Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06509


This item is only available as the following downloads:


Full Text
nn XXIV.
......
Quartu-feira 1S
n MARIO publlca-ae tote o di que trio
, .. de guarda: o preco da asignatura he
muilri por quarlel, pufua uiiaitfaJui. O
ie ^in dos aislanantes ano iiiaarldos
"" ir ". P""B""' "e,n n d,f-
I -J'' .. rdsipel'cooi pela inetade. Os nao
^S'nSS pagarlo M r.. por Huta IW rs
*j'f ?po dlll'erente, por cada publlcaco.
pHASESDA LUA.KO MEZ DE SETEMBR.
a.-I i.\ 6 hora e24 min. daUrd.
92vT*. 13, ?Jow, a 27, a 7 horf e 16 rain, da manh.
PARTIDA DOS C0RRE108.
Golanna c Parahlba, as tep. e lextat-fr iras.
RIo-G.-do-Norte, qiilnlaa-felraa ao meio-dia.
Cabo, Serlnhacm, Rio-Formoio, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.*, a II e 11 de cada inez.
Garanhuna e Bonito, a 8 e 11.
Boa-Vina e Florea, a 13 e 28.
Victoria, a quintaa-feira*.
Olinda, todoa osdiaa.
PREAMAR OE HOJE.
Prlmelra, as 5 horas e 18 minutos da manh-
Segunda, a 5 horas e 42 minutos da tarde.
de Setembro de 1848.
11
N. 05.
das da semana.
11 Segunda, S, Thmtrfnru. And. do J. doior-
ph. do I cir. edoJ. M. da2. v.
12 Terra. S. Anta. Aud. do J. do c. da I.
r. e do J. de paz do 2. dltt de t.
13 Ouarla. S. Filippc. Aud. do J. do c. da
2. v. e do), de paz do 2 lint, de t.
14 Quinta. Exallaco da Sania Cruz Feriado
para os negocios forenses.
15 Sexta. S. Domingos emSoriano. Aud. do
J. do clv. edo J. de paz do 1. diside t.
16 Sabbado. S. Cornelio. Aud. do J. do e.
t. e doJ. de paz do 1 dist. de t.
17 Domingo. Festa das Dores de V 5.
CAMBIOS NO DA 12 DE SETEMBRO.
Sobre Londres a 21 r 24 d. por If ra. a 80 d.
Pars
Lisboa 120 por canto de premio.
Illo-de-Janciro ao par.
Deac. de leu de boas firmas a 1 t ao mea
ArcOesda comp. de Ucbrrlbe. W'-'P-
Oiiro.-Oncas hcapanholaa .'#000 a 32/200
Mordas de6#400 v. 18/000 a
. de 6/400 n. 16/400 a
. de (fiMO... 9/000 a
ProfaPatacfles brasileiros 2/040 a
Pesos columnarios. 2/D40 a
Ditos mexicanos..... I/M0 a
18/200
16/600
10/900
2/050
2/D50
1/920
DIARIO
PEHMAMBUCO
I
}
___PARTE OFFiCfi.
govep.no da provincia.
jllm.e txm. Sr. No dia 26 do corrento, pelas 10
oras (a manhAa, no enlanlu que um 'os estudantes
jo iv'ceo desta cidade altercara com um dos Portu-
gueses queteomarmazem de carne secca ema ra da
l'raia, que lica adjacente ao mesmo lyco, acconle-
ecu que esse Portuguez.depois dehaver sido ameaga-
do com una bengala pelo ostudante, Ihearrcmcs-
snsse sobre a cabega um peso que o iancou por trra.
Oscompanheiros do olTendido para logoquizeram
vinga-lo, e nesse intento sgrupram-se porta do
oflensor. cobrindo-o uo Dald0es, e invocando cuuin.
elle o espirito de nacionalismo; mas, admoestados
pelo director do estabelccimento, e por alguna pro-
fesores, cederam afina! do proposito. Entretanto, j
ora tarde: pessoas pertencentes a ultima das planas
da socieirade humana, c insudadas, sem dtmda, por
individuos que se queriam aproveitardo enaejo para
,-,rem cm execueno um plano des muito cornbi-
indo, topetavam a ra, o faziam eclioar o brbaro, e
^orrivcl grito--mata marinheiro. Apenas fui in-
formado de tilodesagradavel occurrencia, e soubodo
proprto subdelegado do districto, em que ella bou-
vera lugar que os amotinados ja o nflo obdeciam,
ofliriei ao chefe de polica interino, ordenar.do-lho
que seguisso para alii, e tralasso de abafar o tumul-
to, recorrendo em primeiro lugar aos meios bran-
dos e conciliatorios, e, em ultimo caso, aos da for-
ra- fiz reunir toda a tropa de linba desponivol no lar-
go dcste palacio, afim do te-la de sobr'aviso, c
prompta a entrar em acgSoJogo que fsse necessa-
rio; provdencei para que* alfandega e o arsenal
de guerra no viessem a ser assaltados, mandando
que em frente do cada um dos oditlcios, emquoso
achavam essas repartirles, estacionaste um dos na-
vios deguerra, surtos neste porto; dei,emfim, to-
das as providencias para que o direilo de proprteda-
deeseguranca individual fsse aqui mantillo plena-
mente. Meu'a osforcos, porm, Exm. Sr. n9o produ-
ziram todos os effeilos que eu almejava : quando o
cliefe do polica marcliou para o tlicatro da desor-
demacompanliadodoquarto batalhflo do arlilhana
a pe parareunir-se.a urna parte da frga policial que
all se acbava, j a gontalha tinl:a escalado as por-
tas de variosarmazens, o assassinado a cinco l'ortu-
guezes!... Essa mesma gontalha desattendeu por
tal forma ao chefe do polica interino, que olle.vol-
lou a este palacio, orequisitou mais frga, assim co-
mo a coadjuvacilo do coronel cotnmandante das ar-
mas.
Salisfazondo a esta requisig.ao, fiz partir para al-
l o mesmo coronel com o quinto batalhno de iuzi-
leiros. Com a ai-.egada da nova Wrca tlguiu dos a-
molinados fram-se retirando pouco a pouco, sem
qua tivesse sido necesario recorrer a ella, mas urna
porcio da plebo comecou a fazer exigencias-; veio
at ao campo deste palacio, e por intermedio de urna
commissao, reoresentou-me que o povo eslava mas-
sacrajto pelos estrangeiros.qucem consequencia dis-
so notinham meios de vida, o queexigiam promp-
las providencias respeito.
Sem aro disposlo a envidar lodos os esforcos, pa-
ra que nio conesse mais sangue; eu, comquanto
cstvesse cercado de bstanlo fiVga, c podesse fazer
ilis|iersar os lacs representantes, respond a com-
nissSo que reduzisso sua poticHo a escriplo, para
quo, sendo encaminhada ao govemo de.Sua Mages-
laile o Imperador, lsse attondida^ios pontos em que
o metecesso. Com esto minha resposta, relirou-se
o grupo, entoando vivas ao Monarcha, a presidencia
da provincia, e ao povo pernambucano; vivas que
nao deixaram de ser manchados pelo grito morra
marinhoiro quo foi repellido por una parte desse
grupo. Quando se deu semclliante evento, soriam
quatro e meia horas da tarde. Entilo os amotinados
coinecaram a dispersar; noite, porom, principia-
ran) a rcuuir-sc d novo aqui eaili, mas em muilo
menor numero, o sem que nada podessem obrar,
pus quo lodos os bairros so achavam guardados por
frcas respolaveis. .
J seachava a noite bastante adiantada, o eu
anda me conservava vigilante, assim como toda a
tropa costa em inovimeiito; senao quando ocom-
inaiidante geral do corpo do polica Irouxe-mc o ex-
omplar que, sbon. 1, incluso remello, da procla-
'"cilo que eslava sendo distribuida pela populara,
c quo anda mais me veio convencer de que ha va
plano u-acado d'autc-mno para perturbar a tranquil-
lidade publica ; plano que .teiiho para mitn, nilo loi
lodo oxeculad, porque cu o prevcni pela maneira
que fica reiatadV Esta minha convicQao subi do
ponto, quando 27, ao depois do meto J'0'
apicsentado o oxemplar, que sb o n. 2, lamuem
passo s nios de V. Exc, da proclamacHo que An-
tonio Borges da Fonseca eslava fazendo distribuir
pelo povo. Ah j se nio. trata de acabar so com o
pretendido dominio dos estrangeiros ; querr mais
alguma cousa ; quer-se atlentar contra as inslilui-
Oes que nos regem ; quer-se o estabcleclmonlo ue
um govemo provisorio, e a installacSo de urna as-
sembla conslituiile.
A senielhanlu occurrcncia veio juntar-so a de
haver a plebe invadido por vezes as galenas da as-
sembl/i provincial o insultado aos membros deila,
sb pn texto Ue apresoiitarom Onia petigao, que, de
feito, lo afina! apresentada solicitando: primeiro,
que se prohiba inleirainento aos estrangeiros hego-
ciarein a rolalho; segundo, que se vede a todas as
casas decominercio o terem caixeiros estrangeiros,
peruiilindo-se apenas um s de grosso trato; ler-
'ceiro, (|ue a assemblea determine a osla presidencia
faga sabir quanlo anles para fra da proviucja lodos
os Portuguezes solteiros; qaarlo, emfim, que ella I cano. Por te **l*n*"J!?^fW"TiT
nro.mi.han .emul* eral a installagilo de urna |lsrreicao que e.wva>>ete^^ P" c5fl'nfdaencb7r;
...., ? n__ o. _* _.:-- icar o enverno local a pedir a iniervcncao irantru.
constituir. Releva notar, Exm. Sr., que p..:?..- 0 t0 da populafao continuara com extraoru.-
terrainava, dando tres das a assemblea provincial
para resolver acerca da materia della ; exigindo quo
a delberagao seja executada dentro do prazo im-
prorogavel de 15 dias, e declarando que, a nilo serom
os peticionarios Hendidos, todos os males que d'ahi
provierem pesarSo sobre as cabegas dos membros
da mesma assemblea.
A' vista dessos eventos assentei que os meios
brandos j nSo podiam aproveitar, o exped as pre-
cisas ordens para que os grupos que se conserva-
vam us varias ras da cidade fssem dispersados a
todo o transo, anda mosmo que se recorresse ao em-
ni'fi.Mi das lirias. Knlizmento, porm, nlo'houve
necissidade de fazer. victimas: alguns tiros dados ao
ar, e poucas espaldoiradas fram bastantes para que
se efietuasse a dispersa.i. Cahe-me declarar V.
ICxc, quo, tendo o bacharel ,;ervasio Gongalvos da
KEIyn niirt inlprrSvnte eterci2 o c^reo do chefe iip
polica, pedido na noite de 26 demiss3o do dito car-
go.eu lli'a conced,nomeando para substitui-lo o des-
embargador Msnoel Rodrigues Villares, quo a 27 pe-
le mandila entrou logo cm exercicio, e que muilo
me ha coadjuvado na adopgSo das medidas que lti-
mamente lenho tomado. Visto como Antonio Bor-
ges da Fonseca, lm de haver mandado distribuir
as proclamages a que por ultimo me refer, de
quando em quando chegava s varaudas da sala livro
da cadeia desta cidade, : d'ahi insuflava o povo, to-
moi a resolQflo de transferi-lo para bordo da corve-
ta Eulerpe, juntamente com os presos Francisco Pe-
dro Vinagre, o o pardo gcralmentoconhecido por
GoncalSo, queoacompanhavam na larefa de exarce
bar os nimos.
Estas providencias sorlirambonselleitos: j n8o
existem prupos na capkal, o espero quo a tranquil-
lidade publica seja plenamente rcstabelocida em
pouco lempo.
Levando tudu islo ao conhecimento de V. EXC,
para que e digne de fazer constar a Sua Mages-
tade O Imperador eu asseguro V. Exc. que ,
emquanlo ostiver naadministracao desta provincia,
nao s nflo pouparei esforgos para livra-la da vora-
gem da anaichia, como tambem para sustentar a in-
togridade do imperio, e quo tunho f de haver de
ser bem succedido em semelhante tarefa; porque
cont com oapoio da parto s"a da populacho, apoio
quo, em abono da veidade, j me tem sido prestado.
Dos guarde a V. Exc. Cidado dollecife dePer-
nambuco, 28dejunho de 1848.
lllm. e Exm. Sr. Antonio Manoel de Campos Mel-
lo. ~ Domingos Malaquias de Aguiar Pires l'erreira.
BECirE, 13 DE SETEMBRO BE 1848.
Sao iuteiramente falsos c destituidos do funda-
mentos os boatos que, de hontem para c, Mo corri-
do nesla cidade, acerca do presidio de Fernando-de-
Noronha. v
Ocommandante do paquete ingloz t'xprtist, por-
que, se dzia, tinha sido trazidas as novas Herrado-
ras quo ah circulavam a respeito, assevera quo as
naocommunicra pessoa alguma, e nao avistara o
presidio, pos o mais prximo que esteve delle foi
na distancia de cem legoas.
Apressamo-nos a dar esse desmeutidu solemne aos
noticiadores de io agouro que abundan! nesta ca-
pital, para tranquillsar os an irnos da populag.lo.
Vamos continuar com as noticias que collimos nos
dTercnteaJornaes ingleses que ltimamente nos fram
entregues.
O governo da Irlanda liana tomado enrgicas medi-
da* para por a.n insurreicao; mas a despeito da vigi-
lancia da polica, diz o correspondente do Times, inultos
dos chefes de clubs tinham-se escapado de Dublin para
o acampamento rebelde e.n Slievenainon.
Muilas.prUcs se leem eucetuado em toda a ilha, mas
os chefes do inovlmento ainda nao fram encontrados,
sem embargo de haver pro.nettido o governo um grande
premio a queni os preudesse.
Urna carta deThurles diz assim :
Comquanto nao tenha aluda havido aqui nenhum
roinpimento, sinto ter que declarar-lbo que o povo esl
em um estado do maior excitamenlo, e de hora cm hora
espera ser chamadla obrar. Eiles se acha.n bem arma-
dos, cconiocsiaomuiexercitados no uso das armas de
fogo, e sao alin disso naturalmente de mu mo carcter,
ludo tere.no que temer no cajo de seren chamados a
lomar parte na Insurreicao.
O que rica dito acerca de Thurlcs, appliquem-no os
leilores a toda a Irlanda, que terao um qn*dro fiel do es-
lado em que se acba o palz. ,...,.
Cheeira a Paria um inembro do goreftioprovisorlo
de MilTio, Mr. uerrierl. a pedir a niervencuo franceza
em favor da causa italiana. Carlea Alberto, d.zem. ha-
via lamben, pedido Franca um soccorro de 60,000 ho-
"jepois que ,e reoebra e.n Mllo a noticia-do revez do
cicrc "o pleu.ontes, urna commissao de salvacacipubli-
" fra alli no.neada, par. o flin de adoptar med das que
prolejam opaiz dos perigos qufo ..ujeacaii. jt.le -
l.u *___.\._ ,i,-iri-sim-mbros M. M. Maestri, nesie.u
celho compe-se de XHMU*t
eo
Sc'raf Fati:V^^Zu^o^lm repub.i- Italia de toda a desgrasa
naria actividade.
Em Turim tambem multo desgosto se manifestara
grupos tumultuosos se reuniram na praca de Cavignan
c protestaran! contra o ministerio que eslava annuncla-
do e que se compunha da maneira seguintc:
Casati, Milanez, presidente do concelho.
i Ricci, Genovez, ministro do interior.
i. Prelo, Genovci, ministro dos negocios estrangeiros.
Gioia, ministro da guerra.
Rattazi deTurin, ministro da instruccao publica.
Durini, Milanez, ministro das obras publicas.
Paleocapa, Vencziano, ministro da fazenda.
A cuiadaSiciiia fofa offerecida ao duque de Genova,
filho de Carlos Alberto, e aJseguram que o illustre Ita-
liano declarara que a nao aceitara eruquanto nao fsse
concluida a guerra da independencia.
A dieta lasa resolver pedir repblica franceza a
restiiuico daquella porco do lerriiuiio denominarlo
k Valle-dos-Dappcs que o tratado de Vicnna havia for-
malmente assigna do a repblica helvelioa, porm que
o governo francez havia unido ao departamento, do Ain.-
O depulado Vaud.defendendo a resol.cao, disse que era
de esperar que o rgimen republicano, que havia sido
inaugurado naFranra, repudiasse as faltas de que duas
dyuastias tinlia.n sido criminosas paraconi a Suissa.
Que, obrando assim, o governo francez nao s reparara
uinaclo de grande injustica, como tambem praticaria
um acto de boa poltica.
Em aples havia socego. A cmaras legislativas, po-
rm, pouco li.iv i.un feito, por isso que quasi nunca tra-
balliavam mais de duas lloras, deixando mullos dias de
haver sessao por se nao reunirem os deputados cm nu-
mero suniciente.
O concelho de guerra havia condemnado morte a
dous ou tres dos chefes insurgentes ltimamente presos
em Corf, mas asentenca fra-lhes commulada e.n pri-
sao perpetua.
i .iiiuiini iv.i ainda em activo progresso o armamento
contra a Sicilia; porm, isto nao obstante, cria-se que
vista da recente declarado da Franca e da aiiiti.de da
Inglaterra a ideia de invaso seria inevilavelmente aban-
donada.
O rei de N'apoles protestou contra o acto do parlamen-
to de Paler.no do da 11 dejiilho, o qual chamara ao
throno da Sicilia o duque de Genova; elle o proclainou
Ilegal, millo e de nenhum efl'eito, visto que he una vio-
lceo do principio da unidade e integridade da mouar-
chia, e dos sagrados direilos delle rei e de sua dy-
nastia.
No dia 19 de jullio houv cm Roma um grande tu-
multo.
Trabalhava a cmara de deputados, a sala eslava api-
nl.oada, numeroso povo oceupava as galeras, e comtu-
do reinava profundo silencio. Fra do palacio urna (in-
mensa iniiUil.io eslava reunida anciosa por saber da de-
cisiio da assemblea; 60 deputados cstavam presentes.
O presidente annunciou que havia recebido urna peti-
zo do jjovo coberta de assignaturas. Os peticionarios
pediam que a cmara vigiassse pala salva;o do paiz.
o qual corra perigo, e declararan! que o povo eslava
promplo para sustentar a assemblea. O presidente ac-
crescentou que as intences do povo eram dignas dos
inaio.cn encomios, mas que a cmara nao poda apar
tar-se das legras consliliicionaes. Elle propoz que a pc-
ticilo fsse rcmeltida a urna commissao especial, a qual
no dia seguintc deveria dar sobre ella o seu parecer,
para entao poder ler)principio adiscussao.Mr. Honaparte
observou que a petico e seu objecto eram tao impor-
tantes, que a cmara podia apartar-sc do regiilaniento,
c dar principio diseusso uaquellc incsmodia. Neste
momento fram ouvldos gritos do povo que eslava da
parle de fra. Houve entao na sala um graude tumulto,
e o presidente nao podendo acalma-lo levautou a sessao.
Os deputados deixaram seus asientos, e esforcaram-se
por acalmar a efervescencia popular. O presidente re-
cotnmendou ao povo que eslivesse quieto e respeitasse
a liberdade da assemblea. O silenci havendo sido res-
tabclecido, a sessao continuou.
A cmara passou entao a discutir o projecto do le,
relativo mobilisagito de urna parte da guarda na-
cional, porm o doputado Bonaparto foi obrgado
pelo clamor da cmara a descerda tribuna. M. Ster-
limi rccommendou assemblea quo so oceupasse
dos acontecimentos quo se estavam passando, os
quaes eram do mais serio carcter. Neste momen-
to crcularam na casa rumores de um movimento
popular. O ministro do commercio, sendo intorpel
lado, annunciou que o povo esforgava-se por apode-
rar-so das portas da cidade e do castalio do S.-Ange-
lo. Ello accrescenlou que os ministros haviam dado
a sua demissSo o quo esta tinha sido aceita; porm
que elles conlinuariain com as pastas at que um
novo gabinete fsse formado, o que fariam o que
podessem para a manutenerlo da ordom. A cmara
declarou-se en. sessflb permanente. O povo disper-
sou-so depois, aconselhado por alguns representan-
tes que lito mereciam confianga. O Santo Padre em
sua resposta mensagem da cmara dos deputados
assim so exprime:
Ar Santa Soba sempre agentemente defendido
os-dircilos de seus dominios teinporaes, e os augus-
tos pontfices a quem havemos succedido (n3o obs-
(aulo sermos disso indigno) h3o dado repelidas pro-
vas de suas firmes intcngOes a esto respeito. Por
esta rasilo lomos julgado do nosso dever imita-loa,
e pela segunda vez temos doclarado a nossa opiniao
sobre os acontecimentos de Ferrara. Em a primeira
occasao recebemos plena satisfacSo, e Iisongoamo-
nos de que serenjos desta vez igualmente feliz,
comquanto ascirciimstancas nao sejam as mesmas.
Fomos informado que as tropas austracas bao
evacuado Ferrara, o estimamos poder assegurar-vos
quo estamos disposto a ordenar ludo quanto poder
ser necessario para garantir o diroito de derensao.
Nunca foi nossa intengSo renunciar a esto direito,
pelo contrario proclamamos que lio nosso desojo
suslenta-lo iteiro o inviolavel. Nos repetimos nos-
sas humildes supplicas a Dos para que preserve a
e faga fiorescer no meio de
nos, como em urna trra privilegiada, aroligiloea
paz, nicas fontes da verdadeira folicidade.
Em Golha abrra-se um congresso composto de de-
legados de lodos os ducados saxonios, lendo por
objeclo un i-loa em um corpo, o qual deveria tomar
o nomo de reino de Tbyringen. Asscguram que o
rei eleito ser o duque do Saxc-Weimar-Ersonach.
Acamara do representantes de Hungra rosolveu
enviar a Italia um exercllo do o0,u00 homens em a-
poiolla Austria.
Haviam comegado do novo as hostilidades entre a
Dinamarca e os ducados deSchlcswig o Holstein. Os
dinamarquezes alacaram o porto de Eckenfordo; po-
rm, islo nao obstante, o presidente do concelho de
ministros da Prussia declarara na sessSo do -2H de
iulbo assemblea constitninte, que ainda havia es-
perances de poder effeituar-se urna paz honrosa] e
vantajosa.
Puhlicuco ; pedido.
v
AOSILL.""" SN." DESEMIIARGADORES DA BEI.A-
(,:A DE PERNAllBOCO.
Ante a vossa respeilavel prcseo9a, Illms. Srs.^ val
chegar, pela terceira vez, uma queatao de nunciaco de
obra nova, deste termo do Pilar, provincia da Parahlba
do Norte, movida pelo Sr. Joo de Mello Azedo contra
Antonio Fcrnaudes de Carvalho. He esta urna queatao
em que a Alcana tem esgotado todos os seus recursos,
em que ajBbitraricdade usou de saas ultimas armas no
juizo inferior, e.n que finalmente um homcm, encaneci-
do entre demandas e rico de recursos, tem jogado at
a ultima carta. Um respeilavel accordam Iancou por
tena ltimamente todo o edificio planejado c ejecuta-
do pela mais refinada sagacidade ; porm un embargos
subjeitaram novamente todo esse derrocado e recons-
truido edificio ao vosso inlegerrl.no juizo.
O abaixo asslgnado nao duvida um s instante do re-
sultado desse novo julganiento, pois o contrario serla
desconfiar da rectidao que v"orna ; mas, como tenha de
patentear ao publico as pretenedes injustas de un ho-
mcm apaixonado, julga ser-lhe conveniente convidar a
vossa atlenfiio a oceupar-se coin o que passa a exjir.
He objecto da queatao-o na-^ querer consentir o Sr.
Joao de Mello Azedo que Antonio Feruaudei de Carva-
lho e seus filhos levanten, um cngcnliQ, movido pelas
agoas do rio Itanhem, e.n sua propriedade Po-d'Arco,
por isso que essas agoas vao moer o engenl.o Tabocas,
pertencente ao dito Joao de Mello Azedo, e para isso tem
usado de todos os ineias, ainda os menos ponderados.
Para o abaixo asslgnado esclarecer o direito que Ihe
assiste, a acu pai e manos, Ihe he misler remontar-ie
aos antc-possuidores dos engenhos Po-d'Arco e Ta-
bocas.
As trras do engenho Po-d'Arco, onde tem sua ma-
triz o rio Itanhem, pertenceram a D. Roza Candida de
Aragao, que tambem era senhora do engenho Tabocas.
* No anuo de 1791 dcsannexou aquella senhora as trras
do engenho Po-d'Arcn do engenho Tabocas, vendendo
este, e reservando aquellas para levantar um engenho
movido por agoa, em confu inidddc data de semuaria
dessas trras, junta aos autos, e s testemunhas dos
ditos.
Agora, porm, que os consenhores do engenbo Pao-
d'Arco qm i va levantar um engenho movido pelas mes-
mas agoas, eis que o Sr. Joao de Mello Azedo, mais para
dar exercicio ao seu genio, para nao estar inleiramente
baldo de demandas, que fazcm o aeu vicio dominante,
do que.por prejuizo que d'ahi Ihe provenha, como mos-
ir.nvi, se aprsenla a embarazar por todos os meios a
seu alcance a confeccau densa obra.
Para desmascarar ao dito Sr. mostrarei-que elle nao
tem direito ali;um ao uso exclusivo deasas agoas ; que a
cdificafo do novo engenho Ihe nao occasiona damno
algum ; finalmente apreciare! os meios pouco cavalbel-
ros de que esse Sr. se tem servido para sustentar esta
demanda caprichosa e injuita.
Para provar a minha priineira assercao rei beber os
argumentos no rectissi.no accordam, o qual, fundando.
se cm direito expresso, com loda a luz inanifesta a in-
juslica do Sr. Azedo.
Tendo 1). Roza, senhora coaimum das propriedades
Tabocas e Po-d'Arco, na escriptura de renda daquella,
reservado para ai a propriedade Po-d'Arco com o fin
de levantar um engenho, nao he presumlvel, e at re-
pugna-ao bom senso, quequizcsie prlvar-ac absoluta-
mente das agoas, primeiro e mais enrgico agente dos
u a bal los ruraes, embora Tabocas j fsse engenho mo-
vido por agoa ao lempo da venda ; porque a servido
nao se presume, I. 9. cod. de servil.; nem se pode dar
nos predios do mesmo dono, I. 5." p. d. E ainda quan-
do se provasse que havia uma servido constituida as
agoas desse rio em proveilo de Tabocas, ella nao podia
excluir ao predio superior Po-d'Arco do uso de ditas
aijoas : pois a servido deve ser o menos oncroa* poa-
sivel ao predio serviente. I.ob. 20 5. de serrit. cod.
francez art. 702.
He, pois, claro que nem o Sr. Azedo provou, e nem po-
dia provar, que hala alguma servido constituida mi
proveilo do seu predio, c quando a houvcsse, ella nao
exclua ao predio superior do uso das mesmas agoas.
Ainda se lorna mais claro este enunciado se alien
dennos prova que passo a dar na minha segunda as-
sercao. -j
O engenho Tabocas nao lie movido nicamente pelas
aeoas do rio Itanhem. A una legoa do engenho Po-
d'Arco ha o engenho l'acatuba, que he movido pelas
agoas do rio deste nome, as quaes, passando por lenas
do engenho Po-d'Arco unidas com as do rio Una, te
jiini.in. s do rio Itanhem, pouco abaixo do local do no-
vo eogenlio, Pomo-da-Discorda, e d'ahi desccm a moer
o engenho Tabocas. Esta exposijao verdadeira, e contra
a qual desaliamos ao Sr. Azedo, nao pelos seus meios
usciroi, porm por urna vistoria legal, naturalmente
"nol suscita as seguintes observares : Se as agoas l'.icaiiilaa sao suficientes a moer o engenho deste no-
inc ; se as do rio Itanhem sao por si sos julgadas pelos
propietarios do novo engenbo Po-d'Arco sufficientes
a movc-lo, como nao aera suniciente a enorme massa
dos tres riosPacatuba, Una e Itanhem, que incorpora-
dos vo tocar a roda do engenho Tabocas ?
Provou porventuraoSr. Azedo, ou jamis poder pro-
var, que o novo engenbo consom um volunte' d'agoa
equivalente ao de qalquer um desses rio, nem mesmo S
de alguns riachos quedespejam nelle, antea de toca-
rema rodado engenho Tabocas ? Acaso querer'preva- V
MUTILADO
ILEGIVEL



T"
kcer-f o Ir, Azriln de un laudo dr teui louridosiufn-
cicntcmrntc apreciado mi uUm i1 Mu MMmUfci j^uj
o sorvrdournt da levada do rngrnlio Taboca!, ot ala-
ftadicoi c mili os desvos proveniente da nu couterva-
., o, para nao diicr perfeito abandono, da chamada le-
vada .' I'ori'in, aprxar denei conmino* c desperdicos
d*agna. ella he mala que snMii lente para mover o enge-
ho Taboca porquanlo a roda desic eugmlio he ni-
camente Cocada pelo peto que af agnai (rateiu eni teu
lelio ; poiioSr. Aiedn nao tem acude, uu oulro qual-
quer depotito, que augmente o peto dat agoas, c apro-
vete aa correntet ootintervallot da inoage. Sr. Azedo
alravessa um dique no leito do rio, e desviando as-
sim o curso das igoas, as encaiuinha por una leva-
da sobre a roda do seu engenho, e essas agoas sem
mais auxilio algum da arte movmn om sua passngem
a dita roda. Eslahe imperfeitissima, o a sua pessi-
ma construceflo (como consta dos autos por conlissflu
dos louvados) a torna pesadissima, exigindo assini
maior fiirca no seu ipotor, isto he, maior volume
d'agoa do que he necessario.
Vio se fazem mister grandes conhecimentos de
hydraulica para perceliera grande imperfeicflo com
que o Sr. Azedo aproveila esse agente. E ser, j
nflo ilirei de Justina, mas sim rasoavel, que o Sr
Azedo, pelo seu pouco zelo, por sua inepcia, queira
privar a outrera de tima vantageni, principalmente
qtiando esta ncnhnm prejuizo Ihe oecusiona '! X5o
ser a m construceflo de sua machina, o seu pessi-
mo estado, a causa de alguma dilliculdade, se lie
queapparece, no ineneio do seu engenho? E de-
verflo os particulares e o publico sofFier as consc-
quenciasdesua indolencia.'
Eis-aqui, portento, provado que nenhum damno
pode provir ao Sr. Azedo da edificacio do novo enge-
nho : a inda poderia chamar em prora do quanto levo
ditu o illustrado accordam que claramente asseve-
ra seren beneficio de Tabocas a nova levada.
I ni .sido esta levada o cavallo de batalha do Sr.
Azedo, asseverando que esta paisa por reas em ca-
lindas, formigueiros, em sales, e outros partos de
sua pingue imaginado, que tem ebegado ao exces-
so ile alterar a topngraphia do lugar, mudando c
augmentando as distancias, u transtornando as loca-
lidades. O verdadeiro lie o que passo a expr : o rio
llanbein tem grandes voltas o rodeios, c em nina
destas be mister tirar una recta, fazer urna levada
le quatrocenlas e quarenta e tantas bracas de dis-
tancia para por ella cncaminhar as agoas ao novo e:
gento, que d'aqui inmediatamente desce a tomar
o leito natural. Se be de inluicno que a corda be
mais breve do que o aico, tainbem o lio que a Inva-
da em questflo he mais curta do que o leito do rio.
Nos autos exisem as bragas que urna e outra tem.
O terreno da levada nflo pode ser de dilTeronte
qualidade do leito do rio, pois entre um e outro in-
termedeiam bracas,e lio sabido que um terreno nflo
muda ile repente de qualidade. V. ciernis epno con-
celler formigueiros em saloes, salesein arcas, e
reas em catingas ?
S quom nflo tivero menor conhecimento do nos-
so solo poder deixar-secmhahir por taes absurdos.
He muito contra meus principios dcscer analyse
de fados que pdem desconceiluar alguem ; por isso
reformo a delerminacflo em que a principio estivo
de apreciar os meios usados pelo Sr. Azedo tiesta
questflo, e s o farei se for obligado pelo Sr, Azedo
a tornar carga. Entflo mostrare! as injustieas e
violencias, as grosserias, e at nao amplificare! se
disser insultos, que soflremos durante o andamento
dessa questflo n'csle juizo do Pilar ; assim como pa-
Icnlearei os motivos, os meios e vebinculos de que o
Sr. Azedo usou para esse lim. Deixando, porm, tflo
desagradaveis recordares vou a alguus tpicos da
suslentacflo dos embargos.
isseo Sr. advogado quo I). Roza vender o enge-
nho Tabocas, urgida pela necessidade de pagar a
seus credores, e que nflo reservou para si as agoas ;
porm nflo altendeu que nflo havia precisflo de I).
Hoza fazer tal declaracflo; porquanlo, conhecendo
sulTicieiicia as agoas para moer ambos os ciigonhos,
nflo poderi suppdr que houvesse quem obstasso a
um uso tflo inoxio. Alcm disso, tiflo tendo D. Itoza
declarado essa servidflo, que nflo podia existir em
quanto possuidora.de ambos os predios (lei 5' p. d.
cit., rtiivadomino non serv!, I. 26, d. de lerv. urban.
I. 23 d. de serv. rusl., eoulras, Correa Telles
not. 286); o nflo se podendo presumir (I. 9 cod. de
servil; a servidflo nenhum fundamento resta ao ar-
gumento do Sr. advogado.
Tambem nflo pode prevalccer-se o nobre advoga-
do da sua regra de direitona nterpretacflo dos
contratos se deve sempre entender contra aquelle
que podendo nflo se exprimi com mais clareza ;
porque a questflo nflo he sobre nterpretacflo de un
contrato; mas sim sobre a cessflo de um direito fa-
vorecido. I.. 30 de servil prod urb., e outras ci-
taces.
Contina o Ilustre advogado, que, fazendo ori-
tieiro (rio) Itanhem o seu curso por parto das trras
a propriedade Po-d'Arco, e com urna evada que
moer Tabocas, estando assim constituida una
servidflo n'csse engenho pola proprietaria em com-
muin a favor do engeuhfl Tabocas, he incontroverso
que, vendido esse engeimo sem alguma declaracflo a
iespeilo d'agoa, ficou subsislindo una servidflo tal
qual eslava constituida. Todo o argumento cima
basea-se na falsa supposicflo de quo a levada de Ta-
bocas he foita em Ierras do engenho Pao-d'Arco, sup-
posicflo que mais adame o Ilustro advogado faz ap-
parecer com toda a clareza ; porm devo advertir
que he falsisstmo haver levada do engenho Tabocas
em trras de Pao-d'Arco; pois o rio em toda a pro-
priedade Pao-d'Arco, e piis de urna legoa pela de
Tabocas, segu o leito em todas as suas voltas, ala-
gadizos, sumidotiros e dosvios, coosistindo nisso
o pouco lelo e cuidado quo cima notei no S. Aze-
do, pois.com pequeo trabalbo se obstavam todos
esses defeitos, principiando a levada propriamento
dita mullo perto ao engenho Tabocas ; poi tanto nflo
exista, nem existo tal signal do servidflo, de quo
falla o art. 694 do cod. civ. franc o art. 449 do Di-
gest. Port. citados na sustentad-So dos embargos, e
assim nenbuma applicacao ao caso vortenle.
Anida farei observar para intelligencia dos autos
que mullas vezes se denomina ah o leito do rio com
opseudonymo-/t>arfa-l nflo temo ser contestudo.
Parcce-me pouco exacta a consequencia lirada
pelo nobre advogado dos artigos citados do cod civ.
franc., e das olas do J. A. fiogron ao arl. 692 do
mesmo cod.; porquanlo elles fallam em um tignal
senswtl deservtddo, que o nobre advogado nfloexiao
em na pnndU........;- ....._ ...r-_-~.. *>
vontade do comprador como lei. O engenho Tabo-
cas he unta excellente propriedade pelas mas torra
alagadase loriis, eassim muito vendavele valiosa ;
pin tanto mais'no caso eslava II. Hoza de impr a lei
do que do recebo-la de algum comprador.
Tambem engani-so o nobre advogado, quindo
assevera que Tabocas lom o uso exclusivo das agoas
dollanhom por mais de quareuta anuos; porquanlo
os senhorios do engenho Po-d'Arco sempre usaram
para rega das agoas do ditorio e de seus confluen-
tes. Nflo he menor engao asseverar que as agois
quo uiovem o engenho Tabocas nao teem o volume
preciso para isso, pois as mais rigorosas seccn
conicrva-se no biilo tal volume d'agoa, que, aprovei-
tadas com economa o arte, pdem mover ptima-
mente dito engenho. lia pouco passmos porquatro
.iiuos de rigorosa secc, e no mais violento della foi
feita urna vistura na qual os louvados conlessaram
provira falta nicamente do defeilo da roda, e nao
do volumo d'agoa, como consta dos autos. Depois
de tentada esta aceflo, o Sr. Azedo leve de moer em
Pox cannas plantadas em Tabocas para soar o es-
pa I liar-se essa noticia, com o in do provar a defici-
encia d'agoa ; e antes d'esse lempo a que me roliro,
succedeu isso urna voz, por se haver quebrado urna
peca do engenho que nflo por falla d'agoa.
Desejaria passar em siloncio o volume assombro-
so d'agoa em que orea o nobre advogado o consumo
do novo engenho, querendo absolutamente que as
agoas, tnodo o engenho Pao-d'Arco, vflo necessaria-
menle regar Ierras; bem como a advertoncia de
quo a levada projeclada em linha recia nflo he a mes-
illa que vai moer Tabocas ; porm son obligado a
pcdir-lho que diiiiiniia do seu orcainenlo a verba
consignada a rga de trras, assim como que di-
ininua aquot votada no consumo do engenho, pois
tflo ridicula be a sonuna Docenaria ao consumo, que
nflo merece ser mencionada no seu orcainaiiicnto ;
assim como a dizer-Ihe que se a lavada em linha
recta nflo be a que vai moer o engenho Tabocas, po-
de vira s-lo o com a grande vantagem de correr
porum caniinho mais curto, e por consequencia
com menos superficie do solo a embober e a eva-
porar.
Desejaria que alguem me provasse, o trti mihi
magnu Apollo, como he que a projeclada levada po-
de prejudicara levada construida ilo engenho Tabo-
cas quaudo urna dista da outra quasi meia legoa,
e o rio torna ao loito muito antes de chegar embo-
cadura da levada do Tabocas.
.Nflo he tflo grande falsidade como diz o lllm. ad-
vogado o asseverar-se que nflo foi exacto quando
disse em suas rasOes II 338, quo o engenho Moreno
era d'agoa porque realmente est essa inexactidflo
exarada nos autos se bem que por isso nflo he o no-
bre advogado responsavel, visto quo fundou-se em
um mappa aprescutado pelo Sr. Azovedo do qual
a menor inexactidflo be essa. Nesse mappa existem
as lettras P. Q. marcando a levada do engenho Mo-
reno, e R. o seu acudo quando Moreno he rnoido e
sempre o foi por l'rca de animaes; portanto deve
declinar o axioma quem deu as informaces para
o delineamento do mappa. Tenho concluido esta j
summanieulo longa exposieflo cuja veracidade o
exactidflo estou promplo a provar em qualquer tri-
bunal e loruarei a materia se a isso lr obrigado.
Parahibd, 11 de agosto de 1848.
Joao Antonio Fcrnandts de Curvalho,
v "'/e.i a de N. S da Conceicflo do Inga, a deS. J'
de Cu inlianba a do 8. Jote da Ingazeira a de S.
KelixdoBoique, a de N. S. da Madro do Deo do
l'uxim e a de S. Anua de Upanoma.
Todo o reverendo sacerdote ou elerico que quei-
ra fazer opposicfo s igrojis cima referidas apre-
sealo-se com seus papis promptos o correntes na
forma do estilo para seren dimitidos fazendo ter-
mo de opposicflo dentro do prazn de 60 das, lindos
os quaes se fr o concurso em o qual responde-
rflo os reverendos opposilores nove casos de moral e
consciencia e farflo urna exposigao ou homila do
evangelho que assignarinos : para propormns a S.
II. o Imperador os quo se julgarem mais dignos na
forma dos sagrados Caones eConc. Trid.
Imdii em Olinda, sb o sello da chancellara e
nosso signal, aos II desetembro de 1848. E eu o pa-
dre Joaquim de Assumpcflo escrivflo da cmara
episcopal o sobscrevi.
Joao', Hispo Diocesano.
Aitumpcao'.
Edilal pelo qual manda S. Ese. P.evm. pora con-
curso as igrejas vagas deste bispado na conformi-
dade das imperiasordens, como no mesmo se do-
clara.
Para V. Exc. Revm. assignar.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade oficial da im-
perial orden da Roa, cavalleiro da de C.kritto t ins-
pector da alfandega de Pernambuco, por S, M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
I'az saber quo no dia 15 do crrante, ao meio-dia,
na porta dn mosma.se hflo de arrematar em hasta pu-
blica 36 duzias de flores artificiaos no valor de 100/
rs-, 35 duzias de bengalas de baleia, no valor de 160
muris, 50 duzias de perfumaras, no valor de 50/
rs., e 18 grozas de canelas no valor de 30/rs.; impug-
nado pelo guarda l.uiz lie/erra Monteiro Padilha, no
despacho por factura sb n. 1025, sendo a arrema-
(ai.'jn suliji'ila aos direitos.
Alfandega, 12 do selembrode 1848.
Miguel Archano Monteiro de Andrade.
Avisos diversos.
>6Caraces.
COMftlEttC.O.
vai
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO DI A 12..........8:020/115
iescarregam hoje, 13 de setembro.
Briguc Secieilade sabao e ferro.
Galera Serafina Ierro.
PatachoLi'/erdade pedra.
CONSULADO GERAL.
RE.NDIMK.VTO DO DIA 12.
Geral....................IMM73
Diversa provincial............. 40/3-24
1:719/297
CONSULADO PROVINCIAL.
RKNDIMF.NTO O DIA 12..........1:410/299
Hovimento do Porto
Navios sonidos no dia 13.
Macelo, Babia e Rio-de-Janeiro ; vapor brasileiro lm-
peratriz, commandante o capito-tencnle Jezuino La-
mego Costa. Alm dos pas.iageiros que trouxe dos
portos do norte para os dosul lev a seu liordo : para
Macelo, I.niz de Ollvelra Mina, Fr. Henriquc do tas-
tello de S. Pedro, .loan da Silva Reg Mello, Antonio
Oletegard da Silva Moura, Dr. Fermino Antonio de
Soma com I filho c 3 esernvos, 1 clrurgio-mr, 2 of-
ieiars. 98 pracas de pret do segundo batallio de ar-
Ulbarla a p e mulheresdas uiesinas para a Habi.
Manoel L'oe.lho Moreira Jnior, Mara Francisca, Fr.
Antonio de 8. Hraz, Maciel Pinheiro, llelfino Gregorioi
o lente Jo hernardo Fernandes Gama com sua fa-
milia el escravo a entregar ; para u Hio-de- aoeiio,
Antonio Franciico de Souza.
I! i'i-de iani'iio ; briguc brasileiro Mercantil, capitao An-
tonio Ferreira Lima Fogaca, carga assucar, ago'arden-
te, sola c mais gneros. I'assageiro, Jos Leonardo,
Portugus ; c 3 esclavos.
Glasgow ; briguc inglcz Raimbotr, capitao Paler ScoR,
carga assucar.
Liverpool por Parahiba ; briguc inglez Richard, capito
William White, carga assucar e algodao. *
rtewlfedford ; galera americana totconda, capitao ben-
jamn F. Sludley, carga parte da que trouxe.
-- 0arsenal de guerra compra 10 toneladas de car-
vflo de podra : quem dito genero quizor fornecer
cumparecer|na sala da directora do mesmo arsenal,
com sua proposta o amostra no dia 14 do correnle
mez.
Arsenal le guerra, II do setembro de 1848.
O Escripturario.
Francisco Serfico de Asis Carvallo.
Perante o concelho do administracflo naval tem de
se arrematar as 12 horas do dia 14 do correnle ,
una poreflo de bolacha propria para alimento de
animaes e outra de plvora arruinada, pelo que sflo
convidados todos aquellos que quizerem lanzar so-
bre os mencionados objectosecomparecerem no in-
dicado dia e horas no almoxarifado podendo os in-
teressados intenderem-so com o Sr, inspector do ar-
senal nosdias II, 12 e 13 do correnle, para verem
ditos objectos.
Sala das sessocs do concelho da administrado na-
val 9 de setembro de 1848.
O sexto batalhflo do cacadoros convida aos pin-
tores que quizerem pintar cantiz e canudos de infe-
riores, com linla de oleo dirijam-se a secretaria
do mesmo batalhflo, as Cinco-Ponas no dia 15 do
correnle pelas 10 horas da manhfla.
nenie, 12 do setembro de 1848.
Antonio Generoso da Silva,
Altores agente.
Publicagao Litteraria.
As uoces elementares do geologa, cbimica, phy-
sicn, botnica o pbisiologia vegetal applicadas a a-
gricultura, liaduzidas do francez e annunciadas na
luido n. 11, acham-se expostas venda as lojas de
livros dos Srs. Cerdoso Ayres, no Recife, e Coutinho,
na ra do Collegio, a precn de 1,500 rs.
Saholtiza traduceflo do drama Lourencinho
produceflo do eximo e fecundo Alexandre humas. O
autor de Calharina II. e do Conde-de-Mente-Chrsto,
se aprsenla aqu com toda a sua magnificencia. En-
redo complicado, pensamentos profundos, brilhan-
ies peripecias, secnas explendidas rasgos dramati
eos, tudo que distingue e levanta o genio so en-
contra nesta composigflo Os apaixonados do thca-
tro i dem procurar a traduceflo annunciada,na livra-
i la da ra da Cruz no Itecife, n". 56.
Avisos Ojaritimos.
Para o Itio-dc-Janciro segu viagem, com mili-
ta brevidade a escuna nacional Cvriosa, por ter
parte de sua carga engajada : para o restante es-
cravos e passageiros, trata-se com Luz Jos de S
Araujo, na ra da Cruz, n. 26, ou com o capitflo ,
Do tungos Antonio do Azovedo, a bordo.
Para o Rio-de-Janeiro pretende seguir com
lirevade o briguc Mercantil, por tur parlo de SCU
carregamento prompto : quem no mesmo quizer car-
regar, embarcar escravos ou ir de passagem
l-otaria do theatro publico.
O thesoureiro rlesta latera de novo*
nlTinna que, ern vista da rpida venda dos
liillietes, que diariamente progride, n3o
s ser infallivel o andamento daa respec-
tivas rodas no dia a3 do corrente, que nt.
ra esse lim marcou, como que Ihe est pa_
recendo que esse acto ser talvez realisa.
do antes desse dia, se com effeito fr ulti-
mada a venda dos bilhetes, como espera
para o que muito conven que aquelles
Seuhores que se guardam para nmnir-se
de.bilhetes na vespera e no dia do and ment, o lacam j de agora, e entSo co-
nhecerao que o thesoureiro cumpre exac-
tamente as suas promessas, e que ter a
salisfacao de, pela segunda vez, fazer cor-
rer a lotera antes do dia marcado. Atten-
dam bem, c animem-se.
--Tiram-se effectivamente passaporles,para dentro
e fra do imperio, por prego commodo e com pres-
teza : na ra das trincheiras, sobrado de um andar
n. 16. '
Alugam-soduas ou tres moiadas de casas ter-
reas na ra do Hospicio, defronte do Sr. Arsenio
com commodos sufTicientes, cozinha fra, quintal
murado e cacimba: a fallar, na ra do Encanta-
mento, no Recifo, armazem de molhados, n. II.
Vende-se
urna commoda de jacarandi nova; um melhodo
para violao, 6." edieflo porCarulli; a Santa Biblia,
improssa em Londres pelo padre Antonio Pcroira de
Figueiredo. 1 vnl.; o Nnvn Ve!he '!'jstsment pelo
mesmo autor, 23 vols.; Orlbographia deMadurci-
ra ; Manual Encyclopedico, 3." edieflo por Achules^
Monlvenle; um quadro, exposQflo do sanctuario dd(
Hom Jess do Monte na cidade de Braga; um dito,*
armas imperiaes, recortadas cm papel por Telles .-
tambem troca-se o galante S. Joflo-.Mcnino, obra
muito rica: na ra da Cadeia do Recife. armazem
n." 10,
Precisa-sedeumeaixeiro de 1-2a16annos: nt
pmca da Boa-Vista, n. 7, deposito de assucar.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collogio, n. 1, e no Aterro-da-Boa-Vis-
ta loja n. 48, continuam-se a tirar passaportes,
tanto para dentro como para fra do imperto as-
sim comodespacham-se escravos: tudo com bre-
vidade.
A VERDADE N. 3
est a venda na ra Nova loja do Sr. rarnetro, e em
inflo dos distribuidores.
Adverte-se a um tal Carreiro, caixeiro de urna
das tabernas na ra das Cinco-PonUs que haja de
abster-se de fallar mal da vida alheia e muito par-
ticularmente de mportar-se com a pessoa de quem
tanto so oceupou na madrugada do dia 10 do corren-
le ; do contrario, nflo deveri queixar-se fc^ do
qued'ahi Ihe possa resultar. ^J
0 GENTIL ENAMORADO.
Obra interessanti e divertida.
Pela grande influencia que tem havido para o Gen-
til Enamorado o autor deliberou de continuar a
receber nssignaturas por todo esto mez de setembro,
na praca da Independencia, livraria ns. 6 o 8, e no pa-
leo do i'ollegio n.6. Preco de cada exomplar40n
rs., pagos ao receber da obra.
Manoel do Amparo Caj avisa ao respeitael
corpodecmmercionos seus freguozes que An-
tonio Jos da Silva Brasil despidio-so de sua casa no
dia II do corrente ; assim como Joo Chrisostomo
dos Santos deixou d ser seu conlra-mestre desde o
dia 10 do corrente.
Antonio Granon& C, sucossoresdo Sr. Hebrard,
ra Nova, n. 69, parlicipam a seus freguezes e ao
respeilavcl publico que o Sr. Alberto nflo he mais
caixeiro de seu estabelecimonto.
Furtaram do quinlal da casa n. 25 da ra da
Cadeia de S -Antonio, em 9 pira 10 do corrento,
um taixo de cobre, com o peso de urna arroba pefle
co mais ou menos. Roga-se a toda e qualquer pe? ^
soa a quem o mesmo for ofTerccido o mande entre-
gar na dita casa que se gratificar generosamente.
Aluga-se urna ama para o servigo de urna casa
de pouca familia : quem estiver neslas circumstfcft-
cias dirlja-se a ra do Queimado o. 24.
A loja de miudezas do Aterro-da-Boa-Vista,
n.84, precisa de um menino de 10 a 14 annos, para
caixeiro da mesma loja.
Precisa-sede um bomem moco ou mesmo de
idade desimpedido c que saiba ler, para caixeiro
de um engenho distante desta cidade 10 leguas;
porm que aeja sonto da guarda nacional : na pra-
ca da S-Cruz, padaria de urna s porta, se dir
quem precisa.
abaixo assignado nflo podendo, completar to-
das as suas despedidas", pola rapidoz de sua viagem
tlacei roga aos seus amigos e pessoas conbeci-
EDITA ES.
em
em sua consequencia que ollereco como principTJ
geral a questflo verlente. Nflo posso deixar d- ;
iir sobie oaqueducto feitoem ierras doeugenlfo Pao-
OArco, como assevera o nobre advogado; com ellei-
lo loi mal inlormado, e ao seu inloi munle poderiu
apphcar o axioma jurdicoyui semel mendax semper
presumitur mendax. r
Ho muito gratuita a supposicflo de quo a anle-oos-
uidra do engenho Tabocas, tendo du vende-lo
pagamento dodmas, so vira brigada reVefacr a
Dom Joao' da Purificacao' Margues Perdigao', coneyo
rearante de S. Agostinho por grafa de heos e da S.
S apostlica bispo i\e Pernambttco, do concelho de
S. M. ItC, ele.
Por especial mandado de S. M. I. communicado
pelo imperial aviso de 14 de muio de 182, expedi-
do pela secretaria do estado dos negocios da justica :
pomos om concurso, pelo prescnTo edilal, as sgum-
les grojas vagas deste bispado : a do N. S. da Penha
do Burin, a deS. Joflo Baptista de Porto-AIegre,a
des. Rilado Rio-Prelo a de N. S. do Hozarlo da
o que tem excellemes commodos dirija-se Wfffil?*-^-??" p0r-esl? falla <*ue '
signatarios, Amorim Irmflos.
aNo dia 17 do correle mevs sabe para l.isjia o bri-
gue porlugez Maria-Joii de he capitflo Manoel Joa-
quim dos Santos :. para o resto da carga ou passa-
geiros trata-se com o mesmo capitflo ou com os
seus consignatarios, Francisco Scvcrianuo Rabello
& Filho.
-- Para Lisboa, imprelerivelmonte no dia 28 de se-
lombro, portera maior parle da carga prompta, o
brigue porluguez Novo \encedor : para o rcslo da
carga e passageiros, uara que ofToieco excellentes
commodos, trata-se com o consignatario Tliomaz
i'Aquino Fonseca, a ra do Vigario, n. 19, ou com
o capitflo, Antonio Jos dos Santos Lappa, na praca
da Commcrcio.
--Para o ftio-Grande-do-Sul sogue viagem, no
dia 20 do corrente, o brigue feos-te-Guarde : recebe
nicamente escravos a frele, para.o que trata-se com
Balthar t Oliveira na ra da Cadeia Velha arma-
zem n. 18.
-- Para .a-Babia, segu viagem o hiato S.-Henedicto,
por ter melado da carga prompta: para o reslo e pas-
sageiros trata-se com O dono e mestie, Joaquim
Jos da Silveira, na ra do Amorim, n. '
andar.
um seus servicos, nflo s naquell lugar como
outra q ualquer parle em que se possa adiar.
I'irmino Antonio de Souza.
Na casa de Novaes, na ra do Queimado u. 30 ,
contina a haver um completo [sorlimedto de obras
feitas; bem como so vende um buiiheiro quasi
novo.
O abaixo assignado, tiavendo sido acommetlido.
de um ttano, e salvo de urna rnorte prematura,
posto que inminente, pelos desvelos o pericia me-
dicado lllm. Sr. Dr. Pedro de Atayde l.obo Moscozo,
faltara a um dos deveres mais sagrados, e do urna
alma bem formada, qual he o da gialidlo, so nflo
pi ocurasse dar por este meio expansflo o publicida-
des ossesentimento do quo se acha intimamente
possuido ; tributando ao mesmo lllm. Sr. Dr. os mais
sinceros agradecimentos peloassiduo c zoloso trala-
monloqueompregou pura com o anuunciante que
Ihe roga se digne de aceitar esta diminuta homena-
gem, devula ao mrito, c desculpa-lo, se ella de
alguma maneira offender a sua modestia.
Jos lavares de Souza.
- Precisa-se de um menino de 12 a 14 annos, com
i, primeiro principios de pharmacia, ou sem elles: no Aterro-
'da-Bo^Vista,n.76.
ILEGVEL



. \ rui larga do Rosario,padaria n. 48, di-se pilo
j/venilagem com melhor inlcresse que em outra
...Ifliu-r parte.
' Aluga-se o bem conhecido sitio na catrada do
i irciro. de Nuno Mara doSoixas, s proprio para
l -Ajum negociante eslrangeiro ou oulrt pessoa que
nl tralamonto : na ra do Amorlm, n. 15.
FURTO DE CAVALLOS
Furtaram do engenho Calende, fregue-
sa de Joboato, dous cavollos, nmnos l-
timos diaa do prximo pausado mez de
agosto e outro no dia a do corrente; cu-
jos signaes sao os seguintes: o primeiro he
c car castanho-clara, dous ps calcados,
uina pequea estrellara testa, rabo corta-
do, e ferrado na p direita com a lettra -C-;
0 segundo be tambem castanbo, porm iim
uouco escuro, e com o mesinp ferro m p
direita. I\oga-se, portanto, s autorida-
des competentes, e a qualquer pessoa do
povo, que se os apprebender, levem os ao
referido engenho, que serlo generosa-
mente recompensados.
-- Aluga-so uina casinha na ra do Jasmiin, nos
(,'oelhos, por muito commodo preQO : a tratar na
]na da Concordia, n. 5.
... Furlaram um cavallo capado foveiro grande,
carregador de dous tropeis saltando em cima do
outro pe com a cauda o dinas bom compridas com
amas pelo fucinho ; tein o alagrama dos olhos bem
carnissados, e um corte de talho na ponfo da orelha;
toin urna racbadura no casco de urna das maos :
i|uem o pegar leve-o a Po-Amarello, a seu dono ,
Na'nool Flix de Souza quesera generosamente re-
compensado.
j|CHxlPEOS DE SOL
Rita do Pasneio-Publico.
1 fabricante deste estabelecimento adverte ao respei-
1 el publico desta cldade que elle possue presenle-
i'mi me um rico sortimento de chapaos de aol assim
como chapeos de aol de aeda furta-cres, dos maia ricos
que (em apparecido nosie mercado e de corea conhe-
cidas; ditoa para senhoras de bom tom adamaacados ,
lavrados com suas compeCentaa franjas de rctroi, tu-
dixpie tera de mals moderno c do melhor gosto ; um
completo sortimento de chapeos de aol de panninho de
todas as corea e de todos oa tamanhos para homens ,
senhoras e meninos ; ha tambem igual sorliinenlo de
f.i/i'iiil is para cubrir armacoes tanto de seda de corea
como de pannlnhoa trancados e lisos imitando seda. A 1 -
verte-ae que oa freguezes setao aervidoa com brevidade,
ese acharo satisfeitos da boa qualidade, do bom gosto e
do prego.
Deseja-se fallar com o Hespanliol Joflo Jerony-
mo Ribciro : na ra da Cadcia-Vellia ti. 20 ou an-
nuncic siui morada.
Granon&C., sucessores do Sr. Hebrard na
ra Nova,n. 69, participan) a sous freguezes euo res-
pcitavel publico que Charles Turquais entrou no
seu eslabelecimentocomo caixeiro, desdo o dia 11
de selembrp do corrente.
Aluga-se urna grande propriedade de tres an-
dares e aotao, na ra da Madre-do-Iioos n. 3, on-
de moraran) os Srs. Johuston Pater & Com panlna :
a tratar com Jollo Jos de Carvalho Moraes.
DENTISTA.
U. S. Mawaon, cirurgiao dentista acha-ae residindo
no Recife ra dp Trapiche-Novo, n. 8 aeguudo andar,
onde continua a por denles minera, (cando incor-
ruptiveiseparecendo inteiramente como denles natu-
rio : tambem tira a pedra, aqual, nao sendo extrahida,
em pouco lempo tanto arruina os denles; chumba com
ouro, prala, oudenlico para privar de augmenta ar
corrupcao tambem tira, lima e fa todas as operaces
denucaes com a maior delicadeza possivel. Elle espera
que os elogios e o muito patrocinio que tem recebido
pelos beneficios-que tem produiido na aua pralica du-
rante 8 .unios de residencia nesta cidade serao gara-
nas tnllieienies para as pessoas que, precisando de seu
restiino, nao o deixein de procurar.
Oabaixoassignado faz ver ao publico que o
Sr. Francisco Bringcl de Almeida Guedes Ihe hypo-
Inecou a sua escrava de nome Romanu, por escrip-
tura publica passada na cidade da Victoria : por is-
50 ninguom compre nem faga negocio algum, sem
que primeramente se entenda com o abaixo assig-
nado Joaquim JJiat Fernanda.
ASnr.'l) alaria Marroquina de Jess Nazarena
[tem umdobilo de 77,520 rs. na loja de Jos Peres
i Cruz, contrahido em outubro e novcinbro do anno
| passado e sendo-lhe entregue cm tempo compe-
tente a cunta por mo do Sr. Joflo Raplista Rodii-
Rucsda Silva Cabral, al esta dacta mo se realisou
'I nm boleo o que contraria inteiramento o seu an-
nuticio inserto no Diario di l'ernambuco n. 201.
--Precisa-sede um rapaz portuguez, do 12 a 13
nnos, (|uo tenha pralica do venda : no Mondego ,
ii. 64.
."" A pessoa que tem annunciado pagar ouro do
'"}3,20 rs., ando queira 25 oitavas em urna bo-
ni's obra dirija-se a ra do Itangul, n. 42.
- aluga-se o segundo andar da casa n. 36, da ra
l'rgado Itozario : a tratar com Bartholomeu Fran-
jeo de Souza.
POVO PAO DE PROVENCA.
Jj Wtnde-tt todos ot diai. \J
U O proprietakio da padaria e pastellaria francesa t\
Y do Alerro-da-lpo-Vista. n. 50, desojando agradar W
{y ca 9cer-lhcs um pal que ae fabrica em Provenca por "
um procesa indio diflerente do ordinario, e que, fj
S" Igindo farinbatlaa melhorea qualidades, mere
ce a preferencia do publico, pela sua alvura
lidades, mere- tj
pureza e delicadeiade sua fabricacao.
S ae farao paeae 40, 80 e 160 rs., c ser fcil W
M couhec-los pela .sj forma oblonga e elegante. A
SNa mesilla casa -taulina-se tambem a vender pjr
bolinhos para cha Cundas ai qualidades, e Um- ^
9 bem a enfeitar baaVias ricas para baile e sa- f.
rao. \* fff
-- Aos credores da cas\de Couto Vianna & Filbo
"o participa por moio Asta tollia que quuiram
L'oinparecer na sala da asJpHgilo conimercial, quar-
i tu-feira 13 do corrente a na hora depois e uieio-
|*dia para resolveren) o qiAconvm tratar a respei-
lo dos bens penliorailos aosVos Codlo Vianna & Fi-
llio,oque fram adjudicadok iodos os credores pa-
ra pagamento de suas divi.P : cerlog de que nao
comparecendo todos, (icarrjaiecendo a delibera-
do da maioria dos credores.
V
Aluga-se um preto muito postante para algum
armazem, ou mesmo para algum obra : queui o
pretender, diria-e a ra da Calcada n. 4.
Aluga-ae ou vende-te urna canoa aberta, pro-
pria para conduzir lijlos, earcia.ou outro qualquer
ni gocio : em Fra-de-Portas, n. 90.
-- Arrenda-so um sitio com duas excellenlos casas
nos Afogados, por 100,000 ris. no pateo da Paz,
n. 23. v
Precisa-se de um amassador forro ou escravo :
na padaria de umas porta, na praca da Santa-Cruz.
Precisa-se de um feitor babil e intelligenle, que
sirva para oservicode um engenho*. a fallar na ra
da Cadeia do Recife, casa n. 14.
Deseja-se fallar a negocio da interesso com o
Sr. Joflo Jos de Mello : na ra do Coto-vello, n. 27.
-- R. L Coller, subdito brilannico, retira-se para
Inglaterra.
--Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 anuos de
idade na ra da Praia de Santa-Rita, n. 43.
Na ra da Cadeia do Recife, n. 39, casa de Amo-
rim IrmSos, deseja-se fallar ao Sr. Francisco Jos
Gomes a negocio de seu interesso.
Precisa-sode urna ama para casa do pouca fa-
milia que entenda de cozinhar efazer o mais ser-
vioo de casa : na ra do Pilar, em Fra-de-Portas ,
u. 72, segundo andar.
Aluga-se o primeiro andar da casa da ra da
Senzalla-Nova, n. 42 : a tratar no armazem da mes -
ma casa.
-Cabiode um relogio.no dia 10 do corrente, a
tarde, da ponte da Boa-Vista al a pracinba do In-
dependencia, urna cadeia de ouro, cuja chavo, de
marca grande, era presa por dous lados. Roga-sca
pessoa que a acliou, querendo restituir dirija-se a
esta typographia, que ser bem recompensado.
Aluga-se urna pela bem desembarazada para o
servico interno e externo de qualquer casa : na ra
do Crespo, n. 15, primeiro andar.
Quem annunciou querer comprar a obra de
Horacio ; dirija-so a livraria da ra da Cruz, no Re-
cife.
Para as pessoas que tencio-
am seguir viagem.
Na ra do Rangel n. 9 continuam-so a tirar pas-
saportes para dentro e lora do imperio despacham-
se escravos, o correm-se follias com brevidadu e
prego muito o muito commodo; como so tem dado
exuberante prova no decurso de 8 anuos que por
esta follia se lein annunciado.
AVISO IMPORTANTE.
Oabaixo assignado, agento do Dr. Brandrelh faz
sciente ao respeitavcl publico, quo pelo hiato ame-
ricano Gil-liras, vindo de Boston, entrado neste
porto, no mez de inaio, ha recebido novo pro-
vimento do pillas vegotaes do Itrandreth. Es-
las pilulascujo autor basta para garantir sua exccl-
lencia, lornam-s muito recommendaveis por serem
um mdicamente inteiramente inoffensivo, poden-
do applicar-se at s enancas recem-nascidas : ul-
timanente se teem applicado a urna infinidade de
molestias,-julgadas incuraveis, do cuja applicactlo
so teem tirado tilo felizes resultados, que parece cada
vez mais resolvido o problema de um remedio uni-
versal : por issoo abaixo assignado deixa do Ihe la-
zcr a apologa devida, por ser um medicamento lia
muitos anuos condecido, nao s nesta provincia
como em lodo o imperio ; uo havendo mais a es-
perar do seu bom resultado. Venle-se na ra da
Cadeia-Velha, botica u. 61, do agona.
Vicente ot de Brilo.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico que tem cstabelecido a sua ofllcina de dou-
radore fabricante de candieiros alampadas, etc. ,
na ra Nova loja n. 52 amule o florece o seu pres-
umo a quem doliese quizer ulilisar: bem como quo
o Sr. Alfonso Caumont mo tem parte alguma no es-
la licleci ment nem como socio, nem por outro al-
gum titulo.
Paul Caumont.
--Engomma-se com toda a perfeicao por preco
commodo : na ra da Florentina n. 40.
Precisa-so alugar um sitio nos lugares do Mon-
teiro, Poco Casa-Forte ou Apipucos quo tenha
boa casa do mor.adia com commodos para grande fa-
milia: quem o tiver dirija-se a ra do Collegio ,
n. 5.
A abaixo assignada faz sciente ao
respeitavel publico que quantia alguma
(Jeve nesta praca ; e faz esta declaracao
para prevenir cluvidas para o futuro. Pa-
ralaba do Norte, 3o de agosto de 1848.
Mara' Marroquina de Jess Nazareno.
Fugio, no dia 9 deste mez, .l.iTua Direita,pada-
ria n. 24, um preto de nome Juo, de idade de 30 a
25 anuos, de estatura regular, bem fallante, barba
cerrada, olhos bstanlo vermelhos; levando vestido
calsa de ganga azul, camisa do madapoino, chapeo
de pallia : roga-se a todas as autoridades policiaes e
capitiles do camp a aprchenslo do dito escravo, e
entrcga-lo a seu enhor na padaria aciniu referida, o
qual bem recompensar.
Urna pessoa com pralica de escripia
commercial, e bonita lettra, propoe-se a
escrever as boras vagas, nos domingos
e dias sanios, comlimpeza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
- Pretondo-se saber se nesta provincia existe
Domingos Alves Barboza da Silva, natural de Tan-
que-Julgado-de-Ponte-de-Lima em Portugal, filho
de Antonio Alves Barboza e de Rosa Mara da Silva ,
c aqu chegado em novembro de 1847.
Na ra d'Alegria, n. II, precisa-se alugar urna es-
clava que esteja na circumaiauciaa de bem fazer e
servico interno e externo de uina casa de familia.
Aliigam-sc dous sillo com muito boas acommoda-
coes um na camplnha da Casa-Forte e outro na ra
da dita povoafo com cocheiras e cavallarlces ; assim
como varias casas, de piceos commodos para se pas-
sar a festa : tratar na ra do Amoriiu, u. 15.
Hrecia-e de preta para venderem pao payndo-
se-Ihes a vendagein, sendo, sob responsabilidade de seua
acnhorea i na ra Direita, padaria u. 2.
HOTEI.-COMMERCIO. ^
Esteestabelecimenlo, sito na ruada Cadeia da
freguezia de S.-Antonio na propriedade n. 13, adia-
se augmentado de commodos iniiepeudentes e de-
centemente mobiliados para hospedes com fami-
lias e sem ellas e para pessoas que exijam menos
Iralamento. 0 segundo andar do referido eslaliole-
cimento ollercce as precisas commodidades para
bailes e partidas. A posiefio da casa em situac.io
fresca o aprasivel vista e collocada no centro da
cidade concorrerr a ser preforivel a outros esta-
belecimentos semelhantes. Os presos n'rBo mdicos,
em relacfio as proporefles que seolterecom.
Ilernardino Comes de Carvalho, pe brevidade
de sua viagem para o Rio-de-Janeiro, nRo podp dea-
pedir -se de lodos os seus amigos: pcde-lhes portan-
to desculpa, offerece-lhes seu limitado presumo
naquella corte.
-- Manoi'l Joaquim Pavfio do Nascimcnlo retira-
se para o Rio-de-Janeiro.
Esta a venda o numero 10 do Grito da Patna, na
praca da Independencia n. 12, e na ra Nova n. 47.
Esti muito intercssanle.
NOTICIA IMPORTANTE.
Os credores do fallido Antonio Jos
Autnnes Gu'nnaraes previnem aos deve
dores deste que Ihe nao paguem seus dbitos, qur
de cotila de livros, qur por ieltras, que Ihe aceitas-
scni: porquanlo, tendo sido arrestados seus bens,
lettrase livros, no pode o mesmo validamente re-
ceber quantia alguma de seus credores, mas ludo de-
ve ser recolhido ao deposito em mflo do corrector
Oliveira, como bens dos mesmos credores : o que se
faz publico, para que ninguuin se chamo a ignoran-
cia o lique acautelado contra o mesmo fallido, que
consta ler desapparecido desta praca para ver se co-
ln' algum dinheiro de seus devedores, contra quem
protestam os mesmos credores haver o que indovida-
menle pagarem.
n-ae qiiijos londrinos os msts frMcsai
renlo ; latas com bolachinhas de ara-
rom homila* ; ditas cora sardmhas :
com-
bara-
Compras.
-- Compram-se escravos que sejam odelas de car-
pina, do 18 a 25 anuos e do boas liguras ; pagam-se
bem sendo de bons costumes e peritos no seu olli -
eio poisso para urna encommenda do Rio-de-Ja-
neiro : na ra do Amorim, n. 35, a fallar cora J. J.
Tasso Jnior.
Compra-se um moleque de 12 a 14 anuos de bo-
nita gura, e que tenha boa conducta: no Hotel-Com-
mercio.
Compra-se una coberta de damasco encarnado,
portuguez, em bom estado : quem a tiver dirija-so a
ra do Vigario, casa n. 9.
Compram-se ossos de boi : na ra da Concor-
dia, n. 8
-- Compra-se urna casa terrea nos bainos de S.-
Antonio, ou Boa-Viata na ra largado Itozario, lo-
ja n. 35.
Compra-se um monho para moer caf, e"m bom
estado e com lodos os seus pertences: na ra Im-
perial padaria u. 43.
Compra-se ouro veHio de Ici, qualquer porreo,
a 3,200 rs. a o lava : quem livor annuncie.
Corupra-so urna colcha de damasco encarnado,
portuguez, em bom estado: quem a tiver dirija-so
a ma do Vigario, sobrado D. 8, primeiro e segundo
andar, que achara com quem tratar.
Vendas.
Vendem-se dous pianos fortes de Jacaranda ,
clicgados ltimamente, que alm de serem um
magnifico ornato de urna sala, teem cxcollcntes
vozes sondo o mechanismo da umita approvada no-
va iuvencao chamada repitidor patente do Col-
lard : em casa de J. Keller & Compauhia na ra da
Cruz, n. 55.
Vende-se um relogio patente inglez com caixa
de prata: tta ra da Cadeia de S. -Antonio, arma-
zem n. 21.
SAI.SA-PARRILHA DESANDS.
Este excellente remedio cura todas as enfermi-
dades, as quaes so originadas pela impureza do
sanguc, ou do systema ; a saber :
Escrfulas, rlieumalismo crupces cutneas,
brebuthas na cara, hcmorrhoides, doencas chroni-
cas, brebulhas, bertoeija, tinha, inchuc,es, dores
nos ossos ejuntas,ulcaras, doencas venreas,citica,
enfennidades que atacam pelo grande uso do mer-
curio, ludropisia exposlos a urna vida extrava-
gante Assim como chronicasdesordens da cons-
liluicSo sero curadas por esta tflo til e appro-
vada medicina.
Rio-de-Janeiro 14 de dezembro de 1847.
.Sr. Frederic H. Southworlh.
Tendo eu lido no Jornal do Commercio e no Mari-
do.Itio de Janeiro por diversas vezes aniiuncios da salo
sa-parrilha do A. B c I). Sanils que se vendo na
ra do Itozario, n. 79, por Froderico H. Soulhwortb,
a este me dirigi o Iho comprei una caixa com 12 v-
dros do dilo extracto c acbaiido-mo com um gran-
de tumor no sovaco do braco direilo e parte do pei-
lo, sofTrendo immensas dores por todo o corpo me
leliberei a lomar o extracto da dita salsa; e tendo
lomado dous vidros e usando delle, logo ao segun-
do vidro conlreci immensas melbores, e continuan-
do liquei perfeitamento bom ; e tendo alguus
amigos meus feito uso do dito extracto para rlieu-
malismo, lem no uso delle por fim do terem lomado
8 a 10 vidros lenlo bons. do que tem resultado inan-
darem-me de differentcs partes encommendas da
dita salsa para fura desta curie a diversos que leem
eiflo uso della e se teem restabelecido perfeitamente;
o mandando-me agradecer, assim considero ser um
aclo de humauidade e obrigaclo minha fazer publi-
co tSo edicaz e salular remedio. Joaquim Ferreira
de Souta Flore*.
Reconhcco yerdadeiro o signal supra.Rio, 15
de dezembro de 1847. Em leslemtinho de verda-
dc Joaquim Jote de Catiro.
Vendo-so unicamento em Pornarabuco na botica
de Vicente Jos de Brilo, na ra da Cadeia do Ro
cite
Vcndeiii-so oito escravos, sendo : urna nogrinha
recolhidado 13 anuos que tem muitos bons princi-
pios ile habilidades.; tres ditas com algumas habili-
dades; tres moloques de 16 a 20 annos, sem vicios ;
um preto bom canoeiro : na ra do Vigario n. 24, so
dir quem vende.
Vendem-se casaes do rolas de Hamburgo, a mil
rs.: na ra do Caldoireiro, u. 86.
Vendem-se duas prelas do nacffo, urna de 28 an-
nos e a oulra de 14 anuos; dous pretos; um pardo
do 25 annos quehe alfaiate ; um pardo de 18 an-
nos de muito boa conduela : na ra Bella, travessa
d Florentina ti. 26.
. Vende-se um palanqun) em bom uso : na ra
Nova, n. 3.
Vende-so urna venda com poucos fundos, o com
uina bonila armaQo a moderna por prec,o commo-
do na ra eslreila do Itozario, n. 8: a tratar na
mosma venda, ou na ra Direita n. 76.
Vonde-seum coeiro de casimira, bordado : as
Cinco-Ponas, n. 64.
Vei
que ha no mrri
ruta ; di lis com
na ra da Cruz, no Reeifo n. 46
Vende-se um sophs do angieo, usado,
posto o empalhado do novo, por proco muilo
to: tambora se troca por outro ou marque za .an-
da mesmo em mo estado i na ra eslreila do noze-
Vende-se a armac3o da venda da esquina da
ra dos Acouguinhos, n. 20 por preco commodo .
a tratar na travessa do Serigado, venda n. l.
Variedades venda na livra*
ra da esquina do Collegio.
ASobrinhado marquoz peca cmica, por Gar-
re! rocentomento publicada e representada com
applauso nos theatros portuguezes 1 v. br.
Astra almanak maconico para 5846 e 58*7 *
v. br. vpub. do Rio.
Lugares selectos dos classicos porluguezea, nos
principaes gneros de discurso prosaico pelo |pro-
fessor d'oratoria potica o litteratura claaaica no"
collegio das arles de Coimbra 1 v. 1846.
Historiada inquisicSode Portugal, com a noticia
dos priueipaesacloso procedimientos deste terrivel
tribunal, e com estampas, 1 v. 1845.
Historia da revolucSo franceza por Thiers, tra-
duzida em portuguez com os retratos das persona-
gens mais notaveis 6 grossos v.
Historia do consulado e do imperio, polo mesmo
autor,traducQio portugueza, com numerosas es-
tampas 7 v.
Os Tres mosqueteros, romaneo famoso de A. Hu-
mas liaduido em portuguez.
O Oriente, i v. A Natureza 1 v., poemas de Jos
AgOStllho de Macoilu.
Legislarlo portugueza supplementar, desde 1791
al 1821, por Delgado 1 v.
Martim.o enjeitado, novo romance social, por
E. Sue traduzido em portuguez.
Historia sagrada de Royaumont adoptada no so-
minario deOlinda, 3 v.
Confessor examinado approvado. Toclogo exa-
unuado e approvado novas edicfies do 1846.
Feliz independente do mundo o da fortuna obra
composta no estylo do Talemaco pelo padre Theodo-
ro de Almeida nova edic.no 2 v., 1844.
Crammatica franceza do Noel o Chapsal, amis
methodica queseconhece para o esludo da liugou
franceza .edicto de 1845, 1 v. encad. por2,560rs.
Diccionarios de geographia por Meissas & Mi-
chelot, publicaco de .1847, com diversas cartas.
Historia ale Inglaterra por Coldsmith em por-
tuguez, 4 v. cora estampas.
Alvetar dealgibeira que cnsina a andar a caval-
lo e quaes silo os remediosmais prbprios para cu-
rar um cavallo em jornada 1 v., por 1,600 rs.
Exame de sangradores, ou arte de sangrar, resol-
vendo todas as difliculdades desla arle, 1 v. por
1,600 rs.
Diccionario do botnica, por Benevides 1 v., pu-
blicado nova.
Tlieologia moral, pelo bispo Monte, 3 v por Cu-
niliali, 6 v. por Larraga odico cora notas de um
Portuensc, 5 v.
Historia ecclesiaslica por Ducreux em portu-
guez 11 v., e por Berli tambera em portuguez, 5 v
Taixas para engenhos.
Na fundiciio de ferro de Fra-de-Portas, contina
a haver um completo sortimento de taixas de ferro
coado de todos os tamanhos, por preco commodo.
Contina-se a vender a muito superior mantei-
ga ingliza a 800 rs. a libra; queijos muito frescaes,
a 1,800 rs.; presuntos muito superiores, a 480 rs.;
chouricas muilo novas a 440 rs.; paios a 280 rs.;
bolachinha ingleza a 280 rs. a libra ; cha mnto su-
perior a 2,000 o 2,400 rs. a libra ; caf em grSo, a
140 rs.; vinho.de feituria a 400 rs. a garrafa ; dito
de Lisboa a 200 e 240 rs. ; passas muito novas a
360 rs.; azoile doce do Lisboa a 560 rs. a garrafa;
toucinho do Santos, a 200 rs a libra ; dito de Lisboa ,
280 rs. a libra : no Aterro-da-Boa-Vista ven-
da n. 54.
A loja nova de livros do pateo do. Col-
legio n. G, de Joao da Costa Doura-
do, acaba de receber os seguinles li-
vros :
Oira de Ferreira llorgei, Diccionario jurdico, Cdigo
ciiiiniicici.il portuguez, Fonle prxima do cdigo coin-
ino! i i o. Contrato mercantil, Instituido de dirclto cam-
bial, Comentarios acerca do9 seguros niatrlinos : Lobo.
Notas de uso platicas e critica, llorgtt Carneiro. Direi-
lo civil de Portugal, Gouueia Pinto. Tratado do tcst.v-
mento. Coellw da Hucha. Direilo civil, Lix Teixiira. Cur-
so de direilo civil, /eir. Memorias orphanaloglca, A.
C. Uenezei. Pralica dos iiiventariot>e juizo divisorio ; as-
sim como Repertorio commercial por um amigo ma-
gistrado. Asseuio da casa de supplicacao ; inultas ditl'e-
en.tes uoveilas e romances entre este o Judeu errante ;
a Salamandra : vende-sc por prefo muilo commodo.
Vendem-se ineias de linho e de algoilfio para
homem; penciras do rame; bixas de Hamburgo .
[ que lamben) se aliigam]; pilulus da familia : na ra
do Itozario padaria junto a igreja, defronte da bo-
tica doSr. Paranbos.
Vende-sc vinho do Porto muito superior ein
pipas e barrisdequarto c oilavo, proprio para engarra-
far ; dito mais inferior, tambem ein pipas c barr de
quartoeoitavo ; eArada ; painco ; penciraa de rame
rctrozdo Porto, aortido ; (echaduras para portas de ar-
mazem ; coeirosde algodn ; pilulus da familia; ancu-
reascom azeitona ; meias do linho e de algodo para
uoiiiem ; panno de linho: ludo por preco commodo : oa
ra do Vigario, n. II casa de ,Fraucisco Alves da
tamil.i.
Vendeni-se dous lindos moleques,
sem vicios nem achaques, proprios para
todo o servico de casa e campo; urna mu-
lata de i(> a iS annos,boa costureira een-
gommadeira; e u.*n casal com urna cria de
tennos: na ra do Crespo, loja n. 2 A,
se dir quem vende.
No deposito de Me. Calmont & Compauhia, na
ruado Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-
mente grande sortimento de ferragens inglezas para
engenhos de assucar corro sejam : taixas de ferro
coado de differontes modelos, os mais modernos;
ditas de ferro batido ; moends de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira ; ditas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaos: ma-
chinas do vapor de frc,a de quatro cavallos e de al-
ta pressSo o mais moderno esimples que he possi-
vel ; repartideras ; espumaderas ; resfriadeiras de
ferro estanhado; formas de ferro : ludo por preco
commodo.
MUTILADO


m
Xendem-tt barril pequeos com cal virgen de lis-
boa, mal nova que lia no mercado por prrf o com-
jnodo : na ra da Moida armazeni n. 17.
Vende-se uina cata terrea mullo grande, alia na
ra da llanguelra, na llua-Vitta. u. II, com grandes com-
inodos, quintal inulto grande e muitnsarvoredotdefruc-
toi, por pre(o o luaif rasoavel possivel: trata-ie na ra
do Arago, n. 27.
A 1/000 r. CADA UM CHALE.
Na lojaque faz esquina para a ra do Coilegio, n. 5 ,
vrudein chales de tarlatana, grandes c de padreen ca-
curos palo barato preco de mil rs. cada un.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores curtes de niela casimiras els-
ticas de pura lia, pelo barato preco de 2^000 .'t/DOO rs.
o corte de calca : na ora loja da estrella, da ra do
Coilegio, n, 1.
-- Vende-se cal virgetn de Lisboa milito nova ,
para fabricar assucar : no armazem do Sr. Antonio
Aunes defronte do caes da Alfandoga.
Alpaca alcochoada, a 800 rs. o covado,
vende-se, na loja que faz esquina para a ra do Colle-
gio a. 5, de Guimaraes & Lompanhia a nova alpaca
alcochoada vinda de Lisboa fazenda iutelramente
nova nesta cidade preta e cor de caf, de 4 palmos de
largura, pelo barato preco de 800 rs. o covado.
Vende-se cal virgein de Lisboa em barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar com Almeida & Fonseca, na ra do Apollo
A iSoo rs. ,
aurrelas com azeitonas superiores : ven-
den! se no caes da Alfandega armazem
n 7, de Francisco Dias Ferreira.
Osantigos piscados monstro.
Na loja de (lu maraes & C, ra do Crespo, vendem-se
os hem conhecidos riscado9 monstros de padrdes muito
modernos, e que teemquasi uina vara de largo,pelo ba-
rato preco de 320 rs. cada un covado.
Vendem-se gales de o uro verda-
deiro, de todas as larguras, e mais barato
do que em outra qualquer parte : na ra
larga do Rosario, n. ->!\.
FARELO
a .'isooo rs. a sacca
nosarma'eiii ns. 1 e3 do caes da Alfandega, e no de u.
35 da ra do Amoriin, de J. i Tasso Jnior,
Riscados monstros.
Vendem-se superiores riscados monstros, j bem co-
nhecidos tanto pela qualidade como pela largura rm
demasa, pelo barato preco de 280 rs. o covado. Estes
riscados sao chegados ltimamente: as cores sao finas,
e os padrdes inulto modernos e de bom gosto : na nova
loja da Estreila da ra do Coilegio, n. 1.
*- Vendem-se aeges da ex-
tincta companhta de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & C, ra da Ouz,
n. 9.
FARINH A DE TRIESTE.,
marea verdadeira .'SSK, chegada ltimamente: vende-se
ein cata de N. O. Hieuer & Coinpanhia, na ra da Cruz ,
n. 4.
Fazenda de algodo para thoa
Ibas.
Na loja de Guimaraes Si C., ra do Crespo, u 5, ven-
de-se a excelleute fazenda para toalbas de algodiio,
trancado branco, com 8 palmos de largo, pelo barato
preco de 860 rs. a vara.
Vendem-se
i
botins engraxados,
2,^oors. ; sapatocs ditos, a 1,380 ei,44
rs. ; ditos em branco, de diversos pic-
eos .-na ra da Cadeia do Kecife, o 9.
INa loja da ra do Crespo ao pe* do ar-
co deS -Antonio, n. /* A,
les de chita com 10 covado* muito linas o escuras,
pelo barato preco de 1,600 rs ; ditos de cambroia
pintada a 2,000 rs. ; chapeos do crep para senhp-
ora muito bem feilos c de bonitas cores, a
5,000 rs.; cortes de cassa de barra hrancos e de
cores ,os mais bonitos que teein apparecido nesla
praca a 5,000 rs.; cortes de Distilo para collcte a
500 rs. ; cassa de cores com 4 palmos do largura a
240 rs. o covado ; nm sortimento do pannos finos
de todas aseles muito bous e baratos ; o oulras
umitas fazendas linas.
A 1/600 rs.
Bolachinha de araruta chegada ltimamente do
Rio-dc-Janeiro, em latas de 6 em libra : vendn-se
no enes da Alfandega armazem n. 1.
Vende-se urna porcio de charutos Turados, pti-
mos para sercm colierlos de iiovamente por preco
muito barato : na praca da Boa-Vista, n. 15.
CHA1 HVSSON,
de ptima qualldade a 2/240 rs. a libra : na 'ra da
' -1 ii- no I', i! i fe armazem n. 13.
Vendem-se queijos londrinos c presuntos para
fiambre chegados pelo ultimo navio de Liverpool ;
liervilhas proprias para sopa ; vassoras para varrer sa-
las : no armazem de Davis it Coinpanhia na ra da
Cruz, n. 7.
Vende-se farinba de mandioca ,
muito superior, por preco comniodo : a
bordo da garopeira Santo-Amaro, fun-
deada no eses do Coilegio.
Vendem-se poidros e poldras, ptimos para en-
genho : na travessa das Cruzes, n. 8, ou em Cara-
ba engenho da comarca do Nazareth.
Polassa.
Vende-se muito superior polassa em
barriz pequeos : na ra da Cadeia-Ve-i
Iba armazem de Baltii& Oliveira, n. la.
--Vendem-se 2 caixes de chapeos de pello de'
lebre, da.fabrica nacional do Itio-de-Janeiro lano
por atacado como em pequeas porges e mesmo a
retalho -. na ra doQucimado, loja de chapeos, n. 38.
Vende-se cal virgem de Lisboa,
chegadi no ultima navio, em barris pe-
queo, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n Ij.
-- Vende-se o engenho Macaco lito na freguezia
do Po-do-Alho distante desta praca nove legoas ,
moentc o corrento com terreno multo frtil e de
agoa perenne ; o qual engenho vende-se isento ci
desobriga o lodo o pagamento annual : a tratar no
engenho hamos da mesma freguezia.
Vende-se na ra da Aurora n. *, um jogo de
tambores antigos; rodetes ; aguilliOes ; e douscal-
deirotes: tudo muito barato.
Vende-se urna escrava de naco, que cozinha
bem o diario de urna caso he de meia idade o tem
boa conducta pelo barato prego de 250,00 rs.: na
ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 21.
Vendem-se 400 barricas vasias muito limpas, e
promplas para assucar, sondo quasi todas america-
nas : na padaria de urna s porta, na piara da Santa
Cruz : e se mandar botar aonde frern precisas.
Santa-Cruz, padaria de tima
s porta.
Caf moldo o melhor possivel ueste genero, em
grosso, e polo miudo a 240 a libra, e 6,400 a arroba;
nfio tem mistura alguma, e a vista faz le do que se
assevera. Na mesma padaria, continuadamente se
vende excellentn pao de forma antiga ; bolachas de
tollosos tamanhos ; biscouto doco e falias : tudo
que he proprio destescstabelccimentos.
BOLACHINHA REGALA.
Na padaria de urna s porta na praca da Santa-
Cruz, ho aondo so fabrica a bolachinha de regalo ,
por vezes antumeiada, tanto doce, como agoada :
o sen proco be 320 is. cada libra, sua qualldade e
bom gosto nio he preciso exara-a : j lio bem no-
torio, o se far toila a diligencia para augmentar
a faina que tem adquirido, e para isso empregar
sempre as mclhores parles de sua composigfo, para
3ue, anda baveniloqoem a emite, nloexceda ; po-
endo assoverar quo nio conlm parte alguma que
seja nociva, ainda mesnio em estado do molestia. INa
mesma padaria, c na esquina da ra do Coilegio,
venda de Sobral, c na travessa da Madre-Doos, u. 13,
ho s aonde se vendo.
Ka loja de Ifanoel Joaquim
Pascoai Ramos, no Passeio-
Publico, n. 19,
vendein-se as seguimos fazendas : pannos finos prc-
to, a 3,000, 4,000, 4,500, 5,000 e 5,500 rs. ; pegas
do niadapoliiolino, a 3,200, 3,500, 4,000, 4,500, 5,000
c 5,500-s. ; chitas escuras, a 140, 160 e 200 rs. o
covado ; ditas linas a 240, 260, 280 e 320 rs.; man-
tas de seda a 12,000 rs. ; riscados francezes a 200
rs. o covado ; cortes de I fui, a 2,500 rs. ; ditos do cas-
sa-chila a 2,000, 2,500, 3,000 e 4,500 rs. ; chales de
seda a 9,000 rs. ; ditos de melim.a 1,000 rs,; pol-
lo do diabo a 200 rs. o covado; castores de todas as
qualidades a 200, 240 e 320 ; loncos do seda a
1,000 e 1,600 rs. ; cortes de colletes do gorgurilo
preto a 4,500 rs.; ditos de Instan a 1,000 rs ; es-
guiflo fino, a 2,000 rs. a vara ; sarja preta a 2,000
e 2,500 rs. o covado ; cortes de casimira a 6,000 rs.;
brim branco de puro linho a 1,800 rs ; dito pardo,
a 1,600 rs ; ditos do cores a 1,000 e 1,500 rs. ; chi-
tas do coberla a 200 rs. o covado ; chapeos de sol,
de seda preta a 5,500 e 6,400 rs. ; merino lino a
3,500 rs. ; cassa lisa a 360 rs. a vara ; chales de 19a,
a 1,200 c 2,500 rs.; pecas de plathia de algod.lo, a
4,000 rs.
Vende-so urna duzia do cadeiras, um sof, urna me-
sa de meiu de sala, duas bancas o una cama, ludo
de angico o com muito pouco tizo : no oilto da ma-
triz de Santo-Antonio, casa terrea, n. 16.
Chcguem a pecbincba.
Latas com superior bolachinha de araruta a 2,000
rs. : vende-se no caes da Alfandega armazem u. 3,
de Manoel Teixeira bacelar.
Vendem-se bichas do llambntgo -ltimamente
chegadns, grandes, a 80o rs. cada urna : tambem se
iilugam por prego commodo: na ra do Coilegio,
loja do miudezas, n. 9.
Vende-se urna escrava de 25 a 30 annos pouco
mais ou menos o que he muito boa quitandeira : na
ra airas da nintiiz de S.-Antonio, n C.
--Vendem-se 50 barricas vasias que fram de fari-
nba do reino : na ra da Cadcia-Vclba, n. 27.
Vende-se urna iiegrinha e um molcquc dc8a7
annos muito lindos o por prego commodo : na ra
doQucimado, n. lo.
Na loja da esquina da ra do Crespo, que volta
para a ra doQucimado de Manoel Ferrol ra llamos,
vendem-se por muito diminuto prego as fazendas
seguinies : cortes de vestidos de belmira a 3,500
rs.; ditos de tarlatana, a 2,500 rs.; ditos de lila, a
2,000 rs.; fazenda de algodiio o seda para collelu a
320 rs. o covado; ditadel3a,a 400 rs.; distilo, a
320 rs. o covado casimira a 1,200 rs ; mcias ditas,
a 500 rs.; brim de Ultras a 240 rs. o covado ; gr-
valas de seda a 600 rs. ; alpaca de Indio, a 480 rs.
0 covado.
Vendem-se cadeiras, sofs, bancas de
tneio do sala, consolos, bancas de jogo,
sendo ludo Jacaranda ; toucadores de dito
e de muito bom gosto, cadeiras de angi-
co, Bofas, bancas de meio do sala, mar-
lezas.jogos de bancas de angico, conimodas, camas,
bancas de quiltro pos, lavatorios de amarello, tudo
de muito bom gosto e mais moderno possivel, e por
preco mais cmodo do que em outra qualquer par-
te : na ra da Camhoa-do-Ca 1110, 11. 8 Na mesma
casa tambem se vende chbala da india ou junco.
~ Vende-se tima mobilia em meio uso, por seu do-
no retirar-so tiesta praca, por commodo prego:
quera prelcnder, dirija-sea ra do Vigario n. 14, a
1 rotar com Joflo Jos Percha.
--Vendem-se ealugam-se bisas de hambiirguozas,
sag fino, goninia de aramia, ccvadinha de Franca,
tapioca de Maranhio, por precos rasoaveis : na ra
das Cruzes, n 40.
Vcndem-se saceos com fardo, pelo
barato preco de 3,400 rs: na na da San-
znlia-velba, n. i38
Vendem-ae barris, com breu tanto
em porrio emo em barra: na ruado Tra-
piche, 11. 36, em cana de Mathcus Aus-
iiti&G.
Vende-se, para fra da provincia, urna protn
moga de bonita figura, e com habilidades : na ra
do Livramcnto, n. 14
Na venda da ra do Codorniz n. 11, vende-se
tabaco simona da Duina em litas de libra, muito
superior; espadadores para varrer ejespanarsalas a
80 rs. cada um; e um relogio horizontal quo rogula
muito heme dos melhoros autoros. Na mesma casa
vende-se um braco de balanga do autor llotnAo quasi"
novo com suas competentes correnles e balangas e
pesos de duas arrobas para bailo, e os temos com-
pletos de fnllia e pao para urna venda; quatro caixes
para amostras de farinba e mais objectos; duziasdc
copos do medida, e mais outros objectos que se fa-
zem nocessariosa qualquer casado mulhados. Til-
do so vende por barato prego.
Na ra das Cruzes, n. 22 segundo andar ven-
dem-se 5 escravas sendo : urna parda de 26 annos ,
que engomma, cose, cozinha e lava de sabflo ; duas
pretasde nagiio quo cozinham e lavam de sabio;
um escravo do nagTo, ptimo para o servigo do
campo.
Vendem-se cinco molequos de idade de 15 a 18
annos, tres cscravos mogos do bonitas figuras, dous
ditos de idado do 30 annos. cozinheiros, quatro ne-
grinhas de nagfio de idade de 18 annos, duas ditas
de idade de 25 annos, urna mulata moga,eos tu reir
c engommadeira: un ra Direila, n. 3.
~ Vende-so tima mulatinha de 12 a 14 anuos, sem
vicios, o com principio de costura : na ra da l'raia,
n. 23.
Vende-se um pardinbo de 16 a 18
unnos, muito sadio e fiel, proprio para pa-
gem, ou para aprender qualquer ollicio :
na ra da Cadeia-Velba, loja de fazenda,
11. !\i.
Vende-se um sitio na estrada de Bclm com
terreno para plantagio, pasto para vaccas e muitos
arvores de Crudo por prego commodo : no Aterro-
da-lloa-Visla fabrica de licores, n. 17.
Vendem-so chapos de castor branco a
^JL^4,000 rs. : na ra do Queimado, n. 22.
Vende-se urna negra moga do bonita figura ,
que cose ch.lo engomma, cozinha o diario do urna
casa o lava do varrella ; 10 novilhas mojadas, do ra-
ga torina por prego commodo : na ra da Concor-
dia, passaudo a ponle, a primeira casa a direila.
Vende-so urna carroga nova para um ou dous
bois : nos Afogados.pateo da Paz, n 23.
Vendom-se, na ra da Cadeia do Itecifo ao p
do arco da Conceigflo n. 64 armazem quo foi ou-
tr'ora do Drague/ superiores batatas em canastras ;
ceblas em molbos e solas; aocorelas com azeito-
nas superiores; suecas com milho : ludo por prego
commodo.
Vende-so um molecote bem reforgado e dispos-
to para ser empregado om qualquer servigo : na ra
do Crespo, 11. 13, primeiro andar.
-- Vendem-se pegas de madapollo com 20 varas ,
muilo largo c muito encorpado, a 2,800, 3,000o 3,200
rs. ; chita para coberla a 160 rs. a retalho; roupa
feila para escravos isto hejaquotas, caigas o cami-
sas : na ra do Passeio loja 11.17.
Vende-se phosphoro por prego commodo, em
libras eem ongas: no Aterro-da-Boa-Vista, fabrica
de licores, n. 17,
^^rVBOLIN%U|% c, i
^ LOJA y*0 I
DE6RORTASNc
O dono dcste estaheleciinento,vendo-sc cin cir-
cumstancias de Ihc ser preciso rctirar-se para a
Kuropa precisa primeiro pagar a seus credo-
res e para cfl'eituar este pagamento o mais
breve possivel, oll'erece algum abalimento a
seus devedores que quizemn saldar suas con-
tas assim como tem resolvido vender todas as
fazendas por diminutos precos, a saber: pecas
de inadapolo, a 2/, 2/)00, 3/200, 3/500, 3/700.
3/900 e 4/rs. ; ditas de chitas escuras, finase
3 entre-linas, de cres'fixas a 4/800, 5/, 5/500,
5S 6/e ti/500 rs. i ditas muito superiores, entran-
>} do algumas d\- coberla, a 7/ rs. a peca c a 190
33 rs> l'"v'"l" i alpaca, a 600 rs. ; lila larga, a 380
cS rs.; cazincla prcla a l/rs. ; los finos e gran-
0 des de linho, a G/400 7/ e 7/500 rs. ; cbales
3 grandes de garca a 1/500 rs. ; ditos de chita a
* 800 rs. ; vestidos de cainbraiacoin bico e renda
J^ de superiorqualidade, a 3/rs ; mantas de cain-
braia para senhora, a 1/rs.; luvasde pellica,
L ~f>i cinlios c golas de bonitos gostos, a 240 c 320 rs.;
3 bicos francetes, inglezes e da terra e alguna de
E de seda preta, a 120. 160,200, 240, 320, 4u0 e 640 g
; rs. ; lencos de cassa para grvala a 200 rs. ; di-
B tos de umitas qualidades para hoinem e sc-
J^ nhora a 180, 20, 240, 300, 320, 360. 400, 480 e
jgj 50 rs. ; suspensorios a 40, 120 c 160 rs. ; ditos
:S ""o* de borracha a 200, 240 e 260 rs. garca
J< de seda muito larga com llores douradas a 240
jgj rs. o covado 1 cassa da India,a 400 e 480 rs. a v.i-
VS ra ; merino lino c entre-u a 1/800., 2jl>00 e
g 2/500 rs. pannos finos, a 3/800.4/ e 4/500 rs. ;
c outras muitas Cazendas que nao se annunciaui
fl| por oceupar muito lugar as quaes se vendein
S todas ainda mesmo com grande prejuizo ao
aOni de se acabar com o dito eslabeleciinento ,
l>j o qual tambem se vende 110 estado que se ada,
S haveudo quem o queira comprar anda mes-
ino a prazo com lettras de Urinas que agrada-
ron a seus credores.
--- Vende-se nina mulatinha do 12 annos com
habilidades ; 4 lindos moleques de 15 a 20 annos ;' 1
negrinha do 12 anuos muito boa costureira ; 2 pre-
lasdenagiio, porfeilas engommadeiras e cozinhei-
ras ; 4 ditas de todo o servigo; 1 preto de elegante
1 figura mullo bem oflicial de sapateiro; 4 ditos do
servigo de caittno; um dito de meia idado; una
parda com habilidades por estar grvida d 2 ine-
zcs : todos estes cscravos se veudem por prego com-
modo : no paleo da matriz do S.-Antonio sobrado
n.4.
Vendem-se, a prazo, ou por escravos, quar-
aos c bois mangos duas casas terreas edificadas na
ravessa doMarisco oulr'ora becco do l'oixoto, as
juaes rertdea 8,000 rs. monsaes: na ra Direila, so-J
brado Je um andar 11. 16, que Wi. esquina na .
travesa de 8.-Pedro. r* *
Vende-se, na rus do Kncantamento, armazem j.
molbado*. por haixo do sobrado do Rvd. rigarle do
llecife, vidros com pos antibiliosos, feilos ou pr<*
parados no Itio-de-Janeiro por Manoel Lopes.
Vende-se urna preta do nago, de 20 annos j
bonita figura quo cozinha bem, engomma e ava
de sabflo nflo tem vicio nem achaques : o motivo a-
venda so dir ao comprador: na ra da Concordia,
passando a pontezinha a direila segunda casa ier'
rea se dir quem vende. .
" Vendem-se 3 escravos, sendo douj
moleques proprios de lodo o servico de
casa e campo, e urna mulata de iG a 18
annos, boa costureira e engommadeira :
na ra do Crespo, loja n. a A, s dir
quem vende.
Vende-se urna porgflo do libras de cera da trra-
couro de lustro de cores, proprio para canhOos d
bolas de pagons : na ra Direila loja de couros
n. 65.
Vendc-se uina rede bem foita prapria para ij.
poia : no Aterro-da-Boa-VIsta loja n. 78.
~w4awi5S
em um
iquo
oslu4
I"?.
Escravos Futidos
Fugio do engenho Telha, no dia 28 do
prximo passado um cabra de nome
Antonio baixo, grosso, sem barba, mu-
_to prosista; he certanejo ; foi montado
cavallo rugo-pedrez-talliado ; levou toda
sua roupa e fa/ondas novas chapeo de couro fio-
ga-se as autoridades policiaes e capitfles decampo,
que o apprehendam e levem-no a ra do I.vrameit-
to, 11.27, que serao recompensados.
Ausentou-se, na noite do dia 8 de novembm
de 1847, o escravo lien-ulano de cor Cula que pa-
rece cabra cabega pequea cabello ralo olhos
pequeno coipo grosso, pouca barba esiatun
regular ; tem urna cicatriz no hombro esquerdoque
pdeler3a4 pollegadas-d comprimento ; coslu"
ma emhobedar-se e neste caso se intitula por
culano Jos dos Santos Tranca-Rua -. quem o pe,i
leve-o a cidade do Olinda, na ra da Boa-Hora, a sen
senhor, Jos Ferreira Marinho que recompensan
generosamente
-- Desapparecou na noite do dia 4 do corrento, o
preto, de nome Pedro crioulo de boa estatura;
representa 30 a 35 annos pouco mais ou menos, choio
do corpo bem barbado ; levou camisa de algodiio
da trra caigas de algodozinho trangadn azul e
chapeo do palba : quem o pegar leve-o a ra da Ca-
deia do Becife n. 43, quersera recompensado.
Fugio, de bordo do brigue Srrloro na inanhaa do
da 5 de j iillin prximo passado un escravo inarlnhel-
ro de nome Francisco de naco Jang ; representa t,r
30 a 35 annos ; tem na face esquerda um signal ; fall
muito descansada ; levou calcas e camisa azuri cha-
peo de palha pintado de branco e o balde que tinha de
trazer a raco e 7/ rs. em cdulas: quem o pegar \e-
ve-o a ana da Moda n. 7, que ser bem recompensado,
Fugiram, no dia 3 do agosto prximo passado,
do engenho Pindoba, da freguezia de Ipojuca dous
escravos, sendo um cabra, de nome Izidoro e urna
preta, de nome Hita o primeiro de cor trigueira,
altara regular, grosso do corpo queixo bstanla
saliente : a segunda de cor preta altura maior quo
a ordinalia secca do corpo voz. estrepitosa sabe
coser, engommar ocozinhar soffrivelmente : silo ca-
sados : quem os pegar leve-os a seu senhor l.ou-
reuodeSe Albuquerque Jnior ou ao engenho
Guararapes que ser generosamente recompensa-'
do de seu trabalho.
Fugio no dia 21 de dezembro do anno pr-
ximo passado o pardo Jacob de 18 annos, secco
do corpo cabello estirado ; tem falta de um denle
na fronte algumas marcas do bexigas; tem na)
costas a marca de um caustico; consta estar om po-
der de um capilo decampo morador em Capociu
de Po-do-Alho por nao querer o escravo declarar
a quem perlcnce e dizer chamar-se Antonio, lio-
ga-so ao mesmo queira conduzir a Jos Luiz Pcrci-
ra morador na ra Nova, que gratificar.
Fugio. no dia 7 do corrente, as 10 horas di
noite. da ra do i.ivramento n 20, urna escrava,
de nome alaria de uagflo llumbaca de SO annos,
li.iixa corpo regular ; quandoanda na ra he um
lauto de vagar ; levou vestido de chita escuro paa-
imda Costa guarnecido com franja, e camisa de
madapolo: quem a pegar leve-a a ra do Ll-
menlo, na dita casa que ser recompensa Ja Esta
escrava furtou do seu senhor cenlo e tantos mil #
em cdulas, por isso he que se evadi.
Fugio, no dia 30 de maio prximo passado,
Marcos, de 26 anuos, preto, crioulo, oflicial de pe-
dren n, de estatura regular, secco do corpo, rosto
comprido, boigos grossos, tem lodos os denles da
frente, com duas cicalrizes bem debaixo no pescoco,
onde so ahola o colarinho da camisa, e com'poura
barba. Julga-sc ter do para o Itio-Formoso em rein-
panhia de tins pedreiros que para csse lugar ftiram:
roga-se, portante a todas as autoridades ou i cs-
soasquo del le tiverem noticio, do o pegarem o leva-
rem-no na ra do Cabug, loja de miudezas, n- 1
D, do Cuimarfles, quo gralilicar.
Desapparecou no dia 3 deselembr do engo-
lillo Tabulinga da proviucia da Paralaba, o preto
crioulo, de nomo Leonardo ; tom a cara redonda e
isa, mages altas, sem falta de dente); o estes agu-
gados bocea grande estatura alguii tanto menos
do regular bstanle fornido do cono espadaudo,
de 25 annos pouco mais ou menos alia algum tanto
mango. Este escravo foi pegado nes cidade' do Rc-
cife, por possoa aulorisada pelo seiiior e reeolhido
a cadeia a ordom do subdelegado vo bairro do llcri-
orrentado para o
rento c evadio-se
auteridades poj-
o apprehendam c
ife, casa de Jos An-
mes Pessoa, senhor
fe,c tendo sabido da cadeia
servigo da faxina quebrou a
segunda vez : por isso roga-se
ciacs o capites do campo ; q
levem-no a rea da Cadeia do II
IohoBastos, oua Antonio i
do dito escravo no scu cngcoio Tabatinga que sera
gratificado generosamente. /
Fugio, no dia 10 do crente um preto criou-
lo de uome Kuzebio alto/ chelo do corpo sem
barba rosto comprido tsnles I Uados, pernas fi-
nas ps chatos ; tem um tio de carne na orclh
o tres nos peitos ; levou ca/isa de algodiio da torra,
caigas do algodiio trancad/de listras escuras. Itoa-(
so as autoridades polieia e Capiliies de campo ,_
queoappreliciidaui c le/m>-no a ra da Praia,
15, serrara do Carilla
Peiin.
NA Til'.
DE FA1IIA
.i848>
^
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFAU4SWXD_V8GZ9J INGEST_TIME 2013-04-24T20:00:15Z PACKAGE AA00011611_06509
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES