Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06644


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
PAIVTIDAS DOS COBBZlOf.
. p,rahiba, segundas cscxtas-feiras.
^X"UcP.droNor1q8uia.as-feira,ao.Uc.o.
Porto-Calvo
Segnnda-felra 24
Rio-Foniioso,
da.
gloria, sqsrtbtaa-telras.
Ollnda, todos os das
EFHEMEHIDES.
riES d>. o. Cheia a 1, s 2h. c58 m. da t.
Ming. a 9, s 4h. e36m.da t.
Nova a 16, Ih. ci2m.da t.
Gresca 24,s 9b.e 4ui. dam.
fRIlHlK DE HO.
Prlmeira a 1Q llorase 0 minutos da manh.
Segunda a 10 horas e 30 minutos da tarde.
de Setcmbro de 1849.
N. 2I<2.
VBKOOS DA BUBSCBIVOlO.
Por tres mezes fadiantado) 4^000
Por seis nici.es ( 8/Hil)
l'or umanno 15/U00
DAS da semana.
U Seg. S.Gcraldo. Aud.do J. dos orf.e dom.da
1. vara.
2j Tere. S, Firmino. Aud. da chae., do da 1. J. v.
do civ. e do dos feitos da fazenda.
26 Quart. S. < vprianuo. Aud. do J. da 2. v.doclv.
27 gulot. S. Cosme c Damlao. Aud. do J.dosorr. c
do ni da I. v.
28 Sext. S. Venceslao. Aud. do J. dal. v. do civ.
e do dos l'ciios da fazenda.
20 Sab. ifc S. Miguel Archanjo.
30 Doir. S. Jernimo.
CAMBIOS ZM 22 DE SETKMBBO.
Sobre Londres, 26'/., d. por 1^1)00 rs. a 60 dias.
Paris, 370.
Lisboa, 110 por cento. utman
fluro.Oncas hespanhocs......... 31000 a 3I/M0
Moldas de 6/400 velha... 17/000 a ITTMO
de 0/iOO novas*. l(i".00 a Mi.00
. de 4/000........... 9#400a Wg
rVala.-Pataces brasilciros...... 1*| a */*
Pesos columnarfo....... W> (/"""
Ditos mexicanos........ 1/OO'Ja lW2u
PARTE OFFICIAL.
G(WERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 20 DE SETEMBRO.
OlHcio.--Ao Eti. presidente, da Baha,
irsnsmiltindo copia do aviso de 7do corren-
em que o F.xm. ministro da guerra de-
eroiins que embarquo para a corle o cade;
a do quarto balalhSo de artilliana a pe Jos
rocopio de Kreilas, afim de que S. Exc.
liene-se de dar cumprimeoto ao mencio-
no aviso, visto ler o referido cadete se-
uido para aquella provincia em 14 de juliio
iTto -Ao inspector da thesouraria de te-
lenda, enviando os avisos sb nmeros IB
19CommuDcsndo o saque de qualro let-
ra na importancia de 3:118,070 res, feto
ni, thesouraria do Rio-G-ande-do-Norto
ibre essa a cargo de S. S., o a favor de
rancisco Paulino de Castro Barroca, Joa-
luim Ignacio, Pedro Jos de Alcntara Deflo
jotlo Evangelista de Vasconcelos Lima,
^rlicipou-se ao presidente da referida
oyincia.
i Dilo.-Ao inspector da pagadoria militar,
iara quo remetta secretaria dogoyerno,
lim de serem enviadas ao Exm. presidente
Jo Cear que as requisita, as guias do al-
feres quarlel-mestre Francisco Antonio Pc-
leira. edo tenenle-ajudante Jos de Souza
.una, ambos pertencenles o corpo lixo
laquella provincia.
Dito.Ao mesmo.ordenando remella a se-
retaria da. presidencia, alimdeserom en-
iadas ao Exm. presidente do Maranhilo, as
uias do teoenle Jos Luiz Teixeira Lopes.e
los alferes Jos Corris de Oliveira Castro e
;oncallo de Mallos Rocha, pertencenles ao
uinto bsUlhuo de fuzileiros.
Dito.Ao mesmo.determinando remeta,
ifim de ser enviada aoExm. presidente do
ar.a gula do alferes do quarto balalhBo de
amadores Francisco Rodrigues amos.
Dito.-AO director do arsenal de guerra,
irdenando compre um barril de vorniz de
IcatrSo para ser enviado opportunamente
lara o Rio-Crande-do-Norle,e preveoindo-o
le que deve remelter presidencia a canta
la respectiva importancia afim de prov-
lenciar acerca do pagamento della.
Dito. Ao mesmo, para quo mande
premptar e por disposiclo do coronel Cy-
iriano Jos de Almeida vinte e qualro cai-
res que sirvam para conduccSo de algumas
lautas de utilidade para a illia de reman-
i, e declarando que lica ao seu cuidado o
muarque daquelles caixOes e de oulros,
ambem com plantas, que llie frem mau-
lados apresntar pelo referido coronel.
Dito.Ao juiz relator da mesma junta, o
emetlendo, para que, depois de visto, seja
(presentado em sesslio da niesms junta o
)rocesso verbal do soldado do corpo fixo do
>ar, Manocl Joaquina, da Silva.
Dllo.Ao commandanle do brigue-escu-
na Legalidade, ordenando mande receber a
lordo do vapor Pemambucana o desertor de
niarinha.pert'incenteaguarnicnodobrigue
seu mando, Jos Gomes, de que traa a
uia que remelle, o qual fui preso no Ceara.
-Psrticipou-seao piesidenlo da meociona-
da provincia. .
Hilo.-Ao juiz de paz da freguezia de S.-
'eJro-Marlyr de lioda, dizendo que a me-
a parochial que lem do alii funecionar no
da 28 de outubro prximo viudouro deye
ser composta de eleitores e supplentes li-
rados, na forma da lei, de entre os que f-
imii ltimamente eleitos
Portara.O presidente da provincia,con-
formando.se com o que expo o coronel
chcfo de legiflo da guarda nacional de Na-
7areih em ollicio .de 2 do corrente, lem
resolvido deoiiltir os ofliciaos da referida
legiuo, abaixo declarados:
SECCiO DB UATAl.mo.
Primeira companhia.
Capitflo, Francisco Xavier da Silva Cou-
tinho.
lenle, Joaquim Gomes Pedrosa.
Alferes, Leonarnado Coelho Borba.
Segunda companhia.
Cap lile, Joao Alves Camello.
Alferes, Jus Coelho Pessoa.
Terteira companhia. -
Capltao, Jeronymo LeopolJo de Araujo
Poreira.
Alferes, Urbano Pereira da Silva e Josu
Francisco da Araujo Pereira.
litqumliau de eavallaria.
Porta-estandarte, llenrique Ribviro de
Moraes.
Primeira companhim.
Capililo, Manocl Duarte Ribeiro Jnior. .
Tenente, llenrique de Moraes Coutinho.
Alferes, Jos Feliciano Pereira de Lira.
Segunda companhia.
CapiUo, Manoel Picaneo do Albuqueique
Maranhflo.
Tenente, Manoel Barroso de Moraes.
Alferes. Manoel Maria Cardozo.
Scientilicou-so o cotonel chefe da lefe-
'r'ut legiflo.
faltando toni'causa o Sr. deiembargador Pon
ce, fol aberta a aesso.
O Sr. desembargador JoiTelle.i de Menezes
prestou juramento e tomou posse de um lugar
e aasenlu.
O Sr. presidente apresentos) em mesa trea
omcios a elle dirigidos pelo F.xin. Sr. conce-
Iheiro de estado presidente da provincia, um
em data de 17, outro de 18, e outro de 20 do
corrente.
O priineiro, communicando-lhe que nesta
data (17) havla prestado juramento e tomado
posse do cargo de juiz de direlto da comarca
de Flores o bacharel Jos Antonio de Oliven a
e Silva.
O segundo, coinmunicando que nesta aata
(181 havia nomeado o cidadao Manoel llamos
da Silva Morcira para o cargo de quarto sup-
plete do juiz municipal e de orpliaos do ter-
mo do Limoeiro.
O terceiro, transmlttindo para conhecimen-
lo do tribunal os cxemplares do Diario de Per-
nambuco ns. 208 c 209 do corrente anno, coo-
lendo os avisos que em datas de 22 de jiuilio,
11,14, 21 c23de juiho ltimos, o Exm. mi-
nistro do Imperio expedio ao governo e aos
presidentes das provincias do Rio- de-Janeiro,
S.-Pauloc Rio-Grande-Sul, c aosjuizcsdc pos
e subdelegado da freguezia de Guarlliba, sol-
vendo duvidaa acerca da le regulainentar das
eleiedes.
decisoss.
Appellaces elveil.
Appellante, Joao Gon?alves Valente ; appella-
do, Antonio Ferreira dos Santos Camlnha.- -
Fol reformada a imtonta -
Appellante. Joao Evangelista da Costai e Sllya
appellado, Joao da Silva MouraFoi con-
firmada a tentenca. .
Apuellantc, o juizo dos feitos da lazena oa oi-
dade da Fortaleza ; appellado. Antonio Go-
mes Pessoa.Mnadou-ae averbac o imposto
e que depois se dsse vista ao Sr. dea.cmbar-
cador procurador da cora e fazenda.
Appellantes. Manoel Perlra Muniz e outros ;
appellado, Manoel Esteves de Abreu.-Man-
(I i .mi averbar a duima.
Appellante, Antonio Josa Pereira ; appellada,
a fazenda nacional.Mandou-se ouvir ao br.
desembargador procurador da cora e la-
zeuda.
ABERTURA HE ACTOS I
Fram ahertos pelo Exm. Sr. presidente os
autos "de re>ista civel viudos do crrelo que
sao as segulntes: > i ""
Recrreme, Antonio Pereira Pinto de baria;
recorrido, Gabriel Antonio.Denegada.
Recorrente, Joaquim Mouiao Seabia de Mello
recorrido. Ignacio Fernandes barros Bols-
chinha.Denegada.
Recorrente. Vicente Ferreira de Paira recor-
ridos, Joao de Albuquerquc.Denegada.
Lcrantou-se a sesso una hora.
..
PEPiMAMBUCO
CAMAMA MUNICIPAL DO RECIFE.
1.a SISSA.0 0B0INARIA F.M 17 ni: SKl'I.M'lHO
DB 18*9.
Presidencia do Sr. Porros.
Presentes os Srs. Carnelro Monteiro,
Jarata, Olivoirs, Vianna e Mamede, fallan-
do com causa participada os Srs. Franca c
Dr. Moraes, e sem ella o Sr. prosidont'e, a-
brio-se a sesso, e foi lida e approvada a
acta da antecedente.
O secretario fez a loitura do sfguinte ex-
pediente :
Um ollicio do Exm. presidente da provin-
cia, mandando que a cmara llie remetta
copias authenticasdas actas daseleicfles do
eleitores, ltimamente feitas as parochial
deste municipio, para screm enviadas c-
mara dos doputados, por intermedio do go-
verno imperial. Queso extrahissem com
brevidado as copias pedidas, e-so aecusasse
a recepcSo do ollicio.
Outro, autorisando a cmara a despender
aquantia indispensavcl com os concerlos a
fazer na ponte da ruada Aurora. Que so
olliciasse ao engenheiro cordeador para
examinar a ponte e indicar os concerlos de
que precisa, procedendo logo ao preciso or-
camento.
Outro, mandando preparar o docel na
igreja matriz de Santo-Antonio, no dia
AeeursM.
, r o Exm. bispo diocesano, e
Recorrente, o bacharel Yicente Ferreira uo- Sft I)rlllnlin Bm jenlicas
mea ; recorrida, a justica.Tere provlmen
to, e foi o recorrido deapronunclado.
Recrreme, Joao Rodrigues Velloso recorri-
do, o juizo.Negaram provlmento
Habeas-corpus de Antonio Duarte Lcilc.ro
denegado.
DEIIGN(dES.
Foi assignado o l.*dla til para ojulga-
inento dos seguintes feitos:
Appellaciei civeil.
Appellantea e appellados Bernardo Lasserre S:
Ce Ilernardino Gomes de Carvalho.
Appellantes, Antonio Alves Ferreira e sua mu-
Ihcr; appellados,' Jos Joaquim Bezerra La-
valcanle e sua inulher.
Appellante, o juizo dos ausentes desta cldaOc ;
appellado, Luiz Borges de Siqueira.
SEVISdES.
PassoudoSr. desembargador llamos ao,o"r.
desembargador V|llarcs a appcllacao circl em
que sao :
Appellantes, Mondes A Tarroso appellado,
Francisco da Silva Medelros.
Passou do Sr. desembargador Villares ao Sr.
desembargador Leao-a appellato civel em,
que Sao :
Appellante, Francisco Jos Barbosa; appella*
do, Antonio Gomes Villar.
Do mesmo Sr. desembargador Villares ao Sr.
desembargador Bastos as appella(es clvels
em que siio :
Appellantes, Fox Brothers; appellado, Do-
niingos Antonio de Olivclra.
Appellantes, os herdeiros da finada D. Yicen-
ca Joaquina da Concelelo; appellado, fran-
cisco Joaquim Cardoso.
Passaram do Sr. desembargador Baatos ao
Sr. desembargador Leao as appella{ies elveia
em que sao :
Appellantes, Antonio L|ns Caldas e Maria Cau-
dida de Magalhcs ; appellado, Antonio Pe-
dro de Mendonca Crle-lleal.
Appellante, Domingos Pereira Mendanha ; ap-
pellado, Joaquim Ferreira.
Appellante, Jos Rodrigues do Paco ; appella-
do, Mauoel Filippe da Fonseca Candi.
1
>-----------
JR1BUNAL DA KELACAO'.
fcESSA DE 22 BE SETEMBltO DE 1849.
rs.ESior.NciA do exm. sesiiOb
CONCBLIBISO AZEVEDO.
A's dea horas da uianhaa, achando-ae pr-
senles oa Srs. deaembargadores Ramos, Villa-
rea.taslos, Leao, Souza, Rebello e.Luna Freir
Passaram do Sr. desembargador Leo ao Sr.'
desembargador Souza aa appellaces Crimea
em que sao :
Appellante, o Dr. promotor publico ; appel-
lado, Poncianno, cscravo de Joao Bapllsta
Monteiro.
As*appellacSes elveia ein que sao
Appellantes, os herdeiros do finado Caetano
Pereira Goncalvca da Cuuha ; appellado,
Christovao Dionisio de Barros.
Appellante, Jos Joa/|uim Anastacio ; appel-
lados, a viuva e herdeiros de Jos de li-
velra.
Appellante, D. Raquel Caetana Alexandrina
de Mello ; appellados, Joao Pedro do Re-
g Covalcante e sua mulher.
Appellante, Vicente Cardoso Ayrea ; appella-
da, D. Anua Joaquina de Almeida.
Appellante, Rita Maria de S Andrade; appel-
lado, Aulonlo Jos de Mello, tutor de seu
fillio.
Appellante, Jos Rodrigues do Paco ; appella-
do, Joaquim Francisco de Albuquerquc San-
tiago.
Appellante, Joao de Barros Repo Accioli; ap-
iellado, Luiz de S Teixeira Lima,
assaram do Sr. desembargador Lana Frei-
r ao Br. desembargador Telies as appellaces
civels cm que ajo :
Appellante, Romao de Souza Lisboa; appcl- '
lado, o curador da heranca de Jos Antonio
Ar.'pelaiite'jos Maria Freir Gaiaagro : ap
pellado, Bernardo Fernaadea Oamar
Disraiavicsa.
do cdincaQao relativamente as duvidas pro-
postas pelos cordeador e fiscal do Recife a
respeitoda obra que pretende fazer Anto-
nio Pedro das Neves, mandando-se enviar
copias do mesmo parecer aos referidos em-
pregados, para salisfazerem oquenelle so
exige.
Despacharam-so s pclicOes da agencia da
companhia de vapores, de Antonio Jos
Coelho do Ro/ario, do Kuesssrd Millochau,
de Candido Autran da Malla Albuqucrqne,
de Manoel Ferreira Diniz.de llenrique Gib-
son, de Jorio Manocl Rodrigues, de Ignacio
Francisco da Silva, de Pedro Gomos, de Ma-
noel Tavares, de Francisco Manoel da Silva
Tavares Jnior, de Joaquim Lobato Ferrei-
ra, do Narciso Lopes da l'orciuncula, de Pe-
dro Angelo Evangelista, de Antonio da Sil-
va Angelo, de Jos Ignacio llorgcs, deJ. D.
Wolphopp, elevantou-soa sessflo.
Declaro em lempo quo o presidente se
acha legtimamente impedido no concelho
municipal de recurso.
Eu, JoSo Jote l'erreirn de Aguiar, secreta-
rio, a subscrovi. Barros, pro presiden-
te. Oliveira. fiama. Cnrneiro Mon-
teiro. Souza. llrala. Moraes.
CONCELHO DF. GUERRA
doi rios militares que entraram na rebcllio.
Na sessSo de 20 du corrento Mram con-
demnados os cadetes Maximiano llenriques
da Silva Santiago o Emilio Americano do
Reg Calumba na pena de dez anuos de
pristo com trabalho.gro mximo do artigo
110 do cdigo criminal,pelo crime de reb.-l-
iilo, c as penas de dosercflo simples.
Propostas as scguinles queslcs preju-
diciaes:
1. So houvorebnlliof
2 Se a pena que.devia ser imposta aos
reos era a do arligo 15 dos de guerra ou a
do artigo 110 do cdigo "criminal P
3 Se, lindo a pena do artigo 110 do cdi-
go criminal,devia ser ella imposta aos mili-
igreja matriz de nlo-Antn.o, no u a o b M|) ,
deste mez. segundo o quo he__represonUvii ^^ o C0T1Ct)lll0 ue guerra.
Quanto a primeira qucsto que liouve rc-
beliiBo.
Quanto a seguuda que no linha lugar a
pena do artigo 15 dos de guerra, a qual se
refera ao molim ou snblevaco de tropa,
o qual molim uio coialr dos autos qiioin-
lerviesso na rebelliflo : que, sendo impre-
visto as leis militares este crime, defenido
e prevenido posteriormente pelo cdigo eri-
minal.a pena appliesvel era a do artigo 110
do cdigo criminal, que poda ser imposta
pelo concelho vista da jurisdicca~o que llie
foi conferida pelo art. 109 da lei do 3 de de-
zembrode 1811, e porque nos casos omissos
as leis militares teem liga ou ap|ilicacflo as
leis civis, como se deduz s contrario seniu
do accordam do supremo concelho militar
do I. de agosto do 1819.
Quanto ao terceiro, que no tinha lugar
a rupeito dos militares a distincQo de ea-
becas vista da lettra do artigo 109 que nRo
fez dislincgo alguma, edz assim :
Art. 109 da lu de5dodozemW.)dc 1SH.
Quando as rehelliCes ou sedicOos entra-
rom militares scro osles julgados pelas leis
e tribunaes militares.
Senlenca.
Vendo-se nesta cidado do Recife este pro-
cesso verbal e interrogatorios dos reos ca-
detes Maximiano llenriques da Silva Santia-
go o Emilio Americano do llego Cazumba,
autos de corpo de delicio lis. S 0 43.">, teste-
munhas sobro elles perguntadas, documen-
tos II. 89, 1*8 c 211, inlcrrogatoros feitos
aos mesmos reos lis. 85, 8(1, 450 c 451, de-
fesa dos reos, tostemunhas e documentos
por elles produzidos.
Decidi o concelho por uiiaiiimidade de
volos quanto a desorcHo, e por pluralidade
de votos quanto rebelliJo.que a culpa dos
reos se acha provada, e os reos convencidos
de haverem commelti Jo os crimes do deser-
eno e rebelliflo: declaran ao reo cadete Ma-
ximiano llenriques da Silva S in-Tiago li-
curgo no arligo 110 do cdigo criminal,grao
minimo.pelo crime de rebelliflo; ono arligo
i. titulo 4. das ordenanzas c 9 de abril do
1805 pelo crime de descrefto, niio so dando
arespeilo do dito reo a circunstancia ag-
giavante de estar de guarda oudesorvico
no dia da dcserc.o vista do documento 0s.i
declaram outro sim ao reo cadete Emilio
Americano do llego Cazumb incurso no
arligo 110 do cdigo criminal, grao mni-
mo, pelo crime de rebellifio, e no arligo 3.
do roferido titulo e ordenanzas pelo crime
de deserco.vislocomo consta do documen-
to li. que o reo se apresentou voluntaria-
mente: os quaes artgos citados dizcm as-
sim ("segu a integra dos artgos;: e man-
dan! que as disposicocs dos ditos arligos se
executem nos reos.
Recife, 20 do setcmbro de 1849. Jos
Thoma: Nabucode \raujo Jnior.~o3o fran-
cisco Chaby, coronel presidente do concelho,
vencido quanto ao crime do rebelliflo Fi-
lippe Duarle Pereira. major interrogante,
vencido quanto ao crime de rebellifio.-trun-
cisco los de Mello, vogal.Sergio Tertuliano
Castetlo liranco, major vogal.-Sforw/do Lo-
pes Gutmaraes, major vogal./vie da Silva
Guimarucs, major vogal.
quo o mesmo
se pratique em idnticas ciicumstancias,
independenle de recommendacilo especial.
Inteirada por assim soterfeilo.
Outro, remetiendo o Diario di Pernambu-
co n. 196 de 4 do corrente, contendo os avi-
sos expedidos pela secretaria de estado dos
negocios do imperio em 31 de maio, 8, 16,
18,19 e 27dejunho do corrente anno, to-
dos sol vendo duvidaa oceorridas na execu-
c3o da lei regulsmentar das olecOes.
Que so aecusasse a recepefo e se reinettes-
sem copias dos mesmos avisos aos juizes de-
paz presidentes das juntas qualicaddras.
Outro do choro de polica, participando
ler remedido ao procurador desta cmara
aquantia de 230,000 rs. de mullas impostas
aoseslrangeiros, constantes da relaciio que
acompanhou o mosmoollicio, de conformi-
dsdecom o regulamento n. 120 de 31 de Ja-
neiro de 1842 Queso respondesse ese
partiepasso a conladoria para debitar o
procurador.
Outro do presidente do concelho de salu-
bridade, participando constar ao mesmo
concelho que Manoel Jos da Silva Relmont
exerco neste municipio a arte de curar, sem
tr as habilitaces precisas, infringindo as-
fesimasleis gerses e posturas om vigor, e
pedindoquo a cmara providencie, contra
tal abuso. Que se respondesse que iam
?ser expedidas as convenientes ordens aos
fiscacs, recommendando-lhes toda a vigi-
lancia na repressiio de um tal abuso.
Oulro do vereador Joaquim Lucio Mon-
teiro da Franca, participando que o seu es -
lado morboso, comprovado pelo attestado
do facultativo quo aprosentav, nflo llie
permute por ora exercer dito cargo. ln-
loirada e que se chame o legitimo sup-
plente.
Outro do contador, pedindo se llie forne-
ca, para a organisacfio doorgamento da ro-
ceila e despeza para o anuo de 1850 a 1851,
assim como do balanco do anno que est a
findar, 2 cadernos de papel paulado, marca
grande, e 2 de marca pequea, umvdrode
tinta encarnada e um livro de cem folhas
para a receita e despeza geral. Que so au-
torisasso o procurador a fornecer o objec-
|06 pedidos. .
Outro do fiscal de Santo-Antonio, pedin-
do o pagamento da quanlia de 2,560 rs. quo
despendeu com a condueo e enterramento
deum cavalloquemorrra'na ruadas Flo-
res. Que so passasse mandado.
Outrodo fiscal de San-Jos, pedindo es
clarecimontos sobre o tempo considerado
do eslaco invernosa, para poder dar cum-
primento ao artigo 15 titulo 4. das postu-
ras. Que se llie respondesse que a esla-
eflo Invernosa, para o Hm do citado art., be
considerada do 1.* de Janeiro ao ultimo de
agosto.
Outro do secretario do collegio eleitoral
desta cidade, reenviando os livros das actas
das eleiedes primaras das freguezias deate
municipio, que llie fram remetlidos pira
servirem no mesmo ;collegio. Inteirada.
Mandou-se rcmetter commissfjo de edi-
fiCBCflo orequenmento de Manoel Joaquim
da Silva, feilo ao governo da provincia, e
por este mandado a cmara para informar,
sobre urna casa que pretende edificar ns ra
imperial em terreno de marinha. ^ ntGUtk w
Foi nomesda urna comsnissfo dos Srs. ve- "o >,,.,. nn nrrit-K Bal COSTO DE
readores Carneiro Monteiro e Vianna para
conheccrem da malcriada pellgfiode Thom
Gorreia de Araujo e oulros moradores das
circumvizinhancas do Caxanga, pedindo :
BM0.
sj>m 3Joanna Maria da ConcoiciTo, bran-
ca, vuva, com 70 annos. De molestia
interior.-Com todos os sacramentos.
dem 3. Genoveva, branca, com, das
de idade. De espasmo. Pobre
dem 5. Francellina, parta, com dotis me-
ICI do idade. De convulses.
dem. l.ibania Isabel de Mendonca, bran-
ca, solteira, com 32 apnos. De plhyici.
Com todos os sacramentos.
dem 6. Jos Joar/um do Nascimento,
braneo. com 8 annos de idade. De bexi-
gas conlluonlos.
dem 7. -Joanna, parda, com 2 annos do
iJadc. Do pneumona aguda.
dem. Caetano, preto da Costa, cscravo,
com 35 anuo. Do hydropesa. Com
lodos os sacramentos.
dem 9. Jos Alberto dos Santos, ereoiilo,
solloiio, com 20 annos. De febre mslig-
na. Com todos os sacramentos.
dem 10. Miguel, prclo da Costa, com H
annos, ascravo.De nflammaco. Sem
sacramentos.
dem. Francisca, branes, com 3 annos.
Do nflammaco nos intestinos
dem II.Faustino, pardo, cscravo, pr-
vulo. -- Por clieilo dos denles.
dem 12. -Francisco, crcoulo, escravo, com
14anuos. -Dogastrile aguda. Sem sa-
cramentos.
dem. Francisco Jos de Rrito, braneo,
com 44 anuos. De molestia interna,
'Sem sacramento.
dem. Joffo Jos de Carvalho, braneo, sol-
teiro, com 24 annos. De hydropesa.
Com todos os sacramentos.
dem 14. -Rita, preta, escrava, com San-
nos de idade. De espasmo.
dem. -IgnaoiaMaris Xavier, branca, viuva,
com 75 annos. De parlisis. -Coma
uneSo smente,
dem 15.-Jos Luiz Goncalvcs, braneo,
solteiro, com 55 annos. De nccrosio. -
Com todos os sacramentos.
dem. Jos, braeo, com um anno de ida-
de. lie nuammacOes no* intestinos.
Idom. rsula Maria das Virgons, branca,
solteira, com 89 anuos. De apoplexia.
Com a uncflo somonte.
Hemlii. --Antonio Lopes Pereira Bastos,
braneo, solteiro. com 22 annos. De be-
xigas Com todos os sacramentos.
dem. -Maria Dorothea dos Prazeres, croou-
la, solteira, com 30 annos de idade.-De
moleslia do peilo. -Sem sacramontos.-
l'obro. .
IJem 18. Maria, parda, com 1 anno de
idade, de molestia interna.
dem. Joanna Maria da Cooceicao, bran-
ca, solteira, com 25 annos. De bexigas.
Com lodos os sacramentos.
dem. -Joaquina Issbel do Jess, parda,
solteira, com 47 anuos. Do moles'.ia in-
terior. -Com lodosos sacramentos-
IdomRufino, braneo, com 6annos.-De
intentes. ...
dem 18. -- Jcronyma Francisca de Mello-
branca, viuva, com 78 annos.- Do inuam-
macSo. -Com a unefio smentc.
lem 20. -Joaquina Francisca do Espirite
Santo, branca, casada, de 50 annos. Do
inlcritoJ.-Com todos os sacramentos.
dem.-llcnto, pardo, com 8 dias da uascido.
-De espasmo -Pobre.
dem 22. l'liiladelpho, braneo, com San-
nos. l)e hexigas.
dem. Maria, pretu. escrava, NIlHU-
nos. De moleslia interior. Com a san-
ta uncflo somonte. ___
dem. --Jos, braneo, com anno o meio do
idade. De hexigas.
dem. Flix Aleixo, crcou'o forro, cora
90 anuos. De molestia interna, -h
confessado.--l'ohre. ____
dem 23. -- Francisca de tal, parda, casada.
- De boxigas. -Com a confiss5o smente.
jm. Manoel, pardo, com 6 tmezes. De
molestia interna.-Pobre.
dem. Isabel, parda, com 10 mezes.-Fal-
leceu de espasmo Pobre.
dem 24. -Olympia, parda, com 24 das. --
Falleceu de espasmo. -- Pobre.
|lJera. Maria, preta, Cacange, oscrava.
com 50 anuos. I molest.a interna. -
Com a unci smente.
dem.- Rila, creoula, escrava, com *a an-
nos. Do molestia interior. Com a
ldemC26. Paulina, branca, com 1 anno. -
dem >0. Francisco do Borja do Rosario,
crooulo, com 48 annos. Falleceu do re-
pente e sem sacramentos. -- Pobre.
dem. Maria do Rosario, branca, com 88
annos. Falleceu de rheumal.smo.-Com
ldrmd"STanrcom2aunosdeid.-
&&SSE& P-M-. -m 5.nnos.
_ De convulses.
O^rio'renancio llenrique, de Rezende.
mi..,..., I reposicao de urna antiga estrada que con-
Aa Sr. desembargador LeSo o aggravo dol^ og Anipncos, obstru Ja ultima-
nte do civel desta cidade ein que *".-. I _.,,' D0I
juuuuviiii --------- ..
Aggravaute, Joao Keller U.
viuva ^unJia Guimaraes
mente por Bernardo Antonio de Miranda.
Foi approvado um parecer da commiss
S.-aVtONIO DO RECIFE Gal AGOSTO DE
1849.
Dia 2. Maria, preta, escrava. com 90 an-
nos. De diarrhea. Com todos os sacra-
m.dm 2 Felicia Maria de Freitas, parda,
com 50 annos, casada. -De apoplexia.-
Com lodosos sacramentos.
Correspondencia.
Sf .claclores.-K despeno do silencio que
m m'iPiu relalivamcntc a questao com meus
II, ,, s vcnbo boje quebrar eaae proposito,
norque algum me provoca a isso e eu forte.
Tan o pela n.inh. consciencla. como pelo com-
prtame..!. que heitido, nao devo recuar ante
?.V provocaeoes ; nein tao poueo hesitare
".sustentar qualquer dlacu.sao de honra e
probidade co.nmercial e civil.
Para ser um poueo minucioso, devia remon-
lar-ine poca m que escandalosamente me
csbanjarain-o incu eslabelecimcnlo, e de
ahi ate inalfadada enunca por inim pro-
curada-acom.nodacao feila com meus credo-
es a 7 de marco de 1849, aps inais de tres
annos de renliida luta judicial em que por
lim oblive do alegrrimo e Juatlceiro tribu-
J MUTILADO


nal la rclaciio desta cidade julgninentn
ineu Tavor: frro-me, porm, a ease Irabalho,
momo porque to longa narrarao nao cabe
nos estreitos limites de un jornal
Cometo, pois, a declaradlo que quero c
me cuinpre I azor.
Ful citailo pelos Sra. Cco; Kenworthy S C.
ni dejulho prximo pasnado, e pelo Sr.
Scliafheillen & Tc-bUr em 4 de agosto prximo
pausado, para Ibis pagar cha* lellras de ris
265,218, e ris 18.063, que dizim estes honra-
do Srs. se vencer m a J*de junho de 1849 ; o
que eu neg : porque, acodu essas loes lellras
resultado da tal ac oimndaco so fecbada e
ell'ectuada a 7 de m arco de 1840, e sendo o pri-
meiro prazo n mes ina estipulado e escripto
seis me/es,est be.m claro que essas lettras se
nao venecram a 22 < le Junho de 1819! A opi-
niao desses Srs. em s ero veociinento nesse dia,
rcgulando-sc pelas d atas das lettras, s revela
a ba fil coro, que, fe a<:ommrrrial em 7 de marco de 1849, se apre-
80,."'"", lauras coni data de 22 de dezenibro
dell^P"* ul,,a di partes assignar t o
ter-se /"'jeitado rsu parto a subscrever ci
iinniora), ''"de, '" Je- oiistra a atlitude do
cssa '
co a resneiv'0 to fowto ; a falla ia|ve/. de rolle-I foi asss probo e sizudo { porque, afflr-
'rni- t
Ao passo que assini proceden) osles meus
In n i senhores, os ouiros senhoros credo
res, calculando melliorseus proprios inte-
retMS, hilo procedido de maneira bem dif-
forente ; e en Tavor da verdade devn de-
clarar que de alguna tenho recebido be-
nvolas allencOes, o qao agora me emba-
raza de tratar a materia como devra. Ser
tambem qne a mor parte delles j entrega-
ran! as lettras volitas ao Sr. Nasch ; mas esto
senhor tem querido a seu talante diter-
lir-se commigo, rctendo-as em sua mflo,1
e pondo-me novas condicOes assa entre-
ga ; dando assim bem pouco apreco ao do-
cumento que mopassou, eassignou eoui
firma-Jones Patn &Companhia.
O Sr. Nasch pensava taez que a manei-
ra arrogante o amcacadira com quo so me
apresentou no dia 22 de junho me causa-
ra susto ou rceeio. Ap contrario ; porquo
eu j estou acostumad a arrostrar cssas e
outras quixotadas.
O carcter, porm, do Sr Nasch nesso dia
xao; a presta coi i> <*"' foi "jgjda cssa sala: na-
tura ; finalmcn tea j)osicW do individooque
multas vezes o fd T a delxar de rcpelllr un
acto to honrlo coi. "*" e,'e-
A tal parle que a ""I0 ,e ubjeilou sou eu.
A outra figuremos s ver enet Sr- 1ue mc r'a-
luaraui agora a juio. k
Tenho mostrado a i. JMUs pessoas os docu-
mentos que tenho para provar o que digo, e
estou anda prompto a
queira. Ver-se-ha entiio
voar, mas cortam-se-me a
rnando-me da primeira vez, como j o ha-
iiiM.li i- lu a 11 m-111
que obriga-se-mc a
azas.
Prescndindo da cons que tenho
do nao -vencimenio das le. $* no dia 22 de
junho, edadomesmoocas "o do que ellas so
vencessero nesse dia, seria Para admirar
lano que eu as nflo pagasse i?.8? q,ianto
lomandoeu cunta das mlnhas lvidas (cerca
t\o t/uarenta conlot) que estavan.' em deposi-
to, aindn nflo pude receber ne,IMe mesmo
periodo 800,000 ris, no obstai Ve *ercm
todas qualro e cinco annos do veni"\'men'
Knflo olTercci eu a esses senhores '"tes de
ser citado esses meus quarenta eo.'V0-' em
dividas ; especie igual aquolla que eu devo?
Sim, igual especie, repilo ; porquo eu devo
letras yorcompras de fazendas, o o. Tere-
co em pagamento dellas iguaes leltras <|ut>
tenbo por-fenrfo de facendase no tres tfo-
bro da quantia que devo. Mas he que m '"'
a todos esses nious devedores se pudor, 'a
fazer o que se me ha feito : alm de quo,.
aceitar isso seria perderos meios do con-,
cunlinuar a perseguieflo de que ha quatro
tumos sou alvo em compensaeflo da digni-
dadee nflo baixeca com que me hei porta-
do. Cois bem, continuemos a lutar. Estou
prompto, se bom que nem tenho as mes-
nas armas, nem a mesma consciencia.
Srs. i eductores, em junho de 1844, quan-
i!o mua tinha a niinba luja de fazondas,
(posla rom o resultado de mcu assidun tra-
I i;lio do muilos annos, e nflo como alguns
adivinhadi res iensnm chrgiiei a contar 908
dovodores.na mportancade10l:9fi0,075 rs,
iiii.iii.il>. em abril du 1846, fechei eu tnetmo
essa mirilla luja, julgandusubtrah-!aassim
as garras dos eslraiiguladores do entflo, ti-
nha GIS devedores E anda boje tenho
464!
Dos primeiros9<8 creio nao chegaram a
dez os que eu chamasse a juizo, e esses
mesmos o fortn por motivos particulares.
Dos 18, ou dos 464, nao llavera un s que
de tal se queixo : no enlanlo todos mc do-
voin lia 3, 5, e mais annos,e Heos sabe se te-
nho, ou nflo precipito urgentsima de re-
ceber cssas dividas. Ollio, porm, mufla-
para as ciirumstancias da poca; n.ui
exijo impo.-.siveis de ninguem ; tenlio so-
liretu.io a experiencia de que o peier ou o '
intil meio de receber dividas lie por cerlo
o meio judicial. Ilom Sei que islo nflo faz
direilo, e he atonas o meu modo de pensar.
Sou o prinieiro a reconliecer o direito que
lem tim eredor de chamar a juizo um dele-
itar, iuas,praquesc no leu lia ;i bcnignidade
iniiicirrida.ou para que se conbe(a de que
lado.t'lla esta, compare-seeu sendo agora
(llamado a juizo por aquillo que inda no
devo, e so ja devo he lia ti ni ou dous mezes ;
noenlanto que o no faco aquellos que mo
Vvem lia quatro anuos o mais
Todos, ou quasi todos os meus devedores
existen); convido-os a contestaren! o que
cima digo.
Tocarci apora de leve, Srs. redactores,
n'nni fado cuja gravidade merece toda a at-
tcncSo do negociante que prozar a vrda-
deia probidae. Fechada a arommodafo
a 7 de mar^o de 1849, crumpri eu nesse
in. miiii dia ludas as condifos por minlia
parte, (nolem bem todoi; c provo-o com o
proprio papel de trato} mas as condicOes do
nitro lado em que muito bem liguram os
virtuosos Srs. henworlhy e SchafheitleaJM
nenhuina s foi comprida at hoje! E nao ha
iiistu,tinta reciprocidade!
I'arecia-me que a natureza havia dado
iguars direitos aos homeiu, o nunca o
previlegioaalguns s do faltar a seu bel-
prazer ao que houvessem tratado e assig-
nado.
Esles dous honeslos senliores julgaram,
porom, quedeviam estranhar-me por urna
maneira fortissima a falta do nimp iiuen-
to, nilo de iifihuma condigno do contrato,
jorque repetirei mil vezes,cumpri-ai lodat
no mesmo dia, mas sim de urna condieflo
secundaria, qual he o pagamento'das lettras
em eu devido e nao indevido lempo. En-
tretanto urna das condicOes er enlregar-sc-
me as lettras por mim aceitas at data do
compiomisso, (representarles de 36:693,624
rs.) coudicSo que nem se fazia necessaria ;
porque, urna vez pagas, comofram, essas
lettras pela forma estipulada, sem duvida
me deviam ser logo entregues, mesmo in-
dependentemenle dessa coiiJicao. (ira, os
Srs. Kenworlhy e Scliafheillen en.regaram-
me essas lellras (as valores de 2:121,700 e
1:271,710 is.) logo ou ja como rigorosa-
mente rumpriap Nflo; e nflo. Se sflo ca-
l''/es, desmiutam-me.
Mas i-lo nao vale nada, porque as faltas
desles senliores para commigo nada silo :
?s minhas he que sflo indisculpaveis, inda
que sigaeu osseus exemplos. Pois eu de-
claro alloe bomtom quemo considero com
Hjuaes direitos. Nao posso atinar com a
superiondade desses senhores; nflo a re-
eonbejo.
via feito n'outras occasiOes, que muitas-das
leltras se tinliam perdido d'ahia urna hora
voltou o com essas lettras fas que se ha-
viam perdido! I na milo, me lisse :Eis
aqui ludas as leltras; (as taesl) mas, se vose
as quer, pague-me esta outra. A consi-
derarlo de que ellas me deviam ser entre-
gues sem condiljao alguma, fez com que llie
respondesse : No, meu senhor ; nflo as
preciso pororajdou mais valor sua fir-
ma, do quo V, S mesmo; e assim, basta-me
a ventura de possuir o sou documento que
me pode servir de muito : leve, pois, as let-
tras e faca o quo quizor.
Eu eslava donle o al de cama ; mas nes-
so dia me havia levantado forja o vindo
para a cidade a esperar em casaos senlio-
res credores. OSr. Nasch entilo,creio quo
por ver-mo assim, leve a genorosidade de
ostentar-se commigo mais rigoroso e ful-
minante; tendo por lim a bondade de que-
rer dar-me lices de grammslica portugue-
za, do queme parece entender elle anda
menos que cu.
O lirio da nflo-entrega das lettras he tal,
que at o meretissimo Sr. Dr. juiz muni-
cipal da segunda vara duvidou delle, mes-
mo vista dos documentos : ecomrasflo.
tjuiiui acreditar que eu assignasse lellras
novas, sem receber as velhas? S oSr.
Nasch, com quem isso se passou. J vou
longo : mas voltre ainda ti materia, mur-
mente se fr Uto feliz, que me contestem --
. Sou, Srs. redactores, <\. &., Guil/.erme Au-
a vito Hodriguei Selle.
de 331 toneladas, capitilo William lloult,
eqoipagem 17, carga assucar e algodflo;
a James Oablree & Compauhia.
Babia6 das, hiate brasileiro San-io/lo,
de H toneladas, capilflo Vicente l'erroi-
ra ilos I'assos, equipagem C, carga fumo,
caf e mais gneros ; a Manoel de Souza
Couto. Passageiros, I). Clara Nos Bre-
cbitcom 1 lilho menor e 3 escravae, Fran-
ceza.
A'utjo itthldo no metmo dia.
Portos do sul Vapor brasileiro Pernam-
bacana, commandanteo primeiro tenente
JofoMilitao Heririque. Alm dos passa-
geiros que trouxe dos portos do norte pa-
ra os do sul leva a seu bordo : para Ma-
cei, Jos Antonio de Mendonc. Manoel He coneiliaco e quaeSquer outros a
mmmEcio.
Duarte de Macodo l.ima com 1 filho e 1 es-
cravo, Francisco Itavmun lo Telles com 1
escravo, Pedro de Alcntara Lima, Ma-
noel Francisco dos San los, o alfares Ar-
cenio do Sanl'Anna Leitflo. o tenente Jo-
s Antonio Fernandos Adriflo ; para a Ba-
bia, Jos Domingues, Antonio Francisco
de Lacerda. I.uiz de Ucerda, 0 primeiro
cadete Jos Libanio de Souza, Olimpia
Florida l.ins com urna criada, Manoel l.a-
bat, Manoel Marciano da Silva Mello,
para o Rio-de-Janeiro, Manoel Francisco
da Silva Novaes, o cnpilflo-lenente Car-
los Augusto Bocha Freir, 1 imperial tna-
rinheiro e 1 grumete.
Navio entrados no dia 23.
Ass 16 das, hiate brasileiro Flor-dt-Cu-
ruripe, de'97 toneladas, capilflo Caetano
de Justina, seus ttulos, ou provistos e
nangas, a que por ventura estejam obri-
gados.
2.' Pelos escrives, que serven no crime
porania os juizes mutiicipaes, delegados e
subdelegados, todos os processos (Indos,
no vistos em correicao e os pendentes,
acompanhados de um rol delles em dupli-
cla na formada ord. I. 1. lit. 58 1,', o
tit. 79 i.; e assim tambem os roes de
culpados, livros dos termos de flaneas e
qoaesuuer outros a seu cargo.
3.0 Pelos escrives daexecuces, dojui-
zo do yivel, delegados, subdelegados e
liz.es de paz os protocollos de audiencias,
o* advogados, os livros dos termos
cargo.
*." Pelo oscrivflo de orphflos todos os li-
vros de tiilellas, curalollas o quaesquer ou-
tros pertencenles ao juizo de orphRos, os
autos de inventarios pendentes e Andes,
contas de tutores, curailoros e administra-
dores, as escripiuras do debito, (langas, hy-
pothecas perlenoentes aos cofres, e urna re-
lacflo dos tuloras e curadores quo pres-
tam contas com individuarSo do lempo
dellas e declaragfio dos que prestaran, ou
nflo.
5.* Pelo escrivio di provedoria do capel-
las e residuos os livros deTegistos das ca-
pellas, seus encargos, tombos do auas pro-
priedades e denlas dos respectivos admi-
nistradores, e os livrds dos registos dos
tosa mantos ecodicflios, inventarios, con-
Alvos da Costa, equipagem 5, carga pa- toado lestaroenteiros, pandantes e lindas ;
Iha de carnauba esal; a Tiburcio Vale-
riano Baptisla. Passageiro, Jos Manoel
Fernandos com 1 escravo, Brasileiro.
Rio-de-Janeiro 15 das, brigue brasileiro
- Carvalho-I, de 163 toneladas, capitflo
Marcos da Rocha Pires, equipagem 13,
carga fumo, sabflo n mais gneros; a Ma-
chado & Pinliciro. Passageiros, Custodio
Antonio da Cunha, Thereza de Jess Nas-
c i n-uto com urna filha menor e 5 escra-
vos a entregar.
Parahiba 3 4sas, hiate brasileiro Exala-
cao, de 3G toneladas, capilflo Antonio Joa-
quim do Figuciredo, equipagem 6, carga
loros de mangue ; a Jos I.uiz de Souza.
Piados tbidos no mesmo da.
Baha Patacho americano Crusoe, capitflo
A. Lofland, em lastro de areia,
If^rpool Calera ingleza Success, capitflo
W. Boult, carga a mesma que trouxe.
EDITAfc.
Em
COMMANDO AS ARMAS,
virtude da ordem do Exm. Sr. pre-
AI.FANDECA.
Rend'lmento do da. ^50,752
CONSULADO CERAL.
Iteildi nioiilo do dia 22....... 170,717
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendinienlo do dia 22...... 263,559
PRACA DO RECIFE, 22 DESETEMBRO DE
1849, AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios Fizeram-se saques a 26 1|2
d. por 1,000 rs.; sendo que
esso prego lornou-sc firme.
Assuear- As vendas e eutradasfram
tflo diminutas, que eslo ge-
nero pode roptilar-so sem
quotaeflo.
Algodflo---------Entraran) 1,058 saccas.
O do primeira sorto foi pro-
curado a 4,800 rs. por ar-
roba.
Co.iros----------Sem alteracSo. As ultimas
ven las regularan! a 100 rs.
por libra.
Ac de Milito Vcndeu-se a 20,000 rs. por
quintal.
Alpista dem a 24,000 rs. por bar-
rica.
Azeitc-doce- dem ett 1,850 a 1,880 rs.
porgalflo.
Bacalho. Ficaram por vender cerca
de 1,000 barricas. Reta-
lhoii-se de 8 a 10,000 rs.
por barrica.
Bolacliinha Vendeu-se a 4,000 rs. por
barriquinha.
Carne-sueca- Os prcens continuaran) de
2 a 2,700 rs. por arroba.
Ficaram em ser 92,000 ar-
robas, inclusive dous car-
rcgaiiientos entrados esta
semana.
Cha hysson Vendeu-so do 1,300 a 1,700
rs. por libra.
Cerveja----------dem de 4 a 4,400 rs. por
duziade garrafas.
Chumbo- jjldeny
inffll do de muni^So.
istem no mercado cerca
Farinha de trigo
qui
iEx
I
sidente da provincia, e perante o conceibo
extraordinario de quo trata o art. 22 do
regulamento do 17 de fevereiro de 1832
para os hospitaes regimentaes, se ha de ar-
rematar em hasta publica no dia 25 do coi -
rento s de/, horas da manhfla no quartel
do commando das armas o fornecloienlos
dos medicamentos necessarius1 para uso do
hospital regimental desta cidade.
Os licitantes deverflo acliar-.se presentes
no dia c hora marcada para a hasta e offe-
recer suas propostas por meio de laos
no acto da arrematadlo, que ser conferida
a quem ofTerecer condicOes mais vantajo-
sas fazenda publica.
Quartel do commando da praca. na cida-
de do Recifeem Pernambuco, 14 de setem-
bro do 1849. Jos ficenttd Amor i m Be-
terra, coronel graduado commandanle.
Jmquim Fabricio da Mallos, aegundo l-
ente secretario.
O lllm. Sr. inspector da thesourarla
da fazenda provincial, em cumpritnento da
ordem do''Exm. Sr. presidente da provincia
do 28 de agosto prximo passado,manda fa-
zer publico que, perante o tribunal admi-
nistrativo da mesma thesouraria, so ha de
arrematar nos das 23, 34 e 25 de outubro
prximo futuro, a quem por menos fizer; os
cunccrlos a fazer na casa que servo do ca-
deia na comarca do Bonito, avallada em rs.
746,400, o sb clausulas especiaes abaixo
declaradas.
As pessoas que se propozerem esta,
arrematadlo,comparecam na sala das ses-
ses do referido tribunal, ajos dias cima
indicados, pelo nieio-dia> compelentem
te habilfThdas.
E para constar se mandan afiliar o
sent, e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 18 de setembro de
1849.O secretario, Antonio Ferreira da
Xnnunciaeo.
CONCERT DA CADEIA DO BONITO.
Clausulas especiaet da arrematacio.
Primeira.As obras para os concertos
outrp sim os livros pertencenles s irman-
dades, confrarias, hospitaes, ordena ter-
eeiras, fabricaseadminislraco de capellas,
e urna relaeflo dos testamonteiros, admi-
nistradores o rmandades, que devem pres-
tar contas com individuagao do lempo del-
tas e declaracflo dos que prestaran, ou
nflo.
~ 6.o Pelos administradores da santa easa
da misericordia e dosbens e rendimentos
das confrarias, irmandades, ordens tercei-
ras, fabricas, capellas, &., ou os seus the-
soureiros, os livros de receila e despeza, os
de contas, tombos, inventarios, compr-
lo issos, arrendamentos, contratos, acor-
daos e termos e oulros quaesquer ; assim
como os titulo porque possuem bens de
raz e sa licencas para dispensa da tai da
amorlisacflo.
7.* Pelos distribuidores os livros do dis-
tribuieflo.
8. Pelos depositarios os livros de dep-
sitos.
Fago saber que reeeberei quaesquer de-
nuncias sobre negligencia, omissflo, errse
quaesquer outros crimes de empregados
pblicos.
E para que nflo hita ignorancia, mando
que o escrivo que este subscreve, notifi-
que pcssoalmenle aos sobreditos escrives
o demais pessoas, as quaes se refero .este
editsl, o contedo delle; e queoutroStas
seja o mesmo allixado nos lugares mais p-
blicos e publicado pela imprensa.
Dado e passado uesta cidade do Recife,
aos 18 de setembro d 1849. E eu, Joaquim
los Ciraco, escrivflo o subscrevi. Jo$ Tho-
mas Nabuco de Arauo Jnior.
Ao sello 200 rs. V. S. S. ex causa.A'o-
buco Jnior.
3ue ainda resta a pagar, F. 0. de A. j ,
osS., dirijam-se ra da Cadeia de xJ
Antonio, n.13. '1
Quem anirunciou querer liypolhecaJ
um sobrado de dous andares em boa rail
dirija-se ra eslreitado Itozario, n. Al
segundo andar, que se dir quem faz\J\
negocio.
Dentes aftificiaes.
J. A. S. Jane, dentista, participa no ^.f
peilavel publico quo contina a exercer il
sua prolissflo na ra cstreita do Itozario
o. 16, primeiro andar.
A\X ^
BOWMAN & M genne
ros machinislas e fundidores de ferro oiu
respetosamente annunciam aos Senhore
--tleongenhos, fazendelroa, mi-
pro- rj
Avisos martimos.
Para o Kio-de-Janeiro sahe,
no dia 23 do corrente, a bem co-
nliecida e veleira barca nacional
Firmeza: para o reslo da carga,
passageiros e escraTos a frete, tra-
ta-se com o cipitao, Narciso Jos
de Sanl'Anna, na praca'do Com-
rcio, on na na da Madre-de-
s, n. 3, lerceiro andar.
Para o Rio-de-faoeiro sahe
pencos dias o patacho San-
s-Ani/tericano : para carga, pas-
geiros e escravos a frete, trata-
cn; o capitn no caes da Alfan-
lega, ou na ra da Madre-de-
eos, n. 3, lerceiro andar.
Para o Aracaty sabe, al o lim do cr-
reme mez, a sumaca Carlota, por se adiar
com a maior paito da carga a bordo : pava o
restante Irata-se com I.uiz Jos de S Arau-
jo, na ra da Cruz, n. 33.
Ifarello -
Fio de vela -
OSr. Nasch, agente desta transaceflo, (di-
zem que pela motiica.comiiiissao de 5 por
centojnieasaevcrou por muitaa vezes, de-
pois de ou trae vasivaa, queaa lellras se li-
nlian perdido !! O plano seria bem conce-
bido, mas ha de gorar ; ou o afirmo ; tam-
bem conceb o meu; e couiquaiito tenha
meiospaia chamara tninj cssas leltras, nflo
quero por ora usar delles,
de 4,200 barricas Vea-
deu-se a 16,000 rs. urna
partida ile 2IU barricas vin-
da de Marselha. -- A dos
Kslados-Unidos retalhou-se
do 18 a 20,000 rs. conformo
a qualidaile ; e a de Trieste
marca SSSF, do 19,000 a
19,500 rs.
Nao ha.
ndeu-se de 300 a 400 rs.
por libra.
Hanteiga dem de 475 a 510 rs. por
librada franecza.
Oleo de lindara Idcm de 1,550 a 1,600 rs.
por gallo em cascos de ma-
deira.
Pap. de embr. dem de 1,200 a 1,300 rs.
por cada resma do de marca
grande, e de 800 a 850 rs
da pequea.
Passas-- dem a 6,000 rs. porcaixa.
Sabflo---------dem a 180 rs. por libra do
do Mediterrneo
Taboado------Idcm a 18,000 rs. por duzia
do sueco.
Vinhos dem de 93 a 95,000 rs. por
pipa do do Selle linio, &a
90,000 rs do de MarselliaT
Velas- dem de 750 a 820 rs. jjpr
duzia das de composicrtOT
Ficaram no porto 45 ombatcaces, sendo
1 argentina, 34 brasilejras, 4 Iraucezas e6
inglezas.
da cadeia do ilonito serflo reitas do modo
h" "J ..a P indicado no orcamento, e pelo prego de se-
lecentos c quarenta e seis mil e quatrocen-
tos ris 746,400
Segunda. A obras principiarflo no
prazo de um mez, o concluir- se-hao no de
Unco mezes, inims contados om conforuii-
dade do al. 10' do regulamento dasarre-
matacOes de 11 de julho de 1843.
Terceira.Os materiaes serflo todos de
primeira (qualidade, e serflo previamente
examinados pela pessoa que fr determina-
da pelo F.xm. Sr. presidente da provincia.
a Ruarla.O pagamento do importe da
arrematagflo realisar-se-ha depois de con-
cluidos todas as obras, o examinadas.
Quinto.-Para ludo mais que niloesl de-
terminado nus presentes clausulas especiaes
soguir-se-ha inteiraniente o que dispOe o
regulamento de II de jullio do 1843.
Gabinete do engenheiro, 17 de setembro
de 1819.O engenheiro, J. L. Vctor Lieu-
tier.

Leilo.
- Jones Patn & C. farflo leililo. por in-
tervencio do corretor (Hiveira, de um com-
pleto sorlimento de fazendas inglozas as
mais proprias do mercado : sogunda-feira,
"do corrente, s 10 horas da manhfla i m-
terivcimente, no seu armazem da ra do
piche-Novo.
ivlovioicmo do *orto.
i ent
Nariofimirados no di 82.
Macelo 44 horas, galera ingleza uceen,
O, iW. los Thomat Nabuco de Araujo unior,
dalgo cavulleiro da cosa imperial, caval-
19fro da ordem-de Chrislo e juiz de direito
da primeira vara do crime da comarca do
Recife por S. M. o Imperador, a quem Dos
guarde, &.
Fago saber que no dia primeiro de outu-
bro me be de adiar na cidade dcOlinda,
o ordeno que no prazo de Ires dias seguin-
tes ao de minha chegada sejaro entregues
em minha presenca ao escrivflo da cor-
reicao :
i. Pelos escrives de quaesquer juizos,
labellifles de notaa, seus aldanles, escre-
ventes juramentados, distribuidores, con-
tadorea. partidores, avaliadores, advogados
nflo formados, solicitadores, promotoras
Avisos diversos.
Eslevao de Gasse.
O encarregado da venda do rap prince-
za da fabrica de Gasse do lo-ile-Janeiro
declara a lodos os rreguezes que o deposi-
to se acha rompletan-.ente prvido de
meias libras das 3 qualidadcs, fino, gros-
aoe meio-grosso deque leve por alguns
dias ralla : seu preco conliaUa a ser a 1,280
rs. de 5 libras para cima.
-Manoel de Almeida l.opea que coslu-
ma comprare vender escravos mudou sua
residencia da ra do Vigario, n. 24, para a
ra da Cadeia do Recita, n. 40.
- Jeronymo Martiniano Figueira de Mel-
lo rogn a pessoa a quem omprestou a obra
intitulada Mysterios de Pars em francez o
obsequio de Ib'a mandar cntatgr, visto
que necessila della pata cnvia-la a um ami-
go do Lema.
--Jeronymo Martiniano Figueira de Mel-
lo deseja fallir ao Sr. Iteinaldo Gomes Olci-
ra, corrospondeiite ou encarregado dos ne-
gocios do*r. ftronel Diogo Upes de Arau-
jo Salles f por isso roga ao mesmo Sr. o
favor dfjjkpgar al a sua casa, na ra do
ospicidpn. 14, ou de declarar aaua mora-
da para ser procurado.
-Lembiam-aeaosque aedeixam esquecer
para que venham ou maudem pagar a quem
devem, bem como os Sra. A. de A. M., J. F.
> A. M. A de V. L. de O. C. de A.,
propri
neiroBf^fgbciante, fabricantes e aoras-
peitavel publico, quo o seu estabeleciniefliy
de>ferro movido por machinado vapor con-
tinua em SPMtivo exercicio, e se acha com
plelament montado com apparelhos da pri!
meira qualidatfe para a permita confeec
das maiores pegas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, liowmaii & Mc. "(Ullum
desejam mais parlicularmento chainir
attenQflo publica1' para a sseguintes, por
terem dellas grande sortimenlo jprompu,
as quaes construidai na sua fabreajrpdeal
competir rom as fabricadas" em paia u.
trngeiro, tanto em preco como em qui-
lidade das materias primas e mflo d'obn
a saber:
4 Machinas de vapor da melhorconstruccaa,
Moendas de canoa para engenhoa de la-
dos os tamaitos, movidas a.vapor por agoi
Ou animaes.
Rodas d'agoa, moinnos de vento sem
riaa. ..
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzesechumaceiras.
CavilhOes e parafusos de lodos os ti mi-
nhos.
Tai xas, paros, crivos e boceas de form.
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSoou
por animaes, o prensas para a dita.
Chapas de fogflg e frnoe de farinha.
Canos de ferro, torueiras do ferro e tlt
bronze.
Bombas para cacimba e do ropucho, rno.
vidas a mflo, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuao.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blicaa.
Columnas, varandas, grades* porlOes.
Prensas do copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de mflo e arados de ferro',
&c, &C.
Alm da superioriade das suas obras, ji
geralmente reconhecida, Rowman & Mc.
Callutn garantcrl) a mais exacta confonm-
dade com os moldes e dezenhos rcmeltiJos
pelos Senhores nese dignarem de fazer-
Ihes encommendas, aproveltando a occasSt
para agradeccrem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por ellos honrados, e asseguram-llies
que nflo pouparflo esforcos e diligencia!
para continuaren) a morecerasua conli-
inca.
10OX'000 rs.
A viuvu Carioca d cem mil rs. a quem
I he trouxer o seu escravo Miguel, que ou-
tr'ora foj do Porto-Calvo, do engenho Sim-
ba elhc consta andar por l mesmo ; ru-
gi fm dezembro do 1844; he crioulo,
baixo, muilogrosso, pernas arqueadas, de
to annos e gosta muito de patuscadis.
Os cem mil rs. serflo dados immediatamen-
te no Alerro-da-lioa-Visla, n. 10.
Km 9 do detembro do corrente anno
linda o arrendamento feito con os.-Sur.
Jobnston Pater & C., do bem coiiliecido si-
lio do Arraial, do tinado Joflo Carlos Perei-
ra de Burgos : quem, portento, o pretendir
por um novo arrendamento de tres annos,
dirija-se ao pateo do Carmo, n. 1a\aenten-
der-se com o Burgos.
Aluga-se, pelo lempo ir festa, um
grande sitio na estrada do nonleiro, rom
boa casa de vivenda cozinha fora, estriba-
ra, cocheira muilos arvoredoa de fructo ,
e muito periodo banho: a tratar na rui
Nova n. 63, primeiro andar.
Km principio do mez de dezembre do
anno prximo passado, no becco do Soro-
nha embarcou-se n'uma barca? pan
Goianna um caitfio, { caixa de paptlflo,
urna casaca preta e nova um collete ludo
vindode casa do alfaiate; e como aleo
presente nflo tenham sido ditos objectos en-
tregues pelo presente se solicita da pessoa
que os recebeu ou ainda os tenha em seu
poder, ob queira entregar em Goianaa,
Sr. Miguel Freir do Carmo, ou nesla pn-
Qo, no Forte-do-Matlos, armazem do Sur.
Vianna, que ser recompenssdo, aequlzer.
Aluga-se um sobrado na ra da Uaiflo,
com boa vista para a barra excellentw
iala*,j|lcovBs e quaitos, grande quinu!
m
com
, cacimba e cozinha fra j a tratar
aiioel Alves Guerra.
Chapeos (leso!
Ra do PassehyjL 5.
0 dono deste cstubelecimentti avisa ao
respetavel publico que elle recebeu pre-
sentemente uaia qualidade de chapeos da
sol com armadlo de a^o sorlidoa em co-
res e do varios lamanhos, qualidade esta
nunca aqui apparecida ; bcA como ch-
peos do sol com armacao de balcia, sorli-
dos em cOres lixas ; ditos- para senltora, de
seda muito encorpada com ricas franjas de
relroz e ebegados ltimamente de Paria
tamben) se vendem chapeos de Bul, de pati-
ninlio em poreflooa relalho ditos para
feitor do engenho muito grandes. Os fre-
guezes acbarflo um cmprelo sorlimento de
sedas e panuinho imitando seda para co-
brir qualquerarmacllo do chapeo de- sol, o
que'sc f, a lamoem so concurta ooai toJ>
a brcvidide,
Aluga-se um grande armaaem com ser-
venta para a mai pequea, e portod*
embarquee desembarque: na ra da Sen-
Zalla, n. 42 a tratar com S. J. Johnslon &
Companliia.
de res dos, curador geral e lodos e quaes- ....
ojier^utrosempregauo do foro e oflci.es I um. leUr. Ml d. jneiro dViw; nbVre-r.* aff ^" "*" '*'
ILEGIVEL


.-D-se umiaiBjaamle porcHo de lijlos
nucbrados, ptimos para f licerces, a quem
s mandar buscar no Tundo de un portSo
u.ruadS.-Thereza.
.- Aluga-se o tercciro andar da casa da
ra do Vipario, n. 18 : o fallar com Francis-
co Cavalcante de Mello.
A rocheira que esleve defronlo da re-
particSo da polica fui transferida para a
iraca do capim no lim da ra da Floren-
tina cocheira do Sr. Pesso onda se ven-
dem. alugam-see tratara-ae cavallOS.
Manoel Francisco da Silva Novaes vai
lao lUo-de-Jaoeiro. por poucos das ,e, n3o
bodendo pelarapidex de sua viagera des-
loe lir-se pesoalmente de seus amigos, o
faz pelo presente, o all olTerece, seu limi-
ido prest mo.
_ os abaixo assignados na ausencia da
Manoel Francisco da Silva Novaes dai-
,m por seus procuradores bastantes nesta
sea aos Srs. Leopoldo Jos da Costa Arau-
e Joflo Chriaostomo Pacheco Soarea. -J1
ecife 92 de setembro de 184. A'ovaei t. |Sr. Jos Antonio de Souza Machado a ge-
mpanhia.
lTerece-se um rapaz braaileiro df
9 annos, para eaixeiro de qualqucresta-
lelecimerHo o tfel sabe ler cscrever o
fidor a sua conduela : na ra da Alegra,
30
I'recisa-se de urna pela para andar
m outra na ra vendendo fazendas : na
a da Trempe para o Mondego n. 5, so-
rado.
Aluga-se um sitio na Magdalena, estra-
da da Torre, com muito boa casa de viven-
da com 6 quartos, cozinha fra, tanque e
cacimba coberlos, casa para prctos e para
estribara, bastantes arvoredos e terrenos
para planlacoea : a tratar no Aterro-da-
Iloa-Visla, n. 43.
Pergunta-se ao Rvm. vigaro dos Afo-
gados.como mais entendido, so um pajpde
alicatar a conducta de seu lilho ? E nascen-
do esse (ilho em captiveiro, sendo ao dpois
forro e criado por seu senlior, sa o mismo
senhor tamliein p lo altestar 1 Com a fu
resrosta mujlo-lho Ocar obrigado
1 O Innocente.
O acadmico Jos Joaquim dos Santos
Jnior desoja saber se entende-se com ello
oannuncio publicado no Otario de Pernam-
bueo a. 910 com as inioiaes J. J. dos S.
I'recisa-se alugar um moleque, ou ne-
gro, para fazer compras e o mais servico de
urna casa de pouoa familia: na ra da
Cruz, n. 48, no armazem.
Preoisa-sa de urna ama de leile forra
ou captiva : na ra do Alocrim n. 6.
- Terca-fera 35 do crrenle linda a
audiencia dj-Sr. juiz da primeira vara, se
hfo de arrematar, por ser a ptima praca,
alguns escravos, sendo um aroleque ollicisl
de marceneiro um prelo canoeiro, um di-
to capioheiro o outros: os prelendentes
ilirijam-soa sala das audiencias no dia mar-
cado ao meio-dii.
na da Cadeia do Recife, venda n. I, se di-
r quem pretende.
Os abaixo assignados fazom publico
terem vendido o seu eatabelecimento de
venda, da ra da Madre-de-Deos, n. 5, aos
ars. Joaquim Jos de Feria & Companhia ,
ficando os ditos Srs. smento responsaveis
pelo activo e passiv'o que flzer a mesma ca-
sa de hoj o por diante. Os mesmos, abaixo
assignados rogam aquelles |de seus crodo-
ros que faltem der-lhcs suas contas, tenhsm
a bondaded* as mandar entregar na ruada
Amofim, n.-|, para serem legalisadaso pa-
gas ,o o msnTopedem aos seflis devedores
dealli pagarem os seu dbitos.- Rocife,
15 de setembro de 1848. Eitrella & OH-
vttra.
Precisa-sede um amassador que en-
tenda bem da arte: na ra Direila, n. 79,
Jofio Scott faz scienle ao publico que
vendeu o estabeleciment que linha na ra
do Trapiche-Novo n 28, aoSr. JoSoRegan.
Havendo mui bem desempenhado o
rencia de meus negocios na praca do Reci-
fe, deque foi incumbido na safra Onda,
contina o mesmo Sr. na gerencia delles: e
porIsao aquellaspessoas que commigo ti-
verem transaccOes, pdem a ello dirigi-
se no seu armazem de assucar da ra de
Apollo, n. 24. Engenho Paulist, 15 de
setembro de 1849. Joaquim Calateante de
Mtiuqueruue
Iloga-se ao Sr. Pedro Nunes da Fonseca
que hnja de declarar a sua morada para
solucSo du certa incumbencia do um seu
amigo da Rabia.
Na ra Nova luja n. 58, se dir quem
d dinlieiroa premio nas^rquanlias de 200,
300, 400, 500 e 600,000 rs. com hypollieca
em casas terreas.
DAURORA
[ C. Starr & Companhia teem a honra de
m visar aos seus .Tregeles, e ao publico em
fteral, que a sua grande fnodieBo eaa S.-
Kmaro, alcm do sortimento que constan-
temente tem acha-se de novo provida de
Inuitas moendas de canna, e de varios ta-
tianhos faltas no mesmo eslabelecimenlo
Lelos mais peritos olliciaes, e com o maior
ftuidado perfeicilo; tanto assim he, que
E>s annuncianlesse ufanam em garanti-las
telo primeiro auno. As moendas inteiras
Bodas de ferro', construidas as ofdcinas
los annunciantes, silo milito superiores a
nuaesquer outrasda mesma natureza que
t agora teem sido aqui offerecidas, pois
quellas eircerram em s cerlos e importan-
Bes melheramentos resultado de mais de
l'o annos de experiencia e pralica do paiz.
Na ra da Concordia offleina de mar-
Iceneiro de Jolo Frcderico Schereder, pte
Irisa-se dcfllciaes do mesmo cilicio.
O abaixo assignado precisa alugar um
carro Coas bois, para botar da ponle de
I Molocolomb as pontezinhas do Checheo
e Pjo-Secco 31 estivas j lavradas : quem
quizer alugar, dirija-se ra Direila, ven-
Ida n. 23. Jodo Hypotito de Ueira Lima.
Precisa-sede urna ama para casa de
Ipouca familia : na ra do Quemado, n. 29.
Aviso.
I Quem pretender engenhos para em 9 ho-
ras socar ama caixa, ou 6 barricas de as-
Isucar, oecupando urna s pessoa e um ca-
Ivallo, carros para conducclo de fOrmas
Iponv assucar, tambem por' una sua pessoa,
no querendo ser engaado, dirija-se i ra
o sol, n. 13. Adverte-se que nfosJo carros
le forquilha... por baiio do fundo das for-
anas doslesos acharflo na fabricados Srs.
Vtarr & Companhia.
Adagios da ngoa
nacional.
I Na Sf 'unda-feira, i.' do uulubro, sabe a
Keguudt.for.na desta obra e as de mais sa-
iir3o regularmente todas as semanas As-
liignu-sia ra do Crespo, n. 11 o na pra-
ta da inii&endeiicia ns. Ce 8.
Tachigraphia.
O proftssor de tachigraphia, abaixo as-
Isignado sabendo que bastantes pessoas se
lun teernwatrmulado na aula publica da
LcferidatAe, eslabelecida no lyceu desta
ti Julo, porque a hora em que as liefles
cem lugar nto \\& compalivel com os seus
fazores. resolvou ensinar em sua casa,
lando.licjoes lodosos dins uteis, das G as8
fcoiasda tarde, mediante a gratificado de
6,000 rs. mensae, isto mesmo durante as
Irerias ; que interessa muilo aos princ-
ipiantes, por isao que a ioterrupcao ueste
Ivsludo'lio um mal irroparavel. As pessoas
?lirisaquizerem matricular, dirijam-so ao
/Tofessor em sua casa ate o da 30 do cor-
tente mez. As lices comecarSo no dia pri-
B><:irodo futuro mez do outubro.
K'.V. Lui Antonio d* Mtsgiila Falca.
I Urna pessoa que tem bastantaj-nralica
deadmiiiislracllo de engenho propfle-se a
este trabalho: quem de seu prestlmo st
uaizer-utilisffr an nnncio por csti folhn.
I'recisa-se do urna ama de Icite forra
onescrava : paga-secom genetosidade : lia
0
0
O
0
O
o
9
Bixas.
8Na piafa da Iiidpeii-fS
| doncia, ii, 10, |
q ao voltar para aruadas Cruzes, alu- q
pv gam-see vendem-se bixas de Ham- y^
J? burgo : tambem vllo-se applicar pa- )5:
? ra commodidade dos freguezes ; ti- ^
ram-se denles, sangra-se e atppl*
O cam-so ventosas tudo por preco
O commodo.
i
O abaixo assignado declara ao res-
pelavel publico que deixou de ser procu-
rador da Snra. D. Maria Antoinete Aglae
Tresse desde o dia 18 do corrente mez do
setembro. por ter ajustado as suas contas
com a mesma senhora ; e nSo desde o lim
de fevereiro como annuncloo no Diario de
Ptrnambueo n. 81*0. Friderleo Chaves.
ChristovSo Pereira Campos faz sciente
ao rspeitavel publico que Antonio Joaquim
de Araujo deixou de ser seu socio desde o
dia 20 de agosto do corrente anuo, fican-
do a mesma firma do ChristovSo Pereira
Campos 6i Companhia.
()fferece-se um rapaz de 16 annos, pa-
ra caixeiro de venda, do que tem bastante
pralica : quem o pretender dirija-se a ra
da l.ingotHa, n. 12, que se dir quem he.
O abaixo assignado faz sci-
ente ao rspeitavel publico que,
de cominun aecrdo, dissolveu a
aociedatli- que tinlia na loja de fa-
tendas, sild na ra da Cadc* lo
Recife, n. 32, que gyrava debaixijJ
da fuma de CbristovSo Ferreira'
(lampos & Companhia, no dia ao
de agosto prximo passado, fican-
do o socio ChristovSo obrigado ao
pagamento de todo o activo e pas-
sivo, tambem ficando o mesmo a-
baixo assignado desoncrado ftem
a mais ptquena responsabiidade
de todas as IransaccOes constitui-
das pea.referida sociedade.
An Ionio Joaquim de Jraujo.
Aluga-ce urna casa no sitio do Cordei-
ro, margem do rio Capibarihe, com com-
modos para grande familia cozinha fra,
eslribaria cocheira quarto para criado,
etc.; outra dita mais pequea, tambem
com bons commodos para familia, estriba-
ra, ect. : a Iratar no pateo do Carmo, n.
17, com Gabriel Antonio.
Para as pessoas que tcn-
cionam seguir viagem.
NopaleodeS.-Pedro casa terrea n. 8,
tiram-se passaportes para dentare fra do
imperio, correm-sefolhase oelpacham-se
escravos e para este lim. tau-ibem pJe-se
procurar aa-praca da Independencia, livra-
ria ns. 6 e 8.
Dao-so 500,000 rs. a premio de dous por
cento sobre penhores de ouro ou prata,
mesmo em pequeas quanlias : na Cam-
b-do-Carmo, n.29.
Lotera do Guadalupe
lisia designado o dia 5 de outubro prxi-
mo futuro para o andamento das rodas
desla lotera. He de presumir que nfio se ja
infelizmente espassado anda esse aclo,
como tem sido al agora, pela Talla de con-
currencia dos compradores de biMieles, da
qual tem dependido e contina a depender,
ou a promptaextracco das loteras ou a sua
morosidade.
-llenry PoinBdjaile, subdito inglcz, rcli-
ra-.'C para o Rio- -Janeiri.
Ollereeaafffn rapaz brasilciro do boa
conducta/bsTante hbil, para auolquer es-
ta belecimento : quem de seu presumo qui-
zer utilsar-se annuncio.
"
Compras.
Compram-so 30 arrobas de ISa^de car-
neiro : quem liver annuncie.
Compram-se ourelos do panno Uno : na
pracada Independencia, n. 19.
Compra-sc urna escrava para.fra da
provincia de 20 a 25 annos, que saba cor-
tar e fazer una camisa do hornera e en-
gorrinisr bem, tudo isto com perfeicao ;
nSo so olha a preco : um mulalinbo de 16 a
tl annos de bonita .ligura c que lenha
boa conduela: paga-se bero : na ra das
Urangeirss, i>. 14, segundo andar
Compram-so qunlro eseravas prenda-
das, com habilidades e de bonitas figuras,
para urna encommemla : na ra do Passcio,
loja n. 17.
Compram-se mo:;'s garrafas vasias,
que lenham sido de servejae lmpas, a 70
rs. cada urna : na venda da ra da Cadeia do
Recife. n. 25, dflfronto do locco-i,argo.
Burra de ferro.
Compra-se urna caixa, ou burra du ferro
que esteja em bom estado : quem tiver an-
nuncio.
Compram-se qtiatro escravos que sir-
va ni para o servico de campo: ua ra Di-
reila n. 3. se dir quem os quer.
Compra-se urna escrava com afumas
habilidades, e que lenha pralica de ven.
der fazendas : na ra do Crespo, n. 11.
Joaquim Ferrcira Monles Cuimarles,
ra da Crin, n. 49, primeiro andar.
Vende-se urna escrava crioula, de bo-
nita figura com algumas habilidades, '
que nfio tem vicios : vende-se pnra fra da
provincia : na ra do Aragfio, casa terrea
n.13.
Vendem-se cordas e bordoes para ra-
beclfo grande e pequeo, de muito superior
qualidade : na praca da Independencia, lo-
ja n. 3.
Vende-se superior milho em saceos no-
Vetidas.
I^||pria do Rio-de-Ja-
Aos 20:000,000 de ris.
Na praca da Independencia, n. 4, vcn.lem-
se meios bilheles, quartos, oitavos e vig-
simos da 11.a lotera a beneficio da santa ca-
sa da Misericordia do llio-de-Janeiro. Na
mesma loja mostram-se asustas da can-
dada
--Vende-se a barca francesa Socrale, for-
rada e encavilhadn de cobre, provida de
todo o preciso e prompta a seguir viagem
os pretondenles dirijam-se aos consgnala- tom n. 6 do Jos Maria Palmeira.
vos de algodfio com mais do 3 quartas
2,000rs. a sacca : na ra da Piaia, arma-
zem de carne deTronte da lypographia da
f os Brctil, de Sianool Jos Crrela Braga.
--^endem-se.lO lindos moleques de \2 a
18-annns ; 10 prelo.s do i) a i25 annos; um
i ii lila ti n lio do Id anuos; 3 pardas de 18 a
20/innos, com habilidades; urna dita do
SO annos com Labilidades tendo doiisfi-
Ihos um de 5 annos o o outro de um ; 8
pretas, algun|sdas quacs com habilidades,
de 12 a 25 annos: na ra do Collegio, n. 3,
se dir quem vende.
Vende-ao, um es;ravo padeiro : na Boa-
Vista, ruado Pires, n. -23.
Vende-so vinho de Rordcaux, superior,
embarris pequeos : na ra da Cruz, ar-
mazem n. 40.
Vende-se superior esper-
maecto do cnmpnsicilo americana chega-
du ullimamentc na escuna Almira; bem
como charutos producto do sement de lla-
vana o mais superiorque tem vinda este
mercado : no largo do Corpo-Santo, arma,-
na Uno. No mesmo sobrado so compra um on
ilousquarlos capases de fazerem una via-
gem da 13 dias preferindo-so capados.
Vend-so um cabriolet ingle* muilo
forte em ptimo estado e piolado de novo:
na cocheira do Sr. Mounicr, no Aterro-da-
Boa-Vsta.
Na loja do Duatlc, na ra
do Cabug, n. i C, vendem->c
oleados para rticsa de ricas pitn-
de la de A.Soo a.
ras, pannos tie taa ae 4,5oo
5,ooo i. gales entre-lino-, es-
piguilbas, volantes e trinas.
Ns roa estrella do llozario n. 43, se-
gundo andar vende-se um escravo perito
olfichl dosapateiro o que he bem moco :
o motivo por que so vendo se dir ao com-
prador.
rios da mesma barca, B. Lasserre & Com-
panhia.
Km casa de Adamson Howie & Compa-
nhia, ra do Trapiche n 42, vendem-se
sajns inglezes de superior^jualidade e
com todos os mais porlences ; bem como
um exeelleiie piano horizontal: tudo por
preco rasoavel.
--Vendem-se 350 caibros de boa quali-
dade do 28 a 45 palmos de compiiinento:
no lim do Becco-LIrgo, no Recife junto as
tafxas de ferro.
Na roa do I.ivramento n. 14, vendem-
se 500 varas de algodfio da Ierra, a 200 rs.
a vara ludo por junto.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 9.0:000^000 de rdis.
Vendom-se meios bilhetes e quartos da
quinta lotera do thesouro publico : na ra
do Crespo, lojan. 19.
Sahio a luz a traduccao
da seceso terceira
das Inslituicoes do direito publico eccle-
siastico de Xavier Gnvincr, anotada e
acompanliada de apontamentos da logisla-
;fioconcernente : acha-se a veda na prsQa
da Independencia, livraria ns. Ce 8.
Vende-se urna propriedade caro muitas
arvores de fruclo, podando ter-se vacca
solas, margem de um rio de bons banhos,
e rom oulrasvantagens que o pretendente
veri: a fallar com Amaro Concalvcs dos
Santos, no Giqui, ou com o Cordeiro, na
barreira do Molocolomb.
Vendcjn-se chitas finisslmas, do eflres
flus, padres escuros, as quaes j se ven-
dern) por urna pataca a agora para aca-
ba mc trocam-se por 200 rs. o covado, a di-
llUerOa VfO> un- !. Cr-.f..., i,..
.- Vcnde-se urna escrava de a2 anuos, de
milito linda ficura,que sabe cozinhar muilo
bem, Irvar.comprar o engommar, com duas
crU tamlcm muito lindas, sendo uma de
tres mezes o outra de dous annos : vende-t
se coilV smbas ou com uma s vontade do
comprador : na ra da Cadeia, defronlo da
ordeni terceira, ao p da Apollinea.
Vendem-se cadeiras, marquezas e ban-
cas por preco commodo : na ra das Cru-
zes, casa a. 37. Na mesma precisa-so do 2
al 3 apreadizes para inarconeiro ou para
empaliar.
Attencfto.
Com um pequeo loque do avaria om
umfs orella, se vendem pecas de algodo-
zinfio largo o encorpaao, fazenda perfe-
tamente boa, pecas de 20 jardas a 2,000, c
tendo mais de 20 jardas a 100 rs. a jarda : no
novo armazem de fazendas de II. C. Leile,
ra do Quemado, II. 27.
-- Vendem-so as seguinles obras : Lber-
Jado do Icaballio, por Dunoyer, rica enca-
dernaefio; Direito civil porluguez. por
Borges Carnoiro : tudo novo e por mdico
preco: na livraria da ra do Collegio,
n- ,
%r Vendem-se dous pianos de
oplimas vozes, bom autor e de ex-
ceMentc con^truccao : no arma-
zem da ra da Cruz, n. 48-
-- Vendem-se lingoas do Bio-Crandc-do-
Sul : na ra da Praia, n. 22.
- Sapates de couro de lustro, obra mo-
derna e bem felta, a 3,000 rs.; na ra do
Cabug, loja n. 9.
Cha brasilero.
Na venda que foi de Jos da Penha, na
raja Direila, n. 23, vende-se cha brasileiro a
2,240 rs a libra, muito bom, bem tuba-
Ihado, a ponto de se nfio diflcrencardocna
Vende-se uma crioula boa cozinheira,
docet'ra, costiireira, e tambem engomma :
na ruido Collegio, n. 6.
Vendem-se, na l.ija do u-
arte, na ra do Cabug, n i C,
petnmarias finas esapatos de co-
ro de lustro a a,2/jo rs.
- Na ra das Cruzes, n. 22, segundo an-
dar, vendem-se 10escravos, sendo : 2pre-
las mocas com boas habilidades; uma nt-
grinha recolhida de 14 annos, e com prin-
cipios de habilidades uma preta da Costa ,
de elegante figura e que he ptima qui-
tandeira ; uma dita de Angola que cozi-
nha lava de sabfio o vende na ra ; um
molecote cozinbeiro ; 3 ditos para lodo o
servico de campo.
m&mmmximim mmmtmmmmv
3 i
! Loteras do. Ilio-de- |
Janeiro.
I Aos 20:000^000 rs.
^II." a favor da MisericaadiayL
e 5.a do thesouro.
Meios bilbctes, n,5oo
Quartos..... 5,5oo
Uitavos ..... 2,800 y
S Vigsimos.... 1,3oo
Na ruado Collegio, n. 9.
1 I
miwwe?) w$mw mmwwmm^
-- Vende-so um armario, uma m aiqui 7.a
uma por^flo de saceos vasios, proprios pa
ra farinha : na ra da Lingnta, n. 12.
Vendem-se cobertores Jo algodfio ame-
iltauu a Iiuib. j n^p^n Ii/ii^nilu nzm ou
cliadrez a 160 is. o covado ; pegas do zuar-
te da India, com 4 palmos de largura, de
24 covados, a 4,500 rs. : na ra do Crespo,
loja n. 10.
Vendem-se corles de ca?sa pintada de
cores lixas a 2,000 rs ; camhraia pinta-
da i a nceza a 240 rs. o covado : na ra do
Crespo, loja n. 10.
Na rua da Ctiia, n. 36, primeiro an lar,
vendem-se, em grosso ou i retalho luvas
de pellica branca pira homein e senhora ,
du muito boa qualidude e muito bem co-
sidas ; hem como snpatos de couro do lus-
tro e duraqun para senhora do superior
qualidade : pdom-sc ver at is 8 horas da
manhfia e das 3 da tardo em diante.

i
V.'n'le-se, por menos du melado de
sou va'or, um carro de rodas para
dous cavallos, com dous assentos
dentro e com seus compatenles ar-
reios : tambom d-se a prazo com
firmas a contento : no pateo do Car-
mo, 11. 18.

i
m
m
Vende-so uma negrinha de 16 annos ,
de muito bonita ligura sem vicios era,
achaques, a qual chegou ha poucos dias
doserto: na esquina Ua rua das Cruzes
quevolta para S.-I'rancisco.
Vendcin-so24 covados de estamenha ,
fazenda para tercep/o franciscano a 1,400
rs. o covado;2 vonezianas para portas do
varandas ; uma cadeirinha de rebuco: 110
pateo do Carmo, esquina da rua de llorlas-,
n.2.
No deposito de charutos da l.ingota ,
n. 14, ha um sorlimenlode charutos, como
sejarn : regala regalos de llavana depu-
tados, melindres e outras muitas quahda-
dcs.
Lotera do Uiode-
janeiro.
Aos O:OQO,000 de r>.
Vendem-se bilhetes, moos, quartos, oi-
tavos e.vigsimos da 5.' lotera do thesou-
ro publico: na praca da Independencia
loja do fazenda n. 1, pintada deamarelln.
Vende-se
cobre para Torro de
navios:
no armazem de J. V. da Silva llarroca na
rua da Madre-de-Deos, n. 24.
Vondom'-se cortes de fustes de co-
res a400e640rs. ; corles de biim tran-
cado branco de puro linho, a 1,600 rs. ;
merino verde escuro com toque de mofo e
cora 6 palmos de largura a 560 rs. o cova-
do ; hrim pardo de linha a 160 rs. o cova-
do : na rua do Crespo, loja n. 10.
Vende-so azeile de carrapato a 2,000
rs. a caada o a 280 rs. a garrafa : no pateo
do Carmo, venda nova n. 2.
Vendem-se lainlias das Alagas mul-
to frescaes : no caes da AlfanJcga, arma-
zem n. 5, de Antonio Annos.
se**130*0*?**
n:
Vcnde-se superior farinba
' de mandioca, muito nova,
jj$ sem ebeiro lgum e por pre-
!j> co mais commodo do que cm
outra qualquer parte : a bor-
y do do patacbo nacin il Li-
H /nf, iundeado defronte do
f caes do Collegio, ou em ca-
9 sa de Machado & Fnheiro,
I na rua do Vigario, n. 19,
U segundo andar.
aiaH MtH ti gHatt at JMalti aat aataaailltalr 1*1 all lf IT If
NOVO METIIODOPRATICO E TIIEORICODA
LINCOA FKANCEZA,
por Luiz Antonio Burgain 2 v. por 6j rs.
Acaba de apparecer no Iio-de*Janeiro
esta inleressanle grammalica pela qual
em muilo pouco lempo, e sem a fastidiosa
trete de estudar de cor verbos o significa-
dos se apronde a fallar, traduzir e cscre-
ver com petfeioflo a lingoa franceza : ven-
de-se na praca meiro andar,.
, Uma pechincha.
Faz-se todo o negocio at por metade, ou
menos, com.diversiis dividas algumas com
ledras e correndo juros, tanto da praca
cmodo inalto : no Alcrro-da-lioa-Vista,
n. 10, primeiro andar.
Vende-se no armazem do
barateiro Silva Lopes, na porla-da
Alfandega. sevada, vinbo do Por-
to e dito de Bordcatix, o mais su-
perior que vem a este mercado,
cm pipas, meias-pipas e baiis a
vontade dos compradores.
Rap Joo Paulo Cor-
deiro,
vcnde-se na rua da Cajia do Recife, n. 53
Vende-se um boi de carro muito man-
so e filho do pasto o qual o nico deleito
que tero he nao estar muito gordo e por
isso s vende mais em conla : na Soledade,
to engarrafado a 500 rs., do mesmo por en-
garrafar a 180 rs. a garrafa, a 210 rs liguci-
ra, e a 200 rs,; queijos de Minas a 400 rs. :
os freguezes pdem continuar.
Vemje-se metade de uma
casa terrea/ sita no pateo to Hos-
pital do Faraiio, que faz esquina
para o becco do Uuvidor, por pre
90 muito commodo: a tratar na tra-
vessa da rua da Concordia, sobra-
do de um andar, n. 5.
Vende-se tfn mulalinbo de 8 a 10 an-
nos, vindo no ultimo vapor do norte, por
preco commodo : no Hotel Francisco, w
Vcnde-se cal virgem superior do Lis-
boa em barra pequeos, feixes fi aros dt
poorodasdeditoa para barricas, cunhe-
tea de pinho abatidos para assucar, pregos
caiiaes do Porto em barris do 10 milheiros,
ditos de estuque em barris de 32 e 45 mi- isso so>vcn jo m ..>. --- 1 --;--. \; ( ._,.
lheiros, pilulas da familia: a tratar com no sobrado dentro do sitio do Sr. Hercu-I roda. na ru do tebuga, toja n.
para curar da phlysica em todos os seus
dillerenles graos ou motivada por consti-
pares, tosse, aslhma, pleuriz, escaos do
sangue,drde costase peitos, palpitacllo
no coracllo, coquelucho, bronchites, dr
na garganta e todas as molestias dos org5os
pulmonares.
Do todas as molestias que por heranca fi-
camaocorpo humano, nenhuma ha que
Q mais deslruitiva tenha sido, mi quo tenha
zombado dos esforcos dos homens mais
eminentes cm medicina, do que aquella
quo he geralmeute condecida por moles-
lia no bofe. Em varias pocas do se-
cuto passado, tendo se offerecido ao publi-
co differentes remedios com attestados das
extraordinarias curas que elle tem feito ;
porcm qnasi que em todos os casos a ilusilo
tem sido apenas passageira e o doento
torna a recalfir em peor estado do que se
achava antes de applicar o remedio 18o re-
ommendado outro tanto 1180 aconteco
cun este extraordinario
Xarope do Bosque.
Novaes & Companhia, os nicos agentes
nesta cidado e provincia, nomeados pelos
Snrs. R. C. Yates & Companhia agentes
geraes no Rio-de-Janeiro mudaram o de-
posito deste xarope para a botica do Sur.
Jos Maria C. Ramos, na rua dosQuartes, n.
12, junto ao quartel de polica, onde sempre
acharflo o nico e verdadeiro, a 5,500 rs.
cada garrafa.
Agencia de Edwin Maw.
Na rua de Apollo armazem n. 6, de M. Cal-
mont & Companhia, acha-se constantemente
um grande sortimento de ferragens ingloza.s
para engenhos de fabricar assucar, bem
como laixas de ferrp coado e batido de dif-
ferentes tamanhos e modelos, moendas
de dito, tanto para armar em madeira como
todas de ferro para animaos e agoa, ma-
chinas de va por de frca de 4 cavallos, alta
prcssSo, reparlideiras, espumadeiras, etc.
de ferro estanhado. Na mesma ageucia acha-
se um sortimento de pesos para balances ,
escovins paia navios, ferro em barra, tanto
quadrado como redondo, salra para i'errei-
ro e uma porcSo de tinta verde em latas :
tudo por barato preco.
Vendem-so tres toalhas abertas de la-
vari n lo, com bico em roda e bem fetas, o
um lenco tambem de lavarito com bico em
MUTILADO


I
Vendem-se rciogios de ouro e prata,
patente* inglezes : na rua da Senzalla-No-
v.i, n. 42.
Cortes de brlm de puro
linho, a 1,280.
Vendem-se cortes do brim trancado
pardo do puro linho, polo diminuto prego
dn qnatro patacas: na rua do Crespo, loja
da esquina que volta para a cadeia.
Vende-so cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de i arrobas,
chogada oeste mez pelo briguo ^aria-Jos :
a tratar na rua do Brum armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na rua do
Vigario, n. 1t.
Cha brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
mnlhados, airas do Corpo-Sanlo, n. 66, o
mais excellcnte cha produzido cm S.-Pau-
lo quo tem vindo a este mercado, por
prego muito commodo.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor,
HIJA n\ SKNZAIXA-NOVA, N. !\1.
Neste estabelecimento conti-
na a haverum completo sorti-
mento de moendas e mias ir.oen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, c tachas de ferro batido
coulo, de todos os tamanhos,
para dito.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem do molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sal, superio-
res charutos S.-Flix, e de outras umitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em oulra qualquer parle : bem como
cigarrilhos hespanhes, ditos de palha de
milho, que se eslo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
--Vendem-se amarras de ferro: na r
da Senzalla-Nova, n. 42.
A (>40 rs. ca.da mn,
Vendem-se cobertores de algodSo ameri-
cano, encorpadose grandes a duas pata-
cas ; chitas escuras de bous padrn e co-
res seguras, a meia pataca o corado : na
' rua do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Tai xas para engenho.
Na rundicSo de ferro da rua do Brum,
acaba-so de receber um completo sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos do bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e enm promptiilfio embarcam-se,
o u carregam-se em carros sem despezas ao
c tmprador.
Chales de Roberto do
liiabo.
Na loja de f, u m a rifes & llenriqucs rua
do Crespo, n. 5, que faz esquina para a rua
do Collftio vendem-se os novos chales
grandes intitulados Hoberto do Diabo po-
lo barato prego de 1,600 rs. cada um : esta
fazenda se torna muito roeommendavel ,
porasr do padrees novos, o de lindas
franjas,
-- V'cndc-S oleo tl* rocan cuomrinr ...
latas de 30 libias : na rua da Cruz, n. 3.
-- Vende-se fariiiha de mandioca muito
superior, n bordo do patacho Valtnle, viu-
do de S.-Camarina Tundeado no caos do
Collegio: a tratar com o capilito a bordo,
ou com Novacs & Companhia, na rua do
Trapiche, n. 34.
Agoa do perola.
tsse culebree innocente cosmtico para
tirar sardas e rugas, o em bellczar o rosto ,
foi por muito lempo s eonhecido de poucas
pessoas nos Kstai'o?-ilnidos porm sua
grande ulilidade tornou-a o cosmtico mais
popular que se usava nos toiletes moder-
nos: vende-sena rua do Trapiche, n. 34,
segundo andar a 2,000 rs. cada garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende se milito nova potassBj
de boa qualidade, em bai riszinhos.
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como ja ba muito
tempo se nao vende: no ilecife,
rua da Cadeia, armazem n. 12.
Pasta de flor de lyrio.
leo melhor artigo que se conhece para
limpar e emlwanquecer os denles, fortilicar
as gengivas e conservar a bocea aetnpre
li ni,.i e as gengivas i ui liradas do trta-
ro : vende-so na rua do Trapiche, n. 34, se-
gundo andar, a 2,000 rs. cada boifio.
Cadciras de palhinlia e
de bataneo,
bem com oulros muitostrastes:, vendem-se
em casa de Kalkniann Irinos, na rua da
Cruz, n. 10.
Rap roldo francez.
Vende-seo superior rap rolSo francez,
nicamente as lujas dos Srs. Caetano l.uiz
Ferreira no Aterro-da-Iloa-Vista n. 46 ;
Tlioniaz de Mdtios Estima, na me sin a rua,
n.54; Francisco Joaqun) Duarle, ruado
Cabug ; l'iuto Iraio na rua da Cadeia
do Reelfo, n. 19.
Vende-se uma linda escrava engomma-
deira, coslurelra ,eque be de encllente
conducta : o motivo por que so vende so
dir ao comprador : na ruada Cruz n. 35
sobrado.
l.ii.i rs. o corlo; dito dito escuro, a
1,280 rs. o corte ; dito cor de ganga, mui-
to lino, a 1,500 rs.; dito liso escuro, bom
proprio para jaqueta, a 800 rs, o corle: sen-
do todos do puro linho : cortes de castor
de listras c quadrost a 800 rs. o corte.
Na loja da rua do Crespo, n G,
ao p do lampcSo, vendem-se as
seguintes fazendas por metade de
seu valor:
corles de brim escuro, a 1,280 rs.; dilo cor
de ganga a 1,440, 1,500 e 1,600 rs. ; dito
branco, a 1,500 rs. ; dito listrado a 1,500
rs. ; picote, muito encorpado, a 180 rs. ;
chitas finas e de coros lisas, a 160 e 180 rs.;
cobertores de algodlo americano, os roe-
Ihores quo ba no mercado, a 640 rs.; ma-
dapolilo muito linoe com pouco mofo, a
3,600 rs. a peca, e n 200 rs. a vara ; chapos
do massa a 400, 640 e 1,600 rs. ; fusl5o ,
a480rs. o covado;dilo muito fino e de
cores fixas, a 640 rs.
Nos armazens de Francisco Das Fer-
reira o no de Leopoldo Jos da Costa Arau-
jo, ha para vender o mais superior vinho do
Porto que tcm vindo a osle mercado, em
barris de 4, 5o, 7" e 8' : os apreciadores po-
den) sortir-se porque poucas vezes c vem
fazenda igual.
Barricas.
Vendem-se barricas vasias que fram de
farinha em p e bem acondicionadas
na rua do Amorim n. 35 casa de J. J.
Tasso Jnior.
Na rua do Crespo, 11.5.
loja que faz esquina para a rua do Collegio,
vendem-se chitas francezas largas o de pa-
drOcs muito modernos pelo barato pceo
de 280 rs. cadacovado.
Tecdos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-Santos.
Va rua da Cadeia, n. i>'2,
vendem-so por atacado Ires qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
cscravos a 250, 280 e 300 rs. a vara.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Babia
Vende-se em casa de N. O. Bieber & C.
a rua da Cruz, n. 4, aleodilo trancado
tlaquclla fabrica, muito proprio para saceos
do assucar c roupa de escravos.
Charutos de Ha vana
verdadeiros: em casa de Kalkinann Ir-
m3os na rua da Cruz n. 10.
Vende-se cera de carnauba,
de mnilo Loa qualidade, em pe-
f>
Um piano. 0
Vende-se um piano muito bom para 9
O estudo, boniloe de excellcnte autor: 9
O na rua do Collegio, n. 9. ''
0 O
Para calcas e ja que las.
t\a rua do Queimado,
loja n. 8 ,
vende-se brim (militar) trangado branco,
quenas e grandes porcoes e por
preco commodo : na rua da Cruz,
n. 2-.
Castorim francez, a OSO
rs. cada covado.
Na loja quo faz esquina para a rua do Col-
legio n. 5, vendem-se os novos castorins
franceics muito encorpados, padroes no-
vos escurse com listras pela boira, pelo
baralo preco cfc 560 rs. o covade.
riuiuus niiuv priu e azul;
a 5,000 rs. cada covado.
Na loja da rua do Crepo. n. 5, do Cuima-
rSes & llcnriques, vendem-se pannos prc-
to o azul, Finos, pelo baralo preco de 3.C0O
rs. cada covado c alm dcslcs ha um com-
pleto sortimento do todas as cores o pre-
sos commodos.
Madap'ofes finos a
3,600 rs. a peca.
Vendem-se madapolcs linos, com 2i jar-
das com um pequeo loque de mofo po-
lo prego de 3,(I00 rs. a peca : na rua do Cres-
po loja da esquina que volta para a ca-
deia.
~ Na loja do I-Mima .\ liamos, no Aterro-
da-Boa-Vista, vende-se um par de adrago-
nas muito ricas para capit&o ; bem como
um habito esmaltado de Christo.
Antigo deposilo de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17,11a
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Vende-se urna escrava moca, cngoin-
madeira ecostiireira de corlar e fazer ca-
misa ile homcm e vestido de sunhora com
um filho de 3annos ; 2 escravos, sendo um
dcllcs de 20 anuos e que he ptimo para
o servido de campo ; um moleque de lan-
nos bom para pagem bom copeiro e que
lamben! cozinha : na rua do Collegio, n.
SI, primeiro andar, se dir quem vende.
Agoa de niel.
F.slo remedio be para promover belleza
evigor do cabello, removondo a caspa e
conservando aquello macio e lustro da pol-
lo e cabello, quo s podo ser adquerido
tendo-sc a pello fresca e os poros pelas rai-
zes do cabelle sempre abertos, e sua acgSo
salutar, nada contem que possa prejudicar
o cabello : vende-se na rua do Trapiche,
n. 31, segundo andar a 1,000 rs. cada
garrafa cnvolta no seu competente recei-
tuario.
Superior farinha de
mandioea.
Chegou deS -Catharina o briguo S.-Ma-
nuel-Augusto com um carregamento de f,i-
i inha superior acba-so fundeado defronte
do caes do llamos e all te vende qualquer
porcHo a prego commodo : lambem so pode
tratar na praca do Commcrcio, n. C, pri-
meiro endar.
Cal virgen.
Na rua da Cadeia do llecife, n. 50, escri-
torio de Cimba & Amorim, vende-se ca,
virgem de l.isbda de superior qualidrde i
por preco mais baralo do que em oulra
qualquer parle.
N. 9'-.
Vende-sc, no armazom de Vicente F. da
Costa, na rua da Madre-de-Deos, supe-
4'
rior e bem coiihecida grasa 97, em barricas
de 13 duzias.
A l/itfO, 1,440 6 240 rs.
Na rua do Crespo, n. 14,
loja de Jos Francisco
Das,
vendem-se cortes de superior brim escuro
de puro linho, a 1,280 rs., dito cor de gan-
ga de superior qualidade a 1,440 rs. c0r"
te ; luslrim prelo adamascado, muilo linuo
para lulo a 240 rs. o covado; superiores
chitas encarnadas muito finas e decores u-
xas.a 180rs. o covado, e outras multas
fazendas por prego commodo.
> Vendem-se osobjectos seguintosque <
A por no havor mais lempo deseef- Q
a feituar : 1 carro de 4 rodas, com ar- j^
fie reios ; una cadeirinha de arrosr; 1 ^
lidot ; uma mosinha de mogno de
O molas ; um lindo adereco para se-
O nhora ; um relogio de ouro patente vi
Ct inglez com corrente; 2 escravos ; 2 O
> casas terreas na travessa do Peixoto, 0
O ns. 19e36: no pateo do Carino, n. Q
18, segundo andar. O
O O
Fotha de Fland res.
Vendem-se caisas com folha de Flandres:
na rua do Amorim, n. 35, casa|de J. J. Tas-
so Jnuior.
A ellas antes que se acaben).
Vendem-se ricas Invas do pellica para
homem e senhora pelo diminuto preco de
1,000 rs. o par : na rua do Queimado, n. 17.
DHo-seas amostras.
\endepi-se superiores ca-
lleados de lettros : em casa de Geo:
Rcnnworthy &: Companhia, rua
da Cruz, n. a.
Madapoloes muito finos e
largos.
Vcndcm-so peijasde madapolfles com 20
varas, multo largos e linos, proprios para
camisas do homens a senhoras, a 4,000,
4,500, 5,000, 5,200 e 5,500; ditos para for-
ro de vestidos, a 3,000 rs: e a 160 rs. a re-
lalho ; luvas de pellica para mos peque-
as, a 500 rs.; laicos de toquin com fran-
jas para meninas, a 640 rs.; chitas muito
linas, bonitas estampas, a 320 rs. o cova-
do : na rua do Pass*eio, loja n. 17.
Vendem-se, na loja do Du-
arts, na rua do Calinga, n. i C,
boles uemarinha; ditos de Pedro
II linos e ordinarios; ditos de
guarda nacional, cavallaria e vo-
luntarios ; ditos para primeirA li-
nlia, amaicllos c pelos ; ditos pa-
ra casaca, de diversas qualidades ;
ditos de madreperola para pali-
LA Illne J'n^/ ta ilivul'K.IK CIMCS ',
ditos de todas as cores para enfei-,
tes de vestidos de senhorr. j e go-
las de cambraia.
Novo inadapolao patente
com mais de 40 jardas
cada peca
e com largura quasi do uma vara, fazenda
a mais fina que se pode imaginar, por isso
ptima para tudo pelo diminuto prec,o de
9,000 rs. a pega ; bem como todo o sorll-
inento de fazendas finas o grossas : no no-
vo armazem de fazendas de Itaymundo Car-
los l.eile, na rua do Queimado, n. 27.
Vendem-se cortes do caigas de brim
*" trancado de linho de muito bonitos
padroes a 1,500 rs. cada corle : na
rua do Queimado, loja do sobrado
> amarello n. 29.
Na rua do Grbng, loja do
Duarle, n. i C, vendem-se cini-
veles de urna a quatro folbas ; fa-
cas e garfos; tesouras fabricadas
cm Guimares, proprias para bar-
beiros e alfaiates ; ditas para cor-
tar papel; ditas em carteira para
millas, as mclboresquc aqu leem
apparecido ; apparellios de colbe-
resde metal do principe; afiado-
res ; navnlbas/saca-rolbas de pa-
tente : lamparillas inglezas ; cam-
panillas de nova invencao ; e ma-
chinas proprias para alfaiates.
Pos galvnicos para
pratear.
Na rua do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objectos
prateados e que lenbam perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, ou nu-
lilisados, teem uestes pos um excedente
restaurador e conservador dos mesmos
objectos sempre como novos sendo o pro-
ceiso para so usar delles o mais simples ,
nada mais do que esfregar com um panno*
de linho molhado em agoa fra e passado
nos mesmos pos.
Uma caixinha contendo quantidade suf-
licienle para pratear mais de 40 palmos
quadrados cusa a mdica quantia de
mitrs.
* Vendem-se relogios ingle-
zes com corda para oilo das, pro-j
algibeira : na rua da Crui, n. a,
casa de Geo: Kcnnvvortby & Com-
panhia.
No pateo da matriz de S.-Anlonio sobra-
do n. 4, se dir quem vende
8 escravos a saber : um preto muito bom
ofllcil de tonoeiro ; um moleque de 14 an-
annos;,ditosdo18a 20 annos; 2 pretas
coro habilidades, sendo uma dellas da Cos-
ta e de elegante figura : todos estes escra-
vos se vendem por preco commodo.
Ao barateiro.
NoPasseio-Publieo, loja n. 11, vendem-
se ricos cortes de cassa-cbilas, a 2,400 "s.;
panno azul a 3,200 rs. o covado; setim
preto superior, a 4,000 rs. ; cassa-chita
denominada imperatriz, a 320 rs. o cova-
do ; ditas mais ordinarias, a 240 rs.; e ou-
tras muitas fazendas por prego commodo.
-- Vende-se uma mobilia de Jacaranda
em bom estado, e mais objectos proprios
de sala : na prega da Independencia loja
de funileiro n. 27, se dir quem vende ,
das 7 s 9 horas da inanhaa e das 3 da tar-
de em diante.
Vende-se uma armagffo de venda e
mais pertences na rua Direita n. 53 lu-
gar esto muito bom para vender, tanlo pa-
ra trra como para o mallo: a tratar com
Antonio Francisco Martins de Miranda na
rua da Praia-de-S.-Rita n. 1.
Lotera do Rio-de-Ja-
neiro.
Aos 20:000,000 de rds.
lie chegada a lisia da decima primeira
lotera a beneficio das casas de caridade, e
com ella grande sortimento de bilheles,
meios, quarlos, oilavos e vigsimos: a elles
a us que se acahem, pois so muito afor-
tunados : na rua da Cadeia do Recife loja de
ferragens, n. 56.
A 4#000 o corte de novas
alcinas de seda
com lindos psdrOes de listas e quadros, co-
res modernas, clarase escuras al pretas ;
gangas amartillas da India, proprias para
todo o Irage de homem e de meninos ; bem
como um novo sortimento de fazendas fi-
nas e grossas por baratissimo prego: no ar-
mazem de Ha\ mundo Carlos Leite, na rua
do Queimado, n. 27.
Vendem-se os apreciaveis
charutos de I lava na ; ditos regada
de superior qualidade, chegados
recentemente ; assim como pti-
ma manteiga em vidros : tudo por
preco commodo : na rua da Cruz,
armazem de J. O. lster.
n.
5l

loja
9
da
f
j
4
Na rua do Crespo,
esquina que volta para a ||
Cadeia, vendem-se
osacreditados brins brancos de lis-
tras, lisos eamarellos, a 1,500 rs. o
corte ; dilo muilo superior, a 1,600 i
rs. todos de puro linho ; panno fino
preto eazul, a 3,200 rs. o covado;
# dilo muito superior, a 5,500 rs.; fus-
? loes muilo bonitos a 640 ra. o cr-
?> le; ditos de velludo muito ricos a
1B :,auo r. ; pegas de cambraia de qua-
~~ dros de 8-varas o meia, a 2,720 rs. a
pega ; cassas pretas muito bonitas ,
a 1,440 rs. o corte ; madapolo enfes-
lado muilo fino, a 5,400 rs. a pega ;
cortes de caigas de setinela do cor,
a uso rs. ; ditos de castor, a 1,000 9
rs. ; chile azul para cscravos, a 140 (>
rs. o covado ; picote muito cncorpa- . * do, a 180 rs.; platilhas Je linho, a 500 #
9 rs. a vara ; esguiSo de linho muito li- f> no e com 4 palmos e meio de largu- 4
ra. a 1,440 rs. a vara ; cortes de w
,* brim de algodo a 800 rs. ; e ou- 4
4 Iras muilas fazendas por prego com- #
* molo. ^
*** #***( a 4 4
Na loja do Duarle, na rua
do Cabug, n. I C, vendem-se re-
quiffes de cores ; franjas pro-
prias para mantalctes de cores ;
lencos de seda ealgodao para gr-
vala e algibeira ; boleas de mirran-
ga, proprias para maos ; manti-
nbas de seda a 8oo rs. toncas de
laa para senhora e meninas ; e la
para bordar de seda, de todas as
cores.
Vende-se mullo bom doce de guija de
Lisboa ii -'lo rs. a libra ; superior farinha
de ararula muilo nova alva e limpa i
240rs. a libra; feijSo mulatinho novo, a
240 rs. acuia: no pateo do Carino venda
n. 1.
Vendem-se sillines e scl-
lins elsticos inglezes, c cabecadas
com pciloral : etn casa de Geo:
K.ennworthy & Companhia, rua
da Cruz, n. a.
Vendem-se estampas ricas da nao por-
lugueza Yi/ico-da-Gatna, no seu naufragio
no porto do Itio-de-Janeiro, onae enlrou
desarvorada a leboque do vapor Ajfonio ,
pelo commodo prego da>4.500 rs. cada os-
tampa : na rua do Trapicfte, a. 34, segundo
andar.
~ Vendem-se cortes de cassa franceza
padrOes oscuros a 2,000 rs.; ditos de cam
braia com listras do cores e muilo largas,
a 3,500 rs.: na rua do Crespo, loja n. 12.
Vende-se superior fio de
algodUo para torcidas de velas :
cm casa de Geo: Kennworlhy &
Companhia, rua da Cruz, n. a.
Vendem-se meias para meninas, a 120,
IBOeaotrs.. em bom estado : na rua da
Cadeia do Recife, n. 15.
Antes da descoberla dos oculos la-
vam os velhos ealguns mogos que tinham
quandocaminhavam, j ptks asneiras qUl
diziam quando liam ,ete"flf noje tudo isio
desappareceu nflo por elTeilos medicinaes
que nada descobriram a respeito, massim
pelo uso dos oculos apropriados ao grao da
vista do paciente: quem delles precisar
dirija-sea rua larga do Rozario, i0j j
miudezas, n. 35
Gabriel Lambert, por
Alejandre Domas,
1 v. emoitavo broch de 200 paginas, p0r
1,000 rs. Na rua do Collegio, n. 9, ci,,
doreceber-se a traduegao desto romance.
O nome do autor do conde de Montea
Christo he t3o seguro abonador de tudo
quanto sahe da sua penna, que, nnuncian-
do o Gabriel l.ambert, contentamo-nos<|(
pdr smente o titulo da obra o o nome d
Alexandre Humas.
O Alestrede San-Thiago,
1 v. em oitavo grande broch., por 320 n.
Etta obrinha he um romaneo em ver,
feitoem hespanbol por Uermudez de CiSl
tTo, e traducido em portuguez por lvarij.
lo Jos de Aranjo liaste) : O objeclo doli he
anlogo s aventuras do Ultimo ^ben-Ser.
ragem de Chateaubriant. He rico, tantoiy,
pensamento como no dizer, e a traduce
iie de muito valor, Vende-se nalivrariidi
rua do Collegio, n. 9, aondo tambem s
acha O seguOlO I
Mstale romanum, ntidamente impresso
com rica encadernagSo de velludo, brocha!
metlicas douradas, registos de gorguro
adamascado botOes de marroquim.
Breviarium romanum, edico de M47
rica cneadernagfio de marroquim, 4 .',
mettido cada um em sua caixa de papeli
forrada decarneira.
O/fieium in fetto Nalitilalii Domini etc.,
1 v. em 12.
Um Galucho, por Paulo de Kock 4 t.
em 8.
O mytterios da inquiico por Ferd.
enis, Colombia e Guyannas, por C. Fi-
n in, 2 v. em quarto broch., por 2,000 rs. J
Obras elementar do Snr. Salvador lien?
rique de Albuquerque: novas cartas pau
aprender a ler, por 80 rs.; compendio
grammatica portugueza, sextaedigo, por
640 rs.; resumo de arilhmetica, por 610
rs.; breve compendio dedoutrina christaa,
por 800 rs.; resumo da historia do Brasil,
por 4,000 rs., epitome de geometra, por
640 rs.
Ao bom e baralo.
Vende-sc manteiga ingleza e franceza;
bolacliinha ingleza aletria farinha de tri-
go ; assucar ; velas de carnauba de varios
tamanhos: ludo do melhor e mais baralo
do que em outra qualquer parle: ni rut
de Hurlas, venda que volta para o beeco de
S.-Thereza, n. 12.
Mantas de seda.
Na rua do I.vramento, n. 14, acaba del
chegar um sortimento de mantas de sedal
para senhora; corles de casimira preta, tT
8,000 rs. ; cortes de cambraia de ricos pa-1
droes; camisas de meia para meninos dJ
dous annos; meias curtas de linho muilo
finas para homem ; luvas de algodSo pan
meninas, a 800 rs. a duzia e a 100 rs. f
par; eoutras muilas fazendas baratas.
Vendem-se escravos baratos, bem
mo : 2 molecoes de 18 annos ; 1 moleqi
de 12annos; 3 pelos bons para o traba
1 lio Je campo ; una moleca de nag.lo, qu
cose e faz todo o servigo de uma casa ;
pretas do nagao Costa ; e mais alguns es-
cravos : na ruadas Larangeiras, n. 14, s>-|
gundo andar.
Escravos Fgidos
pilos para saldes ou escriplorios,Ia vis, cansada,ou curia sentenciados a ser
c relogios inglezes de patente | J&de^
Fugio, no da 24 do corrale, dosillo
da passagem dos Arrumbados o prelo Jo-
s, de nagSo Mogambique, do 40 annos, al-
to, secco, quebrado do embigo cara tris-
tonhac fingida ; tem cicatrizesno assento,
com duas aigolas de ferro nos ps que 11
caigas encobrem; levou a roupa em um
secco. Este preto perlenceu a Domingos Jo-
s Cordciro e deste paSSOU ao Hr. FranCS-|
co do Borges Buarque, o primeiro mora-
dor cm Una no engenho Arass, o o segun-
do em l'orlo-Calvo. Roga-se as autorida-
des policiaes e capitSes de campo que o ap-
prchendam e levem-no ao dito sitio, ou
nesta praga na esquina do becco do Pai-
xe-Frilo, queserSo recompensados: ben
como se protesta contra quem o liver oc-
culto em sua casa.
Fugiram.ao amarillecer do diall 00,
correle do engenho S.-I'aulo freguezii
de Ipojuca os escravos seguintes : Kranj
cisco e Tiburlino, ten Jo o primeiio 16 a 18
annos, de estatura regular pernos gros-
sas cor ilgunia cousa amarella I o segun-
do do 20 a 25 annos ; he baixo corpo or-
dinario, um pouco fula da cr ; tem unn
ferida na perna esquerda e uus talhus mi
cabega ; abrindo as mfios deixa de abrir uV
dedo por le-lo ouro : levaram roupa de a
godflo da trra um chapeo de palha
Italia j velho ; conduzirsm um caH'|
alazao pequeo de frente aborta os qua-
tro ps calcados, e com manchas; fram
contrados perto desta ridaile, moiiiauM|
no mesmo,cavallo, dizendp um que i n>
ceitar o outro. I'oga-se as autoridades po-
liciaes capitiles decampo, ou outra qu1*
quer pessoa que os apprehendam e levem-
os ao Sr. Jos Th-odoro de Sona, mor-
dor na rua Nova ao p da matriz de S.-A*
tonio ou ao dito engenho, que scr'o gra-
tificados.
Fugio, ha um anno e nove ,116*68, u*1
pardo claro, de nome Florentino; h"D"'
xo .quebrado das verilhas, ps pequeoo
gagueja quando falla, cousa muito pouco,
cabellos crespos ; tem principios de sap-
teiro : de 28 annos pouco mais* ou menos
quem opegarleve-o ao engenho Canna-
vieira na comarca de Nazarelh que se
gratificado. ,
Fugio, no ,dia 8 do orrente o para
Feliciano de 18annos, de estatura regu-
lar, secco do corpo tem o queixo coni^
pridoedesdentado no lado superior; IB".
vou camisa de riscudoazul e outra em'
dapolflo chapeo de palha prelo caigas ii
riacado e outras alues. Roga-se as autori-
dades pBliciaes e capitlea de campo, qu^
apprehendam e levem-no ao engeofefc t'*y
navieiuu comarca de Nazarclb, que sera"
recompensados.
1
Piad. :H4 I. DE M. *. DE F4M
. -IS49
MUTII ADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4VSS9FZG_RFYX1O INGEST_TIME 2013-04-24T20:11:17Z PACKAGE AA00011611_06644
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES