Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06544


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXIV.
n,.miOpubllca-seto.lo.odiasque nSo
dlfuc o"
eui tji"
phases da la NO MBZ DE OUTUBRO.
te aS. i I horas ettmln. da mnh-
9TS. ai. 1'> ",,a- d? t,rd
^.19.' 8 mi-da manh.
I.MW bfM ^
Terya-feira 24
PARTIDA DOS CORREIOS.
Gnianni e Parahiba, t seg*. e tfii-frlri>.
Rlo-G.-do-Norle, quintas-felras ao irrio-dia.
Cabo, Scrlnliem, Rlo-Formoso, Pnrto-Calro
Macelo, no 1.*, a II e 21 de cada inri.
Garanhiint c Bonito, a 8 e 23.
Boa-VUia e Florea, a 13 e 28.
Victoria, quiius-feiras.
Ulinda, todos os das.
PREMIAR DE HOJE.
Primeira, s 2 horas eM minutos da tarde.
Segunda, As 3 horas e 18 minutos da manh
de Outubro de 1848.
N. 158.
das da semana.
23 Segunda.S. lo*n Capl.irann. And. doJ.
dos orpll. do J. cir. i- lio I M da 2. r,
24 Terca. S. Rafael Archanjo. Aud. do J.
doc. da 1. v. e do J. de na ido 2. dlsl de t.
2V Quarla. 8. Crijpun e('.iipni.inn. Aud.do
J.doc.da 2. v. c deJ.depal dnSdltt. det.
28 Quinta, S. Evaristo. Aud.do J. de orph.
do J. M da I. v.
27 Seata. S. Elesbi. Aud. do J. do civ. e
doJ. de paz d> I dist de t.
'28 Sabbado. S. Siinoc s JudasTb.iddco.
29 Domingo. S. Feliciano.
CAMBIOS ISO DA DE 22 01'TV URO.
Sobre 1-ondres a 2.'. d. por 11000ri. a 00 d.
Pars
Lisboa 120 por cento de premio.
.i Rlo-dc-J.inelro ao i ar.
Desc de lell de bou finm al ?' ao mer
V,xors da com., de Keberibe. aiW". op.
Oaro.-Oneas hespanholas 31 000 a l#50O
Mudas oVIWOU v. IRJWO
de IBMVM) n. lfliOO a lty700
PraM-Patacoe. brasileros l#W a 2/000
Pesos columnarlos. IJU80 a 2M*>
> Ditos mexicano...... 1/W0 a Ifw
DIARIO DETEMAMBUCQ
PARTE OFFiClAl,
GOVKRNO HA PROVINCIA.
EXPEDIENTO I>0 DA 12 DE SETEMBRO.
Ofllcio. Ao asente da rompanlria das barcas de
vapor, mandando dar transporte para as Alabas,
com" pawaB^rnwdp gnverno, nfln so no pnmeiro tp-
npnte J"n" Evangelista N>ry da Fonscca, que para
illi se1' rommandanlo urna Torca tic primeira li-
nha s*>n?lol',ninem sua familia, que consla da se-
nlio'r do mesmo oflicial, dous filhos menores e nmi
pjl0, Ao mesmo, remetiendo o mapps da ("Arca
de primeira linha qiiP deve de embarcar para as Ala-
uoas hem como duas relacOes, urna das mulheres,
menores e escravos, que vfift enm a mesma forra, 0
aoulrada hagagem dos ofliciacs e cadetes, que fa-
irm parte della.
pito. Ao inspector do arsenal do mnrinh, orde-
nando mande apromptaras lanchas neeessarias para
o embarque de 101 pragas, inclusive ofliciacs e sar-
gentos, que devem de seguir para as AlBgas no va-
por Imperatri*. .
Dit. Ao inspector da thesoiiraria de fazenda,
recomirendando a exiedico de suas or.lens,
qupsei
cas os x,,
reservar dos oiiiooenla com que os cofres daquella
tlirsouraria suppriram os provlnciaes a titulo do ein-
preslinio.
Dito. Ao director interino do arsenal de guerra,
ordenando mande acondicionar em caixAes, tanto os
medicamentos, como os niais objeclns comprados
para a ilha de Femando, aflm de seguirem para a
mesma ilha. *
; DEM DO DA 1*.
Ofllcio. Ao commandante do briguo C.alliopc.
Tenlio vista o ofllcio que Vm. meen lerecou a 12
do coT-n'e.em que nios me participa haver man-
dado apreseniar com guia a commissRo encarregada
do iliellioramento do porto desla cidade O 2. Miente
d'armada Manot-I Antonio Vital doOliveira. que eu
determiuei fosse posto a dispnsicflo da mesma com-
missilo, senlo Umbem rep-esenta sol.ro i necessi-
dade de destacar-se pHra bordo 'lesso brigue u-n oni-
cial de putro uavio, quo os toaba cm maior nu-
mero.
Quanlo primeira parte desse officio, declaro-lho
que (ico inteirado; quanto, porm, segunda, cou-
lormo-me nlelramcntc com a opiniio docomman-
dante 4a corveta Euterpe, manifestada no ofllcio que
Ihe envi porcnia; tanto mais quanlo a ausencia
ilo t n lente Antonio Aflonso de l.ima, c a commis-
s8 oui que .seaclia osolireibto Vital, tiveram lugar
em obseivam-ia de ordens superiores.
Dito. Ao coronel cpmimssario-pagador, deter-
ihinaiuju pague os prets dos vcucimentos do desta-
camento uo 4." batalliilo da guarda nacional do mu-
nicipio do Cabo, quoseacba na villa de Nnssa-Se-
iilioia-do-O" l'articlpoti-se ao delegado do termo
do Cabo.
Dito. Ao inspector da thesourria da fazendla,
-^.. ._____. .. i:-k .i.. ........ .... i..... i.. .
I \U iUSpruit! tmenilando a exiediQlo de suas ordens, para reCounnendanilo n expediento de suas ordens para
jam entregues no almoxarife das obras publi- quo, cun parto dos dinbeirns provinciaes que se
del conlos de res que a presidencia mandou acham depositados nos cofres dessa liicsouraria, so-
.n.i,.cpiiippni:i enm ntie os cofres daouella a uaea acalleres anidante dafo'taleza do Itrum,
DEM DO DA 13.
Oflicio. Ao inspector da tbesouraria da fazenda,
ex'iKindn a exnedico de suas ordens psra que, .com
parte dos dinbeirns provinciaes qHe se acham depo-
sitados nos cofres daquella tbesouraria, seja paga ao
carcereiro interino da cadeia desla cidade, Manoel
Sabino da Costa, a quantia de 41,540 rs. que des-
penden com o fornecimentn d'agoa aos presos da
mesma cadeia desdo 22 de julho at o ultimo de a-
goslo do correte anno. Participou-se ao chefe
de polica.
Dito. Ao director interino do collegio dos or-
philns, ordenando preste ao nr..Jo< Nicolao Iteguei-
ra Cosa, presidente la commissilo encarrepada da
confeccilo de uus novos estatutos para aquello col-
Icgin, todos osesclarecinientos qiie elle requisitar
para linbilitar-se a bein desempenhar seuiclbante
trabalhn. Ofllciou-se no mesmo sentjdo directo-
ra do collegio ilus oipliaas.
Dito. Ao comniandaiile do corpo do polica, de-
terminando que, reduzidoa 14 pracaso destacamen-
to do mesmo corpo que est cm Nazarelh, faca pas-
sar as excedentes para mjue se cba cm l'o-d'Albo.
Participou-seaocliefe de polica.
Dito. Ao inspector da tbesouraria de fazenda,
recommendando a expediefio do suas ordens para
que, por cunta dos dinbei'os provinciaes que sea-
cham depositados nos cofres daquella Ibesurara,
seja enlregue a Jos Olegario da Silva, autorisado
pelo subdelegado do Poco-da-PancUa, a quantia de
u,000 reja, intportancia di aluguel da casa que ser-
%-e de quarlel ao destacamento que all se acha.
Dito.Ao commai danle do corpo de polica, di-
zendo que mande elevar a 25 pracas o destacamento
d'aqnelle corno que se acha em Goianna.--Scientili-
cou-se u chefe de uulicia.
Iiilo.-Ao mesmo, determinando faga marchar para
Iguarass un destacamenlo do corpo de sen fum-
niandu, anda que seja menor do que aquelles que
teem ido para oulros lugares ; e deoiarandu quo esse
deslaeamento sera comman lado por um ufficial do
mesmo corpo, que devora Tender o de l." linha que
all se acha, bem como que urna praca dello sera
posta ilisposicilu do respectivo promotor.
Portara Momeando cfflrial da secretaria do go-
vernn ao amanuense da mesma, Francisco Lucio de
Castro.
Dita.Dando execuro ao que determina o aviso
da secretai ia de estado dos negocios de Mariiiha. da-
tado a 3 de de/embru de 1847. o presidente da pro-
vincia ordena as autoridades poliCiaesdeSennhiiem
e Hio-Formoso onsinlam que Juiio Cavalcanto d Al-
buquerque Mello, morador em Una, faca
apaga ao alteres ajudanto da fortaleza do Rrum,
Mu noel Marques do Amaral, a quantia de 6838o, que
de 29 do j'iliiu a 30 de agosto ultimo despen leu com
o forneciment d'agoa e luzes a dezasele presos quo
loram transferidos da cadeia desla cidade para a
mesma fortaleza. Comiuunicou-se ao chefe do
polica.
Dito. Ao administrador das obras publicas, or-
denando que, a vista de urna reUciio circumslancia-
da, e assignada por qtiem competir, sejam entic-
gues ao major lnnocencio Eustaquio l'erreira de
Aiaujo, cncarregado da dreceo das obras milita-
res, os materiaes e ulensis, perlencentes os mesmas
que o segundo lente do quarto batalhfiode arti-
Ihara a p, llenrique Manoul da Silva lallecra do
Teito na corte aos 19 do dezembro de 1845: segundo,
que com aviso circular de 15 do dezo.nbro do anuo
passado se remelteram a todas as provincias rcla-
cOes improssas dos despachos e passagens de corpos
i|ue tlfrani lugar por decreto de 7 do seleml.ro do
sol.redito anno, as quaesestavam incluidos o pri-
meiro lenlo l.uiz Anlonio Lacombe e o segundo
teiiente llermes llernesto da Fonseca, ambos do
iiuarlobaialhao de artilhana a pe, o pnmeiro com
passagen. para o estado maior da primeira classe, e
o segundo para o terceiro batalhio da mesma arma;
toiceiro, finalmente, quo por decido de 80de maio
de 1848 foi Horneado alferes alumno da escola mi-
litar o pnmeiro cadete do mencionado quarto biila-
Hlflo, llenrique do Amorim Rczerra.
Dito. Ao mesmo, participando haver sido decla-
mado quo nao pode ter lugar o abonsr-se mais de
urna graiiueaQilo uo olllciai que co'.maudar unas mi
mais coiiipanbias ; porque a lei prohibe que um olh-
cial venca gralilicacao algumu alem daquellas quo
desgnadamento llie Siio arbitradas cm le.
Dito. Ao mesmo, recommendando a expealicao
de suas ordens, para que sigam para a corte, afini do
se reunivm aos respectivos corpos, o lente do sex-
to batalhio de fuzleiros, Bernardo Jos da (raga, e
o Capitn do oitavo batalhio do cacadores, Francis-
co Anlonio da Fonseca GalVflO, que se acham addidos
ao sexto desla arma.
Dito Ao inspector da tbesouraria da fazenda,
remetiendo copia do aviso da secretaria do estado
dos negocios da guerra,em que so ordena que se nlo
Torneca plvora ao corpo de polica e guarda na-
cional sem que seja immediatamonte paga pelo mi-
nisterio a juslica. .
Rilo Aocommandante das armas, participando
queS. M. o 1. houve por bem conceder passagem pa-
ra o primen o batalhio de cateadores ao soldado do
quarto de artilharia a p, Manuel Joaquim da Silva.
Scieiitlicou-se o coinmissaro pagador.
Hilo. Ao administrador das obras publicas, or-
donando quo presle commissilo cncarregada do mc-
huramoiilo do porto dcsl cidade, para os trabalhos
______I .. ...... .In.i IiiiCu'ilIii:
res, os materiaes e ulensis, perlencentes as mesmas lliuratiionio o pono ucsi ciuavu., paio wa ",!""'\
obras, e que se acharo naquella rcparticfo desde quo de que so acha ella cncarregada, urna das bussola
ellas estiveram sb a inspeccio de S. Me.; c cxign- com oculo, que existeni naquella reparl.cao. -^i ar-
do una relacSo igual aquella pela qual esta presi- licipou-se ao presidente da mencionada commiss.io.
.i.. i... .;ii,in <, .. rP!i Milwoa dos sobra- Dito. Aocommandaiile das armas, parlicipaiidu
uu urna ITIH^U i^iitii at|u*-iia ywwm 4i r..~.
denca ha resolvido que se faga a entrega dos sobre-
ditos ulensis e maleriaes. Scieiitificou-se o ma-
jor cncarregado das obras militares, o o coronel
commissario-p^gador.
Dito. Ao coinuiandanlo das armas, recommen-
dando a expe lic-io d-isconvenientes ordens para que
o 1/ cadete ilo 4. balalbSo do artilharia a p, Inno-
cei.cio Kiislaquio Ferreira de Araujo, seja dispensa-
do do .-crvigo do mesmo batalhrio, e mandado por i
disposgilo do mejor director das obras militares
desla provincia, para que, na qualidaue .le amanu-
ense, e com a gralilicagio diaria do f>40 ii-is, o ju-
do naescriptuiagoora aseucargo em consequen-
cia da Irabalbosa commissode que se acha inium-
bjils. Paiticipou-sc ao coronel commissario-pa-
gador, oso major enea, rogado das obras rmlilu es.
Dito. Ao cun na luante da corveta Eulirpe, .le-'
terminando d as precisas ordens, para que o brigue-
escuna Andorinha se prepare a partir para a ilha de
Fernando, levando a seu bordo os objeelos constan-
tes da relagio que remelle, o que ocommainlante
ilo inosiiio bngue-oscuna mandara receber no arse-
nal de guerra ; um sentenciado, que Ihe ser ronicl-
lido pelo juiz municipal da primeira vara ; o-a.im-
porlaiicia dos vencimontos dos destacamentos de
primeira linha existentes imquelle presidio, que,
segundo pai licipou o commau-ianle das aunas, ja
f,.i enviada ao referido connliin lauto pelos cliofos
dos balalhes 3/ o *.* de artilharia a p. Scienli-
iicoti-se o director inteiino do arsenal de guerra,
e o juiz municipal da primeira vara.
I)jl0 A o comiiuiiidanle do corpo do polica
mandando fenecer as piagas do mesmo corpo- que
o iuiz municipal da primeira vara roquisitar para
acompanhar.eiii at o brigue-escuna Andurmha um
senleiiciado que o mesmo juiz municipal tem de re-
melle paia a ilha de Fernando. l'arlicipou-se ao
sobreditojuiz.
Dilo. Ao inspector do arsenal de marinha, man-
dando que proporcione embarque a um sentenciado
que o juiz n.un cipal da primeira vara lem de remet-
ter para a ilha do Fernn lo-de-.Noronha abordo do
bngue-escuna Andorinha. Cunuuunicou-se ao
mesmo juiz municipal.
Dito. Ao coronel commissario-pagador, deter-
minan o que cectue o pagamento da quantia de
___...... ~.......... ,,a,. ..^ ...inl .C.I.. n ili> si' 1 !'--
iras o lioo Hospital gerai ua uiesio ,
c do hospicio de Pedro II.Coiiimunicou-se ao ins-
pector do aiseual de marinha.
Dita O presidente da provincia, para habilitar-
se a dar execugiio ao art. 47:da le provincialn. 228,
de 2 do coi rente, encarrega aos Srs Drs. Jos Nico-
lao Regueira Costa, Joaquim Villela de Castro Tava-
res e Joaquim do Aquino Fonseca o trabadlo de con-
sideraren os estatutos dos collegios de orphos e or-
plilas da mesma provincia, expedidos por este go-
verno a 8 de Janeiro o 5 de fev.reiro de 1847, o bem
' assim o projeclu de reforma dos mosuios estatuios,
Cuja copia Ins.sera cncaminhada juntamente com os
exemplaiws lelles ; allin de que, de cominum ac-
crdo, urgauiseiii oulros que, sem oueusa das regras
da vonladeira ecoiiiiuua. lnrnni essea dous estabe-
lecimuiiios tilo proveilusus quanlo cumpre que o so-
jau.Scieulilicou-se os iiomeados.
nal de guerra.
Dilo. Ao commandante das armas, ordenando
que'mando receber no quarlel do corpo de polica,
o faca sseutar praca na primeira ltnlu aos recrujas,
Antonio Jos dos Santos, Joaquim Francisco da Cos-
ta. Antonio Jos dos Santos, *flq Paulino e tiancis-
co asChagas. que acham-se em um doscaJIal.ou-
gos do mesmo'quarlel.
DEM DO DA 15.
Ofucio. Ao commandante das armas. -- Psirtlci
* para seu couhecimento e dlreCga.. que,
Ksnondendo em data de 28 de agosto ultimo o olli-
ein oe so -undo Ihe comu.uniquei a 7 desse mez,
5rig".'oKC. Sr. ministro u. uerra. acerca da |
Dilo. Aocommandaule das armas, participaud
haver sido prorogada por mais um mez a !:cenca
com quo so achava na corte, para tratar do seus ne-
gocios, o primeiro cadete e segundo sargento da
compauhialixa de cavallaria, Leopoldo BorgesCal-
vo Ccha. Conimunicou-se o commissai 10-pa-
gajor.
Dilo. Ao mesmo, recommendando, cm cumpn-
menlo do aviso da secretaria de estado dos negnos
da guerra, que nos ajustamentos de coplas de ar-
damenti. devidoas pragas de prelqua ohiiverem hai-
xa, a que dora avante se proceder, se calcule seme-
lliant divida pela consiguagao marcada para o mes-
mo laidamento, com ueducgilo do valor uas pegas
de que lees pragas bajam sido fornecidas. Parnci-
pou-se o coronel commissario-pagador.
Dito. Ao mesmo, communicando que se deter-
minara ao Kxm. presidente da l'araliyba hzesse se-
guir para esla provincia, alim do ser empregado a-
qui.comocouviesse aoservigo.ocapilaograduado do
estado maior da segunda classe doexercito, Fran-
cisco do Reg Barros FalcBo. Scientilicou-so o co-
ronel commissai io-pagador.
Dito Ao inspector da tbesouraria da lazenda,
scienlilicaiido-o de haver-se solicitado da secretaria
de estado dos negocios da fazenda a expedicSe, das
convenientes ordens, para que, por aquella llicsou-
rarui, se abono a Manoel Zacaras da Silva Braga, a
couiar do 21 de maio. desle auno, o einquaulo el o
estiver coadjuvando no expediente ao secretario da
academia do Ulinda, a diaria de mil .eis que o direc-
tor duquelle esiabelecimento Ihe arbilrou quando o
encarregou do semelhanle servigo -l'artic.pon-se ao
director do curso jurdico de Oliiida. ,
Dilo Ao mesmo, transmitl.udo o decreto pelo
qual S M. o I. houve por bem nomear amanuense da
iccebedoria desla provincia ao pralicanto da mesma
rcpai l.gDo, Manoel Augusto de Figueiredo.
Dito. -Ao mesmo, remetiendo o decielo peloqunl
S M o I. houve por bem nomear o segundo escri-
turario da recebedoria desta provincia, Joio Rodri-
gues de Miranda, pala o lugar de pnmeiro esenplu
rano da mesma reparliglo.
Dito Ao cwmmaudaue das armas, recommen-
dando a exueiligno das convenientes ordens para quo
o capiUo Manoel Lupes Maciel sigo para corte no
pri.neiro vapor que passar dos portos do norte paia
osdosul.
S Exc. o Sr. presidente da provincia manda fazer
publico que dar audiencia s partes em toaoo
das utois, desde o mcio-dia at duas horas da ia.de,
exceptuadas as quinlas-feiras por estarein miMa
das ,'ara as sessOes da tbesouraria da fazenda pro-
""secrtaria do governo da provincia de Pernan.bu-
co,23dcoulubro de 1848. :--u
O secretario interino da provincia.
Honorio l'trtira de Aurtdo Loutinho.
do corrente receben do lllm. Sr. coronol lenlo Jos
I emenda Lins, da scieneia guarnigo, assim das
disposig-s de S. M. o Imperador e do Exm. Sr. prc
sitente, acerca do commando das armas desla pro-
vincia, como dos sfliitimeulos deque so acha pos-
suido o mesmo Sr. coronel para com a briosa Iropa
que dcixa do cnmnvn lar. O commanoanlc das ar-
mas interino, pela parle que Ihe diz respe.to, su leve
motivos de sati.-l'.cao, servmdo ltimamente 'lebal-
xo das ordens doseuantigo o digno companlieiro,
l.em conheciJo pela sna honradez 0 pelos seus hn-
Ihanies leiros d'arm s, aqu e na campanil do mo-
Crande-do-Sul, onde junios mililaram: a maiicira
urbana o allcnciosa com que foi por elle considera-
do, Ihe da direito e justo titulo para nesta MCaslilo
tribular-lbo o seu mais sincero reconhecimenlo.
lllm. e Exm. Sr. Traiismillindo a V. Lx., para
sua inlelligoncia'ocxecugiii) aparlo que Ihe toca,
as inclusas cenias do aviso da societaria de estado
dos negocios da guerra de :l desle mez, em o qual se
communica haver s. t. o imperador por bem oxone-
rar-me do enmman lo das armas dosla provincia,
e do ofilcio do Kxm. Sr piesidenle, do 20 do corre-
te datado, determinando que, einquaulo nao liouyer
outra deliberago do governo, continu \ F.X. into-
rinamenle nocommaiido das armas ; sirya-so \. i.\-
cellencia de fazer ludo constar a briosa, eal c cons-
tante guarnigo desla provincia, da qual nie despe-
go saudoso, agradecBido a todos os Sis. olhciaes, ol-
iciaes inferiores e mais pragas Jos valiosos scrvi-
gosque durante o meucommaudo preslaram a mo-
narchia c nacflo. .,
Dos guarde a V. Ex. Quarlel da m.nha rosiden-
ria na cidado do Recilfe, 31 de outubro de 1848. -
lllm cFxm. Sr. Francisco Jos Damasccno Rosado,
coronel commandanlo das armas interino liento
Jet- Umenha Lins, coronel.
lllm Sr. Transmiti a V. S., para seu conho-
cimenlo.a inclusa copia do aviso da secretaria de es-
tado dos nef.ocios da guerra datado de 3 do curren-
re mez, do qual consta que por decreto de dous
houve S. M. o imperador por bem exonerar a\.S.
do commando das armas desla provincia
a Por esta mesma occasiao lenho a declarar a \.
S., afim de que cxpcg.a as convenientes ordens nesle
sentido, que, emquanto n;1o houver outra deliber-
oslo do governo, dever continuar no referido com-
mando o coronel Francisjo Jos llamasceno Rosado,
que interinamente o tem excrcido no impedimento
' lieos guarden V. S. Palacio de Pernambiico, 20
de outubro de 1848. Hirculano Ferreira l'enna.
Sr. coronel liento Jos l.emenhn Lins.
Sf.gi.nua SEcgA lllm. e Exm. Sr. Ha vendo
por bem S.M. o Imperador por decreto do 3 do cor-
rele mez cxonciar o coronel da quarta classe do
exercilo, Bento Jos Lcnienha Luis, do lugar de
commandante ilssarmas dessa provincia, assim o
coinmunico aV. Ex., para seu conliocimciilo e exe-
cucSo na parte que Ihe loca. .....
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Rio-de-Janeiro.
pro 3 de outubro de 1848. Mantel l*h>ard de Zon-
zo e Mello. Sr. presidente da provincia do l'ernam-
buco. -
Francisco Jos/' Damesceno Rotada
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel do commando dai armat na cidade do Recife,
22 de oulubro de 1848.
OBDEM DO DA N. 59.
0 commandani'e das armas interino, Insertado
^i&Z^tZ^^^^^^^^'
eparti^ao da polica.
EXTRACTO DIARIO DOS DAS 22 E 23 DO CORRENTE.
Fram presos :- ordem do Sr. desembargado!'
chefe do poliria. Jos da Trindade Grava a, por de-
sorden! : Ventura, escravo, por querer dar em um
soldado',lo corpo de polica; Candido, escravo, de
Maria Candida de Magnllies :-a ordem do subdele-
gado du i>oco-da-Pa..ell, o pardo JoaquimjMaadps
Santos -do de S.-Jos, o pardo Jos Flix Mar.nbo .
-dodeS.-Antonio, ospretos Clemenle, escravo do
Dr. Comes, e Joflo, escravo de JoflO F"n,ed
Cruz, poreslarcm brigando;-bem como Manoti.
escravo de Joaquim de Seixas, por estar nu no caes
d'\gnoSse os motivos qoe deram fugar prisao de
Candido, Joaquim Diaa dos Santos e Jos Fehx Ma
riulio.
0 1. Amanuense,
Aprigio Jos da Silva
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUf.O.
Liiba, 15 de selembro de 1848.
FsDalhou-se ultimamcnteaqiii que tinba rebenta-
do urna insurreigao cm varios pontos da Russia, sen-
So desto* Moscow eSao-Potesr.ur0'o, e que o.impe-
rador se vira obrigados refug.ar-se em Cronsdatd.
E,U noUcia mo se conlirmou; mas, antes do desen-
nno esto beato causou aqni grande imeressSo.
Nos moderados, porque viam nocollosso do norte
L so tem conservado inabalavel urna barre.ra a
nroimcanda revolucionaria; nos progressisUs, por-
que consideravam, e bem, que urna insurreigao na
itussia seria da maior vantagem para a Italia, muilo
mais quando a Austria orgulhosa com os seus Iri-
uniphos parece nOo querer aceitar a mediaco da
Franca e da Inglaterra para regular a questito da Ita-
lia Ora, faltando Austria o apoio do norte, era
natural que so lornasse mais rasoavel. Apezar de
que nao se realisou a iusurreicao na Russia, parece,
LADO
(i*



A
secundos ultimas noticia,que a Austria tetW.it sem-
pr mediacilo lia iluas grande* Dolencia do occi-
dente.
'""O corrido aqtll muitos hontcsd-' mudanca 011
ir-n-jitTrarfln ministerial F|loii-edo* Srs. Avila paia
r- reino, Lepes Itranoit para a junlic. Franzini para
a fareiid-, *r Dizia-se que este ministerio prepa-
rar ,i varis* leis org -nicas, .1 ra-lasl 1 'o, a le de estra-
das, a apresenlara em cortes com estes Irahalhos, fa-los-
Iii discutir, e depois dissolveria os enres, proce-
dendo nova eleicflo polo novo systema directo.
A eate boato seguin-se ontro que apresentou mais
visos de probahildadc ; i.xto he, a entrada do conde
de Thomar para o ministerio. Assegurou-se que ti-
nham havido conferencio em Mafra com esle esta-
dista, e que elle so relirava para o seu castnllode
Gualdim-Paes, pata apresentar que nilo intluia na
mudanes de ministerio, e que em breve seria cha-
mado para tomar conla dos negocios. 0 conde par-
ti efectivamente ; e quando lodos esperavain v-lo
no miiii Saldanha nilo quera largar o poder, eqnolinha In-
trigado tanto, que feria sahir de Portugal o conde de
Thnm.nr, com a missao de emhaixa Inr em Madrid.
Outros diziam que leinava boa harinnuia enlreo ma-
rechal e o conde de Thomar, e que eslea a Madrid,
ultimar os negocios do tratado de allianca oflensva
defensiva entre os dous paizes. Finalmente que-
rem algunsque, estimulando-se uin alto persona-
gem com certas all usos impressas no Suppltment
Purletco ao eailila Andeiro e rainha I). Leonor, al-
lusnes demasiado claras, exigir a saluda do conde
de Thomar, nlo s de Lisboa, mas at do reino
Neste monillo de conjecluras n.lo se sabe qual era a
verdaileira. O certo he que o conde na sua ida para
Thomar foi mal recehido peros povos, e que se
contina aassever.it que sabe quanto antes de l'or-
tugal.
Todava seu irmio Joilo Rebollo da Cosa Cabra I,
presidente da cmara dos -lepulados. acaba de ser
despacharlo para um lugar de juizda relacAode Lis-
boa, que lite 1180 competa, prclerijdo muitos juizes
mais intigoa, contra o quoa imprensa tem clamado
altamente.
Ultra pretericto, mas no exercto, lem dado lugar
a militas correspondencias nos jornaes, e esclare-
cido fados que, anexar de j sesaberem, ainda al-
guem duvidava driles. Por oceasiilo. ila reaccilo do
t (tu outiibro disse-so que o major (labren a, que
eommandava o batalhiio de caladores n. 8, pava
alraicoado os seos corrclignaros polticos. Cata
aecusaciio lem si-lo agora publicada limpiamente, a
o Si. Cabreira n-ioa lem desmentido. Tein-se dito
nos jornaes que ao Sr. Cabreira, para abandonar os
aeuaamigos polticos, Iba fra promcttla a carta
de concelho, o posto de lenente-coroncl, urngover--]
nicho i ara o Ultramaro 800>0u0 res em dinheiro,
que logo receben ; poUCQ depois a caria ilo Oonclho,
nfin ha muito o posto de tenenle-coronel u o cotn-
nininlo de caradores n 5 Talla o governo pura o
ultramar, quo nio tardar, valo que o Sr Cabreira
lie ileputado, e i|ual(|uer vnlacAo p le obler-lne es-
se despacho, se bouver llovidas. 0 lor preterido
alguns dos seus cantaradas, subindoa lencnte-coro-
nel, poz lodo esle negocio a claro.
A he piensa onde se iinp'imia o RnbirSo, peridico
radical, i'oi atacarla e destruida por alguna Indivi-
duos que all entraram por sorpresa, 'temi enrnm-
mendado antes urna obra. Parece que os que com-
metteram laese\ce>sos eram sol.bulos de iliversos
coi-pos da guarnle9nf sbrelo lo de graiiadairo* dai
ran lia, e que honve Conniv-mcia ol desledo da
paite da polica, tanto em obstar ao nc-irrido, co-
mo na plisan dos atarantes, os quaes deixoii fugir.
Toda a imprensa reprova taes cxeessns.
Taiiilieui fui atacada a casa do .Sr. Motiles Maulas'
bem conhecnlo pela exallaco das suas opinioes. Es-
te assallo fui por or-letu da aiilotfdade, porque se
pindn, linoo.Sr. Maulas, mas um primo dOatoSr.
que se tiicoiitiou eni c la.
A imprensa j Conirtci; a demonstrar a nullidade
dos tneins linanreiros votados em corles, para mo-
ldurar u nossa Canuda. .Vuiiuiu nielboramenlo lem
liavnlo, u crdito contina piecarssimo eos paga-
mentos no iii.iior alraso, de maueia que secxiui-
lam gratules sarrilicios ai> rovo, e o estado da l'a-
zenda publica est senflo peior, no mesmo estailo.
A Naca'.o, peridico realista, que selem ocupado
largamente deste assumpto, publica ltimamente
um bello artigo relativamente ao banco de l'uitugal,
no qual demonstra a vista das mesmas cuntas nubil-
cadas pelo banco, que esle uo be cie-lurao guver-
no de 13.000 cotilos como diz, massim de 4,000 e
tantos eolitos, e que o banco, nilo ilesconlaiido'as
anas notas, dividi pelos seus accionistas mi ultimo
dividendo que anuuiiciou malor quanlia do que e
que iJizia que tiulia em cofre.
Ogoverun acaba de fazer um emprestimo de 90
cotilos, sendo 30 em papis de crdito, e os 60 res-
tantes, (I iins partes em diulieiro m la 11 ico, o una em
notas do banco. Para pagameiiiodesleempicstimn,
rrc-heram OS contraanles Inlli-les admissteis as
alfainb gas desde novemluo em diant<', nu Ordena so-
breas thesoiirarias. Ksle etiiprestiiiio pode sur ele-
vado, se ronvier ao governo, I20coutos. Contina
a agiutagein a fazer grandes lucros.
A imprensa do guvertio, a falla de outros argu-
mentos, ocupa-se em discutir queslesde rhetorica,|
ou de lgica, e a dizer, que anexar das acusad-oes da
Kmllia das Nevos e Snuza, qu* se acba ha lempos
fra do lliealro. OSr. I'almeirim den o CainO-s
e a '.i'ifeira. A -'irecQ.lo do theatrn, de que for-
mam parle osSra. i-piqun e Theorico. npnoz-ae, ao-
hre tudn o ultimo, a que a Sra Kinilia fdsse recitar a
(''titira. I.ugo quoa imprensa smihe distocensumu
acrenieole Ul prncedimeuto, o no da do beneficio
do Sr. llosa, o Sr. Theodorico fui eslroudosamenle
pateado, porque se sabe que eur influencia de urna
medrocre actriz com queinvive, e que he inimiga
fidag.il da Sra. Emilia, seoppoza quepisasse opal-
so o nossa primeira actriz.
dem, 17.
A nossa poltica acha-se completamente mora,
ou n'um profundo lethargo: nada de importante
transpira ;e apenas se diz que o Sr. Franzini Uvera
algumas conferencias com o duque de Saldanha, que
este'o instara para que tomasse conla da pasta da
l'.izenda mas quo o Sr. Franzini recusara tal en-
cargo.
O governo nomeou urna commissfo para preparar
os trabadlos para a organisac^n do c-niastro, de que
he presidente Sr. A\ila, vire-presidente o Sr. Alha-
no, secreta'ins os Srs. Rabello da Silva Perera, e
vitases os Srs. Flix l'ereira, Darratnalo, Florido,
Lobo, Honre, Pires, Fontes de Mello, Lopes Branca e
(uniia Pesaos. A commssio ja se inslallou, e divi-
do-se em quatro seccOes, para i acuitar os seus tra-
b albos,
To 'os reconhecem que a falta de um cadastro con-
corre milito para o nosso mo estado de liuancas ;
porque, nlo havendo bases positivas para um bom
lancameolo de imposlos, os coutribiiinles solTrem,
sobretudo a airricullura, e o estado nto recolhe o
que deve recolher. OSr. Avila, que tem viajado mui-
lo na Lombardia e em Franca, lem publicado alguns
trahallios magiiifcos sobre este assuuipto, os quaes
P'ovavelmente Berilo mui utes commissfo. oxal
que uo. Iii|iie linio s na nomeagito da commissilo e
eui alguns trabalhos preliminares.
Acalla de commelter-se tiesta capital um crime
inaudito, que talvez seja o primeiro nos nossos an-
ii.ii- iudiriaes.
o da 13 do crrente appareceu, junto ao edificio
das obras de Santa Engracia, o tronco do corpo de
urna mulher, com um grande numero de lacadas
no peito, algumas penetrantes, as pamas e os bra-
cos decapados, csoin cabeca. A justlfia enme^ou lo-
go as suas inveslgacoes, e conlieceu-scque a virli-
ma loria uns40 aniios o quo ja lnha sido m. Os
bracos c as pernas foram encontrados na liavessa da
Vernica, a Craca. Fallava a cabera ano se cotihe-
cia a viciiuia, quando appareceu una rapariga,
disse que aquellecra o corpo de sua mili que Ihe
l'allava ha das. Como esta rapariga fsse cunln-ci-
da por mal conduzida, a autoridade descorifiou, vis-
to que ella asseverave ser o corpo de su mili 1180
leudo esta cabegii, maiulou-lhe resislar-lhe a casa,
onde foi encontrada a cabeca ''a ll(,bre mfli, meitida
n'um biiiflo, Foi presa a rapariga, que parece ter
confessa lo algiiina cousa, com a maor iudiflerenca
e su ligue Irio. I)iz-se que esta fea vivia amanceba-
da com um individuo chamado Jos Mara, bauquei-
ro na praea ila Figueira, e seu cumplice no assassi-
nio Parece que o interesse de bardar nntaa pe-
quenas faxendas que um padre deixara sua m.li
a excitara a tal Ciime: outros querem que baja
inaj.ii tuysteiio ueste negocio, que eslejam nelle in-
volvidos minios iudividos, pois que u dita rapariga
ja liuha querido meiter a dita sua infii no hospital
coii.odouda. (leerlo he que para ser conduzida a
cadea, fui preciso urna aramia frca de polica, para
que o furor popular Ihe nao li/.,is-e u mesmo que el-
la Hulla feitn a sua desgracail iliiii.
As noticia da Hespanlm nada offereceni do
pailieular. A rainha l>. Itsbel II appareceu com lo-
dos os symptomas de ser mfii, mas uioveii, e os Ibs-
panh s perderam aimla desla vez as .spetanijas de
ter U'i> lierdeiro directo ao throlio.
As guerrilhas carlistas, na Catalunba, Arago, Va-
lencia e nutras provincias, pexar daacuiiinuas.der-
rotas que os jouiaes do governo dixeui que ellas
leeui Boffiido, se nao anguienlaui, por ceno que ulo
(liuiiiiiiein, porque estilo continuamente a apparecer
eabocillias, a frente de maisou menos fr^a.
CONSULADO GERAL.
RENDIMRMTO DO DA 23.
fiera I .........
Diversas provincias
1:151,608
1,167
1:159,775
CONSULADO PROVINCIAL.
RE.>DIMENTO DO DA 83. .......... 8:098,153
Hovimpnfo do Porto.
Navio mirado no di* 83.
LisbAa ; 33 dias, barca portucueza ioeira. do 361
toneladas, capillo Antonio Joaquim Rodrigues, e-
qupngem 20, carga vinho e mais peneros. Passa-
geirns, Dominicos Snriann Concalves Ferrera, Jo-
s Antonio Dtiarte Faria, Jos Anlnnio Rodrigues
Sete, Dr. Mannel Duarte de Faria, Vicente Alves de
Snuza Carvalho com sua senhora o urna (lina, Jos
Concalves Fonle, Rernardino Jos da Costa.
IDITAKS.
ai iijum
!)\i!l
iwmuco.
RECITE. 23 DE OUTDBRO DE 1848.
A barca portugueza Ligtira, chegada boje a este
porto, trouxe-uos cartas do nosso correspondente
em Lisboa, que alcancam a 17 de sitembro, bem co-
mo diversosjornaes.
Das cartas damo-nos pressa em publicar asduas de
ultima data, por seiem as quo narram eventos inas
recentes, e mesmo mais curiosos.
O reino luso fiera empeifoita trauqiiillidado, e o
governo Qsteiilava-se dsposto a noutralsar os pla-
nos du.quem qurquo ousasse tentar subvertera
OppoaieAo, o povoesta contante Com ogov-ru, piir-|oidein.
que frequenia os tbeatros, os louros, os cavalliuhos
e vai imilla geuic-louiai batilios para as praias. Es-
tas miserias leein servido de debique a imprensa da
opposicSo.
Os Francezes aqui residentes formaram urna
8ssuciaci*o para tratar dos seus negocios, e mo obs-
tante declararen! logo que se absterja ni de tratar
dos negocios de Portugal, o nosso governo toiiiou
tal niedo, que, nilo pudendo obstara reuuiSu da-as-
sociacao, cotisegnio Mica de instancias quo nilo se
verilirasse no edificio de Sau-Luiz, mas sim em ca-
sa du encarregado dos negocios da repblica; de ma-
neira que deu A reuniflo o carcter de uina recep-
c3u familiar.
Houve ltimamente aqui urna quesillo thcalral,
que chamou inuito a altencSo da imprensa. 0 nossu
eximio artista, oSr. Rosa, qucsofTre ha lempos urna
molestia chronica na garganta, quo o impossihilia
dodesempenhar papis fortes, torna-se til socie-
dade do Ibeatro do D. Mura com o seu muito pres-
umo no desenlio de trajes, a terecos, ele No dra-
ma o Alcaide de Varo sobresahio ello ueste genero,
de manuira que Ihe foi arbitrada a giati'licau.lo de
100,000 rs OSr. liosa ce leu dista quanlia a bene-
ficio do cofre do moule pi dramtico. Entilo a so-
ciedade concedeu-lhe om henelcio que elle acitou,
e para o tornar n ais titubante, pello aoSr P.iluiet-
lm, um dos nossos melhores poetas, e jove:i de mui-
lu taludo, duas das uas inelboies poesas, para el-
la Rosa recitar urna, e oulra a nossa magu tica actriz.
O parlamento encepara-se a 15 de igosto.scm que,
ao dizer do correspondente, houvesse occortido aos
males que mais oppritnem o paiz.
A cmara dos deputados leslemunhra ah secnas
um pouco mais escandalosas do que ejsasque bou-
vera m lugar em a do nosso Brasil, e quo (auto lamen-
tamos; porquanto dous dos membrus della levaram
a intolerancia ao punto de espancarein-so nos corre-
dores da casa
:-------1
GOMMECIO.
ALFANDEGA.
RENDIMENTO 00 DIV 23........... 6:387,218
Detcarrtgam huji, 24 deoulubro.
Ignacio Jote Pinta, fiiral da frrguezia da Boa-Viita,
tm i-iriudr da M, tic.
Faz saber aos habitantes da mesma fregoezia, que
as posturas municipaes, quo teem sido publicadas
por est foi ha, se acham em vigor por terem sido
mandadas cumprir provisoriamente pelo Exm. pre-
sidente da provincia.
E para qiieninguem se chame ignorancia man-
dei publicar o presente.
Fregu? ja da Boa-Vista, 20 do Otubro do 1S48.
Ignacio Jote Pinto.
Vanoel 'ranciteo de Souza Ledo, juit de paz tupplen-
te da fregueiia dt Maranguape, tm virtudt da lei, ttt.
Achando-se designado o da l9denovembro pr-
ximo futuru para a eleicilode juizes depaz desta fre-
guezia e de vereadores do municipio, segundo as or-
dena do Exm. Sr. presidente da provincia, convoco,
emcumprjmento da lei n. 387, de 19 de agosto de
1816. artigo 94, os eleitores esuppleutes tiesta fre-
gueza, nella residentes, para comparec.erem no in-
dicado da na igreja matriz, s II horas, para orga
nisacffo da mesa ; assim como a lodos os cidadfios vo-
tantes, para darem seus votos, sdb as penas da lei.
ELEITQRF.S.
O Senhortt.
1 Tenente-coronel Francisco de Paula Souza LeSo.
2 Coronel Joaquim Cavalcailti de Albuquerquo.
4 Sebastiilo Antonio de Mello llego.
5 (apilan It ijinoiido j-.s Pendra Relio.
t Tenetite Jos Lucio Tex.-ira Cavaleante.
8 Joilo Nepomuceno (ornes Caite.
9 Francisco de Paula Mello Brrelo.
10 l.nurenco Bezeira Mariuhn Falcilo.
11 .luSu da Cruz FenandesSouza.
-.Para o Rio Orande-do-Sulsahir em nfll
diaa ,o bricno Nartfanit j o qual somente rece(J'C'11
era vos epasaeiros para o que tem bous comiT*
dos : qnrai pretender pode enten ler-so com n si
pitBo a bordo ,ou com A mor ni Irmftos, nt ruv
Cadela. n.M. ""
Para o Rio-de-Janeiro saha Imprelervelm
no dia 25 do crtente brigue nacional Ligtiro n
rao resto da carga, passageiros e esrravos > rr,
Irala-secnm Manoel Joaquim Sos ios ou com Nt '
& C. ns ra do Trapiche, o. S4. 0T,(
--Frela-se a barca americana Indut: pode re
ber algum frete para Baltimnre ou para Pbilade|D|r
entendera-se com os consignatario, L. C. Fttt
& Cj.
Frcta-se para a Cosa d'A frica, Ruenos-Ayrn.
outro qnilquer porto do Mediterrneo, a nova e vi!
leira polaca srda JV -.Vra.-do-Corme, forrada ib. bre, de 180 a 200 toneladas: quem a pretendere*
tenda-se com o consignatario Jos Saporili m .,
da Cruz, n. 18. "I*
0 hite Noro-Olinda marca definitivamente 0 di
31 do eorrente para a sua sabida para n Aracatv rnm
a carga que tiver a bordo : quem nelle tiver"n,u
vonlade de carn-gar se entender com omeslrejn
mesmo, no trapiche Novo, ou na ra da Cadeia-Ve
Iba, n. 17, segundo andar.
Segu viagem para Maranhflo e Para a escum
nacional Maria-Firmina, cotn a maor hrevili,|.
possivel : quem tiver carga para o Para devp(.
prompla-la para embarcar quatlto antes para deiioii
podr-se receber a doMaranliSn: a tratar na runu
Cadvia do itecife, no escriptorio de Jos Antonio
Basto.
Leuden.
SUPI'I.ENTES.
O Stnhoret.
1 Major Antonio desonza Itolim.
2 Capilflo Antonio Rufino de Araujo Cavalcanti.
3 Vigario Francisco Manoel Maciel.
4 Galdido Joilo do Reg lUnos.
5 Joo Bez-rra de Mello.
6 Joaquim Pedro Brrelo de Mello Reg.
7 Antonio Sebastian de Mello llego
8 Professor Alexandrno Ayres da Paixao
9 Jos Xavier Rocha W'n lerley.
10 Majot Jos Francisco de Faria Sales.
It Padre Manuel Jos do Nascimento.
E, para que chegue noticia de todos, mandei la-
vrar o presente que aera afiliado nos lugares mais
pblicos da l'regiie/ia e publicado pela imprensa.
Prinieiiodisliiclo da freguezia de Maranguape, 18
de outubio de 1848. En, uaquim Alvtt dot dantut,
escrivilu de paz o esetevi.
Manoel Francisco dtSouta Ledo,
Juiz de paz suppieule.
Ueclaraceg
-- Pela delegaca do primeiro dislricto doRecfe,"
se faz publico que se acham recolbidos em deposito
cinco cavallns de seis que foram encontrad os na ili.i
do Maruiui, cm casa de Joilo dos Iteis Comes, que se
sunpoeui furtadns, ten-lo sido um delles entregue a
seu legtimo dono : quem se julgar com direto aos
niesmos CaVallos, CompareQa nesla del- gana, muni-
do dos competentes liulos,que,provando peilencer-
Ibe, ser-lhe-hflo enlregues.
Delegacia do primeiro lermo do Recife, 17 de ou-
tubro de 1848.
O delegado de polica,
Feliciano Joaquim dos Sumos.
- Russell Mellnrs & C. farfto I-Mito, por interven.
Co docorrelor Oliveira, de variado surt ment J,
fazemlas nglezas as mais proprias do mercado
quarta-feira, 25 do eorrente, s 10 horas da rnanhi'
no seu armazem, ra do Vigario. '
J. G. Tayior, leudo de retrar-se breve para In.
glaterra, fara leilo, por intorveocSo do correlot
Ohveira, de toda a mnblia quasi nova da casada
sua residencia, consistindo em mesa redonda 4
uieio desala e tiernos com lampos de pedra marm-
re, mesaeomprida.com abas, ditas dejng.i, snf
cadeiras, ricos espelhos, mesa de jantar elaslca'
aparador, leitos de bronze e de ferro com tmlui
seus pertences, guarda-vestidos, cnuimida, mar-
quezas, lavatorios grindes e modernos,toucadore
vasos de sevtes para llores, ricos quadros a oleoe es-
la ni i'ii. los, niesi nhas diversas, secretara, cortinados
gelozias, esteiras de salas, obras de prata, bule, cafo-
leira, colheres e garfos de metal briUnnia, aepare-
Ihos de louca, ede porcellana para mesa e para chi,
mesase utensilios de coziuha, e muitos maisol^
los imlispensaveis para qualquer casa ; e (ambetn u
vender o seu lindo carrinbo uovo de d tus rodas cura
assentos em frente e para Iras, e os complanles r-
ieiros montados de CaSquiuha fina : s.ilibado, 28 do
eorrente, s 10 huras da iiuiilia, no sitio que foi
lo Sr. liaptisla, contiguo au do Sr. ubourcg, ni
Capunga.
Avisos diversos.
Barco Indut bacalho.
Biiguo KJa Cervfio,
litigue Htniov laboado.
' PUBLICACAO" AGRCOLA.
Manual pratico do fabricante de essucar, por
Agoslluho Sommier. Esta obra ensiua praticamente
o modo de fabricar o assuear demonstiando os in-
convenientes da aiiliga pratica os meos de as re-
mover e filialmente todo quanto se precisa para ti-
rar maior e melhor resultado de sua factura o esta
escripia em urna lngoagem que qualquer pessoa
percebe; podendo-se mesmo dizor que os Srs. de
engenhns com ella s errarilo se quizerem : vnde-
se oor 2,000 rs., na praja da Iudonendeucia livra-
na ns. 6 e8.
Jorge Viclor Ferrera Lopes declara
que, no da 2t do trrenle, totnou posse
lo cargo depiocurador da cmara uiuni-
fipil deala cidade, e que reside na ra
Vela, n 6i.
Avisos martimos.
-- A bairaca NataUnse recebe carga para o Rio- vww .
JC ran de- do-Norte : Irata-secom SebastiSo Jos Gu-ldc Pa*eio-4,ublico. ns. 9
I uios Poiiiia ua ra do Coiiegio.
Arren-la-se um sitio no principio da estrada,
com muitos arvoredns de fructo boa casa de pedra
-c.il com cominodos i-ara giaude familia, cacim-
ba Com ba agua de beber a tratar na ra da Ale-
gra n. 34.
~''aelaiin Aeai-ilo de Souza faz publico a qur-m
interessar, que deixou do vender bebidas espirituo-
sas de proilurco brasileira na sus venda da rua lar-
ga do Rozario, n. 5. d outubro: e declara a quem perlencer que vscien-
lificar-se da veidade deste anilUUCIO.
~ Aluga-se o secundo an lor da casa da rua da
Senzalla-Mova, n. 48 : a tratar no armazem da mis-
ma casa.
Manoel Marques Fernandes deixnu de vender
ago'ardeule na sua venda du. Alerro-da-Boa-Visla,
u. 83.
Aluga-se, pelo lempo da festa ou annnalmen-
te una casa terrea, sita na povoacilo do Monleiro,
confronte a igreja cuja casa se ada reclillca la de
novo, e tem buns cummolos para familia: na rua
do Queimado, n 11.
Precisa-se de um caixero que lenha algnma
pratica de venda e de 18 a 16 a unos o qual d fia-
dor a sua conduela: na rua estrada do Itozaiui,
n. 47
Bernardino Jos da Silva deixou de vender agu-
rdente as suas vendas da rua. da Guia n. 36, ila
ru da i adea de S.-Aulooio, n^a.d rita da Aurora,
o. 48 e declara a que u perteucer que ven'ia l-
mar conhecimenlo do que existe na casa para ver
se elle vende mais. O mesmo precisa de um peque-
o para a venda da ru i da Guia
--Domingos Garca Paramis deixou de vender
ago'ardeule as auas vendas da travessa das CruzeJ.
ns. 8el4
-- Aluga-se o segundo andar do Sbralo da rtu
do Codorniz, n. 9 : a tratar na fabrica do charutos,
por baixo do mesmo sobrado
~ Pri-cisa-se alug r uina ama secca de bons coa-
tilines para o servico interno -le unta casa de pen-
ca familia, e que sai ha comprar. Itirigii-s ra
larga do Rozario, n. 36, segundo andar, por cima
da botica do.Sr. Barttiolou.eu.
Qui tu procisarde urna ama que coso e engeT-
ma, para todu o sei vqo d urna casa de pouca lami-
lia ditija-su tras da matriz da Boa-Vista, ii. 81.
Desappereceu, da rila Nova do sobrado por
cima onde mura o Sr. doulor Doruellas um pai>4-
gaio muito tallador : quem o pegar, quereudo resti-
tuir, leve-oa botica de Bartholomeu ua rua do Ke-
zario, quesera recompensado.
Precisa-se de ires con tos do ris a juros, dan-
do-so garanta em um ptedio peno desla cidade;
quem qutzer dar din ja-so a botica de Bai tlioloineUi
que se dir a pessoa que precisa
-Antonio Jus Rabello Gomes faz sciente a todos
os irinos c N. S. do Terco que de buje em disuie
deixou de perteucer a dita irmaudadu.
-- JuaquimJusde Fana Machado retira-se para
fra do imperio.
-Joilo Alves do Carvalho Porto deixou de ser cai-
xero do i>r. Dumiiigos Jos de Ainorim desde o
da 81 do crrenlo.
Precisa-sealugar, por oilo ou dez das, un
preto para um sillo peno da plaga : na praca da In-
dependencia ns. 6 e 8. .
Precisa-se alugar um sitio perto desta praca ^
com couiniodoj aeceuies para uina familia : na rua
di Pasaeo-Publico. ns. 9 e ii. se dir ouem pre-
Iciaa.
MUTIL

am


. Cli'*(Z"n'1n ,0 meu conhecimentoque o nrphflu
Alfon"" fllho 'lo fallecido Jos Mniiriciu le Oliveira
u -j,| 'met tntHadoenelo, ton feitn e contina
r.,r, nHo alistante o annuncio quej fiz algnms
"-fomnrase vendas Ionio novanifiite declarar que
neisn alguma no raga negocio algum rom o dito
met tutela.lo Alfonso o nem rom seu irmflo Adnl-
'1,0 ora lel* fiera cnusa alguma, sb pena de
niTilerein .e de flcar nullo e sem elfeito qualqucr
contrato que cora o* meamos lizerom, o do se pro-
ceder contra quem o coutrriu fizor : outro tira de-
claro que quem comprou-, on l i ver era seu poJAr
|ins breviarios do reverendo padre alibade e cu pei-
no das freirs do recolbimento da Gloria vendidos,
ou emprestados por o dito Affonso os venha no
,.rmo .le 94 horas, entregar so dito tutor, ou ao di-
reverendo padro debaixo da pena do se proceder
'rimiiiahneute contra quem qur que fr. Recite,
9 .leonlubro do I88. r- Guhtrme Patrelo Bettrra
Cacalcauti.
i'recisa-se de urna ama que tenna bom e bastan-
te loile, para criar U'na menina, sendo foira ou
captiva : m ra de Apollo, n. 22, pritueiro andar ,
ge dir quem precisa.
Aluga-se una casa terrea na povoaeJIo do Mon-
toiro cora sahida para o rio, a qual lera duassalas,
quatroquartos, cozinha ra cacimba, estribara
para dous cavados, quarto para escravos dous
quinUes murados :a tratar na travessa do Veras,
n. 15
Va cncheira de Joflo da Cunlia Rois, parede meia
do Hotel-C'ininercio, lia mu|los bous cavnlios de
aluguel, propriosde qualqucr Sr. passear, tamliom
ha bous quinaos para viagons. Nesta mesma casa,
coniprau-ae, vendem-so, trocara-se cavallus e reca-
bem-se paia tratar.
Aluga-se uii compra-so um preto padeiro : na
ra llireita, n 82.
Precisa-se de urna ama para urna casa de puu-
*ca familia, para fazer o servico de casa o comprar
na ra : na ru do (Jueiiiiado, n. 24.
BernardinodeSouza l'into faz sciente io Sur.
collector das agoas-ardenles que deixou de ven tbl genero ns su ve-n-h il. TUS da Senzaa-Yelha ,
n 46, iiesde o da 20 do currante.
L'm l'ortuguez, ou llrasileiro, solleiro, que qui-
z'er ser feilor era um sitio na estrada da Torre, sa-
bendo esleitar vaccas procuro a Jos Bernardino
'de Sen i, ruada Boda sobrado dos expostos.
--Exiale na cadeia desta cidade um pardo escu-
ro de nnme Martinho, viudo do Aracaty no pata-
cho Duridosu, em 18 do crrente. Fte escravo foi
doahaixoassignado, e vendeu-oem julho do 1846;
diz o dito escravo ser hoje seu si'iilior, Jos Francis-
co genitor do engeuho Caiongo districto da l'ara-
hiba : quom se julgarcotn diroilo no sobreditu es-
cravo procure na loja da esquina da ra do Crespo,
qu vira para o Queinjado pagando as desbezas.
Manoel Ferreira Hamos.
Anna Rila do Sacramento julga uo dever nada
a pi'ssoa alguma ; todava, se alguem se considerar
seu credor ,queira apreseutar as competentes co li-
tas para seren vai (liradas no seu siliu do Roz'ari-
itto, ou na ra da l'enlta, n. 1, terceiro andar.
Aluga-se una casa terrea na ra Bella, com duas
islas iluas alcovas, um quarto, cozinha fra, quin-
tal ecacimba : a (rular na ra do Cullegio ni 15,
srgundo andar.
@ NOVO PAO DE PBOVEN?A. Q
V Vende-tt toitni o da: ^
9 0 prnpriplarm da padarla < pastellxrin franceza /
do Aterro-da-Hoa-Vista. n. 50, deaejnndo agradar 0
cada vez mal* aosseus freguetes, resol veu oflere- ?
crr-lhrs um p que e fabrica ein Provenga por ~!
um |iiniT,..i niiiilo differeute do ordinario, e que, yy
<*>ii;iiido r.irinli.'t das iiii-lln-rcs quatldmlea, uiere- f\
ce a preferencia dn pulilicn, pela sua alvura, O
pureza e drlicadria de *a faIu ir.n:5o. Q,
Si'i se farn paes de 40, 80 e 100 M., e ser fcil QC
cuntirc los pela sua forma oblonga c elegante. O
Na inesiu.i casa contina-se (auibeiii a vender JJ
AA buliiihos [i ira cli de ludas as finalidades, e t*m- (g
Z. bem a enfcilar Inudejas ticas para bailes t sa-
ty 'os. o
Precisa-se alugir urna preta captiva, que sai lia
cuzinhar ,engoiniiisa e fazer n tnais.servido de una
ca>a 'e poura familia : na ra do Qucimado, n. 6, .
Um rapaz hrasileiro que d fiador istia conduc-
ta se iifl'iTcc" pura cajjceiro de qunlqucr. eslabele-
ciuieuti): i|tie'ii o precisar, dirija-sca ra Impcriul ,
n. 25, ou auuuncio.
-- il Sr. padre Candido Jos* Coellio, morador na
villa de F.streinoz quelra mandar pagar a qiiantia
'de 62,000 rs. que d>v desde 1812 ; bem como os Sis
M.i.....I Tlii'odiirn d-' Al incida Alluiquerque, tnnru-
durna l'aniliiba 13,000 rs., de 1842 ; Jos l'inheiro
Kali/ado de Araujo. ii>rndo.r no en^enho Iliaca,
24,400 rs. de 1843 ; Filippo Uiuiz Cavalcanle, mo-
ra mi ein I iml 9,000 rs. de 1843 ; liento Marlint
Giiucalves I.IsMa ,21,500 rs de 1844; Jo.lo Jos
da Silva Capristano ( ,iurulca-se' estudanlo ) 35,000
rs. de 1810; Antonio du MeAleiros, 8,000 rs., de
1843 ; Jnaquim Tlieodoro Alves, 3i,380 rs JoAu di AtlemSo Sisucro da Cmara, 19.000.rs.,
le 1813; Francisco Soares da Silva, morador no
Calm, li.OiiO rs., de 1843; rtUguslo Carlos de l.emos
l'aclti-eu, 46,340 rs., de 1843; Mimoel Joaquim
Aiiluiirs, uiuiHilor na Varzea 6,900 rs. det843;
Jos Thoina/. da Silva, |22,920 rs., de 1843; Joa-
quim Ensebio, 7,600 rs. de 1841: na rua Nova,u. 18,
loj. de alfaiate.
O baixo assjgnado, ja cansado com os seus remis-
sos di-vudures por lausa driles nflo pudendo
andar em .im t iu- olirigado a lanzar otilo deste meiu,
Hilo i para estes como para oulros que d'ora oiii
uianteierio de ser leitbrados para que venham pa-
gar suas coiila. O aliaixo assiguado est re lo que
esse mel paro mullos be desagrudavel, porm
o|hem para os anuos e vejam se um artista he ca-
pitalista para estar no desembolso de tantas quan-
tiasque uioutam a cotilos de lis polo que ir con-
tinuando.
M. A. Cj.
Os Srs. essignantes da Liria po-
tica qucinmi mnmiar receber os ns. i a 5
do terceiro volume na i na da Cadeia do
Hecife, loj* de Joao da Cunha iVlaga-
lliaes.
1 Na mesma loja ven lem-so as poesas de Joio de
l-emos Salsas Castelln-llianco, por t,500 rs. ; o Amor
o melancola por CastMio, ornado com tres riquis-
simaa e^l-niras lyihogr.ipltadas, por 3,000 rs. ; os
quadros historeos de Portugal, por Csstillio ; ri-
quissimas eslampas Ivloeraubadas. em hmeliiira ,
pur o,uoo rs.

Lnleria do Iheatro publico.
Hoje comees o pagamento dos pre-
mios sahi Los na extracto d segunda ter-
9a parte da 8 lotera, das 9 horas d
inanhaa a utna da tarde, continuando
nos maisdius, s mesmas horas, na casa
do thesoureiro, rua do Queiaiado, n. 3g.
Os bilhetes da ultima terca parte da
mesma lotera acliam-se desde i a ven-
da nos lugares do costume, e o thesourei-
ro ainda tima ver roga sos amadores des-
te jogo que se nao demorem na compra
dos bilhetes, afina de que nao sej 1 tam-
bem demorada a extracc9oda lotera, a
qual dependendo nteirsmente da referi-
da venda, vista do impulso que esta ti-
ver, em poucos das ser designado aquel-
le em que prefijamente as indas de-
vem ler o seu andamento.
I.ave-se e ciigomnia-se com toda porlciQo, por
preco conimpdo : na rua ta Florentina, n. 40
Antonio Francisco das Chagas l'ortuguez, re-
tira-se para os portus do sul.
Beliram-so para o Bio-Grande-do-Sul Mi noel Go-
mes dos Santos e seu criado Manoel Antonio das No-
ves lodos Portuguezes; no navio niais prximo.
OSr. que mandn pedir a Francisco Duharry,
com luja no Aterrp-da-Boa-Vsta, n. II, ino-tras Uu
livro de lilas, era selembro, queira faze o favor de
mandar entregar na mesma loja os tres lvros do
pretendente.
Manoel Jos Flix da Rosa deixou de vender
goar.lenle de producc3o brasileira, desde o ultimo
de setembro do crrenle anuo, na sua venda sita no
pateo do Tcr$o, n. 7.
-- Jus Francisco de Teves, com venda na rua do
Rosario da Boa-Vista, 11. 2. participa ao Sr. collector
das agnas ardentes, que desde o da 19 do crrente
raez no vendo mais ditos gneros, cm cunsequen-
cia das les impostas.
-Manoel Francisco da Silva faz viagem para fra
da provincia.
Ja se lom a certeza da pessoa que lirou'o cavallo
ilazo do cabriole!, dcixamlo ficar os arreios no
sitio do Sr. Sebasliflo, no Chora-Menino, que foi
visto por algumas pessoas o para evitar queques, o
que se altriliuoser una cassoada tenha n bundade
de o mandar entregar na cocheira dn Sr. Fredenco ,
que ser recompensado do seu trabalho e no caso
de o nflo fazerno prazode3dias, ver o seu nomo
por extenso sofTrendo a pena da le.
-- Um rapaz que tem pralica de venda e d fiador
sua conducta se olferece para administrar algum
destes eslaMecmentos entrando com alguna futi-
dos : quem pretenderannuncie, ou dirija-so a rua da
l'iaia.n 49. Na mesma casa compra-so urna venda
ora lugar proprio de negocio para a trra e. mallo.
No da 25 do corrcnio, peranto o Sr. doutor juiz
da primera vnra do cvol na casa das audiencias ,
ha de ser arrematada, por venda a casa teen n
8, sita no neceo de Jos-Louienco oulra na Passa-
gein-da-Mngdalena por e*ecuc.ito de Sevcnanno
Pinto contra herdeira e lestainenleira du, Gnado
Antonio dos Sanios Ferreira
Um rapaz brasileo, natural do Rio-Crande-
do-Norle so offerece paracaixeiro de loja dequal-
quer qualidade dando al^um lempo gratis : nesla
lypographia so dir quem lio.
No pateo da matriz de S -Antonio, n. 4, segun-
do andar,tiram-so passaporles pata dentro e fra do
imperio despacham-se esciavose conem-se tullas,
luilo coma maior brevidade possivel, e por dimi-
nuto prego.
i abaixo assiguado faz sciente ao respetnvel
publico, que nnguem faca negucio algum Com utii
suliiiido de um ulular iih ciliado deOlinda, na run
do Amparo, 11 41. | ertencente aus herdeiros do fina-
do Jos da Silva Botelho, de que he testamenteiro u
Sr Manuel Fumino Ferreira : ecomo o, dito sobra-
do se aclie penlioiado pelo abaixo assiguado, como
se poilera ve-r no caitorio do Sr. Pedio Ignacio da
Cunta, he para livrar de-queslOes'paru o futuro que
se faz o presente annuncio..
Jos da Silva Moreira.
Jos Ignacio de Arruda avisa ao Sr. collector das
agoas-ardenles de prodcelo brasileira ou a quem
este imposto receber que doixou do vender dito
genero na sua taberna da rua da Praia, n. 82 desde
o da 19 do crrente.
-- Alujja-se um sitio no principio da estrada do
ArraiaL com mullos aivored.os do fruclo, grande
casa de pedra ecal concertada o piulada cacimba
de pedra e cal, com excedente agoa de beber : a tra-
tar na ruada Alegra n 34.
Aluga-se urna preta que cozinhe o ordinario de
urna cas e venda na rua: na travessa do Quia-
bo, n. 1.
Urna pessacom pratica de escripia
commercal, e bonita leitra, propor-ge a
escrever as horas vagas, nos domingns
e dias sanios, comlimpeza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
Tendo apparecido um annuncio no Diario (/
Pernamburo 11 234, em nome de Anna Bita do Sacra-
mento,furcoso he responder, paca coiiviccflo de quem
o fez airparerer, que Ctfmpareca na. rua do llusario
estreita, 11. JO, segundo andar, para ver os ttulos de
crdito que exislem, e resolv-los em face delles.
Constantino Jacinlha do MoUa.
-- A pessoa a quem ha 3 para 4 anuos se descoca-
ra inhou um relogio, na occasi.lo de o mandar con-
certar o qual he norisoulal, e tem caixa de ouro ,
dirija-se a livrara da praca da Iddepeudencia, ns. 6
e 8, para dar os signaes, e pdr-se. informar, se
lie o que so anouncia.
Desoja-se saber quem he nesla cidade o corres-
pondente do Sr. Cbrislovao do llollauda Cavalcauti,
morador no Arandipe de Ipojuca a negocio do mes-
mo Sr. : na rua Dlreita sobrado n. 16, que faz es-
quina para S.-Pedro.
Aluga-so um sobrado de dous andares e slito,
muito graudo c muito fresco, por ser da parte da
sombra, atrs da matriz da Boa-Vista, n, 26 : a Ira-
lar na loja do mesmo. ..."
Aluga-se uroa casa terrea no sitio do Cordeiro,
a margeui do rio Capibaribc, cora sulcienles com-
modos para familia estribara e cozinha fra : a
irs!r:>c patee ;!j Carnso, n. 17. con Gabriel An-
tonio.
Reg S Oliveira, com venda na rua da Cruz, n.
S, declaram ao.Sr. collectur das agois-ardenles de
prodcelo brasileira oua quem rece!ier esto im-
posto quo ellesdeixaramde veudor o dilo genero
do dia 15 du crtente uui dianle.
Compras.

Comprara-so escravos que sejam ofticias de car-
pina, de 18 a25minos, o de boas figuras ; pagam-se
bem sendo de bons costumes e peritos no seu oiTi -
eio possflo para urna oncommenda do Bio-de-Ja-
neiro : na rua do Amorim.n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compra-se um ginxoque tenhs pouco uso no
beceo deManoel-Luiz-Goncalvcs, armazem n.4.
Compra-se um escravo com olTico do tanoeiro,
urna vez que seja perito,ao qual agradando nflo se du-
vida pagar bem : em casa de Amoriin IrmSos, na
rua da Cadeia, 11. 39.
-Compra-se,para urna casa dislincta, urna escra-
va perita costureira oque nilo seja viciosa : paga-
se generosamente : na rua de Agnas-Verdes, n. 46.
Compra-se umaidaina de tanoeiro e um ban-
co : no Alorro-da-Roa-Visla n. 44, venda quo foi do
Maya
Compra-se e paga-so bem lita de Trecha, su-
maumu ou barriguda : na rua Nova, n. 28, loja de
selleiro quasi em freuto da Igreja da ConccicSo dos
militares.
Vendas.
Vende -se urna preta de meia dado por bara-
to preco na rua do Cullegio venda de Sabastio
Jus Comes l'enna.
Vendem-se apparelbos de metal fi-
no pura cli, modelos modernos e bonitos-
em c sa de(ieo: Kenworlhy C, rna d .
Cruz, n. a.
Vendem-se, pecas de madapolfo largo com 20
varas, a 2,800e 3.000 rs. o a retallio a 7 e 8 vin-
tens : na rua do Passoio, loja 11.17.
-- Vendem-so boas laranjas da China, aos ceios!
na rua Nova n. 52, terceiro andar.
Vendcmse silboes inglezcs para
montara de senhora, sellnsnglezeselas
ticos para homein: em casa de Geo: Ren
wortby & C, rua da Cruz, n. 2.
Vendem-se 10 colberese 10 garios
de prata de lei: na rua Dircita, n. loa.
Vinho bom e barato.
Na esquina da rua do Vigario, n. 33, vende-so su-
perior vinho do Lisboa e da Figucira a 150 rs. a
garrafa e em caada a 1,100 rs.
Vetidc-se, a dinheiro, ou a prazo, meia legn
de trra do fente, com utna legua de fundo, na
margem do rio do Una da parte do nasceuin con-
fronte a tena do engenho Japaranduha principian-
do na barra da Trombeta pelo rio de Una cima at
onde se completar a meia legua, cujos fundos vilo
terminar com a trra concedida por sesmaria ao fal-
lec, lo sargento-mr Antonio Casado Lima, as mar-
gena do rio Prclo em que estilo situados vanos cn-
genbos : tanibem su vende metude da dita Ierra, a
saber : a meia legua da margem do rio Una cotn o
fundo tainbcm de meia legoa e na mesma forma a
oulra meia legoa de fundo : o preco da meia legoa da
margem do riollna bu doduus contos de res a di-
nheiro ; o da oulra meia legua he de um cont de
ris e sendo a prazo ser pelo que se ajustar: na
rua do Itangel, 11. 45.
Vende-se nuca da Rabia vdrada assim como
alguidane.se barias de todo sin tmenlo, tanto em
ponjilo como a retalhu por barato preco: na tra-
vessa do Diquo, 11. 24.
Vende-so a dinheiro ou a prazo, pur inleiro,
ou por metade, urna legoa de trra no riacho Caru-
r termo da villa de Atlialaia com urna legoa de
fundo .confronte a Ierra denominada Casa-dc-Pa-
Iha de Jos Pires da Silva que fica do lado do sul
di dito riacho : o preco de toda a Ierra a dinheiro
he de um cont e duzenlos mil rs ,e de eisccnlus
mil rs. sendo metade : a prazo ser pelo que so ajus-
tar : na rua do lUngel, n. 43.
Vende-se urna casa no Cacbang, com frente
de pedra e cal com 30 palmos de largura o 59 de
fundo 100 dijos de terreno, e mais 10 na parte do
oililo, para necrescimo da cas, querendo: cuja casa
lem 3quarlos cozinha fra e pequea dispensa : a
tratar no pateo de S .Jos, n. 43.
Vendem-se cinco lindos molequesde 12 a 18
anuos ; 4 pretas de 25 a 30 anuos ; 3 pardas de 16 a
20 anuos; duas mulalinhas du 7 a 14 anuos com
rinripiosde habilidades ; :i pretas com habilida-
des : na rua do Cullegio, n. 3, se dir quem vende.
Piesuittos iigezes :
vendem-so na rua da Cruz, no llecifo, armazem n. 13
Algoriao (raneado da fabrica
de Todosos-Saotos da
liliia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. 0. Bieber & Com-
pendia na rua da Cruz, n. 4.
-'- Na livrara da rua da Cruz, vende-se o dic-
cionario de Moraes da quarta edicto.
Vende-se um escravo mogo, bonita figura, com
oflicio de pedreiru: quem o pretender dirija-se rua
do Crespo, n. 11
Vende-se urna porcilo de vidros brancos embar-
rcados, promptos para embarcar: vista delles se
far o prego : no Aterro da Roa-Vista, n. 44.
BA COMPRA,
l'm sobrado de 4 andares, com seu mirante, mu.
bem construido ; 8 moradas de casas terreas as
piincipaes ras : a tratar na rua de Agoas-Verdes ,
n. 46, segundo andar.
AI le ti cao '
Vendem-se ricos apparelbos de metal
para cha, chegudos ultiinamente'e do ne-
llior gosto: na rua Nova, 11. 20, loja de
Joo l'ciu miles Patente Yiantta.
-.- Vcnde-se 2 luja n. 5 da rua do Passeio pti-
ma para um principiante por ter poucos fundse
ventor milito s reilho: a tratar nn mesma rua.
11. 19.
Vende-se utna negra mora, de bo-
nita figura, que cozinha, lava ecoze; uu
molequc de mu inda figura, proprio pa-
ra todo serviro e para pgcni ; um mula-
tinho, de na ili anuos : lodos sem vi i
cios nem achaques: na rua lo Crespo,
loja n. 1 A,se dir quem vende-.
-Vendem-se 4 lindos moleei.tos, de l* ann0?>
sem vicios; 1 preto, Imm earpina ; 2 mulaliiinos,
de 12 a 18 annus, bons para pageos ; 1 preta, "ele-
gante hgura o sem vicios, queengomma bem, cosi-
nha o faz todo o mas servico de casa muito dosomDa-
racada ; 1 preta, bua para rua ; 3 negrinhas de1 iaa
Ijanuos, sem vicios: na rua do Vigario, n. 24 so
dir quem vende.
Vende-se, na rua do Amorim, n. 41
em casa do Joaquim Flix da Rosa, a dinheiro oua
prazo com firma a volitada do vendedor, um preto
da Costa, de25annos, sem vicio ou achaque algum,
bem como urna negrmha de tOannos cym principio
do costura.
Vcndc-.se o compendio de thcologia moral, pe-
lo bispo do Rio-de-Janero: na rua do Quoimado,
n 4.
Chegarain em fim mais navalliss
de ai;o da China : a sua qualidaile o propriedado pa-
ra evitar e mesmo curar as molestias cutneas, ho
superior a todo elogio, por issoj seu autor foi
agraciado : as verdadeiras vendem-se na rua larga
du lio/ario n. 35 onde tambera so vendem facas e
garios de osstfpolido feliode marfim ; fiiissimas
esouras para unhas e para costura ; colberes de me-
tal do principe ; botfles para camisa a republique ;
lacas o garfos para sobre-mesa ; ocultis para todas as
idades lambem da vidraca azul, propriot para cs-
ludar de noite; e outras muitas miudezas baratas.
- Vendo-se umcurijdo (oia'iiia, muito manso
e escolente cantador : na rua da Florinlina, n. 16.
a bija da ruado Crespo, n. 5 A, .
ao p do arco de Sanio- \ 11 Ionio, vendem-
se pecas de ma lapolo firio, enfeslado,
1 5,5oo t.s.; ditos de gallo dourado, a
'j.ooe rs.; pecas de bretanha de rolo, coai
10 varas, u 2,000 rs.; pecas decassa dequa-
dros blancos, proprias para baba dos,
com 8 varas e meia, a 2,600 rs.; sarja de -
seda, preta, com quatro palmos de largu-
ra, propria para vestidos de senhora, a
i,5oo rs o covado ; mantas de tarlatana,
para senhora, o 1,000 r.s. cada urna ; di-
tas de laa e seda, para meninas, a 2,000
rs.,ede seda a 7,000 rs.; casimiras entes-
tadas, propras para palitos e calcas, a
2,5oo rs. o covado ; cortes de cassas finas,
com 6 vrfras e meia a,5oo rs.; e outras
muitas fazendas, por preco commodo.
Vende-se.no arnuizem de Vicente Ferreira da
Costa, na rua da Madre-Deos, semeas em^saccas
grandes ebegadas ultiinamenlo do Trieste; vinho
da Figucira ,eunarria, ornis superior que tem
vindo a esto mercado, do muito conhecido autor Fa-
bifto; vinho abafado, em ancorelas de 4 e meia a 5
caadas.
Venib'-se una casa anda nova, margem do
ro, no Poco-da-Pane|la,con> duas boas salas, qua-
tro quartos cozinha fra um bello quintal cerca-
do de limito e mu i lu bem plantado de larangeiras
de embigo mangueiras, sapotizeiros e varias outras
fructeiras com porllo na frente e outro no fundo ,
e que tem a frente para a igreja : a tratar na rua da
Trompe, no sitio da casa coi de chumbo.
-- Na rua das Cruzes, n. 22, segundo andar, ven-
dem-se 3 escravas sendo : urna inulutinlia de 18 an-
uos quo engomma liso, cose chilo faz renda e la-
va desabilo ; urna piel-i da Costa, de 18 anuos que
cozinha lava, o he quilandeira ; um cabrinha do
14 anuos, oplmo para pagein.
Vendem-se toalhasde lavarnto, es-
conde, bcos largos, fronhas; lencos ; na
rua larga do Hozaro, n 27.
. Vende-se um lindo escravo de 20 a 24 anuos,
por prego comtnudu : na luja n. 5, que faz esquina
para a rua do Collegio.
Vende-se una preta crioula, de elegante figu-
ra, comisa 20 anuos de idade o umfilhodo2 an-
uos : satie fazer todo o servigo de tima casa de fami-
lia, e he perfeita engommadeira : no Rccife, rua da
Cruz, armazem ti. 45.
Vende-so lium bonito moleque de 13 annos, a
urna mulatinha de 7 annos, propria para dar-se a
huma menina : na rua larga do Rozario, n. 46, pri-
meiro andar
Chu rulos da Ha vana,
vindos no patacho hespanhol Huraeau : vendem-se
na rua da Cruz no Rccife, armazem n. 13.
No armazem 11. !\\ da rua do Tra-
piche ha para vender urna porco de so-
hrecasacas, por muito diminuto preco,
chegadas no ultimo navio da Inglaterra,
sendo muito propras para casa, escrpto-
iios, ou para quem passa a festa, por se-
rem feitus de linho e outras fazendas de
gosto ; igualmente ha urna porco de ca-
misas brancas, com peitos e punhos de li-
nho, e algumas ditas de listado.
-- Vende-se panno do algodUo da Ierra muito su-
perior: na rua do Ciespu, n. 23.
Vendem-se escravos baratos na rua das
Larangeiras 11 i4 segundo andar :
urna preta de 23 annos perita costureira engom-
madeira, e quo lambem faz lavarink); urna dita com
a mesma dade que cosco engomma ; duas negri-
nhas de 14 annos ; tima preta de 20 annos, ptima
quitaiuleira ; urna dita de nc2c Costa de 26 annos,
muito boa quilandeira ; 2 moloques de 14 annos;
um dilo de 16 annos, com oflicio de sapateiro ; um
lindo cabrinha do 16 annos, outimopara pagem|;
dous prelos de meia idnde por 360.000 rs. caita um;-
um moleque de 7 anuos, por 250,000 rs.


I 11 *m m .
*
P
Vcn.'o-sc, por n,lo se poder corduzir para o
*1ttn, um piano nm milito hnai estado o de mili
tol.na s vozna nnr melada do seu valor : na ra d.
QueimaJo, n. 17, segundo andar.
Lindo> vasos para flores.
Vendem-se vasos pnra floren, e urna pnr.jfio loucji vi.lrada : no caes da Alfandega, armazem n. 1.
Charutos de.San-Fclx.
No raes da Alfandega, armazem n. 1, vendem-se
ests superiores charutos da marca verdadeira por
mais liarato preco do que em outra pualquer parle ,
por ser em primeira mlo.
Vende-se um preto do bonita figura perfoito
canoeiro; umanegrinha de 12 annos, minio hoa
coslureira : no pateo da matriz de s.-Antonio loja
ii. 4, se dir quem vende.
Ven.lc-se urna prela de Angola, de elegante fi-
gura de 20 annos com algumas haliilidades ; po-
rem so se vende para fra da provincincia ou algum
eogenho: pa ra Nova, n. 18.
Vende-se urna escrava de bonita figura que
l'az todo o servico de urna casa, e he ptima para
vender na ra por estar a isto acostumada : na ra
da Concordia casa junto a venda n. 9.
Vende-se um preto proprio para padaria por
ser niuito bom forneiro e trabalhador, do que. tudo
entende : o motivo por que se vende so dii ao com-
prador : no pateo da S -Cruz, n. 2i.
-- Vende-se muito bou tellia o ladrilho por preco
mais commoilo possivcl, sendo da mellior qualida-
do : bein como una canoa em muito bom uso que
carrega 1,300 lijlosealvebaria, por preco muito
b.tralo: na travesa do MoudegQ, n. 8.
Viudo lia ralo.
\cha-so estnbelccido na ra da Madre-dc-Deos ,
ii. 'Ifi um armazem de
Vinhos da Figttcira,
do ptima qualidade, a preco de 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa : o para no baver dolo do com-
prador garfio lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-so a garrafa vasia, e dando-se inmediata-
mente a outra cheia : lambem ha barril muito pe-
queos, proprios para quem passa a (tata, O pro-
prielario deste cstahelecimento pedo encarecida-
mente que se n.o illudam avallando, pelo diminuto
preco e sem coiibecimenlo de causa a qualidade de
sua fazanda digna por corto da estima dos verda-
deros amantes da bou pinga. Kilo cunta que quem
urna vez provar, continuara com goslo e sem arre-
pendimento. R o bom preco !! .' A todo o exposlo
accresce o asseiu e boro acondicionamcnto, ii que
ludo se podera verificar em dito cstalielecimento.
Ven lem-so baleias para esparlilhos e vesti-
dos : na fabrica de chapeos de sol da ra do Passeio,
n. 3 A.
- Veude-se um escravo catador, e que entende
de planlaces de sitio ; urna oixa do msica con-
lendu ilifTeifilies pecas ; um rico aderezo de ouro ,
com diamantes, para sciibora ; um reoslo de ouro
eoiitrude prala ; um alinel com diamentes ; urna
correte e racoleta de ouro; alguus gaifosde piala;
Una -iiizia do cadeiras ; um Callliap; .las bancas
deoloo; urna carleira de amarello para escriplorio;
um* cama .le armacjio de indico e com onxer-
goes ; e outros minios objeelos por pre*ju commoJo:
na ra Dtreita, sobrado n 16
Vni.le-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarrad honlem, por pre-
go intiilo rasi av I, 'vista oe .sua muito
bUpcrior qual dade : na ra do Trapiche,
ii. 17, c rui da (Jadcia, 11. ,'i^.
Vende-se urna negnulia de bonita figura de
12 anuos rosliin-ira, e que be muilo sadia : na ra
laiga do Rozalio 11. 46, primeiro andar.
!i sendos monslros.
Yendein-so superiores lisiados in.mstrns, ]A brin co-
Dhecldos lauto pela qualidailt ruinu pila largura em
demasa, pelo barato prefu de 2K0 rs. o ovado Rajes
n-cnloi sao chegados uliiuiamcnte : as.reg 930 fixas,
c 05 padres inuitu modernos e de b.uii gusto : ua aova
lujada Kstreila da ra do Collagio, n. 1.
Wnde-se urna caita terrea multo grande, illa na
rua da Manguelra, na lloa-Vista, 11. I l.com grar-des enm-
modos,quintal inuilo grande e minios arvoredos de fruc-
toj, por preto 6 mais rasoarel possivcl: trata-se na ra
do Aragao, n. 27.
Firmino J. F da Itosa vende muito superior pan-
no dealgodlo trancado feto na Babia muilo pro-
prio para saceos de assuear assim como para roupa
do escravos por ser muito eucorpado : os prelen-
dentes dirijani-se a ra do Trapicbe, n. 44, primeiro
andar.
Saccas com mi I lio ,
a .VJOO rs.:
vendem-ss no armazem do Bacelar no caes da Al-
fandega.
. Veode-se cal virgem de Lisboa!, em barris de 4
arroba* chegada pelo ultimo navio, por proco coinino-
du : a tratar com Almciiia fc Fonseca.na ra do Apollo
Vriidi'iii-se barris pequeos c.un cal vlrgeui de Lis-
boa, a mal nova que ha uo mercado por preyo coiu-
modo : na ra da Muda aruiaiein o. 17.
<5
<;
m
% Potassa nova e superior.
Vende-se a a5ors cada libra,na
> ra do Apollo, armazem n. 18, ou $
^ na rua da Cadeia, n. 4- 11
w.
QMAa&ftsA-Aaafft*aMftO
Vendem-se ps de arac da India chegado*
lia poucodo Hio-de-Janeiro c plantados em sepa-
rado : na rua da Florentina, ti. 16.
Urub-re.
Yende-se um uruln-rei por preco
commoilo : na rua da Praia, n. i\.
~ Vende-se mn preto de bonita figura quo est ba
10 annos em botica, do que tem pralica : na
rua larga .lo Hozarlo, luja n. 35. Na mesma loja tam-
bem se vendo urna parda, propria para ama do cas
pomer fiel, c de juizo e tei Habilidades.
V-i, 10-se az.iio de carrapatu muilo bom a
1,240 1* de 20 erni-das pura ioim e de 100 ditas
para cima, a 1,200 rs. : nos Quairo-Cmilos venda
?! 95. '
Vendem-se bonetps de panno ris-
ctdo, a 3io rs : na loja de qualro portas
la rua do Cabug, n. 1 ('.
A 1.600 cada um.
Na loja de Coi manes & C que faz esquina para a
rua do Collegio, n. 5, vendem-se brreles de seda
.ara padre, pelo barato preco de 1,600 rs. cada um.
-- Vende-se um cabra uflleial de pedreiro de bo-
nita figura de 18 annos proprio para pagem : pre-
fere-se vender-so para fra da provincia, ou para en-
genbo : na rua Nova, fabrica de chapos do Chris-
tian Irmflo.
Ciartlhos hespanhes ver-
(1-id ciros.
Quem nao traga urna fumaca prnduzida por estes
deliciosos ctgarrilhos n.lo se pode contar no nume-
lo daquelles que sabem apreciar os deleites da vida
contempornea : e as pessoas quo se julgarem nes-
tas circumstancias dirijam-se atrs da matriz do
Corpo-Saulo, no Hecife, venda n. 66.
Pichincha.
Vendem-se luvas de fio da Escocia para seiiborn,
pelo diminuto preQO de meia pataca cada par na rua
Nova, n. 30, loja de Domingos Antonio de Oliveira.
Vendem-se tnucados para senlmra, proprios pa-
ra paitidas o bailes : na rua Nova, 11. 30, loja de o-
mingos Antonio de oliveira.
Na ra de Moras, n. 52, esquina de S.-Thcreza,
lia para vender superior farinlia do reino, assuear,
manleiga da mais superior, rb do mellior que lem
apparecido superior violto do Porto engarrafado ,
cerveja patente da mellior, espermacote muito fino,
batatas porlugue/as muito novas superior azeile
doce do Lisboa : tudo por preco muilo cominodo ,
do que os freguzes 1180 se desagradarlo.
Vendeni-se saceos com farelo, pelo barato pre-
co de 2.400 rs. : na rua da Senzalla-Vclha, n, 138.
PARKL0,
a 4,500 rs. a barrica : no armazem 11. 20. de Jnaquim
la Silva Lopes, confronte a guarda da alfandega.
Vendem-se cdxas de vidro, mui
bem enfeiladvs, para guardar joias, poi
proco commodo: na loja de quatro norias
da 1 na do Cabug, n. 1 0, do Uarle.
Agencia da rundir
Low-itoor, rua da >eiiznlhi-
nova, 11. 4!2. '
Neste cstrtbelccunenlo conlina a ha-
ver um completo sortiinento de moendas
e mcias moendas, para engenh; ma-
chinas de vapor,e lidias de ferro batido e
rindo, de lodos os tamaitos, paia dito.
Polassa.
Desembarcou lia poucos dias nina por
cao de harria pequeos, com muilo nov.
e siipeiior polassa, e se acbam venda,
por preco mais baiato do que uliima-
nn-nlese venda, na rua da Cadeia-Velba,
aruoizcm de Bailar r Oliveira, n. 12
Vende-se colla Je superior qtiHlidade, das fa-
bricas do Kiu-Crande-do-Sul: na rua da Moda.,
n. 7.
Na loja dp qualro portas da rua do
Cabug, n. 1 C, to Duarte, tem um
complejo sortiinento de peiliimarias. p r
pierna mais < 011,1110.los do que em outra
qua aiter parle.
-- Vende-se na venda ile Rento Joo Cardozo, nt
1 na 1)1 relia n 95 superior cal de l.isbda em barris
de4 a S arrobas, ebegada prximamente por mais
commodo preco do que em outra qualquer parte
-- Vende-se urna casa no lugai da Capunga, pcr'o
do rio, de pedia o Cal, anda nova lo la rioid ardi-
da : vende-se por menos de seu valor recebendo-se
melado a visla : no pateo da S.-Cruz ao p da bo-
tica n. 8.
Vende-se caivetes de cabo dema-
dre-perola, de nina folba al qualro ; di-
tos de punbal ; tesouras para unlias, li-
nas ; (lilas de costura ; ditas com caive-
tes ; colbercs de melal do principe, para
cli ; saia-i ol lias de patente ; csiojos de na-
valhas ; aliadores, com sua bmpetenle
pedra; tos melhoies que tcem apparecido :
na loja de qualro portas da ruado Cabug,
do Duarte.
Na loja do Passeio-Publico ,
11. Ii) de .11 a noel loaquiui
Pascoa! Ramos,
veinln-se riscado de algo.lao.para cortinados a 120
rs o covado e 2,400 rs. a prca coni 24 covados;
riscado monstro a280rs.; corles de casimira, a
4,000 rs. ; ditos de Ifla a 2,000 rs.; castor para cal-
gas a 200 e. 360 rs. ; inadapulflo, a 3,000 o 5,500 rs.;
riscados frsncezus a 200 rs ; ditos muilo finos,
280 rs. o covado ; diales de tarlatana de seda, a ii.000
rs. ; manas de seda ,a 10,000.rs. ; lencos de gar-
(a a 1,000 rs ; ditos de suda, a 1,000 rs. ; panno li-
no azul, a 4,000 rs ; ito preto do 3,500 a 5,500
*rs. ; cintas encarnadas muito finas., padrOes moder-
|nos, a 280 rs. o covado ; e outras militas fazendas
por preco commodo.
Ilgodo monstro de 8 palmos
e meio de largura.
Na loja n, 5, que faz esquina para a rua do Colle-
gio de Guimariles & Compaiihia vende-se a nova
lazen la de algoilHo ln anco r muito |>rii>rio par los-
illas pelo batato pregu de 640 rs l)a-se amostra.
Vende-se muilo superior biscouto francez de
lltieiuis : na ruada Cdcia-Velba, n. 29.
Vende-se aicatrao da Suecia, de
ba qualidade, em barris bem acondicio-
nados com arcos de ferro : na rua do V-
aiio, n. 4.
Cera de Lisboa.
Na rua da Cruz, n. 60, ha um completo sorlimen-
to de cera de Lisboa em caixas de todos os lania-
nhosque os compradores desejarem; assim como
lamliein ha una grande porcoda que vem em gru-
mo e em pSo vende-se por menos prego do que em
outra qualquer parle.
CHA' HYSSON,
de ptima qualidade a 2/240 rs. a libra : na rua da
Crin no Recite armazem n. 13.
FARELO
a 3.f000 rs. a sacra
nos rmateos na. 1 e 3 do caes da Mfandega.c no de n.
35 da rua do Amorlin, de J. .1. fasso Jnior,
A 4.000 rs. cada um.
Na loja n. 5 que faz esquina para a rua do Colle-
gio, de Ginmarftes & C, vendem-se chapeos de sol de
seda verde, azul o encarnada, pelo diminuto prego
de 4/000 rs cadaum.
Um novo sorlimento de
i i cailo monstro.
Vendem-se na loja de Guimarfies cv ., que faz
esquina inira a rua do Collegio, n. 5, novos risca-
dos monslros de padrees modernos o lindos, pelo
tnosmo prego de 320 rs. o covado.
Casimiras elsticas.
Vendem-se auperinres cortes de meia casimiras els-
ticas de pura laa, pelo barato preco de 2/000 e 3/000 ra.
o corte de calca: na nova loja da estrella, da rua do
Collegio, n. 1.
Yende-se um bonito sorlimento de
bol5es de seda, para casaca ; dilos para
vestidos de meninos; ditos amarellos, de
Pedro Ii; ditos para militares, de ca-
vallaria e infuitaria, dilos para libre's de
pairen), brancos e amarellos, de bons pa-
ilifies ; dito de massa, para fardamento
de caradores ; ditos de vidro, de diversas
cArcs : na rua do Cabug, loja de quatro
portas, do Duarte.
Vendem-se luvas de pellica parh
senhora, enfeitadas, a 3,800 rs ; ditas
apra homem, de diversas cores, de pon-
to ingles, a 1,000 rs. ; ditas dealgodlo a
5oo rs.; ditas de seda a 800 rs ; ditas pa-
ra senhora a 1,280 rs. ; lencos de grva-
la, de seda, de 1,000 rs. a 1.600 rs. ; ga-
loes entre-fnms de diversas larguras;
espiguilhas, galdes falsos, e volantes, por
pr. eos commodos i b-cos do Porto, de di-
versas larguras, de 80 a 160 rs. a vara ,
ditos francezes, de bonitos padres; filas
de seda, n 9 e 12-; fio-es francezas ; len-
cos de garca a 1,000 rs : na loja de qmtro
portas da rua do Cabug, n 1 C, do
Duarte.
Vende-se ca? virgem de Lisboa,
chegada no nllima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qud-
querpirte: na ruado Trapiche, arma-
zem n 17
Vendem-se dous pianos fortes de Jacaranda ,
chegados'ltimamente, que, alm de serem um
magnifico ornato de urna sala, teem excedentes
vozes, sondo o mechatnsmo da inuila approvada no-
va inveiicSo chamada tepitidor patento de Col-
lard : em casa de J. Keller & Couipanhia na rua da
Cruz, n. 55.
" Vendem-se aeges da ex-
ttncta companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, rua da Cruz.
. 9.
~ Vende-se a armago, sam fazendas, da loja da
rua doPasseio, n. 17.
-- Vende-so um checheo muito manso e excel-
lente cantador ; bem como uina grande serpente
viva encerrada 0111 uuia fortegaiula propria para
ser levada para qualquer paiz eslrangciro: na rua
ia Florentina, n. 16.
Vendem-se mis bancos,,torneiras e urna ca-
leira grande do magisterio : a fallar com o sacris-
tn da Madre-de-1leiis.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa e
cal viigem em barris d-< 4arrobas, por mdico prego:
na rua do Vigario, \. 19.
N.lo se entende oannuncio 'inserido no Diario
n. 237 com as letlras iniciaos M. G. da C. com
Manoel Comes da Cruz
T
Vende-se os mais ricos e mais
jg modernos corles de vestidos, de
g seda de cores, lauto em gosto, co
M ino em qualidade chegados no ni-
limo navio, feudo a superioridade
de nunca mofar, e com covados
cada coi te : na ruado Queimado,
quatro cantos, loja da osa ama rel-
ia, n 29.
Vende-se urna prela de 20 annos, que engom-
macomperTeigfto,cezlnnao diario de urna casa,
lava e coso qualquer vestido do senhora: na ruado
Seve. 1 rioieira casa a diieita.
No armazem n. 66, principio da
rua da Cruz, vindo da rua da Cadeii
vende-se vinho da Figneiro, de lioa qual
lidade, a 160 rs. a garraf., c i,iao rs. jJ
caada, e em pipas ser vendido por
menor preco que em outra qua.lquer
parle.
Chitas escarales de ricos pa-
dres.
Na rua do Livrament, n. 14, acaba, de chegarnm
rico sorlimento de chitas linas e de bonitos padre.-
bem como outros padres novos para a testa. A el-
las, que se estn acabando.
He chegado loja nova
do Aterr<<-da-la-Ysta, 11. ^\t
um sortimento dos mais drl.
cados riscados denominadas
monslros, ese vendem pelo ,i.
minlo preco de 'ilO 1 s. o co>
vado.
Vende-so a venda n. 1 do pateo do Tergo, com
os fundos de 600,000 rs.: quem pretender dirija-so a
mesma.
Vendem-se sap-itoes de couro <|s
lustro ; ditos de couro Lianco de sola c
vira ditos para meninos de sol 1 e vira
por precos commodos; na rua da (.'adeia
do Hecife, n. 9. t
ptima pinga a 140 rs. a
garrafa.
Vende se na rua do Amorim, n. 36, o
muilo superior violto da Hgucira a 1,000
rs. a caada ; e tainbem tem os mais su-
periores vi 11 los de Lisboa e Porto, por ore*
eos commodos.
No armazem de Dias Ferreira, no
caes da Alfandega, vende-se, por pieco
muito commodo, potassa muito superior,
em pequeos barris de 100 libras cad*
um, desembarcados ltimamente.
Vende-se, a dinheiro ou a prazo,
e sendo com boas fu mas, a loja de mtu-
dezas da rua do Queimado, n. 53 } Os
prefendentes dirijam-se mesma.
Escravos Fgidos
A inda conlina a oslar fgido o escravo Patri-
cio de vinte e tantos anuos; he desdentado ; tem
urna fstula no rosto,de um lado; he de altura re-
gular magro, peinas finas ; j veio urna vez preso
do Brejn-da-Madre-de-eos, por isso sabe muilo
bemocaminhodosertl. Quemo pegar |eve-o ao
Recife., rua da Cruz, n. 26, que sera gratificado.
Fugio urna crioula de nome Calharina com
os signaos seguintes : alta, magra ; tem a barriga
um tanto crescida nariz grosso, denles bonitos;
levnu um roupfio de riscadmhn cor de rosa urna
sia de lila e outra de chita esverdeada com dous
babados guarnecidos con. lita de velludo preto um
cabeceo de casia dequadroscom abertura e bolOes,
panno da Costa sem estar emliainhado ; levnu mais
um sua filha denomeMaria de dous anuos; tem
as cotas unidas a ponto de a fazer espaldar os pos
para os lados; suspeita-se que esteja escondida em
Kra-de-Poitas csuspeila-se mais outra Colisa lo
que.por nfincslar bem esmerilbada, liiln se faz derla-
raQIo algu.ma : quem a pegar |eve-a ao Alerro-d-
Hoa-Vista, n 42, que sera gratificado: lambem se
protesta contra quem a liveroceulta
--Pugiu, no dia 15 do correntn o prelo Luiz,
criouln, de 50 anuus j.ouco mais ou menos i be bai-
xo, ebeii) do cor o ps pequeuos e com os dedos
muilo curtos por ja ter tido minios liisns c IioIm j,
pelo quo sao apa botados anda devagar ; lem uffll
cicatriz liem visivel na testa e una falta de cabellas
na coroa ,la calieea de carregar pes.i-; tan bem tem
lignina falla de cabellos na testa; levnu calcas de
ilgodii liscadn e camisa de dito Esto escravo fui
do engenbo Santus-Oosnie-Damiilo do Sr. Iir Ma-
nuel Fianciscu de Paula Cavalcanti de Albuqucrque.
Quem o pegar leve-o a rua do Kaugel, venda n.to,
que ser gratificado,
I'ugio, no da 18 do coi rente, do engenbo S.-
Joao, i,n Cabo, Marcolmo pardo tiigueiro, de IS
anuos estatura regular cara ledouda olhos pe-
queos denles limados" ; levou duas Cateas, urna d
brim pardo e outra de riscado azul : quem o pegar
leve-n ao referido engenho ou a casa de l.uiz Co-
mes t'erreiia no Moudego, que sei generosamen-
te recompensado;
Fugio, no dia 18 do crranlo a escrava Joa-
quina, de nacfio Angola de 18 a 20 anuos alta,
cheia do corpo cor fula, olhos grandes, beicos groi-
sos rosto redondo peitos grandes ; tem lias cos-
as signaos de sua uaQilo : quem a pegar levo-a a SCU
senhor, Manoel de Suuza Cordero SimOes, na rua
estreita dollozario, n. 23, primeiro andar, que re-
compensara.
Fugio, no dia 2 do correnle, um preto crioulo,
lo mime Manuel, fulo, sem barba, estatura baila i
beigu lo, com urnas manchas pelo rosto e pesenen ,
ps curise chatos; lie um tanto descansado no
andar ; levou camisa e calcas brancas : quem o pe*
gar leve-o a rua da Cruz, no Hecife, sobiado n. 6*.
que ser recompensa iu.
Fugio, no dia 20 Jo corrento, urna eserava ca-
bra, de nomo Josepba natural do Ico do lugar do
llrojo de altura regular, corpo, pese mitos g'OS"
sos rosto regular queiso fino, beicos bicudos, na-
riz arrebitado, lesla estreita ; tem os denles da fren-
t ii abortos, orelhasregulares, de 25 anuos, pouCO.
mais ou menos; levou vestido de dula rOxa, panno
da Costa corrido de matamos em ro la ; audava ven-
doinluazeitu : quema pegar leve a rua do Fogo,
n. 28, quo sera generosamente reconi|iensado.
En*. I \* TVP. OB M.
r. DBFABIA. lW8
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E52PGHOQY_PVOIA1 INGEST_TIME 2013-04-24T16:51:35Z PACKAGE AA00011611_06544
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES