Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06719


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo \XV.
Quiila-feir.-i 22
PABIIDA DOS COBBEIOS.
Goianna eParahiba,segundas esextas-fclras.
Uo-Graude-do-Norte, quintas-felras ao melo-
da.
Cabo, Serinhacm, Bo-Formosot Porto-Calvo
Macri, no 1.a, a II e 21 de cada mes.
Garanhuns e Bonilo, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, as quintas-feiras.
[nimia, todos os (lias.
IPH1MMIMI.
Fn.ut da lo. -Mlng. a 7, as 6 b. e fm-da-m.
Nova a 14, as 6h. c53m. da u
Cresc.a 23, aos .'> m. da m.
Chela a 30, 3 b. e Am.dtu,
FIIEAMAR DE HOJI.
Trmetra as 10 horas e 54 minutos da :nah.
Segunda as II horas 18 minutos da Urde.
de Novombro do 1840.
N. 202.
mecos da auBflcaivolo.
PortresmezesfadiaiUado) 4/000
Portis raezes 8JHXH)
Por um anuo 15/000
oas da hura,
19 Seg. S. Izabcl. Aud. do J. dos orf. do e m. 1. v.
20 Ti re. 3. Flix, de Valols. Aud. da chae, do J.
da I. v. do civ. e do dos Jeitos da fazenda.
21 Quart. S. Gelasio. Aud. do J. da 2. v. civ. .
22 uuiiit. S. Cecila. Aud.do J. dos orf. c do ni. da
1. v.
23 oext. S. Clemente. Aud. do J. da 1. v. do civ,
e do dos feitos da fazenda.
24 Sab. S. Joao da Cruz. Aud. da Chae, e do J.
da 2. v. do criuic.
25 I) mi. S. Cathrina.
CAMBIOS EM 31 DE NOVEMBBO.
Sobre Londres. 28 d. por 1/000 r. a 60 das.
Paris, 3(0
Lisboa, 100 por cento.
Ouro.-Oncas hcipanhncs......... 20/fiOO a 30/000
Mocdasde(S100velhas.. 17/000 a 17/OO
de 6>4iH novas.. 1(>T>00 a l(J8fin
de-ifUOO......... 0/200 a J/iOO
/>rat.-Patacoesbra.ileiros...... l/4(i a #Wi0
Pesos columnarlos....... 1/i40 a l/WW
Ditos meiicano.......... 1/800 a l|n-s"
^t*r*e ..,*:-..
LIRIO
PARTE 0FFIC1AI -
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 15 DE NOVF.MBRO.
PlTlcio.Ao commandante ds praca.com-
municando que S. M. o Imperador hoOve
porhemdeUrminar, por imperial resolu-
cio de 13 de oulubro ullimo, que o alteres
do eslado-msior da secunda classe Alexsn-
dre Augusto de Frias Villar possa ajuntir ao
lempo de servio/) que actualmente tem o
decorridn desde o primeiro de junlio de
1812 at C de Julho de 1846, em que pela
primeira vez servio no exorcito.
f)ilo.--Ao mesmo, pira que expela suas
ordcns'ao commandante da guarda de pla-
ein, n (i ni de que foca collocar no edificio do
Iheatio publico urna sentinella rondante, a(
qual prohiba que os vadlos facam deterio-
races no dito edificio.
Dito.Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor.Km avisos circulares das se-
cretaria de estado dos negocios da guerra,
gado de comljuvara sua me. as obras do
melhoramenlo do porto, Iho seja contada
de 15 de setembro prximo psssado.-ln-
teirou-se a contadoria do marinha.
Dito. Ao administrador.dss obras pu-
blicas, para que remeda rom urgencia
urna relacfio de todos os instrumentos a
cargo da referida reparliQo com deelaracilo
dos individuos em poder de quem seelles
icham.
Portara Nomeando para segundo com-
mandante da segunda companhia do corpo
de polica o teresiro da primeira compa-
nhia do mesmo corpn Jos Affonso dos San-
tos Bsstor, e para oceupir > vag quo este
deixa o primeiro sargento da qoarts Mi-
noel llodiigues de Araujo Lima.Scienti-
flcou-se o commandante do mencionado
AppeilactnciviU.
corpo. ... ,
Dita. -- Nomeando pra subdelegado da
fregueziada Varzea ocidadflo Francisco de
Paula Corroa de Araujo.-lnterou-so o cha-
fe de polica.
DEM DO DA 17.
Odlcio.Ao commandante da praca, pjj
contingente
xan lo de.enviar pelo correio a sua corres-
pondencia ofllcal com aquellos ministe-
rios, a remetlesse i tnamlanles dos vapores que soguissem para
o sul ; para que, pois. pos*a ser observada
feniellianlo recommendacflo releva que
Yoic. deas preciis ordens afim de que os
refendqs commandantes jamis largurn
deste porto sem que venliam secretaria
dostegoverno receher a mencionada corres-
|iondencia, e qualquer oulra que se destine
aogeverno imperial. -
Dito --Ao inspector da thesoursna da la-
zenda, dizendo que, visto nao lerem appa-
recido licitantes para as obras dos coacerlos
da cadeia da villa do Bonito, e sendo neces-
sarioque se facam com urgencia os referidos
concert, cumpre que Sinc. mande entre-
gar ao juiz de direilo daquella comarca,
Antonio RapUsla Citirana, a quantia era
que loi oreada a dita obra, afim do que elle
a mande fazer por administracfio.--NBSte
sentido ollcion-se ao mencionado juiz de
direilo. .
Dito.--Ao primeiro supplente do juizo
municipal e de orphfios do termo de Cnrua-
r, para que, em cumi>rimonlo do aviso do
ministerio da justica de 19 de oulubro ulti-
mo,appreheniia lo i-o o-r do padre Luiz Car-
los da Silva um Africano livro.cujos a rvigos
lie airematou; dexando, porm, de ler
lugar a apprchencBo se elle mostrar ler re-
colhido a thesourara eral a importancia
dos salarios do mesmo Africano.
Portarla.Nomeando engenheiro civil da
provincia o capitflo do eslado-maior da pri-
meira cimae Manoel Rodrigues de Barros
Fonceca do Rrito, e arbitrando-llie a grati-
efio mensa) de cem mil ris.--l'izeram se as
ciiiiiniumc c0es necessarias.
Dita..-- Nomeando o tenente do estalo-
maiorda primeira classe Manoel Francisco
Coelhode Olivora Soares ajudante do en-
genbeiro civil desla provincia cu:n a grati-
licae.lo mensal deriucointa mil res.--Fi
zeram-?e as necessarias communicacOes.
Dita.Considerando vago o posto de te-
nente-coronel ehefe do segundo batalhfio
de Itezeriosda guarda nacional do Bonito,
para o qual linha sido nomcado Joaquim
Jos Be/erra da Silva, visto'nito ler al o
presento solicitado o seu tulo.
Dita. -Ordenando que pila sccrctarit so
passem as seguiulcs patentes :
Para Uncnle-coronel chefe do segundo
balalhfio da guarda nacional da comarca do
Bonilo, a Joaqum Jos da Silva Vieira.
Para tenente-coronel chifo do lorceiro
batalhflo, a Jofio Coireia.de S Brasil
Para tenente-coronel cliofe do qmrlo ba-
talhfio, a Francisco Joaqum do Barros Co'-
reia.
Para major da segunda legifio a Francisco
Pi da Silva Valenca.--Fizeram-se as com-
iiiunicacGes do estilo.
PorUris.O presidento da provincia, ten-
do por portara com data do boje 15 do cor-
rente nomealo o Sr. capilflo do osUdo-
maor da primeira classe Manoe! Rodrigues
de Barros Fonseca de Itrito engenlieiro ci-
vil desla provincia, Ihe ordena pela pr-
senle qucdi'ija-sn aos lugares do Cravat,
Bezerrose Caruar, afim lloverse lie pos-
sivel ciinslriiiri-in-.se acudes nesses lugares,
e que sejim taes, que conservem agoa pola-
vei em quautidado sulliciente duranti o
vitu, e iiL'.-li; caso dover orear a dospezn a
fazer-se com taes obras. D v roulro sim
observar se he|0sivel conduzr por meo
de eneanamoiitn o rioTaqura paraari-
heira de Ipojuca o.n Caruar e orear a des-
peza a fzer-se com esta obra ; assiin como
se para o raeliodo-Bjiiito podor-so-ha coii-
duzr algum rio que porventura exista, de
maiioira quu conserve-se sempro agoa na-
que'do lugar ; e que proporeno que fror-
ganisando os respectivos orcaa.entos, os
va remetiendo com una descrpQIo clr-
cumstaiiciada das obras.
DEM DO DA 16.
Ofllco.Ao inspector da tbesouraria da
fazenda provincial,.para que, a vista da coti-
la que remelle, assignada pelo delegado do
Coianna, mande pagar ao chefe de polica
a quantia de 59,200 em que importaram os
cotcenos felos na cadeia do referidj ter-
mo.-Commnnlcou-se ao diefe de polica.
Dito.Ao inspector do arsenal do miri-
nha, declaran lo bavor revolvido por despa-
cho dehoje que a gfntificjco conceida
prximo passado, o pedido de fardamenlo que
acompanhou o orticio de S. S. de 14 do cor-
Dito.Ao commandante superior do Recite,
coiiiinunlcando liaver approvado a proposta de
ofliciaes para o 7. batalho da guarda nacio-
nal deste municipio, cujos nomei vno men-
cionados na relacfio que remelle, firmada pelo
Secretarlo uterino da provincia.
RELACA DOSFF1CIAF.SAQUESE REFERE
O OFFICIO ACHIA.
Eitado-maior.
Ajudante.Joo Lulz Cavalcante de Albuquer-
Alfere's-secretarlo. Jos Euseblo Alvea da
Dito porta-bandelra.Vlcesste Ferrelra da Cos.
ta Miranda.
Primeira compaaaia.
Capitao. Antonio Bernardo de Araujo Pl-
nheiro.
Tenente.Manoel Isidro ra Rocha Falcao.
Alferes. Joo Marinho dilstocl.a Falcao.
Segunda companhia.
Caplto. Jos Ferrai Daltro.
Tenente. Francisco Jacinlho Pereira Jjiai-Nr.
Alferes. Manoel Jnc-intho Pereira.
Dito. Sebasllao Affonio do Reg Barros.
Tireeira companhia.
Tenente. Jos Bernardo da Bocha FalcSo.
Alferes. Manoel de Sampalo Barros Aze-
vedo.
Dito. Joo Francisco Saraiva de Uenetes.
Qutrta compaf^ia.
Capitao. Jobo de Azevedo Araujo Pinheiro.
Tenente. ---Joaqum Rodrigues Compeli.
Alferes. Joaquim de ..raujo Pinheiro J-
nior.
Dito.--Ao inspector da thesouroria de fazen-
da provincial, para que mande adiantar ao
administrador das obras do theatro publico a
quantia de dous contos de rli para pagamen-
to de madeira.i, ferr.igens, ferias e outras des-
pejas das referidas obras Coonuuuicou-se
ao mencionada administrador.
Dito.Ao inspector da pagadorla militar,
para que mande pagar, vista di cunta que
se Ihe remelle, a Manoel Joaquim Carneiro
Leal a quantia de 43,168 em que Importaram
os arllgos comprados para a llha de Fernando.
Dito.A cmara municipal do Itecife. decla-
rando que pode mandar fazer por administra-
fo n calamento dos pateos do Carino e San-
Pedro, bein como os conerrtos de que precisa
a puiiie/.iuli.i da ni i da Anrora, vino nao le-
rem apparecido licitantes a aeinclhantes obras.
Portarla. Ao cnuimaudante do brigue Cal-
liupi. para que mande receber a bordo do va-
por Theli os seis recrutas vindos do Maranhao
e Cear.ecujos nomes constara da relajan que
rcinctie, aos quaes assentar praf a no brigue
deseu coinmando. caso nao esteja coni|ileia a
sua u" irnieao ; e estando os remetiera para,
bordo da corveta 0.-/anu ouiclou-se aos Exms. presidentes das mencio-
nadas provincias, e aos couunaudantcs do
Thelii e da dita crvela.
. Appellante. Jos Das Macieira ; appellado,
i Manoel Jos Salgado.Pram despreaados os
embargos do appellante.
i Appellante, Antoulo horges da Fonseca ; ap-
pellados, os administradores do patrimonio
dos orphaos.Foi confirmada a semcnca
Appellantes, os administradores do patriino-
. no dos orphaos ; appellado, o Exm. hispo
de Marianua.Mandou-se fosse ouvido o Sr.
deseinbargador procurador da cora.
DESICNtr.ES.
Foi asslgnado o primeiro dia til para o jul -
gaiuenio dos seguimos feltoa :
AppillacSo crimt.
Appellante, Manoel Pedro Ferreira ; appella-
do, o juizo dos jurados do Liinoeiro.
Apptllarti civti'.
Appellante, Bernardo Duarte Urandao; appel-
lado, Manoel Joaquim Rebello;.
Appellantes.OlonlzioGoioesdb Reg e sua mu-
Iher ; appellados, Joao de Barros llego e sua
mulher.
Appellantes, Filippe Francisco Cavalcante e
sua mulher; appellados, Francisco Rodri-
gues Aleixo e sua mulher.
sevisSes.
Passaram do Sr. desembargador Soma ao
Sr. desembargador Rebelto os seguintes fei-
tos :
Appellacti eivtii.
Appellante, o bacharel Manoel Jos Pereira de
Mello, curador da parda Rosa ; appellada,
Mara Carolina Ferreira de Carvalho.
'Appellante, Francisco Jos de Albuquerque
Pinto; appellado, Lulz de Albuquerque
Barros.
AppeUacn crime.
Appellante, JoSo llaptista Pereira Lobo ; ap-
I peludo, o Dr. promotor publico.
Disraiscicois.
Ao Sr. desembargador Telles a appellacao
civel do julio da fazenda do Cear em que sao:
Appellantes c appellados Antonio Vital da Fon-
seca Bananeira e D. Anna Joaquina de Frci-
tas.
A appellacao crime do jury de Baturitc ara
que sao :
Appellante, o juizo de direito ; appellado, J^s
Antonio da .SilveiraPrachcdcs.
Ao Sr. desembargador ViUares a appellacao
civel desta cidade em que sao -.
Appellante. Manoel de Minelda Lima appel-
ladsr; Mara Joaquina dos Anjoi.
A appellacao crime-do jury do Po-d'Alho
n que sao:
Appellante. Jos Mara dos Santos Cavalcan-
te ; appellado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Sousa a appellacao
civel desta cidade em que sao :
Appellante, o julio ; appellados, Policarpo
Jos Layne e oulros.
Ao Sr. desembargador Bastos a appellacao
clrel em que sao :
Appellantes, a santa cana da misericordia de
Lisboa e Antonio Alvcs Vianna ; appellada,
a faienda.
Ao Sr. desembargador Lefio a appellacao
civel desta cidade em que sao :
cei. dizendo-lhn em resposta ao sen ofilco
do primeiro do corrente, quo o aulorsa
chamar um collalmridor para a mesma ins-
peceflo, cujas altrbuc,es devor, elle dis-
criminar das do porteiro, omqtitnlo no se
reforma o regulamenlo das inspecces.
Communcou-so no inspector provincial.
Dito. Ao inspector da tbesouraria pro-
vincial, para mandar satisfazer ao porleiro
da secretaria do governo a conta que se Ihe
enva pelo mesmo porteiro, assignada e ru-
bricada pelo secretario eofllcal-maior, im-
portante na quantia de 23.800 rs de ohjec-
tos comprados para o expediente da dita se-
cretaria.
11.
Oicio. Ao inspeelor da thosouraria pro-
vincial, para mandar receber do comman-
dante superior Jos Antonio de Mondonga a
quantia do 70,000 rs., importancia ite tres
cavallos que pertenciam i companhia de
polica, e frtram vendidos por incapazos de
prestar servido.
Dito. Ao inspector da tbesouraria de
fazenda, para mandar pagar por conta da
quota para despejas da pnliraa Manoel do
llego Pontos, mestre da liarcaca Aprettnla-
rao-de-Mara, a quantia do 32,000 n im-
portancia da C0nduceO de nina poi'Qao d
polvoia de Porto-divo para 0 deposito nes-
(a cidade.
Dito Ao cliefc de polica, remellen lo-
Ihe por rupia o oDco dirigido pelo l-'xin
presidento do Pernimbuco, alim de que d
as providencia para que sesalisfaca o que
ello requisita
12.
Oicio. -- Ao inspector da alfandega, pa-
ra que informe com urgencia sobre o con-
tedo do odlcio que se Iba enva do vice-
cnsul inglcz, cxiginJo previa informagfio
do subdelegado de Jaragu.
Dito. Ao inspeelor do algodro, dizen-
lo-lh : em resposta ao sau oflirio de boje,
que approvn a lomie iq'io que fez Je Jos
Francisco de Olivcira para colaborador da
mesma repartcilo com cxcrcicio de portei-
ro, fienndo este com as obrigacfiu do con-
ferente, e inarcando-lho a grnlificacrio de
25,000 rs un qun perec; o oulro col-
aborador. Communicou-se ao inspector
provincial.
Dito Ao inspector da lliesouraria pro-
vincial, approvando i nomeaeflo de Joa-
qum Ignacio da Silva Guiarle par escri-
vo da agencia das rendas pravinciaes do
Pacn-do-Ciimaragibe.
Dito. -- Ao juiz de direito da comarca das
Alagas, dizendo-lbo.em resposta ao seu of
Mein de 9 do corrente, que pode requisitar
as pruc-isso commandante do destacamen-
to da villa de San-Miguel.
Urna carta de Venez diz que, COOiqtlBn-
to aquella cidade no esteja bertamenlf
subjeita a nm contrbuicio do guerra, to-
dava as familias ricas so ongadas a pa-
gar particularmente sommas considera-
veis.
A mesma carta diz Umbom quoo cotn-
mercio aeliava-se inteiramente parausa-
do, e quo a miseria tinha chegado ao sen
auge.
Na Allenianha ludo ficra tranquillo.
Km Peslh o Presburgo rr.uitos dos Hn-
garos rebeldes haviam sido coudomnados
mortc o executados, smkIo mis espingat-
leados o nutrns nnforca los.
A gazets de Colonha, referlnlfl-se a urna
carta de W'iddin, ( Turqua ) diz que, qnnn-
do as exigencias dos covernos austraco
ruso fi'iram coohecdas dos infelizes re-
fugiados naquolla cidade, quasi todos ol-
lesparcp-ram logo inclinados a abjurar o
cliristansmo. e abracar o mihonili-mo
para i odi>rem escipar no furor de seus ni-
migos; porc-m que Rossutli, por meodo
urna falla eloquente, consguio ilssusd-
los deste acto indigno, posto qnedealgii-
iiia sorto desculpavel.
Bem e mais tins 20 ollcines fura ni os ni-
cos que ibracaram a religitio do llshomet.
O general polaco d'-clarou que su i vocaico
era combatter a Russa, c qtie pOitMto
ira para qualquer parto onde podesse cum-
prresta voeaoSo. File fez ums prolissSn
publica dos ilillercnles dogmas da fe maho-
metana, receben o nome de Amurath, o foi
iinmndiatiincntfl elevado a tlign lado de
picha de tres caudas.
Qtianto aquestoda Turqua com a 1)118"
lia, n-nliuui novo esclarec monto ciicoii-
liamos mis gazelas que rec-'h^nos
DIARIO lili PERSJIBBCO.
KECIFE, 31 DE KOVEJIBBO DI 1849.
Appellante, Caetann Francisco Xavier de Mal-
los Moreira ; appellados, Antonio Lins Cal-
das e outro.
Ao Sr. desembargador Villares o recurso-
Grime do juizo de direito de Macelo emqucl
ao:
Recorrenles, Jos Luis eltrao Mavignier e
outros ; recorrido, oju'zn,
Ao Sr. desembargador Rebello a revista ci-
vel do Maranbau em que sao :
Recurrentes, Antonio Jos Fernjndes de Oli-
veira e outros ; recorrido, o desembargador
Jos Mariano.
Levantou-se a sessao depois do meio dia.
zV. P. Nao tiouve outros julgamcntos pela
falta dos Srs. Ramos e Luoa Freir.
TRIBUNAL DA HELAGAO'.
SF.SSO DE 20 DE NOVEMBRO DE 1849.
paSlOEhXlA DO BXM. SH.viioa
CONCLIIEISO AZBVEDO.
A's dez horas da manliaa, achando-se pre
sentes os Srs. desembargadores Villares, Has-
tos. Lefio. Souza, Rebello e Telles, faltando
com causa os Srs. desembargados Ponce,
Ramos e Luna Freir, ful abena a seaso.
O Sr. presidente apresentou em mesa dous
orados a elle dirigidos, um do Kxm. Sr. conce-
Ihciro de eslado presidente da provincia, Com-
municando que fura removido o bacharel JoSo
Ouii no Rodrigues da Silva do lugar de juiz
de direito da comarca de Garanhuns para a do
Ip da provincia do Cear, e removido o bacha-
rel Jos Nicolao Reguelra Costa do lugar de
juii de orphaos desta cidade para o de juis de
direito de Garanhuns
Outro do bacharel Vicente Pereira do Reg,
participando achar-se no exerelelo da vara de
jni/. de orphaos desta cidade como juis sup-
plente.
nicisdis.
jarano di pelifti.
Aggrarante, Julin Kerenger ; aggravado, Jtsd
Antonio Ldurenjo. --Foi denegado provl-
inenlo.
Aggravante, Lourenco Jos das Neves ; aggra-
vado, Miguel Arcanjo de Figueiredo.- Foi
deurgado provimento.
Aggravante, Jos Pereira L-imego ; aggrava-
dos, llosas h Braga.Foi prvido.
Habeat-corpui de Manoel do Sacramento.Foi
por porlaria de 2* de OUtUhro Ultimo ao I .IctV-rido para mandar informar ao chefe de po
primeiro lenlo da armada Francisco l>u-|iiciai c que o carccrciro aprsente o pac leu te
arte da Costa Vidal, por se ichar encarro-' na sessao de 24,
INTERIOR.
ALACOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. pretiden-
te Dr. Joti Denlo da Cunha e Figueiredo.
10 DKOUTl-BRO.
Cilicio. Ao inspector da tnesouraria
de fazenda, para mandar pagar a quaAla de
2<, dn Rocha e Souza, importancia da conduc-
cilo do 11 cavallos e armamento que o mes-
mo cabo trouxe da povoacSo de Poca para
esta capital.
Dilo. -- Aomesmo, para mandar pagar a
Rernarilo Vieira de Araojo 7,680 rs impor-
tancia da condcelo de tres caixas de arma-
mento que vieram da Atslaia.
11.
(inicio. Ao diretor do lycu desta cida-
de, communicando-lhe que, tendo sido de-
signado o dia 12 do corrente para o concur-
so do provimento das cadeiras de primeras
lettras da poroacilo de Santa-Anna ePio-
de-Assucar do termo do Porto-da-Folha,
proceda na cenformidade do artigo 9 4. e
artigo 10 2.* da lei n. 6 de 5 de maio do
corrente auno, fazendo aviso aos examina-
dores que frem nomeados pela congrega-
co, e comparecendo para exercer as altri-
unTces que Ihe competen) nos exames das
cadeiras de iustruccSo publica.
Dito ~ Ao inspector da lliesouraria pro-
vincial, para mandar satisfazer ao comman-
dante de polica Evaristo Jos de Araujo a
quantia de 120,000 rs., importancia de dous
cavallos, por elle compiados para o servirlo
da companhia de seu commiudo.
Dito. Ao inspector do algodao de Ma-
A bire Sword-Fi$h, cbeg.ida hontem de
Liverpool com 3i) dias de viugein,trouxc-nos
os nmeros do Timei de 10 n 20 do oulubro
prximo passado, faltando-nos os de 5 a 15
do mesmo mez que anda tifio recebemos,
sem du vida por lerem silo remettidos por
outro navio quo nfio tem tfio boa marcha
como a Sword-Fih.
Na Inglaterra nada de extraordinario ha-
va occorrdo.- A riinha ja se linha reco-
Ihido da visita que lzora Irlanda e a Esco-
cia, esahidada barca achava-se rosdn-
do no palacio de Windsor.
Em Londres os contle ficaram a 92 l|8
os fundos hrnsiloios a 8* ; os qualro por
cenlo portuguezes. de 33 1|2 a 33 3|* e os
cinco por cento bespanbes, do 15 7|8 a 16.
A llespanha ficou tranquilla.
O governo daquelle paiz confirmou a 18
generaes carlistas.que se apresentaram para
gozar do heneGcio da amnista ltimamen-
te concedida, os postos, empregos e conde-
coraces que lintiam no exercito do preten-
dente ao lempo da cotivencfio de Bcrgara.
Estes generaes slo:~o condo de Casa-Eguia,
Bruno Vllareal, Carlos Vargas, J. Antonio
Zariatcgu, Prudencio Supelana, Ignacio
Bruja, Fernando /abala, Jacinto Orion, Jos
de Plandolit, Thomas Carca Martins, Jos
Mazarrasa, Melxior Silvestre, Joao Monte-
negro, Jofio Bernardo Zubri, Firmino Hi-
pa Ida, Andr Toires. Casimiro llzarbe e
t'.lemente Madrazo Escalera.
Na Franca tambom nada de extraordina-
rio havia occorrido.
A assenibla nacional, depois de calorosa
dscussfio, approvou a proposla do ministro
da fazenda, para pagar-so duqueza de Or-
leans a penslto do 300,000 francos de que j
em outro numero traamos; porm a pro-
posla do Mr. Pedro Bonaparte.para que toa-
sen revogadasas leis que vedam aos Itour-
bons a entrada no territorio francez, nfio
tinha encontrado muitas symphthias; os
pioprios legitimistas eslavam determina-
dos a votar contra ella, por julgarcm quo
era intempestiva.
Em consequencia de um relatorio feito
por Mr. Tbers acerca da quesillo romana,
no qual nem sequr alludia a carta do pre-
sidente da repblica, um rompimento este-
ve immeiieuie entre o gabinete e a minora
da assenibla ; mas, gracas aos esforcos de
Mr. de Tocqueville, as desinlelligeticias ps-
reciam j eslarem reguladas.
Da Italia nenhuma novidade temos que
communicar aus nossos leitores.
O papa achava-se anda em aples ; mas
assegurava-se que voltaria brevemente, pa-
ra os seus estados. Segundo uns S. Santi-
dado iris residir em Roma, e segundo ou-
tros em Velletri.
AI.FANDF.t.A.
Rendmento do di* 21.....10:541,473
IMPORTACA.
Cnnniru-dc-Vurta, brigue portuguc/,
vindo de Lisboa, entrado nesle mez, con-
signado a Thomaz de Aquino Fonseca r<: l"i-
Iho, m-inifesl'iu o segtiinto :
70 pipas c 210 barris vinho, 20 pitias vi-
nagre, 50 barricas farinha de trigo, 100 sa-
cos semeas, 50 cixotes bolacha d'agoa. i;
barris azeite-doce, 10 dilOipaios, toditos
cliourQas, 4 caixas loiiriuho, 10 tnoios de
sal, 100 pegas de cabos do Cairo, 1 oafzs ru-
troz c Illa, 1 dita chapeos, 1 lata galOea de
ouro, 15 caixas cera em grume ; a Thoms/
do Aquino Fonseca i Flho.
1 barril vinho ; a Bravo & Companhia.
20 saceos senieas ; a Bento Candido do
lloraos.
3 caixas lijlos, 1 dita copos de video ; a
Joao Martins Concalves.
4 pipas vinagre, 1 caixa mercurio ; a Po-
licarpo Jos Laymc.
200 birria figos ; a Manoel Joaquim Ri-
mse Silva.
4 barris e 2 ancorelas vinho ; a Jos Tci-
xcira Bustos
2 Ciiixoles lvros ; a D. Mara da Conroi-
gfio Vieira.
1,090 mullios de ceblas, .15 caixis uvns ;
a .Moxan Ir Braz de Malto9.
14 barris alpiste, toditos nmendoas, 30
barris chourir-ns ; a Joaquim Francisco
Torres.
3 caitas chapeos, 2caixotes oleados; a
Augusto Cezar do Abren.
5caixas rap; a Jofio Jtvs de Carvalho
Moiaes.
3 barris vinho moscatel; ao padre Luiz
JosAlves Freir de Andrade.
5 pipas e 25 barris vinho, 5 caixas touci-
nlio ; a Nascimcnio & Ainorim.
50 barris l'rutrs seccas ; a Jos Ferreira
de Mallos.
4 barris paios, 8 ditos cliourgas: a Ma-
noel Ignacio de oliven a.
4 barris chourQas, 2 caixas toucinho, 19
barris cevada, 20 canaslras lualas, I em
bruUn) peneiras, 4 sacos semoas, 300 mi'i-
lliosceblas; a Antonio Carpinleiro.
4 pipas, 30 barris o 50 ancorelas vinho,
40 barris piios, 20 dilos chouriess, 10 ditos
e 6 caixas toucinho ; a Amorim lioios. -
2 barris chouncas ; a Joaquim Antonio
dos Sanios AnJradc.
1 caixa agoa ingleza, 8 volumes drogas,
2 fardos pao campeche, 1 caixa vitlros; a
Vi uva Cuuha.
2,069 pesos, 2 peneiras e 37 I 2 pocas do
ouro, 217 patacas brasileiras, 2 moedas de
2 patacas (1,925 rs ) porluguezas.1 bah bo-
lins, 1 caixa lvros, 1 dita conservas o do-
ce, 4 gaiolas com 4 cochichos, Idita com
1 canai o ; A ordem.
CONSULADO CERAL.
Bcndimento do da 21.....2:607,137
Diversas provincias...... s:,,n-ji,
2:692,163
CONSULADO
Itendimento do dia
PROVINCIAL.
21.....1:974,668
Movimento do "orto.
/Varios entrados no dia 20.
Rio-de-Janeiro 9 dias, brigue-escuna hi-
te, cspilSo Silos Brown, equipagem 8, em
lastro ; a II. Foster & Companhia.
Acarac 18 das, escuna brasileira San-
Jote, de 41 toneladas, capilfio Jos Ma-
noel Rodrigues, equipagem 6, carga fa-
rinha, feijfio, sola e mais gneros; ao
capilfio.
Liverpool 30 das, galera ingleza Stcord-
Fih, de 345 toneladas, capilfio Richard
Creon, equipagem 22, carga lazendas; a


III aalBBaaaaaaaaaa^aa^aJ^a^a^aM
Mr.Calmnnt <* CompanhitMN Fieou do
quarcntena.
Kaviotsohldoi nomesino lia.
ItavatlS rolar hcspnnhola l'ronla, capi-
llo Gerardo Marislani, carga a mesuil
que liouxe.
Sai loa Potara sarda Sagrado-C avilo de-
Jmu, capilflo Pedro Jos Ceporro, carga
.i me-in* i|iie Irouxe.
Surios en Irados no din SI.
i vernool 38 dios, barra Inglea Willlam-
fuiiell, de 299 toneladas, capullo John l>.
i.nnld'ng, rqitipnpom 16, carga oarvfln
ili' |u.lra; a Russell Mr I lora k Compe-
nliia. Firou Porto '.'odias, barca porlugueza Santa-
Crve, de 939 toneladas, capullo Joilo lo
Oliveira Loile, cquipagem 23, carga vi-
nlio o mus genos do paiz*; a Francisco
Alvcs Navios tahidus no mesmo da
S.-Thomaz Urigue-escuna americano Ki-
/, capitUo Siles Rrown, carga a mesma
(|ue trouxe.
J-.'in commissilo Vapor de guerra brasi-
Iciio Thtlis, comniandinle o captiio-te-
iientc Francisco Antonio Perelra.
UD1TAES.
Pela inspectoria da alfandega se faz
publico que, no da 22 do rorrente, se ha
de arrematar embasta publica, na porla
da mesma, detois do meio-dia, o seguinle :
1 > varas de fil de seda I i/o, urna vara 1,600,
total 19,800 ; t-icamizinhas decambraia de
algodflo bordadas para seidioras, urna
5,000, total 60,000 ; 25 varas de eambraia de
lillllO, oma 4,000, total 100,000; 2 mante-
letes dceila guarnecidos, t 25,000, total
50,000; 25 varas de lita d. vello lo, urna f.10
rs. tolHfi.OOO ; 30 varas de transa do s
da, una 400 ra. i total 12,000; 12 corio-s
par rli'|HMs, I 600 rs. total 7,200 ; II ca-
lillas ilo II nes artificiaos, una 3,600, total
39 600; 6 duzias da palminhas du II 'res, I
OiOra., lolal 3,840; 3 I 2 duzias de livnllas
de madreperola, urna 2,000, total 7,000; t
inasso de transa de palha para chapeos por
1,000; 12 molas d'ago para espartillio poi
6,000 ; 3 duzias de papclio Cortado para f 1-
zer raixiis por 600 rs. ; 6 ch'pos de seda
para senhnras; 11111 12,000, total 72,000 ; 10
varas i'e transa de lila, una 200 rs total
3,000; 9 cordOas para vestidos por 0,000;
chapeos de so.la e ramos de dores para os
meamos, um 11,11110, total 66,000; 20 varas
de transa de seda, urna 500 rs., total 14,51)0 ;
2 hnm tes de palha para menino, um 3,000,
total 6,(!00 ; 6 golas de (lo bordado, una
7,000, total 21,000; 3capellas com caiios
do llores, um 5,000, total 15,000 ; 1 mol le
de palito por 200 rs. ; 6 pares de en frites
p.na luvas, um 1,500, total 0,000; 6 ditos
de ditos para vestidos, um 600 rs. total
3,601; 9 rolos 237 varas de litas de seda lavrada, a vara
370 rs. total 87,760 rs. : ludo impugnado
pelo amanuense (Joncalo Jos da Costa e
S, nos despartios por factuias ns. 279 e
310, de 17 e 19 do crtente : sendo dita ar-
iciuati i'.'m suhjeila ao pagamento dos di-
rcitos.
Alfandega do l'ernambuco, 20 de novem-
bio de 1849. -- O inspector, l.uiz Antonio de
Sampaio Mantia.
Pela inspectora da alfandega se man-
dil fazer publico que se pretendo comprar
30011 libras de tinco eni l'olhas para a rober-
a Jo teiceiro lango lia ponte da mesilla |-
l'andega as pessoas que as quizercm ven-
der, dirijam-se a dita repartido durante as
lioras do expediente.
Alfandega dol'eruamburo, 13 de n ivem-
bro do 1849. O inspector, Miz Antonio ile
Sumpaio l'ianna.
--Pela inspectoria da alfandega se faz I
publico que sao precisas para lagenmento
de srtnazens da mesma, icn varas de lago-
do de cantara de Lisboa : as pessoas que
se quizerem encarrogar do Uzer essa en-
riiiiimeuda, podein dirigir se mencio-
na la repaiticfto durante as horas do expe-
diente al odia 25 do corrente, afin de ha-
ver lempo para se expeuirein as ordena pela
barca Lijcia, prestes a sabir para Lisboa
Alfandega de IVnianibuco, 21 de uovem-
br.i de 1849.--O inspector, mis Antonio de
Sampiiio V minia.
-Pela ins, eelnria da alfandega se faz pu-
blico, que no dia 94 do correte depois do
meio da, poila da mesma, so han de ar-
rematar rm hasta pubbca 3 pecas de tran-
cas com 879 varas, a 940 ris a vaia, total
65,280 ris; 9 duzias de cixinhas com
obrcias -.'e gomma elstica a 900 rs. a duzia
tolal 8,100 lis ; ludo impugnado pelo ama-
nuense Joio Canelo (ornee da Silva, no des-
pacho por factura >oh n. 327, de 15 do cor-
rente: sendo a arrematarlo subjeila n di-
r i los.
Alfandega de l'ernamhuco, 21 de novem-
bro de 1849. O inspector, Luis Antonio de
Sampaio Vianna.
Cela inspectoria da alfandega se faz
publico que no da 23 do rorrente depois
do meio iim.a porta da mesma.se bro de ar-
reroaUt embasta pnica 150cortes de ves-
tidos decassa com lios do seda, por factura
um 3,800 res, Iota I 570,000 ris ; 12 pecas
de la/.endas do algodfio rom listras de seda
para vestidos, com 368 varas singelas a
960 ris, tolal 95,680 i:s ; 40 corles de
vestidos da mesma fmula a 2,500 ris, to-
tal 100,000 rs.; 90 cortes de vestidos de cas-
sa estampada a 2,800 ris, lotil -52,000 is. :
tildo impugnado pelo soguudo Oscriplura-
rio Gabriel Alfonso Itegueia no despacho
por factura n. 360 de 20 do curenle: sendo
arremalac,9o subjeila aos direilos.
Alfandega de Peroainbucn, 21 du noveill-
bro do 1849.O inspector, Luis Antonio di
Sampaio Vianna.
Deca racoes.
Peranteo Illm. Sr. I)'. juiz dos feitos d
fazenda, em a ra do Hospicio, boje 22 do
correle, s hilo de arrematar por venda as
scguinles casas penhoradas a diversas pes-
soas por execueo da fazenda provincial:
lima casa terrea sita na na Imperial n. 89,
avaliada cm 900,000 rs., penhorada a Ma-
nuel Joaquim da Costa.
l'ma dita de sobrado de um andar, na ra
doCordinizn 5, bairro do Itecife, avaliada
em 1:600,000 rs., penhopada a viuva de l'i-
Fippe llandeira do Azevedo.
Una dita terrea na ra do liom-Costo n.
5, avaliada em 80,000 rs., penhorada a Jos
Quarosma Uranco.
l'ma dita noa Afogados n. 8, avaliada em
450,000 rs penhorada a Antonio Xavier da
Silva.
lina dita na rua do Quiabo tambero nos
Afogados n. 38, avaliada em I60.0i:0 rs., po-
nhorada a Auna Mara da Paixilo.
Uma dila de dous andares, sotfio n um
cncheira, na ra de Agoas-Verdes n 22, ava-
liada om 4:500.000 rs. penhorada a Joa-
quim Corito Cintra.
l'ma dila terrea na ra dos Passos, avalia-
da em 250,000 rs aquinhoada 11 mesma fa-
zenda no inventario de Manoel Uibeiro Ma-
chado.
l'ma dila na ra dos Copiares, no bairro
deS^n-Jos n. 41, avaliada em 600,000 rs.,
penhorada i I', i I a Mari do Carino.
Urna dita n ra da Guia do bairro do Rc-
rife n. 18. avaliada em 1:000,000 rs., penho-
rada a Ignacio Antonio Borges.
l'ma dita de sobrado de dous andares no
bairro do Itecife ra dos Burgos n.. avalia-
da em 2 000,000 rs., penhorada por decimas
aos presos desta chjada de qiiem era procu-
rador o Mlecidu Antonio da Silva & C.
L'ma dita tenca nos Afogados na ra do
Motocolomh n. 43, avaliada em 300,000 rs.,
nenhorada ii Anna Joaquina do Sacramento.
Seis cadeiras, maJeira de lora, assento de
palha, avaliadasem 12,000 rs.
lima banca, madeira de oleo, com duas
gavetas, avaliada em 8,000 rs.
Um ganap, madeira de fra, assento de
palha, avaliado em 10,000 rs.
I'm guarda-ioupa de marello, com duas
gavetas, avahado em 6,000rs.
Un par de mangas de vidro lisas, avalia-
do por 4,003 rs.
Um par de castigaos de vidro, avaliado
ror 1,000 rs.
Uma cama com armario, madeira de a-
marello, obra ordinaria, avaliada por 4,000
rs., penhoradssa Caetano de Afsis Campos
Ciisden.
Por exeeugio da mesma fazenda vilo i pra-
{ii de renda annual as seguidles casas :
l'ma casa de sobrado de um andar na ra
dircita desta cidade n. 56, avaliada em 250/
rs., pertenrenle a Jos Ignacio Soares de
Maredo.
L'ma dita dita na rua da Mola n. 21, ava-
liada em 200,000 rs., penhorada aos herdei-
ros de Mara Josefa de Mallos.
Uma dita lerrea na rua da Gloria, bairro
da Hita-Vista o. 38, avallada em 60,000 rs.,
penhorada rniandade de Nossa-Sra.-do-
llosario da lla-Vista.
L'm arma/.em do sobrado da rua do Viga-
rio, lian, o do Itecife, 11 31, avaliada a renda
annual em 72,000 rs., penhorada aos her-
deiros de Miguel Ferreira de Mello.
Una casa meia-agoa, torrea, na rua do
Bom-Goslo, na Cabanga, n. 5, avaliada por
12,000 rs.
Pela segn la seccilo da mesa do con-
sulado provincial se faz publico, que do di
primeiro de de/embro prximo vindouro se
principia a contar os 30 diaa para a cobran-
za a bocea do eolio da dcima dos predios
urbanos das fregue/ia* desta cidade o po-
voago dos Afogados, do primeiro semestre
do corrente anuo linanceiro de 1849 a 1850,
o que, lindo este prazo, firam suhjeilos a
pagar os pruprielarios, slom do principal
de sous dbitos, a multa de 3 por cento.
Pela sdministracfio do correiose fa/em
pblicos para coiihociinonto do quem con-
vier, os arligos abaixo do rogulamenlo in-
terno do c.irreio geral da coi te. mandado
observar por decreto n. 638 de 28 de setam-
liro do coi rente auno:
Artigo 50 Seis mezes depois da data des-
te regulamentO, as cartas viudas do paizes
clrangeirs para correios oslrangeiros,
nilo terio segu ment, salvo se bnuvor
quem pague udevido porte.
Art. 143. Principiara o examo por verifi-
car-seseo sello hesullicienlo, verdadeiro,
ou soja foi servido. Verificando-so ter ser-
vido o sello, ou sor insiifficicntc, no ser
remull a a carta, e se proceder como vai
adiantii determinado.
Art. 144. Quanduso reconhecera falsida
de do sello, nao ser l.imhc n remettida a
Carla ou papel; o administrador o partici-
para ao director geral, e este ao chafe de
polica, remetiendo -Ilio todos os esclareci-
uieutos que a tal respeilo ohliver.
Se este facto se verificar cm agencia, cm
que nilo esteja presente o chefe de polica,
sera a par!icipac,3o e remessa dos ditos es-
clarecimeolos feill pelo agente ao delega lo
ou subdelegado do dislriclo.
Art. 146. Tamben nao serlo remetdas
as cartas sem sobrescripto, ou com sobres-
cripto illegivel, ou para lugares do mesmo
nome, sem a necessaria declararlo ou sam
destino.
Neslcs casos se observar o disposto nos
arligos 89, 105, 115o 116 do rcgulamento.
Art. 152 Senhum impresso sei remetli-
do por qualquer crrelo, so ofio fr levado
a casa da administradlo qualro lunas anles
do fecliamenlo das malas ou s reos.
Arl. 153. nminio os imprcssosconlive-
rem cartas, objeclos eslrauhus, quaesquer
papis suhjeitos a porte ou osciplura aln
do enderezo, o3o serio rein-'ltidos, o se
proceder na forma dosaris. 89, 105, f I Se
116 do rcgulamento.
Art, 153. Nao obstante o dsposlo no ar-
tigo antecedente, seriio remullidos os m-
pressos publicados no mesmo da da sabida
do ro n-io se forern fechados n parle, ose
liver sido concluido o axame do artigo 143,
ainda que aenfio lenham completado as
quiltro horas do ait. 152
Art. 28. SerSosubjeilasa porte todas as
carias,anda que nao eslojam fechadas.
Exceptam-seus carlasdc recomuienda-
flo dos portadores, que nilo estivereu fe-
chadas o as dirigidas aos consignatarios dos
navios, e aos seus denos a rrspeito do car-
regamento e 11,ais objeclos relativos res-
pectiva negociaran u
E assim mais se faz publico a circular
abaixo da directora geral dos correios, de
20 de setembro do crrenle auno :
N. 37Dignando-Srt o gnvorno imperial
declaiar a esta direcloria, por seu aviso de
13 do corrento da secretaria do imperio,
que na agencia dos paquetes de vapor nosla
corle nao so rece ha ni imprrssos, os quaes
so devem sor enviados pelo correo ; assim
como que todas asearlas que se entrega-
ron) na dita agencia, depois da hora mar-
cada para o fcchamenlo das malas n'admi-
nislragflodo coneo da corte, so sigam, se
liverem sollos equivalentes ao porte duplo,
deveudo os respectivos com mandantes dos
ditos paquetes eytrega-Lis as administra-
1,01:1 dos correios dos lugares para onde fo-
rern dirigidas: determina depois, por aviso
do 18 do corrente communieado a esla di-
I rectora, que V. S. liscalisr, se as cartas
lavulsas, conluzidas pelos referidos com-
| mandantes, leva.n ou nio sello duplo na
1 forma da declararlo cima.
Direcloria geral dos correios, 20 dose-
lemhro de 1849. Gabriel Getulio Monleiro
de Mendonca.- Sr. Administrador do cor-
reio de Pernambnco.
Corrcio geral de Pernambnco, 91 de no-
vemhrodn 1849. -- O administrador, Amo-
nio loi Gomes do Corrtio.
< ompaiiliia de Beberibe.
Por niio se haver reunido numero sudi-
ciente de accionistas no da 20, foi espassa-
da a rruniflo para terca-feira, 27 do corren-
te, pelas 10 horas da manha, no escriplo-
rio da companhia. O director roga aosSrs.
accionistas que no deixem de compare-
cer a essa reuniSo no dia e horas marcadas
llcparticao da polica.
lilni c Exm. Sr.-de conformidade com
as partes que bontem e hoje me fram en-
dereQadas, devo communicar V. Exc. que
fram presos ; orJem do subdelegado da
freguezia do S.-Frei-Pedro-Goncalves Mi-
guel Joaquim de Oliveira e Lu/. Ribeiro do
l'ianca, por haverem espancado a um pre-
lo; a o dem do subdelegado da freguezia-
de S.-Antonio, o preto l.uiz, rscravo de Joilo
Stuart, a requerimento do respectivo se-
nhor ; ordem do subdelegado da fregue-
guezia do Poco-da-l'anella, o pardo Jos
Joaquim de Sania Anna, por crime de fur-
to ; e do subdelegado de um dos dislric-
los dos Afogados, Antonio Itodrigucs Jos
Sanios, sem que o motivo me fosse devida-
menle declarado.
Dos guarde a V. Exc Secretaria da po-
lica de Pernambnco, 19 de nnvemhro de
1819.Illm. o Exm. Sr. Honorio llermrto
Carneiro Lcilo, concelheiro de estado, pre-
sidente desta provincia.--O chefe do poli-
ca, Jeronymo Marhniano l'igueira de Helio
Tlieatro de S.-Francisco.
QUINTA-FEIRA, 22 DE N0VEMBR.0
Grande e variado espectculo.
Depois de execulada uma lindissima pefa,
dar principio o espectculo com o mui
insigne drama que ten por titulo
I). JOAO" TIIENORIO.
No lim do drama o Sr. Santa Rosa e a jo-
ven Felismina canlaro o dueto
1)0 J0CAD0II.
Findar o espectculo com uma farra
0 DIIECTANTI.
Os bilhelcs achain-so a venda no lugar do
costume.
BENEFICIO DE UM PARTICULAR.
crUNOE RSPRCTACUI.O,
Domingo, 25 do corrente.
Represeutar-se-ha o lindissimo drama em
E setos, que lem por titulo
O DEVER E NATUREZA,
nu
o soldado amante de seu monarcha;
no lim do qual o actor Pedro Raptisti de
Sania liosa e a joven Felisma rantarilo o
duelo denominado o
CACAD0R ;
depois lora lugar a mui jocosa farra
O PINTOR AMBICIOSO,
ou
o uefunto i'ingitlo.
Terminar, pois, lodo o diverlimento com
a danc 1 da
CACHUCHA,
pela joven Felismina.
Os hilhetes aciiam-so a venda no lugar do
costume.
pretender pode entender-se rom os consig-
natarios, Amorim Irmos, rua da Cadeia,
nnmero 39.
Para a Baha sabe, na prsenle semana,
o' fiiato Flor-de-Cururipe : quem no mesmo
quizer carregar, ou ir de passagem, dirja-
se a rua da Cruz do Recife, n 62.
(iliiate Sovo-Olind-i largar impreteri-
vel mente para o Arocaty a 26 do corrente
coma carga que Uvera bordo, porseachar
com a maor parte do carregamento tratado :
para o restante e passageiros, trata-se com o
mostr, Antonio Jos Vianna, no trapiche
do algodo, ou na rua da Cadeia-Velha, n.
17, segundo andar.
Para o hio-de.Janciro a polaca braai-
leira Sociedade-Feli:, capullo Manoel Anto-
nio dos Santos, sabe com a maior brevida-
de possivol : quem na mesma quizer carre-
gar ou ir de passagem, drija-se a seus con-
signatarios, Oliveira Irmfios & Companhia.
Vende-so a barcaria Santa-Isabel, lote
de 18 caixas.de boa construcc.lo nova o de
excellente marcha, a qual se acha fundeada
no caes do Ramos : quem a pretender, diri-
ja-se a rua do Livramento, n. 26.
Para Lisboa sabe, com a maior brevi-
dade possivel, o brigue portuguoz Concei-
cdo-de-Maria, por ter a maior parte de seu
carga prompta : para o resto e passageiros,
para o pue lem excedentes commodos, tra-
ta-se com os consignatarios, Thomaz de
Aquino Fonseca & Filho na rua do Viga-
rio, n. 19, primeiro andar, ou como capi-
19o najpraca do Commercio.
Leiloes.
-- O Sr. cnsul Aug. Ilelie, estando a reti-
rar-so rm breve para a Europa, lata leilo,
por nterven^Ho do correlor Oliveira, da
sua mnh'lia, consislindo em mesa redonda,
bancas de jogo, ditas com abas c outras
com gavetas, cadeiras, commoda, lavato-
rios, marqueza com colxlo e travesseiros
com marroquim, aparador com guirda-lou-
ra, mesa do juntar, cabidos, cspelhos, qua-
dros, la n lernas, camas de vento, mesa para
escriptorio, hibliolgeca de vidrar;, um p-
timo relogio do ouro patente, diversas obras
escolhidas de litteraluia e historia franre-
za c outros objeclos : quinta-f im, 22 do
corrente, s 10 horas da mauhfla, na casa
do consulado da repblica franerza, na rus
do Trapiche-Novo, n. 10, segundo an lar.
-- Adamson llowie & C. farlo leilo, por
interveneflo do corrector Oliveira, de um
completo sortimento de fazendas inglezas,
todas proprias do mercado 1 scxla-feira, 23
do correle as 10 horas da mandila, no seu
armuzom, na rua do Trapiche-Novo.
O correlor Oliveira far leilo, por or-
dem do capitlo Edward Wild, e por corita
e risco de quem pertencer, de urna porrfo
desahiip inglez, corinlhos ( crranla), ce-
vadinha, sag, assucar, cadeiras, mesas,
lindos relngios de cima de mesa, e muilos
outros artigosproprios para suprimento de
navios: segunda-feira, 26 do corrente, s
10 lioras da manila, no seu escriptorio da
rus da Cadeia.
Sejt
AvisQfl, diversos.
PUBI.ICACAO- I.ITTERARIA E RELIGIOSA.
Sahio luz em lingna vulgar o mais per-
fcilo cathecismo de doutrina christSa, o de-
cretado pelo sagrado concilio de Trenlo,
para delle fazerem uso os parochos de todo
0 oibe catholico as suas expsitos dou-
trinaes aos liis cornmctlidos ao seu cuida-
do o vigilancia, afim de que c:n todos aquel-
los pastores houvesso a uuiformdade uc-
ees, ai ia tanto no ensino des principaes ver-
dades da religlo calholica, como na boa
ordem o methodo de as expr e ensinar.
Esta nova vcrso, que a prirocira voz agora
acalla do sabir ao publico, se fazia omito
necessaria pelos defeitos da aoliga, ja por
vezes reformada, mas sem poder precncher
fcilmente os seus lus, por so Ihe ter dei-
xado (car sempro muilos dos enligo- defei-
tos, que nilo era possivel emendarcm-se de
ludo so 11 se recorrer a um novo Ira ha I lio de
oulra Iradcuclo, inteiramente livreson) fal-
tar a fidelidade que devo ser a pi uncir obii-
ga(0o do trataduclor. Quem quizer a po-
dera adiar no armazem de Francisco Xa-
vier Martina Raslos, rua do Encantamento,
n. II.
avisos martimos.
-- Vende-se o brigue Mareial, de lote de
179 toneladas, com bote, lancha e todos os
mais gertences, promplo de todo o neces-
sario para qualquer viagem, forrado e pro-
gado de cobre, e de construcqilo brasileira :
quem o pretender, pode ir examiua-ln a
bordo, o qual seaclia fundeado no lugar do
Forte-do-Maltos, c para ajuslar com Amo-
rio Innfios,na ruada Cadeia, n. 39.
--Segu para o I!m- le-Janeiro em pou-
eosjdias a escuna Guiante-Mara: lem a
maior parte d-jscu curogaioruio engaja-
do: para o rosto e passageiros, trata-so na
rua da Moda, n. II, com Silva & Grillo.
Para o Kio-de-Janero srgue
com toda a hrevidade o brigue-
esitina nacional Olinda, recente-
incnle forrado e pregado de cobre,
por ter a maior paite de sua carga
prompta : para o resto, passagei-
ros e escravo.s a fretp, trata-se
com Machado & i'inheiro, im roa
do Vigario, n. I9, 011 como capi-
llo, Manoel Marcianno le; reir.
Para o Rio-Grande do sul seguir coro
bievidade o brigue Mareial,por leramaioria
do seu carrrgamento promplo, o qual ain-
da lJereceber alguma caiga, assim como
escravos, e mesmo alguui passagiro: quem
--OSr. JoSoCypriano Kangrl queira ter
a bondade de apparecer aonde no ignora,
para dar a decislo da quanlia quo recobeu
por conla das cootas que se Ihu enlregaram
para cobrar.
Miguel A n banjo rmente], professor
publico de primeiras leltras de Tacaral,
participa ao publico cao Illm. Sr. thesou-
reiro da thesouraria provincial que lira tilo
.-.lmente por seu procurador bstanle nesta
cidade para rc.cvlacr o seu ordenado na
rnesma thesouraria o Sr. Diogo Jos da Cos-
ta, ficando sem Treito qualquer procuraeflo
que mitro possa apresentar.
-Traspassani-so us ser vicos de um preto
africano, muilo moco e de bonila figura,
pelos servicos de uma prcta ou mole: quo
no pateo do Collegio. loja n. 6, se dir
quem faz este negocio.
Precisa-se do um feitor de boa con-
ducta, para um sitio de um estrangero :
quem estiver neslas circumslaucas, an-
nuncie.
Precisa-sede urna ama para uma casa
depouca familia: na rua da Cruz, n, 53.
O bacharel formado Joilo de Barros
Falc.to de Alhuqucrqce Maranhiio tem a
a dislincta honra de manifestar ao respei-
tavel publico, quo muilo Ihe conven viver
degredado na casa onde mora, rua estreila
du Rosario, -"> primeiro andar, alhnio
squeslOes polticas: lodos os seus dese-
nos o dosvelos silo desompenhar a nobre
prollssilo de advogado
Aluga-se o segundo andar e solifo da
casa da rua da Cadeia do Recife, n. II, com
sala o alcova a liante e airas, ten lo no so-
lad sala admite o alcova atrs, c cozinha,
proprio para pequea familia: a ti atar no
mesmo.
Os Srs. Caetano Aureliano deCarvalho
Couto, Joilo Jos de Capistrano, Jos Fran-
cisco Martina bato Jnior, Galdino Lopes Cuimariies, llo-
inetei 10 Velloso da Silveira o Manuel Joa-
quim da Cunha Carmo, queiram ter a bon-
dade de apparecer rua da Cadeia de San-
to-Antonio, n. 19, que se Ibes deseja fallar.
--Aluga-se, por preco commodo, uma boa
casa terrea na povoaro do Monteiro, para
sr passar n Testa, com 4 quarlos, boas salas,
cn/inha fra, cacimba, dous quintaes mu-
rados com portan o sabida para o rio,quar-
lo para pretos, estribara para dous caval-
los : a tratar na Boa-Vista, travessa do Ve-
ras, n. 15, sobrado.
Carlos Claudio Tresse, fabricante
de igaos e realejos, na rua das
Flores, n. 19,
avisa ao resreilavel publico que concerta
orgAos e realejos, (0n marchas modernas
desto paiz, cunearla pianos, scraphinas,
caxas de msica, accordSos e qualquer ins-
trumento que appareca : tambero faz obra
nova, assim como caxas de guardar joias,
por preco com modo.
Jos Soares de Azevedo,
professor de lingoa frnceza no \y-
rcu, lem nbcrloem su.i casa, rua
do Hozaiio larga n 36, segundo
andjr, um curso d Phi/osophitt e
outro de l.itigoa Lranceza. As pes-
soas que (jiiiz-.-rem seguir uma 011
outradestas disciplinas pdem di-'
rigir-sc indicada residencia, a
qualquer bora.
I)a-se pSo da vendagem, offerecendo.
se melhor conveniencia do que em outras
partes : na rua do Rozario larga, n. 48.
Cals Jnior retira-se para a Europa.
l'erderam-se, no domingo noile, vinle
mil rs. em "tres cdulas : a nessoa que as
aclmii, querendo-as restituir na rua larga
do Rozario, n. 28, receber 10,000 rs. de
gratificarlo.
O abaixo assignado faz scienle ao res-
peitavel publico que tem dissolvido a socie-
dade que tinha com o Sr. Antonio Pereira
Lopes na venda sita na rua da Cruz, n. 36,
sb a firma de Joaquim da Silva Pinto k
Companhia, Picando arora em diantn gyran-
do em seu nome o mesmo esta beleci ment,
assim como que se obriga pela liquidacHu
daquella (Irma como o nico responsavel.
Recife, 19 de novembro do 1849. Jaaaw'w
da Uva Pinto.
Na rua Nova, loja do ferragens, n. 41, de
J. da Costa slaia, receberam-se ltimamen-
te de Inglaterra urnas de metal lino para
cha, de gostos os mais modernos que teem
vindo ao mercado; apparellios para rii ;
jarros ebacas de metal: ludo por preco
commodo.
Lotera do Guadalupe.
Desengao
ja qual for o numero de bi-
Ibeles que fquem por vender, as
rodas desta lotera andam iinpre-
ten velnicnle no dia 14 de dezem*
bro prximo futuro. Os hilhetes
que esto actualmente a venda nos
lugares do costume vender-se-
11 a o smente at o dia primeiro do
dito mez, em que passaro ao do-
minio de uma sociedade
Jos Rodrigues de Sena
Santos, testamenteiro e inventa-
riante Jo fundo seu lio Jos lo-
drigues de Sena, avisa aos credo-
res deste para juslificnrem suas
dividas na cidade da Victoria, on-
de se est procedendo inventario :
isto at o dia i5 de dezembro vin-
douro.
Precisa-se de um bom amassador pa-
ra uma padaiia cm Rio-Formoso : trata-se
do ajusto no Recifo, rua da Sanzalla-Velha,
n. 106.
Justino Martyr Correia dn Mello faz pu-,
blico que se extraviaram 5 arenes que pos-
sue na companhia de Ilebcrihe, de n. 131 a
185, as quaes se acham com as verbas do
primeiro o segundo divilendo ; e pedo a
quem as achou que, querendo restitu -las,
dirija-se ao escriptorio da mesma compa-
nhia ou na rua das Klores, n. 23.
o dia 23 do correte, perante o Sr.
Dr.juiz docivcl, se hade arrematar, por
ser a ultima praca, a pule de um sobrado
na rua Dircita desta cidade, pertencontea
ClaudiuoSalvador Pereira llraga, por exe-
cuc.3o dos credores deste.
Antonio Ribeiro Lis Teixera, Portu-
guez, vai lazer uro viagem para lora da
provincia, com sua familia.
Precisa-se de uni Irabalhador de mal-
seira : na rua Direita, n 82, padaria.
Aluga-se o primeiro andar da casa di
rua da Cruz, n. 50, com muilos commodos :
a tratar na mesma Casa,
--Peranteo Sr. Ilr. juiz municipal d*
segunda vara, se ha de arrematar uo dia 24
do coi rente, por ser a ultima praca, o pre-
dio na rua da Florentina quo se acha hypo-
theendo por Juliilo lleranger ao exequente
Jos Antonio l.nurenco, a requerimonto de
quem vai ser arrematado o dito predio.
Carlos Hardy, otirives,
un rua i\ova, n 52,
acaba dereceberde Franca um sortimento
de obras de ouro de lei, como sejam adt*
ceos, meios ditose pulseiras : lambem re-
cebeu um grande sortimento de chapeos de
selim e gorgurAo do ullimo gostoe de de-
ferentes cores e precns; chapeos de piUn
da Ha ia ; ditos muito linos, a luirlos o fe-
chados; aunarles de chapos de lodas as
cures, muilo facis de se cobrirem ; titas;
llores; primarlos ; peonas para chpeos,'
camsinhas do eambraia para seuhora, mui-
lo liem bordadas ; luvas de seda com dedos
e palmas decores ; loucsde lila para se-
nhora e meninas; meiasde seda para me-
ninas ; cassa franceza muito lina : ludo se
vende mais barato do que em uutra qual-
quer parle.
o o
% Bix8
r>\a pra<;i da Jiidpen-&
g delicia, n. 10, |
q ao voltar para a rua das Cruzes, alu- q
gam-see vendem-se bixaa de Mam- <*
X hurgo : tambem vSo-so applicar pa- q
3 ra commodidade dos freguezes ; ti- S
g ram-se denles, sangra-so e appli- *?
w cam-se ventosas: ludo por preco J
^ commodo. O
O O
Quem quizer vender uma caa terre,
cujo valor no exceda a 500,000 rs. an-
nuncle.
Precisa -so de serventes para continuar-
se com a obra do hospital Pedro II, no lu-
gar dos Coelhos, dando-so preferencia a
homeus forros : os prelendentcs dirijani-se
ao Ihealro novo a fallar com o administra-
dor do mesmo, s 10 horas do dia, a tratar
doajusle e marcar o dia que devem se
adiar no referido logar dos Coelhos.
Pera ote o juiso do civel da segunda va-
ra, se ha de arrematara casa terrea da rui
de lloi ts, n. 86, a requer ment do testa-
menteiro da finada l'rsula alaria das Vir-
gens.
Diio-sc 400,000 rs. a premio sobre hy-
potheca nesta piara, ou bas Urinas : quem
pretender anuncie.
--Aluga-se, por prego commodo, o pri-
meiro andar do sobrsdo n. 20, por delrs
do ihealro de S.-Francisco : a tratar com
Lu/ Comes Ferreira, noMondego.


e
.-O abiiixo asignado no podendo polo
gen oslido do shiJo despodr-se da lodos os
geua amigos que (izeram-lhe a honra de vi-
zita-do, pedc-Ihra disso disculpa por oste
ireio, offerocendo-lho em qualquer parlen
seu diminulo nreslimo
Mannel Firtnino de Millo.
Procisa-se de 500,000 rs. a premio por
lemro de 6 mczes, fazendo-se para segu-
ranza liypolheca em urna propriedade nos-
la praga, pela qual ha quem J seiscenlos
mil iris a dinheiio contado : napadariade
tres portas, na ra do Pillar em Fra-de-
I'orla?, so dir quem faz oste negocio.
ATTENCAO!
Tendo o beneficiado do da 22 to corren-
te tratado com a msica do primeiro bata-
talhflo da guarda nacional du Recife para
tocar nanoitedo beneficio, como j tem
annunciadoacrespeitavel publico, e como
lenha a mesma d* tocar no Te-Deum e res-
tado Santa Cicilia, faltando por cono-
guinleao trato, o mesmo beneficiado pede
ao respeilavol publico dcsculpa desta falla
involuntaria
Um bom estabelecimenlo do molhados
ha para vnder-se, na ra da Cruz, n. 51 :
a Ivertc-se que para im principiante ho o
melhor possivel, por tor poucos fundos e
ser em um dos melhores locaes.
A pessoa que desoja saber a residen-
cia de Bernardo Jos da Costa dirija-se
ra Direita, n. 10.
Una pessoa que sabe theoricamente a
escrpturaeflo morcantil, tanto por parti-
das dobradas como simples, presta-so a es-
crever em algum escriptorio : quem de seu
protimo aequizor utilisar annuncie.
~ llontem amanbeceu roubada a vonda
n. 48 da ra das Agoas-Verdes : esse allen-
tado foi comniellido por meio de um bura-
co praticadoem urna das soleiras das po"-
tas. O roubo uo seria consideravel a nflo
ser una das pipas de vinbo que deisaram
correr no clnio o que eslava bastante cheia:
o mais conslou de varios gneros. Itecla-
mamosa attengilo da polica para ocum-
primenlo de urna das mais importantes
das suas ubrigagO.'S, a seguranca o garan-
ta de propriedade individual. Esta venda
he de um Brasileiro.
s abaixo assiguados fazem sciento ao
respeilavel publico que vendem na sua no-
va luja do selleiro, na ra Nova, u. 19, sel-
lins e sillines de (odas asqualidades, e to-
dos os mais objeclos perlencentes ao mes-
mo cslabelecinientn, por prego mais com-
modo do que em oulra qualquer paite.
Guimardes & Compnnhia.
Offerece-se um rapaz brasileiro para
caiseiro de venda, do quo tem bastante pra-
tu'ii, para o que da fiador a sua conducta :
quo ti de seu prestimo se quizer utilisar,
dirija-se a. travessa doScrigado, venda n. t.
--Arrcnda-se um sitio com boa casa o
outros muilosconwnodos, na povonQflo dos
Afogados, pelo barato prego de 10,000 rs
mensaes : a tratar na casa da af'!nc,u"o, con-
fronte ao muro da l'enb.
O abaixo assignado, socio da firma
Victorino & Cuimaraes, lomlo de retirar-
se, por algum lempo, para Llibda, alim de
tratar de sua sade, deisa encarregado de
lodosos negocios, tendentes a Jila firma, o
seu socio Victorino Jos Ferreira, o como
>cus procuradores Jos Carlos Forren a Soa-
res Jnior, Joaquim Monteiro da Cruz e
Alvmo Jos da Silva.
Jote l'rancitco dt Aravjo Guimaret.
Jos Francisco de Araujo tuimarSes
retira-so para fra do imperio.
Quem aiinunou, no Diario de 20 do
correte, precisar o um feilor para sitio,
dirija-se a ra larga do Razario, o. 29.
Caldeirairia c fundido.
Rua Imperial, n. Ittfl.
Ncste estabelecimenlo faz-so qualquer
machina para ago'ardonte, deelarando-se
que qualquer proprietaiio que so quizor
utilisar das suas obras, he com a condigno
declarada de que o proprielario compra o
cobre na milo dos Inglezes, e nSo o compra
por masde750rs.: o artista leva por cada
libra de feitio 250 rs. (cando cada libra
por 1,000 rs. obrigan loso o artista a as-
senia-la em qualquer paito desta provincia.
Ueseja-se fallar ao Sr. Joilo jlarlholomou
Congalves da Silva a negocio que Ihe diz
espeilo : no pateo do Caimo, n. 9.
Precisa-se de um caixeiro para venda ,
3iic soja bemromportado : na praia do Cal*
eireiro, casa junio, a venda, n 2.
Joaquim Bernardo da Cunta retira-so
para fra da provincia a tratar do sua sade
Desapparoccram, nodia 20 do corren-
te, a tardo, dous meninos pardos, um de
10 annos, cabellos ruivos, calcas ejaquela
de riscado de quadros, bonete de quad'os
de varias cores cooi a pala ruido, du nomo
Francisco G>Uino de Alleluia : o oulro de
nomo Angelo da Silva Guimariles, com cal-
gas ejaqueta branca, bonete de ganga azul,
de dude do 6 annos ; desconfia-se que (o-
ram escondidos para sorom vendidos co::io
escravos : quem delle* der noticia na l'on-
te-Velha, a seu pai,l.uiz da Silva Guimariles,
seii recompensido.
Aluga-se urna casa na rua do Aragito ,
com 3 quartos, cozinha fra, quintal e ca-
cimba : a tratar na praga da iudepen leu-
cia, iivraria ns 6 e 8.
Precisa- de Uma ama: na rua dos
Tanoeiros, n. 5, abundo andar.
-Jos Francisco h.im, lendo o annun-
codoSr. Jos Rodrigue. til SeM> Santos,
inserto no Diario de l'er*u^ueo 26|i
a^rovoita a oportunidade para ji-ir a est0
Sr. s* sirva mandar pagar-lbe o imp^i,, t0.
tal d sua lellra vencida e protestada em .,,
de selembro de 1813 ; ousosiiva de decla-
rar se quer que o annunciaiilo mande jus-
tificar em S.-Anliloessa divida por ser dita
lettra ondocada pelo linado sen filho Jos
Rodrigues de Sena; pos que, tendo do jus-
tificara somma que este finado declarou em
seu testamento dever ao annunciaiile, lor-
na-so-lbe misler saber do Sr. Sena Santos
esta rsposta.
O annuncianlo soccorre-sedeste meio por
nao obtido rcsposU alguma das cartas que
a este mesmo resalto tem encamlnhado ao
Sr. Sen Santos, tom como pelas difficnlda-
des queo mesmo S;. Sena Santos n3o ignora
tero annuncanle encontrado para essa mes-
ma jusiiliciC.no qu ora chaina.....08
CfOdOfCS.
I)eelara-se ao Sr. oprosultra com fuma-
cas de primeiro engendro das machinas de
lierusiid que mora na rua do Queimado e
'com luja na rua Nado, q e muito se estimou
saber que elle he o aulor de charlatao i ora, quem s, mais charla-
lo do que o tal autor? Para se mostrar mo-
ra em urna e tom loja en outra. Ksle triste
sapatoro do cubro he um (gurinho das mo-
das ecalunga de sombra. ... Olhe, nilo bu-
la muito com o matuto l.ossa ; do contra-
rio, vera a obra da Baha bom explicada da
raga toda, sem escapar na la.
O lamptdo prompio a aceender.
Aluga-se, por prego commodo, o so-
brado de um andar com lujas, na rua dos
Quarteis, n. 10 : a tratar com l.uiz Gomes
Ferrcira, no Mondego.
Na casa de pasto da rua da Cruz, pro
cisn-se alugar um preto para o servigo da
mesma casa.
Aluga-se a loja do sobrado n. 39 do
Aterro da Boa-Visl : a tratar no primeiro
andar do mesmo sobrado.
U hachare 1 A. K. de Torres
Banileir,i, professor adjunto de
rliclorica e geographia no lyceu
Jesta cidade, se propoe a dar li-
gues das mesmas disciplinas, e
hem assim de philosophia e fran-
cez. Quem de sen prestimo se
quizer utilisar, pode dirigir-se
ruaestreita do Iloiario.n. 3i, se-
gundo andar.
Gomma de engoinmar.
Vendem-se saccas com gomma de en-
gommar muitoalva ; na ruado Queimrdo,
ii. H, loja de ferragens.
Deseja-se saber onde resi-
de o Sr. Joaquim de Figuciredo
Lima, ou mesmo quem soja seu
procurador nesta cidade ou lora
della, para se tratar de negocios
que lhe dizem respeito: quem sou-
her annuncie por esta folha par-
ser procurado.
Fariiili.i de mandioca.
Vendem-se sarcas com farinha de man-
dioca, de muito boa qualidade, por ser fa-
bricado na serra Meruoca, perto da cidade
de Sobral, por prego commodo : na rua do
(jueima-lo, n. 1*, loja de ferragens.
*mmmmmmmmm a **
Lingoa franceza
Um Brasileiro, ha poucoebegailo de y
Franga, sufllcienlemente habilitado ^
na lingoa franceza, tanto na Incuria j
3 como praticanienle, se propflo ao S
ensino desta lingoa para traduzir e |
9 fallar: as pessoas quenella desoja-
fji rom instruir-so, qrjtHram dar scus |
9 nomos na livraria da rua do Collogio, S
V n. 9, para comegarem no principio JA
ff do prximo moz.
1 i
mwmmm vemmww wmmw'isK*
Precisa-se do urna agala |eite : quem
esliver noslas circumstanflBi dirja-se a
rua diis'l'rinciieiras, n. 30, ou annuncie sua
morada para so I lie ir fallar:
--Para uma casa estrangolra de pouca
familia deseja-sc alugar um moleque, que,
nflosen lo ptimo cozinbero, j lenha al-
guma pratica de co/iulia : Uf./ua do Trapi-
die-Novo, n. 16.
Chapeos (le sol.
Rua do Passeio, n. 5.
Nesta fabiira ha presentemente um rico
sortimenlo do chapos do sol,'do seda de
10 las as cores as mais fixas que leem appa-
recido, para homem o senhora, e que se
ven -lo m muito em conta ; ditos de panni-
uho imitando seda ; ditos minio grandes, e
de panno e araiagOes muito fortes, pro-
prios psra senhores e feitores de ongonhos :
(ai n.he, 11 se vende fazenda do seda o de pan-
ninho imitando seda para se cohrirom ar-
magfles. Na mesma fabrica se colicorta qual-
quer chapeo de sol, com muila brevidade,
o por prego mais comino lo do quo em ou-
tra qualquer parte, e vendem-se baleias
para vestidos.
- Antonio Mximo do Barros l.eilfl, pro-
fessor jubilado naprimeira cadeira publica
de pi inicuas lettras da cidade de Goianna,
acha-se de presento residindo nesta capi-
tal, e morando na rua da Cadeia, n. 40,
primoiro andar ; e propO^-se a continuar no
mosmo magisterio particular, pelo quo faz
scicnte ao respcitavel publico que so a di
com aula aberla na referida cosa, ende rc-
ceber alumnos, tanto externos como in-
ternos.
se machinas ro li mas para desiilar ago'ar-
dente, Intituladla
violentas,
as quaes muito aprovam por fazer om rada
cinco minutos uin.i baada n* ago'ardoM*
de 35 graos, e queima o ultima caxixi, e j
se ada nina deslas machinas trabalhando
no engenh*
llha do Ulorgado,
a qual se fez nesta fabrica poro risco que o
Sr. Francisco Fernando Thomaz nos pro-
senlou, e por o mesmo risco j so fez outra
ara olllm Snr. tenonte-corunol Joiquim
lamido Cavalcanlo de Albuquerquo : os
pretendentes dirijam-se ao dito engenho
llhi do Horcado
para verem Irabalhara machina
violenta,
ou a esta fabrica que he a nica que at o
presento tem feito ditas machinas, e apro-
veitaramaoccasiilode anda aqu verem a
do lllm. Sr. tenente-coronel Marinho que
por estes dias tem deserass^nlada em Bar-
reros.
Manoel da Costa Pinto, Brasileiro, re-
tira-so Jesia provincia.
Alugam-se, para se passar a festa, duas
grandesCksas com muitos oommodos e bom
bauho, cm Sant'Anna-de-l)enlro : a tratar
no mesmo lugar com Joflo Venancio.
1 -i '"- '
Compras.
Com rani-sc i; pesos de duas arrobas :
um temo de urna arroba at uma libra, son-
do usados : quem livor annuncie.
Na esquina do Livramento, loja de 6
portas, compram-se patsces mexicanos.
Compra-se pedra que sirva para ladri
Miar calcada quo seja da Ierra ou de fra,
anda mesmo queja servsse em outra obra,
sendo em conta na rua larga do Hozarlo,
i. 33.
Compram-se boifies de tinta vasios a
240 rs. a du/ni : na rua Direita, n. 81, loja,
ou na praga d Independencia, n. 12.
--Compra-so tartaruga em casco; tam-
bem compram-se penles auligos quo este-
lan fra da moda pagando-so por mai.-
do iiiiii em outra qualquer parle: na mi
dasl rncheiras, n. 5, loja do lartarugueiro.
Compra-se um par de Ii'iteiros o ariei-
ros de louca, grandes, dos quo usavam pi
escriv.los: nesta lypographia se dir quem
compra.
Vendas.
-- Aluga-se urna casa terroa na cidade de
niiuda, na rua de Mathas-Ferreira, [co
lempo de festa, ou por todo anno, a qual
tem excellenles commodos para uma gran-
de familia, alm de outras vanlagens, fican-
do no centro da cidade perto do Varadou-
roe da praia de S.-Francisco, onde se po-
de tomar saudaveis bandos salgados : tara-
bea) se aluga outra mais pequea inme-
diata a essa : quem as pretender, dirija so
rua larga do ozario, botica n. 42.
-No pateo da matriz de Santo-Antonio,
sobrado n. 4, tiram-se passaportes para
dentro e fra do imperio, assim romo des-
parham-se escravos e llram-sc folhas cor-
ridas,
DEPOSITO GEKAL,
* superior rap areia-preta
Aos UO.'OOO.OOO de ris
Na praca da Independencia, n.
4, vendem-se hilhetes, nieios,
quartos, r-itavos e vigsimos da
al." loteria do monte pi do Rio
de-Janeiro.
Vendem-se chapos dn massa franre-
za, os mais modernos que leem chapado ro-
centemenle, pela elegancia das formas;
ditos de niuln, prctos e superiores ; ditos
da Italia, de ropa alta o baixa, para ho-
n,cus ; ditos encellados paru meninos e
meninas, de lindissimos gustos ; ditos sen'
"pefl de diversas formas o cores, tanto pa-
ra homens como para meninos : adverlindo
quo ludo foi recebilo agora pelo ultimo
navio Crneo/, vindo do Havre.
Vendeni-se i elogios do ouro e praia,
trancelins de ouro, aunis, diamantes, br-
Ihantes, etc. : no llutel-Pistor, no Trapiche,
n. 3.
-- Vende-sauma balanga o una porgilo
de pesos para armar.em de assuear, ou para
oulro qualquer rstabelerimcnto : na ruad
Apollo, ai-11111/0111 du Sr. Almei la.
Sapa toes a 000 rs.
No Aterro da-Boa-Vista, loja n. 58, ven-
dem-se sapatoes do Aracaly a 800 rs. o par,
e duas vidragas para loja por prego com-
modo. '
Augusto Cnlomhicr coi
loja defazendas trance-
zas, na rua Aova, atrs
da matriz, n '-',
vende bonitos chapos de palhaaberlo, pro-
prios para senhora, por serem muio fres-
cos ; chales do seda ; mantas ; caapos ar-
rendados, hrancos e aheilos ; ditos do sol,
para senhora ; ditos de so.la para homo u ;
guarnigOes para chafos; grvalas para
borbem ; bonitos lengos para homom o se-
nhora ; bonitas fitas; perfumaras finas ;
jarros do | orcellana doiirados para floro,-
ualur.'ios; candieiros para sala ; ianterna-
com p de vidro; ditas com diio do casqui-
nha ; apparelhos de porcellana para cha
bengalas; luvas de todas as qualidades;
.bandejas linas; sapatos de cores para se-
nhora, a 2,200 rs.; ditos de il'r M|u,-, a \t
rs.; dlos pretos, a 2,000 rs.; ditos de sd-
tam seodesinancham-scp -ules velhos pa-
ra so fazerom novos : no pateo do Carino,
loja de lartarugueiro, por baixo do sbra-
lo da esquina que volta para a rui d.is
Tinchoiras. n. 2
Ha no annazeii do sal dous qitarlos
para se ven lerem por diminuto prego.
-- Vendo-so uma preta : 0 motivo pnr qui
se vendo se dir ao com orador : na rua da
Penda, n. 29. loja de sapillos.
Vcndo-so sola, couros, marroquins,
hezerros fr.nncozes, tamaucos, tpalos do
\racaty, ditos da Ierra, bonetes para ho-
mom ; o nutras militas cousas, tanto a ro-
lalho com') em porgflo : tu lo por prego
c immodo : na rua do l.ivramonto, leja do
couros e ralgados, ao i Jo nicho.
-- Vende-so uma canoa nova de conduzir
familia : atrs dos Marlyrios, no eslaleiro
de Manoel da Silva.
- Vende-se superior sal do Ass, a bor-
lo da sumaca Curala, fondeada no l'orte-
do-Matos: a tratar a bordo da mesma, ou
na rua da Cruz, arma/om n. 33.
--Na rua das Cruzos, n. -22, segundo an-
dar, vendem-so 9 escravos, sondo : 3 esrra-
vos muito postantes e sadios; 4 moloques
de 13, 15 e 18 anuos sendo um cozinheiro
eos outros pura o seivigo do campo ; 3 pre-
das para todo 0 servigo. nina das quaes co-
zinha e lava de sabio.
Ornatos para sala dos
amantes do honi gosto.
Mr. Bertrn I, quo so ada aqu de passa-
gem, avisa ao respeitavel publico quo tom
grande sortimenlo de eslampas, tanto sa-
cras como de outras historias, de diversos
gostos e tamanbos, proprias para so ornar
qualquer sala ; o caitas goographicas das
cinco partes do mundo, muito modernas o
ao gosto de Paria os pretendentes, diri-
ja m-se rua da Cadeia do S.-Antonio, n.
13, das 6 s 9 horas da manhia, ede urna s
4 da larde.
Vendem-se os trastes seguintes :
cadeiras de oleo, marquezas. mesas do meio
de sal, de oleo, sophas de dito, jo^-os do
baos, camas do amarello e de angien,
meias commoilos, toucadores do amarello o
do Jacaranda, mesas redondas de dito jogos
de bancas do dito, um Idear do bordar de
Jriangulo, cartoiras de amarello do urna s
face, um cannap de Jacaranda, I duzia do
cadeiras do jararaiiit, urna duzia do ditas
com algum uso, lavatorios de amarello,
b ludo por prego commodo: na rua da Ca-
deia de S. -Antonio, n. 18.
Vendem-so oito lindos moloques do
10 a 18 anuos ; dez pretos de 20 a 30 anuos,
sondo um ptimo sipateiro o oulro cozi-
nheiro ; Iros pardos de 1C a 95 annos, sendo
um hom carreiro; qualro pardas de ll> a 20
anuos, com habilidades; urna dita do 20
annos rom dous fillios, sendo um de 5 an-
nnos v o OUt'O do um, tendo a parda boas
habilidades ; oilo prctas do tf> a 25 annos,
com habilidades o proprias para o servigo
de urna cusa nu de campo : na rua do Col-
legio, n. 3.
Vendo-so o trata lo elementar do geo-
gmphit asiroiioniica-physica histrica ou
poltica antigH emoderna, polo seu autor ;
I). Jo-dc Ijeullu, 3 volumes, impicssn no
l'orto, a qual esta om muito bom estado :
na loja da rua larga do Rozarlo, n. 22.
Vendem-se 3 lindos moloques de 14 a
16 annos ; I intilatinho de 17 annos, muito
bom bolieiro o copeiro 1 preto cozinheiro
o ennooiro; 2 pretas de nagilo, com anil-
inas habilidades : no pateo dn matriz de
Santo-Antonio, sobrado I). 4, so dir quem
vende.
Aos carroosos pas.
Vendem-se os mais elegantes e modernos
bonetes e chapos para meninos, do ultimo
costo do Pars o dos mais superiores que
leem viudo esta chindo, c chegados ulii-
maniciite de Kranga ungalera Guilnvo i na
rua do Queimado, loja de chapos, n. 38.
~ Vondem-se pegas docassas lisas linas,
com 10 varas, a 3,000 rs. na loja n. 17 da
rua do Passeio.
Vinlio de Bordeaux,
das mais superiores qualidades ; lem como
viudo de ( dan panda da nova marca estrel-
la, j muilo aprecate!, tanto aqui como na
Europa vende-se em cusa de Kalkuiann
Irmfios, na rua da Cruz, n. 10.
~ Vcndem-so bustos do gosso represen-
tando fielmente a rainha Vicloiiao o prin-
cipe Alberto: relogios do ouro e do praia,
Chegados ltimamente da Suissa : osles re-
logios que silo mu bom acabados, so lor-
nnm minio rocommendaves n qualquer
particular, o advoile-se que ha entre ellos
algunsque andaoi 8 dias sem prccsirom
de corla : na rua da Cruz, nu Itecife, n. 55.
I Ven le-se muilo bous o fre.scacs d i'i
jos de Minas, com ponco mais do ilius li-
Ibras, por co rs. ; muito boa carne do por-
! co salgada, a 100 rs. ; superior toucinho, n
1180 rs. ; muilo'una, alva e linvpi farinoa
de aramia, a StO rs a lihr.i : no pateo di.
, Carino, venda n. I.
Ven le-se urna preta do 20 annos, pro-
I xima a parir, n quo no lem vicios nam
achaques i na rua do Queimalo, vi'ilo il"
' Hozarlo, segn la loja n. is
'arinha de trigo Barn.
Acaba do rhegar a osle mercado urna par-
i ti la dOSta muito anlig o acreditada marca,
a qual pela sua escolenlo qualidade pro-
, meito renovar o crdito, quo nlgnmas par-
: tidas mo tilo boas, o anteriormente
erogadas Unlfam desmerecido! vende-se
' om casa de I i. T.isso Jnior, na rua do
' Ainorim, n. 35.
I Vendem-se diversos escravos c
moleques, sendo um delles cozi-
nliciro ;
molocotos : pretos pnra o campo; dilo^
I para armazem de assncar; um diin niari-
nheiro; um par lo ptimo para pagem ; nm
dilo sapateiro, o qual se troca por urna pre-
ta quilandeira ; um dito para IrahaHiar om
algum sitio; 3 pardas rom habilidades:
duas pretas mogas com algumas habilida-
des : lodos estes escravos OS 86US donos de
rain ordens para so venderom muilo bara-
tos : na rua las l.irnngoiras, n 11, segundo
andar.
^i*>**<^f ft09#9900S#9941 *
fe
A ,40 rs.
(* Baralisiimas mantas do cambraia o
jf seda, grandes o do escolhido>- gostos,
para senhora, pelo diminuto pr'oo

de 2.400 rs.

o
o
Um piano.
Vende-se um piano muito bom para
estudo, bonilo e de escolente aulor:
na rua doColleglo, n. 9.
3
O
0
tim b anco, a 2,000 rs.; ditos de marro- 909990990 999090990
inos, a' Vende-so algodflo da tena a 180 rs. a
Ifiel&C (.oiiif.un/.:.., g f
8

ta j\.t,,.ca(h Gantois Pai- ;"?
hia.
Domingos Alvos Mathcus, agentada
fabrica de rap superior aroia preta
e meio grosso da Babia, tem aberto o %
seu deposito na rua Cruz, no Itecife 4
n. 52, primeiro andar, onde se achara fy
sempre deste escolente e mais acre- >
ditado rap que at o presente se tem ?
fabricado no Brasil: vende-se em bo- 4
tes de uma e raeia libra por prego
mais commodo do que em oiv'ra q lf quer parte.
______________ m
Madrinas violent is.
Na rakrfa de caldeireiro de J. A. dos
SanU,i quim a 1,000 rs.; ditos para moni
520, 480 e 610 rs. ; botins de tiarroquim ,
a 1,000 rs. ; ditos de duraque gispoados, a
3,000 rs. ; 2 bonitos quadros proprios para
sala ; bacias com jarros de porcellana fina
para lavatorio ; caisas rom amendoas con-
fesadas finas, proprias psra meninos ; pan-
nos pretos e de cores ; casimiras Ce muilo
bom goslo ; brins hrancos o de lislns ; gan-
gas proprias para palitos o casacas.
No sitio da Estancia, junio ao engenho
Oe a>|ui, vendo-so uma rarroca nova de
qualro rudas, feila na Inglatorra, propria
para conduzir grandes pesos, sendo feila
para carregar assucar para o porto deem-
ba"iue, e caimas do cannavial para o ongo-
nno: og exos ri)a,s sg0 ue patenle e ue
uma su,iez plri rejgijr a i0e qualquvr
u|,flrrl,lra2d* pel annuncianlo da In-
biaierra co,10 ajequada aos servigos dos
ongenhos.coi") ascarropas dequ.trd rodas
Kem'S lamhUS" <">M ntoa"
\ei dem-so tamb^ osarreios para OJto
valloa e.n aeparadv 0 com J Carroca"a
l^.n,o,hn?.nj'd" *T. irabalhar con. ca-
vallosoubois; os arr,3 de incrior qua-
lidade serve igualmente oara carroe/s de
um cavallo e por isso tambe., vnde-se ca-
da apparelho em separado. A ti,tar no mes
mo sitio ou na rua doVigario, n 4,
-Venden.-se penles de tartaruga da mo-
da, abortos, lisos e de marralas : tambera
faz-se qualquer obra desle .genero, concer-
vni a : na rua do Crespo, loja do Carvalho &
Maia, n. 19.
Vende-se graxa ilo liio-
Grande em bexiga : na rua da
Praia, n. '>>..
Vende-so um cavallo melado, com
bons andaros c bastante gordo : na rua da
Camba-do-Carmo, n. 12.
Vende-se uma preta crioula, moga,
muito boa engommadeira, cozlnheira, la -
vadeira de sabo e varrella, o que cose e
faz renda : no pateo do Tergo, n. 7.
-- Vende-se, na rua das Cru7.cs, n. 33,
segundo andar, um perito official de sapa-
teiro, sem deleito algum : o motivo por que
se vende se dir ao comprador.
Ainda osla para se vender a taberna
da rua da Itoda, 11. 40 : se Caa algum aba-
te a quem a comprar.
Vendem-se, a tr.ico de escravos, a ca-
sa n. 23 da rua dos Pescadores: na rua da
Cruz, n 64.
-- Vendem-se IB escravos muilo lindos e
j acostumados ao servigo de campo, a pra-
zo com firmas nesta praga : na rua do llan-
gel, n. 57, sobrado.
Vendem-se ealugam-se bisas de llam-
burgo, por prego commodo : no Becco-I.ar-
go, 11. I, loja de barbeiro. Tambom se vilo
applicar para giaior commodidade dos fre-
guezes.
i* na rua do Crespo, n II.
I >
.Na rua i'.o Vigaiio, 11. 7, primeiro an-
dar, vende se nina pela de Angola, que be
excedente engommadeira, lavadeira e co-
ziuheira.
-- Na rua do Oueimado, loja n 1, osqui-
I na que vira para o Rozarlo, vendem-so er-
t les de cambraias, a 2.500 rs. ; marinos do
' cores, a 1,280 o covado ; meias proles !r> so-
Ida para homem, a 700 rs ; luvas para sc-
nhora, a 600 rs. -. cassa para cortinados,
3,000 rs 11 pega de 10 varas ; chapeos fran -
' entes para homem, a 4,300 rs. ; chitas linas.
[ a lf.O e 200 rs
Vende-se uma cadeirinhn Je robug 1
quasi nova : no Aterro-da-Uoa-Yi-da, n. 3!)
Um jumento.
Vende-se om jumento muito novo, o bom
para linar casta : "> na do Queimado, n. l.
j loja do fciragens.
Vendem-se e alugam-se ptimas bisas
I de llamburgo: na rua do Arogfto, eaaa do
I moslre barbeiro Theophilo.
Vende-so,
!na rua da Praia-de-S-Rita, n. 17, dos
lilagfio confronte a rlbeira, uma mnbilia do
Jacaranda, nova, conlendo 12 cadeiraa, 3
dilas de halaueo, lima mesado uieiodesa
I la, 9 consolos, urna cama grande do arma
: g!o e uma marquozn.
-. Vende-se cal virgem de Lisboa; caitas
vasias; feches e rodas do arcos do piio pa
ra barricas ; progos do estuque cm barris
do 32 a 45 milheiros; pilulas de familia : na
rua da Ciuz, 11. 19, primeiro andar.
Vcndo-so urna taberna na rua do Pilar,
em lora-do-Portas, 11. 88, com poneos fun-
dos, o quo lio hem afreguezada : a Iralar n;i
mesma taberna.
Fardo em saccas gran-
des :
vende-se no armazem de Antonia Annes ,
no caes da Alfandego, n 5,000 rs. 1 sacra.
Vtalas.
Vendom-so gigOB com muilo boas bate* ,
por prego commodo : no arinazein poga lo
a botica do arco da CoueeigSo.
-- Vendem-se as novas bisas do llumhur-
go, as quaes tambem se nlugam : na rua d:t
Cruz, n. 53.
--Vende-so uma magnifica celegante ra-
sa do campo niargom do rio, no lugar do
S -Anna-iie-Deiitio, contigua ao sitio dos
herdeiros do fallecido Coiiimemlador An-
tonio da Silva e confronto 10 sitio do Sr.
Gabriel, com um terreno de 800 palmos do
frente o 800 le fundo, com snllieieiicia do
tercapim para S ou mais cavallos o qnal-
qiicroulra planlag.lo.equo ludo produz com
muila f.icilidadc, pela l'ertilidadc do solo,
com escolenle banho, que lica pouco dis-
tante da casa : 01ar he muito fresco e sau-
lavcl, com extensa o aprasivel vista : os
pretendentes para ver, dirijam-sa no mes-
mo lunar, cuja entrada ho logo adianto da
propriedade do Sr. Itolm o delronlo da
venda do Sr. Nicolao, a fallar com 0 Snr.
Joilo Venancio, c para Iralar, na rua da Ca-
deia do Itecife, com o Snr. (eommendador
Manoel Congalves da Silva, ou em S.-Jos-
do-Mangninho, c?*a defronte da estrada no-
va da Capunga.
>'ovo sortimenlo de fa-
z en das baratas, na rua
do Crespo, n. 6. ao p
do lampea >.
Vendem-so cortos decassa franceza com
10 cuvados a 2,560 rs. ; pegas de cambraia
de quadros com 8 varas a 2,720 rs. ; cassa
preta para lulo, a 1*0 rs. o covado; zuarto
com 4 palmos dtilarguia a 200 rs. o cova-
do ; riscado monslro a 220 rs. o covado ;
chitas do coros (isas a 160 o 180 rs. ; cha-
les do tarlulana, a 500, 800 o 1,000 rs. de
muito bom goslo ; cortes de brim do puro
linbo a 1,280, 1,500 e 1,600 m. ; chapeos
de massa a 1,600 rs ; ditos de seda a 640
e 480 rs.; cobertores de algodo america-
no, a 610 rs. ; piclo muito eneorpado, a
180 rs. o covado ; pocas de madapolSo mui-
to fino e com pintas de mofo, a 3,600 rs.
Obras de ouro.
Vende-so um par do brincos com alguns
brilhantcs, uma mcdalha com diamante,
um lago do lilagrUa, um annel com dous
diamantes, um buzioenoastoado para pes-
cogodo menino : na rua do Crespo, n. 12,
loja.
_.
* MUTILADO


=4
._ Vniiio-so m bom' carro Jo rodas,
rom na sena competentes iirroins pura dola
oavallos, pela anantia da 250.000 rs.-. na
maca do Corpn-Santo, n. 2 Nn me a tria 0.1-
sn compram-an dous quarlaos pura cars-,
(||ie seplll! llOHS.
.. Vcndcm-se orillos pura todas as ida-
do-:, na mol llores que tnem vimlo n oslo
iii-i! Ni ; uiin prela moca, qii <"0*t en-
gomla, Iip lina 007'inheira na ra lar-
ga do RozariOi n. 35, loja.
-- INoormazam n. da ra da Moeda,
vendo-so sal nm (randa o pequcnos porgos,
por proco mais haralo do que cm outra
IiialqiiPr nartP.
Vende-se muilo superior fa-
rinha gallega om meias barricas
na ra la Cadeia do Hccife, cs-
criptorio de Deane Yonle fc C. ,
mi no primeiro armozem do liecco
lo (ioncnlves.
-- Vende-se um preto ptimo cozinheiro :
ao comprador so dir o motivo por quo ae
vende : a fallar rom Ceorgo Nerbelt, na rna
do Trapicho, n.42.
-- Na ra ila Molida, n. 7, vendeni-so har-
rjsdp varios tamaitos, com o mais supe-
rior vinho do Porto que loni vinlo a este
mercado, sendo alem da lioa qualiJade
muitissimo liaralo.
Na ruado Crespo,loja da
esquina que volla para
a cadeia,
vendem-se os acreditadna hrins trancados
hrancos de listras e lisos, de lindo puro, a
1,500 rs. o corto; dito amarello, & l,500e
1,600 r*. panno lino preto e azul muito
bom, a 8,900 rs. o covado : lito muito su-
perior, a 5,500 rs.; fustes muito honiloa
para colletca, a G'J rs. o corle; ditos de
velluda, h 2,500 rs. ; diiosde scliin lavra-
do, a 1,800 ra. ; ditos do gorgorito de soda,
i 1,600 rs. ; cambra i a lisa, a 2,720 ra. a pe-
ca li! 8 varas e meia ; cassa prcta, a 1,440
rs. o corle ; esgulo de linlio muito lino, a
1,it0 f>. vara; c ulras muitas fazen-
dafl por precos rnnmodoa.
Techlos de algoriao I ran-
eado da fabrica de To-
dos- os-San los.
Na rua da Cadeia, n. i>!,
veiidotn-so por atacado duaa qualidailea,
proprlas para saceos de assucar o roupa de
eacravos.
/liarles de furla-crcs a
200 rs. o covad <> Tris-
cado monslro a 290 rs.
Vende-so zuarle lo furta-cres muito
encorpado e com 4 palmos do largura, pro-
prio paia cscravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monslro milito bom a 220 rs. o cova-
do : na rua do Crespo, loja da esquina que
volla parr a cadeia.
A ( rs. cada un.
Vendom-se cobertores da algodSo amen-
cano, encorpadose grandes, a duaa pata-
cas ; i olas escuras de 1)008 padroes c co-
res seguras, a nicia pataca o covado: na
na do Crespo, na luja da esquina que vol-
la paia a cadeia.
Tai vas para
Na fundieflo de ferro da rua do Brum,
acaba-so do recebor um rumpleio sortimen-
lode i-.isas de 4 a palmos de bocea aa
iiuaei acham-se a venda por preco coin-
niodo e com promptidio cmliarcam-se,
i u carregam-aeem carrossom desperas ao
-.- unpr&dor.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O arma/cm mitigo da rua da Madrc-dc-
lieos, n. 36, esta de novo eslabelecido de-
baizo ilas mesnias condignos, offerecondo
. deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
lia por 220 rs a garrafa, o 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de liordcaux por HO rs. a
garrafa levando o rasco. Nilo se admiiem
os fieguozes do bailo proco por que se ven-
do a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietarioquerer sustentar o aniigo pre
go, embora este genero tenlia subido o me-
Unir de 30,000 rs. por pipa. Examinen! os
amantes a qualidade para rcconln cimento
da verdade e coniinuagflo da anliga fregue-
zia. upara nao haver usuras, csl.lo promp-
las garrafas lacradas o com o coiiipelenle
rotulo, assim como barril de diversos l-
mannos para piovisflo do prximo Natal.
O proprietario cunta com a concurrencia;
ilo contrario, tornarflo os precos do reta-
llioa primitiva do 240 e 280 ra. a garrafa.
Folha de Flan i res.
VcnJeiTi-se caixascom folha de Flandros:
un rua do Aiiioilin, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnnior.
--Vendem-se amarras de ferro: na rua
Ja Senzalla-Nova, n. 42.
Velas de cores.
Vendem-so, no armazem le moldados
atrs do Corpo-Sanlo, n 66, por preco com-
modo, velas do carnauba, sondo azues,
Cr de rosa e lustrosas, as quaes se torna ni
recriminen lavis pela sua superior qualida-
de e aturaron mais que as de espermucele,
e nao fazerem morrSo.
Deposito de jJotassa.
Vende se muito nova potasas
de Loa qualidade, em bairiszinlio.-.
pequeos de qnatro arrobas, por
preeo barato, como j lia milito
tempo ae nao vende : no i'ecile.
rua ila Cadeia, armazem n. la.
Antigo deposilo de cal
virgm.
Na rua do Trapiche, n. 17, lia
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
t ranunes-/rnr.mhuro, fondeados ao p VcnWe um vallo do bonita figu-
do caes ,lo anos. hom sobo emr,ma, por ra, bom g.lnpladore pasaciro : na tua da
Praia, nrmazom 11 64.
engenho.
I reco commodo.
rados de ferro.
Na l'un lo;W da Aurora em S.-Amaro
Vende-so um chapeo de pasta, proprio
para empregado publico ; urna caixa de cha-1
. ifocnnlendo um jogo completo de voltr-
vondem-so arados de ferro diversos mo-lrctp; urna cominenda deoficial da rosa ; 2
"bonitos anneis do brilhantcs : na ruado
Crespo, n. 17.
\'o armazem do barateiro Silva Lo-
pes, na porta da alfandoga, rodtW^N*
11
lelos.
A 140 rs. o covado.
Vende se superior riscado do algodiio,
muito encorpado, a 140 rs. o covado: na
rua do Crespo, n. 6, loja junto ao lampeo.
Vendem-so relogios do ouro e prata,
patentes nglezcs: na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
Rifas.
Vendem-so bichas chegadas ltimamente
e de boa qualidade, a 160 rs. cada urna, cm
poreflo de 25 para cima : na rua do Amo-
riiii, n. 35.
AGI-NCIA
da fundiejio Low-Moor,
BA OA SKMZU.T A-NOVA, N. l\ 1.
Neste cstabelecimento conti-
na a haveium completo sorti-
mento de moendas e meias moca-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
corri, de todos os tamaitos,
para dito.
Pos galvnicos para
pa fea r.
Na rna do Collegio, loja n.9.
Todas as pessons que possuem ohjeclos
praleados e que tenbam perdido a cor ar-
gntea, estando por 8SO indecentes, 011 inu-
tihsados, leem uestes pos um excellente
restaurador e conservador dos mesmoa
objectos sempre como novos sendo o pro-
eesso para so usar ilelles o mais simples ,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho mnlbado em agoa fria e passado
nos mesmos pos.
Urna caixinba conlcndu quantidade suf-
ficienle para pralear maia de 40 palmos
qiiadradoa costa a mdica quanlia do
mil rs.
Deposilo da fabrica de
rodos-oS'Santos na Rahia
Vcnde-se cm casa de N. O. Ilieher & C.
a rna da Cruz, n. 4, algodiio trancado
daquella fabrica, muito pioprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Chd brasileiro.
Vende-so cha bcasileiro no armazooi de
molhados, alias do Corpo-Santo, n. 66, o
mais excellente cha produzido em S.-Pau-
lo que lem viudo a eslo mercado por
preco muito commodo.
Fariulia de ivigo.
j. j Tasso Jnior vende farinba de Pro-
venca, cbegaila no ultimo navio de Marsei-
IIk., por pceo coniniodo.
Moend s superiores.
NafundicSode C. Starr & Companhia,
om S.-Amaro, acham-so a venda moendas
do caima, todas de ferro, de um modelo 9
Construcc.u"o muito superior.
Cal virgeni.
Cimba & Amorim, na rua Cadeia do Rc-
cife, n. 50, vendeni cal virgem do Lisha,
de supeiior qualidade por prego mais ba-
rato do que em outra qualquer parto.
Novos corles de eassi pa-
ra ves lid os.
Vendem-se cortes de cassa para vestidos,
ile cores lixas ede bonitos padroes, a sele
e oito patacas o cuite ; olales de tarlalana ,
grandes a 800 rs. ; mojos ditos, a 500 rs. :
na rua do Crespo loja ila esquina quo vol-
la paia a cadeia.
4os turnantes de bom gosto.
No armazem de moldados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, lia para vender, chegados
pelo ultimo vapor viudo do sol superio-
res charutos S.-I'elix, e do nutras muitas
qtialidades queso veildcio mais barato do
que em outra qualquer paite : bem como
cigarrilhos heapsnhoea ditos de pal ha de
iiilho, que se estilo vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
Corles de biim de cr< s
com listras a<> lado, a
1,280 rs.
Vendem-se corles do brim do cores com
listras ao lado, a 1,280 rs. ; riscado de ul-
BodSo americano, proprio pirra esciavos, a
140 rs. o covado na rua do Crespo, loja da
esijuina que volta para a cadeia.
Attencao.
Vcndem-sa lilas de chamalote para os
hbitos do Chrisln, llosa, Aviz o Cruzeiro,
Chegadas prximamente : na rua do Cres-
po, ao p do arco de S.-Antonio, loja de
miudezas do Joaquim Melifiques da Silva.
A os amadores e Iliteratos.
Na rua do Crispo, loja II, 5 A, do Ricardo
los de Iwritas, dclroiito do trapiche no-
vo, n. 6, vendem-se as seguinles ubias, por
pceo e.nuil,mo :
O l'rem, pulilicacilo modernissima que
descrevo o estado lamenlavel das cadeiaa.
tletiitu militar, jornal contando mullos
couhecimoulos utcis e novos inventos, para
a nolire prolissfiodas armas, com as plan-
tas e estampas necessarias para a iutclli-
gencia do texto.
Historia do cerco do Porto, 2 v. obra mui-
to iiiodernaeiiileressanlo pela narradlo des-
te heroicofeilode noasos dias.e dejoutras no-
liciase pela carta lopograpbica uas linbas
da dita cidado.
Viugtat na titinha ierra, publicarlo de
muito goslo e chiste do bem cuuhecido Hi-
lera loCanelt.
Cotilos Ja minha trra, bella tradicc.no da
provincia do Hinlio, pelo excellente esrip-
lor A. P. da Cunba.
Portugal, recordares do anuo de 1842,da
viagem que a essu reino fez o principe
l.ichnowsky.
Mvieu l'i'llorcsco n. 1 a 21, jornal scienli-
a'de trigo, nova ede primeira qualidade
quo vem a este mercado.
Para quero livr bom
^OBto.
Vendem-se redes de cores muito grandes
e muito bonitos padrOes, e o melhor que
tem apparecido neste mercado : na rua do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia. ...
Vendem-se saccas com rarinha muilo
boa e bem torrada, por preco commodo : no
armazomdofinalo lraguoz: na rua da Ca-
deia, ao p do arco da ConceicSo, n. 6 0, ou
a fallar na loja de Joflo Jos de Carvalho
Moraes, e no mesmo armazem.
-Vende-se cera cm velas, vinda do Uio-
de-Janeiro, em caixas de bom sortimenlo,
por si r a maior parle miuda ; pos antibi-
liosos de Manoel Lopes, por preco commo-
do : na prega do Commercio, n. 6, escrip-
torio de Manoel Ignacio de Oliveira.
I PBECOS COM MODOS.
8 Loteras do Bio-de-Janeiro.
a lina do Collegio, n. 9.
m Pelo vapor Impcrnlrts, sabido do
% ltio-dc-Janeiroem 2docorrente, rc-
i- ceberam-se buhles e cautelas da
5.a lotera dos capuchinhos
Ine (cava para correr no dia 6 ;
bem como da
ai
Aftencao.
Sao chegadas as verdadeiras hi-
xas de Ihmburgo, as qnaes se ven-
dem sos centos c a retalho : tain-
liern se alugam : na roa da Cruz,
no Kecfe,n. /|3, deposito de Joa-
quim Antonio Carnciro de SoitH
Azeredo.
Rap de Lisboa.
Vende-se rap de Lisboa, por
.pre90 commodo : na.rna da Ca-
deia' do Recife, loja de Antonio
joaquim Vidal,
Na rua Nova, n. 59, loja de trastes, de
Antonio Domingues Pinto, vende-se um par
da consolos de Jacaranda, cobertos de pe-
drn marmore, com seus competentes tre-
ms : obra perita e de goslo o mais moder-
no possivel.
Rape Paulo-Cordeiro.
Vende-se rap<5 l'aulo-Cordeiro,
chegado pelo ultimo vapor do Rio-
de- Janeit o, bem fiesquinho, por
commodo preco : na rua da Ca-
deia do Recife, loja de Antonio
Joaquim Vidal.
Vendem-se e alugam-so bixas de Ilam-
burgos, por commodo preijo : na rua estrei-
ta do llozrrio, 11.13.
noticia la extracto, afim de se pro- S
verem quanto anteada loleria dos ca- S
puchinhiis, cuja lista deve chegar
primeiro. ^
do monte po
S quo deve correr no dia 16 : o que
5 assim seannuncia ans amadores des-
5 te jogo que goslam da Jirevidade na

i

m
Cal de IJboa.
No tio-1'ormoso, em casa de Julio Jos
Lopes, vendem-se harris corneal virgem de
Lisboa, do superior qualidade, (por proco
commodo.
A 2,720 rs. cada o ni
corte.
Ka loja de Guimariles & llenriques, rua
do Crespo, n. 5, vendem-sc novas cassas
parisienses, padroes muito mojemos, pe-
lo barato preco de 2 720 rs. cada um corle :
esta fazenda se torna muito rpcommcnda-
vel pela superior qualidade e barato preco
laceas com mil lio a
2,500 rs. e (lilas com ar-
roz de casca a 5,500 rs.:
veidom-se no armazem do Braguez, ao p
Joarco O Conccicflo.
No armazem n. 7 da rua da Moeda, ven-
dem-so saccaa com superior colladas fa-
bricas do Itio-Crande-do-Sul, por preco em
conla.
A *1A0 rs o covado.
Vendem-se riscados de linho, proprios
para jaquelas e caigas, a 210 rs. o covado ;
zuailo com urna varado largura, pelo ba-
rato dc200rs. o covado: na la do Cres-
po, n. 6, loja ao pedo lampe.1o.
Vende-srt una escrava de 20 anuos, de
muito bonita figura, quo engomma, cose,
cozinha o servo bem a urna rasa ; urna dita
moga com una Mlha de 10 mozos, a preta
coso c faz lavannlo ; una negrinha de 8
anuos, muito linda, que faz renda o cosu
iilguma G0USI ; urna preta de 35 annos, pa-
ra fura da provincia, que he cozinbeira, cn-
gninmadeira, riliiui assucar e faz doces : na
ruado Collegio, n. 21, pria.eiro andarse
lira quem vendo.
Que i jos do serlo.
Na rua doQu, imado. n. 14, loja do fer-
ragens, vendem-so muito bous queijos do
Serillo, por menos prego do que em oulra
qualquor parte ; bem como 3 couros de on-
ga o unido lonlra ; umaporgilo do cauros
miudos ; ludo se vendo muito baralu.
CIiis escuras de cores
fixasa I80rs. o covado.
Vendcui-seas melbores chitas de ciires Pi-
sas e (asento* oscuros : na rua do Queima-
do, n. 8, luja confronte a botica.
Calculo de I,i0a 1,600
lVo Aterro-da-Boa-Vsla,
defrante da boneca,
silo chegados Hpatos francezesde couro do
lustro par senhora, a 1.280 e 1,600 rs. o
rarjboiu como um cun pelo sorlimento
decalgaao de tolas as qualidadrs, Unlo
para lioiuem como para senhora e meninas;
assim como do A'acaiy para hoinoni, a
1,000 ra. pedes de couro ilo lustro ham-
buriuie/e fraucez; ditas de marroquim :
tudo ,or prego commodo.
A 480 c 500 rs.
Vendem-se cassas franuezas oe fOres fi-
xasa de bonitos padrOes, pelo barato pre-
go de 480 rs. a vara ; chilas largas france-
zas e do listras cor do ganga e cor do cip.
pilo barato prego de 360 rs.; brim U^1*
do aman lio de puro linho, pelo bar*1 I,r"_
co de 640 ra. a vara : na rua do/11
14, loja do Jos Francisco Das/
-- Vende-se a loja de oniuj)'4*
ro-Ja-Iloa-Vista, u. 84, C
fundo do 700,000 rs.; as/
dem as o iudezas sin*
Vende-se a bordo des brigues Ugeira I lico, contendo muito boas estampas.
do Ater-
um pequono
como se ven-
.o, ou a armaglo,
dente.
-- Vendern-** dous escravos pegas
muito ele
i
Q s
i .
5
11
-o
&w
c
al"
_~ e O ^
f.

= 03 =
X
**f >

*m -

bt>
mm
ti
93
= ='!
'" ai
~ o a. s
3 o = -
2" = -
C x 5
K
a
SaS c i
*- o 2 o
iir.o
_ H t* S
" S "3 O.
2 =.
* Z -3 t. t.
u .~ a o
o o a.-
= '? .
I" i
%Zr39
~<9
9
-,.2 >
"2 s 5 a c ="
g-SS". > SSS-c
Vende-se urna prela muito boa cozi-
nbeira eongommadeira, muilo sadia e ro-
busta, nilo tem vicio alguma, apenas fuma
cachimbo e isso muito pouco : seu prego
lie de 480,000 rs. quanto cuslou : o motivo
de se vender he smente por lizer que nilo
quer irabalhar em um quintal e querer que
a vondam,adverlindo-so que sndu para fra
da Ierra ou engenho da-se mais em conla :
na rua do Sebo, n. 8, a toda a hora.
-- Vendem-se pegas de chilas limpas e de
assenlo coberto, a 5,800 rs ea retalho a
160 rs. ; cassarchita preta para luto rigo-
nwi o allivuiio, a 140 ra. o covado ; cassa
lisa, a 3,000 rs. a pega do 10 varas, e a re-
talho a 320 rs.; cambraias, um corto para
vestido 2,500 rs. : na rua do Passeio, n. 17,
loja.
Na loja nova da rua do Quei-
mado, n. lo, acha-sc um comple-
to sortimento de fdzcndas de gus-
to, asmis modernas que lia e por
precos os mais conunodos possi-
vais, assim como lia pannos pre-
tos c de oles muito linos, a 5,ooo.
Ven(lem-se sapatocs de cou-
ro de lustro pelos baratissimos pre-
cos de 2,.?oo, 3,000, 4,oooe 4,5oo
rs. ; di(08 brancos do A racaly pa-
ra lio iicm e menino, a l.ooo rs. ;
dilos de orellias, a i.Goors: na
rua da Cadeia do Recife, n. g.
Vendem-se massos de meias de linho
por commodo prego : na rua- do Vigario, n.
II, primeiro au lar.
Vende-se urna farda para guarda na-
cional, urna banda rica para official, um par
do globos do ouro, canana e lalim, urna plu-
ma e um fiel de fio do ouro para espada:
quem pretender, dirija-se rua bircita, n.
70, das f. is 8 horas da mauhfia, do moio-
dia as J horas, ou noilo : ludo se vende
por prego commodo.
Velas de espermacelc
Vendem-se velas de esperma-
cetc superiores, chegadas agorarla
America : em casa de Deane You-
Ic & Companhia, na rua da Ca-
deia, n. 4-
como oulros muitos escravos: na rua da
Cadeia do llecifc, n. 40.
Bom c barato.
Na rua do Queimado, vindo do Rotarla
segunda loja, n 18, vende-S panno fino
verde o azul, a 2,000 rs o covado; dito
azul muito bom, preto c edr de azeilona, i
8,000 rs.: lengos desetim para grvala, a
1,000 rs. ; mantas da seda cscncczas de bo-
nitos pa l roes, a 10,000 rs. ; corles do ct !-
leles de fus'Ho branco, a 500 rs.; cerclas
de meia muito finas, a 1,500 ra. ; cites do
cainbraia do seda ; colillas multas fazen-
das por commodo preco.
Vende-se espirito do 37 gros, a 1,200
rs. a canadi, e 160 rs a garrafa : na rua da
Praia-de-S.-Rita, o. 1.
Vende-se um negro ptimo cozinheiro:
ao comprador se dir o moljvo por que se
vende- fallar com Gorge tferbelt, na rua
do Trapiche, n. 42
Vende-se urna escrava de nacHo Costa,
muilo moga, de bonita figura, sem vicios
nem achaques, que cozinha o diario de
urna casa, lava de sabio, tem principios de
engommar e coser, e he muito propra pa-
ra a rua : na rua Augusta, n. 52.
Vendo-e urna boa escrava com lodas
as habilidades : o motivo por que se vendo
se dir ao comprador : na rua do Arago,
n. 10.
Rosta loja vende-so panno (no preto e
de cores ; casimiras elsticas, finas e de bo-
nitos paiiies ; corles de brim de linho es-
curo, a 700 rs. ; cassa lisa, a 320 rs. a Vaflgl
lillas decores lixaso de pannos miii1^*1
de
,-^es figuras: um he muito bom
officiardTapaleiro da toda obra, a o outro
bn muito proprio para carregar urna cadei-
nntia e servir a urna casa : na rua do Col-
legio, n. 21, se dir quem vende.
culpadas, a 140 rs. o covado ; e p-^8,8 m"1"
las fazendas proprias da b**i Pur baral0
prego para [hnl- Wi
sellins inglezes e olas-
ticos :
vendem-se em casa de Ceo : Kenworthy &
C. na rua da Cruz, n. 2
Vendom-se 6 lindos moleques de mgSo
e n millos de 12 a 20 anuos, som vicios; 4
pre tos de 20 a 30 anuos ; 3 pardos de 15 a 20
aiiin-s, bous para lodo o servico; 2 inulati-
nhasjJi6 a 20 nnos, as quaes s3o perfei-
tas engomrradeiras, coslureiras e cozinhaiu
muilo bom; i niela ba lavadeira, coxi-
nheira o qiitandei.-vcom urna (ilha.de 12
anuos, muito linda, cm^orincipios de habi-
lidades e quo lie recolhidViegras quitau-
deiras, de 20 annos ; 3 ditas .m algumas
habilidades ; 2 ditas de meia rua**; tssm
s -yn alguma
sia Whj asstr
fcscrHVos I1 ligio os
100,000 rs. de gratines;So.
Oabaixo assignado rogaaos Srs. de en-
genho ChrislovSo do dolan la Cavalcanlr,
Francisco de Barros Reg, Francisco Mari-
nho Wandcrlcy, Francisco de S.-Tiago Ra-
mos, Antonio Jos Marroquim, Manoel d
Marros Accioli Mello, Antonio de S.-Tiago
Paz de Mello, Paulo de Amorim Salgado,
l)r. Flix Theotonio da Silva GusmSu e Ig-
nancindo Barros Wanderley para que se
dignem mandar ver pelus moradores de
seus engenbos urna escrava de nome Ca-
tharina, crioula, de estalura regular, ma-
gra, cun a barriga um lauto cresciila, den-
les bonitos, aobranselbas carregadas ; le-
vou una filha mulatinha, de 3 annos, de
roslo redondo, olhos pequeos ; lem aa co-
xas ISo unidas que a faz vollar os fes pan
oslados. Fugio a 11 de outubio do 1818.
A mili desta negrinha chama-so Jcronyma,
e tcni alm desta filha muitos filhos, e por
isso se tem feilo notar no lugar aonde mo-
ra ; he escrava deThomaz Vicira, morador
no engenho Palma, sitio capivara. Cathari-
na foi cria de Maria Vieira, moradora em
Peroba, silio Pescinenge, e por morlo desla
coube cm beranga a Certrudes, lllha casi-
da com Domingos do tal, morador nesti
praga. Ha toda a certeza dclla ter estado em
algimi desles engenhoa, porm lem sido
mudada talvez pelos manos. O ahaixo as-
signado ofierece a quanlia de 100,000 rs. a
quema trouxerat o fim de dezembro do
rllente anim, o pretendo desse prazo en
diante, fazerloda a diligencia para a deseo-
brir o proceder contra quem a liver acoi-
tada.O com mu minute do corpo de poli-
ca, lodo do Reg Barros Valc/lo.
--Fugio, no dia 6 do correnle, o preto
Benedicto, de nagilo, de 18 anuos, pouco
mais ou menos, sem barba ; levou camisa
de madapolilo e caigas de riscado largo o es-
curo ; de altura regular, corpo fornido,
beicos grossos, bocea grande, ps e mitos
grandes: quem apegar levo-o rua es-
treilado lto,zario, n. 43, segundo andar,
que ser gratificado. ,
--Fugio a preta Viciinna, de estatura re-
gular, ollros v. ripeaos. be\tos cabidos, res
apapagayados, eio grande ; lem um caro-
go direito em cima o colovello ; levou um
vestido de chita escuro j usado ; quem a
pegar leve-a ao major Maycr, que recom-
pensar.
Drsappa/eceu, no dia 16 do correnle,
um mulalinbo de nome Miguel, de 10 annos
pouco mais ou menos, cbeio do corpo, ca-
bega grande, olhos grandes, denles largos,
nariz cinto, pernas grossas ; lem o corpo
cheio do signaes pretos, cor um tanlo palli-
da levou vestido camisa de panno azul.e
levou mais urna caixa de tartaruga. Roga-
se as autoridades policiacs e capites de
campo, que o apprchendam e levein-no ao
pateo do Tergo, n. 8, sobrado.
--Fugio, no dia 19, a prela Maria do Ito-
zario, de 16 anuos, baixa ; tem os olhos
grandes e morios ; tem no brago direito un
ll.eni inflo esquerda un. ci rogo bem na
palma da inflo ; levou vestido do chita azul
com flores amarellas, o por baixo desie nu-
tro de ganga azul, um panno da Costa an-
da novo ; tem os denles aparados ou aber-
tos levou mais urnas argas da ouro liso
as orelhas : quem a pegar leve-a a rua Im-
perial, n. 99, que ser recom ensado.
Fugio, no dia 16 de outubro prximo
passado. o escravo cabra, de nome Thimo-
tbeo, ufficiel de carpinteiro, de estatura al-
ta, magro, zambeo das pernas, com falla de
um dedoem um p, .denles podres; temo
signaldeum pequeo talho na ponta do
nariz ; he bem parecido de roslo, com prin-
cipio de barba ; levou boa caiga do brim
azul, camisa branca e gndola branca lina;
cujo escravo foi do lili. Sr. Alfonso de
Albqquerquee Mello, daprovincj do U-
ra, por orden) de quem foi vendido nesli
corte peloSr. capilflo de fragata Jesuino
1.a mego Costa; consta ro a lodos aquellel"e ",0 eonbecem.e
bemotersuaU- Pr b?r, escrevere
contar, o <<""" o cenbece diz a una que
anda j^ruem de seu senhor a procurar
np-mo cempre, o a oulros que anda em
procura de ohra para Irabalhar: o que se
previne sos lllms. Srs. olficiaes do exeicito
o armada, para que o nflo recrutem ; capi-
tSes de navios, para quo o nflo receban) a
seu bordo a pretexto algum ; meslres de
obras, o nflo admittam as mesman; aos Su-
encarregados da visita dos navios o nflo
deix-'iii sutiir em navio algum, qur seja na-
cional, qur eslrangeiroe aludas aspes-
soas em geral se rog o nflo acoitem, nflo
sopara evitar o procelimento criminal,
maistambOBide pagir o jornal de 1,600
rs. diarios desd que o mesmo estiver f-
gido, que be lano quailo se protesta ha-
ver daituella pessoa que 1 he der cuito : para
cujo fim se faz o presrnle annuncio, para
qu niiignem se cliaini a ignorancia, e se
larflo boas alvigaras n|uem do mesmo der
noticias onde existe, o levar rua da
Cruz, o. ?.
i
Pan.
Ni TT/
/
DE M, t. DEM|A.-18<9
\
IL EGIVEL l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG7SY1Y1T_LSYZ76 INGEST_TIME 2013-04-24T16:43:39Z PACKAGE AA00011611_06719
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES