Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06511


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^nn XXIV.
-
Scxta-feira IK
O /)/<"'" ptibllca-ae todos 01 daj que nlo
fin-'ii ) <>"'*: o l>re$o da asignatura he
I 1/OiMi rs. por quarlel, pagas adinnlniUn. O
'nniiucloi dos assignantes jfio inseridos
0 de 20 rs. por lluha, 40 rs. em typo dlf-
rriile- c as repellcdes pela metadc. 0 nao
,iiriiaiite pagarao 80 r. por liuliae IfiO rt
em iyP differente, por cada publica?ao.
PIIASRS I)A LA NO MEZ I)F. SETBMBRO.
firMfU, s- as 6 horas o 24 min. da tard.
lacinia, a13, s 3 horai e 59 inln. da manb.
MiMoantt, a 19, i7 borai e 38 min. da raauh.
la*oM, a 27, s 7 hora* e 16 min. da manb.
PARTIDA DOS CORREI0S.
Golanna e Parahiba. segs. e sextas-felras.
RIo-G.-do-Norle, .|iiint-l>ir ao inrio-di.n.
Cabo, Serlnbiern, ftio-Formoao, Porto-Cairo
e Macelo, no I.*, a II e 21 de cada mea.
Garanhum e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s qulnlas-feiras.
Ollnda, todo* os das.
PREAMAR DF. HOJE.
Primeira, s 6 horas e 54 minutos da manb.
Segunda, s. 7 horas e 18 minutos da tarde.
ile Setembro de 1848.
N. 0.
das da semana.
11 Segunda. S. Theodoro. Aud. do J. dosor-
li. do J. clv. e do J. M. da 2. v.
erca. S. Aula. Aud. do J. do c. da I.
r. e do J. de pai do 2. dist de (.
13 uarta. S. Filippe. Aud. do J. do c. da
2. v. e do J. de paz do 2 dist. de t.
14 Quinta. ExallacSo da Santa Cruz. Feriado
para os negocios forenses.
15 Sexta. S. Domiagns em Soriano. Aud. do
J. do clv. e do J. de paz do 1. dist do t.
I( Sabbado. S. Cornrlo. Aud. do J. do .
v. e doJ. de pai do 1 dist. de t.
17 Domingo. Festa das Dores de N. 5.
CAMBIOS NO DA 14 DE SF.TF.MBRO.
Sobre Londres a 23 e24 d. por 1 f rs. a 60 d.
Pars '
Lisboa 120 por cento de premio.
i> llio-de-J ineiro ao | ar.
Desc de- leu de boas Urinas al i' no mes
Acedes da comp. de l'eberibr-, a.Wrs. no p.
Oaro.-Oncas hespanhulas 32#0O0 a 3J/20O
Moedas de6*100 v. ISTMIO a 18/200
. d> (1400 n. 16#40H a V00
de4>)00... 9/900 a 10/000
Prala-Patacoes brasileiros 2/W>> a 24050
Pesos coluinnarlos. 2/040 a i/OM
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/92H
- ......" -*
ZF
'xrrr-
DIARIO DE PEIHAMBUCO.
'ILU-I
W!""-
MfBBB
vm
sxm
IZARTE OFFICIAl.
I
K
LEI N. 228 DE 18 DE SETENBBO DE 1848.
frra a receila eflxa a deipeta para o anno finaneeiro de
' 1848 a 1849.
Antonio da Cosa Pinto, presidente da provincia de
Pernambuco. Faqo saber a todos os seus habitantes,
que a assembla legislativa provincial decretou e eu
sanecionei a leu seguinte:
TITULO I.
Detpesa provincial permanente.
Art. 1- O presidente da provincia he autorisado a
despender do primen o de julho de 1848 ao ultimo de
unho de 1819 a quantia de quinlientos e noventa e
umeontossetecentos e tres mil seisoentos edez ruis',
com a despeza permanente, e cont e Irinla eolitos
quatrocentos quaronla e tres mil c seiscentos ris
jiwn a pvlrai.inlinaria.
Art. 2. Com a assembla legislativa provincial a
aber :
\ 1. Com o subsidio dos niembros da
assembla, nn conformidade da lei pro-
vincial n. 159,sendo csso trazldo se-
cretaria da mesma polo fiel do thesou-
rciro, o entregue ao primeiro secro-
Ur0 12:000,000
S 2. Com a indemnisagio de ida e
voita 1:600,000
3. Com os empregados da secreta-
ria* ecasa, considerando-se como orde-
nados os vencimentos que lodos olles
prrccbm, eeando elevado a 800,000
ris o ordenado do segundo ofllcial
Francisco Duarle Colho 3:450,000
4. Com a publicago dos Irabalhos
da assembla por uchigraphos, pagan-
do-se mensalmcnto ao contratante 4:500,000
5. Com o expediente e asscio da
casa 400,000
Art. 3.' Com a secretaria da presidencia, a saber:
1. Com os empregados, (cando o
presidente da- provincia autorisado a
supprimir alguns empregos, e a refor-
mar esla repartigao como convior ao
servico publico 11:200,000'
2. Com o expediente o asseio da
casa 600,000
Art. 4." Com a tbesouraria da fazon-
da provincial 13:500,000
Art. 5." Com a mesa do consulado provincicial,
a saber:
1. Com os em pregados da mesa do
consulado, autorisado o presidente da
provincia a reformar esta ropartigilo,
supprimindo alguns lugares so assim o
jlilgar conveniente 15:000,000
V 2. Com a inspecgTo do assucar e
algodffo ecnpalazia 16:930,000
', 3. Com o expediente e asseio da
casa 700,000
4. Com as collcclorias, devendo ser
tedas postas m adniinistrago, me-
dida que freni acabando as arremata-
das, mediante quinze por cento a de.
Olinda, o vinte por cento todas as mais 4:533 340
a 5. Com as agencias do tabaco,
charutos, sabio o bebidas espirituosas,
percebendo cada urna das agencias oilo
por cento do cominisslo 4:200,000
Art. 6 Com o solicitador da fazenda
provincial 300,000
Art. 7. Coraolyceu do llecife, a saber:
1. Com os professores e emprega-
dos, continuando a autorisagilo dada ao
presidente da provincia no 1." do or-
tigo 7 da lei n. 158, do primeiro de a-
bril de 1846, o ftcando om vigor o art. 3
do capitulo 4 da lei provincial n. 43, de
lo dejunho do 1837, elevando-se a gra-
lificaQfo consignada neste artigo a 200
mil ris 14:775,000
2. Com oeslabelecimcutn da escola
industrial 2:000,009
$ 3. Com o expediente e us. >io da
casa 400,000
Art. 8. Com os proressores de latim,
tundo os das cidades de Coianna o da
Victoria 5110,000 rs. cada um; o do bair-
ro do Becife 00,000 rs., ePicando o pre-
sidente da provincia autorisado a pro-
ver na primeira esdeiru de latim que
vagar, independenle do novo concurso,
ao cidadiio Jos Micacio da Silva, salvo
o direito dos substitutos 3:900,000
tnico. Com oaluguel de casas dos
professores da lloa-Vista o San-Jos, in-
clusive a quantia de 50,000 rs. que se
deve ao professor do Recife, o reveren-
do Jonquim Rafael da Silva 450,000
Art. 9." Com os professores do pri-
mearas lettras de toda a provincia, tqn- -
do o substituto das duas cadeiras da ci-
dade de Olinda 400,000 rs., o igualado o
ordenado da |n oledora da' tidade da *
Victoria ao da di; Coianna 36:983,530
(Juico. Com o aluguol de casas se-
gundo o orcamento vigente, sendo ole-
vado o do professor do l'oco-da-l'anel-
la a 150,000 rs., e o dos professores de
Coianna, Victoria e Beberibe a 100,000
ris
Art. 10. Comoconcelho desalubri-
dade, (cando autorisado o presidente
da provincia a reformar esta repartigao
Art. 11. Com o corpo de polica, ten-
do o commandanto a graduagflo de ma-
jor com o sold de 80,000 rs. e mais
urna forragem ; o ajudante, secretario
e qiiarlcl-mcstro, a graduaefio de se-
gundo commandanlia e o sold corres-
pondente mesma graduigao, marcado
na lei da frga policial do correte an-
uo, eos nllieiaes d" lileira mais 10,000
rs. de sold cada um
$)d, Com agoa e luzes para o mesmo
corpo e destacamentos, incluida a des-
peza do transporte dos ofliciaes
2. Com o supprimcnlo e roupas
para o hospital
Art l. Com a lliumina^So publica,
inclusive a da cidade de Olinda c povoa-
cao dos Argados
Art. 13. Com as obras publicas, a saber:
;, 1. Com os empregados, (cando au-
lorisado o presidente da provincia a re-
formar a rcpartiQilo e rcgulamento co-
mo mclhor convier ao servic.0 publico
2. Com o expediente e asseio da
casa
3. Com a planta, orcamento e prin-
cipio de construeco de urna cadeia
nesta cidade
S 4. Com a conservagilo e roparos das
estradas, ponles e cadeias, continuan-
do a autorisaglo dada ao presidente da
provincia qual.to ponte dos Afogados,
sendo 500,000 rs. para urna calcada
em roda da cadeia do Brejo
5. Com a eslrada de Santo-Antio
I 6. Com a de l'o-d'Allio
7. Com a continuacao da estrada
do norte
8. Com a do sul
9. Com os Irabalhos grapbic.os
S 10. Com a contnuac5q do caes de-
nominado -- Ramos a terminar em
linlia recta com o primeiro oitSo da ca-
sa de Antonio Vicira, tendo urna s
rampa
11. Com a construccSo de um cu-
de'na povoago de Bozerros
(2. Com a coiistrur.cio de urna pon-
i sobro o rio lina
Art. (4 Com a assocc,3o dos ar-
tistas
Art. 15 Com os paroclios o coadjuc-
tnres de toda a provincia
Art. 16. Com o guisamento o fabricas
Art. 17. Como seminario do Olinda
Art. 18. Com os religiosos capu-
chnhos
Art. II). Com o lecolliimenlo da Con-
ci'icfio do Olinda
Art. 20. Com oseslabclecimentos do
sabor:
1. Com o hospital do caridade, ele-
vados os ordenados do primeiro medico
e cirurgiSs a 600.000 rs. cada um, o do
boticario a 500,000 rs., e o do escritu-
rario a 400,000 rs,
2. Com o aluguel e reparo da casa
onde se acha o hospital
3. Com o hospital dos lazaros, in-
cluida a quola de dous conloa de ris
para as despezas necessarias a cura de
tres elephantiacos que deverilo ser en-
viados a provincia de San-I'aulo, o 500
mil lis para a construccSo do um ora-
torio no mesmo hospital
4. Com a casa dos expostos, inclu- '
do o quantilalivo do 200,000 rs. que se
deve a cada urna das expostas D. Mara
da Penha de Franca, D. Laurinda Mai a
da ConceicBo c I). Joanna Mara
5 Com as casas de albergara
Art. 21. Com o sustento e curativo
dos presos pobres, incluida a quantia
de 88,810 que se deve ao carcerciro da
cadeia da comarca do Cabo F.stevHo dos
Anjos da l'orciuncula
Com os aposentados, a saber:
1. Com dous ofliciaes maiores,
dous officiaes e um porteiro da secreta-
ria do governo, sendo 960.440 rs. ao_of-
llcial maior Antonio Jos do Oliveira,
789,333 rs. ao ofllcial Jos Xavier Faus-
tino Hamos, e 472,000 rs. ao porteiro V-
rissimo Antonio de Mallos
2. Com um secretario e tresprimel-
ros escripluraros da estincla thesou-
raria provincial.
Art. 23. Com os jubilados, a saber:
1. Com os professores de forono-
fi:.',50,000
7:200,000
16:468,750
19:650,1R0
20:000,000
102:000,000
2:000,000
3:000,000
38:169.880
16:620,000
500,000
30:000,000
25:000,000
25:000,000
25:000,00
0:000.000
5:000,000
2:000,000
8:000:000
2:500,000
1:500,000
700,000
28:400,000
1:708,000
3:850,000
800,000
500,000
caridade,
20:000,000
ma, pbilosophia, geographia e rhelo-
rica .
2. Com os de latim
3. Com os de primoiras lettras
Art. 24. Com o ordonado -do admi-
nistrador do theatro publico
Art. 25. Com o pagamentodj segun-
6:857,100
6:500,000
2:000,000
1:500,000
3:900,000
2:000,000
8:038,840
3:981,323
4:472,190
2:500,000
1:882,777
4:650,000
1:800,000
r~ ":i3r^ ^r~:~
da lettra da exlincta companhia, Inclu-
sive osuros
Art. 26 Com a contribuido de tres
por cento da renda provincial para a
caixa econmica
Art. 27. Com as despezas eventuaes,
inclusive a compra de um tapete novo
para a sala das sessOes da assembla, e
mais 400,000 mil ris com a indemnisa-
cjio ao artista Joaquim Jos do Carva-
llio Siqueira Varejilo, que offereceu o
busto doS. M. o Imperador, continuan-
do em vigor as disposigOes do art. 22
da lei n. 192, de 12 de abril de 1847
TITULO II.
feipeta extraordinaria.
Art. 28. Com os juros eamortisaco
da divida fundada em virtude da lei n.
115, de 8 de maio de 1843, cujos credo-
res pedirn-, o pagamento do prometo
com o abate de quinze por cento, na for-
ma da autorisaglto da lei n. 206, de 26
de julho do 1818
Art. '29. Com cem lampcSes com re-
verbero de lalo, a saber vinte para a
cidade de Coianna; vinto e dous para a
de Olinda ; vnlc para a da Victoria ;. os
mais para a do Recife, devendo ser col-
locados uns at k ponte da Magdalena
em seguimento dos queja existom, e
outros at a povoug.lo do Manguinho ;
dez para o areial do Fra-de-Portas;
otilros para as novas ras que anda os
nflo teetn; e o resto se collocar em se-
guimento dos que existom na estrada
nova de Olinda, devendo toda a illumi-
nagilo ser feita porarrematacflo, e esta
por freguezias, logo que se lindar a quo
existe
Art. 30. Com os reparos das capellas-
mores das matrizes, inclusive 2:000,000
de ris para a de Una ; 2:000,000 de rs.
para a de Coianna; 1:600,000 ris para
a de S.-I.ourengo de Tijicupapo ; 2:000/
de ris para a de Carar; 3:000,000 do
ris para a de S.-Jos desta cidade;
1:000,000 doris para a do Nossa Sc-
nhora-da-Cloria do Goit ; 500,000 mil
ris para a do Brejo ; 1:000,000 de ris
para a de Po-d'Alho ; 1:000,000 de res
para a Varzca, e 1:000,000 de ris para
adeJahoatTo
Art. 31. Com a concessSo feita a Jos
Pedro Vellozo da Silveira. ox-arrema-
tanle dos lquidos espirituosos
Art 82. Com a melado do quo se do-
ve Vi uva de Jos Ramos do Oliveira,
do cese rampa que construio
Art. 33 Com a conlinuagSo da obra
do theatro publico
Art. 34. Com as plantas, orgamen-
tos, e principio da construego das ca-
deias das comarcas do Rio-Formoso,
Boa-vista, Nazarelh, Po-d'Alho e Ca-
rar
Art. 35. Comarecdificag.looconcer-
tos dos predios do patrimonio dos esta-
beleclnienlos de caridade
Art. 36. Com a obra do grande hos-
pital denominado Podro II
Art. 37. Com o principio da ponte de
Japumim, e abertura do rio Coianna
Art. 38. Com una ponto sobre o rio
Coit
Art. 39. Com o principio do atierro e
caes em frente do alagado que se acha
destinado para passeio publico
Art. 40. Fie* autorisado o presiden-
te da provincia*, no caso de necessida-
de do aervigo publico, a elovar a frca
do corpo policial a 500 pregas, distri-
buindo-as em quatro companhias, o
dospendendomais
TITULO III.
Receila Provincial.
1 Fica o presidente da provincia autorisado
tuaras'despezas decretadas nesta lei, e fa-
zerarreeadar as rendas designadas nos paiagraphos
seguidles:
. 1. Tres por cento do assucar exportado, sendo
esto qualificadona Turma determinada pola lei n. 27,
de 11 de junho de 183C, e calculados os tres por cen-
to a respeito de cada qualidade na rasilo de sou res-
pectivo prego.
2. Cinco por cento do algodlo, cafe c lumo ex-
portados. .
3. Taxa das caixas, fechos, barricas o saccas de
assucar, e saccas de algodio.
5. Dous mil e quindenios ris por cabega de ga-
do" vaceum consumido nos municipios do Hecife, 0-
linda, Iguarass, Coianna, Nazareth, Po-d'Alho, S.-
Ant3o, Cabo, SerinhAem, Bio-Formoso e Agoa-Pro-
ta, e nos outros municipios s pagarlo este imposto
aquellesquotalharem carnes para negocio, eos cria-
dores paga rilo o dizimo, que fica cstabelecido como
dantos.
S 6. Dizmodo gadocavallar.
7. Dizimo docapim de planta dos municipios do
ftocife e Olinda.
^ 8. vinte porcentodagoardente do consumo.
' 9. Sello de herangas c legados.
S 10. Meia siza dos escravos.
18:000,000
1:600,000
1:386,50O
18:000,000
20:000,000
5:000,000
5:000,000
4:t>00,000
(00,000
5:000,000
25:000,000
11. Cinco mil ris por oscravos despachados pa-
ra fura da provincia.
$ i2. Emolumentos de polica.
i 13. Dez por cento dos novos o velhos direito.
dos empregados provinciaes.
14. Doze mil o .oitocenlos ris de cada olaria,
sefraria, fabrica do tabaco, de charutos, de chapeos
e casa de cambio,
$ 15. Imposto sobro o tabaco, charutos e sabfiQ
deconsumo, excepto o do fabrico da provincia, sendo
cem ris por libra de tabaco fabricado, scisoentos
ris por arroba do nao fabricado, mil ris por mi-
Iliciro de charutos, c quindenios ivis sobre arroba
de sablo.
16. Imposigflo sobro as casas de modas.
17. Um por cento do producto do cada leilno
que n1o forfeito por ordom judicial, sendo metade
pago pelo comprador o metade pelo vendedor, e sen-
do o corretor responsavcl por todos.
18. Quarenta ris por cumula de bebidas espiri-
tuosas do consumo, exceptuada a agoardente de fa-
brico provincial.
19. Matricula das aulas do lyceu, do seminario
de"Olinda, odas aulas de latim a dez mil ris annual-
mente.
20. Taxa das barrenas das ostradas e pontos ,
inclusive a da estrada do norte, e das que do novo se
cstabelecerom.
21. Rcndimcnto do evento.
ji 22. Apprchensfles pela polica.
*i 23. Honda do jardim botnico de Olinda.
i 2*. Multas por infracres de regulamentose con-
tratos.
25. Heposigocs o restituigoes.
26. Venda dos gneros e utensis provinciaes.
j 27. Metade da divida activa das rendas provin-
ciaes anteriores ao primeiro do julho de 183R.
28. Divida activa provincial.
^ 29. Meios sidos e sello dos ttulos dos ofliciaes
da guarda nacional.
*> 30. Boud.im.6bto da eapatazia do ulgodio.
5 :11. Producto das loteras do Ihoatm publico.
32. Supprmento feito pelo cofre goral.
TITULO IV.
MsposicSes yeraes.
Art. 42. Continuam em inteiro vigor as disposi-
goesdas leis anteriores de orgaincnlo, relativas ar-
rccadagiTo e administrafiTo das rondas, que se nito
oppozcrcm a presente lee
Art. 4.1. As despezas extraordinarias coutidas no
titulo segundoserfo l'eitas sem prejuizo ou demora
das ordinarias.
Art. 44. Fica abolido desde o primeiro dejulbo do
corrente anuo o imposto sobre os cocos, restituindo-
se aos arrematantes BSSUB8 lettras dos exercicios fu-
turos, e levando-so cm conta o abate proporcional
que se deve lazer em virtude do artigo miarlo das
ilisposigoes geraes da lei n. 192, do 2 de abril do
1847, que iscntou (leste impostos predios que pa-
gavam dcima.
Art. 43. Fica revogado o artigo quarto das dispo-
siges geraes da referida lei do 12 de abril de 184",
e o governo obrigado a indemnisar pela (|iiota das
despezas eventuaes ao actual arrematante do impos-
to do capim o prejuizo qne elle provar haver sofTri-
do em rasflo da dispogigSo do referido artigo qiiarlo.
Art. 46. Nenhum empregadq provincial poder re-
cober oseu ordenadosom primeiro apresentar o ti-
tulo do nomcago, pelo qualse eoiibega liaver pago
os novos e velhos direitos.
Art. 17. O presidente da provincia lica autorisado
a reformaros estatutos do collcgio dos orphftos, sub-
inettendo-os depois da reforma a approvagiTo d'as-
sembla legislativa provincial na seguinte sesso.
Art. 18. Todas os arrematngoes e contratos de re-
ceila ou despeza que se proeedercm na thesouraria
da fazenda provincial, serio feilosem pregHo, e s
se iulgarao ultimados com a approvagiTo do presi-
dente da provincia que poder mandar ronovar os
leiles, quando entender que elles foram feitos con-
tra as leis e rcgulamcntos.
Art. 49. Os arrematantes dos mposlos provin-
ciaes, cujas lettras fram extraviadas da tbesouraria,
e illogalmento cmittidascm circulago, licain obliga-
dos a aceitar no prazo de dous mezes, cm livor da
thesouraria, novas lettras correspondentes aos valo-
res das arrcmatagos, que tcem de ser verificados no
corrente anuo finaneeiro e no seguinte, recebendo
aquellas que porvenlura se acharem no cofre, Pican-
do desoncrados do pagamento das recebidas; e, quan-
do se neguemao imprmenlo deste dever no prazo
assignado, seriTo consideradas irritas c de nenhum
cfTeilo as arremalaccies dos rol u tan tos, o os impostos
submeltidosa nova arrematacio.
Art. 50. Fica 0 presidente da provincia autorisado
a mandar pagar ao-prolcssor Jos Bernardino de Se-
na a quantia correspondeiito a metade do ordenado
que venceuo professor da lingoa nacional, c ao lem-
po qiioaqucllc substitua esta cadoira sem pcrccbcr
ordenado.
Art. 51. Os batangos da thesouraria serio publi-
cados no jornal mais vulgarisado da provincia.
Art 52. Do dia da publicagiTo desta lei a seis me-
zes improrogaveis, seriTo pagas as moias sizas dos
escravos, qne se estivercm a dever, e lindo este prazo,
ncm a mesa do consulado, nem os collectores pde-
nlo recober siza que a vista do papel de venda se
queira pagar trinla (lias posteriores asna data, em
cujo caso ficar subjeito ao art. 17 do regulamento de
It de abril de 1812.
Art.53 Ficam revogadas todas as leis e dispos-
gOes em contrario.
Mando, porta'nto, a todas as autoridades quem
o conheciment e execugio da referida lei perteu-
cer, que a cumpram e fagam cumprir to inteira-
*i
* f
4
'
.ADO
/'


. .
'
^2

mente como nella se contem. O secretario interino
desta provincia a faga imprimir, publicare correr.
Cidade do Recife de Pernambuco, aos 2 rlias do
mcz de setembrode 1848, vigesimo-selimo da inde-
pendencia e do imperio.
L. S.
Antonio da Costa Pinto.
Carta de lei, pela qual V, Exe. manda execular o de-
creto da assembla legislativa provincial, que houve por
bem sanccionar, fizando a desposa, e oreando a receita
para o anno financeiro do priouiro de julho de 1848
a 30 dejunho de 18*9, ludo como cima si declara.
Para V. Exc. ver.
Antonio Leite de Pinto a fez.
Sellada e publicada nesta secretaria da provincia
de Pernambuco, aos 5 das de setembro de 18*8.
Florianno Correa de Britto.
Registrada a fl. 70 verso do livro 2. de leis provin-
ciaes. Secretaria da provincia de Pernambuco, S de
setembro de 1848.
Domingos Jos Soares.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 3 DE JUI.HO.
OfHcio Ao coronel commlssarlo-pagador, mandan-
do pagar ao Dr. Alexandre de Souza Pereira do Carino,
emquanto o contrario nao fr determinado pelo gover-
no de S. M. o Imperador, os vencimentns a que elle tem
direlto visto haver sido nomeado pela presiden-
cia medico consultante do hospital regiinenlal do se-
gundo batalhao de arlilharia a p, nao s ein conse-
cuencia de requlsico do commandante das armas c do
cominandanle do referido batalhao, se nao (ambein de
conformdade enm o disposlo no reguJainenlo de 17 de
fevereiru de 1832, segundo j se parlicipou ao mesmo
governo.
Dito Ao juis municipal e d'orphaos do termo de
foianna, diendo estar sciente de ter S. Me. passado a
vara criminal daquella comacra ao seu primeiro snp-
plenle, eni consequencia de adiar-se molesto.
Dito Ao inspector do arsenal de niariiiha, apprn-
vando a resolucao que tomara de mandar para bordo do
brigne escuna Lrgilidai, ahni do fioar pertencendo
.ii.ii ni', .i daquelle navio, com a praca que o respectivo
cmninaiidante julgar conveniente, o menor brasileiro,
Francisco Antonio, que, supposlo fssejulgado apto
para oservico da armada, nao tem todava a idade pre-
cisa para ser alistado no corno de iii.pcrlaes marinhei-
ros. para que fra recrutado.
Dito Ao cominandanle superior do Recife, dizen-
do que, nao obstante a duvida que apresentou acerca do
major nomeado para o oitavo batalhao da guarda na-
cional do seu commando superior, JosMendcs Carneiro
da Cunha, deve faz-lo empossar e entrar em exercicio.
Dito Ao nispo tur da thesouraria das rendas jiro-
vinciaes, cominuncando, para sua intcilgencia c afim
de o faier constar ao administrador do consulado pro-
vincial, haver mandado reintegrar no lugar de marca-
dor do assucar a Jos Antonio da Costa Medeiros.
Dito Ao commandante da corveta Euterpe, ordenan-
do que, antes que largue para a ilha de Fcrnando-de-
Nordnha o bigue-escuua Legalidade, faja passar para
bordo do iiiesino brigue-cscuna o preso rrancisco Pedio
Vinagre, aliui Ue ser conduzido para aquelle presidio.
Participou-se ao chefe de polica interino.
Dito A cmara municipal do Recife, ordenando que,
a bem da traoquillidade publica, faca com urgencia
urna postura prohibindo, nao soque os escravos se for-
iiieni em grupos as ras desta cidade, seno lambein
que, depoisdo toque de recolher. andem pelas mcsiiiai
ras mu bilhetes de seus senhores.
Dito Ao juiz municipal da primeira vara, dndose
por inteirado de terS. Me. entrado no exercicio do seu
emprego.
Circular Aoijulzes d'orphaos da provincia, remet-
iendo, emcumpriinento do imperial aviso de 14 deju-
nho ultimo, copia da circular expedida pelo ihesoui o
publico nacional em 13 de Janeiro do presente auno,
contendo providencias acerca da arrecadacao de bens
de subditos de >. M. F. neste imperio, feila pelos cn-
sules portugucics, anteriormente declaracao do go-
verno da cessacao dos arligos 5." e lu. do tratado cele-
brado com Portugal em 29 de agosta de 1825.
DEM 1)0 DA 4.
OIHcioAo chefe de polica interino, declarando que
o preso Jos Antonio da Silva Jnior deve de ser reinct-
tido quanto antes para Portugal, ou para qualqucr nutro
lugar da Kuropa, segundo as ordehs imperiars, pagan*
do-.e-lbe a passagem por coma dos fundos votados para
as despezas secretas da polica. Participou-se ao cn-
sul de S. M. Fdelissiina.
qualquer dos ramos do servien publico. Nos, pois.
por csse motivo, nos congratulamos tifio s com S.
Exc, senflo tambera com toda a provincia com S.
Exc, porque se ostenta desejoso de cumprir os pe-
sados deveres da nobre, porm espinhosa missSo que
Ihe est incumbida; com a provincia, porque Ha
ganda muito em ter por administrador um cidad.to
com tilo louvaveis disposices.
CremosqueS. Exc. so prepara a remediar quanto
antes os males que pesam sobre os pobres elephan-
tiacos, que, alm da (errivel molestia quo os op-
prime, estilo a bracos com o deleixo criminoso de
quem qur que deve de concorrer para que esses
males nflo exlstam; e temos f que esse remedio
ser tilo proficuo quantocumpre que o'seja.
Pelo vapor Bahiana, chegado boje dos porto* do tul,
recebamos jornaes do Rio-de-Janeiro at 3, e da Baha
at 11 do corrente.
Na corte nada occorrera que faca receiar que a iran-
quilldade publica teja ahi posta em risco.
Sua Magestade o Imperador estava em cnnvalescenca,
e havia rasSes para crer se restabelecesse dentro em
pouco.
A actual sesso da assembla geral legislativa fra pro-
rogada at 3de outuhro prximo futuro.
O Exm Sr. Paula Souza nbtlvera um me/ de licenea
para tratar de sua sade. A pasta da fazenda tinha si-
do encarregada interinamente ao Exm. Sr. Sousa Franco.
Oque demais cnlhmos nos peridicos fluminenses,
consta dos extractos que se seguem :
o Consta-nos que SS AA. osSrs. conde e condes-
sa d'Aquila snhiram deNanoles para a ilha da Malta
Que Ihe era desairoso submetter-se direcclo de nu-
tro caixeiro, que, posto fsse mais moco em idde,
era comludo mais antign na carreira compmrcial.
Oferidoainda nflo pode serjulgadn fra de pe-
rigo. A regiflo comprometirda. segundo lemos na ex-
psito do Sr. Dr. Antonio da Costa, he una das
mais graves, por ua proximidade a vasos importan-
tissimos; mas ha esperancas de salva-lo.
c Pelo brigue de guerra i nglez Greoian recebemos
folhas de Montevideo al 14 do corrente.
No din 9 houve na cidade o mmediaces um for-
te terremoto, que por urna especie de trepidaeflo se
sentio tambem a bordo dos navios Tundeados fra
do porto, o que dtirou rnais doum minuto., Feliz-
monto nflo occorreu a menor desgraca, nem houve
estragos.
odia 11 perdeu-se um escaler do recia* com
as malas para este porto, morrendo o guarda mari-
nha Gambier e quatro marinheiros. Ovcntosopra-
va rijo do sul, o mar estava alto, e o infeliz guar-
da-marinha tinha de r do mnlho do Montevideo para
bordo do seu navio, fundeado distancia de quatro
milhas. O Greoian tinha estado fundeado na bocea
do porto, e mudara de ancoradouro naquella mes-
ma manhfla por ordem do commodore Herbert. Pa-
rece que S. S. estabeieceu ha algum lempo a regra
de que todos os vasos de guerra e paquetes devem ir
Tundear as agoasdoseu navio quando estiverem
para fazer vingem. Esta innovaeflo tinha excitado
grandes clamores da parte docorpo docommerco
de Montevideo, pelos incommodos e perigos a que
ex i ii n lia os passageiros, a correspondencia e o di-
nheiro que soremettia. O lamentatol aconlecimcn-
to do dia H prova desgraciadamente queossesre-
ceios nflo eram mal fundados.
O Buceo estava bloqueado pela corveta Astrolabe,
a costa de Santa-I.ucia pelo brigue Alsaoienne, e al-
guns pontos do Uruguay pelo brigue Tactique.
De Huenos-Ayres alcancam as noticias a 7 do
corrente. Nada de importanto tinha occorrido.
Carlas de Roma annnnciam estar nomeado tnon-
senhor liarili para internuncio nesta corle.
Temos noticias de Montevideo at 23 do pastado.
quera tomar as pilulas, eu Ihe respond que o nh,-
gassem por todos.os meios: conlinuot o meu ri*
commodo anda no quarto, dia : no quinto san
me ilirigi casa do Sr. do doe'nte, e como enenn*
Irasse um seu caixeiro a porta do armazem, e o
jt aaai *a aa aa aa. lh ^ s>j> aV Jlrt a\ 1 am. All fABHA a ^a a-----------. a '^* '
A vists, pois, do exposto poden, julgar os median
e o publico sensato, para quem escrevo, pouco m!
importando com os esperlalhes e estpidos, o de<
prezando os ignorantes, se foi a miraculosa Jse h!
mceopatliica, ou as pilulas opiadas que determina
ram a cura. Eu deixaria passar a pomposa mrr
cSo, se nilofra provocado em a nota do artigo
ameagado com todos os meus collegas em um tora
dictatorial, pois que deixo que ca.la qual empregue
os seus meios de vtver, porque nflo lio a mima quem
incumbe examinar se silo ou nflo lcitos: mas, p8-i
que se hilo dissesse que tenho recoio de bravatas
he que contei fielmente como o caso se passou.
Dignem-se, Srs. Redactores, inserir euro seu acre-
ditado jornal estas linhas, polo que I lies ser surr-
mametite grato o seu constanto leitor
Antonio Gomes Taares.
Recife, 14 de setembro de 1848.
COMMERCIO.
i,* o nqu.ia mi.iih.ii. ..e n.noioa para a una aa Malta Araca da Colonia foi tomada po. fo.v do general Ori-
em das do mcz dejunho, dingindo-se para o Brasil, j be no dia 18. Segundo refere o CommercioM Piala, foi
Provavt'lmenle tocarilo em Lisboa, onde devem en- laberto o portao por alguna traidores, acordando a guar-
contrar-.se depois com o vapor brasileiro Affonio, que 'nicao alta noite com o inimigo dentro da praca. No
DIAIIIO DE PIBXAIBUCO.
REOITS, 14 SZ SETEMBRO DE 1848.
Informado de que os miseraveis recolhidos ao la-
zareto de Santo-Amaro nflo eram ahi tratados como
convm, e como o exigem as regras da humanida-
de; S. Exc. o Sr. presidente da provincia, ceden-
do de pro.npto aos sentimentos philantropicos que o
aninvam, lomou a resolucflo de ir visitar aquelle esla-
belecimonlo, na ntcncSo de providenciar conveni-
entemente a somelhante respeito, depois dn haver
examinado por si mesmo o como iam all as cousas.
Foi hontem, pelas quatro e mcia horas da tarde,
queS. Exc. levou a effeilo u sua resolucilo, pois
queaessa hora encaminhou-se para o deposito de
infelizes, em que j fallamos, acompanhado do pre-
sidente do concelho geral de saiubridadc publica, o
Sr. Dr. Joaquim de Aqui no Fnnsera.
Ah chegado d'mproviso, porquanlo nflo ora es-
perado, S. Exc. reconheceu que nada havia de exa-
gerado as informaces que o obrigaram a ir a
semelhante lugar; e foi tal a impresslo que Ihe cau-
sou o estado em quo achou o hospital, que nflo pode
deixar de manifestar o seu dosgosto, mxime quan-
do soube que um dos desgranados, nella existentes,
apenas tinha por cama unta dura loboa, onde, acm
travesseiro uem lencol, era obrigado a repoisar o j
macerado corpo, sempre que se senta fatigado.
Este passo de S. Exc. penhorou-nos sobredio-
do, porque voio consolidar a conviccflo. em que
estamos, de que elle se acha disposlo a nflo p*ou,,ar
nenhum dos meius que as leis Ihe facultam para por
termo a todos os abusos que porventura se dem env
devia parlir de Londres em das do mez de julho, o
no qual podiam ter SS. AA. commoda viagem. Sa-
bemos que este vapor.est desde l'evereiro disposi-
cflodosSrs. principe e prnceza de Joinville, o que
fra approvado pelo governo em oficio do mez de
maio, e que ia ser agora posto disposieflo dos Srs.
conde e condossa d'Aijiiila.
Por carta imperial de 18 do corrente mez foi
exonerado do cargo de presidente da provincia da
alna o Sr. concelhciro Joaquim Jos Pinheiro de
Vasconcellos, e por carta da mesma dala nomeado
para succeder-lhe o Sr. deputado JoiloDuai te Lisboa
Serra.
Por caria imperial de 14 do corrente mez Toi es-
colindo senador pela provincia do Rio-Grande-do-
Sul o Sr. concelheiro Jos de Araujo Ribeiro.
Foi rccanduzido o Sr. concelheiro Jos Ber-
nardo de Fgueiredo, no lugar de presidente do su-
premo tribunal do Justina.
Foi removido do termo de Pintangui para o
do Arax, na provincia de Minas-Geraes, o juiz mu-
nicipal e de orphflos, o bacharel Hilario Gomes No-
gueira Barbosa.
Consta, pela fitika offleial, que chegra a bulla
pontificia da creaeflo do .ispado do Rio-Grande-de-
S.-Pedro-do-Sul.
Ordenou-se que o patacho de guerra nacio-
nal Desterro, logo que esteja prompto e convenien-
temente armado, se faca de vela para a provincia
do Itio-Grande-do-Sul, onde deve ficar estacionado.
Ao director do arsenal de guerra da corlo se
ordenou que Uzease apromplarcom urgencia 12 pe-
nelo da i uiilWiu que produzio esteaconlecimenlo, tra-
taran! todos de salvar-se. O nico ponto onde se poda
fazer alguma opposico foi defendido com galhardia,
mas afinal leve de capitular.
a No dia 14 senlio-se em Montevideo um novo tremor
de trra, hirnos forte e de menor diiiaciio que o ante-
cedente.
De Buenos-Ayres ha datas at 2o do paisado. Um
acto cruento, praticado all no dia 18 por ordem do ge-
neral Rosas, tinha posto os nimos em terror. Um cl-
rigo por nome Gutierres, cura da parocbla do Soccorro
em Buenos-Ayres. seduzio ha lempos urna menina de
2-2 anuos, e de familia decente daquella cidade. Fugindo
para Corrientes, foi alli denunciado por um padre ir-
l.mdi/., preso e conduzido a t'uenos-Ayres, o.ode apeuas
chegou, e sem processo, foi fuzlado no acampamento
militar dos Santos-Lugares, bem como a joven infeliz
que se dcixa.ra seduzir, c o innocente que trazia em
seu se io!
Temos folhas de New-York at 17 de junho.
As nomeaQes olliciaes das convencos de 15 a I -
timore ede Pliiladelphia cadeira presidencial ti-
nham sido aceitas pela grande maioria dos dous
partidos.
o Os Irlamlezes residentes nos Estados-Unidos re-
ceberam com a maior iiulignac.lo a noticia da con-
demnaeflo do seu compatriota Mitchel. Por toda a
parte se faziam reuuies em que se pregava o appel-
o s armas; preparavam-se fundos para auxiliar o
niovitnenlo, e projectavam-se duas expedices,
urna de 5,000 homens para desembarcar na Irlanda
e levantar o estandarte da rebellflo, outra pura di-
rigir-se a llermuda e libertar o Sr. Mitchel.
O governo americano tinha recebido a ratifica-
ALFANDEGA.
RENDIMRNTO DO DIA U..........
Deicarrega hoje, 15 di setembro.
Hlale Espadarte fumo.
gttfa
1MFRTACAO'.
faria-Joaeuinn, patacho portuguez, vindo da Figuel
ra, entrado por franqua no corrente mez, consignado i
Firmino Jos Flix da Roza, manifest!! o seeuim-
loo metas pipas e 44J barris vinho Unto, 98 ditas" dito
branco ; ordem.
6 lucas pipas c 38 barr vinho Unto ; a Le Bretn
Schara.un & Companhia. i
1 calxote com vestidos e chapeos usados para aenhot^
a Jos Dias Crrela. fi
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DIA 14.
Oeral......
Diversas provincias
842/H4
60/187
911/301
r;as de calibie24, reparos e palamenta respectiva "01!0 tratado do paz com o Mxico, as ultimas no-
para seren remedidos para a provincia do Rio-Gran- *'" Vera-Cruz com data do pri
de-do-Su
Foi exonerado, pelo haver pedido, do con-
mando interino da di visito naval do norto o copitflo
de fragata Luiz Gaetano de Almeida, sendo nomea-
do para suhslilui-lo, no commando da mesma esta-
Cffo, o eapilfio do fragata Joaquim Manoel de Olivei-
ra Fgueiredo.
Por decreto de 31 do mez prximo passado foi
nomeado commandante geral do corpo de impe-
rtas marinheiros o Sr. capildode fragata Jos Varia
Icrreira.
Circular, conforme o aviso da secretaria do imperio
de 1 desta mcz, declarando que na internosicao d re-
curso das multas que forciu impostas pelos administra-
dores dos crrelos aos arrematantes das malas, as quaes
sao impostas da mesma sorlc que o sao as do artigo 176
do regulamento de 21 de dezen.bro de 1844, deve pre-
valecer a regra ostabelecida no artigo 272 do mesmo re-
gulamento.
Est designado o dia I. de oulubro prximo futuro
paraareumaodos eollegios elcitoraes, aflu de se pro-
ceder a nonieacao de um senador, para preencher a va-
ga que deixou no senado o fallecido marquez de Parana-
gua.e por nao haver tomado asiento o concelheiro Sa-
turnino de Souza e Olrveira, que lora escolhdo e falle-
cer antes de verificados os seus poderes.
Foi demttlidodu secretario da provincia do Rio-
de-Janeira o Sr. Dr. Eduardo Olympio Machado, e
nomeado para o substituir o medico Manoel Joa-
quim da Silva.
. O Sr. Jolo Nepomoceno Castrioto foi igualmcn-
te demillido do commando do corpo de Permanen-
tes Pela secretaria do estado dos negocios da mari-
ntta so ordenou que, sempre quu houver do sabir
qualquer emharcaQflo da armada, e nflo estela o lem-
po seguro, seja ella acompanhada por alaum dos
barcos de vapor da nacllo, que rsteja no porto.
O Sr. brigadeiro Jos Mara da Silva Biltancourl
volta para a directora da fabrica de plvora
O Sr. capitflo-teiieiile Francisco Luiz da Ga-
ma Rosa fot nomeado commandante da Torca naval
estacionada em Montevideo.
,. ,?-" le"e,lle da armada, Francisco Duarte da
costa Vidal, fot desonerado da commissflo de enga-
jamonio de que se achava ticatregado no norto do
PerHambuco '
Expedo-se aviso ao director interino da es-
cola militar, declarando que o Sr. Dr. Candido de
Azerodo Coulinho deve ser considerado como subs-
tituto de sciencias naturaes da mesma osela.
O governo approvou a nomeacflu do 1. lenle
do corpo de engouheiros, Jos Mara Jacintiio Ra-
bello, para servir duranio a molestia do lento subs-
tituto de desenlio da escola militar.
O Sr. Candido Soaras de Meirelles, caixoiro de
urna caSa de commercio desla praca e iilliodo dis-
lincto medico o Sr. Iir. Soares de Meirelles, tentou
suicidar-se ante-honleui de lardo na Boa-Viagcui
dando um tiro de pistola no ouvido.
Este aclo do loucura he devldo a um mal enten-
meiro dejunho
annuncavam quo o exercito americano havia come-
gado a sua marcha de desoccupaqilo, e que, por todo
o miz, eslaria o paiz evacuado. A frQa que tem de
embarcaretn Vera-Cruz motila a 32,000 piscas.
o O clebre agitador Paptheau apparecia outra
vez em campo no Canad, pregando a separadlo da-
quella colonia da mfli-palria.
Na Martinique tinhiim-so revoltado os trabaja-
dores, e correu sanguo. Receava-se que o contagio
se estendesse Guadeloupe.
A Babia ficra tranquilla.
Achava-se Ua capital o Exm. presidente nomeado pa-
ra essa provincia.
Os trabalbos cleitoraes, que se ahi procedeu no
dia/deste mez, elleetuarau-sc com calma e pacifica-
mente.
Depois da mortc do clebre Antonio Joaquim Guerrel-
ro, o Pilao-Arcado j nao era o theatro de assassinatos,
roubos e depredaces
Correspondencia.
Srs. Redactores .Nflo he por apresentar-me como
campeflo para defender a medicina allopathica, que
vou responder ao desalo indirecto que na nota ao
artigo do seu Diario de hontem, segunda feira, as-
signado pelo Sr. Dr. Sabino, me foi dirigido : nflo
he Srs. Redactores, j porque nem ella precisado,
defesa, pois Ihe basta a sua ancierjidade, j porque'
uniros de maior pulso e mais fino tacto teem tomado
sobre s essa larefa : lenho nicamente em vista
narrar o ficto que faz o objecto do artigo em ques-
illo, para quo o publico avalie so he com justa rasflo
que o Sr. Dr. Sabino se arroga a cura do escravo pelos
seus meios homoeopalhicos: ois como o caso.se
passou.
Sendo cu, no dia 29 do passado agosto, chamado
como facultativo departido casa do Sr. Antonio
Henriques Rodrigues, para tratar d'um seu escravo
quo se achava doenle, sendo-mo esto apresenladue
por mim observado, o ofihei em um estado de tre-
mura e coberlo desuor. Depois dos interrogatorios
o exames que julguci convenientes, e sendo infor-
mado que o pelo ora habituado a ombriagar-se, ca-
pituloi a molestia como delirium Iremens; receito-
Ihe portanlo, um antipasmodico e calmante para
tomaras colheres, advirlindo aosenhor do dito pre-
to que se nflo admirasse, se elle Ihe apparecesso no
dia.seguinle em o estado de loucura, mas que isso
lito nflo causasse susto, porque tal padecituento se
dtssipava logo que dormase. COin effeito, appare-
ceu no segundo dia o delirio, e loe receitei urnas
pilulas opiadas, nieio este quo tenho eipregado em
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 14..........549/896
RIO-DE-JANEIRO.
MUSIOS NO DIA 2 DE lETEIIIIO.
Cambios sobre Londres..... 23.
Pars...... nominal.
llainburgo .... nominal.
Metaes. Oncas hespanhlas .... .33/300
da patria..... 33/rjo0 a 33/300
Pesos hespanhes .... 2/150 nominal.
da patria..... 2/150
Pecas de 6/400, velhas 19/000 .
Prat......... 125
Apolicei de 6 por cento..... 84 1/2 a 85.
> provlnciaes....... 84 1/2 a 85.
i (Jornal do Commereio.)
j ______
HAHIA.
CAMBIOS NO DI* 10 DE fETEMBSO.
Londres '...... 23 a 23 1/2 nominal.
Paria .......... nominal.
Ilamburgo......... nominal.
Lisboa e Porto ....;.. 112 a 115 p. J" nom.
Metaes. Oncas hespanhlas 32/000 a 32#5O0.
mexicanas. 32/000
Pecas de 6/400 17/500 a 18/000.
Modas de 4/000. 9/500 a 9/800.
Patajes braillelros 2/040 a 2/060.
hespanhes 2/040 a 2/060.
mexicanos .... 2/020.
rO>Jf#r*-nL)
___................. ---------7=^*^
iHovimento do Porto
AViein entrado no da 14.
Rio-de-Janeiro, Babia e Macelo II dias c 8 horas c do
ultimo porto 19 horas; vapor brasileiro Haitiana, de
240 toneladas, cominandaiite .lohu Henrinue Otten,
equlpagem 28. Passageiros : para esta provincia, Dr.
Joaquim Franciscp de Fara com 1 escravo, Antonio
da Costa Reg Monteiro com 1 escravo, Dr. Antonio
Alfonso Fe re Ir com 1 escravo, Joao Luiz dos San-
tos, Francisco Joaquim Duarte com. sua senhora e 1"
escravo, Francisco Jos de Magalhes Rastos, padre
Vicente Ferrelra Machado, Joao Antonio de Amoriui
Ave, Antonio Francisco dos Santos, o Portnguez Joo
Diogo de Mello, os Allemaes Chi istovn Diestle e Joha
Rbenlv, o capilao do^exto balalhao de caf adores Fran-
cisco Kuzebio Soares, 18 pracas de pret e 4 eacravoi
a entregar ; para o norte, o Dr. Joo Jos Innocencia
Pogge com sin senhora, una criada e 2escravos, Dr.
Miguel Joaquim Ayrcs do Nascimento, Dr. Fn-derico
Augusto Painplooa, Dr. Manoel Pereira da Silva com
I criado e utna escrava, Raymundo Jos de Andrad,
os Portuguezes David Aquirl Cavalcante e Domingos
Antonio Torrinho, o Francez Flix Calin e 1 escravo a-
entregar.
Navios sabidas no memo dia.
Aracaty ; hlate brasileiro Duvidoio, capitao Jos Joaquim
Alves da Silva, carga varios gneros. Passageiros, An-
tonio Connives Valente com sua familia e 1 criado,
Joao Henriqne de Almeida com 1 criado, Rrasileiros.
Canal por Parahiba ; brigue inglez Bllen, capitao James
Wnght, carga assucar.
i;i)lTAL.
spp
Perante a cmara municipal desta cidade irflo no-
tamente em praca, no da 2:i do crrente, para serem
arrematadas, visto o nflo Utreui sido nos iiis annun-
casos idnticos com provetio : no tercoiro lia nflo ciados, diversos tullios dos agougues pblicos, a afe-
i
pude ver o doenle, porqueadoeci; como, porem, me Iriclo do municipio, a loja n. 36 da praca da Indepen-
mandasse dizer o Sr^todrigues que o preto nfloeia, a casi da rus iniperis!, tres dil da Si>luSc ,
MUTIL



3
fornecimonto do azeite para iuzna da eadoia e a
cocheira da oxtincta companhia de ribeirinhos. K pa-
ra constar so manda publicar o presente,
puco da cmara municipal do Recife, em sossflo
liara de 13 de setembro de 18*8.
Manuel Joaquim do llego e Albuqutrque,
Presidente.
JoS o Jote Ferreira Secretario.
jrt
nawmmmaammem^^m
Ifreclaracoes.
Oarsenal de guerrVcompra 10 toneladas decar-
,"" ie pedra: quem dito genero quizor rornecer
^nmnarecer na sala da directora do mesmo arsenal,
com sua proposta e amostra no dia 1* do corrente
'"Iwenal le guerra, 11 de soteinbro do 1848.
Arsenal ie OEscripturario.
Francisco Serfico de Assis Carvallio.
Pornte o eoncelho de administracSo naval tem de
sfl arrematar as 12 horas do da 1* do corrente ,
una porcilo de bolacha propna para alimento do
animaos, e outra de plvora arrumada, pe o que sao
rnnvidados lodo aquellas que quizerem Janear so-
bre os mencionados objeclos acomparecerom no in-
dicado dia e horas no almoxanfado, podondo os in-
teressados inlonderem-se com o Sr. inspector do ar-
senal, nosdiasll, 12e 13 do corrente, para verem
ditos objeclos. .
SaladassessOesdo eoncelho da administradlo na-
val 9 de setembro do 1848.
O sexto batalho do cacadores convida aos pin-
tores que quizerem pintar cantiz e canudos de infe-
riores com tinta de oleo dirijam-se a secretaria
do mesmo batalho, as Cinco-Ponas no dia 15 do
corrente", pelas 10 horas da manliaa.
Recife, 12 do selembro de 1848.
Antonio Generlo da Silva,
Alferes agente.
tlaveuiio piec5o de remadores, ale o numero
de 10, para guarnecerem as ombarcacOes miudas,
que teem-sodooecupar noslrabalhos da commisso
jo exame do porto desta cidade ; o lllm Sr. inspec-
r do arsenal de marinha, presidente da mesma
/c&ninissSo, manda convidar aos inarinhoiros que
assim queiram empregar-se a aprosentarem-se-llie
com toda a brevidado-em dito arsenal; sendo o ven-
cinicntoque perceberio, o do 700 rs. diarios.
Secretaria da inspeccSo do arsenal do Marinha de
Pernambuco, 13 de selembro de 1848.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
THEATKO NACIONAL
DB
SAJS-tR 4NC1SC0.
Domingo 17 do corronte a beneficio do I). Del-
fin.-i Rosa ropresentar-se-ha a muito aplaudida peca
mgica
NINGUEM VENCE O PODER DE AMOR.
Os intervalos serio-preennchjdos por excellentes
pecas oxeciitadas por urna hapda de msica militar,
lindando o espectculo a linda larca
ESTA1 DEM BOM, COSTO DISSO.
A beneficiada muilo espera da coadjuvaeao dos
seus benemritos compatriotas.
Publicado Litleraria.
Sabio Aluza Iradttceflo do drama Lourcncinho
produceflo do eximo o fecundo Alexandre Dumas. O
autor de Calharina fl. a do Con.de-dc-Mente-Christo,
se aprsenla nqui com toda a sua magnificencia. En-
redo complicado pensanientos profundos, brllian-
tes peripecias, scenas explendidas rasgos dramti-
cos, tudo que distingue e levanta o genio se en-
conlra nesta composiQo Os apaixonados do thea-
tro i Jeni procurar a tradcelo annunciada,na livra-
ria da ra da Cruz, no Recifo, n. 56.
'.mimnjiiwan,tL.wia'miiiaii..muiai!JBHaTii i !
Avisos mai limos.
O hia te nacional Espadarte sabe para a Parahi-
lia no dia 16 do corrente impreterivelniente ; quem
no mesmo quizer carregar, ou ir de passagem di-
rija-se a ra do Vigario, n. 5.
--Para o llio-de-Joneiro segu viagem, coinmui-
b> brevidado, a escuna nacional Curiosa, por ter
parte de ana carga engajada : para o restante es-
cravose passageiros, Irata-se com Luiz Jos deS
Araujo, iu ra da Cruz, n. 26, ou com o capitilo ,
lioniiigos Antonio de Azevedo, a bordo.
- Para Lisboa, improlerivelmenlo no dia 28do se-
lembro, por ter a roaior paite da carga prompta, o
l'rigue portuguez Novo \encedor : para o resto da
cargae passageiros, para que oncroco excellentes
fommodos. tmta-secom o consignatario Tlromaz
i'Aquino Fonseca.oa ruado Vigario, n. 19, ou com'
o capitao, Antonio Jos dos Santos Cappa, na praca
a Cummercio.
-Para o Rio-Crande-do-Sul segu viagom, no
uia 20 do corrente, o brigue De os-te-Guarde : recebe
nicamente escravos a frele, pafa;o que trata-so.com
Bilthur & Oliveira na ra da Cadeia Velha arma-
"m n. 12.
Avisos diversos.
O Secretario da irmandade de N. S. do Livramento,
por ordemda mesa actual edo conformidada com
o ai ligo 17 do comiirumisso pelo presento convida
a todos os irm.losda mesma irmandade para com-
pnrecerem domingo, 17.lo corrento pelas 3 horas
"a larda, em o respectivo consistorio para que
reunidos em mesa geraI possain eleger o novo juiz
que tem de reger a irmandodo para o uturo anuo
' ue lo^ii. ... .-.
? Oflerece-se urna mulher j .idosa paracozinbar
e fazer o mais servico de urna casa de pouca familia :
quem de mu presumo se quizer utijisar, uirija-se o
oililo da matriz deS.-Antonio, n. 14.
i' Precisa-sedeum caixeirnque entenda do toja
i*!eaS: r: ra u Cuiiegio, ioja n..S.
i
LADO
Lotera do theatro publico.
O thesoureiro desta loteria de novo
nllirma que, om vista da rpida venda dos
bilhetes, que diariamente progride, nao
sosera infaliivel o andamento das respec-
tivas rodas no dia a3 do corrente, que pa-
ra esse fim marcou, como que Ihe est pa-
recendo que esse acto ser talvez realisa-
do antes desse dia, se com elFeito fr ulti-
mada a venda dos bilhetes, como espera ;
para o que muito convm que aquelles
Senhores que se guardam para munir-se
de bilhetes na vespera e no dia do anda-
mento, o facam j de agora, e entfio co-
nhecerao que o Ihesoureiro cumpre exac-
tamente as suas promessas, e que ter a
satisfacao de, pela segunda vez, fazer cor-
rer d loteria antes do dia marcado. Atten-
dara bem, e animem-se.
Urna pessoa capaz que enleudn perfeitamonto de
agricultura por j ter administrado algn enge-
nlios, so propfje a isso entrando com K escravos,
mi sem elles: qniem a pretender annuncio.
Aluga-se na Soledade, um sitio com pomar de
larangeiras e mais fructeiras de diversas qualida-
des cacimba com bomba, bom sobrado para viven-
da e bonilo jardim : a tratar na ra do Hospicio ,
n. 21.
Doseja-se saber quem he o correspondente nes-
ta cidade do Sr. Antonio Correia Possoa de Mello,
senhordu Vertentes para negocio que diz respeito
ao Sr. Mello: na ra Direila casa do Burgos.
Fazem 5 ou 6 das que so puxando da ponto do
Recife urna porc.no do madeira em pranchOes de
oleo. e na puxad rjos mesmos fugio um. Roga-se
a pessoa que o achou o o queira restituir, dirija-se
a ra do Collegio, n. 9, luja de miudozas que sor
recompensado.
Arrenda-se, ou vende-so um'sitio com urna
boa casa de vivenda e muitas arvores do eructos ,
na estrada que vai para Belm, ao p da pontezinlia :
quem o pretender dirija-se ao mesmo sitio ou no
lugar do Corpo-Santo, n. 114.
Joaquim do Souza retira-so para Portugal.
Quem precisar do urna ama de portas a dentro,
para todo o servigo de urna casa dirija-se a ra
Helia n. 23.
Roga-se s autoridades policiaes
desta oda ile, hajam de averiguar essa espe-
culaco de vendas de bi leles de loteras do
Rio-de-Janeiro, pois ha muito quem di-
ga que sao bilhetes de sociedades do Hi,
que, depois de correrem as rodas, man-
dam para nesta provincia se venderem
os bilhetes blancos; e para irem illudmdo,
mandam nesse numero alguns com pe-
queos premios, e muito prova nunca vir
a esses vendedores o jornal que aunun-
cia o dia do andamento das mesmas lote-
ra.
Furtaram, da casa de Carlos llenriques Harnes,
na noite do dia 14 do corrento. urna caixiulia de
amarello, envernizada com fechadura o chave,
que foi na mesma na occasiflo do roubo e dentro da
qual um corle de vestido do chita azul, com pal-
mas brancas 3 cortes de camisas de mulher, um
pentu de prender cabello, de tartaruga um castor
de cabello encastuado em ouro dous annelOes ,
sendo um liso e nutro lavrado com a lirma L. F. C.,
um dedal d.e prata anda novo, uns coraes de bra-
co com varios requififes um solitario de ouro ,
duas agirihas de prata urna volla de aljofares um
par de brincos e urna caixinha com adarecos de ou-
ro ; deseo nli a-se que este roubo foi feilo por um
pelo. Roga-se a quem fr offerecido quaesquerdes-
les objeclos do o apprchender e segurar o ladillo ,
que ser gratificado.
O NAZARENO N. 117.
est a venda na ra Nova Ioja do Sr. 'arneiro, e om
inflo dos distribuidores.
Precisa-se alugar dua pretas que saibam ven
der na ra ; na ruv do Raugel, n. 17.
Prccisa-se de 100,000 rs. a juros, por 6 mezas
sobro penhores de prata i quem quizer dar annun-
cia.
Dio 400,000 rs. a premio sobro penhores de ou-
ro e prata : na ra estreila do Rozaiio, n. 18, primei-
lo andar.
Roga-se aoSr. I. G N. F que tem
casa* de pasto em (Muida, que por obsequio
mande pagar a pequea conta que deve na
olflcina de Manoel Antonio A Ivs de Br-
to, ra Nova, n. 38.
Aluga-se o bem cnliecido sitio na estrada do
Cordciro, de Nuno Mara .de Seixas, s propriopara
algum negociante estrangeiro, ou outra pessoa que
tenha tratamento : na ra do Amorlm, n. 15.
Constando aoabaixo assignado esludanle do
terceiroanno da academia de Olinda que alguem,
servindo-so de seu nome, promove urna subscrip-
to a pretexto de continuar os esludos, avisa ao res-
peitavel publico para que ninguem se Iluda com tal
especulador ; o contra elle protesta aceo criminal,
se de nov valer-se de seu nome para taes fin.
Arthur do L'ipirilo-Santo e Menezes.
A abaixo assgi.iada responde ao annunciodo
Diario de 11 do corrento n. 201 datado em 30 de
agosio prximo psssdo da Parahiba do Norte, que
a Sr.* D. Mara Marroquina do Jess Nazareno Ihe
he ilevedora da quunlio do 400,000 rs.
Antonia Hila de Araujo Lisboa.
A pessoa que se ufferece oeste Diario n. 203 para
fazer escripia no domingos-e horas vagas, appareca
na travessa da Madre-dc-Deos, sobrado n. 1, at as
9 horas do dia.
D. Candida Rosada Costa tnudou o seu collegio
da ra Helia para a ra do Queimado, n. 30, primoi-
ro"aiidaf: ainiia*cOnlna-a recebeTmenirtas pensio-
nistas e nieias pensionistas, por preco mdico.
Joao Antanio Antunes Guimaraes retira-se para
fra da provincia.
Precisa-se do 300,000 rs. a premio, dinde-se
hypolheca em una casa o silio na povoacSo doMon-
| leiro : na ra bella, a. 45, ou aununcie.
BBrg=a-g==a..... mssssa
-- Precisa-se de urna ama para casa de homem sol-
(oiro que compre na ra e cozinhe o diario de urna
casa : na ra do Trapiche, n. 46.
Hcrculano Jos deFreilas embarca para o Rio-
de-Janeiro por sua conta, os seus escravos Antonio,
Beni Luiz, Angola, e Manoel, crioulo.
A vista do annuncio da Snra. C. Maria Marro-
quina do Jsus Nazareno, declara-se n mesma Snra.
quo ella ost abriga Ja pelas quatro lettras que em
12 de dezembrodo 1842 traspassou, tres a Nobcrto
Joaquim JosGuedes no importo de 1:600,000 rs.,
e urna a .labriel Antonio da 700,000 rs., todas aceitas
por Jos Mauricio Wanderley e ha muito vencidas.
Precisa-so de 500,000 rs. a premio de dous por
cento ao mez com hypolheca em urna casa terrea,
na Boa-Vista livre e desembarazada em muito boa
ra e que rendo 10,000 rs. mensaes : quem quizer
dar annuncio
A abaixo assignadaj: para se livrar
de duvidas, que para o futuro possam
apparecer, declara que a Sra. D. Maria
Marroquina de Jess Nazareno Ihe he de-
vedora da quanlia do 3ooooo ris
Anna Joaquina Pralis Colho.
Furtaram do quintal da casa n. 25 da ru da
CaJeia de S-Antonio, em ? para 10 do corrente ,
um taito de cobre, com o peso de urna arroba pou-
co mais ou menos Roga-se a toda e'qualquer pes-
soa a quem o mesmo for offerocida, o mande entre-
gar na dita casa que se gratificar generosamente.
Aluga-se urna ama para o servico de urna caa
de pouca familia : quOm estiver nestas circumsUu-
cias dirlja-so a ra do Queimado u. 24.
Aloja do miudezas do Aterro-da-Boa-Vista ,
n. 84 precisado um menino de 10 a 14annos, para
caixoiroda mesma Ioja.
Precisa-se de um homem moco ou mesmo de
idade, desimpedido o que saiba 1er, para caixoiro
de um engonho distante desta cidade 10 legoas ;
porm que seja iscnto da guarda nacional: na pa-
ca da S -Cruz padaria de urna s porta, se dir
quem precisa.
Mara Anna Joaquina da Silva, viu-
va test imeiiteiiM de seu finadn esposo, o
commendador AntohW da Silva, e liquida-
taria da casa cotnmercial que elle tinha
nesta praca, soba rasao de Antonio da Sil-
va &C, declara que est procedendo a in-
ventario dos bens do seu casal, pelo Car-
lorio do escrivo Hego.
--Na casa de Novaes, na ra do Queimado n. 30 ,
contina a haver um completo sortimcdto de obras
feitas; bem como se vende um banheiro quasi
novo.
Quem precisar de una ama para o servico de
casa: dirija-se a ra Direila, defronte do oitflo do
Terco, sobrado n. 127, primeiro ailar.
Antonio Cranon Si C, sucessoresdo Sr. Hebrard,
ra Nova, n. 69, participan a seus freguezes e ao
respeitavel publico que o Sr. Alborto nflo he mais
caixeiro de seu estabelecimento.
Na ra da Cadeia do lenle, n. 39, casa de Amo-
nio Irmaos, deseja-se fallar ao Sr. Francisco Josi'
DENTISTA.
M. S. Mawson, cirurgio dentista acha-ae residindo
no Recife ra do Trapiche-Novo, n. 8, segundo andar,
onde contina a por lentes mineraes ficando incor-
ruptiveis e parecendo I o tetramente como dentes n,'u-
raes : (ainbem tira a pedra, a qual, niio sendo exlrahida,
em pouca teinpo tanto arruina os denles; chumba'com
ouro, prata, oiidenlico para privar de augmenta ar
corrupcao i taiubcm tira, lima e la lodas as operafdrs
denticaes com a maior delicadeza possivel. Elle espera
que os elogios e o limito 'patrocinio que tem rccebldo
pelos beneficios que tem produzido na iua pratica du-
rante 8 annoi de residencia nesta cidade serao garan-
ilas sufBcientes para as pessoas que, precisando de seu
resumo, oao o deixcui de procurar.
Na ra d'Alegria, n. 11, precisa-se almiar urna es-
crava que esleja as circuinstanclas de lieiu farer
servico interno e externo de'mnacasa de familia.
Urna pessoa com pratica de escripia
cotnmercial, e bonita leltra, propoe-se a
escrever as horas vagas, nos domingos
das sanios, comlimpeza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
ItOTEL-COMMKItCIO.
Kste esliibelecimonlo sito na ruada Cadeia da
freguezia deS.-Antonio na propriedado n.13, adia-
se augmentado do comino los independentes e de-
centemente mobiliados para hospodos com fami-
lias o sem ellas o para pessoas que exijam menos
Iratnmeiito. O segundo andar do referido estabele-
cimento oltercce as precisas commodidades para
bailes e partidas. A posic.o da casa em situaQ9o
fresca o aprasivol vista e collncada no centro da
cidade concurrerr a ser profcrivel a outros esta-
bolecimenlos scmelliantes. Os procos serlfo mdicos,
om relacilo as proporcOes que soolforecom.
FURTO DE CAVALLOS
Furtaram doengenho (]atende, fregue-
zia de Jaboatao, dous eaVffitoe, um nos l-
timos das do prximo passado mez de
agosto e outro no dia i do crtente; cu-
ios signaos sao os seguiules: o primeiro he
de cor castanho-clara, dous pes calcados,
urna pequea estrella na testa, rabocorta-
do, e ferrado na p direila coma lettra-(j-;
o segundo he tambem castanho, porm um
pouco escuro, e com o mesmo ferro na p
direila. lAoga-sc, portanto, s autorida-
des competentes, e a qualquer pessoa do
povo, que se os apprehender, levem-os ao
referido engenho, que serao generosa-
mente recompensados.
Manoel Joaquim Cavilo do Nascimenlo retira-
se para o llio-iie-janeiro.
Comes a negocio de seu iuleresse.
Para
tencio-
as pessoas que
iian seguir viagem
Na ra do Itangel, n. 9 continuam-se a tirar pas-
saportes para dentro e fra do imperio despacham-
se escravos, c corrom-se folhas com brevidado e
preco muito c muito com modo; como so tem dado
exuberante prova no decurso do 8 annos quo por
esta folln se tem annunciado.
Quem deixar de comprar
a riinheiro,
pelos mais que baratos piceos, o seguin-
le calcado ? Sapatoes brancos, do A-
recaly, muito bem feitos, a 1,000 rs. o
par ; ditos inglczcs a 3,200 rs ; botins
francezes a 5,5oo rs. ; ditos de Lisboa a
3,ooo rs.; sapalos de duraque, de Lisboa,
para Serhora, a 900 rs ; dilos para me-
ninas, a 600 rs. ; ditos de lustro pira Se
nhora, de Lisboa, a 1,900 rs. ; ditos pa-
ra meninas a 1,400 rs.; ditos de marro-
quii, francezes, paja dilasa800 rs. ; bor-
zeguius para Senhora, a 3,5oo rs. : sapu-
tos de marroquimpara Senhora, a 1,000
rs., e em duzias mais em conta ; e outras
muitas qualidades : na ra da Cadeia do
Recife, n 35.
O abaixo assignado faz sciento ao respeitavel
publico que tem estabelecido a sua ollicina do don-
rador e fabricante do candieiros alampadas, etc ,
na ra Nova Ioja n. 52 aonde olTerece o seu pres-
umo a quem dellese quizer utilisar: bem como que
o Sr. Alfonso Caumont 11 So tem parle alguina no es-
ta belecimento nem como socio, nem por outro al-
gum titulo.
Paul Caumont.
Precisa-se alugar um silio nos lugares do llon-
teiro, Coqo Casa-ForU ou Apipucos quo tcnba
boa Casa de moradia com cotiiiuodos para grande fa-
milia: quem o tiver dirija-se a ra do Collegio,
n. 5.
Prcci.sa-sa de um amassador forro ou escravo :
na padaria de un,a so porta, na praca da Santa-Cruz.
A abaixo assignada faz scicntc ao
respeitavel publico' que quantia alguma
deve nesla praca ; e faz esta declaracao
para prevenir duvidas para o futuro. Pa-
rahiba do Norte, 3ode agosto de 1848.
Maria Marroquina de Jess Nazareno
O GENTIL ENAMORADO.
.. Obra inteietmntre divertida.
Pela grande influencia que tem havido para o Gen-
til Enamorado o autor deliberou de continuar a
receber assignaturas por todo este mez de setembro,
na praca da Independencia, livraria ns. 6 08, e no pa-
teo do Collegio n. 6. Preco de cada exemplar 400
a., pagos au receber da obra.
Compras.
-- Compram-so escravos que sejatn ollicias de car-
pina, do 18 a 25 annos e do boas figuras"; pagam-sa
bem sendo do bous coslumes o peritos no seu olli-
eio, poisafo para urna encommenda do Itio-de-Ja-
neiro : na ra do Amorim, 11. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior
-- Compra-se urna preta de idade que uo tenha
vicios nem achaques: na Boa-Vista, Iravessa do
Quiaho, n.l. Na mesma casa aluga-se urna preta
para vender na ruu.
Cbmpra-seouro vclbo de le i qualquer porcilo,
a 3,200 rs. aoitava : quem 11 ver annunric
Compra-se tuna colcha do damasco encarnado,
portuguez, em bom estado: quom a tiver dirij-sa
a ra do Vigario, sobrado u. 8, primeiro e segundo
andar, que achara com quem tratar.
Compra-se assucar em caixas: na ra da Cruz,
n. 4().
Tl*ui!BPHgtg!.i.j !
-
Vendas.
Vendeiii-sc dous pianos fortes de Jacaranda
chegados nllimnmcntu, que, alcw ilc sorem unt
magnifico ornato do urna sala', leem oxccllentes
vozes sendo o mechanismo da muita approvada no-
va invencio cbamada repitidor patonte do Col-
Urd : em casa de J. Reliara Companhia na ra da
Cruz, 11. 55.
Vende-se un relogio patente ingloz com caita
de prata : carnada Cadeia do S. -Antonio, arma-
zn) 11. 21.
Vendcni-se queijos londrinos os mais fresesao
que ha nn mercado ; lats com bnlachinhas de ara- .
rula; dilascom homilas; dilas com sardinhas :
na ra da Cruz, no Recifo 11. 46
Veniletn-sc os mclliores charutos de
Sau-Fclix: na ra do Queimado,- n. vn.
Dao sea moslra aos compradores.
Vendem-se travs e vigas de na-
caranduba, de 4o a 5o palmos de compri-
do: na.rifa do Qneiniido, 11.4.
Vondcm-se prauches do madeira de oloo de 9,
3 e 4 cosiadns o com 2 a 2 palmos e mein do largura:
vende-so I, 2, 3 11 mais pianchoes conforino o com-
prador quizor 'para sua commodidade por preco
commodo, para se fechar cantas do mallo : na rila
o Collegio Ioja do miudezas n. 9.
Vendem-so hiscouto francez de Itheiins che-
gados ltimamente da ra da Cruz,, n, 34, primei-
ro andar.
Vendc-se una escrava moca que engomla
bem e cozinha o ordinario do urna casa : na ra do
Queimado, sobrado n. 13.
Vendc-se a dinheiro, pelo mui bara-
to preco de 3,uoo rs., borzeguihs para ho-
mem; sapaloes de lutro para dito, france-
zes, a4,5oo rs.; perfumara fina e bonita,
(ambem por preco commodo : na Ioja de
calcado da ra da Cndeia do Hecife, n.35.
Na ra da Concordia estaleiro de Manoel da
Silira Mariz ..vendem^so 6 travs de 44 palmos de'-
comprimcnto|, de muito boa qualidado, e em conta.
Vcndem-sc cuvallos de ambas as sellas : na co-
ebeira junto ao hotel Commorcio: lambem se alu-
gam para viageus ptimos quartaos e lambem pa-
ra passeio. Na mesma eoclieira precisa-so de umcai-
xaira para tomar crtnts do orna venda por bslsnco .
e que d fiador sua conducta.
1
4



'M'A


l
*R
s
Vende-se urna escrava de nagilo, que cozinha
be ni o diario de urna casa he de meia idade o tem
boa conducta pelo barato prego de 250,000 rs.: na
ra da Gadeia de S.-Anlonio, n. 21.
Vendc-se urna escrava de 25 a 30 annos "pouco
>:iis ou menos e que he muito boa quitandeira : na
ra atrs da matriz de S.-Antonio, n. 6.
Santa-Cruz, pactara de urna
s porta.
Caf moido o methor possivel neste gonero, cm
grosso, epelo miudoa240a libra, e 6,(00 a arroba;
nio tem mistura alguma, e a vista Taz f do que se
ussevcra. Na mesma padaria, continuadamente se
vende excellente pio deTrma antiga ; bolachas de
todos os taannos ; niscouto doce efatias : ludo
que he proprio destesestabelecimentos.
BOLACHINHA REGALA.
Na padaria de urna s porta na praga da Santa-
Cruz, he onde se fabrica a bolachinha de regalo ,
por vezcs annunciada, tanto doce, como agoada :
o seu prego he 320 rs. cada libra, sua qualidade e
bom gosto nflo he preciso exara-la:j ho bem no-
torio, e se far toda a diligencia para augmentar
a fama que tem adquirido, e para isso empregar
sempre asmclhores parles de sua contposigo, para
3ue, anda havendo quem a emite, nfioexceda ; po-
endo asseverar que nlo conlm parto alguma que
soja nociva, anda mesmo em estado do molestia. Na
jiiesrna padaria, e na esquina da ra do Collcgio,
venda de Sobral, e na travessa da Madre-Deos, n. 13,
be s aonde se vende.
\a lo ja de Va noel Joaquim
Pascoal Hamos, no Passeio-
P ubi ico, n. 19,
vendem-se as seguinlos fazendas : pannos finos prc-
to, a 3,000, 4,000, 4,500, 5,000 e 5,500 rs. ; pecas
de nin.l,i|Mi|."io lino, a 3.200, 3,500, 4,000, 4,500, 5,000
e 5,500 rs. chitas escuras a 140, 160 e 200 rs. o
rovailn ; ditas linas a 240, 260, 280 e 3-20 rs. ; man-
tas de seda a 12,000 rs.; riscados francezes a 200
rs. o covado ; cortes de lila, a 2,500 rs. ; ditos do cas-
sa-chita a 2,000, 2,500, 3,000 e 4,500 rs. ; chales de
seda a 9,000 rs. ; ditos de inctim a 1,000 rs, ; pel-
la do diaho a 200 rs. o covado; castores do tudas as
qualidades a 200, 240 e 320; longos do seda a
1,000 e 1,600 rs. ; cortes de col letes de gorgorito
preto a 4,500 rs. ; ditos de fuslflo a 1,000 rs ; es-
guio fino, a 2,000 rs. a vara; sarja preta a 2,000
e 2,500 rs. o covado; cortes de casimira a 6,000 rs.;
Ijiiii (naneo de puro linho a 1,800 rs ; dito pardo,
a 1,600 rs.; ditos de cores a 1,000 e 1,500 rs. ; chi-
tas decoherta a 200 rs. o covado ; chapeos de sol,
de seda preta, a 5,500 e 6,400 rs. ; merino lino a
3,500 rs. ; cassa lisa a 360 rs. a vara ; chales de lila,
a 1,200 o 2,500 rs.; pecas de plathia de algodao, a
4,000 rs.
Vendcm-sc o a'ugain-se bisas dehamburguezas,
sag fino, gomqia de araruta, ccvadinha.de Franca,
tapioca de MaranliHo, por precos rasoaves : na ra
das Cruzes, n. 40.
Yendem-se saceos com farelo, pelo
barato preco de 2,400 rs: na ra da ban-
zalla-velha, 11. i38
Vendem-se barris, com brea tanto
em porco emo em barris : na ra do Tra-
piche, n. 36, em casa de Matheus Aus-
iin&G.
Na venda da ra do Codorniz n. 11, vende-se
tabaco simonte da Baha em latas delibra, muito
superior; espanadores para varrer ejespanar salas n
80 rs. cada um; e um relogio horizontal que regula
ir.uito bom c dos inelhores autores. Na mesma casa
vende-se um braco de balanca do autor Bonillo quasi
novo com suas competentes crranles e bataneas c
pesos de duas arrobas para baiso, e us temos com-
pletos de follia e pao para una venda; quatro caisocs
para amostras de farinha e mais objeclos; duzias de
copos de medida, e mais oulros objectos quo se fa-
zem necessariosa qualquer casa de mulhados. Til-
do so vendo por barato prego.
Na ra das Cruzes, n. 22 segundo andar, ven-
dem-se 5 cscravas sendo : urna parda d 26 annos ,
que engomma, cose, cozinha e lava de sabilo ; duas
prelas de nagiio quo cozinham e lavam de sabilo
um escravo de nagao, ptimo para o servigo de
campo.
-- Vende-se urna mulatnha de 12 a 1 i annos, sem
vicios, e com principio de costura : na ra da l'raia,
n. 23.
Vende-se um pardinho de tG a 18
annos, muito sadio e fiel, proprio para pa-
gem, ou para aprender qualquer oficio :
na ra da Cadcia-Vcllia, loja defazenda,-
n. 41.
Vende-se um sitio na estrada de Bclm com
terreno para plantaclo pasto para vaccas e muilos
srvores de fructo por prego commodo : no Aterro-
da-Boa-Vista fabrica de licores, n. 17.
HV Vendem-so chapeos de castor branco a
Jy^4,000 rs. : na ra do Queimado, n: 22.
venda se dir aocomprador: na ra da Concordia ,
passando a ponlezinha a direta segunda casa ter-
rea se dir quem vende.
Vendem-se 3 escravos, sendo dous
moleques proprios de todo o servico de
casa e campo, e urna mulata de 16 a 18
annos, boa costurera'e engommadeira :
na ra do Crespo, loja- n. 1 A, se dir
quem vende.
Vende-se urna porgilo de libras de cera da terral;
couro de lustro de cores, proprio para canhoos de
botas de pagons : na ra Direta loja de couros
D. 65.
--Vende-se uina rede bem feita propria para ti-
poia : no Aterro-da-Boa-Vista loja n. 78.
DE6 PORTAS NJ^
$m$mjm
6 0 dono dcste cstabeleciinrnto,vendo-sr cm cir-
<-11111 s t .-i 11 i .- s diflhe ser preciso relirar-se para a
1 Europa precisa primeiro pagar a srus credo-
res, e para efl'eltuar este pagamento o mais
breve possivel ori'erece algum aballmento a
I seus devedores que qulzercm saldar suas con-
tas ; assiin como tem retolvido vender todas as
5 fazendas por diminuios precoi, a saber : pecas
i de inadapolao, a 1f, 2/900, 3/200, 3/500, 3/700,
1 3/900 c iff rs. ; ditas de chitas escuras finas e
* entre-final, de cores fixas a 4/800, i/. 5/500 ,
6/e 6/500 rs. ; ditas muito superiores, entran- j
i do algumas de cbrela, a 7/ rs. a peca e a 190 '
[ rs. o covado ; alpaca, a 600 rs. ; lila larga, a 380
I rs.; cazineta preta a 1/rs. ; los linos e gran-
i des de linho, a 6>400 7/ e 7/500 rs. ; chale
grandes i= gorja s /500 w.; ditos de chita, 3
800 rs. : vestidus de cambraiacom bico e renda
I de superiorqualidade, a 3/rs.; mantas de cam-
Ibraia para senliura, a 1/ rs. ; luvas de pellica,
seda c algodao, para houicui, a 320 rs. pesco-
[ cinhosc golas de bonitos gustos, a 240 c 320 rs ;
I bicos francezes, inglsese da trra ealguns de
de seda preta, a 120. 100,200, 240,320, 400 c 640
I rs. lerdos de casta para grvala a 200 rs. ; di-
| tos de umitas qualidades para homein e se-
nhora a 180, 2u0, 240, 300, 320, 360. 400, 480 e
560 rs.; suspensorios a 40,120 c 16O rs. ; ditos
finos de borracha a 200, 240 e 260 rs. ; garca
de seda muito larga cun llores douradas a 24Q
rs. o covado ; cassa da Iudia.a 400 c 480 rs. a ra-
ra ; merino finoe entre-lino a 1/800 2j000 e
2/500 rs. ; pannos finos, a 3/800. 4/ c 4/500 rs. ;
e mitras militas fazcudas que nao se anuuuciam
por oceupar multo lugar ; as quaes se vendem
todas ainda mesmo com grande prejuizo s
aliin de se acabar com o dito estabelecimento ,
u qu.ii tainbein se vende un estado que se aclia,
havendo quem o queira comprar ainda ines-
ino a prazo com lettras de firmas que agrada-
ren! a seus credores.
de 25 annos, queba atraate ; um pardo V18 an- tamboresantigos; rodetes; aguilhOes ; e douscii
de muito 1)oa conducta : na ra Bella, travessa rl*irntp imn mnim h.r.in
v. i-' nttA
Vendc-se a armagio da venda da esquina da
ra dos Agouguinhos n. 20 por prego commodo :
a tratar na travessa do Serigado venda n. t.
Na praca da Independencia loja n 3,
continua a haver um grande o completo sorlimenlo
de cordas o bordes para volio e rabeca.
Vende-se um sellim inglez em bom estado, e
urna manta de couro de onga na ra da Cadeia de
S.- Antonio, 11 32.
Vende-se um sitio no lugar de Agoa-Fria, com
ptima casa de vivenda, de pedra ocal estribara,
com bastante terreno para plantages, una baisa
do boa produegao o alagadigo no fundo d sitio : na
ra Nova, loja do chapeos, n. 46, de Guilherme Vcl-
ozo.
Vendem-se 5 miilatnhos e mulatinhas de 7 a 9
anuos; 2 pardas e urna preta do 23 a 30 anuos; 1
preto de nagiio Angola do 16 a 20 annos, de bonita
figura : no p do Corpo-Sanlo, loja de massame,
11. 25.
Vendem-se pegas de madapolo com 20 varas,
muito largo e muito encorpado, a 2,800, 3,000c 3,200
rs. ; chita para coberla a 160 rs. r rctalho; roupa
feita para escravos islo he jaquclas, caigas c cami-
sas : na ra do Passeio loja 11.17.
Vende-se phosphoro por prego commodo, em
libras eem ongas: no Aterro-da-Boa-Vsla, fabrica
de licores, n. 17,
- Vende-se nma muiutinha de 12 annos com
habilidades; 4 lindos moleques de 15 a 20 anuos ; 1
negrinhn de t2 annos muito boa costureira ; 2 prc-
tas de nagflo, perfeilas engommadeiras o cozinliei-
ras ; 4 ditas de todo o servigo ; 1 preto de elegante
figura muito bem ofTicial de sapateiro; 4 ditos do
servigo de campo; um dito de mua idade; una
parda com habilidades, por estar grvida de 2 me-
zes : todos estes escravos se vendem por prego com-
modo : no paleo da matriz de S. -Antonio, sobrado
n.4.
Vendem-se, a prazo, ou por escravos, quin-
taos e bois mangos duas casas terreas edificadas na
travessa do Marisco outt'ora beceo do l'eixolo, as
quaes rendem 8,000 rs. mensaes : na ra Direta, so-
brado de um andar n. 16, que faz esquina para a
travessa de S.-Pedro.
No paleo do Terco, ven
da n. 7, vendem-so cigarros hospanhes vindos do
Rionobrigue /ij.om/>ro.
O verdadeiro systetua para cu
rar vista curta,
ou cansada nio se encontra na liomoopathia, nem oa
allopalhia porm sim em oculos apropriados os
quaes se vendem na ra larga do Bozario loja de
iiiiudeziis, ii. 35
Vende-se um sitio distante dcsta pinga urna pe-
quea legoa com boa casa de vi venda e oulra mais
pequea com aviamenlos de farinha cujo silio
tem trras para se plantar 16 a 20 mil covas de roga,
e n 11''ni de plantages tem urna grando ilha para criar
8 a 10 vaccas de leilo independento de cercas com
militas arvores de fructo mangues um viveiro e
lugar parn se abrirem quantos quizerem: tambem
se permuta por casas nesla praga, ou escravos -.
fallar as Cinco-Pontas, n. 30, primeiro andar.
Vende-se um sitio com 60 palmos de frento e
mil c tantos de fundo na estrada nova de S.-Ama-
ro com casa de tapa viveiro principiado o outras
bemfeiturias ; assiin como tambem um terreno com
alicercesna ra Imperial, c um sitio na estrada do
Arraal : no pateo doTcrgo n 10.
Vendem-se 4 escravos; um preto do servigo de
campo, nina preta que cose engomma o faz lodo o
servigo de casa, ambos mogos ; una negrinha de 12
anuos de lunilla figura c que coso bem : na ra da
Penha, n. 21.
Vendc-se a venda da rita da praia n. 39, com
poucos fundos a diulieiro on a prazo : a tratar na
ra do Bnngel, venda da esquina do becco do Carce-
roiro, n. 50.
Vende-se urna armagio do urna venda sita no
principio da ra do Bangel, com commodos para
urna pequea familia : vende-se u armagio com os
utensilios ou sem elles por ser em um bom local]:
na ra do Rangnl venda da esquina do becco do
Carcereiro, n. 50.
Na ra de Agoas-Vcrdes, n. 46, vende-se urna
bonita molcca diversos escravos de ambos os sesos;
75acges da coinpanhia do Beberibo.
-- Vendem-se, na loja da ra do Crespo, n. 11 as
obras completas de J. J. Rousseau, em 35 v., enea J.,
nos
da Florentina n. 28.
Vende-se um palanquim em bom uso : na ra
Nova, n. 3.
Vende-se urna venda com poucos fundos, e com
urna bonita armag.lo a moderna por prego commo-
do, na ra eslreita do Bozario, n. 8: a tratar na
mesma venda, ou na ra Direta n. 76.
Vende-se um coeiro de casimira, bordado : as
Cinco-Pontas, n. 64.
Taixas para engenhos.
Na fundigo de ferro de Fra-de-Portas, contina
a haver um completo sortimento do taizas de ferro
coado, de todos os tamaitos, por prego commodo.
Vendem-se galoesde ouro verda-
deiro, de todas as larguras, e mais barato
do que em outra qualquer parte : na ra
larga do Rosario, n. ?.\.
FARELO I
a 3ooo rs. a sacca
nos arinatens ni. 1 e 3 do caes da Alfandega, e no de n.
35 da ra do Auiorim, de J. J. Yatio Jnior,
Riscados monstros.
Vendem-se superiores riscados monstros, j bem co-
ndecidos tanto pela qualidade como pela largura em
demasa, pelo barato preco de 280 rs. o covado. Estes
riscados sao chegados ltimamente : as core sao fixas,
e os padr.ies multo modernos e de bom gosto : na nova
loja da Estrella da ra do Colleglo, n. 1.
Vendem-se barris pequeos com cal virgem de Lis-"
boa, a mal nova que ha no mercado, por preco com-
modo : na ra da Moda armazem n. 17.
-- Vende-se urna casa terrea muito grande, sita na
ra da Mangueira, na Roa-Vista, n. 11, com grandes com-
modos, quintal muito grande e muitosarvoredoade frne-
tos, por preco o mais rasoavel possivel: Irala-se na ra
do Aragao, n. 27.
A 1/000 rs. CADA UM CHALE.
i. i|tn l.w. i i | ni na j-.r.r.". a rus s -.ourgio, n. b
vendem chales de larlataua, grandes e de padrees es-
culos pelo barato preco de mil rs. cada um.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores cortes de niela casimiras els-
ticas de pura laa, pelo barato preco de 2/000 e 3/000 rs.
o corte de calca : na nova loja da estrella, da ra do
Collegio, n. I.
Vende-se cal virgem de Lisboa muito nova ,
para fabricar assucar : no armazom do Sr. Antonio
Aunes defronte do caes da Alfandega.
Alpaca alcocboada, a 8oo rs. o covado,
vende-se, na loja que faz esquina pan a ra do Colle-
gio o. 5, de Cu i maraes U (.ompanhia a nova alpaca
alcochoada, vinda de Lisboa, fazenda iuteiramente
nova nesta cidade preta e eflr de caf, de 4 palmos de
largura, pelo barato preco de 800 rs. o covado.
yende-se cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar com Al incida Si Fonseca, na ra do Apollo.
A i ooo rs. ,
ancoretas com azeitonas superiores : ven-
dem-se no caes da Alfandega, armazem
n. 7, de Francisco Das Ferreira.
Os antigos riscados monstro.
Na loja de G ni maraes Si C, ra do Crespo, vendem-se
os bem conhecldos riscados monstros de padrfies inulto
modernos, e que teem quasi urna vara de largo,pelo ba-
rato preco de 320 rs. cada um covado.
Na loja da ra do Crespo ao pe* do ar-
co deS-Antonio, n. 5 A,
de Ricardo Jos de Frailas Riboiro vendem-se cor-
tes de chita com 10 covados, muito finas o escuras ,
pelo barato prego de 1,600 rs.; ditos de cambraia
pintada a 2,000 rs. chapeos de crep para senho-
ora multo hem feilos e do bonitas cores, a
5,000 rs. ; cortes de cassa de barra broncos e de
cores, os mais bonitos que teem appnrecido nesla
praga a 5,000 rs.; cortes de fustfio para collcte a
500 rs. ; cassa de cores com 4 palmos de largura a
240 rs. o covado ; um sm timento do pannos linos
de todas as cores muito bons e baratos; e outras
militas fazendas linas.
> Vendem-se ac<;es da ex-
mela companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
m
^ NA RA DA GUIA. N. 58,
VENDE-SE
p*5 de provenc'.
Oproprietaro desla padaria, desojando
servir melhor aos seus freguezes, e mesmo
para livrar os moradores do Itccfe do Ira-
halho do mandarem a Boa-Vista lera to-
dos os dias a venda o superior pilo de Pro-
venga oqualo aniiuiiciantc suppe ser ,
melhor do queojfabricado pelo Frnnccz do '@;
B
em*
m
Vende-se urna preta de nago, de 20 annos do I e tambem trocam-se por outras obras boas,
bonita figura quo cozinha bem, engomma. e Java I --Vendem-se duas prelas de nagao, urna de 28 an-
de sabao n3o tem vicio nem achaques : o motivo dal nos e a oulra de 14 anuos; dous pretos : um nar.j.j

i
do Aterro-da-ltoa-Visla.
"a?1
wwm
FARINHA DE TRIESTE.,
marra verdadclra >SSF, chegada ltimamente: vende-se
em casa de N. O. Uieber & Coinpanhia, na ra da Cruz ,
n. 4.
Vende-se urna porgSo de charutos furados, pti-
mos pata serem coberlos de novamente por prego
muito barato : na praga da Boa-Vista, n. 15.
CHA' HYSSON,
de ptima qualidade a .2/240 rs. a fibra : na ra da
Cruz no Reclfe armazem n. 13.
Vendcm-ae queljos loodrinos e presuntos para
Hambre chegado* pelo ultimo navio de Liverpool ;
nervudas propriaa para sopa ,- vastoras para varrer sa-
las : no armazem de Davis Si Coinpanhia na ra da
Cruz, n. 7.
Vende-se farinha de mandioca ,
muito superior, por preco commodo : a
bordo da garopeira Santo-Amaro, Tun-
deada no eses do Collegio.
- Vende-se ns rus ds Aurora, n. I, um logo Ue
deirotes: ludo muito barato.
Potassa.
Vende-se muito superior potassa
barriz pequeos: na ra da adeia-Ve-
llia armazem de Bailar & Uliveira, n. u"
Vende-se cal virgem de Lisboa
chegada no ultima navio, em barris pe
quenos, por menos do que em outra qua|.
quer parte : na ruado Trapiche, arma-
zem n I7.
Vende-se o engenho Macaco sito na fregueij,
do Po-do-Alho, distante desla praga nove legas,
moente e corrate com terreno muito frtil e ,
agoa perenne; o qual engenho vende-se sent desobriga, e todo o pagamento annual : a tratar no
engenho llamos, d mesma freguezia.
Vendem-se 4 lindos moloques de 16 a 18 annos
3 pretos de 25 a 80 annos ; 1 pardo de 18 annos 1 '%
mulatinhas de7a 14annos, com principios de hi.
bilidades; 2 prelas proprias para todo o servigo ; ni
ra do Collegio, n 3, se dir quem vende.
Contina-se a vender manteiga ingleza nova
600, 720 o 800 rs. ; caf modo, a 160 rs.; dito m
grBo a 120 rs. ; cevada nova a 100 rs ; cha hyssot
superior a 2,000 rs. ; alelria a 280 rs. ; carnauba
de 6,7 e9 em libra, a 300 rs. :espermacete, de geni
libra a 880 rs. ; toucinho de Lisboa,, a 240 rs.; ba.
nlia de porco a 400 rs.; feijflo inulatinho e preto 1
400 rs. a cuia; arroz branco a 400 rs. a cuta ; r',.
IIioc arroz com casca, a 120 rs. ; bolachinha ingles
a 200 rs.; caixes de doce de goiaba nova de ( era
arroba a 800 rs ; queijos flamengos novos a 1,5
rs.: ao paleo do ('.armo, loja do sobrado de Gabriel
Antonio, n. 17.
Vendem-se escravos baratos, na rus das
l.arangeiras, n. 14, segundo andar : urna
linda parda do -JO anuos, con> algumis
habilidades; urna preta de 20 annos, com
uinu crin de 2anuos : a preta engomma
coso e cozinha; urna parda escura de 30 annos, au
engomma, cose, cozinha e lava de sabilo e varrellu
duas negrotas de 15 annos ; urna preta de meia iiljl
de, que engomma, cose, cozinha e faz doces, rtor
320,000 rs. ; 2 moleques de 16 annos; um dito i\
18 annos ; um pardo de 25 annos, por 350,000 rs.;
um dito de cor escura bom copeiro ; um preto de
20 annos perito olcial de sapateiro ; e mais alguns
escravos que se mosti ario aos compradores.
Na ra Direta,"sobrado n. 16, que faz
esquina para a travessa de S.-Pedro, ha
quem venda 2 casas torreas com bons
commodos, sitas 110 beceo do Peinlo,
tambem so vondem a prazo ou a tro- L^
co de escravos, ou bois mansos o quar- j
taos. ?1K
Vende-se urna escrava crioula, moga, de boni-
ta figura sem vicios nem achaques, com principios
de costura e engommado o que se afianga ao com-
prador : na ra do Collegio, venda n. 12.
ATTKNCAO''
Vende-se urna porgilo do foneis proprios para se
fazer garapaem qualquer deslilagflo pela sua boa
construcgilo qualidade do niadeira o serem arquea-
dos de ferro : na ra das l.arangeiras, n. 18.
Attencao.
Vende-se urna rica o elegante estante do" Jacaran-
da, de msica, assim como'bonitas msicas italianas
e o bom lempo : tildo por prego commodo : no Ater-
ro-ila-tloa-Visla', n.58.
i\a ra de Agous-Verdes,
n 46.
Vende-se, de urna pessoa que se retira urna bo-
nita m o leca de 15 annos ; urna mucama mulatinlta
de 15 annos ; um bonito mulatinho do 13 annos;
urna escrava boa coznheira quitandeira e lvadei-
ra ; urna dita de nagao oor 280,000 rs. ; dous mo-
leques de 18 annos; um escravo proprio para pala-
quim sem vicios ; 75 acgOos da coinpanhia de 1)0-
beribe; 3 moradas de casas no bairro do Recife, nas
melhoros ras.
em um
Escravos Fgidos
Fugio do engenho Telha, no da 28 do
prximo passado, um cabra, de nome
Antonio ha i xo grosso, sem barba, miii-
_ to prosista ; he Certanejo; foi montado
cavnllo rugo-pedrez-talhado ; levou toda 1
sua roupa e fazendas novas chapeo de couro llo-
ga-se as autoridades policiaes e capitilcs decampo,
que o appreliondam e levem-no a ra do Livramen-
to, n. 27, que sent recompensados.
Fugio, no dia 10do crrente um preto criou-
lo de nome Euzebio alto cheio do corpo sem
barba rosto comprido denles limados, pomas li-
nas ps chatos ; tem um bot.lo de carne na orelh'
e tres nos pcitos ; lovou camisa de algodflo da trra,
caigas de algodo trancado de lislras escuras. Roga-
se s autoridades policiaes o capitfEes de campo.
que o apprehcndam e lovem-no a j'tia da Praia, n
15, serrara do Cnrdial.
Desappareceu no din 3 desolcmbro do enge-
nho Tabatinga da provincia da Parahiba, o preto
crioulo, denomc Leonardo ; tema CBra redonda e
lisa mages altas, sem falta de denles; e estes ag"'
gados bocea grande estatura lgum tanto imum
do regular bastante fornido do corpo espadaudo,
de 25 anuos pouco mais ou menos falla algum t*<>'
mango. Esto escravo foi pegado nesta cidade do R-
cife, por pessoa aiiloitsada pelo senhor e recolliu'0
a cadeia a ordem do subdelegado do' bairro do He""
fe,e tendo sabido da cadeia a correinado pura
servigo da faxina quebroua crrente o evadio-s
segunda vez : por isso roga-se s autoridades I''1'
ciaes e espitaos de campo; que o apprehendain 1
lovem-no 11 ra da Cadeia do Recife, casa de Jos M>
Ionio Bastos 011 a Antonio Gomes Pessoa sen/ir
do dito escravo no scu engenho Tabatinga que sen
gratificado generosamente
iai.1 \i Ti -. kh m i i
MUTIL
K


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXL1P567W_F7719C INGEST_TIME 2013-04-24T17:12:06Z PACKAGE AA00011611_06511
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES