Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06525


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ann
XXIV.
Segnnda-feira 2
0 0/171/0 publicarse todos os das que nao
i ,riMii de guarda: o preco da assignatura he
do41000 rs- por quartel, paqoi adianlados. Os
nnlincios ds assignanle* so inseridos
rimo de 20 rs. por linha, 40 rs. em typo dif-
tereaU< e as repelieres pelartnetade. Os nao
iinsnlespagaro8rs. por liona a 1(50 rs
Jin ijpo difireme, por cada publrcacao.
PHASES DA I/UA NO MEZ OE OUTUBRO.
/watt, a 5, s 1 l horas e 42 nln. da manb.
?*, a 12, 1 hora e I mln. da tard.
*m *&, a 20, s 11 horas e 27 mln. da tard.
PARTIDA DOS CORREIOST
Golanna e Parahiba, segs. e sextas-reirs.
Rio-G.-clo-Norte, quintas-feiras ao tneio-dia.
Cabo, Serlnbaein, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macei, no 1.", a 11 c 21 de cada raer.'
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vi,u e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-reiras.
011 oda, todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, s 9 horas e 18 minutos da nianh.
Segunda, s 9 horas e 42 minutos da tarde.
de Outubro de 1848.
N. 210.
DAS da semana.
Segunda. S. Os Alijos da Guarda. Aud. do
J. dos orph. do i. civ. e do J. M. da 2. v.
Terca. S. Candido. Aud. do J. do c. da I.
v. e do J. de paz do 2. dist d i.
Quarla. S. Francisco de Assis. Aud. doj.
doc. da 2. v. c doJ. de paz do 2 dist. de t.
Quinta. S. Placido. Aud. do J. do orph.
do J. M. da I. v.
Sexta. S. Bruno. Aud. do J. do civ. c do
J. de pazd i 1 dist de t.
Sabbado. S. Marcos. Aud. do J. do c. v.
e doi.de paz do 1 dist. de t.
Domingo. O Patrocinio de > Jos
CAMBIOS NO DA 30 DE SETEMBRO.
Sobre Londres a 23 '/., <* Pr I* rs. a 60 d.
Pars
Lisboa 120 por cento de premio
i) Rio-de-J.ineiro ao par.
Drsc. de lett. do BQRI firmas a 1 ?,' ao mez
Aecflesdacomp.de Beberibe, aO/rs. aop.
Oiiro.Oncas hcspanholas 31/500 a 31/700
Muidas de 6/400 v. 17/7U0 a 17/800
de6#100n. 16/700 a 16/800
deT/000... 9/000 a fl/MO
PrauPatacoes brasilciros 2/1)30 a 2/040
Pesos columnarios. 2/030 a 2/M0
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/920

IARIO DE
PARTE OFFICIAL. I governo da pbovincia.
uco.
EXPEDIENTE DO DA 22 DE JULUO.
MINISTERIO DO IMPERIO.
Illm. e Exm. Sr.Sen
rador o ofllcio de V. Exc
OfFnio. Ao commandante das armas, remetiendo
mu officio do Exm. presidente da Parahiba, acompanha-
resenloaS. M. o Impe- Idodeum requerimento em que Franklin do Reg Ca-
ri. 25 com data de 91 do I ra,can,e de Albuquerquc Barros, primeiro cadete do
"7p"s o p7dndrqVese1Txeo
Sd.W delude agoito de 1816, que determina ^^uS^^gZ^^^'^10'
que nos sessenta das anteriores e nos trinta poste-
-.ores ao dia da eleicfio primaria so suspenda em to-
oo imperio o "perutamento; visto quo, por causa
das expressej-syeleicfio primariaque se refere
secundaria, (pendem alguns que aquella disposi-
co Icgislativ u,To lie appicavel senfio eleicfio de
eleitores, e outros sustentan) que por identidade
de rasilo, ou ao menos por analogia de diroito, he
comprehensiva da oleicfio de vercadores o juizesde
paz : huuvo u invamO' Augusto Scnnor pir boiu de-
clarar que a mencionada disposicio gmenlo so re-
fi'i'4 s cleic,cs primarias, que silo aquellas em que
i^msssa dos eidsdfios votantes elege os eleitores ;
fi se podeitdo, porlanto, applica-la s eleicns de
vercadores ejuizes de paz, porque cssas sao direc-
tas ; e as palavras da Ici devem entender-se no sen
sentido restricto, e nfioamplla-la. O quo commu-
nicoo V. Exc, para sen conhecimento.
Dos guarde a V. Exc. -Jote Pedro Dial de Car-
talho. Sr. prosidenteda provincia de Pcrnambuco.
Cumpra-8e. Palacio de l'rnambuco, 29 de se-
tembrode 18*8.Cosa finio.
Illm. Exm. Sr.Fram presentes a S. M. o Impe-
rador os oflicios do V. Exc. de 7 e 12 do mez passa-
do, acompanhados da circular que om do mesmo
mez expodio V. Exc. s cmaras municipses dessa
provincia, provenindo as soguintes hypolhoses do
duvidas que na eleigflo das ditas cmaras e nade
juizes de paz teriain de occorrer.
1. as freguezias da Alaga-de-l!aixo, AssumpcSo
de Cabrob, Ipojuca, Serinhfiem e Jaboatfio, as
quaesnfio existem eleitores, ou por nfio terem sido
eleitos em novembro do auno passado, ou por os
haver declarado Ilegtimos o nullos a cmara dos
Srs. depulados.
2.' as freguezias em que as juntas de qualifica-
cilo, compostas de eleitores da actual legislatura,
umhora do sua legitimidado s posteriormonle hou-
vesse decidido a respectiva cmara, concluirn! os
tralialhos de revisflo da qualilicacfio do votantes.
3.' as freguezias onde os ditos trabalhos de re-
viv.! nfio fram comegados, o concluidos, em con-
sequencia do aviso de 13 do dezembro de 1847.
i as freguezias onde nfio csLivesscm concluidas
as novas qualificagOes ao lempo de fazer-se a eleicfio
das cmaras municiraes e juizes do paz.
E, inleirailo o mesmo Augusto Senhor de ludo o
que V. I xc. pondera nos mencionados oflicios, 1iou-|
ve por betn declarar :
1." Que bem resolver V.- Exc. sobre a l. hypo-
Ihese, ordenando quo, as freguezias-onde nfio ha
eleitores, ou porque nfio fram eleitos, ou porque
a cunara dos depulados declarou as clciccs Ilegiti-
mas e millas, se procedesse na forma do art. 6" da
ici de 19 de agosto de 1816, como insina em caso
scmolhsnte o decreto n. 480, tle 24 de outubro de
1846/
2. Que na 2.* hypothese, islo he, as freguezias
em quo as junlas do qualificaefio que funecionaram
r concluirm osseus trabalhos, crain composlas de
f'lores da aclual legislatura, cmliora sobre sua le-
B.limdado s posteriormonle bouvesse resolvido a
cmara dos depulados, cumpre que so rcconhecain
corno vlidos os actos praticados por taes juntas; por
isso que, nfio tendo al boje a cmara dosdeputados
decidido a duvida que, lhc foi affecta pelo aviso de
18 de abril do cocreute auno, o leudo por oulro lado
reconhecido legtimos os eleitores do quo so trata,
devero repular-se vlidos os aclos por elles prati-
cados, emquanto o contrario nilo fr pela mesma
cmara decidido; devendo nesta parte considerar-
so revogada a disposieflo daquello aviso, o a do de
19 de maio tambem desto anno. *
3. Que bem decidir V. Exc. sobre a 3.'hypothe-
se, ordenando que as freguezias onde os trabalhos
le rcvisDo nfio estavam ainda comegados, ou reco-
nhecidos, servissem os eleitores da aclual legisla-
tura.
4. Que as freguezias bndose dr a *. hypothose,
islo he, onde nfio cstiverem anda concluidas as no-
vas qualilicaces a.tempo de fazer-se a eleigfio,
cumpre que para ella so convoquein os cidadfios qua-
lilicados no anuo anterior, como em caso semolhan-
le foi j decido por aviso expedido ao presidente da
provincia de S-I'aulb, em 5 de julho do correnle an-
no, cujas iflsposicoos devora V. Exc. fazer observar
nessa provincia ci tudo o quo a ella fr appicavel.
E porque dos citados oflicios de V. Exc. se infere
que as eleices das cmaras municipaes o juizesde
paz, nfio poderiam alii verilicar-so no dia 7 do cor-
rente, ha S. M. o Imperador por bem quo, a ter-se
realisado cssa hypothose, designe V. Exc, quanto
antes novo dia para as mesmas eleigOes, caso o nfio
lonha feilo; recommendando s autoridades respec-
tivas que emproguem lodos os es/orcos para que
ellas so facam com a devida rcgularidade, e se con-
rluam a tempo de poderem as novas aulofidailes en-
trar no exercicio de suas funeces no dia 7 do Janeiro
prximo futuro. O quo tudo participo a V. Exc,
r*vasua intelligcncia e'governo.
Dos guarde a V. Ext.Jote Pedro Diat di Careo-
Iho.Sr. presidente da provincia de Pcrnambuco.
Cumpra-se. Palacio do Pcrnambuco, 29 do scteui-
j#iiro de 1848.Cotia Pinto,
que >. S. informe a respeito
Dilo. Ao presidente e secretario d'assoeiaco com-
uercial, dizendo que, grato s lisongelras expressdes
com que Ss. Ss. o obsequiaram, aceita o titulo de socio
honorario dessa associaco, e esforcar-se-ha por dar ao
coinmercio desia praja toda a protec(o c auxilio que
cstiverem ao scu alcance.
Dito. Ao inspector da thesouraria de fatenda, re-
metiendo mu cxemplar do resumo analytico dos resul-
tados do cominerclo c navegacau dcste imperio no de-
curso dos seis ltimos anuos financeiros at 1844-1845
inclusive. .
Dito. Ao commandante das armas, recoinmendan-
do a expedifao de suas ordens, para que eja tratado no
hospital militar o soldado do exercito. Germano Gome
de Olivelra, que, por se adiar dnente, foi remeltldo
para alii pelo commandante do vapor Theli. Parlici-
pou-sc ao commandante do mesmo vapor.
DEM DO DIA 24.
Ofticio. Ao director do arsenal de guerra, aulori-
sando adespeza de 17/160 ris que S. Me. tein de fazer
com a compra de papel, e outros objectos para as forta -
lezas do lirum e Huraco.
Dito. Ao administrador das obras do thcatro, man-
dando proceder, avista da inforniaco de S. Me. dada
no requerimento de Joaquim Lopes Cabial Teive, por
arbitros noineados, um pelo dito Teive, e oulro por S. icio c elttcacia.
Me, avnliafo do servico feito por elle, fin de que a
presidencia resolva como llie parecer de juttica.
Dito. Ao coinniandanle das armas, coininunicando
haver deferido o requerimento do capito do 2." bata-
lliao de artilharia a pe, Pedro Ivo Vellososn da Silveira.
Dito. Ao commandante do vapor Theli, mandando
re c'Ik.i a seu bordo e conduzir para as Alagas, a entre-
gar ordem do respectivo Exm. presidente, um caixo
que lite fr apresehtudo por parte do agente daquella
provincia nesta cidade, com dous grandes globos, um
terrqueo, outro celeste, e com as competentes cartas
geographlcas. Scieutificou-se o agente da provincia
das Alagas. *
Portarla. Ordenando o commandante da barca de
vapor Thriis que mande receber do director do arsenal
de guerra dous voluntes contendo fardamento para as
pracas do 2." baulhao de artilharia a pe" destacadas na provincia das Alagas, a cujo presidente
far entregar os mencionados voluntes. Parlicipou-se
ao presidente das Alagas e ao director do arsenal de
guerra.
* Dignos pares lo reino e senhoret tltpuladoi jinrrugnesa. Por ocesiao de encerrar esta sessao, a
primeira da actual legislatura, cu venho pessoalmente
assegnrar-vos de haverdes plenamente jusUficado a con-
ilanca que em vs-depositamos eu e a na;ao.
A abertura destas cortes geracs foi para inini um
motivo de grande satisfacao, por fsso qtfe me vi rodea-
da dos representantes da naci portugueza, anciosos
por consolidar a pacilicaco do paiz e curar as suas cha-
gas por incio de benficas e saudaveis ordenacCics. Ago-
ra que de novo me ado no mel destes representantes
nacionaes, eu me congratulo rom vosco pelos zelosos
esforcos que h.tveis desenvolvido eut.vossas augustas
funeces alim de rcalisar esta nobre e elevada ntissao.
n Grandes na verdade fram as dilliciildades com que
o corpo legislativo leve de lutar. .
A nacao reconhecer a solicitude eutpregada por
seus representantes na approvacao de inuitas diflrenlcs
medidas tomadas em favor da causa publica e especial-
mente na volacan da lei de despeza c receita, na qual se
proveu s despetas do estado para o presente auno li-
naocelro.
n Otilias medidas da niaior importancia vos bao sido
proposlas pelo meii governo, as quaes espero tomareis
em c0nsidera9.no na prxima sessao legislativa.
Dignos pares do reino e senhores depulados da na-
cao portugueza.No luci das extraordinarias oceurren-
cias polilicas que hiio lido lugar na Europa durante as
vossas funefes parlamentares, eu sintoa inaior salisf.i-
530 em informar-vil., de que a tranquillidadc publica
nao ha sido, no menor grao, perturbada ueste paiz, e
que o meu governo nao se tein vislo na necessidade de
recorrer a medidas extraordinarias, ncm de Infringir
nenhuma das formas constitucionaes, gra;as ao botn
senso do povo c t vossa cfficaz couperacio.
Coinijii.mln vossas funcfaes legislativas estejaut por
alguns mezes suspensas, lendcs anda de cumprir um
grande dever, o qual cstou certa desenipculiarcis com
BEOIFX, 1 DX OUTUBRO DI 1848.
Pela barca Columbas recebemos o Times de 12 a 28 de
agosto.
A Inglaterra llcra tranquilla.
A insurreicao na Irlanda li.tvia sido de todo suppri-
mi 1 i; mas, sem embargo da actividade c encrgiadesen-
volvidas pelo governo smente dous dos cabecas llnham
sido capturados, Mr. O' llticn c Mr. Mcaglicr. Mr. O'
Gorman conseguir chegar a salvamento em Franca, e
Mr. Darcy em lloston. Qunlo aos outros, nada se sabe
ainda acerca de.seu destino. "
A batata conlintiava asir atacada de sua terrivel en-
fermidade, o que causava cin toda a illta a maior iuquie-
ta9ao.
No din 24 de agosto occorra na viiinlinnf.i do porto
de Liverpool unta das man horrorosas catastrophes que
se cncontrain nos aniiaes inaritimos.
O paquete de vapor Wimarcfia-do-Ocimo havia largado,
neste dia, de Liverpool para Boston com 399 pessoas a
bordo, tillando, depois de haver feilo nao militas milhas,
percebeu-se que era prea das chaminas. Os esforcos
eulao empregados para o salvar fram todos baldados,
o fogo nao pode ser vencido. A niullidao que eslava a
bordo, e que secompunha de pessoas de ambos os sexos
e de todas as dades, nao vendo nenbum mel de esca-
par inorte, pols, se nao fsscm devorados pelas tliain;
mas, seriam engolidos pelo mar, entregaraiu-sc ao de-
sespero.
Estes infclues linltam trepado pelos mastros do navio
iini depormais alguns momentos prolongarem suas
tristes vidas, quaudo o elemento devorador, atacando es-
tes mastros pela base, f-los eahir, lancando nao menos
de 170 dos que a elles se havlam abrigado dentro das
chammas e das ondas, para ahi perecerem, com o fi-
zeram.
Por mere* da Providencia, queeerlo nao quiz que tao
Brande numero de vidas se perdessem todas, dous na-
vios, um iuglc, oulro braslleiro, avistando o paquete
incendiado, voarain em seu soccorro. O inglez era o
hiato Rainha-do-Ocano, o braslleiro o vapor .-Afonso.
Por seus esforcos fram arrebatados voraeidade das
cltainma 161 individuos : destes Infelizes, 32 fram sal-
vos pela Rainha-do -Ocano, 1S9 o fram felo vapor bra-
slleiro. ....
A conducta doalmlrante Grcnlcll, cnsul geral do
Brasil do mesmn modo que a do ministro brasilelro o
Sr Lisboa, a do vice-consul o Sr. Froes, a de twla a ofil-
L-ilidade e tripolacao fra, segundo os proprios joruaes
lucieses, superior a todo o elogio. ...
Os llraiileiros, nao contentes com haverem.salvado as
vidas aos desgracados confiados pela Providencia aos
seus cuidados, esforcaram-se pela maneira a mais enr-
gica e lumana para minorar-lhes os Mffrin>.(.s elle,
lies forneceram vestidos, dinhelro e provlses.
O p "cipe e a princeza de Jolnville, o duque e a du-
mesa d'Aiiinale, que seachavam a bordo do vapor D.-
T^m"!lnguira..t-.e nesta occasiao pelo, soccorros
Durante as ferias parlamentares, he vossa misino
inspirar ao povo aquelle amor pelas insiituicoes existen-
tes, que ser o mais poderoso nteio de salvar-nos da per-
niciosa influencia de ideias exageradas, Inculcando a-
qucllcs sentinientos de obediencia-s leis e s autorida-
des, aquelle amor do trabalho, c aquelles hbitos de
vii titile e inoralidadf, que nicamente pdem assegu-
rar a verdadeira felicidade do povo.
As noticias de llespanlia alcancant at 22 de agosto.
A rainlta ainda se acliava em Granja, mas devia voltar
capital no dia 26.
F.tn Madrid e Sevllha di Hercules pessoas haviam sido
presas, dlzem', por tramaren urna conspiraco no sen-
tido carlista.
Faliava-se em modlficaco ministerial : corria que os
Srs. Seijas, Ros Rosas c conde de Mirasol brevemente
substituiran! os Srs. Arrazola, Bravo Morillo c Y
gueiras.
O Sr. Bellro de Lis, ex-niinislro da fazenda, tinha
sido nomeado miiiisiro plenipotenciario em Ttirim.
O capilao-general da Catalunha eserevra em data de
9 que o coronel Henrique, commandante geral do dis-
trictode Solsona, dispersara os bandos de liorges c ou-
tros cabrcillias.
Cartas de llayonna mencionam a tomada de um desta-
camento das Hopas da ralnha pelo chele carlista Fue-
nes, em a provincia de Tarragona.
Um coinboi de armas havia sido enviado para llarce-
lon. a lint de seren distribuidas entre a popttlaco
rural.
De Cabrera nao havia noticias.
l'aris liera em paz.
Por um decreto do governo, aisignadn pelo general
Ca
SUS)
todos exaltados. Fram tambem suspensos os jornacs
Javaignac c por Mr. Scnard, miiiislro do interior, fram
mspensos os seguintes jornaes : Le Repritentanl du l'eu-
)e, La Vraie Republiquc, Le Prre Duchsne, Le Lumpimi.
iodos exaltados. Fram tniiibetn suspensos os jornacs
legitiini.las La Gazclle tle Frunce, c La Rviche dtttr.
No dia 14 de agosto tivera lugar em Avinlio una
procisso tumultuosa. Grilos de Viva Barbes Viva
Altai-
lilil!-
q'VZ$$Z,PorSchegam a 19 do passado.
a ralnha a segiiinte falla :
lanqui! Viva Roltrspierre Abaixo com os ricos .
xo com os negociantes f.rant levantados pela i
do. Muitos cidadaos pacficos fram insultados c ba-
tidos.
A asseinbla conceder ao procurador geral a perinis-
sSo que pedir para acensara MM. Luis Ulano e t.attssi-
dire, membros d mesma asseuibl.i, por liavereiu lo-
mado parle na insurreico do mez de maio, c no mesmo
dia fram elles recolhidos priso.
O partido legjtimisma faz progressos em Franca,
lima grande parte dos exaltados, procurando ler
occasifio do vingarcm-so dos moderados que os ven-
cern! em junho, se lhc ha unido; o ouro que os le-
eitimistas derramam em abundancia por entro as
classes necessitadas, assim como por entre os ocio-
sos, tcm tambem pandado a muilos ; mas o que Ihe
ha dado mais soldados he a crenga que vat lavrando
por Mitre os operarios de quo com Henrique V vol-
larfio ao paiz um grande numero do pessoas ricas, o
elles rerfio por conseguinte muilo em queso oceupa-
rem. Tfio forte he j o partido, que, segundo o cor-
respondente do Tima, o ordem do da em Franca he
boje a qucslfio Henrique V ou a repblica ? Que
ella termine sem effusfio de sanguc, ningucm o er ;
mas quem sera o vencedor, tambem ningucm por
ora o pode dizer
O prefeito do polica dirigi ltimamente aos Ha-
bitantes do Paris a seguinle proclamado :
i t:idadfios-A emoefo que por estes dias passa-
dos oceupra o espirito publico, vai-se desvanecen-
do, o dando lugar a um senlimento de segundado,
cuja duraefio nenhuma causa seria devana, em pon-
to de facto, perturbar. Humores vagos, noticias
assustadoras, propaladas pela malevolencia o aug-
mentadas pelo temor, nfio pdem por muilo lempo
prevalecer contra a evidencia dos fados. Ninguein
poder jamis restaurar cm Franca urna forma de
governo justamente aborrecida ; c loucura sena ten-
la-lo. A anarchia nfio conduziria boje os res a seus
Ihronos, ella serveria smento para precipitar no
abysmo os instigadores o cmplices deslas lulas ira-
tricidas Ho fra do toda a duvida que a suspensfio
da industria ea estagnaefio do commercio nfio ces-
sam tfio promptamentocomo cada um do nos nodoi la
desojar ; porm as miserias que a revolucao do feve-
reiro podo ler augmentado, posto que as nao bou-
vesse occasionado, docuplarfio a conlinuarem a
nossas discordias, o os obreiros serfio indefinida-
mente condemnados a privacesque, reinando a or-
dem, brevemente leriam lim. Um sensivel melbora-
monlo j so tnoslra em quasi lodo o territorio da
repblica. A facilidade com que so renlisra o ul-
timo emprestimo nacional, prova bem que niio fal-
lar numerario oofianca publica. Nesles dias
comecar na assembla nacional a solemne discussfio
da constituiefio de nossa repblica; os grandes
prfbeipioi proclamados cm feverciro receberfio,
sem duvida ncuhuina, uina tal consagraQfio, que os
inimigos da repblica, quaesquer que elles sejam,
nfio acharfio mais pretexlos para suas criminosas
esperanzas. O paiz desaja uina repblica rremocra-
lica ; nenbum podr liumano pode roubar-lha esta
conquista que ella ha j sellado com seu sangue, e
saber preservar a despeilo de-ludo o .contra todos.
0 povo o o exercito, agora unidos cm seu amor pela
1 liiTilinle,. n.ii esquecerfio que divisa da monar-
ciiia a Dividir para reinar u a repblica tom suii-
litudoa su.i divisa A uifio he frga. Os elemen-
tos da fortuna publica, os symplomas lo urna va-
garosa, porcm continua volta pura um estado normal,
issunio todos os dias um carador menos contcsta-
vcl. Fados e liguras exislam ; e a m f mesmo nfio
>do prevalecer contra elles. As lojas se tornam a
abrir, e o obreiro reassumo o lugar quo por lano
lempo havia perdido, 6;c., &c.
Mr. Arniand Marrast fra cleito presidente da as-
scmbli'-a por 611 votos.
0 nuncio do papa apresontou ao general Cavaignao
carias de seu soberano, acrodilando-o como ombai-
xador da sania s repblica franceza.
O marque/, de llrignolesale apresenlou tambem
carias do rei deSardenha, acreditando-o como seu
ministro plenipotenciario junio da mesma repblica.
Ksporava-so em l'iiris um representante do impe-
rador du Hussia, c corria que o general Cavaignao
havia enviado uincorrcio Vienna para notificar ao
governo austraco deque toda a invasfio do lerrto-
rio lo'scano, romano, ou piemonlez, seria consi-
derada pela Franca como um casus MU.
A Sicilia ficiacn socego.
ln aples alguns pronunciamentos tinliam sido
feitos pela canatha contra a constituiefio e cria-se
que o partido retrogrado fra quem os fomentara.
Os Irabalhos do parlamento conlinuavam ainda
frucos, e pouco calculados para inspirar respeito
por suas funeces.
A queslfio da independencia da Sicilia parece en-
ea miithar-so para una prnmpla c pacifica cnclusfio.
O rei.attendcndo ao que llie ropresontra o minslro
brilannico, suspendeu a sabida da armada quo havia
preparado contra aquella ilba, c propoz reconhecer
a independencia da mesma com as soguinles con-
dices:
1." Que seu segundo filho seria eleto rei da Sici-
lia, iiloirainentc independente de aples.
2." Que seria proclamada a constituigfio do 1812,
com aquellas niodjicacesque os Sicilianos julgas-
sem necessarias.
3.* Que so formasse entre os dous reinos urna alli-
snca oliensiva e defensiva. .
4:* Fiualmeiite, quo se celebrara entro elles um
tratado de coinmercio o navegaefio.
Roma licara tranquilla a despeilo dos esforcos fei-
tos pelos revolucionarios para ussuslnr o povo o ox-
cilu-lo revolta.
A 13 de agosto dous balalhOes da guarda cvica que
so ofleroc'eram para marchar em sorconn do seus
rmfios do liolouha, quo fra bombardeada pelo
Auslriacos, dirigiram-se ao palco do Quirinal alim
de recebercm a benefio do papa. 0 pontifico fal-
lou-lhcs dobalcilo, mas tal era aemoefioque sen-
lia, que suas palavras nfio poderam ser ouvidas. To-
dava, quaudo chegou a occasifio de deitar-lhos a sua
benefio, ello disse dislinclamenlc estas palavras: a A
paz st'ja "comvosco; ao que a milicia o o povo res-
pondern!: (i Animo, santo padte I
Publicado a pedido.
UMA NENIA
nrlo flunilo Mrquez do Mtrci'e, offerctl-
la su illiisli'isHiiiiti S'iunilin < no Illm.
Sr. Saltador Corr-a c S UrncvSdes.
Correi tninh lacrimas,
o psaBoaiifo,
Oh! festivo prazer, que he dos teqs risos '
Oh! sorrisos de amor, os leus encanto.'
Ouc sol abrasador, que llto impuro
As cores desbotou, murchou leus mimos l
Nao ([s prazer, s paluda triiteta.
Proferiitdo s ais, s pranto c dores,
Trajando o negro veo da triste noite,
A sos c'o solid.io, junto a um scpulcliro .
Mas'uiii't'ri'uniplio'.'oh! mortc, sobre os hoiuens!
Triuuipliasic, morreu! feriste upi justo.
E elle... inda sobre a Ierra honfeln sorriudo
Aos carlnhos da esposa e lerna prole,
Entre as Testas da vida!..... e boje..... boje!.....
Ralado pela dr, pela saudade.....
Calcado pela ierra.....be cinza.....he nada I!
Quem coinpr'hendera, oh! morle, osteus myslerios?
Quem lera em tua mo decreto horrivel
Lavrado contra o hoineni?! quem poder
Demorar o leu brago?..... nao I..... Camlnha!
Submelta-se o liouiem s leis do Eterno,
He Ici universal a Ici da morle:
Mas, oh!..... dura lifao p'r'b peito amante
De um amigo, de un filho c lerna esposa,
i Qu'em lagrimas e ais s vectu deslrocos,
MUTILADO
ILEGVEL

'





I
''l
Peito irm confo, sem rlio vida I
Morreste, ob! boin marquet! chora-te o mundo,
Se o inundo de virtudes se alimenta,
Se o eiemplo na vida o co noiabre!
< liuram-te os tilltos leus, sobre o leu peito
Ji sein calor, apicdando a morte ,
Quaes ternas plantas lnguidas se inclinam
P'rafonte que murchou, qu'asno vvenla!
1 .i .j i .i-1- a triste esposa ainargurada,
Coinpaobeira fiel dos leus destinos:
Qual a viuva, enfraquecida rola
Sein ninho, e seui amor gemendo errante
Pelo esposo qu'adeixa entregue a aorte?
Chorain :..... nao mais cborar! qu'o Co ae oll'ende !
Suppre a falta de um justo a mao do Eterno;
Paciencia e amor, prole sentida:
Qu'esta vida nao he patria do boinem,
A.ula tein de real senao a esp'ranca ;
Desfazendo-se o mais na fra campa,
Qual furiosa yaga ao p da rocha '
Adeos......c nos ficainos! Justo, exulta !
Se a vida te honrou, mais te honra a morte,
Ha castigo e ha premio: o justo vive
Na mansao dos eleitos ca nos fica
A valdade e a ddr, tributo trra.
Finado, fica mi paz; se te sao gratos
D'barpa dos morios lgubres accentos;
Aceita o cont meu, e sobre a campa
Regada pelo pranto una saudade.....
COitiMERCIO.
3:784/968
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO DA 30..........
Dticarrigam hoje, 2 di outubro.
Galera Columbui mercadorias.
Brigue Ligtirodem.
Transporte......... 21:754,013
Olaria........... 25,600
Casas de cambio........ 12,800
Casas de moda........ 160,000
Matricula de latim. ,......*- 10,000
Multas........... 122,272
Juros........... 32,340
22:117,025
Mesa do consulado provincial, 30 de setembro do
1648.
O escrivilo da primeira secefo.
Joo Ignacio do llego.
REND1MENT0S ARRECADADOS PELA RECEBEDORIA
DE RENDAS INTERNAS CERAES DA PROVINCIA
DE PERNAMIIUCO, EM TODOMEZ DE SETEMBRO
PRXIMO FIND0.
A saber :
CERAL.
Foros de trrenos de marinha...... 20,663
Ladennos.............. 12,500
Ciza dos bens de raz.......... 2:087,500
2* decima de mflomorta.......... 303,111
Direitos novse velhos......... 240,321
Ditos de chancellara.......... 7,080
Dizima da mesma........... 296,236
Sello fizo ............ 1:099,820
Dito proporcional............... 1:725,100
Premios dos depsitos pblicos..... 110,055
Licenca de despachantes da alfandega
Emolumentos do certidOes
Cartas de hachareis ,
37,500
3,000
12,000
Applicado ao papel moeda.
Patacho Aurtlio idein.
RENDIMENTO NO MEZ DE SETEMBRO DE 1848.
RendimentO total................126:979,432
Restituientes................... 35,810
Liquido.............126:943,592
Direitos de consumo..............123:721,640
Reexportado................ 34,000
B-aldeacio.............. /
Expediente dos gneros do paiz, \ por c 72,007
Expediente dos gneros ostrangeiros com
carta de guia, 5 porcento....... 84,293
Armazcnagemde mercadorias....... 1:566.587
Dita de plvora............. 40,300
Premio dos assignados............ 1:414,680
Multas...................... 5,083
Emolumentos de certidOes......... 4,800
Rs. 126:943,592
O escrivSo da alfandega,
Jucomi Gerardo Mara Lumachi de Mello.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DA 30.
C.eral......,
Diversas provincias
937/1RI
/rao
938/011
Imposto de lojas abertas........2:675,400
Dito desegese carrinhos........ 12,800
Taxasdeescravos*............326,000
Algodno
RENDIMENTO NO MEZ DE SETEMBRO DE 1848.
Consulado de 7 por cento
Dito de 2 por c.....
Dito de i ..........
26:849,629
/
432,482
-------------27:282,111
Ancoragem para fra do im-
perio................ 2:623,090
Di la para dentro do dito. 612,444
Sollo fixo............... 553,440
Dito de ttulos....... /
CertidOes..............
Siza de 5 p. c............
Dila ile 15 p. c...........
Multas..................
- 3:235,534
553,440
17,880
/
/
46,690
31:135,655
Dicenas provincias.
Dizmo do algodfio da Parahiba. 947,860
Dito iloassucar da dita
Dito do algodHo do Rio-Crande-
do-Norte...............
Dito do assucar do dito .
Dito do dito das Alagas. .
Dito da algodSo do Cear. .
26,046
18,146
1,341
973,906
19,487
724,328
1,183
32:854,559
Deposito existente....... 7:313,406
Ditos restituidos........ 1:176,713
Mesa do eonsulado do Pernambuco, 30 de setem-
bro de 1848.
O administrador,
Jodo Xavier Carneiro da Cunha.
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA 30..........678/192
Total.....8:969,086
Recebedo ra, 30 de setembro de 1848.
No impedimento do escrivilo, o I." escripturaro,
jodo Rodrigues de Miranda.
PRACA DO RECIPE, 80 DE SETEMBRO DB 1848,
AS 3 MORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios ----- Durante a semana sacou-se a 23
d. por 1/rs., c hoje ha leltras a
23 e meio d.
Vieram ao mercado 1,792saccas.
O de primeira sorle vendeu-so a
4,200 rs. por arroba, o o de se-
gunda 3,800 rs.
Assucar- ------Nao sofTrcu alleracio no preco.
-- Apenas vieram ao mercado 33
caixas.
Couros------------ Fram pouco procurados a 90
rs. por libra.
Alcatrilo------------N3o ha.
Azeite-doco Falta.
Uacalho ----- Existem cerca de 1,800 barricas.
As vendas a retalho regulara ni a
16,000 rs. por barrica.
Canella ----- Falta.
Cante secca Entraran) cinco carregamenlos,
sondo um do Buenos-Ayrcs e
quatro do Rio Grande-do-Sul.
As vendas da semana regularan)
de 2,600 a 3,200 rs. a arroba.
O deposito hoje monta a 54,000
arrobas.
Carreja--------------Vcndeu-se a 4,600 rs. a duzia de
garraas da branca, o a 4,800 rs.
da preta.
Chumbo-----------dem de 12,000 a 15,000 rs. o
quintal em barra, e de 16,000
a 18,000 rs. em lencol.
I'arinha de trigo O deposito motila a 2,000 barri-
cas MU alterarlo de preco.
- Vendeu-se de 9,000 a 9,600
quintal,
Manteiga.....dem a 560 rs. a libra da ingleza,
e de 530 a 540 rs. da franceza.
Massas ------------dem a 5,000 rs. a arroba.
Oleo de linhaca dem de 1,800 a 1,850 rs. o gal3o
em cascos de tnadeira, e a 2,000
rs. om botijas.
Nao ha.
Vendou-se [do 1,100 a 1,200 rs. o
milheiro dos ripacs, e de 90 e
115 rs. a libra dos de construc-
c3o.
Retroz------------ dem de 9,000 a 11,000.
Sab3o--------- Nao ha do eslrangeiro.
Entrara m 12 embarcaces, e sahiram 7. -- EstSo
ancoradas no porto 35, u saber: 1 americana, 23 bra-
sileras, i hamburguesa, 4 ingiera!, 4 portuguezas
e 2 sardas.
o rtio-Grandc-do-Norte, o cabo Manocl Thomaz deLi-
111.- : para o Cear, Jos Mondes da < rli/. Guimaraes,
Jnu Francisco BarbozaCnrdeiro, um desertor, Jos de
Snii/.a Leal, James D. Johnson para oPar, D. Aoto
na do Espirito Santo Oliveira Pantoia.
Liverpool; galera inglesa Bonita, capitn V.'illiam Kel-
ley, carga algodo e assucar. Passageiro, Sous White.
dem galera ingleza Iris, capitao Richard Bertram,
carga assucar e algodo.
Navios entrados no da 1.
Rio-Grande-do-Sul ; 30 dias, brigue brasileiro Conrfifo,
capitao Fortuso Jos Pereira Dulra, equipagem 10,
carga carue ; a Manoel Alves Guerra.
Babia 5 dias. brigue dinamarquez Louise, de 133 tone
lailas, capitao N. L. Elberg, equipagem 8, em lastro ;
a N. O Bieber.
Havre; 60 dias, brigue francez Nelie-Malhilde, de 182
toneladas, capitn Varlct, equipagem II, carga telen-
das ; a Dedier Colomblec. Passageiros, Rodolf Keller
com sua senhora, 3 fllhos e urna triada, L. A. Du-
bourg, E. Stopfer, Vanner Honigger, Jacob Keller,
Auguslc Poirson, Mara Muber, Franceses.
Observaro.
Arribou, tendo sabido para o Rlo-de-Janeiro, o hiate
portuguez Especulad >r, capitao Jos Ferreira Lessa.
iODITAES.
-- O lllm. Sr inspector da thosouraria da fazenda
provincial, em vrtudodo resoluto do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, om cumpri-
nionto da lei, peranto o mesmo tribunal, se h9o de
arrematar em hasta publica, a quem mais dor, nos
dias 24, 25 o 26 de outubro prximo futuro, os se-
gu n tes impostos:
l'rimeiro, dizmo do capim de planta nos munici-
pios do Recife e Olinda.
Segundo, vinle por cento na agoardonte do con-
sumo da provincia.
A arrematadlo do, cada um dos rendimentos ser
feita por tempodedous annoso nove mezes, a con-
tar do primeiro de outubro do corrento anno at 30
de junho de 1851, sb as mesmas condices do an-
terior. As pessoas que se propozerem a oslas arre-
matadnos comparecam na sala das sesscs do sobre-
dito tribunal, nos dias cima indicados, pelas 10 ho-
ras da manhaa, competentemente habilitadas. E pa-
ra constar se mandou alisar o presente e publicar
pelos Diarios.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 28 de setembro de 1848.
O segundo escripturario,
Antonio ferreira d'Annunciaco.
POSTURAS
DA
Ferro de Suecia
rs. o
Passas
Pregos
Mov ment do Porto
RENDIMENTO NO MEZ DE SETEMBRO DE 1848.
Direitos de exportarlo do 3 por cento
Dito de 5 por cento. ......
Taxa............
Capatazia..........
Decima dos predios urbanos .
Mca ciza...........
Passaportes de polica .......
Escravos despachados......
Novos e velhos direitos......
Sello de herancas e legados.....
Fabricas do chapeos......
6:912,894
5:189,294
782,080
1: 682,240
5:351,848
1001,500
6,000
40,000
730,000
35,357
12,800
21754,013
Navios mirados no dia 30.
Port-Philip 100 das, barca ingleza Posthumu, de 390
toneladas, capitao itoberl Uavidson, equipagem 19,
carga lila, ascile de peise, ossos, pomas de boi e mais'
gneros do paiz ; ao capitao. Veiu refrescar e se-
gu para Londres.
Bio-de-Janeiro ; 17 dias, brigue-escuna portuguez Vri-
umpho, de220 toneladas, capitao Domingos Nogueira,
equipagem 12, em lastro ; a Gaudino Agoslinlio de
Barros. Vem receber ordens e segu para as ilhas
de Cabo-Verde.
Rio-Grande-do-Sul; 30 das, patacho braslleiro Dous-dt-
Agoslo, de 160 toueladas, capitao Joaquim Jos Gon-
calves, equipagem 9, carga carne ; a Ainoriiii lrinos.
Passageiro, Vicente Joo d'Aquino, Brasileiro.
dem ; 18 dias, brigue brasileiro Competidor, de 198 to-
neladas, capitao Jos da Silva Neves, equipagem 14,
carga carne ; a Leopoldo Jos da Costa Araujo.
dem ; 29 dias, brigue brasileiro ero, de 193 toneladas,
capilo Joaquim llibciro Mallos, equipagem II, carga
carne ; a Leopoldo Jos da Cosa Araujo.
CMARA DO RECIFE.
(Continuac3o do numero 215.)
TITULO V.
Dos cortumes, salgadeiras de couros, fabricas e depsi-
tos de immundices que possam cvrrpmper o ar, etc.
Art. 1. Nnguem poder estabelecer cortumes den-
tro da praca ou prximo a ella, e sim em lugares re-
motos, precedendo licenca da cmara, sb pena de
10/000 rs. de multa, e, na reincidencia, do duplo. Da
mesma forma nao havenlo salgadeiras de couro den-
tro da praca, e sim nos arrabades despovoados, em
bera-mar, rio ou campo, nao se conservando nellas
salmouras pulriicadas, debaixo das mesmas penas
e condices declaradas no presente artigo.
Art. 2. Nao haverao dentro da praca fornos de ta-
baco, fabricas de sebo, azeites, leos, fundices de
metaes, quenSosejam emeadinhos, e preparares
cbimlcas de enxofre ou de outros ingredientes, cujos
vapores prejudicam a sade publica, o infectan) a at-
mosphera ; e os estabelecmentos que existirem, se-
r3o transferidos para os arrabades da praca, prece-
dendo-se licenca da cmara que approve a colloca-
CSo, dentro de quatro mezes depois da publicarlo
desta postura: os que depois do prazo as conserva-
ren! sem a referida licenca, ser3o multados em 10/
rs., e na demolic3o da obra sua custa ; o, na rein-
cidencia,no duplo da mulla, demolicao e quatro dias
de prisffo.
Art. 3. Dous mezes depois da publicarlo das pos-
turas municipaes, licam prohibidas as cuas da cida-
de asollicinas de caldeirciro, ferreiro ou qualqocr
outra que, pelo calor do fogo, fumo ou oatrepido dos
niartellos, possa incommodar os vizinhos: os in-
fractores serao multados em 25/000 rs., e soffrerao
24 horas de prisao, e na reincidencia, alm da multa
dobrada, soffrerao quatro dias de prisao, e lhes ser
fechada a oflicina. A cmara municipal marcar, por
meio de editaes, os lugareftem queessas fabricas se
poderao estabelecer.
Art. 4. Ficam prohibidas dentro da cidade as pa-
darias e relinarias, e s poderao ser estabelccidas
nos lugares designados pela cmara municipal, por
meio de editaes: os infractores serao subjeitos s
ponas do artigo antecedente. Os proprietarios das
oflicinas de quetratam os artigos tres oqualro, po-
derao ter na cifled depsitos do seus productos.
Art. 5. Depois que a cmara designar os differen-
4es lugares, para nelles sefazer o deposito das im-
mundices, os que as lanQarem fra desses lugares, o
presentemente as nao lancarcm ao mar, paganlo de
multa 4/000 rs.; (cando prohibido desde j faze-
rem-sedespejos inmundos das sol horas da manhaa
al nove da noite (sendo"as vazilhas cobertas e bem
ravadas depois,) excepto de agoas de lavagens de
loupa, casase das cozhihas, debaixo da pena de iH
ris. .
TITULO VI
De differenlts objectos, que incommodam ou prejudicam
o publico, ele.
Art. 3. Fica suspenso desdo j as boticas, casas
de pasto, botiquins, relinarias, tabernas, e quitan-
deiras o uso de panfilas, laixos, caldeirQcs, raedi.
das, ououtrasquaesquervasilhas de cobre ou laUo
sem que sejam estanhados com cuidado mas jJul
der3o ter de ferro, folha, barro e radeiras; assim
tambem as balancas, em que stfpesam comeslives
sb pena de pagarert) a mulla de 4/000 rs.
Art. 4. Os donos de estribaras dealuguel serao
obrigados a conserva-las bem limpas e lavadas das
immundices, sb pena de 108000 rs. de multa.
Art. 5. Os que derrubarem mallos nos lugares n0r
onde passam as agoas correntes ou laucaren) pe|as
estradas ramos ou espinhos que incommodem o
transito publico ou possam embaracar os csgoia.
mentos das agoas das chuvas, ou conservarem as
testadas dos seus silios mallos ou arvores espinhosaj
ou sem espinhos, quo lancen) ramos para as cstr.
das, e que possam incommodar ao publico, sero
multados em 48000 rs.
Art. 6 Ninguem poder socar assucar desde as 7
horas da noite at as 6 da manhaa : os infractores
serao multados em 128800 rs. .
Art. 7. Fica prohibido, dentre da cidade, o uso de
roqueiras ou foguetes busca-ps: os infractores serSo
multados em 108000 rs, e soffrerao 24 horas de pri-
sao. A cmara municipal designar os lugares em
que os foquetes de que trata este artigo, poderao ser
largados.
Art. 8. Ficam prohibidos os toques dos sinos des^
de as sete horas da noite^te as cinco da manhaa,
excepto as matrizes, p8r occasi3o do Sacramento,
antes da missa do Natal, e nos casos de incendio ou
rebate : os sacrisl8es ou cheles de corporaces re-
'igiosas pagaran 12|800 rs. de multa.
Art. 9. enhuma igreja dar mais de tres repiques
de cada vez, na vespera de qualquer solemnidad,.
oestes s terSo lugar ao meio-dia, s3 horas da taid.'
e s avo-marias; n3o devendo cada hum exceder do
cinco minutos : os sacristaesou chefesde corpora-
ces religiosas serao multados em 10/000 rs, se in-
fringirem a postura, tanto no que diz respeito ao
numero de repiques, como ao lempo que devem du-
rar.
Art. 10. Nenhuma groja dar mais de dous dobres
de cada vez por cada irm.lo quo morrer, e esses
dobres serao dados ao receber-se a noticia da morte,
enaoccasiiin do enterro : os infractores serao mulg^
dos como no artigo antecedente.
Art. 11. Nenhuma igreja dar mais do quatro do-
bres por occasiao do olllcio de corpo presente: os
infractores serao subjeitos s penas do artigo ante-
cedente. O mesmo se deve entender com as visitas
de cova.
Art. 12. Nenhum dobre durar mais de 10 mi-
nutos : os infractores serao multados como no artigo
antecedente.
Artigo 13. Os dobres e ropiques ser3o reduzidos
a melade do tempo prescripto, podendo mesmo ser
supprimidos, se na vizinhan.ca da igreja houvcr al-
gum doente de aflecc3o gravo, devendo os sacris-
t3es ou chefesde corporales roligiosas conformar-
se com o altestado do facultativo assistente, rubri-
cado pelaa utoridado do lugar : os infractores serao
multados em 25/000 rs.
Art. 14. Ninguem poder pescar com anzol de mais
de urna ponta, e mesmo com anzol de huma pona
s poder-se-ha pescar as puntes ou caes, nao se
servindo d" vara : os infractores serSo multados em
2^000, e soffrerao 24 horas de prisao.
Art. 15. Nenhum pescador poder usar de rede de
malha miuda, devendo conformar-se com a bitola
adoptada pela cmara municipal: os infractores serSo
multados em 10/000 rs., e a rede ser destruida.
(Continuarse-ha.)
Declaraca.
Jos Nicacio da Silva, professor de latim do
bairro do Recife, faz certo aos seus alumnos, que,
amanh.la, 3 do cor renlc, devem continuar os Iralia-
Ihos lectivos, visto ja se acharen) removidos os obs-
tculos que osfizeram parausar.
PublfCAco Lilteraria.
LICES ACERCA DA SORERA NA DO POVO ,
e dos principios do governo republicano moderno,
pronunciadas recontemeuloem Paris perante um
numeroso auditorio pelo sabio publicista M. Orlo-
lan professor na faculdade de direito : traduiv.lns
correcta e fielmente do texto da gazeta dos tribun.
franceza com um prefacio do traductor A.P.
Eigueiredo.
A traducc3o dcstas importantes lices que fram
enlhusiaslicamente applaudidas veude-se na livra-
ria da esquina do Collegio, scadernetas do 16 pa-
ginas que vSosahindo do prelo do 4 em 4 dias, o
durSo um elegante volume do 140 a 150 paginas,
sendo a imprcssSoexecutada com lypos novos e em
lioni papel. A primeira caderneta conlendo urna li-
C3o est venda c cusa cada una 240 rs.
Navios sahidos no
rauju
mesmo lina, hiate brasileiro Santo-zintonio-Flor-do-Recife, capi-
tao Jos Marcellino de Sania Isabel, carga varios g-
neros. Passagelros, LinoCa-lrn Araujo, Antonio Jos
Antunes Guimares, Joaquim Rodrigues Tavares de
Mello. .
Pr.ri... do norte i vapor brasileiro San-Saltador, coin-
mandante o primeiro tenente Antonio Carlos de Aze-
redo Culinho. Alm dos passageiros que trouxe dos
portoa do sul para os d* norte leva a seu bordo : para
Art. 1 o Ninguem poder criar porcos nos quin-
taes, nem conserva-Ios em casa dentro da praca por
mais de oito dias, nem deixa-los vagar pelas ras,
sb pena de Ihe serem tomados e vendidos em leilito,
entrengando-se aos seus donos o excedente de
30/000 rs. licando todo o se producto at esta
Juantia applicado em beneficio dos lazaros, depois
e dcdu/iilas as despezas : sendo prohibido o br-
baro costil me de se espancarerh ou mataron) os por-
cos a ccele ou com qualquer outro instrumento
que moleste suas carnes, de vendo ser pegados a laco,
ou mao, embora corram para as casas de seus donos,
que serao obrigados a entrega-Ios ou a pagaren) a
multa de 15/000 rs.
Art. 2. Ninguem poder ter fngfls, nem fogarei-
ros em porlas para qualquer uso que seja, sb pena
de 2/000 rs.: da mesma forma se entender em qual-
quer parle da ra.
PURLICAgAO' AGRCOLA.
Manual pralico do fabricante da assucar, por
Agoslinho Sommier. Esta obra "cosina pralicamenle
o modo de fabricar o assucar demonstrando os in-
convenientes iia antiga pra'tica os meios de as re-
mover c finalmente ludo quanto se precisa para ti-
rar maior e inelhor resultado de sua factura e est
escripia em urna ngoagcm que qualquer pessoa
percebe; podendo-so mesmo dizer que os Srs. da
engenhos com ella s errarlo se uuizerem : vnde-
se por 2,000 rs. na praca da Independencia livra-
ria ns. ti e 8.
avisos martimos.
Para o Cear salir-, em poucos dias por ter a
carga qunsi 1 1 oun.ta, a sumaca Carlota : para o res-
tante e passageiros Irata-so com Luiz Jos do Si
Araujo na ra da Cruz, 11. 26, ou com o mestie ,
Jos Condal ves Simas.
-- Para a Parahiba o hiate nacional Espadarle, sa-
be impreterivelenente no dia 30 do corrente: para
carga e passageiros trata-so na ra do Vigario, 11- 4r*
- Para Lisboa poelende sabir at 15 de outubro o
patacho portuguez Liberdde, do que lio capitao Izi-
dro A y res de Souza : tem bellissimos e asseiados
commodos para passageiros: quem quizer carregar .
ou irdepassagem dirija-se ao mesmo capitao oua^
Francisco Severianno ltabello & Filho.
MUTILADO


_ Vende-se o hiate Coneeie!to-do-Porto, de 10 to-
neladas ancorado noportodesta cidado por pre-
,,. cominodo : os prebndenles dirija m-ao a ruado
Lirrainonlo, n 26 a Manoel Buarquo Macedo Lima,
jf dianle.
e das duas da lardo em
Leilao.
_ Kicliard ftoylo far leilSo, por ntervenga"o do
corrclor Oliveira do grande variedade de fazendas
iiglezas, recenlemenle despachadas e de un bo-
nito sortimento de lnhas em carrelois o novollos :
segunda-feira, 2 de outubao, as 10 horas da "ma-
uhfia, no seu nrmazem ra do Trapiche-da-Alfan-
dega-Velha.
Avisos diversos.
Offerece-se urna mulher para ama de casa: com-
pra e faz todo o servico menos engommar: quom de
seu prostimo se quizer utilizar, dirija-se por tras
da igreja do San-Jos, n. 8.
__ Na ra de Hortas, n. 49 ha urna
mulher com muito bpm leite, para criar.
nfferece-se urna ama de leite para criar em sua
casa: quem precisar dirija-se a ra da Sanzalla-Ve-
Ilia, n. 52.
A pessoa queoncOmmondou urna mulatinha de
dado de 13 anuos, para mucama de urna noiva, d-
rija-se a ra das Agoas-Verdes, n. 46, que ahi achara
urna em ludo propria, ea pessoa com.quem deve
tratar.
~ -- Joaquim !nto de Azvedo relira-se para o Rio-
Gran le-do-Sul, e leva em sua companhia os seus es-
cravos, Varelio, crioulo, Joflo e Francisco, de nagilo.
O abaixo assignado faz scienlu pulo presente a
todas as pessoas que tiverem penhores com o prazo
vencido oiii poder uoabdizo assignado, que no prazo
de oito dias os vilo resgalar ou pagar os juros : do
contrario,sorfo vendidas para pagamento de princi-
pal e juros.
Joaquim Luis dos Santos,
^ No dia a5 de setembro prximo
passado fugio Benedicto, de nacao Costa,
que reprsenla 4o anuos de idaile, alto,
olhos pequenps, pouca barba, bocea e cor-
,po regulares, esta de presente descora-
do e com urna ferila na unha do dedo
do p direito, e be bastante bucal 5 levou
vestido camisa e cerola d'algodao : por
outra fuga esteve na cadeia desta cidade,
dofie sshic ha pseos, mw*- Hom-p
a apprehensSo a todas as autoridades po-
liciaes e aos capites de campo, e que o
levem ao engenho San-Jos-do-Boin-Jar-
dim, desta comarca, ao seu senbor, capi-
tao Francisco Joaquim da Mocha Falcao,
ou nesta (iraca a Luiz Jos Fereira Simoes,
ra das Cruzes, n. 4o, que recompensar
generosamente.
No dia terga-feira, 26 de setembro de 181.8, fugio
do engenho Passassunga o preto Luiz, escravo de
Fre Francisco do San Boaventura, com os signaes
ieguintes: he alguma cousa fulo da cor e crioulo,
alio e seccodo corpo, ps largos e na canella direi-
la una marca de ferida. olhos grandes e a vista es-
pantada, levou vestido camisa o ceroulas de algod.lo
da ierra, o consta ter descido para esta praga : roga-
se as autoridades policiaca e mais a qualquer capi-
tSo de campo para o pegarem, e leva-io na ra Nova
desta cidade, no segundo andar da casa n. 58, aonde
se gratificar. ^ .
JoOo da Silva Fcrreira o Francisco Dommgues
Silva Arauja, ulo podendo despedir-se de tode
os seus amigos,pcla brevidade com que se retiraran.,
o fazem pelo presente e Ibes offerecem seu pouco
preslimo, o primoiro no Rio-Grande-do-Sul, e o se-
gundo.to Rio-de-Janeiro.
Respondondo ao annuncio inserto no Diario-No-
vo 11". 211, assignado pelo Sr. Envergado, di re i tio
smento, que nlo devo satisfazer a sua coriosidado,
porque ocaixeiro da ra da Cruz sube a quem foi
dirigida a minha Toreada advertencia, tanto mais
torque no annuncio que elle publicou ueste Diana
H. 816, nada disso que me depozesse, e nem tilo pou-
co quo so honrasse!! Elle, delirante pela impres-
sflo do do annuncio, nilo achou com que se defen-
der, senflo revolvendo as cinzas do um individuo
que disse ser chamado Carlos Augusto de Moraes R..
o de quem se inculcou ter tido a mais eslreitissima
ronimunicac.no e amizade do saudosa memoria ou
entilo t-las com quem o assemelba no gosto! Fi-
nalmente que nao m'as podendo ceder igualmente,
he este o motivo de eu nilo Ihe ter sympatinas. Por-
tanto, como de insultos passasse a faltas desympa-
Ihias, dou-me por satisfeito, o por uto queira o Sr.
Os Srs. subscriptores do jornal Correio da Tarde,
impresspno Rio-de-Janeiro, podero mandar rece-
beras folhas, ltimamente chegadas no vapor, as-
sim como mandarem satisfazer a sua assignatura ,
que devora ser adiantada : na ra do Queimado ,
n. 15.
Precisa-sede um preto robusto, quo enlenda
poifeitamente de refinar assucar: paga-se bem :
nesta typographia se dir quem precisa.
Oengenheiro Florianno, D. Portier mudou a sua
residencia para a ra da Concordia, n. 8.
No becco do Dique, n. 9, ha urna
mulher que se offerece para coser toda e qualquer
costura tanto de homcm como de senhora, por
prego commodo.
J. J. Tasso Jnior faz leilflo, por conta de quem
perloncer de urna porgSo de barricas e cestos com
cerveja, em lotes a vontade dos compradores : quar-
ta-feira, slt horas da manha, na porta da al-
fandega.
-Na padariadarua da Guia, no Recife, havera
todos os dias a venda o novo pSo de Provenga, fa-
bricado por ou tro modo do que o actual, o da me-
lhor farinha que ha no mercado, e por osle motivo
nSo se pode fazer senSo a 40,80 e 160 rs.
TmCIAES.
J. A. S. Jane, artista, tem a honra de avisar ao res-
peitavel publico que tem voltado do norte e se
acha residindona ra estrella do Rozario, n 16, pri-
meiro andar, aonde coutina a por denles artifi-
claes de porcellana, composgilo esta inteiramenle
isenta do corrupglo : como bem tira as caries dos
naturacs caiga de miro e prata. O annuncianto de-
clara a todas as pessoas quo se quizerem utilisar do
seu presumo, que nflo exigo receber paga alguma,
se por acaso no flearem os ditos denles artificiaos
tifo bem postos que nilo se possa differongar dos
proprios naturaes sendo os meamos postos sobre
chapa de ouro esobro tarracha os quaos ficam tilo
seguros, que se pode mastigar toda a comida com ol-
es un causar a menor dr.
Quem lho faltar urna escrava de nome Isabel,
que diz ser escrava de urna viuvaaqui no Recife, di-
;;-a <-. I;;!" An S '"X" ,,fl ^'Mha'Maeallia'es, na
ra da Cadeia do Recife, a fallar com Raymundo Jo-
s Camello, certo deque 11S0 se responsahilisa pela,
fuga da roesma escrava.
O abaixo assignado avisa a lodos os Srs. que
tcem penhores eurseu poder, que hajam de os ir ti-
rar ateo flm do dezembro do correnle auno, alias
passari a vend-loa para seu pagamento, assim como
lodos os Srs. quo leom lettras vencidas, hypolhecas
ealguns dinbeiros tomados sem clareza, hajam de
os resgalar at o mesmo lempo cima declarado,
pois o abaixo assignado perlende fazer urna viaeem
Europa a tratar de sua sade, indo em sua compa-
nhia sua mulher.
Ilerculano Jos de Ireilas.
-- A porgunta feita neste jornal de 19 do correnle
mez no deve ontonder-se com o Sr. Carnciro da
Cunha, porque o barro oom que elle fabrica telhas e
ladrlho nao ho tirado do Remedio, e comquanto
soja exportado pela camboa do Remedio eextrahido
muito cima do Remedio e em lugar que tanto o
barro he o molhor possive) para as referidas obras,
como porque em dito lugar tem agoa doco deposita-
da euma vertente que corre todo o anno, onde o
propietario costuma fazer banheiro, quo inultas fa-
milias, at da praga, j se leom servido dcllo: por-
tento deve a pergunta entender-so com algum dos
vizinhos lo Sr. Carneiro quo tem oluria, e que se
estilo servindo (ou por maia commodo, ou por mais
barato) do barro do Remedio, tirado pouco cima da
ponte, e amassado com agoa salgada.
Quem lho faltar 2 eolheres de prata que forana
adiadas por urna preta nosentulhos que ficam jun-
to a piar no mitigo porto das canoas no Itecife,
aposentando oulra igual lhe sent entregues, 111
ra do Apollo, n. 15, lerceiro andar.
-- Joaquim Pinto do Azevedo embarca para o Rio-
Grande-do-Sul os escravos J0S0 e Francisco, de na-
gSo.
Est venda o n. 11 do Grito da Patria, na pra-
ga da Independencia n. 12 travessa do Rozario,
n. 2, na ra Nova, n. 47. Continua a cobranga vis-
ta do recibo impresso. O redactor vai mandar entre-
garas cartas impressas, exhortando que assigncm o
referido peridico.
Vendem-se dous bonitos moloques de nagflo ,
de 12 a 14 annos multo espertos; 3 negrinhas de
12 a 14 annos muilo lindas duas das quaos sflo re-
comidas, ecom algumas habilidades; dous mulati-
uiias. aoii-iiiu pu> --, -1- ,.--- y-r. ._ comillas e com mu"1"" "*"""-"-' ------
Envergado desculpar-me. de nflo lhe respouuer co- ^)|0S muto lindos, sem vicios, o que s8o ptimos
para pagons ou aprenderem oflicio por s
1110 oxieio do f-
- Existe, ha dousou tres dus, urna porca panda,
com seisou oito bacorinhos por detras do armazem
de carne secca .da ra da Praia, n. 37, o como lam-
bem se v um dos ditos bacorinhos morto : por isso
sftfaz soicale a quem se julgar seu dono baja de a
procurar, pagando o annuncio, so quizer.
Oh l, Sur.Curioso!
Ja resumi assuas exigencias ou curiosidades,
so se satisfaz com saber de quem he a invengflo da
regala ? Pois, me.u.rico curioso, fique na mesma ,
logo quequer tirara sardinbacom a mao do galo ,
n8o querler algum Irabalho anda mesmo dando-
se-lho umexcellenteassenlopara descansara fadi-
ga da caininliada I Entilo (Iquemos como dtiles na
certeza de que eu nao dou palhas a bastas que 1.S0
conhego c s peta ultima vez tura este bocadinho ,
e qualquor quo seja a sua curiosidade pode ir a ta-
ba que palhas nao ha mais ; e, se embirrou com
a bolachinha regala he soffreicom paciencia pa-
ra que I lija nao acontega o que aeonteceu a Jndas.
A urna porta so.
Quem achou urna carta dirigida-a Manoel Vicen-
te de Araujo a qnal perdeu-se na ra da Cadeia do
Recie BtS.-Francisco, faga o obsequio de entregar
na praga da Independencia, loja n. 1.
Precisa-.se alugar urna escrava que saiba en-
gomnxir o coser e seja diligente : na ra da Con-
. concordia, ultimosobrdo Jo Slanoel Finnino Fer-
reira.
13a 18 annos; 5 negras muito mogas, duas das
quaeseom habilidades: na ra do Vigaro, n. 24, se
dir quem vende.
G. J. do Reg manda para o Rio-Grande-uo-bui
o seu escravo pardo, de nome Candido."
Manoel Jos Tavares vai entregar a sua loja de
l.alios, da ra do Collegio n. 13, a seu fllho Tlieo-
doro Jos Tavares : quem for credor a mesma loja
uucira aprcsenlar suas contas boje, 30 de setemhro.e
segunda-feira, 2 de outubro na ra Bella n. 33 ,
pois da dala da entrega em diante corre todo o ne-
gocio por conta do mesmo Thcodoro.
Precisa-se de um Portuguez para tomar conta
de um sitio, inorando gratis no dito sitio o conce-
do-so quo faga toda a qualidade de plantagOes para
si.'otondo familia um lano mellior: trata-so
"ra Nova, n. 46.
I ava-see engomma-se roupa com muilo per-
feigSo : na ra do Encantamento, armazem |n
Irm
cidade de Wacei, ejulga-se, pelos poucos diasque
so acha nesta cidade em mSo do novo possuidor, n3o
saber anda declarar o nome do seu senhor, nem ra
alguma, a qualjulga-se que esteja em alguma casa
recolhda, levando saia branca, camisa de brm :
quem della souber poder participar na ra do Amo-
rim, em casa de Joaquim Flix da Rosa.
No dia 23 do correnle fugio um preto de nome
Elesblo, da Costa, estatura baixa, falla bastante em-
baragada, tem algunslalhos nos bragas e ps, de
Idado de 26 a 30 annos, e muito pouca barba : re-
commonla-so aos Srs. capitacs de campo que o ap-
prehendam e entreguem na ra do Amorira, n. 44,
que serao generosamente recompensados.
Agencia de passaportes.
Tiram-se, para dentro o fra do imperio, passapot-
tes assim como despacham-se escravos, por menos
prego do que outra qualquer pessoa, e com brevi-
dade : na loja do livros no pateo do Collegio, do
Sr. Dourado, achara sempre a pessoa habilitada pa-
ra islo.
Ahigam-sc douisitios com muito boas acominoda-
f ie: um na cainpinna da Casa-Forte e outro na ra
da dita sevesjas coui cocheiras c earaH!** aaltni
como varias catas, de primos cominodos para se pai-
sar a fesla : a tratar na ra do Amorim, 11. 15.
-t Na ra d'Alegria, n. 11, precisa-se alugar urna es-
crava que etteja as circunstancias de bem fazer o
servico interno e externo de uinacaaa de familia.
Acha-se justa e contratada por permuta a casa
da ra de S.-Miguel, n. 12, da povoagao dos Afoga-
dos.do Jo3o Anastacio c Mara Izabel das Gragas ,
com urna na povoagfio de Podras-de-Fogo, da ra do
Cobre, pertencente a Frederico Chaves: quem se
acharcom algum direito em qualquer das ditas ca-
sas queira annunciar no prazo de oito das; do
contrario se ultimar o negocio e nao so atlender
mais reclamagao alguma.
~ Aluga-seo bemeonhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Maria deSeixas, s proprio para
algum negociante eslrangeiro, ou oulra pessoa que
tenha tratamento : na ra do Amorim, n. 15.
HOTEL-COMMERCI.
Este estabelecimenlo, sito na ra da Cadeia da
freguezia deS.-Antonio na propriodade n. 13, acha-
se augmentado ele commodos imlcpendcnles e de-
centemente moblailos para hospedes com fami-
lias e sem ellas e para pessoas que exijam menos
tratamento. O segundo andar do referido estabcle-
cimento offerece as precisas commodiades para
bailes e partidas. A posigao da casa, em situaeflo
rrescaoaprasivel vista e collocada no centro da
cidade concorrerr a ser prefervel a outros esta-
belecimentos sementantes. Os precos serOo mdicos,
em relagSo as proporgOes quesoolerecqm.
Lotera do theatro publico.
No dia i3 do corrntemez de outubro
designado para o yid.im.enlo das rodas
desta lotera, ser aquelle realisado im-
preterivelmenle, no consistorio da igre-
ja da Conceicodos militares vendendo-
se o reslo dos bilhetesat o dia asmen-
te. Se esta venda,^omo he de esperar,
coheluir-se antes do referido dia i3, as
rodas se anteciparSo o que multo
deseia o thesoureiro.
- Na ra Direita, padara n 26, da-se p3n de ven-
dagem a prctas, sdb responsabilldado do seus se-
nhores. _
-No Aterro-da-Boa-Vista, n. 1, precisa-se de urna
preta captiva para o servigode urna casa de pouca
familia.
r,nnnnras..
MUDANg*.
D. "W. iiayuon, cltorglao deotlta, Jos Estados-
Unidos, respeitosaniente noticia aosseus amigse
ao respeitavel publico, que tem mudado a sua resi-
dencia da casa n. 40 da ra da Criiz do Recife para a de
n. 26 da ra da Cadeia de Santo-Antonio, tercelro andar,
aonde ltimamente resida o retratista americano Frcde-
j-icks, e aonde daqul em diante o' annuncianlc ter mui-
to gosto de receber os que precisarem dos seus servi-
dos professionaea.-
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio, 11. I, o.no Aterro-da-Boa-Vis-
ta loja n. 48, continuam-sc a tirar passaportes,
tanto para dentro como para fra do imperio, as-
sim como despacham-se escravos: ludo com bre-
vidade.
Aluga-se urna preta para o servigo de casa :
quem a pretender dirija-se a praga da Independen-
c.ia loja 3-
3| CHAPEOS DE SOL
Ra do Paaeiu-Publico.
O fabricante dcste estabelecimenlo adverte ao respei
ta,vel publico desta. cidade que elle possue presente-
mente um rico sortimento de chapeos de sol assim
como chapeos de sold seda furia-cores, dos mais ricos
que tem apparecido neslf mercado e de cores conhe-
cidas ditos para senhoras de bom tom adamascados ,
lavrados com suas competentas franjas de retro, lu-
do que tem d mais moderno c do melhor gosto ; um
completo sortlmcntu He chapeos de sol de panninho de
todas as cores e de todos o taannos para horneas,
senhoras c meninos ; ha tambem igual sortimento de
fazendas para cobrir armaedes tanto de seda de cores
como de panninhos trancados e lisos Imitando seda. Ad-
verte-e que os freguezes serao servidos com brevidade,
e se acharo satisfeitns da boa qualidade, do bom gosto e
do preco.
romp*-se um escravo quo seja cozinheiro o
qual agradando e desempenhando o misler para quo
se precisa nflo ao duvidar do pagar bem : na ra
da Cadeia, n. 39 ou a bordo do briguo Faloi, Tun-
deado defronte da escadinha do Psssoio-Publico.
Compram-so 12 cadeiras de Jacaranda, ou de
outra madera queestejam em bom oslado : na ra
do Rangcl, n 36, primeiro andar, ou annuncio.
Compra-se, ou aluga-so urna canoa de carreira,
quecarrogue 4 a 6 pessoas : na praga da Indepen-
dencia loja n. 3. r
' Compram-se escravos que sejam o lucias de car-
pina, do 18 a 25 annos e de boas figuras ; pagaiu-se
hem sendo do bons costumes e peritos no seu offi-
eio pois sao para urna encommenda do Rio-de-Ja-
neiro: na ra do Amorim, n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compram-se dragonas bandas e llaJores de
offlciaes de primeira e segunda linha: na ra do
Queimado, loja de cirgueiro n. 10.
Cotnpra-sc urna casa terrea em quaesquer dos
bairros da Boa-Vista ou S.-Antonio : na ra larga do
Rozario n. 35, so dir quem compra.
Compra-so um terno de medidas de pao do
meio alquoire a ultima, .dous dilos de ditas de (lan-
dres, o una quarta do pao, medida volha: ludo ja
.usado : quem liver annuncie, para ser procurado.
Compra-se um armazom de carne secca na ra
da Praia : quem tal estabelecimento tiver o o quizer
vender, annuncie, ou dirija-se a ra do Cabuga, lo-
ja da esquina, junio a botica do Sr. JoSo Moreira,
que lase dir quem quer.
Vendas.

NOVO PAO DE PnOVENCA.
Vtndt-tt lodos os dias.
0 proprietarioda padaria e p'astellaria franceza ik
do Atcrro-da-lloa-Vista, n.50, desejando agradar \J
cada vez mais aos seus freguezes, resolveu oflere- OD
cer-lbes um pao que se fabrica em Provenca por _
um processo muito di lie rente do ordinario, e que, \rV
eiigindo farinha das raelhore quarldades, mere- t\
ce a preferencia do publico, pela sua alvura, V
pureza e delicadciade sua 'ai>rie.n, ao. A
S se faro pies de 40, 80 e 160 rs., e ser fcil w
couhcc-los pela sua forma oblonga e elegante. A
a mesma casa contina-se tambem a vender T
bolinhos para cha de todas as qualidades, e Um- Q0
bem a enfeitar bandejas ricas para bailes e sa- >
ros.
1 u'nacio Gomes dos Santos deseja fallar como
i-tn do Sr. Francisco Manool de Faria Costa da
Baha podendo o mesmo Sr. procurar a bordo, da
croDcira S-Amaro, ou no armazem de Jos Mana
Pameira no largo do Corpo-Santo n. 6.
rW&ikSr cCXTs^arVoSuSo
1 'n;r;tVrictudSmrnerg0rinha9criou.a, de nome
Ju"sin.,Xidade de 10 anuos, vindo ha pouco dr
Aluga-se para o lempo de festa no lugar do
Monteiro, urna casa beira do ro Capibaribe, ten-
do porta bastante alta, terrado na frente, salas gran-
des dous corredores, sendo um delles para serven-
ta da casa independeote cinco quartos, cozmtia,
auarto com tarimba para pretos, estribara para 8
cavallos, no fundo um quarto para despejo quintal
murado : a tratar no Aterro-da-Boa -Vista, n. 37.
Offerece-so um homem casado sem illhns ,
para administrador de engenho, do que tem bas-
tante pralrea.. o qual d fiador a sua conducta :
quem de sou pnesti.no so quizer utilisar, dirija-se
a ra larga do ROXario, n. 35, ou em Meranguape ,
em casa do Sr. Baiita.
__ Urna pesada com pratica de escripia
commerciaj/e bonita leltra, prop5e-se a
escrevK as horas vagas, nos domingos
e dias sanios, com limpeza, medianje m-
dico estipendio: quem precisar,annuncie.
Vendem-se dous pretos canoeirosjiegas, mogos,
sadios e de bom costume: ao comprBor se dir o
motivo por que se vende : na Ponte-Velha, casa do
Calilo.
Vende-se, na loja da ra da Cadeia, n. 21, um
rico espelho, de oilo palmos de altura, com um vi-
dro do primeira qualidade, muito grosso e claro,
com moldura de Jacaranda em columnas, e proprio
para urna senhora se vestir.
__Vende-se urna escrava de18annos, de bonita
figura, qjicsaboiuiiliar o diario sOtffin, en-
gommar, coser sofrivelmente o ensalmar: na ra
da Cadeia do Recife, n. 53, segundo andar.
IS'a ra do Agoas-Verdes,
n 46,
vende-se urna ptima escrava do 20 annos, cora
um lilho de 5 mezes, ptima ama de leite e propria
para todo survigo ; quatro ditas para todo o servi-
go; duas ditas quitandeiras, por 600,000 rs.; um
lindo mulatnho, de 14 annos; 3 escravos e um mo-
Icquc do 18 a 20 annos e 75 acgOcs da companhia de
Beberibe, com algum abate.
- Vende-se a loja de fazendas n. 17 da ra do
Passeio.com bonita armagflo de vinhatico,. e com
poucos fundos : a tratar na mesma.
AOS 20:000,0000 DE RS.
Vendem-se bilheles da loleria do Santissimo Sa-
cramento do Ro-dc-Janeiro, cujas rodas corran rni-
proterivelmento a 18 do correnle : na ra da Cade,*
do Recife, loja n. 51. j.:.
--Vende-se urna carroga nova doconduzr pipas
portiaiso.com as competentes crranles, por pre-
go commodo : na estrada do JoSo-Ferrara, indo da
Soledade para oManguinho, n. 19.
( unha & Amorim teem para ven-
der, por baralissimo preco, barris com 4
arroi:as de cal de Lisboa, para fabrico de
assucar, da melhor qualidade que ha
neste genero : na ra da Cadeia do Hecife,
n- 5o. ; _,
-- Vende-se a venda darua deSanta-Tliereza, n.
0, bem afreguezada para a Ierra; vende-se por seu
donse retirar para fra da provincia.
- No deposito de Me. Calmont & Companhia na
ra de Apollo, armazem n. 6. acha-se constante-
mente grande sortimento de ferragens inglezas para
engenhos de assucar corro sejam : taixas de1 rerro
coado de differontes modelos, os ntais ""J"n0*'
ditas de ferro balido ; moendas de ferro dc mode-
lo adoptado para armar em madeira ; uitas todas
de ferro, lanto para agoa como para "'"!-
chinas do vapor de frga de quatro cavallos de.-
la pressilo o mais moderno e simples nue he Possi-
vel : repartldciras espumaderas ; resjnadeiras de
ferreslanhado; frmas de ferro: tudo porpreoo
C0."!n^aae-.e vinho do Porto mullo> pcrU-. em
pipas e barra de quarto e oitavo, propr o para "
far; dito mais inferior, tambem em P'P".e.b"',ind*
quarto e oitavo ; cevada nainco ; prneir.s de araine
"etroz do Porio, sortldo ; (echaduras para portal de ar-
mazem ; coeirosdealgodio; pilulas da familia anco-
retas com azeitonas meiasde linboe de algodSo para
homcm : panno de llnho: tudo por preco commodo : na
ra do Vigar'o. n. 11. casa de pranclso Alve. da
Con lia.
Gotas egypciaes.
Remedio sem igual'pra'a dor de denles, jabera
condecido no Rio-de-Janeiro e as provincias do su},
pela sua efllcacia em allivr rpidamente a dor mais
tenaz,qur seja,motivada pela carie,qui por inflam-
macSo; mas a a experiencia do urna prova lhe da-
r o devido merecimeuto. Vende-se no escriplono
de Novaos & C, ra do Trapiche, n. 34.
MUTILADO
'W
'.mi


<*m$mn**
*p
..,...._.
S

Vendem-se a lindas mulatas, muito
moras, boas costureiras e engommadeiras;
e t;m mulatinho de i a anuos; um moleque
de 14 anuos pouco mUs ou menos, e pro-
prio de todo o servico de casa e campo, ou
para pagem: na ra do Crespo, loja n.
2 A, se dir quem vende.
Chocolate honiceopathco.
Na fubrica de licores do Aterro-da-Boa-Vista; n.
17, alm do chocolate de canella, baunilha sade ,
ferruginoso e musco isIandico,|ha do homceopathico,
o qual no muito til paris pessoas que se curam
pela medicina homoeopalhica.
Vende-so um Carro de duas rodas com arreiose
cavallo, ou simii elle, a vonlade do comprador : na
ra da Cruz, o. 38, ou na cochera do Augusto.
- Vendem-se pecas de madapolflo com 20 varas,
muito largo e oncorpado, a 2,800, 3,000 e 3,200 rs. ,
e a retalho, a 7, 8 e 9 vintens ; pecas de chitas para
coberta a 6,000 rs., o a 160 rs. o covado : na ra
do Passeio, loja n. 17.
Vende-se um carro de quatro rodas, envidra-
ndo de almofada com os competentes arreios
ludo novo : no Aterro-da-Boa-Visla n. 46.
Vendem-se 2 lindos moleques de 10 a 14 an-
nos; 3 prelosde25a 30 annos; 3 pardos de 14 a 18
unios; 3 muUlinlias de 7, 12 e 14 annos, com bons
principios de habilidades; 2 pretas de 20 annos, de
todo o servico: na ra do Collegio, n. 3, se dir
quem vende.
-- Vende-se urna morada de casa sita na ra Im-
perial, n. 214, por prego commodo : as Cinco-
l'ontas, n. 4.
Vende-se, as libras erva-oiatte da provincia
doltio-Grande-do-Sul do que se Taz cha o que
lie bstanlo dioretica : na ruado l.ivramento n. 5,
venda de Antonio Ferroira de Souza.
--Conlna-sc a vender mantoiga ingloza a 500,
600 o 800 rs.; cha hysson superior, a 2,000 rs. : no
paleo do Carino, loja do sobrado do Gabriel Anto-
nio, n. 17.
-- Vende-se urna preta, bonita figura, de dude de
18 unios, cozinlia o diario de urna casa, coze e en-
gomla soffrivclmonto, ou permuta-te por outra que
esteja costumnda a vender na ra do Amorim, n.
41, iereciro andar.
Vendem-se oculos finissimos, de vidros qua-
dradose de aro do ac para conservar avista : na
ra do Crespo, n. 17,' loja de Santos Noves & Gui-
ma riles.
-- Na ra do Vigario, n. 24, vende-so bolacha pro-
pria para cscravos, a 1,920 rs. a arroba, e mais ordi-
naria para animaos a 960 rs.
Na lojan. 5 A da ra do Crespo,
ao p do arco de Santo-A ntonio, vendem-
se mantas de lita e seda, muito bonitas,
para meninas, pelo barato preco de
a.ooo rs ; assim como cortes de chita es-
cura, com io covadoa, a 4,600 rs ; cassas
de cores, de quatro palmos de largura, a
ajo rs o covado.
Vendem-se 4 moleques de 14 a 18 annos; dous
pardos de 22 annos ; urna mulalinha de 16 annos ,
que cngomina marca o faz bom lavarinto ; 4 nc-
grinliasde na5fl0.de 14 annos ; duas escravas mo-
cas : na ra Direita, n. 3.
o motivo por que se vende se dir ao comprador:
na ra da Cadela ao p da casa da polica.
Na ra das Cruzos, n. 22, segundo andar, ven-
de-se urna parda de 26 annos, de boa figura que
engomma, cose chito, cozinlia e lava; urna crioula
da mesmo idade com as mesmas habilidades ; urna
pida da Cosa, de 24 annos, que cozinha lava o
vendo na ra ; um cabrinha do 14 annos, ptimo
para pagem.
CHAMPANHi
da verdadeira marca COMETA, urna factura nova des-
pachada, no dia 28 de setembro da alfandega : ven-
de-se na ra da Cruz, no Recife, n. 17.
~ No Aterro-da-lioa-Visla, loja n. 78, vendem-
se sapa toes a 800 rs.; bonetes para meninos a 800
rs.; ditos de riscado para homem a 300 rs. ; ditos
(fe marroquim preto obra bem feita, a 2,500 rs. ;
dilos de merino para meninos a 4,000 rs.; botins
para homem a 2,800 rs.; bahus de madeira enver-
nizados a 1,000 e 2,500 rs. ; couro de lustro gran-
de ; marroquim superior e de varias cores.
Hernani
ou a honra dos castolhanos drama em 5 actos, do
Vctor Hugo traduzido em portuguez por Fran-
cisco Jos Pinheiro CdftDira vende-se na loja do
livros do pateo do Collegio de Joflo da Costa Dou-
rado.
Vendem-se 6 apolices da companhia de Bebe-
ribe : a fallar no theatro Novo.
_Vende-se, na ra da Gloria, n. 6, um preto
cn'oulo pedreiro de 20 annos para o mallo, 011
lina da provincia : tambom troca-se urna casa ter-
rea com 22 palmos de largura, 2 quartos, bom fun-
do e quintal muilo grande, c lem annexo nove pal-
mos do terreno quo ludo junto d muito boa casa ,
011 sobrado por outra casa terrea do mais comino-
dos e maior vollando-se o fr justo, e nflo sendo
em ra muilo deserta no mesmo bairro, ou no do
S.-Antonio : lamben)se vende um indo cavado ala-
| ZO-dourado o arregazado bom andador baralha
debaixo a cima com arreios que anda nflo servi-
rmn, al esporas.
Vende-se, por proco muito commodo a obra
do direito mercantil, por Silva Lisboa: na ra do
Cabulla, loja da esquina, defronte da matriz.
A 800 rs o covado.
No Aterro-da-Boa-Visla, n. 24, vende-se o muilo
superior fuslao amarello, pelo diminuto pceo de
dous cruzados o covado.
Vende-so una casaca preta do superior pan-
no quasi nova : urna dita verda o dous cohetes :
ludo por menos de seu valor: na loja de alfaiate ,
na travessa da ra da l'raia ao p do theatro.
modos, quintal multo grande e mnitos arvoredoi de fruc-
toj, por nreco o mal rasoavel possivel: trala-se na ra
do Arago, n. 27.
Vende-se um preto canoeiro do bons costu-
mes do boa figura moco o sadio : ao comprador
se dir o motivo porque se vende: na Ponte-Velha
da Boa-Vista, casa do Calilo.
Vende-se o sitio doCaldeiro, a beira do rio,
com casa gaandede vivenda urna mei'agoa, co-
cheira estribara e quarto para pretos, com grande
pocodoagoade beber, plantado do arvoredos de
fructo e com baixa para capim : na ra do Vigario,
n. 19.
Na casa de modas francezas de M. Millochau ,
no Atterro-da-Roa-Vista, n. 1, ha para vender um
lindo sortimento de barege para luto; mantas de
barago assetinado para luto ; chapos de crep pre-
to ; fitas, bicos o luvas pretas; crep e escomlha
preta lisa. Na mesma casa so fazem com gosto o
promptidSo vestidos, toncados e chapeos.
Na casa de modas francezas de M. Millochau ,
noAlerro-da-Boa-Visla, n. 1, primero andar, re-
cebeu-se, pelo ultimo navio vindo de Franca, um
sortimento de chapeos de senhora da ultima mo-
da tanto de seda como de palha ; visitas, palitos ,
moda nova e muito maiseleganles que os mantele-
tes; camisinhas bordadas; flores muito em corita,
em porefloea retalho ; plumas finas ; uvas ; cam-
braia do linho.
Vende-se cal virgem de Lisboa era barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar cora Almcida & Fonseca, na ra do Apollo
A i.sooo rs. ,
ancoretas com azeitonas superiores : ven-
dem se no caes da Allandega armazem
n. 7, de Francisco Dias Ferreira.
Casimiras elsticas.
nhosque os compradores desejarem; assim como
lambem ha urna grande porgflo da que vem em gru
mee em ido vende-se por menos preco do que*m
outra qualquer parle.
Para senhora.
Vende-se um rico adereco de ouro matizado com
diamantes linos, por 350,000 rs. ; na rua Direita
sobrado n. 16, que faz esquina para a travessa d
S -Pedro.
Vende-se um escravo caiador,e que entendeda
plantajes de sitio: na rua Direita, sobrado n. 1fi
que faz esquina para S.-Pedro.,
Vende-se urna escrava crioula de bonita figu-
ra ,-com urna (i I lia de dous annos : a escrava he p-
tima lavadeira, engommadeira o que entende de
costura e de cozinha : na rua Direita n. 32.
^lUidaCr.iz.V.V^.
Superiores o muito novos queijos londrinos, vin-
dos na galera ingleza Bonita : vendem-se no arma-
se m suppra a 960 rs. a libra.
Vende-se urna escrava ptima cozinheira e cn-
saboadera e que he ha muito fiel, e por isso capaz
de se llie entregar nina casa : o imilivo por que so
vndese dir ao omprador: na rua de Dorias
II. 138.
Vende-se urna parda muilo boa cozinheira e
engommadeira ; 2 lindos moleques de nagflo, de 12
a 14 annos ; urna prelado 20 annos, muito boa en-
gommadeira ecoslureira ; urna negrinha de 12an-
nos.com habilidades: no paleo da matriz de S.-
A .1 ionio sobrado n. 4.
Vendem-se chapeos de castor branco a
.JSs^*i000 rs. : na rua do Queimado, n. 22.
-- Vende-se marmelada em latas grandes e peque-
ras; doce doginja a 320 rs a libra : ludo muito
superior : no pateo do Carino, venda n. 1.
Vende-se urna crioula de 4annos, muito sadia ;
10cadeiras; um soph; umacommoda com encl-
lenle pedia : ludo de Jacaranda e em meo uso :
na rua Direita*, loja de selleiro n. 51.
Vende-se, por preco commodo urna casa de
pedra o cal nova, na nova estrada da Capunga,
com bastante terreno para cts : acham-se as cha-
ves defronle do mesmo sitio : a tratar no pateo da
S.-Cruz, ao p da botica n. 8.
Na rua do Crespo loja n. 11,
vendem-se os segu rites livros: Burlamaque, direi-
to da natureza 5 v. por 9,000 rs. ; Cdigo dos
juizes de paz 1 v. por 4,000 rs. ; l.acroix, direito
natural, 2 v., por 2,000 rs, ; garantas individuaos,
1 v. por 2,000 rs. OlirigacOes do jury, por Carlos
Comle, por 3,000 rs.; Azuni, direito martimo, 2
v. novos. por 4,000; Formulario do libellos, por
IIWVU.1
Corris Tolos, 1 v., por 3,000 rs ; Peculio de autos,
1 v., por2,000rs.; Tralado da forma dos libelos,
por Gregorio Martins, 1 v. por 2,500 rs.; Manual da
appellacflo, por Gouveia Pinto, 1 v. por 2,500 rs.;
Tratado da religiflo novo e encadernado por 4,000
rs. ; Historia sagrada, por Bernardino Freir, por
4,500 rs. ; Philosophia porCousin nova encader-
nagflo, por 6,000 rs.; Chefs d'ceuvres de Voltaire ;
Alias por Siinancourtnovo, por 10,000 rs.; Retiro
espiritual novo, 2 v., por 4,000 rs. ; ceuvres com-
petes d'Alexis Pirn, 7 v. por 6,000 rs. : Histoire oBer7'n Va"
de laBelgiqun, 7 v., por-4.000 rs.; e outros mui-' >B" "' -
tos livros que se vendem baratos e se continuam
a trocar.
AS T#
|S| O proprielario deste cstabelecimento por 63
ja eircumstancias occorridas v-se obrigado
g a relirar-se para a Europa, e como nflo o p-
Sh de fazcrseiii primero pagar a seus credo- 5
j| res, oflerecealgiim abatimpiiln a seus de- 3
tag redores quo quizerem saldnr suas contal j
|g no prazo do trinla dias undosos quacs, el- |
3 lepassara fazer Iransaccflo com os docu- Si
f menlos que tcm emsou poder, isto tflo s- f<2
jsj mente, alim de com o producto deltas, po- gg|
,, dr mais fcilmente saldar contas com seus W
gf credoies, e aupposto que esta transacefle. ?5
f motiva grande prejuizoao aniiuncianle, ne- ^
|g iiliuina Utilidade resulta aos devedoics, quo ggt
jj licam un mesmo caso obrgados a pagar por 3
v| nloiru seus documentos, sem que talvez s
gg enconlrcm contemplacflo alguma e nem o f{
|^ abalimonloqueoiiiiniinciiinlo'por meio do E3
y seus annuncios offerece a todos os devedo- fe
g res : lambem lem resolvido vender o esta- jf
m belccimentij com o resto das fazendas que fgl
ra sendo anda em grande numero, serflo ven- ga
g didas tudas por procos diminuios a saber : j|{
pecas de chitas de cores lixase pannos finos, |
3 a 5,500, 6,000 e 6,500 rs. e muilo linas, en-
H| liando algumas do coberta a 7,000 e 7,500 '(&
j^ is., e o covado a 170, 190 o 210 rs. ; pecas do g
^ madapnlflo largo o muito cncorpado, a
8 ,000, 3,200, 3,500, 3,800 o 4,000 rs. ; dito
largo e lino de superior qualjdade u 4,500.
4,800 p. 5,00o is.; princeza de duas larguras,
> a640rs. o covado; lila larga a 380 rs. ;
3 casineta preta a 800 rs.; luvas do pellica ,
I para senhora, a 320 rs. ; dilas do seda a
320 rs,; ditas brancas muilo linas, para Ho-
mem, a 400 rs. ; pannos de mesa'de meio do
sala de bonitos gostos o de superior quali-
dade, a 3,000 c 4,000 rs. ; golas o pescozi-
nhos de cambraia, fazenda muito propria
para meninas, a 200, 24o e 320 rs. ; los de li-
nho muilo grandes e de superior qualidade,
a 7,000 c 8,000 rs. ; dilos mais -pequeos a
6,000 e 6,400 rs ; suspensorios do mei afi
40, 120, e 160; dilos de borracha a 200 ej
e 240 rs. ; ganga azul, a 100 rs.; algoduo
de iistras muito cncorpado proprio para s
escravos a 170 rs ; chales grandes (pro- fg
prios para escravas a 800 e 1,000 rs.; ditos g
linos de diversas qualidades, a 1,500, 1,800 g
o 2,000 rs.; e oulras limitas fazendas que k
por oceuparem muilo lugar deixam do ser
annunciadas, o que lodas serSo vendidas
anda mesmo com grande prejuizo, s aflu
de se acabar com o eslabelecimento.
Vendem-se itoertore* cortes de meia casimiras els-
ticas de pura laa, pelo barato preco de 2/000 e 3/000 rs.
o corte de calca : na nova loja da estrella, da rua do
Collegio, n. 1.
Vende-se um moleque de boa conducta o que
se afianea : he rneommendado a ser vendido a pes-
soa conhecda por ser digno de terum bom senhor:
na rua Pireita, n. 16, esquina que volta para S.-Pe-
dro, so dir quem vende.
Algodo monstro de 8 palmos
c meio de largura.
Na loja n. 5, que faz esquina para a rua do Colle-
gio de Guimarfles& Companhia vende-se a nova
fazenda de algodflo branco muito proprio para loa-
Ihas pelo barato preco do 640 rs. D-se amostra.
Vende-se muito superior biscouto francez do
Rheims : na rua da Cadeia-Velha, n. 29.
Vendem-se cortes de Ifla escura muilo encor-
pada e de lindos padrOes, pelo barato prego do 2,500
na rua do Queimado, n. II.
rs.
Vendo-se urna tipoia com todos os seus perlen-
ces em bom estado por preco commodo : na rua do
ickn
Vende-se urna escrava do 20 annos, de nacflo
Costa de bonita figura ,'com urna cria de um anno,
j desmamada e muito linda : a preta cozinha o
diario de urna casa, engomma lava de sabaos var-
rella, arruma bem urna sala, e be muito entendida-
. CHA' HYSSON,
de ptima qualidade a 2/210 rs. a libra: na rua da
Crui, no Recife., armazem n. 13.
FARELO
a .'.s'ooo rs. a sacca
nos armaieus ni. 1 e 3 do caes da Alfandega, e no de n.
35 da rua do Amorim, de J. J. Tasso Jnior,
Riscados monstros.
Vendem-se superiores riscados monstros, j bem co-
nbecidos tanto pela qualidade como pela largura em
demasia, pelo barato preco de 280 rs. o covado. Estes
riscados sao chegados ltimamente: as cores sao lixas,
e os p.nli... ~ multo modernos e de bom gosto : na nova
lojada Estreila da rua do Collegio, n. 1.
Vende-se ca1 virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte ; na rua do Trapiche, arma-
zem n. i"].
Vendem-se dous pianos fortes de Jacaranda ,
chegados ltimamente, que, alm de seren um
magnifico ornato de urna sala, teem excellentes
vozes sendo o mechanismo da muila approvada no-
va inveneflo chamada repitidor patente de Col-
lard : em casa de J. Keller & Companhia na rua da
Cruz, n. 55.
Vendem-se barris pequeos com cal virgem de Lis-
boa, a mais nova que ha no mercado., por preco com-
modo : na rua da Moda armazem n. 17.
Potassa.
Vende-se muito superior potassa em
barril pequeos: na rua da Cadeia-Ve-
Ilia armazem de Baltarck Uliveira, n. ia*
Vende-so cera de carnauba de boa qualidade,
em poreflo o a retalho por preco commodo: na rua
da Madre-de-Dcos, n. 34.
Vende-se urna morada de casa terrea na rua
Imperial n. 9, feita a moderna e com commodos
para um grande familia ; s com a vista de quema
pretender melhor se poder informar: na rua Au-
gusta, u. 94.
Vendem-se queijos londrinos os mais fresesao
quo ha no mercado ; latas com bolachinhas de ara-
rula ; ditas com hervilhas ; ditas com sardinhas :
na rua da Cruz, no Recife n. 46.
FirminoJos Flix da Rosa tem para vender
axcellenle vinho da Figueira em pipas o barris : os
pretendemos todos os dias poden tralar com o mes-
mo no caes da Alfandega ou no seu escriptorio
na na do Trapicho, n 44, aonde lambem vende
lindos vosos para jardim.
Vende-se, na venda de Joaquim
Correia Rezende Hego, no largo do Li-
vramento, n 20, superior cal de Lisboa,
em bairisde 4 a 5 arrobas, a mais nova
que ha, vinda pelo ultimo navio, por pre-
co mais.comtnodo do que em outra qual-
quer porte.
Vendem-se aeces da ex-
mela companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, rua da Cruz,
n. 9.
Vinh. verde.
Vende-se o puro o refrigerante vinho verde, che-
gado ltimamente do Porto por preco commodo-
na rua estreita do Rozario venda quo faz esquina
para o pateo do Carmo.
Vendem-se e alugam e
bixas hamburguesas, por prego commodo: na ru
das Cruzos, n. 40.
Vende-se sag fino tapioca do Maranliflo, ce-
vadinha, cevada gomma de ararnta : na rua das
Cruzes, n. 40.
Charutos.
Na fabrica da rua estreita do Rozario, ha um com-
pleto sortimento do charutos muito superiores
vndos da Bahin, pelo ultimo vapor, os quaes se es-
tro retalhando por preco muito commodo, e daiV
qualidades S.-Felix, deputados, regalos de Havana
cavalleiros, Julias, cigarros da fama, quem fumar sa-
MCra regala superior, eoutras muitas qualidades
Vende-sc, narua dasCincc-Pontas, n. 71, un
preta crioula de 18 annos sem vicios: vende-se
para um pagamento. Na mesma casa lambem se ven-
de panno de linho.muilo superior eom conta visto
qualidade.
Vende-se urna preta de 20 annos, que cose, en-
gomma e lava bem una casa: na rua de Apollo.n. 15
terceiro andar. *
I*o Provenga.
Domingo, 1.' de outubro, estar a venda e conti-
nua todos os dias, na padaria do tima s porta, na
praca da Santa-Cruz, o novo pilo Provenga de 160
80 e 40 rs.; epodo asseverar que est inteiramenl
habilitado no seu fabrico, como lambem com as me-
lliores familias que ha na mercado, e nflio poupar
ludo quanto fr misler para que seus froguezes, o
os que o quizerem ser, sejam bem servidos como o
sflo com a bolaphinba regala, doce e agoada, ecorn
ludo o mais que ueste eslabelecimento so fabrica
na travessa da Madr-de-Deos, n. 13, deposito da
mosma padaria, est venda ludo quanto se fabrica
uu menina padaria.
Escravos Fgidos
Fugo, no dia 27 do correlo a preta Del fina ,
de nacflo Costa; consta que anda vendendo agoa
pelas ras da Roa-Vista. Esta escrava fo de Jos de
FreilasBarboza. Quom a pegar leve a rua Direita,
n. 21, quo ser generosamento gratificado.
50,000 rs. de gratificaeflo.
Fugio.no dia 21 do correte, o preto Simiflo, de
nacflo Costa, de 30 a 35 annos; tem algumas mar-
cas de bexigas pelo rosto e alguns tainos, signaes de
sua nacflo ; tem falla de denles na frente, e urna
marca no peilo por tor ha tempos levado um causti-
co ; he bastante grosso, bem reforjado, tanto em
corpo como em pernas e bracos, altura regular;
quando falla he de maneirasquelhe cusa bem, a es-
pecie de cansaco; levou caigas do ganga azul, ca-
misa de Imla encarnada ; faz uso de. ceroulas com
fitas amarradas por dentro das caigas; levou mais
urna porgfloderoupa, por isso talvez lenha mudado
ile (rajes. Roga-so as autoridades policiaes tanto
desta cidadexoioda villa do Cabo, Serinhjlem e
Macei por ser este o ultimo lugar, anude elle j
esleve por alguns annos o se desconfa quo. para
la fugsse a mesma rccommendagflo so faz aos ca- ,
pilSes decampo, que o apprehcndam e levem-no
a rua Real, no Manguind n. 51 quo rcceborfloi
gralificagflo cima. "i
Fugio, no dia 23 do correnle do sitio do BW-"
Doce o mulatinho Olegario do 14 a 15 annos ; le-
vou camisa de ganga azul j muilo rota e ceroulas
brancas por cima de urnas azues do mesmo panno da
camisa e chapeo de palha velho, pintado de preto
quem o pegar leve-o ao mesmo sitio do Rio-Doce, a
Francisco Candido das Chagas, que recompensar ,
ou na loja deencadernag.1o na travessa do Rozario,
n. 12.
Vendem-se 3 lindos moleques do 14 a 18 annos;
um pardo de 18 annos, de elegante figura ; um pro-
todo 25. annos, bem robusto ; urna negrinha de
12 annos, iriuito boacosturera ; 2 pretas de todo o
servigo; no pateo da matriz de S.-Antonio sobra-
do 11. 4.
Vnde-se una casa terrea muito grande, sita na Na rua da Cruz, n. 60, lia um completo sortimen- _
rua da Manguelra, na Boa-Visia, n. 11, com grandes coni-lto de cera de Lisboa, em caixas de todos os lama-I I ER.v.
Cera de Lisboa.
Fugo, no dia 17 do correnle, a parda Francis
ca, levando comsigo seu lilho menor de um anno ;
he de cor clara bocea regular, com falla de denles
ra frente cabellos cacheados e cortados, nariz afi-
lado ; tem um defeito em um dedo da mflo esquer-
da, olhos regulares, pe los pequeos; levou vestido
de chita azul com florss encarnadas o outro de ris-
cado j desbotado : o llllio foi vestido com limito j
usado: quema pegar leve-a a rua do Trapiche-No-
vo n. 40, quesera recompensado.
Fugio, no dia 21 do correnle, urna prela.de
nomo Joanna que reprosenta ter 30 o tantos annos,
ile altura regular cheia do corpo ; tcm o rosto pou-
co picado de bexigas o a sobransclha do 0II10 di-
reito mais alta que a esquerda; levou vestido de
chita o panno da Costa ; julgu-se andar em Olinda :
quem a pegar leve-a ao pateo da matriz do S.-Anlo-
nio, n. 4, segundo-andar.
Desappareceu, da casa de seu senhor, no bairro
do Recife, na noite do da 21 do correte, urna es-
crava de nome Mara, do 16 anuos pouco mais ou
menos estatura regular corpo um pouco cheio ;
tem falta de alguns denles na freete do lado superior,
fajla um tanto de vagar indicando vergonha ; levou
camisa de algodflozinhoe vestido de chita rxa em
bom uso, c contas azues no pescogo : tendo chega-
do ha pouco lempo do serillo, lorna-se conhecda
pelos modos e feigOcs : quem della livor noticia, ou
a apprehonder dirja-se a rua do Torros, casa de (
Joflo Pinto do I.emos quesor devidamente recom-
pensado. t
NA
TYP. DEM. F. DEFAMA. lH48
MUTIl
J!


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E33V3S1ED_89YYFF INGEST_TIME 2013-04-24T20:17:50Z PACKAGE AA00011611_06525
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES