Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06549


This item is only available as the following downloads:


Full Text
An"
XXIV.
Segunda-feira SO
a ni IR10 pubMcM* Wdo. 01 da. que !o
0 l"ffiurda: Prf d aatlgnatura he
ie,^-i. a. ailcnanle ao Imeridot
<'V.i^. *" e'yi>"/"
"* .. .iircWc4M pela melade. O nao
f"\"ilofei P>Kao 80 ri. por linha e l0 r.
"JSuSroU.. por c.di publicado.
' pHiSES DA LA N0 MEZ UE OUTUBRO.
^.u *> i II horaie12mln. danianh.
?"*"/ a l" i hora e 38 rata, di tard.
SS:. SM *"e d,- *urd-
PARTIDA DOS CORREIOS.
Liolanna e Parahiba, i legi. e texui-felrai.
RIo-G.-do-Nortr, qulntis-ftlrat ao melo-dia.
Cabo, Serinhcm, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no l.*, II e SI de cada mez.
Caranhun a llonim, a 8 n 23.
Boa-VUu e Florea, a 13 e 28.
Victoria, i quinui-felra*.
Ollada, lodoi os dlaa.
PREAHAR DE HOJE.
Primeira, 7 horai e 42 minutos da manb.
Segunda, s 8-horas el! minutos da Urde.
da Outubro c!c 181H.
^-
N. 145.
DAS DA SEMANA.
30 Secunda. S. Srrapiiio. Aad. di' .1. d.n or>
plifio do J. civ. pdo J. M. da 1. v.
31 Terca. S.QuinlIno. Aud.doJ.dor.dat.
r. e do J. de paido2. dist. do t.
1 Quarla. >* Festt de lodos os Santos.
2 Quinta. S. Victorino. Au.l. do I. de orpb.
do J. M. da l.v.
3 Sexta. S. Malaquia*. Aud. do/, do civ. e
do J. de paz <1 1 dist de t.
4 Sabbado. S.Carlos Horromeo. Aud, dn J
doc. da I v. e do J. de na/, do 1 dist.de t.
5 Domingo. S. /.icaria.
CAMBIOS NO DA DF. 20 OUTUBRO.
Sobre Londres a 25 c S5Vid. por l#rs. a 60 d.
l'arls
Lisboa 120 por cenio de premio.
Rlo-de-J inrlro ao par.
Dcsc de leU de boas limn* a 1 % ao mea
Acedes dj coinp.de Heberilie, a.V>/r. aop.
Ow-o.Oncai hespanliolas 31/000 a 31/500
MudasdryluO v. 17#:k. a 17/800
-, 4e0#400n.'IB/401) a 1U/V00
. de 4/1100... 0/400 a 9/500
/'ralaPatacocs braslleiros 1/070 a 1/990
. Pesos columnarlos. 1/070 a 1/09O
Ditos mexicanos..... 1/920 a 1/040
DIARIO DE PERNAMBUGO
PARTE 0FFICIL.
Anno do nscimenlo de Nosso Senhor Jesus-Chris-
to iiemlo'locen,oseclu,,r',nla e 0't- 80S Qu'tro
disdomez dooutubror nesta cathedral o imperial
runda ila milito leal e heroica cidade de San-Sebas-
tlodoHio-de-Janeiro, oceupando o throno omuilo
il'to o milito poderoso Senhor I). Pedro II, Imperador
constitucional e defensor perpetuo do Brasil, e o so-
lio o Exm. e Rvm. bispo capelliio-mr e diocesano D.
Manoel do Monte Rodrigues de Araujo, conde de Ira-
i'i cachando-se na mesma calhedral e imperial ca-
e'lla reunidos os ministros e secretarios de estado,
concelheirosde estado, grandes do imperio, ofliciaes
mores, ofliciaes e mais pessoas da corte e casa impe-
riai. muilos senadores c deputados, corpo diplom-
tico estrangfiiro, mombros dos tribunaes da corte e
muitas outras pessoas dedisticg3o expressamento
convidadas; o dito Exm. e Rvm. bispo capellilo-mr
batisou e pozos SantosOleos ao Seronissimp prin-
cipo Imperial o Senhor 0. Pedro Aflonso Christino
Leopoldo Eugenio Fernando Vicente Miguel Gabriel
liaphaclGonzaga, nascido no dia dezanove do mez
dejulho do correnta anno, pelas oito horas e um
qiiarlo da manhfla, (ilho legitimo do dito muito alto
e nuiito poderoso Snlinr I). Podro II, Imporador
constitucional o defensor perpetuo do Brasil, e da
rnuilo alta o muito poderosa Senhura D. Theresa
Christina MariSi Imperatriz do Brasil; neto pela par-
te paterna do fallecido Senhor I). Podro do Alcnta-
ra de Braganca e Bourbon, primeiro Imperador cons-
titucional o defensor perpetuo do Brasil, e de sua
augusto esposa, tambem fallecida, a Seniora l>. Ma-
ra Leopoldina Josepha Carolina ; e neto pola parte
materna do Seuliu I) Francisco I, rui do reino Jas
uas-Cicilias, edeS. M. a rainha sua augusta espo-
sa, a Senhora D. Mara Isabel: foi padrinho S. M. im-
perial e real apostlica o imperador da Austria o Sr.
I). Fernando I, representado pelo Illm. e Exm vis-
conde de Olinda, concelheiro du estado, ministro o
secretario de estado dos negocios estrangeiros, cn-
carregado interinamente dos da fazenda, prbsidento
do concelho de ministros, senador e grande do im-
perio, grito-cruz daf ordens de Santo-Estovo da Un-
gria, da Leglilb de honra da Franca e de San-Mauri-
cio e San-I.azaro de Sardenha, olicial da imporia
ordem do Cruzeiro, conimcndador da do Christo e
lidalgo cavalleiro da casa imperial; o inadrinha S.
M. a Imperatriz viu-va-do Brasil, a Senhora D. Ame-
lia Augusta Eugonia de Leuchtomberg, luo/icza do
UragaiiQa, representada pela lllma. e Exma. condes-
sa de Belmente, camareira-mr de S. M a Impera-
triz do Brasil. E para a todo o tempo constar se
lavraram dous autos em tudo idnticos, subscri|.tos
pelo Illm. e Exm. visconde doMonte-Alcgre, conce-
lheiro de estado, ministro 6 sccrela*io de estado dos
negocios do imperio, e assignados tanto por elle
como pelo Exm. o Rvm. bispo capellio-mr, condo
de Iraj, c pelos representantes dos augustos padri-
nho o.inadrinha; devendo um dos ditos autos licar
no archivo da imperial capcjla, o ser o outro reco-
hido ao archivo publico do imperio. B en, o vis-
conde de Monto-Alegre, o aabscrevi e nssignei.
\itcoftdede Monlt-Alegre. Como representante do
augusto padrinho, Vitconde de Olinda. Como re-
presentante da augusta inadrinha, Condena de Bel-
mente. Mnnoel, bispo capelliio-mr, condo de
Iraj.
MINISTERIO DOS NEGOCIOS ESTRA.NT.EIROS.
No cortejo do dia 4 do corrente, por motivo do
tialismo de S. A. o principo imperial o Sr. I) Pedro
Aflonso, o Sr. David Tod, enviado extraordinario e
ministro plenipotenciario dos Estados-Unidos da A-
merica, dirigi a S. M. o Imperador, ora nomo do
corpo diplomtico, a seguinte allocuco :
Senhor. O profundo respeito quo os mernhros
do corpo diplomtico consagran! a Vqssa Mageslade
ea familia imperial nos chamou a assistir a augusta
ceremonia do baptismojdo herdeiro presumplivo da
cora do Brasil.
Honre sompro o joven principo os seus anleras-
MdOs o faca a ventura da sua "patria.
Oflereco a Vossa Magostado, em nomo do corpo
diplomtico, de qoenltenho a honra dojsero inter-
prete, os votos cordiaes que olle faz pela saiVloe fe-
licidado da familia imperial, o pela paz e prosperi-
dadedesto vasto imperio.
S. M. o Imporador digiiou-se responder, agrade-
cendo os Yutos o fclicitacOes do corpo diplomtico.
DECRETO N. 557, DE 10 DEOUITJBRO l>E 18*8.
Prorogci para oi. de Janeiro de 1850 o prazo mar-
cado para a cobrancade direivs di/ferenciaet.
"ei por bem que o pra/o' marcado nos decretos n.
536 do 1." do outubro do 1847, c n. 551 de 7 do fevo-
rcirodo corrento anno, para a cobranza dos direitos
dilTerenciaesestaheltcidos no primeiro dos ditos de-
cretos, fique prorogado para o t.'dejancirode 1850
'oaquim Jos Rodrigues Torres, do meu concelho,
senador do imperio, ministro o secretario de estado
^dos negocios" da fazenda, e presidente do tribunal do
lliesonro publico nacional, assim o lenha entendido o
faa executar. Palacio do Riq-de-Juneiro, em 10 de
outuluo-de 1848, vigesimo-setimo da independencia
e-do imi erio.~Com a rubrica do S. M. o Imperador.
Joaquim Jote Rodrigue Torrei.
MINISTERIO DA JUSTICA.
RelatSo dos despacho pvbtlaadoi na corle pela secreta-
ria de estado dos negocios da juttica no famiissimo
dia 11 de outubro, oitavario do batismo de S. A. /.
NEGOCIOS ECCLESlASTICOS.
Conegos honorarios da imperial copella.
0 padro JoiTo Joaquim Ferrcira de Aguiar.
O p8dre Francisco Xavier" Augusto da Franca, viga-
rio de Cutas-Altas.
O padre JoSo Baptista de Figuoiredo, vigario de San-
ta-Barhara.
0 padre Antonio Filippe de Araujo, vigario da Cam-
panha. .
0 padre Jos Joaquim Calheiros.
O padre Jos Antonio da Costa Valonea.
O padro Antonio Correa do Carvalho.
u vigario Antonio l,oncaive.s Chaves, conego hono-
rario da s metropolitana da Bahia.
Ilcparlir-.'io da polica.
. EXTRACTO DIARIO DO DIA 28 DO CORRENTE.
Fram presas : ordem do delegado do \* dis-
tricto desta cidade, o paisano Henrique Das da Sil-
va ;do subdelegado do Recife, os pardos Joilo Jos
Ferreira o Joo Moreira, sondo este para averigua-
cOes ;e do subdelegado de S.-Antonio, o pardo An-
tonio Filippe de Lima, por insultos, e o preto Ma-
noel, cscravo do padre Thom da Silva Gulmarilos :
sendo quo do primeiro, segundo, e.ultimo ignora-
so o motivo das prisOes.
0*1. Amanuense,
Apriglo Jos da Silva
EXTERIOR.
142 Francisco do Paula Maior.
143 Francisco Solano dePdua.
144 Francisco Joaquim Alves.
145 Francisco Ignacio da Silva.
146 Francisco Manoel dos Santos.
147 Joilo de Dos Pimentel.
48 Ignacio Dias Ferreira.
149 Ignacio Jos Gomes.
150 Innocencio Ferreira dos Santos.
151 Izaias Baptista Fernandes Propheta.
152 Izidoro Marques da Silva.
153 Jeronymo Francisco das Chagas.
154 Jeronvmode Abreu.
155 Joflo Rufino de Souza Poixe.
156 Joo Paulo de Jess.
157 Joaquim Alves de Souza.
158 Jo.lo Correia Barhoza.
159 Joaquim Jos da Trindado.
160 Jos Cyriao dos Prazeres.
161 Jos Malheusda Luz.
162 Jos Flix da Silva.
163 Jos Francisco da Silva.
164 Jos Barboza de Souza.
165 Jos Jorge.
166 Jos Virissimo dos Anjos.
167 JoHo Cancio Virissimo dos Anjos.
168 Lourerico da Costa dos Anjos.
169 l.uiz Francisco Moreira de Mondonca.
170 Luiz Thomaz Lopes da Silva.
171 Manoel Zeferino Pimentel.
172 Manoel Antonio'dos Prazeres.
173 Maximiano Corroa Pimentel.
174 Miguel lavares Pcreira.
NOTICIAS DO CABO DA BOA-ESPERANZA
ATE' 25 DE AGOSTO.
Os lavradores doorigem hollandeza (boers) oatabe-
lecidos alm do rioOrango linham-se rchellado con-
tra o governo colonial o expedido do Wenburg e de
Bloecnfonlein as autoridades locaes. I)ir*se-hia que
a insurreicflo aprosenlava aspecto grave, vista das
enrgicas medidas de reprcssSo tomadas pelo gover-
nador geral sir llarry Smith, que em pessoa parti
para a fionteira allm de pr-sq a frente da tropa qac
reuna para bater os boers.
A expedicilo que sM> as ordens do almiranto Da-
cr.es mandara o governo inglcz n Iha de Madagascar
com o flm do restahelecer as rolac,es amigaveis o
reabrir o commercio com o governo llovah foi mal
succedida. A rainha Ranavalona recusou terminan-
temente ndmitlir agontes consulares estrangeiros,
assignar tratado algum ou garantir as vidas dos pri-
sioneros tomados com armas na milo; e quanto
perinissilo do negociar nos seus dominios, exigi
comocondiQito preliminar o pagamento da quanlia
do mil pesos por cada commandaiite, e de cem pesos
por cada praca da corveta ingleza Conway, o das cor-
vetas francezas Zeli'e e Berceau, que atacaran) a capi-
tal ha dous anuos. Como o almirante Dacres nSo es-
tivesse autorisado para fazer estas concesses, roli-
rou-se com a diviso naval do seu commando.
(Jornal do Commereio.)
PERNAMBUCO.
LISTA DOS CIDADASIQUALIFICADOS NA FRE-
tUEZIA DE SAN-JOS.
Terceiro quarteirilo.
110 Alexandrino Ignacio da Conccico. ,
111 Alcxandro llarlioza.
112 Domingos Rodrigues Tourinho.
113 Francisco das Chagas Mendonca.
114 Francisco dos Santos Reis.
115 Guillierme Francisco do Assis.
116 Joo Percira Damasceno Chaves.
117 Joilo GuInerme de Bruce.
M8 Joaquim Jos do Souza Serrano.
119 Jos Mauricio dos Santos.
120 Jos Francisco dos Santos Miranda.
12| Joo Mai lins.
122 Leonardo Rufino Barbalho deKreilas.
123 Manoel dos Prazeres.
124 Manoel Joaquim do Souza.
125 Pedro de Assis Campos Cosdem.
426 Severiano Jos de Mourn.
127 Vicente Ferreira do Farias.
Quarlo quarteirilo.
128 Antonio Soares.Cardoso.
12!) Antonio Jos Uod/igiios de Paula.
130 Antonio Rodrigara da Costa.
131 Antonio Moreira do Mondonga.
132 Antonio Moreira de Mendon? Jnior.
133 Antonio da Cunha Bezorra.
134 Augusto Gozar dos Anjos.
135 Antonio Pereira deCoes.
I3C-DamiSo (ornesdos Santos.
137 Domingos Soaros.
!38 Elias Francisco Alves.
i39 Epifanio Joo da Costa Monteiro.
140 Euzebio Lopes Lima.
1*1 KelixSoaresc Carvaiiiu.
175 Manoel Gomes.
176 Manoel Joaquim Duartc.
177 Manoel de Souza Simos.
178 Manoel Francisco de Oliveira.
179 Manoel Vieira da l'aixno.
180 Manoel Concalves do Jess.
181 Manoel Mauricio da Molla.
182 Manoel Jos Mauricio.
183 Marlinho da Silva Santiago.
181 Mauricio Alves de Brillo.
185 Mauricio Jos da Luz.
186 MathiasMunizTavares.
187 Paulino Antonio do Oliveira.
188 Pedro Antonio da Silva.
189 Urbano Manoel da Costa Monteiro.
190 Vicetite Ferreira da Luz-.
l'X Vicente Ferreira do Paula.
192 Vicente Anastacio da Trindado.
193 Vicente Ferreira dos Santos.
j I il l\ I U II U U II ll ti il l t \J V;
B.ECIFE, 9 DX OUTUBRO DE 18*8.
Recebemos jornaes francezes, L> Constitulionel e
La l'resse, quealcancam a 10 de setembro.
Paris gozava socego.
A assemhla nacional necupava-se com a discus-
siTo doprojecto do conslituicao. Das numerosas e-
mendas offerecidas a este projecto julgamos conve-
niente levar ao conhecimento de nossos leitores a
quefora pioposta por Mr. Daville, por isso que ella
he um | rotesto formal contra o estado de sitio em
que so aclia a capital, e um ataque violento contra a
autoridado' militar.
O deputado francez exigi quo a invncacilo collo-
cada frente da consliluigo, fsse redigida da ina-
neira seguinte :
Em presenta do Dos, debauo do reinado do es
tado de sitio destructivo do toda a liberda.le, e es-
pecialmente da liberdade d''iitrprcnsa, aqual elle
supprime, o suspende vonlade; debaixo do rgi-
men da autoridade militar quo n0o tem nenhum co-
iliecimcnto das precisOes da sociedade, e que so pe-
a sua existencia comprime o espirito publico, o con-
seguintemento a manifeslacflo de todas as ideias c
do todas as verdades, as quaes 13o til era quo fs-
sem propagadas em o momento em que vilo discu-
t r-se as bases da onslituicffo; debaixo deste rgi-
men irracional e expedito, justo terror dos cidadHos,
os quaes prende sem formalidades e sem limites,
sublrabindo-os a seus juizes ordinarios para entre-
ga-Ios acommissfles militares; em nomo do povo
Irancoz, c cedondo compressilo que pesa sobre Pa-
rs, a assembla nacional proclama c decreta.
Em varios departamentos, porm principalmente
no dos Itaixos- Pyreneos, bflooccnrrido disturbios.
As populacOes do Arros e do Valle-de-la-Cave ro-
cusain formalmente pagar o imposto de 45 cntimos,
pasquins allixados em todas as communas ameacam
de niorle aquellos que abandonaren) seo posto, ou
pagarem o aziago imposto. O prefeito do polica M
l.andrin, procurando acalina-los, foi assobiado o a-
pupado. Os campoqezes ccrcaram-lhe q carro e to-
dos a urna voz se pozoram a gritar: Malem-nos .
mas nos nio pagaremos!....
As communas sublevadas silo dezanove, e nellas
so acliam reunidos, palo monos, quinze mil liomens,
todos armados.
A autoridado, nada podendo fazer, promcllou cs-
creverpara Paris, pedindo que, visto a pobreza do
lugar, seus habitantes fOssom iscntos do pagar o im-
posto.
A Inglaterra (cara tranquilla.
A rainha encerrou o parlamento com o ceremonial
do stylo, pronunciando o seguiule discurso:
o Mviords eSeniuia. Muito estimo poder 3-
viar-vos dos pesados deveres do urna sessito laborio-
sa ( prolongada.
A le que tem por ohjecto prevenir a perpetfa-
cSo do crimes e dolidos na Irlanda, o quo 'logo no
comeco da sessflo dei a minlia sancgilo, ha produzi-
do os mais vanlajosos resultados. O uso de armas
foi reprimido. A aceito da justica nio lem sido in-
terrumpida, o muilos assassinos atrozes, que der-
ramavam o terror por lodo o paiz, hilo sido presos,
julgados c condemnados.
A miseria da Irlanda, causada pela perda succes.-
siva do muitas colheitas, ha sido minorada, nio s-
mente pela applicaciio da lei para osoccorro dos po-
bres, senflo tambem pela somma das contribuigOes
caridosas, arrecadadas em outras parles do reino
unido.
Por outro lado, associagSes organisadas se hilo
apro'veitado da miseria existente para excitar re-
belliflo oSaincus vassallosexpostos ao solTrimento.
Para seduzir os desgragados, izeram luzir seys
olhos a esperanga da pilhagcm e confiscagilo, enlre-
tanlo que aos ambiciosos aim-sentavam as tnais chi-
meneas perspectivas. Neslas conjecturas, reclamei
do vossa lealdade o sahedoria novos poderes, e sus-
tentado por vossso concurso, prompto e enrgico, o
meu governo achou-se o)) estado do destruir den-
tro de alguns.dias as machinagOesorganisadas du-
rante mezes-. A firmeza e o vigor desenvolvidos nes-
la oceuirencia pelo lord lugar-tenenle da Irlanda
merecen minha mais viva a pprovagito.
No meio dcstas difficiildades, vos haveis conti-
nuado os vossos trabalhos para o aperfeigoamento
das leis. O acto para facilitara venda das propie-
dades hypolhecadas remediara gradualmente, as-
sim o espero, um dos maiores males do estado so-
cial da Irlanda.
Osyslema do vincular perpetuamente as torras,
estabelccido na Escocia,lem lido consequencias mui
desastrosas, tanto para os herdeiros dos vnculos co-
r.;; para es pavos; cu, sinlo ua verdaueiri salisfa-
gfo.'veiido quo este systema ha sido modificado do
conformidado com os principios cuja influencia se
tem feilo sentir ha muito lempo uaquclla parte do
reino unido.
Eutenhodado um assenlimento cordial :is me-
didas que lio sido adoptadas para o fih de melho-
rarasaudc publica, o lenho a mais viva esperanga
de que ficar assim aberto o caminlio para continuos
progressos nesta obra salutar.
.< Srs. da cmara dos communs, eu vosagradego
a promptiuio com quo haveis concedido os subsi-
dios neressaros para os scrVigos pblicos, c assegu-
ro-Vos que nflo perderei iionhuma das occasifios que
as precisOes do oslado me podrem permiltir para
realisar economas.
Mylords e Srs. Eu lenho renovado de urna ma-
neira formal as minhas rclagOcs diplomticas com o
governo da Franca, e a boa inlelligencia entros
dous paizes tem continuado sem armis ligeira in-
terrupgiTo.
Acontecimenlosda maior importancia leen) por-
turbado a tranquillidadc interna de muitos dQS esta-
dos da Europa, assim no norte como nosul. Estes
acontecimentos leem occasionado hostilidades entro
paizes vizinhos. Eu emprego meus bons odlcios do
accr.locom outras potencias amigas rara regular
aniigavelmonte estas dilTerongas, e confio que nossos
esforgos scriio bem succedidos. Regosijo-mo de
pensar que a crcscenle apreciago que se vai fazendo
do valor da paz animar a esperanga de que as na-
ges da Europa poderflo continuar a gozar do suas
bcnglos. '. .
a No meio deslas convulsOcs lenho a salislacao do
haver mantido a ordem em os nossos estados o do
haver conservado sem alterajlo a nossa tranquilli-
dade interna'. A figa de nossas inslituicOcs lem
sido experimentada, e presentemente acha-sebem
novada.
Tenho-meesforgadopormanter. opovo conha-
ilo minha soliciludo no gozo desta liberdade mo-
derada que elle com rasflo aprecia. O mou povo com-
prehende mui bem as vanlagens da .-ordem e da se-
guranga, e certo nao dar aos promotores da pilha-
gcm c confusiio nenhuma probabilidade do serem
bem succedidos nos seus mos designios. Eu reco-
nheco cheio de gratido os numerosos testemunhos
de devotagflo c aireigflo quo tenho recobido de todas
as classes do meu povo. Espero que com o favor de
Dos as liberdades de quo elle goza so poderuo per-
petuar, urna vez que continu, como alo boje tem
feito, a respeitar as leis e a obedecer aos preceitos
da re i g 3o. _
Em Liorne (Toscana) levanlou-sc a popuiagao por
causa de urna ordem das autoridades, aqual prohi-
ba a reuniao dos circuios polticos e os ajunlamen-
los de mais de tres pessoas.
O povo rasgava por toda a parle os editaes das au-
toridades, quando a polica sendo disso informada
correu a impedir este desacato: travou-se entilo
urna lula que durou desde a larde ale as tres horas
da madrugada do dia seguinte. A tropa retirou-se
alinal com o governador para a cidadclla.
Os jornaes nflo s3o concordes corca do numero
dos morios. Uns dizcm quo a tropa perdou 60 lio-
mens, outros quo 112. Da parlo do povo a perda
parece ter sido menos consideravel por isso quo ati-
ravam sobre os carabineros e sobro a cavallaria de
cima das varandas ojanellas. A tropa dividio-se.'
Urna parto della recusou atirar sobro opovo; aou-
tra, o que est encerrada dentro da cidadclla, recu-
sa render-se. O povo dispunha-se para atca-la.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO DA 128........... 4:152,836
*
-ADO




Dncarr/gam ko)t, 30 iltoutubro.
Barca Ligeira mercadorias.
Rriguo Aurora familia.
Hiato Gil-llliu iilem.
Barca Zilia mercadorias.
Brigue laura dem.
CONSULADO GERAL.
RE.NDIMF.NTO DO DA 98.
Geral ........................ 1:235,084
Diversas provincias............... 153,971
1:389,055
CONSULADO PROVINCIAL.
RUDIMENTO DO DA 28.........., 1:192,38*
PRACA DO RECIFE, 28 DE OUTUBRO DE 1848,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Caminos ----- Houve saques a 25 e 25 e meio d.
por 1/ rs.
Algodflo ----- Entraram 1852 saccas. O de
primeira sorte vendeu-se a 4,100
por arroba, e o de segunda a
3,700 rs.
Assucar- A entrada Coi diminuta, Nflo
(se deu alterado no prec,o.
Couros------------ -'Venderam-se a 90 rs. por libra.
Azeite-doee-------Vendeu-se de 1,800 *a 2,100 rs. o
galSo,
Bacalho ----- loentroucarrcgamentoalgiim.
Exislem no mercado 7,000
barricas.
Carne secca Venderam-so cerca de 10,000 ar-
robas aos precos de 2,000 a 3,200
rs. porcada uma. Ficaram bo-
je em deposito cerca do 28,000
arrobas.
lamilia de trigo Vieramao mercado tres carrega-
mentos, um dos quaes scguio
para o sul. As vendas regula-
ram a 18,000 rs. a barrica da de
Ithichemnnd; 18,500 ris., da de
Philadelpliia; e2l,000rs,da de
Trieste, marca SSSF. O depo-
sito be de 3,000 barricas.
Manteiga.....Vendeu-se a 550 rs por libra da
ingleza de vacca, e a 480 rs. da
franceza.
*uSSu5 ------ uCi ,,mi rs poi aiTOUa.
Entraram 9 embarcares esaliiram5. Estilo no
porto 46, a saber : 2 americanas, 1 austraca, 24 bra-
silciras, 4 francezas, 6 inglezas, 1 lubequensc, 4
portuguczas, -i sardas e 2 suecas.
Movimento do Porto.
i Tcrc.a-feira, das y as 11 a meia rhetorica dai 11
e meia 2 latim,
Qunrla-feira,das9 as 11 e meia geographia dai
11 e meia as 2 horas francez.
Sexla-feira, das9 as 11 e meia nglez,dis 11 e
meia s 2 horaa francez.
Sabbado, das 9 s 11 e meia geometra das lie
niela V> horas philosophia.
< li. O dia impedido por ser feriado paitar a
ser como aquinta-feira. Outro sim os despachos aos
requer memos de exames preparatorios so serflo da-
dos nesta secretaiia, e osrequerimentos, depoia de
despachados, ficaram na mesma, onde se far uma
lista dos que teem de ser examinados.
Secretaria jurdica de Olinda, 27 de outubro de
1848.
O padre Miguel do Sacramento Lopes Gama ,
Director.
Declarares.
Navios entrados no dia 28.
Baliin ; 7 (lias, brigue inglez ftunnymedes, de 200
toneladas, capitao Thomas YVallers, equipagem 13,
em lastro; a James Crabtrce & Companhia.
San-Miguel; 35 das, corveta portugueza iris, com-
mandante o capitflo de mar e guerra Francisco
Soares Franco.
Kssiot sakidoi no mismo da.
-Oarsenal de guerra compra latfioemchapa gros-
sa, cobre velho ecaixas com folhas de (landres sin-
geas: quem os mesmos gneros quizer fornecer
comparecer na sala da directora do mesmo arsenal,
i.o dia 31 do crrenle mez com sua proposta em car-
ta fechada.
Arsenal de guerra 26 de outubro de 1848.
O escripturario,
Franciseo Sera/ico de itis Caroalho.
A administraeflo geral dosestabelecimentos de
caridade manda fazer publico, que, no dia 30 do cr-
rente, pelas 5 horas da tarde, na sala das suas ses-
sOes, contratar o fornreimento do leito e d'agoa de
que precisaren! os mesmos estabelecimentos.
Administrado geral dos estabelecimentos de ca-
ridade, 23 de outubro de 1848.
O escripturario,
F. A. Cavalcante Coutseiro.
de, o briguo brasileiro Conceicto : quem nelle qui-
zer carrrgar ou embarcar escravos a fre* dirja-
se ao capillo Frucluozo Jos l'erera Dulra, ou a
Manoel Alves Cuerra Jnior.
PuhUcacfto Lilteraria.
JORNAL DO COMMERCIO,
industria, agricultura, ar-
tes e lettras.
Com este titulo vai apparecer brevemente uma
folba peridica em Lisboa.
A publicarlo desla folba ter lugar duas vezes por
semana: todas as segundas equintas-feiras ou no
dia immediato quando algum daquelles fr sancl-
(icado.
As transaeges commcrciaesdas Europa Os ob-
jectos mais piocurados nos diflerentes mercados
os cambios, e as suas varalos, e as causas que as
occasionarcm Ouaes os producios estrangeirns
preferidos no paiz e quaes os productos nacionaes
preleridos nos paizes eslrangoiros ; o os seus presos,
o a melhor maneira do fazer a sua exportado :
Noticaselas nossas colonias ; considerares sobre
o seu melhoramonlo coimnercial; objeelos da mo-
tropole, nellas mais desejados.e quaes sQo mais com-
mcrciaveis :
Industria agrcola e fabril : emqual mais nteres-
sa Portugal ?lE em qual interessam mais as nos-
Rio-de-Janeiro
sas possesOcs ultramarinas f
Lavoura : noticia e informaeflo dos processos mais
moilernos ado|itudos nos paizes estrangeiros !'. c
esclarecmentos, e tudoquo possa concorrer'para
que a lavoura affastando-se gradualmente das ve-
!lias rolinas caminhe ao aperfeicoamenlo a que de-
ve chegar em Portugal:
Noticia dos novos inventos e ultimas descocer-
as em todas as artes : ~
Eis-abi, no mais rpido resumo, o principal ob-
corveta de guerra 7"wefd, comman-lJecto.,,eilue tem de ccupar-se o Jornal do Cam-
ilante lord Francia ItusselL
Cortos do norte; vapor brasileiro San-Sebastio,
commandanlo o primeiro tenente Antonio Torre-
zno. Alem dos passageiros quetrouxe dos portos
do sul para os do norte leva a sru bordo : para Pa-
rahiba, Pedro Antonio Bernardino com um escra-
vo, Joaquim da Silva Coelho ; para o Cear, Ma-
noel Francisco da Silva com um escravo, Vicente
Alves de Paula Pessoa, Leocadio de Andradc Pes-
soa ; para o Maranhflo, Hergelino Aires de Freitas
Albuquerque, Francisco Higino JansenVieira de
Mello com um escravo.
Rio-Grande-do-Sul ; brigue brasileiro Navegante, ca-
pillo Jos Joaquuii Gomes dos Santos, carga as-
sucar o ago'ardcrue. Passageiros, Valescino Hen-
rique Jorge, Brasileiro; Manoel Cornos dos Santos
Lial, Manoel Atidrade das Ncves,Florencio Jos Al-
ves, Portuguezes.
dem ; brigue-escna brasileiro Henriqueta, capitflo
Ignacio da Fonseca Marques, carga assucar efari-
nha de mandioca. Passageiros, Antonio Jos de
Moura, Brasileiro; Jos Moutinho da Silva, Por-
tuguez. .
Parahiba ; hiate brasileiro Tres-lrmitos, capitflo Ma-
noel Ignacio da Costa, carga varios gneros.
Nato sahidonodia 29.
Rio-de-Janeiro; barca americana Indus, capitflo J.
II. Lebrown, carga lastro do areia.
EDITA US.
HHH
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade, oficial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Chrislo e ins-
pector da alfandega de l'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faco saber que no dia 31 do corrento, ao meio-
dia, em basta publica, se li5o de arrematar 58 cadei-
ras de Jacaranda, no valor de 200,000 rs ; c duas me-
zasde Jacaranda, no valor de 23,000 rs.; 198 cadenas
do oleo, no valor de 600,000 rs.; duas secretarias de
dito, no valor de.50,000 rs.; e 48 cadeirs de cerdei-
ra, no valor do85,000 rs.; impugnadas pelo guarda
Manoel da Fonseca de Araujo Luna, no despacho por
facturan. 1714: sendo a arremetacHo subjeita adi-
reitos.
Allandcga, 27 de outubro de 1848.
Miguel Arcliano Monteiro de Andrade.
CURSO, JURDICO.
Para regtilari Jado dos exames preparatorios faco
saber a quemeonvier que estes icam distribuidos
mercio.
Para amenisar, o Jornal do Commercio publicar
em todos os seus nmeros um artigo original sobre
os diversos ramos de lilteraUra nacional o estran-
gera.
O Jornal do Commercio nflo tratar nunca assump-
los polticos.
Para maior utilidade dos Srs. assignanles, o Jor-
nal do Commercio publicara todas as pecas officiaes ;
por extenso as que respeitarem ao commercio
agricultura e industria,eem resumo todas as
ciernis. Com o mcsiiio lini se publicado as noti-
cias nacionaes o eslrangeiras de maior curiosidade;
e particularmente as que disserem respeto aos ob-
jectos exclusivo deste jornal.
Logo que as circunstancias o permittam, a publi-
catflo deste jornal ser 3 vezes por semana.
Oprecoda assignalura; ser-- por trimestro 2/
rs. e por semestre 3.200 rs. mandados do Brasil.
Assigna-se na ||y.r~ria da praca da Independencia,
ns. 6 e 8. '
PURLICACAO' AGRCOLA.
Manual pratico do fabricante da assucar, por
Agoslinho Sommier. Esta obra ensina pralicamente
o modo de fabricar o assucar demonstrando os in-
convenientes da anlga pratica osmeios de as re-
mover e Analmente ludo quanto se precisa para ti-
rar maior e melhor resultado desua factura e est
escripia em uma lingoagem que qualquer pessoa
percebe; podendo-so mesmo dizer que os Srs. de
engenhos com ella s errarHo se quizerem : vnde-
se nor 2,000 rs. na prac.a da Independencia livra-
na ns. 6e8.
Avisos maritimosT
Avisos diversos.
Ao publico.
Joaquim Jos Rodrigues da Costa declara ao res-
peitavel publico para conhecimento das autorida-
des, que he morador nesta cidade desde tenra idade,
sendo mais de 10 annos caixeiro e ao depois esta-
beleceu-se; he cssado; tem sobra seas hombros
urna pesada familia ; trabalha para poder sustentar-
se com aquella decencia que suas frcas o permit-
tem, nSo vive nem nunca viveu de tranpolinics ;
nSo he caloteiro tanto que julga nada dever nesta
praca, nem fra della ; mora na ra estreita do Ro-
zaro, n. 20, ha annoe meio; nunca leve, nflo tem
e nem pretende ter em sua casa jogo de tabolagem ,
e nem de qualidade alguma : e como be que" um ca-
lumniador que, sendo seu inimigo (talvez por se
no querer continuar a fazer os favores qu em ou-
tro temdo se Ihe fazam ; usa denunciar ao Sr. sub-
delegado dizendo que em sua casa havia jogo de ta-
bolage, a ponto de s 8 horas da noite do dia 25, an-
dando o Sr. subdelegado de ronda mandar subir
um inspector ? Porm em lugar de jogo encontrou
a senhora do annunciante enferma em eima do lei-
to a qual so assustou a ponto da molestia progre-
dir; e nfi) he culpado do tudo esse falso denuncian-
te e calumniador, que, querendo saciar o seu mo
genio, usa desacreditar a casa do annunciante ?
- O abaixo assignado faz sciente aos seus amigos,
que comprou a bem conhecida venda de Jos da Pe-
nha, na ra Direita, n. 23, e por estar bem sortida
convida a todos para mandarem comprar na dita
venda prometendo restricto em tudo que vender;
assim como recebe em commisso qualquer genero
do paiz para vender : quem de seu prestidlo se qui-
zer ii ti I isar, dirija-sea mencionada venda.
Joo Hiplito de Meira Lima.
Roga-se autdridade competente se digne de
hincar suas vistas para um presepio, ou qur que
seja, que ha na ra do Nogeira, casa n. 33, e em que
se faz tal barulho das 10 horas da noite em dianle,
que impossivel he aos moradores daquelles arredo-
res conciliarem osomnoal madrugada, quando
termina o tal batuque.
l'.m dos incommodados
O thesoureiro da irmandade de N. S. do Terco
faz sciente a todas as autoridades policiaes e pessoas
do povo, que non tem, pela uma hora da tarde, na
occasiao da festa da mesma Senhora, furtaram da
sacrista um turibulo de prata. Roga-se a quem de
tal furto souber, ou quo o possa descobrir, denun-
ciar ao mesmo thesoureiro, afim de, pelos meios le-
gaes, o haver, nSo s por ser um escndalo, como
porque faz grande falta a irmanrlnde que he su in-
diamente pobre
Marcos Evangelista Correa pede a aquellas pes-
soas que receberam cartas desua infl, pedindo es-
mola para o festejo de N.-Sra.-do-Patrocinio do ni -
clin da ra de Hortas, hajam de nao entrega-las se-
dan a elle, visto Ibo constar que se anda distribui-
do outras cartas impressas para o mesmo liin ; quan-
do as verdadeiras que elle entregou san manscrip-
tas.e smente assignadas por elle e Feliciano Antonio
Baptisla.
Sr. C. F. F. sirva-se al o dia tres denovem-
bro, o mais tardar, virsatisfazer a conta que deve a
casa de Manoel Joaquim Goncalves e Silva, e no caso
contraro se publicar seu nome por extenso, j nos
jornaes desta provincia, e j nos da sua : isso mos-
mo se entenda a respeto de mais alguem.
Os Srs. que assignaram para o segundo voli.
me do direito civil luzitans, por Pascoal Jos de u 11
lo, pdelh mander receher sua assignalura na livrul
ria da praca da Independencia ns. 6 c 8.
Pi ocisa-se alugar uma prrta forra ou ci
que saiba lavar, engommar, cozinliar e cornnr I
para uma casa de mu pequea familia : ni irv.?rl
veti, I
pj Miguel de Castro Mascarenhas e Gregorio
I-!1! de Castro Mascarenhas particpam que so re-
If7| tram para a Baha, visto j terom concluido
rpj o curso acadmico; abi offerecem aos seus
H amigos, dos quaes no pdm-so despedir
pressa da viagem, os seus limitados
Limos. Outro sim, declaram ao publico
luodevcm pessoa alguma.
E'.osMias da semana
uu iiiuuu seguidles:
Segundo-feira,dass 11 emeia geographia, das
t\ e meia s 2 horas latim..
Tendo minha sogra, a Sra. L. Mara Joaquina do
Sacramento, feitoem minha ausencia uma concor-
data com seu marido o Sr. Joflo Jos Marques de A-
raujo, e resultando esta em gravo prejuizo de alguns
herdeiros, ao quosuppOe o annunciante ter sua so-
gra annuido talvez por insinuacOes do algum hypo-
crita mal intencionado que seus (ins sejamagada-
nliar! I!.' por isso desde j previne a qualquer pes-
soa que leiiba ou pretenda fazer negocio sobre bens
de raz ou movis com dito casal, que tudo ser nul-
lo como se demonstrar no foro competente.
Frtncisco Dulra Siacedo.
Os credores de Lui* Cardozo Monte-Negro
3ueiram apreseutarsuas cotilas correntes legalisa-
as no prazo de oito dias da publicacno deste, na
ra da Cadeia do Recife, n. 20, primeiro andar,
para seren relacionadas no rateio que se tem de
fazer no liquido dos gneros existentes na venda si-
ta na ra da Cruz os quaes so acbam avadados ju-
dicialmente ,] e vflo ser arrematados para rateio dos
mesmes crodores dos quaes s. se altonderSo aos
que apresentarem aconta no prazo cima, (Indo o
qual se fechar a relac.no econciderada como nSo
ter mais crodores ao rateio.
O abaixo assignado nflo tendo, por circunstan-
cias imprevistas podido levar a scena como pre-
tenda, no dia 28 do crrenle o seu beneficio scien-
tiflea ao respeilavel publico, e especialmente aos
seus mui dignos protectores que tem destinado a
apresenta^lo do referido benelicio para o dia 9 do
prximo futuro mez de nofembro: ruga, pois, ao
mesmo respeilavel publico o quera desculpar des-
sa iuvoluntaria falta eaos seus benignos protecto-
res a coiitiuuae.no de sua preslimosa benevolencia.
Franklim l'inlode Su i-bou a.
- Aluga-se uma casa e sitio na ra Imperial, aoii-
e-foi a fabrica, do rap vinagrinho, reedificada c
pintada de novo, com commodos para duas famias ,
com grandesenzalla parapretos, cocheira e estri-
bara para cinco cavados bons arvorsdos, differen-
tes paiitac'Oes.c com um grande viveiro de poixe :
a tratar na ra estreita do Rozarjo, armazom de
trastes, n. 31.
Precisa-se de um moco quo saiba ler, para cai-
xeiro de um deposito de padara, e que tenha al
r o passagem para o que tem bons commodos, guma pratica do padara para ajudar ao servico em
dirija-so a JosMarcellino da Rosa, na ra da Ca-1 algumas horas da noite, o qual abone sua conducta :
deia do Recife loja de ferragens da squina, unto I na orara da 8.-Cruz padara de ma porta at
ao arco da ConceiSo, ou a Novaes.& Companhia, nal o di'a 3 do correle, para tratar do ajuste.
rua n?.XrlPn:h.e!,"i3i' -llenriqueLourenoAffonso retira-se para Por-
:,:: "o .c .mCu atir, com .iuiia broYda-| iugai.
-- Para o Para com escala pelo Maranhflo o bem
conhecido veleiro brigue-escuna Laura : para car-
ga o passageiros, trata-so com os consignatarios,
N'ovaes & Companhia, na ra do Trapiche, n. 34,
ou com o capitn, na praca.
O patacho portuguez I.iberdade sabe para Lis-
boa no dia 4 de novembro imprelerivelmente : para
o resto da carga ou passageiros, trata-so com o
capitSo do mesmo patacho, ou cora Francisco Se-
verianno Ha bello & Filho.
Para o llio-de-Janeiro sane, com a maior brovi-
dade possivel, o brigue nacional Sociedade, do pri-
meira marcha : quem no mesma quizer carregar, ou
do passagem para o que tem bons
da Virac.no nica casa de sobrado de varandi a
ferro. '
Se o annuncio que sabio no Diario de 26 do cor I
rente se pode entender com o bacharel foranaI
Jos da Cesta Machado, morador na provincia Parahiba quera o annunciante dirigir-so a ra d!
Queimado sobrado n. 17, segundo andar, que ,^1
achara com quem tratar. ,'|
abaixo assignado comprou e remellen p,r.
a Snr. D. A ntonia Maria da ConceiQflo. da cidadednl
Natal, um bilheten. 65 da ultima terca parle dad I
cima oitava lotera a favor das obras do theatro p,
blco desla cidade. "'
Manoel Firmino Ferreira.
Oscredores de Couto Vanna & Filho leeni iq<
torlsado aGeo : Kenwortny & C. crodores tamben
dos mesmos para venderem a casa de sobrado dai
dous andares n. 33 na ra do Amorim bairrodg]
Recife, e a metade do sobrado di ra da Cadeia
27 que Ihes fram adjudicadas por sentenca piri I
seu pagamento: quem quizer comprar um e outro I
predio entenda-se com os cima mencionados, que I
estilo autorisados para essa venda.
OSr. queveio tratar o negocio da liypothecil
no dia 24 do corrente veha fechar o dito negocio |
que a pessoa nflo pode l ir por incommodo.
-- Quem annunciou querer comprar um melh
do de flauta dirija-se a pra^a da Independencia
n. 4- '
Quem annunciou querer comprar um melhodol
usado para flauta: dirija-se ao Recifo, no Forte-do-1
Mattos, ra do Amorim, n. 36.
Uma pessoa com pratica de escriptaj
commercial, e bonita lettra, propde-se al
escrever as horas vagas, nos dominoq,l
e dias santos, commpeza, mediante mo-l
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
A pessoa a quem ha 3 para 4 annos so desena.l
minhou um relogio na occasiflo de o mandar con-1
certar o qual he horisontal, c tem caixa de ouro,f
dirija-se a livraria da praca da Independencia, ns. 61
e 8, para dar os signaos, e podr-se informar, sel
he o que seannuncia.
Desappareceu no dia 24 do corrente, pelas 6 ho-
ras da larde, confronte ao becco do Marisco, uma ca-
bra bixo de cor amarclla, que um preto a conduiii
para as Cinco-Ponas : quem a liver adiado, ou seu-1
ber onde ella existe, dirija-se as Cinco-Pontas, n, |
68, que se gratificar o trabalho.
Aluga-so urna casa terrea, no sitio.do Cordeiro, I
margem do rio Capibaribe, com sufficienies com-
modos para familia estribara e cozinha fra: i|
tratar no nateo do Carmo; ::, 17 co Csbrc! A
Ionio.
Casa de modas fraocezas.
M. A. MILLUC ilAU.
com a entrada pelo oilao.
Pelo navio Nelie-Mathilde acaba-se de rcceberl
um lindo sortimento de chapeos da ultima moda,
parp senhora com sejam : chapeos de palha a bor-
la mu to ricos ; ditos declina ; ditos lisos da Ita-
lia, ou inglczes chapeos da palha aberta, para mo-
cinhas; um grande escolhimento de filas de setim e
seda tanto para toucas de meninas como para ves-
tidos e chapeos de senhora ; manteletes-palitos pira
senhora moda nova e muilo elegante; bicos bran-
cos e pretos verdadeiros ; trancas de seda de toda
as cores para epfeitar vestidos; ricos lencinhos da
ganja-; cabcsOes bordados ; plumas ricas; caniisi-
nbas bordadas ; enfeites de cabera para saraos a
bailes; punhos burilados ; capailas e ramos de ll-
resele laranjas pBra noitfas-; um grande sortimen-
to de flores de todxs as qualiilatlos ; luvas para se-
nhora o meninas; cambraia de linho, etc. As se-
nhoras acliaian sempre um lindo sortimento de ch-
peos de seda e fanlesia de verdadeira moda (tela-
das as cores e por pre^o muilo em conta: no Alef-
ro-da-Boa-Vista, n. 1, por cima da loja fechada.
Novo pao Provenca.-
Manoel Ignacio da Silva Teixeira com padara ni
praca da S.-Cruz tem n satisfaeflo de fazer putUco
que ha 15 dias fabrica o novo pao Provenga e^>
est inleiramente habilitado no seu modo de fabri-
co podendo asseverar que he o melhor pilo que nes-
ta provincia se tem usado ,No Rio-de-Janeiro e Ba-
bia ha limito que gozam desla forma de pilo e al-
guma cousa se deve ao introductor por excitar i
curiosidade e cada um so esmorar em melhor o
apresentar nflo roubando a primazia julgo telo
presentado o melhor possivel: quem o tem usad*
o dir. Todos os dias as 6 horas da manhfla estar i
venda, tanto nesta padara como no deposito di
mesma, na travessa da Madre-de-Deos ,' n 13.
O Sr. padre Candidojos Coelho, morador ni
villa de Estremoz quera mandar pagar a quantu
de 62,000 rs. que deve desde 1842; bem como os Srs.
Manuel Theodorod.) Almeida Albuquerque, inow-
dor na Parahiba 13,000 rs., de 1842 ; Jos l'inheiro
Salgado de Araujo, morador no engenho Ubici,
24,400 rs. de 1843; Filippe.Diniz Cavalcante, mo-
rador m Timb 9,000 rs. de 1843 ; Bunio Martn*
Concalvos Lisboa ,21,500 rs. do 1844; Joflo Jos
da Silva Caprislano ( inculca-so cstudanlo ) 35.0IN
rs. do 1846; Antonio do Medeiros, 8,000 rs., <
1845 ; Joaquim Tlieodoro Alves, 36,380 rs ,-de iVK
Joflo do Allomfio Sisnoro da Cmara,. 19,000,rs.,
de 18(3 ; Francisco *oares da Silva, morador P
Cabo, 12,000 rs., de 1843; Augusto Carlos de Lemoi
IPacheco, 46,340 rs.. de. 1843; Manoel Joaquim
Autunes, morador na Varzoa 6,900 rs. del83;
Jos Thomaz da..Silva, |22,920 rs., de 1813; Ju>"
quiui Dusebio, 7,600 rs., de 1841: na ra Nova.n. 1i
loja de alfaiate.
O abaixo assignado, j cansado com os seus remis-
sos doVedorcs, por <:ausa dalles, nflo podendo
andar em da lie obrigado a laucar inflo deste meio,
nflo s para estes como para oulros quo d'ora coi
diante terflo de sor lemGrados pura que venbam pa-
gar suas contas. O abaixo assignado est certo qua
esse meio para muitos lio desagradavel, pore*
olhem para os annos, e vejajn se um artista he c/
pitalsta pira estar no desembolio.de tantas quan-
las que montam a contosdo ris, pelo quo ira con-
tinuando.
M. A. Cj.
" Precisa- d nm nri >ra lodo O wvm : ni
ra larga do Rozarlo, n. 48, segundo andar.


3
Lotera do jeatro publico.
Olliesoureiro desta lotera tem marca-
KHo o dia ai'denoyembro prximo futuro
.yj,. o andumeiilo das rodas, e julga que
oiiicsm andamento ser nfallivel vista
da rapidei com que os bilhetes se eslo
venciendo nos logares do costume.
Dcsappareceu, sabbado, 28 desle moz, urna mu-
lalinha chamada Josepha: leudo idodeitarna ponte
Vellia Ul" bocado de lixo, para onde bola o fundo
do quintal de aeu sonhor, desappareceu : e como
nloera costumada a andar na ra, por isso nilo sabe
ruaalguma, e ho provavel que entrasse emalguma
casa perlo dn mesma ponto Velba e esteja como for-
ra os trajos com que ella sabio sao; vestido de
chita e camisa, com sapalos, o maior signa) be ter o
cabello corlado inuilo rente, bastante alva, falla
nimio explicado o he capaz de engaar qualquer pes-
soa de entendimento, com idade de 11 annos; o mo-
tivo de sua fgida foi sua senhora promelter dar-lho
quaudo ella voltasse; por aso quem a tiver reco-
Ihida leve a casa do abaixo assignadoquo ho o seu
senbor, o qual igualmente recommenda as autori-
dades a.s mesmas pesquisas a tal respeito.
Joaquim Carneiro Leal.
Fugio. n0 ''ia 38 d outubro corrento, urna es-
crava crioula do nomo Germana, com os slgnaes se-
puinles estatura regular, secca do corpo, testa
grande sabida para fra, nariz pequeo e adiado,
(illios pequeos, cor fula, com urna costura pogada
ao cabello na fronto da testa, e uus cabellos brancas
na nicsiiia costura, levou loda a roupa, panno da
Costa azul cercado lias duas cabeceiras, e j foi vista no Pombal, pois
esta escrava foi do Sr. Francisco Joaquim, oscrivffo
dosorphlos, morador no dito lugar: quem a pegar
leve-a a ra do Crespo, loja de iniudezas, n. 11, que
ser recompensado.
Aluga-se a casa de tres andares, sita
ni na d j Vigario n. 5, propria para qual-
quer estrangeiro, ou mesnu para familia,
ni andares apartados : a tratar na mesma
'na, n. 7.
Os Srs. a.ssignantes da .Lizia poe-
tic.i queiram mandar receber os ns. 1 a 5
do terceiro volume na ra da Gadeia do
I'ecife, loja de Joao da Cunba Vlaga-
lliaes.
Na mesma loja ven lom-se as poesas de Jo.lo de
l,omosSoixas Castello-Branco, por 1,500 rs. ; o Amor
c melancola por Castilho, ornado com tres riqu-
simas estampas lylhographadas, por. 3,000 rs.; os
quadros histricos da Portugal, por Castilho; ri-
qusimas estampas lytographadas, em brochura,
Pretende-so ber se nesti provincia existe"1
parantes de Manoel Archanjo dos Santos, ou de sua
muIhcr.Manoela do Nasciuiento de Jess ambos na-
turaes desta cidade. '. -.
Precisa-se de um feltor que trabalhe entenda
("de IiuiU ,arvoredo, jardime vareas: na Magdale-
na, estrada Nova, primeiro sitio com portilo de
ferro.
-- Offeroce-se um rapaz braslero para caxeiro
de ra, ou qualquer estabelecimenlo, excepto venda:
pa ra do S.-Francisco casa n. 24, da esquina que
volta para a ra da Florentina.
NOVO PAO DE PROVENGA. A
*7
por 6,000 rs.
Dentista.
- M. S. Mawson, cirurgio dentista,
tem a honra de participar a seus fregue-
zes, e em geral ao respeitavel public,
que tem mudado sua residencia para n
na Nova, n. ai, primeiro andar. Espe-
ra que todas as pessas que precisaren)
de seu prestimo, bem reconbecido nesta
cidade por muitos annos, continuem com
a sua proteccao ; esmerando-se elle no
desempenho da sua arte, e remuneran-
do-as com a sua promptidao e commodi-
dade nos precos.
Precisa-se do um trabalhador do masseiro : na
ra da Florentina, n. 3.
Jos Joaquim Alves Taixeira participa ao Sr.
collertor do imposto das ago'ardcntes de producgfo
brasileira, que deixou do vender dito espirito na
sua venda sita na Trompoj n. 1,
Aluga-se o primeiro andar do sobrado atrs da
matriz da Uoa-Vista', n. 26, com bons commodos,
muito fresco: est caiado e pintado do novo : os
pretendentes drijam-so a loja do mesmo sobrado a
qualquer hora do da que acharan com quem tratar.
Quem perdeu urna uaixa de tartaruga com fir-
na du oui'o ilii ija-se a barroira do Molocolomb ,
que, dndoos signaos, lhe ser restituida, pagan-
doo annuncio.
Um bomem casado, brasUeiro, de
boa conducta, pela qnal d pessoas que a
afiancem, se offerece para caixeiro de ra
de qualquer casa de negocio, ou mesmo
para algum cngenbo : na ra de liortas
juntoa igreja dos Marlyrios, n. \!\\t pri-
ineiro andar.
--Manoel Fernandos da Costa participa aoSr. col-
lector Jo imposto das agoas ardentes de producgflo
brasileira, Tjue deixou de vender dito espirito desdo
odia 20 do correte, na sua voiula na ra da Cruz,
n. 39.
Houbo.
No (lia 24 do corrente, foi roubada urna porcilo de
rui'pa da nasa da ra do Collcgio, n. 21, onde mora
o abaixo assignado, sendo tres jaquetas de riscado
pma dealpaka, duas calcas do casimira de core
uma de brim, quatro collotes o dous chapeos de me-
ri", um branco e um prolo, ambos de mola, dous
loncos de seda para grvala, um pardobotins esa-
Patos do Iqslro, seis camisas do riscado e brancas ;
* bem assii um rologio de saboneto do prata o com
o mostrador descoberto: o sendo estes objectos os
principaos, roga-so ao mesmo roubador haj de os
mandar restituir, do contrrio*sar-so-ha dos meos
que a le faculta, visto havor indicio jado sua pesT
soa. *
Joilo Tliorna: l'aiehoal Ramos.
-- Precisa-se do um forneiro quo soja bom e de
uo.us aniassadores : paga-so bom, agradando: em
Olinda na paitara do Varadouro.
Anda ha algumas casas para ala-
gar pa Capunga, a& p do porto da Na-
V&o, com muito bons commodos : a tratar
no sobrado ao pedo dito porto.
O 8r. Jos da Costa Machado Jnior queira ap-
iu n, para se tratar negocio do seu interesso,

I
Vende-ie todos os dial. \J
O proprietario da padaria e paitellaria franceza i\
do Atrrro-da-Hoa-Vista, n.50, desejando agradar vP
cada vez mala aos seus freguetes, resolveu offere- B
ccr-lhes um pao que se fabrica em Provenga por J
um processo muito difl'erente do ordinario, e que, W
eiigiudo farinha das melhorea qualidades, mere- gn
ce a preferencia do publico, pela aua alvura, V
pureza e delicadesa de sua fabricacao. /ft
S ae faro pes de 40, 80 e 160 rs., e aera fcil W
conhcce-Ios pela aua forma oblonga e elegante. A
Na mesilla casa contina-se taiubem a vender **
bolinhos para cha de todas as qualidades, e tm- f0
fc bem a enfeitar bandejas rkas para bailes c*
^ rao. V
Jos Joaquim Ribeiro, com venda na Casa-For-
te deixou de vender ago'arJcnte de prodcelo
brasileira, desde o da 24 de outubro do corrente
anuo.
Angelo Custodio da Luz deixou de vender agoa-
ardonte de produccito brasileira, desde o da 24 de
outubro na sua sua venda na Casa-Forte.
Desoja-se fallar com os Srs. J0S0 Rboiro de
Souza e Antonio Itodrgues de Moraes, a negocio que
Ihes diz respeito : na ra Nova, n. 38, segundo an-
dar.
Furlaram, do engei.ho Paralzo, freguezia da es-
cada dous cavallos, sendo um mellado-claro, ca-
pado,-lamunlio regular com os cabellos da cauda
e dinas pretos; tem dous tallos na lingoa : o segun-
do he alazSo-escuro, cabellos da cauda o dinas da
mesma cor do corpo; tem uma estrella* na testa;
tambem he capado; tem carrego baixo o pequea
ligiira. Roga-se, portanto, s autoridades competen-
leso a qualquer pessoa do povo que os apprehon-
der os leve ao mesmo engenho ou na ra de liortas,
n. 56, quesenlo generosamente recompensados.
Auga-se o segundo andar do sobrado da ra
Direila 11. 20,, com bastantes commodos para fami-
lia :a tratar na mesma ra n. 93, primeiro andar.
Sendo 0111 18 do corrente ( pelo juizo do civel e
cartorio dodoutor Cunha ) homologada a concor-
data estahelccida entre Pedro Alexandrino Comes c
seus credores o leudo depois alguns destes pedido
vista da referida concordata nao obstante a lerem
assignado se faz publico essa occorrencia, am dos
credores comuns deliberem como julgarem em seu
heneficio.
Precisa-se Tallar com o Sr. Joo Climaco Fer-
nandas Cavalcante, senhor do engenho Tolha em'
SeriobSem para negocio de seu iuteresse : na ra
da Praia, n. 37.
Perdeu-se um efio bastante grande do Terra-
Nova, todo branco e muito mauso|: quem|o tiver
adiado leve-o a ra da Cruz, no llecife, n. 45, ou
na Ponle-de-Ucha 110 sitio da'viuva Amorim, quo
se gratificar.
Precisa-se de um pequeo para caixeiro de
venda, de 12 a 14 annos, anda mssmo sem pratica ,
pormqued conhecimento do su y conduela: na
ra do Colovello 11. 31.
A pessoa que annuhciou querer comprar os
diccionarios do Moraes da quarta edicto dirija-so
a ra da Cadeia loja n. 55.
PARA A FESTA.
No principio da ra da Calcada por detrs da Pe-
nha, n. 6, se fazem vestidos a 1,000 e 4,000 rs., con-
forme a qualidade e o trabalho; chapos', a 2,000
rs., e dando-so os avianientos', o menor preco he
8,000 rs., 011 por outro preQo maior conforme fr
enfeilado : lambem se fazem espartilhos, a 2,000 r.|;
toucas e todas as mais obras e costuras proprias
para senhora e camisas para homem : ludo por pre-
co commodo com perfeicao, na ultima moda e com
pouca demora.
Ro Aterro-da-Boa-Visla, de-
fronte (la cnltinga,
hito chegados muito bons marroquins couros da
lustro % bezerro* Trance es :ludo de superior quali-
dade e por preco commodo. .
Na ra das Cruzes, n. 4t, vcnde-sccal de Lis-
boa, panno do linho, mermelada em caitas do qu-
tra libras e meia, muito nova e por prec commodo.
~ Vende-se effectivamente qualquer porreo de li-
jlos do alvenaria prossa, do bom barro o bem cozi-
dos, e da marca, maior que ha e que muito augmen-
ta as obras; bolando-se em qualquer porto: para
ver e tratar na ra Direila casa, n. 70, do Sr. Jos
Joaquim de Abreu.
Vondem-se efectivamente lijlos de alvenaria
grossa de muito bom barro, bem cozidos e pelo mais
mdico preco possivel: a tratar na ra esteita do
Rosario, n. 15.
Vendem-se 4 bonitos moloques, deica 18 an-
nos, de nacSo, sem vicios ; 1 escravo de bonita (-
gura, carpina ; 1 dito bom canooiro, e ganhador de
ra, aflianca-so a boa conducta ; 1 dito bom carrei-
roe trabalhador de roQa ; 1 mulatinho, de 13 annos,
bom para pagem, ou para odlcio ; 2escravas mocas
boas para todo o servico ; 2 nearinhas, de 13 a 14
annos, sem vicios : na ra do Vigario, n. 24.
Vendom-so dous relogios do ouro, -duas cor-
renles, um annel, om habito do Christo, um par de
brincos de pedras, uma salva de prata, uma serafi-
na do boas vozes e propria para aprender a locar pia-
no, e uma bandeira nacional propria para grande
parada por ser muito bem feita : na ra do Queima-
do, n. 14.
Compras.
Compram-se escravos que sejam odlcias de car-
pina, de 18 a 25 annos e de boas figuras ; pagam-se
bem sendo do bons costume's e peritos no seu ofTi-
eio poisso para urna encommenda do Itio-de-Ja-
neiro : na ra do Amorim, n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compra-se um escravo com officio de lanoeiro,
uma vez quo seja perito,ao qual agradando n5o se du-
vida pagar bom : em casa de Amorim IrmSos, na
ra da Cadeia,-n. 39.
Compra-so um cavallo manso bom passeiroe
forte, o que sirva para urna senhora fazer uma via-
gem tonga : quem tiver annuncie.
Compra-sc o paga-se bem l"a de Trecha su-
uiauma ou barriguda : na ra Nova, n. 28, loja de
selleiro quasi em frente d igreja de M. S. da Con-
ceicflo dos militares.
DE 6 PORTA S WJ2
;Na ra do l.ivramento loja do nicho, ven-
dem-sc cortes de cassas finas do cores fixas
a 2,240.
Vendas.
Vende-so um mulatinho do 8 a 9 annos, de bo-
nita figura, e que he bem hbil: na ra Nova, n
14, primeiro andar, onde se dir o motivo por quo
se vende.
Vende-se, por preciso, uma bonita escrava do
nacfo sem vicios era achaques de 20 annos, que
cozinha, lava ongomma e cose : na ra das Cru-
zes, n. 4.
Vendo-se, para o Rio-Crande-do-Sul, ou Riq-do-
Janeiro, um bonito molcque, oflicial de carpina:
na ra de Agoas-Verdes, n. 46.
-- Vende-se uma casa de taipa, bem feita, na
principal ra do Pedras-de-Fogo, por preco commo-
do : no Atcrro-da-Ila-Vista,fabrica de licoros, n. 17.
Vendem-se toros de angico.juc e oulras qua-
lidados, proprios para fazer trastes : no Aterro-da-
Ba-Vista, fabrica de licores, n. 17.
NA RA SOYA, n. 10,
|i* ricos cortes de seda de cores com lislras ; rieos
leques de inarde-perola, com borlas douradas, azues
c passarinbos brancos os quaes sao proprios para
csssK,eslc, "sr ernm iiovamente chegados da
liunca porprcQocommodo.
Por consonso do governo imperial, vende-se o
engenho Camassari, distante desta cidade quatro lo-
ioas, pertencente ao patrimonio dos conventos do
Carmo da provincia da Babia : quem o pretender di-
rija-se casa de Lima Jnior* C. no bairro do He-
cil'e, ruada Cruz, n. 28.
Vendem-so velas de cera de carnauba da melbor
qualidade possivel, a 280 ris em arroba, e em li-
bras a 300 ris : na ra do Hortas, n. 110, casa do
Sr. Loureiro.
Ilgoddo monstro de 8 palmos
c meio de largura.
Na loja n. 5, que faz esquina para a ra do Colle-
gio deCuimarIes& Companhia vende-se a nova
fazenda de algodfto branco muito proprio para loa-
ItlM pelo barato prego do 640 rs. -se amostra.
Vende-se alcatrao da Suecia, de
boa qualidade, em Larris bem acondicio-
nadas com arcos de ferro : na ra do Vi-
gario, ti. 4-
Vende-se, por nSo se poder conduzir para o
mallo, um piano em muito bom estado c de mui-
to boas vozes por melado de seu valor: na ra do
Queimado, ti. 17, segundo andar.
Vende-se um prcto do bonita figura perfeito
canoeiro; uma npgrinlw de 12 annos, muito boa
coslureira : no pateo da matriz do S.-Antonio loja
n. 4, se dir quem vende.
Cera de Lisboa.
Na ra da Cruz, n. 60, ha um completo sortimen-
to de cera de Lisboa em caixas de todos os tuma-
nhosquo os compradores desejarem ; as9im como
tambem ha Uma grande porcilo da que vein era gru-
mo e em pilo vende-se por menos prego do que em
outra qualquer parte.
Na loja do Passeio-Publico ,
n. 19 de Manoel Joaquim
'Pascoal Hamos,
vende-se riscado do algodo para cortinados a 120
rs. o covado e 2,400 rs. a peca com 24 covados;
riscado monstro a280rs. ; cortes do casimira, a
4,000 rs. ; ditos de l"a a 2,000 rs.; castor para cal-
gas a 200-fi 360 rs. ; madapoliio, a 3,000 o 5,500 rs.;
riscados frsncezes, a 200 rs.; ditos muito finos a
280 rs. o covado ; chales de larlatana de se.la. a 9,000
rs. ; mantas de seda a 10,000 rs. ; lencos do gar-
fa a 1,000 rs.; ditos de seda, a 1,000 rs.; panno fi-
no azul a 4,000 rs. ; dito preto de 3,500 a 5,500
rs.; chitas encarnadas muito finas padrocs moder-
nos, a 280 rs. o covado ; e oulras nimias fazendas
por prego commodo. .
Vende-se caivetes de cabo de ma-
dre-perola, de uma olba at quatro ; di-
tos de punbal ; tesouras para unbas, fi-
nas ; ditas de costura ; ditas com caive-
tes ; colbercsde metal do principe, para
cb ; saca-rolhas de patente ; eslojos de na-
vallias; aiadores, com sua competente
pedra; dos melliores.quc leem apparecido :
na loja dequalro portas da ruado Cabuga
do Duarlc.
Agencia da fundic
Low-lloor, ra da fctefiza
nova, 11. 42.
Nesle estabclecimenlo contina a ha
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, pau cngenbo ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Na loja de quatro portas da ra do
Cabug, n. 1 C, do Duarte, tem um
completo sortimento de perfumaras, por
precos mais commodos do que em outra
qualquer parle.
V lili o-barato.
Aclia-se estabelecido na ra da Madre-de-Deos ,
n. 36, um armazem de
Vinhos da Figucira,
do ptima qualidade, a prego do 1,120 rs. a caada,
o a 160 rs a garrafa ; e nara n3o baver dolo do com-
prador ser.lo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebondo-so a garrafa vasia, o dando-se (inmediata-
mente a outra cheia : tuinbom ha liarris muito pe-
queos proprios para quem passa a lesta. O pro-
prietario dcsto estabclecimenlo pede encarecida-
mente que so uo illudam avahando, pelo diminuto
preco e sem conhecimento de causa a qualidade de
sua fazenda, digna pur corto da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Ellecoiita que quem
uma vez provar, continuara com gosto e sem arre-
pendimento. E o bom preco!!.' A todo o exposto
accrcsceoasscio e bou acondicionamehto, o que
ludo se poder verificar em dito cslabelecimenlo.
Ciuariillios liespanlies ver-
daderos. *
Quem nlo traga uma fumaga produzid por estes
deliciosos cigarrilhos', nllo se pode contar no nume-
lodaquelles que sahein apreciar os deleites da vida
contempornea : e as pessoas quo so julgarem nes-
tas circumstancias, dirijam-se atrs da matriz do
Corpo-Santo, no Recife, venda n. 66.
A 1,600 cada um.
Na loja de Cuimarfles & C, que faz esquina para a
ra do Collegio, 11. 5, vendem-so brrelos de seda
para padre, pelo barato prego de 1,600 rs. cada um.
FARELO,
a 4,500 rs. a barrica no armazem n, 20, de Joaquim
da Silva Lopes, confronte a guarda da alfandega.
Potassa.
Desembarcou lia poneos das urna por-
cSo de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, c se acbam venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se vendia, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de Baltai &Uliveira, n. 12.
Saccas com milho ,
a 5,200 rs.:
vendem-ss no armazem do,Bacelar, no caes da Al-
fa 11 dega.
Vende-se cal virgem de Lisboa', em barra de A
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar com Almeidaac Fonseca.na ra do Apollo.
Vendem-se barra pequeos com cal virgem de Lis-
boa a mais nova que ha no mercado. por preco com-
modo : na ra da Moda armazem n. 17.
S %
$ Potassa nova c superior. 3
* f<
^ Vende-se a 2 5o rs. cada libra,na r
S ra do Apollo armazem n. 18, ou ^g
*" na ra da Cadeia, n. 4o- |
Venderse hum bonito moleque de 13] annos, e
uma inulatinha de 7 annos, propria para dar-se a
huma menina : na na larga do Rozario, n. 46, pri-
meiro andar.
Vende-se urna.negra moca, de bo-
nita figura, que cozinha, lava e coze ; iioi
moleque de mui linda figura, proprio pa-
ra todo servico e para pagem ; um mula-
tinho, de i a a i a annos : todos sem vi
cios nemachaques: na ra do Crespo,
loja n. 2 A,se dir quem vende.
Vende-so a dinheiro ou a prazo, por inleiro,
ou por metade, urna legos do Ierra no riacho Caru-
r termo da villa do Alhalaia com urna legoa de
fundo confronte a Ierra denominada Casa-do-Pa-
Iha de Jos Pires da Silva que Tica do lado do sul
do dito riacho : o prego do loda a ierra a dinheiro
he do um cont e duzentos mil rs. e de seiscentos
mil rs. sondo metade : u prazo sor pelo que se ajus-
far : na ra do Rangel, n. 45.
Vendem-se caixas de vidro, mui
bem enfeitadas, para guardar joias, por
preco commodo: na leja de quatro portas
da i na do Cabug, >. i C, do Duuiic.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Itab i a ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Bieber & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
No armazem n. 44 da na do Tra-
piche ha para vender urna porcSo de so-
brecasacas, por muito diminuto preco,
ebegadas no ultimo navio da Inglaterra,
sendo muito proprias para casa, escrito-
rios, ou para quem passa a festa, por se-
ren feitas de linho e oulras fazendas de
gosto ; igualmente ha uma porcao de ca-
misas brancas, com peitos e punhosde li-
nho, e algumas ditas de riscado. .
-- Vende-se a armaguo, sem fazendas, da loja da
ra doPasseio, n. 17.
--Vende-se um checheo muito manso e excel-
lente cantador ; bem como uma grande serpento
viva encerrada em urna furto gaiola propria para
ser levada para qualquer paiz estrangeiro: na ra
ua r lorenliua, a. 16.
,i
I MUTILADO


ulem-se dous pimot fortes, de Jacaranda,
machanismo do multo" aprovada e nova inven-
chamado repetidor patente do Collard ; cha-
j de llavana por prego mais commodo do que
'oulra qualquer parle; urna marhina de lytogra-
p'"a enm pedras, tintas o mais pertences; un com-
pleto soilirncnlo de instrumentos do msica, tan-
to de metal como de madeira ; bustos do gesso re-
presentando inuito fielmente a rainlia Victoria o o
principo Alberto; relogios deouroo de prata che-
ga los ultimmenlo da Suissa. Estes relogios que
sao muito bem acabados so lornam muito recom-
mendaveis a qualquer particular e adverte-se que
ha entro elles alguns que andam oito das sem preci-
saren! de corda : na ra da f.ruz, n. 55.
VeHde-seuma padaria na ra de Henifica na
Passagem-da-Magdalcna, muito bem afroguezBda ,
que desmancha 5 arrobas de farinb em pito o urna
Jornada de bolacha por dia com dous cscravos do
mesmo servico ; a qual lambem lem commods |>ara
familia: ailinheiro a vista se far lodo o negocio:
na ra Real, no Manguind, n. 5t.
lisio jos.
Na lojft da ra do Cabug, n. i C, de
.Dnarte, de qtiatro portas, tem estojos
denavalhas com pertences, por preoos
commods.
Vende-se oleo de linhacn, de
superior rpialidade : no armazern de An-
tonio Annes Jacome Pires, no caes da
Allandega.
Vende-so um casal de viados capoeiros pti-
mos para se mandaren! para a Furopa por seren
milito mansos : na ra da Pitia, n. 24.
Vendom-se resmas de papel, almaco branco
pretina e do primeira qualidade; ditas almaco do
.segunda qualidade ; ditas do peso, hranco e azul,
do boa qualidade por prego barato : na praga da
Independencia, n. 4.
Vendem-se tres barriscom azeile de carrapato,
por proco commodo: na ra do Livramcnto n. 20.
Ven dc-se una parda de elegante figura de 18
aunos muito boa ongomniadeira coslureira, e quo
tic propria para mugaina : na ra .Nova, n. 20.
Meias de seda de Lisboa.
Na ruado Cabug, n. i C, do Duarte,
acaba de se receber um sortimento de
meias de seda, proprias para os senbores
sacerdotes, e pira bomens esenboras.
A boa qualidade destas meias s com a
vista se poder conbecer a sua duracao.
Vende-so um carro de mo de conduzir fuyen-
das ou assucar, muito bom construido e forte na-j
ra do Brum armazein do sobrado novo da esqui-
na passando a fundigo do Mosquita por detrs
do arsenal de marinha.
~ Vende-se una escrava crioula de t8 anuos quo
lie rendeira, coslureira lo/.inhcira e faz todo o
mais servido de ums casa, inclusive engommaJo:
na ra do Queimado, luja n. 27.
Botoes.
He ebegado, por o ultimo navio de
Franca, um completo sortimento de bolSes
da ultima moda usada cm Pars ; a saber:
abotuaduras amarellas para casaca das
pessoas de grande lom, e para roupa^
de meninos ; e de seda, proprias de infei-
tes de vestidos de senbora ; e de Pedro II,
o unlliui' domado que aqui tem appire-
cido ; e para cavallaria da guarda nacio-
nal, infantatia de primeiralinba,carado-
res, artfices, c oulras corporacocs milita-
es; assim como cordoesde esquisitascics,
de seda e algodvio, c de dr.bruin, para
casacas.-, c sitas amostras se acharo paten-
tes aos senbores compradores : na loja
da ra do ('aug, de qualro portas, n.
i C, do Duarte.
Vendem-se, pecas de madapolSo largo com 20
varas, a 2,800 e 3,000 rs., ca reta I ho a 7 e 8 vin-
tn : na ra do Passeio, loja n. 17.
8a bao. porluguez.
Vende-se sabao branco, fino, da
fabrica de Lisboa. Este sabao be conbe-
cido em Portugal por saldo de sedas, e
por isso proprio para lavar as mesmas,
jilos de linho c toda a qualidade de fa-
zendas finas : v.endo-sc em caixas de
arroba, e s meias arrobas, sollo, na ra
da Cadeia do Recife, loja de ferragens
de Joo Jos de Carvalbo Moracs.
Lotera do Io-de-Jancio.
Aos 20:000,000 de rs.
Vendem-se buhles da primeira lotera concedi-
da ao thesoro nacional para a indemnisaciTo da
prestaco que d ao thoalro de S.-Francisco da cor-
te, cujas rodas teem o seu devido andamento al o
fien do presente mez : vondem-se na ra da Cadeia
doltecife, loja n.5!.
Na venda do Uento Joo Cardozo, na rua Direi-L
ta, n. 95, ha superior cal de Lisboa, em barris do 4 a
5 arrobas chogada prximamente, por mais com-
modo prego do que em oulra qualquer parte.
-- Vende-se urna bonita mlatinha do 18 anuos,
propria para todo o servico de casa : na ra da Ca-
deia doltecife, loja de Jolo da Cunha Magalliucs.
Vende-se superior linla de escrever cm garra-
fas e mehs ditas : na ra do Vigario, n. 15.
"Vende-so urna cadeirinlia em bom estado:, na
ruadoQucirpado, n. 40, segundo andar.
--Vendem-so saceos com superior milho, por
mdico prego : na ra do Queitnado, n. 44.
Vende-se, no armazern que ful do Braeuez
muilo superior Tumo cm faina tinto Dar mi,. !
jopara milo, por prego commodo. '~
Vendem-se abobaras para doce muilo em con-
ta : no sitio de S.-Amarinho, que foi de Manoel Luii
da Veiga tratar com Domingos da Silva Ferreira.
Ventie-se um apparelho oompelo para ofllcial
le cavallaria por barato preco : a tratar com Do-
mingos da Silva Ferreira no sitio Araci*, em S.-
Amarinuo.
Vinho da Figueira, barato.
Na ra do Amorim, n. 36, conliuia-so a vender a
ptima pinga da Figueira, a.140 rs. a garrafa. Adver-
te-so que o barato prego por quo se vende, em na-
da desmereco a qualidade dos mau ja annunciados
a 160 rs., epara conhecer a sua qualidade precisa-so
de pouco dispendio com o qual se poder verificar
da veracidadedeste aviso.
Vendem-se alfinetes do peito para sonhora, com
o retrato verdaiteiro de Pi IX, nico papa liberal
que tem liavido no mundo; botOes para camisa a
nacional, verdee amarello; navalhas chlnezas para
barba: ditas inglezas; oculos para vista cansada;
finissimas tesouras para unhas e para costura ; pa-
pel do peso e almaco a 2,600 rs. a resma de 85 ca-
dernos;-pennas para secretaria, a 320 rs o quar-
tcirSo; meias para liomem a 160 rs.; um mole-
quede 12 aunos ; urna nogrinha da mesma idado ;
urna mlatinha do 7 anuos : ludo para fazer dinhei-
io para a festa : na ra larga do Rozario, n. 35, loja
do Lody.
Vende-se um escravo de nac.1o Angola, de 24
anuos proprio para todo o servico : ao comprador
se dir o motivo por que se vende: na ra das Trin-
cheras, sobrado n. 16.
Veudc-se o engenho Amazonas distante desta
praga 9 legoas : este engenho so acha moenie e cor-
rento, eofferece todas as vantagens, pela fertilida-
de de seu terreno ter boas mallas, e ser muito ma-
nciro : na Soledade, silio que foi de Manoel ler-
nardino.
Vende-se um par de bancas de Jacaranda e en-
vernizadas de novo, em bom estado : no Alerro-da-
BOa-Vista, n. 86, segundo andar.
He pecliiucba.
Superiores regalos da llavana pelo diminuto pre-
co de 2,500 rs. seu proprio cusi, e oulras mais
qualidades de charutos, por menos prego do que
cm oulra qualquer parte : na ra larga do Hozario,
II. 32.
Vende-se um sobrado de um andar,
na ra do Hospicio, junto venda do
Lefio d'ouro, muito fresco e com linda
vista ; com porta coebeira, una rica sala
dourada, e todos os mais commods com
asscio, bom quintal com parreiras e ca-
cimba de boa agoa de beber : a tratar com
o dono, na mesma casa.
Churulos da llavana,
vindos no patacho hespanhol Huracn vendem-se
na rua da Cruz no Recife, armazern n. 13.
Pechincha.
No Attcrro-da-Boa-V'ist, n. 78, vondem-sosapatos
o cordoAo de lustro para senhora a 1,000 rs
d'tosde marroquim, a 800 rs ; bolina do duraque
p ara senhora a 2,000 rs. ; sapatos de bezerro de
sola e vira, pura homem, a 2,240 e 2,560 rs.; bolins,
a 6,000 rs,; bonetes de riscado a 320 rs.
Na livraria da rua da Cruz, vende-se'o dic-
cionario de Moracs da quarta edico.
Vende-so um escravo mogo, bonita figura, com
oflicio de pedreiro: quem o pretender dirija-s rua
do Crespo, n. 11.
Na loja da rua do Crespo, n. 5 A,
ao p do arco de Santo-Antonio, vendem-
se pecas de madapoln tino
A
20 annni; duas mulaUnhas de 7 a 14 annoa.com deira grande de magisterio : a
principios de habilidades; 3 pretas com habilida- "
Jes: na rua do Collogio, n. 3, ae dir quem vende.'
--Vende-so um elegante carro de 4 rodas fello
por encommenda nos Kstados-Unidos ; ho muito
levo, e podo muito bem accommodar cinco pessoas
o serve para um ou dous cavallos : na coebeira do
Miguel, no Aterro-da->Boa-Visla ou na rua do Tra-
piche-Novo, n. 18.
Vende-se urna mesa de angico para meio de sa-
la em bom uso, por preco commodo : no Passeio-
l'ublico, casa de buhar.
Vende-se um cabriolel coberto com escolen-
les molas por 230,000 rs. : na coebeira de Jos Ma-
ra, na rua das Flores.
Na rua do Queimado n. 12,
vendem-se alguns pianos nglezes de mesa e de
armario, que s3o pouco usados, por preco commodo.
Vendem-se dous lindos moleques sadios e sem
deleito algum umde 7 annos e o oulra de *: no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 26, segundo andar.
Cerveja preta. cm botijas.
Contina-so a vender esta ta"o afamada cerveja.
em lotes de urna barrica para cima a vontado do
comprador: emeasa de Frcdorco Kobillard na
ruado Trapiche-Novo, n. 18. Na mesma casa ha
tambem um pequeo resto da mesma cerveja em
botijas muilo propria para casas particulares.
Sapatoes de 5 solas, a f 7000
No Alerro-da-Boa- Vista, loja, n. 78, acaba-se de
receber um novo sorlimenlo de sapatOes de 3 solas,
tanto de ps pequeos como grandes. As pessoas que
encommendaram, he tempo do virem a elles.
Vende-se a loja n. 5 da rua do Passeio, pti-
ma para um principiante, por ter poucos fundos e
vender muito a retalho: a tratar na mesma rua,
n. 19.
Machinas para copiar cartas
Em casa de Frederico Itobiliard na rua do Tra-
piche-Novo, n. 18, ha um pequeo reato destas ma-
chinas, tilo uteise necessaras a urna casa do com-
mercio, com seus competentes livros e pertences :
tambem so vendom livros separados papel em res-
mas e tinta de escrever: tudo proprio para as
mesmas.
ir?;
Uto da" Madre-de-lleoa. "cri
-Vende-se muilo superior lagedo de i..ka.
Vrrdrvrg^ro,rrn89*,rr0b" mdi>
Vende-se os mais ricos e mais
modernos corles de vestidos, de
seda de cores, tanto em goslo, co.
mo em qualidade, chegados no ul-
timo navio, tendo a superioridade
de nunca mofar, e com 32 covadoi
cada corte : na rua do Queimado
quatro cantos, loja da casa amarel-
1.a, n. 29.
Vendom-se 4 lindos molecotes, de 18 annm
sem vicios; 1 preto, bom carpina; 2 mulatinlio!'
de 12 a 18 annos, bons para pagens; 1 preta, de ele'
gante figura e sem vicios, que engomma be.m, cosi
nha e faz toda o mais seivigo de casa muito descnib!
ragada ; 1 prela, boa para rua ; 3 negrinhas de \l
15annos, sem vicios: na rua do Vigario, n. 24 s
dir quem vende.
Vendo-se umcurijdo Coianna, muito manso
e escolente cantador': na rua da Florintina, n
Vende-se, no armazern do Vicente Ferroira da
Cosa, na rua da Madre-Deos, semeas em sacias
grandes chegadas ltimamente de Trieste; vinho
da Figueira em barris o mais superior quo tem
vindo a esto mercado ,do muito conhecido autorFa.
bia"o; vinho abafado, em ancoretas de 4 e
caadas.
meia a 5
n n<
enfestado,
'j,oo rs.; ditos de gallo dourao, a
4,ooo rs.; pecas de brelanlia de rolo, com
1 o varas, o 2,000 rs.; pecasdecassa dequa-
dros broncos, proprias para baba dos,
com.8 varas e meia, a 2,600 rs.; sarja de
seda, prela, com quatro palmos de largu-
1a, propria para vestidos d senbora, a
*,5oo rs o covado ; mantas de tarlatana,
para senbora, a 1,000 rs. cada urna ; di-
tas de la c seda, para meninas, a 2,000
rs., e de seda a 7,000 rs.; casimiras enlis-
tadas, proprias. para palitos e calcas,
2,5oo rs. o covado ; cortes de cassas finas,
com 6 varas e meia 2,5oo rs.; e oulras
militas azendas, por preco commodo.
Para acabar.
Vendem-se borzeguns francezes para senhora,
pelo barato prego de 3,200 rs. ; dilos gaspeados para
liomem a 4.500 rs.; bolins de bezerro, a 5,500 rs
bolinsdc Lisboa, a 3,000 rs. ; borzeguins dilos, a
3,200 rs. ; sapa loes francezes de lustro a 5,000 rs.
sapalosdo lustro, de Lisboa, para senhora, a 1,600
rs.; ditos de duraque, a 800 rs.; ditos para meninas,
a 500 rs. ; ditos do lustro, para ditas a 1,000 rs.;
ditos com clcheles a 500 rs.; sapatos de lustro do
una sola, para homem a 1,000 rs.; bonetes de vel-
I udo para meninos, a 800 rs. ; ligas de seda para se-
nhora, a 800 rs.; agullieiros do marfim para dita;
dados de inartim: na rua da Cadeia do llecifo, n,
35. Declara-so que islo he a dinheiro.
Vende-se, na comarca doLimoeiro, meia le-
goa do Ierra com duas do fundo com casa para mo-
radia, tres curraos, um cercado, agude abundante
d'agoa seguro de mal triste : a tratar com Francis-
co Lopes Bandeira as Cinco-I'ontas casa de I)
llosa.
Vende-se urna mesa de Jacaranda, de meio de
sala om segunda mSo; urna cama de angico ; 6 ca-
dairas; umjogo de mesa* usadas; jogos de mesas
de amarello, novas ; cadoiras de oleo; ditas do ja-
caraod ; mesas do meio de sala, de oleo ; ditas de
Jacaranda; jocos de bancas d,e oleo; ditas de Jaca-
randa ; marquezas de oloo; meias commodas de
amarello; loucadoresde oleo ; ditos do Jacaranda
e mais diveraos Irasles : na rua da Cadeia de S -An-
tonio, 11.18.
Contia-se a. vender, na rua da
Cadeia do Hecife, n. 37, cera em
velas, fabricada no Kio-de-Jauei-
ro, em urna das melbores fabri-
cas, em caixas sortias ao gosto do
comprador e por preco commodo.
-- Vendem-se dous cabriolis com tffdos os ar,
reios e pertences necessarios, com cavallos ou sem
elles: na coebeira da rua Nova, n 54.
venuem-sc cinco indos moloques de 12 a 18 .
annos ; 4 pretas de 25 a 30 annos; 3 pardas de 16 a Vendem-se una bancos, torneiras e u
asag
Vende-se farinba de mandioca,
de muito boa qualidade e gosto : na rua
da Cadeia do bairro de Santo-Antonio,
casa 11. 25, primeiro andar.
Vende-se um laqueiro de prata,
completo, com algum uso : a tratar no
Aterro-da-Ba-Vista, n. 63, primeiro
andar
-- Vende-se salitre refinado de muito boa qualida-
de, em casa de Claudio Dubeux, na rua das Laran-
geiras, n 18. Na mesma casa sevendem urnas pipas
arqueadas de ferro, proprias para deslilac.3o e por
prego commodo.
Na rua de Agoas-Verdes,
n. 46,
vendem-se, por seu dono retirar-so para fra, 2
bonilascscravasdenagflo, de 18 a 20 annos, com
exccllentes habilidades e que nSo teem vicios nm
achaques ; um bonilo molcque do 15 annos ; um
d ito de 12 annos; 1 escravo proprio para palanquim,
ou armazern de assucar ; um dito; urna escrava boa
quitandeira e lavadeira ; urna dila dita ; una mu-
cama mlatinha muilo linda do 13 annos.
~ Vende-se, para fra da provincia, ou para en-
genho, urna escrava crioula, de 24 a 25 annos, do
bonita figura perita engommadeira coslureira e
cozinheira : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 26. segundo
andar.
TIJOLS DE MARMORE.
J. Saporill vendelijolos de marmore brancos e
azues do 10 pollegadas quadradas, por preco com-
modo no seuescnptorioda rua da Cruz, n. 18.
Vende-se um lindo molecote, de
nacfio Angola, de 17 a 18 annos', o qual
cuiinha a diario de urna casa : na rua da
Cadeia do Hecife, n. 37.
Vende-se urna porefto de vidros brancos embar-
ricados, promptos para embarcar: vista dolles so
Tara o prego : no Aterro da Roa-Vista, n. 44.
Vinho bom e barato.
Na esquina da rua do Vigario, n. 33, vonde-se su-
perior vinho do Lisboa e da Figueira a 150 rs. a
garrafa e em caada a 1,100 rs.
- Vende-se, a dinheiro, ou a prazo, meia Icgoa
de trra de frente, com urna legoa de fundo na
margem do no do Una, da parle do sul, con-
fronte a ierra do engenho Japaranduba principian-
do na barra da Trombeta pelo rio-do Una cima at
onde se completar a meia legoa, cujos fundos vilo
terminar com a torra concedida por sesmaria ao fal-
lecido sargonto-mr Antonio Casado Lima, as mar-
geos do rio l'roto, em que eslSo situados varios cn-
genhos : tambem so vende melade da dita Ierra a
saber : a meia legoa da margem do rio Una com o
fundo tambem de meia legoa o na mesma forma a
oulra meia legoa de fundo : o prego da meia legoa da
margem do rioUna ho do dous contos de ris a di-
nheiro ; o da outfa meia legoa ho de um cont de
ris, sendoa prazo ser pelo que so ajustar: na
rua do Raogel, 11. 45.
Vende-se por prego commodo, urna preta do
nagito Angica ; urna parda moga quo enlendo bom
de costura cima com principios de la varilo, renda,
o tambem onsaboa : ao comprador se dir o motivo
por quo se vuudem : no boceo do Carceroiro, n. 6,
---. He (llegado loja nova
do Aterro-da-Ba-Visla, n. <4(
um sortimento dos mais dd.
cados riscados denominados
monstros, ese venden, pelo jf.
minuto preco de 280 rs. o co-
vado.
Vendem-se ps de a raga da India, chegado-
ha pouco do Rio-de-Janeiro e plantados em sepa
rado : na rua da Florentina, u. 16.
t Vendem-se chapeos de castor branco
Jj^,000 rs. : s rus do Queimado, a. 22.
Escravos Fgidos
-- Fugio, no dia 25 do corrente, um preto criou-
lo, de nome Anselmo, baixo, grosso, cabega acha-
tada bem civilisado ; lovou alguma roupa ; soprte-
se ter sido seduzido : quem o pegar leve-o aos Afile-
los a seu senhor, ou ao doutor Sarment, que se-
r recompensado por Anlonio Manoel de Moraes.
-- Fugio, do engenho Bom-Jesus-da-lalta, na
noitede2l de outubro, Benedicta, crioula de 23
annos, estatura regular, cheia do corpo, cor um
pouco fula ; tem o pescogo mais preto que o corpo o
cara ol los redondos pequeos e pretos ; temas
fontes mais aperladas que a testa, beigos o nariz
grossos dentesalvoso sios : quem a pegar leve-a
a Jos Vieir'a Brasil no mesmo engenho, ou nesta
pragii no engenho da Torre, que sera generosamen-
te recompensado.
Fugio, na noite-de 20docorronte mez do ou-
tubro, do Va i a do uro de 01 inda um escravo oriou-
lo de nomo Francisco bem preto estatura regu-
lar ; tem urna orclha Turada, ondo carrega um brin-
quinho as vezes; tem falla do alguns denles, de
quarenta e tantos annos; he coznhero e nao mo;
fugio al sem chapeo eso com camisa de alpodilo-
zinho e caigas pretas. Quem o pegar leve-o ao heci-
fe ao reverendo Sr. D. abbade, junto ao conven-
to da Gloria ou a Olinda aos roverendos Srs. cono-
gos Pedro Jos de Queiroz c S e Placido Antonio
da Silva Santos, que se n compensar.
Fugio urna crioula do nomo alharina rom
ossignaes seguidles : alta, mag-a ; lem a barriga
um tanto crescda nariz grosso,, denles bonitos;
levouum roupflo de riscadinho cor de rosa, uim
saia de lila e oulra do chita esverdeada com iloui
babados guarnecidos com fita de velludo preto ,>U0
cabeefo de cassa de quadros com abertura e bolM
panno da Costa sem oslar embainhado; levou maii
urna sua filha de nome Mara do dous annos ; tem
as coxas unidas a ponto de a fazor espalhar os p*
para os lados; suspeita-se que esteja escondida era
Fra-dc-Portas e suspeita-o mais outra cousa que.por nfloeslar bem esmerilhada, nilo.se faz decla-
ragio alguma : quem a pegar' leve-a ao Aterro-da-
Hoa-Vsla, n. 42, quo ser gratificado: tambem se
protesta contra quem a tiver oceulta.
Fugio, no dia 18 do coi rento,, do engenho S.-
Joilo, no Cabo, Marcolno, pardo trigueiro de 19
annos estatura regular cara redonda olhos pe-
queos denles limados levou duas caigas, uoia de
brim pardo o oulra do riscado azul: quem o pe(!f
levo-o ao- referido engenho ou a casa de l.uiz Co-
mes Ferreira no Mondego, que ser generosamen-
te recompensado.
Desdo 14dcsctembro p. p. fugio una escra-
va cabra, de nome Bamiana de 23 annos bais.
secca do corpo bem fallante; levou vestido dcchiU
cor de rosa o panno da Costa com listras encarna-
das; foi escrava do engonho Nornga ; dcscnfia-50
que esteja l ou por >eus contornos onde tem l-
penles. Seu senhor, Manoel de Amorim Lima, nego-
ciante cm S.-Aino, protesta usar de todo o rigor das
leis contra quem a tenha acuitada, ou se.Inzua. I"-
ga-se a quem da mesma souber participar, ou ao
referido Amorim em S-Antilo a. Guilhcrme Selle.
no Recife, Aterro-da-Boa-Vista, n. 10, que ser w
compensado.
Se ausentou quarta- fe ira., 25 do corrento,
pelas 9 horas da noite do Aterro-da-Boa-Vista "
75, pelo porlo que sahe na Ponte-Velha urna prc'
ta que representa 30 annos pouco mais ou menos,
de cor bastante amarclla; tem os ps lodos cliaga-
dos do bixos; est muito magra ; ho crioula ; levou
saiado panno da Costa ; doscon(ia-so quo foi scJu-
zida e quo esteja por afci acoilada porque nunca
fugio. Boga-se a todas s autoridades, qu% a apre-
hendam c levem-na a sua sonhora na mesma casa,
assim como so protesta contra quem a tiver occulWi
ou seduzida. _
Ca-IPEBN. ; Hk TVP. DE M. F. DE PARIA
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3VDMBDRQ_03LEXJ INGEST_TIME 2013-04-24T18:33:07Z PACKAGE AA00011611_06549
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES