Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06710


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
Se! mi a-fe ira
12
PARTIDAS DOI OOBUIOI,
ftoianna eParahiha,segundas esexlas-feiras.
Rjo-Graudc-do-PJorle, i|iiiiilas-feras ao melo-
da. ]
Cali, Serinhaem, Rio-FonnofO, Porto-Calvo
M.fcei, no l., a 11 e 21 de cada mea.
Garanhuna e Bonito, a 8 e 23.
li,'.;,-\ isiae Flores, a 11 e 28.
Victoria, .i linda, lodos o das.
IfHIM^BIBIJ.
Phe da lo. Mlng. a 7, s C h. e :i ni. da ni.
Nova a 14, s Bh. c53m. da t.
Cresc.a 23, aoi i in. da ni.
Chela a 30, 3 h. e 5 ra. da m.
MliMH SI BOJ*.
Prlmeira as 2 horas e 54 minuto! da tarde.
Segunda as 3 hora c 81 mininos da manti.
de Novembro ele IIMO.
N. 285.
meos DA aunscaipcio.
Por tres mezes (aanladiu) .4/000
Por seis ineies SftUW
Por um anno 15/000
oas da siman
12 Seg. S. Diogo. Au I. do J. dot nrf. do e nt, I...
13 lin;. S. Kugoniu. Aud. da clianc., do J. da I. v.
do civ. e do dos fritos da fazcnda.
14 Quart. S. Clementino. Aud. do I. da 2. v. civ.
15 Quint. S. Cerlrud.s. Aud. do J. dosorf. c do
ni. da 1. v.
10 test. S. Concalo de Lagos. Aud. do J. da I. v.
do civ, e do dos frito Ja fazcndi.
17 Sab. S. Orrgorio'rhauninturgo. Aud. da Chae,
e do J. da 2. v. do crime.
18 D.ini. S. Ui,uno.
CAMBIO EH 10 DE NOVEMBRO.
Sobre Londres. 38 d. por 1/OrtO r. a ti) dias.
Paria, 3i.
Lisho i, 100 por rento.
Ouro Oncas bcspanlioes......... 30HO0 a .'lO/frtIO
Mocdas defiMuOvelhas.. 17/000 a 17/2(10
de O>4o0 novas .. H&lKXI a 1(1*800
. de 4/000........... 0/200 a 9/3"
Prata. Palar.Oes brasllciros...... I/.M30 a 1/i'Hn
Pesos columnarios....... l/'00 a 1/'h'"
Ditos mexicanos.......... LJW0 a 1*9011
DI A Rl 0 DE
PAUTE OFFICUl.
MINISTERIO DO IMPERIO.
DECRETO N. 637. l)R 27 DE SETEMBRO
. DE 1849.
Itrgulam'Hto interno da adminlstracio da cr-
relo da capital, da tunt agencias e dat da
provincia do Rio-de-Janeito.
Continnacfio do n. 252.
capitulo v.
Dat caixai filian.
Art. 106. llavera no lugsrmais prximo i
sal* da entrada da cssadaadministracoum
caixa cem femla para srem nella lanzadas
as cartas da cidade para a cidade compre-
hendida nos districtos em que est divi-
dida.
Art 107. llavera mais seis caixas liliaes
do correio em Mala-Porcos, ennenho Velho,
S.-(:hrslov8o, Catete, Bol'ibgo e Cosme-
Velho. 0 administrador do correio con-;
tratar com quem nestes pontos respon-
j, pelas dilas caixas, obrigando-se ao que
prscrevem os a ts, 108 e 110.
K poder mudaros pontos, eaugmentar
o numero dos mesmOs e o das caitas quan-
d a experiencia o convencer deque ron -
vem faz-lo.
Art- 108. A) caixas ler.lo rendas pelas
quacs sero intfoduzidas as cartas; reme-
ler-se-ho, e conservar-se-ho fechadas
nos respectivos pontos ; e s devem sor
abortas na casa da administraco do cor-
reio.
Art. 109. O administrador do correio
commeller a conduccSo das caixas e dos
masaos do art; 117 a quem a faca com a
posslvel rapidez e seguranza da casa da ad-
ministrarlo para os pontos indicados e vi-
ce-versa.
Art. 110. As caixas sorSo postas em lugar
egoro e accessivel, de maneira que com
i'acilidaile se possam lanzar nellas as car-
las de dia e al as 8 horas da noite.
Art. 111. as casas em quefrem postas
is referidas cuitas, ou as mais prximas,
ero vendidos os sellos destinados ao pa-
gamento dos portes.
Art. 112. Serlo feitaspordia tantas re-
ii''sois de caixas, dos ditos ponto para
idadee vic&versa, quantasloroqi ueccssa-
ias para que so possa ter resposia na mes-
iKi manha, ou pelo menos no raesmo dia,
las cartas dirigidas ainda dos lugares mais
(lisiantes desta cidade.
Art. 113. as dilas caixas poderlo sor lan-
cadas tanto as cartas para oulroscorreios,
como as que se tiverem de remelter de uns
para oulros pontos desta cidade.
Art. 114. Os portes das cartas sero pa-
gos sempre adianlados, e s em sollos fixa-
dos as mesmas, como prescreyc a prime-
ra parte do art 190 do regulamento.
Todava pdenlo ser as referidas caixas
conducidos peridicos quo se remetieron)
para oulros forreios.
Art. 115. O porto das mencionadas cartas
stfr de metade do dos correios do trra, is-
o lie, al 4|8 30 res, al 6|S 50 ris, at 8|8
0 ris, e assim progressivamente accres-
centando-se a cada 2|8 mais 20 ris
(I porto das cartas que frerh dirigidas ao
correio para por elle serum mandadas a ou -
ros correios fra da cidade sera nicamen-
te u que he marcado no art. 183 do citado
ulamento para as cartas conduzidas pelo
correio de trra e mar, e so platicar o que
dispOe o art. 127 du mesmo regulamento.
Ait. 116. Na sparaco, direcco, nume-
riefio e entrega das cartas, se observar o
que est diaposto a tal respeito para as car-
las o mais papis r. polhidos das caixas do
correio, ou que vierem de oulros.
Art. 117, Sero postas em ordem alpha-
lielica, numeradas e emmassadas no cor-
reio as carias e mais papis que se tivorem
Je entregar nos seguiutes districtos.
Io Desde a ponte do Catete, pelo largo
do Machada al o Cusmc-Velho.
2." Desde a dita ponte seguindo pelos
caniinhos Novo e Velho e praia do Bolafo-
go at onde comee a ra do Broc.
3.* Desde Mala-Poicos. Rio-Comprido,
ra da Bella-Vista, Engenho-Velho e Anda-
rahy ato.Porto Vernielho.
4 Desde o caminho de S.-Christovo e
respectivas travessas, at a ponta do Caj.
Os massos das carias e mais papis do
l.levar0Q rotulo de -- Cosme-Velho--, os
do a." o de-- Bol rogo, os do 3..o de
-Engcnlio-Vellio, o os do 4.'ode--S.-
CliristovUo.
Art. 118. Para cada um dos districtos enu-
merados no artigo antecedente liaver um
carteiro.
Art. 119, s ditos carteiros estarlo as lio
ra? marcadas pelo administrador do cor-
reio as casas do Cateto e Mata-Porcos, que
Sa ncumbirem do recebimento das caixas
massos dosatts. 107,117 e 120.
Art. 120. Os carteiros lerlo na adminis-
traco do correio, no acto de seren emmas-
s.idas as carias e mais pacis, quera por
es assisla ao emmassamento das mes-
mas.
Art. tai. Recebidos pelos carteiros os
mansos referidos, passaro immcdiatamen-
lo a entregar as cartas o mais papis s
l'essoas a quem sao dirigidas.
Art. 194 At Carlas c mais papis quo no
rem entregues cm consequencia de talle-
renlo, mudencas das pessoas a quem f-
nm enderezadas, ou por qualquer motivo,
sero immedialamente devolvidas casa da
administradlo, explicando o ca teiro a cau-
sa por que as reenva.
Art. 123. As cartas do artigo antecedente,
logo que forem recebidas na administraco
do correio, sero incorporadas s outras
que teem de nella ser distribuidas.
Art. 124. Emquanto se n.1o esUbelecer
regularmente o que tica disposto sobre car-
teiros e casas em quo sejam postas as cai-
xas, o administrador do correio requisilar
do commandante do corpo de permanentes
at quatro pracas do mesmo corpo, para
servirem do carteiros, bem como autori-
sacflo para depositar as caixas as casas em
que nos referidos pontos do art. 117 haja
guarda de permanentes.
Art. 125. O administrador designar as
vezes que os carteiros devem sahir dos di-
tos poutos a entregar as cariase mais pa-
pis.
' Art. 126. Ser permitlldo aos carteiros,
depois de entregar as cartas e sem falta-
ren! s suas outras obrigacoes, conduzir
cartas para as lancarem as caixas liliaes,
percebendo por este trabalho 20 ris por
cada una.
Arl. 127. SerSo observa Jas as disposicOes
deste regulamento e do geral no que Ihes
forem applioaveis, relativamente aos cartei-
ros e correspondencia.
Art. 128. u chele da turma da entrada
mandar da caixa da correspondencia da
cidade, do espacoa espaco,recolher as car-
tas que nella existirem e sempre 1|2 hora
antes de sahirem as caixas liliaes para os
respectivos pontos.
Art. 129. As cartas que existirem na re-
ferida caixa e as liliaes sero distribuidas
da mesma maneira pela qual o sSo as vindas
de oulroscorreios.
Art. 130. As pessoas que no forem ser-
vidas com a dovida regularidade e presteza
pelos carteiros dos pontos do art. 118 po-
derflo queixar-se em carta fechada ao ad-
ministrador do correio, declarando as
omissoes o quaesquer oulros defeilos dos
Memos.
As cartas deste artigo sero isentas de
porte.
Art. 131. Nestasala sero marcadas com
carimbo espeo'al ena forma do art. 142 as
carias das caixas liliaes, ou da cidade para
a cidade.
(Con/inu'o.)
Comaiando dapraa.
Quarlel do caminando da praca na cidade do
feclfe de Pernambuco, 6 dt novimbro' de
1849.
ORDEM DO DIA N. 68.
Faco public, para conhecimento daguar-
nico, que o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, em offlcio datado de hontem, com-
municou-mo que, porofllcios do Exm. Sr.
presidente da provincia do Para, consta :
1. Que tinha S. Ese. concedido tres me-
zes de favor, contados do dia 2 de outubro
prximo (indo, ao Sr. padre capello do
terceiro batalho de artilharia a p, Manoel
da Fonseca Bernal ; e que mandou a ldir no
quart'o batalho do cardadores oSr. capilo
do terceiro batalho de artilharia a p Joo
Francisco Clele, por estar linalisada a li-
cencia com que elle fora aquella provincia.
Assignado, Jos, Vicente de Amorlm Be-
sena, coronel e commandante.
Quarlel do caminando da praca na cidade do
Kecifi de Pernambuco, 6 de novtmbro de
189.
ORDEM ADDICIONAL A DO N. 68.
O Hlm Sr. coronel commandante da pra-
ca manda declarar, para conhecimento da
guaroc,So, que, havendo marchado em di-
ligencia do servico como seu respectivo
corpo o cirurgio-mr do 2. batalho de
artilharia Dr. Pedro de Alhaide Lobo Mos-
coso, que era encarregado do hospital mi-
litar a cargo do mesmo batalho, e l'oi por
ordem do Exm- Sr. presidente da provin-
cia, nomeia encarregado do referido hos-
pital o medico consultante o Sr. Dr. Ale-
xandre de Souza Pereira do Carmo.
Outrosim, que, tendo igualmente marcha-
do o Sr. primeiro lente Joo Evangelista
Nery da Fonseca que servia do ajudante da
fortaleza do Brum, tem nomeado para ser-
vir interinamente o dito emprego ao Sr.
alteres da segunda classe de estado-maior
Alejandre Augusto Frias Villar que se a-
presentara boje mesmo ao Sr. tenente-co-
ronel Antonio Comes Leal,commandante da
mencionada fortaleza.
Assignado, Lu* Gomes Ferrelra, alferes
ajudaule de ordens.
Ilccurso crimrs.
Recrreme, Joao Jaclnlhn Raposo de Araujo ;
recorrido, o Julio.Fol julgado improce-
dente.
Hecorrente, Joaqnlm Ferrelra de Souia Jaca-
randa ; recorrido, o julio Nao se tomou
conhecimento por nao er caso dclle.
Appillaco civtl.
Appellante, Jos Gon9alves Torres; apprllados,
a viuva e herdclros de Joiio da Silva Santos.
Mandou-sc ouvlr o Dr. curador-geral.
DES10N(ES.
Ful assignado o primeiro dia til parao jnl-
famento das appellaccies crlmes cin que sao:
Appellante, o pardo Francisco, escravo de D.
Marianna de Araujo ; appellada. a justifa.
Appellant-, o julio ; appellado, Francisco de
narros Fcrreira
Appellantes, Caelano Joaqulm da Cunha, e
Joo, escravo de Joo da Silva Reg ; ap-
pellado. o jn/.o.
Appellante, o julio ; appellado, Francisco de
Barros Ferreira.
Apprllaces cireii.
Appellante, Juslinlanno Antonio da Fonseca ;
appellados, Joao Keller hC.
Appellante, o julzo appellados, Bernardo
Lasierre S C.
Appellante, Claudio Dubeux ; appellado, Agos-
. Unbo Henrlquoa da Silva.
'Appellantes, Anna Goncalves Vicira e oulros ;
appellado, Pedro Alvcs de Araujo Veras.
SEVISES.
Pasiarain do Sr. desembargador Ramos ao
sr. desembargador Villares at appellacoes el*
veis em que sao :
Appellante, Jos Carlos da Silva ; appellada,
Mara Custodia das Virgen.
Appellante, Jos Comes Pereira Ribas e ou-
lros ; appellada, acamara municipal da vil-
la do Pilar.
Passaram do Sr. desembargador Hastos ao
Sr. desembargador Lelo as appellaccs civeis
em que ao :
Appellante, o Dr. Manoel Jos Pereira, cura-
dor da parda Rosa ; appellada, Mana Caro-
lina Ferreira de Carvalbo.
Appellante, Bernardo Duarte Hrando ; appel-
lado, Manoel Joaquim Rebcllo.
Appellante, Joo de Carvalbo Raposo appel-
lado, o julio dos ausentes.
Appellante, Antonio Fernandes Ribeiro ; ap-
pellado, Manoel Florencio Alves de Maraes.
Passaram do Sr. desembargador Leao ao Sr-
Aoacuibareadar Souu aapp*****>** *UelS em
que sao :
Appellante, Joo de Souza Lima ; appellado,
Jos Antonio de Souia Lima.
Appellante, Jos Dias Macieira ; appellado,
Manoel Jos Salgado.
Appellante, Manoel de Almelda Ferrelra ap- gueiroa de Faria, do Manoel Peregr
' pellado, Joo Ferrelra dos Santos. Silva, de Manoel Joaquim Soares, de
Appellante, Jos Joaquim Umbellno de Miran- JoS(', Nuneg ,je Simplicio Xavier da Fe
TRIBUNAL DA HELACAO'.
SESSAO DE 10 DE NOVEMBKU DE 1849.
PRESIDENCIA DO EXM. SRitnoa
CONCELHEIRO AZEVEDO.
A's dex horas da manhaa, acbando-se pre-
sentes osSrs. desenibargadores Ramo, Villa-
res, Hastos, l.eao, Souza, Rebellb, Luna Freir
eTelles, faltando com causa oSr. desembarga
dor Ponce, o Sr. presidente declara aberta a
sessao.
JULOtMaNTOI.
AfpeUarte trimit.
Appellante, Manoel Teixcira Lete; appellado,
o julio Mandaran! a novo jury.
Appellante, o julio; appellado, Manoel Anto-
nio do ftasclmento.Teve a mesma declsao.
Appellante, Pedro Pereira da Silva Hamo; ap-
pellado, o julzo.Nao se tomou conheci-
mento por ser apresentada fra do termo
legal.
Appellante, o juio; appellado, Feliibcrto de
Barro*.Mandaram a aovo jury.
da ; appellados, a viuva e herdeiros de Fran-
ci.co Hernardo Alves Ferrelra,
Appellante, Jos Lopes Denie outros; appel-
lados, Francisco Pereira da Silva e sua inu-
llier.
Paasou do Sr. desembargador Souza ao Sr.
desembargador Luna Freir a appcllaro cri-
me em que sao:
Appellante Manoel Pedro Ferreira; appellado
o julio
Do mesmo Sr. ao Sr. deieinbargador Luna
Freir a appellao civel em que sio :
Appellante, o reverendo guardiao do conven-
to de San-Francisco desta cidade; appella-
da, a lazenda.publica.
Passaram do Sr. desembargador Luna Frei-
r aoSr. desembargador Tcllesas appellacoes
civeis em que sSo :
Appellante, Antonio Lopes Pereira de Mello;
appellado, Antonio Joaquim de Almelda
Cuedes Alcanforado.
Appellante, Arscnio Fortunato da Silva; ap-
pellado, Gabriel Antunes Penna.
Appellante, Antonio Martlns Ribeiro ; appella-
dos, Lourenco Bastos 4t C.
Appeilantcs, os herdeiros de Francisco Jos
da Cosa Guimaraes ; appellado, Jos Joa-
quim Dezerra Cavalcante.
Passaram do Sr. desembargador Tellcs ao Sr.
desembargador Ramos asappellacOs civeis em
que so:
Aappellanle, Jos Gomes Villar ; appellado,
Leopoldo Jos da Costa Araujo.
Appellante, Luii Severlano Marques bacalho;
appellado, Antonio Jos Marques Bacalbo.
Do ineimo Sr. ao Sr. desembargador Villa-
res as appellacoes civeis em que sao
Appellantes, o julzo e Manoel Joaquim Soares;
appellados, Me. Calinont Se C. e o curador
de beranca de Jos Francisco Colares.
Levantou-ie a sessao a una hora da tarde.
PERNAMBUCO
CAMAMA MUNICIPAL DO RECIFE.
sessao extraordinaria em 22 de outubro
de 1849.
Presidencia do Sr. Qliteira.
Presentes os Srs. Barros, Carneiro Mon-
teiro, Mamede, Dr. Moraes, Oliveira e Vi-
anna, fallando com causa participada o
Sr. Souza, abrio-se a sesso, e foi lida e
approvada a acta da antecedente.
O secretario fez a leitura do seguinle ex-
pediente :
Um ollicio do Exm. presidente da provin-
cia, devolvendo approvado o plano para o
calamento dos pateos do-Carmo e S.-Pe-
dro, e um aqueducto subterrneo para os-
gotamentodas'agoas dos mesmos pateos, e
autorisando a cmara a despender com
o roa.eco dessa obra a quantia de ris
8:477,135, consignada para esse lim as
liis do orcamenlo do anno passado e do
correlo. yuo se annunciasse praca nos
dias 5,6, e 7 de noyembro para arremala(o
da referida obra.
Oulro do secretario da provincia, remet-
iendo de ordem do S. Fao. o Sr presidente
da provincia exemplaresde decretos o deci-
ses do povcrno.pcrtencenies os mezrs de
Janeiro, fevereiro, mrr;o, abril, maio e jti
nho do rorrente anuo.--Que se archivassem
as Ips eso respondesse o oflicio.
Oulro do veroidor Jos Joaquim de Souza,
participando no poder comparecer pre-
sente sesso, ncm s seguiutes, por ler de
sabir para o interior da provincia em com-
miss.lo do govcrno.--lnteirada.
Outro do procumdor.peilindo so Iho man-
de abonar a qunntia do 9.81C res, que pj-
gou do cintas da inulta imposta a Jos Joa-
quim Ferreira que decahira pelo jui/.o mu-
nicipal da primeira vara, conforme o reci-
bo quo apresentoii.Mandou-so abonar.
Forem apnrnvados tros pareceres da com-
missodeedificaco ;
Vm, spbreas duvidas propostas pelo cor-
deador e fiscal do bairro do Recifo acerca da
edificarlo que pretendo lazer Antonio Pe-
dro das Nevos.
Oulro, sob'e a pretenco de Vicente Jos
de Brlto, pedindo a bem da enmmodidade
publica a abertura da ra da Soledade ao
Msnguinho.
Terceiro, relativemento a terrenos de
marinli,requeridos por Manoel Joaquim da
Silva e Jos Carvalbo da Costa. *
Mandnu-se ouvir a contadoria sobre n
exigencia queem ollicio dirigido ao ebefe
de polica, ea esta cmara apresentado, fez
o secretario do supremo tribunal do justi-
ca de custas dos preparos dos processos,
constantes da relseo que acompanbou o
mesmo ollicio na importancia do 28,000 rs.
Mandou-se consultar ao capito do porto
sobre a pretenco do Joaquim Antonio de
Castro Nonos que requer permisso para
para levantar um curra! na barreta do
Trapo
Fram remettidos commisso deedili-
caco os papis do Manoel Anlero do Souza
Reis, pedindo por aforamerito trrenos de
marinha em Fora-de-Portas, e os de Anto-
nio Lopes Cuimores no lugar dos Coolhos.
Arremataram-se os lalbos nmeros 7, H,
36, 37, 38 O 40 do Couguc da HOa-Vista
por 25,000 rs. cada um
Despacharam-SB as Ipctices de Antonio
Pedro das Nevos, do Antonio da Costa Ri-
beiro o Mello, de Antonio UarAlca dos Itnis.
denomneos de Souza Cuimares, de Do-
mingos Alfonso Nery Fereira, de Francisco
Alves da Cunha, doFclicia Mana Bcnedita,
de Jos Francisco Ilrando, do Jos Fran-
cisco Marinho, de Jos Pires de Moraes, de
Manoel Duarlc Rodrigues, de Manoel Fi-
ino da
Pedro
Fonseca,
de Vicente Jos do linio, e levantou-se a
sesso.
Eu, Manoel Ferrelra Acciole, secretario in-
terino, a subscrevi. Oliveira, presidente.
Barros. ilumede. Carneiro lonteiro.
Moraes.
RF.I.ACAO* DOS RATISADOS DA FRBGUEZIA
DE S.-ANTONIO DO RECIFE NO MEZ DE
ODTUBfiO DE 1819.
Dia 1.Candida, branca.-Nascida em 14
de agost deste anno.
dem.Joaquim, branco.Nascido em 21
de selembro.
dem 10.Candida, parda.NasciJa em 4
de setombro.
Idom l --Antn io, branco.Nascido em
1: do junhn.
dem.Antonio, branco.Nascido cm 31
do maio.
dem.Jorge, preto da Cosa.Escravo.
--Com 18 anuos de dado.
Idom.Cosma, prela.Escrava.Nascida
om selembro.
dem.Mura, parda. Escrava.Nascida
ha 5 annos.
dem 16.Emilia, branca.--Com 4 mezes
de nascida.
dem 19.Anna, branca.Nascda cm 2
detevereiro de 1848.
dem ti.liarla, crioula. Nascida em 15
do abril deste anno.
dem.Anna, branca.-Nascida lia 2 mezes
e mcio.
dem,Manoela, crioula.--Com < mezes
de idade.
dem. Jeronymo, branco.Nascido a l
deste me/.
dem 23.Lucinda, crioula.Nascida em
30 ile junlio deste anno.
dem 25.Sol, crioula.Com 3 sema-
nas de nascida.
IdomVcnusliano, branco.Com 10 me-
zes de nascido.
dem 27.Manoel, pardo.Com 4 mezes
de nascido.
dem.Priscilla, crioula.Escra va.Nas-
cida em 29 de selembro ultimo.
dem28.Cecilia, parda.Forra.Nasci-
da a 15 de selembro de 1848.
Idom. 29.Elizeo, branco.Nascido em 2(i
desle anno.
dem.Mara, branca.Nascida a 30 de
marco deste anno.
Ao todo 23.
S.-Antonio, 6 de novembro de 1849.
O vigario, Venancio Henriques de Rezentle-
RELACAO' DOS BITOS DA FRECUEZIA DE
S.-ANTONIO DO RECIFE NO MEZ DE OIJ-
TUBODE1849.
Dia 1.Bernarda Rodrigues Campello,
prela, com 80 anuos. De desinleria.
Com a uncoPobre.
dem.Renovato, crioulo; com 24 annos.
De molestia interna.Com todos os sa-
orrmenlos.
dem.alaria, crioula, com um mez de
idado.De convulsOs.
dem 2Francisco, parjo, com 2 annos
de idade.De Mires
dem S."Anna das Noves, crioula, soltei-
ra, com 101 annos.-De repente.Sem sa-
cramentos.
Mcm Juo, pardo, com 4 annos.De
sa rampo.
dem 4.lenlo Jos da Silva, pardo, edu-
cando do arsenal do guerra, com 10 annoi,
De sarampo.Com a unco.
I 'em Izsbcl, prcta, esrrava, com 40
annos.--De molestia de peito Sem sacra-
mentos.
Idom.Francisco, pardo, rom 3 annos do
idade.Do bexigas.
dem.Pe Iro de Alcntara Almeida, cri-
oula, rom 10 annosDe rheumalismo.
Com santa-unego.--Pobre.
dem.joaima, psrdej com 5 annos.De
bexigas.Pobre.
dem .*>.Tliereza de Jczns,.preta, viuva,
com 98 annos De erisipella.Com todos
os sacramentos
dem 6.I.uiza Minia dos Prazeres, ran-
os, viuva, com 80 anuos.De molestia inte-
rior.Com lodos os sacramentos.
dem.-.Manoel, preto, Angico, escravo,
com 80 anuosDe desinleria.Sem sacra-
mentos.
dem.Manoel, preto, de naco, com 30
annos Do apoplcxia.Sem sacramentos.
Idom 7.Marcolino, prolo, escravo, coro
48annos.Phlisico.Com lodos os sacra-
mentos.
dem 8-Florinila, parda, com 'i annos de
idade.--De saramro.Pobre.
Mem.Manoel Pedro, branco, com 13
anuos.Do maligna.--Sem sacramentos.
dem 9.Felismin, parJa, com 3 annos.
Dcsaramno.
dem.Filippe, psrdo, com I anno.Do
bexigsa,
dem 12.SevoriaiiB, parda, com 1 anna.
Do inflammn;o.
dem.Luiz Concslves Corjo, branco,
soltero, com 23 annos.-De molestia inter-
na.Com todos os sacramentos.
dem.Antonio, Indio, com 2 annos.
Di loco convulsa.Pobre.
dem.Mara Joaquina, preta, Angica,
com 50 annos.--De hidropesa.Com lodos
os sacramentos.Pobre.
dem.Januaria, branca, com 2 annos.
(la iiVjLt.m...
dem 15.Jos, biar.co, com 3 mezes.
1)3 molestia interna Pobre.
dem 17.-Emilio Jos da llora, pardo,
educando do arsenal de guerra, rom II an-
uos.Do sarampo.
Idem.-I'clismina, com 2 annos.Do sa-
rampo.
dem.Tlieofaires, crioulo, escravo, com
(i anuos.Do gangrena.
dem 18.- Maria, parda, forra, com 9 an-
nos --Do bexigas.
dem 19.--Vicento, pardo, escravo, com
17 mezos.De sarampo.Pobre.
dem.Ignacio Pereira da Silva, pardo,
com 21 annos. -De hidrolorax. Sem sacra-
mentos.
dem.Caldino, branco', com 11 annos.
Do maligna.
dem 20.Policarpo Alvos dos Santos, In-
dio, com-40 annos.De maligna.Com to
dos os sacramentos.
dem 21.- Damasio, branco, com 2 annos.
De molestia interna.
Idom 22.Joaquim, preto, escravo, com
45 anuos.Do febre.Sem sacramentos.
dem 23.-Joo, preto, escravo, com 30
anuos.Do hidropesa.Sem sacramentos.
Mem 24.Mariana da Natividade, crioula,
solteira, com 70 onnos.De desinleria.
Com lodos es sacramentos.
dem.Manoel, branco, com f> mezes.
De inllammaco no ligado.
dem.Narcza, preta, de Angola, escra-
va, com 80 annos.Bj desinleria.Com lo-
dos os sacramentos.
dem 25.Roque, pardo, escravo, com G
anuos.De maligna
Idom.Antonio Duarte de Souza, branco,
com 50 nnnos.Do glndulas.Com todos
os sacramentos.
dem -'(">. -l'i ancisco, branco, com 1 afino.
De mal dos denles.
dem 27.Joo, preto, de Angola, escra-
vo, com 30 annos.De molestia interior.--
Sem sacramentos.
dem.Jesuina, parda, com 2 anuos.Da
molestia interna.
dem.Antonio do Albuquerque, pardo,
exposto da roda, educando do arsenal de
guerra, com 8 annosDe sarampo.
dem.Auna Felicia Monteira, parda, ca-
sada, com 30 annos.-De molestia de peito.
Com todos os sacramentos.
Idom 30.-Clemencia, preta, escrava, com
21 annos.-De molestia de peito.Com san-
la-unco.
Uem.Jos, pardo, com 7 mezes. Do
maligna.
Idcm.-Edeoviges Fortunata, parda, viu-
va, com 78annos.-De inflammacBono liga-
do.--Sem sacramentos.
dem.Agostinho da Cruz Silva, crioulo,
casado, com 40 atufos.De molestia inter-
na.Com lodos os sacramentos.
Ao todo 51.
S.-Antonio do Hecife, 6 de novembro de
1849.
O vigario, Venanvlo Henriques de Reezndt.
DIABIU DE PERNAMBUCO.
IIBCIN, 11 BE NOVMIBKO DZ 1149.
O Sr. doutor Antonio Franeisco Pereira
de Carvalbo fo nomeado secretario interi-
no desta provincia.
MUTILADO


*p
m--*=inaiMiMma
WMl
SS." presin juramento o ontrn cm excr-
o Sr. doutor Vicente Pereira nomoado primeio sopplenlo do juizo de
i'i'l lios ilo termo do Recito.
O Sr. doutor Joflo Floripes Das Rarrelo
fui noineado primeiro supplente do juiz
municipal da segunda vara desU cidade.
A barca /Ih/.ii/ii. ullim.iiiirnie elireada de
Liverpool, trouxe-nns os Tiavsde a IB dese-
leinbro, 01 quars anda mo ludamos rece-
liido.
As noticias que neltes encontramos relativa-
inenlc Europaj fram quasi todas publica-
das nesta folha ; por sso apenas accrcsccnta-
remos o seguinic :
Km Portugal, gra(as actividade do actual
ministro da fa/.enda, o Sr. Avila, fram lti-
mamente descobertos varios outros roubos
Jeitos pelos empreados do thesouro, assim
como por alguns collectores.
A ralnha e ieu augusto esposo tinli.im re-
gressadodc Cintra para Beltn.
I iii Ceppalonla, una das ilhas jonias, hou-
ve, lia punco, mu irvanlamcnio, o qual o go-
vi-1110 .linda nao tinba conseguido Iiiieiramcn-
te aupprliiiic
O general Georgy, ei-ministro da guerra e
coniuiandantc em chele das tropas da Hungra,
alcanroudo imperador da Austria, crt-acque
por inlenencao do ctar Nicolao, o perdao do
elimo de rebrllio em que linha incorrido.
O imperador da Austria teve nina entrevista
COiii .i re da Prussia em Toplil/. na Bohemia e
o re do Wurlemberg leve oulra eiu Uns com
o principe de Schwarzemburgo, presidente d.>
ministerio austraco ; porin nada se sabia
rerra do que nestas duas conferenciai se ti-
ntn passado.
O vigario do imperio allemo voltou a Frank-
iorl no da 3 de seiembro, acoinpaiibado dos
arcliiduques F.strvo e Alberto. O povo da-
quella cidade rebeben a sua alteza com estron-
dosas acclamacdrt. Tinba lambem chegado a
Frankfori o principe da Prussia, e cria-se que
brevemente ebegaria all tambein o principe
Leopoldo de Baviera.
O colera continuava a fazer estragas em In-
glaterra, llollanda e Franca. Em Tatmm elle
rebentou ltimamente com tanta forca, que
urna g i .11.de parte da popularan atemorizada
desamparou a cidade.
Relativamente America as noticias que re-
cebemos siio as seguintes :
No llaity o presidenlcSoulouqite tinha man-
dado fu i i lar seis individuos que oceupavam
altas poiciiei no governo. Dessete outros que
estavam para ter a mesma sorte, fram feliz-
mente salvos pela interveneo dos cnsules de
Inglaterra e Estados-Unidos. Kstes destaca-
dos nao tinliam cominctlido nenhuin crime.
Ilaria apenas suspeitas de que tramavam urna
cnnspiacau para tirarem o poder ao dito pre-
sdeme, e isto baslou para aqueile lyranno
mandar eupingardra-los.
Uin tal Sumoso frente de 4,000 bomens sor-
prendeu e deslruio a cidade de Nicaragua ;
mas o governo rt-unio logo tropas, c espera-
va-ae que brevemente haveria entre as duas
torcas urna aceu decisiva.
oslado de Cartagena be lastimoso: a fome
e a pesie vao dando cabo dos habitantes da-
i|iii Il.i infelis cidade.
lie mu popularo que apenas conla 10,000
almas o colera vai matando todos os dias de 00
a lOOpessoas. As autoridades tinham manda-
do dar (requemes descargas de anudara c
mosquetera para ver se conseguan! desinfec-
tar a almosphcra, e aflirma-se que com ell'eito
a peste havia ciinsideravelmente diminuido.
A emigraran para a California anda comi-
iiua ; porm muitos dos aventureiros loem
i ciliado de Cbagressem se atreverem a visitar
as regioes ureas, tao grandes dilliculdades
be preciso actualmeute vencer paia poder che-
gar a ellas I
Todava ai seguimos cidades eslo sendo
alli levantadas :Frcinonte, Vernon, Mostoo,
.Sacramento, Suter, Webster, Snesien, Tuolu-
me, Staoiolao, Stockton, Honicia, Nasta, S.-
Luis, S.-Rafael e Sancilito.
lima romln, i qual, conformo se entesa
niais oii menos, la/ variar vnntade o nu-
mero e fon; das pancadas : pdr-so fazer
parar instantneamente e i vontade na for-
ca da sua rnrroira. Serve esle martello pa-
ra forjar o Ierro, e moer quarsquer especies
do substancias.
Sabido lio que, com os marlellos ordina-
rios perde-se, por cada marlellada, em ac-
edos moleculares, urna quanlidado detraba-
Iho consideravel, equivalente, pouco oais
un menos ao trabalho utilsado para por em
aceflo o martello. Domis, resulta domo-
vimento instantneo de cada pancada um
esforco enorme que necessit* dimensfles
muito fortes no cixo e outias partes da ma-
china. Com o novo systema, obra a con-
cha sobre urna mola de borracha situada lio
corpo do martello, o que pe este gradual-
mente em moviincnlu, o,i quanlo a mola se
comprime ou se relaxa. Assim conseguo-
se reduzir o esforco mximo o| erado pela
concha a perto de qualro vezes o peso do
marlello, o que permilte ao autor em pre-
gar eixos omito Trucos. Sendo ahorradla
um_ corpo perfeilamente elstico, nflo ha
mais perda de trahallio em rasflo da panca-
da. Km vez de lovantar o marlello ao mxi-
mo de sua altura pela anliga o grosseira
mola de madeira, helamliem com a borra-
cha que se couseguc este fin. Varia-se a
nlensidade d pancada por meio de urna
roldana movel em vez de empregar una rol-
dana lixa, que exige urna frca muito
maior, a pezar de nao ter tosegura achilo.
variedades.
NOTICIAS SCIENTIFICAS E IfJUUS-
TRIAES.
Medicina.Julgamos dever dar alguns ex-
tractos de uina carta que encerra ohserva-
coes melcorologicas sobre o cholera-morbus
que foi dirigida ao presidente da acade-
mia das sciencixs de Paris : a Depois que
rema o cholera em Paris, observei todos os
dias a accilo da machina elctrica, para ver
se nio existe certa relacHo entro a intens-
dade do flagello e a ausencia do (luido elc-
trico derramado na almosphcra. A machi-
na que emprego para as minhas experien-
cias he bastante forte, produz geralmente
faiscas fulgurantes de cinco a seis cent-
metros. Notei que, depois da invasflo da
epidemia, foi-me impossivel reproduzir os
mesmos cflcilos. Quando a epidemia pro-
gredio, apenas pude obler faiscas de dous a
tres centmetros; emfun, suss variacOes
concordaram com as oscttlacAes do chrela.
Comosc podiaoi atlribuir estas irregulari-
dades da macliinlu elctrica ao estado hy-
grometrico do ar, anda duvidei a princi-
pio da minha descoberla ; esperci por con-
seguinte o bom lempo e os calores. Logo
que estes chegaratn, rclirei as minhas
observaedes, e vi com adnnracflo que a ma-
china, fnquentemente consultada, cm vez
de produzr mais electricidade, foi dando
cada vez menos, at se nao poder conseguir
mais que algumas pequeas croptacOes
sent faiscas ; enilim, oo din 7 de junlin, f-
cou a oachina completamente muda. Ora,
esta nova diminuieflo do fluido elctrico
concordou perfeilamente com as novas vio-
lencias do cholera. Depois do da 8, voltou
sensvclmente o fluido vivilicador a utnios-
phera, e ao mesmo passo diminuiram os
casos da lerrivel epidemia.
Parcce-me desde j a quesillo perfei-
lamente esclarecida, a natureza deiramou
na almosphcra urna quanlidado de electri-
cidade que conlribue a conservadlo da vi-
da. Se, por qualquer causa, esta quantida-
de de electricidade vem a miogoarou em-
pobrecer al aniquilar-se, todo o mundo
padece, as pessoas quo trazem comsigo bas-
tante electricidade n'ulem resistir, as que
nao pdem viver sen.lo tomando electrici-
dade massu cominum, estando ella exhau-
rida, morrem. Explicam-.se claramente des-
ta maoeira, nflo so o cholera, poim talvez
tmlas as epidemias que, de vez em quando,
allligema humaiudade.
Kala descoberla, til ou simplesmente
curiosa, he do Sr. Amlraud. Se o relo que
acabamos de prodozir for reconhecido e
admitiido em principio, pode ser fcil a
sriencia medica verificar esta descoberla.
MARTEI.LOS-PHES.
Invenlou-se un novo maiieflo vertical,
o peso de 250 kilogramuias, movido por
APERFF.ICOAMENTO AS ASPAS DOS ITOI-
NII0S DE VENTO.
0 Sr. Ocrtoo inventou um novo prnces-o
quo cons'ste cm substituir aos pannos que
guarnecem as aspas dos monillos, certa
samhlngem de taubinhas movis, por meio
das quaes pde-se variar vontado a uper-
llcieexposta ao vcnlo. Com este fim, aos
raios das aspas cslio adaptadas Iravessas
quaes i !em formar, com esles mesmos ral
os.diflerentesangulosgyrandosobaeascav-
Ihas que os seguram; as taubinhas sobre-
posta urna s nutras silo do mesmo modo
adaptadas s Iravessas. Esto todo forma um
paraiellogrammo variavel, cuja superlicie
he tanto maior a proporco que seus ngu-
los se vao avizinhando do grao 90
Para fazer variar simultneamente a su-
perficie dosquatro parallclogrammos, cada
um delles he articulado no ngulo agudo
mais perto lo centro do moinho, com una
pe<\i que, cortada cm baste dentada, se
entrnsa em urna roda central commum as
qualro aspas ; esta roda so pOe em movi-
inenlo com urna rodiiiha n una segunda ro-1
da central; esta ultima he munida de um
pequeo brago om cruz qnc serve d mani-
volla ao moleiro, quando quer modificar a
superficie das aspas.
Nffo escapa este mecanismo alguma
censura. Com elTeito, as qualro bastes den-
tadas, assim como a roda, estilo n'um mes-
mo plano,cmquanto que as aspas so achain,
bem como os seus raios, cm dous planos
differcotes espaendos pela grossura desles
mesmos raios. Para dissimular esta irregu-
laridade, o autor vio-se obrigado a curvar
as bastes dentadas. Como qur queseja,
trallailia o mecanismo perfeilamente.
Km muitos sitios do Drasil, onde se adop-
ta o systema dos moinlios de vento, podem
ser estas observaces de alguma utilidade.
( Do Correio Mercantil.)
mjSmmSMm&______________
Movimcnto do 4'orlo.
Navioi enlrarloe no dia 10.
Falmoutli, ilha da Madeira e Canarias ,'15
dias, paquete ingle/ Unnet, rommandan-
te Tilomas James. Conduz passageirpl
para a Rabia e Rio-de-Janeiro.
Acarac 13 dias, patacho brasileiro Jfimi-
lario, de 135 toneladas, capitflo Antonio
Comes Pereira. equipagem 10, carga fa-
rinha do mandioca, sola e queijos; a Ma-
nuel Concalvcs da Silva. Passageiros, o
padre Antonio Xavier de Castro e Silva
com 1 escravo, Antonio Correia de Almei-
da, Rrasileiros; Luiz Soares de A/evedo,
Portuguf z ; e 6 escravos a entregar.
A'evi'o sahi'do no inetmo dia.
Em commissilo Rrigue-escuna de guerra
Canopo, commandauten primeiro tenenle-
Jos de Mello Christa d'ouro.
Parahiha Hiate brasileiro Kxalarao, cap-
Lio Jos Duarte Rodrigues, carga varios
genaros.
Navios iahidot no dia 11.
Rio-de-Jannito pola Rabia Barca ameri-
cana Novarte, capito Thomas Lette, em
lastro d'arein.
Parahiha lliale brasileiro Tree-lrm/tos,
capitflo Eustaquio Mendes da Silva, carga
varios gneros.
dem lliate brasileiro Parahibano, capi-
13o Nicolao Francisco da Costa, carga va-
rios gneros.
SS"
ros, c nao vieram despachar o< referidos
gneros, semandou afllxar o presente e pu-
blicar pelos jomaos para que su effectue a
arrematadlo livre de direitos, e por conla
'lo quem peiteuoer, na forma do capitulo
fC. do citado regulamenlo".
Alfandega de Pernamhuco, 8 de novem-
bro de 18*9. O inspector, luis Amonio de
Sampaio /'iannu.
ED1TAE?>.
CMmECIO.
AI.FANDECA.
Rondimeoto do dia 10.....
CONSULADO CERAL.
Rcndimento do da 10.....
Diversas provincias......
9:355,911
76,709
5,536
82,945
CONSULADO PROVINCIAL"
Rendimeoto do dia 10.....1:447,09j
PIUCA DO RECIFE, 10 DE NOVEMRRO DE
1849, AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios -"- No principio da semana
houve saques a 27 3|4 d. por
1,000 rs,, o mesmo alguns,
so bem que pinicos, a 27
1|2; porm nos ltimos
dias o cambio subi a 2s, e
assim oonsiTvoii-se at o
fim da semana.
Assucar As entradas fram mais a-
vultadas.-O branco ensac-
cado e embarricadn ven-
deu-se de 1,900 a 2,500 rs.
por arroba ; e o mascavado,
de 1500 a 15>0.
Algodo- O pre5odeclinoupara4,C0O
rs. por arroba do de pri-
meira sorte. -- Kntraram
1,173 saccas.
Bacalho-------Ficarain por vender 6,000
barricas, inclusive um car-
regairento do 2,500 entra-
das esta semana.
Retalhou-se de 9,500 a
10 rs. por barrid.
Carne-secca- Vendcu-se de 2 a 2,800 rs.
por anoha. Fien rain om
serH 1,000 arrollas inclusive
dous carregamenlos entra-
dos esta semana.
Caf ----- Vendcu-se a 4,000 rs. jor
arroba.
Carv&o de pedra dem de 12 a 15,000 rs. por
tonclladas. -
Farlnha de trigo Existcm 8,000 barricas com
dous carregamenlos entra-
dos esta semana, os quaes
lo a ni vendidos a preco oc-
culto. A de Baltimore,
retalhou-se de 16 a 17,000
rs. por barrica ; e a de Phi-
ladelphia, de 14 a 17,000
ris.
Ferro da Suecia Vendcu-se de 9,500 a 10,030
rs. por quintal.
Manleiga dem de 420 a 480 rs. por li-
bra da francezas o de 470 u
480 da ingleza.
Vidros dem a 80 rs. por calva de
100 ps.
Espermaeete- dem a 960 rs. por libra, e
a imitadlo a 800 rs.
Ficaram no porto 55 embarcares, a s-
ber; 2 americanas, 31 brasileiras, 3froc -
zas, 2 hespaoholas, 12 inglezas, 3 ponu-jiu alfandega em 31 dejulho do crreme
guezas, 1 sarda el sueca. 'anno.
Pela inspectora da alfandega so ftl
publico que oos armazens da mesma, se
aciiuin ali'in do lempo marcado pelo artigo
272 do regulauento, os voluntes abaixo des-
criptos os quaes devem seus donos fazer
despachar dentro do prazo de :m dias conta-
dos desta data.(indos os quaes se proceder
sua venda om hasta publica por conla do
quem pertenec', sem que Ibes fique dimito
de reclamar cousa alguma contra oelleo
desta venda, como he expresso no artigo
274 do referido regulamenlo.
E para quechegue a noticia aos interes-
sados inaiidei aflixar o prsenle edital na
porta da alfandega, e publicar pelosjornaes.
Armazom n. 8, dia 19 de setembro do 1846,
barca ingleza Elisa-loknston, marca c K,
um fogareiro; a Ceorge Kenworth & C.
dem n. 6, dia 23 de outubro de 1846, barc
porlugueza Espirito-Santo, marca S tre-
vessao, urna canastra ; i Jos Pereira da
Cunha.
dem n. 8, dia 29 de dezembro do 1846, bar-
ca porlugueza Tejo, marca A F. R, una
caixa ; Francisco R. Jnior,
dem n. 8, dia Sdojunlio de 1817, brigue
francez raoo.marca I), seis caixas; Ri-
gor & Coca unas,
dem n. 7, tlia 5 de jjulho de 1847, barca
fraoceza Cesar, hiten o, um ooibrulho ;
J. A. Dcranger.
dem o. 7, dia 5 de julho de 1816, barca
rraoceza Cesar, marca S diamante treves-
so, um embrulho ordero.
Mein n. 8, da 19 de julho de 1847, biigue
IVaiiccz Mi, marca J S, urna barrica ;
Joo Soum.
dem n. 7, dia 20 de julho de 1847, brigue
l'rance/ Julie. lelreno, uni einlo iilhn ; a
Rernardo Lasserre&C.
dem o 7, dia 2fl de julho de 1847, vapor
Paramse, lelreiro, urna caixa : ao Dr.
Joflo Carlos de Villagram Cabrita,
dem n 8, dia 3 de agosto de 1847, brigue
poituguez Conceico-de-Maria, marca I C
L, urna caixa; Joflo Ciraco Zence.
dem n. 7, da 5 de agosto de 1847, brigue
francez Dmujeu, lelreiro, um embrulho;
a l.eonoir Puget & c.
dem n. 8, dia 20 de agosto de 1847, barca
ingleza Ester-4nn, lelreiro R, um gigo ;
Jonston Pater & C.
dem n. 7, dia 21 de agosto de 1817, barca in-
gleza hster-Ann, lelreiro, urna caixa; ao
capitflo llunter.
dem n 7, dia 23 de agosto de 1847, barca
ingleza Ester-Ann, marca diamanlo II,
urna caixa; ao capitflo llunter.
dem n 6, dia 6 de outubro de 1847, barca
franceza lilia, soiu marca, urna caixa ;
Keinpnul.
dem n. 8, da 9 do outubro do 1847, barca
porlugueza Ktpirilo-Sanlo, letreiro, una
lata ; F. M. I ci reir.
dem n. 4, dia 14 de outubro de 1847, barca
ingleza lisk, marca triangulo A F P, urna
caixa ; AlexandreTeuriert.
Mein n. fi, da 15 de marco do 1818, brigue
porluguez Cltmontina, marca 3 diamante
Irevessflo, urna banica ; JosAffooso
Morera.
dem n. 9, da 27 de fevereiro de 1819, bri-
gue porluguez Ncvo-Fencedor, marca A,
um barril; a I). Mara Emilia da Penha.
MtMii n. 6, dia 31 de maio de 1849, brigue
porluguez ConceicAi-ic-Mara, marca 1 F
S, urna caixa ;' a Jos Porfirio,
dem ii. 6, dia 19 de abiil de 1819, barca
poitugueza Tejo, letreiro, umacjixa; a
L. G. Ferreira.
Alfandega do Pernambuco, 12 do novom-
bro do 1849.
O inspoctor,
Lu: Antonio dt Sampaio \ianna.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, na conformidade do artigo 229 do
regulamenlo de 22 de junho de 1836, e por
nflo ler havido licitante no dia do praQn f-
xado no edital do 29 de outubro prximo
passtdo.se h0 de arrematar em hasta publi-
ca a porta da mesma, no dia 12 do crtenle,
lepois do ineio-dia, oilenta e tres duzias
do [lentes de chifre para bixos, adiados de
mais na conferencia da sabida do despa-
cho n. 84 de 4 do corrente, de Bernardo
Lasserro & C.j sendo a arrematando livre do
direito.
Alfandega de Pernambuco, 8 de novem-
bro de 1849. O inspector, Luis Antonio de
Sampaio Vanna.
- Tela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, na conformidade do ai ligo 283
do regulamenlo de 22 de junho de 1836, >e
ha do arrematar em hasta publica, porta
da alfandega no dia 12 do corrente, depois
do meio di, o seguidle :
R 30 batrieas com sardinhas, viudas de
Lisboa, na barca Llgelra consignaeflo do
Antonio Joaquim deSouza Ribeiro, e entra-
das na alfandega em 4 de outubro prximo
passado.
V B e C. 5 fardos com raz de allheia,
viudos de Liverpool na barca Su>orJ-l-'tih,t
consignaeflo de Weetchflravo 6. Centrados
K porque fram avisados os consgnala- resse, com osSru. Jos Ignacio de Alnr
Passos, Jos Antonio Coelho de Murel?
Vicente Ferreira Fontes, Joflo Amnelo a I
Souza Rolim, Joflo Jos Rodrigues de t
ineida Albuquerque, Francisco Ignacio Ln
pes, Fr. Loureoco da Coneeicflo e Su,
Joflo da Silva, Joaquim Silvcrio da Sil,,
Joaquim Teixeira Cordeiro, Joflo Ferrj '
Campos, Angelo Custodio do Sacram0n,''
Francisco Theofilo, Jos Bernardo da Cq.i,'
Manoel Jos Coelho Barbosa, o Ilvai. paa!'
Caetano Jos, Jeito Alfonso, Antonio j0
de Alcntara, Manoel deOliveira Paz e j0!
Fe mandes Brasil.
l'ergonta-S'i aos novos devotos de y
Senhora do Rosario do nicho da ra do No
gueira, quando he o dia da Testa com eran'
deza, que muito deseja saber O Preihi
Rernardino Teixeira deAraujoda Sil
va Ferraz rcliVa-se para Portugal.
Precisa-sede urna prela quitandeira-
oas Cinco-Pontas, padaria o. 154.
UeclaraQes.
B
Coiupanliia de Beberibe.
O caixa da compaohia de Reberibe se
acha aulorisado a pagar o terceiro dividen-
do. Recife, 9 do novembro do 1x49. O
secretario, W. J. Fernandes Barros,
Pela subdelegada da freguezia de S.-
Antonio foi apprehendido n recolhidoaca-
deia desta didade, o preto Antonio que diz I). W. Raynon, cirurgo denii
ser esersvo de Luiz Francisco do Mello : OES la, na ra do Trapiche-Novo
quem se julgar com direito ao mesmo com- ^iLLH* 14, respeitosamente mform i
pare?a nesU subdelegada que, avista do publico que, pelos seus muitos afazeres .
competente Ululo, ltie sera entregue. J ra obrigado a demorar-se mais algum Um
O paquete de S. M. Britannica Lin- p0 nesta cidade, antes de sua retrala ,,,"
net recebe as malas para a Baha o os Esladoa-Unidos, e ofTorece seu presti
Rio-dc-Janeiro hoje, 12 do corren- -
le, ao meio-dia.
PUBLICACAO' LITTERARIA E REI.ICIOSA.
Sahio luz em lingos vulgar o mais per-
foito calhecismo de doutriua rhristfla, o de-
cretado pelo sagrado concilio de Trenlo,
para delle fazerem uso os parochos de todo
o ot be calholico as suas exposicOos dou-
trinaes aos fiis commettidos ao seu cuida-
do e vigilancia, a fim de que em todos aquel-
les pastores houvesse a uuiformidade ne-
cessaria tanto no ensillo das priucipaes ver-
dades da religiflo catbolca, como na boa
onlem e methodo de as expOr e ensinar.
Esta nova versflo, que a primeira vez agora
acaba de sabir ao publico, se fazia muito
necessaria pelos defeitos da antiga, ja por
vezes reformada, mas sem poder preencher
fcilmente os seus fias, por so Ihe ter dei-
xado licar sernpre muitos dos antigo- defei-
tos, que nSo era possivel emendarem-se de
lodo sem se recorrer a um novo trabalho de
outra tradcuQflo, iiileiramente livre sem fal-
tar a fidelidade que deveser a primeira obri-
gacflo do trataductor. Quem quizer a po-
llera adiar no. armazem de Francisco Xa-
vier Marlns Bastos, ra do Encantameoto,
u. 11.
Avisos martimos.
Para o Havre sahe, com a maior bre-
vdade possivel, a barca franceza Zilia, ca-
lillan Lemetlz : quem quizer carregar, ou
ir do passagem, para que tem excellentes
commodos, drija-se aos seus consignata-
rios, J. P. Adour & C. na ra da Cadeia,
n. SS.
-- Para o Porto segu, com toda a brevi-
dade possivel, o brigue porluguez Senlura-
Fttis, forrado, pregado o encavilhado de co-
bre, do qual be capitflo Zeferino Ventura
dos Santos : recebe carga a freto, para o que
trata-se com o consignatario. Joaquim Fer-
reira Mendes Cuini.irflos, na ra da Cruz,
n 49, primeiro andar, ou com o referido
capitflo, na praca do Commercio.
--Segu rara Lisboa, com a maior bre-
vtdade possivel, o brigue porluguez S.-Do-
mingos, forrado, pregado e encavilhado de
cobre, do qual he capitflo Manoel Concalves
Vianna : para carga e passageiros ( aos que
oflerece excellentes commodos j dirljam-se
ao consignatario, Joaquim Ferreira Mendes
Cuimarfles, na ra da Cruz, n. 49, primei
ro andar, ou ao referido capitflo, na praca
do Commercio.
Para o Aracaly partir imprelerivel-
menlo no dia 26 do correlo, com a carga
quo tiver a bopdo, o hiato Novo-Olinda,
mestre Antonio Jos Vianna : quem nellc
pretender carregar ou ir de passagem, se
entender com o mesmo mestre, ou na ra
da Cadeia-Velha, o. 17, seguodo aodar.
Para o Aracaly sahe impretcrvelmen-
to al o dia 30 do corrente, por ter a maior
parte da carga engajada, o hiate Flor-do-
Cururpe, de primeira marcha : para carga
e passageiros trata-se na ra do Vigario,
n. 5.
Para o Rio-de-Janeiro segu com a
possivel brevdade o hrigue-escuna nacio-
nal Olinda : recebe carga a frelo e passagei-
ros, para os quaes tem excellentes commo-
dos : trata-se rom Machado & Pinheiro, na
ra do Vigario, n. 19, segundo aodar, ou
com o capitflo Manoel Marcianno Ferreira.
--Para Lisboa sahe no dia 28 do corren-
te a barca porlugueza Lgeira, capitflo An-
tonio Joaquim Rodrigues : para o resto da
carga epassagoiros trata-se com o mesmo
capilo, ou onin F. S. Rabcllo&Filho.
--O brigue Megrtte sahe, improierivel-
mente a 16 do corrente, para o Rio-Crande-
do-Sul : que.n quizer ir de passagem. < u
embarcar escravos, dirija-seao capitflo, Ma-
noel Jos de Azcvedo Sanios, a bordo, ou
ao escriplorio de Manoel Concalves da Sil-
va na ra da Cadeia do Recife.
para toda qualidade de operaeoes "dotaes"
para por denles oovos, tanto singlos como
dentaduras inteiras, chumbar denles cum
ouroeprata, conforme as ultimas deseo-
bertas nesta arte.
Ra larga do Rozarlo,
n. 14.
Pradines, cnlilciro \
armeiro,
tem a honra de prevenir ao respeitavel pu-
blico que elle acaba de receber pelo navio
francez Socratc um rico sortimento de cu-
tilaria fina como lesouras para cabellerei-
ro costura alfaiatee para unhis; dilj
muito finas para senhora bordar ; estnjos
de navalhas muito ricos; caniveUs de to-
das as quididades, com cabos de niartira
madre-perola o de tartaruga. O annunciii^
te aproveita essa occasiflo para lembrar al.
seus freguezes, que ello tem um bom sorti-
mento do espingardas finas de cano trun-
xado e da masquoado, das molhores fa-
bricas de Franca, obra muito boa e muilo
segura proprias para se divertirem pelo
tempo de Testa : tambern contina a amo-
lar as tercas, quintas o sabbados, alean-
carrega de qualquer concert perlencenle
ao seu oflicio.
-- Peanle o III m. Sr. Dr. juiz do ojvel, i
praca publica do dia 13,do correte, se bi
de arrematar, a quem mais der, urna tno-
rada de casa de um andar e lojss, sita no
Aterro-fla-ltoa-Vista, n. 98, com quntala
cocheira quodeita para ra do Camarflo,|
avuliado tudo em dez eontos de res, per-
lencenle a Francisco Jos da Costa e sua I
mullier, a por elles especialmente liypotht-1
cada por escriplura publica, feita a 22 del
dezembro de 1837, a 0. Maria Rita de Quei-I
roga para pagamento da quantia de 5-883:1
rs. cm moda deouroe prata,com juros dt]
um por centoao mez, no forma declaradil
na mesma escriplura, e isto para pagamen-
to da credora hypolhecaria, seodo to las |
despezas da casa c judiciaes a cargo do ar-
rematante.
Precisa-sede um amas-ador, edeurnl
preto que enlenda de padaria: na padaria
defronte da fortaleza das Cinco-Poutas.
Roga-se a pessoa que no dia 7 do cor-
rente achou um papagaio haj de o mandar I
entregar na ra estrella do Hozado, indo
pelo Hozar o, o ultimo sobrado do lado di-
reito, segundo andar, que ser gratificado.
- Precisa-se de urna escrava que saibi
fazer o servido diario de urna casa de fami-
lia, e vstiruma senhora : na praca da Boa- [
Vista, casa n. 32, segundo andar.
D-se pflo de vendagem, offerecendo-1
se melhor vantagem que em outras [ialia-
ras : no ra larga do llozario, n. 48, pa-1
dara.
O abaixo assignado, em rasflo de mu-
dar-se para o sitio, aluga sua bem cootie-
cida casa da ra da Aurora, contigua ao pa-
lacio do barflo da Ba-Vista, com excellen-
tes commodos para urna ou tres familias,
jardim e bilhar: lambem vende parte da
mobilia, consistindo em 2 lustros de sala,
urna rica mesa de mosaico consolos cober-
tos do lino marmore branco, urna mesa de
jantar, dual carleiras de escriplorio cora
armaeflo de bronze, o varios outros objec-
tos : os pretendentes dirijam-se referida
casa, de manhfla at s 10 horas, e das 4 da
tarde em dianto.
Manoel A hu Gverra.
A ENSIGNE PEC.4,
a KirraAo* de d. reoao no Orto,
o u
O desembarque das tropas libertadora as
praias do Mindello
Esta aceflo dos nossos tempos, he com
efTeito das que se torna mais digna dos
maiores louvores ; j pelo assumpto do que
se traa, e j pelo apparato que a omhelleza:
alli se v pintado em ptimos versos nflo
so o herosmo daquelle grande monar-
cha, mas lambem os i inmensos rasgos da
maior fidelidade, em todos os seus cabos
de guerra que o icompanharam, chegan-
do pur fim a derribar e deitar por ierra o
formldavel colloco do despotismo, que
tanto flagelava um povo, onde s reinava o
amor da liberdade.
O grande numero de tropa, banda da
msica maicial, artilharia e o enearnic-
do combate com que termina o drama, lito
dflo o maior realce.
Pedro Baptisla de Santa-Roza, director
do theatrode S.-Francisco, tenciona levar
osla grande peca a seu henellcio ; porm
nflo marca aiodao dia, por se estar apromp-
tando.todo o apparato que manda o seu au-
tor, mas logo que ludo se promplifique, se
annunciar ; entretanto que os bilhetos do
camarote e platea se acham venda, na
casa do mesmo beneficiado.
O beneficio j enunciado com a jxca 0
Triumpho da imprensa Livre nflo pede a in-
da ler lugar, porque o beneficiado inda
nflo est de lodorealabelecido'. I
OsSrs. Joaquim Jos Faria Ferreirn,
Joaquim Jos dos Sanios, CaetaM sturelian-
no ueCaivallio Couto, Ignacio Jos Pin*
Joio Jos Capristano, Joflo Francisco Ma-
lina de Almeida, Innocencio Xavier Vianna
Ou acadmico Lobato Jnior, queiram ter
Muitosc deseja fallar, na ra da Ca- ahondado de dirigircm-se* roa da Cudria
Leiloes.
Kalkmann Irmflos farfloleilo, por io-
terveoeflo do corretor Oliveira, de grande
poreflo de fazeodas de seda, Illa, linho e de
algodflo, todas proprias do mercado : sc-
gunda-feira, 12 do corrente, s 10 horas da
oanhfla, no seu armazem da ra da Cruz.
. Richard Royle far leilflo, por inter-
veneflo do corretor Oliveira, de um inteiro
soitimenio de faz'endas inglezas, as mais
proprias do mercado : lerca-feira, 13 do
corrente, s 10 horas da manhfla em non-
io, no seu armazem da ra da Cadeia do
Recife.
Terca-feira, 13 do corrente, haver
leilflo, na porta da alfandega, de urna por-
eflo de manteiga ingleza, por conta de
quem perlcncer, cm lotes a.vontade dos
compradores.
i
Avisos diversos.
.0 Cfipibaribe n. 118 I rala
da elei^ao dos dous senadorrs e
est venda no largo do Collegio,
oja n. 6.
de.a do Itecifo, luja de cambio da Viuva & Ue S.-Anlooio, n. 13, que se Ihes deseja (al-
Vieira Filhos, para negocio de muito inte-1 lar.
MUTILADO J


-Manoel l'crcira de Araujo, residente na
Paraiiilia.porlii.vor oulro de igual nomo,
\ h< je em diante se assignara por Mauool
freir de Araujo J/ianna.
i .. aIuib-so o segundo andar o solio cor-
|u com militas accommodagoes, do so-
frid'o amrello d* rua Augusta, que esl
tara ficarvasio poreetos diaa, e em breve
i primeiro andar: a tratar na rua do Amo-
rim, n. 15.
(lEaQJIS
DAURORA
i

C. Slarr & Companhia teem a honra de
visar aos seus freguezes, o ao pulilico em
eral, que a sua grande fundigflo em S.-
.maro, alm do sortimento que constan-
emente tcm ach-se de novo provida de
uitas moendasdecanna, e de varios ta-
nhos faltas no mesmo estabeleciroento
,os mais peritos ofllciaeg, e com o maior
oidadoe perfehjSo; lauto assim he, quo
sannunciantesse ufanam em garanti-la*
elo primoiro anuo. As moendas inteiras
mliis de ferro", construidas as ollieinas
os annunciantes sio milito superiores a
aesquer outras da mesma nalureza quo
agora teem sido aqui olTerecidas, pois
uellaa encerram em ai certose importan-
melhoramonlos resultado de mais de
annos d experiencia e pratica do paiz
Aluga-se urna caea no sitio do ('.ordo -
a margim do rio Capiharibe, rom roin-
..dosiara grande fan.ilia, cozinha fr,
'stribarie, coebeira e quarto para criado ;
ini.i dita mais pequea, tambem oom bons
ommodos para familia c estribara : a tra-
mo palea do Curmo, n. <*', rom Gabriel
ntonio.
O Sr. cnsul Aug. Ilelie, estando a
etirar-so em breve para a Europa, far lei-
">, por intervengao do rorretor Ohveira,
.1i su a moliilia, corisullndo em mesa re*
onda, bancas de jogo, ditas com abaso
ulras com gavetaa, cadeiras- rommodas,
avatnrios, marquesas com colchos e tra-
sseiroa de marroquim, aparador com
uarda louca, mesa de janlar, cabidea, es-
elhos, quadros, lantemas, camas de ven-
c, mesa para escripiorio, biblioteca de vi-
raga, un ptimo relogio de ouro, patente,
versas obras escolhidas de lilteratura e
istoria francez e outro objectos: quin-
a-feira, 15 do crrente, s 10 horas da ma-
tlia, na casa do consulado da repblica
ranceza, na rua do Trapiche-Novo, n. 10,
egundo andar.
Joflo Christovlo Keller Rordorf vai fa-
er urna viagem ao Maranhio.
--() abaixo assignado faz scienle ao com-
ercio desta praga que o senhor Antonio
iz deOliveira Azevedo, desde odia 9 do
i rente, rio he mais caixeiro eadminis-
idor de sua loja de fazendas da rua do
irimado n 17 ; cessando desde entilo sua
spnnsiiliilidade. GuUkcrma da Silva
uimarJu.
Todo senhor de engenho ou outro qual-
ucr individuo que percise de pessoa in-
digente para Ihc dirigir quaesquer traba-
dos mecnicos, beot romo em moendas ro-
las de agoa, asscnlamentos, serraras ou
planos para qualquer flm, pJe dirigir-se
a casa de Mr. Dubarry no atierro da llu-
Vista, n. 6.
DEPOSITO GEItAL
do superior rap areia-preta
da fabrica de Gantois Pai-
Ihe&c Companhia, na Ba-
ha.
Domingos AlvesMelheus, agente da
fabrica'de rap superior hrcia prcta
e mcio grosso da liahia, tem aberto o
sen deposito na rua Cruz, no ttecife ,
n. 52, primeiro andar, onde se achara
srmpre deste excHlente e mais acre-
ditado rap que al o presente se tem
fabricado no Brasil: veude-se em bo-
tos de urna e meia libra, por prego
mais commodo do que eui outra qual-
quer parte.
a
Iiesapparcceram, nodia 10 do corren-
le, tres carnciros, sendo un capado o dous
em grito: quem os tiver e quizer entrga-
los, diliji-sn rua da l'enha, venda n. 33,
quesera recompensado.
-- l'erdeu-se um longo de cambraia de li-
nho com bico em roda no da 10 do corren-
reiite, da rua do Queimado em seguida a
rua Direita, Cinco-Pontas e rua Imperial :
quemotivcT adiado o o quizer restituir,
lirija-se rua do Crespo, leja da esquina da
mi das Cruzes, que so daiSo os siguaes e
c recompensar.
Mobilias de aluguel.
Alugam-secadeiras para officios e bailes,
i tambem sealugam mbiliasa vontade do
ilugador : na rua Nova, armazem de tras-
tes, defronte da rua de Santo-Amaro, nu-
mero 59.
0 annuncio de hontem, pu-
llilicnclo ueste I)iuio, chamando
Irua da Cadeia, n. i3, ao Sr. Joa-
Iquim Jos Parias Ferreira, enten-
|de-secom um mscale da Parahi-
|I'a. que ora se acha aqui na.ci-
lilaiie.
- Precisa-so de um sobrado de primeiro
andar na rua Nova ou no Aterro-da-Iioa-
Vicia : quemo tiver e quizer alagar, diri-
Ija-seao Hotel-Francisco, que achara com
Iqucm tratar.
I Da rua da Cruz; do Recife, sobrado n.
113, fugio, na madrugada de Domingo, II
Ido concilio, a eacriiva Benedicta, nag.lo
I Jlogamliique, levando em sua. companhia
I urna cria (lilla da meama, com dous mezes
I do iJa.io : dita eserava tem pouco mais ou
luenos violea vjnle e cinco annos deidade;
ft.e de estatura regular ; nilo mnilo cheia do
|*>rpoeeA*um lano fula; tendoo beigo de
I' ma furadoeas orelha com grandes bu-
racos para brincos : o vestido com que se
julga ter fgido he de cassa de quadros
grandes de cor, o j por ter levado outro de chita de palmas des-
botada ; lovan lo tambem um panno da Cos-
ta em mcio uso. Esta eserava j om outra
occasiao desappareceu e foi encontrada po-
lo bairro da Boa-Vista por pegsoas a quem
dizia andar a servigo de seus senhores. seu-
doafnal apprehendida ru "'reita em
urna casa que se eslava edificando : os ap,
prehendedores a deverlo levar casa refe-
rida, onde roceberSo a recompensa do seu
trabalho. ,
- No dia 13 do corrente, depois da au-
diencia do lllm. Sr. Dr.juiz docivel da pri-
meira vara, teem de ser arrematados dous
escravos, por ser a ultima praga, ponltora-
dos a viuva do fallecido Luiz Antonio Fer-
nandos Lisbs, por oxecugSo de Antonio da
Cunha Soares Guimarfles.
Tcndo apparecido em casa do abaixo
assignado um mogo a vender um pente de
ouro, com um escripto da dona, depois da
venda mandou o abaixo assignado um seu
fmulo com o vendedor saber onde era a
casa da dona, e como o vendedor, apon-
tando um sobrado na rua do IImgol, alu se
declarou nilo ser exacto oquedisse ornes--
ido vendedor, o abaixo assignado logo foi a
casa do subdelegado respectivo declarar o
occerrido : e para que quem qur quo por-
venlura fr dono do peule possa procurar
dando o deviilo importe, fago o presente
annuncio: devendo quem inleresse tiver
comparecer na rua Direita, n. 104.
Jos Joaquim Si mies do kmaral.
Desenrii ininiiini se urna letlra da quan-
tia de C23.000 rs., sacada no dia 1 de agos-
to desteanno a ties mezes precisos por JoSo
Cardoso Ayres, areita pelo Sr. Amiro do
Reg Burros, e endossada pelo Sr. Jos Pe-
reira de Araujo: previne-se que ninguem
faga negocio sobre ella : r.ga-se a quem a
tiver echado de leva-la rua da Cadeia do
Keeife, loja de fazendas, n. 41.
Deseja-se saber onde resi-
dem os Srs. Joaquim de Figuei-
redo Lima e Joao Evangelista Ks-
teves Alves, ou mesmo quem seja
seus procuradores nesta cidade ou
lora della, para se tratar de nego-
cios que llies dizem respeito; quem
souber annuncie por esta folha pa-
ra ser procurado.
Aluga-ae urna casa terrea na rua do
Padre-Florianno, n. 41': a tratar na ru>
larga do Rozario, n. 39, segundo andar.
Jos Germano da Costa Msrtins decla-
ra as pessoas que costu mam a comprar-lhc
nomina de tamarana, que de boje em dian-
toacharSona venda da praga da Boa-Vista,
ao correr da botica do Moreira, n. 96.
.. .
v 0 consultorio homoeopatico esta $
^ aberto lodos os dias desde s9 horas ^
> da manlifla at s 3 da tarde. No mes-
H ii'o Consultorio recebem-so doentes 4
tt para se tratar bomecopaticamente a 4
a>jj 2,000 rs. por dia, ea 3,000 rs. que- 4
' rendo um quarto particular : na rua
a$) da Cadeia de Santo-Antonio, n.22.
* m
#$#99#
Aluga-se, para se passar a Testal-, urna
das meihores casas do Caxanga, conrestn-
baria e cocheira, por prego commodo na
rua Nova, n. 63.
% Os ere.lores de Gouto Vianna & Filhn
teem aulorisadoaos credores dos mesraos
(.co Keiiworiby k Companhia para vende-
rem a casa de sobrado na rua do Antoripi,
n 33, nielado da casa do sobrado da' rua
da.Cadeia-Velha do bairro do Recife, n. 27,
das quaea j tomaram possa judicial, em vir-
tude do sentenga do adjudicagto dojuizo
compolenle da segunda vara do civel desta
cidade, afim de ser o seu producto iateiado
com todos os credores : quem quizer com-
prar, podo ciilender-se com os supraditos
aulorisados crodores Geo Kenworlhy & C
Na rua da Cruz, no Recife, n. 54, se
dir quem precisa de pretss todas as tar-
des para venderem azeile de carrapalo pa-
gando-se-lhes por vendagemSO rs. a ca-
nuda, sendo os senhores responsaveis poi
qualquer l'iltn.
O Sr. Luir. Ai)lomo Rodri-
gues Esteves queira dirigir-se
ruado Queimado, loja n. 7, a ne-
gocio de seu inleresse.
Precisa-se lugar urna pela que saiba
andar un rua, engommar e lavar: na rua do
Rozario larga, n. 48.
0 o
1 Bixas. g
Na praga da lndpen-o
g delicia, 11. 10, g
q ao voltar para a rua das Cruzes, alu- q
gam-see vendem-se bizas de Mam- }
burgo : tambem vSo-se applicar pa- J
rt commodidade dos freguezes ; ti- }*
ram-se denles, sangra-se e appli-
caiii-se ventosas: tudo por prego
commodo.
5
m
vendido : quem o apprehcnder lc-
ve-o rua Imperial, n. a5, que
ser beni recompensado.
- Na praga do Commercio, armazem n.
6, de Jos Mara Palmeirr, existe urna car-
ta, vinda do Rio-Grande do sul, para Anto-
nio Jos Nogueira.
:,vX\HCA0olF^0
\U]:\\wtf&\^
canoa pequea, que I Vendo-je, na rua
estejaem'bom estado para conduz.r agoa: M.f^'fX^ **&j$^0.
raeflo : o Teslamento que fez um enfiliz cSo
" ____..?,!_:.. Tmlomenti)
quem tiver annuncie
Compra-se um balcSo que esteja em
bom estado : na rua da Assumpgo, n. 36,
segundo andar, ou annuncie.
Compra-se toda a'qualidade do trastes
usados, e tambem se trocam por novos : na
rua Nova, armazem de trastes, defronto da
rua de Sanio-Amaro, n. 59.
Vendas.
o
o
e
Fugio, no dia 5 do corrente
pela madrugada, um preto de 110-
me Antonio, do gento de Ango-
la, de 18 a ao annos pouco rnais
ou menos, sem barba, corpo e al-
tura proporcionaes, bem parecido,
pernas finas, ps cmpralos e sec-
eos, com urna pequea pellidura
no alto da cabera, proveniente de
carregar sobre a mesma ; levou
vestido calcas de riscado azul-es-
curo com lislras j usidas e carni-
za de algodao de mangas curtas ;
levou tambem. um bauzinbo pe-
queo de dous palmos, o que se
jupp5e t-lo levado para poder
mais livremente transitar poi
qualquer estrada : suppOe se ter-
se dirigido para as bandas de Ita-
baianna ou Paraliiba, donde fui
BOWMAN & MC. CAI.I.UM engenhei-
ros machinislas e fundidores de ferro, mui
respeilosamente annunciam aos Senhores
proprielanos deengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, queoseu estabelecimenlo
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acba com-
pletamente montado com apparelhosda pri-
meira qualiilade para a perfeita conTocgSo
das maiores pegas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, liowman & Me. Callum
desejan mais partiriilnrment! chamar a
attenge publica para a sseguinles, por
terem dellasgrande sortimento jprompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em prego como om qua-
lidadedas materias primase mfio d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhorconstrucgo.
Moendas do canna para engonhos de to-
dos os lmannos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra
rias.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzesechumaceiras.
CavilhOes e parafusos de todos os tama-
itos.
Taixas, pares, crivos e boceas de toma-
ina.
Moinhos de mandioca, movidos a nulo ou
por animaes, c prensas para a dita.
Chapas de fogito e Turnos de farinha.
Caitos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze.
Bombas para-cacimba e de repucho, mo-
vidas a mfo, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macaco.
Prensas hydraulicas c de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blioas.
Columnas, varandas, grades e portes.
Prensas de copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de mSo e arados de ferros,
&c, &c.
Alm da superioriade das suas obras, j
geralmenle reconhecida, liowman & Me.
Callum garantem a mais exacta confonni-
dade com os moldes e dezenhos remedidos
pelos Senhores que se dignarem de fazer-
Ihes encommendas, aproveitando a occasio
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asscgiiram-lhes
que nilo puupariio esforgos e diligencias
para continuarem a merecer sua confi-
anga.
Aula de tacbigraphia.
0 professor de tacbigraphia, desejando
annuir ao pedido de alguns de seus alum-
nos o de outras pessoss, resolveu abrir em
sua casa, na rua Imperial, n 165, um cur-
so da referida arle a comegar no dia 19 do
corrente mez e a (indar no dia 12 de feve-
reirodo aun vindouro. As liges duraro
d u. s lloras uteis todos os dias nilo feriados,
medanle a gratificago do 10.000 rs. por
cada alumno, papa em duas prestages,
sendo a primeira satisfeila no acto da ma-
tricula, qu se acba aberla desde boje at o.
dia 27 do corrente, o a segunda no fim do
primeiro mez do ensino.
As horas da aula serflu das 6 s 8 da lar-
de. Se, poim, a maioria dos alumnos rc-
clamarque esta hora seja mudada, nilo lia-
vera Disto duvida alguma.
Na rua da Cadeia-Velha, n. 41, primei-
ro andar, precisa-se de una ama que cozi-
nhe o faga compras.
Aluga-sc loja de 3 portas do sobrado
da rua da l'enha, n. 6, propria para venda,
ou oulro (ualquer estabelecimento .* a tra-
tar na rua do Amorim, n. 15.
Trapassam-sc por aluguel as chaves do
segundo andar do sobrado n. 18 do paleo
do 1 ai n 11 11 tratar, na praga do Cnrpo-
Sanlo. n. 2, ou na loja do mesmo sobrado,
com o caixeiro do Sr. Burgos.
OfTerece-se um rapaz brasileiro para
caixeiro de engenho, e que tambem cuten-
de de destilador : quem de seu presumo se
quizer utilisar, dirija-se praga da Boa-Vis-
ta, venda n. 13 : o quol dar fiadora sua
conducta.
Arrenda-so um sitio no principio da
estrada nova da Passagem-da-Magdalena,
com mais de cem ps de larancciras, man-
gueiras, cajueiros, coqueiros e mais frutei-
ras, com boa agoa de beber : a casa tem 2
quartos bastante grandes, duas salas e co-
zinha : a tratar na rua do Passeio, n. 9, lo-
ja de fazendas.
A. II. Wilmer, nSo lendo pOdido des-
empenhar no espectculo de hontem as ex-
periencias physicas, como liana annuncia-
do, por se ter furado pela forte presfo do
gaz a caita do deposito do mesmo, o que
deu lugar a so nilo ver com mais claridade
os objectos ; tem por t0o gravo faita de pe-
dir desculpa ao respeitavel publico, acredi-
tando que (oiaquillo causado grande in-
li'rvallo que liouve, e que, nilo obstante um
concert que soffreu a dita caixa, comtudo
n9o ficou em perfeito estado; porm de no-
vo se vai prevenir para que nunca apparc-
ga semelliantc ; e brevemente lera de au-
nunciar outro espectculo, onde entilo es-
pera salisfazer a expectativa publica.
- No dia 5 para 6 do corrente, furiaram
do sitio de Frcderico Chavea ha estrada de
Belm, um cavado rodado, descarnado,
grande, feio de anca, por ter o cabo metti-
^Motliodo de violfto.
Vende-se methodo para vio'flo em por-
tuguez, com principios de msica, escalas,
arpejose preludios, ele : na praga da Inde-
pendencia, livraria ns. < e 8.
Auditor brasileiro :
vende-se na praga da Independencia, livra-
ria ns. 6 e8.
Cu..lia 39nttos.
Vende-se o reportorio da legislaglo mi-
litar en vigor, por Cunha Mattos : na pra-
ga da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
No armazem n. 7 da rua d Moda, ven-
dem-sosaccas.com superior colladas fa-
bricas do Itio-Grande-do-Sul, por prego em
conta.
Charutos de Havflum
verdudeiros :
vendem-sc em casa de Kalkmann Irmfios,
na rua da Cruz, n. 10.
Pfechincha.
Venilem-se lengos de soda de superior
qualidado para algibeira, a 1,000 rs. cada
um : na rua Nova, defronte da Conceigflo.
Vende-se um fardamento em meio uso,
para sargento do guarda nacional, por pre-
go commodo : na Iravessa do Arsenal de
Gik rra, armazem n. 3.
Na rua das Cruzes, 11. 22, segundo an-
dar, vendem-se 6 escravos, sendo : 3 prelaa
que cozinham c lavam de snbSo ; dous mo-
loques de 14 a 17 annos; um preto de 35
annos, para todo o servigo ; c outros es-
cravos para o servigo do campo.
--Vende-se cal virgen de Lisboa; cai-
\ns do pioln vasias ; reches e rodas de ar-
cos do 1 o paro barricas ; pregos de estu-
que em barris de 32 e 45 nullioiios; lulas
lo familia : na rua da Cruz, 11. 49, primei-
ro andar.
Vende-se urna preta do 16 a 17 annos,
de nagflo. de bonita figura, que cozinha o
diario de urna casa e vende na rua : na rua
Direita, 11. 119, confronte a botica do l'ei-
xe : ao comprador se dir o motivo por
que se vende,
Vndese um sitio na Capunga, rom
boa i' isa de pedia e cal, com boa agoa de
beber, por prego commodo : na rua Uo Tra-
piche-Sovo, n. que se dir quem vende.
Vende-se un excellente piano de ino^-
no, proprio para se principiar aprender,
cni consequeneia de se vender muito em
conta, por precisar de um pequeo concer-
t : na rua do Collegio, n 21, segundo an-
dar, todos os dias al s 9 horas da ma-
ntilla.
Vende-se um bonito cavallo rodado,
muito novo e andador baixo, por prego
commodo : na rua da Cadeia-V'ellta, 11 59,
loja
sentenciado a pena ultima; o Testamento
dogallo.-diioda gallinba : todos estos lo-
Hielos sito muito jocozose por prego com-
modo. 1
VanJo-se urna lage de marmore da
moer tinta, com S moletas lambom de mar-
more: na rua do Quarteis, botica de Jos
Maria Gongalvos Ramos.
Vendem-se msicas para puno, viu-
das ltimamente de Lisboa, entre ellas Mac-
botb : na rua Nova, n. 16.
Acaba do olugac loja
/ de .Haya llamos' & C,
um lindo sortimento de papis para forrar
salas, acontpanhados de riqasimas narras
e bellas guarnicOes, tudo da mellior qua-
lidado possivol, e gostos os mais modornos:
aquellas pessoas que quizerem Torrar suas
salas com asseio e goslo, dinjm-se a rua
Nova, n. 6, na indicada loja q-iese promei-
le commodidade de prego.
-Vendem-sebustos do gesso represen-
tando muito fielmente a ranina Victoria e
o principo Alberto; relogios de ouro e de
prata, chegados ltimamente da Suissa.
Estes relogios que s8o muito bem acaba-
dos, se lornam muito recommendaveis a
qualquer particular, e adverte-e que ha
entro clles alguns que andam oito das sem
precisarem de corda : na rua da Cruz, no
Recife, n. 55.
Moflido de vento.
Kst ainda por se vender o monho de
vento de Fra-de-Portaa. Este estabeleci-
mento ho magnifico acquisigo para qual-
quer princiante une tenha a sua disposigoo
um pequeo capital, estando o propieta-
rio resolvido, em rasito de ter de se applicar
a outra industria, de que nSo deseja distra-
hirasiiaaltongo, a d-lo por prego mu
inferior coque ello custou. Afianga-se que
o moinho deixa livre de toJa a despe/.a
is de cem mil rs. por mez, e da veraci-
dade desta assergSo podo qualquer preten-
dento certilicar-se lomando conta do moi-
nho por 15 dias, ou mandar algucm ass.stir
pelo mesmo lempo a venda da familia no
deposito da rua dos Guararapes, n. 5. l\o
mesmo deposito contina a haver seropre
milito moldo para cavallos a 1,280 rs. a ar-
roba farinha entrefina, a 1,920 rs. e finis-
sima,a3,200rs. a arroba. O propnetano
julga nffoser intempistivo advertir aqu que
a forga do moinho sendo muito superior a
de que se precisa para dar movimento as
pedias, pode porconseguintecom a peque-
a despeza de unta correia que nao custa
mais do 4,000 rs., dar movimento a qual-
quer outro machinismo simultneamente,
podendo em caso de precisSo augmentar-so
aindaa Torga, o que fcilmente se eonsi-
guir accresccntando-so um pouco mais as
velas.
Lonas.
Vendem-sc lonas superiores
mitaciio das da Kussia, por preco
commodo: na rua. do Trapiche-
Novo, n. iG.
-- Vendem-se quatro bois mansos de todo
o servigo, assim como quatorze vaccas do
boas qualidades e um novilho : quem as
I pretender, dirija-so ao becoo do Quiabo a
Vendem-se 5 relogios, um dos quaes |eiitender-se eom Antonio Comes, junto a
be rico, patente inglez de ouro, annelOes, olaria do Carneiro.
brincos," tranceln*, conloes, correnlcs e
outras obras de ouro o prata : na rua larga
do Rozario, n. 8.
Vende-se um bom cavallo bastante
gordo, com todos os andares, e hem augu-
rado, por prego muito commodo : na rua
Nova, 11. 67, aimazem.
Vendem-se 3 duzias de taboas do cos-
tado de pulumugii, madeira de Baha, pro-
pria para costados de navios, ou para mar-
cenara, de 40 palmos : na rua do Collegio,
n. 21, segundo andar, todos os diascat as
9 horas da manh.ta.
Ainda est para ge vender a vendinha
da rna da Roda, n. 4 fundos o paga diminuto aluguel : a tratar
no sobrado por cima da mesma vendinha.
Vende-se um lindo molequo pega, de
17 annos, com principios de alfaiale, e que
tem excellente conducta, o que se afianga :
na rua do Itangel, n. 57, sobrado.
Vende-se urna bonita eserava de 20
annos, sem defeitos, o que engomma e co-
zinha o diario de urna casa : na rua do Itan-
gel, n. 57, sobrado.
> ovo sor ti ni en (o
z en das baratas
de fa
na rua
V
Compras.
Compra-se um casal de burros, on
lmente urna burra : na rua Direita, n. 121.
. Compra se um sitio que nilo disteda
praga mais que um quarto de legoa, leu-
do caaa 0 fruleirai, nao st exige muito
grande -. na rua Nova n. 63.
Cornpi am-se paceas, talas, macuca e-I
quands: ni rua do Collegio, n. 13.
do Crespo, n. 0. ao
do lampea .
Vndem-se cortes de cassa franceza com
10 covados a 2,560 rs.; pegas de cambraia
de quadros com 8 varas a 2,720 rs.; cassa
preta para lulo, a 1(0 rs. o covado; zuarte
rom 4 palmos de largura a 200 rs. o cova-
do; riscado monstro a 220 rs. o covado ;
chitas de cores tixas a 160 e 180 rs. ; cha-
lea de tarlalana, a 500, 800 e 1,000 rs. de
muito bom gosto; cortes de brim de puro
lindo a 1,280, 1,500 e 1,600 rs. ; chapeos
de massa a 4,600 rs. .ditos de seda a 640
e 480 rs. ; cobertores de algodflo america-
no, a 640 rs.'; piclo muito encorpado, a
180 rs. o covado ; pegas de madapoln mui-
to fino e com pintas de mofo, a 3,600 rs.
Vende-se superior sal do Ass a bordo
do hiate*JVoi'o-O/intfa, fundiado no Forte-
do-Maltos : a tratar na rua da Cadeia-
Velha, n. 17, segundo andar, ou a bordo do
mesmo barco.
--Vende-se, por precisSo, um escravo
bom trabalhador de enxada, por prego
commodo: na rua Imperial, n. 18, casado
cal Jeireiro, a fallar com Jos Nabo & C.
iV rua Nova, n. 5,
vende-se um escravo pega de linda figura ;
um dito de nagSo'^Cosla, proprio para car-
regar cadeirinha, por ser bastante alto e
de linda figura ; um moleque bom cozi-
nheiro, de nagao, de 18 anuos do qual se
afianga a conduela ; um molecole de 18
tnnos, lioiu ulTicial de alfaiate ; um preto
bom trabalhador de enxada ; duas pardas
muito prendadas, e que se nfio pOa duvida
em d-las para' so experimentar no on-
f-ominado ecozinhar; 2 pretas com habi-
idades, sendo urna dellas boa cozinheira ;
urna negrinha de 14 annos, com principios
de costura e engommado.
Farinha de trigo.
J. J Tasso Jnior vende farinha de Pro-
venga, chegada no ultimo navio de Marsei-
Ilie, por prego commodo.
Ao madamismo Pernambucano.
Vendem-so chales de seda de lindos pa-
dii's, de gostos muito modernos ; mantas
de seda de mnilo bom gosto ; assim como
tambem muilo bonitos longos de cassa com
barra amarella, proprios para mSode ho-
ntem, a 500 rs. cada um; corles da brlm
pardo, a 800 rs. o corte ; setim preto de
Mnco, a 5,000 o corto, do melhor quo ha ;
guardanapos de puro linho adamascado
muito finos, a 9,000 rs. a duzia ; ditos mais
ordinarios, a 7,000 rs.;e outras muitas fa-
zendas por pregos commodos:na loja no-
va do Carvalho & Main, na rua do Crespo,
n. 21.
Novo sortimento de* fa
sendas baratas, na rua
do Queimado, n. 40, ao
p da fabrica de cha-
peos.
Vcndem-se cortes de cassa fina, a 2,600 ;
alpaka^de algodHo, a 260 rs. o covado; chi-
tas francotas largas, a 260 rs. o covado ;
cortes do brim de puro linho, a 1,280 ; pan-
no de linho muito fino, a 400 rs. a vara ;
caslor para caiga, a U120 o corte ; merino
preto muito fino, a 3,000 o covado ; alpaka
fina, a 1,000 o covado ; lengos do cambraia
bordados, a 320 rs.; cambraia lisa fina, a
720 rs. a vara ; pegas de madapoliio fian, a
3,200 rs.
A 71)0 rs. a vara.
Vendem-se cassas muito finas e de pa-
droes os mais mojemos que aqui teem viu-
do, a 700 rs. a vara ; chitas finas, a 280 rs.
o covado; cortes de casimira, a 5,000;
panno lino preto, a 3,000 o covado : na rua
do Queimado, n. 40, ao p da fabrica de
chapeos.
Vendem-se muitos bons e frescaes quei-
jos de Minas com mais de duas libras cada
um, a 640 rs. cada um; ago'ardente de
Franga engarrafada, a 480 rs. ; farinha de
a ra -uta, muito nova, alva e limpa, a 940 rs.
a libra : no pateo do Carato, venda n. 1.
Vendem-se caixilhos novos de amarel-
lo, para janellas de pe toril; urna rica ca-
deira de arruar, com todos os pertenece;
urna mesa grande com 6 gavetas, propria
para armazem do fazendas, ou outro qual-
quer estabelecimento; urna caixa para cori-
ter pedias de filtrar agoa ; urna carroga
com os aeus competentes arreios ; urna me-
sa de buhar com seus pertences e superior
panno novo para se cubrir o mesmo -. na rua
do Amorim, n. 15.
Vende-se urna eserava de Angola, de
20 annos, de muito boa figura, que en-
gomma, cose, cozinha, tudo bem felto: na
rua do Collegio, n. 21, primeiro andar, se
dir quem vende.
MUTILADO


4
\
/
Vende-se fornha ele man-
dioca, cui barricas c sacras : nos
Himazens de MoiirSo e Din Fer-
jcia, no caes da Alindola.
dreiro ; um dito da mesma Itliiile, com om-
rio ili (npateirn; i preto* de 22 anuos,
ptimos para qualquer servido; nm niolo-
que ilo 13 mino; o outros escravos.
da
Na ra do Crespo.loja
esquina que volla para
a cadeia,
vendem-se os acreditados brins trancados
lirancos de lislras clisos, de linho puro, a
1.500 rs. o corte; dito amarello, a 1,500e
1,000 rs.; panno lino preto o azul muilo
liom.a 3,200 rs. o covado; dito muilo su-
perior, a 5,500 rs.; fuslocs milito bonitos
pira colleles, a 610 rs. n corto ; ditos do
velludo, a 9,500 rs. ditos de selim lavra-
do, a 1,800 rs. ; ditos de gorgorito de seda,
a 1,600 rs ; cambraia lisa, a 9,720 rs. a po-
ca de 8 varase meia; cassa prcla, a 1,440
rs. o corte; esgulSo de linho muito lino, a
1,44o r.t vara; e onlras militas fazen-
das por pregos conniodos.
v
A 1000 rs.
9) Vcndem-se ricas mantas de seda pa-
$ la .-anliora, de lindas coros, e sem 0
% menor detallo, pelo diminuto prego
A) do 4,000 rs. : na ra do Crespo, u ti
Nesta loja vendem-se chales do arca, a
640 rs. 0 lencos da mesma qualidade, a
1tiu rs.
Aos 30:000^000 rs.
Vendem-se na na rua do Queimado, can-
to da do Collegio, armazom de Itayniuudo
Carlos l.eite.
".' lotera de S.-Pedro-de-AIcantara
da corte.
Ililbete int.iro 1/000
meio 10/500
quarto 5/200
oitavo 2600
vigsimo 1*200
fc^A chegar a todos os amantes a lista^~J
dos premios.
O remetiente destps bilbetes lio aquello a
quem a caprichosa fortuna tem concedido
os mais bullanles premios que por sorte
tcem tocado aos compradores desta cidade.
^r^tt.&Z': 4 nt.wki ; M-S& !-- ..:~*:&.-x-.:i~.1t:
j; :'
',}. Vende-se, por 280,000 rs. um bom '%
~ carrodc4 rodas para 2 cava I loa, com |:
i seos compelenlos arreios ; bem co- ji
(i mu por baralissimo prego, que da jt'i
;'$ mesma forma provoca aos compra- Jj
ji dores, urna cadeii'inha ilo ailar, de ;'
2 muilo boa conslrucgo ; 24 ferros de j i
i';; ricas molduras para fabricar flores; 9
i uma porcllo de aldrabts para vidra-
"g c.as : na praga do Corpo-Santo, n. 2, ;j;
i- primeiro andar.
I! I
nv^t-s^is-wfiww ^u:!;......- +
Tccidos de algodao tran-
cado (Ja fabrica de To-
dos-os-Sanlos.
Na ra da Cadeia, u. i*1,
vnndem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar o ruupa do
escravos, a 280 e 300 rs. a vara.
Zuartes de Itirla-crcs a
200 rs. o covad o c ris-
cado monstro a 220 rs.
Vende-se zuarle do furta-cores muito
encorpado o com 4 palmos do largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra do Crespo, loja da esquina que
volta parr a cadeia.
Vende-se polassa muilo lioa
em lianiszinlios pequeos, por
pceo commodo : no armazem de
Jims l'crreira, no caes da Alfan*
dega.
Rom e batato..
Na rua do Queimado, vindo do Itozario,
segunda loja n. 18. vende-se panno fino
verde azul, 2,000 rs. o covado; dito mui-
to bnm preto, azul e cor de rape, u 3,000
is. laucos de seiim para grvala, a 1,000
rs,; oeroulas de meia muito linas, a 1,500
rs.; corles de vestidos da canbraia da ; maulas de seda escoce/as, a 10,000 rs. ;
luvas de torgal para senhora, a ">00 rs. 0
par; pecas de metim com 20 covados, a 3?
rs. ; o entras multas fazendas por baralis-
simo prego.
-- Vende-se um esrrava cozinheira e
muilo boa lavadeira de varrella; he muito
Iit-1 c diligente para lodo o seivigo de uma
casa, e com 23 aunos : no segundo andar do
sobrado da esquina do' beceo do Ouvidor.
Yende-se urna cadeir inSia
de bracos, nova u mui rica : na
ra do Queimado, loja n. 7."
Mantas de seda.
Vendem-se mantas de seda dcexccllcntcs
padrees, pelo baratssimo prego le 9,000
rs. cada uma que em nutra parle cuslam 14
c 16,000 rs. : na ra larga do Itozario, pa-
dana 11. 48.
0
Q Cortes de cassa frau-
o
Superior io de nlgodfto
para pavios de velas vendem-se em casa
de Geo Kenworlhy t C., na ruada Cruz'
11. 2.
Selliis inglczcs, els-
ticos :
vendem-se em casa de Ceo Kenworlhy & C,
na ra da Cruz, n. 9
--Vende-se un preto por 200,000 rs.',
velho mas muito forte para servir o urna
casa, Ira bal 1)8 r c botar sentido a um silio e
una negrinh* de 10 anuos, que faz [renda ;
]t Cose; urna prcla de 40 anuos, para lora
da praca, a qual he perfeila engommadel-
ra e cozinheira, faz doces o relina assucar:
na rua do Collegio, n. 21, primeiro andar,
se dir quem ven le.
Vcndc-se muito supcrioi a-
ceza com 13 covados
n 2,560 o Corte.

Vende-so cassa franceza, a 2.5C0 rs. q
O corte ; chales mperiaes, padroes ,.,
O dos de seda, a 2.C00 rs. : ditos de se- **
> da, a 8,000 rs. : na ra do Queimado, O
O n. 8. Ey
<5 <
Vendem-se escravos baratos, na la
las Larangeiras, n. 14, segundo andar, co-
mo sejain : uma linda preta de 22 annos,
que engomma optimanienlc ; uma ilila da
mosina idade, que engomma ecozinba bem;
uma ilita de 18 annos, que engomma liso ;
: pardas^mocas com habilidades ; um par-
do escuro, de 22 annos, com ollicio de po-
rinlia eallega em mcias barricas
....
na roa da Cadeia do l'ccile, cs-
criplotio de Dcine \ otile k C ,
on no primeiro armozem do Lccco
do (ioncalves.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodo ameri-
cano, encorpadose grandes a duas pata-
cas ; chitas escuras de bous padroes e co-
res seguras, a meia pataca o covado : na
ra do Oespo, na loja da esquina que vol-
la para a cadeia.
Novo nd masca do Cali-
forma de sote palmos
de largura, a 1,000 re.
a vara.
Vende-se, na loja de Cuimarics t\ llen-
riques, na ra do Crespo, n. 5, o novo ada-
mascado California para losillas, com 7 pal-
mos de largura, pelo barato procede 1,000
rs, a vara.
Queijos de p.-alo de su-
perior (pialidade
o recenlomenle rh. (jados vendem-se em
porcllo e a rclalho per preto mais commo-
do do i|iie em oulra qualquer parlo : na rua
lo Amorim, armazem de a. J. Vidal & Com-
panliia.
Na na da Cadeia-Velha,
n. I?, lojadeiniud zas.
vendem-se luvas de cores, com algum mo-
fo, para liomem o seis vinlens o par, c sem
elle, a 240 rs.
Por piveo com modo.
Vendem-se 33 palmos de sacada do mar-
more da liada ; < portadas do pedra da Ier-
ra, da mellior qualnlade, o alguns rapileis
da mesma para poilasEde arcada : na rua
do Crespo, loja n. 10.
-- Vende-se um banhsiro de cobre com
G0 libras de peso, o qual lem |iouco tso:
nesta lypographia se dir quem vende.
Taixas para eligenho.
Na randicSo de ferro da rua do Itrum,
acaba-so de receber mu completo sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-so a venda por preco com-
modo f e com promplldflo embarcaiii-se,
ou carregam-seem carros sem despezasao
comprador.
Velas de espermacetc,
das melhores que teem viudo a este merca-
do! vendem-se em raixasde 24 libras, em
casa de Iticardo itoyle, na rua da
Velha, n. 20.
Aniso importante
Beneficio publico.
0 armazem an|go da rua da Ma
novo
lempo se nao vende: no l?ecife,
rua da Cadeia, armazem n. 12.
Antigo deposito de cal
virem.
Na rua do Trapicbc, n. 17, ba
muilo superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Barricas.
Vendem-se barricas vasias que fram de
farinlia em pe e bem accondicionadas :
na rua do Amorim, n. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
Deposito da fabrica de
rodos-os-Santos na Babia
Vende-se em casa deN.O. Bicber & C.
is rua da Cruz, n. 4, algodSo trancado
.(aquella fabrica, milito proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Cha brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molliados, atrs do Corpo-Santo, n. 66, o
mais cxcellente cha produzido em S.-Pau-
lo que lem viudo a esle mercado, por
pre^o muilo commodo.
Na rua da Cruz, armazem n. 33, de S
Araujo, vcude-sc fcijio do Araeaty por to-
llo o prego poreslar principiando a furar,
bem romo sola superior, couros miudos,
sapalos, ditos de couro de lustro, caixas do
clnfre, etc.
Arados de ferro.
NafundicSo da Aurora, em S.-Amaro,
vendem-se arados de de ferro diversos mo-
delos.
A 140 rs. o covado.
Vende se superior riscado de algodSo,
muito encorpado, a 140 rs. o covado: na
rua do Crespo, n. 6, loja junto ao lampeflo.
Vendem-se relogios de ouro e prala,
patentes inglezes : na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
Rixas.
Vendem-se bichas chegadas ullimamento
c de boa qualidade, a 160 rs. cada uma, em
porcHo de 25 para cima : na rua do Amo-
rim, n. 35.
AGliNCA
da fundicao Low-Hoor
RUA D\ SENAI.tlOV*.| B. 43.
Neste estabelecimento conti-
na a haveium completo sorti-
mento de moendas e metas niocn-
il-'.s, para engenbo ; macbinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
coido, de todos os tamanhos,
para dito.
-- Vende-se, a bordo do brigue Marcial ,
llegado do Itio-Crande-do-Sul bom sebo
em rama por prego commodo.
Pos galvnicos para
pintear.
Na rua do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoss que possuem objectos
prateados e que Icnham perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, 011 inu-
tilisados, teem uestes pos um excellente
restaurador e conservador dos mesmos
objectos sem pro como novos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho molinillo em agoa fria e passado
nos mesmos pos.
Una raixinha contendo quantidade suf-
ficiente para pratear mais de 40 palmos
quadrados cusa a mdica quanlia de
mil is.
Cambraia monstro
a 2,80 rs.
Vendem-se corles de cambraia monslro,
de cores muilo lixas, e de ricos padroes,
pelo barato prego de 2.880 rs. o corte ; pe-
gas du recados escuros, a 5,500 rs.: na rua
Cadeia-1 do Crespo, n. 14, loja de Jos Francisco
Das.
Vende-se uma bonila preta de 10 an-
uos, que engomma liso, cose chilo, t'oz-
nha e faz 0 mais servigo do uma casa ; lie
j sadia e minio fiel: na rua larga do Hoza-
establecido de-;ri;.^u35'Al.Ja;.
DOOS, n. 36, esta de novo eiuoirumu uc- -~ ifr.dHn-VIl
baixo das m?sm.S eondigoes onorecen-h, l^^^ZS^S^SS^tmi^
. deliciosa pinga do vlnlm da Nwn pe- d, m rs
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, et '
1,300 rs. a ranada, a de vinho blanco de Lis- \ J rj(}'() r>a. a fCCA i\C 10
ba por 220 rs a garrafa, c 1,600 rs. a ca-: J
nada, a do vinho do llordeaux por 1G0 rs. a I Va 1'ttS
garrafa levando p casco. N86 so 'Imirem (|c C))nil)ra|ai(le quadros para corlina,|osc
c/es do baixo prego por que se ven- buha),os lla rua do Queiinado, loja n. 8.
-- Vende-so cal virgem de Lisboa em bar-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprielario querer sustentar o antigo pre-
go, embora este genero lenlia subido o me-
llior do 30,000 rs. por pipa. Examinem os
amantes a qualidade para reconhecimenlo
da verdade c nnntiiiiiagilo da anllga fieguc-
zia.Kpara nao haver usuras, eslo proinp-
las garrafas lacradas c com o competente
rotulo, assim como barns de diversos ta-
manhos para piovisilo do prntimo Natal
O proprielario cunta com a concurrencia;
do contrario,tornarffo os presos do nta-
Iho a primitiva de 240 e 280 rs. a garrafa.
Foiha de Fia nd res.
Vcndem-se caixas com folha de Flandres:
na rua do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnnior.
--Vendem-se amarras de ferro: na rua
Ja Senzalla-Nova, n. 42.
Velas de cores.
Vcndem-se, no armazem de moldados
airas do CorpO-SoolO, n 6(, por prego com-
modo, velas do carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se lornam
reconimendaveis pela sua superior qualida-
de o alurarein mais que as do espermacete,
e nfio fazorem inorro.
Deposito (le Potassa.
Vcndc-se muilo nova potassa.
de boa qualidade, em barriszinbot
pequeos de qnalro arrobas, por
preco barato, como j ba muito
ris pequeos, vinho do Porto superior em
liareis da quarto e quinto, e mcias-pipas
com dito, familia de trigo de todas as qua-
lidades c em 11.1 i1 > barricas : tut!o por pre-
go mais commodo do que em oulra qual-
quer parlS0arua do Vigario, armazem de
Francisco A<^es da Cuaba, n. II.
Vurn as senboras de bom
gosto.
Vendem-se os mais ricos mantaleles e
capolinhos para senliora. de chamalole liso
e lavrado, de gorguro, de grs de ap-
les e de sarja, lano prelo como'dc cores:
na rua do Queimado, n. 17.
Moendas superiores.
NafundigSode C. Starr i Companhia,
em S.-Amaro acham-se venda moendas
de raima, todas de ferro, de um mdelo
construcgilo muito superior.
Cal virgem.
Cunta & Amorim, na rua Cadeia do lie-
rife, n. 50, vendem cal virgem de Lisboa,
de superior qualidade por prego mais ba-
rato do que 0111 outra qualquer parlo.
Novos cortes de cassa pa-
ra vestidos.
Vendem-se corles de cassa para vestidos,
de cores lixaa o de bonitos padroes, a sele
1.1 rua do Crespo loja da esquina quo vol-
ta para a cadeia.
4cs fuanles de bom gosto.
Noarmaiem do molhados airas do f.or-
po-Snnln, 11. 66, lia para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sul superio-
res charutos S.-Felix, e de mitras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parte : bem como
cigarrilhos hespanhes ditos de palha de
milho, que so cslSo vendendo pelo diminO-
to prego de 500 rs. o cenlo.
RAPE' PAUL0-C0RDEIRO.
Vendo-se rap Paulo-C.ordeiro, vindo no
ullimo vapor do Rio-de- Janeiro, bem fres-
i|iiinlio ; os amantes da boa pitada pileni-
sc dirigir loja de Anlonio Joaquim Vidal,
na rua da Cadeia, por prego commodo.
Vendem-se pegas de madapoliio limpas
com 20 varas, mu;.to largo, a 3000 rs.,
3/200. 4#000 rs.; o-muito (inos e largos por
mais dinheiro; cortes de cambraias para
vestidos muito bonitas com 11 covados a
2,500: na loja 11. 17 da rua do Passaio.
Calcado de 1*4180 a 1,600
So Aterro-da-Boa-Vista.
dcrroiite da boneca,
sio chegados sapalos franeczes de cou-
ro do lustro para senhora, a 1,280 e 1,600
rs. o par; bem como um completo sorli-
menlo de calgado de lodas as qualidades,
lano para liomem como para senhoras o
meninas; etambemdo Araeaty, para lio-
mem, a 1,000 rs. e ludo umais por prego
commodo.
S'accas com milho a
3,500 rs. e ditas com ar-
roz de casca a 5,500 rs.:
vendem-se no armazem do Bragucz, ao p
do arco da Conceiglo.
Corles de brim de cores
com lislras ao lado, a
1,200 rs.
Vcndem-se cortes do brim de cores com
listrasao lado, a 1,280 rs.; riscado de al-
god.lo americano, proprio para escravos, a
140 rs. o covado : na rua do Crespo, loja da
esquina que volla para a cadeia.
Cal de Lisboa.
No Rio-I'ormoso, em casa de Julio Jos
Lopes, vendcmrse barriscom cal virgem de
Lisboa, do superior qualidade, 'por prego
commodo.
- Vende-se|a loja de miudezas do Ater-
ro-da-l!oa-Vista, n. 84, defronte da matriz,
com um pequeo fundo : a tratar na mes-
ma loja.
Oh .' que pelisco!
Vende-se carne do serillo, a 940 rs. a
libra; lingoigas de porco do serISo, a 400
rs. a libra; superior queijo do serISo, i
400 rs. a libra; e oulroa muitos objeclos poi
prego commodo : as vendas dos qualro-
cantos, esquina de S.-Congalo, ns. 1 o 95.
A 2,720 rs. cada mu
corte.
Na loja de Cuimarles & llenriques, rua
do Crespo, n. 5, vendem-so novas cassas
parisienses, padnies muilo modernos, pe-
lo barato prego do 2.720 rs. cada um corle :
esta fazenda se torna muito recommenda-
vel pela superior qualidade e barato prego.
A 080 rs. a vara.
velludo lavrado, a 2,000 rs. ; dilos do cam-
braia e cassa, a 2,500 rs.; lengos encarna.
"os para tabaco, a 203 rs.; pannos finos
casimiras; e oulras nimias azendas da
hoalqualidade. *
IN ovo tren de coz i n lia.
Vendem-se chaleiras, pannellus, frigj.
deirase cassarolas do ferro forradas de por-
cellana, bules e cafeteiras de meial na ru
Nova, n. 16, loja de ferragens, de Jos Luiz
rereira.
Na loja da esquina da
da rua do Crespo, n. 23, que volla para
rua do Queimado, vendem-se cortes de
cambraia de cores, a 2,000 rs. ; lanzinha
para vestido, a 280 rs. o covado; cambraia,
do cores fixas, a 320 rs. a vara ; ceroulas de
meia para banho, a 400 rs.; mantas de fil
de cor para senhora, a 800 rs.; gorgurSo
para collele, a 320 rs. o corte ; chitas es-
curas, a 190,140 e 160 rs ; lanzinha para
collete, a 500 rs.; dita com fio do aeda, ,
1,000rs.; luvas de seda eom dedos part
senliora, a 400 rs. o par; alpaca de linho
de cores, a 400 rs. o eovado; lencos do cas-
sa de edres muito grandes, a 300 rs.
Ainda esta por se vender a venda do
pateo de S.-Pedro, n. 1. com poucos fun-
dos, sendo o seu aluguel muito barato: a
ti atar na mesma venda.
Vendem-se 8 lindos moleques de 10 a
18 anuos ; 8 prclos de 20 a 30 annos, sendo
um delles cozinheiro ; 3 pardos de 16 a 35
anuos, sondo um delles ptimo carreiro- i
pardas de 16 a 20 annos, com habilidades ;
uma dita de 20 annos, com habilidades,
com dous lilhos, um de 5 annos e oulro de
um anno ; Spretas de 16 a 20 annos, com
habilidades : na rua do Collegio, n. 3.
~ Vendem-se dous moleques pegas, de
20 anuos ; uma moleca com principios de
costura, muito bem parecida : todos de ni-
gfo, por preco commodo : na rua Novt,
n. 39, segundo andar.
Vende-te uma balanga de pesar cou-
ros, com temo de posos : nos Afogados, rua
do Motocolomb, n. 18, ou nesta cidade,
na rua de Agoas-Verdes, n. 62.
Vcndem-se 12 escravos, sendo 3 b.-^
leques; 2 escravos de 22 annos, sendo ufr
delles carreiro ; 2 pardas de 18 a 29 annos;
5 esclavas, entie as quaos algumas ne-
grinhas : na rua Direila, n. 3.
Vende-se urna preta prxima a parir,
de idade de 20 annos, de bonila figura, sem
vicios nem achaques: na rua do Queima-
do, vindo do Itozario, segunda loja, n. 18.
No armazem n. 7 da rua da Moda,
vende-se sal em grande c pequeas porgues,
por prego mais barato do que coi oulra
qualquer parte.
Vende-se a bordo des brigues ligtiro
( Paquett-dt-l'ernambuco, fundeados ao pe
do caes do Ramos, bom sebo em rama, por
prego commodo.
- Vende-se uma urmac.lo de loja, de
amarello foirada de louro, com parte en-
vidragada, e apenas lem dous annos de uso:
o vendedor se obriga a ir assenta-la em
qualquer loja, dando-a prempta : na rua da
Concordia, tenda de marceoeiro, junto a
venda.
Na rua da Moda, n. 7, vendem-so bar-
risde varios tamanhos, com o mais supe-
rior vinho do Porto que tem vindo a este
mercado, sendo alem da boa qualidade
muitissioio barato.
1
Na rua da Cadeia do Recite, n. 32, vendem-
se muito finas cassas, as mais modernas
que apparecem no mercado, pelo diminuto
prego de 680 rs. prego este que em outra
qualquer parte quercm por igual fazenda
mil rs. avara; bem como cortes do casimi-
ras para caigas, de muito bom gusto c mui-
lo boa fazenda, a 6,000 c 7,000 rs. o corte ;
chales de cassa e seda, muilo grandes e do
bonitos padrfles, pelo diminuto prego de
4,50|i rs.; cortes de cassa-chita de bom
gosto, a 2,800 rs. o corlo ; e oulras muitas
fazendas por prego commodo.
Vende-se um bote com todos os seus
pertenres, inclusive urna tolda: na rua da
Cruz, n (i!.
--Vendem-se 6 varas do bico largo para
toallia ; una poigilo de gamma em sacca,
muito alva ; uma porgDo de couro miudos;
duas tnalhas de lavarinto ; dous lengos do
dilo: ludo por prego commodo : na rua
do Cahup, u. !).
Por barato preco
Vendem-se 33 palmos de sacada de lino
marinore da Italia, portadas de feilio mo-
derno c da mellior pedra da trra, e lam-
bein tlguns capiteis da | misma, para
quem quizar edificar sobre ar do arcada :
na rua do Crespo, loja n. 10, ou confronto a
ordem lerceira, n. 9, primeiro andar.
Estrella.
Vende-so a muito acreditada bolachinha
intitulada estrella, muito propria para
doentes : na rua Direita, padaria n. 79.
Compra-selSa de freclia de eanna, bar-
riguda e de Angola : paga-se a 0,000 rs
arroba ; be>n como dita de carneiro: na rua
Nova, n. 28, loja de selleiro defronte da
ConceigSo.
Atlenco.
Fugio, ou foi sedir/i.lo, cuno se prezu-
me, um piolo de nagSo Cosa que nada fal-
la quo se entenda, por estupideza e nega-
(1o ; reprsenla ler 20 a 25 annos ; lio bem
parecido, cor bem retia, com os talhos de
sua nag.to bem visiveis no rosto, responde
pelonomcde Jos; levou caigas de algo-
dSo lrangado eriscado de azul, camisa de
algodflozinho liso e branco: quem o pe-
gar leve-o rua Nova, n. 46, que ser gene-
rosamente recompensado.
rara liquidaco.
\ i ndein-se, na rua do Queimado, loja n.
17, cassas de cures lisas, a 2i0 rs. a vara ;
lengos de selim e do sarja com franjas, \
800 rs.; cortes do colleles da gorgurSo. a
3,000 rs.; ditos do selini. a 640 rs. ; meios
lengos de selim com llores o lislras de co-
ks para grvala, a 500 rs ; lanzinha para
caigas, a 500 rs o covado; riscados para
caigas, a 240 rs. o covado ; colleles de fus-
tfio amarello com flores, a 300 rs.; dilos de
eoilo patacas o cite; chales de tarlalana [casimira, a 1,000 rs.; lencos de 3 puntas de
grandes a 800 rs. meios ditos, a 500 rs, : I fil de linho, a 320 rs. ; corles de colleles de
Escravos Fugicos
100,000 rs. degratificaco.
Oabaizoassignadorogaaos Srs. de en-
genbo Clu istovo de Mullan la Cavalcanle,
Francisco de Barros Reg, Francisco Mari-
nbo Wandorley, Francisco de S.-Tiago Ra-
mos, Anlonio Jos Marroquim, Manuel de
Barros Arcioli Mello, Antonio de S.-Tiago
Paz de Mello, Paulo de Amorim Salgado,
Dr. Feliz Theolonio da Silva CusmSo e Ig-
nanciodo Barros Wanderley para que se
dignem mandaren) ver pelos moradores de
seus engenhos uma escrava de nome Ca-
tharina, rrinula, de estatura regular, ma-
gra, com a barriga um tanto crescida, den-
tes bonitos, sobranselbas carregadas; la-
vou uma filha mulatinlia, de 3 annos, de
roslo rodondo, olhos pequeos ; lem as co-
jeas ISo unidas que a faz voltar os i es para
oslados. Fugio a 11 do outubio de 1848.
A mili desta negrinlia chama-so Jeronyma,
o tem alm desta filha muilo lilhos, e por
isso se tem feilo notar no lugar aondo mo-
ra ; he escrava deThoinaz Vieira, morador
no engenho Palma, sitio capivara. Camari-
na foi cria de .Mara Vieira, moradora em
Peroba, silio Pescinenge, o por morle desta,
coube em ti eran es a Certrudes, filha "casa-
da com Doringos do tal, morador nesta
piara, lla toda a crie/a del I a ler estado em
algum destes engenhos, porcm lem si Jo
mudada talvez polos manos. O abaixo as-
signado offerece a quanlia de 100,000 rs. a
quem a irouzcral o flm de dezerobro do
; correlo anno, e pretende desse prazo em
diante, fazer toda a dil igencia para a deseo
brir o proceder contra quem a liver acol-
lada. Ucommandante do Icorpo de poli-
ca, lodo do llego de Borros f a ledo.
Fugio, no dia 9 do coi rente, a preta
Maria, de nagSo Nagii, representa 25 a 30
annos, de estatura regular, rosto redondo a
com bastantes marcas de bexigas, olhos
pretos, nariz chalo, bocea regular; tem
bstanles marcas de sua nagSo pelo corpo
e bragos ; levou cabegSo o saia de algodSo
azul e panno da Costa tambem azul com
lislras brancas: quema pegar leve-a rua
do Collegio, n. 3, que ser recompensado
generosamente.
-- Fugio, no dia 9 do corrente, do Aterro-
da-ltoa-Vista, n. 56, pelo quintal que bota
para a Ponte-Velha, um negriuha eriouln,
de nome Maria, de 11 annos pouco mais ou
menos; snpp0e-ie estar por all perlo. Bo-
ga-sea qualquer pessoa que a tuina reco-
Ihido, ignorando a quem perlenca, a man-
de entregar na casa cima, que recompen-
sar
--Fugio, no dia 6 do corrento, o preto
Benedicto, de iia(So, de 18 anuos, pouco
mais ou menos, sem barba ; levou camisa
de madapoln e caigas de riscado largo o es-
curo ; de altura regular, corpo fornido,
beigos grossos, bocea grande, ps e mSos
grandes: quem o pegar leve-o' rua es-
trella do Itozario, n. 43, segundo andar
quesera gratificado.
d
o
II
PlN. : HA TVP. DE M t. DE PARIA. 19<9
MUTILADO i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGB6JWPBN_7CRHK7 INGEST_TIME 2013-04-24T19:56:33Z PACKAGE AA00011611_06710
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES