Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06708


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anuo .v
XV
Srxta-feira 0
riBiioAi dos coaaxios.
fioiai.na (-Parahrb,segundas c seUas-fclras.
liio-T.randtf-do-Nftrte, quinlas-fe.ras ao meio-
Cbo?Sornhcin, Rio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no 1., alie 21 de cada mct.
Caranhuns e lionlto, a 8 e 2.'.
Boa-Vista e Flores, a He 28.
Victoria, s quintas -reirs,
Oliuda, todos os das.
ipheuibidis.
Tmsrs d lo. -Ming. a 7. as h.e 3 m.dain.
I Nova a 14,as Oh. c53i. da t.
Cresc.a 23, ao> .r> in. da m.
Chela a 30, .'ili.e 'un. da ni.
BHCiHSn DE BOJE.
I'rimeira aos 30 minutes da larde.
Segunda aos A minutos da mana.
vacos DA subscbiit/Ao.
P0rtres1ne7.es(dianodo) A#WQ
Por seis ineies 8/UOO
Por um anuo 15^000
de. Novmbj'o to IIM9.
tJAS DA SEMAtA,
S Src. S. Zacaras. Aud.dd.itbs'orf. em.J. v.
(i Tere. .-. Severo. Aud. da chae., do J. da I. v.
\ do civ. e dn dos fritos da farenda.
7 Ouart. S. Floreado. Aud. do J. da 2. v. do c.v.
S Quii. S. Scveriano. Aud. do J. dos or. c ilo
0 "cxl-V Thcodo.o. Aud. do J. da I. v. do olv,
e do dos le tos da la/.enda.
10 Sab. 5. Andr Avellino. Aud. daChane. c do J.
da 2. v.docrimc.
11 Doiu. O Patrocinio de NussaSenl.ora.
N. 8*41.
tsxas- i "' '" '
CAMBIOS EM 8 DE MOVMCM.
Sobre Andrs. T\\i. por 1/000 r*. a BO dta>
Pars. 310.
oJrolott'XZZT:..... 30*100 a 30*00
.Ur- Moedde%100v,n,s. 7JW0. WM
' de 6/lnti nov.s. I ('KM) a lS.OO
6*.
dr4>i00..
PraU.Pataeoes brasileiro*.....
Pesos coluiuuarios.......
Ditos mexicano......
n/Kino a BJffHHi
ljill u s'
yon a !>>i
1/880 a 1*0"
HBiJimii OtOUlwaV
PARTE OFFICtAl.
MINISTERIO DO IMPERIO.
nF.RFTO N. 637. HE 27 DK SETEMRRO
'.. DE 1849.
Utqulamenlo inttrno da administrara/) do cor-
reio d cpital, de suas Ofendas e rf.i da
provincia do Kio-de-Jamito
Continuacab don. 230.
CAPITULO III.
fla confruneia, numtracSoe porte das cartas
, mais papis vindoi de paites estrageiros
Artigo 59. A seecflo ou seccOes incum-
bidas doaviamenlo desta correspondencia
pru.cipier a contt-la e portea-la no mais
breva lempo.possivel.
Art. 60. Ao cartas singelas ou de peso
al 4 '8, n>o serflo pesadas senSo quando
hunver duvida se eicetlem a este peso.
Para verificar se excede ou nflo ao dito
peso, serflo examinadas por 2 empreados,
um depois dooutro.
Art. 61. as cartas do que trata o artigo
antecedente, que nflo he necessario pesar,
Hilo ser lancado o porte; devendo entender-
se que a falla de porteamento indica ser o
valor das carimbadas nos correios eslran-
geiros de 120 ris, e das nflo carimbadas ou
avulsasdei'50 ris.
Ai I 62. Todava serflo porteadas, como
ate agorase tem prsticado, asearlas e mais
papis do artigo antecedente, viudas da Eu-
ropa em paquetes ingteses.
O mesmo se pralicsr com todas as carias
mais papis de porlo seja qual foro seu
volume. qnando liverem de ser remeltidi
para outios correios.
Art. 63. As out.as cartas serflo pesadas o
porleidas. As que perlcncerem a urna s
pessoa serflo emmassadas e atadas a parte,
e seescrever no verso do sobrescripto de
urna dellas com linla ver melha o numero
de cuitas e jornaes que conten o massele, o
a importancia della :
V. g -- caitas GOO
2jornaes 40
640
Ai tipo 04 llavera al quatro balfncas
prtatela no lugar da casa que fr mais
pioirio para este servico, que sera feilo
com a maior regularidade oexaclidflo pos-
sivel. i ,
Ait. 65. Posta a carta na halanca, anda
que pese menos de 6/8, se pesar mais de
4, 8, Ihe ser sempre posto o porte como se
as livesse; e, passando desto prso, anda que
nflo ebegue ter 8/8, sempre lira sera posto
u poi te correspondente a8/8como so real-
mente as penase, o assim progressivamen-
te si observar esta mesnia ordem o regra
em todas as cartas do maior peso.
Arl. 68. Os portes das cariase mais pa-
pis vin.dos dos paizes estrangeiros serflo
pagos em moda.
Ait. 67. Os 30 lis de porte das carias
nflo carimbadas ou avulsas, alm do de 120
ris, serflo destinados a gratificar s aos
commandanles das emharcscoes que as
entregarem aos agentes do mar, ou aos em-
pregauos da alfandega que as frem vi-
sitar.
Quando os commandaiites ou renuncien
a esta gratificarlo, ou a nflo procurem an-
tes da sahida do porto, reverter ella em
beneficio da razenda publica. ( Art. 228 do
regulumento.) *
Ait. 68. Quando por qualquer motivos
commandanles nflo entregarem as carias e
mais papis ao agenle domar, ou aos em-
pregadusda alfandega, larflo saber ao cor-
reio que tem cartas de porte a seu bordo,
afim de que o correio as mande la buscar.
Art 69. Porteada que seja > conespon-
deucia dos assignanles, e posta em ordem
alpbabelica, s. ra numerada u distribuida
|or districtos, como so pralica com a rece.-
bida de dilerentcs pontos do impeli, lia
forma do arl. 52.
A correspondencia dos nflo assignanles,
cc,uis de numerada o distribuida pordis-
trictos.ser remctlida Ihesouraria, e entre-
gue pelo Uiesoureiro aos carleiros, como
prescrcVeo artigo 99, o no caso do art Si.
(Continua.
sac/to da adminislracao, cdigo Napoleo t
governo libsral.
* Lendo a proclamado dos tres car leaes,
fiquei summamente indignado, por ver que
nflo fzm mencilo, nem da FranQa, nein
dos solTriment* de seus bravos soldados.
Todo o insulto feilo nossa bandeira, ou
ao nosso uniforme me fere directamente no
coraeflo. Recommende ao general que Taca
constar que, se a Franca nflo venije seus
servicos, pelo menos exige que llio agra-
decam seus sacrificios esua interveneflo.
Quando nossos exordios Dietatn nu-
tra'ora'o gyro da EAiropa deixaram por to-
da a parte, como signal de sna passigem,
a desUuicflo dos abusos da feudalidado e
os germen! oa lilvrdade. Nflo se dir,
porlanto, quo em 1849 um exercito franez
obiou em outro sentido e produzio oulros
resultados. i
peca ao general quo agradeca em mou
nome ao exercito a sua nobre conducta, o
diga Ihe tambem que espero que elle fura
com quo o mesmo exercito passe (inme-
diatamente a ser tratado como merece sC-
lo. Nada deve ser poupado para eslabelecer
convenientemente as nossas tropas..
t Aproveito a occasiflo, meu charo I\ey,
para renovar-lhe os protestos do mmha sin-
cera amizade.
S yapoleo Bonapame.
os quaes o proprio Mr. Honaparte tflo no-
hremente protcstou na famosa carta que es-
creveu ao general Oudinot;- he um primei-
ro penhor, porm penhor definitivo, dado
pelo cleilo de 10 de deiembro ao espirito
revolucionario ;--he finalmente una decla-
rarlo de guerra ao poder temporal do sobe-
rano pontfice.
Vemos armar-se a tormenta, e nflo po-
demos diz-lo sem terror, mas dizemo-lo
sem nquietacflo sobre o seu resultado de-
finitivo, vemos o co denegrir-se. Ha mul-
to lempo que nflo temos mais esperanens
que perder, o estamos habituados a yerdes-
vanecerem-se os sonhos que o espirito do
homein nflo pode driiar de forjar nesses
curtos interVallos em que a tempestado pa-
rece tomar frcas para poder roncar mais
fnrlemenlo. Sompre nos pareccu bem ad-
miravel quo esse Xugustuh involto pelo acaso
no berco com um pedaco de purpura podesse
satisfazera eioeranca d < sociedad!. Eri s^n
rasflo quo. ella esperava nello. olio Ihe fal-
tar logo, mas a justic do Daos lera o seu
curso e sua obra nao perecer. Viva Po l\.
principe epaslordars almas.' Dos o cou-
duzra pela mflo cidade clcnu, para con-
fusflu da frca brutal e da sabodona impa.
Qur om Boma, quemo exilio, consgre-
nlo lho nossos respeitos, nosso amor c nos-
sa vida! ,
( Univelt.)
.las para garantir sabia admmistracflo d
bas leis; mas, se se conseRir.r este fim por
outro mein, a forma de Rovomo tem pouca
importancia.
.Hrevemente a quesillo sera saber
quem dever ceder, se a Franca, se o papa.
So a Franca ceder, sua subniissllo ser, co n
rasflo, aiiribui 1 ao me lo da Austria, e nflo
s-ra dillicil calculara draeo lie om go-
verno francez que fosse urna vez tarn lo
de covardia. *
Standar!.)
CIMA FEZ
IMPR.ESSA'0 QUE A CARTA
EM JiOMA.
Itoma ~ de tetembro.
A carta de Lu/ Napoleflo lom produ/i-
doaqui milita sonsacan, porque he consi-
derada como urna esposta perempiona a
todas as aecusacoes calumniosas que, cies-
cendode da em dia e tornando o governo
francez cmplice as fallas commelliJas
pela commisso pontificia, apiesentavam
nossa expedicflocomo lendo tido por lim a
restaurado do anligo rgimen, tflo odioso
toda a populacho romana. Este desmen-
tido solemne, dado a exprobrac,0:-s exlre-
mamcuto injustus. tem tido en. resultado
caria causou um assombro tal, que aprmci
po par.Keu lancr o padre sanio en urna
grande irrcsolueflo. .
Foi a 28 do agosto que o pana leve co-
nliccimenlo della pelo intermedio do um
dos tres csrdeaes da commissiio, o qual ou-
levedeum onicial francez urna copia da
mesma.aqualocardeal secretario de es-
tado Aulonelli so cncarregou do remelter
ao soberano pontifico. Tcndo-a lido, Po i\
cruzou os bracos, levantou os olhos para o
co, e, passados alguns instantes nesti pos-
tura, a entregou depois ao cardeal Anto-
nelli, sem proferir urna so palavra._
. Este cardeal, julgando quo nao devia
retrar-seanlesquoopapa tivcsse expres-
sado a sua volitado, consullou-o acerca das
instruccOesquedovia remelter ao nuncio
apostlico em Pars; maso soberano pon-
tfice-nao qulz tomar nenhuma tlccisao,
semouvir prime.ro o concelho collcctlvo
dos cerdea, os quaes foram portanle. im-
A soi le est lanQada lie preciso ou que
a Franca condemne sitamente o presidente
da repblica, ou que a>oo uas palavras.
Nflo recriminemos mais : a f'-nia pela qual
este grave incidente so lia produzdo nflo
he mais eslranlia, nem sobretudo mus
conlrria s prescrPC'"'es consl.tucionaes do
que os preliminares desle niosmo inciden-
te. A asaembll legislativa condemnou ja
estes fados. Toniemo-Uis como consum-
mados ;pois somonte por um acaso, e pela
primeira vez, ellesse resumem em um pro-
gramla conformo aos inlcresses c a honij
da Franca.
Os noRocios da Italia, ao nosso ver,
acl.am-se reduzidos ao seguinte ponto. A
A improvisa inlo va contina a com
mentar a carta do presidente da repblica
ao coronel Nev, p obse va-se que as gaje-
las le to lasas cores e de lodos os partidos
concordam em recnnlieccr|.uoc-la carta be
um fado decisivo Unas. liCn como o /) tily-
Neics o o Naminy-IUratd, exprimem o pe-
zar de que Ha nflo tWesso si lo dirig la ao
gemval Oudinot intea do ataque de liorna.
A argumentaQodesta dos* galeras polo
lresumir-se assim : Por quo nflo iiissesto
ao llrunvlroto republicano oquodfteisao
Iriunvirsto dos cardles ? Airtclluu. Saf-
li e Mazzini lorian feilo tndd oque exigs
enaoliaveis do obler senflo pela frca, se
he que o obtiverdes A repblica j tirilla
rcalsado o que ha de mais essencial om
vossas exigencias, o oque queris boje le-
vantar, vos meamos o abalestes nutra
ora. Coiiprehende-S' ludo qunnto he
possivel que se digs, sahndo assim da po-
ltica actual cara laucar-so na retrospecti-
va. Quando fallas leen sido commellidas e
ellas sao reoonhocidas, trata-se do procurar
repara-las e nflo de disCorror sobre os
mofos que lorian devido ser em pregados
paia evite-las. ....
JoH/nir dirlluvrc. ,
despea ; porm acho toda juslica neasa de
cisao. i
Por aviso de 18, espedido ao presiden e t|.-
S.-Panio pela secretarla da ju'stlca," nfcMPow
que a declso do segundo lury '(" e proce
der em virtude de protesto por novo iiilsa-
inento importar |>-in de morte oti r lies per-
petuas, deve o juU da direilo appallar rv-olli-
Olo, porque o arl. 7tS i da lei de l.es de ile-
lemlxode 1811 assim o oreserejfe, sem laier
dilVerenta entre a decisao 00 psOJieiro JH lo
Por ,1,-ereii. da mesn dala frau dcuiiUid.n
Peino Franco de Cimargo do lugar de comtlilf-
M>lo pseidor da pagadoifa mllltrrr de Malto-
Grosso e Luir S.-ivis l'.ieii i dos Cnlm iraca do
de e-iriv..ii da nicstna pagidnria. Parece t|lf
tropuiaco dotse dous soohorei nue.i.iii
inulto pura de algiuna nodoa...,
O l)r Francisco Antxiio ttaposo, eapilao (I.)
imperial corp i de engeilhelros e lente de pin
icana escola miiar. acaba de ser n mi.ii
director da fabrica de/ferro de San-Joao-iie
Vpanema, los ir une rtacljava vago p pedida e olHbl'o deminto delleour
.los ("i unes I irdlni, liinlie.n lenli
Pl^d^
IIITERIOH,
t-i ai, se.. .. "-.'""---,: apeu-M o risco de ii-se eadeia por alguusni.s,
go Napoleflo c governo ll- r'l(.nilo.s|, ., cj.rl(. ,,,. s,r ,i,,ivdo pelo jury,
I como tem acontecido!.... No da 22 do corren-
cila de seusministros, formulou cliramento
0 seu uliimalunr.
i Amnista geral, seculansscBo da_aomi-
nislraco, codi
beral.
o Nflo so trata mfis que de piV esto pro-
gramnia a votos, por assim dizer.Hasta
de supplicios, basta da miserias Os parti-
dos nflo leem mais que votar.
il'or nossa parlo approvamos francamen-
te o programma e votamos por elle.
..Moje, de urna extremidade Ja Franca ate
a outra exlremdade, smenlo estas pala-
vras serflo ouvidas: O presidente, o os mi-
nistros da repblica leem dado a conh-cer
claramente O que querem ; os ministros dls-
1 Bidentes porlanto que se retiren, os par-
tidos dissidenlos que so expliquen.
(Sircte.)
CORBESPONDENGIA l>0 DIARIO DE PER'
NAMBIJCO.
JUa-it-Jantiro, 27 de outubro de 1840.
A couimoda industria de f.ilsilicar inoda-
papel anda conllniia (e parece continuar) a
ser exereida entre ims com admlravel deseni-
Nem ba meio mais fcil e niellior de
se da noite para o rtia. correndo-so
co de lr-S0 eadeia por alguns das,
liaraco'
enriquecer-
A atlitude tomada por l.uiz Napoleflo be
di lamente convocados para delibera- d|gn, eauas instruec^fles concordara rom o
msubrV.aUiludequeconvinherdsselo-iejJjHlo de un, justa nterfenco. Nofl
Ida respeilo de carta do presidente da opin3o he sempre a mesma a respeito da
SStfiT, e7a. orisem o marcha do sitio do Itoma. lio im-
origem o mar
lico era simplcsmente urna missiva con- dale e IranquilliJade de liorna.
lidencial dirigida pelo presidente da repu- ( Monung-I
blica ao seu aiudante de ordens, o de ne-
nhuma sorle urna oa escripia ya verbal
como as que co.-luinam ser dirigidas as
oj. )
. Asubmissflo de Itoma lio um problema
queprovavclmentc embaracara muitotem-
VeT0 francez
correspondencias olliciacs ou verbaos delpoaindaogo
eovcriio a covorno. De da i
5= r^
em dia torna-se mais evidente
governo pontificio he ncorrig've!,
EXTEHIOK.
f
CARTA DE I.UIZ NAPOI-EAO AO
COIIOSeL NEV ACERCA DOS. (NEGOCIOS
DE ROMA.
a Varis, 18 de agosto.
Meu charo Noy.
A repblica Iranceza nflo onviou um
exerciloallomaparaab ffalli a liberda-
de italiana ; mas pelo contrario para regu-
la-la, preservando-3 de seus proprios cx-
eessos, o para dar-lbe urna baso solida,
restaurando ao tbrono pontificio o punci-
pe que primen o que lodos se poz cora-
josamente frenlo de lodas as reforma!
UleiS.
- Sci com magna que a intcncflo benvo-
la do padre santo, como tambem a nossa
propria aceflo permanecen esterois em pre-
senca de paixes o influencias hoslis que
querem dur por baso reslauracflo do papa
a prosc ipeflo e a tvrannia. Diga de mi-
nha paite ao general que em neiihum cas^
dever permiltr que sombra da bandei-
0s-r tripolor se commetla nenhum acto que
possa desnaturar o carcter do nossa nter"-
veneflo. is-aqui como resumo o poder
temporal do papa : Kmniltia geral, sieulttri-
e
.n ..< entrevistas' con o membros do ment da ly.
gSbinete fraS ou con o presulenlo da ^volunto, ou que(se^ponha em
repblica, se abslivesse de far.er a menor
allusflo a caita de Luis Napoleflo.
( Correspondencia do ConstUucionel.)
uta conli-
1 nua com o proprio governo que ella rcsla-
beleceu o lem sustentado coa suas bayo-
netas. Porm, so o exercito Iranccz so re-
tirar, sera substituido inmediatamente por
exercito austraco, O qual sera mais
rftANCEZA E ISCLE- dcil s ordens da tyran.ua ponlifici, e nes-
GART;a ACI A. te caso a Franca IsM precisamente levado
CAIUA aujia. |ascousasa uma solucflo que, ao nosso ver,
Mr. I.uiz Uonaparle, denlo aos seus,
recdenles o mais glorioso desmentido,' u|,
JL'IZO DA IMPRENSA FrVANCIi
ZA ACERCA DA C ascousas-
eria tornar imposaivel, occupando
urna maneira tflo irregular e Iflo injusta a
nnoli-ihacommeilido desde 10 de dem-icjade elKrna. lie claro que, a medida que
|o e mesmo desde25 de Tevereiro de 1818 as .ffias da Austria tem oblido successns,
nina s falla pollci. Sua _coii.ioct ^^cci- c0lle poniificia se leem l0^,*d^n)^s^;
i
avaa admiracflo do mundo, e justificava
.ua fortuna. Um g/aude aci ^"X" i 1
do ihe era devido. A expedieflo de Roma,
suslenladacom perseveranga e audacia, o
cercada do successo, o colloeava a frente
dos mais enrgicos e mais intelligentes de-
fensores da ordem social. Destruin.lo, nflo
obslanleo grande nun.ero de sens com-
e justificava ft(J este ficto prova qual o apoio com
to sobre tu- 0'(,apa e seus cardeaes contaui; mas a
caria do principe I.uiz Napo'.eflo ao corone
Ney prova que a tendencia para apartara
Franca nflo lem escapado a suas suspeitosas
desconliancas. So a primeira das con l.coes
contidas na caria do presidente fosse cum
inda, o governo francez podena com justo
te dcscobrio a polica um novo Introductor de
notas falsas de mil ris c dous mil res de es-
tampa encarnada.
. Procedendo a dilligencias c averigoa.
roes, di* o Jornal do Commtrtio, velo (a polica)
ao coiilieeimeulo deque Amonio Firmo Rodri-
gues Monleiro, ^uaida-livros do Sr. Joaquim
Francisco Rodrigues da Silva, morador na ra
Direlia, n. 183, eslava Implicada nesse crline,
noisiiue llgumas pessOJS que tinliam daquel-
las notas dei-lararaiu l-las recebldo delle em
pagamento de contal Preso esse individuo c
Oonduiido polica, negou a principio o Clima
que bava coiumeltido ; mas, vendo depois que
ludas as pessoas encontradas com laes notas
afnrmavaill ser elle quem lli'as nnba dado,
confessou ser isso venlade, acrcscinlando lia-
v-lis rcechido para passar de certa pessoa.
Fram presos tamben Domingos (.aciano di
Silva e Jos Perrelra Mag.ill.aes por havrrem
contra elles fundadas suspeitas de coinplic.dade
no inesnio erime. Todos cstao a disposira.iido
subdelegado de Santa-Rita, encarregado de lor-
mar o processo respectivo.*
' Nao ser ja lempo de cn.pregar niedidas as
mais Iones contra o crime de moeda falsa
Nao serilo anda bstanles os clamores da so-
ciedade, a ruina das fortunas particulares e o
abalo de crdito publico ? Cumpre tomar-se
providencias decisivas; he necessario refor-
marse nessa parte, nossa lei;isIaciio,que a-
tabclect i.enas demasiadanicnle brandas para
apunlcfio v represso de um crime que pode
causar a completa ruina do paiz. A porcao de
moda falsa boje em circularan por lodo o im-
perio he tal. que o governo acha-se na neces-
sidade de nao embaracar o seu curso por meio
de umasubslituicao completa as notas, para
nao arruinar uiilbarcs de fortunas e promover
urna irise linanceia que pode ter consequcu-
cias desgracadissinias: procura inelhorar o
meio circulante, c curar o mal por meios in-
directos. Nem he oulro o recurso : villas c lu-
nares ha em alguiuas das nossas provincias do
interior em que a moda que circula he toda
falsa; c isso com sciencU dos que a possuein;
porque, rcconheccndo que ncnluuna outra ha
'ni gyro, rccebeiu aquella e p.issain-na sem
nada dizer pelo receio de vercm-sc privados
desuas f:lunas!'. E para osauto.es de tal
mal hsullieientc a pena de ll> annos no cro
maxi.no?... F. porque nao ha de liavcr loica
para elles I*.... Mas esquecia-me que vivemos
em a qnadTa das lilicnlaJts, das luzes e dac.vi-
lisacao ; a forca perlence aos lempos barbaros:
auiuiille-se enibora a socledade, viva o pro-
i i
eresso --! :
(lucir Dos lancar suas vistas misericordio-
sas sobre este pobre Uratil!.....
Por decreto de 17 do corrente foi nomcado
P.l-n.du
da me un i
Nn da 21 parti pira Siiiti-ilathaiiin o \ i
por /'.- I/;.iiki. couduziudo .i sexto, batalli '
oacadores. deque hcemmandaig>o wncnie
coronel Favllla com 400 piafas, e val all esl i -
No dia 15, pelis 10 amela horas da niinhii
ende os Mangninlioi r Tuina, ao norte de i
port, avlstouo vapor de guerra Ingle W./ ra.
inie andava crinando, u.u briglie ao nordeste,
em distancia de 10 milhas, o/io corra aojonsn
da costa; e aproando para elle, esle, avistan
do tamben o vapor, orcou c procuvou a eo n i
e rncalho, por se ver com a passagc.n corla-
da, em locar onde o mar rebcnlava com mu.
n 1,'nva. O f/i/''r, no poilendo apprnxiniar-r
dille or demandar inqlts agoa, den fundo em
distancia de duis milhas, c dallando tres ejea
lores o mar maiidon-o abordar. Era um bn-
cne, di/, o Joniui do Cmmerro, de 2011 Ion' I I
das mais mi menos, que lesuppOe ser o li -
qne, sabido dcsie porto ba pomo mais de meses, .abordo d Africanos de lleneiiella. Da momento en. que
o briRi.eencall.ou ale que atin irini OS osci-
leres do //.;./< dccorrla-uiel. hora: duranti-
esse lempo descn.barcoii toda a iripol........
bem como nos fo Africanos, a n.a.or p.in-
dos quaes canl.oua Ierra a nado. Qnando el.
-nan, ,s escleles l.avia a bordo ,U.e;:.o
Desle rdra'iil H-ansporlados pira o Hgilra.U. .
Melte.ido-se I nolte, crescendo o mar e aniea-
caiido borrasca, resolveu o .-ommi.idn.te .1.
mira mandar rocolber os-escalercn e retir...
o vapor do lugar pouco sf-iuo em que eslaya,
abandonandl assim uftsM Mric.nos que ai.,
da r.eara... a bordo do brtgue, e que por sen.
duvida serian, desembarcados no di i legu.n.e
.. NobrigUO nflo siencont aram P'|''-
l) rante a caca deu-llin o ligara muilos ti-
ros de peca para o razer atravess .r ; mas u
guariiicflo fez pouco caso do logo, o. Como
diessmos. conseguiu encalhar. Q mu lo os
mcaleres do llydra traesram aa brigue, li-
zeram-llio de trra algn rbgo.de fnzilaria,
de que rostillou ficarem fondos levemeulo
0 immediato do vapor o um Arncam., e con-
lusos dous marinheiros.
, ( ligara regressou ante-hoiitem I.'
n esle porlo o baldeou os AWcano para
bordo do deposito Crescent, don le segui-
rflo para Demcrara.
0avalenta ho snmproo mesmo ; ja se w
queosamaveis Ingleses por maneira algu-
ma reconhecem a nossa soberana nos nos-
sos ...ares terrtoriacs. Nula quero dlZOT u
respolto para que s<; nflo snpponba que seu
inclinado ao trafico de Atrio inos.eu que mu
nflo acho ligado ello por nteressee qoaes-
quor- pelo contrario rovollo-me contra os
conlral.iin.listasqiie.aopassoquootr.i'isgr.--
dem as leis do paiz. abren eeflWjho a qj e
snITramos todos esses insultos... mas leniio
coragflo brasileiro, detesto o comprtame
to dos Ingleses.
O Franco do Sa foi como se espera ftb-
solvido.
dem, :tl dtoulubro.
libas chavo da abobada do edificio curo- ^"jjVinTsMCflo passasse para'as'mflosdos
,.eu, e abra para si proprio om immenso |s osrUnccionarios pblicos senam
futuro do gloria. Este fu uro e1 le o fecha ,, porque ser.am submett -
boje. Aquellesque "em |sido tentados de uma rcgPo.isabilidado quo nflo pode
cre.r nos deslinos de Mr. -' B""""1"- ser imposla a cccles.asticos.
o que ten. esperado Je^'W tf0 i ,v adopSflo do cod.go Napoleflo extin-
,ul da 1'ra.ica e da soc edade. 'cam a|10minavel inquisiefio. earrastra-
quo agora Memos: Renuncien, a esto o"^' ao de todos 03iribunaes ecelc-
sonbo .' .. siasticos quo exercem jurisdiceflo criminal.
O quo ha na carta dopro sidentedeta ^'^ lres rerrnaSi a quarta, a qual
da doEl.scu, masque paree ter s ido es ^m l.berul do governo,
cripta en. Slr.burgo ou cu^ <'"". .ol^^ assss ndifTerente.
r^'R^ Asfrmasde governo sao eslabelec"
presidente do supremo tribunal de justica, por
espaco de tres anuos, o concelheiro Francisco
de Paula Duarle ; c foi ..orneado uiembro do
mesmo tribunal o desembargado.- Candido de
Ara.ijo V.anna, senador c ex-mioistro do impe-
rio oo gabinete de W de ...arco de 1841.
Km dala de 15 do corrente foi nomeado o
concelheiro monsenhor Manocl Joaqun, da
Sitvcira inspector da imperial capella efabri-
queiro d cathcdral do bispado do llio-de-Ja-
ueiro, concedendo-sea dc.uisso que dos mei-
.nos cargos pedio o eonego Franc.co dos san-
ios Miranda.
Km officio de 13, respondendo ihcsourar.a
de Pernan.buco, declara o ministro da fa/enda
que. conforme o aviso da secretarla da jusl.ca
de 9,os vigarios ficraes deven perceber os seus
venci.nenios pelos cofres provioc.aes, porque
mipdem se'r considerados membros da oa-
ll.edrae, cuja despea, be... como a dos paro-
nos, smenle he fei.a. cuta dos cofres ge-
racs Lamento que as provincias, que estive-
rem em tal c.o, caneguein com mais essa
Nao soi so terei do remelter esta e a que
aciiia (lea pelo Imperatriz que sabe amu-
nl.fla domadrngsda, ou b*lo 0.-\ffonio que
tambem deve s.l.ir imanh.m conduz.ndo
tropa para essa provincia Asultimisnn-
liei'is que d.l.i livcmos (pformar n nis dn
que he ocoorrido. Di.s antes liavi.i \>\iw-
cado o Jornal da Coitmtreio urna culi Irati-
d'a dnssa cidade pola barca Kitt, (lile, fallan-
do da prisflo de llernardo lose da Cn nar*
edaresoluoflodo presidenlo do mulliros
presos para Fernando, dizia que havia sido
descooerto um plano de novamente suble-
vara provincia ; em viitudo do qual P;dro
Ivo ilevia daitar as mallas, simulan lo um
ataque cidade. alim de que, sal.indo as
forcas quo abiseacham para bate-lojora,
licasso a capital desguarnecida ; o enlao se-
riam incendiadas algumas boticas, e corla
da a ponte do Recife alim dn ficar esle bair-
ro separado dos oulros e nflo" poder sor por
esles soccorrido, etc., etc. Posto a mesnia
carta assegurasse que com a dcscoberta do
plano -abortan elle pelas providencias ti
precaiKdcs tomadas, ho cerlo que urna 1al
noticia causn grande sonsneflo o sorpreza :
entretanto, com a chegada do paquete, lica-
mos interados do que ha de real e verda-
dero. Parece impossivel que depois de lu-
do, depois mesmo que a aulondade te-
nlnfeilo tantas coneessies conciatorias,
anda haja cabeca que pens om prolon
gar a Iota para derramar-so mais san-
gue Assim o qocrem assim o lerOo : o
governo empregarameios promptos e deci-
sivos que puro un termo a ludo isso : as
cousas nflo poden continuar assim.
Ha dous dias largaran desle porlo os va-
pores l'rania e U.-l'edro parees sa provincia,
indo um en direitura para ah estacionar,
e outro com escala pela Rabia, levando ol-
lieinse despachos do govoruo.
Os presidentes do Maranhflo eTicrgipo es-
to demettidos ; para aquella provincia loi


F-
'i-^^..'*v-'v,-?. :... :.:-::.: atumMMMB
'*
Horneado n secretario da inesidcuci:i di<
IVriiariibuco Honorio Pereira de Azeredo
Coi.linho, parasegunda a AmancioJoflo
Pereira do Andrade, ex-deputdo pela I!i-
hia lias legislaturas de 184S i8<5.
Por decreto d 25 do correle fdram no-
in"aitos os barbareis Joflo do Carvalho Fer-
nn les juiz municipal do termo do Prin-
cipe-Imperial da provincia de Piauhv;
Constancio Cracindo do Sonta Brilo juii
municipal deJagiiBripn na Rabia ; Manonl
le Jsus Araujo, commandante superior da
villa da Punilcaplo e Paira, da Bahia, son-
do demittindo denlo posto Francisco ile Ca-
rillo Morotova ; Joaquim de Sa Cavaleanlc
de Allinquerque ajudante de ordens do
commbndo superior de Olinda c Iguarass.
Por decreto de 26 foi nomeado Joflo Itaitis-
ta Teixeirs Cnvalcante cscriv.no do orphflos
de Iguarass.
As noticias que temos de Minas c S.-Paulo
nada adiantam de interesso. Na capital da
prirhein liavia sido installada no dia 7 do
conenle urna sociedade intitulada Defen-
sora do systema monnrehico constitucional
e protectora dos direitos civis e polticos
do cidadfio, sendo eleito presidente o con-
celheiro Ando, secretario o ex-depulado
Millo tranco, e lliesoureiro un talSr. C.
A. da Gama.
Pelo vapor S.-Soboslio, entrado a 24 do
sul, tivemoi dalas de Porlo-Alegre at 13,
do Rio-GrandeM 17, cdoSniia-Calharna
at 20 do crrenle. Na la liavia occorrido
de novo, lm de um atlentado rommeltido
por nm escravo de um habitante de Pellas
A esse sespeilo diz o Rio Gnniemt de 21 do
passido:
Antes de liotem na cidade de Pelo-
las foi mortalmente ferido por um seu
escravo O Sr. D. Manoel Montano. AOS ge-
midos que a viclima soltava acudi a mi-
seranda esposa seguida de um escravo, que
fnram igualmente atacados pelo assassino
Felizmente una criada salvou milagrosa-
mente a fllha do Sr. Montano, quesemdu-
vid lora tamliein immolada ao furor do ga-
nliudo escravo a nflo ser esta rasualidade.
assassino foi immediatamente preso.
llontem pela barca llraiileira vieram no-
ticias de Pelotas, pelas quaesse deprehon-
de que do Sr. Montano lia eiguma esperan-
cade reslabeleci ment o que infelizmen-
te nilo acontece sua senhura cujas ferias
SO niais pengosas.
No da 8 do crrante rounio-se o jury e o
assassino foi coiidemnado pena ultima.
chelo do polica cuntinuava em indaga-
rles e pesquisas a respeilo dos quarcnla c
01(0 COnlOS cobrados a alfandeya por urna
ordeni falsa, e o lenle Pupe era conserva-
do nconunuiiicavel a bordo de um dos va-
sos do guerra.
ri Sr. doutor Jos Nicolao Rcgueira Os-
la foi nomeado juiz dediroilo da-nitmrca
le Garanhuns, e sri substituido na va/*
do o plifcs (leste termo pelo Sr. doutor
Antonio Gonlho de S e Allniqncr.jtio.
II via dalas do Porto-Alegre al 13 do pas-
sado e d'Sanlii-Catliarim al 2K. lista pro-
vincia e a de Sa:1- Pedro tiniam licjdo tran-
quillas.
Segundo o corrcio de Porto-Alegre, eis 0
resultado da votarlo de todos os collegios
para depulados assembla gcral:
os sas. VOTOS.
Pedro Rodrigues F. Gliaves 049
J. Evangelista do Negreiros Sayflo I. 247
J. M. da Cruz Jubini 20
l.uiz A L. de Olivcira Bello 2:11
Joaquim J. da Cruz Secco 225
Israel Ro frigues Bircellos 151
Jos de Paiva de Magalhflcs Calvel 135
l.uiz ile Freitas e Castro 127
Francisco Carlos de Araujo Itrusque 121
Jos Affonso Poreira 101
Os estractos.de duas carias particulares,
que abaixo vamos transcrevef, nos parece-
rom curiosos:
llrag, 1C de setembro.
Inda hirsuto dos que, j omnmodo,
Qual bruxnlcantc luz do sauluarlo.
Volva j sem 1." *;.", j.i Cao lnguido.
G0111 a magno da vrgem abracado !
Mi. inni pcito em lagrimas afoga...
Corre, pranto tneu, corre abundante '.
F. l, oh mru amigo, l dos coa,
I) indulto das culpas irrchendo,
De que nenliiiin mortal sedit sent,
llecebc o tenue feudo que le paga
i,)uem semprc le vutou fida ainizadc 1
Quandn o sino funreo convidar
O 1 I11 i-Luis a orar pelos tinados,. .
Eu ireisubir a tua sepultura
Depor fnebre c-ra de cypreste,
Mantuda em ininhas lagrimas '
i; c 11, l junto a Dos, junto a leu pai,
Ora pelo amigo,
Krrante neste valle d'ainarguras,
ijiul 1110x11 solitario pela nave
D'espacosn templo !
de novenibro de 1819.
Pouco iidiaiilain as noticias que por via
do Rio-Grande temos do Rio-da-Praia. A
guerra do Paraguay nflo aprsenla ainda
urna ace decisiva. Como o ve rao no Jor-
niil-do-Crmmcrcio tcem liavidojalguns en-
contros parciaes entre as guardas ayanca-
das, sendo sempre o resultado favoravel
a os Paraguayos.
O cambio sobre Londres csl a 27 l|2e
27 ;t|l, e lia espeancusdequesubu a 28,
Ale hontem reudeu a all'andcgadu coi lo
845:548,566 ris.
ALAGOAS.
Estrado do expediente iio Exm. Sr. presiden-
te Dr. os liento da Cunha e tigueirc.do.
27 DE SETEMBRO.
Ollicio. Ao agente das barcas de vapor,
para que mande dar transporte para a corte,no
jo inieiio vapor que vicr do norle, ao Exm, cx-
prcsidenle desta provincia coronel Antonio Ru-
es de / guiar c ao seu criado.
Hito. Ao Dr. ebefe de polica, declarndo-
le rm resposta aos seus oflicios datados de
hornean c boje, que frain dadas as providen-
clai que solicitou sobre o faci eccorrido na
.-.idcia, c Iransferencia de ordenanza do sub-
delegado do Poja para o de Jaragu.
Dito. Ao capillo do porto, coiiiniuiiican-
du-llie para seu conlieciiucnto que vista do
miaun ni<> que envin e do que reprsenla a
thesourai ia de faieuda nao he possircI fa/.cr-se
a despeu cun o forro da calraia e lancha de
Boccorro, pela insulticiencia daqoota destina-
da _p.-n-.-i o arsenal nesta provincia, a qual he de
DilO. A cmara do Penedo. Sendo-mc
peseme pela IbeiourarU provincial, que cssa
Limara mal eiilendendn as suns anilum ,. no
tocaote designacao dos limites do dislricto
coi que devem os predios urbanos pagar a ta-
*a da dcima, lein-se julgado COm o dircilo de
conceder isenco a algumas casas, (pie alias
-se achain i-iii-r.iv ul.is na povoaro da cidade,
oo dentro dos limites da dcima, lenho a deca,
rar a \ mes. que, platicando por tal forma, ex-
oi blUui de mus l u-iild ule-. pnrquanto, tm vis-
l. iloiegulainento imperial de 16de abril de
1842, smente compele ;i inuuicipalidade de-
signar os limites da cidade ou povoaro subid-
la a dcima, e nunca iscnlar esta ou aquel-
la propriedade queesliver cooiprcheiidida den-
tro de laes limites, como he Mein expresso no
artigo 3.* da Ici provincial de 7 de feverelro
de 1837. F, portanto, ordeno-lites mu .msiti-
vameiite nao continulo em femclhaiile abuso,
sob pena de seren chamados responsabilida-
ile no primelro caso de reincidencia.
Dito. -- Ao inspector da lliesouraria provin-
cia reiiirticndo-ll.c por copia a providencia
dada sobre o que representa em seo ollicio de
III que ordcueao agente das rendas provincia
da cidade do Penedo que faca ellceliva a co-
branca do imposlo da dcima das casas de que
falla no seu ollieio, e das que livcicm sido ni-
dendaiiicnle iscntat dessa laxa.
n Chegaram bonlcm do Misoes os que
frsm acompanlmr o encuregado de nego-
cios do Paraguay junto ao governo imperial
c dito a noticia decstarem na provincia de
Corrientes, no lugar denomina lo Tranquil-
ra, 5,000 Paraguayos, commandados pelo
general Lopes, lillio do presidente, e tjun o
grosso do exercito, composto do mais io,noo
iiouiens, eslava no llapua, fronteira d'aquul-
la repblica ; e que, leudo o governador de
Corrientes reinado lodos os gados e ani-
maos esvallares, >or Ihe terein dado a isso
logaros Paraguayos da vanguarda que silo
aquellos 5,001), se tem visto solados, a pon-
to ilo passarem c Uruguay enviados o virem
tralar gado para muuicio, o que effeclU'i-
ram 0(im o coionel I.oureiro, que llieslein
vendido tropas, os novilhosii l|2 palac/tes
e as vacas a 3 ; o lamliem co nprarain 1,000
rav.illos a T. patacOes para remoiila da Ul
divisQo da vanguarda, pan qnem igual-
mente lie o gado paiu municio, porqui o
exercito suppre-se da sua repblica.
Frqui.sa licava na divisa da provincia de
Elllre-Rios co:n Corrientes, organisando o
exercito, em bieve saliremos do resellado do avan-
ce dos Paraguayos, que ha quem prognos-
tique a favor de Irquisa, se aquellas so nilo
retirsrem a teuipoa leunn-se com o grosso
do exercito.
'> Aqui da eampanlia slheposso noli-
ciar que, leudo ha dias bavido unas car-
reiras na frequezia de Santa-Auna uo I.i-
vramento, suscilou-se [or motivo de urna
csrreira la I* disputo, que chegou a usai-sc
le armas, a ponto deOcarem tresbomens
morios, e sabiieo viole c lanos feridos ;
sendo preciso coilduzircin-se doZO para suas
casas em caricias, por uo podiom ir de
oulra forma.
BA1.ANCO DA RfiCF.ITA Iv DESPKZA DOS
KSTAIJKI.EGIMIC.MOS DK CABIDADE, VF.-
RIFIGADO NO MEZ DE OUTHItG DE
18*9.
Rtceila.
decebido da lliesouraria da fa-
zenda provincial, importancia
das quolas votadas na lei n.
2tl, vencid'S de jtilbo a setem-
bro p. passado. A saber :
Grande hospital 9500,000
Hospital dos lazaros 1:000,000
Cssa dos exooslos 875,000
Casas do albergaras 500,000
dem por sal lo das quolas vola-
das na lei n. 2.'s a saber :
Casas de albergaras 1:000,000
Reedifica cao dos predios 2:500,000
Hospital Pedro II. 2:500,000
Do lllm. Sr, Domingos Alfonso
Nery Feneira, lliesoureiro da
adfflfnistracflo do patrimonio
dos orplifios, importancia do
trimestre do segundo andar da
casa d? rui da Aurora, em que
osla o collegio das orpliilas,
vencido em 15 de agosto ul-
t i nio 137,500
Do procurador da adminislrscSo,
importancia do rendirrienlo
dos predios, arrecadado nesle
mez
Transpone
a Janeiro do corrcnle
anno 870,867
Abalimento do pre-
mio vencido e 10
"|. no principal 87,086 18
Ao dito.impoilancia do pHo
o bolacha fornecido aos
mesiiios estabelecimen->
los em agosto e setembro
prximo passado
Pagos ao Dr. Pedro de
Athyde l.obo Moscoso,
importancia do seu or-
denado que venecu em
o mez de julho p. p. co-
mo segundo medico dos
esltbelccimentos decari-
dade
l!l
12 113,159
783,78
378,185
H
Letris existentes
33,333
13:308,458
2:95*,9t5
16:263,403
Adminislraclo geral dos estabeleeimen-
tos de caridaiie, 31 de oulubro do 1849.
Jos Pire Ferreira,
Thesoureiro.
i4fono Jote Gomes do Correio,
Escrivilo,
M A t* 1* A do movimenlo do* rsta-
hclexlmenioH de carida-
denomez de owtubro de
18 41).
os sens
curso.
documentos 8 dias antes do
een-
(rantle hospital
DOENTES.
DM110 UE PIRNalBUCV.
nicire, s de srovEaiBito de is9
Chegou boje a este porlo, procedente
do sul, o vapor D.-Jffono, trazendo o se-
gundo batalhao de fuzileiios, forte dn 41:1
pracas, o sdb o colmando do coronel Muni/.
'lavares.
Comquanto este vapor tivesse sahido do
Itio-de-Janeirono mestrio dia que o da car-
reir, todava Irouxe-ns jornses d'ahi que
nlcancam a I do crrente, tiem como a car-
ta oo nosso correspondente da corle, que
os leitores tcrSo vislo sb a competente ru-
linca.
A 2 deviam reuuir-se os collegios eleito-
raes afim de procederem a eleiciodos mera
brosdaassembladaquclla provincia, que
tem de fungcionar as sessOes de 1850 a
1851.
(i Sr. juiz de direilo Jo3o Querino Rodri-
gues da S*H foi removido da comarca de
' .ai antiutis para a do Ip.
ii Rio-Grande do sul, 17 de oulubro.
....O que tem oreorrido pela campanil
e o resultado das eleieOes ver dos jornaes
que remello : vai ludo muilo favoravel ao
governo tem lerhsvido baiulhos, nem vio-
lencias. A respeilo do roulio de i/varrnia e
oitocontns, que levo logar na tlfandega em
principios de Janeiro d'esteannn, eso des-
COborlo rnuitos mOZCSdOpoiS apezar do avi-
sos que fisura o inspector da alfundega pre-
sidencia lliesouraria, s posso dizer-lhc
que o individuo contra quem recaben as
aecusacoes foi preso pelo ehefe de 'policia
Sayflo, e se cha incoinmuiiieavel a bordo
do patacho Desterra, surto n'csle porto. Ivii
coiisequencia breve sera deslindado o en-
redo, deque, com senliinenlo gcral, j fe
Victima o inspector da alfan lega, suspenso
pelo Sr. presidente da provincia desde \-2
de setembro; mas ainda nflo Ihe instaura-
ra m procasso, lalvez por nflo acharem pun-
ta por ond Ihe peguem porquanlo o8r.
Freitas, empregado anligo c de probidade,
homem de pundunoro chefede numerosa
familia, nflo seria capaz de conimetter urna
areflo que viria manchnr a longa cirrcira
que al agora tem peicorrdo com honra e
prestunrr. He pobre Da verdade, mas be
homem de probidade, o lodos por tal o re-
condecoro. Que houve urna ludroeira esta
fra de duvida, agora s resla saber quem
foi o autor, e islo s se consegiiii depoifl do
minuciosas pesquizas: o vodo myslcrio
j se vai levanta ido com prlsflodo tenan-
te Pope. ..Un provavol queporahi appare-
cam aecusacoes contra o Sr. Freitas, mas
tambcni he certo que, sendo o Exm. Si
Torres um homem justiceiro, se nflo de-
cidir sciio vista de provas ; o para ellas
appullamos, poisqile, pelas particularida-
des que sabemos, sao ollas em aliono do
Sr. Freitas. Por aqui lem-SB espalhidoa
noticia de estar demitlido o inspector da al-
fandega, mas estou certo deque nffopassa
de bous desejos dos prelondciiles ao cm-
prego........
Accusando gazetas de Montevideo ole 18
e de Uuenos-Ayres at 14 do passado, o Dia
rio do A<0 diz quenada encontira nellas
digno de especial meneflo, e noticia que o
governo de Buenos-Avies contiuuava a pre-
parar frcas para bater os Paraguayos.
Ful)!i I.i-has que existiera em 30 de
setembro
Saldo a favor do lliesoureiro
600,000
11:612,500
2:954,945
1:695,958
16:263,403
Exist a va
Entra ram
Safliram.
Morrcram
Existem.
.......t .
Curados......
Melhorados. ...
Nflo curados. .
as 24 h. d'enlrada
Dcpois dessa poca
33
15
9
6
o

6
H
L>1
9
i
1
1
3
-'3
3
_'t
II
7
0
I
9
50
Hospital dos lazaros.
DOENTES.
Despez.
nobre otumnld do dign ex-elrm*
Clo ajndante do segundo hntn-
llulo de ciiciulorrs de linlm 3-'ti-
bioJtone da tonta Murros.
Ollcrecida a illma. Sra. I). Francisca Xavier da
Assunipcao Mendouca, sua presada mal.
Por um mu prente e amigo.
Qual llar qur, reclinada boira d'agoa
Hi lleeie ufana e billa o vico seu,
K dcpois, feneceodo premutura.
Se confunde na lmpida crreme,
i.in'iini (lia antes douiloava bella !.,..
A-silil O llleu amigo, espe .iiii u-,n,
Juvcn, rico de espirito e (juir
II.i patria sua um dia bello innato ;
Que forte, prasenleiio i- jovial,
l'romctlia una vida dilatada
Ao amigo, chara ini, aos seus prenles,
Aos companhf Iros d'aroias c fadigas,
M cu i <-ii.... liuou seus dias,
Transpoz os umbracs da cicriiid&dc '.
Corre, pranto meo, corre abundante
obrea louzaque encobre o meu amigo.1...
Mi ii pcito arfa de opprcssu,... p cora9ao
lie ueiro, he todo lucio, c o meu auiigo
Nem aequar um olhar vol?er-me pode,
Por saldo em 30 do passado
Pagos aos empregads dos
eslabelecimentos de ca-
ridadese,us ordenados do
julho n setembro p, p. 1
Ao reverendo regento do
grande hospital pelas
despezas do mez de se-
tembro 2
Ao dilo da casa dos expos-
los 3
dem, jornal da cozinheira
vencido em dito mez 4
Idcm, conla do enrlioeul
da exposla Francisca de
Paula 5
dem, .1 Mima Mara 6
dem, Paula Mura do Ro-
za rio 7
Aos cufermpiros o serven-
tes do grande hnspilal,
seus ordenados vencidos
em setembro 8
Ao legenle do hospital los
lazaros, despeza de se-
tembro dito 9
Aos enfermemos, cozinhej-
ro e servente do hospital
ilos lazaros,seus ordena-
dos do agoslo o setembro 10
A Jos l.uiz Pereira por
duas machinas para fa-
zer calea casa dos ex-
postos 11
A Antonio Jos Vicente de
Motila ex-procurodor dos
cslahelecimenlos de ca-
ridade 12
A l.uiz .Manuel Rodrigues
Valonea, importancia de
pao o bolacha fornecido
aos ililos esliibelecimen-
tos de 1 de abril a 30 de
junlio de 1818 (92,999
Abalimento do pre-
mio o.K) por *|0 uo
principal 49,29:2 13
Pagos a Manoel Jos Flix
da Roza, importancia
dos gneros que foroeceu
aos eslabelecimentos du
candado de 1 de julho a
31 de dozembro prximo
passado 2:483,613
Abalimento do
premio venci-
do o 10 |u no
principal 248,364 14
A Jnflo dcSoum,por drogas
que forneceu para a bdi-
ca do mesmo cstabolefi-
mento de 20 do Janeiro
de 1848 a t5 do abril do
crrente anno 1:356,080
Abalimento do 10
|. 135,608 15
A Francisco Carneiro da
Silva,itoporlanca de car-
ne verde que forneeeuaos
mismos e.slal.elecinieii-
tos de 25 do julho a 16 de
dezumbro p.p. 1:208,350
Abalimeulo do
premio venci-
cido o l6|0 uo
principal 120,835 16
A 74 amas da casa dos ex-
poslos, que comparece-
r a ni ao pagamento, suas
mensa lidades vencidas
al setembro p. p. 17
A Manuel Antonio de Jess,
impoiUnca de pflo c bo-
lacha que forneceu aos
esia iieieeimciitos do cari-
dado de. oulubio de 1848
3:433,101
1:298,055
520,080
265,790
12,500
109,010
111,760
111,040
41,000
225,530
89,000
___;----------------------1________!_
Existiam........
Entrnram........
Curados. .
Melhorados .
Nao curados.
Morreram........
Existem.........
IB
w O
c c
8 a
S c
o 3
sj
20 11
9 0
0 0
0 0
0 0
0 0
22 11
31
2
0
0
0
0
33
Las;i dos expo.stus.
EXPOSTOS.
Existiam ............
Entraran ...........
Sahiram.............
| as 24 ii. d'enlrada
I Dcpois d'esta poca
OOII I.1III
Existem
Sexos.
107
s>
0
0
o
109
Secretaria do lyrou, 3 de nevombro n
1849 Jannarit) Alexandrino da Ailva Rabel.
o Caneca, professor de desenlio e seere
tario.
Peranto o Dr. juiz dos fritos da fazen-
da, na ru do Hospicio, se hilo de arrerhnSr
em ultima praca, boje, 9 do corrcnle, j,
4 horas da tarde, os bous seguales :
A renda annual da loja do sobrado ds ru,
da Penha, n. 1, avaliada por oilenta o qu:-.-
tro mil is. e penhorada aos berdeirss rje
Jos Mauricio de Oliveira Maciel.
Urna impeusa de imprensar |algodflo enm
os seus pertenecs, avaliada em 80,000 rs. rj
penhorada a Antonio Jos Pereira de Mcn-
donca .
A renda mensal da casa terrea d roa da
Calcada, n. 17, avaliada em 3 009 rs epe.
nhorada a irmandade do Sr. dos Mar'(yro<,
na igreja do llozario.
Urna escrivaninha demadeira d'olto, |.
vahada por 10,000 rs. 6 cadeirasdo made-
ra do> Porlo com assentos de palhinha, an-
uidas por 12,000 rs. ; um pequeo guarda-
roupa de amanillo, por 7,000 rs. ;. un par
de mangas de vidro lisas, por 5,000 : ludo
penhorado a Caetsno de Assis Campos Cos-
dem.
A renda annual da metade ds casa terrea
da ra das Cryzes, n. 19, avaliada por
60,000 rs., e penhorada a yiuva de Joflo da
Silva Sanios.
Seis cadeiras de madeira d'oleo com as-
sentos de palhinha, em mo estado, por
2,000 rs.; um banco tambem em m esta-
do, por 160 rs. ; duas mezas vellms, por
2,000 rs.: ludo penhorado a Innocencio da
Cunha Goianna.
Urna cscrava de nome Francisca, de 30
annos de idado pouco mais ou mellos, ava-
liada em 400,000 rs.; outra dita Ulna da
mesini, de dous anuos pouco mais ou me-
nos, avaliada em 100,000 rs.: ambas penho-
rudas a JoSo ilaplisla Pereira l.obo.
Um balco de acouguo, por 7,000 rs ; uini
balanza com pesos de urna a 8 libras, por
6,000 rs. ; um maxado, por 2,000 rs. ; um
cepo para corlar carne, por 5,000 rs. : ludo
penhorado a Manoel Connives Silvina.
A renda annual da casa de Sobrado e so-
Ifloda ra du Seozalla-.Nova, n 21 avalia-
da em 70,000 rs e penhorada a Feliz Es-
teres Viauntr.
O solicitador interino da fazenda nacio-
nal, Antonio Jos de Oliveira e Miranda.
Coiiipaiiliia de Beberibe.
O cnixa da companhia de lleberibe se
arha aulorisadoa pagar o lerceiro dividen-
do. Denle, 9 de novembru do 1*49.-0
secretario, //. J. Fernandu llanos.
Avisos martimos.
138
5
0
0
3
140
245
7
0
O
3
219
Administrsc&o 'geral dos cstabeleeimeu-
los dec.iridade, 31 de oulubro de 1849.
O escrivflo, Antonio Jos Gomes do Correio.
f
5,400
30,5.4
443,637
AI.FANDECA.
Rendimenlo do dia 8.....3:800,314
CONSULADO GERAL.
Rendimenlo do dia 8..... 137,910
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 8..... 574,018
RI0-DE-JANEIRO.
CAUnlOS NO OA 31 DE i.l ril.no.
Cambios sobre Londres 27 1;Ja?7 3i4
ii Pars. 348 a 346
" ii llainburgo 045 a G4ll
Metaes. Oneaabespauhoias 30nno a30f.i00
da patria. 29^000 a >9300
Pecas de 6/400, vclhas. 17/600 a I7J800
Pesos hcspanlics. 1/960 a 2/000
da patria 1/920
Palaces .... 1/920
Apolicei de 6 por cento 87 3j4 a 88 1;4
> provinciacs ... 88
(Jornal do t'ommercio.)
2:235,279
1:220,472
1:087,515
870,406
12:113,159
ovimento do 'orto.
Navios entrados no dia 8.
Malaga 45 dias, sumaca hespanhola Ro-
tnano, de 19S toneladas, capiflo Thomas
Oliver, equipagem 10,carpa fruas, vinho
e mais gneros do par/ ; a Manuel Joa-
quim Ramos eSilva.
Rio-dc-Janciro (> dias, vapor de guerra
brasileiro I) -Sffonso, commandanleo ca-
piflo de fragata Jesuino I.aniego Cosa
Coiuluz 413 pravas do segundo hala-
lio de fuzileiros.
Liverpool 43 dias, galera inglcza Rafael,
de 330 toneladas, espitao \V. Itrowii, e-
quipagem 18. carga hiendas ; a Me. Cal
moni iv Companhia.
Cardiir48 dias, barca inglcza Quecn-lsle
de 296 toneladas, capiflo II.mn Dornu-
vi le, cquii ageii 12, carga carvflo de pe-
dra ; a Le Bretn Schramm. Vem ur-
riliado. Segua para Panam.
Navio sahido n mesmo dia.
Rio Crandcdosul Brigne brasileiro Prin-
cipe-Americano, capiflo Alexandre dos
Santos Oliveira, carga assucar e ugo'ar-
dente. Passsgeiro, Domingos das Neves
Teixeira llaslos, Brasileiro.
Declarayoes.
--OSr. director do lycu manda fazer pu-
blico quo, em cumprimcnlo onlem de
Exm Sr. presidente da provincia de 27 do
uulubro do crrenle anuo, a cadeira de pri-
meiraa I liras da cidade da Victoria para
o sexo femmino esta a concurso : as sb-
nhoras brasileiras que se quizerem oppr
a diia cadeira, deverflo comparecer na sa-
la do p lacio do governo da data deste a
60dias, remetiendo secretaria.do lyceul Oruz, n. IO. segundo Radar.
-- Para o Havre sahe, com a maior bre.
vidade possivel, a barca franceza Zilla, ca-
piflo Lemetlz : quom quizer carregar, ou
ir de passagein, para o que tem excedentes
commodos, dirija-se aos seus consignata-
rios, J. P. Adour & C. na ra da Cadeia,
u. 52.
Para a Rabia segu imprelrrivelmenle
no Sia l iD. conenle, com n carga que li-
ver a bordo, o patacho Santa-Cruz : para o
reslo da carga epassageiros trata-se ao la-
do do Corpo-Sauto, loja demussames, nu-
mero 25.
Para o Porto segoe, com loda a brevi-
dade possivel, o brigue porluguez \enlura-
Felit, forrado, pregado e encavilhado de co-
bre, do qual he capiflo Zcferino Ventura
dos Santos : leccbe carga a freto, para o que
trala-se com o consignatario. Joaquim Fer-
reira Mcndes Cuimarfles, na r,.a da Cruz,
n. 49, primeiro andar, ou coui o referido
capiflo, na praca do Commercio.
-- Segu jara listn, com a maior bre-
vidade possivel, obligue porluguezS.-Do-
mingos, forrado, pregado e encavilhado de
cobre, do qual be capiflo Manoel Concalves
Vianna : para oiga e passageiros ( aos que
offerecc exccllcnles commodos ) dirijam-se
ao consignatario, Joaquim Ifeneira Mendes
Guia aifles ua ra da Oruz. n. 49, primei-
ro miar, uu ao roferido capiflo, na praca
do Cuminercio.
Para o Aracaly partir imprelerivel-
mente no dia 26 do corrcnle, com a carga
quo tiver a bordo, o hiato Povo-Olinda,
mostr Antonio Josfj Vianna : quem nelle
pretender carregar ou ir de passagem, se
entender com o mesmo meslre, ou na rus
da Cadeia-Velha, n. 17, segundo andar.
Para o Aracaly sabe imprelerivelmen-
Icnt o dia 30 do correte, por (or a maior
parle da carga engajada, o hiato Flor-do-
Cururipe, de yrimeira marcha : para carga
epassageiros trata-se na roa do.Vigsrio,
n. 5.
Para o Rio-de-Janeiro segu crjm a
possivel brevidade o brigiie-escuna nacio-
nal Olinda : recebo carg a frote e passagei-
ros, para osquaes Icm oxreilentes commo-
dos : trala-se com Machado & Pinhciro, na
roa do Vigario, n. 19, segundo andar, ou
com o capiflo Manoel Marciauno Ferreiri.
--Para i .Mai i saln no dia 28 do corre-
le a barca portogueza Ligeira, capiflo An-
tonio Joaquim Rodrigues : para o resto da
carga e passaguiros lrnta-se com o mesmo
capiflo, ou com F. S. Rabello & Filho. '
Leilao.
Kalkinniin Irinaos furSo lei
Ifio, \)o intervenco do correlor
Oliveira, sexta-letra, 9 ilo corrcn-
le, de um# explendida mobilia,
consistindo em inarqueins, mesas
de lodas as qu ililades, ricos Cspe-
llios, toucadores, cominodia, |a
vatorios, cadeiras de palhinha e
de halanCo, ele etc. ; assini co-
mo lambem se vendero un mag-
nifico piano de jacara.xd e outro
de me o uso, alguns appareHios de
vidro de cores muilo lindos, ro-
pos inon.stros par-a champanha, c
o n I ras Viii-iedades de vidros c de
maruiorc : na
sua casa, ra da
. -.*



Avisos diversos.
O BKUA-II.OH.
Sal o o 5.' numero com o retrato do
il/sembargador Joaquim Nunes Machado or
linu gravura e o comego da hiographia des-
so p,rnambueano : acita-so a venda nos
locares do costume.
Sn. Vedaclorei. Sabio boje om o sen
pitirfd nm annuncio relativamente ao Sr.
])r. Lourengo Itazerra Carnciro da Cunta,
alienado por mim, que so lig'irei nelle co-
nl0 "imples assignante do Diario c nao co-
mo autor do dito annnucio.: portanlo, pe--
co-lbes que desfagara semelhanle engao
que redunda toda em prejuizo meu. Iteci-
le 8 de novembrer de 189. 0 bachnrel,
' JoSo Litu Camlcanle de Albuquerque.
.-Oabaixo assignado avisa ao *nr. Dr.
lourenco Bezerra Carneiro da Cimba, que,
dentro do prazo de 60 das da dala doste,
tenha a bondade de ir levantar a hypothe-
ra em urna parle do engenho Ramos, per-
lencente aoabaixo assignado, a qual tendo
hypolhreado, vendeu depois ao abaixo as-
signado ; e, para que nflo appareca depois
alguma duvida, por isso o mosmo abaixo
assignado faz o presente annuncio.
Jeronymo de AMuqnerque Mello.
-- 0 padre l.uiz Antonio Pe eir embarca
para o lio-Crande do .su! rom osen escravo
l.uiz. .
Hernardino.Teixeira de Araujo da Sil-
va Ferraz relira-se para Portugal.
.- O llores Guilhermc Luiz Itcrnard s,
tendo sido portador dealgumas cartas re-
medidas por seuscompunlieiros da villa de
Agoa-I'rel, previne s pessoas aquem f-
ram entregues, se dignem entregar a res-
posta no paleo do Cllegio, sobrado n. 9,
segundo andar, ou na luja do sobrado ama-
relio, boje mprclerivelmcnte: pedindo
deseulpa de nflo procurar pessoalmente em
rasflo dos muitos afazeres tendentes a ser-
vico
-- Precisa-sede urna prola quilandeira :
oas Cingo-Pontas, pailaria n. 154.
O Sr. Augusto Carlos de l.emos Pache-
roqueira mandar na ra d'Alegria, n. 34,
.i resposti de urna carta que se 1 he dirigi :
istoquanto antes.
Sociedade Harmnico
Theatlal.
O primeiro secretario avisa aos
Srs socios que os bilbetes para a
recita de lo do corrente mes se
distribucm no salao do tbeatro no
dia 9 das 3 horas da tarde em ti-
ante, e no da io at a o meio-dia,
em o qual se adiar reunida a di-
recrao para approvariio de con-
vidados.
N. B. O ingresso para os ga-
leras em as noites do espectculo
ser das sote horas e meia em di-
anlc, achando-se aherto o salao
desde s G horas.
Muitoso deseja fallar, na ra da Ca-
dc'ia iln i'.'ifi!, loja de cambio da Vinva &
Vieira lilhos, para negocio do muito inte-
resse, com nsSrs. Jos Ignacio de U. raes
Passos, Jos Antonio Coellio de Murelles,
Vicente Ferreira Fontes, Joflo Amando de
Souzi Itidim, JoSo Jos Rodrigues de Al-
meida Albuquerque, Francisco Ignacio Lo-
pes, Fr. Lourengo da Conceigilo e Silva,
JoSo da Silva. Joaquim Silverio da Silva,
Juaquim Teixeira Cordeiro, Jofio Ferreira
Campos, Angelo Custodio do Sacramento,
Francisco heofllo, Jos Bernardo da Costa,
Manncl Jos Coelho Barbosa, o Itvm. padre
Caetano Jos, Jo.to ArTonso, Antonio Jos
de Alranlan, M inocl de (iliveira Paz e Jos
Fernandos Brasil.
-- Candido Jos Das da Molla faz sciente
aorespeilavel publico, que elle lem aparta-
dos socirdaile que tinba.com scu irmflo
Francisco Jos Dias da Molla em urna venda,
sita na rua da Praia, n 42, licandoelle ati-
nunciante desodorado de pagar qualqurr
ronla que se Ihe quiira apresentar tendente
a dita sociedade e por isso faz o presente
annuncio. Itcife, 7 de nnveaibro de 1849
Roga-se ao Sr. Jos Romualdo da silva
une teniia a bondad.) do man hii entregar
as cliavesda casa que lem-oecupado na ru
daSoledade, e juntamente osalugueis que
est a dever, visto consoivar fechada dita
risa ha mais de um me, e iio sor possivel
rom dito Sr. encontrar-s.
Aula de tachigraphia.
O professor de tachigraphia, desejando
annuirao pedido de alguns de scus alum-
i ose de nutras pessoas, resolveu abrir em
sua cija, na ra Imperial, n 165, um cur-
so da referida arte a comecar no dia 19 do
rorrente niez c a (indar no dia 12 de feve-
reirodo anuo vindonro. As lices durarflo
ditas horas uleis lo.los os dias nfio foliados,
mediante a gralilicagiio do 10,000 rs. por
'''da alumno,. paga em duas prestarles,
sonetos primeira salisfeita no acto da ina-
t' icula, quo se arha abei ti desde hoje at o
dia 27 do crreme, o a segunda no fin do
primeiro mezdo ensino.
Ashoras'da aula serflo das 6 s x da lar-
de. Se, po:n, a inaioria dos alumnos re-
lainar que esta hora soja mudada, nao ha-
v'T.i nls duvida alguma.
Aluga-se una casa terrea ns rus do
l'adre-Florianiio, n. 41 : a tratar na ra
largado Rozario, n. 39, segundo andar.
Arrenda-se um sitio no principio da
estrada' nova da Passagem-da-Magdalena,
rom mais de com pos de larangeiras, man-
guciras, rajueiros, coqueiros e mais frutei-
1 s, cum boa agoa de beber : a casa tein 2
quarlos bislanle grandes, duas salas e co-
rintia: a tratar na ra do Passcio, n. 9, lo-
ja de Uzeadas.
-- Francisco Jos Dias da Molla faz scien-
to a lodos osseus credores que tein apar-
tado a ;ociedade qne tinba com seu irmilo,
Custodio Jos Dias da Molla, na venda da
ruadaPraia, n. 42, Qcando o onnuncienlc
olirigado a pegar na forma do costume al
data di-sie sob a sua lirma ISo smenle.
O abaixo assignado faz publico que a
m maguo da loja da casa terrea da ra do
Tueimado, n. 61, pertencenle ao proprieta-
vio da mesma casa, que consta de um bal-
v-Soedous liteiros em cima do oiesmo,
l'nsKlheiras deambosos lados e por baixo
armarios, o tocto todo forrado de madeira,
tres chaves de broca de segredo com seu
cajeado, ludo portcneenle ao abaixo as-
signndo, e o dito ihquilrno srt tcm fia cas
suas fazendas, e o.mesruoqunndn nellaen-
t ou passou urna clareza om como recebeu
a dita romean com os seus pertences, com
dta de primeiro de marco do 1846, que tu-
Jo pertence ao proprielario da casa : e para
que pesson alguma presento e futura se
chame a ignorancia e venha soflrer embar-
go ou penhora em sua armacSo, faz o pre-
sente annuncio. Jo$ Flix da Cruz Silva.
Jos Germano da Costa Martina deca
ra as pessoas que coslumam a co:nprar-lhe
gomma de tamaruna, quo de hoje em dian-
ii- arli ii'.'iu na ven la da praca da Boa-Vista,
no.correr da botica do Moreira, n. 26
-- Na ra da Cadeia-Velha, n. 41, primei-
ro andar, precisa-so de urna ama que cozi-
nhe e faca compras.
OSr. Claudino Jos dos Santos l.oal,
esludante em Olinda, lenba a bondade de
ir ou mandar pagar a quanlia que n3o ig-
nora, na na da Cadeia doltecife, n. 41, im-
portancia de roiipa que so Iho apromplou
para faznr aclo no anuo de 1818 ; pois deve-
se lembrarque houve muita presteza em se
fazer dita roupa, e al hoje se espera pela
satisfacSo dos feitios: permita que assim
se proceda, pois o Sr. he disto causador.
Precisa-se de um menino para apron-
der o oflicio Je latoeiro, o qual lenlia boa
conducta : na ra das Cruzes, n. 33, loja
de latoeiro.
Aluga-sc a loja de 3 portas do sobrado
da ra da Penha, n. 6, propria para venda,
ou outroqualquerestahelecimento: a tra-
tar na ra do Amorim, n. 15.
I'erdeu-se,Tiesta cidade, urna carta dj-
rgida ao lllm. Sr. commandanle superior
Manoel Thom do Jess, senhor do enge-
nho Noruega: quem a liver iichido, fecha-
da ou aberla, querendo restituida pode en-
tregar na casa n. 34, junto a igreja do Li-
vramento, que ser recompensado.
~ Trapassam-sc poraluguel ns eheves do
segundo andar do sobrado n. 18 do paleo
do Carmo : a tratar na praca do Cnrpo-
Sanlo. n. 2, ou na loja,, do mesmo sobrado,
com O'caixeiro do Sr. Burgos.
Muda-sea taberna da ra da Gloria,
n. 67, para a esquina da ra atrs da ma-
triz da Boa-Vista, ficando a amuelo pars
se vender : a casa tem com modos para fa-
milia : na ra do Cabug, n. 3, ou na casa
parode-meia a dita venda.
--Aluga-se, parasepassar a festa, urna
das methores casas do Caxanga, com estri-
bara e cocheira, por preco corrtmodo : n<
ra Nova, n. 63.
Precisa-sede ofliciaes demarecneiro,
e tamben de aprendi7es: na ra da Con-
cordia, tend grande de marcenera.
Precis3-se de um homem para foitor
de um pequeo sitio na Punle-de-l!chria,
que nao tenha familia c seja idoso :' na ra
do Hospicio, n. 13.
Os credores de Couto Viarina & Fllhn
teem autorisadoaos credores dos mesmo.-
Geo Kenworlhy k Componhia para vende-
re m a casa de sobrado na ra do Amorim,
n. 33, e metade da casa de sobrado da roa
da Cadeia-Velha do baiiro do Becife, u. 27,
dasquses j tomaram possa judicial, em vir-
lude do sentenca do adjudicarlo do juizo
compolente da segunda vara do civel desta
Cidade, alim de ser o seu producto rateiado
com lodos os ere lores : quem quizer com-
prar, pode entender-se com os supraditos
autonsados crodores Geo Kenworlhy & C
-- F. W. Smith retira-se para o Maanliflo.
l)flo-se 100,000 rs. a premio sobre po-
nhores de ouro ou boas tirinas : ha ra do
Rozaiioda Boa-Vista, n. 5, se dir quem da.
Precisa-se de um caixeiro que tenha
pralira de venda, e quo tenha boa conduc-
ta : no largo do l.ivramento, loja de calca-
do, ao pedo nicho
Na ra da Cruz, no Becife, n. 54, se
dir quem precisa de pretas todas as tar-
des para vendercm azeite de carrapato pa-
gando-sc-lhcs por vendngem 320 rs. a Ci-
nuda, sendo os senhores responsaveis por
qualquer falta.
0 Sr. Luiz Antonio Rodri-
gues Esteves queira dirigir-se
ra do Queimado, loja n. 7, a ne-
gocio de seu iuteresse.
Aluga-se por 12,000 rs. mensaes o so-
brado du um andar na ra Imperial, 11. 47 :
as chaves recebem-se na loja.
-- Precisa-se lugar urna prcta que saiba
andar na ra, engoinmar e lavar: na roa do
Rozaiio larga, 11. 48.
Negociam-se, por qualquei
quanlia, tres lettra's aceitas peh
hev. padre .Ambrozio liod
Machado e Silva, morador ulica-
mente na cidade de fioiauna, nc
gociuntu de gado no sertao para
esta praca, e hoje na sua fazeiidt
Lugeiro-de-Queixeramoliiin as
i|u 1 rse.sU"io vencidas e impart^m,
principal e juros, em 4:8oos'ooo :
a quemeonvier, dirija-seao Ater-
ro-da-Bo-Visti), n. 63, primeiro
andar.
Precisa-se de um ofTicial de barbeiro:
na praca da Independencia, n. 10, a tratar
com Joaquim Jos Moreira.
Precisa-se de um caixeiro que tenha
prlica do venda ed fiador sua conduc-
ta: paga-se bom ordenado agradando: a
tratar nos Quatro-Cantos da Ba-Vista,
venda 11. 95.
,Augusto Mangc retira-se para o Mara-
nhflo.
Sao convidados os raos
da irmandade do S. Sacramento
d freguezia de San-Jos para as-
sistirem a vespera, festa c 1e-
Deiim da festividade de N. S. do
Terco, no domingo, 11 do cor-
rente.
Precisa se de um caixeiro que tenha
pralica de venda e d fiador sua conduc-
ta : na 1 na de Hurtas, n. 88.
Sodedade Apolnea.
A commissflo administrativa anuncia
aos Srs. socios que lem marcado o da 17
do corrente para a partida do corrente mez,
e quo rece hora propostas para convidados
mesma al o dia 10; dvertindoque, pas-
'5
sado esto dia, nflo. admillira mais prnpnsla
alguma, seja por qualquer pretexto que
fr.
i
5 Para qfic.in precisar.
9 Manool Estevo do Nascimonto Quin-
ce teiro & Irmilo, com casa de armaroivs
na ra Nova, n. 63, acham-se agora
# mais que nunca, pelo sorliincnto e
1$ novos bornalos, hahilitidos a timar
Conta do qualquer armaQo de igreja,
>;: interro, ou outra qualquer cousa
& quo diz rospeito a sou ministerio,
#; porque teem armacao, cera,carros do
conduzir defunloseanjos, pret i-, l'n-
dados, e al incumbcm-se do por
^ msica o dar sipultura na igreja em
$ft que Ibes fr ordenado; portanlo,
i sendo um descanso completo para o
"# dono do interro o domis por um
*V; preco muito menor do que em ou-
j tra qualquer parle, deve por cotise-
4"' guinte serem preferidos.
iiHWimNtMIlitl
Furtaram do silio de Belm um caval-
linho pequeo, de cr rozilho-escura, com
a marca--S em leltra grande, rujo ca-
vallinho eslava em lugar trancado, o por
isso un resta duvida (er sido furtadn :
quem oapprehender dirija-se rua da Ca-
deia do Itecife, loja de calcado, n. 9, ou
rua da Senzalla-Nova, n. 30, que ser re-
compensado.
No bairro do Recife aluga-se metade
deum torceiro andar, sendo un$ grande
sala, alrova, quarto e um slito bastante
grande, com fogfo inglez, proprio para pe-
quea familia, 011 homem solleiro : ni rua
do Amorim, n 17, se dir quem aluga.
A Senhnra tintureira que morou na rua
Direlta, queira declarar onde mora para se
ir buscar urna manta que recebeu para un-
gir.
Quem precisar de um bom fornciro, di-
rija-se rua larga do Rozario, n. 29.
A pessoa que iuteressa] fallar a Jnlto
F.vangelisla Kstevflo, ou pessoa por elle,
dir'ja-se rua'Oireita, n. 14.
No dia 10 do corrente, porta do Sr. Dr.
juiz do civel da segn la vara, se ha de ar-
rematar urna casa terrea na rua deS.-Jos,
n. 3t, pelas 4 horas da tarde : quem a pre-
tender comparece que lio a ultima praca.
Arrenda-se, vende-se, ou permuta-s
una boa rusa terrea com sntao o mirante,
na rua da Boa-llora, em Olinda: quem a
pretender, do qualquer forma, iutoiida-se
com o seu proprielario, Jos Antonio C01-
reia Jnior, na ruada Concordia, quaita
casa, esquerda, passamio a pouleiinlia.
D-sa pilo de vendagem, ofTi'recondo-
se mcllinr vanlagem que em outras paita-
ras : na rua larga do Rozario, 11. 48, pa-
daria.
-- No dia para 6 do corrente, furtaram
do sitio de Fiederico Chaves na estrada Belm, un cavallo rodado, desrama.lo,
grande, feio deanca, por ter o cilio metti
do para dentro, tres denles quebrados, o os
utios pretosde muita caixaca,capado,bom
passeiio, e que pouco nada mais sabe : ro-
ga-se as pessoas encarregndas da polica ou
a quem este encontrar, o peguem e entre-
guem na rua de Hurtas, venda que Rea de-
fronte do breo do Pocinho.
I DEPOSITO GERAL
9 do superior rap areia-pnta S
SJ da fabrica de Gautois Pai-
Ihet&c Companhia, na Ba- 9
fei hia. (f
% Domingos Alves Mathcus, agento da
S>: fabrica de rap superior areia prcta )
j c meio grosso da Babia, tem iberio o 3$
m seu deposito na rua Cruz, no Recife f$
4 n. 52, primeiro andar, onde se achara -5
sempie deste cxcellentee mais acre- ^
t$ dilado rap que at o presente se tem f)
''4 fabricado no Brasil: vende-se em ho- A
>. les de urna e meia libra, por preco C
\f. mais commodo do que em outia qual- 4
m quer parte. (*>
redo Lima c .loo Evangelista Es-
teves Alves, ou mesmo quem seja
scus procuradores tiesta cidade mi
lora della, para se tratar do nego-
cios quelites dizeni respeiio: quem
souhcr innuncio por esta Iblha pa-
ra ser procurado.
No dia 28 de oulubro fugiram da fa-
zonda do BrejinhO, termo do Garauhuns,
douscsrravoscoin oslsiguaesseguinles Joao
Camundongo, dado de 40 anuos, baixo e
reforcado, hcicos grossos, ollios afumaca-
dos, ps grandes e com alguns dedos mais
curtos c iirrehitados ; he muito ladino e sa-
be tolas ns estradas do centro al l'ij.ihu,
Macei, etc., o lom muiti astucia : Samuel,
crioulo, estatura regula', bem preto, (dbos
grandes e afuma;ailns, beigos giossos, una
cicatriz na testa, falla grossa, pos e mitos
bem feitas e (Iho da mesma fazenda. Quem
os pegar, os po lera entregar no Brejo-da-
inadrc-de-l)i!os ao Sr. tenente-corone| An-
tonio Francisco Cordeiro de Carvallio, em
Cimbres ao Sr. tcnente-coroml Candido
Xavier Pcrcira d.e Brito, nosul no engenho
Cajahussii, o nesta praca em casa da viuva
do Dr. Biilo no Allerro-da-Boa-visla n. 43,
que sera muito generosamente recompen-
sado.
1 Bixas- I
i\7a praca da Independo
g denca, h, 10,
q ao voltar para a rua das Cruzes, alu- 3
2f gam-sec vendem-se bixas do llam- 5,
2 hurgo : lamhem Vlo-e applicar pa- r
)? ra commodjda.le dos freguezes ; ti- "
9 ram-sc! denles, snngra-sa e appli-
O cam-se ventosas: ludo por prego
^ commodo.
O
900009 9990 99990999
Fug'iO, no dia f do corrente
pela madrugada, um pelo de li-
me Autinio, do gento de Ai: Mi-
li, de 18 a ao atino.; pouco mais
011 menos, sem hirha, corpo : al-
tura proporcionacs, bem parecido,
piernas linas, ps compridos e sec-
eos, com una pequea pelhdora
no nlto da cabera, proveniente de
car regir sobre a mesma ; levou
vestido calcas de ritcado azul- es-
curo com Klrasj usidas e carni-
za de aigodao de mangas curtas ;
levou tamliem um bauzinho pe-
queo de dous palmos, o que se
suppfie le-lo lev..do paia poder
mais libremente transitar por
qualquer estrada ; suppoe se ter-
se dirigido paia as bandos de Ita-
biianna ou rorahiba, d'oudc foi
vendido : quem o apprcbender le
ve-o rua Imperial, n. a5, que
ser bem recompensado
Compras.
Aviso aos oiiiivfs.
Carlos llardy, ourives na rua Nova, n. 34,
tem um excellente laminador com que
puxa chapa a 40 rs. a oitava.
Joiio da Silva Braga !" sciente nos
seus freguezes que mndou oseu eslahele-
cimeutoda roa do Queimado, n. !, para a
rua Nova, n. 29.
-- Arrenda-se |elo lempo de festa, ou
annualmente, um escolenlo sitio com urna
grande casa de campo, contando esta duas
grandes salas na frente, seis grandes
quaitos, cosinlia grande, cocheira para
carro, estribarla o esa para pretos, com
(errado na frente di casa, lodo o sitio
cercado, contenilo urna grande planta de
nanai commum, outra dita de abacaxis
bananas pralas e de diferentes qualidades,
jaqueiras, larangeiras, algunias de emhigo,
uns poucos do ps de frulnpiio, cajueiros,
ps de romns, com um jaulim ao lado da
casa, basta utos psdccnfe proporgOes para
urna excellente tonta, por correr o Prata
pela frente da casa, no lugar de Apipucos,
junto ao engenho Dous Irmfios : a tratar
com o subdelegado Barata, na rua da Ca-
deia de S.-Anlo'iio, n.
--O abaixo assignado, em ras.Tn de mu-
dai-se para o silio, aluga sua bem conhe-
cida casa da rua da Aurora, contigua ao pa-
lacio do barflo da Boa-Vista, cooi escolen-
les coinmodos para urna ou tres familias,
jardim e hilhar : tamhem vende parle da
mohilia, consistindo em 2 lustros de sata,
urna rica mesa de mosaico, cousolos cober-
tosdelino marmore branco, urna mesa de
jantar, duas carleiras de cscriptorio com
ai maguo de bronze, e varios ouiros ohjec-
los : os pretendentes dirijam-se referida
casa, de mahhfia al as 10 oras, e das 4 da
larde em dia uto.
Manad A hit Guerra.
Aluga se o silio da estrada do Cordeiro,
bem condecido, so proprio para negocian-
te estrangeiro ou quem tenha 11 lamen-
to : bem como vaiios sitios e casas peque-
as para se pasuar a festa tanto na campi-
a como na 111a da Casa-Forte : a tratar na
rua do Amorim, n. 15.
Dcseja-se saber oqde resi-
den os Srs. Joaquim de Figuei-
Compra-so urna canoa abirta para mil
lijlos: na roa da Aurora, 11. 44.
-- Compram-se jornaca purluguezes de
1848 a I!) : quem tiver aniluneie.
Compram-se paccas, tata, macuca e
quatiils : na rua do Cllegio, n. 13
Compra-la um casal do hunos, 011
smenle urna burra : na rua Direita, n. 121.
-- Compra se um silio que nao disteda
praca mais que um quarto do legua, tru-
llo casa e l'ruteiras, 1180 se exige milito
grande : na rua Nova n. 68.
Vendas.
Na rua Nova, n. 5,
vende-se um escravo pega do linda ligera ;
um dito de nagao Costa, proprio para CSP-
reparcadeiiinns, por ser bstanlo alto e
de linda figura; um moleque bom cozi-
nheiro, de nag.'.o, de 18 anuos do qual 86
a flanea a cniulucta ; um mob'Coto de 18
anuos, bom (dlii'ial'le alfai-ite ; um preto
bom trabalhador de cnxada; duas pardas
muito prendadas, o que se uo pO) duvida
em da-las pira se experimentar no on-
gommado e cozinhar ; 2 pretas com habi-
lidades, sendo urna aellas boa cozinheira;
una negiinha de 14 anuos, com principios
de costura e eiigominado
Vende-so um bonito cavallo rodado,
muito novo e andador baixo, por picgo
commodo : na rua da CaJcia-Velha, n 59,
leja.
Vende-se um fardamento em meio uso,
para sargento de guarda nacional, por pre-
go commodo : na traveSM do Arsenal de
l.i. 1 la, .i niii/.riii II. 3.
Vende-se, na rua do Crespo, n. 11, a
Peleja havida entra o diaho, una alma c
S. Miguel j o Travesso ou a rabileira n o co-
raco ; o Testamento que foz um enfiliz co
sentenciado a pena ultima; o Testamento
do gallo ; diioda gallinha : todos estes fo-
Ihelos sSo muito jocozose por prego com-
modo.
Vendem-se muitos bons e frescaes quei-
jos de Minas com mais de duas libras cada
um, a 610 rs. cada um; ago'ardenlo de
Franga engarbada, a 480 rs. ; farinha de
aramia, muito nova, alta o limpa, a 240 rs
a libra : no pateo do Carmo, venda n. 1.
-- Vendeni-se caisilhoe novos de amarel-
lo, para janellas de ptiloril; urna rica ca-
deira da anuar, com todos os pertences;
una mesa.grande cun ti gavetas, piopria
para armazem do fazendas, ou outro qual-
quer cslabelecimenlo ; una caixa para con-
t r pedias de lillrar- agoa ; urna carroga
com os seus competentes arreios ; urna me-
sa de hilhar com seus pertences e superior
panno novo para se cubrir o mesmo : na rus
do Amorim, n. 15.
Vende-se urna lago de marmore de
moer tinta, com 3 moletas tainbem de mar-
more: na rua dos Quintis, botica de Jos
Maris Gongalves Ramos.
--Vende-so superior cera do carnauba, o
peixe serr de varias qualidades, por bara-
to prego : ni ruada l'raia, armazel 11. 52.
A'i^'JO rs. cad um
cort.
Na toja de Cuimaraes & II 'nriques, ru 1
do Crespo, n. 5, v.endom-se novas easas
parisiense!, pVtrOea muito moloruos, po-
lo barato prego de 2,720 rs. cada um corlo :
esta fazenda se loma moito recoin;ncnd.i-
vcl pola superior qualid.ide o barato preg.
Soinio de vento.
Esta anda |">r so vender o moinho do
vento do Fra-de-Portaa. VMp. estabeleci-
mento be magnifico arqiiisigio pira quaj-
quor p'rlnciante aueleniiaa sua disposigao
,uiii pequeo capital, otando o propriela-
rio rosolvido, cu ras lo do tur .lo se applicar
a outra industria, de que nlo deseja dislra-
Mr a sua alleng.lo, a da-lo por prego mili
inferior ao qne elle custou. Alianga-se qui-
lo moinho oeixa livre de lo Ja a dospeza
mais de cem mil rs por mez, o da veraci-
dado desta assergito pode qualquer preten-
I dent certiliear-so tomando eonta do moi-
| nho por 15 dias, ou mandar algueni assislir
pelo mesmo lempo a venda da farinha no
deposilo da rua dos CUararipfB, n 5. No
mesmo deposito conliiui 1 a havor sempiv
milho moldo para ravallos a 1,280 rs. a ar-
roba hrinha entrefina, a 1,990 ra. e fins-
sima, a 3,200 rs. a arroba. O proprielario
julga nao ser inlempislivoa Ivertir iqui que
a fnrg do moinho sendo muito superior a
de quo se p>\ cisi para dar movimonto as
pedras, pode porcbnseguinlecom a peque-
a deapeza de urna corrcia quo nao cusa
mais de 4,000 rs. dar movunenlo a qual-
quer outro marbinismo simultneamente,
pudendo em caso d precisiio augmcnlar-s 1
aindafrga, o que fcilmente se cooai-
gira accescontando-se um pouco mais as
velas.
-- Vendo-se urna eseraTa coxinhaira
muito boa lavaje ira de varella; be multo
fiel e diligente para todo o s -rvigu de urna
casa, o 000)93 ai nos: nOSOgUOd andar do
sobrado Ja esquina Jo neceo do OuviJor.
Venlem-so muaioaa para piano, rin-
das ullimamoulj le Lisboa, entre ellas Mac-
( bi ll na rua \ov>, n 16.
~ Vende-seo deposito armagao, no largQ de N. S. do Tergo, n. 17:
a tratar no mosmo deposito, ou no paleo da
ribeira de S.-Jos, venda 11. 5. .
A(80rs. a vara.
Na rua di Cadeia o Recife, n. 32, vendem-
se muito ti las casaas, as mais molornas
que n'pparecem no mercado, pelo diniinut"
proco do 680ra prego osti que em outra
qualquer parle querem por igual fazenda
mil rs. avara; boi.i como cortes do casimi-
ras para raleas, Je muito bom gosto e mili-
to boa fazenda, a 6,000 e 7,000 rs. o corle ;
chales de cassa e si-Ja, multo grandes e do
bonitos padros, pelo diminuto preco de
4,500 rs.; corles d i rassa-chil i de holll
goslo, a 9,800 rs. 0 corlo c outras multas
fazendas por prego commodo.
Cal de Lisboa.
No IMo-FormOSO, em rasa de Julio Jos
Lopes, vendem-se barriacom cal virgem de
Lisboa, da superior qusitJade, por prego
commodo.
Oh .' que petiseo!
Vende-sa carne do serlo, a 210 rs. a
I libra; lingoieas Jo porcp do serlflo, a loo
I rs. a libra; superior queijo do aerto, a
400 rs. a libra; e outro mullos objectos poi
piego commodo : as vendas dos quatro-
rautus, esquina de S.-Concalo, ns. 1 0 9.
Cliarutusde ta va na
vrdadeiros:
vendem-se em rasa de Kalkmann Irmos,
na rua da Cruz, 11. 10.
Vende-se um preto habilitado nesta
praga para todo oseivigo c mesmo para o
decampo: na praia do Caldoireiro, 11. 2,
junio .1 vonda.
VBNUE-SF. urna rommenda da ordem
deChiislo: no pateo do Tergo, n. 1, segun-
do andar.
Vende-se polassa muito boa
em barriszinhos pequeos, por
preco commodo; no armazem de
Dias Ferreira, no ces da Alfa-
dega.
Vende-se urna prela crioula de idaJo
Je 90 annos pouco mais ou meaos, com to-
das habilidades quosoexigem para o servigo
de urna casa, com urna cria do 1110 anno,
mulalinha mullo nutrida, quo aindi mama,
0 que por isso a mencionada preta tamhem
esta habilitada para criar qualquer crianga:
na rua estreila do RoiariO, loja 11. 4
Ao madamismo l'ernambucano.
Vendem-se chales de'sedadle lindos pa-
JrOes, da gosloa muito moderno;'. mantas
de seda de muito bom gosto ; assim como
ti.nibein niuiln bonitos lengos de cassa com
bsrra amarella, proprios para mflo do ho-
11,0111, a OO rs. 1 ala un; curtes do hrim
liardo, 11 800 rs. o corte ; selim preto de
Maciio, a 5,000 o corlo, do melhor quo ha ;
guardanapos de puro linhu adamascado
muito linos, a 9.000 rs. a .tima ; ditos mais
ordinarios, a 7,000 rs. ;e nutras militas fa-
lendaa porpregos comuiodus: na loja no-
va de Carvalho & Uaia, na rua do Crespo,
n.21.
-- Vende-se urna osera va de Angula, de
20 anuos, do muito boa lignra, que en-
gomnia, cose, cozinha, ludo bem feito : na
rua do Cllegio, n. 21, primeiro andar, se
dir quem vende.
lom e barato.
No Atcrro-Ja-Boa-Vista, taberna n. 78,
juuloda botica do Sr. Uraulio, vende-so
manteiga ingleza, muito boa, a 480 e 560
rs- ; dita franceza, bolachinha inglez, a 240
rs. ; alel ia, macarriloe lalliarim, 240 rs.;
toucinho do Lisboa, a 240 rs.; assurar re-
hilado, 8 100 rs. ; dito superior, a 120 rs. ;
vinagre ; azeite dooe; queijos flamengos;
cha uiuio bom e barato ; e oulros muitos
gneros quo os freguezes n3o deixaro do
comprar pela qualidade da fazenda e prego
commodo. Cheguom antes que se acabe.
Familia de friso.
J. J Tasso Jnior vende farinha de Pro-
venga, chegada no ultimo navio de [Marsei-
Ihe, or prego commodo.
Vende-so graxa do Fo-Crande|: u
rua da l'raia, 11. 32.


Vendem-se 2 cabriolis inglc7.es em
muilo bom estado com todos os seus per-
ltico por preco commodo : no Alerro-da-
Iloa -Vista n. 52, cocheirade Luiz Montar.
Taixas para engenho.
Na fuodigSo de ferro da ra do Brum,
acaha-sn do receber nm completo sorlimen-
todo taixas de* a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e rom promptidSo embarcam-se,
ou carreeam-seem carros sem despezasao
omprador.
Velas ile espermacete,
das melhoros que tecm vindo a este merca-
do: vendem-se em caixasde 24 libras, em
casa do Iticardo lloyle, na ra da f.adeia-
Wlha, n.29.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem antigo da ra da Madre-de-
Deos, n. 30, esta de novo estabelecido de-
baixo das mesmas condigfles, olTerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada,a de vinhobranco.de l.is-
bi'ia por 220 rs. a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
uada, a de vinho de Bordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. N3o se admirem
os ftegnezes do haixo prego por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietario querer sustentar o antigo prn
go, embora este genero tenha subido o mo-
Ibor de 30,000 rs. por pipa. Kxaminem os
amantes a qualidade para rcconhrriment
da vordadee conlinuagflo da antiga fregue-
zia.Kpara n.lohaver usuras, esl.iopromp-
tas garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como barris de diversos l-
mannos par* provisflo do prximo Natal
O proprietarioconta com a concurrencia;
do contrario, tornarSo os pregos do reta-
dlo a primitiva de 240 e 280 rs. a garrafa.
FoEha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flandres:
na ra do Amorlm, n. 35. casa de J. J. Tas-
so Jnnior.
-- Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
Velas de cores.
Vendem-so, no armazem de moldados
atrs do Corpo-Santo, n. 66, por prego com-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recominendaveis pela sua superior qualida-
de e aturarem mais que as de espermacete,
e nSo fazerem morrSo.
A 140 rs. o covado.
Vende se superior nscado de slgodo,
muilo cncorpado, a 140 r. o covado I na
ra do Crespo, n. 6, loja junto ao lampcio.
-- Vendem-se rclogios de ouro e prata,
patentes inglezes: na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
Bitas.
Vendem-se bichas chegadas ltimamente
e de boa qualidade, a 160 rs. rada urna, em
porgio de 25 para cima : na ra do Amo-
rim, n. 35.
AGENCIA
da fiindicao Low-Moor,
BA DA SKNZAI.T.A-NOVA, N. 43.
Neste estabelecimento conti-
na a haverum completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
clas, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
co;tdo, de todos os tamaitos,
para dito.
Vende-se, a bordo do brigue Marcial ,
becado do Rio-Crande-do-Sul bom sebo
em rama por preco commodo.
Pos galvnicos para
p ratear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objeclos
prateados e que lenham perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, ou inu-
tilisados, teem nestes pos um excellenle
restaurador e conservador dos mesmos
objectos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples ,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho moldado em agoa fra e passado
nos mesmos pos.
Urna caixinha contendo quantidade suf-
ficie.nte para pratear mafs do 40 palmos
quadrados cusa a mdica quantia de
mil rs.
Moendas superiores.
Na fundiQSo de C. Starr A Companhia ,
em S.-Amaro acham-se venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
conslruccfio muilo superior.
Cal virgen?.
Cunha Amorim, na ra Cadeia do lie-
nfe, n. 50, vendem cal virgem de Lisboa,
de superior qualidade por proco mais ba-
rato do que m outra qualquer parto.
Novos cortes de cassa pa-
ra vestidos.
Vendem-se cortes de cassa para vestidos,
de cores lixas e de bonitos padrOes, a sete
eoilo patacas o corte ; chales de tarlatana ,
grandes a 800 rs.; meios ditos, a 500 rs. :
na ra do Crespo, loja da esquina que vol-
"la para a cadeia.
dos fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 6, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos "S.-Flix, e de nutras umitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parle : bem como
cigarrilhos hespanhoes ditos de palha de
milito, que se estSo vendando pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
Deposito de Potassa.
Vende-se milito nova potassa
de boa qualidade, em barriszinhot
pequeos de qtiatro arrobas, por
preco barato, como ja ha muito
lempo se nao vende : no tecifc,
ra da Cadeia,-armazem n. 12.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n.
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Barricas.
Vendem-se barricas vasias que fram de
familia em p e bem arcondicionailas :
na rus do Amorim, n. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Baha
Vende-se em casa detf.O. Bieber & C.
ia ra da Cruz, n. 4, aleodo trancado
ilaquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Chdbrasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molhados, airas do Corpo-Santo, n. 66, o
mois excellenle cha produzido em S.-Pau-
lo que (em vindo a este mercado, por
prego muito commodo.
Para pageos.
Vendem-so charcos envernizados para
pagens : na ra do Queimado, n. 1.9.
-- Na ra da Cruz, armazem n. 33, de S
Araujo, vende-sc feijo do Aracaty por lo-
do o prego poreslar principiando a furar,
bem como sola superior, couros miudos,
sapalos, ditos de con 1 o de lustro, caixas do
chifro, etc.
Arados de ferro.
Nafundiglo da Aurora, em S.-Amaro,
vendem-se Vados de de ferro diversos mo-
delos.
Cambraia monstro
a <2,HK0 rs.
Vend m-se corles de cambraia monstro,
decores muito lixas, e de ricos padres,
pelo barato preco do2,880 rs. o corte'; pe-
cas de riscados cscuros, a 5,500 rs. : na ra
do Crespo, n. 14, loja do Jos Francisco
Oas.
Vende-so peixesecco muito frescal e de
superior qualidade, vindo ultimaincnto de
Mossamcdes : na ra da Moda, n. II, pri-
meiro andar.
Vende-sc um lindo mulatinlio de 16
anuos, muito bom boeiro ; um preto bom
canoeiro; urna preta do bonita ligura : no
pateo da matriz de S.-Antonio, sobrado n.
4, se dir quem vende.
-- Vende-se unta bonita preta de 16 ali-
os, que engomo liso, cose cufio, coz-
nha e faz o mais servigo de urna casa; pe
sadia e multo del: na ra larga do Itoza-
rio, n. 35, loja.
--No Aterro-da-lioa-Visla, loja n. 18,
vendom-se meias para meninas, a 160 rs. ;
ditas para meninos, a 120 rs.
A2,f6'0rsta peca de 10
varas
do cambraia* de quadros para cortinados c
babados : na ra do Queimado, loja n. 8.
Vende-a* cal virgem de Lisboa em bar-
ris pequeos, vinho do Porto superior cm
barris de quarto o quinto, e mcias-pipas
com dito, familia de trigo de todas as qua-
lidades e em meias barricas : ludo por pre-
go mais roininodo do quo em oulra qual-
quer parto : na ra do Vigario, armazem do
Francisco Alves da Cunha, n. II.
Para as senhoras de bom
gosto.
Vendem-so os mais ricos manteletes e
capotinhos para senhora, de chamelote liso
e lavrado, de gorgurSo, de gr* de ap-
les e de sarja, tanto preto como do cores:
na ra do Queimado, n. 17.
Vende-se, por 2:000,000 de ris, urna
terca parte do U&l bom sobrado de dous an-
dares e so'.flo do Atorro-da-Uoa-Vista, n.
24 : na mesma ra, n. 17, fabrica de licores.
Calcado de I,flO a i,600
\'o Aterro-da-Boa-Vista.
defronle da bonica,
<1o chegados sapalos franeczes de cou-
ro do lustro para senhora, a 1,280 o 1,600
rs. o par; bem como um completo sorli
menlo de calgado du todas as. qualidades,
tanto para homem como para senhoras e
meninis; e tumben) do Aracaty, para ho-
mem, a 1,000 rs.. e ludo o mais por prego
commodo.
Vende-se urna venda com poucos fun-
dos, na travessa do Queimado, n. 5 : a tra-
tar na mesma venda.
laceas com mi I lio a
'2,500 rs. e ditas com ar-
roz de casca a 5,500 rs.:
vendem-so no armazem do Braguez, ao pi-
do arco da Conceig.to.
RAP' PACLO-COnDEIHO.
Vende-se rap Paulo-Cordciro, viudo no
ultimo vapor do Itio-ilo- Janeiro, bem fres-
quinho ; os amantes da boa pitada pdem.-
so dirigir loja de Antonio Joaquim Vidal,
na ra da Cadeia, por piego commodo.
Vendem-se luvas de torgal do seda de
rede, pretas e brancas para senhora e me-
ninas ; meias para meninos e meninas, a
120, 160 e 200 rs. : na ra da Cadeia-Vel ha,
n 15.
Vende-se um cscravo mogo, de todo o
seivco:na ra do Crespo, n. 8, segundo
andar.
Vendc-se ura mulalinho de 12 aunos,
muito bonito o sadio, c que he proprio para
cilicio ou para pagem : na ra larga do Ho-
zarlo, loja n. 35. *
Corles de brim de cores
com listras ao lado, a
l,52UOrs.
. Vendem-se corles de brim de cores com
listras ao lado, a 1,280 rs. ; riscado de al-
godSoamericano, proprio para eaciavos, a
140 rs. o covado : na ra do Crespo, loja da
esquina que volta para a cadeia.
-H5-H
***>
Nestaloja vendem-se chales de garca
OJO rs., o longos da mesma qualidade, a
160rs.
Armago.
Vende-se a armago da loja do Aterro-da-
Boa-Vista, n. -78: a tratar na mesma ra,
n.58.
--- Vende-se farinlia de man-1
dioca, em barricas c. saccas : nos
armazens de Motiiao e Dias Per-
reiro, no caes da Alfandega.
Na ra do Crcspo,loja da
esquina que volta para
a cadeia,
vendem-se os acreditados brins trangados
hrancos de listras e lisos, de linho puro, a
1,500 rs. o corle; dito amarello,a 1,500e
1,600 rs.; panno fino preto e azul muilo
bom, a 3,200 rs. o covado ; dilo muito su-
perior, a 5,500 rs ; fustOes muito bonitos
para colleles, a 640 rs. o corle ; ditos de
velludo, a 2,500 rs. ; ditos de setim lavra-
do, a 1,800 rs. ; ditos do gorgorito de seda,
a 1,600 rs ; cambraia lisa, a 2,720 rs. a pe-
ga de 8 varase meia ; cassa preta, a 1,440
rs. o corte; ostcuilo de linho muito lino, a
1,44o rs. a vara; e oulras muilas fazen-
das por pregos conmodos.
Aos 20:000^000 rs.
Vendem-se na na ra do Queimado, can-
to da do Collegio, armazem de Hay mundo
Carlos l.eite.
7.* lotera de S.-Pedro-do-Alcanlara
da corte.
Bilhelo inteiro
meio
quarto
oilavo
vigsimo
fc^A chegar a todos os amantes a lista^
dos premios.
O remetiente destes bilheteshe aquello a
quem a caprichosa fortuna tem concedido
os mois brilhantes premios que por sorte
tcom tocado aos compradores desl cidade.
t
21/000
10/500
5#200
2#fi00
1#200
tanto roupa de homem, como de senhora,
comida e raz doces d* varias qualidades-
na Trompe, sobrado n .1, quo tem venda
em- haIxo.
A 'i6'0 rs
Alpaca de linho.
Na loja de Antonio l.uiz dos Santos
S & Companhia, Oa'rua do Crespo, n.
$ 11, vende-sc essa rica fazenda, pelo
B barato prego de treze vintens o co-
I vado.
mmmmm^mmwm rnmmmmwmm
Vende-so a loja de miudezas do Ater-
ro-da-Boa-Vista, n. 84, defronte da matriz,
com um pequono fundo : a tratar na mes-
ma loja.
Vende-se boa o gorda carne o lingoi-
gasdosert.lo: na roa do l.ivramento, n. 3,
sobrado com a entrada pela ra do Rangol.
Vendem-se 6 arrobas de sebu de rim
de boi, a 5,000 rs. a arroba: no agougu
deJoSo imbus.
--.Vende-so um carro de 4 rodas, paten-
te, ainda novo, com commodo? para 4 pea-
soas, o do muilo ba cona(ri:cg.1o para dous
cavallos, por barato prego : na ra do Ho-
zarlo, a fallar com o Sr. Moreira.
Vende-se um sellim francez quasi no-
vo, com o seu competente freio. por 10/
rs. ; um rico hragode balanga de ago po-
lido, proprio para vonda, pelo diminuto
prego de 10,000rs. : na ra larga do Hoza-
no, n. 8, sobrado. *
>
Ao barato.
m
Vende-se setim maeao para colle- 9
te, pelo barato prego de 2 800rs. o ^
covado ; cortes de brim cor de gan- <^
f^ Vende-se, por 280,000 rs., um bom u
'4. ca-ro de 4 rodas para 2 cavallos, com j
| seus competentes arreios ; bem co- :\:
$|j mo por haratissimo prego, que da !j
^ mesma forma provora aos compra- g
(| dores, urna cadeirinha de arruar, de :r;
d muilo boa conslrucgflo ; 24 ferros de ;j:
$ ricas molduras para fabricar llores;
fj urna porgo de aldrabas para vidra-
m gas : na praga do Corpo-Santo, n. 2, ~
sv primeiro andar.
J
Tecidos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos- ns-San los.
Na rtia da Cadeia, n. !,
vendem-so por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar o roupa de
escravos, a 280 e 300 rs. a vara.
Vendem-se pegas dejnadap>la<> limpas
com 20 varas, ntu;lo largo, a 3000 rs ,
3/200, 4/00 rs.; e muito finos e largos por
mais dinheiro } cortes de cambraias para
vestidos muito bonitas com 11 covados a
2,500: na loja n. 17 da ra do Passaio.
Vendem-se seis lindos mulequesde na-
gilo e Crioulos de 16 a 25annns, sem vicios ;
otto prctus, de 25 a 30 annos,bons para todo
oservigo; dous cazaes de escravos muito
lindos, cada um delles ten lo um tildo de 14
a 16 mezes, o os pretos com habilidades e
todos sem vicios ncm molestia, e de boa
conduela, o que se afanga ; um bom par-
do do 25 anuos, de exemplar conduela, que
lie bom copciro e bolieiro, tanto do sella eo-
iiio do a I mofada, eque tem o ollieio desapa-
leiro; dous ditos do 16 a 20 anuos, bous para
pageos ; duas mulaliiihas do 16 a 20 nonos,
quo crigommam perfeitamente, cozcm c fa-
zem o mais arianju de urna casa ; duas di-
tas para todo o servigo ; urna preta de meia
idade por 300^000 rs.; dgas ditas de 14 a 16
anuos, urna dasquacs cose sofl'rivelmcnte, e
ambas fazem bem o arranjo do casa ; assim
como oulros muitos escravos : na ra da Ca-
deia do li'Tife, n. 40.
Za res de furla-crcs a
200 rs. o covado e ris-
cado monstro a 'l'l) rs.
Vende-se zuarte de furta-cres, muito
encorpado o com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra do Crespo, loja da esquina que
volta pai, a cadeia.
Vinho de Bordeaux,
das iiinis superiores qualidades ; lem como
vinho de Champanha da nova marca estrel-
la, j muito apreciavel, tanto aqu romo na
Kuropa : vende-se em rasa de Kelkmann
IrmSos, na ra da Cruz, n. tu.
Bom e barato.
Na ra do Queimado, vindo do Itozario,
segunda loja n. 18, vende-se panno Uno
verde azul, a 2,000 rs. o covado ; dito mui-
to bom preto, azul e cor de ra|, a 3,000
ra. ; longos e setim para grvala, a 1,000
rs. ; croulasdemeia muilo linas, a 1,500
rs. ; cortes de vestidos do cambraia de se-
da ; mantas de seda escocezas, a 10,000 rs.;
luvas de torgal para senhora, a 500 rs.
par; pegas de metim, com 20 covados, a 3/
rs. ; a oulras muilas fazendas pur haratis-
simo prego
Vendem-se escravos de ambos os se-
xos, pardos o pretos, com habilidades e
sem ellas, de 12 a 24 annos, sem vicios tem
achaques: na ra da Senzalla-Veha, n. 106,
se dir quem vende.
Vende-se urna prda de 28 annos, com
muilas bailidades, pois cose o corta (oda
obra de alfiale, engomla com perfeigSo,
> ga, de superior qualidade, a 1,410
3> rs. o corte, e do nardo, a 1,200 rs. ;
dito claro com listras, a 800 rs, ;
S* meias de linho de boa qualidade e
* chegadas.ultimamente do Porto, por
~*j preco commo lo ; cassa-monstro, a
C 2,800 rs. o corle ; riscadinhos de li-
^ nbopara jaquelas, a 440 ra. o eova-
fr drOes modernos, a 1,200 rs. ; colins
de quadros imitando casimira, de
f*- superior qualidade, a 1,280 rs. o cr-
* le ; e oulras muilas" fazendas por ba-
*" rato prego : .na praga da Indepen-
> dencia, casa amarella com fazendas,
M
e
m
3
s\. do; cortea de fustes de Cores, pa- ?
-
a
4)
n. 1.
Yende-se urna cadeirinha
de bracos, nova e mui rica : na
ra do Queimado, loja "n. 7.
-Naruii.Niiva.il. 40, Uefronte da Con-
ceico, vende-se manleiga ingleza muito
boa, a 400. 560 o 610 rs. ; 'macarrSo e ta-
Iharim a 160 fs. ; lelria.a 240 rs. ; azette
doce, a 520 rs. ; banda, a 320 rs. ; vinho
feitoria engarrafado, a 600 rs.; feijSo mu-
lalinho, a 280 rs. a cuia ; cha bom, a 2,240
rs. ; e oulros muitos gneros quo avista se
far o prego.
Vendem-se 10 saccas com feijSo -
lalindo ; 2 barricas com dilo fradaho ; 20
saccas com milho : ludo muito novo e vin-
do prximamente de Feriando : vende-se
saccas por sarca. oiodo por junto confor-
me 4 vontade do comprador : na ra do
liangel, n. 54, a fallar com Victorino Fran-
cisco dos Santos.
Vendem-se superiores cortes de casi-
miras finas, de gostos os mais modernos
que ha, pelo barato prego do 7,500 rs. o
corte ; muito bom setim msco, a 5,500 rs.
o crtn; cortes de meias casimiras, a 2,500
rs.; dilos de hrim pardo, a 1,000 ; e oulras
muilas fazendas por prego commodo : na
ra do Crespo, n. 21.
-- Vendem-se dous embonos de sedro
para barcaga, muilo bons, os quaes se
aedam junto ao chafariz do Forto-do-Mal-
los : na ra do Amorim, n. 33.
-Vende-se um moloque pega, bonita figu-
ra; idade 17 annos, que servo para todo ser-
vigo : na ra do Queimado, segunda loja,
vindo do Itozario, n. 18.
Mantas de seda.
Vendem-se maulas de seda deexeollentes
padrOes, pelo baratsimo prego de 9,000
rs. cada urna que em nutra pnrlecustam 14
o 16,000 rs. : na ra larga do Itozario, pa-
llara o. 48.
4
A 4,000 rs.

*>} Vendem-se ricas mantas de seda pa-
'4 ra senhora, de lindas cores, e sem o
W menor defeito, pelo diminuto prego
de 4,000 rs. : na ra do Crespo, n II
*
--Vendem-se escravos baratos, na ra
das Larangeiras, n. 14, segundo andar, co-
mo sejam : urna linda preta de 22 annos,
que engomma ptimamente ; urna dita.da
mesma idade, quCWgomma ecozinha bem;
urna dita do 18 annos, quo engomma liso ;
3 pardas mogas com habilidades ; um par-
do escuro, de 22 annos, com oilicio de po-
dreiro ; um dito da mesma idade, com olli-
eio de sapaleiro; 4 pretos de 22 annos,
ptimos para qualquer servigo; um mole-
quede 12 annos; e oulros escravos.
C'adinlios.
Na ra Nova, n, 27, vendem-se cadinhos
dclapjsde todos os nmeros para fundi-
gOes.
Superior fio de algod&o
para pavios de velas : vendem-se em casa ganhador, ou esteja em alguma ol ^?"f?.
deCeo Kenwurthy & C. na ruada Cruz' praga : quem o pegar levo o na do lim-
--Vende-se um turino muilo novo, p,.r
barato prego: na ra do Queimado, n. r,
Vende-sa u m soph tfe oleo, seis cu|
deiras, orna mesa de meio de sala, uma
hanquinha, dous globos de eseada, dou>
candielros para cima de mesa : tudc poi I
prego commodo: iw ra da Cadeie; de ite-
cife, n. 46. ,
I Cortes de cassa fran-
0 ceza com i covados
1 a 2,560 o corte. |
g. Vehde-se cassa franceza, a 8,560 rs. ^\
J* o crtev; chales jmperiaes, padrOes
^ dos de seda, a 2,000 rs. : ditos de se- 0
O da, a 8,000 rs.: na rus." do Queimado,
O n. 8. Q
a0ooo 000090^00!
Vendein-se caixas com
aineixa
de sudetior qualidade : no armazem de
Francisco Dias Ferreira, no caes da Alfan-
degs.
Vende-se urna agulha de marear, lo.
da de metal, por prego commodo i ao lado
do Corpo-Santo, loja de magames, n. 25.
-- Vende-se urna escrava crioula do 25 pi
26 annos, de bonita ligura, que cozinli-
bem, engomma perfeilamento, cose e en-
saboa, com uma cria de 3 para 4 annos-,
vende-se por haver grande precisilo m
ra do Crespo, loja de miudezas, n 11.
Vciidc-se.nma bonita escrava de. 18 an-
nos, rom iigumas habilidades : na ra de
Crespo, n. 12, loja.
Na ra das Cruzes, n. 22,. segundo an-
dar, vendom-se 6 escravos, sendo : 3prets
que cozinham e lavam de sabSo; dous mo-
loques de 14 a 17 annos; um preto de X
annos, para todo o servigo ; e oulros es-
cravos para o servigo do campo.
Vende-se milito'superior fa-
rinlia gallega em meias barricas
na roa da Cadeia do Llecife, cs-
criptoiio de Deane Youle 8c C. ,
ou no primeiro armozem do becco
do (one;ilves.
Vende-se orna negrinha de nagoj de
12 a 13 annos, que cozinha, cose, lava e faz
o mais servigo de uma casa ; he muito sa-
dia e nilo tem vicios nom achaques : o mo-
tivo por que se vende te dir ao comprador
na ra da Moda, venda da esquina n. 25.
Vende-se tima preta de to
do oservicode uma casa por pre-
co muito commodo : na ra do Ito-
zario larga, n. aC, segundo andar
A 0-10 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de agodSo smeri-
cano, encorpados e grandes a duas pata-
cas ; editas escuras, de bons padrOes e cA
res seguras, a meia pataca o covado : ni
ra do Crespo, na loja da esquina que vol
la para a cadeia.
Novo admascado Cali-
fornia, de sete palmos
de largura, a 1,000 rs.
a vara.
'Vende-se, na loja de liuimares & lien
riques, na ra do Crespo, n. 5, 0 novo ada-
mascado California para loalhas, com 7 pal
moa de largura, pelo barato prego do 1,606
rs, a vara.
Qoeijos de piafo x\e su-
perior qualidade
o rr.cenlcmenle chegados, vendem-se en
porgo e a relalho por prego mais commo-
do do quo em outra qualquer parte : na ra
do Amorim, armazem do A. J. Vidal & Com
panhia.
Na ra da Cadeia-Vlha,
n. 17, lojade miudtsas.
vendem-se luvas de edres, com alguoi mo-
fo, para homcm n sois vintens o par, a sem
elle, a 240 rs.
Por*pre$o commodo.
Vendem-so 33 palmos de sacada e mar-
niore da Italia ; 6 portadas de pedra.da tr-
ra, da mcllior qualidade, e alguna capiteu
da mesilla para porlas de arcada.: na ra
do Crespo, loja m 10.
Vende-se um banheiro do cobre enm
60 libras de peso, o qual lem puco uso:
nesta typographia so dir quem vende.
scravo l-upos
I'ugio, na noile de 5 "d correnle, um
escrovo crioulo, do nome Joaquim, de es-
tatura regular, hem preto, de elegante li-
gura ; levou camisa e ceronlas de algodso
da Ierra, cdnpo de couro usado, um" malu-
13o contendo dentro uma redo e Orna cami-
sa de madapollo. I'.ste escravo he natural
do rio do l'eixe, e foi comprado ao 8r. [*
noel dos Santos llaptista. Iloga-se sr-tod'i
as autoridades policiaes e c.apitSes de cam-
po, qu o a|>predendam e levem-no i ra do
Cotovcllo, olaria qne foi do Sr. Msnocl t'.or-
reia, que serSo gratificados.
Fugio.no da 28 do passado, nm cs-
cravo de nag.lo Angola, de npme Danna"
de estatura regular, cor preta, sernos don-
tes da frente ; lem os ps apallielados esi-
calrizados de calor de ligado naanrflO .' 1
vou calcas de edita prela e camisa i 'Ka"'
ga azul ; suppfle-se que anda aervindo '
n. 2
picio, n. 9, que ser reeompensado.
- lo engenho Jurissaca., freguean do
Cabo, fugio, no dJa S2 do mez *^Jb(
8ellins inglezes, des-
lieos:
vendem-so em casa deCeo Kenwurthy & C ,
na ra da Cruz, n. 2.
--Vende-se wm preto por 200,000 rs., .
velho mas muilo lorie para servir a uma'andar manqueja : quem o pegar-leve "''
casa, (rabalhar e botar sentido a um sitio ; I dito engenho ou a cidade da Viclono,
urna negrinha de 10 annos, quo faz renda e' seu senhor, o doutor Jos Kolippe desou
j cose; uma prela de 40 annos, para fra i.eflo, quereoo,.ipeusar.
da praga, a qual he perfeila engommadei-
proiimo passado, um scravo cnoiilo,
nome Alexandro, do40 anuos, alto, liastau-
tc reforgado do corpo, cor preta, testa gr
de, muito bardado; tem uoio-chag" <["*>[
chronira em urna da pernas da qual no
"
ra e cozndeira, fez doces e refina assucar t
na ra do Collegio, u. 21, primeiro andar,
se dir quem vende
iPsN. : a TrP. *< r**1*
-194


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E872JAKQJ_Q0QG4G INGEST_TIME 2013-04-24T19:13:03Z PACKAGE AA00011611_06708
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES