Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06550


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ann"
XXIV.
Tcrcu-feira 51
n ni lili O pubilcMe todof e di que n!o
0 1 Ju.irla: o preceda aailgnatura he
("'lll ri. por quirtel, W"*fr
d 4^ o n dos liilffiunlei ao liueridot
innTdc r. por lita "' c"l,yP 'li-f-
r" ,. areneiOM pd melade. Os nao
fr?"lc' f,,pagarlo80n. por linha 160 ri
'^j'pdiircreDte, por cad. publicado.
"pHASES DA LA NO MEZ E OUTUliRO.
. .,, a 5, s 11 horaa e 42 mln. da manb.
?',Z a 12. a I hora e M .nln. da Urd.
" i 19, aos 8 nln da manli.
&"S O, hora, c 27 mln. da urd.
PARTIDA DOS CORREROS.
Goianna eParahiba, a* $egi. e iexu-feirai.
Rln-G.-do-Nortc, qniulai-feirai ao meio-dia.
Cabo, Srrinhrin, Rio-Koruiosn, Porto-Calvo
e Macelo, no I., a II < 21 de cada me.
Garanhuus p llonlto. a 8 e 23.
Boa-Vista e Florea, a 13 e 28.
Victoria, s quintat-felras.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE IIOJK.
Prlineira, s 8 horas e 30 minutos da manh.
Segunda, s 8 horas e i i minutos da tarde.
de Outubro de 1848.
N. 944.
das da semana.
. dos or-
30 Secunda. S. Seraplo. Aud. do J. di
phaos do J. civ. e do J. M. da 2. v.
31 Terca. S.Quintlnn. Aud. do J. do c. da L
v. e do J..de paz do 2. dlst. de t.
1 (luana. Jffift l'osti de todos os Santos.
2 Quinta. S. Victorino. Aud. do J. de orpb.
do J. M. da 1. v.
3 Sexta. S. Malaquias. Aud. doJ. doclv. c
do J. de paz 4 Sabbado. S. Carlos horromeo, Aud. do J.
dp c. da 1 v. e do J. de pa/. do 1 dist. de t.
5 Domingo. S. /.icarias.
CAMBIOS NO DA DE 30 OUTUBRO
Sobre Londres a 23 e25Vad. por lfr.a0d.
Pars
Lisboa 120 por cento de premio.
Rio-de-Janeiro ao par.
Oec de lett de boas firmas al % ao inei
AccScsda coinp.de Beberlbe, a&U/ra. aop.
Onro.-Oncas hespanholas 31*000 a 31/500
Muidas de 6/400 v. 17/.VI0 a 17/WH)
de 6/400 n. 16/400 a 18/000
4e 4/000... 9/400 a 9/500
PrataPatacoea brasileiros 1/070 a I/OTO
. Peaos columnarios. 1/970 a 1/BUO
Ditos mexicanos..... 1/920 a 1/940
BUCO.
PARTE OFFICSAl.
govep.no DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 25 DE SETEMBRO.
OTTcio. Ao commandante superior intorino da
guarda naciona.1 do Cabo, participando haver appro-
vfliloa proposta para os poslos yagos do quarto ba-
talli'To sb seu commando superior inlrrino.
Portara. O presidente da provincia usando da
facuhlade que Ihe confere o artigo 10 da Ici provin-
cial n. 223, de 17 de agosto prximo lindo, lia por
oem nonicar para os empregos da thesouraria da fa-
zonda provincial creada pela lei citada, aos-cidados
liaixo declarados :
Inspector, Jos Pedro da Silva.
Procurador-fiscal, Jos Bernardo GalvSo Alcan-
forado.
Olllcial-maior, Joaquim Jos da Silva Caslco.
Thesoureiro, Filippo Carneiro de Olinda Catnpello.
Primeiros-escripturarios, Jos Mara da Cruz c
hio Cavalcanti de Mello e Albuquerque.
Segundosescripturaros, Antonio Ferreira d"An-
nunriaeo e Muiz de I'inho llorges.
Amanuenses, Joflo Valentim Villola e Francisco
Antonio Cavalcanlo Coussciro.
Portoiro, Antonio Caldoso de Qucroz Fonseca
Jnior.
Conlim'io, Francisco Antonio da Silva Cavalcanti.
Ncsla intelligencil a secretaria da provincia expe-
dir lilulos aos individuos cima mencionados.
Fzeram-stas participares doestylo.
Dita. Nomeando segundo cominandantc da quar-
tacompanhia do corpo de polica, croada por porta-
ra de 16 docorrcnle, ao lenle de primeira linha
refunnado, Joo Chrisoslomo Ferreira dos Santos.
Fizcram-se as competentes parlicif aqes.
lilla. Nomeando lerceiro commandanle da quar-
ta companhia do corpo de polica, creada por poda-
ra de 16 docorrcnle, ao cidudo Pedro Bizorra de
Menezes. Expediram-se as competentes parlici-
pacOes.
DEM DO DA 26.
Ollicio. Ao director interino do arsenal de guer-
rr, ordenando declara ao tenetite Joo Chrisoslomo
Ferreira dos Santos, que tem cessado o seu exer-
cicio no lugar de ajudante daquclla directora, visto
acliar-se nomeado segundo commandantc da quar-
ta companhia do corpo do polica. l'articipou-se
oo commandanto do referido corpo.
Dito. Aocomuiandanto das armas, mandando
que ordeno ao lenlo da quarta classo doexercito,
Joo Jos de Moura, que se apreserrte ao director in-
terino do arsenal do guerra afim do entrar ein exer-
cico do lugar de ajudanle do mesnio director, que
deverdeoecupar eniquanlo estiver impedido o ca-
pilflo Salvador Coelho do Druinmond e Albuquerque.
Scienlificou-so o mencionado director.
Dito. Ao coronel cbmmissai e-pagador, deter-
minando pague o prel na importancia de 44,880 rs.
perlonccnto as pracas da guarda nacional do muni-
cipio do Cabo que cstiveram destacadas ein N. S..do
O'. Communicou-se ao delegado do Cabo.
Dito. Ao cominandante do corpo* de polica, or-
denando que, sem peda de lempo, d S. me. as ne-
cessaras providencia, nlo s para que liquem incor-
poradas ao destacamento do termo de Flores as pra-
cas desse corpo que a elle fram render, seno lam-
be m [ini de que marcho para all o lerceiro eom-
nainlaiii.! da companhia do mesmo corpo, Pedro lii-
zerra de Minezes, para lomar conlu do commando
dosobredto destacamento. Partcipou-se ao ebe-
fo de polica e ao delegado do Flores.
DEM DO DA 27.
OITico. Ao commandante do corpo de polica,
revogando a ordem da presidencia relativa a ida do,
3.' coiiiiiiandanle daquarla companhia Pedro Hizer-
ra de Menezes para o termo de Flores afim de tomar
ronta do commando do destacamento alli existente,
visto ja haver sabido para all incumbido do igual
coniinissiio o 3." couimandanle Antonio Jos J'es-
Una.
hilo. Ao commandanto do briguo Capibaribe,
lizendeque pode dar as precisas providencias para
que o brigue do seu commando v lomar ancoradou-
'o em frente ao arsenal de marinha. Scientilcou-
fce o commandante da crvela liuterpe.
DEM DO DA 28.
Ollicio. Ao inspector da thesouraria do fazen-
oo participando haver nomeado inspector da the-
souraria da fazenda provincial ao cnladio Jos Pe-
dro da Silva, e declarando que semelhaiile noinea-
c.io nada concorre para quo so supponha que o so-
Ijrcdito L'idadQo hadeixado acadeia de geometra
lo collegio das artes de Olinda pois o considera co-
mo em commisslo. Neste seitlido oliciou-se ao di-
rector do curso jurdico em Olinda.
Dito. Ao coronel commissario-pagador, com-
iiuncando queS. M. o Imperador dignra-se de ap-
P'ovarinlcrinamenlo al resoluco delniliva, a or-
8*ni3B(So dada pela presidencia a essa pagadura.
Dilo. Ao mesmo, participando que o mnjor In-
nocencio Eustaquio do Ara ti jo deve do continuar nu
uirecQio das obras militares desla provincia al quo
pliegue o ollicial do corpo do engenheiroa que nella
"'a de substituir. Scientificou-so ocommandan-
e das armas e ao mencionado major.
Dito. Ao commandanle das nrmas, determinan-
uo laca constar ad lenlo ajudante da oxlincta so-
(unda.linha, Antonio do Soulo Coudim, quo no po-
de ter lugar a su pretendo a ser declarado ofllcial
de primeira linha como solio da nova tabella por
ser ella idntica a que fra indeferida pela imperial
resoluefo do 30 demaio de 1846, sOb o fundamento
de haver sido promovido ao posto que lem anterior-
mente a data do decreto n. 260, do l.'do dezembro
de 1841.
Dilo. Ao mesmo, transmittindo a f de oflicio
do alferes Concillo de Mattos Rocha que oblivera
passagem para o 5. batallifo de fuzileiros.
Dito. Ao agento da companhia das barcas de
vapor, recommendando acxpedigiio das convenien-
tes ordensfim deque, no vapor que se espera dos
porlos do sul, seja transportado para o Cear o sol-
dado desertor do balalhflo previsorio daquella pro-
vincia, Gaspar Jos Francisco, e para o Rio-Crande-
do-Norte do cabo do esquadra, Manoel Thomaz de
Urna. Parlicipou-se ao commandanlo das armas.
DEM DO DI1 30.
ollicio. Ao presidente da relcelo, participando
que S. M.-o Imperador houve por hem remover da
comarca do Natal para a de Goianna ao juiz de direi-
lo Jouo Paulo de Miranda por assim o ter pedido, e
desla para aquella comarca com excrcicio no lugar
de chefe ile polica do Rio-Crande-do-Norte, aojuiz
de diieto Manoel l.ibanio Pereira de Castro. Fize-
ram-se as parlicipacOes do eslylo.
Dito. Ao inspector'da Ihesouraria da fazenda,
remoliendo o decreto pelo qual S. M. o Imperador
houvc por bem nomear a Jos Kilippe Nery da Silva
para o lugar de 3." oscriplurario daquella Ihesou-
raiia.
Dilo. Ao cliefc de polica, ordenando d as pre-
cisas providencias, alim de quo soja capturado, o ni
bualqucr dos pontos da provincia, onde porvenlura
appareca o grumete imperial marinheiro Candido
Jo&quim Itibeiro, cojos signaos caractersticos cons-
ta m de urna nota que remelle, o que sendo perten-
cenle agurmelo da corveta Euterpe descilou de
bordo daquelle navio. Parlicipou so ao comman-
danle da mencionada crvela.
Dito. Ao commandante das armas interino,
communicando haver S. M.'o Imperador por sua im-
perial e immediat resoluto concodido reforma no
poslo de major, com o respectivo sold por inleiro
Dita -Ao mesmo ordensndo entregue a ordem mais por instituices civis, pela prosperidade indus-
dojuix municipal da primeira vara os sentenciados I tral ecommercial, e mu.to maisa.nda, pelo csplen-
Joau Manoel Correa Vianna c Jos Pedro de Carvalho dor da gloria ____ .....
que trouco da provincia do Maranhflo.
ram-se as convenientes parlicipacOes.
194 Agostinho l'ercira da Silva.
195 Antonio (ornes da Silva.
196 Antonio Gabral.
197 Antonio Paulino da Silva.
198 Benedicto Eugenio dos .Santos.
190 Grispim Marques Nogueira.
200 Floranno Jos de Carvalho.
|.201 Francisco das Chagas Marques.
202 Francisco Jos Piulo Vianna.
203 Francisco de Borja Cezar.
da tarifa actual ao capilo do 6/ batalhao de caca- ** l^T^nX^"**'
dores, Francisco EusebioSoa.es. que se acha na pro- Fre.Icr.co da (;osU | ,os
vincia da Baha. Scientificou-se o coronel com- 06 Francisco Martina de l.ei
missario pagador.
Dilo. Ao mesmo, participando que S. M. o Im-
perador dignara-so determinar, cm aviso de 21 do
julho ullimo expedido ao marocha decampo gra-
duado coinmaiidanie interino das armas da corte,
qu o capito do 4.' batalh.lo de aililharia a p, Jo-
s Venancio Canlclice, nflo viesse retnlr-se aoseu
corpo emquanlo se nflo ultimar a commissiio em
aueseacha.
Dito. Ao mesmo, transmillindo a gua do 1."
sargento do 5, batalhio do fu/, i lei ios, Jos Francisco
da Costa, que veio a-bordo do vapor Guapiass afim
de rennir-se ao seu corpo, Communicou-se ao
presidente do Cear.
Dito. Ao commandanle do vapor Guapiast, de-
terminando receba a seu bordo e condusa para a cor-
te o 2. lenle d'urmada, Francisco Manoel da Silva
Cumiarnos, que para alli vai segulrem eumprimento
do ordem do quariel-general da marinha. Parli-
cipou se ao commaule do briguo Canpo.
Dilo. Ao inspector da thesouraria do fazenda,
recommendando a expedi^ito desuas ordens, alim
le que sejam onlrcgucs ao Ihesoureiro da thesoura-
ria da fazenda. provincial os dinheiros c documentos
pertoncentos aquella repartieflo, que por ventura
existam nos cofres da estaco que se acha sb a ins-
pecQo de S. S., e declarando que a determinada en-
trega seja feila a vista de urna cunta da receita e
despeza dos dinheiros quo se ha referido. Scien-
tilicou-se o inspector da lliosuurirria da fazenda pro-
vincial.
Dito. Ao commandanle do corpo do polica,
mandando fornecer ao juiz municipal da primeira
vara as pravas daquelle corpo que elle requisitar pa-
ra acompanharate a cadeia desta cidde uns senten-
ciados que ello tem de mandar receber abordo do
vapor Gi$apnsiu'.
Kilo. Ao inspector do arsenal do marinha, de-
terminando piopoicionc aojuiz municipal da pri-
meira vara os meios que elle requisitar para mandar
recebar a bordo do vapor Guapiass' uns sentencia-
dos que devem de ser postos a disposico do mesmo
juiz. l'arlicipou-se ao mencionado juiz.
Porlaria. leudo o cidado Joo Valentim Villela
dcixado4eaceitar olugar de primeiro amanuense
da thesouraria da fazenda provincial para que fra
nomeado por porlaria de 25 do Cadente moz, o pre-
sidenta da provincia conformando-so com a inl'or-
maco do inspector da mestna thesouraria, dalada
a 28 do mez citado, ordena que se expeca titulo
daquelle emprego a Francisco Antonio Cavalcauli
Cousseiro. E por que este eslava designado para se-
gundo amanuense ema supracitada portara, nomeia
para substilui-lo neste lugar a Antonio Cardoso de
Queirs Fonseca Jnior, rosolvendo que Francisco
Antonio da Silva Cavaleante passe para o de porlei-
roquo coubera ao mencionado Queirs. .Commu-
nicoii-se ao inspeelor da ihesouria iiu fazenda pro-
vincial.
Dila. Nomeando subdelegado da freguezia de
llamaraca a Francisco de Paula Cordoiro. Scienti-
lieou-so o cliefo de polica.
Dila. Ao commandante do vapor buapiaisu de-
terminando entregue a ordem do juiz municipal da
prlmeia vara o sentenciado Jos Prudencio Bilan-
court quo Irouce da provincia do Para. Fzeram-
se as parlicipacOes do eslylo.
ftepArt$ao da polica.
EXTBACTO DIARIO DOS DAS 29 E 30 DO CORRENTE.
Fram presos : ordem do subdelegado do Iteci-
fe, a parda Flonnda Mara da Conceico, por insul-
tos, eo pardo claro Jos Joaquim dos Sanios, por
sus'peilo- Pelas II horas da manlia do dia 29 fui es-
pancado no lugar dos Coelhos, freguezia da Boa-Vis-
ta, o cidadilo Antonio Jos dos l'razeres, sendo o
autor do espancamento, Virginio Antonio Pereira,
que evadindo-se logo deixou de sar preso pela auto-
ridadedo lugar.
O 1. Amanuonsc,
Aprigio Jos da Silva
PEHNAMBUC <>.
LISTA DOS CIDADAS CUALIFICADOS NA FRE-
GUEZIA. DE SAN-JOS.
Quinto quarleiro.
206 Francisco Martina de l.emos.
207 JoSo Francisco de Oliveira.
208 JoSo do Brilo Corris.
209 Joo de Allomno Cisneiro.
2J0 Jos Alves da Silva Kfctgo.
2ti Jos Ferreira.
212 Jos Rodrigues Pinheiro.
213 Jos Joaquim de Lima.
214 Manoel das Mercs.
215 Manoel Joo de Oliveira.
216 Manoel Rodrigues dos Rcis.
217 Manoel Ignacio da Costa Montciro.
218 Manoel Francisco Coelho.
219 Manoel do Livramento.
220 Rufino Jos Barbosa.
221 Silvestre Marlins do Jess.
DIAIIiir IIE PgNAIBBC.
BEOirE, 30 DE OUTUBRO DE 1848.
Extractos de diversos jornaes :'
Carlos Alberto acha-se ainda em Alexandria, c
oceupa-se com actividade em completar os meios de
defensa; dizein alguns jornaes que elle pretende
omprchender trabalhos de fortilicaces na planicie
de Marengo. '. ,
Fra dssolvida em Tunm a cmara dos ileptitauos,
o convocada outra que se deveria reunir no dia I, ,
de outubro. ....., ,
O circulo poltico daquclla cidade havia dirigido a
assembla nacional de Franca a seguinte re presen ta-
co pedindo a ntcrvcnco armada da repblica nos
negocios da Italia :
Ci Jados representantes do povo Trancez.O cir-
culo nacional de Tunm, interpreto fiel dos votos da
nacflo, invoca o apoio da Franca.
O chefe da casa de Saboia, leudo reconhecidoe
proclamado a soberana do povo, poz em harmona
os principios do sen govemo com os da repblica
franceza. Elle declarou-se o campeo da naciona-
lidade italiana, elle lem adquerido ttulos a estima
de todos os povo livres, e so ha mostrado digno de
ser o primeiro magistrado de urna naijo regene-
rada.
Mas as rodas gaslas do sou governo anda nao
liavam sido reformadas, quando ello vio-so obriga-
doaemprehender urna lula desigual contra o impo-
radorda Austria. Prodigios do valor conduzirain o
seu exercito victorioso al as margens do Adige A
nossa pequea esquiara loi bastante para neutrali-
sar as forcas martimas daquelle imperio e garantir a
liberdade de Veneza. Un successo completo tena
coroado esta empreza generosa e atrevida, se no
fra a traieo do Bourbon que reina em aples, a
fraqueza dos outros principes da Italia, e os terro-
res e as faltas dos nossos homens do estado.
Desde os primeiros revezes quo soffremos, nos-
sas vistas so voltaram para a Franga. lia entre todos
os povos livres urna solidariedade que de balde pro-
curam dissiinular. A Italia, mosmo antes de sua
emancipaefio, era a alliada natural da Franca. Car-
los Magno linha estabelecido entro eslas duas nacOes
o lago fatal da feudalidade; Napoleo as reuni de
Exped- O povo francez depois de haver revendicado os
seus direitos, he agora chamado a soccorrer os seus
irmos da Italia, e a destruir a obra iniqua dos ly-
rannos da Europa, os quaos por urna ttorrivel blas-
phemia deram o nome de santa-allianca a sua con-
juracSo infame. He islo o que nos esperamos de
vossa lealdade, de vossa generosidado e da perspi-
cacia que distingue os povos os mais civilisados, o
que os faz conhecerein seus verdadeiros interessos.
No vos liis, cidadbs, nesta velha cortezans,
a diplomacia, que lem servido mui bem, tanto no
absolutismo, como a aristocracia. Seus miseraveis
artlicios so indignos de um povo livre.
Foi a diplomacia que produzio a paz de Cheras-
co, o tratado do Campo Formio o os de 1814 o 1815.
Foi a iiilervcnc.0 armada que salvou a (recia e a
Blgica. Porvenlura a Frailea republicana ser me-
nos generosa para com a Italia do que o foi a Krantja
dos Bouibons para com povos que no tinham iguaes
lilulos sua sympatliia ?
Nos no einbraremos aq_ui as promessas solom-
nes de vosso governo provisorio, as quaes fram
aceitas com reconhecimento pelo nosso parlamento.
Nos nos absterjamos mesmo de toda a exigencia para
comvosco. so por una triste combinsQo a nossa re-
presentaQo nacional no tivesse sido addiada em o
tempoem que era mais que muito necessaria que
ella se podesse explicar livremenle; taiiibcrn.se
homens que perlcncem minora da naco nlo se
livessem momentneamente apoderado do poder.
Antes de se separarem, nossos deputados, por
um voto unnime proclamaran! um principio que
servir logo de fundamento ao dircilo publico da Eu-
ropa, islo be quo as relaccs inlernacionaes devetn
existir entre os povos e no entro os gabinetes, lie
em virlude desle principio, Francezes, que nos
podimos a vossa leal e franca intervencio em o nomo
do povo piemontez, cujos interpretes sinceros hojo
somos. .
Salvando a Italia superior que se tem constitui-
do em urna s.naco por meodo suffragio universal,
v* fares respeitar o principio da saberania do povo,
vos destruiris o edificio carcomido da santa-allian-
ca, vos daris um golpe mortal em vossos implaca-
veis inimigos, e adquerireis para a Franca allados
deis e devotados.
O governo austraco, aperlado pelo embaixador
francez, aceitara afinal a mediaeo da Franca; en-
tretanto airmava-se que era sua ntenc3o convocar
urna assembla constitunte do reino lombardo-re-
neziano. As eleices deveriam ser dirigidas pelas
delegages Cconcelhos departamentaesj, e o governo
est decidido a absler-scde toda a influencia. Esta
assembla dever constituir a provincia, composta
do todos os eslados lombardos e venezianos com
plena soberana em tudoa,uaiilo respeila ao rgi-
men interno. A divida do imperiosor dividida por
urna s vez de aecrdo com a assembla,e a Italia su-
perior no ser ligada Austria senSo por um lago
poltico.
O estado de Muo be dcploravel, os Croatas com-
mellcm livremonte mil depredarles. Do palacio da
princeza Belgojoso carregaram armas antigs deum
grande valor, e do palacio do marquez Pascalli ale
chegaram a enriar todas as.tapessarias de seda para
fazercm coleles.
Em Parma o Placencia alTixou-se urna proclamacflo
datada do Wessotropp (Saxonia) na qual o duque de
Parma, Carlos de Bourbon revondicava seus direi-
tos sobre suas antigs possesses, mas o povo arran-
cou-a, c rasgou-a.
Parece, vo comecar as hostilidades ontre aples
e a Sicilia. Alguns navios j parliram para Reggio,
onde devem esperar por outros em maior numero,
urna vez operada a jungao os napolitanos desembar-
cante em um dos pontos mais favoraveis da costa
da Sicilia. Avalia-se em 30,000 o numero dos solda-
dos que compOe esla expedieo.
Os sicilianos preparam urna resistencia desespe-
rada. .,
Roma ficra tranquilla, as cmaras haviam sido
addiadas para o mez de novembro.
Na Hungra continuava a guerra civil.
Em Frankfort a assembla linha regeitado o ar-
mesticio concluido entre a Prussiaea Dinamarca, o
om virlude disto dora o ministerio a sua dimissSo, e
outro fra nomeado pelo regente do imperio.
Em Constantinopla tivera lugar no dia 16 do agos-
to um horroroso incendio, calcula-se em mil mi-
Ihes do piaslras a perda que occasionra.
A Grecia ficra em paz, porm dos dous lados da
fronlera observain-ao com iiiquictago os turcos e
os gregos.
As noticias da America septentrional que passamos
a exlractar, nos as colhemos do Weekly Herald de
New-York, o qual ltimamente recebemos, oalcan-
caa 2 dosetemb'o.
O estado da Uno americana ja nao he ISolison-
geiro como dantes ; disturbios de um carcter serio
bao arrebenlado om Pitlsburgo, em Philadelphia, e
outras multas parles do paiz.
O jornal a que nos referimos Ismenta este espirito
do desordem que vai prevlecendo por entre o povo,
e amcaca converter a sociedade, tal qual presente-
mente est constituida, em um syslema de barba-
rismo, no qual o poder Iriumphar do dever, e o
fraco morrer s nios do Torio.
Toda esta desordem ello a allrbue aos apostlos
do furierismo, s doulrinas socialistas e communis-
las que osles no se caneo de propagar pelo povo.
Em New-York leve lugar um dos mais afflictivos
desastres para a uumanidade.
LADO


A ridatle de Albania, capital daquelle estado acha-
ae em grande parle desolada.
Cm incendio horroroso se manifestou all em das
do imv ile agosto, o reduzio a cinzaa quinze, ou
vinte das inais populosas ras ; quasi todo o quar-
ii'iriio commerciante licou destruido. Muitos barcos
i-iraiii incendiados, incluindo algn' de vapor. O
fogo lavrnu por mais de meia milli, entretanto nflo
durou mais que cinco lloros.'
Quandoa conflsgragflo estava em seu auge, quan-
do mais da mclade da cidade estava ameagada, e
Iliando ja nenhum poder humano poda salva-la, in-
terveio a nio benigna da Providencia O vento inu-
loii de repente do su I para o noroeste, e esta mudan-
ca trouxo comsigo urna abundante o continuada
chuva I!!
Vio se conhecia anda o numero das victimas ;
mas o daino causado hea prximamente avallado em
mais de quinze milhOes do francos.
O Mxico Meara tranquillo, o general Herrera seu
presidente se ia tornando dedia em da mais popu-
lar, esperava-se que remediara os males da patria;
e dizia-se que nunca houvera no Mxico um governo
mais vigoroso que o seu.
Paredes achava-se oculto na capital. Ramn Giu-
zasola, um de seus principaes olliciacs Cora (cito
prisioneiro, julgado e executado.
O congresso emprega todos os meios ao seu alcan-
ce para animar o commercio. Elle concede a todos
os eslrangeiros sein dislnccSo osdreitos e privile-
gios de cwladfos moxicanos, urna vez que declaretn
que estilo determinados a permanecer no paiz.
As tropas do governo tem conseguido mu tas van-
tagens sobra os indios, osquues depois da perda das
pravas do Vulladolid e Bacalar, que os Mexicanos tor-
narain a tomar, v3o em retirada para as montanlias,
o esporava-se que um tratado du paz concluido en-
tre suas diversas tribus o a repblica, solvera em
breve todas as dilliculdades.
COMfEHC.O.
ALFANDEGA.
HENDIMIENTO DO OA 30........... 3:399,991
acarrcyam Aoje, 31 deoutubro.
Barca /.lia mercaduras,
llriguo Aurora farnha.
Hiato Gil-btat dem.
CONSULADO GERAL.
KENDIMENTO DO DA 30.
Coral .
Diversas
provincias
.ri08,548
8,795
517,343
CONSULADO PROVINCIAL.
REMHMENTO DO DA 30.........* 920,905
Movimcnto do Porto
Navio entrado no dio 30.
Baha ; 7dias, brigue nglez Eurydice, do 210 tone-
ladas, rapitSo Archibald Brown, equipagom 13,
cm lastro; a James Crabtree & Companhia.
KDITWUS.
----------------------------------------- -------------------------w------------------------------%
lhas ratinas, caminhe ao aperleicoamentoi que de"
ve enejar em Portugal:
Noticia dos novos inventos e ultimasJJiescober-
tas em todas as arles : ~
Eis-ahi, no mais rpido resumo o principal ob-
jecto deque tem de oceupar-se o Jornal do Com-
mercio.
Para amensar, o Jornal do Commercio publicar
em lodos os seus nmeros um artigo original sobre
os diversos ramos de lilteratura nacional e estran-
geira.
O Jornal do Commercio nflo tratar nunca ossump-
tos polticos.
Para maior utilidade dos Srs. assignanles, o Jor-
nal do Commercio publicar todas as pecas olliciaes ;
por extenso as que respeitarem ao commercio,
agricultura o industria eem resumo todas as
dentis. Com o mesmo fim se publicaran as noti-
cias naconaes eslrangeiras de maior curiosidade;
e particularmente as que dsserem respeilo aos ob-
jectos exclusivo deste jornal.
Logo que as circumstancias o permittam, a publi-
cago deste jornal ser 3 vezes por semana.
O prego da assignalura] ser por trimestro 2/
rs. e por semestre 3.200 rs. mandados do Brasil.
Assigna-se na livraria da praga da Independencia,
ns. C e 8.
i
M
U Miguel de Castro Mascarenhas e Gregorio L):
j de Castro Mascarenhas participam que se re- !
rrl tiram para a Bahia, visto j lerom conoluido J*V
fjjj o curso acadmico; ahi offerecem aos seus ini
JJ' amigos, dos quaes iiHo pdem-sc despedir fS|
TL pela pressa da viagem, os seus limitados, llj
ij1 prestmos Outro sm, declaram ao publico JU,
Ijj que nHo devom pessoa alguma. J"1|
PUBLICACAO' AGRCOLA.
Manual pratico do fabricante do assucar, por
Agostinho Sommier. Ksta obra ensina praticamente
o modo de fabricar o assucar demonstrando os in-
convenientes da antiga prutica os meios de as re-
mover e finalmente tudo quonto so precisa para ti-
rar maior e melhor resultado desua factura o est
escripia entuma lingoagein que qunlquer pessoa
percebe ; podendo-se mesmo dizer que os Srs. de
engenhos com ella s errarflo se quzercm : vnde-
se por 2,000 rs.
ra ns. 6 e 8.
na praga da Independencia livra-
. rr. .**--^iv- :-TjCT^.^-twJ
Avisos martimos.
--Para o Para com escala pelo Maranho o bem
conhecido veleiro brigue-cscuna Laura : para car-
ga o passageiros, trata-se com os consignatarios,
Novaes & Companhia, na ra do Trapiche, n. 34,
ou com o eapiUo, ni praga.
O patacho portuguez Liberdade sali para Lis-
boa o da 4 denovembroimpreterivelmenlo : para
o resto da carga ou passageiros, trata-so com o
capitlo do mesmo patacho, ou com Francisco Se-
veranno Rabello& I'i I lio.
Para o Rio-do-Janeiro sabe, com a maior brevi-
dadd possivel, o brigue nacional Sociedade, do pri-
meira marcha : quem no mesma quizer carregar, ou
ir de passagcnt, para o que tem bons commodos ,
dirija-sea JosMarcellino da Rosa, na ra da Ca-
deia do Recite loja de ferragens da esquina, junto
ao arco da Conceigflo, ou a Novaes& Companhia, na
ra do Trapiche, n. 34.
Para o Ro-de-Janeiro sabe, cooi toda brevida-
do, o brigue brasileiro Conceico : quem nelle qui-
zer carregar ou embarcar escravos a frele, dirja-
se aocapiUlo Fructuozo Jos Pcrcra Dutra ou a
Maunel Alves Guerra Jnior.
Kst a carga para o Para com escala pelo o Ma-
ranhflo a escuna Uaria-Firmina que pretende sa-
bir cm poucos das; anda recebe alguma carga,
almda quo tem engajada : trata-se com Jos Anto-
nio Basto, na ra da Cadeia do Recito.
Leifa.
CURSO jurdico.
Para rcgulori Jado dos exames preparatorios fago
saber aquemeonvier que estes ficam distribuidos
pelos das da semana do modo seguintcs:
Segundo-feira, das 9 s II e meia geograpliia, das
II e meia s 2 horas latiin
Terca-feira, das9 s 11 o meia rbetorica das 11
emeia s 2 latim.
Quarla-fira,das9s1l e meia gcographia das
11 e meia s 2 horas franecz.
Scxta-feira, das 9 s II e meia nglez das 11
meia s 2 horas francez.
Salibado, das 9 s 11 e meia geometra das 11
meia s 2 horas philosophia.
ti. B. -- O dia impedido por ser feriado passar
ser como a quinta-reir. Outro sim os despachos aos
rcqucrimenlos de exames preparatorios s serflo da-
dos nesta secictaiia, e os requermentos depois de
despachados, licaram na mesma, onde se far urna
lista dos que teem de ser examinados
Secretaria jurdica de Olinda, 27 de outubro d
1818.
O padre Miguel do Sacramento Mpes Gama ,
Director.
Ilenry Gibson far leilfo por intervengflo do
corretorOliveira, de grande sortimento de fazendas
inglczas as mais proprias do mercado: sexla-feira,
3 de noveinbro, s 10 horas da mantilla no seu ar-
mazem da ra da Cadeia do Recife.
Avisos diversos.
Publcacao LiIterara.
JORNAL DO COMMERCIO,
industria, agricultura, ar-
tes C leltras.
Com este titulo vai appareccr brevemento urna
folln peridica em Lisboa.
A publicagflo desta folha ter lugar duas vezes por
semana: todas as segundas equinta-feiras, ou no
ficado/
As transaeges commerciarsdas Europa Os ob-
jectos mais piocurados nos dilTerentes mercados
<>s cambios, e as suas variagea e as causas que as
occasionarem Quans os productos eslrangeiros
preferido no paiz e quaes os productos nncionaes
preferidos nos pazes eslrangeiros ; c os seus precos,
ea melhor maneira do fazer a su exportarle:
Noticias das nossas colonias ; c'onsideraces sobro
o seu meliiorantenlo commercial; objectos da me-
trpoli1, nidias mais dcsejados,e quaes silo mais com-
merciaves :
Industria agrcola c fabril : em qual mais interes-
as Portugal ?.E em qual nteressam mais as nos-
sas poAsL'SsOcs ultramarinas '.'
Lavoura : noticia e informagflo dos processos mais
modernos adoptados nos pazes eslrangeirus ? o
esclarecmenlos, eludo quo possa concorrer para
nonlavoura, aflastando-se gradualmente das ,o-
Ns Miembros da familia do tinado marquez do Re-
cite cheios de vivo reconhecimento offerceemos nos-
sa eterna estima a lodos acuelles, que no dia 27do
corrente foram greja de Nossa Senhora do Para-
so derramar lagrimas de amizade sobre os restos do
nosso saudoso pai. Igualmente nos dirigimos quol-
les quo por impossibilidade toruaram bem scnsvel
sua ausencia ; e mil desculpas pedimos aos amigos
quo por involuntaria omissflo n!to fram rogados a
augmentar com sua presenga a solemnidadodo acto.
D'enlrc as pessoas de venlndciro inleresse e aini*
zadoquenesse dia Be patontearam sobresahio, por
scmduvida, a necrologa do nosso finado pai.
Quizeramos ler cxpresses que bem pinlassem o
que sentimos ao ler o inleresse, dr e amizade, que
com tanta sinceridad esse nosso modesto amigo pa-
tenleava pelo vasto caminho que percorria sua flori-
da c hbil prnna : nflo nos coube, porm, igual
prida pelos sinceros sentinieiitos de gratidilo e ami-
zade que protestamos aquello quo tanto honrou as
cinzas do nosso finado pai, j como cidadflo dedica-
do a sua patria, j como modelo dos pas de familia,
ja como lypo de amizade, o finalmente como fiel
cumpridor dos preceitos religiosos.
Oxala un dia possamos ter a felicdado de sermos
oecupndos por aquello que acaba de tomar um lugar
mui distiucto em nossos coragiies.
Itoga-se autoridade competente se digne de
lancar suas vislas para um presepio, ou qur que
sej, que ha na ra do Nogucira, casa ti. 33, e em que
se faz tal baruilio das to horas da iioileein diaute,
qufrimpossivel he aos moradores daquelles arredo-
res conciliarcm osoinuoat madrugada, quando
termina o tal batuque.
f.'m dos incommodadot
O thesoureiro da irmandadede N. S. do Tcrgo
faz scienle a todas as autoridades polciacs e pessoas
do povo, quo liontem, pela urna hora da tarde, na
occasio da fesla da mesma Senhora, furtaram da
sacrista um (uiibulo de piala. Roga-se a quem do
tal furto suber, ou quo o possa descobrir, denun-
ciar so mesmo thesoureiro, alim de, pelos meios l-
gaos, o haver, nlo s por ser um escndalo, como
porque faz grande falta a irmnndado quo be sum-
mamenle pobre.
OSr. C. F. V. sirva-se al o dia tres de novom-
bro, ornis tardar, virsatislazer a conla quedevea
casa iloManoe) Joaquim Goncalves e Silva, e no caso
contirio se publicar seu nome por extenso, ja nos
jornacs desta provincia, o j nos da sua :
uio se emenda a resuello de mais alguem.
Precisa-se de urna ama para casa-: na prac,a da
Independencia, loja n. 3.
oflercc.e-so para caixeiro de loja do fazendas,
um moco Brasileiro de idade de 14 annos, fillio do
Rio-Crande-do-Norte, sabe bem escrever, e garnte-
se as suas boas qualidades: quem o pretenderan-
nuncie ou drija-se a ra do Cabug, n. 1 D, loja de
miuilezas
lio jo, :)l de outubro, (Inda a audiencia do Sr.
lir.jui/ da primeira vara do cvel, e na sala das au-
diencias, se ha de rromatar urna escrava avallada
por 300,000 rs. penhorada no camino Antonio Ma-
noel de Moraesda Mesqula-I'iiiienlil, or execuclo
do allimenlos de sua mulher I). Anna Francisca dos
Res Miranda, lio a ultima praca.
-- Procisa-se de dous contos de ris a premio, dan-
do-se de hypotheca um predio, sendo em urna das
principaes ras: quem quizer fazer osle negocio
anuncie.
Fugio, sabbado, as 10 horas da note, do sitio
do Sr. Gabriel Antonio, no Cordeiro, um cavallo rus-
so, capado, levou um selim inglez e unta manta de
panno azul, foi visto na mesma noite na Malta-da-
Torro: quem o levar ao dito slo, ou no Recife, ra
do Vigario, n. 23, quesera bem recompensada.
Prccisa-se fallar ao Sr. Julio Cozar de tal, a ne-
gocio que Ihe diz respeito : no patn do Parazo ,
n. 14.
Manocl Antera de Souza Res dexou de vonder
ago'ardente no seu estabelecimento da ra da Gua,
n. 57.
Aluga-seacasa da ra daTrempe, n. 13, repa-
rada ede novo pintada, porcommodo preco : a tra-
tar na ra largado Rozara, n. 14, primoiro andar.
Precisa-se alugar um preto : na Praia-do-Caldei-
rciro, n. 2.
-- O Snr. da restilacSo de ago' ardente da ra da
l'raia, n. 17, queira declarar so os seu annuncios pu-
blicados no Diario do 26 e 30 do corrento, se pdem
de alguma maneira cntonder com o bacharel forma-
do Jos da Costa Machado e em lal caso, qual o ne-
gocio de inleresse que com o mesmo tem.
O Sr. Domingos Alfonso de Mello Albuquerque
queira annunciar sua morada para se tratar negocio
que Ihe diz respeito.
Um rapaz brasileiro se offerece para caixeiro de
qualquer estabelecimento subjeitando-se a dar al-
gum lempo do graca : quem pretender annuncie.
lioje, 31 do corrente, perantn Sr. doutor juiz
da primeira vara, na sala das audiencias, depois
desta se hSo de arrematar 111 toneladas de earvflo
de pedra de vapor : he a ullima praca, quom preten-
der comprela.
Oflerece-seum rapaz brazleiro de 16 annos,
de muito boa conducta para o quo d fiador pa-
ra caixeiro de qualquer estabelecimento, menos os
do venda e padaria o qual he muito activo e dili-
gente: quem do seu prestimo se quizer utilisar,-]
dirija se ra larga do Rozario, n. 39.
Quem annunciou querer comprar um cavallo
para senhora bom passeiro e manso, dirija-se ra
da Cadeia do Recife, n. 21.
lloje, 31 do corrente, depois da audiencia do
lllm. Sr. doutor juiz do civel da primeira vara, se
ultimar a arrematacSo por ser a ultima praca, de
urna morada de casa terrea na ra da S.-Cruz, n.
44 na Boa-Vista por execucSo de Jos Moreira Lo-
pes i Companhia contra os herdeiros do fallecido
Jos Mauricio de Oliveira Maciel.
Furtaram, da algibeira do abaixo assignado,
na occasio da festa de N. S. do Terco, urna enrteira
do marroquim rouxo nflo contundo mais quo di-
vorsos assentos, feitospelo abaixo assignado: por
isso roga-se a quom dila carteira fr offorecida ou
mesmo a pessoa que a tirou ea quizer restituir le.-
ve-a ao Recife ra do Vicario, n. 16, quo ser gra-
tificado. Jo$i Novilla.
Precisa-se alugar urna escrava quo seja muito
boa cozinheira esa iba compraros respectivos ar-
ranjos dando-se por isso dez mil rs. mensaes alm
do veslir o mais trato : na ra da Floronlina, casa da
esquina quo fica confronte ao oilflo do quarlel de
cavallana, so dir quem precisa.
Aluga-se a casa do dous an lares o sotflo do Aler-
ro-da-Boa-Vista, n. 48: a tratar no mesmo Aterro,
n. 33, primoiro andar.
OCRITODAPATRIA N. 12
est venda na praca da Independencia, n. 12; na
ra Nova n. 47 ; na travessa do Rozario, loja de en-
cadcnikcflo.
Quem annunjiou querer alugar, au arreudar
um sitio perlo da praca ou nos seus arrabaldes ,
quercndoumnolugarda Tacaruna o bem couho-
cido sitio do Salgadinho ptla grando casa e exten-
sflo de terreno dirija-se ao Aterro-da-Boa-Vista ,
n. 47, segundo andar. Ad verte-so quo para ir pura o
dito sitio se pode fazer por Ierra o por mar visto
ler porlo do embarquo e desembarque.
Aluga-so urna parda para o servico de casa de
pouca familia ,ou para vender miudezas ou tomar
conta do qualquer negocio : na ra do Sebo n. 7.
Precisa-se do urna prctu para lodu o servico :
no Alcrro-da-Boa-Vista, n. 1, primeiro andar.
Na casa de modas franeczasdo Aterro-da-Roj-
Vista ,n. 1, precisa-se de um pequeo brasileiro, de
14 a 15 anuos.
Miguel Anjo do Reg Barros faz sciento ao res-
peitavel que d'ora em diante se assignara por Miguel
Anjo Poncode Len'.
Precisa-se de urna ama de leite : no Aterro-da-
Boa-Vista n. 26, primeiro andar.
-- Lino Reginaldo Alvim leudo exercido por al-
gunsannosa profissflo deadvogado na provincia da
Babia, e desejando continuar a exerco-la nesta pro-
vincia cncarrega-se de qualquer causa justa civel
ou criminal, e o far gratuitamente uos reos pobres.
Quem o quizor procurar dirija-se ra da Camboa-
do-Carmo, sobrado de dous andares, n. 19, que
fallar a qualquer hora do dia.
~ O Sr. padre (alisto Correia da Nobrega mora-
dor cm serra redonda, queira mandar pagara quan-
tia de 222,230 rs. que dove desde 1842 a 1844; bem
como os Sis. Mauoel Cavalcante Vieira morador
outr'orana Parabiba, 53,520 rs., de 1842 ; -Pedro
liarbo/a de Souza CavaliMiite morador cm Ubaca,
11,600 rs. do 1842 ; Manuel Joaquim de Mello 8,000
rs. de 1842; Antonio Machado Bitancourt, 8,000
rs., do 1843 ; padre Candido Jos Coelho, vigario
isso mes- Ue Cstremoz 62,000 rs., de 1842; Mauoel Theodo-
liodi: Almeida Albuquerque, morador na Parabiba,
13,000 rs., de 1842; Jos Pinheiro Salgado de Arill
jo morador no engenho Ubaca ,94,400 rs. i
1843 ; Filippe Diniz Cavalrante, morador em Tim
no, 9,000rs. ,de1843; BentoMsrtinsGoncalves
boa 21,500 rs do 1846 ; Antonio de Med
Lis- ,
fiiros-Y
desagradavel, porm olhem para os*n
i, e vejam se um artista he capitalista para esu
desembolso de tantas quantias que montam
- ir continuando j quoj.'
8,000 rs., de 1845 ; Joaquim Theodoro Al^es a "J
rs de1849;Joflo do Allemflo da Cmara Ssnei
19,000rs., de 1843; Francisco Soares da Silv *
morador no Cali, 12,000 rs., de 1842; Augusto Ca"'
los de Lemos Pacheco 46,340 rs. | de t843 j
Thomaz da Silva, 92,920 rs., de 1843; Manoe jn
quim Antones!, morador na Varzca 6,900 r a
1843; Joaquim Eusebio, 7,600 rs., de 1841 :
Nova.n. 18, loja de alfa ia te. rUa
O abaixo assignado, j cansado com os seus remii
sos dovedores, por causa delles, acha-se umnnn"
co atrazado para com seuscredores heobriga0
laiiQ.nr mflo deste meio nio s para estes como n "
ra outros que d'ora em diante serflo lembrados n
ra quevenham ou mandem saldar suas contas n
abaixo assignado est cerlo que esse meio p.
mUitOS hO ''.'Cfi t,ri do un nnram Alh.m
nos,
no dse i!
contos de ris pelo que
si ni o quererem.
M. A. Caj.
AVISOAOSSRS.DE ENGENHO, BOTICARIOS p
REFINADORES.
Agostinho Sommier & Companhia eslabelecerm
um deposito de earvflo animal, em p e em gro de
primeira qualidade na ra da Concordia, n. 8 anu-
de vendem pelo preco de 1,500 rs. a arroba. '
No dia sabbado, 21 do corrente, fo entresua
em um sobrado na ra da Florentina um barril com
vinho por engao : a pessoa a quem pertencer n(
dirigr-se a venda do Sr. Nicolao, esquina do becen
que segu para o theatro novo, que, dando os sie
naos, o recebor.
Declara-se ao Sr. Antonio Jos Rabello Guima
rfles quanto a seu annuncio feito a todos os irruios
da irmandade de N. S. do Terco, publicado por esta
Diario n. 238, de ter deixado de pertencer a da ir
mandade que a sua retirada nada prejudica a dita
irmandade e menos a seus dignos irmfloj, porgue i
sua entrada do irmflo cm nada nfluio na mesma ir-
mandade porque dove estar lembrado o Sr. Gnimi
rflcs.que.quando Smc. chegoua Pernambuco na lidade de rcmendflo de livros j achou a irman-
dade de N. S. do Terco ; deve, pois, ufanar-se a ir-
mandade de N. S. do Terco pela retirada do Sr. Gui-
maraes e de outros que taes, que por seus fados
toi nam-se dignos do desprezo e animadversflo de to-
da a gente sensata tanto deste como de outro lie-
mispherio. Um irmdo que ietabe pretar.
Agencia de passaportes.
Tiram-se, effectivamonte, passaportes para dentro
c fra do imperio como tambem para escravos, por
preco com modo: na ra das Trincheras, sobra-
do n. 16.
D-se pSo do vendagem dando-se bom inle-
resse aos vendedores : na ra larga do Rozario,
padaria n. 48.
No pateo da matriz de S.-Antonio, n. 4, segun-
do andar,tiram-so passaportes para dentro o fra do
imperio, despacham-se escravos e correm-se folhas,
tudo com a maior brevidade possivel, e por dimi-
nuto preco.
-- Na padaria da ra da Guia, no Recife llavera
todos os dias a venda o novo pilo de Provenga fa-
bricado poroulio modo que o actual e da melhor
fariqha que ha no mercado : por este motivo nflo'se
pode fazer senflo a 40, 80 e 160 rs.
-- Na ra Direita, padaria n 26, da-se pflo de ven-
dagem a pretas, sb responsabilidade de seus se-
nil o res.
Aluga-se o bem conhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Mara de Seixas, s proprio para
algum negociante estrangeiro, ou outra pessoa que
tenha tralamcnto : na ra do Amorlm, n. 15.
O Sr. Jos Noberlo Casado Lima quoira declarar
a sua morada.
Furtaram d um cabriol, adianto do sitio do
Sr. Luiz Gomes Perreira, um cavallo alazflo barri-
gudo com arreios, por se terem quebrado os tirantes
do carro, e omquanto se foi a cocheira concertaros
meamos, deu lugar a furtarem dito cavallo : pedo-
sea qualquer pessoa que o achar ou der noticia do
mesmo, procuro a cocheira do Sr. Frederico Uasem,
quo ser recompensada.
Alugani-se doua sitios com muilo boas acommoda-
oei um na caiupinha da Casa-Forte e outro na ra
da dita povosfo com cocheiraa e cavallaricea ; assiin
como variaa casas, de pregos coinmodoa para se pal-
sar a feala : a tratar na ra do Ainorim, n. 15. /-
, -- Aluga-se o segundo andar da casa da ra di
Senzalla-Nova, n. 42 : a tratar no armazem da m-
ma casa;
Mil da tira.
Aofllcina de encadernaeflo que o P. F. C. do Le-
mos e Silva dirige acha-se em a ra estreila do Ro-
zario, o. 8, prvida de todo o uecossario para o bom
desempeuho de qualquer obra de cncsdernacSo,
por mais rica que seja ; assiin como leui e tambeo
aprompta qualquer emblema apropriado as niesmas
obras, e promette pioinplidilo por ter algun-as
pessoas Irabalhaudo: bem como pode com facilida-
de aparar urna grande poreflo de resmas de pPet
diariamente : tudo a uin prego moderado.
DE SOL&
5|C! APEOS
Rita ilo Passeio, n. 5
O fabricanlo dcslo eslabelecimento adverte ao res-
pelavel publico desla cidade que elle possue pre-
sentemente um-rico soitiinento do chapeos de sol,
assiin como chapeos do sol de seda furla-cres, ||0j
mais ricos que teem apparecido nesto mercado, o de
cores couliecidas ; ditos para senboras de bom tont,
adamascados, luvrados, co'ii suas compelontes fr"1'
jas do retroz, tudo quo tem do mais moderno o d"
melhor gosto; um completo sortimcnlo de chapeos
de sol do panninho de todas as cores e de todos os
tamanhos, para horens, senboras o meninos : ba
tambem igual sortimento do f.nl-ndas para cobrirar-
magOes, tanto de sedas de cores, como de panninhos
trangadoso lisos imituiido seda. Adverte-se quo os
freguozes serflo servidos com brevidade, e so acha-
nto salisfei los da boa qualidado, do bom gosto edo
bom prego.
"Oscredorea de Cotilo Vianna & Filho teem -
torlsado a Geo : Kenworthy& G., credores tambero
dos mesmos para venderem a casa de sobrado df
dous andares ti. 33 na ra do Amorim baiiro do
Recife, o a metade-do sobrado da ra da Cadeia n,
27 que Ihes fram adjudicadas por scnlenca para
seu pagamento: quem quizer comprar um e outro
prodio entenda-se com os cima mencionados, quB
esiflo autorisados para ossa yenda.
MUTIL
t_:,*= .. ...
wi

m


________________________* .._! 3
Dentista.
n-
brochura
51. S. Mawson, cirurgiio dentista,
igtn a !">ra de pa' les eerngeral ao respeiiavel publico,
ouc tci mudado sua.residencia para n
ra Nova, n. ai, primciro andar. Espe-
ra que todas as pessas que precisaren)
Je seu prestimo, bem reconhecdo n'esta
ciJade por muitos annos, continuem com
a sua proteecSo ; esmerando-se elle no
desempenlio da sua arte, e remuneran-
do-as cotn a sua promptidao e commodi-
dade nos precos.
Fugio, no da 28 de outubro correte, urna es-
crva criola do nomo Germana, com os signaes se-
cundes : estatura regular, secca do corpo, testa
grande esalnda para Tora, nariz pequeo e afilado,
ollios pequeos, cdr fula, com urna costura pegada
ao cabello na fenlo da testa, e uns cabellos brahcos
na mesma costura, levou toda a roupa, panno da
Costa azul cercado de mtame branco, com franja
as duascabeceiras, e j foi vista no Pombal, pois
esta escrava foi do Sr. Francisco Joaquim, escriVfo
dos orphlos, morador no dito lugar : quem a pegar
jove-a a ra do Crespo, luja de miudezas, n. 11, que
ser recompensado.
Aluga-se a casa de tres andares, sita
ni ra d-> Vigario n. 5, propria para qual-
quer estrangeiro, ou mesmo para familia,
em andares apartados: a tratar na mesma
rita, n. 7/
Os Srs. assignantes da Lizia po-
tica queiram mandar receber os ns. 1 a 5
do terceiro volme na ruada Cadeia do
Jlccife, loja de iloo da Cunba Vlaga-
Ihaes.
Na mesma loja vendem-se as poesas de JoSo de
fcomos Seixas Castello-Branco, por 1,500 rs.; o Amor
c melancola por Castilho, ornado com tres riqu-
simas estampas lythographadas, por 3,000 rs. os
quadros histricos de Portugal, por Castilho
quissimas eslampas lylographads, em
por 6,000 rs.
Quem annunciou querer comprar um methodo
usado para flauta: dirija-seao Recifo, noForle-do-
Maltos, ruadoAmorim, n. 36.
Urna pessa com pralica d escripia
commercial, e bonita leltra, prop5e-se a
escrever as horas vagas, nos domingos
e dias santos, comlimpcza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncte.
A pessoa a quem ha 3 para 4 annos se dosenca-
minhou um relogio, na pccasiilo de o mandar con-
certar o qnal he horisontal, e tem caixa de ouro ,
dirija-so a livraria da praca da Independencia, ns. 6
e 8, para dar os.signaes e podr-se informar se
he o que seannuncia.
Henrique Lourengo Alfonso retira-se para Por-
tugal.
Os Srs. que assignaram para o segundo volu-
me do direito civil luzitahs, por Pascoal Jos de Mel-
lo pdem mander receber sua assignatura na livra-
ria da praca da Independencia ns. 6 c 8.
-Oabaixo assignadocomprou e remellen para
a Snr.' I). Antonia Mara da Conceigilo, da cidade do
Natal, um bilhete n. 65 da ultima terca parle da de-
cima oitava lotera a favor das obras do Iheatro pu-
blico desta cidade.
Manat Fumino Ferreira.
Os credores de l.uiz Cardo/o Monte-Negro
queiram aprescular suas contas correntes legalisa-
das no prazo de oito dias da publicacflo deslo, na
ra da Cadcin do Itpcife, n. 20, primeiro andar,
para seren relacionadas no rateio quo se lem de
fazer no liquido dos gneros existentes na venda si-
ta na ruada Cruz os quacs se ncbam avaliados ju-
dicialmente ,1o vilo ser arrematados para rateio dos
inesmescredores, dosquaes s se altondcrilo aos
que (presentaren) aconta no prazo cima, lindo o
qual se fechar a retaeflo econciderada como nflo
ter mais credores ao rateio.. _
SOCIEDADE
Uarmonico-Theatral.
O primeiro secretario avisa aos Srs.
socios, que os Lideles para a recita do
dia 3t do correte distribuem-se nos
dias 29 e 3o, no sal5o do Iheatro, c as
propostas para convidados devm ser en-
tregues at o dia 3o.
Aluga-souma casa e sitio na roa Imperial non-
de foi a fabrica do rap vinagrinho, reedificada e
pintaila de novo, com commodos para duas famias,
com grandoseizalla pata prelos cocheira e estri-
bara para cinco cavados bous arvoredos differen-
tos plantajes e com um grande viveiro de peixe :
a tratar na ra estreita do llozario, armazem de
Irastes, n 31.
Precisa-se de un; mogo que saiba ler, para cai-
xciro ile um deposito de podara, o que lenha al-
g'ima pralica de paitara para ijudar ao servigo em
lgumashornsdaiioite,-o qual abone sua conducta :
na praca da S.-Cruz padaria de nina s porta al
o dia.31 do corren^e, para tratar ajuste.
Novo pao Provenga.
Manool Ignacio da Silva Teixeira com padaria na
praca da S.-Cruz tem a sa,tisfagno de fazer publico
que ha 15 dias fabrica o novo pao Provenga e que
esl inlciramente habilitado 110 seu modo de fabri-
co podendo asseverar que he o auditor pflo que oes-
la provincia se lem usado .No Ilio-dc-Janeiro o a-
Itia ha mu lo que gozara desta forma de po e al-
guina cousa 50 deve ao introductor, por oscilar n
cuiiosidado c cada um so esmerar em melhor o
"presentar, nilo roubando a primazia julgo t-lo
tpresenlado o melhor possivel: quem o tem usado
o dir. Todos os dias m 6 horas da mandila estar a
venda tanto ncsla padaria como no deposito da
mesma, na Iravessa da Mudrc-de-Deos, n. 13.
Precisa-se de urna pie la para lodo o servido : na
ra larga do Uozario, n. 48, .segundo andar.
vista
estao
Lotera do Iheatro publico.
Othesoureiro desta lotera tem marca-
do o dii ai de novembro prximo futuro
para q andamento das rodas, ejulga que
o niesmo andamento ser infallivel
da rapidez com qu os hilhetes' se
veodenilo nos lugares do coslume.
--Jos Joaquim Ribeiro, com venda na Casa-For-
te deixou de vender ago'ardonte de produccSo
brasilcim, desde o dia 24 de outubro do correte
anuo.
Angelo Custodio da Luz deixou de vender agoa-
ardente de prodcelo brasileira, desde o dia 24 de
outubro na sua sua venda na Casa- Forte.
Manoel Fernandos da Costa participa aoSr. col-
lector do imposto das agoas ardentes de prodcelo
brasileira, quo deixou de vender dilo espirito desde
o dia 20 do coi rento, na sua venda na ra da Cruz,
n. 39.
Vendem-se, na ra do Crespo, loja do portas,
n. 12, chapeos de castor pretos da muito boa qua-
lidade a 4,000 rs.
Vender um jumento bonito o novo: na rui
do Cabug, n 16.
Vendom-se 4 moloques de le 16 annos; um
lindo mulalinho de 13 annos; 4 uegnith-s de 12 a
18 annos; duas lindas escravas com habilidades;
urna ptima parda do 28 annos, que coso, engomla
bem .cozinha ptimamente ,e he de boa conducta,
o que se afianza ao comprador : na ra Direita, n. 3.
libra : na ra da
Compras.
Compram-se escravos que sejam ofllcias de ebr-
pina, de 18 a 25 nnos e de boas figuras ; pagam-se
bem sendo do bons costumes e peritos no seu ofi-
eio pois s.lo para urna encoinmenda. do. liio-de-Ja-
neiro : na ra do Amorim, n. 35, a faltar com J. J.
Tasso Jnior.
Compra-sc um escravo com oflicio de tanoeiro,
urna vez quo seja perito,no qual agradando nflo se du-
vda pagar bom : em casa de Amorim IrmSos, na
ra da Cadeia, n. 39.
Compra-so um cavallo manso, bom passoiroe
forlc o que sirva para urna senhora fazer urna via-
gomlonga : quem tiver anhuncie.
-- Compra-so o paga-se bom lila do frecha su-
mauma ou barriguda : na ra Nova, n. 28, loja de
selleiro quasi em frente da igroja de N. S. da Con-
coicilo dos militares.
Vendas.
Vende-se a verdadeira potassa da
llussia, desembarcada hontem, por pre-
co muito rasoavel, vista de sua milito
superiorqualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34.
Na ra das Cruzes, n. 41, vende-so cal de Lis-
boa, panno do lindo, marmelada em cantas de qua-
tra libras e nieia, muito nova e por prego commodo.
Vende-se efectivamente qualquer porgio de li-
jlos do alvenaria prossa, de bom barro e bom cozi-
dos, e da marca maior que ha e que muito augmen-
ta as obras; bolando-se em qualquer porto: para
ver c tratar na ra Direita casa. n. 70, do Sr. Jos
Joaquim de Abreu.
No Aterro-da-BoaVisla, de-
fronte da catanga,
litio chegados muito bons marroquins couros de
lustro e bezerros francezes : ludode superior quali-
dade e por preco commodo.
Vende-se urna colleccao de leis do Bra-
sil, desde 1808 at 1846, sendo at 1840
do Ouro-Preto, e de entao paraca da ty-
pographia nacional na livraria da esqui-
na do Collegio.
SAI.SA-PAllltll.llA DESANDS.
Este excellenle remedio cura todas as nfermi-
dados, as quaes silo originadas pela impureza do
sangue, ou do systema ; a saber :
Escrfulas, rheumatismo crupces cutneas,
brebuthas na cara, hcmorrhoides, doengas chroni-
cas, hrebulhas, burtoeijn, linda, inchagOes, dores
nosossos-ejunta6,ulgaras, doengas venoreas.cialica,
enfermidades que alacam pelo grande uso do mer-
curio, hidropisia exposlos a urna vida extrava-
gante Assim como chronicasdesordena da cons-
titiiigiTo serilo -curadas por esta tilo ulil e appro-
vada medicina.
Itio-de-Jaueiro, 14 de dezombro de l 17.
Sr. Frcderic H. Soulhuorth.
'feudo eU lido no Jornal do [Commcrcio e no Diario
do llio de Janeiro por diversas vezes annuncios da sal-
sa-parri|ha de A B e Sands, que se vendo na
ra do llozario, n. 79, por Fredenco H. Soolhwortli,
a este me dirig o llio comprei urna caixa com 12 vi-
dros do dilo extracto o(achando-mo com um gran-
de tumor no sovaco do braco direilo e parte do pei-
to, soffrendo immensas dores por lodo o corpo me
deliberei tomar o extracto da dita salsa; e te'ndo
tomado dous vidros c usando delle, logo ao segun-
do vidio conheci immensas melhores, e continuan-
do, quei perfeilamente bom; e leudo alguns
amigos meus fe i lo uso do dito extracto para rheu-
matismo, lem no uso delle por lim do terem tomado
8 a 10 vidros licajo bons. do que lem resultado man-
darcm-me de difTerenles parles encommendas da
dita salsa para fra dosla corto a diversosque teem
eifto uso dola o se tcom reslabelecido perfeilamente;
e mandando-me agradecer, assim considero ser um
acto do humanidade e obrigaedo ntinha fazer publi-
co 1:1o ellcaz e salutar remedio. Joaquim Ferreira
de Souza Flores.
Iteconheco verdadeiro o signal supra. llio, 15
de dezombro de 1847. -.Em testemunho de verda-
de Joaquim Jos de Catiro.
Vende-se nicamente em Pcruambuco na botica
de Viccnto Jos de Hrilo, na ra da Cadeia do He
cife
Vende-se una pretode 18 annos, proprio para
todo o servico : na ra do Vigario, n. 8.
Vende-so um mulatinhoacaboculado, do idade
de 12 a 14 anuos : na ra do Cabug, loja de miudo-
zas, n. 1 D..
Fazcnda para escravos.
Vonde-se, na ra da Cadeia do Itecife, loja de Jolo
da Cunha MagalhSes zuarle,. fazenda portugueza ,
milito propria pa ra roupa do escravos, por ser de cor
escura e nao desbotar em pegas a 240 rs. o co-
vado.
--Vende-se, ou troca-se por urna preta urna ca-
bra do 25 annos de bonita figura que engomma,
cozinlia cosco f ludu inaissuivic, do urna ca-
sa : na rui do Hospicio, u. 22.
CHA' HYSSON,
de ptima qualidade a 2/240 rs. a
Crut, no Recife armazem n. 13.
FARELO
a 3000 rs. a sacca
nosarmaiem na. 1 e3 do caes da Alfandega.e no de n.
35 da ra do Amorim, de J. J. Tasso Jnior,
1 4,000 rs. cada um.
Na loja n. 5 que faz esquina para a rua do Colle-
gio, de Guimariles & C, vendem-sa chapeos de sol de
de 4/000 rs cd um.
Vende-so um escravo caiador, e que entende
de plantagOes do sitio ; urna caixa de msica con-
lendo difTerenles pegas ; um rico aderego de ouro ,
com diamantes para senhora ; um relogio do ouro
e outro de prata ; um annel com diamenles ; urna
correle e escoleta de ouro; alguns garios de prata;
urna duziadocadeiras; um cannap; duas bancas
de oleo; urna carteira de amarello para cscnptorio;
urna cama de armagao do angico e com enxer-
gOes'; e outros muitos objictos ppr prego commodo:
na rua Direita, sobrado n. 16.
Um novo soiiimento de
ri cado monslro.
Vendem-se na loja de GuimarSes & C, que faz
esquina para a rua do Collegio, n. 5, novos risca-
dos monstros do padres modernos o lindos, pelo
mosmo prego do 320 rs. o covado.
Feijo barato.
Vende-se feijfo mulalinho em saccas de 3 quarlas,
por prego mais mdico pns3vel : no caes da Alfan-
dega, armazem de Antonio Aunes Jacome Pires.
-- Vende-se um bonito cabriolel setn coberta : na
rua Nova, n. 54. .
Vende se um sitio na rua Direita dos Afogados,,
todo murado ,com tres portOes dous na frente e
um no fundo casa torrea com bastante commodos ,
tres cacimbas com boa agoa tanque para lavar rou-
pa difTerenles arvores de fructo ojterreiio proprio:
tambem se troca por algum predio nesta praga : na
rua Direita, 11. 78.
pedra; dos melhorep que teem apparecido :
na loja de quati o portas da ruado Cabuga,
do Duarte. ; M .
- Vendem-se efectivamente lijlos de alvenar a
grossa de muito bom barro, bem cozn.os e pelo mm
mdico prego possivol: a tratar na rua esto.ta do
Rosario, n.15. i4 taan-
- Vendem-se 4 bonilos molcques, de 16 a 18 an
nos, denago, sem vicios; 1 escravo de boo.ta^fi-
gura, carpina; 1 dito bom canoeiro, e ganhador do
?ua,'ani.ng.-se a boa conducta,; 1 dito bom1 erre -
ro e trabalhadorde roga ; 1 mulalinho. ,',""'1'
bom para pagem, ou par. oflicio ; 2 escravas mogas
boas para todo o servige; 2 n*Kr'nhas> de '*
annos, sem vicio : na rua do Vigario, n. 21.
- Vendem-se dous relogios de ouro, duas cor-
rentes, um annel. um habito de Conato, um par ae
brincos de pedras, urna salva de prata, urna serati-
na de boas vozes e propria par. aprender a tocar pia-
uma bandeira nacional propria parigrinfl"
..__. r.:. ,11, .in III10Ima-
no, o
parada por ser muito benyeita : na rua do Queima-
do, n. 14.
Ic^1 LOJA 0
DEftRORTASN0^
Na rua do Livramcnto loja do nicho, ven-
dem-se cortes de cassas finas do cores fixas
a 2,240.
B -
S Vende-se um escravo eatador, o que ha pro
4g priopara oservigode casa o do sitio, pelo
$ mdico prego de 320,000 rs.: na rua Direita,
( sobrado 11. 16.
ti
*i
ir
Vendem-se dous lindos escravos proprios para
armazem de assucar, ou outro qualquer servico :
nade Apollo, n. 22.
Vende-se salga-parrilha por prego commodo:
na rua da Cruz, n. 10.
Yin lio barato.
Aclia-se estabelecido na rua da Madre-de-Dcos,
o. 36, um armazem de
Viuhos da Figueira,*
de ptima quaddc-, a prego de 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs- a garrafa ; e para no haver dolo do com-
prador serao lacradas as garrafas o com rotulo, ro-
cebendo-so 11 garrafa vasia, o dando-se immediala-
inente aoulra cheia: lambem ha barra muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
pietario dcsto cstabelecimento pede encarecida
menle que so no illudam avahando, pelo diminuto
prego e sem conhecimenlo do causa a qualidade de
sua fazenda digna por cerlo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
urna vez provar, continuar com goslo e sem arre-
pendimeulo. Kobom prego!!.' A todo o exposto
accrcscoo asscio e bom acondicionamento o quo
ludo se poder verificar em dito eslabclccimento.
Agencia da fundicao
Low-SIoor, rua da ^enzulla-
nova, n. VI.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e mcias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
__ Na loja de quatro portas da rua do
Gabue, n. 1 C, do Duarte, tem um
completo sortimento de perfumaras, por
precos mais commodos do que em outra
qualquer parle.
Vende-so a dinheiro, ou a prazo, por inleiro,
011 por metade urna legoa do Ierra no riacho Caru-
r termo da villa de Alhalaia com urna legoa de
fundo confronte a torra denominada Casa-de-Pa-
Iha de Jos Pires da Silva, que tica dolado do sul
do dito riacho : o prego de toda a ierra a dinheiro
ho do um cont o duzentos mil rs. o de eiscentos
mil rs. sendo melado : a prazo ser pelo que so jus-
tar : na rua do llangel, n. 45.
Vendem-se caxas de vdro, mu
bem enfeitadjs, para guardar joias, por
preco commodo: na loja de quatro portas
da rua do Cabug, n. 1 C, do Duarte.
Vende-se caivetes de cabo dema-
dre-perola, de urna follta at quatro ; di-
tos de punhal ; tpsouras para unhas, li-
nas ; ditas de costura ; ditas com caive-
tes ; colheres de metal do principe, para
cha ; saca-rolhas de patente ; eslojos de. na-
valhas j aiadorcs, com sua competente
-- Por consenso do governo imperial, vende-se o
engenho Camassari, distante desta cidade quatro le-
goas, pertencente ao patrimonio dos conventos do
Carino da provincia da Babia: quom o pretender ui-
rija-se casa de Lima Jnior & C. no bairro doRe-
cie, ruada Cruz, n. 28.
-- Vendem-so velas de cera de carnauba da melhor
qualidade possivel, a 280- ris em arroba, eem li-
bras a 300 ris :.na rua de Hurtas, n. 110, casa do
Sr. Loureiro.
Algodao monslro de 8 palmos
e meio de largura.
Na loja n. 5, que faz esquina para a rua do Colle-
gio deGuimarlies&Companhia vende-se a nova
fazenda de algodilo branco muito proprio pira loa-
Ihas pelo barato prego de 640 rs. D-se amostra.
Vende-se alcatro da Suecia, de
boa qualidade, em barris bem acondicio-
nados com arcos de ferro: na rua do Vi-
r4.
gano,
Vende-se, por nSo so poder cor.duzr par? o
mallo um piano em muito bom estado e do mui-
to boas vozes por mclade de seu valor : na rua do
Queimado, II. 17, segundo andar.
Vende-se um preto do bonita figura perfeito
canoeiro; uina negrinha de 1S annos, muito boa
costureira : no paleo da matriz Ue S.-Antonio loja
n. 4, se dir quem vende.
Cera de Lisboa.
Na rua da Cruz, n. 60, ha um completo sortimen-
to de cera de Lisboa emcaixas de todos os tama-
nhos quo os compradores desojaren); assim como
tambem ha urna grande porgSo da que vem em gru-
mo e em p8o vende-se por menos prego do que em
outra qualquer parte.
Na oja do Passeo-Pubico ,
n. 111 de Manoel Joaquim
Pascoal Hamos,
vende-se riscado de algodo para cortinados a 120
rs. o covado e 2,400 rs. a pega com 24 coyados;
riscado monslro a 280 rs. ; cortes de casimira, a
4,000 rs. ; ditos de l1a a 2,000 rs.; castor para cal-
gas a 200 e 360 rs.; madapolio, a 3,000 e 5,500 rs.;
riscado* frsncezes, a 200 rs.; ditos muito finos a
280 rs. o covado ; chales de larlatana de seda, a 9,000
rs. ; montas de seda ,a 10,000 rs. ; lengos de gar-
ga a 1,000 rs.; ditos de sella, a 1,000 rs.; panno fi-
no azul, a 4,000 rs. ; dito preto, de 3,500 a 5,500
rs.; chitas encarnadas muilo linas padres moder-
nos, o 280 rs. o covado ; o outras muilas fazendas
por proco commodo.
__Vonde-so um mulalinho de 8 a 9 annos de bo-
nita figura e que ho bem hbil: na rua Nova, n.
14, primeiro andar, onde so dir o motivo por que
se vende.
Vende-se por prcciso, urna bonita escrava do
nagao sem vicios nem achaques de 20 annos, que
cozinha, lava ongomma e cose : na rua das Cru-
zes, n..i.
~ Vende-se, para o Rio-Crande-do-Sul, ou Rio-de-
Janeiro.um bonito molequo official de carpina :
na rua de Agoas-Verdes, n. 46.
Vende-se urna casa do taipa, bom foita, na
principal rua de Pcdras-de-Fogo, por prego commo-
do : no Aterro-da-Hoa-Visla,fabrica de licores, n. 17.
-- Vendem-se toros de angico, juca e outras qua-
lidades, proprios para fazer trastes : no Aterro-da-
Ba-Vista, fabrica de licores, n. 17.
til RUANOV.l, n. 10,
ha ricos corles de seda de cores com listras; ricos
leques de marde-perola, com borlas douradas, azues
e passarinhos brancos os quaes silo proprios para
casamento, por screm novamente chogados da
l'ranga por prego commodo.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-San los da
Italiia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Bieber & Com-
panhia na rua da Cruz, n. 4.
-- Vende-se um checheo muito manso e excel-
lenle cantador; bem como urna grande serpete
viva encerrada em urna fortegaiola propria para
ser levada pira qualquer paiz estrangeiro: na rua
da Florentina, n. 16.
Vende-se huir, bonito moleque de 13 annos, e
urna mulatinha de 7 annos, propria para dar-so a
huma menina : na rua larga do Uozario, n. 46, pri-
meiro audar.
_ADO


A
- Vendem-sedous pianos fortes, de Jacaranda ,
rom o machanismo de muilo aprovada e nova inven-
ido, chamado repetidor patente de Collard ; cha-
ruto* de llavana, por prego mais commodo do que
"> oulra qualquer parle juma machina de lylogra-
p Ha com pedral, tintas e mais pertences; un com-
pleto sortimento de instrumentos de msica, tan-
to de metal como de madeira ; bustos do gejso re-
resentando muilo fielmente a rainha Victoria e o
rincipo Alberto; relogiosdeouroe de prata che-
gidos ltimamente da Suissa. Estes relogios que
So muito bem acabados se tornam muito recom-
mendaveisa qualquer particular e adverte-se que
ha entro elles alguns que andam oilo dias sem preci-
sarcm de corda : na ra da Cruz, n. 55.
Vende-se uma padaria na ruado Bemfica, na
Pssagem-da-Magdalena muito bem afreguezada ,
que desmancha 5 arrobas de farinha em paoe urna
fornada de bolacha por dia, com dous escravos do
mesino servigo ; a qual tambem lem commodos para
familia : adinheiro a vista se far lodo o negocio :
na ra Real, no Munguinlyj, n. 51.
Vende-se um casal de viados capoeiros, pti-
mos para se mandarem para a Europa por serem
muito mansos : na ra da I'raia, n. 2*.
-- Vondom-se resmas de papel almaco branco
prclmae de primoira qualidado; ditas almaco de
segunda qualidade; ditas de peso, branco e azul,
do boa qualidade por prego barato : na praca da
Independencia, n. 4.
Vcndem-se tres barris com azeite de carrapato,
por pree,o commodo: na ra do Livramento n. 20.
Vende-se urna parda de elegante ligura do 18
annos muito boa ongommadoira costureira, e quo
lie propria para mucama : na ra Nova, n. 20.
Ileias de seda ele Lisboa.
Na na do Cabug, n. i (', do Duarte,
acaba de se receber um sortimento de
meias de seda, proprias para os senbores
sacerdotes, e pira bomens e senboras.
A boa qualidade deslas meias s com a
vista se poder conhecer a stiaduraco.
Vende-se um carro do.mflo de conduzir fazon-
das, ouassucar, muito bem construido e forte : na
ra do rum armazem do sobrado*novo da esqui-
na passando a fundicio do Mesquita por detrs
do arsenal de mnriuha.
Vende-se urna escrava crioula de 18 annos que
lie rendeira costureira tozinheira e faz todo o
maissorvigodc ubis casa, inclusive cngommaJo :
na ra do Qucimado, toja n. 27.
Botoes.
He ebegado, por o ultimo navio de
Tranca, um completo sorliincnlo de boloes
da ultima moda usada ern Pars ; a saber:
abotuaduras amarillas para casaca das
pessoas de grande !cm, e par.-, roupa:-
de meninos ; e de sed*, propriasde infei-
tes de vestidos de senhora ; e de Pedro II,
o nielbor dourado que aqu tem appare-
cido; e para cavallaria da guarda nacio-
nal, infantaria de primeira linba, cacado-
res, artfices, e oulras corporacoes milita-
es; assiai como coi d5es de esqusitas cores,
de seda c aigodao, e de debnim, para
casacas ; e suas amostras se acbam paten-
tes aos senbores compradores : na loja
da ra do Cabug, de quatro portas, n.
i C, do Duarte.
barba: ditas i piezas ; oculos para vista cansada;
finissimas tesouras paraunhas e para costura ; pa-
pel do peso e almaco a 2,600 rs. a resma de 85 ca
demos; pennas para secretaria a 320 rs o quar-
teirflo; meias para homem a 160 rs.; um mole-
quede 12 annos ; urna negrinha da mesma idado ;
urna raulutinha de 7 annos : tudo para fazer dinhei-
ro para a festa : na ra larga do Rozario, n. 35, loja
do Lody.
Vendo-se um escravo de naclo Angola, de 24
annos proprio para todo o servido : ao comprador
se dir o motivo porquo se vende: na ruadas Trin-
chen-as, sobrado n. 16.
Vende-se oengenho Amazonas, distante desta
praca 9 legoas : este engenho se acha moente e cor-
rente, e oferece todas as vantagens, pela fertilida-
de de sen terreno (er boas maltas, e ser muito ma-
neiro : na Soledade, sitio que foi de Manocl Ber-
nardino.
Vende-se um sobrado de um andar,
na ra do Hospicio, junto venda do
I,e5o d'ouro, muito fresco com linda
vista ; com porta cocheira, urna rica sala
dourada, e todos os mais commodos com
asseio, bom quinta! com parreiras c ca-
cimba de baagoa de beber : a tratar com
o dono, na mesma casa.
fronte a trra do engenho Japaranduba principian-
do na barra da Trombeta pelo rio de Una cima at
onde se completar a met logoa cujos fundos vito
terminar com a trra concedida por sesmaria ao fal-
lociJosargento-mr Antonio Casado l.iraa, as mar-
gena do rio Prelo em que eslo situados varios cn-
genhos : tambem se vende metade da dita torra, a
saber : a meia legoa da margem do rio Una com o
fundo tambem de meia legoa o na mesma forma a
outra meia legoa de fundo: o prego da meia legoa da
margem do rioUna ho do dous contos de rcis a d-
nheiro ; o da outra meia legoa he de um cont de
ris, e sendo a prazo ser pelo que se sjustar: na'
ra doRangel, n. 45.
ca
no
Si bao portugus.
Vende-se sab5o branco, fino, da
fabrica de Lisboa. Este sabao be conlie-
cido em Portugal por saino de sedas, e
por i-so proprio para lavar as mesmas,
lils de linho e toda a qualidade de fa-
zendas finas : vendo-sc em caixas de
arroba, e s meias arrobas, solt, na ra
da Cadeia do Hecjfe, loja de erragens
de Joao Jos de Carvalbo Mo
Churutos da llavana,
vindos no patacho hespanhol Huracn -. vendem-se
na ra da Cruz no Recife, armazem n. 13.
Pechincha.
No Atterro-da-Boa-Vista, n. 78, vcndem-se sapatos
de cordoAIo de lustro para senhora a 1,000 rs ;
ditosdemarroquim, a 800 "rs ; botins de duraque
p ara senhora 2.000 rs, ; sapatos de bezerro de
sola e vira, para homem, a 2,240 e 2,560 rs.; botfns,
a 6,000 rs. ; bonetes de riscado ,*a 320 rs.
Na loja da ra do Crespo, n. 5 A,
ao p do arco de Santo-Antonio, vendem-
se pecas de madapolao fino, enfeslado,
* .). >oo rs.; ditos de gallo dourado, a
4,ooe rs.; pecas de bretanba de rolo, com
io varas, a 3,000 rs.; pecasdecassa dequa-
dros forneos, proprias para habidos,
com 8 varas e meia, a 2,600 rs.; sarja de
seda, preta, com quatro palmos de largu-
ra, propria para vestidos de senbora, a
i,5oo rs o covado ; mantas de tarlatana,
para senbora, a 1,000 rs. cada urna ; di-
tas de laa e seda, para meninas, a 2,000
iracs.
ti
> Vende-se urna armacao de loja,
g loda envidracada, em ptimo local
? para qualquer eslabelecimento : na
I* ruada Cadeia do Uccifc, n. 3".

C
Na venda de liento Joflo Cardozo, na ra Direi-
ta, n. 95, ha superior cal de Lisboa, em barris do 4 a
5 arrobas chegada prximamente, por mais com-
modo pre?o do que em oulra qualquer parle.
Bslojos.
Na loja da ra do Cabug,
Duarte, de quatro porlas,
de navalbas com pertences,
commodos.
Vende-se oleo de
superior qualidade : no armazem d An-
tonio AnnesJacome Pires, no caes da
Alfandega.
Vende-so superior tinta de escrever em carra-
fas e meias ditas: na ra do Vigario, 11. 15.
n. 1 C, de
tem estojos
po precos
lindara, de
Vinho da Figueira, barato.
N ra do Amorim, n. 36, contiua-se a vender a
ptima pinga da Figueira, a 140 rs. a garrafa. Adver-
te-so que o barato preco porquo se vende, em na-
da desmerece a qualidado dos mais j annunciados
a 160 rs., e para conhecer a s-ia qualidade precisa-so
depouco dispendio com o qual so poder verificar
da veracidadedeste aviso. ,v"*m$
-Vendem-se alfinetes de peito para senhor*. com
o retrato verdadeiro de Pi IX nico papa I henH
2.UriSS'hBV"i0 mund5 bol0es Pc.i
nacional, verde e marello; navalbas chinezas pa
rs.,edeseda a 7,000 rs.; casimiras enfes-
adas, proprias para palitos c calcas,
2,5oo rs. o covado ; cortes de cassas finas,
com 6 varas e meia 2,5oo rs.; e outras
muitas fazendas, por preco commodo.
Vende-se, na comarca doLimoeiro, meia le-
goa de Ierra comduas de fundo com casa para mo-
radia tres curraos, um cercado, acude abundante
d'agoa .seguro de mal triste : a tratar com Francis-
co Lopes Itandeira as Cinco-I'ontas, casa do I).
Rosa.
Vende-se um elegante carro do i rodas feito
por eocommenda nos Estados-Unidos ; ho muito
leve e pode muito bem accommodar cinco pessoas
e servo para um ou dous cavallos : na cocheira do
Miguel, no Aterro-da-Boa-Visla ou na ruadoTra-
picho-^ovo, n. 18.
Vndese urna mesa do angico.para meto de sa-
la em bom uso, por prego commodo : no I'asseio-
l'ublico, casa de buhar.
Vende-se um cabriolel coberlo com excellen-
les molas, por250,000rs. : na cocheira de Jos Ala-
ria, na ra das Flores.
Na ra do Qucimado n. 12,
vendem-se alguns pianos inglezes de mesa e de
armario, que sao pouco usados, por prego commodo.
Vendem-se dous lindos moleques sadios c sem
dcfeito algum un de 7 annos e o outra de 4: no
Aterro-da-Boa-Visla, n. 26, segundo andar.
Cerveja preta ero botijas.
Contina-sea vender esta to afamada cerveja
em loles do urna barrica para cima a vontado do'
comprador: emeasa de Frcderico Bobilliard na
ruado Trapiche-Novo, n. 18. Na mesma casa ha
tambem um pequeo resto da mesma cerveja em
botijas muito propria para casas particulares.
Sapa loes de 5 solas, a i #000
No Aterro-da-Boa-Vista, loja, n. 78, acaba-se de
receber um novo sortimento de sapa toes de 3 solas,
tanto de pes pequeos como grandes. As pessoas que
encommendaram, he tempo de virem a elles.
Vende-se farinba de mandioca,
de muito boa qualidade e goslo : na ra
da Cadeia do bairro de Santo-Antonio,
casa n. 25, primeiro andar.
Machinas para copiar cartas
Emeasa de FredericoBobiliard na ra do Tra-
piche-Novo, n 18, ha um pequeo resto deslas ma-
chinas, tao uleise necessarias a urna casa de com-
rnercio com snus competentes livros e pertences I
tambem so vendem livros separados
mas e tinla de escrever: tudo
mesmas.
Vende-se, para.fra da provincia, ou para en-
genho una escrava crioula, de 24 a 25 annos, de
nonila ligura, perita engommadeira costureira e
cozuiheira : no Aterro-da-Boa-Vista, n 26, segundo
o ii tiii r.
Gontia-se a vender, na ra da
Cadeia do Itecife, n. 37, cera em
velas, fabricada no Kio-de-Jauei-
M ro, em urna das melbores fabri-
"$ cas, em caizas sorlidas ao gosto do
^ comprador e por preco tommodo.
Vf Vendcm-so chapeos de castor branco a
)lJBi\^_4.000 rs. : na ra do Queimado, n. 22.
Vendem-se un3 bancos, torneiras e una ca-
deira grande de magisterio : a fallar com o sacris-
l.to da Madre-de-Dos. -
Vondem-se 4 lindos molecotes, de 18 annos,
sem vicios ; I prelo, bom carpina ; 2 mulatinhos,
de 12 a 18 annos, bons para pageos ; 1 preta, de ele-,
gante figura o sem vicios, que engomma bem, cosi-
nha e faz lodo o mais servigo de casa muito desemba-
rgada ; 1 preta, boa para ra ; 3 negrinhas de 12 a
15 annos, sem vicios: na ra do Vigario, n. 24 se
dir quein vende.
Vende-se umcurijde Coianna, muito manso
e cxcellente cantador : na ra da Florintinn, n. 16.
Vende-se, no armazem de Vicente Ferroira da
Costa, na ra da Madr-Peos, semeas em saccas
grandes chegadas ltimamente de Trieste; vinho
da Figueira ,em barris, ornis superior que tem
vindo a este mercado, do muito condecido autor Fa-
biiJo; vinho abafado, om ancoretas de 4 e meia a 5
caadas.
lie chegado loja nova
do Aterro-da-Ba-Vista, n. 24,
um sortimento dos mais deli-
cados riscados denominados
monstros, ese vendem pelo di-
minuto preco de 2O rs. o co-
vado.
Vendem-sn n<*s ale arng !a Indis chcgad'c-
ha pouco do Bio-de-Janeiro e plantados em sepa
rado : na ra da Florentina, n. 16.
-Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico prego:
na ra do Vigario, n. 19.
d seda, n. 9 e ia } flores francezas ; n
90* de gar^a a T,ooo rs : nalojadequ,tro*
portas da ra do Cabugi, n. 1 C dr.
Duarte. '
Vendem-se sapal5es de couro ,ie
lustro ; ditos de couro branco.de sola e
vira ditos para meninos de sola e vira
por precos commodos: na ra da Cad
do Itecife, n. g.
No armazem de Dias Ferreira,
caes da Alfandega, vende-se, por preo
muito commodo, potassa muito superior
em pequeos barra de 100 libras cad*
um, desembarcados ltimamente.
~Vonde-se papel almaco e florete. azul e branco
muitoemeonta: emeasa de Frederico Bobilliard'
ra do Trapiche-Novo n. 18 : bem como fio pro.'
prio para coser saceos para assucar.
Vende-se urna preta de natjSo, moga, o que he
ptima para todo o servigo de urna casa: na ruad,
Mangueira n. 9.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa
ebegada no ultima navio, em barris pe
quenos, por menos do que em outra qual.
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n 17.
Vendem-se acc&es da ex-
mela chipanhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de 0-
liveira Irmos & G., ra-da Cruz.
n. 9.
Vcndem-se por muito commodo prego os sr-
gumles hvros: o Bamalhele, lornal publicado cm '
Lisboa, 7 volumes, com muito cas estampas o pj-
noraiiia 8 voluines; o Espiio do campo neulel'l 4v-
Evaristo e Theodora, v.; a tormosa donzela d
l'erlh 9 V a itllilncniaiu itr.rnn^o. a .. ... ...
Vende-se os mais ricos e mais
modernos corles de vestidos, de
seda de cores, tanto em gosto, co-
mo em qualidade. chegados no ul-
timo navio, tendo a superioridade
de nunca mofar, e com 72 covados
cada corte : na ruado Queimado,
quatro cantos, loja da casa amarel-
la, n 29.
papel em res-
proprio para as
ra
TIJOLOS DE MARMORE.
1. Saponli vende lijlos de marmoro lira neos e
azues de 10 pollegadas quadradas, por prego com-
modo no seu escriptorio da ra da Cruz, n. 18.
Vinho hom e barato.
Na esquina da ra do Vigario, n 33, vondo-se su-
perior vinho de Lisboa e da Figueira a 150 rs i
garrafa e em caada a 1,100 rs.
Vende-se, adinheiro, ou a prazo, meiaJegoa .
legoa de funoo, na versas larguras, de 8o a 16o rs.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores corles de meia casimira! els-
ticas de pura laa, pelo barato prefo de 2^000 e 3/000 rs.
o corle de caifa : na nova loja da estrella, da ra do
Colleglo, n. I.
Yende-se um bonito sortimento de
bo!5es de seda, para casaca ; ditos para
vestidos de meninos; ditos amarellos, de
Pedroi II; ditos para militares, de ca-
vallaria e infantaria, ditos para libre's de
pagem, brancos c amarellos, de bons pa-
drSes ; ditos de massa, para fardamento
de cacadores ; ditos de vidro, de diversas
cores: na ra do Cabug, loja de quatro
portas, do Duarte.
Riscados monstros.
Vendem-se superiores riscados monstros, ja" bem co-
nhecidos tanto pela qualidade como pela largura em
demasa, pel barato preco de 280 rs. o covadu. Estes
rUcados sao chegados ltimamente*: as cores sio fijas,
e os padres muilo moderaos e de bom gosto : na nova
lojada Estrella da ra do Colleglo, n. 1.
Vende-se urna casa terrea muito grande, sita na
ra da Mangueira, na Boa-Vista, n. 11.com grandes com-
modos,quintal muilo grande e muitnsarvoredoi de fruc-
tos, por preco o mais rasoavel possivel: trata-se na ra
do Arago, a. 27.
Firmino J. F.'da Rosa vende muito superior pan-
no de algodflo trangado feito na Babia muito pro
prio para saceos de assucar assim como para roupa
do escravos por sor muito encorpado : os preten-
dentes dirijam-se a ra do Trapiche, n. 44, primeiro
andar. '
Vendem-se luvas de pellica para
senbora, enfeitadas, a a,8oo rs. ; ditaj
apra homem, de diversas cores, de pou-
to inglez, a 1,000 rs. ; ditas dealgodao a
5oo rs.; ditas de seda a 8oo rs.; ditas pa-
ra senbora a 1,280 rs. ; lencos de grav-
la, de seda, de ,ooo rs. a 1,600 rs. ; ga-
loes entre-finos de diversas larguras ;
espiguilhas, galoes falsos, e volantes, por
precos commodos ; bicos do Porto, de d-
a Vara
ment, 1 v ; Vonato trgico, 2 v.; a redempgao, 1 v
potica de Horacio, 1 v.; cora serfica, 1 v.;as qua'-
tro estagOes do anuo, 1 v.; ditas ditas do dia 1 v
manual chnsUo, 1 v.; caramur, 1 v.; animaos fa
Untes, 3 v.; diccionario prtico, 1 v.; amor o melan-
cola, 1 v.; Ruy o escudeiro, 1 v.; poesas de Costa
e Silva, 2v.; o oriente, 1 v.; Malaca conquistada,
I v.; tentativas poticas, 1 v.; T. I.ivius, 1 v.j novo
mestro inglez, i.v.; history ofEngland, 1 v.; gram-
malica latina, 1 v.; sintaxe, 1 v.; o primeiro volu-
me do diccionario porttil da liogoa ingleza, de Ve-
r.cza ; rauOuO pura viiao por Uaslillac : na ra
larga do Rosario, 48.
Escravos Futidos
I
uoterra ue rrente, com urna legoa de fundo na vers8S larguras, de 80 a ido rs. a vara ;
margem do no do Una, da parte do sul,'con-'ditos francezes, de bonitos padr5es ; fitas
Fugio, no da 25 do correnle, um preto criou-
lo, de nome Anselmo baixo, grosso, cabega acha-
tada bem civilizado ; levou algum* roupa ; stiproe-
se ter sido seduzido : quein o pegar leve-o aos Afllic-
tos a seu sennor, ou ao doutor Sarment, que se-
r recompensado por Antonio Manoel de Uoraes.
Fugio urna crioula, de nomo Catharrna, com
ossignaes seguintes : alta, mag'a ; tem a barriga
um tanto crescida nariz grosso, dentes b.onilos;
levou um roupao de riscadinho cor de rosa, urna
sais de 'la o qutra do ciiiia esverdeada com dous
babados guarnecidos com fita de velludo preto um
cabeglo de cassa do qtiadros com abertura e bolOcs,
panno da Costa sem estar embainhado; levou mais
urna sua filha de nome Mara de dous annos ; lem
as coxas unidas a ponto de a fazer espaldar os ps
para os lados; stispeita-se quo csteja escondida em
Fra-de-Portas e suspeiU-se mais oulra cousa do
que.por iiiloestar bem esmerilhada, nao se faz dccla-
ragflo alguma : quem a pegar leve-a ao Alerro-da-
Boa-Visla, n. 42, que ser gratificado: tambem se
protesta contra quem a liveroceulta.
Fugio, no din 18 do coi rente, do engenho S-
Joflo, nCabo, Marcolino, pardo trigueo, de 19
anuos, estatura regular cara redonda olhos pe-
queos dentes limados ; levou duas caigas, una le
lirim pardo e outra de riscado azul : qugm o pegif
leve-o ao referido engenho ou a casa de l.uiz Go-
mes Ferreira no Mondego, que ser generosamen-
te recompensado.
Desde 14 de setembro p. p. fugio urna escra-
va cabra, de nome Damiana de 23 annos baixa ,
secca do corpo, hem fallante; levou vestido de chita
cor de rosa c panno da Costa com listras encarna-
das; foi escrava do engenho Nornga; desconfia-sc
que esleja l ou por ous contornos onde tem p-
renles. Seu senhor, Manocl do Am'oiim Lima, nego-
ciante cm S.-Antilo, protesta usar de todo o rigor das
li'is t'onlia quem a eiiha acoilada, ou seduzida. Ito-
ga-se a quem da mesma snubcr participar, ou ao
referido Amorim em S -Anllo a Cuilhcrmo Selle,
no Recife, Aterro-da-Boa-Visla, n. 10, quo ser re-
compensado.
Contina a estar fgida desde 15 de setembro
docorrente anuo, a preta Luzia de 20 anuos pou-
co mais ou menos; tem os ps grandes ; he bem pre-
ta ; tem o brago direito esmorecido e tra-lo em um
lengo aos peilos ; levou saia branca cabegao deal-
godao e panno da Costa velho : quem a pegar, ou
soubcr onde ella existe, pois podocsUr em alguma
casa com o titulo de forra queiradar parte na ra
dj Moeda, n. 21 quesor gratificado, (cando sub-
jeila a pessoa que a tiverem sua casa e nilo a quei-
la acusa-la a pagar todos os dias de servigo desde o
dia da fgida.
Fugio, na noile de 20 do corrento mez de ou-
tubro, do Vaiadouro dcoiinda um escravo criou-
lo de nomo Francisco bem preto estatura regu-
lar ; tem urna orclha Turada, ondo carrega um briu-
quinhoas vezes; lem falla do alguns denles, de
quarenla e Untos annos; he cozinheiro e nflo mo;
tigio at sen chapeo, eso com camisa do algodau-
zinho e caigas pretas. Quein o pegar leve-o ao Reci-
fe ao reverenda Sr. abbade junto ao conven-
io da Gloria ou a Olinda aos reverendos Srs. cone^f
gos Pedro Jos de Queiroz e S e Placido Antonio
da Silva Santos, que se recompensar. 1
Pebn.
NA TYP. OE M. F. OE
FARU. 1848
MUTILADO I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYU0UB2WO_HJE083 INGEST_TIME 2013-04-24T19:18:53Z PACKAGE AA00011611_06550
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES