Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06721


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
Sibb.K.o 24
FAIITIDAS DOS COBfiEIOS,
flolanna eParahiba,segundas esextas-feiraa.
Rio-Graude-do-Norle, (iiiintas-feirasao melo-
da.
Cabo, Scrinhem, Rio-Formoio, Porto-Calvo
Macelo, no 1., a II e 21 de cada mes.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flore, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-reiras.
Olinda, todos os dias.
IHIMIRIDEI.
Phssis di uja. Ming. a 7, s 6b.e 3ni.cl.iin.
Nova a 14, s 6h. c63m. da t.
Cresc. a 23, aos 5 m. da m.
Chela a 30, 3 b. e 5m. da m.
rntMH DE BOJE.
Primeira aos 30 minutos da larde.
Segunda aos 5-1 minutos da man;.
de Novcmbro de 1849.
N. 2 i
megos DA subscripcAo.
Por tres inezes (atftaalatiot) 4/000
Por seis mezcs Satino
Por um auno 15/UOO
das da semana.
19 Seg. S. Izabcl. AiuL do J. dos orf. do c ni. 1. v.
20 Tere, i. Kcli. Ijlralnls. Aud. da chae, doJ.
da I. T. do civ. c do dos fritos da f.izenda.
2i guar. S. Gelaslo. Aud. do J. da 2. v. civ.
22 Quiut. S. Cccila. Aud.do J. dos orf. c do m. da
I. v.
23 Sext. S. Clemente. Aud. do J. da 1. v. do civ,
e do dos 11 nos da fa/.enda.
24 Sab. S. Juo la Cru*. Aud. da Cbanc. c do J.
da2. v. docrlmc.
i'i li mi S. Catlirina.
OAmBIOS KM 23 DE INTOVE 1B80,
Sobre Londres, 2RJ. par 1/000 r. a (50 (lias.
. PaVIs, 3i.
Lisboa, 100 por oenlo. ,_.
O.ro.-Oncas licsna.ibf.es......f.'8W"fl a 30/000
loedaedei".*100velhas.. llfOOO a I7.fr UM
do fluu novas.. tljlMH) a li.JWHl
de 4/000.......... "Jimia 9#30tl
Prala.-PatarOesbrasileiros..... I/MO a 1/K;
Pesos coln miarlos....... l/ili) a Mln-
Unos mexicanos.......... I/8B0 a If880
rfcJW !! IIII ifT^fc
PARTE OFFICIAL.
OVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE UO DA 28 DE NOVEMBRO.
Otliclo.Ao Exm. presidente-das Alagdas,
para que se sirva ordenar ao engenheiro clvl-
I'edro Jos de Azevedo Scharanibach restltua
i reparllcSo das obras publicas desta provin-
cia una bussola coin p, uin nivel d'agoa de
i u.ni lambein coin pe, e urna mira, que elle
recebeu da referida reparticao quando nclla
empregado.
Dito.Ao ebefe de pollria, para que chame
i sua presenca o engenheiro Floriano Portier,
aliin de entregar tuna sonda de ferro e una
bandrirnla que recebeu da reparticao das
obras publicas ; e bem as lili a Feliciano lio -
Ir.igues da Silva, para fazer entrega de lima
bussola e una alidade, perteocehtes i dita re-
]iarti(o.
Dito.Ao niesnio, para que mande vlr a sua
presenfa o cidadili. Joaquim da Fonseca Soares
de Figueiredo. afim de restituir reparticao
das obras publicas urna bussola coin p, uin
estojo mathematico, e urna mira, que tudo re-
cebeu da iiiesina repartido cin 1846.
hilo. Ao cominandante da praca, dizendo
que, por despacho desta data, declarou que
Francisco Amonio llapllsla, addldo a uin dos
carpo* de lmha da guarnic desta cidade ein
i-i Hule de ordem da presidencia, tein dircito
aos-jonclmenlos relativos aos mezes de seteni-
bro e outubrn deste auno ; bem como aos que
se ti'iivm siiccrdendo.
Dito.Ao coinmandante superior da guarda
nacional do Recifr, declarando ter approvado
a proposta de oftlciar. para o esquadrao do ca-
vallarla deste municipio, cujos uomes vao de-
clarados na nota junta, Armada pelo secreta-
rio interino da provincia.
NOTA AQUESEREFEREOFFICIOACIMA
Bilado-maior.
Porta-estandarte.Domingos Suriano Goncai-
ses Ferreira.
Primeira companhia.
Capitao.Jos Francisco Pires.
Tenente. Thomaz de Almeida Anlunes.
AIfercs.Francisco Antonio de Oliveira Jnior.
Segunda companhia.
Capilao.-Thomc Correa de Araujo Jnior.
Tenente.Joaquim Filippe da Costa.
Alfrres.Sebastiao Afl'onso do Reg Barros.
Dito.Ao comniandante da ilha de Fernan-
do. inielraiido-0 de que o brigue Calliope fon-
dn para a mesma illia I pao de 12 palmos de
cotnprimento c dozepollegadas de lace, bem
como as qiiatro pecas de slcuplra para cambas
da roda da prensa de farlnha que foi requisi-
tada pelo seu antecessor.
Dito.Ao inspector do arsenal de marinha,
inieirando-o de liavcr concedido, por despacho
de boje, a Jos Marcellino-Alvos da Fonseca,
empregado na secretaria do mesmo ar.enal, a
gralilicaeo diaria de sesecntos ris.
Dito.Ao commaudante da corveta D.-Jo-
niiarin, para que mande entregar ao la barca
de vapor Thelii o grumete imperial niariiil.eiro< vir do depsitos de artlgos bellicos.
Dito.Ao administrador das obras publicas,
declarando que pode fnrnecer ao inspector da
alfandega um dos macacos da reparticao a seu
cargo, o qual dever ser armado por conta da
mesma olan lega.
Dito. Ao mesino, para que mande substituir
com urgencia uina das taboas do assnalho da
ponte suspensa do Casanga, que se acha intel-
ramente arruinada, podendo para uin tal m
Iimar mao de qualquer das taboas que estao
preparadas par' a projectada ponte pensil da
Tacaruna.
Dito.Ao mesmo, ordenando que mande
proceder ao ornamento das despesas a fazer
rom os reparos de que indispensavelmente ca-
recer a ponte dos A Togados, alcm dos que ja
foram levados hasta publica.
Dito.-Ao engenheiro Jos Mamede a Ivos Fer-
reira, para que. vista da rolaran que rcmette,
informequaes dos individuos nclla contempla-
dos possuem na ra da Concordia terrenos
de marinha que assentem no lugar all desti-
nado para edilicacao da cadela publica.
Portarla Ordenando ao cnmtnandanle da
corveta D.-Jmtearia supra a Euterpe dos mari-
nheiros que Ihe frcm rcqiiisitados pelo res-
pectivo coinmandante.
Dita.Em respostl ao ofticio que a cmara
municipal da villa de Natareth me dirigi em
data de li do corenle, tenbo a slgnilicar
mesma cmara, para sua execucao c intel-
ligencia, |ue leve permittir a Antonio Au-
reliano Lopes Coutinhn ter casa de venda de
drogas, ou medicamentos slmplices, que nao
neccssiteni de preparares, para as quaes se-
jain precisos coiibecimcntos pharinaceuticos,
ou chimicos ; e que, no caso que o referido el.
dadao, a pretexto da venda de taes drogas,
continu a faier preparacSes c a aviar receitas,
para as quaes no se acha habilitado, o deve
fazer autoar pelo seu fiscal para Ihc fazer im-
pr as mullas ou oulras penas em que tcnlia
incorrido de conformidade comassuas postu-
ras, sem que por Isso se considere aulorisada
para vedar a venda de drogas simpllces.
Dila O presidente da provincia, atienden-
do a que o arrematante do einpedramento dos
leos 6., 7., 8. e 9.a da estrada do Pao-
d'Alho, tendo dado comer aquelle traballio,
deixou de conclui-lo dentro do prazo estipula-
do no respectivo contrato, por circuinslancias
allirias sua vontade, segundo elle allcgou, e
consta de informaran do engenheiro da repar-
tido das obras publicas, datada de 3 do cor-
rente, tem resolvido prorogar por qmtro me-
ses o referido prazo ; e ordena que pela secre-
taria se f.icam as convenientes coinmunlcacOes.

ALACOAS.
Extracto dp expediente do Rxm. Sr. pruidm-
te Dr. Jote Denlo da tunha e Figueiredo.
15 DE UTL'BHO.
OfTIcio. -- Ao inspector da thesouraria de
fazenda, para mandar pagar as despezas
queseizerem com os ooncerlos das enfer-
maras do hospital, aflm de q'ie possam ser-
Do mesmo teor aos commandsntes dos
batalhoes do Porto-ila-Folha e da Malta-
Grande.
Dito. Ao delegado da cidade do Penedo,
delerminandn-llin que requisito as pravas
de guardas nacionaes que frem precisas
para substituir as que pelo communicanle
do destacamento da mesma cidade frem
prestadas ao capitfio Manoel Jos do F.spin-
dola, segundo as ordens da presidencia.
Correspondencias. 1
Senhores redactores: Tenbo lido varios
annuncios publicados om seu berr, concei-
Sr
entroga
a mesma cousa
llowuyn o Itussell Mellan ; o pedir-Ibes que
por este motivo parassem as suasexecuees
contra elle!!
OSr. Azevedo isue, n com o maior des-
caro que se polo imaginar. Ja por ve/es
tenho mostrado que des-jo snlentemeiit*
enlregar a tal maldita loja, e que no s o
Sr. A/ovedo qua a isso se oppflo envidan-
do os mais fut'-ise miseraveis pretextos, por-
pleto ilesprezo ; mas ao publico devo d.ir, fiqua corlo o Sr. I olalo da qao, vWo
satisfscilo, paraquopos.avaliar-nos. seu pessimo tvinunoso pm-.'d.on n ..
Bom como ha potico foi Azevedo diier ao para commigo, mo sellara OTnpra prompio
. Nasch, que era eu que ma oppunba n a acomnanlia-'.o om snas t iililirar.les
trogar-llie a loja, fui lamheni agora dizer Tenham. Srs. re laclor.s. a bondade oii
mesma cousa as casas dos Srs.'Adamson dar pul.lieilade ;i estas hullas, com o que
tal machina queintitula-e macAtii'o*iia,
o conhecendi
provaras vai
ralho deslilalorio, porque amachina nTo '"j, 0" ^ 4, pirt, t Atevedo, alm d<
da mail vantagem do que o alambique or- '.'., .... :,.,,.-----
ido quo o fahncante n.10 ple da ninba parH
ISSB^SS^TIS^S: tem bavido a mais restricta pootualidade.
dinario ; apresento-mo para esclarecer o pu-
blico a tal respeito, para que so nfi.i illuila
alguom com as bravatas desses annuncios,
pois que al ouso dizer que a machina nilo
dar mais'vantagens na dostilatjlo do que
urna simples panella tapada com um ca-
no volteado no lado superior para sihir o
liquido; o o nico apparelho lo destilar
muitas dilacOes pedidas e frivoli lados para
omb rapar essi entrega, tim o Srin lllm
alvogad apresentuli por tres vetes eotVw
de incommotlado, ptdindo mnis 01 dias da Ici;
e islo em urna qutilaozinha to summaria.
F. sou eu que no quero entregar a loja ?
Ou he es*e homm que nio quar tomar con-
ta dclla ? Rilo bem sibe que nessa occasio
levo cahir na lama o resto di mascara que
ourestilar, qua possue propriedade dein-; .
nue iilu '.iva o Sr. Azevedo a lomar eonti
rosne aperfe.coou le um. mane.r. espanto- ^ ^JJ^^J scnlcn(;a (]UC foi ,0.
go por elle embanjada ; c no dii ."> ill cor-
sa. I'as.arei a OXpr o resultado das expe
riencias feitas nesla provincia, do qual ver
o publico suas vantagens muito suporior todo o elogio.
A grande proptie.lade do apparelho de Mr.
Derosne h que ncllo o liquido destilavel
so renovt incessantomenta por si mesmo,
entrando pe
rente prnpOe-me oulra acclo por oulra
vara ( a primeira ) mas ;iari o mismo effeilo -
Ora, saffia-su tanta hypocrisia, I311U mpos
tura.
Empr.izo agora mui positivamente ao Sr.
Azevetlo a tomar conti la loja e desafin-o
faz que a este .pp.re.ho se .0 o no, de .. )", J^STsV A^oJo TCtTCtfJ
%SS^I em un, tempo mar-' ^^ .-. 0oo JgfrgST*
da a 4o.rd.nte seo.' a necessi ..de de car- ^SJStSSt Guimar.es.
i
Pedro Jos Teixeir.. que desertara da referida
barca na provincia da i-ahla, e se acha servln-
do na mencionada corveta.- Scieulilicuu-se o
coinmandante do dito vapor.
Dito.-Ao mesmo, ordenando |ue remella
para bordo do vapor 7n<(, aflu de ahi scrvl-
rem, dous inaritiheiros de governn e Ircs gru-
metes.-IiiUirou-se o coinmaudaiitc do nien-
'iii ido vapor. i -
Dito.-Ao tenente cncarregado da medicao
os terrenos de inarinlia, para que entregue
mlulslrad'ir das obras publicas a corren-
trica e as quatro bandeirolas que recebeu
ma reparticao.
na.- Ao commaiidanle da crvela Eu-
ai a destacar para bordo do vapor The-
1 utVrabo c dez soldados do corpo de fuzi-
1 navaes.Inteirou-se o coiiimandantc do
iouado vapor.
ta.--0 presidente da provincia, attendendo
e a obra da ponte dos Arrumbados na es-
1 nova de Olinda nao pode ser construido
menle do modo por que foi projectada
inalada, em vista da naturczi du terreno
lhc inconsistente, como iiiforinam os enge-
iros que foram ouvidos a respeito, resolve:
Que fique encampado o coutralo de ar-
alacao celebrado peante a thesouraria pro-
da! para a conslruc;ao da ponte dos Ar-
lados.
Que o arrematante seja indemnizado da
riancla das despezas <|ue fez com o prin-
e coiistruccfio da referida ponle, confor-
valiacaoque for frita pelo engenheiro
JoseTlainede Alves Fcrrcira, ouvido o mesmo
arrematante.
3. Que a referida ponte-seja supprimida,
aterrando se o lugar cm que existi a anliga c
aquelle em que eslava projectada a nova ;
iwcuuiido-sr a obra do aterro na Un ma do
ano c sb a lnspecc.ao do referido engenhei-
.ilameile, e collocando-sc tubos de ferro
e cnnvler para esgoto das agoas pluviais.
. O dilo engenheiro 0 tenlia assim entendi-
do^ e o execute, solicitando as providencias
que frem necessarias.-Ncsle sentido lizeram-
le as conveniente, cominunicacflc.
DEM DO DA 11.
Oflii io.Ao coronel commandante da praca
para que mande dar baixa a Manoel Joao dos
Santos, que, leudo por verdadeiro nome o de
Joto, se alistara com aquello em o 4.a bat.lhao
de artilharia a p, e ordene que seja entregue
au senador Francisco' de Paula LavalcaMe de
Albuqurqiie, vi.lo ler elle coufesaado er c-
ciavo do rrfrrido senador.
Dito.Ao inspector da thesouraria de fazen-
da, Ir.nsinlttindo o aviso de urna leltra'da
ipiaiiiia de quinliciitos mil rs., sacada pela the
soiirailado tlio-Grande do uorie .obre essa e
a favor de Antonio liento da Costa.- Participou
se ao presidente d.iquella provincia.
Dilo.-Aocominaiidaiileda cosvela D.-J M
rtii, para que poulia eiu liberd.de a Joaquim
Jusc dos Santos, que se acba retido a bordo da
mesma corveta.
Dito.a o Inspector da thesouraria d. fazen-
.da provincial, devolvendo a sua iiifurmaco
"de l& ducorrente, bem'como os papcis que a
acompauharaiu, lim de que declare o proco
por que Jus Patricio Fernandos se obriguu a
mandar fazer as obras do 12 lauco da estrada
do Pao-d'Albo.
regar e descarregar a caldeira.como se pra-
lic. com os alambiques ordinarios : resul-
tando daqui que com mais facilidade e bom
commodo do destilador se p6 la obtur um
8^%Ttr]l;ropriodadedoaPerreicoamen-,
lodoMr.Dero.no nesto apparelho he nSo
exigir a condensacno dos vapores oormno public rnoD,ar,o ,. *
o^a^e^^iUv^^tai^e^^ \ JSK&S. f^f^STj^
Srt. n.lirinres Tendo o Sr. Joannim.lo-
bato Perreir. mamtauo publicar 110 IHitrio
de 19 do corrente a cerliddo de seu casa-
aento para o fui
desorientada e mal fundada replica que fiz
229 de 13 da outuliro,
muito obrigaro a seu constante loitor
assi'MlnitH Manoel dt Almeida l/tpfl.
V JiE^U)^.
l\l KNCANTADOR DR
INDIA
si'i'.rr.NTis w
Dito Ao inspector da thesouraria pro-
vincial, para mandar pagar as despezas que
se teem frito com o concert de urna enfer-
mara do hospital militar para nells so reco-
Iherem os presos da justica.
Dito. Ao cliefo de polica, autorisando-
oa mandar comprar um caldeirflo de ferro,
como requisita em seu olTicio de 12 do cor-
rente, para cozinhar a comida dos presos
indigentes da eadeia desta cidade, remetien-
do a conta thesouraria para ser paga.
Communicou-soao inspaclor provincial pa-
ra man Jar pagar ocaldeir.lo de que se trata.
Hito Ao coronel Aguiar lllm e Kxm.
Sr. --Ordenando o aviso do ministerio do
imperio com data le 27 de selembro ultimo,
que esta presidencia faca constar aos dipu-
tados quo acabam de ser eleilos por esta
provincia, que as sessoes prepnr.torios da
cmara dos doputados no prim-iro annuda
cada legislatura devem ter comeco 15 dias
antes do designado para a reuniiio la mis-
ma cmara; assim o communico a V. Eic,
para seu conheciinento.
Dito. Ao inspector da alfandega, trans-
1111 Hind- Um para seu conhecimento, a co-
pla da resposl.t dada a represenlacBo que
presidenci. dirigir o vice-consul do S. M.
Britannica cm 11 do corrente, queix.ndo-so
de se exigir na mesma alfandega o passa-
porto real da escuna ingleza tenella, sem
ler sido antes aaresetado aquelle vice-con-
sulado. .
17.
OlTicio. Ao vice-consul de S. M. Britan-
nica,declarando-lhe que foram dadas as pro-
videncias nceica do factodeque falla em
seu olh'cio de 15 do corrente.
Dito. Ao capilSo do | orlo, para quo in-
forme com o que lite occorrer sobre a pre-
lencHo deque trata o requerimento que se
Ihe remelle de Honorato Jos de Barros.
Dilo. -- Ao r. chefe de polica, remellen-
do-lhe por copia o olllcio dirigido pelo vice-
consul do S. M. ilii la nica, alini de que
manda fazer todas as pesquizas e indaga-
rles sobre o facto rolle narrado.
Dito. Ao allcres l.uz Antonio Guerrei-
ro Drago, commandante do destacamento
da cidade do Penedo, para entregar ao ca-
pll.lo Manoel Jusc de Espindola as pracas
que Ihe elle requisitar do destacamento do
seu commando, oque se expodio oniom pa-
ra oulras tantas Ihe sercm dadas da guarda
nacional da mesma cidade.
Dilo. Ao inspector da thesouraria de fa-
zenda, para entregar aocapiluu Manoel Jos
de Espindols a quanlia de 1:200,000 rs. p.ra
fornecimeulo las pravas que marcham om
diligencia de ordem da presidencia.
Dito. Ao tenente-coronel do primeiro
bat.lhSo de guardas necinaes da cidade do
doumasoperacno. Este .pp.rellio.peeu- ?" ~,,HBSr.t
pequeo osnajo. se acummoda em 9
pando pequeo ospa.o,
qualquer parte, e he mu lo mais econmico
que qulquer outro, por Ihe nflo ser neces-
sario tanto comhuslivcl na acclo do ogo,
como a essesalambiques ordinarios..
0 alambique da Mr. Derosne he bem co-
ndecido ne.sti provincia pelos lllms. Sis.
coronel Francisco Jos da Costa, Dr. Manoel
Carnoiro, Norbcrto, Jos Curado, Claudio
Dubeux, FabiSo.Duperonl o Kernandes Tho-
maz, que os possuem,mandados vir de Fran-
ca ; porm apoiilaiei os lllms. Srs. Joauuim
Lobato Ferreira e lligu.d Alfonso Ferreira
do entrelio Capobro que tem destila lo com
apparelhos do mesmo syslem, fabricados
aqui nicamente pelo abaiXu assigoado c o
Sr. Manoel Carneiro l.eal.
Um destes alambiques continuot acha-so
prompto na fabrica do referido Sr. Leal, na
ra Nova, ltimamente acabado por miro,
cuja construegao e fabrico se acha calcula-
da pela mesma maneira dos quo al agora
vinliam de Franca.
Paranlo, senhores rod.ctorcs, a macAina
violenta he urna burla de charlatanismo, o
tanto prova, que o Sr. Fernandos Thomaz,
tendo mandado fazer urna das taes machi-
nas, e assentado em sua reslilacSo da ra
da Pitia, reconheccu por experiencia que
Ihe no produzia igualmente come o appa-
relho de Mr. Derosne, de que al ah so ser-
via, e leve do desprezar a machina, e cha-
mar de novo para o .asenta toen lo o dito ap-
parelho de que semprc colheu muilissimas
vantagens.
Cuncluo, rogando lodos os entendedo-
res da materia, queiram examinara machi-
na e o sppaielho; o da experiencia dos mui-
tos senhores que cima indiquei, que desti-
lan) com o alambique continuo de Mr. Deros-
ne, pdem Unto estes como os senhores do
engcuho e mais destiladores que percisarem
ou quizerom possuir um apparelho destila-
torio, fcil no produelo e econmico na ac-
eflo, obter lodos osesclarecimenlos c in-
l'oi mocoes quo lirmai o o niou lestomunho,
o o perpetuo inerecimenlo do alambique,
como um argumento ferie eduradouro.e
1 prego.ra por todo o imperio as suas vanta-
gens bem couhecidas.
yueiram, senhores redactores, publicar
estas linhas do seu assignanle
Jos liaptisla Braga,
Becifr, 22 de noverobro do 1819.
Srt. redacloret. Ainda mais esta vez e-
Peoeiio pan prestar ao c.piWo M.noel Joslnho desmascarar a Manoel Antonio de Aze-
s do batalliflodo seujvedo, que continua a mentir impudento-
de Espindola as pracas---------------------------.
cotiimando que por elle Ihe f.'t?ro requisi-1 mente para Calumniar-mo : a elle, as suas
la.s,eilocoo.Vgenci*. hmea9.se embustes vol euo mii cou-lnir-roeP
romo seos II-
llios, o'factoTdc ter elle passado a segundas
nupcias, sendo que a proya eslava nesse
papel do composicTIoe divisflWo terreno,
no qual se nio va a assignatura da miilhor
do roo, o rom della se fi. montjao, sendo
corto que nesses negocios de liens de raz
so nilo pode prescindir da intervenclodi
mulher. E disso islo, porque o Sr. Lobato
om sua contr.ried.de atinhuio o< mmi
queixumes a liaver elle passado a segundas
nupcias.
Digne-so o rcspeilavel publico do querer
lera mencionad, replica, que|comprehpnde
onze arligos, em que mostr met lireito,
e completamente refuto tu lo quanlo elle
calumniosamente deduzio em sua contra-
riedad.. He na verd.de bem meditado dei-
xar passar muito lempo para vir agora com
aquella certido, inculcando lar assim res-
pondido minha replica, nada tendo a ma-
teria desta com aquello seu casamento.
Porque nao mandou publicar a sua troplica,
como faz com a conlrareddae ?
I'icarei contento e complelamento justi-
ficado, se o respeitavel publico der'-se ao
trabalbo de ler a minha replica, o que en-
carecidamente lite peco.
Alienta a maneira incivil com quo esse
mao Inmuno me trata no final do sua pu-
blicacflo, devo dizerem defesa minhaque
ignorva, assim como seus lilhos, o seu ca-
samento.No ouvimos dizer pessoa al-
guma que elle tivesso casado ; nada nos
communicou. E, no so nos leudo dito, no
podamos saber, visto que so elTectuara csse
consorcio sem se correr banhos, e, para as'
suh dizer, s escondidas ; sendo que a pes-
soa, com quom leve lugar, j desde muito
tempo morava em casa do Lobato, o a di-
riga. Se nflo se dsse esta ultima circuriis-
laucia podera logo sabor, quando mesmo
aquella quizesse ainda occullar. lgnorava
quo elle lvesse requerido a nunciatura
apostlica no Hio-de-Janeiro urna dispensa
em vista de certas causas...... quejuslili-
cou. lgnorava ludo, assim como, porexem-
plo, que elle livesse allegado tumma pobre-
ta. Eque tal a consciencia do Sr. Lobato,
que, para no pagar urna mulla correspon-
dente aos seus possuidos, e que por direito
hedeviJa a caixa piados pobres, cliegoua
dizer em sua petigilo, que era tummaimn-
le pobre?'.... Hoja se do ludo... porque com
a publicacSo da cerlido quiz indagar, ti-
rar carlides, etc. Quom nflo tem consci-
cncia, que perlenco aos pobres, quem nao falla
a verdade ante o pastor espiritual, be capaz
Pelos (i tsdoannode I87 pnsci le Ma
Iras'a para Ceyln'O, nao smente para gozar
das brizas frescas durante o esli, Benito
Umbem para visitar all alguiis amigos. \
ilha prosperav entilo dehaxo do governo
julcioso do sir Colin C.mpbell. 0 corpo
colonial, lodos os copos constituidos, os
povus de toda, as denoininacOei tinham
nolle om.migo sincero; portla a pari<-
roinavam o conlentam*nlo e a alegra, os
instrumentos musios rolumbav*m alegre-
mente lo las as nuiles al no territorio dos
irasciveisKandianos;em urna palavra lo-
dos vivi.m salifeilos o si aban lonavam a
felicitlade. O que se leria po lido dizer con
Ir eyliio be que seo clima no .-ympalhi-
sava com a molnicilia, non com a tristeza.
Em Inglaterra ha as vezes um da Ir si o
sombro quodispOe a garita a se cimpa fr^
cerdos dosgraca ios, 11111 dia no qual os 11 1
voeiros quo obslruem vista, estSoom li n-
monia eoin as nuvens ila imagiuao.io ; 11 is
a Inglaterra nflo he Ovillo, ella nito lio ma \
lili, da qual SO p le dizer con verd.de
que ho sempre risonlia.
Em Cnvlo nao lia invern qua cubra .1
brjlh.nle pasagom com sua morlalli. do
nevo, nom or leslo deoutono que deapojo
as arvoros de sua folbagom, nom geada <|u-
sequsos bules; sobre aquella .dmiravel
scona nio ha ..nflo pesiaros bullanles,
conchas ou II tres CayltTo be a representa
cSoo par. izo deba xo da forma a mais.-.'
duclora que he dado a urna imagin.^flo so:-
sual conoeber.
Em Colombo. a melropole p.assim li
zer d. ilh. inieira, .ncootrelum amigo, o
qual penleu depois a vida no oampo de lia
talba do Sohraoii, F.M amigo era o infeliz
mais vlenlo pon os .dragona, com.unti
listiuccno como o cipito Aitliin-Wcllin -
ton Lampboll.
A terfl Ihe soja lave!
Urna mantilla, ao entrar nobanho, o ca-
pilo avistou una enorme clica enroscada
alguospassos disienta dclle. Iwbtisa dos
trpicos nflo he cousa mui rara aoh.r-se .1
gente vizinha do lo perigosos reptis ; po-
rm ellos a ninguem atacam, salvo se .So
pisados ou irritados. Lomo esta serpele 11 -
vossi; sidojulgad. urna das m.ioras de sua
especie, o capililo resolven mata-la o re-
mell-l.i .0 musen britannico ; como ao
mesmo lempo occas&o Ihe parecease op-
portuna para experimentar poirUio ga
hado dos encantadores do serpeles, man
don chamar um destes, oqinl morava al-
gumas militas distante, o que era reptil,di.
como mol hbil em sua arte.
(iranio foi o numero dos un formes ver-
melhosquo scrounlram debaixo da varan
di do capiiio Cimpbell, para aer->m teste
munhaa do poder do encan'ador Quasi
lo los tinturaos as mflos folhas grandes de
lalliput ; pal neira i para con ellas defeil
dermo-nos no easo de que o Inimigo vieaso
atacar-nos ; mas sua tanhoria responsava
tranquillamente em um cevalouro defran
gaos quo llcava 11a oitremi lado lo patoo,
desconfiando ISo pouco lo encantamento
que 1 esperavt runo 11 ni joven provincia
quando enira pola prime ra vez ni salfo
em quo se acha a belleza quo o devo fas
a
qi
ciliar.
O encantador, quo ora um vellio shingu-
lez, dirigio-se pira o ceva lonco e oomc-
qoi es 'que he tTo commtim entros povos de to-
das as partes do Oriento. A cobra pertur-
bada dcsenrolou-se e dcscobrio-nos a pir-
cumferenci. do son corpo enorme, admira
viniente pintado de prelo o br.nco, porm
sem parecer de nenhuma sorto disposla a
cscapar-se do sua prisflO. O encantador,
puxando-lhc pola cauda, a tirou para lora
do seu asylo, c escondeu-se logo depnissom
interromper o canto.
A cobra, c.ila vez m vintou-se sobro a parta inferior de seu cor-
po o desenrolou o sou capello, como sosa
preparasso para saltar ; mas o encanta lor,
som se intimidar com isso, poz-se cm frente
della, e por um movimanto rectangular,
som nunca cossar de cantar, approximou-so
lo reptil dando-lhe com um panno encar-
nado preso na pona da um pao, com o quo
ella parecen grandemente irritado, pois l.i-
ram mullos os silvos que deu. Por espaco
de hein quinze minutos o vellio conluuot
a sua manobra, ailando, gyrando e can-
tando, comeQando cu a simir alguma in-
quietaeflo sobro o lim desta lula. O no non
em opposicfio cjm a serpente, que re-
preieniaQio seria mais capaz le abalar a
gento !
A sorpente sempre, cala vez mais excita-
da, ou encantada, tinba os ollios filos so-
bre o hornero, cujas evolue/ies pareca se-
guir, e agitava sua crista com cadencia, co-
mo 30 acompatiliasse o canto do volho, o
qual, posto que ja fatigado, porm rheio de
conli.nga em sua arlo, nciluva-a de dilTe-
l'iimeiramonte atirou-lhe
. rentes modos. I'nmeiramonte
deludo! Ecomo'nao ser. capaz de calum-l urna vassoura, depois um panno o depois
liiualmenle un> fraogao, o qual a cobra aro-


lii mi rom silvos iiior.leu. 0 frango mor-
reu dentro do tres minutos,0 ()iMiito ao
humcn, ella neni mesmo procnirou atca-
lo. I'ori'm que I no fui o nnsso terror,
(j'i :i mili vimos oenrantador, como(]iie pira
gloriar-se diante do nos de seu tiiumpho,
arproiimar-se-da cobra, canlmdo sem pro.
lorar-lheo corito, afaga-la, passando-lhe n
miio sobre a cah'oa o sobro o peseoso, e re-
petir r un extrema sorpresa de nossa parte
estes meamos actos muitas vezescom im-
punidad* .'
A operiQSo duron mala de urna bo"a : a
scena passou-se nosss visia ; estamos cer-
tos do que uno hava nlssonen peloticas,
nem velhacaria, portilladlo o encantador
nXO lillha OUtrnS vestidos que um pcd^CO
de panno que Un cingia os rins, e al nao
fa/.in profisso da arto de encantar ser-
peles.
Kxistir poiventurj nina inlliiencia mag-
ntica para os anioiaes, as-im como para as
pessoas? Eis-aquiem veidade um objecto
I recfoso do es ludo e de experienc'as.
( Rerisin llrilannica )
k.
!2!
GMMEHtlU.
ALFANDEGA.
I'.indimento do ilia 23.....20.S88.9I!)
CONSULADO GF.RAL.
Itendimento do lia 23.....2:602,601
Diversas provincias...... 58,182
2:661,083
CONSULADO PROVINCIAL.
Itendimento do dia 23.....I;0S9.I8 Aloviraento do 'orto.
Navios entrada no lia 23.
Rio-de-Janeiro 18 dias, brigue sueco A/-
hion, de 4:18 toneladas, capito M. Klans-
tedt, equipageni 12, em lastro de pedra ;
a N. O. Itieber.
Marojo 2 dias, brigue ingle?. Emma, de
208 toneladas, capitn W'illiam Williams,
equinagem 12, rarga nlgmlo e assurar ;
ajames Crablrce & Companhia.
Terra-Nova 30 dias, barca ingleza Man-
cAm/t, de 158 toneladas, capito George
liogers, equipagem 10, carga 1,900 bar-
s ricas com hncalho ; a l.atham e llibbcrt
Ai Comp8nba.
Huenos-Ayres 29 dias, brigue inglez Ge-
org^d liirhard, de 199 toneladas, capito
Philip llenry Mchols, equipagem 9, em
lastro ; an capito.
Rio-Cramle-do-Sul 27 dias, brigue-oscu-
na brnsileiro llmriijueta, do 131 tonela-
das, capito Manoel Joaquim Lobato,
equipagem 13, carga carne o sebo ; a Jo-
s- Rodrigues do Aranjo Porto.
I lem 42 dias, escuna brasileira Europii-
la, de 160 toneladas, capito Francisco
Cardial, equij Amnrim Irmos.
Marseilles 36 dias, brigue francez Pauli-
iie-Dournitirre, de 148 toneladas, capito
Itejeau, equipagem 10, carga varios g-
neros ; a Luis Rourguire & Companbia.
Passageiras, madamc Cillam com 3 Ti I los
menores e madame Paulino Rourguire
.com urna criada.
Rio-de-Janciro nmim, patacho nmr..;
cano Gtorga-W.-Itutiell, de 197 tonela-
das, capitiio F.. K. Cooper, equipagem 7,
em lastro; ao capito.
Rabia 7 dias, escuna bnllandeza Antji,
de 106 toneladas, capito C. Rulen, equi-
pagem 7, carga assucar; a lirander a
Brindis.
l.isbAa 30 dias, corveta portugueza D.-
Joo-I, romman lante o cauilu-tenente
Izidono Francisco Gulmarfios. t'.onduz
n embaixador portuguez para o Rio-de-
Janeiro.
(.oree18 dias, barca hamburguesa S'/-
Wa,capito Sobst, carga fazendas; ao cn-
sul. Arribou rom agoa abertn, segua
para Calcula.
Navio taido no mesmo dia
I iverpool llarca ingleza Emma, capito
W Williams, carga a mesina que lionxo.
^i;------------------------------------------ --- -
andoga : as pessoas que as qnizerem ven-. ja-se ao capiiao, .Io5o de Oliveira
der. d,rijam-se a dita rep.rtico durante aB-Jit|)ori]o ou CQ
horas do expediente. | ; '.. /
Allaniiega dePernambuco, 13de novem-| nalario, r rancisco Alves da Cu-
bro do 1849. O inspector, litis Anlonid*
Snmpaio l'ianna.
mmmBBmmmmwmmsm
UeclaraQues.
-- Pela segunda secr;o da mesa do con-
sulado provincial so faz publico, que do dia
primeiro de dezembro prximo viudouro se
principia a contar os 30 dias para a cobran-
za a bocea do cofro da dcima dos predios
urbanos das freguezias desta cidade e po-
v(iso dos Afogados, do primeiro semestre
ilo corrente anuo financeiro do 1849 a 1850,
o que, lindo este prazo, ficam suhjeilos a
pagar os propicanos, alm do principal
de scus dbitos, a multa de 3 por cenlo.
Companhia de Bcberibc.
Por no se liaver reunido numero sulli-
ciente de accionistas no dia 20, fui espassa-
ila a reunio para terca-feira, 27 do coi ren-
te, pelas 10 horas da inanba, no escripto-
rio da companhia. O director roga aosSrs.
accionistas que no deixem de compare-
cer a essa reunio no dia e horas marcadas
Cartas seguras na administracSo do
corr io para os Srs. capilo Manoel Jos da
Soledade, Manoel Jos Lopes, soldado Leon-
cio Jos Itarboza Oliveira, padres Joao
Juos do Espirito Santo e Francisco An-
tonio Cnnba Pereira, Joflo Francisco Lai-
to, sargento Candido Sudr Guimarftes,
teneute-coronel Antonio Maria Souza, Luis
Fortnalo Mondes a bordo da corveta D. -Ja-
nuuria. Bernardina Senna e Silva, Manoel
Antonio Ferroira Gomes, Albino Jos i"'er-
rolra Cunha, e Jos dos Santos Neves.
nha, na rua do Vigario, n. n.
--Para a Rabia sane,na presente semana,
" hiato Flor-de-Cururipe : qupm no mesmo
quizer earregar, ou ir de passagem, dirja-
se a i un da Cruz do Recite, n 62.
-o hiato Novo-Olinda largar mpreteri-
velmentepara o Arecaty a 26 do corrente
coma carga quetivera bordo, porseachar
com a maior parte do carregamento tratado :
para o restante o passageros, trata-se com o
mesire. Antonio Jos Vianna, no trapiche
do algodo, ou na rua da Cadeia-Velha, n.
17, segundo andar.
Para b ho-de-Janeiro a polaca brasi-
leira Sociedude-Felis, capilo Manoel Anto-
nio dos Santos, sabe com a maior brevida-
de possivol: quem na mema quizer earre-
gar ou ir de nassagem, dirija-se a seus con-
signatarios, Oliveira Irmos & Companhia.
-- Vende-so a barraca Santa-Isabel, loto
de IScaixas, de boa construcco nova e de
excr lente marcha, a qualse acha Tundeada
no ces do Ramos: quem a pretender, diri-
ja- so a rua do Livramento, n. 26.
Para Lisboa sabe, com a maior brevi-
dade possivel, o brigue portuguez Concei-
fdo-de-Maria, por ter a maior parte de seu
carga prompta : para o res lo e passageros,
para o pue lem excellenlescommodos, tra-
ta-se com os consignatarios, Tbomaz de
AqunoFonsecafit Filho na rua do Viga-
rio, n. 19, primeiro andar, ou com o capi-
to na praca do Commercio.
Para a Rabia san*, em poucos dias, a
sumaca l'lor-do-kngtlim, meslre Bernardo
de Souza, por ter a maior parte da carga
prompla : para o restante e passageros
trata-se com o mesmo meslre ou com Luiz
Jos de S Araujo, na rna da Cruz, n. 33.
Para a Parahiba sahe impreterivel-
mente at o dia 28 do corrente, o bein co-
ndecido Imite Parahibano, meslre Nicolao
Agencia de passaportrs*
Tiram-se passaportes para den-
tro e lora do imperio, tambero
despacliam-sc servos: na rua do
Hnngel, sobrado n. 57.
Joaquim Correia de Rezende Rcgode-
seja fallar com os Srs. Custodio Colasso
Dias e Joo Colasso Das, naturaes de Por-
tugal, a negocio que Ibes interessa.
Pede-seso Sr. Joaquini Francisco de
Oliveira Miranda que negocia para o Sul, de
ir o mais breve possivel ao Recite, a tratar
do um negocio a seu interesse.
DEPOSITO GERAL
! do superior rap areia-prtta
da fabrica de Gantois Pai-
Ihet & Companhia, na Ba-
hia.
Theatro da rua da Praia.
IIOJE, 2* DE NUVEHBR0 DE 1849.
Grande e variado espectculo.
Depoil de executada urna lindissima pega Francisco da Costa, tendo j mais de meta-
pela banda de msica do corpo do polica, I de da carga, o qual offerece commodos pa-
1.1 _-...?*. .. ^. ...ut.ai.1* n mu ,,.;, cu 1 ..,....,, .1 1 ,-,, miwiiii nnilnii.liir il i r i i 1 Ct
lTAt?>.
Pela iosprcloria da allandcga se faz publico
pie no dia 2(>itu crrente, depois do meio-dia,
\o ha de arrematar porta da inesnia, um fo-
gao de madeira j usado no servico de urna das
barcas do vigia do ancuraduiiro, e avallado em
quatro mil rs.i sendo a arreinalarao livre de
Alfandega de Pernainhuco, 23 de noveni-
bro de 1849 O inspector, Luis Antonia de
Snmpaio Vianna.
Pela inspectora da alfandega se faz publi-
eo que se ha de arrematar em hasta publica,
a porta da mesma, no dia 2b* do corrente, de-
pois d meio-dia, oto duzias de chales de chi-
ta, com avarla gcral, a renuerlinenlo de Janes
Paln Si C, na cooforniidade do art. 2(>3 %4."
1I0 regtiUinonto do 22 dojiiolio de 183o, visto
nao se ter (ll'octuado a ariomatacao na primei-
ra piara lando a mesma arreiutajao livrc de
diieitos.
Alfaudegude Pernambuco, 23 de novem-
bro du 1849.--0 inspector, Luis Antonio dt
Snmpaio Vianna.
Pela iospectoiia da alfandega se faz publico
que no dia li do corrento, desos do meio-dia,
se h.io do arrematar em hasta publica, pona
ila mesma, 89 frascos com fi() pilulas cada um,
toial 4:460, a 80 rs. 350.000. apprehendida a
burdo do brigue portogoz Frnluru-fr/i< pelo
,.11 11 .l.i Joiio Ueniz e Silva, visto nao se baver
1 liiiluado a arrematacao ua primeira praca;
sendo a inesina uircniaiacao livre de direitus.
Alfandega de Peinmitiuco, 23 de novem-
bro de 18*9.--O inspector, uis Antonio de
Snmpuio Manila.
Pela inspectora da alfandega ?e faz pu-
blico que na 1 tintn-niidado do art. 283 do ro-
gulamonto de 22 do junho de 183(i, so ha de ar-
rematar em hasta publica, porta da mesma,
india -liilu crreme, depois do meio-dia, o se-
guidle :
VHC cinco fardos com raz d'allhca, viudos
de Liverpool na barca Swurrlfish, cooslgnarao
le Wlchi Hravo S C, entrado na alfandega en
31 de julho do corrente anuo. K porque fram
avisados os consignatarios, c nao vieiam des-
pachar us referidus gneros, se in.-uid. u afniar
o presente c publicar pelos jomaos,para que e
oll'ectuc a arrematarn livrc de dircilos, e por
coma de quem pert'encer, na ronformidade do
cap. 10 do citado regulameulo.
Alfandega do Pernambuco, 23 de novem-
bro de 1849. o inspector, Luis Antonio de
Sampaio \ianna.
-- Pela inspectora da alfandega se mn-
dala principio ao espectculo o mu insig-
ne drama em cinco actos, primeira \cz
representado nesta provincia,
OS JESUTAS,
ou
o bastardo d'el-rei.
Personagent do drama e actorei.
Edmundo de Castro, cavallero portu-
guez Jaciutho Jos Uotelho.
Alfonso Peres -o Sr. Antonio Jos Duarte
Coi m lira.
0 Conde de caslello-inelhorJos Antonio
Rrainlo.
O jesuta Francisco Mansoso Sr. Jos
Francisco Monleiro.
O jesuta .Nicolao Nobrega-o Sr. Anto-
nio da Cunha Guimar3es.
Roberto GoncalvesJos Mximo de Al-
meidaCabral.
O inquisidorManoel Jos Dias.
Leonor, filha do Edmundo--a Sra. D-
Emilia.
Catharina, abbadcssa das freirs de S.
Clara. Mnria Carolina.
Thcresa, novicaI). Maria Amelia de
Souza.
Margarida, criada de EdmundoD. Je-
Rtiina
Freirs, jesuitas,verdugos,--o familia-
res da inquisiQo.
Queier tecer elogios a esto drama seria
na verdade empiehender una loucura, vis-
to ja terem os jomaos do Rio-Grande do sul
mostrado tanto o seu brilliaulismo e me-
recimenlo.
Os intervallos scro preenchidos com
ptimas symplionias,executadas pela mes-
ma msica de polica.
No lnii do drama a joven Jesuina dan-
zar
O SOLO INGLEZ;
lindando todo o divcrttnento com a engra-
nada farra
A PARTEIRA ANATMICA.
A pessoa rucarregada de dirigir o preson-
lo espectculo lem enipregado todas as suas
oreas paiaflnoslrar ao publico de Pernam-
buco que um diama que unto foi elogiado
no llio-Gninde do sul nada desmereceu
tiesta provincia, para o que muilu so lem
esmerado, tanto na decoraco da scena,
cuino na riqueza o cracter dos vestuarios, o
que est ccito que agradar.
Precos da entrada.
Camaroto 5,000
Galena 1,500
Platea 1,000
As pessoas que teem nrocurado buhles de
camorotes e platea pdem se dirigir ao lar-
go do Livranieiilo, loja de rhaiulos n. 2.
O espectculo principala com a chrgada
de S. Exc.
ra passageros: quoni pretender, drja-se
no trapiche do algodo a tratar, ou com o
mestru a bordo do mesmo hiate.
Leilues.
O corretor Olivoira far lelSo, por or-
den) do capito Edward W'ild, e por conta
e risco de quem perlenrer, de urna porrfio
desabp inglez, corinthos ( currants), ce-
vadinha, sag, assucar, cadeiras, mesas,
lindos relngios do cima de mesa, e muitos
outros artgns proprios para suprimento de
navios: segunda-frira, 26 do corrente, s
10 horas da manlis, no seu escriplorio da
rua daCadcia.
Leilo de 30 caixas do superiores que-
jos, no caes da Alfandega: segunda-feira,
26 do crrente, s 10 horas da manhSa.
Fox ilrolhers faro leilo, por inter-
venQo do corretor Oliveira, de grande va-
rtedade de fazenlas inglezas, todas pro-
prias do mercado, para fechar contas : 1er-
ga-fera, 27 do corrente, s 10 horas da ma-
nha, no seu armazem, rua da Cadeia do
itecife.
i
0 Domingos Alves Matheus, agentada
& fabrica de rap superior aroa prola 9
to e meio grosso da Baha, tem aberlo o (4
* seu deposito na rua Cruz, no Recfe, 9
t n. 52, primeiro andar, onde se achara &
to sempre desie excellentee masacre- A
to dtado rap que at o presente se tem ^
to fabricado no Brasil: vonde-se em bo- 4t
f9 les de urna e meia libra, por preco
to mais commodo do que emoutra qual-;?
quer parte. #
Lobera do Guadalupe.
Desengao
Seja qual Cor o numero de b-
iieles que fiquem por vender, as
rotl.is desla lotera andam imprc-
terivelmente no dia 14 ^e dezem-
bro prximo futuro. Os Inlhetes
que esto actualmente a venda nos
lugares do costume vender-se-
bfto smente at o dia primeiro do
dito mez, em que passarao ao do-
minio de una sociedade.
O abalxo assgnado tem justo e contra-
9tOs dous Srs. moradores na cidade de
Olinda Joiquim Pessoa Seyera da Cunha
Francisco Pedro, bajam de dirigir-se ao
Passeio-Publco, loja n. 19.
Bernardo Jos da Costa, com refinaco
na rua Direita, n. 10, declara ao publico
que por ter apparecido outro individuo com
igual nome, o tambem por se lliu ter apra.
sentado cotilas sem ser suas, para prevenir
qualquer duvida, de hoje em diante so as.
signara Rernardo Jos d Costa Valenle e em
suas triins cies usar desle novo nome.
~ l'rcciaa-ae de um rapaz que lenhi
principios de pliannacia, ou sem ellos : no
Aterro-da-Boa-Vista, n.76, botica.
--Precisa-se do um amassador : no pa-
leo do Terco, n. 13,
O Secretario da irmandade da N. S. di
Cune, ieodos militares, a vista do titulo
5.* artigo 18 dos estatutos que regen)
mesma, convida aos irmos para no dia 25
do corrente, s 8 horas da inanha, se acha-
re m no consistorio da dita igreja, para ee
eleger o presidente que lem de servir no
annodo1850a referida irmandade.
Furtaram, da rua da Cadeia, do segun-
do andar do sobrado onde moram ,l)oanu
Yullo & Companhia, no dia 21 do correte,
um relogo de prala, suisso, que Irabalh
em lOpedras, fabricado por J. i Jacob d
Lele, com corrente de cabello ; um dilo de
ouro, patente inglez, novo trabalha em g
pedras, frito por E J. Donte, do Londres
n. 13,427, com caixa de marroquim : am-
bos os relogios so de video ; urna carleira
de algibena: quem delles ti ver noticia,
participa em dita casa, quo ser gratificado
com 150,000 rs.
Pelo juizo da segunda vara, escrivg0
Sanlos.se ha de airematar em hasta pU.
blica, de renda annual, a casa de um andar
n. 2, sila na rua das Cinco-Ponas, penho-
rada por execuco do D. Conslanlina Jacin-
Iba da Molla cont'a Jos Claudino J^eite.
Foi apprchendida urna parelha de car-
neiros : quem fr seu dono, compareca na
rpa Imperial, n. 25, que, dando os signaei
certos, Ihe ser entregue, pagando as des-
pezas. Na mesma casa vende-se urna preta
criouls, de 16 annos, que engomma e cuzi-
nha soltrivelmente, e he muiloaadia.
Gabinete Iliterario.
Os abaixo assignados, socios do gabj.'ie-
te Iliterario estabelecid nesla cidade, na
rua do l.mmenlo, n. 27, primeiro andar,
desejando que continu este nico estabe-
pra do seu sitio em Belm, e igualmente a
sua venda estabelecnla em casas do mesmo
Avisos diversos.
Avisos martimos.
--Segu para o Rio-ile-Janeiro em pou
eos ]tli.is a escuna Galante-Maria : tem a
maior paite de seu carregamento engaja-
do : para o resto e passageros, trata-so na
rua da Moda.n. II, com Silva & Grillo.
I'ara o hio-de-Janeiro segu
com toda a brevidade o brigue-
escuna nacional Olinda, recente-
mente forrado c pregado de cobre,
por ter a maior parte de sua carga
prompta : para o resto, passage-
ros e escravos a frete, trata-sc
com Machado & Pinbeiro, na rna
do Vigario, n. 19, ou como capi-
tSo, Manoel Alarcianno Ferrcira.
Para o Rio-Grande do sul seguir com
bievidadeo brigue. tlaiciat,\\or ler a inaioria
do seu carregamento prompto, o qual alu-
da 1 de receber algunia carga, assim como
escravos, o mesmo algum passageiro: quem
pretender pode enlender-se com os consig-
nabrios, Ainorim Irmos, rua da Cadeia,
numero 3.
Para o Poilo deve sabir
com muita brevidade, por tei
grande parte da caiga contratada,
a nova e vreira barca porlugueza
Santa-Cruz : quem quizer caire
da l.i/or publico une se lireti rtile enmurar
siwoiibr.sdezincoemM.iasp.raa.Xr- b'flr '"r de passagem, para o que
ta lo lerceiro laoco da ponte da mesma al-1 tem excellentes commodos, du t-
O Capiburibe n. ia3 adia-
se venda rio lugar do costume.
O n. la do Recreio das
Bellas est a venda as livrarias
do poleo do Collegio, ns. 2.e 6.
Carlos Claudio Tresse, fabricante
de igaos e realejos, na rua das
Flores, n. iq,
avisa ao resreilave publico que concerla
orgos e realejos, pOe marchas modernas
deste pai/, concerta pianos, seraphinas,
caixas de msica, accordSosequalquer ins-
trumento que appareca : tambem faz obra
nova, assim como caixas de guardar joits,
por preco commodo.
Jos Soares. de Azevedo,
professor de iingoa franceza no Iv-
ceu, lem aberlo em sua casa, rua
do Hoza rio larga n. 36, segundo
andar, um curso de Philosophia e
outro de Lingoa Pranceza. As pes-
soas que qnizerem seguir urna ou
outrudestas disciplinas pdem di-
rigir-se indicada residencia, a
qualquer bora.
-- Precisa-se de um bom amassador pa-
ra urna padaria em llio-Formoso : trata-se
do ajuste no Recifo, rua da Sanzalla-Velha,
n. 106.
Joaquim Bernardo da Cunha retira-se
para lora da provincia a tratar de sua sado.
-- Uesapparecoram, no dia 20 do corren-
te, a tarde, dous meninos pardos, um do
10 annos, cabellos ruivos, caifas ejaquela
de riscado de quadros, bonete de quad'os
do varias cores cotn a pala rinda, do nome
Francisco Caltlino de Alleluia : o outro de
nome Angelo da Silva Gnimares, com cal-
cas ejaquela branca, bonete de ganga azul,
de idade de 6 anuos ; desconiia-se que f-
ram escondidos para seren vondidos como
escravos : quem delles der noticia na Pon-
te-Velha, a seu pai,Luiz da Silva Guituarfles,
ser recompensado.
Aluga-seo piimeiro andar da casa da
rua da Cruz, n. 50, com muitos commodos :
a tratar na mesma casa.
Peranteo Sr. Dr. juiz municipal da
segunda vara, se ha de arrematar no dia 21
do coireiite, por ser a ultima praca, o pre-
dio na rua da Florentina que so acha hvpo-
lliecado por Julio Rerauger ao exequente
Jos Antonio Luureoco, a requerimenlo de
quem vfl ser arrematado o dito predio.
--Precisa-se de urna criada forra para o
servico interno de u ia casa de pouca fa-
milia, a qual deve ser desempedida : na rua
do Rangel, 11. 9.
Precisa-sede um caixeiro para traba-
liar em uma destiladlo da travessa da Con-
cordia.
Pede-se ao Sr. ex-quartel-meslre do
corpo de polica Flix Miguis, que queira
ir no pateo do l'araizo, n. 27, uestes tres
dias a negocio que Ihe diz respailo.
Luiz Marques dos Santos retira-se para
Portugal a tratar de sua sade.
lado com Manoel da Cunha Oliveira a com- lecimenlo Iliterario que lia nesla cidade,
para prestar o necessario soccorro ins-
trucffiode seus habitantes, e servir de n-
cleo a uma biblioteca para o fucturo, o von-
do que se ha mister dos' ex.forcos e coadju-
vaco de seus com-socos para que se no
aniquile o mesmo gallineto, que por a au-
sencia dos que deviam curar de sua con-
servadlo o augmento, est em abandono;
convida tn a lodos os Srs. socios residentes
nesta cidade para comparecerem no mesmo
gabinete, pelase horas da. Urde da 24 do
cornnte, para de aecrdo se tomarem as
medidas convenientes para se salvar esse
til estacelecimenlo da auiquilaco que o
ameaca, cujas medidas so lomaro qual-
quer que seja o numero que se reunir.io-
ti Narcito Camello. Fr. Joo Capisirano de
Mtndonca. Jod Francitco Battoi.
*mmmmmmmmm *********
lina
sitio, sealguem seachar com direito a el-
le por qualquer onus, queira declarar por
este Diario : isto no prazo do oito das, con-
tados desta data. Recife, 23 do novembro
de 1849. Jo3o Antonio Carpinteiro.
Caf de France.
Nova, praca da matriz de
Santo-Antonio.
Edouard James, querendo agradecer o
bom acolhimento com que seus freguezes
honraram seu estabclecimento, tenia hon-
ra de os provenir, assim como o respeitavel
publico, que terca-feira, 27 do corrhte, le-
ra lugar no seu buhar uma poule de bonra
com Tres premios, sendo :
1." I'ma es|iiugardado caen de umcauno.
2 Um annel de ouro.
3 Uma mu pieza agradavcl.
Os premios serSo patentes todas as pes-
soas que, que querendo ve-Ios, visilarem o
dito estabelecimenlo, onde acharo bom
caf prompto a qualquer hora do dia.
O pceo de cada bola sera de 1,000 rs.
A poule principiar s7 horas em ponto.
A pessoa encarregada de couduzir esse
jogo propde-se a Inzer uma partida de ama-
dor, antes de principiar a Poule.
-OSr. Dr. Candido Jos Casado Lima
tem uma carta na la larga do flozario,
n. 20.
Ueseja-se fallar a negocio de muito
interesse, na rua da Cadeia do Recife, loja
de cambio, n. 24, com os Srs. Joaquim Jos
de Sant'Anna, Jos de Carvalho da Fonso-
ca Lima, Manoel Jos de Barros, Antonio
ReisNoguera, o ItTin. padre Gaelano Jos
Anlunes, Manoel Francisco da Costa Lobo,
Joo Baptisla Vieira Castro, I/id io de Santa
Clara, Joaquim J0S0 Roberto, Francisco
Concalves rcm, Manoel Gomes da Silva,
Manoel de Amorim Lima, LuizRibeiro Ma-
chado, Joaquim Jos Marques e 1). Mana
Thereza do Jess.
o Bixas. o
Na praca da Jndpen-
delicia, n. IO,
q ao voltar para a rua das Cruzes, alu- j
I* gam-see vendem-se bixas de llam- )
JS burgo : tambem vSo-se applicar pa- 5
j? ra commodidade dos freguezes ; ti- 2
9 ram-se denles, sangra-sa e appli-
O cain-se ventosas: ludo por preco O
& commodo. <)
OOOOOOOOO OOOO3000
Os abaixo assignados trazem ao conhe-
cmenio do respeitavel publico que elles no
dia 20 do crrenlo mez de novombio con-
tradirn) sociedade entre si com o im de
fazerem o commercio dos gneros da esti-
va, sob a lirma social de Domingos Jos da
Cunha i.ages & Companhia, sendo socio
commandetano, t responsavel al a im-
portancia de sua entrada que so de seis
conloa de lis, o Sr. Joao Evangolista da
Costee Silva. O contrato foi feito por es-
cripto privado ; a sociedade leve o seu prin-
cipio do 20 do crrenle em (liante ; sua du-
raco he por lempo indefinido. Domingoi
ot da Cunha Laget. ludo Manoel da Coila
eSilva.
Aluga-se por anne, 011 e
para se passar a festa urna casa
solTrivel no lugar dos Hemedios
a fallar no mesmo lugar como Ma-
cambira.
-- Aluga-se o segundo andar da casa n.
24 do Alerro-da-Hoa-Vista : a tratar na rua
Velha, n 55.
O abaixo assignado faz scienle ao pu-
blico e as estacoes publicas, que d'ora em
diante be proeuiador do llvm. vigario da
Kscada Joo Rufino Pires, e com elle he que
tero toda a trausacgflo de negocio, dasde o
dia 28 de outubro prximo passado.
ot Miguel 4t Lira.
I
e
Fue-
lados
nlor* i
SSK1
Lingoa franceza.
|| Um Rrusileiro, ha pouco ebegado de
H Franca, sufllcienlemente iiabililado
na Iingoa franceza, tanto na theora
g como pralicamente, se propoo ao :
f ensino desla Iingoa para traduzir e <
H fallar : as pessoas que uella desoja- i
K rcm inslruir-se, queiram dar aeus
iiomcs na livraria da rua do Collegor i
^ n. 9, para comecarom no principio
.-| do prximo mez.
ww* mmmmm wvwmmwsiw
Aluga-se, por prego commodo, o pri-
meiro andar do sobrado n. 20, por detrs
do thealro de S.-Francisco : a tratar com
Luiz Gomes Ferreira, no Mondego.
Precisa-se de 500,000 rs. apremio por
lempo de 6 mezes, fazendo-se para egu
rauca hypothecaem urna propriedade ne
la praca, pela qual ha quem d sci
mil lis a inhero contado : na pada
tres portas, na rua do Pillar em F "
Porta?, so dir quem faz este negoci
- Um bom eslabelecimento de mi
ha para vender-se, na rua Ha Cruz, n. 51:
aJverle-so que para un principiante 1ie o
melhor possivel, por ter poucos fundos
ser em uindos tnelhores locaes.
-- A pessoa quo deseja saber a resillen*
cia de Rernardo Jos da Costa dinja-se "
rua Direita, n. 10.
Uma pessoa que sabe theorcamen
escrpluraco mctcanlil, lano por pi
das dobladas como simples, piesta-.su a
crever em algum escriptorio : quem de
prestimo se quizer ulilisar annuncie.
Os abaixo assignados fazom scient,
respeitavel publico que vendem na su
va loja de selleiro, na rua Nova, n. 1
lins e silbos de todas as qualidades, .
dos os mais objectos perlcucentes ao mes-
mo eslabelecimento, por prego mais com-
modo do que em outra qualquer parle.
Guimardet & Companhia.
--Arrcnda-se utn sitio com boa casa
outios muitos commodos, na povoaco d
Atagallo*, pelo barato preco de 10,000
meusaes : a tratar na casa da af -i 10.0
frouto ao muro da Penlta.
Itua largado Rozro,
11. 14.
Pradines, cutileivo e
armeiro,
lem a honra do prevenir ao respeitavel pu-
blico que ello acaba de receber pelo navio
francez Socrate um rico snrtimenlo de cu-
lilaria fina cmo lesouras para cabellerai-
ro, costura alfaiatee para unhas; tillas
muito Tinas parasonhora bordar ; estnjos
ile navalhas mullo ricos; caivetes de to-
das as qualidades, com cabos de niai lim,
mudre-perola e de tartaruga. O annunciaR-
te aptnveita essa occasto para lembrar aos
aeus froguozes, que elle teni um bom sorll-
mento de espingardas linas de cano trun
xad* e da masquinado, das molbo'es h-
bficas de Franca, obra muito boa e muito
segura proprios para se divertirem pef
lempo de fesla : tambem contina a amo-
lar as tercas, quintas osabbados, eseen-
cirrega do qualquer concert perteneenle
ao seu oflicio.
O dOS
aooJI.
u, afn-
ILEGVEL
}


*
Casa de ommisso de
cscravos.
Na ruaDirc'13 sobrado de tres
indares, defronte do becco de S.-
l'edro, n. 3, recebem-se escravos
de 8nibos os sexos para se vende-
rem Je commissao, u5o se levando
por esse trabalho mais do que 2
po cento, sem se levar cousa al-
guma de. comedoria, e olFerecen-
do-se toda segnranca precisa
pan os ditos escravos.
-Declara-so aoSr. nSoprusultra com fuma-
cas de primeiro engenhoro dasmaehna* de
Derosne que mor na ra do Queimado e
rom loja na ra Nabo, que muilo se estlmou
saber que elle he o aulor dos taes annuncios
ile charlatlo : ora, quem Rer mais charla-
13o do que o lal autor? Para se mostrar mo-
ra om urna elom loja emoulra. Rste triste
sapateiro de cobro lio um (igurinho das rao-
laseealunga de sombra. .Olhe, nlo bu-
la muito com o malulo Lcssn;do contra-
rio, ver a obra da Rahia bem explicada, da
raca loJa, sem escapar oada.
O lamp'/to promplo a acctndtr.
Oabaixo assignndo, londo o Diario de
h prendido quando vio publicado um an-
nuncio pelo abaixo assignado contra o Sr.
Itazilio Varejo; porquanto, tendo-lbo este
Sr cnlregado o papel de que falla o referi-
do annuncio no da 22 do corrente polas 10
horas da manhila, oab.ixo assignado im-
mediatanrente mandou s-u caixeiroa typo-
graphia, para que nlo sahisse mais tal an-
nuncio : aconleceu que seu caixeiro so des-
cuidasseem participar lypouraphia para
prevenir a sabida de lal annuncio, o quan-
do vcio a parlicipar-llie foi a hura qiH se
nao poda retirar mais, o que ludo ignora -
va o abaixo aasignado, porquanto suppu-
nli.'i estar suspensa lal puhlicacilo.
O abaixo assignado aproveita a occasiflo
para scienlificar ao Sr. Vaiopio, que as ex-
presses coulidas em tal annuncio nao f-
ram rom tencSo de offender seu crdito, e
sim-para prevenir qualquer ext-avio que
podse haver do tal papel, assignado do-
brado. -- Uaretllino los Ribeiro.
-- O pardo Joaquini, que cerno psprayo foi
vendido pelo Sr Serafim Pinlo de Souza ao
Sr. tenente-coronel Manocl Lucas de Aranjo
l'inheiro, faz publico que se acha no gozo
de sua liberdade, por caria legal, passaJa no
auno de 1833, a agora apparecida ; e como
em vrtude desle documento que ninguom
de ba f pode contestar, oSr. Serafim no-
nliuma duvida leve em subjeilar-so ao paga-
mento, convencionando com o comprador,
pois que ambos reconhoceram a validado
da caria, negocio este de queja se tratou
judicialmente na cidade da Victoria, onde
houve urna acommodaeflo favoravel ao acto
da liberdade, tanto que os hordeiros da fi-
nada Thereza Mara de Jess (que m'a con-
ceden) subjeitaiam-so a pagar urna certa
quanlia ao mesmo Sr. Serafim, e pndondo
acontecer que um papel de venda, existente
em poder dos mesmos ou de seu procurador,
cojo papel nenlium vigor ton, porque ro
pastado muilo posterior ao acto da liberda-
de, de lugar a prctencfjes desarrasoadas,
faco em lempo o presente annuncio para
que ninguem contrate sobre u referido ob-
j.cto, allegando gnoraocia; pois pro:esto
defender o mcu direito, para o qne tenho
os precismeius.os
('erante o Sr. Di. juz do civel se lia de
anemalar no dia 27,por ser a ultima piac,
a parlo de um sobradinho silo na Cnmboa-
do-Carmo, e um terreno na Casa-Forte, pe-
nhurados sos herdeiros de liento Antonio
Uomingucs, por execueo do padre l'ascoal
Corbi.
Arria de leitc.
Na praa do Caldeireiro, n. 8, precisa-se
de urna ama cativa ou forra, que lenlia leile
com aliuud.iiicia.
-- l'erdeu-se na noite de 21 do coi rente
da ra do Sebo at o Aterro-da-Boa-Vista,
una fruulia de esguiito com lavarinto e
bicos nos dous lados; a pessoa que a achou,
queWndo restituir, dirija-so ao Aterro-da-
ua^fista, casa n. 23, que ser recompen-
sada, v
Aluga-se a loja do sobrado n. 23, na
ra do Sol: a Tallar com Jos Cypriano do
Moracs Lima, no Forte do Mallos, n. 8, de-
froule do clmfai i/.
Ha peno de um mez que desapparecnu
um chaprilo do scupira do 16 a 18 pollega-
dasde largo, 12 de grosso, e 30 a 32 p I mus
de comprido, do caes do llamos: quoiu dclle
(ver milicia unnuncie {por esta folha, que
ser recomsado.
Caldeiiaria c f.indicao.
Una Imperial.
Ncsle estabelecimento faz-se qualquer
machina para ago'ardonte, declarando-so
que funlquer proprielaiio que so quizer
ulilisardassuas obras he com a cndilo
^declarada de que o proprieiario compra o
.cobre na m.lo dos Inglezes, e no o compra
por ma*s de 750 ri.: o aNisla leva por cada
libra le feitio 250 rs licando cada libra
por 1,000 rs.,e obrigando-se o artisla a as-
seuia-la em qualquer ptrio desla provincia.
AlTiMJAO!
fj beneficiado do dia 25 do correle az
publico que ter lugar iufatlivelmenle o es-
pectculo no dia annunciado, o conla com
a honrosa proleccto das pessoas que rece-
beram bilheles de camarote, platea, dos
seusamigos e patricios, caixeiros, etc. as-
snn como previno que no dia do espectacu-
lo nlo recebe nenlium dos bi'lietes que lem
paaaado.
Precisa-sede uina criada nacional ou
rstr. ngeira para servir om urna casa >ie pou-
ca familia, assim como tambem so aluga
una eserava de bous costumes e que sabe
fazer o semen de portas a dentro : na pi a-
Ca da Boa Vista, D. 32, segundo andar.
jja-ruardi.ode Senna Das, como pro-
curador bstanle do padre Joaquim Candi-
do de Oiivcira, avisa ao respeilavui publico
que ninguem contrato negocio de quali la
Ue alguina com a propriedade de ierras com
casa de vivenda, sita na freguezia da ICsca-
da, uiargem do rio Ipojuca, denominada
uha-loa-Pit*, por tur sido a mesma pro-
priedade venJiJa a Florencio Jos Goncal-
ves a pagatliontos, com a condicao do Couir
piador uito vender ne.n allieiiar a dita pro-
stlsfizesse ao. vendedor toda n importan-
cia, .oh penada ficsr sem effeilo qualquer
negocio quo se contratar com a mesma
propriedade, por eseriptura publica no car-
torio do tabellifto Rezerra ; e tendo se ven-
cido o ultimo pagamento em 18**, amia o
dito comprador nSo salisfez lodos os paga-
mentos a quo ficou obrigado: por isso se
r.zo prsenle aununcio, aflm de so evita-
rem qUestes para o futuro.
Ao Sr. empavonado barbeiro previne-
se qu', para seu bem estar, ou de mam al-
guem, hja delcorrigir-se oTe seus pessmos
coslumes, principalmente o de insultar a
vizinhanca as occaaOos em qi*i loma o
seu indispensavol pifio, porquo d'ahi pode
resultar serias consequencias queso dese-
amevilar. O Sr. empavonado poler 8"
quizer continuar na sua costumada emhiia-
guez pois com isto pouco me importa ;
mas, se continuar a insultar, como at aqoi
tem feilo, nflo ser de urna mulher que ter
de recebar a paga do seus servicos, mas si n
daquelle a quem queria fizer a barba de-
pola de.... ***
Deseja-sealugar um cozuheiro bom,
para urna casa estrangeira : na ra da Cruz,
n 46.
Aluza-se o primeiro andar de urna
muilo boa casa, com 9 quartos e cozinha
na ra de Apollo, n. 22.
Serventes ara
da Cruz, no
; na praca di
Ile-
In-
Alerro-da-ltoa-
nifacio de Abren : na rin
cife, loja de livros, n 56
depen loncia, ns. 6 e 8 ; no
Vista, loja, n 1*.
Farinha Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, de muilo boa quaiidade, por ser fa-
bricado na serra Moruoca, perlo da cidade
de Sobral, por preco commodo : na ruado
Queimalu, n. 1*, loja do ferragens.
lft
m
$ Chapeos de sol.
11 ua do Passeio, n. 5.
a capa*
tarn.
Proeisa-se de 20 a 30 homens robustos
para o servido da capatazia da a I Ta niega
a fallar na mesma alfandega com o capataz,
ou na ra da Aurora, emsua casa.
Aluga-se urna preta captiva, com mui-
lo bom leite, a qual he do primeiro parto,
e sabe tratar bem de urna crianza: na rut
da Floren1 na, n. 16.
No dia 27 do corrente, polas horas da
tarde, na casa da residencia do lllm. Sr Dr.
jota do cvel da primeira vara, na ra da
Praia, se hilo de arrematar, por ser a ulti-
ma praga, tres prelos de tj pographia e seus
perlences; bem como diversos trastes : lu-
do penhorado a Viuva k Filhos de l.uiz Ig-
nacio Itbeiro Roma, por execugo da ad-
ministra^no do patrimonio dos orphSos des-
la cidade.
Na ruado Trapiche, n. (i, deseja-sosa-
ber se existo nesla provincia Joo Augusto
Cezarde Almoida, natural do Portugal, al-
feresdo halalliiio do ai ti Iberia que esleve
aquartelado no forte do llrum, e que no
fimdoannode1836 seguir para a provin-
cia do Itio-Grande-do-Sul acompanhando o
mesmo corpo : islo a bem do inlerosse do
proprio alfeos.
Precisa-se alugar urna eserava que sai-
lia cozinnsr, engommar e fazer todo o mais
servico de urna esa de pouca familia: na
rus dos Mailviios. n. 3*.
Offerece-se um rapaz brasiloiro para
caixeiro !e venda, o qual j lem bstanle
pratica : quem o pretender, drija-se ra
da Camboa-do-Carmo, n. 16 : elle dar fia-
dor a sua .conducta.
~ Jos Francisco Itelm, lendo o annun-
cio do Sr. Jos Rodrigues do Sena Santos,
inserto no Diario de I'ernambuco n. 2CI,
aprovoitaa oporlunidade para pedir a esto
Sr. se sirva mandar pagar-lite o importe to-
tal de sua leltra vencida o protestada em 19
de setembro de 18*3 ; ou so sirva de decla-
rar se quer que o annuncianlo mande jus-
tificar em S.-Anlflo essa divida por ser dita
letlra endocada pelo tinado seu lio Jos
Rodrigues de Sena; pois que, lendu do jus-
tificar a soiiiuia quo este tinado deelarou em
seu testamento dever ao annuneianto, tor-
na-se-lhe misler saber do Sr. Sena Santos
esta res pos la.
O annunciante soccorre-sedeste mel por
nfloobtido resposls alguma das carias que
a este mesmo respoito lem encaminhado ao
Sr. Sena Sanios, bem como pelas difllcnlda-
des queo mesmo Sr. Sena Santos n.1o ignora
tero annunciante encontrado para essa mes-
ma juttifleaffio a que ora chama.....os
creJoros.
Da-so pSo de vendagem, ofTerecendo-
se melhor conveniencia do que em outras
partes : na ra do Rozario larga, n. *8.
U bacbarel A. H. de Torres
Bandeira, professor adjunto de
rlielorica e geograpbia no lyceu
desta cidade, se propoe a ces tas mesmas disciplinas, e
bem assim de pbilosopliia c fran-
cez. Quem de sen presumo sr
quizer ulilisar, pode dirigir-se
rm estrella do Rotarlo, n. 3i, se-
gundo andar.
-Antonio Mximo de llarros l.cile, pro-
fessor jubilado na primeira cadeira public
de primeiras lettras da cidade de Coianna
acha-se de presento residindo nesla capi-
tal, e morando na ra da Cadeia, n. *0,
primeiro andar ; e prope-se a continuar ni
mosmo magisterio particular, pelo que tn
sciente ao respeitavel publico que se acln
com aula abena na referida cj"Sa, on le re
cebera alumnos, tanto externos como in-
ternos.
- No pateo da matriz de Santo-Antonio,
sobrado n. *, tiram-se passaportes para
dentro cfra do imperio, assm como des-
pacha m-se escravos e liram se folhas cor-
ridas,
Gamma de engommar.
Vendem-se saccas com gomma de en-
gommar muilo atva na ruado Queimrdo,
n. I*, loja de ferragens.
Deseja-se saber onde resi-
de o Sr. Joaquim de Figuciredo
Lima, ou mesmo quem seja seu
procurador nesla cidade ou fra
della, para se tralar de negocios
qne llie dizem respeito; quem sou-
ber aonuncie por esta folha para
ser procurado.
Aluga-se, no Monte rj, a casa que lica
defronte do Sr. Joaquim liburcio, oplima
para quem qiizer passar a Testa: tambera
se aluga a casa sita nos terrenos da Torre,
delronle da Ponle-de-Ucha e junto ao Sr.
major Fernandos (tarros : a tralar na ra
da Aurora, n. *8.
Acha-se a venda pelo diminuto pre-
co de 3,000 rs. o muito divertido romaneo
Palmiraoua ceguinha biasileira, escriplo
Nesta fabrica lia presentemente um rico
sortmento do chapeos de sol, de seda de
lo lasas cores as mais fixas quo teem appa-
reci.lo, para hornera e senhora, e que se
ven lem muilo om conla ; ditos de panni-
nlio imitan lo soda ; dilos muito grandes, e
de panno e armacOe* muito fortes, pro-
pros para senhores e feitores de engenhos :
ia i. hem se vende fazenda do seda e de pan-
ninho imitando seda-pora se cobrirera -
macaes. Na mesma fabrica seconcerta qual-
quer chapeo do sol, om nimia brevidade,
e por prcc,o mais comino lo do que em nu-
tra qualquer paite, O vendeui-se baleias
para vestidos.
O abaixo assignado, socio da firma
Victorino ex Cumiarnos, tendo de retirar-
se, por algum tempo, para l.l.ha, ahm de
tralar de sua sade, dexa encarregado de
lodosos negocios, ten lentes a dita firma, o
s^u socio Victorino Jo Ferrera, c como
seus procuradores Jos Carlos Ferreira Soa-
res Jnior, Joaquim Monteiro da Cruz e
Alvino Jos da Silva.
Jof Francisco de Arnvjo Guimnrdes.
Joso Francisco de Araujo GuimarSes
retra-se para fra do imperio.
Precisa-so de um caixeiro para venda ,
quo seja bemeomportado : na praia do Cal-
deireiro, casa junto a venda, n. 3.
Aluga-se urna casa na ra do Aragfto ,
com 3 quartos, cozinha fra, quintal e ca-
cimba : atiatarna pra?a da ludepen leti-
cia, lvraria lis. 6 e 8.
Aluga-se, por preco commoJo, o
brado de um andar com-lujas, na ra
rio portugnez e latino, por 5,000 rs., Com- seda para algiUcira l O..roa larga do Roz.1-
' de l-arraga elno.n M.loli de mludexas.
Vende-so urna prela dadista,
pendi das pocas peto pauro \. r. ue ii-
guciredo. |or 6,000is.; aS. MUilia latina,
I v. por 4.000 rs. ; as ob:a*:mpletas de
Kilinln Kliso, primeira imprelsao dehaixo
nrndin de tiiooloaia moral, .le Larra
<'.. ,3v. por 6.000 rs ; Insltuiccs ora-
torias deQuinliliano, por Jeronyino Soares
llarboza. 2 v, por *,000 rs. ; Odo almiois-
trandi sacramenta, |>or 2,100 rs.; o Com-
pendio das pocas pelo padre A. I, i
gn
1
Fi...
das vistas do seu ulor. 11 v., por 22.000
rs : conlssao publica de Vollairo, por 2.000:
rs. ; llistoiia do lirasil desde 1807 ale 1831
or Irmilag. por 5,000 rs ; Poesas do Cos-
a e Silva. 2 v., por 6,000 rs. ,* Uelac.io his-
trica stalislica da cholera-niorbus em Pa-
rs, com eslampas em colorido, por 4,000
rs ; Traite complot dfl l'art des acc.m-
chemeiis, 2 v., por 6,000 rs ; Diccionario
de Moracs da qii.rt MflO, por 22.000 rs. j
e
i
i
i
SO-
ll os

i
m
Aos 20:000,000 dcrs
do Iliu-de Janeiro.
i
*
%
- Na ra da Crrz, no Itecifc. armazem
n. 33, vendem-sc saccas com feijao, por lo-
Na roa da Cadeia do Recife, n. 24,
loja de cambio (la vluva Vicira & Fi-
lhos, vendem-so os muito afortuna-
dos bilheles o meios dilos da 21.' lo-
tera do monte pi, cujas rodas de-
viam andar no dia 16 do crrenlo
mez. Aelles, a clles, queeslflo no
S resto.
Ouarleis, n. 10 :a tratar com l.uiz Comes do preco. por eslnr piincipiando a turar,
Ferreira, noMondego.
Compras.
--Compra-so una eseiava nlo sendo
croula.eque saiba cnziuhar, cngoininar
ensaboare fazer tod,) o servico do uina ca-
sa : na ra dos Martyiios, n. 3*.
Compram-se, para urna e.ncommenda,
escravos de ambos os sexos, de 10 a 40 ali-
os : na ra do Rangel, n 57, sobrado.
-Compram-se boiOes de tinta vasios a
240 rs. a duzia : na ra Direita, n. 81, lja,
ou na pra^a da Independencia, n. 12.
Compra-se tartaruga em cseo ; tam-
bora compram-se pentes amigos quo esto-
jan fra da moda, pagando-S por mais
do que em outra qualquer parle : na ra
dasTiinclieiras, n. 5, loja de larlarugueiro.
Compra-se um par de loleiros o ariei-
ros de lauca, grandes, dos quo usa va m os
escrivflcs: nesta lypographia so dir quem
compra.
-- Compram-so pataces mexicanos c
cruzados novos : na esquina do Livramen-
lo, loja de 6 portas.
-- Comprii-se um calix em mcio uso para
celebrar raissa : na ra da Gloria, n. 60/
Vendas.
Na ra eslreila do Rosario, n. 4, ven-
sc por commodo proco os seguimos jornaes:
O recreiu Jornal das Familias, 5 volme
com lindas estampas ; o pi ltiro, e quarlo
volnne da Revista Universal Lisboense; o
lrjS| jornal publicado no Rio-de-Janoiio, 3
volumes ; Ruy oescudero, poema romn-
tico de L. M- de All>uqverque

?
0
f
*
piiedade pessoa alguma, emquanto uao | em sale cantos, pelo doutor Francisco o-
A 2,4100 rs.
Baralissimas mantas do cambraia e
seda, grandes e de escolhidos goslos,
* para senhora, pelo diminuto preco
| de!M0Ors.:
S na ra do Crespo, n. II.
%
Vendem-se chapeos de massa france-
U, os mais modernos que leem chepado re-
centemenle, pela elegancia das formas;
ditos de mola, prelos e superiores; ditos
.la Italia, de copa alta e baxa, para ho-
mens ; ditos enfeilados para meninos o
meninas, de lndssimos gustos; ditos sem
pello do diversas formas e cores, tanto pa-
ra homens como para meninos : adverlindo
que ludo foi receido agora pelo ultimo
navio francez, vindo do llayro : na ra No-
va, n. 44, fabrica do chapeos.
-- Vcnde-se lijlo de todas as qualida-
des.por preco commodo: na olaria da ra do
Queimado, a tratar cora seu proprieiario.
I. Ij. S., ou a bordo do brigun Nafra, Tundea-
do defronle do l'asseio Publico.
-- Vendem-sn 12 cscravos, sondo : um
carreiro ; um mulatmho de 16 a 18 annos ;
um dito de meia idade, serrador e cozinhei-
ro; umamulatinhaa una negrinba do 1*
a 15 annos ; um moleque do 15 a 16 annos j
Oescravas mocas, entre as quaes algumas
com habilidades : na ra Direita, n. 3.
Altcnco.
Vende-se una morada de casa sita na
ra do Mondogo em chaos propros, com
commodos para grando familia, quintal
murado, e todo plantado, cora cacimba do
lado do rio, cuja casa perteuce a una pes-
soa que so relira para o Rio-de-Janero,
por isso se dai em conta : a Iralai
das Aguas-Verdes, n. 46.
JNoarmazem do baraleiro Sil-
va Lo*pes, na porta da alfandega,
veude-se farinha de trigo de IJhi-
ladelpbia, nova e da melbor qua-
iidade que vem a este mercado.
-- Veiiue-se um faqueiro de mesa e cha e
um laboleiro ou bandeja, ludo do prata,
foito com o melhor gosto c polidez possi-
vel, o ltimamente chegado do Porto : a
fallar na casa defronle da igreja do Corpo-
Sanfu, n. 150.
.- Vendeir.-se, na Roa-Vista, ra do Ca-
maro, u. 5, os seguinles livros : Dicciona-
e
ra
um porcBO de calcado do Arucaty, como
sejam 80 pares do sapales de couro de lus-
tro, obra bem feila e de diversos lamanlios;
sola e couro do cabra; caixas para rap:
ludo por preco commodo, para fechar cun-
tas.
Na ra das Cru/.es, n 82, segundo an-
dar, vendem-se duas cscravas mocas, mili-
to s.das c sem vicios, ptimas cng.minia- > JJ^piVs, Chimie, 8 v.
deiras, costuroins, cozinheiras, lavadoras roUg8aw Rxamen de la doctrine
de sabo, una das quaes faz lavarmlo. medcale, v.
iNa Tila todo Oueima- Cooper.ojowresehirurglcile
1 Cruvcillier, Anatoma descriptive,
* v.
Oubois, Pathologie, 2 v.
de 20
loonguim.co/inh o diario do
urna casa e he boa quilandeira : ua roa ue
Agoas-Wr les, n. 21.
- Ven le-s.iumi eserava do elegante n-
gura, de 18 anuos, perita WigoBiOiadat
ra, iloceira e pad 'ira, propria para um se-
nhor do engenho ; tres ditas eogommaiiei-
ras. cozinheiras e costureiras; tres ditas
muito cm conta, boat-qoUndelra e lava
deras; tros escravos; um m deque de 18
annos : ludo para liquidacHo, o por ISSO
muito cm conla : a tratar n.i-rua de Agoas-
Verdos, n.46.
- Vendem-se queijos do ferino, por mui-
to barato proco : na ra larga do Rolarlo,
n. 26.
-Vende-se mn osa! de pavaos : na ra
da Soledad) n. 46. .,,,..
-- Vcnde-se um moleque crioulo de lo
annos, de bonita figura.: na rila Nova, n. 46.
.. Vdndem.se, na na do Crespo, n. II,
conheciinentos, a ..00 rs o cento, erada 110
10 rs. ; n testamento do co, dito dagnlti-
nlia, a 100 rs oTravesso ou o cahelleira,
a 100 rs.: Pelejl da alma com o diabo.-a 200
res
-Venlem-se 5 armarios propnos para
tonca ou guanla-roupa, duas mesas de Un-
tar, um aparador, um guarda lotiza, TOUS
arma-ios pefluonos : na ru do Sebo, O.M.
- Vende-Mi um cava lio podre/, carrega-
por baixo i meio : na na da Coi.ceic.lo, ar-
mazem do Sr. d'O*. Junto do Rotarlo, das
10 hor.is da mOtlla as duas da tarde.
- Vendo-so urna eserava de 18 annos,
sem vicios nem achaques, de muito honila
(gura, que cose cli:io, ongomma. cozinha o
diario de urna cisa ; um mulalinlio. muito
l.oinliiilio c esperto, e que he proprio para
pagom i na ra do l.ivramento, n. 4, se di-
r quem vende.
Vinlio de Bordeaiix,
das mais superiores qualidades ; I em como
viudo de Chaii.panha da nova marca estrel-
la, j muilo apreciavel, tanto aqu como na
Europa ; vende-se cm casa de Kalkmann
Irmilos, na ra da Cruz, n. 10.
Livros tic medicina, etc.
Na livraria da ra do Cnllegio, n. 9, ven-
dcn-snasseguintcj obras, encadernadas,
oilavo francez !
Alilcrl, Monograpbie des lierma-
thoses, 2 v.
Anlral. Anatomie, 3 v.
Hilo, Chinde, v.
I Ausieux, Chimio
6.000
6,000
10,0011
1,0011
16,000
n.*^58,
vendem-sc sujieriores e modernos chapeos
francezes do mus apurado gosto de Pars e
ltimamente chegados na galera fianceza
Vinera ; bem como os mais superiores
chapos c bonetes para meninos, muito
proprioi pela elegancia a gosto para os pas-
Seioi da fesla do Natal.
Bolacha de farinha de
milho.
Appareceu emfim novamente a yenda a
oxeellcntobolaclu de farinha de milho su-
perior a quo so teta fabricado e annuncia-
do por veze.s, pelo acostumalo preco do
80 rs. a libra : na ra laiga do Ro/ario,
n. 48. padaria.
Vende-so arroz do casca medido, por
preco commodo na ra do Colorniz, ven-
da u 10.
-. Na ra da Cruz, armazem n. 31, ven-
dem-sc barril cora cl de Lisboa com 4 ar-
robas, chegados na ultima viagem do Rovo-
Venrednr, por preco mais barato do quo i.ra
nutra qualquer paite.
Quecheiro! Quciuia bem!
Boa slnza !
Charutos superiores, chegados ltimamen-
te a esle mercado : cheguem, Srs. amantes
da boa ccheirosa fumaca, ao paleo do Ter-
co, deposito n 14. No mesmo deposito da-
se dinlieiro a premio em pequeas quantias
sobre penhore.s. c compia-sc prata e ouro
sem feitio. ,
Vendom-se pipas de ptima agur-
dente por preco commodo : na ra do
Hospicio, n. 9
Vendc-scum eleganio cabnolel, mul-
lo leve e em bom uso, por preco commodo :
na ruado Hospicio, n. 9.
> ovo Borlimenlo de IV
zendas baratas, na na
do Crespo, n. O. ao p
do lampea'.
Vendem-se cortes de cassa franceza com
10 covados a 2,560 rs.; pecas de cambraia
de quadros com 8 varas a 2,720 rs.; cassa
prela para lulo, a 110 rs. o covado ; zuarle
com 4 palmos delarguia a 200 rs. o cova-
do ; riscado monstro a 220 is. o covado ;
chitas de cores fixas a 160 e 180 rs. ; cha-
les de larlalana, a 500, 800 e 1,000 rs. de
muito hom gosto; cortes de brim de puro
linho, a 1,280, 1,500 e 1,601 rs. ; chapeos
de massa a 1,600 rs ; ditos de soda a 640
e 480 rs.; cobertores do algodilo america-
no a 610 rs. ; picote muito encorpado a
180 rs. o covado ; pecas de madapolSo mui-
to fino e com pintas de mofo, a 3,600 rs.
a ra Nova, n. >,
venlc-se um mulatinhode 15 annos, pro-
prio para pagem, por ser de elegante ngu-
ra ; um molecole de 18 annos, hora cozi-
nheiro, e ho de boa conducta o que se a lia n-
Ca ; um mulalinoo de 8 anuos, muito lindo;
um molecole bom oficial de alfaiate ; dous
prelos para liabalharem de cnxada, do lin-
das figuras ; duas pardas prendadas; duas
pelas com habilidades ; urna inulatinha de
14 anuos, com principios do costura e en-
goaunado.
Vendem-so susponsorios do seda para
homom ; bicos largos e estreitos ; luvas de
algodSo grosso para montara ; facas e gar-
ios do cabos de marlim ; meias de seda pre-
la ; duas brancas para senhora ; fitas de se-
da para chapos de senhora ; ditas do vel-
ludo pelo e de cores rap Meuron ; dito
de Casse grosso e lino; franja para corti-
nados, de todas as larguras ; meias para
meninos e meninas ; rendas de todas as lar-1 ludo por preco commodo: na ra da
guras ; linhas do meada de peso ; lencos de | deia de S.-Antonio, n. 18.
8,000
3,000
8,01111
4,000
Rayer, Maladies de
atlas tC.ono
Rostan. Cnimie, 3 v. 6,o
Santa-Varia, Formulario 1,00
-- Vcnde-se um buhar novo, prxima-
ment acabado, enm todos os seus perlen-
ces, ou nluga-sc a alguma pessoa capaz pa-
ra algum silio perlo da praca, dando fiador
ou penlior : na ra do Sebo, n 42.
Vendem-se telogios do ouro e prata,
Irancelinsde ouro, aunis, diamantes, bri-
lhtinlos, etc. : no llolel-Pislor, no Trapiche,
n. 3.
No silio da Estancia, junto ao engenho
deGiqu,veude-se urna earroca novado
quatro rodas, feita na Inglaterra, propria
para oonduzir grandes pesos, sendo foila
para carregar ass.icir para o porto de em-
barque, e caimas do cannaval para o enge-
nho: os eixoi o rodas sito de patente o de
urna solidez para resistir a lodo o qualquer
servico: foi trazida pelo annunciante da In-
glaterra como adequada aos servaos dos
ougenhos.como ascan'ocas de quatro lodas
aclualmante om uso cerlamenle nffosffo.
Vendem-se lambora osarreos para oitoca-
vallos em separado, ou cora a earroca, a
qual est arranjada pira trabalhar cora fl-
vallos ou bois : os arreos de inferior qua-
lidado servo igualmente para carrogas do
um cavallo, e por isso tambera ven le-so ca-
da apparelho era separado. A tralar no mes-
mo sitio ou ni ra do Vigario, n, 4.
.llantas de seda.
Anda existe urna pequea porc"io do
mantas de seda, ao preco de 7,000 rs. cada
urna para se acabar : na ra larga do Roza-
ro, padaria n. 48.
Um jumento.
Vcnde-se um jumento muito novo, e bom
para lirar casta : na ra do Queimado, n. 14,
loja de ferragens.
Vendcm-see alogam-se ptimas bixas
de llamburgo : na ra do Araglo, casa do
mostr barbeiro Thfophilo.
Fj-
elo cm saccas gran-
des:
vende-so no armazem de Antonio Annes ,
no caes da Alfandega, a 5,000 rs. a sacca.
Btalas.
Vendem-se gigos com muito boas batas ,
por preco commodo : no armazem pegado
a botica do arco da ConceicSo.
Vende-se ou hypothcca-se urna morada
do casa terrea com solilo, sita no becco dos
burgos, a qual rende mensalmnte dezoi-
lo mil iis:a tralar na ra do Codorniz,
venda, n. 10.
Vende-se um carro bem feito, de 4 ro-
das, leve e com coberla, bom para urna fa-
milia, ho bastante grande e tem commodos
para 6 ou 7 pessoas : para ser visto, na co-
cheira doSr. Fisker, no areial da Fra-de-
Portas ; bem como um apparelho de arreos
dobrados, por preco commodo.
Vende-so boa champanha em meias
garrafas, muito barato, para fechar contas:
na ra da Cadeia do Reeife, 48.
Vendem-se os trastes seguinles :
cadeiras de oleo, marquezas, mesas de meio
de sala, de oleo, soplias de dito, jogos de
bancas, camas de amarello e de angico,
meias commodas, toucadores de amarello e
de Jacaranda, mesas redondas de dito, jogos
de bancas do dito, um thear de bordar de
triangulo, carteiras de amarello de una s
face, um cannap de Jacaranda, 1 duzia do
cadeiras de Jacaranda, urna duzia de ditas
cora algum uso, lavatorios de amarello,
bancas do dito, e oulros diversos tresles :
Ca-
MUTILADO


Vende-se urna boa escrava COffl todas
as habilidades : o molivo por que so berilo
se .lira ao comprador : na ra do Arago,
n. 10.
Venie-so iim liom carro do rodas,
rom s seus competentes arruina para don*
cavalloa, pola quanlia do 250.000 rs. : na
praga do Corpo-Santo, n. 2 Na irosma ea-
sa compram-so dous quarlos para carga,
i|iio s"jam bous.
Vcndem-se oculos para lodas as da-
llo*, os melhoros quo tocm vindo a este
morondo; niia preta moga, qu eos, cn-
::oiuma,n hn boa oozinhoira : na rua lar-
dado Rosario, n. 35, toja.
--No armazem n. 7 da rna da Moeda,
vende-Be sil nm grande c pequeas porches,
por proco niais barato do quo om oulra
quarquer parlo.
Vende-se limito superior fa-
rinha gallega om meias barricas :
na roa da Cadeia do l\ecife, es-
triplorio de Deane Youle & C. ,
ou no primeiro armozem do becco
do (oncalvcs.
-- Na rua da Moda, n. 7, vendem-so bar-
ra de varios tamaitos, eom o mais supe-
rior vinbo do Porto que tem vindo a eslo
mereado, sendo alcm da boa qualidade
muilissimo barato.
Na rua do Crespo,loja da
esquina que volla para
a cadeia,
vendem-so os aereditados brins trancados
brancos de listras e lisos, de linho puro, a
1,500 rs. o corte; dito amarello, a l,500e
1,600 rs. ; panno fino preto o azul multo
bom,a 3,200 rs. o covado ; dito muito su-
perior, a 5,50o rs.; fusles muito bonitos
para colleles, a CO rs. o corle ; ditos de
velludo, a 2,500 rs. ; ditos de selim lavra-
do, a 1,800 rs. ; ditos de gorgurilo de seda,
a 1,600 rs. ; cambrnia lisa, a 2,720 rs. a pe-
Cade8vara.se meia; cassa prcta, a 1,440
rs. o corte; esgunn de linho muito lino, a
1,44o rs- a vara ; e outras militas fazen-
das por procos co ai modos.
Tecidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na rua da Cadeia, n. i>*2,
vendom-so por alacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
oseravoSi
Ztiartcs de furla-crcs a
200 rs. o covad o c ris-
cado monstro a 220 rs.
Vendo-so zuarte de furta-eores muito
encorpido e eom 4 palmos de largura, pro-
prio para oseravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito born a 220 rs. o cova-
do : na rua lo Crespo, loja da esquina que
volta parr a cadeia.
A (M0 rs. cada nm.
Vendom-so cobertores de algodSo ameri-
cano, encnrpailose grandes a duas pala-
cas ; chitas escuras de bous padrn e co-
res seguras, a meia pataca o covado: na
rna do Crespo, na loja da esquina que vol-
la para a cadeia.
Tai vas para engenho.
Na fundigflo de forro da rua do lirum,
acaba-se de recetar un completo sori i mon-
to ilo tnixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes aolinm-se a venda por prego corn-
modo o eom promplidSo embarcam-se,
nn earregam-se om carros som despezas ao
,; imprador.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem anligo da rua da Madre-de-
lieos, n. :ifi, esta de novo eslabelecido de-
bilito das mesmaa condicoes, offerecendo
:i deliciosa pinga do vinbo da Figuoira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinbo bronco de Lis-
boa por 220 rs. a garrafa, o 1,600 rs. a ca-
ada, a do vinbo do llordcaux por 160 rs. a
garrafa levando o rasco. Niio so admirem
os fieguezes#do haixo prego por quo se ven-
ile a deliciosa pinga, e sim da audacia do
propriolario querer sustentar o anligo pre
co, embora este genero lenlia subido o me-
llior de 30,000 rs. por pipa. Kxamineni os
amantes a qualidade para rcconlircimento
da verdadec eontiniiagfio da antiga fregue-
/.ia. Kpara tifio haver usuras, cst.Vi promp-
tas garrafas lacradas o eom o competente
rollo, assim como barris de diversos la-
manilos para pioviso do prximo Natal
0 propriolario conta eom a concurrencia ;
do contrario, tornarflo os preces do reta-
1 lio a primitiva de 2't0e 280 rs. a garrafa.
I'olha de Flandres.
Vendem-secaixascom folha de Flandres:
na rua do Amorim, n. 35, casa de i. i. Tas-
so Jnninr.
Vendem-seamarras de ferro: na rua
Ja Senzalla-Nov8, n. 42.
Velas de cores.
Vendem-sc, no armazem de moldados
atrs do Corpo-Santo. n. 66, por prego oom-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recomniendaveis pela sua superior qualida-
de e aturarrm mais que as de espermacete,
e nio fazerem morrfio.
Deposito de Potassa.
Vende se muito nova potassi
de boa qualidade, em bairiszinbo:.
pequeos de quatro arrobas, por
pceo barato, como j lia muito
lempo se nao vende: no trale,
rua da Cadeia, armazem n. la.
Anligo deposito de cal
virgem.
Paraquein ti ver bom
g-osto.
Vendem-se redes de cores muito grandes
o muito bonitos padroes, e o inelhor que
tem apparecido neste mercado : na rua do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia. ...
Vendem-se saccas eom rarinlia muito
boa e bem torrada, por preco eom modo : no
armazem do finado llraguez: na rua da Ca-
deia, ao pe do arco da ConeeiQflo, n. 6 0, ou
a fallar na loja de Joflo Jos de Carvalho
Muraos, e no inesmo armazom.
m
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por pceo muito comniodo.
Vende-se a bordo des briguei ligeira
PRECOS COMMODOS.
2 Loteras do Rio-de-Janeiro. S
* Itua do Collegio, n. 9.
*. Pelo vapor Imperatrh, sabido do o,
m Rio-de-Jane.iro em 2 do corrente, re- m
a-, ceberam-se bilhotes o cautelas da ^
5.a lotera dos capuchinhos *
que ficava para correr no dia 6 ; *
bem como da #
a 1.a do monte pi
que deve correr no dia 16 : o que x
assim seannuncia aos amadores des- ?
tejogoquegostim da brevidado na *
noticia da extracg3o, alim de se pro
verem quanto antes da lotera dos ca- 2
pucbinbos, cuja lista deve chegar 2
primeiro.
I
i
t rnquete-de-Pernamhuro, f.tndoados ao re Vende-so urna prota de 20 annos, pro-
do caes do naroos. bom sebo cm rama, por xima a parir, e que nfo tem vicios nem
proco commodo. achaques : na rua do Queimado, vindo do
irados de ferro.
Na fundiclo da Aurora em S.-Amaro ,
vendeni-sc arados de ferro diversos mo-
delos.
A 140 rs. o covado.
Vendo se superior riscado do algodSo,
muito encorpado, a 14 rs. o covado: na
ru.i do Crespo, n. 6, loja junto ao lampeio.
Vendem-se relogios de ouro e prata,
patentes ingleses: na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
fiitas.
Vendem-se bichas chegadas ltimamente
0 de boa qualidade, a 160 rs. cada urna, em
porgo de 25 para cima : na rua do Amo-
rim, n. 35.
AGENCIA
da fundico Low-Moor,
RUA DA SIONZAT.T.A-NOVA, N. l\"i.
Neste estabelecimento conti-
na a havetum completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; macbinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
cosdo, de todos os tamanhos,
para dito.
Pos galvnicos para
prafear.
Na rua do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possucm objeclos
prateados e que tenham perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, ou inu-
tilisados, teem nestes pos um excedente
restaurador e conservador dos mesmos
objeclos sempre como novos sendo o pro-
cosso para se usar dolles o mais simples ,
nada mais do que esfregar eom um panno
de linho molhado em agoa fria e passado
nos mesmos pos.
Urna eaixinha contondo quantidade suf-
(Icionte para pratear mais de 40 palmos
quadrados custa a mdica quantia de
mil rs.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Rabia
1 Vende-se em casa de N. O. Iiieber & C.
11 rua da Cruz, n. 4, algodflo trancado
daouolla fabrica, muito prnprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Cha brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
moldados, atrs do Corpo-Santo, n. 66, o
mais cxcellcnte cha produ/.ido em S.-Pau-
lo que tem vindo a este mercado, por
proco muito commodo.
Moendas superiores.
NafundicSodo C. Starr & Companhia,
etn S.-Amaro, acham-se venda moendas
de caima, todas de ferro, de um modelo e
constrticco muito superior.
Cal virgem.
Cunha Amorim, na rua Cadeia do Mc-
cife, 11. 50, vendem cal Jvirgem'de Lisboa,
de superior qualidade, por prec,o mais ba-
rato do que em outra qualquer parle.
Novos cortes de cassa pa-
ra vestidos.
Vendem-se cortos de cassa para vestidos,
de cores fixas e de bonitos pndr>s, a sele
o nito patacas o corto ; dalos de tarlalana ,
grandes a 800 rs.; meios ditos, a 500 rs. :
na rua do Crespo loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, ebegados
pelo ultimo vapor .vindo do ral, superio-
res charulos S.-Flix, e de outras muitas
qualidades que se venderlo mais barato do
que em oulra qualquer paite : bem como
cigarrilhos hespanhes ditos de palha de
milbo, que so estilo vendeudo pelo diminu-
to proco de 500 rs. o cento.
Corles de brim de con s
eom listras aolado, a
1,286 rs.
Vcndem-se corles de brim de cores eom
listras ao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
BOdlo ameiicano, pioprio para escravos, a
140 rs. o covado na rua do Crespo, loja da
esquina que volta para a cadeia.
Atkncao.
Vendem-se fitas de chamalole para os
hbitos do Chrislo, Itosa, Aviz e Cruzciio,
chegadas prximamente : na roa do Cres-
po, ao p do arco de S.-Antonio, loja de
miudezas de Joauuim llenriques da Silva.
Aos amadores e Iliteratos.
Na rua do Crespo, loja n. 5 A, de Ricardo
Jos de Freitas, e defronle do trapiche no-
vo, n. 6, vendem-se as seguinles obias, por
preco commodo :
O Preto, publicaciln modernissima que
desereve o estado lamentavel das cadeias
l coiiheeimenlos uleis e novos inventos pan
a nobro profissAo das armas, eom as plan-
tas e estampas nocessarias para a intclli-
gonria do loxlo.
Historia do cerco do Porto, 2 v. obra mui-
to moilerna eiriti'ressanto pola narraeflodes-
le heroicofeilode nossosdias.n de, miras no-
ticias e pela caria lopographica us linhas
da dita ciclado.
ViagtM na minha Ierra, publicac;"o de
muito goslo e chiste do bem conliecido lil-
lerato Carrelt.
Contos da minha Ierra, bella tradiceo da
provincia do Minlio, pelo excellcnle esrip-
tor A. I', da Cunha.
Portugal, recordacOes do anno de 1842,da
: geni que a cssi reino fez o principe
Altcnco.
S5o chegadas as verdadeiras bi-
xas de Hamburgo, as qnaes se ven-
dem Bos centos e a retalho : tam-
bero se alugam : na rua da Cruz,
no Rpcile, n. 43, deposito de Joa-
quim Antonio Carneiro de Souzu
ievedo.
Kap de Lisboa.
Vende-se rap de Lisboa, por
preco commodo : na rna da Ca-
deia do Recie, loja de Antonio
joaquim Vidal,
Rap Iaulo-Cordeiro.
Vende-se rap Paulo-Cordeiro,
chegado pelo ultimo vapor do Rio-
de-Janeiro, bem fresquinho, por
commodo preco : na rua da Ca-
deia do Recite, loja de Antonio
Joaquim Vidal.
-- Vendem-se e alugam-se bixas de Ham-
burgos, por commodo preqo : na rua estrel-
la do Rozrrio, n. 13.
~S "S 'B
5S
O
V
Ji
a
s
ce
o
1
tu
cu
ce
ce

O
o
4
o o o c -
C O CTS
-o
c
>
o

vi
Lichnowsky.
Miiteu l'illoreico ns 1 a 21, jornal scienli-
lico, cunt' ilo muito boas eslampas.
- Vende-se urna preta crioula, de boni-
ta figura, que lava bem de varrella e cozi-
nha u diario de umn casa : o molivo por
quo se vende se dir ao comprador : na rua
do Crespo, a- 15, loja.
Cal de Lisboa.
No Rio-Formoso, em casa de Julio Jos
Lopes, vendem-se barris eom cal virgem de
Lisboa, do superior qualidade, [por preco
commodo.
A 2,720 rs. cada um
corte.
Na loja de Cuimarfles & llenriques, rua
do Crespo, n. 5, vendem-sc novas cassas
parisienses, padroes muito modernos, pe-
lo barato preco de 2.7-20 rs. cada um corte :
esta fazonda se torna muito recommenda-
vel pela superior qualidade e barato preco.
Saccas eom milbo a
'2,500 rs. e ditas eom ar-
roz de casca a 5,300 rs.:
vendem-so no armazem do Braguoz, ao p
do arco da Conocilo.
No armazem n. 7 da rua da Moda, ven-
dem-sa sacras eom superior colla das fa-
bricas tto Itio-Grande-do-Sul, por prego em
conta.
A 240 rs o covado.
Vendem-se riscados de linho, proprios
para jaquetas e calcas, a 240rs, o covado ;
zuarte eom urna varado largura, polo ba-
rato do-joii rs. o covado : na rua do Cres-
po, n. (. loja ao podo lampeSo.
Itom e barato.
Na rua do Queimudo, vindo do Roxario,
segunda loja, n. 18, vende-se panno fino
verde o azul, a 2,000 rs o covado; dito
azul muito bom, preto e cor de azeilona, a
8,000 rs. : lencos de selim para grvala, a
t.OOO rs. ; mantas do seda escocezas de bo-
nitos padroes, a 10,000 rs.; cortes de col-
leles do fus'iio branco, a 500 rs.; cereulas
do meia muito linas, a 1,500 rs. ; cortes do
cambraia de seda ; eouras multas fazen-
das por commodo prego
-- Vende-se espirito de 37gros, a 1,200
rs. a caada, e 160 rs a garrafa : na rua da
l'raia-de-S.-Rita, n. 1.
Vende-se uma^eserava de ntcilo Costa,
nniiio moga, de bonita figura, aom vicios
nem achaques, que eoziuha o diario de
urna rasa, lava de sabao, tem principios de
cngonimar e coser, e he muito propria pa-
ra a rua : na rua Augusta, n. 52.
Queijos do serian.
Na ruadoQueimado. n. 14, loja de fer-
ragens, vendem-so muito bous queijos do
sertao, por menOSPreco do que em outra
qualquer parte; bem como 3 couros de on-
ca i'iini de loiilra ; urna pnrclo ilo cauros
miudos: ludo se vende muito baralo.
Chitas escuras do cores
fixas a I80is. o covado.
Vendem-so as melhores chitas de cores (i-
xas c assenlos oscuros : na rua do Qucima-
do, n. 8, loja confronte a liolica.
Calcado de l,'2UOa 1,600
No Alerro-da-Boa-Vista,
defronte da bonica,
sflo chegados sapalos francozes de couro de
lustro para senhora, a 1.280 e 1,600 rs. o
rar;bom como um completo sortimenlo
decapado de (odas as qualidades, lano
para homem como para senhora e menina;
assim como do Aracaly para homem, a
t.OOOrs. ; pellos de couro de lustro ham-
burguet e franrez; ditas de munoiiuin :
ludo por prego commodo.
A 480 c 560 rs.
Vendem-se cassosfrancezas de cores fi-
xas o .lo bonitos padroes, pelo barato pre-
go de480rs. a vara j chitas largas france-
zas e de listras cor de ganga c cArdociuza,
pplo barato prego de 360 rs.; brim Iranga-
do amarello de puro linho, pelo barato pre-
go de 640 rs. a vara : na rua do Crespo, n.
t4, oja de Jos Francisco Dias.
Vende-so a loja de miudezas do Ater-
ro-da-Hoa-Visla, n. 84, eom um pequeo
fundo de 700,000 rs. ; assim como so ven-
dem os miudezas somonte, ou a armagflo,
elendoa casa proporgOes para unr grande
estabelecimento eom morada indepen-
den le.
-- Vendem-se dous escravos pegas, de
muito elegantes figuras: umhe muito bom
nfcial do sapateiro de toda obra, e o outro
he muito proprio para carregar urna cadei-
rintia o servir a urna casa : na rua do Col-
legio, n. 21, se dir quem vende.
- Vendem-se oculos de arnugilo, bran-
eosedecAies, para lodas as i dados, a 1/
"o par: na rua larga do Rozario, 2, Ipennna deem
lojademiudezai. I
es
!8
s
tJD

8
O
Jii
a *-
. .5 m O
M C O-
eeJafJ
a
(V
W m O
ftlm
-a- c e
54? s
m
U c .
i
|U =
5 8S8*
feo "O o
kZeTAs
'P52
ta.itt
&gs
<
ca
o s
",
-T3 -j x a>
EbZ 2
Vende-se urna preta muito boa cozi-
nlioira e ongonimadeira, muito sadia e ro-
busta, nSo lem vicio alguma, apenas foma
cachimbo e isso muito pouco : seu prego
he de 480,000 rs. quanto cuslnu : o molivo
de so vender he smenle por di/er que nao
quer Irabalhar em um quintal e querer que
a venda m,advertindo-so que sendo para fi'ira
da Ierra ou engenho da-ge mais em conla :
na rua do Sebo, n. 8, a toda a hora.
Vendem-se pegas do chitas limpas e de
assento coberto, a 5,800 rs. e a retalho a
160 rs. ; cassa-chita preta para luto rigo-
roso e alliviado, a 140 rs. o covado; cassa
isa, a 3,000 rs. a pega de 10 varas, e a re-
talho a 320 ra.; cambraias, um corlo para
vestido 2,500 rs.: na rua do Passeio, n. I
loja.
Na loja nova da rua do Quei-
mado, n. lo, acha-se um comple-
to sortimenlo de lazcndas de gos-
lo, asmis modernas que lia e por
procos os mais commodos possi-
vais, assim como ha pannos pre-
tos e de coros muito finos, a 5,ooo.
Vendem-se sapat3cs de cou-
ro de lustro pelos baratsimos pre-
cos dc2,5oo, 3,ooo, 4,ooo e 4,5oo
rs. ; ditos brancos do Aracaly pa-
ra homem e menino, a l,ooo rs. ;
dilos de orelhas, a i,6oors: na
rua da Cadeia do Hecife, n. g.
Vendem-se massos de meias de linho
por commoilo prego : na rua do Vigario, n.
11, primeiro andar.
Vende-se urna farda para guarda na-
cional, urna banda rica para oflicial, um par
de'globosde ouro, canana e lalnn, urna plu-
ma eum fiel de fio de ouro para espada:
quem pretender, dirija-se rua Dircila, n.
70, das fi s 8 horas da manhna, do moin-
dia s 3 horas, ou a noite : ludo se vendo
por prego commodo.
Velas de espermacete.
Vendem-se velas de esperma-
cele superiores, chegndas agorada
Amorica : em casa de Deane You-
le rk Companhia, na rua da Ca-
deia, n. 4.
Sapatoes a 800 rs.
No Aterro da-Boa-Vista, loja n. 58, ven.
dem-ae sapatoes do Aracaly a 800 rs. o par
e duas vidragas para loja por prego cem-
moilo. -
-- Vende-so sola, couros, marroquins
bfzerros francezea, taraancos, sapatos il
Aracaly, ditos da Ierra, bonotes para ho-
mem ;e nutras muitas cousas, tanlo a re-
talho como em porgflo: ludo por prego
commodo : na roa do I.ivramcnto, loja <]e
couros e calgados, ao pe do nicho.
- Vende-se superior sal do Ass, a bor-
do da sumara Carlota, tundeada no Forle-
do-Matos : a tratara bordo da mesma,
na rua da Cruz, armazem n. 33.
-- Vcndem-se pegas de;cassa lisas finig,
eom 10 varas, a 3,000 rs. ; na loja n. 17 di
rua do Paascio.
Vende-se muito bons e frescacs quei.
jos de Minas, eom pouco mais de duas |.
bras, por 640 rs.; muito boa carne de por-
co salgada, a 100 rs. ; superior toucinho, a
180 rs. ; muito nova, atva e limpa farinb,
de araruta, a 210 rs. a libra: no paleo do
Carmo, venda n. I.
Familia de trigo Barn.
Acaba de chegar a este mercado urna pr.
tida desta muito antig* e acreditada marca
a qual pela sua excedente qualidade pro-
melle renovar o crdito, que algumaa par-
tidas niio tSo boas, e anteriormente
chegadas lnham desmerecido: vende-se
emcasadeJ. J. Tasso Jnior, na rua do
Amorim, n. 35.
Vendem-se diversos escravos e
moleques, sendo um delles cozi-
nhei.ro ;
molecotes : pretos para o camp; ditos
para armazem de assucar; um dito mari-
nheiro ; um pardo ptimo para pagem ; um
dito sapateiro, o qual se troca por urna pre-
ta quitandeia ; um dito para irabalhar em
algum sitio; 3 pardas eom habilidades;
duas pretas mogas eom algumas habilida-
des : todos estes escravos os seus donos dc-
ram ordens para se vcndereni muito bara*
loa : na rua das Larangeiras, n. 14, segundo
andar.
Augusto Calombier cnni
loja de fazendas Trance*
zas, na roa Aova, atrs
da matriz, n. 'i,
vende bonitos chapeos de palha aberlo, pro-
prios para senhora, por serem muito fres-
cos chales do seda ; mantas; caapos ar-
rendados, brancos e aberlos ; ditos deso,
para senhora; ditos do seda para homem;
guamigues para chapeos; gravitas pan
homem ; bonitos longos para homem e se-
nhora ; bonitas filas ; pe fumarias finas;
jarros de rorcellana dourados para flores
naluraes ; candieiros para sala ; lanlernai
eom pe de vidro; ditas eom dito do cssqui-
nha ; apparelhos de porcellana para cha;
bengalas; luvas do todas as qualidades;
bandejas finas ; sapatos de cAres para se-
nhora, a 2,200 rs.; dilos de buraque, a \i
rs.; dilos pretos, a 2,000 rs.; ditos lim branco, a 2,000 rs ; ditos de marro-
quim a 1,000 rs.; ditos pera meninos, 1
520, 480 e 640 rs. ; bolins de marroqiiim,
a 1,000 rs. ; ditos do dura.que gaspeados, a
3,000- rs.; 2 Ion i tos quadros -proprios pan
sala ; bacas eom jarros de porcellana fin
para lavatorio ; caixas eom amendoas con-
fesadas finas, proprias para meninos; pan-
nos pretos e do cAres ; casimiras de emito
bom goslo ,- brins brancos e de listras'; gan-
gas proprias para palitos o casacas.
Potassa nova.
Chegou de Hamliurgo potassa
nova em barris pequeos; ven-
de-se em casa de llotlie & Hdoti-
lac, na rua do Vigario n. 4- I
Vendem-se vaccas de loilo : no largo
da Cadeia, de boje at lerga-feira.
Vendem-se 50 caibros muito grosso:
de boa qualidade e de 40 e tantos palmos de
cumplimento, proprios para talada i 200 di-
los de 30 a 40 palmos ; 11 travs de 22 pal-
mos, por prego commodo : na rua deiApol
lo, n. 34.
Vende-se urna balanga o umeeporgSo
do pesos para armazem de assuear.oj para
oulro qualquer estabelecimonlo: na rua da
Apollo, armazem do Sr. Almei'a.
isscravs Fiat;!* .?>
Kesla loja vende-se panno fino preto o
de cores ; casimiras elsticas, finas e de bo-
nitos padroes ; cortea do brim de linho es-
curo, a 700 rs.; cassa lisa, a 320 rs. a vara;
chitas do cores fixas o de pannos muilo en-
corpadas, a 140 rs. o covado ; e outras mui-
tas fazendas proprias da Testa, por barato
prego para fechar cenias.
Sellins inglezes c cas*
ticus :
vendem-se em casa de Ceo : Kenworthy &
C. na rua da Cruz, n. 2
Vendem-se6 lindos moloques de nagn
e crioulos de 12 a 20 annos, sem vicios; 4
pretos de 20 a 30 anuos ; 3 pardos do 15 a 20
annos, liona para todo o servigo ; 2 u.ulali-
nhas de 16 a 20 annos, as quaes silo 1 erfei-
tas engommadeiras, costu01 ras e cozinhair.
muito bem; I prela boa lavadrira, cozi-
nheira'equitandeiro, eom urna lilha de 12
annos, muito linda, eom principios de habi-
lidades e que he recolhida; 2 negras quilau-
deiras, de 20 anuos ; 3 ditas cum algumaa
habilidades ; 2 ditas de meia idado ; assim
como outros muiloa escravos : na rua da
'adeia do Recite, n. 40.
. Vendem-se 300 couros do cabra, dous
indos couros de onca, duas arrobas do
poniias do orna : na 1 ua largado llozrio, J
o. 26, loja de miudezai. Pmk. i
Fuglo, nodia 4 do corrcnle, o prelo
Jos, do nag.to Cassango ; lie haixu, magro,
lentes alvos, peritas arqueadas ; tem falla
do cabellos proveniente de ca regar por an-
dar no ganlio ; he muito reg i.-ta e embria-
ga-se frequenlemeuto ; j foi- encontrado
no Monteiro eom fei\o de capim, e lamlicm
de lenlia ; Toi esclavo do Amorim, mora-
dor as Cinco-Cotilas : quem o tegar^evo-o
ao Alerro-da-ltoa-Vista, n. 86, quesera re-
compensado.
Nodia 17do corronte novembro dcs-
appareceu desta cidade, da casa du paleo dd
Carino, n. 18, o pardo Mximo, de cor um
pnuea clara; reprsenla 30 annos pouco
mais 011 menos; rosto e corpo regulares,
olhosvesgoso pequeos; lem os catadlos
pretos e crespos, u usa delles alguma Coli-
sa crescidose suissa serrada ; cosiuma tos-
sir 11I1..fulamente do ospago em espago ;
quando falla fecha um dos ollios e baslunle
npressado; foi cscravu do padre Antonio
l.oncalves da Silva, o bojo pertence a An-
tonio Carloa Pereira de Bu'gos Ponco de
l.con r.nga-se as autoridadespvlciaes, ca-
pitilos do campo e qualquer pessoa panti-
cular, que o apprehsndam o levcm-no ao
dito Sr. 110 engenho Agoaa-Cltras, fregur-
zia daEscada, ou tiesta ciJade a Liudo
Caslro Araojo, quoserflo gratificados.
--Kugio, no dia 6 do corrente, o felo
flenedicto, de naeflo, de 18 anua, l'ouco
mais ou menos, aom barba ; levou cainita
de madapolflo e caigas de 1 iscado largo e es-
curo ; de altura legulur, corpo Ibrnido,
beigoa grossos, bocea grande, pos e mos
grandes : quem i pegar levo-o rua es-
treita do Itozario, n. 43, segundo andar,
quesera gratificado.
Ni Trr. de r. Pl r*Ri4. ISH


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBFVS5T8B_LFD3SC INGEST_TIME 2013-04-24T20:28:10Z PACKAGE AA00011611_06721
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES