Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06724


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
Quarfa-feira 58
FUTIDAS DOS OHMIOS.
Goiannn ,ParalUDa,aguudas csextas-fejras.
Ho-Go fiaboTsc rinhem, Rlo-Formoso, Porlo-Calvo
Macelo, no 1.*, a 11 c 2t de cada mea.
Caranhuoi e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flore, a 13 e 28.
Victoria, t quintal-feiraa.
linda, lodos os dias.
IfHIMIBlDU.
Fmscs d lo. Ming. a 7, as 6h. e 3 m. da ni.
Nova a 14, as 6h.eMm.da t.
Creso, a 23, aoi 5 ib. da m. '
Chela* 30, 8b. Sm.da.
rREAMAB. be non. -
Primeira as 3 boraa e 42 ininutoi da larde.
Segunda as horas e ti minutos di (Moh.
de Novcmbro N. 267.
VBKyOS DA au
Portreimees (adi
Por sehymezes
Por uhi auno
CA.
das Da ukawa.
2Q Seg. S. Pedro Alexandrino. And. do J. dos orf.
e do ni. da 1. v.
27 TC. a.Margarida dcSaboia. Aud..da chae,
do J. dl. v. do civ. e do dos fritos dafaienda.
28 Quarl. S. Gregorio. Aud. do J. da. v. el.
29 Qunt. S. Saturniuo. Aud. do J. dos orf. c do
Bl. < 1. V.
30 Seu A Andr Apodlo.
& Eloy. Feriado.
S. Bibiana. _______________
CAMBIOS Ut 27 DB BOTJtMBBO.
Sobre Londres. M /, d. por 1/000 rs. a 80 di-.
. Paria, 346.
. Lisboa, 100 por cento. uooo a 2M500
Onro.-Oocaa heepanhoes......... JOU fSj*""
Moedaade^400velhas.. 6/800 a 71000
de 6/4110 oova.. lgjW a OJWU
de4/OO0........... V'GS iKvi
*(.._ P.lace.brasileiro,...... J/ ^
Pesos columnarlos....... fiE! 870
nitosjnralrinoi-.......^ 1^^*J_ "--
DIARIO E PBRYVMBMk
PARTE 0FFIC1AL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 24 DE NOVBMBRO.
Offlcio.-Ao chofe dr polica, recommendan-
,lo Ihe novamente a expedlcao das coov*
tes ordeni para que as prssoai que teM eoi
ku poder InltBUoentos pertrncentes i repav-
Ucio da* ol!pu>lic3S, e Jos quaes I
inetteumna rclacao, os cutregucm; ralo haver
syectof da pa^AMorla mlftW*", tV
trir.indtt.b~ aT haver' arbitrado a gratlflcacao
,lc eem mil r., nos termos do decreto e regu-
la ment de 18 de novembrode 1848, ao paisa-
no Antonio Mara de Sonta Lobo, que re ofte-
reoeu para assenlar praca no 2. batalho de
arlilliaria a p.
Dito.Ao inspector do arsenal de marinha,
coiiiinunicando-lbe que voi er transmillido
secretaria de estado dos negocios da uiarinha o
inappa dos inoviiiieiitos da enfermarla do ines-
ino arsenal es relacao dos artigot despendidos
coin tal eslabclcciinento ein o mpz de outubro
ultimo.
Portarla.Ordenando que o director do ar-
senal de guerra fornrea quatro bandeirolas
por emprcaliiiio ao segundo lente encarre-
gado da medico dos terrenos de marinha.
Inlrlrou-se o referido segundo lente.
Foi nnmesdo feitor conferonle da alfan-
dega da corte o ex-thesoureiro da mesma
Jos Fernandes da Torre,'
Una das alas do quinto batalhiio de cala-
dores qun, ab o commando do respectivo
mnjnr, tintia sido mandada para S -Paula
por causa dos negocios de Coriliba, ja re-
gressou e se ach ligada ao corpo no quar-
tel da Praia-Vermelha.
I'or decreto de 6 do correntc, em confor-
midadida Ici do 3 de dezemhro de isil,
INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAM-
BOCO.
Ro-d-Jaa Gracasactlvldadede nosjanolicla, acabain
de.ser drscoberlos inais sciiMiividuos parti-
cipantes da innocnlf nduilrTt, que exercla o
Italiano Caetano Laghi, de falsillcar molda:
prlos seus noines sao os srguintes :Pedro
Antonio Mrasll, Antonio Joaquim da Costa e
Cuoha. Joo Antonio da Silva, Joaquim da Cruz
Lima e Alexandre Jos Coelho. Segundo se
pensa, a prisfio drsses senbores deve dar im-
portantes esclarecluienlos ao processo, e pa-
lentcar todas as ramificaces em que se sul>-
dividla essa famosa compaiihia industrial. Per-
initta Dos que pela mals severa puulc.io pos-
samos nm dia extirpar rsse o mais temivel
cancro que tem de acarretar o nosso pais a
uina ru(na cera: pela ininha parle, confesso
que multo pouco confio na cura do mal por
esse lado ; a audacia c desembarace com que
hoje se falsifican! notas entre nos tirainc toda
arsneranca, e inr faz orer que o ernne n.lo
icr-sc-hia dcsinvolvid.. cimI.iq grande escala
ciso ser fraucfi-^dla-sc que r WbmH; des- _
sa chamada de orwnio lavada, quer aqui, quer eslrnda
da Involvida nisso Terao facilil'l
foi ex-l Ka o lugar de juiz de direito da
vara.* Mfa cauital da Paraiiiba.
O Todoi-os-Sanlo$, entrado hontern do
Rio-Grande eSanta-Catbarina, nada adian-
ta as noticias que anteriormente tinhamos.
As datas de Potto-Alegre sao de 30 do pas-
eado, as do liio-Crande do 1. do corronte
e as de Santa-Cstharina de 7.
No dia 23 foi lanzada aomar, na primei-
ra provincia, a barca de escavano que o
governo, a pedido do corpo de commercio,
mandara construir para continuar a aber-
tura do canal da barra.
foi a sorp'reza e pasmo vendo ou ouvindo
rtgnor Sivori, com essa perfeiQilo sus] ht
segredo do genio, imitar em sua rabel
soquslquer instrumento que bem ihe p
rece, senflo a voz humana no choro d* dor
nos gemidos sentimental que arrancam Mdo numero do mesmo Onrfo, diz-sepuft/i"-
lagrimasa os ouvintes, e aindamis oler- ttilluminado, e mngnem atnda julgnu-se
autorisado a perguntar: a gar., ou a azelte.'
Quandonosser/imosda exprssHo-- te-
sgr.
no e mavioso canto las aves as suas ende-
cbas volateise innocentes como a existen-
cia que gozam! .
He cousa extraordinaria, dillicil de ima-
Kinar-se, impossivel de deacrever-se Con-
fssao que renuncio tarfa, e nem me acho
com frcas i.astantes para dar aos leitores
urna fraca ideia do que se sent, da seusa-
caoque so experimenta pelos aons de um
instrumento convoque-ja estamos tilo fa-
miliarisados, eque nao ha por ah barbei-
ro que 6 nao arranhe com bstanla marty-
rio dos ouvidos dos fregueze*.........Menos
que nunca recuso crrque as podras com que
conslruirmn-se os muros de Thobas fos-
sem attrahid|i pela flauta do celebrado aa-
Hlro de que nos falla a fbula : quem ouve
I fionari Sivori n.lo pode duvidar da influ-
As noticias que, por intermedio do Rio-..
Grande, livemos do Rio-da-Praa*. nsda t|. enca que a msica pode exercer ate sobre
zem de interesso : constvaallpor via do os seres Inanimados,
l.g, que o general Oribe publicara um de-] O thealro de S -Pedro lula acliialmcii e
errto estabelecendo a laxa oito pesos com graves embaraCos ; parecaquea falla
as provincias, anda
sobre cada pessoa que passar do territorio
do Brasil para o Kstado-Oriental, ou vice-
VerSa- .. A
A respeilo do Paraguay diz o ornal do
Commercio de hoje:
Nosjornaes no encontramos noticias
dos movimenlos da divislo paraguaya so-
bro o Uruguay, mas vemos por cartas par-
ticulares que toda a forra aqum do Para-
n se concentrara em Tranquera-do-l.oreto,
onde, em posicOes fortes, esperava o ata-
que com que a ame .?ava Riwal Rosas.
Ha diss Iranscreveu o Comi Mercanlft
um arligo do Commercio del Plata que, re-
referindo-ae a carias e noticias do Rio-de-
Janeiro, procura explicara modiflcaQo do
ministerio, dando como causa della as re-
pelidas insistencias do general Cuido, que,
por orem do seu governo, medida que u
nlcan<;ando as mais favoraveis coticessOes
do gabim te imperial, redobrava de exigen-
cias, al que o Sr. visconde de Olinda,
abrindo os olhos e vendo o terreno em que
se bavia collocado, reconheceu que, fican-
do-lbe mal recuar, n.lo Ihe era possivel
continuar com a pasta du cslrang'iros;
r"'sm'IP liJiidQjJtava tiro audaz, que at
pedfa expficarOe^or se estar abrindo urna
estrada em territorio brasileiro que pode
as comniunicacOes com o Paraguay:
dedinhoiropOeemduvida a existencia da
nova companhia ; muitos dos novos canto-
ras esto zangados pela falta de pagamen-
to, c a propria tianora Ida, posto nada Ihe
falt ello da directoria que nada Ihe.nega, | falla
em desejos de rillorno a la patria : ~ esposa
fiel, he de crer-se que seu coraco suspire
per federe il luomarilo. (Pobre coronel, em
que 13o m occasiilo vieram os successos
de Novara Nem torga de animo leve para
acomianhar sua consorte trra estra-
nha i!) Seja como for, est me paracendo
que teremos deficarcorr. a antiga compa-
nhia. .
Mademoisella Raderna lio semprn a ral-
nha do palco, 6 seu seentro Be indisputs-
vell em os annuncios fallando do seu no-
mo, a concurrencia ao Iheatro he inhllivel.
Oenthusiasmn chega ja ao phrenesi: nao
d ella o menor movimento de pernas, a
mais simples piroeta, que mo receba urna
triplico batera do palmas e mil ap; lansos
que echoam em to:ia a sala. K como nao
ha de ser assim. si ella |MR tanta graca
mas nenhtima importancia ligo aos artigos
do Commercio, | or ser elle, como lodos sa-
as autoridades, ter o governo frcas bastan-
tes para affrdntar de face inimigos tao podero-
sos 1Ntieio bem, rouito interessado em um rompimen-
Esiou Informado que a dla da provinciali-, de nogSB le con) RoS8S Todava as-
sacaoda moda sobre que o "dnlstro d, ra-, negocios poraqurlle lado nSo
tfytET sS =' a "l. S5"" cmlnnam mufo bem.W "Ho ten.,, re-
le" .'do be!,, aceita. S plano consiste em re- ccios de urna guerra que a algumas pessoas
colher todas as notas pequcuas que esto na parece i minente. Esperemos que o paque-
circulacio, substiluindo-as por metal, edara le 0 (io-da-Prata nos traga noticias mais
cada una das provincias seu padrao mnnea- crcunist8nciadas, etalvez CcrlOS esclare-
ffirem)raraas|cjmenl0s
Ha pouco houve no municipio de Cam-
rlo, (ou proviiicialisar as que
suas transaccocs internas ficando as notas de
que desde principio se-me anlolhou ; mas esse cepeflo, diz o Monitor Lampula, das moen-
iucoiivcnientciica compensado sullicicnteincn-1 ,iag e uos Cobr,s, ludo o mais lol raso : 12
le con, as mlagens de evilar-se urna falsifica-1 caSS ,)0 assucar, 10 pipas do ago'ardente,
cao em grande rscala, que pode arruinar as um lone|( 300 formas, 20 COU'OS, pipas, ele.
lortnnas parlicularcs, c exhaurir os recursos ..^img^e nUB 0 foco ganhia prmeiro
.lo ihesonro. Sinto que os cslrr 101:1 lintel' b ,"0'ardentc, e quedahi Secommu-
SSS^ttS^tKia^ aojis, sendo iito por mera casua-
mais que, lmenle pelo enunciado da qucslno, lidade.
ms ota serv de urna phrase Iheatral mui-
ommiim, assim como muitas oulras que
fdeve conhecr. Na technologia do thea-
(Je San-Francisco, por exemplo, segun-
lcom um annuncio publicado no ci-
. ._____-_ 1_______._ ,....... Ala ......'.;i_
norabsouto,--prima-dona absoluta, dan-
sarina absoluta, etc., o adjectivo absoluto
quer dizer que no thealro n3o ha cantor
ou dsnsarina superior no respectivo gene-
ro : ora, ninguem dir que mademoizolla
Felismina, sendo a primeira dansarn do
tbeatrodeSan-Francisc, o nica engajada
para dansar o /aiVo, nSo seja absoluta.
Louvo ao Sr. I'trnambucano o sen extre-
mado patriotismo quando afllrma que dar
loda protecQSo a urna patricia, joven repre-
sentante; (de que? das artes ou do publico
aluminado?) lambem nilo posso deixar de
agradecer asumma bondnde egonerosida-
de, cujo peso me es naga, com que permit-
te-me quo v ao thealro de San-Pedro ap-
plaudir e lancar cnr.is a urna estrangei'a :
he urna admoastgHo delicada que veio illu-
m'iiar-me, e quo me faz corar do mu pro-
prio proceder. Gonfesso-me culpado, di-
go o ptenilet me, e declaro que foi um gran-
de burro (perdc o leilor a expresslo ; he a
nica que convni) quem disse que o talon-
to nSo tinna patria. Espero, portanto, que
oSr. Pernambucano, a quem preste i valioso
serviQo ofterocendo occasiao opporluna de
manifestar as ntencoes em que se acha pa-
ra com a i'ot' representante, nao snja meu
nimigo, o n3o queira mata acharemmi-
nlias palavras o desejo de acliincalhar a
ninguem, mrmente a quem goza das sym-
palhiasde um publico illuminiido: sti mu
dos admiradores de mailemoizelli Felismi-
na, e de c mesino muito aprecio o jali
Folgo de o declarar.
Permitla-se-me anda, sem a intoncfo de
deprimir os arlislas nacionacs, dizerque o
tneatro de San-Pedro possue hoftt os dous
melliurct pinturea scencgraphos que lem
viudo ao Brasil; incoulestavelmente Picoz-
zi eTagliabue s.lo dous artistas de muito
elevado nirrccimento. As secnas por elle*
execuladas, as ultimas pecas que o thea-
lro lem dado, tem-lhe conquistado muito
crdito o reputactlo : o povo do Rio-de-Ja-
vclhos pode caber :
., Quem naoj,'OSta de Raderna
Ou he burro, ou he capia,
Ou lem raca de cacHo,
S levado a cachacao.
De fado, como nao goatar della, vendo-a
assim candida no trage, candida e ingonua
no semblante, executando mil graciosos
volteios, em osquaes o p mal loca o labia-
do e parece sustentada o movida por m3o
oceulta i1.......Voto pela opiniSodo doutor
Marrrola !
Se a vissois, charo letor, qusl penna do
cysne, entreguoa merc da brisa, 01a pai-
fratnellcs chamados acea nofim da pe-
ca, e applaudidus com inuilo cnthuMasmo,
apezar de serem cslrangeros Foi isso um
capricho talvez lamcnlavel, um ci me de
leso-palriolsmo: mas prova que os dous
sujeilos sabem pegar 110 pincele lidarcom
Untas.
dem, 15 de novembro.
No Jornal do Commercio de honlem l-sa :
Teem continuado com toda a activida-
de s diligencias da polica da corte para
dcscolur os cmplices dos inodeiros fal-
sos que se acham presos o em processo.
Consta-nos que acaba do doscobrir-so que a
tJPSSS^^iU^ E5?S?
ella nao pode ser logo comprehendida, sem
quesejam bem esclarecidos cellos poulos que
l-aicccm complcala: espero ainda poder em
ouua qualqucr occasiao tratar della com mais
alguina exlensao c clareza ; iguardo o rclato-
rlofbem Importante, ao que me informainl
<\Wo Sr. Turres tem de api fsentar as ca-
Ksi'felta pela cmara municipal a apuraeo
lipal dos votos da elrico para diputados :
como previ licou u D. Manorl em ultimo lugar
e o Barrito Pcdroio en, priinciro supplente.
Posto que a todos os respritos de prcfciencia a
aqu-lie sobre este, julgo todava que, para tal
cdnsrguir-sc, deve tei havido alguma indilte-
i-ene riela onscicncia.
Ahi corre nina lista de 50 nomes governistas,
d'entte os quaes devein ser lirados ns 36 drpu-
tados rovinciaes. Foi admiltido o inesmo sys-
trina de nio foriuar-se una chapa completa
para nao desgostar-sc a muitos prelendeules :
motme pa.eccquc onde vao 100 desgoitosos
poden. Ir mais 14 : a rasao deve ser oulra.
Acaba de ser aposentado, com ordensdo,
oofllcial-maior da >ecrctaiia da juslig-, o
concclfteiro JoOo Cameiro de Campos, son-
d substituido pelo Dr. Josino do Nascimen-
lo eSiha, p.ucurador-fiscal dos Icitos da
fazenda. O Comi daTarde, noticiando a
iiomcacSo deate, diz: __..
Este despacho do Sr. Nsscimcnto c Sil-
va he um lecoiihcrimcnlo piclado a sua
nlelligchcia, piobidade o servico; e o
niiuisiro que o aprcsenlou coia deu una
provd"que para s empregos de imior-
lanci* s.be escolher pessoas de moreci-
raei
portana do ministro da fazenda ao
inspector da alfandega declarou-se que,
por erro de cpia.deixsrain de ser exceptua-
dos do pagamento do expeliente, entre os
olijeclus de que Irata o 1 do arligo 2. do
rcjjulamt'iilo sobre o despacho livio, os
Fui dcmitlido do lugar de director da
academia de murnha o chtfe de esquadra
Jacintho Roque de Senna ; e bem assim o
seu immediato, cujo lugar rtn suppruni-
do. Ainda nSo se acha nonieado successor
a aquclle. '
Acaba de ser aqui publicada umaAra,
que no meu entender n.lo dexa de^Hr de
grande utilidade e vantagero ; lem por titu-
lo Apontamtnlos sobre o pn censo criminal
pelo jury pelo concellieiro desembarga-
dor Jos Antonio Pimenta Bueno. l)ivide-se
em 5 partes ; na primeira trata do proces-
so ciiminsl; na segunda, da instrucc,3o ou
r.irmsgaoda culpa; naterceirs, dos actos
preparatorios da accussQOo ; na quarta, da.
accusac.lo e julgamento; na quinta, dos re-
cursos. Todas essas materias, tratadas com
o tlenlo e profundos conliecimetitos que
possue o autor, tornam a obra recommen-
davcl, notando-se a c'areza com que expli-
ca certos pontos controversos da nossa le-
gislarlo criminal, comparando -a com as de
Inglaterra, Franca e Eslados-Uuidos. Os que
teem litio occasiao de observar e lutar com
as difficuldades causadas por algumas la-
cunns do processo criininal.de que Icero re-
sultado monstruosas decisOes do jury, ap
plaudirSo por" certo a obra do concelheiro
Pimenta. O autor ainda r.3o quiz p-la a
venda ; tem-na distribuido pelos amigos,
Collei(as o pessoas profeSfionues, e foi as-
sim quo obtive um exemplar : no urnsl do
Commercio verilo o prologo della. S. Senho-
ria oceupa-se ainda com outros trabalhos
subre materia civel, que pretende igual-
mente dar publicidade : d-lhe Dos bs-
tanlos frcas para levar sua obra ao cabo.
Nfio largarei hoje a peina som entroter
os leitores, por un pouco, com os negocios
cao u*#*~^*JT?^\%fi^i queiFnoticimos ha dias a pri-
ondl.Qes ale, deseer .c1 c 3o se ^y.sse.s tuno., i q ^ ^ ^ ^.^ fc ^
rainha das adas, sallitando e coinenuo110 mi a quem enxugava a
res com as .lema, ou ao Juar pelos bos- em Si ;s descuidosa brincando con, .. propn. J rro Je c JM ue P
libra que semprelhe tose, e en.ana sem-| X-meslre da mesma fabrica, ti-
apparecer no seu palacio de cryslal, ( pa-
lacio de fada encantada !) nadando com
oulras pelas agoas, e deixando que aqucl-
le visse ludo de longe boqueaberlo e estti-
co ; eso a tudoisso jmitasseis um scena-
ro propro com mil illuses pticas que a
arte sabe crcac, seriis levado igualmente a
exclamar:
Quem n3o gosta do Raderna
Ou he burro, ou he cap3o;
so nlo tiesseis do ficar no mesmo esta-
do do seu triste e desventurado amante.
Torca tsnibcm hceonfessar que este ne-
nlium atlraclivo possue que o lorne moreco-
dor do amor de qualquer pastora : move
bem as pernas, he verdade ; mas isso nao
basta para se conquistar o corarlo de urna
fada, e que fada Nflo he urna tal falla que
ha de Chafar nunca paraos beicos do alto,
pernilongo e membrudo Mr. Finarl. Pois he
elle o proprio que sefazia com trras
los,
chimicos.
cumpiehendidos 00 8. do artigo 1." do lho'iroesr" Ohcguu'ha pouco nesta corte,"e
mtsmoregulsmenlo.quesao: ja se tem feito ouvir e apreciar na sala e
,em prataem ^** ^S^r'^SS"'
lassiros) Camillo Sivori, digno discpulo e
ilador do immorlal Paganini. Para aquel-
nunca leudo ouvido o
S. Podro de Alcntara, o lamoso eextraor-
ifSbr.0.."-- SrosSiolliriS-di
moa m*aos quose *^WJ^B> ,, llldordo immorlal Paganini. Pi..-
oHVemporseusdonosnao^iao d0des mi ^^ lenJo 0 Q
pahp;ea,lanneni po, barra, laminase I muellr0t ju|glflim que tal instru-
llos, ou em ul> nsilios proprio rr usos f ~ .5 de
cslaUclecer seus dominios no coraco da
rainha das radas, s porque o acaso Ihe
permitlio quo achasso e furtassoo veo que
esta, passeiando com sua crte.dcixara a
borda da fonte. ( Que traanle !) Como go<-
lar de tal creatura?
.....Qual ser amor bstanlo
De nympha que sustente o de giganle ?s
N3o, isso no podo ser. Sa mesmo na sce-
na losse possivel que a rainha (Baderna) se
deixasse seduzir por um amanto qualquej
que se apresenlasse sb a lorma de Mr. Pr
nart, licaria para mim evidente quo o se-
xo amavel no sabe escolher; e ol)r. Mar-
mota deveria flcar mais desesperado do que
flcou o guerreiru Marte com as brtncadeiras
do ferreiro Vulcano com a Sra. Venus.. .
E agora vejo que me tenho eleudido (*J
asss sobre mademoi/ella Badorna, som
lembrar-me do correspondente do Diario de
preta lrjm presse
delegado de polica para serem interro-
gados. ,.
Veja-so como andavam as cousas, que ale
a prclinhaengommava muela falsa !
Um dos presos do que na oulra fallo, um
tal Sr. Silva,deu o seucavaco pelos jurnaes,
declarando quo j se acha sollo, por ter si-
do levado polica smente para responder
a certas perguntas.
O governo trata do dar substituto aos pre-
sidentes quo devem vir tomar assento na
cmara ; j se acha nomesdo o quu evo ir
para o Rib-Crando do norte, he o Sr. Joso
pereira de Araujo Neves. Posto quo n3o
seja deputado, diz-se que est tambom de-
miitido o presidenle de Sanla-Gstlianni; e
o mercantil, depois de ter annuiiciado a ufe
mcaco do seu sueccessor, assi.n so expri-
mi, passados alguns diss:
ODr. I.uiz da Gunha Feij foi convidado,
oaceitou a presidencia da provincia de San-
la-Catliariiia, mas sua nomeaco ainda so
nSo verilicou como haviamos annuncado.
0 que be faci be a domiss3odo Sr. t)r. An-
tonio Pereira Pinto.
A escuna I.endoia, em pregada pela alfan-
dega em cruzar fra da barra, aprisionou,
por denuncia que Ijvera na ilha deSan-Se-
bastio, na enscada doSombrio, um biigue
negreiro. Noticiando o fado, diz o Aer-
cantit:
>< A seu burdo cncontraram-se os objec-
tos seguintes.
Urna bandeira nacional, 13.i denles de
cavallo-marinho, um fardo do fazendas, um
lito ja abarlo com sollo portuguez, um
barril de plvora do marca americana,
urna pega do ferro montada em carreta, oi-
to amias de adarme 12 e 170 carluxos em-
balados para as mesmas, 140 pares de ma-
chos, duas gargalheras, duas grandes cal-
nos inrormam ser a inicial do nome do bri
ene aprisionado. .._._
Consta-me que pelo S.-Salvador devem s*-
guir para essa provincia vanos ofliclaes que
teem do repolhcr-se aos seus cornos.
O cambio sobre Londres eat anda 87
1 [2 o 27 3|*. e sobre Pars 340.
Asapolices, em virtude de urna grande
porcSo vendida na praca por pouuidor par-
ticular, baixaram um pouco, eestaoaSS
e88 3|4. _
As ultimas ditas que tomos de Pernsm-
buco so de 27 do passado: esperamos a
tpdo instante o vapor ,1o norte.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do P.xm. Sr. prnidtn-
te Dr. Jos Pento da Cunha e Figuetredo.
20 DE OUTUBRO.
Olllcio -- Ao juiz de direito da comarca
de Macei. Km resposta ao oflicio de 15
do crrante, em que Vmc. procura justifi-
car o proced i ment dealmitlir no tribunal
do jurv como juiz de faolo os clrigos de
ordens'sacras, tenho adizer-lhe que as ra-
sfles que Vmc. acaba de expender no po-
den de modo algum proceder em vista do
artigo 27 da lei de 3 de dezembro de 1841.
explicada polo decretom. 317 de 24 de miio
de 1845; e que, portanto, devem os clrigos
de ordens sacras ficar alliviados de um car-
go de que a lei os isenta. O que iramu-*
nico a Vmc.alim de que cumprs disposi-
cSo da mesma lei na parte que Ihe tocar.
22.
Olllcio. Ao commsndante dos Indios de
Jacnipe. Para conservar ahi um destaca-
mento que mantonha a ordem e seja del
cumprilor das determinacoos do governo,
expcQO agora o a'teres Paulino Nery da Fon-
seca, afim de organis-lo com os ludios
de que Vmc. he commandante. Espero,
pois, qu Ihe preste toda a coadjuvaco, ta-
zn lo persuadir aos mesmos Indios, queel-
les devem prestar do boa vontade seus ser-
vicos ao governo, que sabe-los-hs tomar na
divida considerarlo.
Dito. Ao coronel Jacintho Paos de Men-
ilonca. Gonvindo ter um destacamento em
Jacuipe para obstar qualquer tentativa da
parle dos homens inquietos da provincia de
l'ernambiico, expelo agora o alteres Pauli-
no Nery da I'onacca, afim de reunir os In-
dios do Arraial, c t-Ios debaixo de ordem,
de modo que po-sam prestar seus servicos
ao governo no momento em qua elle os re-
clamar. P.ocotnmeiido, pos, a V. S. haia
de chamar sua altonco para esse ponto da
provincia, e ordenar aos seus subordinados,
queprestem ao dito alteres qualquer auxi-
lio de que ella necessitar para manulenco
do socego da provincia nesses logares. E
seria muito de descjsr que V. S depois de
dars suas ordens, viesso entenderse com-
migo a objecto de servido.
Dito. Ao reverendo capello de Jacuipe.
- lilil. Sr Agora parte para ahi o alteres
Paulino Nery d Fonseca, afim de comman-
dar utn destacamento 'que desejo ahi con-
servar, sendo formado em grande parte dos
Indios do Arraial. Espero, pois, que V. ro-
verendissima o ajude nessa diligencia per-
suada,lo aos mesmos Indios a ficarem por
algum tempo aquartellados mosmo debaixo
das vistas dos seus chefos, de cuja obdien-
cia nao os desejo apartar. Por esta forma
poJeto elles no s utilisar-se asi, como
prostar servidos ao governo, no momento
em quo frem a isso chamados. Confio mui-
to na solicitude de V. reverendsima a
quom Dcos guarde muilos annos.
23.
Olllcio. Ao promotor publico de Anadia,
para quo promova quanto antes, e cora a
maior solicitude, 1 causa do desvalido pardo
Antonio dos Santos, que se quoixa de Jos
Miguel da Silva, por pretender reduzi-lo a
cscravido, ter efteclivamenle Ihe causa-
do d. 1 nuil) nolavel apossando-se de suas li-
vouras de una maneira injusta e desptica,
como consta da peli jQo que se Ihe remalte
para proceder, dando parle do que occorrer.
HLtlliil UE PEBYUBUCO.
i9*'"to**u'*'J'?la; deir.s, loneis, bailos corridos, urna per-
no o qual muito se offendeu eommigo e, Jc'uboau'0 ce tar 8ervid0 ^ara
atdestralou-me, poreu e bitoque ma de-. ^ 0 fi n.^i acl.as da lenha, 22 picas
morzella Felismina ho ba.lar.'.a absolutaA ri.aecunlio portuguez, 6 pesos
Mas o Sr. Pernambucano deve saber que a-I ? rx," .. .-___?_.. :.._r-
BEOIFK, 37 DE WOTESfBHO .
__
Pelo vapor .Vaii-.S'a//inor, chegado hoje do*
pollos du Mil, recebamos gaietas Uumiaenses
e lialii.)as: estas at 23, e aquellas at 16 do
do enrrente.
Tambem recebemos as duas cartas do dosDo
correspondente na corte, as quaes os leitores
terao visto sb a competente rubrica, e a cajo
contedo pouco temos que accresceotar.
S. M.o Imperador dignara-sede noroearjuize*
municipaes e de orphaos os hachareis Miguel de
Castro Mascarenhas e Joao Dias Xavier da Cu-
nta : o primeiro para o termo de iaii-l.eopal-
do na provincia de San-Pedro do Rio-Grande
do sul ; o outro para o de Tury-Ass 00 Para.
0 mesmo augusto Senhor honvera por bem
commutar em gales perptuaa na Ilha de Fer-
nando a pena de morte em que foi condemna-
do o escravo Aleixo, residente nesta provincia.
Tinham fallecido o vlce-aiinlraetc reformado
la armada nacional e imperial. Theodsrs e
Hi'.-ni repai re ; e o marques de Quelierameblm.
O Sr conde de Caxias partir a 5 do corra-
te para a sua fazenda coin (cenca, e passra
o commando das armas ao Sr. marechal de
campo graduado Francisca Xavier Calinon da
Silva Cabral, que fra nonieado para subs-
tiluMo interinamente' cm smelhante com-
misso.
Segundo a apuracao a que proceder cma-
ra municipal do Rio-de-Janelro, eis o resulta-
do da votaco daqutlla provincia para depu-
lii's, anboes, e 34,000 rs. om papel; um cor- ,
uaooargolo quoparecom deouro, um^.|do.aa.emblagerall,gi.taUva.
(*i Por atendido daveenleuder-se Ira-, tante, mappas, ampulbet, um relogio elCqnselheroEuieblod QueiroaCouUnho
^StiTS^^!^^ "* Udo.Wl.do.deacutido.olc. tum carimbo Ue praU com aloUrtAqual MattosodaUmara ^'^ Uttho 1(0&


m ,_.
MI
j il Jl'i
HMM
H
3
8nr
80.-)
738
rio
708
67.'.
(13
ransrlhriro Joaquim Francisco Vlanna
Di:. 'inhargador Joao Antonio do Miranda
Hr. Wnnncio Jos Lisboa
Dr. Joao Mam.i I Perrira da Mira
Dr. Jos Ildefonso de Soma Ramos
v iscninlc de Barpciiilj
I)r. Bernardo Augnstu Nascralri de tam-
bula
Iir. Francisco de Paula Nrgreiroi Sayao
lobato
Dr. Mnnoel de Assiz Mascarenhas
Accnsamlo dalas da California at 2 de agos-
to, o Jornal do Commereio d as segulntes noti-
cias daquella paragei :
v Corra de plano ein San-Francisco que se
tinhain drscoberto grande .lepusitos de ouro
no braco septentrional do I .-Americano, ac-
crescentando se que s mu individuo chegado
recentemente de Maltimorc tirara do inesino
lugar em una tetnn na o valor de seis mil pesos
ni nuro.
Km diA'erentespontos do territorio ininriro
tinbaui liai do reunido para prolestar-sr contia
.i adniissao de estrangairos no districto aurfe-
ro, o ni.iis de cinco mil Mexicanos e Chilenos
linham sido expedidos do braco central, do
rio Slanislo e do Mokehumie.
n No di i I. de agosto proceden.sr na cida-
de de San-Francisco eleic'io do roncellio mu-
nicipal, dos magistrados e de una conrencao
para organisar a ennstituirao.
Le-ie no Nrw-1'ork llirnlil;
Reinava rm San-Francisco milito eicita-
mento em consequrneia de una desordeni oc-
corrida no dia l( de julho. Ilaviain sido pre-
sas 17 pessoas, e tinham comparecido peraute
i alcaide arompanliado de dous.ijudanleses-
i.lliiilns pelo povo. F.rain acensadas de cons-
pirarn com o lim de roubar, feire matar os
pacicoa habitantes dn.pai/.. U crime de cada
un dos nos era fsppcincadd coin todas as par-,
licuhridades. O chele .Samuel lloberts loi
eondemnado a de?, annos de priso cun l.-aba-
Iho na casa de correccao que hniirrsse de de-
signar o goveruador da California. Huiro reo,
Tbeodoro Saunders, teve a niesina pena. Os
nutros f.'.ram condemnados a seis me/es e mu
auno de nriso com trabalho, oom multas de
L'.'iOa 1,000 prios.
Da posse do'folhasecartes do Montevideo
al 26 deouttihrn. a redarc.lo do precitado
Jornal resume nu artigo i afra o (|ue nellag
encentrara :
Na praca nada tinha ocrorrido de inte-
resse.
O rnmmodore sir Tilomas lletbert, que
commandava as forras navacs nglezas ties-
ta estac.1i), arha-se iwbordo da Raleiqh, e
segu para Inglaterra. S. S. entregou o
cOmmando ao ronlr*-lmirante(Reynolds,
guedo Cabo da Koa-Espcrauca, rom osala
pelo Rio-de-Janeiro, chegou a Montevideo
no da 21 do pasudo, a bordo da fragata
Soulhamp/on.
lie Buenos-A y ros alcaneam *as dalas a
21 do passado. O general Rosas, segundo o
seu oostume invariavel, manil'eslou lam-
be sn osle.mno, na falla que dirigi ao pre-
sidente du sala de representantes, ao a pre-
senta r-l he este a resnosta & sua moiisagem
dorrmeiro de Janeiro prximo pausado o
ardonlo desojo que tinha d d-ixar o poder,
late manfestaeflo tilo Bincera dos senlf-
mentosdo goveruador de R nonos-Avies in-
duzio os juzis de paz da cidade a fazerem
una representar-So a polica, pedindo em
seu nome o nm mime dos seus concidadffos
lioenea para reunirem-so no dia II naPra-
ca-.Maior, e dirgrem-se dalli i casa do ge-
neral Rosas, nm de transmtiirem-llie
por interine lio de siib illtislre filhn, e entro
unocOes da mus profunda graldflo, seus
arantes desejos o suas mas encarecidas
Mipplicas para que continuo no poder.
A polica responden que o guverno nflo
acceda a relobraefloda rouniffo popular por
presentar isso alguns ioconvoniantos, mas
'|iio nao so oppunlia a que exercessem o di-
icdlo de petieflo.
Km nonsequencia desta deeisfln orga-
msou-se a peticilo por parochias para ser
aposentada sala dos representantes, e
comecou a assgnar-so no dia 21.
O Comercio del i-lala do 26 transcreve
una cari de liuenos-Ayres com data de
-', que, referindo sea essiassignatura, diz
A situaeo dosestrangeiros, e especial-
mente dos negociantes, !ie critica e arris-
cada. Principiou a essignalura por paro-
tinas da representaefio piowovida pelos
empre gados da liosas pedindo nos repro-en-
Iantes quo nflo zdmiitam a burlesca e hy-
pocnta renunciado guvernador. Osjuzes
da paz vilo de rasa eni casa convidando os
seus nio-adores, e al c eslra-geiros, a as-
.signar; e saludo he que os convites de o-
si Uto ordena, Alguns negociantes briUn-
nicos consullaram ao Sr. Smiiliern, o qual
espoiideu lizesse cada un oque mellior
Ihc parecesse. l-erguniou-se-lb i entilo se
se poda contar com preloeeflo e Seguranc
cunt-a as c.iiiseqiif ncias provaveis do nliu
as&ignar, c icspoiideu evasivamente. Oca-
so bu que ja assignaram cinco Ingle/es,
luinli. Dicksun, Artnstrong, Euttmuu e
JuliB llugbes.u
A referida gaiela brasilcira capia do ICu-
'""''"" 'l'ulilic mu artigo em que este peri-
dica narra u successo que motivara entre o
B"erno da Uniao e o ministru Irancez em
"nhimtlon a grave desintclliKeii l"Ur nnur se coiiiiniiiiieasse a este que se
.i.havaiifprou.pios o seus passaportes, e que
o uiesnio goreruo interromperia ndas as rela-
i .es diplomticas com a legaco franceza em-
Ksne ai'ii(|o lie un pouco extenso ; e, pois, o
tr.in>cri'vercmns em oulro numero.
martyrio por nada signficarem, e prove o
Sr. A. que o Mso o que hoi dito. Prove quo
nSo fui s casas dos seus credores Patn,
Adau.mu, Russell e outros'mra/i're engaar:
prove que en o ntto cbsme a juz om Sale
lunho p*ra llie entregar a loja judicialinen-
lo; e inais que, nosseii mezti queteem de-
corrido, o senhor se nfio tem servido de/o-"
do$ o mtimpara espaasar essi entrega
Provoque, sabindoo senborda cadeia esm,
fiancaa 5 desetemliro, tem uestes i/uui me-
sttiemeio dado algum passo que revoleo
minmo desejo de tomar conta da loja. Este
he o ponto da questao. Responda a islo
Oiga mala se he fal>o o ter ido pedir ao Sr.
Nasch uin desmentido do que Ibo havia di-
to, e por este senhor ser ronelli lo com asco
como o tem sido por todos aquelles a quem
tem querido i Iludir e engaar.
'Eslou piompto a nomcar louvados ; boje
mesmosefr possivel. Pansa o Sr. A. que
haver alguem t.lo nescio quo o jajlgue de
boa f, e com vontade de tomar Couia da
loja ?
Venliam csses documentos, vamos a ve1%
que ellas provam : eslou aucioso por elleg*:
mas veuha ja e ja tomar conta da sua loft.
Admira que o Sr. Azeve.lo se conlleva tilo
fiouco a si mesmo mesmo, para ter o arrojo
de appelar para a justica do publico, e vo-
tar-lho respeito. QuomromuoSr Azove-
do maltrata seu velho e desgracado fiai che-
gando uin da a alirar-lhc..... horror!., e
em nutro dia,a obriga-lo a rugir espavorido
de sua casa,suslentiindo na inflo (que ja de-
via estar corlada; un ferro para leri-b), o
que innila gente vio : quem, abusando da
l>ua f e lamentavel estado de seu sogio,
conti ibue com n seu proccdiuiento para a
sua moite.c para a total desgrasa de sua fa-l
lllilia adoptiva,!! vando quasi urr.i essa la- '
Otilia para sua casa, o prohibindo expies-
sameiilo u sua sogra de hilar, ou apparecer
a alguem: queui, na qualidade de cunhado,
te Vale da innocencia, da iJade, e da quasi
allienacJJo, para gozar do satnico prazer
do..... a decencia, e o horror me fazem ca-
lar..... todos estes bous fallos, e outros que
nflo digo, sflo por cerlo de quem respeita o
publico, e deve delle esperar jusliQa. Nflo
he assim ? Elle ja ih'a vai fazendo.
Senlimenlo de honra e brio r/tie aind.i
contervaoSr. A. Oh.' isto be muita auda-
cia. II i quem saiba miudamenle da honra-
dez que o senhor somprfl leve na glorila e
filis administradlo do casal de seu finado
sogro; o, se fr preciso, algumas provas ve-
ril o a luz, alm da consciencia que uin seu
i Ilustre patrono tem do tildo isso : o elle
mesmo bem sabe coin quanta honra, brio.
e humanidad* o Sr. Azevedu se portou. Isto
sflo conlos largos, que nflo sflo p*ra aqui.
A niinl.a oducacfio nflu seria talvez tflo
elevada e religiosa como a do Sr. A. ; alli'-
mfl.norum.que nunca serv a I) 11 lia res de hn-
tiquins, a convs do vapor ulgtim, nem me
associc a08 vagabundos que pelas ras de
(,'adix pedeni esmola. L'reio lambem qu->
em semellianles prulissos se nflo pode ad-
quirir inuito boa edueaco, para poder fui-
lar nella.
Os prejuizos que tu/fri nanoitedo 22 de
ab'il, quando qittwi sou victima desst aconte
cimeuto funesto, nflo l'ram o quo nodiam ser,
se a Providencia! incutiuJo reoeio c eobar-
la a uin dos assassinoa tultdo dipre/o, o
nflo ret Vase em cima do muro, com niedo
de sor anda maiseon/iecido do que fui : a
nao ser isto, eu leri i sido talvez assassina-
do, e algiicm ha boje que so arropando de
m'o nflo lia ver felo : uiijuem mu is ha, que
vociferou bastante por nflo lerem seguido a
risca os seus conselhos, porque enlflo o Sr.
A. nflo teria sido preso!! Comtudo, como
ns palavias cm grifo a este respeito pare-
cen conter um seotido occulto,eu provoco o
Sr. A. a que declare o que querem dizer ver-
dadeiramenle.
lio v.-rilado que os mcus amigos me teem
ajudado, mas lio a defonder-me dasimpu-
tacoes e malvadezas do Sr. Az.evcdo ; e nflo
Uve anda um s que mo uconselhasso a
imita-lo por nonhuma forma: nflo seen-
ganou, e ii tasa parte aceito o seu pensainen-
to ; repillo-o, poim, quaniy ao resto, e em
nomed.'llcs todos desaflu-A^r. Azevedo a
declarar es nomes d quoiin quem tiver
obsequiado e favorecido : aindamis diga a
nalureza desses obsequios,favores c confiunca,
a nflo querer ser t lo por mas calumniador
duque ja he. Esses a quoin o Sr. A.quor
alludir.se por instantes solembram da sua
pessoa esecravnl, bes para vola-la aodea-
prezo c esqueriinento quo merece.
Vultarei lambem : c du-llie-hoi quaes sflo
as aineapas e suas viugancas projocladas,
mas uialliigrud.is.
lt"Cifo, !7 do novembro do 1819. Sou,
etc., etc.
Cvstodio,ios de Carvalho Cuimnmes.
50 gigos batatas, I barril carne, j-2 pre-
suntos, 2 liarria;conservas, 48 jarros do sal,
o ditos pnfsas, 1 barrica lijlo, 30 barris
tinlaiao ; capili
. Macheslcr,
ri-.\ova, enl
l.atliam o .Itbbi
guete :
180o fcatr
(arios.*-.
C
Rondimento di
Diversas nroy
vioda.de Tor-
t, consignada a
C manifeston ose-
ae* consigna-
W
ADO CERAL.
. 1:256,350
0,516
1:316,866
CfJNSUBfeo PROVINCIAL.
niO-DE-JANF.IRO.
Cvubios No io\ l'i iu: NnvEHBno.
Cambios sobre Londres 3
Pars
"m. llambiirgo .
Metaos. Onras hespauhlas .
da patria .
Pecas de 6/400, velhas.
Pesos lirspaiihes. .
da patria
Patace ....
Apoliccs de 6 por cento .
provinciaes 08
(Jornal do Commereio.)'
"*" HAiiiA.
OVMBIOS NO DIA 22 LE NOVEUSno.
Londres........27 i|2
27 IjJ a J7 3,1
315
(HO a 635
ItO/OOO a 301606
29^000 a 19^300
17/00 a I78O0
1^900 a 2000
1^.130 a 1 9'
1/930 a 1/935
88 1,2
A cmara municipal dest cidade faz pu-
blico que, por o Him. Se. aresideute da
provincia em ollicio do 26 do crrenlo a
ella dirigido, fui designada a groja matriz
de S.-Antonio para a reunflo do pollegio
cleitural desta cidade, que deve ler lugar
hojo fJ8 E para quo chegua ao conbeci-
mcniu do todos, se mandn publicar o pre-
sente. Paco da cmara municipal do Re-
cife, 27 de novcmBro do 1849. 'ranoltco
Antonio de Oliveira, presidente. Munoel
Iftrreira Accioli, secretario interino.
Deca ra$oes.
O beiflicado desta noile faz ver 9 ras-
peitavel publico quo este lis o ospectaculu
de dia 25, quo loi transferido pata h
do crlente ; e por inconvetiienio umiiiou
duato do Calador, e no sa lugar vai a aria
a Polka.
Principiar as horas do costume.
II 1 ___
Avisos mnritimus.
m
Paris......' lia mi un "ii......' Lisboa e Porto .... nominal. .' liar-/
NETA ES. Climas hcspanhias. mesicanas Pecas de 6/100 .... novas ..... Modas de 1/000. Pataces brasilriros. . . 31/000 30/000 17I500 10/000 9/500 2/000
hespanhes n mexicanos. . . 2/000 I/OU
(Slercmtl.)
Vovimento do Porto.
p
coffim&mw.
Ha Habla apenas sabemos que essa provin-
cia llcara em perfeila paz.
lorrespoiiclciicia.
Sr. redactar.Quando provoque) a Mano-
el Antonio ib Azevedu |iara que sahis.se a
publico, fui mesmo coin n intuito de apre-
ciar as belleza com que elle so digna res-
potider-me boje por este jornal, e mostrar
anda irais quo entro os inerecimenloi que o
oatacteiisam. priniam sobretudo ocvnismu
oa.siinulacflo. Aquem conheceresto iomem
0 souber de tguaa de suas militas v.rtu-
dtt causara indignacflo o ver a innocencia
que olio quer ostentar, e o voto de respeito
qtte diz consagrar uo publico
. Ao ler. 1.,rom, 8 *ua judiciosa e delicada
coi respondera, veio-uie riso nos labios :
mus riso de coii.paixflo, vendo o cuidadu
cun queellesedesvioii inteiramenleilo mo-
tivo que faz o objecto principal do niou
11 iitjiei/uog de appoaoi e inmtlot que se
pite trduzir por--rirdadeipalpaveis e pra-
vadat, contciiiaiido-se apenas eom repro-
diizn os 11.(sinos termos de quo 1110 servil
ti rids que, a nflo seicm muito pulidos, o
iliciiiiles para com o publico, o sflo aind*
ni demasa paia oom uin liuinem da condi-
1 .Vi do Mar001 Antonio do Azovtdo.
lieixeiiiui i.s flores um pouco inurclias
oom que o Sr. A. enastrou a sua palma it
AI.FAMiKCA.
Rondimonto do da 27.....17:6I(,SI3
IMPORTACAO.
\urora, escuna hanoviTiana, vinda de
llaniburgo, entrada ueste moz, consignada
a n. o. itieitcr & Ucmpanbia, manifesiou o
seguinto :
1 caixa pelles ; a J Kelfer& Companhia.
6 voluiiics drogas; a V Bravo & Compa-
nhia,
2. cnixas vinho ;.a Kalkmann Irmflos.
flOcnixas velas stoarinas, 50 dilas quei-
jos, ditas chapeos, 3litas brins, 1 dilu lo-
nas, 8 barris pregos, 3 latas bulacha, 3 pe-
gas carne do fumo. 2 caixas pelles, 30 gar-
rafies Ce.vndinhii, 20 ditos orvilhas, 250 di-
tos vasios, 2 caitas lazendas do algodflo ; o
N. 0. I'.iahei & Oompunliia.
2caixas miudezas, 1,000 botijas vusias,
27 volumes diogas, i cixas papel; a C.
Kruger.
5 tinas biSas ; a J. Tegetmeyer.
2 caixas r-p ; a I'. P.oliillard.
1 fardo fiiznndas de algodfln, t caixa obras
de ouro, :i caixas pelles, 83 barris cimento ;
ordeiii.
50 barris polassa, 30 caixas lonas, 2 di-
tas brins, 52 barris alcatif), 40 ditos pixo ;
a Rulhe <\ Itjdoulac.
i caixas luliuibas, i dita miudezas, 1
dita violOes, 1 caixa oluas do latflo, 70 cii-
xiiihas cachimbos, 80 barricas genebra, 1
caixa buloes, 2 ditas gomma-laea, I dita
oleados ; a J. t). Wollhopu& Companhia.
\l illiam-Hmsetl, barca ingle/a, viuda de
Liverpool, entrada neste nicz, cousigiuda a
liussell Mcllors & Companhia, manileslou o
acguiulo :
jo loucladas carvflo de pedia ; a Rus-
sell Mellors c, Compaubia.
Navios entrados no dia 27.
Lisboa 33 das, brigue portuguez Velos,
da 291 toneladas, capilflo Antonio Pedro
de Figueiredo, equipagem 18, carga vi-
nho, vinagre e mas gneros ; a Oliveira
Irmlosdi Companhia. Passageiros, Fran-
cisco Antonio Rodrigues l'ereira, Manoel
Soarcs d* Silva; Manoel Soares de Rrilo,
Jos C. Figueira, J0B0 laoiotho, Francis-
co de Paula Siqueira Santos, Portugue-
ies I). Mara Marlinha, lirasileira ; D.
Joflo Piiggjani llygrepia, llespanhol.
Rio-lc-Janeiro 24 djas, escuna portugue-
za Favorita, de 87 toneladas, capitflo An-
tonio Jos de Medeiros, cquioagem 10,
em lustro ; a Thomaz Jos deFaiia.
R'o-de-laneiro, Rabia e Slacci 11 das e
do ultimo pono 17 horas, vapor brasiloi-
ro San-Salvador, de 240 loncladas, com-
msndante n primeiro-lenenlo Antonio
Carlos do Azeredo Coutnho, equipagem
28. Passjgeiros: para-csta provincia, o
cominenlador ilumarfles Pinto llaga-
Ihfles,-o capilflo Antonio Mara Rabollo,
08 lenlos Francisco Nonos da Ctinlia,
Apollomo Peres Campello Jacome, Luiz
Francisco Teixoira, Jos Ignacio Coim-
lira-, Jos Jouquiii dos Ruis, David Ame-
rico" Macedo, josit. Feliciano de Figueire-
do Carvalho, Palilino do AlmeJa Itrito,
Antonio Castao d < Silva Kelly, .Joaquim
da tiama Lobo d'Eca, Antonio Joso de
Carvalho Jnior, JosC Nunes Marques,
Firmino llerculano de Moraes Ancora,
Ayrcs Antonio Moraes Ancora, Tiburcio
Hilario da Silva Tavare.r, Francisco Das
da Costa, Antonio Jos Augusto Conrado,
Feliciano de Souza Aguiar.Joaquim Fir-
mino Xavier. Luiz benedicto l'ereira Lci-
te. Antonio Manoel de Oliveira Rollas, o
alfares Temollllo Peres da Albuquerque
Maranhflo, os cadetes llemique de Fran-
ca Piulo de Oliveira, Luiz Firmino de
Souza Caldas, o sargento Francisco Xa-
vier Coutnho, Joaquim Maloquias Pa-
checo, Carlos Antonio l'ereira de Mace-
do, Antonio Crrela de Itrto, os Portu-
guezea Jos Mondes de Freas com t es-
oravo, liernanlino (ornes de Carvalho e
Domingos Jos Soares, Francisco Concal-
ves da Silva oom sua familia, Francisco
Tavares da Cimba Mello com 1 escravo,
0 Inglez E. Ilenn, > soldados, 2 esclavos
a entregar, d Dr. Manoel Joaquim de Men-
dunca, o major Antonio Jos Ferreira Mo-
raes, Januaiio Alexandino Caneca, Ma-
nuel Jos Machado. Francisco Joaquim
Abreu Rodrigues, Brasilriros; e l escra-
vo a entregar : para a Parahiba, Francis-
co Anlotiio Lopes da Fonsers Souza e 2
esciavos a entregar : para o Rio Crando
do norte, o Exm. presidento* Dr. Jos l'e-
icira de Araujo Nuncs com 2 oscravos, o
soldado Francisco Jos Lopes Carcia
luna o t:ear, Manoel Mendos da Cruz
Cuimarflos: para oMaranhiio, o ulferes
Luiz Martina de Carvalho com sua senhu-
ra o I escr.'.vo a entregar : pira u Para, o
lenle Francisco Manoel Lisboa Palmi-
tareO iccrulas.
Ne\v-Carls|e ( Canad ) 45 dias, bri-
gue inglez l'elruces, de 205 toneladas, ca-
pilflo E. itenongli, equipagem 13. carga
2,5 i9 barricas eom bacalhao ; a Me. Cai-
moiit& Companhia.
Da coinniissflo Vapor de guerra I).-Pedro,
commandanle o capilflo-tenonlo Jos
Mara Nogueira. .
Navios sahidus no mesun dia.
Liverpool por Parahiba Rarca nglcza
NoiKul, capilflo Tilomas Kng, em lastro
de areia.
Aracaty lliate brasleiro Novo-Olinda,
capilflo Antonio Jos Vianna, carga vi-
rios gneros. I'assageros, o Dr. Antonio
da Silva .Noves com 1 criado, Antonio L-
ajp Ahiloral, Francisco do Paula Carnei-
ro com 2 criado*.
A cantara municipal desta cidade faz
1:164,602 -sl'ssflo extraordinaria no dia primeiro de
dezanibrii viudouru.
O III. Sr. director do lyceu desta cida-
de manda fazer publico que, tendo o Exm.
Sr. presidente da provincia em 22 do cor-
rente supprimido a cadeira de primeiras
leltras de llapjcuma, e removido o respec-
tivo professor, Ceminiauo Joaquim de Mi-
randa, para a cadeira da mesma disciplina
do Coianna, quo eslava ha muit. Vaga, lica,
por este motiv, sem cITeito o edilal pelo
qual fui posta a concurso a dita cadeira de
Coianna.
Secretaria do lyceu, 26 do novembro de
1849. Januario'Alexandrino da Silva ta-
bello Caneca, professor de deseuho e secre-
tario.
--Oarscnnl do guerra precisa comprar
azeto do carrapaloe de coco, velas de car-
nauba, lio de algodflo e pavios : qum os
mesmos gneros quizer fornecer, hs de
comparecer na sala da directora do dito
arsenal, no da 30do cerrante, trtenlo a
competente proposta com seus ltimos pre-
ces em carta rechada.
--A chancellara do consulado da rep-
blica franceza fei transferida para ra do
Trapiche, n. 31, primeiro andar.
juizde direitoda priluci-
r vara do civ'el desta cidade e in-
tcrino^flyeitos da fazenda mu-
fln a sita residencia para a ra
das Flores, sobrado n. I.
--O segundo supplente do juiz munici-
pal e orpliflos om exerccio do termo de
Serinhflom, abaixo asignado, manda de-
clarara ludas as pessoas que tcem obriga-
Ct'ies de dbitos, bypolhecas epenhores do
ouroeprata depositados no cofro dos or-
phflosda dita villa, que no improrogavel
prazo de um moz, contado da data deste,
venha.11 resgatar as mesmas obrigaces,
hypolhecas e ponhores; ao contrario se pro-
ceder como for do direito, afim de se cum-
prir o que he ordenado pelo artigo 6." 4 *
do decreto n. 231 de 13 de novembro de
1811 e do-aviso de 12 de maio de 1812. Se-
rinhflem, 21 de novembro de 1819. -Ma-
noel Francisco Duarle.
-- Pela segn la seceflo da mesa do con-
sulado provincial se faz publico, que do dia
primeiro de dezombro prximo vindouro se
principia a contaros 30 dias para a cobran-
za a bocea do cono da decima dos predios
urbanos das freguozias desta cidade e po-
vo.icflo dos Albgados, do pri neiro semestre
do torrente anuo linancero de 1849 a 1850,
a que, lindo este prazo, icam subjeilos a
pagar os propietarios, alm do principal
de seus dbitos, a multa de 3 por eento. <
-- O liscal da freguezia de Santo-Antonio
do Recife, pela ultima vez, lembra aosSrs.
propricl.nos que, a vista do exposto no ar-
tigo 18 do litulu 7.0 das posturas em vigor,
deverfloterna frente do seus predios os
passcios conservados, sb pena do Ibes sor
imposta a multa de que trata o citado arti-
go, sondo a obra feita por coula de cada um
dos contraventores.
SUBDELEGACIA DE S.-JOSE'.
Acha-se preso ordem desta subd ile-
gacia o preto Agostinho que diz ser escra-
vo de Jos Joaquim Corroa: a quem per-
tencer o mesmo, queira comparecer em di-
ta subJelegacia com seus ttulos, alim da
se 111 indar entregar o referido escravo.
-Cartasseguras existentes na Bdmins-
iracuo do corroio para os Sr. Amanciodo
Souza Comes, Antonio Jos Pendra, llor-
nardino de Sena Silva Cumsrfles, llercula-
no Deodato Sanios, Cuimarfles cV llonii-
que, Joaquim Iternardo do Figueiredo,
.auumo Agostinho do Barros, Jflo da Cos-
a Magalhflos Jnior, Joflo CoiiQalvos Nello
JOao Piulo Regis de Souza. Jos Antunes
<;niinarflas, Luiz da Costa Portocarreiro,
'amo Jos Alves da Silva, o Silva & Grillo.
O vapor i' -Salvador fecha as
malas para os porlos do nor-
te liojo(28jas duas horas da
tarda.
Para o Piio-de-Janeiro segtjF
com toda a brevidade o' brigne-
escuna nacional Olinila^ recente-
mente forrado e pregado de cobre,
por ter a maior parte de sua carga
prompta : para o resto, passagei-
ros e escravos a frete, trata-se
com Machado & l'inlieiro, na ra
do Vigarin, n. I9, ou como can.
lo, Manoel ftlarcianno Ferreira.
Pora o Poito deve sabir
com innila brevidade, por ter
grande parle da caiga contratada,
a nova e velen a baica portugueza
Santa-Cruz : quem quizer carre-
gar ou ir de passagem, para o que
tem excellenles cutnmodos, diri-
ja-se ao capiTa, .loSo de Oliveira
Leite, a bordo, o ao seu consig-
natario, Francisco Alves da Cu-
t lia, na ni 1 do Vigario, n 11.
Para Lisboa sabe, coin a maior brevi-
dade possivel, o brigue portuguez Concei-
cdo-de-Maria, por ler a maior parte de seu
carga prompta : para o resto e passageiros,
para o pue tem excellentescommodos, tra-
ta-se com os consignatarios, Thomaz de
AquinoFonseca& Flho na ra do Viga-
rio, n. 19, primeiro andar, ou como capi-
lflo na praca do Commereio.
Para a Rabia sabe, em poneos dias, a
sumaca Flor-do-KngiUm, mestre bernardo
de Souza, por ter a maior parte da carga
prompta : para o restante e passageiros
trata-se com o mesmo mestre ou com Luiz
Jos ile S Araujo, na rna da Cruz, 11. 33.
Para o Par segu al o fim da prestid-
le semsna o hiate'nacional San-Jos : pode
recebor somonte aigum carga miuda : os
pretendemos queiram dirigir-se ra do
Ainorim, 11. 36, quim Vidal & Companhia.
Vende-sea barcaca Flor-da-Pona, do
lote de 24 caixas, de boa construccflo.'S' de
priineira viagem : os pretendentes dirfjam-
se praia do Collegio para v-la e para tra
lar, na ra da Cadeia do Recife, n. 54, loja.
Para o Porto sabr impret rivelmenle
por lodo o ncz de dezembrn o brigue por-
tuguez Ventura-Feliz, forrado, pregado, e
eucavilliado de -cobre, capilflo 'Zeferino
Ventura dos Santos : para o resto da carga
o passageiros, aos quaes eflorece excellen-
tos commodidades, trata-se com o consig-
natario, Joaquim Ferreira Mondes Cuima-
rfles, na ra da Cruz, 11. 49, primeiro an-
dar, ou como referido capilflo na praca do
Commereio. c
Para o Ro-Je-Janeiro salie-jo domin-
go, 2 de dezembxo, a veleira effuna Galan-
te-Mara : anda 1 -ecebe algu'ma carga, bem
como passageiros e escravos s fret^, para o
que (em bous commodos: a tratar na roa'
. ,',:i 1..
do Vigario, n 22, com Silva & Grillo.
Oueui livor coutas o un escuna in-
gleza Fenella baja de as apresentar al 28
do corronle mez, alim de serem pagas; pois
que depois do prazo mundo (Carito sam
vigor quaesquer contas que porventura
possam apparecer.
Leiles.
tDlTAJ.
-- Pela inspectora da alfrndega se faz
publico quo lio dia 28 do correlo do nieio- ia, na porta da mesma, se bflo de
arrematar em hasta publica, 2 cartes com
48 ramos de (lores artificiaos por factura
um 2,400 res, total 115,200 lis, impug-
nados pelo amanuense Joflo Cancio Go-
mes da Silva, no despactio por feclura
sOb n. 559 de 23 do correnlo, sen lo dita ar-
roui .laeflo subjeita a dirctos.
Airandega de IVriianibuco, 27 de novem-
bro de 1819.-0 inspector, JLtiis Antonio ds
ampato Vitinna. '
arti^tio da polica.
Illm o Rsm. Sr.Das parles honlem e
boje rec bidas, conla terom sJo presos :
a ordem do delogado do primeiro dislricto
desta cidade, a prcta Apollnara, escruva,
por estar embriagada : ordem do subdele-
gado da freguezia de Sanlo-Aiiloiilo, Ma-
noel Ricardo de Mendonca, sem qua o mo-r
tivo me tenha sido declarado; e Joflo Flo-
rencio Maia, por ciime de furto: ordem
do subdelegado do primeiro dislricto da
Ueguezia dosAfogados, o llespanhol Anto-
nio Das, por crime de fermento.
Dos guardo a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambiico, 26 de novembro de
1819.-Illm. e Exm. Sr. Honorio llermtu
(.arnoiro Leflo, coucelhciui de estado, pre-
sidente desta provincia.-0 chefe de pol-
cia, Jeronymo Marliniano Figueira de Mello.
O correlor Oliveira far* leilflo, por
conta o risco de quem pertencer, da ele-
gante c moderna armario toda envidracada
da loja doSr. Chanlon,- o todas as merca-
dorias que a mesma conlejn, sendo rico
candieiros de porcfllan.i''i*ara gaz, globos
'de vidro para candieiro, vidros e perten-
ces para ditos ; panno largo eucerado para
cohrir mesas, perfuma tas, bicos, objectos
de moda, litas de seda, corles de vestidos,
ele : ludo se vender a dinhoiro, ou a pra-
zo com boas lirmas, em um s loto : quar-
ta-feira, 28 do corrcnle, s 10 horas da ma-
tibfla, na referida loja, no Alerro-da-Boa-
Vista. n. 3.
-- Jones Paln & Companhia fardo le
por intervi'iicfl.) do corrolor Oliveira
grande variodade de fazeudas inglazas. U
das piornas ilu mercado : quinta-feira; ^"
do correnlo, s 10 horas da mandila, 110 sou
armaze.ndn rus do Trapiche-Novo. .
Avisos diversos.
Theatro de S.-Francisco.
GRANDE ESPECTCULO.
Iloje, 28 de novembro,
Depois de ser executada a ptima sym-
bouia-(;/oranNad' lepreseutacflo do drama
I
espectculo com
em lies actos
O DEVER E NATIREZA
ou
o soldado amante do seu monarchi,
no (im do qual o director Sania Rosa c'anta-
a linda aiia
A POLKA.
Terminar o divertimento com a jocosa
idrCa
O PINTOR AMBICIOSO
ou
o difunto fingido.
Do primeiro de Janeiro prximo futuro
em diante o
JORNAL DO COM MK 11(10,
que se publica no Ro-de-Janeiro, augmen-
tara o seu frmalo que iirar sendo o do
7i;/iej de Londres. Alm disto, ser impies-
soenm lyposnovos, e dar conta dos tra-
balhos do senado e da cmara dos dopula-
dos.
Apezardo augmento da formato, o proco
da assignatuTH continuar a ser : ni cOrte,
por uin anuo 20,000 rs., por 6 mezfls, 16/
rs., por 3 mezes 5,000 rs. ; e as provin-
cias, por um anuo 21,000 rs-, poro mezes
11,000 rs. por 3 mezes 6,000 rs.
Suhscreve-se na typographia do Jornal
do Commereio no Rio-de-Janero e em Per-
iiambuc > em cosa dos Srs. Avrial Irmflos.
O Capiburibe 11. i2l acha-
se a ventla no lugar do coalume.
-- Cm bom estabelecinienio[de molhados
Ha para vender-se, na ra da Cruz, t:
aJvertc-scque para um prinoininni.... c
meiiior possivel, por ler poneos fundos e
I ergunla-so aos Srs. fiseaes, e, se esles
nflo quizerem repondor, S illusJiissfifia
cmara municipal se anda, ou anal .* j
estilo em viaor os aitigos 18 a 19 .das postu-
ras. Com a,rcsposla farii dutras perguntas
um municipc que ve mrraccOes, e se dar
ao trabalho de apolla-las.
Au.ade leite. ^
Na pr.i do Caluoiroro,*. 8, preciaa-ae
r-IV Va' Callv ou forra' 1ue tenha leit
com abundancia.





.-Na ra Oircila, n. 32, se. dir quem
precisa de 200,000 rs. a premio cora boas
'"""o'sr.-alferf'X. M. d? A C tenh* bon-
,ladedeu>rctimprmentoa sua palavra de
honra, salisTazendo a diminuta quantia de
>3 000 rg., para nin ter o dosgosto de ver o
ol nomE publicado por extenso.
Aluga-se o armazem da ra de Apollo,
n.32, omito ramio : a tratar cora Manoel
Antonio da Silva Mott". .
Pedeseao Wm Sr. administrador das
obraa publicas o especial favor de mandar
deilar na ponte do Itecife os bancos que oa-
hiram ; porque, alm de fulla de commodos
para as pessoas que alli costumam sentar-
se nas bellas ooites de luar, he muito feio
ver-se um lugar dos mais pblicos e de re-
creiopareoer ameacar ruinas; e, se nSo tem
ordem para iaso, sirva-se r.-qu si la-la do
Exm.Sr. presidente que vista da urgen-
cia n3o deixar de dar. Um iot tatt.
__ O Srs. que receberam bi-
1 leles do beneficio do da a a do
ron-ente, queiram ter a bondade
de n3o pagar seniio ao proprio
beneficiado
Quem precisar de urna ama para casa
de homem solleiro, que sabe coziuhar, la-
var e n.9, leja. .'
Precisa se de um bomcoznliotro : pa-
ga-se bem : no Recife, ra do Torres, n. 2.
nSr. JoJto Cvprianno Uangel qiieira
ter a bondade de a'pparecor na ra da Ca-
dein de S.-Antonio, p-'ra decidir sobre cer-
ta conla que S. Me. re'cebeu.
Os Srs Galdino Lopes dbOliveira, Jos
Francisco Mailins de Almeida e o acadmico
Lobato Jnior, queiram apparecer na ra
da Cadeia de S -Antonio, n. 13
OSr. Innoccncio Xavier Vianna tenha
a bondade de apparecer, para se conlratiir
cario negocio que S. Me. nOo Ignora, na ra
da Cadeia de S.-Antonio, n. 13.
--Nodia29docorrcnte, se lia de arre-
matar Ha canoa de conduzir 700 lijlos,
quese.acba arruinada ; oui.ru de carregar
agoa; outra de carreira : ambas tambem
arruinadas. A arreiualagio lie na praga
do Sr. doutor juiz de orphios supplenleje a
requerimento do tutor dos menores lilhos
de Jos Maiia de Jess Muniz.
-- Acba -se urna carta para o Sr. Jos Joa-
quim Pereira, na ra da Praia, n. 49, cuja
foi tirada,do corrcio por ser de nome igual.
0 Sr. Antonio Clemenle F.steves do
Larras queira mandar pagar o importe que
deve da execugao por a tugela de casa que
aliangou ao scu intimo amigo Jos Francis-
co de Souza Magalhes, ou este Sr. queira
mandar pagar, pois bstanle lempo se tcm
esperado; do contrario, terSo sempre de
Itr o presante aiinunrio.
Alugam-se, para se passar fesla, duas
casas, urna rom bastantes commodo para
quBlquer familia, estribara, cocheira, casa
para pelos e oulros arranjos, c a outra
mais pequea, a escolha, na Iravessa do
Arraial para Casa-Forle, sitio que fui do
Paulino, se dir quem aluga.
Bilume asphalto.
Itonsin Droncl (de Brctagne ) faz publico
que elle se encarrega da ejecutar tuda a
qual'da lui opa, tanto om calcadas como em lorra-
gos, ijundavAqM* casas, adegas, sobterra-
neos,ayancadas para o mar, o mesmo abai-
xo do nivel das mares : para execugilo lem
oodras do todas as drftirugocs, conserva-
ciloda cavilna, etc.: quem de seu presti
mosequizer ulilisar, ilinja-se ao armazem
do sal da Boa-Vista, que ah o encontrar.
-- Precisa-so de um ama forra ou cativa,
para urna casa de pouca familia, que enlen-
da de cozinbar eengommar: na ra do
Pilar, n. 72, em Fora-de-Porlas.
U tbesoureiro da iriiiandade
do S. Sacramento da'frtifUezia de
S.-Jos do i'.cife faz sciente a lo-
dos os iroios da mesma que, nao
obstiiiite ser a irmandade princi-
piante e erecta, nem por isso dei-
xam de ter.col prompl'nlao os ir-
niaos, qiiamlo piecizem, olllcio de
agona em artigo de morle, sepul-
tura para si e seu lilhos meno-
res, ( quando n5o tenham em mi
traigreja ) dobrese repiques, suf-
Iragios, acompanbamehto, altar
or(odo, c.i|)a d'asperge e Lranddes
para I baplzarem solemnemente
bcusfilhos e netos. <|fjjfl
Quem annunciou querer dar 400,000
ra. a premio com boas lirnias, dirija-se
ruaWreila, n. 33, que so dir quem pre-
cisa.
A, panella com canudo
respira.
Por se adiar em cima de una cama, nlo
se eaquece, deixe-o Bear com ulguma me-
lliora, que lhe responde com toda, etc. ,
ete. ele.
Ama fie leilc.
Precisa-so de urna ama de leile, forra ou
captiva : na ra ireita, n. 76.
No dia 28 do crrenle novembro, se lia
le arrematar em praca publica do Sr. Dr.
juiz. municipal da segunda vara um mole-
que pur execugSo de Delfina do Hozatio
contra Joanna Francisca : be inTallivelmen-
tc a uUimajiraga.'
capililo C. C. A. Sobsl, da barca bam-
burgueza Syriu, derla i a que nao se respon-
ssbilisa por quantia algutna lomada em scu
, om gneros, Ta/uiidas, uu outra qual-
iucr i i*, pela ttipolagao de dito scu
navio.- 3
Aluja-se o segundo andar e sotflo cor-
fi,ln Hn sobrado amurallo ria rila Augusta :
a tratar na ru do Amorim, n 1 i.
DSo-ae 10,000 rs. meusaes de aloguel
por uuu aceta quesaiba bni cozinbar, en-
gommarQpo e comprar os arranjosde urna
rasa de lequeiie ramilla na ra .da '
tina,asa da esqetiia defionlo do
novo.
^AjaMe a casa do Alerro-da-Boa-Vis-
I i, u. 8l,>tn mullos eoinineUos para un
Liiudo islabelcejinenlo morada inde-
Rc,
precisa-se de um homem portuguez ou
Floren-
tlieatro
braailelro que esteja acoslumado 1raha-
lliar em armazem do assucar, Teflnac.lo e
casa de purgar, para trabalbar na retinarla
franeeza da ra da Concordia: pega-se bem,
e se fr homem preto e que tenba agilida-
de melhor ser*: ua mesma reflna^ilo da
ra da Concordia, n. 8
Aluga'-se, no Montelro, a casa que lica
defronte do Sr. Joaquim Tiburcio, ptima
para quem quizer passar a festa : tambem
se aluga a casa sita nos terrenos da Torre,
defroute da Ponte-de Helio e junto ao Sr.
mejor Femantes Barros : a tratar na ra
da Aurora, n. 48.
Acha-se a venda pelo diminuto pre-
co de 3,000 rs. o multo divertido romance
Palmira ou a ceguinlia brasileira, escripto
em si-te cantos, pelo doutor Francisco Bo-
nifacio de Abreu : na ra da Cruz, no ite-
cife, luje de livros, n. 56; na praca da In-
dependencia, ns. c c ; no Aterro-da-Boa-
Vista, loja. n 14.
--Joaquim Correia de Rezende Begode-
sejafallar com os Srs. Custodio Colasso
Das e .inflo Colasso liias, naturaes de Por-
tugal, a negocio que Ibes interesas.
Loiera do Guadalupe.
Desengao.
Seja qual for o numero de bi-
Ibetes que iquem por vender, as
rodas desta lotera andhm imprc-
terivelmente no dia 14 de dezem-
bro prximo futuro. Os bilbetes
que estao actualmente a venda nos
lugares do costttme vender-se-
lio smente at o dia prinieirodo
dito me/., em que passaro ao do-
minio de urna sociedade.
Bernardo Jos da Costa, com refinaciio
na ra Direila, n. 10, declara ao publico
que por ter apparecido outro individuo com
igual nome, e tambem por se Iba ter apre-
sentado cotilas sem ser suas.jj Uaravenir
qunlquer duvida, de boje emJ HPse as-
signar Bernardo Jos da CostWalento e em
suas lransccOes usar deste roro nome.
-- Precisa-se de urna ama que saiba co-
zinbar o diario de urna casa, engoiumar e
fazer o mais sei vico : na ra ,do Crespo, n.
II, loja de miudezas.
-- o pateo da matriz de Santo-Antonio,
sobrado' n. 4, tiram-se passaportes para
dentro o tora do imperio, assim como des-
pacbam-se escravos c tiram-se Tullas cor-
ridas,
bacbarel A. II. de Torres
Bandeira, prefessor adjunto de
rbetorica e geograpba no Iyceu
Jesta cidaile, se propde a dar li-
ces das mesrnas disciplinas, e
bem assim de pbilosopbia e fran-
cez. Quem de sen prestimo se
quizer ulilisar, pode dirigir-se
ruaestreita do l\oario,n. 3i, se-
gundo andar.
Ileseja-se alugar um primeiro ou so-
(undo andar de una rasa nas seguinles
ras : Cruz%a, larga du llozario, Queiiuado,
Collegio e Nova : quem liver annuucie.
-- Aluga-ae, pelo lempo de Testa, um si-
lio na estrada du Montciro, p'erlo do banho,
com 6 quartos, solflo, eatribaria, cacimba
e com bastantes arvoredos de Truclo : a*
tratar na ra do Crespo, n. 7, primeiro an-
dar.
tiomma de engommar.
Vendem-se saccas com gonima de en-
gommar muito alva na ruado Queimrdo,
ii. 14, loja de ferragens.
** eseja-se saber onde resi-
de o Sr. Joaquim de Figuciredo
Lima, ou mesmo quem sej seu
procurador nesta cidade ou fra
della, para se tratar de negocios,
que lhe dizer respeito; quem sou-
ber annuucie por esta f'olha para
ser procurado.
Alugam-se para se passar a festa duas
grandes casas com muitos commodos e bom
banho, em Sanl'Aiina-da-Henlro : a tratar
no mesmo lugar com JoSo Venancio.
?-Aobra do grande hospital do ca i lado
me s-ii,i de serventes forros ou escravos,
pegando-se por dia 560 rs. : qjem estiver
neslas circiimstanrias, querendo, ple di-
rigir-se mesma obra, alim de tratar jpin
o administrador da mesma, Luiz Jos da
Silva Guimarfles.
Farinha (le.manrlioca.
Vendem-se sarens c Hfinba de man-
dioca, d-: muito boaq4HB!e, por sr fa-
bricado na serra, Uenioca.-eerto da cidade
de Sobral, por prco cptwWln: na na do
Queimalo, n. 14, loja do Trhgensr
Carlos Claudio Tresse, fabricante
de orjffcos e realejos, na roa das
Flores, n. 19, f/ ,
avisa ao respeitavel publico que roncera
otglos e realejos, (0e Jlrdias "modernas
deste pai/, concerta planos, serapbinas,
caixasde msica, accordoaequalquer ins-
trumento que appareca : tambej faz obra
nova, assim como caixas de guardar joiis,
por prego commodo.
o o
% T Bixas. o
OiVa prafa da Indpen-^
DEPOSITO GEIUL
do superior rap areia-preta
da fabrica de Gantois Pai-
l/iet &c Compartida, na Ba- I
hia. *
Domingos Al ves Matheus, agente da (#
fabrica de rap superior arcia prcla ?
e meio grosso da Bahia, tem abertn o %
seu deposito ua ra Cruz, no Recife 4
n. 52, primeiro andar, onde se achara <
sempre deste excellentoe mais acre- %
dilado rap que at o presente se tem <#
fabricado no Brasil: vonde-se em bo- f*
les de urna e meia libra, por preco 4
mais commodo do que em outra qual- 4
quer parle. ^f
$ Chajios de Sol.
lita do Passeio, n. 5.
*
Nesla fabiica ha prusetitemonte um rico
sortimenlo do chapeos do sol.de seda de
todas as cores as mais ixas que leem appa-
recido, para homem e seubora, e que se
ven lem milito em COuta ; ditos de paiini-
nho imitando seda ; ditos muito grandes, e
Je panno e armarles muito fortes, pro-
prios para sonhores e feitores de engenhns :
tambem se vende fazenda do seda o de pan-
uinho imitando seda para se cobrirom r-
magOi'S. Na mesma fabrica seconrerta qual-
qner chapeo deso, com muila brevidade,
e por prego mais commodo do que em ou-
tra qualquer parle, e vendem-so baleias
pira vestidos.
dencia, u. 10,
ao voltar para a ra das Cruzes, alu- ,->
gam-see vendem-se bixas de llam- ^
burgo : tambem vflo-se applicar pa- :
ra commodidade dos freguezes ; ti- y*
ram-se denles, sangra-se e appli- ^
cam-se ventosas: ludo por preco O
commodo. O
i
~ Deseja-se fallat a negocio de muito
interesse, na ra da Cadeia do Becife, loja
de camino, n. 2i, com os Srs. Joaquim Jos
de Sanl'Anna, Jos deCarvalho da Fonso-
ca Lima, Manoel Jos de Barros, Aniuuio
liis Nogueita, o Itvm. padre Caetano Jos
Antunes, Manoel Francisco da Costa Lobo,
Jofio Baptisla Vieira Castro, Izidio de Santa
Clara, Joaquim JoSo Itoberto, Francisco
Concalves Orom, Manoel Gomes da Silva,
Manoel de Amorim Lima, LuizBiboiro Ma-
chado, Joaquim Jos Marques e D. Maiia
Thcreza do Jess.
Gnsa de commisso de
escravos.
Na ra Direita*, sobrado de tres
andares, defronte do becco de S.-
Pedro, ii. 3, recebem-se escravos
de ambos os sexos para se vende-
rem de commissao, nao se levando
por esse trabalbo mais do que 2
por cento, sem se levar cusa al-
guma de comedoria, e olferecen-
do-se toda a seguranca precisa
para os ditos escravus.
Aluga-se, por lempo do festa, ou por
atino, um sitio na estrada que vai pata a
Maglaiena, com cacimba com boa agua de
beber, casa para grande familia, com 4 sa-
las, 6 quattos de 20 palmos em quadroe
cozinha graude : os pretendontes, dirijam-
so ra da Cruz, ti. 5, sobrado.
I)a-se pfio do vendagem, offerecendo-
se melhor conveniencia do que em outras
partes : na ra do lio/, irin larga, n. 48.

BOWMAN & MC. CALLUM engenhei
ros machinistas t fundidores de ferro, mu
respetosamente annunciain aos Senhores
propietarios deongenbos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, que o seu eslabelecimenlo
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em effeclivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelboi da pri-
meira qualidade para a perfeta confeceflo
das maiores pegas de marhinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sun arle, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar t
allcncHo publica para a sseguintcs, por
lerem deltas gratulo sortimenlo jproropta,
as quaes construidas na suaTalrica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
Irangero, tanto em prego como em qua-
lidade das materias primase inflo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor construcgflo.
Moendas de caima para engenhos de lo-
dos os tamaubos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Bodas d'agoa, moinhos de vento e serra
riaa.
Manejos independeules para cavallos*
Bodas dentadas.
AguilhOcs, bronzes e chumaceiras.
CavilbOes e parafusos de lo>los os tama-
nhos.
Taixas, pares, crivos e boceas de Torna-
dla.
Moinhos de mandioca, movidos a mo ou
por animaos, c prensas para a dita.
Chapas de Togflo e Tornos do farinha.
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mSo, por animaes ou venlo.
Guindastes, guinchos c macacos.
Prensas bydraulicas (' de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blisa's.
Columnas, varandas, grades e portdes.
Prendas de copiar cariase desellar. (
Camas, carros de mlo e arados de Trros,
&c. &c.
Alm da superioriade das suas obras,
geralmonle reconhecida, Bowman &
Callum garantem a mais exacta cnTorm
dade com os moldes e dczenbos rcmetti'dos
pelos Senhores que se dignarem de Tazer-
Ihes encommendas, aproveilando a occasiSo
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gse freguezes a preferencia com que leem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nSo poupar.to esTorgos e diligencia.'
para continuarcm a merecer sua confi-
anga.
O annunrio publicado neste Diario
sobre a mudanga daoQicinade eucadema-
gilo da praga da Independencia, lica sem cT-
Teita, por continuar a dila oflicina a subsis-
tir no mesmo local, tendoa venda sido fei
laaoSr. JoSu Jos Elias Piulo de Guuveia
Aluga-se um preto cozinheiro : na'ra
do Livra ment, n. 22.
Jos Soares.dc Azevedo,
nrotessordelingoa franeeza no ly-
cen, tem ubrto em sua casa, ra
do Hozarlo larga n. 36 segundo
andar, um curso de Geogiuphu e
Historia e outro de Khftorica b
Potica. As pessoas que deseja-
rem estudar qnaesquer destas dis-
ciplinas pdem dirigir-se indi-
cada residencia a qualquer bora.
Furtaram,da ra da Cadeia,do segun-
do andar do sobrado onde moram Deano
Youlle & Companhia, un dia 21 docorrente,
um relogio de prata suissp, quo traba Iba
em 10 pedras, fabricado por J. J. Jacob fe
Lele, com correte de cabello; um dito de
ouro, palente inglez, novo, que trabalha em
8 bedra* feito por E J. Dente, do Londres,
n. 13,497, con. caixa de niarroquim : am-
ImJos relogiossto de vidro : urna carteira
de algiheia : quem driles tiver noticia,
patticine em dita casa, quo ser gratificado
com (50,000 rs., assim como assegura-se
debaixo de palavra de honra que sa guarda-
r segredo a quem os entregar,,
Pede-se ao Sr. fiscal da freguezia de
San-Pedro-Martyr deOlinda, que haja de
mandar tapar os banheiros que reeebom
agoa do rio Bebnribe, assim como fechar a
po'tad'aeoado Varadouro, para que nflo
que uto liquem os moradores da dita cida-
de sem agoa para o verSo: Sr. fiscal, he pre-
ciso no dormir em objeclos de tanta mon-
ta, que atacam a guella de quem tem sede ;
e, se o no remediar, lhe ir sallando s an-
cas O garapeiro.
A ii nuncio.
Oabaixo assignado previne aos credo-
res de sua mili, a Sra. I). Luzia Caetana
Isabel o Mello, proprietatia de engenho Pin
loba, na comarca de Nazarelh, para que no
prazode 15 das da puhlieagflo deste, se
apresentem com as suas cuntas ap mesmo
ahaixo asssignado, alim tle serem reconhe-
cidas por verdadeiras, c passa lo o referido
tempo n,1o serflo allendidos. Outro sim,
ninguem de boje en> diante poder contra-
tar com a senhora sua infli, sem expresso
consentimento do annuncianto para ser Ic-
galmonte aulorisado : porlanlo, quem fizer
o coutrrio, no se chame ao depois a igno-
rancia. Caraba, 22 de novombro de
(849. JoSo Marques llacallio.
Dr. Joaquim de Oliveira e Souza ensi-
na em sua casa no Aterro- la-Boa-Visla, n.
82, a traduzir, fallar e escrever a ligoa fran-
eeza, e por casas patliculares.
primeir'as nogOes do direito positivo, por
Lobato; Direito natural, por Fortuna ; Re-
sumo da historiado Brasil e das Guienas,
em francez, por Fernando ninlz; Ensato
sobre as garantas individuaos, por Daunon.
- Na ra da Cruz, no Becire. armazem
n. 33, vendem-so saccas com fejao, por to-
do prego, por estar principiando a furar ;
umporglo de calgado do Aracaty, como
sejam 80 pares de sapalOes de couro de lus-
tro, obra bem feila o de diversos lmannos;
sola e couro de cabra ; caixas para rape :
ludo por prege commodo, para fechar con-
tas.
-- No sitio da Estancia, junto ao engenno
deGiqui, vende-se urna carroga nova de
quiltro rodas, foita na Innkaterra, pronna
para conduzir grandes pesos, sendo feila
para carregar assicar para o porto de em-
barque, e cannas do cannavial para o onge-
nho: os eixos o rodas so de patente e de
urna solidez para resistir a todoe qualquer
servigo: foi trazida pelo annuncianteda In-
glaterra como adequada aos aervigos dos
ongenhos.como as carroga dequatro rodas
actualmente em uso certamente nflo sao.
Vendem-so tambom osarreios para oito ca-
vallos em separado, ou com a carroga, a
qual est arranjada para trabalbar com ca-
vallos ou bois: os arroios de inferior qua-
lidade serve igualmente para carrogas de
um cava I lo, e por isso tambem vende-se ca-
da apparclho em separado. A tratar no mes-
mo sitio ou na ra do Vigario, n, 4.
1
A 2,400 rs.
1
Compras.
Compra-se una porta o janclla : na ru
lo Aragflo. n 9.
Na loja de cncdernagSo da praga da
Independencia, n. 12. compram-se livros
usa los, tanto francezeso poi'tuguezes|como
latino.
Compra-se urna escrava que saiba bem
engommar o coser : no Aterro-Ja-Boa-Vis-
ta, n. 18,loja.
Compra-so urna esclava no sendo
crioula, e que saiba cozinbar, engommar,
ensaboare fazer todo o servigo de urna ca-
sa : na ra dos Matlyrios, n. 34.
Compra-se um par de lintcirbs o nriei-
ros de louga, grandes, dos quo usa va m os
escrivflcs: tiesta lyoograpllia se dir quem
compra.
Compram-so pataces mexicanos e
cruzados novos : na esquina do l.ivramer.-
lo, loja de 6 portas.
Compra-se um calix em meio uso para
celebrar missa : na ra da Gloria, n. 60.
-- Compra-se meio apparelho do loug
para jantar, com algum uso : na ra do A-
ragflo, n. 8, se dir quem compra.
-- Compra-se um sellim Inglez com pou-
co uso : quem tiver dirija-se a Boa-Vista,
ra da Santa-Cruz, n. 32, ou annuucie.
$ Baratissimas mantas de cambraia eff

@) para senhora, pelo diminuto prego
| do *2A00 rs.:
W na ra do Crespo, n. II.
V
- Vemlem-se chapos de massa franee-
za, os mais modernos Joe leem chegado re-
cenlemente, pela elegancia das formas;
ditos de mola, pretos e superiores; ditos
da Italif, de copa alta e baixa, para ho-
mens; ditos enfeitados para meninos
meninas, de lindissimos gostos ; ditos sem
pello de diversas Trmas e cores, tanto pa-
ra homens como para meninos : advertindo
que ludo foi recebido agora pelo ultimo
navio Trancez, vindo do Havre : na ra No-
va, n. 4i, fabrica de chapeos.
Vendem-se Irinla escravos e escrava,
sendo ncgrinlias e mulatinhag com habili-
dades o sem ellas, de 12 a 20 annos ; pretas
muito boas quilandeiras, sendo algumas
com habilidades ; moleques de 12 a 20 an-
nos ; pretos e pardos : na ra da Cadeia do
Beciie, n. 40.
Cabos de linho patente.
Na ra da Cruz do Recife, armazem n.
13, vendem-se cabos de linho patente de
superior qualidade, de urna a seis pollega-
das de grossura.
0**)^|P)#8#
u
u
fe
C3

vr.
5i
as
<
Id
a
Vendas.
'4\
m f-
Folliinhas.
Na livraria da praga da Independencia,
ns fi e 8, vendem-se as bem condecidas fo-
Ihinhas mpressas fiesta typographia, tan-
to do i orla cuino edalgibeira.
.- Vendem-se 18 aeges da companhia
de Bcberibo : nesla'lypographia se dir
quem vendo.
Vendem-se 5 armarios proprios para
louga, ou guarda-roupa ; duas mesas de
jantar ; um aparador; um guarda-louga ; 2
armarios pequeos : na ra do Sebo, n. 42.
Vcnde-se um cabriolet muito leve e ele-
gante, em bom uso, por prego commodo :
na ra do Hospicio n. 9.
Vende-se urna cavado mellado com
muito bons andares, e que est bastante
gordo : na Camboa-do-Carmo, n. 12.
Vendem-se dous pretos de 20 anuos, de
muito bonitas figuras, ptimos |para carre-
garem um palanquim, ou para rabalharom
em um armazem de assucar ; um dito mogo
e de boa gura, e quo he bom oflicial de sa-
pateiro ; 2 mulalinhos muito esperlos para
servirem a urna casa, ou para aprenderein
oulcio ; una preta de 20 annos. de boa fi-
gura, que coso, engomma e cozinha ; urna
dila cum urna lilba de 10 mozes, que cose
r T.iz lava'inU : na ra do Collegio, n. 21,
pi i[i>< ii o andar, se dir quem vende.
Vende-so urna linda moleca de 14 an-
nos, recolhida, e com habilidades : na ra
do Uangel, n. 57, sobrado.
Farinha de mandioca.
A bordo da garopcira Conceicdo-Feliz,
fundeada em frente do caes do Collegio,
vende, so farinha de mandioca, a Ires mil e
duzentes ris o alqueire da medida vclha,
de muito superior qualidade.
Vende-se urna casa terrea,
feila a moderna e com gosto, sita-
nas Cinco-Pontas, confronte a for-
taleza : a tratar na pracinba do
Livra monto, n. 67.
Vendem-se, na ra do Queimado, loja
n. 21, os seguinles livros em bom uso e por
prego commodo : Diccionario de Moraes da
quarta cdigSo ; dito porttil portuguez e
francez ; UissertagOes jurdicas sobre a in-
telligencia do algumas ordenages, em sup-
plemenlu ao manual pratico, por Alexandre
Caetano Gomes; Poderos e obrigagoes dos
jury*, por Cirios Conite Principios ou
? los 20:000,000 de rs 1
i do Rio-de-Janeiro. $
? Vendem-se os muito afortunados 9
i# bilholes o meios ditos da 21.* lo- #
# teria do monte pi, cujas rodas de- %)
vlam andar no dia 16 do correnle
i mcz. A elles, a elles, que estSo no
9 resto.
no A
Vende-so um bilhar novo, prxima-
mente acabado, com lodos os seus pqrten-
ces, ou aluga-so a alguma pessoa capaz pa-
ra algum sitio pe lo da praga, dando fiador
ou panto* : na ra do Sebo, n. 42.
\a rua do Crespo, n. 9f
lujado Joito A. G. GuimarSes, vende-se,
por commodos prego, um bello sortimen-
lo de fazendas modernas e de gosto, con-
sistindo em cassas e cambraias dos mais
lindospadroes ; casimiras; cortes de ves-
tidos de seda ; lengos da India de todas as
cores, em ponto de sarja, o oulros mitos
objeclos para adornos da senhora. tam-
bem se vende ua mesilla loja urna grande
porgo de fazendas que por serem antigs
se venderflo a quem as pretender com SO a
40 por cento menos do que se pdem en-
contrar emoulra qualquer loja, como se-
jam : cortes de vestidos de seda de muito
boa qualidade ; chales grandes e menores,
de boa seda com algumas pintas de mTo;
ditos de soda e algodflo ; cassas e cambraias
de seda c algodflo, de todos o* radres ;
cortes de casimira ; brins Iletrados e de
cilindros ; brim brango liso e do lislras com
deleito, mas de puro linho, e trancado do
400 a 1,200 rs.; cortes de collete de setim
velludo, lisos e lavrados, pretos e de cores;
ditos de gorgurllo, lanzinha, etc por to-
do o prego ; mantas ; manteletas ; luvas
com pridas e curtas, de seda, lisas, borda-
das, e de pellica ; meiasde seda preta e de
cores, para homem e senhora ; lengos de
seda de todas as qualidodes, de 1,000 rs.
para cima ; chitas francezas e inglezas, e
lio.o de outras muilas fazendas, urna gran-
de poreflo de chapeos antigos de castor in-
glez, de seda e massa franeeza, com pello
e rapados de todas as qualidades, os quaes
se vendem pelo prego que o comprador
quizer dar.
Charutos de Havana
verdadeiros :
vendem-se em casa de Kalkmann Irmfos,
na ruada Cruz, n. 10.
Vcnde-se um bom carro de rodas,
com os seus competentes arreios para dous
cavallos, pela quana de 250,000 rs. : na
praga do Gorpo-Santo, ti. 2. Va mesma ea-
sacompram-se dous quartos para carga,
que sejam bons.


i nlW*J
Venden--so muito boas uvss|mosca-
teis: na rua doCotovello, n. 3
Vende-se urna esrrava preta, crioula,
do 16 annos, que cozinha, engomma o he
muito sailia : na ra Imperial, n 25.
Vende-se um cavullo melado com bons
indares e bstanlo gordo : na ra da Cem-
boa-do- Carino, n. 12.
Vende-se exccllente mel para comer,
a 300 rs. a caada : na ra da Concordia,
n. 8, roinaria france'za
-- Vende-se urna preta crioula, de boni-
ta Ggura, que lava bem de varrella e cozi-
nha o diario de urna casa i o motivo por
que se vende so dir io comprador : na ra
do Crespo, n. 15. loja.
Vendem-se qualro vaccas com crias,
sendo urna luifHI, dando todas quantidade
de leite, no sitio de Jos Perelra da Cunha,
na Pssssgem-da-Magdalena.
Vendem-se oculos para todas as ida-
dos, os mclhores que teem viudo a oste
mercado; uroa preta moga, que cose, en-
gomma, e he boa cozioheira : na ra lar-
ga do Rozario, n. 35, loja.
Vende-se muito superior fa-
rinlia gallega cm meias barricas :
na roa da Cadeia do llecife, cs-
criptorio de Deane Youle & C ,
ou no primeiro armazem do becco
do Goncalves.
Na ra do Crespo,loja da
.esquina que voll.i para
a cadeia,
vondem-se os acreditados brins trancados
brancos de listrase lisos, de linho puro, a
l,500rs. o corte; dito amarello.a l,500e
1,600 rs. r panno fino pretoeazul muito
bom, a 3,200 rs. o covado ; dito muito su-
perior, a 5,500 rs.; fusles muito bonitos
para rlleles, a 640 rs. o corte; ditos de
velludo, a 2,500 rs. ; ditos de seliin lavra-
do, a 1,800 rs. ; ditode gorgur.lode seda,
a 1,600 rs. ; cambraia lisa, a 2,720 rs, a pe-
ca de 8 varase meia ; cassa preta, a 1,440
rs. o corte; esguiflo de linho muito lino, a
1,44o r*-a vara; e outras muitas" fazen-
ilas por presos co inmodos.
Teeidos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-SantuS.
Na ra da Cadeia, n. i,
vendem-so por atacado duas qualidades,
proprias para sacros de assucar e roupa de
escravos.
Ruarles de fnria-crcs a
200 rs. o covad o eris-
cado nionslro a '220 rs.
Vende-se zuarte de furia-cores muito
enrorpado o com 4 palmos de largura, pro
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra do Crespo, loja da esquina que
volta parr a cadeia.
A 640 rs. cada um.
Vendcm-se cobertores de algodo ameri-
r-ano, oncorpadoso grsndos a duas pata-
cas ; chitas escuras de bons padroes e co-
res seguras, a meia pataca o covado : na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Tantas para engenho.
Na CundicSo de ferro da ra do Brum,
acaba-se do receber um completo sorlimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea a*
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros som despozas ao
,' i i i i i" i 1 r .
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem anligo da ra da Madre-de-
tteos, n. 36, est de novo estabelecido de-
f)gixo das mesmas condiges, ofToreccndo
a deliciosa pinga do vinbo da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinbo branco de Lis-
boa por220rs. a garrafa, c 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Bordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. N3o se admirem
os fieguezes do baixo prego por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietario querer sustentar o antigo pre-
co, embora este genero lenlia subido o me-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examinen) os
amantes a qualidade para reconheciiiieuto
da verdade e conlinuagilo da anliga fregue-
zia. Epara nSo haver usuras, esl3o promp-
tas garrafas lacrailas e com o competente
rotulo, assim como harria de diversos ta-
maitos para piovlso do prximo Natal
O proprielaiio conta com a concurrencia |
do contrario, tornsro os presos do rcla-
llio a primitiva de2i0e 280rs. a garrafa.
Folha de Flandres.
Vendem-se caixas com folln de Flandres:
na rus do Amorlin, n. 35, casa do J. J. Tas-
so Jonior.
- Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalle-Nova, n. 42.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de moldados
atrs do Corpo-Saoto, n. 66, por prego com-
snndo, velas de carnauba, sendo 8zues,
or de rosa e lustrosas, as quaes se toruam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e aturarem mais que as de espermacele,
a nao fizerem morrSo.
Deposito de 'otassa.
Vende se muito nova potassa
de boa qualidade, em bairiszinbot.
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como ja ha muito
tcnipo se nao vende: no lieciie,
ra da Cadeia, armazem n. la.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgen de Lis-
bda, por preco muito commodo.
4
.! 1i'
- Na rus da Cruz, armazem n. .33, ven- Vende-se urna vacos panda de ponco .
dem-se barris com c-l de l.i,ba com 4 ar. no principio da eslra )s < ma viagem do Novo- le do sitio que foi.de Francisco da Silva la-
robas, ebegados na ultima viagem
Vencedor, por prego mais barato do quo 1 m
outra qualquer parte.
^ rados de ferro.
Na fundigSo da Aurora em S.-Amaro ,
vondem-se arsdos de ferro diversos mo-
delos.
A 140 rs. o covado.
Vende se superior risesdo de algodSo,
muito cncorpado, a 140 rs. o covado: na
ra do Crespo, n. 6, loja junto ao lampeilo.
Vendem-se relogios de ouro e prata,
patentes inglezes: na ruada Scnzalla-No-
va, n. 42.
Rixas.
Vendem-se bichas chegadas ltimamente
e de boa qualidade, a 160 rs. cada urna, em
porgito de 25 para cima : na ra do Amo-
rim, n. 35.
AGINCIA
da fundico Lovv-Moor,
RA DA. SKNZAI.T.A-N0VA, N. fa.
Neste .estabelecimento conti-
na a haverum completo sorti-
mento de moendas e meia moen-
das, pai^i engenho ; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
Pos galvnicos para
pratear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objectos
prateados e que lenham perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, 011 inu-
tilisados, tcem uestes pos um excellente
restaurador e conservador dos mesmos
objectos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples ,
nada, mais do que esfregar com um panno
de linho molhado em agoa fria e passado
nos mesmos pos.
Urna caixinha contendo quantidade suf-
ficienle para pratear mais de 40 palmos
quadrados custa a mdica quantia de
mil rs.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Babia
Vende-se em casa de N. O. Itieher & C.
I ra da Cruz, n. 4, alcodlo trancado
aquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Chd brtisileiro.
Vende-se rb brasilpiro no armazem de
moldados, airas do Corpo-Sanlo, n. 66, o
mais excellente cha produzido em S.-Pau-
lo que lein viudo a este mercado, por
prego muito commodo.
Moendas superiores.
Nafundigaodo C. Starr A Companbia ,
cm S.-Amaro, acham-se venda moendas
de. raima, todas do ferro, de um modelo e
construcgflo muito superior.
.Sapatoes a 800 rs.
No Aterro da-ltoa-Vista, loja n. 58,
dem-se sapalocs do Aracaty a 800 rs. o par,
o duas vidrscas para loja por preco com-
modo.
Novos cortes de cassa pa~
ra vestidos.
Vendem-se corles de cassa para vestidos,
de i ''iies lixas e de bonitos padroes, a seto
e oilo patacas o coi te ; diales de tarlalana ,
grandes a 800 rs.; meius ditos, a 500 rs. :
na ra do Crespo loja da esquina quo vol-
ta para a cadeia.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de mnlhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, ebegados
pelo ultimo vapor .viudo do sol, superio-
res charutos S.-Flix, e de outras muitas
qualidades que se vndenlo mais barato do
que em outra qualquer paite : bem como
cigarrilbos bespaubes ditos de palba de
ni illiu, que se estilo vendendo.pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cinto.
Corles de brim de cores
com listras ao lado, a
I.9B0 rs.
Vcodcm-se cortes do brim de cores com
lislras ao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
goso americano, proprio para esclavos, a
140 rs o covado na ra do Crespo, loja da
esquina que volta para a cadeia.
Atteucao.
Vendem-sa filas de chamelote para os
hbitos de Christo, llosa, Aviz e Cruzeiro,
chegadas prximamente : na ra do Cres-
po, ao p do arco de S.-Antonio, loja de
miudezas de Joaauim llenriqucs da Silva.
A 430 c 560 rs.
Vendem-s-cassas francezas de cores fi-
xas o do bonitos padroes, pelo barato pre-
co de 480 rs. a vara; chitas largas france-
zas e de lislias cor de ganga c cor de ciuza,
pelo baralo preco dc360rs.; brim tranca-
do amarello de puro linho, pelo barato pre-
go de 640 rs. a vara : na roa do Crespo, n.
14, !oja de Jos Francisco Das.
Potassa nova.
Cliegon de llamburgo potsss
nova em barris pequeos: ven-
de-sc em casa de llolhe &c Didou-
lac, na ra do Vigario, n. 4-
--Vendem-se pegas dejcassss lisas linas,
com 10 varas, a 3,000 rs. : na loja u. 17 da
ra do Passcio.
Familia de trigo Barn.
Acaba de chegara este mercado urna par-
tida desta muito antiga e acreditada marca,
a qual pela sua excellente qualidado pro-
meti renovar o crdito, que algumss par-
tidas nfio l'iu boas, o anteriormente
chegadas liuham desmerecido; vende-sc
cu casa de J. J. Tasso Jnior, na ra do
Amorim, n. 35.
ven-
vares
--Vendem-se vas moscs.teis|, pes de ss-
put's, e uns brrjique fdrarde deposito de
azoite de arrpalo : na ra da Conceicao
da Boa-VUla, n.-gO.
Vendeni-se, muito emi con-
ta, relogios de ouro de patente :
na ra do Queimado, n. io.
Vendtm-se aaccas com farinha muito
boa eJaernorrida, por preco commodo : no
armazom do finado raguez: na ra da ka-
deis, ao p do arfo da ConceiQflo, n. 6 0, ou
a fallar na toja de Jo3o Jos de Carvalho-
Moraes.eno mesmoarmazom.
Paraquein tiver bom
gosto.
Vendem-se redes de cores mtaito grandes
e muito bonitos padroes, e o melhor que
tem apparecido neste mercado : na rus do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia.
Na ra do Queimado,
viudo do Rozario, se-
gunda loja, n. IK,
vendem-se luvas de lorcal, pretas e bran-
cas, a 500 rs. o par ; meias de seda pretas,
curtas, il800rs. o par; ditas compridas, a
1,500 rs.; e outras muitas azendas por
commodo pre^o.
Caldo Lisboa.
No Hio-Formoso, em csss de Julio Jos
l.opos, vendem-se bsrriscomcal virgem de
Lisboa, do superior qualidade, [por preco
commodo.
A'2,720 rs. cada um
corte.
Na loja de Cuimarilcs & llenriques, ra
do Crespo, n. 5, vendem-se novas cassas
parisienses, padrOes muito modernos, pe-
lo barato preco de 2.720 rs. cada um corte :
esta fazenda se torna muito recommenda-
vel pela superior qualidade e barato preco.
Saccas com milho a
2,500 rs. e ditas com ar-
roz de casca a 5,500 rs.:
vendem-se no armazem drfBraguez, ao p
do arco da ConceicSo.
A 240 rs o covado.
Vendem-se riscados de linho, proprios
para jaquelas e caifas, a 240 rs, o covado ;
zuarte com urna varado largura, pelo ba-
rato deOOrs. o covado : na ra do Cres-
po, n. 6, loja ao p do lampeSo.
Bom e barato.
N ra do Qucimado, viudo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vende-se panno lino
verde o azul, a 2,000 rs o covado ; dito
azul muito bom, preto ecor de azeitona, a
8,000 rs.: lencos de selim para grvala, a
1,000 rs. ; mantas tlu seda escoeczas de bo-
nitos paJrOes, a 10,000 rs.; cortes do col-
leles de fus1 So branco, a 500 rs.; ceroulas
de meia muito futas, a 1,500 rs. ; cuites de
cambraia de seda e outras mullas fazen-
das por commodo preco.
Vende-se espirito de 37graos, a 1,200
rs. a caada, e 160 rs a garrafa : na ra da
l'raia-de-S.-ltila, n. 1.
Queijos do sertao.
Na ra do Queimado, n. 14, loja de fer-
ragens, vendem-se muito bons queijos do
sertflo, por menos preco do que em outra
qualquer parte ; bem como 3 couros de on-
qa e um do lontra ; urna por;3o de couros
o,nulos : ludo se vende muito baralo.
Vendem-se diversos escravos e
moleques, sendo um del'es cozi-
lllll'll o j
molccotes : pretos [para o campo; ditos
para armazem de assucar; um dilu mari-
nhciro ; um pardo ptimo para pagem ; um
dilo sspaleiro, o qual se troca por urna pe-
la quitandoiia ; um dilo para trabalhar em
alguui sitio; 3 pardas com habilidades;
duas prelas mogas com algumas habilida-
des : lodos esles escravos os seus donos de-
ram ordeus parase venderem muito bara-
tos : ua ra das Larangcias, n. 14, segundo
andar.
No armazem do barateiro Sil-
va Lopes, na porta da alfandega,
vcude-se arinba de ti no de 1 hi-
ladflpbia, nova e da melbor qua-
lidade que vnii a este mercado.
liolaclia de farinha de
milho.
Appareceu omlim novamenle a venda a
excellente bolacha de familia de milho su-
perior a que su leo fabricado e annuucia-
do i or vezes, pelo acoslumaJo prei;o de
80 rs. a libra : ua ra larga do llozario,
n. 48, padaria.
Ornatos para sala dos
amantes do bom gosto.
Mr. Ilorlrand, que seacba aqui de passa-
gem, avisa ao respeilavel publico que lem
grande surliinenlu de eslampas, tanto sa-
cras como de outras historias, de diversos
gustos e lmannos, proprias paia se ornar
qualquer sala ; e cartas geographicas das
^cinco parles do mundo, muito modernase
alad goslo de l'.iris .- os pretendentcs, diri-
_ yliii-se ra da Cadeia de S.-Antonio, n.
13,'das 6 as 9 horas da manhSa, ede urna s
4 da lardo.
Vendem-se pecas do chitas limpas ede
assenlo coberto, a 5,800 rs. e a retalho a
160 rs. ; cassa-clnla preta para lulo rigo-
roso e alliviado, a 140 rs. o covado; Cassa
lisa, u 3,000 rs. a peca de 10 varas, e a re-
talho a 320 rs.; cambraias, um corlo para
vestido 2,500 rs.: na ra do l'asseio, n. 17,
loja.
Velas de espermacetc.
Vcridem-se velas de esperma-
cele superiores, chegadas agorada
America em casa de Deane You-
le & Companbia, na ra da Ca-
deia, i. !\-
Rap de Lisboa.
Vende-se rap de Lisboa, for
preco commodo : na rna da Ca-
deia do Kecie, loja de Antonio
joaquim Vida!,
Rap Paulo-Cordeiro.
Vende-se rape" Paulo-Cordeiro,
chegado pelo ultimo vapor do Rio-
de-Janeiro, bem fresquinho, por
commodo preco : na ra da Ca-
deia do Kecie, -toja de Antonio
Joaquim Vidal.
m o o e
-.= 5."
m fc a L-
o o o c -
g c o o t=2,
^ SO (U
o o
s o j. a,
w c O -3 O
- ">~.i -o a
Evo Vfl4!
G 2 c I
Nests loja vende-se psnno fi'io preto o
de cOrcs ; casimirss elsticos, linas e de bo-
nitos padrOes ; cortes de brim do linho es-
curo, a 700 rs. ; cassa lisa, a 320 rs. a vara;
chitas decores lixas o do pannos muito en-
corpadas, a 140 rs. o covado ; e outras mui-
las fazendas proprias da fesla, por barato
prego para fechar cuntas.
Xa rua cstrtila do Rosa
rio, n A.
Vendem-se por prego commodo os seguin-
les 11 v rus: Itecrcaco philosophica pelo pa-
dre Theodoro deAlmeida, lOvol., por 12/
rs ; 1'eliz Independcnle com ricas estampas
2 vol.; Novo Compadre Matheus, 3 vol.;
CuilhermeTel, 1 vol ; Diccionaiio de Cons-
tancio, ultima edicSo, 1 vol.; Plutarco lira-
sileiro, 1 vol.; Diccionario potico, 1 vol.;
Historia de Portugal, 2 vol. ; l'hilosopbia
de Cousin, 3 vol. encadernados, por 6,000
rs. ; Manual da l'hilosopbia pelo mesmo, 2
vol por 5,000 rs.; Lgica pelo mesmo, 1
vol,, por 2,000 rs.; obras completas de Tito
l.ivio com texto francez, 2 vol. in folio,
por 12,000 rs.
Vendem-se 2 pardas, urna ife 22 annos
o a outra de 21, ambas robustas habilido-
sas, e quo silo ptimas para amas : no Ter-
co, casa do Sr. Ignacio Ferrcira da Costa,
se dir quem vende.
-- Vendem-se uvas frescaes, em caixas
de arroba : no armazem do llacelar, defron-
te do caes da Alfandega.
Vende-se um moleque de muito boa
ligura, viudo do matto : o motivo por quo
se vende se oir ao comprador: na rua do
Itangel, u. 36.
Vendem-se 8 lindos moleques, de 10 a
18 annos; 10 pretos de 20 a 25 annos, sendo
um delles ptimo sapaleiro, e outro cozi-
nheiro ; :t pardos do 16a 25 annos, sendo
um delles hom carreiro ; 3 pardas com ha-
bilidades, de 16 a 20 annos ; urna dila de
20 annos, com boas habilidades, e com 2
ii 1 lias, urna de5 annos e a outra de 1 ; 8 pre-
tas de 14 a 25 annos, corn habilidades, e
."i'i proprias para todo o servido : na
ruadoCullegio, q. 3.
Vende-so urna taberna em bom lugar,
com poucos fundos, o com commodas para
lamilia, no Aterro-da-ltoa-Vista, n. 22 : a
tratar na mesiua laberna
Vende-se una taberna na rua Nova, n.
65, bem afreguezada, tanto para trra como
para o mallo, e com um grande armazem
de sal : ao comprador se dir o motivo por
que se vende : a tratar na mesma taberna.
-Vende-se una negrinba recolhida, de
uac|, de bonita ligura, de 12 a 13 annos,
qurfeose, eogomma, lava o cuzinha ; he
muito sa lia, nao lem vicios, e be propria
para urna casa de familia, por ser muilo
bem educa la : na rua da MoJa. n. 25, ven-
da da esquina.
.Cvicos corles de barra-S
* Vendem-se os mais ricos cites de V
j? vestido de cambraia com barra; cha- *
* les de seda, a 8,000 rs cada um : na
^ rua do Queimado, n. 8, loja confron- ^
E to a botica. ^
a> -i
Vende-se, por prego muito commodo,
urna preta de nacfu), de bonita ligura, de 1C
a 18 anuos, com um defeito no brac.0 direi-
lo, a qual vende ua rua, laz lo lo o servi-
do de urna casa, e be propria para Iralar de
meninos, por ser mullo Carinhosa : o mo-
tivo por quo se vende se dir ao compra-
dor : na rua da Mu Ja, n. 21, sobrado do
um andar.
Vende-se a taberna n. 9, com poucos
fundos, sita entre as duas puntes da I'assa-
gcm-da-M8gdalena, para liquidacSo.
Vende-se urna magnilica e elegante
casa de campo, sita margem do rio, no
lugar de S.-Anna-de-Dentio, conligoa ao
sitio dos berdeiros do fallecido commeu-
dador Antonio da Silva o confronte ao si-
tio do Sr. Gabriel, com um le reno de 600
palmos de frente o 800 de fundo, com suf-
iciencia detercapim para 8 ou mais ca-
vallos, e oulias planlagoes, que ludo pro-
duz com umita facilidad, pela l'erlilidade
do solo, com excellente baubo que lies ha
pouca distancia da cusa : o ar be muito
fresco e saudavel, com extensa e sprasivel
vista : os pretondentes para vor, ,dirijam-
se ao mesmo >ugar, cuja enlrsdada he lo-
go diante da propriedade do Sur. Ilelm,
dofronledoSr. Nicolto, a /aliar como Sr.
JoSo Venancio, e para tratar, na rua da Ca-
deia do Itr.cife, conioSr. commemiador Ua-
noel Gongalves da Silv, oo em S.-Jos d-
Mangninlio casa defronte da estrada nova
da Capunga.
Na rua do Queimado, n. /(o, ao p
da fabrica de chapeos, vendnp
se a 6,000 rs.
cortes de casimira elstica de lislra ao la-
do, padrOes totalmente novos : a elles antes
que se sea bem. .
Vende-se tim faqueiro de mesa e cha e
um laboleiro ou bandeja, ludo de prata,
feito cem o melhor gostu c polrdez possi-
vel, e ltimamente chegad.o do Porto: a
fallar na casa defronte da igreja do Corpo-
Santo, n. 150.
Na rua das Cruzes, n. 24, segando an-
dar, vendem-se duas escravas engommadei-
ras, costureiras.cozinheiras e lavadeiras;
duas ditas de Maguo para lodo o servigo ;
dous molccotes do 14 a 18 annos, sabendo
um delles coiinhsr; um preto muito ro-
busto para lodo o servigo.
Cm jumento.
Vende-se um jumento muito novo, e bom
para tirar casta : na rua do Queimado, n. 14,
loja de ferragens.
Oleo decupahiba.
Vende-se muito bom oleo de cupahiba,
por commodo prego : na rua do Vigario, n,
23, segundo andar.
JNa rua Nova, n. 5,
vende-se um mulatinbo de 15 annos,.pro-
prio para pagem, por ser Je elegante {gu-
ra ; um molecote de 18 annos, bom coii-
nheiro, e ho de boa conducta o que se aban-
en ; um mulalinho do 8 annos, muito lindo;
um molecote bom ollicial de alfaiale ; dous
pretos para tiabalhan m de ensadayasm
das figuras ; duas pardas prendadas; duas
pretas com habilidades ; urna mulathlha de
14 annos, com principios de costura e en-
gommado.
Mantas de seda.
Anda existe urna pequea porgio de
mantas de seda, ao prego de 7,000 rs. cada
urna para se acabar : na rua larga do Roza-
rio, | ailana n. 48.
Farelo em saccas gran-
des:
vende-so no arrrlazem de Antonio Annes ,
no caes da Alfandega, a 5,000 rs. a sacce.
fcscravos jrupicoh
Fugio.no dia 18docorrente, do enge-
nho Novo da Muribeca, o preto Filippe,
crioulo, de estatua alta : tem o rosto coin-
prido o de un lado mais alto que 0 outro
de maneira que mustra ter o rosto torio
para una banda, nariz grande o aquilino,
hombros levantados, delgado da cinlura,
pese hijos muito grandes ; tem os dedos
dos pos muilo abarlos c algumas unhasco-
midas de feridas quo leve; lem oflieio de
alfaiale ; suppe-sa estar aqui na praga lr-
halhando pelo oflieio,por e Isso roga-seaos
Srs inesties das leudas, ondewji mesmo, pre-
to se adiar, oo a outra qualquer pessos
quo delle (ver noticia, de participar na rua
do Collugio, aoSr. Antonio Mica a Re-
g, que recompensara o favor.'
100,000 rs. de graUficago.
O ahaixo assignado roga aos Srs. de en-
genho CliristovSo de llollanda Cavalcanle,
Francisco de Barr&s Reg, Francisco Mari-
nho Wandcrley, Francisco da S.-Tiago lla-
mos, Antojiio Jos Marroquim, Manoet de
llarros Accioli Mello, Antonio de S.-Tiago
Paz de Mello, Piulo de Amorim Salgado,
I)r. Flix Theotonio da Silva Cusmflo e Ig-
nancio de" Barros Wanderlcy para qpe se
dignem mandar ver pelos moradores de
seus engenhos urna escravs de nome C-
tharinS crioula, de estatura regular, ona-
gra, com a barriga Um tanto crescida, den-
tes bonitos, sobranselbas. carregadas ; le-
vou urna filba mulatinhay da*3 annos, de
rosto redondo, olhos pequeos ; tem as co-
xas to unidas que a Taz vollar os res para
oslados. Fugio a 11 de outubro de 1848.
A ni fu desta negrinha chama-sc Jeronyma,
e tem alm desta lilba muitos lilhos, a por
isso se tem feilo notar no lugar aonde mo-
ra ; he escrava deThomaz Vieira, morador
no engenho palma, sitio capivara. Calhari-
na foi cria de Maria Vieira, moradora em
l'eroba, silio Pescinenge, o por mora desta
coube em heranga a Certrudos, lilhWPia-
da com Domint'i s do tal, morador nesta
praga. Ha toda a certeza della ter estada em
algum destes'e'ngenhoi, porm tem sido
mudada talvez polos manos. O abaixo as-
signado offereco a quantia de 4*0,000 rs. a
quema trouxcral o lim de dezembro do
correte anno, e pretende desse prazo eai
diante, fazer toda a diligencia para a desco-
brir o proceder contra quem a tiver acoi-
tada. Oconissandante do corpo de poli-
ca, Sudo do llego Barros Faledo.
--Nodia17do corrente novembro ct-
appareceu desta cidade, da casa do pateo do
Caimo, n. 18, o pardo Mximo, de cOr um
pouca clara; representa 30 anuos pouco
mais ou menos; rosto e corpo regulares,
olhos vesgos o pequeos; lem os cabellos
pelos e crespos, e usa delles alguma coli-
sa crescidose suissa serrad* ; costuma lus-
sir bafadamenlo de espago em espago;
quando falla fecha um dos olhos o bastante
apressado ; foi esclavo do padro Aiilon:o
Congalves da Silv, o boje perlence a An-
tonio Carlos Pereira de Burgos Ponte de
l.eon. Itnga-se as autoridades policiaca, ca-
pitales do campo e qualquer pessoa paiti-
clar, que o apprehendam u levem-no ao
dito Sr. no engonbo Agoas-(.laraj fregue-
zia da Gscada, ou nesta ci.lado a 4ino do
Castro Aiaujo, quescrao gratilicados..
Fugio, nooia 6 do correnlej", o prelo
Rcucdicio, >!e lu gao, ue i anftaaVpouco
mais ou menos, sein barba ; levou aniica
de madapolDo e salgas de i iscado largo e es-
curo ; de altura regular, corfSMfornido,
beigos grossos, bocea grande, pW e mftos
grandes piquero i pegor love-o rua es-
trella do Rozario, n. 43, segundo andar,
quesera gratificado.

PlN. : Di fVP, DE DE HIU. 1S-19


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9XH623QB_41BNFA INGEST_TIME 2013-04-24T18:15:28Z PACKAGE AA00011611_06724
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES