Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06538


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anal
XXIV.
Ter^a-fcira 17
"u" r Vi"prlicftei pe* inetade' "O nao
&! paarSo 80 r.. por linh. a 160 r.
Jm ivi> PIUSES DA LA NO MEZ UE OUTUBRO.
-,,., a ft, f 11 hora e 42 mln. da manb.
uSSi a I*. hor e ai ,nln- d.a Urd-
u.mZi a'9.<" 8miu damanh.
*!V *s I > hora, 27 ID. d. Urd.
PARTIDA DOS COBREIOS.
Golanm e Parahlba. it tegt. e aeitaa-folrat.
Rlo-G.-do-Norte, qiilnlat-feiraa ao inrio-dla.
Cabo. SerinhSem, Rio-Kormoo, Porto-Calvo
e Macelo, no 1., a 11 r 21 de cada met.
Garanhu.n e Bonito, a 8 e 23.
Boa-VUta e Florea, a 13 e 28.
Victoria, i$ qulutai-feiraa.
Olinda, todos otdlai.
PREAMAR DE 110JE.
Primcira, a !l horai e 18 minuto* da manh
Segunda, sD horas e 42 minutoi da Urde.
de Outubro de I84P.
N. 5.
DAS DA SEMANA.
16 Segunda.S. Martioiano. Aud. do J. doi
orph. do J. iiv. tilo J. M. da 2. v.
17 Terca. S. Ileduvigei. Aud. do J. do c.
da 1. v. c do J. de paido2.dll! de t.
18 QuarU. S. Lucas evangelista. Aud. do J.
do c. da 2. Y. e do J. de pa< do 2 dial, de t.
19 Quinta. S. I'edro de Alcautara. Feriado.
20 Sexta. S. Joo Canelo. Aud. do J. doclv.
e do J. de paz d.i I ditl de t.
21 Sabbado. S. Urtula. Aud. do J. do c. v.
e doJ. de patdo 1 dial, de t.
22 Domingo. S. Mari* Salom.
CAMBIOS NO DA DE 10 OimiBRO.
Sobre Londre a 24 d. por 1 000 ra. 0 d.
* Pari
Liaboa 120 por cento de premio.
I llil-clr--I lili II" *0 | H .
Ilrac. de lett. de hoa> firmas al %' ao me
Acedes da comp. de Heberlbe, a&O/ra. aop.
Ouro.Oneas hespanholas 31*100 a 31/500
Modas de 6/400 v. 1T/IS00 a 17/700
, de IBfWOn. 16/600 a 16/700
. de 4/W0... 9/500 a 9/70O
Prato-Patacoes brasileiro 2/lt"' a 2/020
> Pesos columoarlos. 2/000 a 2/OT
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/W0
DIARIO DE PERM
BUCO
PAUTE OFFICIAL.
MINISTEIUO DA. MARINHA.
AV/SP DE 15 DE FKVEREIRO DE 1848.
Decide as duvidas acerca da reintegraco dos offlciaes
da armada que tiverem tidn baixa por sentenca.
S M o Imperador, por inmediata resolucao do 13
do corrente, tomada sobre consulta do concelhosu-
urcmomililar, de 28 de agosto prximo passado, acer-
ca dos ofllciaes da armada que fdrem senlenciailos
r depois perdoados, do que V. S. tratara em ofllcio
i-M 517, de 10 dejunho ultimo, houvo por bem deter-
"rniniirquc, quando qtialquer oflicial tivei- baixa do
servico por sentenca, o fr depois perdoado, decla-
rando explcitamente o respectivo decreto que elle
seja reintegrado no seu posto, dever em tal caso
smenle lomar a oceupar o posto que havia perdi-
do, contando lempo da piimeira e o da segunda pra-
, ca, na conformidade da provisao de 7 de dezembro
't 1835; sendo nccessaiio, paraquenlosc Ihe cont
aquolle lempo, que o decreto expressamente decla-
re que o perdfios limita-se graca da reintegraco
conferida ao referido oflicial: oque communico a
V. S. para sua inlclligcncia e execuefio.
Dos guarde a V. S. Paco, em 15 de setembro de
188. JoaquimAnlo Fernandos Leo. Sr. Jacin-
tho Roque de Sena Pereira.
AVISO DE 15 SETEMBRO DE 1848.
Solve as duvidas tuerca dos ofliciaes de apilo da armada
quefrem sentenciados.
S. M. o Imperador, por immediata resolucSo de 13
do crrente, tomada sobre consulta do concelho su-
premo militar, de 28 do agosto prximo passado,
acerca dos ofliciaes de apilo que frem sentenciados,
do que V. S. tratara no oco n. 517, de 0 de juntic
ultimo, houvc por bem determinar quo se>observo n
tal respeilo oque se acha implcitamente decidido
pela resolucao de 22 de Janeiro do 1833, tomada so-
bre consulta do inesmo tribunal, de 7 do dito mez e
anno, quando laes individuos so mandados presos
dos navios a que perlencem para quaesquer oulras
prisi-s ; flevendo-ae, porlanto, applicar em geral as
disposicoes do alvar de 23 de abril de 1790 aos
ofliciaes do nmnero-das diversas classes da corpora-
efio da armada : oque communico a V. S. para sua
inlelligencia e execugfio.
Dos guarde a V. 8. Paco, cni 15 de setembro do
1848. Joaquim AnlUa Fernundes Leo. Sr. Jacintho
Roque do Sena Pereira.
MINISTERIO DA JUSTiCA.
Despachos que baixaram g secretaria de estado dos nego-
cios dajuslica no da 23 Ue setembro corrate.
0 padre Manoel AntonioRayol, apre sentado no be-
neficio que se acha vago na calhedral do Para.
O padre Manoel Rodrigues Valente Doce, apresen-
lado na igreja parochial de Nossa Scnhora da Soleda-
de de Calrary, do bispado do Para.
O padre AntonioServulo do Andrade Aguiar, na
igreja parochial de S. Jofio da villa do Rio Claro do
bispado de S.-Paulo.
O padre Antonio Casimiro da Costa Rodrigues, na
igreja parochial de Nossa Senbora da Candelaria de
Iiidialuba, do dito bispado.
Severtnode Barrse Vasconccllos, nomeado com-
mandanto superior da guarda nacional da capital da
limvincia do Maranho.
Antonio Cuetano de Souza, ajudante d'ordens do
commando superiprda guarda nacional do munici-
pio da Campanil*, provincia de Minas.
O capitilo da 3.' classe do exercilo, Bernardo da
Silva e Almeida, instructor do l.'corpo decavallaria
da guarda nacional da curte.
Jos Pereira de Almeida, demillido do posto de tc-
nento quarle|-mestre da 3.'legifioda guarda nacio-
nal ila corte, e nomeado para o mesmo posto Jos
Lopes Pereira Babia.
Demillido do lugar de chefe do polica da provin-
cia do-M iranhlo, Francisco Vieira da Costa.
O hacharel Antonio Borges Leal Castello-Branco,
nomeado juiz de dimto da comarca de S. Concalo
dn'provihcia doViaiihy.
O bacbarcl Jofi Jos Rodrigues, removido do lu-
gar de juiz municipal e orphilos do termo de Tauba-
t para o dos termos reunidos da eidade de S.-Paulo
e Santo-Amaro, por assim o haver pedido.
A Jos Antonio de Araujol.ima, aceita a desisten-
cia da serventa do oflicio de depositario geral da ei-
dade da Babia, e conferida a mesma serventa a Fre-
dericoJosc da Cunha.
A Carlos Augusto Rodrigues de Vasconccllos, a
serventa vitalicia do ofllcio de distribuidor c conta-
dor do juizo da eidade de S.-Paulo.
A Demetrio Egidio Vasco de Toledo, a serventa vi-
talicia do oflicio de escrivflo dos orphilos da villa do
Pilar da provincia da Parahyba.
A Francisco F licio Pcixotodo Carvalho, aceita a
desistencia dos olllcios de 2. tabellifioa cscrivfio de
orphfios-da eidade de S-Christovfio, capital da pro-
vincia de Sergipe-d'EI-Rei.
do muilo; mas,pelo sim.pelo n5o,direi semprealgu
mn consn. Comflcarai noticiando que S. Exc ORO
hre presidente do concelho pedio no da iia sua d
moefn C\a mnliuiMi nua AcInncitftmAnl i intliUI'HM
- vista a fiindicSo da ra d'Aurora ahi nossa eidade
i- que supponho terchegado a muilo bom pe sem esses
i- favores, if-sc-hs qia a da pongU-''A'*s '-
hro presidente do concelho pedio no dia a* a sua do- favores, ir-jc-tss que a da Ponla-d Art.2, < g1-
missno. Os motivos que ostensivamente intluiram gantesCBs proporqOes, da quolidianamenie oceupa-
nesta resolucHo fram, segundo uns", os ineommodos cno a mais de qualrocentas pessoas, o lom cnegauo
de sade, segundo outros, urna necessidade mais a um ponto tal, que pode nvalisar com asfundi<;Oes
que urgente, que reclama a presenca de S. Exc. no europeas. Mas isso he um erro; nossos leg.s a.lo-
seu Iti, para tratar do cerlos negocios particulares res nffose querem convencer que toda o qualq cr
. i. e. '!,-.. n.. r.i.i;^ji i^ n...n,in o mo_ nuntaMSn a esiahfllftcimcnto Ulo grande sera inellt -
o do familia. Que fatalidade! logo quando se ma
nfestavam lsongeiras melhoras, que promettiam se
...... ..:.. .. 1... I .. r> nonno ,.. i'i.l.. I. i ^ I :i 11 I .' n:if:
- protecefio a eslabelecimento tilo grande sera inefli
i- caz em paizcomo o nosso, onde nao baja materias
nifeslavam lisongeras melhoras, que promettiam se- caz em paizcomo u ,,uu, ...- .,.. .-,- .. ---
nao vigor e robustez, ao menos sade bastante para primas. A prime.ra proleccao a.dar ? i mi
um sexagenario que segura o lirnUo do estado, vie- de blennos essas materias aqu., extran i-las Win-
ram ascLpMcacoes do llfi Paciencia.., O l.omein as abm^Uesqu eternos ormem+,. ^
,0e e Deos'dispbe. E os collegas flearam ou sahi-
ram? Pcrguutar-me-hao os leitores. Poderla eu a-
qui f;izcr o mesino que certo romancista, famoso no
seculo passado, que, chegandoao ponto mais intrin-
cado do enredo, coMumava sempro exclamar :
AVln precipitemos os aconlecimeilos ; sejamos discre-
lo, o nosso hroe corre perigo imminente...V. os leitores
icavam em completa ignorancia do resultado. K.To
serci a tal poni cruel e rebelde cuiosidado natu-
ral que devo mover a noticia que dou. Os collegas
sal i rilo igualmente, urna vez quo o presidente do
concelho, em quom deposilou a cora sua confian-
za para organisar o gabinete, se retira; mas espera-
rao T|ue se fechem as mamaras : he cssa a opinio
geral, e que be mais aceita. Comegam agora ascon-
jeduras para saber-so quom ser onovoorganisa-
dor : cada fracao da cmara dos deputados teni o
seu predilecto; e os.tres que mais prohabilidade
reunem so: Alves Branco, Macah e Hollanda c,i-
valcanto. Niloacho do boa polilica chamar-seo pri-
meiro, nem prudente chamar-se o segundo; o me-
Ihor para, as circumslanciasactuaes, organisar um
gabinete, que promella alguma esperanca he o ulti-
mo. Hollanda he talyez o nico dos nossos polti-
cos que mais repugnancia musir a suhjeitar-se a es-
se i!omr'0 absoluto das maiorias da cmara dos de-
pulados* e por isso ha de governar conforme jolgar
.le iiileicsso pura o paz, e uto subordlnar-se ao
mando dos depulailos que peusam que as provincias
se lleve fazer o que elles querem. Mesmo quando a
cmara Ihe negar o apoio, elle ha de ir para diante,
porque diz que tifio ve na consliluiQao eslabelecida
a doulrina gue mande as maiorias imprao governo.
E se as cousas chegarem ao ponto do tornar-so in-
dispensavel uina dissolucao, u3o o supponho capaz
do cummetter asfa^aiihusque oulros leem cominol-
tidoem negocios de eleices. Hollanda he ambicio-
so de mando, ho isso verdado ; mas he incapaz do
reaeges vilenlas e porseguicOesjiara conservnr-.se:
em toda sua vida poltica lom semprc se ostentado
franco e generoso. Emfim, para que perdermns pa-
lavras? Es|ierpmos pelo quevier, nada de precipitar
os acontecimenlos.
A cmara dos denotados Irahalha em snssao secre-
ta para discutir o artigo 13 da lei quo trata da iulro-
duccilo Je Africanos livies. Nao sei que raso de
conveniencia ou ulilidado aconselha tal expediente,
nem comprehendo para que sirva sessao secreta,
tratando-so de negocio condecido ; amenos que se
tenlia medo de, sobre aquillo quo quasi todos tcem
formado um juizo bom ou m.io, dizer-so em publico
o quo sesele; e parece-meque foi cssa uina das
lii.-i's mais foites. Corto depulado, cujo nome*
omillirc, a quem desde 1845 vejo toinar parte em
todas as que.ttdes, causuu-me admr,ac,;To com osi-
,v,....c .1- Mu^...w^... .....,.- ...^ _u.....,%,.u
leucio quo guardavalla discussao desl lei ; suppuz
al que elle nao Ihe prestava attencSo: voio, porm,
a sessao secreta, e ahi temos o honiem como danlcs quom, em um uaquci.o ?? '"""'"''''7" M,r
Examinada a causa, vim a saber que at bem pouco quando elle esl de vea sabe aze-los, rompeu c. de-
lempo fura elle ondvogado do governo inglez as '>te contra o ministerio NSo era preciso candada
To furto part gente Ufo fraca. Hcrealmente urna
K,_ pena que tanto talento, tanta vastidao do recursos
ibelios erprovars, nao quiz fallar em coubessem a quom nao esl no caso de organisar um
gabinelo o dirigir una poltica; e he por isso que
INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBLT.O.
Rio-de-Janeiro, 27 de tetembro.
^hi estamos com o vapor Jmpciatrii annunciado
fiara sabir amanbSa de madrugua para os porlosdo
"notte, e diz-se que ni)o havera transferencia; dtivi-
glez uas
quustes quosobiecsse
o cunto rccelasso com
das nos .-cus
publico.
O artigo cm si nada conlm ; mas, pelas conse-
que'ncias que pude arraslar, be importante. Eis o
seu tcor: Nenbuma acr^ao poder ser intentada
em virtudeda lei de 7 do nuvembro de 1831, que lien
revogada, e bem assim todas as oulras em contra-
rio. Sei alguma cousa do que se lem dito no deba-
to secn lo, mas urna vez que a maioria dos repre-
sentantes da nacSo. entendem ser de conveniencia
do estado o segredo a respeilo,- n,"io serej en i *m in-
discreto e rebelde deliberacHo das maiorias, que
rovele o que so ha passado. Direi smenlo que,' se-
gundo posso julgar, o artigo ha de passar, bem co-
ii.ii I ...I.. i.i ,.i.i,.l .. n t.i "./ \ liir-i -i ii.iun .iii/i.i filil
por
0108
estalielccimontos moutanhisticos e malalliirgicos.
A rasilo de creare conservar trabalho para qualro-
centas pessoas seria do alta ponderaefio para o paiz
que superabundasso em bracos que devessom ser
ompregados, como, por exemplo, na Inglaterra ;
mas, nao se dando entro ns excessode populacao,
tanto que trala-sc as cmaras de urna le do colom-
saQilo, tal raaBoCalle por Ierra, sem sor precisorlizer
que a'quelles braQos n'io sSo nacionaes, ern sua m-
xima parte, e quo foram mandados vir para lal lim.
E demais, so se quer desenvolver a industria no
paiz, se ha ossa necessidade de dar emprego a bra-
cos ociosos, para que se nao protege afundicaodo
arsenal de inarinha quo foi posta pelo mesmo Hol-
landa, em tal p, que pouco tem que invejar a da
Ponta-d'Ara ? Ahi apromptam-se quaesquer encom-
mendascom perfeigilo que satisfaz s nossas neces-
sidades : comludo deixa-se um eslabelecimento pu-
blico, e protoge-se ao particular; empreslam-se-lhe
300 conlos, verdade seja que com juros e garantas.
E o tal Irineo levou tanto a mal que houvosse um
senador que Rfl arrojasse a combater o empresliino,
que ahi se apresentou pelos jornaes de bontom com
a mais vilenla dlatribe quo se pude imaginar con-
tra Hollanda ; concluindo depois de muilos impro-
perios que-como orador be o Sr. Hollanda Cavalcan-
le,-apena* consuiUra as ephemerides para vr coi
que pbase se acha a la.Ora j se vio cousa seme-
Ihnnle ?.... Fico sabeiulo que quem zela osdinheiros
pblicos he louco. Uso lem causado muita indigna-
eflo, mesmo aos quo se esfoream pela passagem da
resolucao : veremos.o que acontecer na segunda
dtscussfio.
Leu-sc anles de hontnm no senado o parecer da
commissao do mantilla guerra sobre a admissilo do
marechal Browm, deque fallei na minha passad ;
diz que n3o ho de juslica a prelencao, e que so nao
deve adoplar a resoluto da cmara dos deputados.
A commissao hecompusta do Rodrigues Torres, re-
lalof, Caxias o Jos Saturnino quo assignou ven-
cido.
Tambem se leu na mesma sessao o parecer da com-
missao de fazcnda.assignado pelo viscondo do bran-
les" c llolliinda, o qual, resuiiiindo o mais possivel as
soaldeias pela certeza do lempo, propce que seja
quanto antes submettido o orgamenlo a discussao,
depois de observar quo as disposioes geraes sao
(aulas, e de tito diversa ualureza calcneo, que so-
monte por mcio da discussao, auxiliada com os es-
clarecimenlos que os respectivos ministros fornece-
rem, poder a commissao e o proprio senado ajuizar
com seguranza a respeito da conveniencia e justica
de algumas das mesmas disposicOes.
Nao ado provavel, nem possivel que daqui te 4
de outubro so possa discutir o orcamento, he portan-
to indispeiisavel nova prorogagao.
Comecou honiem a discussao; foi Vasconccllos
quom, Ora um daquelles discursos fulminantes que
qUIIUU |/IMJU JUI^UI, Ufllil|)U lli uV|rp^a|(uoillk
ino todo o projecto; o se nao l'ra a esperanza q
Iculio no senado, para onde elle ha de voltar, p
causa das emendas quo tem tido, dira-que a
ter urna lei, cujas disposicOes sao inteiramciil. .
lusorias. Os nossos legisladores,por quercrem mos-
trar vcbeinento repprova^ao ao passado, vfio cahin-
do cm um excesso que coulraia inleiraueulc os
seus intentos..Admiro que Souza Franco, leudo pro-
iuellido,na discussao do organiento da reparlicao de
estrangeiros, aptesenlar emendas ao projecto, pois
quo ja liulia compostu trabalhos neslesentido, tifio
leu lia realisado sua piomvssa. Apenas Rodrigues
dos Santos tem apresoulado como seus alguns arti-
go.-* additi vos e emendas, dos que loran> formulados
pelo concelho de eslado.
No senado discutio-se o votou-se.em primcira dis-
cussao a resolucao da cmara dos deputados que
concede um empresliino de 300 conlos a trinco Evan-
gelista de Souza, proprielario da fundicao da Punta-
U'Aiea, com grande opposigflo da parte de Hollanda
Cavalcanle, que produzio rases bem ponderosas ; o
se uo fura a quasi escandalosa protecefio com que
tem sido em ambas as cmaras tratado esso negocio,
cieio que ellas leriam sido atteiulidas. Ha eolio ns
eslabelecimenlosqueal boje anda tifio rtceberam
. ____ .i. ............ .....i. An.i.ri.iil i nm iIm<
v.ti seu proceder ha talvez nao muita sincendadc.
Dcsconlia-se que o senado faca emendas ao orga-
menlo ; o como tifio ho provavel que a cmara dos
deputados esteja reunida quando elle vicr novomc.n-
le para ser discutido, pode bem ser que vonhamos a
(iear sem elle. Eu, porm, creio que os mesmos
saquaremas so hfio do inleressar pela passagem do
orcamento, pois que, nutrindo elles esperances de
em um ou outro momento subir ao poder, devem
eslar precavidos daquelle para podrem dissolver a
cmara, vislo que o quo est regulando ho urna
disposico provisoria quo linda em junlio do 49.
Embora contenha ello muitas disposiges eslrairhas,
sfio todas facultativas, e nao obligativas : pudo o
ministro deixar do dar-Ibes cumprimento. -
llasla de fallar as cmaras
Em expediente do dia 19 retlaoUeu-se ao procura-
dor-fiscal a precataria que, por Intermedio do presi-
dente do Pernambuco, f-a mandada ao governo
para o sequestro das apolices do es-inspector J. B
Pereira Lobo. '
Nfio Ihes dei conla, na minha passada, das elcicoes
municipaes. Jos Clemente nfio s nfio sabio presi-
denlocomo al nom vereader, licou om primoiro
supplente:o mais Votado foi Gelulio. A opposicfio
allega como causa desso resultado os successos do 8
e 9, mas os governistas dizem que isso tifio be exac-
to. Nfio sei quem tem rasfio.
Odopulado Furtado foi nomeado juiz do direito de
Caxias. bom como Castello-Branco do Piauhy. Tam-
bem por decreto de 23 do crrenlo Toi nomeado cue-
fe de polica do Maranhfio o bacharel Antonio do
Barros Vasconcellos. Creio que eslo bacharol he um
que foi outr'ora desembargador naquella rolacJlo, o
uo sei por quo motivos perdeu o lugar : eslava i
Foi nomeado oflicial 4a secretara de fazonda o ba-
charel Francisco Pinheiro Cuimarfies. lio urna Oj-
fensa feita a lei de 4 d rurtnhrn do ibii, que manda
que os empregados de fazenda sejam prvidos por
concurso para a primeira nomeaijfio, seguindo-se
depois a antiguidado o habilitacOes : porm o minis-
tro entendou quo podia ir buscar um hornera de To-
ra, e faie-lo oflicial chefe do secgfio.
O nomeado be cimbado do presidente da cmara,
Chichorro: nfio sei se S. Exc. influio nisso.
Morrcu anles do honiem noile o senador pelo
Rio-Crande-do-.\'orte Paulo Jos de Mello, lio do vis-
conde do Macali : sepulloti-se hontera na ordom tor-
feira do Carmo. Por ser o finado veador, o fretro
roconduzidoem um coche da casa imperial ; leve
un. acompanliamento de 87 segos.
Jalemos nfio menos de qunt.ro candidatos vaga
quodeixou : o presidente de provincia, Thomaz Xa-
vier, Ernesto que diz que, como as cousas em Per-
nambuco nfio parocem muilo seguras, quer antes
esla.eainda ha um outro em muilo segredo; e co-
mo um amigo i rapz-mo aobr$no de nfio dizer
seu nomo, siiiham smenle que ho o mesmo quo nfio
quiz rallar pin publico sobre o artigo 13, o ex-vo-
gado do governo inglez.
E, por fallar cm candidatos senatoria, noticio-
Ihes que os saquaremas andam por ahi mu anchos
e contentes a di/cr que Jofio Paulo nao ha de entrar
na lista triplice, porque o candidato do governo quo
tem mais probabilidad* he Thomax Gomes, que com
Paulino e Manoel Felizardo serfio os mais votados.
Essa nfiocnguloeu. Era oquefaltava a este minis-
terio, para eotfio dizer-se que he incapaz at de ven-
cer uinaclec,3o.
Parece-me quo os saquaremas se deshouveram
com Montezuma, porque dizem-me que o lrarain
da chapa, para melterem Francisco Comes de Cam-
pos, procurador da cora e soberana nacional.
Nfio sei com quo fundamento so tom espalhado por
aqui, que o presidente Coelho pzde lado acamado
Souza Franco, nu Para, eapresnlou-so ello candida-
to na elojcao quo tem de proceder-se, por ter sido
osse nomeado ministro. He traiefio tfio abominavel,
que nfiojulgo Coelho capaz de commelt-la.
Pens que nossos negocios l por Buenos-Ayres
estilo muito feios. Nfio quero ser precipitado e:n re-
ferir o que boje me disseram ; procurare! informar-
me mellior, e peloseguinte Vapor direi O que lia.
Dos queira queso me livosse mentido, e que nem
passe pela imiiginacfio de Kosas o quo so diz.
Muitas bexigas temos porc, o tfio atrevidas, quo
nfio respeilam quom ja as leve, ou oi vaccinado;
felizmente sfio benignas ; muito pouens pessoas teeot
morrido.
P. S. Agora mesmo sei quo os deputados na sua
secreta procederam ao contrario do quo eu cima
disse. Nfio votaram o artigo 13, porque, a requer-
ment de Carvalho Morcira, ficou a discussfio do pro-
jeclo adiada para a sessfio do 1849. Mas saiba-se
sempre, que algum motivo livo para dizer que o ar-
tigo passai ia ; eu sabia quo os minisleriacs mais de-
dicados so interessavam pela sua passagem ; e tanto
que deram uuisolcinno cavaco com os praieiros e
outros que com a extrema esquerda fizerom passar o
adianienlo por urna maioria do tres votos. Em se-
guida a cmara oceupou-se de outros objectos, e
pouco depois querendo-so votar nfio bouve numero
cr-sc que daqui por diante nfio seja mais possivel
reunirein-so deputados sullicientos para haver sessfio.
luformaiu-rao que o baptisaJo ser a 4 de ou-
tubro.
dem, 5 de outubro.
Mal pensava eu, quando conclu o que cima (lea,
que toria em parto fcito um trabalho intil; porquan-
to. nao contando com tfio prompto desfecho drense
do gabinete, posto que suppozesse inevitavel a que-
da dellc, aventurei cunjocturas, e de alguma sorte
lirme-me em boatos; chegando a ponto de emittir
tneu juizo a respeito dos indigiUdos. Ho verdado
uue sempro contei com aaseensilo dos saquaremas
ao poder, c era uina das minhas anteriores isso mes-
mo disse, mas nao tfio depressa. Antes de qualquer
consideraefio ou pormenores, para satisfazer a cu-
riosidade dos leitores, devo dizer quo o ministerio
organisado pelo viscondo do Mont Alegro lio o,
-uinte: ello na pasta do imperio, risconde de.Olui-
da na de estrangeiros com a presidencia doi conce-
lho, e merinamente na de fazenda; Euzeb.o.de Quei-
roz Coutinho na dajuslica ; Manoel Fe .sardo na da
inarinha o inlerina*ncnle da guerra. Nao so sabe,
em se pudo ao. certo prever quaes serfio os doi
chamados para as duas vagas Ma.^lou-se chamar o
sonador Rodrigues Torree que poneos das antee se
linlia retirado para a sua Cuenda em Saquarema ;
lug rqu deu a denominado o partido) ed.z-se
que este tomar conta da pasta de hnancas, e que se
consultara o barfio da Boa-Vista para a da guerra :
oulros dizem que Sabast.fio do Reg. Vamos aos mo-
Uvos que precilerain a queda do ministerio passa-
do! e Va isso sigamos a orden, chronolog.ca dos
fac os. No dia 24, como disse, hav.a Paula souza pe-
dido sua demissfio por escriplo; mas, nfio se havendo
tomado resoluefio alguma, um as cousas continu-
ando em urna oscillacfio um pouco diflic.l de enten-
der se; o. posto que nfio fesse possivel que assim
continassem por longo lempo, os collegas faziam
esforcos, e nutriam esporangas de flear. Velo a ses-
sfio secreta, e ahi a maioria, talvez por nfio receiar
o iuizodo publico quo nfio a ouvia, manifeslou cem
toda clareza a dissenefio quo reinavaentre seus mem-
bros. Discutise com ardor; os praeiros com a
maior parle dos deputados do norte mostraram-se
- .;n;.i.rii> n3o toleraram des-
lll SCI I1UI UUU ll.wwv.* |-----------------------**
anuos ^^^^^^^^^ de"sp"J,rado com o minislorio.
eslabelecmenlos que al boje anda nfio receberam I bro passado ci qu ^l"e ;"'""J^oue gura se culpas, e palentearam a ma vonlade cora que e,te-
proieccflo alguma do governo, nem en.presli.no dosrpara o Maranho clieio de esperanzas que aguia "I JJ- a'resKpeil0 do artigo 13. PorarUs dStnaz,
cofres pblicos, e no entanto vfio prosperando ; haja realisaram.
I
>
LAR ENCONTRADO
^





ou calculo do hnm'ii, lembrou-so um membro da
rippnsicflo de ptnnAr o adiamento da discussilo do
artigo para a sessflo de 49, o que por ceno equivale
a mi rrjeicln presto volam files por cene rcquei i-
mento : eia o ministerio derrotado. Foi isso no
dia 27.
No ta 28 de manhfla fui Paula Sou/a chamado a
San-Chrislovflo. uto obstante allegar que, leudo lie-
sigas eni casa, roreiava apresentar-se no paco e de-
pois do urna conferencia de porto de 3 hora* entre el-
lo eo Imperador, em a qual dizem que aquello decla-
rara que nlo Ihe era possivel continuar, nem reali-
sar mus o seu programla, (Vil, pela volta da larde-
oliamado o visccnue de Mnnt'Alagre, e encarroado,
do compor gabinete. Nesta occeslflo, Indo Dias de
t'arvfilho levar, para ser rubricado, o decreto da pro-
mpacfln das cmaras al 15, fui entila informado do
oecorrldo; pois Paula Souza nada llios mandara dizer
de sua ultima delberaclo, celles csperavnm ainda
poder continuar.
Na mesma noite tratnu-se do combinaclo; na ma-
nlifia de 29 eslava concluida a nrgaiisaco, o j se
sabia quaes ernm os novos ministros; o quo nflo
dclxa de admirar, porque quasi sempre ossas organi-
sacos iluiam 3 e 4 dias. Sito se pode negar que os
laquaremaa silo liomens muirn activos.
Nflo me julgo dispensado, de dizer o que pens a
respeito do novo gabinete. A julgar-se pelo carc-
ter de cada um dos ineinbrns que o compOem, be elle
moderado e prnprio para, no estado actual, na qua-
dra de oxcitamento e ms paixes a que somos che-
gados desgraendamente, fazer alguns bens ao paiz.
O viscondo de Moni'-A legra be o mesmo Costa Ca va-
Iho que l'oi regente no lempo da trina : bomem pru-
dente, do carcter justiceiro, mullo dedicado aos
iutoreases do paiz e ao monareba. O viscondo de
Olinda be milito conbecido, escusa qualqucrconside-
racilo n sen respeito. Mauoel Felizardo pertence ao
programma da justica o tolerancia. Ruzebio de Quei-
rosnffoest longe de partilhar os attributos dos
seus oollegas. Dir-me-hflo que este foi o ebefe de po-
licia da corte em 1842, que executou toilas as orduns
de plisos e deportaeoe que entilo se fizeram que
he saquarema muito pronunciado, e que hade ser
reactor. Nflo leem rasflo osqueassim pensam: Ruze-
bio he moco muito prudente, de urna probidade n-
contestavel,incapaz,pelos seus principios de honesta-'
d.ulechonra, de tornar-se manivella ou instrumento
departido. He enrgico quando he necessario, mas
nilo precipitado. Possuindo emalto grao o talento
da discussSo, convence militas vezes, nflo menos
pela sua insinuante calma c mansidflo, que pelo ri-
goroso raciocinio. En que assim fallo, devo dizer que
nflo sou supeito, porque por molivos particulares
julgo-meua rasflo de nflo Ihe ter muita amizade ; o
de tacto assim he.
Portanto.oreio poder dizer que o ministerio hepro-
prio para as eireumstancias acluaes, posto que nflose-
ja organisado por Hollada Cavalcante, de quem na
OUtra fallei: mas saiba-se que este senador, que quasi
nunca apoia a governo algum, j declarou que pres-
tara seu voto a este. Pelos factos tambem tem elle
provado que nflo quer reacefles, nem perseguices.
A nomeaeflo que tem feito de alguns funccionarios
pblicos, tem racahido em pessoas inteiiigentes e
moderadas. A escolha do presidente de Pornambu-
co he muito acertada, aliento o estado melindroso
dessa provincia.
O doputado Ferreira Penna, que ja vai neste vapor
tomar conta da presidencia, he um ptimo admi-
nistrador, do que ja tem dado provas, che incapaz
de subjeilar-se a destempeiros de partidos Permit-
a Dos que elle tenha bastante frca, profundo de-
sejo de fazer bem, para resistir as prelences exage-
radas dos partidos que ahi se debaten). He preciso
quo por urna vez estes se conveccam que lora da ra-
sflo e de lei nflo ha prelences realisaveis. E he
tal a confianca que tenho no Penna, que desde j
nutro lisongeiras esperanzas a respeito de sua ad-
mmistracflo.
Gonsalves Martina foi nomeado presidente da Ba-
bia, e Wanderley seu chofe do polica. A nomea-
::oaca;; u0 iiin c xcceiilc, pois que possuo
todos osquesitos necessarios a um boin ch^fe de po-
lica. Quinto ao primeiro, forcoso he dizer que a
prudencia talvez aconselharia que se nflo mandasse
para Baha um seu iillio que t--m a signilicacflo do
Murtins: entretanto, sendo muito intclligentee pro-
bo, compor, por certo, a provincia no sentido sa-
quarema, guardando se.mpre a devida honeslidade.
A escolha do novo chefo polica da corte cabio no
desembargador Simos, que ja exerceu este lugar
interinamente por nomeaeflo dos ministerios passa-
dos, oque exclue qualquer suspeita actualmente a
seu respeito. .Muito se fallou em Joflo Antonio do
Miranda, a quem al chegarain a dar por nomeado;
outros diziam que seria D. Manoe!; mas, sendo am-
bos homens muito pronunciados c um pouco exal-
tados, buscou-se um magistrado probo e prudente.
Foi demiltidodo commando do corpo do perma-
nentes o coronel Muniz Tavares, e nomeado o tenen-
te-coronel Polydoro da Fonceca Quinlanilha. Nflo
altribuo essa demissflo reacgflo, porque desde mui-
to que ouco dizer que o ministerio passado preten-
da dimitliroMuniz, nao sei por que motivos.
Oigamos alguma cousa do que tem occorrido
pelas cmaras depois do dia de S. Miguel para ca.
Oorcamento ja passou no senado, ehoje creioque
subi a sanccao ; muito pequea foi a discussflo ha-
vida d entilo para ca ; porm essa mesma foi bas-
tnte para nella Alves Uranco interpelar ao presi-
dente do concelho, para queso explicasse a respei-
to Ja poltica que* pretenda seguir o novo gabinete.
S. Ex. espnndeu que seabstinha defazer promes-
sas, porque estas muitas vezes deixavam de ser
cumplidas, por motivos bem cstranhos'a sua voli-
tado ; que na conslituiQflo e na* les se achava tra-
Cada a s"ua poltica: ntera observancia de cons-
tiluicflo, liel execueflo das leis, a maiormoderacilo
em seus actos, concillando todos os interesses --
Eis oprogramma.
Na cmara dos deputados nflo houve sessSo nos
dias 29 e 30, porque a minora, querendo evitar
qualquer discussilo que embaracasse o comeco de
administraeflo, nSo compsreceu para nflo haver nu-
mero sufliciento de deputados, c deixar de haver ses-
sflo. Na segunda-lera, 2 do crrante, reuniram-se,
eTheophiloOttoni, sahindo do silencio que ha per-
to de 5 annos guarda, fez um discurso violento mo-
tivando um requerimento com o fim de obter expli-
cares a respeito da retirada do ministerio passado.
Foi a faccSo ulica, disse elle, que deu com o mi-
nisterio em trra ; essa facgflo que se interpon en-
tre a corda e a nacilo. He para lastimar quo os nos-
sos homens polilicos se desvairom a ponto de phan-
Usear entidades poderosas fra da conslituieflo e
das leis, sem se lembrarem que com isso desacredi-
ta rn o nosso systema. Ha ver de certo algucm por
ah que sinceramente creia que exista a faceflo aull-
es, ou ajoanna Y He impossivel. Muito criminosos
s esse repeilo sao os saquareraas :.disseram em suas si
foi ha que a joonna gnvernava o paiz, e na camsra
um deputado chamou a discussilo s esie terreno.
Ahi mesmo em Pernambuco urna folhs monarehis-
ta, o Lidador, fallou nos delegados de jmtnna. Deli-
rios dt partidos, falsidades. Entilo os luziss com-
batism contra sso ; negaram a existencia ds fareflo
ulica, f posto que fosse o mesmo Ottoni quem em
ti fallasse nisso ) ili/iam que os saquarcmas nflo
eram monarchislas, que desacredita va m o Impera-
dor : boje troeam-se as aceas, mudam-se os acto-
res, ahi temos nnvanienlo a fac^flo ulica dissolven-
do ministerios, organisando outros e governando.
Conlinuou o debate, e Goncalves Martins respon-
den bem ao Ottoni ,-eoubej no lim da sessSo a pa-
lavra ao deputado Moraes Sarment, que se exeedeu
a ponto de lancar em rosto a Ottoni o seu republi-
canismo ; o fo-lo com tanto desembaraco e coragem,
que, hnvendo entilo as galeras uns ilous ou tres /<-
rus, oxclamou resoluto : Nflo mo assustam os f-
ros du canalhn das galeras ; nilo saio da tribuna.
Agora j temos polica. Entretanto, he bem ver-
dmle que Sarment nflo he o mais proprio para sus-
tentar o ministerio actual, porque ha bem poucotcm-
po declarou elle em plena sessflo que fazia opposi-
gflo a Paula e Souza, porque ainda conservava as
provincias presidentes saquarcmas, mandados pelo 8
de marco.
Finalmente continnou a discussfo ainda no outro
dia como se se tratasse da resposta falla do throno.
Cada um disse o que Ihe parecen. Mandaram de-
pois convidar o ministro de jnstira para assistir
discussflo da reforma judiciaria : era sso um moti-
vo para plharcm o ministerio na camaia : mas Eu-
zebio respondeu que negocios urgentes na secreta-
ria nflo Ihe permtliam vir cmara. O mesmo fez
o viscondo de Olinda quando^ Ihe oflicaram para
vir assistir a inlerpellacflo que* Rodrigues dos San-
Ios pretenda fazer ao governo. A maiora da ca-
lmara exaltou-se boje, e mandn urna mneflo a mesa,
en) quo 80diriga uma violentissima censura ao ga-
binete, a qual, em preterieflo das formulas regmen-
taes, foi aceita e nflo discutida. Passando-se a or-
dem do dia, pouco depois chegou participaclo de
que as cmaras haviam sido adiadas para 23 de abril.
J por aqu se pode ver que, se os homens nflo se ae -
comoiodarom, em malo o ministerio os mandar pas-
seiar. Para mim he consoquencia mathematica a
dissoluco da cmara ; e se ella se nao verlicou a-
gora, l'oi smentc por ser necessario deixar acalmar
um pouco mais os espirites, e preparar os nimos
para nflo receberem o acto com sorpresa.
Teve lugar no dia 4, hontem, o baplisado do prin-
cipe imperial o Sr. D. Pedro: foram por procura-
co representar os padrinhos o visconde de Olinda,
c a condessa de Belmonte. Houve arrumaeflo de
tropa e o cortejo do costume. Creio que no oita-
vodia haver algumas grabas.
Nflo concluire esta sem dizer-lhes que desgracia-
damente be verdade o que me disseram a respeito
de liosas, dictador mandou instruccOcs ao seu
ministro nesta corte para pedir satisfacaos ao nosso
governo por haverem na cmara alguns deputados
Ihe dirigido insultos o offensas ; e, no caso que ellas
nflo fos'sem plenas, pedissem seus passaportes e re-
lirassem-se. Ora, ja se ve i|ue Rosas o quequer he
um motivo para nos declarar guerra, pois elle co-
nhece que, em um paiz representativo, nflo pode o
seu uoverno ser responsavel polas opinioes emitti-
das na tribuna. Qual sera a salisfaeflo que poder
dar o nosso governo ? S se se quer que, com toda
formalidade, ni presenta de lodo o corpo diploma-
tico se faQa urna foguoira no largo do paco, efacam-
se queimar lodos os jornaes em que se acham os dis-
cursos de Torres, Jubin, Pedro Chaves, ele.; mas is-
so nflo he possivel. Veremos em que isso da.
fcsla vai ja tilo extensa, que nflo me animo a fallar
mais de outros objectos, nem referir, ou desmentir
alguns boatos que por ahi correm. Nflo he exacto
que o general Scra v commandar as armas em
Pernambuco |: he-lbe destinada urna commissfln,
mas nflo para l. Por hoje nflo tratarei de mais
nada.
PEBNA^BUC
14
JUHY DO BEC1PK.
I.' SESSA DA QUARTA ORHINAIIIA EM
DE OUTUBRO DE 1848.
'residencia do 5r. I)r. Silva Yeve$.
As 11 horas e meia da manhfla, feila a chamada,
verinea-ao estarem presentes 41 Srs. juizes de fado.
?.'*"' /'res''<'"'' declara aberta a sessflo.
Sflo entregues por um Sr. fuiz municipal, para en-
tramo em julgamento, nflo mais de dous processos,
nos quaes lora autora a justica publica, e reos Anto-
nio Fernandos e Manoel (lo Nscimcnlo.Vera Cruz.
Sflo apregoairbs os reos e testemunhas.
U Sr. Prndenle declara ir proceder ao sorteio do
jury que tem de julgarao reo Antonio Fernandos, ac-
ensado por crime do uso dearmas defesas.
Os juizes sorleiados preslam juramento do es-
lylo
OSr. Juin 'residente faz ao reo o seguinto
IHTEIIROG.ITOIIIO.
Juiz.-c.nmo se chama ?
Kfo:Antonio Fernsndes.
Juit: Porque esta preso ?
JMs :Por trazer commigo urna arma de minha
ofllcina.
Juiz:Por quem foi preso ?
Ilo : Por um inspector.
Juiz: ,\flo l'oi por urna patrulbu t
llu :Tambem
O Sr. Juiz l'residenle d se por satisfeito, e man-
da sentar o reo.
O escrivflo do tribunal foz a leilura das peces do
processo.
Em seguida passa-se s allegaces pro e contra o
reo.
O Sr. Juiz Presidente faz a exposieflo da causa, for-
mula os quesitos centroga-os aos juizes sorteados
que se retirain para a sala das conferencias, e vol-
tam urna hora depois dos debates com resposta aos
mos'iios quesitos.
OSr.Juiz Presidente, conformando-s* com s de-
cisflo do jury, condemna o reo a sete metes de pri-
sflo m pies, c levanta a sessflo s 2 e meia horas da
tarde.
Itshis at 12 do crrante, bem como ssduascsrtas
do nosso correspondente na curte, que inserimos
neste ii u maro.
Essss cartss nsrrsm mui bem os evento du lugsr
em quo fortm escripias. As noticias, pois, da capi-
tal do imperio (Icam completadas no todo com es se-
guinlcs extractos :
Fram nomeados fidalgos cavalleiros com exerci-
cioosSrs. Manoel Artluir de llollanda Cavalcante e
Francisco Xavier Calmon da Silva Cabral ; e mo^os
fidalgos comnxercicio osSrs. Jos Pinto de Miranda
Montenegro, Pedro de Araujo Lima e Luiz Thomaz
Navarro de Campos.
O liaeharel Jos Tavares Bastes foi removido do
lugar de juiz do direilo da comarca de Penedo para o
da comarca deMacei, na provincia das Alagas.
Foram a presentados o padre Joflo Jos llenri-
quesna freguezia de Nossa Sonhorade Nazareth de
Itapicuru-de-Cima, noarcebispado da Babia ; o pa-
dre Francisco Agostinho das Dores, na freguezia de
S.-Sebastiflo de Marah, do mesmo nrcebispado ; o
padre Serafim dos Arijos Sacramento, ua igreja paro-
chial do S.-Miguel da villa de Melgaco, no bispado do
Para o padre Dionisio Rodrigues Allianca, na
igreja parochial do Divino Espirito Santo da villa de
Ourem, no mesmo bispado; e o padre Francisco da
Silva Cravo, na freguezia d S. Francisco Xavier do
rio Barcarena, no mesmo bispado.
' Foi concedida a pensflo annual de 1:200/000
ris, repartidamento, aos tres lilhos legtimos do fal-
lecido concelheiro Saturnino do Souza e Oliveira, de
nomes Saturnino do Souza eOliveira, Aureliano de
Souza e Oliveira e Antonio de Souza e Oliveira, liean-
a mere dependente da approvacflo da assemba ge-
ral legislativa.
Temos flhas e cartas do Moni i video ateo 18 de
setembrn.
No dia 16 s H horas da manhflasuntio-se naquel-
la praca um terremoto igual em duraeflo e ruido ao
primeiro que se sentir, mas menos sensivel no aba-
lo do solo. He o quarto terremoto que ha em Mon-
tivido no decurso de 36 dias.
A mala do brigue de guerra inglez Crecan, que,
como dissenios ha lempo, se perder indo de trra
para bordo, deu costa no campo do general Oribe,
e foi por este aberta. Das 200 cartas pouco mais ou
menos que continha, apenas remetteu 17 ao commo-
dore Herbert, que as encaminhou para esta cdrln pe-
la fragata Inconstant.
0 almirante Le Prdour toncionava desembarcar
no dia 20centoe cincoenta artilheiros para guarne-
cerem a linha interior.
lie Buenos-A y ros nflo bavia noticias de data mas
moderna do que as vindas pelo Kestrel. A escuna sar-
da Goito, sahida daquelle porto no dia 15 e chegada
a Montevideo no dia 16, nao linha levado urna s
carta. As que linha a bordo no acto de dar a vela f-
ram-lhe tiradas pelo capitflo do porto.
k $$*$4mii human* $J*fuufraflst,> IAmrnn0| m
testemuiibo ds grande sprcciscHoque Nzia doslT
vicos prestados pelo almirante Grenfell, cnsul
ral do brasil, c pelo espilo Llshos. rommsndiSi
dovsporbnsileiro l)-Aff-nso, .os desgraciaos .
se achavam a bordo do navio incendiado, MunarA
do-Octano, resolved presenletr eslesSrs. cooi as m"
dalhas iIcoiimi da mesma sociedsde. '"
Urna somms de 100 libras sterlinas( 800,000 rl
pouco mais ou menos) foi tambem enviada' ao ,*
nislro hrssibiro, o Sr. Lisboa, para' s tripolsclt0 d'
vapor D.-A/fonso; mas temos o prszerdc noticiarot
nossns leitores que estes briosos Brailleiros recusa
rain una roce recebe-la, pedindo frtsse applicada eni
beneficio dos infelizes a quam hsviam salvado
vidas! V
De Hespsnha tivemos noticias at 28 de agosto
A rainha havia regressado ds Granja e achavs-ta
ja em Madrid. O re e todos os membros do galiinc-
fb, com excepeflo do ministro dos negocios estran
geiros, hsviam tambem chegado aquella capital sem
encontraren! nenhumaccidente. Ogeneral Narviez
porm, nflo foi igualmente feliz; vendo que sua car'
ruageni corris por umR ladeira abaixocom demasia-
da velcidade, ellejulgou prudente saltar fra : e so
cahirom Ierra, recebeu algumas conlusOes.
Corra quo o general eslava determinado a relirar-
8o da direeflo dos negocios,afim de tratar de sua s-
de ; dzia-se mesmo que elle j havia recebido o seu
psssaporte para a Franca, c que M. Mon assumiria i
presidencia do gabinete em sua ausencia.
Em Madrid coiilinuava aida a crise commcrcial.
Una nova conspirac,flo havis sido all descoberta : 80
individuos do partido progressists fram presos em
ite !
A Bulla (cara em plena trsnquilliilude.
O Sr. Lisboa Sorra deixara sinceras sjfcipathss
na provincia, apelar de haver sido mui curta a sua
administraeflo.
A 5 deste mez, S. Exc. presidir instailaQflo de
um banco creado para promover a circulaQflo do ca-
pitoes fixos na provincia, e, nessa ocessiflo, pro-
ferir um breve discurso, anlogo ao objecto.
OExm. Sr. Dr. Francisco C.oncaleJUrlinsdevia
de tomar posse da presidencia no dia 12.
Amanhfla, 17 do crrante, a 1 hora da tarde, o
Exm. Sr. Antonio da Costa Pinto passar a adminis-
traeflo da provincia ao Eim. Sr. Ilcrculano Ferreira
Penna, coja posse ter lugar com todas as formali-
dades do estylo, visto como para isso estilo expedi-
das as convenientes ordens.
O Exm. Sr. Costa Pinto governou com impar-
cialidade, zelo,. iulelligencia e lino, superiores
todo o elogio, e com esse procedimehto, lodo digno
de si, salwu a provincia de males que talvez hoje
a aftligissem, se porventura nflo bouvesse elle tido
a prudencia de procurar ver as cousas pelos pro-
prios olhos, e llvesse cedido s injustas exigencias
do meia duzia de tresloucados que, em mais de
urna occasiilo, lio querido sacrificar o futuro da
patria a interesse s mesquinhos e pessoses.
Elle, pois, conquistou mui sinceras sympathias e
nos Ihe devenios un voto de gratidflo por tilo lou-
vavel quanto honrosa conducta.
Sua retirada ds cadeira presidencial frs por cer-
to una | erda irreparavel para Pernambuco, se o go-
verno imperial nflo houvora escolhido para substi-
tui-loo Exm. Sr. Ferreira Penna, cujos precedentes
nos habilitam sem duvida a congratular-nos com os
nossos concidadsos pelo facto de irem l-lo por ad-
ministrador.
Probo, ortivo, nimiamente Ilustrado, e com lon-
ga praticu dos negocios administrativos, S. Exc. des-
empenhar a ardua tarefadequo est incumbido,
de maneira a deixar satisfeita a parte sensata da po-
pulacflo.
DIAHIU.K PKKNIIIIICIIL
BXOirC, 1S DE ODTBKO DE 1848.
O lllm. Sr. desembargador Firmino Antonio de
Souza est nomeado chefo do polica desta provincia,
o lomar posse amanhfla, 17 do con ente.
Por vezes hemos emittido nosso juzo ceres das
boss qualidsdes de quo S^S. he dotado; e pois, nes-
te momento, nada nos resta senflo sgradecermos ao
governo supremo a acertada escolha deste magistra-
do para o importante cargo que vai oceupar.
Recebemos diferentes jornaes inglezes, alguns
Idos quaes slcsngam o 4 de setembro.
Na Inglaterra nada de extraordinario baria oc-
corrido.
Pelo vapor lmperatris, chegado hoje dos portes do
uns s noi
A facQflo carlista de Royo e Peco havia desappare-
cido completa mente de I .a-Mancha. O governo hos-
panhol protestou formalmente contra a separaeflo da
Sicilia da cora de aples.
Paris ficara tranquillo, mas alguma inquietacao
exista a respeito dos designio! o projeeton dos len-
limistas c socialistas. O pnmeiros continuavam a
intrigar extensa monte, eos ltimos haviam reassu-
mido toda a sua aclivida.de o muito da sus primitiva
audacia. Toilavia confiaya-se na firmeza do governo
que nianleria a lianquiidaile o reprimirla as ton-
ta Uvas das faccOes.
Em Monlpellier Iguns disturbios liveram lugrfv
Urna parte da populacflo,irrita,di pela victoria alean-
ijada pelos legilimistas as eleicOes municipaes reu-
nio-se poralKims dis na praija da Comedia, em nu-
mera de 1,200 a 1,500, e sdiindo d'slli, pereorreram
goialinente os districtos hahila.ilos pelos legitim-
las, cantando byinnos patriticos; em urna deslas"
occasiOos encontrram alguns individuos que ti-
nhsm sabido de um club legitimista.chamado rf club
da urna, e travou-se entre elles urna lula da qual re-
sultou o ferimento do alguns.
CBrtss da Vendea referem que em differentos dis-
trictos daquolla provincia reinava a crenca lleurique V estava a voltar Fraila, e que, havendo
casado com urna rica herdeirs, pagara com a sua
fortuna particular a melado da divida publica que
os legilimistas serreriam gratuita mente todos os
empregos, e que todas as pessoas que pagam menos
le 100 francos por auno, seriam para o futuro sen-
tas de imposigflo.
Luiz Blanc o Caussidire nflo haviam sido presos
como fra annunciado : elles conseguiram escapar a
accilo iia Justina, e o primeiro, sogundo so er, iicha-
se actualmente em Londres. Parece que *o Austria
nflo aceitara a mediaban da Fisnca e Inglaterra na
qucslflo italiana, e aguarda trata-la definitiva e-di-
rectamente com o rei de Sardenha ; em virlude disto
o governo francez resolveu reforcar o exercito dos
Alpes com urna quinta divisflo.composta de cinco re-
gimentos de i ufa otaria edous desvallrii,com urna
fr^a proporcionada de artilharia. Falla-se mesmo
de urna sexta divisilo. ndependendentemenlo do
corpo de reserva, que hecomposto deoilo regimen-
los de infantaria e tres de cavallaria. A ter islo lu-
gar, o exercito dos Alpes fiesr elevado a 100,000 ho-
mens, res respeiUvel, ja pelo seu numero, j pela
qualidado das tropas que a co.iipoem, os quaes em
grando parte hfio feto a campanha de frica.
O governo francez ordenara aos navios de guerra
estacionados em Toulon quo se fizessem de vela im-
mediaUmeule para Veneza, afim de so reuniretn aos
queja all se achsvam. Esta armada he destinada a
proteger aciJade contra os Austracos, o ella est
encanegada de sustentar os Venecianos por meo
das armas, dado caso quo a stuaeflo dos meamos se
torne critica.
Os diaristas de Pars reunidos em sssociaco adop-
taran! unnimemente o soguinte protesto,pTeparado
por urna conimisso do cinpo membros,por elles no-
mesda: >
Os bsixo assignados era o nome e pela honra di
liberdade de iinprensa que elles aqui represeutaui :
Considerando que o gqvernooxeculivo, por sou
decrelo de 25 de junbo de 1848 supprimira onze jor-
naes, o mandara prender ao principal editor de um
del les. sem estar processado, nem convencido de cri-
minal ida Je ;
Considerando que, se centra esta vioWcSo da li-
berdade pessoal, da liberdade de impren.-. e-do di-
reilo de propriodsde nflo proteslaram entilo' conec-
tivamente todos os esenptors pblicos parisiense,
foi por causa da reserva que Ibes fra imposta pelas
eireumstancias excepcionaes em que 'capital Iwvia
sido col locad a;
Considerando que o governoexacultMse ha di-
rigido assemba nacional para o fim de obter del-
la lers preventivas e repressivas, as quaos podessem
servir de regre sua conducta futura e aaedids de
sua achilo;
Considerando que estas leis frsm votadas, taes
qu acs pelo governo haviam sido piopostas ;
Considerando que entre as penas por ellas ests-
belecidas nilo se encontr nem asuspeusilo preven-
tiva dos.jornaes, nem a prisiio preventiva doses-
criplores;
Considerando que, nilo obstante as leis assim
proposlas e rtaas, o governo execulivo por seu
decreto do 21 Ue agoslu ha ordenado a suspenailo pre-
ventiva de quatro jornaes, o quo vario*'editores
lio sido presos antes de seiem processados;
Con*iueittiido,linalmeiite,que a liberdade de im-
prensa he um ireito inijirescriplivel, iusllieiisvel e
inviolavel;
u Dcclaram que estes decretos sflo um ataque feito
pelo governo execulivo aosdireitos dos poderes le-
gislativos, aos direitos da assemba nacional.
Declaram que estes decretos sflo equivalentes
suppressflo du liberdade de imprens, tanto niaisr
quanto o seu efTeilo nflo be s suspender um certo
numero do jornaes, mus tambem privar os nilo sus-
pensos daquelle senlimeiito de segranos sem o qiwl
nflo pode hsver independencia,, nem liberdade no
mais moderado exercicio do menos suspeito doavdlV'
reitos.
MUTIL


*3
irrlrm finalmente quo eitti decretos criam
rgimen mcomparavelmente peior do que oda
i.ois conforme nina dt-linit,"1"" lirada do A'a-
A ciiniura mutila,
.. usura. "' <""""' ""
Vil -le 5 'I" 8"l" II0 "|33. .
i(L no I-rende nein arruma.
Os al'10 'gnuot tora
N
loda a energa de
,",')iivi.-!,<1i's c cun lo.lo o poder do direilo quo
' nssi*'e proleatam contra os decretos do gover-
oiooutivo, em virludo dos quaea varios jomaos
no sido supprimidoi e varios cscri plores h8o sido
presos sem culpa formada.
OfflMEilCiO.
ALFANDEGA. -
RENDIMENTO DO DIA 16........... 1:157,1*8
Deuarrtgam Ao/*, 17 de nulubro.
Brigue -Preto" bacalho
Brigue -GuMiirm mcrcadoras.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DA I ti.
Gfri..........'...'........... 292,700
Diversas provincias............... 2,003
29*,73
CONSULADO PUOVINCIAL.
REMHMENTO DO DA 16.......... 104,1-92
RIO-DF.-JANEIRO.
CAMBIOS NO DIA 5D8 OUTUBRO OR 18*8.
Cambios sobre Londres.......213/*
Pars.........*00
,i Hamburgo......730
letae;. Oncasliespanholas.....32,000
ii ila patria.-......31,800 a 32.860
., l'ccns ,lc 6,400, velhas 18,000 a 18,500
Pesos hespanhes......2,0*0 u 2,050
v da patriff.......2,020 a 2,030
. Patacocs...........2,030 a 2,nt0
Apoliccsde 6 por cento...... 86 1|2
provinciaes.........86
[Jornal do Commtrci.)
baha.
CAMBIOS NO DA 11 OEOUTUBRO BE 18*8.
Londres ....... ...... 2*
Pnris...............nominal
Hamburgo............
Lisboa..............120 p. c.
Jfcfoei.
Oncas hespvmholas........32,300
mexicanas ....... 31,800
Pecas de 6,*00'.........17,800
Modas de *,000 ....... 9,500
PatarOcs hrasileirns ....... 2,0*0 a 2,050
hespanhes.......2.020 a 2,050
mexicanos.......2,030
Mercantil).
Movimiento do Porto.
y avio entrado no dia 16.
Hio-de-Janoiro, Baha e Macelo ; 10 das e do ultimo
porto 16 horas, vapor brasileiro Imperatriz, de *30
toneladas, commandanlo o capililii-teiiente J. L.
rosta, equipagem 30. Passagf iros: para esta pro-
vincia, o Exm. presidente Hercutano Ferreira Peo-
na com 2 criados e 1 escravo, Dr. Jos Francisco
Arruda da Cmara com sua senhora o 2 escravos,
Dr. M. alendes da Cunha Azcvedo- coni 1 escravo,
Dr. Jeinnyino Villela de Castro Tavares com 1 es-
cravo, o alteres Manoel Baplisla Ribcro de Faria,
Bernardino Pacheco Itibeiro Peixoto. Joaquim Pa-
checo de S, Custodio Alves da Cunha, Benedicto
, Marques da Silva Arau.1, L. G. Itodrigues Fran-
. ca, Jos Lopes P.ereira Babia com sua senhora o 1
escravo, o uinjor JoSo Guilherme de Bruce, Dr.
Flix Peixoto de Brito com 1 escravo, Fr. Joflo da
Maternidad*, Fr. Antonio do Carino, o provincial
Fr. Luiz do Menino Jess, o secretario Fr. Ray-
muinlo Nonato com 2 escravos, o segundo-tenente
dearlilharia Pedro Augusto do Albuquerquo Na-
buco, o Americano J A. Machado, Honorio P. Aze-
reilo Coulinho, Pnulo Joaquim Tellcs, M. I. de
Carvalho, odesembargador Finnino Antonio de
Souza cum 2 escrvus, Jos da Cunha Coulinho,
Joaquim Gomes do Reg, Antonio Teixeira Pinto,
Jofio Jos de Miranda; para o noile, Domingos
Carlos do Saboia, Thomaz Pompeo do Souza Brasil
cora 1 escravo, Antonio Travasso da Rosa, Dr. Joilo
Femandes Barros com sua senhora o 2 escravos,
Carlos Aogosto Peixoto de Alencar, Felizardo Tos-
cano de Brito, Dr. Francisco Jos Furtado com 2
escravos e 1 criado, Dr. Castello Branco con 1 es-
. cravo, Dr. Fabio Alexandrino C. Reis com 1 es-
cravo.
Deca rayos.
- Fica sem effeito, por ora, a sabida do vapor llar
hianna para o sul; a qual ser de novo annunciada,
de conlbrmidade com as ordens da presidencia.
As malas quo teem do ser ennduzi-
das aos portos do norte pelo vapor
Imperatri* dcver8oficar fechadas bo-
je, 17 do curente an mcio dia imprc-
tcrivclmente. As correspondencias que vierein.de-
pois dessn hora nfio se receberOo ruis, anda mes-
mo temi o porte duplo.
As malas que lem de conduzir o paquete
nglez Crane para o Rio-de-Janeiro e lia-
Una fectiani-se+oje, 17 do co.rente, s 2
horas ila lardo.
A secretaria da provincia compra papel do peso
de lina qualidade para o expediente : a pessoa que o
quizer vender podo renieltter, at 17 do crrente,
por intermedio du porlciro, a amostra, declarauo
em carta fechada o menor pceo por que o quer ven-
cer.
Secretaria da provine < dePcrnambuco, Udeou
lubro do 18*8.
O oilicial niaior,
Flor Unta Correa de llrtto.
--A directora das. obras militares compra urna
toleira e urna verga de pedra com 8 palmos de com-
prinienin e urhdito de faco cada urna: quem se
prnpozer venda rompareca na ra da matriz dn
Boa-Vala n. 7, as* horas da tardo do dia 18 do
correnle. -- Directora das obras militares na cilia-
do do Recife, 1* de outubro de 1818.--./. E. Fer-
reira de Arnuio, director. '
O subdelegado da freguezia de S.-Antonio man-
da publicar, para conheclmento e fiel execucSo dos
inspectores que parante elle servem, e de lodos os
moradores da mesma freguezia os artigos 19, 13 e
1*, ibaixo lrancrplos,do regulamento da companhia
de Beberibe que se acha approvado pelo Exm. Snr.
presidente da provincia.
Subdelegada da freguezia do S.-Antonio 12 de
outubro de 18*8.
O Subdelegado,
Rodolpho JoU-i llar a la de Almeida.
Art. 12. Os agentes de polica, assim como os
guardas puliciacs prohibirflo quo sejam abertos os
depsitos respiradores eto.rneiras do aqueducto e
dos chafariz.es, quando nao se achar presente o
administrador, ou outro empregado da companhia ;
nfio consentirlo, denois do toque de recolher atoo
da alvorada, ajuntamentos nom a permanencia do
urna mi mnis pessoas em roda do chafariz, depsi-
tos, respiradores etorneiras de esgoto ; e obslarflo
qualquer damiiilicac.lo das obras da companhia, dis-
persando ou prendendo os que lentarem ou eTcc-
tuarem a destruicHo de qualquer peca, ou parle das
mesmas obras.
Art. 13. Os conservadores o mais empregados
da companhia pdenlo prender em flagrante qual-
quer individuo que encontraren! damnificando ou
dcslruindo as maltas e obras do encanamento, eo
conduzirilo presenca da autoridade competente,
para proredor na forma da le, leudo em vista o
artigo 5 do contrato de 11 de dezembro de 1838.
Art 1*. No caso do resistencia ou probabili-
dade de resistencia, o empregado pedir ao agente
de polica do lugar o auxilio nccessnrio para se tor-
nar eflectiva a apprchenslo e conseguntemento a
arrccadaqo da multa para obstar qualquer dai-
no que sprelenda causar s obras e mais objectos
perlencentes companhia e para reparacfto do
damno causado ejmposicio da pena em quo lver
ncorrido o infractor.
Continuando dot devedoree da dcima dot predios urba-
nos, gue teem de ser exentados, >e no tomparecerem
at o dia 15 do corrate mee a toldar eUs dbitos.
A sabpr :
Francisco Xavier das Chagas. 157,738
Monica Gnncalves Rodrigues Franca .8*.26t
Antonia Mana da l'cnha 8*,26*
Vepnle Thomaz dos Santos 63,717
Hermenegildo Jos de Alcntara 108,493
lleriieiros de Francisco Gmifalves Rodrigues 159,073
Ditos le Joilo Manuel Percira de Abrcu 89,5*8
Manoel Gnncalves Servina 27*,7*2
Hcrderos de Jos Sil veno 66,*20
Da irmandade de San-Domingos da groja
do Rosario. 116,868
Dila do SS. Sacramento de Jaboatflo. 119.814
Dita de San-Jos de Riba-Mar. 265,*07
Dita do Sr. dos Mari y nos da igreja dos
crioulos 83,01*
Dita do mesmo Sr. da igreja do Rosario. 92,617
Dita de Santa Eugenia da mesma igreja 85,991
Dita de San-Thiago da igreja do Pilar. 110,786
Irmandade do N. Sra do Rosarioala Boa-
Vista 113,877
Lourenco Jos das Ncves, como testamn-
telo do padre Francisco Das de Oli-
ve i ni. 213,395
2:290,030
(Continuar-te-ha.)
aaiwaBBWi BMW__L-Lj
Puttlicflcfio Lilterario.
OGE.NTII. ENAMORADO
acaba de sabir do pelo, o autor dcsla obra faz
scieente aos Srs. que a assignaram, quo queiram
ter a bondado de a ir receber no paleo do Colle-
gio, loja doSr. Dourado n. 6.
PUBLICACAO'AGRCOLA.
Manual pratico do fabricante da assucar, por
Agnslinho Sommier. Esta obra ensina praticamenle
o modo de fabricar o assucar demonstrando os in-
convenientes da antiga pralica os meios de as re-
mover e finalmente ludo quanto se precisa para ti-
rar maior e melhor resultado de sua factura o esl
escripia em urna lingoagcm que qualquer pessoa
percebe; podemlo-se mesmo dizer quo os Sis. de
ongenhos com ella s erraro se quizerem : vnde-
se por 2,000 rs., na piuca da Independencia livra-
ria ns. 6 o 8. .
Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro sahe, com a maior bre-
vidade possivel o brigue nacioual Ligeiro : anda
recebe alguma carga : quem no mesmo quizer car-
regar ou ir de passagem paia o quo lem asseia-
dos commodos, dirija-sea Manoel Joaquim Soares ,
na loja de ferragens ao p do arco da Conceico ,
ou a Novaes & Companhia, na ra do Trapiche,
n. 3*.
Parao Ro-Grande-do-Sul sahir imprctcrivcl-
menle, al o dia 25 do correnle o brigue-escuna
Henriqueta : pudendo smenlo admiltir passageros
c escravos trala-se com o capitn do mesmo, Igna-
cio da F. Marques ou na ra da Cadeia do Recife ,
h. 17, segundo andar.
Para o porlo da Figueira, Lisboa ou cidade do
Porto partir al o fim do correte moz o pata-
cho portuguez Maria & Joaquina : tem a maior par-
te do seu carregamento : para o restante, e pas-
sageros trala-se com o consignatario na ra do Tra-
piche, ii. **. FrmiDo J. F. da llosa.
para oAracaly tem do mpreterivelmenle se-
guir viagem, at o dia 26 do correte, o hiato mvo-
Olinda por ter quasi completa a sua carga ja trata-
da para o resto da carga trata-se com o mestre do
mesmo, Antonio Jos Vianna, no trapiche Novo,
ou na ra da Cadeia do Recie, n. 17, segundo
""-Vende-se o hiale portuguez Especulador, de lo-
te de seis a 7,000 arrobas, de multo boa conslrucc.Uo
e novo: os pretendentes pdem vMo e examina-lo
no ncoradouro, defronte do trapiche do Angelo, e
para o ajuste, na ra do Trapiche, n. 44, com Firmi-
o Jos Flix da Rosa.
-- Para O Ass segu, i ni | reten v. luiente al 15 do
correnle.o brigue brasileiro Sagitario: para carga ou
passageros, Iruln-se no annazeni da ra da Cadeia
do Sanlo-Antouio, n. 23.
-- O hiato nacional /\'i/Wri ha no da 18 do correnle impreterivelmentc : quem
nello quizer carregarou ir de passagem, drija-se a
ruado Vigario, n. 5.
O patacho, portuguez Liberdade tem mais al-
guns dias de demora, por Iho fallar um resto de car-
ga : para o que trala-se com o capitflo do mesmo,
Izidro Aucs de Souza, ou com Francisco Severianno
Rabello&c Flho.
Le loes.
Richard Royle far ieilflo, por intervenedo do
conclu- oliven a de um perfeito sorlimonto de fn-
zendas inglezas prximamente despachadas : bo-
je 17 do correnle, s 10 horas da manhua no
seu armazem da ra da Alfandega-Velha.
V. I.elellier fara Ieilflo, por cunta de quem per-
tencer empresentado delegado do cnsul da re-
publica franceza ncsla provincia de urna caixa
coma marca L. i. n. .'I, contundo ;,0 duzias do bo-
netes diversos viudos avanados do Havre, no ub-
vip Jeune-Nelly, capitflo loinbarel : quarla-feira ,
18 do correnle, s 11 horas da manhSa.
Schafheillin & Tobler transferiram o seu leil.lo
de fazendas por inlervencao do corretor Oliveira ,
para quarta-fuira, 18 do correnle, s 10 horas da nia-
nhua no seu armazem da ra da Cruz.
C. J. Asiley aileilSo, por inter-
vem5o do corretor Oliveira, de urna
porcao dos melhores couros de lustro,
casimiras rancezas de cores, varias fa-
zendas de laa e de seda, e umitas otttras
recenteinente importadas, e que serto ven
didas para mais breve liquidacao : quinta-
feira, 19 do corren te, s 10 horas da ina-
nha, no seu armazem,ra da Cruz.
~ Por ordem do respectivo juizo se far leillo da
mobiliado fallido Antonio Jos Antunes GumarSes,
consislindo em sopha mesa de mcio de sala ditas
de jogo e cadenas que emparellia 111 oulras de d 11-
lei entes qualidades mangas de vidro marqueza ,
toucador, dous lindos quadros pintados a oleo rom
1i10ldj11asduu1ada.se relogio de repeti(;o, um an-
del de ouro salva, castigaes e espevilador do prala,
etc. sexla-feira, 20 do correte, s 10 horas da ma-
iiiiiia em casa do corretor Oliveira, no Recife. Na
mesma occasio se exporo venda publica, urna
ptima e bem acabada moblia de Jacaranda para
sala feta no Pono por encommenda commodas,
marquezas tremes e mesas com lampos de pedra
inurinore, mesa de sala para cha um piano inglez
niuilo superior, um leilo de Jacaranda novo e feilo
a moderna com seus pertences horco, candela-
bros, Unleruascom mangas, um bom aolliin para
montana de senhora quadros a oleo e utios de
estampas, o alm de outros objectos apreciaveis ,
algumas obras do ouro e de prata e desta uina bo-
nita bandeja grande.
Avisos diversos.
Lotera do Iheatro publico
desta cidade.
O ihesoureiro desta loteria avisa aos
amadores desie jogo que eslao quasi aca-
bados os bilhetes que restam, os quaes
existem em numero diminuto ; por cuja
rasao espera fazer correr as rodas por
toda esta semana, nao obstante ter mar-
cado o dia 17 para a extraccao. Acabem-
se de tido os bilhetes boje, e a loteria
correr amanha.
Prccsa-scdc urna mulher capaz., para casa de
um homem solleiro estrangeiro, para cozinhar e fa-
zer o mais servico de urna casa : na ra de S.-Ama-
ro por baixo do sobrado do Sr. Mesquita.
O lllm. Sr. acadmico Hvo Miquilino da Cunha
Soulo-Maior, por sua bondade queira annunciar
sua morada, ou a lo sua familia aqu no Recife,
para ser procurado a negocio urgente, e quem o
pretende mora as Cinco Ponas n. 65.
Joilo Fructuoso da Silva dcixou de vender agoa-
ardente na sua venda do Alerro-da-Boa-Vista, n.22,
desdo o dia 16 de outubro de 1848. O mesmo lem pa-
ra vender um braco de balanca propro para arma-
zem de assucar, ou carne do Cear, por preso com-
modo.
Iloje, 17 do correnle, depos do moio-dia serSo
arrematados uns escravos e mais objectos, por ser a
ultima praca na sala das audiencias da primeira
vara do civel.
Na ra Direta, n. 4;se dir quem precisa de um
caxero para venda, que nio exceda de 16 a 18 an-
nos, e a quem, cumprindo bem com a sua obrigacSo,
se dar bom ordenado.
Clemente da Silva Lima faz publico que dci-
xou do vender agoas-ardentep naclonaes em sua
taberna na ra da Madrc-de-Des, 11. 9.
-- A pessoa a quem ha 3 para anuos se desenca-
minhou um relogio na occaslo de o mandar con-
certar o qual he horisontal, e tem caixa de ouro ,
dirija-sc a livrara da prac.a da Independencia, ns. 6
e 8, para dar os signaes e podr-se informar, se
he o que so annuncia.
Pelo juizo municipal da 2." vara, e com exerci-
cio na do civel. anda em prasa publica, eem 3 pra-
vas, para ser arrematada por venda, urna proprieda-
de de Ierras denominada Fecundes, entre os enge-
nhos Guerra e Bom-Jesus, na freguezia do Cabo,
avahada toda a propriedade em 7:000/000, e nesle
valor a parle quo ha de ser arrematada he 5:16990,
cuja arremalacOo he para cumprimento de disposi-
cOes testamentarias, escriploestii cm mSo do por-
leiro Serra-Grando, a quem se poderfio dirigiros
pretendentes.
Precisa-se alugar urna escrava que saiba Dem
'ngommar coser seja diligente para o mais er-
rando de urna casa : na ra da Concordia sobrado
de Manoel Fumino Ferreira.
O Sr. Antonio Horculano de Figuep-edo queirt
annunciar sua morada negocio seu.
-f Precisa-se de um Porlqgucz para feitor de es-
cravos no Rio-Formoso, sndese allane boa paga
e 11 atamenlo : as Cinco-Ponas, n. 62.
No dia 18 do correte, perante o doutor juir
do civil da segunda vara na sala das audiencias ,
por ser a ultima praca. a oscrava Cosma, parida hn
um mez com muito bom leite o he muito sadia,
por execucSo do Francisco Jos Corillo Leal contra
D. llosa Lins de Menezes.
Precisa-se alugar um preto padeiro : na ra Ui-
reita, padaria n. 26.
Antonio Jos Alves da Fonseca deixou de ven-
der ago'ardenle na sua venda da ra do Collegio .
n.5,
Jacinlho Luiz Guerreiro deixou de vender agoa-
ardentede produccUo brasileira na sua venda da
ruada S.-Cruz, n. I.
Carlos Monteiro Teixeira deixou de vendar
ago'ardenle do produccSo brasileira na sua venda
da ra da S.-Cruz, n 3.
Achou-se um cavallo castanho, no sitio da
igreja dos Afllictos : quem frseu dono procure nc
mesmo sitio, que, dando os signaes, e pagando as
despezas Hie ser entregue.
Aluga-so o sobradinhon. 100, da ra Imperial,'
caiado c pintado com duas salas, Ires quartos co-
zinha fra, e a loja he ptima para venda, e por com-
modoaluguel : a tratar defronle do mesmo n. 167.
-- Um hoincm casado com punca familia se offe-
rec para caixeiro de qualquer cstabelecvmento ,
tanto nesta piaca como fra della, anda mesmo
que seja para engenho ou cobrar dividas no mal-
lo : quem precisar annuncie por esta folha.
-ciara llern 1 nJa da Silva Cardial remelle para
Una o preto Euzebio, crioulo a entregar ao Sr. Jo-
s Joaquim de Goveia.
Jo.-e Marques da Franca Borges declara que o
seu nonie inleiro he como aqu se assigna, e 1180 Jos
Marques da Fonseca o que faz publico para evitar
qualquer duvida.
Alugam-se os segundo e lerceiro andares do
sobrado da ra do Vigario, 11. *: a tratar no escrip-
torio da mesma casa.
Alugu-se, ou compra- para uina casa eslrangeira : na ra do Vigario, n 4.
Desencaminhou-se uina letlra da quantia de
50,000 rs. passada pela Sr." Francisca da Cosa Pe-
reira, o aceita pelo Sr. Jacinlho Rodrigues da Silva,
vencida cm 13 de marco ueste auno : quem a tiver
achado o a quizer restituir, leve-a a ra Imperial,
11. 22, poisqueo aceitante j est scienle do uo a
pagar, por ja ter leilo um nevo Irato (cando a
mencionada letlra senrvalimento algum.
Jos Antonio Marques remelle parao Passo-de-
Camaragibe o pelo Manoel, de uacflo Angola a
entregar a seu senhor Antonio Jos Marques,
(i Sr. Jos Norberto Lima queira declarar sua
morada.
AGENCIA T)F. PASSAPORtES.
Tiraii-seelleclivamente passaportes para dentro
e fra do imperio assim como para escravos por
preco commodn na ra das Trincheiras sobrado
do um andar, n. 16.
Precisa-se de um mestre para ensinar primei-
ras letlra, em um engenho em Serinhilem, e quo sai-
ha grainmatica portugueza, e mesmo servo um que
tdr casado cuja senhora poder ser tambetn
mestiade meninas: a tratar na ra do Sol. n. 13.
Um homem de boa conducta quo enlende do
cozinha e de lodo o ai Tanjo que so deseja encontrar
em um bom criado, se ollerece a servir a algum se-
nhor ou familia capaz : quemo prelender, dirija-
se a casa da esquina da ra da Unio e Formosa,
atrs da ermida doslnglezes, ou annuncie.
Aluga-so urna casa terrea na povoacfio do .Mon-
teiro com sabida para o rio, a qual tem duas salas,
quatroquartos, cozinha fra, cacimba, estribara
para dous cavallos quai lo para escravos dous
quintaes murados : a tralar na travessa do Veras,
II. 15.
- A viuva do tinado Manoel Rodrigues do Passo
faz scienle ao publico que Manoel Jos Carneiro
deixou de ser seu caixeiro desde o dia 12 do corren-
le mez.
Os abaixo assignados fazem saber a quem con-
vier, que, no di 30 de selembro prximo passado ,
dissolveram amigavelmentea sociedade que tinharn
nesta praca sb a rasilo de Mendes & Tamizo, fi-
cando encarregadoda liquidacSo della o socio Joa-
quim Ferreira Mendes OuimarSes. Pernambuco,
1* de outubro de 1848.-- Joaqnim Ferreira .Venden
GuimarSet. Manoel Ferreira da Silva Tarrozo..
O Sr. Joaquim Theodoro Alves queira mandar
pagar a quantia de 36,380 rs que devo desde 18*9,
bem como os Srs. JoSo do Allemo Sisneiro da C-
mara 19,000 rs. de 18*3 ; Francisco Soares da Sil-
va morador no Cabo, 12,000 rs., de 18*3; Jos Tho-
maz da Silva, 22,920 rs., de 18*3; Augusto Carlos de
Lomos Pacheco *6,3*0 rs., de 1843 ; Manoel Joa-
quim Itibeiro da Silva, 38.-250 rs., de 18*5; Ma-
noel Joaquim Antunes', morador na Varzea 6,900
rs. de 1843: na ra Nova, n. 18, loja de alfaiale.
O abaixo assignado.j desesperado com os seus
credores, por 1180 poner andar sempre em da por
culpa destesSrs e outros quo desta mesma forma
obram por isso he que langa mSo deste meio pa-
ra nimios desagradavel; porm as pessoas corda-
tas Ihe farSo juslica a visla dos annos cm que est,
no desembolcodo muitas quanlias que fazem mui-
tosconloa de rcis, pelo queira continuando.
Jf. A. Cj.
__Vende-se um preto da Costa, sem vicio e da
idade de 25 annos; euma negrinha de 10annos,
croula com principio de costura: na ra do Amo-
rim, n. 4*.
Vendem-se cachos de florea e c-
pelas, e pennas para enfeite9 de chapeos
de senhora: na ra do (abug, loja de
quatro portas, Ven reira, saccas com feijSo mulatnho por preso cora-
" Vollando-se da ra do AragSo para a S.-Cruz ,
no primero andar do sobrado n. 52, precisa-se alu-
gar urna prela para o servico da mesma casa.
Precisa-se alugar um moleque de 12 a Han-
nos para o servico de casa : no- hotel Pislor na
Lingoeta, n. 3. >n
Precisa-se de um caixeiro para venda, de 10 a
12 annos, que d flador conducta: no Aterro
da-Boa-Vista, n. 20.
Roga-se ao Sr. Jos Ges de Paula o obsequio do
annunciar sua casa, para se Ihe fallar a negocio do
seu iuteresso.
Antonio Ferreira Braga embarca para o io-de-
Janeiro o seu escravo crioulo, de notpe Jofto,
-ADO
1



A QIFM LIIF. FALTAR
A pessoa que |iie faltaren) 3 travs iliriji-.se rua
de S.-Amitro, ven.! u. 8,"que se dir quem pegou
indo pelo mi abaixo.
I'rorisa-sc do um caixeiro de 19 a 14 annos,
Brasileiro ou Portuguez para entregar p.lo com um
preto na rua : recebe-se al mesmo nflo saben Jo da
mesma arte: ira padaria do pateo da S.-Cruz, n. 5.
OSr. Jos Paulo do liego Brrelo dirija-se a
ruadoLivratnento, n. 14, luja de Francisco Caval-
i-ante de Albuquerque a negocio que Ihe diz respeito.
No pateo da matriz de S.-Antonio, n. 4, segundo
andar tiram-se passaportes para dentro e fra do
imperio despacham-se escravos e correm-so fo-
Ihas : ludo com a maior brevidade possivel, e por
dimiuuto prego.
FABRICA DE PIANOS.
Ruado Qucimado, n. 12.
.1 n.*(i Vignes, (endo dirigido urna das primeiras fa-
bricas do pianos em Pars, e tendo qnatro anuos
do residencia nesta cidade, onde, pela quantidade
de pianos que tem concertado e afinado, de todos
os autores e de todas as armacoes icha-sn habili-
tado para apreciar os defeitos destes ; por isso fa-
brica pianos de proposito para este paiz de modelo
novo o riquissimo os quacs offerecem todas as
vanlagcns, reunidas a bonilezac seguranza dos su-
periores : lamhem conccrla o alia pianos com toda
a perfeigio.
Na padaria da rua da Guia, no Recite haver
todos os iliasa vendo o novo pilo de Provenga fa-
bricado poroutro modo que o actual e da melhor
l'.irinha que ha no mercado : por este motivo n3o so
pode Inzer senlo a 40, 80 e 160 rs.
--Aluga-se urna grande asa terrea na rua Impe-
rial com duas salas 7 quartos, collona fra, quin-
tal murado e cacimba : na rua de S. -Concalo, so-
Jirado n. 29.
l'recisa-se de nina ama de
tenha botn
ndices, cuja lmpress.lo est-se coneluindo, o au-
tor rog e espera a satisfagfo do importe de assig-
uatura noarto da entrega, visto que, na occasifio
do sabir a ultima folha do prelo tem de pagar ly-
pographia o restante da impressSo cuja despeza
mnito excedeu ao seu calculo. A dislribuigSo dos in-
d ices se fani dentro de porros dia*.
Precisa-se alugar urna canoa de carroira que
leve seis pessoas: na rua da Cadeia-Velha, n. 56.
Aluga-se o armazem n. 42, da rua Nova : a tra-
tar por cima do mesmo ou na mesma rua Nova,
n. 24.
Aluga-se urna casa com terreno no lugar da
Torre, prxima ao rio, bem sufliciente para qual-
quer familia passar a festa por prego muito com-
modo: na rua do Cotovello, n. 31.
Ha 10 das que se ausentou um pardinho de 9
annos, de nome Andr, claro e cabello louro ; ri-
se passar em um comboi, para o matto : quem o
encontrar o poder levara rua da Aurora, n. 4, on-
de ser recompensado de seu trabalho.
Aluga-se a casa da rua da Trempe n. 13 : trota-
se na rua larga do Rosario, n. 14, primeiro andar.
Aluga-se unimolequode 18 anuos, de lioa con-
ducta : na praga Ja Independencia, n. 3.
Quem precisar de urna ama para casa de pou-
ca familia a qual faz todo o servido do portas a
dentro dirija-se a rua do Nogueira n. 15.
Precisa-se de um fornciro : na rua Direita, pa-
daria n. 82.
nina ama de leite,
c bastante, forra ou
Aterro-da-Ba-Vista. loia
que o
captiva : no
11.78.
Na rua Direita, padaria n 26, da-so pan de ven-
dagem a pretas, sb responsabilidade do seus se-
11 llores.
A mesa regodora da ordem terceira de S.-Fran-
cisco tem marcado o prazo Jo dous mezes desta data
paratoJosos seus devedores, tanto do alugueis de
asas, como os de foros, vircm pagar o.que esliverem
a dever, nilo Ibes servindo de pretext o terem afo-
rado uovos terrenos de inarinba, porque, findo este
prazo, sent exocutados;para cujo lim se deverSo en-
tender com o irmSo procurador-geral da mesma
ordem.
Precisa-s de urna mulher branca de idade, pa-
ra o servido de um bomem cslrangeiro, com urna
lilba de"* annos a qual d urna 011 duas fianzas a
sua conducta : na rua larga do Rozario, n. 8, ao |>
doquartel. Na mesma casa vende-se una preta de
mi'i.i idade, muito habilidosa paru todo o servigo
interno e externo de urna casa : o mus se dir ao
comprador.
-- Na rua do Vigario n. 19, deseja-so fallar ao Sr.
Antonio Jos Vaz do Miranda, visto ignorar-se a
sua morada.
Urna senhora se propOe a ensinar meninas fra
desta praga, em algum engenho : qiiem do seu pies-
timo sequizer utilisar anuuncie.
" Furlaram de Francisco de Paula Freir no dia
11 do Crrante, do seu sitio em S -Amarinho pelas
5 horas da larde, um cavallo rugo bom carregador,
deita as dinas para a direita, bem feito de ossos ;
tem varios ferros e entre estes um 3 ; consta que
seguio para o sul. Rnga-ses autoridades pollciaes
a apprehensfio do mesmo cavallo.
Ainda esta parase vender o sobrado n. 7, silo
na travessa da Madre-de-Dcos por prego comino-
do : a tratar na rua da Cruz, n. 50
Quem quizer una ama para tratar de meninos ,
ou para reger urna casa dirija-se a rua estreita do
Rozario, II. 3.
Aluga-se urna casa terrea na rua Relia, com 2
salas, 3nlcovas, cozinha fra quintal e cacimba : a
tratar na rua do Collegio, n. n. 15, segundo andar.
Precisa-se do urna ama que tenha bom e bas-
tante leite : na rua de Ho< tas, u. 71.
Aluga-se;a casa que foi do fallecido Ceraldo
Antonio da Rosa na Passagem -da-Magdalena para
se passar a festa com banho no fundo do sitio : a
tratar na rua Direita, n. 3.
Arrenda-se, pelo lempo de festa ou annual-
inuute urna boa casa com muitos commodos no
Pogo-da-Panella a qual foi do doutor Joilo Lopes :
quem a pretender, dirija-se a praca da Boa-Vista,
n. 32, segundo andar.
~ Precisa-se de urna ama de leite que soja sadia ,
e Icnlia-o com abundancia : na rua das Cruzes, 11.
22, segundo andar.
Aluga-se o bem conhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Maiia de Seixas, s proprio paia
algum negociante eslrangeiro ou outra pessoa que
tenha traUuicnlo : na rua do Amorim, n 15.
-- Alugani-se dou sitios com muilo bas acoimtioda-
ces um na campinha da Casa-Forte e outro na rua
da ditapovoacao com cucheiras e cavallarices ; assiin
como varias casas, de primos eouunodua para se pas-
tar a festa : a tratar na rua do Amoi im. n. 15
Um lime.')! casado, brasileiro.de
boa conducta, pela qual d pessoas que a
afiancein, se olTerece para caixeiro de rm
dequalquer casa de negocio, ou mesmo
para algum engenbo : na rua de Moras
juntoa igreja dos Alarlyrios, n. 141, pri-
meiro andar.
O abaixo assignado morador na ladeira da Mi-
sericordia ,'em Olmda faz scienlc que Ihe desap-
pareceu, no dia 10 do correnle, pelas 7 horas da noi-
te um relogio cylindro, com passador de ouro, bs-
tante grosso: quem delle liver noticia ou o resti-
tuir lera eui recompensa 40,000 rs.
Pedro de Araujo Argolle t'erro.
Quem achou um relogia sabonete, com caixa
de ouro, o urna pequea correnle, quereudo res-
tituir, leve-oao pateo do Carmo, n. 11, segundo
andar ; pois se supi'Oeter cabido da algibeira, sc-
guindo o palco do Carino, ras estreita o larga do
Rozario praga da Independencia, Crespo, cues da
Alfandcga at aporta da mesma.
Compras.
de idade porm sem
Boa-Vista, travesso do
Compram-se escravos que sejam offlcias de car-
pina, de 18 a 25 annos e de boas figuras ; pagam-se
bem sendo do bons costumes e peritos no seu offi-
eio poissSo para urna encommonda do Rio-de-Ja-
neiro : na rua do Amorim, 11. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compra-se urna preta
vicios ncm achaques: na
Quiabo n 8.
Compra-se um marac de prata sem fcitio :
as Cinco-Pontas, n. 62.f,
Compram-se 6 bois mansos para carro: no en-
genho Roa-Vista do Cabo de que he proprietarin
Antonio Fabifio de Mendouga on na rua do Cres-
po, n. 15.
Compra-se um melhodo para violilo estando
em bom estado quem liveranniincie.
Vendas.
Vinho barato.
Acha-se estabelecido na rua da Madre-de-l)eos,
11. 36 um armazem de
Vnhos da Fguera,
de ptima qualidade a prego de 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs. a garrafa ; c para n.lo haver dolo do com-
prador seriSo lacradas as garrafas c com rotulo, re-
cchendo-se a garrafa vasia, e dando-se inmediata-
mente a outra cheia: tambem ha barra muilo peque-
nos, proprios para quem pana a festa. O proprieta-
rio deste eslahclecimento pedo encarecidamente
que se mo illudam avallando, pelo diminuto preco
e sem conhcciiuento de causa a qualidade de sua
fazenda digna porcerlo da estima dos verdadeiros
amantes da boa pinga. File eonta que quem urna
vez provar, continuar com posto e sem airepen.li-
mento. E o bom prego '.!! A todo o exposto aceres-
seo asseio e bom acondicionamento o que ludo se
poder verificar em dito estabeleciniento.
Vende-se, por inteiro ou em porgues do du-
zentas bragas de fundo meia legoa de torra mar-
gom dorio de lina da parte do norte confronte
trra de Japaranduba e na mesma forma oulra
igual porgfio de Ierra lio fundo da mesma que li-
mita com o engenho Formigueiro eoutros beros;
Remido a frente desta ultima para cssa parle : na rua
to Rangel, n.45
Vend m-se 4|liteiros, proprios para loja de miii-
dezas por prego commodo : na rua da Cadeia-Ve-
lha, loja de miudezus n. 9, se dir quom vendo.
No armazem da rua Nova, n. 67, acaba de re-
cebt r se um rico e grande abrmenlo de movis de
varias qualidades, como tejam : estantes para livros;
mesas elsticas do diversos Umanhos ; ditas dojo-
go ; ditas redondas de meio do sala ; camas com las-
tro de pallnnha ; guarda-roupa ; commodas do dif-
ferontcs lamanhos ; sophs tanto de Jacaranda co-
mo de oleo ; marquezas; carteiras de urna s face,
para escriptorio ; ditas cnni iodos os pe.rtences para
viagons jestojoscoih cspelbos para barba; touca-
dores de vanos lamanhos; vidros para espelho; gaio-
Us de rame de bom gosto para passaros; lavato-
rios ; cadena s de palhiuha, a duzia a 24,000, 30,000,
40,000 46.000, 50,000, 60,000, 72,000 e 80,000 rs.;
c outrns muitos ohjeclos que a vista dos comprado-
res se anlo patentes : ludo por prego muito com-
modo o a contento dos freguezes.
Vende-se, cHeciivamente, porgo de lijlos de
alvenana grossa da marca maior que pode haver,
de muilo bom barro e be.Ti cozidos : a tratar com
Jos Joaquim de Abreu, na rua Direita.
Vende-se urna grande casa de taipa, bem cons-
truida e segura coberla de telhas, de muito boas
madeiras, sita no bigarda Cabanga com bom por-
to de embarque e desembarque, propria para 11-
mazem do couros e salgadeira, segundo os posturas
da cmara municipal : na rua das -Cinco-Pontas
n. 65.
Vende-se o bem conhecido licor cheiry-cordial
em casa de Rothe & Bcdoulac na rua do Vigario,
Boa compra.
Oilo morados de casas terreas, todas no
S.-Antonio ,
uto prego de 3,800 rs. cada un: na rua do Quei-
mado .loja de miudezas. n. 9*.
Vende-so urna parda moga qne lava bem, tanto
da sahan como de virrella, faz renda e cose chUo : na
rua da Cadcia do Recife, caaa n. 53, segundo andar.
A 4,000 rs. cada um.
Na loja n. 5 que faz esquina para a rua do Colle-
gio, de Cuimarfleg & C, vendem-se chapos de sol de
seda verde, azul o encarnada, pelo diminuto prego
de 4/000 rs. cada um.
Fazenda nova.
Vendem-se longos de garga com ramos de matiz,
gosto inteiramente novo ncslo genero ditos com
bico de blonde a roda : ludo por commodo prego:
na rua Nova n. 30 loja do Domingos Antonio de
Oliveira.
Vende-se urna casa anda nova, margem do
rio.no Pogo-da-PanejIa com duas boas salas-, *
quartos, cozinha fra um bello quintal cercado de
liman o muito bem plantado de larangeiras de em-
bigo, mangueiras sapotizeiros e varias outras fru-
teiras.com porto na frente e outro no fundo e
tem a fronte para a igroja : a tratar na rua da Trem-
pe no sitio da casa coi- de chumbo.
No Atcrro~da-Bo/i'Vista de-
fronte da calunga
hilo chegado muito bons marroquins.courode lustro
o bezerros francezes : tudo de superior qualidade o
por prego commodo.
Vende-se um mulalinho de 15 annos de idade,
muilo propiio para pagem, e por prego commodo :
na rua da Cadeia do Recife, n. 14.
Vendem-se 4 lindos moloques de 16 a 18 an-
nos ; 5 pretos de 25 a 30 annos ; 3 pardos de 16 a 18
annos; duas mulatinhas de 7 a 14 anuos com prin-
cipios de habilidades, 5 pretas do 12 a 25 annos, en-
tre ellas algumas com habilidades : na rua do Col-
logio, n. 3, se dir quem vende.
Vende-se um bonito mnlequeda Costa, de 20
a 22annos, sem o mais pequeodereito ncm vicio,
o quese aanga ao comprador : na rua da Cadeia
do Itecife, loja de fazeudas, n. 55.
Na rua de Agoas-Vcr/lrs,
n 46,
vendem-se duas bonitas escravas 'do nag.lo, do boa
conducta de48 a 20 annos, peritas engomadei-
ras ecozinheiras; una dita quo faz todo o servigo'
uina casa ; urna dita de 25 annos por 300/ rs.;
urna dita por 230/ rs.; urna dita com um molequi-
nhodeum anuo e meio por 380,000 rs. ; urna dita
boa engommadeira e cozinbeira para fflra da pro-
vincia por 520,000 rs ; um pardo mogo, ofilcial de
atraate, por 400,000 rs ; dous escravos ; e um boni-
to mo|equede 18annes.
Vende-se urna ptima casa moderna, no largo
do Manguiuho toda envidrbala, com 6 nlcovas,
duas grandes salas cozinha fra, cacimba, toda
murada com dous portos, sendo um do cocheira ,
o porto de embarque e desembarque por prego
commodo na rua do Arago n. 9.
Vende se urn lindo moleque de i3
1 '1 annos, pouco mais 011 menos, sem
A0S ILLUSTRISSiMOS ACADMICOS.
O resumo da historia do Brasil, com o mappa dos
hachareis furmados, comega de hojo om diantea
'-r tlftlnbulJo em Oiipda pelos Srs. acadmicos, em
ulleiicfio a sua bievo retirada. Apezar de faltaren os
uiirro de
as principaes ras a tratar na rua
de Agoas-Verdes, n. 46, segundo andar.
- Vendem-se 3 moJeques de 12 a 16 annos ; 4 ne-
grinhas de 14 a 18 annos ; duas boas escravai de bo-
nitas figuras ; urna parda boa costureira coslurui-
ra e engommadeira e cozinbeira : 41a rua Direita.
n. 3. '
Vende-se urna banilo escrava com os habilida-
des necessarias para urna casa de lamilla; um mole-
que de nagSo, de 18 annos ; um preto de bonita fi-
gura por prego muito rasoavel, para liquidacSo :
no pateo da'matriz de S.-Antonio loja n. 4.
Vendem-se missaes romanos: na rua de S.-Fran-
cisco oulr'ora Mundo-Novo, 11. 66.
Vcnde-se urna porgao de laboado do amarello,
sendo costadinho e assoalbo, e tambem 12 la boas de
louro, tudo de boa qualidade: na rua da Praia, n. 35,
e para tratar, lias Cinco-Pontas, n. i.
Vondem-so rico? r^rt**? ij^n.imp nAiA^i-:_
vicios, nem acbaqnes, e proprio de todo o
servico, e para pagem : na rua do Crespo,
'oja n. a A, se dii quem vende.
Vende-se urna preta moga do bonita figura ,
por prego comino lo : na rua do Crespo, n. 15.
Vende-se um cabriolet sem coberta com
cavallo ou sem rile : na rua Nova, n, 54.
Vende-se urna canoa de carreira : na rua Au-
gusta n. 60.
Um novo sortmento de
ri oado monstro.
Vendom-se na loja de CuimarHes & C, que laj
esquina para a rua do Collegio, II. 5, novos risca-
dos ministros de padrOes modernos o lindos, pel
mesmo prego de 320 rs. o covado.
Para vestido de senhora
Vendem-se lindos cortes de 1.1a transparente, para
vestidos de senhora muito baratos ; luvas de pel-
lica enfeitadas, para senhora a 2,800 rs.; ditas li-
sas brancas o do cores; chapos do palha aberta;
ditos de dina ; ditos lisos ; lilas de setim lavratlas ,
muito lindas; bicos de seda branco e de todas as
larguaas.; crepo de cores; spalos de marroquim ,
lustro, solim ode duraquode Lisboa; bozeguins,
tudo para senhora ; flores para chapeos o cabega de
senhora ; um sorlitueiito de perfumaras; o outras
fazeudas por prego commodo : na rua Nova, n. 30,
loja de Domingos Antonio do Olivora.
Vende-se vinlio do Porto, muito su-
perior, pelo baratissimo preco de 1,1 ao rs.
em caadas, e 160 rs. a garrafa : no becco
da Lingoeta, n. 8, venda d iVJanoel Gon-
calves Pereira<
Vende-se vinho verde, muilo bom e sem con-
feigijo Iguina ,a 200 rs. a garrafa ; vinegro blanco
de Lisboa muito forte: no poleo do Carmo, venda
n. 1.
Vende-so por prego commodo, algodao tran-
cado, de superior qualidada rahricado na Babia ,
proprio para saceos de assucaie roupa de escravos ;
lin mi nvelos da mesma fabrica : na rua da Cadcia-
Velha, 11. 9, primeiro andar.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores corles de meia casimiras els-
ticas de pura lia, pelo barato prefo de 2/0O0 e 3^000 rs.
o corte de caifa: na nova loja da estrella, da rua do
Collegio, n. 1.
Vende-se um bonito sortmento de
boloes de seda, para casaca; ditos para
vestidos d meninos ; ditos atnarellos, de
Pedro II; ditos para militares, de ca-
ra pescogo de senhora e meuinas, a dous cruzados
cada um : na rua Nova, n. 30, loja de Domingas An
tomo de Oliveira. *"'
Vende-te urna casa no bigarda Capungs, pw
to do rio feita de pedra e cal, ainda nova, lo la eT
vidrsgada a qual rende 10,000 rs. mensaes: vende-
se metode a vista : a tratar no pateo da S.-Cni7 n*
8, ao p da botica. "
--Vende-se um checheo muito manso e encl-
lente cantador; bem como uina grande serpelo
viva encerrada em urna forte gaiola propria par
ser levada para qualquer paiz estrangeiro: na m.
da Florentina, n. 16.
Calungas de porcellana.
Vendem-se calungas de porcellana dediflerentM
lamanhos, a 1,000, 1,500 e 3,000 rs. cada um : n
rua Nova n. 30, loja de Domingos Antonio de Ol
veira.
tal do principe ; bolOos para camisa a republique-
facas e garbos para sobre-mesa ; oculos para todas as
idades tambem de vidraca azul, proprios para es-
tudar de noite; e outras muitos miudezas baratas.
Esleirs do Aracaty, a240 rs.
cada urna:
vendem-se na rua do Amorim venda n. 36, de An-
tonio Joaquim Vidal & Companhia : tambem so con-
tinua a vender o melhor caf inodo que se fabrica
nesta cidade.
Chegarom em fim mais navalhss
de ago da China : a sua qualidade e propriedade pa-
ra evitar e mesmo curar as molestias cutneas, he
superior a todo elogio e por isso ja seu autor foi
agraciado : as verdadeiras vendem-se na rua larga
do Rozario n. 35 onde tambem Se venden facas1 e
arfos deossopolido feitidc marflm ; (liiisshnsal
esouras para unhas e para costura ; culhcres de me-
Vendem-se riquissimos cortes de seda para ves-
tidos chegados ltimamente de Franga pelo ulti-
mo navio: na rua Nova n. 8, lujado Amaral.
Vende-se a venda da rua da adre-de-Deos
n.9 com poucos fundos, o a annagflo muilo com-
moda : a tratar n mesma venda.
Vende-se muilo superior lagedo de Lisboa ; c|i,
virgem em harria de 4 arrobas, por mdico preco:
na rua do Vigario, n. 19.
Vende-se caivetes de cabo de ma-
dre-perola, de urna fllia ate' qnatro ; di-
tos de punbal ; tesouras para unlias, li-
nas ; ditas de costura ; ditas com caive-
tes ; colheres de metal do principe, para
cb ; saca-rolhas de patente ; eslojos de na-
valhas; aiadores, com sita competente
pedra; dos niel lio 1 rs que teem apparecido :
ne loja di-qnatro portas da rua do Cbug,
do Duarte.
Escravos Fgidos
Fugio, em setembro prximo passado um pre-
to de nomo Joflo Catraero bastante ladino, in-
culca-se forro de 30 annos, haixo fltam-lhe al-
guns denles da frente ; quandn.falla gagueja al-
guma cousa ; consta andar pelas Cinco-Pontas, Afo-
gados ou Magdalena : quem o pegar leve-o a S.-
Amaro casa de Manoel Cardozo da Fonseca", ou na
praga do Commcrcio a qualquer hora.
Fugio urna crioula de nomo Catharina cnni
ossignaes seguintes : alta, mag'a ; tom a barriga
um tanto crescida nariz grosso, denles bonitos;
levou um roupio de riscadinho cor de rosa, uma
saia do lila e nutra do chita esverdeada com dous
hallados guarnecidos com fita de velludo prclo um
cabegfio de cassa de quadros com abertura e bolOcs,
panno da Costa sem oslar embainhado ; levou mais
uma sa filha de nome Mara de duus annos ; tem
as coxas unidas a ponto de a fazer espaldar os ps
para os lados; suspeila-se que esteja escondida em
Fra-de-Porlas esuspeita-se mais outra cousa de
que.por nilocstar bem esmerilboda, nflo se faz decla-
ragflo alguma : quem a pegar leve-a ao Aterro-da-
Ba-Vista, n. 42, que ser gratificado : tambem se
protesta contra quem a liver occulla
Fugio, no dia 7 do correnle, um escravo tri-
gueiro ,'porm tem o cabello acaboclado ; tom o
rosto algumas espinhas, de 24 aunes pouco mais ol
menos; levou caigas brancas, camisa de madapo-
1.1o, e chapeo de palha ; be de poucas fallas ,]e na-
tural do sortflo do Ceara ; suppOe-seter segOido por
esta estrada, ou de outro sertlo. Roga-se as autori-
dades pediciaes o capitlesde campo quo o appre-
hendam e levem-noa rua da Cruz, n. 37. Declara-
se que este escravo veo remedido do Ceara por Jos
South de Vasconcellos. (Baraleiro. }
Fugio, no da 8docorrcnte, o preto Cactano,
escravo do Jos Pcreira da Silva, genro de Nicolao
Rodrigues da Cunba ; levou um panicum'com pilo
que andava vendoodo pela Varzea o seus suburbios.
Roga-so s autoridades policiaca e capills de cam-
po, quo o apprehendam c levem-no a S.-Anna em
casa do Sr. Nicolao Rodrigues da Cimba quo pa-
gara 'nilas as despi /as. ,
Fugio, do bordo do briguo Arqot, no dia 7 do
corienle pelasihoms da noite, um escravo m-
rnhciio de nome Jos do nego Cabinda altura
regular, cheio do corpo; reprsenla ter 22 annos
pouco, mais ou menos rosto redondo sem barba,
olbos grandes ; ievou caigas e camisa do zarle azul
e cinta encarnada : quem o pegar leve-o a bordo do
dito iiriguc, ou a Amorim lrniHo;,.na rua da Cadeia,
n. 39, que recehera boa gralificago.
Ainda contina a estar fgida a preta ciioula ,
le nome Maris, de 16anuos pouco mais ou menos,
estatura o corpo regularos com falla do alguns den-
tes na : enloda parte superior falla tlm pouco da
vagar indicando vergonha ; levou camisa de algo-
dflozinho vestido do chita rosa brincos en-
carnados de louga e conlas azues no pescogo ; vcio
Vallara e in/;iiitarin Hitnsnim I..-A, j*>a pouco do sei tilo de Carirys ; torna-se cdnhecida
vaiat.a e inlintana, ditos para libres de pelos modos er.-ic.oe; existe toda a desconlianga, ou
pagem, brancos e amarellos,-de bons pa-
droes; ditos de massa, para fardamento
de cacadores ; ditos de vidro, de diversas
cores : na rua do Caug, loja de qnatro
portas, do Duarte.
A SOOrs.l!
1 Vendem-se iengua do garga e uiroasas cores, pa- | FbBW. : NA UP. DEM. F
ceiteza de que esleja oceulta em alguma casa nesta
praga pelo que ruga-sea qualquer pessoa que a
pegar, ou a doscobrir, ddaa levar a rua do Torres, no
escriptorio de Jofio Pinto de Lomos & Filho quam&y
r recompensado ; protestando-so perseguir com to-
do o rigor das penas da le a qualquer pessoa que a
tiverem seu podr ,e uao ajnandar restituir.
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI98EEDSG_IXFR5G INGEST_TIME 2013-04-24T17:27:06Z PACKAGE AA00011611_06538
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES