Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06641


This item is only available as the following downloads:


Full Text

\ no XXV.
PARTIDAS DOS CORHXIOS.
r.oianna e Parahiba, segundas e sextas-felra.
Hin-Graudc-do-Nortc, qulnlaa-fclras ao nielo-
I ruo.Serliihem, Rlo-Formoso, Porlo-Calvo
Macei. no !.?, a II e 21 de cada mez.
faranliuo* e Bonito, a 8 c 23.
Bua-Vislae Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-felras.
Dliuda, todos os dias.
.Qumla-feira 20
EPHXBfEHIDES
Fhsis d< mu. Chela a 1, s 2h. e58m.da t,
Mlng. a 9, s -i h. e .'K m. da t.
Nova a 16, 1h.c42m.da t.
Cresc. a 24, s Uli.e im.dau.
FnttHAR sx HOJE.
Prlmelrae>7 liorac 42 minutos da inanh.
Segunda a 8 liorac 6 minutos da tarde.
m
deSetembrodoiS/).
i\. !MM.
pnrpos DA sdbscricjAo.
Portretmezesndianlado) 4/000
Por seis metes 8/000
Por um anno IV0*1
DIA8 DA SEMANA.
17 Seg. S. Pedro de Arbucs*. Aud.doJ. dosorf.e
do ni. da 1. v. ,
18 Tere. .S. Josc de Copertino. Aud. da chae, ao
da I. J. v. do civ. e do dos Teitos da fatenda.
19 Quart. S. Januarlo. Aud. do i. da 2. v.do c.v.
20 gulnt. S. Eustaquio. Aud. do J. dos orf. c do m.
da 1. v.
21 ext. 8. Mallieus.
22 Sab. 8. Mauricio. Aud. da Chae, e do J. ua ..
v. do crime.
23 Uoiii. Nossa Scuhora das Dores.
CAMBIOS EN 19 DE 3ETEMBRO.
Sobre Londres. 20 d. por 1/01)0 rs. a 00 dias.
. Paris, 370.
Lisboa, 110 por cen i.
0uro.-Oi.cas hcspanl.ocs:........ 3I/MO0 a JLOU'
Vlocda de 1*400 vcllias. 17/100 a 17#50.l
de (400 novas. Io#.'i00 a luJCO"
. de 4/000.......... 9/400 a 9/B0i
/>raia.-PatacO.bra.ilei.os...... IfBM a 2/000
Pesos columnarios....... /" -' '
Ditos mexicanos..........,\ lio'- '/'--"
DM.V> ^
IARI0
PARTE OFF8CIAL

MINISTERIO DO IMPERIO.
Solve as duvidas propoat pelo presidente do
concedi de recurso do municipio de S.-Leo-
poldo, na provincia do Rio-Graodc-do-Sul,
lei regulauenlar das eleices.
I'rimeira secco. Ilio-de-Janeiro. Ministerio
ils negocio* do imperio, eiu 23 de julbo de
1849.
lllm. c Exm. Sr.Nao inerecendn a impe-
rial arlprovacao a deciso dada por V. Kxc.
diivida proposta pelo presidente do concedi
de recurso do municipio de S.-Leopoldo,
constante das copias que acompanliaram o
ollicio de V. Kxc. n. 27 de II do cprrentc mez,
manda S. M. o Imperador declarar-lhe :
1.' Que a noticia, qur particular qur ofl-
cial, de nao se ter interposto recurso algum das
decisdes da junta de qualilicaco nao autorisa
a que se deis*, de convocar e reunir o concellio
iniiuicipal de recurso, e nem que elle deixe de
riiiirciiiii.il' por rspaco dos 15 dias uteis orde-
nados pela lei, como fui declarado no L* do
aviso de 7 de feverelodo corrente anno, expe-
dido ao presidente da provincia de Minas-Ge-
raes, e nos oniros que ahi se citam.
2. Une, leudo uull.imrntc feilo parle do
A cuncellio de recurso do dito municipio, nos
Ukias ein que elle (uncciouou, o supplente dos
\ plises de-paz, por isso qae na Talla de eleilo-
u-s deve-se recorrer, aua elle, masaossup-
penles de eleitores, como est declarado nos
aviso* de 6 de malo do anuo prximo passado,
expedido aojuiz municipal da corte, e de 16
de Janeiro du correle anno $ '.', dirigido ao
presidente da provincia do Cear, rumpre que
ceja convocado lepalmente novo concelho, o
qual dever funecionar durante o tempo mar-
cado na lei, tendo-se em vista, o que, jia.a
conimodidade (los seus meinbros, se ranilla
noS I ."do aviso 11.08 de 13 de abril de 1847.
3. Que, posto o concellio municipal de re-
curso n!o deva dcixar de estar reunido duran-
te os 15 dias uteis fixados na le regulamentar
das eleices, para cumprimento do art. 36 da
niesnia lei, comtudo a preterieao desta forma-
lidade, como acontece naque lie municipio, de
neiihuiiia inaneira aflecu a eleico primaria
designada pira o da 5 de agosto prximo fu-
turo, pola que a qualificacao se considera fin-
,li rom a segunda reuniao da junta, tuna vez
que das suas dccisOes uo se lenha interposto
recurso, como tem sido declarado em varios
avisos, e ltimamente o foi as instruccoes de
28 de junho ultimo.
O. que comiiiunico a V. Kxc. para sua inte-
ligencia e governo.
Dos guarde a V. EscFieoiuU de Mont'-
Jlfore.-Sr. presidente da provincia do ttio-
Crande-do-Sul.
Declara as disposfues do varios aitigos da
lei de 23 de ouluhro de 1832, relativa-
mente sallrbuicfles conferidas as c-
maras municipiese juizes de paz na* di-
ligencias anteriores a obtenerlo da caria
de naturalis>cfio;e recommenda a exac-
ta observancia dos arts. 4., 9.*, 10 e 11 da
mesma lei. 4f
Quera sec<;3o. Ro-de-Janero. Ministe-
rio dos negocios do imperio, em 1." de agos-
to de 1849. -
lllm. e Exm. Sr.Vendo-s pelos reque-
rimentos que por esta secretaria d'estado
soberna augusta presentado Suh Magosta-
do o Imperador para oblcncfio de carta de
naturalisaefio de cidadfio Braaileiro, que se
nflo observam alpumas das'diaposiedes da
lei de 28 de outnbro de 1832, cuja omissfio,
alcm de nfio dever ser tolerada pelo res
peito que he devido s leis do estado, ten-
dea enflaquecer a garanta quo a mesma
lei procurou estabeleeer com a prcscripcilo
das formalidades a observar, e dos deve.es
a cumprir pelos estrangeiros, que preten-
dessem formar parte da familia brnsileira :
Ha o mesino suguslo Scnbor porliem que
V. Ex. expe$ as necessaras ordens : pri-
meiro para que nenhum eslrangeio, ex-
pcccSo dos mencionados no art. 2 da ci-
lada le, seja admittido f izer pecante a
resrecliva caniaia municipal a declararlo
exigida pelo 3.' do srt. Io, nem para tal
fim se conceda despacho, sem que'o pre-
tndeme prove previamente por documen-
to legal, ou por jiiiliricac.no no |uizo de paz
os requisitos dos l.e 2 "do dito art. 1.,
como ordena o art. 5.", fzen de.sla irova no teimo que se lavrar : se-
gundo, para queao proferrem a senlenc
de habilitaeilo, de que trata o art. 6.', o
sem a qual nfio pode ser requerida a caita
de naluri-lisacfio, segundo o stt 7.sejain
os juizrs do paz escrupulosos no exatno dos
loqaisilos quo lei exige par* se julgar
liiihililado o habilitando, c no da prova que
te olTeroccr, a qual deve constar ou do do-
cumentos legaes nos termos do teferido
art. i9, ou de depuimentos de teUtinunlias
produziJs no seu juizo, que lie o pi ivalivo
para turnar ejlgsr as habilaces reque-
ridas pela citada lei, como he exprosflf no
mencionado art. 6. Outrosim recommen-
dar V, Ex. s cmaras tnunicipaes a exac-
ta observancia dos arts. 4 \ 9U, 10 o 11 d
sobredita lei. que leetn Cdbido em csqucci-
menlo na mxima parte dos niunicipius. ()
quecooimunico a V. Ex. para seu Cuiilicui-
uicnto o execugao
Dos guarde a Exc. -- Vitconde de Uun -
Klegr. sr. presidcnto da ptotincia do
Para.
Na mrsma conformidade aos demais pre-
pias qoo os acompnnhram, relativos s se-
guintes duvidas proposlas sobre a lei regu-
lamentar das eleigOes.
I'rimeira duvid.Dos jtiizes de paz pre-
sidentes das mesas parochiaes das fregue-
zias doTrinmpho, Santa-Anna do Rio-vlos-
Sinos e Espirito-Santo da Cruz-Alta, con-
sultando se o numero do eleitores deve ser
regulado pelo numero de volantes, visto
que nos annos de 1842 e 1844 nfio houve ahi
eleieors, ou se pelas que liveram lugar nos
nnos de 1845 o 1847, conformo V. Exc. de-
(erminou em circular de 22 de uio pr-
ximo passado.
Segunda duvida.-Do Juiz de p*z presi-
dente da mesa parochial da freguezia de
Nossa-Senhora-da-ConceiQfiodo Arroio, per-
gnnlando se deve* mesma freguezia dar 4
eloilores segundo a rqualilicacfio de 1847,
ou 3 conforme a de 1848.
Terceira duvida.Do mes r o juiz de paz,
perguntamo se o numero de volantes que o
art. 52 da lei toma por base do numero de
Qusrla duvida Do sobredito juiz de paz
presidente da mes* parochial do Espirito-
Santo da Cruz-Alta, perguntando qual o
numero de eleitores que deve dar n.esma
freguezia, que se por un lado leve diminui-
efio de territorio pela creaefio da parochia
do Passo-Fundo, poroutro leve augmento
pela annexacfiu do districlo de S.-Xavier.
Quinta duvida. Do mesmo juiz de paz,
perguntando so devem continuar a regular
para a elciefio prxima futura as divisas ci-
vi* t'iir r"" -""" n listrcis.
vis, por nfio eslarem anda lixadasasecele-
guardas. Introti-so o inspector da pa- parto da Ku.rnicfio de outrs, em conse-
o,inri mililar quencia da referida promoefio.
gador.a militar_____^ __ .^.^ tn _. | h d^ _Aq mesa,0i psra quei Bm cumpn-
dos
faca
corlo no primeiro vapor
nanhia do bllh!.osob seu com.nando in- : que desle porlo seguir para aquelle o ca-
lino por nortn. da presidencia de 11 do doto do quarto halalhfio do art.lhana a pe,
marco de 1848; e nfio consta quo houvesse Jos l'rocopioTavares.^_____r_ ;
sido reformado, nem tfio pouco demillido.!
Dito. Ao
rinr.a, delermi
tes ordens para
cumprimento
tado dos negocios
gosto ultimo, se aprompte a seguir p
n a |Q menciuuailo capitfio ; ocommunicam
BmfifrIrS. d VUSi ter o juiz municipal daquelle termo parti-
Dol decMKo q "le"" cipaJ" a *&"& *'ue rT t L
PP afas J fortaleza do 'cbeJello, e que. se- Mhum fun, menlo das mH .|ue ha-
, ______, viam paAahlitA c*\hrn n tiltil (lll l'lill.
cundo oonderou odiieclor do arsenal de.viam recaln--------
marinha d corte, poderfio ser iproyolK- Drto._ Ao mesmo, .nte.,ndo-o de que
dos naquelle.
Dilo. Ao cornil
do sobro o dito olTIcial.
raiiilo-o
o capitfio do lerceiro batallifio do arlilliaria
Dmmnnd.nlo da corveta Ku- \ p. J..o Francisco Ol.He, ohlivera per-
E o mesmo augusto Senhor msnd decla-
rar a V. Exe.
I'rimeira duvida.Que ft> bem resolvida
_ prin.eira duvid*, sobre a qual j se deu
decisfio em aviso desle ministerio de 27 do
mei prximo passado, dirigido a V. Exc.
Segunda duvida.Que nfio sfio as qnali-
fic*\fles de 1847 e 1848, ou onlras quaes-
quer que devem servir de base para a desig-
nadlo dos eleitores, mas aim as eloices de
1845 e 1817, como V. Exc. declarou, e he
conforme ao citado viso, e quo, se a paro-
chia de que se trata nfio tiver dado na me-
nor dtas duas eleicOes 5 eleilores pelo
menos, nfio pode ella comportar o augmen-
to da quint parte, como erradamente sup-
iOe o juiz de par.
Terceira duvida.Que he o numero dos
votanlcs qualillcados, o nfio o dos que com-
parecerem a votar, que dovo ser tomado
por base do numero de eleitores.
Quarta dturida.-Quea respeilo desta du-
vida se deve observar quo se acha deter-
minado nos avisos desle ministerio 18 do mez ultimo, dirigidos ao presidente
ds provincia do Rio-de-Janeiro.
Quinta duvida.Que para as eleices de-
vem regular ns divisas ecclesiaslicas, se-
gundo tem sido por vezos declarado pelo
governo imperial.
O que ludo communico a V. Exc. para
seu conhecimento o governo.
Dos guarde a V. Exc -Fieomle de Minte-
Megre. Sr. presidente da provincia do
Itio-Crandc-do-Sul.
Declara ao presidente da provincia de S.-
Pedro que deve ser convocado um ekitor,
o qual, em rasfio de sua avaucada idade,
fra eliminado da lisia dos votantes.
I'rimeira sec?fio. Hio-de-Janeiro. Mi-
ninisterio dos negocios do imperio em 23
dejulhode1849. .
lllm. eExm.Sr.-S. M. o Imperador, a
quem foi presente o ouicio de V. Exc. n. 32
ile 13 do corrente, o copias que o acompa-
nliaram, relativas duvida propo-la pe o
juiz de paz presidente da mesa parochial da
freguezia de S.-Jofio da Cachoeira, se deve
^convocar para a urganisaefio da mesma tnc-
I o eleilor Jos Custodio Coelho Leal, que
Tur* eliminado da lista dos votantantes por
assirh hav.-r requerido em rasSo da sua
avaucada idade : manda declarar a V kxc.
que se deve fazer a convocado desto elei-
lor conlrine est decidido por aviso de 28
do agoslo do tino prximo passado 3. e
plasrat0esahi aponladas, e que fra ille-
gal a sua eliminaffio da lisia dos votantes,
i.or isso que a lei nfio rtconhece como inha-
bilidad para sor votante a ayancada idade,
t.em admille que por un la'
>
tm no resulta
por que passou o grumete da guarnidlo da-
quella corveta, Jofio Christovfio, tem resol-
vido que sed baixa do servico ao mesmo
grumete.
Dilo. Ao mesmo, para quo conserve a
bordo do navio do seu commnndo, al que
possa seguir para corlo, em cumprimen-
to das ordens superiores que S. me. diz ter a
respeitn, o grumete do corpa de imperises
marinheiros, Jos Antonio, que, perlcncen-
do guarniQiio do vapor 'thtlii, licra em
Ierra ni occasifio da sbila do mesmo va-
por. Nesto sentido ofliciou-so ao inspector
do arsenal de marinha.
Dito. A'administracfio dos eslaheleci-
menlus de caridade, diyenilo que pode man-
dar entregar a Jluliua Justina doSanl'Anna
a exposta Mara l'iuhero do Esi'irilo-San-
to, que consta ser sua ilha, urna vez que,
na rrma do artigo 159 do regulamento de
25 de fevereiro de 1847, satisfaga ella as
despezasfeitascom a mesma exposta.
Dito. Ao director do lyceu. Allen-
dendo a quanto se conlin no ollicio que
Vmc. me dirigi com data de hontem, acer-
ca do irregular procedimenlo dos alumnos
desse estabeleciniento, constantes da rela-
(fio que inclusa remeti, assignada pelo se-
cretario da provincia; e leudo em vista o
disposto no artigo 34 do regulamento do 1.
de setembro de 1846, ordene a Vmc. quo os
despee* do mesmo cstahelecimento ; e que,
em cumprimento do artigo 37 do citado re-
ulamento, fa?a publicar pela imprensaos
nomesdos referidos alumnos com declara-
efio dos motivos que deram lugar a seme-
I hanle despedid.
Helario a que te refere o oficio cima
Jofio Agostinho deS Pereira, esludanle de
goographia.
Augusto Cezar de S l'ereira, esludante de
geogrsphia.
Tiburtino Jos do Mcndonca, esludanta de
rhelorica.
Claudiano Xavier deOliveira, esludanle de
lingoa nacional.
Ovidio da Cania Lobo, esludante de geome-
tra.
Portara. Mandando passar patento de
ajudanlo ('ordens interino do commando
superior da guarda nacional dos munici-
pios do Seriiihileni e Itio-Formoso a Anto-
nio dos Santos Vital. Nesto sentido ox-
pedram-se as coirvonienlcs com
cues.
DEM DO DI.V 17.
Oflicio. AO commanJanle da praQ, de-
clarando que pode ongaj'ir para continua-
ren no servieo as praxis do quinto hala-
Infin de fuzilciros mencionadas na relaefio
junta, certo do que tem arbitrado a cada
urna dellas a gratinca^ilo de cem mil res,
visto ter-lhes sido favoravcl o parecer da
junta de saJc que as inspeccionou.
Relaco das praca do quinto batuthdo de fu-
zileiros a que tt refere o o/fieio dama.
Terceira companhia, o soldado Manoel
Ignacio dos Sanios.
Quaita companhia,
Rento Maciel da Cruz.
Stima companhia,
o segundo sargento
o soldado Joaqum
Jos.
motivo, ouou- Oitava compsnhia, o segundo sargento
nuer nfio'estabelecido, se requeira Jos Alves Pereira, o cabo Antonio lonora-
a exclusoi,da "isla'dos volantes, o menos lo. e os soldados Malinas .^rgM^e joaqu.n.
silentes de provincias.
Solre duvidas sobre a etbcucfin da Ui regu-
lauenlar das eleices.
Pri'mciraseccilo Rio d%Janeiro. M
leiiodos negocios do im|>ciio em 23deju-
lhodul849.
lllm. e Exm. Sr.Forana presentes a 5.
M o Imperador os oflTcios de V. Exc. n-
meros 31 e 33 de 13 do corrente moz, e c-
iiue seja defvtida um senielhaiite prc-
luiiQfio. ,.
O quecoinniunicoa V. Exc. para sua in-
telligencia, o para que nesta conformidade
revogue a sua decisfio; accrescentandoque,
quaudo se devesse considerar inhabililuJo
aquelle eleitor para a organisr;uo da mesa,
nfio devera comtudo ser chamado o SUp-
plenle para o substituir, como V. Exc. do-
claruu, | os que ho alo prohibido pelo ait.
5 da lei regulamentar das eleicOfs-.
Dos guarde a V. Exc.-F'sconde <7e Motile-
Alegre. Sr. picsidenle da provincia do
llio-Cran-do-Sul.
GOVERNO DA FKV1MGIA.
EXPEDIENTE DO DU 15 DE SETEWBRO.
ollicio. Ao commandanto superior da
guarda nacional do municipio do Coianrf,
f.U"'"" ^i..^-.-_- -
' lo suterio? acon.pai.he no da 7 de ou-' 27 de agoslojilt.mo ; e determ.nandc u?
Fcrreira Dias. Scientilicou-se o inspector
da pagadoria militar.
Dito, Ao mesmo. communicando que,
por imperial resoluto de 16 de agosto ulti-
mo, teve passagem pata a tcicei.a classe
dosoiciaesdo exeicilo, na forma dasdis-
posiQ0esdoarl!go2.02. 0. Ido decreto
do l.sdo dezembro de 1841, o alferes do
primeiro halalhfio de caladores, Jos Alves
de Snuza. Inleirou-se o inspector da pa-
gadoria militar.
Dilo. Ao mesmo, scienlilicando-o de
que em 30 de agosto ultimo se expedir or-
dem para que se reunisse ao primeiro bsta-
Ihfio de caladores o respectivo soldado, Jo-
s Ignacio da Silva, que, leudo desertado,
fra capturado as Alagas e remellido pa-
ra a corle, auna de ser processado na forma
da lei.
Dilo. Ao mesmo, Iransmitlindo copia
da relaefio dos olh'ciacs promovidos nos dif-
- por decieto de
mis- M'" ienlicou-se o, estado dos negoctos da guer a de 1 do
' mesmo mez, expela as convenientes or-
go oaq
%CV Sector do atsenal de guerra,' dens'ar.m-de'quese renan, qnloijlei
fel^9aM
menie Ihc fra concedida.
Dilo. Ao mesmo, remetiendo copia do
aviso expedido em 24 de julho ultimo pelo
Exm. ministro da guerra ao Exm. presi-
dente das Alagas, mandando descontar po-
la quinta parte dos sidos que fr vencen-
do o capitfio do segundo halalhfio de caca-
dores, Francisco Antonio de Souza Cami-
silo, tres mrzes que so Ihe adiantaram na
corte. Scientificou-so o mesmo presiden-
te das Alagas o ao inspector da pagadoria
militar.
Dito. Ao mesmo, communicando que
marechal cominaudante das armas da
corte, em cumprimento ao aviso do minis-
terio da giieir." do primeiro do abril do au-
no prximo passado. mandara dar baixa
do servieo ao cabo do segundo butalhfio de
cacadores, Marliniano dos Anjos Pureza,
por haver concluido o lempo porque era
obrigado a servif.lnteirou-se o Exm. pre-
sidente das Alagas.
Dito.Ao mesmo, scionlificando-o de quo
o Exm. presidente das Alagas remetiera
para esta provincia no vapor S.-Salvador o
oblado desertor do primeiro batalhfio de
caladores, Manoel Ronovato da Cruz --
Cominunicuu-se ao presidente da referida
pruvineia. .
Dilo.Ao mesmo, transmillmdo copia da
provisfio do concelho supremo militar da-
tada de 14 do agosto ultimo cercado que
se deve praticar com todos os reos milita-
ros que frem sentenciados a 6 annos ou
mais*de priao-Remetteu-se copia d refe-
rida provisfio ao inspector da pagadoria mi-
litar.
Dito.-Ao mesmo, communicando que S.
M. o Imperador houvera por bem prorogar
por dous mezes, com sold simples, a li-
cen^a com quo foi corle o lenle do oila-
vo batalhfio de cacadores, Carlos Cyrillode
Castro.Inleirou-se o inspector da pagado-
ria mililar.
Dito.Ao mesmo, inteirando-o de haver
S. M. o Imperador, por decreto de 17 de
agosto ultimo, nomcado capellfio aos pa-
dres Jofio Cancio Vorissimo dos Anjos o Ve-
nancio Luis Telles llarreto, este para o se-
gundo regiment de cavallana ligetra e
aquello para o quarto da mesilla arma; o ro-
comnicndaiido-llie que os faqa seguir para os
respectivos corpos.
Dito.-Ao chefe do polica, inteirundo-o
de quo deve remeller o preso Theodoro Mar-
ques Vieira ao juiz municipal do Nazarelh
quo o requisita para responder all ao
jury. .
Dilo. Ao mesmo, Iransmitlindo, para
quo teuha prompta execuefio, copia do aviso
de 5 do corrente, em qoo o Exm. Sr. minis-
tro da justica oxigo osmappas dos enmes
de que t ata o artigo 181 do regulamento
de 31 do Janeiro de 1842.
Dito.-Ao concelheirt) presidente da rela-
efio, communicando quo nesta data pres-
tou juramento o tomou posse do cargo de
juiz de direitoda comarca de Flores o ba-
charel Jos Antonio de Oliveira o Silva, que
para elle fra nomeado por decreto de 21
de-agosto ultimo.-Expediram-se as con-
venientes coinmunicages
Dito.-Ao inspector da thesourana de fa-
zenda, remetiendo, para que lenha a dcvida
execuefio, o decreto de 3 do corrente, pelo
qualS M. o Imperador houve por bem no-
mear a Jos Victorino de Lemos contador
d'aquella Ihesouraria.
Dilo.-Ao agaiite ift companhia das bar-
cas de vapor.para que mande dar passa-
gem para o Cear a bordo do vapor .S.-Aa-
tador tres pracas de pret do corpo hxo
['aquella provincia.
Dilo.-Aomesmo, determinando expeca a
convenientes ordens afim de que o com-
mandante do vapor .-Salvador receba a
seu bordo e conduza provincia do Para o
capitfio do terceiro batalhfio de aililhar.aa
l Jofio Francisco Catete, eseu camarada,
wte por conla do governo, e aquelle como
passgeiro d'estado. t
Dilo.-Ao inspector do arsenal do ma-
rinha, communicando que 8. M. o Impe-
rador, por decreto de 23 de julho ultimo,
houvera por bom nomear o Exm. desembar-
gador Manoel Vicir Tosa para o cargo de
ministro e secretario d'estado dos nogocios
da maniiha.7-Neste sentido fiieiou-so ao
contador da mariuha. ... ,,
Dito.-A cmara municipal do Rio-ror-
moso, declarando que deve commumear ao
parodio d'aquella freguezia o da lixado
para a eleicflo, allm de que elle possa cum-
prir os deveres que Ihe impo a le regula-
mentar. cas eleices -lnleirou-se o parodio
da reorida freguezia. ,,,., ,-
Dilo.-A' cmara municipal de Oiinda, dt-
so.t de Mella
ni1
*1. **
zondo quo polo vender em hasta publica
as bataneas, pesos do bronr.c e domis per-
lences deltas, que lazan, parte do sen
patrimonio o que repula desnecessari.-.s ; o
prevenindo-a de quo a somellianto venda
dovo preceder a avallaqfio daquellos oli-
jeclos.
Portara. llavendo o cidadfio Joaqun.
Francisco do llego reniiiuiado peanlo o
juiz municipal do tormo de Igunrassu, por
motivos do molestia, o ollicio de cscr.v.oi
do orplifios o ausenlos que oxercla no rel
rido tormo.: o presidente d* i rovineia ten.
rosolvido acoilar provisoriamente esta re-
nuncia e ordena quo nesto sent lo se ex-
pocam as convenientes partieipacoei. -
Comniunicou-se ao referido jui/. inunt-
ci pal.
TRIBUNAL DA mSJLACAO'.
m:ssao dr 18 ni' sF.riMtmo m i-
rBESiKNC no fam. susnoa
COVCM-BBIBO A7.F.VKDO.
A's dez lioras da inanliai, acliando-se pre-
sentes os Srs. dcseiiibareadiires Hamos, \ .lla-
res, llastu*, Lean, Sou/.a, llebi.llo e Luna I rene,
fallando enm causa Sr. descinbarRador ton-
ce, oSr. presidente declarou iberia a SC*saO.
lll.GAMENrOS.
Jfipctfaces ctreti.
Appellantc, Antonio de Padna Cesar, dr Mal-
los; appellado, Francisco de Paula I ener i
Chaves -Mandaran, averliaro Imposto. .
Appellanle, o jnuo ; appellado, Joiio Baptlsl.l
Quedes.Mandara ni averbar a di/una.
Appellante, Manoel Elias de Moura ; appella-
do, Jof.o Plu de lemos.Dcsproaoraui o*
emliargos do appellanle.
Appcllanies, 1). Mara Helena Pe
e outro ; appellado. Jnaquin
reir.Fram jnluados provados os auto-
habililacilo da viuvado appellado.
Appellanle, Joaqui.n da Silva Pereira anpcl-
lado, Pedro Cavalcantc de Albuqiierqiie l.m;-..
--Fram recebldos os autos de habllllaeao
da viuva do appellanle.
ApptUaci'o crele.
Appellanle, Aleixo de Campos Barros ; appel-
lado, ojiio criminal d.- Alagas.Julga-
rain Iinnrocedcnte o recurso, e mandaran.
subincltcr o reo a novo ju. j.
/((curso crime.
Rccorrcntcs, Jos l.uiz Beltro Mavlgoler e o
-bacharel Jos Aiib>'1o Marcio da Silv.Jul-
garaui Improcedente o raouno,atienta a po
va dos autos.
Aggravo de peti'ila.
ABgravantc. Miguel Arcanjo.de Flgnclredo.
Ncgaraiu proviineulo.
Deiignacues.
Ful assignado o 1." da til para ojulga-
ment dos scguinlcs feitos.
Appellaci'ei riveii.
Appellanle, .loao Goncalves Valcnle ; appella-
do, Antonio Kerreira dos SantosCamlnha.
Appellantc, Joao Evangelista da Costa e Silva :
appellado. Joao da Silva Moura.
RfvteBet.
Passou do Sr. descn.bai-ador Hamos ao Sr.
desenibargador Villares a appcllacao civcl em
que sao :
Appellante, os herdeiros de I). Viceneia Joa-
quina da Conceiciio ; appellado, PrncUco
Joaquiu. Cardoso.
Passou do Sr. descinbargador Villares ao Sr,
desembaruador Ilaslos a appcllaeao civel cm
quil sao :
Appellante, Domingos Pereira Mendanha ; ap-
pellado, Joaquiu. Fcrreira.
l'assarain do Sr. desenibaigadnr lleliello ao
Sr. desembargado. Luna Freir a> ippcllacflrs
civeis ein que Sao :
apellante, Jos Marta Freir Gameiro : ap-
pellado, Bernardo Fernandes Gama.
Appellanle, o juizo dos ausentes ; appellado,
Lui/. Borges de Siquelra.
Passaram doSr. desembargador Luna I-reir
ao Sr. desembargador Ramos M appellacOes
civeis em que sao :
Appcllanles e appellados Bernardo l.asserre &
C c Bernardino Gomes dcCarvalho.
Anpellanles, Men les e;- Tarroso appellado,
Francisco da Silva Medciro.
ZiirituifiVi.
AoSr. desembargador Sou/a o recurso cri-
nic do juii de dirc'.lo desta cidade em que sao:
llecorrente, o bacharel Vicente Fcrreira Go
mes; recorrido, o juizo.
Ao Sr. desembargador Rebello o recurso cri-
me do juiz de direito desta eldade em que sao
Recrreme, Joao Rodrigues Vellozo recorri-
do, o juizo.
Ao Sr. desembargador Villares a appelMCM
civel desta cidade ein que sao :
Appellante, Manoel Jos Pereira de Mello ni-
redor da parda Rosai appellada. I>. Main
Carolina Ferrcira de Cirvalho.
Ao Sr. deseinbagador Bastos a appellaean
civel do juizo da fazenda cm que sao :
Appellante, Delf.no dos Anjos Teixeira ap
pellada, a fazenda provincial.
Ao Sr. desembargado!- T.eao a appellaCao ci-
vel do juio da fazenda da cidade da Fortaleza
em que siio :
Appellante, o juizo; appellado, Antonio Co-
mes Pessoa.
Lcvantou-se a sessao una hora.
EXTEft.Ott.
ESTATISTICA DA CIDADE DE ROMA.
Roma, no tempo de Tiberio ora habitada
por-V,800,000 almas; hoje ella conla apenas
de 185 a 190,000 habitantes, dos quaes ir,o
mil somonte sfio indgenas o 25 a 30,000 es-
trangeiros.
Roma linlia 19 portas,
hoje lem sumen-



le 13, por isso que sois fdram tajadas coi
pe.'ra e cal.
A onll-edral de San-Pedro tom 192 metros
de comprimenlo, 28 de largura e 156 deal-
lura. A cpula ten 113 metros de circum-
ferencia.
Quando urna pessoa chega ao teclo da
igreja, hc-lli preciso anda suhir 30."> de
graos pura tocar a cruz collocada sobre o
.-illo da cu pula. As estatuas dos doze apos-
tlos o a de jess que roram a fachada do
edificio, tem cada uma cinco metros de al-
tura
O altar mor de San-Pedro lio de bronze;
elle tem 41 metros de altura c pesa 225,000
hilogrammas.
O palacio de Vaticano eonlm 4,422 salas
e iiiini los, e 22 pateos. Km sua cnistriiccTm
gustaram-se 108 anuos o nove tmzes, e 65
milh0"s de francos, afora os dons incalcu-
lavis, feitos pela chiistandade.
\as catacumbas de S.-Sebasti i repousam
14 papas emais de 170 martyres. Km lio-
rna, antes da actual revolueflo,' liavia sempre
pono mais cu menos 36 bispos, 56 car-
deaes, 2,000 conegos ou padres, 10,000 se-
minaristas, frailes c religiosas, 13 basilicas,
:>t paroehias, 153 igrejas servidas pelo cle-
iii, 250 con ventos para os dous sexos e mais
de 2,(100 oratorios pblicos ou particulares,
nove liospitaes, duas universidades, 14 col-
Icgios, 70 escolas para ambos os sexos, sete
quarteis, sei6 prisoes o mu tos cemiterios
Ha ilemais 775 ras, 148 pracas, 335 pala-
cios, 5,SCO urmazeos, II hibliulheciS publi-
cas, oilo academias Iliterarias, seis jardins
pblicos, 12 llieatros, seis mercados, 50
chafurizos grandes monumentars, e mais de
10,000 perlenrentes a particulares, f>77 co-
lumnas e 13 obeliscos.
As igrejas e oratorios pblicos ou parti-
culares consuniinrt> cada anuo meio milhfio
de kiliigrammas do cera ; 2,000 carros de
todas as i|iialiilados percorriam as ruase
rontavam-se alli 10,000 cavallos.
A//manan.
Segundo as ultimas noticias parece que
o vigario do imperio quer decididamente
encelar a lula com a Prussia. .Nflo smenle
cllese dispoe para vollar a Fianckfort, se-
nSa tatnbem rccompfie sua administracflo e
leciama pnergicameiite, como nico repre-
sentanle do rodr central, a entrega da for-
taleza fcdeial ile Itastadt c o (Incito de no-
mear seu cornil.mulante.
Da-se alm disso como ceito que o Wur-
temlieig entra decididamente na liga for-
mada entre a Itaviera e a Austria contra a
Prusaia, As correspondencias de Fianck-
l'oit fazem-nos entrever como resultado fi-
nal desia luta entre o mcio-dia e o norte da
Allemanba o restabelecimento provavcl, e
quasi puro e simples da anliga dieta, isto
lie, oaliandouo completo do sontio unitario.
O correspondente de Nuremberg essegura
alo que urna entrevista tove lugar eni Cons-
tancia entro os res de Itaviera e Vurlem-
berg ; milicia que a ser exacta be da maior
importancia.
gassom do seu dever prevenir o senado de
sua chegada. O fim da Prussia parece ter
sido anticipar a oceupaefo dcsta cidade pe
las tropas austracas. A luta entre estas
duas potencias contina, pois, o seu curso.
O vigario do imperio nem por isso parece
m*nos decidido a voltar para asede do po-
der central, na poca por ello indicada.
Ki.tretanto, parce que ha receios de col-
lisoes entre as tropas bavaras, chegadas l-
timamente a Franckforl, para protegerem o
vigario do imperio, quando para alli voltar
He uma complicando nova em uma questfo
ja sufllcientemente complicada.
(Journal du Havre.)
PEPiNAMBUCD.
RI.F.ICAO PARA DF.PUTADOS PflOVINClAKS.
Resultado da volaedo theollegio di Garanhuns,
segundo a authenlica remeltida ao Exm. Sr.
presidente da provincia.
os seNiionas. votos.
Pedro de Atbaide Lobo Hoscoso 95
los Pedro da Silva 93
Joflo Francisco Duarte Jnior 91
Antonio Teix-ira de Macedo 92
I.uiz Paulino C. Vellez de Guevara 92
N'emczio de S.-Joio (ualherto 92
Lourrnco Bezerra C. de Albuquerque 90
Joflo Querino Rodrigues da Silva 90
Rodrigo Castor de A Maranhito 90
Leonardo Bezerra de S. Cavalcante 89
Apollinario Florentino de A. Maranhao 86
Joflo Raplista Rodrigues da Silva 81
Joflo do llego Barros Falcilo 81
Firmino Pereira Monleiro T
Jos de Albuquerque Cavalcante 73
Dardo di Suassiina 73
Manoel Coelho Cintra 71
Domingos Malaquias de AguiarP. F. (9
Jos Nicolao Regueira Cosa 68
Pedro Francisco de I. Cavalcante 67
Manoel de Souza Tcixeira 66
llerculano Goncalves da Rocha 66
Jos Francisco da Costa Comes 60
Antonio do Vasconcellos M. de Drumond 60
58
56
56
56
54
50
50
50
50
50
46
45
42
41
40
A posieflo da Allemanha compliea-se cada
vez mais; de da em dia ella se lorna cada
vez mais critica.
A siihlevacfio foi vencida as ras, a or-
den) iiiuniplioii da desorden), i revoluto
fui comprimida e refrelada pelas bayonetas
pruasianaSi porm o mal nflo desappareceu;
elle existe tflo vivo, tilo grande como d'an-
tes ; elle tem a mesma intensidade, o mes-
mu grao deforma, em urna palavra a Alle-
maiiba nflo esta salva por ter abatido a ca-
brea da demagogia. As difliculdades ven-
rulas materialmente acham-se boje em ou-
Iro lugar, nos gabinetes dosgevernos; a
lula, a grande luta be entre a Prussia, a
Austiia e a Baviera de uma parte, entre a
Prussia e ogoverno central de FrancUforl
la nutra.
Com tlTeito este ultimo ja n3o existo ; al-
guns Snpros de vida que Ihe restam, elloOt
leie a lUviea, ao Wurtemberg, a Saxonia
0 ao Hanovre ; mas que sao todas estas po-
tencias ao lado da Prussia, de quo servirlo
seus (rolestos, no momento em que esta ul-
tima liOo quizer mais o goveino de Franck-
l'orl? Lila assumio a gloria de ter vencido
a 11voluijfii) em Dresd, em Badn e em Bas-
tad!, ella quer ter laiulicui a de venciVIa em
Franekfort. A queslflo que resla a ser rc-
solvida entie a Prussia e o vigario do impe-
rio nao he, portento, mais uma quesillo se-
ria. Kste ultimo ci hii infallivelmentc
elle sabio da ri volnco, e a revolueflo deve
. ui cuml ir por toda a parle, em lodosos
pontos da Allemanha ; tal he a vcutade da
Prussia.
O verdadeiro perigo, perigo tanto mais
grave e serio, quanto pode clevar-se as pro-
porcOoi de uma queslflo europea, he o anta-
gonismo enlre a Prussia o a Austria, susten-
tada i ela Baviera, a qual formalmente re-
presenta o | a i el de potencia mediadora,
poim icalmcnle intriga para assegurar sua
proprla supremaca.
as complicnQOes desias tres primeirai
polciirias da Allemanha e.-ta toda a quesillo,
e da solueflo que Ihe lr dada depender a
sol le fatuta do giande impeio germnico.
A Prussia considera-so cuino a primeia
potencia i ella o he com eTeito. Klla quer
dominar ; mas a Austria, lera ostentar Un-
to orgulho, ne ni fazci tanta bulla como sua
rival, n.to se julga menos digna de presidir
ao destino da Allemanha ; entretanto, fazen-
do-ll.e juslica, ella lie mines exclusiva,
menos arrogante em suas proposicOrs; ella
he inclinada a conceasflo, apaiiilha da su-
premaca entre al o a Prussia.
ii papel que a Uavierr representa, he ser,
como acabamos de dizer, mediadora enlre
estas duas potencias; he conciliar as pre-
teneOcs de cada uma, sustentando oa inte-
resses la Austria, os quaes silo seus pro-
prius interesses. A Austria he catholica, a
Naviera o he igualmente ; a Prussia he pro-
tesiaule. Se esta ultima vencer em suas
prclcncOes exclusivas de Substituir, por si
s, o poder central de Franckforl, he cerlo
que a Austria recusar fazer paite desta con-
lederacflo imperial, e entilo que ser Jeito
da Baviera que papel representarla ella,
que he ratholica, dcbaixo da dominagflode
um poder iminenso protestante ?
Tal he o oslado das cousas, e a immensa
complicado em que se acha a Allemanha ;
por mais poltica que seja a questflo, ella
acabar finalmente por tornar-se religiosa:
isto he o que se prev.
Franckforl foi decididamente oceupada
pelos Prussiauos sem que mesmo estes jul-
Fnncisco Alves Cavalcante Camhoim
Francisco Joaquim de Barros Correia
Jos Filippo do Souza l.e.lo
Zeferino da Cimba Bastos
Jos Pedro Vellozo da Silveira
Rento Jos de Souza
Antonio Jos de Oliveira
I.univoco Francisco do A. Catando
Antonio Baptisla Gitirana
liento Jof Fernandos Barros
Antonio de Su Lina e Albuquerque
Manoel Francisco de Paula C. de A.
Florianno Correa do Brillo
Antonio Vctor Correia
Fiancisco Jacintho Peieira
Antonio Francisco Connives Giiimartes 40
os sas.
Manoel de Souza Teixcira
l'.ai.m do Suassuna
Jos Pedro da Silva
Manoel F. de P. Cavslcanto de Albuq.
Fabio Vellozo da Silveira
Jos Nicolao Rogueira Costa.
Francisco do Reg Barros Brrelo
Luiz Paulino Cavalcante Vellez de G.
Jooquim Manoel Vieira de Mello
Antonio Carneiro Machado Rios
Ignacio Joaquim de Souza Lefio
Jos Ignacio Soares de Macedo
Francisco Raphael de Mello Reg
Joflo de Caldas Ribeiro Compos
Lourenco Francisco do Almeida C.
Domingos Malaquias de A. P. Ferreira.
Florianno Correa deBritlo
Pedro Uaudiano de Rales e Silva
Jos Antonio Lopes
Leonardo Bezerra de Siqueira C.
Antonio Baptisla Cilirana
Francisco Joflo"Carneiro da Cunha
Joflo do Reg Barros Falcflo
Jos Cardozo de Quciroz Fonseca.
Joflo Floripes Dias Brrelo
Manoel Joaquim Carneiro da Cunha
Francisco de Paula Rodrigues de A.
Jos Quintino de Castro LeSo
Rodrigo Castor de Albuquerque M.
Jos Itandeira de Mello
Jos Francisco da Costa Comes
Cosme deS Pereira
Jos Filippo do Souza l.e.lo
Francisco Rodrigues Selle
Francisco do Paula Baptisla
VOTOS.
02
568
525
478
459
458
457
451
447
441
424
422
418
396
386
377
377
361
359
357
354
353
351
344
342
340
337
330
313
312
311
309
304
299
297
Eltitoret da /reguezia de Sauta-Marim da Ma-
l'nM, [eitoi illa qualitieaca di Janeiro deile
anuo.
labio Vellozo da Silveira
Tiburlino Pinto de AlmeiJa
Francisco Xavier Paos Brrelo
Silvestre Antonio de Oliveira Mello
Miguel Filippe de Sou?a l.cflo
1 inlielino Cuedcsde Mello
Jos Ignacio Soaresde Mocedo
Manoel Thomaz Rodrigues Campcllo
Francisco Carneiro Machado Rios
Miguel Arcanjo da Silva Costa
Jos Antonio Lopes
Aiexaadrc Bernardino dos Reis e Silva
Manoel Joaquim Carneiro da Cunha
Guilhermino Clemente M. Bacalho
Leonardo Antunes Meira Delinques
Venancio llenriques de R. Mciidonca
Pedro Manoel da Silva
Manoel Ferreira de Almcida
Ignacio Joaquim de Souza Lefio
Jos Theodoro Cordeiro
Augusto Fredcrico de Oliveira
Flix Tlieolonio da Silva Gusmffo
Joflo de Souza Reis
Jos Caelano do Medeiros
Jos Mannho Pereira dos Santos
Joflo Jos Pereira
Antonio llerculano de Souza Randeira
Joo Jos Pinto
Francisco de Paula BaptlsU
Francisco Xavier da Lima
Manoel Jos Pereira de Mello
Mareos Correia da Cmara Tamarindos
Joflo JOS Ferrcira de Aguiar
Antonio Coelho de Sa Cavalcante
JofluDias Perchado Araujo Coutinbo
Francisco Ignacio de Paiva
Luiz Carlos Coelho da Siva
Francisco Alves da Silva
Manoel Clcmentino Carneiro da Cunha
Jos Raymundo da C. Menezcs
Joaquim de Aquino Fonseca
Domingos AlTonso Nery Ferreira
Francisco Joaquim das Chagas
Manoel Claro Gonsalves Guerra
Agoslinho Bezerra da S. Cavalcante
Jos de Carvalho do A. Cavalcante
Florencio Jos Carneiro Monleiro
Francisco Ferreira Brrelo
Amaro Bezerra Carneiro C.
Francisco do Rcgo Barros Brrelo
Manoel Porfirio de Castro Araujo
Manoel Jos la Silva Neiva
Barflo de I, ojuc.i
Joaquim Pililo o Campos
Pacilico Lopes de Siqueira
Jo-e Thoim/. Nabuco de Araujo Jnior
Ignacio de Barros Brrelo
Jos Mara Ramos GurjSo
Victoriano de Si e Albuquerque
Manoel Ribeiro Granja.
Simplicio Auto Mavignier ..,
Bodolpho Joo Barata de Almeida
Domingos de Souza Leflo
Cosme deS Pereira
Jos Bazilin de Freita* Peixoto
Alvaro Barbalho Ucha Cavalcante
l iiiui.e FernandesMadeira do Castro
Antonio Epaminondas de Mello
Jos Qninlino de Castro Lefio
Christovflo Xavier Lopes
Jos Mai i* de Uarros Brrelo
Josc Alves Bezerra Cavalcantcf
Lui/.do Carvalho Paes de Andrade
Antonio Francisco Cordeiro de Carvalho
Jos liaiideira de Moli
LourenciJ Correia do S
Joflo de Caldas Ribeiro Campos
Francisco de Paula Cavalcanls
Chrisiovflo Teixuira de Macedo
Manoel Carneiro UflS de Albuquerque
Francisco Bapliaefde Moli Bego
Jos Antonio de Figueiredo
Joaquim Manoel de Lavr
40
39
39
3fi
3:1
n
39
31
30
30
27
SI
24
33
22
22
31
L'l
20
20
20
a0
90
10
l!l
19
18
17
17
17
17
19
13
13
13
13
12
12
12
II1
II.
11
8
8
8;
7,
71
7
7
2!
6

6i
6
5
5
5
5
3
2
OS SBS. VOTol.
Amonio Rodrigues Coelho Jnior |28
Manoel .Nunes de Barros 1>8
Joo deiii?.a Heis 127
Jeronyino Gomes llego 126
Luciano I.eile da Silva 124
Jos Innoccncio Rodrigues Coelho i.'.->.
Manoel Joaquim da Silva 121
Ignacio Francisco da Piirilicacao 120
Jos .luiNpiui:.....Ilorlrigues Coelho 120
Thoiuaz de Aquino liarbosa 119
Angelo Francisco Marlins 119
Francisco Antonio Gines 118
Theotonio Rodrigues Coelho 118
Joo Jos de Araujo 118
Francisco Manoel i'iodrigucs Coelho 117
Antonio Jos Pereira 117
Jos Honorio de Souza lili
Manoel Jos Gomes nii
Manoel Marques de Souza 115
l ilii.'iiiln Nones de Barros i |-
Jos Francisco dos Sanios 114
Jos Bafiniindo Gomes 112
Anlouio Barbosa Nogueira 111
Jos Rodrigues O cilio iii'l
Manoel Luiz Pereira 108
Correspondencia.
dos primeiros a servir-se della, e colherem
as vantagens que ella olerece.
Seria uma desgraca para o Brasil, so os
seus sonhores de engenho, enterrados na
rotina, se-deixassem supplantar pelos dos
outros paizes por negligencia sua.
Soguirei esta queslflo com o maior cuida-
do, para o informar do que fr occorrendo.
Paria, 2 de agostn de 1849.
________ Joii* Lucio Correia.
COMMEftCIO.
ALFANDEGA.
Rendlmento do dia 19 .
CONSULADO CERAL.
Rendimenlo do dia 19.......
Diversas provincias........
15:419,571
997,964
74,227
1:072,191
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimenlo do dia 19
405,351
tfovimento do Porto,
Navio entrado no dia 19.
Marseille pelas ilhas do Cabo-Verde 66
dias o do ultimo porto 38, brigue francez
Faber, de 135 toneladas, capitflo Jeansel-
me, equipagem 12, carga diversos gene-
ros; a B. Lasserre& Companhia.
Navios sahidos no mesmo dia.
Macei Rarca ingleza Columbus, capitflo
Daniel Creen, carga assucar e algodfio.
Passageiras, madame Bedulack com uma
filil menor o uma criada.
Ilha de FernandoHiato brasileiro Para-
hibano, capitflo Nicolao Francisco da Cos-
ta, carga varios gneros.
ObsirvacSo,
Arrihoo pela segunda vez a escuna ingle-
^za Fttnella, capitflo Elward Wild, tondo che-
gado aqui em odia 6 do corrente.
Para o Aracaty sabe, al o lim do cor-
rente mez, a sumaca Carlota, por se aclur
com a maior parlo da carga a bordo : para o
restante trata-se com Luiz Jos de S Arau-
jo, na ra da Cruz, n. 33.
Le loes.
EDITA L
Srs. Rtdncloret.Sou Toreado a pedir-lhe o
obsequio de franquearein-mc um pequeo es-
pado do seu Diario, para que poisa eu apresen-
tar uma pequea declaracSo, de que nao devo
prescindir.
Por occasiao de assignar o atlestado publi-
cado no Diario de fernambuco n. 204, entre ou-
tras consideraefles que apresentei ao Sr. Dr.
Nabuco. foi por certo nina deltas o ler-me
eu retirado do jury as 7 I \i horas da noitc,
com permissao de 8. S., pelo que o mcu teste-
iiiii i,lio se nao poda eilender a Tactos por ven-
tura alli acontecidos alih daquellas horas ; o
que he clarissiiuo. Logo nao foi por alguinaa
das rasos aprcaenladas pelo Diario Novo n. 85,
que tal altrsladu eu assignei. 1" posto que o
Sr. Dr. Nabuco, pelo fado de servir-e de mi-
nba assignalura, se constituisse (ao meo vr)
devedor d'iiuia observaco a meu respeitn, no
sentido daquella minha consideracao ; todava
n.iii devo considerar tal omissao scno como
cll'eito de simples esquecimento porqu*, o
contrario, fura suppr que valor miii grande
d o Sr. Dr. Nabuco minha assignalura; o
que a rasao me no autorisa a crer.
Sou, lie.
.1 iiiiiiu de Souza Rangel.
Resumo da volae-o dos colligios da provincia,
excepto os da Ua- Vista c Flora.
OS SIS. VOTOS.
Pedro F. dep. Cavalcante Albuquerque 666
VaRIEOaDE.
DESCOBF.RTA IMPORTANTE.
Um cbimico belga, Mr. Melseni, descobrio
urna iiianeira de extrahir e de fabricar o assu-
car, lano da canoa coino_ de beteravia, que
tem eito grande coinnioco as peisoas Inte-
resadas na quesillo. Ogoverno francei tralou
com Mr. Melsens a coiiipa do seu processo, e
eslao-sc a fazer experiencias em grande es-
cala.
Das experiencias ja fellas resulta o seguiu-
1. Que o processo de Mr. Melsens, inlrodu-
zido na industria, far una iniidanca absolu-
ta na cxlraccao e fabrico d assucar, tanto de
eanna como de beleravia.
2." Que por csse processo se extrabir 33 |
de assnear de mais, do que presntenteme.
3." Que o processo permiltir de empregar
mti'oi tari, que o reudiinento do assucar da
canna dobrar.
4." Que produzir assucar de qualidades su-
periores tanto em cor, como em goslo, ao que
se fabrica actualmente.
5." Que o agente cbimico, base do novo pro-
cesso, mo tem inconveniente alguin, nempara
o obreiro neiu para a san Je publica.
6 Que esse agente cbimico lorna inuteis os
apparelhos dispendiosos ecomplicados deque
se hoje usa.
7.a Que a l.ilu c.ieiin do assucar de canna,
ou de beteravia, se lomar lao simples, que
nao baver mais recelo de ver a/.edar, ou de-
cotnpor-se o caldo da canna-
8 Que qualqucr senbor de engenho, sem
ter de operar grandes inudancas as suas ma-
chinas e utensilios, poder appliear iimnedia-
tamenie o processo de Mr. Melsens.
9 Que as despezas de extracto e fabri-
carlo scrllo diminuidas de uma manara
limito nolavel.
Tal he o resultado estrahido do rclatorio
do ministro do interior ao rei da llelfcica,
rcliitoi io apoiado pelas experiencias feitas
debaixoda insnec(flo dos clebres chimicos
Humas, l'aul Claes e J. S. Stas, e em couse-
quencia do que Mr. Melsens acaba du ser
condecorado com a ordem real de Leopol-
do, que he a nica que ha na Blgica
o prximo mez de setembro, comec,ar
a safra da beleravia, e enloiis experien-
cias serflo postas ao alcncete todo o mun-
do, esorealisara o tratado feilo rom o go-
verno francez, que permitlii ao mesmo go-
veruo publicar todo o processo de Mr. Mel-
sens.
O Sr* Humas he hoje o primeiro cbimico
do mundo e debaixo da sua responsabilida-
de, uinguem duvidar da bondado do sys-
temadoSr. Melsens.
Mais do que uinguem, os senbores de en-
genho do Brasil se devem preocupar desta
nova e importante descoberta, para serem
Pela inspecloria da alfai.dega se faz pu
blico que, no dia 20 do corrente, depois do
meio-ili i, na porta da mesma se hflo de
arrematar 26 duzias de chinellas de algo-
dflo, por factura duzia 7,000 rs. total 182/
rs. e 20 duzias de sapatos para enancas ,
por factura duzia 4,500 rs., total 90/ rs.,
impugnadas polo amanuense Gabriel AlTon-
so Regueira, no despacho n. 241 : sendo a
arrematarlo subjeita aos direilos.
Alfandega de Pornamhuco, 18 te setem-
bro de 1849. /aconte Gerardo Mara Lu-
machi de Mello.
O corretor Oliveira far leilfio do pt.
tacho nacional Diligente de 135 toneladas
Tundeado na volta defronlo do Porte-dol
Mallos, onde os pretenden tos pdetn ir ex-
mina-lo com antecedencia, assim como de
todos os pertences do mesmo, em um j
lote: este patacho, sobre ser muito velei-
ro, he ile excellente construccSo america-
na, encavilhado e forrado de cobre, o ach-
so no melhor estado para deprompto se-
guir qualquer viagem : quinta-feira, 20do
corrente, ao meio-dia em ponto, porta di
associacflo commercial.
F. Saunders, lendo-se retirado pira
Inglaterra ordenou previamente ao corre-
tur Oliveira, o leilfio de toda a mobilis e
adornos da sua casa, consistlndo em o mais
lindo e excellente piano existente nesu
cidade, dous grandes e ricos espedios com
Iremos para sala, sofs, mesa redonda,
ditas de jogo, cadeiraa modernas lano
usuaescomode halanco e de bracos, lustre
de bronze, lampeOes, secretarias, estantes
para msica, a mais perfeila colleccflo de
gravurase.m quadros, guarda-vestidos, es-
crivaninhas, marquezas, toucadores, mesi
de jantar, cadeir-is para diversas salas, apa-
rador, louca de mesa e sobremesa, agpare-
lhos para cha e caf, vasos de porcellan,
rr.esinhns diversas, leitos do ferro, ditos de
madeira com seus perloncos, vasos dejir-
dim, eolheres, garfus e faccas, muitos cry-
laes para mesa.e outros para enfeile; e aleo
do trom de cozinha, u numerosos outroj
arligos uteis e necessarios, um ptimo car-
ro de qualro rodas com arreios para ca-
vallos, &,& : lera, pois, lugar dito leilflo,
sexta-feira, 21 do crrente, s 10 horas di
mantilla em ponto, na casa outr'ora da re-
sidencia do Exm. Sr. barflo da Ra-Vista,
Passagem-da-Magdalena.

Declarares.
Pela segunda secgflo do consulado
provincial scientifica-se aos donos dos es-
labelecimentos comprehendidos no titulo
9.14da ledo orcamento provincial do
anno corrente que se principia do 1 de
outubro vindouro em dianlea qobrar-se o
imposto de 12,800 rs.. creado pela referida
le.
l'erantea adminislrac.io do patrimo-
nio dos orphflos se hflo de arrematara quem
mais der e pelo tempo que decorrer do lia
da arremalacfio aleo lim dejunho de 1852,
as rendas do armazem da cas n. 14, na
ra do Azeite-de-Pcixe e asila casa n. 27,
na ra do Vigario: e herir assim a quem
por menos Iher os concertos de que preci-
sa o collcgio dos orphflos em linda: as
pessoas que se propozcom a arromatar di-
tas rendase concertos, poderflo comparecer
no dia 20 do corrente mez na casa das ses-
soes da dita adminislracflo as 4 horas da
tarde com seus dadores.
Secretaria da adminislracflo do patrimo-
nio dos orphflos, 14 do setembro de 1849.
Joao Franciico de Chaby, secretario.
Avisos martimos.
A barca franceza Jcune-Nclly. capitflo
Tombarel sabe imprclerivclmento para o
Havre no dia 30 do corrente: quem qui-
zer ir do passagem para o que tom excel
lent's commodos, dirija-sc a casa dos con-
signatarios Didier Colombiez & C.
-- Para o Aracaty segu viagem com bre-
vidade a sumaca nacional Carlota, mostr
Jos Goncalves Simas : para carga e passa-
geiros, trala-se com o mesmo tnestre, ou
com Luiz Jos de S Araujo; na ra da Cruz,
n. 33.
I'ara n Ualiin segu viageiy
era pticos dias o veleiro padio
atriftiano CrusSe, tenlo excellen
les commodos para passageiros :
os prelendentes diijani-se a Ma-
llteiis Auslin & Compnnhia,' ra
da Alfatidega-Vellia, n. 36.
I'ara o Hio-de-Jnnpiro sabe,
no dia 23 do corrente, a bem co-
nhecida e veleira barca nacional
Firmeza: para o resto da carga,
pass-ageiros e escravos a frete, tra-
la-se com o cipito, lNarci.so Jos
de Sanl'Anna, na praca do Com-
mercio, ou na rita da JVladre-de-
Ueos, n. 3., tercero andar.
I'ara o Kio-de-Janeiro sabe
em peucos dias o patacho San-
Jos-Americano : para carga, pas-
sageiros c escravos a frete, trata-
se com o capilao no caes da Alfan-
dega, ou na ra da Madre dc-
Deos, n. 3,.tercero andar.
O lirfgue-escum nacional
Olinda segu em poucos dias para
o Cear'com a carga que obl^ver :
para esta ou passageiros, trata-se
com o capitao, Manoel Marciano
Ferreira, ou com Machado & PT-
nheiro, na ruado Vigario, n. iO,
segundo andar.
Avisos diversos.
i i -i i i
Estcvao de Gasse.
Oencarrcgado da venda do rap prinre-
za da fabrica de Gasse do Uio-de-Janeiro
declara a lodos os freguezes que o deposi-
to se acha completamente prvido de
meias libras das 3 qualidades, fino, gros-
so e meio-grosso de que levo por algans
dias falta : seu precocontinua a sera 1,380
rs. de 5 libras para cima.
Na ru do Queimado, n. 14, segunda
andar, se dir quem d dinheiro a premio.
Na mesma casa compra-se ouro e prala no
estado em que estiver.
O beneficiado do dia 23 de setembro de
1849 avisa ao respeitavel publico desta ci-.
dade que transferio o seu espectculo pi-
ra quinta-feira 27do dito mez de setem-
bro, em virtude de ter o Snr. director do
theatro de S.-francisco transferido para o
tlia 22 do corrente o seu espectculo an-
nunciado para o dia 15 do mesmo.
Negocia-se uma lettra aceita do Sr. J.
J. II. dos Si, a qual est vencida e impor-
ta de principal e juros 370,000 rs.: quem
este negocio quizer fazor dirija-se ra
larga do llozario, ns. 5e8.
Itoga-se as pessoas que estilo devendo a
D. Thereza Paes Cortcz, viuva do majur de
primeira linha Antonio l'aes Cortea, de se
dirigirem ra Direita, sobrado n. 4, pri-
meiro andar, a trataren! sobre seus dbitos ;
0 os que nao o lizerein serflo seus nomos
publicados nesta folha.
Manoel de Almeida Lopes que coslu-
ma comprar o vender escravos mudou sua
residencia da ra do Vigario, n. 24, para a
ra da lanicia do ftocife, n. 40.
-- Na ra nova, loia n. 58, se diri quem
d dinheiio a premio as quantias de 200,
300, 400, 500 e 600,000 rs. com hypolhe-
ca cm casas terreas.
Deseja-se fallar a negocio de bastante
interesse, na ra da Cadeia do Recite, n.
24, loia de cambio, com osSrs. Joflo Bap-'
tiste de Soasa, Manoel Bstcves de Abreu,
Joflo AlTonso, Antonio Jos de Alcntara,
Manoel de Oliveira Paz, Jos Antonio Coe-
lho do Meirelles, Vicente Ferreira Kbntes,-
Vicente Joio de Dos, Jos Policarpo de
Freitas, Joflo Amancio de Souza Ribeiro,
Joflo Jos Rodrigues de Almeida e Albu-
querque, Francisco Ignacio i.opes e com O
Rvm. Fr. Lourenco da Coucirjflo e Silva.
Aluga-so a casa de sobrado em S.-Ama-
rinho que lio dos herdeiros do finado Ma-
Lnoell.uizda Veiga com commodos para
urna grande familia terreno contiguo ao
mesmo sobrado e parto do un viveiro de
peixe : a tratar com Manoel Luiz da Voiga,
na ra da Madre-de-Deos, n. 36, primeiro
aodar.
Dentes artificiaos.
j. A. S. Jane, dentista, participa ao res-
peitavel publico quo contina a exercor a
sua profissiio na ra cstreita do Rozario,
n. 16, |u uncu u amlac
Precisa-se alugar uma preta captiva
para lavar, engomuiar e fazer lodo o mais
servicodc uma casa de familia: no largo
das (aneo-Ponas, sobrado de um andar
confronte a matriz.
Sebastifio Tobler faz uma viagem a
F.uropa.
Viccnlo Ferreira da Costa aluga o pri-
meiro andar da casa da ra da Madre-de-
Deos, n. 3,onde liveram tscriptorio os Srs.
Johqston Palcr & C.
Un cochoira do Varadouro em Olinda
defronte do desembarque, so recolhem ca-
vallos ; hem como lambem se alugam.
- Torna-se a lembrar ao Sr. C. A. do C
Couto o favor do dirigir-se onde nflo igno-
ra, afim de pagar os 18 000 rs. que pedio
emprestados por oilo dias, isto desde 1836;
ceitodeque, nflo pagando, ter de vero
seu uome i or extenso ueste, Diario.
0 Sr. Ricardo de Azevedo Silva tem
urna carta na ruada Cruz no Itecife, ar-
mazem n. 62.
Manoel Custodio Peinlo Soares era-
barca o seu escravo Agostiobo para o Rio-
de-Janoiro-
Quem Ihe.faltar uma vaeca com urna
bezerrinh, queira mandar procurar no *
Afogadus, sitio do Ru, que, dando oa Sig-
nara Ibes ser entregue.
Claudino do Reg Lima mudou a sua
esidencia da ra do Padru-Florianop 'para
a ra do Rangel, sobrado de utn andar, nu-
mero 57.
^


Snr. Rtdactorti. Como tenha causada
admiracSoa alguns dos meus amigse pa-
tricios mintia saluda da lypographia du
Vo do Brasil, e eatejam na persuago do
ser por alguns motivos particulares, passo
ii expr-lhes que, tendo sido chamado pelo
Sr. Ignacio liento de Loyoh para compr
o seu peridico que tinha de novo de appa-
recer, e lendo posto a sua typograpbia em
oslado de.trahalhar, pois que pelo lempo
que esleve fechada eslava alguma cousa
desmantelada, e composlo o primeiro n. do
iiieal, son pelo mesmo Sr. despedido, subs-
tituindo-meporoutro, sem que para aso
occorresse circunstancia alguma, s a de
sor o Sr. Loyola dono da sua casa, o querer
strvir ao$ amigo.
Este pequeo cavaco he para omitas pes-
soas naojulgarem ser por motivos pouco
airosos.
Espero, Srs. redactores, quedarSo publi-
cidadena aua bem conceituada folln a es-
tas toscas linhas do seu constante leitor
Francisco Maluquio do Sanio
A mesa regedora da irmandade do S.-
Ilcnedieto, erecta no convenio de Sah-Fran-
eisco, convida a todos os irmos i coanpa-
recerem, domingo 23 do corrente, pelas oi-
to horas da mandila, no capitulo da mesma
irmaudado ; e pede-se aos innSos que ha-
jam de nao faltarem.
Sr. Jos Mana Vascon-
cellos de Borbom queira mandar
pagar o alugucl que deve do pri-
meiro andar.
OfTerece-se urna parda para ama de
casa d homem solteiro ou de pouca fami-
lia : na travessa de San-I'edro, n. 24, no
funlo da venda de Jos da l'cnlia.
f00000 rs.
A viuva Carioca d cem mil rs. a quem
Ihelrouxeroseu escravo Miguel, que ou-
Ir'ora foi do Porto-Calvo, do engenho Sam-
ba e Iho consta andar por l mesmo; Tu-
pio em dezembro do 1844; he crioulo,
baixo, muilogrosso, pernas arqueadas, de
10 a unos e gosla muito i.'e patuscadas.
Os cenrftril rs. serUo dadosimmcdiaUraen-
leno Aterro-da-Boa-Vista ,'n. 10.
vv Thcalro Apolro.
O secretario da companhia de accionis-
tas do Ihnatro dn Apollo faz scienlo aos
niesmosqueHo domingo, 23 do correte,
pelas 10 horas da manh.la, no salilo do mes-
mo theatro ter lugar a r. uniio da asem-
bla geral para se proceder a eleigilo da
commisslo administra liva
--Aluga-se o aimazemn. 4 da travessa
da Madre- de-Deos : a tratar no mesmo lu-
gar armazem n. 6.
Quem annunciou querer hypothecar
um sobrado de dous andares em boa ra ,
ilirija-se a ra estreita do Rozario, n. 4.
D3#-se 800,000 rs a premio sobre pe-
uliores de ouro e prata ou boas firmas : na
ra larga do llozario, r>. 28, primeiro andar.
-- Quem precisar de um muco porluguez,
chegado ha 3 das do Itio-Grande-do-Sul,
para qualquer arrumaco dirija-se a ra
da Cacimba, n. 2.
Jorge Clark, ingle/, rotira-se para In-
glaterra.
Diogo Rodrigues embarca para o Rio-
do Janeiro o seu esclavo Joo do gento
du Angola.
o dia sabbado, 22 do corrente se ha
de arrematara botica de Jolo l'ereira da
Silveira por ser a ultima praca.
-- Aluga-seo primeiro ou segn Jo an-
dar da casa da esquina do becco da Boia,
ao pe da prensa no flm da ra da Madre-
de-l)eos,aeseolhera vontide dos prclen-
dentes ou mesmo ambos os andares como
mclliur convier os quaes eslflo piulados de
novo : a tratar na mesma casa.
JoSo Leonherret l.ewerer, cidadilo suis-
so, retira-se para o Havre a tratar de seus
negocias.
Em 9 de denomino do corrente anno
linda o arrendamento feilo coru os Snrs.
Jotmston Pater & C., do bem conhecido si-
lio do Arraial, do tinado Jodo Carlos Perei-
iu de Burgos : quem. portento, o prelender
por um novo arrendamento de tres anuos,
dirija-se ao pateo do Carino, n. 18, a enten-
der-se com o Burgos.
Aluga-sa, pelo lempo da festa, um
prande sitio na estrada do Monleiro, com
boa casa de vivenda cozinlia fura, estriba-
ra, cocheira, mu i tus arvoredos de fructo ,
e muito perte do banho : a Iratar na ra
Nova n, C3, primeiro andar.
Alugam-se tres moradas de casas no
sitio do Cajueiro para se |assar a festa,
ou por anuo : a tratar no mesmo sitio.
Quem lhe faltar umpagaio, dndoos
biguaes certos, lhe ser entregue : na ra
do Mundo-Novo, n. 30.
Roga-se ao Sr. J. C. S. o favor de man-
dar pagara quantia de 47,916 rs. o o Sr.
P. N. C. a quanliade 15,0U0rs na rua di
Clorit, n. 76; do contirio torito o des-
gosto de ver os seus nomos por exienso
nesta folha.
Em principio do mez de dezembro do
anuo prximo passado, no becco do Noro-
nli i embarcou-se n'uma barcgi para
l-oianna um calillo, ( caixa do papelflu)
una casaca preta e nova um collele tudo
Mudo de cjiss do alfaiale; e como at o
presente nSo tenlum sido ditos objeclos en-
tregues pelo presente se solicita da pessoa
(| ue os rece be u ou ainda os tenha em seu
poJr, os queira entregar em Goianna, ao
.Sr. Miguel Freir do Carmo ou nesta pra-
Co,no Forte-do-Ualtos, armazom do Snr.
\ ianna, que ser recompensado, se quizer
O Snr. Joilo l'ereira de Carvallio tem
urna carta, vinda da Babia, na ra da S0h-
zalla-Nova, n. 42, primeiro andar.
Procisa-se de urna ama para o servigo
de urna casa de h omem solteiro : no palco
do Ter$o, sobrado da viuva do Marcellino,
ii .7,primeiro andar.
--v Sr. Jus Ceraldo l.ima .queira fazer
0 favor de ebegarao Forto-do-Mattos, becco
das Boias, n. 4, armazem de couros, que se
1 lio desoja fallar.
Aluga-se um sitio no lugar-dos Afoga-
doa, na ra do S.-Miguel : a tratar na ra
(** UmceicSo da Boa-Vista, n. 58.
Precisa-sede uina ama para urna casa
I" pouca familia : na ra Imperial, n. 2.
-Quem precisar de um moco- brasileiro,
-turaI da provincia do Rio-Grande-do-Nor-
le.de 18 a 20 annos, para qualquer esla-
l'elecimento, o qual sabo ler, cscrever e
contar ,dliiju-so a ra das Cinco-Pontas,
venda n. 71, que so dir quem he, ou an-
nuncie.
O REIJA-FLOR N. 8
est a vonda nos lugares do costume.
Manoel Antonio da Silva Molla, fendo
annuuciado querer recolher genero no
sou armazem da ra de Apollo, n. 32, decla-
ra agora que fica sem effeito o dito tnnun-
eio por ja ter alugado o mesmo armazem
OSr. Coelho de Drumond procura-
dor da cmara de Olinda, queira vir pagar
a Miguel Carneiro da Cunha, quarenta e
tantos mil rs., importo de maleriaes que
comprou em nome da dita cmara.
Aluga-se um sobrado na ra da Cuino,
com boa vista para a barra escolenles
salas, alcovas e quartos, grande quintal
murado, cacimba ecozinha fra : a tratar
com Manoel Alvos Guerra. .
Precisa-se do um trabalhador de mas-
son a sendo hom se dar bom ordenado :
na ra Direita, o. 18, se dir quem precisa.
Iloga-se ao Sr. B. D. F. o favor de man-
dar pagar a quantia de 55,460 rs., na ra
das Flores, n. 25; do contrario, lera o des-
gosto de ver o seu nome por extenso nesla
folha.
-- Manoel Antonio da Silva Molla nBo lhe
convindo mais arrendar o seu armazem,
na ra de Apollo, n. 32, recolhe no mesmo,
genero de (oda a qualidade, e tambem car-
vio de pedra por issoque tem lugar para
isso : tudo isto be em beneficio de seus cre-
dores.
Aluga-se um escrava que saiba eozi-
nhar, para se oceupar no servigo interior
de urna esa de pouca familia : a tratar em
Fra-do-Porlas, ra do Pilar, no primeiro
andar do sobrado n. 63.
Urna senhora sollcira maior do 40 an-
nos que ha mnitos annos se tem oceupado
a cnsinar meninas, se ofTerece para ensinar
a ler, escrever e contar al repartir o co-
ser liso em algum engenho perlo desta pra-
ca : quem de seu prestmo se quiser ulili-
sar, dirija-se ruado Livramento, n. 23,
primeiro andar.
KaK(ffliBKMB(|iB:IBEfBKCttMW8!'5,;i^

> PARA OPUBBICOOS CONIIECER. <|
* OSr. Antonioiaciutliode Medoiros ^
* Sampaio, morador no engenho Bom- 2>
J Jess, silo na Barra-Grande, que ha ^
* pouco estove nesta praga e rctirou- gp. se quasi occullo para nilo pagar a g
p. quanliade 766,388 rs. enemassig- <
aa- liar urna lettra desta quantia, que ^>
> cou devendo ao seu antigo corres- <3
a> pondenlc, haj de Qtianlo mitos man- 4!
?" dar pagar a referida quantia o seus *
i- juros, pois nflo so pode mais acre- * dilar em suas promessas avistado 5
| que acaba do pralicar. O mesmo se ^|
faz vei**a seu sohrinho, Antonio Ja- "J
5

cintho de.Medoiros, que tambemde-
ve a quantia de 88,460 rs e usou dn
p. mesma espertezaqueS. me. usou.
* -S
S (s !ft 81A A otA *A > A AhS: ahWiftaia n
-- Arrenda-se urna grande campia de-
nominada sitio do Lucas, ou Enforcado, na
estrada nova do Caxang, proprio para pas-
tagem de gado rancho ou para qualquer
plantadlo : a tratar ni ra do Vigario, n. 7,
primeiro andar.
^' Chapeos de sol ^
Ra do Passeio, n. 5
0 dono desta cstabelecimento avisa ao
respeitavel publico que elle recebeu pre-
sentemente urna qualidade de chapos de
sol com armaclo de ac sortidos em co-
ros e de varios tamanhos qualidade esta
nunca aqu apparreida; bem como cha-
peos de sol com armaeflo de baleia, sorti-
dos em cores lsas; ditos para senhora, de
seda muito encorpad com rieas franjas de
retroz e ebegados ltimamente de Pars :
tambem se vendem chapeos de sol, de pan-
ninho em porcSoea retalho ; ditos para
feitor de engenho, muito grandes. Os fre-
-'iie/.os acharan um completo sor! imenlo de
sedas e panninbo imitando seda para co-
brir qualquer armaeflo de chapeo de sol, o
que se faz, e tamuem socoeerta com toda
a brevdade,
Aluga-se um grande armazem com ser-
venta para a mar pequea, e porto de
embarque e desembarque : na ra da Sen-
zalla, n. 42 a tratar com S. J. Johnston &
Companhia.
Desapparcceu liontoni urna mulalinha
cor de canella, baixa, gorda, olhos abuga-
lhados ; levou panno da Costa j velho e
vestido de chita tambem velho: desconfia-
se que esteja oceulta ou tenha sido seduz-
da, por ella ter dito em casa de urna mu-
llier, onde tinha conhecimento, que tinha
urna pessoa que a eslava seduzindo: por
isso pede-se a pessoa, em poder do quem
eslver, qne queira manda-la entregar, do
contraro protestase procader, pois que el-
la dissa quem era a pessoa e a ra onde
morava.
Preci'si-sc alugar urna escrava que sai-
ba cozinhar e eiigommar, para urna casa
estrangeira de pouca familia: so servir a
conteni paga-se bem : na venda do Sr. Pon-
te, ra da Cadeia, se indicar a casa.
O ahaixu assignado, indo no dia 16 do
corrente ver urna sua escrava que se est
tratando fra da praca e vendo na mes-
ma casa um preto desconhecido pergun-
lou que preto era aquello disseram-lhe
que naqiiolln manha apparcceu aquello
preto pedndo de comor pergunlou-se-lhe
quem era seu seuhor e onde morava-, Uisse
queseusenhor chamava-se Jos e mo sa-
ba onde morav.i : o prelo est bistante
doente de frialdade e parece estar fgido
ha muito lempo : a pessoa que soccorreu o
dito preto, n8o se responsahilisa por qual-
quer cousa que possa acontecer ao mesmo
preto, nem mismo o abaixo assignado :
quem fr seu senhor dirija-so ra do
Quennado, n. 28, segundo andar, que, dan-
do os signaes, $e lhe dir amule est.
Ihrculano ot de Freitat.
Precisa-sede urna preta para vender
louca na ra, pagando-sc-lhe a vendagem
e responsabilisaudo-se seu dono: na ra
da Florentina n. 2, confronte ao theatro
novo.
Compras.
Compra-se urna balanca grande com
os seus com) elentes pesos : n travessa do
Rozario, ii. 2.
Compram-so qualro escravas prenda-
das, com habilidades e do bonitas figuras,
para urna cncommenda : na ra dn Passeio,
loja n. 17.
Compra-se um escravo de nac,ao, mo-
co de boa figura perfeito cozinheiro e
que se garanta sin conduela: na ra da
Senzalla-Pfbva, n. 40, segundo andar.
Compram-se para um cncommenda
escravos de ambos os sexos, de 10 a 40 an-
nos : na ra do Kangcl, sobrado de um an-
dar, n. 57.
Compram-se me;JS garrafas vasias,
que lenliam aido de serveja e limpas, a 70
rs. cada urna : na venda da ra da Cadeia do
Recife, n. 25, defronle do Rccco-Largo.
Vendas.
Lotera do lio-de-Ja-
neiro
Aos 20:000,000 de ri*.
N* praca da Independencia, n. 4, vendem-
se meios bilhetes, quarlos, oitavos e vig-
simos da 1I. lotera a beneficio da santa ca-
sada Misericordia do llio-de-Janero. Na
mesma loja mostram-so as lisias da cari-
dade,
Vendem-se, por preco commodo, ca
deiras do Jacaranda e de oleo chegadas no
ultimo navio, vindo do Porto : defronte da
igreja do Corpo-Sanlo, n 15.
-- Vendem-se chitas finissimas do cores
flxas, padrOcsescuros, as quaes j se ven-
deram por urna pataca e agora para aca-
br-se troeam-se por 200 rs. o covado, a di
nheiroa vista: na ra do Crespo, n. 12.
Vcnd-se urna preta de nacilo Costa ,
com urna crianza : na ra da Sentalla-Ve-
Iha, n 54.
-- Vende-so um cabriole! inglez muito
forte em ptimo esl'do e pintado do novo.
na cocheira do Sr. Mouner, no Aterro-da-
Boa-Vista.
Rap Joao Paulo Cor-
dero,
ven lo-so na na da Cadeia do Recife, n. 53
- Vendem-se 3 portas grandes com seus
porlaei oergs pira interior de casas ;
bem como 16 calxilhos com vdros, por pre-
co commodo : na ru Nova, n. 63.
Venle-se um apparelho completo para
ofllcial subalterno dafguarda nacional, no-
voehom por commodo preco : na na
Nova, n. 53,
Vende-se, na rOa de S.-Francisco, ca-
sa apalacada, um alambique pequeo ; urna
canoa que carrega 7,000 rs. d'agoa ; 12 sa-
cadas de pedra do Rio-Formoso^ um ber-
codiiangico, muito bonito; um paiol de
amarello que leva cem alquercs do fari-
hIir : tudo por proco commodo.
Vendem-se 12 escravos, sendo: um
tindo mulalinhode 16 annos; 1 dito pur-
gador de assiiear; um ditq de bonita figu-
ra ; i;tlii linda pardinha do 22 anuos que
cose cengomma bem; urna dita de todo o
servico ; 2 escravas de-15 a 23 anuos ; 4 di-
tas de todo o servigo ; um bonito escravo
de nacfio, de boa conducta : na ra ireita,
n.3.
Vende-se urna cari oir de urna s fa-
ce, feta no Porto, e que he muito segura :
na ra do Encantamento, n. 4. loja. _
Na ra da Guia, n. 36, primeiro andar,
vendem-se, em grosse ou a retalho, luvas
de pellica branca pira homem e senhora ,
de muito boa qualidade e muito bem cu-
sidas ; bem como sapatos de couro do lus-
tro e duraquo para senhora de superioi
qur.lidade : pdem-se ver al is s horas da
nisnhOa e das 3 da tarde em diante.
I
Loteras do Rio-de- |
Janeiro. |
Aos 20:000^000 rs. I
111. a favor da Misericoadia
e 5.a do thesouro.
Meios bilhetes,
Quartos.....S,5oo |
Oitavos..... 2,800
Vigsimos. ,3oo 1
Na ruado Collegio, n. 9.
Vcndem-se meiasnara meninas, a 120,
160 e 20(> is., em bom slado : na ra d
Cadeia do liedle, II. 15.
Vende-se superior fio de algodto in-
glez para pavos de velas de ceia de carnau-
ba por piei.o commodo : na ra da Ca-
deia do Recife, loja de ferragens, n. 44.
Antes da descoberla dos oculos csta-
vam os velhos e alguns mocos que tinbam
a vista cansada, ou curia sentenciados a ser
objeclo de liso na sociedade j pelas con-
tinuadas canelladas ou quedas que davam
quando caminhavam, j polas asneiras que
dziam quando liam etc. ; boje ludo isto
desapparcceu mo por effeiles medicinaos
que nada descobriram a respeilo, massim
polo uso dos oculos apropriados ao grao da
vista do paciente : quem delles precisar ,
dirija-se ra larga do Rozario, loja de
mi:Je/as n. 35
Una pechincha.
Faz-se lodo o negocio at por metade, ou
menos, com diversas dividas algumas com
letlras e correndo juros, lauto da praca
cmodo mallo: no Aterro-da-Boa-Vista ,
n. 10, primeiio andar.
Vende-se sement de coentro a 400
rs. a garrafa : defrunle da matriz da Boa-
Vista venda n. 88.
Burra de forro.
Compra-se urna caixa, ou burra de ferro
que esteju em bom estado : quem tiver an-
nuncie.
Sement de coentro.
Vendem-se semeules do coentro muito
novas, por prc^o commodo : na ra Un cita,
venda n. 76.
!Na loja,do Duarte, na ra
do (abug, n. 1 C, vendem-se
oleados para mesa de ricas pitu-
ni.s. pannos de lila de /|,.:oo a
5,ooo rs. gales cu lie-litio es-
piguillas, volantes e trina*.
Na ra estreita do Rozario n. 43, se-
gundo anear, vende-se um escravo perito
ofllcial de sapalciro o que he bem moco:
o motivo por que se vende se dir ao com-
prador.
ll,5oo
Vendem-se 60 pipas com ago'ardonlo
do20graos: no armazem de Manoel Car-
dozo da Fonscci, ao p da cadeia de S.-
Antonio, pelo lado da mar. Neste arma-
zem recebem-se encommendas para a quan-
tidade precisa dos comgrudoros e do grao
que pretenderen.
I 1
Vcnde-se superior farinha ?
* de mandioca, muito nova, |
% sem cheiro algum e por pre- S
* co mais commodo do que em g
$ outra qualquer parte : a bor- ]
S do do patacho nacin*! Li-
S m, undeado defrontc do j
r# caes do Collegio, ou em ca- |
1 sa de Machado &c l'inheiro,
j| na ra do Vigario, n. 19,
U segundo andar.
4MMatt alUpaliHaillilalI
Vendem-se bons queijos do sertao por
preco commodo : na ra do Queimado, loja
do ferragens, 11. 14.
Lotera do Rio-de*Ja-
neiro.
Na loja de chapeos, n. 2, junto ao arco de
Santo-Antonio, venejem-se meios bilhetes,
quarlos, oitavos e vigsimos da lotera a
beneficio da Santa-Casa-da-Misericorda.
Gabriel Lambert, por
' Alciandre Rumas,
I v. emoitavo broch de 200 pag;nas, por
1,009 rs. Na ra do Collegio, n. 9, acaba
de receber-so a Iraducfio deste romaneo
O nomo do autor do conde de Moale-
Chrislo he tilo seguro abonador de tu lo
quanto sahe da sua pinna, que, ..nnuncian-
do oC.abriel l.ambert, contontamo-nos de
por smenlo o titulo da obro e o nome de
Alexandre Dumas
l> Mestrede San-Thiago.
1 v. em oitavo grande broch. por 320 rs.
E.'ta obrinha he um romaneo em verso,
feitoem hespanhol por Uermudez de Cas-
t-o, e traduzidocm portuguz pur Evaris-
to Jos do Araujo llaslo : o objeclo delle he
anlogo s aventuras do Ultimo Aben-Sor-
ra ge m de Chateaubrlant. He rico, tatito no
ponsamentocomo no dizer, ea traduceno
he de muito valor. Vende-se na livriria da
rua do Collegio, 11. 9, aonde tambem se
acha oseguinte .-
ilisiale mnimum, ntidamente impresso,
com rica enea IcrnacHo de velludo brochas
metlicas douradas, registos de gorgurDo
adamascado bolOesde marroquim.
Breviarimn romanum edicto de 1847 ,
rica encadernaedo de marroqnim 4 v.,
mettidocada um em sua caixa de papelflo
forrada de cameira.
O/pcum in falo Nativilnti Domini etc.,
i v. em 12.
Um (iatuelio, por Paulo de Kock v.
em 8.
O myilirios da inquilicao por Ferd.
Denis, Colombia e Guyannas,. por C. Fa-
min, 2 v. 0111 quarlo broch. por 2,000 rs.
0>ra.s- elementan do Sur. Salvador llcn-
rque do Albuquerque: novas carias para
aprender ler, por 80 rs. ; compondio de
urammalica portugueza sexta edieflo por
040 rs.; resumo do arilhmetca, por 480
rs. ; breve compendio de doutrna clirista,
por 800 rs.; resumo da historia do Brasil ,
por 3,000 rs., epilome de geometra por
640 rs.
Pharmacia franceza.
Xarope peitoral adorante de gem-
ina de ongico preparada por Luil
Botlcntuitck C boticario chi-
mico da escola especial de Pars
Agommade angico he conhecda e em-
pregada ha muito lempo pelos habitantes
do interior do Brasil como um excellentc
remedio para as molestias do peito ; mas
em um estado tal de impureza contendo
corpos cstranhos,quo muitas vezes impedin-
doseusefTeitos. tornavam suspeitas suas
propriedades, o Obrigavam o doente a lo-
mar urna porcHo do materias cstranhas,
no obstante que inertos, mas que no en-
lanto dilTicultavam o seu uso.
lloje crnlm esta gomma he por nos leva-
da ao mais alto grao do pureza o ossim
com ella preparamos o nosso xarope Iflo
agradavele fcil do lomar romo promplo e
ellicaz nos seus resultados. Os mdicos des-
la cidadoe outros muilos quo raem obser-
vado seus effeitos provam sua superiorida-
do absoluta para a cura das imflammac.Oes
do peito tosse, defluxos, catarros, escar-
ns de sangue etc. e applicam aos seus
lenles como o mclhor especifico ate hoje
conhecido.
Fabrica de chocolate de
saude e medicamentoso.
De todas as substancias alimentares que,
sendo em seu principio consideradas como
cousas de luxo, tornaram-se pelo lempo
adiantedeuiii uso geral o chocolate po-
de, sem contradioeno, oceupar o primeiro
lugBr.
Effectivamenle, quantas pessoas non ve-
mos nos preferir boje ao uso do quenle ca-
f o uso do chocolate, c nisto seguir a opi-
niilo dos mdicos mais clebres que de
commum aecrdo sobre suas preciosas qua-
lidades o indicam como um dos nossos
melhores estomticos aquellas pessoas cu-
ja sude he dbil e delicada Prescre-
vem-no aos seus doenlcs, aconsclham-no
aos velhos e o recommendam as milis de
familia para seuslllhos; em urna palavra ,
o consumo verdadeiramon'e extraordina-
rio que lodas as cUsses da sociedade fa-
zem deste alimento, he o mais bello elogio
que nos lhe podemos fazer.
Estes dous objeclos, j bem conhecidos
pela sua superioridade, constantemente se
vendem na rua da Cadeia do Recife, venda
n. 25, defronle do Becco-Largo, sendo o
prec.0 fixo 1,000 rs. cada garrafa de xarope
acompanhando um receituano de seu au-
tor e o chocolate a 640 rs. a libra, de n
3, meio lino, e a 800 rs. de n. 4 fino.
Vcnde-se panno dealgodao
da trra de superior qualidade e
bem largo a aao rs. a vara : nos
i qualro cantos da rua do Qtiena
do, n. 10.
Vende-se um molequo de IS annos 1
no Alerro-da-Boa-Vista venda n. 44.
Vendem-se 17 travs de boa qualidade :
na praganlo Commercio, n. 2, primeiro an-
dar, v
Vende-se muito bom doce de ginju d
Lisboa a240rs. a libra ; superior farinha
de araruta muito nova alva e limpa a
240 rs. a libra; feij.lo mulatinho novo, a
210 rs. acuia: no pateo do Carmo, venda
Yende-se superior fio de
algodo para torcidas de velas :
em casa de Geo: Kennworthy ck
[Companhia, rua da Cruz, n. 2.
Lotera do Rio-de-
?lanciro.
Aos O:000,000 de res.
Na rua do Queimado, loja de miudozas ,
n. 25, vendem-se bilhetes, meios, quarlos,
oitavos e vigsimos da quinta lotera do
lliesouro publico..Na mesma loja so mostra
a lista da lotera da caridade.
Vende-se manteiga a 320, 400. 500 s
000 rs.; cha a 1,670 e 2,000 rs.; feijilo mu-
latinho e preto a 320 rs a cui ; queijos.
flamengos, a 1.000 c 1,440 rs.: no pateo do
Carino, venda nova n. 2.
'Agencia de Kdwin Maw.
Na rua de Apollo armazem 11. 6, de M. Cal-
mont&Conipnnliia, acha-se constantemente
um grande snilioicnlo de rerragens nglezas
para engenhos do fabricar assucar, bom
como taixas do ferro coado o balido de dif-
erentes tamanhos e modelos, moendas
do dito, lano para armar em madeira como
todas do forro para animaos e agoa, ma-
chinas do vapordofrcade4cavallos, alta
presso, reparlideiras, espumaderas, etc.
de ferro estanliado. Na mesma agencia adia-
se um sorlimento de pesos para balanzas ,
escovins paia navios, ferro em barra, tanto
quadrado como redondo, salra para lerrei-
ro e urna pnrclo de tinta verde em latas :
tudo por barato prego.
Vendem-se sillines e sel-
lins elsticos inglezes, e cahecadas
com peitoral : em casa de Geo:
Kennwortliy & Companhia, rua
da Cruz, 11. 3.
-- Vcndem-se 12 lindos moleques de na
cf(o o crioulos, de 14 a 20 annos; 10 pretos
do 20 a 30 annos, sendo dous urna bonita
parellia para eadeirinha, c bonsganhadores
de rua, sem vicios; dous mulalinhos de li
a 20annos; um dito de 22annos,de bonita
figura, do boa conducta c bom para criado
por ter algum principio de bolieiro; tres
pretas com habilidades, sendo urna perfei-
ta cozinheira; Iros ditas para todo o servigo;
duas negrinhas do 10 a 13 annos com prin-
cipio de costura ; urna pela de mcia ida.le
por prego commodo; duas mulalinhss de
16 a 20 annos, que cozem e engommam, as-
slm como oulros muitos escravos na rua
da Cadeia do Hecife, 11. 40.
Vcnde-se no armazem do
barateiroSilva Lopes, na porta da
Alfandega. sevada, vinho do Por-
to e dito de Bordeaux, o mais su-
perior que vein a este mercado,
em pipas, mcias-pipas e baria a
vontade^os compradores.
Vende-se um terreno na Estrada-Nova
que atravessa da Soledado para o Mangui-
nho, com 50 palmos de frento e 350 de fun-
do, com boa cacimba e telheiro. Tambom
se vendo una carroga com um boi. Na rua
do Pires, loja, n. 70.
Vcnde-se presunto inglez
para fiambres, queijo londrino,
conservas, mostardas, sal refina-
do, latas com biscoutinho inglez,
chegado ltimamente pela barca
Colmiibus : na rua Nova, n.3, ca-
sa de Antonio Ferreira Lima 8c
Companhia.
Vende-se una taberna na rua do Ara-
gflo, na Boa-Vista, n. 14, com bstanle
commodos para familia, bom quintal que
da bastante verdura annualmento, com
cacimba e porlflo para o becco : tambem
vemle-se urna corruga para um boi, em
muito bom estado : a tratar na mesma ta-
berna. .
Na loja do Maia Bamos ct C. vende-
so pelo diminuto prego de 500 rs. um dos
mais bellos romances que tem por titulo
A roseira traduzido do francez por urna
senhora portugueza. Becommenda-se mu
lo a leitura desta obra, principalmente aos
pala do familia; para que, dando-a a lera
seus filhos,, coiihegam a grande utilidado
queso lira em derramar por entre a moci-
dado ligoes de tanta moralidade comom
que sj conlem em dito romance. Quem
pretender os ditos livros, dirija-se a rua No-
va, 11 6, na indicada loja cima.
Vcndem-se estampas ricas da nao por-
tugueza Vaico-da-Gama, no seu naufragio
no porto do Itio-de-Janeiro, onuc enlrou
desarvorada a reboque do vapor Affotuo ,
pelo commodo prego de 2.500 rs. cada es-
tampa : na rua do Trapiche, n. 34, segundo
andar.
Luvas pretas de pellica
a 1^000 o par.
Vendem-se luvas pretas de pellica para
lonhora de muito boa qualidade : na rua do
Queimado, n. 16, loja de Jos ias SimOes
r Ciiui (':U)ln;i.
NOVOMETIIOnOPBATICO E TIIEORICODA
LINGOA FRANCEZA,
por Luil Antonio Burgain 2 v., por 6 rs.
Acaba de apparecer no Rio-de-Janeiro
esta interessante grammalica, pela qual
em muito pouco lempo, esem a fastidiosa
larefe do estudar de cor verbos e significa-
dos so aprendes fallar, traduzir e escre-
ver com perfeig.1o a lingo ranceza : ven-
de-se na praga do Commercio, n. 2, pri-
meiro andar.
Vcndem-se cortes de cassa franceza,
padrOes oscuros a 2,000 rs.; ditos de cam
braia cum listras de cOres e muilo largas,
a 3,500 rs.: na rua do Crespo, loja 11. t8.




I .
m
tBws
-- Vendo-so, no Passagem-da-Magdalena,
nina onda com 200,000 rs. do fundos
qoom 1 pretender dirija-se a mcsma, nu-
iiu'i'.) 02.
Corles de brlm de puro
ImIiq, a 1,280.
- Vcndem-se cortos de brlm trancado
pardo do pn-o linho, \>e\'> diminuto preco
ile i|iiairn patacas: na ra do Crespo loja
da esquina que volia para a cadeia.
-- Vendem-se relogios de ouro c prata,
patentes Inglezes: na ruada Senzalla-No-
va,n. 42.
Vende-se pal virgem do Lisboa de
superior qualidade, ero barra do 4 arrollas,
i-bogada ueste mee pelo brigue Vnria-Jm
a ti alar na ra do ISrura, armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vinario, o. 19.
(lu brasil fit o.
\'mida so cha brasileiro no arma/om de
motilados, atrs do mais expeliente rh prnduzido em S.-Pau-
lo quo It'in viudo a esto mercado por
preco milito coinmodo.
AGENCIA
ita uiidicao Low-Moor,
IUIA IU SFWZU.TA-NOVA, N. /|1.
Ni'sle est ibeleciniento conti-
na a Itaveiiim completo sorli-
mento de moen-!as e meias moen-
las, par: engenho ; machinas de
vapor, c tachas de ferro batido e
eoado, de tojos os tamanhos,
para dito.
4o I tunantes de bom goslo.
\o armazem de moldados alias do f.or-
po-Sanlo, 11.110, ha para vender, cbcgados
pelo ultimo vapor viudo do sol superio-
res charutos S.-Flix, e de oulras multas
qtialiilad.es que se venderSo mais harato do
que em outra qualquer parte: bem como
cigarrilhos hespanhoes, ditoa de palha de
raillio, que se estilo vendendo pelo diminu-
to proco de 500 rs. o cento.
- Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
A (40 rs. cada um.
Vendem-se cobertores do algodSo ameri-
cano, encordados o grandes a duas pata-
cas ; chitas escuras do bons padrOes e co-
res seguras, a meia pataca o covado : na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ts para a cadeia.
Taivas para engerho.
Na fundiefio de ferro da ra do Itrum,
acalia-sc do reeeher un completo sorlimon-
todo taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quies acham-se a venda por proco com-
modo e com promplidlo emharcam-se,
ou eariecani-seem carros som despezas ao
comprador.
Chales .le Roberto
Diabo.
do
Na loja deCuimarfles & llenriqucs ra
do Crespo, n. 5, que faz esquina para a ra
>hi Collegio vendem-se os novos chales
uraildes intitulados Itolierto do Diabo pe-
lo harato prcco de 1,600 rs. cada un : esla
fazenda so torna muito rccommcndavel,
por sor de padrOes novos, e de lindas
Iranias.
bfpos do Chile.
\o arrodo S.-Antonio, n. 2, loja de cha-
peos e na praca da Independencia loja
do iniudezas, ha um sortimento de chapos
dn i lnle, chegados no ultimo vapor do Itio-
ilc-J neiru: vendem-se por proco mais ba-
rato do que em outra qualquer parle.
Vende-se oleo do rocino superior em
latas de 3i libras : na rua da Ctuz, n. 3.
Vciido-sc urna preln do :10 anuos, en-
gommadeira., coslnreira e cozinheira, e
que bo propria para ama do rasa, mesmo
celiomoiii soluto, por ter muito boa con-
ducta : na rua larga do Itozarto, n. *<>i P'i-
Oleiio andar.
--Vende-se familia de mandioca muito
superior, a bordo do patacho Valente, viu-
do do S.-Cathaiina fundeado no caes do
Collegio: almiar com o capito a bordo,
ou rom NoVMl & Companbia, na rua do
Trapiche, n. 34.
Agoa de pe rola.
Esse celebre o innocente cosmtico para
tirar sardas erupas, e em bejlczar o rosto,
fol por muito lempo s conhecido de poucas
pessoas nos F.slado-Lnidos porm sua
grande ulilidado lornou-a o cosmtico mais
popular que so usiva nos loiletos moder-
nos : veinlo-se na rua do Trapiche, n. 34,
segundo andar a 2,000 rs. cada garrafa.
Deposito de Potasa.
Vende se omito nova potasas}
de boa qualiilaele, cm liatriszinlioi.
pequeos de quatro arrobas, por
pceo barato, como j ba muito
trmpo se nao vende : no itecife.
rua ila Cadeia, armazem n. i 2.
Pasta de flor de lyrio.
leo melhor artigo que se couhece para
limpar o einbranquecer os denles, fortilicar
asgengivas e conservar a Locca sempre
lima ,eas gongivas purificadas do trta-
ro : vende-so na rua do Trapiche, n. 34, se-
gundo andar, a 2,000 rs. caua hoiflo.
Cadeiras de palhinlia e
de bala neo,
bem com outros mullos trastes: vendem-se
em casa de Kalkmann IrinSos, na rua da
< MIZ, II. 10.
Nos armazens de Francisco Das Fer-
veira c no de Leopoldo Jos da Costa Arau-
jo, ha para vender o mais superior vinno do
l'orio que tero vindo a. este mercado, em
iiarris de 4", a, 7" e 8: os apreciadores p-
dem soitir-se porque poucas vezes c vem
Aneada igual.
Vendem-se riscados escocezes 0001
vara de largura, a 290 rs. o covado ; cassas
pioladas de cores lisas, a 240 rs. o covado;
pecas de panninho de vara de largura, com
12 jardas a 2,000" rs. : na rua do Crespo,
loja n. 10.
Para oscravos.
Vendem-se cobertores de aigodflo ameri-
cano a 560 rs. cada um; zuarto de chadrez,
a160rs. o covado; dito trancado, a 2C0
rs. o covado ; pecas do ganga azul da India,
com 4 palmos do largura e 12 covados a
2,400 rs.: na rua do Crespo, loja n. 10.
Rape rolctofrance2.
Vende-se o superior rap rolSo francez ,
nicamente as lojas dos Srs. Caetano Luiz
Perreira no Aterro-da-lloa-Vista n. 46 ;
Thomaz do Mallos Fstima na mesma rua,
n.54; Francisco Joaquim Duarto ruado
Cabug ; Pinto a Irmiio na rua da Cadeia
do Iteeif, t. 19.
O ? 900
& a
C> Um piano.
Vonde-se um piano muito bom para
ostudo, bonito e de escolente autor:
O na rua do Collegio, n. 9. <3
o o
$9 $C>00 Para calcas e jaquetas.
\a na do Queimado,
loja n. J ,
vonde-se brim (militar) trancado bronco,
a 1,41.) rs. o corle; dito dilo escuro a
1,280 rs. i corto ; dito cr de ganga, mui-
to lino, a 1,500 rs. ; dito liso escuro, bem
proprio para jaqucla, a 800 rs, o corle: sen-
do lodos de puro liuho : corles do castor
do lialras o quadros a 800 rs. o corte.
Na loja da rua do Crespo, n C,
aopdo lampcao, vendem-se as
seguintcs fazendas por metade de
sen valor:
corles de brim escuro a 1,280 rs.; dilo cor
de ganga a 1,440, 1.500 o 1,600 rs. ; dilo
branco, a 1,500 rs. ; dilo listeado, a 1,500
rs. ; pirle muito encorpado, a 180 rs. ;
chitas finas e de cores lixas, a 160 e 180 rs ;
cobertores de algodilo americano, os me-
Ihorcs que ha no mercado, a 610 rs. ; ma-
dapoln mudo lino e com pouro mofo, a
3,600 rs. a pega, e a 200 rs. a vara ; chapos
do massa a 400, 640 o 1,600 rs. ; fuslflo ,
a 480 rs. o covado; dilo muito fino e do
cores ti xas, a 640 rs.
Superior cha brasileiro.
Vende-se superior cli de S -Paulo em
caixinhas de urna e duas libras: na ruada
Cadeia do llrcife, n. 51.
llameas.
Vendem-se) barricas vasias queforam de
farinba em p e bem acondicionadas :
na rua do Amorim n. 35, casa lo 1. i.
Tasso Jnior.
Na rua do Crespo, n. 5.
loja que faz esquina para a rua do Collegio,
vendem-se chitas francesa! largas e de pa-
drflea muilo modernos pelo barato pceo
de 280 rs. cada covado.
Tcidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-Santos.
>Ta rua da Cadeia, n. 51!.
vondein-se por atacado Iros qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa do
escravos, a 250, 280 o 300 rs. a vara.
De psito da fabrica de
rodos-oS'Satitos na Rahia
Vende-se em casa de N. O. Pieber & C.
a rua da Cruz, n. 4, algodilo trancado
aquella fabrica, muito proprio para saceos
do assucar e roupa de eseravo.
Charutos de Ilavana
verdadeiros: em casa de Kallunann Ir-
iilos na rua da Cruz n. 10.
Vcnde-sc cera de carnauba,
de muito boa qualidade, em pe-
quenas e grandes pon Des e por
preco ronunodo : na rua da Cruz,
n. 24.
Castorim francez, a 650
rs. cada covado.
Na loja que faz esquina para a rua do Col-
legio n. 5, vendem-se os novos castorina
francezes muilo encorpados, padrOes im-
vos escunas e rom lislras pela boira, pelo
burato prer;o de 560 rs. o covado.
- A bordo da escuna Tentadura, chegaJa
do llio-Crande-do-Sul, vende-se. sebo em
rama, por baiato pre?o.
Pannos finos pretoeazol,
a 3,000 rs. cada covado.
Ka loja da rua do Crepo, n. 5, do Cuima-
rSesct llenriques, vendem-se pannos pre-
lo e azul, linos, pilo haralo prcco de 3,000
rs. cada covado c altlm destes lia um com-
pleto sortimento de todas as cores e pre-
sos com modos.
31 a (lapo loes tinos a
8,000 rs. a peca.
Vendem-se madapoics linos, com 21 jar-
das com um pequeo loque do mofo pe-
lo proco do 3,600 rs. a poca : na ru do Cres-
po loja da esquina que volla para a [ca-
deia.
Na loja do I-:.-lima <\ liamos, no Aterro-
da-ltoa-\isla, vende-so um par de adrago-
nas muilo ricas para eapHQo ; bem como
u ni habito esmaltado de Chiisto.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapicbe, n. 17, ba
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por prcco muilo coinmodo.
Agn de niel.
Este remedio he parB promover belleza
e vigor do cabello, removendo a espa e
conaervaudo aquella macio e luslro da pol-
lo e cabello que s podo ser adquerido
lendo-so a pello fresca e os poros pelas rai-
zes do cabelle sempre abortos, e sua accilo
-4
salutar nada conten que possa prejudicar
0 cabello : vende-so na rua do Trapicho,
o. 31, segundo andar, a 1,00 rs. cada
garrafa cnvolla no seu competente recei-
tuario
Superior farinba de
mandioca.
Chegou de S.-Catharina o brigue S.-J/n-
nnul-Aujusto com um carregamento de fa-
1 iiiha superior acha-se fundeado defronte
do caes do Ramos, o all fe vende qualquer
poreflo a preco commodo : lambem se pode
tratar na praca do Commercio, n. 6, pn-
meiro andar.
A I,UH0, M4 e MO rs.
Na rua do Crespo, n. 14,
loja de Jos Francisco
Das,
vendem-se cortes de superior brim escuro
depuro linho, a 1,280 rs., dito cor de gan-
ga de superior qualidade a 1,440 rs. oi cor-
te ; lustrim preto adamascado, muito lindo
para lulo a 240 rs. o covado; superiores
chitas encarnadas muito finas e de coros b-
xas a 180 rs. o covado, e oulras muitas
fazendas por preco commodo.
O 5
0 ficaram do leilfio quo fez o burgos
a por nSo bavor mais lempo, deseef- q
n feituar : 1 cairo de 4 rodas, com ar- ^
leios ; urna cadeirinha do arruar ; 1 ^
aparador ; una earleira para eserip- ^-
torio ; urna poreflo de f.rros de fazor ^
flores ; aldrabas para postigos ; 2 ri- V
quissimas colchas ; um guarda ves- W
tidoc ; urna mesinha de mogno de ~
molas ; um lindo adereco para se- w
O nliora ; um relogio de ouro patento O
O inglez com corrento : 2 escravos ; 2 &
& casas terreas na travessa do Peixoto, O
O na. 19 e 30: no pateo do Carino, n.
18, segundo andar. Q
O
t. 9*.
Vende-se, no armazem de Vicente F. da
Costa, na rua da Madre-de-Deos, a supe-
rior e bem conhecida graxa97, em barricas
de 13 duzias.
l-oilia de Flan lies.
Vendem-se Cautas com folha do Flandres:
na rua do Amorim, n. 35, casa de J. J. Tas-
so Jnnior.
A ellas antes quo se acabem.
Vcndem-se ricas luvas da pellica para
boniom o seuliora pelo diminuto preco de
1,000 rs. o par : na rua do Queimado, n. 17.
DHo-se as amostras.
Lavas de pellica, a 1,000
rs, o par.
Vcndem-se luvas do pellico, a 1,000rs. o
par, para senhora muito novase de su-
perior qualidade : na rua do Queimado n.
16, loja de Jos Dias Simos & C.
Sapatees, a 00 rs. o par.
No Aterro-da-lloa-Vista, loja n. 78, ven-
den! sapatOes do A'acaty avariados a 500
rs. o par; spalos de luslro para senhora,
a 2,240 rs.
Yendem-se superiores ca-
lleados de ledras : em casa de Geo:
Kennworlby & Companbio, rua
da Cruz, n. i.
Madapoloes muito tinos e
largos*
Vendem-se pegas de madapolOes com 20
varas, multo largos e finos, proprios para
camisas de homens e senhoras, a 4,000,
4,500, 5,000, 5,200 e 5,500; ditos para for-
ro do vestidos, a 3,000 rs. e a 160 rs. a re-
lalho ; luvas de pellica para nios pequo-
nas, a 500 rs. ; lencos do loquim com fran-
jas para meninas, a 640 rs. ; chilas muito
linas, hondas estampas, a 320 rs. o cova-
do : na rua do Passeio, loja n. 17.
Vcndem-se, na loja do Du-
arls, na rua do Cabug, n i C,
bolocs dcmaiinba; ditos de Pedro
II linos e ordinarios; ditos de
guarda nacional, cavallaria e vo-
luntarios ; dilos para primrira li-
uba, amarellos c pelos \ dilos pa-
ra casaca, de diversas ipiabdadea ;
dilos de madreperola para pali-
tos ; ditos d'aco de diversas cores :|
dilos de todas as cores para enfei-
les de vestidos de senbor; ; e go-
las de cambraia.
-- Vendem-se couros do cabra e pennas
de ema : na rua Nova, n. 20.
} Na loja do sobrado amarello, n. 29, f\
~j na rua do Queimado, ha um grande q
^ soitimenio de casimira de cores, a
q 4, 5, 9,500 e 6,000 rs o corte- "'"
vara; cambraias bordadas e adamascadas, Vendeqi-se os seguintos livros muilo
para cortinados por proco muito commo-jetnconta: F.shoco da.diccionario jurdico da
do ; merino branco muito superior, a 1,800 ,Perelra e Souza, 15,000 ra.; Hevoluc5o de
rs. o covado; bicos de blonde ; ditos de, 1817, 1,200 rs.; tarraga, theologH moral
linho ; meias e luvas : ludo por preco mais
barato do que em outra qualquer parte :
na rua do Crespo, loja n. 9, de Domingos
CuimarSes.
Vendem-se cassas de
seda
a 400 rs. o covado; ditas e cambraias de
corea a 360 rs. o covado ; cortes de ditas,
2,400, 3,000, 3,500 e 4,000 rs. ; lenco de se-
da a 1,000 rs.; alpaca de Ifla e seda pro-
pria para roupinhas de criancas, a 1,000
rs. o cojado ; riscados francezes, a 220 e
240 rs. o covado ; chales de lila e soda, mui-
to bonitos, a 5,00 rs. ; luvas de linho para
senhora, a 500 rs. o par; meias para me-
ninos e meninas a 200 e 240 rs. o par ;
lencos brancos para mo a 500 e 640 rs.
cada um : na roa do Crespo, loja de Domin-
gos CuimarSes.
* Vendem-se cortes de calcas de brim
ff trancado de linho de muito bonitos
' *" padrOes a 1,500 rs. cada corle : na
rua do Queimado, loja do sobrado
[y. amarello, n. 29.
Vendem-se 76 aceces da
companbia de Beberibe: noAter-
ro-da-Boa Vista, n. 63, primeiro
andar.
~ Vende-so um bom corro de duas ro-
das, muito commodo e que podo ser pu-
xado por um ou dous cavados ; para o que
tein proporcOes e arreios necessarios : no
Aterro-da-lloa-Vista, cocheira do .S'r. Miguel
Souger.
Na rua do Crbtig, loja do
Dnarie, n. i C, vendem-se c>ni-
veles de urna a cjuatro folbas ; fa-
cas e garios; tesouras fabricadas
em Guimares, prprias para bar-
beiros e alfaiates 5 ditas para cor-
tar papel; ditas em earleira para
unhas, asmelboresque aqui teem
apparecido ; apparelbos de colbe-
resde metal do principe; aliado-
res ; navalhas,- saca-rolbas de pa-
tente ; lamparinas inglezas ; cam-
panillas de nova nvencao ; e ma-
chinas proprias para alfaiates
Pos g-alvanicos para
praear.
Na rua do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objectos
prateados e que tenham perdido a cOr ar-
gntea, estando por issoindecentes, ou inu-
lilisados, teem nrstea pos um excellente
restaurador e conservador dos mesmos
objectos sampre como novos sendo o pro-
cesso para so usar uelles o mais simples ,
nada mais do quo esfregar com um panno
de linho molhado em agoa friae passado
nos mesmos pos.
Urna caixinha conlendo qantidade suf-
ficionle para pratear mais de 40 palmos
quadrados pusta a mdica quantia de
mil rs. J
Vendem-se relogios ingle-
zes com corda para oilo dias, pro-
prios para salSes ou escriptorios,
e relogios inglezcs de patente para
algibeira : na rua da Cruz, n. 3,
casa de Geo: Kcnnwoi tbv & Com-
3,000 rs.; Concena, thoologia moral, 7,000
rs.; Rlietorica de Marinlio, 4,000 rs. ; Dou-
trina Chrisla, 3,000 rs.; Tratado aareli-
gillo, 3,000 rs.; Ilitiial romano, 2,000 rs.
Cerco do Porto. 1,000 rs,; Salustio em por-
tuguez, 1,000 rs.; Theatro ecelestastico,
4,000 rs.; Noitesde invern, 1,000 rs ; Brj.
mane viajante. 1,000 rs.; Compendio dou-
trinal, 1,000 rs.; Annaos da f, oito ol., 1
6,000 rs : Cousin, philosophia, 7,000 rs.
poesas do Barros, 500 ra.; F.nsaios poticos,
1,000 rs.; Melodas, 1,000 rs ; Santa Biblia,
5,000 rs.; Mr. Bote, 1,000 rs.; Testamento
do gallo, gallinha e cachorro, 480 rs.; Pe-
loja da alma com o diabo, -900 rs.; Coveii
Pinto, 3,000 rs.; linhas orphanalogicas,
3,000 rs.: na praca da Independencia, n. t.
Lotera do Rio-de-Ja-
neiro.
A os 20:000,000 de ruis.
lie chegada a lista da dcima primis
lotera a beneficio das casas de caridade,
com ella grande sortimento de billieles,
meios, quarlos, oitavos e vigsimos: a elles
antes que se acabem, pois sSo muito afor-
tunados : na rua da Cadeia do Recite loja de
ferragens, n. 56.
A 4F00O o corte de novas
alemas de seda
com lindos padrOes de listas e quadros, co-
res modernas, clarase escuras at pretil;
gangas amaiellas da India, proprias par
todo o trage de homem e de meninos ; bem
como um novo.sortimento de fazeodas fi-
nas e grossas por baratissimo preco: do ar-
mazem de Itaymuudo Carlos Leite, na ru
do Queimado, u 27
Vende-se um piano de boas votes e em
bom uso por 206,000 rs. : no caes do Ri-
inos, segundo sobrado.
Vendem-se oa apreciaveis
cbaruto Je Ilavana ; ditos regala
de superior, qualidade, chegados
recentcmente ; assim como opj;>
ma manteiga em vidros : ludo -por
preco commodo : na rua da Cruz,
n. 51, armazem de J. O. Elster.
Vendem-se, na laja do Du-
arle, na rua do Cabug, n. i (',
perfumaras linas e sapatos de co-
ro de lustro a 2,2/|0 rs.
Contina-so a vender manteiga ingle-
za muito superior, a 640 rs. : no Aterro-di-
Boa-Vista venda n. 54, pegado ao Kslima.
Cal virgen?. .
Na rua da Cadeia do Recite, n. 50, escrip-
torio de Cunta & Amorim vende-se ci,
virgem de Lisboa de superior qualidrdel
por preco mais barato do que em outn
qualquer parle.
Vende-se urna escrava moca, engom-
madeira o costureira de corlar e fazer ca-
misa de homem e vestido de aenhora con
um filho de 3 annoa; 2 escravos, sendo um
delles do 20 annos e que he ptimo pan
o si i viro de campo ; um moleque de 16 an-
nos bom para pagem bom copeiro e qui
lambem cozinha : na rua do Collegio, n
21, primeiro andar, se dir quem vende.
W a 2,000 rs.; corles de colleles de vel-
^ ludo de lindos padiOes, a 5 e 6,000
<3 rs. o corle; e oulras fazendas baratas <2
r}
O
iVovo inadapolao pate le
com mais de 40 jardas
cada peca
e com largura quasi de urna vara, fazenda
a mais fina que se poje imaginar, por isso
ptima para ludo pelo diminuto i reco do
9,000 rs. a peca ; bem como lodo o sorll-
menlo de fazendas finas o grossas : no no-
vo armazem de fazenda de Haymundo Car-
los Leite, na rua do Queimado, n. 27.
Vende se panno de li-
nho do Porto,
a750rs. a vara; dilo de Allemanba com
duas varare meia de largura, a 2,600 rs. a
panlua.
No pateo da matriz do S.-Antonio, sobra-
do n. 4, so dir quem vende
8 escravos a saber : um prelo muilo bom
oflicial de tanoeiro ; um moleque de 14 an-
annos ; 4dilos de 18 a 20 annos; 2 pretal
com habilidades, sendo urna dolas da Cos-
a e de elegante figura : lodos estes escra-
vos se vendem por preco commodo.
Vende-se um Magoum Lexicn quasi
novo : na rua Augusta, casa do Bastos.
Vcndem-se, na rua do Cabug loja do
Iluarte caixas do tintas para desenlio, pro-
prias para meninos.
I.olera do liio-dc-
*faneiro.
Aos 20:000^000 de ris.
Va ruado Crespo, loja n. 8, vendem-ae
mcioj bilhetes, quarlos, oitavos e vigsi-
mos da 11. lotera a beneficio da S.-Casa-
da-.Misti irorda do Rio-de-Janeiro.
Ao baralciro.
No Passeio-I'ublico, loja n. II, vendem-
se ricos cortes de cass-chitas a 2,400 -s.;
panno azul, a 3,200 rs. o covado; selim
preto superior, a 4,000 rs.; cassa-chita
denominada imperatriz, a 320 rs., o cova-
do; ditas mais ordinarias, a 240 rs.; e ou-
lras muitas fazendas por preco commodo.
Vende-se umsoph, 12 cadeiras, 4 di-
tas de bracos, urna dila de balango urna
mesa redonda de meio de sala duas ban-
cas de jogo : tudo do Jacaranda e em bom
estado um cannapc, 6 cadeiras em meo es-
tado^ pares de lanteinas : no pateo do
Car.no, n. 18, segundo andar.
Vende-se urna negrinha de 14 annos,
rccolhida e que nilo lem vicios : na rua
fiova penltima casa junto a ponte do
lado do sul, por cima do bilhar rrancez.
-- Vonde-se urna mobilia do Jacaranda
e..i bom oslado, e mais objectos proprios
le sala : na*|uaca da Independencia, loja
de funileiro.ii. 27, so dir quem vendo,
das 7 as 9 horas da maiihiia e das 3 da tar-
de em diante.*
Vendem-so as verdade^raa colheres de
melal do principe para sopa cha e pa-
ra terrina : na rua Nova, n. 20, loja de
Jo.io Fernendes Prente Viapna. '
Vende-se urna armacSo do venda e
mais periences, na rua Oireita n. 53 lu-
gar este muito bom para Vender, tanto pa-
ra trra como para o mallo : a Iralar com
Antonio Francisco Maitius de Miranda na
rua da Praia-de-S.-BJU, n. 1.
Isscravos Fupicius
-- Fugio, no da 7 do corrente, do enga-
ito S.-Jos da Varzea o crioulo Luiz, de
35 annos pouco mais ou menos beiui
grossns cara larga, nariz chato, bem pre-
to ; tein a lingna descorada pellos grui-
dos e muito cabelludos, muito barbado,
ladino, falla multo e gagueija alguma coli-
sa ; lem sido encontrado na estrada non,
em urna venda que lem junto a casa do sui-
delegado Francisco Joaquim Machado,
d'ahi suppoe-so que seguir para Coianm,
por de l ter sido e por j ter fgido al-
guma vezes parala ou embarrar aqu pi-
ra outro qualquer lugar, por disso ter mul-
ta pratica. Itoga-se ns auloiidade polieim'sl
e capitaes de campo, que O apprebeiidaiuel
levem-noa rua Nova,, n. 47, segundo n-|
dar, que seilfo gratificados.
Fugio, ha um anno e nove rfiezes un I
pardo claro,de nomc Florentino; heli-J
xo quebrado das verilhas, ps pequeos,
gagueja quando falla cousa muilo pouco.l
cabellos crospos ; lem principios de sapa-l
leiro : de 28annos pouco mais ou menos:!
quem o pegar leve-o ao engenho Canni-r
vieira na comarca de Nazareth que sera |
gratificado.
Fugio, no,dia 8 do crrenle o pirdol
Feliciano de 18annoa, do estatura regu-l
lar, serco do corpo tem o queixo cun-1
pi uio e desdentado no lado superior; h-|
vou camisa de riscadoazul e outra de mi-1
dapolo chapeo de palba prelo calca.- 'i I
riscado e oulras azues. Itoga-se as aulori'l
dados policiaes ecapillies decampo, quel
apprebendam e levem-no ao engenho Cun-I
navieira comarca de Nazartlh, que mt|
recompensados. '
Fugio, no dia 16 do correlo, um <*!
cravo crioulo, de mime Joaquim, de IS'I
20 annos, bem prelo muito legristr; U*l
odedodo p direilo com algum defeilo,
por ter (ido ha pouco urna ferida ; foi *I
cravo do finado Jos Joaquim de Lanai^l
Vieira do Po, paia onde se suppe ter id|i:f
quem o pegar leve-o rua do Queimado.
ri 10, que ser recompensado.
Fugio. no dia 7 do corrtmle, Pre"
Anglica baila, bem parecida, represen"
ler 20 annoa ; levou vestido de casa e p-"'
no da Costa : quem a pegar leve-a a Cu-"
boa-do-Carmo, n. 24, que ser recom"11'
sado.
-Fugio, na noile de 17 para 18 do cor-
ren te, a prela benedicta crioula, bemco-j
nMecida por polassa baixa, beicuda, cor I
fula, com ledos os denles; levou vostidoi|
novos de chita escura e do casta; forlo
um relogio do ouro borizoulal, largor
muilo chalo com a caixa lavrada de lid''
regula muito bem e mais viole e la"'1" |
mitra, cm cdulas e cobre e alguna/f
nhoresde ouro : quem a pegar t e 'ev relogio a rua do Collegio, n. 8, ser *'
recompensado.
-W-
Pb*n. : xa ivp. um a. de ru.
-wn
II FGVEL l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMNEFFHZE_W226YO INGEST_TIME 2013-04-24T19:45:32Z PACKAGE AA00011611_06641
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES