Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06690


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XX\._
Quinta-feira 18
ABTIAi DOS COHBXIOB.
-Parahiba, segunda e sextas-felra.
Gpi"n:,i|ji,.(j0.NurtelquDta-reirasao mcio-
'''"c-riiihem, Rio-Formoao, Porto-Calvo
C*"?/ /ii lo I*, a II c 21 de cada
"Ce Bonito.. 8 eM.
"^.0^13^8.
i iiioi.
Ollo UBEHEBIDZI,
rHiSEi d lo. Chela a 1, as th. e I3m.da t.
Hiug. a 8. i 10 h. e 24 ni. da m.
Nova a 16, Sn. c63m.da m.
Gresca 24, s 4h. e44 m.dam.
H1I1MAB DE BOJE.
Primeira as horas e 54 minutos da manh.
Segunda as 7 horas e 18 mluulos da larde.
t\e OuttifororicIfcflO.
FHECOS DA SB3CIIIP9AO.
Por tres mezes (adwlado) 4#000
Por seis mezes 8/01)0
l'or mu niniu Ij/000
jym n i i;!"ggB*gg|a'MaMaaaia
DAS DA IDttlIi.
15 Seg. S. Tlicreza. Aud. do J. dos orf. e do in. I.v.
1U tere.' S. Marti.ilano. Aud. da chae, do da I. J.
v. do civ. e do dos feltos da falencia.
17 Quart. S. Ileduviges. Aud. do J. da 8.T.do civ.
18 guint. S. Lucas. Aud. do J. dos orf. c do m.
19 oext! S. Pedro de Alcntara. Aud. do J. da 1.
v. do civ. e do do feltos da lazcndi.
20Sab. S. Joao Cancio Aud. da Chae,
2. v. docrlinc.
21 om. S. rsula.
, c do J. da
N. ass.
CAMBIOS EM 17 DE CDTOBBO.
Sobre Cnndres, 27 a ,d. por 1/080 ri. a 0 das.
. Pars. 370.
- Lisboa, 110 por cent i. ,.m,
0uro.-O.ip. I.cspanl.oes..... 30000 a JI/110
.Moedal de . de G^4iK) novas .. WiOO.a 16. 00
. de4/U00..._...... MMO a 0/7""
/rata. -Patacoos brasileiros...... l
lVsoscoluinnairos....... |#W
Ditos mexicanos.......... I/y"
/
j
PARTE OFFiCIA!
GOVEBNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 9 DE OUTUBRO.
nneo-Ao viador Sebastiio do Reg
D,rros. remetiendo, para,serlomadoemcnn-
ls deraro pe commissSu de que S Ex. he
Residente, o requerimanto em que 1> llana
i'fania'Je Amujo Pantoja. viuva do t-
ente do sexto batalhilo d<.cacadores,Ho-
mo Moreira Cerdoso de OI.ve.ra Pantoja.
Trio no combate do engenho Pao-Amare!-
P1|e ser contemplada na dlslribwcflo
os dinheiros destinados s viuvas e or-
.hBosdosque perecern, em defesa da cons-
So durante a revoll. desta provincia.--
neilillcoii-ss o presidente du AlagAas.
Dilo.-Ao mestno.-ltemetto a V. Ex. a n-
Insa copia da carta que meifiMi enderecada
,ela commissao oncarregada da subsenp-
3o afavordas familias dos infelizesi que
nereceram nesla provincia por occasiilo da
evolla que ltimamente leve lugar; o, a
,.la den, cumpre que V. Ex. r?a sciente
kcoimnissSo de que he prest lente, que os
nutiladok aleados e inh b.l.tados para
dqurir os molos de subsistencia em con-
vquencia dehavorom combatido durante
r rebelliflo em favor da or-lem e sustentado
a coostituicno, pdem ter parte no prnduc-
0 da mesma lubieripco. e deve a com-
uisstO propr-me as quotas que julgar rae-
eceren. na mesn.a OCOOlato Mj quepro.
rozerasque hilo de ser distribuidas pelas
viuvas e orphaos dos que morreram no com-
ete ou omcoiisequenciadollc.
Dito -- Ao ma-echal commandanle da
armas,' declarando que, para cum. rmenlo
2o aviso do minisicno da guerra de 14 da
setembro ullimo, faz-so mlsler que S. Ex.
nforme sobre o requerimento que remelle,
1 no qual o podre Anloolo Francisco da
Trindade pedo a S. M o Impera Inr o lugar
de rapellilodo pnmciro batalhSo decara-
Dil.-Ao commandanto da pra^a, com-
muncando que S. M. o Imperador dignra-
se de conceder mais tres mezes de l.cenga
com sold simples ao alfcres do oilavo ba-
Ullio de caladores Francisco de Assis Gui-
msrnoa, para ir provincia do Rio-C.rando-
tln-Siil.Inteirou-se o inspector da pagado-
la militar. ...o i
Dito."Ao mesmo, seientificandu-o de
que | or decido do 17 de setembro ultimo,
S II. n imrerador houve por bem conceder
a TiisISo l'io dos Santos, capililo do pri-
me ro botalhau de artbaria a pe, piasageni
paia (.segundo da mesma arma, e dest pa
ra aq..elle cort-o aocapitno Hermenegildo
de Adiuquerque Poito-Cairci.o C.ommu-
nicou-se ao inspector da pagadoria mi-
l'tr c
Dilo Ao mesmo, inteirando-o de que >.
M. o Imperador, por decreto de 17 ileseltm-
bro ullimo, bouvea por bm cooce :er pos-
sagem para o cslado-maior da segunda
claase do exercitu ao alferes do quinto ba-
talbf.0 decacadores, l.uit Comes Fenrei-
ra.Scienlilicuu-SHa pagadura militar.
communicando lite
que S. M.
lar que s
om sold simples, a
quo
mesmo requerimetito, nforme o que cons-
tar a semelhanlo respeito.
Dito.Ao mesmo, inteirando-o de haver
S. M. o Imperador por bem conceder passa-
gem para o deposito de recrutas da cort cadete d segundo batalh.lo do artilhara a
p, adddo ao primero da mesnta arma, Joa-
quim CavalcanledeOliveira Bello.
Dito.Ao mesmo, inleirando-o de haver
S. M. o I por bem conceder bttxa do sor-
vico a Manool Peres Campello Jacome da
Cama, segundo cadete do segundo bala-
IhOo doartilharia a pe, aJdido ao primoiro
da mesma arma. .
Dilo.Ao inspector da thesourana da ra-
zenda, remettendo para ler a eonvenien -
te appUcacSo notas de chapa e firmas ral-
sas, sendo 1 de 1/000 r<., 2 de 2/000 da
segunda estampa, e20de5#J00 rs. de ler-
ceira, apprehendidas na provincia de Mi-
nas.Foz-se igual remessa ao inspector da
thrsouraria da hienda provincial, e com-
muncou-se ao inspector geral da*caixa de
amorlisaQIo.
Dito.Ao mesmo, communicando que se
expediram or.lens aflu do que no thesouro
publico se entregue I). Mara Joanna Nunes
Machado, viuva de Joaquim Nunes Machado,
a qumtia de 1:200,000rs. 'de alud* de rusto
d* volia que competa a seu finado marido
como .foputado por esta provincia cmara
u limamente dissolvida.
Dito. lo inspector da thesourana mi-
litar, transmillinlo o requerinienlodo co-
ronel JoHo da ('.osla Pmentel. acompaoha-
dode inrormaeladochcfe da quarla sec-
Qflo da secreta lia di guerri, afim de qus
fac organisar a conta do quo se deve a esse
oflcial pelas vanUgens do quo pe lo paga-
mento, e a enva presidencia com decla-
oerda.Jos Harhoza Deniz e Antonio Filp-
pe de Hollando Cavalcante.
Aleros, Jos Rnrboza da Silva, Thomaz
Correia Lima, Jos Ignacio <1c Souza Ra-
bello e Jos Serap'ulo Bezerra de Mello.
Eiqnadrio de entallara.
Captflo, Francisco Joaquim da .Silva.
Tenenles, Jos Antonio l'oreira de Mo-
raose Caotanol.uiz CnllaQO.
AHeres, Justino da Molla Silveira.-Com-
municou-se ao commandan'e sunenor res-
peetvoedeclarou-sehaverem sido appro-
vadasasproposlasqueremetteu para ofli-
caes subalicrno!, do osquadro de caval-
laria o segundo baUHlBo da referida guar-
da nacional. ^^^^^^^^
Commando ca pr r;i.
Qunrttl do commnndo da praca cirfri(/e o*o
Ret fe de Pernambuco, \2 de outubro de
1819.
ORDEM 1)0 DA N. 53.
publico, para conhcmento
Faco ,.
ouarnicfio, o devida exocu;ao da parlo
quem pertencor, que o Exm. Sr. presidenl..
da provincia communicou-me em ollicio
datado de 10 do crreme :
Primero, que por aviso da reparliQona
guerra de IS de Miembro ultimo houve S
M. o Imperador por bem conceder licen^a ao
segundo cadete do quinto batalhilo de fuz.-
leiros. Diogo Lopes de A raujo Salles, para
etludar ocurso de sua anni na escola mi-
litar da corle. ,
Segundo, que por outro aviso da mesma
reparic.10. com data de 19 do referido mci,
Iho ro participado quo se expediram as ne-
cessarias ordens alm de regressar a esta
raeflo da Mrca do columna que esteva sb provnca> para prestar conlas dos dinheiros
o commando do referido coaonol, para o| rcccDCti na pagadoria militar pira pa-
quo dever regular-se pelas reWcOes dos a.nenlo das Torcas em operagOes na colum-
corposde -jue seella compunln. a o nio-Formoso, o lente quarlel-
Dilo. Ao mesmo, declarando-lhe havnr mcslre ,)o sexlo baUlbuO de ceeadore l.uiz
o marechal commandanle das armas dado : jeronyn,o Ignacio dnsSanlos.
Finalmenle.om officio datado de honlem o
Recorrente. o luU ; recorrido, o julio. Foi
confirmado o despacho recorrido.
Recrreme, o julto ; recorndos, Manocl Flo-
rencio da Cota c Jos Horencio da Costa.
Foi confirmado o despacho recorrido
Recorrente. o jui/.o ; recorrido. Manoel Joa-
quim. Foi reformado o despacho recor-
rido.
dksicnac.Ces.
Fot asslgnado o 1. da uttl para o julga-
nento da seguate appcllacao civel ..
Appellanle. Jos AiTonso de Maccdo; appet-
lado. Lu?. GoiUS Silverio.
HEMSLS.
Passaratn do Sr. desembargador Ramos ao
Sr. dese.nbaigador Villares as appellacocs ci-
veis en. que sao :
Almeida Ferreira
ap-
a li-
as convenientes ordens, para que os com-
mandantes dos corpos do primeira liiiha
que seacham em servi?o fra da capital,
remeitammonsalmente pagadura as re-
tacos de musir dos vencimentos dos mes-
mo corpos
mesmo Exm. Sr. presidenle com.nunicoii-
me que por offloio do Exm. Sr. presiden-
le da provincia da Baha Iho constara que
oSr. primero tenente do quarto batalbiio
.d artilhara a pe Benedicto Mariano de
lliln.ao mesmo, para que remeltt a pa- (>mpog l0d chegado aquella provine ,
caduria m.l.lar do Rio-C.rande-do-Sui a foi m:1IlHli0 apresenlar ao rewrtdo o^ia-
gnia do caprino do lerc.eiro batalhilo de u.o pQf ordem d iespectivu Sr. general
ruzil iros Joilo Tavora da Silva Bjag*-"!,cl" commandanteMas ar.i.as.
enlilicou-so presidente da referida pro- FaQO gua|menlo publico.pars os finscon-
vincia. Ivenientus.qucoKxin Sr. gone-al cumman-
DitoAo mesmo, communicando haver dantas da*armasdesta provincia me com-
S. M. O I. dignado-sadeapprovar a resolu-,muncou qe. o Exm. Sr. presidente da
(loquea presidencia lomou di elevar a prvjnca conceden i mezes do liccntja de
300 rs. a diaria do aprendizes menores do favor para ra corte ao Sr. cirorgio aj.i-
arsenal de g.ie ra desta provincia. lntei- 'dnle j segundo b.lali.ilo de catadores
rou-se o d.edor do refer lo arsen il. VA)io Josc ,ia (;osta Barros, a qual pr.nei-
Dilo.--Aodircctor do Lrsnl de guerra, a a ^olar na presente dala, em quo lie
communicando que a Iheaouraiia de laxen-, u|l|jcai|a>
da das Alaguna tem ordem para indemni-j Assgnaj0, Jos/i Vicente de Amonm ttezer-
sar a desta de 291,008 rs e.n que importa- p. C(jroae| 8 commandanle.
rama 11-. 11. i > i i .1 l 11111 f I il i 0 39 VClllS miX'llS |
"uescpromVi.licar'a.n no referido um*\Qm* *>.~mdo *J^-**.*
e frain enviadas puro all.
I) to.-Ao engenlieiro Milet.-Accusando
a rccepco do seu alucio datado do bonlein,
no nual d conta do estado em quo se aclia
lo nono lai.Qn da estrada
exames quo Vmc.
JShSS& hoVepor'bem man! tf^"~
oarquesrjaprorogadaporma.s l$OMn*xe#. J3JJ "i "Sii,, as providencias ne-
-.cenca de favor com ^^'^ C0IKllli,. S adm.n.s: ra-
f., a cOrle para l.atar de sua saude
HeiruaJoa-C-lo a .lila segunda parle do nono lauco,
iros--ln- anboadiior-lhe: pnme.ro, quecou.ver.ho
na rapreolo dos tres arcos que baviamv-
.feres do quinto batalhilo de tul
quim Luiz Teixeira Lopes Malhe
lerou-se a pagadura militar. ^ "nciudos no" contrato daariemalacno,
Dilo.-Ao mesmo, recommendando faQa desligar do segundo balalbo de arlilhai ia s
a pe, onde se acham com praga, os impo-
raes mrinJieiros Jos poreira e Siman Jor-
geSaraiv, e os mande entregar ao comman-
danle da vorveta Euterpe, v.slo seropn-
meiro desertor da fragata l'araguasm, e o
segundo da mencionada corvota.-lnleirou-
se ocommanantedesla.
Dilo -Ao mesmo, transmiltindo, para te-
rem o conveuientedesiino, duas inquirieres
que se procedeu lias Alagoas, Acerca da
desereno dus soldados de anillara a p Pe-
dro de Souza Martins e Joilo Jtrse dos Passos.
-Con.municou-soao presidente da referida
provincia. .
Dito-Ao mesmo. inteirando-o de haver
S M. o Imperador dignaOo-se de conceder
ilous mezes de licenc, com sold simples,
uara tratar dos arranjos de sua familia na
corte aocapliaodooilavobalaHiflode ca-
S.lrV" lo> de Almeida Pinto Proenja.-
Scienlilicou-se o inspector da pagadoria mi-
litar.
ilo Ao mesmo, remetiendo, para que
tenha o conveniente destino, a guia do
toldado do segundo batall.no. lo cacadores
ole Francisco* de Vasconcelos que viera
dacoiteno vapor S.-Sulvador.
Dito-Ao mesmo, transmittindo a fe de
ollicio do major Joaquim Rodrigues Coolho
KeHV qcob evo p.ssagem do stimo bata-
IMo de caradores, para o pr.me.ro da mes-
m nitT-- Ao mesmo. communicando que
or de'crelo de de setembro prximo pa.-
a0dodbouvor.eS. M.o l**^^.
'tuo^-Aomesmo, remettendo o requeri-
Jkhei u proeessado em quo o segundo aar-
X?*nio Bicardo Jos pede pagamento de sol-
fdos relativos ao exercicio lindo de 1810-
> w ,i,n dequetransmilta-oaocomman-
"uaVle do tereeiro batalhao dea. libara a
le ordene-lhe que vista da informacSo
d. conudori. geral d. guerra, annexa ao
. ndo ellessubstituidos por um vallado da
120 brac s de comprmanlo, qualro o me.o
MUDOS de largura a oulio tanto de altura
inedia, oqualarompanharao lado direiio
da eslrad. emloda a exlcns3o longitudi-
tudinal .toe Vmc. ndica : segundo, que
fica expedida ordem ihosour.ua provin-
cial para entregar a Vmc. a quanlia de rs.
I 000 000 para ir occorren lo as despezas da
construceo: tereciro, linalmento, que le-
nho ordenado a adininstracao das obras
publicas quo entregue os objeclos quo Vmc.
requisita para dar principio aos Iraballios.
-osio sentido so expedirn! as conveni-
entes ordens.
Heladio dos objeclos a que te refere o officto
cima.
1 duza depas de ferro, I dita de enxa-
6 carrinhos de mito, 6 marlellos de
da,
pi caretas, 2
Ret fe de
Per nam buen,
1849.
\dc oulubro de
ORDEM ADDICIONAL A DO N. 53.
O lllm.Sr. coronel commandanle da pra-
ca manda declarar, pan. conhecmento de
quem perlencer, que o Exm. Sr. presidente
da provincia concedeu tns mezes de. Iicen-
ca ara tratar .lo sua sau Je, conformo a de-
isno da junta medica, ao Sr. aiferes-..ju-
dante da foitalea do Bru.n Manool Marques
doAmaral, a qual tem comeso na presen-
e(')*maesmo lllm. Sr. coronel ordena que o
Sr capullo Trstilo Pi dos Santos.co.nman-
dantedos conlingeotesdo primero, segun-
do e lerceiro batalhilo do artilhara a pela-
ra recolher prefos a fortaleza do Bium os
cadetes e particulares do 2 batalhilo de ar-
tilhara que faltaram marcha no da II, e
Appellanle, Manoel de
lidiado, Joilo Ferreira dos Santos.
Anpellante, Francisco Xavier Caraelr
prllado. Antonio de Sonta Mlvcira.
1), nies.no Sr. deaeinbargador liamos ao Sr.
deiembargador Villares a appella^o c. une em
que sao:
Appellanle, ojuir.o ; appellado, Severiuo Jos
Barbota.
Passoii do Sr. desembargado.- Villares ao Sr.
desembargador Baslos a appcllacao civcl em
que sao:
A,,pellante,.Joaqnim da Silva Casiro; appella-
do, Antonio Joiquim da Silva Castro.
lio mesmo Sr. desembargado.- Villares ao Sr.
desembargado.- Rcbello a appcllacao clvelei.l
que sao:
Annellaule. Jos Feij de Mello ; appellado, Jo-
s Gabriel de Muraos Mayer.
l'assou do Sr. desembargador I asios aaSr
desembargador Lea o a appcllacao crl.ue o...
Anpellante, Vicente Ferreira dos Passos ap-
prllada, a juttlea.
DO mesmo Sr. ao Sr. desenibargadof Lefio as
appellacdei clvel em que sao :
Ai.pellante. Francisco Das Ferreira appella-
do, Joio Paul" dosSint'S.
Appellanle, DeHlno dos Anjo Teixeira appel-
Lul.i, a f.itenda prnvluci.il. ,
Appella..tes. Auna Oo.19alvesTe.xe.ra ooutros.
appellado, Pe.i.o Mar.inl de: Arauio Vera..
Api dlante. llomao de Souia I.isbo ,, appelU-
T. o curador hcr.u.Ca de Jos Antonio de
Muraos.
Puaouda Sr. desembargador Souxa a Sr.
desembargador Uebdlo a appcllacao cr.n.c en,
Appella.iU-, o julio ; appellado, Oclaviano da
Silva Suma.
Do ...osmuSr. ao Sr. desembargador Rcbello
a appellacfio cltel em quo san :
Anpellante, PrancUco Joaquim Cardoso ; ap.
pi liado, Francisco Ferreira da Silva.
PattOU diSr. desembargador Rebollo .10 Sr.
desembargador Luna Freir aappellacfio cri-
me em que sao .
Appellanle. o juiso ; appellado, Francisco de
Barros Ferreira.
Passou do Sr. desembargador Luna Freir ao
gr. desembargado.- Tollos a appcllacao c.une
cu que sao :
Appellanle, O Julio; appellado, Fcllsucrto de
Barro!.
lio mesmo Sr. ao Sr. descmbargidor Tclics
as appellacocs civeis e.n que >:i" I
Appella...o, Claudio Dulieux ; appellado, Agos-
Unho lleuriques da Silva.
Appellanle. Antonio Jos Pere.ra ; appellada.
a fa/.enda nacional.
DisraiBUlces.
Ao Sr. desembargador Souia a app.-llaono
elvel do Jubw da haenda desta oldade em que
que preferem contingencia de adquirir
um riqueza rpida custa de grandes pn-
vacos e ncerlezas.
O invern da regulo minera foi o mais
fro ,|e que ha recirdacao as planicies e
nos valles cabio nev altura do seis peso
as inontanliase.gna-seem forma de nu-
vens. Sabido ramo central do Sacramen-
to ha tres semanas, por nao se poder ira-
balhar agora all vanlajosamente em con-
sequenca da altura das aguas. O trabalho
all ftw-sn todo as margens do ro e o calor
da primavera, derretido a nove as moa-
tanhas, levantnii as agoas a lal ponto, que a
psrto mais rica das margens e-ta alagada.
0 ro no descera a ponto d'dexar traba-
Ihar com Vinttgem s'nn.idaqu. asis se-
manas. As margens do rio estilo somculas
ile. ouro ; mpossive) he dar-vos por escnplo
1 menor Mala da sua abundancia. Ondo
quer que se tire um balde de lodo acha-so
ouro. A manen-aporque explico a presen-
ca do ouro all he mullo simples, mas leva
o espirito a especulao/i.vscm hm sobre 11 ri-
queza .1.. rio. o ouro fe. traildo pala cor-
rent.....lopOSilado lias ma-gons. l-.slal) le-
cido este facto. pedo so a imaginario pen-
sando sn-s riquezas sem iiuinero quede-
vem estar 1.0 sen lii'o.
Ha mullos lugares onde se pode desviar o rio
do seu Irllo, nixu-aiido-se por esse nielo do
ma, l.inis.no. Km alguna desle "''gares que
conhern, aceitarla um ospaco de 20 pes como
limite da minha ambicio. F.sia empresa exi-
gir im.uc.is trabalho. mas lia d; laier-se:.o
espirito emprchendedor dos Americanos e o
seu alilailienlo nao permllllrao que iiiiilines
de riqueza flquetn Impnileaai p.- lata de
trabalho. J se organisoii onu companhin pa-
ra repreiar parte do ramo austral doS.cra-
menlo, e .icnliuma duvida temos de que tara
fortuna. _, ^
F-ile a.1.10 tem havldo grande d.mculdado
con, os Indios, lia mu "ici aco.nn.etteraoi
cinco Americanos .pie irabalhayam no ngulo
central, c cruelmente os .sassinar.im. l-or-
mou-se logo mu grupo que parti en alcalice
dos Indina, e.encontrando-os non ranoh.is.ina-
inu SO o fe 4H prisioneiros. F.sies lorain le-
vad.s ao cstabel-cimc.itii inail prximo, c de-
pon de prcessadoi frain fu/.lados sote dos
cabecas. Ili de llave, sempre nxas Com o In-
dio* na regiao minera cinquanto nao for ex-
terminada loda a raja.
Acora irabalha-se pouco as minas em con-
sequenci, como dtne, da altura das agoas.
Estas, porcui. Iiaixa.nrapidimeute, e eslouque
Appellantes, os herdeiros de Joaquim Ignacio
Crrela de Brille ; appellado, o j..l/o.
EXTfeiVO..
excavacao oonllnuari .. recompensar o traba-
..,0 dos inioeiros lao rican.c.ilc como alo aqu.
Todos os das se. faiem novas descobenas, e
impossivel lie diZCl onde acal.arao
A todos aquellos que deielau vlr Caliror-
ata cavar oro, dlrel que nSoao delxem levar
,.o. narraedea exageradas, lodo o homcm ro-
busto quequlxer trab.lhar pode gai.hir. ter-
mo medio. Mi pesos por da en. nove mezes do
auno. Seisio os saiisfai. c cstao d.sposios a
suportar grandes fadlg". a trabalhar ao sol
rdeme, a dormir esposlos ao ar da Dalle, e a
comer alimentos ordinarios eneui sempre saos,
venha.n, e quant anles. Ili campo o traba-
Mo de sobra para lodos, e llavera anda estes
50 anuos. ,
As minai enchem-sc rpidamente de esirau-
Ci iros ; todos os dias cli.gaui oarregauenloi
Soasa genio viuda do Weaioo e das ilhai do Pa-
oillco. Nao tratarfi o governo de lomar medi-
das para avilar que eslos esiraogeiros levem as
milicias do palai ,, .
(Correspondencia do Herald.)
(iomalda C.mnmtrcio.j
s deina.a pracas na prisilo do quailel, en-
Tjan,io com urgoncia a respectiva relacao.
Assignado, t'ranttco Cario* Bueno ves-
champe, oapilflo ajudante de ordens. .
quebrar podras,* soquetos,
ps de cabra.
Portara.-Removendoo promotor publico
da commarca do l.moero, Manoel Claro
Connives Guerra, para a do l'o-do-Alho;
eodrsta, baeharel Antonio Joaquim de Fi-
(.'uairoslo Seabra, para aquella dn Limoeiro:
devendo elles servir com os mesrnos ttu-
los o juramento.Expediram-se ueste sen-
tido as convenientes commui.icacfies.
Dita. Man ando psssar patente de
mejor da primeira lcgilp da guarda na-
cional do municipio do Limoeiro o cida-
dilo Severino Alexandre Villarim. Neste
sentido lizeram-se as convenientes com-
munica^Oes.
Dita.Nomesndo interinamonle para um
dos lugares de ajudante de ordens do
commandanle superior da guarda nacio-
nal do municipio do Limoeiro o cidado
Marlinho da Silva Costa.Fizeram-se as
commui.icasOcsdn eslyla.
Dita.Domillindo os olliciaes da guarda
nacioual do Limoeiro abaixo declarados:
Primero batalhao.
Caoiincs, Jos Kufino Pessoa e Ucerda,
Francisco Comes de Aquino Guerra e Ala-
xandre Uarboza de Souza
Tenente, Antonio Jorge Pesaoa de La
TRIBUNAL L)A HELACAO'.
SF.SSAO DE 16 DE OUTUBIIO DE 1849.
rauoRHCi* do rxm. sfs.ior
CONCP.LHE.BO AZEVEDO.
A's de horas da manhaa, achando-se pre-
sentes 01 Srs. deieuibargadores Ramos. Villa-
res. Hastos. I.eo. Souza, Rebollo, Luna Frene
c Tclics, faltandoconi causa oSr. desembarga-
dor Ponce, o .Sr. presidente declara abena a
sessao e aprsenla em mesa o seguinte :
Um ofiicio a elle dirigido pelo Exm. Sr. con-
cclhelro de eslado presidente da provincia em
data de 15 do crreme, em que Me coiiimunica
ter nonicado a Joaquim Francisco Den. para
quinto supplcntc do juiz municipal c de or-
phoa do Rlo-Formoso em lugar de Tboiiiaz
Cavalcante da Silveira Lias, por se ter mudado
do districto.
JULCtMENTOS.
Appeltacn eivel.
pellantc, Rita Mara de S Andrada; ap-
pellado. Antonio Jos de Mello. Fra.n
de-preados 01 embargo! do appellado.
Appellanle, D. Raquel Caelana Alexandrina
da Silva ; appelladoi, Joaquim pedio do
llego Cavalcante esoa mulber. Handarain
descer para e averbara dislma.
Appellantc, Joao de Carvalho Raposo; appel-
lado, o julio. Mandaran! que fise com vis-
ta ao Dr: procurador de ausentes, o depois
ao Sr. desembargador procurador da corda.
/(cunos catata.
Recrreme, o juiao; recorrido, ManorI An-
tonio Viegas. Foi confirmado o despasho
do recorrido.
GALIFOHNU.
VUGEM A' RBGlAO AURFERA.
S.-l'rancisco, 20 de junho de 1849.
Fin meados de novombro prximo pessa-
dn sahi doS.-Francisco para a retiio aurj-
rer* Choio deesas loucas esperaocas que too
fortmcnle teenvfeto pulsar lautos corajes.
Com picarcla, pa e ceslo, comccei o meo
trabalho e por espaco de Seis mezes om
dilferenlcs pontos das minas, ora com hom.
ora coi. mo resultado, nao descanse, um
s instanle. O que digo be, pois, hlho da
experiencia, c nio desse sentimento nnth.i-
sisstico quo leya tanta gente, apenas aqu
rhega, a publicar noticias que poden, in-
du?irn.iiila gente em erro.
oue as rogies aurferas existem llie-
sooros inexbauives, nfio adn.Hte duvida.
erco.r mais de 300 milhas desso terreno,
e nunca procure! ouro que o uo acliass-
em n.aior ou menor quantidade. An.le
mais de Irinta milhas e.n ambas as margens
do um ro c nunca lavoi um ceslo das snas
arcas que nfio me deltaSSe algiim ouro. Ila-
o por toda a parlo ; esta espalhado, como as
heneaos da Divina Providencia, com milo
pioosa e nilo da senilo o trabalho do apa-
nlia-ln. Lnborase, porm, em granan erroi
a respeito da nalureta deste trabalho. O ouro
ncni sempre se eucoiilra e.n pedacos gran-
des e superficie da ierra. Mullas vezes
est bem enterrado nos barrancos o mar-
gens dos rios; e, pola, para desenterra-lo nc
preciso cavar de un a v.nle o cuco pe
perucndicularmente. e decl.ro setn hes.l.-
efio que he este o trabalho mai, penoso do mun-
do. Quas todos os New Yorkers que aqu
chegaram 00 vapor, chelos de, .urcas espo-
ransas. se acl.a.n ciulmoiile desapon ados,
-
e muit'os regressam a patria, bem contentes
por podereiu voitar a vidacmlisada, vita
AUSTRIA K HUNGRA.
Londres, 3 de setembro.
AS gazdas e caitas que recebemos de Vi-
cua sao daia.lasdc 27 do passaio. 0 IVie-
ner Xeilung publica a seguinte proclama-
do que o imperador da Austria dirigi ao
seu exordio :
. Soldados do mcu valiente exercito, os
novos e assignalsdos aerviepa que acabis
de prestara minha casaei patria, nunca
seiSo ior mim esquenidos.
t)s perigos com que a rebellio o a
IraicSo aiiieacavam a propria existencia
do imperio achain-sn presentemente ven-
cidos, c ao vos-o valor e heroica perse-
ve.anca he que se deve atlribur, assim
a rcstaoiaco da paz e concordia no inte-
rior. co.no 0 rcforc.am.ento do poder da
Auslria 110 exterior.
Os filhos de todas as racas, que com-
pOem o imperio, lecm sellado de novo com
sea sangue as leiras do meu glorioso
exercito o lac.o fraternal que os une, e com
generoso zelo leo 111 maulido a antiga re-
putac&o militar, assim contra os inimi-
gos internos, como contra os inimigos ex-
ternos.
Soldados Vosso imperador agradece-
vos om nomo da patria o servicp que haveis
p.eslado. Vos permaneceris, como sem-
pre, o orgulho e honra da Auslria, o esteio
luabalavel do llirono e da ordem social.
A noticia da entrega de Comurn que fot
publicada por algumas gazetas de llerlim
he prematura, eomquanlo nilo possa haver
duvida que aquella fortaleza est em vespe-
ra do cahir. Nosso correspondente asse-
gura-nos que o general Klapka.quo a Com-
mauda. quer reude-se, pur.n que os indi-
viduos na um caracler desesperado, que
em grande numero a ella ge teein recolhi-
do, lazem ludo o que pJem par prolon-
gar a resistencia.
Sabemos da mesma fonle que considora-
vel embaraco se senle em Vienna a respeito
do iralamenlo quosedovera dar aos ofll-
ciaes e soldados prisioneiros, assim como a
res pello das providcnc. >s futuras que se de-
verfio lomar relativamenle aos negocios da
Hungra. Parece comtudo que o gabinete
ausliiaco esta resol vi Jo a adherir consti-
tuiciio de 4 de mareo.
Os Austracos que exurcem empregos.as-
sin. oiililares como civis, estilo mu. indig-
nados com a maneira indulgente pela qual
MUTILADO


tmaxjt'MiaM&aaa
os oI'phps hngaros sao tratados pelo prin-
cipe l'askiwltch e seus ({eneraos. Os seg i n-
tes arto* desl blandura sem exemplo silo
.-irtiialmente conimentsdos rom ardor em
Vien'ia :
.. O filho de um general austraco foi des-
pachado como corre'o ao general Rudiger.
Chorando ao quirtel-goncral, tHvo q'u
alrsv>-ssar pr entro urna mi.UiclHo de ofll-
ciafs mapynres, os quaes mallrataram-no,
dando-lhe muitns prcnlro-s, quando pas-
sava, F.IIpr ct'ns''rvavm todas as su*s es-
padas. Sou informado quo o Czarowi'ch, o
qual estava ainda aqu quando o oficiul
\ .liiiu, den pa'te rtesla circumstancia ao
imperador (da Russia) que se acbi em Var-
snvia. Um ontro correio, um segundte*
nonti, o | 11I levara despachos ao general
Rudiger, fui convidado por este para juntar
com nfficiacs rebeldes <|ue era ni seos hos-
pedes, mas recusando-so a isso o ollirial
austraco, o declarando a rasio que tlnha
para assiin obrar, o general lludiger res-
pondeu que,' seellp, um dos mais antigos
generaos do exercitorusso,poda jantarcom
estes liomens, nilo via rasflo para que um
segundo lente austiiaco iffio podesso fa-
i.ai o ii.esiiin. O ollicial austraco respon-
de u mui espirituosamente que isto s pro-
vava que um general russo poda viverem
compmina de limiiens, com os quaes nni
subdito auslriaco n3o poda nem ousava
associar-se. i
A caria de nosso correspondente infor-
ma-nos tambem dos senlimentos de ciume
com que os Austracos olbam para os. scus
auxiliares com os quaes querem disputar a
honra de lereill salvado o imperio Aqu
faz-se justiea aos altos feilos dos generaes
l.uders a Cruleuhelm ; porem o poo est
inclinado a pensar quo nem o principe
Paskiewilch. nem o exercilo sb sen com-
mando ganharam uenbuns louros na
Hungra.
A respeitn dos alojamentos dos generaes
russos e austracos, somos informados que
o principe Paskiewitrli esta de viageni para
Varsovia.equc 0 quaitel-gencrel Uo general
llavnau d vena estahelercr-se em l'eslh no
da is do passado. I'eteiwaidein aiuda nio
se tinlia rendido aos Imperialistas. Como
prova da prompta obediencia que os gene-
roes austracos enconlrariam em qual-
quer guerra, na qual livessem que com-
Tiiandii- as tropas hngaras prisoneiras
com um 111' n, i o estrangeiro, nosso cor-
respondente informa-nos quo, quando a
lei sobre a rebellitO foi I da em Miln
no dia 18 do passado, e um ajuiitunen-
to de povo foi dispersado pelos milita-
res, nada poda igualar o Zelo, e ai u
ataque implacavel zeram os proprlof husssaros hngaros, que
pouras semanas antes tinliam lenlado de-
sertar pelo caminho da Siyria. e algunsdus
quaes atiavessaram exeiciios inte iros.
As gazetas silo agora unnimes em an-
nunciar que KosmiIIi aconipanliailo por
He cbegaia a Mova-Urshova no dia 22 do
passado, e que fd-a posto debaixo da pro-
tec$fin ilo pacha turco.
A seguuite carta escripia pelo ex-presi-
dente da Hungra no da 1 do niez passado
cm Teregona, e dirigida ao general Rein,
nao pode deixar de ser lida Cun interesso :
u Drenkora, ii de agosto.
Acousa que boje menos me importa be
a minha propria salvacfio. Fstou aborre-
cido ila vi.la, pofs vejo desiruido o helio edi-1 dersdu como um signal pul iico dos sen-
quem pode dispr do governo. Enviai
crrelos a Camorn e a Peterwardein para
convidadas, e procurai assegurar n coope-
rado do commandanle d< fortaleza de
Arad. Isto, e nSo a minha presenc, he
que be sobretodo neccssirio ; porquanto,
como deveis ter recorrido torca para sus-
tentar 0 vosso exercilo, nio quero sanecio-
nar laes medidas com a minha presenta.
Recebei a seguranza de minha perfoita con-
Bderacflo.
/'. S. Zainoiski e Rissnranowski dizem
que he um dover imposto pela honra a nos
Hngaros, obrarmos de maneira que as le-
nices polacas e italianas, que estilo servin-
do ao pniz, sejam, cm caso de necessdade,
postas ao abrigo do porigo de serem bani-
dsa para a Sihcria. Estou convencido que
este he o nosso dever, c minha requisico
o genpral (uyon tem postado estas IcgiOes
do sorte quelites lique livro a communica-
q!o com a Turqua por Orsova ; poim sou
informado que vos general mandastes reti-
rar a guarnico de Orsova (dous balalnoes
smente ) para a Transylvania. Esta guar-
nico est agora em Koruya, e fez urna mar-
cha de seis militas som lomar nenbuma re-
feicfio. Estes dous batalhoes tardo perian-
to perdidos, e Orsova cahir as mSos do
iuimigo.
Os dous documentos seguinles moslram
o grande apreco que o czar faz dos servicos
do principe l'askiewitch na guerra hn-
gara :
Em justo rcconhecmenlo dos servicos
prestados ao Ibrono c ao paiz pelo comman-
danle em chefe do exercilo em operacOea,
o marechal ile campo p'gcipe de Varsovia,
o conde l'askiewitch-Eriwanski, hei por
bem decretar:
Que lodas as tropas Ihe facam, ainda
mesmo no losar em que cu cstiver, todas
as honras militares que a lei reserva para
mim smenle.
Hcalo,
ii Varsovia, 16 de agosto.
Principe Iwan Fedorowilch .' Os as-
sgn.ilailos servic,os que acabaos de prestar
ao throno e ao paiz, e que silo proclamados
pela eslron'osa voz da lei marcial, ass'gu-
ra.n o successo de nossas armas na guerra
que empreheudi para a defensa dos direi-
los leg. es de meil augusto alliado, o impe-
rador da Austria, e para a represslo da in
surreQio hngara. Vos tendea justificado
assm as minhas expeet4c0s, como as da
Russia. Obrando com discrlpcSo sem igual
em um paiz rebelde, a empregando inr-es-
sanl-s esforcosem prover as in cessidas das
tropas e seguranca de nossas pommuniea-
coes, rouseguistes, com iacnnsi leravel par-
da, oobjccio designado. O commandante
em chele e dictador dos llnngaros se vos
enlregou.
Estimo muilo saber qup, confrme o
mais charo desojo de meu roiacflo, ten les
dado toda a al lilicao ao tratampnto dos do-
enl- s e feridos que dprramaram o suu san-
gue cumprmdo com seus devores. Os sc-
eosnos importantes de nosso exereito victo-
rioso leifio sem duvida o resultado da res-
tauradlo do poder legal e a orden na Hun-
gra.
o Como urna prova de minha candida
gralido plos vossos momenlosos servipos
hei decretado que todas as tropas russas,
anda mean o nos lugares em que cu estiver,
vos facam as t.ouias que a le IOS rva para
mi ni smenle, Esle iiecrelo deve ser con-
Cio da libenlade do meu paiz, o com elle o
sancluario da llberdada europea, nilo |.or
noasns inimigns, senflo por nossos proprios
iinioos Niio he, portante,um amor covar-
de a i xislencia que d-lermina a minha par-
tida, pO>m a convicefio de que a minha
i reselles se lem lorin-iio injuriosa i palria
O general Cuyon escreve que o exercilo
concentrado junto de Tempswar ass em um
estado de Complela dissoltco. Vos, gene-
ral, i SlaiS enllocado fura de combate; Geor-
gy acha-se fente do nico exercilo
qiie. Conforme a SUS informacflo, ainda
existe, ed clara que nilo quer mais oho-
di or, poim governar, liecoinmeiidanao-
Ibe que permanecesse cm todo o caso pa-
liiola e fiel ao paiz. cedi-lbe o nfeu lugar.
i >esle momento sou meramente um
simples cidadSo a nada mais. Fui a Lugos
para examinar o estado das cousas e paia
ver o que ronvinba fazer-se para continuar
a guerra. Achei o corpo do geneial Vtc-
sey em boa ordem e animado do melhor es-
pirito ; porem todos os oulros quasi dis-
soludos. Descorfe Kmelz dcclararam-me
que seus exercitos nSo queriam mais com-
linler, e que estavam disposlo a relira-
rem-se ao primeiro tiro oe leca. Achei
por loda a paite urna falta completa do+ro-
visdea, sendo obrigados a sustentar-nos
por meio de rcqusicOes.expediente mise-
ravel que torna o povo nosso inimigo. O
banco transferido para Arad, esta n*S m.los
de Oeorgy. Estou convencido que, se Geor-
gy se render, o exercilo nlo permanecer
24 horas junto a Lugos, pois lem Lilla de
tudo. tan exercilo (de provera sua exis-
tencia por meio de requfaicjflo em um paiz
inimigo; poim em seu proprio paiz Por
minha parle nunca consenlirci em medi las
de violencia contra os meus concilladlos.
Estou prompto para salva-Ios com o aacriQ-
ciode minha vida, poim para oppnini-los
nunca.
a Bem vedes, general, que o presente be
um ea-n de consciencia. Eu uHo pule ic-
signar bnnlem, e rrassumir hoja as reileis
do poder. Se a fucilo c oexeicilo iiecidirem
de oulra sorte, lie dillerenle ; poim o ex-
ercilo deGeorgy, ornis bravo de todos,
deve dar o'seu conseuliniento. Se o nao
fher permaneceroi um simples cidadao, e
como lal nunca coopera re em me-mu
passivanienle paia n.c 'idas de terror snm,
de desliuiei"o, de pilha(:om, de requisicu e
de oppiessoptra com upovo.
Se o exercilo de Georgy me convidar
a reassumir o arader, se ennseguirdes exe
colar algn a opeacflti alim de assegurar
suppnmi utos para o vosso exercilo sem ser
preciso lecorierdes a aclos de oppres3o.
seo liaiiro tiv.-r a libordade de operar, e
islo a mu ha disi nsii;ao, entilo Com estas
cuiniii/ics aC'Miirei ao chan a :o da naco
e reassunirii o governo. Se au, nunca
cuusenlire em lal Para iiiuii a guei ra uAu
lie o.onjecio, poim a meio de salvar u
paiz Se nilu vir a possibilidade de obler
este iini, nao consenlirci na coulinuacAo
da ^uena, ii.eraiiii-nle ptlu amor de fazei
a guiti. Ai'i>oselbu-\o, pois, como buin
etuadSu e como ln-iiiem ue honra, que
norueis urna cou.iui.ssuu.de representantes
do povo; pois smente o poder soberano be
lmenlos de bonignidadecom que perma-
nec).
i Vos a Nicolao, u
l na carta de nosso correspondente, a
qual acabamos derecebercom data do 28
de agosto prximo passado, diz o seguidle :
A 18 do correte o commandanle em clie-
fe auslriaco putlicou una ordem do dia,-j
na qual, depois de declarar que a guerra
poilia ser considerada como (inda, pois que
Inda a llungiia achava-sej oceupada pelos
imperialistas, concede urna amnista com-
pleta a lodos os soldados c ofliciaeS inferio-
res do exercilo imperial que se uniraiu ao
ejercito rebelde, e ordena que sejam ad-
mitlidos oulra voz som distinCcO alguoia
shleiasdo exercilo imperial. Todos os
cadetes que tinliam sido promovidos a olli-
ciaes no exercilo rebelde, assiin como todos
os olliciaes rebeldes que antes nao linham
soi vido no exercilo imperial s3o incluidos
ue.-t.i amiiisiia.
Oue sorte leriio os chefes do exercilo re-
belde c os olliciaes imponaos que llio un -
n i rain, he o quo ainda uiuguein sabe, po-
rm cr> io que os commaiiilantes serlo sen-
tenciados a moi le, o os oulros olliciaes
prisao as fortalezas. Anda que o impera-
dor queira usar ile clemencia, o nfio podera
fazer, pois que lodosos olliciaes ausinacos
una veo*declaran) que nSo serviraocom os
reheldes. Elles izein em alias vozes que,
se no houver um oxemplo severo, a dis-
ciplina do exercilo sera arrumada paia
seui| re.
Agora quo a batalha foi pelejada e ganha
por uulr.s maos, o parlido conservador
hngaro far sem duvida tudo o que pudor
para reduzir o nosso galiineie a collocar as
cousas ni) mes io pe eui que estavam antes
dagueria: poim seus olorous sent bal-
dados, porquanto a auliga consliluie;1u
hngara lie demasiadamente feudal e mo
pode servir para o anuo de 1819, e OS 1)4-
a.eos qu elahoiaram a Carla de in.noo
tii-in a iirine inieucao de formar urna Aus-
tria constitucional grande e unida. Em vez
de procurar oppnmir o insultar a llungiia
uo ia do sua huiuiliacao, 6 Ihe conceder sem d.uviua toaos os pnvilo-
i_i.;.-, oi.mp .1 veis ooin a uuidado e igula-
melo das uiUecenles raoas que formam o
impela. Ella cusevara sua dieta irovin-
cial e suas iustuuii;i;s muiiicipaes pare o
ivgulaiiicuioue loos os negocios que lile
lrein peculiares ; poim sera tilo comple-
tamente MjhjeiU ao governo central as
uiiiioi las em que o hem do eslado em geral
for inleressauo, como qualquer oulra pro-
vincia.
> no excitar ueuiiuiii dos Hngaros, nem
mesmo de proceder com i igor contra a ua-
co ; porem lie cei to que alguna nos cape-
tas a maurreijilu h3o de ser punidos com
l.iao o i Igor da lei.
Sei de fonte perfeitamenteaulbaotica que
os Polacos, como insurreccinanos prores-
sinaos, seiflo tratados exactameute do mes-
mo modo porque fram ltimamente em
juauca, islo i,e, serflu exilados.
Nada ha aiuda regulado a respeilo de Co-
morn. A guarnic&o euviou, ba das, um of-
llcial a Arad, onde a 22 do correle o gene-
ral Haynan tinha o seu quartel-general, po-
ror a respeto do que se passou ainda nada
se sabe .
(Tima.)
PE NAfBUCO
CMARA MUNICIPAL DO RECIPE.
SESSX r.XTHAOBDINABU EM i. DE 0UTUDR0
DE 1849.
Presidencia do Sr. OHveira.
Presentes os Srs. Carneiro Monteiro, lla-
mede, Viann e Dr. Souza, faltando com
causaos domis Senhores, abno-se a ses-
so, e foi lida e approvada a acta da antece-
dente.
O secretario fez a leitura do segutnle ex-
pediente :
Um ollcio do procurador, perguntando
se subsiste a autorisaco que Ihe foi dada,
para pagar as despezas mandadas fazer pe-
los fiscaes com a limpeza das ras, visto ter
lindado o anuo municipal. Que s-ihsiste
a mesma ordem, pois que a lei do orcamen-
to municipal, que principia a regular, de-
signou quota para taes despena*.
Ouiro do mesmo, pedindo approvacflo da
convoncSoque lizcra com o Dr. JoSo F*r-
relra da Silva de pagar-lhe em prestacoes,
de que possa Ir dispondo, a importancia de
urna lettra de 1:333,000 rs j vencida no ul-
timo de agosto prximo passado, visto nao
ter pprmittido o estado do cofre municipa'
que fosse ella paga no dia do seu vencimen-
to. Approvou-se.
Oulros dos creadores Barros, Dr. Moraes
oOlveira, participando nSo podrem com-
parecer sossaode hoje. Inteirada.
Outro do fiscal da Ra-Vista, pedindo pa-
gamento da quanlia He 14,000 rs. que des-
pender com o enterramento de 5 cadve-
res na igreja de S.-Concalo, segundo a coti-
la qtiejuntou do respectivo sacrislflo.Que
se passasse man.lado.
Outro do mesmo fiscal, pedindo psrlare-
cimenios sobre os limilcs desta cnlade pelo
lado daquella fiegu-zia, e se as cdificaPes
que se fi/erem nos arrahahlps da cidade p-
dem ser de oiles singlos, como se depre-
den le do artigo ti titulo 7. das posturas.
Que fosse remeltido ao advogado para
informar.
Outro do secretario da intimidad do Ter-
co, remetiendo a relagflo dos cadveres se-
pollados na ;nosina igreja, de abril a selem-
bro do correte auno. Que se arebivasse.
Mmidou-se remoller commissio deedi-
liraolo o roqtierimento da commissito ad-
ministrativa ila companhia do thealro de
Apollo, pedindo por aforamento o resto do
alagado froiiteiro aos fundos ilo mesmo
theatro. ea informa^o do fiscal da Ra-
Vista sobre a petico de Vicente Jos do
Rrito.
Deliberen a cmara que se annunciasse
pi-.u; i para serem arromatados, no da 8 do
correte, os lalhos dos acougues pblicos.
O Sr. vereador Mfmede fez a seguinlo
proposta, que foi approvada :
Estando sem fiscal a freguezia da Mu-
ribeca, proponbopara preencher csse lugar
o ciiladAo Jos Antonio Morona, morador
no segundo districto da mesma freguezia,
a 1'aQO da .cmara municipal do llecife,
1. de outubr do 1849. O vereador, Ma-
mtde.
Mandou-se convidar o nomcado para pres-
tar juramento e tomar posee no dia 8 do
crrante.
Mandou-se expedir ordem ao procurador
para dpsmaiichar a frca origida lias Cinco-
I',mas e recolher a tnadoira.
Fram Horneados os Srs. Souza e Vianna
para tratarem do dar exocucflo ao artigo 27
do oicamento municipal vigente, a respei-
lo de um cemitorio publico.
O Sr. Vianna reqereu e obteye licenca
por 30 das contados de hoje, e levantou-so
a sessSo.
Eu, JoSo Jos lerreira de Aguiar, secreta-
rio, a subscrevi. Oliveira, presidente.
Hamedt. Moran. Carneiro Monteiro.
Uliveira. lianas
Hl III !! WIIIB'I [III !.......
llU8lilllBPE\\IIBI!Cii.
corrido sobre ter ocapitSo Pedro Ivo levan
tudo o.campo das mallas de Agoa-1'rota,
para avancar hostilmente sobre utro qual-
quer ponila provincia.
He bem de presumir que taos boatos te-
nham sido arteiramenie levantados por mal
intencionados, que desojam fazer soar ao
longo que a provincia se no tcha em paz ;
importando-se pouco que taes noticias
aterrero as familias e embaracem as transac-
ces commerciaes.
De resto, en nossa oplnifo seria bem
para desojar que o yapitao Pedro Ivo dei-
xasso as matlas, e buscasse qualquer outro
ponto da provincia, onde podesse encon-
trar-so com as trop8S do governo : eremos
que quesillo seria assiin mais fcilmente
decidida, e a tranquillidade consolidada.
COMMEftCIO.
alfandei;a.
Rondimento do dia 17,. I 13:237.803
IMPORTA GAO.
Creamare, barca ingleza, vinda deTerra-
Nova, entrada ueste mez por franqua, con-
signada a James Crabtroe & Companhia,
mamfpstou o seguinte:
2500 barricas com bscalhao, icaixasel
barrica salmflo ; aos consignatarios.
CONSULADO GERAL.
Rondimento do dia 17..... 525,013
Diversas provincias...... 33,896
558,609
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimenlo do dia 17....." 611.207
noviraenio do ?orlo.
Navint entrado no dia 17.
Ass 10 das, briguo-escuna brasileiro
Olinda, de 182 toneladas, capito Manoel
Marianno Ferreira, equipagem 11, earga
sal ; ao ca tilo.
dem 12 das, brigue brasileiro Niro, de
183 toneladas, capito Manoel Jos Ribei-
ro, equipagem 13, carga sal; a Leopoldo
Jos da Costa Araujo.
liba de Fernando 3 dias, brigue de guer-
ra nacional Caliope, commandanle o ca-
pito-tenente Antonio Carlos de Figueira
Figueiredo.
Navios saludos no mesmo dia.
I'i los do norte Vapor brasileiro Haitia-
na, commandanle o primriio lenle Jo-
s Secundino Gomensoro. Alm dos pas-
sagpiros que trouxo dos porlos do sul
para os do norte leva a seu bordo : para
a Parahiba, Antonio Francisco de Olivei-
ra, Pedro Antonio Rernardino, Francisco
Ferreira Novaes e urna escrava ; para o
Gear, Antonio Marques da Costa Soares ;
para o MaranliSo, Raymundo Cabriel Vi-
anna, Dr. Pedro Lamaner Vianna, Fran-
cisco Lamaner Vianna com 2 escravos e
Jos (oiiodves de Para.
Porios do sul Vapor brasileiro San-Salva-
tonio Carlos de Azeredo Goutinho. Alm
dos passageiros que trouxe dos portos do
nu'te paraos do sul leva a seu bordo;
para a Rahia, Joflo Uaptista Monteiro com
1 escravo, D. do Amaral com 1 escravo,
Manoel Lobo de Miranda llenriques, Lino
Reginaldo Alvim com 1 escravo, Antonio
Jos Daiboza de Olveira, Jo3o Ramos,
J nao dos Res da Souza II. com 1 escravo;
para o Rio-de-Janeiro, os alteros do se-
gundo batalbilo de cacadores, Antonio
Joaqun) Pinlo e Leopoldo da Fonsec.i
Calvan, o Dr. Luiz Alves do Azevedo Ma-
collo, Carlos Frederico Marques PerdigOo
e 1 recruta. >
EDITAES.
RECIFE, 17 BE OUTBRO DE 18*9.
Os leilorea recordar-se-ho, sem duvida, de
loriniis nos Insprido cni os infiuorus do Diario I
li'.i e 224 de (i e 8 du crreme, um officio de 5, \
pin que o Exin. Sr. coiicellieiro do rstailo pre-
si.Ionio da provincia censurava o jui de dirci- |
io iulerino da comarca do Limoeiro por ter
fe i lo publicar pela imprensa um odtro officio
que dirigir presidencia obre o reerulainen-
l > ilegal de iros individuos, amos que S. Exc.
livesse proferido sua deciaao a reaprilo. Pola
bem ; van ver agora um docuoienl i em que
ai|iielie juiz assovera que n ida influir em ae-
inelbant* piiblicatao. Kl-lo :
Itlm i /fin. Sr cancelheiro presiirnti da pro-
vincia, \ oh lo hoje publicada, em um dos
jornaes des9a cidade, o offi. io de V. Ene. de 5
In eorrrnte no i, em que censura a pulilic.ic.io
do uieii otncio de v7 resolufao de \. Exc.; cumpre-me dhf'r a V.
Exc. <|ue a pulilici'.io du citado oiticio nao foi
por vunsriiliiiieulo iipiii mandado meu, pelo
Iin- esluu iiiicirameiile sorprendido; pois,
aiinla iiuando nao eslivesse ao faolo du dispo-
sifao do aviso de 27 de fevereiro de 1847, com-
uiunic.iilo aos juips de direilo e muiiicipaes i
il i provincia fin circular da presidencia do 26
de in ri. i do iiieimo auno, por delicadeza nao
n puiilio o i.i ames da ultima decsa > de V. Ese.
Kinalinenii'.se V. Exc. ae diguasse de entrar uo
\ o il.nli ir i couhec iiionio dotse faci, liearia
convencida da iiiinba sincera rxpoii(o.
Ucos guarde Muiente a V. Exc. villa do
Limoeiro, 13 de mimbro de 1849. Illni. c
Em. Sr. i-uiuelhriro presidente da provincia,
Honorio lleriulo arneiro 1 eio.O juii de di-
.eiio interino du Limoeiro, Joo Frnciieo Coe-
Iho IHirinrourl.it
A aer.exacta a escusa do Sr. juiz de direiro In-
terino sobre a aua cuuipliciilade naquella in-
sereno, devp-sc cri' que inaos iulieis, ipue o
referido ulliciu fiir.i Incumbido, o abriram e
coiiiiaram copia drlte redaeco do Diario No-
v>; e, a vcrillcai-e tal bypolBeae, uinguein
meliior que o Sr. juiz de direito interina pode
fazer a averigoajao que elle pretende para ver-J
ii.nlen o conlieciineulo do faci, e conaeguinle-
uieiile para *ua escusa.
O Sr. juiz de direilo interino deve aaber qual
a pessoo quein couliou o aeu mencionado of-
tiiiu; e, assiin, est melhor orientado para
proceder ua averiguare que o devem iaen-
lar de haver juataiueote iacoirido as adver-
leucias ipic o Exui. Sr. coocrlheiro presidente
da provincia lite fez em ollicio de 5 do cr-
reme.
Nada consta officialmento i presidencia
acerca dos boatos que ltimamente leem
-- Pela inpeeloria daalfandega se man-
da fazer publico, par conhecimenlo do
pomiiierrio'e dequem maisrutiipi. tir.iis arts.
I.e2.0da rpsoluclodo Exm Sr. presiden-
te da provincia de 15 do rorrele, abaixo
transcriptos, que dizem respeilo a alfando-
ga, a saber :
a Artigo I.* Fica prohibido al ulterior
del i hei acati o despacho de armas, plvora,
chumbo em lencol, om barras, de munifilo
e salitre,
Art. 2. Fica prohibido pelo mesmo
modo o despacho de reexporlacSo dos ditos
gneros para as provincias limitrophes des-
la, e para os porlos della.
Alfandega de Pernambuco, 17 de outu-
b-o ile 1849. 0 inspector, l.uiz Antonio de
Sampaio I iannn.
CURSO JURDICO.
Faco saber a quom couvier que os exa-
mes preparatorios das tres lingoas latina,
franceza e ingleza serflo feilos nos livros
seguinles :
I.tTIM
Tito l.ivio e Odes de Horacio.
OracOes de Cicero e Virgilio.
FaANcex
Telemaco e Fbulas de Lafonlaine.
O Genio do Clirstianismo por Chateau-
briand e Satyras de Roileau.
KOLEZ
Historia de Inslalerra por Col Ismilh e as
Esiacas do Tompson.
O Vigario de WakeHd pelo mesmo Gol-
dsmiili e o Panizo Perdido de Milln.
Sec etaris dii academia jurdica de Olin-
da, 16 de oulubro da 1849. 0 padre Mi-
guel do Sacramento Lopes Gama, director.
Dedil ia<;a<>.
A pessoa ou pessoas que ltimamente
pelo vapor Paraensee barca S.Salvador di-
rigirn) a Joilo Antonio Rarboza de Olvei-
ra, Raymundo Jos Rabello e Joflo Caitos
Damaceno, no Para, um maco de impressos
e papis de msica, queiram dirigir-se a
esta administrado para dissolver a duvida
que houvo nessas remessas, sem o que tu-
do deixara de ser all entregue a quem se
dirigi. Correio de Pernambuco, 15 de
oulubro de 1849. O administrador, An-
tonio Joj Gomes do Correim.
Avisos martimos.
i i i
Par* o Itio-de-Janeiro propOe-se a se-
fuir breve u bngue Uom-Flm, oqualreco-
e carga a frele, eacravos e tem bous com-
modos para passageiros : quem pretender
no mesmo carregar, pode entender-se com
os consignatarios, Amoritn Irmos, na ra
da Cadoia do Recite, n. 39.
Fara o Ro-dc-.Taneiro sa-
lie, em poticos dias o patclio na-
cional Valeney forrado de cobre
e de ex cei tent marcha': para o
resto da carga e passageiros trata-
se com o capito a bordo, ou com
Novaes & iompanhia, ruado Tra-
piche, n. .34, segundo v andar.
Para Angola equalquer ou-
tro porto da ('osia-d'AI'rica pre-
tende sahir at o fim do corrente
mei, o brigue francez Faber, re-
cebe carga e passageiros, para o
que te excedentes commodos:
os pt demientes dirijam-se aos
consignatarios do mesmo, B. Las-
serre & Companhia, na ra da
Senzalla-Vellia, n. 138.
Para San-Matheus com es-
cala pela Baha segu por estes
!\ ou 5 dias o patacho nacional
Lima : recebe carga e passageiros
para qualquer denles portos; os
p 1 demientes dirijam-se ra do
Vigario, n. 19, a tratar com Ma.
diado & l'inheiro.
-- Freta-se para Macoi ou Rahia rehi-
ro hiale S.-Antonio-l'lor-do Mo, que ppgi
em iOcaixas : a tratar com mostrea bor-
do, fondeado cm frente do trapiche dona-
mos, ou na ra do Knrantameuto, n. 4
Para Lisboa abe, com a maior brevi-
dade.possivel, a barca poitugueza Ligeira,
de que he capitflo Antonio Joaqun) Rodri-
gues : quem quizer carregar, ou ir de pas-
sagem, para o que lem os melhnres cora-
modos, dirija-se a Francisco Severiano lia.
bello & Filho, ou ao mesmo capito ni
praon do Gommercio, ou a bordo.
Precisa-seda quanlia de 8:000,000 rs.
pouco mais ou menos, a risco martimo,
para pagar os roncerlos do navio do com-
mercio argentino La Plata capitflo Af.
Brorsen, o qual, indo de Bu nos-Ayres para
Antuerpia arrihuu fi'nc idamente a este
porto : as pessoas a quem o negocio conviar
queiram dirigir suas olfertas em carias fe-
chadas aovice-consuljdo argentino, ra do
Trapiche, n. 6, al ao uuio-dia, segunda-
feira 33 do corrente.
Para a Rabia segu, com brevidade, o
patacho S.-Crus : para carga e passageiros,
trata se ao lado Corpo-Saoto, loja de ma-
ca mes, n. 25.
-- Para o Havre sabe, com a maior bre-
vidade possivel, a barca franceza Zilla, ca-
pito Lemetlz : quem quizer carregar, ou
ir de passagem, para o que tem excedentes
commodos, dirija-se aos seus consignata-
rios, J. P. Adour & C., na ma da Cadeia,
n. 52.
Segu para .Lisboa com a maior brevi-
dade possivel o brigue porluguez S.-Do-
mingas, forrado, progado e encavilhado de
de cobre, do qual he c .pililo Manoel Con-
(alves Vianna : para carga e passageiros
(aos quaes ofTerece excedentes commodos;
dirijam-se ao consignatario Joaqun) Ferrei-
ra .Mendos Guimaraes, na ra da Cruz, n.
49, primeiro andar, 011 ao referido capililo,
na piaca do Gommercio.
Para o Porto seguo com toda a brevi-
da possivel o briguo porluguez Ventura-
Pilis, forrado, pregado e encavilhado da
cobre, do qual be capito Zeferino Ventura
dos Santos: recebe cargt a frote, para o
que trata-secom o consignatario Juaquim
Ferreira Mendos GuimarSes: ua ra da Cruz,
n. 49, primeiro anda-, ou enm o. referido
capito, na prac,a do Gommercio.
Leilao.
Kalkmann Irm.los continuarflo, por in-
tervengflo do correlor Olivoira, o seu leilio
de fazeudas inglezas, francezas e suissis,
todas propriasdo mercado: sexla-funa, 19
do corrente, as 10 horas da mantiDa, no seu
armazem da ra da Cruz.
Avisos diversos.
Os vertladeinrjgug a
preciaveis charutos e
Ha vana estaca vn:!a ha
ra da Cruz, 11 51, arma-
zem de .1. O. Elster.
D-se diheiro a promio em pequeas
quanlias sohre penliores de ouro ou prata,
sobre empenho de escravos, conforme se
contratar ; e em maior quanlia sobre hypo-
theca em predios livres, sendo o premios
um e meio por cento : na roa Augusta, ler-
ceiro sobrado vindo do chafariz do Aterro.
I'recisa-se alugar um sobrado de um
andar no bairro 'te Santo-Antonio, prefe-
r ndo-se as ras Direila e do LivrailiOnto,
pateos do Garmo, de San-Pedro, da Peulia e
ra do mesmo nome : na ra Direila, ven-
da n. 23.
Aluga-se um grande armazem com ser-
venta para a mar pequcu e porto de
embarque e desembarque: na ra da 8en-
zall, n. 49 a tratar com S. i. Juhnslou &
Companhia.
Alugam-se duas casas na povoacfio de
llolioi 1 lie, ao lado da igreja, sendo urna bas-
tante grande e a oulra mais pequea, cora
quintal que bota para -o rio : a tratar no
Alerro-da-lioa-Visla, n. 47, segundo andar.
-<- Precisa-sede dito coutos de rcis a ju-
ros pelo lempo de dous annoa, dando-se
para seguranca propriedades Cujos valorea
excedem a trila contos de rs.: no Aterro-^
da-Boa-Vista, venda n. 3, se dita quem pre-
cisa. Na mesma venda aluga-se a loja cora
armacSo da esquina da ruada Aurtjra, on-
de foi loja de louca ; bem como o armazem^
por detrs da mesma, prbprio para co-
cheira.
Urna pessoa qu tem as lubilitacOes "
necessarias propOe-sea dar licoes de !>-
meiras letlras cm casas parlicularer: quem
de seu presumo se quizer ulilisar, dirija-se
ao Aterro-da-Boa-visla, n. 5.


_ O secretario da irmandade
. N. S. do Terco convida a to-
jos osirm3o8.da niesma para reti-
do da mesa geral domingo, 21
do corrente, pelas 9 horas da mo-
nliSa, no respectivo consistorio,
afim de se proceder a eleico da
ova mesa regedora.
_ O depositario da cabra Pulquera ven-
drTum annnncio no Diario dt ternambuco,
em que dii oslar a mesma fgida, declara
nucfst cm seu poder a mesma cabra, de-
nosUda'a requerimento de seu curador,
nelo iuizo d segunda vara desla cidade ,
j r|) tratar dos lermosdo sua manumissSo,
oque uno ignora a pessoa] que se diz sua
senhora.
.-Aluga-se urna ama para lodo o servico
de unta casa de pouca familia : paga-se
bem : na ra de Agoas-Verdes, n. 86, pri-
ineiro andar.
Quero precisar de urna ama para o ser-
vico inierno de urna casa, dirija-so ra
das Ti incheiras, n. 40.
__ ^o dia SO do correte, pelas 10 horas
da manhfla, na ra da Senzalla-Nova, so-
brado n. 82, vSo a prags, permito o julz de
ondulse ausentes, lodos os gneros per-
tencenle a loja do fallecido pintor llenri-
que Heletz: quem os pretender, dirija-se
ao referido lugar.
Casa demotlasfrancesas
BuessArd Millochau.
Jlua do Aterro-da Boa-
Vista, loja n. 1.
Recebeu-sepelo uliimo navio do Havre
um grande orliuiento de chapeos de seda
de todas as cores para senhora; oanteletes
e capi'tinhos de seda e de fil ; luvas de pel-
lica para limiieiii e senhora ; luvas de redo
par senhora ; bonotes'e chapeos de mon-
tara; carobraias bordadas ; cambraia* de
linbo muilo lina; ricas filas; um grande
soriment debicos brancos e pretos ; flo-
res para chapeos de senhora e enfetes de
vestidos; camisinhas e pescoetnhos bor-
dados ; um grando sorlimento de bicos de
blond ; luvas cmpralas para csame ito ;
trancas, franjase.fitas de velludo para or-
nar vestidos. Na m"sma casa se fazem con-
tinuadamente chapeos e toncas de senhora,
vestidos de baile, casamento e de montara,
por preso commodo, e da ultima moda.
O annuncio das leltras ini-
ciaes J. A. P. S. inserto no
Diario de terca-fera, n a3i, nao
se cnlcndc como Sr. Jos Anto-
nio Fereira da Si'va.
--Deseja-se saber onde mora a sonhora
I). Anoa Hila dos Santos Coelho Jnior, an-
da ha pouco lempo morador na ra das La-
raiigeuas. para se Ibo entregar urna carta
com urna encommenda viada do l'ai : an-
nuncie sua morada.
Aluga-se'urna casa lerrea na ra
Padro-Klorianno, n. 6, com 2 salas, cozi-
nha lo 1 a, soti'io e cacimba : a tratar atrs da
matriz da Boa-Vista, sobrado de um andar
n. 24.
50,000 rs. de gratitlcaQflo. ,
. Fugo, noilia 6 do corrento, da casa n.
19 da ra da Alfandega-Velha, pela segun-
da vez, (tend fgido no dia 19 do passa-
do n.ez de setembro evolladoj um pardo
acabotlado.de nome Antonio, de 18 a 20
annos, de bonita figura, cor clara, cabellos
compridoso annelados, pernas um pouco
arqueadas; tem o andar um tanto pesado ;
falla asvezes precipitado ; heprovavel que
se inculque por forro ; levou camisa de ma-
dapolfio eucorpado de feitio eslrangeiro,
com a marca K. Q.,- calesa de algodlozi-
nho azul soslidas, por Urna corris enverni-
zada.chapeo de seda preto. Esleescravo per-
leuceu oulr'ora a Ignacio Gomes da Silva,
de Cedras-de-Fogo. Quem o pegar leve-o a
dita casa, que recebera gratificado cima.
--Quem precisar de um caixeiro para
venda ou para padaria, preferindo-se venda,
I i rijaso ao armazem da esquina do caes do
llamos.
--Deniz, alfaiate francez mudou o seu
eslabelecimento para o Alcrro-da-Uoa-Vis-
ta n. 38, amule os seus freguezes o sclia-
ro pro jipo para o seu servico
Os Srs. Antonio Joaquim GonsilvesGui-
maraes e SebasliSo Jos de Oliveira Mace lo,
teem cartas na casa de Novaes & C ra
do Trapiche, n. 3*.
Aviso aos Srs ourives.
Carlos Manir, ourlvos na ra Nova, n. 34,
puxa chapa de ouro a 60. rs. a oiUva, e de
prala a 40 rs.
- FUnTO.
No dia sabbado, 13 do corrente, pelo
meio dia, furlou-sedo segundo andar da
casa n. 14, ra do-Trapiche-Novo, um re-
logio voltio, de ouro, suisso, juntamente
um lvrinho de marroqum encarnado, con-
tendo a missa para domingo da Santissimu
Trindade, cm inglez i' lalim ; eumtrance-
lim gruaso de missangas pretas, e mais on-
tros objeclos, que sendo tudo do pouco va-
lor a qualquer outra pessoa, nflo o he ao
dono,que prometle 30,000 rs. aquella pessoa
que os trouxer dita casa, e guardar so-
gredo: e como a pessoa he bein conhecida
de vista, protesta-se que aondo fr encon
trada ser appreheadiJa e entregue po-
lica.
SO consultorio nomceopatico esta 9
aberto todos os das desde s 9 horas 4
tda mantilla al s 3 da tarde. No mes- a)
roo consultorio recehem-se doenles 4
para se tratar homoeop'licaineiile a 4
tj 2,000 rs. por da, ea 3,000 rs. que- 4
O rendo um quarto particular: naiua t
% da Cadeia de Santo-Antonio, n. 22. 4
m
Manocl JosO So.es embarca para 11
Rio-do-Janeiro o seu escravo Fortunato,
crioulo.
Precisa-se de urna preta cap-
tiva para fazer o servico interno de
urna casa de pnuca familia : na ra
ila Ijniiio, sobrado onde morn o
Guerra Jnior.
Aluga-se, pelo lempo de festa, um gran-
de sitio na estrada do Monteirg, rom boa
casa de vivenda, cozinha fia, estiibaria,
cocheira mutos arvoredos de fructo
ilo periodo banlio: a tratar na ra No-
>3
- Picesa-se de dous meninos de 12 a taJ.aUyilo perto do banho : a 1
ven.la, os quiejHn a. 50, primiro andar.
\z\? m-* Aluga-se urna casa no sitio do Cordel-
ro, i margem do no Capibaribe, com coni-
modos para grande familia, cozinha fra
estribara, cocheira e quarto par criado ;
urna dila mais pequea, tambem com bous
comniodos para familia, e estribaria : a
tratar no pateo do Carmo, n. 17, com l^a-
I riel Antonio.
O Sr. Jos Bento Monteiro
da Fraura, empregado no consu-
lado provincial, queira mandar pa
gar a quanlia de 18,000 rs que
deve do aluguel da casa cm que
morn ha dous annos.
Francisco Xavier Carneiro da Gunha
Camparlo faz constar pelo presente, que
contina a vender assucar de commissSo,
medante a msis/azoa'vel porcentagem, e
prometle a todos que do scus servigos so
quizerem aproveilar a maior solicilude no
cumprimento de suas obrigagOos ede nao
t'ransmlti-las a nenhum oulro; por que pre-
sume ser urna das mas mpoitantes con-
dices da correspondencia: quemsequi-
zer entender com o annunciante, o podera
procurar na rua do Livramento primero
andar do sobrado n 6, ou na Estrada-Nova,
pouco adisnle da Magdalena, casa rouxa em
confrontactln ao migo engenho da Torre
O Sr. Ezequiel de Souza Cavaleanle,
mestre de danga, queira drgir-se livra-
ria, ns. 6 e 8, da praca da Independencia.
-- J. It. Annslroug, subdito Inglez, vai
a llacei.
-Madama Julia embarca para o Rio-de-
Jinero a sua escrava Isabel.
Desappareceu. no dia 14 do corrente,
do siliodas Jaqnriras, na Pontc-do-IJchOa.
urna vacca toda preta, de raga do Angola,
com a marca O na anca; estava dando leite,
dexandn o beierio na d'to sitio ; consta
que passra o ro na Capunga e so cncann-
nhra para as bandas do Remedios: a quem
a tiverem algum silio, ou a acbarem em al-
gum lugar, pede-se a ics,tiluigflo a seu do-
no no dito sitio, o qual gratificar.
Prccisa-se de um amassador: na rua
Itin-iU, padaria 11.24
"frocisa-se de um bom ofllcial de car-
pintero para trabalhar a quarlel cm urna
obra de alguns mezes, no Passo-de-Gama-
ragibe: a fallar na pra^a do Commercio,
n. 2, primiro andar.
0. \V. Kaynon, cirnrgio dentis-
ta, na rua do Trapiche-Novo, n.
14, respeilosamenie informa ao
publico que, pelos seus mutos afazeres, se-
r obrgailo a demorai-se pas algum lem-
po nesta cidade, antes de sua retirad para
os Eslados-IIniios, e offorece seu preslimo
para toda qualidade de xtperacfles deotaes;
ara prdentes novos, tanlosingelos com
sentaduras inteiras, chumbar denles com
ouro e prala, conforme as ultimas deseo
1 erlas neUa arte.
Aluga-se, para se pasear a fosta, urna
boa casa larrea na povoacio do Mouleiro.
com qualio quartos, cozinha fra, quarti.
para escravos, dous quintae murado* oon.,
porlilue saluda para o rio, oslnbaria para
Jous cavallos, cacimba. pintada de novo:
a tratar na travessa do'teraa, n. 15.
annos, para caixeno e venda, os q
Itiihamalgoma pratica : na rua da Senz
la-Velh, 11 46.
A pessoa que annunciou precisar de
um caixeiro para lomar conts de urna casa
por balanco, dirija-sc rua larga do Itoza-
rio, n. 19.
Lu! Alvares de Azevedo Macado ntlo
tendo podido dcspedir-se pessoalmenle d
algumas prasoas de seu respoilo e amizada,
em coi aequencia da precipilacSo de sua
viagem para a corte, o faz por intermedio
desla foliia. pedindo desculpa pela falla in-
voluntaria que commrlleu.
l'eiguiiia-si'ao autor do annuncio in-
serido no Diario A'odo de 1"i do correnlo ,
a respeilo de certos cobradores de dividas,
so se enteiule com Ignacio de Souza l.u'ilo.
O abaixo atsigaaJo lendo no Diario de
16 e17do correttle um annuncio em que
se procura sabei quem he nesia prai;a sea
correspondente, declara que por estar aqui
de resdeuria nenbum correspondente ten.:
quem, porlanto, livor negocio a tratar a seu
respeilo, o pode procurar na Trempe, n. 70
Pedro Gaudianno ile Katit Silva.
Manoel Lobo de Miranda Henriques
parte para a cidade da llahia no vapor S-
Sulvador, e nflo Ibe he possivcl receber as
ordeuade seus amigos, por isso pedo des-
culpa deisa falta involuntaria.
-- Aluga-se urna boa casa, concertada e
pintada de novo, em Ollnda, na rua do Am-
paro, n. 31: a tratar ni rua da Cadeia do
llecife, 11 52.
Quem annunciou querer alugar um
sitio perto da p<(, dirija-so a rua de
A-ods Verdes, n. 62.
OfTerec-se urna pessoa pra as Ur-
des escever particularmente em casas de
negocio, duque tem p-atica : quem de seu
pvestimo se quizer utilisar annuncic.
fTereceso um rapaz brasileiro que sa-
be ler, escrever e contar, para algum es
criptorl" : quem de seu preslimo so quizer
niilijarariiiuiiciu.
Acnco.
O abaixo assignado. ofllcial de corrieiro,
acha-suliabalbando na rua ireila loja de
seljiro, n.5l, onde se proie a fazer ar-
reos para I, S o 4caval1os, e oulras multas
obras tendentes a sua arle, ludo por prego
commodo e coma maior prompiaiflo pos-
sivel:os preletidenles pdem dirtgir-sea
inenciooa'ia loja, que ah acnar0o o mesmo
abaixo a.ssigna.o.aempre disposlo a con-
tentar os freguezes.
f rancheo Xavier Carneiro.
Nanoitede 16 alo corrente, perdou-sr
no bairrodoBecife urna carleira com rs
13,000 omcedul.a, eura recibo do aluguel
de um mez de casa, passado pelo Sr. Anto-
nio Jos Uaetho do llozario : quem a achar
a-fr deconscencia, visto periencera um
pulir preto por nome Joaquim de MesquiU,
dinja-se.a rua da Sanzaila-Nova, a entregar
>o uiesmo, casa de um andar, 11. 37.
"Bxas de Hamburgo a
560 ris.
Xlugam-se bixas dejlamburgo : na rua
de Hullas, loja Ue barbeiro, n. 42. Na mes
m* luja vendem-se 2 methodos, um de n*u-
la e outro de violflo, por prego commodo.
Um rapaz brasileiro, solleiro e do boa
conducta, se offereca par* caixeiro de loja
de fazendas. forratiens, riin J padaria e mesmo para fuitur de algum sitio
perto da cidade : quem o pretender, iliri-
ja-se rua eaUcita do llo/.ario, u. 5, casa de
Jos -Macielo, ou aiinuiicie.
O pbarmaceutico que annunciou que-
rer-se airumar dirija-se ruado Gollegio,
n. 18.
--Manocl da Gunlia GuimarSos Ferreira
tem feitosua residencia na cidade da Para-
b i lia-do or le desde o dia 29 de julho de
1848.
Na rua Nova, loja n. 58, se dir quem
ddinheiroa promionas quanlias do 200,
300 e 400,000 rs. com liypolheca em casas
terreas.
Precisa-se de nina preta
boavendedeira de doce: nauta
do Trapiche, n. 44-
Quem annunciou querer hypothecar
um sobrado de dous andares em bu roa,
dirija-se rua estrellado Rozaro, n. 43,
segundo andar, que se dir quem faz este
negocio.
Precisa-se alugar urna barcaga que
carregue de 20 a 30 ciixas : quem liver an-
nuncie.
I'rccsa-se saber quem nesla praca he
o correspondente doSr. doutor Pedro Gau-
diano de Ralis c Silva.
Aluga-se a loja do sobrado da travessn
doQqeimado, n. 1, propra para qualquer
eslabelecimento : a tratar na ven la junto
a mesma loja.
Deseja-se fallar ao Snr. Joo Francisco
de Oliveira, senhor do engenho Lmoeiri-
iito, ija freguezia da Escsda, ou ao seu cor-
respondente nesla (iraca, a negocio que
imito Ibe interesa: no becco do theatro,
segundo andar por cima do botquim.
Carlos Hardy, ourives na
rua Aova, n 54,
previne ao publico o principalmente aos
seus freguezes que mudou aau estabeleci-
mentedon 32 para o n. 31 defronlo da
Concegflo dos militares, aunde contina a
vender e fabricar obras do ouro de le,
c obras ditas da trra. Na mesma loja tam-
bem so vendem luvas pretas de maia, lisas
e com ^^csj de cores; luvas do pellica
para liomem esenliora ; mcias de seila pa-
ra menina*; ditas brmease pretas para so-
nhora ; 'liea* lilas pata enfeitcs 'le chapos;
liassariihos brancos o de cores para cha-
peos; pennus brancas com passarinhos pi-
ra cabega de senhora ; lengos de nulo, bor-
dos e com bico de linho verdadelco; ditos
Je gargn ; camisinhas do cambraia; lou-
casdo 1:1a e de fil de lilitio para baplisa-
dos ; chapeos de palliinha para senhora e
meninas ; ditos de palha fechada, arrenda-
dos e brdanos, muilo lindos o vindos pelo
Socrale ; chapeos de seda de cores ; mante-
letes pretos para senhora, por mais barato
prego do que em outra quilquer parte ;
franja preta tara manteieles.

DOWMAN & 1IC. CAI.I.UM engenhei-
ros niachiuislas t fundidores de ferro, mui
respeitosamente annunciam aos Senhores
proprietanos ileongenhos, fazendeiros, mi-
neros, negociantes, fabricantes e ao res-
oetavel publico, que o seu eslabelecimento
de ferro mvido por machina do vapor con-
tina em effeclivo exercicio, e se acba com-
pletamente montado com apparelbos da pr-
meira qualidade para a perfeita confccgo
das maiores pegas de roachinismo.
Habilitados para emprchender quaesquer
obras da sua arte, llowman & Me. Callum
iiesejam mas parlicularmnto chamar s
altengilo publica para a sseguintes, por
terem deltas grande sorlimento jprompta,
as quaes construidas na sua fabrica podern
competir com as fabricadas em paiz es-
lrangeiro, tanto em prego como em qua-
lidade das materias primas e mio d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melborconstrucgno.
Moendas de caima para engenhos de lo-
dos ostamanhos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra
rias.
Manejos independeutes para cvanos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzes e chumaceiras.
CavilhOes e parafusos de lodos os tama-
itos.
Taixas, pares, crivos e boceas de rorna-
lh- .
Moifrhos de mandioca, movidos a mao ou
por animaes, c prensas para a dita.
Chapas de fog.loe frnos de familia.
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze. .
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mSo, por animaes ou valo.
Guindastes, guinchos o macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
bh.ias.
Columnas, varandas, grades e porloes.
Prensas de copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de m3o e arados de ferros,
&c, &c.
Am da superioriade das suas obras, j
feralmente reconhecida, llowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remettidos
icios Senhores que se dignarem de fazer-
,hes encommenda*, aprovelando a occasio
para agradecorem aus seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com iiiu; teem
ido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nSo pouparflo esforgos e diligencias
para continuaren a merecer a sua confi-
uca.
Compra-so umu espada do bain'aa do
cotirn, para ofllcial de primeira linha : na
rua Nova, loja de sellelro, n. 28, defronto
da Conceig.lo: lambem se compra 1.1a de
carneiro, anda sendo j servida.
Compra-se .fia de flecha de canna e bar-
riguda, a 6.000 rs. a arroba : na rua- da Ca-
deia do llocife, n. 27.
Compra-se jum pililo grande que este-
ja em bom estado: na rua da Florentina,
venda n 30
Vendas.
Compras.
Compram-se dous moleques de doze
annos, que nfio tenham vicios nem acha-
ques : pagam-se bem : na olaria dos Coe-
Inos do Sr. I)r. Antonio Jo.-c pereira.
Compra-se, para fra da provincia,
urna escrava n.oga, e de bonita figura,.que
seiba cortar e Inzer urna camisa do lio
mem e ungommai, ludo islo com perfeigSo-.
nao se olha a prego : na rua das Laran-
geiras, n. 14, segundo audar.
VENDE-SF, urna cominela da ordem
deCbristo: no palco do Tergo, n. 1, so-
gundo nadar.
Na rua larga do llozario, padaria n 18,
vendem-se 200 barricas vasia qoo foram do
farnhi de trigo, por menos do que em ou-
tra qualquer parte, afim de se desoecupar o
lugar.
Vendem-se 8 bos mansos e gordos : no
engenho Capibaribe, ou na praga da Roa-
Vista, venda de Antonio Jos de Magillifles.
Vendem-se saces com milho de mui-
lo superior qualidade, por prego commodo:
na rua do Codorniz, n 8.
Velas de carnauba.
Vendem-se, s.em caxas, as superio-
res velas de carnauba, a imitagilo de esper-
macete ; couiiiihos miados ; barricas com
sapalOes ; ssccascom feijilo ; sola ; pennas
de cnta : na rua da Cruz, no Recife, n. 24.
No armazem de sal, vende-se um bo-
nito escravo crioulo, de 18 annos, por pre-
go commodo.
rCwteiras, chapeos, s,t pa-
tos e pennas de hea
viudos do Aracntv.
a/
Vendcm-sc os gneros cima em
grandes c pequeas porcoes, por
preco commodo : no Poi te-do-
Mattos, rua do Amorim, armazem
de A. J. Vidal Sr f'ompanha.
Ven le-so una vacca do raga tuina,
lilha do pasto,.que lie boa lilcira eS'ip-
pOe-se estar prenhe de 7 a 8 mezes, por pre-
go commoilo : na rua do Monleiro, easa do
Joaquim Tibiircio Ferroira.
- Vende-se brim de liiiho azul de qua-
lios niiuilinbi.s, proprio para roupa do me-
ninos, a 160 rs. o cova lo ; dito a 3fi0 rs. :
na roa do l'asseio, loja n. 17.
Vende-so un piano vclho, por prego
commodo: na rua di Moda. n. 11.
~ Vende-se a padaria defronle da groja
a Soloda Je : a tratar na mesma padaria.
Vende-se, por se alo precisar, urna ri-
ca c ptimamoenda todo do ferro o nova ,
a qual custou 1850,000 rs., o da-se por
muto menos de seu valor, pela grande pre-
CfsSo de dinheiro : om Olinda, rua do Ma-
lliias-Ferreira, n. 45, ou nesla lypograuhia.
Calcado
Vendem-se sapaliles de cnurn de lustro
para liomem, de 4 a 8,000 rs. ; borzeguins
de Nanles, a 8,000 rs. ; .lilos ilal mos, a hH
rs. : sapal0stlb'/."rio lo Nautas, de su-
perior qualidade;ditos in^le/.-s j ditos do
Aracaly, 1 000 e 1,280 rs. ; sapalos dfl
couro lustro para scnhura a 2,210 e 2,560
rs. ; d los de marro juun preto o de coros",
a 1,600 rs. ; ditos de duraque do l.isboi, a
l.OOOrs.; pclles de couro do. lustro do boa
qualidade, francez c htmburguez ; mar-
roqum surtido, a 1,920 rs. a pelle : na pra-
ga da Independencia, ns. 13 o 15, loj do
Arantes.
Para cortinados.
As mais ricas franjas de algod.lo para
'guarnecer cortinados : vendem-se na rua
do Queimado, n. 8. IMo-se as amostras.
Vende-se um escravo mogo, do bonita
figura, por prego commodo : aa rua do Ca-
linga, n. 3.
Vende-se, ou permut-se pnr escravos
de ambos os sexos, mnis do metade do um
sobrado de2 andares, silo no principio da
rua de llorla*, com portSo para a rua do 8.-
Therezs, com bastante commodo* e bem,
construido avahado cm 6 000,000 de ris : I
na rua Nova, n. 67.
Sil do As^.
Vende-se sal do A.ss a bordo
do biigue-esctina Olinda, tundea -1
dona volta do Fot te-do Mallos :
a tratar com o capilao a bordo, ou
com Machado & Pinhciro, na rua
do Vigario, ii. 19, segundo andar
~ VVndem-se 12 escravos, sendo: 4 mole-
rotes, muilo lindos ; um mulatinho de ida-
de do 17 annos; dous escravos quo cozinham
bem odario;4iiegrinh)sdeidadcdo 18 an-
nos ; 3 escravos de todo servico, um dos
quaes he carreiro : na rua llireita, 11. 3.
Vendem-se dous barril de mel de en-
genho, pelo diminuto .prego de 610 rs. a ca-
ada : na rua do Apollo, n. 7.
20:000,000.
Vendem-se bilhel s e meios bilhetes da
decima-primeira lotera ordinaria a bene-
ficio do thealro da imperial cidade de Nic-
theroy do Itio-de-Janeiro : no becco da
ongregagflo, n. 41, loja de hiendas.
V< ndem-se escravos baratos,
ni rua da? I.arangeiras, n. 14, se-
gundo andar, sendo : una parda,
de 28 annos, de muilo boa con-
duela, que engomina, coze e cozi-
nha ; tres ditas, com habilidades ;
tres pretas mocas, de bonitas figu-
ras 5 tres moleces, sendo um bom
eozinheiro ; dous moleques, de 14
anos ; tres pretos, ptimos para
todo o servico ; e mais alguns es-
cravos.
-No hiate S.-Anlonio-Fior-do-Rio, fon-
deado defronle do trapicho do Ramos, ven-
em-se pedras de amolar, por commodo
mo, a 320 rs.; manteiga francezada mais
superior que ha, a 520 rs.; loucinho muilo
bom, a 180 rs ; cevada, a 70 rs.; carne do
Coar, muilo boa, a 120 rs. ; cha liysson do
primeira qualidade, a 2,240 rs. ; bacallio,
a 80 rs. ; pomada, a 240 rs. a duzia ; ar-
roz pilado muito bom, a 320 rs. a cuia ; fei-
jao mulatinho milito novo o alvo, a OO rs.
a cuia ; azeto doce do Lisboa, a 5J0_ rs. a
garrafa; vinagro, a 80 rs ; vinho de Lisboa,
a 200 rs. ; milho, a 140 rs. a cuia : e tudo
malaperlenoeolea venda por*prcgo com-
modo : au rua de S.-Jos. esquina que vol-
ta para a abobada da Penha.vonda de 4 por-
tas, n. 2.
Vendem-se luvas de rede de
lorcal de seda, brancas e pretas,
da ultima moda : na rua da Cadeia,
n. 15.
Vendem-se duas bonitas negrinhas ,
propruij para mucamas ; um preto do An-
gola, e mais alguns escravos: na rus da
Cadeia do llecife, n. 39.
Vondcm-so dous moleques, um cozi-
nha o diario de urna casa, e outro he ofli-
cial de alfaiate e proprio para pageni: na
rua da Cadeia do Recife, n. 39.
No Aterro-da-Bos-Vista, defron-
te da boneca,
sao cliogados os muilo desejados sapatos
dehczeiro do Nanles, para liomem; bem
como a 111 com piel o mu ti ment de calgado
do todas as quntidades, lano para bouieni
como para senhora e meninas : tudo por
piego commodo,
m^a; s nmmm mmmmmmwm*

Loteras do Ro-de !|
Janeiro.
Aos 2O:O00,O0rt rs. *
20." a favor do monte-pio e
]Sictlieroj.\
. n,5oo
Jl I .* doiftealro dt
Meios bilhetes.
Quartos .
(')itavos .
Vigsimos
5,5oo
2,800
l,3oo
prego.
Bom e barato.
Vende-se azeite de ""Pa,"0ars2* !f.
a cariara : assucar retinado, a 100 rs. a 11
br. .Ilo'brauconovo.a90 rs ; MI
cavado "os.; sabilo.a I2rs ; cafe de
Pr mer .orle, a 120 rs.; velas de carnau-
ba, a 280 rs., de superior qualidade ; fu-
J Na ruado Collegio, n. 9.
- Vende-se urna preta moga, ebegada da
Rabia, com habili lades : na roa larga do
llozario, loja do mludezas, n. 35.
Aos 110:000,000 de ris.
A elles mies (|ue se
acabem.
Na rua da Cadeia do Recife, loja de fazen-
das de Jofto da Cuaba Magalhiles, vendem-se
os muilo afortunados bilhetes, meios,
quarto*. oitavos e vigsimos da vigsima
lotera do monto po o da decima-piimeira
lotera do thealro de Nictheroy: na mesma
loja exislem as listas das loteras passadas.
Vende-se unta preta de naglo, de 1 iad*
de 1S anuos, do muilo bonita figura, sabo
coziahar o diario de una casa, ensabOj
muilo bem e co/e rhHo : o motivo por quo
so vndese, dir ao comprador: na roa Mel-
la, n. 23.
Novo sortinieiito *e fa-
zikIls baratas, na rua
do Crespo, n. 0. ao |>
do lampeS).
Vendem-so corles decassa franceza com
10 aovados a 2,5fi'J rs.; fegas de cambraia
de quadros com 8 varas, a 2,720 rs.; cassa
preta para lulo, a 110 rs. 0 covado ; zuarto
com 4 polmos de largura a 200 rs. o cova-
do; riscado ministro a 220 rs. o covado ;
chitas do Aras fitas a 160el80 rs. ; cha-
les de tarlatana, a 500, 800 e 1,000 rs., de
milito bom (oslo; cortes do brim do puro
linho, a 1,280. 1,510 o 1.601 rs. ; chapeos
de massa a 1.G00 rs. ; dilos de seda a blO
o 480 rs. cobertores do algod.lo america-
no, a 610 rs. ; piclo muilo eoorpado, *
180 is. 0 covado ; pegas do madapolo mul-
to lian e com pintas de mofo, a 3,600 rs.
-- Voiidcm-sec.mbn.ias de bonitos pa-
drOes, com 10 covados cada corte : na ru
do l'asseio, loja u. 17.
Pioprios para presente.
Aventuras de 'lelemaco, em
francez, rica encadernacao em ver-
dadeiro marroqum, com estam-
pas, i pequeos voluntes, por
Gsooo.
Fbulas de Lafoniaine, cm
francez, riquissima edico Ilustra-
da, excellenlcs gravuras, a volu-
mes, por 8sooo.
Auna de Gcierstein, ou a Don-
zella do Nevoeiro* um dos mais
lindos romances de Walter Scott,
traducido en. portuguez por A. Ka-
malbo, de Lisboa : 4 volumes, por
Gs'ooo.
Vende-se cada orna destas obras
separadamente, na rua do Rozano
larga Joja de J. J- Lody.
Esro-se acahando.
n,iiexslem alguns dos ricos msntete-
tesp?u.s, de cores, vin.los prfo' ultimo
nv.o do franca, os quaes se vendem por
.nos prego q>' <"" outra qualquer par-
! Z vende-se, na rua doOueimado. n. 17.
'"i- Vendem-se Rias barricas de-nova e
muilo superior faraha de trigo : na rua da
lea do Recife, escriptor.o de De.ne \ou-
10 & Companhia. ou no primiro armazem
do becco do Gongalves.
_ vende-se um molequo de bonita figu-
ra : em Fra-de-l'orlas, n. 19.
vendem-se 8 liados moleques de 12 a
18 annos ; 8 pretos de 20 a 25 MBWMIIpar-
dos do 1 25 anuos, sendo umdellos pti-
mo eozinheiro ; duas pardas de 17 a 30 an-
uos com habilidades ; 6 prelas com habi-
lidadrs, de 17 a 20 anuos ; urna negnnha de
11 annos, com principios de costura : na
rua do Collegio, n. 3, sedir* quem vende.


"
m
mam
-- Vendem-so amarras de ferro: na ra
Ja Sen/.nlla-Nova, n. 42.
Taigas para erigenho.
Na fundieflo de ferro da ra do Itrum,
acaba-so ile recoher um completo sorlimen-
10 da taixas de* a 8 palmos lie bocea t*
quae* aeham-so a venda por proco oom-
tnodo e com promptid.lo embarcam-se,
..u carrocam-seoin carros sem despezas ao
C90I tirador.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molbados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. fifi, lia para vender, chocados
pelo ultimo vapor .vindo do sol superio-
res charutos S.-Felix, e de outras muitas
qualidades que so vendcrSo mais barato do
quo en onlra qimlquer parle : bem como
cigarrllhoa hegpanhoes ditos le palha de
milho, que se estilo vendeudo pelo diminu-
t o prec.o de 500 rs. o cento.
Pos o al vallicos para
P ratear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
Tods'sas pessoas que possuem objeelos
pratcados o que tenham perdido a cor ar-
snica, estando por isso indecentes, ou inu-
tilisados, leem nestes pos um escolente
restaurador o conservador dos mesnios
objeetos semprc como novos sondo o pro-
cessu pr so usar tielles o mais simples ,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho mnlhado.em agoa fria e passado
nos meamos pos.
Urna caixiuha contendo quantidade suf-
licienle para pratear mais de 40 palmos
quadrado. cusa a mdica quanfia de
mil rs.
A 4,y0O o corte de novas
alemas de seda
com lindos padrfles de lisias e quadros, co-
res iiiodornas, clarase oscuras at pretas ;
cang-is amaiellas da India, i roprias para
todo o Irage de homem e de meninos ; bom
como um novo sorlimenlo de fazeudas li-
nas e grossas por lia rallas! mo proco: no ar-
mazcm de Itaymuiido Carlos Lcite, i)a ra
do Queimado, n. 27.
-- Vende-se um'cabriolet inglez, muilo
forle em oplimo estado e pintado de novo:
na cocheirn do Sr.iMounicr, no Aterro-da-
Itoa-Visla.
Mncnchs superiores.
Na fundic.no do C. Starr & Companhia ,
em S. -Amaro, acham-se venda moendas
de caima, lodas de ferro, de um modelo e
construccjto muilo superior.
Novo marinpollo pae te
com mais de 40 jardas
cada peta
com largura quasi de urna vara fazend*
a mais fina que se i 'lc imaginar, por isso
ptima para linio pelo diminuto preco de
!l 000 rs. a poca ; bem como lodo o sorli-
tneilto de fazeudas finas c grossas : no no-
vo armazem de fazeudas de llaymundo Car-
los l.eito, na la do Queimado, n. 27.
n ra do Amorim, n. 35. casi de J. J. Tar-
so Jnior.
Tecidos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na ra da Cadeia, n. 15'i.
vendem-se por atacado tres qualidades,
proprias para saceos do assucar e roupa do
escravos, a 250, 280 e 300 rs. a vara.
Arados de ferro.
Nn fundirlo da Aurora cm S.-Amaro ,
vendem-so arados de Torro de diversos mo-
delos.
Vende-so superior cal virgem de Lis-
boa viuda pelo ultimo navio por preco
mdico : a tratar na ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.
Cha brttsileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molhados, airas do Corpo-Santo, n. 66, o
mais escolente cha produzido em S.-Pau-
lo que lem vindo a esto mercado por
proco muito commodo.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodflo ameri-
cano, enrorpadose grandes a duas pata-
cas ; chitas escuras de bons padres e co-
res seguras, a meia pataca o covado: na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor,
RA DA 8KNZAI.T.A-NOVA, N. l\"X.
Neste estabelecimento conti-
na a haveium completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e taclias de ferro Latido e
etndo, de todos os tamanhos,
para dito.
-- Vendem-se relogios de curo e prala,
patentes inglezcs: na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
Corles de brim de puro
.linho, a 1,280.
-- Vendem-se corles de brim trancado
pardo de pu'o linho, pelo diminuto proco
de quatrn pal cas : na ra do Crespo, loja
da esquina que volta para a cadeia.
Na ra do Crespo, loja da
2 esquina que volta para a
'-> Cadeia, vendem-se
>.' os arredilados brins brancos de lis-
Vr Iras, lisos e amarillos, a 1,500 rs. o
cute ; dito muilo superior, a I,00
rs. lodos do puro linho ; panno fino
t# preloeazul, a 3,200 rs. o covado;
-j> dito muilo superior, a 5,5f0 rs.; fus-
1 loes muilo bonitos, a 640 rs. o cr-
<* le; ditos de velludo muilo ricos a
ft 9,500 rs. ; pecas de eambma de qua-
Kc: dirs de 8 varas e meia, a 2.720 rs. a
% pec.a ; cassas pretas inulto bolillas,
*d> a l.tlo rs. o corle ; mada| olilo enfes-
3 bulo muilo fin", a 5,400 rs. a peca ;
\t corles de cale* de selinela de ci'ir,
fe n 880 rs. ; ditos de caslor, a 1.000
t> rs. ; chita azul para escravos, a 140
? rs, o covado; picote muilo encorpa-
$ do, a 180 rs ; plaiilbas .le linho, a 500
vy rs. a vara ; esguiflo de linho muilo li-
# no e com 4 palmos e meio de largu-
t2> ra a 1,440 rs. a vara ; corles de
#>; brim da algodflo, a 800 rs. ; e ou-
{ tras muilas fazendas por prego com-
, modo.*
9
% 9>&99r%9999>99mm&GQ^M&
Vendem-se 2 cabriolets inglezes, em
muilo bom estado com todos os si us icr-
teiioes por proco commodo : no Aleiro-da-
Doa-Visla n. 52, cocheirade i.uiz Monier.
31adapoIoes linos a
.GOO rs. a peca.
Vendem-se madapolnes finos.com 21 jar-
das com im poqueno loque de mofo pe-
lo proco do 3.600 rs. a pega : na ra do Cres-
po, loja da esquina que volta para' a ca-
jeta.
-- Na roa eslreita do Itnzario n. 43, se-
gundo andar vendo-se um escravo perito
oflicial de'sapalojro o que he bem moco:
o motivo porque se vende se dir a com-
prador.
-- Na loja do Eslima & Ramos, no Aterro-
nas muito ricas para gilSo bem como
um habito esmaltado do Chrislo.
A 900 rs. cada urna
vara.
Novo algodflo california com 8 palmos
de largura na ra do Crespo, n. 5, loja
que faz esquina para a ra do Collegio ,
vende-se o novo algodio tianr,ado pro-
prio para toalhas com 8 palmos de largu-
ra icio barato preco do900 rs. cada urna
vara.
Novos cortes de cassa pa
ra vestidos.
Vendem-se cortes de cassa para vestidos,
de cores lisas e de bonitos padrrtes, a seie
e oito patacas o corte ; chales de tarlatana ,
grandes a 800 rs. ; meios ditos, a 500 rs. :
na ra do Crespo loja da esquina que vol-
ta para acadeia.
t olha de Flandres.
Vendem-se caixascom folha de Flsndres:
cife, n. 50, vendem cal virgem de ftshos,
de superior qualidade por preco mais ba-
rato do que em outia qualquar parle.
ervo methorio pratico e
theorico da lingf>a tran-
ceza, por Luiz Antonio
Bur^ain 2 v.. por 6#
Acaba de appareccr n Rio-de-Janeiro es-
ta interessante grammalica pola qusl em
muilo pouco lempo o som a fastidiosa ta-
ro fa so aprende a fallar, Iraduziro escrevercom
perfeicnn a lingos franceza.
Vende-so aqui na praca do Commercio, n.
2. primeiro andar.
Ztiartes de furta-eres a
200 rs. o covado e pis-
cado nionstro a 220 rs.
Vende-se zuarte do furta-cres muito
encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra do Crespo, loja da esquina que
volla parr a cadeia.
Aenco !
A 1,000 i cis.
Vendem-se cobertores de algndSo dobra-
dos, ptimos tanto om qualidade como cm
tamaito, com 8 palmos de largura e 11
de comprimento, pelo barato preco de 1,000
rs. cada um ; bem como um completo sor-
limento de fazeudas novas o haratissimas :
no armazem de/azendas de Raymundo Car-
los i.eile. na ru'a do Queimado, n. 27.
--Vende-se por mdico preco um piano
de Jacaranda, o mais rico em gosto e vozes :
na roa da Aurora, n. 24, casa de Francisco
Pires.
Um piano.
Vendo-so um piano muito bom para
peludo, bonito o de excedente autor:
na ra do Collegio, n. 9.
&
llameas.
Vendem-se barricas vasias que foram de
farinha em p e bem acondicionadas :
lia ra do Amorim n. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
Deposito da fabrica de
rodos-os-Santos na Baha
Vendo-se em casa de S. O. Ilieber & C.
ja ra da Cruz, n. 4, alundHo trancado
aquella fabrica, muilo proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Deposito de Potassa.
Vende se milito nova potassa J
de boa qualidade, em barriszinho:.
pequeos de quatro arrobas, por
pirco barato, como j ba muito
lempo se nao vende: no ilecife.
ra da Cadeia, armazem n. 11.
Vende-se-, a bordo do hrigoe Marcial ,
chepado do Rio-Crande-do-Sul bom sebo
em rama por preco commodo.
A ,i>00 rs.
Vendem-se pecas do esguiio de Irlanda ,
fazenda mnilo enenrpada o de 4 palmos de
largura i elo diminuto pre?o de 5,500 rs. a
poca cooi 10 varase meia, ea vara a 560
rs. : na ra do Crespo, n. 14, loja de Jos
Francisco Das.
adeiras de palbinha e
de baiarco,
hem com oulros muitostrastes: vendem-se
em casa de Kalkmann Irinflos, na ra da
Ciuz, n.10.
ap roldo francez.
Vende-se o superior rap roblo francez ,
nicamente as lujas dos Srs. Caetano I.uiz
Ferreira no Alerro-da-lloa-Vista n. 46 ;
Thomaz deldatios Islima na mesma ra,
n. 54 ; Francisco Joaquim Duarte ruado
Cabug ; Pinto & Irmflo na na da Cadeia
do llecifc, n. 19.
Charutos de Havana
venladeiros: em casa de Kalkmann Ir-
aiflos ua ra da Cruz n. 10-
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ma do Trapiche, n. 17, ba
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
A 5iO rs.
Na ra do Crespo, 11. S4,
loja de Jos Francisco
Dias, .
vende-se hamburgo muito fino com 3 pal-
mos e meio de largura e com mistura de
olgodilo, pelo barato proco de 320 rs. ai
vara.
Vende-se umapreta donscao,
zinha.lava
ainda novo: na travs de Veras, n. 15.,
das 6 s 9 horas da nianlifla, e das 3 as 6 da
larde. _..
Encellas Wine,
ofverv superior qu.lity-to llWrtJ
stor.e of Sr. Dias Ferreira Cusiom House
square. .
Velas de egperniacete,
das melhorcs que teem vindo a ertg^ercej
do: vendem-se em ca.xasdo lllrn. em
casadelticardoiloyle.ns ra da Cadea-
Velbs, n. 29. m ..
_ Vendem-se sapatSes de cou-
ro de lustro feitos no paiz, pelo
baratissimo preco de 3,ooo, 4,ooo
e/|,5oors. j ditos para meninos,
a 2,ooo e a a,5oo rs. } ditos bran-
cos do Aracoty para homem, a
na ra da
1,000 e a l,aoo rs
Cadeia do Recite, n. O
Na ra da Cruz, armazom n. 33,
deSa
Araujo, vende-se cal de Lisboa, em barns
de4arrobas, vinda pelobripue yoto-Ven-
ce ino en saccas, muito bom, branco e de
outras qualidades. chegado do Aracaty, por
preco em conta ; assim como sola; couros
miudos; saplose caixas para rape de lo-
dosos tamanhos.
A 3,000 rs.
Vendem-se oDtimas mantas de seda para
senhora a 3,000 rs. : na ra do Crespo, n.
II, loja de Antonio I.uiz dos Santis & Com-
panhia.
-- Vende-se urna loja de Tazendas com
muito poucos fundos, e bonita arma^fio de
vinhatico: na ra do Passeio, n. 17.
P- Vende-se brim trancado de bonitas
j* cores, a 640 rs. a vara ; dito tranca- J
W doamarelloedo linho puro, s 640 S
" rs. a vara ; macedonia de cores imi-
Nesla loja vendem-se cortes de casi-
mira clstica, dos mais bonitos padrees
que teem apparecido nesta praca a 6,500 e
7,000 rs ; lencos para gravatas, dos melho-
res eoslos e linos em qualidade, a 1,500 e
2,000 rs. ; chales de la e seda de lindos
padroes a 5, 6 e 7,000 rs. ; ditos mais pe-
queos lodos de seda e muilo finos, a 6,000
rs. ; ditos de cadilho, a 480 rs. ; lencos da
mesma qualidade, a 120 rs. ; merino prc-
lo de duas larguras, a 1,500 rs. ; dito mui-
lino.a 2,000 rs ; cortes di) cambraia de
coros lixus, a 2,000 rs. ; vestidos bordados,
brancos e de cores a 2,000 rs ; cambrais
buriladas,brancas > de cores, 320 rs.; dilas
de dilicicnles qualidades a 240 rs. a vara ;
chitas de bous pannos e de cores lixas.a
140 rs. o covado ; e outras inuihs fazen-
das que pela qualiJadc e precos convidan).
relie do diabo
a 1,280 rs. o corle de coicas.
Vende-te a superior fazeuda paia cli;iis,
denominada pille do diabo, pelo baralo
proco de qualio patacas o corte de Cuica :
n ra do Queimado, n. 8.
Arroz de casca c mullo
novo.
No armazem noliracuec, ao p do sreo
da Conceicfio, v-ndem-se saccas grandes
com arroa de casca e milho novo, polo m-
dico proco de 3,000 rs cada urna.
-- Vendem-se nculos de ver ao longe,
proprios para llioatro, jaiiellas, ou mrsmo
paia si tibores de engolillo, que de suas ca-
sas | o li in com facillidaiie conhecer, nSo
s quem vem enmo quem tralulha ou n5o
no campo, por 3,060 rs cada um : esta des-
coteila fin Movida ao acaso em 16U9: na
ra larga do Itozario, n. 35.
5 *
t Vendem-se corles do calcas de brim A
6s branco, Uaiir>sdOS \/f ; ditos de dito #
*-n iiini- rrI lo e de puro linho, a 1,440 rs. ; -4
^ ditos do dilo do crese de bons pa- $
4 drfus, a 1,440 rs.; corles de colleles <
de sin ja doalgodilo e seda, a 640 rs. ; fe
e ni 11 us muilas fazendas muilo em fe
' conta : na ra do Queigiado, loja do ()
$ sol rudo amarillo, n. 29. ^
* #
Peeliinclias para
liquidaco. *
Vendem-se corles de gorgorito de seda
para colleles, a 1,600 e 2,000 rs., superior
lazomla ; ditos de velludo Invrado, a 1,600
rs o corle ; casimira cor de vinlio com seis
palmos de largura, propria para palitose
jaquelas, pelo diminulo proco de 1,600 rs.
o covado ; cortes de cassa para vestidos
com sote varas de erres linas o de bonitos
padrOes, a 2,000, 2,500 o 3,500 rs.; mantas
do seda, tanto para senhoia com parame-
ninas, a 5,000 e 6,000 rs. : na ;rua do Cres-
po, ao p do arco do .S.-Antonio, n. 5 A :
bem como casimira elstica prela, bstanle
larga a superior, a 2,80o rs. o covado.
Velas de cores.
Vcndem-so, no armazem de molhados
^ laudo casimira, a 560 rs. o covado ;
^ riscado largo para camisas, padres
E novos, a 280, 300 e 320 rs. o covado ;
riscado monstro, a 240 e 280 rs. o co-
W vado; alpaei prela,a 600 rs. o cova-
> do; sarja prela deba lavrada, pro-
9 pria para forro de obras, a 600 rs. o
S
covado: na ra do Queimado, loja ^
do sobrado amarello, n. 29. ^
Agoa de tingir cabellos e suissas.
Conlina-se a vender agoa de tingir ca-
bellos c suissas : na ra do Queimado, n.
31. O melhodo de applicar a dila agoa acom-
pauba os vidros.
Lapis de desenlio de cores,
sendo azul, branco, encarnado, amarello,
verde e de outras muilas cores : vende-se
no pateo do Collegio, n. 6, loja de iivros do
Sr. Dominio.
Vende-se, ou troca-se um inoleque de
12 a 13 anuos, de bonita (gura, sem vicios
ncm achaques, por um maiorquo sirva pa-
ra aprender ollcio: na ra Nova, loja de
unilciro, n. 38.
A !,80rs.o corte de
vestido.,
Vcndem-scriscadosescocozescom 4 pal-
mos de largura e de coros lixas, a oito pa-
tacas o corle: na ra do Queimado, loja
n 8.
Vcnde-se melade de urna casa terrea,
sila no palco de San-Jos, na esquina que
volt para Santa-Hita, um famoso local
pura urna vend*, por commodo preco a
allar na travessa da ra da Concordia, n.
5, sobrado de um andar.
__ Vcnde-se um bom cabriolet
com encllenle cavalloou sem el-
le, por preco miiilo commodo: na
ra da Aurora, n. 5, primeiro
andar.
Vende-se o superior rap denominado
Iodo Piulo Cordeiro, por preco commodo :
na SenZBlla-Nova, n. 40, primeiro andar.
Vendcm-se2mosas.de meio de sala,
dous jogosde bancas, 6cadeiras, um can-
nap : todo de Jacaranda e com algum uso ;
bem como diversos trastes de pao d*oleo no-
vos, por preco commodo: na ra da Ca-
deia de S -Antonio, n. 18.
Vende-se manteiga ingleza, muito su-
perior, a 640 rs. a libra : no Aterra-da-lloa-
Vista, venda pegada a loja do Eslima, n. 54.
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco do Lis-
boa por220 rs a garrafa, o 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho do Oordeaux por 160 ri. a
garrafa levando o casco. NSo se admhem
os fieguezes do baixo preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprielario querer sustentar o anligd pra-
Co, embora este genero tenha subido o me-
lliorde 30,000 rs. por pipa, lxaminem os
amantes a qualidade para reconhrcimenlo
da verdade e conlinuaclo da anliga fregu-
zia. E para nflo lia ver usuras, esUo promp.
tas garrafas lacradas o com o competenta
rotulo, assim como harria de diversos la-
man los para pioviso do prximo Natal.
O proprielario cunta com a concurrencia
do contrario, lornarRo os precos do reta-
tlio a primitiva de240e 280 r. a garrafa,
Pao-Setim,
Vendem-se pranchoes de pao*setim, pro.
prio para mutullas de bom gosto bem co-
mo boa farinha de mandioca : na rus co
Queimado, loja de ferragens. n. 14.
Vende-se urna mohilia do jacirand,
constando de um sola, 18 cadeiras, 2 con-
solos, nma mesa de meio de tala com
lampos de pedra-marmore, um candieiro
Ingles de meio de sais, 2 pares de castices
de prala para mangas : ludo de bom gosto
e em bom uso : na rus da Cadeia do Reci-
te, n. 2.
Lotera do Rio-de-Ja-
neiro
Aos 20:000,000 de ri .
Na praca da Independencia, n. 4, vendera-
se buhles, meios, quartos, oilavos e vig-
simos da 11.* lotera a beneficio do Ihea-
irodeNictheroy ; bem como um rosto de
bilhelcs da 20 lotera do monte pi. Ni
mesma loja niostram-*c as lisias das lote-
ras passadas.
Cabo de linho patente
o mais novo que ha no mercado: vende-so
oa ra da Cruz, no llecife, armazem n. 13.
Flele para bandeiras
de bonitas core?, e de escolente qualidide^
.na ma da Cruz, no Recite, armazem n. 1J,'
Vende-se o armazem do largo'da As-
sembla, n 9,aonde teem prensa os Sis. An-
in io Jo. Pereira de Mendonca c Jos Cae-
tano de Medeiros: a tratir com Thomaz de
Aquino Fonseca Jnior, na la do Vigario,
o. 19, primeiro andar.
Vende-se um rico volOo com muilo
boas vozes, com melhodo e caixa de Jaca-
randa : na ra do Vigario, n. 10, segundo
andar.
fta ra do Passeio, n. 3,
vendem-se chapeos de sol, de seda, para
homem e senhora, ditos de panninho,- em
porclo o a retalho. Os freguezes acharo
urna dilTorenca no preco, pela qualidade
superior, construccoes das am-.acoes e co-
ros lixas dos ilitos chapeos.
Vende-se a taberna defronto da matriz
da lloa-Visla, n. 88, com desobriga a praca,
ou sem ella : a tratar na mesma taberna.
' Vende-se, ou Iroca-se por urna escra-
va iimii casa terrea do pedra e cal, bem
construida, com duas salas, cozinha, 9
quistos o grande quintal com cacimba, si-
la no pateo da Paz, nos Afogados : na rus
doCaldeireiro, n 44.
.- Vende-se um cabrinha de 8 anuos, mui-
lo esperto, e que serve bem a urna casa;
um prelodo 20 anuos, muito forle, e por
isso ptimo | ai a todo u Irabalho; ma pre-
la de 20 anuos, de muito boa ligura, a qual
engomma, cose, cozinha, ludo muilo linu
felo, e que serve o melhor possivel a urna
casa ; urna dita do 25 anuos, qi.c Buiinha,
o ordinario, lava o vende na ra ; urna dila
de 18 anuos, oplima para se acabar de edu-
car ; uina dita de 35 anuos, muito boa en-
gommailcira e coziuheira, a qual se venda
para o mallo: na ra do Colegio, n. 21,
primeiro andar, se dir quem vendo.
Lotera do lliode*
Janeiro.
Aos '20:000,000 de ris.
Na ra do Queimado, loja de miudezas,
n. 25, vendem-su bilheles, meios, quario-,
oilavos e vigsimos do monte pi e l!.cairo
de Nicteroy,
fcSCI-rtVOS Jrlt/J^Oln
v ti dad eir graxa
gleza n. 97.
n-
Vende-se, na loja de rerr&gens da ra da
Cadeia do Recite, n. 44, a verdadeira graxa
ingleza n. 97 ; bem como fio de algodflo in-
glez, muito proprio para pavios de velas
de cers branca e de carnauba, a vontade
do comprador.
~ Vendem-se saccas de muilo bom feijOo
rajadinho. a 4,000 rs. ; dilas de dito bran-
co, a 6,000 rs.: no caes da Alfandega, ar-
mazem do Bacelar.
Alienco ao bom e
baralo.
Na ra Nova, n. 40, taberna defronte da
Conceicflo dos militares, vende-se mantei-
ga ingleza nova, a 600 e 640 rs.; dila para
lempeiro, a 240 rs.; espermac te a 800 rs.
a libra ; vinho feitoria do Porto legitimo ,
atrs do Corpo-Saoto. n 66, por preco com- a 680 rs. a garrafa ; macrrflo o tslharim.a
le-se umapreta do nsco, que co-fp0rpreco mais commodo
a, e he vendedeira derua; um* .
nac-io, moco, proprio para todo ,em oulra qiulquer parte :
modo, velas de carnauba, sendo zoes,
cor de rosa e lustrosas, asquees se tornam
recommendaveis pela sua superior qualida-
de e iiiiirarrm mais que as de espermacete,
e nflo fazerem morr3o.
Vende-se familia de S nta-
Calbarina, a melbor que ba no
mercado e por preco commodo:
nosarmazens de Dias Ferreira e
do Moni ao, no caes da Alfandega
Vende-se potassa superior
do que
no ar-
no caes
prelo do _.
oservico: na ra larga do Itozario, n. 35. mazemde Utas ferreira,
l0Ja- n da*Alfandega.
L/U I Virgen) vende-se um carrinbo de 4 rodas para _
Cunba & Amorim, na ra Cadeia do Re-,' um cavalio, muito raaneiro, com arreios ele deliciosa pingado vinho da Figueira pe
200 is. a libra ; alelria, a 210 rs.; mantei-
ga de porco, a 360 rs.; batatas novas, a 8o
rs. a libra ;chi de superior qualidade, por
prcQO commodo ; e oulros muitos gneros
lodos novos, que se vendem muilo baralo.
A ella, reguezes, antes
que se acabe.
Joflo Tavares Cordeiro, no caes da Alfan-
dega, o na ra do Vigario, n. 8, vende
farinha de Philadelphia e Raltimoer, muilo
superior, por preco muito em conta, para
liquidar.
Aviso importante.
Beneficio publico.
0 armazem enligo di ra da Madre-de-
Beos, n. 36, esta de novo eslabelocido de-
bsixo das mesmas condicOes, olferecendo
Fugiram, de btrdo do patsclip S.-Jos-
Americano, os marojos escravos, David, de
estatura alta, cor retinta ; tem o geito de
melter o pdireilo para dentro, e quando
anda arqueia alguma cousa com a pern;
levou ca'cas o esmisa de algodflozinho azul:
Joaquim, de estatura baixa, cor meia fula ;
. fogio de noile levando toda a sua roupa:
ambos silo de Angola : quem os pegar le-
ve-os a ra da Madre-de-Deos n 3, tercei-
ro andar, casa do Manuel da Silva Sanios:
bem como se protesta contra quem os tiver
.occulto e nflo os quizor entregar.
I No da 14 do correte, fugio, do rodiT
do abaixo assignado, urna prela de nome
Joauna, de estatura regular, secca do cor-
po. cor bastante prela, nariz chato, beicos
grossos : quem a prgar leve-a a rija da Au-
rora, em urna das cosas do Sr. Antonio Jote
Comes do Correio, pu na mesma rus, ni
loja da casa onde inora o Snr. Dr. Rrguein
Costa, quesera recompensado.
'rancheo Ignacio d$ \tahid*.
-- Desappareceu, no da 20 de setembro,
do sitio dos Alflicios, de Claudina Fausli
de Ohvcira, a sua escrava de nome Ri">
ainda moca, reforcada do corpo-, de naS"
Rebolo, com siguaes pelas costas de sua >*"
, eflo ; levou vestido de riscado de quedro,
camisa de algodflozinho : quem a pegarle"
ve-a a Capunga, venda do Jos da Silva
Ferreira, que gralilirari.
Fugio, nodia 15 do correte, o prcio
crioulo, de nome Manuel, esnoeiro o p-
deiro, representa ler 38 a 40 annos ; hei al-
to, secco do roslo ; tem dous calOmbos bs-
tanlo grandes, um no braco dir'eilo e ou-
tro no quadril esuucrdo, por ondopde ser
bem condecido ; levou camisa e calcas de
algodflo e chapeo do palha. Roga-se as au-
toridades policiaes.capilfies de campo e pes-
soas particulares, que oapprehendam e 1*"
vem-iio a ra larga do Itozario, padria 0-
18, que se gratifleari com generosidade.
i'BM. I Hl TVP. DE M,
. M FAMA. 1949


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETBW1T49O_XFXL9A INGEST_TIME 2013-04-24T19:49:57Z PACKAGE AA00011611_06690
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES