Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06692


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXV.
Sabbndo 20
FAIITIDAS SOS COHRE109. -'
rannaeParabba,segundas esextas-felns.
io-Oraiidc-do-Norte, quinlas-feiras ao racio-
Cbo, Scrlr.hem, IUo-Fonuoso, Porto-Calvo
Macci, no I.', a U e 21 de cada inei.
Caranhuoa e Bonito, a 8 e 23.
Boa-VItU e Flore, a 13 e 28.
Victoria, s quintas -fe ras.
Oiinda, lodos os da.
XPHEMEH.IDES.
Phzses n lc. Chela a 1, is 3h.el3m.da t.
Ming. a 8, as lOh. e24 ni.dain.
Nova a 16, 2h. c 38 ni. da m.
Cresc.a 24, s 4 h.e 44 ui. danj.
fBElMAB SE BOJE.
Prime ira as 8 horas e 30 minutos da manb.
Segunda as 8 horas e .'i 1 minutos da tarde.
de Oulubro n i .un imwiSMUW atontas
5/1).

PREOOS DA SUBSOUiroAo.
Por tres mr/.es (adiantadoi) 4/000
Por seis mezes c500
Por um anuo 1,'iW
mes'.*, nTwr^Tiiiii Jg7 w ti11 rra ^'issijaijtrv^
DAS DA SSttAtlXA.
15 Seg. S. Therezi. Aud. do J. dos orf. e do ni. l.y.
lTcrc. !. Martiniaiio. Aud. da chae, do da l. J.
v. do clv. 0" dos Bellos da fatenda,
17 ouai t. S. Heduvlge. Ant. do J. da 2. v. do civ
18 QTai. S. Lucas. Aud. do 1. dos or", c do ni.
19 Sext! 8. Pedro de Alcntara. Aud. do J. da 1.
v. do civ. e do doi l'citos da f.izend i.
20Sab. S. Joo Canelo Aud. da Chae, e do J.da
2. v. docrime.
21 Doin. S. rsula.
CAMBIOS CM 19 DE OUTUBllO.
Sobre T.ondres. a 27' \-\. pof 1/000 rs. a 00 da.
. Pars, :P>.
-. i i 0?o.-On^ hesp^hoc..........30/500 a 30)00
MoeaaadeMMvelhas.. I7#M0 a 7H
de ti-lnu novas.. IC/OO a lb*70t>
. de 4/000.......... /'*0 a 9/r"
/"rala.-Palaer.cs bi-.i ileiros..... lp*j
Pesos eolumnarM....... >
l,il"s'""i0"1^'
PARTE 0FFIC1AI.
governo da pkovincia.
EXPEDIENTE DO DI A 11 DE OUTUBUO.
Ollicn.--Ao commandante d prac. re-
metiendo um requerimento do [). Mari
llsymunda do Fspitrito Santo para que
mande averigoar so com efTcito existe alis-
tado no qnarlobatalhilo de artlhnri o cs-
cravo Gregorio cuja entrega ella reclama.
Dito.Ao mesmo. communcando que o
primeiro lente Benedicto Mariano de
Campos que cacha na provincia da Rahia
foi mandado eprcsenlar aoqtiarto balalhn
de ertllhara a p, i que pertenco.por ordem
do respectivo cominandante ds armas, so-
gundo parlicipou o presidento da referida
provincia. '
Hilo.-Ao inspector da thesouraria da r-
zenda par quo mande pagar ao almojarife
do arsenal de marinha pela verba compes
teile a quartti de 56,570 rs. em que.segun-
do os tres cotilas que remelle, rubricada-
pelo inspector do mesmo arsenal, importa-
ra ni os concertos mandados fa?er no esralcr
da reparticlo da sade.Scientilcou-seo
referido inspector.
' Dito.Ao inspector da pngadoria militar,
ordenando que, a vista da conta o relaco
que remelle, mande pagar pessoa que se
apresentsr legalmente aulorisada no s
a qusntia de 25,680 que o delegado do ter-
i mo donrejo abonou aos reclutas do sxer-
cilo Virissimo Caetano de Amorim e Luiz
Antonio Pereira, mslamben importan-
cia dos vencimenlos que liverem direito
os nuardas nacionaes que oscoltaram os re-
feridos rccrulas, e cujos nomes constam da
referida relelo.Communicou-se ao chefe
do polica.
Dito. Ao mesmo, determinando que
mande apromptar os medicamentos pedidos
para a Iba de Fernando na botica de Soum,
visto que, segundo Smc. informou em o
seu cilicio de 28 do passado, gozam de cr-
dito os remedios quo all so vendem, o ha
pouca differenca nos preces entro a relapso
por elle assgnada e as de outros botica-
rios.
Dito.Ao dircelor do arsenal do guerra
.para quo faca embarcar no patacho l'ira-
\puma, que lem do sabir para ilha de Fer-
naiidoale o da 15 do correle, os objectos
que por aquella reparlico houverein de
ser remedidos para a dila ilbo.Igual ao
inspector do arsenal de marinha.
Dilo.Ao juiz de direito da comarca da
Boa-Vista Tendo em considerado o que
Vmc. me representou em seu officio do 10
do setembro passado acerca das duvids
que se teom suscitado nos conllictos que
tem dado lugar a le numero 172 de 20 de
novembro de 1816 quo desincmb ou da fre-
gueziadeS.-Sebastiflo do Ourieury a parte
dessa freguezia denominada llacho-da-
t.arca, ordenando quo passasse a perlencer
Iroguezia de Santa-Maria dessa comarca,
tenho resolvido.declaiar a Vene, e a todas
as autoridades civis e ecclesiasticas dessa
comarca :
l'iimeiro, que a mencionada lei da as-
sembla piovincial nenbuma altcracHo fez
nos termos da Boa-Vista e Ourieury, visto
que a diviso ecclesiastica no involve ne-
cessariamenledivsao nos limtese tcrrilo-
lios mateados para nelloexorcerem juris-
dictjo as autoridades civis, como ja foi de-
clarado em ollicio desla presidencia, diri-
gido ao supplenle du juiz municipal do ter-
mo do E\ em 19 de junho de 1817, e se de-
duz do aviso de 31 de janoiro de 1835;
Segundo, que a referida lei, comquanlo
devesso alterar o territorio da juiisdicco
ecclesiastica dos dous vigarios e Ourieury
elloa-Visla, comludo nao leve execueflo,
e licou suspensa pela opposiso fela pelo
l'.evm. hispo diocesano, que julgou damno-
sa a eiecuco da referida le ao bem espiri-
tual dos habitantes do Biaclio-da-Carca ;
Terceiro, que, persislmdo o Itevm. bispo
diocesano em sua opinilo, c sendo olla
seiii| re atlendivel em casos somelhanles, h
iiilo tendo anda a assembla provincial,
iii.-IIiui- esclarecida, deliberado novatnenle
sobre este objecto, deve conlinuar a dita
suspenso at que seja posteriormente a re-
ferida lei e sua dsposic.lo lecons.lera.la
pela assemqla provincial. "TrBiismltio-sa
copia do ollicio cima aos jui/.es muiiic-
naes, delegados, o promotoi publico da co-
marca da Boa-Vista.
DEM 1.0 DA 12
Ollicio. Ao inspector da lliesouraria da
fazeuda, autorisando-o a mandar abonar
pagadura militar a somm* do 4:76,I79
rs. por conla da quantia que fr nocessaria
para pagamento das despezas militares des-
la provincia em o mez correi.le.
Dito. Ao mesmo, coroniuuicando ha-
ver o I'.mii ministro da fazenda approvado
ns demissOes de guardas do consulado des-
ta provincia, dadas pela presidencia a Jos
Itayinundo da Nalividade Saldanh, Diogo
Baptisla Fernandos e Jos Ignacio da Costa
Montuno, heni como as iiotneacesdo_ se-
guintes individuos que os substituirn! :
l.uiz Francisco Moreira d Mijodonca, Anto-
iir.i Jos Bandtira de Mello Jnior e Francis-
co de Paula Machado.
Dito. Ao inspector da psgadoria mili-
Ur, para que mande entregar, a vista da
uiU-la que remelle, ao quartel-meslro do
,' iimeiro balilbao de cacadores, Mmioul
\ ieneira da l'onseca Lira, a quantia de seis
' ronlos de ris para pagamento las pracas
do dito batalho. Inteirou-sao comaiau-
dante das armas.
Dito. o mesmo, para mandar pagar
ao pharmaceuticoJ. Soum a quantia de rs-
8,000 em que importaram seis ongns da
chloroformio que Ihe foi comprado para o
presidio de Fernando-de-Noronlia. Corr.-
municou-sc ao inspector do arsenal do ma-
rinha.
Dito. Ao mesmo,para mandar pagar
Manoel Ignacio los Santos, vista de. do-
cumento passado pelo director do arsenal
de guerra, a importancia da plvora que
Ihe foi apprchendida e recolhida ao mesmo
arsenal. Neste sentido officiou-se ao rc-
fe.'idodirector e ao commandante do corpo
de polica. ,
Dito. Ao inspector do arsenal de ma-
rnh. ordenando que contrato por tres me-
zes um desenbist para copiar a planta do
poi lo dosis cidadeefazer outros trabalhos
de desenlio que Ihe frcm indicados pelo
engenhero encarregado do mcllioramonlo
do mesmo porto. Scientificou-se o referi-
do engenheiro.
Dito. Ao capilo do porto, par quo
promova o engajamenlo de marinheiros pa-
ra completar o numero dos do pnmeira n
segunda classe quedeve ter a guarnicflo da
corveta Rultrpe. Interou-so o comman-
dante da inosma corveta
Portara. Demittindo, de conormida-
de com proposia do chefe, de polica, os
S'ipplentes do delegado do tormo de Olinda
abaixo declara los.
2." Jos lavares Gomos da Silva.
3.' Francisco Jos do Amaral.
4. Antonio Joaqum Rehollo Pessoi.
5.' Manoel Dionizio Gomes do Reg.
6. Bernardiuo Jos Serp.
DUa.-Nomeando, sb propost do chefe
do polica, i ara o cargo de primeiro sup-
plenle do delogado do termo de Olinda o
bacharcl Antonio Jos de Souza Gomes, o
para o de segundo o capitilo Manoel Anto-
nio dos Possos e Silva.-Scientllcou-se o
chefe de polica.
Dita.Demittindo, om conformidade de
proposta do chefi de polica, os suplentes
los subdelegados das freguezias c distnc-
tos do termo de Olinda, abaixo declarados :
Freguesia (la S.
2. Fihppe Manqel deChrisloI.eal.
3 Jos lavares1 Gomes da Silva.
5. Bernardo Jos Serra.
6- Manoel Dionizio Gomos do llego.
Freguetia de S.-Pedro-Marlyr.
2 Jos Antonio Serp.
3. Porlirio Antonio ICstevcs da Silva.
5.' Julio Estoves da Silva.
6. Joaquim Marques do Santiago.
Des trelo de Beber ibe.
1 Alosan Ir Jos Dornellas.
2.* Claudino Jos Branco.
3. Martinhoda Silva Costa.
4.* Manoel Mamede da Silva Costa.
5. Antonio Machado da Silva Santiago.
6 o Jos Rodrigues dos Santos.
Freguezia de liaranguapt.
2. Miguel Archanjo Ferrcira.
3.' Joilodos Santos Pereira.
4. Francisco Xavier Cavalcanlo Pessoa
de Mello.
5. Miguel l.uiz de Faria.
Dita.Nomando.sOb proposla do chefe de
polica, para os cargos do supplentes dos
subdelegados das freguezias e dislrictos
du (termo do Olinda que em seguida Vilo
mencionados os ciJadaos seguimos :
Freguezia da S.
1. Racharel Antonio Jos de Souza
Gomes.
2.* Francisco das Chagas Salgueiro.
Freguezia de S.-Pedro-Marlyr.
2 Jos Eustaquio Maciel Monteiro.
3 Salvador lletiriquo de Albuquerque.
Dislriclo de Reieribe.
1. Antonio Clemente Eiteves de larracs.
2.* Francisco Pereira Marques.
Freguezia de Maranguape.
2.0 Joaquim de S Cavalcanlo de Albu-
buquorque.
3." Manoel Francisco de Souza Leal.
lnteirou-se o chefe do polica.
Dita.-Creando um segundo distrcto de
subilclegaca na freguozadeMaranguopo.
Dita.Nomeando, de conformidade com
proposla iludiere do polica, par ible-
legado do segundo dislriclo da fi-epic/in
de Maranguapo, novament croado, a Edu-
ardo Daniel Cavalcanlo Vellcz.
vapor Bahiann, se apresentarno a seus res-
pectivos corpos.
Outrosim, que poroffleio do F.xtn. Sr. ge-
neral Antonio Crrela Sera, commandan-
te das armas da provincia da Babia, com
data de 12 do presente mez. dirigido igual-
mente ao Exm.ajtr. general commandante
das armas desta provincia, toi communica-
do que vnham rounr-sc a seus respectivos
corpos os Srs. alferes do segundo batalho
de caladores Manoel .1 Assumicno Santia-
go e sogundo-teiionlo quartel-meslre do
terceiro batalho de nrtilnaria a p Joaquim
Jos Pereira, os quaos, tendo viudo do Itio-
dc-Janeiro no vapor Imperador, Rearam na-
quella cidade da Babia por terem desem-
barcado, e nilo podrcm mais aU-ancar o di-
to vapor : os ditos Srs. oflloiaea se iiprosen-
tarito ilevidamento a seus corpos.
Assgnado, Jos Vicente de Amorim Bezer-
r.i, coronel e commandante.
Qiittrtel do caminando da prnca na cidade do
Itccift de Pemambuco, 17 de oulubro de
1819.
ORDEM DO'DIAN. 55.
Fatjo publico, para conhecimento da
goarnicuo e devida execucSo da parto de
quem pertencer, que o Exm. Sr. presidente
da provincia, em olUcios dala los de lion-
tem, communcou o soguinle :
1 Que por aviso da repartalo da guorra
de 24 do setembro ultimo houve S. M. o
Imperador por bem passar para a segunda
classe do exercilo, por decreto de 21 do ci-
tado mez, nos termos do arligo 4. do do 9
do Janeiro tiesto auno, o alferes do oitavo
balalho de cacadores Joaquim de Azcvedo
Tompaoo.
2. Que por decreto de 25 do referido
mez, commiinicadoem aviso de 27, houve
o mesmo augusto Senhor por bem conceder
aoSr. Joiquim Jos da Cruz, alfares quar-
tel-mestre do segundo batalho da cacado-
res, passagem para a lileira do quii da
mesma arma, c deste para aquella corpo,
com oexercicio da quartel-moitro, ao Sr.
alforcs Vicente de Paula Ros de Oliveira,
o queja foi declarado em ordom do dia do
hontem. .
3 Finalmente, que por aviso da mesma
reparticito, datado de 28 do referido mez,
foi determinado que o Sr alfares do eslado-
mor da sagundil classe do exercilo Ale-
xandro Augusto de Parias Villar passa a
servir nesta provincia.
Assignado, Jos Vicente de Amorim lle-
zerra, coronel e coinnian.lante.
Quartel do eommando da prnca na cidade do
Recife de Pemambuco, 17 de oulubro de
1819.
ORDEM ADDICIOXAI. A DO N. 55.
O lllm. Sr. coronel commandante da pra-
ca manda declarar, para conhecimeno da
guarnicio, que se recolhoii rapil.il por
docnto o Sr. toncnte-coronel commandant.'
do oitavo balalhHo de cacadores Luiz Jos
Ferrcira, o o Sr. scgtiiido-tencnle quarlel-
moslre do segundo balalhflo de arllharia a
p Manoel do Azevedo Aascimenlo.
Outrosim, que o Sr. tenonteqoartel-mes-
tre do sexto batalho de cacad.ires uil Je-
ronvmolgnac'o dos Santos, ltimamente
chegado a esta provincia para o lim declara-
do na ordem do dia de 12 do corrento, liquc
addldoporemquanlo aosegundo lulalhao
da mesma arma-
Assignalo, Franciico Carlos Bueno Ues-
cliamps. capitiio judanlc de ordens.
ssiiiiaasBaBiii"i"a"a"ajpjaJp
m''a*aawMsabs>sasciv......... i Jk, iiiaaaalaraa
ferenciasde Rerlin, o orldor date, semne-J Nilo era rossvcl tamben, nr-m justo
ircumloquloa diplomatieo* Pfdir a unida > sofranto os linter dos
los, quo o estado federa- idiomas. Mesmo a-Tiielles qu pnd.ram a
'"-'--mcorta medida, quizeran
EXTERIOR.
nhum destes r
dos lempos passa
t
cu..
interiore represente a Allemanha no exte-
rior, c um parlamento nacional loglslatlvo.
A primeira comprehendo o eomman
__..u.t,n .!!> i. .1. .i. alL'ii-
ivo stippoe dual pondiqoes um poder ox--1 uni la le er
utivo rorte,oqual mantenhi a ordem no mas vesos cousai impossivon.
lo do
r.omniAiitlo da prfffft.
Quartel do eommando da praca na cidade do
Becife de Pemambuco, 16 de outubro de
1849.
ORDEM DO DIA N. 54.
Faco publico, para conhecimeno da
guarnicio, que o Exm. Sr conde de Caxi'is,
commanitante das armas da corte, em olli-
cios do I.' e 5 do correte, dirigidos ao
Exm. Sr. general commandanto das armas
desla provincia, communcou : no primei-
ro que, por decreto de 25 do mez de setem-
bro prximo 11.ido, fez passagem para o
gegufldo balallilo de cacadores com exerci-
cio de quaiW-mestre oSr. alferes do quin-
to batalho da mesma arma Vic-nte de
Paula Rios de Oliveira; e no segundo que
vam reunir-se ao corpo a que perlence o
Sr. primeiro lenle do segundo batalho
de arlilharia a p Carlos Bcrnardino de
Moura, os quaes, lendo chegado a bordo do
QUESTAO ALLF.MVA.
/lacre, 28 de agosto.
Na sesso de 29 de julho em Berlim o con-
de Rulow, ministro dos negocios eslran-
goiros, nprescntoii na segunda cmara to-
dos os documentos relativos a quesillo alle-
ma o confederaco resnela ; estes do-
comentos forman) um volumo om folio. A
primeira -part* oncena os documentos ja
conliecidos;a segunda, cuja imroitnncia
histrica he anda tnaior, comprehendo as
ncgociacocs de M. Cnits em Vienna antes
da 26 de malo, as instruecOes dadas ao en-
viado prussiano, e o projec'o de unio si.b-
meltido Auslhac quo ella r.-jcilou. Ra
aiiui o estado em que hojo soacha a queslfl...
Adheriram e raclilicaram sua adhcso :
Badn, Mmi eleiloral, >asaau, Saxe-\Vei-
mar, Beruburgo, Brunswick, Saxe-AItem-
burgo e Mecklemburgo-Stnlilz.
Adheriram, mas aindi no ractilicaram
sua adhesilo : llesse gnin-ducal. Mecklem-
burgo-Sckwern, Saxc-Cohurgo-Gotha, Mei-
nengen.Oldenburgo, Seckwar/.hurgo, liu-
dolsladt, Rcuss, llamburgo o Brme
Manif-slaram nlcnQo dea; herir: Dcs-
sau, Cothen, Londcrshausen, Waldeek, Lip-
pe, llcsse-llatnburgo e Liibcck.
iBda no se deslararam : IKurlemberg,
Aohenzollern, llechuigon, Ligmarengen ,
Lipue-Det.nold, Lichtenstein c Frainfort
As negociacos so anda pendentes com
ifnTdocumento bem inlcressanle he o
discurso pronunciado por M. BuMv na oc-
cs-iao de fazer este deposito. Ogab.nete
prussiano faj>u som reserva pela bocea des-
la homem osresUdo.
File declarou formalmente aue o estado
federativo allemo nao pua existir anio
febaixo da prejdnci. da Prensa., fbrn
exclus.10 da Austria, a qual scij# oPTerce.da
tmente urna allianca. Eis as passagena
m-.is nota veis deste discurso.
exercilo, rejeita o directorio e nflo permit-
a que duas grandes potencias se achem
faco faro no scin de estado federativo.
lima grande potencia no polo aban lonar
ii outra o seu exercilo, nem a sua represen -
lr;H no exterior. Nisto R)J0 ha nenhumcim-
promisto fotritel.
A Austria tem osen ponto de apom fura
la Allemanha : ella no pode ser revestida
da miis alta dlznidade do imperio em um
fentido puramente irllomo. A Austria iiOO
I le fizer que suas provincias allemflas lo-
mem parto om nina assembla do imperio ;
a sui conslituieSo de*d marco se oppoo
a isso, He tim facloque nos lmitimos a
determinar som o analysar.
* A Prussia hesmente quem ples'i-
enoarregada da dirocco dos negocios, .1
quesillo da nossa presidencia h; poii, iJentici
com a da constituir > e da cxis'ciu-iu io Sitad'
federntivo
a Eis porque oflferecmos a Anstrii lime
alianca oll'ensiva e defensiva. Noqiizo-
mos quebrar levianimenlo os antigos lagos
pie nos uniam a esta potencia. Cromos
que, para revolver a qtiostilo allemfla, lio
preciso (rimeiramente um estado federa-
livo e em s gundo lugar urna allianca co n a
Austria.o
() orador, citando o texto do artigo II do
acto da confederaco, como tanibem o do
artigo 6 do acto Anal, prova a logilinii.lada
da fe loraco restricta.
A presidencia desta federecSo Com,are-
hendera todo o poder exocutivo, entretanto
que oeollegio dos principes tora parta no
poder legislativo, a Bavier.i quer transfe-
rir para o collegio o poder execulivo e fa-
zer da presidencia um-aimples instrumen-
to. A Prussia no pode attender esta pce-
lenfffo. Nos no podemos sacrificar as con-
quistas de nosaos pais por urna instituidlo
quo no l'avoreca a unida.le all-ma. No
interesse do nosso poder, devenios repellir
tola a organisadto que no concedo Prus-
sia os direllos que Ihe confere o projocto du
26 de maio. O utado federativo deveseret-
tabelecido dcbaixa da presidencia da Penisla,
leno. nao !
Cumpro agora que proponhamos a ques-
illo : sim, ou no ? Os governos fram con-
vidados a a; resentarooi suas declaraijes
deliniivas; e, apenas o llzerem, lera lugar
dentro do mais breve lempo possivel a C0II-
vocaco da assembla do imperio.
Roleva-primeiro que tu lo quo demons-
tremos an paiz quo o gpvernu o o povo que-
rem o estado federativo: c, se noisosalli i-
dos hesilarem anda em seguir-nos aleo
fim, enluc l.remos que examinar do novo
se tiossos nteressos mais prximos nSotle-
verilo ser anlcposlos a lodosos outros, e so
deve amos fazer anda sacrificios a um pro
jecto irrealsavel.
Se ie com grande ddrqua vei i amos aban-
donada aresoluco do problema para um
futuro molhor.a
Durante este discurso reinou na cunara
um silencio ltenlo, inlerromp lo s nenie
por signaos de approvedio. As galenas
publicas tran-bordavam de especladorea ;
as dos diplmalas estavam tambem chelas,
quandoll. Bulow dcsceu da tribuna, M.
Campliausen su dirigi para elle o Ihe a-
perlou afiectuosamenle a mfio.
(Journal du lucre.)
monto osla demonstrado que no he possi-
vel realisar-se o estado unitario na Alle-
manha. Ellonlo polo ser realisado nem
dobiixo da forma monerchca, nem da re-
publciti i.
i; s'a o que h vcnladc'r.i, jusloe pos-
sivcl, o desejo da reg"nara(!fo naproml, o
motor mais mo leroso do patrio'.ism Nesto
ponto grandes fallas toim sido commel-
l las.
Os senn.'iis .miniares .ino ,i e nl'e lera-
coenccrrava Wramsuffbcados. As dietas
t o n prova 11 om l.uxcmbtirjo e em liruns-
wick quo nao snbom suslenlor n direito
nem no interior nem no exterior. Quemo
a> Schlcswg, n dieta s aoutw fechar os
olliin iluinlc di p fgo mmino'il Ella foi
chivo ie !.i de Inipru I 'tici i o incapac |a le.
Ella cali i debaixo ta ropnvaco univer-
sal, p, so eleva queuma situa? i le?al seja
restah Incida ni illomanhi, aunidade di
nae,11 Jev s i sua coudicilo suprema, (.ij-
plitusoi )
.i ii govern ido re no pode aublrahir-sa
a esta necessidade, llavia muitos oaminhos
quosopodiam sognir. I'rimeirameiitn po-
liia-so transformar a confeieraco em om
es'ado folorativopor meiodolis; esta foi
a emprez-i d'ipjrlaniento:8enbores,tempn
vira omqidsojulg ra a assembla nacional
co o ni'nos paixflo. Ser-Hie-lio lomadas
eme mi i a siluacilo a as Improssoes io
. meo lies i|ini!S ella se achou co'licidi.
iPerguntir-so-ha nilo s o que ella fez pila
All -rnanhln, sonUo lamban aiuil i de que
ol i preservou i Alie nnulii. ( Bfflwa no an-
tro etgutrdo. )
.i Mas entilo sorojulgadosoicrros deste
parlamento, quo o arrastaratn -is vias do
estidi iiniliri.i, 4 via que n i corrospon-
diatn a situncSo real do paiz. a omnipoten
cia quo a assembla reclunava, nfi i poln
vir-lho seno pelo terrorismo. Aintifre/. i
das cousas o ii respeilc dos direitos al-
,i uii idos exigiam a harmona con os go-
vernos.
o orador recorla os aeonlecimentos
que acompanharam e s.eguiram a p-omul-
gatjao da constituio3oallj:nia, arecus lu -
vitavol d i Prussia de aeei ar n corda, as
-ii rrascivisdo m io-dia. Kilo 10 a nota do
28nuioquoconlm arcspjstada Prussa
o a decaraco da sua vont ido il i conlinu ir
o estabeleoimento do esta lo fa l Titivo.
A P u-sii lem sido aeeusidi por lina
de no lorobecid > a siembla nacional, o
por uniros do no lor roa-gado a obra o o
ii'ii do parlamento,
-Estesltimos pedinm a enliga confede-
ratjilo um pouco modificnla. M do Rado-
wiiz mostri a podca justica destas exi-
gonoias.
Elle l'iz ver OS |H):ito. OSflllCiaOS Ol
qtt' oesUdo federativo se distingue deumi
eonfe leracu.
o governo, conlinua o oradat ntioquiz
lance inflo do meto mais simplel.pararesol
ver o problema, laloho, uiesubolecimento
da eonl'ed rie.i.i. Elle O desprOIOU Como
injusto, e pnrignso Injusto porque irus-
Al.NDA A QESTA'O ALLEM\*A.
Havre, -29 de agosto.
Na sesso i!c 2( da prineira cmara da
Prussia continan a discussoda quesillo
allema, encelada na vespera pelodaaurso
do baro Bulow. M. de Ro towitt, eommis-
sariodo governo, pronuncious osle res-
peitoum discurso que proluzoa mais viva
impressflo, e no qual exprimi de novo, e
d'umn maneira poromploria, aresoluco
formal da Prussia de constituir o estado fe-
derativo restricto omqumo aigun estallos,
por menos numeroso; c menos imprtanles
queaejam, permanocerem com ella,equaea-
quer que sejam os obst culos que outros es-
tados possam procurar susci ar-lhe. <
discurso de U. de Radowils foi mullas vezes
inlcrro'npido por applausos ehthusiast.c s
Quando elle araliou, os bravos o as pal-
mas das galeras o da cmara o acoupa-
nharamalcUhtgarao lugar que tuina es-
colhi lo atrs do banco dos ministros. Eis
as principaes passagnns deste discurso;
ellas permittiro apreciar, posto que do
um modo mu incompleto, suas bellezas, e
sobre ludo sua energa.
Foi o demonio nacional, d:sse M. de
Itadowitz, quem dominou no movimenlo
politieo do atino pessido. o phonomeno
se menifeslou por toda a parto. Onda
qur que um corpo p Mtico abracoII mul-
las nacionalidades, elle foi quebrado o di-
vidido nos divemos domemos nacionaes
qtn o compunliim. lie isloo quo explica
a lula dos Dmamarquczes o dos Allemiles,
assim como as diUoeraco 's da Aust m. in-
fernos esperar, por nosso projiio ever.ia-
deiro interesse. que a Austria saia enctP
calora desla lula. Onlo quor qie un
povo eslava dividido- em mullos eslados,
a tendencia opposla $> maiiifestou. lor
isso.depoisdo um longo silencio, eaM gri-
to da uilade foi levantado entre nos.
Teem natiduerroaerexigencias imphs>iveis.
., de icr'apresentado de novo al Tolos saben. ,.rcsenlcineiito o que quu o
hisloriaPdos fados que deram lugar s con-1 partido democrtico.
trara a p'o nessi solemne"nente feita ni-
elo ; perignso, po que eteruisaria a rev.i-
lucoeiu daria as frcas mais vivas do
l1'1'-'- .. i
b Eis por.juo prornizemoi a le lerap i.i
restricta, a qnal SUppe o consentimenli)
Imv dos governos e a aceitnco da futura
dieta, Exterior.iienle a Allemanha dew sor
urna, a re;>'resenlao deve ser urna, lie
Isso urna condlco vital to nossa exls-
tenci.i como povo Tolo aquello que 1er
com mperciilidadea historia dos dous
ltimos sec ilos, estimai antes cubrir a ra-
reonvergonhadtMl.iquo defender a poltica
exterior dos esta los particulares da Alle-
manha ( Sim si"l -- Bravos )
\ i interior, a Allemanha requer que se
abandono aos eslados particulares ludo o
que fi.es potlrem completar com as suas
propriasfrcas ; porim roclama queo po-
der fiilr.il inteiveiiha logo que as I Ircas
particularos from iusiilliciout-s. Lonvem,
nis quo baja urna legislaco commum, a
q mi represnteos Interesses assim do toa i
como dos esta los particulares en una
enmara alta e u.ii parlamento.
Mr ilc /tulmil: eximio i as diversas Tormas
que lecmildd propnslas pin o rstabelecluicnto
,!> estado IV.lci.nivo. e cun le que sci a lede-
ea
Vio restricta lie que pode realisa-li.
i cada gover_
icr a nossa poslcao em lace da
5o entra re i n.'
Allemanha ser despedafada do
ios comprebende a
Fallare!
,, Porm, se cada governo pode e"yjT.!e!f.'
qual devei
quellei que nao cntrarein.
Devera a Allemanha -.
moinnilo en. que aspira a "^'BDW*
perder em poder o que gnha em consolida-
ra. Kinguem mal que i
ravidade desta qiiestao-
Xrau-se da posicao da Austri..
disto coi a franqoexa das boas intencOes que
iMinun o governo prassl.no Pe-se sempr.
"r u,lli,iild.ide do Cheh do imperio.
ClasproposIcOesao a coiisequenciados fac-
iV Tem-sc dito que quiaeinos taacr que a
potrada raae dillleil, eenlo impossivel a Aus-
.,,. -'mis esta acciisaciio nao tem fundamento..
Dorador demonstra que, qualquer que losse
forma da conslituicao, a Austria nao tena
.mis I'leilldade do que tem presentemente pa-
ra'lomar parle na direccao dos negocio alle-
. AconttlidacSo do poder austraco he urna
uecCHldade europea. Mas pode a Austria
sulii.idimir-sc umi legislacao estrangeira
Ser i ella poderosa, se porventura cstiver sub-
|u .(er Inspeoclooada relaiiv.uneiue as uas
orovlncias alle.iiaas? ltc verd.idc, que se diz,
Une a eonslIUlIcSo de 4xle marvo nao ter. du-
raego Porm o governo austraco repelle csti
loilnuac-o, a ningaem tem o direito de fazer
poltica conjectural desla mansira.



I
['|Bni ni i|......whliiiiii ii, ~^~T.Tz?ji ''l.c,: i mil- aillni uniao estrella coin a
Anuira, a urna confrderariio mais larga, a urna
IV- .. Fallel lmente da Austria porque nao re-
niiin'io riperancj ele ver rnirarr-m os oulros
. lulos. Se alguns licarein de fra, ser preci-,
su rrear um poder central para a o.nlVderarau
inais larga, porin que nao alcance federacao
i estrela.
i A l'russia nao renunciar nunca ao estado
federativo lento como cunseniimentode todos
ni iine a elle teein adherid. V-se segundo isso
que as reiervas de alguna governos nao nos
devem ateinoriaar. Hppiausos.) 0 govtmo ir
roffl todos os ctlados, com muios estados, cnw polt-
ras riladas. Quando osgoveinos se liveiem
pronunciad, conv. rarem'oi o pai lamento. Kn-
trelanto um orglio interino podar ser creado
era lugar do poder central actual que nao tem
nal! lroa legal.
. Similores, o governn continuar a sua inis-
lio ale o fin, ate os ltimos limites do possi-
vel. Aoplniopublica hoi jolgar Klla l'.u.i
juslica ,is aeeusaces de amliicn (pie nos fa-
lem. A l'russia cumpie um grande dever. Ella
quer dar, e nao tomar.
A l'russia tem sido bastante forte nao s
lina asseguiar a sua sakacao, como tamlieui
para assegurar a salvarn de oulros governos,
de movernos reconlieeidos e de governos n-
graloi. (Longosapplamo: Mr. de Lerrhmfrtd, o
.miado tonare, faz um gesto de colera. sihe da
tribuna dos diplmalas.)
nTciupn vira em que se nos far juslica.
Sim, senhores. a Prussia Ir ate os ltimos
limites do pocsivel. Ella sustentar os direi-
tos asslu doi grandes, como dos pequcuos ;
mas nao eiqticcrr os direitos da uaro.
O presidente cuinpiimentou o orador, cujo
dlsciirin causou, aialin nos iiieinbrof da atiein-
Ma, tumo nos espectadores, Ulnaimpresso
liaordiuai ia. Uina coinmisso de OIIZC nieni-
broi l'oi Horneada para examinar os documen-
tos aposentados pelo Sr. Radowiiz, c dar so-
Jiic elles o .seu parecer.
*______________________(dem )]
mmton.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do l'.xm. Sr presideil-
te Ur. los liento tlu ( unha e ligucircdo.
27 DE AGOSTO.
Oflicio. Aos presidentes dos collegios elei-
toraes. ("onvm limito que Vmc, apenases -
it l mi lindas as eleires para de>ulados nata
coiiegio, fara logo remellar a competente ata
secretaria do governo, como j fol recom-
ineudado por meu antecessor ein ollicin de 3 de
jullio prximo passado, sendo falla essa remes
na por Intermedio do eomniandanla do desta-
camento ou na falla por alguui soldado seguro
da guarda nacional, que Vmc. reqmsitar au
cominandaiite do balalbo.
Portarla. Noinr-aiido a Joaquim Gorgonin
da Costa delegado de polica do termo da Ata-
laia c Assemblc'a.
28.
OfHclO. An l)r. chefe de polica, couiiniiui-
camloa referida noiueaciio.
Dito. Ao inspector interino da lliesoura-
ria de faienda, remetlendollie o requeriuiento
a mais ducuinentoi tendentes a cobranea, que
pretende Jos Vieira de Araujo l'eixotn, ila
quantia de ':.'i7-1,88u rs., perteneenle a exerci-
co lindii, rtlinpriudo que o dito Inspector
mande liquidar essa divida na forma da circu-
lar do tliesouro nacional de (j de agosto de
JS7.
Dito. Ao i ipil.ni do porto, para remellar
O orcamenlo em que pode importar 0 fono da
calala e lancha de lOCCorroi do dilu porto.
Dito. Ao uiesino, revendo as rclacOc
de madi'ira, existentes na secretarla deste go-
veiuo, respectivas s ofasilas dos tres brigues
contratados por f.oureiico Cavalcante de Alliu-
quiniue Maranllo, supponho que Vmc se
rnganou quando em M do correle ofliciou a
esta presidencia que acbou a diflereoca de 8,'i i
posj porque n'iina relaco por Vmc. envia-1
da cun dala de ISdeuiaiu do crrante auno,
diz recebera 1584 paos : a relacoo dos que se
rnvlarain pira Pernambuco be deu'M, aug-
inentaiido-se I que sobra lil.'i : soiuiuando este
numerocom 877(que he oque Vmc. 1I17. rece-
ben no sin supracitado oficio) d 1,492, sub-
li ibiii,dii-se este numero de 1581, que be o de
sin relaca de 12 de malo, d a diliercnca de 92
paos e nao 82
Inclusas remello a Vine, as relaccs sobre-
ilius para vista dallas explicar Vmc. o enga-
o que me parece existir.
Dito. Ao inspector da tbrsourarla provin-
cial, para enviar alguns apoulainentns, pelos
quaes se possa rcgul.ii isar a cobranea dos di-
reitos do algodo da provincia de i'ernambuco,
aqu arrecadadoi.
Dito. Ao ini'suio, mandando porein arre-
malac.o a mullir da casa da cmara na cadeia
desla i na Ir pela quantia de I80.UUU rs.
2.
Cilicio. Ao inspector da ibesouraria pro-
vincial, dizendo-lbc que.couvliido que seja ou-
vido o respectivo procurador-fiscal acercada
resposta que dra o prliueiro suppleme do julz
municipal c orpbos desta cidade, relaliva-
luente iiicompatibilidade du exercicio deste
cargo cnii o de agente de rendas pruvinciaes,
devolvein-Sr-lbc a rcprrsrnlaco do mesiiio
procurador-liscal e a dita resposta.
Dito. Ao procurador-liscal da tbesouraria
da fazenda, para Intcrpor de novo o scu pare-
cer acerca da prelenc.an do boticario Antonio
.Iris Alves, cojo requcriiuciito c mais papis
se Ihc devolvcin.
30.
(iliieio. Ao Dr. Jos Telles deMenezes,
transmittindo-lhe copla do aviso do ministerio
da juslica de l'J do crreme, que declara a-
cbar-se elle moneado desembargador da rcla-
cao de i'ernaiiihuco.
Dito. Ao Dr. chefe de polica, para mau-
llar proceder captura do desertor da charra
Carioca, cujos signaes constaiu da nota que se
lhc remelle.
Dito. Ao agente da companhia dos vapo-
res, para mandar dar passagrm para Pernain-
Jiuco no vapor Varense ao confuiente da mesa
Dito. Ao uicsuiu, para receber da ibesou-
i iii.i de faienda o cofre do segundo balalbao
de catadores depols de sellado conveniente-
mente, e o mandar conduzir para Pernainbu-
co no vapor Vararme, afini de ser all entregue
ao respectivo coiumandante.
Dito. Ao inesinu, mandando dar transpor-
te para a corte no vapor Imperador a tres ufli-
claes e suas familias, e mais a 21 pracas de pret
do sexto balalbao de catadores, deveado ser
abonadas .s comedorias de embarque na for-
ma do eslyto.
Dito. Ao inspector da tbesouraria de fa-
zenda. para mandar alionar um mez de sold a
varios ofilciaes do sexto batalho de cacadores
que seguem para a corle.
Dito. Ao mesiiio, para fazer sellar o cofre
lo segundo batalho de cacadores que se acha
a diu Un sumaria, e logo cntrega-lo ao agen-
te da companhia dos vapores alim de ser con-
duzido paraPernainbuco.
wsem.
Iilem 2.-Leopoldina, brenca.--Nascida em
23 de miiio de 1818.
dem 6.-Cal llano, pardo.-Com 5 mozes
de iilnda.Santos leos
dem 7.Arcelinn, crioula.Nascida em 2
de di sembr dn 1818
dem.Oly.-ii'i, parda.Nascida em 26
de jiilltn deste atino.
Mem 8.Francisco, bronco.Nascido a
II de maio.
Iilcm 9.Dionisio, crioulo.-Escravo.- -
Naseido em 23 'lo maio.
dem Antonio, branro.Com 2 mezes
'lo ilnde.
dem.Elisa, branca.
dem Natalia, parda.Escrava.Nasci-
da em 27 de jlllho destn anuo.
Mein.Caligio, pardo. Escravo Nasei-
do e.-u 15 de abril de 1812.
dem 10.Candida, mutila.--Escrava.
Com ti me/e- de nascida.
dem 10.i'.ai Ins. blanco.Naseido em 22
de outubro de 1848.--Santos leos.
dem.Antonia, parda.Nascida om 12
de jnnho deste anuo.--Sanios olbos.
dem.l-'rancisco, brauco..Naseido em
11 do selembro de I87.
Mem 18.Honorio, crioulo.Forro,
dem 22.-Luisa, prcla.Escrava.Com
25 anuos de ida le.
dem 23.Joaquim, branco.Nascidoa (i
dalle mez.
Mein.Anua, branca.-Nascida em 28 de
aposto deste auno.
dem.Agapito, cioulo.--Escravo.Nas-
eido cm 2i de marQO deto auno.
dem 21.Mara, parda Com 5 mezes de
dude.
dem.-Can li lo, branca.-Naseido a 15 de
marco de 1813
1 lem 25.-Cosme, pardo Naseido a 27 de
setembro de I8i8.
Mein.llelarmiiio, pardo.Com 2 annos
de dado.Sanios leos.
dem 26.Malhilde, branca.Nascida a
12 de abr! deste anuo.
Mein 30.Jos, pardoNaseido a 3 de
Janeiro denle anuo.--Santos ok'os.
Mem.Bibiana, crioula.Escrava.Com
10 mezes di ida de.
I lem.Sevciino, pardoCom 11 annos
de ida le.Sanloi leos.
Mem.Cailos, branco.Com 7 annos de
idade.Sanios leos.
Ao lodo 30.
Oulllbro, 8 de I8ifl.
Ovigario, financio Hcmiquhde Uezcnde
i. Itidgwsy & C, manifest", o
signado a
seguate
4 caixas urna caldeira, 50 pegas machi-
niamo, 10 feixes ac, C00 toneladas cirvflo
de pedra, 2 bigoro'as, 2 bar: is ferragens, 4
volumcsdiles, 1 emlnulbo anime de cobre,
4 barricas carvo em p; a Dowman Jlc.
Calluin.
150 cbapas e 20 feises ferro; a C. Slarr
k Companliia.
fivoliimcs fazendas de nlgodHo, 1 caixa
ditus de seda oalgodflo, ealgodo olinbo,
e linio n Ifin ; a K- 11, m mu lirotbcrs.
225 barricas ccrvi'ja, 10 ancoras, 2 cr-
ranles, 2-2 voliimes fazendas de algodo,
114 toneladas carvo de pedra; a li. J.i-
meison & C.
150 barricas cerveja, 31 voluntes fazen-
das do algodiio ; a AdaulSon llowiedt C.
27 volinnes 'fazendas do algodo, 15 cai-
xas linlias ; a Jobnston Pater cV C.
1 caixa fazendas de algodao; a Me. Cal-
moni & C.
CONSULADO CERAL.
Itcndimento do dia 19..... 956,452
CONSULADO PIlOVINCIAL.
Rendimenlo do dia 19..... G56.692
VijUJEDADI.
CASO EXTRAOltIIINAItlO.
Um jornal de Barcelona cenia o faclose-
guiilc:
M N.....negociante de Madrid, eslava oocu-
pado em seu esrriptorio, qusndo novio um
unto acompaiibado de una quda, que o
fez oslremecer. Ello se levantou cfoi eia-
millir qual a causa deslo accidente; mas, ao
entrar un quarlo vizinbo, vio que seu lilbo
eslava muri lendo cabido de cima de urna
mesa. Seu desesprro e scus gritos ebega-
raiil al sua esposa, a qual se eslava ba-
n'liando com o nutro fiilin mais pequeo.
Elli solevanta rom pici-ipilac.no, e corro a
indagar a Causa das lainenla(00S d seu
marido ; mas, entretanto que ellos confun-
den] suas lagrimas, o menino, que ella dei-
xara no bauheiio, se afoga. Quando esta
infeliz m.li vnllou aoquailo, licou de tal
sor.o penetrada desla dupla desg'aca, que
cabio para nao so levantar mais. O pal,
vendo mortal tres pessoas, que l.'io cram
13o Charas, cabe em um delirio lerrivel, tu-
rna urna pistol i, o, dcsp.irando-a ao pedo
onvido, despedaca a propria calmea e expi-
ra. Eis nina familia ixlincla dentro de al-
guns lisiantes
.Movimento do 'orlo.
Navio entrado no dia 19.
Sidncy 93 dlts, barca ingleza Vidlophian,
de 414 toneladas, capiliio Josoph Cibson,
cqtiipagem 22, carga Ia e sebo ; ao capi-
lo. Condoz 20 passageiros. Vein re-
frescar e segu para Londres.
y avio lahido no mesmo dia.
Parahiba lliate liras ileiro Flor-do-fac fe,
capilflo Antonio Manuel AfTonso, carga
varios gneros.
EOITAES.
LC
> ^
PEhNAfttBUCO
1IELACAO' DOS IIATISADOS DA FHEGUE-
ZIA DES.-ANT.NIO>ll ItECIEE IiO MEZ
DESETEMUKODEI819.
Dia l.-l.ibanio, branco.-Nascido em 22
uejuubo.
AI.FANDEOA.
Heudliiicnto do dia 19.....23:400,190
IMI'OI'.TACXO
Zlli, barca franceza, viuda do Havre, entra-
da no corrente me/., consignada a AdourSt C,
maiiifeslou O segiule :
2 caisas lio de lato, I dita acido sulfrico,
1 dita acido ntrico, I dita pellucia de edac
algodo, 9 ditas vidros, 2 ditas fazendas de la,
2 ditas candlciroi de Vidro, 2 ditas papel pin-
tado, I dita tecidos para chapeos, 2 ditas ferra-
gens, I dita papel, priTuiues e couros, 2 ditas
porccllana, 3 ditas chapeos, 5 ditas acido sul-
frico, ntrico e medicamentos, I barril oleo
branco, I caixa ohras de papelo, 3 ditas obras
de II mil res, 1 dita obras de vidro c fundas, 1
dita chapeos de palha, I dita brinquedos, I dita
plumas para chapeos, 3 ditas com lillros para
agoa, 2 saccas cevadas ; a J. Pedro Adour it C.
I caixa macas seccas ; a l.emeticr.
I caixa pellucia de seda; a Joaquim de Oh
vena Haia.
5 caixas com mantelga cm frascos a Rou-
tier.
I caixa fa/.endas de la ; a I''. II. Lutikens.
15 vid limes fazenda de algodo, 2 caixas miu-
dezas, 3 ditas rendas, 1 dita fazendas de seda;
a Kalkmanii & limaos.
13 caixas fazendas de algodo, 210 linos e
100 unios ditos manteiga, Jcaixas papel, 3 di-
las pclles euve niadas; a N. O. Ilieber ic C.
80 barris c -in meios ditos maiiteiga ; o Jos
Jcrnnyiuo Montelro.
100 harris c 50 lucios ditos mantelga ; a As-
ile; A C.
I caixa fazendas de algodo c seda, 3 dilas de
dita de algodo aSchafheitlin c Tobler.
I caixa fazendas de algodo, -i dilas mangas
de vidro, 2 dilas carnciras de cures, I diu me-
rino, 2 barris limas a E. holli.
1 caixa ferragens; a Pommateou.
1 cesto manteiga eseuientes ; a Gillain.
G5 barris e 30 meios ditos manteiga, 1 boio
salchichas, I dilo peritas de ganso, 1 dito man-
teiga, 2 caixas fazendas de algodo, 5 ditas fa-
zendas de seda a L. Ilruguire,
2 dilas pianos ; a J. Vigiles.
400 gigos batatas ; a Huullard.
1 caixa drogas, 1 dita diversos objeelos; a
II. I de Souza.
I caixa ferragens e cscovas; a C. Kdngcr.
12 voluntes fazendas de algodo, 4 caixas di-
tas de dita e seda, 1 dita fazendas de la, 1 dita
ditas de algodo e la, I dita relogios, I dita
fasendas de seda ; aJ. Keller&C.
I caixa fazendas de seda, 1 dita dilas de al-
Soilan, 1 dita pcrlcnces para chapeos de sol; a
. 1 ou bel.
1 caixa olijeclos de modas i a Millochau.
1 quarlola vinbo, I barril de nianieiga ; a L.
lucyard.
\ calas papel, 1 dita chapeos, 5 dilas louca,
I dita rces para tellius, 1 dita agoa de Colo-
nia ; a Avrial rieres.
200 gigos e 35 saceos batatas; aDedierCo-i
lombiez t (.'.
tanny A. Garriguei, brigue ingiez, viudo I declaradas.
de Glasgow, entrado no corrente mez, con-1 As pessoas
0 lllm. Senbor oilieial-maior servin
do de inspeclor da tbesouraria da fazend
provincial, emeumprimento da ordem d
Exm. Sr. piesidenle da provincia de dou*
do correnlc, manda fazer publico que,
perantc o tribunal adminislrallvo da mes-
ina tbesouraria, se ha de arrematar nos
das 23, 24 e 25 do correle, a quem por
menos lizer, a obra du ponto do passeio pu-
blico da ra da Aurora, sob as clausulas es-
peciaos abaixo transcriptas o pelo pre^o de
4:733,202 rs.
As pessoas que se propozerem esta arre-
matadlo, comparecam na sala das sesses
do sobredito Iribiinal, nos das cima men-
cionados, pelo mcio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandou alxar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da tbesuuraria da fazenda pro-
vincial de Peroamhuco, 3 de oultibro de
1819. o aecrelsrlu, Antonio Ftrrein da
AnnunciacaS.
Clautvlai etprciaes da arremataro.
1.* As obras para a ponte do passeio
publico da Aurora aerflo fetns de conformi-
dade com os riscos e orcamenlo apresents-
dosnesla dala i spprovaQodo Exm. Sr. pre-
sidente, e pelo prego de 4:734,202 rs.
2." As obras principiarflo no prazo de
um mez, e serflo concluidas no do seis, am-
bos contados de confnrmidaJc ao artigo
10 du regulamento das arrematarles de 11
de julho de 1843.
3.* Todos os malcriaes sero prvia-
menlo examinados pelo eiigcnbeiro, o, ap-
piovados, lavrar-se-ha um termo.
4.' U pagamento do importo da arre-
mataeflo realisar-sc-ba conforme o artigo 15
do regiilamoulo.
5.' Para ludo o mais que nilo est de-
terminado as presentes clausulas especiaes
S0guir-M-lia iitciiuniente o que dispc o
precitado regulamento de 11 de julho.
h Cabinetu dos engenheiros, II de agos-
lo de 1849. O eiigenheiro, I. L. Vctor
l.iiulhier.
O lllm. Sr. oflicial-maior servindo do
inspeclor da Ihesotiraria da fazenda provin-
cial, em cumplimento da ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia de 2 do crten-
le, manda fazer publico que, perantc o tri-
bunal administrativo da mesma ihesoura-
ria, se ha do arrematar nos das 23, 24 e
25 do corrente', a quem por menos Fuer, a
continuado do caes e aterro do passeio pu-
blico da ra da Aurora, sb as clausulas es-
peciaos abaixo declaradas e pelo prego do
17:713.550 rs.
As pessoas quo se propozerem esta
arreniatac.no, comparegain na sala das ses-
ses do sobredito tribunal, nos das cima
indicados, pelo mcio-dia, competentemen-
te habilitadas.
E para constar se mandou ailixaro pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraha da fazenda pro-
vincial do l'ernambuco, 3 de ouluhro de
1849. O secretario, Antonio Fortn da
Annunciicio.
Clausulas especiaes da arrematacao.
1 As obras para a continuago do
c'-se aterro do passeio publico da Auroia
seriio feitas de conformidade cornos liscos
0 orcamenlo presentados nesli data ap-
provaqao do Exm. Sr. presidente, o pelo pre-
go de 17:713.550 TS.
2." As obras principiaran no prazo de
um mez e cnneluir-se-lio no da oilo, am-
bos Contados de conformidnde com o arligu
lOdo regulamento das arrematages de II
de julho de 1843.
3 lodosos maleriaesserSo previa men-
te examinados pelo engenheiro, e, approva-
dos, l.'ivrai-sc-ha um termo.
4.a t) pagamento do importo das obras
realisar-se-ha conformo o artigo 15 do re-
gulamento precitado.
i. 5.' Para ludo o mais que nilo est de-
terminado as presentes clausulas espe-
ciaes seguir-se-ha inteiramente o que dis-
pOe o regulamento das arremangues de II
do julho de 1843.
Gabinete do engenhoiro, 7 de agos-
to de 1849. U engenheiro, J. L. ) ictor
Lieulhier.
O lllm. Sr. inspector da tbesouraria
rrematigito,comparegam na sala das ses-
ses do referido tribunal, nos dias cima
indicados, pelo mcio-dia, competentemen-
te habilitadas.
Epara constarse mandou affixar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da tbesouraria da fazenda pro-
vincial de l'ernambuco, 18 de setembro de
1849. O secretario, Antonio Ferrelra da
n\nnUnciacllo.
CONCERT DA CADEIA DO BONITO.
" Clausulas especiaes da arremataedo.
Frimeira.As obras para os concertos
da cadeia do lonito seriio feitas do modo
indicado no orgamcnlo, e pelo prego do se-
tecentos e quarenta e seis mil e qualrocen-
tos ris 740,400
b Segunda. As obras principiarflo no
prazo de um mez, e concluir-se-hflo no de
cinco mezes, ambos contados em conformi
dade do a't. 10 do regulamento das arre-
matagOes de 11 de julho de 1843.
" Terceira.Os malcriaes serflo todos de
primeira qualidade, e serflo previamente
examinados pela pessoa que fdr determina-
da pelo Exm. Sr. presidente da provincia.
Quarla.O pagamento do importe da
rremslagflo realisar-se-ha donla de con-
cluidos todas as ninas, o examinadas.
Quinto.-Para ludo mais quo nilo est de-
terminado as presentes clausulas especiaes
seguir-se-ba inteiramente o que dispde o
regulamento de II de julho do 1843.
a Gabinete do engenheiro, 17 de setembro
de 1849.O engenheiro, J. L. Vctor tieti-
lier,
Fel inpectoria da alfandega so faz
publico quo sao precisos alguns .esteios,
I inflas, estivas e frexaes, una porgflo de
laboado de diversas qualidades o dimen-
gOcs, e urna porgflo de zinco para a factura
do terceiro lango da lonle da mesma al-
fandega : as pessoas que quizerem torne--
cer cssrs objeelos, | dem comparecer
mencionada rcpailigflo nos dias de traba-
Iho, das 9 horas da manhfla as 3 da tarde
Alfandega de Pernambuco, 12deoutubro
de 1849 t- 0 inspeclor, l.uiz \nlonio deSam-
pato Vianna.
O capilflo do porto dcsta provincia,
em virlude da autoritario do Exm. Sr.
conc Iheiro presidente, lem de engajar
iiiariiilieirns da primeira esegunda classe
pira completara guaruig.no da corveta Eu-
terpe; convida, pois, a mirinhagem que
queira servir dessa forma, ou aos indivi-
duos quo quizerem >ncumbir-se de agen-
cia-Ios para esse engajamenlo, a apresen-
tarem-sena capitana com toda a brevida-
de, sendo o lempo do engajamento de 1
a 3 annos, como se convenciouar ; e as gra-
liliragi's a darem-se na ordem desses pra-
zos de 20, 30 e 40#000 : alm destas gra-
tilicagoes se Ihe darflo directamento 4/000
rs. aos que frem eslrangeiros, e 5/000
aos nacionaes, percebendo os individuos
quo se propoie/.i'in a agencia-Ios 4/000 rs.
porcada um sendocstrangeiru, e5/000rs.
sendo nacional; devendo regular a na Je de
18 al 40 anuos.
Capitana do porto de Pernambuco, 13
de outubro de 1819. Rodrigo tluodoro de
l'reilas, capilflo do porto.
CUIISO JURDICO.
Fago saber a quem couver que os exa-
mes preparatorios das tres lingoas latina,
franceza e ingleza serflo feitos nos linos
seguinles:
Latn
Tito Livio e Odes de Horacio.
OiagOes de Cicoro e Virgilio.
FHtMCEZ
Telemaco e Fbulas de l.afontaine.
O Genio do Chiistianismo por Chateau-
briand e Satyras de Ooileau.
1(0111
Historia de Inglaterra por GolJsmilh e as
Estages do Tompson.
O tigario do Wakcfleld pelo mesmo Gol-
il.sm iili e o Faraizo Perdido de Jlilton.
Secretaria da academia jurdica de Olin-
da, 1C de outubro de 1849. O padre Mi-
guel do Sacramento Lopes Gama, director.
Para o Hio-tle-Janeiro sa-
lie, f m pnucos dias o patacho na-
cional Falent, forrado de cobre
c de cxccllente marcha : para o
resto da carga e passageiros trata,
se com o capitao a bordo, ou com
Novaos & Companhia, ruado'fia-
piche, n. 3 segundo andar.
l'ara Angola equalquerou.
tro porto .da (.'osta-d'Africa pre.
tende sabir at o fim do corrente
mez, o brigue l'rancez Faber, re-
cebe carga e passageiros, para 0
que tem excllentes comniodos.-
os pretendentes dirijam-se aos
consignatarios do mesmo, B. Las-
serre 6k Companhia, na ra da
Senzalla-Yelha, n. 138.
- Para Lisboa sabe, com a maior brevi-
dade possivel, a barca purtugueza Ligeira,
deque he capilflo Anlonio Joaquim Rodri-
gues : quem quizer carregar, ou r de pai-
sagem, para o que lem os melhords com-
niodos, dirija-se a Francisco Severiano Ri-
bello & I'i I lio, ou ao mesmo cipitflo nt
praga do Commerco, ou a bordo.
Frecisa-se da quantia de 8:000,000 rs.
pouco mais ou menos, a risco martimo,
para prgar os concertos do navio de com-
merco argentino La Plata capilflo Al.
Brorsen, o qual, ndo de Ruenos-Ayres para
Antuerpia arrbou frgadamente a esto
porto : as pessoas a quem o negocio ennvier
queiram dirigir suas olleras um cartas fe-
chadas ni Yirc-miisu lado argn ti lie, rua do
Trapiche, n. 6, at ao meio-da, sogunda-
feira 22 do corrente.
Fara a Haba segu, com brevidade, o
patacho S.-Crm : para carga e passageiros,
trata-sean lado Corpo-Santo. toja de na-
ga mes, n.25.
Fara o Havre sihe, com a maior bre-
vidade possivel, a barca franceza Zilia, ca-,
pililo Lemetlz : quem quizer carregar, ou.
ir de passagem, para oque lem excllentes
commodos, dirja-se aos seus consignata-
rios, J. F. Adour & C. na rua da Cadeia,
n. 52.
Segu para Lisboa com a maior brevi-
dade possivel o brigue porluguez S.-ih- <
mingos, forrado, pregado e encavilhado de
de cobre, doquiilie eipitflo Manuel Gon-
galves Vianna : para carga e passageiros
( aos quaes offerecc excllentes commodos
dirijain-sii io consignatario Joaquim Ferrel-
ra Mendes Guimorfles, na rua da Cruz n.
49, primeiro andar, on ao referido capilflo,
na praga do Commerco. i
Faia o Porto segu com toda a brevi-
da possivel o brguo porluguez Fn/ra-
Filis, forrado, pregado e encavilhado do
cobre, do qual he capilflo Zefcrino .Ventura
dos Santos : recebe carga a froto, para o
que Irata-se com o consignatario Joaquim
Ferrelra Men les Cuimarfies: na rua da Cruz,
n. 49, primeiro andar, ou enm o referido
capilflo, na praga do Coiumercio.
l'ara a Uabia sabe em poucos dias o
Florrde-Cururipe, de pri.nera mar-
dirjam-se
hiato
cha : para carga e passageiros
rua do Vlgario, n. 5.
JLeilOes.
cclara^es.
da fazenda provincial, em cuuiprmento di
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
de 28 de agesto prximo passadffcmanda fa-
zer publico que, peranlo o tribunal admi-
nistrativo da mesilla tbesouraria, se ha de
arrematar as das 23, 94 e 25 de outubro
pioxmo lulm'ii, a quem por menos iizer; os
concertos alfazer na casa que seivo do ca-
deia na comarca do lionito, avallada em rs.
746,400, o sob clausulas especiaes abaixo
que se propozerem a esta
O lllm. Sr. capilflo do porto desta pro-
vincia faz publicar, por ordem do lllm. e
Exm. Sr. concelheiro de estado e presidente
da provincia, a traducgflo do aviso seguale:
iTRADUCCA.
atviso aos maiiiti mus.
Phures no mar lleach, rio T/iames.
uCasa-da-Trindade,em Londres, 8 de, agosto
de 1819.
a Kticia seguinte.
Que em tltengflo as reclamagOes de in-
nmeros propietarios, capilfles de navios e
oiitras pessoas que vivem ou so interessam
pela navegagflo no ro Thames, se eslflo
apromptando dous pbares para serem ex-
hebidos em o mar licach ; estes pbares se-
ro col locados ao norte do canal navegavcl
do Iteach.isto he,um ao largo de Cbapuaem-
llcinl,junto ao lugar em que est o Beacon. e
o oulro cm cima do Mr.cking-Flal, os quaes
serflo exhibidos em a noilo do primeiro de
outubro seguinte, o dahi cm diante conli-
DUarAo a aceuder-so desde c auoilecer al o
amaubeccr.
Os domis particulares a respeito da ap-
pariefla dos pbares serflo publicados cm
seu devido lempo.--For ordem, J. Kebert,
.secretario.---Ccnrorme. O ollicial-inaior,
Horianno Correia di ilritto.
Secretaria da capitana, 4 de outubro de
1849.--Esl conforme.O secretario da ca-
pitana, Thomi Feraandes Madeira de Castro.
A pessoa ou pessoas que ltimamente
pelo vapor l'araensee barca .-Salvador di-
rigiram a Joflo Antonio llarboza de Olivei-
ra, ItaymundoJos Rabel lo e Joflo Ca los
Dainaceno, no Far, um mago de impressos
e papis de msica, queirain dirigir-so a
esta adminstragao para dssolver a duvida
que houvo nessas remessas, sem'o que lu-
do deixar de ser all entregue a quem se
dirigi. Correio de Pernambuco, 15 de
outubro de 1849. O administrador, An-
llllie. 1/1.. / n .> J_ ** -- *
-- llichard Itoyle far leilflo, por interveu-
gflo do corretor (lliveira, deum sorlmen-
to geral de fiizendas inglezas, asmis pru-
nas do mercado: segunda-feira, 22 do
corrente, s 10 horas da manhfla em ponto,
no sen armazem, rua da Cadeia do Itecife.
Joflo Keller& C. farflo leilflo, por in-
tervengan do corretor Oliveira, de um com-
pleto sortiment de fazendas, todas pro-
priasdo mercado : terga-feira, 23 do cr-
lenle, s 10 horas da manhfla, no scu ar-
,iriiia/ein da rua da Cruz.
Avisos diversos.
Obeneliriado dodia 21, uflo consideran-
do anda o seu espectculo sulllcif lilemen-
te entunado, e querendo aprsenla lo de
minera que satisfaga o desojo do Ilumi-
nado publico desta cidade, se v obrigado a
muda-lo para o dia 28 do mesmo mez im-
prelerivelmenle.
Os verdadeirdj a-
preciaveis charutos de
Ha va na esto a ven a na
rua \;\ Cruz, u SI, arma-
zfjn de J. O. Elsfer.
Frecisa-se alugsr um sobrado do um
andar no bairro de Sinlo-Autonio, prefe-
rindo-se as ras Direila c do l.ivranient",
pateos do Carino, de San-I'edro, da Fenba e
rua do mesmo nome : na rua Direila, ven-
da n. 23.
Aluga-go um grande armazem com ser-
venta para a mire pequea, e porto de
embarque e desembarque: na rua da Sen-
zalla, n. 42, a tratar cotn S. J. Jobnston &
Companhia.
Ionio os Comes do Correio.
Avisos martimos.
l'ara o llio-de-Janeiro propfle-ae a se-
guir breve o brigue Uom-Flm, oqualreco-
hc carga afrete, escravose lem bous com-
modos para passageiros: quem pretender
no mesmo carregar, pJe entcnJer-se com
| DEPOSITO GEMAL
^ do superior rap reia-ortla S
(i lia fabrica de Gantois Pai-, )
^ Ihet&c Companhia, na Ba-
* hia. #.
0 Homingos Alves Milheus, agente da 91
; fabricado rap .superior arcia prela #
e ineio grosso da Babia, tem iberio o 4
seu deposito na rua Cruz, no Itecife 4J
n. 52, primeiro andar, mide se achara -4
sempre deste excel lente e mais acre-
# dilsdo npejue at o presente se tem A
14 fabricado no Brasil: vende-se em bo- #
#>| tos de urna emeia libra, por prego A)
i$ mais coinmodo do que emoutra qual-#^
quer parte. 4
i
f
"-Aluga-sea luja do sobrado da travessr^.i,
do Queimado, n. 1, propria pira qualquer'
eslabclecimcnlo: a tratar na tenia junto -i
a mesma loja.
A Sra Joaquina Rodrigues dos Sanlns,
moradora nis iltrcuranus, queira mandar
os consignatarios Amo rimlnnflos, na rua pagar a quantia de 17,380 ra. na ruado
da Cadeia do Recife, n. 39. | Crespo, n. 10.
?


Precisa-so de um prelo p.ra faz."*
I servigo Jo ums casa estrangeira : nolcr-
I ro-da-Hoa-Vista, n. 16
.-Precisa-so de urna ama para o orvic^i
I ntcrno de umt casa : na ra du tangel,
I ii- *-
..A pessoa que perdeu um cairele .no
I paleo de palacio do governo, dan/o os sg
I naes, Ihe ser entregue na lvrara ns. 6e8
mJ i praca (l'' Independencia.
W .. i). Catharinha do Montc-9iny embar-
ra para o Bio de-Janeiro a .ua escrava
I crioula de nomel.ourenga.
.-J0.I0 Pretxtalo da'Sil Vieira, Bra-
I sileiro, vai s provincias do rorte.
_. Deseja-se saber a morola 4o Snr. Ila-
I noel Figuciredo que teve nda na ra Di-
I reita;e, por no se saber ie sua residencia,
I rcs-se-lho o favor de dlrigir-se atrs da.
I matriz da Boa-Vista, sobrado do utn andar
I ti H. aflm de se tratar icgoci.
Carlos Evaristo Felx da Costa retira-se
I desta provincia para t do Rio-Crande-do-
\lupa-so urna Ixnila casa, sita no Po-
I Qo-da-Panella, ao f do rioe junto asla-
Ivaderss, rectifica" de prximo: a tratar
I na ra do Vigario, n. 7.
Deseja-se faltar aos Srs Theolilo de
I Souza Jardim, Miguel AlTonso Ferreira, Ma-
I noel Marques da Costa Soares, Jos, lerro-
I ra Silva, Jos Martins Pereira, Domingos
I Alves Barboza, Barlholomeo Roulim e o ro-
Iveiendo padre l.uiz Jos da Silva ou alguem
I por elle : na ru do ViRario, n. 7.
Perdeu-se, em Olinda, na noile de 7 do
I corrento, por occasiflo da Testa qn? se fez un
ligrejadeS. SebastiSo, um brinco de ouro
I niin 3 diamantes: quem o tiver ochado.
Iquerendoenlrega-lo, podo faze-lo na ven-
ida do Varadouro, n. 20, que ser gratii-
I cu Jo.
-Arrenda-se urna grande campia de-
Inominadasiljodo Lucas ou Enfurcado, na
|e>tra,.|a nova do Caxang, propria para pas-
|tagetn de gado, rancho, ou para qualquer
11:1.1111 i <.- n o : t tratar na ra do Vigario, n. 7,
I primeiro andar.
O abaixo assignado, tendosido consti-
tuido por suas irmilas, Francisca, Joaquina,
Piara e Anglica, bastante procurador, em
[ palito durava o inventario e parllhas dos
f l>.ns do tinado padre Flix Jos de Araujo,
leudo sido j fetas e julgadas a* parlilhas,
e acabadas todas as queslues a esto respei-
lo, nao lie m lis procurador das ditas suas
lirinSas: e, para que isso conste, fazo pr-
nsenle annuncio, declarando que a dita pro-
curado original est no cartorio das appcl-
IncOes, escrivo Poslhumo.
Luis ieronymo de klbuquerque.
Em resposta ao anuneio publicado no
Diario de l'ernambuco n. 232, na persuasilo
de que os bens que os herdeiros do coronel
Soulo pn tendem vender silo parte dos que
se iiMitilharam por fallecimento do capitlo-
mr Antonio Jos de Sonto, sitos em Iietie-
ribe, previne-se a quem os pretender com-
prar que um coherdeiro de urna parte con-
sidcavel dcstes bens lem o incontesUvel
diiclo de auullar as partidlas queso llze-
ram durante a sua ausencia na Europa, por
uno ter solo nellas considerado como tal,
depois de ler obtido sentenca na relagiio re-
visora do llio-de-Janefro( sem divergen-
cia do um voto ) que ronfirmou a compra
que dclla lizera, corno mellior podara in-
formar o Sr. advogado Jos da Silva f.ui-
maraes, observando quo o mesmo coher-
deiro est resolvido a traspassar o seu di-
reito a quem revendicar o quo Ihe pertence.
Roga-scao Sr. Antonio Jos de Olivei-
raqne venha pagar o importe de urna let-
tra de 131,660 rs., pois quo j ho bastante
o tempo que 66 lem esperado depois do
venc ment.
Quem precisar do urna ama de leito,
dirija-se rua da Senzalla-Velha, n. 134,
primeiro andar.
(jueni quizer doce de limito dirija-se
ao rccolhimenlo da Conceigilo, em (Unida,
que se vendo al a porefio do qualro arro-
bas.
Quem tiver para alugar um moleque
ou escravo para o servigo interno e externo
de un a casa de ponen familia, dirija-so
ra do Torres, no quarlo andar da casa do
Sr. Joo Pinto de Lemus, para se tratar do
seu ajoste mensal.
Arreadam-so 2 casas asseiadas, com
rommodos, grande estribara e cncheira, na
trivessa que do fim da estrada do Arraial
vui a Casa-Korto : a tratar coin o lente
Moura, no mesmo lugar.
50^000 de gratifieaeao.
1' tigio, no dia 6 do crtenle, da
casa n. io da ra da Alfandega-
Vclha, pela segunda vez, (leudo
ingiri no dia 11 do passado inez
(le setemliro e vo'tado ) um pard >
rcabovlado, do nome Antonio, de
8a lennos, de bonita figura,
cor clara, cabellos compridos e an-
udados, pernas utn pouco arquea-
das lem o andar um tanto pesa-
do falla as vezes precipitado ; be
provavcl que se inculque por for-
to j levou camisa de madapoloeu-
corpado de feitio estrangeiro, com
a marca F Q, calcas de algodo -
zinlio azul, sostiJas por urna cor-
tela euvernizada, chapeo de seda
preto. Ksle esrravo pertenec) on-
i'ora a Ignacio Comes da Silva,
le Pedras-de-Fogo. Quem o pe-
gar, leve-o a dita casa, que rece-
ei a gratifieaeao cima.
Preciaa-se de um caixeiro que tenha
pralica de venda: na J.ingola, n. 1.
Iiesappareceu, nodia 17 do corrente ,
na Boa-Vibta, um cachoninho bstanle no-
vo, de eflr parda, com algumas malhas mus
Wcuras ; lem a cauda e as orelhas cortadas,
e lie muito esperto :e como se suppOe per-
dido, por isso rog-se a quem o pegar de
Mevar a ra da Cruz, n. 18, lerceiro andar,
e ser recompensa lo.
'- A casa da afericilo he na ra da As-
"umpQfio, n. 4, confronte ao muro do quin-
'al da igreja da Penha.
Precisa-se de um caixeiro de 15 a 18
pnos para yenda; em Fra-de-Porlas,
n. 145.
(&
, Ao publico.
Serafim da Silva Ramos, meslre alfaiate,
da luja na ra Nova, n- 14, previne ao res-
peiUvel publico, e em particular aos seus
freguezes, quesempreo chanto promplo
para os servir em toda e qualquer obra com
muito asseio e'promptidSo ; uem como que
tem um rico sortimenlo de fazendes e obras
fcitas de todas as qualidades.
Aluga-se a sala, alcovae dous quartos
da frente do primeiro andar da casa da ra
do Queimado, n. 32: a tratar na loja do
mes (o sobrado.
~ Ni da 23 do corrente, pelas 4 horas da
tarde, na praQa do juizo do civel da primei-
r.i vara, na ra da Praia, (em de se arrema-
tar um mulatinbo, avahado em 250,000 rs.,
por oxccuco de D- Catharina Francisca do
Espirito Santo contra Joaquiui de Aluuquer-
quo Fernaudes Cama : escrivSo Cuuha.
Negocia-se orna bynolbeca,
passada pelo finado Joo Ignacio
Hibeiro Homa e sua mulln-r, do
seu sitio do Barbullid, e parte da
beranca do engenbo Apipucos,
importando em 6;q?o,ooo rs. : a
tratar no Aterro-da-Ba-Vista, n-
63, primeiro andar.
Faz-sc cxcellenle gel de mfio de vac-
ca : na ra da Unin, junto oo lampoo.
Aluga-se urna boa casa terrea com
commodos para grande familia, no Poqo-
da-Panella : bein como um sobradinho em
Olinda, na ra do Bom-Fim : a tratar cou<
Manocl daSiiva Ncves, em Fra-de-Portas
Quem annuncou, no Diario de 17 do
correle, precisar alugar una barcada que
carregue20a 30 caixas, dirij-a-se rna lar-
ga de Itozario, n. 18, que alii achara urna
prompta a seguir para qualquer parle que
Ihe convicr.
Ufa noel Duarte do
Paria, dooorem medici-
na pela nnivtisidade de
Edimburgo, aelia-se ies-
dindo na rila do Qneima-
do, ii. 10, primeiro andar :
as pessoas que de se
prtstimo seqnizeiein nti-
lis.ir o |;dem procwiar a
qualquer hora, que sem-
pre o acharan promplo :
tambem se offerecea pres
tararatuitameitie aos po-
bres os soceprros do sua
arte, das 8 alfas 11 horas
da man lia.
Aluga-se urna ama para lodo o servic.o
de urna casa de pouca familia : paga-se
bem : na ra de Agoas-Verdes, n. 86, pri-
meiro andur.
Chapeos de sol.
Rua do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presen teme ule u* rico
e completo sorlimenlo de chapeos Je sol,
tanto do seda como de panninho; ditos
muito ricos de gros de Naples adamasca-
dos, com ricas franjas e da ulma moda de
Paris, para senhora, os quaes vendem-se
em porgan e a retalho, pelo prego mais di-
minuto possivel. Na mesma fabrica ha igual
sortimenlo de sedase panninbos para co-
brirem-se arma^Oos servidas, concorta-se
qualquer chapeo de astea de ferro ou de
haleia o tambem umbellas com toda a bre-
vidade e prreo commodo.
9 I
g Bixas. |
Va praca da Indpen-o
denca, n. 10,
q ao voltar para a rua das Cruzes, alu- ~-.
A gam-se o vendem-se bixas de llam- *!
$
burgo : tambem vo-se applicar pa- X
ra commodidaJe dos freguezes; ti- ''
ram-se denles, sangra-ve e appli- >3
cain-sc ventosas: tudo por prego O
commodo. O
-- l>eseja-se saber onde mora a sonhora
I). Aun i Bita dos Sanios Coelho Jnior, an-
da ha pouco tempo moradora na rua das La-
rangeias, para se Ihe entregar urna carta
com urna encom.'nenda viuda do l'ar : an-
nuncle sua morada.
Aluga-se urna boa casa, concertada e
pintada de novo, em Oliii.l,:. na rua do Am-
paro, n. 31 : a tratar na rua da Cadeia do
llecife, n 52.
OfTerece- so um rapaz brasileiro quo sa-
be, ler, cscrever e contar, para algum es
criptorio : quem de seu preslimo se quizer
ulilisarannuncie.
AUcneao.
O abaixo assignado, nlllnial de cor'ieiro,
arha-:.u trabalhando na rua Dircita loja de
selleiro, n. 51, onde se prope a fazer in-
icios para 1,2 o 4cavallos, e outras muilas
obras tendentes a sua arle, ludo por prego
commodo e com a maior promplidilo pos-
sivel : os pretendentes pdem dirigir-se a
mencionada loja, que ahi acliarBo q mesmo
abaixo assignado, sempre disposto a con-
tentar os freguezes.
Francitca Xavier Carneiro.
Casa de modas francezas
Buessard Millochau.
Rna do Aterro-da Boa-
Vista, loja ii. J.
Becebou-se pelo ultimo navio do Havre
um grande sortimonto de chapeos de seda
de todas as cores para senhora ; manteletes
o capotinhos de seda e de lil ; uvas de pel-
lica para homem ejsenhora ; luvas d rede
.para senhora ; bonetes e chapeos de mon-
tara ; cambraias bordadas ; cambraias de
linho muito lina; ricas filas; um grande
sortimenlo debicos braiicos e pretos; lo-
res para ciiapos do senlfora e enfeites de
vestidos; camisinhas e pescorinhos bor-
dados ; un grande soi lmenlo de bicos de
blond ; luvas eompridas para r trancas, franjase fitas do-vellu lo para or-
nar vestidos. Na-mesilla osa so fazern con -
tinuadamenle chapos e loucas de senhora,
vestidos de baile, casamento e de montana,
Dor prego comino lo, e da ultima moda.
fe I
6? Antonio Carlos Pereira d Burgos :)
9 Punce de Len faz scieulo a que|i .:/
* convicr que, tendo do retirajr-se des *
? la nraca, lica encarregado, ido sous (*
# negocios o seu correspondente, oSr. #
) Lino los do Castro Araujo, com es- ?
A criptorio nn praga do ComaieMo,
n.2. 9
-, W
iaSD^^assasaa-aita*
Deniz, alfaiate francez imidou o sen
estabeleciment para o Aterro-da-Boa-Vis-
ta n. 38 aonde os seus freguezes o aclia-
r8o promplo para o seu servico
Quem annuncou querer hypolheca r
um silio por 1:500,000 rs., dirija-so loja
de marceneiro, na rua Direita, n. 36.
Para as pessoas que tcn-
ciouam seguir viagem.
No paleo de S.-Pedro casa terrea n. 8,
tiram-se passaportes para dentro e fura do
imperio, correm-se folhaso despacham-se
escravos e para este fim tai.-.bem pde-se
procurar na praga da Independencia livia-
na ns. 6 e 8.
Segunda-fera 15 do corrento, ao sabir
do Hotel-Francisco, i erdeu-se um par de
neulos do aros de ouro : quem o livor adia-
do far guinde favor de cntiega-lo no mes-
mo Hotel onde receber a duvida recom-
pensa.
Proprios para presente.
Aventuras de '/eleinaco,

<
0 consultorio homceopalico est 4
f. aherlo todos osdias desde s9 horas <$
V da mandila at s 3 da tardo. .No mes- J>
^ mo consultorio recebem-s> doentes -)
> para se tratar homoeopaticamente a )
(@ 2,000 rs. por dia, ea 3.000 rs. que- m
SJ rendo um quarlo particular : na la y
|S da Cadeia de Santo-Antonio, n. 32. |
i ~
Aluga-se, pelo lompo de festa, um gran-
de sitio na estrada do Montero, rom boa
casa de vivenda, cozinha lina, estribara ,
cncheira muitos arvoredos de fructn e
muito porto do banho: a tratar na rua No-
va ii. 5A primeiro andar.
O Sr. Ezequiel de Souza Cavalcante,
meslre dedanca, queira dirigir-se i livra-
ria, ns. 6 e 8, da praca da Independencia.
Um rapaz brasileiro, solteiro e de boa
conducta, se nfTercce para caixeiro de loja
de fazendai. ferragens, miudezas, venda ,
padaria e mesmo para feilor do nlgum silio
perdida cidade : quem o pretender, dni-
ja-s rua csiicila do Itozario, n. 5, tasa de
Jos Anacleto, ou annuncie.
Na rua Nova, loja n. 58, se dir quem
ddinheiroa premio ms quantins do 200,
300 e 400,000 rs. com hy, otlicc i om rasas
terreas.
l'recisa-se de ums preta
boa vendedeira de doce: na tita
do Trapiche, n. 44-
Quem annuncou querer hypothecar
um sobrado de dous andares em boa rua,
dirija-se rua estreitado Itozario, n. 43,
segundo andar, c>uesedira quem faz este
negocio.
Compras.
Compra-se, para fra da provincia,
urna escrava moga, e de lionila figura, que
atiba cortar e fazer urna camisa do ho-
mem e engommar, tudo islo com pcrfeico:
nao se olha a prego: na rua das l.aran-
geiras, n. 14, segundo andar.
Compra-se urna espada do roca e com
tal i n i : quem liverannuncie.
Compram-so saccas vasias do arroz do
Maranhfio, em bom estado : ni rua do Itan-
gel, venda n. 8.
Compram-se diarios para embrulho, a
3,500 rs. a arroba : defronlo do quartel de
polica, fabrici de cigarros, n. 17.
Vendas.
Lotera do Ilio-dc-Ja-
nciro
Aos -20:000,000 de ri*.
Na praga da Independencia, n. 4, vendem-
se blhetes, meos, quartos, oitavose vige-
simosda 11. lotera a beneficio do thea-
tro do Niclheroy ; bem como um resto de
brdeles da 20 lotera do monto po. Na
mesma loja mostram-se as listas das lote-
ras passadas.
Obras de ouro.
Vende-seum alfinete de brilhantes, um
par do brincos rom alguns brilhantes, urna
medalha com diamante, um lago do lilagra-
iia, um annel com dous diamantes, um hu-
zio encastoado para pescogo de menino : na
rua do Crespo, loja n. 12.
Lo t-ra do Hio-de-
Jaueiro.
Aos 20:000,000 de res.
Na rua do Queimado, loja de miudezas,
n.25, vendem-se bilheles da lotera do
theatro de Niclheroy, pelo prego abaixo
declarado
Bilheles
Meios
Quartos
Oilavos
Vigsimos
21,000
10,500
5,200
2,600
1,200
A bordo do brigue ero, fundeado na
volta do Fortc-do-llallos, vende-se sal do
Assu, bem grosso e claro, ruja amostra se
podor ver no armaz.em de Das Ferreira, ao
p da alfandega : a tratar com Leopoldo Jo-
s da Costa Araujo.
Vende-se, ou aluga-se urna casa sita
no Caxang, com 3 quartos, sala adianto c
atrs, cozinha fra com fogHo inglez o Tor-
no, um quarlo no oitOo dependente da
casa, estribara para dous cavallos, e quin-
tal com arvoredow no Aterro-dos-Afogados,
defrondedos Coellios, n. 151.
em
francez, rica encadernarao e'in ver-
dadeiro marro(juiin, com estam-
pas, i pequeos voluntes, por
6'ooo.
Fbulas de Lafonlaine, cm
francez, riquissima edirao Ilustra-
da, encllenles gravuras, a volu-
mes, por 8sooo.
Arma de Geierstein, ou a Dou-
zella do Nevoeiro* um dos mais
lindos romances le \Vallcr Seott,
ttadtizido eu. porttiguez por A. iia-'
mallo, de Lisboa : l\ volutnes, por
Gsooo.
Vemle-secada umadeslas obras
separdamenle, na rua do Hozara
larga, loja de J. J. Lody.
Vendem-se ombraias do bonitos pa-
drees, com 10 covados cada corle : na ru
do l'asscio, loja n. 17.
Atlenco.
Na rua Nova, n. 14, loja do alfaiate, odia-
se um completo sortimenlo de obras fcitas
do todas as qualidades ; hem como um ri-
qusimo sortimenlo de fnzen las, como se-
jam : panno lino preto milito superior; di-
to de todas as cores ; corles de casimira de
superior qualidade; setim macan muito
superior; merino preto lino; ricos edites
de colleles j e outras muitas fazendas por
prego commodo.
--Os diversos systomas mdicos do llip-
pocalcs.llnnmaiin, Uncirn, Snchez, Brus-
sais, Orilla, Raspadle o outros, os quaes
quasi todos divergem no mettiodo do cu-
rar, nada disseram a respeito do medica-
mento que ha va para vista curta ou cansa-
da, antes pelo contrario, nproveitanilo-se
la descoberta de Alexandre Sptna os dessa
Vendem-sablese oafolelrai de metal,
Ipadres os mais inodernis, assiui como
machinas para fazer cafo : na rua Nova, loja
d* ferragens, n. 16, do Jos Luiz Pereira.
Vovo sortimenlo de fa-
z^das baratas, na rua
do Crcsno, n. 0: ao p
do lampean.
Vendem-se cortes de cassa franeeza colh
10 covados a 2,560 rs. ; pegas do eambraii
de quadros com 8varas a 2,720 rs.; cassa
preta para luto, a 110 rs. o covado ; zuartu
com 4 palmos do largura a 200 rs. o cova-
do ; riscado monslro a 220 rs. o covado ;
chilasdo coros (isas a ttiOolSO rs.; Cha-
les de Urluliiua, a 500, 800 o 1,000 rs. do
muito hom gosto ; cortes de hrim de puro
lindo, a 1,280. 1.500 0 1,600 rs. ; Chapeos
de massa a 1,600 rs. ;ditos de seda, a 640
e 480 rs. ; cobertores do algodOo america-
no, a 610 rs. ; picote muito encorpado, a
180 rs. o covado ; pegas do madapolfio mul-
to fino e com pintas de mofo, a 3,600 rs.
Veade-se manteiga ingleza, muito su-
perior, a 010 rs. a libra: no Aterro-da-B.a-
Vsta, venda pegada a loja do F.stima, n. 54.
- Vendcin-se saces com mlho de mui-
to superior qualidade, por prego commodo:
na rua do Codorniz, n. 8.
Velas de carnauba.
Vendem-se, s em caixas, as superio-
res velas de carnauba, a imitago de esper-
maceti!; couiinhos mudos; barricas com
sapatOes ; sacca com feijilo ; sola ; peonas
do orna : na rua da Cruz, no llecife, n. 24.
No ai nia/.em d>-sal, vende-se um bo-
nito esrravo crioulo, de 18 anuos, por pre-
go commodo.
BSteifas, chapeos, sana-
tos' e pelmas, de enia.
viudos do Aracaty.
Vcndcm-sc os gneros cima em
gratules c pequeas poicocs, por
67s"podo~cd^ commodo: no Forte-do-
nariz, fram ramnhaii lo com o pr.ogrosso! Mallos, rua (oAmoriui, armazom
quelheolTereclam as ciencias medicas ej A j yjj | ^ r0mpnhia.
anatmicas : do exposto conclui-se que I .
quem soltro dessa molestia que ordinaria- \ende-so l.nm de linho azul de qu
mente chega com a iilade compre oculos
propriadoa a falta de vista que soffrein, os
quaes se ven lem baratnhos na rua larga do
Itozario, n. 35.
I .
Vendem-se ptimas bixas |
l de Hamburgo, das mclliorcs :;
f| que ba no mercado, nssim fe
| como tambem.se altigim, por ^
,j preco commodo : na travs- S
sa da rua do Vigario, loja de jji
T '
i:
I
barbeiro, n.
Vendem-se 6 escravos muito tmns pura
todo o servico de campo o da praga ; 3 mo- | (lslro -, seril
leques de l i anuos ; 2 ditos de 16 anuos ; 2 '
i:tosVe20 anuos: todos ilo bonilas lisu-
ras: nal na do Collcgio, n. 21, primeiro
andar, se dir quom ven lo.
Camisas fraucezas.
Na roa Nova, n. 14, loja de alfaiate. lia
chegado um rico sorlimenta de camisas
brancas e de riscado, vin las do Itio-de-Ja-
neiro.
Aos OrOOO^OOO rs.
I.OTF.BIA B(l niO-DK-JANKIBO,
20.V/0 Uone-Pioeii.' do Ihealro d
Niclheroy.
Lista dos premios chogar no primeiro
vapor.
na loja de Itaymundo Carlos
do Queimado, canto da do
Vendem-se
Leito, na rui
Collegio :
Bilhele
inteiro 21/000
me i o 10/500
a q uarto 5/200
OiUVO 2j00
n vigosillio t#200
~ Vende-so urna rica carteir.i com duas
faces, anda nova, propria para escriptoro,
e seis granitos quadros com estampas, tudo
por pouco dinheiro : na rua do llosario lar-
ga, n. 8. .
--Vende-so o superior rap denominado
lefio Paulo Cor Iciro por preco commodo, e
caixus de capsulas de balsamo decopaiba
puro e liquido, e com cubehas egoinma
kinna : na rua da Scnzalla-Nova.'.n. 40, pri-
meiro andar.
Vendem-so por prego commodo os se-
guidles letrados: I). Podio I. I). Pedro II. ,
I). Joflo VI., I). Alaria II. I). Jannai ia, a nao
Vasco da Cama eo peridico Unifio, al o
n. 150: na praca da Inpepcn.lencia, loja de
ourves, n. 25.
Aos apreciadores de bons charutos
No boliquim junto ao theatro vendem-se
os verdadeiros chaiutos de Sau-Felix da fa-
brica do Brandan, chego.tos recente nenio
da Babia, os quaes sao mu superiores; e
alaiga-se tanto a boa qualidade, que se re-
cbelo nao agradando ao comprador.
Vendem-so dous candelabros muito ri-
cos e modernos; um biago de lialauga novo
quo cuslou 24,000 rs. por 11,000 rs., o um
sellim francez com freo.tudo em bom esta-
do por 12,000 rs.: na rua do Bosario larga,
n. 8.
Vende-se, ou permuta-so por escravos
de ambos os sexos, mais de melado de um
sobrado de 2 andares, silo no principio da
rua do Borlas, com portilo para a rua de S.-
Thrreza, com bastante commodos o hem
construido avaliado em 6 000,000 de res :
na rua Nova, n. 67.
-- Vendem-se nielas barricas de nova e
muito superior farinha de trigo : na rua da
Cadeia do Becfe, escriptoro de Deane Vou-
lo &Companl*a, ou no primeiro arinszcm
do becco do Congalves.
-Vendem-se bustos do gesso represen-
tando muito fielmente a rainh" Victoria e
o principe Alberto; relogies de ouro e de
prala, chegados ltimamente da Suissa.
Kstcs relogios que 8o muito bem acafia-
do9, se tornan muito recommendaveis a
qualquer particular, o adverJe-Se que ha
entre ellos alpmis que andmrvoUo das sem
precisarem de cord r na ruftda Cruz, no
llecife. n. 55.
dios mludlnhos, proprio para roupa de me-
ninos, a 160 rs. 0 cova lo ; dito a 360 rs. :
na rua do l'asscio, loja n. 17.
Vende-so um piano velho, por prego
commodo : na rua da Moda, n. 11.
-- Vende-so a padaria defronle da igreja
da Solo la le : a tratar na mesma padaria
Vende-se, por se no precisar, urna ri-
ca o ptima niocmla toda do ferro o nova ,
a qual cuslou 1:850,000 rs., e da-se per
muito menos de seu valor, pela grande pre-
ClSfiO de dinheiro : em Olinda, rua de Ma-
thias-Ferreira, n. 45, ou nesta lypographia.
Calcado.
Vendem-se sapatOes de couro de lustro
pura homem, de 4 a 8,000 rs.; borzeguins
de Nantes, a 8,000 rs. ; ditos italianos, a 4^
rs.; sapiilOes debe/erro do Nantes.de su-
perior qualidade ; ditos ingloz.es ; ditos do
Aracstv, i 1.000 e 1,280 rs.; sapalos de
a 2,210 o 2,560
,; ditos d marro |uim preto o do cores,
a 1,600 rs. ; ditos do duraqiic de Lisboa, a
1,000 rs.; pelles do couro do lustro do boa
qualidade, francez o hamhurguez ; mar-
roquim sortido, a 1,920 rs. a pello i na pra-
ga da Independencia, ns. 13 e 15, loja do
Arantes.
Vende-se um escravo mogo, do bonita
figura, por prego commodo : na rua do Ca-
IlllL'H, II. 3. .
Sal do Ass.
Vende se sal do Ass a bordo
do brigue-escuna Oli/ida, Tundea-
do na volta do Fot te-do Mallos :
a tratar com 0 capitiio a bordo, ou
com Machado & l'inhciro, na rua
do Vigario, ii. it), segundo andar.
20:000,000.
Vendem-se bilhet s e meios bilheles da
deeima-prmeira lotera ordinaria a bene-
ficio do theatro da imperial cidade de Nic-
lheroy do Itio-de-Janeiro : no becco da
Congregaglo, n. 41, loja de fazendas.
Vendem-se luvas de rede de
lorcal de seda, brancas e p.retas,
da ultima moda : na rua da Cadeia,
n. 15.
Vcndcm-sc duas bonitas nogrinhas ,
proprias para mucamas ; um prelo do An-
gola, c mais alguns escravos: na rua da
Cadeia do Becife, n. 39.
-- Vendem-se dous niolequcs, um cozi-
nha o diario de urna casa, e outro ho ofll-
cial de alfaiate e proprio para pageni: na
rua da Cadeia do Becife, n. 39.
No Atcrro-da-Boa-Vista, defron-
te da boneca,
sito chegados os muito desejados sapatos
de heznrro de Nantes, para homem ; bem
como um completo sortimenlo de calgado
de Indas as qualidades, tanto para homem
como para senhora e meninas : tudo por
picgo commodo.
Vt ndem-se escravos boratos,
na rua da? Larangeiras, n. ^.se-
gundo andar, sendo : una parda,
de 28 annos, de muito boa con-
ducta, que engomma, coie e coii-
nha ; tres ditas, com habilidades ;
lies pelas mocas, de bonitas ligu-
raa; tres moleces, sendo um bom
cozinheiro ; dous moleques, de 14
annos ; tres pretos, ptimos para
todo o servico ; e mais alguns es-
cravos.
Sa loja de iMaia Ramos.&
Companhia, rua Nova, n. G, vB-
dem-se luvas de pellica muiftt fres-
cas e novas, tanto para homem
como para senhora, a 1,000 rs. o
par. HeBin como para meninos e
meninas a (i.'io rs. o dito.


Vendem-se sapalOesdecon-
i > de lustro feitos no pz, pelo
haratiwUno preco de 3,ooo, 4,000
- 'i,joois. 5 ditos para meninos,
n 2,oo> o a 2,5oo rs. ; ditos Orti-
cos do Aracaty para hoincm, a
1,000 e a I.200 rs. : na ra da
Cadefl do Recife, n. 9
Bncellas Wine,
of very superior quality-to l>o hid nt th
store of Sr. Din Ferreira
sq liare,
Cusiom lluusc
V.'la
as e aspe r mcete,
das m< Ihorc- que tecm vinilo a osle oterca-
1I0 : vendem-seem caixasile di libras, em
casa ilelllcardbKoyle, Da rua Ja Cadeia-
Vclha, n. a'J.
Na rua da Cruz, arrnazem n. 33, deS
Araujo, vender cal de Lisboa, 001 birria
de i arrobas viola pelo brgue AWo-Pcn-
leiior, porprego commodor ; bem como fci-
jHo em sapeas, multo bom, liranco e de
"litras qualidades, chegado do Aracaly, por
prego em canta j assim como sol; couros
miudos; saplose caixas para rape do lo-
dosos la manhos.
A 3,000 rs.
Ven le.m-se n. limas manas de seda para
'.'iilinia ,33,000 rs. j na rua do Crespo, n.
II, luja de Antonio l.uiz dos Santis & Coni-
pa nbia.
-- Vende-sc una luja de fazendas coni
mnilo poucos fundos, e bonita armagflo de
vinliatico i na rua do Passeio, n. i".
Lapis d<; desenlio de cores,
sen lo azul, blanco, encarnado, amanillo,
verde a de entras muitas carea vende-se
ni pateo do Collrgio, n. c, loja de livros do
Sr. Dourado.
A J.iGOrs. o corle de
vestido.
Vendem-se riscados escocezes com 4 pal-
mos de largura e de cores lixas, a oilo pa-
tacas o corte: na rua do Qutimado, loja
n 8.
Vende-se metade ^le uma casa lerrea,
sila no paleo de San-Jos, na esquina que
volt paia Santa-Hila, un famoso local
para nina vend, por commodo preco ; a
fallar na travessa da rua da Concordia, n.
5, sobrado de um andar.
Vende-sc mu liom cabriole!
.'om excellenle cavallo 011 sem el-
le, por preco limito commodo: na
rtia da Auroro, 11. 5(1, primeiro
andar.
Vondem-se 2 mesas de ineio de sala,
dousjugos do bancas, G dulcirs, um ciin-
uap : indo de Jacaranda e rom algum uso ;
bem como diversos trastea de pao d'oleo 110-
VOS por preco commodo : na rua da Ca-
deia deS -Antonio, 11. 18.
A cHa, freguezes, antes
que 80 acabe.
Joan Tavares Cordeiro, no caes da Alfan-
dega, c na rua do Vigario, n. K, vende
larinha de Philadelphia e Ka I ti moer, muio
superior, por preco muito em cunta, para
liquidar.
Aviso importante.
Beneficio pnldico.
O armazn antigo da rua da Madre-de-
Heos, 11. 3t, esta de novo eslabelecido de-
baixo das meamos cnndigfies, otl'creccndo
a delicila pinga do vfnho da Pigueira pe-
lo limitado proco >Je 180 rs. a garrafa,
Kommadoir e rozinheira, a qual se vende
paroomatlo:na ruado Collegio, n. 21,
nrimeiro andar, se dir qoem vendo.
A os 20:OOD,?0O0 de ris.
Vendem-so bilbnteso meios ditos da* 11.a
lotera ordinaria a beneficio do tboalro da
imperial cdado-dn Nictheroy do Rio-de-
Janeiro : no Aterro-da-lioa-Vista, loja de
sapalos, n. 78.
Vendem-so 3 escravos : um mulalinho
muito bonitinbo para pagom, de idade do
8 annos ; urna negra com cra, c com mui-
to bom leile ;outra osnrava muito bonita,
de naglo, pira o servigo do campo : quem
pretender, dirija-se rua do l.ivramcnlo,
n. 4, que se dir quem vendo.
Vendem-se espillas praleadas para os
oilielncs da guarda nacional: na rua Nova,
n. 10.
Novo trem de co/Jtilia.
Vendem-se panellas, cbaloiras, frigdei-
ras e escarolas de ferro, forradas de louca :
na rua Nova, loja de ferragens, n. 16, de
Jos l.uiz Percha.
Vende-sc nina mulalinlia de 15 annos,
rom boa ligura e qualidades para mucama:
no becco do Sarapalel, sobrado n. 12.
Cal virgen.
Cunta & Amorim, na rua Cadeia do Re-
cife, n. 50, vendea cal virgem de Lisboa,
ile superior qnalidade, por prego mais ba-
rato do que 001 outra qualquer parle.
Novo melhotlo pralico e
ilicnrico da llosoa Irn-
ceza, por Luiz Antonio
v. por 6,
Burga in
Acaba de apparecer no Itio-de-Janero os-
la intercalante grammatica pela qual em
muilo pouco lempo o sem a fastidiosa la-
refa de esludar de cor veibos e significados,
se aprende a fallar, Iradu/.iro escrevercom
perfeicSo a lingos francczi.
Vende-sc aqui na praca do Commercio, n.
9, primeiro andar.
Ziiartes de fnrla-ercs a
200 rs. o covado e ris-
cado monslio a 2() rs.
Vende-so zuarte de furia-cores mnilo
enrorpado o com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muit) bom a 220 rs. o cova-
do : na rua do Crespo, loja da esquina que
volta parr a cadeia.
Alien cao !
\ 1,000 res.
Vendem-so cobertores de algodilo dobra-
dos ptimos tanto em qualidade como em
tamanho, rom 8 palmos do largura e 11
decomprimento, pelo barato preco de 1,000
rs. cada um : bem como um completo sor-
limento de fazendas novas o baratissimaa:
no arrnazem de fazendas de Itaymundo Car-
los l.eile, na rua do Queimado* n. 27.
!4
do que
no ar-
no caes
engenho.
di rua do Rrum,

US0h
1,300 rs. 11 ciliada, a de vinbobrnncudeL8-
hl por 220 rs a garrafa, e 1,000 rs. a Ca-
nad, a de vinbo de liordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o oaseo. Nao so idmlrent
os rreguezes do baixo preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, e slm da audacia do
piopriclario querer sustentar o antigo pre-
co, i'iiibora esl',' genero tenba subido o mc-
llior de 30,000 rs. por pipa. Kxamiucm os
amntela qualidade para reconbocimenlo
da verdade c coniiuuagiio da antiga freguc-
zia. Epara nfio haver usuras, cstao promp-
tas garrafas lacradas c com o competente
rotulo, nssim como barril do diversos la-
manhos para provlso do prximo Natal.
<) proprietario conla com a concurrencia;
do contrario, tornar.lo os procos do rela-
Iboa primitiva de 210 e 280 rs. a garrafa.
Vende-sc superior cera de
carnauba, em grandes e pequeas
poicoes : na rua da Cruz, 11. 24.
VENDK-SE una commenJa da ordem
deClirUtOl no palco do Terco, n. 1, se-
gundo andar.
Na rua larga do llozario, padaria n. 18,
vend m-se 200 barricas vasia que furam de
larinlia do Irigo, por monos do que em ou-
tra qualqoer parte, alim de se desoecupar o
lugar.
Cabo de latino patente
o mais novo que ha nu mercado! vende-sc
na rua da Cruz, no liecife, arrnazem 11. 13
Flele para bandeiras
de bonitas cores, e de escolente qualidade:
na r(i;i da Cruz, no Recite, arrnazem 11. 13.
Vende-se o armazom do largo da As-
scmblca, n 9,aonde leem prensa os Srs. An-
tonio Jos Peroira de Mondonga c Jos Cae-
tano de Medeiros; a datar com Tbomaz de
Aqiiino l-'niiseca Jnior, na iua do Vigario,
n. 19, primeiro andar.
Ka rua do Passeio, n. 5,
vendem-sc chapeos deso, de seda, para
bomem e senhora, ditos do panninho, em
porfo e a retalbo. Os freguezes acbarflo
urna dffereuga no preco, pela qualidade
superior, conslrurgies das armaees O cu-
res fixas dos ditos chapeos.
--Vende-se um cabrinha de 8 annos, mui-
lo esperto, e que serve bem a urna casa;
um pretodo 20 anuos, muilo forte, e por
isso plinio para todo o trabalbo ; urna pre-
ta de iO annos, de muito boa ligura, a qual
cngoeftnia, cose, cozinha, ludo muito bem
eiio, oque serve o melhor pussivel a um
casa ; urna dita de 25 annos, quo cozinlia,
o ordinario, lava o vende na rua ; urna dita
de 18 anuos, ptima para se acabarde edu-
car; urna dila de 35 anuos, muito boa en-'
Nesla loja vondem-se cortes de casi-
mira clstica, dos mais bonitos padres
quo teem appaiecido nesta praca a 6,500 e
7,000 rs ; lencos para grvalas, dos melho-
res (oslse linos em qualidade, a 1,500 c
2,000 rs. ; chilles de liia e seda de lindos
padres a 5, C e 7,000 rs. ; ditos mais po-J
quenas lodos de seda e muilo finos, a 6,000
rs. Vitos de cadilbo, a 480 rs. ; lencos da
iiiesina qualidade, a 120 rs.; merino pre-
lo de duas larguras, a 1,500 rs. ; dito mu-
lino a 2,000 rs ; corles do cambra a de
Corea lixas, a 2,0li0 rs. ; vestidos bordados,
francos e de cores a 2.000 rs ; cambrais
bi r.ladas.brancas e do cores,a 320 rs.; ditas
de dilierenlesqnaliilades a 240rs. a vara ;
cintas de bous pannos e de coros fixas, a
140 rs. o covado ; e nutras omits fazen-
das que pela qualidade e precos convidam.
Arroz do casca c millio
novo.
No arrnazem da Conceiefio, v-ndem-se suecas grandes
com arras de casca c n 11 lio novo, polo m-
dico prego de 3,000 rs. cada urna.
Vendem-so nonios do ver au longe,
proprios para llicatro, janellas, ou mesmo
por preco mais commodo
em onlra qnalqtier parte :
mazein de Dias Ferreira,
da Alfandega
Vonde-se, ou Iroca-so por urna escra-
va urna casa terrea de podra e cal, bem
construida, com duas salas, cozinh, 2
quartos o grande quintal com cacimba, si-
la no paleo da Paz, nos Alegados : na rua
doCaldeirciro, n 4*.
--Vendom-seamarras de ferro: na rua
la Sonzalla-.Nova, n. *2.
Taixas para
Na fundicio de ferro
acaba-so do receber um completo sortimen-
todo taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaos acham-so a venda por pre?o com-
nodo e com promptidlo embarcam-se,
ou carregam-seem carrossom despezas ao
comprador.
4es fumantes de bom osto.
No arrnazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlii, n. 66, ha para vender, chegados
polo ultimo vapor .vindo do sol, superio-
res charutos S.-Flix, e de oulras muitas
qualidades que se vendero mais barato do
qoe em oulra qualquer parte: bem como
ciparrilbos hespanhes ditos de pal lia de
milho, que scestSo vendendo pelodiminu-
lo proco de 500 rs. o cont.
Pos galvnicos para
p ratear.
Na rua do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuom objeclos
praloados e quo lenbam perdido a cor ar-
gntea, eslaudo por isso indecentes, ou inu-
tilisados, leem uestes pos um excellento
restaurador o conservador dos meamos
objeclos sempre como novos sendo o pro-
cesso para so usar delles o mais simples ,
nada mais do que esfregar com um panno
de linhomolliado em agoa fria e passado
nos mesmos pus.
Una caixiuba contendo quantidade suf-
liciente para pratear mais de 40 palmos
quadrados custa a mdica quanlia de
mil rs.
Vende-so um'cabriolet inglez muito
forle em ptimo oslado e pintado de novo:
na roeheira do Sr. Mounicr, no Aterro-da-
Uoa-Vists.
Mocndas superiores.
Na fundicHo de C. Slarr A Companbia ,
em S.-Amaro acham-se venda moendas
de canna, lodas de ferro, de um modelo e
eonslrucciio muito superior.
No rua do Crespo, loja da
esquina que volta para a S
Cadeia, vendem-se P
os acreditados lirins brancos de lis- *
tras, lisos e amarellos, a 1,500 rs. o 9
corte ; dilo muilo superior a 1,600 9
rs. todos do puro Mnho ; panno fino W
prcto eazul a 3,200 rs. o covado;
C difo muilo fiiperior, a 5,500 rs ; fus- 9
O lOes muilo bonitos a 640 rs. o cor-
# le; ditos do velludo muito ricos a
C 2,500 rs. ; pecas do cambraia de qua- *
?J dios de 8 varas e moia, a 2,720 rs. a
& peca ; cassas prelas muito bonitas *
W a 1,410 rs. o corle ; madapoISo enfes- (S
A lado muito fino, a 5,400 rs. a peca ; C<#
( corles de calcas de setinela de cor, t
( a 880 rs. ; ditos do castor, a 1,000 #
fcj rs. ; cbila azul para escravos, a 140 " rs. o covado ; picote muito cncorps- 4
i> do, a 180rs; plalilbas Jelinho, a 500
48$ rs. a vara ; esguiflo de linbo muito ti-
C>^ no e com 4 palmos e meio de largu- 4
S> i.i a 1,440 rs. a vara ; cortes de
& lo; ni de algodo, a 800 rs.; e ou- 4
1P tras muitas fazendas por presocom- #
m modo. ?
Arados de ferro.
?
f
i
4
f
limtlflMUHfiM
-- Vcndem-se 2 cabriolis inglczcs, em
niuilo bom estado com todos os aeus per-
le ucea por prego commodo : no Alerro-da-
Coa-Visla n. 52, cocheira de Luiz Jlonier.
Madapoles t nos a
3,600 rs. a peca.
Vendem-se madapoles (inos.com 21 jar-
das com um pequeo loque de mofo pe-
lo proco de 3,600 rs. a pega : na rua do Cres-
po, lujada esquina que volta para a ca-
deia.
~ Na rua cstreila do Rozario n. 43, se-
gundo andar, vende-se um escravo perito
olicial de sapatoiro o que he bem moco
par. sciborcs de engenho, quede suas ce.na>"vo por que se vende se dir ao com-
sas pdem com facillidaite conhecer, nffo, vli;.jp.ii.i,n.
so quem ven, como quem tr.b.lh. ou n.o i&fflZ^J&JSg:
as muilo ricas para capitio ; bem como
um habito esmaltado de Christo. *
A 900 rs. cada urna
vara.
Novo algodilo california com 8 palmos
do largura na rua uo Crespo, n. 5, loja
que faz esquina para a rua do Collegio,
vende-so o novo algodilo trancado pro-
prio para loalhas com 8 palmos de largu-
ra pelo barato prego de 900 rs. cada urna
no campo, por 3,00.0 rs cada um : esla del-
cubera foi devida ao acaso em 1609: na
rua larga do llozario, n. 35.
Pichinchas para
liqnidacao.
Vendem-so cortos de gorgurifo de seda
paro collolcs, a 1,600 o 2,000 rs., superior
fazenda ; ditos de velludo lavrado, a 1,600
is o corle ; casimira cor de vinbo com seis
palmos de largura, propria para paulse
jaqueles, pelo diminuto prego de 1,600 rs.
o covado; cortes de cassa para vestidos
com sete varas de cores lisas o de bonitos
ladrOes, a 2,000, 2,500 e 3,500' rs.; mantas
de seda, tanto para senhora com parame-
ninas, a 5,000 e 6,000 rs. : na ;rua do Cres-
po, ao p do arco do S -Antonio, n. S A
bem como casimira elstica preta, baslante
larga e superior, a 2,800 rs. o covado. '
Velas de cores.
Vendem-so, no armazom de molhados
atrs do Cog-po-Saoto, n 66, por prego com-
modo, velas do carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e aturarem mais que as de espermacele,
e nio fazerem morro. *
Vende-sc larinha de Srnta-
Calharipa, a jnellior que ha io
mercado e por preco commodo:
nos armazens de Dias Ferreira e
do'M ou rao, no caes da Alfandega
Vehde-se potassa superior;
vara.
Novos corles de cassa pa*
ra vestidos.
Vendem-so corles do cassa para vestidos
de cores lixas e de bonitos padrOes, a seto'
o oito patacas o corte ; chales de tsrlalana
grandes a 801) rs. ; meios ditos, a 500 rs.
na rua do Crespo, loja da esquina que vol-
la para a cadeia.
Fot ha de Flan tires.
Vcndem-se caxas com folha de Flandres:
na rua do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnnior.
Tecidos de algodao trau-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na rua da Cadeia, u. $<2.
vendem-se por atacado Iros qualidades
Na fundigno da Aurora em S.-Amaro ,
vcndem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
~ Vende-se superior cal virgem de Lis-
boa vinda pelo ultimo navio, por prego
mdico a tratar na rua do Vigario n. 19,
primoiro andar.
Chd brasileiro.
Vende-ie ch brasileiro no arrnazem de
molhados, afras do Corpo-Santo, n. 66, o
mais excellenle cha produzido em S.-Pau-
lo que lem viudo a este mercado, por
prego muito commodo.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodBo ameri-
cano, encorpados o grandes, a duas pata-
cas ; chitas escuras de hons padrOes e co-
res seguras, a meia palaca o covado: na
rua do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia..
AGFNCTA
da fundicao Low-lloor,
HUA DA SENZAIT.A-KOVA, N. l\1.
Neste estabelecimento conti-
na a haverum completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
Vendom-se relogos do ouro e prala,
palentes Inglezes : na rua da Senzalla-No-
va, n. 42.
Cortes de brlm de puro
Ifnho, a 1,280.
Vendem-so cortos do brim trangado
pardo de puro linbo, pelo diminuto prego
de quatro patacas : na rua do Crespo, loja
da esquina que volta para a cadeia.
0 Um piano. O Vende-se um piano muito bom para Q
O estudo, bonito e de excellenle autor: 9
O na rua do Collegio, n. 9. Q
& O
QQOQQQQQQOOOOOOOOO
Barricas.
Vendem-se barricas vasias quefram de
farinha em p e bem acondicionadas :
na rua do Amorim, n. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Baha
Vende-se ero casa deN. 0. Iliebcr & C.
n rua da Cruz, n. 4, alsodo trangado
aquella abrica, muito pioprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potassa
de boa qualidade, em barriszinho^
pequeos de quatro. arrobas, par
preco barato, como j ha muito
lempo se nao vende: no Hccife,
rua da Cadeia, arrnazem n. 13.
-- Vende-se, a bordo do brig ue Marcial ,
chegado do P.iu-ran le-do-Sul bom sebo
em 1 am#a por prego commodo.
A j,.10O rs.
Vendem-se pegas do esguiflo de Irlanda,
fazenda mnilo encorpada c de 4 palmos de
largura pelo diminuto prego de 5,500 rs. a
pega com 10 varase meia, ea vara a 560
rs.: na rua do Crespo, n. 14, loja de Jos
Francisco Dias.
Cadeiras de palliinha e
de balaren,
hem com uniros inultos trastes.- vendem-se
em casa de Kalkmann lrmuos, na rua da
Ciuz, 11.10.
ap ralofrance,
Vende-se o superior rap rolao francez ,
nicamente ras lujas dos Srs. Caelano l.uiz
Ferreira no Aterro-da-lloa-Vista n. 46 ;
Thomaz de Mallos Istmia na mesina rua,
n. 54 ; Francisco Joaquim Duaite, ruado
Cabug ; finio &lrm[o, na rua da Cadeia
do liecife, n. 19.
Charutos de Havana
verdadeiros: em casa de Kalkmann Ir-
aios na rua da Cruz n. 10.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muilo superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
A 5<0 rs.
Na rua do Crespo, n. S4,
toja de Jos Francisco
Dias,
vende-ce hamburgo muito fino, com 3 pal-
mos e meio de largura e com mistura de
algodo, pelo barato prego de 320 rs. a
Ao Ver^em-se liilhetese meios ditos do H0.
de-Jariiiro da 11.* lotera ordinaria a bene-
ficio dotiieairo de Nicllicroy : no bjeco da
Congrcftgno, loja de fazendas, n. 41.
Bflrtelftj
Meios
Uarlos
(lita vos I
Vigsimo
Bixas.
21,000
10,500
5,500
2,700
1,3
Vendem-seSichas chegadas ltimamente
ede boa qual\de, a 160 r*. cada uma em
porg.lo de 85 pira cima : na rua do Amo
rim, n. 35.
gAos 20:000,000 de rs I
g^^HE APUOVEl\\n A OCCASIaO^O
0 Vendem-se bilUtes da vigsima |0. ^
n teria do monte pi,e da 11.a dolhia" '
j tro do Nictheroy, cijas listuchega- '*
rao 110 primeiro npor: na ruada
* Cadeia do Recife, loia de fazendas f)
de Jofo da Cunha Mafialhes.
lilhetos
Meios
Uuarlos
Oitay-os
Vigsimos
21,000
10,500
5,200
2,600
1,200
Vende-se uma loja
que foi do J. Chardon, no Atcrro-da-Bnj.
Visla, n. 3, com fazendas, armagito e divi-
das, a dinlieiro, ou a prazo com boas fir-
mas : a tratar na rua da Cruz, n. 10.
Vende-se um pardo proprio para pi.
gem : por Irs do Corpo-Santo, n. 99. ni
esquina opposta a do Torres..
Vende-se nm lindo sobrado novo de
um andar, na rua Augusta, por prego mi.
lorasoavel, por haver precisan de se com-
I rar um sitio nos Remedios, quo j eii
contratado : na la de S.-Francisco, ca apalagada se dir quem vende, e quem tinv
bem se est autorisado a vende-lo, de m
nbila ale s 9 horas.
Vende-se palha de carnauba : na rui,.
Mocda. arrnazem de Leopoldo Jos da C'
ta Araujo lalar com o mesmo, ou m
FranciscoMartins ferreira.
Aos 20:000,000 de ris.
Vendem-sebilhetes do ltio-dc-JanciroJi
11.a ordinaria a beneficio do Iheatro da
Nictheroy : na rua do Cabug, loja Trancen
junto a botica do Sr. Joflu Moreira Marques.
liehrard & Companhia, na rua doTn-
piche-Novo, participan! ao publico queici-
bam de receber pelo ultimo navio chegalo
de 1'Yaiic, salames,ditos saucissous de ir-
les, julieunes, cocumelos, carroles, eivi-
Ibas, sardinhas, moslarda franceza, azeilo-
as, cereija, ele. No mesmo eslabelecimes-
1 o se encon t ra rilo todas aa qualidades de vi-
nlios, cognac, absinlh, kirch marca venii.
deira daSuissa, azeile superfino do Sr. Pli.
guol: ludo por prego commodo.
Vende-se um rico violfo com muilo
boas vozes, com methodo e caixa de Jaca-
randa : na rua do Vigario, n. 10, segundo
andar.
ftcravos Fugios
-- Vende-se uma preta do naglo, que co-
znha, lava, e he vendedeira de rua ; um
prcto de nago, mogo, proprio para todo
o sorvigo : na rua larga du Rozario, n. 35,
Aos 0:000 000 de ris.
Vendem-i bilheles do Rio-de-Janeiro dir
11.a lotera ordinaria a beneficio do thoa-
trode Nictheroy : no Alerro-da-Boa-Vista.
loja de sapatos, n 78.
B'lhetea 21,000
Meios i o,500
O.urtos 5500
Uitavoa 2,700
vigsimos 1,300
A 140 rs. o covado.
Vende ae superior riscado de algodilo,
KVomm ^^^"P-^r^'o encorva 140 rs. o corad. : na
escravos, a 250, aso 6 300 rs. a vara. J rUa do Crespo, n. e, loja junto ao lampeflo.
Fugio, no dia 17 do correnle, um prc-
to de naglo, ladino, vindo ha pouco da ba-
ha, de estatura regular, de 30 e Unios tu-
nos; levou camisa de algodfio trangado es-
curo, caiga branca de algodSo da Ierra,
chapeo de palha ; tem falta de denles quei-
xaes ; lem os tornozclos doi ps finos, e sig-
gnal de um caustico ao lado da barriga,
Roga-se as autoridades policiaca e cipitr.es
de campo, que o apprehendsm e levem-nn
a rua da Cadeia do Recife, n. 15, que seiila
gratificados.
Fugio, no dia 15 do correnle, o pelo
crioulo, de nome Manoel. ranociro e |i-
deiro, representa.ler 38 a 40 annos; he al-
to, seccodo roslo ; tem douscalombos bs-
tanlo grandes, uro no brego direito e ou-
tro no quadril esquerdo, por onde pode ser
bem conhecido ; levou camisa e caigas de
algodilo e chapeo do palha. Roga-se as lu-
toridadee policiaes,capi(Ses do campo e pes-
soas particulares, que o apprehendam e le-
vem-no a rua larga do Rozario, padaria n.
18, quo se gratificar com genorosidade,
Esctavos desencaminhados.
Pela madrugada da segunda-feira, 15 do
correnle, do chafariz da rua Augusta, au
Cinco-Pontas, deizaram-se fiear atrs do
comboi que segua para o engenho MarU-
pagipe ascscravasseguinles, que presume-
-se acharcm-se perdidas, por nlo saberem
docaminho para aquello engenho: Ang-
lica, preta, de 30 annos, de estatura regu-
lar, com faltas do denles na frente da | arle
superior, rosto" comprido, olhos pequenos,
com dous lilhos, um mulalinho de no01 i
Leopoldo,de 5 annos, olhos grandes, de
bonita ligura, e ooulro com tres mezes de
nascida, e preta ; foi escrava do Snr. Va-
lonea, morador na rua larga do Rozatio;
l.uzia, de 35 annos, preta fula, estatura re-
gular, rosto redondo, inclina a caliec"
quando falla ; tem a testa guinde, olhos pe-
queos ; foi escrava do Sr. Manoel Vieira,
que teve loja de louca na rua do l.ivramen-
to : ambas estas escravas silo dadas a be-
bedeira : Cosma, pela fule, de 35 anuos,
muito baixa, roslo comprido; he escrava do
sonbor do engenho Maitapagipe : queai,
por tanto, as pegar leve-as ao dito enge-
nho, ou nesla prega, na rua do Rangel, ou
na praca do Commercio, n. 2, casa do Snr.
Luiz Jos de Castro Araujo, que se recom-
pensara.
- Do engenho Piabas de Borinbflem, fu-
gira 111, ao amanhecer do dia 16" do correiil'1
dous escravos pardos: liento, de meia tsu-
tura, corpo rclbrgadu, cabellos meio eres-
pus, nariz afilado, pona da queixads fina,
demorado no fallar, peritas un, tanto ar-
queadas : Pedro lamben) don eia estatura ;
bo q-asi cabra; tem os cabellos carapi-
iibados, olhoa pretos, vista trocada, secco
do corpo, barba crescida e com bigod a i
ambos forain castigados na vespea da fu-
ga, pelo que teem sigues de chicote, bo-
ba-seas autoridades policiaes, capil&es de
campo e pessoas particulares, que o apr
prebendam e levem-no aa dito engenho, 01.'
na rua de S.-llila, n. 85, que scr3o "grati-
ficados.

Pbn. : a ttp. os m r. de fama. 184"
MUTII Ano


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ0IUWY36_A59889 INGEST_TIME 2013-04-24T19:49:35Z PACKAGE AA00011611_06692
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES