Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06636


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Auno XXV.
Sita'-feira 1*
1-AnTIDAl DOS CORREIOS.
Ooianna c Parahiha,segundas cseitas-filraj.
II,,,-('. i audc-do-Norle,. | n i n Ins-IV i ras ao nieiu-
dia.
Cabo, Scrinliein, Rio-Formoso, Porto-Cairo
Macei, no 1.", a 11 c '21 de cada mcz.
Garanhuos e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28,
Victoria, s quintas-reirs.
Olinda, todos os dias.
EPHEERIDM. *" '

Ph.sf.s n. ;.r. -Chela* 1, s ,2h.fM m.lla. t
Miug.a 9,t 4lKjk(3m.da i.
Mova'alG, i-l h.c42m.da t.
Cresc.a24,e 9h. e 4in.dam.
PriEAMAK DE HOJE_
Prftneira a 2 hora < 54 minutos la tarde.
Segunda a 3 hora c 1S minutos cfa manli.


'
tle Setenibro de 1M9.
N. OA.
FRE9OS DA SUBSCRIppAo.
Por tres imv.es {adiantailot) 4/000
Por seis lueze 8/oOt)
Por iini anuo lfi/UOO
das da semana.
10 Seg. S. Pollano, Aud. do J. dos orf. edom.l. v.
11 Tere. S. Thcodoro. Aud. da chae, do J. da I.
v. do civ. e do dos feilos da blenda.
J2 Ouart. S. Aula. Aud. do J. da 2. v. do civ.
13 (int. S. Plllnne. Aud. do .1. dos orf. c do m.
dal.v.
H Sext. hxaliaco da Santa Crut. Feriado Ma os
negocios forenses.
'' Sao. S, Domingos cill Soriauo. Aud. da Chae.
... e l' Ja i. v. do crlmei
o Dum. Nussa Scnliora das Dores.
MBaatasu.. .-JIMTH1
CAMBIOS Etl 13 DE SETEMBHO.
Sobre Londres. 20 d. por 1/000 rs. a (0 dias.
> Pars, 370.
oiJSStiSSSXSt.....g K
Mol-das de ti^OOvelhas.. 17/200 a 17/400
de CpfOO novas., l/200 a I#4l
. de4/u00........... 0/200 a fl4
/rataPalacOesbrasilelros...... I/OTO a 2/0
Pesos columnai ios....... l/WH) a WJ""
Ditos mejicanos.......... I/WO a !/*'
ama-i-i^atakraB
PA!*T OFFICIAl.
MINISTERIO DA. GUERRA.
Comniamlo da praca.
Quarlel do commando da praca na cidade do
Recife dt Pernambuco, 13 ,dt lettmbro de
18*9.
OBDEM DU DIA N. 33.
F.m adiiitimento a ordem do lia do hon-
tem, manda o lllm. Sr. coronel comman-
dante da praca declarar que (que addidoao
segundo baUlhfio de caladores o contin-
gente do oilavo batalhao da inosma arma,
commandado pelo Sr. capito Joilo Jos de
liveira Fragata, o qual continuara a -
quai ii'lar-su na foilaleza das Cinco-Pontas.
Assignado. Francitco Carlos lloeno Des-
thamp, ajudanlo d'ordcns.
TRIBUNAL DA UELAGAO'.
SF.SSAO DF. H DE SF.TEMI1H DF. 1849.
presidkncia do exm. sp.siior
concelbeiro azevedo.
A's dei horas da inanhaa, achando-se pre-
sentes os Srs. desembargadores Hamos. Villa-
res.Hastos, l.eo, Soua, Uebello eLuna Freir,
faltando com causa o Sr, descinbargador Pon-
ce, foi aberta a sessao.
O Sr. presidente apresentou tres ollicios a
elle dirigidos pelo hxm. Sr. concelheiro de es-
tado presidente da provincia, a saber:
Um datado do prlineiro docorrentc.commu-
nicando-lhe que por aviso da secretaria de es-
tado dos negocios da justica de 20 de gosto pro-
limo passailo Ihe fora participado que por de-
creto de 19 houve S. M. o Imperador por bem
remover o juiz de dircito Mauoel dos Passos
Uaptista da comarca de Flores desta provincia
para ado Peuedo na das Alagoas.
Outro da inesma data, communicando-lhe
que ein aviso da mesma secretaria de estado
dos negocios da justica de 19 de agosto ultimo
Ihe lira participado que por decreto de 17 hou-
ve S. M. o Imperador por bem nomear deseni-
bargador desta rclaco o juiz de direito Jos
Telles de Meoezei.
Dutro ein data de 5 do crreme, remetiendo
para conheclinenlo do tribunal um cxeniplar
do ario de Pitnambuco n. l'J, de 4 do corren-
te, enmend os avisos que cm data de 31 de
marco, de lli, 18, 19 e 27 de junho do corrente
auno o fcxin. Sr. ministro e secretario de csta-
-s'u dos negocios do imperio expedio aos presi-
dentes do^lUp-de-Janeiro, Espirito-Santo, Ma-
ranhao, Para, slinas-Geraes, Hlo-Crande-do-
Sul, solvendo duvidas acerca da le regulaineu-
lar das eeleoe.
JULGiUENTOS.
AppeUacoei civtit.
kppellanle. ojuizo da fazenda d Ceara ; ap-
pellada, D. Anua Joaquina de Azevedo e S.
Nao toniaram couliecimcnto della.
mellante, Francisco de Paula Pires Ramos ;
apnellado, Manoel Alves Guerra. roram
desprezados os embargos do appellante.
App<
.Vio tomar.un
App
aj
AppePTT'praYcdeV da Fonse'c Coulinlio ;
appellada, 1). Maria Anua Joaquina da Silva.
Fram desprezados os embargos do ap
pellantc. ....
Appellante, Jnaquim Jos do Nasciinenlo ; ap-
pellado, Flllppe Lucas da Cunlia Lima.
Fram desprezados os embargos.
Appellantcs, o reverendo giwrdiao do conven-
to de Santo-Antonio desta cidade e a menor
Carlota; appellada, a fazenda nacional.
Mandaram descer ao juizo a quo para se ava-
llar e averbar a dizima.
Appellante, Jos Nogueira de Olivcira; appcl
lado, Joaquim Francisco Diniz. Foram
desprezados os embargos do appellante.
Appellante, Jos oncalvcs Simas ; appellado,
Domingos Jos Pereira Pacheco. loiam
desprezados os embargos do appellante.
Appellante, Manoel Cavalcaiile de Albuquer-
nue Mello; appellado, Dr. Cleincule Jos
Ferreira dt Costa. -- Foi a senlenca confir-
Appellaule, Manoel Antonio da Silva Molla ;
appellada, Jos Goncalves Torres. roram
despiezados os embargos do appellante.
apellantes, Gabriel Germano de Aguiar Mon-
larroios **HIlros; appelladns, Manoel (er-
icira Dinlz e ouuos. Foi a sculeuca cou-
lirmada.
Appellantes.Manoel Pereira Muniz e o reveren-
do guardlao do convenio de Santo-Antonio;
appellada, a fazenda nacional. Foi couhr-
uada a sentcnca.
Appellante, Claudio Dubcux; appellado, Agos-
tluho Heuriques da Silva Fiiram recebidos
os embargos do appellante e reformado o
acordaiu.
Appellante, Josefa F.piphauia da lonseca ; ap-
ellado, Manoel da KonsecaSilva.-rorain des-
prezados os embargos do appellado.
Appellante, Jos Gomes Pereira Kibas; ap-
pellada, a caucara municipal do Pilar, ro
a senlenca confirmada.
Appellante, Antonio Lopes Pereira de Mello ;
appellado, Antonio Joaquim de Alenla
Guedcs Alcanforado Fram recebidos os
embargos do appellado.
Appellante, Juvenclo de Alcntara ; appella-
do, Firmino Jos Flix da Rosa. -- roram
desprezados os embargos do appellado.
Appellante, ojuizo; appelladoa,Jtcrnardo Las-
terre di C. Maml.ir.iiu qu fse ouvido o
promotor de auseules e o St,deseuibaiga-
dor procurador da cora e fazenda.
Appellaule, Anua Joaquina do Nasciniento ;
appellado, Diuiz Antonio de Moracs Silva.
Fram desprezados os embargos do appel-
lado. >* .
Aqgravo ii f tifio.
Aggravante, Gabriel Anlanio; aggravado,
Francisco Autouio de eilveira rol pr-
vido.
DetignacOa.
Foi atsignado o 1." dia til para ojulga-
nenlo das appcllacoes elveis cm que sao
Appellante, Manoel Elias de Moura ; appella-
do, Deliino dos Anjos Teixeira.
Appellante. Agoslinho Fcrnandes Catanbo de
Vasconcelloa; appellado, Joao Frederico de
Abreu Reg.
Appellante, o coronel Joaquim Cavalcante de
Albuquerque; appellados, D. Ambrozia de
Brito Kczerra e oulros.
Appellante, Amador de Araujo Prssoa de Mel-
lo ; appellado, Jos Luiz Innoceneio Pogge.
Appellantcs, Manoel Jote de Siqucira e ou-
tro ; appellados, Jos Francisco do Reg
llarros e outros.
Appellante, Antonio Fernandes Itibeiro ; ap-
pellado. Manoel Florencio Alves de Moracs.
Appellante Jos Hcrculano de Carvalho ; ap-
pellado, Alexandre Jos Goncalves Bailo*.
Appellante, Francisco Alves de Souza Leao ;
appellado, Jos Luiz Pereira Lima,
Appellante, Pedro da Cunha Freir ; appella-
do, Alexandre Jos Teixeira.
Appellante, o juizo ex-ollicio ; appellados, Va-
lerio de Carvalho c outros.
O recurso da revista civel cm que sao :
Recrreme, I). Luzia ZeferlM Rosa de Luna ;
recorrido, lzack Anzolok.
Itevisei.
Passaram do Sr. desembargador Ramos ao
sr. desembargador Villares as appellacocs ci-
veis cm que sao :
Appellante, Manoel Antonio Gomes Ribeiro;
appellado, Jos Ignacio de llarros Lcile.
Appellante, Dionizio Gomes do Reg ; appel-
lados, Joao de Barros Reg e sua inulher.
Appellaule, Antonio de Albuquerque Marn-
nhao Cavalcante; appelladu, Jos Igoaclo de
Albuquerque Maranhao.
Appellante, Domingos Pereira Mendanha ; ap-
pellado, Joaquim Ferreira.
Passaram do Sr. desembargado! Villares ac
Sr. desembargador Pastos as appcllacoes ci-
veis cm que sao :
Appellantcs, Antonio Lins Caldas e Maria Can-
dida de Magalhacs ; appellado, Antoulo Pe-
dro de Mendonca Crle-lleal.
Appellaule, Jos Joaquim Anaslacio ; appel-
lados, a viuva e herdeiros de Jos de Oli-
vcira.
Passaram do Sr. desembargador Bastos ao
Sr. desembargador Leao as appcllacoes civeis
em que sao :
Appellanles, os herdeiros de Cactano Goncal-
ves Pereira da Cunha; appellado, Christovdo
Dionisio de Barros.
Appellante, Jos Rodrigues do Paco ; appella-
do, Joaquim Francisco de Albuquerque.
Appellante, ojuizo ex-ollicio; appellado, Ma-
uoel Valerio de Carvalho e outro.
Passaram do Sr. desembargador Lefio ao Sr.
desembargador Souza as appellajoes civeis em
que sao :
Appellante. o juizo ; appellado, Luiz Borges
de Siquelra. ..
Appellaule, Joao Goncalves Valentc ; appella-
do Antonio Ferreira dos Sanios Caminlia.
Appellaule, Jos Mana Prtlre Gameiro : ap-
pellado, Bernardo Fernandes Gama.
Passaram do Sr. desembargador Souza ao
Sr. desembargador Uebello as appellacoes ci-
veis em que sao :
Appellante, ojuizo; appellado, Joo Baptisla
f i ll Plt* s
Appellante. Antonio de Padua Cesar de Mal-
los; appellado, Francisco de Paula rerreira
Chaves. .... c-
Appellante, Joao Evangelista da Costa c Sa ;
appellado, Joaquim da Silva Moura.
Passaram doSr. desembargador Luna Freir
ao Sr. desembargador Ramos as appellacocs
civelt ein que sao :
Appellantes, Jos Lopes Dinlxe outro ; appel-
lado, Francisco Pereira da Silva
Appellante, Joao Pinto de Leinos ; appellado,
Manoel Elias de Moura.
Appellante, Aleixo de Campos Barros ; appel-
lado,ojuizo.
Appellanles, Fox Brothers; appellado, Do-
mingos Anlonio de Oliveia.
Appellaules, Jos Alfonso de Maccdo c hcrd.i
ros de Hila llosa de Maccdo ; appellado. Lu/.
Gines Silverio.
Passou do Sr. desembargador Luna Freir ao
Sr. desembargador Villares a appellacao civel
cm que so :
Appellante, Francisco Jos laibosa; appella-
do, Antonio Gomes Villar.
iilriiuiffl.
.o Sr. desembargador Leo o recursocrluie
do clicfe de polica das Alagas em que sao :
Recorrcntes, Jos Luiz Hcltrao Mavignier ; re-
corrido, o Juio.
Ao Sr. desembargador Luna Freir a appel-
lacao civel desta cidade cmque sao :
Appellantes. Joao Jos, Jos Joao e outros; ap-
pellados, L. I.clelller.
Ao Sr. Dcsembargadoj Ramos a appellacao
civel desta cidade emque sao :
Appellantes, llernardino de Sena Dias e outros;
appelladas D. Joanna Francisca Maciel
Montcirn e outra.
I.cvantou-se a sessao s duas horas.
OS sas. votos.
Antonio Jos de Oliveira 2
Manoel Mendes da Cunda Azevedo 21
Urbano SabinoPessoa de Mello 21
Pedro Bezerra P. de araujo BflllrBo l
Jos Anlonio de Figueiredo 20
Manoel Ignacio de Carvalho M. 20
Augusto Frederico de Oliveira 18
LourenQo Trigo de I.oureiro 13
Francisco Xavier Paos Brrelo 7
Firmino Pereira Monteiro 5
Alexandre Bernardino dos Reis o Silva. 5
Francisco Goncalves da Rocn 4
Francisco Muniz Tavares 3
Harflodelpojiioa
Domingos Malaquiasdo A. P. Ferreira
Apollinario Florentino da A. MaranhHo
Agoslinho Bezerra da Silva Cavalcante 2
Francisco Jacintho Pereira 2
Jos Joaquim Cocido 2
Luiz Carlos Coe'.do da Silva 1
Jos Pedro Vc'.lozo da Silveira 1
Bernardo Be'.ielloda Silva Pereira 1
ELF.ICaU PARA EPUTADOS PROVINCIAKS.
Ilesullailo da votarlo,no collcijio eleiteral do
Brejo, segundo aactu authentica remtltida
ao Exm. Sr. presidente da provincia.
OS SFMIORES. VOTOS.
los Pedro da Silva 47
l.eonardo Bezerra de Siqueira C. 4t>
Rento Jos de Souza H
Antonio Jos de Oliveira 42
Simplicio Antonio Mavignier 43
Francisco do Paula dos Guimariles P. ti
Jos Ignacio Soares de Macedo 3j
Antonio llaptista Giliram 35
Jos- Cardoso de Qiiciroz Fonseca 33
Lu iz Paulino C. Vclloz de Guevara 33
Anlonio Joaquim do Mello 29
Anlonio Cnmeiro Macdado Rios 28
Jos Nicolao llcgueira Costa 28
Jos Bnndeira de Mello 27
Barilo do Suassuna 27
Apollinario Florentino de A. M.
Anlonio Cocido de S e Albuquerque
Alexandre llernardino dos Res e Silva
Fahio Vellozo da Silveira
Francisco Xavier Paes Brrelo
Pedro Francisco do P. C. de A.
Victoriano do S Albuquerque
Manuel do Souza Teixeira
Joaquim Manoel Vieira de Mello
" Va '
Joilo Floripes Dias llarr^'o.
PEaNAMBUCO.
KI.EIQAO' PARA DEPUTADOS GERA.ES.
Cotlegio de Caranhuni.
os sns.
Antonio Joaquim de Mello
Anlonio Carneiro Machado Rios
Domingos de Souza l.ciio
Joaquim Villela 8e Castro Tavares
llarao da Boa-Vista .
Joronymo MartinianoFigueira de Mello
Jos Benloda Cunda Figueiredo
Sebastiflo do Reg Barros
Antonio Peregrino Maciel Monteiro
Jos Tdomaz Nabuco de Araujo J.
Alvaro Barbalbo Ucdo* Cavalcanli
Francisco de Paula Baptisla
Venancio llenriques de Bezende
Joaquim Pinto de Campos
Jos Pedro da Silva
Thom Fernandes Madeira de Caslro
Antonio Baptisla Gilirana
Deilo de Olinda.
JoSo Jos Ferreira de Aguiar
VOTOS.
82
81
79
71
71
9
69
67
6*
64
58
57
54
54
51
45
40
33
23
Jo.lo Mauricio C. da Itoeda AVanderlfly
'-lo Floripes Dias Itarr^'o
Alvaro Baibaldo L'cba envolcante
Manoel Francisco de Pauia C. de A.
liento Jos Fernandes de Burros
Amaro Bezerra Carneiro Cavalcante
Domingos Malaquins de Aguiar P. F.
Florianno Correa de Brillo
Francisco do Paula Baptisla
Francisco Rodrigues Sello
Bento Jos l.emenba l.ins
Vicente Ferreira Comes
Luiz Duarte Pereira
Jos Thcodoro Cordeiro
Joaquim de Aquino Fonccca
Xcmezio de S. Joilo Cuaberto
Francisco Joaquim de Barros t'.orreia
Domingos de Souza Lefio
Manoel Mendes da Cunhn Azevedo
Antonio Vicente do Nascinicnto Feitoza
Francisco Camello P. de Lacerda
Umbelino Ferreira Calilo
Jjis Caetano do Medeiros
Manoel Teixeira Peixoto
Jos Raymuudo da Costa Menezes
Jos Poiicarpo de Freilas
Chistovflo Xavier Lopes
Caetano Xavier Pereira de Unto
Cosme deS Pereira
Candido Aiitran da Maita o Albuquerque 15
15
is
IS
li
14
ll
13
13
19
IS
19
10
27
27
27
2~
27
27
27
87
27
27
17
27
27
96
26
26
26
25
25
93
23
22
92
,jj
99
21
21
21
20
20
19
|t
IS
17
17
17
lli
15
OB Sus.
Venancio llenriques de Bezende
Voriato Aurelio da Cunha Coveia
Tdom Fernandes Madeira do Castro
l'rd'o Marlndo Falcfio
Antonio da Silva Pessoa
Augusto Frederico de Oliveira
Amaro Ferreira Comes
Antonio Francisco Cordeiro de Carvalho
Antonio de Vasconcelloa M. Drumond
luVi Baptisla Rodrigues da Silva
Bernardo Rebello da Silva Pcreita
Jos Thcodoro Cordeiro
Joaquim Jos da Fonseca
Manoel Porfirio de Castro Araujo
jnfio Concalves la silva
Ma\imiano Lopes Machado
Jos Bernardo da Cmara
Ignacio Correia do Mello
VOTOS.
1
1
1
1
I
1
l
f
1
l
1
1
I
l
1
1
1
1
Guildermino Clemenlino II. Bacaldo
Pedro Bezerra Pereira do A. Bellrfio
Miguel do Sacramento Lopes Cama
llraz Florentino llenrique de Souza
Francisco de Paula Vellez de Cuevarra
Antonio Aunes Jacome Pires
Joaquim Elviro de Mories
Ignacio Joaquim de Souza l.eilo
Jos dos Anjos Vieira de Amorim
BarSode Ipojuca
Joaquim Salvador P. de Siqucira C.
Joflo QuiriUO Bodrigues da Silva
Lourcnco Francisco de Almcida Catando 10
Joao de Caldas Ribeiro llampos
Lourcnco 'fiigo deLoiirciro
Jos A nlonio de Figueiredo
llodolpbo Joo Barata de Almeida
Antonio itarrozo Pereira dcMuraes
Jos Mamede Alves Ferreira
Joaquim llygino da Molla Silveira
Jos Carlos Teixeira
Francisco SimOes da Silva
Joo Jos Ferreira de Aguiar
Tiburtino Pinto de Almeida
Antonio da Assumpcao Cabral
Pedro Doi nellas Pessoa
Jos Mana llamos Curjiio
Herculano do Souza llandeira
Urbano Sabino Pessoa de Mello
Jos Francisco da Costa Comes
Joaquim Pinto de Campos
Luiz Carlos Coelbo da Silva
Francisco Elias do llego Dantas
Joflo de Souza Beis
Jos Antonio Pereira Ibiapina
liazilio Concalves da Luz
Manoel Jos da Silva Neiva
Firmino Pereira Monteiro
Manoel Jos Vreira de Mello
Herculano Congalves da lloclla
Joaquim Jos de Azevedo
Joaquim Jos Nunes da Cuhna Macdado
Vicente Ferrer de Albuquerque
Rodrigo Castor de Albuquerque M.
Francisco Barboza Nogueira Pacs
iervazio Connives da Silva
Umbelino Lopes de Mello |
Francisco de Paula Salles
CIII'.OMt'.A JUDICIARIA.
Nfio pdem osjuizes de dircito em cor-
reic,MO chamar rcsponsabilidndeaos juizes
municipaes por sentencas proferidas contra
lci oxpre^sa, se eslas sentencas passaram
em julgado, salvo dando-se prevaricar/o,
peila 011 soborno : assim decidi o aecor-
dam seguinte da retacan desta provincia.
aAccordamem relacSo aos juizes sor-
teados aballo nssignados, leudo procedido
o relalorio legal, que refortnam o despacho
de pronuncia fallas, vistos os autos, provi-
menlo de rorreic.no toldas, e despachos do
recorrcnle qns don motivo ao mesino a fo-
llias ; porquanto, BUpp08t0 se mostr que o
sohredito recorrente, avallando0aprecian-
do nello a prova resultante do summtrio,
ulgara quo se nao provaram circums-
tancias quequalilicassem crime policial ou
de prncedimento ofllcial o faci por que se
irocedra, nein por isso do ronseqnen e
que elle prolftdora 011 julgra contra a
X|iressa delcriniiacno do artigo dozentos e
cincoenta e cinco do regulamento d> irinia
c um de Janeiro de mil oiloecnlos e quaren-
la e dous, e artigo quarenta o seto da lei de
(res de dezenihro de mil oi tocen tos e qua-
renta o um, porque em ambos riles SO pre-
Suppfie sempro a prova da existencia do
crime e circumstancias que o qualilicam
pelas lostemunhas do summario.
Alm de que,arliando-se lindo o processo
respectivo, e sendo o sohredito despacho
passado em julgado, sem que se interpo-
2esse algum recurso, e nltn so mAtr*ndn
i|iie inlerviera naquelle despacho prevari-
cag.lo, peita, ou suhorno, nilo eslava o re-
corrcnle no caso de ser chamado olDcial-
mcnte reeponaabilidade por aquelle pro
vimenlo, conformo o artigo duzentos e seis
do sohredito regulamento. Portento, jul-
gando improcedente a denuncia o revoga-
da a pronuncia, mandam so Ihe d baixi na
culpa, pagas as cusas pela municipalidade.
Recife, unzo de agosto de mil oilocen-
tos e quarenta e no ve.Assignados.-^semdo,
presdente. Hamos.Souzu.-Luna Freir. .
Communicados.
JUSTICA AO MEIUTO.
Desde longos anuos he a Iba de Fernan-
do o foco de todas as immoralidades, sendo
a maior o monopolio dos commandantes
com a guarnicao o os pobres sontonciadoa ;
para isso tudo converga maravilliosainente.
s iam a Fernando eobareaca is do gover<
no, s carregavam manlimentosdo gover-
110, e ilos commandantes que concedan)
aos olliciaes a oonducefio dos indispensa-
veis ao sen sustento, o pouco mais. Os
commandantes em geral estaboleciam seu
boliquim ou venda exclusiva dos presos
e guarniefio; os presos nfio eram os mais
catholicos, urna garrafa deagoardenteda
trra, comprada aqui porfi rs custavaall
6t0,o fumo cmais gneros guardavam a
mesma proporc.no: talvez fosse isso inuito de
proposito para Ibes conservar a tempe-
ranea. O caixeiro do commandante fazia
o seu rol deculaados, (absolutamente fal-
lando ; c com elle se apresentava nos das
de pagamento para receber os mingoados
tresvintensdos miseros calcetas que nfioque-
ram saber quanto deviam, mas sim terein
franca a porta do boliquim. Os commandan-
tes faziam lavrara trra pelos Toreados, e a-
bundanle colheita recompensa va o trabalho;
tambem destacavam outros para a copiosa
pesca de peixe, rolas e caranguejos; po-
rm do proJuclo desses trabalhos apenas
partilliavam os primeiros empregados da
liba: ludo o mais era privativo do com-
mandanle que renicllia para esta cidade a
seus correspondentes e amigos. Os presos
11S0 sentein muito fro e nao Ihes escapa do
boliquim com que comprom urna tamisa,
por isso usam de calcas de S.-Scbasliao e
camisas de Ado. Eis porque era dado esse
commando como um premio de lotera que
se disputava: a um commandante, lalvu/
dos mais urbanos para a guarnicao, ouyi
que linda de l trasudo 30 contos! Pois
bem, a nnguem tocou a deploravel soite
daquel'es infelizea, lodos cuidavam s de
engordar os seus atildados a cusa desses
miseros f.mintos ; mas nao escapou a pers-
picacia do Exm. Sr. Honorio Hermto Car-
neiro Leo esse escndalo vergonhoso
para o remediar prohibi o exclusivo das
remessas de gneros para Fernando, e per-
mittio que um hiale do conunercio para
alli conduzisse tojos os gneros de con-
sumo ; assim prohibi o monopolio : depois
uomeou para commandante da 11lia o Sr.
coronel Cypriatm, que nos precedentes de
toda vida passada oh*crcca todas as garan-
lias do honra, e eremos que nao tralicar
com os 60 rs. desses desgraqados senten-
ciados.
Honra, pois. seja reila ao Exm. Sr. Honorio
a quem uno escapam as desgracas dessos
forjados do Fernando, que cerlo nada re-
presentaran) ; honra seja fela ao presiden-
te querespeit as lcis ean.a a justica. as
heneaos do eco chovam sobre sua cabeca
e robuslocain a mfio que pJe salvar 0
Brasil dessa politice leiienha que o mata.
Recife, 11 do setembro de 1819.Jusiu.
NECROLOGA
da lllm.'Si'u. i). Amia ,loa|iiiiin
Uiiurle Jtloscoso.
n Voaste, alma Innocente, alma querida,
Folie v4r outro sol Falsos heos desta vida,que nao dura.
Trocaste pelos liens de elerna vida. >
CamAbs.
11 ^'asceu como uina aurora apavouad.i
Ao smn dos hvmnos niatinaes das aves:
lliitilou como u sol ,10 meiO'di.i,
Cabio como crepsculo sombro.
Mu:.1 HtES.
Soou a ultima hora O anjo do extermi-
nio, o pregoeiro fatal ja annuncioii no va-
cuo da elernilade com solemne lirado eo
lgubre som de sua terrivel Iromheta o ul-
timo listante .'
Ocalixda vida esgolou-se! Asinistra
ave pousou en) um leito de ddr,.....ainda
our.o o eslrepito de suaa azas... A morte al-
QOU seu ingenie a^uilhfio, ferio vida to
preciosa e complelou sua victoria ei-la
sh a nivea InUSS da gelada campa !
Divida 110 beico conlrabida, e no tmu-
lo saldada, sitos decretos da Providencia!...
ei-los realisados !!!
Anda ha pouco a s ve vevificadora em
suas veas circulava, ora o sopro glicial a
prostra nosepulrhro; hontem fazia as deli-
cias do sen extremoso consorte, as caricias
los seus temos filhinhos, boje o sculo t-
mido transido de magoa ; hontem viam-
se-lhe orisoe os encantos, hojeotremu-
lar convulsivo do passamento; hontem,
chela de energa e de saudade, era urna
flor da primavera, Uto bella como um pen-
samento de Dos, Io amavel como a es-
peranza do um bem, elflo virtuosa como um
mirtyr da T, boje urna D6r murchaeder
1 otada pelo vento dalempesUde Negra lea
parece conriroviQoe os periumesua naiure-
/a lina casa ein desolarlo, urna urna mor-
tuaria, um cadver Fros restos de pessoa
tilo chara, tu dcsippaieceste d'entic mis,
como a gota do orvalho da manhila que d-
cemente se deslisa pelo brando zephyro, o
volveao seio donde partir......Eo que
ser morrer? Esquocer-se vida, dishla-
deirode dissabores, carreira surcessiva do
vicissistude o proccllas, verdadeira de co-
rat.lo lliealral, en) que cada um cedo a
pompa da personagem, a tc;to dos ttulos,
terminando-so assim a scena e a representa-
Cfio, e nao obstante se deseja J Ser des-
prender-so do p, e voar palria dos justos
onde gozam de pura gloiia '! Quem ousaru
nega-lo? v. esse cadver, antes de ser flon-
duzido ao soberbo e pavoroso sarcophago,
he regado pelas lagrimas de pungentsi-
mas saudades do mais extremoso de todos
OS maridos, que, anciado n'um delirio d'al-
ma, lanca-se sobre tfio precioso despojo dos
seus encantos, a sua idolatrada consocio,
parauni-laaosuuapressuradocoracfio.aque-
C-la c bcija-la entro solutos F. ainda hoje,
a lodo o dia, toda hora e a lodo instante,
vagueiam-lhe na pbantasia melanclicas
reminiscencias, e alimentam-lh douradas
fsllazes esperances; 0111 cada canto, em
cada idea, eui lodo seu punsamenlo, nos
seus sobresaltados sonbos, ao mais levo
susurro, ligura-sc-lhe possui-la e encra-
la, descubrr-lhe os movimenlose ouvir-lhe
doce voz, ao passo que ella ja nilo respira,
o s vive na mansfio do Eterno, recebendo
0 premio das suas ucc.ocs meritorias !!....
Mas com rasilo, porque os prazeres domis-
ticos Ihe embalaran a existencia, intimas
felicidades de pai e de esposo no seio do
bom-estar e de esperancoso porvir vivi-
licaram-lhe a alma, e nenhum destes acou-
tecimentos 011 transes que s5o como os es-
pinhos da vida Ihe haviam perturbado os
das, e ludo esvaeceu-se em um s momen-
to, .. Ah s o chorar do corceo mitiga
as penas d'alma !
Cinzas venerandas, charos manes ergui-
das columnas, estatuas colossaes, monu-
mentos gigantescos erigir-lc n3o posso ;
mas funreas gnnaldas no coralito pela dr
germinadas, e pelas lagrimas orvalhadas da
saudades desfolham-se sobre o fretro da
Dossas mais profundas affeicoos. Sim, o
tenue SUlTragio que, ainargurado, vou con-
sagrar a tua memoria, sera ingenuo e a-
Iheio dos adornos da vil lisonja, porque a
virtude menospreu immerecidos elogios,
e s exige, a homenagem do reconheci-
meuto.
N'asceu a lllm.' Sr.' D. Anna Joaquina
Duarte Moscoso, aos 31 de agosto de 1827,
de urna, familia em quo a probidade e a
honra co/rem com o sangue, e a virtude
parece ttr feito eterna allianr;a com o no-
mc. A educado que de ordinario enno-
brece os espiritos pouco sociaveis nellas
fez roborar o desenvolvimento das suas ri-
quezas naturaes: dolada de perspicacia,
inteligencia, discernimento e gravidade,
aprende com prazer e instrue-se sem custo ;
desde a infancia aprazia-se de leiluras edi-
licantes ; os seus primeiros divci tmenlos
framensaiospara virtude, edemonstravam
as distinctas qualidades e bous senlimenios
que ao depois possuira.
.No verdor dos anuos, rodeada das graqas

. MUTILADO


'

:.;.".-R3IWHM
2'
*
i> ilimctivos do sen sexo; no apo(,o do se tpelo atribulado c
realce alcava vistas generosas, congela do I prenles, &......
1 no os rastros que a immortitisavam, de- Transito asson
orac.Ho do sou esposo, pas
viiim ser antes gravados na belleza de snas
:i, ci's do era o ilioro ()iio a esperava. Fntrelanto,
sua loin sensivel se absorten nos trans-
Imies de uma primeira e noliro paixlo, e,
piando apenas rontava quasi quatrn lus-
Iros, (aos >'.> do setembro do t8li". ; contra-
lint os sagrados lachos de hvmineu com o
IIIdi. Sr. Ilr Pedro d'Athayde l.olio Moa-
coso ; allianca feliz o virtuosa que atlrahio
lo.la sua ternura F.nt.loella associa-se s
suas afleicAcs, aos seus ulereases ; nelle cn-
gnlpha seus pensamcutos, penetra os sens
desejos, partilha suas failigas, suas dcos
sensac,Oes suavisg-llie es seus males c de?
f-'islos com palavr.s sinceras e demonstra-
efles ingenuas que locam-llie no fundo d'al-
uia ; respeita a honra e o carcter do seu
esposo, em suinnia torna-se um modelo
do autor conjugal, uma herona do seu es-
lado. O frueto dos setis castos amores
lionrou este venluroso consorcio. Ku a vi
no mcio dos selis lilhinlios, ora sorrindo
com suas meigulces, ora oceupada em fr-
.....r suas olmas anda tenase a desenvol-
ver suas ideias nascentes, servindo de guia
Bosgeuamal seguros passos! assim como
prcscrulava-os para animar suas l'elizes pro-
nensOes, inspirar-lhes i virlude, purflcar-
iliesa moral, transmittir-lliesos cxeniplus,
en afierro s crenc,as rcliogosas, como um
freiopara o mal, o um incentivo para o
*<, oJoCBYa as severidades das suas admn-
:8ta-;'"iS Com a ternura das suas lagrimas
eos< sculos do seu acrisolado amor mater-
nal; em uma palavra, aperfcic,ava oseu ser
bem como o jarJineiio trata rom inenn-
savel /ido a sua predilecta planta ; e, unida
a sua familia, como esposa c m."n iiianliiiha
per fui ti disciplina, preenohia estes sg gra-
dos deveres com a maior religiosidade das
primeiras idades do mundo, vivendo nessi
alegra que a paz e a lida harmona sem
inspirar.
Asdocurasda vida ilumeslie.1, essis vir-
tudes suaves que silo como o crystalino
ri galo, queseni ruido, e mansamente cor-
le e serpenleia, leem tal altractivo, que
as gimas corrompidas nao pdcm aqui-
latar.
Goza va assim da amenidade dessa vida
le sabores, delicias, (piando o genio do
r o.al procura pcrlurbar-lhe a fruitlo, eem
lugar de urna lenta enfermidadi; golpe
inopinado Iho avi/inha a hora fatal, se hem
que a inimoi laudad.1 seja semprea mesina
No dia i j do corrento pelas 5 horas da tar-
de, ao recolher-so no seu passeiodo jardim
da sua casa ao lado do seu idolatrado con-
sorte, senlio SO de sbito assal tada dsenos
ncnmrnodos; mas, no obstante, procura
dinsimular o Mu acerbo sofTrer, e agualda
O sen tratamento para nao poupar a sua
preseDCa no recinto das pessoas que entilo
os visitaran) : entretanto isso era terrivcl
e superior s suas f-cas, e vio-so cons-
trangida a aeparar-se dessa amavcl cumpa-
nhia, e a retirar-se para sua cmara, pe-
lindo OSSOCCorros mdicos os quaes lodos
s.in excepcfio que a sciencia ministra, c
proscieve para laes casos, Ihe lr.im pres-
tados immediatamente,ainda queem balde,
porque a grividado do mal corren rapi-
dat.....le em U horas, zonbando d'aquel-
las conjecturas, racciocinios emvstenos:
os presagios eram iluvidosos, e a mortoque
pareca lungiugua surge a port., e a uz da
Israel prozima est de extinguirse Qui-
mricas esperanzas humanas, os momentos
de Dos nflo Silo OS nossos .'.' Suas torcas
e\baurem-se successivamente j a palavra
expira, ecessa na gelada lingoa converten-
do-se em profundos suspiros; seu coracoo
arqueja, palpita, e falla sempreem heos, e
permanece tranquillo. Cercada do tristes
semblantea, nao se altera a serenidade
que brillia em seu rosto, c O seu olliar lixa-
do para a magem do Rcdcmptur, absorta
em mciitaccoes religiosas e em sublime
ponsamentoda el. roa nians.lu ; as lagrimas
< solutos dolorososilossu extremoso con-
sorte, dos sens queridos pas, e o innocente
pronto dos seus charos pulidores tocam-lbe
profundaoieiilc, mas nao abalam u sua c
sua reslgnacflo be sem esforco, e sua fir-
meza sem ostcnlacao; alfim dir-se-hia que
a nnrle era para ella urna achilo ordinaria
da vida.
.Veste terrivcl momento, em que ludo es-
capa, desapparece e sepultase, deixan lo-
se Mmente ver um sepulcliro que so abre,
piando todos os seres .-e separan) e re-
man, quando todas as molas da machina
estalam-se o quebram-se, quando o lempo
nao be mais do que um pausado e horroroso
calculo de desliuic.lo, quando a alma soli-
taria segu para nm porvir myslerioso,
quem pode animara creatura nomeodo
ludo aquillo queso he capaz de aterra-la?..
Ab! he a virtude, que presidia em sens dis-
cursos eem seus ponsamenlos, a contriccao
diflundnla rom a graca, ti sentimentu secreto
da immortalldade; em summa be a paz da
eonsciencia, esse monitor, que como les-
lemunba acensa, ou ju.-tilica-iius ante o su-
premo julgador.
Entretanto a sua enmpunefo nao imipe-
dia-lhe de ser sensivel; prehonche os mala
lernos deveres para com todos aquellos que
8iiiou ; toma e aporta com suas gcladas
mos as dos melboresdos pas, que hem
avaliam a dor da lillla moribunda ; leva en-
tre solucos a doridos ais a doxtra do seu
qoorido esposo aos seus liemulos e rese-
quidos labios, comprime-a bem nocoraeflo,
como dizendo : Vos nunca sahistes deslc
sagrada thesouro, eu vos entrego dous pe-
nosos primores, duas mimosas proniissas
do nosso delicioso hymineu.
Reunidos em derredor do seu leito todos
quedes que por tlever e pelos mais nti-
mos vnculos de sanguc e de amulado eram
ligados a sua pessoa, Ibes agradece com
saudoso pranio. lilla desejra dizer o ul-
timo adeos de afTecto purissimo aos seus
queridos lilhinhos, < que ao mesmojempo e
como por inspiradlo divina chora.vam, la-
mentando sua triste orphandade? abrca-
los, dar-Ibes a derradeira bancilo, eos s-
culos de uma carinhosa m;li ; mas sobre-
vem-llie anclas agonisanles, eembargam-
llie nos labios a cxprcss.lo sincera dos sen-
tiin.Mitos do seu cu ,icio ; a morle comcQi:
a loquejar dentro eruseu peilo, ps ollios
estavam ju amortecidos, a lividez do roslo
progredia, a anciedade se tornou descom-
ii.iiu.il e homvel, a ultima lagrima da vi la
rola-lhe sobre a face, exhala o ultimo sus-
piro romo o diluvio da rosa uUrahido polo
sol, e este seu gemido final foi repartido
ssombroso I.oi dolorosa da
frgil condigno !!!
A infausta morle roubou aos pais urna fi-
Iha amorosa o obediente, ao esposo uma
casta i; honrada consorte, aos f I los nina
mili desvelada, mananrial fecundo de ca-
ricias, ao bello sexo o esmalte, liuniaiii-
dado um arcbetypo de virtudes, e i religio
um baluarte inabalavel; niasah! o ultimo
dia da sua vida foi o pnmeiro da sua
gloria.
Quem cltcgando-se ella, communlcando
nao gento toda a candjilcj do seu CiplrltO pa
ro? Que fundo de Ihancia e de alabllldado
nao i esiimlo ivaui em sen rosto? Dotada de
u o coracSo Inaceiilvcl aos Intereaiei vis, de
uma bondade extrema, procurava suecrrer e
prevnir a pobreza inais recatada, poique ella
nao tinh.1 o invern da Indiflerenja para os
males los seus seuielliantes. Aqu diviso a
cinta viuva, vestida de crep, macerada de
amargura! sb meaquinbo alvergue tancar
odiaren entre pungentes suspiros para seus mi-
seros lilhos nuil ios de fume e cobertos de an-
drajos, transidoi de fri, Cora de toda a espe-
ranza, c nella deparar o remedio, a egide, a
congolaeio r o balsamo suavlsador de tantas
m.igoas, sem a miniina jactancia. All ondeo
infeliz anclAo busca as trevas, privado de um
outro confidente compaislvo para Ihe confiar
sua allliccao, e carpir sua profunda indigencia,
verdadeirn supplicio, onde lepousa O mendigo,
onde anpiejain os desvalidos orphaos, ella, cu-
ino miii, c protectora, corre pressurosa a en-
xngar-liies as lagrimas, prestar-Ibes o pao, li-
licialisar-lhes os soccorros, e mitigar-Ules os
snlli intentos. Ab se os pe/ares do reconbeci-
mento sao os mais sinceros e valiosos, nenhiiin
luto devera ser mais universal. Prirntur.i fu-
us, lid /hluspubliris iinietisotum lelibut eslcon-
strrntus.
.son, respondan), a mais vivamente do que
as iiiiulias fraca exptessocs facam o vosso elo-
gio os bi.uliw de agona, os gemidos coiisterna-
dores, o copioso pranlo, exprimido pela mais
fervorosa gralidao, em que se inineni tantas
victimas que ella soecorria e aligciiou seus
amargos trances.
Mas, ah parece-meque essas charas cimas
lofirem com l.io lielexposicao. queesses ridos
ossos se icaiiiinam ao oiivir-ine, c que esse
temblante, em que ouli'oia se acliava juntada
a maior di.eur.i, se arma de urna modesta n-
digo .van e di/.-me do fundo do sepulcluo:
Paupal-ine rssa inquielarao no repouto do
inCujaiigo.enSo venhals manchar inlnhaa cln-
/ is, dse.>l)riudo os secretos e vivos ardores do
loen icio e da miaba caridade, destinados pa-
ra o dia da maiiileslacao eterna.
I'eli/. a alma que durante os seus mais sere-
nos dias soube ireviMiir-se para a sorpresa dos
venli.se da borrasca, t os horrores do liiinulo,
porque ignora o momento que Ihe ven abrir
as pollas eternas; e bem cuino o incens s
rescinde depnis de ipieiuiado, a gloria do vir-
tuoso so refulge sem eclipse depois da sua
morir.
I' i.i ortliodoxa sem fanatismo, tolerante sem
IndlfiercnCOi generosa sem ufana, modesta
sem timidez, magesinsa sem fausto, dcil sem
exeessos. judieiosa sem orgulho, lienevola com
diguidade, reservada com cravidade, severa
paraconislgo mesma e Indulgente em perdoar
as ollensas iccebidas, jovial na convergacao fa-
luiliar rpie era a imagem do seu coraran, es-
crupulosa na esculla de amiades, mas cons-
tante na ausencia e liel lias promessas, porque
a inexeeueao di II is repiiiava mentira: seu ca-
rcter era naturalmente dedicado, seu genio
snbrancciro iiiesquinliet c amhicao, adversa
a ociosidade preferia a vantagrm de ser til s
su is propi'i.is coiniooilidadcs, em siimuia ella
inaravilli.iv ipor sua ternura, eoiiuuoviapor sua
pie.lade. assoillbra por sua f, persuade por
.... ..jifc....^o o cnci.plil'.oava por aun e?pr-
ranra.
Grande Dos, tantos dons c lautas lu/.es de
que uruaslcs esta alma nao se irflo reunir com-
Voaco sin origcill Tantas lagrimas vertidas
sobre estas preciosas cllizag nao acabarao de
purifica-las Perdoai-lhc as f.iitas que encon-
lianles. porque os justos as liveraui, o eco
teui suas iiuvens, assiiu como o sol suas man-
chas ; entre as estrellas scinlillantes exis-
lenl oulr.is precursoras da noile; entre lindis-
gliuai e odoriferag llores, algumai encerram o
fatal toxico; e os grandes boiuens tiveram
grandes deleito*.
Alina serena, espirito sublime, sombra que-
rida, que ora existes engolpliada na contcin-
I I icao do I ..ilo-l'odeos.i, nessa habltaco on-
de reina llaiinna inininilal, objeclo do ten ni-
co amor, e que tantas vei.es le illuminnu, que
sulla dos bracos da unirte le arrojaste ao Ihea-
Iro da eicrnidade, que desprendida do pii pgg-
s.isle das llevas ao luminosa dia, e que livre
de todos os niales gozai do juslo galardao de
tanta dedicoeo e virtudes, de todas as delicias
c gracas perennes, da semplternldade feliz,
Descausa em paz
Perpetua seja a sua memoria, c uma lagri-
ma de verdadeira saudade corra sobre sua la-
pide! '.'.
A sua lllina. familia, e com especialidade ao
si u allectuoso consorte o llloi, 5r. Pedro de
Athayde I.ubu Moscoso, Dr. em medicina e ci-
iiirgiao-miir do hospital militar de Perniinliu-
ro, e ao seu digno mano o lllm. Sr. Dr. Joiio
Francisco Dual le, jui/. municipal e de orphaos
do leriiio de (i.irauhuns, etc.
OSt I),
*?
Itecife, SU de agosto de 1S49.
Corrcspoiideucia.
Srt. Hedaclom. Itogo-lhes o favor de
imprimir no seu acreditado jornal os al-
lestados juntos com os quaes ica destruida
a calumniosa imputacSo, que me fez o Pia-
rlo Noto, do haver eu entrado qualro ve-
/es ni sal i da conlerencia do jury no dia
17, quando se proceda ao julgamenlo dos
cgbecas da rebelliflo : c.-tes atleslsdos hilo
pdem deixar de merecer credbilidade,
porque sao de pessoas do ambos os par-
tidos, c de outras alheias a parcialidades
apenas dexaram do atleslar alguna jura-
dos que sereliraram antes de (indo o jul-
gaiueiito, eum que, por espirito de partido,
recusou dar testcmunho verdade.
Sot de Vussas MorcfiS, constante leitor. -
oi Tliomaz Nabuco de Araujo iunior.
Os Sis. juizes do faci qne compozeram
O jury de seiilcin;a que julgnu aos reos
cahecas da rebelliSo no da 17 do crreme,
eos oulroa qno estavam presentes dignem-
se de atleslar ao p desla se cu entrei na
salado jury, depois de recolbido alguma
vez, salvo quando, depois do proferida a
din 1 11111 ;i. -o, acompauliei ao mesmo ju-
ry que de novo se recolheu, para especi-
ficar quaes eram as circtimstancias alte-
nuantes que se davam a favor de duus reos,
visto como o jury as nao iiavia uspenlio-
do ; c, so nessa occasiao em que por alguns
instantes me demorei para instruir aos
jurados sobro a forma por que deviam ser
prupostas as eircumstaucias atlenuantes,
nao estavam as portas abortas e inultas
pessoas prsenles. Itecife, 18 de axosto de
I8t9. NuOuco dt Araujo. -
Atiesto ser verdade o referido. Dja e era
ut supra.- Jos Lopes Hoza. Attestamos
ser verdade o referido. Era ut supra. lia-
noel Ferrcira Accioli, Caetano Aureliano
de Carvalho Couto, Caetano (iomes do Say
joHoMoreira do Mendonca, Antonio Fran-
cisco Xavier, Ignacio Jos da Silva, Anto-
nio deDlivoiru Mello, Joffo l.ins Cavalcan-
lede Alhuquerquc, tluilhermo dos Santos
Sazes, llomao Antonio da Silva Alcntara,
Joaquim Francisco de Mello Santos, A-
delo Jos de Mendonca, Antonio Pereira
,1c Souza, Joo Antonio de Paula Rodri-
gues, Bernardo Jos Martina Pereira, Jos
Itomardo GaWfiO Alcanforado, Francisco
Mamedo de Almeida Jnior, Joaquim Cor-
roa da Costa, Antonio de Souza llangcl,
Jn.lo Jos do Moraes, Joaquim Antonio Car-
neiro, Jo.lo Athanasio Itotelho, Bernardi-
i,o do Sennae Silva, Joaquim Jos Fe rei-
r da Rocha. Caetano Pinto de Veras, ltu-
lino Jos Fernandes de Figueiredo, Jos
liento da Costa, Francisco Antonio da
Silva.
Publicaces a pedido.
Illms. Srs. Nao leudo as transactas ad
ministraQocs cumprido a disposicSo da le
del3deoutubrodel83l,na parle em quo
manda reunir ao grande hospital de can-
dado o da santa casa da Misericordia, e nao
querendo esta adminislracao continuar em
scmeUiante abuso, roga a Vv. Ss. sirvam-se
do designar o dia o hora em que ella pode
ah comparecer para lomar conta do men-
cionado hospital, o bem assim do seu pa-
trimonio, vista do inventario quo Vv. Ss.
devem organisar.
lieos guarde a Vv. Ss. Adminislracao ge-
ral dos estabelecimentosde caridade, 23 de
agosto de 189. Illms. Srs provedor e
mais mesarlos da santa casa de Misericor-
dia de 01 inda. ot Marques da Cosa Soa-
res, presidente. Antonio Jos t.'oirtfj do
O'ireio, escrivfio. Jos Pires l'crrclra, the-
soureiro. loaqulm los da Costa, vogal.
JoSO Pinto de Lemos Jnior, vogal.
MAI'PA de Movimciito dos esta-
Ixlniitniiiis re carltla-
ilr. no mi'Z ile a i oslo (ti1
1S l!>.
i. linde hospital.
DOENTES.
Existiam
Entra ram
Saliiram. '
Moircraiii
Existem.
Curados......
M .: lados. .
.N'o rurados.. .
.as H b. d'entrada
Depois dessa poca
2
1'
A
3
O
O
9
Ilos|iilal dos lazaros.
DOENTES.


Existiam
Entra ram
Sal i ram
Morieram.
Existem.
Curadas. .
Melhoiados .
Nao curados.
20 12
1 0
0 (1
0 0
0 0
1 0
20 12
Casa dos expostos.
EXPOSTOS.
Sexos.
Exisliam ............
Enlraram ...........
Sahiiii.............
M .... jNas2* I'- d'entrada
"" I Depois d'esla poca
Existem.............
100
1
0
0
1
100
12!)
4
0
0
0
133
235
5
o
o
1
239
Administradlo "geral dos estabelecimen-
tos de caridade, l. de setembro de 1849. ~
Anlunio Josc Gomes do Correio, cscriv3o.
Jos l'ires lerreira, Ihesoureiro.
BALANCO DA RECEITA E DESPEZA DOS
ESTAREI.ECIMENTOS DECAUIDADE, VE-
RKFICADO NO MEZ DE ACOST.
Itaceita.
Recebido do fiscal do bairro do
S.-Jos, Joo Jos de Moraes,
producto de corridas de poicos 8,000
Do fiscal ta lla-Visla, Joflo Jos
Pinto, idem 30,020
De Jos Francisco Pires, impor-
tancia que produziram asamos-
tras do assucar extraliidas de
713 caixas e 382 fechos, quo
fram pesados no irapicho do
liamos,de l'everero a junhodo
crrente anuo 129,940
Do procurador da admnSlrac8o,
rendimento dos predios arre-
cadados ueste mez 200,000
367.9C0
Lettras que exisliam em 31 de
julbo 2:954,945
Saldo a favor do thesourciro 2:434,078
5 756,977
Dtspeza.
Por saldo a favor do thesourciro
em :ll do passido 801,992
Pago ao i cgeiiio do gran le hos-
pital, p-ilas despezas de judio 497,311
Ao dilo da casa dos exposlos,
idem 232,870
Ao dito polo jornal da cozinhe-
ra venc Jo em jullio 12,500
Ao dito do hospital dos lazaros,
despezas de julho 291,860
A Manuel Antonio de Jezus, pelo
pao Ioncenlo em junho e ju-
dio 445,244
Abate de aprcenlo 22,257 422,987
A Antonio l.uiz dos Santos & C,
2:259,520
Transporto i
por 72 4['i varas do hamburgo
a :M0 rs ;
A-llenryjSibson, por 4 pecas do
ahila
a l.uk. Pereira Rgpozo, condc-
elo e arromar;ao de 10,500 tir
jlos
A Joaquim Bsptista Piqui, por
20 alqueires do familia
Aos enlermeiros, cozinheiros o *
serventes do hospital dos laza-
ros, seusjornaes at julho
A ('.. Slar.r&C, por uma chapa
de fogo, grelhas.etc, para a
botica do grande hospital
1:259,520
. 228,752
28,000

20,160
64,000
108,000
33,600
Lettras existentes
2:802,032
2:954,945
5:756,977
Adminislracao geral dos estabelecimen-
tos de caridade, 1 de setembro de 1849.
Jos Pire Ferreira,
Thesoureiro.
jfnfono Jote Goma do Correio,
Escriv3o.
COMMEKCIO.
AI.FANDECA.
Rendimento do dia 13 10:195,143
CONSULADO GERAL.
K.Mid i inenlo do dia 13....... 439,578
Diversas provincias........ 77,603
517,181
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 13...... 665,539
MoviiTicnio do Porto.
Naviot entrados no dia 13.
Rio-Grande-dn-Sul 25 tlias, brigue bra-
sileiro larcial, de 179 toneladas, capilSo
Manoel Jos Vianna, cquipagem 13, car-
ga carne ; a Amorim Irmaos.
dem por Cear 56 dias e do ultimo por-
to 19, patacho brasilciro Flor-de-I.ima, de
119 lu ciadas, capilfio Joaquim GonQal-
vesLima,equipagem 8, carga carne; a
Amorim Irmaos.
Asst't 50 dias, brigue hrasileiro Conceirso,
de 192 toneladas, capit:lo Fructuoso Jos
Pereira Dulra, cquipagem 14, carga sal ;
a Manoel Alvcs Guerra. Passageiro, Jos
Francisco Fernandes, Hrasileiro.
Navios sahidot no mesmo dia.
Rabo da Roa-Espernnca Escuna ingleza
Fela, capilSo Edward Wild, carga a
mesma que trnuxo.
Liverpool por Parahiba Itarca ingleza
Cumberland, capiDlo James Ailkcn, carga
assucar e algodflo.
Camaragibo lliate hrasileiro Novo-nesti-
no, capitSo Estcvilo Ribeiro, carga varios
gneros.
Observando.
Arribou, pela segunda vez, o hiato Para-
hibano, capilSo Nicolao Francisco da Cos-
ta, qucsaliira a 28 do panado para a illia
de Fernando.
de que o espectculo annunciado par^o
dia 15 Tica transferido para sabbado, 22 do
correrte., em virtude do haver espectculo
gratuito no theatro de Apollo no referido
di*a 16.
Alugam-se tres cscravos por dia ou por
rqei, sendo uma negra : na ra do"Sol, nu-
.mero 25.
O secretario da irmandade do l.ivra-
mento, d'ordem da mesa actual, convida g
todos os irmaos da mesma irmandade para
Coinpareccrem domingo, 16 do correte,
pelas 3 horas da tarde, em o respectivo con-
sistorio, para quo, reunidos em mesa geral,
pii-s.i ni eleger o novo juiz que tem de reger
a irmandade para o futuro anno de 1850,
em virtudo do artigo 17 titulo 5. do com-
promisso da mesma irmandade.'
Ilypolhera-se um sobrado de dous an-
dares em boa ra, pela quantia de um con-
t oitocentos mil ris, ficando o aluguel pe-
lo premio ; negocio eslc de vsnlagem :
quem quizer annuncie para ser procurado.
-- A pessoa que annunciou no Diario de
quinta-feira, 12 do corrente, querer com-
prar uma cartoira, dirija-so ra da UniSo,
sobrado de Manoel Alves Guerra.
Precisa-se do um caixoirq que tenha
pralica do venda : na ra estrella do Roza-
rio, n. II.
Traspassa-so uma bypolheca de 5 es-i
cravos bons e mogos, hypothecados por
um anno, vencendo 2 por cenlo ao mez: a
quem couvier annuncie : o hypothecanle e
os escravos moram aqui no Itecife.
A pessoa que annunciou querer com-
prar um balcSo dirija-so a na Direita, nu-
mero 113.
A pessoa que tiver um primeiro tomo
do Virgilio e o quizor vender, dirija-se
i liona da Roa-Vista, venda da estrella.
-- JoSo de Araujo Alves da Fonseca, Bra-
silciro, vai fazer uma viagein a Angolla.
--Aluga-so portempo de oito mezesum
sobradinho na Ponle-de-Ucha por 75,000
rs. em todo o decurso dos ditos oito mezes :
na ra da Cruz, n 51.
Muito sedeseja saber se nesta ciliada
ou provincia exislcm Manoel Jos AfTousoe
o padre Gabriel Pereira de Castro Bacellar,
qne para aqui vieram de Portugal em i.Mii
ou 1817, sendo o ultimo sobrinho do bri-
gadero Manoel Joaquim, que aqu morreu
na ivvoliic.io do 1817. Os mesmo, ou as
pessoas que delle tiverem noticas, dirijam-
se a esta typographia.
Precisa-se de uma perita doceira, tan-
to de doces de caldas como seceos : na ra
do Trapiche, n. 44.
Precisa-se de uma ama de leite, prefe-
rindo-se captiva : no Aterro-da-Boa-Vista,
loja n. 78.
~ Precisa-se de uma pessoa livre que so
queira encarregar de censar bem duas cri-
ancinhasj desmamadas : quem se propo-
zer, dirija-se praca da Boa-Vista, n. 32,
segundo andar.
O Q
S T Bixas-
t>JVa pr.ica dit Indpen-o
^ deneia, n. 10, 2
q ao voltar para a ra das Cruzes, alu- ,-;,
Occlara^oes.
O solicitador da fazenda provincial faz
publico que pelo juizo da si'guuda va i a do
civel, as horas do costme, no dia 15 do
corrente, se arrematarlo por venda asse-
guintes casas, adjudicadas mesma fazen-
da para pagamento do sello doheranca no
inventario do hnadn Joaquini l.uiz de Mel-
lo Carioca, escriv.lo Santos : qualro casas
terreas pequeas, por detrs da Paz, na po-
VOacSo dos Afogados, ns. 24, 26, 28 e 30,
avahada cada urna em 250,000 rs. ; duas di-
las na mesma povoacio, ra dos Passos, ns.
51 c 17, avaliada cadi uma em 200,000 rs.
-- O arsenal de guerra precisa comprar
esleirs do palha de carnauba: a pessoa
que tal objecto quizer fornecer, compare-
cer na sala da directora do mesmo arse-
nal, no dia 15 do correte, com sua pro-
posta em carta fechada e a amostra.
Avisos martimos.
A bem conliccida e veleira
barca nacional Firmeza, capilfio
Narciso Jos de Sant'Anna, palie
para o Rio-de-Janeiro com mili-
ta brevidade quem pretender car-
regar, ir de passagem ou embarcar
escravos a (Yete, trate com o mes-
mo capituo, na praca do Commer-
cio, on na rita da Madre-de-Deos,
n. 3, lerceiro andar.
Para a Rabia sabe impreterivelmenle ,
no dia 15 do correnle, a sumaca Flor-do-
Anf/elim, mcslre Bernardo de Souza : para o
restante da carga e passageiros, trata-se
com l.uiz Jos de S Araujo na rui da
Cruz, n. 33.
Para o Aracaly segu viagem com bre-
vidade a sumaca nacional Cariota, mestre
Jos Goncalves Simas : para carga e passa-
geiros, trata-se com o mesmo mestre, ou
com Luiz Jos de S Araujo; na ra da Cruz.
u. 33.
Para a Parahiba
sahe imprelerivelmente o hiato nacional
espadarte, por toda esta semana, mestre
Victorino Jos Pereira : recebe carga e pas-
sageiros : os pretendenles dinjam-se ao
mestre, no trapiche daAlfandega, ou na
ruado Amorim, n. 36, a tratar com A. J.
Vidal & Companhia.
aMMM^.
gam-seo vendem-se bixas de llam-
O
burgo : lamhem v3o-se applicar pa- Y
ra commodidaJe dos freguezes ; ti- y
ram-se> denles sangra-se
cam-so ventosas : tudo po
commodo.
ipp'i- r
r Dreco w
preco
l.cilao.
Fox Rrothers farao leilo, por inter-
vengilo docorrelor Oliveira, de um inteiro
sorlimenlo de fazendas inglezas, todas pro
prias do mercado : sexta-feira, 14 do cor-
rente, s tO horas da manilla em ponto, no
seu armazem, ra da Cadeia do Itecife.
Avisos diversos.
O diiector do theatro de San-Fra
co avisa ao respeitavel publico desta cidu
neis-1
cidu-J
--A quem convier arrenda-se o engeulio
Goil, na freguezia de Tracunh3em da co-
marca de Nazaretb, moenle e corrente, com
safra pendente para cerca de mil f)3es, a
qual se vende ao rendeiro com as novas
plantas de caimas que se acbamem muito
lioin estado : a fallar no mesmo engenlio
com o seu proprielario, Jos Cavalcgnlo do
Allmqucrque.
.Manoel Joaquim Dias de
Castro faz sciente ao respeitavel
publico, que desta data em diante
se assignar por .Manoel Joaquim
Dias de Castro Clavinote.
A pessoa que annunciou querer com-
prar uma carteira dirija-se ra do Pires,
na Boa-Vista n. 23.
Precisa-se de um caixeiro para uma
das melhores vendas em Olinda, dando fia-
dor a sua conducta : a fallar com oSr. An-
dr Manoel de Aaruda, na ra do Amorim,
amazem do Sr. Tasso Jnior.
Sociedade Harmonico-
Tlieatral.
O 1.* sccrotgrio avisa aos Srs. socios que
os bilhctes para a recita extraordinaria da
15 do corrente se distribuirn no sallo do
Iheatro nos dias 13 e l, das :l horas da tardo
em diante, e no dia 15 al ao meio-dia, em
o qual se achara reunida a direcclo para a
approvaQo dos convidados.
A direcc3o querendo vedar o escandaloso
abuzo que at aqui tem apparecido, dse
Introducir no thealru um numero da pes-
soas superior sua capacidade, previne
mu positivamente, lauto aos Srs. socios,
como a seus convidados de ambos os sexos,
que.excedendo o numero de pessoas ao nu-
moro de bilheles que tiverem,passarlo pelo
desgoslo de Ibes ser negado o ingresso.pois
que he consequenca necessaria de tantos e
loo repetidos abuzog.
Scieniiic.i-se ao respeitavel publico
que a casa terrea, sitia na praca nova da
ribeira da Boa-Vista, n. 14, com a frente
para a ponte, pertqnce a Auna Felippa de
Santiago a qual nao poder ser vendija
sem consenlimento da possuidra ; e cono
conste a supp\jcante que assim se diligen-
cia, por isso, a vista da escriptura publica
com seguranza, lova-se ao conhecimenlo
de quem pretender compra-la, sb pena do
nullidade.
A viuva do fallecido ManocIFerreiraPin-
to, avisa aos seus freguezes que se mudou
para Fra-dc-Portas ra do Pilar.n. 51, onda
contina a vender doce de todas as quali-
dadegj tanto secco, como de calda ; assiai
como loiu;a vidriola
Aluga-se a loja da casa da ra da Au-
rora, anule (ove loja de louca com arma-
cao propria para fazendas, ou outro qual-
quer negocio: a traUr na venda ao p da
mesma, n. 2.
Precisa-se de um pequeo brasileiro
que queira ser caixeiro de uma taberna : no
paleo do Paraizo, taberna n. 30.


"'

Sendo que as perguntas fcilas no Dia-
,lo Kovoiie liontom, n. 81, entenda-se rom
abaixo assignado, esto protesta pelo
presente responder a todos aquellos qoisi-
tnsRCom tantoquoo perguntador, deixan-
Jn b rapa do anonyino com (|UO su pretende
ac orlar, ousar assignar suas perguri*
K9 Recito, 13 de setembrodo 1849.--//o*-
norato Jospli de Olheira P'igueiredo.
Quem annunciou precisar de um bal-
co, dirija-so ra da Cadeia do Recife ,
n. 3*.
Denes nrtificiaes.
J. A. S. Jane, dentista, participa ao res-
peitavel pulilico quo contina a excrecr a
gal prolsslo na ra estreita do Hozario ,
n. 16, priineiro andar.
50,000 rs. de gratica^ao,
Ausenlou-Si, desde a tarde do dia 12 do
Torrente mez da casa 0. 19, na ra da Al-
fandega-Velba, um pardo de ame Anto-
nio de bonita figura cor clara, cabellos
compridos e annellados ponas um pouco
arqueadas ; tem o andar um tanto pesado,
falla precipitada ; levou camisa de mada-
poln cncorpado o com a marca encarnada
I'. Q., calcas do algodSozinho de lislras
sostidas por urna correia envernizada; sup-
pe-se ter levado um chapeo de seda prela.
Ksle escravo pertenceu oulr'ora ao Tallecido
Ignacio Comes da Silva de I'edras-dc-l'ogo:
quem o levar a dita casa receber a dita
gratificarlo.
A commissflo cncarregada da distri-
buido das quantias resultantes da subs-
cripgfio tirada na capital do imperio abene-
licio dos orpbflos c vitlvia daquclles que
morreram em defeza da constituirn c do
imperio, na ultima rebelio que leve lu-
gar nesta provincia, convida as pessoas i.
quem esta distribuidlo possa ser aplicavel ,
a apresentarem seus documentos compro-
batorios como certidlo de bito e casa-
meuto para as viuv.is, e de baptismo para
os mi pililos c certificados dos respectivos
delegados subdelegados o commandantes
de corpos a que os morios pertenecram.
E porque tambem ser da intenso dos
contribuintos extensivo aos invlidos c inu-
tdisados, lacs pessoas devem apresenlar
suas hahilitacCcs para serem attendidas ,
quando vieron:, com as quantias que anda
so esperam as declararles que a tal res-
peito fram pedidas para a corte pelo Exm.
Snr. concelheiro de estado presidente da
provincia. llocife 13 de setembro de
1x49. O vigsrio Venancio llenrit/ues de lle-
iende, secretario da commissilo.
OSr. fiscal da Boa-Vista queira lanzar
suas vistas nos passeiu das casas do scu
bairro: islo Ibe pede -- Um padicene de
caloi.
^fif^t'Vff?Vv:({' bajam do tirar suas contas para serem con-
feridas o pagas, na ra larga do Rozario ,
i^. 2!). Manoel Suslino Florencia de Araujo.
I'recisa-se de urna urna para urna casa
do pouca familia, a "qual cozinlie e faga sal
compras : na ruada Cadeia do Recife, nf
4I primeiro andar.
Para as pessoas que tcn-
cionaiii seguir viagem.
No pateo OoS.-Pedro casa terrea n. 8,
tiram-se passaporles para dentro e fra do
imperio, correm-se folbaso despacbam-se
cscravos e para este fin taiv.bem pde-sc
procurar na praca da Independencia livra-
ria ns. 6 o 8.
i
Deposito de rap.
?
*
'3-
. Domingos Alvcs Matheus, agente da
M fabrica do rap superior areia prela
$ e meio grosso da Babia, tem aberto o
i* seu deposito na ra Cruz, no Recife ,
ft n. 38, primeiro andar, onde se achara
fr sempre dcsle excelleute e mais acre-
fr ditado rap que at o presente se lem 4
4 fabricado no Brasil: vende-se em bo- (<|
Cr tes de urna e meia libra, por preco 4
fr mais commodo do que em outra qual- (i
? quer parte. 4
# ?
Pede-se ao lllm. Sr. I)r. Antonio Joa-
quim de l'igueiredo Seabra quo appare^a
no Alerro-da-Boa-Vista, para |iagar os
alugueis da casa da ra de S.-Colgalo, aon-
mudou al esta data.
Na fabrica franceza de calca-
dos precisa-se de ulguns rapazes
para aprendercm o ollicio : a Ira-
lar na nicsma fabrica, na estrada
que vai da Soledade para o Man-
guind, casa grande amarella.
Procisa-se de pi olas que vendam pilo :
no Forte-do-Mattos ra do Burgos n. 3).
Manoel de Almeida Lopes que coslu-jsedaVV pannnfio' imitando seda para'co-
ma comprare vender escravos mudou sua h,rir qualquer armacSo de chapeo de sol, o
residencia da ra do Vigario, n. 24, para a ,,ue se faz, e tamoein se colicorta com toda
bilitacues por commodo preco: quem de
ftti preslimo so quizer utilisar dirija-se
travessa do Caldeireiro, n. 12, ou annun-
,Cie.
Precisa-se fallar com os Srs. Francis-
co de I'aria ISunes e Antonio Lopes do A-
orada, a negocios de seus interesses : na
ra da Cauz, n. '.., esoriplorio de Olivcira
lrmaos& C
--Precisa-se alug'ar um escravo para o
servido de urna casa estrangeira : paga-ia
bem : na ra Nova, n. 61.
Aviso.
Quem pretender engenhos para em 2 ho-
ras socar urna caixa, 011 <> barricas de as-
sucar, oceupando urna s pessoa o um ca-
vallo, carros para condcelo de formas
com assuear, tambem por' una sua pessoa,
no querendo ser engaado, dirija-se ra
do sol, n. 13. Adverle-se que nnosSo carros
de forquilha... por baixo do fundo das for-
mas : destesos acharilo na fabrica dos Srs.
Slarr 6; Companhia.
Dcsapt areceu da casa de Prxedes da
Fonseca Coilinho, no dia 7 do corrente, o
seu escravo Eustaquio, pardo claro, de ida-
de de 22 anuos, de estatura regular, seceo
do corpo ; tem os dedos dos pea levantados
quando anda, toma bastante tabaco e he
ollicial Je sapateiro : quem o pegar, leve-o
a ra Beal, na Boa-Vista, que sera recom-
pensado.
Jg Chapeos de sol
Rua do Passeio, n. 5
O dono desle eslahclccimcnto avisa ao
respeitavel publico que elle receben pre-
sentemente urna qualidade de chapeos de
sol com armadlo de ac sortidos em co-
res c de varios tamanhos, qnalidade esta
nunca Bqui apparecida : bem como cha-
peos do sol com armacRo do balaia, sorti-
dos em cilres fixas ; ditos para senbora, de
seda milito encorpada com ricas franjas do
retroz e chegados ltimamente do Paria :
tambem se vondem chapos de sol, de pau-
iiinlio em por^ilo c 1 rctalho ; ditos para
feitor de engenho, muilo grandes. Os fre-
guezes BCbarSo um completo sortimenlo de
Fabrica especial de
cadeiras, na ra
larga do Rozario,
11. 10.
Ilenrv Dnman e Jules Imalz
<-.
<\
<-.
<
<-.
-f;
tf
<:
<";
<-,
4
leem a honra do avisaran <
respeitavel publico que ac- J
bam de abrir sua tenda de J5
roarceniria, onde hilo de ^
Jubricar especialmente ca- 4?,
deiras francozas, americanas e al- t> lem.lns, sopbs e marquezas. Os an- <"
& nuncianles, chegados ha pouco-tem- "*8
P po 1I0 Franca, Ira/emos moilclos os ^
v mais lindos e mais commodos que *
y so fazem agora, e por isso so aeham ^
ij. habilitados para satisfazer as pessoas ^
;> quo.qulzerem honra los com sua g
i> confianza. Os mesmos tambem se en- ^> carregam do concert ile qualquer U mobilia do assento que se apresen- <;-
P1 lar, eos seus freguezei ficaro con- *j
S" lentes do modo que serfo servidos, ]2
t tanto em promptidao como em soli-
Ij. dez e prego barato. ^
> <
Q*!ft^A*4lAAA4(i.4l40
O abaixo assignado, e>tudnte do se-
gundo anno da academia de Olinda tem
Iransferijo a sua residencia pal a a ra das
Flores sobrado n. 1, e all se proproe a
receber alumnos externos e internos, para
llies ensinar lingoa nacional, franceza, geo-
metra e rhetorica prometiendo o mais
desvcllado tratamonlo, medianto um m-
dico exlipcndio : as pessoas que o quizc-
rem frequentar poilcrflo dirigir-se a indica-
da residencia das 2 horas da tarde em
diante. Vueoiueltos Coimbra Jnior.
Quem precisar de 2 prelos para ser-
ventes, dirija-se praga da Independencia,
loja 11. 3.
Aluga-se, do um primeiro andar, urna
sala drcenle com ak'uva o co/.iuha muilo
f'esca, arejaua e nTio be devassada por vizi-
iihos sita em ra bastante transitavol no
Recife: quen pretender annuncie. Advcr-
te-se que s se aluga a pessoa du inleira
conducta.
Precisa-so de una pessoa forra ou
subjeila, para Irabalbar em um sitio, e
que saiba botar canoa : na ra estreita do
llozano, 11 16, primeiio andar.
Aluga-se un sobrado na la da Uni3o,
com boa vista para a barra escollantes
salas, alcovas e quailos, grande quintal
murado cacimba ecozinlia fura: a tratar
co.n Manuel Alves Coerra.
VicentoFerreira da Costa aluga o pri-
uisiro andar da casada ra da Madre-de-
Dcos, n. 3,onde tiveram escriplorio os Srs.
Juhnston l'ater & C.
lima senbora viuva que tem ha muito
c sempic onsinado prim'oiras leltras, cujo
aproveitamento dasaluninas lem sido sem-
pre abonado pelos seus proprios pas, con-
tina neste magisterio na ra das Flores,
casa, n. 21 : tambem recebe pensionistas, e
prometa desvello em eusinar-lhes toda a
qualidade de costuras, grammalica nacio-
nal c arilhmetica.
-- Na padaria defronto da groja da Sole-
dado precisa-se de um boin trabalhadorde
nasseira.
Precisa-sede um amassador que saiba
bem desempenhar a sua obrigaeflo : na pa-
daria da ra larga do Rozario, n. 48.
Precisa-so de um feitor para um sitio
perto desla praca que so subjeite ao ser-
vico de campo e saiba poudar e tratar de
plantas : nu ra da Alfandega-Velha, n. 36.
O abaixo assignado, leudo vendido
sua taberna da ra de Agoas-Verdes, n. 48,
roga o favor a todos os seus credores, que
ra da Cadeia do Recife, n. 40.
~ .Na ra do Queimado, 11. 14, segundo
andar se dir quem d dinheiro a premio.
Na mesma casa compra-sc ouro e prata no
estado em que estivor.
Offercce-se urna pessoa para cobrar di-
vidas DOSsertfies desla provincia, ou em
qualquer outro lugar, dando fiadora sua
conducta : quem de seu preslimo se qui-
zer utilisar, dirija-se ao Aterro-da-Boa-Vis-
ta n. 46.
-- David Cardner subdito inglez ma-
chinista, vai *o Passo-de-Camaragibe, pro-
vincia das Alagoas.
~ Antonio de Souza Mallos, gravador em
alto e baixo rellevocm toda a qualidade
de metaos, participa, nilo saos scusfre-
guezes como ao respeitavel publico, que
mudou a sua residencia da ra do Koguei-
a brevidade,
Saccas com ariuh de
mandioca, a5,000 rs.
Vendom-se saccas com farinba do man-
dioca a 3,000 rs. o sacras grandes, a
3,j00 rs. : na ra do Codorniz armazoni
n. 11.
Folha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flandres:
na roa do Amorim, n. S5, casa do J. i. Tas-
so Jnnior.
-- Vende-se, na ra de S.-Francisco, ca-
sa apabilada urna canoa em muito boin
estado quu rarrega 7,000 rs. d'agoa ; 12
sacadas de podra do Rio-Formoso ; um bej
qo de angieo muito lindo : ludo por preco
commodo: bem como un alambique pe-
queo em milito bom estado : a tratar de
nianliila at as 8 horas o meia
A ellas antes que se aoabem.
Vendem-se ricas luvas dn pellica para
homem e senbora polo diminuto pre?o de
1,000 rs. o par : na ra do Queimado, u. 17.
D3n-se as amostras.
Vende-se, na ra do Crespo, n. II ,
tachigraphil nacional por L. A. M. Falc.'io,
1 v.; Ilymno do Papa Pi IX; Atlas de Simati-
court; Historia sagrada de Rornardino Frei-
r, 9 V.; Thompson, 1 v. ; Philosophia
por Charm 1 v.; Fbulas de La Fontaine ,
1 v. ; Cartilhasdo ediQO portugueza, 1 v. ;
Diccionario fraucez por Roquete, 1 v. ; dito
de theologia porBergier. 8 v. : continua-SO
a trocar por livros outra qualquer cousa.
i-
;>
:>
v>
>
>
>
Va
Vendem-se corles de calcas de hrim
Iraiioado de linho de muito bonitos
padres a l.JOOrs. cada corte : na "\
ra do Quoimado, loja do sobrado ^i
umarello n. 2o.

Compras.
~ Ciimpram-se dous pares de brincos de
ouro de lei, sondo um de 3 a 4 oilavas e o
outro de 5 a C oitavas ; urna corrente tam-
bem tle ouro de lei, com 27 a 30 oitavas:
na ra do Cabugi, loja de miudezas, n 1 D.
" Conipra-se um caixflo pequeo para
assuear : na ra da Cadeia-Velba, n. 50.
Vendas.
Obras de miro.
Vende-se 1 alfinete de brilhantcs 1 par
ra para a ra de Santa-Thercza, n. 24, onde | ^'J^ C"T.."!^nS ^1'SiTfc"Jf
o acharilo sempre prompto desempenhar
com toda a perfei^fo qualquer obra do que
o encarregarem: tambem o acharilo promp-
to para imprimir qualquer pon;;o do es-
tampas de que o encarregarem, obrigando-
so ate a abrir chapas novas.
Os abaixo assignados fazem publico
que dissolvoram amigavelmente a socieda-
de que tiveram sobre a firma de Andrade
& .Mni rira na loja de ferragonsda ra Nova,
n.39; lio .nido o ex socio Andrade encar-
roado du luda a liquidoslo, c o ex socio
dalha com diamante um lago dclilagrana,
um annel com dous diai^aiites um buzio
encasloado, para pesclo do menino : til-
do com pouco uso : na ra do Crespo ,
n. 12.
Vende
muito bou
de urna casa muilo bem, engomma n lava
muito bem com una negrinha do 3 ma-
zos um mulequo de 2 annos ambos mni-
to lindos: vende-se com todos dous, ou
com a mais pequea s a vontade do com-
iii |'uia pcsrui,-!! uu uicimiu ; lu-
|>ouco uso : na ra do Crespo ,
9-se urna cscrav.Hfe 22 anuos de
lita figura quecobinba o diario
O abaixo assignado deixou de ser cai-
xeiro do Sr. Jos Joaqun. Das Fernandos "Vende-se urna parda de 15 annos -
desdo o da 9 do corrente, e ao mesmo preta de 20 anuos : ambas de. lo. as (]gue
ArrBn ,. T.ZL^^"Zu.f f" -^-B piano de bOSS VOZOS 0 em
--Arrenda-so una grande campia de-i. ..... "i-
nominada sitio do Lucas, ou Enforcado, na bom uso por 200.00C
estrada nova do Caxang, proprio para pas-
tagem de gado rancho ou para qualquer
planlacilo : a tratar na ra do Vigario, n. 7,
primeiro andar.
m
> Caetano Xavier Pereira de Unto,
% doutnr em medicina, annuncia ao
J} respeitavel publico, que fixou a sua
|>) residencia no Aterro-da-Ba-Vista,
^ n. 43, onde podora ser procurado a
j qualquer hora ; o da consultas grulis
S> aos pobres, das 6 as 9 huras da na-
f nlifla.
#
Pela segunda vara do civcl escrivo
Cunha.se ha de arrematar, no dia 22 do
corrente, por ser a ultima prai;a um re-
logio de caixa de ouro, sabonele e de fa-
brica horizontal avallado por 80,000 rs. ,
ponhorado a JosThomaz de Campos Qua-
ros ma.
Carlos Claudio Tresse, fabrican-
te de oreaos e realejos, na rualc
das Flores, ... 19, flu.,1,fes
avisa ao respeitavel pubiieo que conccrla | Prlas para
rs. : 110 es do Ra-
mos, segundo sobrado.
Vende-so azeite de carrapalo em cana-
*da a 2,400 rs. o em garrafa a 320 rs. : na
esquina da ra do Itangel, venda de Jos
Rodrigues Coelho & Companhia.
Vendem-se os apreciaveis
charutos de Ilavana ; ditos regaba
superior qualidade, chegados
recenlemente ; assim como pti-
ma manteiga em vidros : ludo por
preco commodo : na ra da Cruz,
n. 5l, ar.nazem de J. U. Elster.
Vende-se un prclo peca, do bons cos-
tumes, ollicial de anzoleiro o do 18 a 19 an-
nos : na Ponte-Velha, casa do Sr. Calilo.
Vende-se, na ra do Itangel, n. 46, um
prelo moco, proprio para u mallo ; 26 vo-
lumesde barricas do farinba do reino aba-
tidas ; arroz lira neo e vermelho por barato
pre^o.
Na loja do Duarle, na ra
, n. I C, vendem-se re-
de cores ; franjas pro-
man(atetes de cores ;
?
f
''?de
i!
4
4
m
4
lo Oabuga,
orgfos e realejos, po'e marchas modernas! lencos de seda e algodao para gra
r.Vtt.lceuari^lS S: vatae .lgbeir. ; boleas demican-
Irumentoqueapparoca : tambem faz obras
novas o vende um orgo, proprio para ca-
pclla ou altar, com boas vozes, por preco
commodo.
Precisa-se de urna preta captiva para o
servido de una casa de pouca familia, pa-
gando-se-ll.emensalmenle : no Alerro-da-
Boa-Visla, luja n. 1.
Na ra nova, loja n. 58, se dir-quem
ga, proprias |.ara n.os ; manti-
nhasde seda a 8oo rs. ; toncas de
13a para senbora e meninas ; e laa
para bordar de seda, de todas as
cores.
-Vende una preta de nac.iloCpngo,quc sa-
be cozinhar e fazer o seiv- Tiario do una
da Jiuheiio a premio as quaulias de 200,! casa, lio boa quitauden vender na ra,
300, 400, 500 e 600,000 rs. com hypolhe- j e custumn pagar 400 rs. por da, tora de
ca em casas terreas. j idade 40 annos, pouco mais ou menos, he
Precisa-se alugar urna prela captiva I muito fiel, n&o ten. vicio algum : quema
que saitia cozinhar o diario do u.na casa e'pretender, dirijn-se a ra da Penha, n. 25,
comprar na ra : na ra da Cadeia, n. 59 i que achara com quem tratar.
( riinelro andar. Vendem-se cassas bordadas, brancas e
Pede-seaSr. Jos Mara de Vascon- j do cores a280rs. a vara : na ra do Quei-
cellosde Bourbon queira mandar pagar o : mado, u. 47.
aluguel que devo do primeiro andar aj Yende-se superior fio de
quem bem sabe. ,_ .*, .
-Lm cidadao brasileiro adoptivo, do algodao para torcidas de velas :
avamada idade, branco, casado e sem li-;em casa c (Je0: Kennwortby c Ihos se oirorecc para ensinar meninos fo-1 ., J
radapraSa, para oque lem as precisas ha-! LiOmpanliia, na da Cruz, n. a.
&AAAAAAAAAAAAAAAA4r$
Luvas de pellica, a 1,000
* rs, o par.
Vendem-se luvas do pellica, a l.m.Ors. o
par para senbora muito novas e de su-
perior qualidade : n.i ra do Oueimado n.
1(1, loja de Jos Dias Simos. e C.
* Liefxs de rhetorica.
Vendem-se lices de rhetorica recopila-
das dos originaes de J. Ferrool Fernaud e
Fdcne Ponelle, traduzido em portuguez
por M. C. Vellozo a 2,0H0 rs. cada exom-
|ilar : na praca da Indcpeudcni'ia livra-
ria ns. e 8.
Sapa toes, a "00 rs. o par.
No Atorro-da-Doa-Vista, loja n.78, von-
dem sapales do Aracaly averiados a 50(1
rs. o par; sapatosde lustro para sonliora ,
a 2,240 rs.
Na ra das Cruzas, n. 22, segundo an-
dar, vendem-se lo cscravos sendo : una
escrava de nacffo, de 24 annos engomma-
deira c que cose Cllflo COZioha o lava;
um dita CriOUla COm algumas habilidades;
una (lila do nacilo boa quilandeira; um
molecole de nacilo, bom coziuhoiro; (i
ditos para o servido de campo.
JNovo iniulapolo com
mais de 40 jardas a peca
e com largura quasi do nm.i vara fonJ .
a mais lina que se pode imaginar, por isso
ptima para todo polo diminuto proco de
11,000 rs. a peca ; bem como todo o sorti-
inentii de fazeudas linas e grossas i DO no-
vo armazeni de fazeudas de Raymundo Ciar-
los i.eilo, na ra do Queimado, n. 17.
Vonde-sn um mulaliiilio de minio bo-
nita figura e sem deleito algum, de 13 a li
anuos OOZinha e he proprio para pagem ,
nu para a prender qualquer ollicio : na Boa-
Visla. ra da Manguoira, n. 10.
Vende se panno d j I-
nlio do Porto,
a750rs. a vara; dito de Alleinanba com
duas varas e meia do largura, a 2,600 rs. a
vara ; cambraias bordadas c adamascadas
paia cortinados por prego muito commo-
do ; marin branco muito superior, a 1,800
rs. o covado; bicos do blondo; ditos do
linho ; meias e luvas : tildo por preco mais
barato do que em outra qutlquor parle :
na ma ilo Crespo, lujan i, du Domingos
Cuimaiiies.
A' suas caridades da or-
dem tereicradeS. Fran-
cisco.
Na ra do Crespo, n. 9, ha para vender a
1,800 rs. o covado a genuina fa/.enda para
hbitos desta orden. a qual toma-so mili-
to recommendavel polo sen escolenle te-
cido sem iluvida o melhor que em tal ge-
nero lem produzido a magnifica, populo-
sa o manafactureira cidade de Roen, urna
das mais clebres na prodcelo de lecidos
Vcndeiu-se cassas de
seda ,
a 400 rs. o covado; ditas e cambraias de
Coras a 3(0 rs. o covado ; corles de dilas,
2,400, 3.00U, 3,500 e 4,000 rs. ; lenco de se
da a 1,000 rs. ; alpaca de lils e seda prn-
pria para roupinhas de enancas, a 1,000
rs. o covado; riscados franrezes, a 220 o
240 rs. o covado ; chales de lila eseda, mui-
to bonitos, a 5,0':0 rs. ; luvas de linho para
senhora, a 500 rs. o par; meias para me-
ninos c meninas, a 200 e 240 rs. o par;
lencos brancos para mfio a 500 e 040 rs.
cada um : na ra do Crespo, loja de Domin-
gos Cuimares.
-- Vendem-se chapeos de seda c do pallia
para senbora ; maiilaletes de bico e de. so-
da da uliuna muda ; caiiiisiuhas buriladas ;
bonetes de montana ; ricas litas ; bicos e
rendas de todas as larguras; camhraia do
1 iiilio ; trancas ; Divas de pellica curias o
compridas ; chapeos para meninos, de pa-
ula da Italia redondos tambem se fazem
i ll'ivi iv.iiui'iiie vestidos, chapos, toncas,
ele : ludo da ultima moda e proco com-
modo : no Aterro-da-Boa-Visia u. 1, casa
de modas francezas
-- Vende-se urna morada de casa de so-
brado sita na ra do Amparo em (Unida ;
unta casa terrea sita na ra de S.-Concalo :
no Aterro-da-ltoa- Vista n. 47, segundo
andar.
-- Vende-se um par de bancas de Jacaran-
da em muito bom estado : no Aterro-da-
Boa-Visla, n. 86, segundo andar.
ra da Cruz, arnia-
z'in, n. 9,
vende-se cal virgem de Lisboa por pre?o
commodo.
Cal virgem.
Na ra da Cadeia do Recife, n. 50, escri-
torio do Cimba & Amorim, vende-se cal
virgem do Lisboa do superior qualidrde,
por prego mais barato do que em outra
qualquer parle.
Vende-se panno dealgodao
da trra de superior qualidade e
bem largo a 220 rs. a vara : nos
quatro cantos da ra do Queima-
do, n. 20.
Vendem-se relogios ingle-
zcs com corda para oito dias, pro-
prios para saines ou escriplorios,
e relogios ingleses da patente para
algbeira : na rna da Cruz, n. 2,
casa de Geo: Kcnn\vorthy& Com-
panhia.
No pateo da matriz de S.-Antonio sobra-
do n. 4, se dir oucm vende
8 escravos a saber : um preto muito bom
ollicial dotanoeiro ; um moleque de 14 an-
ios ; 4 ditos de 18 a 20 anuos; 2 pretas
con. habilidades, sendo una dellas da Cos-
a e de elegante figura : lodos eslos escra-
vos se vondem por preco commodo.
Na rua do Crbug, loja do
Duarle, n. i (l, vendem-se cai-
vetes de urna quatro folhas \ la-
cas e garfas j tesn ras fabricadas
em Guimarfies, proprias para bar-
beiros e alfaiates ; (lilas para cor-
lar papel ; dilas c.n caiieira para
uul.as, as melhoresque aqu leem
apparecido ; apparellios de colhe-
resde metal do principe; aliado-
res ; navalhas saca-rolhas de pa-
tele lamparinas inglesas ; cam-
panhias de nova invenco ; c ma-
chinas proprias para allaiates
Vende-so nina medalhada rcstauracilo
da Babia com Ovala de ouro e fita do so-
bresslonte propris para farda de ollicial;
nina espada de metal do principe com
ptima folha para ollicial montado; 1 cha-
peo arma lo do pollo, em muito bom esta-
do ; una pasta lisa: confronte a cadeia,
ii. 36, segundo andar das 7 s 9 horas da
maiibila e das 3 da tardo em diante.
--Vende-se um escravo mo?o o sadio ,
proprio para o servido de campo: na rui
larga do Rozarlo, n. l.
Vendem-se silhoes e scl-
lius elsticos inglezes, c cahecadas
com peitoral : em casa de Geo:
Kennworthv & Companhia, rua
da Cruz, n. 2.
Vendero-se (i quartos possantcs e car-
nudoo .... r..a Non,
Vendem-se4escravos de bonitas figu-
ras, sendo : um caba do 96 anuos una ca-
bra de lo anuos ; um moleque de 10 a II
anuos ; urna parda de 20 annos com habi-
lidades por isso ptima para mucama, a
qual velo ha pouco do Bio-de-Janeiro : no
Becco-l.argo, no Recife,n. 1, segundo an-
dar, se dir qu mu vel.de.
Na loja do Duarle, na rua
ilo (abug, n. i G, vendem-se
oleados para mesa de ricas pitu-
cas, pannos de lila de 4>5oo a
5,ooo rs. galoes entre-lino*, es-
piguhas, volantes e trinas.
Vende-so una preta do 16 annos, do
bonita figura : na rua do l.ivramento ,
n. 20.
Vendem-se,aia laja do Du-
arle, na rua do Cabuga, n i (',
pe fumarias linas c sapatos de co-
ro de lustro a 2,24o rs.
Vende-seo engenho Mariana, sito nos
arrabaldes da cidade de Coianna com to-
dos os seus perlences, tendo o dito enge-
nho para mais de duas legoas de terreno ,
muilo productivo mallas e umitas com-
modidades para se levaiitarem 2 engenhos ,
oque ludo pode ser examinado] por quem
se resolver n entrar em ajusto com os her-
deiros legtimos do finado morgado Anto-
nio Comes Pinto de Araujo: a tratar na
mesma cidade de Coianna.
Vendem-se, na loja do Du-
arls, na rua do Cabuga, n i C,
boloes demarinha; ditos de Pedro
II (nos e ordinarios; ditos de
guarda nacional, cavalaria e vo-
luntarios ; ditos para primeira Ii-
.l.a, amarellos e pelos ; ditos pa-
ra casaca, de diversas qualidades ;
ditos de niadreperola para pali-
tos ; ditos d'aco de diversas cores ;
dilos de todas as cores paraenfei-
tes de vestidos de senhora ; e go-
las de cambraia*.
.Uadajjles muito finos e
.largos.
Vendem-se pe?as de madapolOes com 20
varas, moJto largos e finos, proprios para
camisas de homen e senhoras, a 4,000,
l,50ll, 5,000, 5,200 e 5,500; ditos para for-
ro de vestidos, a 3,000 rs. eal60rs. a re-
lalho; luvas de pellica para milos peque-
as, a 500 rs. ; lencos de toquim com fran-
jas para mollinas, a 610 rs. ; chitas muito
linas, bonitas eslampas, a 320 rs. o cova-
do : ua rua do l'asseio, loja n. 17.
Vendem-se superiores ca-
lleados de letlras : em casa de Geo:
kennworlhy & Companhia, rua
da Gruz, n, 2.
MUTILADO



* r.-v. '. I
**+A
Vcnde-se nm rabccflo pequeo ubi
haixo, i.u clavic, por mdico prego: na
ra da Cruz, armazem n. 27, do Grocco &
Companhia.
Vende-se uma caixa com utensilios
pura pianos por barato prego: na ra da
Gru, arniazem n. 27, do Grocco & G.
OVOVQOQOOOQQOQOOQG
&
a Un piano. O
"" /"
? Vende-se um piano mudobnm para v
fA pstudo, bonilo e do excedente autor: 8$
O na i11 doGollegio, n. 0. '3
para calcas e jaquetas.
Xa na do Queimado,
Soja n. f ,
vende-se brim (militar) trancado branco,
al.io rs. o corte; dito dito escuro a
1,28i> rs. o curto ; dito cor de ganga, mili-
to lino, a 1,50 rs. ; dito liso escuro, boni
pruprio para jaqueta, a 800 rs, o corle: sen-
do lodos de puro lindo : cortes de castor
de listras a quadros a soo rs. o corte.
C a deiras de palhnha e
de balando,
hem com outros mudos trastes : vendem-se
em casa de Kalkmaiiu limaos, na ra da
Gtuz, u. to.
Nos armazens de Francisco Das Fer-
reira c no de Leopoldo Jos da (osla A rau-
Ja, lia para vender o niais superior vinlio do
i'ortoque lem viudo a esle mercado, era
liams de 4", 5, 7" e 8 : os apreciadores p-
dem sortir-se porque poucas vezes c vem
fazenda igual,
}5'Xi ><-'< >> L><
Cera em velas.
Vendem-so caitas pequeas com
cera em velas e muito lieni surtidas,
por ser de I at 16 em libra, fabrica-
da no Itiii-ilc-Janeiro em una das
melliores fabricas por prego mais B
t? barato do que em outra qualquer par- V
4) te : Irala-se com Machado v l'inhciro, 4
:; na ra lo Vigario/ n. 19. ^
v Vendem-se'riscados escoceses i com
vara de largura, a 290 rs. o covado ; casSSS
pintadas do cArcs fixas, a 340 rs. o covado;
pecas de panninho de vara de largura, com
12jardas, a 2,000 rs. : na ra do Crespo,
loja n. 10.
v Tara escravos.
Vendem-so cobertores do algodio ameri-
cano, a 560 rs. cada um; zuarle do chadrez,
utoors. o covado; dito trancado, a 200
rs. o covido ; pecas de ganga azul da India,
com 4 palmos de largura c 12 covados a
2,400 rs.: na ra do Crespo, loja n. 10.
Rap rolio francez.
Vende-seo superior rap roblo francez,
nicamente as lojasdosSrs. Caetane l.uiz
Ferreira no Aterro-da-lloa-Vista n. 4fi ;
Tliomaz do lia tos l stima na mesma ra,
ii. .M ; Francisco Joaquim Duarte, ruado
Cabug ; Pinto & Iruiiio na na da Cadeia
do lente, n. 19.
A mcllior fazenda para
vestir escravos.
%
v
\
%
h
de milito boa quididad**, em pe-
queas e grandes porees c por
preco commoilo na ra da Cruz,
n. 2<.
Castor i m francez, a G50
rs. cada covado.
Na loja que faz esquina para a ra do Gol-
legio n. 5, vendem-se os novos castorina
francezos ,'multo encorpados, padrOes no-
vos escuros e com listras pela boira, pelo
barato prego de 560 rs. o covado.
Marmclada nova.
llegada ltimamente do Hio-do-Janeiro,
vende-se por prego commodo: rl'isdo Cor-
po-Sunto arniuzem de molbados, n. 66.
A bordo da escuna Tentadora, diego Ja
do itio-rande-do-Sul, vende-se sebo em
rama, por barato prego.
|*amos finos preto c azul,
a 5,000 rs. cada covado.
Na loja da ra do Crepo, n 5, do Cuima-
rSes& lleuriques, vendem-se pannos pre-
to e azul, finos, pelo barato prego de 3,000
rs. cada covado e alm destes lia um com-
pleto sortiincnto de todas os cores e pre-
gos commodos.
Madapoloes finos a
3,600 rs. a peca.
Vendem-se madapoloes fiiios.com 21 jar-
das rom um pequeo loque de mofo pe-
lo prego de 3,600 rs. a pega : na ra do Cres-
po loja da esquina que volla para a ca-
deia.
Corles de brlm de puro
linho, a 1,280.
-- Vendem-so corles de bnm trnngado
pardo de pu'o linbo, pelo diiajnuto prego
de quatro patacas na ra do Crespo, loja
da esquina que volla para a cadeia.
-- Vendem-se elogios de ouro e prata,
patentes inglezes : na ra da Senzalla-No-
va, n. 12.
Na na to Queimado,
loja n. i,
vende-se picote enlraiigado, fazenda a mais
propria para roupa de escravos, por ser
muito encorpada o 5,000 rs. a pega com
27 covados e a 200 rs. o covado.
Na loja da ra do Crespo, n (1,
^ao pe do lampeSo, vendem-se as
aegunles fazendas por metade le
sen valor .-
cotes de brim escuro, a 1,280 rs. ;dilocr
de gong* a 1.410, 1,500 e 1,600 rs. ; dilo
branco, a t,5d rs. ; dito lislrado a 1,500
rs. ; pirte, muito encorpado, a iso rs. ;
cbitas linas e do cores lixas, a 160 e 180 rs ;
cobertores de algodio americano, os IDO*
Jborcs que lia no merend, a OiOrs. ; inn-
dapolllo muito linoe com punco mofo, a
3,600 rs. a peca, e a 200 rs. a vara ; chapeos
de massa a 400, 640 o 1,600 rs. ; distilo ,
a 480 rs. o covado ; dito muito fino e de
cores lixas, a 649 rs.
Superior cli braailfiro.
Vende-se superior cha de. S.-Paulo em
caixinhas de urna e doas libras: na ruada
:adeia do llecife, n. SI.
Harneas.
Vendem-se barricas vasins que fram do
familia em p e bem accoudicionadas :
na ra do Amorim n. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
I\a rna do Crespo, n. 5.
loja que faz esquina para a ra do Collegio,
vendem-se cintas Irancezas largas e de pa-
droes muito modernos pelo barato riego
de 280 rs. cada covado.
Tecidos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-Sautos.
Na rna da Cadeia, n. 4,
vendem-se por atacado tres qoalidades,
proprias para saceos de assucar e rou[ia de
escravos a 250, 280 e 300 rs. a vara.
le psito da fabrica de
Todos-os-Santos na liafia
Vende-se em casa deN. O. Iiieber *; C.
a ra da Cruz, n. 4, algodio trangado
daquclla fabrica, muito proprlo par saceos
de assucar o roupa de escravos.
Charutos de Havana
verdadeiros: em casa de Kalkmann Ir-
anos na ra da Cruz n. 10.
So a cura da vista curta ou cansada
zoinbou at certa poca da medicina, nfio
aconlece agora o mesmo na presenga de um
par d'oculos adaptados ao grao de vista do
paciente, os quaes se vendein na rna larga
do llosario, loja n. 35.
Vende-se cera de carnauba,
Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barrisde4 arrobas,
rhegada nesle mez pelo brigue Maria-Jot :
tratar na ra do Itruro armazem de
Antonio Augusto da Fouseca, ou na ra do
Vigario. n. 19.
Vende-se vinbo de Chimpanha, da ver-
dadeira marca cometa : na ra da <'ruz, ar-
inuzein n. 27, de Grocco & G.
CJui brasileiro,
Vende-se rb brasileiro no armazem de
molbados, airas do Curio-Santo, n. 66, o
mus excedente rb produzido em S.-I'au-
lo que lem viudo a este mercado, por
prego muito commodo.
Vende-se um cabriulia do 18 onnos ,
alto, sndio.de bonita figura, o que be pro-
rio para bolieiro, eso se vende para a pra-
ca c nao pura o mallo para o que se afian-
ga a sua conduela ; um molequo do 13 an-
uos sailio e bem pretinlio : na ra larga
ilo Rozarlo, loja n. 35.
AGENCIA
da fiin/Ucjio Lnw-lloor,
BA DA SKNZAI.T A-NOVA, N. !\1.
Ncste e.staliclccimento conti-
na a haveium completo sorti-
mento de moendas e tneias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
coido, de todos os tamaitos,
para dilo.
eos jumantes de bom >osto.
No armazem de molliados airas do Gor-
po-Sanlo, n. 66, lia para vender, ebegados
pelo ultimo vapor viudo do sul superio-
res charutos S.-Flix, e do nutras mudas
qualjilades que se vndenlo m.iis barato do
que em oulra qualquer palle : bem como
ciganillios bespanbes ditos de pal ha de
millio, que se estilo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs, o cento.
--Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
A (HO rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodio ameri-
cano, encorpados e grandes a duas pata-
cas ; chitas escuras de bous padres c co-
res seguras, a meia palaca o covado : na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
la para a cadeia.
Taixas para engenho.
Na fundigo de ferro ta ra do Itrum,
acaba-se de receber um completo sorlinicn-
lode taixas de 4 a 8 palmos de bocea asi
quaes acham-se a venda por prego com-
modo c com promplidflo ciuharram-se,
cu carregam-seem carros sem despezas ao
CDinprador.
Ctales Diabo.
Na loja deGuimarOes & llenriqucs ra
do Crespo, n. 5, que faz esquina para a rna
do Collegio vendem-se os novos diales
grandes intitulados Huberto dn Diabo pe-
lo bando prego de t,600 rs. cada um : esla
fazenda se lorna minio recummendavel ,
por ser de padroes novos c de lindas
Ira njas.
Chpcos do Chile.
No arco de S.-Antonio, n. 2, loja de cha-
peos c na praca da Independencia loja
de llliudezss lia um sorlimeolo de chapeos
do Chile, eliegados no ultimo vapor do Itio-
de-Jeneiro: vendem-se por prego mais ba-
rato do que em outra qualquer parte.
| Rap
'4 Meuron, Sanla-Gruz, Princeza e cba-
? rulos: vende-se na ra do Collegio,
n. 9.
(i
Vende-se, nn l'assagem-da-Magdalcna,
nina venda cun 200,000 rs. de fundos
quem a pretender dirija-se a mesmo
mero 62.
Vende-so um pardo sapateiro optimw
pngom e hbil para todo o sorvigo, por ser
de boa conducta, o que. se alianga com res-
ponsabilidade; ufna prela para o servlgo
de casa e de campo: o motivo por que se
vonde so dir ao comprador : no paleo do
(anuo, n. 18.
Pos galvnicos para
pa toar.
Na ru do Collegio, loja n. 9.
Todas as pessoas que possuem objectos
prateados e que lenliam perdido a cor ar-
gntea, estando por isso indecentes, ou inu-
lihsados, teem nestes pos um excedente
restaurador e conservador dos mosmos
objectos sempre como novos sendo o pro
cesso para so usar delles o mais simples ,
nada mais do que esfregar com um panno
de linbo molhado em agoa fra e passado
nos mesmos pos.
Uma ramulla contendo quantidade sur-
ficienle para pratear mais de 40 palmos
quadrados custa a mdica quntia de
mil rs.
Os 3Iysterios da inqulsi-
efto, por P. Fval.
Esta intcressanleobra be ao mesmo lem-
po um bellissimo romance o a historia exac-
ta das atrocidades da nquisiclto e tom
merecido o mais distincto acolbiinento :
vende-sc na ra do Collegio, n. 9.
Um Galucho,
por Paulo de Kock, 4 f"1 8-
Acha-se terminado esle inleressante ro-
mance, urna das mais engragadas produc-
gOes de seu bem conliceido c estimado au-
tor ; lendo-se posto na traducglo todo o es-
mero. Kspera-se, pols, que o interesse da
obra a boudade da traduego e a modici-
dade do prego, convidarSoa procura-la.
OsSrs. assignantes que ainda mo rece-
heram muito obsequiaro o ediclor man-
dando buscar o que Ibes faltar da obra na
ra do Collegio, n. 9, e declara o mesmo
edictor que scresponsubilisa poi qualquor
defeito com que sahisseni da sua mio os
volumes.
DescripcAo histrica do
Brasil, por F. Hes,
Colombia e Guyanas, por J.
l'ainin.
F.stes excedentes escrii tos nSo precisam
de reconimendagSo para serem procurados
com afn muito mais que o primeiro he
produego do nico eslrangeiro que lem
estudado com altengiio os costumes, littcra-
tura, ele do Brasil e que trata ludo com
minia impaicialidade, ao que o habililou
uma lotiga demora na bella Ierra da S.-
Gruz.
A obra compfle-se de 2 volumes em quar-
to de quasi 400 paginas cada um, impres-
sos em bom papel e bom typo : vende-se na
ra do ollegio, n. 9, pelo diminuto pre-
go de 4,000 rs., brochada.
A? i Mo novo.
Vendem-so saecas com superior milho,
por barato piejo : no caes da Alfandega, ar-
mazens de din* Ferreira e Bacallar, o no ar-
mazem da na Cadeia, junto a botica de
Antonio Pedro das Neves.
Vende-se familia de mandioca muito
superior, a bordo do patacho Valenle, viu-
do de S.-Calliarina fundeado no caes do
Collegio: a iialai cun o capilSo a bordo,
ou com Nuvacs <> Gompanhia, na ra do
Trapiche, n. 34.
Deposito de Potassn.
Vende-se muito nova potassa,
de boa qualidade, em barriszinbo^
pequeos de quatro arrobas, por
proco barato, como j ha muito
iciiip.i se nao vende : no Hccife,
ra la Cadeia, armazem n. 12.
Vende-se, na ra da Aurora n. 4, um
terno de tambores com aguilhAcs c rode-
tes por 300,000 rs., e temos de carretas
solas para os mesmos, a 20,000 rs. o terno.
Na ra .Nova, n. 5,
vende-se um mol cote de 18 annos, bom
cozinheiro, e de boa conducta o que se
aflanca ; um prelo bom irahalhador de en-
xada e que be de bonita figura ; 2 pardas
com habilidades de engommar e cozinhar ;
duas pelas boas quitandeiras ; duas ditas
proprias para o trabadlo de campo; um par-
do de bonita liguia, com principios de car-
pina.
Pasta deflor de lyrio
leo molhor artigo que se conhece para
limpar e embranquecer os denles, fortificar
as gengivas e conservar a bocea sempre
limpa e as gengivas purificadas do trta-
ro : vende-se na ra do Trapiche, n. 34, se-
gundo andar, a 2,000 rs. caua boho.
Anligo deposilo de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muilo superior cal virgem de Lis-
boa, por pceo muito commodo.
Agoa de niel.
Este remedio be para promover belleza
e vigor do cabello, removendo a caspa e
conservando aquello macio e lustro da pal-
le e cabello, que s podo ser adquerido
lendo-se a pede fresca e os poros pelas rai-
zes do cabelle sempre abertos, e sua acgfio
salutar nada contem que possa prejudicar
o cabello: vende-se na ra do Trapiche,
n. 31, segundo andar, a 1,000 rs. cada
garrafa enwjlla no seu competente recei-
tuario
-Vendem-so chitasfinissimas, da cAres
tixas e padrAcs.oscuros, as quaes ja so ven-
doram por uma pataca, e agora para so
%cabrtrooam-se por 200rs. o covado, a
d|nheiroa*vista: na ra do Crespo, loja
Superior farinha de
mandioca.
Chegou de S -Cetharlna o brigue S.-Ua-
nael-Augusto com um carregamento do f-
11 ii ha superior, ocha-so fundeado deronte
do caes do llamos, o all se vonde qualquer
porgo o prego commodo : lambom so pode
tratar na praga do Gommercio, n. 6, pri-
moiro andar.
Na loja do Eslima & damos, no Aterro-
da-Boa-Vista, vende-so um pardo adrago-
nas muito ricas para capil.to; bem como
um habito esmaltado do Gbristo.
Jogos de visporas.
A elles antes que se acabem: na ruado
Queimado, n. 2a, loja de chapvos.
Na ra do Crespo, loja n. 19. vendem-
se aventaos pretos de seda para meninas r
1,000 rs. ; eiilcinhasde meias para meninas
a 320 rs. o par; rendas lisas de todas as lar-
guras, a 80 rs. a vara ; meios chales do
cambraia com pinturas propriis para mu-
camas, a 480 rs. ; cortes do cambraia fian-
ceza eoni assento oscuro e de excedente
qualidade a 3,000 rs.
*
i
9 Vondem-se cortes de vestidos de
> cambraia de seda de 'modernos pa- m
# drOes a 15,000 rs. ; ditos de cam-
# biaia branca, com lisias de CAres
4 imitando seda, a 4,000 rs.; lencos do
seda da India, a 1,000 rs. ; ditos mu-
d to superiores, a 2,000 e 2,240 rs ;
* ditos do cambraia de linbo, a 800 e
1,000 rs mantas o chales de seda Q
modernos; chitas largas le lindos
padrAes, proprias para camisas ; cas-
sa de cies com listras de seda, fa- #
zenda nova a 500 rs. o covado ; o a>
jfj oulras muilas fazendas linas, por
# prego muito em conta : na ra do
Queimado, loja do sobrado amarello, A
ii n. 29. 9i
A i,ano, 1,440 e 240 rs.
Na ra do Crespo, n. 14,
loja de Jos Francisco
Dias,
vendem-se cortes de superior brim escuro
depuro linho,a 1,280 rs. dito cclrdegan
ga de superior qualidade a 1,440 rs. O cor-
le ; lustrim preto adamascado, muito lindo
para lulo a 240 rs. o covado; superiores
chitas encarnadas muito finas o de COrOI li-
zas a 180rs. o covado, e oulras muilas
fazendas por prego commodo.
Vendem-se, ou permutam-sc 3 moia-
das de casas na Solcdadc, ns. 40, 42 e 44,
lendo a do ineio um grande sotlo, 2 salas
o seus quartos, cozinha fura, e mais 4 quar-
los em seguimenlo estribarla, quarto pa
ra feilor, cacimba, tanque para banho, bom
copiar com seus assentos ; e as duas do la-
do mais pequeos cada urna com duas
salas, quartos, cozinha fra e pequeo quin-
tal murado licando a do meio com todo o
si
100
Agoj* de perola.
Esse celebre e innocente cosmelico para
tirar sardas e rugas, e em bellezar o roslo ,
foi por muilo lempo s condecido de poucas
pessoas nos Estado.-nidos porm sua
grande utilidadelornou-a o cosmtico mais
popular que se usava nos loiletes moder-
nos : vende-se na ra do Trapiche n. 34,
segundo andar a 2,000 rs. cada garrafa.
Vende-sn uma vacca nova tillia do
'paslo.equeestaprenhc: no sitio de Ha-
noel Joaquim Gameiro Leal, ou na ra lar-
ga do Itozafto, n 29.
lio com perto de 500 palmos do fundo o
00 ditos de largura lendo perto do 50 pos
de larungcirase,oulras fruteiras, tudoecn
chitos proprios, com parto murado e parte
cercado de HmSo o que ludo se vende ou
permula-sepor outra casa as principaes
ras desta cidade bem como no Aterro-
da-Roa-Visla :a tratar na ra do Cabug,
n. 10, segundo andar.
Vende-se feijto do todas as qualidades
e milho : ludo muilo bom o novo, chega-
do de prximo dn ilha de remando : na ru
das Cinco-I'ontas confronta a fortaleza ,
n. 134.
Vende-se um relogio de ouro, horizon-
tal muito bom regulador, por prego com-
modo : na ra dn Collegio, n 6.
Vende-se pliosphoro om libras e ngas,
por prego commodo no Aterro-da-l)oa-
Visla, n. 17, fabrica de licores.
A 100 rs. o boio.
Vnde-se graxa brasileira superior a n-
gleza tanto no lustro como por ser com-
posla com ingredientes proprios a conser-
vago do couro : quem duvidar da sua su-
perioridad d-se a < \ eii --iii.il : no
Ateno-da-lloa-Vista, n.78.
-- \ ei.de-su una boa rasa terrea de pe-
dra c ral, i.a ra Imperial do Aterro, n.
175, com duas salas 2 quarlos cozinha
fra quintal murado, com uma mei'agon
no fundo do quintal, cacimba, boa para ne-
gocio est livre e deseinharaguda : na ra
Nova, ii. 14, a fallar com Jo3o Itibeiro da
Cunda, ou nos Afogados, sitio do padre
Flix.
m^mmm tm mmmm mmmmmmmm
n i
. |; Na loja do sobrado amarello, na ra jaj
t do Queimado, n. 29, vende-se atoa-
diado de puro linbo com 9 palmos
1 de largura a 2,800 rs. a vara ; dito
?% da mesma largura muito mais en-
| corpado, a 3,500 rs.; guardsnapos,
! a 3,000 rs a duzia ; ditos superiores,
f a 9,C00 is. ; toadlas de puro linho e
de di 11'crcnlcs lamaiihos e pregos;
palillo de IiiiIki liiuilii lai'.'ip, proprio
para lenges, a 2,240 e 2,560 rs. a va-
ra bicosde linbo bordados, do Por-
to, de varias larguras para jabados ,
por prego muilo barato.
mfwnwmmm wmwwmww
N. 9'.
Vende-sc, no armazem de Vicente F. da
Cosa, na ra da Madre-de-Deos, a supe-
rior e bem condecida grasa97, em barricas
de 13 dir/i.'is.
- Na venda nova do Aterro-da-Boa-Vis
ta, n. 24, ha'chocolate muilo novo, chegado
ltimamente de I.isbAa, a 400 rs. a libra,
azeile doce a 480 ra. a garrafa ; familia
de a ra ula, mullo nora a 300 rs. a libra ;
uma grande variedade de fruclas em con-
servas, por prego baratissimo.
-- Vende-se uma preta de nago, sem vi-
cios, de bonita figura, idade 20 annos, que
cozinha o diario de
do pasto o do muilo boa raga rend S var-
eas duas danato leilo o S prximas aparir,
3novilhas,9garrotinliase S garrote na
ruadaPraia, a Tallar com MaUteua Anto-
nio de Miranda.
% Vende-se nina escrava de
ao annos, muito forte c robusta,
propria para o servido de urna ca-
da por cozinhar, layar e coter: na
ra do Collegio, loja n. 3.
Aos amantes da lotera do Rio-
de-Janeiro.
Aos 20:OO<),?O00 de ris.
He chegada a lista da quaita lotera da
latinea de M.ini-, e com ella um grande son
lmenlo dos muilo afortunados Indicies
cautelas da 10 lotera daa casa de oirida-
do, cuja lista chega no primeiro vapor: i
riles antes quo so acabam : na ra da Ci.
lea dolteciiv. loja do Joio da Cunha M.
galhfles, n. 51.
O 0
q Na loja do aobrado amarello, n. 9,
n na ra do Queimado, ha um grande
8 sortimento do casimira do cores, a
4, 5, 5,500 e 6,000 rs o corte ; brim Y.
. trangado de puro linho, a 1,440 rs. r
X o corte; dito trnngado branco,a
Q 1.2S0 rs ; dilode i|iindi inlios, a 1,120 *
O rs. ; dito do lia lingindo casimira O
f'> a 9,000 rs.; corles de colletes de vel- O
O ludo do lindos padroes, a S e 6,000 O
O rs. o corte: o oulras fazendas baratas O
& O
oooooooo OOOOOOOOOO
Vende-se uma proln moga, com hab-
lidades, o quo he propria para qualquer
casa incjc/a, por sabor Tallar a respectiva
lingoa : na ra da l.ingota, venda n. 5.
Veiidcm se, na ra da Alfan-
dcgn-Velho, n. lo, duas camas de
Ierro, duns mesas para jogo, de fei-
lio exquisito, urna II i uta de Boehm
&Greve e outros ohjectos maii,
por conla de pessoa que se retira
para lora do imperio.
Vend -m' urna poican do casas de com-
bos muito bous batedores, grandes, boni-
tos e de excedente qualidade por preco
demasiadamente commodo: na ra da
rioiTiilina, n. 1C.
-- Vende-se urna parda moga, de bonita
figura, com principios de costura e cozi-
nha ; um cabra de 18 a 90 anuos, proprlo
para o campo, por ser inulto robusto; um
proto sapaloiro, por 350,000 rs.: na rui do
Queimado, n. 14, se dir quem vende.
A )(><) rs. cada un.
Veiideni-si! cobertores de slgodDo ame-
ricano polo barato prego de S60 ra. cidi
um : na pr.igu da Independencia, casa mu-
idla, n. 1.
|\ Vendom-se meias de
linho linas, chegadas ltimamente do Por-
to ; ditas da algodio grosso, por prego com-
modo : na casa amarella, n. 1, da praga di
Independenca.
Clie^ucm ao ha ralo.
Vendem-se elidas de ssenlos eicuros i
de cores lixas, a 160 rs. o covtdo; rlicadi-
nhos mludos, proprios para camin e vel-
lidos, de, cores lixas, a 180 rs O covado
brim pardo de listras o do puro linho, u
200 rs. o covado; cortes do brim cor de
ganga, a 1,440 rs. ; ditos de brlm pardo, i
1,280 rs.; riscadinhos de quadros ede pu
rn linho, proprios para jaquetas, de 4001
410 r.-. o covado : na praga da Independen
ca, casa smarclla, n. 1.
-- Vendem-se 60 pipas com ago'ardenli
de 20 graos: no armazem de Manuel Car
dozo da Fonseca, ao p da cadeia de S.-
Antonio, pelo lado do maro, Nesto arma-
zem recbemele cncommendas para a quan-
tidade precisa dos compradores e do grao
que pretenderen!.
Escravos Fundos
- Fugio em dias do mez panado, um1
cabra pertencente ao abaixo anigmdo, d(
nome Adriana, do 30 annoi pouco mili ou
menos; tein no hombro direiloou eiquor-
do unas cicitrizei de buhas quo teve ; lem
um dos dedos pequeos do p direitu di
menos proveniente da mcsina molestia,
com falla do denles na fente; lem lido
vista poi uais de uma voz na praia do -S.-
Fraucisco psra o dio-Doce, em lindi. II
ga-so ai autoridadoi policiaca, capitfici di
campo, que a apprehendHm e levem-m <
ra largado lio/ano, n. 38, primeiro an-
dar, que sern gralilicadoi. Caelanu l'i
Itllila Cavutcantc l'iiioit. ?
Fugio, no dia 7 do correle, do eng'
olio S.-Josdu Viir/ea o crloolo l.uiz, di
35 annos pouco mais ou menoi, beigoi
grossos, cara larga, nariz chito, bem pre-
lo ; tein a Imgoa descorada peiloi gran-
des o innto cabelludos, muito barbado,
ladino, falla multo e gagucija alguna con
aa ; leu sido encontrado na eitrada non,
em una venda que lem junto a ca$t do sub-
delegado Francisco Joaquim Machado, *
d'ah suppiie-.su que seguir para CoinM,
por de la ter sido, epor ja ler fgido '
guma vezes para la ou embarcar aqui P-
ia outro qualquerJpgir, por disso ler limi-
ta pratica ltoga-se as autoridades polciae*
e ciipit.ies de campo, que o appreheiidiln'
levem-no a rus Nora,, n. 47, segundo w*
dar, que serflo gratilicados
Fugio, ha um anuo e nove pardo claro, de nome Florentino; lie bai-
lo quebrado das veriIhas, pe pequeo,
gaguvja quando ralla couss muito pouw,
cabelloscreipoi; lem prineipioi de W
leiro : de 2 annos pouco mala ou menoi '
quem opegarleve-o ao engenho CiM'
ieira na comarca de Nazaretli, que n
gratificado.
Fugio, no dia 8 do torrente o pird
Feliciano de 18annos, de estatura rega-
lar, iccco do corpo tem o quelso eo-
pridoedesdentado no lado superior; I''
vou csmia de rscado azul e oulra de otf'
dapoMu, chapeo de palba preto eltt <*
rucado e outrai azue*. ltoga-se a* autori-
dades policiae ecapiUes de campo, qu*0
spprehendam e levem-no ao engeulio -**'
coznua u uiano ue urna casa de familia, navieira auni .i.iM.,.,ih ...i. aatfl
engoiiima e lava excellcnlemenle.- Co Alcr- recomlnLd". *tu"ih' *
ro-da-ltoa-Vista. venda n. 34.
Venem-se 13 cabegaa de gado, todsi J Pian. : aa vir. ui u. *. w nal*. -I**9


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EK91W8O9S_SA4RVB INGEST_TIME 2013-04-24T18:35:23Z PACKAGE AA00011611_06636
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES