Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06515


This item is only available as the following downloads:


Full Text
rio XXIV.
Q na Ha-fe i rn 10
ti PIBIO publica-se todos os dias que no
forrin degnavda: Pr*v d asslgnatura be
\t i/iH)Jri. por quartel, paqoi *4nnlxl.i Os
nuncios dos a signa ules su inseridos
* j de 20 rs. |ui linha. 40 rs. ein lypo liT
jt-fuir, eas repelieses pela ineltde. Os nao
ljti>rnaii(c* pagaro 80 rs. por linha e 160 rs
" ,j po dilTerente, por cada publicico. .
PI1ASESDA LA ISO MEZ DE SETEMBRO.
/vaiMiiC a &, as horas e24 ml'n. da lard.
>wtWa, a 13,is 3horas e59 inin. da mano.
MimtoanU, a 19, is 7 horase 38 inin. da manh.
iiora, a 27, s 7 horas e 16 rain, da manh.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parablba, s srgs. e settas-reiras.
Rio-G.-do-Norte, quinlas-fclras ao roeio-dia.
Cabo, Serinbein, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.*, a II e SI de cada mea.
Garanliuiis e llonilo, a 8 e 28.
Boa-Vina e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quinlas-friras.
Olinda, todos osdias.
PRKAMAR OE HOJE.
Primeira, s lOboras eM minutos da manh.
Segunda, s 11 horas e 18 minutos da urde.
*
ile Setembro de I84R
W w*
das da semana.
18 Segunda. S. Jos de Cuperlino. Aud. do
J. dos orph. do J. ti*, r do >. M da 2. T.
19 Terca. 8. Januario. Aud. do J. do c. da
1. v. e do J. de pai do 2. dlst de l.
20 iisrta. 8. hustaqulo. Aud. do J. do c. da
2. v. e do J. de paz do 2 dlst. de i.
21 Quinta. S. Malbcus.
22 SeiU. S. Mauricio. Aud. do J. db civ. e
do J. de paz do 1. dlst de i.
23 Sabbado. S. Lino. Aud. do J. do t.
e do J. de paido I dlst. de t.
24 Domingo. Nossa Scnhora das Mercs.
CAMBIOS NO DA 18 DE SCTKMMa
obre l-oudrel a 23 d. por I# rs. a 60 d.
t Parli
Lisboa 120 por cento de premio.
Rio-de-Janeiro ao par.
Desc. le lett de boas tirinas a I 1 ao mee
Acedes da comp. de Hebrrlbe. aftO/rs. ao p:
Oaro. Oncas hespanholas 32/000 a 32/90
Moldas de 6/400 r. 18/000 a 18/200
de t/400 n. 16/400 a 16/U00
, de 4/U00... 9/9(10 a lfl
fValaPalaces bratllelros 2/040 a
Pesos coluinnarlos. 2/W40 a
Ditos inesicanoi..... 1/900 l/W
DIARIO DE PERN AMBUCO
PARTE 0FFICAL.
M1NISTKRIO DO IMPEIUO.
Js>
Km 27 de jullio de 1848.
Declara til rato'es por que no mereeeu o imperial appro-
var/io a decisa'o dada pela presidencia da provineia
do l'iauhy de na'o poder a cantara municipal da ci-
tlade ie eirat legitmenle IrabaUtar sb a presidmeia
do vereador immediato em vetos, emquanlo o presiden-
te da mesma cmara eslieesse ocvupado noi trabalhns
de coneelho municipal de recurso.
Illm e F.xm. Sr. Foi prsenle a Sua Magostado o
Imperador O oflicio da presidencia dosla provincia,
sb n. 187, o datn de 5 de maio iln annoprximo pas-
tado, no qnal participa que decidir negativamente
a duvida, que oecorrro, de poder ou nito a cmara
municipal da cidade de Oeiras leealmentc trabalhar
na ausencia do legitimo presidente, por occasiSo de
3er este, em virludn do nrt. 33 da Ici de 19 de agosto
\me 1846, chamado a.tomar parle nos trabalhos do
'"eoncelho municipal de recurso ; fundando-se a pre-
sidencia para esla deeisio negativa em que, sendo o
presidente da cmara designado pela loi segundo
membro do coneelho de recurso, o como tal achan-
do-se no exeroicio das funccOes quo pela citada lei
locain ao dito coneelho, nflo poda cousiderar-se em
falla, ou impedimento para ser substituido na cma-
ra por sen immediato, sb cuja presidencia conli-
nuasae ella a trabalhar : e o Mesmo Augusto Senhor,
tendo ouvido a seceso do coneelho de estado dos ne-
gocios do imperio, houve por hem declarar que nito
merece a sua imperial approvacilo o que decidi a
referida presidencia no caso proposto, pelos seguid-
les motivos : primeiro, porque, manifeslando-so mui
clara e coricludentomento das disnnsicAcs da citada
lei de 18 de agosto, nosarls. 2,4, 5, 6, 10, 12 33 e 34
que tora sua intenQio principal, ou talvez nica, or-
gnisara junta de qualificacjio e coneelho munici-
pal de recurso com aquelles individuos que mais ti-
vessem merecido o conceilo e approvacflo de seus
concilladnos, demonstrada pela maioria da votncitnj
pira cleitors, juizes de paz e veioadoros das cama-
ras, sem ter cm consideracHo especial e positiva o
exercicio actual dos einpregos, como deixa sem du-
vida o art. 2., quando diz O presidente da junta
sera o juiz dn paz mais votado do dislricto da ma-
triz, esteja ou nflo em exercicio; -- o sendo igual-
mente manifest quo o presi lente da cmara muni-
cipal, chn,mado s por esso motivo de sor um dos
mais cortceituailos porseus concidadfios, para mem-
bro do coneelho municipal de recurso, c para nelle
exercerfunegos e actos inleiramente diversos d'a-
qucllcsquc Ihc conipctem como vereador o presi-
dente, e com que nenhuma rolacSo tem, no pode
considerar-se em actual exercicio daquelle seu em-
prego da presidencia, emquanlo desempenhn suns
mui diversas funccOes, do quo a lei o encarregou ;
evidente he dever julgar-se legtimamente impedido
a respeilo dclle pe chamanicnto para formar o con-
eelho de recurso, allm de que, dada a uccossidade de
reunir-se a cmara municipal para exercer suas at-
tribuicoes, soja nella substituido pelo vereador a que
pcrtcnccr, snm haver a supposta incoherencia e in-
compalihilidado de exislirem dous vereadores ao
mesmo lempo oceupados, e exercendo a presidencia:
segundo, porque nlo he admissivel, iiem isento do
inconveniente o suppor-se que fsse da iulcnco da
. lei, quando designou o presidente da cmara muni-
fcipal para o coneelho de recurso, determinar quefl-
cnssem suspensos os actos o funccOes inunicipaes,
impeilidas as.suas reiiniOes ordinarias, ou extraor-
dinarias, emquanlo funecionar o dilo coneelho, isto
lie, pelo espaco do 15 das cm que Multas vezes podo
liaver urgenlissima necessidade do resolver-so na
cmara municipal algum inuilo importante negocio.
0 que ludo communico a V. Exc, para seu conhe-
cimento o governo.
Dos guardo a V. Kxc Palacio do llio-de-Janeiro,
m 27 de julho de 1848. Jos l'edro Mus de Carva-
Iho. Sr. presidente da provincia do l'iauhy.
Approva a decisa'o duda pelo presidente da provincia
de San-I'aulo duvida proposta pelo juiz de paz da
[reyutsfa de Sania-tranca.
Rio-tlc-Janeiro. Ministerio dos negocios do impe-
rio, cm 10 de agosto de 1848.
Illm. e F.xm. Sr. Sendo presante a Sua Mges-
tade o Imperador, com o oflicio de V. Ex. de 3 do
correntn mez, o que Ihe dirigir o juiz de paz da fro-
guezia de Santa-Branca, perguutando se dever con-
vocar para a formado da mesa no dia7 de setembro
prximo futuro um eleitor da dita freguezia, que se
' Pssou para a da villa de Jacarahy, urna vez que am-
bas as freguezias pcrtencein ao mesmo termo, ac-
crescendo a circumslancia do ter sido o referido
eleitor qualifieado volanlo por aquella freguezia : o
mesmo augusto Senhor houve por bem approvar a
decisflo, que V. Kxc. den, resnondondo ao menciona-
do juiz de paz, que na conformidnde do art. 5." da lei
regulamentar das eleices, explicado pelos avisos de
24 de novembro de 1846, 18 do Janeiro o 1, de fevo-
rciro deste anno, nflo deve ser convocado para a me-
sa aquella eleitor, secsliver mudado de parochia ;
mas que, so porvenlura a sua ausencia for tempora-
ria, nflo poda dcixar de o ser, urna vez que volleao
"sen domicilio antes da formaclto da sobredila mesa,
que communico a V. Exc.,.para seu cbnheciment.
lusi Pedro Dias de Carvalho. Sr. presidente da
\ orovincia d San-J'aulo.
Solee duvidas apresenladas na ex*cuc*o da lei
regulmmentur das eleices.
lio-de-Jahciro. Ministerio dos negocios do impe-
rio aro 11 de agosto de 1848.
Illm. e Kxm'. Sr.l.evci ao conhecimento de Sua
Magestade o Imperador o oflicio, sb n. 42, e data
da 21 de julho prximo lindo, em que V. Kxc. suli-
metto considerado do governo imperial s deci-
ses que deu s seguintes duvidas que Ihe fram
api escoladas sobre a lei regulamentar das oleicOes.
1.a Do juiz municipal presidente do coneelho de
recurso da villa do Cabaceiras, consultando so como
tal pode ser contado no nmero dos eleitores que
teeni de compr >s turmas para a formapiio da mesa
parochial na prxima futura eleigo do 7 de setem-
bro, e assim tambero o eleilor mais volado e o pre-
sidente d.i'camara municipal, mombros igualmente
do referido coneelho
2.a Do presidente da junta de qualilicago da villa
u8 SotlSa, perfumando: i.S, su a liles* jmiouiliai
deve ou no recebar a cdula do pronunciado, ou
sentenciado em crime.que se Iheapresentar.pelo mo-
tivo de ter sido qualiflbado pela respectiva junta, ou
coneelho municipal; o 2.", se o eleitor membro do
coneelho municipal de recurso era competente para
funccionai no mesmo concolho alm do da 3 de
maio ultimo, por se haver elle reunido em poca em
que seus trabalhos deviain passar alm desse din;
ou se devia smenle funecionar al aquella da, e
doli em d ia nte ser substituido pelo eleitor da actual
legislatura segundo a ordem da substituido.
3.a Finalmente, da cmara municipal da cidade
d'Areia, perguntando quem dever ser convocado
para a fonnacao da mesa que ha de funecionar na
eleieao primaria, que all se lem de proceder no
dia 30 do crreme mez de agosto, em cousequencia
da delifceracllo da cmara dos depulados quo annul-
lou aquella rr.llpuin. e o <\" liana nenas : visto que
os eleitores da transada legislatura lindaram suas
funccOes em 3 de maio deste anno, eos novamenle
eleitos fram declarados uullos, inclinando-se a
mencouada cmara ao remedio do art. 6.a da citada
lei.'
K o mesmo Augusto Senhor, da ludo inteirado,
houve por bem declarar : t --
1 Que bem resolveu V. Exc. a 1.* duvida, signi-
ficando que nao ha .na Ici incompalibilidade alguma
para servir as turmas de eleitores para a l'ormacfo
da mesa parochial, na prxima futura eleico de 7
de setembro, o eleilor que sorvio no coneelho do ro-
curso, porque nenhuma relaeflo lem aquello traha-
I lio ja lindo com o da nova eleieio.
2 Quo do mesmo modo bem resolveu V. Exc. a
2.a duvida, respondendo, quanloal.1 parte, que o
pronunciado em crime que admitte fianca, e urna vez
que esteja aliancado, pode votar na elcigilo prima-
ria, em vista dosails. 17 e 53 da iei reguiamenlai
das eleices, que alleraram o 94 da de 3 de dozembro
de 1841, e na conformidude do aviso de 31 do do-
zembro de 1846, ultima parle; nao aconlecendo, po-
rm,o mesmo a respeilo do sentenciado conde ornado
priso, ou degredo, porque ueste caso (icam sus-
pensos os direilos politicos segundo o art. 8. 2. da
constiluieflo, e nflo podo por isso ser volanto em-
quanlo durarem os effeilos da senteno, art. 17 da
citada le de 19 de agosto do 1846; o quanto 2.a par-
le, que, na forma do que j foi resolvido pelo aviso
de 5 de Janeiro do coi rente auno, no poda o eleilor
da passada legislatura funecionar alm do dia 3 de
maio do mesmo anuo.
3.* Finalmente, que com igual acei lo decidi V.
Exc. a 3.a duvida, declarando que nenhuma oulra
disposicilo, que. nao seja a consignada no art. 6/ da
referida lei, podo ter applicacflo ao caso iigurado
naquella duvida ; porquanto, su he menos regular
a convocado para a loimacao da mesa parochial dos
eleitores da passada legislatura, por lerem os seus
poderes cessado no dia 3 de maio deste anno, nflo
menos irregular seria o cha mu.nenio dos novos elei-
tores, por lerom sido declarados nuiles pelo poder
competente; devendo, pois, para aquclle acto ser
convocados os oilo supplenles do juiz de paz na for-
ma determinada pelo dilo art. 6.", visto quenena
lei regulamentar das eleices, uem nos avisos que a
leem explicado, se encoulra oulra disposicilo que
possa servir para o caso de que se trata o que ludo
communico a V. Exc, para seu couhecimeulo.
Dos guardo a V. Eic. Josi l'edro DiasdeCarva-
Mo.Sr. presidente da provincia da Parahyba.
teio daquelle 1.* eleitor supptentecom o seu imme-
diato para fazer parte da ditajunla, nBo importa va
nullidade dos actos por ella pratieados, em vista do
argumento que se deduz do aviso do l.de fevereiro
de 18*7, o qual decidi, emhora nflo fosse em hypo-
these idntica, que o eleitor excluido pela sorte de
fazer parte da turma, fosse membro do coneelho
municipal de recurso independentomente de novo
soFleio. O que communico a V. Exc, para seu co-
nhecimento.
Dos guardo a V. ExcJos Pelro Dias d'. Carva-
lho.-Sr presidente da provincia do Itio-de-Janciro.
1)141)10 HE PERNtiBUCO-
Mom, ia bii
O DI JSA8
Approva a deeiso que deu o presidente da provincia do
Hio-de-Jantiro a duvida proposta pelo presidente da
junta de quali/icacio da villa de S. Joo da Barra.
Rio-de-Janeiro. Ministerio dos negocios do im-
perio em 12 de agosto de 1848-
Illm. eExm. Sr.Foi presente a Sua Magestado o
Imperador o oflicio de V. Exc, n. 18, de 9docot-
reute mez, que acompanha o que Ihe dirigir o pre-
sidente da junta de qualilicaefio da villa de S -Joflo-
ila-Barra, expondo a scguinle duvida que Ihe occor-
re na execueflo da Ici regulamentar das eleices :
Se .. referida junta, chamando paca fazer parte
del la, independenlemente de novo sorleio, o I.*
eleilor supplento da segunda turnia, o qual j linha
sido sorteado com o seu inmediato, que conlava
igual numero de votos, por occatiSo de proceder-se
forinacSo da mesa parochial que funecionou na
primeira dominga de novembro do anno passado,
proceder irregularmente. e se.eram ouHo*.os actos
por ella pratieados assim organisada.
E o mesmo Augusto Senhor houve por bem decla-
rar que V. Exc decidi com acert, respondendo ao
referido presidente da junta que a falta de novo sor-
GOVERNO DA l'HOVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 5 DE JI.IIO.
Olelo. Ao cominandanle das anuas, recommen-
ilaulu .irxpcdito de suas orden para que o coinman-
dante do 4* batalho de artilluria p, rom a inaior
economa pnssivel. mande proceder no quartei do Fun-
dao aos couerrtos e arraujos absolutamente indijpen-
saveis a esse edificio, para que ke elle conslitiia cm esta-
do de corresponder ao fim que se acba destinado ; e
para que elle requisita da pagadura militar as quantias
neceisarias para seuielhanles coucerlos c arranjos.
Comimiuicou-se ao coronel commissario-pagador.
Dilo. Ao mesmo, pennlttindo que o alferos do 6.
balathao de cacailures, Joaquini Jos dos Santos Araujo,
v.i gozar na comarca de Garanhuns os Ires mezes de li-
cenca que obleve para tratar de sua sade, c declarando
haver expedido as convenieiitci ordens para que, cm-
quanto durar a mesina iicen(a, sejarn pagos ao referido
batalho 10/000 ris mensaes por conla dos vencimen-
tos que elle tem direilo, para indeinnisaco do que de-
ve calxa do corpo. Partieipou-se ao coronel couiinis-
sario-pagador.
Dilo. Ao chefe de policia interino, remetiendo mu
cilicio de Jos Manoel unes de Magalhes, fiui de que
tome conhecimento do facto que elle narra, e provi-
dencie a respeilo como lu de liirciiu.
Dito. Ao inspector da tbesouraria das rcudas pro-
vlaciaes, mandando pagar ao b.icharel Antonio d'As-
smpcao Cabral. utorisado pelo delegado do Limoeiro,
a quatla de 48/360 ris, despendidos com o forneci-
inento dos presos pobres da cadeia daquelle termo, do
I." ao ultimo de maio prximo Ando. Parlicipou-se
' 'le milicia.
Dilo. Ao coronel commlssano-pagaaor, oruenauuo
ciue, de conformldade com a oplniao do procurador da
cora, soberana e de fazenda nacional, e do coinman-
dante das armas, abone os venciinentos de etapa e casas
aocapilaodo 8." batalho de catadores, addido ao6." da
mesma arma, Francisco Antonio da Fonteca Galvao.
Coinmunicou-sc no cominandante das armas.
Dito. Ao director do lyco, dizendo que, cm atten-
cao ao que ihe representou o professor da cadeira de
prltueirai leilras da freguezia de San-Frei-Pedro-Gon-
calves, c leudo em vista a informacao de S. Ho. bem
como a do inspector da thaaourarla das rendas provin-
cia., Ibe ha concedido jbsciio com o ordenado por
iuleiro. Parlicipou-sc ao inspector da tbesouraria
das rendas provinciaes.
Portarla. Mandando passar patente de inaior com-
mandanle do esquadro de cavallaria da guarda nacio-
nal de Nasareth ao capilao reformado do mesmo esqua-
dro, Francisco de orja Vieira de Mello. Scienlincou-
se o iioineado, e o tenente-coronel chefe interiuo da
legiao da guarda nacional de Nazareth.
Dita. Ordenando que o commandante geral interi-
no do corpo de polica faca marchar para a comarca o
Po-d'Alho, disposico do respectivo delegado, um
destacamento de vinte e cinco pracas, coinmandado por
um ofTicial. Parlicipou-se ao chefe de polica.
DEM DO DA 6.
Oflicio. Ao commandante das armas, ordenando
que mande recolher a esla capital o destacamento do 7."
batalho de cacadores, que existe em una, e o do i de
arlilhai ia p que se acba no Rlo-Formoso.
Dito. Ao chefe da segunda legiao da guarda naeio-
nal do Cabo, mandando destacar, sold, no 2. bisnie-
to daquella comarca, disposico do respectivo delega-
do, 10 guardas uacionaes, I sargento el cabo. Partici-
riou-se ao coronel commissario-pagador.
Portarla. Nomeando archivista da secretaria da pre-
sidencia ao ofricial da mesma, Jos Ignacio boares de
Macado.
Dita. Mandando passar paientc de inajor do l. ba-
lalhao da segunda legiao da guarda nacional deOliuda
e Iguarass ao cidadao Manoel Joaquim Percira Lobo.
Seientiflcou-se o commandante superior.
DEM DO DIA 7.
Oflicio. Ao inspector da tbesouraria de fazenda, di-
zendo que pode mandar satisfazer o pedido para as dcs-
pezas militares no correte mez, visto Informar que es-
t couforme.
Dilo. Ao director Interino do arsenal de guerra, di-
zendo que, vista do que S. Me. relata acerca do fiel
do almoxarife daquelle arsenal, Joaquim Isidoro Simdes,
esta presidencia o tem suspendido por oitodias, e orde-
na-lhe nao soque o admoeste ante todos os empregidos
desia reparlicao, pela falta que commetteu, senao tam-
bem dcelarc-lhe nessa occasio qoe, se rescindir em se-
inelhante procedimeuto, a presideucia o far punir lao
rigorosamente quanto fr.convenente.
Dilo. Ao chefe de policia interino, mandando que
da quota destinada para as despezas secretas, despenda
com a pessoa encarregoda da escripluracao da delega-
da dsste termo, a quantia de 25/1100 ris mensaes.
Dito. Ao inspector da tbesouraria das rendas pro-
vinciaes, ordenando que pague a pessa autorisada pe-
lo delegado de Iguarass a quantia de 116/600 ris, des-
pendida, do I." de agosto de 1847 a 14 de marco do cor-
rente anno, com o sustento dos presos pobres daquelle
termo, e com agoa e luz nara os raesmos. Partldpoa-
se ao chefe de polica.
Dito. Ao mesmo, mandando pagar ao carcereiro da
cadera dd Cabo, ailotfsado "pelo delegado do mesmo
termo, a quantia de 23#320 ris, despendida, do 1. de
marco ao ilm de luuho ultimo, com o sustento dos pre- I
sos pobres da mesma cadeia. Coinmuoicou-se ao'
chefe de polica.
Vamos continuar boje com as noticias la Europa que
entilemos nos jornaes que ltimamente recebemos.
Ao que ante-hontem dlssemos acerca da Franca, cum-
prr-noi accrescenlar anda o seguinte :
O governo francez havia concordado com o da llelpi
ca na abertura de um canal entre o Sena e o Rheno.
Asieguram que no dia 8 de agosto fura despachado
para Constantinoplaum crrelo com ordens ao general
Auplek, embaixador francez naquella corte, para pedir"
seus passaportes no caso de que dentro em 24 horas a
repblica franceza nao fsse reconhecida pela Porta Jl-
toinana.
Mr. Luciano Mural, Albo do primeiro rei de aples,
linha sido encarregado de urna inlssao do governo fran-
cez para o santo padre.
A 5 de agoito nrevalecla em LySs grsnd Htini.
to. Cartas daquella cidade notlciam que as tropas ha-
viam manifestado symptomas de fraternizar com a popu-
laba, a nual insistir em que as autoridades fechassein
tres cafes, que, segundo elles diziam, eram frequenta-
dos por aristcratas.
liorna acha-se j socegada.
O ministro Mamianl declariu, na cmara dos deputa-
dos, que a crise ministerial havia cessado, que o minis-
terio a -sume a mais Ilimitada responsabtlidade, e que
alguinas modificafdrs se fariain no gabinete, logo que
isso fsse possivel. Elle leu um papel escripto pela pro-
pria mao do papa, o qual contioha as seguintes declara-
ees que fram recebldas com vehemente applauso :
1.a O pontfice d plenos poderes ao ministro para de-
fender o estado por todos os meio* possivels.
2.a Rile ordena que o ministro conclu (inmediata-
mente e publique a lita com os principes italianos.
3.a 'He d plenos poderes ao ministro para por aa tro-
pas pontiAciaes debalxo da dependencia do rei Carlos
Alberto, a fin de qne os negocios concernentes guer-
r." po?si*.! ser re'MM.dos de conformldade Cu s erdens
deste principe.
aples Acara tranquillo, o rei anda nioapparecla em
publico, elle conservase ein seu palacio donde, dixem,
nao havia sabido, nein urna s ver depois do dia l de
malo.
Trabalhava se com o inaior vigor na preparacio do
armamento para a invasao d% Sicilia : 20 vapores acha-
yam-se j na Haba, asseaurain que para receberem a
borao oo.ovu uomeiis uc flu,*, %,* ....... --
29 de julho a armada iogleza, commandada pelo almi-
rante sin William Parker, e contendo tres not de tres
bateras, qnatro ditas de duas, urna fragata e doua va-
pores, chegra de Palermo. e os cercara tod" Inten-
edes do almirante nao eram conhecidas, mas cria-se fir-
memente que por amor dos interesses inercanlls a in-
lerven(Ho da Inglaterra seria inmediata e decisiva.
Com elU-ito a gaicta La Liberta Italiana de aples no-
ticia a reanla^o da expcdi(ao contra a Sicilia, e dia
t|ue era gerahnente attribuida interven(o de > algu-
ma potencia cstrangeira.
A Sicilia Acara em paz; porm a rrpentina, partida
da armada britanniea para aples havia causado em la-
d i a popularan as mais vivas sensaces e descooliancas.
O ministro dos negocios estrangeiros oommunlcra a
cmaras um despacho do ministro dos negocios estran-
geiros da repblica francesa, o qual declarara que
Franca, se ni pre desejosa de manter relacOes cordiaca com
o novo reino da Sicilia, linha uomeadoa Mr. de Hene-
ditti eu representante em Palermo com o carcter de
cnsul geral.
O parlamento votara para o novo rei urna lista civil de
240,000 ducados por anno alm da posse dos dous pala-
cios rcaes cm Palermo e Messlna, e das duas quintas In-
tituladas a Favorita e a Ficussa na primeira das duas ci-
dades. l'nia somma de 300,000 ducados foi lambem vo-
tada para a inobilia, etc dos dous palacios cima
mencionados.
Quanto ao thcatro da guerra sabemos que ua noite de
2 do passado o exercito piemontez abandonara a linha
de Ada, e marchara todo de Lodi para Milao. Carlos Al-
berto ciilrlncheirra-se diante desta cidade determinado
a esperar pelos Austracos ; elle linha, anda coinsigo 60
mil hotnens, mas sua infamara, diz o correspondente
do Tima, acha-se mui desmoralisada
Os ministros de Inglaterra e Franca em Turim, d*
confbrmidade com as ordens que receberam da seut go-
verno*, liveram em Lodi um entrevista de duas horas
comCarlos Alberto, depois da qual parlirain ambos pa-
ra Cremona com a inieuco de verein o inarechal Ra-
delzky. tiles propozeram a este general um armisticio
de seis dias, porm elle decididamente rejeitou a propos-
ta, dlseudo que esUva determinado a entrar em Milao, e o
faria, cuslassc o que custasse. Parece que o reino mare-
chal est desejoso de restaurar o a statu quo ante bel-
fum e de oceupar toda a Lombardia al o P e o Tea-
siin antes que possam chegar tropas francezas em soc-
corro dos Italianos.
Comeffeito no dia 5 do pasado mez o genenal aus-
traco frente de 50.000 homens atacou os Plemanlexea
intrincheirados diante de Millo, a battlba foi sanguino-
lenta, oa Austracos Acaram vencedores, e Cario* Alber-
to enlrra na cidade, onde traiava de forlifioar-ae ; no
dia 8, porm, corria ein Pars que Milao havia capltit-
O general austraco teve a honra de receber de seu so-
berano, o imperador d'Ausiria, a seguinte carta :
a Meu charo conde Raderzky. As esplendidas victo-
rias de Soinma-Cainpagna e Custoza encheram-rae de
adiuiraco e de prazer. Eu nao posso dar ao raante
exercito da Italia urna inaior prbva do quanto aprecia a
sua bravura do que conferlndo ao eu glorioso general
a gra-crui de uiinha ordem militar de Mara Therexe,
cuja insignia vos remello pelo meu tenente-coronel, o
conde de Crenoeville. Permuta Dos que esta decora-
cao marcial adorne por longos anuos o vosso valeroso
peito, e que o voaso procedimeuto teja um esemplo tta-
i adouro liara o exerciln austraco.
lusnruck, 28dejulbodel848.
a Fmnsmd: -
A Austria Acara em paz, o imperador ainda te achara
em lospruck.
As noticias das victorias do marechal Raaetakj. cm fea.
de sereurseguidas em Vieuna por urna alta nos fundo*
pblicos, produiiram nelles urna baixa de 1/2 por ccat-
cra-se naqueHa cidade, que, estando RadeUky e todn
I seu exercito inleiramente indispostot a accommodarern-
se com a nova ordem de cousat existentes no pais, a toa.
,i
-*
<

.AR ENCONTRADO
l



.
-^

-' \
Tflle victoriosa farl pender a hilanza em favor do pr-
ii.1.1 ii jnlon.itio, poilrrii tornar inrvllavria novas la-
las para a manulrncao di cansa ronttltiirlimal.
A aiicuihlca r.>ustiluiiitc resolver ruviar jo impera-
dor a si'uuinlr niriisaunii :
. Si'iilior. \ dira que Y. MagMtade < (invocara pira
n flm dp organisar una conitituicao para o nosso paii,
lia sido pelo Ministerio inopn.id miriilr informada dr
(jiir Y. M alojulga MM aria a na prssoal preariica
ein Vicnna, neni ;i de mu represen! inte, riuquauto a
inesma dira nao liouvrr concluido os seus trabaihns, r
iiur V. M. mais que ludo drsrja ter a convlcfo drqur
a accao da aisemulra legislativa he isrnta de lodo o
conslraniimrn(o, pois lir de opinio que deve ao scu
pnvo rata prova de paternal providencia e amor.
Seiiliiuenlos laes pin un monarcha conslilucional.
e mi um momento en qur todos os povos austracos
olham anciosainriitr para esta asscmbla, nao pdem
deiiar de encher 01 rrprcsentantrs d'AusIria das inals
serias appreheusfces pelo bem, e menas pela existencia
dcstes Imperial s estados. A dieta considera como o mais
sagrado de srus deveres assegurar a V. M. da fruic con-
vicio cin que est de que a sagrada pessoa do sobera-
no nao pode por mais lempo estar apartada do centro de
,;i ivnl.1 11- da monarcliia constitucional, do assento da
.i -.-1111. i i e da Trente dos pblicos negocios. Quaes-
quer que sejam as rases que V. M. leve para ausentar-
se desla cidade, he chegado agora o lempo ein que to-
dos os iuteresses do Imperto c da cora eslao amalgama-
dos na grande necessidade do regresso de V. M. ao lu-
gar ein (pie os representantes do povo unido, os quaes
V. M. iiipsnto convocara, ti! or>anisando -o novo esta-
do constitucional austraco, ;io"lugar ciu que os ni-
cos ronceIhciros legacs de V. M., os ministros respon-
saveis, cooperam para a elevacao desta fabrica. A har-
mona desta cooppracaodeve ser para V. M. uina sulli
tiente garanta para a librrdadr della.
A dieta protesta uuanincinente perante a Austria,
prrantr a Germnica c prrante toda a Kuropa, que lie
com plena conscicncia de liberdade que ella se oceupa
da ronstituifo do paiz.
Os homens da Austria, para aqu mandados pela
conftanca de um povo livre, julgar-se-hiam traidores a
este povo se perinanecessem ein um lugar ciu que nao
etUlveitem certos da mais plena liberdade de discurso c
de aeco ; e o facto inesnio da resoluco que originan
esta mriisagem, o facto inesnio ile o< deputados de todas
i parU s Jo paia a liuvL-iin agora enviado, he a :a:s
secura prova. a mais indispulavel garanta de estar a
livre accao da assembla legislativa segurada em lodos
os respeitos. A dieta tem que agradecer isto a inodera-
i So admiravel, ordem, c lealdade dos habitantes do Yi-
iina. e :i dPVOtaclo da guarda nacional. Debata des
tas garantas, os povos da Austria por nos, seus repre-
sentantes no parlamento reunido ein Vienna, pedem a
V. M. aquella prova de paternal providencia e amor
que Ihes foi por V. M. nll'rrecida, riles pedem o re-
gresso inmediato de V. M. a sua fiel capital. El lea e-pc
rain o cumpriinrnto final de proincssas qur ein varias
occasioes Ihes fram repetidamente fritas. So pela pe*-
soal apparicao de V. M. no assento da dieta, e no mrio
de sen responsavrl ministerio podrra V. M. obviar os
prrigus da drsconlianja, m direccao e anaichii que
podrria ameacar a cora e dynaslia de V. M. S este pat-
io podrr dar-nos as heneaos que o coracao.paternal de
V. M. desrjava conferir a eeni povos. Nos juramos .1 V.
M. na dar nuvidos a perlinos conselheiros, mas smen-
telos volos c as necessidade dos fiis povos de V. M.
A dieta hngara resolveu enviar a Innspruck tuna
grande deputagflo, iflm de pedir a residencia mme-
diata do rei (0 imperador da Austnai un l'csth; os
deputados receberam insti uceos para ccresceutar
que, se o rei recusar condescender rom i'stc pedido,
os Hngaros cmanlo o areneduque Francisco Jos
idilio de archeduquo Francisco Curios), o qual pora o
futuro ilever residir cm I'eslh. a cpragiio do ar-
cheduque Francisco Josdcvcr ser a inesma quoa do
actual rei, o qual foi corado re i de Hungra antes
nilo arreciar os direitos de iphorania do anli,
iiiciuB o exercicio desla soberana sera resnelo a
sua actual presenga ein Hungra.
Os oulciacs da guarda nohre hngara protestaram
contra a homeuagcm rendida ao Han Jollacdich pelo
corpo de ofllciaes allemScs, italianos e esclavonios.
0 ministerio hu aclualmcnie concedido aosdeputa-
dos do reino de Croacia o tomaren! parle nos liada-
1 los da dieta. Esta assembla adoptar medidas
ileliniiivas a respeito dos Croalas. Esses unas vezes
mostrani hostilTdade para com os Hngaros, outras
reclaman) odireito de lerem assento na nieta para
augmentar:! poreo eselavonia da assembla.
As cnnferenciHS entre o ministerio c o/'nnjella-
clucli nao produ/iram nenliun resultado satisfacto-
rio ; a qucstu illiriea, pois, devia ser decidida pela
espida.
Km Peslh e as provincias do baixo I anubio j.i lia-
via sido proclamada a Ici marcial.
A Turqua gozava socego ; a entrada das tropas
russianns as provincias (rnusdeuubiauas de Walla-
chia c Moldavia nSo se vcnlicara, por issoque con-
tra ella protestaran) nlo s a Porta, como lamben)
os cnsules de Inglaterra, Franca, Austria e Prussia.
O su Hilo reronlicceu a nova constituiguo deslas pro-
vincias, porm modi(icou-a ein alguna pontos, eli-
niitii.i o numero dos guardas nacionaes. Kilo est
determinado a resistir a toda a usurpaciio sobros
seus direitos, o exige que os anligns tratados.con-
cluidos entre a Turqua e a Wallacliia sejam respei-
tados.
0 cholera-morhus fazia estragos em Jassy: 10,0t>0
pessoas huviam j suecumbido aos terrrvois ataques
desla iMiliTili i la :r.
A Grecia flera tranquilla ; todava o estado Hiten-
ceno do paiz era deplorabilissimo, e anda mal, nilo
liavia esperangas de que melborasse.
' 'i........ii
te titulo, pira poder exercer o lugar para
pie foi Horneado.
Dada c p rasada nesta secretaria de polica
le i'eniamlitieo, aos i !\ tliasdi) M dese-
tcmhrodi* i8'|8. Ku Aprigio Josc da Silva,
i." atiiaiuieu.se da .secretaria de polica, o
eacrevi.
titanio Henrique de Miranda.
OvlMrSCiO.
ALl'ANDEGA.
UENniWKVro DO DA 19..........3.694/789
Oetearregim o/e, "20,J# sttembro.
(alera,/riVA- bacalho.
l'atacrm-MaraJoai/'jina vinho.
Galera Btnila mercadorias.
Itriguc Noiia-Senhora-ilo-Carmo pedra inarinore.
Harca Jiune-Ntlly mercadorias.
lliate h'hr-ilo-Itecife fumo em folha.
CONSULADO (iKBAL.
RF.IVUIMENTO DO DA 19.
Secretaria da impecefio do arsenal de marinha de
i'i'i n.iinliui'ii. 10 de sotrmbro de 1Ht8.
iltxandn Rodrigua dos Anot.
Secretario.
Oeral......,
Diversas provincial
1.000/910
25/140
l:034/SD6
CONSULADO PROVINCIAL.
RESniHF.STO DO nu 19..........!:!97/?8
MovimcntO do Porto
Vano enlrarfo nn rita 19.
Jcrsry-llarbour (Terra-Nova ) 39 dias, galera ingle/a
Irtli dr 285 lonrladas, capitn Richard l'ertran, equl-
gem 15, carga 2,00 barricas com bacalho ; a Me.
Calmont 8i Conipanhia.
Navios taltido! no mesmo da.
llli.i de Fernando ; brgue-escuna de guerra brasileiro
Aiidorinh'i, ciininiaiidante I.ourenco da Silva Araujo
Amazonas. Condui um preso dejastifa c um senten-
ciado.
Una ; lliate brasileiro Hovo-Destino, capito Kstevao Hi-
beiro, carga gneros do paiz. l'assageiros, Joaquim de
Alineida e Silva, Jos Alvrs l'crcira, llrasilrirns.
I'h iln.M, lliate brasileiro Conceicao-l'lor-dai-Virttiries,
capitn tilias do lto/.ario, carga varios gneros.
50JMTAI,.
A cmara municipal da cidade de Olinda t seu termo
em vii lude da lei, etc.
Faz saber que sordo arrematados,nos dias 22, 25 e
28 do crranle mez, os contratos seguinlcs: o repe-
so uos ai;ougues, uo mscales e nuceleiras, a afcri-
efio dos pesse medidas, s casinlias da ribeira, ar-
mazem grande epoqueno no Varadouro. ex-subsi-
diodos porcos: os licuantes comparecam habilitado
c munidos dos competentes fiadores. E para que
clicgue ao conherimenlo de todos, mandamos publi-
car o presento pela O)prensa.
Cidade de Olinda, 14 de set.'inbro de 1848.
Jos Joaquim de Almcida Cuedef,
Presidente.
Joda, Paulo Ferreira,
Secretario.
" !
lcela racs.
i*Hhlica;o ;i pedido*
O Dr. sfn/onio Ilenrique de Miranda,
juiz de direito chefe de polica nesta
cidade do Hecife de Pernambitco, por
S. M. I. eC.o Senhor U. Pedro /V, que
Dos guarde, ele
Faco t>aber que, tendo-me requerido
preto liberto Anioniod' Oliveira a confir-
macio da nomeacao que tivera para rei de
Congo dos p re tos desta cid safe, e havendo
provido com o lerino da dita nomeacao
ser verdade o expendido em sua pelirao ;
depois de haver oLlido as informacoes ne-
cessurias a if.spcito de sua conducta, he
por heiu coofrmar a indicada nomeacao,
segundo o autigo costonic desla cidade, li
cando o referido rei de Congo obrigado a
inspeccionar e manter a ordem e subordi-
iiacao entre o prctos que Ihe forem subje-
tos, pelo que llir mnndei passar o pesen-
os Srs. proprietarios de Apipucos queiram decla-
rar no cscriplorip da companhia de Beberibe a quan-
lidade enumeras das accOes que possuirem alim
de serom individualmente contemplados na folha do
dividendo. Igual aviso se faz aos cessionarios, cujas
nilo tenham sido averbadas nos livros da compa-
nhia devendo estes apresentar os ttulos que Uve-
rom. ..
O secretario da rmpanme,
//. J. Fernandei Barro.
Para Lisboa o mais breve possivel o veleiro pt.
tacho portuguez LiUrdaii, de que he capitao Isidro
A y res do Souza ; quem ncllo quizer carnear ou ir
d passagem, para o que leen aseados o bons com-
modos, dirija-so ao mesmo capitn ou a Francisco
Sevetianno bello & Filho.
I.cilao.
Por ordem do respectivo juizo, se princlpiaro a
vonder em Irilflo pnldlcn as fszendas da loja do
fallido Antonio Jos Aniones Cu i maraes: quinta-
feira 21 do correnlo s 10 horas da inanhlta etno
armazcm do corretnr Oliveira ra da Cadeia do Ite-
cife. Adverte-s que conlinuarflo os l'eilOes nos dias
queseannunciarem at se concluir a venda total
das referidas fazondas.
Avisos diversos.
Principiar s 8 e mcia horas da noile.
THEATRO NACIONAL DA UUA DA l'RAIA.
Diverttmonto offerecido a todos os" .hitante
desla cidade.
Foje, 20 de selembro, a beneficio de Malinas An-
tonio Cezar, ropresentar-se-ha o drama portuguez
em 4 actos intitulado o
CIGANO.
Os intervallos do drama serilo precnchidoscom ri-
s simpbonias.
Canlar-se-ha a barmoniosa cavatina da opera
HBUNANI.
Fechar o divortimento a representaclo da .gra-
ciosa farca que tem por titulo o
ESTAItrAFl'KDIO LOGRADO.
O beneficiado declara ao publico que supprimio do
divertimento a aria Catta Diva ; porque oSr. direc-
tor do tbcalro de San-Francisco ha recorrido a tneios
clandestinos para l'azer com que se no preste a can-
ta-la a senhora que eslava ens-.iada para isso, a qual
nflo he cscripturada, como lodos sabem, mas depen-
de do dilo director
O theatriuho estar mais bem Iluminado. Em y ir-
tuda do beneficiado acbar-seadoentado, deixa de ir
pessoa luiente convidar os seus protectores e ami-
gos ; por isso declara que os bilheles de camarotes
e platea cslarlo a venda na loja de livros do Sr. Dou-
rado no palco do Collegio.
O beneficiado avisa ao publico que nSo precisa le-
var cadeiras para os camarotes pois haver assen-
to cm todos.
O beneficiado marcou odia qu.nta-feira para dar
sua reprcsentacuo, porque conla com a prolec^ao
do brioso corpo acadmico. Ello est cerlo,que os
Oliiidenses cntregam-se com dcdicac.no aoarduo es-
tado da juiisprudencia ; porm urna noito roubada
a seus trabaiboa nilo os distrahlrSo do sua tarefa dif-
lcll quanto brilhanto. O thealro lie, no scculp c-
lual, um poileroso vehculo da civilisacflo c da mo-
ral ; e he por isso que o benefiado espera a concur-
rencia dosSenhores acadmicos.
Piiblicaco Littcraria.
-- o araena
azul, hollanda
PARA 08 l'ORTOS DO SUL.
O paquete brasileiro a vapor l'araent'., romman-
danloM.F. da Costa l'ercira deve tslar aqui dos
porlos do nortate 21 do corrento, e partir no da
seguinte.
O arsenal de guerra compra cadeiras, travissei-
in, e briin liso : quem ditos gneros quizer fornecer
comparecer na sala da directora com sua proposta
e amostras, no da 22 do curenle mez.
Arsenal do guerra, 18 de selembro de 1848.
Joo llitardo da Silva,
Amanuense.
de guerra compra brmliso, panno
de forro, fita de lila pela, folnas do
papeleo, mantas de nlgudo, pares de snalos, ees-
teiras de Angola ou de palha de carnauba : quem di-
tos gneros quizer fornecer mandar sua proposla
e as amostras a directora do mesmo arsenal, at o
da 22 do correnlo mez, em que os concurrentes hilo
de comparecer,-aflu de se realisar a dita compra.
Arsenal de guerra, 18 de selembro de 1848.
i Joo Ricardo da Silva,
Amanuense.
Os Srs. marcnenos que quizerem ncumhir-se
de eiivernzarein as coronhas e canos do lodo arma-
mento dn sexto halalhflo de caradores de linha.com-
parecam na secretaria uo mesmo batallulo nodia2l
do correle pelas 10 horas do dia.
Antonio Generlo da Silva,
Alferes ajudante.
licOes acerca da soberana do povo,
e dos principios do governo republicano moderno,
pronunciadas recontemeulo em Paris perante um
numeroso auditorio pelo sabio publicista M. Orto-
lan professor na facuMade de direilo : tradiizidas
Correcta e (rmenle do texlo da gazeta dos tribunaes
francesa com um prefacio do traductor A. I', de
Figueiieilo.
A trailitcQflo dcstas importantes lines que fram
enlliusitislicament applauditlas vende-se na Ijvra
lia da esquina do Collegio s cadoruelas de 16 pa-
ginas que vilo sahindo do prelo de 4. em 4 dias e
darfo um elegante volume do 140 a 150 paginas
sendo a imprussilo exeeulada com typos novos c em
bom papel. A primeira caderneta conlendo una li
ciloesta venda o cusa cada una 240 rs.
r*-**,!-**'-**.-
Aviaos mariliiuos.
COIIREIO.
A pessoa quo botou na caixa da adminisIraQio do
correio as cartas seguintes: para Fulgencio do Cas-
tro no Para, o Querido Mano do Coracfio no Cear,
queira comparecer mesma admiiiistrar;3o, afim de
satisfazero porlo que seacha inoxaclo, da i>rmeira,
e du segunda declarar o uome a quem lie dirigida.
-- li lllm. Sr. nspector do arsenal de marinha,
manda l'azer publico que andar em hasta publica,
por venda, na porta doalmoxarMado do mesmo r-
seoalnal, nos dias 23, 25 e 26 do correnlo mez, das
10 s f I horas da mandila, sendo a venda cffeiluada
no ultimo dia, o casco da anliga barca de oscavaco,
to estado em quo prcsontenienle so acha, o qu*l po-
der ser examinado pelos prclendenles uo I
volla do Fortc-do-Mutlos, onde existe.
Para o Aracaty segu viagem com hrevidade a
sumaca Caro/n,por ter parte da carga prompta: para
o restante e passageirns, trata-secom l.uiz Jos do
S Araujo, na ra da Cruz, n. 26.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem, commui-
ta hrevidade a escuna nacional Cariota por ter
parle de sua carga engajada : para o restante es-
cravos e passageros trata-se com Luiz JOsedeS
Araujo na ra da Cruz, n. 26 ou com o capililo ,
Do ningos Antonio do Azevedo, a bordo.
- Para o Rio-Grande-do-Sul segu viagem no
dia 20 do crrenle, o briguo Dios-te-Guarde : recebe
nicamente escravos a frete, para;o que trata-se com
Ilalthar Oliveira na ra da Cadeia Velha arma*
zeln n. 12.
--Para o Rio-deJ-aneiro sabe imprcterivelmentc.no
dia 24 do crtenle, a escuna Curiosa: para o restan-
te da carga, passageirns o escravos a frete, trata-se
com l.uiz Jos deS Araujo, na ra da Cruz, n. 26,
nu com o capito.
-- Para o Rio-dc-Janciro segu, cm poucos dias, o
beigue Auombro, forrado de cobre e de primeira mar-
aba, por ter pari de seu carregamento quasi promp-
ta : quem quizer carregar, ou ir de passagem, para
o que tem excedientes commoilos, dirja-se a ra da
Cudria do Recife, botica II. 61, a fallar com JoSo Jos
Fernandos nlagalhcs.
Vendem-so as garoperas Santo-Amaro o San-
Jodo-ll'jptisla, uma de 33 toneladas o outra de 62,
ambas novas, bem construidas e do boas madeiras :
quem as pretender.pode oxamna-las e tratar com
os mestres das mesmas a bordo, ou com Novaos &
Companhia, ra do Trapiche, n. 34.
Para a Parahiba sabe, impreterivelmcute no
dia 20 do correlo, o biule S.-CrU -. quem quizer
carregar ou ir du passagem, dirija-so a ra do
Amorim, n. 36.
Para a liabia segu, em poucos dias, a garopeira
.Santo-A maro : quem n mesma quizer carregar, di-
rija-se a Novnes& C, ra do Trapiche, n. 34.
~ Para o Porto-de-Pedra e Haco-de-Camaragibo
sabe com mula hrevidade o hiato Santo-Anin i o-Hor-
do-liecift, por ter parto da carga prompta: para o
restante, traja-se cum o meslre.Hypolito Jos da Sil-
va, a bordo, ou com Leopoldo da Silva Queiroz, na
ra da Moeda, n. 21.
nesta provincia fica Iranferdo para a ra
do Trapicbe, n. to, segundo andar. A
chancellara estar aberta todos os dias,
quando nSo icrcnt crtucs, dcSuC rs <. !iu-
ros da manliaa al as 2 da tarde.
Na ra Formosa, esquina da da UniSo, preciss;
se de uma criada de bons cosamos para o servico
interno do casa de uma senhora donzella.-
Em Olinda. na ra da Boa-Hora, na casa qua
tem o muro novo, tr%ta-se muito bem de cavalloi
pelo commodo pree,o de 12^ rs. mensaes.
Aluga-se o segundo andar do sobrado .da ra do
Rangel,n. 59,com duas grandes salas, tendo uma vis-
ta para o mar, e oilo quartos, alm deenzinha .- ni
piuca da Independencia, livratia ns. 6 e8.
Precisa-se do um Portuguez para feilor de enge-
nho: no Alrrn-d-Hoa-Vist, n. 6, lerceiro andar.
FACTO HORROROSO.
Fugio, em dias do mez de agosto prximo passado,
doengenho Antas da freguezia do Serinhflem, por
icf SSSaSSinauo a StJ se'niiof, O CSCrsVO prc.O criOi
nome Sebastitio, de idade de 25 anuos, poucj
mais ou menos, secco, altura regular, pernas firrsl
um tanlo arqueadas, nariz chato; tem em urnad*'
sobrancelhas uma sicatriz proveniente de um cou-
de cavallo: por isso roga-se a qualquer auto-
ridade policial, cap I.les de campo, o apprehendam
ondequr que fOr encontrado, o conduzam-o a ca-
deia desta cidade, para ser punido com todo o rigor
do nossas leis, para quo semelhante crime nflo fique
impune.
Aluga-se una grande casa terrea na ra Impo-
rial, com duas salas, sete quartos, cozinha fra,
quintal murado o cacimba arralar na rna de San
Congalo, sobrado n. 29, das onze horas em dame.
~ O annuncio das iniciaos J. C L. n1o se entende
com o Sr. Joilo Carlos Lumache.
O abaixo assgnado,tendo lulo-no Diario do bon-
tem um annuncio com ns iniciaes J. C. L.,.pedeao
autor do dilo annuncio que declare se se refere a el-
le, pois uo quer quo so fa?a qualquer juizodesfa-
voravel a seu respeito.
Jaime Carlos Leal.
-- Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 50,
sito na ra da Cadeia do Recife : a tratar no mesmo
sobrado, segundo andar.
-- No dia 18 do corrente.as 6 horas da manhaa.fur-
laram da sala do sobrado da ra do Rnngel, n. 48, os
objeclos-scgulntcs : um relogio com caixa lisa don-
rada e cadeias de ouro. urna casaca de panno prelo,
nova, dous colletes de instilo branco com pnlmi-
nhas de cor, um dito do fustlo amarello com palmi-
nhas pretas, urna caiga do hrim tranerrdo branco
com suspensorios, dous lencos pretos de grvala do
selim maco, umboto de bertura esmaltado, um
toalha de lnho com renda o bico as puntas : roga-
se, porlanto.a pessoa a quem fr oflerecido qualquer |
lestes objectos, apprchonda o ladro, que ser re-'
compensada.
Manoel Jos de Souza Favella retira-se para Por-
tugal.
Dcseja-so saber quem he o correspondente nest
cidade do Sr. Antonio Corris Pessoa de Mello.setihor
do Vertenles, para negocio que Ihe diz respeito : n |
ra Direita, casa do Burgos.
Em resposta a resposta do Sr. J. G. N. F.,no Dia-
rio de Permmbuco n. 207, responde-se que oannun-
cianlo nunca janlou nem mandou buscar jantares
em sua casa do pasto, o por isto no Ihe.deve os dou
de quo S. me. falla, e que so algum outro Brito lli's
deve a ello se dirija, e nilo se confunda com o noJa |
do annuncianle para o que S. me. devra ter repar-
do melbor antes de Ihe dar tilo aspatica resposta:
outrosirii que, se por encontr de obras da sua loja,
na ra Nova n. 38, Ihe pagou em algum lempo 91 mil
e lanos res, foi porque quiz fazereste favor ao seu
entilo dovedor, e nflo porque risse responsavel por
essedebito: portaulo o annuncianle do novo pede
ao Sr. J. C. N. f. que Ihe mande pagar a quantia de
6,800 rs. que Ihe deve desdo 11 de maio de 1846, e
nilo de tres mil e lautos ris como S. me. diz.
Quem precisar do um forueiro, dirija-so a So-
lidado, n. 14.
Quem souber botar ago em vidro para espellms,
aunuucic para ser procurado. i
O mogo portuguez que pelo Diario n. 207 an-
ntinciou querer ser caixoiro, pantoque d fiador"
sua conducta, quorendo uma boa arrumacffo ein Pe-
dras-dc-Fogo, dirija-se a ra da Praia, ns typo-
graphia da Voi do Brasil, para se tratar.
-- aletade do premio que sabir no roeio bilhete n.
1389, da segunda torga parle da dcima oitava loie-
liaa favor das obras do thealro publico, perletiw
ao Sr. Manoel ezerra do Valle.
Hoje, 20 do correte perante o Sr. doutor
juiz do civel da primeira vara na sala das audien-
cias depois tiesta se hilo do arrematar varias joi
de ouro e diamantes : ludo ein obras : quem as pre-
tender compare?, que he a ultima praga.
Arrenda-se, no lugar do Manguind, defronW
do siliodo Sr. ilerculano Alvos da Silva), um sitia
com boa casa de vivenda estribara, cochoira di-
versas arvores e haixa para eapim : a tratar na ra
da Cruz, no Rocifo, n. 66 A chavo da casa acha-sc na
venda apruximada ao dilo sitio.
Severino Jos doCarvalho, subdito brasileiro,
relira so desta praca, e como osleja quite nesta I""""
ca c luda a provincia roga a qualquer Sr. que .
julgar seu credor queira por sua hondada Ido apre-,
sentar, no prazo de 15 dias, letlras, ficas ou or-
dens, quo, sendo verdadeiras, prompto far scu p
gameuto etn casa do sua residencia na ra
Senzalla-Velha, u. 6, primeiro andar.
MUTIL



M^
I
Lotera do thcairo publico
tfotlri ciriatlc
() thc.iourciro aflinna que as roda
testa lotera nnil^m infalivcllmente no da
a3 do corrente. e que o restante dos l/tlhc-
les s *c vender ate o da ai. Os Sis. que
apartaram hillietes queiram vir recbe-
los1 certos He que, se o n5o fizerem, era os
os 'mesmos bilhetes vendidos.
Qucm tiver umi canoa de carreira, e de bom
,,m,nlio que s queira alugar annuncie.
Precisa-se de pessoaS que queiram trsbalhar
,1"eneaderiudor, ou mesmo rapazes de menor ida-
nueoueiram aprender esla arte, mediante um
fr.o soswl: na rus de S.-Fr.nc.aco, outr-ors
MU,,UVpnq"'i I, aervid. de escravinl* di
afrentes carlorio e gosa ter boa lettra, seolTe-
?-,laulquerSr. advogadopara copear rkiOes, e
h^ffito"" aqualidadedoeacripturacao : tudo
Kmmodiftcacaoeinseus ajustes quem o pre-
ender diriia-se a ra do Rangel, sobrado ... 9
Precisa-8.i de um Portuguez activo e intell.gen-
.-". reitor de um sitio, o fetorisar siguas es-
cra'vs om todo o servi9o do sitio e que ente, da d
ntaMsi hortslice e c.p.m a tratar na venda do Sr.
Fonlos.junto so Corpo-Santo as quintas o sex-
.a-foiras, Jas ,0 norHS ,,a raa,,,,Bo as tiu88 da
''''^Precisa-so do um preto para o srvico do urna
casa estrangoira que entcn la alguma cousa de co-
Tinha na ra da Cadeia do Rccife venda do Sur.
Fon tes nal quintas o sextas-reiras, das 10 horas da
in.nhnsasduasda tardo.
- Precisa-se do um fetor para ongenlio que nao
tedba familia : na ra Nova, armazem n. 67.
& Ot v PRiis )f SOL fe
Una do FajMi'io-Publico n.
O fabricante dcatc eatabelrcimcnloadvertc ao respei-
-..ki- ,i..^i:i rid.hl.' que elle nnaaae prosente-
Aiionte uuirico sortimeuto de cliapos de sol assim
.-ino chapeos de sol de seda furta-corea. dos mais ricos
Vine tem apparccldo nesle increado e de cores coiilic-
cida ditos para acnhoraa de bom loin adamascados ,
lavrados com suaa co.npetentaa franjaa de reros, lu-
do que tem de mala moderno e do mellior gosto ; um
completo sorlimenlo de chapeos de sol de pannmho de
todas as edres e de lodos os lamanhos para iomens,
senhorase meninos; ha tambem igual sortimento de
fazeiidasparacobrlrannacocs lauto de seda de cores
como de panninhos trancados e lisos Imitando seda. Ad-
vcrlc-e que os freguezes serio servidos com brcvidade,
e se acharo satUfeitoa da boa qualidade, do bom gosto e
do preco..
3
Oh l da paitara de urna s porta.'
Pergunta-se ao fabricante da regala, sa esss regala
que aqu fabrica, ha iuveneflo aua, ou se mandou vir
5,
..a Europa esse novo melhodo de urna povoaeflo de-
nnminmls Neceasidades sondo se fabncava em
1832 por necessidade com o titulo do bolaehinha
Nacional pois que naquelle lugar remolo, nao
chegavam caixaa de charutos, para dellas tirar o ds-
tico de regala, e com sua resposla satisfar
O Curioso.
Alnga-sealojadacasa n. 1, da ra Augusta,
propria para qualqucr estaelecimento e princ
palmentejpara venda, por ter todos os utensilios pro-
prios : a tratar na ra doQueimado, n. 19.
Una pessoa que tem conliecimentos de msica,
se propoe a dar licOes por casas particulares o pro-
meti esmersr-se no sdisntsmento de seus alumnos:
quem do seu preslimo so quizer utilisar, dirijs-se a
ruadal'raia-do-S.-nita,n.22, das 6 aa 8 horas da
manilas e das 3 da tarde em diante.
-- Roga-s ao Sr. J. C L. que queira pagar a di-
minuta quantia que nfio ignora na ra do Burgos,
n. 31 : do contrario, ter o desgoslo de ver o sou
nomo por extenso nesta folha.
A lllm. Snra. D. Anna Joaquina de Mello Albu-
querquetem una carta na ra do Quoimado, lu-
ja n. 10.
I'erdeu-se, no domingo, 17 do crrenle urna
oaixs ds l8rlaruRa cm algum rap dentro desde
o Corpo-Santo a seguir pela ra da Cadeia ponte
do Itecifo, ra Nova Aterro-da-Boa-Vista, ras do
Aragflo, Sebo Trempe, Mondego al a ponte da
Magdalena : quem a acliou, querendo restituir,
dirija-se a ra da Cruz, n. 46, no Itecifo, venda de
Manoel Jos Correia que ser recompensado.
--Precisa-sede um rapaz brasileiro ou porlu-
guez, para caixeiro de venda e que enten.la oeste
negocio para tomar conta lo urna por balando em
Era-do-Portas, no paleo do Pilar, n. 12.
--Pergunta-se aoSr. Jos Carneiro da Cunha, se
S. S. entende que o barro do Itciuodio he o mellior
que ha para lelha o lijlo de ladrilho.
Joaquitn Fernandos Povoas Portuguez, retira-
se desta provincia.
-- Itoga-se ao Sr. Francisco Jos Comes, natural
lo rorto e sohrinho do Antonio Joac Come do Yt-
ria, este establecido na provincia da Paraluha de
dirigir-sa a na da Cadeia n. 39, casa de Aiimniii
Irmflos j sonde sedoseja fallara negocio de so,, m-
tc..Ssn:eseporventiira nesla praca nao residir,
quem do mesmo Sr. souber e podo, dar informa-
oes sondo so acha se ll.e licara muito Mingado.
-Joan, Antonio de Carvalho vai a Portugal tratar
de sus sado. ., ...
- Aluga se um bum sobrado na rus de S.-l hereza,
em Oliuda proprio para se passar a festi : a tratar
com I). Isabel Ferroira Bailar.
-- Antonio de Souzs e Silva de lioie en d.ante st
assignar Antonio de Souza e Silva Saldanha. O
mesmo se retira para a Rabia.
- Pcrdeu-se, nodial5do corrente a la:de, no
engenho Piedades povoac.no da Pasmado, urna ce-
dula verde de 500,000 rs. : quem a tiver adiado e
quizer restituir, dirija-se a ra das Mores, n. u ,
ouao dito engenho, que se llio darilo 200,000 rs. de
gralilicaclo .
- Precisa-se de urna pessoa que se proponha a en-
sillaras prnneiras leltras grainmatica latina o ran-
ecza : quem esliver nestas circunstancias e quizer
ir para um engenho distante desta oid&CK 8 legoal ,
dirija-se a ra do Cloria n. 70.
-Arrendam-se as lojas do sobrado n. 3,no largo do
TerQO : a tratar na praca da Independencia lo-
ja u. 3.
_ Vende-se m moleque de 18 "*%FS
figura M vicios. a_com ottleio di aapateiro Pi
um grande
aortimentode movis,
immodo : na ra Nova, n 67.
"rm"Cm....."^'TbemVdeirssdepa-
''"' ^ JBTsAS;
de ala e I
eSto-
innio
@ NOVO PAO DE PROVENCA.
l>n(/e-i lodos ot dial.
O proprielarioda padarla epaslcllana.fianceza i\
do Aleiro-da-lloa-VIsta. a. 50, desejando agradar W
cada vez inais aos seus freguezes, resolveu otlere- OT
cer-lhes um pao que se fabrica em Proveuca por _
um processo multo dlfterenle do ordinario, e que, yy
exigiudo farlnha das melhores qualidades, mere- m
ce a preferencia do publico, pela sua alvura, v
pureza e delicadeade sua fabncacao.
M S se farao paes de 40, 80 e 100 is., e sera fcil
conhecelos pela sua forma oblonga c eleganle.
Na mesina casa conlina-se tambem a vender
<*
rUNDICAO
r .
ny/iV^oRB.
CSlarr A C, engenheiroi, com. fundi(ao de ferro c
bronze, c ferrara, ludo em ponto grande, movido por
duas machinas de vapor, montadas as casas novas jia
ruada Aurora em Santo-Amaro, avisam aos seus fre-
gueses, e au publico em g.eral, que tcem acabado dea-
promlar para vender varias machinas de vapor de bal-
xa e de alia p'resso, e de diversos lamanhos : eslas ma-
chinas sao prvidas de bombas para suppiir a caldelra
com agoa j qurnle, c com vlvulas com os seus arian-
jos muito simples para regular a qu.mdade da mesma
agoa ; mas os aniiunciamcs, longc de inciilcaiem estas
, advertein |iie a primeira fin adop-
inven^oes como suas,.
ira foi
inda iuventa-
i.i.1.1 eio ci-ii liieSavuiy em bSS, c u seg
da por Hrindlev j mala que cem anuos passados, c
ambas inlrodnzidas nsta provlucia em 183a pelos a-
nuncianles na machina de vapor do engciiho Garana
(oprimeirof.ibiicado ueste imperio) o qual anula esa
em e'ecllva operacao, c desde enlao se ha extrahido
peno de urna duzia das mesmas machinas, leilasmesta
fabrica, contendo os mesmos apparelhos, e com suinuio
aprovel lamen lo dos compradores ; porlanlo iinpingir
islo agora como cousa nova, era impostura. Os annun-
clante8 teem alin a satisfacao de informar to respeitavel
publico, que lio conseguido um inelhorainento de nao
pequea importancia, e verdaderamente novo neste
pait, que be por meio de una modifica,ao da caldena
e um simples arranjo de canos e regislos, apiovcitar
a o fogo superlluo do assenlainenta para faier mover a
\ machina de vapor se,n niais gasto de combustivcl de-
potada eogcnlro ler gando sua marcha : csia muito ulil
lembranca lom sidoexperimentida com bous resulta-
dos em os engenhos Trapiche c Jai'dli.ii. Esta fabrica es-
t sempre sortida de
Moendas de tambores aberlos para buenas de ma-
delra, grandes e pequeas com seus pertences.
Ditas com aguilhoes acuuhados chamadas meias
moendas, de lodos os lmannos c com rodeles de ferro
ou seni elles, para agoa ou animis.
Ditas iuteiras, todas de ferro, endependenle, com a-
marrasdiagonaes de gancho, invencao dos annuncian-
tei, e multoapprovadas pela sua forlidao e lacilidade
d'armar c desarmar.
Alambique de ferro, cousa nova e muito approyaaa.
Motnhos c prensas de mandioca c fornos de farlnha.
'"arros de nio e arados de Ierro.
Grande sortimento de bromes, aguillirtes, chumacei-
rai parafusos e u,ais perlences de engenho.
Rodas e rodetes de varios lamanhos.
Boceas e crivos de fomalha.
Buenas para carrocas, serra d'aco para serrarlas.
" Bollneies, br'ouzfs e roldanas para navio.
Os anniinciantes, pelos longos annos de pratica nes-
lepaiz, pela grande capacidade c commodos de seu
novo eslabelecluiento, pelo crescido numero e multa
experiencia e pericia dos seus operarlos e empregauos,
onereceni aos freguezes vantageus nao possuldas poi
nrnhuina outra fabrica nesle Imperio, c cslao, porlanlo,
verdaderamente habilitados a emprehender c execu-
larcoinainaiorproniptldo c perfeicao qualqucr obra
de engenharla ou inaehlnisino.
Manoel Jos Carneiro participa ao respeitavel
publico, principalmente s p'essoas (|ue teem penho-
resem sua mflu,quc os venhain rcsgular no prazo de
20dias, principalmente osde1842 1848: do contra-
rio,se venderlo paru seu pagamento.
Nos das 22 e 26 do corrente, persnte o Sr Dr.
juiz do civel da primeirn vara, na sala das audien-
cias, depois desta, Se lia de arrematar, por serein as
ultimas pracas, o engenho Coiabera, nioenlo e coi-
rente com safra diada e todos os seus utensilios ,
' coirsjants do escriptoem poder do portfeiro Serra -
Grande, o qual, alm de Ser perlo desta pruca, na fre-
guezia de Santo-Amaro-Jahoatno, he de ptima pro-
duce',o : quem o pretender comparea.
0bolinhos para cha de todas as qualidades, e lm- A
bem a enfeilar bandejas ricas para bailes e sa- ^
freos. - Alimam-sc dou sitios com muito boas acommoda-
ca,.,,iii na caiupinba da Casa-Forte, tlOlltro na ra
d.diiapovoacao.comcocheiras c cavallances; assim
como varias casas, de procos commodos para se pas-
tar a festa : atratar na ra do Amoriin, n. la.
- Urna niulhei de bous coslumos se encarrega Ua
criacao de meninos de paito impedidos e desunpo-
Uidos, e tambem recebe meninos para se desmamar,
no que promette esmerar-se quem do seu presli-
mo se quizer utilisar, dirija-se a MIS da Penha ,
lerceiro andar do sobrado que lica defronto do um
sobradinho pintado de vordo e amarello.
- Aluga-seo bem conbecido sitio na estrada do
Cordiro de Nuno Maria de Seixas, s proprio para
algum negociante cstrangeiro ou ouira pessoa que
leuha liiitamciito : na ra do Amorlm, n. 15.
IIOTlil.-COMMKRCIO.
Este estabelccimonlo, sito na ruada Cadeia da
freguezia d.e S -Antonio na propriedade n. 13, adia-
se augmentado-de commodos iudependentes e de-
eenieuuMiic mobiiiados paru hospedes com fami-
lias e sem ellas o para pessoas que exijam menos
liatiimento. O segundo andar do referido eslahele-
ciment offeroce as precisas comuiodidiides para
bailes o partidas. A poaicflo da casa em situagflo
fresrii oaprasivel vista e enllocada no centro da
cidade concorrerr a ser preferivel a outros esla-
belecimcnlossemelhanles. Os procos srnlo mdicos,
em relaeflo as proporcOes que seolerecem.
Furtaram, terga-feiin, 12 do corrente, um efo
pequeo, brsncn, felpudo, pcsunlio do ambos os pes;
com 2 malhasam.irellas ns 2orclhas enoespinha-
co ; tem um laquinho lirado naorelha direita ea
cauda cpm grandes cabellos : quemo pegar eve-o s
Cinco-Pontas u. 71, quesera gratificado.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collgio, n. 1, o no Aterro-da-Boa -Vis-
ta loja n. 48, continuam-se a tirar passaportes ,
tanto para dentro como para fra do imperio, as-
sim como despachaiii-se escravos : ludo com bre-
vidalle.
Alugam-se 4 boas moradas de casas para se
passar a festa com bom banho e sitio para so pas-
tear : a tratar no sitio do Cajueiro. No mesmo sitio
vende-so urna olaria na Passagem-da-Magdalena,
com pasto para vaccas e terreno bom para planta-
dlo e para tirar barro para olaria.
Para qua nao passe dcsapercebido o sonunciO
da Snra I. Maria Marroquina de Jess Nazareno,
inserido no Diario de l'ernambuco n. 204. de 14 do
corrente mez que declara nada lever nosta praca ,
os abaixo assignados com loja franceza na fu No-
va n. 13 lazein publico que he menos exacto O OitO
snnunclo da Snra. D. Maria Marroquina de Jetas Na-
zareno pois que esla senhorn deve aos abaixo as-
signados a quantia do 112,800 rs. le fazeiulas que
comprouo seu fallecido marido, om 23 de julhodc
1841 como ludo so ha justificado no cartorio dos
orphlos desta mesma cidade.
Didier Roberl $ Compunhia.
- Alugn-se urna grande propriedade de 3 anda-
res esoto com um grande inmazeni na la da
Madre-de-Debs onde moraraiii os Sis. Jcnhslon Pa-
lor c Companhia : a tratar com JoHo Jos di Carva-
lho .Moraes.
- Na fundiciio grande de S.-Aniaro, vendem-se
arados de forro, polo modelo inglez com sobresa-
lonte a 70,000 rs. ditos pelo molde americano a
50,000 rs.
~ Precisa-se de um cozinbcirn para seguir via-
gem par l.isb.i : no largo do Corpo-Santo, II. 6, ar-
inazein do Palmoira _.
- Um rapaz brasileiro de 30 anuos se olTereco
para caixeiro Je algum estabelecimento ou para
Qobrancas pois be muito diligente e da
sua conducta : quem o pretender annuncie,
rija-se a ra Nova, n. 28.
DENTISTA.
M S Mawson, cirurgiao denlisla acha-se residindo
no Rccife ra do Trapiche-Novo, n. 8 segundo andar,
ondeconliiia a por denlos mineraes. hcando incor-
rupliveisepareccndo inteirainenlc como denles natu-
racs : tambem lira a podra, a qual, nao sendo exl
70,000 st.onrs. ;sopliSsdeM
commodas; bancas; mesas do
ianlsr, carloiras ^ "-na so *g* 'objec-
fcaB!^,?SS*i!? mrno gentes,
udopoprecoeonimodo, aflu de serem bem Hr-
vidos os freguezes. i.ii.n d 12 an-
- Vcnde-se. ou troca-se um lulal,,'V\"1,lue "u
nospouco msis ou menos, Por, ,,nJ '""Kuese
preto que trabalhc de enxsda voltando-sfl o
justar : na ra da Cadeia do Recite, n. 14.

.S.uacuC-rii'/-^-'^.
Neste armazem, encontraran os fumantes do bom
tom os melhores charutos que ha no mercado, vmdos
pelo vapor Balitara. As qualidados silo :
Producto "de sementelde llavana
San-Felix (verdadeiros1
Emilias
Melindres
Calanos
Primores
K Quem fumar saber.
Vendom-se queijos londrinos os msis fresesae
que hs no mercado; latas com holachinhas de ara-
ruta ; dilas enm hervilhns ; ditss com sardinhas :
na ra da Cruz, no Rceifo n. 46
Vendem-sc 3 sacadas de pedra da torra urna
cama de angico com sous colchaos usada, 2 pares de
dobrailic'as grandes do ciiumbar duas nacas gran-
des de rame 1 laixo um armano, urna mesa 8
ricos quadros para sala urna niarqueza um bahu ,
um sellim urna mala urna mcsinha de sapateiro ,
urna frasntieira, um lustro de meio de sala um c.in-
diciro de lati 2 tomos das Noiius c Young UB
Orthographia do Madureira : na ra das l.arangei-
ras, n 29.
Quem deUar do comprar a
dinheiro
pelo muito barato prego o seguinle calcado : botn
franeczes para bomem a 5,500 rs. o par ; ditos do
Para
Lencio-
\
as prssoas que
natn seguir mgem.
Na ra do Rangel, n. 9 continuam-se a tirar pas-
saportes para dentro e fura do imperio despacham-
se escravos, e correm-se folhas com brevdade. e
preco muito o inuitocommodo; como se tem dado
exuberante prova no decurso de 8 annos quo por
esta folha se tem annunciadu.
Um moco portuguez, queda fiador a sua con-
ducta, se onVrecc para caixeiro de armazem, o/ nu-
tro qualqucr esiabclecinento, excapto venda : quem
precisar, dirija-se a ra do Apollo, n. 21.
--'Precisa-sede um moco quesaiba ler o que so
queira applicarao trabalho de padaria o para en-
tregar pflo a argiinsrreguezes, com um preto i tam-
bem se precisa ulugar um preto, pagando-sc-lbe
lodos os mezes o que se ajuslar : ua praca da S.-
Cruz padaria do una su porta.
OfTerece-so um rapaz iasileiro de boa con-
ducta de 18 a 19 anuos, para caixeiro de venda ou
padaria : na ra Imperial, n. 37..
Na ra do Vigsrio, u. 24, vende-se bolacha a 1/
rs. por arroba, muito boa para o sustento do ani-
maes.
--Fugio da cidade de Coianna, no da 9 do corren-
te mez, o escravo Manuel, do nacflo Angola.idade do
18 annos pouco mais ou menos, com o> seguintes
signaes: alto, secco do corpo, bonita figura, esta
npoirtsndo a barba, ha desconliansas que estoja a-
coifado para a Ra-Vsla por ler aqu alguns conhe-
cimentos, he escravo de Manoel Das deOlivoira, da
mesma cidade de Coianna : roga-se a quem o possa
anprchender, conduzi-lo a roa da Cruz, a Lu/. Jos
de S Axauio que gratificar generosamente.
- Precisa-se de um caixeiro para una venda, exi-
eindo-seque tentia pratica leste negocio e que .16
fiador l SO conduca :na ra da Cadeia do Rec.fe,
,0 OlTerece-se urna ama para urna casa de pouca
familia ou homem sollelro: na ra Direita, n. 74.
a 900 rs ; ditos
; ditos de dura-
llador a
ou (li-
en, pouco lempo lano arruina o denles; chumba con.
oiiro, prala, ou denlico para privar de augmenta ar
corrui'ciio i lanibem lira, lima e fas todas as_ operncocs
denticas com a maior delicadeza possivel. Elle espera
uue os elogios e o muito patrocinio que lem recebido
ne'"s beneficios ;uc tem prodmido na sua pratica nu-
rnte 8 annos de residencia nesta cidade serao garan-
Ilas aullicientes para as pessoas que, precisando de seu
restimo, nao o deixein de procurar.
Prceisa-sc de um rapaz de 13 a 14 annos, que
tenha pratica de venda Rrasileiro ou Portuguez .
para caixeiro do mesmo eslabeleeiinento un ra
Bella, n. 86.
Na ra d'Alegria, u. II, precisase alugar urna os-
crava que eslea as circumatauciaa de bem fazer o
aervico inlerno e externo de uinacasa de familia.
__ Urna pesada com pratica de escripia
commercial, e bonita leltra, propoe-se a
escrt'vcr na.s horas vagas, nos domingos
c dias sanios, com limpcza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
Precisa-se alugar um sitio nos lugares do Mon-
teiro, Poco Casa-ForU ou Apipucos que tenha
boa casa de inoradia com commodos para grande fa-
milia : quem o lver dirija-se a ra do Collgio ,
u.5.
Compras.
Compram-se escravos que sejam ollicias de csr-
pina, do 18 a 25 annos I de boas figuras ; pagam-se
bem sendo de bous cosluines e peritos no seu olli-
cio pois sHo para una enconimenda do hio-de-Ja-
neiro: na ra do Aniorm, n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
--Compra-seumoudousprntos, que sejatn mo-
cos e som vicios, que enleiidam alguma cousa deca-
uoeiro : na ra da Praia-de-S.-ltila ns. 25e 37.
-- Compra-se ouro velho de le qualqiier porcao,
a 3,200 rs. aoitsva : quem tiver annuncie.
Compra-so moda do prata em porcao : na ra
da Senzalla-Velha, n. 140, prmero andar.
Compra-se o stimo volumo da historia de t>
Quixote, ou vende-se a mesma historia em oilavo
voluine sem o stimo : na ra Cadeia, II. 23.
I _l ..'U'
Vendas.
TIJOI.OS DE MARM0RK.
-Vendem-se lijlos de marmore, brancos e aziies,
por commodo preco i a fallar com J. Sapor.t, na ra
daCruz, n.18. -R
__ Vendem-se na ra Nova, n. .j,
duas vioUs franeczis, e ummethodo por
Carully, por preco commodo.
luano.
_ADO

Lisboa a 3,000 r. borzcgiiins gaspeados para hu-
ineiu a 5,000 rs. ; ditos ihglczes a 4,500 rs. ; ditos
frnncezes para senhora a 3,200 rs ; sapatos dese-
lim branca para senhora a 1,700 rs. ; ditos de li
Iro a 1,800 rs.; ditos de dnraque ,
de lustro para meninas, a 1,000 rs.
que para ditas a 600 rs. ; ditos de marroqu.m a
.-00 rs ; ditos de lustro o de urna sola pura homem .
a I 000 c 1,000 rs. ; ditos de marroquini para ho-
mem B 800 rs. ; ditos de lustro o marroquin. com
clcheles para meninos a 500 rs. ; ligas de serla
para senhora. a 800 rs. ; agulheiros de msrfim para
senhora : ua rus da Cadeia do Recia n ...
- Vende-se urna escrava de 18 a 20 minos de bo-
nita figura que cose, o engomn.a porreitamcnto :
na rus larga do Rozario, n. 36, botica do Bartholo-
meujTrancisco de Souza.
- Vendc-se una excellente canoa de carrea: na
ra do Collgio n. 8, lerceiro andar. .
- Vende-se una cadeirinlia em bom estado, por
preco commodo ; e um tronco : a tratar na ra da
Alogria, n. 34,
EXTRACTO l)K SALSA PARRII.HA CONCEN-
TRADO DO 1)11. MEAD.
Ha austro annos desde que eslii superior prepsra-
Cflo de salsa pardilla R> conbecida no Brasil, princi-
palmente ao sul.ondc he conlueids como nm dos me-
lhores remedios para todas as molestias produzdas
ela impureza do Bangui, como sejam escrfulas ou
Iporcas, uiolesliassyphilica.se incrcuriaos, rheu-
matis.no, chapas ulcerosas lumoies brancos, do-
enoas do ligado c da culis, debilidade geral. etc ; e
he tambem recommendado para as molestias interio-
res em que si suppOem 08 peitos e boles atacados,
cbm assim n'aquellas em que a coiisliluigilo esli-
ver arruinada pelo uso exagerado de proparac/lis
mercuiiaes. As curas que teem elTectusdo ..estas
molestias sSo l0 numerosas e completas, que all
teem BSiihoo titulo do verdadoirorestaurador da sau-
do A "raiide procura desle excellente medicamen-
to'liara as provincias do norte, induzo os agentes
genes no lio-do-Jane.ro osSrs. II. C. Yates (.. a
eslBhelecerit um deposito nesta cidado ra do
Trapicho, n. 34, escritorio de Novaes & L. ClUtl
2/000 cada frasco envollo no seu competonte recei-
Gotas cgypciaes.
Remedio sem igual para a dor de denles, ja bem
conbecido no Rio-do-Janeiro o nos provincias do sul,
nela sua ellicacia emalliviar rpidamente a dor man
tenz.qur soja.molivda pela carie.quer por iasm-
macSoi mas s a experiencia do urna prova (lie da-
r o divido merecimento. Vondc-se no escr.ptor.o
de Novaes & C, ra do Trapiche, n. 34.
- [Na ra Nova, loja do alfa.atc do Monoel do Am-
paro Cri. n. 18, lis para vender obras taitas delu-
das as quididades, tanto finas, como inferiores: as-
sim como um sortimento de pannos finos de todas as
Cores e quslidades. c toda e qualquer fazenda que
fr precisa para fazer qualquer obra do encommon-
da, etc. Na mesma loja precisa-se do oll.c.aes d.>
"'-l'vend-se'um pardo moco, proprio para todo o
servio : na ra da Cadea-Velha, n. 33, so dir quem
vende. '. >
Vende-si-, na -venda de Joaqumi
Correia Kczen.le llego, no higo "do Li-
viamento, n ao, superior cal de Ludi,
embairisde 4 a 5 arrolus, a mais nova
que ha, viuda pelo ultimo navio, por pre-
co mais commodo do que em outra qual-
qucr parte.
- Vendem-sc seis escravos, sendo dous moleques
ilonacSo do 18 a 20 anuos; urna negrinha recolliida <:
de 13 annos.que cose, faz lavarinto, e tem principios
de engommado, cozinha o lio muito desembaracada s*
ede boa couduta; tres pretas muito mogas e com
algumas habilidades : na ra do Vigario.n. 24,se di-
r quem vende.
!
A


nh
Vende-se a venda la tua Nova, n. 71, sendo a
mclhnrdn bairrodo S.-Aiilono por estar no porto
I.<> canoas p ser milito frcguczada para a trra :a
tratar com Domingos Josc da C.unlia lagos.
b&SCOBRIO-SE AFINAI.
o nico e verdadeiro medicamento paran cura da
phlysicaem todos oa saus difieren les graos qucr
motivada por algumas das seguinlos molestias: cons-
tipnces, tosse, aslhma, pleuris, escarros de sangue,
coqueluche, dr de costase pello o todas as mais
molestias dos orgflos pulmonares. Este encllente
medicamento he o xaropo do bosque, j bem co-
Rliccidn nesta provincia pelas grandes curas que
tcm effeituado, o que prova a grande extracto
que tem litio, c ter sido reccitado por alguns pro-
fessores. Km New-York onde primoireiramente foi
Introduzido pelo sen digno autor, doutor Molls, fez
curas quasi milagrosas as differenles molestias
cima mencionadas, o quo o induzio a manda-lo
para o BrasilI, sendo a sua primeira iilroducgflo no
Itio-de-Janoiro, onde tem produzido os mesmos
cffeitos que all.
Vende-so nicamente no deposito da ra do
Trapiche, n. 34, escriptoriode Novaos & Companhia,
o na ra da Cadeia do Rccife, toja do iniudezas, n. 9.
Vendc-se um pequeo sitio com casa de pedm
ecul, no lugar da Capungii com varios arvoredos,
na esquina que vai para a Baixa-Verde n. 30 : a tra-
tartar no Momlego, venda n, 7*
Vende-so urna loja com armagflo moderna e
fazoudas na ra do l'asseio, n. 17, opUmo lugar
para se vender a retalho.
-- Vciulo-se um prcto da t:ostn do bonita figura :
na na do l.ivramonto, n. 33, ge dir o motivo por
quo se vende.
--Vende-se una cscrava crioula moca, de bonil-
la figura, sem vicios neni achaques, com principos
de costura e engommado o (|ue so afianza 80 com-
prador : na ra do Collegio venda n. 12.
JS :i rua de Agoas* Verdes, n. 46*,
vendem-so doas bonitas cscravas de nnQlo do 18 a
So annos, mucamas recolbidas, sem vinos ncm
cliaqucs, peritas cngoinmadeiras, cozinhciiiis c
coslureiras ; urna mu i linda nula tirilla do 15 an-
uos ; urna moleca do 18 anuos boa eiigommadoira o
Cozinbeira ; urna dita boa mucama, de 16 anuos ,
urna dita boa quitandeira, cozmhoira e lavadeira ;
una dita de nagix), boa quitandeira; una dita de
5 anuos por 300,000 is ; 75 acedes da companhia
do lieheribe ; um bonito mulalinho de 13 anuos; um
moleque de 15 anuos : todos estes escravos se dito
a contento e por preco coininodo: afancam-se suas
vendas, e boas qualidades.
Vendem-sc 3 moradas de casas do sobrado no
lia uto do Rccife.nas melhorcs ras: na rua deAfcoas-
> entes, n 46
Vendeni-sc dous piano fortes de Jacaranda ,
chegados ltimamente, quo, alem de seren um
magnifico ornato de urna sala, teem cxcellcntes
vozes sondo o mccliamsmo da muita approvada no-
va iuvengflo chamada repilidor patente do Col-
lard : em casa de J. Kcller & Companhia na rua da
Cruz, n. 55.
--Vende-se um casal de pomlios mariolas, muito
grandes e bonitos : na rua da Florentina, n. 16.
Vendcm-se cinco moloques, entre elles um
ptimo mulalinho do idade de 15 a unos; 4 negri-
nhas de 14 annos; duas pardas do 16 a 25 annos : na
rua Direita n. 3.
W,
i DE6lORTASN0cK
&I:ia*%
PF.NEIRAS de rame, grandes o pequea, proprias
para paderia : vendem-c no armazem do Bacelar,
no cae da Alfandega.
Veudem-se sellins inglczes clstico e sem
serem elstico* de patente forrado dn couro de
porco muito fortes por terem dous ferro na ar-
maglo ; sellins promptos para pagana, muito for-
te ; cabecadas inglezas roligas, dilaa de lustro,
branca e preta* ; maca de couro de lustro sem se-
rem forradas de papelSo ; ditas branca; sillliOes
para montara de senhora forrado de couro de
porro inglez ; brides de parafuso modelo da llahia;
eludo o mais que pertcnce ao mesmo estabeleci-
mento por preco coinmodo : na rua Nova, n. 28 ,
defronle da igreja da Conceigflo dos militares, loja
de Antonio Ferreira da Costa Draga.
Vendem-sc bolinhos de diflerentes massas : na
rua estreila do Rozario, n 13, por cima da padaria.
-- Vende-so um moleque de boa conducta o que
seafianca : he recommondadoa ser vendido a pes-
soa condecida por ser digno de ter um bom seuhor:
na rua Direita, n. 16, esquina que volta para S -Pe-
dro se dir quem vende.
Vend-se a Historia da Grecia antiga 2 v,; a
Biblia sagrada 3 v. : Escola mercantil, 1 v. ; os Je-
suistas e as lettras ,1 v.; a Solidlo 1 v.; Crimes
do governo inglez 1 v.; a A voz de Jesus-Christo ,
2v.; Compendio de theologia moral e evangelhica ,
6 v. Gcographia universal, por Torreflo, IJv. Alias
moderno 1 v. : Methaphysica 1 v.: ludo por pro-
co commodo na rua do Queimado, n. 11.
Casimiras elsticas.
Vendcm-se superiores corles de ineia casimiras els-
ticas de pura laa, pelo barato preco de 2,1000 e 3/000 r
o corte de caifa : na nova loja da estrella, da rua do
Collegio, n. 1.
Vendcm-se saccas com feijfio mulatinho mui-
to novo, e rhegado ha pouco : no caes da Alfandega,
defronle da rampa armazem do llacellar.
Vendc-se una canoa a berta que pega em 900 li-
jlos grossos, por preco muilo barato no becco das
harreiras olaria n. 8
Vende-se una inda mulatinha do 7 a 8 annos ,
com principios de costura; um molecoto de 22 an-
uos q'ue he carreiro e muito esperto para enge-
nho vende-so para pagamento de una divida: na
rua Imperial .junto a nova matriz n. 3.
Venden-se aeces da
quo engomm; coae chlo, cozinlia e lava: urna
crioula da mesma idade e com as meama habiii-
dade*; urna preta de nacffo, que cozmha lava e
vende na rua ; um cabrinha de 14 anno* ptimo
para pagom ; um escravo de nagflo para o servico de
campo.
--Vende-se muito superior biscouto francez do
Rheims : na ruada Cadeia-Velha, n. 29.
Tacas para en ge ti los.
Na fundicSo de ferro de Fra-de-Portas, contina
a haver um completo lortimenlo de taixas de ferro
coado de todos os tamanhos por preco commodo.
Na rua Direita, sobrado n. 16, que faz
esquina para a travessa de S.-Pedro, ha
quom venda 2 casas terreas com bona
commodos, sitas no boceo do Peixoto,
tambem so vendem a prazo ou u tro-
co de escravos, ou bois mansos o quar-
tos.
Ka loja de Afanoel Joaquim
Pascoal Kanus, no Passeio-
Pnblico, n. 19,
vcndein-se as segninlcs fazendas : pannos finos prc-
to a 3,000, 4,000, 4,500, 5,000 e 5,500 rs. ; pecas
de madapolflofino, a 3.200, 3,500, 4,000, 4,500, 5,000
a 5,500 '-s. ; chitas oscuras a 140, 160 e 200 rs. o
aCQes da ex
tela companhia de Pernamhuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & C, rua da Ciuz,
n. 0.
KAKI MI A DK TRIESTE.,
marca verdadeira -SSF, chegada ltimamente: vende-se
em casa de N. O. Mieber S Companhia, na rua da Cruz
n. 4.
Vende-se o engenho Macaco sito na freguezia
do Po-dn-Alho distante desta praca nove legoas ,
mocnlo e corrento com terreno muito frtil e de
agua perenne ; o quil engenho vende-se iseuto de
desobliga e lodo o pagamento annual : a tratar no
engenho liamos da mesma freguezia.
CIJA' HYSSON,
de ptima qualidadc a 2/240 rs. a libra: na rua da
Crui no Rccife armazem n. 13.
Vendcm-se queijos londrinos e presuntos para
Hambre chegados polo ultimo navio de Liverpool ;
hervilhas proprias para sopa ; vassoras para varrer sa-
las : no armazem de Davis k Companhia na rua da
Cruz, n. 7.
Vende-se
gum engenho, urna escrava de 90 annoa, dena.es,.
Angola que engomma e cozinha na rui Nov"
Vender um moloque do 8 anno, muito lin-
do : em Fra-do-Portas, rua do Pilar, n. 19.
Compram-se potes de graxa o de tinta vasios "1
frasco que t.vorom sido de agoa do Colonia : <>. r'u,
da Cadoia, loja de miudezns n. 17.
J" O NOVO PAO' DE PROVENGA.
G3j Contioua-se a vender todos os das pSo de
X Provenga na padaria da S,-Cruz n. 6, e
$tj no deposito da rua estreila do Rozario, n.
3, fabricado com aa melhores farinhaa
que para elle se team escolhido. Esta qualj-
dadede pflo lorna-se mnilo recommenda-
^ vel, lanto pelo seu bom gosto como por
n rio conteremsi azedo pela rapidez que
a& demanda o seu fabrico.
P O proprielario dos referidos estabelecl-
n& mritos, cada vez mais versado em fazer
"SP este novo pflo, sendo um dos segundos que
'S8l 8Prescntou as eus fregueze, logo que
V elle se mstituio, ainda nflo cessa de em- >,
/g) pregar todos os scus esforgos, Jafim de que A
' o seu pilo, entro outro que j o fazem *
mereca a primazia. Nos mosmos estabele- if
cimento achanto os freguezesa muito su- ^
perior bolachinha regala tanto doce co-
mo agoada.
tas de seda a 12,000 rs.; riscados francezes a 200
rs. o covado ; cortes de 1.1a, a 2,500 rs. ; ditos do cas-
sa-chita a 2,000, 2,500, 3,000 e 4,500 rs. ; chales de
seda a 9,000 rs. ; ditos de metim, a 1,000 rs,; pel-
|e do diabo a 200 rs. o covado; castores de todas as
qualidades a 200, 240 e 320 ; lencos de seda a
1,000 c 1,600 rs. ; corles de colletes de gorgurflo
preto ,Aa 4,500 rs.; ditos de ruslo a 1,000 rs ; es-
guiu fino, a 2,000 rs. a vara; sarja preta a 2,000
o 2,500 rs. o covado ; cortes do casimira a 6,000 rs.;
bnm branco de puro linho a 1,800 rs ; dito pardo,
a 1,600 rs ; ditos de cores a 1,000 e 1,500 rs. ; chi-
tas do cubera a 200 rs. o covado ; chapeos de sol,
le seda preta a 5,500 e 6,400 rs. ; merino lino a
3,500 rs. ; cassa lisa a 360 rs. a vara ; chales do 13a,
a 1,200 e 2,500 rs.; pegas de plathia de algodSo, a
i.OOOrs.
Vendem-se superiores sellins inglezes, clasti
eos o de patente lisos o alcochoados cabezadas in-
covado ; ditas finas a 240, 260, 280 e "320 rs. ; man-" Blezas> roli?as e chalas ; carnciras brancas ;
silhoc
inglezes para montara de senhora ; tudo'r
mente chogado : na rua da Cruz, n. 2,casa s Gcoree
Kenworlhv & Companhia. B
en/
vircem
chegada no u 11 i ni h
O dono deste estabeleciiucnto,vendo-sc em cir-
cuinslancias de Ihe ser preciso rclirar-se para a
Europa precisa primeiro pagar a scus credo-
res, e para ell'cituar este pagamento o mais
breve possivel oll'erecc algum abalimeuto a
scus devedores que quizcicm saldar suas coti-
las ; assim como tem resolvido vender todas as
fizrndas por diminuios pre9os, a saber: pecas
de inadapolo, a 2/ 2/900, 3/200, 3/500, 3/700,
3/J00e 4/rs. ; ditas de chitas escuras, finase
entre-linas, de cores fixas a 4/800, 5/, 5/500,
6/e 6/500 rs. ; ditas muito superiores, entran-
do algumas de coberta, a 7/ rs. a peca e a 190
rs. o covado ; alpaca, a 600 rs. ; lila larga, a 380
rs.; ra/.inrla preta a 1/ri. ; los tinos e gran-
des de linho, a 6/400 7/ c 7/5O0 rs. ; chales
grandes de garca a 1/500 rs. ; ditos de chita a
800 rs. ; vestidos de cambraiacom bico e renda
de superiorqualidade, a 3/rs ; mantas de cain-
braia para senhora, a 1/ rs.; luvasde pellica,
seda e algodo, para homein, a 320 rs. ; pesco-
cinlios e goUs de bonitos gustos, a 240 e 320 rs ;
bicos franceies, inglezes c da trra e alguns de
de seda preta, a 120, 160,200, 240, 320, 400 c 640 5?
rs. lencos de cassa para grvala a 200 rs. ; di- tsji
tos de muitas qualidades para bomem e se-
nhora a 180, 200, 240, 300, 320, 360. 400, 480 e
560 rs.; suspensorios a <0,120 c i60 rs. ; ditos
finos de borracha a 200, 240 e 260 rs. ; garfa
de seda muito larga com flores douradas a 240
rs. o covado ; cassa da Iudia.a 400 e 480 rs. a va-
ra ; merino fino e entre-linn a 1/800 2000 e
g 2/500 rs. ; pannos finos, a 3/800. 4/ c 4^500 rs.
e outras muitas fazoudas que naose annunciaiu
por oceupar muilo lugar as quaes se vendem
lodas ainda mesmo com grande prejuizo s
afim de se acabar com o dito estabelecimento
o qual tambem se vende no estado que se acha',
havendo quem o queira comprar ainda uies-
mo a prazo com lettras de firmas que agrada-
re! a seus credores.
Na loja da esquina da rua dn Qucimndo para
a-rua do Crespo, de Ha noel Ferreira Hamos ven-
dem-se cortos de collelcs do velludo, a 3,000 rs.
riscados francezes a 240 rs. o covado ; lencos d
seda pequeos, a 320 rs ; meias casimiras a 500
rs. o covado luvasde seda preta para senhora, a
500 rs.; hrim branco trancado de linho a 240 rs. o
royado : grvalas de seda a 600 rs. ; corles de
lielmiras, a 2,500 rs.; ditos do tarlatana a 2,500
rs.; ditos de gorgurilo de algodo e seda para col-
lotes a 500 rs. ; fustoo a 320 rs. o covado : corles
de 10a, a 2,000 ti.
- Vendem-se meias de algodflo feilas em" Por-
tugal; cera lavrada do Rio-de-Janeiro ; sardiiihns
cscochadas muito froscacs ; arroz de casca : ludo
por preco commodo : na rua da fraia armazem
n. 37. No mesmo rmazem vende-so a Escriptura Sa-
grada pelo padre Antonio Pereira cou.menlada em
3 voluines encadornacao francesa.
de IjsIiiiji,
barris pe-
queos, por menos do que em outra qtial-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
zem n. 17.
Alpaca alcoclioada, a 8oo rs. o covado,
vende-se, na loja que faz esquina para a na do Collc-
glo n. 5, de Guimaraes S Companhia a nova alpaca
alcoclioada viuda de Lisboa fazenda inteiramente
nova nesta cidade preta e cor de cafe, de 4 palmos de
largura, pelo barato preco de 800 r. o covado.
Vende-se cal virgein de Lisboa em barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar com Almeida & Fonieca, na rua do Apollo
A i .simo rs. ,
ancoretas com azeitonas superiores : ven-
dem seno caes da Alfandega armazem
u 7, de l'Vancisco Dias Ferreira.
s antigs riscados monslro.
Na loja de Guimaraes & C, rua do Crespo, vendem-se
os bem conhecidos riscados moustros de padrrs multa
modernos, e que teem quasi urna vara de lareo.pelo ba-
rato preco de 320 rs. cada um covado.
Vendcm-se escravos baratos na rua das
l.nrangeiras, n. 14, segundo andar una
linda parda do 20 annos, com algumas
habilidades; una preta do 20 anuos, com
nina cria de 2 anuos a prola engomma,
cose o cozinha ; urna parda escura de 30 anuos une
engomma, cuse cozinha e lava de sabflo o v.irrella;
duas negrotas do 15 anuos ; urna preta de meia ida-
de, que engomma, cose, cozinha e faz doces, por
320,000 rs. ; 2 moloques de 16 anuos; um dito de
18 annos ; um pardo de 25 annos, por 350,000 rs.;
um dito de cor escura bom copeiro; um prcto de
20 anuos, perito ofiieia I ilesa patelro j c mais alguns
esclavos que se mosti iiriio aos compradores.
I'olassa.
Vende-se muito superior ptassa em
barriz pequeos: na ra da Cadeia-Ve-
lha armazem de BailarScUliveira, n. !2
Vendem-se saceos com farelo, pelo
barato preco de s/joo rs: na rua da ban-
zalla-velha, n. j 38
Vendem-se barris, com bren tanto
em porco cniocm barris: na rua do Tra-
piche, n. 36, em casa de Mallieus Aus-
ifti&YJ.
JLU
Vendem-so chapeos de eastor branco a
,000 rs. : na rua do Queimado, n. 22.
--Vendem-se pecas de madapolflo com 20 varas,
muito largo c muito encorpado, a 2,800, 3,000e 3,200
rs. ; chita para coberta a 160 rs. a retalho; roupa
lena para escravos isto he jaqueles, calcas e cami-
sas : na rua do l'asseio loja n. 17.
Vendem-se 3 escravos, sendo dous
moleques propr ios de lodo o servico de
casa e campo, e tima mulata de 16 a 18
annos, boa. costureira e engommadeira :
na rua do Crespo, loja n. i A, se dir
quem vende.
O verdadeiro systeiua para cu-
rar vista curta
ou cansada no seencontra na homceopathia, nem oa
allopathia porcm sim em oculos apropriados os
quaes se vendem na rua larga do Rozario loja de
miudezas, n. 35.
Vendcm-se galoes de ouro verda-
deiro, de lodss as larguras, 'tnoia barate,
do que em oulia qualqtier parte : na rua
arga do Rosario, n. 34*
I'A HELO
a 3000 rs. a sacca
nos armaiens ns. 1 e 3 do caes da Mfandega, e no de n.
35 da la do Auioriin, de J. J. Tasso .'unior,
Uiscados monstros.
Vendcm-se superiores riscados monslroi, j bem co-
ndecidos lanto pela qualid.idt como pela largura em
deuiasia, pelo barato preco de 280 rs. o covado. Estes
riscados sao chegados ltimamente: as cores sao fixas,
e os padroes muito modernos e de bom gosto : na nova
lujada Estrella da rua do Collegio, n. 1.
Vende-se urna pofclo de libras de cera da terra|;
couro de lustro de cores, proprio para canhOes de
bolas de pngens : na rua Direita loja de couros,
n. 65.
. Vendem-se barris pequeos com cal virgein de Lis-
boa, a mais nova que ha no mercado, por preco cojn-
inodo : na rua da Moda armazem n. 17.
Vende-se una caaa terrea muito grande, sita na
rua da Mangueira, na Roa-Vista, n. II, com grandes com-
modos, quintal muito grande e mullos arvoredos de fruc-
los, por preco o mais rasoavcl possivel: trata-se na rua
do Aiaga, n. 27.
--- Vende-se a armacHo da vendada rua eslicilu
do Rozarlo, n. 8, com todos os seus perlcnces por
preco miiilo commodo : a Iratar na mesma venda.
Bolatiiinha superior regala
Na rua da Scnzalla-Velha n. 96 vende-se bola-
chinha superior regala agoada a 160 rs. a libra :
n.lo so mencionas pcrfcicfio com quo he feita, por
que quema compearo saliera.
Escravos Fgidos
B7.~M
Na rua da Cruz n. 26, vendo-se, para liqui-
dacSo de conlas, sola, cera de carnauba, pennas de
ema e chapeos de palha por menos preco do que
cm outra qualquer.parte
-- Na rua uas CrUtes n. 22, segundo andar, ven-
No terro-da-Bo-Vista, n. 45,
loja de lo tica vid rada,
vende-se um par do jarros de crystal lapidados, pa-
ra enfeites de sala o (loros por 12,800 rs. ; Historia
do Brasil cun linos retratos dos antigos doscobri-
dorese restauradores, um bom papel e typos ; dita
romana, desde a fundaco de Roma Irduzida do
inglez para porluguez do doutor Coldsmilh, sobro
a duodcima odigilo ; o Verdadeiro rape Mctiron, em
libras, meias ditas e a retalho : este estabelecimen-
to vende at, as 9 lloras da noito
Vende-se urna cscrava de 18 annos, que cose,
ongommae cozinha parida de pouco lempo, ccom
ptimo leilo para criar da qual se alianza a boa con-
loja n. 19, so dir quem
dem-se 6 escravos sendo : urna crioula do 24 an-1 duda : na ru do T'asse'io,
os, perita engommadeira o cozinbeira e queco- vendo.
i- Vende-se, para fra da provincia, ou para a|-
Fugio do engenho Telha, no dia 28 I
prximo passBdo, um cabra, de norn.
Antonio baiso grosso, sem barba, mui-
lo prosista ; he certanejo ; foi montado
em um cavallo ruQo-podrez-talhado ; levou Inda i
sua roupa e fazendas novas chapeo do couro Ro-
ga-ses autoridades policiaes e capilfies decampo,
que oapprehcndam elevem-no a rua do Livramen-
to, n. 27, que sorlo recompensados
Fugio, no dia 14 do corrente, um escravo criou-
lo, de nome Joaquim de cor fula, alto c alguma
cotisa magro sem barba olhar carrancudo ; repre-
senta 30 a 35 annos ; levou camisa de algodo da tr-
ra e calcas do niesmo panno levando por baixo des-
tas outra de difTerenle panno quem o pegar levo a
rua do Queimado loja u. 7, que ser recompen-
sado.
Da ma Augusta sobrado da dous andares,
pintados de r6xo do fallecido Colares do primeiro
andar fugio, no dia 15 do corrente a notte um
preto criolo de 18 annos de nome Lino bastante
conhocido nesta cidade ; ho baixo cor fula, algum
cousa grosso do corpo com falta de um dente na
frente ; tem as nemas um lauto arqueadas ; levou
camisa de algodflozinho caigas dealgodao tranca-
do o chapeo Ue seda preta ja velho : quem o pe-
gar leve-o ao dito sobrado ou no pateo da ribeira,
sobrado de um andar n 19, que sera recompensado.
Fugio, no dia 15 do corrente do engenho Perei-
ras, freguezia de Jaboato o escravo Francisco de
cor fula cara redonda estomago para fra per-
nas linas, nadegas empinadas, ps compridose apa-
Ihetados ; lie de nacflo : quom o pegar eve-o ao di-
to engenho ou nesta praca, ao Sr. Joo Pinto de
Lomos Jnior.
Frigio, no dia odejulho-, n moleque Francisco,
de 20 annos pouco mais ou menos, de nacto Reboto;
tem nu p direita a marca C ; levou camisa de algo-
do azul, calcas de panno azul jvelhas: quem o
pegar leve-o ao pateo do Paraizo, n. 9, quesera
generosamente recompensado.
Do engenho Mangibiira termo de Porto-Calvo,
provincia das Alagas fugio, no dia 4 de setemhro
do corrente anno um caboclinho de nome Lean-
dro que representa ter 14 a 15 annos ; ho baixo,
cheio do corpo rosto redondo nariz e bocea regu-
lares denles limados cabellos estirados e que os
trazsemprc corlados por causa de feridas de calm-
ea pos o mihis pequeas dedos curtos ; levou ca-
misa e ceronlas de algodo trancado branco, chapo
de palha ; he bastante ladino c suppOe-se que m-,
lera entranhado pelos serlOes de Alagas ou Pernam-
huco por ter sido encontrado no engenho l'raci-
nlta, da ribeira de Una e se receia que elle trilhe
oscaminhosdo serto do Serid d'ondo he natu-
ral. Roga-so as autoridades policiaes o capitfles de
campo, que o apprehcndam e lovem-no ao dito enge-
nho a seusenhor, o abaixo assignado, ou na pra-
ca de Peruambuco, a seu correspondente, o Snr.
Manoel Buarque de Macedo Lima, que crSo gene-
rosamente recompensados.
Antonio da liocha Hollando ('.avahante
Fugio, na noito do 16 do corrente do engenho
Jangadinjia ,o pardo Raymundo, de 25 annos, cor
relila, altura regular, bom corpo, espadando,
cabellos pretos olbos e bocea pequeos nariz
grosso pouca barba, denles miudos, e sfips, feicOeJ
giossciras, ar tristonho bstanle espevitado esta ,
vacciliado nos bracos; levou camisa de chita branc
com flores brancas dita de algodflozinho trangado,
cero ulase caigas uzues, baeta encarnada, redo,
chapeo de couro c malullo de couro do ovelha ; sup-
pu-se que se cncamiiihe para as partes do serlflo da
villa do Pombal, por ter sido escravo de Germano do
tal e Flix Rodrigues, moradores no dito lugar. Ilu-
ga.-se s butoiidades jioliciaes e capitos de campo,
que oapprchendaine levem-no ao dito engenho, ou
lia rua de Collegio, n. 16, quoseSo bem recompen-
sados.
-- Fugio, no dia 17 do corrente, n parda Francis-
ca levando comsigo seu f i I lio menor de um anno;
he de cor clara bocea regular, com falta de denles
n fente cabellos cacheados e corlados, nariz afi-
lado ; lem um defoilu em umdedo da mflo esquer-
da, olbos regulares, peilos pequeos; levou ves-
tido de chita azul com flores encamadas o outro do
riscado ja desbotado : o lilliu foi vostido com limlo
ja usado : quem a pegar leve-a a rua do Trapiche-
Novo, n. 40, que sora recompensado; ~
se chao e lava de sabflo ; urna parda de 26 annos, j
F.f.V : NA TYP. VE M.
F. DEFAMA.----1848
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4MS6DNFO_S7TSJN INGEST_TIME 2013-04-24T18:34:48Z PACKAGE AA00011611_06515
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES