Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06500


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\.\ uno
XXFV.
Srxlu.fiint I
i nm mi p'"1''" t0*uti"i* >
I |.rrf 4> M*f etgea j>*
BrJJl'i'ri P"'l.....rLaifanduaU*" '
i ,.,.,,.,. 11 lo a
"M^,. ...,. ntrlUbt. '" a* lf| W-
'. ureprlIrA* |...... I'I' I)"
^K',1,,,inrio*r |im Im'ne IWr*.
le, pnreadipublicaraV
VjjeajiM UM i Mi sKTT.uiiHo.
','' Ti a 13. 3 hora* e l. da man li.
Cm. a I, i 7 hor.. r :W ,, da ...
PARTIDA ItOf UORRr.KM
ilota* Parahlba, A* lf%%. *rta-4rir**.
Ii...f, la utir, |ulHlM-frlrai a iiiiiii ill.
Cali, SrriiiliAri * Macfto, un I a II r II dr oda mr,
<.i iilium r II.nula, a r TI
M-Vlau g KliKii, i |Sr 2
MrlnrU, Al <|iiliila-f>lrat.
Olluda, ludo* u dlai
PRKAMAR DE IIOJK.
I'i uiiiira, ai 7 liora e 42 uiinutui da mauta.
Brguuda, ai Hliuraie mlnulo da larde.
do Ncfcmhro ilc l|S
IV. I ti.
DAS DA MWa\MA,
la. K auoaliuliu Ah I iluJ .lu
i i| li.da I,da ,u ,i i \\ ,\, ,
R Irrr*. S Ail...... \ I da I da I. I
" 'lo i ili.i .1. ,
M iiinrin I Ka*, i il. I...... \i i ,|,. i.
Inc. 'Ii I \ >l I Ai |. ii Ui I di i di '
31 Ouliila. S U j s ni u iili Nnnalu. Anl da I
ilut ui|ili. ilu J. M il.i |. v.
I Si MI | Islilla. A lili llilj. ||.| iii .
ilii J. di' |i iiIh I ili.i .1.- i
1 Sabbadu. S. iMerao, Ainl. ilu J. do *,
v. e do J. de pi>. iln I dllt, dr l.
.1 DoiiiIbko. Noj Scnliiiti da l'inli.i,
CAMMOI v> l'U '' &I W08TU
'-. I.;. I m,.,|. ., >-, I i, I'mu |, itI.I
l'arluilli. l.Vii. | i h nii'u Nuin
.i I i .ii i I 'ii i. .i i ir di |n i mu '
Kiii-i|i'- I un iiu i
DrtB < I i. a di ;' i n Ni in nal ai......
ida i ihii|i di l i'Ui ii. i. i io p
lluro. II ni i.....s ;'..-un .. .('*.r.<>
Mui'-daidruVttlO v. I7.MW .i IN^jHI
drUrtlWu. Il>lii Ill^Uhi
de 4/000... '.#.VIU j 'l#1U>i
PmmPalacoe* brwilriroi i/0*> a -.'A>
Peto* 'ii!iiiiiiuiiu(. 2.#P3n .i '.'-iftKiii
Dito* UMlicaao...... IfJOO j IfJTm

DIARIO DE PERIVAMBUGO
PARTE OFFICVAl.
COVERN DA IM.OVINCIA.
KXI'KWKNTE DE il DE JUNHO.
Offlclo. Ao Sr. L-oiiiiri<,ndailor Manuel dcSiuu 'i"<,l-
rira cotedciido-lhe a rilepenia que pedir do cargo do
nniicli'iile da coinmUMO directora da caixa de economa
!. loceorru da provincia. Aoineou-e .10 coronel Jou
.M,sco deCliaby para aubilitulr o lugar vago ein cou-
m iiiinicU dina dcinlsio, e coiuiiiunicou-ie aun itmtii
iiiiiiibrodacoiiunUiio.
MU M DO DA 23.
iliieio. An couininndantc das arin.is. denticau-
V'* o (Ir liaver obtido pamagem para u drpoallo de rc-
r uua da provincia da Habla o i." cadrlr. 2." sargrnto do
4. I' ii.illi.iu de ai lilli.ii 1.1 a p, Francisco Caudillo Ro-
drigues. *
iiiin. Ao inspector da tlirsouraria de r.i/emla. orde-
nando, ein consequencla de represcutaeo do concelho
dr adininistrafo, mande orneccr ao inrsino concellio
il|iiiinlias de que elle precisar para occorrer i dcipc-
J^k sen cargo, nj anuo que est a Kuda'. Participou-
ao concelho de adininlstra(o.
Dito. Aojuiz relator da junta de juitica, transmil-
tiudo o proceso do toldado Manoel Paes Norberlb.

EXTERIOR.
AS CONSTITUigOKS FRANCKZAS.
Km iiiii dos uuincros do ri'meucontrnios o aeguin-
te artigo, transcripto do jornal francez La Libtrt :
Ein o numienio em que se prepara urna nova i mis -
tiluicao para a repblica francr/.a, julgamo convenien-
te informar iiossos leitores da pinrlaina, an e duracao
das prscedcoUlI cuiistltul;des franerzas.
a A cnnstituiciio de 3 de selenibro de 1791 ileclarou a
pessna ilo rei iuviolavel e sagrada ; enlretanto, 2 anuos
depois, islo he, a 21 de Janeiro de 1793, a cabeca de Luis
XVI foi cortada.
A conililuicao de 24 dejiinbo de 1793 ostituio a re-
publica, e conou o governo a 24 niembros : dous aunos
depois, porm, isto lie, a 22 de agosto de 1790, o gover-
no passou para as maos do directorio ; quatro aunos de-
pois. a 13 de dezembro de 1799, o directorio fbi substi-
tuido pelo consulado ; tres annos depois, a 4 de a<-ntn
de 1802, os cnsules eleitos pnr.-Hi annos proclamaram-
se cnsul vitalicios dous annos depois, a 18 de uiaio
de 1804. o consulado desappareceu dame do imperio,
a i-ti'ii,:<> do governo desvaneceu-se diante do prin-
cipio hereditario de/, annos depois, a 3de abril de 1814,
a queda do imperador foi proclamada.
A carta de 4 de junho do mesmo auno deelarou a
pessoa do rei iuviolavel c sagrada, e seus ministros, res-
poniaveis ; dciaseis annos depois, a 29 de jullio de 1830,
a responsabiiidade ministerial levou comtlgo a Beelo |da
iuviolabilidadc real.
A carta de 9 de agosto de 1830 repello urna declara-
{o seniclhante ; dexasete annos depois l.uizPhilippe,
expellido de Paris, e errando como vagabundo pela cos-
ta da Franca, foi ensinar a Inglaterra, nossa vUinlia,
ipial o valor e a duracao das consliluices. Permita
Dos que a constiluco de 1848 llm es. i forte e vigoro-
rosa I Perinitta Dos que ella tenha urna existencia, se
nao eterna, ao menos mais longa que a das prece-
dentes.
I'ltJECTO DE CONSTTTUICAO APItESENTAI.. A AS-
SFMBI.EA NACIONAL DE FHANCA l'F.I.A CO.MMIS-
SA ESPECIAL, PARA ESTEFIM MOMEADA.
declaraqaO nos direitos k ih'.vkhks.
Em presenta de Dos, e em nome do povo francez,
aassetnbla nacional proclama e decreta o seguinte:
Art, 1.* Os deveres do homem ein sociedado con-
sisten! no respeito conslilui(<1o, na obdicncia s
leis, na defenso da patria, no cumprimenio dos de-
veresde familia, e na pralica fraternal desla mxima.
Wu fufas a outrem aquillo que nao queresquefafam a
li. Faze aos oulrot ludo quanto quereriat que elles le
Jl'eisem.
Art. 2. A constituicao garante a todos os cida-
u3'i8. A liberdade, a igualdade, a seguranca.
a instrucQio, o trabalho, a propriodade,
o soccorro.
Art. 3. A libenlade consiste no direito de andar
cada um por onde quizer, no direito do reuniiio pa-
nuca n. desarmada j no direito de associar.ao ; no de
petieflo ; no de oxercr-r cada um o culto que por elle
fr adoptado; c no de manifestar seus pensamenlos
c opiniies pela mprunsa, ou de outro qalquer modo.
O exereiclo dcstes direilos s tem por limite os di-
reitose a liberdade do outrem ou a seguranza pu-
blica.
A'1.4. A igualdade consiste na oxclusSo de todo
o qualquer titulo e privilegio de nascimento d- clas-
e, ou casia ; em aeren lodos os cidadus igualmen-
te admissiveis aos empregos pblicos, sem outro
motivo de preferencia que n!io seja a virtude o o la-
lento; on participaren! todos igualmente dos en-
cargos o vantugens da sociednde.
ArL 5. A seguranca consiste na protecgiio pes-
soa, familia, ao domicilio, aos direitos e bens de
cada membro da suciedade.
Art. 6. O direito instrucc^o lio aquelle que todos
os cidudSos leen de receber gratuilamonle do estado
o "nsino proprio ao desenvolv ment de suas facul-
dads physicus, inoraos e intellecluaes.
! Art. 7. 0 direito do trabalho be aquelle que tem
todo o bomem de viver por meio de trabalho. A
r sociedade deve, pelos moios productivos e geraes de
que dispon, o que serSoorgunisados ulteriormente,
" Itrrnecer irriballio iros Ifoniem valhlos Quo irirrj-pD*
dci ein adiar de outio modo.
)
Arl. 8. A propriedade consiste no direito de gozar
e dispni rada um do leus beni, de aua fortuna, do*
fructoa de seu trabalho, de aua inlelligoncia e in-
dustria.
Arl. 9. 0 direito ko soccorro be aquelle que os mo-
llino* desamparados,o*enfermo* o o* voltios tcetn do
receber du estado meios de *ub*iteneia
CO.NSTITCIC.lO.
i.il'in i.ii I.
fa $obtrania do povo.
Arl. to. A Franca be una repblica democrtica,
urna e indivisivcl.
Art. II. A ropublica franceza ton por dogma i a
liberdade, a igualdade, a l'rateruidadu.
Art. 12. A soberania reside na univeraidade dos
cidadiios fiancoze*. Ella lio inalionavel e itupres-
critivel. Nciihum individuo, iienhuina fracclo do
povo podo arrogar a si o seu exercicio.
Art. 13. Todos os poderes publico, quaesquer que
seja ni, e na na mi do povo. Ellos nao poderSo sor
delegados hereditariamente.
Art. 1*. A separar/So dos podares lie a piinieira
condicuodo um governo livru.
CAPITULO II.
Do poder legi$lalivo.
Acl. 15. O povo francez deloga o poder legislativo
a urna assemblu nica.
Art. 16. A cleiciio desta assemblca lora por base u
populacTo.
Art. 7. O numero tolal dos representantes do po-
vo sera de 750, comprebendidos os represonlanles da
Algeria eos dss colonias francezas.
Art. 18. Este numero se elevar u nove ceios us
assemblas que frem chamadas a rever u constitui-
cHo.
Art. 19. O stilfragioser directo o universal.
Art. 20. Ser.lo oloitores todos os Francezes de ilu-
de de 21 annos, c no gozo de seus direilos civis e po-
lticos.
Art. 21. Serilo eiegiveis, sem condiQo de censo
n.'ui domicilio, todos osFrancezes de idade de 25 an-
nos o no gozo de seus direilos civis o polticos.
Art. 22. Nao serflo eleitoros nem olegiveis: pri-
meiro, os fallidos lulo rehabilitados; segundo, os
condemnados quera penas allliclivas ou infamantes,
qur a peos correccionties, porfactos reprovados
confianca, e attontado contra os bous .'ostumes.
Art. 23 A leieleitoral designara os funccionarios
quo nlo podero ser eleitos nos lugares em que ex-
ercem suas funeces.
Art. 24. O escrutinio sera secreto.
Art. 25. A eleiQSo dos representantes ser feita
por departa montos, no lugar principal dos mesmos,
e por escrutinio de lista.
Art. 26. A ussembla nacional he quo verihea os
poderes do seus membros, e decido da validado das
oleoSet,
Art. 27. Ella ser eleita por tres anuos, e so reno-
var integralmente.
Art. '28. Ella ser permanente. Todava podera
adar-sc pelo termo que lixar, 0 qual comludo tifio
podera exceder de tres mezes.
Art. 29. Os representantes poderfio sempre ser
reeleitos.
Art. 30. Os membros da assembls nacional so
representantes, n.o do departamento queoselege,
mus de toda a Franca.
Art. 34. Elles nao podero receber neiihum man-
dato imperativo.
Arl. 32. Os representantes do povo silo inviolaveis.
Elles nlo poderao ser procossados, nem acusados,
nem julgados em lempo algum pelas opinies que
emilirem no recinto da assembla nacional.
Arl. 33. Nilo poderao sor presos nem contra ellos
se podera proceder em materia criminal, sem per-
missao da assembla, excepto em flagranto delicio.
Art. 3*. S3o incompativeis com o mandato legisla-
tivo todos os empregos, cu jos servcnluai ios pod-
rom ser demitlidos a arbitrio.
Art. 35. Neiihum membro da assembla nacional
podei durante a legislatura, ser nomeado ou prvi-
do a empregos cujos serventuarios frem escolhi-
dos a arbitrio pelo poder executivo.
Art. 36. Os mombros da assembla nacional que
oxercercm empregos pblicos scrio nolles substitui-
dos, deixando de receber o respectivo ordenado, om-
quanto durar o mandato legislativo.
Arl. 37. SSo isentos das disposicocs dos artgos 34,
35 o 36: primeiro, os ministros; segundo,
os secretarios de estado; lerceiro, o procurador
geral do tribunal do cassacSo; quarto, o procu-
rador geral do tribunal de appcllac.3o de Pars ;
quinto, o muir de Paris; sexlo, o prefelo de po-
lica ; stimo, o coininaiulaule da guarda nacio-
nal de Paris, o os funccionaiios que frem 'desigua-
dos por lei.
Art. 38. Cada representante do povo receber um
subsidio, o qual n.o poder renunciar
Arl. 39. As scssOes da assembla ser.lo publicas.
Podera, todava, a assembla funccionar secreta-
mente a requermento do numero de representantes
lixado pelo regulamento.
Ait. 40. A assembla faz leis o decrotos. Os de-
cretos s terSo porobjecto os interesses lcaos e pri-
vados. Para a validado do voto das leis he neces-
saria a presenca da melado e mais um dos membros
da assembla. O regulamento determinar o nu-
mero dos membros necessarios para o voto dos de-
cretos.
Art 4t. Nenhum projecto do le ou de decreto,
salvo o caso de urgencia, ser votado dhn.tivamen-
Ve'sena -dVpoIsme titrs Iciluras com- intervalles-d*
dez diaspelo menos.
I Art. 42. Toda a moc.lo de urgencia ser precedida
do urtiH i'xposicflo do motivo. A propoila era ro-
| mullida em conliueule as dilTereole* serr;Qns. Urna
commi*sflo nomeada polas MCQe* dar o *ou pare-
cer sobre a urgencia nenente. Se a attomblca ap-
provar a urgencia, as*im o declarar, e llxar imme-
diatamenlo o momento da discusino. Se rejeilar,
porm, a- urgencia, o projecto seguir o curso das
pmpostas orainirlif,
. A lili I" III.
Do poihrtxevudi'i.
Alt. 43. O povol'runcez deb'gu o poder oxecutivo
em um cidado, o qual recebla o titulo de preside li-
le da repblica.
Art. 44. Para ser eleito presidente lio nocossario
sor Franco/, por nascimenlo, o ter, pelo meios, tri-
la annos do idade.
Arl. 45. O prcsideulo sor ololo pelo suffragio di-
recto e universal jior escrutinio secreto o pela
nuiorll absoluta tos voluntes.
Art. 46. As acias da elelcoeaserilo tranimitlida
iiinnedilamenlo u assembla nacional a qual rosol-
vnr sem llilatjCo acerca da validado da cetelo, e
proclamar o prcsidnnlu ta repblica. Se uonliiini
candidato obliver mus d'auolude ilos sulrugios ex-
pressos, a assembla nacional ulegera o presidento
da repblica, minora absoluta e por cscnilinn
secreto, dentro os cinco candidatos quetiverein ob-
tido muior numero de votos.
Arl. 47. (I presidente da ropublica ser olcitn por
qiiulro anuos, u nao poder ser leelelo seno de-
pois de um intci vallo do qualru anuos.
Art. 48. Ello lera por cargo vigiar eassogurar u
execueo das leis.
Art. 49. hispoe da frca armada nlo podendo
nunca commantla-la pi'ssoalmciilc.
Arl. 50. Nfio poder ceder nouhuma poreao do
territorio, nem dissolver o corpu legislativo, nem
upendprdr- manoira alguma 0 imperio di consttui-
c.'.h o das leis.
Art. 51. Todos os annos dever lazer, por meto de
urna mcusagcm, assembla nacinnal a exposicodo
esludo geral dp negocios da repblica.
Arl. 52.< l'aRocia os tratados. Nenhum tratado
be deli Ali"oates de sor examinado e ratificado pela
a iiaei'inal.
mas nao

nomeado por qtialio anuos pela ataenihlea nafloj
nal, iib proposia i|ii.! lar oproaidenle lio iium -e-
guiulo m de sun eoiQflo. Em caso de imped
lo to presidoulo, o vice-pioi.leiile o ubaliluii i e ex
ercora os sous potlOros. --- So a presidencia ficar
vacante por mora ou demlsallo do preaidonle, ou do
outro qualquer modo, proced i-s.h i. le mu
iiie/, a awlglo da mu novo prcwhlonte.
Cnlilinuill-: /.il. i
.....
aaBkHU
1)1.111 III
'l n
i
1114 3 B no.'
aEOira;, 30 di agosto de imas.
"i'oif o direito do agraciar
iaBer^,86"!! sb probosta do ministro da
de
da
nacio-
orde-
repu-
ussemb,
Art%
poder
lado.
Art. 54. Promulga as leis em nome do povo fran-
cez.
Arl. 55. As leis de urgencia ser3o promulgadas
dentro de dous das, e as outras dentro do oito, o
contar daquelle em que ella for tiansmillida pelo
presidente da assembla ao presidente da repblica.
Arl 56. Nos casos em que o presidente da ropu-
blica tiver objcccOos graves conlra um projecto de
lei, ou decreto adoptado pela assembla nacional
podor, uoprazo lixado para a proinulgac.lo, lians-
intlir ussembla nina mensagem em que exponha
suas objeccOes, epeca una nova deliberacilo. A
assembla deliberar, e sua resoluefio sera entilo
definitiva; ella ser Iransmiltida ao presidente
ta repblica e sua proinulgacno lera lugar no
eia/.o lixudo para as leis e decretos de urgencia.
Art. 57. Seo presidente da repblica nao promul-
gar as leis nos prazos dos artgos precedentes, la-lo-
ba o presidente da assembla nacional.
Art. 58. o presidente recbeos enviados eemb-
xadores das potenciasestrangeras, acreditados junto
da repblica. .
Art. 59. Elle preside s solemnidades
naes
Art. 60. Tcr seis ceios mil rancos
nado anual mente, e alojameuto a cusa
tilica.
Art. 61. Itesidr na sJo do governo.
Art. 62 O presidente da repblica noma o do-
mltc os ministrosa seu arbitrio.-- Noma e deniit-
loem concelho dos ministros os agentes diplomti-
cos, os generaos o coinniaudanles militares da ar-
mada e do exercilo, os prefeitos, commandante su-
perior da guarda nacional do Sena, omarede Pars,
os governadores das colonias e da Algeria, o direc-
tor do banco do Franca, os procuradores geraes e
ontros funecionarios de nina ordem superior.
Noma o demitlo os agentes secundarios do governo,
sb proposta do ministro competente.
Arl 63. Tem o direito de suspender, por un ter-
mo que u.lo poder exceder do tres me/.es, os minees
Doulros agentes do poder executivo, eleitos pelos
oidadaos. Nao os poder diniittir, senno de ac-
cordo con o concelho de oslado. --- A lei determina-
ra os casos em que os agentes demitlidos poderao
ser deparados inelegivcis para as mesuras lunccocs.
--- Esta dcclaracfio de inelegibilidadc su poder ser
pronunciada por um jury.
Art. 64. O numero dos ministros e suas altriui-
r-esserflo lixadas pelo poder legislativo
Art 65. Osados do presidente da repblica, ex-
cepto aquellos pelos quacs elle noma e demitte os
ministros, s terKo effeilO, sendo referentlados ;i
um ministro.
Arl. 66. O presidente, os ministros, os agentes o
deposilarios daautoridade publica, -serflo responsa-
veis, esda um noque Iho diz respeito, por todas os
icios do governo e da administrac/io. Lina le c-
ternrinura os casos de responsabiiidade, us garantas
dos funecionarios, e o modo porque so proceder em
laes casos. _.
Arl 67. Os ministros lerflo entrada no seio da as-
sembla nacional, o serflo ouvidos todas as vezesquo
o pedir-cm..... ., '..'
Arl. 68. llavera um vice-presidenle da repblica
Autorisado pelo Exm. Sr. presiden le da provincia,
inserimos nejla pagina to Diario os dous ofUeios
que s. Etc. dirigi io Exm. Sr. ministro o secretario
do oslado dos negocios do imperio, a respeito das
eleicoeadoluie* do pan o vareadores, que deviam
deluivor lugar no da 7 de setombro do concille an
no, so os trabalhos preliminares ilcssus oloicocs t-
vessem sido efTcituados de confoiinidade t-oin i le
_ lllm. e Exm. Sr. -- Pela circular junl.i, que por
copia transmuto a V. F.xc. lera o governo imperial,
conhecimento do estado anarchico em que se aclia'iu
uestu provincia os trabalhos ta qualiflcacllo dos vo-
lantes, cujo processo antecede I eleiclto das cmaras
mumeipaes ojuizes de paz. Em dita circular osla
belece-sc algumas bypolheses ; e inorniacSes lonho,
posto quo nfloollicia'es, que comprelionde-se ni se
guuJa a mor parlo das freguwiasda provincia, islo
he, nellas chogou-se ao ponto em quo os aviaos do
18 de abril el deinuio do corrento auno manda-
ran) soiii'csUir ale dolniliva deoiaBu do-ieorpo legis-
lativo nos trabalhos das juntas do qualificncilo, For-
madas com eloitores da actual legislatura, o de cuja
legitimidad!', anda nflo tinba decidido n tainnri dos
deputados. Ou a assembla geral dovo resolve
quanto antes aquella questo, ou o governo impe-
rial tem nocossidatlo de dejiberur. se cumpre le.vo-
gar os mencionados avisos para observar-so no caso
subjeilo, e dando-so por millo o que se fe/., o que
awaa*W>*iaiOiriar< lUjuia itiiim,. <,.r.v.. iirr-viiliuii-
municipacs e juizes de paz, que tcem iU' l'uiiccionai-
no qualriennio seguinte, nflo potlorflo entrar em ex-
ercicio, nflo ja no da 7 de Janeiro prximo futuro,
...as nem ainda em qualquer dos mezesaubsequen-
les;oque, aggravando a desorili'm que ueste ramo
do servirlo publico se na geucrulisado na provincia,
talvez fa^a uascer reluctancias do faci do ser pceci
so obedecer poralgum lempo a autoridados que so-
rdo reput.'i.das incompetentes o sem jnrisiliccflo. F
como ludo deve seropporlunamento acautelado, jul
go de meu devei-solicilur do governo do S. M. I. pro-
videncias a respeito dcsle objeclo. Dos guarde u
V. Exc. Cidadc do Recifo de Pernaubueo, 7 de agos-
to do 1848 ~ lllm. o Exm. Sr. Jos Pedro Das do
CurvalllO. Antonio da Cusa l'inlo.
IIItu. Eira. Sr.Nflo leudo rocebido oflicialmen-
te, nem directa uoin indire clmenle, o aviso de 5 de
junho prximo passado, dirigido ao presidente da
provincia toS.-Paulo, viciain pelo vapor Impera/ni,
chegado no da 8 do corronle un porto desta cidadc.
Jornaet do Commercio, o no da i* dosobredito m.z
li o mencionado aviso, de cuja aulhcticidatlo nflo
tluvitlo. Quatro "das antes liavia eu expedido a
circular, quo companhou o mou ollicio, que dirig
a V. Exc. em data de 7 deste, oque nao retiro, para
que o governo imperial tenha Itleia do estado das
cousas tiesta provincia relativamente a eleicflo das
cmaras municipacs o juizes de paz. Vou, pois,
ordenar qu do referido aviso se cuuipram as.dis-
posicoessiM ns. 1, 2,3,4,5c9, c coitio em algu
mas freguezias podo acontecer que nao lique con-
cluida a qualilica^o mies do dia quo lejiho om
vista marcar pura so proceder, a elei^ao das cmaras
municipaes o juizes de paz, desojo que V. Exc. me
eominuniiue, se nellas, sejam om pequeo ou .Man-
do numero, uoderei mandar i|tio soconvoquem os
cidadfios qualilicados no auno antecedente, para
fazerema dita eleicflo. o que soogoverno imperial
resolveu que devia praticar-so ein algumas freguo-
eas da provincia de S.-Paulo, nflo vejo rasffO por
(|uo outro tanto so nflo possa fazor uesla provincia
o em maior numero do freguezias, se necessbrio Wr
expediente que me parece dever adoptar-se, par,.
(iue nflo deixein de tomar posse no da 7 do Janeiro
do anuo seguinte as novas cmaras municipaes,
ejuizesdo paz. O dia que para eleicflo del las ten-
ciouo marcar, so o procodiiucnlo que me prtiponho
seguir merecer approvacflo to governo de Sua
Magostado o Imperador, sera um dos priuieiros do
mezdeotilubro, ou mesmo do tic novembro pr-
ximos futuros, visto ser ja Impossivel que nesla
provincia possa ter logar a 7ileseleml.ro seguinte
aeleicodascauiarasmunicitaes o juizes de paz.
lieos guarde a-V. Exc. Cidude do Itecilo do Pernam-
buco 12 do agosto do 1S4- lllm. o Exm. Sr. Jos
Pedro las de Carvalbo -Antonio da Costa Pinta.
bale* dousdocumcnlos sao, ijuanlu a n*, reapoita
mais cabal que se pode dar foj-guiedei que se taem
fcilo S. Ex. no tocante ao'objcclu deque se elles upain.
Bala resposla era mais qu milito necessaria, poli que
se dirige a umear por ierra a,ual(iuer insinuaeo emu
me porventura se pretenda inculcar a cute incauta
MUTILADO



.
!

*j
ini- a adtninistraco da provincia se presta a clculos 3
manejo eleituraet, ijuando lie ccrlo que ella nada inais
quer scno dispr as cousas de modo que seja aqui man-
lida r ni (oda a sua plenitude a liberdadc do vol, garan-
tida aos cidados brasileiros na legislado do paii; quan-
do ella est disposla a envidar todos os meios que as
lel teeui posto sua dsposico, para que cssa liberda-
dc nao seja oll'endida, netn inclino de leve.
Entretanto declaramos desde ja, ainda aulorisado pe-
lo Enn. Sr. presidente, que ser esta a primeira e
uuica t que S. Ei. se resolver a mandar responder
a impreusa, nao porque a desprcze, porquanto, ao con
ti jrio, a tein ein tanta considerarlo, quanto he aquella
que costumain prestar es;a garanta dos governos li-
vres os boiucns verdadeirameute amantes do sistema
nonarchico-constitucional-representativo; mas, sim e
smente, porque, nimiamente dedicado aos negocios
administrativos, nao podra S. Ex. entrcgar-se ao cui-
dado de fazer baquear qualquer censura injusta que se
Ihe laucaste, tem que distrahisse quasl sempre sua at-
iene. dcsses negocios que, summamentc complicados,
a exigein no mals alio e subido grao.
PcIjs navios entrados hojc de Lisboa, recebemos tres
cartas dftnosso correspondente, escripias a 14, 19 e 23
de junio prximo lido, bem como alguns ejemplares
de diversos jornaes que se publican! nessa corte, os
ij ii.ii". alcaucain 22 do mez citado.
A uuica noticia digna de prompta publicarlo, com
qnc deparamos, tanto nos peridicos como nal cartas,
rol a da alteradlo liavida no gabinete portuguei, ein
cousequencia de ler sido nomeado ajudante-general do
comuiando cm chefe do exercilo o Sr. baro de Ourcin.
que oceupava a pasta da marinha ; alteracao tanto
manos seusivel marclia dos negocios pblicos, quanto
a sobredi la pasta lora interinamente Micarrpgadl un mi-
nistro dos negocios estrangeiros.
CONSULADO PROVINCIAL..
RENDIMENTO DO DA 31..........707/579
RENDIMENTO NO MEZ DE AGOSTO DE 1848.
Direitos de ezportagflo de 3 por cento
Dito de 5 por cenlo......
Taxa...........
Capatazia .........
Dcima dos predios urbanos .
Moia ciza..........
Passaportes de polica.....
Escravos despachados .' .
Novos e velhos direitos.....
Serraras ........
Fabricas de chapeos ....
Ditas de charutos.......
Casas de cambio.......
Fabrica de tabaco.......
Matricula do seminario.....
Multas..........
Juros...........
13:148,457
3:932,803
1:210,720
1:392,803
7:456,631
1:129,750
16,800
35,000
304,277
89,600
51,200
51,200
12,800
25,600
10,000
129,820
57,403
Mesa
1S4N,
do
29:055,021
consulado provincial, 31 de agosto de
O escrivflo da primeira secco,
Joo Ignacio da lego.
Moviiiicnto do Porto.
V Alt 112D.1DE.
PARA QUEM FOR CRDULO.
UM OVO JORAI
\ oltando o paquete Coriolano de Liverpool para Mova-
ork, adoeceu o carpinteiro do navio, e em breves das
inorreu. Tinha elle um lilho mui amavel que j o ia aju-
dando no seu ofticio, e que, segundo depois se vio, lie
3ueria com ternura mais que filial. Nunca fillio algiim
eu tanas provas de dr pela inoite de seu pai como
0 joven marinheiro americano. tVunca inais se quiz se-
parar do cadver Uaqueiie-que tanto amava, chorando
e solucando, e sem querer lomar o mnimo alimento.
Fieram-sr os arranjos necessarios para o enterro do de-
1 o uto, cujo cadver foi cozido n'uuiamortaiba com una
pedra de ariar, um machado e urna cucho, emblemas
do ollicio que ludia ejercitado, e ratou-se de dar-lhe
descanso eterno noseio do Ocano. Como o mancebo nao
quera por Turma uenbuma aparlar-se do cadver de
eu pai, fo forcoso que os manijo pegassem nelle i
lorca cmquanto oulros, ao som do canto fnebre do ca-
^'UgJlWMfpHjrMjyMrifAT^^Yp^tTiltfffllt'oM-
traordinario. Furioso e dtliranie, desembaracou-se da-
quelles que o relinhaiu,e,|semqUe elles Ihepodesseni ser
bons, precipilou-sc inmediatamente no* ondas, e nun-
ca inais ninguno o tornou a ver. Aconteceu uto em 59
graos de lalitude e79 de longiiude, segundo do diario
da \iagein constava, onde todas as circunstancias refe-
ridas eram descriptat com umita exactidao.
Paitado* lempos, vollou o Coriolano para Liverpool;
por.-m, estando em 63 graos de lalitude e 48 de longilu-
ur, 'lcraiii os uiaiiiilit-iros um enorme tubaro. Con-
duzido o monstio para dentro do navio comecou-se
aouvir dentro da barriga urna bul!.a extraordinaria.
Abriam-a logo, porm qual seria o espanto dos inari-
uheiros, quaudo de dentro do animal viram sahir o car-
pinteiro e o Mino c al a pedra de aliar, o machado ea
encb? A bulla que priiiielramentc se tinha ouvido era
do carpinteiro, que, apenas percebeu que eslava fra
d'agoa, coinecou a aliar o machado para ver se poda
sahir da barriga do animal. V-se por todas estas cir-
cumstaacia* que o carpinteiro nao tinha realmente mor-
nilo, mas que apenas tinha tdu um desmato, que o ha-
va fcilo reputar mor to .
.Vario intrads nn dia 31.
Lisboa ; 41 dias, brigue portuguez Noto- Vencedor, de
166 toneladas, capillo Antonio Jos dos Santos Lapa,
equipagem 13, carga viulio e inais gneros do paiz ;
ao capitao. I'assageiro, Francisco Jos Guimaraes,
Portuguez.
dem ; 39 Uias, patacho portuguez Liberdade, de 122 to-
neladas, capitn l/.idrn A\ res de Noli/a, equipagem 10,
carga vinho e mais gneros do paiz ; ao capitao.
Navioi $aliidos no rrtesmo dia.
Iloslon ; escuna americana Oulcsei, capitao \V. II. Coul-
n. id, carga couros e azeilede peixe.
Cabo-Verde ; brigue dinamarquez Edtrards, capilo Pa-
ter C, Moller, cm lastro.
Rio-Grande-do-Sul ; brigue brasileiro Norma, capitao
Joaquim Francisco da Silva, l'assageiros, o alferes do
quinto batalhao de cacadores Vicente de Paula llios
de Oliveira com sua senhora, o alferes do oilo bala-
lli.io de fuzileiros Luiz Antonio Favilla Filho, Antonio
Angelo do Rosario, brasileiros ; Antonio Gome* Cr-
rela, Francisco Correia de Mello, Antonio Carlos Fer-
rcira Soarcs, Jos Joaquim de Campos, Portuguezes;
e urna escrava a entregar.
Canal ; barca ingleza Paisenaer, capitao Tilomas Wal-
ker, carga assucar.
da 5 do prximo futuro mez, no lugar e horas ja de-
signados : ra do Azeite-de-Peixe, sobrado de dous
andares, n. 1 ; travessa de S. -Pedro, di lo dito n. i;
na de Santa-Thereza, dita n. 7; ra de S.-Jos, dita
n. 5; ruada Roda, ditas ns. 5e 7 ; ra do Sr. Rom
Jess das creoulas, dita n. 8 ; ra do Nogueira, dita
n. 17; ra atrs do Calabouco, dita n. 18; ra da
Viradlo, dita n. 19 ; ra da Mocda, sobrado de tres
andares, h, 31-; ra de Santa-Rita,casa terrea n. 32;
na da Calcada, ditas ns. 34,36 e 38; ra do Padre-
Floriano, ditas ns. 45 e 47; ra das Cinco-Ponas, dita
n. 70 ; ra de Fra-de-Portas, ditas ns. 70 o 73 ; rua
do Calabouco, casa terrea n. 2. AdministracSo goral
dos cstahelocimentos do caridade, 28 de agosto
de 1848.
Oescripturario,
Cavalcanle Cotuteiro.
ti llliu. Sr. coronel commandante das armas da
provincia, em cumprimento do disposto no artigo
22 do regulamenlo de 17 do fovereiro de 1832, man-
da fazer publico quono dia 11 do vindouromez de
setembro, as 10 horas da iiranh.l.i, ter lugar na
secretaria militar a arrcmatagflo dos medicamentos
precisos ao hospital regimenlal no correte anno,
em vista do formulan, paraesse lim organisado.
Os Srs. pharmaceuticos estabelecidos nesta capi-
tal, sao pelo presente convidados tomar parle em
dita arrematarlo.
Secretaria do commando das armas pa cidade do
Recife, 28 do agosto do 1848
Francisco Camello Pessoa d* Luetrda,
CapitSo secretario.
O Sr. p.idi o Juo Tavarcs ci Mello, despachado, por
decreto de 14 de junho ultimo, cape 11 fo para o se-
gundo batalh.lo dd fuzileirus apreseute-se quanto
Imites no coronel commandante das armas, para ob-
jeclo de servico.
Quartel do commando das armas na cidade do Re-
cife, 31 de agosto de 1848.
Joi Ignacio de Medeirot llega Monttiro,
Ajudante d'ordeus.
Acha-se na cadeia da capital urna mulata que
se diz ser escrava de Domingos'Josde Farias, mo-
rador em Cabacerias, provincia da Parahyba,a qual
tlizachar-so fgida ha 6 para 7 a unos, c passandocomo
forra: quem Mr seu legitimo dono comparecn nesta
auiuieiegacia, munido de documentos iegaus, pai a
Ihe ser entregue.
Subdelegacia du freguezia da Varzea, 27 de agos-
to do 1848.
O subdelegado.
Francisco Joaquim Hachado.
regar, embarcar escravos, ou ir de passagem n,r,
o que tem exccllentes commodos dirija-se aos con
signatarios, Amorim lrmflos.
Para o Rio-Grande-do-Norto sahir com brev
dade a barcaca Flor-dif-Mar: quem na niesina rTuW;
carregar, dirija-se a rua.da Cadoia do Recife, loja Jr
Joflo da Cunhu Magalbes.
Par o Rio-deJaneiro o brigue brasileiro Uiner.
va sabe na seguinU semana : recebe alguma carea
miuda e escravos a frote : tral-se com oconsitni.
rio, Manoel Ignacio de Oliveira, na rua da Cadoia n
com o capito, l.uiz Martins da Costa, a.bordo. '
--Para o Rio-de-Jaueiro segu, em poucos dias
o brigue Atom6ro, forrado de cobre o da priinoin
marcha, por ter parte de seu carregamento quasi
prompta: quem quizer carregar, ou ir de passagem
para oque tem escolenles oommodos dirija-se t
rua da Cadeia do Recife botica n. 61, a fallar com
Joao Jos Fernandos Maga I hiles.
Para Lisboa sali, com brevidade, por ter i
maior parte da carga prompta o brigue portuguez
Alaria-Jote, de que he capitao Manoel Joaquim dos
Santos: para o restante da carga e pussageiros, pa-
i o que tom mu i lo bons commodos dirijam-se ao
mesmo capitao ou aos seus consignatarios Fran-
cisco Severiano Rabello & Filho
O luigue-escuna nacional Oiinda segu para o
Rio-de-Jaueiro, no dia 3 de setembro, improterivel-
mente : roga-se aos Srs. passagoiros queiram rcnli-
sar as suas passagens na rua da Cadeia, n. 37 es-
criptorio de Machado & Pinheiro.
Para Angola segu, com a maior brevidade pos-
sivel, o brigue nacional Austral, forrado e pregado
de cobre; para carga ou passageiros,'entandaise com
o consignatario, na rua doCollegio, loja n.9. '
A barcaca Fetit-Desterro so propfie a receber car-
ga para qualquer um dos portos, sendo da Parahyba
at o Aracaty : as pessoas que pretendorom carregar
pdenlo dirigir-se ao Foi te-do-Mattos,a fallar com o
meslreAl.bino Jos dos Santos,ou a bordo da mes.ma
que achar com quem tratar. Na mesma sevendeni
saceos com farinha do mandioca, tendo cadu un-v
um alquuire raso por 2^4uu rs. t
Leilao.
EDITA L.
O l>r. Manoel do Rosario Tavares, caralheiro da or-
dem de Chritto. conego doutnrnl na e gario geral, juiz di.a casamento em todo o bispado
du Pernambuco pot S. Exc. Ilevm. etc.
Sa/le e paz em Jntus-Ckristo Notso Senltor.
Faco saber que Antonio I leu ruine MuRi.
dor na freguezia do Corpo-Santo f
(Extrahida.)
tOft)MtiCK>.
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO DIA 31..........3;40b>448
Descarregnm hoje, 1. de setembro.
llriguc Atsombro rap, fumo e barricas vasias. -
Galera Serafina mercadorias.
RENDIMENTO NO MEZ DE AGOSTO DE 1848.
Rendimento total................181 200 66
Restiluices................... 132*77
Liquido.............181:067,887
663
6
Direitos de consumo..............176:545
,619
Itcexporta$;ia de I por cento.
Baldeactlo..............
Expediente dos gneros do paiz, i por c .
Expediente dos gneros estrangeiros com
carta de guia, 5 por cenlo ........
Argiazcnagem de mercadorias.......
Dita de plvora.............
I'remio dos assignados............ 2-255 119
'UU?9 ------.,............ HMM
ivmolumentos de certidOes......... 9 840
30,300
/
73,319
288,285
1 689,653
67,500
que seja para casamento ; como seja de menor ida-
de o supplicante nao consenta e loquera mandado
para que os reverendos parochos nflo receba m em
matrimonio osupplicado sem sua expressa licenca.
Visto por mimo seu requerimento, mandei por mcu
despacho se passe caria circuLr para todos os rc-
verendos parochos do bispado a qual he da forma
seguinle :
Mando, debllxo de obediencia formal, u sb po-
na de responsabilidaJe, ao reverendo parodio da
freguezia de S.-Fr.-Pedro-Gongalves do Recife, o
lodos os mais deste bispado, que, sendo-lhe esta
apresentada indo por mim assiguada e sellada com
o sello deste bispado ou vaina sem sello ex causa,
11 So recebam nom contintam receber-se em ma-
trimonio Leobino Henrique Hafra sem expressa or-
den) deste juizo o assim o cumpram. Dada em Oiin-
da sb meu signal smente, aos 28 de agosto de
1848. Eou o padre Joaquim da AssumpQSo, escrivo
da cmara episcopal a subscrevi.
Padre Manoel do Roxario lavara.
Signal 100
Sello v. s.s. ex c. 140
Regislo 40
Desla 640
A ssumpedo.
Carta circular para o reverendo parodio do Cor-
po-Santo e todos os mais deste bispado a favor do
Amonio HenriqueMalra.
Registada no livro competente
M angun lio.
Para V. S. Itcvm. assgnar.
THKATKO NACIONAL
DA
BA l>A l'UAIA.
ABERTURA.
Domingo, 3 de setembro,
a beneficio do director Pedro Raplista de Santa Rosa le-
ra lugar o seguinle e variado espectculo :
iiepois de executada por grande orchestra a opljma
symphoniaCheval de Brome, repreientar-se-ba o lindo e
novo drama intitulado
Este drama tem sido elogiado inuilas vezes em diver-
sos jornaes de Lisboa, c por itso foi preferido pelo em-
prezario.
Po.j .gen, j.v.pjcsao arxinj, e actores,
ir^mtr -ar|os da Si|vJ1
--Ocapitlo James Durffe far leilao, em presen
doSr. cnsul dos Estados-Unidos d'America, por.
le vcucao do corretor Oliveira, e por conta o risco
quem pertoncor em um s lote do cerca de 35 ca.
xas de assucar, avariado d'ogoa salgada a bordo do
brigue americano Bairiet, arribado a esle porto com
agoa aberta nu sua recento viagem procedente do
da Babia com destino ao de Cowos : hoje, prime-
ro de setembro, s 10 horas da manha, noarma-
zem de Henry Forster & C, trapiche do Ramos.
Avisos diversos.
arcizo da Fopseca
Uanoel de Souio .
D. Joao ......
Antonio......
Genoveva.....
Henrinuela
Oeclaraces.
Rs.
O escrivSo da alfandega,
Jucome Gerardo Mara Lumachi lode Mel.
. CONSULADO GEKAL.
RENDIMENTO DO DIA 31.
Geral..............
Diversas provincial ...,,." ". 1 !
O arsenal de guerra compra sola do lustro para
capelladas ecoldresde cavallaria : quemo mesmo
genero quizer fornecor comparecer na sala da d i rec-
tora do mesm o arsenal, com sua proposla o a mo*
tra, no dia 1. (hoje;d selembro, prximo vindouro
Arsenal le guerra, 29 do agosto de 1848.
O Escripturario.
Francisco Serfico de Assit Carval/io.
- O arsenal de guerra compra azeite de carrapato,
dito de coco, fio de aJgoflo, velas de carnauba e
pavlos: quem dilos gneros quizer fornecer compa-
recer na sala da directora do mesmo arsenal com
sua proposla, no da 2 do provmo vindouro mez.
Arsenal de guerra, 30 do agosto de 1848.
Oescripturario,
Francisco Serfico de Assit Carvallw,
- O arsenal do guerra compra 14 cadeiras com
assenlo de paliuba, duas maiquczas com ditos as-
sen los e duas caldeiras de ferro estanhado: quem
dilos gneros quizer fornecer fornecer comparecer
na sala da directora do mesmo arsenal com sua pro-
posta, no dia 2 do setembro prximo vindouro.
Arsenal de guorra, 30 de agosto de 1848.
O escripturario,
Francisco Serfico di Assis Carralho.
-A admnistraco geral dos estabelecimentos de ca-
ndada manda fazer publico que, nflo >e leudo cllec-
1:306/9431 tuado boje a| arrematado da renda Jas casas abaixo
=== I declaradas, fOia IratjsutidadiU arfeuiatacflo para o
181:067,887
Jos M.niuiiino Cabral.
Antonio da Cunha.
Jos Alv es.
Fiel.
Bernardo.
Santa Roa (na graciosa v.-llia.
D. Josefa Candida.
Gelrudc.........D. Vicenca Ferreira.
O beneficiado esforcar-se-ha por bem desempenhara
parte de velha. que tornou asi, por ler merecido ap-
piausos do publico, sempre que ha apparecido em sce-
ua faiendosemelliante papel.
Os intci v.illos do drama serao preenchido* com bel
iissimas syinphnnias.
Sania Rosa, cerlo da benvola attencao que os seus
protectores sem prcitar-lhe, espera que elles aprecien!
devidameule, nao s a reprcsentaco do Indicado dra-
ma, com o desempenho das symphonia*.
A pedido de graude numero das pessoas que tem lo-
mado bilheies para o presente espectculo, em vez da
aria at aqui annuilciada, o beneficiado cantar
A treta Africana ou a quitandeira na Haba.
Pora lim a todo o divertimenlo a nova e mui graciosa
faifa que tem por titulo
O PRIMO K'lMIOFIA,
otl
Est*pa[*riio logrado.
O theatrinho estar decentemente ornado.
O camarotes acham-se divididos de aecrdo com o
ystema moderno, lito he, como o* do iheatro publico
que se est edificando.
A platea ofTerecc bastantes commodos, e est prepa-
r*,.com toda a decencia, por seren o* asientos de pa-
lhinba com encost*. Isto nao obstante, seu preco era
de 1#000 r*.
A* petsoas que tem encommendado camarotes pdem
mandar buscar seus carloes no ibeatro a qualquer hora
do dia ; pois que elles ahi e acham venda pelo* pre-
sos seguintes : l. e2.' ordem, 5/000 rs. frente, lantd
da I como da 2.1 ordem, 10/000 r.
Principiar as 8 '/, horas com a chegada das autori-
dades.
Avisos martimos.
SOCIEDADE NOVA-THALIA.
O primeiro secretario avisa aos Srs. socios, que
lia reuniflo extraordinaria a 6 horas da tarde hoje, i
de setembro.
Manoel do Souza Cont faz scienle ao publi-
co que a casa n. 33 na rua do Pilar em Fora-de-Por-
tas, pertencente ao Sr. Luiz Gomes de Figueretlo,
que, no Diario de Pernambuco de 31 de agosto, se v
annunciada para ser arrematada de renda, Ihe est
bypothecadu especialmente com direto de preferen-
cia a onlra qualquer divida; pelo que previne ao
publico que a nno nemaie, pois que tem a allo-
gar o seu direto, do queja est tractando,
Engomma-se roupa por preco commodo, sendo
camisas a 60 rs., calcas a 80 rs. c jaqueles a 80 rs.;
lambem se ensinam a engommar : havendo quem
quera mandar ensnar alguma escruva, dirija-se a
rua da Lapa, sobrado n. 13.
Paulo d'Amorim Salgado, proprielario doen-
genho Cocal, freguezia de Una, faz cicnle ao publi-
co em geral, que elle nada Heve possoa algu-
ma, e por isso qualquertransacclo que baja de apa-
recer he falsa, pois que negocio nonhum faz sem
ser a diiihciro. advertindo que existe urna lellra
aceita por elle a Jo5o Francisco dos Santos Siquef a,
da quantia de 2:000/000 ris da qual foratn pagos ao
dito Sr. Siqueiia 700/000 ris, e 1:300/1)00 ao Sr. dc-
sembargador Hastos, como consta dos recibos qua
exstem: e como dita lettra inda nflo lenlia sido en-
tregue, por isso declara estar sem vigor, e para
prevenir duvidag que possam apparecera respeito,
faz o prcs.enteaniiuncio.
A MENTIRA ,N. 8.
Est a venda na loja do Sr. Carneiro, rua Nova, ,
ein inflo dos distribuidores. ,T
Visto odesejoque tem o Sr. encapotado da
rua das Crtizes, desaber seo ex-sollidlador da f-
zcrida provincial, est do contas jnstascorn a mes-
ma. deve dorigr-se ao respectivo cartonio, e, a vis-
la dos autos, salieta o que tanto deseja,
--Precisa-so de ti m rapaz brasileiro, ou estran-
gero, para caizeiro de venda ,"quo tenha prattea
desto negocio em Fra-de-Portas, pateo do Pilar,
n. 12.
-- Na rua Direita, sobrado de um andar n. 33 ao
p de dous de varaudas douradas se fazem lioli-
nhos de diversas qualidades; preparam-se bande-
jas enfeitadas com ramos de confeilos flores e fi-
guras do mesmo bolo, com grande delicadeza -.lam-
bem se fazem pastis de nala de carne, arroz do
Icite, plo-do-l onfeitados com alfinnis doces|de
ovos de varias qualidaces, caslanhas confetadas,
doces seceos e de calda : tudo por muilo menos pre-
go do que em oulra qualquer parle.
A pessoa que annunriou querer quem Ihe lave
e engomme e juntamente lho faga ir comida diri-
1:273/311
33/632
Para o Rio-Grande-do-Sul sahir breve o brigue Ja"se,a. rua do Amorim, 11.26, no Foite-do-Mattos.
Norma, por ler prompta a maior parte da carga : inda, Alugam-se duas casas na rua Imperial. ns. 32e
34 com bastantes commodos para grande familia,
pelo prego do 8,330 rs. ; duas mei'agoas na travossa
do Vivoro, ns. I o 7, por 5,000 rs.; um primeiro an-
dar da casa da rua dos Quarlcis, n. ,, por 8f000 ,9 .
a tratar na rua do Crespo, n. 15, com Antonio da Cu-
nha Soarcs Guimarflcs.
--O abaizq assignado, tendo de seguir para a Babia
no primeiro vapor, declara que julga estar quite
nesta prava; porm,comtudo, se porventura hou-
yor alguma pessoa que se julgue sua cre.lora pode
ir ou mandar suas contas na rua Direita, n. 28, para
serem logo pagas : e como por falta de totnpo pola
sua repentina viagem, no possa pessoalmmite dea-
peilir-sedo todos os seus amigos, o faz por osle
meio, oereceHdo-lhos o seu diminuto prestimo na-
quella provincia. Manoel Antonio leixeira.
porm, pode receber alguma miuda, e tem bona com-
modos para passageiros c csciavo : quem pretender po-
de contratar com os consignatarios, Amorim Irmaos: rua
da Cadeia, n. 45
= Para a cidade do Porto partir, com a maior bre-
vidade poslvel. o patacho portuguez Restauraco ; tem
a maior parte de seu carregamento prompto: para o res-
to da carga e passageiros para o que offerece exceden-
tes commodo nata se com o consignatario, Finnino
Jos rejuda Rosa na ruado Trapiche, u. 44, ou com
o capitao Jos de Oliveira Faneca, ua praca do Cor-
po-Santo.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem, com mui-
ta brevidade, a.escuna nacional Curiosa, por ter
parte de sua carga engajada : para o restante es-
cravos e passageiros trata-se com Luiz Jos de S
Araujo, na rua da Cruz, n. 26 ou com o capitflo ,
Do mogos Antonio de Azevedo, a bordo.
. Para o Rio-de-Janeiro pretende seguir com
brevidade o brigue Mercantil, por ter parte de seu
carregamento prompto : quem uo mesmo quizer ca -
-- Aluga-se urna casa terrea na rua de S.-Kira,
n. 41, com dous quartos, cozuha separada, quin-
tal com portflo e cacimba : a tratar na rua de S,-
rraucisco, n. 30.

*W
MUTIL


m
je'J
Precsa-$o ile um homem ostrangeiro ou na-
cional que entonda de plantages para tomar con-
t de um-sitio, distante Jest praga legoa e mcia ,
Jando-se-lhe umescravo para trabalhar de mcias ,
/,n sitio ofTcrece muita vantagcm para todo o sor^
r*'Jo o tem ombarque e desembarque na porta : na
Vua do Civramcmo, D. 1*.
_0 abaixo assignado, como tutor dos orphflos Af-
fonso o Adolo, lilhos do fallecido Jos Mauricio de
Oiiveira Maciel, avisas todas as possoas a quom o
ronhecimonto desta chegar que no vendam enem
fontratem negocio algum coni os dousorphlos, sb
nena doear sem'effeito qualquer contrato que fa
i.ni os ditos ofphaos; e declara desde j q^ue con*
In0 nfionAdam contratar, torna-se nullo o que
eora he que se deu poreiia a quem lor oiiereciuo
estivor do posse, querendo restituir, dar-se-lhe-ha
quanuaqiie ttvoi bwhj r~- raes 0ua........
ecredo alciti de se car obrigado : levando-o no
elle nflo pdem contratar,
semelhante respoito se praticar.
Guilherme Patricio Bezerra pataleante.
Quem precisar de urna ama de leite.de muito
boa conducta e muito enrinhosa e cuidadosa diri-
ja-se a ra da Senzalla-Vellia loja n. 52.
Aluga-se urna prota que seja lu-l para vendor
na rus. pagando-se-llie 330 rs. por da o dando-se-
" lho de comer: na ruado rogo, sobrado n. 26.
~ Furtaram um par de brincos pequeos, de bri-
llantes, para menina, com tres ou quatro em cada
um sendo o furto foito ha dous para tres mezes -e
aeora he que se deu por elle : a quem for offerecido
a
agTda'praca da Boa-Vista principio da ruado
AragBo, n. 19, sogundo andar.
FABBICA DE FANOS,
na rua do Qtieirnado, n. 11.
Joio Vigncs tem grande sorlimcnto do cordas c
aviamentos de piano do primeira qualidade : tam-
hem colicorta o auna pianos com toda a perfeiglo.
Roga-soa pessoa que, por engao, levou da
rcpartic.Ho du sello urna carta do liberdade, que a
torne a levar mesma repartig.lo.
/ Alng-se o lereriro andar do sobrado ti. I, da
rua da Cruz : a tratar no primeiro andar do mesmo
sobrado.
Urna crioula de meia idade, c de bons costu-
nies, seoflerece para, ama de casa do pouca familia :
quem de scu presUmo so uizor utisar, annun-
cie.
4 Aluga-so o armazem n. 27, da rua da Cruz, no
iJecife : a tratar na mesma rua armazem n. 13.
Na rua d'Aleg-ria, t. II, precisa-se alugar urna es-
crava que esleja as circumstancias de bem fazer u
servico ntcrou e externo de una casa de familia.
Precisa-se de um fckor que cnlenda perfoita-
monte do tratare plantar um sitio; em casa de An-
tonio da Silva Gusmflo no Atnrro-dos-Afogados.
Acha-sc fgida desdo o dia 5 de maio prximo
pussado urna escraya do nagio Angola do nomc
Tliercza bastante alta e grossa : quom a pegar le-
ve-a a sna senhnra Mara llcnriqueta de Castro ; na
estrada dos Aflctos, que recompensar genero-
samente.
-- Fiados os das da le se ha de arrematar o enge-
nho denominado Goiabeira na freguezia de S.-Ama-
m J.ih.i ii.in muito perto desta cidade que apenas dis-
ta quatro legoas e meia cnin safra criada acbando-se
correntec moente com todos os seus prtennos ne-
cessarios ; o qual oft'erece muitas vantagens a quem
comprar: tudo se acba avallado muito em conta : quem
o pretender pode ir cxamina-lo e para ver leu valor
Docscrlpto que se achacm pode/' do porteiro do juizo,
Serra-Grandc : bem como nina casa terrea na mesma
povoacao, avahada em 120/ rs.
--Aluga-se um escravo bom oficial de pedreiro
pura lodo o servigo que se offorecer: a tratar na rua
da Cuia n. 46.
Na ni iuli;:i de 21 do corrente aparecen na rua
do Brum fundico do Mosquita Si Dutra um sujeito a
vender um forno de cobre de co/.er farinha c em con-
tequencia de uao ser elle couliecido da casa pedio-se-lbe
cunlieciinento de sua pessoa ao que annuio e relirou-
se .iliiu de ir buscar quem anancasse sua capacidade,
delxando o ditu forno: c como nao voltasse mais, dcscou-
lia-sequeo inesmo fosse furtado: por isso quem se
adiar com dircito a elle dirija-se a mesma fundico.
Precisa-se de um eanoeiro forro u captivo, pa-
pando se diariamente, pelo tempo que "se convencionar :
quem quizer dirija-se rua da Florentina, n. l(i.
-- Aluga-se, vende-se ou permuta-sc por outra mais
perto ila praca, urna boa casa na povoacao do Montei-
ro, com duas salas de frente, duas atrs, seis camari-
nhas, cotiuha fra, qiiarto para escravos e estribara :
tudo de pedra e cal quintal murado com porlao que
da sabida para o rio (,'apibaribc : a tratar com J. J. Tal-
lo I iiiiii.r, na rua do Aun.mu, n. .'i.'i.
Urna pessoa com pratica de escripia
commercial, e bonita lettra, propoe-se a
escrever as horas vagas, nos domingos
e das sanios, comlimpeza, mediante m-
dico estipendio : quem precisar, annuncie.
Alugain-sc dous sitios com muito boas acommoda-
(oes um na carapinha da Casa-Forte e oulro na rua
di dita povoacao com cocheiras e cavallarices ; assim
como varias casas, de procos cominodos para se pas-
Precisa-se de pretas para venderem pao pagando-
e-Ihes a vendagem, sendo sb respousabilidadedeseui
euliores : na rua Direita, padaria n. 26.
Precisa-se de um prelo para lodo o servico de urna
casa estrangeira que seja fiel: na rua do Trapiche-No-
vo n. 8, tereciro andar.
Trocam-se as imagens seguintes :
Santa Anna, N. S. da Conceieao, S
Joao Baptista, Santo Antonio e Jess
Cliristo crucificado, esculpidas em ma-
leira, por um dos mais peritos professo-
''' de.ila arle ; ko noves e recentemente
clicgadasda Kuropa : na rua da Cadeia
loKecife, armazem n. 10.
Un homem Lasado ffrcoe-M para ensillar f-
r da praca priineiras lollras e fraucez : na ruadas
Agoas-Verdes, caso n. 96.
ouro, prata ou dentico para privar de augmentar a
corrupcao i tambein tira, lima e fai todas as operacOes
denticaes com a maior delicadeza posslvel. Elle espera
que os elogios e o muito. patrocinio que tem recebido
pelos beneficios que tem produiido na sua pratica du-
rante 8 annos de residencia rtesta cidade', serao garan-
das lufficientes para as pessoas que, precisando de seu
prestimo, nao o delxein de procurar.
Precisa-se de urna mulher de bons
costumes, que saiba perfeitamentecozer e
engommar, para o servico" de urna-senho-
ra, em urna casa de familia: na rua Bella,
n.37.
Casa de modas franeczas.
A. Millochau.
No Ateiro-da-Boa-Visia n. I, primeiro andar defron-
te do cbafariz.
Pelo navio Beaujtu, recebeu um lindo escolbiinento de
cbapos de moda nova, para senhora; chapeos de pa-
Iha aberta ditos de palha Ingleza, multo alva e fina;
ditos de palha da Italia; ditos de palha aberla ,
muito ricos para meninas ; trancas ,de cores diver-
sas para enfeites de vestidos ; luvas de pelliea para
senhora ; cambraia de liuho, sem mistura de algndo
rendas lisas de linho ; fitas de ricas cores para grava-
tinhas,de senhora ricos filos bordados para vestidos.e
V.OS uC MStVaS i GrC pati niiijiiiiiio I*. 1,11.1 u
linho brancos ; tiras bordadas ; filas de todas as largu-
ras ; loucados para criaocas, etc. Na mesma casa ha
sempre para o escolbiinento das lenhoras, um sor-
timento de chapeos de seda de todas as cores, toucados
e tuncas para meninas : tambera se fazem vestidos de
noivas e outros com promptido e preco commodo.
Quem quizer roupa engommada cora prompti-
d.n. e pre(o commodo, dirija-se ao pateo do Carino,
defionle do portao deSauta-Thereza, u. 23.
Aliigam-se duas casas no sitio do Cordeiro mar-
gem du rio Capibaribe, com excrllcntes commodos para
grande familia, coiinha fra, estribara, coxelra, casa
para criados, etc.: os pretendemos dlrijam-se no paleo
do Carino n. 17, a tratar com Gabriel Antonio.
HOTEL- COMMEP.CIO.
Esto estahelocimonlo, sito na rua da. Cadeia da
freguezia deS.-Antonio na propriedade n.13, adia-
se augmentado de commodos iiulopondenles e de-
centemente mohiliados para hospedes com fami-
lias e sem ellas e para possoas que cijam menos
trata ment. O segundo andar do referido estahcle-
cimi'iito ofTcrece as precisas commodidades para
bailes e partidas. A posicio da casa em situacflo
fresca o aprasivol vista e collocada no, centro da
cidade concorrerra a sor preforlvel n outros esla-
bclccimenlossonielhantes. s precosserflo mdicos,
em irkirfiu as proporfOfl quoseoirerecem.
Gcomelria, geograpbia e francez.
Urna pessoa de irrepjehensivel comportamento ,
estando habilitada em geometra, geograpbia o
fradeez, propOe-sea dar licOes das referidas mate-
rias nilo s em casa de sua residencia como na de
qualquer particular, ou pai de familia que se dig-
naretn procura-la. Adverte-se, portanto que llave-
ra 0 maior zelo e delicadeza no cumprimentodescus
devores alm do qaie nflo s promove o adiatjta-
mento dos seus alumnos como prometi, havendo
a precisa hahililacilo acompatiha-los em seus exa-
nies na academia : quem, pois, quizer inleirar-so
melhor de outras condiefles queira dirigr-se a
travessa das Cruzes n. 8.
@ NOVOPODEPftOVENgA. ^
\f Vendt-u todos os diai. fy
O proprlelario da padaria epastellaria franceza f\
do A (.-i ni da-Una-Vista, 11.50, desrjando agradar 05
^ cada vez mais aos seus freguezes, resol veu otlere- p
J ccr-lhes um pao que se fabrica em Provenca por
(A um process muito difireme do ordinario, e que, w
exigiudo farinha das melbores qualidailes, mere- ^
ce a preferencia do publico, pela sua alvura,
pureza e delicadnade sua fabricacao.
S se farao paes de 40, 80 e 100 rs., e ser fcil
couhccd-los pela sua forma oblonga e elegante.
Na mesma casa coutna-se tambera a vender


bolinhos para cha de todas as qualidades, c tara- tt
bem a enfeitar bandejas ricas para bailes e sa- Z

0 abaixo nssignado, tendoprocurado por vezes
a sou irmo oSr. Jjs Thotnaz de S Brrelo, alim
Agencia depassaporlcs.
No pateo do Colleglo, na loja de livros do Sr.Doura-
oo, enconlrar-sc-ba urna pessoa habilitada para tirar
pasaportes para dentro e forado imperio, assim como
despachar escravos i tudo isto faz-se por menos de
'|Ue i'ui outra qualquer pessoa.
I'rccisa-se do urna ama, com bom
e bastante leite : no Aterro-da-Ba-Vstu,
loja n. 78.
DENTISTA.
I j M. S. Mawson, cirurgio dentista adrase residindo
no Recife rua do Trapiche-Novo,, n. 8, seguudo audar,
unde contina a por denles minoraos, ficando iucor-
ruptiveis e parecendo intelramene. como denles natu-
racs : lainbrin tira a pedra, a qual, nao sendo extrahida,
t empouco lempo tanto arruinaos denles; chumba com
le lquidarcm suas contiis, como socios na arrema-
tadlo da collccta da comarca do Cabo, mais se tem
elle querido prestar ; pelo que fui forcado a chma-
lo ao foro contencioso : assim previne ao publico,
para sobr'estar qualquer pessoa que pretenda com-
prar, liypothccar escravos ou aceitar por algum ne-
gocio leltras passadas pelo Si'. Manoel Carneiro
Lins de Albuqucrque ao sohredito seu irmilo, pois
que tudo se acha j embargado.
Antonio Francitec de Paula liando.
De casa de S. 1'. Johuston & C, na rua Ja Sen-
zalla-Nova, n. 43, furtaram 1:560/rs. em forragens,
sendo a mor parle cin massos com seis duzias de co-
llieres do latilo n. 3079, dito de tacase garfos com
duas duzias ns. 501, 502, 1168 e 1211 ; latas com 10
massos do agullias c varias outras miudezas e ierra-
gens: roga-sc, pois, a qualquer pessoa quedescobrir
onde est parle ou todo o referido furto, de partici-
par na mesma casa aos ditos S. P. Johnstou & C, os
quaes proinellem guardar segredo e recompencar ge-
nerosa inenle.
Precisa-se alugar urna escrava que seja boa
vondedeira para um sitio no lugar da Torro, pa-
gando-sc-lho 8,000 rs mensalmento o dando-se-lhe
o sustento : a (rular na travessa da Concordia n. 5.
Pela primeira vara do civel,. escrivilo doutor
Cunha se ha de arrematar de renda animal a quem
mais der, as rendas da casa terrea, sita na rua do
Pilar, em Fra-de-Portas n. 33, avaliada em 108/
rs. por execueflo ilu Joaqoiin liodrigues de Almei-
da contra Luiz Gomos de Figueiredo.
O Sr. Gregorio Francisco Torres tem urna carta
de importancia na livraria du pragn da Indepen-
dencia, ns. 6 c8.
Urna pessoa, chegada do malto, deseja failar ao
llevorondo Sr. Venancio l.ius Telles llarreto: e como
se ignora sua residencia, roga-se-llie se.digne decla-
ra-la nesta typographia.
A crioula que anuunciou no Diario de Pernam-
buco n. 192, quorer ser ama de urna casa de pouca
familia dinja-sea rua doQueimado, II, 3*.
Quem annunciou no Diario n. 192, precisar
de roupa engommada o fornecimeuto de comida dia-
ria dirija-se a rua do Vigario, n. 33, segundo
andar.
Precisa-se um trabalhadorde padaria que seja
perito em sua oceupaeflo :.na.rua Direita, n. 26.
Miguel Bonifacio Alves Ferreira participa ao
respeitavol publico e em particular aos seus mu
diguos freguezes, de quem espera a continuac,a"o
de sua protcccSo, que mudu a sua loja de alfaiate
para a rua do Queimado, n. 47.
Havendo, no bairro doRecifo, algnma familia
particular, que so queira encarregar do fornecer
diariamente a comida a um moco solteir assim
como de lavar o ciigommar-llie a roupa queira de-
clarar a sua morada para se lho fallar o tratar do
ajusto.
Aluga-so o segundo andar do sobrado da rua
da Muela n. com commodos para grande familia,
por prego commodo: na rua do Vigario, n. 5
' Os Senhoros que subscreveram para a tradc-
elo do compendio de dogma pelo pudre Domingos
Schram, poder.lo dirigir-se no convento de San-
Francisco desta cidade ao cubculo do padre mestro
Fr. JoSoCapristano de Mondonga, para receberem os
ejemplares queassignaram.
Para a pessoas que tencio-
nam seguir viagem.
Na rua do Rangel, n. 9, continuam-se a tirar pas-
saportes para dentro e fra do imperio, despacham-
se escravos com brevidade, e por prego muito c
muito commodo, como no decurso de 8 annos se
tem dado prava,
Urna mulhor desimpedida e cOm muito bom
leite propOo-soa criar : quem de seu prcslimo se
quizer .utilizar. dirija-so a rua do Sebo. 3G.
~ Aluga-so una casa terrea na rua Bella, com
duas salas 3 alcoyas, cozinha fia quintal t ca-
cimba : a tratar na rua do Collegio, II. 15, segundo
andar.
Aluga-so um sitio na Magdalona estrada no-
da da Torre, com boa casa do vivenda estribara ,
quarto para pretos e cacimba, por festa ou an-
iiualmeiile : no Aterro-da-l!oa-Visla, n. 43.
Koga-se ao Sr. Vicente Justinano Bezerra Ca-
valcanle queliaja de fazero favor de a|iparecer na
run da Cadera do Itecife n. 55, para receber urna
caita,
Precisa-se do una ama que saiba cozinhar o
diario de urna casa : na rua du Par, em Fra-de-
Porlas n.,64, fabrica do charutos.
Aluga-se urna preta para lodo o servigo de casa,
aindu mesmo para o de rua quem lho convier di-
tija-se a rua do I.ivramoiito u. 20, lercoiro andar
em que mora Joaquini Jos de Miranda.
Aluga-se urna casa terrea na rua Bolla com
duas salas, 4 alcovas una dispensa, quintal e ca-
cimba : a tratar na rua do Collegio, n. 15, segundo
tildar.
Moje, primeiro de selembro, depois da au-
diencia do Sr. I)r. juiz do civel da primeira vara se
ha de arrematar porseta ultima praga urna es-
crava de nome l.uiza do nago Costa, por execu-
go de D. Anna Francisca dos Bcis Miranda., na ac-
i.'ao de alimentos provisionaes que move contra sen
marido, Antonio Manoel de Moraes da Mosquita l'i-
menlel.
-- O abaixo assiguado avisa ao Sr. Januario Alvos
do Carvalho morador no engenho Jardim em Po-
dras-dc-Fogo, que no dia 30 do mez lindo vieram-no
procurar os seus escravos Bailholoineu crioulo o
Antonio, Cabinda, para que OS coinprassc : o mesmo
Sr. queira deliberar sobro os ditos escravos certo
du que so nao responsahlisa pela fuga dos mesmos.
Una de Agoas-Vetdes, n. 46. Joao' Frederico
Abreu Reg.
O thesoureiroda irmandde do SS. _S. da Boa-
Vista teudo de fiizer entrega das alfaias'o mais per-
tences da mesma ao novo thesoureiro que tem de
tomar posse no dia 3 do correte, roga Aquellas
possoas que tomaram capas para acomnauhar a pro-
cissfo do Scnlior aos enfermos e quo anda as teem
em seu poder, as mandem entregar at o da 2 do dito
mez para o lim indicado.
Aluga-so a propriedade da rua da Madre-de-
Doos, ondo morramos Srs.;Johnston Patler ScCom-
isnhia :a tratar com Joilo Jos de Carvalho* Moraes.
Antonio Martins da Silva subdito do S. M. Ki-
delissima, rctira-se para a corte.
Francisco Hibeiro de Brito.aluga
Vende-se para fra da provincia um moleque
de i4annos, com principios de pedreiro, e que
cozinha o diario de urna casa : o motivo por que sa
vendo se dir ao comprador : na nra da Cadeia, em
casa da\iuva Cunba Guiniares.
-- Vende-se tima casa torrea nova, toda onvtdra-
gada, com um pequeo sitio o muito porto do ba-
nho, sita eni o mellios lugar da Capunga : quem qui-
zer annuncie, que todo o negocio se far.
--No deposito de Me. Calmont & Companhia na
rua de Apollo, armazem n. 6 acha-so constante-
mente grande sorlimcnto de ferrogens inglezaspaia
engenhos doassucar ctfirosejan : taixas de ferro
coado de difTerenles modelos, os mais modernos;
ditas de ferro batido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira ; ditas todas
de ferro, lauto para agoa como para animacs; ma-
chinas do vapor de forga de quatro cavallos e de al-
ta pressflo o mais moderno e simples que he possi-
vel ; repartideras ; espumaderas ; rosfriadeiras de
ferroeslanhado; Tormas de ferro: tudo por prego
commodo.
| 0 donodeste estabeleciini'nto,vendo-sc emeir-
cuuistancias de Ihe ser prociso retirar -se para a
Kuropa precisa primeiro pagar a srus iredo-
res, e para ell'eituar este pagamento o mais
breve possivel oft'erece algum abatiinento a
seus dovedores quo quizerem saldar suas coti-
las ; assim como tem resolvido vender todas as
fazendas por diminutos procos, a saber: nefas
de madapolao, a 2/ 5^100. 3/200, 3p0, 3/700.
3*nnOo^#r 'ditas de chitan oscuras, finase
entre-final, d corea fixas, a 4^00, 5/, 5/TiOO,
ti^e 6p00 rs. ; ditos muito superiores enlrau-
do algumas do coberta, a 7/rs. a peca c a 190 |
rs. o covado ; alpaca, aliOO rs. ; lila larga, a 380
rs.; cazincta preta a 1/rs. ; los linos c gran-
des grandos de garra a l/WO rs. dilos de cinta a
800 rs. ; vestidos de cambraia com bir.o e renda
de superiorqualidade, a 3/rs ; mantas de cam-
braia para senhora, a 1/ rs.; luvas de pellica,
seda e algbde, para hoinein, a 320 rs. <, pesco-
cinhos e golas So bonitos gostos, a 240 c 320 rs ;
bicos franceses, inglezos o da trra .ealguns de
de seda preta, a 120. IliO, 200, 240,320, 400 e 640
rs. ; lencos de cassa para grvala a 200 rs. di-
tos do umitas qualidades para homem e se-
nhora a 180, 200, 240, 300, 320, 3l0. 400, 480 e
560 i s.; suspensorios a 40, 120 o iBO rs. ; ditos
linos de borracha a200, 240 e 260 rs. ; mea
de seda muito larga com flores domadas a 240
rs. o covado ; cassa da lndia,a400 e 480 rs. a va-
ra ; merino lino e entrefino a IS00 2<>000 e
_ 2/500 rs. ; pannos linos, a 3/800.4# o 4#500 rs. ;
^ e outras muilns fazendasque nao se annuiiciam
por oceupar muilo lugar as quaes se vendera
todas nimia inclino com grande prejuizo s 3
alim de se acabar com 0 dito cstabeleoimento ,
S o qual tambera se vende no estado que se acha,
havendo quem o queira comprar anda mes-
mo a prazo' com lettras de firmas que agrada-
ren! a seus crodores.
quatro casas no silio do ijajiiciro, po
prias para se passar a festj, por ler banho
perlo com banboiro : as casas leen', bastan-
tes commodos, quintal murado e estriba-
ra.; assim como vende nina o Lilia, na
Pass.geni-da-Magdflleti?!, com barro den-
tro, trra par, plantar e pasto para v.ic-
|-cas. Quem pretender alugar ditas casas
comprar a olaria, dirija-se casa gran-
e en
qu
de do dito silio do Cajoeiro,
contraa crin quem tratar.
Ilojo, primeiro de setembro por ser ultima
pra^a na sala das audiencias do Sr. Dr. juiz do ci-
vel da primeira vara e depois della se hilo de ar-
rematar seis escravos porexecuefloque corre |elo
carlorio do escriv.lo llego.
O a ha i xo assignado faz publico quo eoinproii ao
,S"r. Bernardo Fernandos da Cutida a venda da Cain-
boa-do-Carmo n. 46; ficando o dito vendedor obri-
gado a todas as transacgOes feitas por elle at esta
data. Bccife, 30 de agosto de (848. .
Joaqun* Spiridiiio da Silva GuimarSei.
-- O abaixo assignado faz publico que vendou a
sua venda da Camboa-do-Curnio u. 46, ao Sr. Joa-
t] ti i n i Spiridio da Silva Guimarlcs ; licando a car-
go do mesmo abaixo assignado a liquidagd de to-
das as transacgOes por ello feitas at esta data. Ite-
cifo, 30 do agosto de 1848.
bernardo Fernandet d'i Cunh;.
Precisa-so de um bom cozinhoiro forro, ou es-
cravo ; na rua larga do llozario ti 29, se dir quem
precisa.
Compras.
Compra-se um moleque do 12 a 14 annos de bo-
nita figura, c que ti-nli i boa conducta : no llolel-Cain-
incrcio
("ompra-se toda a qtulidade de
peimas de aves : na rha Nova, deronte
da Conceieao, loj \ n. 38. .
Compram-so ossos de boi : na rua do Concor-
dia, ii. 8.
un i mi i ni n n i ------luin_i-O-.-LJ-JL
Vendas.
--Vendem-so paulas das alfandegas do imperio do
Biasil, impressas no Bio-dc-Janeiro : na rua da
Cruz, ii. 20.
mmm
Vende-se um molecolc de 18 a 20 annos pouco
mais ou menos, e que tem excellentes qualidades:
vende-se por haver grande necessidade : na rua Im-
perial, junto a nova matriz n. 3. p
VemlQ-se fustTo unarelio pelo diminuto pre-
go do 800 rs. o covado : no Aterro-,la-lloa-Visti ,
n. 24.
Na venda do becco do Lobato, n. 12, ha para
vender muito bom cha da ludia, a 1.800 rs. a libra ;
toueinlio de Santos, a 160 rs.; superior assucar
masci'.vado a 45 rs. de 4 libras para oimu ; farinha
do MaranllOo, a 100 rs. ; esleirs de perpery, a 160
rs.; caf de carogo ,a 120 rs. ;e todos os mais gene-
ros de vcnuVi muito em conta.
Vende-se um sitio em trras do Monteiro, na
estrada que vai do bceco do Quiabo para o Arraial,
o outra oasinha com quintal, arvoredos criados no
dito becco do Quiabo : o sitio tem bstanles e pti-
mos ps do larangeiras jaqueiras, jamhreiros
dendozeiros, ierra para plantagOcs baixa para ca-
pim commodos para 2 a 3 vaccas de loite, lugar
para borla boa agoa de beber, com una casa do
laipa : a tratar com Jos Rodrigues de Moli na po-
voagiio do Monteiro ou com Jos Mariano de Albu-
querque no llecifo, rua da UniDo.
--Vendo-so, na rua da Aurora n. 4, umjogoile
tamboresantigos; rodetes; aguilhOes ; ojdouscal-
deirotes : ludo muito'barato.
Vende-so um sitio com bastantes coqueiros, no
caniinbo da Cabanga confronto fabrica de sabio,
o una casa em armazem com os fundos bastante
grandes, que vai ler a mar no sitio do fallecido Ifu-
niz, junio ao sobiado do Sr. Gusmlo : a tratar na.
rua da Caleia doltocifc, armazem n. 61.
Vende-se um cavallo bornear regador, por prego
commodo: no sitio deJoaquim Carneiro Machado
llios, noManguiuho.
Vende-se urna cama com cnxcrg.to : na rua
estreitn do Hozarlo, loja n Si.
Vende-se, no pateo do Carino, venda n. 1, muf-
lo superior marmclada em lafas pequeas, o muito
bom doce do ginja a 320 rs. a libia : vondo-se s por-
gos a vonlade do comprador.
-- Vende-se urna piola que cozinha soffrivelinen-
le o lava do varrella : na rua das Trinclieiras, n. 19-
NO BOTIQUN
junio ao tbeatio volho, vendom-sc muito boas bolas
de marfim para bilbar e bons tacos ; superiores da-
dos de marliiii para gamlo : tambein so vende mu
moleque do 10 para 11 anuos, de bonita figura,
muito esperto o sem defeitos, e que he muito hbil
para qualquer oflicio.
Vende-se, para Tora da provincia ou para al-
gum engenho una escrava de 20 annos, do boni-
ta (gura boa engpmmadeira o cozinheira na rua
Nova, n. 16.
Vende-so una cadeirinha em bom estado ; urna
escrava perfoita engoinniadeira ,e que cose algum*
cousa e cozinha : na rua da Alegra, u. 31.
Yciido-seum bonilo u grande oratorio : no Re-
cite, loja de ferragens n. 55.
Na rua do Agoas-Verdes, n. 46, vende-se urna
linda mucama inulalinha do 16 anuos, bem educa-
da ; uina escrava para todo o servigo por 400/rs.?;
urna dilaexcelleute quilandeira lavadeira o cozi-
LnJ;ioira_,jipr_42Q#O.0j) i&., seoi.vicj algum ; uia ca-
sal do escravos para todo o servigo, por 420,000
rs. ; 3 molequcs sendo um delles meslre copeiro ;
um prelo carreiru por 350,000 rs.
i
4

LADO
M '"
--- r^-


.A
*
I
Vendem-se dous moleques de lindas figuras ; i
pretos de '20 a 25 annos bastante robusto un pardo
le 1S anuos proprio para pagem ; urna negrinha de l2
annos perfrlla costureira de lavarinto e marca; un
iretodc meia idade por 220/ rs. ; 4 prctas com habi-
idades; no palco da matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4.
--Vende-seum boi grande de carroca ; um novi-
I lint i1 e ulgumas vaccas solteiras : no sitio que foi da
Madre-dc-l)eos, em Cruz-de-Almas. No mesmo sitio
tambotn se vendem ps de plantas arbustos arvo-
res de llores flores para bouquctes jarros e Testas
de igreja.
-- Vendem-se duas prctas que engommam e cozi-
nham o diario de urna casa, sendo urna deltas boa
doceira ; duas pretas de mu;io urna de 14 annos, e
a outra de 20; duas pretas de meia idade, dona-
do, boas quitandeiras, e urna deltas cozinha limi-
to bem e lava de sabo e varrella ; um prelo de 30
annos, bom gauhador; um pardo alfaiate de 24
annos: na ra Bella travessa da Florentina, n 26
fia ra do Trapiche Novo, n. aa, arma-
zem de llcliif.nl & Companhia ,
vndese vinbo de Bordeaux ,cm quarlolas e garra-
fas de diversas qualidades ; dito C.hateau-la-ltosc ;
lito heoville; dito S.-Julien : dito graves ; dito -
teme ; dito liarsac ; ngo'ardcnte de Franga o cognac
superior; chcrry-cordial; inarrascliino; licores fi-
nos ; ptima champanha de diversas qualidades:
tambem se recebcu da Itahia urna porgflo do charu-
tos regalia ns melhorus que leem vindo a este mer-
cado ; azeite doco Tino da marca Plagnol; hervi-
Ihase sardinhas em latas ; mostarda ingleza e fran-
ceza ; i uri.i.s em vidros com calda de assucar e de
icor;agoa de flor de laranja queijos londriiios; c
loutros muilos gneros : ludo ruceulemenle cbugado
i' de superior qualidade.
Alpaca alcoclioadj, a 800 rs. o covado,
vcnde-se, na luja que faz esquina para a ra do Collc-
yio n. 5, de Cjuinaraes & Companhia a nova alpaca
alcoclioada viuda de Lisboa fazenda iiiteiramentc
nova nesta cidade preta e cor de caf, de 4 palmos de
largura, pelo barato preco de 800 rs. o covado.
Vende-se urna rica espada, uma
banda e um par de dragonas, com ponco
USO, e innito em coma; ludo pertencente
a um ollicial superior : na ra da Cadeia
de Santo-Antonio, casa n. ->:>.
Vcndcm-sc, no armazem que foi ilo tinailo Kragurz ,
superior fardo de Lisboa a 4/ rs. a barrica.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barra de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por proco cointuo-
tlo : a tratar com Alinrida & Fonseca, na ra do Apollo.
A s'ooo rs. ,
ancoretas com azeitonas superiores : ven-
den seno caes da Alfandega armazem
n 7, de Francisco Dias Ferreira.
Vende-se o verddeiro xarope do
bosque, vindo do Kio-de-Jaueiro no- va-
por Pntense: na ra da Cadeia do ieci-
Je, botica de V. J. de Unto.
Vendem-se caivetes finos; te-
souras de unhas e de costura ; ditas de
alfaiates, t'eitas em Cuimaraes ; sacarro-
llias de patente ; campanillas de cores ex-
quisitas ; machinas para illiozes a 1,100
rs. ; casticaesde vidro a 2,400 rs. o par :
na loja de quatro portas da ra do Cabu-
g, n. 1 G' do Duarte. ,
santigos riscados monstro.
Na loja de Guimarcs & C, ra do Crespo, vendem-se
os bem conliccidos riscados monitroi de nadrrte? inulto
modernos, c que tccni quasi urna vara de largo,pelo ba-
rato preco de 320 rs. cada um covado.
Vendein-sc saccas com n.ilho, a 1/200 ; jogos de
llancas de amarrllo ; lavatorios e toucadorc : tudo no-
vo e bem feito, c por barato preco : na ra da Cadeia
de Santo-Antonio, armazem n.2l.
- Vendem-se aeges da cx-
nncta companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos & C, ra da Cruz,
n.9.
Vendem-se botoes amarellos, finos,
de 1'- II. ; ditos ordinarios; ditos para
casacas ; ditos para cavallaria ; ditos pa-
ra infantina ; ditos para libr de pagens,
liramos e amarellos ; ditos pretos de bo-
nitos padres ; ditos de vidro, para enfei-
tes de roupas de menino : na loja de qua-
tro portas da ra do Cabug, n. i C. do
Duarte.
FARISHADKTHIF.STF...
arca verdadeira -SSF, chegada ltimamente: vende-se
n casa de N. O. flieber & Companhia, na ruada Cruz ,
i). 4.
Fazenda de algodao para thoa<
Ibas.
Na loja de Guimares Si (."., ra do Crespo, n 5, ven-
dc-se a excellente fazenda para toalhas de algodao,
traillado hranco, com 8 palmos de largo, pelo barato
preco de 8f)0 rs. a va/a.
Vende-se cal virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. 17.
Vende-se, por preco conmnelo, milito superior sal
do Assu' : a tratar na ra da Moda a'. II, com Silva &
Grillo.
FAHELO
a .'i.s'ooo rs. a sacca
nosarmaieus ns. 1 e 3 do caes da Alfandega, eno de n.
35 da ruado Amorim, de J. J Tasso Jnior,
Riscados monstros.
Vendem-se superiores riscados monstros, j bem co-
nuecidos tanto pela, qualidade como pela largura em
demasa, pelo barato preco de 280 rs. o covado. Estes
riscados sao chegados ltimamente: as core sao fixas,
e os padres mullo modernos e de bom gosto : na nova
loja da Estreila da ra do Collcgio, n. 1.
01 ic/(>i[ op b3jb| eru bu : -oa 'iao:>s\> sq|e/.vu 'bj
-UOSaj nilio.) <:c(.ii:it e J.l/KI BJt'd OIJL'SSOO.IU o opii.o
no.) tii,iti:i.\ oaed seudojd suji.iiJc.i ssuBssaaju sb
Ml.l|)ll 1 \ ai 10.1,pin ; o) i.il'qo .l.mli|I.'llll no rplI.r/CJ .l.lllll
-|nb jb3jbui Bfo| no opjautuoa op esco janbrimb
IMt'il ,1],mis un UIOD Sl'.lllpllljiloil.il SBXIV3 SEI.IBSSJ3
-011 oiinu ss ojj.ul tn 11 ni ni 1 p .iis.i jod .is-nupua \
j fifjoj
Vendem-se aloes de ouro verd-
deiro, de todas as larguras, e mais barato
do que em outra qualquer parte : na ra
larga do Rosario, n. il\.
Vende-se, no armazem de Dias Ferreira, canastras
com batatas e ceblas em molhos e despencadas, por
preco commodo.
Vende-se cera de carnauba em porro e a reta-
Iho de superior qualidade ; queijos londrlnos ; latas
com bolacbinlias de araruta multo nova* a 2/ rs. ;
latas com sardinlias ; ditas com 4 libras de niarmelada ;
ditas com figos: tudo por preco commodo : na ra da
Cruz, no Recife, 11. 4G.
Vende-se arroz de casca ; nielas nc algodao fritas
no Porto ; cera do Rio i tudo por preco commodo : na
ra da Praia armazem u. 37.
Vendem-se barris pequeos com cal virgem de Lis
boa, a maii nova que ha no increado, por preco com-
modo : na ra da Moda arma/.em n. 17.
POTASSA.
No deposito da ruada Cadeia do Recife 11. 12,veu-
de-sc muito nova esuperioj potassa em barris peque-
nos, por preco mais barato do que ltimamente se es-
lava veudendo.
Vendc-se urna casa terrea milito grande, sita na
ra da Mangueira, na Moa-Vista, n. ll.com graedes com-
modos, quintal muito grande e muilos arvoredos de l'ruc-
tos, por preco o mais rasoavel possivcl : trala-sc na ra
do Aragio, 11. 27.
Cal virgem.
Vende-se barris com cal virgem vindade Lisboa ,
por preco mais barato do que em outra qualquer parte:
na ra da Cadcia-Vclha, armazem n. 12.
A 1/000 rs. CADA UM CHALE.
. Na loja que faz esquina para a ra do Coilegio n. 5 ,
vendem chales de tarlatana grandes e de padres es-
curos pelo barato preco de mil rs. cada um.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores cortes de meia casimiras els-
ticas de pura 1.1.1, pelo barato preco de 2^000 c 3/000 rs.
o corte de calca: na nova loja da estrella, da ra do
Coilegio, n. !
Vendem-se no armazem que foi do fallecido Braguez,
ao pedo arco da Conceicao, ceblas saas e solas, pro-
prias para gasto de casas particulares, a 500 rs. o
cento.
CHVHYSSON,
ile optuna (jualidade a 2/240 rs. a libra : na ra da
Cruz no Recife armazem n. 13.
(.5 -u ouezou, op b3jb| snj bu : opom
-moa .Vi id aod 'soi.ijfqo soiinm siuino a .> io 3 seaii|
' SBiy op s.ipi.'pnenli sb si.'pui ouioa uuq jepjoq 3 jai
-03 1. ie.I ojiijiiiii.ios o opoj iiioj SEJI3)JB3 Illa uiaqiiici
. SEZ.I.)tll'J| SEUU S\il||ll.1 SL'Jj.ipvpjJA SE .lS-lliapil.l \ -
Vende-se um alambique novo de cobre com lodos
os scuspertcnces ; um relogio sabonete de ouro com
correte suissa : na ra da Cadeia de Santo-Antonio,
armazem, n. 21.
-- Vende-se um preto de boa figura que emenda de
plantaces e he muito diligeute para qualquer servlco,
na ra Dijeita, n. 93 segundo andar.
Vendem-se chapeos de palha, da
Italia, para senhoras e meninas, a i,aoo
rs. ; barretes de padre e gollas de diver-
sas fazandas ; bonetes pretos, de velludo,
a g6ero. e de panno nscado a 6^o rs. ;
lencos de garca a 1,000 rs. : ditos de gr-
vala a 1,00o rs. ; luvas de algodao, de cu-
es, a aoo rs.opar; ditas de pellica, de se-
nhora, a l,ooors. e para homem a 1,600
rs.; llores para enfeites de chapeos; bicos
do Porto, de iooalt'4oo rs. a vara; ditos fi-
nos, francezes e inglezes ; galoes brancos
e amarellos, finos ; ditos ordinarios.;es-
piguillas e renda ; volantes largos e es-
treitos ; espelhos de paredea 1,000 rs. :
ditos de augmento a 800 rs. : na loja de
quatro portas da ra do Cabug, n. 1 C. ,
do Duarte.
Vendem-sefazendas, por menos de Seu
valor, na loja dos Quatro-Cantos- da
ruado Queimado, n. 2o,
bem como : luvas de seda pretas e de cores para ge-
ahora, a 320 rs. o par ; sarja larga de la de cores, a
800 rs. o covado ; cortes de calcas de casimira de cures ,
a 6/ rs. ; 1 hales de cambraia bordados a 640 rs. ; ris-
cados trancados americanos a 160 rs. o covado; len-
cos brancos cun cercadura de cor, a 200 rs ; cortes de
cambraia de cores linas a2/rs. ; dita de quadros mui-
to lina, a 320 rs. dita de llores a240 rs. o covado; cas-
tores para calcas a 200 rs. ; brius brancos de listras a
300 rs.; chitas brancas de flores, a 120 rs. o covado ;
meias para menino a liin rs. ; ditas para senhora de
240 a 500 rs. ; ditas para meninas a 320 rs. o par ; len-
cos de seda preta de l/a 4/rs. ; suspensorios de fita ,
a 120 rs. o par; vestidos de cambraia com babado, de
superior (jualidade, a 3/rs. ; guardanapos para cha, a
800 rs. a duzia ; ditos para mesa a 2/D00 >s.
Vendem-se 1 lindos mole.pies, sem
vicios, nem achaques, e proprios de todo o
servico de casa e campo; uma mulata de
16 a 18 annos, de muito boa figura,costu-
reira e engommadeira; e um casal com
uma cria de 16 annos, pouco mai.v ou me-
nos: na ra do Crespo, loja n. a A,se dir
quem vende.
Vendem-se esleirs de palha da
Italia, para loriar salas e camas : no Ater-
ro-da-Bda-Vista, loja n. 78.
Vendem-se queijos londrinos e presuntos para
fiambre chegados pelo ultimo navio de Liverpool ;
hervilhas proprias para sopa ; vassoras para varrer sa-
las : no armazem de Davis S Companhia na ra da
Cruz, n. 7.
Na pmcinlia do Livramcnto, loja
n..,<), de MarcolinoJos de Moracs Se C.,
vende-se o m'elhor cha da India que tem
apparecido no mercado, s libras, meias
libras, quartas e meias quartas; ossim co-
mo rap de Lisboa, chegado prximamen-
te, s libras, e s oitavas a 4o rs.
Vende-se salsa parrilha, de muito
boa qualidade,- ltimamente chegada do
Para : em casa de Kalkinann Se Rosen-
mund, ra da Cruz, n. 10,
Vendem-se mui superiores sapatos
de duraque preto, de Lisboa, e por pre-
co commodo : na ra Nova, n. 3o.
Vendem-se saceos com superior fa-
rdo ; presuntos para fiambre ; barricas
com bolachinha, tudo por preco commo-
do : na ra da Madre-de-Deos, armazem
n. ao, defronte da guarda da alfandega.
Vendc-se, na venda du esquina do pateo do Car-
mu que volta para a ra das Trincheiras, n. 2, mar-
nielada muito nova em latas de duas libras, a 1,200
rs. e quatro libras a 2,400 rs.
Vende-se uma negrinha de nac,3o, de 18 annos,
de muito bonita figura que cozinha bem o diario
de urna casa engomma, lava de sabo e varrella o
coso chiio ; nOo tem vicios nem achaques: o moti-
vo da venda se dir ao comprador : na ra' da Con-
cordia passaudoa ponteziulia a direita segundo
cusa terrea se dir quem vendo.
Vende-se uma escrava crioulade30 e tantos
annos, que cozinha, faz doces, lava, coso com iiuii-
ta limpeza, faz todo o arranjo de uma casa e engom-
ma ptimamente, e ao comprador se dir o motivo
por quo su vende : na ra do Coilegio, venda da es-
quina, do Sr. Sobral, so dir quoin vende.
Vendem-se caixas de vidro para
joias, todas guarnecidas de pedras, pelo
preco de 2,000 a !,oqo rs.: na loja de
Francisco Joaquim Duarte, ra do Cabu-
g, n. 1 C. a incsuia loja vendem-se
dous escravos por preco commodo.
Na loja da ra do Crespo ao p do ar-
co deS.-Antonio, n. 5 A,
de Ricardo Jos, de Frcitas Hibeiro vendem-se cor-
tes de chita com 10 covados, muito finas o escuras ,
pelo barato preco de 1,600 rs ; ditos de cambraia
pintada a 2,000 rs. chapeos de crep para senho-
ora, muito bem feitos e do bonitas cores, a
5,000 rs. ; corles de cassa de barra brancos e de
cores os mais bonitos que teem apparecido tiesta
11 r,-u;a a 5,000 rs.; enres de Instan para col lele a
500 rs. ; cassa de cores com 4 palmos de largura a
244 rs. o covado ; um sortimenlP de pannos finos
le (todas as cores muito bons e baratos; e outras
muitas fuzendas linas.
Vende-seum mulatiiihode 11 a 12annos, mui-
to sadio e esperto proprio para aprender qualquer
odlcio : no caes do Ramos casa da esquina pinta-
da de encarnado.
ptimo vinho doce abafado.
Vendc-se este excedente vjnho no armazem que
foi do fallecido Braguez ao p do arco da Concei-
ciio he tilo bom ou molbor que o bom moscatel de
Setubat : o seu preco agradar aos compradores :
trata-se com Viriato de (arvalho Tavares.
Ciscados monstros.
Vendem-se riscados monstros, a 280 rs. o cova-
do : na ra Nova, loja n. 26, de Tinoco & Rocha.
Vendc-se uma secretaria moderna, com dous
gavetes, e puxadores de crystal : na ra da Con-
cordia, n. 25, primeiro andar.
Na ra das Cruzcs, n. 22, segundo andar, ven-
dem-se 5 escravos, sendo : um ei ionio o outro de
nai,'iio, de 30annos oplimos do servido de campo ;
duas esclavas, urna parda e nutra criolita de 26
annos que engommam, coscm dio, cozinham
lavam de sabo ; uma negrinha de 8 annos, muito
ladina o linda, com principios de costura.
Vende-se uma escrava de tryta e tantos an-
nos sadia c robusta, que cozinha bem e lava rou-
pa : na ra larga do Itozario, n. 48, primeiro andar.
Vende-se, na loja de trastes do Leal, no Ater-
ro-da-Boa-Vista, um piano bastante usado porm
devozes muito boas, e uma secretaria tambem
velha.
commodo : na ra larga do Rozarlo, fabrica do
charutos n. 32.
Vendem-se saceos com farelo, pelo
barato preco de a,4oo rs. : na ra da
Sanzalla-Velha, n. i38.
Vende-se a armacao com todos os seus pertenec
da venda da ra do Codorniz u. 9, no Forte-do-Malloj'
por barato preco: c em separado se rctallia na mesina'
louca ingiera sortida a 900 rs. a duzia ; casaes de chi-
caras a 1/400 rs. ; vinho do Porto a 400 rs. a garrafa
muito superior.
Noticias elementares da honiiepathia -ou manual
do faiendeiro, do capitao de navio edopai de familia
contendo a accao de 24 priiicipaes medicamentos i,.
mceopathicos, 1 vol. Organon de Hahnemann, ou'ex-
poslco das doutrinas homccopathlcas.
Vende-se na casa n. 1 da ra da Crin, 2 andar
por commodo preco.
Vende-se uma linda preta de 20 annos ptima en.
gommadeira com uma cria de 2 annos, muito linda
uma dita de 15 annos que cose muito bem ; uma inu-
latlnha de 16 annos; um molecote de nacao, de 20 an-
nos bom cuzlnheiro e copeiro ; um inoleque de 14 an-
nos ; 2 pretas para todo o servlco ; um pardo escuro
com ofHcio de alfaiate e que he bom copeiro ; um dito
de cor clara de multo boa conducta e que he multo
bom pagem ; c mais algun escravos : na ra das 1.a-
raugcirai n. 14, segundo andar.
Vende-se salitre refinado de muito boa quali-
dade : em casa de Claudio Dubeux na ra das La-
rangeiras, n. 18.
Vendo-se, por precislo, urna crioula do 19 an-
nos com um fi I ti" pardo de um anuo : nesta typo-
graphia, se dir quem vende.
~ Vendo-se cal virgem de Lisboa muito nova ,
para fabricar assucar : no armazem do Sr. Antonio
Aunes ilel'rnnte do caes da Alfandega.
Vendem-se dous pianos fortes Je Jacaranda
chegados ltimamente, que, alm de screm un!
magnifico ornato de uma sala, teem cxcellentes
vozes sendo o mechauismo da muita approvada no-
va nvoiK.'o chamada repilidor patento de (ol-
lard : em casa de J. Keller Companhia na ra da,
Cruz, n. 55.
- Vende-se urna venda com poucos fundos, ou sem
cites, com bonita armadlo a moderna, por barato
prego, na ra estreita do Rozario, n. 8: a tratar na
me.siiiu venda, cu na ra Direita, n. 76.
Vcnde-se uma prelajdo 15 annos, propria para
mucama por ser muito linda o rccolhida e queA
sabe bem coser marcar, engommaro fazer lavafl
rinto : na ra Nova, n. 21, primeiro andar.
Vende-se urna salva dous castigaes e 6 garios
de preta sem feitio, o mais uma porgfio de prat ve-
lha : no pateo do Carino venda n .1.
ffTF* Vendem-se pipas vasias e barrisque foram
de vinho e de toucinlio, por prego commodo: no pa-
teo do Terco, venda n. 7.
Vende-se, ou troea -se por lijlos de alvenaria
grossa, ladrilho, lapamenlo e alvenaria batida, uma
canoa de mil lijlos, muito boa e com pouco uso:
a tratar com Manoel Anlonio da Silva Motta na ru
da Cruz, u. 32.
Vendem-se cobertores de algodio americano,
propriosfpara escravos, a 700 rs. cada um; pecas de
ganga azul com 13 covados a 960 rs. ; pegas de al-
godo azul da India, .de 24 covados com quatro
palmos de largura i 4,800 rs.; algodao trangado de
xadrez a 180 rs. o covado e outras muitas fazen-
das por barato prego : na ra do Crespo; n. 10, lo-
ja de Jos Joaquim de Freitas Cuimariios.
Vendem-se tresx lustros para mrio
de sala, bronzeados, com fios de ouro, l-
timamente chegados, os mais modernos e
elegantes que teem aqu apparecido, sen-
do um com oito luzes e dous com seis, e
suas competentes mangas : na ra do Tra-
piche-Novo, n. 14.
Vende-se panno de algodao
da trra, a aoo e aao rs. a vara :
na ra do Queimado, quatro cantos,
loja da casa amarella, n. 29
4]
m

Vendem-se charutos superiores, de todas as
qualidades e muito bom fumo para capas dos ditos:
no pateo do Carino, fabrica n. 43.
Vende-se, em casa de Kalkmann e
Koscnmund, ra da Cruz, n. 10, espa-
das pira ofliciaes, muito ricas; asim co-
mo bridas de cavado, de metal branco.
Vendem-se pegas de madapoln com 20 varas,
muilo largo e inuilo forle a 2,800 rs., e a retalho
140 c 160 rs. chitas muito linas e de ramagens para
coberta a 160 rs.: na ra do l'asseio, loja 11. 17.
Vende-se um coeirode casimira bordado: as
Cinco-Pontas n. 6i#
Vendem-se poldros bom augurados, ptimos
para engenho : na travessa das Cnw.es n. 8, ou em
Caraba, engenho na comarca de Nazarelh.
Vende-se um en va l lo novo alazSo-, com bons
andares e que est bem gordo: em Fra-de-l'or-
tas, sobrado de 11 ni andar n. 13.
Vendem-se 4porcas muito gordas e de muito
boa qualidade, tanto em tamaito como em pcoduc-
gilo : na ra de S.-Francisco na loja do sobrado
11. 66.
Vende-se um carro de quatro ro-
das, ainda novo e de muito bom gosto,
com seus competentes arreios, por prev
commodo : na ra da Aurora, n. 38.
Vende-se um excellento caudind, por prego
Escravos Fgidos
Fugio, de bordo do brigue Strtori'o na manhaa do
da .'1 ile jullio prximo passado ,um escravo marinbei-
ro de noine Francisco de nacao Jang ; representa ter
3o a .'!.') anuos ; tem na face esquerda um signal ; falla
muito descantada ; levoil calcas c camisa azues cha-
peo de palha pintado de branco e o balde que tinha de
trazer a racao c7/ft. em cdulas: quem o pegar le-
ve-o a ana da Moda n. 7, que ser bem recompensado.
Fugio, no dia 23 du passado, urna escrava de
nomo Antonia crioula de 18 annos estatura re-
gular cor bem preta um tanto carrancuda quando
se falla com ella ; foi vista na ponte da Tacaruna ,
indo para a cidade de (Hind : quema pegar lvt-^
a ra do l'asseio, loja n. 19, que ser bem recom-
pensado.
Fugio, na noite de 11 para 12 do passado, o
moleque l.uiz, de 15 annos, natural do Aracaty ,
baixo, cara larga nariz chalo, falla bastante desen-
toada ; tem um signal na testa de um couce de bes-
la; anda calgadoe com bonete; intilula-se forro ;
tem sido visto na ra do Queimado o da Aurora:
quem o pegar leve-o a Manoel Cardozo da Fonseca,
em S.-Amaro, ou na praga do rommercio.
-- Fugio, no dia 27 do passado a preta Rita, de
nacao com um flandrcs com azeite que amlava
vendendo de estatura baixa coi po regular de
meia idado muito regrista com defeito nasorellias
e na mIo direita olhos vermelhos ; tem diversas
marcas nos bragos e uas costas; levou vestido de
chita e panno da Costa : quem a pegar levea-a a ra
do Queimado, loja do chapeos ,11. 38
Fugirainl, no dia |20 do passado, do engenho
r.Agoa, na ribeira do Araripe, os escravos seguid-
les : Venceslao, crioulo que representa tor 20 an-
uos pouco maisou menos grosso do corpo, baixo,
meio corcovado; tem os ps cheios de arestins e
bastantemente grandes; he ollicial de carpfna.e
mui dado a embriaguez : Romualdo, Angola, que re-
presenta 25 annos pouco mais ou menos barbado
de estatura ordinaria grosso do corpo, canellas
finas muito gago e falla muito mal o portuguez
Patricio, condecido por Ladino de nagilo Angola ,
que representa 30 annos, alto secco do corpo, ver-
inelho da.cor muito desembaragado no fallar: lo-
dos estos escravos fugiram juntos e suppAe-se torem
sido seduzidos peralgum ladino de escravos. I'ro-
mette-se gratificar generosamente a pessoa que ap-
prohender qualquer delles, na cidade do Recife,
poder entregar aos Srs. GuilhermedosSantosSazes,
Jolto Xavier Carneiro da Cuuha e Jos Camello do
llego liarros e no engenho d'Agoa ao I)r. Francis-
co Jolo Carneiro d Cunha.
}
Peb;
N ." NA TYP
UE M. F. DE FAMA. 1^4
L
MUTILADO
mkJ'-
ni na mu 11


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5OJ1OEP4_W8IU60 INGEST_TIME 2013-04-12T23:33:14Z PACKAGE AA00011611_06500
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES