Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06698


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
Viino XXV.
Sacado 27
PARTIDA DOS COHRXtOS.
rni.nna eParablba.segundii eiextas-felras.
,0X5raadc-do-Norle, quinla-fera ao nielo-
r.bo's^rinbeio, Rio-Formoso", Porto-Calvo
M.icclkJb*A a II e 21 de cada mes.
i -Vi.l3 >. 3 e 28.
Victoria. Dlinda, todo* o da.
I VHXMEJA ID E 3.
Piure di lo. Chela a 1, s 3h. el.'lm.da t.
Mlog. a 8, s 10 b. e 24 m.dam.
Nova al, 2 h. 53 ni. da ni.
Gresca24, 4h. e44 m.dam.
talAMlB DE HOJE.
Primeira II 2 horas e minutos da tarde.
Segunda as-horas e30 minuto) da mann.
cleOutubroilel849.

FRENOS DA SUB30RIJP0O.
Por tres mezes (adiaalados) 4/000
Por seis ineres 8/000
Por um anno 15/000
1.7 .i DA MAMAMA.
22 Seg. S.Cui ,.j. Aud.doJ.dosorf.edom. l.v.
23Ter9. S. Joao laplslrano. Aud. da chae., do J.
da 1. v. do clv. e do dos feilos da fazenda.
24 Quart. S. Haphael. Aud. do 1. da 2. v. do clv.
25 Quin.. Ss. Crlspim e Crispiuiano. Aud.doJ.do
orf. c do ni. da 1. v.
26 Sext. S. Evariito. Aud. do J. da 1. v. do civ. c
do dos feilo da fazendi.
27Sab. S. ElubSo. Aud. da Chae, cdo J.da2. v.
docrime.
28 Dom. S. Simao e S. Judas Thaddeo,
CAMBIOS EM 26 D OttTXTBBO.
Sobre Londres. '/ Pr /M0 M di"'
. Pars, 31'.
. Lisboa, 105 por cento. .._, ,-,,
Oaro -Oneas neipinhoei.........30/0M a 30/WO
" Molda. de'o/IOOvelh.s.. 17/300 7/SOO
. de 6/lili novas.. 10/500 a 10/700
I d 4/000........... 0*500 a 9/70U
Prata.-Patacoe. brasileiros...... I/W
Pesos columnarios....... J#uu
Ditos meilcaiioi.......... '#""" M
ej
PBTF OFFItlAL.
MINISTERIO DA JUSTICA.
Decreto de 18desetembro, .presentando
o padre JoS-> Alves Marlins da Costa na igre-
i parochi.l de S.-Jos da Liga du bispado
(le Mari nns.
11,.. de 20 dito, aposentando o pudre
Jo5o Ch'ysostomode Oliveira Pinto Brasil
na igreja parnchial de Santa Hila do llio-
rrcto I.lem idom o padre rilippe ll-n;cio de
Monra n greja parochial do S.-Jose da In-
EBzeirado niesiio hispdo.
|,lcm idem o padro Francisco Antonio de
Souza e Silva na ig'eja parochial de N. S. do
lio/, no da lirra de Naluba, ltimamente
creada na provincia da Parahyha.
I i.in-ii'-ni, reconduzindo o bacharel Jos
Ignacio Babia no. lugar de juiz municipal
da pnmeira vara do termo da capital da
provincia da Baha.
dem idem, nomeando o baclurel Joscl'a-
checo Percira para juiz municipal e de or-
phflos do termo da Freir de Sania Anua na
' lia.
ilem dem, fazendo mcrce a Srvenano
francisco das Nev* da Serventa vilalicia
do oflicio do eacrivflo do civel e de orphilos
do termo de Villa-Vinosa na provincia do
toar. .
Idem idem, nomeando o juiz municipal e
de or hilos Antonio Duarle Novaes para juiz
de ilireilo da comarca de l'orto-lmpeiial
em Coyaz.
Idem do 27 de novembro, nomeando o ba-
charel Vicente Ferreira da Silva Bueno para
juiz municipal e de orphilos dos termos reu-
nidos de ConslituicOo e Lmeira na provin-
cia de S.-Paulo.
municou-se tbesouraria da fazenda pro-
vincial e i administradlo dos estabeleci-
mentos de caridad.
lhF.M DO DU 24.
OIicio. Ao inspector da llicsouraria da
fszenda. transmiltindoo aviso de urna let-
tra sacada pela tbesouraria do Ilo-C.rande-
dn-Norta sobre essa na imnortanci doris
630.000 e a favor de Pedro Jos de Alcntara
De.lo Commnnicou-se ao presidente da
referida provincia.
Dito. Ao inspector do arsenal d mari-
nha, enmmunicando haver arbitrado ao
primeiro lente da armada Francisco Du-
arte da f.osla Vidal, ora cncarregadn do o
coa Ijuvar nos Irabalhos da capitana do
portii, a gratificaclo mensa| de cinroenta
mil rs por semolhanto servico. Intoirou-
se o contador de marinha.
Dilo.__Ao commandanle da crvela D. -
Janunrin, para que Taca passar para o bri-
gue CatHnpe os guardas-marinha.s lenme
Martina Baggi e Francisco Manoel Airares
de Araujo, afim de irem alli servir. Sct-
entilieou-se o commandanle do brigue Cal-
Dito. Ao director do arsenal do guerra,
inteirando-o do ter o Exm presidente da
Parahiba expedido or lem para que soja in-
demnisaduo mesmo arsenal di qnanlia em
que imporlaram as 32 libras de cera cm ar-
diles que fornec6ra capitana do porto
daquella provincia.
Dito. Ao engenbeiro ililet,ordenniln-
Ihequc faca dar principio a obra do 16."
lanco da estrada da Victoria, cujo nrcamen-
to remellcu ; e autorisando-o a engajar ale
60 trabalbadores, um aiwnlidor oum ad-
ministrador, sendo as ferias organisadas
mensalmnnle.
at
los dos principados danubianos, cnsinou-ll.es
todava a temer c odiar os Russos, coja presen-
ta fura scinpre asignalada pela epidemias e
pela foine. Porin que produz o odio sendo
paralysado pelo temor? -
A rellgiao separa, poif, dlstinclamenle as po-
pulares do Danubio e os poros viiinhos em
duas giandes elasses: a do norte, hngaro-
polaca, calholiea. qnal sedevem accrescen-
laros Slav<>s IntheranoS! a do meio-dia. servo
valaquia, de rellgiao grega. cniu a qual STnipa-
thiiam inais ou menos as populares villanal
da Turqua. Porm tres grandes principio,
proclamados de ha milito entre os povos meri-
dionars, piopagandosc cada vez mal entre os
Hungaros-Polacos. os rrunem todos epiideui
servir de laco moral urna confederaca >. tal-
vei prosiina, drssas populacoes (orle de 25
inilhdc.i.coiil'edrafao poderosa ccolosal, bar-
reira insnperavrl toda e qualquer iuvaso.
Esses tres principio sao a participaco do poro
BO poder, a nao csiteicia {ou aholicfm) da no-
breza, e por consequencia a igualdade da fa-
milia, e eiufliii a autououiia da cominuns.
Ma de que servem ese principios, se cses
principios se dilaceiaui mutuaniente cm urna
guerra fratricida ? Rio ser, pols, sem inters-
se examinar se o ultimo succesios occoriiilns
na Hungra aprcseolain realmente ec carc-
ter de Ulna guerra de ravas, e se essa uoiifede-
racao, que p ,der vir a ser a alvacao da Euro-
pa occidental, nao he mus que urna chimera
philosophica.
De ha multo teinpo a uniao entre a Austria e
a Hungra lem sido comparada a um casamen-
to iufrliz. EHVclivaineule, depois que a Hun-
gra, ha tres secuto, se deu por soberano os
arclii-duquesd'Austria, nao trem cessadu a lu-
geral do exercito, que ve d'nra avante um
estandarte inimigo na guia imperial.
Seja como Mr, a agacilo ia sompre em
augmento. Os conservadores, no momento
da convocado da nova dieta de 1847, con-
tenta am-se com promessas vagas e pro-
nnnciaram-se ao mesmo lempo pelo adia-
mento. Kossulh e seus amigos reponde-
ram por m>io de um manifest milito ex-
plieilo; ped ram um ministerio nacional,
um poder exccu'ivo reflponsavel, segundo
fui entendido pelo dcimo artigo di cons-
tiluicaode 1701!, a publicidad* dos deba-
tes, a liberdado de assoriieilo, lo religiSo
edo'impronsa, a reparUcfloequitativa dos
imposlos. Igualdade dos direilos politi-
ticos, o luffragio quaai univoraal pira todo
nhahitanle da educacQ'i publica.
Adicta huugara reuoe-se. Os esniriios
csis.i vivamente agitados, as dlsp.msOea 1II9
mais ardentes, os partilos mais untados
que nunca. Entilo relela a revolucilo do
fevereiro. bem depressa seguida de Vicu-
a : a Auliia tonia-s"! constitucional. A
dieta liungar.i vota imm dala monto as leil
indicad.is no progrmala de Kossth ; os
magnatHsasapprovam; urna deputacno de
100 mnnibios, enviada a Vienna, sutunct-
le-i'S sancco do imperador; esto ac-
llie-osffavorav.lnii'iilc, e pouco depois; II
do abril ile 1848 vem livremenle, rodeado
de sua familia, a l'ro.burgo, dar a sua real
sanelo ^7). Aslcssilo iminedialainenta
GOVERNU DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 23 DE OUTUBRO.
Oflicio Ao commandanle d praca,
transmittindo um ollico do commandanle
das armas para que ordene ao commandan-
le do coi tingenle do primeiro batalhilo de
arlilbaiaa pfaca, na forma indicada no
citado ofllcin. o pedido do f-rdamento de
3que nccestilain as pracas do mesmo contn-
geiile, cuiislanles da relacilo que renietle
Dito. Ao ii'i'sinc, declaraudo-lhe que
se expedio ordem ao director do arsenal de
guerra para fornecer os hjectos do farda-
menlo pedidos pelo cominandanle da com-
panhia lixa de cavallaria para as respectivas
pracas.
Dilo. Ao mesmo, dizendo-lhe que pode
mandar assenlar pmca na companhia lixa
de cavallaria ao paisano Delinque Carneiro
de Alineida que se ofTereceu para servir na
primeira lmlia, na intellgenca do que so
Ihe arbilioua gratificado decem mil res,
nos termos do decreto o regulamenio de 18
de novembro do auno pioxuno passado.
Commuiiicou-se a pagaduria militar.
Dito. Ao juiz de orphos do termo do
llecife, tiHiismiltindo copia do aviso de 4
do crrente cm que o Kxm. ministro o se-
cretario de estado dos negocios da juslic
declara que S. M. o Imperador, por sua nn-
medii'U resolucOo do 3, liouve por bem or-
denar quo Francisco Joaquim Peroira de
Carvalbo seja reatituido ao se oflicio e cs-
crivilo de orpbaos. Coinmunicoii-so ao
mcsinoescrio.
Dito.Aojuiz municipal do lermo do
Bonito, irnnsmillindo coia do ullicio do
mKr Jos Vieira de Mello, datado de 17 do
coi rente, afi 111 de ter na devida consulera-
cHo o que elle abi allega acerca do arma-
nienu.que Ihe er.lregou. Inteirou se o
referido major.
Dito. Ao administra ior das obras pu-
blicas, remetiendo a couta cocumenlada
das iiespezas feitas com a coulinuaQo dos
estudos graphicos da e.strada da Victoria de
7al4doconenle. alimdeqtie faa credi-
lar o engenlieiroUilet pela quantia de res
46 720emqueimporli a mcsina conla. -
Scieni'uou-se o referido engeiiheiro.
Dilo. Ao meso o. detei minando que
faca crediUro engenbeiro Milet pola quan-
lia d7,460 rs importancia d a despeza
feitaooin os estudos graphicos da estrada
da Vicluria de 23 a 30 de setembro ulluno.
Inieirou-se o mesmo engenbeiro.
Dito. Ao mesmo, para que exija que o
fiigeiibeirol-ieuihier declare qual a nalu-
reza e maneira por que foi feilo o estrago da
obra da poule da Tacaruna, do que irata
em oflicio ue 14 de ago>to ultimo ; bem co-
mo se, quando tal acouleceu, o arroma la mu
da casa da barreira da mesma ponte ja lia-
via feilo enl ega dessa obra.
lulo. ao engenbeiro Jos Mamedc Al-
ves Ferreira, para que vi examinar o esta-
do da ponle do Cacnanga e aprsenlo o or-
camento das despezas a fazer com os con-
cerUisdequa ella necessila.
Dito. Aoei.genl.eiroMilol, declarando
que no |6de l.r lugar or^idar-so desli-
gar um doescriplurariosi.(Hirt'Prl'clll
obras publicas para acompVjihr a s,nc
tus vianen* que houverde f izer em desem-
penbo do seos deverea, e fazer a cscriplura-
qo a seu cargo
EXTERIOR.
CARTAS A'CERCA DA HUNGRA.
I
Antes de oceupar-nos com os snceeso que
teem occorrido na Hungra,talvez nao seja sem
interesse faacr a geographa palluca, por as-
sim ducr, desse pala e dos paizes vuiuhos.
tanto mi une nos ltimos lempos tem-se re-
presentado a guerra da Hungra como nina
guerra de racas. Os pnvos vivem. como os
homens, sobre suas repuUfdes ; jusfa ou ral-
tas, ellas criam posicoes, espcraucal, syoipa-
Ihias que os factos mais notorios nao dcslroem
fcilmente. (I)
O centro da Hungra he oceupado pelos Ma-
gyares, raca dominante e que deu seu aoine ao
paii. Um desejo nnlentc de independencia e
de liberdade, a energa do sentimento nacio-
nal, a lidelidade ao throno c o talento militar
tem em lodosos lempos, e nfimo hojeemdia,
produzido essrs prodigios de que abunda a his-
toria da Hungra. Cavalleiroso, leal, desinte-
ressado. hospitalero, orgulhoso. o Magyar of-
ferece, como caraclercs principae de seu ge-
nio, essas qualdades proprias dos povoa asi-
ticos que acivilisafao nao tem enervada nrin
n.in-l ..... ul'i.
No 1101 le, os Magyares sno separados dos Po-
lacos, si 11 Irniiios c amigos seiulaie, pelos
Movacos da Hungra, povo pobre, indolente,
arduos, calholico como os Magyares r os Po-
laco, c que uo ti......u parte alguma activa na
ultima guerra austro-hngara. No centro da
Hiing la .11 liani-se pouco mais ou menos um
milhao de Slavos liitheiano confundidos com
os Magyares. Mauifesiaram nos iillnios lem-
pos a mala viva synipalhia pela causa hngara.
As provincias nierdionaes da Hungra su ha-
imadas pela> diversa populaces croato-illy-
rias, de origrm slava, como os Polaco e os Mo
vaco, mas de rcligiiio grega. Se nao brilliam
pela lealdade e franqueza, nao se llies pode
negar ueiii essa bravura selvagem, nem rsae
amor das nsliluicoes demoerallcas, d solo e
da f.iuiilia. proprios dos povos primitivos.
F'a grave erro contar com a unlfo intima
deltas diversas raca* slavas, e derivar dalii a
sreuranca de una nova transformicao do im-
perio ausiriaco. Todos estei povos nao lecm
recordacOes histori-a qr.c os ligueiu ; fallam
idiomas lio diversos que a cuito e eniendem,
e eiiilim. consideraco essrncial, a leligiao e-
para-01 profundamente. 1 Ao olhos do Onen-
lal, di/, o Sr. Cypren Robert, (2) um dos man
zeloso defensores dos interesse slavos. a so-
berana absoluta nao reside senao na rellgiao ;
qualquer outra lei que nao a le divina nao
tem. pol, mais que um poder relativo, subor-
dinado.... A primeira condicao para ser ciua-
dao he profeasar a religio grega couiuussi
religiao grega slava be a religio nrthodosa..
Os Slavoigrego podero, pois, unir se inul-
to mais fcilmente aos Russos, seu correligio-
narios, que sao detestados pelo Slavos do nor-
te catholicosclullierano. Debauo d.sle pon-
to de vi.la, pois, o paoilavisiuo 011 mesmo a
nuite dos Slkvos da Hnhgria he i,..o..iyel
lie reslo, a ultima guerra he dis.o urna pro a
inconiesiav.el. O clero hngaro toma 0.1111 e.i-
lhusias.no a defesa da cansa magyar coat a a.
Slavos. Hites uliimos sao os man euca mea-
dos contra os lacrrdutr calbi.licos.
O Allemie sao muio pouco numeroso,
mesmo na Traiisvlvania, pata nodarem coniar-
" ce .0 elemento eenc.al. De resto, c.....-
mercianles, habitando principalmente ai gran-
des cidades, toii.arain o cosiuu.es e o carc-
ter do paii circun.vliinho
Os Valaquios da Tran.ylvania, de religio
crega, vivera.n, ale a rev.duvio do auno pa-
jado, cm un estado de eii.brulcciinei.to com-
pleto que quasi aniquilou o seu carcter na-
ional. A historia de scus irn.ao, dos Romc-
messas. Para intelllgencia1 desta discordia an- I p,reee chamadla Ullla nova vi la
ligo germen da guerra actual, nao sera intil j iT..
lodlerlKeraiianUoacaraa*adeia.epcle|P0',*,c1"; .,(.,,.,,. rn,.i
de uublo que existe entre os dou e.tado. Qual be, ,v,is, o caracler des a revolu-
O Hngaros, povo essencialmentc militar, co 'oda parlamentar .' Longo uO Ihealro
linhamocustuinedesedaremreisporeleicao. ilos factos, OS nossot jornaes em Franca
Para por termo s discordia que dilaceravain i nltendoram demasiado a seus desejos o
o palz a cada successao, a Hungra elevou ao 1# MUa pg/areS. lius fallaran do imu r-
llirnno o principe da casa de Hapsburco. a '" voltacias. toda aristocr.itic.i ; oulros aeh.in-
prncipo por allelo (1526 I6W|: mal tar-', olementos de demsgogia e soci lismo.
icaaibi ampliada a 1723 descendencia le- c-ies sio pelo me. o latnM *>"> *
minina de Cario VI. A convencOe ,ucce,i- justo dl/er que as IciS sanCC.otiadas impl-
vas que regularan! a condicOei da unan, as cavam real nenio separiQao da Hungra
firugmntica nnrfr, eslabelece.ain que a Hun- | ,|a Austria, e que era iii.possiwl (.'OV.Tliar a
gria e os estados herrdilirioi da Austria nao ||uni;iia, leudo o miuisleii^i a siriaco um
linham de com.nuin senao um mesmo sube- 1 mlnistorin hunRItO a s-u lado? iMn uli-
rauo. .,,.. a I ieccfto iia*ante0UTS9 mis tarde em Vienna
A independencia poltica e administrativa da I J >vlClrias ,,u9 exercitOS republicanos
SS. ^&%^^:^rt TSS. 0sllong.ro.,,.ponder.m-e
rao em 1790 de Leopoldo II. Ileconhrceu-se
que a Hungra era pas livre e independeiile
3). que o re nao polla dar leil senao com o
concurso da dieta (4), e que o principes, no
momento em que collocavam sobre sua cabe-
cas a coroa de Sanlo-F.slevao, devian. jurar riel
ereaeSo de um ministerio hngaro respon-
siva! on a eonsequenca do urna muliidilo
de medidas lomadas anlcrinniiente_pelas
dietas,comidasm consliluicflo de l"90, e
exigidas pela existencia do um niiniste-
liiuiiKuw v.ii ..- ----------- ------ -- tAlUi'OJ |'t i" aaieivH*!- ..... ---
cas a coroa de SantoEsievao, devian. jurar he an!ilrj11C0 rCspollsavel a dieta de Vl-
observancia s leis e I coiisliliiicao do palz (5 ) .'
Kslas conveiicOes, exceula las pelos suc-'
ci
(I) Trata-se aqu amito meuos de urna ques-
Puilaria. Nomeando o bacharel Jos t de algariiinoique do valor do individuo
U... ..-. iv,..,. .....,oirn -s r..,.,i..d... aleuns (I. tall.es nu.ner.cos uao serao
Mamede Alves Ferreira engeiiheiro das
obras publicas provincii.es fio lermo do Re-
cife, vencndo a graliflcaclo de cem mil
ris'mensaes. Fizeram-se as convenien-
tes communicicoes'..
D1I1 Ordenando que da,uinlia con-
tignada no artigo 1* da lei provincial n.
244 seia destinada a de doze conlos de res
para a continuaco da obra do hospital Pe-
dro II no crrante anno fmanceiro. com-
mtudo. algn ., interesse. A populatao lotal da llung.la
heoacaJac...perto4e iSiuilMei. Os Ma^ya-
?'. formam 5 119 mllhdea. o Valaqu-os 2 o
aci.ntfiodequesejnlroliiziriaml o i I retornas oa coiisliluicao > gahine- (I...^ rnvo|iam.So no mez de jullio. O
siriaco fez promessas; lonin cuas mj||re8lo Jo8r< Lamartine tinhaappareci-
rcciimpridas? Oucamusocoinie.vc- .lesdolonoaimprensa austraca taca
cessores da Leopoldo, eslabelccem, pois,
que a Hungra nao he provincia da Austria.
NHOhe memo pil subjugado, porque 110-
nbuma obrigacilo foi contrahida pela Hun-
gra para com a Austria. Assm be que, a
sherlura de cada dieta,o'g.bnete austraco
pe lia, cm nome do rei da Hungra, subsi-
dios e o contingento. He ha alguns anno*-.
os estados (a cunara electiva e os magnataaj
concederam o dinheiro e os hoaieiis, de- C'M .,
baxoila con tiode que se introdu
certas
1 aust
semprc ciin.pi 1-
clinyl ( 6 !, um dos mais constantes adhe-
- fcnles do govenm austraco.
D'sde a exaliacilo de I ornando I ate
18-J5 diz elle, longo de cuiJar en anerfei-
c iar nasas constituico, o governo nBo ces-
in do ler em visl a aniquila-I ; s ii.e0n-
Sideracao para com a liossa nacionalidad*,
nao pens., senao em simplificar o meca-
nismo do estado, procu anlo dissolver to-
das as parles integrantes da niouaichia.
Por isso o Hngaro fiel, quo ant-s quer
tnorrer do quo perd r a sua mciooilidade
o a sua liberdaJe, tem sido quasi Msa-
Pro Coreado guerra conlra o poder.
Desde entao comprebeiide-se que a oppo-
sL'fio seja muito popular, pois quo, du-
rante klguns seclos, a resisleocii ao po-
der foi para o llung.ro urna viriude pa-
KuMUlli. de urna inliga familia nobre,
mas sem fortuna, lalMM nos ul..nos
lempos chcfo da oi-posicao, principal ag -
lador do povo. Dolado de superior talento
deorgansacao, de eloquencia arreb^lado-
ra, p.cg-va por toda a parlo a abohcflo do
d.zimo, do iral.alho toreado, e a i.iu.osi-
eSo da nobleza, sustentado pola miior pir.
ledua.stocaci, combatido pelo g-bllie e
auslriaco o pelos conseivadores, kussulh
fazia volar reformas telas cmaras, com-
postas quasi exclusivan.enle de nobres, o
nroparava assim urna rovolucao, nao em fa-
vor da a. istocracia, ms sim conlra ella.
Sen. sem duvida ctnioso conliecer as cau-
tas que impediram o gabinete de Vienna
de fazer sanecionar pelo imperador re as
leis voladas por varias veze* pela dicl
hngara. Temera dar um exemplo pen-
goso aos oulros estados hercd.la nos t \<-
me.ia urna separacao definitiva da Hungra,
quando a aristocracia, privada de suas aie-
rUaUnay porm forte da aympal na dos
empules, doniinasso o pas ? Ma ul-
tima auppocflo ao menos he mexacU,
porque a Hungra nOo desejou essa sepa-
racao : nao a pronunciuu senao a.os 10 me-
zes de u.na guerra encamisada, o a pedido
Sem duvida a nova pOSicSo dos .lous es-
ta tos era multo delicada, e tena creado, na
pratica, grandes diuViildades. Mas talvez
o exemplo do relacfles anlogas entro 0
Suecia eaNuruegapotcssO animar o governo
a te alguma paciencia ; em lo lo o caso, 08
amigos .la ordem e .la I i borda lo devera
desliar que ess.s didlculdades rossem re-
soiviiis unicamenie pela va constilu-
lireve luda a discussSa theorics
... i.l.ursi" '"*< ......-.....- .
lo, e desde logo a Imprem austraca ataca
a iwolticao toda pacilica executado na
Hungra em nonedas naciouali -ladcs Oepri-
mjjis. FixsreiPOS nns*a attenciio sobre
esta quesiao em um artigo prximo; exa-
miniremos as antigs lelacOes dos diver-
so< povos com a Rungria, e a posicao que a
ultima dieta llics creara.
( l'reise. J
t Jornal do Commereio.)
BiOGRAPHIA DE K08S0TII.
z Kosstilh nssceu aos 27 de abril de
180U. no condado de Lemplln, de urna fami-
lia slava, distiiicla por sua enliga nobleza,
porm pouco abastada PassdOS os ai.nos
de sua aJ do-cenca sb a tutela de um ir-
mfio foi a univoisitiado de Pestli csludar di-
reilo, faculdade em que fez IflO noUvoiS
progressos, que grangcou geral estimaco.
Comando 21 anuos, ja na carreira de. advo-
cado, coinecou a entrar lias ag.taccs po-
lticas, o foi o genio inspirador de varias
sociedades secretas. Desde entilo seus ami-
gos o preconisavam como personagem im-
portante, e elle-secomprazii em acreditar
0 vaicinio que tinha de ser justificado | elo
lempo.
Nao lardou que as perseguirlos do go-
verno austraco contra os homens de lien-
to ahrangessem Koussulh : cscrevia n'um
jornal os debates da dieta hngara, quando
o governo so leinhrou do piolnbir este jor-
nal que ja coolava seis anuos de existencia.
Kussutl. prosegu.) upesar da prohib.;ao;irias
em ceiio diado anuo de 1816 vio-se acum-
melido pelos agentes da polica e depor-
tado secretamente com cinto dos seus ami-
gos TO inopinada sorpreza irrilou os ani-
mo de lodos e suscitou urna iiidiguacao
que nao era poasivel coule; porcui kossuin
s recol.rou a liberdade passados tres anuos
detraballioielernveisangualis.-A prisa
em ve/, do sopear as lf"*J" 1
sutil, ...iniou-o anda mais ^^1
le acombater, or lo .os OS meio. f"'"0
austraco; para NN Om nao l.ncou m3o dos
^
(,'!) Art. 10 da Pragmtica, Sanc(ao de 1/90.
M) Artigo 12 da mesma |el.
5) Art. IX da Pragmtica, Sanceao de 170.
(6) Na sua bioctiura: Fragmentos de
I prooramma.
,7) Veja-se o lexlo desta sanccOo real
n. hrocbur. do Sr. conde Ladislao Telcky,
taiiwUdlr. A Hungra aapow, *****.
i Paria, i48, 0.#58.
recursos materiacs e directos, mas d influ-
encia que foi obtendo lenta o gradualmen-
te, e com eflicacia baslinte para modificar
a oainiSo dos homens. ,
Knssulh puhlirou um jornal intitulado
Pesli pirhp que em breve se derramou por
toda a llongria e foi Hilo com extraordi-
naria bavidex. O principe de Mclternich
c.nsegtiio afaslar Kossolh da HMaeW)
daquella jornal, auo perdn o prestigio di-
que o cercara o fundadnr. Mas o SjeSHO de
Kosuth nSo poda csiar ocioso, evaleu-se
do seus variados recursos para continuar
na vero la que havia encelado.
A Hungra, pail cs la por su nata era, "&" POsnii industria
prnprii: nao s careca de fabricas o de es-
Ubalecimentos industaiaos, ms al da-es-
tradas que llie faei'itassen coinmunicaqoes
cun os paizes crcuuivi/nbos.
hossut, infalieavel protector d sua pa-
tria, o inimigo imidacavel do despotismo
imperial, deu-ae com ardor a promover o
falo ico do pannos nacionaes o a facdl ir os
males de transporta no interior do reine.
I'.u-a eslo lim finid 11 a 111 -se algumal soc.e-
dades promotoras em que ell^entrav*.
Este sbito reniooimento da Huogria tu
as.on.b o para a F.urop 1, ea inti-reusa tal-
ln delle largamente. A Austria Iratou
da luOocar o nascenle magyarismo. Sun-
primio no primeiro impulso o desenvoln-
mento das SSSOCiacflM liungar-s ; c, ven lo
depois que nao tirata frurto aigum. revs-
lio-sede astucia jesutica para rldiculanis-
loi'Algiius que ao principio eram os mala
fervoroaos defensores du par ido dejtoesuth,
1 atiandonaram-nn .lept.is receiosos por causa
lie leus uh'ivsseseseguraiica,pessoal. KOS-
sutli novamenle se vio perseguido e mal-
' Iralado pelos seuaoiientoi mimigos.
I Neste lempo a exaltieflo de Po IX ao so-
lio poulili'.'io des.O'lara a Eurooa do le-
lharg-i 011 que jazia op >rossa por 33 annos
de paz vergonbosa. A Hungra foi dos pn-
! meiros paizes que s moveram com este 1111-
1 puls.. porquanto no tic.rain n> esqueci-
i monto os seiitimentos deaympalhia que a
'dieta de l'reshurgo manifesiou para curo o
pontifico reformador. Se i.eliiante acto da
airte d'uma provincia imponal, e remando
' Matlermoh, fui reputado o maior arrojo de
' valoi CIViCO.
1 Kossutlt nessaocc^sia repr.-scnUva na
dicta o c. ndalo de Peslh: a su 1 extraor-
dinaria eUVqucucia a sa ratissuna causa
!de quusczeia campeOo inlluirain grantle-
! memo para se desea 1 regar o derrale.ro gol-
pe 110 absolutismo imperial na Hungra.
I AabOliC.lo da c^eravidao dos cultivado-
'res o lireiio de trgnsmiSSSo das proprie-
dades. a.....ancipicaodos Hebreus, a crea-
cao do um ministerio hngaro; ludo foi
obra do Kossnlli.
Succedeu a revoluco de marco em Vi-
cua, Kossulll redobrou sui acividulea
favor dos Magyares. O imperador, aperla-
do por lo los os lados, promottia ludo ; po-
1111, ealcula-ido o perlgo em que se achava
a coma imperial da perder a ioia mais pre-
ciosa, a II mgria, suscitou a discordia entre
js Croatas o nomeado banda Croacia, losto.gadaa le
da unido dos I os piiz -s. Knssulli proles-
lou, mas de laido. A cimarillti austraca
insisti, c rebentou a guerra. Kossutlt pedio
a dicta hngara duzoulos mil soldados;
esta concedeu-lh'os, e proclamou-o tlic-
' Kus'siill. percorreu a Hungra, e de vic-
toria em victoria apresenloii-sn junio ai mu-
ralbas do iv.-lh. Os partidarios do dicta-
dor co'i.eqaram a duvidar da poca em que
os Croatas seriam levados pcl.S bayonelis
hngaras al Vienna. Avanc.va onlu o f c
neral austraco Windscligraalz; e, vendo-se
Kossulh com um pequeo exercito so aptoT
resistencia, relirou-se para alero doTlieisse.
Os imperiaes, assm mesmo, suspeitaram
de que esta primeira vanlagem conlnbuisso
pan desenvolver em miiot escala a revo-
luta hngara que se concentrava.
Tolos os que olhavam para o movimen-
to hngaro com Interesso o sympaihia
acubarilavam-se e perdiam o tino entr. mi-
lliaies deennjecturas. Kosauth nao putdicou
11 m s pin ase para justificar o seu proced-
metilo. Illu lio mis, deixou oulros cm duvi-
di ou expeciacSo; e nesio inlervallo aug-
mentou exiraordlnariantente oxou excici-
to, e nomeoii para o dingroin genr.es
mu oxperientes. Kssut, ain la que -'.'"-
servou para si commsndu algo 11 1 ..mar,
nunca abatidonou os combalcutcs di 111 le-
pendeDCia no furor das balallus. A sua voz
Ibes da valreos entusiasma, iemre
atiento a lepr.mir a violanea da eX'RifSJ
ariotica sabe aproveila-la as occsu.es
uropc as' Naohe"porl.nlo,deadm,1.,r que
KwVdOS hung.ro. b*S22F* Kos
ualuuer que seja a futura sorto de kos-
suC., se,. .....no japcr.ence a h.s or,a. que
,a colloca-lo na galena dos homens ,1-
uslres que s .Ivaram a sua patria no uiur
as -evulucoes Dilosos os povo* que en-
c'iitram nos momentos urgeules um ho-
,",', como he Kossull... Se a tal. fosse
tilo afortunada, mo vena actaImenc pro-
fanado o seu territorio pelos soldados es-
trangeiros. .
Pa.a terminar este breve esboco mencio-
naremos algutnas parlicularidades que des-
.uvein o hroe mgyar. A physiooomia
d Kossulh apresenU o verdadiiro lyp 1 da
belleza slava. Vcstindo aempre moda po-
laca, trage que ha lempo a eata parle tem
adoptado a nobreza da Hungra, conlribue
esta circuinstancia para dar cerl graca a
estatura esbelta e vigoro! que o torna a-
gradavel logo a primeira vista. Seus olhos
que desprendem fugo, a sua elocuencia,
urnas vezes palhelica e sentimental e n'ou-



HMftiniMKfeMtMa
iSi
tras enrgica c Inspirada, Arrebatan) os eo-
raccs. I'o-- calas prendas, pelo seu amor
prattto, os Hngaros o veneran), posto que
pelo seu tremo rigor seja ternvel. He .le
t.tencocs nobrcs.de coraeSo magnnimo e
nenhum tnumpho, por estrepitoso que seja,
o ensoberbece.
Kossulh na lingoa alava quer diier-eer-
vo 011 viaito ; e por isso, na poca em que
sbandonou l'reaburgo e Pesih para retirar-
se a llebreczm, a imprensa saiyrica impe-
rial tomou de seu nomo azo para motja-
lo chamando-lbe veloz na fuga, tmido no
perigo,. com oulras parvoires semelhan-
tes. Que dirflo esses peridicos agora que
o eervo afligen ta os maslinsque lliedavam
cija?
(lev. de telembro.)
BICRANHA DO GENERAL BEM.
Jos Bem nasceu em Tamaon na Galitzia
no auno de 1795. Primciramente deu-so
ao estudo das leis, que depois abandonou
rara seguir carreira militar; fezacampa-
nha da Uussia como segundo lenlo de ar-
lilhaiia. Obscurecido o astro de Nipolefio
Uemvoltou aoseiodo sua familia, e com e
] leimaneceu at 1815, poca em quo se
alistou noexercito polaco Porm as suas
oplnies polticas llie stlrahiraui a malevo-
lencia dos imperiaes ; leve de largar o ser-
vico e soffreu perseguido do gran-duque
Constantino. Logo que subi aolbrono o
imrerador Nicolao, foi Bem aonistado e
pode novament dedicar-se an estinlo.
Quando em 1830rebenlou a revolucflo po-
laca, blete patente de major ; e em con-
sequencia de scus arlos na batalha de |g.
nia, em que alguns mhares de insurgen-
tes nvolverame derrotaran! 20,000 Itussia-
nos, foi elevado ao posto de coronel no-
meado commanJanle deluda a artilbaria
polaca. Apezar de subido herosmo a Po-
lonia, dcsajudtda da Kuropa, leve de suc-
rumhir; tem retirou-se entilo Franca don-
de vejo a PoMugal e aqu servio disliucta-
mente na rampauha contra a usurparlo
fnda a qual retirou-se a Perla, entregan-
do o temi de paz no rain lo e entraba
lhar n pro d* causa da independencia po-
lara a sua lila em lila sagrado intento rn-
cresceu por orcasiflo dan revoluces do fe-
vereiro em Paris, ede Vicua e Berln om
marco. Na segunda revolucflo de Vienna
ja so vio figurar seu nome. Nomeado chefe
da guarda nacional, soube nraanisa-la com
presteza maravlhusa, e infbimma-la de pa-
triotismo | or ejemplos de valor. Rendida
Vimna, os Croatas con reniaran) amorte
o magnanin o em ; porm Heos Ibe tinha
reservada oulrn sorle. Consegttio evadir-
so disfarca'in em traje de almocrcve. Ou-
tro se aproveitaria talvez da feliz circums-
tancia de haver escapado moile e depo-
ria a espada ; mas tem que no Iriumpho
popular via a resurreieflu da sua Polonia
aceitou alegre a honrosa nflerta de KossutN
e poz-se lesla do rxereito hngaro, lie
ocioso referir as suas facanhas desde essa
poca, porquai.to resoam por loda a Euro-
pa As suas nperacfies militares eflertua-
das na Trtnsylvania sflo de tal transcenden-
cia, que fai iam honra aus mu insignes ca-
pitfles. O que parece sobrenatural ueste
homem Jie a concepefio de pimos de ins-
tantnea execurflo. Tem a arle de entreloi
e Iludir o inimigo, quando mo se ai lia eom
forcea sulliciente* para derrtalo ; aprov. i-
t.i-se rpidamente das oecasitVs que se Ibe
olU-recem, eassuas marchas silo prodigios
de estrategia.
Iilim.
(vina do Mrotr.i7.in o jcu advogado, em cujus i O Sas.
intentos c lealdade descamava, aguardando a
decalo do tribunal Prlncipiou entao o Larva-
Iho Morcira a drdmir a suadefeta locando Inci
dontemenle na allegarlo que aprcsenlra o-
reo de gozar do privilegio de senador, e na
deciatlo contraria que deraotribunal,a qual
declarou respeitar, e pensar que Tora um
servico felo nossa legislacflo por decidir
urna queslflo que pela primeira vezjseapn-
sentaa ; o, paitando a tratar da materia da
aecusaeflo, fallando largamente, sus'.en-
tou, e no mcu entender muito bem, quo o
ex-presidente aecusado oirra dentro do
circulo de suas altribuicoes, pois que nflo
suspendiaa umjuiz de direito como pr-
fidamente se allegara, mas ao chefo de po-
lica que nlo be o magL-trado de qne falla
a cnsliluco do imperio; Irazeudo om
abono dessa onlnlfo, nlosmuitos pontos
de nossa legisllo, tent anda decises
do govemo ne.-se sentido. Passando al-
l gacflo de motivos pessoaes do que fallou
oqueixoso, notei que nesse ponto oxce-
deu-so um poucoo iratou mal ao chefe de
polica Cerquis, poden lo deixar de o fa-
zer, tanto maisachando-se este ausente, e
nilo podendo nunca responder-lbe rio mea
mo lugar :ac.o que essa parte da defeaa
nadapeideria se tivesse menos acrimonia
Creo quo ella le de ser impressa, porque
la eslava um tachrigrapho apanhando as i>a-
lavras do advogado. O j.ilgamer.to, na for-
ma do eatylo, devo ter lugar na ssessflo im-
imediaia, ouvida a leitura do relatoiio do
juiz enearregado do proresso.
Asultiuas dalas do Ruenos-Ayres nula
dtaiilam as anteriores : o Hntiik Pachel da
apenas oxguintc:
i O general Oribe ofT.-receu, em seu no-
mee no da repblica que preside, aoee-
VOTO.
ti Lniz Anlonio Baiboza 105C
7 Francisco de Paula Candido 1055
8 Francisco Diego P. de .Vasconceflos 105*
1053
1052
1051
1050
1047
1044
1041
1038
1037
era I llosas, como chele da C
me ieia(,ao
Argentina, urna espada magnifica, como
rracalembraoca dosaeVricoa prelados por
esse bel adiado na lula que n.reco oslar
prestes a teiminar. O general llosa*, tanto
por motivos de delicaoeza como de prin-
cipios, recusou essa honra, epedio ao pre-
sidente tirilic o obsequio detra/er em seu
numee oo d. Confederado a mencionada
espada con o signal de homenagoni pres-
tada pela (onlcdernclo o pelo seu en-
verno aos dlreitos e independencia do no-
vo oriental. *
Temos noticias da praia do Ass, onde nao-
tragaram a barca frjncrza A/or e o brieuc in-
%Wl A mcliaUardon. Aquella nava cmplela,
lenle cm secco. podendo-sc entrar em sru
bordo a p ensillo e de sua carga tinham sal-
vado de 40 a 60 toneladas de faiei.das. rete
liiiharn-tc salvado do sen carrrgainento 89 vo-
tilines avarladoi, eisso com grande dilliciilda-
dc por ser o navio levado pelas ondas : lendo
o mar subido mullo, presumale que nada
iiais te poderla salvar, pola que o cateo nrlo<
piava a desfnjer-se.
Pela fragata ingleza Constante, entrada nesic
porto em7 do correle, live..... datas de Val-
paraso qneclirgan, a 27 de agosto, c nada di-
zem de novo, ..leu, de alguinas noticias da (.
Mu 1,1.1
As noticias de San-Francisco, diz o Herrn-
223
221
213
206
149
129
122
119
96
9
9
7
1
I
INTERIOR.
COIIRESPONDENCIA DO DIAItIO DE PER-
IVA M BUCO.
to-de-Janeiro, 16 de outubro de 1849,
O ministerio de 29 de setembro acaba de
soffrer urna modifieacao. Por decreio de 8
do ron ente foi concedida a desimano de
ministro dos negocios de estrangeirns e
presidente do cnncelho ao Sr. visconde de
Oltnda, sendo subsiituido no primeiroen-
cargo pelo concilheiro Paulino Jos Soares
deSouza, eno segundo pelo Sr. visconde
de Monl'Alegre.
Tendo eu afilrmado em urna das minhas
ultimas cirtas que o minisleiio achava-se
bem firme pela snlidariodade de seus m> m-
bros, deveria arbar-me agora um pouro
emharacado e receio>o de passar por mal
informado des negocios com essa niodili
eec.lo, se nilo po Irsse dizer ans leilorea
em temer ser contrai jado, que nflo loi ella
devida cnse ministerial suscitada pelos
negocios de Pernan-huro, -o que teria de
rraslrar maisalguem.
Posto que as folhas, qnr opposicionis-
tas, qur governlslas. anda se nflo oceu-
passem de indagar e.expliear a retirada de S.
1 xc.no entrar em duvida que os negocios
dollio-da-Prala forama unir causal della. A
marcha desles tem ullimanu nte se compli-
cado muito, e exigem solucSo noedeman-
da muito Irabalho c esludo de gahinele ; e o
nnbre visconde, pelo seus conhecidos
achaques, nilo poda rntregar-se a Hlcs.
De .ceido. |ois, com seus entregas, re-
solveu relirar-se-, coinenlndo em ser cha-
mada a | essoa quo o subslituio. V-te,
por tanto, que fui exacto no que disse, e de-
vo continuar a merecer a ronfianca dos
leitores.-queheo que mais aspiro quando
osrievoas minhas cartas.
Pelo ininisieiiii do imperio foi aberto um
crdito exraordinario de 25 cornos para a ex-
ploracu de terrenos carboniferoi no Kiu-Gran-
de-do-Sul, devendo o miuislru respectivo cm
lempo couipeleote aoliciiar da assruibla ge -
ral a a appro>acao e autoritacao dexa despeza
Por decreto de i do crreme foi noineado
para om dos lugares de alinnxarife da inatiuha,
vagoa pela demiisao des de queja falle!, Jos
Amonio Barbosa da Veiga. e bem astiui adio-
nio Francisco de Azevedo Kverlon, que foi
subsiuuido no lugar que oceupava de ama-
luienae da arcrelaria da Justica por Amonio
> ieluriuo de narro.
Comparecen perante o supremo tribunal de
jusiica, na sesso rio .lia 1 v, oes-presidente
r/*o de S, acompanbado de teu advogado
Carvalbo Morena, (que fui ltimamente tirito
drputado por AlagaaJ para responder pelo
cnuie Ue responsabibdade, deque j os leiio-
rctaeachain iutciradoa. tendo relator do pro-
cesa o coucelhelro Thoinai Xavier, e tervin-
d de promotor de justica o

oandrt raga, feita a lelura dot autos de
aecutacao e rrspusla, libello e conlrarlrdade,
.. aecusado disse que apresrnlara te ante o tri-
bunal, chelo de toda a connanca que Ibe tUcla-
vam a sua Innocencia e a reclidao dot luizea
bue tfnbam dejulga-lo ; que por seguir oa ci-
gala ingleza laeontlanl a sumina de 190 mil ni
sos em ouro.
Consli-nos que a Consfnnre troiue 40 000
P*0' rcmuietiidos i praca do Rio-dc-Ja-
annuncin que por
O Mercantil de honlem
toda esta semana sera publicado um |m-
presso.cscrtpto pelo Urbano, rbm o titulo
de Apreciacao da revalla praMra, dividido
em15 captulos, cuma introdurco que he
publicada com o annuiicio, em a qual diz
elle que j nflo pode mais guardar silencio
sobro os surcessos de l'ernainbueo, princi-
palmente depois do discurso do Haeiel
slonteiro, cujo nico merecimento consisto
na virulencia da lingoagem, falsidadcs, ca-
lumnias, insulto c iiislincto de vinganea :
diz mais que seu inlento he lamhem diri-
gir um appello ao chefe supremo do esta-
do, para que o Imperador conlieca todo o
Jiorror, ferocidade e immo'alidada deque
D'in sido victima sua provincia ; quo final-
mente pretende vingar a honra ultrajada
de seus amigos.
Ora, parece-me que o Urbano demoroti-so
muito em lomar essa deliberac.lo que a
Honra o o pundonor Ihc dictavam; mas
clio que poda dispensar algumas quiclio-
ladas que leem-se nessa sua inlroduccilo
Entretanto vetemos a maneira pela qual en-
cara os acontecimentos, ea explicaco que
Jlari nos tnotvus e litis da revolla permit-
a Dos que seja mais esctupoloso e exacto
esirovendosh a rrs| onsabilidade de seu
iinino, do que o fui quando escrevia os ar-
ligos do Mercantil. Luuvo-o por assim uro-
ceder. '
Corre por ah o boato de quo vo ser de-
millidos os presiden'es de Sergipe, HlBra-
ubao e Piauby -. nao sei o que ha de exacto
a esse res; cito.
O concelheiroJosc Bei nardo de Figueire-
tlOi presidente do supremo tribunal de jus-
tica,acaba de ser aposentado rom os tespec-
livos vencimentos, tor a-sun o haver He-
dido,
O patacho americano falhrutl, entrado
lionteni de Pernambiico com 8 das de ua
geni, trouxe-nos noticias da Europa ;.ns
nada nos diz desla provincia : as que dahi
temos chegam a 27 do pastado, e foram Ira-
Zidas pela barca Hrmeza : informaiii-nos de
lerein si concelho de guerra.
recifx, sa xtz outobro ds iaa.
O vapor l'ernambucana, chegtdo boje dos
porlos do sul, trouxe-nos a caita do nosso
correspondente da corle, que ah dentamos
inserida sb a compenle rubrica ; e bem
assim jurones mineros, fluminenses e ha-
banos : os primeiros al 4 docorronte, os
segundos ate 16, eos ltimos at 23
almas icara tranquilla.
Exclusive os collegios de Paracat, Ja-
nuaria, S.-ltomllo e Itacambirussii, cujos
eleitores nflo chegam a 200, eis o resultada
da eieirfo dessa provincia para depnlados
assembli geral :
Os *as. votos.
1 Firmino Rodrigues da Silva 1075
2 Manoel Teixeira de Souza 1060
3 Antonio Candido Cruz Machado 1u59
4 JustinianoJos da Rocha K58
5 Bernardo Belizario Soarea He Souza 1057
9 Jos J. de Lima e Silva Sobrinho
10 Gabriel Mendes dos Santos
11 Jos Agostinho Vieira de Mallos
12 Francisco de Paula Santos
13 Anlonio Comes Candido
14 Vigario Antonio Jos da Silva
15 Anlonio Gabriel de Paula Fonseca
16 Conego Manoel Julio de Miranda
17 Anlonio Jos Monleiro de Barios
18 Vigario geral F. Alveado Mendonca 1034
19 llerculano Terreira Penna 1010
20 l.uiz Soares de Govca llorla 960
He para notar que, anda mesmoeahendo
opposicu'ir'miiieira lodosos SuflVagioi que
faliaoi, nflo conseguir ella um lugar na
cmara quatriennal, visto queaquelles de
seus canipeOes que cslflo tnelhor aqoinlioa-
dos teem menos de 500 votos.
IS'asgazetas do Itiu-de-Janeiro apenas co
Ihmos oseguinte:
A 16deviacaliir uo mar, no arsenal da
marinha da edrte, urna corveta de balera
cubera, a qual, supposto soja o primeiro
vso desta classe que su construe nos ar-
senaes do imperio, acha-se tflo bem aca-
bada, quenada dixa adesejar.. Ella tem
146 ps de roda a rula, 35 de bocea e 19
de puntal. Montar 26 boceas de fa-
go, sendo 24 no convez.
As datas do Bio-Grande alcancaram a 27
do i assado.
Eslava apurada a votaQo da provincia
para depnlados geraes, excepto smente o
collegjii da Cruz-Alta com 27 elelores. A
apuraeflo era a que abaixo transcrevemos.
OS 'i'Miini.s. VOTOS.
1. Des. Pedro Bodrigues Fernandas C. 230
2. Dr. J. E de Negreiros Sayflo Lobato
3. Dr J. MaHitis da Cruz Jubitn
4. Dr. I.. A. I.eite deOliveira Bello
5. Dr. Joaquim Jos da Cruz Seeco
Dr. Israel Bodigues Barcellos
Jos de Paiva Magalhfles Calvet
Dr. l.uiz de Freltas e Castro
Dr. F. Carlos de Araujo Brusque
Dr Jos Affonso Pereira
Teuente-general Andri
Deaembargadcr Paranboa
Antonio de Sa linio
Dr. Joaquitn Vieira da Cunda
Dr. Jncmlhoda Silva l.ima
O Diario do fio-frande de 25 traza carta
infra, escripia em San-Cahriel a 17.
Ci pela nossa campanhanfloha novi-
d.ule. Pela, ftotiteira do estado vizinlio
andam reunindo gente o tirando arma-
inenlo.
A 13 de agosto dizem-me qiiellrqui-
za lironclou a lrca que tinha em Mandos-
sovy, para se reunir ao primeiro aviso :
Dizem medeS.-Borjaquea15deagos-
to, no acampamento dos Paraguayos no io-
vo do Fuimiguero, os emig-ados reunidos
all nomearam governador povisorio de
Corrientes a um tal Valdez, e que esto no-
meara chefe da fdrea argentina ao genera!
A halos, a segundo a I. Joflo Mdariaga.
A frca paraguaya entre Uruguay e Pa-
ran eslava stacionada, falla do ofilciacs e
boa direceflo; as partidas rosislssque se
avizinhavam as margena do Uruguay teem
ameacado aos nossos habitantes d'aqum.
Parece que ha scus receios por aquella par-
teda nossa rrenteire.
Alliniia-se-me q>;e o quarlo batalhjo
de fuzoiros vaidaqui render oscxlo em
Cacapava o vem este para S -Gabriel. As
tropas estilo pagas em dia, bem vestidas
e com bastante cavalhada : ha lempo que
por este lado nfloeslavamos tflo bem ser-
vidos.
Do posse de falhas de Rrhmond al 15
de agosto, e lefeiindo-se ao testemunho do
capilflo da Minian que lli'as levara, o Jor-
nal do Cummercio de 9 diz que terminara de
un modo satisfactorio a quesillo que lle-
ra lugar o embarque violento do Rey, de
quo inieiinios os leitores em um dos nu-
tne.os p'ecodeules do hiario.
As noticias da California, dadas pelo pre-
citado Jornal em O n. 278 de II do correute,
pan ceiu-tios mais cui iosas do que aquellas
que o nosso correspondente exlrahio do
Comi Mercantil, e por isso nos aprestamos
em ii mi-e i'M'-l.is :
Temos vista a Weikty Ilrrald de Ncw-Yoik
de 18 de agosto.
O vapor Oregnn, sabido de San-Francisco
n.i California no dia i de julliu, chegou a Pa
n.una no ilii 20, trazendo selscrntos mil pe-
so em metaes e ouro cm p. ai noticias com-
uiereiara nada dill'ereni das que ja publicamos.
Urna carta de Panam do dia 2Jd as srguin-
Ics noticias da California :
As leis e a ordem esliio anda eui detprezo ;
nao lia autorid.ide legal reconhecida pelo povo,
e d z-seque muilus suldadot de regiment do
coronel: levcnson foriuarain una quadrilba, e
deb.u m, da desiguacao de fotaur teem commelli-
do varias ruanos e Mexicanos Kutr.iui pelas casas, sa-
queiain os arinaicut, e coufiscaui as fazeudat e
eif.-iius per tencentes etta gente. Os Ameri-
canos, em vlnude de aua uacionalidadr, etca-
p.uu a rsaas atrocidades.
Sao muito procurados 01 obreiros de lo-
dat ascliuet; porui especialmente os car-
pinteiros. Kste ramo mecnico predomina
obre iodos os ouiroa, e poder tempre obter
talarlos enormes : o jornal que ordinariamente
te paga regula de 16 a 24 petot.
le una ca la da Alia-California, datada a
2 dejiilliu, cxii'.-iliimot o teguiuli! trecho:
A' vftla da iuforuiacea de que otamos
de pn.se, tomos de pinino que do 1.a de jauei-
r.iat.'iii|.lc jiinbu teeinchegado provavelmente
a este paiz cerca de 15,000 aitnat: sendo censa
de 5,000 A ni encinos, 0,000 Meiicanns, 2,000
Chilrnot, c os ouliot 2,000 de quaa todas a
nacit do mundo.
Pelas uflimas noticias dos Estado-.
Unidos consta eslarem a caminlio para es-
te paiz por mar cercado 17,000 emigrados.
Alm disto, haver provawelmeute urna
emtgracflo por trra de cerca da 8,000 pes-
soas, que devem cliegar aqu at (ins de
outubio : e, se accrescentarinos os que bao
de vir pelo Panam e Mxico, orcaodo-o
em 3,000 pessoas teremos um total de
35,000 Americanos na California para essa
poca.
Juntando a esse numero os emigrados
que provavelmente chegarflo da Europa e
de lodosos paizes ateo Um de outubro
teremos o seguinte resultado approxima-
livo:
Americanos 85,000
Californianos 9,000
u todas as outras nacOes 16,000
Baha gozava de aocego.
A 1 do correte, pelas duas horas da tar-
de, Porfirio Xavier de Argolo e Antonio Xa-
vier de Argolo, primos, cunhidot e compa-
dra deSilverio GonQalveg Leile, assassiua-
ram a este com dous tiros, no lugar deno-
minado Pcdra-Molle que fica meia legoa
de llapicur ;e, como quo para ostentaren)
ferocidade, enrtaram urna "orelha ao infeliz
quando j nflo dava o mnimo signal de vi-
da, e rasgaram-lhe com 2pfaccadasas ina-
nimadas carnes!....
Urna hora dapois de perpetrado o delicio,
a polica tinha capturado os dous assassi-
nos, e tralava de processa-los. '
Correspoiiclciicia.
Sr$ rtdactoret Se eu podessi de urna s
vez fazer dcsapparreer a mentira, fazendo
apparecer a verdado com toda a sua gala e
formuzura a respeitodoSr. Silvestre Antonio
de Oliveira Mello, aclu -I delegado da villa de
Po-do-Alho, o faria tflo cheio de verdade
q na uto aquella de que estou possuido, dando
um desmentido completo a todas as imputa-
<;<3es oo correspontefo doalhente em o Dia-
rio-Novo de 10. II, 13el7deste currente tnez
de outubro ; mostrando que, sn todas ellas
sflo tflo verdadeiras quinto as de que fez
meneflo o correspondente em o n. 103, entilo
eu afJirmara ao publico, sem medo de errar,
que os dofeitos apontadosem dito n., em
vez de apresentarem o Sr. Silveslrs como
um homem in-apaz de exeior qualquer
funcefln publica, antes dosacreilitam aquel-
lo Diarlo, orgflo de um parldo poltico,
sempre que presume nunca se arredar da
verdado, mas que quasi sempre se aflasta
della do um modo escandaloso.
Assim, pois, releva dizer que os fados a-
presenlados contra n dito Sr. Silvestre,
quando pela le do 14 do abril oceupra na
comarca da villa do Brejo da Madre-ile-Deos
o lugar de subprefito, nflo passam de urna
pura calumnia de quem tem por garbo man-
char o crdito do Sr. Silvestre, empregado
intelligenteje recio no cumprimento de seus
deveres ; a qual, em vez de merecer um s
applauso, pelo contrario al test-i o mereci-
mento do Sr. Silvestre em loJo tempo do
sua subprefeitura'naquellc lugar do Brejo,
como o nflo negarflo os senhores lenente-
eoronel Jos Cactano de Medeiros e Flix da
Cunha Navarro l.ins, ambos inimigos po-
lticos do Sr. Silvestre, que aqui residen)
nesta cdade, e foram teslemunhas occula-
res de todos os seus aclos naquella co-
marca.
Quero cr;r quo estes senhores, deven-
do tamhcm apreciar o seu crdito e re-
putacau, nao me deixarflo fallarse cintilo
justa defesa do Sr. Silvestre, sem que por
este mesmo jornal aflirmem o que te-
nho dito; pois que todos sabem porfeita-
mente quo, sendo o Sr. Silvestre um moco
de 21 a 25 anuos de tila le quando oceupara
aquelle lugar, nunca no desempenho dos
deveres pblicos que eslavam a seu cargo,
Ciiinmolleu urna s violencia, ou allantado
que o fizesse cahir no desagrado do gover-
no e que por isso merecosse a menor cen-
sura das pessoas mais gradas do lugar.
Convencido destas verdades, eslou cerlo
que o Sr. Silvestre responder por este Dia-
rio ao correspondente acerca dos fados de
Po-do-Alho. a esprito dos quaeseslou em
perfeili ignorancia, eme persuado que sem
o menor custo far convencer ao publico
daveracidade delles, fazendo retirar de si,
como costuma, qualquersuspeitique por
ventura lenha levado o l'tio doalhente re-
velacflo de tantos defetos, que mclhur fura
te-Ios provado, e nflo vagamente impta-
los sem sua responsabliiJade.
Sou, senhores redactores. J. S. B. T.
escravo, I). Mara Epiphania, Joaqun
Gomes do Bego, o padre Delpliino. s
deOhvetra, 1 ex-soldado o urna escrava
paraonorle. oa Ora. Joflo Antonio Per'
nandesde Carvalho e^Policarpo Lopesd.
Leflo.
Naviot taidos no metu
Bn-de-Janeiro Escuna
capitflo Manoel Concalj
ga sal. Passageiro, \f
Cear Escuna liraseira nm
tflo Manoel Antonio da Silva Barros, car"
ga varios gneros. Pssgeiros, Antonio
de Oliveira Borges, Frederico Jos Perei-
ra, Joaquim Jos Barboza, Jos de Asrel."
la Goveia, Francisco Lina Salgado, Luii
de Franca da Cosa Espindola, Justinian-*
no Alves de Carvalho, a prieto Jos Serj
Joaquim Jos dos Santos Cracj, Brasj.'
leiros.
Baha Hate brasleiro San-Joto, capiLflo
Manoel Jos Baptista, carga varios ge.
eros.
dem Hate brasleiro Sociedade, capiUo
Francisco da Costa, carga varios gneros.
EDITA L.
CURSO JUBIDICO.
I'.icu saber aos estudanles do collegio das
arles o do lyceu que, afim de terem nos eit-
mes preparatorios a preferencia que lli-8
coucedern as or.lens imperiaes, he mistar
que inslruam os seus requerimeutoa com (.
testados de seus respectivos profesaorfs qua
abonom a sua frequencia e aprovettamento.
Olinda, 27 de outubro de 1819. O padre
Miijutl do Sacramento l.opet Gama, director,
. -Jt-HBHBK
Deca ra^es.
Perante o concelho da adminiatraco
n va I leem dearrernatar-se, a quem mainr
precoolTerecer, 21 arrobas e 10 libras de
bolaxa arruinada, propria para alimento de
animaes, bem como tem comprur-ae urna
poreflo de alqueires de familia do mandioca
para fornecitnento dos- navios armados e
hospital do marinha ; pelo que convi la-sa
aos inlerossidos para comoareoerem as
12 horas da inanlifla do dia 27 do crtente,
na sala das sesses do mnsmo concelho,
vindo munidos osque se propozeiom avendt
do fai i ii ba com suas propostas e as a-
mostras.
Sala das sessfles do concelho da adnii-
nistracilo naval, 2t de outubro de 1849.
Chriitov&o Ue Santiago de Oliveira, secretario
do concelho.
O arsenal de guerra precisa do dous.
pintores ; quem nestas circunstancias os-
liver e quizer se encarregar do respectivo
trahallio que se Ihe olTerecer, comparecer
na sala da directora do mesmo arsenal oo
da 27 do corrento, as horas do expediente.
O vapor l'ernambucana ie-
cebe as malas para o norie
boje (27) a una hora : as cor-
respondencias serao lecebi-
dastom o porte duplo ateas duas.
CUrimS-BClO.
ALFANDEGA.
Rendimento do da 26.....15:327,419
CONSULADO GERAL.
Rondimento do da 26..... 955,531
..... 87,751
Diversas provincias
1:013,312
CONSULADO
Rendimento do dia
PROVINCIAL.
26..... 572,20.
RIO-DE-JANF.IIIO.
e\MiuiK no Dl.\ 15 DE o riiino.
Total
60,000
Em Slontreal Canad ) tinham ha-ido
novas desordena e incendioe. a
Cambios tobre Londres
" Paris .
" Ilamhurgo .
Metaes. Oncas hespanblat ..
" da patria .
Pecas de 0/400, vcllias.
Petos lirspanbet. .
.l.i patria .
l'.ll.-le.ies ....
Apolicet de G por cento .
proviuciaet
27
nominal.
653 a 655
30.'.00 a 31/000
2!>/4no aHMBOO
IT^OO a 1/KOO
1/960 a 2/000
1/030 a 1^)50
1/30 a 1/950
88 a 89
88
Tlieatro de S.-Francisco.
HOJE, 27 DE OUTUBRO DE 1849,
a benelcio de Joaquim Jos da Cama, ha-
ver um vaiiadu o nleressanio espectculo:
o drama em 3 actos
O MINISTRO TRAIDOR
ou o
Trivmpho da imprenta livre.
Em seguida, o Sr. Santa Rosa o a joven
Felismiua cantaran o duelo que icni i or
titulo
O MEIBIMIO E A POBRE.
Seguir-se-haum
DANCADO.
E dar ITin ao divertimento, com a farca o
CASAMENTO POR MAGIA
ou
a flauta mgica.
Todo este divertimento lio nteramenle
novo ueste llieatio : elle tem merecido os
mais decididos applaunns nos Iheatros do
Rio-de-Janeiro, por cuja rasilo o beneficia-
do o destinen para aprsenla lo em a tiotile
do seu beuelirio ao illuuinado publico
dcsia cidade, a quem tem a honra de convi-
dar, protestando quo aera eterna a suegra-
tidflo.
N. B. Os billietes de camarote e plala-
acliam-se a venda em casa do Sr. Santa
llosa.
Principiar as horas do cosime.
(Jornal do Commtrcio.)
IIAHIA.
camiioi no di. 22 oa ourrtno.
Londres.
Parit........
Ilain bUigo......
Lisboa e Porto ....
UETtEt.
Oncas hespanblat. .
mexicanas ,
Perat de 6/400 ....
uceas .....
Modas de 4/000. .
PatacOcs bratileirot. .
besp.tnbes ,
a niexicanoi. .
27
nominal.
H5p%/,.
31/500 a 32/000
31/000
17*500 a 17*700
16/500 a 17/000
9/500 a i/600
2>000
V.lilH.O
Mercantil.)
ovimenn) do "orto.
Hatiot miradas no dia 26.
Rio-de-Janeiro 36 dis, litigue braslei-
ro Jvtephina, de 4(8 toneladas, capitn
Joo Kai'tisia da Trinilade, equipagem II,
carga gneros do paix ; ordem. Passa-
(fHros, Francisco Antonio Lima, Manoel
Antonio de AranjnRual. C Gabriel Braga
com 1 eseravo e 5 ditos a entregar.
Rio-de-Janeirn. taa e Mac. i lOdias,
va) or brasleiro **rnnmbucana, de 240 to-
neladas, commandanieo primeiro len-
le Joflo Mililflo lleuriqun. Passag-iros :
pira esta provincia, os capilaste lente
da armtda Francisco Xavier Alcntara e
l.ourenc" da Silva Araojo Almazun, ata-
noel Francisco da RiD-a JNovacs, o len-
te do segundo bitalhflo de ai tilhaiia Car-
los lleruardino Moura, o lenle do oila-
vo de-cabujn a Carlos Cyrllo de Castro
com sua scnhnra, um lilho menor e uoia
escrava, Joflo Camillo de Araujo com um
Avisos martimos.
Para o Porlo seguo com toda a brevi-
dn possivel o briguo portugue/. Venlura-
Fetis, forrado, probado e encavilhado do
cobre, do qual he capitlo Zcfi rio Ventura
dos Santos: recebe carga a freto, para o
que trata-secom o consignatario Joaquim
Ferreira Mendos Guimarfles: na ra da Cruz,
n. 49, primeiro andar, ou enm o referido
capitflo, na praca do Commercio.
Segu pra Lisboa com a maior brevi-
dade possivel o Irrigue porluguer. S.-Do-
mingos, forrado, pr. gado e encavilhado de
de Cobre, daqualhe capitflo Ma'nocl Cen-
ca I ves Vianna : para carga e passageiros
aos quaes ofTerece excellentes cim-rtolos J
drijam-sero consignatario Joaquim Ferrei-
ra Metales Guimarfles, na ra da Cruz n.
49, primeiro andar, on ao referido Capillo,
na piafa do Commercio.
Para o Ass sabe, no da 28 do crran-
le mez, o brigue nacional Sociedade : para
carga ou passageiros, Irata-sc rom Jos
Marccllinoda llou tu tua Dreila, n. 93,
primeiro anila^lA com Jos Baptista d
Fonseca Jutorl na ra do Vigario, .'Wi
seguu.lo aiiirfT
Segu para o Rit-Grande-do-Sul no
dia 87 do corrente impreterivelir.enle.a es-
cuna S.-Crui : s recebe escravos a frt'e.
quem quizer embarcar, dirija-so a Joflo
Francisco da Cruz, na ra da Cruz, n- 3.
Parto Cea i a sabe, uestes adas, O
hate Duvidoso : para carga e passageiros,
trata-secom Joaquim Monleiro da Cruz &
C na ra do Queimado, n. 25, loja de
mludezas.
Para o Havre sabe, com a maior bre-
vidade possivel, a barca frauceza Hita, ca-
plflo l.emetlz : quem quizer carregar, ou
ir de passsgeru, para o que tem excellentes
r$S
s
II F(


comntnrlos, d:riji-gi aos seus consignala-
jio.a. i. P- Ailour & (i, na i ua da CaJeia,
n-52-^ _____________
Le loes.
~ O correlor Oliveira far loililo de por-
g!!n i'" tnoUjjja^nnsislindo em c.deiras de
ddfrrciulosS Mda'ies, sophg, imsisre-
don-'as, hairaanPae jogo, ditas para suplas,
ditas elsticas, utn rico piano de jacarando,
e nutro do diflerenla madeira, um ptimo
viullo, redes do Para, commodas, marque-
7js, nm irlngli do prata patente ingle?.,
omito hom regulador, dons ptimos osera
vos, sendo um de um cslrangeiro que se
relira pr fra, o oulros muilos oli-
jeclos asss necessarios: segunda-faifa,
39 do corrente, As 10 horas da manlia, no
primeii o andar do sobrado n. 22 da ra do
Apollo.
_ L. Brugtitre far leilflo, por interven
gilo do correlor Oliveira, na ra da Cruz, n
l,a presenga do um agente francez, por
contae risco do quem perlencer, de urna
porefio do casaaa avahadas, vindas do Ha-
vre n l>rca francez UUa : segn la-feira,
29 do corrente. 11 horas da manhfla.
Avisos diversos.
Kslando-se confeccionando o almanak,
roS-seaoaS'8. advogados e solicitadores
cujo nomos nlo esteja m nelle menciona-
dos demandaren! seus nooies e moradas
na livraria na. 6 e 8 da praca da Indepen-
do t.
-O Sr. Exequial de Souza Cavalcante,
meatre dedanca, queira dirigir-se livra-
ria, ns. 6 o 8, da praca da Independencia.
A. VIOI.KTA.
Sh M'a deaomin.gilo sahir, a manhJa,
domingo 28 do-corren io, o primeiro nume-
ro deste joroa,!, que continuar a ser publi-
cado todos os domingos, quando algum in-
conveniente nfio en>bargar a sua publica-
cilo. Acliar-ae-ha venda em inflo dos dis-
tribu dorea, a prego de 40 m o exemplar.
--l'ordeu-se um annrlilo rom 5 diaman-
tes em fileira, com o aro partido, desdo a
praga da Boa-Vista at o Passeio-Pnhlico ;
quem o entregar no Aterro-da-Boa-Vista,
leja do miudezss, n. 8, ser gratificado.
Ilnj", g 4 horas da tarde, na praga ilo
doutorjuiz inuiiicipal da segunda va a, na
ra das Cruzrs, so h de arrenfatar urna es-
crjv:i da Cosa o urna mobilia. a requer
ment da viuva de Francisco Martina Ra-
mos.
Precisa-scalugaruma ama que tenha
bstanle lelo para criar urna menina de sa-
le mezea, aqnal tenha boa conduela: na
ra da Cadeia do Recife, loja de fazondas,
n. 56.
Perante o doutorjuiz de orphflos e au-
sentes vai a praga para ser arrematado em
ba>la publica o btigue Austral, pertoncen-
teaheranga do finado Jos Francisco Col-
lares : 00 pretndanles cnmparecatn s 4
horas da tarde, na porta da casa do mesmo
doutorjuiz de orphflos, na ra da Aurora.
I'crderam-so 2 meios bilhetes da Inte-
ia de N S. do Guadalupe, um de n, 8,291 o
> out'o nflo sesab do numera, pertencen-
Je> a Thonaaz Jo.- >s ditos mos bilheles uSo leein ssigna-
ujas.e por j'0 previnc-se ao Sr. thesourei-
oque tifio pague o meio bilhete n. 2,291,
Mso saia premiado. Emquanlo ao ouiro,
ulga-se perdido pur nlo se saber do nu-
ero.
Roga-seao Sr. que por engao tirou
lo correio urna carta vitada no ultimo va-
mr doM ranhuo pata Hernar lino Jos da
diva o favor de a restituir na ra da Guia,
i 86, ou annunciar.
10,000 rs. d gTJilificttC&O.
Itesappareceu. no dia 24 do corrente, do
iliodoSr. Kenworlhy, em S.-Jos do Man-
guinhn, nm caclip'riiiho inglez, do 10
inej.es de ioadc.de cor castanlio-clara j he
carador de ralos tem asoielhas cortadas ;
esponde ao chamado de lu k : qum dello
onberequizer cntrega-lo em dito sitio,
'u na ru da t;ruz, no Recife, ti. 2, recebe-
a u gratificado cima.
U bacliarel firmado em ma-
icmaticas, Hernardo l'eroira do
iJnrmo, explica durante o tein-
podas f ri.issrilbmetica e geome-
tia.nania larga da Notario, ra
2, segundo Haidar : os arelen-
iMitedrijain-sc ao Iugr indi-
ado.
Precisa-so alugaruma sala de um pri-
meiro andar, para um liometn solteiro:
quem ti ver aaanuncic.
D'sapi areceu um novilbole, de S.-Ama-
ro para o Manguind : quem delle souber,
'lirija-se ao Ateno-da-Boa-Vista, n. 17,
que sei gratificado.
--Peante o juizo do civrl da primeira
Vara vfio praca de renda osalugueiada ca-
fa da ra de Agoas-Wrdos, n. 39, por exe-
rugao de Manuel Anastaeio da Costa.
-- I'recisa-se do urna ama para casa de
ouca familia, a qual saiba cozinhar e com-
rar : na ra da Cadeis-Velha, u. 41, pri-
" tro andar.
Pitcisa-sc do urna preta escrava para
1 seivico ue urna casa de pouca familia:
io AUrro-da-Boa Vista, lujan. 1.
--A luga-se, por prego mudo commodo,
!'" boiu.-to iiqj Alocados, com urna gr.n-
. """ada de casa, com bastantes cotnmo-
'ospara grande familia, seuzalla, eslriba-
"', cacimba cooi boa agoa, tanque para ba-
"">. parreiral, larangeira, coque* ros, ele
* ma casa acha-e rectificada e piotaila de
';UV'V A tratar no palco da Paz, escola do
"limos, ou na ra da Assumpgio. out'oru
' timo da Pei.ha, n. 4, Ci-sa da alericflo.
-Quem ireciaar de una ama de leile
jir-s* a pad.ra n IS, onde se I lio dir com quom se duvo
enteuder
-- Precisa-se alugar um sobrado do um
andar no bairro de Sanlo-Anlonio, prefo-
rindo-se as ras Direita o do l.ivramento,
patoos do Carmo, de San-Pedro, da Petiha e
ra do mesmo nomo.: na ra Direita, ven-
da n. 23.
--Aluga-seum gratule armazcm com ser-
venlia para a maro pequea, o porlode
embarque 0 desembarque: na ra da Sen-
zalla, n. 42 a tratar com S. J. Johnston &
Companhia.
- Com milito geito" e grande
paciencia Iicque nina pessoa ten
conseguido fazer traduzir, fallar
e iscrever correctaaiente em G a
8 mezes a algn? jovens as lingoas
franceza c ngleza, tanto do Ko-
de-Janeiro como desta cidade:
(jnem do sen prrstimo se qnizer
utilisar, dirija-se ao pateo do Car-
mo, no segundo andar do sobra-
don. 11.
'5
Para crear, dirija-se a Boa-Vt-sta, becco do
'anibia, n 14.
OSr. Ignacio Francisco da Silva pro-
uxe na bvrana da ra da Cruz, n. 56, urna
aria que lito pertence.
- Alugase um sobrado de um andar em
ora-te-l-otU, ai. *2. com boaaaalag. al-
^ag e solflo com cozinlia, quintal o ca-
f/ib.; alralar na rna da Cruz, d. 63.
- I'recisa-se do um menino brasilriro
ue g8iba ler, ecrever lieat e querouna em
b.ias qiiaiidades para poilr desetnpenhar
lugar .le caixeiro de foliranc, dentro nes-
praca: aquello que so acliarnas circums-
ncias de deso-npeuhar o lugar, pode diri-
-- A. II. Willmer, tendo recebrflo pelo ul-
timo navio de Inglaterra, um novo e ad-
mira vel machinismode pbysica-eXoerjmen-
talque o auno prximo passado fot visto
pela primeira vezos thealros de l.ondreg,
Pars, llamburgoeoutrasca pitaes da Euro-
pa, sempre com admiracllo e etillusiasti-
cog applausos, tera a honra dr^leva-lo a sce-
na nesta cidade no theatro Apollo, onde es-
pera lodoacolbimento. ltenlas a belleza e
magnificencia do objeclo, c anda mais pe-
lo conbecimenlo quo se adquiro vendo-se
o globo, todos osplaneteso movimento de
cadi um enagua rbita, bem como oulros
muilos effeitos allimnspbericos, que serflo
aiinunciados em cada egpelaculo. 0 direc-
tor brevemente marcar o din.
Quem precisar de urna ama de Icite,
dirija se ao Becco-I.argo, n 15.
DAURORA
^-^''J-flriKauaBsajKiJCTjitiPaBjgpTw^
C. Slarr& Companhia teem a honra de
avisar aos seus freguezes, e ao publico em
geral.quea sua grande fundicflo em'S.-
Amaro alm do sorlimento que constan-
temente tem ch i-se de novo provida de
muitas mnendas de caima, o de varios la-
matihos feitas no mesmo estabelccimento
pelos oais peritos ofllc'iaes, e com o maior
cuidadoe perfei^fio; tanto assim he, quo
os annuncianlcsse ufanam em garant-las
pelo primeiro anno. As moendas inleiras
todas de ferro", construidas as offieinas
dos annunciantes silo milito superiores a
quaesquer ontrasda' mesma natureza que
at agora teem si'lo squi olTerecidas, pois
aquellas encerram emsi certoso importan*
tes melhoramcntos resultado de mais de
20 amaos dj exiieriencia e pratca do paz
--Atusase osegundo andar e sotflo do
sobrado da ra da [v-nlia, com. fundos para
a ra laireita, n. 9, com 9 quartos e 4 salas,
p ir barato prego : a tratar na loja do mes-
nao sobrado.
O [ireto Antonio, Catango, cscravo de
Mmoel Cardozo di Fonseca, tondo ido no
dia 22 do crrenle do Recife para S.-Amaro
conduzindo um cavado melado com cimas
pretas e arrojadla, desappareceu e consta
andar pelo Recife, porna so : quem oap-
prehender, ou ao referido cavallo, poMera
dirgir-se no mesmo lugar a casa do men-
cionado Cardozo, ou a prac,a do Commrr-
cio, aoiido o encontrar a qualquer hora,
quesera gratificado.
Quem precisar de nm menino da 12Ja
14 anuos para algum estohelecimeiltc, o
qual he de boa roudula, poder enlender-se
com Joflo Jos de Ca'valho Muraos.
Deniz, alfaiate francez, mudou o seu
estabelccimento para o Alerro-da-Boa-Vis-
ta n. 38 a o n de os seus freguezes o aclia-
rSo po iplo para oseu servido
Deseja-se saber onde resi-
(Icm os Srs. Joaijtiiin de Figuci-
redo Lima c Joo Evangelista Ks-
teves Alves, ou iflcsmo quem teja
scu* procuradores ncst.i cidade ou
fradella, para se Iralar de nego-
cios que Ibes (lizem respeito: quem
souber annuncic por esta folba pa-
ra ser procurado.
Aluga-sc urna bonita' casa, sita no Po-
Co-da-Panella, ao p do rioe junio as la
vadeiras, rectificada de proxiitio: ltala:
na ra do Vigario. n. 7.
I'recisa-se de umi preta
boa vendedeira de doce: nauta
do Tranicbe, n. ^.
Casa demoiiasfraucezais
Buessard lllocliau.
Rtia do Aterro-da Boa-
Vista, loja i I.
Rerebeu-se pelo ultimo navio do Havre
um grande gortimento de chapeos do seda
de todas as cures para senhnra ; n aniel* tes
o Capotinhog de seda e de fil ; luvas de pel-
lica para homem esenhora ; luvas de leile
para senhoia ; bonetes e chapeos de mon-
tara; eamhiaias bordadas ; camhraias de
luil-o muilo lina; ricas fitas; um grande
sortimenlo de bicos broncos o pn los ; fio
res para chapeos de senhora e enfeiteg de
vestidos; ramisnhas e pescoembos bor-
dados ; um grando sortimenlo de bicos de
blund ; luvas comprtdas | ara csame lo;
trancas, franjase fitas de velludo pata or-
nar vestidos Na to sma caga se fazem con-
linuidamente chuios e toncas do senhora,
vestidos de baile, casamento e do motilara,
por preco comtnoJo, e da ultima moda.
O'padic Manuel Thoinaz da Silva pro-
pfie-so a recebar em sua casa al 6 alum-
nos internos, para Ibes dar a necessara
c.'ucacfio Iliteraria e religiosa, ntciaialt
uma gratficaefio rasoavnl, para dijo fim
o unnuiieiante ja bom c o lieealo nesta pro-
vincia, em cuja aapital enona ha 16 anuos,
so oflerece principalniento os chotes de
familia quo pdeiia carecer -le urna casa do
oikaca^flo no Jlerifo, otado recollaam seus
Olhos. O anlauneiante a(ianca-lhes neslo
empeuhn todo o zelo e dediragfio do que be
capaz. A tratar at o dia 20 de novemhro
lio corrente aano, ou do dia 2 de feveroiro
do 1850 nm dianto, na ra do Hozario da
Roa-Vista, n. 3-2, ou na ruadoColovello na
caga d'aula publica.
Padaria e pastelharia
franceza no Alerro-da-
Ba-Vista, n. 50.
Acaha-so do roceber pelo ultimo navio
chegado de Franca uma grande porefio do a-
mendoas coherts em irascos, como tam-
be m da frutas cryslalisadusein Caxiuliag;
arha-se tambem um grande sortimenlo de
caxinhas todas do melhor gosto possivel e
muilo projirias para presentes: ludo por
prec commodo. Na mesma padaria conti-
na-so gempre a fabricar o Ifio couhecido
pilo do Provenga, com toda a perfoicflo.
tambem continua-ge a vender todas as qua-
li lados de bolos proprios para cha, holaxi-
nhas o bscoitinhos de varas qualidales
para enfeitar bandejas das mais ricas e
maisproprias para cha e sarao.
Precisa-so fallar com os Srs. I.uiz de
Rollanda Cavalcante de Albuquerque, In-
noconcio Xavier Vianna o Augusto l.eme-
nlia Lins : na ra da Cadea de S.-Antonio
n. 13.
-- Precisa-sede um caixero para casa de
billtar, o qual saiba jogar, preferndo-ge
hrasileiro : na ra da Cadeia, Jefrunte d
lliealio, n. 10.
O Sur. Antonio Clemente Esteves de
l.arrs, ou alguem por sua pessoa, queira
quanto antes dirigir-se ra da Alegra, ti
34, para tratar-se negocio que sua mi-rc
nilo ignora ; do contrario, se far publico,
pois ha bastante tenapo que se espera
Aluga-se uma ama para todo o servi-
do de, uma casa de pouca familia : na ra de
Agoas-Verdes, n. 86, primeiro andar.
Aluga-se uma excellenle casa para se
passar a festa, na povoaefio do iMonlciro
Com 4 quartos, dotas quinlacs murados,
portflo para o rio, quarto para escravos, co-
Zinlia fra e estribara para dous cavados :
na travesi-a do Veras, n, 15.
OSr. Antonio Maria conel Jarsei quei-
ra dirigir-so ra Nova venda n. 55, a
negoeio que Ihe diz respeito : islo no prazo
de 3 das.
~ Da roa larga do Rozarlo al a frente
do i|iii.riel de polica perdeu-se um mago de
papis atados com urna fita preta, em Mijo
mago cnntm dous recibos do mesmo Ibeor,
passados pelo tenenie-coronel Falcfl, un-
iros dous pagsados pelo capilflo Torres,
las lellrassaccas por ios Pedro Vellozo
da Silveira, seido unta Ha quautia do um
conloe setecentos mil rs., aceita por I.uiz
Gomos de Faria eoutra do 1:500,000 rs. ,
ac lia por Francisco l'ereira l'inio, tambem
por sellar, uma procuragflo haslanle, un-
iros documentos e Carlas : quem a achoi
entregando no paleo do Carmo, ao Sr. F-
lix Francisco de Souza Magallriles, sera, r
compenslo.
Avisa-si; aos parui hii n s ilt maliizda
lina-Vista que se lena eslabelecido eom ns
esmolas de alguns devotos urna missa s 11
lunas, nos iloioinj-os e illas santos, a qual
ja ti ve principio no primeiro de selenilm
do correnlo auno.
Aluga-se uma escrava moga e robusta
para todo o servigode uma casa, e mes no
para vender na ra : a iralar na ra do Col-
legio, ven a n. 16.
ItogH-se pela segunda vez ao Snr. au
lor das ledras iniciaos J. I.. G quo declare
i or esta mesma folba, se se entende con
Jos I.uiz Guaiaco.
No dia 20 do corrente, pelas 10 hora;
lia matiifia, na ra da Senzalla-Veha, so-
brado n. 82, vai a pi ac peraole o juizo dos
ausentes, os gneros que ic-lam perienceii-
les a loja de pintura do fallecido lletariqui
Belit/es: quem os pret"iider ditija-so ao
referido lugar.
--Aliua-.se a loja na ra do Aterro-da-
Hoa-VJta, com frente para a ra do Aterro
8 ra da Aurora : qiietn pretender enlctada-
se Com Julio Jos de CarvalhoMoracs.
--leanle o juizo do ciael da priinein
vara vai praga una cana, per execuefio
de llenriquela Fosler ti C.
Avi.-a-se a quem perlencer a armagilo
que fui do boliquina da ra do Torres, n. 20,
que a mande tirar no prazo de3 das ci na
(iosda data deste,visto que quem se acha de
posse da dita casa nao se responsalnlian
por dita armagSo.
Pede-se encarecidamente a polica.
Oaliaixo assi^nado,morador em Ouangy,
termo da cidade de Coianna, leudo vendido
ao tenante Jos Crrela de Oliveira Jnior.
senhor do eiigenbo I>arai70, comarca de
Nazaretlt, dona escravos Paula eJoaquim,
aquella cabra, e esjv mulato, e na urea-
siflo do os enltegar, ,-e eva oriiraiu na notr
de 18 para 19 do junho prximo passado do
andante anno, com dous cavados de estri-
bara*, e oulros objeclos de valor, sendo
seduzidos e conduzidos por Jos Ignaro
da Silva, lio da Paula, para a fregu/ia de
S.-Jos do Uezerros alea casa do ex-suh-
delegado da inesma freguezia Joaquim Jos
da Silva Vieira ; e saheudo-se da direcgfio
que lotnaiam, o mandando-se em procura
dos mesmos bong, remeileu dito Vieira a
Paula e um cavalo, dizendo que o Joa-
quim linda fgido com o outro cavallo, cu-
jos signis silo os seguintcs : Joqtiiui, mu-
lato, bastante pequeuo, idade vinle Untos
annoa, cabellos corridos, bem parecido.
ollios averu elhados, falla ponen, sonso, he-
he agoaidenle e caxtmbo ; um cavallo rus-
sn cardfio, grande, anda baixn, com 6 pan
7 anuos, com eslos ferros'lie. B, e castrado:
per se encarecidamente as auioi na n -
policiaes, e mais possoas, hajam de os apre-
hender elevar ao dito (.or ca de Oliveira,
no i ngenlio cima, que urbanamente gia-
liiicaia os conductores.
V padret'ilippe de kraufo Vinheho.
K Chaj;eos de sol. ^
Roa doPasseio, n. 5.
Nesta fabrica ha presenlemenle um rico
e completo sortimenlo de chapos de sol.
tanto do seda como de panuinlio ; dito
muilo ricos do groa de Naples adamasca-
dos, com ticas franjase da ultima moda d<
Patis, para scubora, os quaes veudeui-si
em por?flo e a retadlo, pelo prego mais di-
ni uto possivcl. Na aucsiua fabrica ha igual
sortimenlo do sedas e paianialios p.ira ro-
hriroin-so annigfios servidas, concerta-se
(|ualquerchapeo de astea de forro ou de
lialea o laubem urgbedas com toda |a bre-
vulad c prego commodo.
--Aluga-so O primeiro antlar da casada
ruada Cadeia do Recife, n. 40, ptimo pa-
ra escriplorio, com inultos comaaodos, e
quo he muilo fresen : a tralar no segundo
andar do mesmo sobrado.
Para as pessoas que ten-
cionam eguir viageni.
No pateo de f jjro casa terrea n. 8,
liram-se pa.ssanio les para dentro o fra do
imperio, correm-se folhas o despacham-se
escravos e para este lina lai>.bem pde-se
procurar na praga da Independencia livra-
ria ns. 6 e 8.
Antonio Jos Soares, Porluguez, vai a
Baha tratar de seu negocio.
Aluga-se o terceiro andar do
sobrado, n. 18, da roa do Viga
rio, minio fresco e proprio para
familia : a fallar no primeiro an-
dar do mesmo sobrado, com F
C. de Mello.
Quem annuncou querer hypothecar
um sobrado de dous andares em boa ra,
diiija-se rita eslreila do Rozado, ti. 43,
segundo andar, que se dir quem faz este
negocio.
* #
t O consultorio homceopatteo est ,4
aberto Indos os dias desde s9 horas
da manlifla al s 3 da tarde. No mes-
mo consultorio recehem-se doenles
para se triar homecopatieamente a
>> 2,000 rs. por dia, e t 3,000 rs. que-
< rendo um quarto particular : na iua
ir") da Cadeia le Santo-Antonio, n. 22.
Attrnrio.
0 ahaixo nssignado, ollicial de corrjpjro,
acha-se tralalhantlo na ra Diro'ta luja de
selleiro, 11. 51, onde so propOo a fazer ar-
rojos para 1,2 c 4cavallos, e o.itras militas
obras tendentes a sua arle, t,ido por prego
commodo e roma maior p romptidfio pos-
(itejl : os prelendentes p tem dirgir-se
mencionada loja, que alai cliaiflo o mesmo
abaixo assignaio, sempro dispost'o a con-
tentar os freguezes.
Francit:o Xavier Carnciro.
i

s

9i
?
t.ami pras.
Cn npra-se vai sopli e ditas cadeiras
de balando : tu lo Me pao d'oleo, e ji usado
quem liver aimunr |e.
Vf indas.
* '1,000 rs. o crc
Vendem-so os mais ricos corles do oam-
braia abollas, brancas o decores, polo b-
talo prego de 3,000 a 5,000' rs.: ni ra do
Quuim.aafb, n. 8.
Vendo-so um ba nilo moleque de 16 a
17 anuos, gem vicios nem achaques : 111
ru doQueimado, segund |]a n. 18. Na
mesma loja rompra-^o um negiinha do 7 a
8 tanos, e quo nfio tenha vicios.
Vondein-S8duas.ricas toallaas do lava-
rirato, nmito barata,.6 dous lengos : na
riiaestreiu do Hozario, n. 13
Z f
Ni loja do sobrado amarello dos (fa
w cuatro-cantos da ra do Queima lo, *
* -n. 29, vende-so cassn do algodflo coa ')
V listiuse quadros de seda para vest- #
* dos, a 400 rs. o covado ; c^t" do 2 vestidos decasst-cliiU.de bons pa- *9
& drOos. a 2,210 o 2,500 rs ; ditos da 4*
9 "> cambria com lstra? deeta'es, a 3,500 4
t>> rs ; cassa-chita de cd'es (ixas, a 40J, #>
& 500 c 6t0 rs a vara; riscadinhos fran- *f
# cezes, a 160, 180e 200 rs. O covado; ?
lengos do seda do cores, a 1.000 rs. o -4
? covado ; o ouiras muitas fazendas f
5 nmito em cents. 0
n a)
*????#>#? 991
\cnde-se a veta la da Lingola, u. 1.
bem afreguez.ada para o mallo o para a tr-
ra, romo sai mostrar ao comprador. Na
inesma prveisa-se de um caixero cuna pra-
tca.
Sao ebegadas as excellentes
taboas de pinlio americanas de to-
w palmos j vendem se atrs do
ib tiro, armazem de Joaquim Lo-
pes de Almeida.
-- Vende-se urna lio la escrava recolhida
de 19 anuos, cnn habilidades: o motivo
por que se vendo sn dir ao comprador : na
ra do llangel, sobrado n 57.
.Mappns para a guarda
nacional.
Vendem-sc mappaspara a guarda-nacio-
nal, tanto para companhia como para ba-
talhflo e legulo : na praga da Independencia,
livrjiia ns 6 e 8
Ven le-se. uma preta crinla, de 19 an-
uos pnuco mais o 1 menos, dn bonita Hitura,
que cose, cozinha, e lio prfela engomma-
dera : em Kra-Je-Portas, la do Pilar,
ti 101.
Salsfi'parrlha de Sands
para remover e curar radicalmente to-
das as enfermidades que procedem da im-
pureza dosangue, ou habito do syslema.
I sta medicina est operando constante-
mente curas quasi iucriveis de molestias
que procedem da impureza do singue. A
infeliz victima de molestias hereditarias,
com glndulas incitadas, ervos incolhi-
dos, e os ossos meio armiados, lirn resta-
beleeida com to la sua saude o ftirgas. O
doctile escrofuloso, coberlo de chagas, cau-
sando opa a si mesmo, e a quem o son ia.
I lieou perfeilo. Cenlcii.irr.i do pessoas que
, tinham soltr'nlo ( por anuos, a ponto do de-
' [sesperem da sua snrle ) molestias cutneas.
Lotera do Rio-de-Ja-
neiro
Aos 0:f.)00,000 de r\
Na praca da lnde(iendeneia, n. 4, vendem-'gltin lulas, rlieumatismo chrouco e muitas
se bilheles. n ieios, quartos, oitavos o vge- lotttras enlrniiihides procedentes do desar-
simnsd 11. lotera a bem lirio do Ihea-franjo (ios nrgflos do secregflo e da circula-
trodeNlelhf roy ; bem como 11 m resto de giln, teem-se erguido quasi milagrosamente
bilheles da 20'lotera do motilo po Na doleito da morte, e boje, com constituices
mesma loi nioslram-sc ns listas das lote- regeneradas, rom prazer attestam.a elTIca-
riaspassad is. ca desta iitestimavel preparagilo
Para amanhil, domingo, 28 do cor-: Cnmquanlo lenham appareci lo grandes
rente, liaa ei ca ne de carneiro milito gor-,| curas ale1 aqu produzidas pelo uso desta
da e em c anta : noagoogue novo do pateo-IflMinwel medicina comtudo a experien-
lo Paraz o, n. 27, esquina do becco do Ott-
vdor.
Ven.'r-se urna escrava de 20 annos de
nu lo I o ii'ia I gura, que, coziaiha o diario
de uma o sa, engomma, eos -, lava bem, e
nilo lena virios nem achaques: o motivo
por que se vende se dir ao comprador : na
ra da Itoda, 11. 10.
Vende-se farinba de man-
dioca, cin barricas e saccas
flimazens de Moni ao e
nos
ca diaria aprsenla resultados mais no-
lavis.
New -l'oil,, 22do abril de 1818.
Snrs. A. 11. e la. Sands. Julgando ser
um dever para com vosco e para com e pu-
blico em peral, reroetto-vos este cerlifica-
po das grandes virtudes da vossa salsa-par-
11II111, para que oulros que lio;r estilo sof-
frendo estahelegam melhor a sua confian-
ga e fagam sem demora uso da vossa medi-
rlo.1.
Dias Fer-I Vi-me perseguido cohi urna grande feri-
da no tornozelo, que se estenda pela canel-
reire, no cues da Allandrga. | la cima ate aojoelho, langava grando por-
Vcndem-so latas enm 4 libias do docejgilode nojenla malcra, com comichoas
de pera, alperga e g'i ja ; ditas com 2 o 4 li- I que nieprivavam muitas nuiles do meu dea-
bras de maro otada ; ditas com chocolate ;! canso, e it.hu muilo penosas de supportar.
que i jos de pralo ; latas com blaVoutinlto in-
glez; conservas; eivilhas; sanlinhas; sal
refina 10 ; hulaclainha mais gneros de venda 1 na ra Nova, n. 3,
vend de Antonio 1'erreiia l.iina & C.
ia>
>
0 Sr. ltiogo M Connel, que havia sido cu-
rado eom a vossa salsa-parrillia, recommen-
dou-nie que cu li/esse uso della e depois
de liaver tomado cinco garrafas liquei per-
feitaineiile curado.
Tenho demorado um anno mamlar-vos
este cetlilicado, para conhecer com certo-
Vendem-so corles do vestido de
se la de cores, de goslo muilo mo-
di ru : cassa-chita do edres mu l-
. x-.-.s e de pailr> s noaos ; chitas l'ran-
;> ce/as com padie- de cassa ; cintos
r> de vestidos de camhraia abeila com
S* lisirasil cies ; um grande sorli-
W metilo de mantas de seda (ara varios <3
j* pretOS meias de algodflo para se- *
f" nhora, o naais lino possivel, de lo ita *->
^ Escocia ; riscados fraucezes estaa- (*> padns eir. cassa, de muilo bonitos < :'
> deaenlioa ; lengos brancos de cana- ^
> liraia di Mullo 1 ditos do seda da In- "l
S> dia ; o nutras fazendas de goato por *
^ prego eonimodo : na loja do sobrado 5j
* amarello dos qualro-canlos Ua ra ^
do (Jueimado, 11. 29. ^.-
e I a se a cura era permanente, e tenho agora
'>
>
Vende se urna eacrava do bonita figu-
ra, moga sadia c com algiimas habilida-
des : o motivo pur que se vende se dir ao
comprador : n ma da I ingnla, n. 4.
a maior satisfagan em declarar que nilo te-
nho visto, nena sentido musa algtinaa du-
ranle lodo este lempo, o acho-me perfeita-
itienle restabelerido. Sou vosso, etc.
Snrah hl, Intire
240, ra Dclancoy.
Nesta provincia o nico agente desle ma-
ravilhoso remedio he Vicente Jos de Unto.
> ovo sorliuienio de fa-
zeodas baratas, na ra
do Crespo, n. 0. ao p
do lampea u
Vendem-se corles de cassa franceza com
10 envados a 2,560 r.; pocas de cambraa
de quadros com 8 varas a 2,720 rs.; cassa
preta para lulo, a 110 rs. o covado; zuartaa
com 4 palmos delarguia a 200 rs. o cova-
do ; riscado mouslro a 220 rg. o covado ;
chitas de cores fixas a 160 e 180 rs. ; Cha-
les de un lata na, a 500, 800 e 1,000 rs. de
in mi u i'oin go.sio ; cortes do brim do puro
-- Vente-so urna mu atilaha -te 1h '"nos, .^ ^ |fJ, rs cni'po,
' f,?. a3 V"T 'X pl1' P"ra mU" *" l.oors.;di.osde sed. nU
cama 1 ua ra Nova. n. 16. e 4g rs .'couertores de algodflo amence-
Aiai'llla [no, a 640rs. ; piclo muilo encorpado,
de superior qualidade, a 210 rs. a libra : na I'- c<""l0 i Pf de mailepoHIo mni-
rua do Livramenlo, n. 38. ,0 fi" com "nla9 df mofo' 0p rf-
I ,| Vende-se um par de couiollos de j.c-
a 1IIIIO \ Cl'dt'. randa, rol eitus do pedra marmore, com
Vende-ge o puro e refrigerante vinho ver- seus rompeleiilea Iremos : ho obra elegun-
de da ptoviucia doltlinbo, chegado ultima- te o do mais apurado gosto, por precocom-
nente 00 Porloy.tnuito proptio para a pre- modo: na ra Nova, luja de trastes de An-
scnle islacAo, por ser muilo fresco, a 160 tontoDomingueg Pinto, n 39.
rs. a gariafa e 1,1*0 ts. a caada : aaa venda Calos do linho.
da ra esleilado Itozaiio que faz esquina Vendem-se, uuicamente no armazem de
para o piteo do Carino. .| macamos de Braga ti Companhia, cabos de
Ve'ndc-se venda da ra do Vigario linlio de 2 a 3i u.ea podegadas, pelo mo-
l. 13, c na mesma se dita porque se vende, I Jico preto de 17,000 rg. o quintal.
GIVFL



.- Vende-se, bordo lo brip.iip Marcial ,
cliPffaJo doltio-Crandc-do-Sul bom sebo
cni rama por prego commodo.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potassa,
de boa qualidade, em barriszinhoi.
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muilo
tempo se nao vende: no lecife,
ra da Cadeia, armazem n. la.
Rap rolSofrancc-2.
Vende-seo superior rap rol.lo francoz ,
nicamente as lojas dos Srs. Caelano Luiz
Ferreira no Aterro-da-Roa-VisU n. 48 ;
'l'liomaz de Mallos Estima, na mesma ra,
U.54; Francisco Joaquim Duarto, ruado
Cahugi ; l'inlo & IrmSo na ra da Cadeia
do llecife, n. 19.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por pirro muito commodo.
o f
rj> Um piano. 0
f^ Vende-se um piano muilo bom para g
f5 osliidn, bonito e de encllenlo autor:
O na ra doColiegio, n. !).
Barricas.
Vendem-se barricas vasia.s queforam de
farinha em pe. e bem accondicinnadas 1
na na do Amorim, 11. 35, casa de 1. i.
Tasso Junior.
Deposito da lab rica de
Todos-os-Sanlos na Rabia
Vende-se em casa de N. O. Hieher & C.
a ra da Cruz, n. *, alendSo trancado
aquella fabrica, muito proprio para saceos
deassucar o roupa de escravos.
Vende-se superior cal virgem de Lis-
boa vinda pelo ultimo navio por prego
mdico : a tratar na ra do Vigario n. 19,
primen o andar.
Teeidos de alffodao tran-
cado da i'.ibrica de To-
dos-ns-Santos.
Na rtia da Cadeia, n. IV1.
vendem-se por atacado tres quididades,
proprias para saceos do assucar e roupa de
cscmvos a 250, 280 e 300 rs. a vara.
4. ???*****?*????? t *.
tt *
m No ra do Crespo, loja da
^ esquina que volla para a ^
2 Cadeia, vendem-se m
tt os acreditados brins brancos de lis- J
*fc>> lrs, llaoa e amareltos, a 1,500 rs. o *
corle ; dito muito superior a l.f.oo P
? rs. todos de puro linho ; panno fino
# pretoeazul. a 3,200 rs. o covado; 9
*4> dito muito tnperior, a 5,500 rs.; fus- W
" Idns muito bonitos a 640 rs. o cor- ^
<* te; ditos de velludo muito ricos ,a #
2,500rs. ; peca de cambraia do qua- tJ dros de 8 varase meia, a 2,720 rs. a #
"fe; pepa ; cassas pretas muito bonitas #
) a 1,440 rs. o corte ; madapolo enfes- *

SJ cortes de caifas de selinela do cor, tfc1
S a 880 rs. ; ditos do castor, a 1,000 ?
fe rs. ; chita azul para escravos, a 140 P
trs. o covado ; picote muito encorpa- !%
do, a 180 rs ; plalilbas .le linho, a 500 '3>
>> rs. a vara ; espinan de linlio muilo li- @"
fe no e com 4 palmos e nieio de largu- $
fe n 1 a 1,440 rs. a vara ; Cortes de *i
fe hi i 111 de algodfo, a 800 rs. ; e ou- 4
<9 tras muitas fazendas por prego com- 4
* modo. *
? 4
4 ^MpffiMMttMf
Clid brasileiro.
Vende-se che brasileiro no armazem de
molhados, atrs do Corno-Santo, n. 66, o
mais excellente cha produzido em S.-Pau-
lo que lem vindo a este mercado, por
preco muilo commodo.
A 640 rs. cada mu.
Vendem-se cobertores do algodSn ameri-
cano, encornados e grandes, a rloiS pata-
cas ; chitas escuras de hons padrOes e crt-
res seguras, a meia pataca o covado : na
roa do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
AUI-NC1A
da fnndicao Low-lfnor,
ba dx senzai.t.a-.ova, n. 42.
INeste estabelecimento conti-
na a haveiun completo sorti-
inento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
cotilo, de todos os tamanhos,
para dito.
Vendem-se relogios de ouro e prata,
patentes inglezes: na ruada Senzalla-No-
va, o. 42.
Cortes de brlm de puro
linho, a 1/280.
Vendem-se corles de brim trancado
ardo de puro Hubo, pelo diminuto prego
de quatro patacas : na ra do Crespo, loja
4 esquina que volla para a cadeia.
Vendem-se dous moleques, um cozi-
nba o diario de urna casa, o o nutro bom co-
peiro e proprio para pagem ; duas pretas
mo(U, una de bonita ligura e que lio mui-
lo boa para lavadora, por ser alta e robus-
ta, e ambas eram ganliadeiras na Bhia, por
preco fiimmo lo : na ra da Cadeia do Ite-
cie, n. 39.
A 140 rs. o covado.
Ve ude se superior ritcado do algodiio,
muito encorpado, ai40 rs. o covado: na
ra do Crespo, n. 6, loja junto ao lampe.lo.
Aos 20:000,000 de ris.
Vendem-se bilhetes do Rio-de-Janeiro da
11.a lotera ordinaria a beneficio do thea-
trode Nictheroy : no Alrro-da-Boa-Vista,
loja de sapatos, n. 78.
Bilhetes
Moios
QtKtftM
Oitavos
Vigsimos
Aos 20000,000 de
Vendem-se bilhetes o meios ditos do Itio-
de-Janciro da 11.'lotera ordinaria a bene-
licio do theatro do Nictheroy : no heceo da
Congregag.To, loja de fazendas, n. 41.
21,000
10,500
5,500
2,700
1,300
ris.
Bilhetes
Meios
Quarlos
Oitavos
Vigsimos
21,000
10,500
5,501)
2.700
1,300
liixas.
Vendem-se bichas chegadas ltimamente
e de boa qualidade, a 160 rs. cada urna, em
porcio de 25 para cima : na ra do Amo-
rim, n. 35.
Na loja do sobrado amarello, nosqna-
tro-cantosda ra do Queimado, n. 20, ven-
dem-se brins Iraiipados de cores, linho pu-
ro e padrOes de muilo gosto, e alguna com
lialraa ao lado, a 1,800 rs. a vara ; cortes de
calcas de casimira de cA es, a 5 e 6,000 rs. ;
cortes do colletcs de distilo, Calenda muilo
supi'ior e de gostos muilo modernos, a
1,800 e 2,000 rs,; ditos de velludo de co-
res, a 5 e 6,000 rs. ; alpaca da corea, pro-
pria para casacas e palitos de montar a ca-
vallo, aSOO e 1,000 rs. 0 covado ; e outras
fazendas muilo em conta.
3rr;V9Vf9V?fVV*fV}^t&
?> *8
arinlia de mandioca^
i
nova. <-.
Vende-se, a borpo do (alacho Awi- *
snde-Cmi.stant'!, o qual se acha fuu- ^
deado di fronte do caes do Collegio, <
a mellior faiinba que ha no merca- ^
do, por ser muito nova esem cheiro &
algum, por mais barato preco do que -5
em outra qiialquer parte- Irata-M S
com Machado & Pioheiro, na ra do
51
?
P-
i>
: >
:>
>
f> com Machado & Pioheiro, na ra do *
jt Vigario, n. 19, segundo andar, ou *g
^, com ocapitrtoa bordo do mesmo pa- J.
litflll C lacho.
Aos 0:000,000 de res.
Vendem-se bilhetes do Itio-de-Janeiro da
II.* ordinaria a beneficio do theatro de
Nictheroy : na ra do Cahug, loja frnneeza
junto a botica do Sr. Jofto Moreira Marques.
Vende-se, de urna pessoa que se reti-
ra, um bonito esrravo de nacflo, de muito
boa Conducta, e que he trabalhrdor do en-
xada : na ra larga do llozario, 11. 35, loja-
Loferia do Rio* d-
Janeiro.
Aos 20:000,000 de ris.
Na ra Uo O'iPii""10 ,0JH Je miudezas,
n. 25, vendein-so bilhetes da lotera 1I0
theatro de Nictheroy, pelo prego abaxo
declarado :
Bilhetes 21,000
Meios 10,500
Quartos 5.200
Oitavos 2,600
Vigsimos 1,200
A bordo do brigue ero, fundeado na
volts do Forle-do-Mattos, vende-se sal do
Ass, bem grosso e claro, cuja amostra se
pndc ver no armazem de Das Kerrera, ao
pe da alfandega : a tratar com Leopoldo Jo-
s da Costa Araujo.
-- Vendem-se cambraias de bonitos pa-
dries, com 10 covados cada corle : na ru
do l'asseio, loja n. 17.
--Os diversos syslemns mdicos de llip-
pocrates.llanmaiiii.BucIran,Snchez, llrus-
sai<, Orlila, Baspaille e outros, o quaes
quasi todos divergem no methodo de cu-
rar, nada disseram a respeito do medica-
mento que lia va para vista curta ou cansa-
da, antes pelo contrario, aproveitando-se
da descobeila de Alexandre Spina os dessa
poca pondo cada um seu par de oculos no
nariz, fram caminhando com o progresso
que Iheoffereciam as sciencias medicas e
anatmicas : do txposto conclui-se que
quein soffre dessa moleslia que ordinaria-
mente chegu com a idade rompie oculos
aprnpriado a falla de vista que soffrem, os.
quaes se vendem baraliiihos na ra larga do
llozario, n 35.
Vende-se um bom cabriolel
com excedente cavallo ou sem el-
le, por preco muilo commodo: na
ra da Aurora, 11. :)(>, ptiinciio
andar.
-- Vende-se um moleque de 14" annos, de
bonita figura ; 3 pretas de nacflo, sendo una
del las com o ma cria de anuo emeio, bem
nutrida; 4 ditas com algumas habili'ades ;
dous prelos bem robustos : no pateo da ma-
triz de Santo-Antonio, sobrado n. 4, se dir
quem vende.
Velas de espettnaeete,
das melhorcs que teem vindo a este merca-
do : vendem-se em caixasdo 24 libras, em
casa de Itcardo itoyle, na ra da Cadeia-
Vclha, n. 29.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem antigo da ra da Madre-de-
Deos, n. 36, esla de novo estabelecido de-
baxo das inesmas comlicOes, offerecendo
a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
boa por 220 rs. a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Bordcaux por.160 rs. a
uarrafa levando o casco. No se admirem
os fieguezes do baixo prego por que se ven-
de deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprietario querer sustentar o antigo pre-
go, embora esle genero lenha subfdo o me-
llior de30,000 ra. por pipa. Examinem os
amantes qualidade para roconhecimento
da \iirdadeo continuagiio da a litiga fregu- so Junior.
zia. E para nflo baver usuras, aUopromp-l
las gsrraas lacradas o com o competente
rotulo, assim como barra de diversos l-
mannos para fitoallsfo do prximo Natal
O proprietario coa* com a concurrencia ;
do contrario, tomarlo os procos do reta-
Ihoa primitiva deSWe 280rs. a garrafa.
Ka ra do Passeio, n. 5,
vendem-se chapeos de solj de seda, psra
homem e senhora, ditos da panninho, ero
porgfloe a retalho. Os freguezes acharflo
urna difTerenga no prego, pela qualidade
seperior, construcgOes das armagOes e co-
res flxas dos ditos chapeos.
Cal virgeni.
Ctrha & Amorim, na ra Cadeia do Re-
cite, n. 50, vendem cal virgem de Lisboa,
de superior qualidade, por prego mais ba-
rato do que em outra qualquar parlo.
Movo methodo pratico e
theorico da lingo fran*
eeza, por Luiz Antonio
Burga in 2 v. por 6,^
Acaba de appareccr no Ro-de-Janeiro es-
ta interessante grammalica pela qual em
muito pouco lempo e sem a fastidiosa ta-
ris de estudar de cor verbos e significados,
se aprende a fallar, Iraduzire escrevercom
perfeigo a lingo franceza.
Vende-se aqu na praca do Commercio, n.
2, primeiroandar.
Zuarles de furta-cres a
200 rs. o corado e ris-
cado monslro a 220 rs.
Vende-se zuarle de furta-c6res muito
encorp.ido e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra do Crespo, loja da esquina que
volla iiarr a cadeia.
Arroz de casca e millio
novo.
No armazem do Rraguez, ao p do arco
da Conceigflo, vendem-se saccas grandes
com arroi de casca e milho novo, pelo m-
dico prego de 3,000 rs. cada urna.
Velas de cores.
Vehdem-so, no armazem de molhadoa
atrs do Corpo-Saoto, n. 66, por prego com-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
crtr de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de al urareni mais que as de espermacele,
e no fazerem morrSo.
--Vendem-se amarras do ferro: na ra
Ja Senzalla-Nova, n. 42.
Taixas para engenho.
Na fundigflo de ferro da ra do Hrum,
acaba-se de receber um completo sorlmeB-
tode taixas de 4 a S palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego con-
modo e com promplidlo embarcam-se,
ou carregom-seem carros sem despezas ao
comprador.
4cs fumantes de hom gosto.
No armazem de molliado alia do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, chogados
pelo ultimo vapor vindo do sul superio-
res charutos S.-Felix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parte : bem como
cigarrilhos hespanhes ditos de palha de
milho, que se eslfto vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
Pos galvnicos para
pratear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem ohjectos
praleados e que lenham perdido a cOr ar-
gntea, estando por isso indecentes, ou inu-
lilisados, teem uestes pos um excellente
restaurador o conservador dos mesmos
ohjectos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples ,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho molinillo em agoa fra e passado
nos mesmos |is.
Una caixinha contendo quantidade suf-
ficiente para pratear mais de 40 palmos
quadrados cusa a mdica quanlia de
mil rs.
Vende-se um'cabriolet inglez muito
forle em ptimo estado e pintado de novo:
na cocheira do Sr. Mounicr, no Alerro-da
Boa-Vista.
Moendas superiores.
Na fundigSode C. Starr A Companhia,
mu S.-Amaro acham-se venda moendas
ile eanna, todas de ferro, de um modelo e
conslrucgflo muito superior,
Vendem-se 2 cabriolis inglezes em
muilo bom estado com todos os si us per-
tenees por prega commodo : no Aterro-da-
Boa-Vista n. 52, cocheira de Luiz Monier.
31ailapol6es finos a
3,000 rs. a peca.
Vendem-se madapolOes finos, com 24 jar-
das com um pequeo loque de mfd pe-
lo prego de 3,600 rs. a pega : na ra do Cres-
po, loja da esquina que volla para a ca-
deia.
Na ra eslreita do Bozario n. 43, se-
gundo andar, vende-se um escravo perito
offlcial de sapateiro o que he bem mogo
o motivo por que se vende se dir ao com-
prador.
Na loja do Estima & llamos, no Alerro-
da-Boa-Visla, vende-se um par de adrago-
nas muito ricas para capitflo ; bem como
um habito esmaltado, de Christo. .
Novos cortes de cassa pa
ra vestidos.
Vendem-se cortes de cassa para vestidos,
de cores tixas e de bonitos padrOes, a sete
c oito patacas o corte ; chales de tarlalana ,
grandes a 800 rs.; meios ditos, a 500 rs. :
lia ra do Crespo, loja da esquina que vol-
la para a cadeia.
Folha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flandres:
na ra do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
Vende-ae o legitimo vinho de Cbam-
panha, da marca superior, para fechar con-
tas, por prego commodo : na ra da Cruz,
n. 55, casa de JoSo Keller & Companhia.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora en; S.-Amaro,
vendem-se arados de de ferro diversos mo-
delos.
Aos 20:000^000 ris.
Il. LOTERA A FAVOR 00 THEATRO DE
NICTHEROY.
Meios bilhetes 10,500
Quartos S200
Oitavos a.eoo
Vigsimos .200
Na ra da Cadeia do Recife, n. 19, loja de
miudezas de Pinto & Irmo.
Bom e barato.
Na i na do Queimado, vindo do llozario,
segunda loja n. 18, vendem-se cortea de
cambraiasde cOres, a 2.600 rs.; lengos de
jetim de cores para grrvata, a 1,000 e 2^rs.;
cortes de cambraia de seda, de modernos
gustos; mantas de seda escoce? ; e outraa
muitas fazendas por prego commodo.
Vende-se urna taberna com poucos
fundos, sita no largo do Paraizo, n. 30 : a
tratar na praca da Boa-Vista, n. 30, das 6
horas da manlifla at s 9, e das 2 s 5 da
tarde.
- Vende-se brim de linho azul de qua-
dios roiudinhos, proprio para roupa de me-
ninos, a 160 rs. o covado ; dito a 360 rs.:
na ra do Passeio, loja n. 17.
Aos 20:000^000 rs.
LOTERA DO RIO-DE-JANF.IRO.
20.V/o Monlc-Pio e 11.* ilo theatro dt
Nictheroy.
Lista dos premios a chegar no primeiro
vapor.
Vendem-se na loja de Raymundo Carlos
Le te, na ra do Queimado, canto da do
Collegio:
Bilhele int<-ro 21/000
meio 10/500
quarto 51200
oitavo 2*600
vigsimo 1*200
Vendc-se, por 280,000 rs. um bom
carro de 4 rodas para 2 cavallos, com seos
competentes arreios ; bem como por liara-
tissimo prego, que da mesma forma provo-
ca -os compradores, urna cadeirinha de
arruar, de muito boa conslrucgflo ; 24 fer-
ros de ricas molduras para fabricar flores;
urna pnrg&ode aldrabas para vidragas: na
prega do Commercio, n. 2, 1 andar.
Vendem-se cortes de riscado (renga-
do em quadros, de cores mu seguras, com
4 palmus de largura, proprio para vestido
de quem sabe apreciara economa, pelo
mdico prego de 2,800 rs. o corte de 11 co-
vados : na ra do Crespo, loja n. 12.
A oo ris.
Vende-se cha hysson de superior quali-
dade, pelo prego de 500 rs. a libra : n ra
do Crespo, n. 23.
Vende-se um sellim com muito pou-
co uso e todos os mais arreios: na ra de S.-
Rila, n. 85.
--Vcnde-se muito superior farinba gal-
lega, em meias barricas : na ra da Cadeia
do Recife, escriptorio de lleane Youle & C. ,
ou no primeiro armazem do becco do Con-
ga I ves.
Cambraia monstro
a 2,080 rs.
Vendeni-je cortes de cambraia monslro,
decores muito lixas, e de ricos padrOes,
pelo barato prego de 2.880 rs. o corte ; pe-
gas de riscados escuros, a 5,500 rs.: na ra
do Crespo, n. 14, loja de Jos Francisco
IhaS.
Vende se um terreno na ru do Jasmim,
pordijlrsda igreja de S.-Congalo: a tra-
tar com Juaquim Francisco Franco, na al-
fandega, das 9 horas da manhfla as 4 da
larde.
Vende-se um aderego de brilhantes,
obra oOilerna e lica: no At Vista, n 62
Vendem-se duns cabras f bicho ) com
leite e com suas crias : na ra daSenzslla-
Velha, n. 24.
Na ra do Queimado,
n. 17.
vendem-se os mais aceiados manteletes o
ricos capolinhos para senhora, prelos ede
cores, viudos pelo ultimo navio de Franga :
dflo-se amostras aos compradoies.
Vendem-se 10 InyJos moleques de na-
go e crioulos, de 16 a 20 anuos, sem vi-
cios ; 8 prelos de 20 a 30 annos, hons para
todo o seivigo ; 2 pardos do 16 a 20 annos,
bons para pagem ; um dito de 25 annos,
peifeilo copeiro, holieiro e de txemplar
cinlucla, o que soaliinga; duas mulati-
nhas de 18 a 30 annos, com habilidades,
sendo una Mellas perfeila cozinheira ;
6 pretas sem habilidades, muito mogas e
sem vicios ; assim como outros muitos es-
cravos : na ra da Cadeia do Recife, ll. 40.
Vendem-se duas lindas negrinhas com
boa ligura o qualidades, para mucamas o
que eram na Babia ; urna linda prela moga
eatpiopria para o que sequizer ppliear ;
e um prclo Angola, bom remador : lodos
estes escravos | cgas: pela figura e prego nflo
desagmdaiflo ao comprador, pois vendem-
se em conla, por seu dono querer se re-
tirar : na ra da Cadeia do Recife, n. 39.
Vende-se um guindaste porttil em ci-
ma de um carro, e que so acha no caes da
alfandega; bem como dous carros baixos
com rodas de ferro, proprios para pegarem
em grandes pegos: a tratar com Arcenio
Fortunato da Silva em qualquer dia, na
alfandega.
Pecas com 20 covados
por 5,20 rs.
Na ra do Queimado, vindo do llozario,
segunda loja n. 18, vendem-se pegas de
niclim verde, azul e cor de caf, a 3,200 rs.;
fazenda muito boa para vestidos de pretas ,
czlgas e jaqueta para homem e meninos,
porserdo muita duragflo; luvas brandas
compridas de torga! para senhora, a 1,000
rso par; ceroulas de meia, a 1,500 rs.; e
outras muitas fazendas por baratissimo
prego.
Vende-se bezerrode lustro, chegado l-
timamente e.mais barato do que cm outra
qualquer parte : na ra da Alfandega-Ve-
Iha, n. 5. |
Vendem-e luvas de rede de
torcal de seda, brancas e nrclas
da ultimn moda : na ra da Cadeia
n. 15.
Vende-so um pardo muito mogo, de
excellente conducta, o que se garante, o
qual tem principios de cilicio do sapateiro
e he ptimo pagem, por esla^ajtalo acostu'
mado : na praga do CommenJ^n. 2, prj.
meiro.andar.
Quem qiier. quem qtier,
a 240 rs. cada una
esleir do Aracaty : vende-se no
armazem de Antonio Joaquim Vi-
dal & Companhia, no rofte-do-
Mattos, ra do Amorim.
Que bom petisco !
Excedentes queijosde
prato :
vendem-se no Forle-do-Mattos, nt
ra do Amorim, armazem de A.
J. Yidal ck C.
Yeiifleiu-s! vistas de
Pernnmbuco
em ponto grande, liradas da ladeira dilii-
sericordis, em Olinda, o da fortaleza do
Hrum : na ra Nova, n. II.
Vende-se urna loja
no Alerro-da-lloa-Visfa, n. 3, a qual foi d
J. Chardon, oom armagilo, fazendas e di-
vidas, a" dinheiro ou a prazo com boas fir-
mas : a tratar na roa da Cruz, n. 10.
A 2,560 rs a peca de 10
varas
de cambraiasde quadros para cortlnadoie
babados : na ra do Queimado, loja n. 8.
-- Vendem-se sellins in
glezes,elsticos: em easa
deGeo Kenworlhy & C,
na ruada Cruz, n. 2
Yende-se potasBa superior,
por commbdo preco : no arma-
zem de Dias Ferreira, no caes dt
Alfandega.
tisera yus jtijfuoo
Fugio, no dia 8 do correte, do ence-
nho Camossim', 1 escravo de nome Joaquim,
preto, de 40 e tantos annos; j tem alguns
cabellos r neos; grosso do corpo; maii-
queja no andar ; tem ollicin de pescador,e
por isso suppOe-se andar por lugares de
praia : quem o pegar leve-o ao seu senhor,
Francisco Cavalcante de Albuquerque, no
dito engenho, ou nesta praga, a Jos Co-
mes Leal,
Fugiram, no dia 3.3 do cor-
rente, do lugar do ( aldeiiciro, A
escravos com ossignaes seguintes:
Benedicto, preto, de 28 annof
pouco mais ou menos, de altura e
corpo regulares, pouca liorna ; le-
vou em sua companhia sua mu-
llier de nome Simplicia, de cor fu-
la, com um I i 1 lio de 1 annos pou-
co mais 011 menos, de pernas ar-
queadas : Jos, moleque de 17 a
1 Sumios, espigado do corpo, den-
luco, cor prela : lodos ci ioniose
iiiiiuiH.'s do sertSo pelo que jul-
ga-se terem ido fin nlgum comboi.
Itoga-se as autoridades policiaese
capitfies de campo, que os appre-
liendam c levem-nos a ra atrs da
matriz da Boa-Vista, n. 18, que
sero gratificados generosamente.
Fugio, no dia 8 do correle, do enge-
nho llecanio, frpguezia de Serinhflem. a es-
crava crioula, de nome Thereza, de 35 an-
uos, eflr alguma cousa acabralhada, le es-
tatura regular ; tem ,r>s denles limados,
olhos grandes o aruinacado* ; lem as cos-
tas cicatrizadas de relho ; he muilo ladini
quem a pegar leve-a a seu sentior, o III"1'
Sr. lf nenie coronel Joflo I- loivnlino Caval-
canle de Albuquerque, ou nesta praga,
Luiz Epifanio, morador na ra da Floren-
tina, casa da esquiua confronte ao theatro
novo, que ser generosamente recompen-
sado.
Fugio no domingo, 9 de se-
tembro prximo passado, sem mo-
tivo algum, do sitio de sen senhor,
em Piuite-de-l.'i- lioi, o cabra es-
cravo, de nome l.uiz, natural Je
Ion ,1 as.si'i, de estatura e corpo re-
gulares, pouca barba ; 'lem os de-
dos dos ps aherlos e ron&udoSi
por ter sido muito cambado, fal-
la descansada, olhos azulados ; ">
ma muito tabaco ; foi comprado ao
Sr. Alanoel Joaquim Pereira da til-
la villa de Iguarassti consta i1'""
informacoes certas andar em dua
villa e seus suburbios em procura
de senhor que o compre : roga-se
as autoridades policiaes, capt&eS
le campo e pessoas particulares
que o apprchendam e levem no 00
dito sitio, ou na ra do Trapiche*
Novo, n. 36, que seao grati&sj
cados,
I'IKN. : Ni TVP. DE M f DIFAMA.
-1849


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOLUWPDDG_SOF3U0 INGEST_TIME 2013-04-24T18:25:30Z PACKAGE AA00011611_06698
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES