Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06702


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
tot.
a-fera 2
rAUTIDAS DOS coantios.
-,,,, eParahlba,segundas ccxtas-feira.
^o-C-raudc-do-Norle, uuintas-fcira ao melo-
r ho'sarlnnaem, Rio-Fonnoo, Porta-Calvo
Uacei, no l.', a 11 e-21 de cada mti.
(,,r,lmn.eBooit.a8e23.
Boa-ViU,e Flore, a 13 e 28.
s ,-..,, as quintas -cirat.
Ulinda, iodos o dia
HBMIBIBM.
rata d lo. Mlog. a 7, 6h.e 3 m. da id.
Nova a 14, Bh. c.'>3m. da (.
Cresc. a 23, noa 5 m. da tu.
Chela a 30, 3b. e 5na. da m.
mllHAB DR HOJE.
Prime ira as 6 lioras e 64 minutos da manh.
Segunda a 7 horas c 18 minutos da tarde.
(t
Novembro de 1849.
N. Mff.
HICOS DA SUBSCaiPOlO.
Portres mezes ("amado) 4/000
Porseisrueze H/ihki
Por um anuo 15/000
DJAS D \ SIMABA,
29 Seg. S. Feliciano. Aud. do J. dos orf. c do m. da
I. vara.
30 Tere. 6. Serapiiio. Aud. da chae., do J. da 1. v.
do civ. e do dus fritos da fazenda.
31 Quart. S. Quiilino. Aud. do J. da 2. v. do civ.
1 guint. >fflf r'esta de todos os Santoi.
2 oext. Conunemoracao dos defuntos. S. Victo-
rino. Feriado para os negocios forenie.
3 Sab. S. Malaquias. Aud. da Chae, c do J. da 2.
v. docrime.
4 i) un. S. Carlos Borromco.
. iHliWiln i
I**
CAMBIOS IH 31 Di OUTOBaO.
Sobre Londrei. 28 d. por 1/000 rs. a 80 das.
. Paria, 346.
. Lisboa, 100 por cento.
Ottro. Oncas Ii-spanhoc.........
Moedat de 6/400 velhas..
. de 6/400 novas.
de 4/000...........
PraM.Palace brasllelros......
Pesos columnarlos.......
Ditos mexicano....
MJMO a 80/600
17/000 a 17/200
16/300 a 16*700
9/300 a 9/500
l/ifftf a l/0
1/970 a 1/990
1/880 a 1(900
UBICO
=7
PARTE OFFICUl
fJyvRODAPBOVlNCIA.
EXPEDIENTE DO DA 27 DE OUTUBRO.
Officio.Ao Exm. blspo diocesano, trans-
Litiindo copia m*M de.10 'I" frente
ern aue o Exm. minmtro ti justica determi-
na aue ci-sse o pagsmenlo que al agora se
lem frito a vigario gem deslo bispado,
visto que, nilo fazendo elle parle ta calhe-
dl nem sendo propriamenle parodio, nflo
i <> node entender comprohendido m dispo-
Sir-So lo ti 8. arligo 3." da lei n.' 514 de 28
,lei oulubro do anrio prximo psssado.
De eul leor ao inspector da thesourari de
fazenda.
pito _Ao commandanle da pnca, or-
denapdoquod esecucflo ao aviso deque
remelle copia, expedido pelo ministerio da
guerra o exm. presidente da Balii, acer-
es do primeiro lenle do quatto batalliBo
de arliluarie.a p l.uiz Pedro de Moraes do
esquila Delamare. Inleirou-se o mesmo
irp Hito. Ao mesmo, communfcando-He
Ues. M Imperador, segundo constou de
Insudo ministerida guerra datado de 15
do rorreiile, bouvd por bem prorngar por
Inualru mezes com sollo simples a ticenca
Icom que se acha na proVIhcla de S m-Pedro
do sul o lente do oilavo ba'.alho de oca-
dores Francisco Frederiro Figueira de Mel-
lo. Fcz-se igual conimuniC8C,ao paga-
ron militar.
Dit. Ao mesmo, iransmilundo copia
Ido aviso de 6 do crrente em que o Exm.
Uitualro da guerra declara que se nilo deve
tonce.ier liceiicas sos ofllciaes de outras
[provincias que exislam tiesta, ou por aqu
pa.aem, e recomm-nda o pontual cumpri-
niento do que su determinou em circular do
l/deegoelude 1846.
Dito. AO mesmo, dizendo que, em vis-
ta duques. H- infoimouem nlTlcio de26 do
correin\ resolveu a piesidencia que o ra-
piln Tristflp Po dos Santos passe a exercer
as r-inrcO'-a de mandante do segundo bata-
Itifio de arlilhaiia a pe a que perlence, e que
0 capitn reformado Antonio Benedicto de
Aiiitijn Pernambuco v commanlar urna das
cumpanhins da guarda nacional destacada.
Scieutilicou-se o inspector da pagadoria
militar
Imo. Ao mesmo, remetiendo copiado
avi-o de 10 do rorrenle em que o Exm. mi-
nistro e secretario de eslado dos negocios da
guerra ordena que se Inc enviem, no Ijm de
cada auno, as cunlaa das diversas caixas dos
corpos dos exercitos.
Dilo. Ao mesmo, inleirando-o de que
por aviso 8o lMnlsteriO" da guerra, datado de
2 do corrente, liouve S. M. o Imperador por
bem conceder 3 mezea de lieen^a com sol-
do simples ao primeiro lente do corpo de
ngenheiios Frederico Augusto do Amaral
Sarment Menna, para ir ao Mi-Grande do
sul tratar dus arranjos de sua Tamilh.
Dito. -Ao mesmo, scientilicando-o que
S. M. o Imperadur por decreto de 3 do cr-
rente, segundo constou de aviso do minia-
teiioda guerra datado de 8, houve por bem
reintegrar no posto de altares para o segun-
do lialulliSp'de cagidores a Manuel Poiflrlo
de Castro Araujo, ex-alferes do estado-
maior do segunda classe do exercilo.
Cumtsunicou-sc so inspector da pugadori
militar. Kxpediram-se as convenientes
oidensafim deque o referido Porlirio fos-
se dispensado do lugar de ajudante do cor-
\ de piiDcia e seguase para Agoa-Preta a
teunir-se ao nirauo balalliHo. .
Dilo -Ao mesmo, ordenando que d cum-
primenlo ao aviso de 12 do correlo de que
remette ciia, no qual o Exm. ministro da
guerra determina que siga para a edite
com guia de passagem para o segundo ba-
UlliAo de fuzileiios o primeiro cadete do
qusrlo de ariilhai i Lua Vicente Vianna.
Inleirou-se o Exm. presidente da Bahia.
iio.--Ao director do arsenal de guerra,
aulorisaudo-o a despender a quaulia de
275,000 ra. com a cumpra de azeite, velas,
lio de slgudSoe pavios para fornecer luzus
aos corpos, guardas e fortalezas da provin-
cia em o mez de noveinnro prximo futu-
io.-Scienlifieou-se o inspector da pagado-
ria militar.
l)ilo.--Ao mesmo, concedendo-llie auto-
rs. (_-, par despender quantia de 651,560
ts. com a compra dos objeclos nocessarios
para saiisfazer um pudido do commandanle
ua companhia fixa de cavallaria com o qual
devembear jui-las asconlas do farJamento
que vencerm as pracas da referida coann-
nlinatSl de-agosto ultimo.-- Inteirou-ao
11 inspector da pagadoria militar. .
'Mo.Ao mesmo, enviando copia do avi-
so do riinislrio da guerra de 8 do correte
acerca do proced ment a adoplar-se sobre
os furneeimtntos que.pdem fazer os arse-
uies de guerra, independonte de ordem es-
pecia.
Hilo.Ao commandanle da corveta D.-
1 anuaria, co nnuinicando que, segundo
coiuuu de aviad do ministerio da marinha,
datado de 17 >le selembru ultimo, f"i no-
n"'4u o cajiilSo lente Francisco Xavier
'e Aleahtara para o substituir no comihan-
du da referida corveta.
llo.AocomniHi danle interino do bri-
6'ie-eseuna Legalidad:, ordenando-llie que
tiitreg'u o cumulando do referido brigue
o capitlo tenoiito Lourenjo da Silva Arau
substituido pelo primeiro teen te Jos Pe-
reira de l.ima Campos.--Expediram-se neste
sentido as convenientes ordena ao referido
commandant do brigue-escun LegaU-
daie.
hito.Ao director do lyeu, ordenando
quo ponha a concurso a cadeira de primei-
ras lettras para o sexo feminino, estabele-
cida em acidado da Victoria.
Dilo.-A dmlniatrac.lo dos estaboleci-
mentos de caridade, par que mande rece-
bere tratar no grande hospital o Africano
livre de nome Joo que lhe ser mandado
apresentar pelo director do arsenal de guer-
ra. Inteirou-se o referido director.
l)to.-Ao administrador das obras publi-
cas, ordenando que remeta em original as
informarles que deram os inspectores do
estrada a respeito do pagamento do 12 *
lanco da estrada do Pao-de-Alho, para que,
i vista dellas, possa a presidencia resolver o
quo for justo te-rea do requerlmento de
Jos Patricio Fernandos.
Dito.Aoengenhero JosMamede Alvos
Ferreira para que, proeedendo aos conveni-
entes exames sobre o meihoramento do lo-
cal do crrelo desta cidade o desperas a fa-
zer com os commodos que sfio indispensa-
veis a referida repartieflo, informe com o
seu parecer a respeito, allm deque a pre-
sidencia possa dar cumprimenlo ao aviso
do ministerio do imperio, de que remelle
copia.
TRIBUNAL DA HELACA.O'.
eESSAO DE 30 DE OUTUBllO DE 1849.
raasioRNcu do
CONCCXtlEIRO
EXM. SF.NIIO
AZEVBDO.
K
Ainasonas que para elle fra nomeado,
mo cunslou de aviso do ministerio da
"A- nlia, datado de 4 do coi rente
Cno.- Ao commandanle do Urigue-escu
a Calliope, ordenando que pssse para bor-
do do brigue Legalidad* o segundo lente
Padro Augusto de Figueiredo, o qual ser
A' de horas da manhaa, achando-se pre-
sentes os Srs.desembargadore Ramos, Villa-
res, Matos. |,eoo. Souza, Rebello, Luna Freir
e Telles, faltando com causa nSr. desembarga-
dorPouce, oSr. presidente declara aberta a
seisao.
JULQtMEirTOS.
AppellacSo de hnfceai eorpu em favor de
Francisco Pedro de Vasconcellos preso com o
rime de Francisco do Reg Barros. Fol de-
ferida com a soltura do paciente.
Aggravo de pelieao de Joao Berangcr con-
tra Jos Antonio l.ourenco. Nao teve provi-
inento.
Apptlla(dei crimti.
Appellaiite. o juli de direilo ; appcllado, An-
tonitO\odrgues da Costa. Julgou-*e pro-
cedele, e se mandou a novo jury.
Appellante, ajustifa; appellado, Marcos ioa-
re de Souza. Julgou-e procedente e se
mandou a nbvojury.
Appellante, o juizo appellado, Octaviano da
Silva Sou/a. Teve o mesmo julgamento.
AppeUate, o juizo ; nppellados, Florencio
Soare fiamos e Joo Damaceno da Silva.
Teve o mesmo julgamento
Appellante, o juizo; appellado, Sevenno Jos
Barbosa. Teve o mesmo julgamento.
Rceurios crimis.
Recurrente, o juizo; recorridos, o bacharel
Jaaquim Jos da Fouseca e o escrivao Fran-
cisco Ignacio de Alhayde. Foi continuada
a senlenca.
AppellacBts civeil.
Appellante, Antonio Domingos de Almeida Po-
jas ; appellado, Jos Oernardino Leal. he
mandou ouvir ao Dr. curador geral.
Appellante, I). Maria Helena Pessoa de Mello
e Pedro Cavalcante de Albuqueiqne Lins ;
appeliada, a viuva de Joaquim da Silva Pe-
rcira. -Fram desprezado os embargo dos
appellanlt-s. *
Apprllaiilcs e appellados Manocl Claudio de
Quciroz c a faicnda nacional Se mandou
averbar a dlsima.
Appellante, Romo de Souia LisliOa ; appella-
do, o curador heranea de Jos Antonio de
Moaes. Foi confirmada a sentenca com a
declaraco de seren as cusas singelias.
Appellante, Manoel Jo de Siqueira e Fran-
cisco Manotl de Siqueira; appellados, Jos
Francisco do Reg Barros e outro.' FOraiu
desprezados os embargos dos appellados.
DESIGNACE.
Fol assignado o l.'dia til para o julga-
mento da aeguintc appellaces crime* :
Appellante, o juizo; appellado, Pedio Jos da
Chaga.
Appellante, Joao Vieira Capero ; appellado, o
juizo.
Foi assignado o primeiro dia til para o Jul-
gaineoto das seguinte appella{0e civei;
Appellante, Delllno do Aojo Teixeira ; ap-
peliada, a fazenda nacional.
Appellante, Antonio Jo Pereira; appeliada,
a fazenda geral.
EVISES.
Patiaram doSr. deeuibargdor riamos aoSr.
desembargador Villares a appellaco crime em
que sao .-
Appellante, Jos Antonio d Trlndade; appel-
iada, a justlca.
Do mesmo Sr. ao =r. desembargador Villa-
re a appellacao clvcl em que sao.
Appellante, Antonio Fernanda Itibeiro ; ap-
pellado, Maupcl Florencio Alve de Morsc.
Paaaaram do Sr. deiembargador Villare ao
Sr. desembargador Balo a appellace ci-
vei em que sao :
Appellante, Francisco Xavier Cameiro; ap-
pellado, Antonio de Sonta bilveira.
Appellante, JoSo Dia Macleira ; appellado, Mi-
guel Jus Salgado.
Appellante, Bern.rdo de Sena Dia e outro ;
appeliada, D.Joanna Francisca Naciel Mou-
teiro a.D. Ano Joaquina Madel Monleiru.
Passaram do Sr. desembargador Leo ao Sr.
desembargador Souza a appellacocs civels em
que sao :
Anncllaute, Filippe Francisco Cavalcante e
A ,' muJher ; appellado, FranciscoRodngue.
AipeManle, Anlouio Borge da Fonseca ; ap-
enados/os adu.iuisuadorea do patrimonio
dos orpuiot.
Appellante, Joaquim da Silva Catro ; appella-
do, Antonio Joaquim da Silva Castro.
Do mesmo Sr. ao Sr. deembargador Souza
a appellacao crime em que ao :
Appeltantes, Cactano Joaquim da Cunha e
Joao, eseravo de Jo da Silva Reg e Maia
appellado, o juizo.
Pissou do Sr. desembargador Souza aoSr.
deiembargador Rebello a appellacao civel em
que sao :
Appellante, Jos Carlos Tclselra ; appellado,
Joaquim Jos Pereira deSant'Anna.
Passoudo Sr. desembargador Luna Freir ao
Sr. desembargador Telles a appellacao crime
em que sao :
Appellante, Pedro Pereira do Santos; appel-
lado, o juizo.
Passaram do Sr. desembargado!- Telles ao Sr.
desembargador Villares as appellacs elveis em
que sao:
Appellante, Francisco Jos Barbosa ; appella-
do, Antonio Gomes Villar.
Appellante, o juizo de ausentes desla cidade
appellados, Bernardo Lasterre al C.
Appellaulcs, o reverendo gusrdiao do conven-
to de San-Francisco e o syndico do mesmo
cunvento; appeliada, a fazenda nacional.
Do mesmo Sr. ao Sr. dcseiqbargador Ramos
a appellacao crime em que sao :
Appellante, o juizo; appellados Antonio Ma-
imci lio Nascimento e outro.
DisraiiuicE.
Ao Sr. desembargador Bastas a appellacao
clvcl delta cidade em quo sao:
Appellante, Jos Joaquim Umbellno de Miran-
da ; appellados, a viuva e berdcirofde Fran-
cisco Hernardo Alve Ferreira.
Ao Sr. desembargador Leo a appellacao ci-
vel desta cidade em que sao :
Appcllantes e appellados conjuntamente, Joo
de Souza Lima e Jos Antonio de Souza Quei-
roz
Lcvantou-se a sessao s dua horas da tarde.
fileiras, pelo menos, acliava-se autorida.lo sem recelar grande perigo ia liberdades o
regular, frga pratica e um prorositafirm
de combater e subjugar forcas irregulares o
projectos chimericos, ao mesmo lempo que
desastrosos e impotentes; desta modo o
segundo acto, ou poriodo desta poca, foi
inlroduzido pela reconquista systematic
do terreno ltimamente ganho pela ro-
volucflo. .
A primeira eis-iioi destas balalhas loi a
luta doscince das de junho de 1848 as
barricadas de Paris; porque, se a Krnc deu
o signsl desta cotnniocSo Reral, om nenhu-
nia parte a resistencia subsequente e a ro-
pressilo Ordenadas por toda a naco foi tilo
elllcaz e completa. Ocerco de Vicnna em
oulubro do mesmo auno nilo foi menos ler-
rivel. porque naquelle ponto foi que os ul-
tra-demcratas da Allemanha eos Hnga-
ros accordaram cm destruir e dissolvcr
aquelle imperio que sabiam ser seu princi-
pal adversario as tres grandes divi0cs da
Italia, Allemanha e Europa Oriental. Na
Italia luta [ul terminada pela hatalha do
Novara no norte, e pelo ataque de Boma pe-
los Fmicezes no sul. A Sicilia foi suh-
iugadn por seu proprio soberano. A Al-
lemanha eslava ainda espantosamente
agitada; porm a Prussia, leudo j restau-
rado a sua poltica, debaixn da direPQilo de
um ministro corajoso, eapoiada por todo o
l.andwcbr, sabio a campo, o a balalha de
Drcsdcn, seguida de urna rampanlia em
Badn e no Palalinado, estenderam ao mes-
mo tempo a sua propria influencia, e res-
laurarm a paz. Smente a Hungra o Ve-
ne.za permaneciam em armas ; mas queda
de Kosstilh ea derrota de Bem fram logo
seguidas da submissffo dfl Ceorgy, danilo
isso liiKara que Paskiewlch podesse dizer
que a Hungra jaza aos ps do um impera-
dor moscovita ; alm disso e denlro de
poneos das esperamos ser informados da
capilulacfto de Veneza, a qual j foi pedida
por urna grande parle dos habitantes da-
quella cidade.
Tal he o estado em que se ncham as na-
Cflcs continentaes da Europa : urna revolu-
(Ho tumulluosa foi supprimida pelo poder
militar; os inlrresses e os recejos da
grande maioria da populac.lo levaram-na a
procurar ou aceitar este abrigo contra a
tempestarle; e o principal cuidado da so-
RelacXo iloi feilai aprtienlados de.id al 30
do mez de oulubro prximo paseado na ee-
crtlaria da rilado, que fram dxslribuidot
e levam o nome do ticrivdo (i margim.
A appellacao civel do juizo do civel desta cida-
de em que sao: appellante, a viuva tirito tt
Fllllds; appellado, Hartholomeo Francisco
de Souza. Eicrivo Ferreira.
A appellaco civel do juizo do civel desla ci-
dade cm que sao: appellanic, Jos Joaquim
Umbellno de Miranda ; appellado, a viuva o ..,...-..- ...,,.....,.,.-.
herdeiro de Fiancisco licrnardino Alves de ciedade fui e he anda a propria deronsa.
Souza. Porto-Cari elro. Porm, tendo silo levadas as cousas a
i\ appellacao civel do juizo do civel desta clda-'esi pllltto, iJe-se dizer que entramos
de em que sao : appellante, Jus "alheus ; Bora tercera o mais importante dlvjs.lo
appellado, Jul.ao Tegellmelr. Poslhuiiio. I ^ cr% c |ie porlanto do maior inta-
A appellacao civel dojm/o do cvel desla c.da- examinar qilfll a poltica que rest-
^r^SSJSiSA^^^^^n nh -Tne,.rfuso in-
deira i teri,- se,ll lmbem a estahilnhdo e a paz.
A appellacao clvcl do juiso do civel desta cida-. A ffl-ca dus exercitos conseguio comprimir
de rm que sao: Appellante, Joao Francisco a frca das revoluefles; porm nilo poder
Retis Coelho e sua inulher ; appellado, Joao fa2er mg js (,ue SS0- Muito eslimamos que
Fillppede SouzaLeo.Pasthumo. |U(|) l3o grande mal lenha sido tilo vigoro-
Orecurtocrimedojuidedireitodoceara em sarne|)(e 0mbalido, porque ciemos que o
aue so: rfcorrenie, .,oa9ul"'*"re^"ae uiumplio do partido opposlo (cria exposto
Souza Jacaranda; receido, ojuizo. -Por- i mu I^ g ^HmiM^ ..finitas, e tera
Aappe"lcao0'crime do juizo de dlreito desla feito retrogradar a onda da lberdadeeda
cidade em que o : appellanic. Joo llaplis- "
ta rereira Lobo Jnior ; appcllado, o juio.
Uaudeira. ,,..,,
recurso crime dojulio de dlreito do Limoei-
ro cm que sao : recorrente, o julio ; recor-
rido, Joao Jacintbo Raposo de Araujo. -^
Ferreira. '
A apnellacSo crime do jury do Limoeiro em
qu o : appellante, Manoel Pedro Ferreira;
appellado, o juizo. Poslbumo.
Relacao do feilot que, por nao ierem procura-
dos, deixaram de ser distribuidos.
A appellacSo civel desta cidade em que sao:
appellante, Joaquim Goncalves Vieira Gui-
marnes e Jote llygino de Miranda; appella-
dos, o administradores dos estabelecimen-
to de caridade desta cidade.
A appellacao clvcl desta cidade cm que sao :
appellante Antonio Pereira; appcllado,
Francisco Bibeiro de llrilo.
A appellacSo civel desta cidade em que sao :
appellante, Joaquim Antonio do Foruo ; ap-
pellado, Jos da Cosa Guimaraes.
A appellacao civel do juizo da fazenda do Cea-
r; appellante o juizo; appellado, o syndico
do sanios lugares.
XTERIOH.
O ESTADO DO CONTINENTE.
Londres, 28 de agosto de 1849.
O primeiro acto do grande drama da his-
toria europea, que nestes ltimos mezes
lem sido representado liante de nossos
olhos.foi todo de Violencia incoherenlee ge-
ral consternado. As Torcas latentes da revo-
luc/lo romperam cem intensa energa e pro
curaram reformare dirigir o mundo.eos es-
tadlistas de sua parle, os soberanos, os exer-
citos, todos fugiram dianle do terremoto,
abysmaram-sc as ultimas extremidades do
temor e da roncessSo. N3o era de crer que
esta condicOo dos negocios humanos fosse
duradoura, po quo os eneres revoluciona-
rios esta va m tilo pouco preparados para ex-
ercerem o poder supremo que urna eatas-
tropbe inesperada lhe pozera as mios,
quanlo o estavam os governadores eslabe-
Ircidos da Europa para renunciarem esta
tutoridade quo se julgava ser a salvaguarda
da propria sociedade. Em poucos mezes a
revolucOo toniou-ae mais ridicula, ou mais
odiosa, e os seus adversarios mais unidos o
mais animosos. A populscOo da Europa co-
nheceu que os gevernos que ella linha dea-
prezado e destruido eram menos incoramo-
do o arbitrarios do que aquelles que linha
ullimamenle instituido. O mal era real e
positivo, as scquisiQoes do futuro visiona-
rias ou falsas. Os exercilos em toda a par-
le permanecer) lirmes, e aumente elles
representavam um poJr organisado, ba-
scado em principios conbecidos. Em suab
independencias da Europa.
Fallando claro, a allan?a russa que -
Austria foi obrigad a aceitar por causa da
invasilo italiana, e dos demtgogos da Ala
lemanita, assombra o gabinete d Vienna, -
acha-se agora cimentada pela guerra huno
gara. O papel que a Austria, comquant-
talvez constrangidamenle, est preparado
para representar nos negocios da Allemanha
e da Europa central he necessarimentea
um papel russo. ABaviera e 0 Wurtem
herg unem-se meim comhinaeSo pelo
temor da revoluco e pelo odio d supre-
maca prussiana.'enSo ser* para admirar
que a Franca, no que respeita aos oulros es-
tados do continente, siga a mesma direc-
q8o o quo as opinides pessoaes e desejos do
l.uiz Napolelo sojam calculados para pro-
mover mais oslrcta allianca com o gabi-
nete deS.-Pctersburgo. lio certo que estes
acontecimentos hbilmente- empregados pe-
la pnlilcadnconde do Nesselrodo.eajudados
poderosiimento pelos exercitos do impera-
dor na Hungra, teem estondido o poder da
Itussia na Allemanha meridional a mnaex-
tenso sem precedentes, o que ella esta
preparada para representar qualquer papel
Suejulgar proprio, ou para dirigir os papis
os oulros, as prximas questOes que se
suscitarem nessa parlo do continente.
He digno de observado que esta parte do
continente lio precisamente aquella em que
o partido rcpublicmo tem desenvolvido a
maior audacia e violencia. Os canto ;s suis-
sos concedem um commodo refugio aos in-
surgentes allemaes. Os governos menores
nilo leo.n forcas bastantes para conter seus
proprios subditos descontentes, e multo
menos ainda para reuellir os ataques dos
bandos de sediciososvagabundus. A opmiuj
expressada pelo gabinete da Russia tera,
portento, a maior influencia sobre a sorte
desta vast cadeia de estados quo se estende
desde as nascentesdo llheno e do Danubio
al as suas proprias Ironteiras. A poltica
destes estados ser dirigida por um Syste-
ms, cuja chave estar as mSos do impera-
dor Nicolao ; porm, entretanto que vemos
com anciedade e pozar esta mudanca na
dstrbuicjlo poltica do continente, anda
nflo perdemos a esperance de que o gabine-
te russo renunciar s intenses despticas
e violentas que commummente lhe sao im-
putadas. Se o czar russo he annimado do
desejo louvavel de preservar o poJOr, o as-
segurar os dominios de seus elliadosdaag-
gressilo revolucionan, deve saber que no
estado aclual do mundo nenlium governo
pJe existir contra a vonlade da nacSo, ou
sustentado smenle no apoio aborrecido da
bavonetas eslrangeiras; elle deve saber que
a restaurarlo da ordem e da paz depende
da moderadlo do seus proprios conselhos.
(7'inwi.)
j^atgaararriii aun iiW^s^s.
PE.NAMBUCO
BAI.ANCO DA UlCEITA F. DESPF.7.A DA CA-
SIAIt.V MUNICIPAL DO RECIPE NO MF.Z
DI) OUTUMBO DE 1849.
civilisacilo para a sua origem; todava, se a
lula seaclia as- nada, as questOes por ella suscitadas, silo
da maior roegnilude e de una urgencia
peremploria. Sobro que principios deve-
rilo ser dirigidos os negucos da Europa ? Aluguel daslojas da pra-
Por que moio se devero satisfazer as justas ca da Independencia ns.
esperatiQas o os desejos de naces nitelli- i a 17.
gentes ? O que devercnios esperar, quando Djtoda prac,a do mercado
as enmas lomarem outra vez o seu curso da freguezia de S.-Jo-
regular? O que podera restaurar entre os
governanles e os goveruadus essa reunifio e
Confltnca, sem a qual nenlium estado pode
ser poderoso, prospero, ou seguro ? Como
se dever evitar um novo rompimento da
rovoluco Responder a estas quesld? he
o dever o a larefa du lodo o estadista. Na
confusflo do conflicto podo ser suRlcienle
prover aos perigosdodia ; porm presen-
temente he necessario olhar mais longe. A
forca reprime, mas nflo cura o mal.
Confessamos que, romquanto n3o hesi-
tassemos em darenosso apoio a medidas
que eram obviamente necessarlas para dcs-
fazero Iriumpho da anarchia, todava nun-
ca desconhecemus o extremo perigo de taes
medidas, nu caso que dellas se abusasse.
O movimiento quo seguoa rcvoluQilo de
feverciro tem tido directores mesquinhos,
illusGcs grosseiras e principios perverti-
dos ; porm nflu podemos julgar 13o mal
do scalo em que vivemos, quesupponlia-
mos queoefleilo do suas maiores aspira-| 0 s.-Jose, us. mu.
cOcs pela liberdade ser smplesmente ca- dj(u por nfraecOes de
hlr parausado debaixo das garras deumj postura da freguezia da
despotismo militar. Nos precisamos de bas- Ba-Vista, ni. 1 a 10.
tante liberdade para salvar a sociedade;!
porm precisamos tatnbem de bastante or-
dem para salvara liberdade.
Se a .influencia desle paiz tivesse sido
prudentemente poupada, e moderadamente
exercida, elle teria fallado em umlal mo-
mento com o mais benclico effeito nos con-
celhos ufa Europa; porm, entreunto que
quasi nada tcinus feito que nos d direilo
lleceiia.
s, n. 1.
CordeaQese licencas, ns.
I a 18.
Imposto de 2,000 rs. so-
bre mscales e bucetei-
ras, ns. 1 a 16.
Talhos dos acougucs p-
blicos, ns. 1 a 10.
Cusas pagas por partes
vencidas, n. 1-
Mullas peloregulamenlo
n. 1-20 de 31 de Janeiro
de 1812, n. 1.
Dita por infraeqoes de
postura da freguezia do
Recife, ns. la*.
Dita por infraeces de
posturas da reguexia
de Santo-Antonio, ns.
1 a 5
Dita por nfracc/3es de
posturas da freguezia
deS.-Jos, ns. la II.
6*8,900
200,000
133,620
33,000
492,000
7,150
247,000
66,000
68,000
90,000
92,000
------------ 316,000
2:076,670
Balancoa ravor do procurador. 18,305
Beis 2:094,975
Payar*
Ordenados e commiss-lo relativa
em nenlium eslado eslrangetro, temos se- ir,3 Vdo predios (por conta
meado um olio incuravel e urna grande j. TliomazdeAquinoFonseca ^
gentes inglozes no peito .
913,319
163,400
descondanca dos agentes inglozes no pe
de lodo o ministro proprio para exercer
urna influencia sobre estas IransCCOc. A
Russia e a C>ran-Brelanlia eram as duas po-
tencias que estavam debilitadas para per-
manecerem em urna itiludo expectadora
durante o CJlor da lut. Ellas o lizeram
com sentimenloseesperaocas diferentes.
Ellas occupavam-sen5o do presente perple-
xo e transitorio du liurupa, porm de seu
momentoso .uturo Entretanto que a In-
glaterra se tem desviado e ailienado de lo- ^- ^r-: ^-M ..
Sos us principios eslabelecidos deau. po- efe, 31 de oulubro de 1819
htica, a Russia lem-se elevado a um grao rte 'O contador,
poder e eminencia, que nao podemos ver, .. ^ Manoel Gregono da Silva,
n. 1.
Cuslasde processos de infracQOes
n. 1
l.iiiipeza das ras, ns. 1 alo.
Eventuacs, ns. 1 a 3.
Extraordinaria ("divida pretrita)
por con ia ao Dr. Joao Ferreira
da Silva, n.l.
300,000
9,816
178,8
29,5
500,000
Ris. 9:094,75
Contadona da cmara municipal do Re-
-
MUTILADO


I! EITOIIKS DA FHEGUEZIA DE SANTO-
ANTONIO.
os SBS. VOTOS.
Venancio Heniiqua de Rezende 361
Antonio Joaiiaim do Mello 360
IlodnlphoJo'io Barata de Almeida 360
jofio Valenllm Villela 360
Domine* AflbUaO Nery Ferreira 359
|'."i,iii Jn Fernandos llarros 359
Vicente Thomaz I, de F. Camargo 359
jnjTo Pedro de Araujo eAguiar 35*
Manoel Jos da Silva tolva 358
Flnr>nno Corre a do B'ilto 35K
Jo< Ignacio Soares de Macedo 357
J-a-iuim Jos da Fonseca 357
Jnflo Antonio de Caula Rodrigues 356
Francisco Joaquim Pereira Lobo 350
i:PianoPmt<> de Veras 347
Fraw isco fcncaa Ferreira 347
Joflo Alhannsio Bolelho 35
Jos K*Mo Ferreira 35
Theodoro Alachado F C. da Silva 344
Joflo i "" KosU l''h*iro ni*
Jos Hile foneo K. daS. Dutra 344
Francisco "" 338
Francisco de .p"ul" echado. 338
JoflO Pereira da M*Mr 338
Ca tao de Assis .. *nno 330
Joflo Baplisla 'le A.ra.''J 326
Geraldo Cor e L Jos llibniro SimOes 320
Antonio Jos Monleiro'' 304
Sl'PPLENTES.
Francisco de Paula de Queiroz fl 216
Mniinel Alvcs Guerra Jnior -210
.loflo Jos Ferreira de Aeuiar 104
Manuel Nnrberlo Jorge Goncalvcs 32
Antonio Jos de Oliveira 30
Joaquim Pinto de Campos
Alannel Joaquim Comes 20
Antonio Epaminondas de Malta 20
Leonardo Antunes Meira 20
Vicente Pcreira do llego 16
Jos Francisco de Paiva 16
Joflo Manoel de Castro 16
Jos Rento da Costa 16
Antonio Rangel de Torres Itandeira 16
SebasliS LopesCuimarfles 16
Jos Alves Guerra 16
Firmino Jos de Oliveira 16
Jos Bernardo Calvflo Alcanforado 16
Josc Francisco Alamede de Almeida 16
Claulinn Benicio Machado 16
Caetano Jos Mondes 16
Joo Florines Diiis Brrelo 16
Liii7 Antonio Alves Mascarcnhas 16
Manoel Antonio de Jess 1"
M:iiii'-I i.onc-.ilvi's Agr Jnior 14
Joaquim llenriques da Silva 14
Antonio Ignacio de Torres Bandeira 1*
Jos Narcizo Camello 1*
Joflo Hermenegildo Borges Deniz 11
Caelano (iomesde Sa 1*
Joaquim Francisco Francisco Anloma Alves .Mascarcnhas 6
Prxedes da Silva Gusin.lo 6
Alexandre de Souza Pereira do Carmo 6
Antonio Francisco de Motir 6
Francisca simOes da silva 3
Joaquim Teixeira Pcixolo 3
Jos dos Sanios Neves 3
Mnnoel Figucirda de Faria
Jos Antonio da Silva Junior
Itorthnlomcii Francisco ilc Souza
Francisco de Paula lljptista
Jacome Gerardo U. L. de Mello
Francisco Muniz dos Anjos Paula
Tito Fiock Romano
Bernardo Rebrllo de Souza Pereira
Jos de Unto Inglez
Josl'r-ncisco Pinto Cuimarfles
Antumn Luiz dos Sanios
Pedro Doruellas Pessoa
FranciCo Jos Pereia Braga
ELEIT6RES IU FIIEGHEZIX DE SAN-JOSE'
110 BECIFE
OS sus.
Joaquim Villela de Castro Tavares
Joaquim l.ncio Monleiro da Franca
Manoel Jos Teixeira Bastos
Francisco Carneiio da Silva
Joaquim Juae 'losSantos
Aiitoiiiu Moreira de Mendoza
Joflo Moreira > Francisco Ba|-Mta de Almeida
Antonio Fe'rir Das
Torqualo Henrique da Silva
Innocencia da Cunha Goianna
Antonio Lope Peeir de C-rvalho
.Mano. I J-iaquim Ferreira Esteves
Joaliniano Antonio Alves Soares
Carlos AugUi-lo de Araujo
Manoel de Almeida Lima
Tiioinaz Pereira Pinto
Antonio Jos i..n it-iia nc Mello Junior
Joflo Rodrigara d Moura
Francisco Jos Vianna

&L\
OS SBS. VOTOS.
Joaquim Jos Cyriaco 102
Manoel Estoves de Abren 93
Francisco Esteves de Abren 88
Jos Theodoro de Moraes Lina 55
Antonio Jos Coelho 46
Ignacio lu/ de Mello 44
Antonio Marlins Je Moraes 25
Manoel Pinto da Silva 23
lo-m Vicen'.e da Silva Costa 21
Jos Lourenco Meira de Vasconcellos 20
Antonio Flix dos Santos 19
Kduardo Soares de Albergara 18
Fiiippe Jansen de Castro e A I i. ]iierque 17
Manoel Nor'oerlo da Costa 16
Diouiziode Souza M. deII. F. Tavora 15
Francisco l'ereira Marques 15
Correspondencia.
Srs. redactores. Illudido por pessoas quo
suppunha serom meus amigos, lz. inserir
urna correspondencia contra o Sr. Joa-
quim Antonio dos Santos Andrade, na
qual o offendi atrozmonte; e, como confiero
oerroquefiz, peco, Srs. redactores, que
mo (ubliqncm estas linhas, afim de pe-
dir aoSr. Andrade desculpa de meu erro.
Ilecife, 30 de outubro de 1849.
ominr/ot ot Ferreira (uimnres
'.GMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimcnto do dia 3). .
R EN DI MENT NO MEZ DE
184.
Rendimcnto total.....
Rcstituiqocs.......
Direilos de consumo.....
Ditos de 1 por cento de reexpor-
tado para os portos cstran-
geros.................
Ditos da 1 por cont doreexpor-
tacflo- para os portos do im-
perio ................
Expediento de 5 ";. dos gneros
coro carta de guia........
Dito ilo meio por cenlo dos gene-
ros do paiz............
Armazcnagcm de 1 por cento das
mercaderas.........r ;
Premio tos assignatlos de meio
por cento...........
Mullas calculadas nos despachos
Hilas diversas.como do livioa II.
Emolumentos de certidoes c-
modo livro a fl.........
Imposlos dos despachantes ge-
raes, como do livro a II. .
Feilio dos ttulos dos mesinos,
dos caixeiros despachantes o
ajudantes ditos, como do li-
vro a fl................
Taxa do sello dos meamos. .
. 10:675,224
OUTUIKO DE
. 371:536,220
191,698
.171:344,522
. 365:393,425
11,280
41,142
289,027
117,206
1:513.673
3:600.173
310.384
276,532
17,320
250,000
14,400
960
Traiispoito
Dito do assucar do
Coar
Dito dito do Rio-Gran-
de-do-Norte
Depsitos existontos.
Ditos sabidos
1:186,812 16:879,436
121
3,016
-------------- 1:189,979
18:069,415
3:175.097
2:038,169
2:113,384
6:790 652
333.8*0
1:437.080
6:518,919
1:575.575
500 000
122,867
1:285,400
264,300
396,800
40,000
30.000
25.600
Rcctita extraordinaria
371:344 522
48,372
371:392,894
Rend.ment do mez de outubro
de 1848...............198:733,989
Difirenos para mais em 1849 172:658,905
Deposito!.
Em balando no ulti-
mo de se lembio .
Entrados.......
Sabidos
5:052.571
14.702,475
19:755.046
17:566,889
VOTOS.
221
220
217
217
216
215
215
214
212
205
20,.
202
ao
'96
19,
190
190
188
18-
7|
2:188,157
Allandega de Pernambuco, 31 de outu-
de 1849. O escrivflu, liento os Fernandes
llarros.
Rendimcnto da alfnndega
de l'ernainbuco nn 1 '
trimeilrt -lo unno finan-
cetro de 1819 a 50.
O administrador,
Jo3o Xavier Carneir da Cunha.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmento do dia 31.....1:183,306
RENDIMENTO DO MEZ DE OUTUBRO
DE 1849.
Mimtos de3|
Dito de 5 'i.
Tasa
Capatazia
Decima
Meia siza dos eseravos
Sello de herancas e legados
Novos e velhos direilos
Consumo da agoardente
Meio sold e sello das patentes
da guarda nacional
Imposto de 12,800 rs.
F.scravos despachados
Matriculas
Imposto sobre olarias
a fabricas de charutos 12,800
Mulla por infractflo do regulamenlo 200.000
da decima 112,907
Juros 33^24
21:298.848
Mesa do consulado provincial, 31 de
outubro de 1849.--Pelo escrivflo, Joii 6o-
valcanle de Albuquerqut.
IMPORTANCIA dos ren limentos arrecada-
dos pela recebedoria de rendas internas
geraes >Ia provincia de Pernambuco em
todo o mez de outubro de 1849 A sa-
ber :
F.xercicio correnle.
Foros de terrenos de marinha 64.945
Siza dos bens de raz 2:343,398
Direilos novos e velhos e de.
chencellaria 614,616
Dizima de chancellara 610,565
Mal iciil.is do rur-o jurdico o
cartas Me hachareis 17:763,200
Sello fixo e proporcional 4:510 020
Emolumentos doc-rlidOes 6 080
Premios dos depsitos pblicos 427.019
Imposto de lojasaberlas 115,6 >0
26:525,443
Exercicios findoi.
Dcima aditicio >al das corpora-
to S de inflo -mora 269.3.38
Imposto de lojai iberias 1:287.800
Dilodeseges 229,200
Dito de casas de modas 200.000
Taxas deescravus 229,000
RS. 28:7(0,831
Recebedoria, 31 de outubro de 1849.
No impedimento do escrivflo, o primoiro
escriplur.irio Jo3o llodriyuet de Miranda.
M o violento do Porto.
ELEITORES DA FREGl'EZIA DO POCO.
OS sas.
Francisco de Paula do Reg Barros
Antonio Lins.Cahlas
Jos Camello do Reg Barros
Sebastiflo Antonio do Reg Barros
Monsenlior Francisco Muniz Tavaies
Jos Theodoro de Senna
Francisco Cavalcante de Mello
Joflo Fiancisco do Rogo Maia
Jos Ignacio Pereira da Rocha
Florencio Jos Carneiro Monleiro,
Jos Francisco do Reg Barros
Francisco Jos Alves Gama
Joaquim Jos Carneiro Montoiro
Manoel Caelano S. C Monleiro
Jos Francisco do Reg Monteiro
Tedro Jos Carneiro Monleiro
ELEITORES DA FREGUEZIA DE SAN-PE-
RO-MARTYR DE OLINDA.
OS SRS. VOTOS.
Manoel Antonio dos Passos e Silva 455
Josc Ordoso de Qoeiroz Fonseca 453
Salvador Henrique de Albuquerque 452
Luiz Paulino Cavalcante Vtliez de G. 448
Bernardino de Senna Das 447
Antonio Joaquim de A. C. Alcanforado 447
llemelerio Jos Velloso da Silveira 446
\uno Aique di; a A. de Brilo Inglez 446
Cbristovflo Pereira Pinto 445
Jos Eustaquio Maciel Monteiro 444
Vicente Jusimiano liezerra Cavalcante 443
Joaquim Ignacio C. de A. Sariuho 452
Manoel Henrique Cadim 440
Manuel da Poiciuncuia Ferreira 439
Uoaventura de Mello Castello-Branco 438
Antonio Lobo de A. de M llenriques 42
Jos de Mello Cezar de Andrade 417
Antonio Bernardo Ferreira 415
Sl'PPLENTES.
Jos Nunes de Paula m,
Francisco Joaquim das Chigas 105
J.l.llO
Agosto
Selembro
198:168.471
321:819,625
247.984,033
767:972,129
liilVerenca para mais em
1849 a 50 297:044,444
Htndimento da alfandega
de l'ernamuco no 1.
lnmolie.tr 1847 a 48.
Jolln
AgOSlO
Selembro
199:343,140
138 702,127
160:931,022
498:976,289
lde de 1848 a
1849.
162:767.590
181 200 ata
126 979,432
470:917,685
dem de 1846 a
1847
148:551,636
167:715,934
211:993,562
Navio entrado no dia 3t.
Aracaly relo Ass 13dias, hule brasi-
le.iro alinda, ileso toneladas, capitflo An-
tonio Jos Vianna, equipagem 8, carga
sal, palha o mais gneros; a Francisco
Joaquim Pedro da Costa. Passlgeiros, o
padre Jos Gregorio com 1 escravo, D.
Delphina Perpetua da Rocha com urna fi-
lha c 2 eseravos a entregar.
Auvios entrados no dia I.
Itio-de-Janeiro 12 dias, barca ingleza
llioad-Oak, de 274 toneladas, capitflo Ja-
mes Sclo-lford, cquipagem 15, em lastro ;
a RusseSI Mellos & Compauhia.
Rjo Grande-do Sul 26 dias, bi igue brasi-
leiro Liqeiro, de 198 toneladas, capitflo
Joflo Alai ia Solero de Oliveira, equi^agem
13, carga carne : a Leopoldo Jos da Cos-
a Araujo. Passageiros, Joaquim de Oli-
veira Millo, Joflo Vieira Bello, Portu-
guezes.
Navio lahid'i na mtsmo dia.
Ass Rrigue hrasileiro Saciedad, capitflo
Joflo de Heos Peieira, em lastro.
hflo de arrematar em hasta publica.na por-
ta da mesma, no dia 2 de novomhro pr-
ximo futu1 o,depois do meio-dia, 83 duzias
de pentes de chilles para liixos, achados do
mais na conferencia de sabida do despacho
n. 84 de 4 do corronte, de B. Lasserre &
Companhia :.sendoa arremalacflo livre de
direilos.
Alfandega de Pernambuco, 29 de outubro
de 1849. O inspector, Luiz Antonio d
Sampalo Vianna.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que se hflo de arrematar em hasta pu-
blica, na porta da mesma, no dia 9 de no-
vemhro, depois do moio-dia, 7 duzias do
chales de chita com avaria geral, a roque-
riinento de Jones Patn & Gompanhia, na
conformidade do artigo 263 4. do regu-
lamenlo da 22 de junho do 1836 I sendo a
anemataeflo livre de direilos.
Alfandega de Pernambuco, 29 de outubro
de 1849. O inspector, Luis Antonio de
Sampalo \ianna.
PAGADURA MILITAR.
D'ordem do lllm. Sr. inspector da paga-
dura e dado Esm. Sr. presidente de 19 de
outubro presente annuncia-se que, no dia
3 de novembro futuro, se arromatarflo ante
esta mesma pagadoria quarenta cavados: as
pessoas que os pretenderem os poderflo ver
no quarlel da companhia de cavallaria, ti-
rando certas que s 10 horas do referido
dia principiara a mesma arremalacflo em
hasta publica. Pagadoria militar de Per-
nambuco, 29 de outubro de i49. O es-
crivflo, iodo 4'eenio llarbosa.
CURSO JURDICO.
Faco siber aos estudantes do collegio das
artes o do lyceu que, afim de terem nos exa-
mes preparatorios a preferencia que Ins
enneedem as ordena imperiaes, be nnst-r
que inslruam os s*us requer montos com al-
lestados deseus regpeetivos professores quo
abonom a aua frequencia e aproyeitameuio.
011 oda, 27 de outubro de 184. -U padre
Miyuel do Sacramento Lopet Gama, director,
O Dr. M'imi'l ot d* Silv Nrina, juii muaiVip
da segunda vara do termo do Recift, preparador
dosproeeuot que leen dt ser sabmtttid^s ajjury,
por S. U l.e C. que eos guarde, ele.
Fajo saber que pelo Dr. juiz de dirello da
segunda vardo crlmedesla comarca, Alosan.
dre Kernardino dos Reij e Iva, me fui feita a
participado de haver nene termo convocado
a segund* si-ssao oriiin.ir a dna jurados para o
da 28 do proniino mea vindouro pelas nove
borat da uianhaa, paraa qual ahiraui sortea-
dos os 48 jurados que seuuein:
Joi Pereira da Silva, Maooel Francisco da
Silva, Antonio Candido de Alm-id, Francisco
Jos Vianna, Joaquim Leocadio de Frenan,
Joo Paulo Xavier de Salle, Prancisco Xavier
da Cunha, Dr. Antonio Viceuie do Nasciuiculo
Feiloia, Antonio Francisco da Gama, Jos ^e-
zerra Monleiro, Ignacio de Barros llarreto,
Constantino Jos Raposo, Manuel Soares de Fi-
guciredo, Fiiippe Antonio Teixeira de Albu-
querque, Jos Francisco Marinho, Manoel Go-
mes Hallhatar de Araujo, Jos Januario de Car-
valho i'aes Brrelo, Caetauo Mendes da Cuuha
Azevedo, Manoel Paulo (uintella. Aulnuio da
Costa Wanderley, Joo deCarvallio Paes de A11-
ilr.nle, Antonio Jos Pestaa, Joaquim Teixei-
ra Peisoto, Antouio Gomes Leal, Mauoel Fer-
reira Ramos. Ignacio Firmo Xavier, Antonio
Jos Coelho, Francisco Camello Pessoa de La-
cerda, Feliciano Augusto de Vasconcellos, Joa-
quim Maria de larvalho, Ladislao Jos Ferrei-
ra, Manoel Amonio de Soma Uandelra, Jos
Diogo da Silva, Joaquim dos Santos, Luis Pe-
dro das Neves, Francisca Xavier Carneiro t ins,
Jos Maria ScloUer. Antonio lardoso de Quei-
ro Fonseca, Jote Fiiippe da Silva, coronel Joa-
quim Canuto de Figuelreun. Ur. Agoaiim.o da
Mlva Nev, Jos Jeronyino Moiiteiro, Manoel
de Castro de Oliveira Cuimares, Frauciico de
Carvalho Paes de Andrade,.Manoel Alve Guer-
ra Jnior, Jos Francisco do llego Mala, Joa-
quim Bernardo dos liis, Dr. Joo Jos Pinto.
Os ij'iiea bao de servir durante a referida
srss.i 1 ,. ira o que sao pela prsenle convida-
dos, de vendo comparecer, assim como os in-
teressados, uo diae hora designadossb as pe-
nas da lei.
Dado e passado nesta cldade do Recifr, aoa
31 de 011(0 oro de 1849. E eu Jos Afonto (Jal-
des Alean/orado, escrivflo, o escrevi.
Manoel Jos da Silva .V< iei.
528:266,132
Pernambuco, 30 de oulnbro de 1819.
Oescrivflo da alfandega, lenlolot Fernn-
dei Barros.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do da 31.....4:430,671
Diversas provincias...... 84,586
1:515,257
RE.NDIMENTONOMEZDEOCTUBRO DE 1849.
Consulado dsete por
cenlo 12:948,587
Dito de 1i2 por cento 17,600
-------------12:966,187
Ancoragem para fina
do imperio.
Dita para dentro do
imperio
Sello fixo
Dito de ttulos
Certdoes
Siza de 5 p. cento
Capatazia
Mullas
Restituicoes
2:057,974
474,374 .
-----------2:532,348
691,840
2,400
694,240
23.000
173,510
781.215
122,721
17:293,211
413,775
Diversas provincias.
Dizimo doalgodfloda
Parahiba 1:010,059
Dito do assucar das
AlagOas 176,753
1:186,813
16:879,436
EDITAE&
CMARA MUNICIPAL.
Sendo odia 5 de novembro prximo fu-
turo o em que deve ter principio a apura-
eflo geral de votos para depulados geraes
e provinciaes na paco da cmara munici-
pal desta cidade, a mesma cmara, do con-
formidade com o artigo 85 da le do 19 de
agosto de 1846, convida aos cidadflos que
quizerem presenciar es>es trabalhos a cum-
pa ecercm na casa de suas sessOes, 110 re-
ferido da.
Pagoda cmara municipal doRecife, em
30-de oulubro de 1819 francisco Antonio
de Oliveira. presidente --Manuel Ferreira Ac-
cioli, secretario interino.
Jeronymo Marliniano Fiyueira de Mello, des-
embargailur honorario e ihefe de polica (la
provincia de l'ernambuco, re etc.
Faro saber a todas as pessoas, que na
conformidade de meu edilal de 22 do cor-
rente vieram declarar nesta reparlicflo a
quanlidade de armas, plvora, chumbo e
salitre, existentes em seu poder, que, tendo
o Exm. p'esdeute da provincia, por ofll-
cio de 24 do mesmo mez, determinado que
no ai seal de guerra fssem depositados e
guardados os objectos aupraritados, llve-
nlo as ditas pessoas l'az-r recolher dentro
do tres das, contados do da da publicado
do presente editbaos aimaccns daquelle
estaliel.-cimenlo os objeclos que cada urna
mencionou mis suas declararles escripias,
que ludas por mim rubricadas vflo ser
remviiid is ao respectivo director por meu
ofliciu dosla dala. E, par que chegue ao
conbecimenlo dos intersea tus, mandei
que esto se publicasse pttoil/ariu de Per-
nambuco.
Secretaria da polica de Pernambuco, 31
de oulubro de 1849.
Jeronymo Marlinianno Figucira d Mello.
Pela inspectora da alfandega se faz
publico que, na conformidade do artigo 229
do regulameoto de22 de junho de 1836, se
O coronel Francisco Mamedede Almeida, juiz
de paz presidente da mesa paro/ln'al da fre-
guttia de San-Fiei-l'edro-Goncalcet do Re-
efe, ele., etc.
Faco saber aos cidadflos qualificados vo
lanles nesta froguezia, qii" se acha mar-
cado o segundo domingo do mez de no-
vembro prximo futuro para a eleicflo de
eleloresquo hflo de votar na lista s-xtu-
pla para senadores, em consequ 'neis de
ter sido julgada do nenhnni ell'elo pelo
sm. Sr presidente da provincia a que
tivera princiiio no dia 28 do crente, e
por isso cmivi lo aos mesamos cidadflos vo-
tantes para que rompareoam na matriz no
dia indicado pelas 9 horas da manhfla, para
entregarcm su is listas.
Freguezia de San-Frei-Pedro-Gonsalves
do Itecif-, 31 de outub'o de 1849.Eu,
Manoel Joaquim da Silva Ribeiro, escrivflu,
o esciivi.
Francisco Mamede de Almeida.
Deca rfiyfto.
--Oarsenal de guerra precisa comprar
azeite do carrapato e de coco, velas de car-
nauba, lio de algadflo e pavios : quem os
mesmns gneros quizer fornecer, compa-
tecer* psala da directora do dito arse-
nal, no dia 2 de novembro prximo vindou-
ro, -Irazondo sua p'ropusla cum seus lti-
mos pn-cos em ca ra fecha la.
11 Sr. director do lyc-u manda fazer
publico que os exames do lyceu principa-
rflo do dia 5 do novembro por diante.
Secretaria do lyceu, 27 de oulubro de
1849. Jaxuario Mexandrino da Silva ta-
bello Caneca, professor de desenlio e se-
cretario.
Pela subdelegada de S.-Jos do Recife
acham-serecollinlos a cadeia desta cidade os
prelos And 1 e Luiz, o primeiro diz ser es-
cravo de Luiz Moreira de Carvalho, c o se-
gundo diz ser escravo de Theofilo de Souza
Jardim : quem fr seu legitimo Snr.-cnni-
pareca nessa subdelegada coiu os seus t-
tulos para seren entregues.
Subdelegada de S -Jos do Reci/o, 24 do
outubro de 1840. Francisco Carneiro da
Silra. subdelegado Slipolente
Fublfcftca liUerari.
Memorias histricas
da provincia de Pernambuco por
JoscUcrnardo Feriandes (ama,
4 yolunes em oitavo, com.retrato do autor
em trente e diversos mappas e (lanas i0.
pographicas.
lie urna obra de suinmo interesse e de p,i.
mira necessidade para quanlos habiing
Pernambuco. He a historia maia ooriosi
que possuimos desde a descoberta e fund,
ello desta provincia al os nossos aiss, con
as particularidades mais minuciosas e do-
cumentos originaos que anda nflo tinhim
visto a luz.
Vende-se na praca do Commercio, ts.
criptono n. 3.
'1
PUBLICACAO- LITTERARIA E RELIGIOSA
Sahio luz em lingos vulgar o mais pN
fcito caihecismode-doutrina christa, oi|e.
crelado pelo sagrado concilio de Trento,
para dello fazerem uso os parochos de tod
o orbe calbolico as suas exposicoei dou.
trinaes aos fiis commellidos ao seu cuida,
do e vigilancia, afim de que em todos aquel,
les pastores houvesae a uuiformidade (.
cessara tanto no ensno das principa ver.
dades da religiflo catbolica, como Da boi
ordem a methodo de as expor ansioar.
Esta nova versflo, que a primeira in agn
acaba de sabir ao publico, se fazia muto
necessarta pelos defeilosda antiga, j 1 or
vezea reformada, mas sem poder prrencti
fcilmente os seus (ins, por se Ihe ler de.
xado flear sempro muilos dos amigos deb-
tos, que nflo ata possivel emendareni-se dt
tolo sem se recorrer a um novo trabalhn de
outra tradeueflo, ioleiramete livre sem fal-
tar a fidelidade quedeveser a primeira obri-
gacflo do trataduclor. Quem quizer a po-
dera achar no armazom de Francisco Xa-
vier Martns Bastos, rus do Encantamento,
H. ___________ -
l'uiilicAcao medica.
Publica-se em Lisboa, e vende-se na pn-
ca Ja Indepen lencia, livraria ns. 6 e 8, o
Jornal das scencias medicas,
des'le J835 at 1848, um volume cm oitavo
por cada semestre, pelo preco de 3,000 rs.
por semestre, e 6.000 rs. poranno.
Avisos martimos. .
Para o Havre sahe.com a maior bre-i
vidade possivel, a barca fianceza Zilta, c^ \
piulo Letnellz : quem quizer earregar, 011
ir de passagem, para o que lem excelli-ntn
commudos, dirja-se aos seus consignili-
rios, J. P. Adour & C., na ra da CsJeu,
Para a Babia o patacho S.-Cru: segu
em pouros das ; anda recebe carga o pas-
sageiros. para o que trata-se ao lado do Cor-
po-Santo, lojs de matjames, n. 25.
Para a Baha sahe o hiate tlor-de-Cn
ruripe,de primeira marcha: para caiga 1
passageiros, trata-so ua ra do Vigario,
n. 5.
Fara Angola e oulros por-
los da Costa-d'A frica pretende se-
hir, no dia 3 de novembro impre j
terivelmente, o brigue francez Fa-
ber; aida recebe alguma carga el
passageiros, para o que tem ex-|
el lentes commodos: os prelen-
denles dirijam-se aos coosignala-l
rios do mesmo, B. Lasserre & C.,|
ra da Seoaa-VelUa, u. 138
mm^k^atmnnuw^awmmmmmammmmmmmummsBSf
Leiiao.
Henry Gibson far leilflo, por interven-
QflodocorrelorOliveira.de vanado sorli-
mento de fazeudas iuglezas, tolas propms
do mercado: s-gunda feira, 5 do crrenle,
s 10 horas da manlia, no seu anuazem da
ra da Cadeia.
Avisos diversos.^
O Sr. Ezequlel de Souza Cavalcante,
mest:c dedanca, quera dirgir-se a lirs-
ra, ns. 6 e 8, da prara da Independencia.
John Scott declara que Joflo Regau nao
p le fajer venda, ou por qualquer frm
disprirdos gneros que lem noarmazenido
trapiche novo, n. 28, e mais os movis Ms-
tenles no primeiro andar da casa em qu
esl o dito armazem ; por isso que esla lu-
do hypnthecado ao annuncianlo com a coa-
dicSo de nlJopo.irohypothecante vemler,
011 alienar sem express cons nlimenlo do
anniinciante. ..
Itoga-se so Snr. padre Jos Emigdio
Jorge de Lima que por sua hondada quem
mandar romir a sua leltra que tem em um
venda na ci tade de Olinda.
Aluga-se urna casa nu sitio do Cordei-
ro, a margem do rio Capibarilte, com cora-
molos para grande familia, cozinha fort,
estribara, cocheira e quarto para criado;
urna dita mais pequea, tambem com boiu
commodos pa>a familia eeHribaria : a Pi-
tar no pateo do Curmo, n. 1"-, com Gatnin
Antonio
Aluga-sc urna das melhores casis no
Caxang, que fica .o pe da poiiie. a qui
tem duas grandes salas, corredor l**J0'
quartos, cozinha fra, banho no rundo >to
quintal: a tintar na ra de llortas, n. 9.
DEPOSITO GE UAL
7o superior rap areia-prtt g>
tia fabrica de Gantois Pai-
'Ihet &c Companhia, na Ba- $
hia.
tp la.
V Domingos AlvosMalhcus, agentada
fe fabricado tap superior arcia I re"
fet e meio grosso da lia hia, tem abertu u 1
9 seu depusito na ra Cruz, no lleciw, J
t 11. 52, primeiro andar, onde se edU
te sempie deste excrlleutce mais aera
i dilado rap que al o presente se tem *
5| fabricado no Brasil: vende-se embo- f
# tesdeumae meia libra, por preco j
h mais commodo do que em outra 1ui"'s
$ quer parle.
f
~ Aluga-se urna prela queseja fiel
ligente, e que cuznhe, c jmpre e fapa w-
os mais ananjos do uma casa: na rus
treita do Bozario, n 20, segundo *l,a*r.tt,
- No Aterro-da-Boa-Visla, 11. 5. Prec ',
sede uma ama secca para o sjrvicu de "
casa de pouca familia-


-Tendo apparecido om cus ilo abaixo as-
signado un moco a vcndor um ponte de on-
ro cora um escriptoda don, depoisda ven-
da' mandn o abaixoassignado um seo fmu-
lo com o tendedor saber onde era acatad
dona, ecomo o tendedor, aponiendo um *o-
lirado na ruado [tange!, ahi se declamo
nilo ser exacto o que disse o mesmo vende-
dor, o abaixo assignado logo foi a casa do
suhdegado respectivo declarar o occorridn:
e par que quem qur que porventura fr
dao do pento pnssa prbeurar dando o de-
vido importa, faeo o presente annuncio :
devendo quem interasse liver comparecer
ni ra DireiU, n. 10*.
Joi Jonquim Simeido \marnl.
_ Na noite de 30 do mez prximo pasta-
do, pnleu-se uma carloira no principio
do Allerro-da-BOa-Vsta, junto ao Cariz,
eom 11,000 rs. em notas de I n 2,000 rs. e 3
vegesimos da lotera do Montc-I'io, dos ni
457. 4199 %8t3, um meio ditud lotera
He fiiSdalupo, junto uma leltra de rs
50 000:quem achara dita carteira, leve a
s0'lrdade em casa de Joaquim Francisco da
Cruz que se Ihe dar o dinheiro que esla-
va dentro: e, auando nilo quera, bote os
papis por debarso da porta da relna-
rlo na ra do AragSo, venda do Caldeira,
que Se lh fieara obrigado.
.- Arrenda-se pelo lempo de festa, ou
minualmente, um exeel lente sitio co-n uma
grande casa de campo, ennteudo esta duat
grandes salas na Trente, seis grandes
niiaitos, colinda, grande, cocheira para
carro, estribara o casa para pretos, com
terrado na" frente* da casa todo o sitio
eercado, contundo uma grande planta de
anana* contmum, outra dita de ahacaxs.
bnms pratas e de ilifCereiites qulidiles,
jaquecas, larai.geiras, algumas de amhigo,
uns piucos de ps de rrutapSo, cajueiros,
psd ron-fias, com um jardim ao ladoila
raa. bstanlos psdcaf e propnrcOes para
urna cxcrllento lio'la. por coner o Prata
pela frente da casa, no lugar de Apipucos,
junto o engenho Oous Irmflos: a tratar
com o subdelega.lo Barata, na ra da Ca-
deia de S.-Antonio, n.
Precisa-se de uma criada, preferindo-
e eslranavira, para servir em una casa de
familia e que d fimlor a sua conduela : na
praca da Boa-Vista, n. 39, segundo andar.
-- A pessoa que annunciou querer com-
prar om sof do nao ci'oleo, procure na ra
da Cadeia do liedle, n. 46, que alii se dir
quemo lem,
Iiflo-setfesenlns ou quatrocentos mil
rs, a preu o sobre penbores de uuro ou
prata : na ra Nova, n. 47, segundo andar.
A firma commercial de Cunlia & Cam-
pos, com eslabelecimcnlo na ra do Cres-
po e loja de fazendas n. t, acha-se ex-
mela de commum aecrdo com os inlores-
sados. tendo ficado a cargo do socio Jos
da Silva Campos mostrar a dita firma ex-
lincta quite de seu debi'o passivo : pur isso
os eiedores della se deverflo- entender com
o abaixo asaignado, Pernamhuco, 31 de
outubiOde!849.
Jos da Siloa Campot
O abaixoassignado faz scienle ao respei-
tavelcorpo de commcrcio desia praca, quo
lem esialielecido uma laja de fazendas na
ru doCres'o, n. 12, c lem escnlhido para
a gerencia do oito esiubelecimento ao Sr.
Jo.quimJos Fernandas da Luz, ao qilal
lem pastado procurarlo com poderes lias-
tantas para poder comprar e vender, pagar
e assignarquaesquer documentos passivns
com a lirma de Jos da Silva Campos &
C., ludo delaixo da responsabilidade do
abaixoassignado, em consoquencia do alto
coiici'iioque Ihe merece, cuja procuracfiu
se arlia lancada om olas do tabrlli.lu
Colho.
Joie da Silva Campos.
Sabbadn, 'i do correnle, na porta da
caa do Sr. I)r. juiz municipal da segunda
vara, *e ha de arrematar uma armaclo de
loja de charutos, e unas caixas vatias, por
execnco do doutor Manuel Ferreira da Sil-
va contra Joio Pereira da Silva Vianna : he
a ultima ai aga, | ara ser adjudicado.
Prccisa-se saber quem representa nat-
a cidade por domingos Alves lia i boza que
se diz arrematante do um sitio no Arraial,
iilim de se poder cobrar as rendas decor-
ridas desetembrode 1843 aleo presente do
dito sitio, do qual se inculcava sonlior, sem
o ser, por lei-se jnlgado milla essa arre-
malac<1" por sentnca quo passou em jul-
gado : isto deseji saber l'm interesado.
Trapassim-so aa chaves de urna casa,no
sitio do Cajueiro, eom sotflo e mais com-
modidades parase pastara festa: a tratar
mu ra da Cadeia du llecife, loja n. 53.
Jote l.uiz Ferreira da Silva comprou e
(lea em su poder, por conla de Fernando
Jos Carduzo (,uim mi'io hilhfte ii. .1,587 da ti lotera a be-
neficio do thealro da imperial cidade de
Niciheroy.
--Precisa-se de uma ama de leite que
iianteiiha lillms, para criar uma ensoga ha
pouco nascida, po's he para uma casa es-
trangeira.: no pteo do Terco, n. 13. Na
musnia casa vende-so um checheo, multo
bow cantador.
Soeiedade Harmnico-
Theatral.
0 primeiro secretario avisa aos Snrs. so-
cios que os bilhetet para a raeila de 3 de
ii'ivi-iniir,) su distribuein no salodu thea-
lro, neis das 1 e2, das 3 lloras da tardo em
diaiite, o no di 3 al ao meiu-dia, em o
4'l se achara reunida a di recg io para
pnovacilo de convidados. A direccio pre-
vine mu positivamente aos Snrs. socios e
convidados de ambos os sexos quo exc-
d'iidoo numero do pessoas ao dos bilhe-
le*. pa>sar3tt pelolesgoslo de Ibes ser ne-
gado o ingrato pelas ra0esque j so Ibes
len filo sentir
N B, O ingresso para as galeras em as
noite do espetaculo ser das 7 liaras e mel
em 'liante, aclundo-sc abeito o salo desde
s 6 horas.
-- Fugio, no da 20 do prximo passado, a
escrava losepha, de nagio Congo, de 26 an-
*Qs; te.-ii o rosto redondo, e falta de dou
denles na frente, do estatura regular, secca
* espigada ; he haitante prela, e heni co-
fh-cida nesta praga, por andar na ra ven-
|'8ndo pao; levou vesii lo de ganga azul e
jjAino da Costa com listras nnu las : quem
pegar leve-a ra estreit'a do Rozario, n
'.segundoandar,quo ser gratificado.
Aluga-se' uma propriedade de 3 anda-
fes, soio e armazem concertada e pin-
tada ltimamente, por dentro e fra, com
auno bons commodos para qualquer fa-
milia, tila no Reoife, ra do Amorim : a tra-
tar com Jos Francisco Helm, no Forte-do-
Matloa, n. 12.
Precisa-se fallar com o Sr. Filippe Car-
ios Simfles dos Santos a negocio de seu in-
teresas a entender-se com Antonio Jos
Teixeira Bastos, caixeiro dos Srs. Joo Pin
todeLemos& Fillio.
Altencao.
Sabbado, 27 do prximo paitado, fugio
um papagaiocom uma argola no p, da ra
Nova. Roga-ae a quero o pegar o especial fa-
vor de o levar a mesma ra, n. 41, primei-
ro andar, quesera generosimente recom-
pensado. .
Aluna-seoarm>r.rmdo sobrado n. 23
da ra do Sol: a fallar com Jos Cypriano
de Moraes Lima, no largo do Forte-do-Mal-
los, n. 8. ...
Pergunta-se aoSr. afenJor so os ven-
delhOessloobrigadosa arerirem temos de
medidas e pesos completos, e mesmo sendo
jaferidos. se devom aferir como novos e
tal pagar? se ha alguma lei provincial
que sent dessa obrigaco ? Isto quer sa-
ber UmvendelMo.
. Marcos Antonio Rodrigues do Souza
declara que nunca teve contas com Manoel
Concalves e Silva, nem com Monte-Negro,
hoje seu agente ;e que, portanto, a divida
existente na venda deste Sr. om notne de
um Souza, ealudante, nSo se entende com
oannuncianto.
llosappareceu, na noite de 31 de ou-
tubro prximo pastado, o preto Joilo, natu-
ral da cidade da Babia, com Oi signaes se-
guintes : reprsenla ler de 25 a 30 annos,
estatura pequea, rosto comprido, olhos
pretos. nariz chato, bocea regular, cor pre-
la e bastante barbado lem os denles lima-
dos ; foi ha poucos das vaccinado de bexi-
gas ; levuu camisa de chit escura ja usada
e calcas do algodflo mesciad.i: quem o
appreheiider leve-o ra do Collcgio, n. 3,
que ser recompensado.
Precisa-sede um homem para caixei-
ro de enc.ixamjnlo e de outro para felor
decampo oda engenho, quo dem Dador
ou conhecimonlo idneo do suas conduc-
tas: no engeoho Novo da Munbeca, ou na
ra do Collegio, n. 15. terceiro anda'.
Lotera do Guadalupe
O thasourelro desta lotera contina aaf-
nrmarqiie as respectivas rodas lano ainl-
mento no di 9 do correnle; c.se a venda do
resto dos bilhetos continuar como nestes
dias, pensa o mesmo ihesoureiro que as di-
tas ro las gyrarilo antes do referido dia.
-- Quem precisar de uma boa ama de lei-
te, dirija-se ra da Concordia, n. 7.
-- Aluga-se um sitio no principio da Ca-
sa-Forto confronte venda do Nicolffo Ro-
driguea da Cunda, o qual lem bons commo-
dos para uma grande familia, uma gran-
de cacimba de pedra e cal com boa agoa de
beber e bastantes arvoredos: quem o pre-
tender, dirija-sc ma do Livramenlo, n. 5.
FURTO.
Furlaram uma sangra de cobro de um
viveiro dosilio do abaixo assignado, em
Santo-Amaro, em uma das noites doa dias
20 a 27 do passado : roga-se a pessoa a qu<*m
for oflereci la do a tomar, e se for possivel
apprehender lamhein o vendedor, e dirigir
te rubrica de licores do Alerro-da-Ba-
Visle, n. 17, que se recompensar.
Frederico Chava.
Oeseja-se saber a morada do Sr. pro-
fetsor Jos Nicassio da Silva, quo veio do
Rio-Crande-do-.Norle, a negocio de seu in
teresse.
Candido de Souza Braga deixou de ser
caixeiro de Diogo Jos da Cfl^l desde o dia
28 de outubro.
Aluga-se a casa terrea, n. 85, da rija
dos Poscadores : a tratar na ra da Cruz,
n. 64
Dilo-se de 500 a 1:000,000 de ris a
premio : na ra do Rozario, n. 14, se dir
quem di.
Detappareccu, ha um mez pouco mais
ou menos, do porto do sitio do Sr. Jos Vi-
rissimo, na povoaQflo dos Afogados, uma
caii.i de um s pao, pintada de encarnado,
sendo a pintura j vclha, com cavernas ; ja
se lem visto algumas vezes nos Coelhos,
na Boa-Vista, e a pessoa que a conduzia j
se :alio quem he : por isso pede-se que a fa-
ca conduzir entrega-la no porto das ca-
nas, na ra Nova, ao capataz do mesmo, ou
nos Afogados.estaleiro do Sr. Manoel: e un-
ir qualquer pessoa que a conduzir, sm ser
esta quo a tem a seu servico, ser bem re-
compensada.
Joilo Beuns, subdito inglez, relira-se
para a cidade da Rabia.
D-se 1:300,000 rs. a premio de 2 por
cento ao mez sobre bypolheca em predios
livre e desembarazados nesta praca : na
run Nova, o. 14, segundo andar, se dir
quem d.
-- O abaixo assignado faz scienle ao res-
peitavel publico que desde o dia 29 do cr-
renle deixou de ser caixeiro do Sr. Sebas-
tfio Jos da Silva, e ao mesmo lempo apro-
vcita a occbsAo para agradecer o bom Ira-
lamento que do mesmo Sr. recebeu, duran-
te o lempo em que rslrveem sua casa.
u Aniunio .Souza fibtiro.
Aluga-se o primeiro andar da casada
ma da Cadeia do Recife, n. 40, ptimo pa-
ra escriptorio, com muitos commodos,
que he muito fresco : a tratar no segundo
andar do mesmo sobrado.
l'recsa-se de-uma prela cap-
tiva para ama de um homem sol-
teiro na ma da Cadeia-Vcllia,
n. 7'
Sexta-feira, 26 do correte, eotrega-
ram-se a um preto no caes da Alfandega 10
barricas com bacalho da marca PN; e, co-
mo o mesmo prelo extravlasse urna barri-
ca, roga-se a quem Ihe for oiTerecida, de
prendero dito preto ou se alguein a rece-
beu por engao, sondo que a quein res-
tituir, dirija-se ra do l.ivramento, n. 32
Aluga-se, para se passar a festa, ou
iiicmiio hiiiiii lmenle, urna casa muito an
jada, propria para uma fambia,'em a po-
voacflode Beberibe, no melhor lugar pos-
.ivel: a tratar na mesma povoacflo, Venda
doSr. Theodoro.
-Alugam-teprelosa 640 rt. por dia, a
tecca para serventes de pedreiro, no caes
do Passeio-PuWico em.S -Amaro, nosegui-
mentoda ruada Aurora : a fallar na mes-
ai obra.ou em casa do arrematante An-
t mi Jos Comes do Correio.
Arienda-se, parase passar a festa, ou
animalmente, ou uiesno vende-s por pro-
co commodo, uji* grande casa e sitio, no
3
lugar do Monleiro, a margem do rio, lendri
a casa 6 salas, 8 quartus, i! coziuhas, gran-
de quintal murado, baixa para capim, es-
tribara, casa para pretos, etc. : a tratar nu
ruada Cadeia de S-Antonio, sobrado da
esquina do becco do Ouvidor, primeiro
andar.
Uma pessoa bastante habilitada em es-
enptiiracao mercantil por partidas dobra-
dasesingelas se offerece para a fazer em
alguma casa do negocio nos domingos e
dias sanios, medanle um mdico estipen-
dio : quem de seu prestimo se quizer uti-
lisar, dinja-sea Fra-de-Portas, n. 30, ou
a ra do l.ivramerrto, n. 38, primeiro andar,
que se dir quem pretende.
9 *
Y O consultorio homccopatico esta (Q
V aberto todos os dias desde s9 horas $>
ti) da manlifia al s 3 da Urde. No mes- 4
# ino consultorio recebem-sn docnles ^
# para se tratar homoeopaticamente a ^
W 2,000 rs. por dia, ea 3,000 rs que- .j
# rendo um quarto particular : na ra
fe? da Cadeia de Santo-Antonio, n.22. ,$
i
canoas de areia : I quem tars negocios, e 480 rs.; cobertores de tgodffo amatiea-
conv.er, procuro o tcnentc-cjr.iiiel Mauo.d 110. a.BfOra. picota muito eiiorpado, a
loaquim do Beso Alhuquerquo, nos Afoga- 180 rs. o covado ; pecas d madapoln mui-
dos, e no Recife, ao aferidor Antonio Con- to fino o com pintas de moro, a J.ooo rs.
V(Msdoin-se superiores ve-
Precisa-se alugar urna ama que tenha
bastante leite para criar uma menina do sa-
le mezes, a qual tenha boa conducta : na
ra da Cadeia do Recife, loja de fazendas,
n. 56
m
Chapeos do sol".
Ra do Passeio, n. 5.
(alvos do Moraes.
Compram-so cava|los para a compa-
nliia de ravallaria : quem os tiver e quizer
vender, dirija-so ao quartel da dita compe-
ndia, ou na residencia do cominandinte da
mesma, na ra Nova, n. 32.
Compra-se una burra de ferro cm bom
uso e quo riiloseja muito grande : quem a
tiverannuncie.
Compra-se uma mtilalinha ou negri-
ndadc8a 10 anuos, que seja sadia e .le
lionila figura: na ra do Qucimalo, n. l!.
-- Compra-so um moleque de Ifi annos
pouco mais ou monos, sendo de boa con-
ducta : proferc-se de Angola, pofm ladino:
na praca do Corpo-Santo, n. 2.
Compra-so um fl.indrcs grande para
deposito de zeile de carrapato ; bem cono
dous ditos para vender azeitc, estando em
bom estado : quem tiver auuuncie.
Vendas.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
e completo sortimenlo de chapeos de sol,
tanto de seda como de panninho ; ditos
muito ricos de grot de Naples adamasca-
dos, com ricas franjas e da ultima moda de
Paris, para senhora, os quaet vendem-se
em porreo e a retaldo, pelo precu mais di-
minuto possivel. Na mesma fabrica lia igual
sortimenlo de sdase panninhos para co-
brirem-se armc,0es servidas, conecru-se
qualquer chapeo de astea de ferro ou de
baleia o tambem umbellas com toJa a bre-
viilad e preco commodo.
Precisa-se de um homem para feitor de
um sitio, que trabalho, e entend de des-
letar vaccas : na ra .da Aurora, n. 44.
Aluga-se um grande armazem com ser-
venta para a mar pequea e porto de
embarque e desembarque : na ra da Sen-
zalla, n. 42 a tratar com S. J. Johnston &
Companhia.
--Precisa-se de uma ama para casa de
pouca familia, a qual saiha coziuhare com-
prar : na ra da Cadeia-Velha, n. 41, pri-
meiro andar.
Manoel Joaquim da Costa Maja retira-
so para a Europa a tratar de sua ssdc, e
pede a quem sn julgar seucredor de apre-
sentar sua conta para ser immediatamenle
paga.
Manoel da Silva Ferreira relira-se para
a Europa.
O Q
| *'* 8
Na praca da Indtfpen-o
| delicia, ii. 10, |
^ ao voltar para a ra das Cruzes, alu- q
\ gam-seo vendem-se bixat de llam- ^
2 burgo : lamhem v3o-se applicar pa- ^
^ ra commodidade dos freguezes ; ti- **
9 ram-se denles, sangra-se o appli- *J
O cain-se ventosas: tudo por preco V
0 commodo. O
Precisa-se de uma prela escrava para
o servico de uma casa de pouca familia :
no Aterro-da-Hoa-Vista, loja n. 1.
Precisa-se de un preta
boavendedeira de doce: na tua
do Trapiche, n. 44-
mmmmmmmM.m eas& ::^.mmm
*
Na ra da Cadeia do Recife, loj de |
cambio da viuva Vieira & Filhos, jj
venderam-se da 20 lotera a henefi- g
ci do monte pi os nmeros seguin- ;y
los: 8
2.727 10:000.000
4,781 200.000
3,672 200,000
4,851 100,000
2,255 100,000
5,861 100,009
2,848 100,000
5,547 40.000
20,45 40,000
283 aO.OOO
4,809 40,000
3,003 40,000
1,981 40,000
Lotera do Rlo-de-*Fa-
neiro
Aos 20:000,000 de ri".
Na praca da Independencia, n. 4, vendem-
se burieles, meos, qnartos, oftavos c vig-
simos lro de S -Pedro-de-Alcantnra e um resto
de meios bilheles, quaitos e oitavos da II,*
lotera do thealro de Nictberoy. Na mesma
luja mostrara-so as listas das loterias pas-
sadas.
de
Aos 20 000,000 tic re.
Vendem-se bilhetes a 2O.PO0 rs. e meios
dilosa tO.OODrs. da 11.* lotera a benefi-
cio do llieatro da imperial cidade do Nic
theroy, da qual no primeiro vapor vem a
a lista* : na ra da Cadeia do Recite, loj
de cambio de Tiburcio Anluues de livei-
ra, n 38.
Vendo-so n moleque 10 annos de
dade, na botica de llarlliolomno Francisco
de Souzn, na do larga do lto<.irio, ll. 36.
RAPE' PAn.O-CORDF.IliO.
Vende-so rap Paulo-Cordelro, viudo no
ultimo vapor do Rio-de-Janeiro, erri fres-
quinlio; os amantes da boa1 pitada pJem-
so dirigir loja de Antonio Joaquim Vidal,
na ra da Ca leia. por preco comino lo.
Acaba-sede leceherosscgnintcsro-
mances na loja do paleo do Col-
legio, n. C, de J. da (', Hon-
rado.
A Moreninha pelo f)r. Jonquim Manoel de
Macedo, 3.* edicio, augmentada rom urna
rbacara para pianno, muito linda; O Moco
l.oiro pelo mesmo, romance muito interes-
sante en dous voluntes ; Malhllde por Eu-
genio Sue, em dez volunies ; A Ceguinha
llrasileira romance em sele cantos, um
volume.
Vende-sc pallia de coqueiro em por
cOes : na ra Nova, n. 14, segundo andar.
_. Vendc-se a casa terrea, n. 93, sita na
ra dos Pescadores em San-Jos : a Iratar
lia i na da Cruz, II. 61.
-- Na ra larga do Itozario, loja de Bliu-
dezas, h. 26, de JoSoFrancisco llaia, ven-
dem-so oculos de armaco para tolas as
idades.
Vende-se um moleque, proprio paia
pngem ; um dito quo rozinlia o diario de
uma casa um preto do Angola, remador,
por preco commodo : vendem-so por seu
dono se retirar brevo : na ra da Cadeia do
Recife. n. 39.
-- Vende-se, para fra da provincia, ou
las (le Riiriiaoba.
Na ra da Alegria, n. 9, contina-s< a
vender velas de carnauba a imilacSo das
de espennacelc de 6, 7 o 8 em libra, a preco
de320rs < ida libra das corlidas o muito.
alvas.ea 280rs. porcortir: afianca-sea bou
luz.
Para as seahoras de bom
gosto.
Vendem-so os mais ricos manlele* e
ca'Otinhos para senhora. de chamelote liso
c aviado, de gorguro, <'e groa de ap-
les o de sarja, lauto prelo como do cores:
na ra do (Jueiinado, n. 17.
Vende-so peixasecco mullo frescal e do
superiorqualidide, vlnJo ullimamenlo de
Mossameles: na ra da Mols, n. 11, pri-
meiro miliar.
Vonde-seum bom preto alnoeiro, des-
tilador, lijoleiro, o que entende alguma
coiisa de cozinha ; lio muito sadio, mojo o
de bonita figina, por preco muito comino-
do : n i ra da C.aleia do Recilo, loja de
calca lo, de urna porta larga, n. 9.
*
Ciicgucm ao barato
que poucas ve ze
a p parece.
Na praca da Independencia,
cosa atnnrella n. i, com
fnzendds,
& vendem-se coi tes do brim de listras <
'> cOr de rranea. o de linho puro, pelo <
:>
?
->
. *
y>
'A
>
*
->
*?
anga,ode linho puro. ,-----
* barato "proco de 800 rs. o corto; J
\\ ditos d brim pardo trancado, a 1,200 j|
S rs. ; .ios cor de ganga, de superior *
E qualidide, a l.liors.; iiMboa meia 8> casimira, a 2.500 rs. ditos de algo- -
J> dilode bonitos padroes, a 1,200 rs-
esguifo de algodo, a 3,200 rs.
m paca rom 10 varas, a vara a 3

M
S cassa-monstro.de excellentes gostos, 4$
>
rs. ; cortes de luslAos de cores, pa-
droes muito molernos, a 1,200 rs. ;
to escuro, e do cores lixas, a 140 rs. <6
cova lo ; ditas finas, a 200 rs ; ns-
ca linhos miudos do lindo para ja-
quelas, a 440 rs. ; gorgurio de seda, ^
com toque de mofo, proprio para for- ^
ros di'casacas, a 400 rs ; meias de ^j.
algodilo muito finas, para senhora, a 45
480 rs. ; pecas de madapnlo de I
palmos do largura a 3,200 rs. ; bre-
i> a 2,8(10 rs o corte; chitas de assen- >
>
>
S>
:>
a>

-.-
'* tanda de lindo para jaquetas, a 560 ^
?* rs. a vara ; o outras mullas fazendas J
* por preco commodo. ^
0AAI11 M ^aAAAAAAAAAA*?
Vende-se cal virgem da .isboa em dar-
ris pequeos, viudo do Porto superior 0111
dairis de quarto e quinto, o moias-pipas
com dito, farinba de trigo de lo las as qua-
lidades e em meias barricas tudo por pro-
co mais commodo do que em outra qual-
quer parto : na rua do Vigario, annazom de
Francisco Alvos da Cunda, 11. II.
l(o 111 e barato.
Quem quer, quem quer azeite de carra-
pato liquido, a 210 rs. a garrafa; assucar
refinado muito alvo, a 100 rs a libra ; dito
branro alvoe novo, a 90 rs. ; dito masca-
vado, a fio rs.; mauteiga superior, a 52(1
alvo,
rs. ; feiiflo niulalinlio muilo novo o
para algum engenho uistaula esta praca, pronrm ,.Hril quem manda vender comer na
urna escrava cnoula, de 20 annos, que co- rull; 8 210 rs. a cui 1; bacalho do melhor
zinha, oiagomma, lava, coso o nilo tem v-
cii.s : na rua Augusta, n, 50.
que ha dojo no increado, a 9,500 rs. a bar-
rica o a 80 rs. a libra azeite doce de Lis-

h
Precisa-se de prelas para venderem
azeile de carrapato, pagando-se-ldes a ven-
pagera do pataca por caada : tambem se
vendo a relalhoa sele patacas: na rua da
Alegra, n. 13.
10,000 rs. de graicMcao.
Iiesapparereu, no dia 24 do correnle, do
sitio do Sr. Kenworthy, em S.-Jos do Man-
guinno, um cacho-rindo inglez, de 10
mer.es do idade, de cor caslaulio-clara ; he
cacador de ratos ; Icni asorelhas corta las ;
responde ao chamado do turk : quem delle
soubere quizer enlreg-lo em dito sitio,
ou na rua da Cruz, no llecife, 11. 2, recubc-
r a gratificaeo cima.
Deseja-se saber onde resi-
den! os Srs. Joaquim de Figuei-
redo Lima e Joo Evangelista Es-
teres Alves, ou mesmo quem seja
seus procuradores nesta cidade uu
fra della, pora se tratar de nego-
cios quelites dizem respeito: quem
souber annuncic por esta 'olha pa-
ra ser procurado.
-No Aterro-da-Boa-Visla, n. 70, ven-;uo., '.fsoo rs. a garrafa'; vinagre, a 70 rs ;
dem-se bahus de follia de Flandrcs de lo-; V6l| lle carna'ub8, a 2S0 is. a libra ; ceva-
dosostamanlios.envomizadose por iver-l ,ia 70 rs tanda de poico, a 300 rs. ; ini-
nizar, bacias para rosto, diltl para dando.) ||1()> a i20 r4_ cuii) ripe m.'urnn, a 1,040
etodaa quahdado de obra de folba, por r| pjmeota domino, 820 rs. a libra ; e
preco mais commodo do queem outra qual- oulros mullos -eneros por | reco rasoavel :
quer paito 1 na rua do S.-Jos, osquina quo volta para a
- Vende-so uma bonita escrava de 18! aijada da Penha, venda de 4 portas n. 2.
^5^^B!SL!!!Lte^,.! .?.".r: l -- Wnde-so uma prela moca ; um inula-
linho de 10 annos : a preta cozinha bem,
engomma, cose, do quilandeira, o nilo lem
de muito
Imperial,
Compras.
co.npra-so um sopd e duas cadeiras
de bataneo : tuJo de pao d'oleo, e ji usado
quem liver annuncie.
Compra se lijlo e cal para o caes e
ponte da rua da Aurora ; bem como se alu-
gam canoas para conducco de areia ; toin-
bem s empleitam porcOos de aterro e ca-
rella o engomma com perfeicilo ;
sadia e nilo tem deleites : na rua
n. 39.
Vende-sao buhar do Passeio, com to-
dos os pertences, o qual be bem afregue-
zado. principalmente quando chega gelo :
,1 tratar no mesmo bildar, 011 na rua estrel-
la do Itozario, n 20, segundo andar.
--Vende-se um fole do folcar formigas,
por 5,000 rs. : na rua do Passeio, loja n. 17.
Vende-se um bonito cavallo melado,
hom andador dehaixo a meio: ni rua do
Queimado, n. 10.
-. Vende-se a taberna da rua do Alerrim,
com poucos fundos ; ou admite-so para a
mesma um caixeiro que (16 conliecimenlo
de sua conducta, dando-se-Ihe bom orde-
nado : a tralar delimito da matriz da lloa-
Vista, taberna n. 88.
Vende-se carno do serillo, a 210 rs.;
lingnicas, a 360 rs. dita, sem a menor falla
em qiialidade : no Terco, venda n. 141.
.Nesta loja vendem-se chales de garca, a
610 ra o loncos da mesma qualidade a
ICO rs.
1 ovo sortimenlo de fa>
zondas baratas, na rua
do Crespo, n. O. ao p
do lampea \
Vendem-se corles de cassa franceza com
10 covados a 2,560 rs. ; pecas de cambraia
de quadros com 8 varas a 2,720 rs.; cassa
preta para lulo, a ItOrs. o covado; zuarte
com 4 palmos de largura a 200 rs. o cova-
do ; riscado monslro a 220 rs. o covado ;
chitas do cores lixas a 160 e 180 rs. ; cha-
les de (albitana, a 500, 800 o 1.000 is. de
muito bom gusto ; cortes de Irim de puro
linho a 1,280. 1,500 c 1,600 rs. ; chapeos
de inassa a 1,600 rs.; ditos de seda a 640
vicios non achaques ; o inulalinho he p-
timo para pagem, ou aprender oflicio, por
s?r de bonita figura e ser muito esperto :
na rua da Concordia, passando 11 pontezi-
nlju a dircila, segunda casa terrea.
Vendem-se meias finas de
lin!io, cliegadas ltimamente do
Porto, por preco commodo, e di-
tas de algodao grosso a a,aoo rs. a
duzia : na praca da Independen-
cii, loja amarella com fazendas,
n. 1.
Vendem-se cortes do vestido de 4?
**j se.la de cores, de gnsto muito mo- *
fjj demo ; cassa-chila de ceros mni Ii- jx
f. xas e de padrOcs novos ; chitas Irn- 2
>. cezas com padrfles d.) cassa ; corles ^3
ifr de vestidos de cambraia aberta com ^g
i*- listras de cores; um grando sorli- $
* ment de manas de seda para varios 4B
* precos ; meias de algodilo para se- * iihoirt, o mais lino possivel, de lio da *
*" Escocia ; riscados francezes estam- *
{ pados em cassa, de muito bonito! *?
-.* desenlies ; lencos brancos de cam-
\> liraia de linho ; ditos de seda da In- "*
i> dia ; o outras fazendas de goslo por J
^ prego commodo : na loja do sobrado "^
amarello dos quatro-cantos da rua ^
do (Jueimado, n. 29. ^
AA*AAAAA*li*AA*AiiAAO
Vendem-so 8 lindos moleques, de 16 a
20 annos ; 6 pretos, de 20a 30 annos; I ca-
sal decscravos muito lindos, com 1 1 i I lio de
14 mezes, leudo a pela habilidades; 2 di-
tas com habilidades ; 4ditas boas para rua
e muito mogas; 3 pardos bons para todo o
servico; 1 dito boro bolieiro, copeiro e
muilo badil; assim como outrus muitos es-#
ora vos : na rua da Cadeia do Recife, n. 40.
Vende-se um escravo de trinta annos,
de naciu Angico : na rua larga do Rozario,
11. 48.
MUTILADO


Vendem-se dous moleques, um cozi-
n'>a o i!i;n ni lie tima cas, o oulr bom co-
peiro e proprio para pagom; duas prelas
mocas, uma 'lo bonita lignr e que lie mili-
to boa para lavadeira, por ser alta e robus-
ta, e ambas eram ganhadeiras na Babia, por
preco commolo : na ra da Cadeia efe, n. 39.
Vendem-se relogios de onro e prala,
patentes inglezes: na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
Cortes de brlm de puro
linho, a 1,280.
Vendem-so portes de brim trancado
pardo de pii'o linho, pelo diminuto preco
de quatro patacas : na ra do Crespo, loja
da esquina que volta para a cadeia.
A 140 rs. o cavado.
Vende so superior ruteado do algodfio,
muilo oncorpado, a 140 ra. o covado : na
na do Crespo, n. 6. loja junto ao lampe.tc.
Hi Vondem-seJiichas chegadas ltimamente
e de boa qualnlsde, a 160 rs. cada uma, em
porcilo de 25 para cima : na ra do Amo-
nm, n. 35.
A fl.40 rs. cada un.
Vendem-se cohertorca de algodSo ameri-
cano, encornados e grandes a duas pata-
cas ; ctiias oscuras de bons padres e ed
res seguras, a meia pataca o covado : na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a Cadeia.
AGI'NCIA
la fundicJIo IiO\v-Moor,
RA DA SKNZALT A-NOVA., N. I\1.
Neste estabelecimento conti-
na a havetum completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, pira engenbo ; machinas de
vapor, e luchas de ferro batido e
co\do, de todos os taannos,
para dito.

* No ra do Crespo, loja da
9 esquina que volta para a 9
* Cadeia, vendem-se 2
* os acreditados Inris brancos de lis- *
41' tras, lisos e amarellos, a 1,500 rs. o 9
fe corte ; dito muito superior, a 1,<00 9
fe rs. todos de puro linho ; panno fino *
prelo ea/ul. a 3,200 rs. o covado; &
& dito muilo supeiior, a 5,500 rs ; fus- W
"^ tOes muilo bonitos a 640 rs. o cor- #
# le; ditos de velludo muito riros a 9
fe 2,500 rs. ; pecas de cambraia de qua- ?
fe drns de 8 varas e meia, a 2,720 rs. a m
fe peca ; eassas pretaa muito bonitas *
fe a 1,110 rs. o corle ; madapolilo entes- ?
fe lado milito fino, a 5,400 rs. a peca ; >
fe corles de caigas de setiueta de cor, #
P a 880 rs. ; ditos de castor, a 1,000 ?
t> rs. ; chila azul para escravos, a 140 ?
til rs. o cnvailo ; picote muito cncorpa- 4
fe do, a 180 rs.; pial Ibas, le linho, a 500 *
'D rs. a vara ; PSgui&O de linho muito 0- *
fe 110 e coni 4 palmse meio de largu-
fe ra a 1,410 rs. a vara ; cortes de
# brim de algod.lo, a 800 rs. ; e ou- 4
# tras umitas fazendas por preco com- 9
* modo. * m
ti##f####<#l 4 4
Vende-se, a bordo do brigue Marcial ,
cbegado do Rio-Crande-do-Sul bom sebo
em rama por orec,o commodo.
Deposito (le Potassa.
Vende-se muito nova potassj
de boa qtialidade, em barriszrnho;.
pequeos de qualro arrobas, por
preco barato, como j ha muilo
lempo se nao vende: no rtecife,
ruada Cadeia, armazem n. 13.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, hn
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
O O
{> Um piano. {>
O Vende-se um piano muito bom para 9
O pstndn, bonito e de excelleute autor:
& na ra do Collegio, n. 9. J
O &
Barricas.
Vendem-se barricas vasias que frtram do
farinha em p e bem accondicionada :
na ra do Amorim n. 35, casa de J. 1.
Tasso Juuiur.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santns na Itaha
Vende-se em casa deN.O. Rieher & C.
a ra da Cruz, n. 4, aleodSo trancado
daquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Vendc-se superior cal virgem de lis-
boa vinda pilo ultimo navio, por preco
mdico: a tratar na ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.
Chd brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molhados, airas do Corpo-Sanlo, o. 66, o
maisexcellente cha produzido em S.-Pau-
lo que lem vindo a este mercado, por
preco muito commodo.
Vende-se, de uma pessoa que se reli-
ra, um bonito eacravo de nac^o, de muilo
boa conducta,que he trabalhrdor do en-
xada : na ra larga doRozario, n. 35, loja.
-- Vende-se um molequo de 14 annos, de
bonita figura ; 3 prelas de riaeflo, sendo uma
dallas com uma cria de anno e meio, bem
nutrida; 4 ditas com algumas habilidades ;
lous pretos bem robustos : no pateo da ma-1
triz de Santo-Autonio, sobrado n. 4, se dia I
quem vende.
Velas do espciinacee,
das melhorcs que tecm vindo a este merca-
do : vendem-se em caixasdo 24 libras, em
casa de Ricardo lloyle, na ra da Cadcia-
Wlha, n. 29.
Aviso i 111 portan te.
Beneficio publico.
O armazem antigo da ra da Madre-de-
Deos, n. 36, est de novo estabelecido de-
baixo das mesmas condicOes, ofierecendo
a deliciosa pinga do vinhoda Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho hranco de Lis-
boa por220rs. a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Rordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. N3o se admiiem
os fiegnezes do baixo preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietario querer sustentar o antigo pre-
CO, embora este genero tenha subido o me-
llior de 30,000 rs. por pipa. Examinen) os
amantes a qualidade pBra reconhecimento
da verdade e continuagno da anliga fregue-
zia. F. para nflo haver usuras, esl.1o promp-
las garrafas lacradas c com o competente
rotulo, assim como barris de diversos ta-
maitos para piovlsiio do prximo Natal
O proprietario conta com a concurrencia;
do contrario, tornarSo os preqos do reta-
Iho a primitiva de 210 e 280 rs. a garrafa.
Ra ra do Passeio, n. 5,
vendem-se chapeos deso, de seda, para
homeme senhora, dilos de paiiiiinho, cm
porco e a rctallio. Os freguezes acharao
urna differenca 110 preco, pela qualidade
superior, conslruccfies das nrniarOes e co-
res (isas dos ditos chapeos.
Cal virgem.
Cunta & Amorim, na ra Cadeia do Re-
pife, n. 50, renden) eal virgem de Lisboa,
do superior qualidade por preco mais ba-
rato do que em oulra qualquer parto.
Novo mclhodo pralico e
ilieoricoda lingoa Irn*
ecza, por Luiz Antonio
Bur^a ni l v. por 6^f
Acaba de apparercr no Rio-de-Janeiro es-
ta interessante grammatiea pela qual em
muilo pouco lempo e sem a fastidiosa ta-
refa de estudar de cor vei bos e significados,
se aprende a fallar, Iraduzire escrevercom
perfeiclo a lingoa francoza
Vende-se aqui na praca do Commercio, n.
2, primeiro andar.
Z11 artes de fnrla-crcs a
200 rs. o covado e ns-
cado monslro a !2() rs.
Vende-se zuarte de fnrla-crtres muito
BOrorpado e com 4 palmos de largura, pro-
firi para escravos a 200 rs. o covado ; ns-
cado monslro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra 1I0 Crespo, loja da esquina que
volta parr a cadeia.
Arroz do casca e mil lio
novo.
No armajem do llraguez, ao p do arco
da Couceicflo, vndem-se sarcas grandes
com arroi de casrn e niillio novo, pelo m-
dico preco de 3,000 rs. cada uma.
Novos corles de cassa pa*
ra vestidos.
Vendem-se cortes de cassa para vestidos,
de eflres fixas e de bonitos padrAes, a sele
e oito patacas o corte ; chales de tari*luna ,
glandes a 800 rs. ; meios ditos, a 500 rs. :
na ra do Crespo loja da esquina quo vol-
ta para a cadeia.
Folha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flandres:
ha ra do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jiinior.
-- Vendem-se amarras de ferro: na ra
Ja Senzalla-NoM, n. 42.
Velas de cores.
Vendem-se, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Santo, n 66, por prec,o com-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se toritam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e aturarem mais que as de espermacete,
e no fazerem morrSo.
Taixas para engenho.
Na fundicilo de ferro da ra do Brum,
caba-sc de receber um completo sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acbam-se a venda por prec.o com-
nodo e com promptidSo embarcain-se,
nn carrecani-se em carros sem despezas ao
aamprador.
4cs fumantes de bom (>osto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
.po-Sanln, n. (6, ha para vender, chegadns
pelo ultimo vapor vindo do su I superio-
res charutos S.-Flix, e de outras muitas
qualidades que se venderflo mais barato do
que em oulra qoalquer parle : bem como
cigarrilhos hespsnhes ditos de palha de
milho, que se esto vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
Pos g-alvanicos para
|) ratear.
Na rua do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objectos
prateadus c que lenham perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, 011 inu-
lilisados, leem uestes pos um expeliente
restaurador e conservador dos meamos
objectos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se usar elles o mais simples ,
nada mais do quo esfregar com um panno
de linho molhado em agoa Irla e passado
nos mesmos pos.
Uma caixinha contendo quantidade suf-
ficiente para pralear mais de 40 palmos
quadrados custa a mdica quantia de
mil rs.
Moendas superiores.
NafundicSode C. Starr A Compaas ,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de raima, todas de ferro, de um modelo o
conslrucc.no muilo superior,
Vendem-se 2 cabriolis inglezes, em I
4
muilo bom estado com todos os seus r.er-
ti'iiccs por preco commodo : no Atcrro-da-
Boa-Vista n. 52, cocheirade Luiz Momer.
Madapoles finos a
3,600 rs. a peca.
Vcndem-se madapolAes finos, com 24 jar-
das com um pequeo loque de mofo pe-
lo prec,o de 3,600 rs. a peca : na rua do Cres-
po loja da esquina que volta para a ca-
deia.
Arados d ferro.
NafundicBo da Aurora, em S.-Amaro,
vendem-se arados fc de ferro diversos mo-
delos.
Bom e baiato.
Naiua doQucimado, viudo do Rozario,
segunda loja n. 18, vendem-se corles de
cambraias de cures, a 2.600 rs. lencos de
setim de cores para grrvata, a 1,000 e 2/ rs.;
cortes de cambraia de seda, de modernos
gostos ; mantas de seda escoceza ; e outras
muitas fazendas por preco commodo.
A 00 ris.
Vendo-se cha hysson de superior quali-
dade, pelo preco de 500 rs. a libra : na rua
do Crespo, n. 23. .
-Vende-se muilo superior farinha gal-
lega, em meias barricas : na rua da Cadeia
do Itecifc, escriptorio de licane Youle & G. ,
ou no primeiro armazom do becco do Con-
calves.
Cambraia monstrp
a 2,880 rs.
Vendem-se corles de cambraia monslro,
decores muito fixas, e de ricos padrOes,
pelo barato preco de 2.880 rs. o corte; pe-
cas de riscados esenros, a 5,500 rs. : na rua
do Crespo, n. 11, loja de Jos Francisco
Das.
Pecas com 20 covados
por 5,20 rs-
NaruadoQueimado, vindo do Rozario,
segunda loja n. 18, vendem-so pecas de
metim verde, azul e cor de caf, a 3,200 rs.;
fazenda muito boa para vestidos de prelas ,
czlcas e jaquela para homem e meninos,
por ser de muita duracao; |Uvas brancas
compridas de torcal para senhora, a 1,000
rs o par; ceroulas de meia, a 1.500 rs.; e
outras muitas fazendas por baratsimo
preco.
yucm quera quem quer,
a 240 rs. cada unta
esleir do Aracoly : vende-se no
armazem de Antonio Joaqnitn Vi-
dal & (ompanbia, no Forlc-do-
Mattos. ruado An.orim.
Vendem-se 10 escravos. sendo urna
prcla ile 20 annos. de nacilo Mocambique,
de r> uito bonita figura, boa e:i(iommadei-
ra, costuici-a, e quo serve muito bem a
uma ps ; 2 ditas que C07iiihm, Invam e
venden) na rua ; iinn dit d 35 annos, pa-
ra fra da p'ovincia, perf-'ila co/inheira,
engoiiima.leira, e que refina assucar e faz
doces ; uma n>'urinlia do 10 annos ; 5 es-
cravos de 35 a 40 annos, que esta acoslu-
mudos ao trabalho de campo ; um dito bom
ara Irabalhar ebtlar sentido a um sitio:
na rua do Collegio, n 21, primeiro andar.
Que hom pefisco !
Kxtellcntes queijos de
prato :
vendem-se no Forte-do-Maltos, na
rua do .\morim, armazem de A.
J. Vidal & C.
A 2,560 rs a peca de 10
varas
de cambraias de quadrns para cortinados e
babados : na rua do Queimado, loja n 8.
Vende-se polassa superior,
por commodo preco : no arma-
zem de Das Ferie i id, no caes da
Alfandega.
Vendem-se sellins in-
glezes, elsticos: em casa
deGeo Kenworthy&C,
na rua da Cruz. n. 2.
rmmxmmammm mftmmmmmm-
| A 200 rs
Alpaca de linho.
Na loja de Antonio Luiz dos Sanios 9
$$ &Companhia, na rua do Crespo, n. :i
11, vnde-seessa rica fazenda, pelo $
^ barato prc?o de treze vintens o co- a
< vado. il.
mmmmmmmm mwwwwwmM,
Aos 20:000,000 de ris.
Na loja da rua do
Crespo, n. 5, que faz es-
quina para a
rua do Collegio, vendem-so meios bilhetes,
i|ii.ii iis, oitavuse vigsimos da 7.* parte da
lotera do tbealro de S -Pedro do Rio-de-
Janeiro cujas listas chegarlo pelo primei-
ro vapor.
Vende-se uma escrava de
18 annos, que cose, engomma,
cozinha, e be de muito boa con
duela, por preco muito baixo, por
es'arcom urna pequea molestia :
na rua das Larangeirar, n. t.'j, se-
gundo andar.
Lotera do l&io cic-
Jautiro.
Aos 20:000,000 de ris.
Na rua do Queimado, loja de miud- zas,
n.25, vendem-sn bilbot-s da lotera do
tbealro de Niciheroy; bem como do de
S.-J'edro.
A 3,000 rs.o coi te.
Vendem-se os mais ricos cortes de cim-
bris abortas, brancas e do cores, pelo ba-
rato preco de 3,000 a 5,000 rs.: na rua do
Queimado, n. 8.
Na loja do sobrado amarello dos
qualro-cantos da rua do Queimado, &>
n. 29, vende-se cassa de algodSo com #
listrasequadros de seda para vesti-
dos, a 400 rs. o covado ; cortes de
vestidos de cassa-chita, de bona pa- m
drAes, a2,210 e 2.500 rs ; ditos de
cambria.com listras de cores, a 3,500 ^
rs. ; cassa-chita de cAres fixas, a 400, t
500 o 640 rs a vara; riscadinhos fran- ?
cezes, a 160, 180 e 200 rs. o covado;
lencos de seda de cAres, a 1,000 rs. o A
covado ; e outras muitas fazendas
muito em conta.
Vende-se um cavallo pe-
queo : na rua da Cadeia do lle-
cife, n. 17.
Na rua da Cadeia-Velha, loja de
miudezas, n. 17,
vendem-se capachos compridos o redondos
de diversos lamanhos ; bem como tapetes
de esparto, por preco muito commodo.
Aos 20:000,000 de ris.
Na rua do Queimado, n. i,
vendem-se bilhetes, meios, quar-
tos, oitavos e vigsimos da lotera
do Uio de-Janeiro a beneficio do
(bealro de San-Pedro-de-Alean-
tara, da qual se esperam as lista?
no primeiro vapor.
Vende-sca padaria defronle da igreja
daSoledade; 10 barricas com farinha de
trigo franceza, da marca vermelha : todo o
negocio se far, por seu dono se querer re-
tirar
I*ara pagens.
Vendem-se chapos envernizados para
pagens : na rua do Queimado, n. 19.
Na rua da Cruz, armazem n. 33, de S
Araujo, vende-fe fejflo do Aracaly por to-
do o preco poreslar principiando a furar,
bem como sola superior, couros miu.los,
sapalos, ditos de couro de lustro, caixas do
chifio, etc.
No rqa da Cadeia-Velha, loja de
miudezas, n. 17,
vendem-se lencos bordados pura mo de
senhora, de diversos padrOes e qualida-
des; bem como luvas de pellica branca,
para homem eVmhoia, ail rs. o par;
ditas de seda preta com palmas de cor, a
400 rs. o par.
Vende-fe a venda na Iraveaaa da rua do
Vigario, n. 3, com poneos fundos: quem
pnten ler lirija-se a rua do Codorniz, n. 8,
que achara rom quem Iratar
Vende-se, por nlo servir ao dono,
uma ric moonda para engenho de ani-
maea. loda de ferro e nova, a qual eustou
1:850,000 rs., ed-se por muilo menos-le
seu valor, pela urgente necessidade de di-
nlieiro.' na rua de tdalbias-Kerrera, em
Olinda, n. 45, ou na rua do Queimado, loja
da esquina n. 18, ou n"sta lypographia.
Aos 20,000,000 de ris.
Ksiin venda na loja de cambio da viu-
va V" a&Filhng,na ruada Cadeia do R<-
ci 1. 24, os milito* afortunados bilhetes
e n.i-ios ditos da 7 lotera do tbealro de
S.-Pedro-de Alcntara, cujas rodas deviain
andBr no da 29do cerrente. Na merma lo-
ja mostram-se as listras da 20 lotera do
monte po e de todas as mais loteiias que
teem ponido al opres-nte.
Vende-se uma linda negrinha, propria
para mucama, e com principios do coslu-
ra. a qual veo da Baha; uma preta lava-
deira, alta e robusla estas duas peQas, tan-
to em pre?o como em liguras, nao desagra-
darSo aos compradores : na rua da Cadeia
do Recife, n. 39.
Vende-se nianleipa ingleza, muito su-
perior, a 640 rs. a libra: no Alerro-da-
Boa-Vista, venda n. 54, pegada ao Estima*
:J Vende-se, por 280,000 rs., um bom &
I ca-ro de 4 rodas para 2 cavallos, com m
seus competentes arreios ; bem co- j}
mu por haratissimo preco, que da 9
mesma forma provoca aos compra- fi
jj dores, uma cadeirinhade arruar, de i
muilo boa construcefin ; 24 ferros de m
ricas molduras para fabricar llores; fe
uma porgilo de aldrabas para vidra- a
Cas : na prac,a do Corpo-Santo, 11. 2, m
primeiro andar. I

Vende-se um lindo mulatnho de 16
annos, muilo bom boeiro ; um prelo bom
canoeiro; urna prela de bonita (gura : no
pateo da matriz de S.-Antonio, sobrado n.
4, se dir quem vende.
Vendem-se 8 bois mansos, novse l-
Ihos do pasto; bem como uma carree,* para
pipa, bem construida : na l'iranga, pouco
distante dos Afogados, casa de Jos Pedro
de Furias, ou na casa da afenclo, na rua da
Pe, ha. *
Vende-se uma escrava do gento de
Angola, prupiia para todo o servico de urna
casa, a qual lem boa figuia e nao tero vi-
cios in-in achaques : na ruado Cano, 26.
-- Vende-se um bom pelo mogo, sem
vicios neni achaques, proprio para qual-.
querservico, pur ser muilo coroolenln, e
que carrega bem paUnquim, ou cad-iiinha; 1
taiiibem serve para o Campe pur s*br ira-.
Imlhar de enxada : na rua do Collegio, n. I
15, segundo andar-
Vende-se uma pedra de flllrar agoa,
com sua cadeira : na rua larga do Rozario,
venda n. 25.
Vendem-se, na rua do Crespo, loja n.
11,08 seguidles livros: I diccionario de
Constancio, em bom oslado, por 6,000 rs. ;
Thcologia de Bergire, em bom calado, 10
v., por 12,000 ra.; II1.-.loria sagrada, 2 v. ,
por 5,000 rs. ; obras completas de Fililo
Klizio, II v., por 6,000 ra. ; diccionario por-
luguez e Irancez, por Roquete, 1 V. pur ijf
ti.; dito de Constancio portuguez-francex
c francez-p(rlugurz, 2 v.. por 2,500 rs o
iabo-Coxo, 2 v. novos, por 3,000 rs. ;t
liba incgnita, 6 v. novos, por quaiio mil
ris; Cdigo dos juizes de paz, novo,
p'i-4,000 rs. ; e oulios muilos livros para
aulas por pre<;o commodo.
Vende-se uma bonita preta de 16. an-
nos, que engomma liso, cosa chao, ron.
nlia e faz o mais sorvico de urna casa; he
sadia e muito fiel: na rua larga do Roza-
rio, n. 95, loja.
No Alerro-da-Boa-Visla, loja n. 1
vendem-se meias para meninas, a 160 rij
ditas para meninos. .1120 rs.
Vendem-se, por preciso, duas escri-
vas mocas, de bonitas figuras, e com ha-
bilidades que se di rilo ao comprador: na
rua do AragSo, n. 10, se dir quem vende,
das 7 s 11 horas da mantilla.
Vendem-se iscadinhos azues com lo-
que de avaria, a 120 rs. o covado ; lencos
pequeos de tabaco para escravos, a 80 rs.:
na rua do Passeio, loja n. 17. *
tA-f# * *
(g> Vende-se um pardo muito moeo, de
("> excellenle conduela, o que se garan- ?
t te; lem principios de cilicio de sapa- ()
(f) leiro, e he ptimo pagom, por a isso 9
a, estar acostumado : na praca do Com- ?
> mercio, 11. 2, primeiro andar. a>
f9l
Vrnde-se uma mulatinha de Ifi annos,
de linda figura, e por isso oplima para mu-
cama : na rua Nova, n 16.
-- Vende-so urna preta dentro da Cos-
ta, chegada da Babia ; 1 prelo, proprio para
armazem de assucar, por ser bastante ro-
busto : na rua larga do llozario, a. 46, pri-
meiro andar.
Vende-se um piano com muito boas vo-
zes, concertado e eheordoado de novo, de
um dos primeiros autores : na ira das
Flores, n. 19.
scravos tupi lo.
No da 29 do cornnte, auteotou-se de
S.-Amaro, urna escrava crioula, de none
Mana, baixa, grossa, bacante feia; lem
marcas de bexigas ; levou sata branca, maf,
pode ser que tenha muda 10 para um vedi-
do de 1 iscado usado ; bem como levou mais
ou Ihe furlaram 18 pecas derouca que et-
tava lavando em urna lagi>a no fundo da
rua de S -Amaro, sendo 3 pares de raigas
de rispados de quadros escuros, 3 jaque las
do mesmo rispado, 1 collete de fuslao da
listras azues, duas saias de madapolflo no-
vas, um lenco encarnado e mais alguns
vestidos e saias de escraras, o que tu.10 se
suppOe ler sido furtado por outras 1-vadei-
rasesercslaa causa da fupa Roga-se as
autoridades policiaes e cipit&e* de campo,
quea p|ireben-iam e levem-na a rua dm
Tanoeims, armazem n. i, r.u na estrada de
S -Amaro, primeira casa adianto do Sur,
Stwart, que wiflo pralificado.
Fugio, nn dia 29 do passado, do sitio
da Taniari'-eira, antes de ciiegar a Cruz-
de-Almas,.um esrravo pa'do,alio, grosso,
com falta de vista no olboe.-quer-io : qoem
o pegar leve-oao me-.ii o sitio, ou no Reci-
fe, rua da Seuzalla-Nova, n. 40, priiutira
andar, q'je ser recompensado.
- Oesappareccu, no da 30 do prximo
passado, u prelo lia y mundo, ci ionio, de i8
annos, alto, serco do coreo ; tem os dedui
glandes dus 1 s um lantu arreganhadus.e
110 pescoco un a maica de um talhn, pm j
se lerqueiido degol.r ; lem o dedo mini-
no e o in nn dalo da mo dueila estlanos,
osolhosum pouco avmnulli dos e a visU
como espantada : quem o pegar leve-u a rui
da Cadeia do Ricife, a vr Comes l.tai,
que gialilcar.
Fugio, no da 12 do prximo passado, o
escravu Bernardo, de nae-""'. de cor preta,
alto, seceo do corpo ; lem de menos o de-
do mnimo do p esquerdo, e um caioco 110
fio do lombo entre as espaduas ; tem o rus-
to comprido e iiade du 40 a 50 annos ja
piula o cabello ; tem pouca barba, gagueijt
quanJo falla : quem o pegar leve-o a Sole-
da le, a Joaquim Franciso da Cruz, que
gratificar.
Fugio um prrlo de neme Pedro, Ce im-
Clo Costa, de 20 annos, marcado de bexi-
gas frescas, de altura regular, corpo ebrio;
est lalhadn em ambos os lados do corpo
do peito para Irs : quem o pegar leve-o ao
siliode JoaoCanoll, no Manguinho-I'apa-
f erra, quo sei recompensado.
Fugio, no dia 8 do correte, do enge-
nho Recamo, freguezia de Sernbflem. a es-
crava crioula, denomb lliereza, de 35 an-
uos, cor alguma cousa acabralbada, de es-
tatura regular ; lem os denles limado,
olhos grandes o :> fu maca dos ; lem as ros-
tas cicalrizadas de rclho; he muilo ladina:
quem a pegar leve-a a seu senlior, o lllni.
Sr. lenle-coronel Jo,1o Florentino Caval-
canle de Albuquerquc, ou nesta praca, '
Luiz Epifanio, morador na rua da Floren-
tina, casa da esquiua confronte ao tbealro
novo, que ser generosamente recompen-
sado.
Fugio no domingo, 9 de se-
leiiibro prximo passado, sem mo-
tivo algum, do sitio de seu senlior,
em Fonle-de-Uch, o cabra es-
clavo, de noiiie l.uiz, natural de
IgUiirass, de estatura e corpo re-
gulares, pouca baba ; lem os de-
dos dos ps abertos e rombudos,
por ler sido muilo cambado, fal-
la descansada, olho- azulados ; to-
ma muilo tabaco ; foi comprado ao
Sr. Munoel Joaquim l'ereira da di-
ta villa de Igusiass; consta por
informaedes certas andar em dila
villa e seas suburbios em procura
de senlior que o compre : roga-se
as autoridades policiaes, capitals
de Campo e pessoas pnriicul -n'S
que o apprebendam e levem no ao
dito sitio, ou na rua do Trapiclie-
[Novo, n. .36, que seao gratii)1
cados,
PlN. : RA I. DI M DENIUA. 1849


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKI0W38EY_OPRFSS INGEST_TIME 2013-04-24T17:21:01Z PACKAGE AA00011611_06702
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES