Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06533


This item is only available as the following downloads:


Full Text
XXIV.
Auno
r-u'.........."'
Qiiarta-fcira II

n ni Ifl" piiblloMa todos o da.que nSo
0'".,. .' da: < preco da asignatura he
'"lUlr. n..i-.iinrU!l.-MM ndtnnlidni. O
^.-Ins do. as.lgtiantes io Inseridos i
iSftI r.porlUa. 40 r..cm typo dlf-
p* ., ea. ..-IK-Iicei pela meladc. Os nn
f*" fC garla 0 r.. por llnlv.IBO r.
em S aSrenW, por odl publlcacao.
'pHASES DALUANOMEZ UE OUTUBRO.
- u a ft. i 11 horas e4*mln. da manta.
la 1 hora e eata. d urd.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahlba, l eegi. c sciU.-fciras.
Rio-G.-do-Noree, quintas-feiras ao meio-dia.
Cabo, Serinhacm, Rio-Formoio, Porto-Calvo
e Uacrl, no l., a 11 c 21 de cada mei.
Garanhun. e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Visea e Florea, a 13 e 28.
Victoria, s quintai-feiraa.
Olinda, todos odlas
PREAMAR DE HOJK.
Primeira, as 4 horaa c 30 minutos da tarde.
Segunda, s 4 horas e 54 mi mitos da mauh.
de Oiitubro t\e. 1848.
DIAfi DA SEMANA.
0 Segunda. S. Dionisio. Aud. do i. dos or-
ph. do J.clv. edoJ. M. da 2. v.
lll Terca. S. Francisco de Borja. Aud. do J.
doc. da I. ?. e do J. de pardo 2. dist de I.
11 Quarta. S. Firiuinu. Aud. do J. do c. da
2. T. e do i. de pai do 2 dist. de t.
12 Quinta. S. Cypriano. Aud. do J. de or-
nh. do J. M. da i. v.
13 Sella. S. Eduardo. Aud. do J. doclv. edo
J. de paz di 1 dist de t.
l Sabbado. S. Gallito. Aud. do J. do c. v.
e doJ. de paz do 1 dial, de t.
15 Domingo. 3. Thereza de Jess
N. **
CAMBIOS NO DA DE 9 OimiBRO.
Sobre l-ondrea a 34 d. por 11000 n. a 80 d.
Pars
> Lisboa 120 por cento de premio.
itio-de- l.ciciro ao par.
Deic de lett- de boas firmal a I i ao mez
Acede, da comp. d n>l>ibe. 50/ re. aop
Ostro.Onca. hespanholas 31*000 a 31/500
. Mda. de 6/400 v. IMMn a 7/700
de 16/TiOO n. l/iOO a 16/700
. eflrn... # 8gw
Prala-Pataces brailleiro. 2/020 a 2/020
Pesos columnarloa. 2/000 a /jrc
Ditos mexicanos..... 1/900 a l/t'
1MAMBUCO.
....."
"T." '. j.r.1 "''
nFnUAMRIIff)
rfcin''","w-'
Cmara municipal do Hecife.
SESSAO EXTRAORDINARIA EM 20 DE SETEHBB0
- Di: 1848.
PRKUDMIptA UO SNHOR RKiO AI.MJQUKIIOUE.
Presentes o Srs. Dr. Aqulno, llirala, Gaudino e Ma-
,,,rde,abrio-se asessao, .endo llda capprovada a acta
ti antecedente,
n ccrelarlo fez a leltura dos seguinles officioi :
i'm do lvxm. pre.identc da provincia, approvando in-
iciinniwnte as postura, que esla cmara Ihe remetteu
P,n ollki" de 9 do corrente. Que se aecusasse a recep-
to psemandasse publicar as posturas.
' n'mrn dn mesmo Exm. presidente, remetiendo quatrr.
rumiares do Auxiliador d Induttria Nacional relativos
aos ineie. de abril a junho do crreme anno. Que se
eceprao do oDicio, e se archivas.em os
aos
a,cnnssc a
Oulrado sfcrctarto interino da presidencia, lemelten-
,ln d'ordein do F.xm. presidente da provincia, exempla-
rp de fleclsel do governo. Que se aecusasse o -rece-
bi.nenlo dn officio, e se arehivassem as lels.
A coinmls.Su encarregada de examinar o corre da mu-
nirinalidndr, apresentou o resultado desse exame. cons-
tante do parecer, abaixo desa transcripto, que foi ap-
O Sr. vereador Gaudino fez o seguintc requeriinento
ntie fol approvado:
Requeiro que o procurador desla cmara di! con tas
do diie lem rerebido e despendido do ultimo do inez de
,eo'> proiuio pa.sado at 18 do presente rae, em que
lhe foi ordenado de nao continuar. O vereador, Oau-
OSr. vereador Aqulno fez tambem o seguate reque-
liinrnlo que foi apprnrado :
o Estando provado que exisle um alcance dos dinhel-
rosdainnncipalidade, pelo qnal he responsavel osen
procurador, requeiro que se leve ao coiihecimento do
Exm presdeme da provincia todo este negocio. A-
cmara nnmenu. sb sua responsabilidade, o fiscal
,1o Uriile. Manoel Ignacio de Oliveira Lobo, para servir
inlerinaiiiPiilc o lugar de procurador, emquanto durar
a suspensao do ai lual ; e nesta conformidnde mandn
cxpedlrparliclpacdcs ao nomcado, ao contador e ao sus-
penso.
Mandn se participar ao Exm. presidente da provin-
cia que o juiz de paz inais volado da freguezia de Ja-
bnatio Invia a.sumidn as func,fdes deste cargo, por ter
crssado o sen iuipediinento, como parlicipou.
i. Parteer. A commi.so encarregada por esta c-
mara para examinar o cofre da mesma. que se aeha de-
positado na tliesourria geral, achou dito Bore recitado
pur una ftchaduraedous cadeados que fdram abertos
pilosSenhores presidente da cmara, secretario e fiscal
da trcgueiia de Santo-Antonio ; e procedendo, presentes
os mesmo., com a devida aliento, achou dentro do
rpfpriilo cofre dez lettras passadas cm data do primeiro
deniaio do presente anno, sacadas por o procurador
desea cmara, Antonio Joaquim de Mello Pacheco, e a-
critas por Joaquim Fernandet de Azevedo, e indo.sada.
por Claudio Dubeux, daquaulia de duzentos e cinco
mil res cada una, pagaveis a tres, qualro, sete, de,
trezp, deta.ei., deanove, vinle c dou, vinte e cinco e
vinle e olio mezes ; urna dita da mesma data, sacada c
aceita peos mesmos, de sesenta c oito mil iresenlos c
tiinta res, pagavel a trinta c um inezes ; urna lellra a-
ceita em priin.ciro de outiibro por Joo Hilario de Barros,
indossada porJoao Moreira Marques, de tres con tos ere
lentos triiei e eres mil.sciscenlos e sessenta e oito ris
p^Kavel em 15 do presente mez c auno ; una dita acei-
ta por Joai|iiim Jos Ferreira da Rucha, indossada por
?s Lopes llosa, de (rima e se(e mil e quinhentos ris
pv;ivi I em primeiro de agosto de 1848.
A commissao, que lambem fol encarregada de exa-
minar ns cunta, clarenla e despea, declarou no seu
parecer a respeito, que deviam haj'cr no cofre dez let-
tras do arrematante da praca deSanlo-Aiilonio, Joa-
quim Fernande. de Azevedo, na importancia de um
cont noveceneo. viiiCc e cinco mil selccenos c cinco-
enea e nieu reis. o que deprehendeii das informaces
dadas pela coneadoria ; mas, achando-se no cofre oilie
lettras, impoream ellas em dous coneos. cento e deroieo
mil ni -naos c erlnla ris, das quaes dnas se acham
vencidas, nina cm ultimo de julho, e oulra em fin de
3K"sto ultimo : a vencida em julho esta levada a rccei-
ta (Ip cuntas que a coinmlssan examinou.
ce Ella tela de observar cmara qtie.eendo .ido leva-
dos a receita luicnlos e cinco mil ris, importancia do
valor da leltra vencida em ultimo de julho, que houve
"tofaritdade do aceitanee, que a pagou sem Ihe ser
aprespiitada, e falta do procurador que a devia exigir
paiao.purpccblinenlo, pois que desU forma estar a
cmara oais orientada dos rrcebmentos; levando inais
;i *ua conulderacio, que, havendo ouiras letlras no cofre
vencidas, pque devem-sc suppor nao recebidas, e una
de nao pon,,, valor, como seja a de Jc-ao Helarlo de Har-
ros.de3:333/668, peidem ellas a obrigncao dos garanles,
Pudendo dcsta forma screm as rendas muiucipaes pre
judicadas. F.ls o que a commissao Informan esta cama-
r*> que deliberara como fdr de jusei;a.
Paco da cmara, 19 de selembru de 1848. Oauci-
"" Agotiinho de Barroi. Franriico Mamfdedt Almeida. <
Desp.uharam-se as pelices de Aneonio Pereia do
Monte, Francisco de Paula Guedes, Ignez Mara da tor.-
ceicpo, elevantou-scasesso. Ku, Joo Joti Ytrteira de
guiar, secretario a subscrevi. Reg Albnqutrque pr-
ndeme. llarrot. A. de cirro. Aquino. lamede.
Dr. flerg da Fnniera. Barata.
l'ARF.CKKS A Qt'B SR RIPBRR A ACTA SCPKA.
O procurador da cmara pede que e lhe mande
abonar as tlespesas que fe,desde julho de 1842 ale de-
zeiubro de 1847, com um solicitador que eeve para fa-
fr esse ofliclo em causa, da camaia, vencendo 200/OUO
res cada anuo, c bem assim as que fez com um agente
pira cubranca.pelu mesuio lempo eIgual honorario, al-
legando que as diversa, oceupaces e obrigaedes Inhe-
renie ao logar de procurador, depois que pela clr-
'''"iiiaiifias lem accrcscido, nio lhe foi posivel disnen-
r oemprego dessas pessoas. A cominissao, allenden-
do que o peticionario devia desde o principio, levar i
OaideracS .:.. ..miara coda, a c!rcuiis(ancia que oc-
corriam, para esla deliberar e resolver como fos.e con-
veniente; e que o arllgo 75 da lei do 1." de outubro de
1828 inhibe ao procurador fazer despera que nao seja
autorisada por postura ou deliberacao da cmara, e
C"n8equenteinete nao podia elle porconta da cmara
pagar ae.se soficleador c ao agente, visto que nao ha
posiura, nem deliberacao da cmara e que hoje, depois
de n.io haver em nenhuina das sucesslvas leis de orca-
mentns compueado-sc essa despeta, nao pode a cmara
admeei-la, viseo como nao pode despender mais do que
consignaran! essas leis de orcamenlos, cneende que nao
pode ser deferida essa pretencao do procurador.
Casa da cmara municipal em II de selembro de
1848. Franciieo Uamede de Almeida. .
* O procurador da cmara pede que lhe seja levada
em con(a aquaneiade 1:289*675 ris que em 1845 pagou
aoaferidor pelo (rabalho deaferir, na couformidade do
novo regulamen(o de 12 demarco de 1844. allegando
que eseava eseabelecldo pela cmara o pagainciKn de 15
por cento do producto das fcrlcQe*, e que, sendo nesse_
anno posta em adminislracao por mandado da cmara,
a afericao foi sAb a mesma paga; e que, depois de feieo
o erabalhodebaixo dessa condieo, a cmara deeermi-
nou ouera colisa, e que, replicando enlao o aferidor so-
bre essa deciso", aec hoje nao houvc soliifSo sobre a
cI ni--1 i" e elle pagou os 15 por cento. Em 1845 houve
com effeite parecer mandando smenee pagar ao aferi-
dor como graeilicacao a quanlia de 600/1100 ris, c ha-
vendo elle replicado concra essa deciso, nao houve aec
o prseme resulucn. A commissao emende que, esean-
doaneerormeiUeestabelecido o pagamento de 15 por
cerjeo, mandando a cmara proceder ao erabalho da afe-
ricao sem alteracao dessa eslabelecida porcentagem,
c|iiein pr.'ston sen iialiallio sb essa condlcSo adquiri
um dirritoque delberai;So posterior nao pode minifi-
car; eque O pagamento deve e.tar cm proporcao dos
lucros produiidos pelo erabalho, econsequeneeuienee
o augmenlo do producto da afericao nao he rasao para
se diminuir a paga do trabalho, antes para conserva-la,
sendo um estimulo para que o operario seja prompto c
fiel em negocio poslo em adminislracao, de que reuiia
visvel proveito s rendas municipacs, e que nao pode
prejudicar o parecer da commissao de polica, dado em
1845, visto como ha sobre elle replica, ficou a qurseao
pendeiiie. tolhendo assim a parte, caso lhe nao fOsse a
decisSo favoravcl, de usar do recurso competente. A
ustira pede que as convences se observen! taesquaes
seftzeram; c por isso a commissao emende que deve
ser abonado esse pagamento feieo pelo procurador ao
aferidor, por ser elle feieo em consequeocia da delibera-
cao da cmara que mandn prem adiiiliiist>ayao a afe-
ricao sem alteracao da porcentagem eslabelecida, visto
esse proceder du procurador nao discrepar da disposi -
ciio do arligo/5 da lci do 1 de outubro de 1828, que
perinilte ao procurador fazer despeza aueorisada por
posiura, ou deliberacao da amara.
Casa da cmara municipal, 11 de selembro de 1848.
Fraaciiro Mamrdc de Almeida.
______ .i_.. I
pupillo ; ha eido eempo de considerar creos neg-1 mportanee. com a merecida calma avaliem-na cui-
dos mpori.ir.ic3 que. psra assim dier, fram reobds|dadosa e reflectidameiito, e .ligm-nos se nin esta
inedeac de alguns dosseus aneecessores.eao bem in-l acjma ue i0j0 o elogio. Rila previne, uma lima,
lenconados como elle; e, pois, nao podia delxar de va-1 jifrjciJajeg con, quP porventura lenlia do hitar o
ler-se dos meios ao seu alcance, para arrancara cnmar_ empregado a que he encamiuhada ;proscreve-llie
ca de Pajah.i do esiado excepcional em que se conserva- ^^ de conducta, que, a ser religiosamente
va eque por veies se nos figurou como o percursor do
aniqilamenlo.
Foi visea de documeneos olliciaes que o Exm. Sr.
Cosa'Pinto comecou a reconhecer a necessidade de es-
tender mao proeecera aos habladores pacficos dessa
paragem, que, victimas da prepotencia, de quando em
quando sollavam gemidos fracos, e que, para logo aba-
fados, nao cchoavain nos enrajocs daquelles que os de-
viam de acolher. Nmamenle perspicaz e prudente, S.
F.xc. coinpulsou esses dcumcntos umap outro, com-
binou-os cuidadosamente ; e, logo que chegou acon-
vencer-sc de que esses lugares longinquos c remotos
reclamavam, com preferencia a outros quaesquer, a
inais seria atlcncao de sua parte, resolveu de voar cm
socerro dclles ; nao pessoalmente, pois que para isso
fra de miseer abandonar a sede da presidencia onde a
sua presenca he reclamada a cada passo pelas conve-
niencias do publico servco ; mas sim por ineo daquelle
deseus agenles, cujo cargo mals o habililassc a desem-
peuliara espinhosa missao que tnha em mente. Seme-
Ihante agente era, por sem dtivida, o Sr. chefe de poli-
ca, efol a elle que S. Ex. se dirigi, expcdindo-lhe o
oflicio que ora vamos eranscrever :
Da correspondencia otTicial de 'versas aulori-
dades da comarca de Pajahti-de-Flores, que tem che-
gado directamente ao meu conheciment, de olTi-
cins que Vmc. me ha dirigido, e finalmente de um
nflicioque receb do Rxm. presidente da Paraliiha,
companliado de oulros de autoridades d'aquclla
.-------1._ -.. ..- i., i... iii.* 11 i nt ii\ i i! i\ une ni*
urna linha de conducta, que, a ser religiosamente
observada, deve de cobr-lo de gloria ;revela, em-
fim, de modo inconcusso e irrefragavel, quanto he
prescrutadoi o espirito do distinelo o rcspeitavel
funecionario que a firmou.
Sim, nada escapou ahi a S. Excft elle prev ere-
meda ludo, sem esquecer mesmo a proximdado das
elecoes do vereadores e juizeade paz, a respeito das
quaes lecommenda ao Sr. chefe do polica a fiel exe-
eucto da circula.' de 2H de selembro ulliroo, isto eie,
daquella que providencia para que a. liberdade de
voto seja manlida em toda a sua plenitilde.
UROS continu a llumininar o pcnsamenle deS.
Exc, afim que, procedendo sempre por este tepr,
no s consolide as sympathiasque j tcm conquis-
tado na maoria da populaeSo degta bella provincia,
senlo lamhem adquira novos ttulos ao reconhec-
mento, amizade e dedicaqRo dos bons Pcrnambu-
canos, daquelles que nio sabem prestar apoio senilo
a administradores tSo justos, imparciaes conspi-
cuos quanto S. Exc. tem sido at hoje.
Correspondencia.
imii'"
i u
IIK
r h i* IIIIHIM'-
BEOIFE, 10 DX OUTUBRO E 1848.
A PRESIDENCIA NAO CONDESCENDE COM O CRIME.
Ha lempos, a comarca de Flores como que nao he se-
uao o thealro de crimes horrivels. Bem presente deve
de e.lar anda memoria dos lelores essa scena de
sangue, que terminou pelo assassiqaeo do juiz munici-
pal Jlo Pereira dos San(os Casero, e que, mo grado o
cuidado com que se procurou occuKar, foi emfini an-
nunciada offlclalineule, cm-que, todava, tenba sido at
hoje punido o malvado que, frenee de um bando de
sicarios deseeniidos, e depois de haver derramado o sus-
eo e oeerror poreocla a villa, ceifoii, em pleno da, vi-
da daquelle magistrado novel, sem que lhe pesasse na
depravada conscienca a consideracao de que ia redu-
zir misera condifo de viuva quasi desamparada uma
idolatrada esposa, e arrastrar para a elasse de orphaos
desvalidos a dous innocentinhos que apenas comecavam
a balbuclar o nome do carinhoso pai!.....De enlao para
c, dclictosmas ou menos graves, mais ou menos hor-
rorosos, se lecm all perpeerado ; e enereeaneo ho lica-
do impunes, porque o maldilo rsprilo de partido, des-
figurava e apadiinhava ludo ; porque, com'a inten-
cao de ntervIr as eleicoes, a aueoridade publica fecha-
va os ollios aos aceos dos poeeneados que se acbavam
em circumseanclas de dispr de alguns sulTragios a fa-
vor daquelles que se denominavam scus afiljiados.eque,
d' anee mao, lhe hypotecavam o voto.
Eslaieuacao, eo Immoral quanlo afllictiva e cum-
pungeute, devra de eocar a seu eermo, desde que po-
desse screeneeada por um presdeme consciencloso;
por um presdeme nada disposeo a servir de manivela
a faeces, a presear-se a manejos eleieoraes; por um
presidente que, digno delegado do governo imperial,
smenee traeasse de disiribuir juseea, e de fazer respei-
tar a lei, sem altenc'iio a lnieres.es mesquiabo. e prs.
soacs.
O Exm. Sr. Antonio da Cosa Pinto acha-se, fflizmen-
te neslas circumseanclas. Como administrador de pro-
vincia nao v nos Perna mbucanos lodos senao umpovo
que omoartl.ab.asilciro,confiou a eus cuidado., e
cuja felicdade Um de promover a lodo o trance, como
| afn com que um tutor desvelado prepara o porvlr do
Sr*. Redactores -Com magoa soube que na Vos do
finen'! n- 6o havia sido atrozmente calumniado o
meu compadre e bemfeitor, Sr. Antonio Rotelho Pn-
acnmpanliado de oulros de atuornianes u aquella tn de Mosquita, relativo uma qtiestuo que na fabri-
provincin, os quaes todos lhe transmiti, uns por ca deste Sr. houve entre meu filho menor, que all
copia o outros em original, se deduz que a seguran- estava aprendendo o officio do latoeiro, e um olncial
<;a e Iranquillidade publica so acham gravemente a qtiem elle estava entregue para o ensinar; e na
comprometilas na sobrdela comarca, nao sopor verdade como no devoria ficar magoada, vendo que
se terem all commetlido recentemente, e de lempos por cousa que me partencia se injuria va calumniosa-
aesla parte, mu i tos crimes, senlo tambem porque mente uma pespoa a quem, na pubra veuvez am que
se teem involvido nesses desgracados aconlecimen- fique!, son devedora dos mais altse assignalados
tos pessoas prepotentese poderosas do lugar, ou in- favores; que me ha constantemente soccorrido een
divtiuos que ellas protegen!, de sorte que he quasi minhas mais urgentes circumstancias, e, que pelo
nenhuma aacQfluda justien para fazer punir tantos sen bondoso coraco, bastante j lia va solrndo as
atlentailns. e, o que he pcior, nilo parece provavel rapaziadas deste pequeo ?
que a polica pnssa prevenir oulros queasituaco N3o foi despedido meu nlho da fabrica do Sr. Mes-
ameacf, por estarn todos os cargos, do que ca q::ls por cirrumsiancia mais que sds ter Jado um
,li..An A.n ..r..l.\- .1 l.i.nu.li.' i \ I 1 III 1 II II 1 I II S llO l1 < II I t I I I I
.: :' ''..- pul i -ni i <.. muuj ->- ...(,.., .^_^_~
dlspOe, em poder do homons dominados do espirito
de vingancas e nimiamento facis, pela desmorah-
saQilo que ludo ha invadido, em perpetrar, ou ao
menos em tolerar que perpetrom os mais horrorosos
delictos, e, o que anda lio mais revoleante, com o
pretexto de defesa de principios polticos, com os
quaes pretenden! acobertar seus odios e rancoro-
sas inimizades. Sendo, pois, estes os casos em que se
deve de tomar providencias inais enrgicas o efica-
zes. e que foram ltteralmente previstos pelo art. 60
do regulametito do 31 de Janeiro de 18*2, ordeno a
Vmc, que, sem perda de lempo, se passe para a
comarca de Pajahu-de-Flores, sendo os (ns da dili-
gencia do que ocncarrego, os seguinles : l., for-
mar culpa a todos os criminosos de delictos mais
graves de que se no lenh tomado conhccimenlo
pelos molivos cima declarados; 2.", passar-se.se
julgar necessario, e a bem do completar-se a dili-
gencia, para qualqucr das comarcas vizinhas, onde
coslumam asvlar-se alguns dos ditos criminosos;
3.0, informar-so escrupulosamente acerca de pessoas
que devam de ser nomeadas para os empregos de po-
lica, evitando com todo o cuidado propor para esses
cargos fsegundo a doutrina mentode 22defevereiro de 18i2)homens prepotentes,
involvidosem malquerencase dominados por odios;
4 o, indicar os lugares em que, como um dos meios
de consegnir-se a seguranca e tranquillidade publica
dessas comarcas, convem que sejam col locados os
destacamentos do corpo de polica eos de 1.' linha;
.o, observar e fazer observar, alienta n proxiinida-
dedii poca das eleicfles de vereadores ejuizes de
paz, a circular do 23 de selembro prximo passado ;
6.", em sumina, conduzir-se, no desempenho da di-
ligencia, de urna iiianeru tilo satisfactoria, como ho
de esperar de um magistrado intclligente, probo, im-
parcial e provecto, o que vai incumbido de uma ma-
selo nicamente protectora e do nenhiima V^ **;
xatoria aos povos
achar-se.
passo tal como o de quoixar-se criminalmente con-
tra o seu meslrc sem ter dado parle du cousa alguma,
nem ao chefe da casa, nem a mim sua mili, e logo
que soubo de tal procedimenlo de meu filho o dosap-
provei altamente; porque, Srs. Redactores, como
aprender-se qualquer ofilcio se o mestre nflo tiver a
faculdade de reprehender o castigar o discpulo quan-
do o merecer? E quando este indcil sequizer levan-
tar com o mestre 1
Nilo he dcsta maneira, Srs. Redactores, que a fot
do flrotil far servigos a esla Ierra, pregando a insu-
bordinacSo (de cujo resultado j talvez meu filho se-
ja victima, o coliibindo dest'arto que pessoa alguma
quera lomar conta de menores brasileiros para os
ensinar e educar, pois temerflo de os ter em sua casa,
porque terio de Ihes aturar toda o pualquer rebel-
da, sem poder castigar ou despedir porque a senho-
ra ros do llraiil envenenar as tencOes, mais puras,
o desfigurara as cousas mais obvias, torcendo-as
para o lado odioso. Se a Fot do llrasil diz que gran-
des dilliciildailes cnconlram os (Ihos d'aqui em se
arrumarem, &c., como Ihes quercrescer essas diffl-
culdades ? Porque o fado de que trata nao ter ou-
iras consequencias. Srs Redactores, fique viuva,
pobre, carregada de filhos menores, o Sr. Mesquita
me ha constantemente soccorrido; sendo padrinho
deste pequeo, tomou conta delle na idade de 8 an-
uos mandou-o educar, a lr, eacrevere contar, ves-
to-o sempre, e ltimamente mandou-lho ensinar o
olucio em sua fabrica. A Pos do Brruil ou seus col-
aboradores fariam isto ?
As consequeheias desle peridico, Srs. Redacto-
res, silo terriveispara a mocdado brasileira ; pode
ser que, comomtilher, nilo seiba pensar, mascrcio
que, neslo caso, bastante gente me acompanha no
mesmo modo de encarar as doulrinas que all san
diariamente propaladas : a mocidade as bebe, a in-
subordinat;lo se planta, e quem quercra sujeiblar-se
Vor entre os quaes tiver de ao que acontece a este meu bom compadre ?
v H X Voz do Braiil tero porventura mais direito a
'"'porque existe na comarca de Pajahu-dc-Flore. um qll0ixar.sedo que ati que sou sua mSi T Ou querera
deseacameneo de polica, forle de 48 praas, commanda- ,mbom plantar a tnsubordnacao entre os hlhos e
do Por um olficial de confianca, e na de Bonilo ouero de seus pais i Vm discpulo ho castigado pelo mestre
linha, coma frca de 87 praca., igualmente bem com- |)em devj jmenle; mas como O mestre era Portu-
mandado, do quaes Vine, poder dispr para tazer res- ^ p fl ,|8Cjpu|0 Brasileiro, OOvenene-se tUdO,
peit.rsuaautoridade, e conseguir os fins deque he ni- ji(la_se ag pess0as bemfazejas ; e com
venlTdeque'cumpredeixar orden, a. secrceara da desguato de ver que algum meu palrtcio o injuria na
nollcia para me sercm apreseneados os offlcios que ah y0t do ttraiil por Causa deSSOS beneficios: isto me
r.ein recebidos em sua ausencia, afim de seren aber- l(j|n asgaz co|llrjgtad0. Nao devo omittir que O mes-
tos, pas Isso pdeinteressar ao servifo publico ; Dein m como Importa que me couiinunique, em loUas as occa- foj majg um (yor 4eyo g sua bondade.
.lea que ,e lhe ottVrccere..oque "'g^f^.S,. Para 'conhecimento da verdade, recoiihecimanto de
a3",'..; fKHa^^
LikJin da Coila Pinto. -Sr. Dr. iuit de direlio che- do Urattl, queiram, Srs. Redactores, inaei.r js Ii-
fe de polica, Antonio Hentiques de Miranda. |,as. sou de Vmcs. altenU veneradora e criada
Lean, os homens sisudos e imparciaes essa peca Anna Ha%Ha tf* Santos tonte.
ILADO


..
SB
<'0*i?1EHC.O.
ALFANDEGA.
KKNDIMKVTODO UlA 10..........12:636/713
Ofiearrcgnm hoje, II de OMtuiro.
Mate Eralac&o charutos.
Higue uilktrm lanuda de trigo e farelo.
Escuna Harria bacalho.
Barca t'raor dem.
Brigue Challtirg incrcadoriai.
Patacholiveira idero.
firigue -Paulina dem.
Hriguc Immanutl lahoado e alcatrao.
CONSULADO GEKAI.
RENDIMEiVTO DO DA 10.
Diversas provincias............ . 93/180
1:296/903

Dito n. ii, dii t A de novembro de 1846, Arago, bri-
gue l'i me-/, a L. Rruguiro, I.. B., cinco caixas com
vinho eagoardcnte.
Dilon. 9, da 30 dedezembro de 18(6, Columbus,
Imrca ingleza, a Pontea F., n. i, urna barrica con-
servas.
Dito n. 9, da 29 dejunho de 18V7, Doui-lrmos,
brigue sardo, Achraon & Sobeller, J I'., ns. 1 a 16,
16 fardos altea.
Dito n, 9, da 29 de jimlio de 1847, ConcmcSode Ma-
ra, brigue porluguez, a S. de A. Fouseca, B, ns. 2 e
5, duas barricas com dito.
Deca raides
CONSULADO PROVINCIA L.
RKVIUMKNTO no
DA 10..........952/126
mmmm

0 arsenal de guerra compra brim liso, spidos
de sola o vira panno preto hollanda de forro es-
leirs de palha de carnauba quem ditos gneros
quizer fornecer, comparecer na sala da directora
do mesmo arsenal, com sua proposta e amostras ,
no|dia II docorrente mez.
Arsenal de guerra 7 de outubro de 1848.
O escripturario,
Francisco Serfico di Assis Carvalho.
Yrnde-ie o hiato portuguez Especulador, do lo-
te de seis a 7,000 arrobas, de muilo boa construcgflo
o novo : os pretendemos p.icm v-lo c examina lo
no ncoradouro, defronte do trapiche do Angelo, e
pra o ajuste, na ra do Trapiche, n 44, com Fjrmi-
i.o Jos Flix da llosa.
Le loes.
Vovmento do Porto.
.Vilrmis sahitlos un iia 10.
Liverpool ; galera* ingiera Columbui, 'capito Daniel
Creen, carga ataucar ealgodo. Passageiro, De Gous-
seneourt, Francet.
Hio-Cirande-do-Sul ; brigue brasileiro Jpiter, capito
Antonio Jos doa Res, carga tal e mais genos. Passa-
geiros, 2escravos a entregar.
~ O arsenal do guerra compra carvflo vegetal
quem o mesmo genero quizer fornecer comparece-
r na sala da directora do mesmo arsenal, com sua
proposta no da 13 do corrente mez.
Arsenal do guerru, 10 de outubro de 1848.
0 escripturario,
Francisco Serfico de Assii Carvalho,
ISOITAKS.
Continuacdo don devednres da decima dot predios urba-
no, que leem de $er ex'cutadot, se rio i omparecerem
al o dia 15 do corrente met a saldar seus dbitos.
A saber :
Francisco Xavier das Chagas. 157,738
.Mmica Concalves Rodrigues Franca 84.-264
Antonia Mari da l'enlia 84,264
Vicente Thoinaz dos Santos 3,717
Hermenegildo Jos de Alcntara 108,495
llerdeiros de Francisco Gongalves Rodrigues 159,073
Fox Itrotbcrs farflo leilflo, por intervengan do
corretor iiveira, de variado surtimento de fazendas
inglezas as mais proprias do mercado, e algumas
para fechar cuitas : qurln-feira, 11 do corrente ,
as 10 horas da manhfla, no seti armazem, ra da Ca-
deia do Recife.
- Kalkmann 4 Resenmund farflo leilflo, por inter-
vengflodo correlorOliveira de grande sortimento
de fazendas de seda, lila e de algodflo as mus pro-
prias do mercado: sexta-feira, 13 do corrente as
10 horas da maullan un sen armaren! ra da Cruz.
Avisos diversos.
O IIIrn. Sr inspector da thnsouraria da fazenda
provincial, em virtude do resolugflo do tribunal ad-
ministrativo, manda a/e: publico quu, em cumpri-
monto da lei, peranlo o mesmo tribunal, se ha de
arrematar em hasta publica, a quem mais der, nos
das 24, 25 e 26 docorrente, o imposto de'umpor
cento do producto de cada leilflo que nflo fr feito
por ni dem judicial. A arremalagflo ser por lempo
de dous anuos e oito mezes, a contar do primeiro de
novembro do corrente auno al 30 dejuiihu de 1851,
sob as mesmas condiges da anterior.
As pessos que se propozerom a oslas arrema-
ta cOes comparegam na sala das sessdes do sobre-
diio tribunal, nos das cima indcalos, pelas 10 ho-
ras da ma-itifla, competentemente habilitadas. lia-
ra constar se mandou allixar o prsenle e publicar
pelos Diarios.
Secretaria da Ihesouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 9 de oulubro de 1848.
segundo escripturario,
Antonio Ferreira d'Annunciaco.
Miguel Archanjo lUonteiro de Anirade oficial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleirq da de Christo e ins-
pector da alfandega de Pernambuco, por S. M. o
imperador, que eo guarde, etc.
Faz saber que, nos armazens da mesiua, se acham,
- ali'in do lempo marcado pelo artigo 272 do regula-
inento, os voluines abaixo descriplos, os quaes de-
vem os seus donus fazer despachar dentfo de 30 dias
contados de hoje, lindos os quaes so proceder sua
venda em basta publica, por conta e cusa dos
mesmos donos, seili quo llies fique direito algum a
allegar contra o effeito desta venda, como he expres-
so no artigo 274 do refei ido regulamento. E para
que chegue a noticia aos interessados, manda allixar
o presente edilal na porta da alfandega, c publicar
.'la imprema.
Aliandega, 9 de outubro do 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Armazem n. 5., dia 20 de malo de 1846,FmM, bri-
gue inglez, a F. Domoiit, sem marca c sem numero,
um eiiibrulho livros.
Dito n. 5, dia 1* do agosto,do 1846, Cesar, brigue
francez, a ordem, E B., n. 12, urna caixinha roupa.
Dito n. 5, dia 23 defevereiro de 1848, Laura, bri-
gue brasileiro, a ordem, S C., n. 8, una caixa com
rap.
Hito n. 6, dia 9 de Janeiro de 1847, Columbas, barca
ingleza, F., urna barrica com conservas.
Dilo n. 6, dia 14 de Janeiro de 1847, Bella Pernam-
butuna, barca porlogucza, a Jos Pedro C. Cuima-
rfles, I.P. C. C, 10 canaslrascom louro..
Dito n. 6, dia 26 de marco de 1847, Velut, brigue
brasileiro, C F, a Silva & Grillo, urna caixa com
rap
Dilo n 6, dia 26 de marco de 1847, Veloz, brigue
brasileiro, P., a Silva & Grillo, nina caixa com rap.
Dilo n. 6, da 13 do abril de 1847, Ksther-Anne, bar-
ca ingleza, II., a J. Caro 11, un barril cun touciuho.
Dilo n. 6, dia 31 de dzembro de 1847, Bella l'er-
numbucana, burea portugueza, letreiro Fortunato,
urna canastra com macees.
Dilo n.4f dia 31 de dezembro de 1847, Bella-Per-
nambucana, barca portugueza, letreiro Jos da Silva
Campos, urna dita dita".
Dilo ii. 6, dia 8 do Janeiro de 1848, Bella-l'ernam-
bucana, barca portugueza, a Manuel Martius Ferrei-
ra da Silva, duasciinastrascastaiihas
Dilo ii 4, dia 4 de abril de 1848, Te/o, barca por-
tugueza, a A. I. da S. liibeiro, A I, S II, uina barril
cames ensaccadas
Dito n. 6, dia 30 de marco de 1848, Midas, brigue
inglez, sobresalenles, sem marca, sele barricas com
bolachas.
Dilo n. 9, dia 27 de junho de 1845, Felice, barca
sarda, Denh I)., um embrulho amostra de papel.
Dito n. 9, dia 2 de margo de 1846, Amelia, brigue
portuguez, a Manoel Jos du bastos, duus eiubrulhos
obras de hllb'i.
luto u 9, dia 2 de margo de 1846, Amelia, brigue
porluguez, a ordem, um dito dilo.
Dito o. 9, dia 10 de abril de 1846, Tarujo, brigue
porluguez, a Jos J. Das dos l'razeres, uina btela
(ignort-M.)'
Diio ii. 9, dia 12 de malo de 1846, Ernestina, pola-
ca sarda, ao capitflo, unvpedago do pao campeche.
Ditos de Joflo Manoel Pereira de Abren
Manuel Gongalves Servina
Herdeirosde Jos Slverio
Da irinandadc de San-Domingos da igreja
do Rosario.
Dita do SS. Sacramento de Jaboatflo.
Dita de San-Jos de Riba-Mar.
Dita do Sr. dos Martyrios da igreja dos
crioulos
Dita do mesmo Sr. da igreja do Rosario.
Dita de Santa Eugenia da mesma igreja
Dita de San-Thiago da igreja do Pilar.
Irmandalede .N. Sra do Rosario da Roa-
Vista
Lourengo Jos das Neves, como tcstamen-
leiro do padre Francisco Dias de Oli-
ve ira.-
89,548
274,742
66,420
116.868
119.814
265,407
83.014
92.617
85,991
110,786
113,877
213,395
2:290,030
(Contmuar-se-ha.)
PUBLICAgAO' AGRCOLA.
Manual pratico do fabricante do assucar, por
Agoslinho Sommier. Esta obra ensina praticamente
o modo de fabricar o assucar, demonstrando os in-
convenientes da antiga pratica os meios de as re-
mover e finalmente ludo quanto se precisa paia ti-
rar maior emelhor resultado de sua factura e esta
escripia em uina ingoagcui que qualquer pessna
5 rcebe podendo-se mesmo dizer que os Srs. de
engenlios com ella so errarflo se quizerem: vnde-
se por 2,000 rs. na praga da Independencia livra-
ria ns. 6 e 8.
THEATKO NACIONAL
DA
RA DA PRA1 A.
Divertimento offerecido a todos os habitantes des-
ta cidade.
DOMINGO, 15 DE OUTUBRO.
A beneficio" do dous particulares, representar-se-
lia a linda comedia
O RETRACTO DE MUITAS FAMILIAS.
l'ersonugem prinvipaes das ditas commedia$, e os a-
mes dos (clores que a repretentam.
0 cavalheiro. Cunha.
0 morgado. Cabial.
Menrique. Jos Alves.
Leonor. I) Joseplia.
A baroneza.' D. Vicencia.
Jorge, criado gracioso. Santa Rosa.
Andi. -- Fiel.
Rosa criada. D. Jesuina.
Os iiitervallos do drama serlo preenchidos com
liellissiliiassyiiiplionias; no fin da pega o autor San-
ta Rosa cantara a mui applaudida ana quo lem por
lilulo '
O MSICO CHARLATA'O.
Pora fim a todo o divertimento a jocosa far^a
OS D L'S,
na qual Santa Rosa esforcar-sc-ha por bem desem-
penhara parte do Inglez. O beneficiado avisa ao pu-
blico quo nflo be preciso lovar cadoiras para os ca-
marotes, pois haver assouloem todos.
Pmcipiar o divertimento soilo e meia horas
com a chegada das autoridades.
ii i<^i^mnmtimwmtitittamaMjmm
.ivisos iiiariliiiios.
-- Para o Assu segu, impreterivelmente al 15 do
correle,o brigue brasileiro Sagitario: para carga ou
passugoiros, trata-se no armazem da ra da Cadeia
do Santo-Antonio, n. 23.
Para o porto da l'igueira, Lisboa ou cidade do
Porto partir al o fim do crtente mez o pata-
cho porluguez Marta & Joaquina : teni a maior par-
te do seu carregamenio : para o resta ule e pas-
sageiros trala-se Cun o consignatario na ra do Tra-
piche, n. 44, Firinino J. F. da llosa. -
Para o Aracali pretende sabir at 20 do presen-
te o hiale Voeo Olinda, mestre Antonio Jos Vianna :
os prelendenics a carregar, so entender) com o
mesmo mestre no trapiche Novo, ou na ra da Ca-
deia do Recife, n. 17, segundo andar.
-- Em resposla ao annuncio deste Diario de 6 do
corrente, feito pelo ex-capitflo do quarto batalhflo
de guarda nacional, replica-se-lhe: que S. me pa-
rece querer a presentar nicamente as provas que
Ibe assisteui, ocultando maliciosamente aquellas que
odesmantiriam.porquesabequeessacommissflo.que
diz fra nomeada no lempo do chefo antecessor do
actual,nflo leve effeito.por terem sido reformado dous
membrosdella, o major eum capitflo; e nisto inos-
Ira a m f do seu annuncio que lingo ignorar islo
TRo inconsequente.iiue nflo Ihe veio a ideia quesuas
caliininias iiiin ferir,nemsaqiielles com que porsuas
intrigas se indispuz, como aos que por nimiamente
indulgentes conservavam relaqOes de amisade ; o
note-so qjie u maior parte desles acham-se forado
corpo, o mais quinliSo acarretavam do suas inju-
riosas acusagOes. Mostra-se sua merc (pelo pala-
vriado) rtesejOSO de querer-so emboicjir e que se Ihe
toiiiem coiitns: se tal assim be, porque nflo so dirige
'como mais interessado) ao tul chefo do batalhflo,
para este marcardia e hora.alim de se tomarem con-
las, e depois de legalisalas o que so adiar a sua fa-
vor, exigir ? E se S. me. a i ma nflo sabe se be cre-
dor ou devedor do batalhflo, como dizque os olli-
ciaessflo ilevedores de 300,000 rs. com o empenho
dos njtrumeiilos? Aprsente o documento assigna-
do pela maioria dos mesmos olllciaes, em que o au-
lorisaram para despender 300,000 rs. para empenho
dos instrumentos. S. me. bem sabe que semelhan-
tc acto devia ser deliberado em retiido dos olliciaes.
A conlribuigilo do oficial para a msica, lie um ac-
to voluntario na guarda nacional e primeira linta ;
e por isso elle pode dar e deixar de dar l"das as ve-
zes que quizer, e como S m'c. chama ser devedor ao
batalhflo aquelle quicial que porventura deixou de
ontiibuir para a msica por qualquer circunstan-
cia He na realidade muita falla de senso de S. me!
Menhum uflicial se.ohrignu porescripto, nem termo
a contribuir durante a existencia da msica, c des-
alia-se que aprsente o documento com as assigna-
luras dos olliciaes, do contrario passar por vil ca-
lumniador, qunndo dizque os ofliciaos que deixa-
lam do concorrer para a msica do batalhflo, silo
devedores. Conclue-se perguntando a S. me, se nflo
queraos instrumentos espalhados, sendo em mflo
dos msicos do balalliflo, obligados por files Em-
ilio deixo de mais responder ao seu aranzel de asnei-
i'as, s sim advd'to-lho que tome cuidado com a
ni i ii 11 a farda, visto que nada devo.
Um guarda naeional.
-- Do-se 4:000/000 rs. a premio com boas firmas,
penlioiesou hypothecas, em bensdo raiz: quem qui-
zer dirija-sea ra do Rosario estrella, n. 43, segun-
do andar que se dir quem d.
Furtaram, na noite do dia 6 para o dia 7, da
Camboa-do-Carino, casa n. 23, ag peqas seguintes:
un trancellim com urna vara e urna quarla de coui-
primonto, urna medalha com um diamante, dous
anueles, um eom a firma seguinto C M. A. F. -- e
oulroobra do Porto com una giisolta, dousanneis,
um de pedia e o outro de abraco, dous pares do brin-
cos, um de chapa, com qualro diamantes e outro la-
vrado, e mui leve por ser obra do imprensa, duas
voltas de collar com urna imagem da Conceiguo, e
oilo oitavas de retroz preto embrulhndo em um pa-
pel quo eslava com ludo isto. A vista disto roga-se
as pessoas a quem frem offerecidas as ditas pegas,
qiieasapprehenilam e levein-nas a mesma casa, do
que ser recompensada.
Precisa-sede dous Irabalhadores para sitio, por
mezes, edeum feilor: na ra do Rangel, n..8l.
Perdeu-se, na igreja do Rozario, um annelflo la-
vrado, com um filete liso no meio : quem o acliou,
querendo restituir dirija-se a ra do Rozario larga,
11. 39, piimeiro andar.
Precisa-se do urna ama forra, ou cscrava, para
oservico interno de umacasa de pouca familia : a
quem convier. dirija-so a ra larga do Rosario, pri-
meiro andar, n. 48. -
(Jueni iinnunciou, no Diario de hontoni, querer
permutar um niolcqiic por urna preta, dirija so a ra
das Larangeiras, sobrado 11. 15, defronte da refi-
nugflo.
~ Furlaram, na noite do dia 8 do corrente.pelas se-
to horas, do sitio em que mora Raymumlo de Arau-
jo Lima, no Arraial, um cavullo rugo rodado, com o
olbo direito vsado, bom cal regador : roga-se s au-
toridades policiaes, ou a quem liver noticia onde
exista o sobredilo cavallo.quc se dirija ao ;nesino si-
tio, ou no Recife, na ra do Crespo, 11. 4, loja da es-
quiua que voila para a>cadeia, que ser recompen-
sad). r
-- Jos Alvos da Costa sabe em poder de quem se
acba um escravo cnoulo, com idade de30annos,
pouco mais 011 menos, que diz, fui ou he escravo de
una sei.bora viuva, moradora na capital da provin
ca do Ceai, cujo escravo se chama Manoel Sangui-
O Sr. Joaquini Theodoro Airee quelra mm,|,r
pagar a quantia de 36,380 rs quo devo desde inta
bem como os Srs. Joflo de AllemSo Sianeira da (,'
mar, 19,000 rs. do 1813 ; Francisco Sua res da Sil
va morador no Cabo, 12,000 m., de 1813; J0n tiJ
mz da Silva, 22,920 rs., de 1843; Augusto Carlos
l-emos Pacheco, 46,340 rs. do 1843 ; Manuel j,
quim Ribeiro da Silva 38,250 rs., de 1845; H,"
noel Joaquim Antunes morador na Varzca 6 aa
rs., de 1843 : na ra Nova n. 18, loja do alfaiaie
Q aliaixo assignndo, ja desesperado com os seui
credores, por nflo poder endef sempre em dia, r>0.
culpa desles Srs eoutrosquo desta mesma frm
obram por isso he que langa mflo deste meio i^.
ra muitos desngradavel; porm as pessoas corj.
tas Ihe farflo justica a visls dos annos em que ei|i
no desembolcode niuitas quantias que tazem mi-
tos cornos de ris pelo que ir continuando.
M. A. C'ij.
Silva & Antunes remetlom para o Rio-Grande
do-Sul o escravo Sabino de. ijacSo Cabund, a en-
tregar n lie/erra & Marques.
lima pessa com pratica de escripia
cinmercial, e bonita leltra, propSe-se a
escrever as horas vagas, nos domingoi
e dias santos, comliinpeza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
Arrenda-se um sitio na Varzea
margemdorio Capibaribo com excedentes com-
modos para so passar a festa casa grande e mobi-
liada cochoira, estribara, baixa para capirn o mui-
tiis arvoresdo fructo : no fundo do sitio corre o Ca-
pibaribe : a trutar no paleo do Carino, n. 9, segun-
do andar.
Aluga-se o sobrado n. 72 da ra da Praia da.
Rangel, pioprio para homeui solteiro ou pequea
familia : a tratar na ra da Cadeia do Recife, n. 48
terceiro andar.
Furtaram, na tarde do dia 5 do corrente, de um
sitio em Agoa-Fria um cavado rugo-crdflo bas-
tante carnudo carrega e esquina ; teui ma Je bas-
ta na anca : quem delle der noticia dirija.-se ao si-
tio de Manoel l.uiz Gongalves que ser generosa-
mente gratificado. 1
Quoin precisar do um mogo do boa comhrt'Rr
para criado, dirija-se a ra dn Cadeia de S.-Antonio
n. 14, 011 annuncio por esta folha.
Para.as pessoas que tencio-
nam seguir vagem.
Na ra do Rangel n. 9 continuam-se a tirar pas-
saportes para dentro e fra do imperio despacham-
se escravos, o correm-se folfias, ludo com lirevidade
e prego muito o muito commodo, como se tem dado
exuberante prova no decurso de 8 anuos.
- Aluga-so uina casa terrea na ra da* Conceicilo
da Boa-Vista : a fallar na praga do mesmo bairro,
botica, n 6.
~ Joflo Gregorio dos Santos est titulado despa-
chante na mesa do consulado goral por terrse ha-
bilitado na conformidadedn regulamento la dita
repartieflo: por isso se offerece aos Srs. negocian-
tes que se quizerem ulilisar de seus servigos, o acta-
rfln sempre promptn na dita repartieflo todos os dias
litis.
Casa de ni >das francezas.
M. A. MILLOCHAU.'
Uerrocla-Ioa-Vi*ta n. I,
com a entrada pelooilo.
Pelo navio Nelie-Mathilde acaba-se de receber
un: lindo sortimento de chapeos da ultima moda,
para senbora com sejam : chapeos de palha liber-
ta milito ricos ; ditos de dina ; ditos lisos da Ita-
lia, 011 inglezes chapeos da palha aberla, para 1110-
cinhas ; um grande escolliimento de filas de selim e
seda tanto para toucas de meninas como para ves-
tidos e chapeos de senbora ; manteletes-palitos para
senbora moda nova o milit elegante ; bicos bran-
cos e pretos verdadeiros ; trangas de seda de todas
as cores para en fe i lar vestidos; ricos lencinhos do
garga ; caheges bordados ; plumas ricas; camisi-
nhns bordadas ; eufeites de cabega para saraos e
bailes; punhos bordados ; cepedas e ramos de flo-
res de laianjas para noivas ; um grande sortimen-
to de flores de tods as qualidades ; luvas para se-
nhora o meninas ; cambraia de li)ibo etc. As s*-
nhoras acharflo sempre um lindo soitimeuin de cl.af
pos de seda efaulesia de verdadeir moda de to-
das ase res o por prego muilo em conta : no Aler-
10-da-Roa-Vista, n. 1, por cima da loja fechada.
Os abaixo Resignados fazem publico que dissol-
veram amigiivelmeutc a suciedade que linliam em
o armazem de assucar na ra de Apollo debaixo
da firma deAlinoida & Fonseca fiCBuloa cargo do
socio Almeida todo o hcIivo o passivo havido em li-
me da sociedade : o para constar, se faz o prsen-
le. Recife, 6 He outubro de 1818. i's Antoni
llodrigues de Almeida. Antonio Augusto da Fon-
seca.
A pessoa, que por graga tirn 'um chapeo de
merino preto, do adro da alfandega queira man-
dar entregar no se dono no pateo do Carino, se-
gundo andar do sobrado n. 11 ; do contrario ver
o seu nonio por extenso ncsla folha pois ja se sabe
quem he oengragado.
~ O Sr. Manoel Ferreira Couto annuncie a sua
moradia por esta folha, 011 dirija-se 10 paleo da Ri-
beira de S.-Antonio, na loja do sobrado, n. 15, para
se resgalar uns peuho es queexislem em seu poder.
~ Aluga-se urna casa terrea grande com muitos
bons commodos com quintal murado e cacimba de
boa agoa sita na ra do Mondego n. 27 : tamben)
soalugan tros casas terreas ns. 25, 29e 31 silasna
ra Real, prxima ao Manguinho, as quaes teein
bstanles e bous commodos, quintaos murados 6
producgfl
a avisa aos sonbores que ainda nflo pagaram
dito consummo, veuhain faz-lo nos dias 10, II, 12,
13, 14 e 15 do corrento, na ra Direita,, 11 80, lindos
os quaes se proceder na forma da lei contra osquej
deixarem de pagar..
-Na ra do LivramenlO loja n. 11, preisa-se de
olliciaes de sapateiro que faganr calgado para sv-
nhora bem leilo a imitijgao de calgado franeez :
paga-se bem o seu trabadlo. Na mejilla Joja com-
Cincinato Mavignier, retratista, faz
constar aorespeitavel pzbiico quo rbebeu ltima-
mente da Franga um completo sorliinento delinis-
simas tintas para relraclos, ptimos martina, paacL,
do desenlio, etc., etc.: as pessoas quo e quizerem
relratar.uflos licarflo possuind un verdsdeiro ex-
emplarde sua physionomia.comotambcm apiecianlo
as bellaitintas. A grande concurrencia >ue o artista
- lem lid&7'pronielte cada vez no desenipenho dosui
libra P embrulbo.a 120 rs. ajprofissflo deixar sauiriaitmalrrin ntuu? retratados.
a uavessa do Carmo, n. 1, segundo andar.
MUTIL


'
F|r>')If vO l)B f-brbo.
v. r.hriea da Bowman & U.* Callum cuge-
', machinlas e MUom ferro, na ra
t Rrum. nn llecifo, continua htm um gran,!.. or-
'' iiVlo taix par engenhoi a moende de can-
'i. indos oa tamaitos o lo modolof os mais
"" Cs e appruvadu. Na rpeama fabrica cunti-
modero (, mslr(||r lle mcommeiida machinas de
"u rndas d'agoa, roda dentadaa todosasmis
VSsde machinismo.coma porreiefloja conhe-
l, or preco commodo.
i man & M. Callum desoja m chamar a atten-
i!, sra.proprietarios de ongenhos as machina
ffoor construida na sua fabnca visto serem el-
f.. de um modelo muito forte e seguro e todas as
peaVoerreiumente adaptadas urnas as oulras por
r! Lhiroo automtico, machinas de apla.nar
Trn oulroa apparelho* modernos: alm disto, as
M.'iiiamle sua eonstruccSo teem as vanUgens se-
"! i possuem urna cisterna de ferro, onde a ago.
5" tinada.para a caldeira se deposita por mcio de urna
biiniba movida pela ...achina, e onde se acha aquen-
udi i-olo vapor superfino ai es de ser por meio da
eiu.dahombadelainlrod.mda na Caldeira, al.,..
t uo esfr.ar a agua nclla existente, pola indroduc-
* i' a .a fria [como he de costume em machinas
inlerio.es ] e aim produzir grande economa de
Cl5m da"aupradiU economa de combustivel na
..oJucrilo de vapor, eslas machinas possuom urna
niodilicacilo nova tlaa" vlvulas por onde o vaporen-
tra c sal.e do cylindro, pela stala mesma quanti-
dade de vapor produz maior efl'oito do que as ma-
chinas de eonstruccSo anliga augmentando assim
de urna maneira, uno pequea, a economia do com
buslivel necessario para manter a machina em nio-
vin.enlo.
As .lilas machinas possuem tambem um appare-
Ihn peloqual a quantidadc d'agoa iiitro.luzi.la na
caldeira so acha regulada automticamente com a
maior certeza pela machina mesma evitando dea-
la maneira o grande perigo que existe as machi-
ns onde por causa da mcsquinha economia dos
faln i can tes o forneciinenlo d'agoa para a caldeira
lia .le sor resillado pur mao de negro.
KstcsesclaTecimcntosslo respoilosamente offere-
idosansSrs. propriotarios de engenhos, que anda
perseveran! em o molhodo frac, dispendioso o
msiilisfactorio do moer con. animaes, afim de sa-
tisfaze-los que, no en prego deslas machinas, nto
exisleo menor motivo para recejo nem de explo-
giio nem de qiiebra noni de demasiado consumo
co combustivel; e Bowman & M. Callum nilo
leem pequea satisfagan emassegurar-lhas que pe-
la pericia dos scus'administradorcse oiUciaes, pela
nerfcicSoduBaeua instrumentseapparelhos o pe-
la abundancia e boa qualidade das suas materias
primas, soaclian habilitados para constfuirem ma-
chinas do vapor de lodos os tamaitos e para lodos
os lins; assim como luda especie de niacliinlsino ,
com urna perfeigSo nSo inferior s obras das inelho-
ra/o6re meute imporladasdaquello paiz.
Precisa-se alugar tuna escrava que saiba hem
cozinliare fa/er lodo o mais servico de unta casa
ilo ponen familia : na ra do Queimado, n.. 4.
Precisa-se de um ca*ciro do 12 a 1* unios, das-
los chegados na pouco do Porlo : na ra ca Floren-
lioa, n. 30.
-Qiiem achou um relogio, saboneta de ouro,
(|iiorenilo restituir leve-o ao pateo do Carmo n. 11.
segundo andar pois se suppOo ter cabido da algi-
bcira.seguindodo pateo do Carmb para a allandega.
-- Aluga-aa urna casa terrea no sitio do Cordetro ,
margo... do o Cap.baribe con. sullicientes com-
iiuiilos para familia estibara cozn.l.a fora etc. :
osp.eteinlciites dirijam-sc ao paleo do Carmo, n.
17 a tratar com Gabriel Antonio.
-- No puteo miar, tiraii.se passapoi.tes para dentro e fora do
impoiio, despacham-se escravos e co.rem-selo-
ll.iis : tuilo Com a maior brevidado possivel, o pur
diniiiiutu preco. .
Arrendase, ou vende-se um sitio, na estrada de
S.. A maro para Beln. sabindo da ponlezmlia, a di-
reita, o lerceiro sitio muito bt'ni plantado e com
boa casa de viven.! : quem o pretender dirjase ao
sitio grande que ten. u.l. mirante ao pe da mesma
ponlezinlin ou no largo do Corpu-Sanlu n. 114.
A mesa tegedora actual da irmaiidado di. bs.
Sacramenlodo hairro de S.-VMitonio desla cidade
faz scienle aquellos dos inquilinos dos -predios que
fazem o patrimonio da mesma irmainlade que det-
xarain decon.parecor para pagar o* seos dbitos e
hresia.em dadores que he marcado pela ultima vez
lidia 12 do corienle, pelas horas da tarde, para
cumpa recerem no eonsisiorioda inesmu matriz: is-
to tanihein se enteude com qualquer devedor a
ir.i.aiidade, pois.qu'o lenta irmamlade para com os
ninissusdo deliberar.
FABRICA DE PIANOS.
Ra do Queimado, 12.
Joilo Vignes, leudo dirigido urna das primeiras fa-
bricas de pianos em Paria, e londtf quatro anuos
Je residencia nesta cidade, onde, pela quantulade
de pianos que tem concertado c afinado de todos
os amores o de todas as armacOes aelta-so habili-
tado para apreciar os defeitos .lestes; por tsse fa-
b.ica pianos de proposito para este paiz de modelo
novo o riquissimo os quaes ofTereeein todas as
vautagens reunidas bnnileza o seguranza dos su-
periores : mbem concorla e alia pianos com toda
a perfe.cflo.
Una pessoa quo tem na ribei.a de de-Una mais
de cen vacras e que nio ton. torras nos suburbios
lala cidade onde as poasa conservar para desfruc-
laro leiie convida a quem
Alugam-se 4 mei'agon, dna no becco ''o
l'eiiotn o dua na travessa do Viveiro, pelo prece-
de 5,000 ra. inonsacs: na rga do Crespo n. 15. *
fallar com Antonio da Cunha Soare Guimarfle.
Precisa-* de um Porluguez que aaiba andar
com carrosa : na ra .Nova, n. 46.
O secretario da irmamlade de N. S. doBom-
Parto convida a todos o irmaos desta mesma Ir-
mandado para comparecerem no dia 15 du curren-
te nu consistorio da mesma irmamlade para o 11 m
deae proceder nova mesa que tem de reger Ir-
mandade no anno de 1848 a 1849, s 9 para 1 10 ho-
ras do dia.
Aluga-se o primeiro andar do aobrado n. 86, no
Aterro-da-lloa-Vista : a tratar no segundo andar do
mesmo sobrado. .
10,000 r.
" Dflo-se 10,000 rs. de gratiucago a quem touier
na ruada Cruz n. 21, um cachorro de fila anda
novo, de edr escura fucinho preto cauda com-
prida orelhas cortadas; o qual perdeu-seno do-
mingo, primeiro do crranle mez.
Calharina Mara da Couceicflo faz saber ao pu-
blico que ninguem Taca negocio algum com seu ma-
rido, Jolio Pedro da Rocha, em que ella nio seja
sabodora ; docontirio, quem llzer perder, que
ella por nada se obriga.
--Joflo l'ereira Lopes Muniz faz sciente aos sous
credores que, tendo-os convidado para se reuni-
rem na sita cusa do negocio para tomaren conta dol-
a o nfio quizeram fazer : por isso novamenle os
convida por meio desle annuncio, para-, no prazo
dedousdias, lomarem cynla (indos os quaes reco-
Ibor a chave ao deposito geral nlo se responsa-
hilisandomais (.or cousa alguma que possa (acon-
tecer.
Lotera do theatro publico
desta cidade.
O Ihesoureiro desla lotera aflirma
que as rodas andatn iinpreterivelmenle
no dia 13,do corrala, como est nnrea-
do, eo pequenoresto de bilhftes que exis-
te adiase venda nos lugares do costume
at o da i'i.
Na ra Direita, padaria a 26, da-se pilo de ven-
dagem a pretas, s6b responsabiltdade de leus se-
nhoret.
Precisa-se de aprendizes para encademar II-
vros, e recebem-e obra para encadernar, pur
precu commodn, e com toda a geguranca : na esqui-
na da ra do Rangal, venda de Jos Rodrigues Coe-
Ibo i C.
Pede-se ao Sr. Jolo da Silva Braga quena, por
sua hondada, retirar quanto antes de sita casa esse
hojudo f^1 Jiiatinn^f antes que elle fac com sua
S. Me. como JoBo Brocha, Furias, CuimarAes e oulros
do mesmo loto.
Aos pais de familias.
Dmasenhora quf j haannos vive deensinar pri-
meiras lettras, contar, arammatica portuguesa, cos-
tura chla, lavarinto, marcar e todas as qualidade
de bordar, que ltimamente tinha aula na ra do
Hospicio, miidou sua residencia para a ra da Riboi-
ra na Boa-Vista, casa terrea, n. 86, o ahi se acha de
aula aborta, prompta a receber qualquer alumna que
se Ihe offercQa, por pre^o comu.odo.
O abaixo assignado declara ao res-
peitavel puldico que, tendo comprado
urna por9ao dededaesde prata ao Senhor
Augusto Maren, pai, com fabrica de ouri-
ves na ra de Santo-Antonio, no Rio-de-
Janeiro, como se prova pela factura do
mesmo Senhor, acontece ter-se verificado
serem di los dedaes de cobre e nao de pra-
ta, como julgava o abaixo assignado ; e
como nao qtieiiM engaar a pessa algn
ma roga ais scus freguezes que compra
r.im os ditos dedaes de os levarem ra
da Cania de Santo-Antonio, i3, no
hotel Commercio, afim de receberem a im-
portancia que deram por elles ; pois que,
sendo engaado pelo mesmo Senhor Au-
guslo Maren, n5o era a sua nlenc3o_ter
igual procedimento para com o publico.
Simn Louis.
Faco saber ao publico que.desdo o dia 26 de se-
tonibro prximo passado, fugio da cidado da Victo-
ria, urna escrava do nomo Maria, do idade de 40 an-
uos, pouco mais ou menos.com os signaes seguintes,
a saber : corpulenta, boa altura, urna n.flo foveira,
con. dous ou tresdent tirados na frente, de cima,
com signaes de velhai nturaom tanto lina, rosto
grosseiro o taciturno, o 50 de cima grosso e meio
hiendo ; levou de milpa n vestido de chita verde-
escuro com palma, unii. >aia de chita prela, oulra
dila de algodlozinho azul, ditas ditas de chita usada,
unta coboita de panno da Cosa Ja usada e urna rede.
Pede-se s autoridades e mais pessuas quo a appro-
bendarp e leveiu a sen senhor, Manuel AI ves da Silva
Caldas, quesera hem recompensado, ou na ra do
Queimado, 11. 27.
$#&---
@ NOVO PAO DE PROVENCA.
Compras.
Compram-se escravos que sejam ofllcia de car-
pina, do 18 a 25 annos e de boas figuras ; pagam-se
hem sendo de bons costumes e peritos no seu offi-
eio pois silo para urna encommenda do Rio-do-Ja-
neiro : na ra do Amorim.n. 35, a fallar com J. J.
Tassn Jnior
Compra-seum missal ,ainda que esteja bastan-
te usado com tanto que esteja completo : na ra
Nova ,11. 14, segundo andar, ou annuncie.
Compra-seum sobrado de um andar, ou urna
casa terrea boa: prefere-se no bairro de S.-Antonio,
em boa ra : na ra do llortas, ... 112, se dir
quem compra.
Compra-so chumbo velho : no pateo do Car-
mo, n. 17.
-- Compra-se pevide de melanria : na ra Direita,
n. 58.
Vendas.
Vende-te todos 01 diat.
Cl|s. a sociar
quem as tiver, o nflo tiver vac-
concoirendo cada un com o que
. un (ai twiu-*'tniri" .--------------------------.
le': Ouom tal negocio quizer dirija-so a ra Uo
"a"gel, o. 45.
-- Na pailaria da ra da Guia, no Recifo llavera
lodosos das vcuda o novopfio de Provenca fa-
b.icailo por oulro modo que o actual e da melhor
fannl.a quL. ha 110 morcado : por este motivo nSo *a
pile fazer senOo a 40. 80 e 160 ra.
Aluga-se urna grande casa terrea na ra Impe-
1 al com duas salas 7 quarlos, cozinba fora, quin-
tal murado o cacimba : na ra de S.-Guncalo so-
brado n. 29.
Jolo Biltorrelira-so para forado imperio.
Jos Motiinbo da "Silva Porluguez retira-se
* para o Itio Crande-do-Sul, no navio mais proiiu.o
ahir.
' Aluga-se urna escrava para o trafico de urna
rasa quema pretender dirija-se a na da Praia-do-
S.-Kila .sobrado n 43.
I'iecisa-se de um amassador : as Cinco-Pon-
153, padaria n. 40.
e
0 proprietanoda padaria e paslellaria franceza i\
do Aterro-da-lloa-Visia, n.O, desojando agradar vs/
Sj cada vez mais aus scus fregueze, resol veu ofl'ere- ^
X cer-lhes um pao que ie fabrica em Provenca por _
um procesa mullo differente do ordinario, e que, Tfj
s exlgiudo farinba das mi-lhores qualidades, mere- g\
W ce a preferencia do publico, pela sua alvura, V
apurezaedellcadeadeauafabricaco. A
S ae farao pes de 40,80 e 1B0 rs., e acra fcil W
conhcc-loa pela sua forma oblonga e elegante. 4A
Na mesma casa contina-ae tambem a vender JB
abolinhos para cha de Indas as qualidades, e Ikii- QJ
_ brm a enfeitar bandejas ricas para bailes e sa- g-,
.eos. -
A mesa regedra da orden, terceira de S.'-Fran-
cisco tem marcado o prazo .lo dous mezes desta dala
para todos os seos devedores, tanto do alugueisde
casas, como os de foros, virem pagar o que estiverem
a dever, nilo Ibes servin.lo de pretexto o-lercni afo-
rado no'vos terrenos de marmita, porque, lindo esto
i.razo, senio ejecutados;paia cujo lim se deverSoen-
tender com o irniHo procurador-goral da uiesma
ordem.
-- >'o dia 14 do correnle peran-
te o Sr. Dr juiz do civel da primeira va-
ra na sala das audiencia, depois desta, se ha de ar-
rematar infallivelmente,porsera ultima praca.oen-
gi-ulio Goiaboira, moentecenrente, com sara cria-
da, um dos inelhorcs que ciislc, por ser muito per-
to da praca e de boa .produceflo: assim como varios
animaes vaceum e cavallar o urna casa na povoaQlo
deSanto-Amaro-Jaboatflo.onde he o mes.no enge-
nho situado, o qual se arremata para cumprimento
de disposicOes lesUmentarias : quem a pretender
compareca: o que ludo melhor consta do esenptoem
poder do porleiro Serra Grande.
m
a:
Frecisa-se de urna ama de leite,
Si que n lenha com ubundanefa, e M
sejazelosa : na ra Nova, loja-11. a3. ;g
Aluaa-se o bem conhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuuo Maria deSeizas, s propnopara
Igum negociante eslrangeiro ou oulra pessoa que
tenlia tratamcuto : na ma do Amorlm, 1.. 15.
- AllBam-sc dous sitios com multo boas aco.mnoda-
isSassstyaS5
como varia, casas, de precos co.iin.odoi para se pas-
tar a fetta : atracar na ra uo Amorim, n. i--
Vende-sa tinta de escrever em garraas e meias
ditas : na esquina da ra do Range! venda de Jos
Rodrigues f.oclho& C.
Vende-se, por o dono so retirar para fora urna
cama de casal, frita em Lisboa com os enxergoos
ousem elles; defronte do qnartel de polica n 11.
Firmino J. F. da Rosa vende muito superior pan-
no de algodo trancado feito na Babia muito pro-
prio para saceos de assucar assim como para roupa
do escravos por ser muito encorpado : os preten-
dentes dirijam-se a ra do Trapiche, n. 44, primeiro
andsr.
CAFR'.
Vende-sa caf da Ierra de primeira qualidade. sen-
do de arroba para cima a 140rs a libra e as libras
a 160 rs. : na ruadoRangel. n.45.
Vendem-se, na ra do Queimado, n, 45, loja de
fazendas as bem conhecidas velas de carnauba ,
vindas do Arrtcaty em caixas de urna arroba sen-
do de primeira sorta de 6 em libra a 280 rs.; ditas
dsete em libra a 260 rs. ,ede segunda sorte a
240 rs. de oilo em libra.
Vendem-se lijlos de alvenaria grnssa, de mui-
to bom barro.bem co7i'dos,proprios at para obra de
ces.poslos em qualquer porto de obra ou no embar-
que da olara, ludo como convier ao comprador, pe-
lo mais commodo proco possivel, e sendo pnreflo de
milheiros mais se al tender no preco: a quem con-
vier dirija-se, a tratar na run estreila do Rosario, n.
SSo chegados os mais ricos corles de tramoia de
seda, recentemenle vindo de Franca, os quaes r-
valisam em qualidade aos de cambraia e seda: o seu
diminuto preco he de 8,000 rs". cada corte: vende-
se nicamente na ra do Queimado, loja n. 17.
Vende-se urna armadlo de loja de
calcado, toda envidr.tcada,e ptima para
midezas, ou outro qualquer negocio, por
ser n'uma das melhores ras na ra da
Cadeiu-Velha, n. 3*>.
_- Vedem -se na loja de Manoel Ferreira Ramos.na
ruado Crespo, que faz quina para a do Queimado,
cortes do cambraia de cores superiores, a 3,000 rs.;
dilosde tarlatana.a 2,600 ra ; ditos de belmiro.a 2.500
rs cortes de algodflu c seda para collete, a 500 rs.;
meias casimiras.a 500 rs. o covado; cortes de velludo
para collete, a 3,000 rs.; assim como um variado sor-
temento de pannos finos prelos e de cores, casimira,
setins, ele .':.'.: ;
-- Veinleni-se titulo de divida da thesouraria ge-
ral: noarmazemda ra da Cruz, n 13.
Vendem-se uns ttulos da divida da thesoura-
ria geral : na ra da Cruz a fallar com o caixeiro
doarmazem n". 16. ^^
Chapeos da J|r ultiiua moda
Vendem-so superiores chapeos francezes do ulti-
mo gosto de Pars, chegados ltimamente no bri-
gue Nelie-IHathilde; bonetes para meninos ; chapeos
de massa de todas as qualidades, at o diminuto
preco de 2,400 rs.: na ra do Queimado, loja de
chapeos, n. 38.
Vendem-se toalhas de liuho de
.uimarnes de 2 e 2 1/2 varas ; um rosto de panno
de linho muito fino; um jpgo de pistollas de dous
canos, de algibeira cousa muito boa : ludo por pre-
co com modo : na ra do Queimado, loja de miu-
ilezas, 11. 25. _,._
Vendem-se terrenos productivo, em peTQin
maior ou menor e por baixo preco : na estrada que
vaidaSoledadepara Olinda sobrado do primeiro
sitio depois de passara igreja de Belem, ao lado es-
nuerdo nos dias uteis at s 8 horas da mantilla e
das 5 al s 6 da tarde a nos domingos e das san-
tos a toda hora do dia.
Vemle-se urna preta meca de benita ilgura ,
or preco commodo na ra do Crespo, n. 15-
Vende-ae muito superior lagedo deJMj*.1
virgem em barr de 4 arroba, por mdico preco.
na ra du Vigario, n. I. bonita
-Vende-*aum escrava de 18annoa.de boniu
littur, que cozinba o diario de urna ca, nom"
ma, coae nsaboa c be muito diligente a adia na
ra da Cadeia de Recife, n. 53, tereeirn ndai.
Na na de Arojis-Verdes.
n 46,
veude-e, de una pessoa que e retira uoia b!,,l*,
mocama bom educad e com todas a habiinu-
de;4ecravadet8a 22 anno, que toijommam,
cuzinham e lavm ludo com perfeicSo; dua oius
lavadeirasequitandeiras ambas por 600/r. 5 um
bonito escravo do 20 annos ; um dito de 26 onoe,
quetrabalha de carpina, e he ptimo trabalhador
de carpina-e de todo o ervico; um dito pofSWri.
Vende-se uina banilo escrava conf as nabilida-
des necessarias para urna caa de familia ; um mole-
que de nacflo, de 18 annos ; um preto de bumU II-
gura por preco muilo rasoavel, para liquidaQBO :
un pateo da matriz de S.-Antonio lja n. 4.
Vendem-so luvas de pellica luanes, para 116-
mem e senhora a 1,000 rs., e de cores a 500 r.:
na praca da Independencia, n. 39.
Vende-se a venda da ra da Madre-de-ueo .
n. 9 com poucos fondos e a armacSo muito com-
iiii).ia : a tratar na mesma venda.
Vende-se urna preta de 18 a 20 anno de muito
bonita vista que cozinha o diario de urna casa la-
va ehe propria para vender na ra por ter um pe-
quino defeito en. um olho e por isso se vende ba-
rato 1 na ra do Queimado, loja n 10.
Vende-se una casa anda nova margnm do
rio, no Poco-da-Panella com duas boas salas, *
quartos, cozinha fra.um bello quintal cercado de
limSo e muito bem plantado de larangeiras deem-
higo, mangueiras sapotizeiros e varias oulras ru-
teiras com porto na frente e outro no fundo e .
lem a fronte para a igreja : a tratar na ra da Trom-
pe no sitio da casa cor de chumbo.
Vendem-se 5 molculas muito lindos: 4 negri-
nbasdenaco, de 16 annos; 6 escravas mocas ; a
pardas do 16 a 28 annos, que cosem e engommam
bem marcam e cozinham : na ra Direita, n. 8.
-Vendem-se, na ra do Crespo, n. 11, osseguin-
los livros : 2 Atlas de Siinencourt, novo, com 47
cartas, por 9,000 rs cada um ; Jesus-Christo pe ren-
te o sceulo tradcelo do Collaco, novo por 4,000
rs. ; grammaticadeSevene, nova, por 5.000 rs. o
usada, por 3,500 rs.; Magnum Lexicn encadernado,
novo, por 5,500 rs.; Virgilio; Horacio; Saluslto ;
Selecta ; Fbulas ; Historia sagrada Jo Bernardino.
por 4,000 rs. ;e varias obras de direilo : tudo muito
barato,
F- Ihiiihas do Rio-rfe-Jaueiro
para o anuo de 1849,
ornadas de finissimos retratos da familia imperial, e
contendo alm de um interessanttssimo tratado
propltetico sobre a espantosa povoacSo do globo no
anno de 2445 a chronica nacional de 1847 a 1848 ;
chronologia do 1791 a 1800 ; o exactissimo kalenda-
rio com todos os seus pertences ; das de gala au-
diencias, taboas do sol e da la senadores e deputa-
dos ucraes o provinciaes partidas do correio cor-
po diplomtico e' consular, genealoga da augus-
tissima casa imperial e dos principaes soberanos ,
etc.
Titulas das diJerentei folhinhas que toitus contetm no
principio as materias cima esptei/coilas a saber :
1. Folbinha do Nigromante, contendo urna linda
colleccilo do sorles para intretonimento das noiles
de S. Antonio, S. Joilo, S. Pedro e S. Auna-
2. Folhinhade medicina domestica com tratados
sobre os vermes Intestinaes, solitaria, bixosdos pes ,
dracunculo, cobras e hydrophobia.
3. Folhinha thcalral, conlendo o Falso religioso .
drama, e o Itr. Sovina entremez propros para re-
reniosentaco em theatrinhs.
4. Folhinha de pilherias, contendo urna reuniflo
da pilherias, ralices e ancdotas capazes de fazerem
soltar barrigads de riso aos mais series.
5 Folhinha de prendas contendo o passatonipo
alegre e familiar, e os maiilindos jogos de prendas,
para divortimento das companbias.
6 Folhinha joco-seria dos poetas, contendo as es-,
palutosas aceflesde Anillo Broega, famoso narigudo,
e multas oulras lindas produeces da Musa.
7 Folhinha de jogos, contendo as leis e regras do
voltrele do vinte e um da lontina, do empreslt-
mo, da comadre, do commercio e do coco.
8. Folhinha biographica de NapoleSo, conlendo
um brilbanle resumo popular da historia do grande
Napolefo. Ornada com lindas v.nhetas.
9. Folhinhas de Cupido, coutendo a nova e ge-
nuinalingoageme diccionacio das flores,, fructos ,
hervas, raizes ele., em verso rimado-
10. Folhinha nacional brasileira, com um ndice
da historia do Brasil. .....TJ ni
11. Folhinha lusitana contendo um bosquejo bel
da historia de Portugal. "
1-2. Folhinha histrica, com vida e o retrato do
imperador D. Pedro I.
13. Folhinha das damas, adornada com cinco no-
vellasKalantissimas.
14. Folhinha dosartistas.com segredos concernen-
tes a artes, ofilcios, etc. __
15. Folhinha do sabio, com mximas dotxm. sr.
marquez de Marica. .
16. Folhinha da historia nacional.com nocOesdo
tres reinos e 20"eslampas.
17. Folhinha de safado, com um tratado sobre ona-
nismo seguido de artigo sobre a quedas, rendas,
esfoladuras arranbaduras e contusoes.
18. Folhinha das flores, com o diccionario oa sig-
nificaco das flores, etc. ; ,._.
19. Folhinha de juslica, com a reforma do cdigo
e o regulamento. .'*'_ .
20. Folhinha constitucional, com a constituido e
a le de suas reformas.
Vende-se na loja de livros de JoSo da Costa l)ou-
rado no pateo do Collegio.n. 6. -
Novo trem de cosinha.
la chegado a ra Nova, loja de ferragens de Jos
Luiz Pereira, panellas, cacarolas e chaleiras de ferro
forradas de louca : os Srs. que lem feito incommen-
das apparceam com lempo.
Vendem-se meias dealgodSo fetas no Porto ,
sardiithas escuchadas muito novas, em barricas e a
retalho, cera de Lisboa muito pura, e arroz de cas-
ca, ludo por preco commodo: na ra da Praia, n.
37.
Veude-se, por precisao, umapreta de 15 a 16 an-
nos que cozinha, ensaboae faz o mais aranjo de
una casa; sem vicios nem achaques: na ra das La-
rangeiras loia n. 5, se dir quem vende.
LADO



..



*:-:------------------------------------------------ -i
Vende-se caivetes de rabo de mi-
drc-perola, de uina follia at quatro ; di*-
> de |>uiilial lesutii as para unlias, fi-
nas ; ditas de costura ; dilas com cauivc-
tes ; rolheres de metal do principe, para
cha ; saca-rol has de patente ; estojo de na-
valhas ; afiadores, com sua competente
pedra; dos melhores que teein apparecido :
nslojadequatro portas da na do Cabug,
do Ihiarte.
Vendem-se chapeos de palha da
Italia, para homem, a6,000rs., e de se-
nhoraa 1,280 c 4,ooo rs.: na ra do( alia-
ga, o. 1 C,loja dequatro portas, do Duarte.
Aos Fumantes de bom gosto.
Na ra da Cruz no Recite, venda n. 66 atrs
do Corpo-Sanlo exislem vindos ltimamente do
Hio-de-Janeirano vapor S -Salvador, os afamadosci-
parrilhnshespanhes. A elles, freguezes, antes que
se acabem.
Vende-so urna escrava com cria a qual cozinha
soffrivelmente he quitandetra e lavadeira, e de pr-
senle propria para ama deleite : na ra da Paz, n.
6, junio aolampeo.
AGOA DETINGIR CABELLO
Conlinua-sea vender agoa de tingir cabellos o
Kuissas : na ra doQueimado, n. 31. O metbodo de
.i pln'.ir a dita agoa acompanha os vidros.
Vendem-se luvas de pellica para
scnliora, enfeitadas, a a,800 rs. ; ditas
para liomem, do diversas cres^ de pon-
0 inglcz, a 1,000 rs. ; ditas de algodo a
00 rs.; ditas de seda a 800 rs ; ditas pa-
c eithsra a i,iHors. ; lencos de ava-
la, de seda, de 1,000 rs. a 1,600 rs. ; ga-
loes cntrc-iuos de diversas larguras ;
espiguhas, galoes falsos, e volantes, por
precos commodos ; hicos do Porto, de di-
versas larguras, de 80 a 160 rs. a vara :j
ditos francezes, de bonitos padroes ; fitas
de seda, n. 9 e \i;'flotes francezas ; len-
cos de garcaa 1,000 rs : na loja deqmtro
portas da ra do Cabug, n. 1 C, do
Duarte.
Vendem se saccas com fnrinha de mandioca,
milito boa, por prego commodo : no caes do llamos,
venda da esquina.
--Vende-se sag fino; tapioca do Maranhilo ; ce-
vadinba ; cevada ; gomina de araruta : na ra das
Cruzes, n. 40.
, Vendem-se caixas de vidro, mu
bem enfeitadts, p^ra guardar joias, por
preco commodo: na loja de quatro portas
da ruado Cabug, n. 1 C, do Duarte.
Tijolosde marmore.
Vondom-se lijlos de marmore, brancos c azuos ,
dclOpollegsdas quadradas por prego commodo:
na ra la Cruz, n. 18, primeiro andar.
Vendem-se saccas com farelo pelo barato pre-
go ile 2,400 rs.: na ra da Senzalla-Vellia-, n. 138.
Agencia d/i fundicao
T.ow-lioor, na da Sefl&tUa-
nova, n. 42.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver nm completo sortimento" de moendas
e meias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
toado, de todos os tamaitos, para dito.
Vendem-se sellins inglezes, supe-
riores, para montara de senhora, recen-
temente chegados : em casa de Geo
Kenworthy &C, ruada Cruz, n. a.
Vende-se vinho do Porto, muito su-
perior, pelo baratissimo preco de i,iaors.
em caadas, e ido rs. a garrafa : no becco
da Lingoeta, n. 8, venda de Manoel Gon-
calves Pereira.
AOS 20:000,0000 DE RS.
Vendem-se bilhetes da lotera do Sanlissimo Sa-
cramento do Rio-dc-Janeiro, cujas rodas correm im-
prelerivelmente a 18 do corrento : 11 j ra da Cadeia
do Recite, loja n. 51.
( unback Amoriin teem para ven-
der, por baratissimo preco, birria com 4
arrobas de cal de Lisboa, para fabrico de
assucar, da melhor qualidade que ha
neste genero : na ra da Cadeia do lecife,
n. 5o.
Vende-se alcatrao da Suecia, de
boa qualidade, em barris bem acondicio-
nados com arcos de ferro: na ru do Vi-
gario, n. 4.
- Vende-se, Iroca-se, ou aluga-se um preto pro-
priopara o servido de sitio eque lambem be ca-
noeiro : trata-se ao lado do Corpo-Sanlo, n. 25.
Cera de Lisboa.
Na na da Cruz, n. 60, ha um completo sortimen-
to de cera de Lisboa em caixas de todos os la ma-
ndos que os compradores desejarein ; assim como
lambem ha urna grande porgan da que ve ni em gru-
me e em p8o vende-se por menos prego do que em
outra qualquer parte.
Vondem-sc e alugam-se
bixas hamburguesas por preco commodo : na ra
Vende-se vinho verde, muito bom e em con-
feigflo diurna a 100 rs. a garrafa ; vinegre brauco
de Lisboa muito forte : no paleo do Carino, venda
n. f.
Vendem-se escravosba-
ratos na ra das La-
14
rangeir as 11. 14 se
{mido andar : um lindo mo
loque de 18 anuos; um dito de 16 annos, com offi-
ciode sapateiro ; um preto de nacOo, bom ganhador
de ra de 30 annos, por 380,000 rs.; um pardo de
30 annos por 350,000 rs. ; um dito de 25 annos
de cor escura com bons principios de carpintoiro,
e enlende de manijo ; urna linda parda do 20 an-
nos com algumas habilidades e que he de boa
conducta; duas negrolas de 15 annos; e outros
muitosescravos.
Vende-se a loja da ra ilo Crespo, n. 5 A, com
os fundos oxistenles : a tratar na mesma loja.
Vende-se um escravo to 18 anuos de muito
bou conducta e que he ptimo para qualquer ser-
vico: na rua Direita, 11.16, sobrado que faz esquina
para S.-Podro.
Vendem-se os melhores charutos da Rabia,
chegados ha pouco no patacho Aurelio comosejam:
cacadores cavalleiros a vista fazf, qunm fumar
saber: na rna da Cadeia do Recife, 11. 48.
I'olassa.
Desembarcou ha poneos dias urna tor-
ran de harria pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se achato venda,
por preco mais batato do que ltima-
mente se vondia, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de fialtar& Oliveira, 11. ia.
Na lojan. .1 A" da ra do Ciespo,
ao n do arco de Sent-.1? ntonio. vendem-
se mantas de lita e seda, muito bonitas,
para meninas, pelo barato preco de
1,000 rs ; assim como cortes de chita es-
cura, com 10 covados, a 1,600 rs ; cassas
de cores, de quatro palmos de largura, a
2'io rs o covado.
i nova por preco commodo no Alerro-da-Boa-
Vistii, 11. 48
Vende-se na venda de Benlo Joo Cardozo, ni
ra Direita n 95 superior cal de Lisboa em harris
de 4 a 5 arrobas, chegada prximamente por mata
commodo preco do que em outra qualquer parte.
Vende-fe urna casa no lugar da Capunga, porto
do rio de pedra o cal, aintla nova toda envidraga-
tla : vende-se por menos de seu valor recebendo:ie
melaile a vista : 110 pateo da S.-Cruz ao p da bo-
tica n. 8.
Vendem-se, na ra do Amorim venda de Anto-
nio J0.1 o Fcrnandes de Carvalho as maiores estei-
ras viudas do Aracaly, por prego commodo; cai-
xas de pao, lambem do Ararat y imitando tartaru-
ga, obra muito bem feita a 1,000 rs. cada urna.
Vende-se cera de carnauba, muito boa, por
prego commodo : no Aterro-da-Boa-Visla fabrica de
licores, n. 17.
K&- ROM NEGOCIO. C*
Vendo-se, pela justa avaliagfn, tima "parle de um
sobrado em situagfio de commercio casa bem cons-
truida e que oflerece grandes proporgfles para lu-
do: a parte que se negocia excede a um terco, e
vende-se a prazo ou com permutas : sendo dinhei-
ro a vista melhor ser para quem comprar: na ru
do Caldeircro, n.62.
,*^?^V?fVtp-ffV?W??
W
--->
>
>
1
*
I*
->
>
->
Potassa nova e superior.
Vende-se a i!io rs. cada libra,na
ru do Apollo, armazem n. 18, ou
na ra da Cadeia, n. 4o-
IL
Vendem-so chapeos de castor branco ,
4,000 rs. : na ra do Queimado, n. 22.
Vende-se cal virgein de Lisboa, em barris de i
arrobas chegada pelo ultimo navio, por proco commo-
do : a tratar com Atmeida & Fonieca, na ra do Apollo
A is'000 rs. ,
ancoretas com aieitonas superiores : ven-
dem seno caes da Alfandega armazem
n. 7, de Francisco Dias Ferreira.
Casimiras elsticas.
Vondem-se superiores cortes de inoia casimiras olas-
ticas do pura lia, pelo barato projo de Q,#0(IO o 3/BOO rs.
o corte de calca: na nova loja da estrella, da rua do
Gollcgio, n. I.
--Vonde-se um carro de duas rodas com arreiosc
cavBllo, ou som elle, a volitado do comprador : na
rua da Cruz, n. 38, ou na cocheira do Augusto:
CHA* FANHv
da ver.ladeira marca COMETA, urna factura nova des-
pachada, no da 28 de scleinbro da alfandega : ven-
le-sd na rua da Cruz, no Recife, n. 17.
Vende-se uina casa terrea muito grande, sita na
rua daMangueira, na Roa-Vista, n. 11, com grandes com-
modos, quintal muito grande c muitns.trvorodos de frte-
los, por preso o mais rasoavcl possivel: trata-sc na rua
do Arago, n. 27.
tlgodao monstro de l palmos
c meio de Jargtira.
Na loja n.5, que faz esquina para a rua do Colle-
gio deCuiniarfles& Companhia vende-se a nova
fazenda do algodilo branco muito proprio para toa-
Ihas polo barato prego de 640 rs. .D-se amostra.
Vehde-se muito superior biscouto francez de
Rheims : na rua ta Cadeia-Velha, n. 29
CHA1 FIYSSON,
de ptima qualidade a 2^240 rs. a libra : na rua da
Cruz no Recife armazem n. 13.
FAtlELo
a 3.fooo rs. a sacca
nos armateni ns. I e 3 do caes da Alfandega, e no de n.
35 da ruado Amorim, de J. J. Tasso Jnior,
Riscados monstrns.
Vendem-se superiores riscados monslros, ja bom co-
nhocidos tanto pola qiialidadr como pola largura Pin
demasa, polo barato preco do 280 rs. o Covado Estos
riscados sao chegados ltimamente: as cores sao xas,
o os padroes muito modernos e de bom gosto : na nova
loja da Rslreila da rua do Culloglo, n. 1.
Vende-se ca/ virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte ; na rua do Trapiche, arma-
zem n I7.
Vendem-se dons pianos fortes do Jacaranda ,
chegados ltimamente, que, alm de serom. um
magnifico ornato de urna sala, teem cxcollrnles
vozes sendo o mechanismo da umita approvada no-
va nveiigSo, chamada repitidor patento de Col-
lard : em casa de J. Keller & Companhia na rua da
Cruz, n. 55.
Vendem-se aeges da ex-
mela eompanhiade Pernambuco
e Parahiba: ito escriptorio de O-
liveira ir mitos & C rua da Cruz,
n.. 9/
V*ndem-se barris pequeos com cal virgein de Lis.
boa, a milis nova que ha no mercado, por- preco com-
modo : na rua da Molda armazem n. 17.
Vendem-se queijttS ioudiiuos os mais fresesac
que ha 110 mercado ; latrfS com holaohinhas de ara-
ruta ; dilas com bervilhas ; ditas com sardiulias :
na rua da Cruz, no Recife n. 46
41
I
m

4
Vende-se tinta vacca gorila semfilbo, ptima pa-
ra acougue no Aterro-da-Roa-Vista, fabrica de lico-
res n. 17.
Vende-se, para fura da provincia, urna bonita
crioula de 18 annos, muito sadia que engomma,
cozinha, cose e faz todo o mais servigo de tima casa
de familia : no Aterro-da-Roa-Vista, fabrica de li-
i ores, n. 17.
FARF.LO,
a 4,500 rs. a barrica : no armazem n. 20. de Joaquim
ta Silva Lopes, confronte a guarda da alfandega.
Vendem-se neste armazem os superiares
charutos de Ha\ana ,
vindos no patacho hespanbol Huracn, tanto aos
centros, como em cnixinhas de 500.
RIMORE8 da fabrica de Francisco (ros muito
superiores emeaixinhas de 100 ; e alm destas qua-
idaties nutras j annunciadas o que se vendem
por precos commodos.
No mesmo armazem so vendem por pregos rasoa-
veis os soguinles gneros excellontos e novos : quei-
josloudrinos ; presuntos para Hambre, tanto ingle-
zes como de Westphalia ; sardinhas' e bervilhas ,
muito novase etn latas; licores finos em garrafas
com tullas do vidro ; ditos em garrafas cominuus ;
marraschina ; vinhn de rbampanha Bonleaux ,
Siiiitorne e Porto em garrafas; ex-cellente cerveja
bianca e preta, em garmfa.se meias dilas; azeite
dore refinado em garrafas ; conservas de todas as
qualiilades muito fresquinhas frascos com truc-
tas em espirito ; cspermaccle de varias qualiiiades ;
quoijos lamengos novos ; cha bysson superior, pini-
to barato : alm deslrs gneros outros muilos pro
prios deslesestabelecimentos.
Vende-se urna negrinha tle 15 a 16 annos,
muito linda que cose, engomma e cozinha, ludo
soffrivelmenle, por isso propria para criada : ven-
de-se, na provincia ou lradella :11o paleo da Paz,
n. 80 nos Afogados.
-- Vendem-se, com abato, 6 apolices da compa-
nhia de Reheribe : no theatro novo.
-- Vende-se urna prcla cozinbeira e engomma-
deira muito moga sem defeilos nem achaques :
aocompradorsedir o molivo por que se vende:
na rua do Hospicio, n. 21.
Vende-se urna ptima casa moderna no largo
do Manguinho toda envidragada com t alrovas
2 grandes salas cozinha fra t cacimba, toda mu-
rada com ilous portos sendo um de cocheira e
porto de embarque e desembarque por prego com-
modo : na rua do Aragfio, 0.9. "
Vende-se nm bonito sortimento de
boloes de seda, para casaca; ditos para
vestidos'de metimos; ditos amarellos, de
Pedio II ; ditos para militares, de ca-
vallaria e infantaria, ditos para libie's de
pngem, brancos e amarellos, de bons pa-
droes ; ditos de massa, para lardamento
de cacadores ; ditos de vidro, de diversas
cores : na rua do Cabug, loja de quatro
portas, do Duarte.
Vende-se urna venda na ridbde de Olinda nos
Quatro-Cantos pegada a botica com poneos fun-
dos : vende-se a dinbeiro ou a prazo com boas
firmas: a tratar da mesma venda.
Vende-se superior fazenda para mosquiteiro ,
a 6,000 rs. a pega com 16 covados cada urna : na rua
do Crespo, loja n. 15 de Cunha Guimarflcs & Com-
panhia.
Na loja de quatro portas da rua do
Cabug, n. i C, do Duarfe, tem um
compleio sortimento de perfumaras, por
precos mtis commodos do que em outra
qualquer parte.
Vendem-se 7escravos de ambos os sexos e co-
res de8 15 anuos de bonitas liguias: ao pe do
Corpo-Sanlo loja de massame n. 25.
Vende-se um apparolhn de Inuga lina para cha,
muito em conta : nasCinco-Pontas 11. 76.
Vende-se um lindo prelo tle nagilo* Angola, de
25 annos : ao comprador se dir o motivo por que
se vendo : na rua das Trincharas; sobrado n. 1G.
Vendem-se ou trocam-se por bolacha, 1,200
aellas dfl lenho Aa mnnmjn J>e!rt iirflfin n
--Vende-ie, na rua do Vigario n. 94, boa bola,
chapara eacravoa, por muito commodo prego.
1 Vende-se um pianoforte, oriton.
tal, novo ; e estanbo em verguinhas : n#y
ruado Vigario, n. ?3, casa de Russell
Mellon* & C.
Vende-se urna porcSo derntim: em
casa de Russell Mellorsck ('. na rua do
Vigirio, n. i3.
Vendem-se muito boas esporas de molas, P
molas para as mesinas, chegadas ltimamente de
Lisboa por prego commodo : na rua do Queimado
loja n. 4.
-- Vende-se, para fra da provincia urna escrava
crioula de 24 a 25 annos de bonita figura que en-
gomma cose e cozinha : tudo com perfeigfio no
Aterro-da-Boa-Vlsta, n. 26, segundo andar.
Vende-se, ou permuta-so por urna escrava ro-
colhida quesaiba engommare ensalmar um moie-
quedo 18annos, de nagflo, com anno e meio de
olrii) de calafate, sadio'e.sem vicios", quem <]uizcr
annuncic.
AO BOM E BARATO.
.Na venda da rua do Rangel, n. 81, vende-se vinha
la Figueira e ilo Lisha.dilo branco de Joo de Grito,
touciuho de Lisboa ede Santos, milito alpista, mn-
leiga franceza e ingleza, aletria o macarro e mais
gneros : tudo do melhor que teem viudo e mais
barato do que em outra qualquer venda, e que con-
tinua a ter sempro gneros dos melhores que ha no
mercado.
~ Vende-se colla de superior qualidade, das fa-
bricas do Rio-Grande-do-Sul : na rua da Horda
n. 7. '
Vendem-se seis bonitos moleques pegas de na-
gSo de 10 a 18 annos, sem-.ficios; tlous lindos mula-
linhosde 12 a 16 annos; um molccilo do elegante fi-
gura, muilo bom otficial dealfaiale.s se vendo par.i
engenho ou fra da provincia; cinco cscravos de bo-
nilas figuras de 20 a 25 annos, bons para servien .1
oampo; tres bonitas pretas de nagfo do 20 a 24 mi-
nos, que engominam beni, cosinhamocozein; tres
negrinhas recolhidas de 12 a 13 annos. com mu i tos
bons principios de habilidades : na rn5 do Vigario,
11. 24, se dir quem vende. \
Vende-se um lindo cabriol com todos os per-
tencos, por 250,000 rs. : a ver. na rua das Larangel-.
ras, n. 15.
I Vende-se urna cama de armagocom lona,qua-Jde na canoa : na rua de S.-Francisco, venda ,-n. 68
Escravos Futidos
-- Fugiram, no dia 8 do correte do engenho
Massass, 2 escravos pertencentes a Ignacio Perei-
ra tos Santos, sendo : Francisco, de nag.lo,, cor bem
prela, alto ; tem urna belida noolho esquerdo de
28 annos ;fo escravo nesla praga tle Manoel de Se
Souza, o trabalhou naencnnamenln^oi comprado ha
4 mezes nesta praga : outro do nome Catrsio, do
gento de Angola, alto, secco do corpo bem preto;
representa 20 annos ; fui escravo bastantes annns de
Manoel Francisco da Silva, morador na freguezin dos
Afogados ; logo que fugiram pessoas que vioram
oinsegniniento tivoram noticias que elles viera ni
em direitra para esla cidade. Rogii-se s autorida-
des policiaes o capiiSes de campo que os apprehon-
diim e levem-nos ao dilo engenho ou nesta praga ao
Sr Caetano Eslellila Cavalcanli Pesso, na rua es-
treita'do Rozario, n. 15, que se recompensar
Fugio, no dia 9 de julho, u inoleque Francis-
co, de nagfio Rebolo ; levou caigas de panno azul
j velhas; tem a marca C em urna das ps; repre-
senta 20 annos : quem o pegar leve-o a rua da Ca-
deia do Recife, n. 2, que receber de'gratificaeflo
50,000 rs.
No dia 6 do correle, fugio o preto Antonio ,
de 40 annos pouco mais minos, alio, bstanle bar-
ba e esta grande, rosto secco, meio-fulo olhos
grandes meio corcovado ps grandes ; be cozi-
nheiro falla mansa ; levou camisa de bata preta
j velha e -algas do algodozinho de quadros;
quem o pegar leve-o a rua Nova, n. 14, segundo an-
dar que ser recompensado.
Fugio urna crioula ce nomo Catharina com
os signaos seguintes : alta, mag'a ; tem a barriga
um tanto rese i ii .1 nariz grosso, denles bonilos ;
levou um roupito de riscadinlo cor de rosa,, una
sala de lila e outra do chita esverdeada com dous
babados guarnecidos com fita de velludo prelo um
cabeglo de cassa de quadros com abertura e botos,
panno da Costa sem estar embainhado ; levou mBs
urna sua filba de nome Mara de dous.annos ; tei7
as coxas unidas a ponto de n fazor espalhar na ps
para os lados; suspeita-se que esleja escondida etn
Fra-de-Poitas, esuspeila-se mais outra cousa de
que.por noestar bem esmerilhada, nflo se faz decla-
ragflo alguma quem a pegar leve-a ao Aierro-d-
Ifoa-Vista, n. 42, que .ser gratificado: lambem se
protesta contra quem a liver oceulta.
Fugio, no dia 5 do corrente um preto criou-
lo, de nome Patricio de 30 annos pouco mais ou
monos; levou cagase camisa de ganga azul, cha-
peo do palha enm grande falla de denles na tron-
o ; tem urna fstula iirrehentadaem um quoixo, ma-
gro, pomas finas; andou trahalbando no dia 4 do
crrente, em puxar madeira ao pedo porto das ca-
noas na rua Nova ; tem suas amisades na Boa-Visla
quem o pegar levo-o a rua da Ciuz no Recife n.
37, que sera gratificado.
~ At o prsenle nio sflo apparecidos os dous cs-
cravos : um de nome Pedro grosso do corpo, ollios
pequeos com urna cicatriz no braco direilo;lie
canociro ; representa 28 a 30 annos: oulro de nomo
Joaquim cabra escuro, curto da vista rom qua-
tro dedos em una das inflos ; he canoeirn ; repre-
senta tor 30 a 32 annos ; he secco do corpo rosto
descarnado ; levaram ceroulas cpmpridas o canda
de
II
e algodilo da Ierra ; ha denuncias que estilo Ira ha-
blando a um sojeilo para as bandas do Ciquia. R-
ga-se s autoridades policiaes e capifies de campo ,
que o apprehendain e levein-no a rua da Prala-de-S.-
I'.itii ns. 25 e 37, queserio gratificados : bom como
se protesta contra quem os tiver occullo.
Fugio, rio dia 2 do corrente, da povoacito do
Abreu o pardo Jos de boa estatura reforgado
do corpo fechado de barba cara larga com urna
barroca no queixo cabello pegado ; tem falla de
denles na frente e os de cima que llie loslam s3o
acajigulados bragos cabeludos, peritas grossas,
tC 40 anuos pituco mais ou meos: quem o pegarr
leve-o a osla 4>raga uo Sr/ Manoel Joaquim Soares ,
que recompensara.
;
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1LCAXH0T_G5BGAQ INGEST_TIME 2013-04-24T17:09:40Z PACKAGE AA00011611_06533
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES