Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06718


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo
XXV.
Q un ra-folia 21
. rARTIDAS SOS COBBEIOS.
r.niannaeParahiba,segundas eaextas-feiras.
Kio^.raude-do-Norle,iuima!-feirasaomcIo-
Cabo.'scrlnhein. Rio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo no I.0* n II e -21 de cada me.
Garauhuni c Bonito-, a 8 e 2:.
Bi.a-Visia e Floros, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-felras.
i Muida, tcdos os dias.
IHWIBIDM.
Fbses d uu.-Mng. a 7. s 6h.e 3m.dam.
Nova, a 14. as oh. c flJni. da t.
Gresca 21. aos Ti in. da di.
Chela a 30, 3n. e jra.dnn.
PEtAMB DE BOJE.
Prlmelraas 10 horas e(J minutos da mabn.
Segunda as 10 horas e 30 minutos da Urde.
de Novcmbro N. 2 VBZOOS BA SBSCRIFyAo.
Por tres mezes (adianlaao) 4/000
Por seis mezes 84000
Por uui anno 15U00
BJAS DA SXMAMA.
10 Scg. S. Isabel. Aud. do J. dos orf. do tra.l. V.
20 T.re. S. Flix, de Val.os. Aud. da chae, doJ.
da I v. do civ. e do dos feilos da fazeuda.
21 Ou.irt. S. ti-lasi". Aud. do J. O 8. v. civ.
ti .Quii. S. Cccila. Aud.do J. dos or. 8 do IB. da
1. v.
23 aext. S. Clemente. Aud. do J. da I. v. do civ,
e do dos fritos da fazenda.
24 Sab. S. Joo da Cruz. Aud. da Chae, e do J.
da 2. v. do crlmc.
SO Djiii. S. Oathrlna.
CAMBIOS eh ao be lonwao,
Sobre Londres. 28.1. por i.fOOO rs. a 60 dias.
- Pars, 31
. Lisboa, i- >P 'c""- ... -m*
Prata.-Pa.acoe. br.ileiros..... *40 JU
Pesos colu.nnarlos....... #M40a /*
PUq, uieilcaooi.......... flg 'f880
EA3TE OFFIOAt.
TIsTERIO DO 1MHEBIO."
InFCKETO N. 637. ~ PE 27 DE SF.TF.MRRO
I DE 1849.
Wrgulatnrntn Interno da adminhlracaodo cor-
' reio da eopllal, de lunt agenciat e dai da
provincia do llio-de-Jantito.
ContinnacSo do n. B57.
TITULO VII
i: A P I ro I, O txtCO.
nispoiiem (Uvertai.
Art 257. Na falla e impedimento do ad-*
lnslrador do correio e do seu ajudante,'
hervir n contador. I
Ar 1.958. llavera na adminisIracSo docir-
h?i un livro para o assentamento >le todos
hs i'" pn'gados < 1 -> n.esm, com dcel nacSo!
|e seu nnines, dahs de suas nomoeoes
posees, o seus v.neimehlos. (Mod.llo.
. 36.)
Ni-sl* livro se lancariJo as faltas de aervi-
^juecada un dos ditos empregados livor
Inncnidlido; as adveitencias, susp-nses
>domiss0os queti.verum soT. i.lo ; as rein-,
egraces, aposeiiladnrias, ou licencas que
iihiivercm ; e liom assim loilaa aquellas oh-
kervaces f.ara cmilieriinenio da hahilitacfio, se>vi-
tos o qualidad-sdos mesmos empreados.
Art. 959- O livro que, em observancia do
|irt. 231 doregulamento, existe na directo-
la i ara olaiicam-nto dos sellos onvados
|as diftVren'es adminisliscOos, ser d'ora
lem dtartio intitulado -- livro de cuntas cor-
[renles com as administrarais do cor-
Ao oflleisl incumbido da contabiliJade
perlenco exclusivamente a cscripluracfio
desto livro.
Nella serin carregados os sellos e cutis
que cada tdminislracflo receber, doscar-
regando-se-lhe, vista dus balancos que
npresentar, os sellos que vender e as carias
que entregar.
Art. 260. Ser sup riintJa a escriptu-
raeflo: .
$ t. D. livro do inventino das cartas quo
Inflo t'veram sido procuradas e que deven
|serqUi*mdsspublCaraente.(Arl. ISSdoro-
liIulxn.eritil.)
$2 Dos litros do registro de ordenj, do
le seguros do cofre, dos de registro dos offi
{ios e racimas das cartas cxpoi ta.las, dos de
jistrodoofllcios directora {eral, aos
dministradoros o agentes dus Correios, a
iiversasautoridades ou a quaesquer oulras
le-soas, e do actual dos a>seiltumeutOidos
:mpredos do correio.
3 E dos 5 cadernos do art. 23* do re-
Igulamenio.
Os ag-nts emmassaro os ollicios, listas
e guas de cirtrs que receboreni, bem como
a copia ds que envnrem. LanQarflo os se-
guros da n.esma n.aneira pela i|ual o dove
lazer o ebef.' da turma da sahid, o emmas-
sarfio as coi is dos ofilcios que se diigi-
rem qnaiquer atitoiidade.
Art. 261. Sera lambnm supprmida a es-
crrfiurac.1o dus livros da dir.ctoia ger.il
pivao registro dos avisse onlens do go-
I vernu, dos de ofllrius dirigidos ao ministo-
I rio, a quaesqii>r diffWetito* auloriJades ou
IcidadfloH, aos administradores, e, no livro
Ido aaontamenlo, a parlo que diz r.sp.-il.i
[aos agentes c seus ajudantes, bastando
lni- Km um ca.li rno se assenli-m suas no-
icaQOes.
Arl. 262. A correspondencia oflic I recc-
iiiJa na directorii gersl e na adminis'racilo
Fdo correosera enmassad, e segundo oseu
[voliime e .c.idernada de seis em seis mezes,
[ou do anno cm anno.
Art 263. A correspondencia olllcial da
directora geral e da adminisiraqilo do cr-
relo ser copiada por michim e liga la a
talo s.
Art 26*. O administrador do correio re-
rritirra a director! g ral al odia 15 de
cada tnez urna Indura dascart s de cor-
le que no nez antecede te livr rerebido
ou reinettido aosnutros administradores.
Art. 265 O t-Judanle do iulmiin.stra.lur
ciganisar em lodos os trimeslies e annu-
lineiite tima eslalislica da onlraJa dos oll
eios, callase mais papis sellados, das do
pmio e sem elle^quese remettercm pira as
adiiinlslrac.0es c agencias do correio do im-
peiioo pai/es estrangeiros, ou quo fOrem
k jelfes r.-c -linKis.
Na rslalislica innual far timbem men-
Cilo das caitas salraadas que fiem con-
demnadasa consumo. ( Modello n. 37.)
Arl. 266. Costar a impresso das lisias
iloatt. 136 do regulainrnto. E SCrflo t ra-
das na machina e archivaJas copias das di-
ls listas.
Art 207. As^clis, listas, guias, facturas
e Hutas, dcronilo o espaco de lempo dus
arts. 137et38, s-rilo vendidas con o os im-
P'i'ss s. ( Arl. 139 do rcgulanicnto.)
Arl. 268. Seiilusubji itis a pinte lod s as
ca tas, ainJa quo nflo o-lej un fecha las
Exceptumi-s; asearlas.! recommenda-
r,n dus purlidoics, que iiSj rsliVero n frt -
diadas e as dirigidas aos cons'gnatsnos
dos navios e aos seus donos respailo do
rarrcgamcit e mis objectos relativos a
respcciiva n'egociafflo.
* Ait. 269 >u caso em que pelo esime or-
di ni do no art. 42 se Feconhec que o ar-
rombamento ou abertura da mala ou sacco
proceden manif.slamente de caso foituito
U'sgini, fnguou algum oulro desastre, setn
culpa dos conductores ou de qunlquer ou-
tra pesso, assiui ezplicilatnenle *e docla-
ti no uto nOo se fm reme I au-
toridade ciminal ; farendo-ss, porm, o
ni iis que tica determinado no referido ar-
tigo-
Arl. 270. O ministro do imperio designa-
r sobre proposta do administrador do cor-
reio quaes seja-n as embarcaces da nave-
gado interior dcste pnrto e provincia do
Riu-do-Janeiro ohrieadas a ronduzr gra-
tulsm-nle as malas do correio para os por-
tos e lugares de seus deslinos
O administrador ou agente mandar levar
dispoaicSo do juix municipal da prhneira vara
do termo d < llecife os sentenciados Jos Theo-
li lo da Cnnha e Manoe! Antonio Coutinho, que
trouxe da ilha de Fernando no patacho a en
mando, segundo communicou ocmninandan-
te da mestna ilha fin ofnclu de 3 do corrente.
Sclenttflcon-se o dito juiz.
Portarla.Dispensando do lugar de 5. snp-
plentc do Jala municipal da secunda vara dete
termo o hachare! V.anoel Jost1 Pereira de Mel-
lo, por asslin o haver pedido.Fizeram-se as
necessarias commiinicaciles.
Dita.Noineando a Franrisco Carnelro da
e con luzirde bordo das ditas embarcacO'S S1U 1Ubdeiegdo dafregueiia de San
OS massos, "'alas. OU saceos da correspon- ^^ p A,nsr0 en,d|cto deSouza para 3' sup
dencia o os mestres ou arraes dos mesmas pirnte \ menno subdelegado.Fizeram-se as
A___> ______1_I_I^ ...n >iiim Um .i l .. l .-...' .< ,1 nnoatat*lall
da rao e exig rilo um recibo.
Os meslr.sou arraes das sobredilas om-
barcacOes que no tiverem dia hora cer-
ts anticipadamente (lada e conhecida do
publico, sero obrigados o declarar ao ad-
ministrador do correio o mez, dia hora da
saluda, com a antecedencia quo o mesmo
ministro fixar.
A infracciln dest artigo sra puni la com
a multa de 20 a 80,000 rs., a qual ser <-i
posti pelo administrador, ou agente do ( .:-
reiodo porlo ou lugar quo se deslinar a
cmbarcacSo, na forma dos art*. 177, 179 e
273 do regulamento.
Art. 271. A faltide 1 hora sora contada
communca(des necessarias.
Con, na mo da prtca.
Q mrifl /o commi'ido da praca na eidade do
Racifi de Pernambuca, 16 de notembro de
1819.
OIIDEM DUDIA. N.72.
Fuco publico, para conheeimente da guar-
nlcao, que o F.xm. presidente da provincia, em
olliiio de 14 do corrente, me coimiiuiiicou que
por aviso da reparlico da guerra de 18 do pas-
sado canstou que S. M. o Imperador, por un-
j perial resolutao,tomada sobre consulta do Dss.
naojustificr.
Art. 272. Os
maior cuidado
dus siMi sua ilireci.- .
versacOes alheias do servico a seu ca-g<, brodcl84l.
sus^ndendo-os quando so nlo abstenham I Outrosim, em odelo datado de liooteni, que
deDuis do advenidos duss vezes. Pf aviso da inesma reparlicao de 2! do dito
drr ttvpx do expedienu do i vgs^*s?ss3?&Asz
corre.oserao fe.laspoloporteiroopagas a fiL* dPU.rillln.r> por sua imperial re-
v.,,... -,---------,--0------, passagem para a tcrcelra ciasse uoj niuu 'do exerclloao Sr. Capitio do 2. balalhao de
is cliefes das turmas porflo o r,nnar|a a pC Anacido Lopes de Sant'Anna,
o em evitar quo os emprega-' or,P acharcompreheudldn na disposiciio do
irecco sudistraiam com con- art. 2.o2.n. i dale! n. 200 do 1 de dcirui-
' 1.. .aUn can a i i tr i K.... .1 ., lCtl
s ou.ras rerplexi .ades desta M, cm- **^^%?[%FX&
harncosi poderla accrescer anda urna u-r i r,,,,^,,^;,,, ii|uslrarri proavclinete em urna
rola ministerial. O que lie mis provavel qucna csri,|a fS,a icndencia das lnsitu?o>i.
he qtieogoverno frnncez restaurar suas ac,ua0, da Franca ; porm tornarao a apparc
negociico-s em Buenos-Aires c proseguir c,.rPm inda e ceasiao cm que a marcha o
nellas sem dar nenliuoia grande activida le KOveriio fr subjelta a ser contrariad > Por "P-
a anas aMrai>AM naVSf-8 BstS co-iditcta poalelg pessoal, ou clamor popular. "pu"'*"
!f ra^aTm'obvU, loconvenienlo e he con- Se .es condiedes t^fijSg&.
ceder a llosa, um pretexto ,ra a promul- ffi^mgg ^do*o1. SSSS.
gactlo das hostilidades edeiKarscommi- '
[Ttava.)

IMTRIOR.
nhilo cnmmcrcial ainla por milito lenpn
excluida das vmtagens que s- osneram da
pacidcacflo do Rio- la-Prati e da indepen-
dencia de Montevideo
Una circumstancia desagradavel o |m-
po'liini Beaba lambcn de occorrer as re-
lacOes da Frstifi com oulra porc.lo do ron- do expediente do Exm. Sr. prttiden-
linente amoncino, a qual ameaca alear r'^' ,___, Z.....,,. ,-..* rnu-irrdo.
ALACOAS
le f)r. os lenlo da Cunha e tiguetredo.
3 DE OUTIBIIO.
Ollicio. Ao inspector da ihe-onraYja
provine al, decl uan.lo-lhe, em res.-osls ao
repentina nenie cunta tos a aeti oftlCM) dalad., de 21 tearnlM nassa-
nemporsua educacao, ncm tThVSS^t^StTSl'X
correio serao eilas polo porleiro o pagas a ,'b,,,,'drtmilinar> pr sua imperial re-
Vista, para O qilOSelll) prestara a COllSlg-. go|Ufo Je ,3 daquelle uiei, que o Sr. alteres
naeiio necessaria. Ido estado-malar da segunda cl.isse Alexandie
0 porteiro dar mpreterivcltncnte no fim ; Augusto de Frias Villar possa ajuntar ao tem-
de cada mez a conla do que livor dispen- pn de servico que actiialn.ente tem. o derorr,.
^\aSrrraC.0m0d0CUme,U0S *"" |SW{W^SS^
Art. 274. Os empregados que faltsrem O,!^ co mln0 Exm. Sr pr(..
servido extraordinai io do correio pcr.ioi.io df|i|(, poriara datada de hontem, nome-
todo odia, e 2 S nflo liverem feto oulro ou cllgen|ieiro civil tiesta provincia o Sr capi-
ServiCO no mesmo dia. tao do estado-maior da priiucira cl.isse do exer-
Art. 275 Seivico extraordinario podo ser cito Mauoel Rodrigues de barros Fonteca de
tatito O previsto como u imprr.visln, em llriui, e para ajudante do mesmo engenheiro
oualoui r das salas da entrada C sabida da civil o Sr. lente tamben, do entadomalor de
cqorreqspnn(encfa I **#-" a"ocl l ""c,sco (0el" dC I
correspondencia. oiiveir-. Soarca
Art 276. O aervico extraordinario r Olive abo
rc;a.tii.o com igualdado pelos empregado I ^f^oel e commaolote.
de manelra que nao recaa o seu poso mais -"' wrwn =
Amorim lle-
sobe unsdo quo sobre outros.
Arl. 277. 0 termo-vcrilo noste regu'a-
monlo designa os mezes de setembro, outu-
bro, novembro, dezembm, Janeiro, feveroi-
ro, marQoe abril, cinvi-.ruo- de maio, ju-
nho, julli.i o agoste.
Quarlel do commando -la praca nu eidade do
llecife de Permunbuco, 16 de nocembro de
1849.
ORDEM ADHICIONAL A DO N. 72.
O lili... Sr. coronel commandanlc da praca
10, jUllloe agOS!P, O lilil, sr. coroan cninmiiiiniiic i-.-v
Arl 27K O director coral dos correios manda declarar, para conhecinienlo da guar
n3u exnodia sem orevia aulorisicHo do'nlco, que se aprsenlo., para o servico oW.
a8.ZlfVai Sfcm a.,-.,,. sal- j ce,.So X^&SX&
VO a que t.ver por objOCtl"^K. I ?%$ a seu respectivo corpo.
Sondo convenientequalque-providencia, "r0||(rofln)i ,c apref,uram viudo di
odirodnr geral a solicitara du mes no mi- Aoa.preta,por doeutes, n Sr. capitn do 2" ha-
nislro. fortiecendo-lhe todos OS esclarec- ,,in.-.0 de catadores Francisco Antonio da Silva
m..i-----------;,.. ".,._____...rurnin..lindante do 2." batalbao
menlos precisos.
Art. 279 Quando nesto regulamento se
B.laoi ariiguscoma declaracSo do-ieula-
ineiitoeiileudor-se-ha quo se lofore ao re-
gulamento geral ; e a este os citados sim-
plesmentesem oulra declara^flo.
A't. 280. Ficam revogados o regula Tien-
to do 21 de deze nbni de 181*. as instruc-
cOs d 15 de dczetnbro de 1847 o quaes-
qu t dis.ios'tOos, na parle em que frem
contrarias a este r.igulamcnto
'alacio do Rio-de-Janeiro, em 27 de se-
tembro do 181. f'iHtnde de Mout'-
legre.
Camiso e o cirurgiao-ajudante do 2.batall,ao
de ai tllharla a p Antonio Jos.1 Dus Martin.
Assignado, Lui Goma Ferreira, alteres
aiudante de ordens.
EXTERIOR.
Londres, 28 de outubro de 1849.
O paquete do Brasil e Buenos-Aires, o
qual larga do Londres boje, leva aquellas
pai/es a noticia deque ludo o que se tem Hi-
lo das int-ncOes do governo francez acerca
de urna nova expedido ao Rio-de-Piata lie
sen fun lamento ; quo nenhum armamento
militar he presentemente contempla lo em
Rrest; oque o olirial superior nomcado
para substituir o almiranlo Le Prcdour no
Riodn-Prala levar comsigo um novo es
quadrflo meram.nto para render os navios
omcio.-Ao commandanie da praca, con.- e as |rpO|sc0cs que, len lo ja completado o
municando-lhe que, segundo constou de aVi- seu |cmpo de servico naquella estacno, sao
to do ministerio da guerra, datado de IK de .^ recnv
_ ______!*_' J- >S 41 l.-al illi-i i
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 14 DE NOVEMBRO.
.....i..,- i,i.o. ....p-" .---
ncties'do eTrci.o .ocapi.aodo *. ba.all.o seus resollados, testo-MT Utna Cpntkcto
de artilliaila a pe Anacido Lopes de S.-Anna, u"B qUe,bem como no caso da expi dic-0 pro-
-inrse adiar coniprehendido na disposic.s jeclado, ha alguns annos, contra Madag-s-
oarl. 2.$2.n. I da Iri n. 2150 do I." de de- car ,,, la| pm,,roz nenhum resultado ln-
embrodcl84l.-lnteirou-ic o Inspector da:rai s.,|vo se rngse cmprchcndida em urna
,,aRadoiia militar. 'escala' milito sut.eiior das Torcas que O
Uito.-Au mes.no, declarando ^n-.e po se. '" f a.:cez podo resolver-so a despa-
achar anda doenle o lente do B.u balalhao feuvLruo i <"i,<' !" p,.ad0 ac-
de cacad..resJ..s Xavier Pereira de Brilo, que, Chsr pura a America do SUl no etauo ac
fferenes de poltica
aterra a rspelto do
res seria muito para
una quesla > deplomatica com o* Es'a los-
linidos. Uma das mis eslranhasn ,iais
perigotts consoquencias da revoluc-lo de
fevereiro foi que os lugares de representan-
tes da repblica franeza nos paizes pstran -
geiros fiirain ropentinii nenie confia los a .
hooiens que, ncm por sua educarlo, ncm
porsua pos'^Jl., nem por sua experiencia,
estavam habilitados para desempenhar to
arduas funccffe*'.
O l.igsr do ministro em Washington ll-
alla sido destinado para Mr. De Circourl,
cavalhciro que reuna todas estas qnalida-
des no mais alio grao ; mas. ten lo este c-
dadio turamizade pesaos I a Mr. de Lamar-
tine, ai-sim como por motivos patriticos,
consentido cm ir para Berln nos primeiros
tempestuosos dias do governo provisorio,
0 ministro do eslrsngetro*, em voz de pro-
miar os grandes servirlos pur ello presta lo
ni Alien anlia, nomeando-o para a Icgaco
dos Estados-Unidos, deisou queesta posi-
Cflo foss i dada por uma Intriga republicana
a um homeiii nleiramcnt- ilesconliecido,
porm que lem o significa'ivo nomo do
CuillurmcTell Pous'siii.
Esto senhor Poussln parece que so lem
rsforcado por deixar um traco na historia
diplomtica antes que soja substituido por
iiui ropresontaiile mais proprio da naQto
franeeza. Elle receben Instruccoet de sen
governo para o (im de pr.icurar oblar do
governo americano algum reparaeflo, ou
indemni>aQ,1o das perdas s.ifTridas porsub-
ditos francezes nu decurso da guerra me-
xicana ; porm suas rcctamacOes foram fei-
.tisein lermos tilo descommuiues e iiido-
cenlcs, que o gabinete da unito JulgOU de-
1 ver rcspouder-lii. immo lialamcnto envi-
ando-lhe s us passapoitet. Esla corres-
pondencia siads nuil chegi.u ao no-si co-
nhecimento, e mesmo quaai nuda sabemos
cere da importancia do raso, ou do elfei-
to que pruduzra em Parit; porm cm New-
Vo I. ello occasionou uma baix repentina
e consideravcl nos fundos publicse exci-
tou alguns receios rotativa monto tcon-
sequencias que poderia ler, pois equivale
una inloriu|ic*ui da correspondencia di-
plomtica com urna repblica inmla; mas,
como a affronta parece consistir mais ni for-
midn que ni substancia, e he impos-ivel
imputar a Franca e aos Esta los-Iiiidos un
nlencto seriado hostilidaie, creinus que
xplicices reciprocas eosicrificio dj di-
plmala, nlo obstante o . tico, aplacarlo a ira ilesas democracias.
I'orem qtianlo mais experiencia adquiri-
mos desla forma de governo popular, espe-
cialmente em suas applicaciles s rehenes
eatrangclras das grandes naedes, maisap-
pareulc so torna que ella n.lo possue a arto
le conservar os polticos em socego ou do
guiar s marcha dos imperios pelas leis res-
trictas da tolerancia e do interessn publico
Qualquer governo desapaixonado o intelll-
gente. que rom realmente senhor de seus
i ro.tos recursos e responsavel por suis
deCisOes, reconheccria a conveniencia do
retirar-te, em lempos laes como os presen-
es, de questoet t."o mesquinhas e esteris
como esla do Rio-da-PraU, assim como de
evilar toda a dilucidado desnecessaria as
OUlrat parles do globo, porquanto o princi-
pal segredoda frca.assm na poltica como
na gtierio consiste na concentragDo J porm
laixflo pirexplicacoes eo appnllo que se
ha de fazer para a vaidade da astemblt na-
cional prevenrao provsvelmente o ajusta-
manto dos negocios no Rio-d.>l'rati, e ho
poiiirel que communquem considcravel
acrimonia a esta nova disputa com o gabi-
nete de Washington. A oxlre.na pubhcida-
dn e os dbales populares sobre as tiegocia-
cOes pendentes s3o para taes questoes oque
uma corrente de ar Ii 11 ara o fugo : a lais-
cs que arde debaixo da cinza, e quo expira-
ra se fsse desprezada, he convertida em
ilumina pelo venlo, e assm trasformada
pode aiacar to las as partes do edificio.
varias vezes leen reben-
;e'oE'..:pr;,'rdete'daqelia provincia. I t.do entre a inleresses fr<'n,e"
Diio-A- inesoio, para que ..forme se as ves naquella parte, sen lo tamben porque
_ ,- ------------ I* ... mui^mUSmi nnraldrl.l.n.nJ..;. .nndi.lnrgr 1'dlllO II
nenio
Dito--Ao nicsoio, para que ..forme se as ves naquella parte, sen lo tamben ponitit
.essoas a que... I4ra.ii concedido poi aTora- gP podera considerar como um triumpno
nenio os terreno de marinba, de que traa apara |nSas o t r conseguido dissolver n for-
rla9"ii. que se lite remelle, ji stao ou nao n,jsfej Combinc!iO das duss principaes
..MlHaa .loe it^iiiiiii'ii^ lilUlOS. I .. <____.-____:,:... I... n., ,>.r-i ol 4
.minias dos respectivos ttulos.
DI0.--A0 director do arsenal de guerra, or
denando i|uc forneca ao conuiiandante do con
prnCI)
polcncias martimos conlra elU.
As opit.iOes de Mr. Tbiers lelalivamente
(IfllSilllO IUC ItiriKT.I *U l-uililiiniiwuiii<. ^..- ,i& UK....w*-. .
liiieenle d.. I. ua.alhn de arlllbaria a pe as .qursl.10 montcvideana Silo mu ueciui.las e
pecas de fardaincuto i.icucl.inadas no pedido mul RoMis s pretencOes do Rosas. F.l.e
me se lbe reinette.Coiii.iiuuicou-sc ao com- j excrce continuamente a sua influencia con-
inandanie da praca. ira a especie de compromisso que fui ulti-
Dilo.--Ao juiz municipal da prime.ra vara |11>nlf||lo Br0postoe COmo pela actual cons-
ueste term, di.endo que va*' f" lllulc,0 d. repblica franeeza a ractilicacHo
Te tu.r"podde08 '.'^.' "rae^ncado, los tratados Uto depende lano do governo
'oSoraocisco^Nepomucrno que velo da pro- execulivo como d. asse.nblea nacional e
vmcia da baha para ler lal destino. I Mr. Thiors tem glande ascendencia sobre
Dito Ao commandanlc do patacho Piropo- uma par(e da maiona conservadora daquel-
4 para que ponba a disposicf.o do inspector |a COrporac3o, a qual admira seus tlenlos
do arsenal de ...arlaba a inadcira de consiruc- prl,cosa obedece sua inRuencia oceulta,
cao que iroi.se a seu bordo da provincia da Pa- ^()Jera induB-la a rejeilar o tratado nego-
rahiba.--lnteirou-sc o inspector do releridoar-i;.aJ 1|aiironte Le l'rodour e Mr. Sou-
^Mo,.k0 memo, exaudo que PouU. .. Ibera e iu. presento forma, e deslo modo
A conslituiciio francesa he a fste respeitu
muito inferior ds Estados-Unidos, a qual
lem conservado no senado um corpo que obra
com o mesmo espirito de um concellio priva-
do, posto que seja dotado da autoridade de
um ramo da legislatura. Esta i.isliluicao te,
salvad > a honra c a poltica dos Kstados-L'nl-
dos en. Indas as suas relacOes externas desde a
ractiflcacao do tratado de Mr. Jayn. 1794 at
convocan para a divisao do territorio Ore-
gon ; e pde-se atlirmar que inuilas das trao-
iacci.es mais esseusiaes paz c aos inleresses
reacs da naciio teriain sido fi uslradas pelas vo-
laces facciosas, ou pelo temperamento irre-
flexivo de asscu.blas mais populares. Lm
Franca nao existe nenliuma.insliH.icao deste
genero, e quanto ...ais delicadas e arduas vie-
ren a ser as relacOes externas da repubMea,
mais diflicilscr n.anter a devld. autoridade
de uma poltica saa, justa e sabia. O gover-
no executivo nao leu. u poder de obrar segun-
do suas proprias convieces; o estadista u.a.s
..metanle ada o seu horuonte clrcuii.scriplo
pelos prejuizos, ou pelas paixes da muludao,
I u exercicio do pod, be emuaracadu por
mel de reilrccOes tas, que seus deverc sao
u da orden do thesouro n. 135 de 13 do
outubro do 1817, e da de do dezembro do
mesmo auno, no rcsla duvida sobre o di-
rcto que os empregados do juizo dos feilos
Icom metate da porcenlagem c.irrespon-
dente s quaiitias com quo entraram para
ns cofres por prestncei os devedores da
f.zends queja tiverem sido penhorados e
seques'ra los.
Dilo. A o mesmo, approvando s nomea-
co q ni fez de Antonio Forrcirs Chives pa-
ra u lugar de cscrivo d.i agencia das ren-
das provinciacs da villa de Ssnla-Luzia do
norte.
Diio. Ao mesmo, ordenando-llie que
mando salsfaziT ao primeiro commandan-
ie da compsnhia de polica Evaristo Jos do
AraujO a qumtia de 8,000 rs. que declara
tur despend o com cani.as e remet os na
diligencia em que fol 10 termo da villa do
norle.
Dito. Ao oncarregado do deposito, pa-
ra que fique entendido do nilo dar sabida do
deposito o porcOo alguma de plvora, sem
que o respectivo dono inoslie bilbete de lor
pago osdireilos na repartcSo competente.
Dito. Ao colleclorda villa del'orto-do-
Pedras, devolvenJo-lhe os manifeslos que
remellen do rarregamenlo do hiato X.-Sra-
do-Uonle-do-CatM que ah despacho vin-
do da Babia, e r.conimendando-lhe que no
d aabi la alguma plvora o outros artigo*
bellicos que all se pretenda despachar, de-
vendo elles flcsr cm deposito alca delibera-
cilo Dito Ao juiz municipal dos termos do
Porto-Calvo e l'orto-de-l'e.lras. -- Sendo
constante que a cspclla de Jacuipe so ada
na mais desprezvei situado, falla de al
l'ai.is as mais necessarias para o servico do
cutio, o stoemeonsequencia do se charo
son patrimonio absorviJo por diversos usur-
padores, esoin adininislracilo alguma ; re-
commrnlo muito a Vmc. que, em cumpri-
mento dus deveres do seu cargo, chime a
cintas a quoin qur que se cousi ler.) a lml-
tnslrador do patrimonio da capella; o o po-
iht em estado da prestar 0 illllidade quo
exige a iustilucilo.
Dilo. Ao eucarregado do deposito do
art.gos bellicos, prdenando-lliD quo nilo de
sabida a qualqu'tr porc.io do plvora do
mesmo deposito sem despacho da presi-
dencia.
.
Ollicio. -- Ao capito do porto, declaran-
dn-llio que, nilo tonda tido apprehendidos
como contrabando os Cl barris de plvora,
uo obstante lerem s Jo denunciados como
tal, mas tilo tmente para seren recomidos
ao deposito, e ah conservados o vendido*
por cunta de seu dono, dove ello nessa qua-
lidade pagaras detpetlt da conduceflo, para
o quo se Ihe transmiti a conla que envin
cm duplicata.
6.
Ofllcio. Ao agente da companbia de va-
pores, pira que mande dar pssagom para
l'ernambuco no vapor Imperador, ora surto
ueste porto, a Frano seo da (ira?! Lo te, sol-
dado desertor da compsnhia fixa decaval-
laria daquea provincia
Dito Ao administrador da mesa do ren-
das da eidade do l'enedo, ordenando-lhe
quo nao de entrada, nem despache porcao
slguma de plvora para o consumo, seno
sb condigno do ser ella trazida para o de-
posito de a ligos bellicos, donde nao poda-
r sabir o ser entregue aos donos, sera pre-
via permhuffo da presidencia.
8.
Oflicio. Ao delegado da Anadia, para in-
formar cora urgencia em que lempo andou
naquella comarca o promotor publico da
Atalaia. ,. .
Pilo Ao l>r. ebefe de polica, para man-
dar trazer a presenca da presidencia o pre-
so de jutlica Schasto Pereira da Silva.
Oflicio. Ao inspector da tresouraria pro-
vincial, paraefleituar com Jos Francisco
da Rocha o contrato da passagem da Rarra-
da-Alagoa, debaixo das condicOes pels mes-
ma lliesouraria propostas, e que acompa-
nharam por copia o oflicio de 6 do corrente
que assim fiea respondido.
Dilo. Ao inspector da lliesouraria de
fazenda, para quo era vists do oflicio que
so Ihe remette do delegado supplonte do
termo de Porto-Calvo, e declarstjSo dole-
nonle-coronel Antonio Maris de Souza,
commandanie do segn lo batalhao deca-
Cadoros.mande pagar a Manoel do Reg Pin-
to, niesiro dn barcica Apretentarao'-de-Mn-
rin, a quiiRlia decem mil res, importado
frote da piesmu barcada, pela eonducc,Su
MUTILADO


H--..
.....
,1:1
na'-: m iw nri mr m mirrm~ ^.-pt^iKns^^^^^^'^^^^V^^S^^
mt
qu-lez ila bagsgom i!o ililn batalhilo de
l'O In-Galvo para l'erna-i h irn.
Dito. -- Ao inspector da thcsouraria de
r.i/eiid.i, transmillindo-lhe RS notas falsa
quo lOrnm apprchcudidn4 na provincia de
M i s (. f es, a sabor; I-os do 1,000 rs.,
ln s do 8,000 r-i. ila segunda estampa, beni
remo :."> -I 5 00b r. da lerreira eslamp;
i! .ciiilolaii'-l is di-ti ibuir i el s repatt'noes
iti Hit* t3u subordinadas, nllin da serv em
do ciui!' ntar-o com s rordadeiras, como
lie ivr iiimi iidadii pelo v,\:\ inspector ge-
ral da paisa da amo Usadlo.
Do mesmo lour no Ingpecior provincial.
li lo.--Ao Dr. jui dediralo da omar-
ca de Macelo, para declarar so lem admilli
lo nass. >m*i.s do jury pumo juizes defacto
clrigos do ordena raen s; o o q-y a tal
pe i lo li ni sempre observa lo
l>.lo.-- Ao Di', juiz dodireilo, declarando-
Un-, no rrsposla ao bou oflicio datado de
linji", que fura ni excedidas as ordens que
llalla ii'i|oisila.
Hilo. -- Ao promotor piililico da comar-
iada Alalaia, para reaionder com que li-
cenca dctampaiou a sua cimarra para ir
villa do Anadia em o dia it de setembro do
crranlo anuo.
Hilo. ~ Ao Mr. rbefi! de polica, icmcllen-
do-lno para seu conlircimcnln, emcumpr-
inento do ai ligo fi do regulamento n Cii de
29 do j ii I lio prximo pasando, um exemplar
do cdital do Exm. presidente do tribunal
supremo de justic*, conicndoa nlacHo no-
minal dos magistrados de pnmci a ins-
tancia,
lio nesmo teor aos jt/t-s .le direilo das
comarcas dcMacoui, AUga o Alalaia.
Dito. -- Ao inspector do lazenda, pira
mandar pagar ao capillo Anacido Lopes de
Santa Anna opretem duplcala que seibo
remulla das diarias dos recrutas do>exercito
no me/ desetembro prximo passado, im-
portante na qiianlia de 8,400 rs.
lulo. Ao mesmo inspector, pura man-
dar pagar u ir.esmo capilSo Adelo o
pretem duplcala que se I be remelle das
diarias dos desolores de marinlia no mez
do setembio proxin.o passado, importante
na qiianlia de 9,000 rs.
Dito. Ao agente da companhia dos va-
pores, para mandar rooehor,a li irlo do va-
por 'amento, afim de sniom oonduzidos
para a Corte, os desertores de mariuha Ma-
nuel Antonio Alves F&reri o Joaquim los
de Sania Alina.
Dito. Ao mesmo agente da companhia
le- vapore.-, para uiandar demorar at ania-
nlija aa Ohoias do dia o vapor l'araenie
queseaba de entrar nopoilo destaeidade
as 1 limas d i larde.
liilu. -- Ao i residente da cmara d-- Ma-
gnas, Jos Fernandos de Oliveira Santos.
J'eno prsenle o oflicio de 4 do correle,
que me ilii i vi" i> vproadof A Ilion 10 Tavaies
11 sLos,parlicipando-m i|uc,com o pretexto
de mpi lmenlo physico, havia Vino, dcs-
anuiarado a prosi-leucia da cmara, queso
acliavn em sossfio ordinaria, causando-sn
com lu pioee linienlo, liem como rom o de
outios vereadores, que igualmente se reti-
raran), gran le.letriin. uto aos negocios p-
blicos, ordeo-Dio, sol pena dercsponsabl-
li i a de, que reassunia logo a presidencia da
sesSo, e quo proceda a muliar aos verea-
dores que, seni justa causa, nflo compare-
c i ni, nos Uir.....s do iiiliuo 28 da le do i."
'i.....ilubio do 1828, dan u-ma Vmr. parlo
do que oceorrp a respeito dos Irabalbos da
rainara,o flcando na intelligen<*ia de cha-
marpjuramepuros vereadores Imme Malos
em yutos aos que delxarem de comparecer.
Di lo, Ao vareador da cmara municipal
das Alagos, Antonio Tavares bastos. lies-
pon eo lo ao ulliciu de Vine ,'lata lo de 4 do
rorrele, em que me coininunica que o
pr< i lente da cmara, a piolexto de iuconi-
niodn pliysico, havia desamparado a sesso
o iuaiia quose acha aborta, seguindo-se-
isoutruS ver adores que por cau-a
de resciitimrnlos mal enteuuidos luwiarii
desamparado os seus lugares, licando ih-
Icnompidos os Irabalbos coroecadus, c .-
Vine, ro, i i nu:i va a permanecer em sen pos-
., duvidando cumiudo se evia lomara
?)-,i?iD?)i;pi!R\aPi!i:o.
BCOin, M BE MOVE.tinn.0 DE 1849.
Constando ao enmmandante das
qu i no ponto do Cosseiro es'avam os han-ll j | Lasserre & Companhia.
50bairise 100 meiosdilos manteiga, 11
fardos cs'op, 300 barricas larlnhi de tri-
go, ICO birria chumbo, 31 fardos cubos, 2
dit iS lio de vela, 190 CaixSS e 1 barrica
qunijos. 12 barris almagro, 8 liarris ocar,
1,000 gigOS batutas, 150 sacos farelos, 10'
ditos sentlo, 100 caixas velas, 204ga:ra-
arnvislf s vastos, Orlos chumbo em IuiiqoI ;
ios das maltas reunidosom grande uu e-
ro, rpsolveu ataca-loa no dia IV do cirren-
le, eordeuou qiicnoitavo batalllo de ca-
cadores, que permaneca no Verde, se
achasso naquelle poni ao amanheesr, e
las funjas estacionadas na villa da Agoa-
Preta fi'z marchar um contingento do se-
cundo batalhilo da masma arma pala malla
lo Rablngudo, o outro do primeiro pela
lo c isselro,
Comquanln a marcha do oilavo batalhilo
osse retardada por havorelle de passar pe-
la povoacfo dos llutons, por onde leve de
ir repellindo o inimigo que, ampralo por
fortes Irincheiras, estendia-so por ambos os
lados Jo rio tina, donde era neeessario
desaloja-I, liem romo das e.isus d'alm do
Husmo rio, lendo de suportar o fogo das
guerrillias quo os bandidos formarara as
mallas dopois de abandonadas as irinchei-
ras e casas; todava, os contingentes dos
halalhOes primeiro'e segundo atacaran) os
ditos bandidos dogo ao amanhecer; e, lan-
do a Tiea que vinlia polo lado das Irinchei-
ras do osseiro conseguido IIinijiici-las,
obrgou S6U8 defensores a ali.indona-las, e
a soenguerrilbarem n*s mallas que Ihesfl-
cavam ni retaguarda, para onde seguin-
do parle da l'iirc,a que marchara com o
com man lano das armas, conseguio-se qu-*
O inimigo fiss l Completamente repolllo, e
as!) horas do dia se arhavam tolas as for-
cee do governo de posse do ponto Cosseiro.
As irincheiras fram arrasadas, aschou-
iiauas queimadas, lodos os recu sos destrui-
dos, o os menciona ios contingentes, he n
romo o batalhilo que rom elles operara,
volt ram a SU 18 iiuteiiores posicOes, nio
persegulndo o inimigo, por se havorelle
emhrenhado as montanhas o mallas que
licam na retaguarda do Cosseiro, e que,
pela sua espessura e (alta de liilho, nao po-
drrain ser penetradas pelas tropas-do go-
verno.
NIJo he possivel avaliar a pr-r.la dos ban-
didos, porquanlo as Irincheiras acharam-
se.suienie duus morios, sendo um dcstes
um lal llarreca, intitulado ofllcial.
Algumas pracas assoguram que tambem
l'dr.i morto o alteres Mauiva.
o oilavo batalhilo, em sua marcha, devo-
ra tambem causar graves pardas aos b.mdi
dos; poim nOo sflocondecidas.
Por parte do governo livemos a lamentar
osferimentos do lenonte do quinto bala-
I han de fuzileirOS Segisuan lo Neinezio Mar-
reiros do S, do alfares do oilavo de caca-
dores Domingos Lopes d.i Uuuha llenezes,
i'.e i;) pracas de pre do uitavo, seis do se-
gundo e uma do primeiro; havenJo tres
o o tos do uitavo.
Apezar do grande numero da feridos que
livemos, o resultado doste combato foi im-
poitanlC, por Sd ler desaljalo o inimigo
de lories posicOes, e inuiilisaJu recursos
ol; nao sera l'aril substituir.
1 cala fazondas do lgodao, 1 dita perfu-
marias, (dita (lores e plumas, 1 dita cha-
pas de sol de algodito, 8 raixas chapos; a
Cals Frres.
Dijsdii, barca iogleta, vinda de Liverpool,
entrada nosle inez, consignada ao cnsul
porluguez, iiianifostou o soguinte :
380 toneladas carvao de pudra ; ao con-
signatario.
H'oler-Wilchi, lirigun americano, vindo
de Terra-Nova, entrado no corrente moz,
consignado a Me. Cal moni & Companhia,
manifestou oseguinto:
2,002 barricas com bacilho; aos con-
signatsrios.
CONSULADO CEUAL.
I'..m lmenlo do dia 20..... 843,236
40,436
Diversas provincias
CONSULADO
lien liinento Jo dia
883,672
PROVINCIAL.
20. .
608,538
timTAE.
Mubli
ca^An
pedid
o.
I
presi leiiria da sos.lu u jiiramoiilsr os m-
iiudalos em vnins aos queso retirsram :
sou a dizer-lhe que nesla data leuhoolli-
nado ao presidenta da cmara, ordenando-
(beque, sol) pina de lesponsabiHilado, va
i'xarcer as funccOes do seu caigo afazer
multar ios vereadores que san cansa justa
Ui-ix.iiem i!e COuiparccei as ses^0e.s,^3 quan -
do assim nio observo o dito i residente.
rompi a Vmc, como vereador prsenle
niais volado, presidir aos Irabalbos da Bes-
sfio, c.iamar os ditos supplenles paraseom
juramentados, como determina o aviso de
23 da91 desetembro i roximo passido.quepor
copia llie remello.
Et.
11
0
CAMAltA MUNICIPAL JHECIFE.
t SB8SA1
onoiaAau fu a de
nr 1840.
NOVRMBRO
Presiilaicia da Sr. Olireira.
Presentes os8rs. Mamada, Barata, Dr. Mu-
raos, Vianna a Ferr ira, tallando rom rao
saos domisSrs. abrio-se a sessao, e l'oi
lida aapprovada a acta da antecdante.
Conoluin-so a apOracno nos votos para
deputedos provinciaes, o passou-sea ralee-
'lunar os nomes dos votados desdo o mxi-
mo ale o ininimo ; e, nao odeudo ultimar-
se cale trabalho boje, delilierou u riman
quca COIitnua(flO O. lia fieasse para o dia
11 do correlo.
Mandn-s remoller commisso dceil:-
flcacHo os req ua rimen tos de Joo Athana-
/io Das, de Cerinaim Antonio Alves, a de
IJ m be lina Mara dos ITjzercs a l'igneiredo,
iciiiicivn.il, lilulus de aforameiilus de ter-
le.iOs de maiiiiha am divarsos lugares, so-
loe o que manilou ugoverno da provincia
que a c-unara InformasM.
Ii- .iparli.ii.ini -.e as pelu;oes da iriiianda-
de da Siiladade, da Jos Comes de SilUZ i, de
los Antonio Correia Jnior, deJorgeGon-
Calves (.'naves, de Manuel S.-biuo da Costa,
e levanloii-se seaste.
L"u, Manat lerrtira Aecioii, secretario ln-
lerinq, a escrevi. Olkeita, presdanle. -
fJaljulra UomUiro. Alume/le. l'irrtira.
- Moma. Vianna.
Apezar de eu noserdesla provincia, a
de nfio eonhecer particularmente a pessoa
a quem me dirijo agora ; todava, as mul-
tas relaces que me ligam a esta t3o boa
Ierra digna de mellior sorle, e a mmons
sympalhia e interesse, que me na inspira-
do O Sr. Manuel de Souza Garca pelas SUtS
conversagOas que en tenlin assistido, o
pelo s os asi -ripios u 11 unamente publica-
dos, me obrigam a anima-lo ua brilhante
rarrclra qua encetou Com goslo particu-
lar p'-la poesa o amigo da hoiioslidade,
da independencia e da verdade, ao pude
apreciar os scus morsas e bous Irabalbos
l'rimclros cantosUn lo lido j o prazar de
ler as suas judieios s inaximis impresias
naAurovu. OSr.tiaicia lieumdos mogos
mus espera lijoso a uosso vOr. Tuda a-u i
lingoagem tilo inturalineuto e-cr pin nao
poie ser mentirosa, eenllio h* digno do
toda o res eilo ejde toda i eslima. Oxala
que lodos os moros livessem o seu carc-
ter, e se lornassem ISo rocummen laves
pelas su is daiast pelosseusmolos, epela
sua in tai endeiicia O Sr. C.arria aiuda tai)
joven fez um servido a nossi poesa ; 00m-
prebeudeu o quo era um porta, foi til e
verdad--i ni. Sentimos nao po.lr enl'ar em
uma analyso dos seos uteressanles oscrip-
los,,e lila tecor os elogios que merece, por-
que o lempo nos fall. S-ja esa a obra de
alguna da seos amigos, que o nao davem
deixar desanimar a vista do desamor dos
nossos govornos! I'ossa elle convencor-s>,
que ha |ioraqui algiiem quccurdal"'i*ulao
estima. \...
Pela inspectora da ilfandega se faz pu-
blico que, no dia 21 do correntu, ao mcio-
dia, na porta da mcsina. se hito do arrema-
tar em hasta | ublica, 58 grosas da brincos
domados,por factura a grosa),500 rs., Iota)
55t,000 rs. impugnadas pelo guarda Jos
dos Santos Lages, no despacho por laclura
n. 2K5 do 17 do crlente : sendo dita arre-
malaeo subjeila sos diroilos.
Alfandoga do Pernamliuco, 19 de novem-
liro do 1819. O inspector, Luis Antonio de
Sumpaiu Vianna.
Pela inspectora da all'andega se faz
publico que, no da 21 do crrante, ao mcio-
dia, ua porta du masma, sa hilo de arrema-
tar ani hasta publica 23 lencos de canibraia
de liiiho, por factura um 4,000 rs. total
Ofi.fiOO rs. impugnados pelo feitor confa-
renleJoflo lleimenoglldo DorgesDenlz, no
despacho por faclura 0, 322 de 19 do cor-
rente : vn o a ai i el.i rao Suhjeita aos di-
reitos.
Alfandega de Pernamliuco, 19 de novan)-
hro do 1849.O inspector, Luiz Antonio de
Snmpnio Vianna.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
Mico que, no dia 21 do curenle, ao melo-
da, na porta da masma, se hilo de arrema-
tar cm hasta publica 35 ratxas cun uvas,
pesando 35 arrobas, por lactina a arioha
3,000 rs. tolal 105,000 rs impugnadas
i rio guarda Antonio l.uriauo de Morai-s da
Mes|uiu Pimental, no despacho n. 326 do
19 do corrente : sendo dita arreuialaco
Subjeila aos direitos.
Alfandega do Paruambuco, 20 da novem-
lii'u de 1819. -- O inspector, Lilis Antonio de
Sampaio \iamia.
Pela insp -rtoria da alfandega se nian-
RF.XF.FICIO DE UM PARTCULA.
OStMOl KSI'F.CTACUI.O,
Domingo, 25 do corrente.
Ileprasentar-se-ha oljndissimo drama em
3 artos, quo lem por titulo
0 DEVF.R E NATURF.ZA,
011
o toldado amante de teu mouarthv,
no fim do qual o arlor Pedro Baptisti di
Sania Rosa e. a joven Fesma canta/flo o
duelo denominado o
caca non ,*
depos ter lusrar a mu jocosa farca
O PINTOR AMBICIOSO,
' ou
o atfunto fingido.
Terminar, pois, todo o divcrlimento com
a dunca da
CACHUCHA,
pela joven Felismina.
Os bilhatas acham-se a venda no lugar do
costume.
Theatro da ra da Praia.
SAI1RAD0, 24 DE NOVKMRRO DE 1849.
Grande e variado ctpcclacuto.
Dapois de executada tima lindissims peca
pela banda de msica do corpo do polica,
dar principio ao espectculo o mu insig-
ne drama am cinco arlos, e prineira vez
representado nesla provincia,
OS JESUTAS,
ou
o bastardo d'el-rei.
Personaoem do drama e aetoret.
Edmundo de Castro, cavallero portu-
guaz Jacinlho Jos llutalho.
AITonso Peres oSr. Antonio Jos Duarte
Coimbra
0 Conde do caslello-mclhorJos Antonio
llrand.ln.
O jesuta Francisco Mansoso Sr. Jos
Francisco Monlciro.
O jesuta Nicolao Nobrega o Sr. Anto-
nio da Cunha ful mar Oes.
Roberto Gongalves--Jos Mximo do Al-
meida Cahral.
O inquisidorManoel Jos Dias.
Leonor, fllha do Edmundo a Sra. D*
Emilia.
Catharina, abbadeSM das freirs de S
ClaraD. Maria Carolina.
Tbcreza, novicaI). Mara Amelia de
Souza.
Margarida, criada de EdmundoD. Jc-
suina.
Freirs,--jesutas,verdugos,e familia-
res da inquMi;ao
Qncor tecer elogios a as'.e drama seria
na venia de emprohendar urna loucura, vis-
to j terem os jomaos do Rio-Grande do sol
mostrado tanto o seu brilhanlismo e me-
recimenlo.
Os inlevi!tos serfio preenchidos com
ptimas symplinnias,executadas pela mes-
iii,i msica do polica.
No fim do drama a joven Jesuina dan-
carao
O SOLO INGLEZ;
lindando todo o divcrlimento com a engra-
nada fa tea
A PARTEIRA ANATMICA.
A pessoa enearrega.la de dirigir o presen-
leira Sicitdade-Ftliz, capitlo Mano.-I Anto-
nio dos Sanios, salie com a maior brovidu-
de possivel : quem na nicsma quizer carra-
gar ou ir de passaReni', dirija-se a seus ron.
signatarios, Oliveira Irm.los & Companhia.
-- Vende-so a parca;:) Santa-Isabel, ole
do 1Rcaixas.de boa construccito nova e do
exccllc t! marcha, a quolse achofundeail
no caes do Ramos: quem a pretender, diri-
ja-so a ra do l.ivrarncnto, n. 26.
Le loes.
da fazer publico quo se pretende comprar tfi USprct.ieulo tem empregado Indas as suos
3000 libras dezincoem fo|has paiaa cober- f,-,rQis para mostrar ao publico de l'ernani-
ta do lerceiro I niso da ponte da mesina al-
fandega : as pessoas que as quizerem ven-
Deone Youla &C. farflo leilflo, por in-
lorvengflo do crrelor Oliveira. e par coti-
la a risco da quem prelencer, do 238 bar-
ricas de farinha nova du Ballimore, marca
llrandywine, avariadas a bordo do navio
Suian, oa sua recante viagem a esta porto:
q ua rtn -feira, 21 do rorrete, as 10 lloras ila
manhaa, no seu armazem do becco do Con-
calves, no l'.ecife.
O Sr. cnsul Aug. Helia, estando a reti-
rar-se em breve para a Europa, far leilao,
por intervenga do correlor Oliveira, da
sua moli'lia, consistindo om masa redonda,
bancas de jugo, dilas com abas o ontras
com gavetas, cadeiras, commoda, lavatu-
rios, marqueza com colxfio e travessaiios
ro o marruqum, aparador CJin guarda-Ion-
(a, mesa do janlar, cabidos, espedios, qua-
dios, lanlernas, ramas de vento, mesa para
escrptorio, bildolgeca de vidraca, um p-
timo relogio do ouro patente, diversas olms
escolhidas de litleraluia e historia france-
za e outro) objecin : quinta-f i< a. 22 du
corrente, s 10 horas da mauhSa.na casa
do consulado da repblica franceza.na rui
do Trapiche-Novo, n. 10, segundo an lar.
Ada mson llowie& C. fa rilo luilo, por
nlervenc.lo do corrector Oliveira, de um
completo sortimantodefazendas inglezas,
todas proprias do mercado : saxta-feira, 23
do crranle as 10 horas da mantilla, no sen
armazem, na ruado Trapiche-Novo
dor, dirijaiu-.e a dita repaiticAo durante as
horas do expedionte.
Allanda-ja de Periiainhuco, 13 de novem-
hro de 1819. O inspector, l.uis Antonio de
Sampaio l'ianna.
U_l!l-JlUBWBgBWa /ecliiracuo.
u m .....si
ALFAUDECA.
Rcndimcnto do dia 20.....18:511.031
DIPOHTACA
Hin>ira, galera francesa, viuda do llavra,
cnliada no corrente miz, consignada al).
Lasserre & Comp nhia, manileslou o so-
guiolo :
3 caitas modas a miudezss, 3 dit is fazen
das de algodflii; a E. Ilolli.
8volumasfazendas doalgoJIto. I caxa
SUSpeilSOios, 3 ditas vidros J a Bull.
12cai\as sardjnhas am azeito, 4 voluines
fazendas do aigodflo; uJ Keller & Com-
panhia.
5 caixas objectos, 3 ditas couro do lustro,
"Volumas drogas, i caixa g*rrfas vasias.
I tita papal piulado, 1 dita pellas piopirn-
d.s, (dilu velas, 2!) Voluntas fazendas de
algodito, 4 cafxaa perfuma!as, 2 lilis agoa
de (.olonia, 9 ditas pannos de lila, 7 .lilas
Chapeos, 2 nilas fazendas para chapeos, 2
ditas uiudezas, t dita cornos preparadoal, 2
ditas chapos do sol de algo JOo, I dita de
dito de algoda e seda, a dii lazendas de
seda ; a Dldicr Colomblnz 6; Companhia.
1 caita nulas; a madama Mliochoii
25caias com chumbo em lolha ; a Mtu-
ron & Companhia,
t voluine bijiHitaiias falsas, I caixa sus-
pensorios de lgodiio j orlem.
( caixa r.r.endisde soda c a godfio. 3 di-
tas ditas de alg idflo; a Kalliinann Flores.
50 horneas farinha do trigo; a J. J. Mon-
te i ro.
3 caixas fazendas de algodflo; a Scba-
fheitlIn&Toblor.
Pela segunda secedlo da mesa do con-
sulado provincial se faz publico, que do dia
primeiro de dezembro prximo viu Inoro >e
principia a contar os 30 das para a cobran*
e,a a bocea do cofie da decima dos predios
urbanos das fregueziaa destaeidade c po-
vo c'io dos Alegados, do primeiro samostre
do concille anuo linanc. iro do 1849 a 1S50,
e que, lindo osle prazu, licam subjeitos a
pagar os proprietarios, lem do prinaip.il
de seus debilus, a mulla de 3 por canto.
Roparligo da polcii.
I.'lrn o Etm. Sr.--Participo V. Etc. quo
furam huntem presos nesla Capital) u milita
ordem o n nuil i Manoel dos Aojos, pur cn-
medo furto ; a ordem do delegado de poli-
ca do primeiro dslriclo dOsts eida-te, o
esciavu Antonio por suspeito de ler com-
medido um furto; o a do subdelgalo da
fieguezi.i de S.-Josc, o pardo Jos Francisco
do Rosario por cur:-occ,1o, e os prelos Jere-
mas Francisco Alhanisio, e Josefa aserava
lo Flix Soarcs de Carval.'io.por so acharen)
brigaudo.
Iloillem nesla capital foi roubado Anto-
nio Panluleile Bozorra Monlenegro, mora-
dor na C;dade de Macei, na importancia
de quinze coutos de ria, por um paidogu-
nhadoraque elle segua do perlo, depuis
delhohaver ciiticga.lo um ba conteni a
dita quantia em, sed utas e prata alim de o
carregar al a casa de sua residencia.
Com o li o de activar a. indaga^rs acer-
ca do referido pardo, edeseobiira impor-
tanca rouhada, o mesmo Montenegro "ffe-
rece um cnnlo do ris a quem conseguir
um tal resultado; pela minha paite, tenho
empregado as diligencias necessarias, ulli-
ciau lo aos delganos de polica do primei-
ro o segundo dslrirtus desla cidade, o
dando ordens vcibaos aos subdelegados
das f igueziasle S.-Jos, eS.-Antonio.
Dos guarde a V. EtC Secretaria da po-
lica do Paruambuco, 17 do iiovenibro do
1849----tiln, o Exm. S.r Honorio llcru o
Carneiro Lefio, coucalberu do estado, pre-
sidente desla pioviucia.0 chefe de pulir
lia, JcionyiiiH Slaihiiiano l'igtieiru de Helio.
buco que um drama que tanto fui elogiado
no Rio-Grande do sul nada desmrrecen
nesla provincia, para o que muito se lem
esmerado, lano na decoracHo da scena,
como na riqueza e cracler dos vestuarios, o
que esl corto que agradar.
I'recoi da entrada.
Camarote 5,ooo
Galena 1,500
Platea 1,000
As passoas que lecm procurado bilhetes de
camorotes a plala p lem sa dirigir ao lar-
go do Livrameiilo, loja da charutos n 1
O espectculo principala com a ebegada
da S. EtC
Tlieutio de S.-Francisco.
Avisos martimos.
Para o Rio-Gronde-lo-Sul o patacho
brasleiro Nictheroy, eapilAo Anin; Jas de
Ai ouj<>, deve seguir ufallivelmcnte uestes
seis iras, por se adiar com 3 parles de seu
i ai remenlo a bordo : quem no mismo
quizer carregar, ou ir de pussagem o em-
barrar escravos, diriju-so u Caudillo Agos-
lindo de Barros, na pracinha do Corpo-San-
l.i, n 66.
-- Vende-se o hrigue Marcial, dolle de
179 toneladas, com bote, lancha c todos os
oais peilences, proin, lo de lodo o neees-
sario para qunlqucr viagem, forrado a pre-
gado da cobre, o de cnnstrucQ.lo brasileira :
quem o pretender, podo ir examina-lo a
bordo, o qual se acha Tundeado no lugar do
Fnrte-do-Maltos, o para ajuslar com Amo-
nio lrmfios, na ra da Cadeia, n. 39.
-Segupara o Itio-de-Janero om pou-
c'iis ilias a escuna Calante-Mara : ten) a
maior paite da sou c rrogamenlo engaja-
do : para o reslo a passageiros, trata-se na
ra da Moda, u. II, cum Silva & Grillo.
Paia o Kio-iJe-Jandr segu
com toda a h re vi*) .ule o brigue-
escuna nacional Olinda, recentc-
ini'iiic forrad e pregado de cobre,
por ter a maior paite de sua carga
prompta : paca o resto, passagei-
!ros e ct-cravos a fete, lrata-se
com Macliaio ck l'inbciio, na ra
| do Vicario, n. Iq, ou com o c>|i-
tao, Manoel Iilarciauno l'eireir.
Para o Rio-Grande do sul seguir* com
i b.evidadeo brigua Marcul,\\ot (er a manira
i ilo seu carregamento promplo, o qual ain-
, da | oda raceber alguina ca ga, assim como
! oscravos, a mesmo algum passagriro: quem
| pretender pJo eul--uder-.se cm. os conS-
naiaiios, Ainorm lrmfios, ra da Cadeia,
numero 39.
QUINTA-FKII'A, 22 l)K KOVGMBRO
Grande t variado eipeclaculo.
Iiepois O.- t-xoi ulada ua a Inulisiiina pci;i
.ola han la de musi-militar., dar prinri- quizer carregar, ou ir de pissagein, di.
(uu o espectculo com o mu insigue da- re ru, j,, (;riiz ,, Uecifo; n 62.
- l'i-ri a Rabia sabe, na prsenlo semana,
o" hiato Floi-de-Cururipe : quem no uusmo
ma que lem por litlo
D. JOAO' TIIK.NORIO.
-Ohiale Novo-Otinda largara imprelcr-
v I mente par, o Arrea ly a 26 do Currante
v..,-lA.n '.'i* dr"1. -Sr' S.a"t.'' Ro"e,Ju" coma carga que Uvera "bordo, por se adiar
ten l-elisminu cauianio o duelo
IK) JUGADOR.
lindar ocs.iactaculo com uma farga
o un i-.i.r.iMi.
Com a mkior parle do carrega nenio tratado :
para o restante o passageiros, trata-se com o
mostr, Antonio Jos Vianna, no trapiche
do algoilfio, ou na roa da Cadeia-Velba, n. Ivin Jo ao mercado: apparelhus pa'ra ci ;
coSume n 'Ugar dl "' sf8'"'Jrnar- J*rros e b"ia* ** mel.1! ludo por preqo^
- Para o hio-de-Janero a polaca brasi-lcommodo.
Avisos diversos.
-- Do primeiro de Janeiro prximo futuro
em diante o ^
juanah \)0 cuimKtwio;
que se publica no Rio-de-Janeiro, augmen-
tara o seu formato que Picara sendo o do
Tima do Londres. Alm di>to, ser mpies-
so com lypos novos, e dar cunta dos Ira-
balbos do senado e da cmara dos deputa-
dos.
Apezar do augmento da formato, o preco
da asignatura continuar a ser : na corte,
por um anuo 20,000 rs., por 6 me/es, 10/
rs., por 3 maz.s 5.000 rs.; o as provin-
cias, por um anno2I.OOOrs-, por 6 mezes
11,000 rs. por 3 mezas 6,000 rs.
Sub-creve-se na lypngraphia do Jornal
do Commercio no Rio- le-Janeiro e em Per-
namliuco em casa dos Srs. AVrial Irmaos.
Precisa-se fallar com a nona do ultimo
sobraao do dous andaras, na ra do Aino-
rim, n. 6, ao p do Sr. Cunha, mi co::-i pes-
soa de sua casi : na ra da Cruz, botica
franreza u. 22, da Saissel & Coiupailiia.
Aluga-so por commodo prego urna ca-
sa lenca com um peque no sitio na eslraila
do Santo-Amaro.cunlronte ao portfio do Sr.
Cantoso : a trotar na ra dos 'lanoeiros,
armazem, n. 5, ou na ra do Santo-Amaro,
junto a casa ilu Sr. Pedro Dias.
AltREMATACAO JUDICIAL.
No dia 21 do ronenlo, pelas tbomsda
tarda, na ra das Cruzas, na piara do juiza
do civel da segunda vara, tem de se aire-
matar uma casa lerrea, sita na ra do Ro-
sario da Roa-Vista, n. 43, que deila o oilo
para a ra do Aragilo, avahada cm t:6nO,000
rs. a requor iuieiito da Cosme Damifiu da
Silva, como testamenleiro do fallurido seu
irmilo Luiz GiuiQalvcs da Silva.
--Aloga-se, por prcQO romiiio ln, uma boa
casa t.-irea na povoiii,o do Monteiro, para
se passar a fasta, com 4 quortos, boas salas,
co/.inha fra, r. cimba, ilous quintaos mu-
rados Cum poililo e saluda pin a o rio, (liar-
lo para pretos, estribara para dous CaVal-
los : a tratar ua Rua-Visla. travessa do Ve-
ras, ik 15, sobrado.
Carlos Claudio Tresse, fabricante
de orgios e realejos, na rna das
Flores, n. it),
avisa ao resieilavel publico que eoncerla
orglos e realejos, (Oa marchas modernas
deste psi/, cunearla pianos, scraidilnas,
caixas do msica, accordfio'sequalquar ins-
trumento que appareca : tainhem faz obra
nova, assim como caixas de guardar joiis,
por pri co commodo.
Jos Soires de Azcvedo,
prol'essor de lingoa Irinceza no ly-
eeu, tem aborto em su i casa, ra
do Hozario larga n. 36, segundo
andar, um curso de Fhilosophia e
outro de Litigar/ Ittincezu. As pes-
soas que quizerem seguir una ou
ouIra di'si.is disciplinas pdem di-
rigir-se indicado residencia, a
ijii ili|iicr Lora.
--Da-seio de vendagem, offerecendo-
se mellior conveniencia do qui em ouiras
partes : na ru i do'liozaio larga, n, 48.
tisis Jnior ratira-ae para a Kurops-
"Perderam-s nodoniingoa mote, viola
milrs.em tres cdulas: a pessoa qu i as
acbou, queraudu-as restituir na roa larga
do Hozario, o. 28, recebar 10,000 rs. de
gratifica gao.
I'recisa-se fallar com o Sr.
Uicnrdo Jos Francisco : na prnca
da ln ,'i'ni uili ncia, n 4
O abaixo assignado faz scicnte ao res-
|irilavel publico que Um ilissolvido a socie-
dude que tuina rom o Sr. Antonio Pareira
Lopes na venda sita na tua na Cruz, n. 3>,
sb a lirnia de Joaquim da Silva Pinto a:
Companhia, ftcanilod'ura am diante gyran-
io em seu hollie o mesmo eslabeleciu.onlo,
a.isitn como que se ubriga pela liquidara)
duquella tirina como o nico rcspoiitavol.
iienfe, 19 de noven,bro de 1849. lanquim
da iilvii l'into.
.Na ra .Nova, loja ilc ferragons, n. 41, d .
J. da Gusta Maia, leceberam-su ltimamen-
te de Inglaterra urnas de in-l.l lino para
cha. do gustos os mais modernos que lecm



Lotera do Guadalupe.
Desengao
Srja qiisl Cor o numero de bi-
llielca que fiquem por vender, as
rodas desta loteri andam imp'C-
terivelmcnte no dia 14 de dezem-
bro prximo futuro. Os lillieles
que caifa acludinente a venda nos
lugares do coslume vender-se-
ho smente ale o dia pritneirodo
dito mez, em que passarSo ao do-
minio de Urna aocieda'de.
Pe quarta vez se roga an Sr. Or. S. G
mora lor na cidade de O inda, que mando
pagar 20,000 rs. no Recife, ru da Senzalla-
Nova, n. 7.
Dent.es artificiaos.
J. A. S. Jano, dentista, participa ao res-
peitavel publico que continua a exercer
su prong-iflo, na ra estrcia do Rozario,
n. 16, primeiro andar.
Deseja-se saber onde mora o Sr, Ber-
nardo Jos da Costa.
Jos Rodrigues de Sena
Santos, testamntelo e inventa-
rante do finado seu lio Jos Ro-
drigues de Sena, avisa aos credo-
res desle para justificaren! sua
dividas na cidade da Victoria, on-
de secta procedeiido inventario :
islo at odia i5 de dezembro vin-
douro.
Precisa-se de um bom amassador pa-
ra urna padaiia em liio-Formoso : trala-se
do ajusto no Recife, ra da Sanzalla-Velha,
ii. I0C.
Na ra de A goas-Verdes, casa torrea
n.26, lava-ee engomma so com tolo as-
seio, promptidilo o proco maia commodo do
que em outra qualquer paite.
- Justino llariyr Correia de Mello faz pu-
blico que se extravia rain 5 aecoes que pos-
sue na companliia de Iteberibe, de n. 131 a
1S5, asquaesse acham com as verbas do
piimeiro o segundo divi londo ; e pede a
quem afi achou que querendo restitu-las,
dirija-se ao escriptorio da mesma compa-
nliia ou na ra das I-Irnos, n. 23.
Vi dia 23 do correte, perante o Sr.
Dr.jui? docivel, se hade arrematar, po
sera ultima praga. a prte de um sobrado
na ra Hircita tiesta cidade, perlenconle a
Cl'U-linoSaUailor Pereira Braga, por exe-
cug3o d"S credoros desle.
Antonio Ribeiro Lis Teixeira, Porlu-
guez, vai fazer una viagem para fra da
provincia, com sua familia.
Calharini do Monle-Segnai embarca
para o Rio-de-Janeiro a esclava ourenga.
Precisa-so de um trahnlhador de mas-
seira : na ra Direila, n 82, padaria.
--Aluga-se o primeiro andar da casa da
ra da Cruz, n 50, com muilos commoJos :
a tralar na mesma casa.
Perante o Sr. I)r. juiz municipal da
segunda vara, so lia e arrematar no dia 2
lo coi rente, por ser a ultima praga, o pre-
dio na ra da Florentina quo se acha hypo-
theca lo por Julifto Reranger ao exequenle
Jus Antonio I oureneo, a requerimonlo de
quem vai ser anemutado o dito predio.
Carlos Ilardy, ourives,
na ra lova, a .Vi,
araba >le recebor de Frauda um sorlimenlo
de obras de ouro de lei, como sejam ade-
regos, meios ditose pulseiras: lambem io-
relieo um grande sorlimenlo de chapeos de
M'iini e gorguiio do ultimo goslu e de dif-
i rentes oV es e presos; chapeos de palha
da lia ia ; ditos mulo linos, abarlos e fe-
i Nulos ; a'macos do chapeos do todas as
coie<, niuito facis de se cobrirem ; litas ;
loes; poiinaoh s ; peonas para chapeos,-
c misinhas lo hew hoi'.i;-.(las ; I uvas do seda com dedos
e palmas decores; loueas de 13a para se-
nhora e meninas ; meias de seda para me-
ninas; cass france/a muito fina: ludo se
vende mais btalo do que em outra qual
quer parlo.
% *. I
Xa praca da Jndpen-o
I denei'a, n. 10, g
q ao voltar para a ra das Cruzes, alu- n
riy gam-see vendem-se bisas de ilam- )
f Imrgo : lambem vflo-*o pplicar pa- 5
J* ra commodidade dos froguezes ; ti- Jjj
J* ram-se denles, sangra-so e appli-
5 cam-sa ventosas: tudo por prego
O commodo. O
O o
-- Quem quizer vender urna casa terrea,
cujo valor no excoda a 500,000 rs., an-
nuncie.
-- (lferece-so um sacerdote para capellflo
de engenho: quem de seu presumo se qui-
zer utilisar, irija-se a estrada do Mangui-
nd, n. 29.
Iloga-se ao aulor do annuncio do Dia-
ria de Veinambueo a. 260, de 20 do corre-
lo, que quena declarare seu uomo por ex-
tenso, para so Ihe ir pagar a quanlia que
di/ ler recol Jo do coiras quo so Ihe entre-
gou.
Precisa so de solventes pira continuar-
se com a obra do hospital Pedro II, no lu-
gar dos Co-'lhos, damlo-se preferencia a
humens luiros: os preleudentos dirijam-se
ao ilu-alro novo a fallar com o administra-
dor do mesmo, as to horas do dia, a tratar
do ajuste e marcar o dia que devem se
adiar no refo ido lugar dos Coelho.
Iloje, pelas horas da tarde, na praga
dojuizo do civel da segunda vara, na ra
das Cruzes.se ha de 1 neniar nina vacca e
um garrote, por 30.000 rs por exeougilo
ilu cor.,' el -M'noel Cavalcaule de Aluuqucr-
que Mello contra Jerunymo Nariz.
Peranleo juiodo civel da segunda va-
ra, su h'a de arrematar a casa terrea da ra
"*' Hurlas, n. 20, a requerimenlo do lesla-
uieiileiru da finada l'rsula Mari* das Vir-
gen/
Dio-so 400,000 rs a premio sobre hy-
pollieca nesta praca, ou boas urinas : quem
pretender auuncie.
-- Aluga-se, por preco com-no lo, o pri-
meiro andar do sobndo n. 20, por delras
do (lastro de S.-Francisco : a tratar com
l.uiz Comes Ferreira, no Mondego.
Aluga-se, por preco commolo, o so-
brado da um andar com tojas, na ra dos
Quarteis, n. 10 : a tratar com l.uiz Gomes
Ferreira, no Mondego.
Na casa de pasto da ra da Cruz, pre-
cisa-se alugar um prelo para o aervico da
mesma casa.
-Aluga-se a loja do obrado n. 39 do
Aterro da Boa-Visl : a tratar no primeiro
andar do mesmo sobrado.
O bacbarel A. K. de Torres
Bandeira, pmfessor adjunto de
rlielorica e geograpbia no lyceu
Jesta cidade, se propoe a dar li-
ces das mesmas disciplinas, e
bem assim de pbilosopbia e fran-
cei. Quem de sen prestimo se
quizer utilisar, pode dirigir-se
rna estreita do Rozario, n. 3i, se-
gundo andar.
Gomma de engommar.
Vendem-se saccas com gomma de en-
gommar muitoalva na ruado Queimrdo,
11.14, loja de ferragens.
Deseja-se saber onde resi-
de o Sr. Joaquim de Figuciredo
Lima, ou mesmo quem seja seu
procurador nesta cidade ou lora
della, para se tratar de negocios
que Ihe dizein respeito: quem sou-
ber annuncie por esta ollia para
ser procurado.
i
Lingoa franecza. k
Um Rrasileiro, ha pouco chegado de y
Franca, sulllcienlemente habilitado ^
na lingoa franceza, tanto na theoria '.,
como pralicamenle, ae propoe ao 2
ensino desta lingoa para traduzir e |
fallar : as pessoas que nella deseja- a
rem instruir-so. queiram dar seus 1
nomo* na livraria da ra do Collegio, $
n. 9, para coinecarein no principio ^
do prximo rriez.
DuTIQlUM IIKSPANIUH., ItUA DA SENZAI.-
I.A-VEIJIA, N 126.
Neste estahelecimento haver todos os
domingos c dias-sautos mito de vacca e gal-
linha decabi.lella, liem como oulras igua-
rias ; lambem sefazem jantarese almocos
para fra : ludo por preco commodo. Ksle
estabeleciniento estar abei to as 4 horas da
(iianhil.-i em os ilias annunciados.
Aluga-se um escravo nmilo pralico em
armazem de assucar. sabe levantar barricas
abatidas e mesmo fazer meias barricas, pola
lie qoasi ollcial de lanueiro : he batanle
sisudo efiel :11a ra da Seuzalla-Velha, ar-
mazem n. 106.
Alugn-se o armazem da propriedad
n. 49daiui\da Cruz, no Recife: a tralar
na ra da Senzalla-Nova, 11. 40, primeiro
andar.
Efe Chapeos do sol.
ItiiadoPasseio, n. 5.
Nesta fabica ha presentemente um rico
sorlimenlo de chapeos do sul.de seda de
lodosas cores as malsfixas que leeru appa-
recido, para homem e senhora, e que se
ven Icm muito em conta ; ditos de panni-
nho imitando seda ; ditos muito grandes, e
de panno e troiacflea muito fortes, pro-
prios pi ra senhores e feitores de engenhos :
laoibum se vende fazenda do seda e depan-
ninho imitando seda para se cobrirom ar-
maces. Na mesma fabrica se concerta qual
quer chapeo deso, com muila brevidade,
eporpre^o mais commolo do que em ou-
tra qualquer parte, o vendem-so baleias
para vestidos.
O Sr. J. R. da S. queira annunciar a su
morada para ser procurado a negocio que
Ihe diz respeilo; do contrario, declarar-so-
la poresle Diario o dilo negocio.
No largo do Terco casa terrea, n. 14.
onde tem o deposito de charutos, da ae di-
nheroa premiosubre penhores.ecompran)
se obras de ouro e piala sem feilio, e paga-
se pelos eu juslu valor, assim como ha
elTeclivamente bom sorlimenlo de charutos
das melbores qualidades quo ha no mer-
cado.
Cariaba de mandioca.
Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, de muilo boa quada le, por ser fa-
bricado na serra Meruoca, perlo da cidade
de Sobral, por prcc,o commolo : na ra do
Queimado, n. 14, loja do ferragens.
Prensa -so de um* ama de Icite : quen
estiver nclas circunstancias, dirija-se a
ruadasTrincheiras, n. 30, ou annuncie su [
morada para se Ihe ir fallar.
Pra u na casa estrangelra de pouca
familia deseja-se alugar um molequc, que.
nilo sen Jo ptimo cozinheiro, ja tenha al-
guma pratica de cozinha : na ra do Trapi-
che Novo, n. 16.
Antonio Mximo de [tarros I.cite, pro-
fessor jubilado na primeira cadeira publica
de pimeiras letlras da cidade de Coianna,
acha se de presento residindo nesta capi-
tal, e morando na ra da Cadeia, n. 40,
primeiro andar ; e pro| O.i-so a continuar no
mesmo magisterio particular, pelo que faz
scienteau respeilavcl publico que se acha
com aula abena na referida casa, onde ro-
ceber alumnos, tanto externos como in-
ternos.
A pessoa que annunciou querer com-
prar um casal de burros, dirija-se a dun-
da, na ladeira da biquinha de San-Pedro,
em urna caaa nova de mirante, que se Ihe
dir quem vende.
Aluga-se urna casa terrea na cidade de
Olinda, na ra de Malhias-Ferreira, pelo
lempo de feeta, ou por todo auno, a qual
tem escolenles commodos para uina gran-
de familia, alcm de oulras vanlageiH, lican-
do no centro da cidnde perlo do Varadou-
ro e da praia do S.-Francisco, onde ao po-
de tomar saudaveis bandos salgados : tam-
bera se aluga outra mais pequea imme-
diata a essa i quem as pretender, dirija se
ra larga do Rozario, botica o. 42.
s
Precisa-se i'e 50".t00 rs. apremio por
lempo ranga hypolheca c n ama propriedaJe nes-
ta praga, pela qual ha quem de. sciscentos
mil tis a inhei o coniado : na padaria do
tres portas, na ra do Pillar em Fra-de-
l'n: 11-, so dir qiem laz este negocio..
-- No paleo da matriz de Santo-Antonio,
sobrado n. 4, liram-sc passaporles para
dentro e fofo do imperio, assim como iles-
parham-so escravos e liram-se follias cor-
ridas,
Precisa-se do urna preta captiva, de
bons costumes, para o servido interno de
urna casa estrangeira de pouca familia : a
fallar na ra do llrum, sobrado do Sr. Fran-
cisco Alves da Cunha, segundo andar, ou
na ra da Senzalla-Velha, n. 60, primeiro
andar, esquina do beccodo Capim.
Precisa-se do ofliciaes de laioeiro, o de
discpulos para o mesmo ofllcio, ou mo-
leques dar ofco de caldeireiro.
Engomma-se com perfeigao : na ra
da Senzalla-Nova, n. 18, loja.
DEPOSITO GEUAI,
* do superior rap areia-finta S
% da fabrica de Gantois Pai- &
* Ihet&c Companhia, na Ba- #
hia. 8
A Domingos AlvesMatheus, agente da ^
>,, fabrica de rap superior arcia preta #
y e meio grosso da Babia, tem aberlo o ^
* seu deposito na ra Cruz, no Recife 3
fi n. 52, primeiro andar, onde se achara f$
% sempre desle excellentee mais acre- 4
M dilado rap que at o presente se tem :
y- fabricado no brasil: vendo-so em lio- .)
a les de urna e meia libra, por prego <)
a mais commodo do que em outra qual- ^
a quer parte. *
11 achinas violent s.
Na fabrica de caldeireiro de J. A. dos
Santos Andrade, na ra Nova, n. 27, Guam-
il machinas continuas para destilar agur-
denle, intituladas
violentas,
as quaes muito aprovam por fazer em cada
cinco minutos urna caada de agurdenle
de 35 gios, e queima o ultima caxixi, e j
se acha urna deslas machinas trabalhando
no engenho
tlha do Uorgado,
a qual se fez nesta fabrica poro risco que o
Sr. Francisco Fernando Thomaz nos apre-
scntou.e poro mesmo risco jas* fez outra
para olllm Snr. tenenle-corcnel Joiquim
Marinho Cavalcanlo de Albuquerquo os
prelendcnles dirijam-se ao dilo engenho
i I ha do Iforgado
para verem trabalhara machina
violenta,
ou a esta fabrica que he a nica que at o
prsenle tem feiio ditas machinas, o apro-
veitaram a occasilo de ainda aqu verem a
dolllm. Sr. tenenle-coronel Marinho que
por estes dias tem de ser assenlada em llar-
reiros.
- Manoel da Costa Pinto, Rrasileiro, re-
lira-se desta provincia.
-- Alugam-sc, para se passar a fesla, duas
grandesci.sas com minios commodos e bom
banho, em Saiit'Anna-d.-f)enlro : a tratar
no mesmo lugar com Julio Venancio.
Compras.
Compram-se 6 1 esos do duas arrobas ;
um temo de urna arroba al unta libra, .sen-
do usados : quem liver annuncie.
Na esquina do l.ivramento, loja de 6
portas, compram-se pataces mexicanos.
Compra-so pedra quo sirva para ladii-
Ihar calcada que seja da Ierra ou de fra,
ainda mesmoquej servisse|em outraolira,
sendo em conla : na ra larga do Rozario,
n. 93.
Compra-se urna casa terrea de 3 ou 4
quartos, em ra principal: na ra de S.-
Cccilia, n. ^^_____
Vendas.
Aos 20:000,000 de ris.
Na praca da Independencia, n.
4, vendem-se bilbetcs, meios,
quartos, oitavos e vigsimos da
11.a lotera do monte pi do 1O-
de-Janeiro.
Vende-se algodilo da torra a 180 rs. a
vara : na ra do Crespo, loja de Caivalho &
Maia, n. 19.
Vende-se graxa do Hio-
Grande em bexigas : na ra da
Praia, n. 3s.
, Vendc-sa um cavallo melado, com
bons andares e bastante gordo na run da
Camba-do-Carmo, n. 12.
.- Vende-se urna preta crioula, moga,
muito boa engommadeira, cozlnheira, la-
vadei'n de sabo e varrella, e que cose e
faz renda : no pateo do Tergo, n. 7.
Vende-so, na ra das Cruzes, n. 33,
segundo andar, um perito olUcial de sapa-
teiro, sem defeilo algum : o motivo por que
se vende se dir ao comprador.
Ainda esl parase vender a taberna
da ra da Ro la, n. 46 : se far algum aba-
lea quem a comprar.
Vendem-se, a troco de escravos, a ca-
sa n. 23 da ra dos Pescadores: na roa da
Cruz, n 64.
Vendem-se 18 escravos muito lindos e
j-acostumadosao servigo decampo, a pra-
zo com firmas nesta praga : na ra do Ran-
gel, n. 57, sobrado.
Vende-se muito bons e frescaes quei-
jos de Minas, com pouco mais de duas li-
bras, por 640 rs.; muito boa carne de poi-
co salgada, a 100 rs. ; superior toucinho, a
180 rs. ; muilo nova, alva e liinpa farinha
do aramia, a 2to rs. libra: no pateo do
Carmo, venda i. 1. ,
Vendem-se ealugam-se bixasde llam-
burgo, por prego commodo : no Recco-Lar-
go, 11. I, loja de barbeiro. Tambcm se vilo
applicar para u>aior commodidade dos fro-
guezes.
Vende-se urna preta de 20 annos, pr-
xima a,parir, e que nao tem vicios neui
achaques : na ra do Queimado, violo do
Rosario, segunda loja n. 88.
Farinha de trigo Barn.
Acaba de chepara cate mercado urna pir-
tidadesla muilo anlig-i c acreditada marca,
a qual pela sua excedente qualnlade pro-
melte renovar o endito, que algumi par-
tidas nio foram tilo boaf, a interiormente
chegadas lenham desmerecido : vende-se
emcasadeJ J. Tasso Jnior, na ra do
Ainorim, n. 35.
Vendem-se diversos escravos e
moleques,seiirluuin dcl'es cozi-
nbeiro ;
mnlecotes : pretos para o campo; ditos
para armazem de assucar; um dito mar-
nlieiro; um par lo o.itinio para pjge-n ; um
dito sapalciro, o qual se troca po'r urna pre-
ta quitandoira ; um dito para Irjbalhar om
algum sitio ; 3 pardas com habilidades ;
duas pretas mogas com algumas habilida-
des : todos estes escravos os S3iis donJi de-
ramordons para so venderem muito bara-
tos : na ra das I.irangoiras, n. 1 i, segundo
andar
A 2,400 rs.
f> Baratissimas mantas de cambraia o
seda, grandes e de escolhidos gostos
m para senhor, polo diminuto prego
I de 2.4100 rs. :
a na ruado Crespo, n II.
Vendem-se, na ra das Cruzes, n. 22,
segundo andar, iluas escravas mogas, mul-
to sadias e sem vicos que sSo ptimas en-
gommadeiras, coslureiras, cozinheiras e
lavadeiras dcsahilo, e urna dellas faz lava-
rinto.
Na ra do Vigario, n. 7, primeiro an-
dar, vende-se una prela de Angola, que he
excedente engommadeira, Uvadeira o co-
zinheira.
Na ra do Queimado, loja n 18, esqui-
na que vira para o Rozario, vendem-se cor-
les decamlnaias, a 2,500 rs. ; merinos de
cores, a i,280 o corado ; meias pretes le so-
da para homem, a 700 rs ; luvas para se-
nhora, a 600 rs : rassa para cortina los, a
3,000 rs. a pega de 10 varas ; chapeos fran-
cezes para homem, a 4,500 rs ; chitas linas,
a 160 e 200 rs
Vendse urna cadeirinha de robugo
quasi nova : no Atcrro-da-Roa-Visla, n. 39.
Uro jumento.
Vende-se um jmenlo muilo rjovo, o bom
para tirar casia : na ra do Queimado, n. 14,
ioja de feragens.
Vendem-se ealugam-se ptimas hixas
de HamburgO na ra do Aragflo, casa do
mestro barbeiro Theophilo.
Vende-se,
na ra da Praia-de-S -Rita, n. 17, des-
tilagflo confronto a ribeira, urna mobilia de
Jacaranda, nova, conlendo 12 cadeiras. 2
ditas de balango, urna mesa do meio de sa-
la, 2 consol os, urna cama gratulo do arma-
go e urna marqueze.
Vende-fe um Alias geographico novo,
por Simencourl ; um diccionario francez
por Constancio) urna rbula um Thoinpsom ; um ilphabeto ingle/.; urna
Selecta segunda ; um Saluslio ; urna histo-
ria groga : lodos por prego commodo: na
ra da Florentina, n. 16.
Vende-se cal virgem de Lisboa ; caixa
vasias; feches e rodas de arcos de pao pa-
ra barrica! ; pregos de estuque em barris
do 32 a 45 milbeiros ; pilulas de familia : na
ra da Cruz, n. 49, primeiro andar.
Vende-se urna preta de bonita figura,
de 16 11 17 innos, que cozinha, engomma o
cose, ludo com perfeicffo a qual he muilo
habilidosa, o nflo tem vicios : na ra Rel-
ia, n. 9. ..,
Vende-se urna taberna na ra do Pilar,
em Fra-de-Porlas, n. 88, rom poucos fun-
dos, e que he bem afreguezada : a Halar na
mesma taberna.
Trelo em saccas gran-
des:
vende-seno armazem de Antonio Aunes ,
no caes da Alfanrlcga, a 5,000 rs. a sacca.
. Batatas.
Vendem-se gigos com muito boas batas ,
por prego commodo : no armazem pega lo
a botica do arco da CnnceigSo.
Vendem-se as novas hixas de Hambur-
go, as quais lambem se alugam : na ra da
Cruz, n.53
Vende-se urna magnifica e elegante ca-
sa de campo margen do rio, no lugar de
S -Anna-dc-Renlro, contigua ao sitio dosj
herdeirns do fallecido commendador A11-'
Ionio da Silva e confronte ao sitio do Sr.
Gabriel, com um terreno de 600 palmos de
frente c 800 de fundo, com sufficicncia de
ter ca im para 8 011 mais cavados c qual-
qucroulra plantagSo.eque ludo produz com
muila facilidade, pela fertilidade do solo,
com excedente banho, que fica pouco dis-
tante da casa : o ar he muito fresco e sau-
davcl, com extensa e aprasivel vista : os
pretendentes para ver, dirijam-se ao mes-
mo lugar, cuja entrada he-logo adianto da
proi'riedade do Sr. Relm e delronto da
venda do Sr. Nicolao, a fallar com o Snr.
Joilo Venancio, o para tratar, na ra da Ca-
deia do Hecifo, com o Snr. Icommendador
Manoel Gongalvcs da Silva, ou em S.-Jos-
do-Mangninho, esa defronle da estrada no-
va da Capunga.
Novo sor limen to de fa*
z -ndas baratas, na ra
do Crespo, 11. 0, ao p
do lampea.
Vendem-so cortes de cassa franceza com
10 covados a 2,560 rs.; pegas de cambraia
de quadros com 8 varas a 2,720 rs.; cassa
preta para lulo, a 110 rs. o covado; zuarte
com 4 palmos delarguia, a 200 rs. o cova-
do ; riscado ministro a 220 is. o covado ;
chitas de cores lisas a 160 e 180 rs. ; cha-
les de tarlatana, a 500, 800 u 1,000 rs. de
muito bom gosto; cortes de brim de puro
linho, a 1,280, 1,500 o 1,600 rs.; chapeos
de massa a 1,600 rs.; dilos de seda a 640
e 480 rs.; cobertores de algodilo america-
no, a 640 rs. ; picote muilo encorpado, a
180 rs. o covado ; pecas du madapolSo mui-
to fino e com pintas de mofo, a 3,600 rs.
Obras: de ouro.
Vende-so um par de brincos com alguna
brilhanlea, urna medalha com diamante,
um lago de filagrn*. um annel com dous
1 diamantes, um buzio oncastuido para pes-
! cogo do menino : na 111a do Crespo, n. 12,
loia.
' Vende-se, por p-ego commodo, um
prota do 3il a unos pouco mris 'i menos,
que cozinha, e lie boa lnbalhadei>a de en-
xada : na ra Nova, n. 28.
Ven le-se a taberna n. 9, com poucos
fundos, sita entre as duas pontes da l'assa-
gem-da-Magdalena, por seu dono retirar-
se para fra da provincia- ,., ,
Vende-se feijSo do lo las as qualidades,
multo novo emu'to bom: na ra das Cin-
co-Pontas, n. 134, casa demonio da ror-
i ontinuam-se a vender
na ra Nova. n. 12,
chitas francezas do lindos .padrOos, a 200
rs o covado; camhraiasdo eree, a 320 o
400 rs vara ; cortes da tarlatana de lis-
tras, a 3,000 rs. ; cortes de coiletes de al-
godilo e seda', a 600 rs.; algodSo de lislras,
proprio para escavos, a 160 rs. o covado ;
e mitras muilas fazenlas por prego com-
modo.
Vende-so una escrava crioula, de 25 a
26 annos, com urna lidia de 3 a 4 anuos, a
qual cozinha bem, engomma perfectamen-
te, ensalma o faz tolo o servigo de urna ca-
sa : o motivo por que si ven le se dir ao
comprador: na rila dos Mariyrios, n. 34.
Vendem-se 30 alqueiies do sal do Ha-
ran!ifo,p ir prego commodo: na ra da
M.io la, n. II.
Vende-se uina lancha rectificada do
novo, que est no Forle-do-Maltos, noesla-
leiro do Santiago: a fallar no mesmo esla-
loiro com Jos de Son/a Coulo.
Conlina-se a vender manleiga.a 240,
320, 400, 480, 600 o 800 rs ; caf em grSo,
a 140 rs. ; dito nioido, a 180 rs.; cevaja, a
80 rs. ; cha, a 2.000 e 2,210 ; arroz, a 60.
70e90is. ; lelria, a 340 rs.; talharim, a
190 rs ; figos, a 140 rs.; passas, a 240 rs.;
holacbinha, a 220 rs. ; familia do Mara-
nliBo, a 100 rs ; dita de araruta a 200
rs. ; velas de carnauba, de ti, 7 e 8 em li-
bra, a 280 rs.; espermaceto, a 880 rs.; tou-
cinho de Santos, a t60 rs.; feijo mulati-
nho, a 240 e 320 is. a cuia ; dito branco, a
210 is. ; dito prelo, a 280 rs. ; queijos no-
ves muito frescaes, a 1,200 rs. : no pateo
do Carmo, n. 2, venda nova.
Vende-se um carro bem feilo.de 4 ro-
das, leve o comcuburta, hom para urna fa-
milia, he bastante grande e tem commodos
para Ooii 7 pessoas : para ser visto, ni co-
clicira doSr. Fisker, no areial de Fra-de-
Porlas ; bem como um apparellio de arreios
dohrados, por prego commodo.
--Vende-so boa cliampanlia em meias
garrafas, muito barato, para fechar contas:
na ra da Cadeia do Itecife, 48.
Vende-se urna casa com sitio, com bas-
tantes arvoredos do fiuclo e boa agoa de
beber, sita na Capunga : qiiom a preten-
der, annuncie. .
Vende-se um sellim em muilo hom es-
lado, por prego commodo : na raa Nova,
armazem n. 67.
Vende-se um cavallo bastante gordo,
com todos os an lares : na ra Nova, arma-
zem n. 67.
la o las (C seda.
Ainda exisle uina pequea porgio de
maulas dosedaao prego de 7,000 rs. cada
uina para se aeiBar : na ra larga do Roza-
rio, podara n. 48.
Vende-so urna casa terrea com quin-
tal murado, em chlios proprio*, sita na ra
do Caldeireiro, n. II : a tratar ni ra da
Cruz, n. 36.
x\a i ua Nova, n. 5,
vende-se um mulalinhode 15 annos, pro-
prio para pagem, por ser de elegante gu-
ra ; um molccote de 18 annos, bom cozi-
nheiro, e he de boa conducta o que se alian-
ca ; um mulatinio de 8 annos, muilo lindo;
um molccote,bom ollcial de alfjiate ; dous
prelos para tiabalharcm de cnxada, do lin-
das figuras ; duas pardas prendadas ; duas
pretas com habilidades; urna mulatinha de
14 annos, com principios do costura e en-
go minado,
Charutos de Ha va na
verdadeiros:
vendem-se em casa de Kalkmann IrmSos,
ua ra da Cruz, n. 10.
Vcndem-se velas de carnauba, tanto
em porglo como a retalho, por prego mui-
lo commodo, das quaes se alianga a boa
qualidade: no pateo da S.-Cruz, n. 5, ven-
la junto a botica.
Na loja de Maia Ramos 8c
Gotnpanhia, rita Nova, n. G, ven-
dem-se luvas de pellica muito fres-
cas c novas, lano para homem
como para senhora, a 1,000 rs. o
par. assim como para meninos e
meninas a 64o rs. o dito.
Acaba de chegar loja de
.Haya llamos |'C.,
um lindo sorlimenlo de papis para forrar
salas, acompanhado de riquissimas barras
e bellas guarnigOes: tudo da melhor qua-
lidade possivel e gostos os mais modernos:
aquellas pessoas que quizerem forrar suas
salas com asseio e gosto, dirijam-se ra
Nova, n. 6. na indicada loja cima que se
Ihes promette eommodidado de prego.
Vendem-se pipas de ptima ago'arden-
te por picgo commodo : na ra do Hospicio,
n 9.
Vendo-se um prelo do gento de Ango-
la, de 20 annos de idade, de bonita figura e
proprio para qualquer servigo, por ser mui-
lo intelligenle e robusto : na ra Imperial,
n. 25.
Vendeir-se 12 escravos, sendo: 2pre-
tos do bonitas figuras, ptimos carreiro ;
I lindo mulalinhode 17 annos ; 1 dito co-
zinhoiro e serrador ; 2 negrinhaa de 15 a 16
anuos; 1 escrava engommadeira e cozinhej-
ra ; 6 escravasdo todo o servigo e de boni-
tas figuras : na ra Direila, n. 3.
Vende-se ou by e'iiiieea-se umt morada
de casa terrea com sotio, sita no becco dos
Ruigos, a qual rende mensamente dezoi-
lo mil ris:a tratar na ra do Codorniz,
venda, a. 10.


-- Noannarem n. 7 da rus di Moeda,
vende-se sal em Brande e pequeas porgos.
por proco mais lualo ilo que cu oulra
i|iiil(|uor parto.
Vende-se limito superior la-
rnliR gallega n meias barricas :
nn rna da Gndeia do Hecife, cs-
criploro de Deane \ou!c & C. ,
(i no primeiro armazn do boceo
do Concnlves.
-- Vende-at um prelo ptimo eozinheiro
ao compradorsedira 0 iotivo por que se
vende : a fallar com G .go Ncrbett, na ra
lo Trapiche, u. te
OHlMmWtMHtj
A 4,000 rsi
i Pnqnrlt-de-Pernambwo, tundeados no pi-
do casa ilo llamo-!, Iiooi sebo em rama, por
prego commodo.
arados de ferro.
Na fiin-'igrto da Aurora, OHl S.-\H1nrn ,
ven lem-se arados de ferro diversos mo-
delos.
f>
)5 Vendem-se ricas mantas de seda pa- ^
]> ra senhora, de lindas core, e sem o ?
? mem'defeit, pelo diminuto prego ^
#9 de 4,000 rs. : na ra do Crespo, n. ti ^
-- Na rua da Moria, n. 7, vendem-so bar-
ris de varios (amanhos, com o mais supe-
rior vinli do Porto que tem vin lo a eate
mercado, sendo alcm da boa qualidade
DillitissiaiO baralo.
amado Crcs|)o,loja da
esquina que volta para
a cadeia,
vendem-se os acredilados brins trancados
brancos delislras eliaos, de linho puro, a
1.500rs, o corte] dito a-narello, a t.SOOe
1,600 r*. i panno lino preto e azul muilo
bom, a.'1,200 rs. o cuvado ; dito muito su-
perior, a 5,500 rs. j ustoes milito bonitos
para Colleles, a li4i> rs. o corte; ditos de
velludo, -j.500 rs.; di.os de seiim lavra-
do, a 1,800 rs. ; ditos de gorgurflo de seda,
a 1,6011 rs ; canibraia lisa, a 2,720 rs. a pe-
ca de 8 varas o meia ; cassa prcla, a 1,440
rs. o corle; caguilio de linho muito lino, a
1,440 rs-a vara; e oulras muilas fazen-
iaa por precns co.n modos.
Tecidos de algodao frail-
eado da fabrica de Te-
ri os-os* San los.
Na rua da Cadeia, n. J5,
vendem-so por atacado duas qualidades,
proprias pura saceos do assucar e roupa de
escravos,
/liarles de furla-ercs a
200 rs, o coved > tris-
cado nionslio a 220 rs.
Vende-so zuarlo do furla-cnrcs muito
enrorpadn e com 4 palmos de largura, pro-
prio para csriavos a 200 rs. o covado ; ris-
cado ministro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na rua do Crespo, loja da esquina que
volta par:- n Cadeia.
A (540 rs. cada um.
Vendcm-se cobertores de algodSo ameri-
cano, enenrpadose grandes a duas pata-
cas ; chitas oscuras, de honspadroes c co-
res seguras, a mpia pataca o covado: na
rua do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadoia.
Tai xas para engen lio.
Na fundicio de ferro da rna do Rrum,
araba-so de receber um completo sorlimen-
todc taixis de 4 a 8 palmos de bocea as
quaea acl>am-so a venda por prego com-
modo e com promplidfio embarcam-se,
0U carrepam-seem carros sem despezas ao
omprador.
Aviso importante.
Beneficio publico.
U armazem antigo da rua da Madre-dc-
lieos, n. 36, esta de novo estabelecido de-
baixo das mesmas condigoes, oflerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figieira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
boa por220rs. a gprrafa, c 1,600 rs. a Ca-
nad, a de vinho do Ilordcaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. Nio se admiiem
os fieguezes do baxo prego por que se ven-
de a deliciosa pinga, c sim da audacia do
proprietarioquercr sustentar o antigo pre
co, embora este genero tenha subido o me-
llior de 30,000 rs. por pipa. Examinen] os
amantes a qualidade para rcconlucimento
da vei dade e conlinuago da antiga fregu-
zia. E para nSo haver usuras, cst.io promp-
tas garrafas tarradas c com o competente
rotulo, assim como barra de diversos l-
mannos para piovlido do prximo Natal.
O proprielario cunta com a concurrencia;
do contrario, tornarlo os pregos do rcta-
Ihoa primitiva de-240 e 280 rs. a garrafa.
Fllia de liaudres.
Vcndein-se caixascom folha ilc Flandrcs:
na rua do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnnior.
-- Vriidem-sc amarras de ferro: na rua
da Senzalla-Nova, n. 42.
Velas de cores.
'Vendem-so, no armazem do molbados
atlas do Corpo-Santo, n. 66, por prego com-
modo, vcl/is de catnafiba, sendo azues,
cor do rosa e lustrosas, ns quaes se lomam
recominendaveis pela sua superior qualida-
de e aturarein mais que as de espermacele,
u nao fazerem morrfio.
Deposito de Poassa.
Vende se muito nova potassa
de boa tpialidade, em bairiszinlio.'.
pequeo le qu^tro arrobas, por
pceo barato, como j lia muito
teinpo se nao vende: no liecife.
rua da Cadeia, armazem n. n.
Antigo deposito de col
virgem.
Na rua do Trapiche, 11.17,11a
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
r- Vende-se a bordo dos Irigues ligeira
AMO rs. o covado.
Vende se suporior nscado do algodilo,
muito cncorpado, a 140 rs. o covado: r>
rua do Crespo, n. 6, loja junto ao lampeflo.
Vendem-se relogios do oun. e pnt,
patentes inglezes: na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
Rias.
Vendem-se bichas chegadas ltimamente
e le boa qualidade, a 160 rs. cada urna, em
porgiio de 25 para cima : na rua do Amo-
rim, n. 35.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor,
RUA DA SlNZAI.T.A-NOVA, N. 4a-
Neste cstabelecimento conti-
na a haverum completo snrti-
onento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos,
para dito.
Pos gal va ii i eos para
pratear.
Na rua do Collegio, loja n.9.
Todas as pessoas que possuem objeclos
prateados e que lenham perdido a cor ar-
Ef nica, estando por isso indecentes, 011 inu-
tilisados, teem uestes pos um excellente
restaurador e conservador dos mesmos
objeclos sempre como no vos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples ,
nada mais do quoesfregar com um panno
de linho moldado em agoa fra e passado
nos mesmos pos.
L'ma caixinhii contend) qusntidade suf-
ficiente para pratear mais*de 40 palmos
qumlrados costa a mdica quantia de
mil rs.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Sautos na Itahia
Vende-se em casa de N. O. Hieber k C.
as rua da Cruz, n. 4, aleodto (rangado
ilaquella fabrica, muilo proprio para saceos
de assucar etoupa de escravos.
Cha hrasileiro,
Vende-se che' hrasileiro no armazem de
molliBilos, atrs do Corro-Santo, n. 66, o
mais excellente cha produzido em S.-Pau-
lo que lem viudo a esie mercado, por
prego muito commodo.
Familia de trio.
J.J Tasso Jnior vende f.iiinha ih Pro-
venga, chegada no ultimo navio de llarsei-
llic, por prego commodo.
Moendas superiores.
Na fundigode C. Slarr & Companhia,
em S.-Amaro acham-se vend moendas
de caima, todas de ferro, de um modelo 8
construrgfio muito superior.
Cal virgem.
Cunba ; Amorim, na rua Cadeia do Re-
cite, n. 50, vendem cal virgem do Lisboa,
de supeiior qualidade por prego mais ba-
ralo do que em oulra qualquer parlo.
iNovos cortes de uassa pa-
ra vestidos.
Vendem-se cortes de cassa para vestidos,
de cores (ixas e de bonitos padrOes, a sete
e oito patacas o corte ; diales de tarlalana ,
grandes a 800 rs.; mcios ditos, a 500 rs.
na rua do Crespo loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
dos fumantes de bom >osto.
No armazem de moldados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, da para vender, ebegados
pelo ultimo vapor viudo do sul superio-
res edarutos S.-Flix, e de oulras militas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em oulra qualquer | arte : bem como
cigairildos despaldilles ditos de palha de
mildo, que se estilo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
Corles de bi im de corra
com listras ao lado, a
1,280 rs.
Vendem-se corles de brim de cores com
listras ao lado, a 1,280 rs. ; riscado do al-
godSo americano, pmprio para ese-nvns, a
140 rs. o covado : na rua do Crespo, leja da
esquina que volta para a cadeia.
Attencao.
Vendem-se lilas de chamelote para os
hbitos de Cdristo, liosa, Aviz c Cruzeiio,
edrgadas prximamente : na rua do Cres-
po, ao p do arco de S.-Anlonio. loj.i do
iniudezas de Joaquim llenriques da Silva.
Facililla de araruta
de superior qu.-.lidade, rccenlemcnle che-
gada a este morcado, em lairiquiulias de
menos .le duas airobas, pelo diminuto pre-
go de3,000 rs. a ai n ha : na rua do Azeite-
de-feixe, armazem do Francisco A Ionio
da llosa.
A os aimdores e Iliteratos.
Na rna do Crespo, loja n. 5 A, de l'.icardo
Jos de Fruas, c defronle do trapiche no-
vo, n. 6, vefldem-ie as seguinles odias, por
prego commodo :
O Preto, publicagflo modernsima que
descreve o estado lamcnlavcl das cadeias.
tetilla militur, jornal contando muitos
conhecimentos utcis c novos inventos para
a nobro profiss.lo das armas, com as plan-
tas c estampas necessarias para a intclli-
genria do texto.
Historia do cerco do Porlo, 2 v. obra mui-
to moderna einlerossante pela nairaglodes-
te heroicofeitode nossos dias.e de|ouiras no-
ticias e pulsearla lopographica das linhas
da dita cnladc.
Viuijtni na minha Ierra, publicagSo de
muito gosto e chisto do bem condecido hi-
lera lo Garrelt,
Cotilos / minha Una, bella tradicgito daj
provincia do Minho, pelo excellente esnp-.
tor A. P. da Cunlr. |
Portugal, recordacOes do a: no de 1842,da
viieem que a ess' reino fez o principe
Lirlnow ky .
Museu Piltoretenn* i a 21, jornal scienli-
llco, cont .do muito boas estampas.
No armazem do birateiro Suva Lo-
pes, na porta da alfandega, vende-se fari-
nda de trigo, nova c de primeira qualidade
nuo vem a esto mercado.
' Vende-se cal de Lisboa : na rua da Ca-
deia doRecire, n. 20, loja.
Paraquem tiver bom
gosto.
Vendem-se redes de cores muito grandes
e muilo bonitos padrOes, e o melhor que
tem apparerido neste mercado : na rua do
Crespo, loja da esquina que volta para a
cadeia.
-- Vende-se superior fannha de mandio-
ca, em saecas : a tratar no escrlplorio de
Manoel Concalves da Silva, na rua da Ca-
deia do llecife. ou no armazem do Ara.ujo,
no becco do Gongalves.
Vende-se cera em velas, vinda do Rio
de-Janeiio, emcaixasde bom sortimrnto,
por si r a maior parle miuda ; pos anlibi-
liosos de Manoel Lopes, per prego commo-
do : na tiraga do Commercio, n. 6, escrip-
lorio de Manoel Ignacio de Oliveira.
% PRESOS COMMODOS.
8 Loleriasdo Rio-de-Janeiro m
4 llua do Collegio, n. 9. fi
. Pelo vapor mperatrlt, sabido do ^
Rio-dc-Jnnciroem 2docorrente, re- &
a> cebTam-se bilheles o cautelas da <^
m 5.a lotera doscapiichinbos %
* i|iie fieeva para correr no dia 6 ; *
* bem como da
--Vendem-se duas lindas escravas, urna
de 20aunns, do nago Costa, que engom-
ma e cozlnha, o a oulra de 1 i annos, e que
be recolhida : ambas de excellento conduc-
ta : na rua do Rangel.n 57.
--Vendem-se-saccas com familia muito
boa e bem torrada, por prego commodo : no
armazem doTmado ttraguoz: na rua da Ca-
deia. ao p do arco da Conceigfo, n. 6 O, ou
a fallar na loja de Jolto Jos de Carvalho
Moraes, eno mesmo armazem.
Vende-se. ou aluga-se urna casa em
Olinda, na ladeira da bica de S.-Pedro, n.
38, em chlo* proprins, grande quintal, pa-
rede-meia de urna casa nova com soiao : na
rua do Rangel, n. 54, a fallar com Victori-
no Francisco dos Santos, que est encarre-
gaeo desta venda.
Rap de Lisboa.
Vndese rap de Lisbt, por
pre co commodo : na rna da Ca-
deia do Recite, loja de Antonio
joaquim Vidal,
Na rua Nova, n. 59. loja de Iraates, de
Antonio llomingues Pinto, vende-se um par
de consolos de Jacaranda, cohertos de pe-
dra marmore, com seos competentes Ire-
mos : obra perita e de gosto o mais moder-
no possivel.
Rap Paulo-Cordeiro.
Vende-se rap l'aulo-Cordeiro,
chegado pelo ultimo vapor do Kio-
de-Janei-o, bem fresquinho, por
commodo preco : na rua da Ca-
deia do l\ecfe, loja de Antonio
Joaquim Vidal.
-- Vendem-se ealugam-se bixas de Hm-
burgos, por commodo prego : na rua estrel-
la do Rozrrio, o. 13
i
ai.a do monte pi
9 que deve correr no dia 16 : o que 2
8 assim se annuncia aos amadores des- S
2 t joso que gostam da brevidado na
E noticia da cxlracjilo, afim de se pro- S
2 verem quanto antes da lotera dos ca- S
? puchinhos, cuja lista deve chegar S
Cal de Lisboa.
No Rio-I'ormoso, em casa de Julio Jos
Lopes, vendem-se barris com cal virgem de
Lisboa, do superior qualidado, {por prego
commodo.
A 2,720 rs. cada um
corte.
Na loja de Cuimarites & llenriques, rua
do Crespo, n. 5, vendem-se novas cassas
parisienses, padrees muito molernos, pe-
lo barato prego de 2 720 rs. cada um corle :
esta fazenda se torna muilo recommenda-
vcl pela superior qualidade e barato picgo.
.Saccas com mi I lio a
2,500 rs. e ditas com ar-
roz de casca a 3,l>00 rs.:
vondom-se no armazem do Draguez, ao p
do arco da Conccig.lo.
No armazem n. 7 da rua da Moda, ven-
dem-so saecas com superior colladas fa-
bricas do Rio-Grande-do-Sul, por prego em
CA
*
Q fi
M c
*j o
o c CO
-3
rs o *-"
n
'ti r
m fl
M fl) *
T3 ^J
3B tt
mm
* -

w
s* cu
o ^
M w
fe
sil*
Ji o o

"I
>r. o
a1

= =22
e .-.
osa
2o"*
G _
fl-B H
4
. ef bo
C = .ce
3
_B v o^ j;
m-V =-o O-
~Z.Z <*
a 3 -j t. u
S' u s O
O o P.
Mi) ti a ,
!'- 2 3
feS22=^
-n C
NO
"O
55
5S = E'5-
l%lZn j=
> o-- o _. 2 = -c^-o
2.2
c
CEE
con la.
\ 240 rs o covado.
Vendem-se riscados de linho, propiios
para jaquetas e caigas, a 3(0 rs. o covado ;
zuaite com urna varado largura, pelo b:i-
tatodegflOrs. o covado : na rua do Cres-
po, n. 6, loja ao pe do lampeSo.
Vende-si urna escrava de 20 annos, de
muito bonita figura, que engomma, cose,
cozinha e serve bem a urna casa ; urna dita
moga com urna lilba de 10 mezes, a preta
cose e faz lavarinlo ; urna negrinlia de 8
annos, muito linda, que faz renda e coso
alguma cousa ; urna preta de 35 annos, pa-
ra fra da provincia, que hecozinheira.en-
gommadeira, ri-lina assucar e faz doces : na
ruado Collegio, n. 21, priaeiro andarse
dir quem vende.
(ucijos do serla1).
Na rua do Queimado, n. 1(, loja do fer-
ragens, vendem-so muilo bous queijos do
serto, por menos prego do que em oulra
qualquer parte ; bem como 3 couros de on-
ga o o ni de lonlra ; urna porg.lo de couros
miudos : ludo se vende muito barato.
Chiras escuras de cores
(ixas a 180is. o eovado.
Vcndem-sn-as mclbores chitas do c6res li-
xas c asseulos oscuros : na rua do Queima-
do, n. S, bija confronte a liolica.
Calcado de l,<20a 1,600
No Alerro-da-Boa-Visla,
delronte da boneca,
s.lo chegados sapatos francozes de couro de
lustro para senhora, a 1,280 e 1,600 rs. o'
rar; bem como um completo sortimenlo
decalgado de tolas as qualidades, tanto
para homem como para senhora e menina;
assim como do Aracaty para bomcm, a
1,000 rs. ; pe I es de couro de lustro ham-
buruuc/. francez ; ditas do inarroquloi :
ludo por prego commodo.
A /SO c 5G0 rs.
Vendem-se castas francezaa de cures fi-
xas e do bonitos padioes, pelo barato pre-
go de 480 rs. a vara; chitas largas france-
zas e de lislias cor de ganga c cor do ciuza,
pelo baralo prego de 360 rs.; brim lrang.i-
doaniarello de puto linho, pelo baralo (>re-
go de GiO rs. a vara : na rua do Crespo, n.
14, loja de Jos Francisco Das.
-- Vende-se a loja de miudezaa do Ater-
ro-da-lloa-Visla, n. 8(, rom um pequeo
fundo de 700,000 rs.; assim como se vi-
dem as niiudezassmente, ou a armagflo,
e leudo a casa proporgOca para um grande
estabclecimenlo com morada indepen-
denle.
--Vendem-se dous escravos pegas, de
muilo elegantes liguris: um he muilo bom
olTlci.il de sapaleiro de loda obra, e o oulro
he muilo proprio para carregar urna calei-
rintia o servir a urna casa : na rua do Col-
legio, n. SI, so dir quem vende. '
Vende-se urna preta muito boa cozi-
nheira e ongommadeira, muito sadia e ro-
busta, nflo tem vicio alguma, apenas fuma
cachimbo e isso muito poueo : sen prego
he de 480,000 rs. quanto cuslou : o motivo
de se vender be smente por dizer que lllo
quer trabalhar em um quintal e querer que
a vendam,adveilindo-se que sendo para fra
da Ierra ou engenho da-se mais em conla :
na rua do Sebo, n. 8, a toda a hora.
Vendem-se pegas de chitas limpas ede
assento coberlo, a 5,800 rs. ea retalho a
160 rs. ; cassa-chila preta para luto rigo-
roso e alliviado, a 200 rs. o covado ; cassa
lisa, a 3,000 rs. a pega de 10 varas, e a re-
talho a 320 rs.; cambraias, um corto para
vestido 2,500 rs.: na rua do Passeio, n 17,
loj
Na loja nova da rua do Quei-
mado, n. lo, cha-s um comple-
to sortimenlo de fazendas de gos-
to, asmis modernas que ha e por
precos os mais commodos possi-
vais, assim como ha pannos pre-
tos c de cores muito finos, a 5,ooo.
Vendem-se sapales de cou-
ro de lustro pelos baratUsimos pre-
,cos de 2,.50o, 3,ooo, 4,ooo e 4,5oo
Ira. ; ditos brancos do Aracalypa-
ra lio:-!ieni e menino, a f,ooo
dilos de orelhas, a 1,600 rs :
rus da Cadeia do llccifc, n. g
Vendem-se massns de meias de linho
por fumino lo prego : na rua do Vigario, n.
11, primeiro andar.
Vende-se una escrava do'meia idade,
boa quitandeira, pelo prego de 280,000 rs. :
na la da Roda, n. 16.
Vende-se uira farda para guarda na-
cional, urna banda rica para odicial, um par
de globos de curo, canana e talim, urna plu-
ma e um lit-l de fo de ouro para espada:
quem pretender, dirija-so rua Dlrcila, n.
70, das 6 s 8 horas da mantilla, do melo-
da s 3 hora-:, ou noilo : tudo so vende
por preco commodo.
Velas de espermacele.
Vcndcm-se velas de esperma-
cele superiores, chegndas agorada
America : em casa de Deane You-
Ic 6c Companbig, na rua da Ca-
deia, i. 4-

^tommvm
Nesta loja vende-se panno lino prelo e
de cores ; casimiras clsticas, linas e de bo-
nitos padrOes ; cortes de hrun de linho es-
curo, a 700 rs.; cassa lisa, a 320 rs. a vara;
chitas de cores fxas o do pannos mgito en-
corpadas, a 140 rs. o covado ; e oulras mui-
las fazendas proprias da festa, por barato
prego para fechar ce utas.
Vcndc-.-o um sobiadioho em cliHos pro-
prios, silo na rua da Seuzalla-VoHia, n. 23 :
a tratar no Passeio-I'ublico, n. 7, que se fa-
r todo c qualquer negocio.
Selns inglezes e cas
lieos :
vendem-se em casa de Geo : Kenwortby &
C. na rua da Cruz, n. 8.
raaMaHanajnanwiivw.'iiKiwii(4
Altcn^ao.
Sao chegaiasas verdadeiras bi.
xas de Hamburgo, as qnaes se ven-
dem aos cento e a relaluo : tain-
bemse alugam: na rua da Cruz,
no Recifc, n. /I3, deposito de Joa-
quim Antonio Carneiro de Soma
Azevedo.
Vondo-seuma escrava crloula, moga,
robusta, mu fecunda e com urna cria de 18
mezes, a qual cozinha o diario de urna ca-
sa, lava do varrella osabSu, e sem vicio al-
gum ; prefere-se para fra da praga : o mo-
tivo por que se vende se dir ao comprador:
na rua do Hospicio, n. 17.
Vendem-se 6 lindos moleques da nagSo
e crioulos de 13 a 20annos, som vicios; 4
prelos de 20 a 30 annos ; 3 pardos do 15 a 30
annos, bous para lodo o servigo ; 3 mulaii-
nhas de 1G a 20 annos, as quaes sSo | rfei-
tas engommadeiras, coslureiras e cozinhar.
muito bem; t preta boa lavadelra, coxi-
nheira equitandeira, com urna fllha de 12
annos, muito linda, Com principios de habi-
lidades e que he recolhida; 2 negras quitan-
deiras, de 20 annos ; 3 ditas com algumas
habilidades ; 2 ditas de meia idade ; assim
como oulros muilos escravos : na--rua da
''adeia do Recife, n. 40.
Vende-se um cavallo de bonita figu-
ra, bom galopiadore passeiro : na rua da
l'i'aia, armazem n 64.
Vende-se um chapeo de pasta, proprio
para empregado publico ; urna caixa do cha-
rflo conteno um jogo completo de volu-
rel ; urna commenda de ofllcial da rosa ; 2
bonitos anneis de brillantes : na rua do'
Crespo, n. 17.
Vende-se um bom cano de 4 rodas,
com os seos competentes arreios para dous
cavados, pela quantia de 250,000 rs. : na
.raga iiu Co'po-Santo, o. 2 Na mesnin ra-
sa compram-sii dous quinaos para carg,
quo si-j.un bous.
Vende-se espirito de 37grios, a l,2C0 ,
rs. a caada, e 100 rs a garrafa : na rua da
Praia-de-S.-Rita, n. I. .
Jbscravos Jruticos
100,000 ra. de gratificagflo.
Oabaixo assignado rogaaos Sis. de en-
genho Chrislovflo do Molanla Cvalcanle,
Francisco de Ra iros Reg, Francisco Mari-
nhp Wanderley, Francisco de S.-Tiago lla-
nfts, Antonio Jos" M:-rroquim, Manoel de
Rarros Arcioli Mello, Antonio de S.-Tiago
Paz de Mello, Paulo de Amorim Salgado,
l)r. Flix Theotonio da Silva GusmAu e Ig-
nancio de Barros Wanderley para que se
dignom mamb.r ver pelos moradores de
seus engenhosuma escrava de nome Ca-
tharina, crioula, de estatura regular, ma-
gra, com a barriga um tairto crescida, den-
tes bonitos, sobranselhas carregadas; le-
vnu urna fi 1 lia mulntinha, de 3 annos, de
rosto ledondo, olbos pequeos ; tem as co-
xas tilo unidas que a faz voltar os ps para
oslados. Fugio n 11 de oulub'O do 1818,
A mili desta negrinlia chama-sc Jcronynia,
e teni almdesta fllha muitos ilhos, e por
isso se tem feilo notar no luaar aondo mo-
ra ; be escrava deThoinBZ Vieira, morador
no engenho Palma, sitio capivara. Cantar-
na foi cria de Maria Vieira, moradora em
Peroba, sil o Pescinenge, o por morte desta
coube em beranga a Certriides, I I lia casi-
da com domingos de tal, morador netta
praga. lia lo Ja a certeza dellateresladoem
algum dcstes eng.-nlio, porcm tem sido
mudada tnlvez pelos'manos. U abaixo as-
signado olTereCe a quantia de 100,000 rs. a
quema trouxcra'. o Ijm de dezembro do
corrento anuo, e pretende deste pfazo em
diante, fazer loda a diligencia para a disco-
brir e pioceder contra qu< m a liver acol-
lada.--O commandaiite do enrpo de roli-
cia, Joio do liego Dnrros Falcito.
Fugio, no dia 14 do crrente, urna ne-
grinha de nome Nina, de 14 annos, de esta-
tura baixa, magra, bastante relila ; he
muilo espuria ; usa sempre do avenlal; le-
vo 3 vestidos do lalho fraiid-z, sapa tos e
meias; lem o naiiz um tanto malhado pe-
los ladose urna cicntiiz pequea em cima
da pestaa de um odio : quem a pegar le-
ve-a rua Nova, n. 3, f rimeiio indar, que
ser gratiliCido.
Fugio, do engenho Novo da Muribec,
um prelo cnoiiIo, de uome Filippe. de 28
annos pouco mais uu menos, com efllcio de
alfaiate.de estatura alia ; tem os hombros
levantados, delgado da cintura, rosto com-
pi ido, nariz aquilino, ps e mfios grandes ;
SuppOe-se eslar aqu na praga em alguna
casa do alfaiate trabalhando no ollicio.ltoga-
seaos Srs.mcslresdas lindas onde o niosmo
prelo se adiar, ou a oulra qualquer pessea
que delle liver noticia do participar na rui
doCollegio,ao Sr. Antonio Ricardo do lle-
go, que iccompeusai o favor.
Fugio, no di 6 do crrenle, o prelo
Benedicio, de ni-go, de 18 anuos,- pouco
mais ou menos, aeiu barba ,- levou camisa
de madapolto e caigas do tiscado largo e es-
curo;, de altura icgular, corpp fornido,
lo-icos grossos, bocea grande, ps e mios
grandes: quem pegar levo-o rua es-
licita du Itozario, n. 43, segundo andar,
quesera gratificado.
-Fugio a preta Vidornia, de estatura ie*
guiar, olhos vi-rinelhus, beigm. Cabidos, pes
apapagaiados, seio guinde ; lem un Caru-
go direilo em cima Uu culuvello ; levou um
vestido de cuita escuro j usa lo : quem a
pegar leve-a ao major Mi-yer, que recom-
pensira.
D.sappareceu, noiiia 16 do rorrete,
um inul.ii inho do nome Miguel, de 10 anuos
pouco o ais ou menos, cheiu do cor) o, ea-
bega gr.-.nde, odios grandes, denles largos,
nariz cli.lo, pernas grossas; tem o curio
cheio do sifciiaes i reos, cor um tanto palu-
da ; levou vestido camisa de panno azul, o
levou indis um caixa de tartaruga. Roga-
se as autoridad policial s e capiles de
campo, que o ap|>ri:hciidnin e levein-nu ao
pateo du Terco, n 8, sobrado.
Fugio, no dia 29 do prximo passado
ouliilno, do sitio Tallin inuira, na eslracn
dos Afilelo-., peno desta ridade du Recib',
o parlo Jos, alto, grosso, pos g usaos, com
falta de vista no odio esqui-ruo: quem 0
pegar leve-oao dito sitio, ou na tua da,>
Senzalla-Nova, n. 40, | rimeiro andar,, que
ser gratificado. \ !
PaN, : N* TTP. BB M I HE WU- lW


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESEATMWZG_6D7IBU INGEST_TIME 2013-04-24T15:31:40Z PACKAGE AA00011611_06718
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES