Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06689


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A mo XXV.
Quarta-feira 17
rAXlTIDAS DOS CORREIOS.
roianna eParahlba.segundaa esexras-felras.
Rio-Grandc-do-Norle, quinlas-feiras ao meio-
Cbo', Serinhaem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no l.'.'a II e 21 de cada mei.
r ir uilniiiH e Uonito, a 8 e 23.
Bo.1-VtU.eFlorcs.al3e28.
Villora, as quintas-felras.
alinda, todos oa das.
x.....^^uuumLmuaBaaa
rpBinmiDis.
Puso d> LO. Chela a 1, as 3h. e I3m.da t.
Mlng. a 8, as 10 h. e 24 m. da m.
Nova a 16, 2 h. c 53 ni. da m.
Cresc. a 24, i 4 h. e 44 iri. da m,
fRlABAn BI HOJE.
Priineira as ( llorase 6 minutos da manb.
Segunda as 6 horas c 30 miuulos da larde.
de Outubro de 1849.
N. 232.
J~.t^.-3l'.??J
MEOS DA SDBSCaiFgO.
Por tres inezes (atliantadoi) 4/000
Por seis uiezea 8>00
Por um anno 15/000
DAS DA SEMASf A.
18 Seg. S. Thcrezi. Aud. do J. dos orf. e dom. l.v.
I(i Tere. 8. Marliniano. Aud. da chae, do da 1. J.
v. do cv. e do dos feltos da fazenda.
17 Ouart. S. Hediivige*. Aud. do J. da 24 v. do civ.
18 l>uint. S. Lucas. Aud. do J. dos or. c do m.
da l.v. ,
19 Sexl. S. Pedro de Alcntara. Aud. do J. da 1.
v. do civ. e do dos feilos da fazrndi.
20Sab. S. Joao Cancio Aud. da Cbanc. c do J. da
2. V. di) ii i un-.
21 liini. 8.1'rsula.
CAMBIOS in 16 DE ODTBRO.
Sobre Londres, 27 a 27'/,d. por 1/000 rs. a 80 das.
. Pars, 370.
. Lisboa, HOporcento. ________A..
Onro.-Onca hespanhoes......... 30*500 a 3M00O
Moeda.de 6/400 velhas.. 17/30M a 7/.H
de 6/4(10 novas .. HvfTX a 16/700
. de 4/000........... >0a 0/700
eVala.-Patacoes brasileiro...... g
Pesos columnarios....... I
Ditos mexicanos.......... ,'uil
PARTE OFFICIAt.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 8 DE OUTUBRO.
Officio. Ao cnmmandanle da praca, re-
Oinm>,ndando ein ciimprimentu do aviso do
ininislcrio da guerra, daiado de II de setem-
lirn ultimo, a espedicao de suas ordens afim
de que 'B bJ* C) P,ra a cor,c no vapor **;-
l tatrut o prlineiro cadete do primeiro batalhao
I de artilharla a p Jos Joaqulin Ferrelra.
f'Expeio-se ordem ao agente da companhia dos
[fias/netn de vapor para a passagein do referi-
do cadete. .
Diio. Ao inspector da theaonraria da fa-
tenda, Iranamltilndo o aviso da thesouraria do
[ Rio-Grande-do-Norle, participando o saque de
I uina lein.i de 720,265 ri. a favor de Francisco
' Ignacio Kerreira Jnior. Inteirou-se o pre-
sidente daquella provincia.
Dito. Ao agente da companhia dos paque-
tes de vapor, para mandar dar passagein para
acorte na barra l'araente ao imperial marl-
nhriro Manoel Gomes Primeiro e ao recruta
do esercito Marcos Jos. Scienlificou-sc o
cotnmandante do brlgue-eseuna Legalidad/.
;. Diio. Acamara municipal do Ks, reinet-
' te mo ulna caiiinhacom laminas de pus vacci-
nieo edoui exeinplares das iustruccoc* acerca
da inoeulacio, e ordenando que prohibam que
na referida villa teja inoculado o ri'ms va-
rilico.
EDITAL.
S. Ex. o Sr. concelheiro presidente da pro-
vincia manda fazer publico, para conheri-
menlo das parles inlcrcsssdas.oregolamento
n.632de87deagotode18l9, queprescreve
o modo porque devem ser di'igidos das
provincias as secretarias de estado os re-
qnerimentos de partes e a correspondencia
ufllcial de quaesquer autoridades, ou re-
partieres, e falicita a cominuncacad das de-
cisOos. bem como a expedido dos despa-
chos e a remessa dos diplomas que em vir-
tude delles deverem expedir-se.
Querendo eslabelocer urna marcha mais
regular e uniforme para direceflo da corres-
pondencia oflifial que quaesquer autorida-
des ou repirticdes publicas das provincias
lenliam de encaminhar minha imperial
presenta reas diversas secretarias de esta-
do ; n querendo nutrosim que a Indos os
subditos do imperio residentes as mesmas
|nuviiic-hs se faciliten! ns meios de fazer
chegar an meu conhecimento quaesquer re-
quehmentos ou representados quodevam
ter andamento pelas ditas secretarias de es-
lado providenciando ao mesmo tempo so-
bre.o acert e brevidade das decisOes, bem
como sobre o mudo de seren ellas commu-
n i cadas aos pretendentes, c Ibes serein re-
mettidos diplomas dos despachos com que
fdrern Hendidos, sem que para isso necea
silem ter na corle procuradores : hei por
bem decretar o seguinto :
Artigo I. Tanto os ofllcios do quaesquer
autoridades ou repartices, como os requo-
rimenlos e representaedes que das provin-
cias se tiverem de enviar alguina das se-
cretarias de estado, serflo sempre rcmetli-
dos por intermedio do presidente da res-
pectiva provincia ; nilo se de vendo as mos-
mas secntarias de estado dar andamento
algum nos que de oulro moJo frem diri-
gidos.
Art. 2. Do disposto no arligo antecedente
excpptuam-se :
1. As representarles que me frem di-
rigidas contra algutna delcrminacfto, deci-
so, ou onlro qualqucr acto que emanar do
po lr exeenti ve.
' 3. As queixns e denuncias contra o pre-
sidente da provincia, que poderflo ser direc-
tamente apresentadas na respectiva secre-
tan do estado, urna vez que o requeri-
menlo seja assjgnado pelo queixoso ou de-
nunciante, e rrconhecid a sua essigna-
lura.
3. Os recursos interposlos pelas partes,
ou por qualquer sutoridade ou reparticao
publica, das decisOes poferidas pelo presi-
dente da provincia, que pdenlo ser envia-
dos por intermedio dos mesmos presidentes,
ou directamente aposentados na respectiva
secretaria de astado.
Os ofllcios do secretarios dos collo-
gios eIciiorcs que scompanliarem as au-
Ihenticas da eleiqfla de senadores ou depu-
lados, que, na forma dos rts. 79 o 85 da lei
n. 387 de 19 de agosto de 1846, devem ser
directamente enviadas secretaria de osla-
do dos negocios do impe io.
5- lis ofllcios das cmaras municipaes
das provincia participando a posse dos
presidentes, para ellas nomeados.
S 6. Os ofllcios dos directores dos cur-
sos jurdicos e escolas de medicina do im-
perio, bem como os de quaesquer oulrs
corporsco'es ou utoridade quo na for-
m. da Irisen vigor devam directamen-
te dirigir-se respectiva secicUn de es-
Udo. .
Art 3. O presidente da provincia a quom
'.r *!. .........;...,ii)i1 aii
frem dirigidos oflicio, requoriinentos, ou
lepreaenUcdee para subirem
oa remetiera sem demort,
materia e orientar o
perial preaenca, ....._..-.-
Lcoo.pauhadus de lods as informacdes que
possam eaelarecer a
eoverno sobre iusti? ou injuslica das
' VretencOes, bem como sobre a ncccssidadc,
conveniencia ou utilidade das medidas ou
providencia* que frem nroposta ou recla-
madas.
Ail. A*peticfieemqueseroquerer
slauma grac. ou algum mercpecuniaria
I1* renumerac,8i* de servidos nilo serao re-
i,, tida i0 govereo pelos presidentes das
provincia, sem quesejam insimulas com
docomenlos originae, competentemente
efnlido, e sempre Mompantiadas ae 10-
lha corrida, com data que nSo exceda de 6
mezes, pela quil o prelendento s.o mostr
isentode culpa.
Art. 5. Se asgr*Qsou mercs pecunia-
rias frem plidas em ronumeraQo de ser-
vicos prestados no exorcito ou armada, de-
vero as peti(0es, alin dos documentos
exigidos pelo artigo antecedente, ser sem-
pre acampanhadas di f de oiTlcio do pre-
lendento, a qual dever conter as declara-
cOes do que tratan) osSSt.'t 2"e 3." do
decreto n. 89 de 31 dejulno de 1811 ; e, so
o pretndeme no perlencer classe mili-
tar, juntar em vez da le de odlcio a attes-
ta^o requerida polo 5. do mencionado
decreto.
Art 6 Logo que (tes peticOes sejam re-
celadas na respectiva secretaria de estado,
se juntar a ellas cx-oficio certidfld das
mercs que o pretendente tiver oblido pela
mesmi secretaria de estado, declarando na
cerlidflo a importancia dos respectivos
emolumentos, pira em tempo sercarrega-
da io graciido, bem como urna nota do
tudo quanto constar offlciilmciito a respei-
todo pretendente-; e, ssim prepralas, le-
rSq as ditas petiedes o seu regular inda-,
ment, it que definitivamente sejam des-
pachadas.
Art. 7. Se as pelicdei se requerer al-
gum emprego publico civil, militar OU de
justica.nBoserflos mesms peti?0es re-
mettidas pelos presidentes respectiva se-
cretaria de oslado sem que estejam preen-
cbidas tolas as formalidades prescriptas
nos regimentos, leis e ordens por que se
regular o proviroento do emprego reque-
rido.
Art. 8. As informacoes dos presidentes
que arompanliaiem as pelicdcsde que tra-
tam os artigos antecedentes conteni, a-
lm da su opinifld sobre o merecimento
da pretenc&o, todos os esclsrecimentos que
poderem dar sobre as circumstancias dos
pretendentes, seu estado, moralidade, pro-
lsso e servicos.
Art. 9. Quandonosrcquerimentoshou-
ver queixa ou representarlo conlrn qual-
quer funrcionario publico, o presidente da
provincia o ouviri por escripto, e com a
su resposta remetiera o requerimonto sem-
pre acampanbailo da sua opinifld e do to-
das as informaQOes que poder ministrar so-
bre o objecto de que fr argido o empre-
gado.
Art. 10. Tolas as decisOes do governo
sobre os olllcios, requerimentos ou repre-
senlacOes que ni forma do presente decre-
to subirem minha imperial presen;, se-
rflo communicsilas ao presidente da res-
pectiva provincia, para que este as trans-
mita officialmente s autoridades a quem
competir, ou as fas constar aos preten-
dentes pela maneira indicada no arligo se-
guinto.
Art. 11. llavera na secretaria do gover-
no de cada provincia um livro proprio que
a lodos sera patente, no qual se laucara nao
sadirccQo dada ans requerimentos, com
declaradlo da data em quo frem romelli-
>los, mas tambomas docicOes communicada
A presi lencia da provincia, afim de quo os
pretendentes lenliam assim scicncia do de-
fdrim>nto de suas peticOes, e possam, no ca-
so de tereni sido nltenndidos, solicitar
expedi^flo desous litlos.
A'l. 12. Se pira o registro e expediento
do titulo nlo bouver dopenci do paga-
mento do joia,sellos, direitos e emolumen-
tos, ou alguma outra impostad, ser elle
sem demora expedido eromettdoao pre-
sidente da provincia respectiva para quo o
faca chegar inflo do agraciado logo que
este o solicite. No easo contrario, ser sem-
pre a communicaQflo do despacho acompa-
uhada de urna nota rubricada pelo olllcial-
miior da respectiva secr. taria d estado, na
qual se especifiquen) todos os direjtos, sel-
lo, joia, ou qualquer outra mposicflo on
emolumontos que soja subjeita a exped-
C'io do titulo.
Art. 13. A nota a que se refere o arligo an-
tecedente ser entregue ua provincia ao agra-
ciado, para que h vala ch lia possa pagar a im-
portancia dos direitos, sello e emolumentos na
lliesouraria da inclina provincia, onde se Ibe
passar eonhccimeulo em forma das quantias
recebidas, para que com elle nona requerir
ao presidente da provincia a expedlco do seu
titulo.
Art. 14. Os presidentes das provincias, logo
que Ibes sejam presentados os conbecimen-
los de que trata o artigo antecedente, os re-
mellcro a coinpcleuto secretaria de estado,
na qual sem demora se expedirn, e scro en-
viados aos mesmos presidentes os respectivos
ttulos para seren entregues a quem os bou-
ver solicitado. Expedidos os ttulos, ser.io os
conheciinentos reinetlidos ao thesouro, onde
INTERIOR,
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NABUCO.
Rio-ie-Janeiro, 4 de oulubro de 1849
Pelo Pernambucan, entrado no dia 1 do
correte dos porlos do norte, temos dalas
dessa provincia quo lcnQam n 22 do pas-
tado : nada nosadiantam lm da noticias
eleitoraes, sead que Pedro Ivo esleve em
Capobre e volloulpara as maltas de Agoa-
Prola com intencOes que pareciam hoslis.
Pelo Todos-os-Sanlos tivemos noiicias do
Rio-Crando al 15, e do Portn-Alegre at 12
do passado. J era slli conhecido o resul-
tado de 12 rollegios eleitoraes, em os q unes
pe ser, na hypothesc figurada, providen- emgr.do. co^n.inos .rjentae.
cia indispcnsavel para conseguir-seo fim r
proposto? E, sendo assim, dever.lo ser
piovincialisailas todas as notas, ou lmente
as de cortos valores?
3. No caso do entender-so possivel e
necessnria a creadlo do banco com o fim
indicado no 1. quesilo, sobre que bases,
o com que condicOes deve elle ser organisn-
ilo para prnstraro auxilio necessario sem
imporao thesouro publico obrigaedos su-
periores s frcas e facilidades do paiz ?
Teniendo errar, nao quero aventurar des-
de j a minha opinifld sobre latera iflo
transcendente; tanto mais que, aceitando
a deia do {."quesilo, nflo me inclino pro-
vincialisaQfloda moda-papel, qje alias pa-
rece ser consoquencia delle. Mcu espirito
uta em algumas duvidas nesto ponto; mas
.'ffi^rnL.? ^'n^OV(?h^,M-,nSoduvttIqoe a discuss.lo, ou exposico
segu.nte ordem .--! Pedro (.h.ivc --180 fundaminlos rj. opinlflo contraria dis-
votos; 2 ., Sy5o Lobato fehefe "!>')- ,i?em.as_ Coma soja essa quaslao de mui
! palpitante interesse, procurarei ncompa-
es-
180 ; 3, Oliveir
bim-173; 5.
Bello--174;
iquelleresull.do, por ser a metade delles,. ; ; cl|e intellti,do pelo procura-
peo menos, governista | ^ promotor da justica
- alfandega.de que falle na minha paasada,
diiigio-se o chele de polica a Cac^pava,
onde, procedendo saverignacfics, rcconlio-
ceu como um dos autores do crime um l-
enle Augusto Jos l'upe, do sexto batalhflo
de fuzileiros, all estacionado; e vollou
sobre a provincial vitalicidade dos poslos da
guarda nacional.
A cm'.h l.itiva vai diminiiindo; o a po-
pulaQloj se acba mais Iranqujllisada do
panicode que ltimamente se havia deixado
r&iBVttaz&^^*^"Zx
plicos.
Hivia fallecidos 27 de agosto o marecbal
do exorcito visconde de S. Cabriel ( Menna
Brrelo).
No dia 28 do passado S. M. o Imperador,
arompanhado pelos ministros do imperio,
guerra e marinha, foi ao estabelccrrcnto
da Ponta-da-Areia para assislir a cihir ao
mar tros vapores hi construidos, um dos
quaes por encommenda do governo.
As II o mei horas, diz o Jornal do Com-
mercio, fui lanzado agna o pequeo vapor
tirio. Logo depois S M. subi a bordo do
vapor construido por ordem do governo, e
que deve montar machinas do f6rca.de (60
lentos.
' l'alleccu (de escarlatina ) ocx-presiden-
le da cmara municipal Joflo Silvcirn do
. Pilar, nomo muto conhecido, que desgra-
cailanieiile se liga a algus fados quo o fa-
zem lombrado Parcetcpttllit !
i Tambe) fallecen de anoplrti* fulminanle o
i commenitador llonoriu Jos Teix.'ia, lilil) do
i Mamullan onde fot candidato sena! ira na
ultima rleirao : era homeni Alustrado; innr-
I reu pobre," leudo sido rico; gastn parle de
sua fortuna por oci-asiao de noua independen-
cia, da qual fui csfmcado partidario, pelo que
sotl'reu incojliinodOI de persegnicao, e lima
piisao que o levou i Lisboa. Entreunto vi-
va retirado e nul esquecido i
No Iii28 do passado des.ibnu, em Copacaba
cavalloa, ao qual'se dignou denominar Tfe- na, no lugar chamado fasinado, urna casa que
cife : foi lanzado ao mar ao m seguiia o vapor de forro l'etropolit, perten de duas pessoas, c Qcarem feridas seis, sendo
cente companhia de Inhomerim, o qual duas gravemente. Todas as victimas eratn
lemde montar machina de fre. d 9 ea- rabalbadorc. na obra, eltccp.e, un enhora
valloi, construidas no m
ment.
S. M. visitou depois diversas olllcinas.
examinando roma inaior altcncflo as noves
machinas que ltimamente se teem assen-
ladn.
de f'C de 24 ca- trabalhadores na obra, eccpio i
sinn Ptli.-leei.,,,,ora',orBO P 'ine' *"* nc caaa "o mo-
mento em.quedesabou o edificio, fieoil se-
pul i .ni i debaiso das ruinas. Atlribue-sc o des-
astre m conslruccao da obra.
Digamos duas palavras a respeito do tlicatro
de San-Pedro. A nova dansarina, a liqnora ll.i-
a" 2*horas servio-se O janlar, para o derna. j se apresenlou ao publico, e este jul-
uiTS M se dignou convidar as senhoras gou da babllldade de suas gamoias : nao lia
a.ie so achavam presentes. Concluido o jan- duvldaqueagraden battoto| te... ag.l.da.
quese riiavHin p.csciiica. u ,_' de e graca, be pciiiiena e bonita, tcm curpo
lar.foi pregada a cavillia em oulro vapor en-| bcm ^^ c rM UC111 r,,M, (0qoe ...o
commendado pelo governo, e que tem no i ,,,.( ltl. sfr U||la |10aerosa recamincndac.'ioein
montar machinas do frca do-220 cavalloa. I favor de uma dansarina.) Couitudo nioouia-
S. M. regressou i corle s 4 o meia horas re alarmar que ,rj* superior que c iluha-
da tarde linos, madama Tra baln! Finar!: sao gneros
Por decreto de 10 de setembro foi nomca- e escotas difireme; depende do goto lo es-
do primeiro W*~fflg *^&ttt&EStEm>
dito Joj Antonio nmn b(.M1 S(.H ,hM|r0i Ildl, -0Min 9uai d,.
primeiro
ra o segundo
Cuimarflcs, por fallecimento do primeiro
olficial l.uiz da Costa Franco o Almeida ; e
para o lugar de s gundo ofllcisl o amanu-
ense Brasilia Gozar Petra de Barros.
Por outro de 17 do mesmo mez foi apo-
sentado o escrivOo do hospital militsr Jos
Feliciano de Cotivca por ii.olivus do moles-
lia, com o ordenado correspondente aos
anuos de servico, (cando esta merco depen-
denlo da approvQIo do issembla geral le-
gislativa ; sendo nomeado para o substi-
tuir Fidelis Leocadio da Costa Pilente!.
Em circular de 27 do passado ordena o
ministro do imperio aos presidentes das
provincias quo lacam constar aos deputados
que cabsm de ser eleitos, quo asscssOes
preparatorias do cmara dos deputados. no
P'iicVo anno do cada legislatura, toam
comeco quinzo das antes do designado
para a reunflo da mesma cmara. Essa
disposieflo do regiment da cmara he In-
teiramento nova, e vai ser agora executa-
da pela primeira vez ; foi eslabelecida no
anno passado pela cmara dissolvida, por
proposta do padre Hariuho ; pois que, ha-
vendo sement cinco dias de sesses pre-
paratorias, a verificagflo dos poderes era
fcila muito a pressa, e aconteca umitas ve-
zes que no di da abertura da assemblea
anda testavam deputacOes ioteras do pro-
vincias, cujos diplomas eram ruconliecidns
de.ois. Devem, pois, os senhores repre-
e incorno-
. Pawguayoi. ii-e que a dlviso
de Hornos cempoe-se agora de COO hoinens.
lia motivos para crrque Corrientes se le-
vante novamentc contra Romi; e, se se verin-
carein a noticias que aqu correin, a lavasno
paraguaya prod.uir grandes aconlcciinentos.
A alfandega da corte ren.leu no mex paaaa-
d > 610:374,M2 ; e o consulado WMg*}*J}-
O cambio sobre Londres esta a 2 e > d|1.
As apoiiees c3lo a 88 e 89.
A barca francesa Harir, procedente do Ha-
vre para o llio-de-Janero, naufragou na noile
de 22 do passado na praia do Ass, algumas
legoas de Sin -Joao-da-^arra ; (22 de lalilude
sul; salvouse a tripolacao c carga.
Tamben, na madrugada de J9 naurragou
prjimo aquello lugar. M prla de Na tn, o brigue iiiglrz ^mf/in-6"rdon, sabido de
Clyle pata este porto com carregamento de
carvao.
llim, di oulubro.
Vejo pelos jornaes dest manhaa que a sabi-
da do onAiann llcou transferida para a tarde de
hoje.
Tenlio sincule a accrescentar que nnnteni
saho o vaporT.-Pdro para a prai-i a Ais,
com o lim lie arrecadar a carga d hlarie, le-
vando a seu bordo o ildante 'lo guarda-inor c
cinco guardas da Bllandega. o negociante
qiieui vinlia consignado o navio, c um ageule
do consulado Isnnccz.
Ofi.nigciado Arsenio Pompeo, que se acha
rocolhidi. ao qiiartel de permanentes desde
de jullio, salie finalmente para Angola. O Jor-
mi do Commereio de boje di que, havendo dito
queaprisao deS S. era devida a suspeitas de
procurar intn.duir notas falsar, taiga dever
declarar que ale agora nada Ibe consta que ve-
nda confirmar essas suspeias. Alada velo a
lempo a salisfacSo !
Diz-se e parece exacto que forain deuiitiulos
tres alnioxarifesdo arsenal de marinha. Igno-
ro 09 II i m i
IIIARIO E PERNVMltUCO.
ficro aredivado, e c... VlsU delles serio a.,^^jj^ fag na cOrto a 15 do de-
secrelarias Indcmiiisadai pelo mesmo tliesou
ro da quota dos emoluineutns, a ellas devidos,
que livi rein aido pagos Ras provincial.
Art. 15. Se os ttulos frem de alguma con-
decoraco das diversas ordens honorficas do
imperio, nao sero entregues aos agraciados.
zembro ; e nflo esquec.am oque aconteceu
em 1844 a alguns de Pcrnambuco que, por
nflo chegarem a tempo, fram depurados.
Effectivamentc, conforme disse na minha
passada, o ministro da fazenda oceupa-se
i.eiu eales podero usar das respectivas iusg-,.r|ilinenl0 u0 me||i0ramento do meio cir-
nas sem que prestem as maos do p.csidenie | g E ba je dirigr uma cir.
tffSSv o^rrelo tiffft'S: SK diversos negociantes e varias pes-
solicitsiido a su'] opiniflo

pelo arligo o." do Uccreto n. ou ue ue seieii.-i
Oro de 1843 ; do que se lavrar termo em um SOS dcsl praga,
livro. para isso destinado. I por ecnplo sobre varios qucs.tos cerca
Art. I (i. As disposices dos artigo U. 13 e 14 desse objecto; acresceutando que esta na
nao enibaracam que as partes, por si ou por ntcncdo de reunir-se depois com essa
srus procuradores, solicilem directamente o mesir,ag pessoas e negociantes para disculi-
.hu >> *.w> ---r ----------------
cus ttulos na respectiva ccretaria de eiado. i
O visconde de Moni'Alegre
medidas
frem
Os quesilos proposlos sao os
m
pendencia e uo nniicn. ,"".".;----~',------uauco uu ci.uasnu, m**- -- govorno
S. M. o imperador. Viuondt de Joai *''9"" nui operacOes necessarias para levar a effci-
' to essa medida ?
> 2. K, no caso afflrmalivo, quaes os
Uotmrio Penir. de Aureio Cotmho. I meios ? A provincialiafflo da raoda-pa-
Secreta ia do governo da provincia
naiubuco, 18 de oulubro de IMH.
O secretario da provincia
ces?.-.. Retiro a exprettfo ; perdao, amados
leilorcsperi.anibucaiios. lia ah o Iheatro de
8an-Francisco com a sua bailarina absoluta :
mudumoiielle Fclismna dansa a cchueha hetpa-
nlioln. Tenlio lido os annuncius dos espect-
culos no lilil, dada povo tcm scus usos e
gustos ; c a signla Marieta lladema fez sua
cstrea con. o Lago das Fada, baile en. Ires ac-
tos, com riqiissiiiioj e variados quadros, liil-
raudi nrlle algumas trinta pessoas; o publico
gosta disso c applaude. L o empresario do
Iheatro de San-Francisco, que deve ser o inter-
prete do gosto do publico, engajou nina dan-
carina de jaleo : resta saber e eue genero he
apreciado e applaudidu. C'tit egale\
dem, 5 de lelcmbro.
Pouco me resta a accrescentar ao que Ac di-
to. U paquete iiiglez Keslrel, entrado a.ite-bon-
lem do IUo-da-Prala,lraz noticias de Montevideo
at 14 do passado, c de Ituenos-Ayres ato 11.
Nada havia de novo relativamente s negocia-
ciles ; continuava a mesma incertexa c descon-
lianca. L'.na caria de llucnos-Ayrcs, publica-
da no t'ummercio del Piala, assim se exprime,
tratando dos preparativos que llosas faz actual-
mente :
Entretanto, comecou-se tainbcui a pensar
em embareacei maioret. No dia 7 examinaran!
a galera .Ifiiriunna e oulro navio inglei.qucno
servem para o /'arao. Este facto, o dizer-se
que se reserva a roirn para o'itra erusa inaior
emquanto nno vai a Paran, e lodos os antece-
dentes que ha, fazem crer a todos que estes
reparativos sao contra o Brasil, com quem se
julga inevitavel urna rolura.
J lenlio diio que aquella Tolda he muito
parcial, c tanto menos importancia dou ideia
de rompimenlo contra nos, quanto conheco as
i'.iiifui ion.iil.is do dictador de Buenos-Ayres.quc
nenos que nunca deve desojar agora guerra
comnosco, O governo do Paraguay J deu pu-
blicidade a um manifest em que expende os
motivos que o l.v.un a declarar a guerra a
Rosas, ou antes a ocenpar militarmente mis-
soes e corrientes : sua lingoagcm revela frca
e coufianca em sua causa. Sobre as Torcas pa-
raguayas urna caria do Rio-Grande diz o se-
guinto :
O da l de agosto era o marcado para o
iiiviiiiei.iii do exerclto de Urquiza, e toda! as
ordens estavam dadas paraesse fim. Todava,
no da 25 nao smente anda nao se linda Mae.
cuido, como mesmo ainda se nao havia reuni-
da eo general rguiza se dcixava estar immo-
vel. Os Paraguayos con.ervam as posicc
que tomaran), e assevera-se que recebem fre-
quenies reforcos, c que um rsquadro de Cor-
rientes, o de Paiyubre, passou se lodo para as
forjas paraguayas.
O coronel cntreriano Hornos, que se acha-
va na U raguayaua, passou Uraguiy com alguna
BECIFE, 16 DE OUTUBRO DB 18*9.
O vapor llnhinna, cliegado hoje dos por-
los do sul, Irouxo-nos as cartas do "ossos
correspondente da corte, que inserimos sod
a rubrica competente; bem comojonu.es llu-
ininenscse habanos: estes al 12 do corren-
to, e aquellos al 6
Aoque refera O correspondente addicio-
naremos o aaguinte, que colhmos as fo-
Itias cuja recepcilo acensamos em primeiro
Ill2r.
|*ra assussinado com um tiro, ao reco-
!hor-soa seu engenho em Sorgipc, o ex-
seeretario dess provincia, doutor Jofo La>
dislao.
Corra que scriam eleitos deputados pela
mencionada provincia o respectivo presi-
dente Zacaras de Goel e Vasconcellos, e
monsenhor Fernanda da Silveira; e bem as-
simque o Sr. I'o-etti representara Piauhy na
cmara temporaria, tendo por companheiro
o ebefe de polica que com elle servir.
A Imprcnsa governista censurav acre-
mente estes dous presidentes e o deMara-
iihio por se terem feito eleger as provincias
que presidem, desobelecendo desl'arte s
mais terminantes ordons do governo.
Accuaando datas do Cabo da Boa-Esperan-
ca al 27 do agosto, o omitido Commereio
a exprime assim :
a populacho da colonia estava mttiio
irritada contra o governo da metropole em
consequencia di chegada de duas embar-
eacOes com degredados que, a preteito do
fornecer o paiz co.n trabalhadores, llaviam
sido mandudos para Capitown. Oscolonos
parecen) determina los a n.lo permitlir que
o seu territorio sirva de reoplaculo ao vi-
cio e crime que a Inglaterra rejeitado seu
seio.
O precitado ornal la em seu numero 263
le 26 do passado algumas noticias sobre a
California. Ei-las:
Por via de New-York recebemos noti-
cias de San-Francisco ( California )queadi-
antam um mezas que aqui tinhamos. Fo-
ram trazidas ao islhmo de Panam polo vi-
por Panam, e de Chagres a New-York pelo
vapor Cretcenl-City.
a O Panam sabio de Sail-FrnciSCO no
dia 20 de junho com 100 passageiros e o va-
lor de 500,000 pesos em ouro e prata. Che-
gou a Panam a 11 de julho, e devia voltar
para San-Francisco no dia i. do agosto.
Os passageiros do Panam oram loto
unnimes a respeito da abundancia do ou-
ro na California. Existe ainda em quanti-
dada extraordinri; he preciso, porem, ser
robusto, acoslumadoa trabalhos pesados e
a toda especie de privaedes pan resistir
s fadigas da excavicSo. Orcava-se em 20
a 30 mil pessoas as que eslavim as re-
gios aurferas, sendo metade estrangeiros.
O mercado de San-Francisco apresen-
lava poucaanimucao. As fazenda secca e
os maulimentos vendiam-se por menos do
que o cusi primitivo. A madeira, porro,
conlinuava a ser muito procurada ao prego
de 350 pesos por mil ps.
ii vapor regun lieava a sahir do San-
Francisco no di 1.' de julho e contava es-
tar a 20 em Panam.
< Estavam surtos no porto de San-Fran-
cisco 64 navios mercantee quatro vasos de
guerra, sen lo tres americanos e um inglez ;
e havia, alen disto, as immediacdas de
San-Francisco 23 navios mercantes. A /toc-
l'enniman fundeou em San-Francisco no dia
8 de i ii ii lio : era o nico navio sahido daqui
que edegara aquello porto depois das ulti-
ma noticias que recebemos.
Fa/iam-se em San-Francisco grandes
es (orcos para organisar um governo alim do


w
poder a California-ser ndmillidn. na quali-
dado ile estado, f>r parte da Uniao-Amo-
ricanfl.
.No Jornal de 6 le tnos o artigo infra :
O vttQorC.htsaprakt trouxc-nos gazctas
0 prem'entedos Estados-Unidos tinlia
deteiminaio, em consecuencia ''os estra-
gos do eholer.1. l"e o dia 3 de agosto fssa
consagrado ao \ ejum e a oracflo para cha-
mar sobre a Uni.^"-Americana a misericor-
dia Reosle. Nes* dia, '' uma extromidado
outra dos EstelS-UnidOS, confundiram-
so todas as vozes er < "ml so oracflo, implo-
rando o mesmo ben Ocia, oallivioda rues-
ma dr. \.
(t dia nfiicialdejej .''meoraco, dizuma
faina de New-York, fo observado hoiitem
tilo compli'U eesponlane amonte, quo prova
quanlo estilo i mpi ~-.>f>. dos os espirilos
polos estragos, o n; ais a indi' pela persisten-
cia do cholera. A\s horas di' servico er.ia-
vam as igrejns cheias de u ma uiultidao
mais fervorosa do que mesm ""* Testas
mais solemnes do anno. Todo*" os escrib-
inos, todos os armazens eslav. "n fecha-
dos ; Indas as trnnsaccrirs suspensa.S e ape-
nas ulgumas Imhas de mnibus t'azi."" cir-
cular seus carros. Nunca vimos um domin-
go tilo religiosaiuente observado em N'cw-
York.
As fervorosas preces dos Americanos
merecerm a alloncflo celeste. O cholera
lia va diminuido; todava o numero dos
morios durante a ultima semana fra anda
de (78. A epidemia linha desapparecido em
S -l.uuis, Cincinnati o l'hiladelpha. O total
das victimas do cholera desdo sua ap^inci'i
em .New-York elev.iva-se a 3,017.
l'ara resarcir, porm, a porda causada
pelo- e.slragos do fhgello, continuava a es-
pantosa emigrarlo da Corona. No mez
de junho cheg-ram a New-York 26,000 e-
migrantes, sendo 1-2,000 frlandezes, 6,7000
Allcmiles, -2,700 Ingleses, 1,000 Kscncezes,
.')00 Francezes, o o resto de oulras nacOes.
A omigracilo ilutante o mema*junho ti-
nlia sido de 28,noo pessoas, o durante o mez
de mam de 3!,000 !
1 A roapeito da queslfio de Nicaragua le-
ntos n'uina follia de Ntw-Yurk :
Una difliculdade se prepara para o ga-
binete na America central"! Todos se re-
cordam que, ha cous* le 18 tns/of lo-
glezes apoderaram-se do porto ifcSan-Juan
de Nicaragua em nomo do rei dos Mosqui-
tos, mnnarrha dnoalhs, cujo nome nem-se-
qurencobre a soberana hritannica. Desde
entilo o gorerno de Nicaragua fizera com
diversoscidadSos americanos urna conven-
tilo ilcquenessa poca referimos os lirrs e
rondicfleg, TraUva-86 de crear, por meio
de Ira bal los e canalisacSo, urna via de
communlcacSo directa entreo doui oca-
nos pelo lago ile Nicaragua. Urna das clau-
sulas do tratado cstipulava a construceflo
de um emporio na enliga cidade de San-
Juan, que viera a ser Crey-Town sh a do-
minaeflo ingleza. O cnsul britannico em
New-Yefk, uSr. flarrlay, acaba de declarar
que essa convoncilo eonslituia uma nsur-
pacjto do territorio mosquito queesse ter-
rilorio chega ao rio S.-Juan a SO niilhas a-
baixo do lago de Nicaragua, c que desss
ponto at a foz a navcgaco do rio he pro-
1 riedade do rei den Mosquisloa, assim como
"solo da ei-lade de Grey-lown; que, por
consequencia, o govarno de Nicaragua tem
disposto de coiisis que llie nao perlcnccm.
I'or nutras palavras, o Sr. Itarclay prohibe
as paites contratantes passarem'ou c lin-
careui sobren lorritorio mosquito, queou-
tros ehainam inglez.
i lie provavel que o gabinete de Washing-
ton lenha de inlervir em favor do seus cida-
ilos. O negocio de per si nilo parece offerc-
oer gravea obstculos a uma transaecilo;
porm nilo dever ver-se ueste incidente,
cuja impoitancia he mediocre, um dos mil
lacios dessa hita surda que prosegue inces-
safltoinente entro as duas grandes fraecOes
da laca aiiflo-saxrini ? O isltimo que rene
as duas Americas be boje do alguma manei-
ra o cixo sobro quogyram os destinos do
iniinlocomniercial. Os Americanos apos-
saram-seja da parte que domina o Pana-
m, o os Inglezcs nilo querem abandonar-
nos a linha do lago Nicaragua, quo reser-
van! para si. A.sim, cada um desses dous
grandes povos domina a estas horas os dous
pontos onde o islbmo be mais favoravei a
abertura .das commumeacoes directas entre
os dous ocanos; e ambos comprchendem
que a supremaca perlencer quelle que
souber tragara via mais promplao mais f-
cil. Os Americanos comecaram ja, e breve
veremos sem duvida os seus [rivaes prem
miios a obra.
l'm caso extraordinario occorrido em
New-Orleans preoecupava exl raonlinar j-
menle a aUencflo publica. O cnsul hespa-
nhol Carlosde Espaa era processado por ter
mandado embarcar frca no dia 5 de julho
um fulano Itey a burdo da escuna ameri-
cana Martj-Ellen, que seguir inmediata-
mente para a llivaua. I'areco q-uu Rey era
nuti'ora carcerciro de um presidio na'lla-
vana, onde se arbava encarcelado um fal-
lido fraudulento chamado Vicente Fernan-
dez, condemnado a drz annns de prisilo. O
fallido era rico ; ganliou o affeicao de Itey, e
obteve delle sabir urna noile por alguns ins-
tantes da prisSo para visitar um prente.
He y acompanhou sen preso. (bogando, po-
rm, uma ra deserta, osamigos do Fer-
nandez apoderaram-se de Rey, que foi pos-
to com Fernandez a bordo do um navio
americano econduzido a New-Orleans. Itey
consentio em calar-se, recebendo a quanlia
do 12,000 pesos, quo Ihe deviam ser pagos
ao chegar mis Estados-Unidos. Esta pro-
messa, porm, nao foi cumprida, e Itey vio-
sereduzidoa miseria. Itesolveu entilo revelar
ludo ao cnsul bespanhol, implorando per-
dito e permissSo de voltar para llavana O
cnsul declara que, depois de ter consulta-
do ocapiao-gcneral, promotleu o perdSo,
equo com esta promesas Roy regreasou a
llavana por sua livre vontado. Testemu-
nhas, 1 nreni, allir na ni queRey.foi por agen-
tes do cnsul arrancado da casa ondo mo-
rava e embarcada frca.
He o cnsul culpado? Ilouvc violacilo
do territorio americano? Foi umestran-
geiro, protegido pelas leis americanas, ar-
rancado a frca e a despeito dodireito in-
ternacional, para ser entregue s autorida-
des de um paiz vizinho? S0o estas asques-
tOes- commentadas pela imprensa america-
na c das quaes iniliam tomado conheci-
inenlo as justicas de New-Orleans. O lino
York Htrnli chega a dizer que ocommo-
iloro l'm ker recebra ordem dn seguir Mra
Cuba c do exigir a entrega de Itey. AS uf-
timas noticias de New-Orleaos sSo do 6
ISBSM
>-.
1
do agosto; nossa dala continuava o pro-
cesso.
Rabia fcra em plena tranquillidado.
0 Mrreantil publica o seguinte resultado
da apuraco geral da votaeflo de todos os
collegios da provincia para deputados ge-
raes, exclusive smente o de Chiquo-Chi-
qne, bom como os votos das froguezias de
(lat o Madre-de-Dos, por excosso de
cleitores:
os sus. votos
1 Concelheiro Francisco G: Martins 1862
2 l)r. Flix Riheiro Rocha 1796
3 l)r. Jos Augusto Chaves 1661
\ Concelheiro Mannel Vieira Tosta 1627
5 Hr. Francisco Antonio Ribciro 160*
6 Concelheiro i. 1. de U, MagalhSes 1599
7 1)r. Vctor de Oliveira 1595
8 |)r. Renvenulo A. de ||. Taques 1592
9 |)r- loto Mauricio Wandcriey 1583
10 Dr. Jos de Coas Siqueira 1565
11 Dr. Aprigio Jos de Souza 1508
12 Coronel Manoel Joaquim P. Pacca U88
13 Dr. Joo Jos de Almaid Couto 1*32
I* Dr. Jos A. de MagalhSes Castro 1358
Dr. Ang-slo Francisco Ramos 1193
Dr. Jos Ferreira Souto 1023
Dr. Luis Antonio Rarboza d'Almeida 996
Concelheiro Joaquim Marcellino do II. 897
Dr. Mano.fl Mara do Amaral ( 891
Dr. Eduardo Forreira Franca 852
Des. J0S0J os de Oliveira Junqueira 7*3
Des. Candio'o Ladislao Japiass 655
Dr. Francia* 10 Bonifacio de Abren 567
Jos Antonic 1 da Fonseca l.essa 522
Des- Corneli o Ferreira Franca 505
Dr. Theodop.i Prxedes Fres *96
Dr. Joilo Ant unes de Azevedo Clavos 3j2
iVubl icafio a pedido
RAI.ANC.ETE DO COFRE DA ADMINISTRA-
CAO' DO PATRIMONIO DOS OKI'IIVOS,
VERIFICA O NO 1 DE JUNHO A 30 DE SE-
TEMIIRO DE 18*9.
HECFITA,
I: 11 lmenlo do patrimonio
Sobras das de sptzas dos orphSos
n das orphSas
Producto da renda dos utensis
da aula de dezonho. e das olli-
cinas de marceneria, entalha-
dura e torneados, do collegio
dos orphos, huje existentes
Uepoii/os.
Entregues po.r diversos empre-
gados dos collegios, descon-
t dos 5 0|0 nos seus ordena-
dos em vn tu.le da le provin-
cial n. 196
Novimtnto de fundos.
Empr.islimo feito pelo thesourei-
ro para supp.rirnoiito das des-
pezas 'leste trimestre
Saldo em 30. de junho de 18*9
6:505,075
109,575
10*,30O
438,720
7:157,670
Pecas de G/400..... 17#.')00 a 171700
iu.-v.is...... lO/dOO a 174*100
Modas eAfm..... 9/>00 a 9/OO
l'ataces braiileiros. 2/000
hespanhes 2/000
mexicanos. 1/980
(Mercantil.)
itiovimento do Porto.
Itavioi entrados no din 16.
Rio-de-Janeiro, Babia e Macei 9 das e
15 horas, vapor brasileiro lahiana, de 240
toneladas, commandante n primeiro-
tenente Jos Secundino Cromensoro,
cquipagem 27. I'assageiros : para esta
provincia, Thendoro Joaquim com sr^a
senhora, :t filbos o uma cscrava, D. Mr.ria
de Mornay, D. Mara Redolac.cm 1111,111-
Iha c urna criada, llamburguezcs ;; Jos
Roberto de Jess, o padre Jos Veixeira
de Mello, Jos Antonio Ramos, Salermo
MariannoGuivido de Lacerda., Rrasilei-
1 os ; Chrstopher Keller, Al'.om.lo ; o pr-
primeiro-lcnente da armaba Feliciano Ig-
nacio Maia, oalferesMr.noel da Assump-
co Santiago, o tenenl Joaquim Jos f'e-
rora, o aleres quarlcl-mestre Vicente
do Paula Ros de P,|jvena, o lenle Luiz
Jerunymo Ignarjo dos Sanios, o a I Teres
Alexandre Augusto Fras Villar, Jos
Francisco Concalves e dous escravos a
entregar j,para o norte, o capilSo-lenen-
le Jos '.danoel da Costa com sua senhora,
6 filn-js o urna cscrava, o tenente llenri
QO.e Jos da Carvalho, o alferes Francis-
co Marlinho do Campos, o alferes Jos
Pe tro Conzaga, Lefio Cali. Francez; J.
W. Thorpe, Inglez ; e 2 escravos a en-
tregar.
Ass' pelo Araraiy 12 das, escuna brasi-
sileira Mana-Itrmina, de 123 toneladas,
capillo Joflo Bernardino da Roza, carga
sal e couros; a Jos Antonio Bastos. I'as-
sageiros, Manoel Coolho da Molla, Anto-
nio Pedro da Cosa Cima, Jo3o de Souza
Nunes Corlo, Antonio Rento Fereira de
Faria e Jos Toixeira Coimbra.
Terra-Nova 45 das, barca ingleza Crta-
more, de 207 tonehdas, capullo T. Kemp,
equipagem 13, carga 2500 barrica com
bacaliio ; a James Crabtiea & Coinpa-
nbia.
flavios tahidos no mismo dia.
Para Barca ingleza llealrke, capilo Jo-
sepb Me. Cay, em lastro de areia.
Camaragibo lliate brasileiro Novo-Det-
tino, capitao EatevflO Ribeiro, carga va-
rios gneros.
Obsirvacio.
Entrou para o Mosqueiro a corveta "o
guerra brasileira U -anuaria.
ordem e methodo de as expor e ensinar.
Esta nova verslo, que a primoira vez agora
acaba de sabir ao publico, se fazia muito
necessaria pelos de fe i los da antiga, ja por
vezes reformada, mas sem poder preencher
fcilmente os seus lins, por so Ihe ter dei-
xado ficar sempro muilos dos amigo- defoi-
tos, que nio era possivel emendarem-se de
lodo sem se recorrer a um novo trabalho de
outra tradcuco, inteiramente livre sem fal-
tar Fidelidade quedevesera primeira obri-
gac'.to do trataductor. Quem quizer a po-
Avisos martimos.
121,4*1
362,582
7:6*1,693
DKSPEZA.
Administrar-So.
Ordenados aos em pregados
Diarias aos ex-con^regados
Foros
Concertos de prodios
Despozas judiciaes
Collegio dos orphios.
Ordenado aos empregados
Jornaes aos serventes
Diarias aos orptiaos e omprega-
dos
Utensis para o collegio, aulas
eollicina de sapataria
Collegio dat orph/tas.
Ordenado s empreg-adas
Jornaes s serventes
Diarias as orphilas o embregadas
Aluguol da casa
3I2.S20
202, *00
31,101
8*2,290
50,000
912,498
583,920
1:955,920
219,320
4*9,988
291,100
1 :*62,800
137,500
Movimenlo de fundos.
Pagamento do emprestimo feito
pelo thesoureiro para suppri-
incnto das despezas do trimes-
tre lindo em 30 de junho p. p.
Saldo om 30 de setembro de 18*9
7:45*,6I0
65.612
12I,*4I
7:641,693
Secretaria da administraQ.lo do patrimo-
nio dos orphos, em II deoutubrode 18*9.
Domingos Kffonto Nery Ferreira,
Thesoureiro.
Jodo Francisco de Chaby,
Socrelario.
EDITA L
Pela inspectora da alfandega se faz
publico que, no dia 17 do correle, so hilo
de arrematar em hasta publica, na porta da
mesma, depois do meio-dia, duas caixas
com cinco ml binas, appreheudidas pelo
ajudaute do guarda-nir no acto da visita
da polaca bespanhola Estrella, na confur-
midade do artigo 291 do regulamcnlo : sen-
do a arremataco livre de drcilos.
Alfandega de Pernainbuco, 16 de oulubro
de 18*9. O inspector, Luis Antonio de
Sampaiu Vianna.
Declarares.
A pessoa ou pessoas que ltimamente
pelo vapor l'aracnseq barca S.-Salvador di-
rigirn! a Jo3o Antonio Rarboza de Olivei-
ra, RaymundoJos Rabello e Joo Callos
Damaceno, no Pura, um maco do impressos
e papis de msica, queiram dirigir-se a
esta admiuistrac3o para dissolver a duvid
que houvo nessas remessas, sem o que lu-
do deixar de ser all entregue a quem se
dirigi. Correio de Pernambuco, 15 de
outubro de 18*9. O administrador, An-
toio oii Gomes do Correio.
CORREIO GERAL.
Do ordem superior foi transferida par
boje (17 ) a sabida do vapor S.-Salvador
para os porlos do sul, fechando-so as malas
ao mcio-dia.
O vapor Bahiana recebe as
malas para os portos do norte
boje, a urna hora da tarde : as
correspondencias serSo rece-
bidas cojo o poi to duplo al s 2 horas.
Para o Rio-de-Janeiro prope-se a se-
guir breve o brigue Bom-Flm, oqual rece-
be carga a frote, escravos e tem bons com-
modos para passageiros : quem pretender
no mesmo carregar, p le enlender-se com
os consignatarios, Aniorim IrmOos, na ra
da Cadeia do Recite, n. 39.
l'ara o Kio-de-Janeiro sa-
he, ro poneos dias o palacio na-
cional Falente, forrado de cobre
c de excellente marcha : para o
reslo da carga e passageiros traa-
se com o capilo a bordo, ou com
Novaesfk Companliia, rua do Tra-
piche, n. 34, segundo andar.
Para a Rabia segu em poucos dias e
patacho S-rrua, mestre Jofio Antonio da
Silva : para carga o passageiros, trala-se ao
lado do Corpo-S-inio, loja n. 25.
Para Angola equalquerou-
tro porlo da t osla-d'frica pre-
tende sabir at o fin do corrente
mez, o brigue francez Faber,, re-
cebe carga e passageiros, para o
que tem evcellentes commodos:
os pretendenles dirijam-se aos
consignatarios do mesmo, B. Las-
serre & Companhia, na rua da
Senzalla-Velba, n. l38.
Para San-Matbcus com es-
cala pela Babia segu por estes
4 ou 5 dias o patacbo nacional
Lima : recebe carga e passageiros
para qualquer destes portos: os
pi (.'temientes dirijam-se rua do
Vigario, n. 19, a tratar com Ma-
chado & Pinheiro.
Freta-se para Macei ou Rabia o velei-
ro hiale S.-Antonio-Flor-do Rio, que pega
em o caixas : a tratar com o mestre a bor
do, fondeado em frente do trapicho do Ra-
mos, ou na rua do Encantamento, n. 4
-- Para Lisboa sabe, com a maior brevi-
dade possivel, a barca portugueza Ligeira,
de qde he capitflo Antonio Joaquim Rodri-
gues : quem quizer carregar, ou ir de pas-
sagem, para o que tem os mclhores com-
modos, ilirij r-se a Francisco Severiano Ra-
bello & Fiiiio, ou ao mesmo capitSo na
praca do Commcrcio, ou a bordo.
OMMEaafl.
ALFANDEGA;
Rondimunto do dia 16.....28:837,764
IMPORTACAO.
George-WUliam-RusseU, patacho america-
no, vindo do Terra-Nova, entrado no cor-
rento mez, consignado a James Crabtree &
Companhia, manifestou osogunle :
1950 barricas com bacalbo ; aos consig-
natarios.
CONSULADO GERAL.
Rendimeoto do dia 16..... 439,8*6
Diversas provincias...... 1,371
4*1,217
CONSULADO
Rendimento do da
PROVINCIAL.
16.
1.019,709
RIO-DE-JANF.IRO.
CAMBIOS NO DIA 5 Di; OUTOBRO.
Cambios sobre Londres 26li2n26 3|*
Paria 358 a 360
11.111111 u rno 670
Matees. Oncas lieapanhla 30/&00 a3l/000
da patria 29/600 a 30/MO
Pecas de /400, velhas. 17/600 a 17#800
. Peso liespanhca. 1/960 a 2/000
- da patria 1/930 a 1/950
Patacfea .... 1/930 a 1/950
Apolicei de 6 por cento 88 a 89
provinciaes ... 88
(Jornal do t'ommercio.)
CAMBISS
Londres. .
Paria ....
Ilamburgo .
Liboa e Porto
UAHIA.
NOlll ll DK ODTDiaO.
......26
.....nominal.
On(aa beapaulilaa.
> mexicanas ,
"Sp-V..
31/100 a 31/500
30/000 a 31/000
Tlieati'o de S.-Francisco.
I" i.m;\i.(),;'.! DE OUTURRO DE 1849,
a beneficio de Joaquim Josda(;ama, lla-
vera um vaiiado c inleressanto espectculo:
o drama em 3 actos
O MINISTRO TRAIDOR
ou o
Triumpho da imprensa livre.
Em seguida, o Sr. Santa-Rosa o a joven
Felismiua cantarao o duelo que lem ior
Ululo
O IIEIRI.MIO E A POBRE.
Segur-se-ha um
DANCADO.
E dar fim aodivertimonto, com a farca o
CASAMENTO POR MAGIA
ou
a flauta mgica.
Todo este divertimenlo be interameote
novo nesle thealro : elle tem merecido os
mais decididos applausos nos Diestros do
Rio-de-Janeiro, por cuja raailo o beneficia-
do o deslinou para apresenla-lo em a noule
de sou beneficio ao Iluminado publico
desta cidade, a quem tem a honra de convi-
dar, protestando quesera eterna a sua gra-
lid.lo.
N. B. Os bilbetes de camarote e palata
acham-se a venda em casa do Sr. Santa-
Rosa.
Principiar as horas do costume.
PUBLICACAO- LITTERARIA E RELIGIOSA.
Sahio i luz em lingos vulgar o mais per-
feito calhecismo de doutrina christfla, o de-
cretado pelo sagrado concilio de Trento,
para delle fazerem uso os parochos de todo
o orbe calholico as suas exposices dou-
trnaes aos fiis commeltidos ao seu cuida-
do e vigilancia, afim de que em todos aquel-
les pastores houvesse a uuiformidade ne-
cessaria tanto no onsino das principaes ver-
dades da religiao catbolica, como ua boa
s
embarque e desembarque : na rua da Sen
zalla, n. 42 a tratar com 9. J. Jobnston
Companhia.
Alugam-so duas casas na poyoacSo <|
Rebcribe, ao lado da igreja, sendo uma bs
tante grande e a outra mais pequea can,
quintal que bota para o rio : a tratar n?
Aterro-da-boa-Visla, n. 47, segundo andir
~ Precisa-se de oito contos de ris a n
ros pelo lempo de dous annos, dando-ss
para seguranca propriedades cujos valores
excedem a trinta contos de rs.: no Aterro.
itera achar no armazem de Francisco Xa- jda-Boa-Vista, venda n. 2, se dir quem pr
v'ier Martins Bastos, ruado Encantamento, Icisa. Na mesma venda aluga-se a. loja com
. 11. 'armacilo da esquina da ruada Aurora, on-
de foi loja de louca ; beni como o arrnzem
por detrs da mesma, proprio pan Co.
lieira.
I'recisa-se de uma ama de Icilc, forr.
ou captiva, para acabar de criar uma crian
ca de 5 mezes: na rua larga do Kozr.n
n. 11. ,0'
50,000 rs. de gratificaco.
Fugio, no dia 6 do corrente, da casa n
19 da rua da Alfandega-Velha, pela segun-
da vez, (tendo fgido no dia 12 do pisSl.
do mez de setembro e voltadoj um piri|
acaboclado, de nome Antonio, de 18 a %
annos, de bonita figura, cor clara, cabellos
compridose annelsdos, pernas um pouco
arqueadas; tem o andar um Unto pesado-
falla as vezes precipitado ; he provaftel qu
se inculque por forro ; levou camisa de mi.
dapolflo encorpado de feitio estrangeiro
com a marca F. Q. calcas de algodSon-
nho azul sosiidas, por uma correia enverni-
zada.chapeo de seda prcto. Esteeseravo per.
tenceu oulr'ora a Ignacio Gomes da Silva,
de Pedras-de-Fogo. Quem o negar leve-o
dita casa, quo recebera a gratiflcagilo acim,
Quem precisar de um caixero para
venda ou para padaria, preforindo-se venda
dirija-se ao armazem da esquina do caesdu
Ramos.
Deniz, alfaiate francez, mudou o seu
eslabelecimento para o Atcrro-da-Boa-Vii-
ta n. 38, aondeosseus freguezeso sclu-
rio prompto para o seu servico
Aviso aos Srs. ourivcs.
Carlos llardy, ourivos na rua Nova, n. 3*
puxa chapa de ouro a 60 rs. a oitava, a de
praia a 40 rs.
Fugio, no dia 2 do corrente, a cabr
Pulquera, de 21 annos, anda bastante is-
seiada na rua ; tem as macilas do rosto um
tanto sabidas para fra, nariz regular; cos-
tumava a vender olinhos e fazendas:
quem a pegar leve-a a rua de Apollo, o.
brado de um andar n. 7, que ser gratifi-
cado
O Srs. Antonio Joaquim ConsilveiCui-
maraes e Silvesle Jos de Oliveira MaceJo,
teem cartas na casa de Novaos & C., rua
do Trapiche, n. 34.
OsSrs. sargentos do quinto b.P.J.D
D. J., F. F. S. e A. J. ti. queiram isier
o favor de ir pagar suas comas que de.
vem na rus da Guia, m. 9 ; pois, se o nilo li-
zerem, passaro pelo desgasto de veretn
seus iiouies por extenso fiesta folba, e ai
quantias publicadas.
FURTO.
No dia sabbado, 13 do corrente, pelo
meio dia, furlou-sedo segundo andar di
casa n. 14, rua do Trapiche-Novo, um re-
logio vclho, do ouro, suisso, juntamente
um livrinho de marroquim encarnado, coq-
tendo a missa para domingo da Santissima
Trindade, em inglez elalim ; eum tranca- '
11111 grosso de missangas pretas, e mais on- I
Iros objectos, que sendo ludo de pouco va-
lor a qualquer oulra pessoa, no o lie so
dono,que promette30,000rs. aquella pessoa
que os Irouxer dita casa, e guardar se-
gredo: e como a pessoa he bein condecida
de vista, protesta-se que aonde fOr encon-
trada ser apprehendida e entregue 10-
licia.
Manoel Jos Soares embarca para o
Rio-de-Janeiro o seu escravo Foitunsto,
crioulo.
Quem tiver uma sala ndependente pa-
ra alugar a uma pessoa de probidade, 110
bairro de Santo-Antonio, sendo em boa
rua, annuncio por esta folha.
-- A pessoa que se offerece prestar os
seus servicos do pharmacia, dirija-se rua
doQueimado, n. 15.
Precisa-se de una pre.ta cap-
tiva para fazer o servico interno de
uma casa de pnuca familia ; na rua
da UniOo, sobrado onde morn 0]
Sr. Guerra Junior.
Tiraram ou cabio da algibeira po abai-1
xo assignado, em occasiSo que eslava re-1
costado na ponte do Recife, urna cartein I
de capa verde, a qual tinha dentro 12,000 I
rs. em cdulas, sendo uma de 10,000 rs. e I
outra de 2.000 rs.; meio bilhete n. 1.003 da I
quinta lotera do Rio-de-Janeiro, o qual I
tem as costas uma promessa feila a S. I
Concalo, do ongenbo Pilar, provincia dai I
Alagas ; mais meio bilhete da lotera de I
N. S. de Guadalupe n. 1,115, outro mero I
da lotera de N. S. Mu do Povo, de Jaragui, I
e oulros papis que no pdem. servir. K~ I
ga-se a quem a achou ou a lirou que quein I
licar-se com o dinheiro, e deile a crtera I
por baixo da porta da loja da rua do Colla-1
gio. 11. 1, do Sr. Malinas de Azevedo Villa-I
rouco, visto que o annunciante ja tomou as I
cautelas precisas para os bi I heles n9o se- I
rem pagos a outrem : bem como o annun- I
cianle previne aos Snrs. cambistas q I
apprebcn lam qualquer dosles bilhetes.ciso I
sejam premiados,e Ibes fOrem rebatr,quo I
annunciante gratificar com melada do I
premio. Ignacio ioaquim d VuieoaM" I
AccatY.
-Aluga-se, pelo lempo de leste, nm gran- I
de sitio na estrada do Monteiro, rom boa I
casa de vivenda, cozinha fra, estribara, I
coebeira muilos arvoredos de fructn a I
muito porto do banbo : a tratar na na No- I
va n. 50, primeiro andar.
Aluga-se uma casa no sitio, do CorJe- I
ro, margem do no Capibaribe, com c"111" I
modos para grande familia, cozinha fra,
estribara, coebeira e quartu para criado, I
uma dita mais pequea, tambem com bons I
commodos para familia, e estribaria: a^l
tratar no paleo do Carmb, n. 17, om <<' I
briol Antonio.
Aluga-se um sitio em RomOca, juntos I
Estrada-Nova, murado, com boa casa de vi- I
venda, cocheira o bastantes arvoresde fruc- I
lo : a tratar na rua da Cadeia do Recife, \f I
jan. 54. s,f I
Uma pessoa que tem as habililacos I
necessaras propfle-sea dar licoas de pri- I
Hierras lottras 0111 casas particularer: quem I
de seu presumo se quizer utilisar, dirija-se I
ao Aterro-da-Boa-VisU, n. 5.
Leilao.
~ Kalkmann Irm3ns farao leilflo, por in-
terveucflo do correlor Oliveira, do um es-
plendido sortimenlo do fazendas, todas
proprins do mercado : quarla-feira, 17 do
correle, s 10 horas da menha, noseu ar-
mazem, rua da Cruz.
Avisos diversos.
O RKIJA-I I.UIt
sabio o segundo numero e est a venda nos
lugares do costume.
- Os verdadeiros e a-
preeiaveirj charutos de
Ha va na estilo a ven a na
riiii da CrUz, n 51, arma-
zem de .1. O. Elster.
D-se dinheiro a premio em pequeas
quantias sobre penhoros de ouro ou prati,
sobre empenho de escravos, conforme se
contratar ; e em maor quanlia sobre hypo-
Iheca eih predios livres, sendo o premios
um e meio por cento : na rua Augusta, ter-
ceiro sobrado vindo do chafariz do Aterro.
SjffWC*J$i(B>
4
O O consultorio homccopalico est t
>,. nbeito lodos os dias desde s9 horas A
m da manbfla al s 3 da tarde. No mes- 4
* ii'o consultorio recebem -se doentes
tf para se Iratar bomccopalicamente a A
?,: 2,000 rs. por dia, e a 3,000 rs. que- :A)
a: rendo um quarlo particular : na iua ?
Ir. da Cadeia de Santo-Antonio, n. 22. 4
-- Precisa-se alugar um sobrado de um
andar no bairro de Santo-Antonio, prefe-
rindo-se nas ras Dreita e do l.ivramento,
pateos do Carino, de San-Pedro, da Penha e
rua do mesmo nome : na rua liircita, ven-
da n. 23.
Para as pessoas que Icn-
ciouam seguir viagem.
No paleo do S.-Pedro casa terrea n. 8,
liram-se passaporles para dentro e fra do
imperio, correm-sefolliase despacham-se
escravos, e para este fim lau.bem pde-se
procurar na praca da Independencia. livra-
na ns. 6 e 8.
Antonio Carlos Pereira de Rurgos ti
Ponce de Len faz scienlo a -quem 0
convierque, tendo de relirar-ee des 9.
la praca, lica encarregado de soua 9,
negocios o seu correspondente, o Sr. #
Lino los de Castro Araujo, com es-
criplorio na praca do Comaaercio,
Aluga-se um grande anmazem com ser
ventia para a mar pequea, e porlo de
II FflVFI


ESTRADA NOTA DE OLINDA.
DepolJ d conclusp da estrada e -ponte da
Tacaruna, a rciUc mais sensata eiperava que a
milicia estabelecesse na punte urna guarda
donde destacasse rondas paia inn e oulro lado,
,i,ld menos de noite; attendendo ao quanto
aquella eslrad. he despovuad e solitaria des-
dea Lasaros al Sentt-Theresa: assim evim-se-
hiao 01 roubos e espancainentos que teem por
vc'zes acontecido, e atjii alli apparecu morto
uin Ingles, que Torca dedinhelro flzeram-se
diligencias, e descobrirarn-se os autores socios
de urna quadrilha que havia naqellas visi-
nhancas,dos quaes alguna fratn desterrados;
cora ludo Uso o mal no leve liui nein ler.eui-
nuauto nao liouverem enrgicas providencias;
c agora no dia 14 do crreme, seriara 8 1|2 ho-
ras da noite, passava uma negra na ponte, a
qual vinha do Reclfe, e encaminhava-sc por
ii ni sitio defronte da Passagein, e diz a dita pre.
la que a seguir um hornera pardo armado de
ccete, eque Itie perguotira de donde vinha,
de quem) era, e para onde ia ; que, chegando
no liin da ponte aonde est a casa da barreira,
a qual eslava fechada, e onde o dito pardo a
aiacra contra a porta da dita casa, que ella
grilra multo, nns que uinguem llie acudi,
porque eslava em um deserto. O sujeito afl-
nal deisou-a, talvez temendo que alguetn vles-
se altrahido pelos gritos, porque dii ella que
lodo o seu flu era delta-la dentro d'agoa; a
negra depois como pode pr-se a camlnho
chegou a casa do Sr. com a cara toda desfor-
me, cabrea e braco de grandes socos c pau-
ladas que lilil.', apalihadu.
Sr apolicia nSo lomar em consideracao a-
quella estrada, de nnlle tornar-sc-ha intransi-
tavel. Os lampeos lambem scro de grande
utilidade ao> viandantes em noite de escuro.
l'm offritilitlo.
Una despedida.
O alfares do quarlo halalhao de cacadores de
liulia, Francisco Mu linho de Campos, tendo
sido piaca dopriineiru balalhao da mesilla ar
ma por espacn de sele aunos, faltarla ao mais
sagrado dever, se, seguindo para a provincia
do Para, onde val unir-se a seus novos cama-
radas, no fisesse constar aos Srs. olficiae, e
praca.' drste balalhao o quanto sent separar-
se destes lo briosos coinpniliriros de.iriiias ;
e agradece aos senhores officiaes do dito bala-
lhao o briu quesempreo trataran!, com partl-
cularidade os senhores cnpiao Manuel Jos de
Kspindola e tenenlc Candido Francisco de San-
ta Anua Ollveira. Qiieiram, pois, aceitar mi-
'nh.is despedidas, cerlos de que jamis me es-
quecerei do quanto Ihes sou .obligado ; e Ibes
oll'ereco naquella provincia ou iu ontra, onde
ine conduza a eaigeucla do servico militar, os
ineus fracos servlcos.
OSr. Jos liento Monteiro
l'necisa-sc de urna preta
boavendedeira de doce: na na
do Trapiche, n. 44'
--Quem annunciou querer hypotliecar
um sobrado de dous andares em boa ra,
Jirija-se ra estreita do Rozaro, n. 43,
segundo andar, que se dir quem faz este
negocio.
~ Na ra Nova, loja n. 58, se dir quem
ddinheiroa premio as quantias de 200,
300 e 400,000 rs. com hypotheca om casas
terreas.
Chapeos de sol.
31
da Franca, empregado no consu-
lado provincial, qncira mandar pa-
gar a quanlia de 18,000 rs que
deve do auguel da casa em que
morn ha dous anuos.
Francisco Xavier Carneiro da Gunha
Campello faz constar pelo presento, que
contina vender assucar de commissfto,
mediante a mais razoavel porcoutagem, e
promelle a todos que de seus serviros se
quizercm aproveitr a maior solicitude no
cumplimento de suis obrigagosede nao
transmilli-las a nenhum outro; por que pre-
sume ser uma das mais importantes evn-
I dgOes da correspondencia : quemsequi-
ver entendercom o annunciante, o poders
procurar na ra do I.mmenlo primeiro
| andar do sobrado n 6, ou na Estrada-Nova,
ponen adianto da Magdalena, casa rouxa em
coiifroiitacflo ao amigo engenho da Torre
U Sr. Ezeqlel de Souza Cavalcante,
mostr dedaugu, queira dirigir-se lvra-
ra, ns. 6 e 8, da praga da Independencia.
Certo senhor morador em S.-A**re
queira dirigr-so a ra Nova para con-
cluir certo negocio que nilo ignora, eqne
por varias vezvs tem pronietlido; do con-
trario ter de vor sou nome por extenso
tiesta follia, ese usar dos meios que fi-
- culta a iei: islo no prazo de oito das.
J. K. Annslroug, subdito jlnglez, vai
'aMucei.
-- Madama Julia embarca para o Rio-de-
Janeiro a sua escrava Isabel.
-- O secretario da irmandado do N. S. do
Terco convida a todos os irmos da mesmi
pura reunido de mesa geral, domingo, 21
do correte, pelas 9 horas da manhSa, no
respectivo consistorio, alim de se proecdor
' a eleigo da nova mesa regedora.
Uesappareceu, no da 14 do corrente,
do sitio das Jaqueiras, na Pontc-do-Ucha,
urna vaeoa toda preta, de raga do Angola,
com a marca O na anca; estava dando leile,
ilcixano o lip/rno no dto sitio ; consta
quo passra o liona Capunga e se encami-
I nlira para|ss bandas dos Remedios: a quem
a livor em algum silio, ou a acharem em al-
gum lugar, pede-se a rcstiluigao a seu do-
no no dito sitio, o qual gratilicar.
Piecisa-se de um amassador : na ra
Dirt-ils, nadara n.24.
Precisa se de um mogo brasileiro, ou
portuguez.de 12a 18 annos, para caixeiro
de venda, e que de dador a sua conducta :
i na ra do Uangel, a fallar com l.uiz Jos
Marques.
Um rapaz brasileiro, solteiro e de boa
conducta, se offerece para caixeiro de loja
de fazends*. ferragens, miudezas, venda ,
I pada ia e mesmo para feitor de algum sitio
hperlo da cidade : quem o pretender, dir-
Ija-se* ra estreita do Rozarlo, n. 5, casa de
| Jos Anacleto, ou annuncie.
P pharmaceutico que annunciou que-
|rcr-s airumardiriia-sea ruado Collegio,
fii.18.
Alugam-se bisas de Hamburgo : na ra
de Hurtas, loja do barbeiro, n. 43. Na mes-
f ma loja vrudem-se 2 methotlos, um de flau-
*la e outro de violSo, por prego commodo.
Maooel da Cunta uimariies Feneira
tem feilosua residencia na cidade da Para-
, Inba do oorte desde o dia 29 de julho de
1848.
Quem quizer comprar uns trastes j
usados, d i rija -se ra do Padio-Flerian-
no, n. ||.
Precisase de um bom ofllcial de car-
pinleiro para trabalhar a quartel em uma
obra de alguns niezes, no Passo-de-Cama-
ragibe: a fallar na praga do Commercio,
n. 2, primeiro andar.
D. W. Haynon, crurgiOo dentis-
ta, na ra do Trapiche-Novo, n.
114, respeitosamente informa ao
publico que/ pelos seusmuilos afazeres, se-
ra nhrigarto a demorar-se mais algum lem-
Vo nesta cfdade, antes de sua retirada para
os Eslados-Dnido, e olTereco seu prestmo
p.y toda qualidade de opersgOes dentaes,
para por denles novos, lano singlos como
dentaduras intelras, chumbar denles com
ouroe prata, conforme as ultimas desco-
bci tas tiesta arte. .
Rna do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
e cmplelo sorlimenlo de chapeos de sol,
tanto de seda como da panninho ; ditos
muito ricos de pros de Naples adamasca-
dos, com ricas franjas e da ultima moda de
Pars, para soohora, os quaes- vendem-se
em poreflo a relalho, pelo prego mais di-
minuto possivel. Na mesma fabrica ha igual
sorlimenlo de sedas e panninhos para co-
hrirem-se armages servidas, concorti-se
qualquer chapeo de astea de ferro ou de
baleia e lambem umbellas com toda a bre-
vidade e prego commodo.
Quem tiver para alugar, ou vender 2
burros, um de Horacio e outro de Tito Li-
vio, dirija-se ra do Collegio, n. 4.
-- A pessoa que annnuciou ter uma mo-
reda de casa pintada o concertada, na rus
do Amparo, n. 31, querendo alugar por
6,000 rs. mensaes, para uma pequea fa-
milia, se obrigando por toda a ruina que
se lizer, e dando-se bom tlnlor* querendo,
dirija-se a pre.cu na Independencia, livia-
na ns. 6 e 8.
Piccisa-so deum caixeiro para tomai
oonta de uma venda por balanco, o qual d
dador a sua conducta, e tenha bastan-
te pralca de negocio : paga-se bom ordena-
do : quem estiver nestas circumstanciasan-
nuncie.
O 0
% Bixas. g
oSa |>rafa da lndpeii-o
| delicia, n. 10, |
q ao voltar para a ra das Cruzes, alu- q
q gam-see vendem-se bixas de llam- ^
f burgo : lambem vflo-so applcar pa-
J ra commodidade dos freguezes ; ti- X
^J ram-se denles, sangra-so e appli- jjj*
O cam-se ventosas: ludo por prego O
& commodo. O
booooo^ooo ooooooo
Precisa-se alugar urna barcaga que
carregue de 20 a 30 caxas : quem tiver an-
nuncie.
~ Precisa-se saber quem nesta praga*lie
o correspondente do Sr. doutor Pedro Gau-
diano de Ralis o Silva.
-- Aluga-se a loja do sobrado da travessa
du Quemado, n. 1, propria para qualquer
estubolecimento: a tratar na venda junto
a mesma loja.
Deseja-se fallar ao Snr. JoSo Francisco
deOliveira, senhor do engenlio l.imoeiri-
iilio. da freguezia da Escada, ou ao seu cor-
respondente nesta praga, a negocio que
muito llie interessa: no becco do ihealro,
segundo andar por cima do botiqun.
Carlos Ilardy, ourives na
ra Ai ova, n 54,
previne ao publico e principalmente aos
seus freguezes que mudou seu estabeleci-
mentedon. 32 para o n. 34 defronte da
Conceigilo dos militares, aonde contina a
vender e fabicar obras de ou'ro do Iei,
c obras dilas da Ierra. Na mesma loja tam-
bem se vendem luvas pretasde maia, lisas
e com palmas de cores; luvas de pellica
para hnmem esenhora ; nieias de seda pa-
ra meninas ; ditas brancas e protas para ss-
nhora ; ricas litas para enfeites de chapos;
passarinhos brancos o de cures para cha-
pos ; pennas brancas com passsrinhos pa-
ra cabega de senhora ; lencos do milo, bor-
dos e com bco de linho verdadeiro; ditos
de garga ; camisinhas de cambraia ; lou-
ras le l,l.i v de tilo de I i olio para lia plisa-
dos ; chapos de palliitilia para senhora e
meninas ; ditos de pallia fechada, arrenda-
dos e bordados, muito lindos o vindos pelo
Socrale ; chapos de seda de cores ; mante-
letes prelos para senhora, por mais barato
prego do quo em outra qualquer parle ;
franja preta para manteletes.
=5
do, ii. 10, primeiro andar :
as pessoas (jue de son
presumo seqnizeiein nti-
lisar o pdem procurar a
qualqner hora, que sein-
pre o achrelo prompto:
ta be ni se ofterecea pres-
tar gratuitamente aos po-
bres os soccorras de sua
arte, das $Jt a|i 1 horas
da manila*
- Aluga-se, para se passar a festa, uma
boa casa terrea na povoagilo do Monteiro,
com quatro quartos, enzinha fra, quarlo
para escravos, dous quintaes murados com
poi tilo e saluda para 0 rio, estribara para
dous cavados, cacimba, o piulada de novo:
a ti atar na travessa do Veras, n. 15.
--Se nesta praga existe algum herdeiro
ou procurador dos herdeiroa da Torre, bas-
tantemente autoriado para receber os fo-
ros das trras portoncentes a dila Torre, no
lugar dos Itemedios, outr'ora aforadas ao
fallecido padre Caelann, annuncie sen au-
torisagao, ouapparega na ra do Collegio,
botica n. 6, para receber a paga de 3 anuos;
islo al o dia 20 do crtenle, alias immedia-
lamenlo se recolher ao deposito geral.
-- O abaixo assignado faz pelo presento
scienle ao respeitavcl publico, e principal-
mente aos seus devedores, quo o Sr. Manuel
Jo- Fernandcs Jnior deixou de ser seu
caixeiro desde o dia 13 do corrente, por cu-
jo motivse tifiorespoiisahilisa pelas irans-
acgOes que o mesmo faga desde este dia em
diante, e da mesma forma o faz rosponsa-
vel pelas quo tiver feilo s'iii o seu assen-
timento. Kecife, 13 de outubro de 1818.
Jote Diai da Silva.
Quem annunciou querer hypotliecar
um silio por 1:500,000 rs.,.. dirija-se a loja
de marceneiro, na ra Direitu, u. 86.
Compras.
* DEPOSITO CEU AL
g do superior rap areia-prsta 9
9 da fabrica de Cantis Pai- fe
Ifiet&c Companhia, na Ba- J|
Ida. %
?>.) Domingos Alves llatheus, agente da ^f
fabrica de rap superior arcia prota
e meio grosso da llalli, tem aberlo o
sou deposito na ra Cr'.iz, no Itecife ,
n. 52, primeiro andar, onde se achara
sembr desie excellente e mais sere-
te (litado rap que al o presente se tem
fabricado no Brasil: vende-se em bo-
tos de uma e meia libra, -por prego i
mais commodo do que em outra quul-1
quer parte. (
Compra-so lila de (lecha de canna, di-
ta de barriguda : pagase betn : na ra No-
va, loja de sellciro, n. 28, defronte da Con-
ceigilo.
Compram-se dous mloques de do/o
flnnos, quenfio tenham vicios nem acha-
ques : pagam-se bom : na olaria dos Coe-
IhosdoSr. )r. Antonio Jos Pereira.
Compra-se, para fra da provincia,
uma escrava moga, e de bonita figura, quo
saiba cortar e fazer uma camisa du ho-
mem c uugommar, ludo isto com perfeigfio'.
nio se olli a prego: na ra das Laran-
geiras, n. 14, segundo andar.
Compra-se uma espada de hainha de
couro, para ofllcial de primeira linha : na
ra Nova, loja de selleiro, n. 28, defronte
da Conceigfio : lambem se compra Illa de
ea-neiro, anda sendo j servida.
Compra-se ifia de flecha de canna e bar-
riguda, a 6,000 rs. a arroba : na ra da Ca-
deia do Itecife, n. 27.
Compra-so um pilfio grande que esle-
a em bom estado : na ra da Florentina,
vendan 30.
Vendas.
i
No da 17 do corrente, peranle o Sr
|)r. juiz do civel Ca segunda vara, na ra
das Cruzes, pelas quatro horas da tarde, se
ha de arrematar uma casa terrea, sita na
ra de San-Jos, n. 34 : quem a prelei.der
comparega, que lie a ultima praga.
Desappareceu um relogio deouio sus-
so, com mostrador dourado, corrente da
argura de meio dedo pouco mais ou menos
e com uma chave que fazia vozes de site-
lo; o como se supponha loriado, roga-se
aos Srs relojoeiros, ou a qualquer pessoa >
quem o dito relogio froflerecido, de o ap-
prehender e leva-lo ra da Cruz, n. 18, no
primeiro ou Icrceii o andar, que ser recom-
pensado.
Manoel Duarte de
Caria i doutor em medici-
na pela universidade de
,,,.', I engomma, cose, cozlnna, ludo muito bem
iV"0, adia-Se re.SI-lfeito, equosorve omelhor possivel a uma
d. i IlldO na rUa dO Lotera do Rio-de-Ja
neiro
Aos 20:000,000 de ri*.
Na praga da Independencia, n. 4, vendem-
se bilhetes, muios, quarlns, oilavos e vig-
simos da 11.' lotera a beneficio do thea-
irodeNictheroy ; bem como um resto de
bilholcs da 20 lotoria do monte pi. Na
mesma loja moslram-sc as lisias das loie-
rias passadas.
Vendem-se escravos baratos,
na ra da? Larangeiras, n. 14, se-
gundo andar, sendo : urna parda,
de 28 annos, de intiilo boa con-
duela, que engomma, coze e coii-
iilia ; tres dilas, rom babilidades ;
tres pretas mocas, de bonitas figu-
ras ; tres molecoes, sendo um bom
cozinbeiro ; dous moleques, de 14
annos ; tres pretos, ptimos para
todo o servico ; c mais alguns es-
cravos.
No hiate S.-Antonio-Flor-io-Rio, fon-
deado defronte do trapiche do llamos, ven-
dem-se pedras de amolar, por commodo
prego.
Bom e barato.
Vende-se azeile de carrapalo, a 240 rs
a garrafa ; assucar refinado, a 100 rs. a li-
bra ; dito branco novo, a 90 rs ; dilo mas-
cavado, a 70 rs.; saliao, a 120rs ; caf de
primeira sorte, a 120 rs.; velas de carnau-
ba, a 280 rs. de superior qualidade ; fu-
mo, a 320 rs.; manteiga franceza da mais
superior que ha, a 520 rs.; loucinho muito
bom, a 180 rs. ; cevada, a 70 rs.; carne do
Cear, muito boa, a 120 rs.; cha hysson de
primeira qualidade, a 2,240 rs. ; bacalho,
a 80 rs. ; pomada, a 240 rs. a duzia ; ar
roz pilado muito bom, a 320 rs. a cuia ; fei-
jjo mo la U olio muito novo u alvo, a 200 rs.
a cuia ; azeito doce de Lisboa, a 520 rs. a
garrafa; vinagre, a 80 rs. ; vinho de Lisboa,
a200rs. ; milito, a 140 rs. a cuia: e ludo
mais perlenctmte a venda por prego com-
modo : na ra de S.-Jos, esquina que vol-
ts para a abobada da Peoha,venda de 4 por-
tas, n. 2.
Vendem-se luvas de rede de
torcal de seda, brancas e pretas,
da ultima moda : na ra da Oadeia,
n. 15.
Vende-se um cabrinha de 8 annos, mui-
to esperto, e que serve bem a uma casa ;
um pretode 20 anuos, muito forte, o por
isso ptimo para todo o trabalho ; uma pre-
ta de 20annos, de muito boa figura, a qual
de 18 annos, ptima para se acabar do edu- | rnodidade para criar gado c com bo agoe
car; uma dita de 35 annos, muito boa en-
ommadeira e cozinheira, a qual so vende
para o mallo: na ruado Colegio, n. 21,
primeiro andar, se dir quem vende.
Lotera do I.io de-
Jauciro.
Aos 20:000,000 de ris.
Na ruado Queimado, loja de miudezas,
n. 25, vendem-se bilhetes, meios, quartos,
oitavos o vigsimos do monte po e l'.eatro
de Nicteroy,
Vende-se palha de carnauba : na ra
Moda, armazem de Leopoldo Jos da Costa
Araujo, a tratar com Alexandre Jos Alves,
ou com Francisco Martins Ferreira
Cabo de linho patente
0 mais novo que lia no mercado : vende-so
na ra da Cruz, no Kecife, armazem u. 13
Flele para bandeiras
de bonitas cores, e do excellente qualidade:
na ra da Cruz, no Itecife, rmazem n. 13.
Vende-se o armazn) do Isrgo da As-
sembla, n 9,aondo leem prensa os Srs. An-
lonio Jos Pereira de Meudonga c Jos Cac-
1 a n i!e Medeiros : a tratar com Tilomas de
Aquiuo Fonseca Jnior, na ra do Vigario,
n. 19. primeiro andar.
Vende-se um rico violo com muilo
boas vozes, com rnethodo o caixa de jaca-
randa : na ra do Vigario, n. 10, segundo
andar.
Ra ra do Passeio, n. 5,
vendem-so chapos de sol, de seda, para
homem e senhora, ditos de panninho, em
porgSo o a relalho Os freguezes acharo
urna diflerenga no prego, pela qualidade
superior, construeges das armagnes o co-
res fixas dos ditos chapos
Vendo-so a taberna defronto da malriz
da Boa-Vista, n. 88,com desobrigaa praga,
ou someta : a tratar na mesma taberna.
-- Vende-se, ou troca-so por uma escra-
va uma casa terrea db podra e cal, bem
construida, com duas salas, cozinha, 2
quartos e grande quintal com cacimba, si-
la no paleo da Paz, nos A fugados : na ra
do Caldeireiro, n 44.
No Aterro-da-Bo3-Vista, defron-
te da boneca,
silo chogados os muilo desejados sapatos
debozeiro do Nantes, para homom ; bem
como um completo sorlimenlo de calgado
de todas as qualidade!, lauto para homem
como para senhora e meninas : ludo por
piego commodo.
le beber em rio corrente : os pretndanles
dirijam-se Olinda, ruada llibcira, sobra-
do contiguo cadeia, que se far qualquer
negocio
JIO paleo de S.-ledro, taberna n. 1,
se dir quem vende urna escrava com cria,
do bonila figura, a qual s se vende psra
fra da provincia, ou para engenho.
Vende-so um preto do iiago. de 24 mi-
nos, mirto robusto e sadio, bom canoeiro
e proprio para todo o servigo : na ra da
Cadeia do Itecife, n. 5.
-Vendo-so uma venda, sita no boceo do
Peixe-Frito, agora travessa do Queimado,
n. 5 : quem a pretender dirija-se mesma
venda.
1
i
Loteras do Itio-dc-
Janeiro.
Aos !O:000000 rs. |
20.a a favor do monle-pio e i
11 I.' do ihealro de JSicllieroy. jj
Meios bilhetes. n,5oo &
Quartos.....5,5oo
Dita vos ..... 2,800 p
Vigsimos. l,3oo
Na litado Collegio, n. tj.
Vendem-se duas bonitas negrinlias,
proprias para mucamas ; um preto do An-
gola, c mais alguns escravos: na ra da
Cadeia do Recife, n. 39.
Vendem-se dous moloques, um cozi-
nha o diario de uma casa, e outro lio offl-
cial do alfaiate o proprio para pagem : na
un da Cadeia do ReciTc, n. 39.
Vende-so uma | reta moga, chegada da
Babia, com habilidades: na ra larga do
li>z.ii jo, loja de miudezas, n. 35.
Aos 20:0.00,000 de ris.
para curar da phlysica em todos os seus
dill'erenies graos ou motivada por consti-
pagOes, tosse, asthma, pleuriz, escirros de
sangue, dr de costase poitos, palpitago
no coragio, cuquelucho, bronchites dAr
na garganta o todas as molestias dos orgSos
pulmonares.
he ludas as molestias que por beranga II-
cain ao eorpo humano, nenhuim ha que
mais destruitiva tcnliu sido, ou qU'i tenha
zumbado dns esfurgos dos homens mais
eminentes em medicina, do que aquella
quo he gcralmente conhecida por moles-
lia no bofe. Km varias pocas d se-
cuto passado, lendo-so offerecido ao publi-
co dilTerentos remedios com attestados das
extraordinarias curas que elle tem feito ;
porcm quasi que em todos os casos a iluslo
tem sido apenas passageira e o doente
toruaa recahir em peor estado do que se
acliava antes de applicar o remedio tio re-
commendado outro tanto no acontece
com eslo extraordinario
Xarope do Bosque.
Novaes & Companhia, os nicos agentes
nesta cidade e provincia, nomeados pelos
Snrs. II. C. Yates & Companhia, agentes
gerses no Itio-de-Janeiro mudaram o de-
posito desle xarope para a botica do Sur.
Jos alaria G. Ramos, na rus dos Quarleis, n.
12, junto ao quBrtel do policia, onde sempre
acliaiOo o nico o verdadeiro, a 5,500 rs.
cada garrafa.
Vende-se um molequede bonita figu-
ra : em Fra-de-Portas, n. 19.
Vcnde-so um carro e tres cangas: em
Olinda, sobra lo do Baldo no Varodouro.
Vende se superior cora de
[carnauba, em grandes c pequeas
porcoes : na ra da Cruz, n. a4-
Vende-se um ptimo piano de jacaran-
A cues antea que
acabe m.
so
Na ra da Cadeia do Recife, loja do fazen-
das de Joilo da Cunha MagalhiTes, vendem-se
os muilo afortunados bilhet'S, meios,
quartos, oilavos o vigsimos da vigsima
lotera do monto pi e da decima-piimoira
lotera do Ihealro de Nictheroy: na mesma
loj* exislcm as lisias das loteras passadas.
.- Vende-se uma preta de nagio, do dado
de 18 anuos, de muilo bonila figura, sabe
coziiibar o diario de uma casa, ensaba
muilo bem e coze chSo : o motivo por que
se vendo se dir uo comprador : na ra Rel-
ia, n.23.
VENDE-SF. uma commen Ja da ordem
de Christo : no paleo do Tergo, n. 1, se-
gundo andar.
Novo sortioieiilo de fa-
d; um lustro de vidro para sala; duas
bancas de jacaradd ; duas ditas do ama-
rollo ; um bonito presepe ; um oraloiio pe-
queo, co.n imagens; uma cama de jaca-
runda ; uma mesa de amarollo com abas ;
3 estantes para livros ; um globo de vidro ;
um candieiro de lai.lo com 3 luzes; um
diccionario latino; a msica da Norma
completa ; 2 venezianas para janellas : na
roa Nova, n. 59.
Projo'ios para presente.
Aventuras de 'Jelemaco, em
francez, rica encadcrnnciio em ver-
dadeiro mnrroquim, com estam-
pas, q pequeos volumes, por
Gs'ono.
Fbulas de Lafonlaine, em
francez, riquissima edicuo Ilustra-
da, excellente gravuras, a volu-
mes, por Hs'ooo.
Auna de Geierstein, ou a Don-
zcllti do JVecoeiro, um dos mais
lindos romances de YValtcr Srott,
h kIii.'do tu. portuguez por A. Ha-
mallio, de Lisboa : 4 volumes, por
Gsooo.
Vende-se cada urna destas obras
separadamente, na ra do Hozarlo
zendas baratas, na ra
do Crespo, n. 6, ao p |a;ga, loja de J. J. Lody.
do lampea \
Vendem-se curtes decassa franceza com
10 covados a 2,560 rs. ; pegas de cambraia
de quadros com S varas a 2,7:20 rs.; cassa
preta para luto, Ill1 rs. o covado; zuarle
com palmus delarguia a 200 rs. o cova-
do ; riscudo monstro a 220 rs. o covado ;
chitas de rdres (xas a 160 o 180 rs. ; cha-
les de la i la la na, a 500, 800 B 1,000 rs. de
Veiiiicm-so.ua ra do Queimado,loja de
miudezas, u, 25, arroz do Cear, a 1,400 rs.
a arroba; bom como duas superiores re-
des.
Vende-se uma boa venda, sita na praia
do Caldeireiro, n. 2, por seu dono se reti-
rar para fra da provincia : quem a preten-
der dirija-se casa junto.
Vendem-se 8 lindos moloques de 12 a
muito bom gusto; cortes de brim de puro 18 annos ; 8 prelos do 20 a 25 annos ; 3 par-
I i filio a 1,280, 1,500 e 1,600 rs. ; chapeos
de massa a 1,600 rs. ; ditos de seda a 610
e 480 rs. ; cobertores de algod.to america-
no, a 610 rs.; picote muito encorpado, a
dos do 16 a 25 annos, sendo umdellos pti-
mo cozinheiro ; duas pardas de 17 a 20 an-
uos, com habilidades ; 6 pretas com habi-
lidades, do 17 a 20 annos ; uma negrinha de
180 rs. o covado ; pegas do madapolSo mui- 12 anuos, com principios de costura: na
to fino e com pinlas de mofo, a 3,600 rs. ,'rua do Collegio, n. 3, se dir quem vende.
Vendem-se ombraias de bonitos pa-
drOes, com 10 covados cada corle : na ru
do l'asseio, loja n. 17.
Est'Se acallando.
Anda existem alguns dos ricos manlele-
Agcncia de Kdwia Maw.
Na ra de Apollo armazem n. 6, de M. Cal-
monte.- Companhia, acha-se constantemente
um grande sorlimenlo de ferragens inglezas
para engenhos de fabricar assucar, bem
tes pretos e de cures, vindos pelo ultimo como taixas de ferro coado e batido de dif-
navio ile 1*ranga, os quaes se vendem por
menos prego que em outra qualquer par-
to : vende-se, na ra do Queimado, n. 17.
Vendcm-se meiss barricas de nova e
muito superior familia de trigo : na ra da
Cadeia do Recife, cscriptorio de Dcane You-
le & Companhia, ou no primeiro armazem
do becco do Congaives.
--Os herdeiros do fallecido coronel Soto
ferenles tamanhos e modelos, moendas
de dito, tanto para armar em madeira como
todas de ferro para animaos e agoa, ma-
chinas de vaporde frga deicavallos, alta
presso, repartideras, espumaderas, etc.
de ferro estanhado. Na mesma agencia acha-
se um sorlimenlo de pesos para balangas ,
escovns paia navios, (erroem barra, tanto
quadrado como redondo, salra para ferrei-
vendem uma parte, sita em Ueberibe, com i ro e umu porgan de tinta verde em latas :
muilos feriis terrenos, com grande com-ltudo por barato prego.
"r->


iw.nfr
-- Vende-so um'eabriolet inglez muito te quatroIcgoas do porto de em-
forlc em ptimo e,Udo o Pnt.lo Ue novo: b com mMto boas ohras, ex-
m rocheira do Sr. Mounicr, no Atcrro-da- I '
lloa-Vista. cnente machina movida poragoa,
militas mnas e trras de grande
Moendas superiores.
produccio. Uecebe-se em conta
Nn rnmliQnodo C. Starr & Compantna .
eni S.-Amaro, acham-se venda moendas algum Sitio perto desta prac?, on
lo canna, todas de forro, de um molelo c inesmo alguma casa nella situada :
ronstrueeOo muito superior,
-- Vendem-se amarras de ferro: na ra
:1a Senzalla-Nova, n. 42.
Taixas para engenho.
Na fundiQo le farro da ra do Brum,
acaba-so do receber um completo sortimen-
todo taixas del a 8 pal. os de bocea as
quaos acham-so a venda por proco com-
modo e com promplidSo embarcam-se,
ou carregain-secm carros sem despezas ao
'itmprador.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, chocados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras militas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parle : bem como
cijzarrilhos hespanhes ditos de palha de
milho, que se estilo vendendo pelo diminu
t o preco de 500 rs. o cento.
Pos galvnicos para
pratear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas quo possuem objectos
praleados o que lenham perdido a cor ar-
gentes, estando por isso indecentes, ou inu
tilisados, tcem nrstes pos um excellente
restaurador e conservador dos mesnios
objectos sempre como novos sendo o pro
cesso pan so usar dolles o mais simples ,
nada mais dn quo esfregar com um panno
de 1 aitio motilado em agoa frite pastado
nos meamos pos.
Urna raixinha contendo quantidade suf-
ficiiMile para pratear mais de 40 palmos
quadrados cusa a mdica quanlia de
mil >s
A 4#0()0 o corte de novas
aleiuas de seda
com lindos padrOesde listase quadros, co-
res modernas, clarase escuras at pretas ;
gangas amarellaa Ja India, proprias para
todo o trage de bomem e de meninos ; bem
como um novo snrlimento de fazendas (i
as egroasaa por baratissimo preco: no ar-
mazem le Haymundo Carlos Leite, na ra
doQuci'iiado, n. 27.
Novo inadapolfto patente
com mais de 40 jardas
cada pera
> com largura quasi do urna vara fazenda
a mais lina que so rde imaginar, por isso
ptima para ludo pelo diminuto preco Je
9,000 rs. a peca ; bem como todo o sorll-
nento de fazendas finas o grossas : no no-
vo armazem de fazendas de Haymundo Car-
los Leite, na ra do Queimado, n. 27.
$ '*
O* Na roa do Crespo, loja da *
% esquina que volla para a 9
@> Cadeia, vendem-se &
8 os acreditados brins brancos de lis- S
t' I rns, lisos eamarcllos, a 1,500 rs. o
& rs. todos de puro liubo ; panno lino *
(y

*
prctoeazul, a 3,200 rs. o covado,
ij dito muilo f uperior, a 5,500 rs. ; fus-
> toes muilo bonitos a 640 rs. o cr-
4 le ditosde velludo muito ricos a
f 2,500 rs. ; pecas de cambraia de qua-
V dres de 8 varas c meia, a 2,720 rs. a
fe peca ; cassas pretas muito bonitas ,
%t. a 1,410 rs. o corte ; madapolSo enfes-
9 lado muito fino, a 5,400 rs. a peca ;
cortes de calcas de setinela de cor,
& a 880 rs. ; ditos de castor, a 1,000
J rs. ; chila azul para escravos, a 140 #
r> rs. o covado ; picote muito encorpa- #
t)J do, a 180rs.; platilbas Jelinho, a 500 -
t> rs. a vara ; esguiSo de hubo muito fl- 0
,* no e com 4 palmos o meio de largu- )
* ra a 1,440 rs. a vara ; corles de
t)j brim de algodSo, a 800 rs. ; e ou- 4
*, tras muitas fazendas por preco com- *
2 molo.
* 4
~ Vendem-se 2 cabriolis inglczes em
muilo bom estado com todos os seus per-
tences por preco commodo : no Alerro-da-
Hoa-Vista n. 52, cocheirade Luiz Monier.
Madapoles tinos a
3,600 rs. a pee.
Vcndem-se madapolOes finos, com 24 jar-
das com um pequeo loque de mofo pe-
lo proco de 3.C00 rs. a peca : na ra do Cres-
po loja da esquina que volla para a ca-
dea.
Na ra eslreita do ftozario n. 43, se-
gundo andar vende-se um escravo perito
ollicial de sapateiro o que he hem moco :
o motivo por que se vende se dir ao com-
prador.
__Na loja do EMima & Hamos, no Aterro-
da-Boa-Vila, vende-se um pardo drago-
nas muito ricas para capitSo ; bem como
um habito esmaltado do Chrislo.
\ 900 rs. cada urna
vara.
Novo algodflo california, com 8 palmos
do largura na ra do Crespo, n. 5, loja
que faz esquina para a ra do Collegio,
vende-so o novo algodSo trancado pro-
prio para toalhas com 8 palmos de largu-
ra pelo barato preco de 900 rs. cada urna
vara.
Novos cortes de cassa pa-
ra vestidos.
Vendem-se cortes >lo cassa para vestidos,
de cOrea lixas e de bonitos padrOes, a sete
e oilo patacas o corte ; chales de tarlalana ,
grandes a 800 rs.; meios ditos, a 500 rs. :
na ra do Crespo loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Vende-se um engenho, sito
na freguezia de Serinhaem, distn-
a pessoa a quem convier, dirija-se
ra do Crespo, loja n. 17.
Folha de Flandres.
Vcndem-se caixascom folha de Flandres:
na ra do Amorlm, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnnior.
Tecidos de algod&o tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na ra da Cadeia, n. >'i.
vendem-se por atacado tres qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos, a 250, 280 e 300 rs. a vara.
Arados de ferro.
Na fiindico da Aurora em S.-Amaro ,
vondem-sc arados do ferro de diversos mo-
delos.
Superior farinha de
mandioca.
Cbegou de S -Catharina o briguc S.-.Mi-
nacl-Augusto com um carregamento de fa-
rinlia superior, acha-se fndenlo deronte
do caes do llamos e all fe vende qualquer
poreflo a preco commodo : lambem se pode
tratar na praca do Commercio, n. 6, pri-
meiro andar.
--Vende-se superior cal virgem de Lis-
boa viuda pelo ultimo navio por preco
mdico : a tratar na ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.
Chdbrasileiro.
Vende-se cha brasilelro no armazem de
molhados, atrs do Corpo-Santo, n. 66, o
mais excellente cha produzdo em S.-Pau-
lo, que tem vindo a esle mercado, por
preco muito commodo.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodo ameri-
cano, enrorpadose grandes a dota Pata"
cas ; chilas escuras de bons padroes e co-
res seguras, a meia pataca o covado : na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
la para a cadeia.
AGENCIA
da fiindicao Low-lfoor,
RA DA SKNZAI.T.A-NOVA, V. fa.
Neste estabelecimento conti-
na a ha ver un completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
co-ido, de todos os tamanhos,
para dito.
Vendem-se relogios de ouro e prala,
patentes inglczes: na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
Cortes de brim de puro
iinho, a 1,580.
-.- Vendem-se cortes de brim trancado
pardo de poro Iinho, polo diminuto preco
de qualro patacas : na ra do Crespo, loja
da esquina que volla para a cadeia.
oooooooooooooooog
l!m piano. &
Vende-se um piano muilo bom para jj
estudo, bonito e de excellenle autor:
na ra do Collegio, n. 9. <
Barricas.
Vendem-se barricas vasias que fram de
farinha em pe e hem accondicionadas 1
na ra do Ainorim 11. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Baha
Vende-se em casa deN.O. Bieber & C.
a ra da Cruz, n. 4, algodo trancado
aquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
Deposito de Potassa.
Vende se muito nova potassa)
de boa qualidade, em barriszinhot
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muilo
lempo se nao vende: no ilecife,
ruada Cadeia, armazem n. 13.
Vende-se, a bordo do brigue Marcial ,
chepado do Rio-Crande-do-Sul bom sebo
em rama por preco commodo.
A S,500 rs.
Vendem-se pecas de esguiflo de Irlanda,
fazenda muito encorpada e de 4 palmos de
largura pelo diminuto prec" de 5,500 rs. a
pega com 10varase meia, ea vara a 560
rs. : na ra do Crespo, n. 14, loja de Jos
Francisco Das.
Cadeiras de palhinha e
de balanco,
bem com oulros muitostrastes: vendem-se
cm casa de Kalkmann lrmSos, na ra da
Ciuz, n.10.
Rap roldo francez,
Vende-se o superior rap rolSo francez,
nicamente as lujas dos Srs. Caetano Luiz
Ferreira no Aterro-da-lloa-Vista n. 46 ;
Thomaz de Mallos l.stima na inesma ra,
n. 54 ; Francisco Joaquim Duarte ra do
Cabug ; Piulo & Irmuo na ra da Cadeia
do liedle, n. 19.
Charutos de Havana
verdadeiros: em casa de Kalkmann lr-
juSos na ra da Cruz n. 10.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
A 520 rs.
Na ra do Crespo, n. S4,
loja de Jos Francisco
Dias,
vende-se hamburgo muito fino, com 3 pal-
mos o meio de largura e com mistura de
algodo, pelo barato preco do 320 rs. a
vara. .
Novo methodo pratico e
theorico da lingoa Irn
ceza, por Luiz Antonio
Hurga i n 2 v. por 6$
Acaba de apparecer no Rio-de-Janeiro es-
ta interessante grammatica pela qual em
muito pouco tempo e sem a fastidiosa ta-
refa de estudar de cor verbos e signihoados,
se aprende a fallar, traduzire escrever com
perfeicSo a lingoa franecza.
Vende-se aqui na praca do Commercio, n.
2, primeiro andar.
Vcndem-se ricos chapeos de seda de
todas as cores ; manteletas de seda de co-
res e pretas ; chapeos de palha para senho-
ra, meninas c meninos: ludo ebegado pe-
lo ultimo navio do Havre: no Alerro-da-
Boa-Vistt, n. 1, casa de modas francezas.
Zuartes de furta-cres a
200 rs. o covado e ris-
cado monstro a 220 rs.
Vende-se zuarte do furta-cores muito
encorpado o com 4 palmos de largura, pro-
prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
do : na ra lo Crespo, loja da esquiua^que
volta parr a cadeia.
Cera em velas.
Vendem-se caias com cura em velas,
fabricadas em urna das melhorcs fabricas
do Itio-de-Janeiro, sortidas ao gosto dos
compradores e por mais barato preco do
que cm outra qualquer parte : a tratar com
Machado & I'inheiro, na ra do Vigario, n.
19, segundo andar.
Ven Jem-se no armazem do Racellar, no
caes da Alfandega, canaslras com superio-
res batatas a 2,000 rs. cada urna.
Atlencao !
A 1,000 ris.
Vendem-se cobertores de algodSo dobra-
dos, ptimos tanto cm qualidade como em
tamaito, com 8 palmos de largura e II
de comprimento, pelo barato preco de 1,000
rs. cada um ; bem como um completo sor-
timento de fazendas novas e baratissimas :
no armazem de fazendas de Raymundo Car-
los Leite, na ra do Queimado, n. 27.
Vende-se por mdico preco um piano
de Jacaranda, o mais rico em gosto e vozes :
na ra da Aurora, n. 24, casa de Francisco
Pires.
Vende-se urna preta do Oscilo, que co-
zinha, lava, e he vendedeira de ra ; um
prelo de nac3o, moco, proprio para todo
osci'vico: na ra larga do Itozario, n. 35,
loja.
Cal virgem.
Cunha & Amorini.na ra Cadeia do Re-
cifo, n. 50, vendem "cal virgem de Lisboa,
de superior qualidade por preco mais ba-
rato do que em outra qualquer parto.
SO mil cruzados.
lie n soite grande da loteria do monte
po geral a beneficio dos servidores do es-
tado. He chegado pelo ultimo vapor vindo
do Rio-de-Janeiro grande sortimenlo de lu-
rteles, meios, quarlos.oitavos e vigsimos
desta excellente loteria: vendem-so na
praca da Independencia, n. 37.
Vende-se, no paleo do Carao, taber-
na n. 1, azeite de carrapato, a 2,000 rs. aca-
nada, e a 280 rs. a garrafa ; farinha de ara-
ruta da mais nova que ha, a 250 rs. a libra.
Vcndem-se luvas de soda de torcal,
pretas e brancas, bem enfeiladas : na i a
da Cadoia-Velha, n. 15.
DEG PORTAS N*^
sas pdem com facillidade conheeer, nfio
so quem vem como quem trabalha ou nao
no campo, por 8,000 rs. cada um : esla des-
coberta foi devida ao acaso em 1609: na
ra larga do Rozario, n. 35.
Vendem-se cortes de calcas de brim *
9) branco, trancadoa 1/ ; ditos de dito 9
m amarello e de puro Iinho, a 1,440 rs. ; $
m ditos de dito do crese de bons pa- drOes, a 1,440 rs.; cortes de colletes %)
*, de sarja de algodo e seda, a 640 ra. ;
'? e outraa muitas fazendas muilo em lf
#}! conta : na ra do Queimado, loja do <9
A sobrado amarello, n. 29.
* *
Pechiuclias para
liquidacao.
Vendem-se cortes de gorgurfio de seda
para colletes, a 1,600 e 2,000 rs., superior
fazenda; ditos de velludo lavrado, a 1,600
rs o corte; casimira cor de vinho com seis
palmos de largura, propria para palitos e
jaquetas, pelo diminuto preco de 1,600 rs.
o covado; corles de cassa para vestidos
com sete varas de cores lisas o de bonilos
padrOes, a 2,000, 2,500 e 3,500 rs.; mantas
de seda, tanto para senhora com para me-
ninas, a 5,000 e 6,000 rs. na ;rua do Cres-
po, ao p do arco de .S.-Antonio, n. 5 A :
beni como casimira elstica preta, bastante
larga e superior, a 2,80o rs. o covado.
Velas de cores.
Vendem-'se, no armazem de molhados
atrs do Corpo-Saolo, n 66, por preco com-
modo, velas de carnauba, sendo azues,
cor de rosa e lustrosas, asquaes se tornam
recommendaveispela sua superior qualida-
de e aturare ni mais que as de espermacete,
e nSo fazerem morrSo.
Vende-se farinha de S-' nta-
Gatharina, a melhor que ha no
mercado e por preco commodo:
nos armazens 'de Dias Ferreira e
do VouriSo, no caes da Alfandega
__ Vende-se potassa superior
por preco mais commodo do que
em outra qualquer parte :
mazem de Dias Ferreira,
da Alfandega.
-- Vende-se um carrinho de 4 rodas para
um cavallo, muito maneiro, com arreios e
anda novo : na travessa de Veras, n. 15,
das 6 As 9 horas da manhOa, e das 3 s 6 da
larde.
Encellas Wine,
of^ery superior quality-to be had at the
store of Sr. Dias Ferreira Custom llouse
sq liare.
Velas de espermacete,
das melhorcs que teem vindo a este merca-
do: vendem-se em caixasde 24 libras, em
casa de Ricardo lloyle, na ra da Cadeia-
Velha, n. 29.
Vendem-se sapaloes de cou-
ro de lustro feitos no paiz, pelo
baratissimo preco de 3,ooo, 4000
e 4?5oo rs. ; ditos para meninos,
a 2,ooo e a 2,5oo rs. ; ditos bran-
cos do Aracoty para homcm, a
1,000 e a 1,200 rs. : na ra da
Cadeia do Recife, n. <)
-- Na rpa da Cruz, armazem n. 33, deS
Araujn vende-se cal de Lisboa, om harris
de 4 arrobas vinda pelo brigue Noto-Ven-
ceiior, por preco commodor ; bem como fei-
jo em sacras, muito bom, branco o do
outras qualidades, chegado do Aracaly, por
preco em conta ; assim como sol; couros
m indos; saptose caixas para rape de lo-
dosos tamanhos.
A 3,000 rs.
Vendem-se ptimas manas de seda para
senhora ,a 3,000 rs. : na ra do Crespo, n.
II, loja de Antonio Luiz dos SanDs & Com-
panhia.
-- Vende-se urna loja de fazendas com
muito poucos fundos, e bonita irmacSo de
vinhatico: na na do Passeio, n. 17.
as
le, por preco muito commodo: na
rua dt Aurora, n. 5, primeiro
andar.
Vende-se o superior rap denominado
JoUo Paulo Cordeiro, por preco commodo :
na Senzalla-Nova, n. 40, primeiro andar.
Vendem-se 2 mesas de meio de sala,
dous jugos de bancas, 6 cadeiras, utn can-
nap : todo de Jacaranda e com algum uso ;
bem como diversos trastes de pao d'oleo no-
vos, por preco commodo: na rua da Ca-
deia de S.-Antonio, n. 18.
Vende-se.manteiga ingleza, muito su-
perior, a 640 ra. a libra : uo lerro-da-Uoi-
Vista, venda pegada a loja do Estima, n. 54.
Vende-se, por preciso, urna escrava
que lava, cozinha e engonima poueo : na
rua do Jardim, n. 40.
A verdadeira graxa in-
gleza n. 97.
Vende-se, na loja de ferragena da rua da
Cadeia do Recife, n. 44, a verdadeira graxa
ingleza n. 97; Ijem como iode algodSo in-
glez, muito proprio para pavioa da velas
de cera branca e de carnauba, /rontade
do comprador.
Vende-se cera de carnauba de boa
qualidade, por preco commodo : na roa da
Florentina, n. 30.
Vendem-se 12escravos, sendo: 3 mo-
lecotes de 8 a 17 annos ; 2 escravaa que co-
zinham bem o diario de urna casa ; um inu-
latiho de 18 annos ; 4 negrinhas muilo
lindas,eque silo ptimas para mucamas,
por saberein bem coser e engommar; um
parda com um li I lio de 4 annos : na rua l)i-
reita, n. 3.
Vendem-sesarcas do muilo bom feijilo
rajadinllo, a 4,000 rs. ; ditas de dito bran-
co, a 6,000 rs.: no caes da Alfandega, ar-
mazem do bacelar.
Vende-se a taberna da praca da Boa-
Vista, n. 26, com poucos fundos, e com bona
commodos para familia : a tratar na mrs-
ma taberna.
Atlencao ao bom e
ralo.
no ar-
no caes
Nesia loja vendem-se
mira clstica, dos mais
cortes de casi-
bonitos padroes
que teem apparecido nesta praca a 6,500 c
7,000 rt ; lencos para grvalas, dos nielho-
res gostos o linos i m qualidade, a 1,500 e
2,000 rs. ; chales de 13a e seda de lindos
padroes a 5, 6 e 7,000 rs. ; ditos mais pe-
queos lodos de seda e muilo finos, a 6,000
rs. ; ditos de cadilho, a 480 rs.; lencos da
inesma qualidade, a 120 rs.; merino pro-,
to de duas larguras, a 1,500 rs.; dito mui-
fino a 2,000 rs. ; cortes do cambraia de
coros lixas, a 2,000 rs. ; vestidos bordados,
brancos e de cores a 2,000 rs ; cambrais
bordadas,brancas e de cores,a 320 rs.; ditas
de dillerentes qualidades a 240 rs. a vara ;
chilas de bons pannos e de cores lixas, a
140 rs. o covado ; e outras muitas fazen-
das que pela qualidade e precos cuiividam.
Tclle do diabo
a 1,280 rs. o corte de calcas.
Vende-se a superior fazenda para calcas,
denominada pelle do diabo, pelo barate
preco de qualro patacas o corle de calca ;
na rua do Queimado, n. 8.
Arroz de casca e mil lio
novo.
No armazem do llraguez, ao p do arco
da ConeeicSo, vendem-se saccas grandes
com arroa de casca e milho novo, pelo m-
dico preco de 3,000 rs. cada urna.
Vendem-se oculos de ver ao longej
proprios para theatro, janellas, ou mesmoj
para senhorea de engenho, que de auas ca-
5a> Vende-se brim trancado de bonilos <|
| cores, a 640 rs. a vara; dito tranca- j
W do amarello o do Iinho puro, a 640 S
f? rs. a vara ; macedona de cores imi- ^}
$r> lando casimira, a 560 rs. o covado ; <^
>> riscado largo para camisas, padrOes *<
a> novos, a 280, 300 e 320 rs. o covado ; ! riscado monstro, a 240 e 280 rs. o co- <
^ vado ; alpaca prela, a 600 rs. o cova- J
-> do; sarja prela de 13a lavrada, pro- j
j* pria para forro de obras, a 600 rs. o S
? covado: na rua do Queimado, loja ^
j. do sobrado amarello, n. 29. ^

tSr'bAAAAAatifciAjIialiAAAifcAisAO
Agoa de lingir cabellos e suissas.
Contina-se a vender.agoa de lingir ca-
bellos o suissas: na rua do Queimado, n.
31. O methodo de applicar a dila agoa acom-
pauhn os vidros.
l.;i|iis de desenlio de cores,
sendo azul, branco, encarnado, amarello,
verdee de outras muitas cores: vende-se
no pateo do Collegio, n. 6, loja de livros do
Sr. uourado.
Vende-se, ou troca-seum inoleque de
12 a 13 anuos, de bonita figura, sem vicios
neni achaques, porum maiorque sirva pa-
ra aprender oflicio: na rua Nova, loja de
funileiro, n. 38.
A 1,500 rs. o corte de
vestido.
Vendem-se riscados escocezes com 4 pal-
mos de largura e de cores lixas, a oilo pa-
tacas o corte : na rua do Queimado, luja
n 8.
Vende-se metade de urna casa terrea,
sila no paleo de San-Jos, na esquina que
volta para Santa-ltita, um famoso local
para urna- venda, por commodo preco ;
fallar na travessa da rua da Concordia, n.
5, sobrado de um andar.
Vende-se um bom cabriole!
com excellente cavallo ou sem el-
bai
Na rua Nova, n. 40, taberna defronte di
ConeeicSo dos militares, vende-se mantei-
ga ingleza nova, a 600 e 640 rs. ; dita para
tempeiro, a 240 rs.; espermacete a 800 rs.
a libra; vinho feitoria do Porto legitimo,
a 680 rs. a garrafa ; macaran e talharim.a
200 is.a libra ; aletria,.a 210 rs.; mantei-
ga de porco, a 360 rs.; btalas novas, a 80
rs, a libra ; che de superior qualidade, por
preco commodo; e outros muitos gneros
lodos novos, que se vendem muito barato.
A ella, reguezes, antes
que se acabe.
Joio Tavares Cordeiro, no caes da Alfan-
dega, e na rua do Vigario, n. 8, venda
farinha de Philadelphia e Raltimoer, muito
superior, por preco muito em conta, para
liquidar.
Vendem-se superiores batatas vindis
de Lisboa, por preco commodo : no caes3a
Alfandega, armazem de Francisco Dias Fer-
reira.
Vende-se urna mobilia de Jacaranda,
constando de um sola, 18 cadeiras, 2 con-
solos, nma mesa de meio de sala com
lampos do pedra-marmore, um candieiro
lnglex.de meio de sala, 2 pares de caslicm
de prala para mangas : ludo do bom gosto
e em hom uso : na rua da Cadeia do Iteci-
fe, n. 2.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem antigo da rua da Ifadre-de-
Dos, n. 36, est de novo eslibelecido de-
baixo das mesmas condicOcs, offerecondo
a deliciosa pingado vinho da Figueira pe-
lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada,a de vinho branco dcLis-
bOa por 220 rs a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a do vinho de Dordeaux. por 160 rs. a
garrafa levando o casco. NSo se admirem
os fieguezes do baixo preco por que se ven-
de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
propietarioquerer sustentar o anligo pre-
co, embora esle genero tenha subido o nie-
Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examinem os
amantes a qualidade para recoulucimento
da verdade e continuacSo da autiga fregue-
zia. E para mo haver usuras, esUopromp-
las garrafas lacradas o com o competente
rotulo, assim como barris de diversos ta-
manhos para provIsSo do prximo Natal.
O proprietario conta com a concurfenci
do contrario, tornar.lo os preces'do Mu-
llios primitiva de 240 e 280 rs. a garrafa.
Po-Setim.
Vcndem-se pranchoes de po-selim, pro-
prio para mobilias de bom gosto : bem co-
mo boa farinha de mandioca : na rua do
Queimado, loja de ferragens, n. 14.
Escravos Jr''ujgacrti*>
Fugiram, do berdo do patacho S.-lot-
Americano, os marujos escravos, David, >'*
estatura alta, cor retinta ; tem o geilo de
melter o pdireilo para dentro, e quandu
anda arqueia alguma cousa com a peni;
levou ca'casocan.isa dealgod.lozipboszul:
Joaquim, de estatura baisa, cor meia ful '<
fugio de noite levando toda a sua roupa:
ambos sSo de Angola : quem os pegar le-
ve-os a rua da Madrc-de-Deos n. 3, lercei-
ro andar, casa de Manool da Silva Sanios:
bem como se protesta contra quem os tiver
occulio e nflo os quizer entregar.
No da 14 do correnle, fugio, do poJif
do abaixo assignado, urna preta de nomo
Josuno.de estatura regular, secca do cor-
ro, rr bastante preta, nariz chato, bec"s
grossos: quem a pegar leve-a a rua da Au-
rora, em urna das casas do Sr. Antonio ,0'e
Gomes do Correio, ou na mesma rua. n>
laja da casa onde mora o Snr. Dr. Itegueira
Costa, que sera recompensado.
Francisco Ignacio i Manidt.
Desappareceu, no dia 20 do setembro.
do sitio dos Afilelos, da Claudina FuH
do Olivoira, a sua escrava de nomo H'">
ainda moca, re Toreada do enrpo, de nCa
Itebolo, com signaes pelas costas de sua ""
Cao ; levou vestido de riscado de qoadro^
camisa dealgudSozinho : quera a pegar b--
ve-a a Ca punga, venda de Jos da Sijva
Ferreira, que gratificar.
il;
ti
ni
r
I"
vi
di
SI
il
e
T
d
d
n
-SI
C(
ll
n
il
f
I PlKN. : N4 TTf. DE U, t. M MU.
_19*9


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EB4I0G7OD_UPRHL7 INGEST_TIME 2013-04-24T19:42:36Z PACKAGE AA00011611_06689
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES