Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06616


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV.
rfa-feim 19
0 DA A/Opublica-se todos oa das que nao
f orem de guarda. O preco da asslgnatura he
de 4J0CO i, porquarlel, pagoiadinnlndot. Oa
enuncio dos aasignantea sao inseridos
rasao de 20 ra. por Itnha, 40 r. em typo dif-
(erente, e aa repelieses pela inefide. Os nao
sslgoantea pagarao 80 rs. por linha e 160 ri.
| em typ dlfferenle, por cada publioacao.
PIIASES DA LA HO MEZ Dt IUNHO.
Loa ohU. a 5. s 8 torss e 7 mln. da manh.
Mioeoante,a 13, stfhorase 4mo.da tara.
La nova,a 20. i 11 horai e49 mln. da manh.
Cretcente,a 27,s8hora, e 4mlB.da mano.
PARTIDA DOS C0RHEIO9.
Goianna e Parahiba, i segs. seztas/elras.
Rio-G.-da-Norte, quintsa-feira* aotneio-dia.
Cabo, Serlnhein, RIo-Formoso. Porto-Calvo
Macelo, no I a 11 e 21 de cada rae*.
Garanhuna e Bonito, a 8 e 23.
Roa-Vlata e Florea, a 13 e 28.
Victoria, a qulntas-feiras.
Ulinda, todoa oa das.
PREAMAR DE IIOJE.
Prlmeira, as 3 boira* e 42 minutos da tard.
Segunda, as 4 horas e 6 mlnutoa da manh.
d Junho de 1849.
N. ISff.
PUS da semana.
18 Segunda. S. Leoncio. Aud. do J. dos orph.
do J.do civ. e do J. VI. da 2 v.
19 Terfs. S. Juliana de Falconierc. Aud. do J.
do c.da 1. v. edo J. depa do 2. dist. de t.
20 Quina. S. Sllverlo. Aud. do J.do c. da 2.
v. e dio J. de paz do 2. dlat. del.
'1 SJJulnta.S Luiz Gontaga. Aud. do J. dos
orph. e datf. M. da 1. v.
22 Seita. S. Paulino. Aud do J. do clr. e do
J. de pa< do l.dist. det.
2.1 Sabbado. S. Joao aacerdotc. Aud. do J. do
(c.dal.v.edoJ.depaido i. dist. det.
24 Demingo. Nasciiuento deS. Joao Baptista.
CAMBIOS NO DA 18 DE JUNflO.
Sobre I-ondres a 24 "2d.por 1/ re. a60das.
. Paria 380.
Usboa 115 por cento de premio.
Bio-de-Janeiro ao par.
Deac. de lett. de boas nnas /,*'/, % ao mez.
Acedes dacomp. de Bcberibe, aSfrs. ao p.
Onro.Oncas bespanholaa. 31/200 a .ll/fcn
. Mordas de 6/400 v. 17>G00 a 17/S
de 6/400 n. 16/R00 a I6)8flii
de4/000.... 9/500 a 9/TOf
PraM-Paucdea braaileirof 2/0*) a S/W*
. Pesoa colamnarioi. 2/020 a 9/040
. Ditos mexicanos..... l/")20 a 1/940
PARTE OfFICUl.
GOVERNO DA PROVINCIA.
IHm. e Rim. Sav-Tenho a satsfaco de participar
V. Fue. que cata provincia contina no gozo de perfeita
uanauillidade.
Dos guarde a V. Esc. Palacio do governo em Porlo-
Alegrr, II de malo de 1840.IHm. F.im. Sr. presiden-
te da provincia de Pernambuco.Franciico Jote de Soma
Soartt de Andrade.
; IHm. e Etiu. Sr.Tenlio a sallslaco de coiumunlcar
V. Esc. que cata provincia contina no gozo de com-
pleto socegu.
Dos gusrde a V. Esc. Palacio do governo de S -Pau-
lo, 30 de mato de 1849.Illm. e Exm. Sr. presidente da
provincia de Pernambuco.O presidente, Viemti Pires
4a Mol:
Illm. e Exm'. Sr.Tenho a honra de participar i V.
F.ic. quema provincia gusa de tranqullllilade.
Dos guarde a V. Esc. Palacio do governo da provin-
cia de Mlaas-Geraes, 31 de malo de i8f9.Illm. c Enn.
Sr coocelheiro Manorl Vieira rosta, presidente da pro-
vincia ne Pernambuco.O presidente, Josa Ildefonso de
Soma ataas. '
Illm. Cim. Sr.- Tenho a aatlsfacao de participar
V. Esc., que esta provincia contina a gosar de pleno
soreg.
Dos guarde a* V. Esc. Palacio do governo de Serg-
pe, i.* Je junho de 1840.Illm. e Rxin. Sr. presidente
da provincia de Pernambuco. desembargador Manoel
Vieira'Tosta.--ae#rii! dt tott i VatconctUoi.
film, e Exm. Sr. Tenho a aatlsfacao 4c communlcar
V. Esc. que eata provincia contina tranquilla.
Droa guarde a V. Exc. Palacio do governo da Baha,
14 de junho de 1849.Illm. e Exm. Sr. preaidente da
provincia de Pernambuco. Frantitco Uoncalvet Slarlint.
Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra de communlcar V.
Exc. que eata provincia contina a ganar de perlelta
tranquillidade.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do governo em Ma-
celo. 17 de luuho de 1849Illm. e Exm. Sr. concelbei-
ro Manoel Vieira Tosa, preaidente da provincia de Per-
naiiibuc. O preaidente, Antonio Nttnet de Aguiar.
Commando das armas.
0arf l-ent ral do caminandodat armar rm Pernambuco,
17 de junho de 1849.
ORDF.M DO DA.
TrndooExm. Sr.'presidente da provincia concedido
trinta dias de licenca na forma da le. por despacho dr
14 do crreme, ao Sr. segundo lene me do 4. batallio
de artllhai la a pe Pedro Augusto de Alcntara Nabuco
de Aranjn, para tratar de aua jando, S. Exc. o Sr. na-
reclial de campo graduado, cominandantc das armas,
manda fazer publico, para conheciinento da guarnieo.
Jo# Prdro Ileilor, ajudantc de ordena interino.
Quarltl-general do eommnndo dat armat em Pernambuco,
18 dtjunko dt 1849.
OUDKMDOPIA.
Concrdrnde o Exm. Sr. presidente da provincia tres
mozo* de licenca coin mel anido para ir a provincia do
Hio-Grande-do-Nnrtc tratar de negocios de aru inleresse,
por despacho de 31 de maiu Ando, ao alferes do 7. ba-
lalho de cacadores Lourenco da Costa Vasconcellos, S.
.\c. o Sr. mareclial de campo graduado, commandan-
tedas armas, aasim o manda fazer publico guarnicao.
Jote Pedro hilar, judante de ordens interino.
TRIBUNAL DA HELAGAO.
CONTINUACO DOS TlunAMIS DO DA 12
DO LORRENTK.
Fol assignado o 1." dia util para serem julgadas aa ap -
pcllacoVa civels em que ao :
Appellantrs, Juvenclo 8c Alcaatara ; appellado, Firmi-
no Jos Flix da Ros*.
Appellante, Manoel Antonio da Silva; appellado, Do-
mingos Jos Pcrrlra Pacheco.
Appellacao crime em que sao :
Appellante, Manoel Cavalcsnte de Albuquerque Mello ;
appellado, Francisco Carneiro Machado Ros.
COKTINACAO DOS TBADALH0? DO DIA l6.
Appellacao crlme do jury do Ce ara em que sao :
Appellante*. o juiso e Ir, Florencia de Andrade Bezer-,
ra; appellados, Joaquim Fcrrelra de Souta Jacaranda
e ouiios.Mautlaraiii a novo jury.

INTERIOR
Ihe querem dar : velar na guarda da constituirn c das inovos negocios. oU-se que ha colisa ile anno o
lela, noque fdr relativo i provincia respectiva, nao he | nirio msndou elle toda a familia para os Estados-lJni-
entrar no exame da marcha e compsrtamenio dos pod- ()os f,cgriuo c s ; e tres dias antes de suspender os
rrs geraea, quando estes exercem attribuices cona*:"
clonaea ; e uiuito menos Indagar e tomar conheciin
daa causas e motivos que levam n governo do j>ai;
guir esta ou aquella poltica em relacao aos unen
rORRESPONDENCi.. DO DIARIO DE PERNAMhCO.
Rio-dt-itntiro, 3 dt junlio de 1849.
Flaalinenie, no dia I.* do correnle, encerrou e.at-
en.blr provincial do Rio-de-Janclro a suaa sreaOca,
epola de tre ineira completos de trabalhoa; tendS em-
pregadn a malor parte do lempo cni debates anjeles, e
qoe chamarrl esteris, aobre politica geral. Nlo qne-
rendo at nossas asseinblas provinciaes reconhecer que
a uilsaAo que Ihes he dada he Inteii mente aduiinistra-
liva e local, vo-Sfi ulliiiiainrnte deixaudo levar por unta
tendencia de invadir as alliibuicei dos poderes ajeraes,
que nao aera talvrz ainda o embaraco da marcha regu-
lar, ratabelecida pelo nosso organismo poltico, o inaior
nial que possa d'alil pruvir :. autevejo uirfoutru de mul-
to mala funesto alcance, que, se, mesmo vagaroso como
caminha.'no encontra um bice, certo destruir a prln-
cipal belleza do nosso systema Neiu se me diga que esse
Sv.'doart. |t do acto addicional, que se aferrain ea-
v es senhores, posas, neiu deva aer lo ampiar, e receber
> tasM luwlllgenca tao absurdamente lala como
rra geraes, quando estes exercem attribuicoes constitii
cionaes ; e limito menos indagar e tomar conheciinento
a se-
nteresses
o estado.
Conheco que nao me he essa oecasiao a mais apropria-
da para tratar dcsla qnestao ; e nein estou tambem mul-
to resolvldo a acarrefar por gosto o asrdiime de certos
espirito da moda que s veein o genio na desordein ; c,
por inexpllcavel seduccao, parece queachaui encanto
no callos ubinullut ordo, el ttmpilernm inkobilat horror'.
Que a luz divina oa esclarecer!
Sobre a ruliocao do Sr. Torres-flnmem, que quera
que a aaaembla examinasse se a coastltuic o achava-ae
violada, e eatahelecida no Brasil a mala violenta dicta-
dura, por ter sido violada a le de 19 de agosto, deu a
cummissa de justica civil e criminal o respectivo pare,
cer que ful lido na aeaaao de 31 do paaaado. I'm pone
estenso he ease parecer, e com bem d du?idas rasea
prope que ae io tome conheciinento da Indicacao. por
uo caber o objecto de que se oceupa na competencia
daa assemblas provinciaes. Tendo o Jos de Assls pe-
dido a palavra contra, e naohaveudo mais lempo deen-
trar-se na discusso drlle, fleou esta adiada para a sea-
s;lo do anno vindouro da nova legislatura provincial. Pa-
rece-uie que pode csac illustrc niembro ir desde j des-
plndo-se do desrjo de fallar sobre a materia, e errio
mesmo que nao ter raaca para nutrir eaperaneas de ser
eleilo actualmente. Os membros da enmmiasito aao :
Azainbuja, relator, Dias da Molla e Bernardos de Gou-
veia.
Na aessao de 24 do passado, na tercelra discusaan do
(ircaiiienloi provincial, oppondo-se o Mnnleziiina a um
artigo que autorlaara a presidencia a emilllr 300 conloa
em apollis da divida provincial para supprir a despoza
da estrada de Petropolis, expressou-se de maneira que
claramente mostra estar naopposlfo, mnnente sendo
vivamente apoiado por esta ; sendo notavel que o pro-
prio Jos de Assia, que constantemente o Iraiou com
acrimonia, e, algumaa vezes, picante irania, nao cessa-
va de exclamar coin eftltiuslasiuo muilo bem, Sr. Mon-
lezuma, muilo Um; A o melhpr diicurto que lem nppareeido
netln tesiSo.
Se de facto o Monlezuma est na opposalb nao me es-
panta o aeu procediniciito : todava aoho o um pouco
precipitado, pois pode asslm comprometter a ana can-
didatura pelo Rio-de-Janriro. Para miiii sempre fol Mra
de du vida que, apenas se aenlassc elle na cmara dos de -
putados, occuparla o posto de oppoicionsta, no a
porque desde certo tempn tem moatrado tal veratlllda-
de, que ebega j a ser dassica ; como tambem porque
um liiiiiieni de tao alta esphera, com o talentoelnstruc-
cao que lodos ihe reconheeem, ambicionando aer mi-
nistro, e nao pudendo dirigir urna inaioria, pols que
nunca os aaquaremas o admittlram como chele em suas
fileiraa, nao se aubjeitari a ser caudatario drlla, e
acompanha-la em todos oaseus caprichos e mesmo des
temperos que ein lodos oa lempos e lugares sempre as
uiaiorias tiveram. Mas, dir-me-hao os leltnres, ae
reconlieceis capacidade no Montczuma, porque recusis
crrque possa aer o chete da malaria na futura cmara
dos deputados? Porque, respondo, emquanto houver
um homem chamado Honorio Hermeto Carneiro T.eao,
o partido saquarema (a denoininafao de sequarema pa-
rece eatar desprezada, hoje dlz-separtido constitucio-
nal) nao suujeitar-se-ha, nem reconhecer outra inllu-
encia que nao a daquelle: o aeu neme s he o partido,
he ludo. Ha uin outro que, educado em sua escola,
bebeudo suas liedes, sera um dia brilhante reflejo da
lu de seu mostr,este chama-ae Euieblo de Queirnz
Coulinho. Desse ptide elle dlzer o mesmo que disse Na-
poleo do principe Eugenio, na retirada de aua desas-
trosa expedirn ,i Russia: a Se cu tlvesse perecido nosta
campanha, dizia o imperador conversando com sous ca-
inaiiataa, Eugenio poderla substiluir-me. Mas asslm
como entre o Imperador e seu enteado e dUcipulo, q'ie
alias possuia todos os talentos militares,' exista e exis-
tira sempre a dilterenca devida ao attributo do genio
que com um s lampejo offusca todas* as vistas, e nada
dexa ver em contraro ao seu querer absoluto ; tambo ni
entre oa nossos dous estadistas llavera* sempre dift'eren-
(a, por fallara um easa vontade firme e Imperiosa que,
iiianifestando-se por mil palavra Impetuosa eeloquen-
le, sabe calar a obdiencia no espirito daquelle que diri-
ge ; e he iss o que tem o oiuro. Permita Deus que se
rralise o boato,que hoje tem tomado inaior incremento,
de achar-se esse senador nomeado presidente de Per-
nambuco: he a esculla mal acertada que o govorno
pode fsjxer; e a esse respoito relerir-lhes-hei o sepilite :
Estando a conversar um lutla moderado com ou-
tro exaltado, e milito preeminente, diseo o primeiro
3ae constava seria nomeado o Honorio presidente
essa provincia. Oh no me diga isso.....lerrivel
lembranca!disse o segundo. Porque diz voss
isso ? F!u pens pelo contrario.Pontee he o nico
presidente que serva hoje para Pernambuco ; outro
qualquer que for ha deuhir-se mal : nos nflo deve-
nios desejar que lal se roalise,
Tanto pode o espirito de partido sobre os homons,
que os fsip3 desejar o que a consciencia lites diz
que he bom !
Parece que o governo est disposlo a lomar algo-
rra rnedid relativa ao direito do calcado, pnis quo
acaba de mandar ouvir, sli Mpresentat;3o"do diver-
sos negociantes* a commissSo de pauta das alfan-
ogas.
Queirou nesta praga o bem conhecido negociante
seus pagamentos, sahio tambem para all clandesti-
namente, sem tirar passaporte, ilm sobrinho que
morava com olle, sem que se possa atinar com causa
algiima plausivcl que motivasse semelhante pro-
ceder.
L-sc no Jornal do Commercio de 26 do passado
a 0 vapor jimttlfrtir. sabido deste porto para a Cali-
c forni em 21 do eorrento, fui a pique as 2 horas da
s manhSa do dia 22, nove legoss distante de Ma-
i rambaia. Parece que, tendo encontrado muito
a mar e vento rijo, abrir agoa o fra logo ao fundo,
dando teaspo apenas para laucar ao mar os esoale-
res, nos juses se sslvou toda a tripolacilo, que
chepoii a Mangaraliba na tardedessa mesmo dia.
O Jornal do Commircio parece estar mal isjbrmailo :
o que a ello partee ser devido a muito mar e vento
rijo ("que nenhum mal causaram aos escab-res!) pa-
rece a outros ser devido a proposito formado ; pois,
estando o Santa-Crus ha dous annos nesto porto,
para vendor-se, sem apparecer quem o quizesM
comprar, lemhrram-so os donos de man la-lo car-
regado para California, s-guranda o casco o carrega-
mento no valor dn 90 contos. F. a companhis de s,--
("tiros hade por para ali essa quanlia. porquo o va-
por, apozar de ser de ferro, niio p6de resistir ao mu.
to mar e vento rijo !
Com a casa dos correctores llobkirk Wutman &. C.
efTectunu o governo a venda de 2500 apolicos da di-
vida publica, de que estava autorisado a emittir.a 90;
( equivale a um emprestimo de 2950 contos ) opera-
Q.loque tem sido rnpuladlUpelos entendidos na ma-
teria, vantajosa ao ihesouro o a quem comprou. Co-
mo a negociacilo levo lugar dentrol ainda do semes-
tre que est a (indar, vecem as apolices juros desde
Janeiro, flcamloassim a venda a 87, que lie como es-
tavam ellas na prac,a ; mas a vantagem est em po-
las em orna s inflo, fazendo a venda de urna s vez.
Nflo pudendo o thesouro fazer nova emissSo st Ja-
neiro de 1850, necessariamente vira inaior procura
das apolices, e alta no pretjo dellas ; o possiiidor da
um 13o avultado numero se prevalecer da escassez
para passa-las aos compradores pelo maior prego
que poder realisar, relendo-as at que cheguem a
maior alta. Sabem todos que quanlo maior he a
procura e alta dos fundos pblicos, tanto maior he
a confianca que deve merecer o thesouro; e entilo, a
passo que este colhe as vatitagens de urna lal confi-
anca, o outro o.olhe os turros do sua operactlo.
caso he que j boje estilo as apolices na prac
89 3 ieaW. Qtiom vio a baixa em que ellas_esla-
va tn a dez ou doze anuos passados, sendo vendidas a
menos de 50, a 5 mesmo, nfto polo deixar de ver
com prnzi'f o progresso que leem fcito nossas finan-
cas: a estinegno da guerra do sul ,muito concorrou
para is.so.
A trnsaselo mo foi feita directamente entre o
governo e a casa de llobkirk ; servio de intermedia-
rio, agente ou corretor o Mespanhol Muschental,
heni conhecido "esta praca, .onde quebrou sendo
banqueiro, c relirou-se p#rs a llespanha. Dizia-se
ltimamente que ah, socio do efjjebre Salamanca,
reparara novanjentc sua casa e achava-se bem ; mas
lia mezes aqu appareceti, depois das ultimascom-
mocAes pomicas de seu paiz, e a fallada prisflo do
socio, Ignora-se se por essos tnolivos, ou por estar
novamento com a fortuna arruinada, (o que parece
certo) fez esse fVgrosso temporario ao Rio-du-Janei -
ro : o quo he facto he que, sendo o negociador c o
influente quo dirigi a operario, nlo quiz que set
nome ligurasse mella ; e nflo se sabe se tambem en-
trara cortt fundos. He geralmente lido e havido co-
mo homem de intlligencia, vastos recursos finan-
cerros, e mais que ludo de grande prtica etn nego-
ciares setiii-lhaiites.
A. alfandega da corte renden no mez passado
737:576,1*0 rs. ; dando-se uilTorenca da renda do
mesmo mez do anno passado de 165:199,397 rs., pois
foi aquello de 573:376,743 rs.
0 Imperador voio hontem de Petropolis com toda
a familia imperial para a sua residencia de S.-Cbris-
tovflo.
dem, 9 de junho.
Mal pensava eu que, quando, na que cima fica,
fazia votos pela realisacSo do boato da nomea<;3o do
senador Honorio, j havia tres dias se achsva ella
feita o assignada a carta imperial. O que agora po-
dara dizer a respoito, naquella, lica.
Kram publicados os planos de organisaefio dos
corpos do SMde da armada e do sjercito ; compon-
do-se o daquellu do 41 cirurgies, e o desle de 105 di-
tos. O Mercantil, noticiando a medida, censura em
termos um pouco acres e profusflo com que o minis-
tro prodigalisou honras militares at aos boticarios ;
eeu digo que nisso tem aquelle jornal inuila ras3o
Os nossos militares devem desgostar-se um pouco
A quesillo sobre a revogac.lo dos di re tos differen-
ciaes, deque pareca a principio nflo querer a i.m-
prensa oceupar-se com seriedade, tem sido muito
liem discutida pelo Brasil c Cnrreio Mercantil, ole-
vando-a a altura quesera para desejar em todas as
domis quostes qtiofffeclam radicalmente os inte-
resses do estado. Tem tomado aquelle por base do
sua arguotenlac,3o a rasflo de que, nflo posstiindo mis
ainda mannha mercante, e fazendo um convite as
nutras nacoes, para quo em seus portos sejam os na-
vios brasileiros e as mercaduras brasileiras, nelles
contidas, tratados no peda mais purfeiti gualdadc
com os navios e mercaduras du seu paiz, (aliamos
concessoes rtaet por cticiat, resultando dalii que,
sem que os gneros de nosso paiz cheguem em na-
vios brasileiros aos portos da Russia, I'ranea. Italia.
Aestria, Dinamarca, tuviera, Russia, etc., silo os os
dessas nuees reoebidos em seus navios nos nossos
pofloa, o tratados como os do paiz. Nflo ha, pois,
feoncesst's, senflo les3o em nossos inleressos.
A medida dosdireitos dilTercnciaes, argumenta o
Mercantil, tinha por nico objecto chamar as nac.as
estrangeiras i senlimentos mais justos para com o
Rrasil : era urna aim-aca que, sem ser ejecutada,
rhama-l.is-hia a concesss favoraveis, especial-
mente a Inglaterra, cujo commercio, vendo que se-
ria altamente ferulo, advogaria, por inleresse pro-
prio, a nossa causa, como ] o fazia urna folhacom-
raercial ingloza, o obrigiria o seu governo a revo-
gar essas medidas de rigor, .contra mis tomadas;
sondo que s por esse nielo verismos derogado o bil
de 9 de agosto! A revogaeflo dos direilos dilTorenciaes,
portanto, foi precipitada, pelo menos ; foi inconve-
niente, sonflo desairosa, por ser um trininplto al-
esneado sobro o gabinete brasileiro pela diploma-
cia ingleza com offensa dos nossos Interesses ; por-
quanlo a Inglaterra nlo s persisti em nflo querer
recebor nossos navios no p de igualdade com os na-
vios inglezes, como nem passo algum dau no par-
lamento nara a revogac.flu do bil, cuntan lo j com a
sua ha-bilidade diplomtica.
Conheco, que em verJado, desde que a medida dos
direitos diiTerenciaes rssocxeciiladi, nosso mellior
procurador seria o commercio britannico; mas he
tambem verdade quo eslavamos a representar o pa-
pel da r da fbula, que quoria parcer-se em tama-
nho com o boi; flzemos concessoes a naQoes, cuia
marinha mercanlo enche nossos portos e amnnlAa
seus gneros em nossas alfandegas, pedndo recipro-
cidade, quando nSo temos navegaeflo de longo cur-
so, e os nossos navios mercantes, por assim dizer,
dormem as maltas por fazer. Quantos navios nos-
sos teem errtrado nos portos da Russia, Blgica, Hol-
lando. Allemanha, etc.? Basta saber-so que nom
mesmo a Valparaso cliegam, apezar do ser bem nos-
no norte da Europa, oque yeio'nlcrrom^r e p.rs
Usar as transteooes, suspendondo as compras uo
f, por isso que a inudanca das ere...'"-; "~
nermittia eserar resu lados vanidosos de operacois
EttSSBfSZ precos altos que en oX gi
msnifesta por
de termos ministros que com tanta facilidade con-
ameicaiio Diogo lirckliead, cuja casa era reputada 'codam a qualquer sujeito divisas e honras que de-
bastante slida ; oque acarretou tambem a quebra.viam ser-Ibes privativas; e isso quando, sobre lerem
dos negociantes Joo Pereira de Andrade e Domingos um sold muito inesquinho, de nenhumas garantas
Alves de Azcvedo ; e diz-se que por causa daquelle ^e regalas gozam. At os correaos dos ministros,
acntecimetilo lulo de fallir anda outras casas, lie entro nos, usam de divisas militares Acompanho,
c-enca gersl, e ha bem fundados motivos, de ser pois, o Mercantil um sua censura; e Umbem faria
fraudulouta a quebra do l'.irckhea.l; pois.apresentan- o mesmo em algumas oulras, relativas ao mesmo mi-
do reuniSo dos eredores uin bal anco do estado do nisiro, se me n3o julgasse muito pequeo o nuscu-
seus negocies, raaslroii terumpassivo de 588:000/ ro para crmlender com quem esta 13o alto collotfcdo. ora que pos -rjr^" saKeero de nossa ex-
ris, o para azer faeeaum activo duvidoso de .Em verdade So substituiris! o actual Sr. ministro da annopsssado, que :m*orlafiao observou-
177:000,000 risk, Aeroposta, feita pelo Sr. Kir- uurioba e interino da guerra por outro qualquer portaeflo. .^'"'g' Ur#
ckhead a stUatSedeTes, diz um ItoltUm commerciul,' que lenha mais conhecimento das respectivas mate- se um movime''," ,,ilres cousa de 170,000 libras,
resume-soaSidr queso lit d quilaeflo geral, per- ras, e n.3o tenlia certo tendo, cu diret enl3o quo le-, Sacarfm"sl':*" KovernO 20,006, regulando o cam-
millindo que elle proceda para os Ksudos-Unidos a remos un ministerio (segundo a phrase franceza' i ""I"'6. ,l4 '".,5 ,% Sobre Pars e Auluerpta or-
rcstabelecee sua casa, cedendo para pagamento de comnuitfaul. S. Exe. tem um tal pendor para asali-, biode1 1 .f reulando a 376, excepto
seus credors una parle des lucros provenientes de lhadsgens..... Vanes adiaste. 1 ca-se em w"mi.h i-t-
so fizinho, porque nossos marinhoros nlo sabem
dubrar o cabo deilorn. Pelo que respeiu s conces-
soes da Inglaterra, quem sabe se o governo nflo lera
dado algum passo no caminho delles llevo stippr
que os nossos homens de estado devem ler isso mui-
lo em vislaS, e nflo sorflo tflo nescios, quo se dnixem
levar pelas labias de lord l'almerston o seus diplma-
las. Nflo creio que so deuo aquella naco levar as-
sim arrogaiitemenle o boceado a boeea.
O vapor Imptralriz, entrado do norte a 5 do cor-
rento trouxo-nos datas dessa provincia at 21 do pas-'
gado, quo a d3o em tranquillidade. Quando na
Tninlia passada disse que ello era aqu espera-
do at 25, nflo contava que tivesse de ter demora no
MaranhSo para Tener coucei los ; e foi isso o que ori-
ginou essa demora. O vapor ingl'Z Unicom, ontra-
do hontem de New York, tocando em Pernambuco,
dondo veio com sois dias, adianta as datas ato o pri-
meiro do correnle ; mis nada da do inleresse.
As ultimas noticias que temos de Montevideo silo
de 28 do passado. Conseguio o almirante l.o Pre-
dour e suspensilo de armas das Torcas sitiadoras e si-
tiadas ; o bem assim quo fossem asslgnados por am-
bas as parles os projeclos de tratado confidcnciaes ai
referendum, que fram remettidos ao goveruo frjHl-
cez na fragata Erigono, quo parti para llreste no da
26. Kra.poim, crenQa geral que aquelle govorno
nflo approvaria os projeclos Le Predour por isso que
eram elles inconteslavelmenlo peiores do quo as Da-
se* llood modificadas.
Se o governo francez, diz o trecho de urna carta
transcripta pelo Jofal-do-Commereio, quizesse ao
menos dimitir essas bases, de ha inulto lena assig-
nado a paz e.nParis com Sarratea, que Iba ollere-
ceu mais de uma vez, o n3o estara gastando duzen-
tos mil Crneos por mez para sustentar a praca.
De Buonos-Ayres sflo as datas de 26. No dia 21,
anniversario natalicie da raitifca da Inglaterra, sal-
vuu o forte com 21 tiros no dia soguinte, anniver-
sario da revolucSo do Buenos-Ayres, salvou o vapor
inglez llarpy com igual numero do tiros. No da m
foi Mr. lloud recebido no seu carcter de cnsul 111-
g'ez. .
O nosso mercado de ozportaco segtiio noiprinci-
pio do mez pasudo marcha satisfactoria; "'"}
mmenle tem-se resentido da renovacao d guerra
das circuinslancias nflo
rant'ji
iltos q
*
-^-
- inniH *
"' "fr.".-"" ----.------ ..- --



as quantias do subsidio de Montevideo (do governo
francez) que regulon 3(0.
Reunirm-se gofamente oscredoresde Diogo Bir-
rkhead para ouvir commissSo nomeada para o exa-
me dos livros, aqualachou que estes estavam es-
criplurados com regulnndade. e do nccrdo com o
bataneo aprpsentado. Resotveram annuir propos-
ta, ilando-llie quitac^o geral, obrigando-se elle a
pagar 25 por cento sobre o total de suas dividas, com
o activo actual, e 40 por cento dos lucros que an-
imalmente for adquirindo em seus nevos negocios.
Nflo se que esperances poderlo anda nutrir os ere-
dores dos novos lucras, que os embolce com 40 por
cento: parece que devem dar por perdido o que nflo
ressarcirem dos 25 por rente do activo actual.
Falleceu aqni o administrador da recebedoria do
municipio, Thom Ribeiro da Fonseca e Silva.
Abrio-se linalmenle o tbealro de San-Pedro, de-
pois da nova pintura, que lein sido bem aceita pelo
publico. Levou hontem scena una nova peca ita-
liana Parisine.
Creioquea companhia franceza ir dar algumas
represen lacoes naquelle thealro, por n3o ter o de S,
Januuno bastante espado.
IIIAUIII [) K1'KHN U!CO.
mzcirz, a bijiiio di ib<*.
Entrou hoje neste porto, procedente dos do sul, o
vapor San-Salvador, trazendo-nos jornaes fluminen-
ses c bahianos : os primeiros at 10, o os segundos
at Hdo crrente.
Com essas gazetas, recebemos tambe m as duas
cartas que o nosso correspondente da corte escrev-
ra-nosa 3e9desto mez, e que os leitores terSo visto
sob a rubrica competente.
As cartas silo, em verdade, minuciosas; mas,
lio no obstante. Ibes addicionaremos alguma
cousa.
Segundo o Correio Mercantil, a barca Paquele-do-
Sul devia sabir a 14 do Rio-de-Janeiro, com escala
pela Babia, conduzindo a seu bordo o Sr. conce-
lhelro Honorio Hermeto Carnciro Leo, presidente
nomeado para esta provincia.
S. M. o Imperador dignra-se de extinguir, por
decreto do 1. deste mez, o lugar de juiz de direito
do civel da comarca da Ba-Vists.
O governo demittira o Sr. concelheiro Joaquim
Antio Fernandes Leflo do emprego de inspector da
thesouraria de Minas.
A 2 fora, com e licito, passado pelas armas, em a
fortaleza de Villegaiguon, o grumete do corpo de
imperiaes marinheiros Jos Maris, sentenciado
morle pelo crime de homicidio perpetrado na pes-
sa do cabo do mencionado corpo, Francisco Evan-
gelista.
O Jornal do Commercio de 5 annuncia que, por
decisio do governo francez, de 22 do marco, o Sr.
H'-nriquo Fourcardo foi nomeado cnsul da Franca
nest provincia.
O mesmo Jornal publica a seguinte carta que di
interessanles pormenores acerca da missSo Le Pre-
dour :
Montevideo, 23 de maio de 1849.
" Qusndo o almirante Le Predour pela primeira
vez se apresentou em Buenos-Ayres foi para commu-
nicar as bases sobre as quaes tornara a Franca a
negociar com Rosas, declarando que; a nao serem
aceitas, tifio via o governo francez meio algum de
conciliacAo.
F.ssas bases fram terminantemente rejeitadas
pelo general Rosas, e com es.a rejeicfio terminou a
commissflo oficial do almirante.
Entilo Rosas, e sobretudo o Sr. Seulhern, abu-
sando dos bons desejos do almirante, fizeram Ihe
comprehender que podia redigif-se com carcter
confidencial um projecto que contivesse toda ai
conctsSes que Rosas poda fazer, alini de que a Fran-
ca podesse tomar, com perfeilo conhecimeiuo de
causa, a sua ultima resolucSO.
A discussSo confidencial dos projecto* confiden-
ciaes foi laboriosa. Fundando-se em quo o oojecto
nal era conlieeer a Franca as exigencias $ine qua non
de Rosas eas concessOes nicas que este fazia, con-
seguirn! que o almirante deixasse passar algumaa
condicSes priores do que as moJilicaooes propostaa
pelo general Rosas s bases liood, modilicacOes que
o governo francez declarava, no projecto de conven-
ci que mandn apresentar pelo almirante, que
nunca asignara.
As condicOes aquemerefro affectam mais aos
Francezes do que aos Orientaos.
a No projecto que le Predour foi encarregado de
apresentar exigia a Franca indemnisacoes para os
Francezes (e silo mu i tos) prejudicados por Oribe e
Rosas. Nos taes projecto* confidenciaee abandona-se
o direito de infemnisacno por parte dos Francezes,
o estabelece-se e reconhece-se nica e explicitameu-
te a favor dos prejudicados pelo hloqueio. Assim em
tudo o mais que diz respeito a Francezes.
No dia 19 communicou o almirante os seus pro-
jecto* eonfidenciae* ad referendum ao governo de aln
tevido, pedindo-lhe lizesse suas observacOes, que
transmitira com os mesmos projeclos ao governo
francez pela fragata Krigone.
No dia 21 respondeu o governo de Montevideo
que dirigira directamente ao governo francez as
suas ohjeccOes, e posso assegurar-lhe que manda a
Pars um enviado adhoc.
Entretanto o almirante solicitou urna SuspensSo
de hostilidades conservando-so a incommunieacAo
actual, ao que o governo accedeu.
Se as bases daa projeeloi eonfidenciae* ad referen-
dum (he este o mime quo na nota de 1 Ibes d o
almirante) frem aceitas em Pars, nomear-se-lino
entilo os negociadores, e lera lugar um ver'dadeiro
armisticio de seis mezes para se chegar ao tratado
de paz. Todos os que aqu conhecem a fundo o ne-
gocio e as resolucoes do gabinete francez leein, po-
rm,por impossivrl tal aceitado.
ah lem, meu amigo, como Rosas, mvslifican-
do o almirante Le Predour, consegro dilatar por
inuiui lempo um estado de cousas quo i.. i tile en
Huenus-Ayre* convm.
A respeito de Nw-Yorcbk, eis o que diz o citado
peridico :
Receimos bontein tullas de New-York al 23 de
abril, que contis! noticias da California da t.< de mar-
co. 0 ii'u comeado he coolradictorio. Diiem uinai que
vinie olio iiidiviiiuus reclainain tudo o valle do Sacra-
mento, que Ibea fora dadb por ilichrl-Torrna, ultimo
govemador mexicano, e que 'oraiii rllei que cspaltiaram
noticias multo exagerada! obre a riquesa das minas,
com o nico lim de attrabir de prompio noineroaapo-
pulacao. Outraa noticia*, porm, continuam em apre-
goar a extraordinaria abundancia do precioso metal, e
affirimm que todos os dlis te fallara novas descobertas
cuja riqueza excede tudo quanto se pode imaginar.
O vapor California chegou a San-Francisco no dia 28
de fevereiro.
De New-York nada ha de importante. O numero
dos emigrados dos Ettados-Unidos para a California su-
ba no dia 17 de abril a 197IT!
Quanto Babia, sabemos que oata provincia Acara
em paz; mas que, no^ntanto, iam apparecendo
orimcs mais ou meqos graves contra a aeguranca
individual e de" propriedade, como o comprovam os
seguintes artigos do Mercantil:
No dia SI do mez passado, no termo da ciliado
de Santo-Amaro, invadiram a casa do cidadflo Pe-
dro Caetano Vasconcellos, que se achava ausente,
aisassinaram com pancadas e rutiladas a mulher e
urna fllha donzella do mesmo, e levaram em moda-
papel dous conloa de ris e diversos trastea de ouro o
prata.
No mesmo termo e freguezia de Saubara, s 10
horas da noite do dia 3 do crrante, foitambem mor-
to rom urna tacada no peito direito Pedro Nolasco
da Costa : o assassino Joaquim Jos de Brillo, ten-
do-se evadido?"fora depois capturado pelo subdele-
gado respectivo, e acha-se rocolhido ca ieia da-
quella cidade. Esperamos que a polica conseguir
o mesmo resultado acerca doa autores do primeiro
attentado. >
Amanbeceu hontem (18 do junho) roubedoo
Sr. Msnoal Eugenio Cazefeiro, ourives ao becco do
Garapa, por um individuo cujo nomo ignoramos, O
roubo foi emprehendido e levado a elteito da ma-
neira seguinte :
Alugou a pequea lo ja do fundo da casa onde
havia um barbeiro a quem comprou a chave, e ar-
rancando parte do soalho, pode por meio de escava-
eflo entrar na ourivesaria e ah depositar em urna
caixa as pecas de mais valia e sabir com ella por on-
de havia entrado.
Felizmente, porm, ao chegar a Itapagipe, na
occasifio em que tratava de frelar urna canoa para
passar a ilha de ltaparica, foi preso com o roubo
por um inspector de quarlerAo, a quem causou des-
conlianca o empenho e os oflerecimenlos que fazia
ao canoero para dar-se pressa a transporta-lo.
COWMERCJO,
ALFANDEGA.Rendlmento do dia 18 15:956,049
Rio-Grande-do-Sul; brigue-cscuna braailetro Hin-
riquela, capilio Manoel Joaquim Lobato, carga a
. mesma que trouxn do Ais.

EDITAES.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 18...........
Diversas provincias............
. 3:426,58
59,706
3:486,295
CONSULADO PROVINCIAL.
hendimento do dia 18...............2:644,486
RI0-DE-JANE1RO.
CANSOS NO DIA 10 DE 1UNHO.
Cambios sobre Londre......25 'I, a 25
Paris......378 a 380.-
Hainburgo :..'.. 695.
Metaes. Oncas hespauhlas .... 32/000
da patria.....3I>000 a'3l|S00.
Pecas de 6y400, velhas 17*600 a 18/000.
Pesos hespauhes .... 1/980 a 2/000.
> da patria.....1/iKSO a 1/980.
Patacfics........l/9bual|980.
A plices de G por cento.....8Ua89'/,.
provinciaea.......nominal.
(Jornal do fidininerei'o.)
BAHA.
CAMSIOS KO DI 13 DE 11 MI.
Londres.........24 *|, frouxo.
Paria
flainburgo.........
Lisboa e Porto.......
Metaes. Unjas hespauhlas .
> mexicanas. .
Pecas de 6/00 .
novaa .
Mocdas de 4/000. .
Patacdes brasileiros
> hespauhes .
mexicanos .
nominal.
H5*n. /,.
31/600 a 31*800.
31/300 a 31/fxJO.
17/400 a 17/OO.
l/oOU a 17/000.
9/400a9/OO
2/000.
2/000.
2/000.
( JtVeanii.)
A cmara municipal tiesta cidade faz publico que,
no dia 20 do corrente, ter principio na casa de suas
sessfies a apuraeflo geral dos votos para vareadores
dostn municipio,comeando do referido dia perdan-
te as sessOes ordinarias do corrente trimestre. Os
trabalhos da apuradlo sHo pblicos para quem os
qulzerpresenciar. Epara conslar.se mandou publi-
car o prsenle. Paco da cmara municipal do Recife
em 18 de junho do 1849.Mantel Joaquim do Reg e
Albuquerque, presidente.JoOalote Perreira dt Aqui-
ar, secretario.
Pela inspectora da alfandega desta cidade se faz
publico que no dia 20 do correte, ao meio-dia.
serfio arrematadas em hasta publica 128 grozas de
botos de duraque, valor 153,600 ris; 200 duziss de
trancas de lila, valor 50,000 ris; 50 duzias de sus-
pensorios de algodflo, valor 65,000 ris ; e 30 pecas
de cortiao de seda valor, 12,000 ris: ludo impugnado
pelo guarda Manoel da Fonseca de Araujo Luna, no
despacho por factura n. 5537 : sendo a arremataeflo
subjeita aoa direitos. Alfandega de Pernambuco,
18 de junho de 1819. O inspector, Luit Antonio de
Sampaio Vianna.
Vlovrneino do Porto.
Navio* entrado* no dia 18
Ro-de-Janeieo, Itahia e Maceio ; 8diss, e do ultimo
porto 16 horas, vapor brasileiro San-Salvador, de
240 toneladas, commandanle o primeiro lente
Antonio Carlos de Azeredo Ooutitiho, equipagem
78. Passageiros! para Pernambuco, Jos Perira
Vianna eumescravo, o segundo tenente Candido
Jos da Costa, o cadete Bernardo Francisco Soares,
Frei Gustavo de San Mauricio, l>r. C. A. de Melio e
um escravo, Ignacio A de Albuquerque, Jos Fer-
nandes Povoas, Manoel Carnciro de Souza l.acerda
e um escravo, Brasileiros; Flix Fernandes de
Mallos, Portuguez ; um capullo, um padre capel-
lito, tres alteres e 29 pracas para o primeiro ese-
gundo baUllifio de caladores, e 4 desertores para'
ditferentescorpos: para Parabiba, o Dr. Traja no
Allipiode llollanda Chacn, JoSo Perelra Bastos e
1 escravo: para oRio-Grande-do-Norle, capilo-
tenenle Da11 Petra do Barros : para o Cear, o
alteres Antonio Jos Pereira de Carvalho e sua se-
nhora: para o Maranho, Manoel de Azevedo
Marques, suaenhora, dous lilhos menores e dous
. escravos, I). Thereza Hollina Alves Marques, Bra-
sileiros i padre Dr. Tbomaz Devervowie, Irlandez:
para o Para, o capilo de eugenheiros Marques
Pereira Sales, Brasileiro ; Frei Daniel de peles,
Italiano. '
Genova; 42dias, polaca anla Ita/faclino, de 170 to-
neladas, capitOo Giagomo Ramella, equipagem
11, caiga familia du irigo, vinho, aaeite-doce e
mais gneros ; ao capitn.
Rio-de Janeiro; 14 das, brigue-escuna brasileiro
l'eliz-Venlura, de Mi toneladas, capilfio Joilo
Concalves Leile, equipagem 10, carga farinha e
mais gneros ; a Manoel Francisco deliveira.
Camargibo ; 2 das, hiato brasileiro Xuvo-Ueuino,
du 21 toneladas, capilio Estevflo Ribeiro, equipa-
gem 3, carga assucar ; a Jos Manuel Morena. Pas-
sageiros, Antonio Jos Marques, Fortunato Jos
Marques, Joaquim Pereira da Silva a Jos Araujo
Pereira, Brasileiros.
Hartos sahidos no mesmo dia,
C,",'i: krigue ingles Marg-laulor, capito John
J Callandes Jnior, carga asaucar.
Declarares.
Olllm. Sr. inspector do arsenal de marinmi man-
da fazer publico que contratar, no dis 20 do cor-
rente mez, s tfnze horas da manh.ta, a compra de
arroz pilado de primeira qualidade, cuja quantidade
sera a que se convencionar a vista do prece no acto
do contrato; devendo os prelemientes a venda deste
objecto apresentar as suas pro usas nesta secre-
taria, acompanhadas das respectivas amostras, nos
indicados dia e hora. Secretaria da inspeccilo do
arsenal de marinha de Pernambuco, 18 de junho de
1849 No impedimento do secretario, Josc ttarcetli-
no Aires da Fonieca.
vapor San-Salvador recebe as malss para o
norte (boje 19; ao meio-dia : as correspondencias
que vieran depois deesa hora, pagarSo o porte du-
plo al urna hora.
Avisos martimos.
Para a Bahia a barca franceza Catimir Delavi-
gne, pretende seguir viagem at o dia 22 do corren-
te ; e como teuha excellentes com modos, recebe al-
guna passageiros : os pretendentes pdem dirigir
se a ra da Senzalla-Velha, n. 138, casa de B. Lasser-
re & (', consignatarios da mesma.
= Para o Maranlan e Para sabe com a maior brevl-
dade possivel o brigue-escuna 'itaura : para o resto da
carga e passageiros trata se com o capitao na praca do
Commercio, ou com Noves & C na ra do Trapiche,
Vende-se nova escuna ingleza Tuika, de oito a no-
ve mil arrobas : a tratar na ra da Cadela, em casa de
Fredrrice Robllliard, correteo geral.
c Para o Ass segu com brevidade o brigue brasi-
leiro C'.iictifu'o. capitao Fructuoso Josi'enira Dutra :
quem no mesmo qulzer carregar ou ir de *?assagem di-
rija-se ao mesmo capitao, ou aseu proprietario, .Manoel
Alves Guerra Jnior.
= Para o Porto sahir breve o brigue portuguez A7a-
ria-Ftlii, capitaoLourenco Fernandes do Carino, por ter
parle da carga prompla > quem no mesmo qulzer carre-
gar ou ir de passagrm, para o que oflerece mullo bons
commodos, trate com o dito capitao na praca do Com-
mercio, ou cora o consignatario, Antonio Joaquim de
Souza Ribeiro, na ra da Cadeia do Recife.
Leiles.
T. C. Masn, tendo de rrtlrar-se para Inglaterra,
far leilao por.intetvencao do corretor OHvrira, de to-
da a mobilin, lon(a, vidrose numeroso* objrctos da sua
casa oe residencia, e dos mala pertrnces de escriptoro,
consistindo em carteiras, machina de copiar cartas, bur-
ras e armarios de ferro, etc ; e bem assim um lindo car-
rinho de duas rodas com todos os pertences, ora exis-
tente na cocheira doSr. Miguel, no Aterro da l'.a-Vista,
onde es pretendentes pdem examnalo com antece-
dencia: irrca-frira, 19 do crreme, as 1C horas da ma-
nha, casa do estabrlecimeato de J. Cookshott & C,|
ra do Trapiche-Novo.
O corrector geral far leilao, em presenca do cn-
sul de S. M l'riannica, e por conta e risco de quem per-
teoeer, do carregamrnto de bacalho, salvado do brigue
ingles Harkill, eucalhado nol arrecifes, no lugar deno-
minado Maria-Farinha; argunda-feira 18, c terca 19 do
corrente, na porta do armaxem de Jos Antonio de Arau-
jo, no becco de Manoel-Lulz, s 10horas da manliaa.
--Depois do leilAode bacalho annunciado, para
os das 18 e 19 do corrente, o mesmo corretor geral
Frederico Robilliard far Icilflo de 80 tonelada* de
carv.lo de pedra de bordo do patacho inglez Tuskar
por ordem do capillo do dito patacho, o por conta e
risco de quea pertenec*.
Kalkiiiann Irmfios fatao leilao, por intervencilo
do corietorOlivcira, em presenta do Sr. cnsul de
llamburgo, e por conta e risco dequem pertencer,
de urna caixa com cambraias adamascadas,avariadas
d'agoa salgada bordo da escuna Anna-ltabeca, na
sua recente viagem de llamburgo para este porto;
o conlinuarSo o leilao de fazendas limpas, conforme
la concurrencia dos compradores: quarla-feira, -90
jdo corrente, s 10 horas da mantilla, no seu arma-
' /em, ra da Cruz.
I O corretor Olveira far leililo por ordem do
Sr. Augusto llellie, cnsul da repblica franceza, e
para liquidacno dos bens do tinado Augusto Jausso-
me, subdito francez, de utu sitio com. arv..rcdo,
terreno para plantar capin, e excellente casa de
. muites commodos dentro do meamo, onde actual-
mente reside o Sr. Jos Bernardo Ventura, no lugar
denominado Uaixa-Verde, na Capunga ; assim cuino
de um terreno appioxiniaiiaiiieuto do lauanlio oo
referido sitio, propno i^ara se l'onnar,,outro queren-
do-so all e.lilicar casa, ele sendo este terreno s-
mente dividido do pritneiroi^aela esliada: sabbado,
23 du eorrente, ao uieo-.iia em ponto, no consulado
francez, ra do Trafc|Che-Novo. Adverte-se aos pre-
tendentes que pdem dirigir-se ao iudicado sitio
para seu exame anticipado, e, em caso necessario, ao
Sr. Dthan, na ra do Aragao n. 4, que prompta-
inenle tis acompanliara para Ibes dar todas as
explicacOes.
i Jones Patn i C. faro leilSo, j)or inlervencilo
do corretor Olveira, de grande vandade de fazeti-
'das inglezas para fechar conlas : quinta-feira, 21
do corrente, is 10 horas 8a iauhSa, no seu arma-
zeni, na do Trapiche-Novo.
Barris com vinho claret proprio para engirra.
far.e picos com champanha das bem conhocidas mar.
cas C Si C, e J. N.; o que se vender em leilSo, em
lotes a vonCade dos compradores, quarla-felr 20
do corrente, no caes da Alfandega, as 10 horas di
mannia.
Avisos diversos.
i Pretende sahir desta cidadejjp Recife. para on-
de melhorlheconvier, JoHo BaiMBa, enm parto tla
sua familia ou sem ella: he Brasilnijo adoptivo, viu-
vo, j idoso e bem conhecido; nfio tem crime algum
e est dosembaracailo de seus negocios e dos de sus
numerosa familia: quem quizer sarvir-sa da seu
prestimo, poder procura-lo na rus da Cruz.no quar-
lo andar da casa n. 41, ou na ra da Prals, n. 5, casi
de um andar defronte da Ribeira do peixe.
0 aliaixo assignado protesta contra os actos ,io
juiz municipsl de Igusrass, tendentes a restabele-
cer em seus direitos sen av Antonio Jos Marques
Bacalho, julgado demente ha annoe meio, tendo
hoje quasi 90 annos, o tdo isto smenle no intuito
[de deitar para fura do engentio Desterro ao pai do
nnunciante pora meter dentro a afllhados condeci-
dos. Protesta igualmente contra qualquer negocio
quo se faca com seu av em consequencia tlcsses ac-
tos illegaes e arbitrarios daquclle juiz. Finalmente
protesta ha ver perdas e damnoa nflo s do dito juiz
municipal, como de qualquer outro que lh'os cau-
sar. Bordo da fraRsta Paraguem, 12 de juouo de
1849.Antonio l.ui da Cunhs.
0 major Joo do Reg Barros Falcto, comman-
danle do corpo de polica, mudou sua residencit
para a praca da Boa-Vista, n. 32, primeiro andar.
Para o Sr. Manoel Alves Barbosa ha ni rut
estreita do Rozarlo, n. 19, urna carta de aeu mn,
o Sr. Luiz M. Alves Barbosa, residente no llio-Cratv,
de-do-Sul.
ofTerece-so um moco portuguez para qualquer
arrumacSo, anda mesmo alguma venda, o qiml lie
capaz de dar conta de qualquer negocio de que fOr
encarregado, e para isso dar (ador a sua conducta:
em (Hni la, padaria do Varadouro, r.ua do Balde, ou
annuncie por este Diario para ser procurado.
Roga-se a pesaos que no dia 3 a 6 ic abril lirn
da casa do Sr. Carlos SimOes, na ra de Baixo em
Olinda as seguintes obras de direito a saber : B.
Constant 2 voluntes, Silvestre Pinheiro 2 volumes,
Guisot 2 volumes, Fritot 1 volume,Pags2volumrs,o
favor de ir entrega-las na ra do liom-Fi ro.casa n. 21,
que se promelte guardar segredo; porm, se nao
obstante esta advertencia, so tornar renitente em
couscrva-los, passara pelo desprazer de ver o seu fm
nomo neste Diarto
Eu abaixo assignndo quero mostrar desemba-
razadas minlias casas que fiz na Capunga com quin-
laes e cacimba, e juntamente um terreno que tica no
fundo dos Jilos quintaos, para fazer algum negocio
que me convier: se houver quem tenba direito a el-
las declare-so neste Otario al o Uro do corrente.
Manoel Alves Silva Coila Cuimarie*.
Sociedade Apollinea.
A direcco receber ainda em sesslo de hoja (19)
proposlas para convidados partida do dia 30 do
corrente.
Jules Alexsndre de Fontagne retira-aa para os
Estados-Unidos do norte.
Terca-feira, 19 do corrente, linda a audiencia
do Sr. Dr. juiz da primeira vara a em presenca do
mesmo, se hSo de arrematar por ser a ultima praca
urna casa terrea na ra das Cruzcs, n. 12; urna di-
ta dita na travessa dos Expnslos, n.8; urna parle no
sobrado n. 10 da ra do {ueimado.
Na ra Direila, sobrado de um andar, n. 33, ao
peda botica, se fazem bolos de diversas qualidailet
chamados de San-Joflo, enlejiados com capellas de
alfenins e massas. Tamhem se fazem bandejas do
bolinhos para cha com diversss galanteras da mes-
ma massa, ramos, figuras dealfinins, airuz deleite,
pastis de nata e de ca no, tortas, Iremedera?,itoces
de ovos de diversas qualidades, de caj secco, mara-
cujs, mangaba e limflo, tanto secco como de calda, e
por comunin pre(o.
Lotera do theatro.
Hoje, pelas 9 horas da manhaa, cor-
ren) as rodas da terceira p te da deci-
ma- oitava lotera a favor do llieatro, c o
restante dos bilheles estaro venda at
a referida hora.
Eu abaixo assjgnado taco publico que, lendo in-
cumbido ao meu procurador Joaquim de Albuquer-
que e Mello a cobranca do prejuizo que deu Manoel
Pereira Lemos na venda que fez de um sitio de tr-
ras com sua liaixa que divide com n rio de BeberiliP^JB
e appareceiido a dita haixa vendida da levada ate u>J
rio por Antonio Jote Barbosa Franco ao capilio An-
tonio Jos Souto, por escriptura feila em 19 de abril
de 1785, cuja escriptura foi presentalla por Antonio
Mario lio Paz Brrelo na reconciliacao do juiz de paz
de Beberibe, e tendo o dito Lemos de-pagar o pre-
juizo que ileu ao abaixo assignado, convenconou o
dito i.en.os coir o meu procurador, por meio de ac-
comniodacilo, dar cem mil ris pelo dito prejuizo,
no qual cu abaixo assignado convim, e passandoo
meu procurador papel da dita accommndacfto a tan-
tos de maio desie ccrente anuo, mandara para o
abaixo assignado assignar, assignei, r meu UltioJu-
s Flix de tiliveua assiguou como testcmunha, e
niandaudo pelo meu escravo entiegar ao meu pro-
curador desencaminhou-se o dito papel, t nao foi
entregue como diz o meu procurador na resposia
da sua caria de II de junho deste corrente ; c sendo
que appareca o dito papel, neiihum vigor lera, c lica-
ra sem validade, pois que as parles se acbam justas
e prevenidas, vi&io que o procurador nlo recebeu
quaHtia alguma, o multo menos o abaixo assignado ;
licaudo em vigor a cobranza dodilo prejuizo por
mi ni e meiis herdeiros para havermos do dito Lemos,
como se ohrigou por urna escriptura. E para que cons-
ltt, laco esle presente annuiicio. Jo*i Ptlix da Crm
t ilva.
,|kO abaixo assignado, leslanienteiro do fallecido
padruMaiiot'l da Kniiseca e Silva, leudo .le concluir
o inventario para dar contas do testamento, convnli
a todas as pessoas que ae julgaroui credoras dosillo
padre, para que cuinprecam com os competentes
ttulos no prelixo lempo de 16 das na casa uo abai-
xo assignado, na ra da l'enlia, u. 19, das 3 aa 6 lio-
ras da lardo, eerlas de que, lerniHiauo o referido pra-
zo, uSo admit ira recia maeflo alguma. doto fran-
cisca RegsQmtella.
Qualquer aiinuucio ou correspondencia que ror
inserida ueste lornal, anlysando os actos da acluai
direccao do Apollo, u8o se enlcude com os illuaires
secrelarjoa.
O Calif$mf-
OKaMi
MUTILADO i


.
O aferidor roga a todas
as pessoas que cohduzem mel. agoardente, *zeite
ic para o mercado desta cidade em ancoras; e que
a.nda nao eier.ram.que quanto antes venham alerir,
noii o lempo da afancHo est *ecabar-se,e os f.scaes
resi-activos passarSqj dar as corridas Jo c?slume,e
quellas que enconWra sem estar alendas neste
' o oobriwdaa.aferir; aasim como Pv'Ws,f^
rea jiaToj.a, que, lando rrox.mo o tempo^d. rev.
silo, oaVlhespas*! verba'de revisflo. sem que es
,m exactas conTo padrSo da cantar,
nm i tem preparado urna porcSo de varas e covados
tej.m exactas conTo padrSo da cmara, o f
i tem preparado urna porQao Je var
ja ateridos para aquelles que precisarem.
-O abaixo .ulg.ado.precW.ndo Pr""n'*n,'Pm
veroameioad.aubau-Dcla, le; projecudo abrir em
tua caa o curso de e.tudo .guinte .
ComtMteio
Prlmeto .o.-riih.nelio., algebra elcmeot.r, geo-
metra eiaincotar e irlgonomrtrl rectilnea.
S. ^aVno.^Krorip.urarf. uierc.nl I por partida,
tinaali*. e dobrada. correapondenola oominerclal
conbeclniento e .ubdivide. de todos a. moedat. peso
e medida. cambio., eu. u.os, m.neir. de cambio,
da. prluclpaes praca. do coininercio, arbitrio de cam-
bio..
Navtiafa'e.
Primelro anno.-Arlthmellca, algebra elementar, geo-
metra elementar eanalytlca.c trigonometra eiphe-
Speun'do anno -Nocor. gerae. Ue astronoma phytlca,
aslro.omla pratle, (aquella parte que ttr lndeii.en.a-
vel i navegaco) navegaciio, pruclpios geraea de pitru-
ca elementar.
Nulhematica purai.
Primelro uno.Arlthmetica, algebra elementar, geo-
inrlria elemcnUr eanalytica.
xennrlo anno. Algebra superior, airee .pplicada
jXim* dlinencoea, calculo dlrTerenclaleIntegral e da.
dllYerencM.
Tainbem lecclonari em separado qualquer da. ma-
teria do cur.o de commercio. aa.liu como a. do e-
eun "iienlo da< materia, do primelro, anno ; porm a. ma-
teria, do eguiido do cur.o de mathemaiicas pura. o
Ifcciooaraoquellfereiu.idolecclooadoa da. do pri-
meiro anno. .....
O abaino asignado promet* toda asiduidad* no en-
tino de tae. e.tudos. |ioi. que hoje tem lodo o teinpo II-
vre para a i..o o applicar.
A. hora do e.tudo -rao enarcada logo que hnuver
qualquer numero de alumnos: a propina mental era
de 10,000 r. Ruado Padre-Florlano, n. 17.anoel Lou-
rtnto di Malui.
PUNOIC.ODEFERRO
E FABRICA DB MACHINAS NA RA DO BRUM.
Bowman & Mc.Callum.engenheiros machinistas i
fundidores de fcffo, mu respetosamente annunc.am
sos Senhore proprieUnos de cngenhos.fazendeiros,
mineiroS, negociantes, fabricantes e ao respe.tavel
publico, quooseueslabelecimenlodeferro movido
por machina do vapor contina em efleclivo exer-
cicio.e se echa completamente montado com appare-
lhos da primeira qualidade para a perleita confeceflo
das maiorea petas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer obras da
sua arte, Bowman & Me. Callum desejam mais par-
ticularmente chamar & altenc.no publica para as se-
guintes,por terem dolas grandesortimento ja promp-
ta, as quaes conslruidaa na sua fabrica pdem com-
petir com as fabricadas em paiz estrangeiro. tanto
em preco como em qualidade das materias primas e
maod'ohra, a saber:
Machinas de vapor da melhor construccSo.
Moendaa de canna para eiigcnhos de todos os ta-
maitos, movidas a vapor por agoa ou an.maes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serranas.
Manejos independenles para cavallos.
Rudas dentadas.
Aguilhoe*, brnzes e chumaceiras.
Caviihes e parafusos de todos os lmannos.
Taixas, pares, erizos e boceas de fornalha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou por ani-
maes, e prensas para a dita.
Chapas de fogilo e Tornos de farinha.
Canos de ferro, torneirasdo ferro e do bronze.
Bombas para cacimba e do repucho, movidas a
inflo, oor animaes ou vento.
Cuindasles, guinchos o macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens'para navios, carroso ohrafl publicas.
Columnas, varandas, grades e porlOea.
Prensas de copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de miio o arados de ferros, &c, &c.
Alen, dasuperioriade das suas obras, ja gcralmen-
le reconhecida, Jlownian-ot Me. Callum garantem a
mais exacta conformidade com os moldes e dezenitos
remellidos pelos Senhores qe-se dignarem de azer-
Ihes encommendaa, aproveilando a occasiflo para
acradecerem aos seus numerosos amigse freguezes
a preferencia com que teem sido por elles honrados.e
asseguram-Hies que nilo puuparflo esforcos e d.li-
cencias para conlinuarem a merecer a sua conli-
--Ter?a-feira, 19 do corrente, he a arrematarlo da
preta Isabel.Ja minias rezes annunciada para ser
arrematada a quem mais der.
-- Joflo Andre Hult, cidadflo suisso, retira-se para
o Rio-de-Janeiro.
Na botica da Yiuva Qinha, praca
da Ba-Visla, precisa-ae (le um hbil
arm.ccutico.
Wernez Honegger, cidadflo suisso, retira-so o abaixo assignado faz sciente ao respeitayel
pubcrr que de hoje em diante principia a vender
ago'ardente em sua taberna da ra Direita, n. 127.
I'mncitro Joo Correia GuimarStx-
para o Ko-de-Janiro.
A. O. Nlcolle embarca para o lMo-de-Janelro o e-
crava de nome l>ouard.
Manoat ioaquim Pascoal Ramos continua a rsce-
ber escravos por comm'ssflo para os vender por cori-
ta de spus senhores: quem de seu prestimo so qui-
zer utilisar, dirija-su a ra d Collegio n. 21, Io
andar.
Precisa-se do um rapaz de 12 a 14 annos, para
caixetro de venda o qul d> fiador sua conduela :{
no'Aterro-da-Boa-Vista, venda n. 20.
Precisa se de urna,ama para o serviqo do urna
casa : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 5.
Aluga-se um aptflo com .nuitos eommodos, em
boa ra, multo fresco e proprio para homem aoltei-
ro : na esquina do Livramonto, loja de 6 portas.
Precisa-so de urna ama para cas. de pouca fa-
milia que saiba cozinhar, engommar e fazer todo
o arranjo de urna casa : quem estiver nestas cir-
cumstancias, dirija-sea ra do Crespo, loja de miu-
dezas, n. II.
OfTereco-ae um moro portguez de 18 annos,
para caixeirode qualquer arrumaQflo, excepto ven-
da : na ra da Cadeia-Velha, n. 23, ou annuncie.
Precisa-se alugar urna ama preta, forra ou cap-
tiva para o servido de casa e comprar na ra : na
ra da Cadeia do Recife, n. 47, segundoasJUar
--Apprehendeu-se urna colher de pratique um
pretoandavanfferecendo, dizendoquea llMia acha-
do na praia : quem se achar com direilo a alia haja
dn a procurar na ra das Cinco-Pontas n,J5, que,
dando os signaes certos e pagando a despeza do an-
nuncio, Ihe sera entregue, tato no prazo de tres das;
do contrario, ser restituida ao dito preto.
O abaixo assignado, como tenha de tazer urna
viagem a Europa e tenha de pagar aosr aouf credo-
res antes de o faaer, por isso pede encarecida-
mente aos seus devedores, tanto do alto cerno da
praca .principalmenteaosanligos, de llie manda-
ren! pagar ; do contrario ve-se na dura necessida-
lede cobrar judicialmente. Antonin remira 4a
Deseppareceu do sitio da Tamarineiia,"na es-
trada doa Afflictos no dia 16 do corrente, a preta
Maria de naci Benguela de estatura regular ;
tem no rosto marcas de bexigas; levou vestido d.i
riscado amare!lo ja osado, saja preta de lila, panno
da Costa ; desconfla-se que esteja ocruHa por isa
dasde ja se protesta contra quem a tiver de haver
perdasedamnose dias de servico com todo o rigor
da lei; foi escrava de D. Francisca das Chagas. Bo-
ga-seas autoridades policiaese capitfles de campo,
que a apprehendatn e levem-na a ra de Apollo n.
19, primeiro andar, ou ao dito sitio, que serflo re-
compensados.
mmmmmmmmmmmmmsmammm^mm
Compras.
ph
do
Dentista.
D. W. Baynon, cirurgiflo dentista americano,
tbrove se relira desta provincia e pelo pniico
lempo qua aqu ae demora, leni a honra de oflere-
cer ao raapcitavel publico o seu preslimo, na ra
Trapihr-Novo, n. 14.
Precisa-ae de urna criada : na ra Formse, es-
quina da ra da Uniflo
-. Fazem-se bolos ileS. -Joflo, muilo bem feros ,
e engira de u>ilho verde: na cidade do Olinda
airas do Amparo ir 11.
No dia Ude juoho fugio do sitio de Passagem
doa Arronibados o | relo de nome us, nae,9o Mu-
(ambique, idade de 10 annos, bIIo, seceo, quebrado
do enibigu, cara trislonha c fingida; rom rcatiues
no assento; levou a ioupa em unta aacola. Este pfe-c
lo perlenceua |ioo.iiiBosJoseCordro,e Ueste oassou
ao Ur Francisco de Borges lluarqiie, o primeift mo-
rador em Una no engenho Arassu, c o segundo em
Porto-Calvo. Rog.-se, portanto, as rton8.de* po-
lices, capilars de campo e pessoas paricularea o
apprrhen11.ni, attim como prolesta-se contra qual-
quer pessua que o acollar em sua casa. Quem o pe-
gar, leve-o no dito sitio, ou tiesta praca. esquina do
becco *o Peixe-Frilo, que se recompensara
Coila Braga.
- Ilebrard & Companhia fazem sciente a esu pra-
ca que, nflo exislindo mais osuntivoa pr que an-
nunciaramhapoucosdias a sua casa em liquida
cilo declaram o mesmo annunrio de nenbuin va-
lor continuando a casa como pelo passado ao mes
mo negocio. Os mesmos esperam que vala Uo ze-
lo quo tiveram em fazer honra aos seus negocios,
a conflanca que sempre mereceram dessa praca Ibes
ser continuada. ,.
- Carlos Carratbers Johnston, Inglez, retira-se pa-
ra Inglaterra. _
- Aluca-se um aUio no Magdalena, estrada da Torre,
margein do rio, cm multo boa ca.a de rivenda, con,
tela quarlo, cozlnh. fOra, ealribaria, ca.a para prelos,
cacimba e tanque coberto, com muiloa arvoredo de
frucio e trra para plantar : no Atcrro-da-BOa-vi.ia ,
n Aluga-se una casa terrea na Iravessa de S.-Jo-
s n. 8 : a tratar na ra larga do Rozario, n 39, se-
gundo andar. .
-- Precisa-se de urna ama que tenha bom e BDun-
dante leite, para criar nm* crianra do 6 mezes : na
ra do Collegio, n. 19, segundo andar.
= Prccisa-.e Ae um fornelro que aalba faier sua obrl-
gacao : na praca da Santa-Cruz, padari. de urna .o porta.
a pessoa que quizer Tazer
um bom negocio com a meiac.flo da casa sita na
rus da S.-Cruz, quo volta para a ra da Alegra e
juntamente com duas parles do terreno de 27 pal-
mos junto a mesma casa no qual existe um gran-
de telheiro: v a travessada Concordia, sobrado
"'-Na ra doQueimado, n. U, segundo andar, se
dir quem d dinheiro a premio. Na mesma casa von>-
dern-se dous relogios de ouru, urna correle, an-
nelOes, brincos, medalhas, rosetas, dous hbitos,
um resplandor e oulras obras, una colcha da India;
urna bandeira nacional c dous galheleiros : bem
como compram-se dous negros e urna negra..
. Precisa-se de urna ama de leite, forra, ou escra-
va, com tanto que nflo tenha filhos': lainbetn prcci-
sa-se de urna criada porlugueza, para administrar o
interior de urna casa onde ha um bom numero de
escravos, em um engenho distante desla cidade :
na praca do Commercio, 9, primeiro andar.
Jos Antonio da Silva Grillo contina a morar
na ra do Amorim, n. 29, segundo andar, onde faz e
cuncerta instrumentos marilinios, demarca trras e
lira plantas, ele. Uila casa lem tablela.o nos fundos,
na i.ua de Moda lem um oilante : quem de seu pres-
limo precisar o pode procurar a qualquer hora.
Alugaiii-.se e vendem-se bichas liambuiguezas
na ra dasCruzes, n. 40.
irerece-so um rapaz brasileiro para Caixeiro de
afgum engenho, obrigando-se tamhpm a ensinar al-
guns meninos a ler, escrever, e lamben! a liugoa
franceza.
-- Itoga-se no Sr. thesoureiro da lotera do thea-
tro publico baja do nilo pagar 6 premio que sabir no
mr-io bilhele n. 156senfloa Joflo Cardozo da Slva
Pinto, porquanto lite furtaram de dentro de ump
c.rtelrrf.cujo meio bHhele eslava assignado as eos-
las per Francisco BodrigucsdeCarvalho e pelo mes-
mo Silva Piulo. .
Prelende-se hypolhecaruma cas na cniade de
Olinda, no lugardo Varadouro, a qual pertence a
TJiomaz Joaquim Coelho.
precisa-sede um caixeiro portuguez, ou or.si-
leiro, para entregar pflo com um preloem urna fre-
Kuezia o qual seja capaz, preferudo-ae u que en-
tender de paitara : no pateo i uz, |
""Vntoiilo Joaquim Vidal t Companhia fazem
publico que Benlo de Frellas Gumaraes deixou de
ser seu caiaeiro desde o da 14 do corrente.
-Fazem-se bolos de encommenda para o da de S.
Joflo ; mbito bem feilos: na ra da Florentina
"-- Precisa-so'de um rapaz para caixeiro de loja de
miudezas: no Aterro-da-Boa-Vista, n. 84.
Hoje, na sala das audiencias, se hflo Ue arrema-
tar dous escravos. por rxecueflo de Jos Joaquim
Frrreira*leSouz8,pclojuizoda primeira vara
crivflb sanios.
Arrendare um sitio muilo fresco, na estrada
nova da Soledade : a tratar na ra do Encantamento,
n. 3;
- Compra-so urna preta moca de boa figura e
que seja perita engommadeira e cozinheira : quem
a tiver annuncie.'
-- Compram-se 2 ou 3 carros de 4 rodas, para con-
duceflo em bom estado : na ra do Amorim, n. 36.
Compra-se o segundo volume do diccionario
grande inglez-portugue*, por Vieira: na ra do
Trapiche-Novo, n. 16.
Compra-se urna casa cujo pre?o nflo* exceda
de um cont de ris, e que esteja em bom estado:
quem tivrr annuncio.
Com rim-se barris com mel: no largo da Assem-
bla-Provincial, leuda detanoeiro.
Compram-se.para completar urna encommenda,
escravos de ambos os sexos de 10 a 30 annos : na
ra do Collegio, n. 3.
Compra-se urna negrinha ou mulata que spja
perita costuroira e engommadeira, e que entenda
decozinba: na ra da Praia defronte da Rjbeira,
n. 3.
Compram-se 200 garrafas poqnenas, a lambem
potes de tinta : tudo vasin: na rus larga do Roza-
rio, n. 22.
Compra-se o direi.to natural de Krug, nimia inrt-
mo por mal. de teu valor, qualquer que seja o e.lado
em que ic achc: na ra larga do Rozarlo, u. 35, da. II
hura, por diante.
Compra-se um carro de quatro ro-
das, ou cabriol, que esteja em bom
uso : ua ra do Crespo, n; 9.
Compra-se um preto moco sem defeito com
ofllcio de carpina e que seja proprio para obras de
engenho : quem tiver annuncie.
Compra-se toda a qualidade de po-
lea vasios que tenbam sido delinla, a 300
rs. a duzia: na loja da ra larga do Ho-
sario, n. >:>.
i endas.
-Vende-se nms canoa deearreira, p*quani e muf-
lo boa : em Fra-de-Portas, n. 28, casa de Jos Al-
l ni
na
? Venderse dous escravos um molecflo e
prrto bastante ro'.msio o tra^hador do campo
ra do R.ngel, n. 54. se _ vendem-se luvas d| pellica de cor, as 20 rs.
meias nasTar. aenhoraf a 480 rs P-lmator... de
l.tflo.a 320 rs.; covas para c.v.llo 320 rs 1
nh.s de Oeiras, a 800 rs.; torcidas, a 80 rs. Uiizia .
lacre encarnado a 1.600 rs.; escovas para falo e pa-
,CcX" o a S rs''; retroz azu.-ferrete .1. ,segn -
da sorte, a 8,000 rs. a libra : no Ajterro-da-Boa-V.s-
t8--'ve*nde-seumcaixflo envidracado, propriopara
_mostras de venda, ou padana, por barato preco .
na roa do Encantamento, n. 3.
- Vonde-se urna cabelleira para homem, com pou-
co uso, pelo diminuto preco do 15,000 : na praca da
Independencia, n. 31. D.n
-Vende-se orna rasa terrea na ra das Cinco-Pon-
tas n. 48 : na mesma ra", n. 76. ,,i
- Vende-so um fardamento a:nda nflo servido ,
para ofllcial, ou inferior de cavallana da guarda na-
cional : lambem se vender qualquer peca a ronta-
de do comprador : na ra Nova.n. 16. .
- Vendem-se espadas prate.das para olTic.aes.da
guarda nacional : na ra Nova, loja do ferragens,
16, de Jos l.uiz Pereira.
- Vendem-se, do urna pessoa que so retira para
fra do imperio, 20 acedes da companhia de Bebe
ribo : na praca da Independencia, loja de Justino
Itero! se dir quom vende.
-- Vende-se limalha de ferro para fogo : na ra
estreita do llozario, botica n 10.
- Vende-se o bilhar do Passeio, com tolos os
pertences estando a cas. pintada de novo : a tratar
no mesmo bilhar. ,
Vende-se.sement de roentro, nova e salsa no
Manguinhn, n.'35. -.<,...
-- Vendo-se um Tito l-ivio, 1 v.; Horacio, 2 v. ,
Virgilio, 3 v. ; l.iqoes de geographia pelo atibado
Caultier, por preco commodo: na ra ostreila
do
Lotera o Kio-ile-Ja.iero.
Aos 0:000,000 de ris.
Na praca da Independencia loj.n. 4. chegoui no-
vo sorlimento de b.lhetcs o cautelas da muilo.acre
duas partes: primeira, o livro dos pitada lotera da cftrleRelies antesqa .cabem.
nenie cscripto pela syblla de Cumcs; Va |;|IO'l<> LlVramCIltO, lOja
n. 10, (le Fernaiic9 da Luz
Irmo, vende-se
- Precisa-se de um feitnr para traballiar em um
sitio perlada praca^ na ra do Caldeire.ro, n. 46,
* 'Jjosc5Antonio Bastos remettepara o Aracaly a
escrara de nomLutaa, pjira ser entregue a sen le-
B'"mManoelLrenca de Azevedo, Portuguez, re-
tira-te para Korlugal, a tratar de sua satino.
- Precisa-se de um caixeiro para venda, que en-
tenda de negocio : defronte da matriz da Boa-vista,
n. 88, junt" a da esquina.
Sorte grande de 0:000,^000.
Praca da Independencia, n. 57.
Bilhetes, meios, quartos, oitavos e vigsimos da
lotera do Rio-de-Janeiro chegados no ultimo va-
por. Na mesma casa se mostram as listas das lote-
ras passadas.
LIYROS DE SUMES.
Na livraiiii da piara da Independencia, ns. 6 e 8,
vendem-se, os seguintes livrosde sortes :
' &3?a3 das 9aS?3SdS,
para ser consultado as noi tes de S.^Joo, e em to-
das aquellas, em que as sociedades, ] cansadas do
cantar e danzar, se quizerein proveitosamentcoecu-
daram consulta-lo:escripto pelasybilla, em methodo
racil c abreviado.
que conlm
destinos novt...
segunda, o manual do alguna Jogos de sociedades,
cxlrahido de M."" Celnart, trasladados em lingua
verncula.
ou livro de sortes divertidas, em que, por virtuda
de dous dados, vom cada um no conhecimento do es-
tado, riquezas, herancas.amizadcs, fortunas,etc.,quo
lera, c oulras muitas o galantes sortes annunciadas
no principio da mesma obra. Ultima mprcssiio ex-
purgada dos muitos erros e defeilos das precedentes,
augmentada com um novo metnodo de fazer mais
de mil dcimas nicamente com o Irahalho de lancar
osdois dados. Um tratado das sinas.ou dos effei-
ts e prognostico dos doze signos do auno.
Lima Jnior & C na ra da Cruz do Bccife, n.
28, teem para vender dous escravos, sendo um preto
e urna parda : quem os pretender dirija-so casa dos
mesmos.
No largo do Livramento, loja
n. 10, de Fernn des da Luz
& Irmo, vende-se
algodflo de listras, proprio para roupa de oscravos,
a 160 rs. o covado.
lotera do Bio-de-.Ianciro.
Aos '10:000,9000 de rs.
. Na loja do pateo do Collegio, n. 6, esli a venda
bilhetes, meios e cautelas da sexta [olera do thes-
Iro de S.-Pedro-de-Alcantara, que dever ser exlra-
hida na corle em 25 ou -26 do corrente. A alies antes
que se acahem.
Vende-se urna porcSo de cera de carnauba em
arrobas o a retalho : na ra Nova, armazem de tras-
tes, defronte da ra de S.-Amaro.
Vendo-se a casa lerrea n. 7 da ra da Upa, no
Recih : na ra do Vigario n. 27, segundo andar.
Vende-se a casa lerrea n. 6 da ra do Padre-
Florianno : a tratar na mesma casa.
Vende-se a cas. n. 6 da ra do Padre-Floran-
no : a tratar ua mesma casa.
Vendem-se escravos baratos, na roa das Laran-
geiras, n. 1 segundo andar a saber : urna parda
escura, deJW annos, que engomma e ozinha ; urna
dita dasAnnos. que cose e faz todo o servico de
uina casa ; urna dila de 20 annos, que cozinha bem,
e he boa quilandeira ; urna dila demeia idade, que
he ptima coziiheira ; urna dila mulla forto que d
320 ra. por dia por 350,000 rs.; 4 pretos ptimos
I para o trabalho do campo. .
Jtytzario,'loja de miudezas n. 18.
Aos 2o:ooo,ooo de res.
(j-j" Continnam-se Jir1
a vender bilhcles. meios, quartos, oilavos e vigsi-
mos da sexla lotera a beneficio do thealro de S.-l e-
dro-dc-Alcantara : na ra da Cadeia do Reare .loja
ile fazendas.n. 51, de Joilo da C.unha Magalliacs ,
onde existan as listas das loteras passadas.
Algodao americano.
Vende-se algodflo americano de listras, muilo en-
comiado e com um toque de avaria proprio para
roupa de escravos, aUOrs. o covado: na ra do
Crespo loja n. 19, do Carvnlho & Miya
Vendem-se duas commodae um lato de jten-
rand ; um guarda-loin;a de amarello, tudo em mui-
lo bom uso ; um diccionario lalino, novo ; um pre-
sapa ; duas venesianas dejanellasdc peitonl; duas
estantes para livro sendo urna dellas envidrac,ada :
na ra Nova, n. 53. Na mesma casa da-se dmhe.ro a
premio sobre penhorea de ouro.
Superior cha brasileiro.
Veude-se cha de S.-Paulo, em latas da, urna ednas
libras, vindo por este vapor: na ra da Cadeia do
Becife, n. 51.
3
Impone,
em cortes de6 varase meia para vestido, a
cinco patacas : cortes de cambraia para di-
to, a 2,000 rs.'; mantas de blonde, a 3,000 e
4,000 rs.; franjas brancas largas, para cor-
tinados e toalhas a 100, 160 0 210 rs. a
ra : na ra do Crespo, n. 11.
va-
nlu mira iaaueta a rs> f,au" i *" '-.
el cas a 20 rs. o covado; chales de la. e seda, mui-
o7u e'.iores ; lencos de seda padroes novos; -
tosdoset.m para grvala, pro ose de cdre*, cortes
de selim bordados mu.to indos ; corb?. J
dos de cambala branca e de crtres aaiBal* Wg*
as- casimira muilo superior, a 7,000 rs. o corte,
chitas n."to linas, a 160 rs. o covado; e oulras mu.-
las fazendas.
Allencao.
Na na Direita n. 7 est a venJa ate es
o horas do dia nm sorlimento de caute-
loteria do tl.eatro, cojas rodas an-
teo rs. a libra : na ra P-
as da
dam hoje.
Vende-se araruta
re'^*Vcndo'rn-se 600 alqueires de sal de pedra. a 300
rsTor med?d* nova, e a 1,600 da velh. : no Aterro
dos Afogados, armazem do Franc.se* das Chagas 6c
Kftrinha de mandioca a 4y rs.
a saeca. .
Vende-se no arma.em n. 1, de Bareellar & Da* Fer-
relra, no cae. daalf.ndega.
= l.hegaram do IXio-de-Janeiro medinha1 para can
loria, com .companha.nenlo de piano: tan M *"
derna. : .oha.u-te a venda, na loja de I vro* do *"".
rado. largo do Collegio, n. 0, ena ra da Cruz., n. o, 10
ja de cera, 500 rs> cada uina. .,lV%, um B,iarda-
a 90 anno.. em *ta^**5ai um prelo de meia
eravo. : n. ra do Vigario. n. 24.
Sortes baratas.
__.. ... nrac. d. independencia, ns. G e 8, ven-
dem-lc r"n..ddeP"ape. imprco com .orle, para todas
petaca, a80rs. cada folha.


*
-.- %
----.. S""^ '
,...- ..- .
... .




Vendem-se bogias de cers, de 6 em libra, pelo
diminuto prego de 1,000 rs. a libra: na ra de Ca-
deia do Recife, loja do ferragens de Jo9o Jos de
Camino Moraes.
Corram as pechinchas, pois
he para Ifquidacao.
Na toja n. 5 A, na ra do Crespo, ao p do arco de
S.-Antonio, vendem-se, pone querer liquidar quin-
to antes, alm de um sortimento de pannos muito
Unos e de todas aa cores, a 3 e 4,000 r. o corado ,
as seguintes fazendas que por seu diminuto prego
em pnucos (lias se arbanlo, como lera aconteci-
do com routas outras que neste eslabelecimenlo se
teem annungiado : lencos de seda preta para grava-
ta, s 610 rs-, inteirns ; ditos para mfo, de cores e de
boa seda a 1,280 rs.; chales de casimira peque-
os proprios para meninas, a 6(0 rs. ; riscadindos
francezes, a 160 rs. o covado; cortes de calcas de
brim trancado pardo de puro linbo, e de pelle do
diabo a 1,000 rs.l; chales de seda com ricos lavores
e de excellenle qualidade, a 10 e 12,000 rs.; man-
tas de seda para senhora a 8,000 rs.; superior se-
tim maco para colletes, a 3,000 rs.; chapeos de
crep para senhora do ultimo gosto e de diversas
cores, a 2,000 rs. ; pegas de madapolilo enastado ,
moito fino a 5,500 ; ditas de cassa para bahados,
com 10 varas, a 2,560 rs.; merino, a 2,500 rs.; e ou-
tras militas fazendas que fazem muita conta sos fre-
guezes, e que por um pequeo espago de annuncio
deixam de ser annunciadas.
Taixas para engenho.
Na fundigflo de ferro da ra do llrum, acaba-se de
receber um completo sortimento de taixas de* a 8
palmos de bocea as quses acham-se a venda por
prego commodo e com prooiptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao com-
prador.
Vende-se cal virgem de Lisboa, de superior
qualidade em barris de 4 arrobas chegada neste
mez-pelo brigue Mara-Jote a tratar na ra do
llrum armazem de Antonio Augusto da Fonseca ,
ou na ra do Vigario, n. 19.
Cha barato.
Vende-se muilo bom cha, pelo prego de 500 rs. a
libra : na ra do Crespo, u. 23.
Deposito da fabrica de Todos-
os-Santes na Baha.
Vende-se ero casa de N. O. Biebor & C. na ra
da Cruz, n. 4, algodSo trangado daquella fabrica.,
muito proprio para saceos de assucar e para roupa
de escravos, aos pregos de 270, 300 e 320 rs. a va-
ra conforme as qualidades.
Vendan se presuntos inglezes para fiambre;
Jalas com bolachinhas de Lisboa ditas de araruta;
ditas de mermelada de 1,2 e 4 libras ; ditas de sar-
dinhas ditas de hervilhas ; ditas de cbecolate de
Lisboa ; frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja ; barris com azeitonas brancas de Elvas ;
garrafas com vinho moscatel de Selubal e da Ma-
deira ; queijos de prato, fresca es : ludo novo e
cliegado ltimamente de Lisboa : na ra da Cruz ,
no Itecfe, n. 46.
Farinha de mandioca
do Rio-de-Janeiro superior, em barricas e saccas:
vende-se na ra Direita, n. 17, e na ra da Madre-de-
Deos n. 31, casa do Sr. Joaquim Flix da Rosa.
Agencia da fundicao
Low-Moor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Ne.ste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e lucias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Folha de Flandres.
Vendem-se ca xas com folha de Flandres : em
casa de J. J. Tasso Jnior : na ra do Amorim, n. 35.
No ormazcm de Francisco Dias Ferreira e no de
Leopoldo Jos da Costa A mijo r ende-se o niais su-
perior vinho do Porto que lem viudo a este merca-
do em barris de 4., 5.", 7. e 8.*: os pirtendcntes
pdem sortir-se,porque poucas vezes c vem fazenda
igual.
Guardanapos de linho.
Vendem-se bons guardanapos de puro linho, gran-
des a 800 rs. ; ditos pequeos, de novo gosto para
cli a 400 rs.; bonetes bordados para homem a
2,400 rs.; ptimos lengos de seda de corea, a 2,500
rs. ; ditos a 1,000 rs.; setisn maco a 2,000 rs.; di-
to mellior, a 5,000 rs. o covado ; cassa transparente
para mosqueteiros e cortinados com tecido de fil,
a 2,600 rs. a pega ; alpaca de seda a 800 rs. i pti-
mo velludo prelo, a 4,000 rs. o covado ; e um com-
pleto sortimento de fazendas finas e grossas : na ra
do Queimado n. 27, no novo armazem de fazendas
de Rayrouodo Carlos Leile.
Farinha Jetrigo SSSF
de superior qualidade e nova ; dita americana, em
neias barricas ; dita gallega, em meias barricas ;
cal virgem de Lisboa ; vinho do Porto, em pipas e
barris de quarto e oitavo superior e msis inferior ;
fechaduras para porta de armazem ; superior cha
hysson nacional deS.-Paulo; farinha de mandioca ,
em saccas por preco commodo : na ra do Viga-
no armazem n. 11, de Francisco Alves da Cunna.
Vende-se um lindo mulalinho de II annos,
com bons principios de SBpaleiro e de muilo bo8
conducta ; um moleque de 18 annos de nagSo ;
una preta boa quilandeira: no paleo da inat'iz de
S.-Antonio, n. 4, se dir quem vende.
Vende-se a taberna do Manguind, que tem a
calgada alta, liem afreguezada pira a praga e mallo :
a tratar na ra .Nova, u. 63, que lodo o negocio se
far.
Vende-se muilo superior palha de carnauba : na
ra da Moda n. 11, a fallar com Silva & Grillo.
PHARMACIA FRANCEZA.
Xarope peitoral adogante da gomma de anglco
proparada por Luiz Bottenluit & Compandia boti-
cario chiniico da escota especial de Pars.
A gomma de anglco he condecida e empregada ha
muilo lempo pelos habitantes do interior do Brasil
como um excellenle remedio para as molestias de
peito; mas em um oslado tal de impureza conten-
do cornos estranhos, que muitas vezes, impedindo
seus effeitos, tornsvam suspeitassuas propriedades.
eobrigava o doente a tomar ama pbrgSo de mate
ras estrsnbss nfio obstante que inertes, mas que
no entanto difllcultavam o seu uso.
Unjo em lim esta gomma he por nos levada ao
mais alto grao de pureza e assim com ella prepara-
mos o nosso xarope tilo agradavel e fcil de tomar
como prompto e effica nos seus resultados. Os m-
dicos desta cidade e outros muilns que "teem obser-
vado seus effeitos, provam sus superioridade abso-
luta para a cura das inflammrges do peito, toces,
defluxOes, catarros, escarros de sangue, etc.; e ap-
plicam nos seus doentes romo o mellior especifico
sl hoje conhecido.
Vende-se na taberna da ra da Cadeia do Recife,
n. 25, defronte do Becco-Largo, a 1,000 rs. a garra-
fa acompanhada de um receituario de seu sutor.
Vendem-se chitas com algum mofo, proprias
nara escravos, a 5,6,7,8 e 9 vintens, e finas muilo
bonitas, por mais prego ; linhas grossas de novelo,
com algum sujo a 160 rs. urna quarta; luvas finas
de pellica, a 500 rs.; lencinhos de fil de lindo, pro
pi ios |iara meninas, a 400 rs.; ditos de cambraia ,
com bonitas palmas, a 400 rs. ; ditos de loquim,
com franjas, a 640 rs. ; na rus do Passeio, loja n. 17.
Vendem-se sellins inglezes e camas
de ferro : na ra daSenzalla-nova, n. t\i.
Na loja do sobrado ama relio da ra do Quei-
mado, n. 29, alm de outras muitas fazendas
finas e de gosto, vende-se merino preto inglez,
fazenda muito superior, s 1,100 rs. o covado;
panno fino de cor fixa cor de viudo, de caf
e verde a 4,000 rs. o covado ; dilo preto de
todas as qualidades e pregos; selim maco
preto, a 4,000 rs. o corto de covado o quarta ;
dita muito superior, a 5,000 rs.; guardanapos
de puro linho, a 12,000 rs. a duzia; atoalhado
de lindo puro com oito a nove palmos de lar-
gura a 4,000 rs. a vara ; lengos brancos de
cambraia de linho para homem e senhora a
800, 1,000, 1,280 e 1,600 rs.
l
Rape roio francr z.
Vende-se o superior rollo francez : as lujas dos
Srs Caetanol.uiz Ferreira no Aterro-da-Boa-Vista,
n. 46 ; Mliomaz de Mallos Estima, na mesma ra, n.
4; Francisco Joaquim Duarle, na ra do Cahug ;
Pinto IrmSos na ra da Cadeia do Recife, n. 19.
A 1,000 rs. o corte de calcas.
Vende-se brim trancado pardo de puro lindo, a
mil rs. o corle de ca'gas : na ra do Crespo, loja da
esquina, que volta para a Cadeia.
Chocolate amargo de musgo
islndico, ou thesouro do pt-i-
to, preparado por 11 r. J. C, C.
A losso, esta doenga tilo commum quando descui-
dada tilo graves sSo suas consequencias quanto pa-
rece ligeiraem seu principio, Uto matadora por si
s como todas as outras doengas que consomem a
especie humana, nSo linda para combale-la e des-
Irui-la um medicamento especial e nico. Todas as
pastiltias e xaropesquo teem apparecido al doje
teem sido impotentes.
NSo tem acontecido isto com o chocolate de mus-
go. O principio que forma a sua base principal o(Te
rece propriedades incontestaveis e recondecidas de-
pois de muilo lempo, e ninguem ignora os felices re-
sultados da sua applicagfio em todas as pdleugma-
sias agudas ou edronicas do pulmSo alfecges do
peito. phtysica, defluxos, toces, etc. para dar tom
ao estomago, abrir a vontade de comer, conservar
as gengivas e o bom alito, matar as lombrigas, prin-
cipalmente as criangas. Vende-se unicameate na
ra do Queimado, n. 17.
A 160 ris.
Na ra do Crespo, n. 14, loja
de Jos Francisco Dias,
vendem-se chitas cor de rosa e rouxas, sem defeito ,
pelo barato prego de 160 rs.
A 640 rs. cada uifi.
Cobertores de algodao americano os
mais encorpados que ha, a duas patacas
cada um, e algodao de listra proprio para
roupa de escravos, por ser muito encor-
dado,a i'i o rs o covado: na ra do Cres-
po, loja da esquina que volta para a da
Cadeia.
-- Vende-se ou permuta-se por casas terreas ,
metade de um sobrado de dous andares no largo
do Carmo, n. 7 : a tratar na ra dos Martyrios, n. 30.
Aiuda mais pechinchas.
Na loja-se n 5 A da ra do Crespo ao p do arco
deS.-Antonio, vendem se, para liquidadlo novos
cortes de cassa cnpapelados, com 7 varas,padres in-
teiramente novos e decores lisas, a 2,000 rs.; cha-
les grandes de chitas escuras, a 800 rs. cada um;
ditos pequeos para meninas, a 500 rs.; cortes de
caigas de brim pardo de puro linho, muito fino, a
1.280 rs. ; curtos de seda de padres novos, supe-
rior fazenda para vestido, com 16 a 20 covados a
25,000 rs.; e outras muitas fazendas.
A 1,000 e 1,500 ris.
Na ra do Crespo, n. 14, loja
de Jos Francisco Das,
vendem-se corles de brim trancado escuro de puro
linho, a 1,000 rs fazenda muilo mais superior aos
Muiros que se teem vendido pelo mesmo preco ; dito
de superior qualidade, cor de ganga a 1,500 rs. o
corte; chitas muilo finas cor de rosa, cor muito
fixa, pelo batato prego de 180 rs. o covado; ditas
miudinhaado todas as cores, a 200 rs. ; algodflo al-
vadio, a 200 rs.; dito azul de vara de largura, a 900
rs. o covado; e outras muitas fazendas por prego
commodo..
Vende-se algodao trancldo da fa-
brica de Todos-os-Sanlos a ayo e a 3oo
rs. a vara : na ra da Cadeia, n 5a.
as
de ra ; um pardo mogo, de boa conducta, que en-
feudo do servigo decampo he carreiro e proprio
para pagem, ou holieiro; um moleque de 12 annos,
proprio para qualquer ofllcio : na ra larga do Roza-
rlo, n. 35.
Vende-se superior vinho madeira
lira neo : na rna da Cruz, n. 9, em casa
de Oliveira lrniaos & Companhia.
Xa rita do Crespo, n. 6, ao p
do lampean.
vendem-se cortes de brim trancado de lindo, a mil
rs.; cobertores de algodflomuilo encorpados, a 640
rs. ; riscados de algodao aaMO rs. o covado; chi-
ta a 120 rs. o covado ; chapeos de massa preta, a
1,600 rs.; ditos de seda, a 44 rs.; ditos, a 400 rs.;
chitas escuras de cores fixas a 180 rs.; 8 outras
muitas fazendas por prego commodo.
Vendem-se as propriedadta, Pedreiras e Miguel-
Das dcsmembranrlo-se do engenho Ginipapo ao
su I da cidade da Victoria tendo a primeira propor-
gspara edificar-se um engenho de animaes, que
safrege 3,000 pSes, ea segunda urna engenhoca para
safrejar 800 piles annuaes ; assim como arrenda-se,
ou vende-se o mesmo engenho Ginipapo, que ssfre-
ja3a 4,000 pues e al muito mais, nu o engenho
Boa-Sorte, que llie fica contiguo, e que ssfreja 2,000
piles cat mais; e bem assim as casas sitas no pa-
teo da feira da mesma cidade, que fram da cmara,
e o sobrado que foi do finado Teixeira : a tratar no
mesmo engenho com o seu proprielario.
Vende-se manteiga nova, a 600, 720,800 e 1,000
rs. ; quoijos novos, a 1,280 rs.; caixOes de doce de
goiaba, de 6 em arroba a 1,000 rs : no pateo do Car-
ino, venda nova.
Na i na Augusta, casa n. 5a, ven-
de-se azeitede edeo superior, por preco
commodo
' Vende-se panno fino cor de caf, a 8,500 rs. o
corado: na ra do Crespo, n. 23
Algo dilo da trra.
Vende-se algodflo da trra, por prego commodo:
na ra d Crespo n. 23.
Vendem crtes-se de caigas de macedonia
de cores muito encorpsda e de padres
iguaesa casimira pelo diminuto prego de
2,000 rs. o corto ; riscadindos francezes a
160 rs. o covado ; cortes de vestido de cas-
sa de cores, a 2,000 rs.; e Outras muitas
fazendas baratas: na ra de Queimado, lo-
ja do sobrado amarello, n. 29.
Sem entes de hortalice.
Vendem-se sedientes de hortalice de todas a
qualidades : na ra Ilireita, venda n. 76.
Vendem-se e ulugam-se luchas de
Hatnbufgo, por mais barato preco do que
em outra qualquer parte : na travessa da
ra do Vigario, loja de barbeiro, n- i.
Tendo airibado a est porto o navio
inglez AtUh, carrrgado com i/|i muas
novas e grandes de Buenos-Ayres, e co-
mo tenha de vender parte das mesmas,
oTerece-as aos Srs. de engenho: quem
pr >tender procure para tratar em casa
dos consignatarios,!. Crabtree & C, ra
da Cruz.
Vende-se em Fra-de-Portas, largo do Pilar,
urna excellenle*casa terrea, com slito, quintal e co-
zinha lora onde mora o Illm. Sr. coronel Salgueiro:
os pretendentes pdem all examina-la, o tratar de
seu ajuste, na ra do Trapiche, n. 44, com Firmino
i. F. da Rosa.
Vendem-se no armazem de Vicente Ferreira
da Costa na ra da Madre-de-Dos garrafes cun
ervilhas verdes e novas, ditos com cevadinda no-
va, viudos de Hamburgo no ultimo navio.
Vendem-se, para pagamento de urna leltra, os
seguintes trastes : um jogo de bancas de Jacaranda,
urna mesa de meio de sala, 2cannapes, 12 cadei
ras 2 toucadores, ludo de Jacaranda j duas cadei-
ras de balango 2 duzias de cadeiras de oleo, 4 ditas
de bragos um jogo de bancas de angico urna mesa
de amarello para jantar sendo ludo uto novo ; urna
cama de amarello para menina, urna marque/a e
urna cama de angico em meio uso : na ra das Cru-
zes loja n 16.
Vende-se superior vindo da Madeira, em barris
no caes da Alfandega .armazem do llacelar.
Vende-se a casa da ra do Cotovello, n. 10, cota
cozinha fra, cacimba com boa agoa grande quin-
tal murado pelo lado do naseente e fundo, em chao;
proprios : na ra do Sebo, n. 26.
Vendem-se 20 enchameis de SO palmos de com-
primento: na ra TtaPraia, defronte da ribeira
ns. 9 e 11. a>
~ Vende-so um escravo bastante mogo, que da
dous cruzados por dia; um fole de folear formigos
ns ra da Concordia, ultimo armazem de rosjdeiras
Vendem-se roseirss de diversas qualidades
cravelrose adalias de dinVrenteseres, alecrim til-
do de tamando regular e j dando flor, e muito pro-
prio para agora se mudar : no Aterro-da-Boa-Vis-
ta.lojafrancezadeF. Oubarry, se dir quem vende.
~ Vendem-se oito lindos moleqoesde 12 a 20 an-
nos ;%5 pretos de 25 a 30 annos; um molecflo de na
g&o coneiro, e que cozinda o diario de urna casa e
refina.assucar; dous pretos de naefio, de 94 annos
proprios psra cadeirinds ; duas nefrinhtsde 10tJ
annos ; 3 pretasde 14 a 20 annos : na rua-tfo Colle-
gio, n. 3, se dir quem vende.
Vende-se farinda de mandioca em saccas, por
prego commodo e em cuias a 200 rs.; tariana -fe
araruta, a 200 rs. : no pateo do Tergo, venda n 7.
Vende-se muito boa farinha de mandioca, ni
saccas de alqueire, pelo prego de 4.000 rs. cada uc-
ea ; bem como saccas com milho, ditas com aira?
de casca arroz pilado e abanos : na travesa do Ci.
rioca, na ra da Praja, junto ao tanueiro.
Freguczia.
Vende-se vindo superior da FlgUeira, a i;seor-.
a caada e engarrando a 180 rs. dando o fregu;
a garrafa vasia : no pateo do Tergo, venda n. T;
Vendem-se 10 escravos, sendo : 4 molecotes da
12s 20 snnos: 6escravas., sendo duas deltas boas
engoinmadeiras: todos de boa conducta : na ra
Direita, n. 3.
Vende-se um prelo de bonits figura, que aerVa.
para sitio: no Forte-do-Matlos prensa do algo-
dSo, n. 18.
Vende-se um rico par de adragonas para ofliciil
superior da guarda nacional: na pracinda do I.ivra-
menlo, n. 51.
Pechincha para S-Jofto.
Esteiras grandes, a 1,000 rs. : no caes ds Alfande-
ga, defrunte do edafariz ; caixindas com Togo da
Cdina no armazem do Bacelar no caes da .Alfan-
dega.
Vende-se, de urna pessos que se retire, um tt-
cravo de 35 annos por 200,000 rs.; urna escrava pi-
rita engommadeira ; um moleque de 18 annos ; I
dito dito : na ra de Agoss-Verdes, n. 46, se di
quem vende.
Attencao
i
Vendenj-se cortes dn caigas de brim pardo
trangado, a 1,000 rs.; ditos de brim bran-
co do listras, a 1,280 rs.; ditos do brim
trancado amarello, a 1,500 rs.; sendo to-|
dos de puro lindo : na ra do Queimado, loja
do sobrado amarello, n. 29.
Vende-se um sitio na Capnnga
com 7 ps de cajueiros, 10 ditos do aragaseiros, 12
ditos de coqueiros, 8 ditos de goiabelras, 29 ditos
de larangeiras endientadas com limito doce, selecta,
de embigo clima da Persia, 9 ditos de sspoli, 24
ditos decal 13 dilosde pinlias 2 ditos e pitan-
ga muilo grandes, 1 dito do hubaia, t dito de con-
dega ,2ditosdennzes, 1 dilo de fruta-pilo 1 dito
de jaca, 3 ditos de pilombas senilojim delles muilo
grande, 2ditos de assafroeiras : lodos estes arvore-
dosdflo : lem de largura rento u lautos "palmos e
de fundo 280 dilos, com duas casas juntas, do pedra
e c I uni grande pogo de boa agoa de beber, excel-
lenle tanqo para bando, cozicha fra, im bum
forno e em rdilos proprios ftamliem s irende um
terreno proprio nos Cocidos : no Alerro-da-Boa-Vis-
ta, loja de ourives n. 61. Adjrerle-so que da mais
urna banda de muro, :i,uou lijlos o muita idelra-
Ida.
Vende-se um lindo par de jarros de porcellana
dourados, coas bonitas flores por prego commo-
do, poi ser de urna pessos que se reliia : na ra No-
va n. 12, de Guerra, Silva & Companhia.
VfDde-se um novado turiuo, de bos q-ualidade
Vende-mse cautelas da lotera do thea-
tro, cujas rodas andam inipreterivclmcn-
te nodia 19: na rna Direita, n. 7,
Escravos Fgidos
Ha um mez, pouco mais ou menos, fugio do
en pendo Palmeira do Sr. JoSo Coeldo da Silva o
preto Antonio, de vinte e tanjos annos.de nsgo
Angola estatura alta bastante preto e musculoso;
tem pouca barba beigos grossos e bocea grande,
pernas curtas em proporgfio ao corpn ; um dos sig-
nses que o torna mais conhecido he elle ter *s ua-
degas grandes e muito estu fadas. Este preto foi do
Sr. do engenho Pilar, as Alagas. Quem o pegar
leve-oaodilo engenho Palmeira, prximo a esta
praga, ou na ra do Crespo, loja de Santos Neves &
Guimarfles.
Desappareceu, no dia 13 do corrente, o escravo
Severino preto, crioulo bstanlo alio, corpulento,
pernas grandes e um pouco arqueadas ; de casado
com urna preta bastante fula de mime Francisca,
tu ni dem captiva ; foi escravo de Pedro Rodrigues,
no serian da Sei r;i-do-.Martins de onde foi vendido
para o Aracaty e d'adi para esta praga ao tenente-co-
ronel Leal: quem o pegar s&r gratificado
Fugio, no dia 3 do crreme, o prelo Oiogo.de
nagto Congo, de mais de 40 annos cheio do corpo;
de bstanle desea usado no sudar ; lem urna cicatriz
que p'ineiBJa da face at junio a orcllia esquerdae
na direita tem urna falda que principia do meio do
circo para cima ; levou camisa e ceroulas de algodSo
da trra. Rosia-se a todas as autoridades policiaese
pessas particulares, que o appredendam e levcm-
no a ra larga do Rozario padaria n. 18, que serio
gratificadas generosamente.
Bella gratificado.
<250?000 ris.
iit un v-cj*-i) .. --iuue-au uui iiutuiiv iuihiu, uo uua if ua uuuuu
Vende-se urna preta moga, do bonita figura I para tirar raga por prego commodo: no Mouteiro,
ra, engommadeira e vendedeirala fallar com Joaquim Tiburcio Ferreira.
cozindeira, coslurelra,
Em fevereirode 1840, fugiram juntos dous escraA
vos com os signaes [seguintes : Jos, pardo, natu-
ral do engenho Pracinda termo do Porto-Calvo,
cabellos bem carapindados naquella data leria 20
annos ; he Uto gago quando falla quo at aper-
ta os odos secco do corpo, altura regular, ar agra-
davel: Joiquim, cadra natural de Maco do Assu;
tem as pas largas, pernas um tanto arqueadas, den-
tes limados, bastante alegre ; quando fugio loria 24
annos e nilotinha barba : qualquer pessos que os
a presentar na ra do Trapicde n. 44, recebera a
gratiflcagflo cima.
Aviso aos Srs. capitesde campo e autoridades.
Fugio, no dia 18 de novembro prximo passado,
um escravo de nome Oionizio, crioulo, de estatura
regular, delgado do corpo, cr preta com marcas
de boxigas pelo rosto ; lem militas cicalrizes de fe-
rulas,em um dos bragos j de muito lempo; he ofTiciil
de padeiro por isso lem as costas dss mitos, en
o lugar da junta dos dedos, calos de amassar; tem
algumas marcas de chicote pelas costas; talvez s
queira intitular de forro, por ser muitp ladino ; coi-
tuma mudar o nome quando foge; consta que fot
apprehendido no engenho Caga-Fogo, e d'ahi tor-
nou a fugir com oulro da mesma fabrica. DSo-se 50/
t%. de gralilicagito a quem o levar, ou delle der no-
ticia cerla, na rus da S.-Cruz, n. 24.
-- Roga-se as autoridades policiaes e capitales de
campos a;.prehrnsflo da preta Mura, crioula fu-
Kida 110 dia 6 do corrente, com os signaes seguintes:
alta, barriguda, em consequenci do tur o embigo
{atufado, ofolhas tapadas desdentada na frente do
ado superior; leve da pouco bexigas, das quaes
conserva visiveiscicatrizes ; levou saia azul e panno
da Costa; foi comprada ha 7 mozes a Sra. O. Catda-
rina Francisca da Cunda : quem a levar ra do
Crespo, loja n. 15, de Antonio da Cunda Soares
Guimarfles, ser recompensado.
I
PeRM. tA TVP. DK M. F. l. FAaU
ii


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWQFY69SM_6DKR4X INGEST_TIME 2013-04-24T17:41:42Z PACKAGE AA00011611_06616
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES