Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06526


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ann
XXTV.
Ter$a-feira 5
O /'' I'''" publica-se todos o das que n.'o
,rein deguarda: o preco da assignatura he
i i/000 i'*- I""' nuncios dos asslgnantes sao inserido!
So ^ 20 rs. por linha, 40 r.. ein typo dif-
ertiite, c as repelieses pela melade. Os nao
,i em ij'P dillcreute, por cada publicacao.
PHASES DA LA NO MEZ OE OUTUBRO.
/flilf, a 5, s 11 horas e 42 mln. da manh.
?ah*, a 12. 1 hora-e 36 mln. da tard.
rMoanl*. a 19, aos 8 mln da manh.
lZZ% SB. > >or. e 27 mln. da tard.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna eParahlba, s segs. e sextas-feiras.
RioJG.-do-Norte,qiiintas-feiras ao mcio-dia.
Cabo, Serlnhem, Rio-Fonnoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1., a 11 e 21 de cada mez.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-feiras.
Oiiida, todos os dias.
PRF.AMAR DE HOJE.
Priinelra, s 10 horas eG minutos da manh.
Segunda, s JO horas e 30 minutos da tarde.
de Oiitubro de 1848.
BT. **0.
DIAS DA SEMANA. *
2 Segunda. S. Os Anjos da Guarda. Aud. do
J. dos orpb. do J. civ. e do J. M. da 2. v.
3 Terca. S. Candido. Aud. do I. do c. da 1.
v. e do J. de pai daW. dist de t.
4 Quina. S. Francisco de Assis. Aud. do J.
do c. da 2. t. e do J. de paz do 2 d ist. de t.
5 Quinta. S. Placido. Aud. do J. de orph.
do J. M. da I. r.
6 Sexta. S. Bruno. Aud. do J. doclv. e do
J. de pazd ldlst de t.
7 Sabbado. S.Marcos. Aud. do J. do c. v.
e doJ.de paedo I dist. de t.
8 Domingo. O Patrocinio de S. Jos
CAMBIOS NO DA 2 DE OUTIJBRO.
Sobre Londres a 23 '/i Pr '' m d-
Pars
'Lisboa 120 por cento de premio
Rlo-de-Janelro ao par.
Desc. de lett- de boas firmas a 1 ao me
AccSesda comp. de Brberlbe. i>M/ri aop
toro.Oncas hespanhotas 31/500 a 31/700
. MoTdas de6/400 v. 17/700 a 17/800
de 6/400 n. 16/70Q If-'
. delOOO... 9/600* '
PrU-PatacSes braallelros 3jW3<> a
Pesos columnarios. w j^,
> Ditos mexicano..... W 'I9**
____1..J
m
AMBUCO
_______i -i.u.
w
DiiTn FFIC!A>.
N. 234, DE U DESETEMBRO DE 18*8.
Cirro a riceita e fixa a despeza das camarat munieipaes
para o atin de 18481840.
Antonio da Costa Pinto, presidente da provincia de
pernambuco. Faco saber a lodosos seus habitantes,
que aasscmbla legislativa provincial decretou a
]ei segu nle:
. CAPITULO I
[/
Desperas tntlncfpae.
Artigo 1." A despeza das cmaras municipaes da pro-
vincia para o anuo municipal do I.' de oulubro de 1848
a 30 de selembro de 1849 he fixada na quantia de ris
60:483,615.
Art. 2. A cmara municipal da cidade do Recite he
aulurisada para despender com os objeclos designados
nos seguintes paragraphos a quantia de 38:121,000
/ A saber :
1. Com o secretario 700.000
2. Com o contador 600,000
3. Com o porteiro 500,000
4. Com os qualro ajudantes doporleirn,
tendo o que serve de porteiro dos jurados
550,000 rs. dous a 500 000 rs. e mil 400,000 1:950.000
5. Com o procurador os 5 por cento na
forma da le 1:271,000
15. Com os fiscac da freguezia do Becife,
San-Jos, l'a-Vista c Santo-Antonio, a
500,000 rs. cada un, Afogados ,e P9o-da-Pa-
nella a 200,000 rs. e percebend os de Ja-
boalao, San-Lourenco e Varsca, 20 por cen-
to do que arrecadarem- 2:400.000
7. Com o ongenheiro cordeador 800,000
8. Com o advosado 400,000
9. Cun o chui'giao de partido 500,000
10. Com o aluguel do paco da cmara 400,000
11. Com o expediente da secretaria, in-
clusive a impresso c mais papis da c-
mara 400,000
12. Com a decima dos predios muni-
cipaes. 800,000
13. Com o tribunal do jury e eleicSes,
venrendo o pregoeiro do dito tribunal ris
200,000 2:000,000
14. Com as cusas dos processos crimi-
1:11-. e contravcncSes de posturas 2:000,000
1.'). Com o fornecimento de luzes para a
cadeia 200,000
16.- Com o concert dos predios do patri-
monio 500,00o
17'. Com os negocios forenses da cmara 200,000
18. Com a limpea das ras 1:500:000
19. Comas despeas eventuacs 1:000,000
Extraordinaria.
20. Para pagamento da segunda presta-
cao das dividas, da fazenda provincial, de
Joo Ferreira da Silva e de Jo< Rodrigues ____
Pcreira 3:522,865
21. Com o calcamenlo dos pateos de S.- (
Pedro e Carino, e un aqueducto subterr-
neo paran esgotamento dasagoas desses mea-
mos pateos e ras adjacentes, comecando-se
a obra pela factura do aqueducto, as sobras
que liouver de nutras verbas, e mais a quan-
tia de 8:477.135
22. Com a coiistruccao dos arcos ou pi-
lares, e reedificocao no quarteiriio dariheira
do peixe 4 000,000
23. Com o principio da fundacao do ce-
initerlo publico, continuando a autorisacao
' f contrahir uin emprcsllmo para n conclu-
sa,, drssa obra 4:000,000
Art. 3.' A cmara municipal da cidade de Olinda he
aulorisada para despender com os objeclos designados
nos seguintes paragraphos a quantia de 3:461,825
A saber :
1. Com osempregados, sendo o ordena-
do do secretario 600,000 rs. do porteiro
200,000 rs. do iajumante do porteiro 120,000
rs. do procurador os 6 por cento, calcula-
dos ein 180,000 rs. dos ilscaes das frcguealas
a porcentagem de vintepor cento, perceben-
do a quantia de 100,000 cada un dos fiscaes
das duas freguezias da cidade
2. Com o advogado
3. Com o expediente e despezas miudas
4. Com o tribunal do jury e eleicSes
5. Com o fornecimento' de luzes c agoa
para a cadeia
6. Com as cuitas dos processos criminaos
e contravcncSes de posturas
7. Com a decima dos predios urbanos
8. Com o concert dos predios, calca-
ment das ras c iiiclhoramenlo das fnica
publicas
9. Com as despezas eventuaes, inclusive
a quantia de 145,825 rs. para pagamento do
bacharc Joao de tiouza Reis, advogado da
mesilla cmara
Art 4 A cmara municipal da villa de Iguarass he
sutorisadapara despender com os objectos designados
nos seguintes paragraphos a quantia de 813,900
1:450,000
150,000
40,000
220,000
50,000
300,000
56,000
1:000,000
195,825
A saber :
1. Com os empregados, sendo o ordena-
do do secretario 120,000, rs. do porteiro
80,000 rs. doajudaqle do porteiro 50,000
rs. do procurador os seis por cento na for-
ma le, calculados em 60,000 r. e dos fis-
caes das freguezias a porcentagem de viute
por cento, calculada em 20,000 rs.
, 2. Com o expediente e despeas miudas
3. Com o tribunal do jury c elcicSea
4. Com as custas dos processos crimi-
naos e contravencSes de posturas
5. Com a declina dos predios urbanos
6. Com o concert dos predios dopatrl-"
monio, calcamenlo e limpea das ra*
330.000
J5.000
60,000
100,000
18,960
7. Com o fornecimento de lutes para a
cadeia 30.0001
8. Com despesas eventuaes 50,000 j
Art. 5. A cmara municipal da cidade de Goianna he
autnrlsada para despender com os objectos designados
nos seguintes paragraphos a quantia de 2:115,000
A saber :
1. Com os empregados, sendo o ordena-
do do secretarlo 400,000 rs. do porteiro
120,000 rs. do porteiro da auditorio 50,000
rs. do procurador os seis por cento, calcula-
dos em 100,000 rs., o fiscal da cidade 120,000
rs. e os mais a porcentagem de vlnte por
cento, calculada em 20,000 rs.
2. Com uin advogado que, por contrato
om a cmara, se encarregue de promover
diligentemente a cobranca judicial das mul-
tas a ella pertencentes, e defender em juizo
todas as suas causas, supprindo a mestna c-
mara as cusas judiciaes
3. Com o expediente e drspcias miudas
4. Com a decima dos predios urbanos c
foros de terrenos oceupados pela cmara
5. Com o tribunal do Jury e eleicSes
6. Com as cusas dos processos crimi-
naos e contravcncSes de posturas
7. Com o fornecimento de lutos para a
cadeia
8. Com o reparo dos predios, calcamen-
to e limpea das ras, e reedificacao da fon-
ie denominada Tauquinho
9. Com as despezas eventuaes, inclusive
12,00,000 rs para assignatura do Diario, que
dever ser conservado no archivo
810,00o
3(1(1,00(1
20,000
25.000
60,000
80,000
50,000
600,000
92,000
x(raordnaria.
10. Com a divida do padre Ricardo Jos
Machado 78,000
Art. 6." A cmara municipal deN. S. do O' he auto-
risada para despender com os objectos designados nos
seguintes paragraphos a quantia de 385,000
A saber-:
1. Com os empregados, sendo o ordena-
do do secretario 120,000' rs. do porteiro
25,000 rs. do procurador os seis por cento,
calculados em 25,000 rs. c dos fiscaes das
freguezias a porcentagem de viute por ceuto,
calculada em 20,000 rs. 190,000
2. Com o expediente e despezas miudas 10,000
3. Com o tribunal do jury e eleicSes 50,000
4. Com as cusas dos processos crimi-
naos c contravencSes de posturas 60,000
5. Com o fornecimento de luzes para a
ctaeia 25,000
6. Com despezas ovenluae* 50,000
Art. 7." A cmara municipal Ha villa do Po-d'Alho he
aulorisada para despender com os objectos designados
nos seguintes paragraphos a quantia de 976,310
A saber :
1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 200,000 rs., do porteiro
80,000 rs., do ajudanle do porteiro 40,000 rs.,
do procurador os seis por cento, calculados
em 60,000 rs. c dos fiscaes das freguezias a
porcentagem de vinte por cento, calculada
em 20.00o rs. 400,000
2. Com o cncarregado das balancas do
acougue 30,000
3. Com o expediente c despezas miudas 20,000
4. Com os foros dos terrenos oceupados
pela cantara 6,310
5. Com o tribunal do jury e eleicSes. 80,000
6. Com as custas dos processos criminaes
C contravcncSes de posturas 100,000
7. Com o fornecimento de luzes para a
cadeia 40,000
8. Com obras, concertos e limpeza das
ras 200,000
9. Com as despezas eventuaes 100,000
Art. 8. .\ cunar a municipal da villa-de Naiaroth he
aulorisada para despender com os objectos designados
nos seguintes pagraphos a quantia de 1:474,000
A saber:
1. Com os empregados, sendo o ardena-
do do secretirio 250,000 rs. do porteiro
60,000 rs. do continuo aju lante do porteiro
50,000 rs. do procurador os seis por cento,
calculados em 60,000 rs. e dos fiscaes das
l'reguerias a porcentagem de vinte por cento,
calculada em 20,000 rs.
2. Com o expediente e despezas mibdas
3. Com o aluguel da casa das suas sessSes
4. Com o tribunal do Jury e eleicSes
5. Com as cuitas dos processos criminaes
c contravencSes de .posturas, inclusive a
quantia de 397,847 rs. que se deve dos anuos
anterires
(i. Com as obras, concertos e linrpcza das
ras
7. Com despezas eventuaes, inclusive a
quantia de 100,000 rs.para um advogado, pa-
ra promover a cobranca das dividas ante-
riores
Art. 9.* A cmara municipal da villa do Llmoero be
aulorisada para despender com os objeclos designados
nos seguintes paragraphos a quantia de 1:128,480
A saber :
440.000
20,000
84,000
80,000
500,000
200,000
150,000
1. Com osempregados, sendo o or-
denado do secretario 250,000 rs., do por-
teiro 50,000 rs do ajudanle do porteiro
40,000 rs., do procurador a gralillcaQo
de 30.000 rs., alem dos seis por cento, cal-
culados em 70,000 rs., e dos fiscaes das
freguezias a porcentagem de vinte por
cento, calculada em 20,000 rs.
2. Com o ndvogado da cmara
3 Catiro expediente e despezas miu-
das ,. .
4. Com a dcima dos predios urba-
nos
5. Com o tribunal do jury eelet-
200,000'QOes
460,000
80,000
20,000
6,480
50,000
100.000
300,000
12,000
50,000
50,000
890,000
30,000
30,000
100,000
200,000
50,000
2:600,000
16,000
76,000
380,000
6. Com as cusas dos processos cri-
minaes, c cen'.r,"'nnCfes de posturas
7. Com obras, reparos e limpezas das
ras .
8. Com assignatura do Diario
9. Com o fornecimento de luzes para
a cadeia
10. Com as despezas eventuacs
Art. 10. A cmara municipal da cidade da Victo-
ria he aulorisada para despender com os objectos
designados nos seguintes paragraphos a quantia de
4:372,000 rs.
A sabor
1. Com osempregados, sendo o or-
denado do secretario 300,000 rs., do por-
teiro 80,000 rs do ajudante do porteiro
7o,00d rs., do advogado 200,000 rs., do
procurador seis por cento, calculados em
120,000 rs., e dos fiscaes das freguezias a
porceniagetn de vinte poi ceuto, calcula-
da em 20,000 rs., tendo o fiscal da cida-
de 100,000 rs.
2. f.om o guarda dos pesos e balan-
zas do agougue
3. Com o expediente e despezas miu-
das .
*. Com o tribunal do jury o eleicSes
5. Com as custas dos processos crimi-
naes e conlravences de posturas
6. Com o fornecimento de luzes para
a cadeia ,
7. Com obras, reparos, calcamenlo
e limpeza das ras, inclusive a quantia de
2:000,000 rs., desde ja.para a construcco
de urna casa de mercado ao lado da Tetra
actual
8 Com assignatura do Diarto
9. Com as gferleoes dos pesos do acou-
gue o medidas de feira
10. Com despozas eventuaes, inclusi-
ve a quantia de 300,000 rs. para pagamen-
to da divida provoniente de cusas dos pro-
cessos criminaes dos annos anteriores
Art. 11. A cmara municipal da villa de hen-
nhflem he aulorisada para despender com os objec-
tos designados nos seguintes paragraphos a quan-
tia de 330,000 rs.
A saber :
1. Cornos empregados, sendo o or-
denado do secretario 120,000 rs., do por-
teiro 25,000 rs do procurador os seis por
cento, calculados em 25,000 rs., e dos fis-
caes das rreguezias a porcentagem do vin-
te por cento, calculada em 20,000 rs.
2. Com o expediente o despezas miu-
das
3. Como tribunal do jury e elcieOes
4. Com as custas dos processos crimi-
naes e contravencSes de posturas
5. Com despozas evenltiaes
Art. 12. A cmara municipal da villa do Rio-For-
moso he atitorisada para despender com os objectos
designados nos seguintes paragraphos a quantia de
i 626,000 rs.
A sabor :
1. Com os empregados, sendo o or-
denado do secretario 120,000 rs do por-
teiro 50,000 rs., do procurador os seis por
cont, calculados em 60,000 rs., (cando
approvada a gralilc8 marcada pela cmara, e dos fiscaes das
freguezias a porcentagem de vinte por
cento, calculad em 20,000 rs., leudo o
fiscal da villa a gratificado do 50,000-rs.
2. Com o advogado da cmara
3. Com o expediente e despezas miu-
das .
4. Com o tribunal do jury e eleicOos
5. Com as custas dos processos cri-
minaes e contravencSes de posturas
6. Com obras, reparos e limpeza das
ras
7. Com o aluguel da casa da cmara
8. Com o fornecimento de luzes para
a casa da pristi
9. Com despezas evenluaes, inclusi-
vo a quantia de 12,000 rs., para assigna-
tura do Diario
Extraordinaria.
10. Com o pagamento da divida pro-
veniente das custas dos processos crimi-
naes
Art. 13. A cmara municipal da villa1 do
Bonito he aulorisada para despendor com
os objectos designados nos seguinlea pa-
ragraphos a quantia do 952,000 rs.
A saber:
1. Cornos empregados, sendo o or-
denado do secretario 200,000 rs., do por-
teiro 50,000 r., do procurador os seis por
cento, calculados em 40,000 rs., e mais a
gratilicaeno de 50,000 rs., e do fiscal da
villa a porcentagem de vinte por cont,
calculada etn 20,000 rs., e mais a gratifi-
caciio de 30,000 rs.
2. Com o expediente e despezas miu-
das ...
3. Com o tribunal dojury e eleicSes
4. Com as custas dos processos cri-
minaes e coutravancOes de posturas
5. Com reparos e limpeza das ras
50,000
96,000
16,00ti
100,000
190,000
10,000
30,000
50,000
50,000
350,000
100,000
30,000
60,000
200,000
200,000
144,000
50,000
92,000
400,000
390,000
20,000
80,000
100,000
lOt.OOO
6. Com o fornecimento de luzes para
a cadeia
7. Com o aluguel da casa da cmara
e jurados
8. Com a assignatura do Diario
9. Com as despezas eventuaes, inclu-
sive a quantia de 50,000 rs., com o advo-
gado da cmara
Art. 1. A cmara municipal da villa do Brejo no
aulorisada para despender com os objecloa designa-
dos nos soguintes paragraphos a quantia de 578.880
A saber:
1. Com os empregados, sendo o or-
denado do secretario 150,000 rs do por-
teiro 50,000 rs., do procurador os seis por
cento, calculados em 25,000rs., e dos lis-
caes das freguezias a porcentagem de vin-
oor cento, calculada em 20,000 rs. 345,000
2. Com o expediente e despezas miu-
das M.0M
3. Com os foros dos terrenos oceupa-
dos pela cmara 3'8??
*. Com o tribunal dojury e eleicSes 40,000
5. Com as custas dos processos cri-
minaes, e contravencSes de posturas 100,000
6. Com o fornecimento do luzes para
a crdeia a.00*
7. Com despezas eventuaes, inclusi-
ve a quantia de 12,000 rs., para assignatu-
ra do Diario 62.000
Art. 15. Acamara municipal da villa de Cimbres
he aulorisada a despender com os objeclos designa-
dos nos seguintes paragraphos a quantia de 410/DOq
A saber:
1. Com osempregados, sendo o or-
denado do secretario 150,000 rs., do por-
teiro 25,000 rs., do procurador os seis por
cento, calculados em 30,000 rs., e dos lis-
caes das freguezias a porcentagem de vin-
te por cenlo, calculada em 20,000 rs. 295,000
2. Com o expediente e despezas miu-
das <5.
3. Com o tribunal do jury e eleicSes 30,000
*. Com as cusas dos processos cri-
minaes e contravencSes de posturas 60,000
5. Com despezas eventuaes e reparos 80,000
Art. 16. A cmara municipal da villa de Cara-
nhuns lie aulorisada a despender com os objectos
iiesiuiiados uos SBU:;laa paragrapu quantia
de 742,000
A saber:
1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 200,000 rs., do portei-
ro 40,000 rs., do procurador os seis por
cenlo. calculados em 30,000 rs., e dos fis-
caes das freguezias a porcentagem de vin-
te por cenlo, calculada em 20,000 rs. 290,000
i Com o expediento e despezas miu-
das 10.000
3. Com o Iribunal dojury e eleigSes 60,000 .
4. Com as custas dos processos crimi-
naes o contravoncOes de posturas 80,000
5. Com o fornecimento d'agoa e lu-
zes para a cadeia 40,000
6. Com despezas evantuaes, inclusi-
ve a quantia de 12,000 rs. para a assigna-
tura do Diario 62,000
Extraordinaria.
7. Com a constiuccao do um acude 200,000
Art. 17. A cmara municipal da villa de Frores
he aulorisada para despender com os objectos desig-
nados nos seguintes paragraphos a quantia de
1:190,000 rs.
A saber:
1. Cornos empregados, sendo o or-
denado do secretario 300,000 rs., do por-
teiro 40,000 rs., do procurador os seis por
cento, calculados em 50,800 rs., e dos fis-
caes das freguezias a porcentagem de vin-
te por cento, calculada em 20,000 rs.
2. Com o expediente e despezas miu-
3. Com as dcimas dos predios ur-
banos .
4. Com o tribunal do jury e eleicSes
5. Com as despezas dos processos cri-
minaes e contravencSes de posturas
6. Com o fornecimento de luzes para
cadeia
7. Com obras, concertos e limpeza
das ras .
8. Com despezas eventuaes, inclusi-
ve a quantia de 12,000 rs. para a assigna-
tura do Diario .
Art. 18. A cmara municipal da villa la Floresta,
he aulorisada para despender com os objectos de-
signados nos seguintes paragraphos a quantia de
532,000 rs. ''
A saber:
1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 180,000 rs., do portei-
ro 32,000 rs., do procurador os seis por
cento, calculados em 40,000 rs., e do fis-
cal da freguezia a porcentagem de viute
por cenlo, calculada em 20,000 rs. 278,000
S. Com o expediente e despezas miu-
das W.
3. Com o tribunal do jury e eleicSes 40,000
4. Com as cusas dos processos cria,;
nacs e contravencSes de posturas 80,000
5. Gow urna casa para o acougue 100,000.
410,000
10,000
8,160
60,000
100,000
40,000
500,000
62,000
ILADO
-vi:


FWfcW-
wm

2
iL
6. Oom despczaseventuaes 30*.000
Art 19. A cmara municipal da villa da Boa-Vis-
ta he autorisada para despender rom os objectos
designados nos seguidles paragraplios a quanlia de
894,000 rs.
A saber:
1. Com os empreados, sendo o or-
denado do secretario 300,000 rs., do por-
teiro 10,000 rs., do judanlu do porteiro
20,000 rs.do procurador os seis por cenlo,
calculados eu 42,000 rs., c dos liscaes das
freguezias a porcentagem de vinto por
cento, calculada em 20,000 rs.
2. Com o expediente e despezas
miudas
3. Com o aluguel dcasa que serve
de archivo
4. Com o tribunal do jury c clei-
ces
5. Com o fornecicento de luzes pa-
ra a cadeia
422,000
10,000
12,000
50,000
20,000
80,000
100,000
200,000
i. Com as custas dos processos cri-
niinaes e contravencOes de posturas
7. Com obras e limpeza das ras
8. Com despezas eventuaes, inclu-
sivo a quantia de 150,000 rs. como advo-
cado
A't 20. ,\ cmara municipal da villa de Agoa-Pre-
ta he autorisada para despender com os objectos de-
signados nos seguidles paragraphos a quanlia de
387,000 rs.
A saber:
1. Com os empregados, sendo o or-
deqido do secretario 100,000 rs., do por-
teiro 50,000 rs., do procurador os seis por
cont, calculados em 25,000rs.,e do liscal
a porcentagem de vinte por cento, calcu-
lada em 20,000 rs.
2. Com o expediente e despezas
miudas.
3. Com o tribunal do jury e elei-
coes
4. Com as custas dos processos cri-
miliaes e contravencOes de posturas
5. Com o forneci ment de luzes pa-
ra a casa de priado
Coro o aluguel da casa para suas
sessOes
" Cfttn despezas eventuaes, inclusi-
ve i quanlia'de 12,000 rs. para a nssigna-
lura do Diario
195,000
10.000
30,000
50,000
20,000
50,(100
32,000
CAPITULO II.
lleuda municipal.
Art. 21. As cmaras municipaes da provincia, para
o anuo municipal desta lei, arrocadar.to dentro dos
mus respectivos municipios as rendas sb os titulos
nbaixo designados :
A saber :
1. Alugucis dos predios municipaes,
. Foros e laudemios dos terrenos municipaes.
3. Afcrcocsdos pesse medidas.
4. Liccncas e cordeacOes.
5. Itcpeso de acougues.
0. laxa de dous mil rs. sobre os mascates e bo-
ceteiras, paga animalmente no municipio da resi-
dencia.
7. Taxa de dous mil res sobre as engenhocas.
8. Taxa sobre as passagens dos ros.
9. Taxa sobre estradas o pontes municipaes.
10. Multas segundo o cdigo criminal e do pro-
cesso.
11. Multas por contravencOes de posturas, DfiO
excadendo de quatro mil ris a que se impozer aos
propietarios que na capital deixarcm de concertar
as calcadas dos seus predios as pocas marcadas
pela respectiva cmara municipal.
12 Multas por eleices.
13. Multas das mesmas cmaras, conforme.o art.
19 15 da lei municipal n. 135. de 2 de maio de 1844.
14. Quaesquer nutras rendas, imposicocs 00 la-
xas que estiverein na poste de cobrar, e que nao le-
nlian sido abolidas
15. Divida activa dos annos anteriores.
16. Saldo do anno anterior.
CAPITULO III.
Disposires geraei.
Art. 22. Ficam em vigor as disposices dos artigos
20,-J1 e 22 da lei municipal n. 141, de 19 de maio de
1845, e as dos artigos 21, 22, 23 e 24 da lei n. 174, de
30dcnovembrodc 18*6, como tambem as dos arti-
gos 24 o 25 da lei 197, de 30 de atril de 1847, o do
todas asmis que nflo tiverem sido expressamenlo
revogadas.
Art. 23. Fica estiiicto o dizimo de minoras.
Art. 24. Os arrematadlos das medidas das cmaras
municipaes s pdem exigir quarenla ris de cada
uin dos particulares que, trazendo iraca publica
publica larinha, ou qualquer outro genero,quizerem
voluntariamente medi-lo adtes por ellas do que por
outars que sejam igualmente aferidas, devendo ha-
ver na niesma praca publica a mais ampia liberdado
quanto compra e venda dos gneros.
Art.125. As quotas consignadas na presente lei pa-
ra pagamento de cusas de processos criminaos se-
ro smeote applicadas para os processos que deca-
hirem dentro do anuo da mesma lei, easqueres-
peilam a cada processo serilo pagas simultneamen-
te a todos os l'unccionarios pblicos que intervie-
ram nelle ou aparte que mostrar por documento
have-las satisleito aos mesmos.
Art. 26. Fica abolido o imposto de quarenta ris,
Suecobrava a cmara municipal deCoianna de ca-
a boi arrobado.
Art. 27. Fica autorisada a cmara municipal da
cidade do Recife para contratar com particulares ou
companhias a construcco de um mercado publico
em cada urna das freguezias da mesma cidade, sub-
mettendo is condicOes do contrato appiovaco da
assembla legislativa provincial.
Art. 28. Fica autorisada a cmara municipal da
villa de Iguarass para fazer no preco da arremata-
cao do re|ieso e casa de acougoe, ao arrematante
Vicente Ferreira deSampaioBorba, o abale propor-
cional ao prejuizo que Ihe acarretou a licenca conce-
dida a Francisco das Chagas Ferreira Duro para abrir
agougue particular na mesma villa.
Art. 29. Fioaautorisado o presidente da provincia
para nomear urna commissao, composla de tres ci-
dados intelligentes e probos, para examinar o es-
tado finaneciro do cofre da cmara municipal do
Goianna. A mesma commissSo, tendo em vista a ar-
lecadacilo das rendas dos anuos anteriores, o verili-
cando a egalidade e exactidiio (Jas despezas, apr-
senla assembla legislativa provincial da seguin-
le sessSo, pelo intermedio do governo da provincia,
um exacto e minucioso rclatorio de ludo o que en-
contrar.
Art 30 Ficam revogadas todas as leis c disposi-
cOes cm contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades quem o
conhecimento c execucHo da referida lei perteneer,
que a cumpram e facam cumprir tilo inteiramento
como nella se contm. 0 secretario interino desta
provincia a faga imprimir, publicare correr. Cidade
do Recife do l'ernambuco, aos 11 das do mez de
selembro de 1848, vigsimo-stimo da independen-
cia edo imperio.
L. S.
Antonio da Cosa Pinto.
Carla de lei pela r/ual V. Exc. ha por bem mandar
cxecular o derrelo da assembla legislativa provincial,
que fixa as despezas das cmaras municipaes da provin-
cia, e marca a rectita pata o anno municipal que ha de
correr do primeiro de oulubro de 1848 30 de selembro
Para V. Exc. vr.
Antonio Lei le de Pinto a fez.
Sellada e publicada nesta secretaria da provincia
de l'eniambuco, aos 12 de setembro de 1848.
Florianno Correa de Brillo.
Registrada a n. 70 verso do livro 2." de leis provin-
ciaes. Secretaria da provincia de l'ernambuco, 18 de
setembro de 1848.
Domingos Jos Soares.
GOVRW) DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE 1)0 DA 26 DE JI.HO.
Oflicio. Ao Chefe de policia, recotnincndaiido a es-
pedico de suas ordens aos drlegados dos varios distric-
los da provincia, para que facam capturar, caso al> ap-
pareca, o cabo graduado do corpo de imperiacs mari-
nhriros da segunda classe, Josi Goncalvcs Ferreira da
lloclla, cujos signaes caractersticos vao mencionadoi
na ihaciio que remelle, c qu-, sendo pcrlencentc guar-
nido do brigue escuna Canpo, desertou no dia 22 do
correte, em que obteve licenca para vir trra.
Parlicipou-se aocoinniandanlc do brigue-escuna Ca-
njo.
Dito. Ao mesmo, exigindo infonrcaco acerca de
um officio do delegado do termo de Goianua.em que pe-
de um destacainrnlo de tropa regular para guarnecer
a respectiva cadeia, fazer as rondas nocturnas e auxilal-
as diligencias da polica.
Dito. Ao mesmo, dzendo que, apresentando Fran-
cisco Jos Rodrigues um seulilliu menor, Jos Francis-
co l'.odrigucs.quem pretende asscntarpraca.volnntario
na marinba, cuiupre que S. He, a vista das ordens pie
ba a tal respe! lo, naja de O aceitar, c dar-llic o conve-
niente destino.
Dito. Ao commandantc das armas, mandando dar
baixa. vista do que informa S. S., ao cabo de esquadra
da companliiade arlfccs,Andr Avelino Gomes de Arau-
jo, por ter (inalisado o tempo de seu engajamento, urna
vez cpie este actoi nao v de encontr asrdeos do go-
verno imperial, s quaes S S. deve de consultar.
Dito. Ao inspector do arsenal de marinha, appro-
vando o seu procedimrnlo a respeilo da remessa que
fez, para a provincia das Alagas, de ulna das boias man-
dadas fazer para aquella provincia.
Dito. Ao comiuaudaiite das armas, remetiendo as
guias .lo soldado do 4." batalliao de arlilharia a p, An-
tonio Pedro da Conceico, e do corneta desertor do 6."
batalhao de cacadores, Manuel Joaquim, enviadas pelo
Kxni. presidente das Alagas; lint de que S. S. Ibes d
o conveniente deslino.
Dito. Ao juiz municipal do termo d'Agoa-Preta.
mandando que, apenas este receber, convoque inme-
diatamente o concedi municipal de recurso, cuja pre-
sidencia Ihc compete; cqueaununeie a sua convocacao
por editaes, oilo das antes, em conformidade duque
dispoc o aviso do I." de feverciro de 1847.
Dito. Ao juiz municipal da primeira vara, partici-
pando liaver deferido o requei linelo de Firuiino Tbeo-
tonio da Cmara Santiago, mandando convocar (inme-
diatamente o conecllio municipal de recurso ; e decla-
raudo-lhe annuncie essa convocacao por edilaes, oito
das antes, em eonfuruidade do disposto no aviso do I."
de fevereiro de 1847.
Portarla. Noineando subdelegado da fresneda da
Taquarltlnga ao inajor Brai de Vlvelroi Camello Peasoa.
Parlieipuii-se ao tlicfc de policia.
Dita. lomeando ao icnente-coronel Joo Ribeiro
Prssoa de I.acerda para subdelegado da freguea do Li-
moeiro. Scicnlilicou-sc o cliefe de policia.
Puhlfc'acflo i pedido.
A'MOUTE
lo alm. f lOxsii.Sr. k'ranrisco FUet iar-
veto, Mrquez <;- llecife,armel!'o>mr
tic S. M. o liniiui-ailor e grani-ernz
la Imperial ordeiu l crnziro.
O"ereriaa, romo exprea de profbntta
mgoa, turnen mo. y lini. 8v.
AUGUSTO X.EMEBTHA X.I2VS.
Cui pudor ot juatitia sorur,
Incorrupta fides, nuda que vcritai
Ah que ot olhos anda te me arrasara,
Anda agratlecdat
lim fio e fio ai lagrimal deitiam.
O' virti extremado,
A'", nao morreite anda no meu peito.
i. WIIU.IT. LYItICA.
*
Que vejo, Cos?!... Que fnebre moimento
Alli s'eleva tenebroso c trislc
Ko templo do Senbor?! Porque divise
Os pios saerdotes repassados
De profunda tristexa? E porque sAam
Tantas vozes emlugubres accentos,
I-. no templo se apinha consternado
Opovo, entregue dor, pena, ao lucio?...
lie mais um veo laucado nalureza
F.m dia extremo, em da que despontn
Para marcar no livro do destino
Derradeiro suspiro de um vvenle,
Que a trra abandonou? He da existencia
O deiiiili ir beira do sepulchio,
As horas monas, de silencio eterno?
SlrO da vida o myslcrio alli s'cncerra,
F. de urna vez na campa des'parece.
F.u vi um justo cainlnhar na trra,
l.'ui varao vcnrravel que iorria
Pedoso ao pobre, ao misero Indigente,
Que o pao |hc olleiecia e Ihe enxugava
O pranlo do infortunio. Collocado
Km alio assento, em alta jer.ireliia,
Juslo premio do mrito subido,
Da) acedes mmorlaei, dos feitos nobret,
F.ra sngelo, e pareca estranho
Aos encantos da pompa e da opulencia.
Jamis no coracao Uic despontra
Orgulho seductor; jamis seus labios
Ai ti i-u 1 ni m da vaidade os termos,
As phrases tao communs entre os que gyram
Na espbera do poder e da nobreza.
Eu vi o justo i i ni inia r na trra,
Arrimado na f, napiedade;
Vi-o calcar o fausto magestoso,
Abrir o peito candida virtude,
Pralica-la seguro entre osespinbos
Do mundo engaador. Ah! quantas vczei
Da viuva edo orphao desvalidos
Klle enxugava as copiosas lagrimas,
E inetigava os speros tormentos,
Fillios da fome, da pobreza austera !
Dom pai, bom cidadao, jamis negava
Seus servidos patria carinbosa ;
E por ve;es, nos hrridos conflictos,
Da sincera amizade elle mostrava
O poder sacrosanclo, protegendo
Charos amigos que em fatacs successos
Quasi arriscavam da existencia os gozos.
No gremio da familia que educara
Com os saos preceltos de urna f sublime,
Era meigo, era lerno. Que bondade
Bespirava no sen ledo semblante.
Onde jamis poisou riso de escanieo,
Nem signaes d'altivez se divisaratn.
Mas onde existe agora?!... Oh pena acerba!
Elle nao vive mais !... Chara familia,
Suspira, anca ; o pranlo mavioso
Corra sein termo, exprima osentimento
Que te oceupa nest'hora, e para sempre.
As lagrimas, o voto derradeiro,
Ultimo voto de saudade eterna,
Sao devidas em honra de quem morre,
Em honra de quetii parte deste mundo
Para a uiausao da inmensa Elernidade.
Elle nao vive!... O justo nao existe 1...
O Dos Supremo que regula as vidas
Que regula dos lempos acarreira,
Quiz chama-lo p'ra si, quiz dar-lhe o premio
Que s no co cncontra o virtuoso.
Depois que na su'alnia recebra
O celeste conforto, c Vii'gem Santa
Seus dias confiara, ja no leito
Km que o prostrott malfica docnca,
Elle suspira, e exhala socegado
O extremo e tao rpido suspiro.
Que semellia o pender d'arvore annosa,
Creada com amor e com respeito
Entre as llores do prado que a vencram.
E deixou de existir o tao prezado,
Tao probo cidadao ci-lo na campa,
Esse que outr'ora cultivou solicito
As virtudes chrisfas, esse prototipo
De T, de singeleza e d'humildade.
Perdeu a patria um cidadao prestante ;
A familia perdeu um chefe Ilustre,
E a saa religiao um cultor puro.
A pobreza nao cessa de chora-lo,
Nao cessam de render-lhe o seu tributo
All icios coraccsquc elle salvara.
.Multas vetes das garras do infortunio.
Lastimoso carpir dequando cm quando
Sa aos ouvidos de quem cruza o templo,
Onde agora elle jaz. Na voz das turbas
Vive eterno o seu nome, e para sempre
Seu completo elogio. Todos clamam :
<( Morreit o grande, que nao tlnha orgulho;
i O pai querido, o esposo desvelado,
O eximio patriota, o que viva
S para o bem, ao bem s devotado. __
Eis o clamor que unisono retumba,
O louvor que espontaneo se dirige
A memoria do juslo. E o Dos que allende
As preces dos mortaes, que recompensa
A quem na Ierra caminhou sem vicios,
Cultivando a virtude; o Bcosda Gloria
.I.i no Co acoliten benevolente
Ess'alina pura, j Ihe deu a c'ra
Enlietecida de celestes llores
Da sa fecidadc que nao morre.
El*, charo amigo, o voto verdadeiro,
Que sabe do coracao do que te pita,
Do que te segu no gemer, no pranto,
No juslo sentimcnlo que te opprime.
Niio penses que, afl'ectando magoa intensa,
Eu vou mentir face de um sepulchro,
Que abafa o corpo do varao prestante.
Do teu querido av ; nao sei render-lhe
Funreo canto que nao sai d'csl'alma.
Ensoga por um potico o pranlo acerbo, i
Que te motiva a perda irreparavel
Desse que amava, que le amou constante:
Cr-me sincero, aceita o simples voto
De um triste coracao que tambem sent
A toa justa dor. A li unido,
Eu me curvo ao dispr da Divindade ;
K cheio de amargura e de tristeza
Te acompanho na lnguida saudade.
Recife, 29 de setembro de 1848.
Pelo collega e verdadeiro amigo.
A. H. de Torre Hund ira.
^QmMtCio.
Patacho Aurelio aieite de palma,
brigue Nelit-Malhilde mercadoilas.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DA 2.
Geral
Diversas provincial
.mu,
5 '-"23/776
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 2 .........8257
Wovimento do Porto
Navios entrados no dia 2.
I'areelonac Malaga ; 51 das, trazendo do ultimo porto
30, patacho hcspanhol Huracn, de 128 toneladas, .
pilao Gerardo Morislano. equipagem 11, carga vinhos
e (rucias ; a Joao Pinto de I.emns.
Cear pelo Ass ; 23 das e do ultimo porto 18, hiatt
hrasileiro Novo-Olinda, de 86 toneladas, repiti Anlo.
nio Jos Vanna, equipagem 8, carga sal, couros, so.
la e ii.'illi.i de carnauba ; a Francisco Joaquim Pedro
da Gosla. Passagciros, Luiz Manoel de Franca, Fran-
cisco da Costa Ferraz, flayinundo da Rocha Riberc
_ Jos Matheos Pequeo e 5 escravos a entregar.
Capenhagem ; 64 das, brigue dinamarqus Jira, de
200 toneladas, capilao.H. 1. Jorgensou, equipsgei 10
carga.ca vao de pedia e taimado ;a Rothe &: BeduUjvl'
Navios mliidot no mesmo dia. Vi
Para ; brigue dinamarqus l.ouise, capitao N. L. Elbere I
em lastro. M
Cabo-Verde ; brigue-escuna portuguez Triumpho, capl-
tao Domingos Nogurira, em lastro.
EDITAES.
Miguel Archanjo Monteiro di Anirade oficial dtwf.
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Christo i ini-
pector da alfandega de l'ernambuco, por S. M.
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 5 do c'orredlc, ao meio-dia.
so hilo de arrematar porta da mesma, em hasta pu-
blica, Oriuzias do caixas de massas para rap, no
valor de 50,000 rs., 26 grozas de ditas para dito no
valor de 150,000 rs., olOduzias do perfumaras no
valor de 150,000 rs., impugnadas pelo guarda Anto-
nio Femeniles Padilhn, no despacho por factura sb
ti. 133*, sendo a arrematarlo subjeita a direitos.
Alfandega, de outubrodo 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, ele.
Faeo saber que do dia 5 do corrente, ao meio-dia,
porta da alfandega, se l)3o de-arrematar en) hasta*
publica 200 grozas do peonas d'aco e 100 ditas de ca-
nelas no valor de 85,000 rs., 18 duzias do pomada
di) cheiro no de 6,000 rs., qualro ditas de frascos do
oleo para cabello no de 5,000 rs. o oilo grozas de
oleo de macar no de 50,000 rs., ludo impugnado
pelo aman uense Gabriel AfTonso Hegueira no despa-
cho por factura n. 133*; sendo a arrematacao subjei-
ta a direitos.
Allandega, 2 de oulnbro do 18*8.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Declaraba o.
~
ALFANDEGA.
iW;\l>I\lliNTODO DA 2.......... 654/652
Descarreijim A hoje,. '.i de outu/nu.)
Galera i.'olumbus mercadoriaa.
Continuacdo dos devedores da decima dot predios urba-
nos, que leem de ser exentados, se no lomparecertm
al o dia 15 do corrente mes a saldar seus dbitos.
A saber :
D. Isabel llosa Carneiro Monteiro 917,086
llerdeiros de JoiTo Francisco Carneiro Mon-
teiro 111,283
D. Hita Rosa Carneiro Monteiro *6,350
I). Francisca Thomazia da Conceico Cu-
nha, da casa da ra do Rangel, n. 36 369,728
llerdeiros de Mara Josepba de Mattos 203,291
Antonio Martina Couto Vanna 167,508
Jos Flix de Sotiza 82,
Jos da Fonseca e Silva. 107,uTi
Severianno Pinto 116,809
Marcellino Jos Lopes 139,791
Jos Gomes Coimbra 81,113
Zacaras Lopes Machado 108,897
fclstev'o Jos Barboza da Motira 74,160
Thomaz DiasSouto 68,227
D Mara Joaquina Marques 182,528
Jos da Silva Braga 222,480
Mara Catbarina de Senna 66,744
Mara Hila Correia Peres 74,352
Ignacio Mery da Fot.seca 226,188
Auna Mara de Carvalho Uclia 74,253
Joaquina Mara da Punlicaco 1*8,738
Antonio l.uiz Pereira Bastos 91,161
3:690,826
(Coniinuar-se-ha.)
PUBLICACA0' AGRCOLA.
Manual pratico do fabricante de assucar, por
Agoslitiho Snmmier. Rsla obra ensilla praticainenlc
o modo de fabricar o assucar demonstrando os in-
convenientes da enliga pratica osmeios de as re-
mover c (inalmente tudo quanto se precisa para ti-
rar maior e melhor resultado de sua factura o osla
escripia em urna ingoagein que qualquer pessoa
percebe; podendo-se incsino dizer que os Srs. 'lo
engenhos com ella s errarOo se quizerem : vnde-
se por 2,000 rs., na praca da Independencia livra-
ria ns. 6 e8.
Avisos martimos.
Para o Cear sabe, em poucos dias por ter
carga quasi proinpta, a sumaca Carila : para o res-
lanleo passngeirns trata-so com 4-uiz Jos ue sa
Araujo, na ra da Cruz, n. 26-, ou com o mesire ^
Jos Concalves Simas.
MUTI



r
_pr Lisboa poelendo shr al .15 do outubro o
"'cl,. portuguoz .iberdade, do que he capitflo Iz-
'!" \vro 'lo Souza: lem bellissiinus c saciado
".'nnioilo* para pasaageiros: quem quizer carregar
11 rdepassagem dnija-se ao mesmo capitflo o ti a
francisco Severianno Rabollo &.Filho
_ Voiide-soohiale ConceifZo-do-Porto, do 10 to-
.ir.ijj ancorado no porto desta ciclado por prc-
(uinmodo : os prelondentes dirijam-se a na do
f'-',.ment, n 26 a Manoel Buarquo Macedo Lima,
das 7 as horas Ja }"&. > e das ,luas da taru0 em
piante-
Leilao.
johnston Palor & C. faruo leilflo. por intervencilo
docorretorOliveira, de um grande e variado sorti-
mento do fazendas inglezas, as inais proprias do
mercado : quinta-foira, 5do corronle, s 10 horas da
manhna, no sou armazcm, ra do Vigario.
Avisos diversos.
-- Hojo, pela primeira vnra do juizn do civcl, lie a
uUima praca dos rendimentos da casa da ra do P-
liar n.33, penhorada a Luiz Gomes de Figueiredo
or oxecucfio do Joaquim Rodrigesele Almeida, o
sto avisa que ninguno) faca contrato de compra com
o exccutado scm que que primeiro soja paga a exe-
ciicflu. por isso que lamlinni a mesnia casa est hy-
pulliccada a oulra pessoa.
O abaixo assignado faz publico que Jos de Al-
meida l.ima deixou tleser sou caixciro desdo o dia
30 de setembro.
,- Jodo da Silva llraga.
. No dia 5 do correlo so lulo de arrematar, pelo
juizo de alsenlos, na praca da Roa-Vista, as Invernas
pertencentes a heranca do finado Jos Pinto Moreira,
Hssim como duas vaccas.' as pessoas que quizerom
laucar comparecam s cinco horas da larde.
Nos das 3 e 6 do correnle, peran-
le o Sr. Dr juiz do civcl da primeira va-
ra, na sala das audiencias, dopois desta, se ha de ar-
rematar infallivelmenle.poi'ser a ultima praca,o en-
genho Goiaboira, niocnte e corronle, com safra cria-
da, um dos molhoros que existo, por ser mullo por-
to da praca e de boa produccSo : assim como varios
animaos vaceum c cavallar e urna casu na povoacao
deSanto-Aniaro-Jaboaino, onde lie o mesmo engo-
lillo situado, o qual se arrmala para cumprimcnto
de disposicOes testamentarias : quem a pretender
compareci quo ludo molhor consta do escriploom
poder do porteo Sorra Grande.
\luga-se um moleque coznheiro
proprio para qualquer casa de hornero
solteiro, por j estar acostumado, e ser
fiel c bom comprador dos arranjos I qu.em
o pretender, dirija-se atrs do theatro
vclho, armazein ns. i6c 18.
Precisa-so de im caixoiro quo enlenda de miu-
dezas : a fallar na ra larga do Itozario n. 35.
-- Quem precisar de urna ama secca, para o ser-
vico do portas a dentro de urna casa do pouca fami-
lia, a qual cozinha o engomma vai a ra da Glo-
ria, sobrado velho dos orphos.
Aluga-se o sobradifiho do becco do Padre, n, 8 :
na ra da Cruz do Recife, n. 30.
Iloga-sea quem livor adiado um c.lo do raca
ingleza, malhadodo brauco opreto, alguma cousa
sujo do navio, o com urna correia no pescoco que-
rendo restituir leve-o a ra do Trapiche-Novo, n.
11 que sor recompensado com 10,000 rs.
--Precisa-sede m pequeo dos chogados lti-
mamente do Porto : na ra Nova, n. 30.
Precisa-so do urna boa ama para todo o servi-
co de urna casa de portas a dentro : no becco da Lin-
got n. 5, segundo andar.
-Amanlifla.tdo corrento, celebra-so no coven-
lo de S.-Antonio desta cidado com toda a pompa, a
festa do indicio mitriareha S. francisco de Assfl;
ha misal nova: prega o cvangdho o reverendo padre
mestre cx-provincial c prpador da capclla Impe-
rial Fr. Jolo Capislrano de Mondonga e ao Te Deum
o reverendo Sr. padre passante Fr Antonio de S.-
Camillo : o encarregado de dirigir a festa lie o reve-
rendo padre presidente Fr. Antonio de S.-Angelica, o
dual pede aos moradores da ra em frente do co-
Loteria do theatro publico
desta eldade.
O thesoureiro desta lotera- aflirma
que as rodas audam impreterivelmcntc
no dia i3 do corrente, como est marca-
do, eo pequeo resto debilteles que exis-
te acha-se a venda nos lugares do costume
at o dia xa.
Deseja-so saber a moradia do Portuguez Cas-
siano Alberto Pimenta, para se Iratar um negocio
que llio interessa
OfTerece-se urna mulher para ama do casa: com-
pra e faz todo o servico menos engommar: quom de
sou prostimo se quizer. utilizar, dirija-so por tras
da igreja de San-Jos, n. 8.
Na ra de Hortas, n. 4q, ha urna
mulher com muito bom leitc, para criar.
Offeroce-se urna ama do leite para criar em sua
casa: quem precisar diija-se a ra da Sanzalla-Ve-
Iha, n. 52. ,. ,
A pessoa que oncommondou urna mulalinha de
idadedoi3annos, para mucama deuma noiva, di-
rija-so a ra das Agoas-Verdes, n. 46, que aln achara
urna om tudo propria, e a pessoa com quem deve
tratar. .
-- Jonquim Pinto do Azevedo rctira-se para o Rio-
Grande-do-Sul, e leva em sua companhia os sous os-
cravos, Varelio, crinulo, Joilo e Francisco, do nac.lo.
O abaixo assignado faz sciente pelo prsenle a
todas as pessoas que tiverem penhores com o prazo
vencido em poder d.i abaixo assignado, que no prazo
deoitodias os vilo rosgatar ou pagar os juros: do
contrrio.serao vendidas para pagamento do princi-
pal e juros. ., .
Jonquim Luis do Santos.
No da 25 de setembro prximo
passado fugio Benedicto, de naciio Costa,
que representa f\f> anuos de idade, alto,
olhos pequeos, pouca barba, bocea e cor-
no regulares, est de presente descora-
do e com una 'erida na unha do dedo
O abaixo assignado avisa t lodos os Sr. que
tcom penhores em seu poder, que hajam de os ir'ti-
rar al o llm de dezembro do correte auno, alias
passar a vend-los para seu pagamento, assim como
lodos os Sis. que leom leltras vencnlas, hypotheras
ealguns dinheiros tomados sem clareza, liajam de
ns resgaiar at o mesmo lempo cima declarado,
Compram-se Sou carros de mo cm bom es-
tado : na ra de S.-Goncalo n. .
-Compu-se umnarde mangas *. lam
das com cetcaos do mesmo: na ru da Gfatt, ven
da- Co'mpra-seum armazn de carne secca na ra
da PrrPque.n-alcsl.be:ec.menlo "''"Ift
ns resgaiar aie o iiicih *.?> "^..... ------.------' ._ ,.,,11(.p ou irua-se i ra <> i."ii .'w
poisoaliaiio assignado pertende azer urna v.age.n wndtt. "^^f^Vltlea do Sr. JoOo Moreira,
Kurop. a tratar de su. saude, indo em sua compa- ^^Z^m quer._______
nhia sua mulher
Hermano Jos de Freitai.
Vendas.
do p direito, e be bastante bucal; levou
vestido ainisa eceroula d'algodao : por
outra fuga esteve na cadeia desta cidade,
donde sabio ha poneos mezes. Hoga-se
a apprehensao a todas as autoridades po-
liciaes e aos capitaes de campo, e que o
levem ao engenho San-Jos-do-Bom-Jar-
dim, desla comarca, ao seu senbor, capi-
tao francisco Joaquim da focha Falcao,
ou nesta praca a Luiz Jos Pereira Simoes?
ra das Cruzes, n; 4o, que recompensar
generosamente.
i-No dia lerca-fcira, 26 de setembro do 1818, fugio
do engenho Passassunga o pelo Luiz, escravo do
Fiei Fiancisco de San Boavcntura, com os signaos
seguintes : he ulguma cqusa fulo da cor ecrioulo,
alto e seceo do corpo, pslargos e na canella duei-
ta una marca de ferida, olhos grandes e a vista es-
pantada, levou vestido camisa e ceroulas de llgodao
da torra, e consta ler descido para esta praca: roga-
se s autoridades policiaos e mais a qualquer capi-
tao de campo para o pegaran, o leva-lo na ra Nova
desta cid.ide, no segundo andar da casa n. 58, aonde
se gratificar. .
Os Srs. subscriptores do jornal Correto da larde,
mpressonolo-de-Janoiro, pdenlo mandar rece-
beras folhas, ltimamente chegadas no vapor, as-
sim como mandarcni salisfazer a sua ussignatura ,
que devora ser adianlada : na ra do Queimado ,
n.15.
Procisa-sede um preto robusto, quo emenda
pe fritamente do refinar assucar : paga-so bem :
nesta typographiu se dir quem precisa.
J. A. S. Jane, artista, tem a honra de avisar ao res-
peitavel publico que tem voltado do norte e se
acha residin lona ra estrella do Rozario, n. 16, pri-
meiro anlar, aonde coutina a por dentes artifi-
ciaos de porcellana, composictlo esta inteiramonle
iscnta de corrupcilo : como bom tira as caries dos
ualuracs calca de ouro e prala. O anniinciantc de-
clara a todas as pessoas quo se quizerem utilisar de
seu prest i'nio, que mo exige receber paga alguma,
se por acaso nfo (learem os ditos dentes arliliciaes
lio bom postos, que n3o se possa differenQar dos
proprios naturaes sendo os meamos postos sobre
chapa de ouro o sobre turradla os quaes ficam t.lo
seguros, quo se pode uiasligar toda a comida com d-
les scm causar a menor dr.
-- Re roa d'A'.cgris, i!, precisa-se alugar urna cs-
crava que cleja as circuuistancias de bein fazer o
servifo ini-iiiii e externo de urna casa de familia.
-- Acha-se justa e contratada por permuta a casa
da ra do S.-Miguel, n. 12. da povoac.lo dos Afola-
dos do Jofo Anaslacio c liarla Isabel das Gracas ,
com urna na povoacflo de Pedras-de-Fogo da ra do
Cobre pertencente a Frederico Ghaves : quem se
adiar com algum direito em qualquer das ditas ca-
sas queira annunciar no prazo de oito dias; do
contrario so ultimar o negocio c nSo so atlendera
Da ida reclamacio alguma.
Aluga-soo bem condecido sitio na estrada do
Cordeiro de Nuno Mara de Seixas, s proprio para
algum negociante estrangeiro ou outra pessoa quo
tenha Iralamento : na ra do Amorlm, n. 15.
5
5.
m
m
\tytyWMW.PMW..WPMPMl>.P3M$
vento o obsequio de illuminarem as frentes do suas
casas, as noiles do 3 e 4, vesprra e dia.
Quem precisar de urna ama para o servico de
urna casa dirija-se a ra flireita, defronte do oitOo
do Terco n. 127 primeiro andar
Precisa-se fallar com a parda forra, de nome Ge-
trudcs ,a qual foi escrava do fallecido Jolo Uaptisla
Correia Nones que morava no Aterro-dos-Afuga-
dos quando fallcceu : na ra do Rangel, om casa de
Victorino Francisco dod-Santos que he para Jncgo-
cio de sou inleresse.
Quem annuiiciou querer comprar medidas do
pao e follia para uso tle una taberna dirija-se a roa
do Codorniz no Forte- lo-Maltos, n. 11 quo acha-
ra urnas em bom eslado o baratas.
- -- A arremataco da Oscrava I.uiza, criolita an-
nunciada no Diario n 217, de 29 do setembro pr-
ximo passado, para o dia 29 do mesmo mez, por exe-
cuclo de Joaquim Jos Ferreir contra Francisca
Maria dos Sanios nSo pode ler lugar nesse dia mar-
cado, por ser dia santo, cuja rremalacio ficou trans-
ferid para boje, 3 de outubro, na casa das audien-
cias, s 12 horas da manha : os pietendentesllve-
nlo comparecer, afim de ler efeilo a arrematado
Roga-soaoSr. S. A. P. do S. P., que quoira
quanlo antes pagar a quanlia de 60,3*0 rs. que deve
de fazendas compradas na toja do fallecido Fran-
cisco da Silva no anuo de 1815 pois j n3o se Ihe
pode admiltir desculpas e nlo o lazendo no prazo
de oito dias ter o desgosto de ver o seu nome por
extenso nesta follia.
precisa-se do um Portuguez quo saiba bem ti-
rar leitc em vaccas e tratar de borla, para feilor de
um sitio niuilo perio dosta praca : na ra Diroila,
n. 36, primeiro andar.
l>.1o-se 1:600,000 rs. a juros de umemeio por
cento sobre hyi'Othecaem propredades nesta ci-
dade: na ruaDircita, n. 36, piimciro andar.
Est justo e contratado por compra o sitio com
casa na esquina da Iravossa da Capuuga que vai
para a Baixa-Verdo perlenccnto. ao Sr.. Francisco
Soares Cordeiro : quem, portanto tiver direiro no
dito sitio e casa, qur por hypotbeca qur por
qualquer titulo queira declarar por esla folha no
prazo de oito dias ; do contrario, concluir-sc-ha o
negocio, e nflose altendcr mais a reclamacSo al-
guma.
Precisa-se de urna ama deleite,
que o tenha com abundancia, e .
95 sejazclosa : na ra Nova, loja n. 23. g
m
m
II CHAPEOS Dl SOL
lina do Pasm-Publico n.
O fabricante doste osUbelecimenlo adverte ao respei
tavel publico desla cidade que elle possue prescnle-
incnte uiirlco sortimento de chapeos de sol, asim
como chapeos de sol de seda furta-cres, dos oais ricos
que tem apparecido nesle mercado e de cores conhe-
cidas ; ditos para senhoras de bom tom adamascados ,
lavrados com suas competenta franjas de retro, tu-
do que tem de mais moderno e do melhor gosto ; um
completo sortimento de chapeos de sol de pannioho de
todas as cores c de todos os tamaitos para homens ,
senhoras e meninos ; ha tambem igual sortinienlo de
fazendas para cobrir armaces tanto de seda de core
como de panninhos trancados e lisos imitando seda. Ad-
verte-se que os fregueses serao ervidos com brevidade,
e se acharo satisfeitos da boa qualidade, do bom gosto e
do prego.
$ NOVO PAO DE PROVENGA.
XJ Vende-u lodos os diai. 8 0 proprietario da padaria e paslellaria franceza \
do Alciro-da-lloa-Vista, n. 50, desejando agradar ^
cada vez mais aos scus freg4iezes, resolveu offerc- fiC
ccr-lhes um pilo que se fabrica em Provcnca por _
ft um processo muito difTerente do ordinario, c que, ^>
S exiyindo farinha das melhores qualidades, mere- g\
<& ce a preferencia do publico, pela sua alvura, V
rt pureza e delicadeza de sua fabricacao. \
ff S se farao pacs de 40, 80 c ICO rs., e sera fcil
Potassa.
Deaembarcou ha poucos dias nina por-
co de harria pequeos, com muito nova
e superior potassa, c se acha venda,
pelo preco o mais barato, na ra dai tia-
deia-Veha, armozem de Baltar&hvei-
ra, n. I9<
Agencia da fundicao
t.ow-Moor, ra da Senssulln-
nova, n. 44.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho, ma-
chinas de vapor.e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, para dito.
AOS 20:000,0000 DE RS.
Vendom-se bilhetes da lotera do Sn8mo Sa-
cramento do Rio-dc-Janeiro, cujas rodas corremm-
protcrivelmento a 18 do corrente : ns ra da Cade.a
do Recife, loja n. 51.
Ciuiha&Ainoriin teem para ven- ^
der, por baralissimo pieeo, b arrobas de cal de Lisboa, para fabrico de
assucar, da melhor qualidade que ha
nesle genero : na ra da Cadeia do Itecife.
|n. 5o.
-- Vende-se a venda da ra deSanta-Thereza, n.
60, bem afreguezada para a trra ; yende-se por sou
dono se retirar para fra da provincia.
JLiUeratiira nacional.
Batflo a venda na lvraria da esquina do Collegio ,
por 4,000 rs. os
SEGUNDOS CONTOS.
pelo Ilustre poda brasileiro A. G. Das 1 v. de 300
pag. em frmalo de oitavo francez 1848. _
Contm este volume : primeira parle consolacao
as lagrimas cancSo, lyra, agora e sempre a va
gem o donzel solao, rosa no mar o amor sem-
pre ella, mimosa e bella, as duas amigas, sonnos,
harmnicos, o Rardo (visfloja um poeta |M*
palinodia, os suspiros, queixumes, ao nn|versa''
de um casamejito r conlo inaugural, a desordem
do Cachias poesia americana.
Aos Pernambucanos, dedicatoria, Tatiyra.
I1YMN0S
A la, a noile, a lompestade
Segunda parle eexlilhas de Fre Anido.
I.a da princeza santa, Guiar e Mustapha lenda
do S. Goncalo solao du senhor re D. Joflo, solao de
Gongalo llermigues, notas.
;.j:
, l,i,hdV los pela sua forma oblonga e elegante.
Na mesma casa contina-se tambem a vender
x
Ocngenheiro Floriannc, D. Portier mudou a sua
residencia para a ra da Concordia n. 8.
No becco do Dique, n. 9, ha urna
mulher que se ofTeroce para coser toda e qualquer
costura tanto do homem como do senhora, por
prcc,o commodo.
J. J. Tasso Jnior faz leilflo, por conla de quem
pcrlencer de urna porclo de barricas e cestos com
cerveja, em lotes a vonlade dos compradores : quar-
ta-feira s 11 horas da manha, na porta da al-
fandega.
Na padaria da ra da Guia, no Recifo llavera
todos os dias a Venda o novo pilo de Provenca fa-
bricado por outro modo do quo o actual 1 e da me-
lhor farinha que ha no mercado o por este motivo
mo se pode lazer senflo a 40,80 e ISO rs.
Vendom-se dous bonitos moleques de naco ,
de 12a 14 annos, muito spertos; 3 negrinha de
12 a 14 annos muito lindas, duas das quaos Silo re-
comidas, e com algumas habilidades; dous inulali-
nhos muito lindos, sem vicios, o que s3o ptimos
para pageos 011 aprenderem olllcio por seren de
13a 18 annos; 5 negras muito mocas, duas das
quaos com labilidades : na ra do Vigario, n. 24, se
dir quem vende.
G. J. do llego manda para o llio-C.rand-do-Sul
o seu escravo' pardo, de nomo Candido.
Manoel Jos lavares vai entregar a sua loja de
bahus da ra do Collegio n. 13, a seu filho Theo-
doroJosTavares : quem fr credor a mesma loja
queira apreSentar suas conlas boje, 30 de setomliro.e
seguuda-feira, 2 de outubro na ra Bella 11. 33 ,
pois da data da entrega em dianle corre lodo o ne-
gocio por conla do mesmo Thoodoro.
Quem Ihe faltar 2 colheres de prata quo foram
adiadas por urna prota nosenlulhos que licam jun-
to a mar no antigo porto das canoas.no Recife,
aprosenlando-outra igual Iho sonlo entregues, na
ra do Apollo, n. 15, terceiro andar.
Alugam-sc dous sitios com inulto boas acommoda-
ces, um na campinha da Casa-Forte e outro na ra
da dila povoa;ao com cocheiras e cavallariccs assnn
como varias casas, de prejos commodo para se pai-
sar a festa ^atratar na ra do Amonm, n. lo.
lid IlltalllJ .tlJ.l Hlli.i.n-.v ............ .------------
abolinhos para cha de todas as qualidades, e tam-
bera, a enfeitar bandejas ricas para bailes 6 sa-
$ ros!
e
-- OITorcce-so un homem casado sem Olhos ,
para administrador de engenho, do quo lem bs-
tanlo pralica o qual da fiador 11 sua conducta :
quem de seu presti.no so quizer utilisar dirija-se
a ra larga do Rozario, n. 35, ou em Meranguape ,
e'mcasadoSr. lia i xa.
,__ Urna pessoa com pratica de escripia
commercial, e bonita leltra, propoe-se a
escrever as horas vagas, nos domingos
e dias sanios, com limpeza,miediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
._ Na ra Direita, padaria n 26, da-so p3o de ven-
dagom a prelas, sob responsabilidade do seus se-
nliores.
Vende-se, no caes da Alfandega,
armazem n. 5, de Antonio Annes
Jacome Prea, feijSo mulatinho,
em saceos, muito superior, e por
preco commodo.
Compras.
Tompra-se um escravo que seja cozinheiro o
qual agradando e desempenhando o mislor para que
se precisa nilo so duvidar do pagar bem : na ra
da Cadeia, n. 39 ou a boiilo do briguo Falos tun-
deado dcfronle da escadinha do Passoio-Publico.
--Compram-so 12 cadeiras do Jacaranda, ou de
oulra madeira queestejam om bom estado : na ra
do Rangel, n 36 primeiro andar, ou annuncie.
Gompra-se, ou aluga-so urna canoa de carreira,
quecarregue 4n 6 pessoas: na praca da Indepen-
dencia loja n. 3.
Compram-se escravos que sejam ofllcias de car-
pina, do 18 a 25 anuos. o de boas liguras ; pagam-sa
bem sendo de bons costumes e peritos no seu olti-
eio pois silo para urna encommenda do Itio-de-Ja-
neiro : na ra do Amorim.n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
-- Compram-se dragonas bandas e fiadores de
officiaes ile primeira e segunda linha : na ra t
Queimado,"loja do cirgueiro n. 10.
Compra-se um balcao usado : quem tiver a
nunoie.
SALSA-PARRIUIA DESANDS.
Este excellonte remedio cura todas as enormi-
dades, as quaes silo originadas pela impureza do
sangue, u do systema ; a saber :
Escrfulas, rlieumatismo erupcOes cutneas,
brebuthas na cara, hemorrhodes, dooncas chroni-
cas brebuthas, bertoeja, linha, inchaQOes, dores
nos ossos e juntas,ulcaras, doen^as venereas.cialica,
cu'rermidades que atacam pelo grande uso do mer-
curio liidropisa, ex postos a urna vida extrava-
gante Assim como chronicasdesordena da cons-
tiluicilo serflo curadas por esta tao ulile appro-
vada medicina.
Rio-de-Janeiro, 14 do dezembro de 1847.
Sr. Frederic H. Sfiuthwortk.
Tendo eu lido no Jornal do \Commercio e no Diario
do lito de Janeiro por diversas vezes annuncios da sal-;
sa-parrlhadeA. B e I). Sands, que se vendo na
ra do Rozario, n. 79, por Frederico H. Southworth,
a este me dirig o Ihe comprei urna caixa com 12 vi-
dros do dito extracto e|achndo-me com um gran-
de tumor no sovaco do braco direito e parte do pei-
to soffrendo inmensas dores por todo o corpo me
deiberei a tomar o extracto da dita salsa ; e tendo
tomado dous ridros e usando delle, logo ao segun-
do vidro conheci immensas melhores, e continuan-
do liauci perfeitamento bom ; e tendo alguna
am gos meus feito uso do dito extracto para rheti-
malis.no, tem no uso delle por fim do terem lomado
8 a 10 vidros ficaMo bons. do que lem resultado man-
darcm-me de differentes partes encommendas da
dila salsa para fora desla corte a diversos que leen
eifto uso delta e se loem icstabelecido perfeilamente;
emandando-me agradecer, assim considero ser un
aclo de humanidade c obrigacSo minha fazer publi-
co tilo cfncaz e salular remedio. Joaqwm terretra
deSouta Flores. '
Rcconheco verdadeiro o signal supra. llio, 15
de dezembro do 18*7. Em testcmunho de verda-
I Joaquim Jos de Castro.
Vende-se nicamente em Pernambuco na botica,
do Vicente Jos de Rrito, na ra da Cadeia do Re-
Vende-se urna escrava de 18 annos, de bonita,
figura, que sabe cazinhar odiarlo de urna casa, en-
gommar, coser sofTrivelmente eensaboar: na ra
da Cadeia do Recifo, n. 53, segundo andar.
Vende-se una carruca nova de condu/ir pipas
porbaixo.com as competentes correntes, por pre-^
-1 co commodo : na estrada do JoSo-Fereirs, indo da
I Soled'ade para o Manguinho, n. 19.
ILDO
.
'



Vrndem-se a lindas mulatas, milito
ni ra bou costurciras e engommadciras;
? '> miilalinlio de i a annos j un moleque
*'< i anuos pouco mais ou menos, e pro-
P< 10 de lodo o serviro de'casa e cam
A
pan
po, ou
pagem : na na do Crespo, loja n.
3 A, se dir quein vende.
Chocolate homa'opathieo.
Na fabrica de licores do Aterro-da-Boa-Visla, n
17. alm do chocolate de canclla, baunilha sm'ide .
ferruginoso e muscoislandieo,|ha do homoeopalhico
o tjual he milito unpara as pessoas quo se curan
pela medicina homreopathica.
--Vende-so um carro de duas rodas com arrciosc
ravallo, ou sem olio, a vonlade do comprador : na
ra da Cruz, n. 38, ou na cocl.eira do Augusto.
)endem-se pecas de madapolilo com 20vara'
minio largo e oncorpado, a '_>,800, 3,000 e 3,200 r '
e a re albo, a 7, 8e 9 vintens ; pegas de chitas nar
eoberta a 6,000 rs., e a ico rs. o covado : na "ra
dol'asscio, loja n. 17.
--- Vende-se un carro de quatro rodas envidra-
ndo de almofada com os competentes arreios :
tildo novo : no Alerro-da-Boa-Vista n. 46.
- Na lojan. 5 A da ra do Crespo,
ao p do arco de Santo-A ntonio, vendem-
se mantos de laae seda, muito bonitas,
pora meninas, pelo barato preco de
a,ooo rs ; assim como cortes de chita es-
cura, com io corados, a i,Goo rs ; cassas
de cores, de cjuatro palmos de largura, a
2/|0 rs o covado.
-Vendem-se 4 molequcs de 14 a 18 annos ; dous
pardos Jo 8 anuos; un mulatinha de 16 annos
que engomma marca e faz lieni lvarinto: 4 no-
grinhasdo inicuo, de 14 annos; duas escravas mo-
cas : na ra Dircila, n. 3.
- Vendc-se un:a pardn mut6 ba coeinheirn u
engommadcira ; 2 lindos moleques de nagfio de 12
:i 14 annos nina prelado 20 annos, muito haa cn-
gommadolra ecoitureira; uma ncgrinha de 12an-
nos.com habilidades: no pateo da matriz de S -
Antonio, sobrado n. i.
Vendem-so chapos de castor branco a
.1,000 rs. : na ruado Quemado, n. 22. '
-- Vende-se marmelada em latas grandes e pcoue-
lias ; .loco de ginja a 320 rs a libia : ludo muito I
superior : no patoo do Carino, venda n. 1.
2 a i mulo Crespo, loja 11,
heira estrlharia e quarlo para pretoa, com grande
poco de apon de beber, plantado do rvoredoa de
irucio o com baixa para capim na ra do Vigario,
ti. Iu.
ISa caaa do modas francezas de M. Millnchau ,
lio Aiierro-da-ltoa-Vita, n. 1, ha para vender um
indo sorlimento de barege para lulo; mantas de
liaroge asselinado para luto ; chapeos de crep pre-
to ; fitas, lucos o luvas prctas; crep o cscomilha
preta lisa. Na mesma casa se fazem com gosto e
promptidao vestidos, toucados e chapeos.
Na casa de modas francezas de M. Mi linchan ,
no Aterro-da-Boa-Visla, n. 1, priniciro andar rc-
ceheu-se, pelo ultimo navio viudo de Franca um
sorlimento de chapeos do senhora da ultima mo-
da tanto de seda como de palha ; visitas, palitos ,
moda nova e muito maiseleganles quo os mantele-
tes ; camisinhas bordadas; llores muito em conta
em porgfioea relalho; plumas linas: luvas; cam-
braiadelinho.
g^*3 LOJA **7>0
I DE 6 RORTASN8
yondom-seosseguintcs livros: Burlarnaqiio, direi-
to da nalureza 5 v. por 9,000 rs..; Cdigo dos
n..u*l" >"' f V" Pr 4' : ,acrix' ,irci'
4, ,'fL: Pr -,00 "' : tmMn individuaos,
1v. po. 2,000 rs. ; oi.rigacOes do jury por Carlos
Comte.por 3,000 rs.; Azuni, dlreito martimo 2
y- novos, por 4,no0; Formulario de libellos, or
Coirea leles, 1 v por 3,000 rs. ; Peculio de autos
n,y,;Lnr-,0?.rS-: Tr,,"d l,a f0rma d,,S I>l08
po Gregorio Martina,! v. por 2,500 rs. ; Manual da
""o, por 6,000 rs. ; Chcfs d'a'uvres do Vollairc ;
Alias por Simaneourtnovo, por 10,000 rs.; Retiro
a trocar.
-- Vcnde-Sff-Wna cscrava do 20 annos, de nagfio
''" lln otl|ln figura com urna cria de um anuo,
ja desmamada c muito linda : a prota cozmha o
nano de urna casa engomma lava de sabfio e var-
rella arruma hem un .la, e he muito entendida:
i niniivoporqiiese vende se dir no comprador:
na na da Cadcla ao p da casa da Apollinea.
Na ra dasCruzes, n. 22, segundo andar-, ven-
l"-so uma parda de 26 annos, de boa figura, que
engomma, cose Chito, cnzinl-.a e lava; uina crioula
ua mi'smo idade comas mesmas habilidades ; urna
preta la Costa, do 24 annos, que cozinl lava d
vendo na ra ; um cabritilla do 14
para pagem.
annos, ptimo
ClAVPAJNIl.
da verdadeira marca COMETA, uma Tactura nova des-
pachada, no da 28 dosetembro da alfandega : ven-
dc-sa na ra da Cruz, no Recite, n. 17.
No Aterro-da-Boa-Visla loja n 78, vendem-
se sapatoes a 800 rs.; bonetes para meninos a 800
rs. ; ditos do riscado para boinctn a 300 rs. ; ditos
de marroquim nieto obra bem eta, a 2,500 rs
ditos do merm para meninos, a 4,000 rs. ; bolins
para homem ,a 2,800 rs.; baliusde madeira ciiver-
nizados a 1,000 e 2,500 rs. ; couro do lustro gran-
ito ; marroquim superior ede varias cores.
Hernn!
ou a honra dos castellanos drama m 5 actos do
Vctor Mugo traduzido em portuguez por Fran-
cisco Jos Pinhciro Cuimarfies : vende-se na loja do
livros do paleo do Collegio de Jofio da Costa Oou-
rado.
Vende se, poi prego muito commodo a obra
ile dircilo mercantil, por Silva Lisboa : na na do
Cabulla, loja da esquina, defronlo da matriz.
Vende-so urna casaca preta, de superior pan-
no quasi nova : uma dita verda c dous colletes
ludo por menos de seu valor: ua toja de alfaiate,
na travessa da ra da l'raia ao pe. do Iheatro.
Vendem-se cortes de Ifia escura muito encor-
pada e do lindos padrOes, polo barato prego de 2,500
rs. : na ra do Quemado, n. II.
Vende-se urna tipoia com todos os sous perten-
ces em bom estado por prego commodo : na ra do
Nogueira.n. 18.
Oprnpriclario deste estabelecimento, por
Circunstancias occorridas v-se obrigado
a relirar-se para a Europa, e como nfio o po-
de fazer sem primoiro pagar a seus credo-
res oTorece algum ahalimento a seus de-
i vedores quo quizercm saldar suas contas
no prazo de tiinta dias findosos quaes, el-
le passaia fazer transacgfio coms docu-
mentos quo tem em seu poder isto tilo so-
monte, alim de com o producto delles, po-
der mais fcilmente saldar contas com seus
credoros, e supposto que esta transacgfio
motiva grande projuizo ao anunoianto, ne-
nhuma ulilidade resulta aos devedores, quo
licain no niosmocasoohrigados a pagar por
mtciro seus documentos sem quo talvez
encontrem contcmplagoalguina, e nem o
ahalimento que o aiiniincianlc por mcio do
seusannunciosolferccea lodos os devedo-
res : tambeui tem resolvido vender o esta-
belecimento com o rosto das (azoadas, quo
sendo anda m grande numero, sordo ven-
didas todas por precos diminutos a saber :
pegas de chitas de cores lixase pannos finos,
a 5,500, 6,000 e 6,500 rs. e muito linas, en-
jgj liando algumas de eoberta a 7,000 e 7,500
is., e o covado a 170, 190 e 210 rs. ; pegas de
madapolilo largo o muito encornado, a
.(,000, 3,200, 3,500, 3,800 e 4,000 rs. ; dito
gg largo o lino de superior qualidade a 4,500.
g ,'800',V-'00.s. ; princeza de duas larguras, fe
f.abiOrs. o covado; lila larga a 380 rs ; gf
casineta prel;, p 800 rs |tlvas (l |lc||jca (
^ para senhora, a 320 rs. ; ditas de seda a
te^ 320 rs, ; ditas brancas muito finas, para ho-
^ mcn, a 400 rs. ; pannos de mesa de mcio de
3 sala de bonitos gostos e de superior quali-
$i dade, a 3,000 o 4,000 rs. ; golas e pescozi-
g Mos de cambraia, fazenda muito propria
|^ para meninas, a 200, 24o c 320 rs. ; los de II-
Jg nho muito grandes o de superior qualidade,
^ a 7,000 c 8,000 rs. ; ditos mais pequeos a
jg <>,000 o 6,400 rs ; suspensorios do mei a
40, 120, o 160; ditos de borracha a 200 e
^ e240rs. ; ganga azul, a 100 rs.; algodSo
^ do hstras muito cncorpado proprio para i'
g escravos a 170 rs ; chales grandes loro- &
S3 prios para escravas a 800 c 1,000 rs. ; ditos ^
g linos de diversas qualidados, a 1,500, 1,8(10 9?
;<< c 2,000 rs. ; e outras muitas fazendas que s
gj por occ.tiparcin muilo lugar dcixam de sor Kj
sg annunciadas, o que lodns serSo vendidas f
^ anda mesmo com grande projuizo, so afini
^ (leso acabar com o cslabolecimeilo.
quer parte: na ra do Trapiche, arma-
zem n. i-j.
Vendem-sc dous pianos rorle* Je caranda ,
chegadoa ltimamente, que, alm de aerem um
magnifico ornato do urna sala, teem excellcntes
vozes sendo o mechanismo da muila approvad*no-
va invengan chamada repitidor patento de Col-
lard : em casa de J. Keller & Companhia na ra da
Cruz, n. 55.
Vondcm-sf barril pequenoi com cal vlrgem de Lia-
bo, a man nova que ha no mercado, por preco com-
modo : na ra da Moda armazem n. 17.
Vendem-se queijos londrinos os mais fresesao
que ha no mercado ; latas com bolachinhas de ara-
ruta ; ditas com hervilhas; ditas com sardinhas :
na ra da Cruz, no Rccifo n. 46.
Vende-se, na venda de Joaquim
Correia Rezende Rgo, o largo do L-
vramento, n ao, superior cal de Lisboa,
em barrisde 4 a 5 arrobis, n mais nova
que ha, viada pelo ultimo navio, por pre-
co mais commodo do que em outra qual-
quer parte.
Vendem-se acedes da ex
comprimento: ludo de madeira de fundo e d
Ihor qualidade possivel : na ra do Collegio n n
-- Vende-se uma loja de miudezaa. alta ioa,
ro-da-Boa-Vista, n. 58, com os fundos de 600 na
800,000 ra., e de cada fazenda uma pequea non-i
bem afreguezada e cat em boa siluagflo, pr (^
no centro da ra: vende-se por o dono rliu "
paraomatto.e por isso tambem se far necoein
comquemquizerarmagilosmenle, ou com i r,
zondas com algum abate que fr justo : a tratar ni
mesma loja. "'
Vendom-so enfeiles para cabega do senhora
chogados ltimamente do Itio-de-Janeiro na ,'.'
Piova, n. 80. U|"
Vende-so um bom cabriol coberto, muito mi
neiro e com oxcellentes molas : na cocheira do j0
se Ma.na na ra das Flores ou na ra daa I.'
geiras, n. 15.
Vende-se vinlio verde, muito bom e sem coa
eigio alguma a 200 rs. a garrafa ; vinagre braned
le Lisboa muito forte : no paleo do Carmo, venda
-- Vendc-se, para fra da -provincia, ou algum
engenho, umaescravadenagfio.de 20 annos, com
habilidades, e he de bonita figura : na ra Nova
Vendem-se chales e mantas de seda para senho-
ra; luvas do pellica lisas e bordadas ; ditas de seda
tmeta companhia ele Pernambuco S.o5..X^
e Taramba: no escriptorio de O- ^.t.(!?Jll'"lr!'!u,,_m pret0e!eCOre? ditos. 'iveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 0.
Cera de Lisboa.
Na ra da Cruz, n. 60, ha um completo sortimen-
to de cera de Lisboa emcaixas do todos os tama-
nhosquo os compradores desejarein; assim como
lambem ha uma grande porgilo da q^e vem cm gru-
mo e cm pilo vende-sc por menos prego do que em
outra qualquer parto.
Para senhora.
Vende-se um rlcoaderegode ouro matizado com
diamantes finos, por 350,000 rs. : na ra Direita
sobrado n. 16, que faz esquina para a travessa d
S -Pedro.
Vende-sc um escravo caiailor, o que entende de
plantagries de sitio : na ra Itlreila sobrado n. 16,
quo faz esquina para S.-Pedro.
Vende-se uma escrava crioula do bonita (gu-
ra com uma filha de dous annos : a escrava he p-
tima lavadeira, engommadeira o que entende de
costura e de cozinha : na ra Direita n. 32.
raque preto; ludo para senhora; borzoguins pre-
los para senhora ; sapatosdo tapete para homeme
senhora; bicos de seda, brancos', muito alvos e de
todas as larguras ; llores para chapeos de senhora
chapeos deso, de soda furla-cOres para homem o
senhora ; cortes de cambraia para vestidos um
completo sorlimento de perfumaras ; bem como qiw
tras fazendas por prego commodo : na ra Nova Y
n. 30, joja de Domingos Antonio de Oliveira.
Anda cxisle um resto dos verdadeiros charuto
deS.-Kclix os quaes se vendem nicamente
do Quemado, ns. 16 e 17.
na ra
v
erseravosbn-
ra das La-
-Vende-sc cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobas Ohegada pelo ultimo navio, pnr preco commo-
do : a tratar com Almeidn & Fonseca, na ra do Apollo
A isooo rs. ,
ancorctas com azeitonas superiores : ven-
dem se no caes da Alfandega, ama/em
n. 7, tle Francisco Dias Ferreira.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores cortes de niein casimiras clas-
n r. iHS Pl0 bara' Pr0 d0 2^'10 000 rs.
Coegio ?alf. : "anVa 'ja da cstr(,|la' "a do
- Vende-se um moleque de boa conduela o que
seafianca he recommendado a ser vendido a nos-
8n."rn?n? P"1*!" ,le l*U bom senhor:
na ra Direita, n. 16, esquina que volta para S -Pe-
dro, sedira qtiom vende. '
Hgod.io monstro de 8 palmos
e mcio de largura.
ojan. 5, que faz esquina para* ra do Colln-
Yinho verde.
Vcnde-se o puro o refrigerante vinho verde, che-
gado ltimamente do Porto por prego commodo :
na ra cstreita do Hozario venda que faz esquina
ara o pateo do Carmo.
Vcndcni-sc e alugam se
bisas hamburguesas, por prego commodo : na ra
ilas Cruzcs, n. 40.
- Vcnde-se sag fino tapioca do Maranhlo, ce-
vadinha, cevada gomma de araruta : na ra das
Cruzcs, n. 40.
Charutos.
Na fabrica da ra cstreita do Rozario, ha um com-
pleto sortimento de charutos muito superiores,
viudos da llahia, pelo ultimo vapor, os quaes se es-
tilo rotalhando por prego muito enmmodo, e das
quahdades S.-Fclix, deputados regalos de Havana
cavalleiros, Julias, cigarros da fama.qucm fumar sa-
ber .regala superior, e outras muitas qualidades.
- Vendc-se, na ra das Cinco-Ponas, n. 71 una
preta crioula de 18 anuos, sem vicios: vende-se
para um pagamento Na mesma casa tambem se ven-
de panno de liiibo.muilo superior cem conta visto a
qualidade.
jm eudem
J$J ratos n
"-^* rangeir/is n. 14 se-
nudo andar : um lindo mo-
lequode18annos; um dilo de 16 annos, com olTI-
ciodnsapateiro ; um preto de nagfio, bom ganhadur
de ra de 30 annos, por 380,000 rs. ; um pardo de
30 annos, por 35.0,000 rs. ; um dito de 25 annos
do c6r escura com bons principios do earpinleiro'
e entende de manijo ; uma linda parda do 20 an-
uos com algumas habilidades, e que he de boa
conducta; duas negrotas de 15 annos; e oulros
muitos escravos.
Aa ra de Agoas-Verdrs.
n 46,
vende-so uma ptima escrava do 20 annos, com
um (Ib o do 5 niezes, ptima ama. de leite e propria
para todo servigo ; qualro ditas para todo o servi-
go-; duas ditas quilandeiras, por 600,000 rs.; um
lindo niulalnho, de 14annos;3 escravos e um inn-
lequo do 18 a 20 anuos ; e 75 acgOes da companhia de
Beberibe, com algum abato.
Vende-se a loja de fazendas n. 17 da ra do
Passeio, com bonita armagfio de vinhalico, e com
poucos fundos : a tratar na mesma.
Na I
gio. de r.uimnfnea & Companhia", vende-se a n
fazenda de algodao branco muilo proprio para toa-
Ihas pelo barato prego de 640 rs. D-se amostra.
*r--vende-se muitu superior biaeonto francez de
Rhoims : ua ruada Cadeia-Velha, n. 29
--Vendem-se 3 lindos moleques de 14 a 18 annos ;
um pardo de 18 annos, de elegante figura ; um pro-
lodo 25 annos, bem robusto; uma negriuha de
12 anuos muito boa costuroira ; 2 pretasde todo o
servigo; no pateo da malriz de S.-Anlonio sobra-
na ra da
do u. 4.
Vende-se
urna casa terrea muito grande, sita m
.... i .. ""' "* terrea multo grande, sita na
ra da Manguelra. na Boa-Vista, n. 11, com grandes com-
nodos, quintal muito grande e muitos arvoedos de fruc-
doSAr'g5or,en27maSra,0aVel P,,Tel: trata-se na ra
-Vende-se o sitio do Caldero, a boira do rio
fomcasagaandode vivenda urna mei'agoa, co-
cha1 HYSS0N,
denptiina qualidade a 2/240 rs. a libra :
Crui, no Hecife armazem n. 13.
FAHELO
a 3'ooo rs. a sacca
nos armasenj n. 1 e 3 do caes da Alfandega, c no de n.
.15 da roa do Amorim, de J. J. lasso .'unior,
Siseados monslros.
Vendem-sc superiores riscados uionstrof, jbein co-
nlircidos tanto pela qualidad; como pela largura em
demasa, pelo barato preyo de 280 rs. o covado. Fstea
riscados sao chogados ltimamente : ascflre sao fija
< os padres muito modernos e de bom gosto : na nova
loja da hslreila da ra do Collegio, n. 1.
Vende-so cal virgem de Lisboa,
chegada no ullima navio, em -barris pe-
queos, por menos do que em outra quil-
- Vende-se uma preta de 20 annos, que cose, en-
gomma e lava bem urna casa: na ra de Apollo.n 15
lerceiro andar. '
Tao Provenga.
domingo, I." deoutubro, estar a venda e conti-
nua lodos os dias, na padaria de uma s porta, na
praga da Santa-Cruz, o novo pilo Provenga do 160,
80e40rs.; o pode asseverar que est inteiramcnlo
habilitado no seu fabrico, como tambom com as me-
Ihores familias que ha no mercado, e no poupar
ludo quanto fr misler para que seus freguezes, e
os quo o quizercm ser, sejam bem servidos como o
Sflo com a bolaclnnha regala, doce e aguada, ecnm
ludo o mais que ueste estabelecimento so fabrica :
na travessa da .Madre-de-eos, n. 13, deposito da
mesma padaria, osla venda ludo quanto se fabrica
ua mesma padaria.
Na nova loja da ra do Livra-
mento, n. 19 de Antonio
Llliz de Btrilo Correia,
vendem-se sapatos de duraque francez para senho-
ra muito boa fazenda a 2,000 rs."; ditos de setim
preto o branco a 1,920 rs.; borzeguins, a 4,000 rs
sapatosiilc duraque do Lisboa a 960 rs. ; ditos pa-
ra meninas a 840 rs. ; dilosde marroquim, a 960
rs. ; ditos de couro de lustro a 1,800 rs.; ditos de
lito para menino, a 960 rs. ; ditos de marroquim a
640 r>.; sapatOes de couro de lustro, para liomcni
francezes a 5,000 rs. ; ditos fotos na (erra sapa-
tos do marroquim para senhora, menino o meni-
na; dilosde couro; pctlcs de couro Jo lustro a
4200 rs.; ditos de marroquim a 2,200 rs. ; couro
de cabra em branco o preparado ; sola ; grasa e
outras miudezas. B '
Ve i dern^sc oslivrosseguintcs-
Tres bofetadas pelo autor de Margarit Aimondo 2
omosem um s vou.ne; as obras completas do
.u.z de CamOes.em formato grande, 3 tomos em
bom uso; Horas Marianas; |c0cs de geognipbia
pelo abhado Caullier; a Vida do D. JoSo do Castro
Oblacuo do chnst.an.smo Tentativas poticas por
Antonio ngel de Torres llandeira ; Cdigo do pro-
ceaso criminal, novo e o mais moderno .cerniendo
as reformas eoxplicages : na ra das Cinco-I'ontas,
. :-y,|l1lem-se. por precisflo, 3 escravas com boas
Habilidades; duas mulatinhas muito lindas; um
moleque de II annos; urna mulatinha de 6 a 7 an-
nos ; um prolo de 20 annos, ilo bonita fia-un; um
moleque de 7 annos : na ra das Flores, n."l9.
-Vendem-se 44 travs de 49, 45 i $9 nimn. je
Escravos Fgidos
Fugio, no da 27 docorrente a preta Delfina ,
denacKo Costa; consta que anda vendendo agoa
pelas ras da lloa-Vista. Esta escrava oi de Jos do
Freilas Barboza. Quom a pegar levo ra Direita,
n. 21 quo ser generosamente gratificado.
50,000 rs. de gratificago.
Fugio, no da 21 do corre ule, o preto Similo de
nagfio Costa, de 30 a 35 annos; tem algumas mar-
cas de bexigas pelo rosto e alguns talhos, signaes de
sua nagSo ; tem falta de denles na frente, o uma
marca no peito por tor ha lempos levado um causti-
co ; he bastante grosso, bem reforgado, tanto em
corpo como cm pomas e bragos altura regular;
quando falla he de maneirasquelhecusta bem, a es-
pecie de cansaco ; levou caigas de ganga azul, ca-
misa de baeta encarnada ; faz uso do ceroulas coa
fitas amarradas por dcnlro das caigas; levou mais
urna porgilo do roupa, por isso talvez tenha mudadc
de trajes. Roga-se as autoridades policiaca lanfi
desta cidade como da villa do Cabo, Serinhflcm e
llacei, por ser osle o ultimo lugar aonde elle j
esleve por alguns annos e se desconfia que para
la fugisse a mesma recommendagfio so faz aos ca-
pules decampo que o apprehcndam e levem-no
a ra Real, no Manguinho n. 51 que recbenlo a
gralificagao cima.
-- Fugio, no da 17 do correnle, n parda Francis
ca, levando comsigo seu filho menor do um anno ;
he de cOr clara bocea regular, com Taita de denles
na frente, cabellos cacheados e cortados, nariz afi-
lado ; tem um defeito cm uqi dedo da mo esquer-
ra, olhos regulares, peitos pequeos ; levou vestido
de chita azul com florss encarnadas o nutro de ris-
cado ja deshotado : o filho foi vestidoeom timflo j
usado : quem a pegar leve a a ra do Trapiche-No-
vo 11. 40, que ser recompensado
-- Desappareceu, da casa de seu senhor no bairro
doRecife,nanoitedodia2l do correnle, uma es-
crava de nome Alaria, do 16 annos pouco mais ou
menos estatura regular, corpo um pouco cheio;
tem falta de alguns denles na freeto do lado superior,
ra|la un tanlo do vagar indicando vergonha levou
camisa do algodoznho c vestido de chita rflxa em
bom uso, o contas azues no pescogo : tendo chega-
do lia pouco lempo do sertio torna-se conhecida
pelos modos e foiges : quein della tiver noticia, ou
a apprehender dirija-se a ra do Torres casa de
Joao Pinto do Lemos que ser devidamonte recom-
pensado.
--Fugio, no dia 17deselembro, a crioula Anna .
a la, tnagra.com o dedo mnimo da mito esquerda
aleljado; tem falta do denles na frente ; levou pan-
no da Costa, o saia do chita ordinaria. Esta escra-
va tem de coslume andar em Olinda ; nlilula-se for-
ra ; tem um filho 0111 casa do vigario da Roa-Vista ,
ooutroem Coianna para ondo talvez fora. Roga-
se as autoridades policiaes c ca pitaes de campo qu""'
aapprehendamo levem-a a ruado Rangel, n. 8,
que senlo gratificados : tambem se .proceder con-
tra quem n tiver oceulta.
l>...
.......
VA t'T I
ni. .11. t It rrilA.
'IU1U
MUTIL
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPG737MVF_QGOK9N INGEST_TIME 2013-04-24T19:30:49Z PACKAGE AA00011611_06526
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES