Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06731


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.Vilno XXV.
Qninta-fVira 6
PARTIDA SOS CORREIOS.
-
Goianna eParahiba,egunda eeextas-feira.
n. io-Grande-do-Norte, qulnla-feira ao melo-
da.
Cabo, Serlnhaera, Rio-Formoso, Port-Calvo
Maceid, no 1., a 11 c 21 de cada rae.
Garanbunt e Bonito, a 8 e 23.
Boa-VlU e Florea, a 13 e 28.
Victoria, i quintas-felras.
lnda, todos os das.
B
HHUIIBIDIS.
ru*s d .tu. Mlng. a 6, i 4h.e33m.da t.
Nova a 14, lh.cl8m. da t.
Creic.a 22, a<5h.e21 m.da ni.
Chela a 29, II h. e 41 m. da m.
MEAMAB. DK IOR.
Primeir a 10 horas e 6 minutos da manh.
Segunda i lOborase 80 minutos da tarde.
w?su
a
de Dezembro de 1849.
N. 27/-
FHOOl DA SUBSCRIPCAo.
Por tres niezcsadianlado) 4/000
Porieiiinez.es 8/000
Por uui auno 15/000
DAS DA IMANA
3 Seg. S. Francisco Xavier. Aud. do J. dos orC
e do ni. da I.T.-
4 Tere. Barbara. Aud. da chae, tfo J. da 1. v.
do clv. e do dos Cellos da faienda.
ft Quart. S. Geraldo. Aud. do J. da 2. v. civ.
(i Qunt. S. Nicolao. Aud. do J. dos or", e do
ni. da 1. v. ... .
7 oexl. S. Ambrosio. Aud. do .1. da I. v. do civ.
e do dos feiloi da fazenda.
8 Sab. ** loncei(o de Notsa Senloor.i.
9 Dom. S. Leocadia.
CAMBIOS KM 5 DZ DKMB'13.
Sobre Londres. 28 d. por 1/000 r*. a 60 das.
. Pars, 310.
Lisboa, 100 por cento.
Onro.-Onca. hespanhoe..........SWW JSffiS"
.Moedade/4Ovelhas.. l/800 a JJ/OO
. do b>4ut> novas .. 16/200 a l#40p
. de 4/000......... 9/200 a 9/50
rVaa.-Pataroesbrasllclros..... l/'3d a Ig3U
Pesos coluinnarios....... l/'30 a l/:
Ditos mexicano......... 1/850 a
TBtBW
1|870
DIARIO DE
PARTE OFFICU
l.
OVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DI A 58 DE NOVEMBRO.
Offlcio.Ao Exm. rrasidente do Mara-
oso.- Arcuso recebido o offlcio de V. Exc.
em que me rommunica haver lomado pos
da presidencia dessa provincia no di 5 do
correte, e muito me congratulo eom v.
Exc por ter de dirigir os destinos deas
provincia. Apmvpito a oceasflo p ?'-
ferecer ornen prestlmo, querpara o servico
publico, qur par o particular de V. Exc
Dito.Ao Exm. presidente do Rio-Grande
do norte. rogando haja de declarar se rol
sentenciado nessa provincia a gales P?n,J
tuaa Miguel Pedro, que se acha recomido a
cedeia desta cidade com o supposto nome ce
Mauoel Pereita do Valle, e recommendando
que, no caso adlrmativo, digne se de re-
metter a respectiva (ruis, afim Je poder ella
ser enviado para a ilha do Fernando.
Dito.-Ao commtndanto superior da guar-
da nacional do Recife.-Exp-ca V. S.as con-
venientes- orden para que os batslhoes
de numero 1 a 6. e o taque 4 rao decava-
llaria da guarda nacional deste municipio,
marchem no dia 2 d dezembro prximo
vindooro, anniversario feliz do nascimento
de S. M. o Imperador, reunidos tropa do
primi'ira Urina dlsnonivel; devendo V. S.
iissumir o commando de toda a frires, e in-
dicar eom antexedencinaoseommandantes
dos eorpos de que es da tem decompr o
detallie da parada. A guarnieflo da praca
neme dia no antecedente ser* feita pelas
presada referida guarda nacional que nSo
estiverem promptas. pelo primeiro baU-
Iblo do municipio de Olinda.N-sle senti-
do olflcinu-se ao commandnle da praca, e
aoromirundante superior de Olindaelgua-
rass.
Hilo.Aocommandsnte da praca.rerom-
mendando a eipedicfio de suas orden para
que > segundo cadete do quinto balalhHo
defuzileiros Manoel Francisco Soiessig
para corle no vapor Pernambucana.- Offl-
COU-Se agencia dos vaporo* | sagem ao referido cadete.
DitoAo mesmo, para que ordene ao al-
feres Antonio Eloy da C.unha e Mello, caso
esteja elle nesla capital, que siga para pro-
vincia do Pra, a incorpoar-se ao quarto
bata lidio de eacedores a que pertence ; e
quando no, o faca recollier a esta cidade
pave ter es" destino.
Itfio.Ao inp-clor ds thesourana da le-
yenda,remetiendo ciipia do.decreto de 14 do
correnle.peloqual S. II. o Imperador nouve
por bem demittir os eltores confren*es da
ilfindeg desla cidade Ignacio Firmo Xa-
vier, lUnoel da Silva Ferreira, Joaquim
Bernardo de Figueiredo e Joo Hibeiro Pes-
so de Vasconcollos. e ao porteiro da raes-
ma repartido Jos de Azevedo Santos.
Dito.--*0 mesmo, transmiitindo o aviso
de urna leltra de un cont de ris, saca a
pela thesouraria do Rio-Grande do norte
sobre es. e a favor de Jos Gomes da Si -.
va Scientiflcou-se o presidente daquelia
provincia. ..
DI0.--A0 mesmo, remetiendo o viso de
urna letlr sacada pela thesourana do Rio-
Crnd*.do norte sobre essa, e a favor de
Joaquim Ignacio Pe eir, na importancia de
1:231,300 ris.--lnteirou-se o presidente da
referida provincia.
Dilo.-Ao inspector ds psgadoris militar,
remetiendo copia da relaco dos ofllciaes e
cadetes que vieram da corle para os eorpos
de linda aqui estacionados.-N''9l sentido
ollciou-se ao commandanle d praca.
Dito.-Ao mesmo, cnmmunicando naver
fallecido oin Porto-Alegre o capilflo do se-
gundo balalhfio de cacadore Manoel JoHo
de Oliveira Botas, segundo constou de aviso
do u.inUterio da guerra de 30 de oulubro
ultimo -Officiou-se ntste sentido ao com-
roandante da prac. j. ,.-.
Di.o -Ao mesmo, inteirandoo de turar
o Exm. presidente da Rabia deferido em 23
do correnle urna supi-lica le U-iioel Fran-
cisco Ser.pilo, pela qual ello cede do sol, o
que alli :percebe como enle KtoM*
a mensalidadedodoz mil res para ser abo-
nada aqui um seu Irtlio de i^^' '
que tem praca de cadete, no quarlo bala-
11,36 de rtilh.ri. e r-Part.cipou-se ao
presidente da Baha.
Dito.--Ao mesmo, remetiendo um oUic.o
fidivros papis relativos aos abonos tol-
lo ?. pagadura militar a Baha .
cuarto batalno de arUlh.r.a a p, -ora aqu
-..^.nnf.in.-luleirou-se o inspector da pa-
estacionado.-luteirou-se i
esdoria cima dita.
Portaria^'omeando interinamente para
os leitares de fcilor conferente da airande-
ca deSla edade, que se acham vagos, a An-
tonio Carlos de l'inho Burgas e "q J- tf Costa.-Nesto sentido oxpedir.m-se
os convenientes communicacOes.
DEM DO DIA 29.
e,no-A me,mo. communicandoque S
M o imperador boove por bem conceder
assaaem para o primeiro b.UMi&o de ca-
Ke o atiere do aexto da fuz.leiroa
noel Jo.qo.mn.mos.-.lute.rou^ o
r^ToS;o:t.s:r;Sevt 5
io ;SroowgVo-i4Blo *1W!
batalliSo de artiiharia a peJoSo de Amo-
rim Beierra ; para alferes do corpo flxo do
l'iauhy o primeiro cadete do segundo bata-
lliBo de fuileiros Jos Procopio Tavaros ;
e para a companhia" fixa da Parahiba o par-
ticular primeiro sargento do referido se-
gundo batalhlo Ai.tonio Caeano da Silva.
Scienticou-se o inspector da pagadoria
militar. ,
Dito. Ao inspector da mesina pagadoria.
Iransmlttindo coplas do omelo dirigido pelo
Exm. presidente da Baha com data de 14 do
correnle, e dos documento a que elle ae refe-
re, Um de que frosnova o descont necrisario
no vencImentM de fardamenlo do quarto ba-
talhaodc arlilharia pe para Indemnisacao da
quantia de 295.000 rs., em que imn<'rtarara os
objectos de fardamenlo fornecldos ao mesmo
batalhao pelo araenal de guerra da referida
provincia__SolentiBcou-e o presidente da Ba-
ha e o coininandante da praca.
Dito.Ao commandanle superior de Olind.i
e Iguarawi, transmllllndo a nota daa despe-
>ai a fier com a acquisifio d> patate de seu
posto para que, no termos do arl. 13 do de-
creto n. 632 de 27 de agosto ultimo, pague na
thesourana da fa>enda a respectiva importan
ca, e recolha secretaria do governo o co-
nhecimento que Ihe f6r dado na iiiesma Ihe-
muraria. aflm de se pd*r sollclur. na turma
do art. 14 do citado decreto, a mencionada pa-
tente. .
Dito.Ao commandanle superior da guarda
nacional do Umoriro. remetiendo a nota das
despexas que tem a faier com a acqullicao da
patente do ajtidanted'ordens do eu commando
Marlluho da Silva Gosta.para que elle, nos ter-
mos do art. 13do decreto n. 632 de 27 de agosto
ultimo, pague na thesouraria da fazenda a res-
pectiva importancia e recolha a ecrelarla da
presidencia o conheclmenlo que Ihe ffl. dado
na referida repartlcio, afim de se poder soli-
citar, na forma do art. 14 do citado decreto, a
mencionada patente. '
Dito.Aojul municipal da prlmelra vara
do Reclfe, dliendq-lhe que.para a presidencia
resolver acerca do que S. me. represenlou em
officio de 26 do correte, fai-se necessarlu que
Informe qual a rasao por que se acha preao
nesUcidade e disposifo de sua inerec o sen-
tenciado Joao Manoel Corra*iann.
Portarla.Ordenando que as autoridades
desta provincia nao pmihara Impedimento al-
Sun a aahlda do subdito portnguex Francisco
e Paula Souia Santos que segu vlage.n pra
l.l.b na bvei portuguea Ligeira Omciou-
ae ao vlce-consul porluguex neste sentido. i
Dita.Nomeando interinamente p.ra-osem-
prrgos vagos da alfaudega d-sta cidade abauo
declarados os cidado segulnles : .
Para feitor conferente o primeiro escriptu-
rarlo Manoel Kli-.nlo da Silva. .
Prinieirn escrlplurarlos o segundo la tlie-
ouraria de fazenda Jote" Henrlques lacl>"'"'
e o segundo da ineama alfandega Francisco ae
Paula Gonealves da Silva. .,... ai.unel
jde do "vio-
Comiaiaiido das armas.
Ouartel-general do commando da$ arma$ na,
cidadi do liecift de Pernambuco, 2 de
dezembro de 1849.
ORDEM DO DIA.
S. Exc. oSr. marechal d<5 campo gradua-
do, commandanle das arms. MOdlilUi-
car, para conl.cimento da guarnieo e ter
.dvida execucao, a c,.ia ab,ixo trans-
cripta do.viso da secrotana do estado dos
negocios da guerra, de de noverobro pro-
Simo passado. que regula o. orneetmenlo
de livros aos eorpos do exerc.lo, a qti.l ro
remetlida pelo Exm.Sr preei^iiled pro-
vincia emomciodol. dom ex corren e :
. t. SeccSO. Hit", e Exm. sr. D or-
dem deS. M. o Imperador commun.co a V.
Exc., para seu conhec.menlo, que o mes-
mo augusto Senhor houve por b^m, por sua
Tumediat. o imperial reaohicflo .ie M do
correnle. lomada sobre consulta if*
Iho supremo militar, mandar declarar em
oluo ao que .lie "P^"'^ICm da"-
te do Rio Grande dosul, e em confurmda-
de da opiniflo do mesmo, que so, quandoa
ver lugar a form-cBo do qu-lquer corpo no-
vo d" meo ser-lle fomecidos os l.vros ne-
c?essrios p.r. a a-a escr.ptur.cBo segundo
seachaeslabelecidojeque, desde que m-
f"v"r organisado com todos os lanCinentoe
de so- creacBo. a despeza para a compra de
taes livros, e para levar-se a elTeitO oda a
.uisescr plurae.au. dever ser fe.l. por
conta do coinmaiidante, ea que pertencer
M companhia cusa dos respectivos ca-
nil ae"ni forma do decreto da 2* de ago-
tPo de ,8*1 excepto, por.n. o l.vro-aiestre
Ker.l e os ivros-mestres das conpenhies.
osquaeadeverOoser ornecidos pelos.er-
seo.es de guerra sempra que fOrem prec -
soe como al o presento se lem pralic.do:
nnelmonteqoe. quando et.. occa Bu de
uuerr o eorpos marctiarero dos seus quar-
?eis par. entrarem as operacoes activas, do
exercito, s os devem acompanbar aquel-
las livros Pululamente indispeneaveis,
segundo asordtnsque fOrom dadas pelo,
commandautes em cl.efes alio, de seiern
menos pesados os archivos do eorpos, di-
minuind-seB.simassuas bagageus, para
neis mobilid.de da tropee em campanl.a.
unte oSr. deeembargadorea Ramos, Villa-
res, Rasto. I.eSo. Souza, Rebello, Luna Frei-
r e Telle, faltando eom causa a Sr. desem-
bargador Ponce, fol aberla a seiso.
O Sr. presidente apresentnu em meaa um of-
flcio a elle dirigido pelo Exm. Sr. concelheiro
de estado presidente da provincia, em data le
30 do passado novembro, remetiendo Ihe um
exemplar do Diario it Pernambuco n. J69 da
mesma dau. o qual conten os aviso que em
datas de 18 de setembro e 8 de novembro o
Exm. Sr. ministro do Imperio expedlo aos pre-
sidentes daa provincia de Sergipe e Piauny,
sol vendo duvidas acerca da execucao da lei re-
gulamentar da leicOe.
DICISIS.
/Ja4 Theodoro Marques Vieira.Frain-lhc denega-
das as solturas.
Dito de Jos Manoel Gosselro Vianna.Nao
Ibe fol concedida.
ApfuUac> erial.
AppeHantes. n Dr. Fillppe I-ipes Netto e ou-
iro ; appellad.i. o juizo. Julgou-sa impro-
cedente a appellaco interposta por os ap-
{lellautes, e procedido o recurS* officlal do
ulio de dlreito relativamente ao reo Jote
gnacio Ribrlro de Abreu Lima.
Jpptllacei civtu.
Appellaote, Jos Carlos da Silva ; anvellada,
Marta Custodia da Virgen.Fftrom depre-
zados os embargo.
Appellante, Jo Gome Villar ; appellado,
Leopoldo Jos da CosU Araujo.-rFol confir-
mada a sentenca
Appellante, Hernardo Duarte Brandan ; appel-
lado, Manoel Joaquim Rebello.Fol refor-
mada a sentenca.
Appellante, Jos arla da Costa .arvalho
appellado, Manoel Perrelra da Silva Ramos.
Foram desprexados de declara?".
Appellante, Jo* Gome Perelra Ribas; ap-
Prilada, a cmara municipal da villa do
llar. Fram desprezados os embargo.
AppeHantes e appelladoi.Joao deCarvalho Ra.
poo e o julxo.Foi conHroiada em parte, e
reformada em parte.
Appellante, Antonio Ferreira do Valle appel-
lado, rugenio Jos de Saala Rlla.->-Mandoii-
se que descesse ao juiao da priinelra vare do
clvel para se avallar a dizima.
disionscoes.
Fol astlgnado o primeiro dia tslll para o jul
gamento das cguinles appellacSea clvels :
Appellanies. Fianrisco Jos riarbosa e Iiillo
Herenger; appellado, AnlonioComes villar.
Appellante. Lourenfo Jos daa Neves appel-
lado. Gabriel Gonealves Loiliba.
AopelianVe', o padre Sebastian Antonio de Me-
Tzes ; appellado, Luiz Ignacio de Ollveir.
Ap^eflante. Ar.enlo Fortun.lo da Silva; eo-
pellado, Gabriel Antunes Penna.
Passaram do Sr. desembargado- Villares c
Sr. desembargador Itaito a appellafe cl-
vels ein que sao :
Appellante. Antonio Lope. Perelra. deiHeHo;
appellado, Antonio Joaquim de Almeida
Guedes Alcanforado.
Appellante, Domingo Perelra Mendanha ; ap-
pellado, Joaquim Ferreira.
Annellantes, Antonio Lns Caldas e Mana Can-
dida d" Magalhe. appellado, Antonio Pe-
dro le Mrndoiica Corte Real.
Passou do Sr. desembargador i'astos ao Sr.
desembargador Leo a appellacao crime em
que sao: .
Appellanle, Jos Mara dos Santos Cavalcan-
te ; appellado, o juto.
Do mesmo Sr. ao Sr. desembargador Leiio a
appellacdes-civeis einquesao :
Manoel de almelda Lima ; appel-
Appellante, -**** --
"ada, Mara Joaquina dos Alijos.
appella-
AoSr. desembargador Villares o aggravo do
juito do clvel do Cabo em que sao :
Aggravanta Joao VsdeOlivelra ; aggravado>
Francisco da Chaga Cavalcant,e.
Ao Sr. desembargador flaatos o aggravo do
clvel do Cabo em que so :
Aggravante, Ignacio do Reg Barros ; aggra-
vado, Luiz Salgado de Albuqucrque Mara-
nhao.
Levantou-sc a sessao s 2 hora da tarde.
BelnrSo do> feilos aprneniados do i.'at 15
do mez de novembro prximo pastndo na -
crttariam da relaetlo, que fram dtitribuidot
e levam o nome do e$criodo em frente.
A appellac.So clvel do juizo de ausente des-
ta cidade em que sao :
Appellante. Manorl Joaquim Soares ; appella-
dos, Latharo & Diberl.Escrivao llandeira.
A appellacao clvel do juito do clvel desla ci-
dade em que sao :
Appellante, Hartholnmeii Francisco de Souza ;
appellado, Gabriel Antonio.Escnvo Fer-
reira.
A appellacao clvel do juito de residuos des-
ta cidade em que sao :
Appellante, Joaquim Marinho Cavalcantc de
Albiiquerque ; appellado. Feliciano Joaquim
dos Santos.Escrivao Posthumo.
A appellafn clvel do juizo da fazenda da Pa-
rahiba em que s>'0 :
Appellanle, Feliciano Jos Henriques, como
tutor de seus netos ; appellado,( o juizo.
Escrivao Bandrra.
A appellaco clVl do juizo do Clvel dcsta ci-
dade em que sao :
Appellante, Anselmo Gonealves Perelra ; ap-
pellado, Juaquiu Carneiro Leal.Escrivao
Ferreira.
O da de apparecer do juizo do civcl desta
cidade em que sao :
Appellante, Jos Francisco Relm ; appellado,
Lulz Antonio Coniaga.Escrivo Portocar-
reiro.
A appellacao civet do jury do Cear em que
so:
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Antonio
da Silvelra PrelICscrivao Ferreira.
A appellacao crime do jury do Cear em
que silo:
Appellanle, o Juizo ; appellado, Jos Antonio
da .- ilveira Prel.Escrivao Porlocarrelro.
A appellacao crime do jury de Campia-
Grande em que sao:
Appellanle, Antonio Nunes Vianna ; appella-
do, ojiiizo.Escrivao Posthumo.
cri emque sao :
Recurrentes, Jos Luiz l'ellr.io e outro ; recor-
rido, o julio.Escrivao B.indelra.
>ENAMBUC0
VOTACA PARA D0S SENADORES.
Ileiumo dos eolleghit do Red fe, Olinda, Cabo,
Snnto-Xntao, Scrinhann, l'o-d'Alho, 10-
Formoso, Limoeiro, Natareln Bonito.
os sus.
11; ."o da Rna-Visla
Antonio Joaquim le Mello
Venancio Henriques de Rczende
Manuel de Souza T ixeirg
Monsenhnr Francesco Muniz Tavares
Manoel Ignacio Cavalcanle do l.iicerda
votos.
783
758
731
700
699
698
Manoel Vieira Tosta
Domingos Milaquias de A. P. Ferreira
218
125
Defiroosrequerimontnsa folhaOOe man-
do que se lomo o termos dn aceitaclo do
hereiiQa a benedeiodo inventario. Mando
que se tomm as declame"** da inventan-
ante, segundo rrnteslou a folh 83 vero,
e reqtierpu a folha* tfi!, no maisque tivor
de dpcrever ; o fallas essasdescripri'ies o
;ivalnqo- s, sejam citsdos os coherdeiros
para conferirem Quanto allienaC""1 r'os
esersvos e h^ns, attondendo que a inventa-
riantena C"l)cn lo cal ad.ninitrailorn
liqu'dataria e teslamenteira plealheiar
ben< para pagamento das dividas, l,nh!o
Fasciul lomo terciro deeartacSo segunda
paragrapli'i 15, oque ess qnalidade n in-
ventariante he iucontcstavel, e est reco-
nhecida le fulhas 112 a folhas 11. o !' os
r-clamantes convieram as^inando como
teslemunhas a fr.ltias 123" IblnasH*: at-
t-ri li-n.ln que o legado transfnre-sftiio mo-
mento da mort'-do testado', Dieewj Porlu-
guez lomo tnrreiro artigo 1730. e q0" para
a legalaria l.ennor pn>sou o dominio los es-
cravo* Hiena los e legados na terca : nt'eu-
denilo que Leonor "prestamente au'ori-
sou a allietiscilo, como prova o do omento a
Tullas 126 fnlhas 129: alten lenilo que, m-
quauto ha dividas ffSn ha heranca, Digesto
l'orlugtiez tomo terceiro artigo 1300. equna
inviMitai-iiiut" pag'iil dividas liquidas, certas
e exigveis, r.uis'notes de ttulos ind'Sput -
veis, sendo i or isso qu os demais h^r-i-
ros nlo impngnam o pogsm'nto rledivi--
das liquides e certas, foito pela inventan-
ante liquidalaria. autos das p'irt'lhis : at-
lendenilo que nossas circiimstancias uo
pdem prevalecer negacO-s infundadas
contrarias a locumen'os indispula'e s e i
verdade sabida: allendendo que o docil-
m-ntoa fd'iaslO" foiosirahido lo origi-
nal com cacAo da partea follns 106. eque
tm por isso toda a f, Pereira e Souza nota
76 : attendendo que o testador dispo' a
folhas 109 que, no caso de falleseer a lita
sua lilh i legalaria, passasse o legado para
o< filhos desta, sonslivesse, e na falta para
seus herdeiro< mals prximos, e consequen-
temenln na hypoih-'S da morle da legata-
ria o test"'or quizqueo legado pssse
para os liurd -iros da dita lilli-i Leonor, < que
no caso do perila por man procedimeot' da
legalaria, he que quiz passasse para os lier-
deiros.do testador st'eodendo qos teodo
Leonor morrillo sem ter lilhos, ve iflca-31 n
primeira liypothese ; e que a invenlarianto
mili da legatarla h sua Berdeira msit pro-
Si.rna o ella scdevolvnn lega lo, orden -jilo
bargo da arguiclio feita asaihera1;u-v.-i.rnr.
lo i|iio se tienda nos pagamentos feitOS
pela invent suceeetVs o verba testa mentara a folhas
109, figure comu herdeira de sua lilh L-o
nor e que aprsente a conta dos rendlmen-
tns 0 despe/.iis los belis, I roseguilldii-Sfl
nos te' mus do processo Cidade do Recife,
9 ile agosto de 18V9 Scivo.
Nada maissccunlinlia oin dita sentenqe
tiilerlocutnria.
Cerlilico maisquo os her leiros dissiden-
les em uito iwenteiiosflu NuaoMaris de
Seixas e Luiz Amavel Dubourcq.
0 referido lie verdade c a ditos autos
me reporto : esta vi sem cnusa que duvida
faca conferida e em certa la subscripta e as-
sigua a tiesta cidade do llecife, em 27 do
novembro de t89.--Subscrevi e assignei.--
Km f de verdade e concertada. Manoel loa-
qnim Bnptiila. ________
i_j,hi_i--------x- i .
R'ublicH^ao a pedido.
. Deo gu.rde a V. Exc. PaUcio do Rio-
de-Janeiro, em 29 de oulubro de 184.-
Nanocl Feliiardo de Souia Metlo.-St. pre-
sidente d. provine!, de Pernambuco.-
Compre-so. Palacio do governo Je Pernam-
buco, l.o de dezembro de 1849. Carneiro
Ledo, Conforme. oiciel-maior, Fio-
riunno Correa di Brillo.
Joii Pedro Heitor, ejudanle de ordeos In-
terino. _^----------
TRIBUNAL DA UELACAO'.
SESSAO DE 4 DE DEZEMBRO DE 1849.
MSIUBNCIA do xm. sssiioa
coi-caLBaiao azbvbdo.
** de Iioia dHinenM. ctaBde-e prc
Appellante, a viuva Hrlto St Hlhos
do. Iiarlholomeu Francisco de Souza^
Appellante, Joao Gontalves Valente : appella-
lo Antonio Ferreira dos Santo Caimnha.
Passaram do Sr. desembargado!- L""^"-
re aor. desembargador Tellesas appellacoes
civels em que 3o :
Appellante, Francisco Joaquim da Conceicao;
appellado, Pedro Jos do. San o A varenga
Appellante. Jos Joaquim Umbelino de Miran-
da : appellados, a viuva e herdciros de Fran-
cisco nernardo Alve Ferreira.
Apelante o jul.o ; appellado, Pol.c.rpo
Jos Layne e outro.
Passou do Sr. desembrgador Telle o Sr.
desembargador Villares appellacao clv.l en.
que sao ". ,
Appell.nte. os herdeiros de Francisco lose
da Casia Guimarie, appellado, Jos Joa-
quim Beierra Cavalcanle.
DisrmsuicoKS.
Ao Sr. desembargador Telles a appcllato
clvel da cidade da Fortaleza em que sao
appellante, Francisco Jos Pereira ; appella-
do, Martlnho de Borgrs.
Ao Sr. desembargador Ramos a appellacao
civel desla cidade em que sao :
Appellante, Alelzo Jos Gomes ; appellados.
V" Antonio Gome Jnior por si e ou
Ao S*'. desembargador Villares a appellacao
civel desta cidade em que sao :
Appellanle, Anna Jacinlha de Souza braga
pnellado, Diogo Cok. hot & C, e outro.
Ao :r. desembargador Pastos o recurso crl-
me do cnefe de polica desta provincia cm que
sao :
Recrreme. Jos Peres de Almelda Lope ; re-
corrida, Maria Francisca da Rocha.
A appellacao crime do jury da Fortaleza em
que sao:
Appellante. D. Florencia de Andrade Bezerra
Cairo; appellado, Joaquim ferreira do
Santos Jacaranda.
Ao Sr. deeiubargador Leao a appellacao cri-
me do jury de Campia-Grande em que sao :
naftalina Joaquina da Silva, viuv, mei-
eira, tcstimenloira o liquiiUt-ria da casa
ciinmeicial queseu finido marido, ocom-
menda.lor Antonio da Silva, tinha tiesta
praca, s>ba rasilo de Antonio da Silva &
Companhia, precisa que V. S. por seu des-
pacho mande que o escrivao interino Hap
lista, revendo os autos de inventario de seu
casal, ihe certifique ao | deste a quanto
montamos algarismos alli descriplns los
pagamentos realisalos a diversos do seu
rredores e mais despezas fritas pela sunoli-
cante d pois da morte de seu dito marido,
at oulubro do anno pass chegam aslettras, olingacO-s, contase mais
documentos juntos aos referidos autos, que
prnvain eses dosenbolijus e lodos os s-us
actos relativos ao dito casal; e unalmciiie
que o mesmo escrivio Ihe d em seguida
porcerlidao o leorda seiileng ultimamen-
le proferida nos preditos aulos, declarando
quaes fram os herdeiros disstdentes contra
a su.plcante e isto em termos que fay,a.n
r ; e asaim pede a V. S., 111 m. Sr. Dr. jutz
da segunda vara do civel, deferimenlo.E
It. Me Certifique. Cidade do Recife, 2 de
oulubro de l&49.--Viv.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Itendimento do dia 5.....19;892,4lt
CONSULADO GERAL.
ftonilmento do dia'5.....2:477.156
CONSULADO PROVINCIAL
Rendlmento do lia 5.....'1:208.419
viovimeiito do Porto.
Navios entrarlos no dia 5.
Lisboa 26 dias, brigue ponuauez Uaria-
Jose.de 116 toneladas, capitn Jo quim
Jos Mesqilita, eiuipagem 10, carga vi-
nho o mais gneros; a Franriseo S-verie-
no Rabello. Pa Rabello, Caelano Pereira Gonrjalvea da
Cunha IrmSo, Jos da Conceicao Bravo,
Domingos Francisco com sua senliora e
2 lillins, Porluguzes ; Joao Duarte Car-
neiro Monteiru, Brasileiro.
Ass 16jias, brigue b asileiro Snciedade,
de 222 toneladas, cnido Claudio Jus
Ranu>o, equipagem 13, c-rg sal e paltia ;
a Jo- Mareellino da Roza. Pass-geiros,
Francisco Jos Vianna, Custodio Domtn-
gues Codes-ira com sua senliora, Jos
Manoel Figueira, Manoel Ribeiro de Frai-
las e 3 escravos a entregar-
Manoel loaqum Bnptista, eterirdo interino
d civel nata cidade do Recife de Pernam-
buco, etc.
Certifico que, vendo os autos de inventa-
rio mencionados na petic^o retro, dVlles
consta que os pagamentos realtsados a li-
versos creilores, e mais desbezas feitas pe a
supplicantc Dona Marianna Joaquina da
Silva, depois da morte de seu man lo Anto-
nio da Silva, al outubro de 1848, segn lo a
descripcBo da mesma tnveniariiinte, montm
a quantia de ris 31:515,156; assim co-
mo consta qu as lettras, obrigacOos, cun-
tas e mais documento-i junto aos ditos au-
tos pela supplicanto, que provamesses des-
embleos, sao.91.
Certifico mais sur o t"or da sentenca in-
terloculuna ultima piofe> ida em ditos au-
EDITIS.
Pcl inspectora da alfandega se faz
publico que, no dia 6 do correnle. depois
do meio-di, porta da mesma, se bao de
arremalT 303 barriquinhas c un macas,
por factura urna 3,850 rs. lotal 1:015,050,
impugna las pelo amanuense Joao Alliaiia-
zio Uolelho, no despacho sob n. 128 de 5 do
corr-nte : sendo a trremalacao subjeita aos
dreitos.
Alfandega de Pernimbuco, 5 do dezem-
bro le 1819.O inspector, Luit Antonio de
Samlo Sianna.
O lllm. Sr.Inspector da thesouraria da
fazomla provincial manda fazer publico que,
do dio iodo correnle em diante, se p.gara
Appellaute, Ani,n-0^u""V,nM!1f',',r"" tos. e que se acha a follns 245 verso, da os ordenados Oais despezas vencidas at
dos, Antonio Martin Pedrlnba e Lulz Cra" | ffa Duaeira eegulote:
Un,
lo ultimo do mez protimo passado.


.MuuuMmmmmMumi. m.wwwiii-i > i .ni.'"' '" **_?
ilpz dias a polaca nacional Sociedidt-Feli:.
cupildoVaDoel Antonio dos Sanios: quero
,o,
____
-
Secretaria da Ihesouraria Ha fazoed
provincial doPernamhuco, 4 rie riezen bro
le IK19 0secretario, /lifono ftrrtiiu
i' Annunciorn,
Ueclaraodes.
t
--0 arsenal de merinha admiti para -
tas ohras o obras do roellioraroonto do
porio serventes al o numero de 80, pp'fo-
rin'o os hvres a esrrvos, sendo o jo'-
n.il riaquelles 6t0 rs. por 'lia o uestes .'0
rs. : os i reteudenies apresenteiii-so ao lllm
Sr. inspector.
COI.I.ECTORIA DA CIDMW BE 0I.IN0V.
(l ni lector de diversas 'cnd s Ja ciliado
de liiida manda fazer publico pelo pre-
sente a todos ossous collectados que do pri-
meiro rio mez vindouro contera a contar-
se o prazo do 30 dias uleis marcados pira a
obranca do primeiro semestre do armo fi-
naureiro correte da decima urbana,*'
que, lindo esto prazo, procerierse-ha de
eonformidade com a lei a resoeilo dos omis-
sos. Oulrosim, faz publico que no mesmo
lempo cobiara ludas as oulras imiiosic.ocs a
scu cargo. O que para constar mandou
passar o presente. Olinda,2.' de novern-
bro do 18*9.--/odo Goncatics Rodrigues
franca.
i'ela collectorii deOlinda se faz publi-
co que, do dia 1. de drzembro prximo
vindouio.se principian) a contar o 30 dias
para a cohranc a bocea do rofio da dcima
los predios iiibanos e mail impostus a car-
go da mesma collectona do primeiro se-
mestre do correiite auno inanceiro ele 1819
a 1850, e que, (indo e.-lc prazo, licam sub-
jcilos a pagaren! os proi rielaiios, alm do
principal, a multa de 3 por cenlo.
Para .11 ossa medra.
As pessnas que quizerem fazer part da
segunda expediqflo para tiossameries silo
convidadas a compareceren no consulado
de Porlusal nesla cidade tolos os das
uleis. de-de s 9 buras da manlia al a- i
da tarde.
CCIIREIO f.ERAI..
A mala que lem de conduzir o vapor D.-
Ajfonso para o llio-de-J.meiro principiarse
a Cebar boje f C ; a unid liora da larde ; o
ale as -'horas recebem-sc correspondencias
CQtn o i orte duplo.
"

na mesn niiier rarregar, ou ir do paasa-
o ivera Imfloa V Cumpanhia, na ra da
Cruz, n 9.
Para c Ularanhan.
O patacho J' fin segu viag-'n*. par o
Para com rala por MaranltflO ; roe he ain
da nlgunia carpa e pas-ai/ei-ns pa a os ditos
oios : tratado C"ni O CapHfio Jos Mario da
"lu lorio, ou .-om |ne Bap'ista da l'onse-
< Jnior, i na do Vigaiio, n 23, segundo
n lar.
Lei loes.
Avisos martimo.
Para o Rio-de-Janpiro sabe, com muila
lirevidade o | aebo San-ioSo-Vencedor : re-
CebeCarga, eacravos a trde e passageiros :
a tratr com o sen consgnala!io, Francisco
AI vea da Cunba, ra do Vigario, n. it, pri-
meiro amlai.
--Para o Bio-Crande do sol sabe, com
nmita hnviria ie, o briguo nacional Echo :
quero quizer ir ''o paasagent, para o que uf-
fereceexrelleutes rom modos, dinju-se ao
caiulJo n huido, r>u a Ballharcs. Oliv- ira,
na roa da Cadeia, o. 12.
Para o Poito deve sabir
com milita brevidade, por ler
j;r^ii'l a nova e veleira barca portugueta
Santa-Cruz : quem quizer carre
fm escalentes cnmmndos diri-
ja-se ao capilao, Jlo de Oliveira
Leili-, a bordo, o. ao sen consig-
natario) Francisco A Ivs da Cu-
nba, na rita ilo Vigatio, n ti.
Para a Pabia sabe, amplleos dias, a
sumara Elnr-do-Angelan, meslie Rernardo
de Son/a, por ter a niaior parte da carga
prompla : para o restante e passageiros
tr-ta-secom o mesmo meslre ou com l.uiz
Jos de Sa Araujo, na rna ila f.ruz. n. 33.
Para o l'in-ilc-Janeiro segu viagem
rom brevldade o litigue brasiieiro tan- Va-
inpl-.Augusto, rapilo Jos rta Cunba J-
nior : i cebe Carga a fele, esclavos c pas-
sageiros : quem pretender embarcar, enten-
da-secom o dito capitn, ou com Manuel
Ignacio ile Oliven a, na piara do Oominer-
ClO, n 6. priuv iro mullir.
-- O biaic Ehr-de-Cururipe sabe mprete-
rivelmente no da 8 do correle : quem no
mesmo quizer carregar, ou ir de passugem,
dirija-he a ra da Cruz do Itecife, n C2.
Pura o Kio-dc-Jaueiro se-
gu com toda a breviiiadc, por Icr
grande parle de scu carrcgainrn-
lo prompla o brigue nacional A-
domastor, forrado e pregado de
cobic, e de excedente marcha :
qtieni no mesmo quizer carregar,
ir de passageu, ou embarcar es-
cravos, entenda se com os consig-
natarios, Hachado & l'inbeiro, na
ra do Vigario, n. fr), segundo
andar, ou com o cupitSo, Antonio
Cocllio Ilibato, no praca.
~ Frela-se a barcaca Conceicao-de-Varia,
proilipta a seguir viagem pura qualquer
poito ilo norte ou sul, prefnriiulo-se o da
l'arabiba, para o qunl sefretar por menos
um le (o do que lia A* coatume pacar-se i
os pri tenderles enten am-se com o meslre
a bunio da nie-m, fondead defronlc do
trapiche
rua larga do Hozarlo, n. 18.
Vende sea b iliaca oncricOo-de- Marn,
construida ha poueo lempo, e com a maior
seguranga posslvel. nRu s pela boa oons-
t'ueeAo, como Imiibem por ser toda enca-
vilhaua ue Ierro ; e como sen dono lencio-
nu faer un a viagem, por isso a vende a di-
nlitiro, e mesmo a prazoae assim Ihe cott-
vier u negocio : os pretendemos dirijam-se
a ri. larga .lo lu.zurio, n 18, que acharflo
ijini qu-m iralar.
-,-l'ara o llio-de-Janeiro segu, com a
maior breviade possivel, o brigne-esciina
Otinda, por ge adiar quasi promplo: pai
o rstame djru*m-se a rua do Vigario. o.19
--Para Lisboa s.bira por estes 15 dias o
bngue poitugurz Vetos, rapilan Ant nio
Pedro du I'igueiredo : parag;atgii ou pas-a-
grirua, iiHia-se rom o sobredito cpililo,
OUColli os t.rus consgnala*! ius, Oliveira I.-
m.o.a & i'.uii.p,,iii.ia, na rua da Cruz, n 9.
Para o Hio-de-Janeiro sabe| por estes
J.O. Klster, estando a relirar-se para
fura da provincia, far leillo, por inlorven-
CIo do corretor Oliveirt, de toda a sua mo-
bilia e mais objectos de casa, consistindo
em mesas He meio A-i -ala, consolos, sofs,
cadeiras de todas s qualidades, marque-
zas, commo las, toucadores, guarHa-roupa,
mesa de jantar, ililas para saletas, espe-
Ibos e mnitos outros objectos, um escravo
de servico, o alguns preciosos vinhos en-
garrafados, conservas, etc. : sexta-feira, 7
do corrente, s 10 horas da manhl, na rua
la Crut, terceiro ailar do predio ondeos
Srs. James Crabtree & Compaohia leem o
seu armazn de fazendas
-- Ridgwav Jameismi & Companbia farHo
leilfio, por itervenco Ho corretor Olivei-
ra, de um esplendido sortimenlo it fazen-
das inglezas de noves gestos, e ltimamen-
te cticgailas : quinta- feira, 6 do corrente,
s 10 bnras da mnnhSa, no seu armazem,
rua do Traniche-Novo.
Joan Koller & Companhia far.ln leilflo.
em presenca do delegado do consulado da
repblica france/a E l.avenere, por conta
e ti C" do correlor Oliveira,de urna caixa mar-
ca US n. ti, contando 48 chapeos de seda,
desembarcados ile bordo do navio Gustavo
II, capilfio llaulbois, vindo do Havre ; o as-
sim mais se continuar a venda em leilo
de muitas fazendas limuas de seda, lila, li-
nbo e de algodo, todas proprias do merca-
feira, 10 do corrente, s 10 horas da ma-
ii!i,m, no seu armazem, rua da Cruz.
\ visos diversos.
-- fin primeiro do Janeiro prximo futuro
em rilante o
JORNAL DO COMMRRflO,
que se nnhlica no Rio-de-Jnneiro, augmen-
tar o seu frmalo que ficar senrio o do
Timet de Londres. Alm disto, ser impres-
sn com Ivcos novos, e dar conta dos Ira-
balhos di) senado e da cmara dos deputa-
dos.
Apezardo aucmentodn forTiato, o preco
da as'i.'nalura continuar a ser : na Corle,
or um anno 20.000 rs. por seis mezes
10,010 rs. por tres mezes 5 000 rs ; e as
provincias, por um anno 21.010 rs por se'i
mezes 11,000 rs. por Ires niez.es 6,000 rs
Snhscreve-se na lypugraphia do iomaldo
Caminercia no Rio-de-Janeiro e em Peruam-
hnca em casa dosS'S Avrial lrmflns.
F!u ahallO ass'gnado, por estr fra He
de novemhro proxmo passado do anno cor-
rele o annuncio sesuinle:
% Marcellino Jos Ribeiro declara que, in-
do rallar ao Sr. Bazilio Varefffo para alugar
o segundo andar e solfln ria sua casa di rua
ila Penha para a Sra. I) Mana Francisca
de Jess Prafila, e lendo o mesmo Sr. Ilazi-
lio dado as chaves para a di a Sra. ir \(r a
casa se Ihe agradava, naquella mesma occa-
siffo que fui no dia 14 do cmrenle exigi
que o annunriante Ihe escrevesse em um
papi-| dnhrado que apreseniou o nome ria
Sra. e do annunriante que este escreveu, e
como ilepois nao se agradando a Sra da ca-
. no dia 16 Ihe renetleu as chaves como
alllguel respectivo SOS tres dias da demora
das chaves em sua nulo, o Sr. Bazlli, rece-
bendo urna e nutra rousa(nflo i|iii/. pasear o
recibo, e nem eritregou o papel cuqueo
annuiiciante escreveu os nomes seu eda se-
nliora pelo pie-ente faz ceito que licaraiu
de t.enhum offeilu, e que smenle foram e*-
criidos para oSr llazilio saber a quem con-
li.iva as chaves de sua c e ped ao Sr. BaZillO que t-nlia a bonria le
rie declararse he 011 nio exacta a piesente
exposc.no, cerlo de quo o seu silencia a
cunliriiara
E por me achar boje em meu perfei
tn jiiizo declaro ao respeitavel publico o
que na venlarie se pa-sou o tamhcm
paraairedar qualquer suspeita que a re>-
peilo ila honra e crdito 'lo Sr Uazilio Va-
rejilo se podevse fazer. Nos dias 12 e 13 de
novembro procur'i ao Sr Bazilio para alu-
gar o segundo andar e sotan de su sobrado,
e por n.lo O encontrar deixei diloao mora-
dor ila loja i no dia 12 pelas nove horas ria
mandila, no momenlo em que a moradora
da loja dava-iiie o recado, fui eu ch g in lo -
disse que era quem prlenlia alugar o se-
gundo andar; o Sr. Razilio. tirando as ch 1-
ves da algilieir.i,(|ue tiazi 1 fiiit.rnII) ni s em
um papel sujo, abri a pona e corremos o
dito andar; e,achando-o com co itmorios a if-
licienles, dissc-lhe que era para a Sra. I).
Mara Prafila, peignnlei-llie pelo prego, e
riisse-nie o Sr. Bazilio que era 111 18,000 rs
mensaes com nhrigacfi'1 de o piolar; perii-lb
as chaves p ira a Sra. v1 a Ca.-a, fallan lo 0 1
a verdade quando disse que nessa OCCasiSu
o Sr Ba/ilio exigi de miiii os Domes m"ii
e ila Sra Prafita, e porque no sobrado nBit
pedia haver peona o titila por nao huve
morador : quando deseemos a Sra. do pri-
meiro andar disse -lie que rious hmeos Ihe
liavam pedido cum Instancia quo o Sr. Ba-
zilio deixasse as chaves do segundo anriat
que elles qu.riam ver para alugar. enlu
disse-me o Sr. Bazilio que eu nilo poda le-
var as chaves, que as deixasse no primeiro
andar, porque eu e todos que q nirsein ah
a achariamos, tanto mais que eu podi 1 nOo
querere elle perder di: lugar a oulro; disse
Iho que 11 'tiiav-u que o sobiadu eslava aiu--
gado, mas queeu levava as chaves e queja
vullava ron. chas, para tiiostiar a Sra. Pra-
lil- quede factoeu tinha podido vera caaa.
oque ludo piesenciou a Sra. do 1 ri un ko
andar, e ah era qu tiuha lugar o Sr Bazi-
lio pediros nome- fma> nBfi o fez) em ras.1i
tu ah lia ver peno e ti"t<: nlu voltei Cuitiu
devi com as chaves,pelo que as ii .co hora-
da t-rde piocu.oii-niu OSr. BaZiliu, e uisso-
JUe que aiudt uao liaba a i. ido ver o so-
brado, mas que rie noite iamos: com effeito
a noile foifos: no o. tro dia pelas nove, ho-
ras da tranhta n^pareCMl o Sr Bizilioem
casa ila Sra Prafl'a onde en me achava, dis-
semo-lhe que ja linhados do vfir o sobrado,
mas guo ja linhamiis remetilo as chaves,
ecom islo rciirou-seoSr. Bizilio, riiiendn-
nos que pelo que v-a nos nflo queramos
alugar o sobrado, e lendo descldo ssesca-
das o li mmns vnllar.e pedimos-lhJ que des-
se o dito segundo andar por 200,000 rs. an-
nuaes, atlenilendo que nos baviantosrie piu-
lar, e enln declaremos qu as ch*ves esta-
vam em nosso poder j o Sr. Razilio eslra-
nhou o nosso procedimento o finalmente
ceden ; pedi-lhe panol rie arremlamanio por
seis anuos; o o Sr. Razilio disse que s6 dava
por Ires anuos, lindos os quaes. se nos
agrndasse continuaramos: foi entilo nesta
occasSo que o Sr. Bazilio pedio os nossos
nomes para poder passar o papel dearren-
damento: perguntei a Sra Prafita se linlia
papel o pinina, mo houve papel, oquedeu
lugar ao Sr. Bazilio tirar da algboira aquel-
lejoapel sujo que hava trazlo,"em uro can-
to onde nao estiva escrito, mas r-ue pelo
verso eslava escrito liropo, escrevi primei-
ramente o nome da S a. Prafita e o segundo
o meu, e relirou-se o Sr. Bazilio, e disse-
Ihe que o sobrado eslava alugario e o mes-
mo deixei dito na loja e no primeiro andar,
quo dissessem a.quem procurasse que ji es-
lava alugario e lire os escriptos; passados
tres dias fui loja e> tregar as chaves e nflo
me quizeram receher: a noito as mandei en-
tregar ao Sr. Bazilio Varcjffo, que disse ao
portador que iiioreceba as chaves semque
Iho pagasse os dias de demora, visto que
niio me devia alinelo o nem me conhecia,
0 que cu mesmo Ihe fdsse entregar urna e
oulra colisa, e satisfazendo eu na manhila
segiiinle tolo o exigido nosta, ocrasiao
nem cu ped, nem o Sr. Bazilio se lembrou
rie entregar os nomes meu o da Sra.,que f-
ram escriptos naquelle papel sujo.
Pelas 8 horas ria noito do dia 21 rie 110-
vembioj dilp, estando o Sr. Bazilio agaza-
Iliaiio. reprimas vezes Ihe bali na polla,
pelo que me mandou entrar, e entilo obser-
vc 1 que as portas rio interior ja estavam fe-
chadas e que sua familia esteva incotnmo-
dada, pedi-lbe que me entregasseo papel
limpo e o que eu havia eseripto os ditos no-
mes; respondeu-mc o Sr. Bazilio que o papel
era urna caria a elle escriplo em to los os la-
dos, eque, pornfioterbatido elfeitoodito
ni ir adn enio, o havia riado aumrinsseus
meninos para brinquedo: riisse-lbe eu quo
procirasse na algiln ira da casaca que adia-
ra, sto fez na minlia presenca, avistado
que fui lamhem procurar na gaveta ecom a
luz na mfio curreu todos os papis o niio se
acnou.prociirou mais (por ou Ihe pedir1" ni
carteira, o Sr. Bazilio pondo a gaveta em
seu lugar pegon-me pelo braco e pedio-me
queeu mesmo normase os papis la cartei-
ra o que justamente fiz, e entilo disse-me
que m r> tirass' quo ia dar urna busca por
lo los os cantos da casa afim de encarecer u
papel, e no estado em que o achasse, que
no mitro dia me dara dissolucSo peraute
1 ( > 111111111 s : com effeiio, no dia 32 lie no-
vembro pelas nove horas da ni.inb.1i. o ca-
xeirorioSr Francisco \ntonio das Cbagas.
com botica na rua do Livramenlo, me den
o recado que o Sr. Bazilio me man Uva clu-
mar e que chegasse aquella botica, o eu Ihe
mandei dzer que tiRo livessn modo e que
-:., fallar, se eu por corlo eslivesse
em meu j...- ... ;,!. .i- v,,, oSr- Bazi-
lio o pedio ao Sr Chagas que testemiinhas-
se a couclusilo rie um negocio que buha
commiio, conloit lodo o espendido, eem-
llll pilXOII da akili.-ira o p ipi'l em.'jiie OU
bata posto o nome da Sra Prafita e o meu
corta lo em tiras egrudado com grurie de
Zimina a forma de brinquedo de menino,
SSsenlOU as tiras e muslrou que com efleito
era urna carta escripia, o ello p-rguutnu-
nie so recouhecia os nomes que ou havia cs-
e 1 I" da Si i e meu, pergiintoil-mO Se eu
i| nena a Igiiina declaraban porcsciipto, res-
pundi que uno, e que perduasse a minha
brutaliriadr, e entregou-me os nomes que
Ihe conliei c rctirou-se: do ludo he testemu-
nha o sr. Chagas, por isso peco ao Sr. Ba-
zilio VarejfJo e ao respeitavel publico que
nao il valor ao annuncio que inser no da
23 de novembro, pelo motivo rie nflo star
em meu juizo. Marcelina) lote Itibeiro.
liuii larga do iWizariu,
11. 14-
Prudines, cuUleiro e
armeiro,
lem a honra de prevenir ao respeitavel pu-
blico que elle acaba de rereber pelo navio
francez Sucraie um rico sortimenlo de cu-
li lacia lina como lesouras para cabellerei-
ro, costura, alTaialee para unhas; ditas
muito linas para senliora bordar; eslojos
le uavalhas multo ricos ; caivetes de lo-
rias as qualidades, com cabos do marfim,
msdre-perola e de tartaruga. O annuncian-
le aproveita essa occasiflo para lumbrar aos
seus fregiiczes, que ello tem um bom sorti-
menlo de, espingardas linas de cano trun-
cado e ria masquinado, das melhores fa-
bricas rie Franca, obra muilo boa e muito
segura proprias para se diverliiem pel
lempo de Testa : tamben) contina a amo-
lar as tercas, quintas c sabbados, esoen-
carrega de qualquer concert peilencenle
ao seu oflirio.
..__- W. Baynon, cirurgiSo denlis-
fffivfk ,a' "* rua (l0 -rral,|clte-.\ovo, n.
YJ-i* U, respeit08ameiue informa ao
publico que, pelos seus muilos afazeres, se-
ra obrigado a rinmorar-se mais alguto lem-
po nesta cidade, antes de sua retrala para
os Estados-llni los, e offerec seu prestimo
para tuda qualidado de oprracOes ilentaes,
para por denles novos, tunio singlos como
sentaduras inleiras, chumbar denles cum
ouroeprata, conforme as ultimas deseo-
borlas nesla lera.
Precisa-so de um bom caixeiro para
padaria. abonando sua cpacidade, e, dcs-
empeuhaudo bem o scu lugar, se Ihe da-
r bom ordenado : na padaria riebaixo do
sobrado da esquina da rua Velha, n. 106.
Na rua do Padre-Florianno, n. 4*, pre-
cisa-se do uuia criada de bons cosluines e
sisuda
Precisa-so fallar ao Sr. Jos da Costa
Albuquorque : na rua do Vigario, n. 15. Na
mesma casa existe utna carta para o Sr
VaaOurado.J
-- Alugm-se, para se passar a fesls.duas
urandes casas con muilos commodns e
bom bjnbo, sitas em S.-Anu-de-l)etitro :
a fallar com JSo Veuaucio.
Carlos Ilaiv, our ve,
na rua i^ov, n 5*2,
acaba de recebor de Franca um .sortimenlo
de obras de ou rodo lei. como sejant arie
reos, meios ditos e i ul-eiras : tamleo) io-
ceheu um grande sortimenlo de chapeos rie
-eiim e gnrpiiifio -no ultimo gosto e de dif-
ferenles cores e precos; chapos de palba
da lia ia ; ditos mullo finos, abarlos e fe-
chados; atmacijes rie chapeos do todas as
cores, muito facis de se cobrirem ; lilas;
llores; ponnarh'-s ; pennas para chapeos ;
camisinhas de cambraia para senliora, mui-
to bem bordadas ; luvasde seda com dedos
o palmas de rAres ; touess de lila para se-
nliora e meninas ; meias rie seda para me*
ninas ; cassa franceza muito filis : ludo se
vende mais barato do que em oulra qual-
quer parte.
-- O curador da heranca jaconte do falle-
cido pintor
Henriqie Belilz
urgentemente pedo sos devedores do mes-
mo defunto quo hajam desatisfazer ossous
dbitos al odia 15 do .correle mez de
ilezembro, visto ser necessario liquidar a
easa s"io mais demora : no consulado ba-
noveriano, rua do Trapiche, n. 19.
Alteiic.o.
Os sgenles da noile do dia 2, dia do an-
nivorsano de S. M. Imperial, fizeram (como
j lizeram publico) todos os esforcos a seu
alcance afim de apraseiitarem urna noite
em tudo digna de seus protectores, porm
esto scientcs quo nfin perderam o seu Ira*
balho por que, segundo a voz publica, ps-
tece que sabio o diverlimenlo ventada do
publico, noiin oh! que pagamento Uve-
ra m os .--ntes que, alm da concurrencia
de seus oledores, muito principalmente
dos senhores officiaes s quem a noite foi de-
dicada, accresceu o comportamento.sinceri-
dade,harmoniao moleragflo com quo assis-
tirain a todo o espectculo, accAo esta que
p le servir de modello a quem lem sirio a
causa das deslisrmomas as recitas pas-
sarias: muito agraria tal procedimento
s honrosas familias que assistiram ao
espectculo, leudo os agentes de pedir ao
mesmo respeitavel publico desculpa de
qualquer falla que os mesmos involuntaria-
mente pralicassem.
Ni ruada Cruz do Recite, deposito de
rsp, n. 17, existe urna carta para qual-
quer dos herleiros ( filhos ) do finado Andr
lenlo Rodrigues : quem se julgar com rii-
reito, p le comparecer que ihe ser en-
tregue.
Os abaixo assignados, tendocontrahido
una sociudade na loja de fazendas da rua
do Crespo n. 15, em o primeiro do agosto
de 1848, riebaixo da firma do Cunba Cumia-
rles & C, declaram ao respeitavel corpo do
commercio desla prarja, que elles leem riis-
solviuo a mesma snciedade na melhor har-
mona e boa fe. ti mesmo estahelecimento
fui cedido pelo propietario delle, Antonio
da i'unba Soares Guimar.les, ao ex-socio
Joaquim de Oliveira Maia Jnior, em conse-
queucia das boas maneiras, honra e prnbi-
dadecomquese portou durante, a mesma
sociedade. En poder dcste ficam fundos
sullicientes para pagamento rio debito pas-
sivo a quo a dita extiucta firma de Cunba
Cuiuiai es & C. se acln ouerada em eon-
formidade do trato que teve lugar om 30 de
........libio ultimo, por ambos urinario em
duplcala. Antonio da Cunta Soaret Gui-
Mfjfs. iuim de Olivoira Maia Jnior.
O abaixo asonado, caixeiro do Sr.
Manoel Antonio deJesua. fazscienleao res-
peitavel publico, que o annuncio inserido
no biario de 3 do correte, do Sr Felicia-
no Bodrigues da Silva, nSo se enlende com
o mesmo, vistu nunca ler lirio negocios cato
o dilo Sr. Antonio oaquim da Costa.
Antonio Joaquim da Cosa faz sedente
ao respeitavel publico que de hoje em rilan-
te se assignar por Antonio Joaquim da
Cusa e Silva.
mmm.mmmmmm
Na rua do Rangel, defron- |<
I te da travessa do lyceu, n. i
8, existen* prompios um an- %
. dar loja com todas as com- I
.}i modidades precisas para re- g
i ceber t'amilas,a(im de toma- 9
I rem o botn sorvele de fruc-
-|. tas, sendo cria dia de urna j
^ qualidade e com o melhor as-
seio e promptido possivel.
I'rincipid ln>je[4 ] s 5 ho-
ras da tarde, e continuar
emquanto aturar o gelo.
Aluga-se urna casa na cidade rie Olin-
ria, nos Uuatro-Canlus, n. 4, armada para
ler venda, econimodos para morar familia,
com cacimba dentro, cujo aluguol, ho de
8,000 rs. mensaes : a tratar com Domingos
los Alves da Silva, com loja de fazeuda ao
p da mesma casa, ou com o seu propie-
tario, Joo l.eile Pila Ortigueira, na rua da
Cruz, no Recito, n. \i
Prccisa-se alugar urna escrava para
vender fazendas com oulra pessoa : na tra-
vessa do Veras, defionle da casa do capitao
Bocha Brasil.
Ptecisa-se de um hornean que tenha
veidadeiro conbccimentu de fabricar Velas
rie carnauba : queut se achar neslas cir-
cunstancias, dirija-se rua da Senzalla-
Nova, n. 4-2, segundo andar, a tratar das
condic/ie* rie seu Ira balho.
--Aluga-se, no lugar ria Casa-Forte, junio
a casa do Sr. major Vilella, urna proprieda-
de de pedra o cal, por fesla ou annualmen-
lo : a Iralar na rua rio lirum, ns. 1,8 10,
fundicao de ferro.
Aluga-se motado do sobrado do becco
doSarapatel, n. 12, a alguma senhora ca-
paz quo seja s : a Iralar no. mesmo so-
brado.
Aluga-se urna propriodade na rua da
Maire-de-Deos, n. 3,de ires andares e so-
tflo.com quintal e estribara: a tratar na
rua da Cadeia do Itecife, com Joflo Jos de
Cava Iho Muraos.
-- Precisa-so de um pequeo para, cai-
xeiro de yenda : na rua Direita, n. 4.
- Precisa-se do urna preta torra para ven-
der iinude/.js pagaiido-se-lbo vettdagem :
ua rua da Conci$ao da Boa-Vista, n. 58.
Loierij) do Guadalupe.
Se qurem mais claro deilem-Ifo
agoa.
A's 8 horas da manhSa do dia 14
do corrente mpz, 110 consistorio da*
i^reja da Conceitao dos militares,
andam imprcterivelmente as ro-
dts desta lotera, srj* qunl fdr o
numero dos bilhctes que resten
por vender-se.
Aluga-se urna casa no Caching para
se passar a festa, com esltbaria e coctieira
por preco com modo : na rua Nova, n. 63
0 Sr. Joflo Cyprlanno ftaugol queira
ter a bondade deapparecer na rua da Ca-
deia de S.-Antonio, p?ra decidir sobre cer-
ta eonla que S. Me- recebeu.
Casa de modas francesas.
' Buessard Millocbau.
RUA DO ATEBnO-DA:B0A.VISTA, N. 1.
Recebeu-se pelo ultimo navio, vindo do
Havre, um grande sortimenlo de chapos de
soda para senhora, ditos de palha para se-
horas e meninos, ricos mantelletes e oapo-
tinhos de seda e fil, camiainbas, collarl-
nhos, romeiras o cabeces bordados, lindas
fitas, luvas de pellica, ditas de seda, ditas
de malha abertas, transas, franjas de seda
de cOros para enfeitar vestidos, capellss e
caixos de flores finas, cortes de cambraia
bordada, filos, lencos de cambraia de linho
bordada, ticas fitas de velludo, transa fina
da linho para enfeltcs de vestidos, bicosde
linho de todas as larguras, ditos de blond,
cambiaia de linho, bonetes de montara,
plumas para chapos, e mais outrai fazen-
das de moda. Fazem-so sempre vestidos de
casamento, de baile e de montara, chapos
rio senliora, vestidos de-baplisado, etc.,
etc. da ultima moda, e por preco mais
commododoque em oulra qualquer parte.
Aluga-se a casa da rua da ConceicSo da
Boa-Vista, n. 29 : a tratar na praca da dita,
n 6, botica.
Francisco Alfonso Botelho abre a sua
padaria no dia 10 de dezerobro, em S.-Ama-
ro, na ultima caaa do quarteirfio pertencen-
te ao Sr. Antonio do Correio, e por isso pe-
de encarecidamente a todos os moradores
daquelle bairro e do ria Boa-Vista que Ihe
iieem preferencia, visto o pilo ser fabricado
das melhores familias, a com mais perfei-
eflo easseio do que regularmente em oulra
qualquer padaria, porser parte deste ser-
vico felo por sua familia, o mesmo preci-
sa, de dous trabalhadores que*enlendam
desse servco, e lamben para entregar pilo,
os quaes dirijam-S' rua da Madre-de-Deos,
armazem do Sr. Vicente Ferreira da Costa,
quo he o cncarregado de fazer este ajuste
icar.io lloyie, subdito nglez, vai aos
portes do sul.
Precisa-se alugar um prelo, ou um
moloquepara o servico de urna casa de
pouca familia : na rua dos Quarteis, n. 14,
loja.
Aluga-sa un abundo andar e grande
solilo no Aleno-da-Boa-Vista, com muito
bons commodos para urna familia : na pra-
ca ria Independencia, livrana ns. 6 e 8, se
dir quem aluga.
Precisa-se de officiaes de mtreeneiro:
na'rua da Concordia, loja de ma>ceneiro.
0 J-r. Inuocencio Xavier Vianna tenha
a bondade de apparecer, para se contratar
certo negocio que S. Me. nflo ignora, na rua
da Cadeia de S.-Antn 10, n. 13.
(.omina de cngoinmar.
*Vendem-se saccas com gomma de en-
gommar muito alva na ruado Queimrdo,
n. 14, loja de forragens.
Fariiiha de mandioca.
Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, de muilo boa qualidade, por ser fa-
bricado na serra Meruoca, perto da cidado
de Sobral, por preco comino lo : na rua do
Queima-lo, n 14, luja oe ferragena.
Aluga-se urna preta para vender frutas,
doces, ele. : paga-se bem, lesponsabilisan-
rio-sesonhor pelas faltas: na rua de Apol-
lo, casa da esquina, segundo andar.
Aluga-se o sobrado da esqui-
na que volta para os Remedios,
defronte do portan de Jos* l'erci-
ra da Cimba, n, 39, com um gran-
de quintal e banbeiro : a fallar com
Joai-uim da Silva Lopes, ou com
morador da loja
--Precisa-se de um amassadnr branco
e, sabenJo bem desempenhar seu lugar,
se Ihe dar bom ordenado: na padaria da
Passagem-la Magdalena.
Precisa-sede um caixeiro com hastanr
te pratica rie venda eque abone sua conriuc-
ta : nao se riuvi la dar botn oidenado se
agr lar : na rua larga do Bnzario, n 53,
venda ria esquina confronto igreja.
Aluga-se urna boa casa terrea, sita na
rua da Maugueira da Boa-Vista, por Com-
modo preQo : a tralar na tua larga do Hoza-
no, n 38.
Alugam-ae 9 ou 4 osersvos que sejam
bons irabslharioies, para armazem de assu-
car : a tralar na rua larga do Bozario, so-
brado 11.39.
Aluga-se a casa terrea da rua
da Ponte-Vi'lba, n. pretender, dirija-se rua do Tra-
piebe no Becifc, armazem de as-
sucar de Domingos Soriano Gon-
calves Ferreira.
0 Si.|empregado da inspeccSo rioalgo-
rio baja Je salisfazer a quanlia de 8,740
is. quo tomou na venda da rua rie San-Jos,
11 2, en, elfeitos : isso 110 prazo de 3 dias ;
do contrario, lera de ver o seu nome por
extenso tiesta folha.
Na rua do Itangel. n. 9, precisa-se de
urna ama, que seja desimpedida, para o
servico interno do una casa de pouca fa-
milia.
Escaler.
Quem se achar com dioito a um escaler
vilbo que appareceu encalbado na bocea
da camboa vizinha ilha do Nogueira, haja
le o ir ver nestes tres dias : do contrario,
peidcra o direlto, anda mesmo aprrSciilao-
rio os signaos.
Precisa-se de urna ama de leite : na rua
larga do Rozarlo, n. SS.


a
Um pliarraacoutico com 3 annot d
v-rcico nesta cidade como oaixeiro, o f-
,. dola como proprelario. examinado nes-
. mes a cidade ora 18*5, pessoa de al-
cum ida-'e, sojleiro, de muito boa conduc-
j, a qual da fiador, oTrerece--s, medUmte
um ajuste, fM qualquer bolina,; quem
precisar, nesU.IXPOgraphia so dir.
.. neseja-seattignr o sobrado gran le que
fica jutdneodeSr. conrgo 1'eiXOto, na ru
da Hiheira, emOliuda. unora-soquem so
a o dono, ou quem o alus, por sao quem
uer que frt> quera anouneiar.
i't-U segunda vez se annuncia por e
la fulli que muilose desoja fallaran Sr.
jo3o lavares da Silv.fllhi) de oi.tro de igual
nome, da villa de Os da ritter em Porlu-
81 para se Mms fazer s'clenlo da morte de
eu'pai e do outros nrgocios a respeito de
tua familia idlrija-se ra da Praia, ar-
mazem n. 2. '
.- Fica semeBeitooannuncio do Diarto
r i7, de terga-fer, i do crrante, .assig-
nado por Smiflo Correia Cavalcante Ma-
cambira, por ter chegado a um acord com
oSr. Manoel Domingues deOlvera.
Doabaxo essignado rugi, no da 3
do correte, um esravo crioulo, bastante
fula, de nome Joaquim, alto, secco do cor-
po, olhos grandes, pouca barba ; levou cal-
as de brim de cor j deaboldo, camisa de
ilgo'lflo ; >e bastante regrisla no fallar :
quem o pegar leve-0 ao abaixo assignado,
(|ue recompensara. -- ioaquim Ribrro l'on-
tti.
.- ivecna-se de urna ama para urna casa
de pouca familia : na ra da Cruz, o. 53,
loi de barbeiro.
. Oannuneio do Diaria doa dias 26 a 97,
rom as lettras R B. L., nao se entende com
o sr. liento Borges Leal.
Ilrerisa-sealugaruaia preta quesaiha
coser, lavar, engommar, e aue tenha boa
roiiilucta : paga-se hem : no conaulado de
Franca, roa do Torres, n. 34, das II horas a
uu a i'a tarde.
Precisa-se de 200,000 rs. a premio de
um e mi'io p<>r cento pelo lempo de 18 me-
zes, sobre firmas : quem quizer dar annuti-
ciesua morada, para ser procurado.
--Osanaixo assignados, nimiamente*pe-
nhorados para com aquellas pessoas que
durante a molestia deseu prezado irmflo,
Manoel Joaquim da Costa Maya, tanto inte-
resse manifestavam pelo aeu resiaheleci-
mento, e pela honra que Ihe lizeram de
aompanhar seu corpo a sepultura no dll
3ndomez prximo passado, vcem por esta
maneira agradecer-lhes tilo sabidos ohse-
quios, protestando-1hes aua eterna grati-
rJ5o. Recite 6 dedezembro de 1819. Jos
Joaquim da Cotia Maya e seut ir mam.
I'ede-se ao Sr. Joaquim Xavier da Mu i
que tenha a bondade de mandar entrega'
os cinco pares dasapatos que no da 26 de
agosto prximo passado se Ihe confiaran)
para amostra, o que al o presente ainda
nSo fram entregues, pezar de se Ihe ter
pedido por inmensas vejes ; Picando certo
que, emquanto os nao entregar, ter o gos-
iinho de ver seu nome em lettra redonda,
para ser condecido.
Ni ra Nova, casa de comestives, n. 69,
llavera lodos os dias, das $ horas da tarde
em 'liante, sorvetes e refrescos de todas as
qualidades
Aloram-sebons terrenos na Capunga,
sendo pela maior parte com arvorodos que
do frutas : quem os pretender, dirja-se ao
sitio do Dr. Jacobina, no mesmo lugar ci-
ma dito.
Mara Benedicta do Sacramento, mo-
radora na ra Nova, sobrado n. SI, junto
igreja da Concetg.lo, roga a todas as autori-
dades policiaca a spprenbensSo do um seu
escravo crioulo, de nome Ezaquiel, 0 qual
tem os signaes seguidles : alto, secco, bem
preto, representa ter de 18, a 20 minos de
dade, tem ollicn de canoeiro e he bem co-
nhecido nesta cdade pelo seu genio turbu-
lento e inculcar-so forro : e constando que
dito escravo se ocha refugiado em casa da
vilva do coronel Joaquim Jos Luz, con-
Malo com os escravos desta casa, sein sci-
encia da referida viuva, por islo se ruga a
n.esina viuva baja (le dar as providencias
precisas conforme sua probidade : a pes-
soa que levar dito escravo a sua propie-
taria na Cas ac.na sei gratificado.
I'ieeisa-se lugar urna preta para ven-
der laboleiro de fazenda com outra pessoa,
pagando-se bem : quem pretender dirja-
se a ra do Livramento, loja de calcado,
n 19. -
Na praga do Corpo-Santo, esquina da
ra do Torres, n 80, haver sorvele das 6
lluras da tarde em dame.
Dao-se 12,ooo rs. mensaes
por alugucl de urna negia que co-
sinlte brtp, engomme liso e com-
de urna casa de
ultima
Attciiclto -jM
Ha alguns anuos que a Senbnra da Con-
ceigSo. padrocra da illustro e briosa cor
poncho dos militares, n3n.be festejada com
aquella pompa que he compativel digni-
latc. excelsa e quasi incnmprehensivel da
mi doRolemptor do mtnlo: a actual me-
sa regedora tem resolvido envidar lo los os
seus esfnrcos allm ilo que no presente snnn
e celebro o mysterio da ConeegAoda Vir-
gen) por exceflenoia com a maior pompa
que imaginar-so pode, oglona-se de. que
lever a effeilo o complemento dos seus re-
ligiosos intentos Convencida le que os tn-
numeros beneficios de que gozamos nos silo
liheralisados pelo Omnipotente, nflo por
noos prnprios merecimenlos, mas pela
efficaz proteccSo do nossa augusta e exrel
sa padroeira, convida a todos os Srs. ofil-
ciaes das qoatro classes, residentes nesta
cidade, para com a sua assistencit abrilhan-
tarem este pi e religioso acto, que consta-
r de vesperas, tercias, festa e Tt-lMun,
pregando ao evangelho e no T-Dmi o re-
verondlssimo padre mostr prgador impe-
rial Fr. JoSo Capistrano de Mondonga.
Igualmente pede aos moradores da ra No-
va o obsequio de Iluminaren) as frentes de
suas casas em as noites de 7 e 8 do andanto
mez.
Aluga-se um cabriolet inglez decoberta
e novo, com c.ivallo e todos os mais perten-
ces, mensalmenle: no Hotel-Commercio, se
dir quem aluga.
Alt -npo..
O bonellciado do dia 25 do prximo ps
sado (transferido para 28 do mesmo ) pede
merecidamente as pessoas que tomaram
biihetes para dito beneficio e anda nflo pa-
garam poro beneficiado nSo ter procurado,
que lenham a bondade de pagar al o d do crrante ao meio-dia. Tambm adver-
te a aquelles que lem promettido pagare
on3o tem feito de publicar os seus nomes
nessa folha para o publico conhecer os
meias caras : isto he, nBo pagando.
-- Precsa-se de urna ama para o serv-
co do urna casa de pouca familia : no paleo
da ribeira, casa terrea n. 23
-- A abalxo assignada faz sciente ao res-
peitavel publico, que no dia 3 do corrente,
rz penhora em urna casa ao p da ribeira
da Boa-Tista, n 7, e em todos os bens mo-
vis ealuguel da dita casa, ludo perten-
cente aos seus devedores Manoel Caetano
de Mello e sua mulher : e para que nn-
guem contrate negocio com o menciona-
dos bens com os ditos Joos, c pata se nflo
suscitaren! duvidasem lempo algum, Taz o
presente. Anna oaquina lint Wanderley.
Hoiitem, as horas da tarde, na ocasilo
em que ons srtanejos enlrarain na venda
das Cinco-Pontas, n. 82, para comprarem
molhados, com elles entraram maliciosa-
mente -2 prelos que, apenas apanharam os
ditos srtanejos desapercibidos, Ihes rur-
taram um sacro de algndfio, dentro do qual
traziam 126 ou 127 patacOes.sendo que des-
tes mi lado vinha sola e outra meladi-
de otro do urna luvadecamurcae tudo den-
tro do dito sacco. Os prelos trajavam cal-
cas e camisas, sendo estas de madapolSo, e
um delles traz chapeo de castor branco
bastante amarrotado; consta que estes pe-
los ha rouito vivem disto por toda a cidada
Declara-se a quem llzer apprehensflo do diio
Turto, ou delle der noticia certa na mesma
venda, que pagar-se-lhe-ha muito gene-
rosamente.
Sorvele da California.
llavera todos os dias das 6 horas da tarde
em diante no Passeio-Publico, n. 23, a 200
rs. o copo, boa medida edinheiro a vista.
cas
pre os a
pequea fanufW : na
defronte do. theat*o novo,
-- Perdeu-se do Aterrowja-Uoa-Visla al
a estrada de Jnftn-de-llarrus .um annel de
ouro, guarn ci lo de cabellos, jm as Ini-
ciaea M. A. A. B : quem o achou, queren-
o-o restituir, dinja-se ao mesmo Aterro
i. 36, ou a referida estrada, sitio do coro-
nel Jos Gomes, que ser gratificado a con-
teni*
Avis aux amateurs.
T1R Al) PlSTtM.KT.
Situ dans une des plus ln lies positions
desalenlours de la ville el a la portee de
tous les ilion eneurs qu dsirent passer le
moinenl des Mes i la camfagno pour ou-
blier les tnnuis de la ville, c'esl au tirqu'il
faul aller, c'eat 00 exercice nouveao ou
l'amour propre des amateurs est mis en
jen puur excrcer leur adrusse. Les amateurs
sunl prics de venir visler cet tablisse-
ment uu les proprietaires s'empresseront
d'tre en loul agreables au publie qui y
trouvera d'excellentes armes, tour les jours
de fles et les dimanches de midi a 9 beu-
res duoir.
Ce liresl situ lendroit ppele Chora-
Menino, ou comuiencent du cheuiin qui
va ou Paasage-de-la-Magdeleine.
--Precisa-se alugar uina escrava para o
serviQo de urna casa de pequea familia, a
qualsaiba cozinhar o diario: na ra da
Trenipe, no sitio que lem a casa com a fren-
vji'e cor de chumbo
Precisa-se de 500,000 rs. a premio so
" re bypoldeca em um predio; quem qul-
/er dar aiiniiueic.
-- Na ra do Rangel, n. 9, precisa-se alu-
gar urna preta, pagaudo-se meosaluieule.
3
-Compram 21 palmos desledas de va-
randa o 9 poi tolas i.iiiiHna de podra ra : na ra da Croa. n. 5i, ou annunein.
^ i ni'
Vendas.
Sorvetes
-- Na casa de pisto da ra da Cruz, n. 18,
haver sorvrte das seis horas em diante.
Vicente Ferrera da Cosla.com armazem
na ra da Madre-de-Deos, precisa comprar
um escravo de na?3o que seja boro padeiro ;
paga bem.
O oflicial de pedreiro ou car-
pina que se quizer incumbir de
empreitaro concert de pedreiro e
carpina que se devefazer em uuia
casa de um sitio nos rAemedios,
dinja-se ao sobrado n. i/j da ra
do Crespo, terceiro undar, das 6
s 8 horas da manhia, ou al-
fandega, aonde seu dono lie em-
(irrgado, para ir ao dito sitio ver a
obra e tratar do ajuste.
A pessoa que quizer comprar urna pre-
ta Cfioula, quo musir ter de dado 23 a 26
anuos, a qual sabe ngommar, cozuhar,
lavar desabSo e de varrela, cozer cbBo, r-
zer rendas e rucos, minio diligente em tudo
que sabe, e que nOo urta, nao bebe e nem
foge, queira dirigir-se a ra do Livrameu-
,o, no sobrado n. 26 : esta venda se frz pin
aocessidade, e o menor prego por que se
vondJ he 550,000 rs., e-aquem n3o convier
o preco nflo piocute comprar, porque por
renos mo su vende.
-Arreuda-se o primeiro andar da casa
u. 51 3a-fua da Cedis do Recife, com cin-
co verandas de frente, euma pequea casa
o sitio na ruado Seve, com um excellente
parreiral e baixa para capim : a tratar na
ra de San-FranciscO, casa de um andar
confionle ao tdeatro publico.
Joo Jos Innocencio Poggi, l>r. em
medicina, faz publico que tem fxado sua
residencia no Alerro-da-Boa-VIsta, sobra-
do, n. 3, onde o acharflo prompto para
exercer sua arte, curando gratuitamente os
pobres.
Compras.
-Comprase urna cafeteira de prata, que
esteja em bom estado : paga-se bem : nesta
typograpdia se dir quem quer.
Compra-se um srllim inglez que este-
em bom uso : na ra estrella do llozario,
45, primeiro andar.
Compram-se uniformes militares, usa
dos,sendo do ouro ou prata: na ra do Quel
mado, 19, primeiro andar.
Compram-se escravos de ambos osse-
S, sendo mocos e de bonitas figuras: pa
in-se bem i na ra das l.irangeiras, n
, segundo andar.
--Compram-se ossos: na ra da Con-
cordia, n. 8. .
xo
a
1*.
Follrinlias.
Na livraria da praca da Independencia,
ns. 6 e8. vendem-seas bem ennheeidas fo-
liunhas impressas nesta lynograpbia, tan-
to de porla como dalgiheira.
ARCIIITECTKA.
Vende-seuma excellente obra de arch-
tectura, a qual tem estampas de t"da a qua-
iidadede orlificlos : na praca da Indopen-
dencia, livraria, ns 6 e 8.
Lotera el Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, n.
4, vendem-se biihetes meios ,
quartos, oitayos e vigsimos da
11.* lotera a beneficio das matri-
ses do Hio-de-Janeiro: a elles, an-
tes que se' acabem
Vende-se, por prego eommodo, orna ca-
sa dedous andarese sotllo, sita no Herir,
nobecco do Burgos, n. 1 : na ra da Praia,
armazem n. 9.
-- Vendem-se 500 barricas vasias que r-
ramde farinha, por prego rasoavel, para se
desnecupar o lugar: na ra larga do Ro-
zarlo, n. 18, padaria. Neste estabelecimen-
t precisa-se de um canoeiro, forro ou cap-
tivo, pagando-se-lhe mensalmenle o que
seajustar, para andar em urna canoa de li-
jlo da Passagem ao Recife
~ Vendem-se 16 escravos. sendo: dous
cscravos carreiros ; um ptimo moleque de
15 annos, de bonita figura ; 2 mulatinhos
de 18 annos, ptimos para pageos^; 3 escra-
vos moros ; 4 negrinha de 14 a 16 annos ;
4 escAvas mogas e de bonitas- figuras : to-
dos por prego eommodo : na ra Uireita,
0.8.
Vendem-se manteletes de
ehimalote e outras limitas fazen-
das de bom gosto : na rna do
Queimado, n. 17.
Vendem-se quejos londrinos, presun-
tos nglezes para fiambre, conservas ingie-
7. is e Trancezas, latas com bolachinhas li-
nas ingtezas, garrafas com mantega fres-
ca, latas com marmelada, vinhos da Madei-
ra secco, Porto particular, moscatel de Se-
tubal, Colares, Lavradio, Bucellas, Carca-
vellos branco o tinto, Ctieres, licores tinos,
champanha, caixascom massas finas: tu-
do por prego eommodo : na ra da Cadeia
do Recite, n. 2.
Veqde-se urna oscrava moga, croula,
que shlio lavar, entornillar, coser e marcar,
ludo com perfeigao: na ra da Cadeia do
Recife, n.43.
I'echincha.
Vndem-se corles de caigas de meia casi-
mira de 1:1a, a 1,600 o 2,000 rs. o corto," bas-
taste Vncorpado; bem como moas para
senhora, a 200 rs. o par, e a duza a 2,000
rs. ; na ra do Collegio, n. 1, loja da es-
trella.
Chapeos de palha e sa-
patos do Aracaty:
vendem-se em porcoes por preco
eommodo: na ra doAmorim, n.
36, armazem de A. J. Vid.! &
Companbia.
~ Veude-se um rico e novo adereco com
seus brincos o alnneies, todos de diaman-
tes, da-se por metade do que custou ; una
corrente com 42 oit vas ; uinordSo gros-
so com 48oitavas ; um trancolim de lila-
grana com 24otavas, e alguns anelOes com
brilhantes : na ra antga dos Qusrteis,
n. 8.
--Vendem-se longos de grade bordados,
e fazem-so quaosquer bordados de encoin-
meuda : na ra do Collegio, n. 6.
Vendem-se oculos de alcance, de su-
perior qualidade : na ra do Trapiche-Novo,
n. 18, primeiro andar.
Pannos finos.
Vende-se excellente panno fino cor de ca-
f, pelo diminuto prego de 3,500 o 4,800 rs.
11 env,1 do ; dito preto, a 3,000, 3,500, 6,000,
7,500e 8,000 rs. o cova 10, prova de Innilo:
na ra do Collegio, n 1. loja da estrella.
- Venle-se por eommodo prego orna ca-
sa torrea as Cmco-Ponlas, feila moderna
e do gusto ; e 30 palmos de terreno, na ra
Augusta, com mi-iagjo i-, um oilSo o com
alicerces : a tratar na l'racinha do Livra-
mento, n. 67.
Veinlem-se 2 cavados bons para sella,
de bons andares, por prego eommodo: na
ra do Rangel, n. 15,
l'ara se acabar*.
Vendem-se superiores corles de cam-
braias finas antigs, pelo barato prego de
2,500 rs o c'te;. bem como novos cortes
de cussa-ctiila, dt lindos gnslos, a 2,800 e
3,000 rs. o corte : na ra do Collegio, n. t,
loja da estrella.
O O
Q Na loja do sobrado amarello nos ;;;.
C:) qualro cantos da rna do Queimado,. Q
0 n. 29, vendem-se cortes de vestidos n
0 de seda do cores com 22covadosa25. q
28.e 30,000 rs. cada corte ; cassas- n
0 chitas as mais modernas e do cores f,
! fixas, a 800 e900rs. a vara; chitas S
3? francesas largas e muito bonitas de J*
desendos, a 3*0, 3'0 e 400 rs. o co-
y vado ; um completo sortimento de ^
mantas e chales de seda para diiT.a- 9
Q rentes pregos ; chapeos francezes da O
ultima moda; lengos brancos de O
c) cambraia de lindo e outras muitas <
<) fazendas de gosto: ludo por prego de (i
{> agradar aos compradores. 0
0OOOQOOO>OOQQ#
--Vendem-se muito boas bichas uellam-
hurgo, e tambem se alugam por prego mui-
to eommodo; na ra do Arago, na Boa-
Vista, loja debarbeiro de Theophilo Jos
Keneira de Sampaio.
\ende-seum relogio de p'irede, con>
i quadios de Jacaranda grandes de apo-
leo : na ra Nova, n. 69.
Augusto Colombier, com loja na ruaj
Viva, atrs da Malri/., ns. 2 a 4, vende bo-^
nitos chapeos franeezes para homm ; dilos
d palha aborta para senhora ; ililos de ca-
bello ; d'tos d renda ; remedio outimo pa-
ra as nessons quebradas, que so boas fun-
dan do to las as qual:(lai|es tfom corro dj
lustro faneflz ;-bonM)S jarros do oorcella-
nn para flores naluraes ; bonitos longos do
seda paa homem o senhora; snpnos de
dd'aiiue oara sen' ora, a 1,000 rs. ; dilos d
mrrpniuim.a t.OOOrs.; perfumaras; ap-
parelhnspara cha, "lo hom gosto; lengua
do cambraia do linho borJadus : ludo a d-
nheiro vista.
-- Vende-se a l"a de courns do O'3o o
Livramento,n. 5, com poneos fuios : na
ra do Rangel. 11. 7.
Ultimo gosto.
Vendem-se os melhores chapeos do mas-
sa rranceza que teem viudo este anno, lan-
o om forma como em boa qulilado : ha
para cabega bastante pequea, a 7,500 e
8,000 rs. : na ra do Collegio, o. 1, loja da
estrella.
actualmente em uso cortamente nilo sao.
V.-nlein-si tambem os ancios para oilo
cavalloseinsecarnilo, ou coma c arroga, a
qual esta arranja'la para trabilhar com ca-
vnllos ou hois : os arr-ios de superior qua-
lidade servem igualmente para carrocas <'e
um cavallo, e por isso tambem vende-so ca-
di apparelho em s'parado: a tratar 11
mesmo sito), ou na roa do Vigarm, n.J
1 a
*

U
O
i
5
Z
*
03
<
a
*........- 2
9- Na praga da Independencia, n. 12. "*
y^ vende-se a salve-rainha das liomditas 41
^ almas do purgatorio. #
-
Vende-se um escravo erioulo de 20 an-
nos. hom oflicial do pedreiro, bem robusto,
sadio e seni vicios: o motivo por qui se
vende se dir ao comprador : na ra Nova,
n, 51. sobrado junto a igreja.
--Vende-seuma meia-eommoda outra
dita com ca'teira, um cann>pn, urna caixa,
urna mesa : tudo usado, pnrm em bom es-
tado : na ruaesireita doRozario, n. 13.
Casimiras a .'i,.'"ion rs
Vendem-se cortes do mas casimiras de
bonitos gnslos, com tros covados e meio,
pelo barato prego de 3.500 rs. o corte ; ca-
simiras superiores, tanto em padrOescomo
em qualidade, a 4, 5, e',000 rs. o corlo:
na ruedo Collegio, n 1, loja da estrella.
Nova'gainbreSes a 2,000 rs. o
corte.
Vendnm-se superiores cortos decalcas do
gambreSo, com 3 coviilos e mcio, pelo di-
minuto prego de 2,000 rs. o corte, esl fa-
zenda torna-se recommendavel pela sua
boa qualidade j hom condecida, de boni-
tos padroes: na ra do Collegio, n. I, loja
da estrella,
-- Vende-srt, ou troca-so por casas nesta
praga, um sitio em llem-Fca, ao p da es-
trada nova, com boa casa de vivenda, co-
oheira, todo murado, com dous porlOos de
ferro, bastantes arvoredos de fructo ; bem
como duas barcacas novas, construidas de
boas madeiras, sendo urna de Inte do 18 Ca-
Xas o a outra de 20 : na ra da Cadeia do
Recife, n. 54.1 ja.
Vendem-se palhas seccas de coqueiro ;
o tambem se aloga urna canoa aborta do
conduzirum m'lheiro de lijlo grosso : na
olaria doCotovello.
Vende-se, a bordo da sumaca Ilella-
Carolt'na, fondeada defronte do l'asseio, a
muito boa familia d S -Matlli'US, pelo pro-
co de 2.800 rs. o alqu re : .1 tratar com o
capillo a bordo, ou com Antonio Pinto
Soares, na ra da Praia, boceo do Carioca.
Vende-se arroz a cincoenta ros a li-
bra, sondo a arroba anda por menos: no
pateo do Hospital do Pernizo, venda n. 20.
Economa.
No armazoin do vnhns, na ra da Ma-
dre-de-Deos, n. 36, laranjas milito doces e
excollentes, a 400 rs. o cont, o sendo quan-
do menos 50 por 200 rs. e nada em me-j
nos quanlidade.
Na roa \ova, n. 8,
Vendem-se dous lindos mulatinhos paral
pagens, sendo um delles hom boleiroeco-
peiro, e que he muito rivihsalo; um par-I
do bom oflicial de alfaato ; um molequo do:
nagn, que be muito bom co/.inb eiro e de.
boa conducta o que se aliang ao compra-
dor ; um moleque de 18 annos, bom ofli-
cial ''e alTaale ; dous pretos bous trabalba-j
dores de enxadas ; duas prelas com habi-|
lidades ; un a rnulatinha d 14 anuos, com,
principios de costura o ougommado ; duas
pardas com habilidades.
Vende-se superior vinlio de
Cbampaulie e familia de trigo Ba-
rn : na roa do Trapiche, n. i3
-- Vendem-se quejos de mauleiga o de
qualba, muito frcscaes,'e edegadns na .!/>/-
ria-Firmina ; esleirs do pallia nova, em
porgSoea retalho; pexo secco do diver-
sas qualidades ; r valla om liai'ris ; chapos
do palha nova ; caixas com velas de carnau-
ba brancas e amarellas, superiores ; couri-
nhos e SOI*, barricas com sapalOes brancos
o pretos ; ditos de coiko de lustro; charu-
tos de S.-Folx ; saccas cntn feij3o, a 2,000
rs. : na ra do Cruz, no lien fe, n. 24.
Novo sortimento de l'a-
/itdas baratas, na rna
do Crespo, n. 6. ao p
do lampea i.'
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padrfles, edres fixas e com 4 palmos
de largura, pelo barato prego de 320 rs. o
covado ; cassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; riscadinlio de lis-
trasde lindo, a 240 rs. o covado; biim de
al_'nd:"ni.ilo cores com listra ao lado e de bo-
nitos | a Ir oes, a 320 is o covalo;brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corle de
duas varas e una quarla ; cassa preta com
ramagem brano. para lulo, a 140 rs. o co-
vado ; zuartede cores, com 4 palmos de
arga, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, 200 rs. o covado ; risca-
do monslro, a 220 rs. o covado ; chitas de
bonitos padrOesc cores fixas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de larlstana, a 500 e
800 rs,; cobvttores de algodSo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
No sitio da Estancia, junto aoengenho
deOiqui. vende-se urna carroga nova de
4 rodas, tcila em Inglaterra, propria para
conduzir grandes pesos, sendo feila para
carregar assucar para o porto de embar-
que, e canuas do cannavial para o enge-
nho : osexos e rodas sSo do patente e de
urna solidez para resistir a todo e qualquer
servgo : foi trazida pelo anuunciante da
Inglalorra como adequada aos sorvigos do
eugenhos, como as carrogas de 4 rodas
Lotera do Rio-de-
% Janeiro
|Aos 20:000,000 ders.|
f5 Pelo vapor S.-Salvador recebemos *
R a lista da 5.' lotera dos misionarios J
capochnhos, o juntamente os muito t
# afortunados biihetes c meos biihetes m
# da 11 lotera concedida a beneficio W
# da construcgfln e reparos das malrizos
A do Rio-de-Janciro, cujas rolas de-
) viam andar no dia 28 do mez passado,
*
1
os quaossoacharno venda na dita
loja. das 8 horas da manh3a s fi da #
S tarde. $
PRECOSDOSBILIIETBS.
Inteiros 22.000
Meios 11.000
Quartos 5,500
Oitavos 2,750
Vigsimos 1,300
m
i
9
999*+>+9+9&>99*^9999,99Q
Venlo-se urna mob'a de Jacaranda
por barato prego : sendo, 12 cadeiras, 1 so-
f, 2 bancas, mesa de sala, 4 consolos com
pedra, 1 loucador pequeo, 1 rico palau-
quim novo, uno servido ainda pela primei-
ra vez, 1 lindo cavallopara senhora, prin-
cipalmente ingleza, por gostar do bom ga-
lopo a toda altura, bo:n carregador baixo,
muito manso e gordo: no llolcl-Commer-
cio, na ra da l.adeia de Santo-Antonio, so
dir quem vende.
Oharutusde Ha va na
vefdadeiro :
vendem-se em casa de Kalkmana IranSos,
na ra da Cruz, n. 10.
-- Vendem-se bustos de gesso represen-
tando fielmente a reinita Victoria o o prin-
cipe Alberto; relogios do ouro e do prata,
c legados ltimamente da Suissa : osles re-
logios que silo iiiui bom. acabados, so tor-
nam niuito recommoudaves a qualquer
particular, o adveite-so que ha entreelles
aiguns quo anilam 8 dias sem precisaren]
do corda : na ra da Cruz, no Recife, n. 55.
--Vendc-s< por prego eommodo a armn-
i'.'in da venda da ra da Gloria, n. 67, a di-
ndeiroou a irazn, leudo a casa bous com-
modos para familia, ooalugnel muito ra-
soavel : quem pretender dinja-se a ra do
Cabug, n. 3
-- Vende-se urna porgflo do esleirs de
pirpiry, de marca grande : as Cinco-Pon-
tas, n. 93, venda.
Vende-se una preta milito boa COZ-
nheira, que engomma, cose, lava, o he pro-
pria tiara ama de casa, mesmo do homem
sollero, por lo.- excellente, conducta : na
ra larga do Rozariu, n. 46, primeiro andar.
Na ra das Cm/es, n 22 segundo an-
dar, vendom-sn varios escravos, a sabor:
tima esciava crioul1:, eugominad ^ira, cos-
tureira, pqua faz lavarinto, cozinha bom,
lava d saho o val relia, o faz doces ; una
dita do 18 annos, que engomma, cozinha,
lava de salino, e ho opliina quitandoira ; 2
moloques de 14 a 18 anuos, sendo um de
nagilo, equo cozii'ki ; 2 escravos do 20 a
24 annos, ptimos para o sorvigo de campo
por estaro'ii a isto acoalumadosj eoutros
escravos para todo o servgo.
Vende-se urna magnifica e elegante
casa de campo, sita margem do ro, no
lugar de S.-.\nna-ile-|)entio, contigua ao
sitio dos berderos do fallecido commen-
dador Antonio da Silva o confronte ao si-
tio do Sr. Gabriel,com um terreno de 600
palmos de frente e 800 do fundo, com suf-
iciencia de ter capim para 8 ou mais ca-
vallos, e outras plantagOes, que tudo pro-
duz com muita facilidad* pela lertilidade
do solo, com excellente banho que fica a
i ouca distancia da casa: o ar ho muito
fresco e saudavel, com extensa e aprazivel
vista : os preteodentes para jvor, dirijam-.
se ao mesmo lugar, cuja entrada he lo-
go adianto da proprtedade do Sur. Ilolum,
dei'roiii doKr. Nicolao, a fallar com o Sr.
Joilo Venancio, e para tratar, na ra da Ca-
deia do Recife, comoSr commendador Ma-
noel Gongalves da Silva, ou em S.-Jos do-
Mangninho casa derronle da estrada nova
da Capunga.
Vende-se um escravo de 20 annos, sa-
dio e sem vicios : defronte de matriz da
Boa-Vista, venda n. 88
Na na Nova 11IO,
tem s" recebido pelo ullimonavio vndo de
Frnga um lindo sottmenlo de todos os
objeclosseguntes: chapeos de palha fecha-
dos e abertos ; espartilhos ; luvas de pel-
lica para homem e senhora j dlas do ma-
lla He soda com palma, para senhora e me-
ninas ; cabega branco da blonda riquissi-
mo para sonhora ; flores para enfeiles de
vestidos ; capellas ; ricos leques; saceos pa-
ra viagens ; jogos do visporas, etc. Na mes-
ma loja tmbem se vendem enceradosde|to-
dos as larguras para cima de mesa e plano,
por prego eommodo.
Vendem-se diversos escravos,
a saber: um moleque de 14 annos, cozi-
ii lio 11 o ; umdito de 12 annos; utn mole-
co bom remador ; um preto de 86 annos,
que entende de marujo ; 3 pretos para o
servgo de campo ; um pardo sapat-iro, e
que hu ptimo paia pagem ; um dito para
trabalbar em um sitio ; urna parda engom-
madeira e colinheira ; duas prelas ; .eou-
tros cscravos : todos estes escravos ven-
den.-se inulto barato, parase fecharen) al-
guuias COOtal na ra das Larangeiras, a.
14, segundo andar.



--Vende-se urna prrl.i crioula de 30 an-
uos, sem vicios, a qual lava o faz (oslo de
ir.para omallo : na ra dos Tanoeiros, ar-
mizem n 5.
Vendem-se relogios de ouro e prata,
palenteslnglezes: na ruada Senzalla-No-
v, n. 42.
Para o lempo da 'rsta.
Vendem-se os melhores charutos ha pou-
co chesados da Caxoeira da Babia, o de ou-
tras qualidades : no Aterro-da-lloa-Vista,
n. 47.
Vendem-se duas prelas, urna de|18 a
20 annos, de bonita figura, que eozinha o
diario de urna casa, com alguns principios
de costura e de de eng- mmar, e a outra
sabe perfeitamente lavar, e que he ainda
moca, por preco muito barato : na un do
Queimado, n. 14, lojt de erragens, se dir
(|iiem vende.
< 'era de carnauba de pri-
meara qiialidade,
e i-mi saccas : vende-se na ra da Cruz, no
Herie, n. 24.
Vende-se muito superior fa-
rinha gallega em meias barricas :
na roa da Cadea do ilecife, es-
critorio de Deane Youle & C ,
ou no primeiro armazem do becco
do Goncalves.
Na ra do Crcsp,loja da
esquina que volta para
a cadeia,
vender-seos acreditados brins trancados
brancos de lislras e lisos, de linho puro, a
1.500 rs. o corte; dito amarello, a 1,500 o
1,600 rs. ; panno fino preto e azul multo
bom, a 3,200 rs. o covado ; dito muito su-
perior, a 5,500 rs.; Custes muito bonitos
para colletes, a 640 rs. o corte; ditos de
velludo, a 2,500 rs. ; di'os ile setim lavra-
dn, a 1,800 rs. ; ditos de gorgurfloile seda,
a 1,600 rs ; camhraia lisa, a 2,720 rs. a pe-
ca de 8 varase meia ; cassa preta, a 1,440
rs. o corle; esi/nlo de linho muito lino, a
1,44o tt, a vara; e outras militas fazen-
das por presos cosimodos.
Tecidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Sanlus.
y a ra da Cadea, n. 5*2,
vendem-se por atacado duas qualidades,
prnpnas para saceos de assucar e roupa do
escravos.
Ruarles de furla-crcs a
2110 rs. o rov; d i r ris-
cado ninnsfro a '20 rs.
Vpndi'-so /mirle do furia-cores muito
eororpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cadn monstro niuito hiiin a 220 rs. o cova-
do : na ra ilo Crespo, loja da esquina que
volla parr a cadea.
A 640 rs. cada mu.
Vcndem-se cobertores de algod;to ameri-
cano, encornadosr grandes, a duas pata-
cas ; chitas escuras de bons padroes e co-
res seguras, a moia pataca o covado : na
ra do Crespo, na luja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Th'xms para engenho.
Na hinriicBo de Trro da ra do Hrum,
aralia-se de recebar un completo sortmen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes arham-sp a venda por preco com-
modo e com promptdSo embarcarn-se,
cu carrepam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Aviso importante.
Beneficio pulilico.
O armazem antigo da ra da Madre-de-
Deos, ii. 36, esta de novo estahelecido de-
liinxo das mesmas condicoes, offerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
boa por 220 rs a garrafa, c 1,600 rs. a ca-
nalla, a de vinho de llordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. NSo se admirem
os fieguezes do haixo preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
prnprietario querer sustentar o auligo pay
CO, embora este genero lenhs subido o me-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Fxamincm os
amantes a qualidade para reconh. cimento
da verdadee ciintimia^no da antica fregue-
'/ia. E pura no liaver usuras, esi.lo promp-
tas garrafas lacradas c com o competente
rotulo, as-im como barris de diversos ta-
manbos para piolsfio do prximo Natal
O prnprietario Conta com a concurrencia;
do contrario, loi nr3o es preces do r>-ta-
Jbo a primitiva de 240 e 280 rs. a garrafa.
I o!ha de Fiandres.
Vendem-se caixas com folha de Flandres:
na ra do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnior.
Velas de cores.
Vpndpm-se, no.armazem de molhados
atrs do Corpo-Sanlo, n. 66, por preco eom-
n>odo, velas de carnauba, sendo azues,
edr de rosa e lustrosas, asquaes se torriam
rrrommpudaveis pela sua superior qnalida-
de e aturarem mais que as de espermacele,
e nao fazerem morrfto.
Deposito de Potassa.
Vende se muito nova potassa
de boa qualidade, em barriszinliot,
pequeos de quatro arrobas, por
pirco barato, como j ha muito
lempo se nao vende: no lectle.
roa da Cadeia, armazem n. ia.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
nitiilo superior cal virgcm.de Lis-
boa, por preco muito com modo.
Vendem-se superiores pos de llmpar
denles, pelo diminuto proco de 160 rs. a
caixinba : na ru Velha, n. 54.
Chapeos do < Me.
Vendem-se chapeos do Chile superiores :
na pra^a do Couimercio, n. 6, primeiro
andar.
t rados de ferro.
Na funiiQflo da Aurora em S.-Amaro ,
von'em-sc arados' de ferro diversos mo-
delos.
AGENCIA
da fundicao Low-Woor,
RA DA SENZALI.A-KOVA, 1*. l\"X.
Neste estabelecimento conti-
na a haveium completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
eo^do, de todos os tamanhos,
para dito.
Deposito da fabrica de
rodos-os-Santos na Rahia
Vende-se em casa deN.O. Itieber & C.
is ra da Cruz, n. 4, aleodSo trancado
daquella fabrica, muito pioprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Chrt brasileiro.
Vende-se rh brasileiro no armazem de
molhados, atrs do Corpn-Santo, n. 66, o
mais excellente cha produzido em S.-Pau-
lo que tem viudo a este mercado, por
niveo muito com modo.
JvJoendfts' superiores.
Na fundicodo C. Starr & Companhia ,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
construccTio muito superior.
Novos cortes de cassa pa-
ra vestidos.
Vendem-se' cortes de cassa para vestidos,
de cores fixas e de bonitos padrfjes, a sete
e oito patacas o cite ; diales de tarilana ,'
grandes a 800 rs. ; meios ditos, a 500 rs.
na ra do Crespo loja da esquina que vol-
ta para a cadea.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor viudo do sul superio-
res charutos S.-Flix, e de ontras umitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parle : bem como
cigarrilhna hpspanhes ditos de palha de
milbo, que seeslflo vendendo pelo diminu-
to pre?o de 500 rs. o ecuto.
Cortes de brim de cores
rom lislras ao Fado, a
I.iOrs.
4
Vendem-se saccas com farinba muito
boa e bem torrada, por preco commodo ;'to
armazomdo finado.Braguez: na roa da Ca-
deia, ao p do arco da Conceic3o, n. 6 0, ou
a fallar na loja de Joo Jos de Carvalho-
Moraes, e no mesmoarmazem.
Para quem tiver bom
gosto.
Vendem-se redes de cores multo grandes
e muito bonitos padroes, e o melhor que
tem apparerido neste mercado: na ra do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia.
Na ra do Queimado,
viudo do lo/ario, se-
gunda loja, n. 18,
vendem-se luvas de torca I, pretas e bran-
cas, 500 ra o par ; meias de teda pretas,
curtas, a 800 rs. o par; ditas compridas, a
1,500 rs. ;e outras multas fazendas por
commodo preco.
A ,730 rs. cada mu
Vendem-se curtes de brim de cores com
lishas ao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
gndn americano, pioprio para escravos, a
140 rs o covado : na ra do Crespo, loja da
esquina que volta paia a cadeia.
A 4IO e 5GO rs.
Vendem-se cassas fraucezas de cores fi-
xas e de bonitos pad>0es, pelo barato pre-
co de 480 rs. a vara; chitas largas frauce-
zas e delisliHscOr de ganga c crdecinza,
pelo I ralo preco ce 360 rs.; brim tranca-
do amorello de pOlO linho, pelo barato 1 re-
Co de 640 rs. a vara : na ra do Crespo, n.
14, loja de Jos Francisco Das.
Cera em velas.
Vendem-se catxas com cera em
velas fabricadas 110 hio-de-Janei-
111 r 111 una ilas inri lunes fabriciis,
mu tiln ni o ao go to 1)0 comprador,
c por pceo mais barato do queem
outra qualquer parte: a tratar
com Machado & 1 inlieiio, na ra
do Vgario, n. 19, segundo andar.
Farinba de mandioca.
A bordo da gi-roicira Coticeic/lo-I'eliz,
Tumbada em frente do caes do Collegio,
vende- i-e frinha de mandioca, a tres mil e
duzentus ris 0 alqueiic da medida velha,
de muito superior' qualidade.
Vendem-se dous preins de 20 annos, de
muito I ornlas lisuras, ptimos |para carre-
garem um palanquim, ou para rabalbaren
em um armazem de assucar ; um dito moco
e de boa ligura, eque he bom uflicial de sa-
pateiro; 2 mulatintios muito espeitos para
seivirema urna casa, ou p*ra aprenilerem
ollicn ; urna preta de 20 anuos, de boa fi-
gura, que cose, engomina e co7nha; urna
dita cun una hlha de 10 mc/es que cose
e faz lava'into : na ra do-Colleglo, n. 21,
primeiro andar, se dir quem vende.
Vendem-se Itfboasde pinhode 2 pal-
mos de romprido, proprias para forro e
lampos de barricas vi mes ; arcos para pi-
pas e barris ; um balcAo com gaveins; ar-
marios usados; um braco de h.lanca com
peaos iie duas anohs at 1 Ii tira ; conxas ;
coi rentes de ferio ; barricas abatidas; sola
e i'oiiiini os de ciIiim : na ra dos Tanoei-
ros, rmazem n 5. .
Veii'ie-se um moleque crioulo, do II
anuos : na ra da C.lo'ia, n. 62.
Vende-se urna parda oe 25 annos, pro-
pria pata vender na ra, ou para o servico
de campo, por pre^o commodo: na ra da
Cadeia do liecile, n. 56, loja de ferragens,
de Antonio Joaquim Vidal.
Vendem-se 2 escravas para fra do pro-
vincia, que rosero, eiigommam e cozinham,
ptimas para algum nos capilft-s u^uo na-
vegan) para o Hiu-Graudedo sul ganharem
In.iii diiiliciro : na ra do Colle.10, n. 21,
primeiro andar, se dir qi.ein vende.
-- Vene-se urna rmaeDo do urna loja,
quasi nova o envidraeda : na ra de Con-
cordia, casa de marcenara.
Vendem-se lunetas do grande tom ; ca-
Xas de linh.s com 8 novellos sin 1 idus, a 80
ra. a caixa ; o testamento do g'llo, da gal.
lint.a edo cachorro, a 100 rs cada um ; car-
La du Salvador pa^a meninos aprendeicm
a ier, a 80ra.: na ra do Crespo, o. ti.
corte.
Na loja deGaimarSes & llenriques, ra
do Crespo, n. 5, vcndem-se novaa cassas
parisienses, padroes muito mo.lernos, pe-
lo barato preco de 2.720 rs. cada um corte :
esta fazenda te torna muito recommenda.
vel pela superior qualidade e barato preco
Vende-se espirito de 37graos, a 4,200
rs. a caada, e 160 rs a garrafa : na ra da
l'raia-de-S.-Hita, n. I.
Q11 cijos do sertao.
Na ra do Quejmado, n. 14, loja de fer-
ragens, vendem-se muito bons queljos do
serillo, por menos preco do queem outra
qualquer parte ; bem como 3 couros de on-
r.-i e um de Ion: ; urna porcio de couros
m indos: ludo se vende muito barato.
Vendem-se bilheles da lotera de N. S.
do Guadalupe, que ha de correr no dia 14
do crrente,-os intoiros a 8,500 rs. e os
meios a 5,000 rs : na ra do Queimado, n.
53, loja de miudezrs.
INttassa da Itussia.
Arha-se venda na casa fioth & Bidou-
lac, na ra do Vigario, n 4, nova potassa
verdadeira da llussi, em barris pequeos.
Vendem-se 32 palmos de chaos pro-
prios, na estrada da Capuuga, extremando
com o sitio do Sr. Jacob: a pessoaquo o
vende mora no sertao, e por se querer re-
tirar, o vender por preco commodo : na
ra Nova, 11 42.
Vendem-se 2 relogios, urna corrente,
tr-iif- luis, medalhas, conloes, brincos,
cruzes, anuelOes, rosetas, I vernica, l co-
rai;'io, t gargantilha, 1 moda guarnecida,
e outras obras de ouro e prata : na rus do
Queimadu, n. 14, segundo andar.
*Yijfio.
Vendem-se saccas com feijito, por preco
commodo: na ra do Queimado, n. 14.
accs cnu lucio novo,
de 410 a 00 libras, a ./:
vendem-se no armazem de Antonio Aunes,
no caes da Alfaiidciia, e nude Vicente Fer-
reira da CoSl, na ra da Madre-dc-Deos,
ebegadas ltimamente de Lisboa e de
Franca.
Velas de espermacele.
Vendem-se velas de esperma-
cele superiores, chegadas agorada
America : em casa de Deane You-
le \ Companbia, na ra da Ca-
deia, i. 4.
Vendem-se relogios para ci
ni.i de mesas com 3o horas de cor-
da por barato preco, visto a sua
qualidade e boniteza; na ra do
Trapiche, n 8.
Vendem-se atrs do thentro
talioas de pinho largas e estreitas
por todo o pirro, coin o abate de
a5 por cenlo dos piceos que at
entose vendiam, ulim de se ac
bar com a abundancia que ha .* ap-
proveilem-se, lregue7.es.
Farelo em saccas gran-
des:
vende-se no armazem de Antonio Annes ,
110 caes da Alfandega, a 5,000 rs. a sacca.
Vendem-se amarras de ferro: na ra
Ja Senzalla-Nova, n. 43.
-Verjdom-se 8 lindos moleques de 10 a
18 annos; 10 pretosde20a 30 annos, sen-
do um -dclles ptimo sapateiro o oulro co-
zinhairo; 3 pardos de 16 a 20 annos, sendo
um bom carreiro ; 8 pardas de 16 a 20 an-
nos, com habilidades; urna dita de 20 an-
uos, com dous filhos. urna de 5 annos e ou-
lro de um anno lendo a parda boas habi-
lidades j 8 pretas de 16 a 25 annos, com, ha-
bilidades, proprias para todo o servio : na
ra do Collegio, n. 3. .
Ytabo generoso.
Vendem-se barris com 12 caadas de vi-
nho generoso do Porto, com 20 annos, per
ser da colbeila de 1830 : este delicioso licor
he muito .preciado nos tostes, e por isso os
amadoresdevom aproVeitara occasiSo : 0
ipreco bo commodo : no armazem de Dias
Ferreira, no caes da Alfandega.
A 200 e O rs.
Vendem-se riscados franeexes de cores
fixas, pelo mdico preco de 200 a 220 rs.:
na ra do Crespo, n. 9, loja.
DCG PORTAS HJ2
Nesta loja vende-se panno fino preto o
de cores ; casimiras elsticas, finas e de bo-
nitos padroes ; cortes de brim de linho es-
curo, a 700 rs.; cassa lisa, a 320 rs. a vara;
chitas de cores fixas e de pannos muito en-
corpa l ". a 140 rs. o corado; e outras mui-
tas faz 1. las proprias da festa, por barato
prego paia fechar cintas.
1
s 2
u
0
es 0

s 2"
fl 4)"
I O* w 89 -
C3 > - ed
C * "
*%* es
m MD
- t
JS S8
c =
- c;
t ~
&**
Mil
""Ib*
a.
a
J "3 'o
-5 c'2
So
ai cc^
'3
"
B-2
S>r *jb -
ao r- Ss-
u e|. 1
B S-S.2S
S S~ > S a5 =
= o e
,33
= S0
9) B
O gerente do contrato do rap prince-
za de Lisboa contina a vender o rap vin-
do pelo navio Coucei(o-de-Maria a 3.200
ris cada libra, adinheiro a vista ; assim
como ruga as prssnas que ainda dovem o
importe de rap, hajam de mandar satisfa-
zer, puis nflo tem caixeiros paia mandar
receber taes dbitos.
1 A 2.400 rs.
*B Baralissimas mantas de cambrala e
V seda, grandes e de escolhidot gustos,
? para senhora, pelo diminuto prego
8 de 2.400 rs.:
* na ra do Crespo, n. II.
O Panohama, jornal littera-
rioe instructivo da sociedadepro-
pagadora dos conhecimentosuteis
em Lisboa, 5 volumes im 4
grande.
Jesus Christo perant: o secv.
lo, por Boseljy de Lorgues, ex-
cellente tradticcao po'rtuguea, 1
volume.
Lvt7, oe C'amOmI obras comple-
tas, nitida cd55o em 3 volumes,
emprehendida por Brrelo Feio,
em Hamburgo,
Vendem-se estas tres obra* mu
bem encadernadas na ru larga dn
Rosario, toja de miudezas de J.
J. Lody.
Vende.se um bonilo civallo com lo-
dos os andares, o qual he muito commodo
de sustentar: na ra de S -Hila, n 85..
Vendem-se duas toalhas de lavarinlo
com bico em roda; S lencos de Iavarinto
seis varas de bico largo: ludo obra bem
fcita; 14 saccas com gomma de eagommar
muito alva, a 5,000 rs; 300 coaros miudos :
na ra estrella do Rozarlo, n 1!.
Vendem-se sapatOea. de couro
de lustro para homem e meninos
ditos de bezerro francez; ditos
brancos para homem- e meninos,
chegados hontem : na ra da Ca-
deia do Rccife, loja n 9.
Vende-se sarja bespanbola up*rior>
1,600 e 2,000rs. o covadrf; chaleade chita
a 800 ra. cada um ; riscadinho francs a 160
rs. o covado ; corlea de cassa rouxa a 2,000
rs.: no l'asseio-Poblico, n. 19:
Massas de vapor.
Vende-se, no paleo do Terco n. 10, a no-
va bolachinha da California, de diferente
fortriatns, lazeuda prima, e todas as B"ais
bolachinhas e folias, tanto de Prnvenea co-
mo de regala : n preco das bolachinhas Ca-
lifornia be de 240 rs. a libra, e sendo do 8
libras para cima ser de 200 rs., e das mais
conforme a qualidade.
Vende-se um moleque de 7 para 8 an-
nos : na ra da Cadeia de Santo-Antonio,
n. 2.
fc/8eriv<8 t-uptc&ot
Aaropc rieangico c cbo-
colrtlede sade.
1 ciili.i de rbegar do Maranhiio, aonde be
fabricado, um nuvosortinie:rli> destes dous
objeclos, ja* bem couhecidos nesta cidade
por 11 milis 1 e-suas que lee 111 l'ei'o uso dcl-
les, ns quaea cunliruiam o seu bom resul-
tado : vendem-se 110 lllesiliii lugar do cos-
lume, na venda da ra da C-ili i.i do liedle,
n. 25, dcfronle do Uecco-Largo, pelo nies-
11111 precn de mil rs. cada gri'nliniia de xa-
lope e 6(0 ra. a libra do cnocolate de n. 3r
e 800 rs. o de 11. 4.
I ai nlia de trigo ame-
ricano.
Vcmle-se farinba de trigo americano, da
maici Brand-Wine, ebegada ultlmamenle,
por preco cummo lo : em casa de J. Tas-
so Jnior, na ra do Amorim, n. 35. .
g Parisiense,
~ esta linda e magnifica fazenda, vin- S
X da pelo ultimo navio de Franca, tor- J-Ji
*f* na-se muito recommendavel, n3o a ^.
V pelu bom gesto, como pela qualida- *>'
5* de do lecido, pruprio para esle paiz : >
V vende-se unicanrento na ra do Cres- O
O po, n 9, luja de Joflo Antonio Co- C
n
mes GuimarSes.
Sa atoes a 500 rs. o par.
Farinba de mandioca.
Vende-se farinha de San-Ma-
ilicus a mais superior que ha no
mercado a bordo da sumara Bella-
Argelina, Tundeada defronte do
caes do Collegio, ou na ra do Vi-
gaiio, n. 19, t. c andar, a tratar
com Machado & I'inheiro.
** mmmmmmmmmmmm*
Na ra do Collegio, n 9, recebeu-se
um Imli) soi tmenlo deates tilo apre-
ciados chapeos, que se vendem por
preco commodo.
Chapeos do Chile de I
| superior qualidade. i
i
I
Vendem-se 2 moleques pegas, de 19a
20 annos, de naedo Angola ; urna moleca
muitu bonita, com principios de costura :
na tua Nova, n. 39, segundo andar.
ufara lo e bom
Vende-se feijo mulatinho a
doiislu.slocsa cuia : na ra do l'a-
dre-Flotiano, venda, n. 7a.
Vende-se urna escrava cri-
oula, bonita figura, propria' para
qualquer se 1 viro de urna casa : na
ra da Cadeia do Recifc, loja de
J080 da Ciinha Magalbaes, n. 51
Panno preto.
Vende-se panno preto de ourela branca,
a 4,500 e 5,000 rs. o covado; dito azul, a
4,500 e 5,000 ; dito cor de rap* a 5,000 rs.;
velludo preto, a 4 500 e 5,000 rs.: merinos ,
casin iras ; e uUtia muras faieutlas. na la
do Crespo, loja n. 9, de JoiJo A. G. Cuma-
la es.
Para grvala.
Vemlem-se lencos de seda e de setim pa-
ra grvala,a 1,000, 1,500e 2,000 rs. ; ditos
de cassa, a 500 rs. ; ditos de seda para milu,
a 1,000 rs. ; ditos muilo grandes para se-
nhora a 1,500 rs.; ditos comfiaujxs, a
1,500 rs.: na ra do Crespo, n. 9, loja de
Jo3o A. C. Cuimariles.
Vende-se um escravn do gento de An-
gola, muito moco, com ofllcio de serrador.
Sabe abrir aerras, e que be muito diligente
para um ludo, principalmente para algum
senhor de enguuho,
, pois quem o comprar I ,
NoAterro-da-Boa-Visla, loja n. 56, veu-Jlicar possuindo uiu bom escravo : na ruaj
dem sapaiOes do Aracaly, a 500 rs. o par. Ida Prau-de-S.-Itita, n. SI, serrarla. I Pian.
Fogio, no dia 3 do corrente, as 6 boras
da tarde, urna preta de nacSo Loanda, de
nome alaria, de altura regular, bastante ma-
r; tem um signal no hombro esq'uerdo
que lis um M ; tem o rosto bexigoso, ca-
bellos corlados; levou vestido de qusdres
j desbolados, panno da Dista com mata-
mes blancos : quem a pegar leve-a A ra do
l'asscio-l'ublico, n 5, qu ser generosa-
mente recompensado
Fugio, no da 4 do corrente, s 8 bons
da noite, urna prata de nacSo Bengucla, de
18 annos, de estatura regular, cabera* pe-
quena, com um signal no sobr'olho es-
querdo ; tem urna lscamela em urna ds
ori'lhas n o lugar do brinco, olhos grande-,
peinas finas, ps grandes, e o direito in-
solado ; levou vestido de algodfto meselado
ja bastante sujo, camisa de algodSo tran-
cado : quem a pegar leve-a ra largado
Rozarin, n. 39, segundo ou terceiro andar,
que ser recompensado.
Fgin, no dia 5 do corrente dezem-
brn, urna preta de nome Joaquina, que re-
presenta Ier de 35 a 40 anuos, de naro
Cassange, de estatura baixa, ebeia do coi po,
cor fula, com carne sobr os olhos, nariz
chato, rom urna pequea costura no lado
esquerdo do rosto, e urna empinge algnma
cous apagada, com falla de dous dentei
na fente, sendo um de cada lado; tem al-
gasias costuras de relbo as cestas; tem as
nadegas um tanto arregacadas ; he ladina
que parece crioula. Esta preta sempre tem
silo de eozinha e oue por isso anda perca;
levou vestido de algodUozinho azul j usa-
do e una buida encarnada; t'm deco.-tu-
me quando foge de andar aqui memo 1 ela
praca e seus arrebaldes, e as vezes'emhrea-
ga-se. Roga-se as autoridades policiaes.
capitles de campo, ou qualquer onlla pes-
oa, que a apprehendam e levrm-na a .-cu
serrhnr, Domingoads Silva Campos, na ra
das Cruzes, n. 40. que serflo geniosamen-
te recompensados!
Pdgio um preto de aiCjo Angola, de
nome Jos Cassange, de 40 anuos pouco
mais ou menos, altura regular, bem ladino,
cara redonda, ps grossos; he bem contie-
ndo dos canoeiros da ilha Ae Jlamarar,
por ter sempre andado jan canoa de ral
quando era escravo do- Tallecido ha rito de
llamaraca ; consta -indar procurando ca-
uoasou barcacas'para nella fugir por isso
previnem-se eos mestres de taes embarca-
COes para g,ueo prendam e n.io Ihe deem
passageni paaa parte algoma : quem o pe-
gar leve-o A ra do Kangel, n. 51, a SCU se-
nhor Victorino Francisco dos Santos.
No dia 24 do prximo patsado. Jesap-
pareceu a pn la Hosa, de nacRo Itebolo,
cosluma vender peixe ; descunli-se estar
occulta em alpuma casa, no enlanloque
senhora da dita prela protesta baver de
quema liver occulla os dias de servico, e
de proceder cor.-, todo o rigor da le contra
essa pessoa : quem a pegar leve-a >o paleo
do Ca 11110, esquina da ra de llorlas, 11. 9,
que sera gratificado.
-- Fugio, no dia 2 do corrento, urna es-
crava de nclo, de 20 annos. de altura re-
gular ; tem una sarna na testa e em um
dos bracos; levou vestido de chita cnoiii>-
Iras encarnadas e panno da Cosa.' -Cata es-
crava veio da Baha ha pouco lempo, e por
isso nSo pode ter fgido para muito longo :
quema pegar leve-a a ra do Hospicio, ca-
sa de Thomaz do Aquino Fonseca, que re-
compensara.
--Fugio.no dia 6 do passado, o preto
Benedicto, de nac&o, de 18 annos, pouco
mais ou menos, sem barba ; levou camisa
de madapolfio e calcas de liscado largo e es-
curo ; de altura regular, corpo fornido,
beicos grossos, bocea grande, ps e mi
grandes : quem o-pegar leve-o ra etA
treita do Itozario, n. 43, segundo andar,
quesera gralilicado. A
HA TTP. DE M I. DI F4U. -18<9


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EV46D45R1_8VSFJK INGEST_TIME 2013-04-24T17:21:12Z PACKAGE AA00011611_06731
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES