de cura por um allivio
imaginario. uso principal do xarope do 6o-
tut tem sido feito nicamente na cidade do Rio-
de-Janeiro e suasvizinhancas ; mas, agora que
as anas virtudes se pdem conscicociosainente
asseverar, os agentes o oiterecem ao publico
com a mais segura confianca, e que em qual-
quer caso se adiar um remedio de iufallivcl
mrito como de feli* successo.
Ha casos destas molestias, quando por ne-
gligencia se deixa que a molestia tome coi pu
obre a substancia dos bofes, ale que os restos
destes fiquem insuIRcientes (se a sua declina-
cao poder ser reprimida) a poder fornecer o
singue ana elementos ecessarios vida de
nina pessoa, e semelliantes casos sao c serao
sempre alm do conliecimento da assistencla
humana, c lie peior que chai lalao aqnelle /jue
quizer cuganar a alguem com esperanzas fal-
sas de cura ; mas ha muilos casos que appare-
cein sem esperanzas, mas pdem ser curados
com remedios proprios.
Coinalguns a tendencia para estas molestias
vem de pas para filhos, e por estes he nova-
mente transmitlida s suas descendencias. Isto
lie geralmenteconhecido por pluhisica cons-
titucional Em semelhantes casos a docnca
apparece geralmeute na mesma familia ein
nina certa idade, e familias Intciras fallecem a
pruporcaoque vao chegandaquelle periodo
Como ilisscinin cima, remedio algum pode
remediar estes casos, onde urna tonga moles-
tia se acha arreigada, e por conseguiute tem
consumido todos os recursos da vida, mas he
pelo uso de semelhante remedio como o xaro-
pe do boique, c o muito cuidado na sade, que
estes prriodos crticos se pdem passar, e a vi-
da se pode prolongar at una idade avancada.
Em caso de molestia de bofes, occasionado
por exposijao ou negligencia, a molestia ap-
proxima-se por dill'eienies firmas, mas qur
no broebial ou asthmatica, as membranas sao
alt'ectadas e as suas secrecoes improprias ou
mais que excitadas fazem logo senlirem-sc
symptmnas que nao le deverao desprezar;
nina constipacao pode produiir uina inllamma-
f.io na delicadas membranas que giiarnecem
os tubos br. n hiaes, esla irritafaoprodui urna
tosse, e em seu tumo a tosse augmenta a in-
Uammacao e, ae se despreza, as membranas
dos bofes tnriiain-se semelliaiitcmente allecta-
das, e por Um a mesma substancia destes he
atacada. Ilc verdaJe que muitos bofes sao bas-
tinle tortea, s vejes, para resistir ao primeiro
curso, se este nao fr mullo forte ; mas nin-
guem escapa de una maneira fcil, uina vei
que tenha padecido molestia que tcnliaatatado
aquclles. Ue portanto que elles nrcclsam de
algum remedio seguro para ajudar o avalenta,
aiini de corrigir as secrecoes e restaurar frca
aos orgaos pulmonares ; em casos como estes
o xarope do boique lem-se tornado iufallivcl, e
nao he s no principio como na forma simples
desias molestias que este remedio he uina Cara.
Tccmj Itavido inultos exemplos em que a sa-
de ae tem restaurado a pessoas que haviam si-
do abandonadas pelos seus mdicos e amigos
jampa do boique nao ae oiterece como um
remedio para qualquer doenca, mas sim he
oflerecido com uina perfeita confianca como o
mais mil remedio al aqui descoberlo para as
molestias de garganta e dos bofes, o qual he
composlo nicamente de vegetaes, e que se
pode tomar sem aquelle cuidado em pratica
qur na dieta ou no excrcicio
O publico deve-sc lembrar que cada garrafa
tem dous letreiros com a propria assignatura
dos agentes R. C Yate e Comp., um na garra-
fa com todas as dirccce9 para uso, e um no
papel de fra.
Pode ser enviado com toda a segundado
para qualquer parte do imperio, e as ordens
ero ponlualmeute cxeculadas.
Vende-se nicamente na botica do Sr. Jos
Maria Goncalves llamos, ra dos Quarteis,
n. 12.
Ullima moda.
Vendem-se ricos manteletes de chamelo-
te, de tafela e de bico; lindos chapos de
seda para senhnras; luvas de pellica bran-
cas, pretas e decores; luvas de malha fina
prelas; e cortes de cambraia lina imprimi-
das, cheg"ados pela Minerva, ultimo navio
vindo do Havre: no Aterro-ila-Ba-Visla,
loja, n. 1.
Vcndem-se chapeoszinhos, ricamente
enfeilados, para meninos e meninas de um a
tres tinos : no Aterro-da-lla-Vista, n. 1.
Vende-se urna poreflo do cobre velho,
igualmente urna porco de cavernas de si-
cupira, j servidas e proprias para barcacas:
a tratar na ra da Cadeia do Recife, loja n.
54, ondo igualmente se vendo um moleque
de 8 annos.
Novo sorlment de la-
z idas baratas, na ra
do Crespo, n. <5; ao p
do lampea.
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padres, cores fixas e com 4 palmos
de largura, pelo barato preco de 320 rs. o
envado; cassa franceza de quadros, muito
fin, a 260 rs. o covado; riscadinho de lis-
tras de linho, a 240 rs. o covado; btim de
Igodilo de cores com listra ao lado e de bo-
litos padroes, a 320 rs. o covado; brim
lardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
Juas varase una quarta ; cassa preta com
ramagem branca para luto, a 140 rs. o co-
vado; zuarle de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padres e cores fixas, a 160 e 180
rs. ocovadu ; chales de tarlatana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodiio america-
no, muito superiores, a 640 rs.
I'annos finos.
Vende-se excellente panno fino cor de ca-
f, pelo diminuto prego de 3,500 o 4,809 rs.
o evado ; dito preto, a 3,0Ui>. 3.500, 6,000,
7,500 o 8,000 rs. o covado. prova da limao :
uarua doCollegio.n 1. hija da estrella.
Vende-so una preta muito boa co/i-
nheira, que engo nina, cose, Uva, e lio pro-
pria para ama de casa, mesmo do homem
soltciro, por te,- exc.-llent: conducta: na
ra larga dojinariu, n. 40, primeiro anlar.
. Ven le-se um rico valido de sarja ^ branca com elegant-s onfeites para c$
1 casamento : da-so por preco multo
O commodo: na rua&i Queimado, lo- V
% ja I
-Ven le-se urna magnihcae elegante
cas de campo, sita margem do rio, no
lugar de S.-Mina-de-Dentro, contigua ao
sitio dos herdeiros do fallecido commen-
dador Antonio da Silva e confronte ao si-
tio do Sr. Cabriel.com um terreno de 600
palmos de Trente e 800 de fundo, com suf-
ficiencia delercapim para 8 ou mais ca-
vallos, o nutras plantac-s. que ludo prn-
duz rom muita facilidad- pela fertilnlado
do solo, com excellente banho quo fica a
ronca distancia da casa : O ar ho muito
fresco e saudavol, com extensa o aprazivel
vista : os pretndanles para vor, dinjam-
sa ao mesmo lugar, cuja entrada he lo-
L'o adianto da prnpriedade do Snr. Ilelem,
defrortte do Sr. Nicolao, a fallar com o Sr.
Joflo Venancio; e para tratar, na ra da Ca-
deia do Recife, com oSr. commendador Ma-
noel Goncalves da Silva, o em S.-Jostcdo-
Manguinho, casa defronte da estrada nova
da Capunga.
Obras de ouro.
Vende-se uina medalha com diamante,
um UQodofilagrana. um annel com dmis
diamantes, um par de brincos com alguns
hrillinntes, um huzio oncastoado : ludo
proprio para a festa : na ra do Crespo, n.
12, loja.
l)h! que pechiitcna.
Na ra da Cadeia de Santo-Antonio, n. 20,
vendo se superior junco, assim como palha
promiita por preco commodo. Na mesma
loja trabalha-so de palhinha.
~ Vende-se um terreno de trinla e tantos
palmos ou mosmo 100 na ra do Alerrini :
na ra do l.ivramento, n. 4.
--Vende-se uina venda no Reco-I.argo do
Recife, ii 6, com nOOOns fundos: vende-si-,
por o dono so retirar para lora do impe-
rio, por prego muito comino lo : faz-ge lodo
o negocio com o comprador : a tratar na
ra de S.-Jos, numero 2, nnde.se dir qu"in
vonde.
5^V:;yWv^vV7^'fy*VWO
. > -'
> Na loja do sobrado amarello nos ^
w quatro-cantos da ruado Queimado, 2
* n. 29, vende-se um grande Soilinien- ^
i*, lo de casimiras elsticas de cores o +.
&, bons padres, a5/e 5/500 o corte ; s-:
; corles de calcas de 13a lingindo ca- ^
-> simira.a 1,800 rs. ; dilos de brim > trancado de cores, a 1,440 rs.; di- <
** toada dito amarello, de puro linho, J
<:* a 1,4t0rs. ; ditos de dito branco, a ^
!r 1,000 rs.; a outras multas fazendas <*
1
8 Na praca da llndependencia, n. 12, ^
a> vende-sea salve-rainha;das bemditas
^ almas do purgatorio. 41
t> baratas.
Vondem-so, na ra Augusta, por bai-
xo do sobrado que foi de Jos Mana, n. 1,
as superiores Iingoicas do serillo, sendo do
sevado, o algumas dHvacca, o melhor pos-
sivel, pelo preco de 320 rs. a libra.
Bom c barato.
Vendem-se sapatos sabidos hontem da
alfandega, de couro do lustro para senho-
ra, a 2,000 rs ; dilos de sol i e vira para ho-
mem, a 6,000 rs.; ditos de urna so!n, a 4,000
rs. ; ditos de sola e vira, chamados do Nan-
les, a 5,000 rs. ; meios botins aspeados
para homem a 7,000 rs : na loja de miude-
zas de Joaquim llenriques. junto ao arco Jo
8,-Anionlo.
Xa ra do Livramento,
n. 10, loja de Fernn-
d-s da Luz & Irrao,
vende-se algodiio da trra muito superior,
por menos preco do que em outra qualquer
parte.
Charutos de Ha va na
verdadeiros:
vendem-se em casa de Kalkmann IrmSos,
na ra da Cruz, n. 10.
Vendem-se bustos de gesso represen-
tando fielmente a rainha Victoria e o prin-
cipe Alberto; relogiosdo ouro e do prata,
cliegados ltimamente da Suissa : estes re-
logiosque sflo mui bem acabados.se tor-
nara muito recommendaveis a qualquer
particular, e adverte-se que ha entre elles
alguns quo andain 8 dias sem precisaren!
de corda : na ra da Cruz, no Recife, n. 55.
Cal de Lisboa.
No Rio-I'ormoso, em casa de Julio Jos
Lopes, vendem-se harris com cal virgem
de Lisboa de superior qualidade, por pre-
qo commodo.
Viiilio de Bordeaux,
das mais superiores qualidades ; bem como
vinhode Cbampanha da nova marca estrel-
la, j milito apreciavel, tanto aqui como na
Europa : vende-se em casa de Kalkmann
Irmflos, na ra da Cruz, n. 10.
Pos galvnicos para
pratear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objectos
prateados c que tenham perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, ou inu-
tilisados, teem nestes pos um excellente
restaurador e conservador dos mesmos
objectos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho molhado em agoa fria e passado
nos mesmos pos.
Urna caixinha contendo quantidade suf-
ficiente para pratear mais de 40 palmos
quadradus rusta a mndica quantia de
mil rs.


wm
1
Vcndcm-sesapatues de conro
de lustro para homem e meninos
ditos de bezerro francei; ditos
hrancos para homem c meninos,
chcgados hontem : na ra da Ca-
deia do Recife, loja n 9.
Vendem-se relog'ios de ouro e prata,
patentesinglezes: na ruada Senzalla-No-
*i *2-
.- Vendcm-se cautelas da lotera do Gua-
dalupe, cujas rodas andam no da 14 do cor-
rcnlc: na ra Direita, n. 7.
Vende-sc muito superior fa-
rinlia gallega em meias barricas :
na ra da Cadeia do Itecife, es-
criptorio de Peone Youle & C. ,
ou no primeiro armazem do becco
do Goncalves.
Na ru das Cruzes, n. 22, segundo an-
dar, vendem-se 8 escravos, sendo pretas,
Hiiasdfl nacfloe duas crioulas, de 18, 20,
22 e 30 unos, de bonitas figuras, 3 das
quaes engommam bem, cosem ch8o, cozi-
nham. lavam desabito e fazem lavarinto, e
oulra cozinha, 'ava e he ptima quintan-
deira ; dous moleques de 14 a 18 auno, um
dos quaes sabe cozmbar ; dous escravos de
20 a 22 anuos, ptimos para o servido de
campo.
No armazem do barateiro
Silva l.ope-, na porta da alfande-
ga, vende-se farinba de trigo de
l'hiladelphia muito nova e a inais
Miper or que tern no mercado ; e
barris com igos de comadre, mui-
to novos. --
Arados de ferro.
NafunJigSo da Aurora, em S.-Amaro,
vendem-se arados de ferro diversos mo-
delos.
AGENCIA
da Cu o di cao Low-Moor,
HUA I>\ SKNZALTA-NOVA, N. 4^.
Neste estabelecimento conti-
na a havffum completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenLo ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coido, de todos os taannos,
para dito.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Sanlns naliahin
Vende-se em casa de N. O. Hieher & C.
a ra iln Cruz, n. 4, aleodSo trancado
aquella fabrica, muito prnprio para saceos
deassucar e roupi de escravos.
Cha brasihiro.
Vende-sc cli hrasileiro no armazem de
motilados, atias do Cori o-Santo, n. 66, o
all* deplente che produzido em S.-Pau-
lo quo tem viudo a este mercado por
preco muito commodo.
Moendas superiores.
Na fundicSode C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro a cha m-se a venda o.oeudas
de caima, todas de ferro, de um modelo c
construcc.no muito superior,
4cs turnantes de bom gasto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor viudo do sul superio-
res cliarutos S.-Felix, e de outras muitai
qualidades quo se venderlo mais barato do
que em oulra qualqucr parte : bem como
riparrilhos liespanhes ditos de palha de
milho, que seestSo vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
Corles de brim de cores
com listrasaolado, a
1,280 rs.
Vendem-se corles de brim de cores com
listras ao lado, 1,280 rs. ; riscado de al-
god3o americano, proprio para escravos, a
140 rs. o covado na ra do Crespo, loja da
esquina que volla para a cadeia.
A 480 e 560 rs.
Vendem-se castas francezas de cores fi-
las e do bonitos padrOes, pelo barato pre-
co de 480 rs. a vara; chitas largas france-
zas e de listras cor de panga e cor de ciuza,
pelo baralo preco de 360 rs.; brim trama-
do amarello de puro linio, pelo baralo pre-
Co de 610 rs. a vara : na ru:i do Crespo, n.
14, loja de Jos Francisco Das.
Teeidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na ra da Cadeia, n. ">,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Ruarles de furla-crcs a
200 rs. o coved o e ris-
cado monstrp a 220 rs.
Vende-se zuarle de furta-cres, muito
encorpido e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra iio Crespo, loja da esquina que
volta parr a cadeia.
Vendem-se cortea de cambraia de co-
res pelo baralo preco de 2,000, 2,400, 3,000,
3,500 e 4000 rs.; ditos braucos com barra a
0,000 rs.; ditos de cambraia de seda a 3,000
e 5,000 rs. ; ditos de balsemiras de cores
a 1,600 rs.; meias para aeuhora a 280, para
menina a 160 e para menino a 100 is.; e ou-
traa muitas fazendas por barato preco: na
ruado Crespo, loja u. 15, de Joaquim de
Oliveira Maya Jnior.
Na pona da alfandega se vendem bar-
rica de macas, pelo preco de 6,000 rs. a
barrica : eatau bem conservadas o ptrfeitas.
por terem viudo as barrica denlo do gelo,
Vendom-so ricas toncas: para baplisados
de cianeas : na loja do Francisco Jonquim
Duarte, na ra do Cabug-
Taixas para engenho.
Na fundic.lo de ferro da ra do Krum,
icaba-se de receber'um completo sortimen-
oile tai xas de 4 a 8 palmos de bocea as
|uaes acham-so a venda por preco com-
no'lo e com promptidflo emharcam-se,
ou carreitam-seem carros sem despezas ao
eomprador.
Cera em velas.
Vendem-se caixas com cera em
velas fabricadas no Bio-de-Janei-
roem urna das melhores fabricas,
sortimento ao gosto do comprador,
c por proco mais barato do queem
outra qualqoer parte: a tratar
com Machado & Pinheiro, na ra
do Vigario, n. 19, segundo andar.
llassas de vapor.
Vende-se, no pateo do Terco n. 10, a no-
va bolachinha da California, do differentes
formatos, fazenda prima, e todas as mais
bolachinhas efatias, tanto de Proven?* co-
mo de regalia : o preco das bolachinhas Ca-
lifornia he de 240 rs. a libra, e sendo do 8
libras para cima ser de 200 rs., e das mais
conforme a qualidade.
Vende-se arroz a cincuenta ris a li-
bra, sendo a arroba anda por menos : no
pateo do Hospital do Paraizo, venda n. 20.
- Vende-se cera de carnauba multo su-
perior, a 6,000 rs. a arroba: na ra .Nova,
11 59, loja de trastes,'defronte da ra de S.-
Amaro.
Vendem-se canarios de imperio, vindos
pelo ultimo navio do Porto, por preco com-
modo : em Fra-de-Porlas, n. 131, venda.
-- Vende-se um relogio de ouro patente
suisso, por preco commodo: na ra do
l.ivramento, n. 25.
Vendem-se diversos escravos,
a saber: um moleque de 14 annos, cozi-
nheiro ; umdito de 12 annos; um molc-
cc. bom remador ; um pretode 26 annos,
que eutende de manijo ; 3 prelos para o
servico de campo ; um pardo sapateiro, e
que he ptimo paia pugem ; um dito para
trabalhar em um sitio; urna parda engom-
madera e cozinheira ; duas prelas ; eou-
tros escravos : todos estes escravos ven-
dem-se muito barato, para se fechurem al-
gumascontas: na ra das Larangeiras, n.
14, segundo andar.
Vendem-se muito boas bichas dellam-
hurgo, e tambem se alugam por preco mui-
to comii lulo : na roa do Araglo, na lloa-
Vista, loja de barbeiro de Ihcophilo Jos
Ferreira de Sampaio.
Vendem-se saccas com familia muito
boa e bem torrada, por preco commodo : 110
armazem do finado Hraguez: na ra da Ca-
deia, ao |< do arco da Conceicflo, 11. 6 0, ou
a fallar na loja de Jo.lo Jos de Carvalho-
.Moraes, e no inesinoarmazom.
Para quem lver bom
gosto.
Ven lem-se redes de cores muito grandes
e muito bonitos padrees, e o melhor que
tem apparecido neste mercado : na roa do
Crespo, loja dn esquina que volta para a
cadeia.
A'2,720 rs. cada un
corte.
Na loja def.uimarfies & llenriques, ra
do Crespo, n. 5, vendem-se novas cassas
parisienses, padres muito modernos, pe-
lo barato preco de 2.720 rs. cada um corte :
esta fazenda se torna muito recommenda-
vel pela supeiior qualidade e barato preco.
Vende-se espirito de 37 g raos, a 1,200
rs. a caada, e 160 is. a garrafa : na ruu da
l'raia-de-S.-ltita, n. 1.
Vendem-se bilheles da lotera do N. S.
do Guadalupe, que ha de correr no dia 14
do correnta; os intoiros a 8,500 rs. e os
meiosa5,000 rs : na ra do Queimado, 11.
53, loja de oiiudezis.
l'Mtassa da liussia.
Acha-se venda na casa Itothe & Bidou-
lac, na ra do Vigario, 11 4, nova 1 olassa
verdadeira da liussia. em barris pequeos.
--Vendem-se amarras uo irro: na ra
Ja Senzalla-Nova, n. 42.
Feijo.
Vendem-se saccas eomeijio, por preco
commodo: na ra do Queimado, 11. 14.
Saccas Cim lardo novo,
deOa 00 libras, a /i
vendem-se nn armazem de Antonio Aunes,
no caes da Alfandega, e no de Vicente Fer-
reira da Costa, na ra da Madre-de-Ueos,
chegadas ltimamente de Lisboa e de
Franca.
Velas de espermacele.
Vendem-se velas de esperma-
cele superiores, chegadas agorada
America : em casa de Deane You-
le & Companhia, na ra da Ca-
deia, n. 4-
\aropc dcangico c cho-
colate de sade.
Acaba de chegar do MaranhHo, aonde lio
fabricado, um novo sortimento destes dous
objectos, j bem conhecidos nesta cidade
por muitas re^soas que leein feim uso lici-
tes, as quaes conlirmam o aeu bom resul-
tado : vendem-se no mesmn lugar do cos-
tume, na venda da ra da Cadeia do lu-cilo,
n. 25, defronte do llecco-l.argo, pelo mos-
uio preco de mil rs. cada garralinha de xa-
rope e 610 rs. a libra do chocolate de n. 3,
e 800 rs. o de n. 4.
Farinba de trigo ame-
ricano.
Vende-se farinha de trigo americano, da
marca Brand-Wine, cliegada ullimtmente,
por preco commodo : em casa de J. J. Tas-
.io Jnior, na ra do Amorim, n. 35.
Vendem-se mullo bous c frescaes quei-
jos de Minas, com o peso do mais de duas
4
waMR3*jmig.^_
libras, a 640 rs. ; muito boa carne de porco
salgada, a 80 rs. a libra ; bom toucinho,
160 rs. a libra : no pateo do Carmo, n. 1,
venda.
Novos gamhre5es a a,ooo rs o
corte.
Vendem-se superiores cortes de calcas de
gambreSo, com 3covadose meio, pelo di-
minuto preco de 2,000 rs. o corte, esta fa-
zenda lorna-se recommendavel pela su*
boa qualidade j bem conhecida, de boni-
tos padrOes: na ra do Collegio, n. 1, loja
da estrella,
Vende-se urna cscrava de nigo Costa,
de 35 annos: no pateo da ribeira de S.-Jo-
s, n. 5, venda.
Os mais ricos man te le
tes c capotudos.
Vendem-se os mais asseiados mantelete:
e espotilhos de chamalote de seda e gor-
gurSo, os mais ricos que teem apparecido s
na ra do Queimado, n. 9.
Vnho generoso.
Vendem-so barris com 12 caadas de vi-
nho generoso do Porto, com 20 annos, per
ser da cclheita de 1830 este delicioso licor
he muito apreciado nos tostes, e por issoos
amadores devem aproveitara occasiSo : o
preco lie commodo : no armazem de Olas
Ferreira, no caes da Alfandega.
=
8
O cu
te
o
j o X 2
l'- O "-
4 4ti!i*i
O SCJo
c
se
o
ce

:- u

-'

oj-r&9
-=C2
d -
(49
n "t
- O
a.te
Oc o 1 e
.. o o c e
" 9
2 w
. 3 3
a u eo t
5 filfa
.- n
O
"3
S B-3 >
fSScM
C B O"
a- C ~ k.
5&S-5-.S
se 4) g, A ff
Farinba de mandioca.
Vende-se farinha de San-Ma-
llicns a mais superior que ha no
mercado a bordo da sumaca liella-
Arelitw, Tundeada defronte do
caes do Collegio, ou na ra do Vi-
gario, n. 19, a. c andar, a tratar
com Machado & Finheiro.
I Chapeos do Chile de
: superior qualidade.
M
|| Na rus do Collegio, n. 9, recebeu-se
Oji 11 tn lindo sortimento (lestes IHoaprc-
b ciados chapeos, que se vendem por
(j preco commodo.

Vende-se urna escrava cri-
oula, bonita figura, propria para
qualquer servico de urna casa .- n:i
ra da (,'adeia do Itecife, loja de
Jo3oda Cunta Magalhacs, n. 51.
Na ra Nova, n. 15,
Vendem-se dous lindos mulalinhos para
pageos, sendo um delles bom. bolieiro e co-
peiro, e quo he muito civilisado ; um par-
do lioin ollicial de alfaiate ; um moleque de
nacSo, que he muito bom cozinh eiro e de
boa conduela o quo se allane ao compra-
dor ; um moleque de 18 anuos, bom olli-
cial de alfaiate; dous prelos bous trabaja-
dores de enxades ; duas prelas com habi-
lidades ; urna inulatiuha de t4 annos, com
principios de costura e engommado ; duas
pardas com habilidades.
Vende-se um rico e novo adereco com
seus brincse alfinetes, lodos de diaman-
tes, d-se por metade do que custou ; urna
correle com 42 oilavas ; um cordto gros-
so cun 48 iiiUvjis; um trancelim de lila-
grana com 24 oilavas, e alguns aueles com
brilhantes : na ra anliga dos Quurteis,
n. 8.
Vendem-se 2 lindos moleques de 18
anuos, com ollieios : o motivo por que se
vende se dir ao comprador : na ra do
llangel.n 57, sobrado
Vende-se um muito bom carro de 4
rodas, pouco usado, para um ou dous ca-
vallos, capaz de levar sete pessoas, e de p-
timo gusto, com todos oslarrelos completos,
e que he muito proprio para una familia :
io Itecife, cocheira do Sr. Augusto, no ar-
co do Bom-Jesus.
Vende-se urna porcSo da melhor ago-
ardenle de Franca ( pal Brandy) que ti m
viudo a este mercado, em caixas de urna
duzia ; e igualmente muito bous cliarutos
da Babia, por preco rr.uito em cunta : na ra
da Cadeia do Itecife, n. 48, casa de Augusto
S. Corbelt.
Vende-se urna prota de ncSo, do 20
anuos, de muito boa flgura, que cose, en-
gomma.cozinha, ludo bem feio ; urna dita
com urna cria de 10 mezes, a qual cose e faz
lavarinto ; 3 escravos mocos, de muilo boas
(guras, bons para lodo o irabalho ; 2 mu-
I itinhos de 10 annos, bons para servirem a
urna casa, ou para aprenderem um ofjQcio ;
um prelo bom ofiicial de sapateiro e bom
pagem : na ra do Collegio. n. 21, primei-
ro andar, se dir quem vende.
Para os fumantes de bom goslo.
Vendem-se, em porgues e a retalho, os
melhores charutos da Baha, e da Cachoei-
ra, em pencas proprias para bailes, e em
caisinhas, por preco muilo commodo, que
sito : deputados, linos, regalos, luzias, cl-
fama, fama va, regalia, liberaes, saqua-
remas : no Aterro-da-Boa-Vjsla, o. 54, ou
no sobrado n. 47.
Velas de cores.
Vendem-so, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Saolo, n. 66, por preco com-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recomroendaveis pela sua superior qualida-
de e alurarem mais que as de espermacele,
e nSo fazerem morrSo.
Folha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flandres:
na ra do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnnior.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem antigo da ra da Madre-de-
Deos, n. 36, est de novo estabelecido de-
baixo das mesmas condicOes, offerecendo
a deliciosa pingado vinho da Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
lina por920rs a garrafa, el,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Bordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. NSo se admirem
os fieguezes do bsixo preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, esim da audacia do
propietario querer sustentar o antigo pre-
co, embora este genero tenha subido o me-
lhor de 30,000 rs. por pipa. Examinen! os
amantes a qualidade para reconheci ment
da verdade e continuado da anliga fregue-
zia.Epara nohaver usuras, estSopromp-
(as garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barris de diversos l-
mannos para provlsflo do prximo Natal.
O propietario conta com a concurrencia ;
do contrario, tornarSo os precos do reta-
llio a primitiva de 210 e 280rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potassa;
de boa qualidade, em barriszinhot.
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
lempo se nao vende: no itecife,
ra da Cadeia, armazem n< n.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Calcados.
Vendem-se sapatos de verniz
para senhora muito novos a
a,000 rs. ; ditosa i,Gooe a 1,280
rs. ; borzeguins gaspeados para
homem a 4,000 rs. ; sapates de
couro de lustro para homem a
5,ooo rs. ; ditos de bezerro de
Nantes a 5,000 rs. ; c outros mui-
tos calcados por precos commodos :
na prac.i da Independencia, n. i3
e 15, toja do Arantes.
& Q Na loja do sobrado amarello nos ^j
0 quatro cantos da ra do Queimado, n
0 n. 29, vendem-se corles de vestidos j
C* de seda de cores com 22 covados a 25, r\
0 28 e 30,000 rs. cada corte; cassas- n
* chitas as mais modernas e do cures g,
! (xas, a 800 e900 rs. a vara ; chitas ?
j francezas largas e muito bonitas de *
O desenhos, a 340, 30 e 400 rs. o co- O
O vado; um completo sortimento de *?
O mantas e chales de seda para diffd- O
& rentes precos ; chapeos francezes da ^
i> ultima moda; lencos brancos de E.y
O cambraia de linho e outras muitas O
0.') fazendas de gosto: ludo por prego de <}
gradar aos compradores. q
O o
Chapeos de palha e sa-
patos do Aracaty :
vendem-se em porcoes por preco
commodo: na ra do Amorim, n.
36, armazem de A. J. Vid 11 &
Companhia.
Para se acabar.
Vendem-se superiores cortes de cam-
braias finas antigs, pelo barato preco de
2,500 rs o cute; bem como novos corles
de cassa-chita, de lindos gostos, a 2,800 e
3,000 rs. o corte : na ra do Collegio, n. 1,
loja da estrella.
I'echincha.
Vendem-se cortes de caigas de meia casi-
mira de lila, a 1,600 e 2,000 rs. o corte, bas-
tante encorpado; bem como meias para
senhora, a 200 rs. o par, e a duzia a 2,000
rs.: na ra do Collegio, n. 1, loja da es-
trella.
Vende-se superior vinho de
Champanhe e farinha de trigo Ba-
rn : na ra do Trapiche, n. i3.
Vende-se farinha de man-
dioca muito superior de Santa-
Catharina non armazens de Fran-
cisco Dias Ferreira, n. i, no caes
da Alfandega : a tratar nos mea-
mos, ou com Novaes & Compa-
nhia, na ra do Trapiche-Novo,
n. 34.
Casimiras a 3,5oo rs.
Vendem-se cortes de meias casimiras de
bonitos goslos, com tres covados e me io,
pelo baralo preco de 3,500 rs. o corte ; ca-
simiras superiores, tanto em padrOes como
em qualidade, a 4, 5, 6e\000 rs. o corle:
na ra do Collegio, n. i, loja da estrella.
Vende-se um rico presepe, um piano
de Jacaranda quasi novo, urna mesa de jan-
lar com abas, duas bancas de Jacaranda,
duas ditas de amarello de columnas, um
oratorio com imagens, 4 mangas de vidro
com caluugas de gesso, 4 quadios com ima-
gens, um relogio de metal para cima de
mess, urna cama de Jacaranda, urna estan-
te, um candieiro, um diccionario de Cons-
tancio, a msica da Norma: na ra Nova,
rmazem de trastes, defronte da ra de S.-
Amaro, 11. 59, se dir quem vende.
Vendem-se quatro lindos molecolcs de
para todo o servico, de 20 a 30 annos; um
casal de escravos muito mocos, com um f-
Ilio de i ( mezes, e que s3o de boa conducta"
o que se afianen; urna prela com um lilhodo
10 mezes, a qual engomina, cozinha e cose
perfeitamente ; urna linda mulatinha de i->
anoos, com algumas habilidades e de boa
conducta; duas ditas com lodas as habilida-
des necessarias para urna casa ; urna pret
de nacSo muito boa cozinheira, quitandei-
ra e lavadeira, com urna flha de 12 annos
muito linda e com nlguma habilidade ; tres
ditas com algumas habilidades e muito mo-
cas; duas ditas de meinidade, assim como
outros muitos escravos: na ra da Cadeia do
Recife, n. 40.
Farinha de mandioca.
A melhor farinha que se acha no merca-
do vende-se a bordo da garopeira Tundea-
da defronte do Passeio-Publico, a preco de
2,700 rs. o alqueireda medida velha, e sen-
do em porgoes se tratar com quem se ach
a bordo, que poder vender por menos.
Vendem-se queijos londrinos, presun-
tos inglezes para Hambre, conservas ingle-
zas e francezas, latas com bolachinhas li-
nas inglezas, garrafas com manteiga fres-
ca, latas com marmelada, vinhos da Madei-
ra secco, Porto particular, moscatel do Se-
tubal, Colares, Lavradio, Bucellas, Carca-
vellos branco e tinto, dieres, licores finos
cliampanha, caixas coro massas linas: lu-
do por preco commodo : na ra da Cadeia
do Recite, n. 2.
Ultimo gosto.
Vendem-se os melhores chapeos de mas-
sa franceza que teem vindo este anno, tan-
to em forma como em boa qualidade : ha
para cabeca bastante pequea, a 7,500e
8,000 rs.: na ra do Collegio, n. 1, loja da
estrella.
liscr&vos Fuico.**
Fugio, no dia 4 de julho do corrente an-
no, um mulalinho de nome Eugenio, de 16
annos, de estatura baixa, cOr morena, es-
beltos castanhos e muilo crespos, olhos re-
gulares, pescoco curto um tanto torto e>
que nflo faz os movimentos com a cabeca
regulare perfeitamente ; temas ventasar-
regacadas, res mos grandes; tem prin-
cipios de offlcio de pedreiro ; sabe arranjar
urna mesa ; gesta de andar calcado ; he na-
tural de Pernambuco, lilho de urna preta
crioul,de nome Luiza: ambos lram es-
cravos do fallecido Jos Mauricio de Olivei-
ra Maciel: quem o peirar leve-o a seu senhor,
o cirurgiflu Miguel Folicio da Silva, na Ira-
vessa do Pocinho, que recompensar.
Fugio, no dia 7 de julhu do corrente
anno, um escravo do abaixo assignado, de
nome Antonio, crioulo, de 25 annos, de al-
tura regular, principiando a barbar por bai-
xo do queixo ; tem as maceas do rosto al-
tase queixo fino, bocea um tanto grande,
belcoi e nariz grossos, denles a herios een-
cardidos, pes pequeos; loca pifano e al-
gum instrumento de corda; he serrador,
telheiroecanoeiro ; tem um irmflo de ne-
me Joaquim, por antliouomazia Saguim, li-
berto, casado e morador no becco do Quia-
bo. Itoga-se as autoridades policiaes e es-
plines de campo, que o apprehendam e le-
vem-no ao Sr Joaquim Jos Ferreira, que
gratificar. J s4 Affonso de Syuiar.
Desappareceu, 110 dia 10 do corrente,
pelas 7 horas, urn mulalinho claro, de no-
me Emilio, de 10 a 11 annos ; tem de me-
nos um dedo na mito esquerda : quem o pe-
gar leve-o ra da Cadeia do Itecife, 11. 42,
casa de Vieira & l.obo, que gratificarSu.
-- Fugio, em dias de agosto prximo pas-
sado, do engenho Perequito, um esciavo do
abaixo assignado, de nome Jo>, Congo, de
45 annos pouco mais ou menos; ja est
pintando, cor um pouco fula, bem barba-
do ; he serrador e trabalha de banqueiro;
tem as peinas quebradas por ter passado
um carro sobro ellas, sendo urna quebrada
na canella quo n.ostra grande signal, e a
outra perto do joelho. que pouco signal
moslra, bem como (ca o lugar da quebra-
dura grossn ; levou um clavinole ; suppOe-
se ter ido para as partes do norte, por ter
fgido pouco depois de andarem aqu
uns or lisias comprando jangadas: quoni o
pegar leve-o ao abaixo assignado, ou nesta
praca.a Joaquim Jos Ferreira, que grati-
ficar. Joao llarbo:a Maciel.
Fugio, no dia 2 do correnle, um prelo
serrador, bem contiendo nesla piuca, de
nome Joilo, de nacflo Cassange, de estatura
alta, cor bem prela, com pouca barba, moio
fila ; levou calcas de zuarle azul, camisa
de madvpollo ; ha noticias de elle estar tra-
ba llia mo em urna serrara nesla praca, por
so ter visto algumas nuiles passeando :
quem o pegar leve-o ao Forle-do-Matos, ra
do Codorniz, n. 8, a Francisco Jos da Silva
Morcira, que gratificar.
Fugio, no dia 3 do crtenle, s 6 horas
da tarde, nina preta de nacflo Loanda, ;de
nome Mara, de aluna regular, bstanlo ma-
Sra; tem um signal no hombro esqu ido
que he um M ; tem o rosto bexigoso, ca-
bellos cortados; levou vestido de quadros
j desbolados, panno da Costa com mala-
mes brancos : quem a pegar leve-a ra do
Passeio-Publico, n. 5, que ser generosa-
mente recompensado.
loa gralifcacSo.
Fugio, no dia 3 de novembro do correnle
anno, um cal ra de nome Ildefonso, de es
tatura ordinaria, cabellos desandados,
olhos grandes, beicos grossos, com um
denle de menos na frente ; serve-se coma
a mito esquerda ; he cuohote ; tem dous de-
dos de menos em um dos ps, o mnimo e o
v2nho ; leva urna carta com subscripta a
Flix Antonio de Brilo, senhor que o ven-
deu ; lie morador em Alaga-Ciaode-do-
Po, provincia da Para ti iba do norte. Roga-
se as animidades policiaes, capules de
campo, ou oulra qualquer pessoa, quo o
apprehendam e levem-no ao capitflo Vi-
cente Cavalcantede Albuquerque, no enge-
nto Cameleira, comarca de Nazareth, ou
nesla praca a Francisco ('avlenle de Al-
buquerque, na ruado l.ivramento, n. 14,
que serSo gratificados.
Fugio, no dia 6 do passado, o prelo
Benedicto, de nacflo, de 18 anuos, pouco
mais ou menos, sem barba ; levou camisa
de madapolflo e calcas de 1 iscado largo e es-
curo ; de altura regular, corpo fornido, 1
beicos grossos, bocea grande, ps e mos '
grandes : quem ) pegar levo-o ra es-
treitado Ruzaro, 11. 43, segundo andar,
quesera gratificado.
1*3 a 20anuos sem vicios; seispretos bons* Pian. 1 m tvp. dc h i. di au. 18*1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E50PI1HK6_NLV20Z INGEST_TIME 2013-04-24T15:43:43Z PACKAGE AA00011611_06735
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES