Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06524


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anito XXIV.
Sabbado SO
nj)l t/l/" publlca-se todos o* dias que nao
, re guarda: o pre<;o da asslgnatura hr
liOO rs. por quartrl, pago$ adianaioi. Os
niiuiicio asslgnantes sao inseridos
*S;io de 20 r. por Ihiha, 40 rs. ein typo dlf-
ereiite, e ai repeticfles pela mctadc. O nao
Mienante* pagarSo 80 rs. por llnha e 160 rs
m tj-po dlfferente, por cada publicacSo.
PIIASESDA. LA NO MEZ UE SETEMBRO.
r,act*ie, a 5. as 6 hora e24 mln. da tard.
iLchiia, a 13, as 3horas e 59 mln. da manh
iMoaK, a 19, i 7 horas e 38 mln. da manh
lu'nova, a 27, as 7 horas e 18 min. da manh
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahiba, s segs. e lextat-feiras.
IIio-G.-do-Norte, qulntas-friras ao melo-dia.
Cabo, Serinliarm, Rlo-Kormoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.', a 11 e 21 de cada met.
Garanhuns e llonlto, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, i qulntas-feiras.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Prime ira, s 7 horas e 42 minutos da manh.
Segunda, s 8 horas e 6 minutos da Urde.
de Setembro de 184.
W. 91*.
DAS da SKMANA.
25 Segunda. S. Firmino. Aud. do J. dos or-
ph. do 1. civ. e do J. M. da 2. w.
20 Terca. S. Cypriauo. Aud. do S. do c. da
I. r. r do J. de paz do 2. dist de t.
27 Quarta. Ss. Cosme e Damiao. Aud. do '.
doc. da 2. T. e do J. de pa do dist, 28 Quinta. S. Venceslao. Aud. do de or-
ph. do J. M. da 1. v.
29 Sexta. S. Miguel Archanjo.
,'10 Sabbado. S. Jeionyino. Aud. do J.do c.
v. e doJ.de paz do 1 dist. de t.
1 Domingo. O Ss. Hozarlo de NossaSenhora<
CAMBIOS KO DA 20 DE SETKMimO.
Sobre Londres a 23 d. por 1 f rs. a 60 d
., P.iris
Lisboa 190 por rento de premio
llin-di'-.l loeiro u> i ar.
Desc. dr leu de boas lirims a 1 ?, ao mei
Acedes da comp. de Beberibe, *M 'rs. aop.
Ouro.-Oncas hespsnhol is 3-> M.'da de 6/400 v. 17/800 a '*""<>
de#HHln. 16/400 a
. de 4/t>00... 9/!MH) a
PraaPatacoes brasilelros 2 a
. Pesos columnarios. 2/MO a
Ditos incxicanoi..... I/".MO a
18/01 I
16<*00
10/000
2/050
2/050
1/920
DIARIO DE PEMFAMBUCO

INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUC.O.
Rio-de-Janeiro, 17 de tettmbro de 18*8.
Fallare! hoje de objecto bem difireme dos que teem
oceupado as minhas cartas anteriores; quero que as
prssass que teem a condescendencia de Irr o que escre-
vo, alguma cousa salbam do que por c vai relativa-
mente a Iheatros.
A famosa cantora A. Candiam, prima donada compa-
nliia lyrira Italiana que delc 6ns de 1843 trabalha no
theatro de San-Pedro-dc-Alcantara, dclxando de ser
tsrripturada ltimamente, resolveu retirar-se desla cor-
te e na noite de 13 do corrente deu-nos o seu benefi-
cio de despedida, levando scena no theatro de San-
Francisco, pela nnliga companliia dramtica de Joo
Cnctauo, o Othtto, com os entre-actos recheados de dan-
sados e cantura de pedacos escomidos, deseiupenbada
por ella e alguns cmicos franceses. Nao era possivel
jiue eu dielant antigo, mas que, por urna dessas fatali-
dades alias inteiramente cstranhas a nOssa vontade, e
todava bein coinmuns em nossa vida, nao a ouvia ha
metes, dixassc de ir assistir ao adeos daquella que in-
nnmeras vezes me havia feito repetir os bellos versos
dr certo bardo pernambcann, em um dos mais melo-
diosos sonrtos elmanitla, que jamis liri lido ciu dias de
iniulia vida:
a Emquc funte de encanto e de docura
> Kebeste, Candiani, a voz divina,
Que arrebata a <|uciu sent, e meiga eusina
A sentir e a te amar a penh* dura ?
E assim era !
Fui, portanto, infallivel nessa noite na sala de San-
Francisco ; quera quvir a grande aria de Nabucodonoior,
e un duetto do Pirata que a beneficiada havia esclhi-
do para sua despedida : de frito pouco espercl. Mas
htu I quantum mutata abilluW'. A mao do lempo nada
respeila '. Anda assim meiga ensina a sentir ; e
.u Ikmi bastantes apalxonados que Ihe prodigalisassem
enllmsiasticos applausos e coreas de recendentes llo-
res. Verdade seja que jamis mulher alguma que pi-
sou o palco secnico no Rio-de-Janciro, imiouou-se tan-
to no espirito do publico, e receben delle inaiores de-
monstrares de sympathia e predileccao : nunca sobre o
tablado deixou de receber ovaces, nein iiiesmo quaudo
todos pcnsavim que sua estrella deelinasse, pelo passo
louco e altamente reprehensivel de abandonar seu ma-
rido |iii;ni\rt com oulro homem. Fol scoih a voz que
se rehabilitou, e V;
Iiavrndo-llic oficreci'
diados c sol'opostos a
Sua presenca dcsaruiava-l<-_
quecendo-se a esposa adtilrsj)
jo merecimento nao consej)
criiiiosa n. m'ilher
imigos, os que
as, fram repu'
re c mu posifo
(Wlos, c fazia que, cs-
'"sr vis.se a artista, cu-
e secastigasse como
Fraca e sein forja, s por ter subjeito
O i ni ,i. .ni a quem soube vcncO-la.
F.mfim vai-se ella embora mo sel para onde ; porm
em que lugar podera achar o que c leve ? Onde pnder,
ein um beneficio, tirar quatro contos)* Ueixemo-la ir.
O violinista Moeser, que ha pouco chrgou a esta cor-
te, j se apresentou io publico uo theatro de San-Pe-
dro-de-Alcantara : lie inquestionavelmeiite grande ar-
tista. Mnitas noiles se elle continuar, pois que muilo agradou.
'l'.-i 11>< i i aqui ltimamente chegou de Lisboa mada-
ma Olivier, cantora do theatro de San-Carlos ; e, se seu
merecimento corresponder nietade da fama, seu en-
".ijainento ser una excedente acquisicSo para a com-
\Ti>.'inhla italiana, que actuulmente s tein nina boa pri-'
na dona, madriuoisrlla Merca. A directora j Ihe fe/,
propostas, c nada conseguio pelo duplo motivo de nao
querer o encarregado da negociaco, sobre apresentar-
secom mos modos para tratar com madama, acquics-
cer :i i|ii.inii.i <|uc ella pedia ; e nao querer madama, so-
bre exigir mu cont de ris por me/., subjeitar-sc a ex-
periencias, isto he, cantar antes de enntratar-se. Com-
tudo he milito natural, urna vez que ha vontade de am-
bas as partes, se clirgue a um relia accordo, e tendamos
a lortuna de ouvir urna artista que a preconisado m-
rito reune belleza.
Muito boas pecas italianas nos tcm dado o theatro de
San-Pedro ; a-ultima que subi i scena, os Lombariloi,
tem chamado uiua concurrencia, nao s por ter boa
msica, como por ser muilo apparalosa. Kst ein en-
satas a Manca lavarlo do baptisado ; devendo dar-se no dia 19 a pri-
mrira representado da Sytphide, pela companhla de
baile que huie trabalha em San-Pedro, cujas danzari-
nas, francezas, teem sido recebidas com muito laver
pelo publico.
A directora daquelle theatro tem dado formal des-
mentido a ludo quauto dizam scus inimlgos ein seu
desabono. Forcoso he declarar, por amor verdade,
que a sala do theatro de Sau-Pedro offerece actualiiien-
te, ans amadores que afrequenlain, noiles verdadeira-
inenle agradaveis. '
0 de San-Francisco, onde trabalha a companliia Ijrl-
ca france/a, apetar de ser o edificio um pouco peque-
no, vai correspondendo aos desejos do publico, e he
bstanle frequentado.
Oiiainlo chegar a poca em que Pernanibuco lenha
taiiibem sua <'oui)>anhia lyrica e seu corpo de baile ?
Quandu pml< i .:o os habitantes dessa cidade do Hccife
apreciar o que seja verdadeiro divrilinento, e despre-
zar por urna vez os presepios c pastoras do Gamboa?
Quando hnuver theatro dir-me-ho. Quando liouvcr
theatro!! I.... Tantos anuos ha que ouco diier que se
est construindo esse theatro, tantas vezes tenho ouvi-
do diicr que esl a concluir-se, que j vou emulo que
trala-se da famosa lea de Penelope, de que falla a f-
bula !
dem, 20 de ntembro
Vamos por um pouco fallar da poltica, posto que
na minlia, remetlida pelo paquete inglez, tralasse
extensamente della ; mas, j quo os factos, como
que para contrariaren! o meu proposito, se vSo aglo-
merando, fiii\a lie dar-llies subida. Assim, pois, en-
tremos por um pouco na cmara dos deputados para
ao menos ver a voluco tlooreamento. Quasi todas'
as emendas votadas na segunda discussSo, es-1 admira se der em rUado aseparaije ('ni .lenula-
cepeo de urna oti outra sem importancia, foram
approvadas, inclusive a do 800|0 sobre ohras feitas ;
o tambern algumas outras propostas na terceira A
reducQno das matriculas dos cursos jurdicos n3o
passou.
Vou enumeraras mais importantes que se vola-
ram.
A 1.' manda pagar ao Dr. Justiniano Jos da Rocha
os seus ordenados como lente de diroito das gentes,
applicado guerra, na escola militar, cuja cadeira
foi supprimida. Para que se nSoadmiremque a inai-
orin actual votasse por tal medida, contarei o que
tem a esse respeito occorrido.
Como he sabido, quando em 18** o ministro da
guerrra Colho supprimio aquella cadeira, s teve
em vista vingar-se do Rocha, que, como redactor
do RraiU, Ihe fazia cruenta guerra : Ferraz e outros
deputados sustentaram, na cmara, que, nfln obs-
tante a suppressflo, o lenta tinha direilo a seus ven-
cimentos, visto dispr a le quo os lugares do ma-
gisteri-; sejam vitalicios; e Joflo Paulo no ministerio
de 5 de maio assim o ontcndeti, e mandou pagar-lhe
os ordenados. No anno passndo, a maioria da c-
mara, pelos mesmos motivos que teve o-Coolho, vo-
lou cxpressamcnle no orgamento a suppresso do
dito ordenado. Manocl Felisardo, no orgamentoque
apresentou, consignou verba para esso fim, e a com-
misslo supprimio-a ; entretanto Ferraz, memoro da
maioria, e de urna das cnmtnissOes de orcamento,
manda na 3.* discusslo a segtiinte emenda : Resta-
beleca-sa no art. 6." o pedido da proposla co go-
verno, ou 51:900/000. A maioria que, as questOes
de votaco, attonde mais pcssa quo propfie a me-
dida do que ao inloresse della, approvoua emenda
sem examinar o a quo se ella refera, e sem saber
do que se-lratava ; e foi somante no o ti troi dia que
vio o que liavia feito, por dixer o Jornal do Cumuarcic
que ficava restabelccida a cadeira do Dr. Rocha. Ro-
drigues dos Santos ficou furioso, e com elle toda u
maioria, a ponto de dizerem palavras pouco amiga-
veis a Ferraz. Em verdade, nSo he do lealdade sor-
prender assim a boa f dos amigos.
A 2.' Determina que os gneros reexportados
para a [costa d frica liquen pagando d'ora em dian-
le urna taza igual metade dos direitos de imports-
eflo para consumo.
A 3.'supprime a imposico quo eleva a 1 porcento
a laxa sobre o ouro amoodado, e autorisa o governo
a reformar a rcparlicno da casa da moda, e a for-
mular urna pauta em que se marque a laxa que se
deve cobrar pela cunhag'em da moda, fundiejo dos
metaes o aiiiacilo do nuro, e por ludo o mais que
lizer obsjecto dos trahalhos da mesuin reparlicio.
AA.'reduzo imposto da ciza dos bens deraiz a
seis por cenlo pilgua a vistas.
A 5." dispOe que os ttulos de despachantes de al-
faudega da 1." e 2." classo s podero ser conferidos
vista de documento ein que os impetrantes mos-
Ircm ser cidadaos brasileiros.
A 6.' determina que os paquetes de vapor, em sua
passagem por Xlacei, se demorcm doze horas pelo
mengs.
A 7.* autorisa o governo a empregar na construc-
tjflo das obras publicas da provincia de l'iauhy os
cscravos, bois do carro e mais peiiences das fazen-
das nacionaes existentes na mesma provincia, sem
prezuizo do costeio deltas.
. A 8." dispOo que o governo no poder applicar as
consignacOes de uina a outras verbas da presunto lu,
nein a servido nflo disignado nella ; e, quando as
quolas votadas tillo batarem para satisfazer as des-
pozas a que so destinadas, e liouvcr urgencia ein
satisfaz-las, c lambem ha vendo necessidade uigunte
do fazer despezas oin objeclos uilo contemplados nn
presento lei, nilo estando reunido o corpo legislati-
vo, pdenlo ser taes despezas leliberadas ein conce-
ll,o ministros e autorisadas por decreto ; deven-
do o ni inistro, em favor de quem fr aberto, darao
corpo legislativo, logo no principio da sessilo inme-
diata, conta comprovada das rasOos que as motivii-
rain, para seren definitivamente approvadas.
A 9."dispo que aos juizes municipaes, servindo
interinamente de juizes de direilo e chefes de poli-
ca, competem os respectivos ordenados, quando
estes nflo o receberem.
A lu* determina que o ordenado que compete aos
solicitadores dos feitos da fazonda, as provincias
ondo ha relaefies, deve ser regulado pelos vencimen-
los dos procuradores-fiscaes e dos feitos da fazenda,
Meando assirn entendido o artigo 9 da lei de 29 de
iiovombro do 18*1; e igual ordenado perceber.lo os
solicitadores da juslica e fazenda da segunda ins-
tancia, onde os liouvcr.
11.a Este orcamento vigorar desde a sua pro-
mulgarlo.
As demaisemendas que se approvaram, sSo de
pouco inleresse, o anda do menos l para as provin-
cias.
Esperemos agora a ver o senado o que faz com o
orcamento : duvido muito que o governo tenha fr-
cas para faz-lo ahi passar tal qual vai da cmara ;
e, quando o consiga, nao ser por certo uestes 13
das que se ha de elle discutir e votar.
fada vez tuais vulto toma a crise ministerial, e a
ponto tal. queja correm edicOcs do novo gabinete.
Pretenda-se a principio que, entrando Rodrigues
dos Santos para a pasta do estrangeiros, e passando
Souza Franco pura a da fazenda, com a presidencia
doconcelho, (icaria ludo sanado ; masa issciseop-
punhaiii certos obstculos que nao he lacil vencer,
tanto mais n3o have.ido certeza de achar-so maioria
as camards. Para mais peiorar a situagao do mi-
nisterio, uina sbita divergencia appareceu na maio-
ria, em nina quesillo que, a principio parecendo de
pouco alcance, foi tomando formas taes, que
Esquecia-me dzer me o iuiz di- dreito de Coian-
dos do norte dos do sul. Como se julgasse que o I na, Manocl l.ibanio, "est nomcado ebefe do polica
senado nHo votara o orcamento, indo nello inclu- do rtio-Crande-do-Norte, e removido para a mesma
da a ds|iosic> de commetter s presidencias de pro- provincia, o Joao Paulo do Miranda para .oianna.
vinca a nomeagao de certos empregados, e tambern -----------------
nao
a que trata das ccumulaces, propoz Rodrigues dos
Santos, creio quo de aecrdo com o governo,|que fs-
sum taes disposices separadas do orcamento : j
Wanderley tinha mandado mesa um requenmen-
lo no mesmo sentido, mas para que, sendo a pri-
meira separada, fsse discutida como projecto de
lei. A maioria reprovou este requeriinenlo ; o,
quando so tratou do oulro, tambern com grande
sorpreza vio quo por dous ou tres votos fra rejeita-
do. No da soguinle, um deputailo da maioria pro-
poz para que a commissOo de redaegao fizesse a sc-
parac&o, islo he, apresentasse a medida em redae-
gao separada; e, votando a extrema esquerda un-
nimemente por essa ideia, assim se venecu, haven-
do quasi todos os deputados do norte votado contra.
'mmediatamcntoToscano de tirito, por inspirages
dos praieros, requer que sejanrseparados do orga-
menlo todas as materias que frcm eslianhas a ello,
em que as especificasse. Agora veris : Jos d'Assis
he o primeiro que so levanta para exprobrar aos que
votaram pela separagao por so haverem unido aos
saquaremas; e, continuando com violenta acrimo-
nia, nota que o ministerio anda nao tem realisado
o sen couipromisso do demtliros presidentes do 8
le margo. Prolongou-se o debate ueste sentido, o
os deputados do sul o o ministerio fizeram mil pro-
testos de nao estarem unidos, nem jamis se unirein
aos saquaremas. He para lastimar que Joao Paulo,
alias bom orador, tomasse entilo a palavra para fa-
zer precisamente o que so chama fiasco ; foi cassua-
do at pelos amigos. Wanderley foi o nico mem-
bro da opposigo que lomou parto no debate o por
tal nianeiru KSpondnu pelo seu lado em poucaa pa-
lavras maioria, que os homens Mcaram desconcer-
tados, e eonlioceram que nao ium hetn querenuo
fazer ta extrema esquerda a victima expiatoria de
suas divergencias. Emlim, retiraren! o requerimen-
lo, sem terem determinado o que se dova fazer, o
meio irresolutos esperaran!
Ora, digamo-lo com sincerdade, a quesillo toda
se reduza a sabor, urna voz que Paula Souza nao li-
ca, quem dever ser o presidente do concedi. Os
praieros quo governam os deputados do norte, quo-
rum Arrea ISranco ; os deputados de Minas e S.-Pau-
,lo quercm l.impo d'Abrcu, porque Tobas nilo tole-
rara no ministerio o mesmo que vindo elle na lis-
la trplice, nao o escolheu. A vista disso comega-
ram a correr as edigfes do novo ministerio, as quaes
nflo eram menos de oto ; mas a que promeltia mais
esperangas era a seguinte :
Fazenda e presidencia do concolho, Alvos Branco.
Imperio, Chichorro.
Jusliga, Urbano,
Marinha, Christiano Otton.
Cucrra, Oarneiro de Campos.
Estrangeiros, Candido llaptista.
O pcior 1M' |u.- o mesmo Alvcs Branco, so fr cha
matlo a organisar o gabinete, por certo nao o com-
por por esse modo, a vista da mancira porque ulti-
tiinameiito vai elle encarando os nossos negocios,
ludo, portanto, est em duvidas, o s de certo ha
que o actual gabinete, assim comosoacha, nilo po-
de continuar, ainda menos se continuar a divergen-
cia da maioria.
No senado, depois do que disso na minha anterior,
nao se tem fallado mais no gabinete ; entretanto,
discute-se com assistencia do ministro do imperio o
l*rojecto de colonisagao, maioria de mulla impor-
tancia, enjo debato deve ser lido com attengao : e
desde j digo que compartidlo as opiniOns do Vascon-
celos, poique julgo quo se nao pode fallar mellior
sobre aquella materia, quando se traa se fazer ap-
plicago ao nosso paiz. Se nao, digam os Srs. de
engenhos do Pernainbuco o que seria delles se nao
fsse o trabadlo forgado, se suas planlages e moa-
geus estivessem subjeitas vontade de homens li-
les que Irabalhassein quando quizessem : e demais
convengamo-nos que o Europeu, que habita a zona
temperada o u glacial, nao se presta nem resiste ao
trabadlo da cultura da caima, sb o calor dos trpi-
cos. Com isso mo se entenda quo eu no quero co-
lonisagao em meu paiz : sinto n3o poder aqu dizer
oque pens a respeito.
Foi adiado o baptisado do principo, porque S. M.
anda se nao sent restabelecido, e, tendo chuvido
muilo nesles ltimos dias, seria temeridado expr-
se; S. Alteza chamar-se-ha Pedro.
Morreu o marquez de Marica, senador pelo Itio-
de-Janeiro, lo conhecido pelas suas mximas: he
mais uina vaga para accommodar algum umigo.
A chapa do governo para a eleigao quo se ha de
proceder agora, he composta do ministro da guerra,
Ihomaz Comes e Souza Franga, e nao viscondo de
Barbacana, como disse na outra.
Aindj nao se tratou dos candidatos a nova vaga,
islo he- ainda nao fram determinados.
O senador l.ima o Silva tem oslado muito doenle,
mas nao tanto como disse honlem o Mercantil, que
i<'7. ap'parecer novos pretendentes, estundo anida o
liomepi vivo.
Nao fui exacto quando disse, fallando das occui-
ienti/s do dia 8, que o conde de Caxias andar com
o commaiidanto d'armas e o visconde de Camaru a
porcorrer as ras.
Volou-se honlem, na cmara temporaria, um pa-
recer da cumuilssao de marinha e guerra remtc-
sriido um tal Brown no posto de marechal.
i> 8 No huive sessao boje na cmara ; o agora
memo me liTma um dcpuUdo quo os praiciros li- em vista. L esta conclusao he apoiaua e... alguns
Jerum "s pazc* com o mmistcio, mediante nao sei factos. .xas colonias mais novas vemos gera mente
ztrsiii a ud bwih v j ^ue mulo lcrre|10 s0 lora p,-0priefiBde particular,
COI.OMSAC-AO.
lilSTilllll-lc.: vil lili TERBAS DBVOLUTAS.
(Conlinuaco don." SIS.
Em sogundo lugar, posto que pela imposicAo do
urna taxa sobre Ierras concedidas quo so conservam
desertas, c pela veiula do trras para haver os atra-
sados, se pozesse um impedimento ao abuso de so
approprisr torras novas, cointudo este plano esl ex-
poslo s mesmas objecgfios do que acabamos de exa-
minar; a execugiTo do plano seria diflicil, ou quasi
impossivel : ha, porm, oulro modo do unnexar s
concesses a condigSo posterior da cutfira. Em al-
guns dos Estados-Unidos, em verdado, tem sido esto
plano seguido com successo a respeito de tlesertos
do propriedado particular, assim possuidos antes do
se adoptar o plano da laxa e confisco. Porm, porquo
se adnptoii este plano T No para prevenir, mas para
remover os males provonientcs ile desertos postos
entre os colonos. Scgiiindo-se este plano a respeito
de todas as trras desertas, e possuidas por particu-
lares, o que so far das ierras assim tomadas ou re-
havidas pelo governo? Devcro sor ellas novamen-
le concedidas de mancira que soja necessario confis-
ca-las una segunda voz, para serem pela terceira
vez concedidas f Esto plano pode ser bom para re-
mediar um mal, porm do todo inellicaz para preve-
ni-lo. Elle teve bous resultados em alguns dos Esta-
dos-Unidos, porqun desde qu appareceu o mal que
se pretenda curar, udoptou-se oulro plano para
provenir esse ma! err. todas BS ""v conecssies.
Porm, em terceiro lugar, lie obvio quo o gover-
no.pode por cortas restriegues acquisigo de torras
devolutas estabelecendo condlgfles que tenham de
ser cumpridas antes de ser feita a concesstto, tornan-
do-a dependente do ntn aele previo por parte docon-
cessionario. Era desla natuieza una parto do plano
para so concederein trras no Swan-IUver, quando
sedavaao individuo que tinha contribuido com di-
nheiro para a conduego de Irabalhadores para a co-
lonia, o direilo de haver Ierras devolutas na propor-
glo do que desembolgava. Do idntica natuieza,
posto que algum tanto mais obvio, he o plano agoru
seguido pelos Estados-Unidos, do exigir em dinhei-
ro o pagamento do trras devolutas. Este parece sor
o methodo mais seguro e mais simples do prevenir a
in acquisig3o de Ierras; porque, posto muitos
meios possam haver de tornar as concessOcs depen-
dentes do cumprimenlo de algum acto por narto do
concessionario,como o do reter o titulo at quo a tor-
ra esteja cultivada, eomtildo, em todos estes modos
to, disputas o subterfugios, assim como a engaos da
parte dos conccssionai ios; sein mencionar que, so
fsse necessario algum lempo para o cumprimenlo
da CbndicRo do titulo, todas as trras novas teriam
do passar por um estado do incerteza quauto ao seu
proprietario ; sendo cultivadas com olimdese ad-
quirir um titulo, mas sem ainda pertencer em pro-
riedadea individuo algum, por estarem subjeitos a
seren lomadas pelo governo no caso do nao ser a
condigno do titulo inteiramente preenebida. 0 gran-
de mrito do syatema dos Estados-Unidos consiste
na simplicidad!! e na certeza de seus elfeitos.
Com ludo, o objecto do governo, ou antes da so-
ciedade, iiialograr-sc-hia so o prego sobre as Ierras
devolulas n3o fosse Ido alto que impedisse, em bo-
neficio coinnium, que lomassom maior porgilo do
que a necessaria. So o prego fsse lao baixo que se
podesse ohler grande extensao de terreno por urna
batalba, baveria quem, especulando sobre alguns
lucros remotos que poderiam piovir do augmento de
populagao, adquirisse maior porgao do que preten-
desse, ou mesmo podesse cultivar baveria grandes
desertos ntreos colonos; licarinm estes demasia-
damente dispersos, reduzindo ao grao mnimo a jor-
ga dos espitaos e trabadlo, e tornando impossivel
haver grandes lucros o grandes salarios. Assim, no
Swan-ltiver, posto alguns concessionarios dossem
dinheiro peles suas torras, pagando a passagem do
Irabalhadores emigrantes, como o faziam na rasao
de 200 geiras por cada trabalhador, ou de 1 s. 6 d.
por geira, uo so impeda que tomassem multo mai-
or porgao do Ierras do quo podiam cultivar. Ncste
caso nao so teria conseguido o lim de exigir dinheiro
pelas Ierras, ainda quamlo fsse uniforme o syste-
ma, e ninguem podesse idquiri-las sem aquelle sa-
crificio. Assim tambein nos Estados-Unidos, ondo
por falta de combiiiag"o de trabadlo livre, pode-so
dizer que a escravidao be uina necessidade, onde as
restrieges ao commercio estrangeiro, o os favores
concedidos s manufacturas do paiz, mo estilo em
opposigo, mas em inleira conformidade com os pn-
meiros rudimentos do economa poltica; o que,
depois da escraviiMo, muito concorre pora ter a
populagao junta e induzi-la a so coadjuvar mutua-
inento ; onde, nao obstante estes meios de promover
a combinagaode torgas, be prlica geral exhaurir
a fertilidade da ierra, esperando quasi ludo da na-
tureza, e quasi nada da arle ; onde, poslo nao esto-
ja cultivada a melado das Ierras appropriadas, a po-
pulagao muda de lugar, deixaudo grandes desertos
aps si, cm procura de mais Ierras para serem da
mesma. maneira aprovoitadas ; nesses estados pare-
ce ovidento que o prego das trras devolutas he de-
masiadamente baixo se conseguir o .lim que se tem
ILEGIVEL

IV


'
i
scm le maneira alguma se rullivir, sem so ter mes-
mo ilerrubado os mulos; eque, nflo pertencendo
mais so publico, poe (autos deserto* entre os colo-
nos, que augmenta as distancias que os separam,
cMliciilia a construccflo.le estradas, e mpedoas re-
lacurs sociaes, as comliiiiacoes, o commercii
acertado emprego riecapitaese l-abalho.
(Conlinuar-$tha.)
.,
Pr^NAWBUC .
i re
e o
Cnmara municipal do Kccifc.
3." SF.SSAO ORDINARIA KM 12 DE SETKMItltO
DE 18*8.
aaasiMDCu do senhos rrco albi'ourrqije.
Presentes o Srs. Narros, )r. Aquino, Gaudino e Mame-
de. abrio-se a sesso, leudo lula e approvada a acta da
antecedente.
O fecretario fez menean dos seguintes ofBelos :
Uin do Exm. presidente da provincia, mandando que
esta cmara declare o numero de pravas do corpo de po-
licia que se fazem necessarias para vigiarem os lugares
desta cldade, em que se faz o despejo publico, com tan-
to que esse numero Cjsc o menor possivcl. a 1*1111 de que,
a medida se possa levar a eft'eito sem prejuizo d'outros
servicos a cargo do momo corpo. Adiado at que o
concelho de salubridade responda sobre o que se Ihe
consultou a este respeito.
Outro do ajudante do porteiro, Jos Clemente dos San-
O resultado das eleicrs de vereadores e juises de pai
la sendo (avornvel sos partidarios do governo.
Em sesso de 18, a cmara dos Srs. depulados appro-
vra e remetiera a cemmlsso de redaceo o seguinte
projecto:
A aisembla geral legislativa resolve:
Artigo 1.' Mngiiem poder obter llcenca para ter
easa aberta, onde se negocie em fazendas seccas, ou nio-
Ihados, na corte, capitaes das provincias e cldades do li-
toral do imperio, scm que mostr ter ao menos uin cal-
xeiro brasileiro, no caso de empregar-se nesia casa niais
do que un caiseiro.
1." Sern dispensados do servlco da guarda na-
cional, excrcito e armada os caixeirns das casas de ne-
gocios, qualquer que srja, em toda a rxtrnsao do im-
perio, que tiverem aciment uin caixeiro nacional. Ser
igualmente uin as que tiverem dous 011 inais.
2." Sern isentns dous, tres e quatro naquellas
em qne houver seis, nove ou doze ; isentando-ae, nessa I
proporfo. maior numero aquellas que o tiverem. Os
sentados sero designados por seus patret.
3. A doutrina do I. smeme he applicavel
aquellas casas que tiverem em gyro uin capital superior
ao de dous contos de ris : a do segundo aquellas que
tiverem o duplo, o triplo, o quadruplo, ou mais, na
prnporcao dos caixeiros que de va 111 ser sentados.
domes dos Santas. Reg Alonteiro. F. de Aguiar.
Atienta* as circuiiistancias peculiares deste paiz, ain-
(os Siqueira, participando achar-se docnte, e uo poder Ida nnscenle, temos pranos, que a medida consignada
comparecer sesso.
Foram lidos dnus pareceres assignados pelo Sr. verea-
dnr Mamede, membro Interino da commisso de pcli-
ffles. 11111 contra a pretenco do procurador desta canta-
ra, que pedia para ser abanodo das despezas que litera
desde julho de 1842 al dezembro de 1847 com 11111 soli-
citador das causas da mesma cmara, vencendo 3004000
por anno, c com um agente para cohrancas pelo ines-
1110 lempo, e com igual vencimento, e outro a favor de
um* outra pretenco do mesinn procurador, pedindo se
llie levasse em conta a quanlia de 1:289/675. que paga-
ra ao eucarregadn da afericao no anno de 1845, valor da
porcentagem du que arrecadon, na ,.,,.,,, de 5 porcen-
Cu, como eslava estabelecido pela|camara, os quaes pa-
receres entrando em discitssn, cada um de per si, l'oi
approvado o primeiro e rejeitado o segundo.
OSr. vereadnr Aquino fez o seguinte requerimento
que foi approvado:
Requeiro que esta cmara mande que o seu procu-
rador diga, na sua prxima sesio, a rasao por que dei-
lou de pagar urna lettra do Dr. Joo Ferrcira da Silva
no dia do seu vcncimcnln, dando com isto motivo a ser
lia citada.
Sala das sesses, 12 de setembro de 1848. Joaquim
de Aquino Fonseca
Mandou-se remetter commisso de rdicacao, para
dar cmii urgencia o seu parecer a respeito do cordeador
Rodrigues Selte, dada a pelico de queixa que contra
elle litera Mara Joaquina de Jess, relativamente a
cordeaces.
leve lugar a segunda praca dos objecloj annunciados
para se arremataren!.
Despacharam-se as peticoes de Jos Custodio Pelxo-
tu Suares, do procurador Antonio Joaquim de Mello Pa-
checo, de Antonio Joaquim Pereira da Silva, de Mannel
Antonio Rodrigues Samico, de Vicente Ferrelra de Li-
ma, Quintriro S lrmaos, e levntou-se asesso. Eu,
Joto Jm Ferreira de Aguiar, secretario a esetevi___
Reg Albuquerqut, presidente. A. di barros. Sarros.
Aquino. Uamsde. Barata.
4.' SESSAO ORDINARIA DE 13 DE SETEMBRO DE 1848.
PSXSlriENCIA DO SO. REG ILBOQUERQUB.
Presentes os Srs. Barros, Dr. Aquino, llnrata e Maine-
de, abrio-se a sesso, sendo lida c approvada a acta da
antecdeme.
O secretario leu os srguinles officios :
Um do major director do 4. batalhao de artilharia,
apresentando a planta da obra que, de ordein do Exm.
presidente da provincia, est fazendo no quartcl d,-. So-
ledade. -- Que se Ihe remettesse dita planta por nao guar-
dar as diiuences exigidas pelas posturas municipaes.
Outro do procurador desta cmara, dando as rasocs
por que nao fura paga urna leltra vencida ao Dr. Joo
remira da silva. Que, nao obstante a duvida opposta,
pagasse com urgencia dita lettra.
Outro do cordeador Rodrigues Selle, pedindo o paga-
mento da quanlia de24/860 ris, constante da folba que
renicttia, que despender ltimamente com os trabalhos
graphicos do levantamento da planta dos Afogados, c
nivelamenlo do largo do Lami. Que se passasse man-
dado.
Foram arrematadas as lojas nmeros 38 e 40 da praca
da Independencia por 150*100 ris cada una annual-
inentc, aquella por Alfonso Sainl-Martln sb fianca de
H-ii Un,lumen Francisco de Souza, e esla por Antonio
Ferrcira da Costa Braga sb fianca de Jos Maria da Cos-
ta Carvalho, e alguna talhos dos acougues pblicos,
deixando de o ser, pelo que deliberou a cmara que se
annunciasse nova praca para o dia 23 do crreme, a
aferi^o do municipio, a loja n. 36 da inesma praca, a
casa da ra Imperial, chamada da plvora, tres ditas da
Soledade, o fornrciinento de azeile para luzes da cadeia,
a coxeira da extincta cotnpanhia de ribeii inhos, e diver-
sos talhos dos referidos acougues.
Despachou-se a petieo de Manuel Goncalves da Silva,
e levantou-se a sesso. Eu, Joao Jos Ferreira di Aguiar.
secretario a sobscrevi. r. Nery da Fonseca, pro-presi-
dente. Uamtdc. avino. A. de tarros. Barros.
Btala.
mili 1 n e pgwiimiico.
Bxoirz, as sz setembro di i ata.
O vapor San-Salvador, chrgado hoje dos portos do sul,
trouxe-nos asduascartas do nosso correspondente na
corte, que exarmos neste numero do Diario; bem co-
mo varios exemplares dos jornaes que ahi se publicam,
e dos que se do ao prlo na Haba. Os primeiros dos
peridicos, que nos hemos referido, alcancam a 21 do
crreme, e os segundos a 26.
A leltura dasgaictas fluminenses*abilitou-noj a ac-
crescentar alguma cousa ao que se l as precitadas
cartas.
A provincia do Rio-de-Janeiro licra cin perfeita tran-
qulllidade: os nimos dos habitantes da capital como
qe hayiam-se desprendido, no todo, do susto que Ibes
tinliam inspirado os aconlcciuienios do dia 8 deste mes:
a confianca publica ia-se restabelecendo: ludo induzia
a crer que scenas scmrlhantes se nao reprodusirain na
paragem donde devetn de partir os exeinplos da iuorall-
dade, do amor ordein e do respeito s leis que releva
caracterlsem os actos dnpovo brasileiro.
110 projecto supra lie mais prove tosa nacodo que ou-
tra qualquer que tend a excluir inteiramente da oceu-
pacao de caixeirns a todos os estrangeiros ; visto como
est provado pela experiencia que nao he dilneultando
a concurrencia destes que um estado novo consegue pros-
perar e engrandecer.
S. M. o Imperador dignra-se de conferir foro de mo-
cos ftdalgos, com exercicio na casa imperial, aos dous
filhos legtimos do Exm. Sr. visconde de Macah, Paulo
Jos de Almeida Torres e Jos Carlos Pereira de Almei-
da Torres.
Tinham sido removidos os Srs. juizes de direito Mar-
coi Antonio de Macedo, Andr Marcos de Oliveira e
Goncalo da Silva Porto; bem como o juiz municipal e
d'orphos Manoel Joaquim de Mendonca Castello-Bran-
co: o 1., da comarca do Ico para o do Cralo, noCear;
o 2., da de Aracaly para a de Ico; o 3., da de Crato
para a de Aracaly; o i.', emfim, dos termos do Pcnedo
e Porto-da-Folha para os de Anadia e annexos, em Ala-
gas.
He para notar que dos magistrados que temos
mencionado, solio*taram a remoco os tres cuios no-
mes citamos em principio.
Ilaviam sido nomeados : juiz municipal o de or-
pliiios dos termos do Pcnedo e Porlo-da-Folha ou
Traip, na provincia das Alagas, o Sr. bacharel Sil-
veno Fcrnandes deAraujo Jorge; administrador
da mesa do rendas de Paraty, no Rio-de-Janeiro, o
Sr. JoSo Manoel Antunes Pereira Peixoto; --com-
mandnnle da escuna Guakyba, o Sr. primeiro len-
le da armada Francisco Jos do Amarnl ; lercciro
cscripturario da thesouraria tiesta provincia, o Sr.
Jos Philippe Nery;-lercciro escriplurario dado
Rio-Grande-do-Norle, o Sf. Manoel Ilodrigties Tei-
xcira.
De 1 a 15 rio setembro, a mesa ric recebeiloria do
municipio da corte arrcoadra 74:614,299 rs.
Obtivera aposenta loria o Sr. oflicial maior da se-
cretaria da llicsouraria do Para, Jolo^cnriques l)e-
nizj efora designado para substilui-lo o Sr. Fran-
cisco Pedro ("orjilo.
As datas do l'orlo-Alcgre alcancavaio a 30 de agos-
to ultimo, e as do Rio-Grande a 2 rio correle.
Reinara em loria a provincia a maior tranquilli-
dade.
As noticias de Montevideo aflo resumidas pelo Jor-
nal do Commtrcto no artigo que ora vamos trenscre-
ver:
Nada ile| novo havia occorrido ; mas, tendo-so
escaldado que o goneral Oribe intentara alacar 1
praca, concentrara o almirante francez as forras que
tinha as mmediarOes, retirando a fragata Erieo-
m do bloqueio do Buceo, e collocra algumas lan-
chas armadas dentro do porlo, para tomar parte na
defensa da cidade, no caso de sor atacada. A opi-
nilo geral, porm, era que tal ataquo nflo se verid-
caria.
Cartas ila campanba annuncian que Dionizio,
coronel commandanlo da fronteira do Jaguarflo, que
tanto reprovra n submisaflo rio general Oribe ao he-
lador do Buenos-Ayres na ultima negociadlo do paz,
linha sido chamado ao Corrito, onde ora esperado a
cada momento.
Quanto a Buenos-Ayres, apenas constara que fra
mandado retirar dahi o Sr.PicoIol d'IIormillon, en-
carregado de negocios da Sardenlia na confcderac.lo,
e incumbido do proteger os Francozes e Inglezes, na
ausenciadas respectivas legaces.
Bastos, 6 recruiai para linperiaes marinheiros .
pracas do ex ti neto corpo de artilharia de marinha
Rlo-Grartdr-do-Sul ; 29 das, patacho brasileiro /,,,',' **
re. capitao Antonio Albino de Soma, CquIpageiiMo"
carga carne ; a Amoriin lrmaos. '
A'arioi lohldo no mesmo dia.
Dahia ; hiate Snn-fenedielo, capito Joaquim Jos da Su
relra, carga varios genero. Passagelro, Antonio ,.'
Sn,a e Silva Sildanha, Pnrlug.iei. fl
Parabiba j hiate brasileiro Kipaditrti. eapilo Victori
Jos Pereira, carga varios gneros. Passagelro, f 1"
todln da Silva, Joaquim Manoel, Antonio Vidal' Rr."*
siieirot. *
dem ; hiate brasileiro l'arahibano. capito Nicolao Krsn
cisco da Costa, carga varios gneros. Passagelro Mi
noel Marques Cainacho. *"
lllo-de-Janelro ; brlgue brasileiro Assombro, capito Jos
quii de Azevedo, carga assucar, ago'ardente e iml.
gneros. Passagelros, Joo de Soma Ferreira Frsn
cisco Domneos da Silva araujo, Manoel Marque, dai
Neves, Jos da Cunha, Francisco Pereira Coelho l.|m,
Antonio Augusto Pinto de Siqueira, D. Auna Joam 1
na de Mello com dous eseravos, D. Mara Cleofc rl
Magalhaes e dous eseravos a entregar.
Falmouth paquete inglez Penguisy, commandante o t.
nenie Leshe. Passagelros, os meamos que trouxe
Correspondencia.
Srs. Redacloret.Comquanto n3o merecam res-
posta alguma os insultos que no final de sua corres-
pondencia, inserta no Diario Novo n. 209, e nos rio
Pernambuco ns. 215 o 216, me dirigi Joaquim An-
tonio dos Santos Andrade, cumpre-me dizer-lhe que,
qualquer quesejaa ntiuha eriucaco, he sempre
superior d'aquelles quo cursaram a universidade de
Sorioma eGommtVra.
E ri'uma vez por todas, fique certo o correspon-
dente que nflo voltarei a responrier-lhe.
S011, Sis Ralladores, seu &c.
Candido Tkotnas Ptrtira Duira
BDITA.ES.
O HERCIO.
ALFANDEGA.
ENDIME\TODO DIA 29..........8:034/925
Oesearregam hoje, 30 U tetembro.
Perante a cmara municipal desta cidada se hilo
de arrematar no da 30 do correnle a aferieflo dos
pesos e medidas, tres casas sitas na Soledade, alguns
talhos dos acougues pblicos, a casa n. 1 da ra Im-
perial, o fornecimenlo de azeito para luzes da cadei
e a cocbeira da exlincta cotnpanhia de ribeirinhos'
visto o nflo terem sido as pracas JA annunciadas'
Os prelendentes poderflo comparecer no indicado
da, munidos de fiadores idneos e habilitados na
forma da lei, sem o que nflo serflo admittidos >>
lancar.
Paco da cmara municipal do Recife, em sesslo
extraordinaria de 26 de selembro de 1848.
IHanoel Joaquim do llego e lbuquerque.
Presidente.
Jodo Joti Ferreira de Aguiars.
Secretario.
^7
A 22 do passado, o Exm. Sr. general Andrea exa-
minara pessoalmcnle o estado das mesas de diver-
sas rendas da ultima dessas cidades e de San-Jos-
tlo-Norle.
A asseinliln provincial creara o imposto de 24/
rs. sobro cada espectculo quo ae dsse no (nutro
publico.
Acliavani-so na cidade do Rio-Grande os Srs. Da-
vid Canabarro e Joaquim Pedro So.ires, ao passo que
se esperava em Pellas o Sr. Antonio de Souia Netlo.
A 30, fora sorprendida e perseguida, no-rio de San-
Luiz, pela guarnilo da canli'oneira San-renfa/o
urna quadrilha de ladrOcs. capitaneados pclosOrien-
laes Lentos e Carvajal.
_AnleceiIcnlcmentc, estes salteadores tinham com-
meltido varias violencias mais ou menos alrozes no
disliicto de San-Miguel; o, ao screm acossados pelo
lenlo da guarda nacional, Jos Mara do Freitas
quo conimanduva a polica do lugar;o liaviam assas-
sinario.
Menos felizes na segunda acco, liveram quatro
morios, entro os quaes contra-so o intitulado l-
enle Villa, c alguns prisioneiros que llics dovom de
fazer grave falla, taes como o irmfio du um tal Chu-
hy : falla que he do suppr Ibes seja sensive'l por de-
ntis, pois que corra que se afogaran!, ilutante o
condclo, os dous ebefes da quadrilha.
Da frca perseguidora, icaram feriilosdous mari-
nheiros c um soldado do quarto ItnlalhTo do fuzi-
leiros.
Galera -- t'olumbui mercaduras.
Ilrlgue Ligiiro dem.
Patacho- Aurtlio dem.
CONSULADO GERAI
RENDIMF.NTO DO DIA 29.
Geral .......
Diversas provincias
CONSULADO PROVINCIAL.
RKNDIMKNTO 00 DIA 29..........184/354
RIO-DE-JANEIRO.
C.VMBIOS NO DIA 20 DR SFTEHSSO.
Cambios sobre landres..... 23 'jaa23 */4.
Pars...... nominal.
llainltiirgo .... nnminal.
Metaes. Oncas hrspanhlas .... 32/1)00 a 32*^0.
da patria..... 32/000 a 32/200.
Pesos liespanhes .... 2/050.
da patria ..... 2/020.
i) Pecas de 6/400, vclhas 18/000*18/500.
Prata......... 114 a 115.
Apolices de 6 por cento..... 86 a 86 '/,.
provinclaes....... 86.
(Jornal do Commircio.)
HAHIA.
CAMBIOS NO DU 25 DE SETEMBBO.
\-onAra......... 24 a 24 '/, nominal.
Parls.......... nominal.
llambutgo......... nominal.
Lisboa e Porto....... 115 a 120 p. / nom.
Metaes. Oncas hrspanhlas 32/300.
- > mexicanas. 31/800.
Pecas de 6/400 I7/H00.
Modas de 4/000. 9/500.
Pala cor s brasllelros 2/"020.
" hespanhes 2/020.
mexicanos .... 1/980 a 2/000.
(O tlircantil.)
>ovimento iln Porto
Savioi mirados no dia 29
Rio-dc-Janrlro, Rahia e Macelo ; 7 das e 21 horas cdo
ultimo pono 16 horas, vapor brasileiro Son-Aniearfor.
de 300 toneladas, cnminandatilr o primeiro lente
Antonio Carlos de Aicredo Gominho, equlpagem 29
Passageiros : para esta provincia, o Dr. Fillppe Lope
Nctlo com uin criado, o segundo lente ''armada
Joaquim Jos de llrilo, o guarda marinha
Flllppe Lupes
ile d'arinada
.a Joo Tta-
vasso da Costa, o primeiro tenenle do quarto bata-
Ihao de artilharia L. P. Morara Mesqita, Jost'-da Cu-
nha Jnior, Jos Antonio de Menilon^a com um es-
cravo, Jos Joaquim dr Castro Moura, Joaquim de
Azevedo Villanno, Luiz de Oliveira Lima com un es-
cravo, Fr. Manoel Joaquim Vianna, Manoel Jos Tei-
xeira de Oliveira, Brasllelros Joao Carlos Heuman
Samuel Crabtree, Tilomas Whiie, Inglezes Luis Hol-
lander com uin criado, Prussiano; Gabriel Parn,
-rrancez ; Amonio Jos Soares e 2 pracas du quarto
batalhao de artilharia a t ; para o Ceara, Marcos
Antonio Macedo com um criado ; para o Maranho,
D.Carlota Amelia* Boldot com sua sobrinha, Dlna-
marquea para o Par, J. H. F. Tenreiro Acauha
Joo Xavier Carneiro da Cunha fidalgo caealleiro da
cata imperial, cavalleiro da ordem de Christo, e admi-
nistrador da mesa do consulado desta provincia, por
S. M, o Imperador, que Dos guarde, ele.
Faz publico que da publicaco deste a 15 das torio
inteiro cumprimento os artigos dos regulamentos
abaixo Irancriptos.
Artigo tai do regulamenlo de 30 de mato de 183 :
SerTohnheis nnrg fszer qusl^'jer dio Jnann^i,^
as mesas do consulado todos os que ahi se apre-
sentarem habilitados, como para os despachos da
373/716 a"an,'eB*'" l"01" determinado, qur seja o proprio dono
23/302 d genero, qur um seu pronosto ou caixeiro.
---------- Artiiio 191 do regulamenlo de 22 dejunho de 1836 :
397/018 Ninguemser admittido a despachar na alfanriiga
mercaduras sem que mostr ser o proprio dono, ou
consignatario.
Artigos do regulamenlo de 16 dejunho de 1844.
Artigo 1. A pessa que despachar por si mestna
gneros, ou nicrcadorias de sua propriedade, ou
consignaQIo, dever apresenlar, em requerimento ao
inspector da alfandega as facturas ou conhecimen-
tos que Ihe trnliam sido dirigidos ou endossados,por
onde mostr ser o proprio dono ou consignatario,
canrio assm declarado o artigo 191 do regulamenlo
*e22de junhode I83G.
Art. 2. O commcrciantc que encarregar a caixeiro
seu despacho rio gneros ou merendonas que Ihe
pertencam 011 sejam consignadas, devor requerer
ao inspector da alfandega quo Ihe mande tomaro
termo de que trata o 2. do citado artigo 191 do re-
ferido regula lamento, no qual termo, que ser Im
vrado om livro proprio, decarar-se-ha o noniee na-
turalidade do caixeiro.
S 2. a que se refere o artigo supra.
Os caixeiros do casas do commercio.peloque per-
tenceas mercadorias de conta econsignaefio descus
amos, os quaes assignarilo termo de respousabili-
riade pelo mo so uque sous caixeiros lizerem riesia,,
faculdade. /
Ait. 3. Os despachantes das alfandegas, subjeilos
ao imposto de patente, serflo divididos em riuus clas-
ses, a saber: geraes eespeciaes.
1. Como geraes serSo qualifleados os que/nms-
trando-se maioresde 21 anuos, e isentos de crimes,
se apresentarem abonados por escripto por tres ou
mais firmas de negociantes acreditados na praca,
que certifiquen! a sua idoneiriarie, o se rospousabi-
lisom como fiadores pelas multas o indemuisacei
emquepossam incorrer por effeito das Teis e regu-
lamentos Gscacs.
2. Comoespeciaessero qualilicadosos que, as
mesmas circumstancias dos antecedentes, apresenta-
rem urna ou mais firmas de negociantes, autorisan-
do-os para os despachos de gneros ou mercadorias
de sua conta ou consignacilo, e rcsponsabilisando-
se pelas multas e indemnisages a queforem aquel-
les condemnados.
Alm disto, poderflo os desla classe ser oventual-
mente encarregados por qualquer pessoa de goneroi
proprios ou consignados ; mas nfio serlo admilti-
dos i faz-lo sem que uprcsenlem ao inspector a aulo-
risagflo, comresioiisabilidailc da pessoa que os em-
pregar, e a factura ou conhecimento quo provarem a
propriedade ou consigna^flo da mesma pessoa.
Art. 11. Oemprego de despachante he pessoal, o
por isso nflo se udmittirflo notas de despacho assig-
narias por propostos ou ajudantes delles, por mais
esplicila e especiul que seja a autorisaeflo que Ihe*
deni.
Art. 12. Nflo poderflo ser admittidos a alguma das
duas classes de despachantes:
1. Os negociantes fallidos que nflo tiverem sido
reconhecirios do boa f por sentenca da competente
autoridade.
2 Os quo tiverem sido.convencidos om qual-
quer lempo dos crimes do contrabando, lurto oes-
coiu um escravn, o piloto d'Artnada Joao Pereira I ll'"onalo, e os que dcvaui fazenda publica. -<
Santos com sita senhora, Antonio Caetano com sua I K PHfa t|ue chegue a noticia a todos os interessa-
uhorae um filho. Idosfacoo presente quo ser publicado pela impren-
Havia novas de Montevideo at 31 de agosto, e do
Buenos-Ayrej al 6 do cadente ttiez.
Para e portos intermedios ; 26 dias e do ultimo porto 7.
vapor brasileiro de guerra liaapiass, commandante o
capito enteGuilhcrme Carlos Lassance. Passagei-
ro9 : para esta provincia, Justino Manoel Corrcia Vi-
anna, Jos Antonio Krauco e 3 presos dejiistica, sendo
um com familia ; para o Rlo-de-Janeiro, Joaquim An-
tonio Gomes, francisco Ua Silva, Joaquim de Uliveira I
sa, e na porta desla adminislraclo.
Mesa do consulado do Pernambuco,29 de selembro
de 1848.
O administrador,
Joa Xqpiif Carneiro da Cunha.
\
MUTIL


Declaracoes.
O vapor S -.Salvador cbegado hontem
dos porlns do tul, recebe 8 malas para
1 o* do norte hojo ;30j, duas dores da
(arde. As correspondencias que viorem
ejioisricasa hora pagarflo o porto duplo at s 3 ,
.,,....las ollas, nflo so recbenlo mais.
.. Cartas seguras vindas ltimamente pelo va-
Jor S.-Sa/eador, para os Srs. :
Agoslinho Henrique da Silva.
Francisco Jos da Silveira.
joaiiuim de Souza Pinto, JoBo Marques Perdigfio,
joSo Vctor de Carvalho, em Olinda.
Mara Anua Joaquina da Silva, Manoel Kerrcira Ra-
mos, Manuel Ignacio deOliveira.
pruropio Marques do Araujo Coes.
THEATKO NACIONAL
DE
SAN-fR 4NCISCO.
HOJE, 30 DO CORRENTE.
A beneficio de Adelo Alvos da Silva se represen-
tira a ensigne peca edegada do Ro-de-Jaueiro, o
y ovo Tartufo, (laucas pelas jovens do tdoatro, jocosa
farca
A CASA CONSTITUCIONAL.
Hoste o espectculo que o beneficiado escolheu
paradiverlimentodorespeitavel publico desta capi-
tal a quem pede proleccflo.
Principiar chegaJa| PublicAC&o LittcrarB.
i.ices acerca da soberana do povo ,
c dos principios do governo republicano moderno,
(jironunciadas recentementoem Paris perante um
1 numeroso auditorio pelo sabio publicista M. Orlo-
lan professor na faculdade ile direilo : Iraduzidas
correcta e fielmente ilo texto da gazela dos tribunaes
franceza com um prefacio do traductor A. P. de
l'igueiredo.
A traducg.lo dcstas importantes liges que fram
entliusiaslicamcnte applaudiclas vende-so na livra-
ria da esquina do Collegio, As cadomelas de 16 pa-
ginas que v3o sahindo do prelo do 4 em 4 dias, e
darilo um elegante volume de 140 n 150 paginas,
sendo a imprcssilo ejecutada com lypos novos e em
hom papel. A primeira cadernela conlendo urna li-
{5o est venda, e cusa cada urna 240 rs.
Avisos martimos.
Para o Cear sahe, em poucos dias por ter a
carga quasi promnta, a sumaca Carlota para o res-
tante e passageiros trata-se com Luiz Jos de S
Araujo, na ra da Cruz, n. 26 ou com o mestie,
Jos Gongalves Simas.
Para a Baha sahe em poucos dias a garopeira
Santo-Amaro : quem na mesma quizer carregar dri-
ja-se a Novaos&C, ra do Trapiche, n. 34.
Para a Parahiba o hiate nacional Flipadarte, sn-
lio imprrterivcltneiite no dia 30 do crrante: para
carga o passageiros trata-so na ra do Vigario, n. 5.
-- Para Lisboa poetende sabir al 15 de outubro o
palacho portuguez Liberdade, do que be capilao Izi-
dro Ayres de Souza : lem bellissimos e aaseiados
commodos para passageiros: quem quizer carregar
ou ir de p.isssgem dirija-se ao mesmocapilito ou a
Francisco Sevcrianno llabello & Filho
Vende-seo liiale Coneeicto-do-Porto, de 10 to-
neladas ancorado no porto desta cidado por pre-
go cominodo : os preleudenles dirijani-so n rita do
LivMinonlu, n 26 a Manoel Buanjuo Macodo Lima,
das 7 s 9 horas da manhfia e das duas da tarde em
diantu. '
Por falta de lempo, nilo poderam pr-seem hasta
-ptfBlica o veame, vergas, mastat eos, o outros ob-
tjeptos miudos restantes da barca americana Harriet,
ra pililo James Durfcc, cuja venda lera lugar em con-
tinuadlo do IclQo annunciado, hoje, 30 do cur-
ente, as 10 horas da insulina em ponto, no arnia-
zem do Araujo, becco do Goncalves, no llecfe.
iTichard Roylo far leilflo, por intervengao do
cerretor Olivoira de grande variedado de fazendas
inglezas recentcnienlo dospachadas e de um bo-
nito surt me"nto do Multas em carreteis e novel los :
segunda-fera, 2 de outubro s 10 horas da ma-
ubils, no seu armazem ra do Trapicde-da-Alfan-
dega-Velha.
Avisos diversos.
c- Resposla ao (atbolico. _s>
Cuniliati T. i.' Tral. VI diz que o pontifico em to-
da i groja pode consentir que se tralialhe em dias
sanios e os hispos om suas dincoses, o Cavallario
Par. II Cap. XXV De dierum fettarum ctlebratioru ex-
plana ulllcentemente esta materia: o Catholico,
pois, deve recorrer aos autores citados, para nSo fa-
zcr perguntas sem fundamento.
O Btitl do Seminario.
-- Est venda o n. 11 do Grito da Patria na pra-
va da Independencia n. 12 Iravessa do Rozario ,
n. 2, na ra Nova, n. 47. Contina a cobranca vis-
la do recibo impresso. O redactor va i mandar entre-
garas cartas impressas, exhortando qne assignem o
referido peridico.
Vcndcm-sc dous bonitos moleques de nacflo ,
de 12 a 14 annos, nimio'espertes; 3 negrinhas do
. 12 a 14 annos milito lindas duas das quaes silo re-
comidas e com algumas habilidades ; dous uiulali-
nhos muito lindos, sem vicios e que silo ptimos
para pageos ou aprenderem cilicio por seren do
13 a 18 anuos; 5 negras mu ilo mofas, duas das
Juaes com habilidades: na ra ifo VigariQ, n. 24, se
ir quem vende.
Oeclara-seao Sr. deolaria que se inculca pe-
v'Jreiroc'j!scc:!c:csu, que dcbaldc se forgar coi
desacreditaros maleriaes das otarias do Sr. Carne-
ro da Cunda pois silo bem condecidos om Pernam-
buco por mim e meus companheiros de officio.
C. J. do Reg manda para o Rio-Grande-do-Sul
o seu escravo pardo, de nome Candido.
Manoel Jos Tavares vai entregar a sua loja de
bahus da ra do Collegio n. 13, a seu filho Theo-
doro Jos Tavares : quem fr crednr a mesma loja
queira apresentarsuascontashoje, 30 de setemhro.e
segunda-feira, 2 de outubro na ra Bella, n 33,
pois da data da entrega em diante corre todo o ne-
gocio porconti do mesmo Theodoro.
Como encarregado dos pleitos judiciaes da ca-
sa dos Srs. Mesquita & Dutra, e respondendo ao ali-
mono do Sr. C. Francez, publicado no Diario de Per-
nambuco do 27 do andante mez, cumpre-me declarar
ao respeitavel publico queem meu podrexistem2
lettras quo os mesmos Srs. Mesquita & Dutra me
entregaram para ajuizar, contra o mesmo Sr. G.
Francez por ser este o aceitante das mesmas; e,leo-
do sido chamado perante o Sr. juiz de paz do pri-
moiro distncto da freguezia de Sr.-Fr.-Pedro-Gon-
cnlves, em conciliaco o mesmo Snr. G. Francez
nSo negou ser devedor das mencionadas lettras aos
Srs. Mesquita &|Dutra, queporconta dolas havia pa-
go apenas 120/ : e como ambas as Uellras sejam na
importancia de 300f e vencidas a primeira em 25 de
outubro de 45, e a 2." a 25 de Janeiro de 1846, adia-
se o mesmo Sr. annuncianle G. Francez a dever o
resto do principal e juros de 2 por rento ao mez
como se ada estipulado iras mesmas lettras : a vis-
la do expendidoJajuizar o respeitavel publico o
conceito que merece o lal annuiicio, e seu anlor.
Jos Joaquim Ferreira tabello.
& H. T.
A direceflo da sociedade Marmonico-Theatral con-
vida a lodosos Srs, socios para se reunirem em as-
sembla geral no thealro de Apollo, amanh3a, pri-
meira dominga do prximo mez de outubro, na for-
ma do artigo 10 dos estatutos para o cumplimento
do 1.a do artigo 13 dos mesmos in fine.
FUNDIfAO DE FEltltO.
Na fabrica de Bowman & M. Callum enge-
nheiros machinistas e fundidores de ferro, na ra
do Brum, no Recife, contina haver um grande sor-
limento de laixas para engenhos e moendas de rati-
na de todos os tamaitos e dos modelos os mais
modernos e approvados. Na mesma fabrica conti-
nuam-se a construir de encommenda machinas de
vapor, rodas d'agoa, rodas dentadas e lodos ns mais
objectos de macliinismo, com a pcrfeicfloj conde-
cida, por prego commodo.
Bowman &M.* Callum desojam chamar a atten-
godos Srs.proprietarios de engendos as maedinas
do vapor construidas na sua fabrica visto screm el-
las de um modelo muito forte o seguro ,e todas as
pegas perfetamente adaptadas urnas as outras por
meo de tornos automticos, machinas de aplainar
forro,e outros apparelhos modernos: nlm disto, as
machinas de sua construcc3oteem as vantagens se-
guintes: possuem urna cisterna de ferro, onde a agoa
destinad para a caldeira se deposita por meio de urna
bomba movida pela machina, e ondoso acha aquen-
lada pelo vapor superfino antes de ser por meio da
segunda bomba de l introduzida na caldeira, afim
de uo esfriar a agoa nclla existente, pola indroduc-
c3o d'agoa fria [como de de costme em machinas
inferiores ]e assim produzir grande economa de
combustivel.
Alm da supradta economa de combustivel na
produccSo de vapor, estas machinas possuem una
modificag3o novadas vlvulas por onde o vapor en-
tra e sabe do cylindro, pela qual a mesma quanti-
dade de vapor produz maior elleito do que as ma-
chinas de conslruccflo anliga augmentando assim
de urna maneira, mo pequea, a economa do com
bustivel necessario para manter a machina em mo-
vimenlo.
As ditas machinas possuem tambem um appare-
lltn pelo qual a quantnlado d'agoa introduzida na
caldeira se acha regulada automticamente com a
maior certeza pela machina mesma evitando des-
la maneira o grande perigo que existe as machi-
nas, onde por causa da mesquiiha economa dos
fabricantes o fornecimento d'agoa para a caldeira
ha do sor regulado por mo de negroi.
Estes esclarecimenlos silo respetosamente offere-
cidosaosSrs. proprietarlos de engenhos, que anda
perseveram em o melhodo fraco, dispendioso o
msalisfactorio de moer com animaos, afim de sa-
tisfaze-lus que, no emprego destas machinas, nilo
existe o menor motivo para receio nem de explo-
silo, nem de quebra nem de demasiado consumo
de combustivel; e Bowman & M. Callum nao
tcem pequea salisfaeflo em asscgurar-ldes que pe-
la pericia-dos seus administradores e olciaes, pela
perfeico dos seus instrumentse apparelhos e pe-
la abundancia o boa qualidade das suas materias
primas, seacham habilitados para construirem ma-
chinas de vapor do lodosos tatundose para todos
os fins ; assim como toda especie de macliinismo ,
com urna pereico nilo inferioras obras das melho-
ret fabricas de Inglaterra e mui superior s geral-
mente importadas daquello paiz.
Precisa-se de um Portuguez para lomar conta
de um sitio, morando gratii uo dito sitio o conce-
de-so que faga toda a qualidade de plantajes para
si, o leudo familia um tanto melhor : trata-sena
ra Nova, u. 46. '
JoSo da Silva Ferreira o Francisco Domingues
Silva Araujo reliram-so desta provincia.
Lava-se e engomma-se roupa com muito per-
feigSo : na ra do Encantamenta, armazem (n. 11.
Ignacio Gomes dos Santos deseja fallar com o
Irmiio do Sr. Francisco Manoel de Faria Costa da
Baha pudendo o mesmo Sr. procurar a bordo da
garopeira S-Amaro, ou no armazem de Jos Mara
Palmeira no largo do Corpo-Santp n. 6.
altluga-se a sala deum primoiro andar, logo no
principio da ra Direita com dous quartos : ludo
por 7,000 rs. mensaes : quem a pretender dijija-so
a mesma ra loja de latueiro, n. 9.
Desapparecer urna negrinha crioula, de nomo
Justina, de idade de 10 anuos, vindo ha pouco da
cidado de Macei, ejulga-se, pelos poucos diasque
se acha nosla cidade em nio do novo possuidor, nao
saber anda declarar o nomo do seu senhor, nem ra
alguma, a qualjulga-se quo esteja em alguma casa
recolhida, levando saia branca, camisa do brini:
quoni dola souber poder participar na ra do Amo-
rim em casa de Joaquim Flix da Rosa.
'iVoda23docorrente fugio um preto de nomo
Elesbao, da Costa, estatura baixa, falla bastante em-
baracada, lem alguna laidos nos bragos e ps, de
Idado de 26 a 30 anuos, o muito pouca barba : re-
comiiiou la-so aos Srs. espitaos de campo que o ap-
prehendam c eutreguem na ra do Amorim, n. 44,
que se.-ao generosamente recompensados.
Lotera do thealro publico.
No dia i3 de outubro prximo futuro,
(lesignado para o andamento da rolas
desta InlcrM, ser aquello rr-alisado im-
prcterivelmente, no consistorio da igre-
ja da ConceicSodos militares ; vendendo
se o resto dos bilhetesatco dia i asmen-
te. Se esta venda, como he de esperar,
concluir-se antes do referido dia i3, as
rodas se anteciparo -, o que muito
deseja o thesoureiro.
Precisa-se do urna ama queengoinme ecozinho,
para casajde um homem solteiro : em Fra-de-Por-
tas, n. 92, se dir quem precisa.
Agencia de pass.iportes.
Tiram-se, para dentro e fra do imperio, passapor-
tes assim como despacham-se escravos por menos
prego do que outra qualquer pessoa o com brev-
dado : na loja de livros no paleo do Collegio do
Sr. Dourado, adiar sempre a pessoa habilitada pa-
ra isto.
Alugain-se doui sitios com multo boas icommoda-
fdea utn na campinha da Casa-Forte e outro na ra
da dila povoa(ao com cucheiras e cavallarlces ; assim
como varias casas, de presos commodos para se pas-
tar a festa : a tratar na ra do Amorim, a. lo.
AVISA-SE
as pessoas que estilo devendo importancias de gene-
ros, quo levaram da venda de S.-Amaro, perten-
cenle outr'ora ao Sr. Bernardo Rodrigues Gramozo
Costa que queiram quanto antes satisfazer seus
dbitos a Domingos Antonio deOliveira na ra No-
va n. 30 pois de quem se acds encarregado do re-
cebmenlo dos ditos dbitos, e n.lo o fazendo com
brevidadn serilo chamados a juizo.
Na ra d'Alegria, n. 11, precisa-se alugar urna es-
clava que esteja as circumstanci de bc:n focr o
servifO interno e externo de uinacasa de familia.
Acha-so justa e contratada por permuta a casa
da ra de S.-Miguel, n. 12, da povoagilo dos Afoga-
dos, do JoSo Anaslacio c Mara Izabel das Gragas ,
com urna na povoagilo de Pedras-de-Fogo, da ra do
Cobre, perlencente a Frederico Chaves : quem se
adiar com algum direito em qualquer das ditas ca-
sas queira anuunciar no prazo do oito dias; do
contrario se ultimar o negocio e nilo se atlender
mais a reclamagflo alguma.
Aluga-se o bem condecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Mara de Sexas, s proprio para
algum negociante estrangeiro ou outra pessoa que
leuda tralamcnlo : na ra do Amorim, n. 15.
Aluga-se urna prela para o servigo de casa :
quem a pretender dirija-se a praga da Independen-
cia, loja n. 3.
3| CHAPEOS DE SOL
Ra do Ramio-Publico
O fabricante deste ettabelecimento adverte ao respe!
tavel publico desta cidade que elle possue presente-
mente um rico sorlimento de chapeos de ol assim
como chapeos de sol de seda furta-edres, dos mais ricos
que tem apparecido nesle mercado e de cores conde-
cida ; ditos para senhoras de bom tom adamascados ,
lavrados com suas competentas franjas de retroi, lu-
do que tem de mais moderno e do melhor gosto ; um
completo sorlimento de chapeos de sol de panninho de
todas as cores e de todos os tamaitos para horneas ,
senhoras e meninos ; ha tambem igual sorlimento de
fazendas para cobrir armaedes tanto de seda de cores
como de panninhos trancados e lisos imitando seda. Ad-
verte-e que os freguezes serio servidos com brevidade,
e se acharosatisfeitos da boa qualidade, do bom gosto e
do preco.
NOVOPODEPROVENCA.
W Venilc-ie lodos Ot dial. \J
O prnprietario da padaria e pastellaria franceza (i
do Atcrroa-lloa-Vista, n. 60, desejando agradar 09
cada vez mais aos seus freguezes, resolveu oflere- ij
cer-lhes um pan que se fabrica em Provenca por '
mu processo muito difierente do ordinario, c que, Qy
exigindo l'irinlia das melhores qualidades, mere- g\
ce a preferencia do publico, pela sua alvura, O
pureza e delicadeza de sua fabricaco. A
S se faro pes de 40, 80 e 160 rs., e ser fcil w>
conhcc-los pela sua forma oblonga e elegante. A
Pa mesma casa coutina-se tambem a vender *"/
fj\ bnliiihus para cha de todas as qualidades, e Um- ^
f bem a enfeitar bandejas ricas para bailes e sa-
-- Antonio Ferreira Braga relira-ae para o Rio-
Grande-dn-Sul.
-Francisco Antonio Martina retira-e para o
"io-<;rande-d(>-Siil. .,
--JofloJosFernaiidesMagallies vai ao Kio-de-
Janeiro tratar de seus negocio, e leva em sua com-
panliia dous escravos de noines Julio e Juno.
-Precisa-ss deum fuilor que tralullie de enxa-
daesaiba plantar todas as qualida Jes de frnteiras .
isto com perfoigilo para um sitio perto da praga
a tratarcom Manoel Antonio da Silva Molla.
-- Aluga-se o prlmeiro andar do sobrado n. 21, oa
ra Nova : a tratar na loja do mesmo sobrado.
- Precisa-se de una pessoa quo saiba cozndar ,
para o servigo de um domem solteiro : na ra da S.-
Cruz n. 3.
-- No dia 30 deste mez, perante o Sr. Dr. juiz da
2.* da vara docivel, na casa das audiencias, depois
desta, a rcqtierimenlodo teslamenteiro da finada D.
Elena Antonia da Silva Nobre, da de ser arrematada
a casa n. 125, sita na tua Vclda do bairro da Boa-ris-
ta desla cidade, sendo obrlgado o arrematante ao
pagamento de todos os direilos.
Aos moradores de Olinda.
Em Olinda na padaria do Varadouro do dia 29 do
correle em dianle, se fabricar o afamado pilo de
Provenga que tanta nolabilidade tem causado ties-
ta provincia : escusado, pois,' do descrever aos
Olindenses sua boa qualidade, alvura e delicadeza ;
portento os freguezes o adianto todos os dias, das 6
doras da mandila em diante. Quom o comer saber.
Ns ra Direita, padaria n 26, da-se pilo de ven-
dagem a prelas, sb responsabtlidade de seus se-
nliores.
No Alerro-da-Boa-Vista, n. 1, precisa-sede urna
preta captiva para o servigo de urna casa de pouca
familia.
Compras,
''ompra-se um escravo que seja cozinheiro o
qual agradando e desempenhando o mister para que
so pie isa nao se duvdar de pagar bem : na ra
a Cadeia, n. 39 ou a bordo do brigue Falos fun-
de a il o defronle da escadnda do Passeio-Publico.
Compram-se escravos que sejam o lucias de car-
pina, de 18 a 25 anuos e de boas figuras ; pagam-se
bem sendo de bous costumes e peritos no seu offi-
eio pois s.to para urna encommenda do Bio-de-Ja-
nero : na ra do Amorim, n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compram-se dragonas bandas e fiadores de
odiciaesde primeira e segunda linda,: na ra do
Queimado, loja do cirgueiro n. 10.
Coinpra-se urna casa terrea em quaesquer dos
bairros da Boa-Vista ou S.-Antonio : na ra larga do
Bozaro n. 35, so dir quem compra.
Compra-so um terno de medidas de pao da
meio alquoirea ultima, dous ditos de ditas de flan-
dres, o urna quarta de pao, medida velda: ludo ja.
usado: quom liver annuncie, para ser procurado.
Vendas.
&@--;5)--&
Oflorece-so um domem casado sem fildos ,
para administrador de cngenbo do que tem bs-
tanlo pratica, o qual da .fiador sua conducta :
quem de seu presli.no so quizer ulilisar, dirija-se
a ra larga do Bozario, n. 35, ou era Merauguape ,
em casa do Sr. Baixa.
DENTISTA.
M. S. Mawson, cirurgiao dentista acba-ie residindo
no lUcile ra do Trapicbe-Novo, n. 8, seguudo andar,
onde contina a por denles mnenles (cando incor-
rupliveis e parecendo inteiramente como denles natu-
raes : tambem tira a pedra, a qual, nao sendo extrabida,
em pouco tempo tanto arruina os denles; chumba com
ouro, prala ou dentico para privar de augmenta ar
corrupcao i tambem tira, limae fai todas as operaedes
denticaes com a maior delicadeza possivel; Elle espera
que os elqgios c o muito patrocinio que tem recebido
pelos beneficios que tem produiido na sua pralica do-
lante 8 anuos de resideucia nesta cidade serao garan-
das aufficientes para as pessoas que, precisando de seu
restimo, nao o deixem de procurar.
Urna pessoa com pratica de escripia
commercial, e bonita leltra, propoe-se a
escrever as boras vagas, nos domingos
e dias sanios, comlirapeza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
Aluga-se para o tempo de festa no lugar do
Monteiro urna casa beira do rio Capibaribe, ten-
do porta bastante alta torrado na frente, salas gran-
des dous corredores, sendo umdelles para serven-
ta da casa independente cinco quartos, cozinha,
quarlo com larimba para prelos, estribara para 2
cavallos, no fundo um quarto para despejo quinlal
murado : a tratar no Aterro-da-Boa Visla, n, 37.
-O advogado Antonio Borges da Fonseca livro
j da atroz perseguigilo quosolrera offerece seus
servigos a quom delles carecer : aos pobres advoga-
rdegraga : por ora pode ser procurado na ra do
Noeuoira n. 19.
F COMPBA VANTAJOSA. ,*
Vende-se urna morada de casa de dous andares,
com duas lejas-, mui bem fundada muito fresca ,
com grande quintal, commodo para grande familia,
em bom estado, livre e desembaragada de qualquer
unos por prego rasonvel; faz-se todo o negocio ,
segundo o oslado do tempo : vende-se no todo ou
em parte : na ra do Crldeireiro n. 62.
lo Provenca.
Domingo, 1.* de outubro, estar a venda e conti-
na todos os dias, na padaria de urna s porta, na
praga da Santa-Cruz, o novo pilo Provenga de 160,
80 e 40 rs.; e podo asseverar que est inteiramenta
habilitado no seu fabrico, como tambem com as me-
ntores farinhas que lia no mercado, e nao poupar
ludo quanto fr misler para que seus freguezes,
os quo o quizerein ser, sejam bem servidos como o
silo com a bolacliinha regala, doce e agoada, ecom
ttido o mais que ueste estabelecimento se fabrica :
na iravessa da Madre-de-Deos, n. 13, deposito da,
mesma padaria, esl venda ludo quanto se fabrica
na mesma padaria.
- Vendem-se dous pretos canoeiros, pegas, mogol,
sadios o do bom costme: ao comprador se dir O
motivo por que se vende : na Ponte-Vellia, casa do
Clao.
SALSA-PABBILHA DESANDS.
Este excellente remedio cura todas as enferme-
dades, as quaes silo originadas pela impureza da
sanguc, ou do systema ; a saber;
Escrfulas, rheumalismo crtipgoes cutneas,
brebuthas na cara, hemorrdodes, doengas chroni-
cas, brobuldas, dertoeija, linda, incdagOes, dores
nos ossos e juntas.ulgaras, doengas venereas.ciatica,
enfermidades que atacam pelo grande uso do mer-
curio, didropisia, expostos a urna vida extrava-
gante Assim como edronicas desordens da cons-
titugflo serao curadas por esta tflo utile appro-
vada medicina.
Bio-de-Janeiro, 14 de dezombro de Ig47.
.Sr. Frederie B. oulhwortK.
Temi eu lido no Jornal do \Commereio e no Diario
do Hio de Janeiro por diversas vezes snnuncios da sal-
sa-parrildadeA. B e I). Sands, que se vendo na
ra do Bozaro, n. 79, por Frederico H. Soutdworth,
a esle me dirig e Ido comprei una caixa com 12 vi-
dros do dito extracto o aedando-me com um gran-
de tumor no sovaco do brago direito e parte do pei-
to, sofTrendo immensas dores por todo ocorpo mo
(leliberci a lomar o extracto da dita salsa ; e tendo
tomado dous vidros e ussndo delle, logo ao segun-
do vidro conheci immensas melhores, e continuan-
do (iquoi perfeitamente bom ; e tendo algnns
amigos meus feito uso do dito extracto para rheu-
matismu, tem no uso delle por flm do terem tomado
8 a 10 vidros ficado bons. do qu tom resultado man-
darem-me de differentes partes encommendas da
ditasslsa para fra desla corte a diversos que leen
eifto uso della e se teem restabelecido perfeitamente;
e mandando-me agradecer, assim considero ser un
acto de dumanidade e obrigacSo minha fazer publi-
co t3o efllcaz e salutar remedio. Joaquim Ferreira,
di Souta Flore.
Bccondego verdadeiro o signal supra. Hio, 15
de dezembro de 1847. Em testemunho de verda-
do Joaquim Joti de Catiro.
Vende-se nicamente em Pernambuco na botica
de Vicente Jos de Brito, na ra da Cadeia do He
cife.
-ADO
;,, r
ti


A
Venderse urna tipoia com lodo os seus pcrten-
es em bom oslado por prego commodo : na ra do
Nnguoira, n. 18.
Vendem-sc 3 lindos molequesde 14 a 18 annos ;
un pardo de 18 annos, de elegante figura ; um pre-
to do 25 annos, bem robusto; urna negrinha de
12 anuos muilo boacoslurcra ; 2 prelasde lodo o
servido; no puteo da matriz de S.-Antonio sobra-
do n. 4.
~ Vende-te umi caa terrea multo grande, tita na
ra da Manguelra, na Boa-Vista, o. 11, com grandes coin-
inodoi, quintal multo grande e inultos arvoredoa de fruc-
toa, por preco o mais raioavel possivel: trata-se Da ra
do Aragao, n. 27.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barrls de 4
arrobaa ..chegada pelo ultimo navio, por preco commo-
4o : a tratar com Almeida U Fonseca, na ra do Apollo
A i.sooo rs. .
ancoretas com azeitonas superiores : ven-
dem seno caes da Alfandega armazem
n 7, de Francisco Das Eerreira.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores cortes de meia casimiras els-
ticas de pura lia, pelo barato preco de 2^000 o 3/000 rs.
0 corte de calca : na nova loja da estrella, da ra do
Collegio, n. 1.
~ Vende-se um moleque de boa conduela o que
fieafiauga : he reeommendado a ser vendido a pes-
soa eonheeida por ser digno de ler um bom senhor:
ni ra Direita, n. 16, esquina que volla para S.-Pe-
dro se dir quem vende.
Algodo monstro de 8 palmos
e meio de largura.
Na loja n. 5, que faz esquina para a ra do Colle-
gio, de Cui fazenda de a I godao branco muilo proprio para toa-
Ihas polo barato preco do 640 rs. Da-se amostra.
Vende-se muito superior biscoulo francez do
Klieims : na ra da Cadcia-Velha, n. 29
CHA' HYSSON,
de ptima qualidade a 2/240 rs. a libra : na ra da
Cru' no Becife armazem n. 13.
FARELO
a 3'ooo rs. a sacca
Bos arinatros ns. 1 e 3 do caes da Alfandega, e no de n.
35 da ruado Ainorim, de J. J. Tasso .'unior,
Riscados monstros.
Vendem-se superiores riscados monstros, j- bem co-
nlircidos tanto pela qualidade como pela largura em
demasa, pelo barato preco de 280 rs. o covado. F.strs
riscados sao chegados ltimamente as cores sao lisas,
e os padrdes inulto modernos e de bom gosto : na nova
lujada Rstreila da ra do Collegio, n. 1.
Vende-se car virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte ; na ra do Trapiche, arma-
zem n I7.
-- Vendem-se dous pianos fortes de Jacaranda ,
chegados ltimamente, que, alm de sercm um
magnifico ornato de urna sala, teem cxccllcntes
vozes sondo o mechanismo da nimia approvada no
va invengBo chamada repitidor patento de Col-
Isrd : em casa de J. Keller & Companhia na ra da
Cruz, n. 55.
Vendem-se barris pequeos com cal virgem de Lis-
boa a mais nova que ha no mercado por preyo com-
modo : na ra da Moda armazem n. 17.
Potassa.
Vende-se muito superior potassa em
barril pequeos: na ra da Cadeia-Ve-
1 lia armazem de Bailar & Oliveira, n. ia
Vende-se cera de carnauba de lina qualidade
em porgBo c a relalho por* preco commodo : na ra
du Mudre-de-Dcos, n. 34.
Vende-se urna morada de casa terrea, na ra
Imperial n. 9, feila a moderna e com commodos
para um grande familia ; s com a vista de quema
pretender melhor se poder informar: na ra Au-
gusta, n. 94.
Vendem-se queijos londrinos os mais fresesao
que ha no mercado ; latas com bolachinhas de ara-
ruta ; ditas com hervilhas ; ditas com sardinhas
na ra da Cruz, no llecifo n. 46.
FirminoJos Flix da Rosa tom para vender
escolente vinho da Figueira em pipas e barris : os
prelendentes todos os dias pdem tratar com o mes-
mo no caes da Alfandega, ou no seu escriptorio
na ra do Trapiche, 11 44, aonde tambem vende
lindos vasos para jardim.
Vende-se, na venda de Joaquim
Correia Rezende ttego, no largo do l,i-
vfamento, n 20, superior cal de Lisboa
em barris de 4 a 5 arrobas, a mais nova
que ha, viuda pelo ultimo navio, por pre-
co mais commodo do que em outra qual-
quer parte.
Vendem-se aegoes da ex-
mela companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Para senhora.
Vende-se um rlcoadcrccode ouro matizado com
diamantes finos, por '350,000 rs. : na ra Direila
sobrado n. 16, que faz esquina, para a Iravessa de-
S -Pedro.
-- Vende-se um escravo caiador, e que enlcnde de
plantajes de sitio : na ra Direita sobrado 11. 16,
que Taz esquina para S.-Pcdro.
Cera de Lisboa.
Na ra da Cruz, n. 60, hn um completo sortimen-
to decera de Lisboa emcaixas de todos os lma-
nnos quo os compradores desojaren); assim como
tambem ha urna grande porgBoda que vem em gru-
rhee em pao vende-se por menos preco do que em
outra qualquer parle.
FABELUS.
Vendem-se barricas com Trelos, chegados ulli-
1 v.; Ulyssra 1 v.; os Burros, 1 v.
fallantes, 3 v. ; a MeditacBo, 1 v.
Lhrislo.l v.; Corda Serfica 1 v.
cial, 1 v. ; as Ituinas de Volnci, 1 v. ;
Cames, 1. v. ; Historia romana, 4
; os Animaes
; ImitacBo de
; Contrato so-
os Amores de
v. : Manual do
ChrislBo 1 v. ; Caininho do Co, 1 v. ;'Manual da
conlissBo, 1 v.; Cacographia da lingoa portugueza ,
2 v. Viagensdeum peregrino a Jerusalem 1 v. ;
Arte de furlar, 1 v.; Diccionario poelico 1 v.; o Fe-
liz indepemlcnte, 2 v.; tala llen 1 v. ; Metholo-
gia da mocidade, 1 v. ; Noites do Youpg, 2 v. ; Car-
tas do marquez do l'ombal, 3 v. ; D. Ignez de Cas-
tro, 1 v. ; T. Livius, 1 v : tambem se Irocam quaes-
quer deslas obras por outras, sendo que agradem :
na ra larga do Bozario, 11. 46.
Na lojan." 5 A da ra do Crespo,
ao p do arco de Santo-A ntonio, vendem-
se mantas de laa e seda, muito bonitas,
para meninas, pelo barato preco de
a,000 rs ; assim como cortes de chita es-
cura, com 10 covados, a i,Goo rs ; cassas
de cores, de quatro palmos de largura, a
240 ti o covado.
Vendeip-se 4 moleques de 14 a 18 annos; dous
pardos de 22 anuos ; urna mulalinha de 16 anuos,
que eugomma marca o faz. bem luvarinto; 4 nc-
griuhas de nagBo, de 14 anuos ; duas escravas mo-
gas : na ra Direila, n. 3.
Vcndc-se una escrava ptima cozinheira o 011-
sabuadeira e que he he muito liel, e por isso capaz
de se Ihc entregar urna casa: o motivo por que se
vndese dir ao omprador: na ra de Hurtas,
n. 138.
--Vende-se urna parda muito boa cozinheira e
engommadeira ; 2lindos molequesde nagBo, de 12
a 14 anuos ; nina prela de 20 anuos muito boa en-
gommadeira ecostureira ; urna negrinha de ^an-
os, com habilidades: 110 pateo du matriz de S,-
Aulono, sobrado n. 4.
mmente de Lisboa : na ra da Madre-de-Deos, ar-
ni i/e,n, n. 90, defronte da guarda da alfandega.
Vendem-se 3 caminos para fiteiro ou armario;
4 varees de Jacaranda por todo o dinheiro : na ra
do Caldeireiro, n. 62.
Veodem-se a lindas mulatas, muito
mocas, boas costureiras eengommadeiras;
e um mulatinho de 11 annos ; um moleque
tle 14 annos pouco mais ou menos, e pro-
prio de todo o servico de casa e campo, ou
para pagem : na ra do Crespo, loja n.
a A, se dir quem vende.
Vende-so um carro de duas rodas com arreios e
cavallo, ou som elle, a vonlade do comprador : na
ra da Cruz, n. 38, ou nu cocheira do Augusto.
Vende-se urna cxcellente canoa, propria para
familia eacabada agora de construir, por prego
commodo :emOlinda, venda de Jos Joaquim Af-
fonso & Companhia.
-- Vendem-se duas pretas mogas de nagBo urna
en/1 nliii o diario de urna casa e lava e a outra pro-
pria para trabalhar do enxada por j ter uso disso :
em Oliuda, confronto a S.-ScbastiBo, sobrado n. 20,
que a vista deltas, nBo se deixar de fazer negocio.
Vende-se cera de carnauba muito alva por
prego commodo : no Atorro-da Boa-Vista fabrica
do licores, n. 17.
--- Vendem-se pecas de madapoIBo com 20 varas,
muito largo o oncorpado, a 2,800, 3,000 e 3,200 rs.,
e a relalho, a 7, 8 c 9 vinlens ; pegas de chitas paru
coberta a 6,000 rs., c a 160 rs. o covado na ra
do Paselo, loja n. 17.
Vende-se um carro de quatro rodas envidra--j
gmlo Je almofudu com os competentes arreios :
ludo novo : no Aterro-da-liou-Vista n. 46
Vendem-se 2 limlos moleques do 10 a 14 an-
nos; 3 pelos de 25 a 30 anuos ; 3 pardos do 14 a 18
annos ; 3 mulatinbas ilo 7, 12 e 14 annos com bous
principios de habilidades ; 2 pretil de 20 annos de
ludo o servigo : na ra do Coiiegio, 11. 3, se dir
quem vende.
Vende-se urna negrinha de 12 anuos pouco mais
ou menos de bonita figura com principios de cos-
tura uno tcm vicios nem achaques e que ho pro-
pria para mucama : na ra do Queimado, loja 11.10.
Chocolate homoBOpathico.
Na fabrica de licores do Aterro-da-Boa-Visla, n.
17, alm do chocolate de canella, baunilha sade ,
ferruginoso e musco 'landico.jia do homoeopalhico,
o qual he muito til para as pessoas que se curam
pela medicina honiceopaldica.
Na ra Nova, n. 2o, loja de ferragens ,
le J0B0 Fernandas Prente Vianna, vendem-se os
mais ricos apparelhos de metal que aqu teem vin-
do, para cha ; assim como ricas bandejas e tafias tle
cabo de marfim.
Vende-se urna morada de casa sita na ra Im-
perial, n. 214, por prego commodo: as Ciuco-
i'ontus, n. 4.
Vcndc-se, as libras erva-matle da provincia
do Bio-Crande-do-Sul do que se faz cha c que
ho bastante diorelica : na ruado Livramento n. 5,
vcna de Antonio Ferreira de Souza.
Contina-se a vender manleiga inglcza a 500,
600 e 800 rs. ; cha hysson superior a 2,000 rs. :no
pateo do Carino, loja do sobrado do Cabricl Anto-
nio, 11. 17.
-- Vende-se urna pretil, bonita figura, 18 annos, eozinlia o diario de urna casa, coze e eu-
gomma soffrivelmciito, ou permuta-se por outra que
estoja costumadu a vender: na ra do Amorim, n.
44, lureciro andar.
Vendem-se qcuIos finissimos, de vidros qua-
dradose de aro do ago para conservar avista : na
ra do Crespo, n. 17, loja de Santos INeves & Gui-
marBcs.
-- Na vua do Vigario, n. 24, vemle-so bolacha pro-
pria para cscravos, a 1,920 rs. u arroba, e mais ordi-
naria para animaes a 960 rs.
Vendem-se os seguintes livros : os Martyres 2
v. ; o l'araizo perdido 2 v. ; Obras te CamOes 3
v. ; ditas de Jos Mara da ('.osla e Silva, 2 v. ; o Ori-
ente 1 v. ; Harpa do Crcnte 1 v.; Malaca conquis-
tada ,1 v. ; Caramur, 1 v. as Quatro cstagoes do
anuo 1 v. ; ditas ditas do dia, 1 v. ; Buy, o escu-
deiro 1 v. ;a BcdempgBo, 1, v. ; Amore Melancola,
lOeadeiraa; um aoph ; urna commoda com exccl-
lenle podra : ludo de jacarandi e em meio uso :
na ra Direila, loja de selleiro n. 5t.
Vende-se, por prego commodo urna e*sa de
pedra o cal nova na nova estrada da Capung ,
com bast unto terreno para tas : acham-se as cha-
ves defronte do mesmo sitio : a tratar no pateo da
S.-Cruz, no p da botica n. 8.
Vendem-se 6 apolices da companhia de Debe-
ribo : a fallar no theatro Novo.
Vende-se, na ra da Gloria n. 6 um preto
orioulo, pedreiro de20annos, para o mallo, ou
fura da provincia : tambem troca-so urna casa ter-
rea com 22 palmos de largura, 2 quartos, bom fun-
do c quintal muito grande, e tem annexo novo pal-
mos de terreno que ludo junto d muito boa casa ,
ou sobrado, por outra casa terrea de mais commo-
dos emaior voltsndo-se o fr justo, e 11B0 sendo
em rus muito deserta no mesmo bairro, ou no de
S. -Antonio: tambem so vende um lindo cavallo ala-
zBo-douradoe arregazado, bom andador, baralha
debaixo cima com arreios que nimia nBo servi-
ri:in. at esporas.
Vende-se, por prego muito commodo, a obra
de direilo mercantil, por Silva Lisboa: na ra do
Cabulla, loja da esquina, defronte da matriz.
A 800 rs o covado
o muito
prego de
No Aterro-da-llon-Vista, n. 24, vende-se
superior fusto nmarello, pelo diminuto
dous cruzados o covado.
Vende-se urna casaca prela, do superior pan-
no quasi nova : urna dita venia e dous colletes :
ludo por menos de seu valor: na loja de alfaiate ,
na travessa da ra da l'raia ao p do theatro.
JL
Vendem-se chapeos de castor branco
4,000 rs. : na ra du Queimado, 11. 22.
Vende-se mermelada 6m latas grandes e peque-
as ; doce do ginja a 320 rs a libra tudo muito
superior :{no peleo do- Carino, venda n. 1.
Vendo-se urna criolade4auuos, muito sdia ;
O proprietaro desle estabelecimento por
circunstancias occorridas, v-so obrigado
a relirar-se para a Europa, e como 11B0 o po-
de fazer sem primeiro pagar a seus credo-
res offerece algum abat ment a seus de-
vedoros que quizerem saldar suas conlas
no prazo de trila dias indos os quaes, el-
le passar a fazer IransacgBo com os docu-
mentos que tcm em seu poder isto tilo so-
monte, afim de com o producto delles, po-
der mnis fcilmente saldar conlas com seus
credores, e suppuslo que esta rausacgo
motiva grande piejuizo ao annuncianto, 110-
nhiima utilidade resulta aos drvedores, que
(Icam no mesmo caso ohrigados a pagar por
inleiro seus documentos, sem que lalvez
encontrem contcmplagSoalguma e nem o
abalinienlo que o annuncianlc por meio de
seus aiiuiineiiis offerece a todos os devedo-
res : tambem tem resolvido vender o esta-
belecimento com o resto das fazendas, que
sendo anda em grande numero, serBo ven-
didas todas por pregos diminutos a saber:
pegas de chitas de cores (xas e pannos finos,
a 5,500, 6,000 e 6,500 rs. e muito finas, en-
trando algumas do coberta a 7,000 e 7,500
rs., e o covado a 170, 190 o 210 rs. ; pegas de
madapoIBo largo e muito cncorpudo, a
3,000, 3,200, 3,500, 3,800 e 4,000 rs. ; dito
largo c fino de superior qualidade a 4,500.
4,800 e 5,000 is.; princeza de duas larguras,
a i.nis o covado; lila larga a 380 rs. ;
ensllela preta a 800 rs.; luvas de pellica '
para senhora a 320 rs. ; ditas de seda a
.'o rs,; ditas brancas muito finas, para lo- j
n.eni, a 400 rs. ; pannos de mesa de meio de
sala de bonitos gostos e de superior quali-
dade, a 3,000 e 4,000 rs. ; golas e pescozi-
nhos de cambraia, fazenda muilo propria
para meninas, a 200, 24o e 320 rs. ; los de li-
iilm muito grandes e de superior qualidade,
a 7,000 c 8,000 rs. ; ditos mais pequeos a
6,000 e 6,400 rs ; suspensorios do mei a
40, 120, e 160; ditos de borracha, a 200 e
c 240 rs ; ganga azul, a 100 rs.; algndBo
de listras muilo encorpado proprio para
escravos a 170 rs ; chales grandes pro-
prios para escravas a 800 o 1,000 rs.; ditos
linos de diversas qualidados, a 1,500, 1,800
e 2,000 rs; e outras umitas fazendas que
por orcuparem muilo lugar dcixnm do ser
j uiinuiiciadas, e que todas serBo vendidas
I ntida mesmo com grande prejuizo, s afim
I de se acabar com o estabelecimento.
Vendem-se cortes de lila escura muito encor
pada e do lindos.padres, pelo barato prego de 2,500
rs. : na ra do Queimado, n. II.
Vendo-so um preto canoeiro do bons costu-
mea, de bou figura mogo e sadio : ao comprador
se dir o motivo porque se vende: na Pontc-Velha
da Una Vista. casa do (latan.
Vende-seo sitio doCaldeiro, a beira do rio
com casa gaande de vivenda urna mei'agoa co-
cheira estribara e quarto para pretos,.eom grande
pogode ngoa tle beber, plantado de arvoredos de
fructo o com baixa para capim : na ra do Vigario,
n. 19
Na casa do modas franceztis de M. Millochau.,
no U(erro-da-Boa-Vista, n. lvha para vender um
lindo sorliinento de barege para luto; maiaus do
barege assotinado para luto ; chapos do crep pre-
to ; fitSs, liicos o luvas pretas; crepo o cscomilha
preta lisa. Na mesma casa se fuzem com gosto o
promptidBo vestidos, toueadbs e chapeos.
Na casa de modas francezas de M. Millochau
noAterro-da-Boa-Vista, n. 1, primeiro andar re-
cebcu-se, pelo ultimo navio vindo do Franga um
sortimento de chapeos do senhora da ultima mo-
lla tanto de seda como de palha*; visitas, palitos ,
moda nova e muito mais elegantes quo os mantele-
tes ; camisinhas bordadas ; flores muito em conta ,
em porgBo e a relalho ; plumas finas; luvas; cam-
braia do linho.
>a ruado Crespo, loja 11. 11,
vendem-so os seguintes livros: Burlainaque direi-
lo U nalureza
jui/os de paz
natural, 2 v.
, b v. por 9,000 rs. ; Cdigo dos
I v.'; por 4,000 rs. ; Lacrois, direilo
por 2,000 rs,; garantas individuaes,
1 v. por 9,000 rs. ; nhrigagOe do jury., por (:i0,
Comte, por 3,000 rs.; Azuni, direilo martimo l
v. novo, por 4,000; Formulario do libellos J'
Correia Tolo, 1 v por 3,000 rs. ; Peculio de io.
1 v por3,000rs. ; Tratado da forma dos libelo''
por Gregorio Marti ns, i v., por 9,500 ra.; Manual d,'
anpellagao, por Couveia Pinto I v. por 2,500 rs
Tratado da religiBo novo e encadernado. por i oq
rs.; Historia sagrada por Bernardina Freir,'por
4,500 rs. ; Philoaophia porCousin nova enculer
nagBo por 6,000 rs,; Chafa d'tcuvres de Vollaire
Atlas por Simancourt novo, por 10,000 rs.; Betiro
espiritual novo, 2 v., por 4,000 rs. ; oeuvres com.
pieles d'Alcxis Pirn, ^ v. por 6,000 rs.: Histoir
de la Belgique, 7 v., por 4,000 rs.; o outros mui-
los livros que se vendem baratos e se continuam
a Irocar.

*KiLicU.C ruz \ '>].
Superiores e muito novos queijos londrinos, vin-
dos na galera ingleza Bonita : vendem-sfl no arma-
zom supina a 960 rs. a likjga.
Vende-se urna escjllva de 20 annos de nagilo
Costa de bonita figura ; com urna cria de um anno,
j desmamada e muito rinda : a preta cozinha o i
diario de urna casa engomma lava de satifio e v,ir- j
relia arruma bem urna sala, e he muito entendida:
o motivo por que se vende se dir ao comprador:
na ra da Cadela ao p da casada polica.
Na ra das Cruzes, n. 22, segundo andar, ven-
de-se urna parda de 26 annos de bv>a figura qu
engommn, cosechBo, cozinha e lav* urna crioula
da mesmo idade com as mesmas habilidades ; umt
prela da Costa, do 24 annos, que cozinha lava o
vende un inajum cabrinha do 14 anuos, ptimo
para pagem.
CSIaMPANH i
da verdndeira marca COMETA, urna factura nova jfiaja,
pachada, no dia 28 de setembro da alfandega : ven-'
de-sd na ra da Cruz, no Itecife, n. 17.
No Aterro-da-Boa-Vista loja n. 78, vendem-
se sapalOes a 800 rs.; bonetes para meninos, a 800
rs.; ditos du riscado para homem a 300 rs. ; ditos
de marroquim preto obra bem feila,-a 2,500 rs.
ditos de merino para meninos a 4,000 rs.; botins
para homem a 2,800 rs ; hahusde madeira enver-
ii iza dos a 1,000 e 2,500 rs. ; couro de lustro gran-
de ; marroquim superior e do varias cores.
Hernani
ou a honra dos castelhanos drama em 5 actos, !.
Viclor Hugo traduzido. em portuguez por Fran-
cisco Jos Pinhciro CuimarBes : vendo-sena loja tle
livros do pateo do Collegio de JoBo da Costa Dou-
rado.
Escravos Fgidos
Fugio, no dia 27 do correnle a prela Delfina ,
de nagBo Costa; consta que anda vendendo agoa
pelas ras da Boa-Vista. Esla escrava fui de Jos de
Freilas Barboza. Quem a pegar levo a ra Direita,
n. 21 que ser generosamentegratilicado.
50,000 rs. de gratificagBo,
Fugio, no dia 21 do correnle, o preto SimiBo.de
nagBo Costa, de 30 a 35 annos; tem algumas mar-
cas de bexigas pelo rosto e alguna laidos, signaes de
sua nagBo ; tem falla de denles na frente, e urna
marca no peito por ter ha lempos levado um causti-
co ; he bastante grosso, bem reforgado, tanto em
corpo como em pernas c bragos altura regular;
quando falla dedo mancirasquelhecusta bem, a es-
pecie do cansago; levou caigas do ganga azul, ca-
misa de bata encarnada ; faz uso do ceroulas com
fitas amarradas por dentro tas caigas ; levou mais
urna porefio de roupn, por isso lalvez lonha mudado
de trajes. Boga-so as autoridades-policies tanto
desln cidadecomoda villa do Cabo, SerinhSnm e
Mncei por ser este o ultimo lugar aonde elle ja
esteve por alguns annos e se desconfia que para
la fuu-isse a mesma rccommendngBo se faz aos ca-
pilBes decampo, que o apprehendam e leveiNno
a ra lleal, nn Manguinho n. 51 que. rccelierj. I
grntificagilo cima.
Fugio, no dia 23 do correnle do sitio do Rio-
Iloce o mulatinho Olegaiio de 14 a 15 annos ; le-
vou camisa de ganga azul j muito rota c ceroulas
brancas por cima de unas azues do rrresmo patn da
camisa o chapeo de palha velho, pintado tle preto:
quem o pegar leve-o ao mesmo sitio do Ro-Buce,
Francisco Candido das Chagas, que recompensar,
ou na loja deencademagBo na travessa do llozario,
n. 12.
--Fugio, no dia H do correnle, a larda Francia
ca, levando comsigo seu lilho menor de um anno;
be de cor clara bocea regular, com falta de denles
na frente cabellos cacheados e cuitados, nariz afi-
lado ; lem um defeito em um dedo da mBo esquer-
da, olhos regulares, peilos pequeos; levou vestido
de chita azul com llorss encarnadas o outro de ris-
cado j desbotado : o lilho foi vestido com UmBo ja
usado: quem n pegar leve-a a ra do Trapiche-No-
vo u. 40, que ser recompensado
Fugio, no dia 21 do correnle urna preta de
uome Jnanna que representa tnr 30 o tantos annoSi
de altura regular cheia do corpo ; tcm o rosto pou-
co picado de bexigas e a sobransclha do ollio di-
reilo mais alta que u esquefrda ; levou vestido de
chita e panno da Costa ; julga-sc andar em Olinda:
quem a pegar lev-a ao pateo da matriz de S.-Anto-
nio, n. 4, segundo andar.
-- Desappareceu, da casa de seu senhor no bairro
do Becife, na noite do dia 21 do corente, urna es-
crava de nome Marn, do 16 annos pooco mais ou
menos eslaltira regular corpo um pouco cheio ;
lem falta de alguns denles na freete do lado superior,
ra|la um tatito de vagar indicando vergonha ; levou
camisa de algodflozinho o vestido de chita roxa eni
hom uso e conlas azues no pescogo : tendo chega-
doha pouco lempo do serillo, torna-so eonheeida
pelos modos e feiges : quem della livcr noticia, ou**
a apprehondor, dirija-se a ra do Torres, casa do
JoBo Pinto do Lemos quesera devidnmonte recom-
pensado.
E1W. t Nt TVP. DEM. F. DE FARIA
.-l84
MUTILADO

ILEGIVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXFQESBLF_NSPEPK INGEST_TIME 2013-04-24T16:46:30Z PACKAGE AA00011611_06524
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES