Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06504


This item is only available as the following downloads:


Full Text
nn XXIV.
, niiniO publlca-ie todo o diasque n
i,.,., drguarda: o preto da asignatura he
Lil ri por qinrtel, piqos adiantados. Os
^cioJ Jos asignantes sSo inseridos a
J"".., 20 rs. norllnha, 40 rs. en typo dlf-
J .. < renrticocs pela ineladc. Os nao
S** r "sre '-fi0 n
tfjpodiffercnle, por cada publicara.
JPUASESDA LA NO MEZ DE SETEMBRO.
[,., a 5. s G horas e 24 mln. da tard
V''?i a 13. as 3horas e59 mln. da manh.
25. U, i 7 """ e M mln- a ma" k'
CrT. 27, s 7 hora, e 16 mln. da manh.
Sctembro de 1848.
das da sf.mana.
4 Segunda. S. Roa deVitcrbo. Feriado.
5 Terca. S. Antonlno. Aud. do J. do c. da
1. v. e do J.de pai do 2. dist de t.
(5 Quarta. S. Eibania. Aud. do J. do c. da
2. v. e do J. de paz do 2 disl. de l.
7 Quinta. S. S. Joao p. in. Feriado.
8 Sexta. $>>. Natlvldadc de Nossa Scuhora.
9 Sabbado. S. Sergio. Aud. do J. do o. v.
e do I. de paz do 1 diit. de t.
10 Domingo. O Ss. Nome de Maria.
CAMBIOS NO DIA .-1)1. SI.TKMURO.
Sobre Londres 23 d. por IfOOu rs. a 60 d.
Lisboa 120 por cenlo de premio.
Rio-de-Jauciro ao par.
: : de":.1:1
Pr.to-P.Ucoe. brasero. 2/040 a gfD
Pesos coluinnarios. 2|V>40 a AW
. Dito, mexicano...... 1#W0 a 1#9M
PR7E 0'
, 18*8.
lentV1
lar construir
Una.
INTERIOR.
DESDASE.
(Morisa presidente da provincia
^ urna ponte de madeira sobre
Antonio da Cosa Pinto, presidente^8 J,J'."'.nt'ia
Jje l'ernambuco. Facosabera todos os seus habitan-
tes, que a assembla legislativa provincial decretou
teu sanecionci a lei seguinte :
Art. 1." Fica '/i,,?"'*' presidente da privincia
nr urna ponte de madeira sobre
i rio Una entrf, s passagem do engenho do mesino
iioiin' c ii en:.;,.',iiiu Paraslnho.
irt. 2. Na lei do oreamento se consignar a quo-
rum cont equinlientos mil ris para as desp-
jese teein de .fazer na construcgiTo desta obra.
hio-dHaNE1U-
o commercio de*etaui0 f 0s ca1xf.iros
tPangf.iros.
DVOfi
^.1 -. |A:C n
' .....'
a us iui-
e disposi-
wt. .- Ficatn r
lesera contrario.
fiando, portanto, a todas as autoridades a quem o
^tiecimcnto ccxecncflo da referida lei pertencer,
a cumpram c facam cumplir tfo intciramenle
orno nella se contm. O secretario interino desta
Brovincia faca imprimir, publicar e correr. Cidade
Ho Recife ile l'ernambuco, aos cinco dias do mez
|de setembro de 18*8, vigesimo-setimo da ndepen-
Idcncia e do imperio.
L. S.
Antonio da Costa Pinto.
Carta de lei pela guat V. Exc. manda executar o decreto da
Itisembla legislativa provincial que houve por bem sanceionar,
laiilorisando o preiidentt da provincia para mandar construir
turna ponte de madeira sobre o rio Una entre a passagem do en-
Igtnho do mesmo nomc, e o engenho l'araiinho, como cima
|/i declara.
Para V. Exc. vflr.
/tntonio Leite de l'inho a fez.
Sellada e publicada tiesta secretaria da provincia
[de l'ernambuco, aos 5 dexai/nibro de 1848.
__ j^miirianno u,. ...0
Registada a A. do livrojtfgundo de leis p
I ciaes. Secretaria da provi
setembrodel8*8. .
Domingos Jos bares
EsjT!
Desde mulf
,..,. i ... j tencionainos dar anos.
tu melindrosa, porm, a consideramos, que
o fazer mas ao li luid- o que a rrspeilo ic
opimao a re
e artigo ; t:ln
emlanio. de
'eui ultima-
,, mal o que
mente escripto no norte do imperio, c ao veri or mais
se diz nesta capital, assentinos de nao demorar 'it?'..c
lempo a publieacao de nossos scniimentos a respi "'-
de procurar, quanto em nos cabe, fumar a opiniao pu
to inais porque anda os interessados nutrem recelos de
que urna decisao imprudente os prejudique em seus in-
teresses, c cnvolva o paiz emdilhculdado internas e em
quesles exteriores.
F. o melludroso da quesillo provrfni menos della em si
inesma, do alcance embora mui vasto c extenso a que
pode ir, que das vistas apnixonadas dos que, em objecto
tilo importante, s procuram attender ao lado peloqual
a odiosidade pode atacar mais de frente seus adversarios
polticos. F. nos. que as questoes desta ordem perdemos
de vstaos iuteresses de partido, para smente consul-
tar os da tranquillidade e futuro eiigrandccimento do
imperio, havenios de aconselliara uns inais circumspe'(^ jtf '
cao na adopcao de theurias que a experiencia tem ,.. 0 ainla ''
vcies condeinnado, chavemos anda com maisseve .', a ou'
de censurar aquelles que adulteran), afeiam niesii'* "*!', Bnlr
rivclmente inteiifdes que devein acreditar talvea 10,000
neas, mas nunca criminosas. \i oU 3,001*
A opposico, he nossa intima conviccao, e '.e'" Jco utitiuti
beranc.as, casamentos, doacCes, compras, que passam
as riquezas para as novas gerac,oes,
R a differeiica consiste em que esses pontos favore-
cidos pelo commercioestrangeiroe iiiiroaucr;ao nvre
dcbraQose capitaes, como seja a cidade do Uio-dc-
Janciro, se enriquecem o adianlam ; seus naturaes
lornani-se, com o volver.dos anuos, ricos e poderosos;
loctilretanloqueoCovaz.Cuyba, F.spirito-Santo c
tantos otttrospontos do imperio continan atrasados
p pobres, seos habitantes, os filbos do paiz, nao sa-
liem nunca da pobreza em que viveram seus pas.
lie, pois, necessario concluirque principalmente ao
commorcio estrangeiro, entrada de mais bracos e
capitaes, que OS existentes no paiz, deve o Itio-deJa-
neira, a Babia, l'ernambuco e ontros pontos do impe-
rio o deseiivolvimenloque vo temi, que. para que
outras o obtnnlinm, eonvni muito facilitar-Ibes
alente a entrada livroe desein.baraq.a-la de nv :
pitaes o brac,os, c que toda a
cafVboratnento do paiz as di
nic ~ti$ postas au comineici
Iriccoasoi como lendendo f
proscrip p%empobrecimentc
istobe, >lhc
j
-S-
ser
,lOSlO,
Sestu'o de tO de marco.
Presidencia de Mr. Lisfranc.
w.. ttnuitinii'S O re'.storio mili bpm fnilo; oii^
acabamos de ouvir, se achn escripto com aquella
prudente reserva que tanto se louva boje ; mas ha
circiimslancias em que faco mais caso -los odios vi-
gorosos. Se os liomrenpatbas nflo pedissem para tra-
tar seno aquelles doentes que pdem snerar sua
cura da natureza, OU me calara mas applicar esta
pretendida doutrina, quan lo o perlgo aperta, he um
crime de lesa bumamdado, contra que lie preciso
trovejar sem reserva, linta'o considero a homieopa-
thia la'o mortfera como a plvora.
Nlo cotnr' 'sta lgica do Sr. redactor que
coriclr tu." Se vierem ilizer-vos :
ae1 jo circulo, .. ," "edra nliilosopba!.
,.,ei que mais, tercia acaso nr. < '" BOCS
poriencias para julgar? Nao sem duvida .
Kis-aqui urna cousa mystica, absurda, Ridicula yUJ
E nfiojs \'
bracos o ce
trabalbcto
CMMANDO-DAS ARMAS.
I unrlf I do rommanio das armas nn eidorf do Recife, !
Inn'.ro de 1848.
ORDKM DO DA N. 39.
os do exercito e
dese-
poli-
dida como neis, que esta lliooii- de restri-c?110 e
duccao de bracos e capitaes estrave damnificar o
imposta sua occupacSo dentrrlas elasses. R st
grande parte de douliiiias err dus directores op-
distribui(ao da riqueza, e
paiz para beneficio indiv'
he esta sem duvida alg
posicionistas, porque
publicaces pela iuip.
ii 11 ni- do estrangeiro ?
nao devein servir un
governo, ou polii'
Por toda a pa
." r.
tcs'deoulrus
concurrencia
., seus disensos c
meditan, o patt a
or4emaopddn
rjos de opposico a
t a entrada de
ando so limitamos
.car. Se boje, porque
acuitadas, entram 8 ou
..iiio u vilo os Vi dar-se aos
.mmcrcio, se amanhiia Ihc fr es-
so nflo podrem ser caixeiros, se
com a possibilidade desto ultimo
uelles que se destinen agricultura,
tros diversos misteres, em lugar de 8
-dos por anuo, teimos que s entrarao
ser a per-la para o imperio a dimiuui-
... de a 7,000 emigrados.
,ie com a inleia liberdade de coniniercio, e
Os corpos da guarda nacional, *~^r,,tlenie da
| ciai, que por deleruiluayfio
provincia teem de arruinar i
'.,.,. minoravel DIA
proviucia teem e arruinar no seinpre "'"* ......
SETE DE SETKJIBUO, para o fin, dV.?,^uUerMrlo
tnaior pompa poss^e. o vlgesnno^mo^anm^rs^
<3es pela forma se-
pompa p(we. ..^ -:; dMlrU(llr|0 en. qua-
da independencia r do ,'.nt""r,n .^r
tro brigadas, formando
giiintc:
0 esquadrao de cavallar
2., 3.u c 5." da guarda na
e um parque de arlllliari
servido por metade das p
[liaras
., baulii.5Sm.''"*!;'
I do municipio do K^";'
quatro boceas de fcV'
ras do 2." batalho de ai "
tes obi iga
belcce e
riquezas
A con
bracose
llini-
-P
te den
fe
,udararobaWt'
,m explotar
r-.se.oem"*"
.nham c va-
nas COir .Jy^- -c ^'3-
pltaes a ac^ esta ii desenvolver as
paites novos.jdos dlcdei descriptas.
ncia he, pois, qut. uroduccao de novos
aes, mellior diri pela experiencia, me-
veitados com o soc ro de inais adiantados
e machinas empregadas na Industrio, na agri-
llo proprio cominercio, enriquecem o paiz de
va adopeo, derramam e inclhoraiii a instrueefio
a, desenrolvein a civillsafao, c asseguram ica e
.rao estado,
as he consequencia dcslcs factos, que, ou em virlu-
muscom o Sr. Souza Franco, ministro dos negocios
estrangclros, orear em 100,000 contos de res os capi-
taes que conlinuam scuipre a crdito no par/. ; se lor
limitada aquella liberdade, leremos muito reduz-
dns aquellas entradas, serao mais curtos os prazos, e
pelo menos llavera para o imperio a perda do uso
de metate destes capitaes, isto lie de 50,000 contos de
ris annuaes.
( Correio Mercantil. )
IIOM0EOPATHIA.
Yon verba, $td flUU,
* os capitaes que importam coinsigo, ou de mais subi-
.jredito para com os seus possnidores, ou por diver-
"uulrasp-asocs, sao em regra os eslrangeiros os que
ais lucros tiram destes mesinos capitaes e dos ineos
"Ifoductivos do paiz, e portanto os que inais prompta-
'ente enriquecem eganham vantajosas poiicdes. Edahi
i couiparaces desfuvoraveis aos nacionaes, ou pelo
Diaria ap, coniporao a priincira brigada coinmanda-
I pelo Sr. coronel de legfio Joaqui,m Canuto de Figueir-
do: os batalhAes 4. e da guarda nacional do mesn
municipio e o 1." dodeOlinda comporao a segn-
:1
I brigaa' ao mando doSr. coronel de legiao Dojuint
M.Afuuso Nery Ferreira, e ambas a primeira dlviso sol
liliimiediato coiuinando do Sr. coronel chefe de legiao
Francisco Joaquim Pcreira lobo. OH. batalho de ca,
{adores, a eompanhia d'arliftces eocorpo de policj
cuuiporao a terceira brigada dirigida pelo Sr. teen
coronel d i guarda uacioual e comiuandante d.i l'4a
Fernando de Aguiar Monlarroyos: os batallidei 5*e
iuileiros, 4." de artilharia a p,..lini parque de 4 bof,(
de fogo servido pela outra metade das pracas do 2.
lalhao de artilharia a p, e a eompanhia Hxade ca*Sa
ria, comporao a quarta brigada dirigida pe^oSr. tq~
tc-coronel Fcliciauno Antonio Falcao, e auibfS 5 *%
da divisan ao mando do Sr. coronel Joa Vlceo
Ainorim llezerra.
A columna, assim organisada,s6b a direccao
ficial mais graduado, lomar posicao em liona
1 acimu estabelecida, pelas 10 horas da manhaa.n
Aragio, no bairro da Koa-Vista, apoiando sua
direita junto a matriz, e prolougaud-se jsrolrecco da
ruados Pires. Nesia attitude receber aconunaudaue
das armas, que as 11 huras em ponto lasar a revista
il" costume, r as-miiir ocoininando en diefe.
O cuiinandanie das armas uoiueia a,, sr. tenente-cn-
rouel Antonio Gomes Leal para na pai:1,ia servir o lu-
gar de ajiulante-general, e ao Sr. majr da guarda na-
cional Joaquim Ignacio deCarvalho nn(ionca para ex-
crcer as fuacc_es de (uaitel-iiiesti^X.n.-ial. (os quaes
nouiearo|ds seus assisten tes] c ftl,m
ordens os/Srs. capilao da guarda _
co Pires,^2.' teen te dearlilhar
reir.
.reliaren) assuas
al JostFraucis-
mU'Jn Lcaler-
OsSrs. commandaotes de divis'
mearfio tambem os olliciaes que
seus estados maiores, escolhendo-os pelas,
bilitacOcs nos respectivos commandos. .
O Sr. inajor do segundo balm/lruj artilharia _a
p tomara u conimando dos parlues, quando reuni-
dos, e sepaojdsmente o da primbra divisflo.
Os corpos ir.'io muiiiciados pal as salvas do esly-
lo, c o parque para tres salvas df 21 tiros cada urna.
As msicas dos corpos tocara
do governo o recolher do dia
llier do dia 7.
O commandanle das armas/ftnvida aos Srs. ofll-
ciaes das quatro-classes do(lercito, queflo Uve-
ruin lugar na Imita a comp Jbereiu pelas 11 horas
da mai.hOa do indicado dia 7P> palacio do governo,
para assislirtm a parada, e ao cortejo que se tem de
fazer a efligie de S. M. o Imperador.
II. J. L. Lins.
[to largo do palacio
lalvurada e reco-
...parajdes desfavoraveis aos nacionaes, ou pelo
.lenos aquella parle dos nacionaes que nao teem sido
to IVlii, e como -gsequencia o ciunic dos estrangei-
-os, as quclxas coiui'a o governo ou legislacao que as-
lim os favorecem c os felicitan! mais do que os prop ios
naturaes do paiz.
Sao factos observados no antigo como em o novo inun-
do, as pocas recentes como uasdaantiga c da media
idade. E a estas causas se pdem attribuir em parte a ex-
pulsan emotratameuto que tecmsoll'ridn os Judeos cui
todo o orbe, a expulso dos Mouros da Despalilla, dos
Hugnenoles da Franca, e as medidas restrictivas do tra-
badlo e coiiimcrcio estraugeirp que nos ltimos anuos
adoptaran! algumas das repblicas .da America.
Eem todos estes casos tem vindoaexpenenoia demons-
trar aos incautos sustenladorcs destas errneas llieo-
rias, que cnsinaui como nielo de favorecer os nacio-
naes a adopcao de medidas restrictivas contra a livre
entrada de bracos e capitaes eslrangeiros no paiz, e sua
applicaco aos trabalhos de sua escolha, os pessimos
resultados que acarrcUm. Em todos elles, e he regra sem
excepcao, sao lo pomplos e vlslveis os desventajosos
effeilos das restricefles, que o arrepen (miento e revo-
gaco das medidas nao se fazem esperar or mullo
lempo. i
A comparacSodo estado das provincias do imperio
que, situadas no litoral e mui freqnenladas pelo com-
mercio estrangeiroprosperain e enriquecem comas
do interior que pela iasflo inversa conlinuam alra/a-
dase pobres, he para conveniencia das vaiitagens da
entrada do bracoae capitaes importados do exterior ;
e nao menos se reconhece nellas essas vantagens que
sobre grande parle dos nacionaes gozam grande nu-
mero de eslrangeiros.
No Rio-de-Janeiro, por oxemplo, vem-se grandes
fortunas adquiridas pelo commercio exterior e inte-
rior, e quasi oxelusivamonto por estrangeiros, e a par
delles que nflo pequeo numero de Brasileiros con-
linuam na pobioza, faltos de occasiflo e meios de de-
seuvolveiem seus recursos. Mas em Goyaz, em Mal-
to-Crosso, no Espirito-Santo e em Untos outros pon-
Ios do imperio, se n3o ha eslrangeiros neos p or um
commercio que quasi falta a esses pontos, tambem
os Brasileiros que os liabitam conlinuam em pobre-
za ainda mais desgracada que
traes.
E a differonca vom eiito a consistir em que por lu-
da a parte onde o commercio estrangeiro leva seus
meios. seus bracos o seus capitaes, relicita-se o paiz
enla-se a renda publica, ha novos
ACADEMIA
.Ses,'io
em gcral.augmc
meiosde-trabalbo para os nacionaes do paiz que o
desejem e saibam aproveitar ; e com o v
nos veni toda essa riqueza, os soberbos
REAL UE MEDICINA DE PARS.
de 17 de marco de 1845.
presidencia de Mr. Lisfranc.
Mr lluilly. Son tambem de opinifloque 0 rcla-
torio que se tem -le dirigir ao ministro, se exprima
com mais energa, sobre ludo por causa dos resulla-
dos dados'pela experiencia.
Citaram-me como leudo tentado pcssoalmenlccii-
saios. Senhores, cu nao !iz experiencias, mas man-
dei faze-las. {.Simati A atlticto.) ,
O anuo passado, recebi de M. M. Cune c l.eon Si-
mn, redactores do Jornal llomwdpathico, urna espe-
cie do circular, pela qual me U-steniunliavaiii a ue-
cessidade e o desojo de submetter sua doutrina, em
apphcacO-s publicas, ao registro .da cxpuriencni.
Convidei-os a vir ao meu servico do IJotel Iheu, e puz
a sua disposieflo doentes.... Mr. Simn nfit tratou
lodos, mas Mr Curie persisti em trata-Ios honia-o-
pathicanienle din ante quatro otf cinco mezes ; este
que devoconbecer porum liomwn mu convencido e
esclarecido, trouxe medicamentos mais autlienticos
nda, se assim me posso exprimir, do que aquelles
de quo se servia Mr. Andral; porquanlo os tii.ba
mandado buscar da Alieinanha, e da mesma phar-
ihacia em que Hahncmaiiii mandava preparar osseus.
Abrium legislo onde se inscrevia com o maiorcui-
dado a data de entrada de cada doente, a data do
enmeco do Iralamento, o estado do doente a essa
poca, e as alteraccs ou mudancas oblidas dia por
dia. Este registro era confiado a Mr. Curie, e a.Mr.
Albino Cas, entilo discpulo de minlias salas, e mui-
to exacto observador. De lempos a lempos eu exa-
miuava contradictoriamente com elles o estado dos
doentes; islo durot, pois, quatro ou cinco mezes :
no lim desse espaco de lempo Mr. Curie relirou-se,
advertindo-mo que continuara as experiencias no
anuo seguinte. Devo declarar que de lodos os doen-
tes assim tratados, um s nao foi curado; tenho em mi-
nba casa o registro em que su acham consignadas to-
das as observares. Dous tactos somonte fazem ex-
cepeflo; ei-los. O primeiro he relativo a urna mu-
Iher alTectada de urn cancro do ulero : ella sahio do
hospital depois de tres ou quatro mezes de iralamen-
to, dizendo que so achava allivada; mas qumzedias
depois tornou a entrar no Holel-Uieu por causa da
inesma affeccao, c ahi morreu. (-r. Perry.-tio meu
servico.) A outra observaeflo be relativa a urna des-
sas affeccOesque sao boje chamadas febres typioides.
Dous homens entraram ao mesmo tompo no meu
servico, affertados ambos de sympto as typboiuaes,
U -
asctis, vsoconfessaisem algumas Mrases do re-
[atorlo Para nm> uo o dzeis mis coiiclusoes? Nota-
rei tambem urna iiiexactidiio do relatono; diz-seque
llalinemann cinta mais doencas do que nflo existe
realmente; mas he inteiramente o contrario : depois
do virus psorico, o alguns outros virus, nflo na mais
cousa alginia. lie um cyclope esso liomem ; apenas
ve a mclade dos objectos.
Declaro por mnlia parle que jamis fare experien-
cias deste genero, e que julgarei avillar-me. Mas
tenho dilo aos boma-opathas; vinde, dar-vos-hei
doentes; o publico vos ver a obra! I m s<> na o tem
aceitado. Mr Rroussais e Mr. Andral teem fcito expe-
riencias, o o que teem obtido? Nada. Era fcil pre-
ve-lo bastava lr as obras desse reformador, as
quaes'nao se cnconlram, ncm osconhecimenlos,nem a
tinqoagem de um medico.
Peco pois, que a academia se pronuncie com cner-
tia contra este pedido de bospitaes e dispensarios.
\o me vejo retido pelo temor de. increparlo de que-
rer lolher a libcrda-le; aquellos que mo eotiliecem
responderao se eu a merece. I.ibordade mteira as
doutrinas, mas nao em eppl'ca$es tflo nocivas; na o
quero que se conceda a liberdade de matar, leme-se
de allligir collegas, que se acham em erro. Mas nao
sabis que ha entre esses liomceopaHias outra cousa
alera de tolos; que a hOPtaopathia he orejugto dasve-
Ihacos charlatn ? Nflo ; nada de dispensarios ; do-
mis nao os baver, nflo tenhaismedo; a sociedade
hemceopalhicaquizqnesefallasse della, c eis turto.
Tenho dito. {Apoiados, apoiitdot!) ...
Mr l'iorry Toda doutrina suppoe sciencia ; nao
ha sci'encia no syslema dellahnemann; nflo se pode,
uois, considera-lo como una doutrina. Assim a
vriori poder-se-bia rejeila-lo ; mas alem disto expe-
riencias teem sido tentadas em diversos hospitaes:
Has nada teem produzido. Em um so caso, creu-se
ipr-.se obtido a cura de um cancro ; a mulbor tornou
a entrar no hospital 15 dias depois de lor sainuo pa-
ra nelle morrer. Apoio a proposn;5o de Mr. Bouil-
laud.
lar ecom o volver dos an- quasi absolutamente semeliiiUeaT Mr". Cune tomo
desejem e sa.bam &^J.**^f S um, que iralou ho.no3opathican.enle; eu trate, o ou-
:;~ Ueu dtate Jtcou bom
, nos vera iou.ew- H-"-. ",-"]-- obieclos de tro pelo methodo ordinario. Mea dotnl Jtcou bom
| algum desses meios de trasmissflo do propriodade,' iro quatro meze, depois. bis o que eu t.nha a d.zer. h
Mr Adelou, relator. Nos increpam de termos pre-
visto a questfio, e laucado censura sobre a homojo-
pthia; mas a provado contrario esta precisa monto
nesta outra ncrepacflO de nflo termos dito de urna
inaiieira absoluta : be urna cousa na.
Ounnto a nos, conlentarno-nos de declara-la ao
meiios duvidosa, sem induzir a academia a ir alem;
tanto mais que isto nflo be necessario, e que o resul-
tado de nossa resposta sera o mesmo. Sem duvda
ha principios homieopulhicos que revottam por esse ab-
surdo ; poderia citar muitos; tal he ageite que da qw
quanto mais se dimnue a dse de um remedio tan!,
litis se augmenta sua eneryta, do que seguirse-hia qu,
,ese podesseredu-.i-to a sera de materia, ltenla o q
sua energa seria mais forte. Em resu.no, estamos l
dos concordes acerca dol.m; nao vanamos sen
sobre os meios. Tros proposites estilo en. pn-
ca adiar a discussflo, recesar com conside
repellir com censura eifirgica. __A.acadeania
escolher entre estas tres proposicoes.
Nao devo terminar sem repellir a increpacflo de
inciactidflo, que me foi dirigida por Mr Bouillaud ;
a uhrase que elle notou no meu relatono be textual-
mente coimA* de llabi.eman.i: elle tanto pretende
que ne.ihuma molestfa se parece com outra, que nflo
que,- que se H.e d um nome, pas plus qu au mage
gui paite el qui ne reviendra plus Isto nflo be um dos
menores absurdos de sua doutrina ; porquanlo, ae
DmwdHU molestias se parecen., he ridiculo, po,,
prescrever em afecco'es prsenles remedios que teem futa
bom xito em affecco'es pastadas.
iCindtnuar-st-haJ
lAKI UE r-nyimUCU.
RECIFE, S PE SETSMBRO DE 1S,
Sempre que a populacao se achar assustada c tomada
de terror, em consequeucia de quaesquer boatos fa
que lizcrem correr por entre as massas, o /Mario nambuco se apressar a desmentir esses boatos ; porq
a sua missao he toda de paz.-porque elle nao quer
nao ordem.
Isto posto, declaramos mui categricamente aos leito
res, que nnhum fundamento teem as noticias que cor-
rcin ba dous dias'fccrca de succ'essos" dsSgradaveis oi:
corridos as Alagoas, nem tao pouco as que hoje se
alharam com referencia a ceno eventos que *A- j?
haverem lido lugar na corte do imperio.

i
j
4 '

_AR ENCONTRADO" 1 MUTILADO
I
1
m



guilo Alagas, hemos rito can,, de mu rcen-
le data, e.erpf. .111, que ,pfn ,c ,.,,, da ,.,,_
cao pouco .grad.vel da praca, no toca,c ao, ,,,
cominrrciacs.
A rehilo, pnrm, d. COrte, raisillll|(> ja1 now
alndaho mais saliente; porqu.nto, depoi*do mi-
gue Auombro, por onde WcbmcJorMOi deeoto
conteudo j inteirsmos o.,|e,0res, .inda nao che-
gou a este porto outro navio, procedente daquolle.
Hontom. depois das sete horas da noito, un, Por-
tuguez receben algumas cacetadas dentro dc urna
taberna, alta no Forte-do-Mattos, bairro do Rccife
Este.eonteclmento fo causa para que houvcssn um
echafteha nessa freguezia.
Ao noticiarme* este caso, n.lo podemos deixar de
clamar pela prompta observancia dns ordens pelas
quacs, segundo nos consta, a presidencia ha reeom-
mendado a polica as mais enrgicas o cuidadosas
providencias, para que desapparecam do urna vez es-
ses actos de revoltante barbaridade.

EDITA L.
i .. cmara municipal desta cidade se !.fi<>
o arrematar, em os das 6, 9 e i 1 do corrente, as le-
jas a praca da Independencia ns. 36, 38 e 40, a afc-
Sil 0S0S ',' ,m'di,,i,s- os 'albos dos acougues
pblicos, 3 casinhas da Soladado, a casa n. t da ra
mperial, chamada da plvora, e a coeheira da os.
incla companh.a de riboirinhos, onde outr'ora foi
beb.Mlourodogado.ooiornenmenlo donzeite para
li.zes da ca.lea desta cidade Os pretendentes lve-
nlo comparecer noi mencionados .lias, munidos do
hadores idneos e habilitados na forma da le, pasa
podrem laucar. K
r*f0*o*.f",n"r' "'""''I'"1 d" Itecife, a de setem-
10 (O I S i s
l)r. Ignacio Nery da Fonseca,
Pro-presidente.
Joo Jos Ferreira de Aguiar,
Secretario.
n' f ^"''''o necife, botica n. 61, a fallar com
'"'"'Jos Fernandes Migilhaes.
Avisos diversos.
*
Lotera do tlieafW publico.
Os bilhetes da segunda Merca parte da
dcrima-oilava lotera do the\atro ucham-
se de-.de j i. venda nos lugares do cos-
ttnne, e o respectivo tliesourelro declara
que inuito breve marcar o dia do anda-
mento das rodas, que ser mesmo no cr-
renle mez, em viata da venda dos
uua-
cl>r-
Ui
JoSo Martins da Coata, prelo liberto <
ntr, don fllhos menores, o una eserava' nui
P'Stas liberta, reliram-se para o Rio-de'-j,nl- S
. "\ Aluga-so um sobradinho dedous anduet
J"5' no pateo da Santa Cruz n. 14; urna ciuT
rom bastantes commodos, con quintal fir.
"a 'Wrnpo ra da Soledado n. 35. por 10/7, *J
UoeA *M!,no <*cr'Ptor ^ F, A. de Oliver."1!!
11 '-V '
kurorar
OTICIA IMPORTANTE.
^s credores do fallido Antonio J
,unes Gu'
'jor9s deste que ll'.e n.1o paguem seos debi
letlras, quelhe'?,
*nVunes Guimaraes
dei
previnem aos devJ
guem cus del,i. 1
accit,
onta ne iivros, quer por u
?n : porquanto, temi sido arrestados seuTl
'pitias e livros, niio pode o meam" '"
i mesmo validamente71
II C (M'uli inu- ~_.. '*
Correspoiidenciiis.
I>eclarac6es.
"aulas
Htm. Sr. pr. Sabino Olegario l.U,Igero Pinho. Greiu
ter-me expheadn. DltteV. S., Sr. I)r. Sabino, "
I', h. no i),ar,o n. 192, hilando da hoineonaihia l'u
.M.muu-.emai, segundo me parece. As comparares
-asnas regras, c esto aubjelUa a .lias. Obclo,
liara., endentcs. de s.immo respeito e de summa venera-
tSoem materia religiosa, nao aloJoMli traildosaesrao
para eousas profanas, que sen, dd,M- leem multa
ras que llie sao iguaes ou senir' "ve '
catbolleo, ba de sabor r -
aoctainente se tratam
V Eueli.-.-'
abysiii><
i''*- >
.... AVinclo sat
ite o inaior ile lodos os IllySieriObi
idavel de prodigios cxtraonlinarios, eiit.
omnipotencia parece lcr-so esgotailoasi mesilla.
l.'iim / nmnipnrt!, pial atl ti'm pulut. Mvsli'rio qilt v"
pode ser adorado pela f, ejimai comprehendido pela
rasiio. Bt Hwuui dficit, iolafiitt su/ficii. Como, pois, o
hoiiieni religioso, o medico verdaderamente catholico
poder servir-se da Kucliaristia para coinparafio dos
remedios hoinicopalbicos ?
Ue V. S. un nomem reli:ioso '.' Pode ser, nao duvido,
e di've-o ser, mas a sua expressao be anli-religiosa, he
um escndalo para o mundo calholico. He melhor di-
zer que, nao sendo llieologo, assiui como he hoino'oiia-
tha, escapou-lhe esta expressao, que Ule pareeeu exar-
la, e que julgou adaptada e mu conveniente. Ksu sin-
reridade o honra, honra-o como chrislao, lionra-o co-
mo hornero, de saber.
A BucharUtia teni a infallibilidade de Dos. A hornean)
patliia leui a fallihilidade de tudas as cousas humanas,
euibora esta fallihilidade provenha desta ou daqnelU
causa. Infallivel s Dos, nenbuin homein o he. nein p
de ser, neiu a arle que V.S. profana. Creto tei-me ex*
l'licado.......
.le^-n"; T'?. Jrf' T?';,res ,ie Mell' dMPebado, por
decie.to deilde junho ullimo, capel I o para o se-
gundo batalho d, fuzileiros, 'aprLente-se quinto
Mines ao corone! commaodante las armas cara ,!,-
j',-iii) do sorvico "' '"'
OuarlH do commando das armas na cidade do lle-
cile, .11 ,ic agosto de 1848.
Jos Ignacio ,!> Medeirot llego Monfiro,
Ajudanto d'ordens.
-- () concelho deadministracffo tom de arremata'
as 12 horas do da 5 do mez de sclembro futuro o fnr-
iiecirnento deenrno verdo para os navios da armada
o eurermaria de marinlia, pelo que so convidados
'ouoaaqunllpsaquem possn convir tal fornecimento
' opresentarom suas proposlas, declarando o menor
precoo os fiadores.
sala das sessOes do concelho de administracffo, 9
" agosto de isi. % '
O secretario,
'iitono Santiago de Olitein '
ra compra 450 varas de tiii,
Hieles qoedeve ser rpida nois atie sof ^eber quantiaalgunia de seos credores, mas tud0|
i 1 r ,/' 4UC!,ur-lve ser recolbido ao deposito emmaodocorr^
mente ua realisacao d'Asta depende a [Oliveira, como bensdos mesmoscredores: o n!
ao co.
fila preta, ..
lilla azul, 'l ili.
los ; H'i esleirs ; i
gneros quizer for.
directora coin sua pro,
mez
Arsenal de guerra, 5 di
de forro, 18 varas
panno pelo, 2
lila de
i tos de
le sapa-
m ditos
sala da
rren'fl
oro ue i,
setetu^ escripturarlo.
^i's Carralho.
Francisco Serfico de /^sta Metic/.es no
- o bacliarel Jos Raymundo da Ca
ejercicio da segunda vara municipal
faz publico que, d'ora em diante
crimessern as quarlas-fciras e sabbao ^
da do civel na respectiva casa das audiencia
desta
. aui
ciliado
encas
depois
as.
(
Sr. Reilarlor do Diario de Hernambuco. Ainearados
le una tempestade prxima a desfechar-se sobre mis,
procuramos o sen jornal para ver se della nos salvamos.
Jos Vidal Nuncs, velho estulto e caduco, e quasi allie-
nado, seni ueiiliiima moral, que lem soll'rido inuitos pro-
cessos por seu deleixo, ou conivencia, aceesoriado por
um Portuguei infame hrandao, leudo sido despedido
desta cadeia ltimamente pelo honrado Sr. descinbar-
gador Villares, por haver saqueado os presos nos afllic-
tivos das 26 e 27 de junho, ameaca agora de entrar de
novo, por assiui Ihe haver promettido o digno Sr. Dr.
ehefe de polica.
Um preso, Sr. redactor, lera dirritos, nnnea perde o
ner de lioinein, e tanto assim que todas as leis recom-
inendan o seu bom iratainento ; fazer voltar este Vidal
lie massacrar os presos ; este Vidal que lera entendido
lvTatrocidar-nos '. fater vollar este \ idal he querer
a continua desorden! desta cadeia, como viva ella ante-
iuiiiieuie.
Kstamos salsfeitos COin o acluil earcerero, o ^r .Ma-
uoel ?abino da (iosta, homem de ediicarao e de honra ;
lem elle se regulado de modo, que e dos os presos, sem nreessidade de os reinar, e sem nada
lelles temer ; a regencia actual da cidria he a melhor ;
nos s temos louvores e milita cousideracao, nao s pa-
ra coin o Sr. Sabino, como para o sin ajudaiite, o Sr.
Joiio Marcellino itibelro, e o chaveiro o Sr. Roino : es-
eramos que o distinctoSr. l)r. ehefe de polica altenda
prompta extracao mo thesoureiro princip/a o pagamenio
da primeira terca parte /da decima-oitava
lotera, hojedas 9 horc-L da manha *tc
nmada tarde de toderos das ; na ra
do Queimado primeiro andar, n. 3G-
lima senhora casada e .0m lllbas maiores se
propon a abrir urna aula d nrimeiras leltras, na
qual tamben) e-- iinara grnmmauL ,,.nceza e portu-
guoz, coze e todas as qualidades, e o mais que
precisa apr# .der urna menina : quom de seu presli-
inn se quVi/or ulilisar, dirija-se Trompe, sobrado
n. 50. 9
Ai^iig.i-sc o segundo andar do sobrado da ra
da >lr.oeda n. j, com commodos para grande familia,
p* preco eommndo: na ra do Vigaro, n. 5
OfTerece-sc urna ama do meia idade, queda fia-
dor a sua conducta, para o servigo interno de urna
casa de homem solteiro: quem precisar diriia-so a
na Direita, n. 114
I'iecisa-so de. um negro para lodo o servico de
casa : na ra do Trapiche, u. 3.
-- Dcsappaieceu, do fundo do quintal da fabrica de
licores do Alerro-da.Boa-V.sta, n. 17, um peque-
no batolffo ou canoa ja velba ., qual lem ralla de
tima tabea no assonlo da popa : a pessoa que der no-
ticia e avisar aonde se acha, sera recompensado.
Aluga-se um escravo padeiro : quem o pretcn-
dinja-se a l!oa-Vista, ra dos Pires, n. 23.
I'recisa-se de um forneiro que queira tomar
'le urna padarla, dando-se-lhe ordenado ou
le: no principio da na Imperial, n. 39
sa-sede tima ama que tenha bom leite e
eefere-se captiva: na ra do Sobo n. 8.
rda forra, que tem pratica de
'le-se a isto : os Srs. legislas
io-'innunciem.
faz publico, para que ninguem se chame a igno" "I
"!a e fique acautelado contra o mesmo fallido '
c,onsta ter desapparecido desta praca para verc'.''*
lio... ,,.. ,j i dvp.inr.c ,!rscoJ
I
prot
met
r.
Mico qu
xou de ser sei.
corrente anno.
Aluga-se o
Volita n. 33,
dos :_g tratar
JooRoJ-oelho.
ro do setis devedores, contra
queij
;undo
edoreshavoroqueindevij
aConceiQiioCunhaf,!.,,
'loares GumarSes ,w
andar do sobradla,
ito fresco o com grandes co-
ra do Araguo, sobrado n. 33, ,
(pflAPEOSDESOL^
Ruado Passeio-PubUcb n
-nenie'umnco'VoV^imen^ dr^dli^rr^r5*1
como chapeos de sol de seda furta-cres c'--
que tem apparecido nesle mercado e de
I
como chapeos de sol de seda furla-cres. do.
que tem apparecido nesle mercado e de cure. L
c.das ; ditos para senhoras de bom tom adin. 2
lavrados com suas comnefeni. fr"'.-' n?sc*&
do que tem de mais moderno c dYufe'lhor e0"t'
completo sorlimeiito de chapeos de sol de na.>nh'
odas as crese de lodos os' lamanhos pa^a h ,t
s_enhoras e meninos : ha tambem i..i L.7:..no,ne*.
levando en. sua coin-
do nomo Quiteria ,
PARA US I'OIU'OS DOSUL.
0 paquete brasileiro a vapor Imperalvh conima
danto Jesuino laimogo Costa, devo estar aqui do*
orles do norte, a 6 do corrente, e partir no dia se-j
11 mo ao da Cllegada.
Publicacdt'S Littcraria.
,
da
Acaba de sabir do prelo
(I UTUTO ESPERTO.
DIALOGO
HISTRICO, ANALYTICO, CRITICO, MORAL,
BNTRB
UM MATVTO i: UM LIBERAL,
COi
socieu.
I'rec
seja sadia : hi
lin.. niulhei
vender fazcmJas |
que quizercni este 111
Jos LeonaVdo re
roa traanlos seras nogoi
panlua os seos tVes escrav
prota, J0.I0 o Alcxi ir' Para
Precisa-sede i homein que tenha
monto de escripia pi "ti,las obradas:
ivar tiestas circumsl "e-
Quem precisard
, annunco por esta
' Rega-se ao Sr. Avi
ir de ir a ra do Liv
' me ce 1 lie deseja f.
n-se navio.
Despachis do impen
ra dentro e fraN^idade 1 .
vos com toda brevy f
Turres n. 18. "
Quem precisar de>.ma parda para ama <
a qual cozinha lava engomma e faz as comp
ra, dirija-se ra de Agoas-Verdes loja n. 61
Para um sitio porto da praca deseja-se al
lima eserava de meia idade que saiha tratar .
peifeiqno meninos de tenia idade e que lave e
goiniui! para os mesmos : na ra do Trapiche, n.
escriploriode Prender a llrandisoz Coiiipimliia.
mesmo escriptorio vndese un. carro do 4 roda
conheci-
quem es-
. o
AOCO s.
.ram-so pass^
, c despachan
pontualidade :
"ra para en-
terque Mello o
segundo an-
1.
portes pa-
i-se escra-
na ra do
le casa,
ras de
ugar
!om
n-
16,
No
-------..me,,,,! na laniDcm leua Rorliinnm.il
fazendasparacobrr arniaedes tanto de seda d"!
como de panninho. trancados e lisos Imitando seda i
vcrle-se que os fregueses serao servidos con. brevinA
^se^acharaosalisfeilo, da boa qua.idadc, dobogtt|
Del fina Crcgoria relira-se para Babia.
ruM DI CAO
r
DAURORyJ.
os iiossaa~reclaniac.se, una ees que uestes lempos
lu/es se nao deve augmentar a fHiceJio ao afilelo.
Esperamos, Sr. redactor, a iuserrao destas lidhas, nao
obslaiilanle serinos presos.
De Vine. etc.
Jos jomes v\Uar. yinlmiio Francisco da t'oM braga.
- Jonquim Hachado de Albuquerque Un. l'edro Alies
de Oliveira. Uoncalo Atves Tarares (iimcalo Francisco
"avares.__Pedro de Alcntara do Sasrimcnlo. Joaqun,
os de Mesquila.
A letura de suas conferencias he inleressante a toda
a classe de pessoa; ulilisam no estado actual da socie-
dnile, podendo.se mesmo d*" "^'"""T'1- I Com os competentes arrcios para dous cavallos.
"^^5!!l^^ -Itoga-seaoSr.JosJoaquimdeMcsquita.t
sent, e com un espirito quasi prophetico descreve os
niales que se Ihe deveniseguir, demonslrando que o In-
culcado progresto val para <> regresso.
Vcnde-scoa praca da Independencia, lvraria, n.G e 8,
a 2^000 rs. c.ula exemplar encadernado, e a 1/600 rs.
2^(ino
em brochura.
Avisos martimos.
COSV!^E^!0.
ALFANDLGA.
MNOIMENTOOO DIA 5 ......... 932/723
escarregam hoje, 6 le ttlcmbro.
Patacho- -l.iberdadc mercaduras.
Galera Serafina idem.
tirigue -Novo-Vencedor idem.
CONSULADO GEBAL.
RENDIMENTO DO DIA 5.
Oeral.........>
Diversas provincias
GONSULAOC
RRNDIMRNTO DO DIA 0,
. .'i:a9633
. 148/998
:718#&3l
PROVINCIAL.
.........3:228,^70.')
.Movmcnlo (Jo Porto
.Vario entrado no dia 5.
:adiz ; 33 das, escuna ingina Diadem, de 140 tonela-
das, capitao John lllnel, equipagem 9, carga sal; a
ordrin.
Navios sabidos no mesmo dia.
franceza La Triomphan-
.Anhia e Ro-de-Janeiro ; corveta fra
Ri le, commandante Sachet.
e i-de-Janeiro ou outro qualquer
porto do imperio ;
me. euna hiRleza Diadem, 'capitao John lllnel, carga a
suia aue liouxe de CailW.
Para o Rio-do-Janoiro seguoviagem, com mui-
ta brevidade .1 escuna nacional Cvrlota, por ter 1
parle desna carga engajada : para 0 restante es-|
'eravos e passageiros trata-so com l.uiz Jos de Sa
Arat.jo na ra da Cruz, 11. 2G. ou com o capitao,
Domingos Antonio do Azovedo,a bordo.
Para o Rio-de-Janciro pretende seguir com
brevidade o tirigue Mercantil, por ter parle de sen
carregamenlo promptn : quem no mesmo quizer car-
regar, embarcar esclavos ou ir de passagem para
o que tem excellentes commodos dirija-se aos con-
signatarios, Amorim Irnios.
Par o Rio-de-Janeiro o brigue brasileiro IHiner-
Wt sabe na aeguinto semana: recebe Iguma carga
miuila eescravos a frote : trata-sc com o consigna-
rio, Mauoel Ignacio de Oliveira, na ra da Cadeia, ou
com o capitao, l.uiz Martina da Cosa, a bordo.
O patacho poituguez Kestauracdo parte impre-
tprivelmcnte para a cidade do Porto, no dia 8 do
concille ; leu. a inaior parle de seu carregamento
prompta: para o reatante da carga e passageiros,
para o que tem excellentes commodos trata-se com
0 capilflo, Jos da Oliveira Faneco ou com o con-
signatario, Firmino Jos Flix da Rosa, na ra do
Trapiche, n. 44.
Para os porlosdo sul ou norle carrega a barca-
ca Aurora-Feliz de 40 toneladas con. commodos
para 3 ou 4 passageiros : quem na mesma quizer
carrcgar.ou ir de passagem, dirija-se a bordo, no
Forte-do-Mattos a tratar com o mestre, Ignacio
Vicente Ferreira Mondes 011 com o consignatario ,
Joaqu.m Francisco de Alm, no mesmo lugar.
Quem liver conlas contra a galera americana
Goleando, quclra a presenta-las al odia 8 do cor-
rente, para sercm'pagas, no escriptorio dos Srs. llen-
ryForsterj C, consignatarios da mesma galera, e
depois deste dia marcado ficaiflo de nenhum ell'eilo
todas aquellas conlas que Ibes forera presentadas.
Para o Rio-de-Janeir segu, em poucos das,
o brigue Annmbro, forrado de cobre, e de primeira
marcha, por ter parte de seu carregamento quasi
prompta : quem quizer carregar, ou ir de passagem,
nara o nn lem e'Ceet'-'S hyiinirindiis.
diriia-se a
tamentirodo finado l.uiz Jos deSouza que haj
de entrega, o legado de 800,000 rs. que o dito tina-
do dcixou 1 Antonia Minia da Trimiade pois qui
elle dcixou dinheiro e nao licou deveniio e ha
anuos que Smc. desfrucla esse legado. J he tempe
de 0 entregar pobre mulher que para nao mor-
rerdefome anda vendendo vintens de carvao : di,^
contrario lera Smc. de ser jusligado assim como o |
Sr. Manoel de Souza GuimarHes o ]usticou por outro
legado e resultado ser o mesmo que leve o Sr.
Guimaraes que, lauto na primeira como 110 supe-
rior tribunal da Helac.no obleve sempre _sentones
contra Smc. que ua ve.dade tem sido mili remisso
em cumprir seus deveres, como tcstamenteiro da-
quelle finado. O encapotado.
'recisa-se de um pequeo para
caixeiro de urna das mais acreditadas ven-
das Cadeia do Rccife,J'o. a n 5o.
0 AUVOCAse^JO POVO N. 8
esl venda, em mnV.ue., distribuidores, o na loja
do Sr. Carneiro, ra Nova, n. 8
Antonio Joaquim Antunes, morador no Aler-
ro-da-Roa-Vista, padaria n. 66, avisa as pessoas que
liveren. penhores na sua nulo, os venhain tirar no
prazode lidias: seno, serao vendidos para seu pa-
gamento.
Madama Theard embarca para Rabia a eserava
Francisca, comprada por ordem da Sr*. Joanna Col-
tilde Cnuprut.
-Jos de Mello Albuquerque Montenegro, faz sci-
cntc que despedio o no da 4 do corrente o seu cai-
xeiro Antonio Joaquim Pacheco Bastos, do cstabele-
c.uentode Manoel Joaquim oncalves e Silva, de
que he gerente.
Olfereco-se urna mulher para ama de casa de
pouca familia, o tambera engommados: quem qui-
zer dirija-se a ra de Agoas-Verdes, n. 35.
__M.n-.iii'l Joaquim Machado Guimaraes faz publi-
co que dcixou, desde o dia 4 do corrente, de sor
aprendiz na lenda de alfaiate do Sr. Joao das Neves,
por assim exigirem seus ulereases, e mesmo por nao
ter trato algum como mesmo Noves : e para pre-
venir qualquer um mo resultado faz o pre-
sente
A possoa que tiver urna morada de casa terrea,
ueste bairro [de S-Antonio que nio exceda de
1:000/000 de ris, e queira vender, dirija-se a casa
n. 4, nopaleo do 'Collegio, queahi achara com quem
tratar.
arr cu.., engenheirpi, com fUndlfao de ferro e
c. e ferrara, ludo#.i ponto grande, movido por
machinas de vanor^inontadas as casas novas 111
ra da Aurora em Santo-Amaro, avisam aos semi'fre-
guezes, e ao publico em geral, que tcem acabado dea-
promtar para vender varias machinas de vapor de bal-
xa e de alta pressao, e de diversos lamanhos : eslas ma-
chinas sao providas de bombas para supprir a caldelra
com agoa ja quenle, e com vlvulas com os seus arrau-
jos muito simples para regular a quantidade da mesma
agoa ; mas os anniincianics, longe de inculcaren! eslas
invriicdcs como suas, advertem que a primeira foi adop-
tada pelo celebreSavary em I98, c a segunda intenta-
da por llriiidlev j mais que cen anuos passados, e
ambas inlroduzidas nesta provincia em 1835 pelos n-
nnncianies na machina de vapor do e.iaenho Carauna
(o primeiro fabricado nesle imperio) o qual anda esla
em ellectiva operacao, e desde entao/se ha extrahido
peno de urna diizia dasnicsmas inucTiinas, felas nejta
rabr.ca, conlendo > ~f iparelhos,e connum.no
aproveitamenlo do 1 J0rcj por,anl0 impngir
isto agora comarfdTis-!^^ -ra impostura. 0. aiinun-
c.anijj) u-cm-lm a -:ii,^^^ ,,,, nr<)rillilr a0respeitavel
piiUTeo, que bao conseguid ulll ,ne|horamento de ua
p nena importancia, < veJrdadeirameiite novo nesle
.11, que he por mcio de jff,.a modificaciio da caldera
lira simples arranjoJ# canos e registos. aprovriur
logo superfluo do aspnl,1lnen para (ai ,nover a
lacliinade vapor semf lliais gasto dc combustivcl de-
ms do eogenlio ter gslnbo sua marcha : esta mullo til
nibraiira lem sidodhperinient.'ida coin bons rnn'/
s em os engenhos Tmpche e Jardlm. Esta fabrica es-
1 sempre sortida dc \
Mnendas de tambores aberlos para huchas dc ma-
eira, grandes e pequeas, coin seus pertences.
com aguilhes ac.inhados chamadas meias
is, de todos os lamanhos e'coin rodetes de ferro
cites, para agoa ou animis,
interas, todas de ferro, endependente, com a-
liagonaes de gaucho, invencao dos anuun-ian-
iuio approvadns pela sua fortdao e facildade
c desarmar.
Diques de ferro, cousa nova e muito approvads.
inhos c prensas de mandioca e Tornos defarinhl.
-os dc inao e arados dc Ierro,
'c sortimento de hronzes, aguilhes, chumacei-
afusos c mais perlences de engenho.
1 e rodetes de varios lamanhos.
bocea I crivos de fornalha.
Huchas para, carrosas, seria d'aco para serrarlas.
Iloli ueles, brt "i/.es e roldanas para navios.
Os nniiuiiclal itcs, pelos longos anuos de pralica nes-
le paiz, pelara rande capaeidade e commodos de seu
novo estabeleell nento, e pelo crescido numero e umita
experiencia O pe Ticia dos seus operarios e empregados,
ollereceui aoi'\rregue7.cs vantagens nao possuidas por
nenliuma unir \ ibrica neste imperio, e esto, portan.
I)
verdaderamentei
tar com a maor
de engenhara 01

\
'"'.Vi'Ju'os'a" em-|TiTrth3)ir e execu-
ptdao e perfei^ao quamuer obra
xhinsmo. \
FURTO.
rt. de (jratificica'o.
A pessJ1" e"> cilio poder se adiar um barril devi-
nho da man'a sajqeuinal, que um prelo furlou s 7
horas da manhSa^lo dia 4 do corronto da ports d*
alfandega, (nao sel Ihe tendo impedido o leva-ln^>r
pessoas que virara, Ipor julgarem ter sido vendido)
queira entrega-lo nlj. J.Tasso Jnior, seu legitimo
dono, o qual protesta de haver da pessoa que o liver,
o se nao.acensar todb o importe das fazendas que Ihe
leen, faltado:e por isao ofTercce 30#rs. de gratiicscSo
a quem Ihe ilescobriV e acia.car o comprador de tul
furto, com as compdjlentcs provas necessarias em
juizo.
Prelende-se sabeV se nesta provincia existe
Domingos Alves Rarboza da Silva, natural do Tan-
que-Julgado-de-Ponte-dc-l.iina em Portugal, H"10
de Antonio Alvos Rarboza ede Rosa Mara da Silva,
p nni chegado em novenibro de 1H48 S
MELHOR EXEMPLAR



AVISO IMPOHTANTE.
O nlmiin assignado, agente do Dr. Brandreth faz
srienteaorespmtavcl publico, que pelo hiato ame-
ricano Gil-Braa, vindo do Boston, entrado neste
huirlo, no mez do inaio, ha receido novo pro-
rimnnto de pilulas vegetaes do Brandreth. Es-
ias pilulas cujo autor basta para garantir sua excel-
Ii.iici;i, tomain-s milito rccommendaveis por sercm
mu mdica ni en te inteiramento iuniTensivn, poden-
do applcar-so at s criancas recem-nascidas: ul-
tlniiionto se teem ariplicado a urna .inflnidade de
molestias julgadas incuraveis, do cuja applicacilo
yo leeni tirado tfo felizes resultados, que parece cada
vez mais resolvido o problema de um remedio uni-
versal por isso o abaixo assignado deixa de Ihe fa-
zcr a apologa devida, por ser um medicamento lia
muitos annos conhecido, nSo s nesta provincia
como cm todo "O imperio ; tifio havendo mais a es-
perar do seu bom resultado. Venle-se na ra da
Cadeia-Velha, botica n. 61, do agente.
Vicente ot de Brilo.
Geomelria, geographia e francez.
Urna pessoa que atiesta a sua conducta, obtendo
approvacSo plena em todos os preparatorios ejul-
cando-se com a3 necessarjas hahilitacoes para ensi-
nar geometra geogrtfphia e francez propoe-se ,
haveniio numero suIHciente de estudantos dar
licOesdessas materias, n5o s um sua cana como na
de qua'lqucr particular ; por isso declara que tom a
destnela honra do ofiereder-se a quem de seu pres-
timose quizer ulilisar assim como a do scienlificar
ans Ilustres pas do familias que de outnbro em
diante osla disposto a aceitara alguns alumnos in-
ternos, menores de 14 annos, por urna diminuta
quantia. O annuneiante nilose eximir de concor-
rer para todo o progresso dos que frequentarem a
sua aula assim como prometi aos habilitados i"
Bcnmpanha-los cm seus exames na academia, cm-
pregando por isso os meios possives alim de nilo
soffrein pretericOes. Tambem adverte que ensillara
jra/i a qualquer ostudanto, que por pobresa nflo
ftussa absolutamente pagar a pequea mensalidade
ySipulada. Quem, portento, quizer obter melliores
I informacOcs a esse respeito queira fazer o favor de
Ldjrinir-ae a travessa das Cruzes, n. 4 primeiro
[andar.
fsse, fabricante de orgaos e realejos ,
no A trro-da-Boa-Vista n. ai,
tem para vendor um orgilocom lir ""es e de bom
tamauho, proprio para i groja por Co. do preco:
lamben) lem realejos com tambor e trombe. "> sem
ellos com a vantagom do seren msicas tonn. *-.-
las nopaiz ; concerta ditos instrumentos e pOe mar-
chas novas. Na mesma casa compram-se realejos
usados.
HOTEI.-COMMEBCIO.
Estoestnbelccimenlo, sito na ruada f.adoia da
freguezia de S.-Antonio na propriedade n. 13, adia-
se augmentado de commodos indopendenles e de-
centemente mobiliados para hospedes com fami-
lias e sem ellas, e para pessoas quo exijam meaos
tralamento. O segundo andar do referido es1 'deifo-
precisas comtnodiJ.:1.J'"a
a cp
para
cimento offoroeo as
bailes e partidas. A posici-da casa eift ?,?tucflO
fresca o aprasivel vista e enllocada uo"^6ntrir da
cidado, concorrerr a ser prororivela outros esta-
bclecimentos semelbanles. Os prcc,os sero mdicos,
em relajo as proporges que seolerecem.
NOVO PAO l)E_PB()VEN(;*^. ^
9
Xj Vende-st lodos os diai.
9 0 prop ciarlo da padaria o paitellarla francesa
do Atcrro-da-lloa-Vista, n. 50, desojando agradar
fiQ cada vez irais aos seus freguemos, resol veu ofl'ere- QfJ
pe cer-lhes mu pan quo se fabrica em l'rovenca por *^
(g um processo muilo ditt'erente do ordinario, c quo, -"y
exigindo Parlaba das melliores qualidaitcs, mere- /^
V ce a preferencia do publico, pela sua alvura,
i pureza e delicadeza de sua fabricaco.
9
0
tf
S se faro pes de 40, 80 e 1(30 rs., e ser fcil
conliec-los pela sua forma oblonga e elegante. k
Na mesma casa contina-se tambem a vender *r
AA bolinhos para cli dt todas as qualidados, c Um- Qfl
) bein a enfeitar bandejas ricas para bailes o sa-
@ ros. \
Quem quizer roupa encaminada com i>roinpt i-
dao e preco conunodo, diriji-s* ao pateo do Carino,
defronle do porlao de Sanla-Tlirreza, n. 23.
Alugain-se duas casas no sitio do C'ordeiro mar-
gen) do rio Capiba|'l">> com cxcelfenlea cOinniodos para
rande familia, colinda fra, estribara, coxeira, casa
ara criado, etc.: os pretenden tes (lirijain-se ao palco
do Cm uto n. 17, a tratar com Gabriel Antonio.
l, NAO'DESESPERIS.
V A PTHYSICA CUBA-SE COM O
Xaropedo bosque do I)r. Uotls.
A pnpularidade desto precioso remedio augmenta
diariamente: nos Estados-Unidos, ondo foi primei-
ramente introduzido, milhares de pessoas se levan-
taran do leito la morte depois de teron falbado
todos os esforcos mdicos ; e diariamente o publico
se cerlilicava ilas quasi n.'lagrosas curas do xarope
do bosque, e no Brasil onde apenas conta poucos
mezes de introduzido militas pessoas que ha anuos
soffriam graves enfermiilades teem sido restitui-
das ao gozo de perfeila sade. Como remedio eli-
caz, mesmo nos casos de antigs molestias pulmo-
nares, be osle o nico entre todas as medicinas;
nflo he remedio que sur vise s de momento a mo-
lestia eilojxe que ella depois contino cm seus es-
lrgos. He urna cura radical e retnove tanto a moles-
tia cmo os effeitos, restabelece os intestinos cm
estado perfeito de sade, excita nina aceflo salular
o systema circulare fortilica-o. Novaes & Compa-
nbia.os nicos agentes tiesta provincia,animados pe-
ta grandeexlraccilo que tem tidoo xarope do bosque,
asseguram ao publico tersetnpre o mais novo possi-
vel, viudo do deposito geral do Bio-do-J aneiro no
seu escriptorio ra do Trapiche n. 3i, e na roa da
Cadeladn Itecife, loja de mitidezas, n. 9. Gusta
5.500 rs. cada garrafa o em duza mais em coala.
l'ABIUCA DE PIANOS,
na ra do Quei/nado, u. i i.
Jnao Vignes tem grande sortimento de cordas e
f viamentos de piano de prhneira qualidade : tam-
bem concerta o alia pianos com toda a perfeicilo.
FURTO DE CAVALLOS
Fiirtaramdoengenlio Calende, fregue-
zia de Jahoatao, dous cavollos, um nos l-
timos dias do prximo passado mez de
agosto c outro no da a do corrente; cu-
jos signaos sSo os seguinles: o primeiro lie
de cor castanho-clara, dous pes calrados,
tima pequea estrella na testa, rabocorta-
do, e ferrado na p direita com i lettra -C-;
o segundo he tambem castanho ,porm um
potico escuro, e com o mesmo ferro n.i p
direita. Hoga-se, portanto, s autorida-
des competentes, e a qualqucr pessoa do
povo, que se os apprehender, Ievem-os ao
referido engenho_, que serao generosa-
mente recompensados.
lindos os dias da lei se ha de arrematar o enge-
nho denominado Goiabeira na freguezia de S.-Ama-
ro-Jaboato minio perlo desla cidade que apenas dis-
ta quatro legoas e ineia com safra criada achando-se
corrento c inoente com todos os seus pertences ne-
uessarios ; o qualollVnce multas vantagens a queni o
comprar : tudo se acba avaliado muilo em conta : quom
o pretender pode ir examiua-lo e para ver en valor
no cscripto que se achacm poder doporteiro do jui/.o,
Scrra-Grande f bem como uina casa terrea na mesma
povoacao avahada em 120/ rs.
Urna pessoa com pratica de escripta
commercial, e bonita lettra, propoe-se a
escrever as lioras vagas, nos domingos
e dia-s santos, comlimpeza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
pugio, no dia 30 de maio prximo passailo.
Marcos, de 26 anuos, preto, crinulo, ollirial de pe-
ilreiro, de estatura regular, SflCCO do corpo, rosto
comprido, boiCOS grossos, tem todos os denles da
fronte, com duas cicalrizes bem debaixo no pescuco,
ondese abotda ocolarinho da camisa, ecompouca
barba. Julga-se ter ido para o Bio-Kormoso em com-
panhia de una pedreiros que para esse lugar fram :
roga-se, portanto, a todas as autoridades ou pes-
soas que delle tiverein noticia, de o pegarem e leva-
rem-no na ra do Cahug, loja de mitidezas, n. 1
lt.de Guimares, que gralilicar.
FUNiiC \(") DR FERRO.
Na fabrica de M.e Callum & Companhia enge-
nheiros macbinistas e fundidores de ferro, na ra
do Brum, no Itecife, contina liavcr un grande sor-
timento de taixas para engenhos e moendas de can-
na, de todos os lmannos e dos modelos os mais
modernos o approvados. Na mesma fabrica conti-
nuam-sc a construir de encommeuda machinas de
vapor, rodas d'agoa, rodas dentadas e todos os mais
objectos de macbinismo, com a perfeicilo j conhe-
cida, por prego commodo.
M. Gallum & Companhia desejam chamar a atten-
co dos Srs. propietarios de engenhos as machinas
de vapor construidas na sua fabrica visto seren ol-
as de um modelo muito forte e seguro e todas as
pegas peifeilamenle adaptadas unas as outras, por
meio de tornos automticos, machinas de aplainar
forro,e outros apparelhos modernos: alm disto, as
machinas do sua construc^flo teem as vantagens se-
guines: possuein urna cisterna de ferro, onde a agoa
desuad.) para a caldeira se deposita por meio de una
llovida pela machina, e onde se acha aquen-
ipor superfluo antes de ser por meio da
ha de la introdu/.ida na caldeira, alim
'oa neila existente, pela indroduc-
h ^ orno he de costuine cm machinas
s]e assim produzir grande economa de
.-..mustive"
Alm da supradta economa de combustivel na
prodcelo de vapor, estas machinas possuem urna
modilicacSo nova das vlvulas por onde o vapor en-
tra e sabe do cylindro, pela qual a mesma quanli-
dade de vapor produz maior euoito do que as ma-
chinas do construcco mitiga augmentando assim
de una manoira, nao pequea, a economa do rom
biisiivi-i necessario para manter a machina em mo-
vimento.
As ditas machinas possuem tambem um appare-
Iho pelo qual a quantidade d'agoa itilroduzida na
caldeira se acha regulada automticamente com a
maior certeza pela machina mesma evitando dos-
is maneira o grande perigo que existe tas machi-
nas, onde por causa da mesquinha economa dos
fabricantes o fornecimento d'agoa para a caldeira
ha de ser regulado por miio de negros.
Estes csclurecimentns silo respetosamente ofre-
cidos aos Srs. propriotarios 4e engenhos, que anda
perseveran em o melhodo fraco, dispendioso e
insatisfactorio de moer rom aninWs, im dc\sa-
tisfaze-los que, no emprego destas machinas,\iio
exisleo menor motivo para receio nem de expn)-
so, nem de quebra nem de demasiado consunto
de combustivel ; e M. Callum & Companhia nilo
teem pequea satisfagiio em assegurar-lhes que pe-
la pericia dos seus administradores e officiaes, pela
perfeicilo dos seus instrumentse apparelhos e pe-
la abundancia c boa qualidade das suas materias
primas se acham habilitados para construirem ma-
chinas de vapor de todos os tamanlios c para todos
os lins ; assim como toda especie do macbinismo ,
com uina perfeicilo no inferior s obras das t/ielho-
res fabricas de Inglaterra e mui superior s geral-
menle importadas daquelle paiz.
No dia primeiro do corrente, pelas 10 ou 11 ho-
ras do dia, fu 11 a ram dous cortes de cassa de una
preta que osconduzia da loja da ra do Crespo para
a ra da Concordia: roga-se as pessoas a quem frtretn
ofl'erccidos de os apprehender, e entregar na ra do
Crespo, loja n, 5
S. IB. 1.
O tbesoureiro distribue os bilhetes para a recita
que deve ter lugar a 6 do corrente mez, no sal fio da
mesma sociedade, nos dias 3, \, J e C; senik) nos tros
primeiros dias, das 4 as C lloras da tarde, e no ulti-
mo das 9 as 12 horas da manhila : previne-se mais
aos Srs. socios que s pagam una mensalidade, o
que naquelles mesmos das e s mesillas horas, se
recebem as propostas para convidados aquella re-
cita, na casado primeiro secretario, ra, da Cruz,
n. 9.
Precisa-se de nina mulhcr de boa conducta ,
nacional ou cstraugeira para criada de urna casa
de pouca familia : na ra Nova, n. 25.
-- Na ra larga do Bosario,padaria ti. 48, d-se pilo
de vendagem com niclhor inlcresse que cm outra
qualquer liarle.
PrecisV-se de urna ama quo Icnba bem leite o
sejasadia: |iia ra do Bosario larga, n. 18, segundo
andar.
-- Bcrnarflo treSerqaeira Castro -Monteiro retira-
se para frailo imperio.
-- BeruartKi Jos Mpnteiro avisa ao respeitavel pu-
blico, que, porVjiaveroulro de igual nome de boje
cm diautese assViiar Bernardo de Serqueira Cas-
tro Mouteiro.
b
ta.
set
i..
Achou-seum bntiTo de ouro, no largo da Po-
lilla : quem forscu dono, dando os signies certos,
I lie ser entregue, na ra da l'raia, n. 20.
-- Olferece-.se urna mulhcr parda para ama de urna
casa de liomein soltciro ou rasado com pouca fa-
milia : na ra do Batigel, n. 17.
--Precisa-se de duas prelas para vendercni lou-
cavidrada pagando-se-lhes a vendagem: na ra do
Bangol, n. 17.
Aluga-so urna preta para o aervico d urna fa-
milia : quem a pretender, dirija-so a ra do Crespo,
ti. 15, primeiro andar.
Alugam-sepretas para vendoremazeite decarra-
palo: paga-se bem a vendagem na ra do Eogo, so-
brad n. 26.
Precisa-so de urna ama para urna casa estran-
gera de pouca familia, que entenda bem de engom-
mare fazer o mais necessario de una casa : adver-
te-so que nilo precisa cozinhar : na ra da Cruz, ar-
mazein n. 48.
Aluga-se urna casa com commodos suflirientes
para grande familia passar a testa ou annualmente,
emS.-Amaro, ao pe da fabrica: a tratar na ra
Nova n. 3.
F. Willenot embarca paraoBio-de-Janeiroo seu
escavo de nome Antonio.
Oabaixo assignado faz publico quo coinprou ao
Si Jos Fernn Jes Guimarilos o deposito de. Masti-
care caf, na ra liireita n. 54; (cando o dito vende-
dor obrigado a todas as transacQoes feitas por elle
ate esta data.
liento Altes da Cruz.
Dcsappareceti do engenho Molinotc, sito na
freguezia do Cabo, na noite 31 de agosto, um caval-
locomos signaes seguinles: cor preta, fazendo a
ultima muda, una estrella na testa, um pouco cam-
bado das peinas, um p calcado, (direto ou esquer-
do ) sendo o ferro um O no quarto esquerdo; por
isso roga-se a quem do dito cavallo soubcr ou tiver
noticias, dirija-se ra das Cruzes na venda de Do-
mingos da Silva Campos, para este avisar ao ahaixo
assignado, que sera recompensara
Francisco Paet llarreto Jnior.
Antonio Mauocl do Naseimento faz sciente ao
puqlico quesua mulher, Mara l.uzia llenriqueta
de Almeida deixuusua companhia desde marco do
torrente anno : por isso elle nflo se responsabilisa
por qualquer divida que a mesma possa fazer em no-
me de seu marido, visto como lie publico tal des-
apartamento.
Aluga-se um sobrado o sitio no lugar da So-
ledade : a tratar na ra da Aurora, u 58.
--Aluga-se urna casa na ra do Nogueira esqui-
na quevolta para S.-Jos, com commodos dar gran-
de familia, por ter sotiio, coziuha fra, quintal mu-
rado cacimba e portito : a tratar na pragu da In-
dependencia livraria ns. 6 e 8.
Aluga-se um sobrado de um andar e sotiio, com
commodos para familia silo na ruti de llortas ten-
do sabida para a ra de S.-Thereza : a tratar na ra
Cadeia-Velba n. 59.
-- Precisa-so alagar um preto que sirva para todo
o servido: na ra do Trapicho, casa n 8.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio, n. 1, e no Aterro-da-Boa -Vis-
ta loja n. 48, coiitinuam-se a tirar passaportes ,
tanto para dentro como para lora do imperio, as-
sim como despacham-se escravos : tudo com bre-
vidade.
Frccisa-se de pretaspara venderem pao pagando-
se-lhes a vendagem sendo sb responsabilidade de seus
fnlii.11- : na ra Direita, padaria n. 2ti.
Na ra d'Alegria, n. 11, precisa-se alugar uina es-
crava que estoja as circtimstaucias de bem fazer e
servico interno e externo de uina casa de familia.
Alugam-se dous sitios com muito boas acominoda-
ces um na campinha da Casa-Forte o outro na ra
da dila povoacao com coebeiras e cavallarices ; assim
como varias casas, de procos commodos para se pas-
sar a festa : a tratar na ra do Amorim, n. !5.
L'M FKITOR PABA ENGENHU.
Precisa-se de un l'orttigtiez de idade para feitor
de um engenho distante desla praca 12 legoas : na
travessa das Cruzes n. 8.
Itecebem-se escravos de ambos os
sexos parase venderem de commissao, con
a maior presteza possivel, olferecendo-se
(oda e qualquer garanta a respeito dos
mesmos; e a listada boa ou m vendaos
seus donos gratificarlo: na ruadas La-
rangeiras, n. 14,
segundo ailar.
Compras.
ENCONTRADO
Compram-se 3 ou 4 libras de ouro de lei ou
qualquerporeflo a 3,200 rs. n oitava : quem tiver
annuncie.
Compram-se escravos que sejam ollicias de enr-
pna, do 18 a 25 anuos a de boas figuras ; pagam-se
bem sendo de bons costumes e peritos no seu offi-
eio poissflo para urna encommenda do Bio-de-Ja-
neiro : na ra do Amorim, n. 35, a fallar com J. J.
Tasso Jnior.
Compra-se urna carroca com pipa para vender
agoa ,ejuntamente umboi : no pateo do Carmo ,
n. II, segundo andar.
Compram-se duas ou tres libras de ouro de lei,
nito excedendo de tres mil rs. a oitava : quem tiver
annuncie.
Compra-so um molequedo 12 a 14 annos de bo-
nita figura o que tenha boa conducta: no llolel-Coir.-
ncrcio
H-----i---------------------- I
Vendem-sc 3 mnlerole* muilo lindos, de II
nos; 4 escravos, sendo 2 cozuibeiros ; "';fr,n
de II minos; escravas mocas: na na Direita,
'-- Vcnde-se urna comino la de amarollo com pou-
co uso : na ra da Sonzala-Velha, n. 48.
Vende-se nina parda escura, mo-
ca, bonita esatlia, que coze cozinba cen-
gomma: na ra larga do Hozario, B-35,
na loja, se dir quem vende e o motivo.
-- Vendem-se 400 barricas vasias muito limP" e
promptas para assucar, sendo quasi todas *me/lJiJ"
as : na padaria de urna s porta, na prac *,nv"
Cruz : e se mandar botar aonde frem precisai.
--Vende-se urna barretina com chorflo mtiitoTrico,
para ollicial decavallaria de guarda nacional, e mais
alguns objectos de fardamento, ainda no servi-
dos : na ra Nova, n. 16 ------..
Vende-se um bonito moleque de nacao Angoia
com 18 annos : na ra Nova, n. 16
Charutos deputados*
deposito de charutos da ra larga do
Rozario n. ix aonde he coslume haverem
sempre os melliores charutos da Bihia,
acha-sc de novo sortido das melliores qua-
lidades, sendo os verdadeiros charutos de-
putados, fami-va, regala de San-Felix,
regalia de superior qualidade, non-plus-
ullra, os afamados regalos de Havana e
meia regalia, em caixinbas de 5oo: cousa
superior e por commodo preco.
Vendem-se diversas obras de ouro velho e de
prata : tudo sem leitio : na ra Direita n. 28.
Vende-se um cavallo ruco, novo muito gordo,
andador baixo at meio muito bem quasi a esqui-
par e que he bem eneascado : na ra de S.-Bita,
11. 91, a qualquer hora iln dia.
Santa-Cruz, padaria de urna
s porta.
Cafmoido o melhor possivel nesle genero, cm
grosso, e pelo mitido a 210 a libra, e G.400 a arroba;
nfio lem mistura alguma, e a vista faz f do que se
assevera. Na mesma padaria, continuadamente se
vende excedente pilo de forma antiga ; bolachas de
todos os tamaitos ; biscouto doce e falias : tudo
que he proprio tiestos estahelecimenlos.
BOLACHINHA REGALA.
\a padaria de urna s porta na praca da Santa-
Cruz, he aonde se fabrica a bolachinha de regalo,
por vezes annunciada, tanto doce, como agoada :
o sen preco he 320 rs. cada libra, sua qualidade e
bom gosto nflo he preciso exara-la:j he bem no-
torio, e se far toda a diligencia para augmentar
a fama que tem adquirido, e para isso empregar
sempre as melliores partes de sua composiclo, para
que, ainda havendo quem a emite, niloexceda ; po-
dendo asseverar que no contm parte alguma que
soja nociva, ainda mesmo em estado de molestia. Na
mesma padaria. e na esquina da ra do Collegio,
venda de Sobral, e na travessa da Madro-Deos, n. 13,
he s aonde so vendo.
Vendem-se duas moradas de casas terreas sen-
do urna de taipa e a outra .le lijlo sitas na cida-
de da Victoria ra da Paz annexas um a outra e
fazendo esquina para a ra do Fogo por preco com-
modo : na ra do Qucimudo, n 19.
Vende-se um sellim inglez em meio uso : na
ra Nova, n. 25.
Vende-so urna das melliores venda no bairro do
S.-Antonio a qual offerece boas vantagens ao com-
prador: quem pretender annuncie.
Vcndo-se, por preco commodo a qttarta par-
te da casa de sobrado de um andar n. 35, sita na
ra estreita do Hozario ; a tratar na ra do Cal-
deireiro, n. fi.
No Aterro-da-Boa-Vista
leironle da
Vendas.
- Vende-se doce de goiaba novo de r. cm arro-
ba a 800 rs.; manteiga ingleza superior a 800 rs ;
banha do porco a 400 rs.; caf moido a 160 rs. ;
dito em grilo, a 120 rs. ; aletria e macarro novo a
280 rs. ; toucinho de l.isha n 280 rs. : feijo novo ,
a 400 rs. a cuia ; arroz brauco a 400 rs. ; feijilo pre-
to novo a 400 rs. a cuia ; cevada nova a 100 rs. a
libra ; alpista a 960 rs. a cuia ; painco, a 610 re. ;
espermacetc de 6 em libra a 800 rs ; carnauba de
6, 7 e 9 em libra a 32o rs. ; bolachinha ingleza a
240 rs. ; milito e arroz com casca novo a 120 rs. a
cuia; queijos novos superiores, a 1,520 : no pateo
do Carmo, n. 17, na loja do sobrado de Gabriel An-
tonio. ^ .. m
' "--'Vend-so urna rica coTcba'de damasco verde,
por barato preco: na ra doQueimado, n. 17.
--Vendem-se ealugam-sc bixasdchamburguezas,
sag OO, gomma de araruta, covadiuha de l'rautja,
tapioca de MaranhSo, por precos rasoaveis : na ra
das Cruzes, n. 40.
-altiugj,
ha ebegado pelo ultimo navio francez um novo e
completo sortimento de calcado de todas as quali-
dades tanto para homem como para senhora me-
ninos e meninas ; polles de maaroquim e de couro
de lustro : bem como os bons sapatos do Araeaty ,
para homem : tudo por preco commodo.
Vende-se tima mtilatinha de 12 annos com
habilidades; 4 lindos moleques de t9 a 20 annos; t
negrinhn de 12 anuos muilo boa costtircira ; 2 pre-
tas de naciio, perfeilas eugommadeiras e cozinhei-
ras ; 4 ditas detodo o servico; preto de elegante
figura muito bem official de sapateiro; 4 ditos do
servico de campo; um dilo de meia idade; urna
arda com habilidades, por estar grvida de 2 me-
zes : lodos estes escravos se vendetn por preco com-
modo : no paleo da matriz de S.-Antonio, sobrado
n. 4.
\a loj j de Manoel Joaquim
Pascoal Ramos, no Passeio-
Publico, ii. 19,
vendem-se as seguinles fazeudas : pannos finos pre-
to a 3,000, 4,000, 4,500, 5,000 e 5,500 rs.; pecas
de madapolilo lino, a 3,200, 3,500, 4,000, 4,500, 5,000
le 5,500 's. ; chitas escuras a 140, 160 e 200 rs. o
covado ; ditas linas a 210, 260, 280 e 320 rs. ; man-
tas de seda a 12,000 rs. ; riscados francezes a 200
rs. o covado ; cortes de lila, a 2,500 rs. ; ditos do cas-
sa-chita a 2,000, 2,500, 3,000 e 4,500 rs. ; chales de
seda a 9,000 rs. ; ditos de ineliin, a 1,000 rs, ; pel-
le do diabo a 200 rs. o covado; castores de todas a
qualidades, a 200, 240 e 320; loncos de seda,
1,000 o 1,600 rs. ; cortes de collctes de gorguriio
preto a 4,500 rs. ; ditos de Instan a 1,000 rs
guillo lino, a 2,000 rs. a vara ; sarja preta a 2,00
e 2,500 rs. o covado ; cortes do casimira a 6,000i
hrim blanco de puro linlio a 1,800 rs ; dito pjrfdn,
a 1,600 rs ; ditos de cores a 1,000 e 1,500 rs/; chi-
tas decobertn a 200 rs. o covado ; chpeosle sol,
de seda preta a 5,500 o 6,400 rs. ; merino fino
3,500 rs. ; cassa lisa

3,o00 rs. ; cassa lisa a 360 rs. a vara ; chales de laa
aj,20O.e<500r.+- prcas-do plathi de^aTgoifao* i
4,000 rs. '
Vende-se una negra moca de bonita figura
que cosechara engomma, cozinha o diario de urna
casa e lava de varrella ; 10 novilhas mojadas, do ra-
Ca torina por preco commodo : o ra da Concor-
dia, passamlu u ponie, a primeira casa, a direita..
MUTILADO
.
i ''
1

"
6


^
Vende-se salsa parrillia, Je mullo
Wa qualidade, ltimamente eliegada do
Para : em casa de Kalkmenn & Rosen-
hihimI, ra da Cruz, n. 10.
Vendo-se urna escrava crioula de 30 e (untos
anuos, (juccozinha, faz doces, lava, coso com mui-
ta limpeza, Taz todo o arranio do una casa e engom-
ma ptimamente, e ao comprador se dir o motivo
por que su vende : na ra do Coilegio, venda da es-
quina, do Sr. Sobral, so dir quem vende.
Ha loja da ra do Crespo ao p do ar-
co deS -Antonio, n. 5 A,
le Ricardo Jos de Freitas Ribciro vendem-se cor-
tes de chita com 10 covados, muito linas o escuras,
pelo barato prego de 1,600 rs. ; ditos de cambraia
pintada a 2,000 rs. chapeos de crep para senho-
ora muito bem feitos e de bonitas cores, a
5,000 rs. ; cortes de cassa de barra, brancos e de
cores os mais bonitos que teem apparecido nesla
praga a 5,000 rs.; cortes de fustilo para collete a
500 rs. ; cassa de cores com palmos de largura n
240 rs. o covado ; um sorlimcnto do pannos finos
d todas as cores muito bous e baratos; e oulras
muitas fazendas linas.
Vende-se una secretaria moderna, coindous
gavetOes, e puxadores decryslal : na ra da Con-
cordia, n. 25, primeiro andar.
Vende-se, em casa de Kalkmann e
losenmund, ra da Cruz, n. io, espa-
das para olFiciacs, mullo ricas; asim co-
mo bridas de cavallo, de metal branco.
Vendem-se pegas de madapolo com 20 varas,
muito largo e muito forte a 2,800 rs. e a rctalho
140 c 160 rs. : chitas muito finas e de ramagens para
Caberla a 160 rs.: na ra do l'asseio, loja o. 17.
A 1/600 rs.
Bolachinha doararuta chegada ltimamente do
Rio-de-Janeiro, em latas de 6 em libra : vende-se
no caes da Alfundega armazem n. 1.
Vende-se urna porgfio de charutos forados, pti-
mos para seremcobertos de novamentc por preco
imito barato : na praga dn Roa-Vista, n. 15.
Noticias elementares da hoinnepailiia ou manual
do fatendeiro, do capito de navio e do pai de familia,
contendo a aejao de 24 principaei medicamenlos ho-
inuiopathicos, 1 rol. Urganon dn Ilalinrmann, ou ex-
posico dasdoutrinas lioino'opalhicas.
Vende-se na casa D. 1 da ra da Cruz, 2 o andar,
por cominodo preco.
Vendo-se cal virgem de Lisboa muito nova ,
para fabricar assucar : no armazem do Sr. Antonio
Aunes defronte do caes da Alfandcga.
Vendem-se botins eugraxados, a
.',') o o rs. ; sapatoes ditos, a 1,280 e 1,44
rs. ; ditos em branco, de diversos pre-
eos : na ra da Cadeia do recif'e, n. 9.
O dono deste estabeleciiurn(o,vendo-sc em cir-
cunstancias de I he ser precito relirar-se para a
Europa precisa primeiro pagar a scus credo-
ret, e para efleittiar este pagamento o mais
breve possivel, ollerecc alguin abatllenlo a
seus devedores quequizrrcm saldar suas con-
tas ; agglm como iini resolvido vender todas as
fazendas por dimiuulos prreos, a saber: pecas
de madapolao, a 2/ 2/000, 3/200, 3/500, 3/700.
3/000e 4/ rs. ; ditas de chita* escuras, linas e
entre-tinas, de cores lixas a 4/800, 5/, 5/500 ,
6/e 6/500 rs. ; ditas muito superiores, entran-
do algumas de coberla, a 7/ rs. a prca c a 100
rs. o covado ; alpaca, a 600 rs. ; lila larga, a 380
rs.; cazineta preta a 1/ri. ; los linos e gran-
des de linho, a 6/400 7/ e 7/500 rs. chales
grandes !.- garca a l/OO rs. ; ditos de chita a
800 rs. 1 vestidos de cambraia com bico e renda
de superior qualidade, a 3/rs maulas de cam-
braia para senliora, a I .; is. ; luvasde pellica,
seda e algodao, para hoiiieni, a 32U rs. ; pesco-
eiuliiis e golas de bonitos gustos, a 240 e 320 rs ;
bicos francezes, i11gle7.es e da trra c alguus de
de seda preta, a 120. 160,200, 240,320. 4(10 e 640
rs. ; lencos tos de umitas qualidades para noineni r se-
nliora a 180, 200, 240, 300, 320, 360. 400, 480 e
560 rs.; suspensorios a 40,120 e Hili rs. ; ditos
finos de borracha a 200, 240 e 260 rs. garca
de seda muito larga com llores dourailas a 240
rs. o covado ; cassa da India,a 400 c 480 rs. a va-
ra ; merino fino e entre-lino a I/S00 2j000 e
2/500 rs. ; pannos finos, a 3/800, 4/ c 4/500 rs. ;
e oulras muitas faieudasque nao se aununciain
por oceupar muito lugar as quaes se vendein
indas anda inesiuo com grande prejuizo s
alim de se acabar com o dito estabeleciinento ,
n qual tambem se vende no estado que sp aclia,
havendo queui o queira comprar ainda mes-
ino a praxo com lettras de tirinas que agrada-
ren! a seus credores.
Vendc-sn um sitio cm terras do Montciro na
estrada que vai do becco do Quiabo para o Arraial,
t> outra casinha com quintal arvoredos criados no
dito becco do Quiabo : o sitio tem bastantes e pti-
mos ps de larangeirai, jaqneiras, jambreiros e
dendezeiros, Ierra para plantarles baixa para ca-
pim cominodos para 2 a 3 vaccas de luitc, lugar
para borla boa agoade beber, com urna casa dn
tan a : a tratar com Jos Rodrigues de Mello na po-
voacSo do Monteiro ou com Jos Mariano do Albu-
querque no Recife, ra da IJniio.
Vende-se, para fra da provincia ou para al-
gum cngeiilio urna cscrava de 20 anuos, do boni-
ta figura, boa cngommadeira o cozinheira : na roa
Nova, 11.16.
\ Vende-se, 110 pateo do Carino, venda n. 1, mui-
to superior marinelada em latas pequenns, e muito
bom doce de giuja a 320 rs. a libra : vende-se s por-
gues voulade do comprador.
Vendo-se na ra da Aurora 11. 4, um jogo de
tambores antigos; rodetes ; uguilliOes ; o douscul-
d*irc*es*-ludo muito-uwratv -
M*
Cal
virg
em.
--Vende-se uina bonita parda de 25 annoa, que
engomma, cozinhae faz alguna docei por preco
commodo : na ra Imperial, 11. 39.
ACOA DETINGIR CABELLO.
Conlinua-so a vender agoa de Ungir cabellos e
suissas: na ra doQueimado, n. 31. O methodo de
applicara dita agoa acompanlia os vidros.
-- Vende-se una venda sita na estrada de S.-
Amaro, passando a ponte a dinheiro, ou a prazo
com lettras de boas firmas : a tratar na mesma,
n. 30.
Vendem-se 9 escravos, sendo : 3 bonitos mo-
lequesdo nagflo, de 18 a 20 anuos; 3 pretos bons
para lodo o servigo ; urna negrinha recolhida, de 13
annos, que cose muito bem, faz lavarinto e tem
principios de engommadn e decozinha; duas pre-
tas milito mocas para lodo o servigo : lia ra do Vi-
gario, n. 24, se dir quem vende.
Vende-so o sitio do Caldeireiro beira do rio ,
com casa grande de vivenda urna mei'agoa, co-
cheira estribara e quarto para pretos com grande
poco de agoa do beber, plantado de diversos arvo-
redos de fructoe baixa para capim : na ra do Vi-
gario, n. 19.
Vende-se muito boa manteiga inglcza, a 800
rs. a libra ; cha muito superior, a 2,000 e 2,400 rs. ;
superior vinhodc Lisboa ,a 200 e 240 rs. a garrafa;
azeito doce de Lisboa a 560 rs. a garrafa ; queijos
muito frescaes.a 1,800 rs. ; pastas muito novas
a 360 rs. a libra ; chourigas a 440 rs. ; paios muito
novos a 280 rs. ; cafe em grilo a 140 rs. a libra ;
familia de araruta a 320 rs. ; toiicinho de Lisboa,
a320rs ; dito de Santos, a 200 rs. : no Alerro-da-
Boa-Vista, venda 11. 54.
- Vendem-se aCQes da ex-
mela companhiade Pernambuco
e Parabiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
FARINHA DBTRIESTE.,
marca verdadeira sSSK, chegada ltimamente: vende-MH
em casa de N. O. Ilebcr & Compauhia, na ra da Cruz ,
u. 4.
Fazoada de al^odo para thoa1
tas.
chegada de Lisboa no correte mez de superior
qualidade, om barris do 4 arrobas, por prego com-
modo : r2 ras Ua Motf, armazem u. 1,
II,
Na loja de Guinariies & (.'., ra do Crespo, n 5, ven-
de-se a excedente fa/enda para toaihas de algodao,
trancado branco, com 8 palmos de largo, pelo barato
preco de 800 rs. a vara.
Vende-se cal virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n 17.
Vende-se, por preco commodo, multo superior sal
do Assu' : a tratar na ra da .Moda n. II, com Silva &
Grillo.
PRELO
a 3sooo rs. a sacca
nos armazem ns. 1 e 3 do caes da Mfandega, e no de n.
35 da ra do Auioriui, de J. J lasso Jnior,
Riscados monstros.
Vendem-se superiores riscados monstros, j bem co-
nhecidos tanto pela qualidadr como pela largura em
demasa, pelo barato preco de 280 rs. o covado. Estes
riscados sao chegados ltimamente: as cores sao lixas,
e os padrrs milito modernos e de bom gosto : na nova
loja da l-.siii'il.i da ra do Cullcgio, n. 1.
Alpaca alcochoada, a 800 rs. o covado,
vende-se, na toja que fa/. esquina para a ra do Colle-
gio 11. 5, de Giiimaraes S (Joinpanliia a nova alpaca
alcochoada viuda de Lisboa fazenda iiteiraineiite
nova nesta cidade preta c cor de cafe1, de 4 palmos de
largura, pelo barato preco de 800 rs. o covado.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barris de A
arrobas eliegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar com Almeida & Fonseca, na ra do Apollo.
A u'ooo rs. ,
ancorlas com azeitonas superiores : ven-
dein seno caes da Alfandcga armazem
n 7, de Francisco Dias Ferreira.
santigos riscados monstro.
Na loja de Guiuiares S C, ra do Crespo, vendem-se
os bem conhecidos riscados monstros de padroes muito
modernos, e qno teem quasi tuna vara de largo,pelo ba-
rato proco de 320 rs. cada un covado.
Vendem-se galoes- de o uro verda-
deiro, de todas as larguras, e innis barato
do que em outra qualquer parte : na na
larga do Rosario, n. ?4-
Vende-se cera He carnauba em poreao e a rcta-
lho de superior qualidade; queijos londrinos; talas
com I111l.ii liinlias de araruta muito novas a 1// rs. ;
latas com sardinhas ; ditas com 4 libras de marmelada ;
ditas com figos: todo por preco commodo : na ra da
CrutiDO Recife, 11. 40.
Vende-se arrozde casca; nielas ne algodao feitas
110 Porto ; cera do Itio : ludo por preco commodo: na
ra da Praia armazem 11. 37.
Vendem-se barris pequeos com cal virgem de Lis-
ba a mais nova que ha no mercado, por preco com-
modo : na ra da Moda ai 01,1/cni n. 17.
Vende-se urna casa terrea muito grande, sita na
roa da Mangtieira, na Itoa-Vista, 11. 11, comgrades com-
inodos, quintal muito grande e inultos arvoredos de fruc-
tos, por preco o mais rasoavel possivel: trata-se na ra
do Aragan, n. 27.
Cal virgem.
Vende-se barris com cal virgem viuda de Lisboa,
por prevo mais barato do que em outra qualquer parte:
na ra da Cadeia-Velha, armazem n. 12.
A 1/000 rs. CADA UM CHALE.
Na loja que faz esquina para a ra do Coilegio, n. 5 ,
vendein chales de tarlatana, grandes c de padroes es-
ruros pelo barato preco de mil rs. cada um.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores crtrles de meta casimiras els-
ticas de pura lia, pelo barato pirco de iglWX) < 3/000 rs.
o corte de caifa : na nova loja da estrella, da ra do
Coilegio, 11. 1.
CHA"HYSSON,
de ptima qualidade a 2/240 rs. a libra : na ra da
Croa no Recife armazem n. 13.
Vendem-se chapeos de palha, da
Italia, para senhoras e meninas, a 1,200
rs. j barretes de padre e gollas de diyer-
as fazendas ; bonetesprelos.de velludo,
a 960 rs. e de panno riscado a Go rs. ;
lencos de garca a 1,000 rs. ; ditos de gr-
vala a 1,000 rs. ; Iuvas dealgodao, de cu-
es, a qoo rs.opar; ditas de pellica, de se-
nliora, a l,ooors. e para bomem a 1,600
rs.; flores para enlejes de chapeos; bicos
do Porto, de 100 al 400 rs. a vara; ditos fi-
nos, francezes e inglezes ; galoes brancos
e amarellos, finos ; ditos ordinarios ; es-
piguillas e renda ; volantes largos e es-
treitos ; espelbos de paredea 1,000 rs
ditos de augmento a 800 rs. : ha loja de
quatro portas da ra do Gabug, n. 1 C ,
do Duarte.
Vendem-se queijos londrinos e presuntos para
fiambre chegados pelo ultimo navio de Liverpool ;
hervilhas proprias para sopa ; vassoras para varrer sa-
las : 00 armazem de Uavis & Compannia na ra da
Cruz, n. 7.
Potassa.
Vende-se muito superior potassa em
barriz/pequeos: na ra da Cadeia-Ve-
lha trrnazem de Bailar & Oliveira, n. ia.
Fustao para colletes.
Na ra do Livramento, n. 14, o melhor fustiio
branco que tem apparecido, e por barato preco.
--Vendem-se, na ra do Crespo, loja n. 11 o
seguintes livros : um Atlas de Simoncourt, por 10/
rs ; Cranimalica franceza, por Sevene, nova, por
5,000 rs. ; l'hilnsophia, porCousin nova, por 7,000
rs. ; jjlagnum Lexicn novo, por 6,000 rs. ; Tra-
tado da religiiio .novoeencadernado, por 5,000 rs. ;
e varios diccionarios portuguezes, francezes e in-
glezes por prego
car e comprar boas obras.
Para casaca branca

-s= uir
5oo rs.
o covado.
c a
ra
Na ra do Livramento, n. 14, vende-se fustilo
branco de superior qualidade com um pequeo to-
que de avaria de agoa doce, a 500 rs. o covado.
Vende-se um braco de balanca novo, do autor
Uoino proprio para armazem de assucar : na ra
do Trapiche, n. 44.
Vende-se farinha de mandioca ,
muito superior, por preco commodo : a
bordo da garopeira Santo-Amaro, fun-
deada no caes do Coilegio.
-- Vendem-se poldros o poldras ptimos para en-
genho : na travessa das Cruzes, n. 8, ou em Cara-
ba ciigcnho da comarca de Nazareth.
Vendem-se duas pretas una de 18 annos ,
outra do naco que he boa quitandeira : na
do Fogo, n 23.
Vende-se una cabra de boa figura : eo'S 1-
lidadcs ; urna cabrinha de 12 annos, coir 1a-
des pertencetitcs a urna pessoa que $ na
ra do Fogo, n. 23.
Vende-se urna preta crioula o
dia sem vicio algum que lava, cose el.
zinha o diario de urna casa : na ra da (.,,..
Reeife n. 53, lerceiro andar.
Vendem-se cadeiras, sofs, bancas de jogo,
ditas de mcio desala, consolos, do Jacaranda; ca-
deiras, sofas, bancas de jogo, ditas do meio de sala,
marquezas, de angico ; banquinhas de quatro ps,
commodas, camas, de amarollo ; cadeiras de oleoe
bancas de quatro ps : tudo do melhor gosto e mo-
derno, e por preco commodo : na Camba-do-Car-
niu, 11. 8, luja de marcenciro. Na mesma loja ven-
de-se junco da India em poreflo ou a retalio
Vende-se urna mulalinha de 12 a 14 anuos : na
ra da l'raia, n 32.
I,dura barata.
Na ra do Hangcl, loja do louca I). 17, cliegou
ha pouco da Babia um grande sorlimenlo de lou-
ca vidrada, por prego muito commodo, tanto em
porcQo como a relulho.
Vondem-se chapeos de copa alta de palha da
Italia pelo baratissho preco de 3,800 rs.: na ra
do LAucimado, loja de mindezas, n. 24<"
Vcndom-se 2 caixOes de chauos de pello de
lebre, da fabrica nacional do llio-de-Janeiro tanto
por atacado como em pequeas porces e mesmo a
retalho : na ra do Queimado, loja de chapeos, n. 38.
Vende-se um bonito candido : na ra estrel-
lado Itozario n. 21.
Vende-se urna preta de 20 annos, muito
boa cngommadeira e cozinheira ; urna
dita de 15 anuos, que coso muito bom;
urna parda escura de 35 anuos, que en-
gomma, cose e cozinha e he muito boa
lavadeira, tanto de sabo como de varrella ; um mo-
Icquo de 16 annos ; um dito de 18 annos; um prelo
muito forte, de 30 annos por 430,000 rs. c que lio
proprio para o campo; um pardo de 30 anuos, por
350,000 rs. ; um dito de cor escura com olllcio de
al filia le c que lie ptimo copeiroe tambem enleu-
do alguma cousa de manijo por ter pa tica disto o
ler muila vomade de continuar a embarcar ; e mais
alguns escravos que so mostrarlo aos prelendcntcs :
na ra das Larangeiras n. 14, segundo andar.
Vendem-se espadas plateadas, com roca e sem
ella o entre ellas algumas douradas, por prego
mais commodo do que em outra qualquer parto:
na ra Nova, 11. 25-
Vende-se una cscrava de uagSn que cozinha
bem o diario de uina casa ho de tueia idade o tem
boa conducta pelo barato prego de 250,000 rs.: na
ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 21.
-- Contina a vender-se leite de cabra : {no Atcr-
ro-da-oa-Visla, n. 75.
Vendem-se listas dos bilheles premiados na
primeira terga parlo da 18.' lotera do thealro pu-
blico : na praga da Independencia livraria ns. 6 e 8
Vcnde-se una escrava de 30 anuos, que co-
zinha bom lava e trata bem de meninos ; nila^em'
vicios e he sadia ; na ra larga do Rozariuy^ g
primeiro andar. f '
Vende-so urna preta recolhida iiiiiL, |nda, do
Hialinos, propria para mucama,por .sa!i/(. ueni co'ser
engoiumar, fazer lavarinto e marcar ; ifjna j,^a jj. j
annos, que engomma solrivel e cozI||nll 0 j,0
de urna casa; urna dita de 13 anuos, a t,, u i t. tj linda
que tem principios de engommar o co*/e|.. uma j^
do 25 anuos, quo tic boa quilandi\|ra jf, qUa| su
atiangaa boa conducta ; uma dita de 33 ,nnos que
CZSKSS S diafiu iii CiS5 C ae na ,ua .'ufM
dita de 25 annos, de nagao A'agolt| que cozinha,
i

vende ha ra c he de boa conducta u nsgri.
nha de II annos, muito linda, propria para se edu*
car ; doua nagros muito robuatoi, um proprio pai 1
cideirinha, aorsef muito alto e rsforcado : ni ruoi
Non, n. 21, primeiro andar.
*scrtvt)s Fgidos
iauo
c,*vl
-Fugio, de lardo do brlgue Serioro na mtnhaa do
da 5 dcjulho prximo passada .um escravo marinhel.
ro de nome Francisco de nacao launa ; representa tf r
30 a 35 annos ; lem na face esquerda um signal ; fa||,
muito descancada; levoil calcas e camisa azues cha-
peo de palha pintado de branco e o balde que (iuha de
trazer araco e7/rs. em cdulas: quem o pegar 1<
ve-oa jna da Moda n. 7, quesera bem recompensado
Fugio, no dia 31 do prximo passado, uma pre!
ta de 20 annos, de nago Angola, baixa e aecca-
tem as costas cicatrizadas e a orelha esquerda defei-
tuosa e cheia do calombos calcanhares rachados
falla muita espevitada: que a pegarleve-a ra | Trapicho-Novo, n.6, ou naSoledade, casa defronto
da padaria, quo ser bem gratificado.
Fugio, no dia3 do correjite, o criouio Termo-
zile, costuma mudar o nome para Antonio, de 22
annos de idade altura regular, secco do corpo
bem preto da cor, olhos muito vivos ponta de bar-
ba ; tom uma marca debaixo do queixo de uma que-
da que levou ; caigas pretas e camisa de algodSo;
veio ha pouco do lugar de Pesqueira : quem o pe
gar leve-o a praga da Boa-Vista n. 8, que ser re-
co ni pensado.
-- Fugiram, no dia 3 de agosto prximo passado
doengenho Pindoba, da freguezia de Ipojuca dous
escravos, sendo um cabra, de nomelzidoro, o urna
pida, denome Itila o primeiro de cor trigueira
altura regular, grosso do corpo queixo bastante
saliente a segunda do cor preta altura mnior quo
a ordinalia secca do corpo voz estrepitosa sabe
coser, engommar ecozinhar soTrivelmente : silo c,
sados : quem os pegar leve-osa seu senhor, L
reuo deSe AlbuquerqueJnior, ou ao enge
Cuararspss que sera gcicrc3ar.clG recompensar
do de SOU li a inllin.
Fugio, no dia-19 do prximo passado, da casi
de Manoel Ferreira da Silva llamos, um preto, ('
nome Domingos de nago Congo; he baixo. coi_
pouca barba fcio do rosto ; tem um calombiuho no
pescogo, ps rachados; levou camisa do algodnzi-
nho, caigas de estopa e chapeo de palha: quem o
pegar levo a ra do Coilegio, n. 15, 2. andar.
Fugio, ha um mez pouco mais ou menos a es-
crava Mara do Itozario do naglo que represen!
ter 50 annos; he alta bastante magra; temos ps
grossos de erisipela o os dedos dos ps sem millas;
tem a frente quasi branca, inormonte os cantos;
he bastante ladina ; suppOc-se estar na ilha de Ha-
marac em alguns dos engenhos da familia do fina-
do Kxm. barode Itamarac de onde ella perten-
ec! : quem a pegar leve-a a ra de Agoas-Verdes,
n. 20, quesera recompensado.
Fugio, do sitio que foi do Sr. Paulino Augusto
da Silva Freir na travessa da Casa-Forte para o
Arraial, um cscravo de nome Mauuino alto, ma-
gro desdentado', com o beigo inferior um tanto
cabido embigo bastante grande, ps grossos e com-
pridos de 40 annos para cima ; levou camisa e ce-
roulas de algod3ozinho e chapeo de palha. Este es-
clavo costumava occultar-ae nos arrabaldoj do en-
golillo l'aulista e Mussupinho, omlo j tem inora-
do. Itoga-seas autoridades pqciaes e capitSes do
campo que o apprehendam e levin-ht) ao dlio si-
tio 1 ou ao Sr. Caetano Peroira Guimarfles da Cunhi,
no /eu engenho Coqueiro, em S.-Anto quo sero
recompensados.
Desappareceu, na manh3a do dia 4 do corren-
te, urna preta crioula de nome Victoria, alta, cheia
do corpo, cara larga e descarnada com varias ci-
catrizes as costas que parecem ter sido de chicote;
tem fallas de dentes dos lados levou una Irona
de roupa com as seguintes pegas : um vestido de al-
godiio trangado de cor azul um dito de riscado
azul, um dito de dito encarnado camisas de al-
godaozinho, um panno da, 'Costa azul de listra,
urnas argolas grandes de ot/ro as orelhas; costuma
andar as vezes calgada ; Coi encontrada no bairro do
Recite, e dizcm ter sitio seduzida por um prelo, de
nome Pedro que tralSiilha as caixas de assucar,
quo se ignora ser forro ou escravo. Roga-so s au-
toridades policiacs e capitSes de campo, quo a p-
prchendain n leveiiiJini a ra de S.-Rita n. 77, qu
sent gratificados. Advcrle-ao /\m ningiiem llie
agazalho e quem o (izor ser ptinioNo com alei.
Acha-se fgida, desde o dia 29 do iwa^jjbro J
1847, a escrava Rosa Africana; levou vestido
chita rxo com raniagens amarcllas e flores ene r-
nadas haslante comprldo o de babados largos "a-
misa de algodio da Ierra. Esta escrava foi compra-
da 15 dias antes da sua fgida aoSr. Joao Frederico
de A liten llego que aflirma t-la comprado ao Sr.
coronel Agoslinlio liezerra da Muribeca por ondo
se suppOe andar fgida com o proprio nome de Ro-
sa ou llosaliua e lem os siguaes seguintes : re-
presenta do 30 a 40 anuos ; he baixa cheia do cor-
po poilos regulares cor bem preta feia do cara,
milus pequeas faltam-lho alguns dentes da frente;
lem os ps de urna crdifl'orcnte do mais corpo, por-
que estilo sempre a pellar, como quem padece da
molestia calor do ligado ; falla muito explicadamen-
le por isso parece crioula. Itoga-se as autoridades
policiaes o capil3es de campo a sua captura e remes-
sa a sua senliora Mara Simianna dos Itois na ra
do Mundo-Novo casa dctroulc da escuda do sobra-
do do Sr. Nicolao Rodrigues da Cunha a qual se-
nliora promelte dar a devida recompensa, assim
como usar dos uicios competentes contra quem a
tenlia occtllta.
Fugio, no dia primeiro do correte a preH
Clemeucia de altura regular cor fula ; levou ves-
tido do riscado do quadros de cor amarello esc"'
ro e roto nos puitos camisa do algodSozinho cm
bico as mangas e um lenco encarnado do seda ,
dizomlor audadado pela Cinco-Ponas : quem a pe-
gar leve-a a ra da Cruz, no Recffe, n. 28, que sera
recompensado.
Fugio, no dia 21 de dezembro do annopro-
-IfKj-jiassado o pardo Jacob (b>.tfr"nnos sBCC0
do corpo cabello uslirad(Z/fTe"nlTalla de um denle
na frutile algum> jnayfcas de bexigas; lem
costas a marca de um caustico; cousla estar em po-
der de um capitflo de campo morador em Capoeiras
de l'ao-do-Alho por uo querer o escravo dlar'T
a quem perlence o diier chamar-se Antonio.^ ga-seao mesmo queira onduzir a Jos Luiz fore-
ra morador na ra Novb, que gratificar.
-<-*...' -
MELHOR EXEMPLAF
..... '*:..:" '.' -':-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3L42V1DX_YUMRZW INGEST_TIME 2013-04-24T19:26:19Z PACKAGE AA00011611_06504
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES