Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06519


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXIV.
Scgiinila-fera 2&
< h
O 0/ l/lf publlca-ie todoioi diasque nao
, ,, ir guarda: o preco da aiiiguntura he
, in)U rt. por qiiarlcl, pag01 odianladni. O
iniiiu o doi aiilgwintei sao Inseridos
,) de 20 rs. porllnha, V) n. ein typo dif-
f-n-nf, caireprtlcoei pela inrUde. O nao
silgnanlet psgaro 80 rs. por linha e IflO rs
*, lvprrdiiierente, por cadi pnblicacao.
PHASKSDALUA.JOMEZ UESETEMBRO.
ruinle, a 5. 6 horas e24 min. da tard.
/! rnti, a 13, ai 3 horai e 5!) mln. da manh
linqoanU, a 19, i 7 hora, e 38 min. da manh
"Ja hom, a 27, s 7 hora* e lfl mlh. da manh
partida dos correios.
Goianna eParahiba. ii Rio-G.-do-f*orte,qulutas-feiras ao meio-dia.
Cabo, Serinhem, Rlo-Fornjoio, 1'orlo-C.ilvo
e Macelo, no 1.', a II e SI de cada mez.
Garanhun e bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Floro, a 13 e 28.
Victoria, quintai-feirat.
Ollnda, todot o das.
PREAMAR OE 1I0JK.
Prlmeira, s 2 horas t!A minutos da tarde.
Segunda, s 3 horas e 18 mi untos da manh.
d e Setembro de 1848.
H. 315.
DAS da semam.
2."> Segunda. S. 1 irniin.i. And. rio I do or-
pll. do J. clv. rdo J. M. da 1. v.
-' Terra. S. f.\ primo. Aod.do I. do c. da
1. v. e do J. de pai do 1. dlit de i.
27 guara. Si. Cosme Damtio. tu I. .lo J.
doe. da 2. v. c do J. de pal do 2 dlit. de t,
18 Quinta. S. Yanocilo, \ml. do J. de or-
na, do i. II. da I. v.
29 Sexta. >XS. Miguel Arclianjo.
.'(O Sabbado. S. Jcronyino. And. do J.do c.
v. c doJ. de paz do I disl. de t.
I Domingo. OSs, llo/.ario de NossaSenlior.i.
CAMBIOS NO f\K T\ DE SETEMBRO.
Sobre l.omlre a ?! d. por I r rt. a 60 el.
i Pars
' I Isboa 120 pMwi i
n I!
inei
1
rs.ao p.
(Juro. Oueis liei[
Muidas del! ; I v. I i IH^ILHI
deli'in'ln. : '. : < HiylitKI
no i nfimo
PraioPatacAes hraallclros 3 '.< i 2J050
Pesos oolumnarios 8*0*) a SjMO
Ditos mexicano ..... Ir.100 a 1/920
DIARIO
p% H BalSH BT *"
PlLhlVAITIDUl/U.
Cmara municipal do Recife.
SESSAO EXTRAORDINARIA EM 19 DE AGOSTO
DE 1818.
PRESIDENCIA DO SKKnfl* REG AI.M'ol'F.Rol'n.
Presentes os Sr. Dr. Aquino, Barata, Gaudino e Ma-
niede, abrio-se a sesio, sendo I ida e approvada a acia
_ antecedente.
Osecrciario fez a leltura dos offlcios dosjuizes de paz
dos prlmeiros dtstrictos das freguezias do Recite, Santo-
Antonio e Jaboato relativamente s eleicfles a que se
teeni de proceder de jnites de pai c ver/eadores, lndere-
cados ao Exm. presidente da provincia, e por este man-
dados a informar a esta cmara, deliberando esta que se
luiipriic &ai5iatiui lauCtitC 35 Gr,cS _^ prc";c.r;;r;."..
I.eram-sc mais os segulntes omcios :
Uiri do procurador Mello Pacheco, communicando ter
{rendado, por se acharem vagas, as lojas ns,33 e 35 da
raa da Independencia, de que era arrematante Manoel
_a Silva Santos; que fallecer ; a prlmeira a Jos Fran-
cisco de Freitas, por preco de 150/600 annuaes.sb flan-
ea de Antonio Joaquina Panasco ; e a segunda a Chrislo-
vo Guilherme Brekemfeld, por por preco de 180^100 por
auno: ambas a contar do 1." do correte ao ultimo de
setembro de 1850, em que se findam as arrematares
das oulras lojas. Igualmente participava ter contratado
o arrendamento da loja n. 3-, por se ter findo o ante-
rior, com Joaquim Jos Ferreira da Bocha, por igual
rspaco de tempo e pelo preco de 150/000 annuaes, sb
(anca de Jos Lopes Roa. A cmara approvou os ar-
rcndainentos contratados, mandando lavrar os respecti-
vos termos para os rendelros assignarcm com scus fia-
dores.
Outro do fiscal do bairro do Recife, consultando so-
bre a disposico dojjl.'art. das posturas de 19 de
fevereiro de jo.m, huid de que CiU Aceito puucise iu-
ceder contra o Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho, que
eslava venciendo remedios sem seren manufacturados
em botica alguma desta cldadc, neni por quem por cl-
les se respoiisabilisasse. Que o fiscal fitesse o termo
de adiada contra o infractor.
Outro do fiscal do bairro de Santo-Antonio, pedindo
un padrao de pesos e medidas. Que o fiscal exigisse
dito padrao do aferidor, a quem se dera para seu re-
gimen.
Outro do fiscal do bairro di Boa-Vista, participando
havrrrin importado as inultas daquella freguezia, em o
inez de julho Ando, em 84/000. Inleirada.
Outro dos encarregados da festa da Senhora do Bom
Successo dos Navegantes, convidando a cmara a acom-
pauliar a procissao da mesilla imagein, no dia 20 do cor-
rente. Inteirada.
OSr. vercador Aquino fez osegulnte requeriinento,
3ue fol approvado, inandamlo-se, no sentido delle, expe-
ir ordem ao procurador :
Beniipir.. nne, n ni-nxlnia sessoo. seja apresentada
urna refaci das causas que teein sido tratadas annual-
inente por seu advogado, desde que fol convidado para
esse fin. quino.
Deliberou acamara se ordenaste ao seu procurador
que prestasse suas contal, desde o !.dc outubru do
crreme anuo municipal al o presente, aflu de verifi-
car o estado dos cofres municipaei, e se nelle existe al-
canse, pelo qual devam ser responjaveis seus fiadores,
sendo nomeados para o exame dessas contas os verea-
dore Gaudino eMamedc.
Deliberou Igualmente que o mesmo procurador apre-
sentasse novos fiadores idneos.
Despacliaram-se as pet9i5cs de Francisco Mariano Ri-
beiro, de Francisco Xavier de Lima, de Joo Francisco
Ponte*, de Jos Maria Placido do Magalhae, e levantou-
se asesino, En, Joo Jote Ferreira de Aijuiar, secretario,
^ ty:__tarroi. Aquino. Dr. Nery da Fonttca. Uarala.
--A. de BttTTOi.
HECIFE, 34 DI SETEMBRO DE 1848.
Triste c deploravel he a situacao doboncm, quando,
envolto em quesldes dlflicieis, eque nao pdein ser tra-
tadas levianamente, as des.via do ponto de vista sb que
ellas devein de ser consideradas, afim de trai-las para
o circulo acanhado e asqueroso das paixes torpes de que
scdeixaiu dominar aquclles a quem falla a coragem
precisa para separarcm-se, um instante ao menos, dos
ilflcresscs mesquinhos do partido, ou antes, da faefao
que esto ligados, c com que lio conlrahido pactos,
quasi semprc vergonhosos, pois que leudeui aiuhjeitar
quem qur que os subscreve a sacrificar a verdade'a tu-
do quanto concorrer possa para que os niciiibros dcsia
facen aniquilciii o contrario!, e cicvein-sc sobre as
ruinas destes. Ento^lorna-se laslimavel o papel que
lhc cabe representar, qur na tribuna, qurua Impren-
ta: rara vez falla de accordo com a propriacousciencia;
approva en publico aquillo que reprova em particu-
lar: tece elogios a pessoas que detesta, e que, em mais
de una occaslo, ha qualificado ms e indignas bel-
ja as nios que desejra ver cortadas ; ostepla-se aml-
nunca diz o que realmente sent. Este papel he ridicu-
lo por dentis ; e, pois, nos o rejeitamos com todas as
frcas do nosto.coracao.'
Itto prevenido, vamos oceupar-not ainda do facto que
deu lugar a expcdir.no do officio que o Exm. Sr. Antonio
da Cotia Pinto dirigi adminislracao do corrcio aos 18
do corrcnle, e que nos transcrevmos na prlmeira co-
lumna dasegunda pagina donosso numero 208;vamos
apreciar ainda o procedimento, todo honroso, todo dig-
no de.ti, que S. Ex. detenvolveu nessa occaso. regu-
lando-se smente pela lei, e pondo de parte considera-
efles que he de presumir pesassein grandemente sobre o
animo de quem nao sabe dittingulr a verdadeira energa
detse furor brutal que toetn ostenlar aquclles a quem
fallece frca de espirito, eque, baldos de probidade, nao
perdein ensejo deafiecta-la e invoca-la.
-Siui, departe as deciamaces vagas; departas In-
tinuaedes malignas e estupidas, com que esta materia
ha sido ventilada pelo liem conhecido redactor do
Diario-Novo, que se nao peijade rediglr o proprio jornal
quemis oatassalhou, que mais u colirio de lama;
de parte as bravatas do cscrlptor, que seapresenta liga-
do, eorpo e alma, com o mio nquem acoimou de novo
Caiin, e de quem jurou viver separado eternamente,
invocando, ao proferir e firmar semelhante juramento,
ascinzas do proprio pai ; de parte todo esse inontao
de miserias e torpezas, tanto mais asquerosas quanlo sao
pi adradas por quem, a cada passo, estraga de modo in-
concebivcl os termos honra, honrslidnde, pundonor, bro,
tic, ele,; de parte ludo Isso: consideremos, co-
mo convui, o facto da subtracfo das carias que f-
ram levadas ao conhecimento do Exm. Sr. Costa Pinto,
isto he, considcremo-lo jurdicamente, como j o fize-
mos nal linhas que a respe;to escrevemos sb a data de
22 deste mez.
Ou o delicio he publico, e foi previsto pelo artigo 129.
9.u, do cdigo criminal; ou he particular, e est cum-
prrliendido, a usar de mais precisao, nal disposiedes dos
artigos 216 e 217 do referido oodigo. No primeiro caso, o
Exm. Sr. Costa Pinto, coma magistrado provecto e il-
lustrado, nSo poda praticar tenao o que praticou, que-
remos dizer, nao poda fazer mais do que enderecar ii
administracao do crrelo o documento quecilmot mais
cima, afim de colher informarles para habilitar-sc a
mandar proceder de officio contra os empregados p-
blicos que porventura tenbam coimnettldo o delicio;
no segundo raso, j ponderamos que he direto da paite
nttiendid.i nnresentar aun nueixa .i auloridade compe-
tente.
Oque quera o redactor do Diario-Novo que S. Exc. fi-
xeiie, ainda mesmo que houvesse intrvindo no delicio
o individuo que o poz ao correnle do que as carias se
conlinha? Que mandasse proceder criminalmente con-
tra elle ? Nao ; porquanto do proprio documento, que
lica apontado, mui claramente se deduz que lhc fallia-
vam os dados precisos para conliecer se o crime era pu-
blico ou particular, e por coiiseguinte uo devia de sub-
jeilar a semelhante processn o apresentanlc das cartas,
que, verificada a segunda hypothcse, smente pude ser
aecusado pela parle otVendida que, cerlo, nao he S.
Exc., pois he incoiilesiavel que as cartas !he nao per-
tencem. Na supposizo, pois, de que o criinc fura per-
petrado na administraeo do crrelo, em perfelto esta-
do de Incerteza, S. Exc. limilou-se ao que cumpria se
limitasse quem se nao quer constituir superior lei,
quem sabe interpreta-la sem accommoda-la ao inleres-
se proprio, sem torc-la, sem atrocda-la : ordenou
que se nvestigasse do facto, para providenciar acerca
delle como fin de justica.
Demonstrado deit'arte o absurdo da primeira parte
dadoutrioa anli-juridica, pela qual se inculcou que o
Exm. Sr. Coita Pinto devera de ter comecado por de-
terminar fosse processado o aprcscnlante das carias,
passemos a segunda, Islo he, vejamos le S. Exc. eslava
obrigado a prender como em flagrante ao individuo
que Ihe apresentou as carias. No temos a menor duvi-
da em aftrmar que no. E, na verdade, em que dispo-
cao legislativa se firmara S. Exc. para asslm obrar? Ha
apenas o artigo 131 do esdigo do processo, que se enun-
cia deste modo : u Qualquer pessoa do povo pode, e os
u olliciacs de justica io obrigadoe a prender e levar
presenca do jniz a qualquer que fr encontrado com-
metiendo algum delicio. Tcndo ante s o apresen-
lantc das carlai, S. Exc. nao podia proceder scno ou
como pessoa particular, c efttao nada o forcava a verifi-
car a prisao, pois que, segundo ie' v do arligo que he-
mos copiado, a lei he facultativa ; ou como emprrgado
publico, e o redactor do Diario-Novo ha de convr com-
notco que um presidente de provincia no he official de
justica, e que por conseguinle S. Exc. nao e.tava obri-
gado a prender quu qur que Ihe apresentou as carta
de que se trata, mesmo no caso dehaver tomado parte
naintercepcaodellas; tanto mais, quanto nada he ...-
verosmil que quem as depoz as mos de S. Exc. uffo
llvesie Inlervindo no crime, conro disseiuns n'oulra oc-
easian, c como demonstraremos agora.
De feito, nada ha que se oppouha a que acredilemos
que um individuo qualquer subtrahisse do crrelo as
duas carias, cuja descoberta tanto tcm incommodado
ao redactor do Diario-Novo, ou as oblivesse por ouiro
modo, lsse-as sua vontade, remcilesse-.es, por por
tador incgnito, a um amig do Exm. Sr. Costa Piulo, e
esic amigo as fsse apresentar a S. Exc. E se o caso se
passou asslm, qual o crime do apresentante dessas car-
tas, cujo enntedo j era conhecido por quem qur que
Ih'as enviou ? Parece-nos que ncnliuin.
Notamos no paragrapho antecedente o grave incom-
rnodo que ha eausado ao redactor do Diario-Novo a des-
coberta das cartas de que nos temos oceupadu : releva,
pois, que justifiquemos cise nosso reparo, para que se
nos nao venha dizer que he elle nial cabido, visto como
o acto ta descoberta he multo immoral em si incsnio, e
por conseguinle deve de atlrahir a aiienrao de todos.
Maravilha-nos, na verdade, que se lenlia levantado
tilo grande ccleunia a respeito dessas cartas, quando,
no ha uiuilo, guardou-se o mais gelado silencio sobre
una que o Capibaribe publlcou, que nada lein de hon-
rosa para os que sao ah aecusados de quererciu vender a
peso de ouio a sorle de um partido, c que no podia deixar
de haver sido interceptada tambem ; espanta-nos a
difi'crenca palptame entre a conduela que entilo des-
envolvcu o redactor do Diario-Novo caque ora tcm, c
nao sabemos a que aUribulr temelhanie piicnomcnn. Se
ainda nao caducou o adagio Quem te pica, albos come,
parece-nos que aqucllc redactor acha-se coinpronictli-
do na lal historia das carias, queremos dizer, escrcvcii
alguma dellas. Purce-not, attenda-se bem para as nos-
saspalavras, afim de que se nos nao aecuse de cstar-
mos a revelar.icgreios.
rocn amos terminar aqui, mas no o farcinos, sem
que declaremos ao redactor do Diario-Novo que nada
deve recriar que o Exm. Sr. Costa Pinto tcnliaa inquuli-
ficmvel bonhomia de deixar impune o empregado do cr-
relo que porventura se reconhecer haver sublrahido as
carias, se acaso se verificar que o delicio fui commrtti-
do nessa cstaro. Magistrado integro e nimiamente es-
clarecido, com urna vida iodo, de honra e ei in>inc'ni, co-
mo aqucllc redactor confessa, S. Exc. saber fazer cahir
lodo o peso da lei sobre o verdadeiro criminoso, que,
conforme j deu a conliecer pclu seu officio, tem o
maiorenipenho cm descubrir.
Ctfrr.es jjondeiifeJs.
prnninvciici" ic-cini dn r>BT3l ras.que o corres-
pondenla da Vo> i/o llrasilou^ por di; ladi'.'io, r. ?
Ol'. que cnlumniaso iiffultntj desta naturc/n nlo
merecein BoHimertto em um povo culto; n sea
maiorin da provincia nlo i lo nobil pro-
ceder, por coito que os Pernambuc ariaiu
por urna arda de selvafr lis inhspitos e il gi adeci-
dos. Son Pcrnambuoano o nolural d lado, u
desdo 1827 son caixeiro doSr llesi|ujta ; esle, indo
a Portugal; foi a mim que loixu ulreguo a sua
casn; e vollando, cscolliou enteada, a quoiti sem pro Iratou como (lllia, Nciii so
diga que romo devedor que sou i'.c. favores ao ijc.
Mesquita, lomo agora a nefosa deste Poi u lo
nasriinento, e RrasHeiro pr sus ilcdic;ic3o uuuui
que iiloplou; desafi a qualquer Pernau^bucaao que
se h.-'ja ebegado ao Sr. Mesquila, rcquisitando 9oyu
valioso presumo, oquencllo nfiotenba icbado lodo
o Bgasalho o sympatiifa.
Mu he desta frrofl, Sis. Ri -es, que Pcrnara-
buco pode prosperar, pagando hirala 0 desleal-
mento os obsequios recebidos daquollea que, agra-
dados do clima o nltrabid rauta ens que o
nosso paiz olTerece, llcam entre nos, reparllrtdo com-
nosco o resultado de sui s fa ligas, o promovndo a
lodo ii transoouosso ndtntaiuonto.
0 Sr. Mesquila, havendo tomado, con la do casal do
sua inulber na importancia de 4:710/801, o clevou u
160.000/000 do rs o nio leve t monor duvida em
dividi-lo com scus onlpados, empossandb-os logo
desous iiiiiniuV's. Craio quo lica couipleUmenie
desmentida a correspondencia da Voz do Bratil,
Agora, pelo que respciU s pretoilQes doSr. Mes-
quila sobro o casal ilo fallecido Teixeira, nSo silo
por cerlo doclama^Ocs vagas e insultos destituidos
da n enor prova que podero comprometter o cr-
dito do Sr. Mosquita. Se o fallecido Teixeira deveu
a SUS fortuna ii coadjuvacio do Sr. .Mesquila o |is
conjiou os seus capitaes, no be por nianeira t;*io vil
o infame que os seus honlrfos o libertaro das
obrigaqcis cnnirabidas, o cujo esqaecimenlo os
consiiie na mais rovoilanto ingralidflo. Despreze,
pois, o Sr. Mosquita os divos desse bydropliobo, quo
jamis podero diiuiuiii-lbe oconceitu que, sendo
apreciado pelos homens probo-;, nSo p"de ser ma-
reado por individuos cobertos de infamia c de oppio-
biio; n.lo lio Madama Andrutlu, clta i! impurezas,
nem algum misera val iustrinnentu, qu conseguir
tornar odioso a provincia o bomom honrado que lau-
to lia feito por ciiu.
Candido Thomaz Percira Dulra
Srs. Itedaclorei.A correspondencia inserta na Vos
do llrasil n. 59, de 19 do corrento, que classilica o
Sr. Mosquita, da fundico da ruado Apollo, dola-
driloe 0 cobre dos mais atrozes vituperios, me
cnnstiluc na rlgorasa obrigiigo do responder to
desabrida e insultuosa diulribo; niio porque oSr.
Mesquila precise de defesa a bem de seu crdito ;
pois a honradez- deste homein, deste oidadilo bmsi-
leiro prestante, bom chafe de familia, probo coni-
mercianle, zeloso amigo, be tilo conbeeida, esta
to bem mentada, que no silo os tiros do corres-
pondenle da Vo* do ttraiil, que o pdem desconcei -
tuar entro os Pernambucanos que muilo o honram e
estimam pelas suas cxcellentesqualidados ; sendo
que o publico sabe apreciar um cidado que tanto
tcm cpntribuido para o aperfeicoamenlo material o
industrial do paiz qucadoplou ; mas somonte para
cumprir um dever de conscicncia, rendondo um pu-
blico tributo ao verdadeiro mcrecimento ; porquan-
to, devedor ao Sr. A. B. P. do Mesquila desta tal ou
qoal posicilo de quo gozo, e conhecendo de porto o
seu meritorio proceder, nSo mo soirre a paciencia
v-Io liio negra e infamemente calumniado.
Em 1827fuidccaixeiio para a casa do Sr. Mesqui-
la que entilo ainda era solteiro, o posso airniar quo
j iicssc lempo era elle possuidor de fortuna adqui-
rida pelo seu.tr.abalho; casou depois com a viuva
do seu primo, cujo casal pouco tinba, alum dedous
lilbos pequeos que fram criados e educados polo
Sr. Mesquita, niio como padrasto, mas como des-
velado pai; um dclles foi mandado para l'ortugal e
llamburgo, onde osteve a expensas do Sr. Mesquila,
e nflogastou pouco para receber urna educaeo do
que se no soubo aproveilar ; a outra com quem me
acbo ligado em casamento, foi igualinento educada
com o maior desvelo ocarinbo.
Por morle de sua consorte e minba sogra, om 18**,
Srs. Redactores. Em um discurso do Sr. diputado
Joaquim Nuncs Machado acabo de lee que no juzn dos
iriins tiesta p'rovincia se tfxrcem inauditas vexacoei,
que os mandados sao metlldos dentro da gaveta do mi-
nistro, e sao su execiiiaiios 6 proporyao que os loteres-
ses da poltica o aconselliam ; de modo que nao .se acha
ums aulo no caitirio dos Iciics da la/euda, porque a
casadojuii dos fcitos da l'azcnda lie o verdadeiro caito-
rio, all" tcm tildo reunido, e de tal modo que he o so-
licitador, o escrlvo, o uiclrinlio, tudo, ludo.
Sao (aulas as assercdesquautas as falsfdades.
He para sentir que o .vr depulado, reconheeendo-se
Inllliigo poltico do jui/. dos fcitos, oSr. Dr. .feronyino
Marliiiiauo Figueira de Mello, se alraste a faier to gra-
ves e solemnes censuras, sem luforinaedei nao s de
nessoas imparciaet, mas que rasoteohan de saber a
verdade; porque isso que diise s o poderla beber de al-
giim rule, sobre inimigu nessoal dojuiz. ignoianUo, e
estpido, mi o .Sr. depulado m.uiIi.iu essas eonsas, e
teuieraiiamciite as inCOlcoii por verdades conipro-
vadas.
Inauditas vexaedes! Como, onde, e contra quem. Sir-
vo de procurador-fiscal desde 1833,com alguiis interval-
los, i mi me record seoo de un devedor que este
auno fora preso, e neuhuin depositarlo ineocoorre que
ai boje u fsse. As exacuces fazosn-se tim com zelo,
mas consiliando-o semprc eoui BSoirouniltanclai c rc-
Clauacdes dos devedoret. K digam-no este, se antes
niio tcciii muilo que louvar e agradecer ao juito, do que
lameniarem-se, eexprobrarem- Mus vexacocs cinllcxi-
vcl crueza. .
Alguein ha de distribuir os mandados aos melrinliot
para os c.xeculaicm : e islo o la/, o juiz, como o mais pro-
prio, porque delle rccebein os offlciaes o attestado de
li-equencia, setll o qul nao colirain o ordenado, e por
elle pdein ser suspensos e demillidos. Querer-se-liia
que se enlrrgassem aol offlciaes, de una vez cera, du-
zculos mandados, contra dcvcdorel residentes na cida-
de, para seren clles cuino os que exeeul.isseiii cales, e
rellrawein anaaltet, como se ibesantojasse7 Da-oso
Uil iinp.ircialineiile em porcdei, e prese reve-llies jiraio
para a eSCCUfiOi l>eem-nos um inctliodo mellior, c o se-
uuireulos.*
juiz uo pude deixar de chamar asi minias vezes, e
inultos dos processos, conforme as oeeoircncias, escien-
cia.iuetenlia do sen estado em desvanlagcni, ou erro
da arrecadacao, ou daino das paites, e mesmo para to-
nar suas notas c registros, do queh e mili cuidadoso o
ir Dr Figueira de Mello ; mas dizer oSt, deputado.que.
tratou logo o Sr. Mesquita de fazer o inventario e
deu parlilha aos berdeiros, tocando a cada um dos
dous lilbos *2:302P76 rs., dos quaes logo os empOs-
sou. O Sr. Mesquila foi tao escrupuloso nosta occa-
slflo, que nada quiz azer sem o consenso de ambos
os berdeiros do sua finada consorto. E be a um ho-
mein destes, a quem dous Pernambucanos lano
devem i pela educado e bom tratameuto dello re-
cebidos, ja pela fortuna que ello grangeou ; quem
a provincia deve bastante pelo seu afierro a ella a
ponto de sacrilicar a sua fortuna em predios por elle
construidos, aformoseando dest'arte a cidade, e
mi
enirando-se no cartroVi "' aoha ueste "pin so pro-
cesso, porque todos esto chi casa dojuix, uto china
um i risoia cm resposta, ,
Se o iuiz podesso por qual.pier inolivo ser no juizo so-
liclador, cscrivo, nieirinbo, ludo, ludo; nunca seria
procurador-fiscal, quando cu em exercielo porque pa-
rj servir o uieu empr.go uo preciso de ningueiu, c le-
nlio boma para nao ceder dos mens dircilos.
EiuQni posso asseverar que o Sr. Sunes Machado, se
fosse ojbiz dosleits da la.'cnd.i, servera to bem.
mas nao com mais inlelligeueia, zelo c honra do que o
Sr. Dr. Figueira de Mello.
Rogo-llies, Srs. Redactores, o favor de publicaren! a
presente por obsequio a verdade.
Seu muilo atiento venerador
Antonio Joaquim de Mello.
V
AR ENCONTRADO
MUTILADO
!,:
r. i




*
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
BENDIMKVro 00 DU 93..........4:680/728
Deictrregam Kujt, 95 di setembro.
Calen /r bacalhao.
Barca Jtunt-Nelly manteiga.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DA 93.
Geral...................844/102
Diversas provincias............. 90/871
864/973
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMKNTO DO DI A 93..........567/803
piuca doreciff., aa de setembro de ms,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios ----- A transarles ta semana tive.
ram por baso o cambio de 23 d-
porlj rs.
Alg)d.1o Vieram ao mercado 1359 saccas.
O de prlmeira sorto vendeu-se
de 4,350 a 4,450 rs. por arroba; o
o de secunda, a 4,000 rs.
Assuear- ----- N8o solreu alteraco no prego.
Entraram 30 csixas.
Couros Venderam-se a 90 rs. por libra.
Bacalbo ----- Chegou um carregamento com
2.500 barricas, que foram nego-
ciadas a 13,700 rs. cada urna.
RoiANiii'fn-Su 500 a 6,000 r. --
Estilo em sor 2,000
Carne seeca------Tivemos esta semana dous carre-
gamentos, com os quaes o depo-
sito hojo cou elevado a 16,000
arrobas. O prego fluctuou en-
tro 2,600 a 3,200 rs. por arroba.
Farinha de trigo Tocou nesle porto e seguio para
o sul um carregamento de Ri-
chemond com 2,600 barricas.
O deposito boje be do 2,500 bar-
ricas. As vendas elTectuadas
regulara ni de 19,000 a 21,000 rs.
por barrica.
Manteiga ----- Chegaram de Liverpool 530 bar-
i is, e exportaram-se para as pro-
vincias ilo sul 1,000 ; (cando no
mercado coren de 1,500. Nilo
teem havido vendas a grosso,pnr-
que os compradores recciam que
haja avultada importarlo dessu
genero.
SabSo---------------Vendeu-se a 130 rs. a libra do a-
marcllo, cstrangeiro.
Vinhos-------------- dem do 100,000 a 102,000 rs. a
pipa do da Figueira.
Entraram 5 embarcares, e sabiram nutras tantas.
Estilo ain-oradas no porto 30, a saber : 19 brasilciras,
1 franceza, 1 hamburgueza, 4 inglezas, 4 portugue-
zas e 1 sarda,
de plvora: o licitantes comparecam habilitadose
munidos dos competentes fiadores. E para que che-
gueao conheciment de todos, mandamos publicar
o presente pela imprensa.
Cidade do Olinda, 1 i de selombro de 1848.
Joii Joaquim de Almcida Gtudei,
Presidonle.
Joto Paulo Ferreira,
Secretario.
Mov ment do Porto
Navios mirados no da 23.
Cear ; 13 dias, escuna brasllcira Maria-Firmina, de 123
toneladas, capito Joo Bernardo da Rosa, equipagem
10, carga farinha de mandioca ; ao proprictarlo Jos
Antonio Bastos.
Rio-Grandeilo-Sul ; 27 dias, liiaie brasileiro Argos, de
187 toneladas, capilo Manoel Antonio Marques, equl-
pagem 13, carga carne ; a Ainorim Irinos.
Figueira ; 36 dias, brigue portuguez Uaria-F'elit, de 166
toneladas, capito Lourcnco Fernandes do Carino,
cquipagein 13, carga vinho ; ao proprielario, Autonio
Joaquim de Souza Ribeiro.
Savios sahidos no mesmo dia.
Rio-Grande-do-Sul ; brigue brasileiro Deos-U-Uuardt,
capito Lourcnco Jacintho de Carvalho, carga assu-
ear. Passageiros, Augusto Custodio de Oliveira, Bra-
sileiro ; e 3 escravos a entregar.
Macri, Babia e Hiu-de-Janeiro ; vapor brasileiro Para-
herne, coniinandante o capito de fragata Manoel Fran-
cisco da Costa Pereira. Passageiros : para Macei,
Joaquim Rodrigues Pinheiro, I). Joaquina Veloza de
Azevedo com 1 cscravo, l)r. Jos Angelo Marcio da
Silva com sua senhora e 1 escravo ; para o Rio-de Ja-
neiro, 1 sargento-e 6 soldados do stimo balalhoo de
cacadores, o primeiro-tenente Antonio Afl'onso Lima,
o alfrez Themulio Perea de Albuquerquc .Maranho
com i eacravo.
Parahiba ; hiate brasileiro Sanla-Crus, capito Antonio
Manoel Attbnso, carga.varios gneros.
dem ; hiate brasileiro 7'rrt-frimioj, capitao Manoel Ig-
nacio da Cimba, carga varios gneros,
.Vacio entrado no dia 24.
Londres ; 47 dias, brigue inglez Goldtn-Fleeee, de 312 to
neladas, capito James Palethrope, eqnipagcm 16,
carga carvo de pedra a Russell & Mellors.
Navios sahidos no mismo dia.
Baha ; brigue portuguez Maria-Ftlit, capilo Lourenco
Fernandes do Carino, carga a nirsuia quelrouie.
LUba c Porto ; patacho portuguez Heslauracao, capito
Jos de Oliveira Faneca, carga assuear, couros e mais
gneros do pas. Passageiros, Jos Pinto de Barros
Monteiro com sua familia, Jos Piulo da Silva com sua
familia, Jos Pereira Leite, Manoel Jos da Cunta e
Souza, Portuguezes.
EIHTAJi.
A cmara municipal da cidade de Olinda e seu termo
em vi/lude da le, ele.
Faz saber que ser3o arrcmatados.nos dias 22, 25 e
28 do corrento mez, por quem mais der, por lem-
po do um auno, que sera cuntado do primeiro ib-
n tubro ao ultimo de setembro de 1849, os con-
tratos segunles: o repel dos acougues, dos mas-
cales e boceteiras, a afengao dosT>esos e medidas,
ascasinhas da ribera,armazem grande c pequeo no
Varadouro, ex-subsidio dos porcos, um sobrado de
um andar na ra do Vigario da cidudo do Rccifo c
t, ma cata terrea.no Manguind, que foi anligamenle
POSTURAS
DA -
CMARA DO RECIFE.
TITULO II.
Da medicina, cirurgia, pharmaiia edo quelhe he
relativo. asjjfc ,
{Continuarlo do numero antecedente.)
Art. 1. Ningucm potjer abrir botica oucasa de
drogas, e nem manipular remcilios sem licenga da
cmara municipal esem que tenha carta de pbarma-
cia, resida no estabelecimento, e se responsabilise
pelas preparaces medicinaes : os infractores paga-
rilo 30/ rs. de multa, e na reincidencia soflVerio seis,
dias de prisSo, alm da multa dobrada.
Art. 2 Nenhum pharmacoutico poder adminis-
trar mais de urna botica ou casa de drogas : os in-
fractores ficarSo subjeitos s penas do artigo ante-
cedente. .
Art. 3. S poderflo fornecer remedios a peso me-
dicinal os pbarmaceuticos estabelecidos: os infrac-
tores senlo multados em 25/600 rs.; ena reinciden-
cia, alm da multa dobrada, saffrero tres dias de
priado.
Art. 4. Nenhum pharmaceutico poder fornecer
remedio sem receita de facultativo, competentemen-
te autorisado para exercer a arle do curar, excepto
se fr de natureza innocentissima: os infractores
incoi rerfio na multa de 30/000 rs., sendo metade pa-
ra o denunciante, e terilo tres dias de prisflo.
Ari. 5. Os droguistas s uruecero i eiTiodis oui
partidas aos pharmaceuticos estabelecidos, ou seus
agentes, ou aos facultativos que rosidirem fra da
cidade, e em lugares onde nilo existirem pharma-
ceuticos estabelecidos: os infractores seriio multa-
dos em 30/000 rs.
Art. 6. Os pbarmaceuticos e droguistas terio em
lugar seguro, c debaixo de chaves que coinsigo tra-
r.lo, as substancias venenosas, cuja tabella ser pu-
blicada poreditaes publicados pela cmara munici-
pal, consultado o concelho de salubridado publica,
ou urna commiss3o de tres facultativos por ella no-
meados : os infractores scrlo multados em 30/000
ris.
Art. 7. Os pbarmaceuticos s fornecerilo substan-
cias venenosas com receita de facultativo ou .pes-
soa de reconhecida probidade satisfuzendo todas as.
condigfies do artigo seguidle : os infractores ser3o
mnltados em 30/000 rs. p soffrenlo oiln diasde pri-
sSo e na reincidencia, alm da multa dobrada, sof-
frerio 15 dias de prisilo.
Art. 8. Os pbarmaceuticos terSo dous livros abor-
tos, rubricados e encerrados pelo presidente da c-
mara municipal, sendo um para nelle serem lanza-
das por extenso todas as receitas que frem prepa-
rando, declarando o nome do facultativo, o da pes-
soa para quem he, e a data ; c outro para que as pes-
soas que precisarem de substancias venenosas ns-
crevam sem entrelinhas ou raspadellas, seus no-
mes, profissOes, moradia, nome da preparaciio,
quantidade, uso que della pretende fazer, e a data :
os infractores seriio multados, por qualquer omissito
na observagSo deste artigo, em 30/000 rs.
Art. 9. Os pharmaceuticos ou droguistas que for-
neccrcm medicamentos corruptos ou com principio
de corrupto, o que ser verilicado por exame com-
petente, serSo multados em 12/000 rs., n o mesmo
se dever entender com aquelles que venderem me-
dicamentos j t3o velhos, que nao produzam o resul-
tado que com ellcs se procura.
Art. 10. Os pharmaceuticos que substituirem um
medicamento por outro, augmentaren) oudiminui-
rem a dse, sb qualquer pretexto, sem consenti-
mento dos faculliilivos que liverem passado as recei-
tas, alm das punas em que ncorrerem pelo mal phy-
sico que dahi resultar, ser3o multados em 30/000 rs ,
e tercio dous dias de pris3o, e na reincidencia a" pena
de prisDo ser dobrada, se da substituicSo provier
maior gravidade ao enfermo.
Art. 11. Nenhum pharmaceutico ou droguista po-
der fornecer remedio de composiclo secreta, nem
apregoar por meio de annuncios, impressos nos jor-
naes ou allixados, virtudes que disser ter, sem licen-
ga da cmara municipal, procedondo-se anteceden-
tonfente a exame competente : os infractores ser3o
multados em 30/000 rs., e constrangidos perda das
substancias que venderem ou apregoarem.
Art. 12. Todos os pharmaceuticos serao obrigados
a apromplar os remedios que a qualquer hora Ihes
frem pedidos com receita de facultativo f os infrac-
tores incorrero na mulla de 25/600 rs.
Art. 13. Os pharmaceuticos mandarao todos os re-
medios com as receitas transcriptas c grudadas as
vasilhas que as contiverem, declarando se he para
uso interno ou externo, e o nome do facultativo, Ira
zendo as copias urna numerac3o que deve correspon-
der do livro numero primeiro, de que falla o arti-
go 8. deste titulo, e as garrafas, ou rascos.alm dis-
to, seriio tapados por meio de capsulas de chumbo,
ou lacradas: os infractores serSo multados em
10^000 rs.
Art. 14. Nenhum pharmaceutico dever apromp-
tar receita que tiver as quantidades designadas por
meio de signaes, e que nSo sej'a escripia em portu-
guez : os infractores serflo multados em 12/800 rs.
Art. 15. as pharmacias ou casas ih: drogas s se
vndenlo medicamentos ou drogas: aquelles que
infringircm este artigo, serSo multados em 25//U00
rs.; c na reincidencia, alm da inulta dobrada, Ihes
serao apprehendidos os gneros estranhus a suas
profissOes.
Art. 16. Nnguem poder fornecer medicamentos
ou drogas de qualquer natureza, sem que tenha car
ta de pharmaci, e se ache competentemente habili-
tado : os infractores, alcm de soffrerein a perda de
todos os remedios, ou drogas, ser3o multados em
25/000 rs.
Art. 17. Nenhum medico, cirurgiSo, pharmaceu-
tico, parteira, sangrador ou dentista poder exer-
cer sua arte, sem que tenha feito registrar suas car-
tas de formatura ou de exame na cmara municipal,
conformando-se com o disposto as leis existentes
os infractores ser3o multados em 10//000rs. Oses-
trangeiros ser3o obrigados nao s a se coufurmarera
com o disposto ueste artigo, como a justificaren]
identidade de pessoa peante a cmara municipal
coni cidadflos de reconhecida probidade.
Art. 18. Nenhum (facultativo podar ter pareara
com pharmaceutico ou designar a botica em que se
prepare a receita : os infractores serSo multados em
30/000 rs. Isto tanibam ae dever entender com a-
quelles facultativos que forneeerem os remedios.
Art. 19. Nos quatro primeiros daselo anno, todos
os mdicos, cirurgiOes, pharmaceuticos, droguistas,
parteiras, sangradores e dentistas mandar3o cma-
ra municipal a declarado de seus nomos, naturali-
dade, profissOes e moradias, alim de que ella possa
mandar publicar a lista de todas essas pessoas: os
infractores seriio multados em 10,1000 rs.
Art. 20. Fica prohibido a todo o confeiteiro o uso
de preparacOes venenosas, com o fim de aformosea-
rem os doces ou confetos: os infractores, alm da
perda dos doces ou confetos que serao inulisados
scr3o multados em 10#000 rs.
{Continuar-u-ha.)
DENTISTA.
Declaradlo.
CMARA MUNICIPAL.
Terca-fera, 26 do corrente, oontinuar.lo a andar
em praQa os objectos annunciados no edtal da c-
mara municipal desta cidade, de 13 do andante, para
serem arrematados.
0 secretario,
Joo Jos Ferreira de Aguiar.
Avisos martimos.
--Para o Rio-de-Janeiro sabe impreterivelmente.no
da 24 do corrento, a escuna Curiosa: para o restan-
te da carga, passageiros e escravos a frete, trala-se
com Luiz Jos deS Araujo, na ra da Cruz, n. 26,
ou com o capitao.
Para o Rio-de-Janciro segu, em poneos das, o
brigue Anombro, forrado de cobre e de prmeira mar-
aha, por ter parto de seu carregamonlo quasi prome-
ta : quem quzer carregar, ou ir de passagem, para
o que tem oxcellentes commodos, dirija-se a ru8 da
Ca'deia do Recife, botica n. 61, a fallar com Jo3o Jos
Fernandes Magalh3es.
Para Lisboa o mais breve possvel o veleiro pa-
tacho portuguez .iberdade, de que he captBo Izidro
Ayrcs do Souza quem nelle quizer carregar ou r
de passagem, para o que tem asseados o bons com-
modos, dirija-so ao mesmo capito ou a Francisco
Severianno Rabello & Filho.
Para o Cear saho, em poneos dias por ter a
carga quasi prompta, a sumaca Carlota : para o res-
tante e passageiros trata-sc com Luiz Jos de S
Araujo, na ra da Cruz, n. 26 ou com *> meslre ,
Jos (Joncalves Simas.
Para o Rio-dc-Janeiro aegue, em poneos dias, o
brigue nacional Felis-Deilino por ter a maor parto
do seu carregamento prompto : anda recbe alguma
carga e escravos a frote : trata-se na ra da Cadeia
do Recife, escrptorio do.Sr. Manoel Concalves da
Suva.
-- Para o Ro-de-innero sabe, em poucos dias, a
garopeira 5.-/oAn-ftapi'if{a:anda pode receberalguma
carga a frete: trala-se com Novaos & Companhia ,
na ra do Trapiche, n. 34.
Para o Rlo-de-Janero sahe impreterivolmen-
le no da 30 do corrente o brigue Anombro: os Srs.
passageiros e Ss. que tralaram escravos a frete ,
apromptar-s-h9o, para oque dirijam-se a ra da
Cadeia do Itccife, n. 61, a fallar com Jo3o Jos Fer-
nandos Magalhaes.
Vende-se, ou frela-se para Angola ou outro
qualquer porto do Mediternaneo a inulto velerae
nova polaca sarda nacional N.-S.-do-Carmo, forra-
la o encavilhvda de cobre : quem a pretender en-
tenda-secom o consignatario, J. Saporli, na ra da
Cruz, n. 18.
Para o Itio-Crande-do-Sul segu no da 3o do
corrente u biigue naciuiml Jupiier : receb aida
alguma carga miuda ( passageiros e escravos a fre-
te, para o que tem buns commodos: a tratar na
ra da Cruz n. 7, ou com o capitao, Antonio Jos
dos Ruis.
Para a Babia sabe, em poucos dias, o hiate Flor-
do-Recife pregado o forrado do cobre : para carga e
passageiros, trala-se na ra do Vigario, n. 5.
Le loes.
OSr. ex-gerente do consulado francez leudo
brevemente de retirar-so dcsta provincia far le-
13o por intervcnc3o do corretor Oliveira de toda
a mobila da sua casa consislindoem ricos conso-
los, mesa do meio de sala ditas de jogo, sophs ,
cadeiras inclusive de balanco, mnrquczas lindos
espelhos guarda-roupas relogios dcima de me-
sa e de parede um magnideo piano louca de por-
cellana, cryslncs objectos de cozinha, e muitas
obras de prata etc. : quarla-feira, 27 do correnlo ,
s 10 horas da munb3a sobrado n. 63, na ra do
Pilar, em Fra-dc-Portas.
-- O cap i tilo James Durfce far lcil3o, em presen-
ta do Sr. cnsul dos Estados-Unidos por conta e
risco de quem pcrtcnccr, e por intorvengSo do cor-
rector Oliveira do casco, mastros c gurupas, em
um s Iota ( com que se principiar o leililo) da bar-
ca americana Harriet, arribada a este porto ; e no
mesmo condemnada, na sua recente viagem pro-
cedente do da Rabia com destino ao de Cow; as-
si m como em differentes lotes subsecuentes das an-
coras e correntes, veame, vergas, mastaros cor-
doalha, moilOes, lancha e duas balieiras, e mais
pertences da dita barca, ancorada actualmente na
volts do Foi lo-do-MJilos, onde os prelendentes p-
dem ir examina-la anticipadamente, assim como
os referidos objectos existentes no armazem do
Araujo boceo do Gonc,alves, nollecifo: Quinta-fei-
ra 28 do corrente, as 10 horas da manha no re-
ferido armazem lugar em queso far a arremata-
do de ludo.
._ -.a '. 1,,71-vm.-ii'a?-HMBCPgfc
Avisos diversos.
--Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra do
Rangel,n. 59,com das grandes salas, tendo urna vis-
ta para o mar, e oito quartos, ^alm de cozinha : na
praca iln Independencia, livraia ns. fi e8.
Ilesoja-se saber quem be o correspondente nosta
cidade do Sr. Antonio Corrcia Pessoa de Mello,senhor
do Vorteules, para negocio quo I he diz respeito : na
ra Direita, casa do Burgos.
-O advogailo Antonio Borges da Fonseca livro
la atroz perseguig3o que solTrera,, offerece
M. S. Mawson, cirurglo dentista aoba-se residinj0
Ao Recite ra do Trapiche-Novo, n. 8, segundo anrinr
nde contina a por denles mlneraes. fleando incoi
rupliveis e parecendo intelramente como deotes n.itu.
raes : lambem tira a pedra, a qual, nao sendo extrada,,
em pouco tempo tanto arruina os denles; chumba con
ouro, prata ou dentico para privar de augmenta *r
corrupeo : tambeui lira, lima e fax todas as operac>t
denticaes com a maior delicadeza possvel. Elle espera
que os elogios e o multo patrocinio que tem recebido
pelos beneficios que tem produsido na sua pratlca, du-
rante 8 annos de residencia nesta cidade sero carao-
lias sufficientes para as pessoas que, preclaudo de seu
resumo, nao o deixein de procurar.
Urna pessoa com pratica de escripia
comniercial, e bonita leltra, prop5e-se a
escrever as horas vagas, nos domingos
|e dias sanios, comlimpeza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
-- Ponciano Louremjo da Silva comprou, por or-
dem do Sr. Lin da Penba de Franca, cinco moios
bilhetes da lotoria do theatro publico que tem de cor-
rer neste corrente mez de setembro. Os ns sBo os se-
guimos -. 397, 1078, 1081, 1092 e 1086.
Offerecem-se duas pardas, mSi o filha, para ser-
virem em casa de familia capaz, polo comor e ves-
tir, e se obrigam a coser, engommar, cozinhar e en-
saboar: quem dellas precisar dirija-se a ra da
Praia de Santa-Rita, casa terrea deporta o janella,
defrontodacasa do defunto Vianna.
O Sr. Augusto Carlos de Lomos Pacheco venlm
pagar a quantia de 46/340 que deve desde 1843. o
Sr. Manoel Joaquim Riboiro da Silva, vonha pagar a
quantia de 38/250 que devo desde 1843. Na ra Nova
loja de alfaiate, n. 18 O dono deste estabelecimen-
to principia d'ora em diantea ir publicando os no-
mes de todos os seus devedorea que teem assenta-
do n9o Ihe quererem pagar as suas contas. Salina
todos os dias at que saldem as meninas.
Nuno Camello Pessoa de Mello tendo justo e
contratado com Manoel Itibeiro da Fonseca Braga ,
Joaquim Silverio de Souza e Jeronyrao Luiz Ribeiro,
lodos berdeiros de Jeronymo Luiz Ribeiro e sua mu-
Iher I). Maria Vicencia Ribeiro de urna porc3o de
trras citas no lugar de tiramame termo da provin-
cia da Parahiba do Norte deoxtons3odo urna lego^
de frente c urna e meia de fundo: quem se julgar
com algum direito em ditas trras appareca na ra
do Amorim, II. 41.
Desappareceu da casa de seu senhor no bsirro
do Recife, na noile do dia 21 do corrente, urna es-
crava de nome Maria, do idadede 16 anuos pouco
mais ou menos, estatura regular, corpo um pouco
cheio, falta de alguns denles na frente na parte su-
perior, falla um tanto de vagar indicando vergonha,
levando no corpo camisa de algod3ozinho e vestido
de chita rouxa em bom uso, e contas azues no pes-
coco : tendo el legado a pouco tempo do Serian,
torna-seconhecida pelos modos e feiges: quem del-
la tiver noticia ou a apprehender, dirija-se a rus do
Torres, casa de Jo3o Pinto de Lemos, que ser de-
vida mente recompensado.
Perdeu-se, desde a ra da Florentina ateo llotel-
Commercio, um embrulbo pequeo com pendas
linas de diversos lamanhos : quem o achou, quoren-
do restituir, dirija-se ao mesmo Hotel, que so grati-
ficar com o mesmo valor.
No dia 27 do corrente mez do setembro se ha de
arrematar a metade da renda do sobrado de quatro
andares da ra do Rosario, por excdicflo do Manoel
Filippo da Fonseca Cande contra Jos Cordeiro de
Carvalho Leite, pelo juizo da 2.* vara do civel desta
cidado.
-- A mesa regadora actual da irmandade doSan-
tissimo Sacramento do bairrq de S.-Antonio desls
cidade fif? sciente a todos os inquilinos (los pre-
dios que fazem o patrimonio da mesina irmandade,
que, a vista do atraso em que a maior parte dellcs se
acham no pagamento dos.devidos alugueis, lem
iiihichO O din 2o uO mi i'Cie ni0 para COiparcCC
rem lodos no consistorio da mesma malriz, alim de
fazerem effectivo o pagamento do que soacbanv
dever, e preslarem fiadores idneos aos mesinos
alugueis, coma pena de serem judicialmenteilespe-
jados, eos predios levados a praca para serem arre-
matados nos remlimcntns por triennio. ,
~ Ilesapparecoii', no dia 22 do correte mez, um
mulequo ci-otilo de nome Jos, de idade de 13 annos:
levou caiga de 13a* camisa do riscado branco com
quadros azues, e tem na face ilireila urna ferida de
pancada; costiima andar vadiando pelas ras dcsla
cidade, e tiimbem foi visto no Manguind : roga-se
a qualquer pessoa que o pegar de leva-lo na ra da
Cru7, n. 55, quesera gratificada. ^
Alugam-so pretos paro padari: quem quizar rt-
gunsdrija-sea ra das Cinco-Pontas, n. 31.
lUTerece-se urna ama de boa conducta para casa
do pouca familia, ou homem solleiro, ou para fr
da provincia : na ra da Penha, n. 29
Manoel Marques das Neves o Jos da Cunha re-
tiram-se prra fra da provincia.
Precisa-se fallar com o syiidico el ilo
oanno passado, e o procurador dos treze
mezes
Empalham-se cadeiras e marquezas, com pallia
muito boa, com toda a perfeieao o asseio, e mais em
coma do que om oulra qualquer parle: na ra das
Larangeiras,. n. 85.
Offerecem-se um homem, urna mullier e umi
menina para todo o servico do urna casa : a tratar
na ra de Santa-Rita, junto ao port.lo do Franca, as
quaes servem pelo comer e vestir.
Fugio, no dia 17 do corrente mez, um cscravo
croulo de idade de 40 annos, pouco mais ou menos,
mas sem cabello branco, estatura regular, groso
do corpo e possanlo, pouca barba, denles arruina-
dos: tem sobre um dos oll.os um signal somelhante
a um pique no lobinhoe outro na faceoposta a esle
olho, lambem he curto da vista, goata do embriagar-
se, mas quando osla assim fica alegro e fulgazilo;
levou vestido camisa e caiga de algodilozinho, hona-
tural da cidade do Aracaly : recoinmenda-se as au-
toridades policiacs e aoscapitaes de campo quo o
prendam e o levem a ra da ruz do llecife, n. 26,
que se gratificar.
IIOTEL-COMMERCIO.
i Fsteestabelcciinonlo, sito na ruada Cadeia da
freguezia do S.-Antonio na propriedado n. 13, adia-
se augmentado de commodos iudopendentcs e de-
centemente mobiados para hospedes com fami-
lias e sem-cllas e para pessoas que exijam menos ^
tralamento. O segundo andar do referido estancia^
cimento offerece as precisas coiumodiades para
bailes e partidas. A posig3o da casa em situacao
fresca o aprasivel vista, e collocada no centro ua
cidade concorrerr a ser preforivel a outros Mia-
ja da atroz perseguigao que sourera,, out-reue seus
servlgoa a quem delles carecer : aos pobres advoga-
r de grac : por ora pode ser procurado na ra do I belecimehtos semellianles. Os precos serSo mouicus,
Noguoia ii. 9. 1 em relacSo as proporgOes que seofferecem.
I
\
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


FUNOipvO DE FERRO.
Ki fabrica de Rnwman M. f.altum cnge-
.kMrol machinistas e fundidores de ferro, n ru
Irtfiiriim, "o Recite, contina havar un arando sor-
iVnentodo laixaa para engenhos e moendas de can-
, de todos os tamaitos e doa modoloa os mais
m!iernos o approvados. Na mesma fabrica conti-
in-se a construir de oncommenda machinas de
"""'. rodas d'agoa. rodas dentadas e todos os mais
bocios de machinismo, com a porfeicHoja conne-
ii oor prego commodo.
C iiQwman & M. Callum desejam chamar a atten-
.an.losSrs.proprietariosdeongenhos as machinas
He vapor construidas na su fabrica visto screm ol-
i.deum modelo muito forte e soguro e todas as
ecas perfoitamenle adaptadas urnas as outras, por
Ef-Yo de tornos automticos, machinas de ap amar
farro o outros apparelhos modernos: alm d.sto, as
machinas de sua construccflo teem as vantageos se-
'uintes: possuemurna cisterna de ferro, onde a agoa
es nada pan caldeira 80 rtP0Slta,P0r me' de uma
bomba movida pela machina, e onde se acha aquen-
tada pelo vapor superDuo .antes do ser por moio da
segu ida bomba de l introducida na caldeira, aim
de "ao esrriar a aoa nella existente, pola mdroduc-
cao d'agoa fria [como lie de costme em machinas
inferiores ]e assim produz.r grande economa de
com,"nStdae gupradita economa de combustivel na
nroduccflode vapor, estas machinas possuem uma
modificacao nova das Vlvulas por onde o vaporen-
Ira e sabe do cylindro, pela qual a mesma quanti-
dadedo vapor produz maior effeito do que as ma-
chinas de construccao antiga augmentando assim
de uma maneira, nao* pequea, a economa do cm-
buslivernecessaro para mantor a machina em mo-
vimento. .
As ditas machinas possuem tambem um appare-
llm pelo qual a quanlidado d'agoa nlroduzida na
caldeira se acha rogulada automticamente com a
maior cerleza pela machina mesma evitando des-
la maneira o grande perigo que existe as machi-
nas, onde por causa da niesquinha economa dos
laiiricanUs o fnico: mente d'agoa para a caldeirs
ha de sor regulado por mi de negros.
Estes esclarecinentos sao respetosamente offore-
dosaosSrs. proprietarios Je engenhos, que anda
erseveram em o melhodo frnco, dispendioso c
insalisfacloro do moer com animaos, afin de sa-
tisfaze-los que, no emprego destas mactiinas, nSo
oxisle o menor motivo para receio, nem de explo-
sao, nem de quebra nem de demasiado consumo
de combustivel ; o liowman & M." Callum nao
teem pequea salisfacilo em assegurar-lhes quo pe-
la pericia dos seus administradores e oficiacs. pela
perfeic&o dos sous instrumentse apparelhos o pe-
la abundancia e boa qualidade das suas materias
primas, seacham habilitados para construirem ma-
chinas de vapor do todos os tamanhos o para todos
os lns ; assim como toda especie de machinismo ,
com uma perfoieflo nao inferior as obras das inelho-
rei fabricas de Inglaterra e mui superior s geral-
mente importadas daquclle paiz.
Vai piuca para ser arrematado
pelo que der, salvo a approvaco do juiz
competente e para pagamento dos credo-
res do fallecido Joaqnim Antonio Ferrci-
ra de Vasconcellos, oseguinte:
Uma easa de sobrado de um andar eso-
tao, com 35 palmos de frente e 85 de fun-
do, acabada e habitada, com um viveiro
de peixe, quintal em aberlo, com 292
palmos de fundo, em chaos de foro
utra dita pega-la mesma, de iguaes
dimencoes, acabada por fra, com caixi-
lhos e envidracada, e por dentro smente;
ta vejada, com cambda pelo centro de
quintal com os mesmos fundos da outra.
m caixio d'alicerce para duas mora-
las de casa, de 62.palmos de frente 072
le fundo, com quintal em aberto que com-
irehende a mesma camba.
Finalmente, um terreno no mesmo a-
linhamcnto, com os competentes fundos
e cambfta, que fica no centro do quintal,
em chaos de foro: tudo situado na frente
da estrada que vai para a Magdalena, fa-
zendo esquina com a que vai prra o Re-
medio.
Eatespredos, situados em uma posicao
muito alegre e de grande transito, offere-
cendoproporces para qualquer estabeleci-
mento, serao arrematados no da quinta-
feira-, 28do enrente mez de setembro, s
10 horas da manhaa, na praca do Com-
mercioje tambem vendem-se amigavel-
mente; podendo os pretndante dirig-
rem-se ra da Senzalla-Velha, n. i38.
-Quemliver o quier alugar urna preta fiel,
quesaiba vender pelas ras ed boa conta do si ,
baja de annunciar por esta folha ou d.ngir-se a ra
da Uniflo na casa que lem um lampcflo na porta.
--Quem annuiicion querer comprar un. melhodo
em meio uso para piano, dirija-se a ra da btn-
zalla-Vella n. 48, quo se vende muito em conta.
Tendo de arrematar-se por um trieno de renda,
peranleoiuizdo orpliaos da 'Victoria, O engenho
Leflo da fregueziada Escada moente e corrente
d'agoa a qualro legoas do embarque: os pretn-
danles drijam se ao mesmo engenho, para o- verem
e salieren) o diu marcado.
Antonio da Costa Ferreira Estrella comprou o
meio.bilhete n. 1,137 da seguida terga parte da d-
cima oitava lotera do thealro, por conta do Sr. M-
ximiano Carneiro Monleiro.-da Parahiba.
Mclchor Jos Comes rctira-so para fra da pro-
vincia. 4
Aluga-so para o lempo do fasta nrT lugar do
Monlero uma casa bera do rio Capibaribe, ten-
do porla bastante alta .terrado na frente, salas gran-
des, dous corredores, sendo um delles para serven-
ta da casa independente cinco quarlos, cozinha,
quarlo com larimba para pretos estribara para 2
cavallus, no fundo um quarlo para despejo quinta!
murado : a tratar no Atcrro-da-Bqa Vista, n, 37.
Precisa-te de umeaixeiro para venda, de ti a 15
anuos, com pratica ou tem ella, e quo de dador a
sua conducta : na ra do AragSo, n. 8.
O Sr. Joto Gongalves dos Prazeros lloclla uin-
ja-ae a repartico do crrelo, aflm de receber uma
carta, viuda da Parahiba.
I'recisa-se de uma ama que nilo ande do mimo,
equesaiba engommar: na Camboa-d-Carmo, n.
3, sobrado por cima da venda.
Aluga-so o segundo ondar da casa, sita na ra
Imperial, n. 65: a tratar com Delfino Goncalves
Pereira Lima, na ra Nova, n. 43.
He gratis
para quem quizar mandar buscar uma porgao de
clice para entulho aondo foram as catacumbas da
irman.lade do S. Jos da Agona.
Offerece-se uma ama com muito liom leite, e
que he muito cuidadosa : na ra das Cruzes, n. 18.
'Attengo!
Quinta-feira, ai do corrente. pelas 7
horas da noite, desaparecen da ra do
Queimado, defronte da loja n. 4 ca~
vallo russo, Com uma carga de carne secca
.( 10 arroba* ) e urnas {echaduras no mcio
da dita carga : este Cavallo e carga he de
uma pessa pobre; e por isso se roga a
quem o apprehender, ou delle souber,
partecipe na mesma loja, que ser recom
pensado.
-- Oflerece-sc um liomem casado sem filhos ,
para administrador de ongenho, do que tem bas-
tante pratica, o qual d fiador sua conducta
quemdeseu prestio se quizor ulilisar, dinja-se
a ra larga do Rozario, n. 35, ou em Meranguape
om casa do Sr. Baixa.
U NOVOPAODEPROVENgA. %
Vmdt-si lodm o< diai.
O proprielarioda padariae pastellaria rran^a t\
Lotera do theatro publico.
Deixaram de ter andamento as rodas
dcsta lotera uo dia i3 do corrente, como
havia sido annunciido, em consequencia
de ter a rapidez, com que se cstavam
vendeudo os bilhetes, quasi que parausa-
do, e restar anda um crescido numero
desfes por vender. A' vista^do que, o
respectivo thesoureiro novamente designa
para o referido andamento o dia i3 de
outubro prximo futuro, certificando, po-
rm. que se untes desse dia a venda dos
bilhetes se concluir, as rodas se anlccipa-
rSo, como aconteceu na passada lotera.
Pergunta-se ao Sr. Manoel Antonio Vieira, se o
seucaixeirol.uizhe Urasileiroou Portuguez.
- Manoel l'oixoto de Freitas rctra-se para fora do
imperio.
--Din homem casado que lem pratica de escripia,
se olTerece para iraballiar em qualquer casa, e tam-
bem para cobrar dividas nesta praga e fra dclla :
______ J. ..~.k .^,,.11..,., iumiikh' 1/ Jlluill letal 'u ua pBw. .v 1------------------
do Aterro-da-lloa-ViSta, n.50, desrjando agrada
cada vei inais aoa seus frrguers, resolveu ollcri
cer-lhes um pao que se fabrica em Provenja po
. VMide-im muilo bom fumo de folha para capa
deVhlrSSTn? armazc, do falt*.* *** *
ra da Cadea do Recito. .. m
rU!-%. novaloia da ruado M'"^%jg,
Antonio L. de Bnto Cor. ,' i,^ para
sortimenlo de calcados rat.ee a <. *,
riTtanTT.tCKfa*-
mocas, boas costureiras e engommade.ras}
e um mulatinho de 1 2 anuos ; um moleque
de 14 anuos poucomais ou menos, e pro-
prio de todo o lervicode casa e campo, ou
para pagem : na ra do Crespo, loja n.
2 A, se dir quem vende.
- Na vendado becco do Lobato vende-so niuilo
superior cha na India a 1.600 rs. ; loucn10 de San-
tos, a UO rs. a libra ; espermaceto a 720 rs. a hl ra
bacias piuladas a 560 rs ; -Utas brancas o 8ndea,
a 400 rs. ; iirins a 320 o 400 rs ; caf I
libra ; ralos a mil rs. a duxia ; ngelas, a i.,flW {
du7ia';chicara. brancas 11,001. l**m
bem para cobrar dividas nesta praca e fora dclla :l :,,,,' a ,50o rs ; bules grandes pintados,*
quem de seu preslimo precisar dinja-se a praca da 1 _fl |,rancos a 500 rs.; esteiras do perpory, a
Independencia, lvraria ns. 6 e 8, ou a ra da Cal- uo rg" ( ^^
cada, n. 38.
Aosclevedores do serto.
wmuw u >|- ------------------ fjh
um processo muilo differcnlc do ordinario, e que, Jfl
^v exigindo farinha daa melhore* qualidades, mere- g
lf> ce a preferencia do publico, pela aua alvura, X,
pureza e delicadea de ua Tab casao.
So e farao paes (fe 40, 80 e 160 ra., e sera fcil j
conhcc*-los pela sua forma oblonga e elegante. 4*
Na inesina casa contlna-e tambem a vender
bolinhos para cha de todas as qualidades, e Um- (
_ bem a enfeitar bandejas ricas para bailes e sa- ~
I ros.
i >
-- Aluga-seo bem conhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Maria deSexas, so proprio para
algum negociante eslrmigero ou oulra pessoa suo
tenhatralamonto: na ra do Amorlm, n. 15.
AVISA-SE
as pessoas que estflo devendo importancias de gne-
ros oue levarain da vendada S.-Amaro, rerten-
cente outr'ora ao Sr. Bernardo Rodrigues Gramozo
Costa que queiram quanto antes satisfazer seus
dbitos a Domingos Antonio de Oliveira n ra No-
va n 30 pos he quem se acha encarregado do rc-
ceb'imenlo dos ditos dbitos, e nflo o fazendo com
brevidado serio chamados a juizo.
Aluaam-se douaaillos ooui mullo boaa acommoda-
eflea um na campinba da Caaa-Forte e outro na ra
adiiapovoacao.coincocheiras e cavallarlces; assim
como varias casas, de precoa commodo para se pas-
tar a festa : a tratar na ra do Ainoriui, n. 15.
-- Na ra d'Alfgria, n. 11, precisa-se alugar uma es-
crava que csteja na circuintlanclas de bem faier e
servlco interno e externo de uinacaa de familia.
Precisa-se alugar um preto ou molecofc que
uno lonba habilidades, para andar ao servigo do
interior de uma casa : na ra da Cadeia .lo Recito ,
n. 3-2, com a entrada pela ra da Senzalla.
Precisa-se de pretas que vendam pfio de venda-
se! : na ra do Burgos no Forle-dc-Maltos n 38.
Alugam-sedous bonscanoeros ou para qual-
quer outro servico : na ra de S.-Francsco, no pa-
lacete.
-- Jos Francisco Belm pretendo retirar-se para
onde Ihe conver: quem se juTgar com qualquer ne-
gocio, Ihe aprsente sua conta para ser pago mme-
diatamente.
Joaquim Goncalves Beltrno faz scicnte a quem
interessarqiiemudoua sua venda, sita na na do
Livramento, para a ra Direita, n.18.
Um cao d'agoa lodo brasico.
Desappareceu um cHo d'agoa todo branco : quem
o adiar far o favor de mandar entregar na ra da
S.-Cruz n. 38 ou na ra doQueimado n. 27, que
ser generosamente reoomponsado, se o exigir.
Preeisa-se de uma ama quo enlenda do cozinhar
o fazer o mais servico de uma casa de pouca familia
na ra da Cruz, armazem n.48.
-- Precisa-se alugar um moloquo que saiba fazer
compras, o o maisnecessario de uma casa do pou-
ca familia : na ra da Cruz, armazem n 48.
Aluga-se, pelo lempo da festa, um {sitio no
Cordeiro, com baixa do capim arvores de fructo e
hortalice, boa casado vivenda estribara para 3
cavallos^ senzalla para escravos, eludo quanto he
de commodidade para uma familia : trata-se na ra
doQueimado, n. 4.
Precisa-so de uma prcla para o servico de uma
cas eslrangeira que entenda alguma cousa de co-
zinha* na ra do Vigaro, casa de Rothe & Bc-
doulae.
Agencia de passaportes.
Tiram-se, para dentro o Tora do imperio, passapor-
tes 8ssim como despacham-se escravos por menos
preco do que oulra qualquer pessoa e com brevi-
dado : na loja de livros no pateo do Collegio do
Sr. Dourado, achara sepro a pessoa habilitada pa-
ra isto.
Quem anntyiciou querer hypothecar urna casa
n0r 500,000 r., annuncio sua morada.
' Precisa-se de um caixeiro para venda, de 12 a
,4 annos.com pratica ou sem ella e que d fiador
i sua conucta : na ra do Cotovello, n. 31.
.-Na uadasFlo.es, sobradiubo aonde Augusto
rXmanfi:^^
p,r!i"ioda SUvaVerreira e Francisco Domingos
Silva raujo retl'ram-se desla provincia.
D Francisca da Gunha Bandera de
Mello, viuvade Joao Carlos Pereira &
Burgos Ponce de Len, e filhos^paioj
prsenle apressam-se a avisar aodevedores d 'casi,
que nao he mais sou procurador om cobrancas
jr^Franciscol.uiz Ferdandes da Costa I <^J per-
ianto iienhum de seus dovedorespoderflo validamen-
te contratar nem pagar ao dito Costa, porque terno
de pagar novamente,porquanlo teem os anniinciantes
protestado contra qualquer transacQflo quo flzercm,
ei.araquo r.nooccorrs a'.gus inconvnmentes por
falla desle aviso a lempo so faz o prsenle. Amis
de 10 mezos, quo nao so lom noticias do annuncia lo
Costa, que parti em 26 Je maio do 1847, para co-
brar de diversos devedorus do Garanbuns, Tacaratu,
Fazenda-Grande Matla-Crandc Panema Flores,
l'ianc, Brejo-da-Madre-do-Deos Taquarelingii.Ca-
riry etc. Roga-sc mui encarecidamente a qualquer
pessoa que souber onde ello se acha do avisar ao
Burgos, na ra Direla, sobrado n. 16, que faz es-
quina para a Iravessa do S -Podro que sumamente
agradecer.
g CHAPEOS DE SOL |g
Ra do Pmseiu-Publico n. 5.
O fabricante dcslc estabelecimenlo adverte ao respei
tavel publico desta cidade que elle possue presenle-
mente uuiiivo sortimenlo de chapaos i sol, assim
como chapeos de ol de seda furia-core, dos mais ricos
que tem apparecldo neslc mercado e de core conhe-
cida ; ditos para serrhora de bom tom adamascados ,
lavrados com suas coinpetenta frahja de retro, tu-
do que tem de mal moderno e do melhor gosto ; um
completo sorlimento de chapeos de ol de panninho de
todas as corea e.de lodo os tamanhu para horneo ,
lenhoraa e meninos ; ha tambem igual sortimenlo de
razendaparacobrirarmac8e tanto de seda de core
como de panninho trancado e lisos Imitando seda. Ad-
verle-se que ofreguezeserao servidos com brevidade,
e ae acharosatifeito da boa qualidade, do bom golo e
do preso.
U--rVende-scumsopl,l par do consolos, urna
mesa redonda para nielo de sala : ludo de Jacaranda
oqyaslnovo :..a na do Calinga, loja de anadeas.
t Vonde-so muito superior mniilciga ingiera .la
mais iiova quo lia no mercado pelo .diminuto pre-
^ 00 rs ornis superior cha hysson que ten. vui-
rio a esta praca a 2,400 rs., o libra ; paius muito
Svosfa 2 ; chourigos a 400 rs. ; superior vi-
nhode LisbOa, a 240 rs. a garrafa,.= em cana, ., ,
a 1,600 rs. queijos muilo frescaes chogados ull-
mmenle, a 1,760 rs:; o todos os mais fW*
mais diminuto prego poss.vcl: no Ate.ro-da-ltoa
Vista ven la n 54.
Compras.
Compra-se urna escrava que seja bo'a engom-
madeira coslureira carinhosa para meninos e nno
tenba vicios nem achaques: na ra doQueimado,
osquina do becco da CongregagHo segundo andar.
Compram-se escravos que sejam olllcias de car-
pina, do 18 a5 annos, e de boas (guras ; pagam-so
bem sendo de bons coslumes e peritos w> seu ofTi-
eio pois sito para uma encommenda do Rio-de-Ja-
neiro: na ra do Amoriin.n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
-- Compra-se um globo de escada que seja usado,
com armacHo ou sem ella : na padaria da l'assagcin-
da-Madaglena.
--Compram-se dragonas, bandas e fiadores de
olticiaesde prmeira e segunda linha : na ra do
Queimado, loja do cirgueiro, n. 10.
Compram se potes que tiverein sido
de graxa e de tinta ; assim como Irascos,
vasios, d' agoa de colonia : na ra da
Cadeia-velha, loja de miuJezas, n. 17
Vendas.
* COMPRA VANTAJOSA. ^^
Vendo-se uma morada de casa de dous andaros
com duas lojas, mui bem fundada muito fresca ,
com grande quintal commodo para grande amilia,
em bom estado, livre e desembaragada de qualquer
unus por preco rasoavel; faz-se lodo o negocio ,
segundo o estado do lempo : vende-so no todo ou
cm parle : na ra do Crldeireiro n. 62.
Na ra das Cruzos, n. 22, segundo andar, ven-
do-se uma escrava crioula de 92 annos, perita en-
gommadeira, cozinheira, cose bem ch.lo, lava de
sabno e faz varias qualidades de doce; nma parda de
26 annos que engomma, coze, cosinha e lava ; urna
preta da Costa do 24 annos, bonita figura, cozinha,
lava e vende na ra ; o um cabrinha de 14 annos, bo-
nita figura, ptimo para pagem.
Vondc-se um carro de das rodas com arreos o
cavallo, ou som ello, a volitado do comprador : na
ra da Cruz, n. 38, ou na cochaira do Augusto.
Ven.le-se um bonito molequo de nag.lo Mina,
muilo proprio para o servigo de uma casa, por lor
muitos bons costumes, c tambem proprio para qual-
quer estrangciro,por fallar bem P Habano quo e tam-
bem lem pratica de marinheiro.
Vonde-so um sitio na cidado de Olinda, Iivpo e
desembargado, sito na ra do Bom-Successo, .com
duas casas de pedra e cal: no pateo do Carmo, n. 18
Vendeasoa venda do becco do Lobato, 11. 12,
bem afreguezad para a trra e com poucos fun-
dos e o seu alugucl he muito barato I vendo-se por
seu dono relrar-se : a tratar na mesma venda..
Vonde-so urna mulalnha do idado de 13 a 14 an
RuidaCvir/. -V: ^
No&U armazom, onconir*tao os fumantes do bom
lom os melhorcs charutos que ha 110 mercado, vmaos
pelo vapor ffaftanu. As qualidades silo :
Producto de sement de llavana
San-Felix (verdadeiros"
Emilios
Melindres
Calanos
n-imftrfla
E Ouein^imnr sabern.
No mesmo armazem se vondem por pregosquo nHo
espanlam, os seguinles gneros : excellentos e novos
presuntos para fiambro, tanto inglezes como de
Wcstphalia ; sardinhas o hervilbas muito novase
em latss; licores finos cm garrafas com rolhas de
vidro : ditos em garrafas communs; mnrrascnina ;
vinho de Champanha, Bordcanx,Sulcrne o Porto em
garrafas; excellenle cerveja branca e preta em gar-
rafas o meias ditas ; azeite doco refinado, em garra-
fas ; conservas de todas as qualidades muilo rros-
quinhas"; frascos com fructas cm espirito ; esper-
maceto de varias qualidados; queijos flamengos no-
vos ; cha hysson superior muito barato : alera des-
tes gneros outros muilos proprios destes estabe-
lecimentos.
...uga-sn o segundo andar lo sobrado _.la ra
da Moda, n. 9 com commodos para grando uiilia,
por prc.;o mdico : a tratar na ra do Vigaro, 11. 5.
Cera tic Lisboa.
Na ra da Cruz, t. 60, ha 11 m completo sortinien-
to de cera de Lisboa om caixas de tolos os ta ma-
nhos que os compradores desejarom; assim como
lambo! ha una grande prCjUi da que vom em gru-
mo e om p3o vonde-se por menos prego do que ern
oulra qualquer parlo .
-- Vendcm-se dous negros do nag.lo Angola, 110-
nitas figuras, e de boa conducta, o quo so ahanga ao
comprador; urna negra boa cozinheira c quo engom-
ma liso ; uma dil 1 que engomma e coze soltrivol; 8
una dita boa qutandeira : na ra Nova, n. 21, se-
gundo andar.
PRELOS.
Vcndem-so barricas com farelos, chegados ulli-
inameiito do Lisboa : na ra .a Madre-de-l)eos, ar-
maram, n. 20, defronleda guardajda alfandega.
___ Vendem-se quatro casas terreas,
em l'-ra-de-Foilaa, urna no becco de
Jos I eixeira, n. 1, e Ires na ra do fa-
rol, ns. 56, 58 e G4 5 uma parte da da ra
do Pilar, n. -o i a nielade de oulra no
Arrombado, n. 3i. com grande quintal ;
e uma casa terrea cm linda, biquinha
de San-Pedro, n. 16, por preco muito
em conta : a fallar a Joo Francisco re- ,
xeira, em Fra-de-Portas, ra dos Cara-
rapes.
_ Vendem-se 3 caixilhos para lileiro 011 armario ;
4 varaes de Jacaranda por lodo o dinbeiro : na rua
doCaldeireiro, n. 62.
TIJOLOS DE MARMOKE.
-Vendcm-so lijlos do marmore, blancos e azucs,
por commodo prego 1 a follar com J. Saporil. na rua
da Cruz, n. 18.
Vcnde-se urna encllente canoa,
nropria para familia, por acominodar ifa
20 pessdaa, pintada, com c deira de en-
cost, bancada em roda, estrado no fundo,
e digna de quem tiver bom gosto; uma oti-
tra de carreira, de um s pao, com 35 pal-
mos de comprida e grossura sufliciente pa-
aa abrir : trata-se em Pora-de-Portas,
com Joo Francisco Teixeira.
Vendc-seum famoso tonel arqueado de ferro,
_ Vnnde-se ua mu al nhado uiarioe isa i*an- .cnuc-sc um >*>,* ... ...Hv,.-----,..,.,...-,
no7 com princijio de costura e renda: na rua da muito forte e seguro, de ta caadas: na rua do
Prai'a, u. 32. ,Rozano da Boa-Vista, n 46.
11
I
MUTILADO


I .
Vftml*-? urna cscrava de 18 anno*, que cose,
engomma c roziuha pari.la de pouco lempo, e com
., limo talle para criar ,da qualseanana a boa con-
duca : na ra do Passeio, luja n. I, aedirquein
vende.
-Vende-si um mulatinhode 14 a'15 annos; urna
ir nial mili de 10 a II annoa sem vicios : na ra do
tubuga, lujado miudezas.n. 1 l>, do Cuimaraes.
-- Vendo-se.em Olinda na ra do Itom-Fim,
um terrino com 50 palmoa do Trente: a tratar na
ra do Amparo, com Anua Isabel da Visitadlo.
Vende-se urna casa terrea na ra de S.-Cecilia ,
no bairro de S.-Jos com duaa salas, dous quartos,
rozmha (ora quintal murado e cacimba por 650/
rs. : na ra larga do Rozario, n. 14, segundo an-
dar a Tallar com Manoel Gomes Ferreira.
Vendem-so dous pianos fortes de Jacaranda ,
chegados ullimamento, que, alm de sorom um
magnifico ornato de urna sala, teem cxcullenles
vozes, sondo o mechanismo da muita approvada no-
va mvengao, chamad repitidor patente de Col-
Jard : em casa de J. Keller & Companhia na ra da
Cruz, n. 55.
DEG PORTAS Nc8
U dono dcste cstabclecimcnto,vendo-sc eiu cir-
ruuislancias de Ihe ser preciso relirar-se para a
Km opa precisa primeiro pagar a aeus credo-
res, e para ell'eiluar este pagamento o inais
breve possivel, oiierece algum abatimento a
seus drvedores que quizerem saldar suas con-
ii- ; assini como inn resolvido vender todas as
fazendas por dimiuulos precos, a saber: pepas
de inadapolao, a 2/, 2/800, 3/200, 3/500, 3/700,
3/800 e 4/ rs. ; ditas de chitas escuras, tase
entre-finat, de cOres fixas ,& 4/800, .'/, 5/500,
ti/e 0/500 rs. ; ditas inuito superiores, entran-
do algumas de cobrrta, a 7/ rs. a pepa e a 180
rs. o covado ; alpaca, a 600 rs. lila larga, a 380
rs.; cazinela preta a 1/ri. ; los tinos e gran-
des de linho, a /400 7/ e 7/500 rs. chales
grandes de garca a 1/500 rs. ; ditos de edita a
800 rs. ; vestidus de cainbraiacom bico e renda
de superiorqualidade, a 3/rs.; mantas de cam-
braia para senhora, a 1/rs.; luvasde pellica,
seda e algodo, para homein, a 320 rs. ; pesco-
cinhoscgola de bonitos gostos, a 240e320rs.; j
bicos trncete, inglezeseda trra ealguns de
de seda preta, a 120. 160,200, 240,320; 400 e 640 !
rs. ; lencos de cassa para gravata a 200 rs. ; di- i
tos de inuilis qualidades para homein e se- I
nhora a 180, 2oO, 240, 300, 320, 360. 400, 480 e
560 rs. ; suspensorios a 40, 120 c 160 rs. ; ditos |
linos de borracha a 200, 240 e 200 rs. ; garca
de seda multo larga com dores douradas a 240 !
rs.o covado ; cassa da India,a 400 e 480 rs. a va- !
ra ; iiieiiu flno c enire-linu a 1/800 2000 c
2/500 rs. ; pannos finos, a 3/800, 4/ e 4/500 rg. ;
e oulras mulls fazendasque nao se aiinuuclam
por oceupar muito lugar as quaes se vendem
todas anda inesino com grande prejuizo so
afim de se acabar com o dito eslabelcciincnlo ,
o qual tambem se vende no estado que se acha,
havendo quem o quelra comprar anda mes-
mo a prazo com lettras de firmas que agrada-
ren! a seus credores.
SEM8
Vendem-se aeces da ex-
tincta companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz.
n. 9.
FARINUA DE TRIESTE.,
marca verdadclra -SSF, chegada ltimamente: vende-se
em casa de N. O. Bieber & Companhia, na ra da Cruz ,
u. 4.
Vendem-se queijos londrlnos e presuntos para
fiambre chegados pelo ultimo navio de Liverpool ;
hervilhas proprias para sopa vassoras para varrer sa-
las: noannazem de Davis t Companhia na ra da
Cruz, n. 7.
Vende-se ca/ virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n ly.
Vende-se cal virgem de Lisboa, em barris de i
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco comnio-
do : a tratar com Almeida & Fonseca, na ra do Apollo
A i.snoo rs. ,
ancorctas com azeitonas superiores : ven-
dem seno caes da Alfandega armazem
n. 7, de Francisco Dias Ferreire.
Alpaca alcochoada, a 8oo rs. o covado
vende-se, na toja que faz esquina para a ra do Coll'e-
gio ,11.5, deGiiimaresk Companhia, a nova alpaca
alcochoada vinda de Lisboa fazenda iuteiramriite
nova nesta cidade preu e cor de caf, de 4 palmos de
largura, pelo barato preco de 800 rs. o covado.
Vende-se um moleqtie do boa conduela o que
se afianza : he recommendado a ser vendido a pes-
soa conhecida por ser digno de (er um bom senbor:
na ra Pireita, n, 16, esquina que volta para S -Pe-
dro se dir quem vende.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores cortes de meia casimiras els-
ticas de pura laa, pelo barato preco de 2/000 e 3/000 rs
o corte de calca: na nova loja da estrella, da ra do
Colleglo, n. 1.
orna, e ihapiti de palha por menos preco do que
em outraqualquer parte.
Vende-se muito superior bisenuto francet do
llheims i na ruada Cadcia-Vclha, n. 29.
CHA' HYSSON,
de ptima qualldade a 2/240 rs. a libra: na ra da
i un no Rccife armazem n. 13.
Vendem-so chapeos de castor branco a
Ji^4,000 rs. : na ra do Queimado, n. 99.
O verdacltiro systeiua para cu-
rar vista curta,
ou cansada no se encontra na homrcopathia, nem oa
allopathia porm sim em oculos upropriados os
quaesse vondem na ra larga do Rozario, loja de
miudezas, n. 35.
PRELO
a .'-.so o o rs. a sacca
nosarmaiens nt. 1 e 3 do caes da Alfandega, e no de n.
35 da ra do Amorlm, de J. J. Tasso Jnior,
Hiscados monstrua.
Vendem-se superiores rispados monslros, j bem co-
nhecidos tanto pela qualidadt como pela largura em
demasia, pelo barato prefo de 280 rs. o covado. Estes
rlscados sao chegados ltimamente: as corea sao Atas,
e os padres muito modernos e de bom gosto : na nova
loja da Estrella da ra do Collegio, n. 1.
Vendem-se barris pequeos com cal virgem de Lis-
boa, a inais nova iue ha no mercado, por preco com-
modo : na ra da Moda armazem n. 17.
Vende-se urna casa terrea muito grande, tita na
ra daManguelra, na Roa-Vista, n. 11, com grandes com-
modos, quintal muito grande e inuilns arvoredos defruc-
tos, por preco o mais rasoavel possivel: trala-se na ra
do Aragao, n. 27.
Bnlaoliinha superior a regala.
Na ra da SenzaIla-Velha n. 96 vende-so bota-
chinha superior regala, agoadn, a 160 rs. a libra :
nfo se mencin 5 perfeienn com que lio feita. por
que quem a comprar o saliera.
--Vendem-sesuperiores sollins inglezcs, elasli-
J eos o de palento lisos e alcocboados, cabecadas in-
glezas, rohgas chalas ;carneiras brancas: silhes
inglezcs para montara de senhora : ludo recente-
mente chogado : na ra da Cruz, n. 9,casa s George
Kenwortliy & Companhia. 8
Algodo moustro de 8 palmos
e meio de largura.
Na loja n. 5, que faz esquina para a ra do Colle-
gio de Guitiiarflest Companhia, vende-se a nova
razenda lo algodo luanco muito proprio para toa-
Ihas, pelo barato prego de 640 rs. D-se amostra.
Potassa.
Vende-se muito superior potassa em
barra pequeos: na ra da Cadeia-Ve-
Iha armazem de BaltarckUliveira, n. la
- Vende-so cera do carnauba de boa qualidaile ,
em porco o a retalhn por proco commodo : na ra
da Madrc-de-l)eos, n. 34.
Vende-so urna inorada de casa terrea, na ra
Imperial n. 9, feita a moderna e com commodos
para um grande familia ; s com a vista do quema
pretender inellior se poder informar: na rua Au-
gusta, ii. 94.
-- Vende-se urna porco de ouro velboe outra do
prata : no pateo do Carmo, venda n. 1.
Vnndem-se 3 bonitos moleques de i3 a iS an-
nos sem vicios ; 2 lindos mulatinhos de 14 annos,
que silo habis para todo oservico; 2 pretos bous ga-
nhadoresderua } 1 negiinha de 13 annos com ha-
bilidades o que he recolhida ; 3 pretas mogas, pti-
mas para todo o servico : na rua do Vigario, n. 24,
se dir quem vende.
Vende-se urna porgo de pimenta do reino por
prego commodo : na rua da Florentina, n. 30.
Vendem-se as obras de J. J. Rousseau; Nova
Heloisa, 7 v. por 3,500 rs.; Meninges, 8 v., por
4,000 rs. ; Pieces diverses, 4 v. por 2,000 rs. ; Emi-
ta, OU a educagiTo, 5 v., por 2,500 rs. ; Les Con-
fessions, 8 v. por 3,000 rs.; Dialogues, 2 v.,' por
1,000 ; Piscours, conatrat social e gouvernement de
la l'olegnc, por 1,500 rs.; Azuni, droit martimo de
l'Europc, 2 v. por 5,000 rs. ; urna Biblia portu-
guesa, por 5,000 rs ; Magnum Lexicn, cdigilo de
Pars, por 5,000 rs., e cdicilo |iorlugu>sza por 4/
rs. um Atlas de Simoncourt novo, por 10,000 rs. ;
Diccionario francez o portuguez, por 3,000 rs.;
Grammalica de E. Scvenc, por 5,000 rs. ; Elemen-
tos praticos do foro civil, por 2,000 rs.; l.uziadas
de Cainoes, por 2,000 rs.; lloras Marianas, por 2,400
rs.; Historia da I'hilosophia por V. Cousin por
8,000 rs. ; Tbeatro de Voltaire, 5 v. por 2,400 rs. ;
o grande soi 'tmenlo de livros das aulaspor prego
commodo na rua do Crespo 11,
Vende-se um sitio no lugar d'Agoa-Fra, com
ptima casa de vivenda de podra e cal, estribara ,
Com bastante terreno para planliigOcs uina lia i xa
do boa producgiio e com alagadigo no fundo do sitio :
na rua Nova, loja de chupos n 46, de Guilhcrme
Vellozo.
Vende-se muito superior vinho malvasia pro-
prio para tost em barris pequenos : ao p do arco
da Conceigiio armazem de Azovedo &Cardozo.
fj NOVO PAO' DE PKOVENCA.
Contina-ce a vender todos os dias pito de
Provenga na padaria da S.-Cruz n. 6, o
no deposito da rua cstreila do Rozario, n.
39, fabricado com as melhores farinhas ,
que para elle se teem escolhido Esta quali-
dade de pilo lorna-se mnilo recommenda-
vel, tanto pelo seu bom gosto como por
8) nao conteremsiazedo pela rapidez que .
^B! demanda o scu fabrico. *_
Xa Oproprietarodos referidos estalieleci-.{
^w, mentos, cada vez inais versado em fazer 2
Y^fj esto novo p5o, sendo um dos segundos que m
jv, o apresentou aosseus freguezes, logo que ^
W elle se instituio, anda nflo cessa de em- pregar todos os seusesforgos, Jam do que
o seu pito, entro nutro que j o fazcm ,
meregn a primazia. Nos mesmos estabele- (5$
cimentos acharilo os freguezes a muito su- a
perior bolachinha regala, tanto doce co-
mo agoada.
70,000 e 84,000 r. ; aophis de Jacaranda e de oleo ;
commoda; bancas; mesas de meio de sala e de
janlar; carie i ras de urna s face o de vingem ; esto-
jo para navalbas ; espelhos; e outros mu os ohjec-
tosque4 vista dos compradores se farflo patentes:
ludo por prego commodo, alim de serem bem* ser-
vidos os freguezes.
-- Vende-se, ou troca-se um inulatinho de 12 la-
os pouco mais ou menos, por um moleque ou
preto que trabalhe de enxada voltando-se o que se
justar: na rua da Cadeia do Recite, n. 14.
Vendem-se 3 sacadas de pedra da trra urna
cama de angico com seus colchaos usada 2 pares de
dobradigas grandes do chumbar, duas bacas gran-
des de rame, 1 (aizo um armaiio, urna mesa, 8
ricos quadros para sala, urna marqueta, um bah ,
um sellim urna mala urna mesinha de sapateiro ,
urna frasqueira, um lustro de meio de sala um can-
dioirodelatuo 2 tomos das Moites de Young, urna
Orthographia de Madureira : na rua das l.arangei-
ras, n. 29.
Na rua Nova, loja de alfaiale do Monoel do Am-
paro Crj, n. 18, ha para vender obras i'eitas de to-
das ns qualidades, tanto finas, como inferiores : as-
simeomoum sortimentode pannos finos de todas as
cores e qualidades, e toda e qualquer fazenda que
fr precisa para fazer qualquer obra de encommen-
da, etc. Na mesma loja prerisa-.se de olllciaes do
inesmo ollicio.
Vendem-se queijos londrinos os mais fresesac
quena no mercado ; latas com bolachinhas de ara-
ruta ; ditas com hervilhas ; ditas com sardinhas :
na rua da Cruz, no ReciTo n. 46.
FirminoJos Flix da Rosa lem para vender
excellente vinho da Figueira em pipas e barris : os
prelondentes todos os dias pdem tratar com o mes-
mo no caes da Alfandega ou no seu escriptorio ,
na rua do Trapiche, n 44, aonde tambem vende
lindos vasos para jardim.
Vende-se, na venda de Joaquina
Correia Remide Reg, no largo do Li-
vramento, n ao, superior cal de Lisboa,
em batrisde 4 a 5 arrobis.
9
m
o
(0
/rt
an
mmmmmpwmm
AGOA DE TINGIR CABELLO.
Continua-soa vender agoa de tingir cabellos e
suissas : na rua do Queimado, n. 31. O methodo de
appficura dita agoa acompanha os vidros.
Vende-se superior fumo cm folha, chegado
ltimamente da Baha : no caes da Alfandega, ar-
mazem n. 3, a tratar com Silva & Grillo.
Vendem se os verdadeiros charu-
tos de San-Felix: na rua do Queimado, n.
17.: dao-se amostras aos compradores.
^"vend^;.w"i,-,. ,oim,ntodee-d-a'UaNVa',?-67'ha -"* "de
a iis nova
que ha, vinda pelo ultimo navio, por pre-
co mais commodo do que em outra qual-
quer parte.
Vcnde-se um escravo de nacSo, de bonita figu-
ra : ao comprador se dir o motivo da venda : na
rua do Queimado, segunda loja, n. 18.
Vende-se um sitio com casa de vivenda e ar-
voredos de fructo todos novos*, com 80 palmos de
frente, foreiros, e mais25 palmos proprios no lu-
gar da Casa-Forte que deita os fundos para a es-
trada do Arraial que he murado e lica pegado a
casa do Ferrlo por prego commodo: na rua da
Roda 11. 48.
Vendem-se 14 acefies da companhia
de Beberibe, pelo valor em que estSo,
por ter seu dono de retirar-se para lora da
provincia : na prata da Independencia, ns.
6 e 8, se dir quem Jaz o negocio.
SALSA-I'AlIIII.HA DESANDS.
Este excellente remedio cura todas as enferme-
dades, as quaes silo originadas pela impureza do
sangue, ou do systema ; a saber :
Escrfulas, rheumatismo, erupges cutneas,
brebuthas ncara, homorrhoides, doengas chroni-
cas, brebulhas, bertoeija, tinha, inchagOcs, dores
nos ossos e juntas.ulgaras, doengas venreas,citica,
enfermidadesque atacam pelo grande uso do mer-
curio, hidropisia expostos a urna vida extrava-
gante Assim como chronicasdesordens da cons-
tituigSo serio curadas por esta tilo ulile appro-
vada medicina.
Rio-tle-Janeiro, 14 de dezembro de 1847.
Sr. Frederic H. Southtcorth.
Tendo eu lido no Jornal do Commercio e no Mari-
do Uto de Janeiro por diversas veaes annuncios da salo
sa-parrilha de A. II e I). Sands, que se vendo na
rua do Rozario, n. 79, por Fredenco H. Southworth,
a este me dirig e Ihe comprei urna caixa com 12 vi-
dros do dito extracto e achando-mo com um gran-
de tumor no sovaco do brago direito e parte do pei-
to, soffrendo immensas dores por todo o corpo me
deliberei a tomar o extracto da dita salsa ; o tendo
tomado dous vidros e usando delle, logo ao segun-
do vidro conheci immensas melhores, e continuan-
do lquei perfeitamente bom ; e tendo alguns
amigos meus feito uso do dito extracto para rheu-
matismo, lem no uso delle por fim do terem tomado
8 a 10 vidros ficado bons. do que lem resultado man-
darenf-me de differentes parles encommendas da
dila salsa para fra dcsla corte a diversos que teem
eifto uso delta e se teem restablecido perfeitamente;
e mandando-me agradecer, assim considero ser um
acto do humanidade e ohrigago minha fazer publi-
co tilo elllcaz e salular remedio. Joaquim h'erreira
de Souia Flore.
Reconhego verdadeiro o signal supra. Rio, 15
de dezembro de f847. Em testemuuho de verda-
de Joaquim Joti de Catiro.
Vende-se nicamente em Pornambuco na botica
do Viconlo Jos do Brito, na rua da Cadeia do Re
'medicina universal.
Pilulas tegetaes de James
Morison.
gante : torns-secm commum comas pilotas e fioil
iila-lhes os melhores efleitos. .
A posigilosocial dnSr. Morison,"a sua fortune ln
dependente, repellen toda a ideia do charlatanh!
mo; eas admirav'eis curas, operadas com o s
systema no collegio de sade de Londres, sao mili
quo garantes da elllcacia do scu remedio.
Kecomm'enda-se esta medicina, que nlo pede ntm
resguardo de tempo, nem de posigao da parle 2
doonte, a todos os que, atacados de molestias mi
gadas incuraveis, se'quizerem desenganar dasui
virlude. *
Oxal que a humanidade feche os ouvidos aos in.
teressados em desacreditar estes remedios tilo sim-
ples Lio commodos e tilo verdadeiros.
Vende-se smente em casa do nico e verdadeiro
agente J. O. Elster, na rua da Cadeia-Velha, n. 29.
Vendem-se cortes de lila oscura muito enco'r-
pada e do lindos padrOes, (pelo barato prego de
2,500 rs.: na rua do Queimado, 11. lt.
Vendc-se, por prego commodo, urna casa de
pedra e cal, sita na Capunga, na nova estrada que
vai para o rio : a tratar no pateo da S.-Cruz, n. 8,10
p da botica, e defronte da mesma casa se acham u
chaves, para quem a quizer ver, pois he eptims
para se passar a festa.
Para senhora.
Vende-se um rico aderogo de ouro matizado com
diamantes finos, por 350,000 rs. : na rua Direiu
sobrado n. 16, que faz esquina para a travessa d
S -Pedro.
Vende-so um escravo caiador, e queenlendede
plantagOes de sitio : na rua Direita sobrado n. 16
quo faz esquina para S.-Podro.. '
Escravos Fgidos
_
ilacBn d Mi.. .i' J ,c"ue:e para liqui-Isorlimento de movis como bem cadairas de nn-
dagao de cont.s, sola, cera de carnauba, peonas de I ihinl.a a 24,Odo, 30* ,'36/, 40,000 45,000, 58,000 .
A medicina vegetal universal he o resultado de 20
annos de investigagOes do clebre James Morison.
Por meio dcstas pilulas consegio scu autor inn-
meras eadmiraveis curas desde as afleeges que
atacam as criangas de peilo at as molestias chroni-
cas do anciSo.
A-Europa saudou este remedio como remedio uni-
Tersal para todas as doengas, e at hoje anda nao
loi desmentido tal titulo.
Esta medicina vem acompanhada de urna receita
que onsina e lacillita a sua applicagao. Consiste em
tres preparagOes, a saber : duas qualidades de pilu-
las distinctas por nmeros, o um p : cada qual goza
de modos e aeges diversas.
As pilulas n. 1 sao aperitivas ; purgam sem'abalo
os humores biliosos e vicosos, e os expulsam com
elllcacia.
As don. 2 expulsam com esses humores, igual-
mente com grande frca os humores serosos, acres
e ptridos, de que o sangue se acha a miudo infecta-
do ; percorrem todas as partes do corpo, e s ces-
sam de obrar quando teem expulsadn todas as im-
purezas.
A terceira preparag.lo consiste em urna limonada I
vegetal sedativa : he aperativa temperante o ado-|'ElW.
~ Fugio, do engenho Poreiras o "preto Francis-
co, de cor fula mal fcito do corpo, pernas finas,
estomago para fra barrigudo: tcm ? n empinadas; consta andar nesta praga 1 quem o pe-
gar leve-o ao escriptorio de Jo.lo Pinto de l.emos &
F1II10, na rua do Torres, 11. 14. 4.
Fugiram, no dia 10 do corrente 2 escravos^i
um de nome Podro, p outro de nomo Joaquim,
aqueile reforgado do corpo muito bruto ; represen-
ta 28 a 30 annos, c este cabra escuro, curto da vis-
ta alto e secco; tcm quatro dedos em una das
maos ; sao canoeiros c tcm sido vistos om Olinda,
Monteiro e Afogados : quem os pegar leve-os a ru
da Praia-de-S.-llita, ns. 25-ou 37, quo ser recom-
pensado.
-- Desappareceu, no dia 18 do comente o prcto
Agostiinho, de nagio Angola, de 25 annos cheio do
corpo cabello grande, que parece presislir no mal-
lo, olhos grandes e encovados quo parece ter aca-
bado de dormir denles limados cara larga muito
robusto; temas m1os cheias de calos por traba-
uii'em padaria ; i|uaudu anda evanla OS (ledos dos
pscomo quem lem hixos ; levou enmisa e cerou-
las de algoJao da trra e urna bala encarnada;
foi visto no dia 20 do corrente na Varzea e tomn a
direcg.lo do engenho S.-JoSo : quem o pegar leve-o
a rua Imperial, 11. 37, que ser bem recompen-
sado.
Nuno Mara de Seixas recompensar com cein mil
ris, porcada um, a quem Ihe apresentr ou Indicar ao
lugar ein que est qualquer dos escravos abaixo de-
clarados de sua nroprledade podendo-se dirigir rua
do Amorlm n. 15.
Paulo, Mozambique, coin os signaes de sua na;ao,
bsixo, gordo, retinto ; he cauoeiro ; tcm os denles li-
mados e alvos e-que nitrera foi escravo de Robert
Pelly, e ltimamente de Jos Marques Vianoa, em cuj
niao o comprou e est fgido desde 1836.
Paulino, Calabar, baixo, olhos espantados e esbuga-
lhados fulo, dentes agudos, representa ter 40 anuos i
fui ricrnvo de um padre, no n.io-Giandc-do-Kortc o
quallh'o venden por seu procurador Tliomaz Antonio
Lobo, e est fgido desde 1838.
Matheus, Angola, alto, magro, rendido das venillas, o
qual veio do Maranhao para ter vendido pelo .111111111-
ciante ; fugio cmjunho de i83U, do sitio do Cordciro,
na Casa-Forte c sabio com una corrrnte no p mal
he natural que a tirasse : lie a terceira vez que foge e
lem sido semprc agarrado longc da pr.if a.
Augusto, Macamblque, alto, gordo, sem barba com
um no peilo direito ou esquerdo pernas grossas h
canoeiro ; fugio cm 28 de junbo de 1839.
Manoel, de nacao Augola moleque de 18 annos ma-
gro, cor fula ; levou camisa e ccroulas de algodo de
Minas; quando falla ou responde parece espantado;
fugio em 10 de oulubro de 1810 e s'uppOe-se ter ido em
algum comboy para o centro desla provincia.
aergio de Angola, de 14 annos, baixo, grosso dn cor-
po, fulo ; levou camisa e ceioulas le algodo de Minas/)
he ladino e muito pronostico ; fu j segunda-feira na
uolte do dia 17 de malo de 1841 ; lem sido encontrado
noGhora-Menino, Magdalena e Fra-de#ortas ; o qual
olha vesgo de um olho
Hypolito, tambem Angola, baixo, de II a 12 annoi,
muito esperto falla correntemeute parecendo criou-
lo 1 levou ceroulas de algodo de Minas: sem signal de
naco retinto da cor, com o rosto e denles compridoi:
desappareceu sabbado noile, 5 de junho do inesmo
anno de 1841, naoccasiiio ein que la para o sitio, e jul-
ga-se ler sido deseucaminhado por seductores.
\ i co 1 111,1 s il i pelo 11 un ic de Sai nenio) de naco A n-
gola ile la ll anuos ; levou camisa e calcas curtas de
algodo de Minas ; nao lem signal de naco; embi-
gudo ; tem os psgrandes e as pernas algum lauto saia-
bias; fugio no trajelo do Reclfe para o sillo da CasarFor-
te na noile de 10 de selembro das 7 horas e inela em
dianle, levando um botijo de oleo de llnhaca ; sappAe-
se ter sido sed mido como j fdrain outros.
Tito, do Angola, de 19 a 20 annos, rosto liso e sem
barba estatura regular pernas um pouco tortas pes
chatos e curtos : he pintor e boliciro multo ladino e
falla correntemente o portuguez : fugio em abril de
1842 ; suppe-sc que esleja liabalhando de pintor por
ter em o anno de 1839 fcilo igual fuga trabalhaudo por '
este ollicio em Olinda como forro.
Fugio, no dia 21 do eorrente, o prqto Si millo,
do nagBo Costa de 30 a 35 annos; lem algumas mar- \
cas de bexigas pelo rosto e alguns tullios signaos
do sua nagio ; tem falla do denles na frente, o urna
marca no peilo por ter ha tempo lovado um caustico;
he bastante grosso, bem reforgado tanto cm corpo
como em pernas e bragos allura regular; quando
falla be de manoira que Ihe cusa bem a especie de
cangasso; levou caigas de ganga azul, camisa do
bata enea ruada; faz oso de ceroulas com fitas amar-
radas por dentro das caigas, levou mais urna porgo
de roupa por isso talvez lonha mudado de trajes.
Roga-se as autoridades policiaes tanto desta cida-
de como da villa do Cabo, Serinfcaom e Macci.por
sroste o ullimo lugar aondo elle j estevo por al-___
guns anuos, o se desconfia quo para l fugisso ,~*
a mesma recommendagao se faz aos capit3es decam-
po, queoapprehendani o Icvem-o a rua Real, rio
Manguinho, n. 51, quoserlo recompensados.
NA TTP. DEM. F. DE
I
FAMA. lH48
MTII


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGZRU44AR_T63LVC INGEST_TIME 2013-04-24T19:21:47Z PACKAGE AA00011611_06519
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES