Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06642


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i* V iinoXXV'
PABTIOA OS COHBKO.
, prahlba,icgundas eiextas-feiras.
s?^a5^^''-fc'o,e,o
, ^8Sernhe.n. Ro-Formoio, Porto-Calvo
f;.iranhunse Bonito, aeSW.
Ba-ViueFiorea,al3e28.
\ icioria, i quintas-ferai.
Olina, lodos os dial.
Sexta-feira 21
EPHEMKKIDE8.
riusSD.LD.-Chela 1, s 2h.e58m.da t.
Ming. a 9, as 4 h.e.lb m.da t.
Nova a 16, 1 li.<:42iu. Cresc.a21,s 9 li. e 4in.dain.
railKAH DE HOJE.
Prlmeiraa8 horac 30 minutos da manh.
Segunda a 8 hora c 34 minutos da tarde.

tleStembroc.ol849.
N. 210
PREpOS DA SUBSCaiPCAO.
Por tres mezes (adianfdot) 4/00O
Por seis mezes 8/000
Por iini auno l.'i?niin
DIA9 DA 8EMAMA.
17 Seg. S. Pedro de Arbncs. Aud.doJ. dosorf.e
do in.da 1. v. ,
18 Tere. S. Jos de Copcrlino. Aud. da chae, do
da 1. J. v. do civ. c do dos feitos da fazenda.
19 Quart. S. Januarlo. Aud. do i. da 2. v. do civ.
20 Quint. S. Eustaquio. Aud. do J. dos or. c do ni.
dal.v.
21 sext. S. MaChcus. a
22 Sab. 5. Mauricio. Aud. da Chae c do J. da ..
v. do criiuc.
23 oin. Nossa Scnhora das Dores.
aSMBtoaaMMCOMS
CAMBIOS EM 20 DE
SolirCLondres, 20 d. por 1J000
. Pars, 370.
- Lisboa, 110 por cento.
Oiiro.Oucas hespanhocs........
Mol-das de (WOOvelbas.
. de Cii i"ii novas .
. de 4/000.........
Prata.Patacos basileiros.....
Pesos colu limarlos......
Ditos mexicanos
SETXMBR.O.
rs. a 4>0 dias.
31/000 a
17/100 a
I0|50i> a
U/400 a
1/980 a
1/980 a
l/009a
31/500
17f>m i
I970O
9/Oli
24000
2WO
IAR10
PARTE 0FFIC1AL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DU 18 DE SETEMBRO.
oflicio Ao commandante ta praca,
ommuoicando que S. M. o Imperador, por
pceto de 27 de agosto ultimo, houve por
,em oassar o segundo tcnente do segundo
.Ulliflo de artilharia pe, Francisco R^
hael de Mello llego, para o estado maior
na nrimeira classe; os alteres do terceiro de
Ueiros, Luiz Jos Poreira e Ilenr.que
rederico Beijamim Kthur, para o quinto
a mesma arma j Jos Joaquim Rodrigues
rsesnea do quinto da mesma arma para o
K'eaundo: Bernardo Jos SerrJIo do primeiro
le rocadores para o deposito de recrutas da
.,-irle. e Antonio Eloy da Cuaha e Mello do
caando da mesma denoaffinacao para o
iiuarto. Inteirou-s'e o inspector da paga-
oriamiliUr. .,4. .
Dito. Ao mesmo, scietifirando-o do
que S. M. o Imperador houve por bem con-
ceder passagem para o corpo fixo do (Jeara
ao primeiro cadete segundo argento do se-
gundo batalhao de cacadores, Rufino Vol-
^aire Carapeba.
1 Jlito Ao inspector da thesourana,
transmitlindo copia do aviso de t do cor-
rente e do modelo a que se elle Tefere, altin
de que ministre com as cspeciflcacGes ah
comida as informaces que emoulro avi-
ado 4 de julho ultimo de que tambem re-
melteu cpis, o Esm. Sr. ministro da justi-
c.a exigi acerca do estado do crdito da re-
narticilo a seu cargo. .
Dito. Ao mesmo, para que mande abrir
assentameotode praca ao corneta Jos dos
Ssntose Silva, engajado para o quario ba-
ta Iluto da guarda nacional do municipio do
Itecife, e ouja iiliaco remetle. Neste
sentido oficiou-se ao commandante supe-
rior respectivo.
Dito. Ao mesmo, communicando que
por rortaria de 21 de agosto prximo lindo
fura nomeado Francisco Luil Viriles para o
lugar de continuo servindo de bedel do
curso jurdico de Olinda com o ordenado de
M0,000 rs. ea gratificaclio de 100,000 rs.
annuaes, desde 6 de julbo dcste auno. -
Officiou-se neste sentido ao director d
moncionado curso jurdico.
Dito. Ao juiz municipal do termo do
ro-d'Alho, dizendo que, de documentos
que por intermedio do chefo de polica f-
ram presentes i presidencia, consta" que,
quando poraquelle magistrado foi commu-
nicanda ao delegado do referido termo a or-
dem pela qual a mesma presidencia com-
nieltra a S. me. a forraacSo do processo
relativo ao crime de morte perpetrado na
pessoa de l.ourenQO Correia de Mello, ja o
luvia elle concluido; e ordenando que, na
forma do artigo 50 da loi de 3 de dezembro
de 1841, proceda S. me. s diligencias ah
recommendadas para sustentar ou revogar
a pronuncia do dito delegado, e que se abs-
tenha de organisar novo procosso a respei-
to do mencionado crime, pois que, atiento
ooccorrido.j* nflo pode isso ler lugar.
fliciou-se liesle sentido ao chite de po-
lica.
inte-
quencia de se ter mudado para fra da co-
marca Jos Thcodoro Comes, conforme in-
formou a respectiva cmara em oflicio de 3
db correte, opcesidente da provincia re-
spire nomear para o referido cargo ao ci-
dadOo Manoel Ramos da Silva Moreira.
EXpodiram-senesto sentido as convenientes
participacOes.__________________
Commaiido da pra$a.
Quarltl do commando da pra$a na cidade do
Recife de Pernambuco, 17 de itlembrode
1849.
ORDEM DO DA N. 34.
Fqo publico, para conhecimento da guar-
nido, que o Exm. Sr. presidente da provin-
cia, emotlcio da presento data, acaba de
communicar-me:
M Que o Exm. Sr. presidente das Ala-
gas lbe participara, em oflicio de 14 do
correte, haver o Exm. Sr. marechal do
campo commandante das armas da corte
mandado, emeumprimento ao aviso da rc-
particilo da guerra de 10 de abril do anno
prximo passado, dar .baixa do servico ao
cabo do segundo batalhSo do cacadores,
Martiniano dos Anjos Pereira, por haver
concluido o lempo de servico.
2." Que, por aviso da mesma repartirlo
de 30 do agosto ultimo, Ihe foi communi-
cado que naquella data se expedir ordem
para que se reunisse ao primeiro bitalhilo
de caladores o respectivo soldado Jos Ig-
nacio da Silva, que, tendo desertado, fOra
capturado as Alagas e remcltido para a
corte, aiin de ser processado na forma da
lei. #
3." Quo, por oulro aviso da mesma repar-
ticSo, Ihe foi participado que oSr. capitlo
do Icrceiro batalliHo de artilharia a p. JoSo
Francisco Clete, oblivera pcrmisso para
se demorar na corte mais 15 dias, depois de
linda a licenca que ltimamente Ihe foi
concedida.
Finalmente, que o mesmo Exm. Sr. diri-
gio-me o oflicio. abaixo transcripto, que
publico para provar a illibada conducta do
Sr. capitao da terceira classo JoSo Jos Co-
mes, havida no destacamento do Nazareth,
onde foi injustamente argido.
Oflicio. lllm. Sr. Acciisando rece-
bido o oflicio de hontem, com que V. S. rc-
melteu-ine o resultado do concelhq de in-
vesliga^ilo a que mandei proceder acerca
do capitlo da terceira classo Joo Jos Co-
mes, que commandou o destacamento do
Nazareth ; tenho a significar-lhe que fico
inleirado do haver o mesmo concelho de-
clarado infundada a accusscjlo feita no
mencionado capilo ; e aproveito a occa-
sio para cominunicar-lhe que, em ofDcio
de data poslerior, o juiz municipal daqnel-
Ic termo parlicipou-me que reconhecra o
nenhum fundamento dassuspeitas que lia-
viam recahido sobre o dito oflicial.
Dos guarde a V. S. Palacio do gover-
no de Pernambuco, 17 de setembro de 1819
Honorio llermilo Carneiro Ledo. Sr. co-
ronel commandante da prac.a.
Assignado, Jos Vicente de Amorim Beztr-
rx, coronel graduado e commandante.
Dito. Ao commandante superior
rio da guarda nacional dos municipios de
oiirula e Iguarass, recommendando expe-
ca suas orden para que sejam desligados
do segundo batalhao do seu commando su-
perior interino o lenle Joaquim Coireia
l.ima Wanderley e do de Maranguape o al-
li res Joaquim Jos da Silvena, os quaes es-
lo perlenceudo ao sexto do municipio do
llecifo de9de 30 de junho ultimo. Intci-
roo-se o commandante superior do Recite.
Dito. Ao inspector da pagado;la mili-
lir, transmittindo copia do aviso de 25 do
agosto ultimo, em que o Exm. Sr. ministro
da guerra communica haver S. M. o Impe-
rador mandado abonar a S. me. por urna
s vez o no termos do citado aviso, a giati-
iicacSo do 600,000 rs. ; ao oscnvo da
repajticiioacargo de S. me. de 400,000;
aoofllculde 3f 0,000; e a cada um dos
amanuense a de 150,000.
Hilo. Ao inspector do arsenal de mari-
nos, declarando que, em atlenc.Su ao que
rcprwtntou Julio Francisco do llego Maia,
lia resolvido que Ihe sejam entrcfjues as
madeiras por S. me. aprisionadas a bordo
da barcaca Saitla-llosa que aqu aportara,
viuda de Una, visto ter. ello a presentado li-
cenca que o autorisou a faz-las conduzr
para este porto
Dito. V Manoel Florencio Alves de Mo-
ra*. Desde que Vmc. deixou de ser the-
sourciro dos estabelecimenios de caridade
devra de ter passadu a seu successor a im-
portancia dos 5 por cenlo que.em obso van-
ca do 1. do artigo (.da lei provincial
n. 196, sehsviamdeduzido dos veiicimen-
ic dos empregadas do mesmos eslabele-
cimenlo nflo oUlante a duvida uue Ihe
suscitara o contexto do artigo 36 da le do
orcamonto provincial vigente ; porque, per-
dido aquella carcter, ja nilo poda Vmc. re-
lerenvai dinhriros que em cunsequencia
delle recebra Cumpre, pois, que Vmc en-
tregue quinto antes tal importancia ao seu
i( tendo snecessor, para quo este, ni
EXTERIOR.
ESTADOS PONTIFICIOS.
(Correipomhncias do Time.)
Julho, 2 de 1849.
Agora que as tropas da Franca vilo entrar
na po;se da cidade eterna, julgo que nflo
ser muito de fox om fra indagar quaos os
designios do governo daquelle paiz, e a
mancira peh qual provavelmento tratar ;i
difllcil quesillo da restauracilo do papa.
Tenho-medado a algum trabolho para ob-
ter um conhecimenLo exacto dos factos, o
comquanto possa lalvez ntlo ser correcto
em alguns pontos, todava creio que nflo
estou mui apartado da verdade geral.
Reina presentemente entr os gabinetes
austraco e francez a melbor intolligencia,
e pouco cuidado, porlanto, deve-nos dar
a opposiqBo quo a seus planos possam fazer
em Caeta as potencias calholicas menores.
Os governos austraco e france7 silo concor-
des em queocabega supren.o da igreja ca-
Iholica romana deve ser restaurado ao li-
vreexercioio de seus direitos lemporaes o
espiriluaes, qur com a constiluiio modo-
Teda, islo be, urna cmara consultiva, a
qual elle roesir.o creou, qur com as formas
inteiramente constitucionaes, (reparadas
rielo Mlecido condo Rossi.
Assrguram-mc que o papo nflo quer acei-
tar f stas condicoes, e que esclarecido pela
experiencia, como diz que se acha, est de-
term inado a apilar smenlo com a cnndic.lo
de sor investido com os mesmos irivilegios
que receheu, quando foi elevado ao Himno;
porm suas rcprescnt8c0es silo baldadas, e
posto que possa ser sustentado neste desig-
nio por aples, llespanha e Portugal, as
duas grandes potencias estilo resolvidas a
perseverar na poltica cima exposla. To-
dava, como ellas admiltemque os recetes
do santo padre nilo silo inteiramente infun-
dados, propOem garantir e|B commum com
[ das orden que or loe expoco, a restilua as oullas Dolencias da Europa a integrida-
I *05 dito empregados, visto que se acham je j0s eslaija romanos, ssim dos inimi-
clles camprehendido na generalidade da
segunda das le citadas.
Assini respondo o oflicio que Vmc. me di-
rigi a respcilo, com dala de 10 do corrnn-
le. -Oflieieu-se ueste sentido a adminis-
'tra^ao dos esiabeleoimenlos de caridade.
gos internos, como dos externos, e a man-
ler por frca de armas, so fr necessario,
u ordem de cousas que agora fr definitiva-
mente estabelecida. Ellas proicm niais
que os estados ponlifloios sejm declarados
neutros em todas as suas qucslOes de guer-
o que uira especio de proloclorado
- J ...I..,, .lilil? i\ un
cndalos semelhantes aos quo occorreram
em o anno prximo passado, seno tambem
dessas commoc,0es internas que ultima-
mente agitaram toda a Italia. Se as infor-
maQOes quo tenho sao exactas, o ministro
austraco em Caeta nSo comprehendeu suas
instruccOes dobaixo desto ponto de vista, e
at o presente teni-so ligado mais opinifo
dos potencias menores, as quaes so mais
absolutas ; porm um correio ltimamente
enviado de Paris trouxe inslruccfio de urna
natureza decidida, e o conde Esterhzy ter
que dirigir de conformidade com ellas a
sua conducta.
Me cortamente mui agradavel saber-so
que esta intelligenoia reina entre os ga-
binetes de Paris republicano o de Vienna
actualmente constitucional, e quo emquan-
to um nflo est disposto a abrir urna propa-
ganda emRoma, o oulro no teme ver all
estabellecidA urna representaco hvre e
prudente. ...
A Franca nao tem o menor desojo de bas-
tear a bandeira vermelh sobre o Quirinal ;
e a Austria, estando determinada a outor-
gar urna extenslo rasoavcl de liberdade a
seus estado italianos, quer fazer a primci-
ra experiencia dentro dos muros de Roma.
Se o systema consultivo ter adoptado, so-
mente a reparticSodosnogociosestrangeiros
seroecupada por um ecclesiastico, e a c-
mara lera voto sobre as materias de Imane;
porm, se a constituidlo do conde llossi ter
restabelecida, lio mais quo provavcl que
lodos os ministros serfio seculares, e que
cda missilo cstrangeira lera addido a si
um primeiro secretario ecclesiastico, ao
qual senlo conliados os negocios da igreja.
Sobre tods estas materias nada de certo
se podo presentemente afllrmar ; mas os
pontos principaes estilo j ajustado?, e ellos
dao-nos nflo smente a esperance de ver-
mes Roma governada constilucionalmente,
senDo tambem a de vermos declarada a
neutralidade do dominios pontificios, e
proclamado um protectorado de todas as
potencias europeas, quo rf-s assegure da
hostilidade, qur interna, qur externa.
Eu poderia dizer talvcz com plena exacii-
dilo queoprojectoacima exposto vom di-
rectamente do governo francez, e que posto
se cont com a concurrencia austraca, e
mesmo ella leil j considerada como con-
cedida, todava esta concurrencia nfio foi
aind oflicialmenlo notificada.
f.onfesso que em meus sonhos para a res-
tauracilo do papa, materia que ainda julgo
mui difiicultosa na pessoa de Pi IX, tenho-
me visto embarazado com a difliculdado do
proteger o santo padro do dilemma em quo
o anno passado se collocoo, ou de causar
urna revolucilo nos seus propnofl estados,
resistindo ao grito goral do guerra contra a
Austria, ou de declarar hostilidades contra
estaarlo catholica romana, urna das que
mais firmemente tom adherido santa se.
Depois de muita retlexilo assentei que tilo
grave escndalo no poderia ser evitado pa-
ra o teluro, scnilo declarando-so a neulra-
lidade dos estados pontificios, e sendo riles
collocados dcbaixo do protetorado de lodas
as potencias europeas, inclusivo mesmo a
Grecir, a Russia e a Inglaterra protestante ;
c nilo estou pouco vaidoso boje, ao ver quo
a difliculdado vai ser resolvida da maneira
que conclu. .
O papa reinar, pois, como o deveria ra-
zer o vigario do Christo,em paz e boa har-
mona com lodo o mundo cbristo ; e, com-
quanto o Irovo da guerra possa roncar cm
torno, sua missilo de benevolencia entre os
homens n5o ser perturbada, lia quasi im-
possivel unir o poder temporal e o espiri-
tual as nulos do mesmo individuo sem que
om muitasoccas'Oesas iicccssidades do pri-
meiro desmintam a consciencia do ultimo;
* a igreja dever soffrer, como lem solludo
mullas vezes, pelo connielo entro dous
principios oppostos. Pormremova-se para
semnre a possibilidade do guerra do con-
celho sagrado, reprima-so por meiO.de um
protetorado geral O parlido revolucooano
entre os seus vassallos, e a missilo de paz
estar completa.
Devo confessar que n.lo se sab.; anda se
Pi IX conceder a Franca o a Austria suas
obstinadas opiniOes sobro estes pontos e
se seus escrpulos do consc.onc.a o nflo. h-
rflo surdo o cego rsflo o a convenioncia ,
porm cm tal caso poder-se-h.a recomM -
dar-lhe a residencia por um anno (bu .lou
em algum paiz eslraogoiro ahm do eviUi-
se a duleoldade de urna bdic.COi c os ne-
gocios da igreja podenam ser dirigidos, co-
mo j teem sido mais de urna vez, pr "ni
Vl A residencia absoluta do papa em Roma
nilo he essencial, e os negocios da igreja
pdem ser dirigidos por um roncellio con-
forme os poderes delegados por elle em sua
.usencia. O caso he cheio de dilliculdades,
e deve-se esperar que a Inglaterra, por um
immediato reconhecimenlo da soberana
temporal do papa, ser habilitada para le-
var seus sabios concelhos ao corpo com-
mum das nac,0es europeas. O peso da CiSa-
retanha he grando ; seus estadistas, obran
do sobre principios silos, silo quasi omnipo-
tentes; e, por mais opposto que tenba sido
as estravagancias de lord Palmerston, esti-
mare! muito sustentar aqui urna poltica
sabia e esclarecida."
llevemos considerar a materia como esta,
eexaninarcom grande escrpulo os moti-
vos que induziram a Franca a enviar 32,000
homens aos estados pontificios; devemos
desejar que i Austria, tilo interessada no
norte da llli, cquiesga ao tecto.e que ura
eslabelecimento geral seja arranjado no
oual a*IIterra possa tomar parte, garan-
-------'' dos lachos
igreja cnlholica romana seus attributospro-
prios do soberana pacifica. Marzzini o os
republicanos insislem na separaeflo do po-
der lomroral o espiritual, afim de quo pos-
sam obtor a posse deum ea inspecQflo do
outro. Homens mais honostos quo ellcs
suslentom a mesma doutrlna, posto que ao
mesmo lempo admittam a impropriedade
do fazer do cabeca da igroia o vassallo do
qualquor oslado. Os argumentos de unsli-
cam estinctos pelo plano agora proposto ;
entretanto quo os escrpulos de conscien-
cia dos oulro so resolvidos por u:n estado
do cousas quo eslaboleco tanto o poder tem-
poral como o espiritual dentro de um cir-
culo do neutralidade, e d ao papado a es-
tabilidado quo um protectorado geral per-
miti. .
Na cartas que Ihe escrovi de NtDples a-
cerca da ebegada do papa a Caeta, deploroi
que Pi IX tivesse sido indtizido a abando-
nar seus proprios dominios ; o to los os sof-
frimentos quo depois tem experimentailo,
assim como as difliculdadcs quo agora o cer-
cara, provm (leste passo imprudonto. Es-
peramos que a roligiflo e o senso commum
Ihe inspirarflo agora designios mais escla-
recidos, c quo ello abracara as sabias condi-
C.0s que presentemente lbe silo offerecidas.
Diflleilliino reipublleo' tempore, ......
Tanta anlinl constantla et fortitudinc gcs l'l mnibus admirationein sui injecerit,
Kxneclaliunein viccrit.
S. P. (). H.
Civi ptimo bene de se mrito
Perenne, (rali anluu icsliinonium.
III IliisQninlilis, annopost Romamconrti-
mMMDCII.
{lima )
laui,
PEPiNAMBUC.
t Julho, 15.
lista manba a manleipalidade ne tem
funecionado desde 25 de abril proxi.no passa-
do deu a sua deinlssSo. O general cm diere
accilou-a e publICOU o seguinte decreto :
. O general em ebefe, cm consequcncia da
restgoacno da erial inanlelpalldade, e visto a
necessidade que ha de estabelecer provisoria-
mente urna leprcsentacao municipal, resolve
nomear una commissu municipal provisoria,
composta dos individuos seguinies :
l.oiirenco Alibrandi, I
Autouio Hiancbiii
Belli,
o cavallieiro Pedro Cam-
pana, u marques llartholomeo t:apranca. O
nrol'.ssor Carpi, n marqurz O B. Ouglicni,
Kilippe Massani, Vicente Pericnli, opiofessor
Picri, Fllippc Raili. o marques Sacebel, Octa-
vio Scaramuci, Pedro Pablo Spagna, H. Tava-
ni, o principe Odcscalcbi.
O signoi Sluibinelti presidente da imiuici-
palidade demitlida, na oooaslio de apreseiitar
ao general Oudinot a resignacao da corpora-
cao que presidia, fez a laguintc falla :
u Sr. general.as numerosas e dillerentes
vicissitudes pelas quaes esla capital tem lti-
mamente passado, a municipalidadc de liorna
sempre procurou quanlo Ihe pcrimtliam suas
frcas preservar a ordem c promover o bem
publico.
. Animados ainda dos mesmos scntimentos,
porm scnlindo que nos be impossivcl remediar
os presentes desastres, r iiielliorarum futuro
sombro, cuja directa nao depende de nos,
collocaiuos nas maos da nacao liancea a cau-
sa de Huma c a soi te dos estados romanos.
O governo francez, o qual obra cm nomo
do cabeca da chrlslandade, sempre venerado
pelo povo romano, nao collocara, assim o cs-
peratnot.este povo debalso do jugo do temor e
do despotismo. .... ,
V. Ksc.encarregadodesla missao, li col-
locado na necessidade de sustentar sua proprla
honra, e proteger nossa liberdade. r\os romos
conipcllidos a ceder a circtnnstancns adver-
sas porlU a naca IVenccza be, na obstan-
te isso, obligada por seus eiupeiibos.
o A erisa linanecira, o horror de una reac-
cao, o temor de oulra revolucan, taes sao os
nicles que procuramos evitar, e que eremos
nao devein ser mais agora temidos.
Dcbaixo da inllueucia perniciosa pela qual
o papel-mocda foi introdiuido na circulacao,
necessario se tornou continuar a mesma car-
rcira aliin de evitar males maiores, bem como
a miseria e a indigencia. A circulacao de toda
a semina emitida loi limitada a Hora; ea
deprecinfo ou total extinecao dcst.l divida
nao ter, | orladlo, outro resultado senao arrui-
nar a popuiacao desla cid ule.
i A palxlo de um partido, a espeeulacao, os
iDlercMri peliculares pdem, na nuidanca dos
covernos, conduzr urna reaccio. lia mu-
las rasocs para favorecer una tal circiimstan-
Cla, c V. bxc. conbccc bem sem duvida quan-
tos males ella produ/.iria.
. Dcbaixo de tal Influencia c-em taes c.r-
cumstanclas, o dcsconleiitamenlo c o susto de
nossa popuiacao c de lodosos homens hones-
tos serao mais que evidentes nos podemos
ainda ler una revolucao sanguinosa se as pri-
u.eiras palavras de Pi IX nao Asaren parar a
torrente, c excitareui nos nimos de lodos una
esneranca bem fundada de um luluro Icliz.
Un.alal palav.a ser melbor garanta para o
povo de Hoina do que toda a turca que \
poder julgar prudente por em requlslca
Kslas observacOcs, Sr. general,
Kxc.
nao sao
de pessoas ligadas a um parlido dcscnfieado.
A naco franceza; bem como nos, u0 desoja a
volta'dc graves desordens. Ms, porlanto, sin-
da o repelimos, drixamos a honra da nacao
franceza, leal cooperaco de V. tic, a leli-
cidade e bein-cslar dcsta cidade c dos estados
romano!, confiando que V. Kxc. preparara
para ella c para elies um futuro tranquillo,
nao imposto pela frca, porm .segurado
pela ordem c nsliluices livres.
A reprcicnlacfio municipal,
Sr.,
precnchido por esle acto o seu desuno, tem
honra de collocar agora nas unios de V. Lxc.
leudo
a
a
CA.MABA MUNICIPAL DO RECIFE.
CSSAu IxTBAoaOWAaU KM 3 OF. SKTEVUJIIO
DR 1819.
Preiideneia do Sr. Oliveira.
Presentes os Srs. Carneiro Monteiro,
Franca, Mamede, Oliveira, Dr. Moraes o
Vianna, faltando com causa participada os
Srs. Rogo llarrns e Barata, abrio-se ases-
sao, e foi lila e approvada a acta da ante-
cedente.
O secretario te/, a leitura do seguinte ex-
pediente :
Um ollieio do Kxm. presidente da provincia,
cominunicaudo ler designado a igreja inalri/.
de S -Antonio para a reuniao do collegio elei-
toral desla cidade.Inleirada, e mandou-se ex-
pedir ordem ao procurador para preparar de-
centemente a mesma igreja.
Outro do, mesmo, convidando a cmara a
concorrer o cortejo, e assislir a grande para-
da do Oi.i 7 docorrente, anniversario da inde-
pendencia e do imperio.Inleirada.
Oulro, remetiendo cpia do aviso da secreta-
ria de estado dos negocios do imperio do 1." do
agosto do correntc anno, c reconunendando a
restricta observancia do que nelle se determi-
na acerca dos cstrangeiros que pretenderen!
fazer peranle as cmaras imuiicipaes a decla-
racao exigida pelo $ 3 do arl. I. da lei de 2.1
deoulubrodc 1832, afluida obterem carta de
naluralisarao.Que se accusasie a reerpeao.
Oulro do^iresidcntc do concelho de salubri-
dade, remetiendo o relalorio que dora um dos
membroi adjuuios do meirao conceibo do 111.10
estado ein que se acham as pharmacias do bair-
ro do Reeite, aAm de que de esla cmara as
providencias que o caso exige.--Que serover-
lessc o relalorio, respondendo-sc que a cmara
ia dar as providencias que julga caberein na
espliera de suas allribuicoes, ordenando aos
liscaos a observancia do lit. 2 das posturas
em vlRor; pedindo-se, todava, ao concelho
que faca por si mesmo algumas visitas nas
pharmacias. acompanliado dos respectivos fis -
caes, aimdeslcs poilOrcm multar os infracto-
res, quando se tratar do conhecimento de
substancias que nao pdem ser por ellcs co-
ndecidas.
Outro do administrador das obras publicas,
pedindo permisso para um deseuliista da-
quella repartlcao lirar aqni na casa das ses-
scs capia de algumas plantas.- fjue se res-
pondesse allirinalivamente.
Outro do procurador, participando ter em
seu poder a quantia de 300,000 rs. de dous de-
psitos que recebra, cucaminhados pela sub-
delegada do bairro do Recife, e querer reco-
Ih-los ao cofre.Mandou-sc expedir ordem
aos clavicularlo para fazerom este deposito.
Outro do mesmo, pedindo se lbe mandasso
abonar a quantia de 151,820 rs Importancia
da despean que Asara com o tribunal dos Ju-
rados na ultima sosso extraordinaria do mes
do agosto, constante da tonta que aprescnla-
va, para a qual nao pedir antes autorlsacao
pela celeridade com que fram requisitadus
ccrlos arligos pelo presidente do mcsiiio jury.
Oue se passasse mandado, sendo previamen-
te examinadas as despozas c documentos pela
1 Olll .lu 1 1.
Oulio do mesmo, apresentando o balanco da
reccila e despeza municipal no niez de agosto
ultimo.Inleirada.
Outro do fiscal do Recife, respondendo a rc-
prescutacao fella pelo cordoador sobre a obra
que naquellc bairro pretende faicr Antonio
Podro das Noves.ilesolvcu-se, depois de al-
giinia disoussao, que fossem reincllidos a coin-
missao de edificaco para sobre ellcs dar seu
parecer, o roquciiincnlo di parle, plaa por
elle olleiccida, represeulacao do conleador,
cordeacao dada, e as nformaces do liscal.
Oulro do fiscal de S.-Anlonio, participando
ser a Importancia das multas dadas nos mezes
do abril ao ultimo de agosto desie anno de
595,(100, segundo as olas entregues .i conta-
doria.Inleirada.
Outro do fiscal do Poco, participando ser a
Importancia da multas dadas 110 mes de agos-
to de 122,000 rs.Inleirada.
Oulro das juntas de recurso das freguczias
de S-Antonio e Ila-Visla, rcmellculo os li-
vros das qualificacoet.Que se archivasseiii.
Foi approvado un parecer da commissao de
pellfOei sobre a crcacao do lugar de um solici-
tador das causas da cmara que pede o procu-
Cclcbrou-sc o contrato para impressao das
das e mais irabalbos da cmara com o pro-
prictario do Diario de Pernambuco Manoel ri-
gueiroa de l'arla, e mandou-se participar a
nuil idon.1. .
Koi approvado o parecer da comniissao en-
carregada de lomar contal ao procurador, c
maiulnu se remetter coplas delle ao dito pro-
curador e contador para o observarein na par-
le que Ibes loca. .,..>, fnt
Despacbarain-sc as pcl.cu. d- AatOBMr JOM
Coelho do Rosario, de Candido Jos da tom
ca,
sua resignacao.
Para completar estes documentos historicoi
remcllo-lhe una cpia da inscripfo latina
que a municipalidade pretende lixar em um
painel nas paredes do capitolio em honra uc
seu presidente, osignor Slurbinelti. O painel
foi houlein preporado, e devera ser collocauo
no lugar assignado durante o nolte sem.que
para isso se lenha pedido permisso as MWri
ille> francez.il. esnerando-sc que a no!a tur-
il.ulis francezas, eipcrando-se que
poracao o niio remover :
Francisco Joannis Rapt F. f^Wa".
Quod prlmus omnliiin, coniilns naoms
Tolius populi luffragio, icnator ri 11
rbern in gravi discrimine vers.ntem
Curteac tutclcesun! cre!u"'iil,:,
Prudeati consillo ct assidua vlgilanua
icnator renunciatus,
el iiicoluinem pra'Stitcilt.
Porl.ria. Achando-se vago o cargo de ra ; o que u.ra ^"'Xe eles. que i.ndoHunietos a Italia central do techos TS*mmm^*EgfiE
Miguel Jos de Aluieida Pernambuco, de Ma-
noel Jos do Sacramento, de Jose Joaquim de
McMUlU, de Manoel da Paixao Paes (2), de
Manoel Joaquim da Silva, e levanlou-ie a sei-
0 Eu, Joio Jos Ferreira de Aguutr, secrc-
ri'o, o subicrcvi.tforro, pro-presidente.--
Kianna.tfarfa.--CarBiro Hoi!liro.--Oicira.
IXEig.lO DE DEPLTADOS PROVINCIAES.
Resumo da volacSo de lodos ot collegioi da pro-
vincia, exclusive tmente os da comarca da
Ha-Viita.
OS SRS. VOTOS.
Pedro F. deP. Cavalcnto Albuqucrque 727
Manoel de Souz Teixeira 66'*
phflo do termo do-Limoeiro, om conse-1 para o futuro


sassrsje-^.-a
RarHodoSoassuna
Jos Pedro da Silva
Jos Ignacio Soarea de Maccdo
Joaquim Manoel Vieira do .Mello
Antonio Carneiro Machado Ros
Luiz Paulino Cavaloante Vellei de (i.
Ira- cisco'o o^'o Barros Binlo
.! 9 .Nicolao Rcguoira Costa.
Fflbio Vello/o da Siiveira
Manoel I', do I. Cavaloante de Afbuq.
Francisco Raphael de Mello liego
Joflo de Caldas llibeiro Campos
l'lorianno Corroa de rillu
I.ouren^o Francisco do Almeida C.
Ignacio Joaquim de Souza Lefio
Jos Antonio Lopes
JoiTo do Reao Barros Falcfio
l'edro Gaudiano de Katis e Silva
Joflo Floripes Diasllarreto
Leonardo llexerr.i do Siqueira C.
Jos Quintinn de Castro LeSlo
Antonio Baptists Citirana
Domingos Ualaquia* de A. P. Ferreira
Rodrigo Castor da Albuquerque M.
Jos l'ilippe de Souza Lefio
Antonio Jos de Oliveira
Francisco de Paula Baplisla
Francisco J0.I0 Carneiro da Cunba
Jos Cardozo de Queiroz Fonseca.
Joflo de Souza Iteis
-Manuel Joaquim Carneiro da Cunba
Francisco de Paula Rodrigues de A.
Francisco Rodrigues Selle
Embolino Cuedcs de .Mello
Jos Randeira de Mello
Jos francisco da Costa Comes
Cosme de Si IVieira
Francisco Xavier Paes Barrlo
Miguel Areanjo da Silva Costa
Nemesio de San-JoRo enalbarlo
lio iolpho Joflo Barata de Alineida
Joaquim de Iquino Fonseca
Antonio Menozea de Vasconcellos de D. 280
Jo. 10 Jos Perreira do Aguiar --ti
Amaro Carneiro Bezerra Cavalcanto 271
nr. Alcxan tro Bcrnardino dos Iteis e S. 271
Silvestre Amonio de livoira e Mello 271
Manoel Goelho Cintra
Bento Jos Fernandas Barros
Antonio deSa C.ivalcanto Lius
Joaquim Pinto de Campos
Antonio Jos de Souza Comea
llerculano Concalvos da lloclla
rirminu Pereira Monteiro
Antonio Francisco Connives (;.
Pereira de Carvalho
im- lieio Antonio Mavigni"--
1130
585
515
507
502
501
tu-
tu:!
479
478
458
446
4;t8
430
44
419
412
411
40.1
397
3!) I
389
377
364
363
3G2
358
353
344
3it
340
337
329
313
Coinmendador Joaquim Mariano Franco
deSa.
t),-. Jos Thomaz do Almeida.
C>egorio Tavares Osoriollaciel da Costa.
O resultado da eleicfio para membrosda
asscnibli legislativa provincial maranhen-
se, de quo se tinha nolicia ato a sabida do
vapor, lanibein era favoravel aos conslitu-

desdo j que ter a provincia urna reprc-
s.-ntacSo digna delta.
nResultado da eltic">o geral nos collegios da ci-
ilmlr, Mamangwipe, Miar, Campia-Gran-
de, Gvarubira, Bunanciras c cidade d'A-
reia.
08 SBS. VOTOS.
Francisco de Assis Pereira Bocha Jnior 263
Un para notar que, ao passo que as urnas Fredcrico de Almeida eAlbuqucrque
COMMEt.CIO.
312
311
309
305
303
896
295
288
2(S
367
202
260
234
2i9
248
216
2t6
246
Francisco de Alhuquerquo MaranhfioC. il
Joo Antonio Cavacant de A.
Alfonso Peres do Albuquerque M.
Domingos de Souza Leo
Victoriano do Si Albuquerque
Miguel Filippe do Souza Leo
Florencio Jos Carneiro Monteiro
I raneisco Jacinlho Pereira
Irederieo Augusto de Oliveira
Jo-e redro Velloso da Siiveira
Francisco do llego eAlbuqucrque
MinoH (.iuiiu.|(0 Carneiro da Cunba
Jos francisco do Paira.
Manoel Carneiro Lins de Albuquerquo
Alvaro BarbalhoUchaCavalciiite
Joaqun Villola de Castro Tavares
/. lelmoda Cunba llislos
Joo Francisco Civalcante de A.
Antonio Coelho de Si Alhuquerquo
Jos Antonio Pessoa do Mello
Wmioel Porfirio de Castro Araujo
"'bormiiio C. Marques Bacafuo
LouroncoAvelino do AlbuquerqueM.
Antonio Pedro de Figueiredo
liento Jos de Souza
Joaquim de Souza iteis
Manoel Jos 2t0
238
238
238
aso
233
233
233
228
223
222
222
220
218
213
212
212
211
211
209
yi.9
208
206
205
201
204
02
90
90
186
185
188
175
168
166
165
185
1(i2
ALFANDECA.
Rendlmenlo do da 20 15:508,737
CONSULADO CERAL.
Bendimento do da 20....... 321,397
provincias........ 6,907
328,304
Diversas
vovimento do Porto.
. propn
collegio da capital: entretanto as gazetas Limlolfo Jos Concia das Neves
ministerialistss sustentan? quetaes exces-l Flix Antonio Ferroira de Albuquerquo
sos so nfio teem dado, o o presidente do Jos Paulino do Figueiicdo
mencionado collegio assevera ao da pro- Antonio Mamicl de Aragfio o Mello
vincil em ofliciodeO do correle quo os Victorino do llego 'Ioso 110
respectivos trabaliios correram regular-
mente na casada cmara municipal, som
que co nparecesso oeste edificio um s
ndividuo armado da mais pequea bengala,
e milito menos de ccele, como falsamente
allegara em edilal publicado nesse lia o
juiz de paz do primeiro districto da cidade
da Victoria, Joaquim Marcolino de Lentos,
Anda domiuava em Maraiihfio a crimi-
nosa mania de recorrer ao braco do as-
SSSSlno para tomar vingani^a do inimigo,
qur pessoal, qur poltico ; sendo que era
em Chapada e Tutoya que os homicidios se
reproduziain em maior escala.
Na primeira dessss paragnns, Jos Alvos
Cavalcanti Jnior lora assassinado, no sen
sitio Santa-Auna quo Oca a 14 legoas da
villa, quan lo, tranquillo, so achava ontre-
guo ao somno ; e Francisco Lopes de Car-
valhorecebera tflo profunda punhalada de
um indio da tribu GaviSo, a quem como
domestico conservava em sua companhia,
quo expirara nimedialaueiHo.
O indio quo desl'nrle pagara a Lopes de
Carvalho os cuidados que he paracrer Ihe
houvosse elle lilwalisado, nao contoiile
com seinelhante aciodamals negra ingra-
tidfio, tanibom ferio a um lillio da infeliz
victima ; mas constava quo a polica oap-
prehondra, o ia processa-lo.
K 11 Totoya, soriain duas horas da tarde
de 20 de juulio pioximn passado, dous mas-
carados, um aimaJo de ccete e outro de
baca marte, assaltframacasa de liaymumlo'j
Frelerco Cuimaros Castanhedes,' na fa-
zanda S.-liento que apenas dista 5 legoas
da sile do municipio ; o, depois de hsvo-
rem rcduzidn inaccflo o velho Manoel
Portugal de AlmeiJa, sogro do iiicsmo Ca.s-
taubciles, aeoiiiinetlerain a este com ta-
ma 11 lia ferocidado, quosodeixarain, quao-
252
252
245
198
87
59
33
29
Ap-dlinariu Florentino de Albuquerque flO
1 neiseo Assis do Oliveira Maciel m
1 "iin-nro Bezcrra Carneiro da Cunba m
Joo Ulei.lini Villela
[rancisco Joaqun, de Barros Corre
.len,c"< Jos Velloso da Siiveira
elis Ibeoioino da Silva Cusmilo
Caelano Esteliita Cavaloante Pessoa
Joaquim JosdaCosti
l-iao ile Ipojuca
Venancio llenriqucs de Reson le M.
noel I loma/. Ilo.lrues Campello
ai toiiio Joaquim de Figueiredo Seabra 159
AiiloiiioJpaqomde Mello i-,s
Manoel de Souza Carcia \Z
Lu! deCarvalho Paesde Andrade 153
Manoel Joaqun, do llego e Albuquerque 147
Joao erancisco Duaile Jnior
Joaqun, Pues Machado Portella
Jt'SjS Ma.inlio Pereira dos Sanies
Antonio Teixeira deMacedo
f*uno Aiquo do A. Aunes Brito Inglez
Francisco Alves da Silva
Joaquim Jos da Fonseca
Barflo da Boa-Vista
Josi- Joaquim do llego Barros
lommgos Alfonso Nery Fcrrcira
1 neiseo Carneiro Machado Bos
Amonio Lpaminondas de Mello
^'"aiiciolleniiquesdeltcsende
Antonio Borgoa Leal
Jolo Mauricio da Bocha C. \V
Ji.se Caetano de Mu.ieiros
"u^'"V NhI,,:cu d0 *1!iai 'olor
Ignacio de Barras llarreto
Jonoauerinoltodrlgues da Silva
143
139
134
134
133
132
131
1*9
129
126
126
125
118
III
111
IOS
104
le.;
101
E R R A T A .
No Diarlo n. 208 de l9docor,enle nael
1 *.% columna t.; li.,h. u ,; Pg"
de Firniioo Pereira Monteiro leTa-w
Anlonio Peregrino Maciel Monteiro. 7
ailliinrTrTm------r.-.M1|rn |
BECirB, 20 DE SETBMBBO DE 1849
Pelo
Vl8p.r Pernamljucan<', ch.egado boje
iaes do
Ccar al
ios roilos do norte, recebemos jorna
l'ara ate 2, do Marannilo al7, do Cca
13 e ita Panihiha al 18 do correte.
Fssas provincias nada solTriamquanlo j
tianquillidade publica, que em lodascon-
linuava inallcravel.
Em Para aaeleic,es progrediam regular-
mente, e de mancira a prometieren! assii;
ualudo triumphoos governistas.
O mcsino acoulecia cm MaranhSo, oode
iam sendo mais votados para deputados a
ussomlilca geral legislativa os Srs :
llerculano FewiraPenna.
Di. Candido Mondes de Almeida
Jos Jansen do Pa(o.
dooviram morto, com acbela feita em
muitos pedamos.
Consummado o delicio, os assassinos lo-
grara ni evadir-se ; e, atea ultima data, cor-
ra que a BUlOridadO publica n."io podra
captura-Ios.
Do 16 a 31 de agosto ultimo, o Ihesonro
publico provincial niaraiihcnsu arrecadara
4.766,056 ris.
Em todo o mi'/ citado, a alfandega e o
con miado do MaranhKo renderam 75:123,482
ris.
A 3 do corrento, o cambio flucluava, na
praQa do San-Luiz, entre 25 e 25 1[2 d. por
1,000 rs.
Km Cear nada de extraordinario occor-
rra.
SegunJO urna nota com que nos ohse-
quiaram, nis o resulta io da eleico para de-
putados geraes nos collogios da capital,
Gascavelf Balurit, Imperatriz e Sobral .-
OS SBS. VOIOS.
Antonio Jos Machado 200
Miguel Fernandes Vieira i2
Pedro Pereira da Silva Cuimnrfles 16S
Francisco Oominguesda Silva 107
Jaguaribn 141
Amonio Xavier de Castro e Silva 140
Andr Bastos de Oliveira 137
Igoacio Joaquim Barboza Flho 13c
Antonio Piulo do Mondonga 103
Jos Pereira da Greca 95
Itaymundo Ferreiru de Araujo Lima 93
Joo Capislrano Bandeira de Mello 92
Manoel Jos de Albuquerquo g|
Thoophilo i
Liberato de Castio Carreira 79
Em P.iraliiha, parece que os rdanles es-
ta va tn disposlos a dcseiiibaragar-so dos ad-
versarios polticos por m io do assassinato.
A 5, segundo ja noticiamos aos le lores, o
infeliz Trujano suecumhio a dous liros c
puntilladas : das depois, Ismael da Cruz
Gouveia, por lor voliadodc Pedrai-de-Fogo
para seo engenho um poUCO mais larde do
que costumava, leve a felicidade de escapar
a urna emboscada que Ihe tinham prepara-
do junio porteira do mesmo ongcnhn, e
que lora presentida |orceiti> escravo sou.
Uuanto s eleicoes dessa provincia, limi-
tanio-uos a tivnserever o que diz a respoto
O Cunti Officiat l'uiahibaiio 110 seguinle ar-
tigo :
Segundo as iiformacOes at aqui rece-
hidaa he o resultado da eleigo geral em dlf-
ferentes collegios o que abalxo menciona
mos. Km lodos ellos a eleigao geral se pro.
ce.leu com a precisa calma c sorenidade,
spozar das aiueacas o alicantinas dos dea-
ordriros, que, confiados som duvidano/J-
bautismo da,........... nao pouparam dili-
gencias eesforcoa para baruinar, porm em
vilo, um negocio to sorio o importante.
Km Campina-Craiido os les eleilores alli
Horneados clandestinamente se reuniram
u.esnio na matiiz, o ahi lizeram urna elc.;o
tumultuaria e illegal,apezar de screm aban-
donados pelos das freguezias do ln :,\ e Ala-
ga-Nova, que, Ingitisiuseooio'sSo, loma-
ram a acertada Deliberacllo do so reunir
e faxereorpo com os eleilores lgaos da
quella villa, cabera do collegio. No Pilar,
einhreiiharam-su os liomous lias mallas
do Salgado cahi reunidos lizeram urna elei-
CflO| nas felizmenlo os eleilores legtimos
doTaipU se incorporaran! nos legtimos do
Pilar, calieca daquello collegio. -So no da
cidade do Ara depois de feita a eleigo li-
vemos do lamentar a perda de nosso sem-
Narios entrados no dia 20.
'ara e mais portos 17 dias e 8 horas c da
Parahiba 14 horas, vapor brasileiro Per-
nambucuna, do 240 toneladas, cominan-
daute o primeiro lenle Joo Mili tito
llonrique, equipagem 29. PassagfroS :
para esla provincia. Antonio do Oliveira
Borges, Itaymundo Antonio do.Oliveira,
Manoel Pereira Pacheco, Frederico Jos
Pereira, Francisco Jos Pacheco, Isidoro
Blbelro Campos, Joo Alvcs Feneira, Jo-
s Goncalves Vlente, Antonio Marques da
Silva, Antonio Alves do Souza CarvalllO
rom 1 escravo, Francisco Alves do Souza
Carvalho com 1 escravo, Joo da Cruz
Cordelro, 1 desertor e 7 escravos a en-
tregar, Brasileiros, llenrique de Oliveira
Abreu.Porluguezi para o sul, Antonio An-
drs de Carppe, 6 reculas o l escravo a
entregar.
Baha 7 dias, iaropeira brasileira N.S.-
da-l'cnna, de 26 toneladas, capilio Podro
Francisco da Costa, equipagoin 6, carga
familia ; ao cafilu.
Navio saliido no mesmo dia.
Costa-d'Africa Uarca franceza Tourville,
capilSo Fauhert, carga ago'ardenle. Pas-
sigeiros, DaAiel Ozorio do Souza, Portu-
guoz ; Jos do Araujo Alves da Fonseca,
Brasileiro,
Bimnittai^D-B
passageirosc escravos a frete, tra-
la-se com o capito, IVarciso Jos
di' Sant'.\ 1111,1, na praca do Com-
mercio, 011 na rna da Madre-de-
Deos, n. 3, lerceiro andar.
Para oltio-de-Janeiro sahe
em prucos dias o patacho 5n-
Jos-Americano : para carga, pas-
sageiros c escravo a frete, trata-
se com 0 capilo no caes da Alf.ui-
dega, 011 na na da Vladre-de-
Deos, n. 3, lerceiro andar.
O lirigue-escuna nacional
Olinda segu em poucos dias para
0 Cear com a carga que obtiver :
para esta ou passageiros, trata-se
com o capilo, iUanoel Marciano
Ferreira, ou com Machado & P-
nheirp, na ruado Vigario, n. i9,
segundo andar.
-- Para o Aracaty sahe. at o llm do cor-
rente mez, a sumaca Carlota, por se adiar
com a maior paito da carga a bordo : para o
1 oslante trata-se com l.uiz Jos do S Arau-
jo, na ra da Cruz, n. 33.
1
100 ^'000 rs.
A vinva Carioca d cen mil
JLelocs.
Deca raides.
-- A cmara municipal desta ciiladecon-
tinut na scssio ordinaria do trimestre cor-
renta do dia 23 do presento mez, e nesse dia
o no seguinte estarfio em praca os tullios
dos acouguos pblicos, casa da Soledade e
da ra Imperial.
Pela segunda seccHo do consulado
provincial scienlilica-se aos donos dos es-
tatielecimeulos comprehendidos no lilulo
2"14da loi do orcameulo provincial do
auno corrento queso princ'pia do lo de
ouluhro vindouro em dianto a cobrar-se o
imposto do 12,800 rs.. croado pela referida
loi.
-- A administraeo geral das obras publi-
cas, por autorisa^flo do Kxm. Sr. presiden-
le da provincia, contrata a vonda do Ierro
da grade velba da ponte da Ba-Vista, sen-
do a despeza do peso e ai ruinucao por cori-
ta do compiador. Quem o quizer comprar,
dirija-se mesilla reparlico qualqucr
llora do expcJieule.
.... As malas que tcem de ser
/V ''\ co,duzu,as Pelo vapor Per-
^lp' nambucana com destino aos
"ZSS'uS poilos do sul principiam-se a
fuehar amaulia ( 22 Jas 11 horas da inu-
nha : rocebem-sa correspondencias com o
porto duplo al o meio-dia.
F. Saunders, lendo-se retirado para
Inglaterra ordenou prcviamenle ao corre-
tur Oliveira, o Icilflo de toda a mohilia o
adornos da sua casa, consistindo cm o mais
lindo e excellente piano existente nesta
cidade, dous grandes e ricos espedios com
Iremos para sala, sofas, mesa redonda,
ditas de jogo, cadeiras modernas tanto
u.siiaes iMiiio de hnl.im.11 O do hraeos, lustre
de bronze, lampeo, s, secretarias, estantes
liara msica, a mais perfcila collecc3o de
pavuras em quadros, guarda-vesridos, os-
crivaninhas, marquezas, toucadores, mesa
de jauta r, cadoir-is para diversas salas, apa-
rador, loui;a de mesa e sobremesa, appare-
llio.s para cha o cafo, vasos de porcellaoa,
ir.esinhas diversas, leilos de ferro, ditos de
madeira com scus pertcnecs, vasos de jar-
d 1 mi culheres, garfos e faccas, muitos crys-
lacs para mesa.e outros para enfeile; e alm
do ti em de cozinha, e numerosos outros
arligos ulois e necessarios, um ptima car-
ro do qualro rodas com arreios para ca-
vallos, & &: ter, pois, lugar dito Icililo,
sexla-feira, 21 do correte, s 10 horas da
manbfla em ponto, na casa outr'ora da re-
sidencia do Exm. Sr. barlo da Ua-Yisla,
PaSsagasn-da-Magdalena.
--Jones Patn & C. farilo leililo, por in-
terveneflo do corretor Oliveira, do um com-
pleto sorlimcnto de fazendas inglezas as
mais proprias do mercado: segunda-foi-
ra 24 do corrente s 10 horas da manha
imprctcrivelmente, no seu aruiazcm da ra
do Tiapiclie-Novo.
rs. a quem
Ihe trouxero seu escravo Miguel, que ou
tr'orafoi do Porto-Calvo, do engenho Sam-
ba ellic consta andar por la mesmo; fu]
glo em dezembro do 1844; lio crio'ulo
haixo, milito prosso, peinas arqueadas d
SOannos, e gosta muilo de palucjs
Os cem mil rs. serilo dados immediatamen
le no Aterro-da-Boa-Visla, n. 10.
Thealro Apollo.
Q secretario da companhia de sccods.
las do thealro da Apollo faz. scianto ao,
meamos que no domingo, 23 do correnic
pelas 10 horas da manbfla, no saino do mes-'
mo thealro ter lugar a reuniHo da asseni-
bla geral para se proceder a" eleicSo
commissoadminislraliva.
Aluga-se o ai mazom 11. 4 da Iravessi
da Madre de-Deos: a tratar no mosmo |u.
gar armazem n. 6.
Jorge Clark, Inglez, retira-so para In-
glaterra.
Diogo Bodrigues embarca para o rtio-
de-Janeiro o seu escravo J0Q0, do gento
do Angola.
No dia sabbado, 22 do crranle, se hi
de arrematara botica de J060 Pereira di
Siiveira por ser a ultima praca.
Aluga-se o primeiro ou segundo an-
dar da casa da esquina do becco da Doia,
ao p da prensa no finida ra da Mudre-
de-Deos, a cscolher a volitado dos preien.
denles ,ou mesmo ambos os andares como
melhorconvier os quaes estilo pintados de
novo : a tratar na mesma casa. *
Joo Leonherret l.ewerer, eidado sdo>
so, retira-se para o Havre a tratar de sen
negocios.
Em 9 de deterhbro do corrente auna
finda o arrendamento feilo com os San.
Johnston Pater A C. do bem condecido si-
lio do Arraial, do finado JoSo Carlos Perei-
ra de Burgos : quem, porlanto, o pretender
por um novo arrendamento do tres annot,
dirija-se ao pateo do Carino, n. 18, a enteo-
der-se com o Burgos.
Aluga-se, pelo tompo da fesla, um
Brande sitio na estrada do Monteiro,. com
boa casa de vivenda cozinha fra, eSlriba-
ria, cocheira muitos arvorodos de (recto /
o muilo perto do banho: a tratar na ruar 1'
Nova n. 63, primeiro andar.
- Alugaoi-se tres moradas de casas na
sitio do Cajueiro parase passar a fesla,
ou por anuo ra tratar no mesmo sitio.
Roga-se ao Sr. J. C. S. o favor de man-
dar pagara quantia de 47,916 rs. ,eoSr.
P. N. C. a quantia do 15,000 rs na ra di
loria u. 76 ; do contrario terSo o ;de-
gosto le ver os sous nomes por extenso
nesta folha.
Avisos diversos.
a
pre lembrudo correligionario e amigo, o Sr.
l)r. Tiajauo Alypio do HolUnda Chacn, que
acalmo victima do bacamarte desses ho-
meus que com a liberdade na bocea e o
punhal as inilos vilo assassiuando os nos-
sos mais dislinclos e prestantes enneida-
dts. Conliando na Providencia Divina c
dedicacilo do governo, temos as mais segu-
ras esperanzas deque scrao descobertose
expiarosous crimts os aulores de tilo br-
baro atlentado.
Dosoutros collegios mais distantes nen-
hiiiua noticia recebOmos aiuda; mas, como
na eluic.no piimaria triuiupiou a causa da
mouarchia e da ordem, podemos assegurar
Thealro de S.-Francisco.
SABBADO, 22 DE OBTEMBRO DE 1849,
a benericio da Sra. D. Antonia Ferreira de
Santa-llosa, tora lugarOSOgUnle espect-
culo :
Depois de executada por grando orclies-
tra i ptima symphouia
ZANETTA,
represinlar-se-ba o rico e apparatoso dra-
ma em 3 actos, que lem por titulo
A RETIRADA DE SANTARBM,
no qual o Sr. Santa Rosa muilo se inleressa
para bem desempenhar a graciosa parle de
frei JoSo, que.Iem de pregar a favor do seu
roi.
Os inlervallos serilo precnrliidos com bel-
lissimas symphonias denominadas a Flha
do reimeiilo,l.uciecia Borgia.l.ostocq, e os
Capleles.
No lim do drama a joven I'elismina execu-
laia a linda danca intitulada
O JALEO
ou
A Cachutha hespanltola.
Terminar o espectculo com a gracios-
sima farfa do compoaicll o aceflo nacional
viuda do iiio-de-Jmioiro, denominada
01 MIMAOS DAS AI.MA5.
Orcslo dos bilhetes, tanto do camarote,
como de platea, acham-se venda na casa
annexa ao mesoio thealro.
A beneficiada nHo vai mesma convidar
as familias, mi virlude de seu oslado do
molestia.
Principiaii s horas do coslume.
A mesa regedora da irmandade de S.-
Benedicto, eructa no convento de San-Fran-
cisco, convida a todos os minos coenpa-
recoreni, domingo 23 do crrente, pelas ol-
io horas da manlia, 110 capitulo da usna
irmandade ; e pede-se aos irmSos que ha-
jam de nflo faltarcm.
Estcvao de Gasse.
Oencarrcgado da venda do rar prinre-
za da fabrica de Casse do Bio-de-Janeiro
declara a lodos os freguezes que o deposi-
to se acha completan culo prvido de
mcias libras das 3 qualidades, fino, gros-
soe meio-grosso deque leve por alguns
dias falta : seu preco continua a sera 1,280
rs. de 5 libras para cima.
~ Na ra do Queimado, n. 14, segundo
andar, se dir quem d dinheiro a picmio.
Na mesma casa conipra-seouro e prata no
estado em que estiver.
- O beneficiado do dia 23 de setembro de
1849 avisa ao respeilavel publico desla ci-
dade que transferid o seu espectculo pa-
ra quinta feira 27 do dito oiez de selcm-
bro, em virlude de ler o Snr. director do
thealro de S.-Francisco transferido para o
dia 22 do corrente o seu espectculo an-
nuuciado para o dia 15 do mesmo.
--Manuel de Almeida Lopes que costu-
ma comprare vendar escravos mudou sua
residencia da ra d\) Vigario, n. 24, para a
,rua da Cadeia do Recife, n. 40.
l)escja-so fallar a negocio de bastante
intoresse, na rus da Cadeia do Becife, n.
24, luja do cambio, com os Srs. Joo Bap-
liat* de Sousa, Manoel Estoves de Abreu,
Joo Aflbiiso, Antonio Jos de Alcntara,
Manoel de Oliveira Paz, Jote Antonio Coe-
lho de Meirellcs, Vicente Ferreira Fontes,
Vicente Joo de Dos, Jos Policarpo de
Ficitss, Julio Amaucio de Souza Ribeiro,
Jo.lo Jos BoJrigucs de Almeida e Albu-
querque, Francisco Ignacio opes ecom o
Bvm.Fr> Lourencoda Concoicao c Silva.
Aluga-seacasa desohiadoom S.-Ama-
rinho que he dos herdeiros do (nado Ma-
nuel l.uiz da Veiga com commodos para
urna grande familia terreno contiguo ao
mesmo sobrado e parto do um viveiro de
peixe : a tratar com Manoel Luiz da Veiga,
na ra da Madre-de-Dcos, n. 36, primeiro
indar,
Em principio do mez de dezembro de
anno prximo passado, no becco do Noro-
nli.i embarcou-se 11'una baresca para
Goianna um cario, ( caixa do papelSo)
urna casaca prta e nova um collete, ludo
vindode casa do alfa ale; e como atoo
presento nao tenham sido ditos objeclosen-
tregues pelo presente se solicita da pessoa
que os recebeu ou anda os tentia em seu
poder, os quoira entregar em Goianna, ao
Sr. Miguel Frere do Carino ou nesta pra-
co, no F01 te-do-Maltos, armazem do Sor.
Vianna, que ser recompensado, se quizer.
O Snr. Joo Pereira de Carvalho lera
urna carta, vinda da Babia, na ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, primeiro andar.
OSr. Jos CeralJo Lima queira fazer
o favor de ebegar ao Forto-do-Maltos, becco
das Boias, n. 4, armazem de couros, que se
Ihe deseja fallar.
Aiuga-se um sitio no lugar dos Afola-
dos, na la do S.-Mittuel : a tratar na ra
da Conceic3o da Boa-Vista n. 58.
Prerisa-se de urna ama para urna casa
de pouca familia : na ra Imperial, n. S.
Quem precisar de um moco brasileiro,
natural da provincia do Bio-Gi ande-do-Nor-
te, de 18 a 20 anuos, para qualquer esta-
belecimenlo, o qual sabe ler, escrever e
contar dirija-so a ra das Cinco-Pontss,
venda n. 71, quo se dir quem lie, ou an-
nuicic.
0 BEIJA-FLOR N. 8
est a venda nos lugares do coslume.
Manoel Antonio da Silva Molla, tenJo
annunciado querer recolher gneros 110
sou.uruiazcm da ra de Apollo, n. 39, decla-
ra agora que lica sem effeito o dito tnnun-
cio por ja ter alugadoo mesmo armazem.
-- Aloga-se um sobrado na iua da l'wao,
com boa vista para a barra, excedentes
salas, alcovas o qoartos, grando quintal
mura lo cacimba e cozinha fra: a tratar
com Manoel Alves Cuerra.
Aviaos martimos.
A barca franceza Jeune-Nelly, capito
Tombarel sahe impreterivelmento para o
Havre, no dia 30 do correulo : quem qui-
zer ir de passagem para o que lem excel
lent-s commodos, dirija-se a casa doscou-
signatarios Didicr Colombioz & C.
Para0 Kio-de-Janeiro sahe,
110 dia 23 do corrente, a bem co-
tilleada e veleira barca nacional
Do otes artificiaes.
J. A. S. Jane, dentista, participa ao res-
peilavel publico que contina a exercer a
soa proBsso na ra estreitaUo Rozario ,
n. 16, primeiro andar.
-- Vicente Ferreira da Cosa aluga o pri-
meiro andar da casa da ra da Mcdre-dc-
Dcos, n. 3,onde liveram tsciiptorio os Sis.
Johnston Palor & C.
Toma-se a Icmbrar ao Sr. C. A. do C
Couto o favor de diiigir-se onde no ignol
ra, a fin de pagar os 18,000 rs. que podio
emprestados por oilo dias, islo desdo 1836
corto de que, nitp pagando, ter de vero*
seu nomo 1 or extenso neslo iurio.
O Sr. Ricardo de Azevedo "Silva lem
urna carta na ra da Cruz no Recife, ar-
mazem n. 62.
-- Manoel Custodio Peixolo Soares em-
barca o seu escravo Agostiobopaia o Rio-
de-Janoiro. -
-- Claudiiio do llego Lima mudou a sua
residencia da ra 00 Padre-Florianno para
Firmeza: para o resto da carga,|mru0a57.,Ul'8el^obr,dodcuu,nJ"r' nu-
MUTILADO
5g Cliapos de sol
Ra do Passeio, n. 5
O dono deste es la belecimenlo avisa ao
respeilavel publico que elle recebeu pre-
sentemente urna qualidade de chapos de
sol com aruiscio de ac sortidos em co-
res e de varios tamaitos, qualidade esta
nunca aqui apparecida : bem como cha-
peos de sol com annacHo de balcia, sorti-
dos em cores fixas ; ditos para Senhora, da
seda muito encorpada com ricas franjas de
reto/ e chegados ltimamente de Pars:
tu inliem SO veiiilem chapeos de Sol, de pail-
ninho em porenoea retalho; ditos rara
feitor do engenho, muilo grandes. Os fre-
guezes achar.lo um completo sortimenloile
sedas e panniuho imitando seda para co-
brir qualquer armadlo do chapeo do sol, o
que se faz, e tamoem se concerta com tuda
a brevidade,
Aluga-se um grande armazem com ser-
venta para a mar pequea, e porto de
embarque e desembarque : na ra da Sen-
zalla, n. 42,a Iratarcum S. J. Johnston &
Companhia.
-Desapparccfu hontem urna mulalinha
cor de canella, baixa, gorda, olhos abuga-
1 li .los; lev-no panno da Costa j vellm e
vestido de chila lambetn velho: desconfia-
se que esleja occulla ou lenha sido seduci-
da, por ella ler dito em casa de urna nui-
Iher, onde linha conllecimeuto, que tinha
urna pessoa que a eslava seduzindo: por
isso pede-se a pessoa, em poder de quam
estiver, quoqueira manda-la entregar, do ^
contrario protosla-se proceder, pois que el-
la disse quem era a pessoa e a ruar onde
morava.
Kazem-se chapos de seda e de palha ,
loucase uuinlaletes pelos inelhores mje-
los ; limpam-se chapos do Chile e os de
palha para senhora; bem como pesco- J
cinhoso camisas de rend, pondo-se ou""'
tra ve/ como novas ; na Soledade, aW-uHi-
macasa nova do Sr. Herculauo, defronteda
padaria, a fallar com M. Feotn.


-
_-Aluca-se urna escmvn pura o sorvic"
de urna casa o lamben para comprar: na
a .1. Flores, sobrado da esquina, segun-
do andar, defronto do porto das canoas.
.. Dflo-so 500,000 r.s. a premio de dous por
rnto sobre penliores do uro ou prata,
lPsmo em pequeas quanlias : na Cam-
W.a-do-Carmo, n. 20.
- precisa-se alugar urna casa torrea cora
quintal c cacimba na fregoMia do Santo-
Antonio, para residencia do futuro arrema-
1 umte desie municipio : paga-se bem : quem
liver. dirija-so a pra?a da Independencia,
"S'--Ouombrccisardeumaama para todo
o servico de urna casa excepto engommado,
dirija-searua Augusta, n. 34.
Lotera do Guadalupe
j.-siii designado o dia 5 de outubro proxi-
mofuluro para o andamento das rodas
desta lotera. He de presumir que nflo Sf ja
inicuamente espassado ainda esse acto,
como tem sido at agora, pela falta de con-
currencia dos compradores da bilhetes, da
dual tem dependido e continaa depender,
ou a prompla exlraccflo das loterias ou a sua
morosidade.
_ precisa-se de urna ama de leite forra
ou captiva : na ruado Alecrim n. 6.
Terca-feira 25 do crrente (Inda a
audiencia do Sr.juiz da primeira vara, se
hilo do anematsr, por sor a ultima prQa ,
alguns esorvos, sendo om moleqe offlcial
de marceneiro um preto canoeiro, um di-
to capinheiro e outros: os pretendentes
dirijim-sc asa la dis audiencias no dia mar-
cado ao meio-dia.
Na ra da Concordia officina do mar-
ceneiro de Jolo Fredcrico Scbereder, pre-
cisarse dofliciaes do oicsmo officio.
Manoel Francisco llotelho de Araujo
dcixou do ser caixeiro do 8r. I>. P. de Men-
O abaixo assiguado precisa alugar um
carro com bois, para botar da ponte de
Motocolomb as pontezinhas do Checheo
ePo-Secco 31 {estivas j lavradas : quem
quizer alugar, dirija-se ra nireila, ven
da u. 23. ioio Ht/politode lUeiru Lima.
Precisa-sede urna urna para casado
I-.... familia : na ra do Qucimado, n. 22.
ll^ria Antoiuetto Aglae Tresse faz
sriente ao publico que o Sr. Frederico Cha-
ves deixou, desde o ultimo do mea de feve-
reiro, deserseu procurador.
Quem annunciou querer hypolhecar
um sobrado de dous andares em boa ra,
dirija-se ra eatreilado Rozarlo, n. 43,
spgundo andar, que se dir quem faz este
negocio.
-I.cmbram-se'aosque se deixam esquecer
para que venham ou mandem pagar a quem
derem, bem como os Srs. A. de A. M., I. F.
M. de A., M. A de F., I., de O. C. de A.,
urna lellra vencida a 13 do Janeiro de 1819 ,
quo ainda resta pagar F. U. de A. J J.
dos S., dirijam-se ra da Cadeia de S.-
Autonio, n. 13.
-- Troca-se urna morada de casa nesta
piuca por um sitio pequeo, que nilo ex-
ceda de nii'ia legoa de distancia apezar da
casa ser velha ou pequea ou por um ter-
reno que lenha fde trente pelo menos 100
palmse 309 de fundo : a tratar no Aterro-
da-lloa.-Visla loja de quatro portas, n. 60.
Aluga-c uina casa no sitio do Cordei-
ro, a margem do rio Ca|>iharibe com com-
modos para grande familia coziuha lora,
estribara cocheia quarto para criado,
etc.; nutra dita niais pequea, tambem
com bous commodos pata familia estriba-
rla, ect.: a tratar no paleo do Carmo, n.
17, com Gabriel Antonio.

BOWMAN & MC. CALI.UM engenhei
ros machinistas e fundidores de ferro, mui
respetosamente annunciam aos Senhores
proprielarios deengenhos, fazendeiros, m-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peilavel publico, que o seu estabelecimento
de ferro movido por machina do vapor con-
tinuTi em efTeclivo nxercicio, e se aclia com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualidade para a perfeita confoceflo
das maiores pecas do machlnismo.
Habilitados para emprehonder quaesquer
obras da aua arte, llowman & Me. Callum
desejim mais particularmento chamar a
attencOo publica para a sseguintes, por
torem dolas grande sortimonto ja prompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdom
competir com as fabricadas em paiz es-
Irangeiro, tanto em prego como em qua-
lidade das materias primas o mito d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhorconstruccilo.
Moendas de canna para engenhos de lo-
dos os umaiihos, movidas a vapor por agoa
OU aniiniics.
Ilodas d'agoa, moinhos de vento e serra
rins.
Manejos imlependcnlcs para cavallos.
Itodag dentadas.
AgqilhOes, bronzes o chumacoiras.
CavilhOes e parafusoa de lodos os tama-
nlios.
Taixas, pares, crivdf e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por minus, c prensas para a dita.
Chapas de fou.To e Ionios de familia
Canos de ferro, lorneiras de ferro e de
brouze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mflo, por animacs ou vento.
(Guindastes, guinchos o macacos.
Prensas hydraulicas o do parafuso.
Ferragens para uavios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e porlOes.
Prensas de copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de inflo e arados do ferros,
&c, &c.
Alm da superioriade das suas obras, ja
oralmente reconhecida, llowman & Me.
Ca/ium garantcm a mais exacta conformi-
dade com os moldes e deaenhos remedidos
pelos Senhoros que se dignarem de fazer-
Vs eiicommeuilas, aproveilando a occasiflo
. ara agradeccrem aos seus numerosos mi-
eos e freguozes a preferencia com que teem
'-ilo por tiles honrados, o asscgoram-lhes
*ao nao pouparilo csorcos e diligencias
para continuaren! a merecer a sua confi-
anca.
Aviso.
Quem pretender engenhos para om 2 ho-
ras socar urna caixa, ou 6 barricas de as-
sucar, oceupando urna s pessoa e um ca-
vado, carros para condcelo de formas
com assucar, tambem por' urna sua pessoa,
nilo querendo ser engaado, dirija-se ra
do sol, n 13. Adverte-ae que nloso carros
doforquilha... por baixo do fundo das for-
mas : deslesos acharSo na fabrica dos Srs.
Starr & Companhia.
Para as pessoas que ten-
eiouam seguir viagem.
NopaleodeS.-Pedro casa terrea n. 8,
liram-SD passaportes para dentro c fra do
imperio, correm-sefolhase despacham-sc
escravos e para estefim laiMbem p le-se
procurar na praca da Independencia livra-
rians. 6 e 8.
o o
O Bixas. o
Na praca da Jndpen-
'-5
dencia, n. JO,
n ao voltar para a ra das Cruzes, alu- a
f\ gam-se o vendem-se bixas de IIum- .
5? burgo : lambem vSo-se applicar pa- T
** ra commodidade dos freguezes ; ti- S,
* ram-so denles, sangra-se e appli- jj
O cam-sc ventosas: ludo por prego
& commodo. O
O C
oooooooooo oooooooo
Precisa-se alugar urna escrava que sei-
ba cozinhar e ongommar, para una casa
estrangeira de pouca familia: se servir a
contento paga-se bem : na venda do Sr. Fon-
(e, ra da Cadeia, se indicar a casa.
O abaixo assignado, indo no dia 16 do
crrente ver urna sua escrava que se est
tratando fra da praca o vendo na mes-
ma casa um preto deseonhecido pergun-
tou que preto eia aquelle dissoram-lhe
que naquella manlia appareceu aquelle
preto pedindo de comer perguulou-se-lhe
quem era seu senhor e onde niorava disse
que seu senhor chamava-se Jos e nilo sa-
bia onde inurav.i : o preto est Instante
doentc de friuldade e parece eslar fgido
ha muito lempo a pessoa que socrorreu o
dito preto, no se responsabilisa por qual-
quer oousa que possa acontecer ao inesmo
preto, nem inesmo o abaixo assignado:
quom fr seu senhor dirija-se ra do
Queiinado, n. 28, segundo andar, que, dan-
do os signacs, se Ihe dir aonde est.
IJirculano oi de Freias.
| Deposito de rap.
Domingos AlvesMalheus, agente da i
fabrica de rap superior arcia prota >
0 e meio grosso da Baha, tem aberto o 4
sou deposito na ra Cruz, no Recite j
5' n. 38, primeiro andar, onde se achara 4
0 sempre deste excelleutee mais acre- -
(I ditado rap que at o presente se tem #
% fabricado no Brasil: vonde-se em bo- 4
>,i les de urna e mea libra por preco ?
(. mais commodo do que emutraqual-^
quer parle. #
^
Quem annunciou querer hypolhecar
um sobrado de dous andares em boa ra ,
dirija-se ra estreita do Rozario, n. 4.
Quem precisar de um moco portugnez,
chegado ha 3 das do Bio-Grande-do-Sul,
para qualquer arrumaco dirija-se ra
da Cacimba, n. 2.
Compras.
Comprm-se ourelos do panno lino : na
praca da Independencia, n. 19.
Compra-se una escrava para fra da
provincia de 20 a 25 annos, que saiba cor-
lar o faxes urna camisa do hoinem e en-
gommar bem, ludo isto com pcrfeico:
nilo so ollia a preco : um mulatinho do 16 a
18 annos do bonita figura c quo tenha
boa conducta : paga-se bem : ni ra das
Larangeiras, n. 14, segundo andar.
Compra-se urna escrava com algumas
habilidades, e quo lenha pratca de ven-
der fazendas na ra do Crespo, n. 11.
-- Compra-se urna balanga grande com
os seus competentes pesos : na travessa do
Rozario, n. 2.
Compram-so quatro cscravas prenda-
das, com habilidades e de bonitas liguras,
para urna encommenda : na ra do l'asseio,
loja n. 17.
Compra-se um escravo de nacfio, mo-
co de boa ligura pe'IV i lo cozinheiro e
que se garaula sua conducta : na ra da
Senzalla-Nova, n. 40, segundo andar.
Compram-se rara urna encommenda
escravos de ambos os sexos, de 10 a 40 an-
nos : na ra do Bangel, sobrado do um an-
dar, n. 57.
Compram-sc meis garrafas vasias,
que lenhain sido de servejs e limpas, a 70
rs. cada urna : na venda da ra da Cadeia do
Itecife. n. 25, defronle do Boceo-Largo.
Burra de ferro.
Compra-se urna caixa, ou burra de ferro
que eslejaem bom estado : quem liver an-
nuncie.
Vendas.
lotera do Rio-dc-Ja-
neiro
Ao 20:000,000 de ri%.
Na traca da Independencia, n. 4, vendem-
se meios bilhetes, quartos, oitavos o vige-
-:mos da II.* lotera a beneficio da santa ca-
-J da Misericordia do Itio-de-Janeiro. Na
mesilla loja inostram-se as listas da can-
dado.
Vcntfc-se superior esper-
maceie do coroposi^ilo americana chega-
lu ltimamente na escuna klmira; bom
como charutos producto de sement de la-
vana ornis superior que tem viudo a este
mercado : no largo do Corpo-Santo, arma-
iem n. 66 de Jos Mana Palmeira.
Vendein-se, por preco commodo, ca-
leiros do Jacaranda e de oleo chegmlas no
ultimo navio vindo do Porto : defronte da
igreja do Corpo-Sanlo, n 15
Vende-se urna crinla boa cozinheira,
docoira, costureira, e tambem ongomina :
na ra do Collegio, u. C.
Vendcm-se, naUjado Dn-
arte, na ra do Catag, n i (',
pe fumarias Unas e sapatos de co-
ro de lustro a 2,2/110 rs.
-- Na ra das Cruzes, 22, segundo an-
dar, vendcm-se 10 escravos, sendo : 2 pre-
tas mogas com boas habilidades; urna ne-
grinba recolhida de 14 annos, e com prin-
cipios de habilidades : urna preta da Costa ,
de elegante figura e quo he ptima qui-
tandeira ; urna dita do Angola que cozi-
nha, lava desabito o vende na ra; un
molecoto cozinheiro ; 3 ditos para lodo o
servico de camro.
Vende-so um armario.'uma marqueza,
urna porcflo de saceos vasios, proprios pa-
ra farinha : na ra da l.ingola, n. 12.
Vendem-se cobertores de algodilo ame-
ricano a 560 is.; algodflo trancado azul de
Chadrez a 160 rs. o covado ; pecas de zuar-
teda India, com 4 palmos da largura, de
24 covados, a 4,500 rs. : na ra do Crespo,
loja n. 10.
Vendem-se corles do cassa pintada de
cores fixas a 2,000 rs. ; cambraia pinta-
da franceza a 240 rs. o covado : na ra do
Crespo, loja n. 10.
-- Vcndem-so duas rotulas, urna para ja-
nella, o ontra para porta, duas podras mu-
latiuhas para calcada ou cocheira, um cai-
xilho de janella, ludo por preco commodo :
no pateo da llibeira, casa n. 15.
9 9
V.'ii'dc-se', por menos da melado de )
& seu valor um carro de 4 todas para t%
dous cavallos, com dous assentos
^'. dentro, e com seus competentes ni- 4 reos : tambom d-se a prazn com (
fy firmas a contento : no pateo do Car-
2 mo, n. 18. t?
m *
t* 'S# m
Vendem-se burras de ferro do varios
tamaitos : na ra da Cruz, n. 10, casa de
Kalkamann Irmiios.
Vende-se milho muilo bom e novo ,
clieg ido prximamente da ilha de Fernan-
do pelo barato pre<;o de oito patacas o al-
queir: as Cineo'Pontas, confronte a for-
taleza n. 134.
Vende-so urna negrinha de 16 annos,
de muilo bonita ligura sem vicios nem
achaques a (pial chegou ha poucos das
do serillo: na esquina da ra das Cruzes
quevolta para S.-Francisco.
Vendem-se -'i COVadOS de esta mol] ha ,
fazenda para terceiro franciscano, a 1,400
rs. o covado; 2 venezianas para portas de
varandas ; urna cadeirinha de reboco : no
paleo do Carino, esquina da ra de Uortas,
n. 2.
No deposito de charulos da LingoiHa ,
n. 14, lia um sortiinentode charutos, como
sejam : regala regalos do llavana depu-
tados, melindres o outras muitas qualida-
des.
Lotera do Uio de-
Janeiro.
Aos <0;UOp,000 de ris.
yendem-se. bilhetes, meios, quartos, ol-
laVos e vigsimos da 5.' lotera do thesou-
ro publico : na rara d.i Independencia
loja de fazenda n. 1, pintada do amarellu.
Yeude-se
cobre para torro de
navios:
noannazem de J. V. da Silva Barroca na
ra da Madro-de-Deos, n. 24.
Vendem -so cortes de fustes de co-
res. a400e640rs. ; corles de brim tran-
cado branen de puro lnho, a 1,600 rs. ;
merino verdo escuro com loque de mofo e
com 6 palmos de largura a 500 rs. o cova-
do ; brim pardo de linho a 160 rs. o cova-
do : na ra do Crespo, loja n. 10.
Vende-so azeito do carrapalo a 2,000
rs. a caada o a 280 rs. a garrafa : no pateo
do Carmo, venda nova n. 2.
Vendem-se Uilihal das Alagas mui-
lo frescaes : no caes da AlfanJega, arma
zem n. 5, de Antonio Annes.
Vende-se um lioi de carro muito man-
so o filho do pasto o qnal o nico deleito
que tem he nao estar muilo gordo o por
sso se vende mais em conla : na Soledad.',
no sobrado dentro do sitio do Sr. Ilercu-
lano. No mesmo sobrado se compra um ou
dous q uailaos capazos do fazerem urna via-
gem de 12 das preferindo-se capados.
Vendcm-se chitas lnissio-as. do coros
fizas, padrocs escuros as ques j se ven-
dern! por urna pataca e agora para aca-
bar-se trocam-so por 200 rs. o covado, a d-
nheroa vala: na ra do Crespo, n. 12.
Vende-so urna preta do naco Costa ,
com urna crianga : na ra da Seiualla-Ve-
Iha, n. 54.
Vende-so um cabriolet nglez muito
forte em ptimo estado e pintado do novo:
na cocheira do Sr. Mounicr, no Aterro-da-
Boa-Vists.
Rap Joo Paulo Cor-
deiro,
vende-se na ra da Cadeia do Itecife, n. 53.
Vendem-se 3 portas grandes com seus
fortaes o vergas para interior de casas;
bem como 16 caixilhos com vidros, por pre-
qo commodo : na ra Nova, n. 63.
-- Ven de-so um apparelho completo para
ollicial subalterno da guarda nacional no-
vo e bom, por commodo pre^o : na ru
Nova, n. 53.
Vende-se, na ra de S.-Francisco, ca-
sa apalacada, um alambique pequeo ; urna
canoa que carrega 7,000 rs. d'agoa; 12 sa-
cadas de pedra do flio-Formoso ; um ber-
codeangico, muito bonito; um paiol de
amaiello quo leva cem alqueires de fari-
nha : tudo por proco commodo.
-- Vcndem-se 12 escravos, sendo: um
lindo mulatinho do 16 annos; 1 dito pur-
gador de assucar; um dito de bonita (gu-
ra ; i. na linda pardinha de 22 anuos que
coso e ongomma bem ; urna dita de todo o
servico ; 2 escravas de 15 a 23 anuos ; 4 di-
tas de todo o servico ; um bonito escravo
de nacao, de boa conducta : na ra Direita,
n. 3.
Vende-se urna carteira de urna s fa-
ce, feita no Porto, e que he muito segura i
na ra do Encantamento, u. 4, loja.
Na ra da Guia, n. 36, primeiro andar,
vendom-so, em grossi oua rebino, luvns
de pellica branca pira honicn o senhora ,
de muito boa qualidade e muito bem co-
sidas; bem como sapatos do couro do lus-
tro e duraqun para senhora de superior
qualidade : pJom-sc ver atis 8 horas da
uiaulifla e das 3 da tardo em dianto.
Al tsicas novas.
No deposito nico nesta cidade do mu-
sica da imprensa de Filippone d0 Rio-do-
Janeiro na ra Nova, n. 11, loja do Jos
Pinto da I'onsecn e Silva sufessor de Guer-
ra Silva & Companhia, acaba dc cliegar a
este deposito o Brasil Musical, peridico
dedicado a 8. M. a Imperalriz, o oulras
muitas msicas novas para canto com
acompanhamento de piano para piano s ,
o para nauta contando arias, cavatinas,
duetos bracarolis ,ctc. em italiano, ex-
trahidos dos molhures c mais modernos
autores; modinhas em portuguez, qua-
drilhas, valsas, variacOes, e melodas, cujo
catalogo est a vista na mesma loja e ah
se vendem por preqo commodo : bemeomo
recebem-se encominendas de quolqucr mu-
sica que se deseje, e se manda vir imme-
diataniente. Na mesma loja se contina a
vender mothodose outras muita> msicas
para todos os instrumentos.
N. B Knlre as modinhas portuguesas vem
o beijo, ou eancljo a saloia.
Vende-so um moleque do 15 annos:
no|Aterro-da-.lloa-Vista venda n. 44.
Vende-se superior lio do algodilo in-
gle/, para pavios de velas dc cera do carnau-
ba por preco commodo: na ra da Ca-
deia do Itecife, loja de ferragens, n. 44.
Lotera do llio-de-
J a neiro.
Aos JO:O0O,OOO dc ris.
Na ra do Quoimaio, loja do miudozas ,
n. 25, vendem-se billieles, meios quarlos,
nitavos e vigsimos da quinta, loteria do
lliesouro publico. Na mesma loja so niostra
a lista da lotera da caridade.
Venilem-se sillioes e scl-
lilis clsticos inglczes, c cabecadas
com pcitoral : em casa de (leo:
Keoiiworiy & Companhia ra
da Cruz, D. a.
-- Venduni-se 12 lindos moloques do na
cilo e crioulos, de 14 a 20 anuos ; 10 prctos
do 20 a 30 anuos, sendo dous urna bonita
parelha para cadeirinha, e bons gauhadores
dc ra, sem vicios ; dous nuiliiliuhos do 14
a 20 annos; um ditodc 22 anuos, dc bonita
ligura, da boa conducta o bom para criado
por ter alguin principio do bolieiro; tres
pretas com habilidades, sendo urna perfei-
ta cozinheira; tros ditas para todo o servico;
duas negrinhas de 10 a 13 anuos com prin-
cipio de costura ; urna pela de mcia idade
por proco commodo; duas niulatiuhas do
t6 a 20 anuos, que cozem e engommam, as-
sim como outros inuilos escravos : na ra
da Cadeia do Itecife, ti. 40.
Vcncle-se no armazem do
liaratciroSilva Lopes, na portada
Alfandega. sevada, vinbo do Por-
to e dito de Dordeaux, o mais su-
perior que vem a este mercado,
em pipas, mcias-pipas e baris a
vonladc dos compradores.
Vende-se um terreno na F.strada-Nova
que alravessa da Soledadc para o MaiiRiii-
nho, rom 50 palmos de lenle 6 350 de fun-
do, com boa cacimba et'llieiro. Tambem
so vende urna carroca com um boi, Na ra
do Pires, loja, n. 70.
Vende-se urna taberna na ra do Ara-
gilo, na Boa-Vista, n. 14, com bstanlo'
commodos para familia, bom quintal que!
d bastante verdura aiinualnientc, com
cacimba u portOo para o boceo : tambem
vende-se una carroca para um boi, em
muito bom estado': a tratar na mesma ta-
berna.
Vendem-se estampas ricas da nao por-
lugueza Vauo-da-Ganio, no seu naufragio)
no porto do Itio-de-Janeiro, ondO cntiou
dcsarvorada a ichoquo do va| or Affunso ,
pelo commodo proco de 9,500 rs. cada es-
tampa : na ra do Trapiche, n. 31, segundo
andar.
Ltivas pretas ;i I#000 o par.
Vendem-se luvas pretas do pellica para
senhora de muito boa qualidado : na ra do
QueimaJo, n. 16, loja de Jos Das Simes
& Companhia.
NOVO METHODOPRTICO E TIIEOftlCODA
LINCOA FRANCEZA,
por l.uiz Antonio Burgain 2 v. por6i rs.
Acaba do appareccr no l'.io-de-Janeiro
esta interossante granimalica pela qual
om muito pouco tempo e sem a fastidiosa
taref: de isludar de cor verbos c significa-
dos so aprende a fallar, tradu/ir e cscre-
ver com perfoi?o a lingoa franceza : von-
dc-se na praca do Commercio, n. 2, pri-
meiro andar.
Ycndc-se panno dcalgodao
da Ierra dc superior qualidade c
bem largo a aao rs. a vara : nos
quatro cantos da ra do Queima-
do, n. 20.
-- Vondom-se cortes de cassa franceza ,
padres escuros a 2,000 rs. ; ditos do cam
braia com listras dc cies e muilo laigas,
a 3,500 rs. : na ra do Crespo, loja n 12.
Vendem-se 17 travs do boa qualidade :
na praca do Commercio, n. 2, primeiro an-
dar.
Vende-so muilo bom doce de ginja de
Lisboa a 210 rs. a libra ; superior farinha
de araruta muito nova.alva c limpa a
240 rs. a libra; feij.lo mulatinho novo a
.....__________________________________
Vcndem-semeia:; para meninas,a \?f
160 e 20ti rs., em bom eslado : na ra da
Cadeia do Itecife, n. 15.
Antes da descoberta dos oculos esta-
vam os velhos e alguns mogos que tinham
a vista cansada, ou curta sentenciados a ser
objecto Je riso na gociadade j pelas con-
tinuadas canclladas ou'quedas qua davam
quando caniinhavam, j pelas asneiras quo
diziam quando liam etc. ; boje indo lato
desappareceu nilo por effeitos niedicinaes
que nada descobriram a respeilo, mas sin
pelo uso dos oculos apropriados ao grao da
vista do paciente : quem delles precisar ,
dirija sea ra larga do llozano, loja da
nuudezas, n. 35
Una pecliiuclia.
Faz-so todo o negocio at por motade, ou
menos, com diversas dividas algumas com
letlras o corren lo juros tanto da praca
como do mallo : no Alcrro-da-Boa-Visla ,
n. 10, primeiro andar.
Vende-se sement de coentro a 400
rs. a garrafa : defr oite da matriz da Boa-
Visla venda n. 8S.
1:
Loteras do Rio-de-
Janeiro.
| Aos JO:0O0#OOO rs. 1
lili* aftivorda Misericoadia*
e
Meios bilbetes,
Quarlos .
Oitavos .
Vi^c irnos.
do thesouro.
ii,5op
5,:>oo
2,800
l,3oo
M.i ruado Collegio, n. 9. ^
f?emente de coentro.
Vendem-sesemenles de coentro, muito
novas, por prego commodo : na ra Direita,
venda n. 76.
!Na loja do Duarle, na na
do Cabiig, n. i C, vendem-se
oleados para mesa de ricas pitu-
ras, pannos de la de 4^00 a
5,ooo r.s. galoes cutre-fino-, es-
piguilbas, volantes c trinas.
Na*raeslreit*do lloiario.n. 43, se-
gundo andar vende-se um escravo perito
ollicial desapateiro ,e que he bom moco :
o motivo por que so vende se dir ao com-
prador.
Vende-se superior farinha I:
de mandioca, muito nova, jj
+0rs. a lilira ; reijao iiiuiauniiu uu,
240 rs. acuia: no paleo do Carmo, venda
" r r 1
-Verde-sc superior lio de
algodao para torcidas de velas :
em casa de Geo; Kennwortliy &
Companhia, rua da Cruz, n, 2.
Vendem-so couros de cabra e penuas
de orna : na rua Nova, n. 20.
i1 sem cheiro alguin c por pre-
| co mais tommo io do quo cm .^:
:-, outra qualqtier parle : a bor- S
y do do patacho nacional Li- '
I?, rwrt, fondeado defronte do ;
lp caes do Collegio, ou em ca-
3 Sa de Machado &c l'inheiro,
P na rua do Yigario, n. kj, j
h segundo andar. .1.
w#s --,:.:mmm m mm^M ~ -: *
Lotci-ia neiro.
Na loja de chapeos, n. 2, junto ao arco do
Santo-Antonio, vendem-se moios bilhetes,
quarlos, oitavos e vigsimos da loteria a
beneficio da Sanla-Casa-da-Misericordia.
Pharmacia franceza.
X.afope pcitoral adormte de gom-
ma de nngico preparada por Luiz
Bollen tu tt & (', boticario chi-
mico da escola especial de Pars.
A gomma de angico lio conhecida o em-
pregada ha muito tempo pelos habitantes
do interior do Biasil como um ezccllento
remedio para as molestias do peito ; mas
cm um estado tal do impureza conendo
corpos ostranhos,qoo muitas vozes impodin-
do seus effeitos 1 lornavam suspeitas suas
prop edades, e ohrigavam o doento a lo-
mar urna porcflo de malcras cstranhas,
nilo ..listante que inertos, mas quo no en-
tanlo ilillicultavam 0 seu uso.
Iloje cmfim esta gomma he por nos leva-
da ao mais alio grao do pureza e assim
com ella preparamos o nosso xarope tilo
sRradavcl e fcil do lomar eomo prompto e
ellicaz nos seus resultados. Os mdicos des-
ta cidade e outros muitos quo teem obser-
vado seus eiTeitos provam sua superiorida-
de absoluta para a cura das imflammaces
do peito tosse, di Ilusos, catarros, escar-
ns de satiguo ele., e applicam aos seus
doentes como o melbor especifico at hoje
conhecido.
Fabrica de chocolate de
Sallde e medicamentoso.
De todas as substancias alimentares que,
sendo em seu principio consideradas como
cousas dc luxo, tornaram-se pelo lempo
adianledeum usogeral o chocolate po-
de, som contradiccilo, oceupar o primeiro
iuMar.
EITerlivamenle, quantas pessoas nilo ve-
mos nos preferir hoje ao uso do quenle ca-
f o uso do chocolate, o nisto seguir a opi-
niflo dos mdicos mais clebres que do
commum acardo sobre suas prociosas qua-
lidades o mdicHiii como um dos nossos
mclhores estomticos aquellas pessoas cu-
ja sauda bo dbil e delicada Prescre-
vem-no aos seus doentes, aconselham-no
aos velhos e o recommendam as milis do
familia par* seus fllhos; om urna palavra ,
o consumo verdadeiramen'e extraordina-
rio que tolas as chsses da sociedade fa-
zem dosto alimento, he o mais bello elogio
quo nos Ihe podemos fazer.
Estes dous objectos, j bem conhecidos
pela sua superioridade, constantemente se
vendem na rua da Cadeia do Recife, venda
n. 25, defronle do Becco-Largo sendo o
preco lixo 1,000 rs. cada garrafa de xarope
acompanluindo um receituario de seu au-
tor e o chocolate a 640 rs. a libra, de n.
3 meio fino, e a 600 rs. o de n. 4 fino.


Vendcm>se riscados escoopzes com
vara do largura, a 290 's. o covado ; cassas
pinlailrg do crtrcs fixas, a 240 re. o covado;
ye M> do pauninio do vara de largura, con
12 urdas, a 2,000 rs. : na ru do Crespo,
luja n. 10.
Para escravos.
ViMidom-so cobertores de algodo amen-
rano a 5G0 rs. cada um; /uarte de chadrez,
alliOrs. o covado; dito trancado, a 200
r<. o COVado ; pocas de Ranga azul da India,
eom 4 palmos de largura e 12 envados a
2,100 r.s.: na ra do Crespo, toja n. 10.
Cortes de brim de puro
linho, a 1,280.
-- Vendem-se corles do lirim truncado
pardo ite puro linho, pelo diminuto prego
do qiialrn patacas: na ra do Crespo, loja
da esquino que volta para a cadeia.
-- Vendem-se relogios de ouro e prala,
patentes inglezes: na ruada Senzalla-No-
VO, n. 42.
Vende-sn cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
ehegodt ueste mes pelo brigue Maria-Joi:
a tratar na ra do Itrum armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vigorio. n. 19.
Cht brasileiro.
Vendc-se cha brasileiro no armazem de
mollindos, atrs do Corpo-Sento, n. 66, o
mais excedente cha produzido em S.-Pau-
lo que 11-ni vindo o este mercado, por
prego niuilo commodo.
AGENCIA
da fiuidic-ao Low-Moor,
MI A DA SKNZAM.A-HOVA, K. l\1.
Ncste estabclecimento conti-
na a havrrum completo sorti-
mento de tnoendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de tolos os tamanhos,
para dito.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados airas do Cor-
po-Santo, n. 66, ha paro vender, chegados
pelo ultimo vapor viudo do sul, superio-
res rharulos S.-Flix, e de outras muitas
i|iialdades que se venderSo mais haralo do
que em oulra qualquer parle : bem como
cigarriltlOl bespanhes ditos de pal lia de
milbo, que se estilo vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
-- Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
A G40 rs. cada um.
Vendem-se cobertores do llgodSo ameri-
cano, cnenrpedose grandes a duas pula-
cas ; chitas escuras de bonspadres e co-
res seguras, a meia pataca o covado: na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeio.
Tafias para e rigen h o.
Na fundigSo de ferro da ra do Rrum,
aealia-sc de reeeber um completo sorlimon-
todo laixas del a 8 palmos de horca as
quoea aeham-se a venda por preco com-
ino.lo e com promplid.lo emharcam-se,
mi carrogom-seem carros sem despezas ao
c >iii|>rador.
Chales de Roberto do
Diabo.
Na loja deGuimariics & llcnriqucs ra
dn Crespo, n. 5, que faz esquina para a ra
do Collegio vendem-se os nnvos chales
i 'ihles intitulado! Itoherto do Diabo pe-
lo barato preco de1,600 rs. cada un: esta
la/enda su torna muito reconiniendavel ,
pnrger do podrOes uovos, c du lindas
na lijas.
Clipos do Chile.
No airo de S.-Antonio, n. 2, loja de cho-
pees c na proco da Independencia loja
I'1 mu.lrz.s ha um soitimento de chapeos
do Chile, chegados no ultimo vapor do Hie-
de-Janeiro : vendem-sc por prego mais ba-
rato do que em outra qualquer parle.
~ Vendc-se oleo do recio superior em
latas de 30 libras : na ra da plus, n. 3.
-- Vendc-se timo preta com lgumas ha-
bilidades, e de ptima conducta : nao se
vende por deffeitos mas sim para paga-
mento de UMia divida : na ra da Cadeia
no segundo andar do sobrado dn esquina do
bcejo do Ouvidor.
Vende-so familia de mandioca muito
superior, a bordo do patacho Valenle, vin-
do ile S.-Catharina Tundeado no caos do
Collegio: a tratar com o capilo a bordo,
ou com Novaos & Companhia, na ra do
Trapiche, n. 34.
Agoa de perola.
Fsse celebre e innocente cr/metico para
tirar sardas c rugas, e em bcllczar o roslo ,
foi por muito lempo so conhecido de poucas
pessoas nos Fstai'o>l)nidos, porm sua
grande ulilidade lornou-a o cosmtico mais
popular que se usava nos toiletes moder-
nos : vende-se na ra do Trapiche, n. 34,
segundo andar a 2,000 rs cada garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende se mnilo nova potassj
de boa qualidade, em bairituiulioi.
pequeos de qualro arrobas, por
pceo barato, como j ba muito
lempo se nao vende: no Itecife,
ra da Cadeia, armazem n. 12.
Pasta d flor de lyrio.
lie o melbor ortigo que se moliere para
I impar eemhranojuecer os denles, fortificar
as gengivas e conservar a I orea sempre
limpa e as gengivas purificadas do trta-
ro : vende-se na ra do Trapiche, n. 34, se-
gundo andar, a 2,000 rs. caja huido.
adeiras de pathinha e
de balance*,
bem rom outros mu i tos trastes: vendem-se
em casa de Kalkinann lrmSos, na ra da
Cruz, n. 10.
Nos armazens de Francisco Dias Fer-
reira o no de Leopoldo Jos da Costa Arau-
jo, hn para vender o maia suporior vinho do
Porto que tem vindo a esle mercado, em
barris de 4o, 5", 7* o 8": os apreciadores p-
deni sortir-se porquo poucas vezes c vom
l'a/enda igual.
Rap rolo francez.
Vende-seo superior rap rolflo froncez ,
nicamente as lojasdosSrs. Cactano l.uiz
Ferreira no Aterro-da-ltoa-Vista n. 46
Thomaz de Mallos Kstima na mesma ra,
n. 54 ; Francisco Joaquim Duarte ra do
Cabug Pinto & Irofio na ra da Cadeia
do Itecifc, n. 19.
Um piano.
Vende-se um piano muito bom para V
estudo, bonito e do excedente autor:
na na do Collegio, n. 9. O
Para calcas e jaquetas.
I\a ra do Queimado,
loja n. 8 ,
vendc-se brim (militar) trancado branco,
a 1,44J rs. o corto; dito dito escuro a
1,280 rs. o corlo ; dito cor de ganga, mili-
to lino, a 1,500 rs.; dito liso escuro, bem
proprio para jaqueta, a 800 rs, o corte: sen-
do lodos de puro linho : cortes de castor
dd listras e quadros a 800 rs. o corte.
Na loja da ra do Crespo, n 6,
ao p do lampeo, vendem-se as
seguintes fazendas por metade de
sen valor:
corles de brim escuro, a 1,280 rs.; dito cor
de ganga a 1,440, 1,500 o 1,600 rs. ; dito
branco, a 1,500 rs. ; dito lislrado a 1,500
rs ; pirlo, muito encorpado, n 180 rs. ;
chitas linas e do cores fixas, a 160 e 180 rs ;
cobertores de algodfio americano, os rne-
Iborcs que ha no mercado, a 640 rs.; ma-
dapoliio muito lino o com pouco mofo, n
3,600 rs. a peca, e a 200 rs. a vara ; chapeos
de massa a 400, 640 e 1,600 rs. ; fustSo ,
a 480 rs. o covado; dito muito fino e do
cores (ixas, a 640 rs.
Vende-se urna linda escrava engomma-
deiro costureira ,eque he de excedente
conducta: o motivo por quo se vende so
dir ao comprador : na ra da Cruz n. 35 '
sobrado.
Barricas.
Vendem-se barricas vasias que fdram de
ranidia em p e bem acondicionadas :
na ra do Amorim n. 35, casa de i. i.
Tasso Jnior.
Ha ra do Crespo, ii.j.
loja que faz esquina para a ra do Collegio,
vendem-se chitos francezas largas o de pa-
droes muito modernos pelo barato liego
de 280 rs. cada covndo.
Tecidos de algodao tran-
cado da fabrica deTo-
dos-ns-Santos.
Na ra da Cadeia, n. 8*J,
vendem-se por atacado tres qualidades,
proprias para sacros de assucar e roupa do
escravos, a 250, 280 c 300 rs. a vara.
Deposito da fabrica de
I'odos-os-Santos na Baha
Vende-te em casa de N. O. ieber & C.
4> ra da Cruz, n. 4, algodAo trancado
daquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar c roupa de escravos.
Charutos de Ilavana
verdadeiros em casa de Kalkmann Ir-
anios na ra da Cruz n. 10.
Vende-se cera de carnauba,
de muito boa qualidade, em pe-
queas e grandes porcoes e por
preco commodo : na ra da Cruz,
n. 24.
Castorim francez, a GiO
rs. cada covado.
Na loja que faz esquina para a ra do Col-
legio n. 5, vendem-se os novos castorins
franceses muito encorpados, padrOes no-
vos oscuros c com listras pela boira pelo
barato prego de 560 rs. o covade.
- A bordo da escuna Tentadora, rbegaJa
do Itio-Grande-do-Sul, vende-so sebo em
rama, ror barato preco.
4
AgQa de mel.
Este remedio he para promover belleza
e vigor do cabello, removendo o cspo e
conservsndo oquelle macio e lustro da pel-
lo e cabello que s pode sur adquerido
tendo-se a pelle fresca e os poros pelas ral-
zes do cabelle sempre abertos, e sua acgo
salutar nada contem que possa prejudicar
o cabello : vende-se na ra do Trapiche ,
n. 31, segundo andar, a 1,000 rs. cada
garrafa envolla no seu competente recei-
tuario.
Superior farinba de
mandioca.
Cbegou de S -Catharina o brigue S.-Ua-
nael-Augusto com em carregamento de fa-
rinba superior, acha-se fundeado defronte
do caes do Ramos, e alli se vende qualquer
porefio a'prego commodo : lambem se pode
tratar na praga do Commercio, n. 6, pri-
moiro andar.
Cal virgen).
Na ra da Cadeia do Itecife, n. 50, eicrip-
torio de Cunha & Amorim vende-ge ca,
virgem deLiaba de superior qualidrde I
por prego mais barato do que em outra
qualquer parte.
240
A 1,2*0,1,440 6 *M rs
Na ra do Crespo, n. 14,
loja de Jos Francisco
Dias,
vendem-se corles de superior brim escuro
de puro linho a 1,280 rs. dito cor de gan-
ga de superior qualidade a 1,440 rs. o cor-
le ; luslrim preto adamascado, muilo lindo
para lulo a 240 rs. o covado; superiores
chitas encarnadas muito finas e de cores fi-
xas a 180 rs. o covado, o outras muitas
fazendas por preco commodo.
* X
0 Vendem-so osobjectos seguintesque <>
'.'? licaram do leilo que fez o burgos por nfio havor mais tempo deseef- 0
B) feiluar : 1 carro de 4 rodas, com ar- jv
a reiog ; urna cadeirinha de arruar; 1 Q
X aparador ; urna carteira para escrip- ^
! torio ; urna porgilo do-ferros do fazer v
,-^ auno ; urna porgan uomius uu lator ^
;."; flores ; aldrubas para postigos ; 2 ri- ;;
W quissimas colchag ; um guarda vea- 9
S Ijdoc ; urna mesinha de mogno de 9
molag ; um lindo aderego para se- W
w nhora ; um relogio de ouro patente O
O inglcz com coi rente ; 2 escravos ; 2 O
O casas terroas na Iravessa do Peixoto, O
O ns. I9e36: no pateo do Carino, n. Q
O 18, segundo andar. O
o o
N. 9\
Vende-se, no armazem de Vicenle F. da
Cosa, na ra da Madre-dc-Deos, a supe-
rior e bem conhecida graxa 97, em ba/ricas
de 13 duzias.
Folha de Flandrcs.
Vendem-se caixascom folha do Flandrcs:
na ra do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnuior.
A ellas antes que se acabem.
Vendem-se ricas luvas de pellica para
houicm e seuhora pelo diminuto prego de
1,000 rs. o par : na ra do Queimado, n. 17.
Dao-ae as amostras.
Luvas de pellica, a 1,000
rs, o par.
Vendcm-so luvas de pellica, a 1,000 rs. o
par para seuhora muito novas o de su-
pe'ior qualidade : ni ra do Queimado n.
16, loja de Jos Dias Sim0cs& C.
Sapa toes, a 500 rs. o par.
No Atorro-da-lloa-Vista, loja n. 78 ven-
den) sapatoes do Aracaly averiados a 500
rs. o par ; sapatos de lustro para seuhora,
a 2,240 rs.
Vendem-se superiores ca-
dcados de ledras : em casa de Ceo:
Kennwortby & Companhia, ra
da Cruz, n. i.
Madapoles muito finos e
largos.
Vcndcm-se pegas de midapole.s com 20
varas, multo largos e finos, proprios para
camisas do homens senhoras, a 4,000,
4,500,5,000,5,200 e 5,500; ditos para for-
ro de vestidos, a 3.000 rs. e a 160 rs. a re-
tadlo ; luvas de pellica para mos peque-
, as, a 500 rs.; lengosde toquim com fraiv-
PailIlOS IllIOS pi'CloeaZUl, jas para meninas, a640-rs. ; chitas muilo
linas, bonitas estampas, a 320 rs. o cova-
l do : na ra do Passeio, loja n. 17.
Vendem-se, na loja do Du-
do ; menn branco muito superior, a 1,800
rs. o covado; bicos de blondo ; ditos do
linho ; meias e luvas : ludo por prego mais
barato do que em outra qualquer parte :
na ra do Cregpo, loja 9, de Domingos
GuimarBes.
Vendem-se cassas de
seda ,
a 400 rs. o covado; ditas e cambraias de
cores a 360 rs. o covado ; cortes de ditas,
2,400, 3,000, 3,500 e 4,000 rs. ; longo de se-
da a 1,000 rs.; alpaca de lila e seda pro-
pria para roupinbag de criangas, a 1,000
rs. o covado ; riscados francezes, a 220 e
240 ra. o covado ; chalea de Ifta o seda, mui-
to hondos, a 5,0<:o rs. ; luvas do linho para
senhoro, a 500 rs. o par; meias para me-
ninos e meninas a 200 e 240 rs. o par ;
longos brincos para mito a 500 e 640 rs.
cada um : na ra do Crespo, loja de Domin-
gos CuimarSes.
a 5,000 rs. cada covado.
Na loja da ra do Crepo, n. 5, de Cumia- '
r3es& llcnriques, vendem-se pannos prc- arts, na ra do Cabuc, n i C
lo o azul, finos, pelo barato prego de 3,000 i ,- > i ? i i '
rs. cada covado c alm destes ha um com- Doloes de marinlia; ditos de Pedro
pleto sorlinienlo de todas as cores o pre-
gos commodos.
Diadapoles finos a
8,600 rs. a peca.
Vendem-se madapolocs finos, com 24 jar-
das com um pequeno toque de mofo pe-
lo prego de 3,600 rs. a pega : na ra do Cres-
po loja da esquina que volta para a [ca-
deia.
-- Na loja do Estima & Ramos, no Alerro-
da-Uoa-Vista, vende-se um par de adrago-
nas muito ricas para capilao ; bem como
um habito esmaltado, de Cbristo.
Anligo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Vende-se urna escrava moga ongom-
madeira e costureira de cortar e fazer ca-
misa de liomeni e vestido de seuhora com
o 111 lidio de 3 anuos; 2 esclavos, sendo um
dellcs de 20 unos e que be ptimo para
o st-rvigo de Mmpo ; um molequejle lan-
nos bom para pagem bom copeiro e que
tombem cozinha : na ra do Collegio, n.
21, primeiro andar, ge dir quem vende.
Conlinua-se a vender manteiga ingle-
za muito superior, a (40 rs. : no Alono-da-
Uoa-Vista, venda n. 54, pegado ao Estima.
II finos e ordinarios; ditos de
guarda nacional, cavallaria e vo-
luntarios ; ditos para primeira li-
nha, amarellos e pelos ; ditos pa-
ra casaca, de diversas qualidades ;
ditos de madreperola para pali-
tos ; ditos d'acode diversas cores ;
ditos de todas as cores paraenfci-
tes de vestidos de senhon ; e go-
las de cambraia.
jNovo niadapolo pate, te
com mais de 40 jardas
cada peca
e com largura quasi de urna vara fazenda
a mais lina que se pode imaginar, por isso
ptima para ludo pelo diminuto prego de
9,000 rs. a pega ; bem como todo o soiti-
mento de fazendas finas o grossas : no no-
vo armazem de fazendas de Itaymundo Car-
los l.eito, na ra do Queimado, n. 27.
Vende se panno de
nho do Porto,
a 750 rs. a vara ; dilo de Allemanba .
duas varas e meia de largura, a 2,600 rs. a
vara ; cambraias bordadas e adamascadas
para cortinados, por proco muito comino-
l-
com
a>............ J
* -Vendem-se cortes de caigas de brim <
trancado de linho de muito bonitos *
:* padroes a 1,500rs. cada corte: na S
: ^ ra do Queimado, loja do sobrado .?
a> amarello, n. 29. ^

Na ra do Crbug, loja do
Duarte, n. t C, vendem-se cai-
vetes de urna a quatro folhas ; fa-
cas egarfos; tesouras fabricadas
em Guimares, proprias para bar-
beirose alfaiates ; ditas para cor-
tar papel; ditas em carteira para
nnlias, asmelhoresque aqu teem
apparecido ; apparelhos de colhe-
resde metal do principe; aliado-
res ; navalhasy saca-rolhas de pa-
tente ; Inmparinas inglezas ; cam-
panhias de nova invencao ; e ma-
chinas proprias para alfaiates.
Pos galvnicos para
prafear.
Na ra do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objectos
prateados e que tenham perdido o cor ar-
gntea, eslando por isso indecentes, ou inu-
tilisados, teem nestes pos um excedente
restaurador e conservador dos mesmos
objectos sempre como novos sendo o pro-
cesso para se usar delles o mais simples,
nada mais do que esfregar com um panno
de linho moldado em agoa friae passado
nos mesmos pos.
Urna ramulla contcndo quantidade suf-
ficiente para pralear mais de 40 palmos
cilindrados custa a mdica quanlia de
mil rs.
Vendem-se relogios ingle-
zes com corda para oito dias, pro-
prios para saines ou escriptorios,
e relogios inglezes de patente para
algibeira : na ra da Cruz, n. i,
casa de Geo: Kcnnworthv & Com-
o*
panbia.
No pateo do matriz de S.-Antonio sobro-
do n. 4, se dir quem vende
8 escravos a saber: um preto muilo bom
oflicil de tanoeiro ; um moleque de 14 m-
annos ; \ ditos de 18 a 20 anuos; 2 pretas
com habilidades, sendo urna dellas da Cos-
a e de elegante figura : todos estes escra-
vos se vendem por prego commodo.
Vende-se um Magnum Lexicn quasi
novo : na ra Augusta, casa do bastos.
Vendem-se, na ra do Cabug, loja do
Duarte caixas de lintas para desenlio, pro-
prias para meninos.
Lotera do Rio-dc-
lanciro.
Aos 20:000,^000 de ris.
No ra do Crespo, loja n 8, vendem-se
meios hilhetes quarlos, oitavog e vigsi-
mos da 11.* lotera a beneficio da S.-Casa-
da-Misericordia do Rio-de-Janciro.
Ao bar a (ciro.
No Passeio-Puhlico, foja n. II vendem-
se ricos cortes de cassa-chilas, a 2,400 -8.;
panno azul, a 3,200 rg. o covado; setim
preto superior, o 4,000 rs. ; cassa-chita
denominada imperatriz, a 320 rs. o cova-
do ; ditas mais ordinarias, a 240 rs.; e ou-
tras muitas fazendas por prego commodo,
-- Vende-se urna mobilia do Jacaranda
e.ii bom estado, e mais objectos proprios
de sala : na prega da Independencia loja
de fuiiiciio n. 27, se dir quem vende ,
das 7 s 9 horas da manlia e das 3 da tar-
de em (liaolo
Vende-se urna armagHo de venda e
mais perlenceg ua ra Uireita n. 53 lu-
gar este muito bom para vender, tanto pa-
ra Ierra como para o mallo: a tratar com
Antonio Francisco Martina de Miranda na
roa da Piaia-dc-S.-lta ii 1.
Lotera do Rio-de-Ja-
neiro.
Aos 20:000,000 de res.
lio chegada a lista da decima primeira
lotera a beneficio dag casas de coridade, e
com ella grande sorlimcnta de bilheles,
meios, quarlos, oilavos o vigsimos: a elles
antes que se acabem, pois sfio muito afor-
tunados : na ra da Cadeia do Itecife loja de
ferragens, n. 58.
A 4#000 o corte de novas
alcinas de seda
com lindos padrOes de listas e quadros, co-
res modernas, claras e. escuras al pretas;
gangas amarelras da India,, pfoprias para
lodo o trage de boniem e de meninos ; bem
como um novo sortimento de fazendas fi-
nas e grossas por baratissimo prego: no ar-
mazem de Itaymundo Carlos Leite, na ra
do Queimado, n. 27.
- Vende-se um piano de boas vozes eem
bom uso por 200,000 rs. : no caes do Ra-
mos, segundo sobrado.
Vendem-se os apreciaveis
charutos de Ilavana ; ditos regaba
de superior qualidade, chegados
recentemente ; assim como opli.
ma manteiga em vidros : tudo por
preco commodo : na ra da Cruz
n. 5i, armazem de J. O, Elster.
Calcado.
Vendem-se sapatos de couro de lustro pi.
ra seuhora a 2,560 rs.; ditos de cordovu
e marroquim, a 1,600 rs.; sapatos de lt.
pete para homem, a 1,600 rs.: ditos pirj
senhora, a 1,440 rs.; sspatoos de* couro da
lustro para homem, a 4,000 e 8,000 rgi.
borzeguins de duraque com pona de li.
tro, a 4,000 rs.; ditos para senhora, a 5,050"
rs.; soplos de duraque de Lisboa a iJjq
rs.; ditos ira11cc7.es, a 1,800 ra.; ditos a
setim, a 2,000 ra.; borzeguins para meni-
nos, a 1,280 rs.; chiquitos com clchelos
a 320 e 640 rs.; ditos de lila e sedo, a 141!,
rs.; ditos de 13a a 480 rs,; meias de sed
para criangas, a 1,500 is.; chapeos frmcc.
zes para homem a 7,000 ro.; pelle je
couro de lustro francez; dito hamburguei
de boa oualidade ; marroquim sorlijj
bengalas de diflerentes gostos ; perfuma
ris, etc.: na praga da Independencia n
13 0 15, lojado Arantes.
^C9"*"9M69v9?99Mio^
Na ra do Crespo, toja da
esquina que volta para a
Cadeia, vendem-se
os acreditados brins brancos de lis
tras, lisos e amarellos, a 1,500 rs. 0|
corte ; dito muito superior, a l.coo
@ rs. todos de puro linho ; psnno fino
^ preto e azul, a 3,200 rs. o covado; 9>
<* dito muito superior, a 5,500 rs.; fus- A
#>; lOcs muito bonitos a 640 rs. o cor-
# te ; ditos de velludo muito ricos o 9
2,500 rs. ; pegas de cambraia de qua- %
" dros de 8 varase meia, a 2,720 rs. a 0
pega ; cassas pretas muilo bonitas
a 1,440 rs. o corte; madapolSo entes- %
9 lado muito fino, a 5,400 rs. a pega ; 4
# corles de calcas de setineta de^jor -*y
a 880 rs. ; ditos de castor, a?.)#
rs. ; chila azul para escravos, a 4*0 A
rs. o covado; picote muilo encorpa- A
do, a 180 rs.; platilhas Je linho, a 500 #
rs. a vara; esguiSo de linho muito fi- A
no e com 4 palmos e meio de largo- A
ra, a 1,440 rs. a vara; corles de A
brim de algodSo, a 800 rs.; e ou- A
Iras muitas fazendas por prego com- A
# modo. oj)
Na loja do Duarte, na ra
do Cabug, n. I C, vendem-se re-
quifes de fres ; franjas pro-
prias para mantaietes decores;
lencos de seda e algodo para gr-
vala e algibeira ; boleas de mican-
ga, proprias para maos ; manti-
nhasde seda a 800 rs. toncas de
laa para senhora e meninds ; e ISo
para bordar de seda, de todas as
cores.
Vendem-se (res loalhas aJicrtas de la-
varinto, com bicoem roda e bem feilas, o
um lengo lambem de lavarilo com bico ero
roda : na ro do Cabug. loja n. 9.______
Escravos Fupitios
Fugio, no dia 24 do correnle, do sitio
da passagem dos Arrombados o preto Jo-
s, de nac.no Mogambique, de 40 annos, al-
io, seceo, quebrado do emhigo cara tris-
tonhac fingida ; tem cicatrizesno assenlo,
com duas aigolas do ferro nos pea que as
caigas encobrem; levou a roupa em um
sacco Esle preto pertenceu a Domingos Jo-
s Cordeiro e desle passou ao Dr. Francis-
co de llorges Ruarque, o primeiro mora-
dor em Una no engenho Arass, e o segun-
do em Porto-Calvo. Iloga-se aa autorida-
des policiaes e capilfles de campo que o^a-
prohendam e levem-no ao dilo sitio, ou
"esta praga na esquina do boceo do l'ei-
xc-Friio, que serio recompensados: bem
como se protesta contra quem o livor oc-
culto em sua casa.
Fugiram, ao amanhecer do dia 11 do
correnle do engenho 8. -Paulo, freguezia
de Ipojuca os escravos seguintes : Fran-
cisco e Tiburtino, ten Jo o prlmeiiot6a 18
annos, de estatura regular pernas gros-
sas cralguma cousa amarella : o segun-
do de 20 a 25 annos ; he baixo corpo or-
dinario, um pouco fula da cor ; tera um
1'enila na peina esquerda una talhos ni
cabega ; abrindo aa mos deisa de abrir um
dedo por le-lo duro : levaram roupa de al-
god.lo da trra, um chapeo de palha da
Italia j velho ; conduziram um cavada
alazSo pequeno de frente aborta os qua-
tro 1 os caiga dos, e com manchas; fram en-
contrados pcrlo dcsta eidade, montados
no mesmo cavado, dizendo um que ia r-
ceitar o oulro. I'ogn-se as autoridades po-
liciaes capitites de campo, ou outra qual-
quer possoa ,que oMpprehendam e levem-
os ao Sr. Jos Th odoro de Sena mora-
dor na ra Nova ao p da matriz de S.-An-
lunio ou aodilo engenho, que sero gra-
tificados.
Fugio, ha um anno e iicve .nezca um
pardo claro, de nomc Florenlinb ; li bai-
xo quebrado das venillas, ^s pequeos,
gagueja guando falla cousa muilo pouco,
cabellos crespos ; tem principios de sapa-
teiro : de 28 anuos pouco maia ou menos :
quem o pegar leve-o ao engenho Canua-
vieira na comarca de Nozareth que soi
gratificado.
-- Fugio, no ,dia 8 do correnle o pardo
Feliciano do 18anuos, de estatura regu-
lar, secco do corpo tem o qucixo coui-
prido edesdentado no lado superior; le-
vou camisa de riscado azul e oulra dcnit-
dapolfio chapeo de palha prelo calgas.t!s
riscado e outras azues. Iloga-se ao autori-
dades policiaes e capites de camp, que o
apprehendam e levem-no ao engenho Cin-
navieira comarca de Nazareth que serlo
recompensados.

_
->
PlN. : HA TTP. D* O f. DE MU. 19*9
MUTILADO 1
vi
se
lil
/V
ll,
VI
v
.4
di
"I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2URF8B2H_TVVUH2 INGEST_TIME 2013-04-24T20:21:27Z PACKAGE AA00011611_06642
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES