Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06494


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno VXX.
Qninta-feira 24
mm
r-
0 DtltOpublca-se todos os diasque nao
fnrrm de guarda. Obreco da lislgnatura he
He 4*000 rt. porquartel, pajo rumiado. O
nuncios dos asslgnantes sao inseridos a
i ,liio de 20 rs. por liuha, 40 rs. ein ITPO d!
..iiie. eas repelieses pela uetade. Os nao
sguan" rB.rlo M rs. no.X e 160 r..
ei iyP Jin"*1^' Por *" publicacao.
PHASES DA LA H MEZ DE MAIO.
i... chela, a 7. bora e 47 mo. da raanh-
utooante.alS.asShora.e "?""B"
PARTIDA DOS C0RBK1OS.
Goianna e Parahiba, ae sega, e leiUa-feirw.
Rio-G.-d4iorte, quntas-felras aomcio-dia.
dlf-* Cabo, Serinhem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no 1. a 11 e SI de cada mez.
Garanhua* e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e28.
Victoria, as quintas-feiras.
Olioda, lodoB os das.
PREAMAR DE HOJE.
Priineira, 6 horas'e 54 mimttoa da maob.
Segunda, s 7 horas e 18 minutos da tard.
? 'n::'.''
DIARIO
do Halo cle'fSif).
N. H.
DAS DA SEMANA.
21 Segunda. S. Mancos. Aud. do i. dos orph.,
doJ.doelvrl edo J. M. da 2. v.
22 Terca. S.Rita deCassia. Aud. do J. do c.
da I. v. e do J. de paz do 2.disi. de t.
2^1 Ouarta. S. Bazilo. Aud. do J. doc. da 2.
v. e do J. de pat do i. dist. de t.
24 Ouinta. S. Afra. Aud. do J. dos orph. e do
J. M. da 1. v.
25 Sena. S.Gregorio. Aud. do I. do clv.c do
J. de paz do 1. dist.de t.
20 Sabbado. S. Fitippc Neri. Aud. do J. do
c. da 1. v. e (lo J. de pai do 2. dist. de t.
27 Domingo. I'.isclioa do Espirito Sanio.
CAMRIOS NO DA 23 DE MAIO.
Sobre Londres a 25 d. por 1/000 rs. aOOdia.
. Paris 355 a 380.
., Lisboa 110 por cento de premio.
> Hlo-dc-Jaueiro ao par.
Desc. do lett. de HOM Urinas a 1 % ao mez.
Acc.ocs da comp. de Reberibe, a 6l>f rs. ao p.
(Juro.Oneas hespanholas. 31/500 a 3I/S0O
Modas de (>#400 v. 17/400 a I7/00P
, de 6/400 n. 16/400 a 16J60O
de 4/000.... 9/400 a 9/B0f
Prata-Pataceibraallelroi 2/000 a 2/Tj2t(
> Pesos columnarloa. 2/OC0 a 2/020
Ditoi inealcanoi..... 1JTO0 a 1/920
PARTE OFFIMAi.
-* '
GOVERNO 1TA PROVINCIA.
LE i*. 853, DE 21 DE MAIO DE 189.
fiara a S"rea policial da provincia pura o ni
849 a I850*
Manoel Vieira Tosa, presidente ta provincia da
4'crnaanbuco. Faeo saber a todos os setis habitantes,
que a assembla legislativa provincial decretou e eu
sanecionei a le segointe :
Art.1 A fotv>o policial da provincia, para o anno
ioanceiro de 1849 a 1850, constar de quinhentas e
noventa e quatro pracas, formando um corpo de
qiiatrrcompan4iias de infantaria, orpanisado da ma-
neira seguinlc;
fc'iladfl maior t menor.
Commatidante do corpo com a graduaco de
lente-coronel .
Major .
Ajudante conrt graduaco de tsente
Srrreurio dito- dito
Quartel-mestre dito dito
tarnrgiio-mr dito dito
Cirurgiao ajudante com a graduaco de alferes
Sargento-ajudanle
Sargento quartel-ineslre
oruea mor.
Corneta mor.
Componerlo d urna enmpanhia.
1. coiiimandanle com a graduaco de capitn
2." dito com a graduaco de lente
3.a ditos coui a graduaco de alferes
i. sargento
y.- ditos
Furriel
Cabos
Cornetas
Soldadas
Para as ouiras tres companhlai
10
1
1
3
1
8
1
12
a
116
146
438
~54
Total dos pracas do corpo
Art. 2. Os ofiiciaes e as pracas de pret vencero
os sidos marcados na soguinle tabella :
Cniimaiidante do corpo, tur nsalmenlr
Major
Ajudante
Secretario .
Quartef-mrslre
t-irurgio-mc-r
Clrurgiao-ajudaate
Sargento ajudante, diariamente ^*
Sargento qoartel-meitrr, dito
Cornela-nnir dito
1. Culll
1 cuiiiiiiaudante de coinpauhia meaualmente
2.dita dito
3. dito dito
1.' sargento-, diariamente
2. dito dito
Furriel dito
Cabo dito
Corneta dito
Soldados dito
100,000
80,000
(10.000
60,000
60.000
60,000
50,000
900
900
800
70,000
60.0(10
50,000
800
700
650
GOn
650
540
Registrada a folhas 98 do livro segundo de leis.
provinciaes. Secrolaria da provincia de Pemambu- j
co, 22 do maio do 1849. |
'Joilo Policarpo dos Santos Campos,
EXPEDIENTE DO DA 8 DE MAIO.
Ollicio Ao coinmandante das armas. Prohibindo
o artigo I 8 da le de 19 de agosto de 1846, qne haja ar-
ruitiimrn de tropas e qualquer outra oitenteco de
frca militar no dia da elelfSo primaria una distancia
menor de uina legoa do lugar da elelcao, e achando-se
designado o da & de agosto prximo futuro para proce-
dei-sc ein toda a provincia elelcao dos eleitores que
hao de aninear os deputados i assembla gcral legisla-
tiva, asslm o communico a V. Exc. para que d suas or-
dens aflu de que se observe aquella disposiciio da lei.--
Nesle aentid) offlciou-se a todos os conimandanle au-
prriores da guarda nacional da provincia
Dito. Ao coinmandante da divisan naval, rccoin-
inrndando faca apromptar o vapor 7'*fipara sahlanodia
segiiinle para o Rio-Formoso com as pracas do segundo
batalhao deca9adores, devendo regressar inmediata-
mente trazendo a scu bordo o corpo fio do Ccar que
all se acha. ...
Dito. Ao inspector da thesouraria de fazenda, re-
metiendo a tiiiacao dos cornetas Francisco I.uiz de Sei-
xasTe Justino Maoocl de Ollyeira, que se engajaraiu pa-
ra servir no segundo batalhao de guardas naclonaes des-
te municipio, afiiu de que haja de mandar abrir Ihrs os
necessarioa assentamentos de praca. Scirnlilicou se
o cominandanie superior respectivo.
Dito. Ao inspector interino da thesouraria da la-
teada provincial, dizrndo que, visto achar-sc csgolada
a quota marcada para as despesas do Ihralio publico
desta cidade, deve sua mere providenciar para que se-
jaiu entregues ao admlnislrador do mesino theairo pe-
la verba obras publicas os dous cotilos de ria que
se Ihe mandn adiantar para occorrer as despeas a
fazer com o pagamento de ferias dos operarios, com-
pras de cal, lijlo e uiadeiraa.
Dito. Ao inspector do arsenal de marinha, decla-
rando que o ex-secretaiio interino daquella inspcccaii <
capitania do porto deve eutregar o archivo aoscusiic-
Ccssor por meio de um inventarlo, sb pena de desobe-
diencia ; cumprindo que sua mcrce marque hora certa
para esse trabalho que he urna consequencia necessa
ria'do exercicio que leve. Ofliciou-sc n'esle sentido a
cap (ao do porto.
Dito. Ao inspector da pagadoria mililai, ordena.^
do haja de providenciar para que srja entregue ao al-
moxarife do aneual de marinha a quautia de 51/000
rs. que te despenden com agoada para os navios que
servlram de deposito aos prisloneiros. Scieuticou-sc
o inspector do arsenal de marinha.
rommaiylo das armas.
Quarlil-gtneraldo rtmmainlo das armas tm Ptrnambuco,
de aioi'o de 1849.
Art. 3. Os sidos dos olllciaes scrlo cobrados men-
salmente e os das pracas de pret de dez cm dez das.
Art. 4. As pracas de pret se abontro 80 rs. dia-
rios para faillmenlo que dever ser o mais simples
e cujas pecas e duraeflo serlo regulada.s por urna ta-
bella que organiaar o concelho administrativo o
submetter a approvacflo do presidente la provincia.
Art. 5. No ajuste de cuntas das pracas que ileri'iii
baisa, s se Ufes pagarilo ss pei;as de farda^neuto <\w
tiverem vencido por inteiro.
Arl. 6. O oflicialquo eommandar o corpo e os
queservirem do major e ajudante vencern aquello
duas forragens, o estes urna, cada um nn ras3o do
(KM) rs. diarios.
Art. 7. Os ofiiciaes que, estando destacados, ou
cm qualquer aervico Curada capital, Corem demitti-
dos, teein direitoao transporto da volta e ao sold
ateodiaemqueserecolherem capital, regulando
a viagem narasSo de seis legoasvpor dia, contados
daquellc que se seguir ao da rceepc.no do aviso da
demissu ; o que davero justificar por meio de al-
icatados da nutordade policial ou militar que estt-
verum subordinados.
Art. 8.* Os oftlciaes do exercito scrilo preferidos
para os postos de oftlciaes deste corpo.
Art. 9. O servico da polica ser fe i lo com espin-
gardas, j^
Art- 10. Ficam em vigor os artigos \, 6, 9,10,
11,1, 15.16, 17 o20 da lei provincial n. 210 de 28
de julho de 1848 e re vagadas todas as dispusicdati em
i'onlriio.
Mando, poKanto, a todas as autoridades a quem o
conhecimento eexecuQflo da referida lei pertencer,
quo a cumpram e facam cumprir tilo inteirainonte
como nclla se conten. O secretario desta provinpia
a faca imprimir, publicar o correr. Cidade do Ro-
cife de l'ernambuco,em 21 de maiode 1849, vigsi-
mo OiUvo da independencia o do imperio.
I. S.
Carta e lei pela qml V. F.xe, manda exeeutar o de-
rrito te assembla legislativa provincial, que nsolveu
sanreUmar, marrando a frca do rorpo de polica desta
provincia e o* vencimentos qne deve perceber no anuo ft-
nanceiro de 1849 a 1850, Indo como cima se declara.
Para V. U, ver.
-
-*> Francisco Lucio de Castro, a fez.
> .cllaiia e publicada nesla secretaria da provincia
de PaoanasMico, em 22 de maio de 1849.
No impedimento do secretario.o odicial maior
floKamo Corra de Britto.
ORDF.M DO DIA.
Tendn Sua Mageatade o Imperador se dignado conce-
der quatro mezes de licenca com sold simples ao pii-
ineiro lente do quarlo batalhao de artilharia a p
Luiz Pedro Mesquita de Lamre, para ir a cuite tratar
de negocios de sua familia, como fui participado ao
Bill, Sr. presidente da provincia em aviso da repartif.o
da guerra de quatro, e coinmunicado ao Exm Sr. mare-
chal da campo graduado, coinmandante das armas, ein
ollicio de vinte dons, ludo de maio crreme ; n mesnio
Exm. Sr. assim o manda publicar para conhecimento da
guarnicao, beni como que por di apacho do iiiesmo
Exm. Sr. preaidente, de viole dous tainbem do correte,
Idram concedidos tres mezes de licenca na lrnia das
ordens 'em vigor ao Sr, alferes do oitavo batalhao de
cacadores Joaquim de Azevedo Thompson, para igual-
mente ira corte tratar de negocios de sua familia.
Finalmente ordena que o .-r. primelro cadete do se-
gundo batalhao de artilharia a p Maximiaiio Francisco
Peixoto Duartc passe a fazer servico de ollioal, vista a
falta que ha dos inesmos nesse batalhao,
os Pedro lleitor, ajudante de ordens interino'
PEUNAMBUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
SESSAO EM 21 DE MAIO DE 1849.
Presidencia do Sr. Souta Ttixeira.
SUMMARIO expednts.Approtaco dos prvj'ctos ni.
II, 12-e I3 ino, t do-den. 1 em ierceira.-Segunda das
posturas da tmara mnnieipal da Iteeife al
o artigo 12 do Ututo decimo-primeiro.
As lie 3/4 lloras da manhaa, feila a chamada, verifi
ca-se rs la i ni presentes 21 Sra. deputados.
O Sr. I'resiimti declara aberta a sessao.
,. O Sr. 2.' SeerrMn'o l a acta da sessao antecedente, a(
qual he approvada.
OSr. l.^Jecrelario da conla do seguinte
EXPEDIESTE
UmoUiciodn secretario da presidencia, coimniinican-
il'i haverrm sido reuiellidas as cmaras uiunicipacs desta
cidade e da Victoria copias dopaiceerquc lambein por
copia accompanhou o nflicio do primeiro secretarlo, da
Laen.bli a, datado de 15 do crreme, acerca das cuntas
Manoel Vieira Tosa, da* mesmas cmaras luteliada.
Outro do iiiesino, tranamillindn nina copia aulhenli-
ca do retatorio da adininislracao do palrimonio dos or-
phos.A* commluao de conls provinciaes.
Outro do niesmo, remetiendo o quadro da divida ac-
tiva desla provincia at 31 de dezeuibro de 1848. A'
commisso de fazenda e orcamenlo.
Outro do primeiro secretario da assembla provincial
de Sergipe, acensando i einessa de una collecao das Iris
do auno proiimo passado all promulgas, e pedindo que
se Ihe remeta lambeiu ouira das decretadas aqui.Ao
archivo.
ORDEMDODIA.
Sao asprovados rm primrira discuasao os projeclos
nmeros 11, 12 e 13 deate anno:
O primeiro declarando que estao comprehendidos na
lei provincial numero 82 de 4 de mulo de 1840 os cm-
pregados da secretaria da assembla provincial;
segundo rcconheccndo que o prnfessor jubilado da
cadeira de prlineiras lettras da villa do Po-d'Alho, Sil-
vestre Antonio de Oliveira Mello, alm do ordenado com
que fra jubilado, tein dlreito a pcrccbcr a gratilicafao
annual queja percebla;
O tercelrodecidindo que a professora jubilada da ca-
deira de prlmelras lettras da fregucim da l)oa-\ isla desta
cidade, D. Josefa Mara da Concelfao Marlins, lem di-
rclto a pereeber o ordenado correapondruto aos annos
que servir sem Interrupcao, bem como gratllicacao
que percebia antes da jubllacSo.
Entra em tereeira dicuaso o projecto numero 1 deste
anno, que determina que os limites da freguezia de
Serinhacmelpojuca lejam os inesmos que eram antea
da lei provincial numero 25 ; instaura a freguena Ue
Harrciros com os inesmos limites que tlnha, c reso.ve
que os d Tina e Rio-Formoso sejaiu os que eram antes
da lei provincial numero 151. .
Val mesa um artigo additivo do Sr.Baptisla'acerca
da povoacao da Serra-Talhada.
OSr. Malta Si/tvra :-Sr. picsiJcnte, quizera que se
consultasseo Exm. Sr. hispo diocesano sobre esse arti-
gdadditivo; porque nos, com a sua toformacao, pode-
mos inelhoroientc entrar na diseussao."
USr../oMiifmPi7/r/a:-Oirgiiiriilo nao ordena isso.
OSr MeMa Silveira :-HSo ordena o regiment; ha,
porm, um aviso que isso determina, e por conseguin-
te nao se pode prescindir desta consulta; tanto mala
quanlo mullas vrzes em casos idnticos a casa lem de-
terminado que ellas se facam. Firmado nesses preceden-
te, he 'ue cu reclamo por essa medida.
O Sr. i. A. de Figneiredo :-Sr. presidente, cnt.Nido
que as dlvlses e desmenibracfle das freguezia, nao
devenios ter snientc ein vistas as vantagens espirituacs
que dahi resullam para os povos : devenios ter tanibem
cm atiencSo as vantagens sociars ou civil.
A desmembra! .> de una fregueiia, Sr. presidente,
he um negocio de milita consideradlo, porque val le l-
os dirrlloi adquiridos pelo respectivo parodio, dnni-
nuir-lhe a posieao, e a renda alias legitima ; vaierir
os habitantes dessa freguezia, tornanJo-lhes talvri
mais dilliccis os occorros espirituars c, pois. nao ha-
vendo iuforniacocs na caa, en cnlrndo que o autor
deues artigos addilivos as deve dar.
Deinais, senhores, como iiiembro da commiisao de
estalistica, lenlio em meu poder um requerlineuio do
parodio da fregurvla da Fazrnda-C.rande que versa so-
bre esta qnestSo ; lito he, sobre o desmembramento da
serra de Una que esse vigario requer que se annexe a
sua freguezia, allegando que esse territorio dista me-
nos drlla .lo que da freguezia da ferra-Talhada a que
perlence; porm anda nao foi ouvido o nutro parodio,
neinmesmo o fram as autoridades do lugar, cujas
inforniaccs multo convenientes serian para ajuizarmos
daa vantagens ou inconvenientes dessa divisan.
Eu peco, poli, Sr. presidente, que se adi essa diseus-
sao, ao menos al que eu de o nirii parecer ( o que tal
ve aconteca amanhaa J sobre este negocio.
O Sr. Baplisla :Como o objeelo do artigo additivo,
he o meimo do reqiierimenlo que esta allecto i coin-
missiio de esiat.stica, eu convenho em retirar o artigo,
para quando a cominissao dr o seu parecer : todava
quero sempre dizer algiima cousa acerca das inrorma-
ees que fram pedidas pelo nolire diputado.
Desda multo que os habitantes deste terreno compre-
hendido na serrade Una.e que pciiencc a Serra-Talhada,
requercram que elle ficasse perlcncendo a freguena da
FazendaGrande. O visitador, compenetrando se das
neeeiiidades destes povos, assim o resolveu provisoria-
mente. Exilie \\a casa o reqiici ment em que esses
inrsinos povos pedem seja confirmada senielhaiile reso-
lucio. Se nao me engao, o Exm diocesano ja fm ou-
vido a reipeito, e as suas Inforiltacoel fram favoraveis.
Ouobre depulado que he menibro da coinmissao de
estalistica. ha de ler estes documentos em seu poder.
Em lodo o caso insisto em requerer assembla que
me conceda retirar o artigo; e, como disse, esperare!
que a conimisiao apresante-o resultado de seus traba-
Ihos, para cnlao tratar desta materia
O Sr. Ferreira brrelo: He para ser coherente com
os meiis principios, que vou lomar parte na diseussao.
Sempre que aqnl se ha tratado de nogocios ecclesiasti-
cos, especialmente daquclles que leein relafao com fre-
guezias, eu tenho reclamado que se 0119a o Exm. Sr. his-
po ; e, pols,:Oto poiso deixar de pugnar para que agora
lambein se proceda asiim. Se S. Exc.j foi ouvido sobre
esta materia, rnt.io a casa pode obrar como Ihe parecer,
vlsla os documento! de que esl de posae ; se, porm.
S. Exc. ainda nao emillio opiniao a respeito, voto para
que cites papeii Ihe sejam icinetlldos.e emendo que nao
e deveenirar nesla disco-sao, senao depols de haver ob-
tiflo mposla do incsmo Exm. Sr. A se nao proceder as -
sim, haver Incoherencia da parte da casa ; incoheren-
cia de que a snpponho incapaz, c na qual nao quero a-
companha-la, se, contra as minhas esperanzas, ella bou-
ver lugar.
Consultada a cada, prrinittio que o Sr. Haptista rcliras-
se o seu artigo additivo.
Continua a diseussao acerca do projecto.
OSr. Motta Silveira (pela ordem;: Como he esta a
ultima vez que o projecto entra em diseussao, desejo
que V. Exc. o ponha a volos por artigos, visto que riles
comer ni material diversas, e pode haver quem vote por
uns e contra oulroi: -eu, por excmplo, ao passo que nao
acl.o ba a materia de alguns deis. artigos. pronunci-
me por outros ; mas, se a volncao fr englobada, nao te-
rei outro remedio senao rejeitar todo o projecto.
OSrJerreira llarrelo: O uobre depulado lem rasao,
mas o falln quando devia ; islo he, na segunda dis-
cnss.o: era entao que llnhain cablmenlo todas cual
ideias que o nobre depulado acaba de expender; mas
agora, cm tereeira diicmsao, sao contra %s b*sea.do re-
giment da casa ; esic proceder nao esta na ordem. l.u
quizera que assim se procedesse ; mas ja nao he lempo,
e por isso conformeuio-nos com o que ha.
OSr. Joaaiiim 1'iWa : -Sr. presidente, o uobre depu-
tado lembia mua cousa que he contra o leginieiito ; por-
oue este manda que na tereeira diseussao a volacao c
diseussao seja englobada. Na segunda dUcuisao, discu-
tio-se, e yotou-se por artigos; cada um do nobles de-
putados podia volar pro ou contra, segundo entendcsie;
U, pols, todos osarligos passaram por vontade da inaio-
riadacisa, lie porque ella quer que passe o projecto.
Nao vejo, portanlo, rasao alguma para se proceder
como quer o nobre Icpulado.
OSr. Xavier Lopes: Sr. presidente, no pono deixar
de oppOr-uie ao artigo segundo do projecto, que ic con-
MUTILADO
sldera cm tereeira diseussao, pelas ligeiras considera-
ciiei que passo a expender i casa.
O anno passado creio que em \ rinde de rrqueriinen-
lo do parodio de Serinliaem, ouvido o Exm. diocesano)
Ibrinulou-se nesta casa, depois das discussOes do estylo,
c foi sanecionada a lei que se quer derogar pelo referido
artigo; lei, Sr. presidente, que ainda est, por assim di-
zer, palpitante; lei que teve por tiin leparar urna in-
justica feita ao parodio de Serinliaem, e que discriminnu
eexlreinou 01 limites entre esta freguezia e a de Ipoju-
ca, evitando conflictos de jurlldlcfo que poderiaui
dar-se entre estes dous parochoi: nao sei, pois, que
novas cuisideraeiics, que plausiveis molivos se pdeni
dar lioj,' para voltar-se ao estado em que jaziam as mu-
sas antes da lei que revoga este artigo do projecto; lau-
to mais quinto devo suppor que fram pesadas c rcfler-
lidas as consideracors de uiilidade que devem sempre
acompanliar o voto do legislador ; todava vejo j pres-
tes a concluir-se um projecto, que. suppondo, como de-
vo, as un llioics Intencoes cm seu autor, com tudo nao o
julgo bastantemente couhecedor das localidades que
quiz lixar, rrlrocrdendo ao estado de confiitae em que
estavain esle limites, do qual rrsiillarao nfalllveluien-
le serios Inconvenientes. Se, pois, houverain estas con-
sideraces, naos apreciadas por esta casa, como lam-
bein pelo ordinal io dadiocese e pelo presidente da pro
viuda, em que se poder apoiar esta lei? Que uliiidadc
publica poder resultar dessa emienda entre i s paro-
dios das duas frrgurzlas?
Eu, Sr. presidente,servir-me-lici da opportunidade pa-
ra declarar ella casa com loda a fr.inqiicia, que nao
conpartilho a opiniao de se andar Indos os anuos a divi-
direin-se aifieguczias, allerando-se seill limites; crean-
do-se mus e siippriniindo-sc oulras com una facilidade,
para uiiin, espantosa, e que consta de nnssas coHcccocs
de lei; provinciaes; porque isso nada menos importa
do que una versatilidade. nina inconsequeneia da as-
Kmlila provincial, ollendcndo-se, militas vezes, os d-
rcilos parocliiaes.
E como he, Sr. presidente, que, nao leudo nos entre
mos os mappas nein a eslatislica, multas vezes no ve-
mos Toreados a votar sem os suflicientes esclarecimen-
los, sem conliecinicnlos locaes. pela ilinple lembranca
de um ou ouiro depulado que formla sen projecto c nos
oll'erecc diseussao os limites das freguezias?
Srnhores, emi|iiantu a iiiim, isso nao he cousa de pou-
ca cntidade : de su. clareza depende, soUre-modn, a boa
admtnltlracao dos soccorros espiriluaes que a lodos os
rrspeitos sio da priineira importancia; dellcsestio de
peudenles as rendas do parodio e a exrcucao de leus
deveres.
Einqiianto instauracao da frrguctia de Ilarrciros,
nao srrei eu.-Sr. presidente, natural e aindi ha pouco
hahilante de Rio-Formoso, e por consequencia conhr-
cedor das neceisidades dessa comarca, que deixe de re
coniecer sua utilidade. Essa frrguc;.ia foi lambein sup-
primida por urna dessas faltas que ha pouco cemurei ;
e .io localldade, populacao, e meimo a njusllca prati-
cada com o scu parodio, reclainain sua initanraco ;
porquanto, sendo siimmamente grande a freguezia de
l'na, collocada aqnin e alm do rio do meimo nome,
sua populacao crcscenle nao poda deixar de ser dividi-
da, c com juslica o havia sido. Por isso voto, de boa
vontade, pelo art. 3." do projecto e contra o art. 2.
Val mesa, c he apoiada para entrar cm diseussao, a
seguinlc emenda :
- Siippriina-sco art. 2. do projecto n. ldeilcanno
S. It Xavier Lopes.
O Sr. Joaquim Villela responde aos argumentos do pre-
cedente orador, e nstenla o artigo do projecto, obser-
vando que com elle nao 3C faz mais do que repor as
colisas no estado em que primitivamente le achavam.
OSr. Ferrrira llarrelo sustcnt.To artigo, expendendo a
favor d.lic varias rasoes. I .
0 Sr. Xuri'er Cop:-8r. presidente, tu crea Iflejiao
fui bem coinprchcndido, ou, sem duvida, n me.ex-
pllcaria devldamcnte, atienta a inlerpretacao que deu
anillen argumento o nobre depulado primeiro secreta-
rio. Eu havia dito cm sustenracao da emenda que sub-
inrtll consideracao da casa, qne era urna desuecessi-
dade senao una iiijuslca, que nao quero qualificar nei-
te momento, a disposicao do arl. 2.* do projecto ; por-
que anda mullo recenleiiienle decidio-se eassentou-se
(CU sempre snpponho que a lei assenta sobre tuna base
solida) que os limites tracados pela lei n. 225 do anno
pissado sa achavam suflicientcmenle debatidos, com
audiencias das autoridades mais habilitada para conhe-
oer das cousas espiriluaes, c niesmo com o assentiinen-
to desta assembla ; mas o nobre depulado disse que,
eu mostrando allciciio, ou querendo sustentar os direl-
tos j adquiridos pelo paradlo de Scriiihein, de alguma
maneira me contradizia, por Isso que a disposicao do
art. 2." nada menos importara do que una restiiuicao,
de longa data, feita ao parodio de Ipojuca ; mas, es-
quecendo-se do seu argumento, creio que se involveu
o nolire depulado na conlradiecao que me quiz imputar,
porque disse que devia passar o artigo, pela raaao de
j.i ler sido mollineado, ou ler sido marcada urna porcao
de Ipojuca para Serinliaem ; entretanto quj eu, pug-
nando pela disposicao da lei n. 225, quera o contrario
disio. Mas, Sr. presidente, cu nao quero refatlr-me,
de maneira aiguma, a essa coutradanca (como Ihe cha-
non o nobre depulado que me fica ein frente) a eisa
coutradanca legislativa...
,!Jijiin ou. Deputados :Eleitoral...
0 Sr. Xai-ier Lopes : Eu Ihe chamo legislativa, porque
a vejo apoiada na lei c autorisada pelo poder legislati-
vo; mas nao quero entrar, dizia eu, nesta questao de
tereni sido, ou nao, alterados os limites das duas fregue-
zias; o que sei, be que liouva urna reprrjeiiiaf'io do pa-
rodio de Serinhaeni, urna representarn fundamenta-
da, a qual foi aprrsentada esla casa, que mandn ou
vroSr. hispo, c com sua aulorisacao e parecer se le-
giblou ; entretanto que agora apparece, sem niaiores
prembulos, um artigo nnllilicando tuna..livisao. esta-
bcl.cda, e que eu ouso aiUucar aWfMCM*V*
licar. como vulgarmente se dia, pemr a ciucnda .do que
c stS sem que se mostrem as ra.oes de con:
.,. ,.ne iiiurlla por ella icvogada ; porque,
no niesmo caso*'**'>* percorrido enea lugares
senhores le preciso fJft||a| ^,
^ d"^m Pallad" alm de que foi esta medid.pe-
dida"reclamada pelo respectivo parodio .ouvido adkoe
o Ex' prelado que julgou ...ais ut.l a divisan .rajada
Morest. le, lo mil e beneiica, que foi adoptada para
divisio civil cnire os dous termos entretanto este pro-
jecto nao icm seguido os mesmos transmilcs, nein se
ada revestido das mesmas circuinsiancias; porquanto

I

h

i



.
. .- .____


.
nenhum dos parochos rrclamou nova dlvisSo das fre-
Bu''''*' n^ lol, que me conste, ouvidooSr. bispo.,.
O&r. Joaquim filela :Fui ouvido.
O Sr. Xavier Lopu;E concorduu S. ElC. ncsla d-
viso ?...
O Sr. Joaquim l'illela : Nao sri, porque, para fallar
com franqueza, nao coiuprclicndi bou a inlorniaco de
S. Bao.
O Sr. Xavier Topes ;\ ter o Sr. hispo concordado
nislo, nao sci al que ponto lici de avaliar o seu criterio
neslas i-misas : ha pouco fui onvido sobre a divisao mar-
cada na lei n. 225, e disse que conviuha nella agora,
so disser que j. nao osl por sso, dar-se-ha unta hico-
hi-i u i.1 da sua parlo, u que supponlio S. Ble. nao !a; a;
o, para nao aju/zar temerariamente, vou Icr a respotla
que o Sr. hispo onviou .i casa. [Lt)
Ora, si-iiIiim-i-. a informadlo do diocesano lie om
apoio da mi.,lia opiniao : cu nao poda acredilar que o
.Sr. hispo, leudo einiltido o seu julio em favor daquella
dmsao, podesse ja lao recenlemeiue, sein apparecerem
..ansas en.cicnics, fater urna tao repentina mudanca !
pin tanto esta miaba opiniao, c por couseg.tinle a iniuha
emenda, "miada uao so as rasos que expend, mas na
autorldade do Sr bispo. o conscqueiiteiuentc nao lo-
mos motivo para continuarmos nesla contradauca ...
USr. Mana Monleim : Parar j, depols de tor con-
lradancado tanto, nao he hom.
OS .Xavier Lopet :Conclun, Sr. presidente, volan-
do pela emenda que tive a honra de mandar mesa.
O Sr. Joaau'm Yillela insisle as Licias que anlc-
riormciue emillra; da algumas expllcacOei acerca do
motivo por que nao entender hrin a opiniao do dioce-
sano na materia subjoita ; c concluc votando a favor do
projecto.
Encerra-sc a discussAo; o, sulinictlido o projecto vo-
tac.to, he approvado, sendo rejeilada a oinonda.
O profeca passa comiiiissf.u de redacoao.
Contina a segunda discussao do Ututo in das posturas
da cmara municipal du Itccife.
Oart, i.", adiado na srsstio anterior, por falta de nu-
mero, he prejudicado. Juntamente com as rnii-ndas of-
lerrcida* polo Sr. Mol. Silvcira, sendo appravada a
emenda do Sr. Mavignler.
Ait. 2. .Ninguno poder mandar ra escravos ou
esclavas, sem que sejain vestidos de rnupas que lhes
m os corpos, nao sendo essas roupoj esfranga-
*s
g
.*
5*
====
Supprima-e a palavra-luz.--Fiquiiredo..
Tanibcm se approva o artigo 5., redieido deslc
modo: "
Dttearregam hojs,1i t Mato.
PatachoOovernor-Carver mercadorias.
Gal iota Catharina idoin.
Ilrigue t'onceie'wde-Maria dem.
Ilarca Narval bacalho.
liria ne Camarim couros.
Barca Navarre farinha.
Ilrigue Herald bacalho.
Ilrigue Emma dem.
Arl 12. Osdooos do 1> Mamas e posos que as falslfi-
carcm com acerrscimos, qui'r movis, nur lisos, se-
rfio multados em 12/ rs.
n i a hora.
USr. Prndente designa a ordein do dia, e levanta a
sessao.
l)lil!tl(NIEPllJCuT
lliadas; debaixo da pena de o senlior pasar de mulla ill Iroro qualro dias de iiiisao.
rJis.it .
Iloapprovado com a segulnle emenda :
" Artiga .Substitutivo ao arl. 2." do titulo 10.A ne-
nhuin individuo llvrc ser poriuitlido andar nas mas da
cidade e povoacoes do municipio, sem calca e camisa
por dentro da calca : os esclavos su nadera sahlr ra
honestamente vestidos : us iufraclores sofl'ieio a mulla f
de 2/rs paga a dos escravos pelos scus senhoros.S, II, I
/'ma.
Arl. 3. Toda a pessoa que de dia lor achada nua ci
boira de prala, ou. lomando hai.hos com os corpos des-
collnos sem a devida decencia, soffrera a incsina pena
declarada no arligo antecedente, com a inosma propor-
cuo. Sendo, porcia, os transgressores, comprehendidos
no antecdeme c prsenle artigo, perlcncciiles a corpo-
races militares, scriio entregues aos seus co......andan
tes respectivos, paia osles lhes faterrill applicar a com-
pleme pena de prisao.
Approva-so com osla emenda :
upprin.am-so as palavras--sendo, porin, os lians-
grcssorescni diante.Joaquim filela.
Km seguida su approvados sem discussao os seguimos
artigo*.'
ii Arl. 4. Ko ser prrmiltido acoular escravos nas ca-
sas particulares, demudo que os seus gritos, ou estre-
pito das i lu lilailas iiii-nmn
Art. o. Os padeiros san obrigados a ter no inaior as-
seio c Ittnpcza a manufactura e deposito dos pes, assim
como a fbrica-Ios com fariuhasaai: os Infractores se-
rio multados em 12/rs. c perderaoas fariirtia se csli-
verem arruinadas.
l'.nlra em discussao o seguinte:
Arl. (> Fica prohibida a venda de garapa de qual-
quer nalureza que soja: os iufraclores serao multados
em 30/rs., c soflerno seis dias de prisao ; c na reinci-
dencia, alm da multa dobrada, solirerao 15 das de
piiso.
lio approvado com seguinte emenda :
Fica prohibida a venda de garapas que possam ar-
ruinar a sade os iufraclores serao multados em 30/
rs., e na reincidencia soflrero, alm da multa dobla-
da, 15 dias do prisao. J. Yillela.
Km seguida sao approvados sem discussao os seguin-
los artlgns .-
Arl. 7. Fica prohibida a venda de agoas ai denles
aos escravos, sem que osles apresentem bilhetes de seus
senhoros, por clles asslgnados, que auloriscm a venda : ditas lijlos; a ordem.
os infladores seraosubjtitos s penas do arligo anlece-
ilenle.
o Arl. 8. Nonhuin vendedor de couros poder mnda-
los expdr ao sol enf outros lugares que nao sojain areial
do Uiuin, das iuco-l'milas, (.abauga, cortuiiie dos (pi-
lilos, cinquaulo nesses lugares nao lioiivercm ediflea-
eei : os Iufraclores serao multados om 12/800 rs.
k Art. 9 'miiIiuiii vendedor de carne secca poder
expr ao sol as carnes, senao nos lugares Indicados no
artigo antecedente : of infractores serao subjeitos me-
lado da mulla do artigo antecedente.
Arl. 10. Os portos dos embarques se conservarn
linipiis e sem algiiiu einhaiaeo que incommode a con-
currencia das pessoas que se destinarem aos embarques,
ob pena do pagar 2/rs. de multa o aduiinislrador ou
Capataz, di porto ouibaracadn.
Arl. II. Fica prohibido a qualqiier meslrc ou do-
no de navio, qiulquer que soja a >ua denomiiiico,
amanar ou fizor amarrar, ou dar espas nos esteios
da poni do itccife: os infractores serao limitados em
3"/ rs. : e na reincidencia, alm da mulla dobrada, sof-
IMPOnTAfJAO-.
Sovereign, barca inglea, viuda de Glasgow, entrada
no correle mei, consignada a Ridgway, Jamelton &
C, manifeslou o seguinte:
150 toneladas earvo de nedra, 200 barricas cerveja, 4
ca xas folhas de flandres, 2 ditas obras de ditaf, 5 ditas
quelios, 5 barris Ilugoa*, 5 calas cachimbos, I dita gra-
sa, (iglgoi c 1 barrica louca ; a Ridgway C.
1 cai\a roup.-i feUa ; a Yf." Dolg.
125 barricas cerveja ; a Adainson llouwu- e\C.
5 caixas fazendas de algodo a Johojton Pater tt C
50 toneladas carvao de pedia, G calas cachimbas, -
CONSULADO CEIIAI-
lleililinienlo ilo ili i 23. ....... (
Diversas provincias ..........
._______ .
CONSULADO PROVINCIA!,,
Rendlmento do dia 22........."
ii
.2:786/512
9/655
2:900/167
. l:349/;>97
iVIovimento do Porto.
----------------------------..
LlOtrC, 23 DEMAIO DE 1849.
rovou hoje o
iiiodem os vizinhos, ou M que
iransiiaiu ; nssim como o nao ser o castigo de palma-
toadas ou pancadas, dadas tao a miudo, ou lo repelidas
vc/.cs, i|uc un momoili ni os vizinhos os infractores se-
rao multados em 1/000 rs c na reincidencia em 12/000
lis.
Art. 5. Eica prohibida nas casas particulares o casti-
go nos escravos desde o loque dcrecollicr ateas ti horas
da manhla : os infractores sero subjeitos s mullas do
arligo antecedente.
Art. 6. Toda a pessoa que der asvlo a escravos fugi-
dos, alm da rospousahilidade, ser iiiultada i m .'.'i.-.iinn
rs.,' c soflier qualro dias de privan; c na rcim delicia,
ah-in do dobro da mulla, sollrei 12 dias.de priso.
Passa-inc ao art. 7", redigido assim :
Art. 7. Hcam prohibidos os papangg nas procis-
soes. o os judas nns sal,ha,los de alleluia os jnlracloies
pagarn de multa 4/ttU0 rs. e solirerao doui dias de
priso.
He approvado com esta emenda :
Km lugar de 4/000 rs.-diga-sc8/000 rs.Uolla
Silveira.
.Seguidamente sao approvados sem emenda os lesuin-
tos arligos. "
Art. 8. Ficam prohibidas as farcas publicas, em que
se aprrsenleiu individuos ornados com insignias eccle-
siasiica, arremedando as luncces do sagrado minate*
no: tf infraclores sern multados em 30/rs.; e, se f6-
leu iscravos, solirerao qualro dias de priso.
Art. 9. Fica prohibido que se consliuaui nidios fu-
ra das casas desie municipio : os iiifracloies sero mul-
tados em 20/000 rs. e os nichos serao tapados sua
usa
He rrjeitado sem discussao o segiiinic :
Arl. 10. Ficam prohibidas as brisa de irallos cus
donos sero mullidos em 10/ rs.
Entra em discussao o Ululo ll.
Xrt. I. Todas as casas publicas de bebidas, tabernas
OU barracas que vendereni inolhados, sero fechadas s
novo horas, o no lempo em que esliverem abortas de dia
Ol de uoite nao adunlliro njiinia.iicnlii de pelos c va-
dlos dentro dolas, logo que esliveiem prvidos da mor-
cadoria, fazendo-osiiiimediaumeiilo sahir, sob pena de
pagar a dono da laberna, leja de bebidas ou barraca, (i'
rs. de mulla *
lio approvado.
A assoinbli'a legislativa provincial appr
parecer da cominisso de posturas acerca das padar'ias,
hom como urna emenda oilereclda ao que diiia resuello
as fabricas de caldelreiroi, segundo a qual os donos
desses esiabelocimenlos devcm de remov-lo* dentro
do prazo de duus metes ; approvando igiialmehte o pa-
recer em que a coinmisso de legislafo declarou que os
empregados provinciaos roinlogrados r.o estao subjei-
tos ao pagamento de novos o voltios direilos.
A ordem du dia para a sosso (le anianlia he conti-
nuacao da numero 10 dosic auno.
, \avioi entrados no dia 23.
Terra-NVa ; 35 dias. brigue Inglcz Emma, de 208 tone
ladas. capilao William Williams, cqurpagem 13, car-
ga 2.500 barricas coiri bacalho ; a James Crabtrce &
Companhia.
Neiv-York7^9 dias, vapor inglex Vnicorne de 650 tone-
ladas, commandaiile James Daclev, equipagem 90.'
Conduz 47 passagelros para a California. Vem re-
frescar^
(Jersey ; 37 dias. barca ingleza Rota, de 197 toneladas,
capilao John Bosinvegier, equipagem II, em lastro ;
Le Kralon Schara min k Companhia.
Parahiba;\f dias, hiale brasileiro Tret-lrmoi, de 31
toneladas, capilao Manocl Ignacio da Cunha, equipa-
gem 5. carga loros de mangue ; ao capito. Passagel-
ro, I .ul ni A do va o Ha n ilen a de Mello.'
Cotiiu>uiba> 4 dias;abrigue sueco Wickmgtn, de 150 to-
neladas, capilao O. L. Larssen, equipagem 8, em las-
tro ; a I- III-ouin Sc'iaramm.
llainb.irgo ; 50 dias, gallla hanoveriana Anna-Rabecca,
de 120 toneladas, capilao H. P. Frederieks, equipagem
7, carga fatendas, cimento, genebra e mals genero do
guando, em o Diario numero 110, iKlkiiios do Te-
/i.mu que a assiu i irao coinmcrcial fizern celebrar na
matriz do San-Frci-I'edro-Goncalves, em aeco de Bra-
cas ao OMNIPOTENTE- pelo restabelecimenta da paz
ncsla provincia, cscapou-nos dizer que o Exui. e Rvm.
bispo diocesano assislio a esse aclo.
O vapor Paquele-do-Snl, que hoje largou deste porto
para o do Rio-de-Janeiro, leva a sen bordo o Sr. coronel
Joo Jos da Costa Pinoniol, que, segundo gcralmcn-
Ic se di/., vai presidir a provincia de iMallo-Grosso.
Produziram o eil'eilo, com que a principio nao conta-
mos, os annuucios pelos quaes o cnsul de S. M. Flde-
lisslina, om nonio do respectivo governo, convidou por
osle jornal alguns do seus concidados a iiem para Mos.
samedes com passagom granula, comodonas por seis
mozos e mitras vaniagciis, alim de fundarein all una
colonia, que toni por principal oljecto o cstabeleci-
- trener
paiz ; a N. O, ilicber.
CardilF; 37 dias, brigue Ingle?. Sled/ot, de 178 toneladas,
capilao Jams Hall, equipagem 10. carga carvo de pe-
dra ; ao agente da companhia dos vapores.
Navioi itthidot na meimo dia
Mossameiles por Loanda; barca brasiloira Tentativa-Fe-
liz, eapito Antonio da Silvcira Maoirl Jnior, carga
agoardente, fabricas de moenda e varios objeclos de
agricultura, com 170 passagelros.
'rmenle!, o capito-tenente Ernesto Alvo Hranco, D.
Fciizaido de Araujo Lobo e sua familia, Henrlque
Pcreira de Lucena Jnior.
Rio-Grande-do-Sul : brigue brasileiro Paqueltdt-I'er-
nambuco, capiiao Joiio Goocalves Rios, carga assucar
e agoardente.
Canal, brigue inglez /oimj-meoiijs, copitao fboinat Wat-
ters, carga assucar.
Parahiba ; hiale brasileiro Parahgbann, capilao Nicolao
Francisco da Costa, carga varios gneros.
Camaragibe; late brasileiro alinda, capito Eslcvao
Ribeiro, carga varios gneros.
k- reparticaa das obras publicas compra par.
concert provisorio da ponte de Santo-Amaro o em-0
te : 24 taboas de assoalho de louro, 3 loaos travetsat g
oaibros, e 100 pregos: as pessoas jue pretenderen! fr
necer ditos objectos, compare,am na mesma renan; -
s horas do expediente. '""fao
Adininisiraco geral os obras publicas. 23 de malo d
849 Jos de Barros Faledo de Lnrerda, admlnlsirador
O vapor Impiratrit fecha as malas >
o portos do m hoje( 24 ) s u hoJ^*"
as correspondencias que viercra qji' \
desta hora pagaro o porte duplo ates
rio-dia, e desta em vante nao se receberq ratli
TIIUATRO DE APILO.
hoje, a* di: maio dbJ
CHANDE V. BXTRAORbUAIU MRrKM.NTAfjAO
Em beneficio de i
Augusto I.uiz Moeser,
concertista jvnlo as corles de SS. MU. os relt da pns-
tin e de Dinamarca, que tiesta noile/ar a imapri.
metra e untej apparicao.
Alm das peca que Sr. A. L. Motter eaecutai ni
i aboca, a insigne cantora l. Alejandr cantar por rj-
pecial obsequio duat grandes arias italianas, com acotn-
panhamenlo de loda a orehratra.
Para tornar mals brilhante esta noitc, liaver ussarea-
nio dat prlncipaes bandas mlliures da (UarnleSp, t%
exeeulario varias pecas das operas aa mau acredatuii
formando assim mu
CONCERT MQNSTRO
de mais de cem executore,
P rogramma.
parte i.
N. 1. Grande ouverlura da opera
do Donlzetli.
N. 2. Andante a duat totee, cadencia com acompanlia-
ment e variacocs, sobre o motivo lialiano
O CARNAVAL DE VENEZA.
composto pelo immortal Pagannini, ejecutado pelo Sr,
A. L. Bloeser.
N. 3. Marcha biilhante eitrahida da opera
de Verdi, executada pela msica do sexto batalhao df
cavadores.
. 4. A grande arta da opera
HERNANf,
de Verdi, cantada rn> italiano pela Sra..Alexandre.
N. 5. Tima brilhante valca original
composla pelo Sr. Manocl Augusto de Mcnetea Cosa,
inesire da banda de segundo batalhao de artiiharia a p.
executada pela mesma banda.
N. 6. Inlrnduccdo, Ihema, variacott
composla e executada em
EDITAE8.
.}c,,t\\, i'lUC ""''Wl Roneros ou fazendas
di.hs ,rr ";1,"r''a- *lf'ja, que devcreui sor mo-
da o el. ,r ? SV:'" b' '8a'10' a "' "-'<'>'> >nedl-
flas e pesos afei idos dentro do auno linaneeiro,
porluguo7.es, entre os quaes vo trinl.i a quaronla fami-
lias, peitencenles a vatios desses hoineiis que, acceden-
do a soincllianle convite, nao escrupulirisaiam em tro-
car os coinniodos deque J goxavam entre mis pelos
azares que nccessarianionle loro de correr em Ierra
que pela voz primeira pisaro, e que porveritura nao
possue ni ni,mu dos bous predicados eme lite etn-
prcsiam. '
**"*- aatassi nao.iziuis.-^iiatja
('ommiiiiicado
to miz
ojo, qiiiilla-fclra 24, he o dia no qual osle insigne
sl.i val apparecer peanlo o publico pernambucano
APPARICAO' l'O CAVAI.I1K1RO Al!
MOESER.
Hoje,
arjis
no (-onceno nonstro que vai lor lugar esla'noe''tca-
liode Appollo. lano no lotoresso do Sr. Moeser, co-
mo no intcresse do nuu.oroso publico que esli ancioio
do ass.sl.r ao lrililn| lio q,. |le vai celebrar boj; po-
demos declarar que muanVranirnc ser esta fclte a
nica vez que o eavallieiro Moeser val pieson|ar-se em
publico ne,(a nossa cidade, rlato que logo elledc\e se-
gnu- pata o Un, ; o por isso nao pd acceder aos pedi-
dos gerara do dar ...ais representan!* ; pcUidoS que ua-
tuialiiienle dove.n seguir a sua primeira apparleo. O
.Sr. Moeser nos,la,a un. pra>or iuuilngrfu.de e.vectitan-
tlo a lamosa cantiga portogueza .1 Snhya, sobro a qual
compoz cxpicssanionle limlissiu.as
lie
documcnlar.
He approvado com a seguinte emenda :
a Suppriina-sc na primeira parle do ai tieo-. n<.i.
vra-todas.-JoAOim filela a ""
Arl. 3. Fica suspenso na afericocs de pesos o t.so de
lazer^so accresc.n.o por argolas ou ganchos que se nos-
san. fac.l...enle separar, devendo oslas ser soldadas o
as pecas mencionadas nos bilhetes de -Aricao sb pena
de pagar o abridor 1/000 rs. pela loiraccta de cada
He approvado.
do"lu'z"J;itlef|U.C." P0?" "*". W" ou azelte
iuulu.,Ials,f,cad08:" hilraciore, pagarlo (J/000 rs. de
He approvado com esta emenda :
- ............ var.afucs em
Llabda, onde toda* a> vezes que elle l loeava havia urna
endiente numen-a qo ihealro le San-l.arlos. Iloie
poitanio. he o rendei-vous da nobreza e das pesso-ai de
bou. goslo, e apreciadoras da arle musical ; hoje que
deven, cnchoi-sc as galenas das litis formosas da-
mas peiiaiiibuoanas. e da briosa fiicialidade desta ci-
dade ; boje) qde se irala de galatdoar o mrito transcen-
dente de mu dos man,res talentos que ora apparocem
no mundo artstico ; boje ser nina noile da qual licar i
urna '
d
= O lllin, Sr. priineiro rscriplurario sorvindo de In
pecior da ihesoui arla da azenda provincial, em virlude
da resoluco do tribunal administrativo, manda fairr
publico que no dia 24 ( hoje ) do crreme ao meios
dia, peanle o inesu.o tribunal se bao de arrematar em
hasta publica, a quem por menos fiter, por tempo de
1 anuos, a contar do I. de julho deste anno al 30 de
jiinho de 1850 us contratos da .lluii.inaeao publica se-
guintea:
Do caea-do colleglo c palacio do governo, ava-
llado o cosleio diario de cada iampco por 232
Fregueiia do llecife dem por 180
Dila de .-Antonio dem por 180
Dita de S.-Jos idem por J80
Dita da Ka-Visia dem por f80
PovoafSo dos Afogados dem por 12
Freguezla da S de Obnda dem por lij
Dita de S.-Pedro-Marljr idem por 1*2
As pessoas que se propozerein a oslas arrrinatacoes
coniparecam na sala das sessi.es do .ursino tribunal nos
das acuna indicados, competentemente habilitadas.
h para constar se mandn affuar o preseule, e publi-
car pelo iario. '
Secretaria da Ihcsouraria da fazenda provincial de
Pernambuco. 4 de maio de 1849.-0 2. cscripturio, An-
tonio Ferrcira d'Annunciaco.
..
Miguel Archanjo Slonltiro de Andrade, n/ficml da imperial
n,dem da tosa, ravalleirodade Ckristo e inspector daal-
fandega de Pernambuco, por S.alt. Imperial, ele. ele.
Kafo saber que, no dia 29 do crreme, se ho de ar-
rematar em hasta publica,aporta da luesma.ao tneio-dia.
2 qiiiuiacs c 11 Ubi as de chutulto.valor da tarifa vlnte mil
mo orillos 11..cocina e oii rli; 3 arrobas de cabo de li-
nho,valor da lanfa quinte mil rls;e 8 arrobas e 28 libras
derabd.de calro.valor da la. ifa irinla o dous mil dutentoaj,
setenta e seis ris: -
d
Jlaai, original,
MA SO' CORDA
da sua rabera [a 4.'] peloSr. A. 1. Stoeser.
N. B. Antes de principiar esta peca o Sr. Moeser -tira-
ra ss outrai cordas do Instrumento perante o pnbiie*.
PAUTE 11.
N. 7. Ouverlura da opera
O CAVALLO DE BHONZE,
do mostr Auber.
K. O PA.0 b'ASSIJCAR.
ou A valsa dos Fluminemss, grande valsa caracterstica,
composta pelo Sr. A. L. Moeser no Rio-de Janeiro,
executada pela msica do corpo de policio.
N. 9. A grande arla "
r
Po-
1.....branca que nao nos esquecer depnssa.
demos SCCresecoUr que, soguindo os ousaios que j ou-
wmos polas Mialru habis bandas militares que hoje vo
jumas execufar o nusso l.ymiiu uacional, leve prudutir
uni cllcilo maravilhoso a n unio da iuiiuensa ftlrca de
Itcclaracot'.s.
lOMMERCIO.
ALFANDEGA.-Rendimanto do dia23. 17:644/202
_*" Pela segunda seceo do consulado provincial se
M* publl. o a lodos os senhoros p. oprieiarios de predio*
Ulanos dos bairros deca cidade, que do dia primeira:
de Junho prximo futuro se principian) a contar os 30
das par, o pagamento da rrspecli-a declina do seeundo
semesire de 1848 a-49 ; adverlindo-so que lodos os que
doisaretn de pagar nesse prazo, incoriem na mulla de
I>r l,r, sendo executados, com lodos os inais que se
achare... a devor semestres atrasados.
Recife, em 22 ae malo de .849.-0 escrivo chefe da
sog iluda seccao, 7'arodoro Machado Freir Pereira da
Silva,
= Faeo saber aos esludanles de geometra que ao lim
ao anno os cxan.es serio felios at o sexto livro de Ku-
clides. Secrtaria do curso jurdico de Olioda, 2i de
mamdel849.-Op.dritfifliii do Sacramento Upes Va-
rna, director. *^
I llia do Regiment,
de Donizelli, cantada pela Sra. Alexandre.
N. .10 Marcha extrahida da opera
, I MARNODIERE,
de Verdi, rxecutada pela msica do 6.* batalhao de cata-
dores.
N. II. Crandes e bulitantes variacocs sobre o bein cp-
nbecido molivo portugus
a 3&[t,
couipostas expressainenie em Lisboa e executada* pelo
!> .A. .. Moeser.
N. 12. Syinphoniac cavatina, da opera
II I hito Euttmisl0,
de Verdi,executada pela msica do coofodepoliea
N. 13. ItSSWXK t,<82q5ST.a,
a}tictQc32aai(iB<>,
executado pelas msicas do 2.a, do 5.edoC.' bilaiboVi.
e do corpo de polica, que formaran assim urna fotci
de mis de ceui execulorea.
Principiar as 8 oras da noile,
COM A CHEADA DE SUAS EXCELLENCIA8.
?i '."i0 a b,llh,e"" eaa a renda na casa do or-
ne Helado, Holel-Pttlof. na ra da Llngueta, a. 3, e ai
guifles- "'" CWf.u'0' "'e,""> >oetro. aoa precas *r !
Camarotes. 12/000 rs.
,?1"'"..... WOOOr*.
'''"lea. 2>t)u0rs.
e^m^m^^^ammmfmmmmWmmgMMm
avisos ma ritinos.
ra sahe, com a inaior brevl-
icional Carlota : para carga e
1 Novaes 81 Compaukia, na ra *>
I"~,rS,iR,o'r'raiM,e'd0-Sul pratet.de sahlr breve a
patacho Oous-de-Marco, capilao Antonio Montelro de Al-
inetda. o qual recebe escravos e passagelros: queta
pt eteuder, pode entender se com o dito capito, ou cota
o coiisignalarloa. Amorim Irmos, ra da Cadeia, no-
mero j9.
hr^.,!.aIa IU-dc-J"""'ro vgue, cm pouco* dias.
a7iiR?rU"" naclonal "''*- lr-ler a inaior parte de
I e.,..e"e",to *neaJad0 : P o reslo, passagelros
,H" ""' "?-< com Wachado & Pinhelro, na
ra do Vigarlo,n. 19, segundo andar, ou co o ca-
pilao, Joaquim Soares Mearlo..
Par Lisboa partir, com a maiar breviJad* ,
o patacho pottuguia aria & loaqutna forrado e
encav.lhailo do cobro 4 de boa marcha de lote *
7.300 arroba- ; tetri n:ela,le da Carga prompU :
o reilaple e psgeiroa, para o que olan ce '*
Don com modos : a traUrcom o -'--" Fir-
ramoJ. I. da llosa, na ru do TrapicSTn. 44, oa
om o capito Maooel da Costa e Silva na praca do
do CorpoSaato.
*J*i^V
aas.
MUTIL/




,3
=3 Para Lisboa ialit.no da 31 do presente mez
Joaquim Jos de Araujo, un pra9a do Coinmercio.
IMraoAssii segu cmfoucbs das o brigue brasi-
lelro CmetifUo, capillo Fructuoso Jos Pcrelra utra :
quem no inesmavquiser carrear, ou ir de passagem, di-
r-sc ao inesmo- capiLio, ou a sea consignatario Ma-
noel Aives Gurrra Jnntor. -
=. parapnia-de-Jinel>lihe, coi brevidade, opi-
lante nassaeelros e esvravos a frete, traia-sc coin o ines-
n'.n cpitSo. oo ooin l.uii Jos de S Araujo, na ra da
Pan Cear sahe a sumaca nacional Carlota, per
ter parte da cari prompta, niestre e dono Jost! Gon-
alves Simas : quem na uieima quizer carregnr ou Ir de
passagean, pode entender-te coin o mismo inestre, ou
cum Luiz -los de S Araujo, ua ra da Crin, n. 33.
-= rara o lllo-de-Janelrn legue, coin multa brevida-
de, o brigue nacional aurora tein a maior parte do car-
regaiiicnlo prompta: para o resto e escravos a frete,
trata-se coin Joao Francisco da Crin, na ra da Cruz,
numero 3
= Para Lisboa ahe, impreterii cimente nodia 6 de ju
nho vindouro.o brigue pornsguez Kr/oi^caplt'o Antonio
Pedro, de Figueiredo: recebe carga a arete, bem como
nissageiros, para os quaes te os inais excellcntes com-
nmdos, e alianra-se o bom tratainenlo : quem preten-
der dirjase aot copsIgnatarla+'.Olivelra Irmos k C, na
ra da Crua n. 8, ou ao referido capltao na praca do
CaminercLo, *
Lealo,
O corrector Oliveira Tara leilo, por ordein du reapet
tivo julio, de variedade de fatendas prrtcncrntes as
inassas dos fallidos Antonio Jos Antunea Guinares, e
Claudia Salvador Pereira Braga; sexta-felra, 25 do cor-
rete, as 10 hora* da mandila, do seu armazrm, ra da
Cidria.
Avisos diversds.
CIRCO A MNICA NO. "
Sabbado, 26 do crreme, haver espectculo, cujo pro-
gr.imina ser annunciado pelos cartazes ; e ter princi-
pio as 8 horas da noilc, abrlndo-se o circo urna hora
antes.
A dlrecco precisa de urna criada por poucos dias,
1 se esliver ein estado de amainentar uro* enanca, ser
I preferida ; a qual dever dirigir-se a ra da Cadeia na
casa prxima polica.
-- Vina crioula casada, e de muitos bons costumes,
que ha mullos annos ensina particularmente a meninas
llvres e a crias de casas capases, est hoje rom iuj aula
abena na ra de Hurlas, n. onde offerece o seu pres-
t ino mdico, para rnsinar primriras lettras, coser, bor-
da, fazer lavarlnto e marcar : quem, pois, della preci-
sar, diriji-se a sobredita casa a qualquer hora do dia.
Pteclsa-se de um hoinem que tenha btante pra
tica de venda para tomar conta de nina, dando-sc socie-
dade um lucros, dando coiihcciuicnto de sua conducta :
na roa Direita, n. 99.
A pessoaque annunclou querer fallar coin a se-
nhora Joaquina Mara da Concciciio para Ihe entregar
nina carta viada do Rio-Crandc-do-Sul. pode dirigirse
a ra do Quelmado, n. 57, a entregar ao met filho Braz
Vieira de SouzaGuedes.
Padeiro.
' Preciaavse de usn rapas eslrangelro que saiba tra-
balharein padaria, eque sejs forneiro : quem esliver
acstas circunstancias e pretender ir para Macelo, pu-
de dirigir-se i ra da Madre-dc-Deos, n. 3, terceiro an-
dar.
Prrtende-se saber se nesla provincia existe Domin-
gos Alves Barbas* e Silva; ti I lio de Antonio Alvcs Barbo-
sa e de Rosa Mara da Silva, naturaes da freguezia de
Panqu, julgado de Pontc-dc-l.ima,cm Portugal: aquel-
lo Sr. chegou aqu ein novembro de 18-28, c oceupava-
se a escrevrr ein divrrsas rasas.
O Sr. Fernando Barata da Silva queira ter a lion-
dade de mandar buscar nina caria vlnda de Portugal,
na ra da Cadeia do Recifr, o. 38.
0 abalxo assignado, rctirando-se desta provincia,
nao pode delxar de dar um testemunho publico de sua
gratldao pira com todas as pessoas que nclla tanto o
obsequiaran! ; especialmente aos habitantes da comarca
de Nazarelli, e rin particular aos sctis amigos os Srs. co-
ronel Jos Mara de Barros Harrrto c terlcnte-coronel
Jos Francisco Lopes Lima, cuja cooperar e patriotis-
mo mui proficuos llie lr.ini para o desempenho de seus
deveres nas ansenlas circumstancias ein que seachou.
Nao pudendo pelo curto espaco de lempo despedir-se
de lodos os seus amigos, e mais distinctas pessoas que o
hnnra.am coin provas de sua estima, pede por este mel
perdo desta involuntaria taita. Rccife, 22 de maio'dc
1849. Joo ioii da Cotia Plnunltl.
Quem diz-ter para arrendar um engenlio com
fabrica e animaes, correndo-se o risco dirija-se
ra larga do Rozario leja n. 35, que se dir quem
quer.
i'recist-M.de urna prela para o servico de casa
c rita oque ande de panno, ou oulro qualquer (ra-
je desta forma : na Camhoa-do-Carmo, n. 3.
OSr. Mariano Pcreia Pinto queira ir a rua do
Qiieimsdo, luja n. 18, para remir o seu penhnr; do
contrario, sei vendido para pagamonlo do que he
deredor.
Tltereza PtesCortcz, viuva do major de linha
Antonio Paes Cortez rogaaoSr- major Joaquimde
Puntes Marinho o favor de dirigir-se a rua Utreila ,
n. 4, a negocio de seu interesae.
A mesa regedora da ir manda-
de do Divine* Espirito Sanio
roga-fos moradores das ruis abaixd declaradas que
leiiham o cuidado de as ter com asseio, afirn de por
ellas poddr transitar a procisso que elevo ter lugar
no dia 27 do crtenle : quamiu aa ras marcadas
nito estivereni limpia-, lomar nova direcc/io e pu-
ra que nflo hija queixa se fz este aviso. As ras
o : ao sabir de S.'
dla do Reeife.em seguinento a Iravessa da l.ingoe
la ras da irmdega, Corpo-Santo Vigario," tra-
vessa da Madre-de-l>eos, parlo da rua desle nome a
sabir na rua da Cadeia, ponte em frente ai a rua
Nova, ao*vollar a ruu das Flores, Camboa-do-Car-
o paleo do inesmo a seguir a travessa de .-Pe-
dro a noltsr para is mas d,, Livrainentof Queima-'
*>, t.ruzes, S.-Princisco e recolher-se. A mesm
mesa roga aos irmilos que comparecam as duas ho-
ras da taide alim de sabir tiiipreterivelmetilo a
procissSo as 3 hora : e para maior decencia devum
vir lodos de taclu prelo.
H. T.
- Preteacie s>ber se oesta provincia haver alK-
pessoa <(ke d Informales de Manuel Arohanjo das
casado enm Manorlla do Nasciinento de Jess,
naturaes desta provincia.
mesa frgedra da irinan'dade do Santissimo Sa-
cramento da H.i-Vlsta manda convidar a todos os ir-
mos da inesma irmnndade para comparecercm no seu
consistorio, no dia 27 do correnl,- pelas 9 lloras da ma-
nhfia, para, em mesa geral, proceder-se clelcao dos
seus novos empregados. Avista, pois, da importancia
do objecto, espera a mesa que todos concorrerao anda
com algum sacrlllcio.
ra-sc ao corres.
luerque, do eogenbo Bclla-Roza da freguezia de
San-Lourenco. ou a algiini icu prente nesta praca, que
annuncie a sua inrala, ou dirija-se a rua do Livra-
menta, n. 22, nrimeiro andar, alim de tratar de um ne-
gocio do mencionado Sr.
-s Para fura desta provincia, onde nao haja rngenho
real, se oaVrece um agricultor pernambucano nato e
ssm familia, o qual nao s entende perfeitamente do
faprico do assuear, purgar e estillar, como de carplnae
ped
lacho nacional Curioio, capitilo Domingos Antonio da Roga-seaocorrespondente do Sr. Manoel Carnclro
Azevedo, i>or ter parle da carga prompta : para o resl de Albn
fc.
O 1." secretario avisa aos Sis. socios, que os bilhelea
para a secita do dia 2tf oo crreme se dislribulram no
salas do tliratro, nos das 24, 25 e 2li, e que a direccao
se reunir nn d)a 25 is 4 horas da taide para approva*
ciio de convidados, podendo mandar os bilbetes eiu
carta fechada ao I.* secretarlo, com os no mes dos res-
pectivos coanWados ; scientica-se as Srs. socios que o
thesourrlro s entregar oJ cartdes aos proprios, ou
por bilbetes.
ro para fazer engenho d'agoa, ou outro qnalquer ;
|ei, pois, de 18 annos ohabilltou para estas ma-
nufacturas : quemo precisar, dirlja-se defronte do ly-
ecu, casa n. 14, que se dir quem he.
A Sra. D. Joaquina Mara da Conceif ao, mal do s|-
feres Gabriel de Sousa (urdes, queiri annunclar sua
morada, parase Ihe entregar nina carta vlnua do sul do
Imperio.
Roga-se ao Sr. Aatonio Pereira Pinto dcFaria, ou
alguem por elle* que mande receber mas cartas no
Aterro-da-Kda-Vsta," a. 10.
*-- Quem precisar de urna ama para casa de pnuea fac
milla, ou de homem solteiro, dirija-se a rua da Prala?
n. 43.
A pessoa que quizrr inorar gratuitamente em um
sitio, alim de tomar conta delle, dirlja-se a rua do No-
gualra, sobrado de uirt.andar, n. 39.
Precisa-se de um caixeiro, de 14 a 15 annos, para
bina taberna na rua do Pilar ein Fdra-de-Portas. cas
n. 86 : quem esliver nas circumstancias, dirija-se incl-
ina casa
i a/.em 3 annos pouco inais ou menos que apparece,
ou que mora na eidade da Victoria, una inulhcr parda
com os slgnaes secuintes: idade de 25 annos com pouca
Iffereaifa, cor aelnellada, cabellos crespos, olhos re-
dondos c bein vivos, .sobraocelhas regulares, talla- do
rosto um tanto Comprido, nariz afilado, c Jillerenca-sc
Orna baixa entre os olhos, a qual he de nasciinento; tem
marcas de bexlgas, bein feita de corpo, pernts e bra-
cos ; chama-se Josefa, e por nao se saber se he liberta
ou subjeita, por Isso eu, Joao Das da Annunciaco Ba-
lara, capltao de campo, fifo a presente indagacao para
a cidade da Parahiba, donde dizcui ter ella viudo : pa-
ra qualquer informacao dirijam-se ao crrelo deSauto-
alilao, nas quartas e quintas-feiras de lodas as semanas.
I*ara as pessoas que tencio-
Dio-se cem mil rs. a premio sobre penhores de
ouro ou boas firmas; na rua do Rozario da Boa-
Vista, n. 8, se dir quem da.
Ilypnlheca.
Toma-se um cont e duzentos mil ris a um e
meio por cento ao mez sobre predios : quem qui-
zer dar annuncie'.
Em For-ile-Porlas, n. 113, ha_ un.a ama com
hom leilo que.csl lindando de criar um minino:
quem della precisar procure na dila casa aonde se
dar as informagfies necessarias.
Perdcu-se, na noite do dia 20do correnle, um
chapeo de sol, novo, crfurtando a rouxo : quem o
tiver achado queira reslitui-lo no seu dono, na rua
da Cruz, n. 10, sondo se recompensar
Arrendamento.
Arrenda-se o engenho Mozambique, perlo des-
la pratjs, assim como vende-se a safra que se esla
criando: quem quizer pode fallar com q encarreg-
do deslc negocio, no Atefro-da-lloa-Vista, ti. 49.
Compras.
nam seguir viagcm.
Na rua do Raogel, n. 9, conlinuam-sea tirar pas-
saportes para dentro e fra do imperio despachatn-
se efcrsvose correm-se folhas : ludo com brevida-
de e pre^o muito commodo como se tem dado exu-
berante prova no decurso de 8 annos
No dia 16 deste correnle mez dessappareceu de um
sillo, no principio da estrada dos Remedios, urna vacca
amarella que eslava criando : quem a tiver adiado,
querendo rcttitul-la, pode-o fazer no inesmo sitio, ou
na rua do Llvramcnto, n. 33, que ser recompensado.
- As pessoas que fallaran) para alugar o primeiro
andar do sobrado da rua Direila, n. 36. pdem dirigir-
se ao pateo do Livrainento, n. 33, por baver desistido a
pesso a quem estara prometlido.
O abalxo assignado ensina a traduilr, fallar e es-
crever a lingoa franceza em sua casa, no Atcrro-da-Ba-
Vista, n. 82, e por casas particulares. Dr. Joaquim ic
Olivtira Sousa.
OQerece-se um rapaz brasileiro para caixeiro de
qualquer estabelecimento: quem de seu presumo se
quizer utilizar, dirija-se a rua Direita, venda n. 8.
= Hoje, 24 do correnle mea de inaio tarde se lia
de arrematar em praca publica na porta da casa doSr.
Dr. juis de orphaos dcsla cidade do llecife a renda an-
imal de tres casas sitas na cidade de 01 inda, a saber: de
um sobrado de um andar naiua de San-Pedro-Marlyr,
avallado em 240,000 rs.;de urna uiria agoa sita no flu do
dito sobrado, por 30,000 rs.,e de urna casa terrea sita na
rua do Cabral.rm 48,000 rs.
= Hoje, 24 do correnle mez de malo tarde se ha
de arrematar em praca publica, na porla da casa do Sr.
Dr. julz de orphaos, a renda animal de tres casas prrten-
cenies aos fllhos do fallecido'Jos Mara de Jess Muniz,
cujas casas sao dous sobrados de um andar silos na rua
Augusta desta cidade, .ivaliado cadaumem 300,000 rs., e
urna casa nieia-agoa sita na rua do Alrcrim, n. 9, avalla-
ba em 60,000 rs.
l'ara que nao aconUca seren l>i-
godeartoa.os conipradore de ngo'arilenle
e mais lquidos que veem ao mercado mi
ancoras, roga-.se ao senhor aleridor lo
municipio que nao coiisinla que os nialii-
los ( no caso de quercrern )digam segre-
dinhos ao ouvido da pessoa que vai medir
as vazillias na cacimba, visto que j se
tem encontrado fallas em ancoras alen-
das esle anne.
= O l> olan I Chrislovo Xavier l cidade, tanto no civel como uo crime : as pessoas que
da>cu protimo se quizerem utilisar, o pdenlo procu-
rar no rua da Aurora, n. 4.
-- Domingo, 20 do correnle, desappareceu do boleo
de urna casaca una caixa de tartaruga grande, com
duas estaladuras mullo pequeas, de quedas q,ue lem
levado : quem a tiver, ou a quem Ihe fur ollerccida,
haja de appreheud-la e leva-la a rua do Rozario, u. I,
que ser recompensado.
Prrcisa-sc de um amassador para padaria : na rua
da Florentina, n. 3 : seja forro ou captivo, paga-sa bein.
AGRADECIMIENTO.
Aos Srs. I). J. e J. S. Dos Ihei queira recompensar
em un n nome, j que cu nao posso pelo lueu estado de
pobreza. Ah! ineu Dos 1 Leinbrai-vos dcstes dous
beinleiioies. O doudo olando para diante.
UjMidre Francisco Joao de Azevc-
Franciacoja da Cadeia, pona, to0 participa aos pais de .eus alumnos que
leguiniento a Iravessa da l.ingo- ', i
intuloii o seu iloinicilio ta rua larga to
Hoxariopara o segundo sobrado do caes
Jo Bajito, aonde conlina a ensillar,
alm de primeiras lettras, os preparato-
rios Ittiin, francez e geometria ; e tendo
c.afcr*para onde se passou sulTicientcs coin-
nuilos, oiTerece tambern a quem convier
o seu zelo e esforcos tendenles ao bom
tratamento e progresso dos alumnos in-
ternos quefiem confiados uh tlircrcao.
Perdeu-seuma porca de carro de latilo : quem
a tiver achado luve-a a rua Nova, n. 56, que ser ic-
cotnpensado.
O Sr. II. F. I,, por piedade venha remir seu vale
,'assado a Manuel Joaquim Goncalves o Silva, que
| do andar uas mSosdaqui para a casa de Smc. ja est
Compra-se o Diario n. 232 de 17 de outubro de
1846: na pratja da Independencia livrarians. 6e8.
Compra-sc una gradp de madeira da largura
do apis palmos, ou cinco e meio, e dez de altura :
natrita da Independencia, loja n.
-- No pateo do Terco, n. 14, corapra-se toda qual-
Juerobrade ouro, ou prala sem foitio : tambern
-se qualquer quattia a juros sobre os mesmos
objeolos.
Compra-se um tiocolo: quem tiver annuncie
sua morada.
-- Compra-se tima negrinha de 10 a 12 anuos na
rua do Hospicio, n. 4.
-- Compra-se tuna prcta de meia iilaJe e que en-
tend alguma cousa de cozinlia para casa de um
homem solteiro fra da provincia ; urna carteira
que n3o exceda de 5 palmos de fronte pira urna s
pessoa escrever : ni rua do Itangcl, n. 0 esquina
"do becco do Carcereiro, por cimr di venda.
Na loja de charutos c tabaco no largo do l.i-
vramonto n. 34, compram-se caisas vasiasde cha-
rutos, estando cm liniil e.-ludn.
-- Coiiiprsm-.sc 2 cayallos grandes e novos: tam-
bern se compram escravos de 18 a 25 annos: no pa-
teo do Carino, n. 18, segundo andar.
Compram-sc, elieclivanienle, garrafas vasias :
na rua do Itangcl, n. 4, restilacilo de Victorino
Francisco dos Santos.
Compramvse 6 portas do amarcllo ou louro, que
sejam usadas, por pceo cummodo : quem tiver an-
nuncie.
Compra-so um missal usado, mas que esteja
completo na rua das Cruzes, n 40.
- Compra-se urna niulatiuiia de bonita figura de
15 a 25 annos, do boa conducta que saiba coser o
engommarcom petfeir;ilo: agradando, nao se dtivi-
da pagsrbein : na rua Nova, u. 58, terceiro anlar a
qualquer hora do dia.
Compra-se I pequeo sitio perlo da penen, com
casa de morada de pedia e cal : na rua do Trapi-
che, n. 34.
-- Compratn-se pipas vssias : quem livor annun-
cie.
-Compra-se nm preto moco soffrivel cozinhei-
ro sem virios neni achaques : na rua da Cruz, n
45, em casa de Nascimenlo t Amoritn.
t;oinpr,i-se o diccionario fraiicez-porluguez por
Fonseca, e o portuguez-frauecs e vice-versa por Cons-
tancio, a gramiiiatica franceza dr Muutevcrde, Telenia-
co em francez e o segundo volunte iuglez-portuguez do
diccionario grande de Vieira: todos estes livros em bom
estado c com pouco uso: quem tiver annuncie ou diri-
ja-se a rua do Amoriin, n. '.Vi.
Vendas.
119* velhinho que faz pena.
Vendem-se e alugam-sc as mais superiores hi-
xas de llamhnrg) : tambern se voapplicar a qual-
quer hora ein que se quizer: no becco da Congre-
gacilo, loja de harbeiro do Theophilo
Vcnde-se no silio de S.-Amaro quasi ao pe dos
Lazaros, pallu de coqueiro, aos ceios: para ajus-
tar, no dito sil : tambern so vai bular aun Je o com-
prador quizer.
--Vendem-se 4 escravos, sendo tres prelas o um
prclo : na tua do Queimado, n. 25.
Vetulc-se urna mesa quadrada para moio de
sala : na rua estrella do Rozario, n. 13.
Para pagena,
Vcndeui-se chapeos envernizados para pagens i
na rua doQueimaJo, n. 10, loja do cirguciro.
Livros,
Na rua Nova, n. 6, vendem-se as seguintes obras ,
ludas em muito hom estado e por menos do seu va-
lor : JouflVoy ; Cours de droit nalurel ; Charma
HeoiM do philosophie sociale e essai sur les bases de
la mora lit j Ceruzez philosophia ; Lacrois ari-
Ihmclica ; Constancio grammatica ingleza ; Col-
dsmiili, hisroiy of ICngland e history of Greece
Thompson, thescasons; Pope; Home/ i lllid ; I.aron-
iniie I'nliles ; Lopes i,i,na eloquencia nacional
Gaultier, geographia ; lulomaque; Vollaire; Re-
sumo da historia rumana ; Ovidio.; Sinlaxe latina to
n.mas ; Novo melhodode grammatica latina; o Sa-
lustio.
Na loja da rua do Livramento, n
10, vende-asc brim trancad pardo, mui-
to bom, pelo diminuto preco de ,ooo rs.
o corte de calca ; cintas de minio boa
qualidade*, a 160 rs ocovodo; riscado
francez, de cotes ixas, a a4o rs. o cova-
do ; ditos nionstros, a ilio 18. ; c .miras
muitts fazendas que, pela sua qualidade
e preco, fazem conla aos compradores.
-- Na rua do Vigario, n. 7, ha para vender um mo-
leque de bonila figura proprio para qualquer ser-
vido.: o motivo por que so vende se dir ao compra-
dor.
Vendem-se 5 luidos moleques de 12 a IH annos;
2 prelos de 25 a 3 annos; 2 pardos de. 16 a 85 an-
nos, senflo um dellea bom carreiro; tuna negrinlia
de 12 anuos ; urna parda de 17 annos, de boa con-
duela e que tem algumas habilidades i na rua do
Collegio.n. 3, se dir quem vende.
Por pi < <;o comiuodo.
Vendem-se os sobrados de 2 andares da rua do
Collegio, ti. 1, com frente para o caes, o o da rua da
Aurora, n. 10, ambos com grandes cotnmodbs e
muito frescos ; as casas leireaa pa rua do Seve, n.
i A; na rua tloFogo, n. 13; na rua do Marisco, n.
6 ; rua imperial, u. 104 : a tratar na rua do Crespo,
n. U.
Vendr-.se urna rica morada da cssa terrea sitt
emKra-de Portas, no pateo do Pilar, lado da m.re
pequea no vi, muito bein construida forrada ,e
ntlfo cotLo : os prelendenie> al'i pdem exami-
nar : na ru" do Trapicho, n. 44.
Na run lo Queimado vindo do Rozario, segun-
da loja, n. 18," vendem-se chapeos de sol, de sc-l,
pira senhora o meninas a 3.000 rs. ; lengos do
cimbraia e,i seda para grvalas, a 500 rs. ; ditos
prelos de seda, a 500 rs. ; ditos de ISa eom franjas ,
para hombros de senhora a 500 rs ; lencos braneo*
abortos em roda para mito de senhora, a 280 rs. ;
alpaca de linho, a 400 rs o covado ; pegas de cassa
lisa com 17 varas a 3,400 rs.; suspensorios de se-
da, a 600 rs. o par ; corles do casimira elstica, a
6,000 rs ; cubarlas de chita para camas de vento,
a 1,800 rs. : corteada cassi-chita para vestidos, a
2,500 rs.; c outras muitasfazendas por precO com-
modo.
Vende-se arroz do Maranhilo, muito bom no
artuazcm defronle di eseadinha da altaudega, u. 1.
-- Veiuie-Se um prcta da Cosa, muga, do bonita
figura tifio tem vicios nem achaques, e que be boa
vendedeira : na rua Nova, n. 28.
Vendem-se dous pardos, sendo um
de i3 aunse milito alvo, o outro de if>,
bonitas pecas, sem vicios ncm achoques,
c a conducta a inclbor que se pude dar
em escravos : s se vcinlem para a praca e
a pessoa que Ibes pos mento que i possuidor : no largo do l*i-
vramenlo, n. 3|,sedir.
ADM1RAVEISNAVAUIASPARA UARBa.
Ac.ba de ebegar pelo navio Caliimbui mu com|>lelo
scrtiinento de navaltias fabricadas por S. mili,II1 o
COMPANIIIA. em ShelTleld, e cscus.ido ser lecer elo-
gios a esle fabricante, pois que o vendedor, liado na
sua boa qualidade, facilita aos compradores o leva-
lasa contento: vendem-se nicamente na rua do CluYi-
niado-loja de miudeas, n. l(i, de Jos Din* Simti U Com-
panhia.
Vendein se mis corara de braco para menino, cun
seus reqoilifes de uro, obra muito bein feita, coin 7
oitavas de ouro : na rua doQucimado, loja de uiiudezas,
n. 24.
5^ &
* Vende-se um cxcellcnle terreno, com 60 pal-
c& tnos de fenle e mais de 200 le fundo, at ao t>
9} alinhanienlo do raes do llamos : he o priinei- ?
* ro comprelirndiilonus lugared marcados pela
cmara 'municipal para o estabelecimento de
# ferraras, cnldeirarits, padirias l'nn.lices ,
9 etc. sita na rua da Praiaade-S.-llila : faz-se
ai negocio tnuilo vantajoso : defrollle da ribeira,
ft>. casa n. 17. 4
v ?
Vondem-sc meias par* senhora, a 430 rs. o par ;
tesouras, a 80 rs. ; luvas da pellica de cores, a 320
rs. ; ditas brancas, a 500 rs ; torcidas para can-
dieiro a 80 rs. a duzia ; escovas para cavallos a
320 rs. ; palmatorias de lallo, a 320 rs. : no Alerro-
da-lloa-Visla, n. 84.
Aos Srs. acadmicos,
Vende-se urna obra de l,ix Teixeira direito civil,
anda nova, por 15,000 rs,! no Aterro-da-Boa-Yis-
ta, n.10
Vende-se um herco de angico em muito bom
uso e de bonito modelo por preco commodo : tam-
ben! se veiidom 12 portadas do pedra do lUo-Formo-
so : na rua deS.-Francisco nas lojas do palacete
prximo a maro.
Vendem-se 4 molecotes muito lindos de 12 a
18 annos ; 6 escravas de 16 a 28 annos, de nac.lo, com
varias habilidades : na rua Direita, n. 3.
i
Vendem-se corles do oil(is de casimira ,
a 4.000, 4,500, 6,000, 7,1.00 e 7,500 rs. : lia-
vendo grande sorlimcnlo para os freguezes
escolliereni: ua rila do Queimaco, loja do so-
brado amairelio n. 2'J.
Nn i ua do Lviainento, n. 38, vende-se a muito
superior gomma de ararula, por preco mais barato
do que em oulra qualquer parle.
Vigncs, fabricante de pianos,
na rua do Qc.cimado, n.li,
tem pianos de novo modelo, feitos de proposito para
esle paiz ; siio riquissimos, c de inachinismo e vosea su-
periores, o que se alian...i aos compradores : lambem
tem planos iuglezes, que sao pouco usados. Conceala
e afina pianos com toda a pcri'eicao ; vende cordas. ca-
iiiursas e todos os aviaiucnlos necessarios para altos
instiumentos, c msicas novas, dos mclhorcs autores :
ludo por preco commodo.
Vendem-sc meios bilbetes, quartot, oltavos c vig-
simos da lotera do lliodej.ineiio, a beneficio das obras
do iheauo : na loja de miudezas da praca da Indepen-
dencia, n.4. ....
Vende-sc um negro de bonita figura com idade de
18 a 20 annos, pouco mais ou menos: na esquinado
caes do Ramos.
--Vende-so urna bonita parda de 18 aanoa, boa
coslureira orendera ; urna eacrava de meia idade,
ptima para lodo o servico do urna casa; um pardo
bom carreiro, e que ho de boa conduela : na rua do
Aguas-Verdea n. 46, se dir quem vende.
Vendc-seuina fazenda de gado nas esbeceiras
de Cnriiy-de-Kra, do nome Notuega, com verlente
d'agoa permanente, ea mellior Ierra que se conhece
para criare plantar, com oxtonsilo para tres fazen-
Jas sendo o seu nico elogio a gravidade de nSo
baver secca que mate o gado, visto que a qualidade
do pasto he tal, o a abundancia d'agoa nao s da
fazenda como das eircunvizinliangas que vive lu-
do tarto, e tem de mais a mais lugares proprios para
solas, creados quasi pela natureza. lima proprteda-
de propria pan criar gado de toda a qualidade, no
lugarda Pitunibeira no Cariry-de-Fra, junio ao
Boducong. Um engenho na comarca de Coianna ,
peito da cidade, sito em trras inutlo feriis a mar-
gem do Sirigy, com astooslo para dous grandes on-
Kenbos, um marcado prximo ao oulro que Ihe em-
presta a mellior commoJidade, desviando em pti-
ma e plana estrada para a cidade com mallas suflj-
cientes e muito inaneiro per estar de prusto ha at-
uuns unos, pelo que necessita do certos reparos as
obras que, coinquanto sejam de lijlo e arueira ,
Indaviase tematruinado. Faz-se qualquer negocio
oor una pioptiedsde ua comarca do algum lugar de.
areisscom ordinaria sullicicicncia para so edilicar
um engenho, segundo a bondade e mesmo ditnen-
s3o do terreno I os prelendenles dirijam-se ao se-
gundo sobrado do caes do Ramos.

ADO
> -_.


Jos Sapori ende encerados prop-i"s para
cobrir cargas de as?.icar ile boa lona, g mdes e
l'or prego commodr : na ra do Trapic!ie-.\ovo n.
18, segundo andar
--Vendcm-se, Da ra Direila taberna n. 53, sac-
eos com um al|uciri;de milho, a 3,500 rs. ; e todos
os irais gneros por p eco mais conimododo que
em ouira qualqutr parte.
Deposito da fabrica de Todos
os-Santos na Baha.
Vende-se em casa de N.O. Uiebert C. na ra
da Cruz, n. 4, alsodfo trancado daquella fabrica,
muito proprio para saceos de assucar e para roupa
de escravos aos precos de 270, 300 e 320 rs. a va-
ra conforme as qualidades.
No armazem do bnrateiro. na porta
da Alfandeg, n. 30, vendem-se gigos com
!:atatasa 2,000 rs. saccas com milho a
?>,5oois. cernda de Lisboa a i,7oo rs. ,
Irrnrico de Itisbda e a-
de triso rallcir 1 em Irar-
supenor quali-
a caada : no
trigo gal
saccas com feijao
mendoas, farnha
ricas e meios ditas, snrreriores (jneijoa de
nrato por menor proco do que em otilra
qnalqucr porte, contros nimios gneros
de estima : todo muito cm conla.
Taisits para engenho.
Na fiindicrio de ferro i!a r 11:1 do llrum, araba-so de
recebor um completo8orllmentode taixas de4 a 8.
unimos de horca rs quaes acham-se a venda por
prego commoilo c com promptidfo enibarcam-se,
ou carre;ani-se em carros sem despezas ao com-
prador.
Vcndem-se sellins inglczes e camas
de ferro : na ra da Senzalla-nova, n% 4*.
Car 11 atiba.
Vende-W, na ra da Cruz, n. 21, urna porfo de
cera de carnauba de superior qualidade, e por to-
do o prego.
Vende-se cal virgem de Lisboa de superior
qualidade, embnrrisde4 arrobas, ohegada nesle
mei pelo brigue Itiuria-lot: a tratar na ra do
Hrum armazem do Antonio Augusto da l'onscca ,
011 na ra do Vigario, n. 19.
Pofassa.
Desembarco Ija poucos dias urna por-
ciio de barra pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acham a venda,
por preco mais batato do que ltima-
mente se vendia, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de Baltar&Uliveira, n. 12.
Cha ha ralo-
Vende-se muito bom cha, pelo prego de 500 rs.
na ra do Crespo, 11. 23.
9
'W^uWBm
^
Nesja luja vendem-se mantas de seda de
superior qualidade e pndrors os mais boni-
tos a 9,0(0 rs.; editas de cores lisas, a 140
rs. ; e uulras muilas fazendas por barato
preco -ara fechar contas.
Fiijao.
Vend'.'m-se saccas com feijao mulalinbo novo e
proprio para smenle: no caes da Alfandiga ar-
mazem n. 1, o piimeiro indo da ponte.
Clocla te amargo de musgo
islndico, ou Ihesouro do pel-
lo, preparado por IIr. I. t, C
A tosse, esta doenga llo commum quanto descui-
dada tiio graves sao suas cinsequoncias quanto pa-
rece ligeira em seu principio, tiio matadora por si
scomo todas as oulras duendas que consomcm a
especie humana nflo linlia para coinbalc-la e des-
trui-la un medicamento especiero nico. Todas as
I astilbasc xaropes que lecm ap| arecido ate boje
oem sido impotente*.
Nao tem aconleeido isto cum o cbocolale do mus-
go. (I principio que forma a sua b.ise principal ofTe-
ri'cc prc-priedades inconlestaveis e rcconhecijiss de-
sos de bulto lempo, e ninguem ignora os felices re-
sulladosda sua applieacAo em todas as phleugina-
sias agudas ou ebronicus do puln.flo alTecgoes do
pillo. 1 hlysica, defluxos, tires, ele. para dar toni
oestomago, abrir vontade de comer, consrval-
as gengivn,s e o bom alilo, matar as lornbi gas, prin-
cipaHAente as rriangas. Vende-se unicamciile na
la do Queimado, o. 17.
C heguem ao baralo antes que
se acabe.
tes, a 500 rs. 1 corte ; e outras muta< hiendas qui
esta rito patent saos freguezes. I)3o-so amostras con1
os competen!' j penhores.
Vendem->'3 muito boas uvas moscateis, por pre-
go commodo na ra do Cotovello, n. 31.
Copos de jalea de marnelo .
a 400 rs.
vemlcm-se no armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 6G aonde tambem ha superior marme-
lada em latas que se vendem por prego commodo.
Freguezia.
Vende-se viuho da Figucira de
dude a 180 a garrafa c a 1,360 rs.
pateo do Terco venda n. 7.
Ao barato.
Vendem-se pecas do zuarle de 18 jardas lendo
quasi urna vara da largura proprio para roupa de
esenvos a 3,500 rs. a peca e a 160 rs. o covailo ;
piclo azul, a 191) rs. a jarda e.n pecas de 31 jardas,
e 160rs. o covado ; bamburgo bom do 60 varas,
a 200 rs.; brim americano de bonitos padrties para
cateas a 200 rs. o covado e em pecas de 31 jardas,
a 210 rs. ; pecas de ganga amarella, a 1,000 rs.; sac-
eos para 6 arrobas de assucar, feiiosdo boa estopa,
a 400 rs. cada um ; bonitos merinos de cores escu-
ras o com duas larguras proprios para vestidos de
montara a 2,000 rs o cevado; dilo com um peque-
no toque de avaria a 500 rs o covado; casimira pre-
til lina ptima para calcas, a 1,200 rs. o covado;
pannos linos baratos ; sarja hespanbola e franceza
cortes de seda de cores claras e escuras do ultimo
pisto para vertidos : ludo fazenda nova e por barato
preco: 110,nove-armazem de fazendas, deKavmun-
do Carlos Leite, na ra do Queimado, 11. 27.
--Vende-se urna escrava de 25 anuos, que cose,
marca, faz lnvarinlo, engomma e cozinha tudo com
prifeigilo ; una dita de 18 anuos, que engomma
cozinba ; um dila da mesn a dado, que cozinha, la-
va e vende na ra ; um lindo molecote de nagilo
Costa de muilo boa conduela ; urna parda por preco
muito commodo ; duas prelas de meia idade ; dous
pretos de meia idade : na ra das l.arangeiras, n.
14, segundo andar.
Jos Saporiti ainda tem para vender lijlos de
marmore azues c brancos, de 10 a 12pollegadas
quadradas, por preco commodo : na ruado Trapi-
che-Novo, n. 18, segundo andar
Vende-se urna morada di casa de 2 andares, com
duas lujas, glande ouiital pioprio .para qualqucr
Iralico sita na ra Direila desta culade, com com-
modos para grande familia: faz sa todo o negocio
em vaniageui do comprador sendo que chegue ao
prego que tambem he rasoavel: a vista se darflo ou-
tras explicsces : na ra do Cadeireiro n. 62,. a
qualquer hora.
--Vendem-se, na ra da Cruz, n. 21,pedrasde mar-
more francesas para mesas redondas e consolos.
Farnha de trigo SSSF
de superior qualidade e nova ; dita americana, em
meias barricas; dita gallega, em mcias barricas;
cal virgem de Lisboa ; vjnho do l'oilo em pipas e
barra de quailo e oitavo superior e mais inferior;
fecbaduras para porla do armazem ; superior cha
liys-011 nacional do S.-Paulo ; familia de mandioca ,
em saccas, por preco commodo : na la rio, armazem n- ti, deFtancisco Alves da Cutida.
A 5oo ris.
Vendem-se superiores pentes para marrafa, de lar-
tai uga: na ra larga do Itozario, n. 24.
Para liquida cao.
Na loja da ra do Crespo, n. 5 A. ao p do arco de
S.-Antonio vendem-sc manas de garra com tecido
de soda de muilo lindos padroes a 1,000 rs.,
propiias para meninas ; chitasdo lamagense de co-
res lisas, a 120 rs. o covado e em pega a 4,000 rs.;
lencos para grvala de bom selim de cores, a 1,600
rs. inteiros ; pannos finos superiores preto, verde,
azul e cor de caf, de 3 a 4,000 rs. o covado ; diales
de chita de cores escuras e grandes, a 800 rs., ditos
pequeos, proprios para meninas a 500 rs.; cortes
de colleles de gorguilo escuro, a 200 rs. ; ditos de
fustlo, a 500 rs. ; merino preto e lino, a 2,500 rs- o
covado ; casimira preta muilo lina, a 2,500 rs. ; dita
preta de listras, a 5,000 is.
o invern e verfio com a maior abundancia trras
oroprias e demarcadas, com bons sitio de layra-
dor, o, roporces para outro engenbo a moer com1
outras agoas muito bem obrado do ludo quanto se
pido desejar, sendo al os assucares repartidos nos
andoimes donde passam no mesmo edificio para a
estufa, boas Ierras '..cercado al para sola, boa
liorta o melhor passedio, pela abundancia de peixe
do mesmo rio oodo embarcam os assucares a dis-
tancia de urna legos do engenho: em summa he um
rico predio preparado, com todos os commodos e at
elegancia : na travessa da Concordia sobrado n. 5.
se dir o motivo porque se vende.
Vende-se e tambem peruiu-
ta-se por casa nesta praga, ou escra vos.todo o sitio do
Retiro que foi do fallecido Cunha Machado, ou par-
te contendo duas casas contiguas, viveiros^e caes
na frente : tanto a venda como a permuta faz-se re-
cebendo parte do dinheiro a vista e o mais a paga-
mento : na travessda Concordia, n. 5.
Vendem-se, por*prego commodo, os sobrados
de dous andares da ra do Collegio, n. 1, com fren-
te para o caes e o da ra' da Aurora, 11. 10 ; as casas
lerreas da na do Sevn n. 1 A, na Camboa-do-Car-
ino n. 12 ra do Fogo, n. 13, ra do Marisco, n.
6, ra da Assumpgo, n. 44, ra Imperial, n. 104 : a
tratar na ra do Crespo, n. 11.
A 5.400 rs.
Vendem-se chitas de cores muito lixas a 5,400
rs. a pega e a 160 rs. a retalbo proprias para escra-
vos ; ludias grossas muito fortes, urna quarta por
200 rs. : na ra do Caes, loja n. 17..
RUa DOTKAPICHE,!. 44,
escriptorio de Firntiuo
./. F. da Hoza,
deposito da fabrica de Todo-os-Santoa
na Babia.
Alli vende-se algodio trangado daquella 'abrir,aos
pregos scguintes : largo, a 320 rs. a vara; eslreito
menos urna pollegada, a 300 rs.; mais ordinario, a
270 rs.
Vende-se o engenho Novo do Cabo para paga-
mento da hypotheca que nelle tem o Sr. Jo.1n Vieira
da Cunha : quem o pretender dirija-se ao mesmo en-
genho a traa, com Francisco Jos da Cosa.
Vendem so presuntos inglozes para fiambre
latas com bolacbinhas de Lisboa ; ditas de araruta
ditas de marrnelada de 1, 2 e 4 libras ; ditas de sar-
dinhas; ditas de hervilhas ; ditas de chocolate de
l.isbda ; frascos do conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja ; harria com azeitonas brancas de F.lvas
garrafas com viuho moscatel de Setubal e da Ma-
ueira ; queijos de prato, frescaes : tudo novo
chegado ltimamente de Lisboa : na ra da Cruz
no Itccife, 11. 48.
lo!lia de Flandres.
Vendom-se caixas com folha de Flandres : em
casa deJ. i. Tasso Jnior: na ra do Amorim, n. 35.
CIIA'BRASII.RIKO.
armazem de molhados
atrs do
do Crespo,
para liqui-
Na hem ronhei ida loja n. 5 a na la
ao | do arco deS.-Antoniu, vendem-se
lagiJo as seguintes fazendas; cortes de caasa de 5 e
varas e de cores lixas, a 1,600 e 2.0C0 rs. ; ditos em-
papelados, nuilo finos, de cAreae padrAei aurada-
veis muilo fixas e com site varas, a 2,500 rs. I ditos
de burras bonladas, brancos, de cores o ue pdroes
ilovos a 3,500 rs ; lengos e i-ssa de cines [iara
grvala, a 160 rs. cada um; luvas de tlgo.l&o do
cores, tanto para homeni com para seuhora.a lio
rs. o par; coi les ce selim do cores para colletea ,
muito boa fazenda a 3,000 rs.; cussa liaa lina, a
400 c 500 rs. a vara ; dita irais ordinaria a 240 rs.;
panno de algodio prosso de cores escuras, proprio
para cncravos, por ser niuilo brte e largo, a 160
rs. o covado ; lengos de cambraia piulados, borda-
dos com lisiras e guarnecidos de bicos muito fi-
nos e prop ios para senhora, a 400 e 500 rs ; casimi-
ra de um so cor verde e azul-escura de duas largu-
as, piopria para caigas e palitos, a 1,600 rs. ocova-
Vende-se.ou
Corpo-Santo n. 66, o mais excellenlo cha produzi-
do emS.-l'aulo, quo lem vimlo a este mercado ,
por prego muito commodo.
Agencia da fundi^ao
.ow-Moor, ra da Senzala-
nova, 11. >5.
Nesle estabelecimento contina a ha-
ver nm completo sortimeuto de moendas
e n.eias moendas, paro engenbo; ma-
chinas de vapor,e taclias de ferro batido e
co'ulo, de todos os tamaitos, para dito.
Vende-se urna escrava crioula, de 22 annns,
de bonita figura que engomma e cozinha o diario
ua ra dos Mailvrios n. 28.
d&
de
da
de
olgodao
em casa
na ra
do urna casa
Vendem-se tecidos de
fabrica de Todos-os-Snutos:
J. I'. Adour & Companbin,
Gadeia do I'ecife,
Vendcst
frcade 100 arroba, j experimentado :
na ra do Apollo, n. 11.
CHA" liltASII.ICIItO.
Vende-se ptimo cha hrasileiny produzido cm
S -Paulo, por prego commodo : na ra da Cadeia do
liecife, 11. 25, defronte do llccco-l.argo.
Vende-se una mulalinha de 12 annos, com
^ Alcm dos baratos coi tes de vestidos de bar-
I ras de 2.000 a 3,000 rs. meias de cores pa-
3c ra senhora a 1,800 rs. a duzia ditas para
" i a 1,200 rs. a duzia bol oes de dura que, a
S 400 rs. a prosa que se tem annunciado, ha
9 modernos lengos de seda para algibeia e
*Jj hombros do senhora a 1,000 1,120, 1,280,
5S 1,440, 1,600, 1,760, 1,900, 2,000, 2,210, 2,560
S e 2,720 rs.; brelanha do linho muilo su-
& perior e de quatro palmos e meio de largura,
1 a 14,800e 18,500 rs. a pega; um caixilozi-
|H nhocom ferros de fazer flores, por 90.000
S rs.: no pateo do Carmo, 11. 18, segundo
S andar.
nmmmmmmm^mMwmmsmm
Queijos de prato,
da mais siiperiorqualidad.1 e muitifs frescaes, vin-
dos ltimamente de Hollanda : no caes da Alfande-
ga, armazem de Antonio Aunes
-- Vende-se um piano inglez sem defeitoe pti-
mo para se aprender : na ra Nova, loja de lisies do
Sr. Pinto.
SSSF
Manoel da Silva Santos ainda contina a vender
farinhade trigo Ua mais superior qualidade e recen-
teniente chegada a este mercado 110 caes da Alfan-
dega armazem de Antonio Aunes.
Cigarrilhos de pal ha de
milho.
Vendcm-se cigarrilhos de patita de milho, por pre-
go commodo : na 1 ua da Madre-de-l>eos, n. 5.
Vendem-se 5 escravos que vierarn do mallo pa-
ra pagamento sendo : dous ptimos crioulos, de
18 a 22 anuos ; um pardo de boa figura para pagem,
de 20 annos; urna parda de ptima figura, com I-
gurnas habilidades ; urna nogriulia de lOannos : na
ra do Queimado, n. 27, se dir quem vende por pre-
go com mo Jo.
AO BARATO.
Na ra do Crespo, loja n.
vendem-setitesde brim pardo de puro linho ,
1,000 rs cada um ; ditos de fusl3o para collotes a
1,200 rs ; dilos de velludo, a l,0u0 e 3,000 rs. o cor-
lo ; curtes de cambraia a 1,800, 2,000 o 9,500 ; ditos
de cassa-chila com seto varas a B.0J0 rs. ; ricos cor-
tes de talagarga, a 4,000 rs. ; ruteados do linho, pro-
prios para jaqueta a 360 o covado ; riscados inons-
trosdo superiores qualidades e com cinco palmos de
largura a 300ra o covado; o oulras mirlas fazen-
das por muilo barato prego.
- Vende-se um quarlo novo e grande : na rus
da Conceig.lo da Uoa-Vista, 11. 60.
Vende-se a quaitaparle do sobrado da ra es-
principiua de costura e cozinha, e que sabe tratar eita do Itozario, 11. 35, em chaos proprios, e bom
um guindaste de ferro
de meninos,e he muito diligente em lodooservigo
de urna casa : na ra de S.-ltita, n. 91; a qualquer
hora do Ha.
Vunde-s-e um bonilo mulalinha, de 17 annos,
com principios de carpira., sem vicios ncni acha-
qu< s, e por isso proprio para pagem no Aleno-da-
oa-Vista, abrica Je licores n. 17.
Vende-se, ou permuta-se
por outro ou mesmo por predios nesta praca o
engenho dagoa Piabas-de-Cima, sito a margern do
perior vinho do Porte que lem tiado a este mere
do, em barris de 4.0, 5.*, 7.e 8." oa prelendente,
pdem sortir-se.porque poueas vezes c ver fazna
Igual.
A 1,000 rs.
Vendem-se cortes do brtm trancado pardo de pn
ro linho, pelo diminuto prego de mil rs. o corte'
ditos de meia-casimira a 2,240 rs.; e outrai njui-
tas fazendas por mdico prego na ra do Colleim
0.13, loja nova de FerrM>&-C. ^
Livros baratos.
Vende-se o verdadeiro mestre trancez, para quem
esta lingos quizer aprender, 1 v. ; a Vida cooquUu
da da religiflo de Mafoma, i v.; Heprbfueta da or.
leus 2 v. ; o TalismJa ou- criado ,ia Palestina 3
v.; os Lances da ventura ou acasos das deafrae,
3 v.; os Mrrtvres, ou a victoria da relififloelwistJi'
3 v.; o .Novo e velbo testamento, ou Biblia, 1 t gf,.1
de : atrs da matriz da Boa-Vala, n. 4.
Riscados monstros.
Vendem-se riscados monstros de vara de largun
a 300 rs. o covado : na ra Nova, defronte da Con'
ceigSo loja de Tinoco & Hocha.
u>s 20:000^000 de ris.
Praca da Independencia, n. 57.
Chegou a lista da ultima lotera, e com ella graa.
do sorliment de bilhetos. meios, e cautelas : os bi.
Hieles vendem-se a 24,000 rs., jneios a 12,000 tg.,
qiiarlosa6,000rs oitavos a 3,000 rs. e vigsimos
a 1,500 rs. Lembra-se aos amantes desto- interossin-
te jogo que em poucos dias se Concluir* a venda 4o<
ditos, e que pelo primeiro vapor terSo o pitxer de
vorem a lista geral, como he de costume. ,
Vende-se sag' de primeira qualidade, gomnu
de araruta, tapioca do Marai.hlo, cevadluha dePran-
ca por prego rasoavel : na ra dasC ruzes, n 40.
Vende-se Um labolerro envidracado, prop*
para se vender fazendas por barato prego ; na fui
das Flores, -n. re.
Vende-se urna venda bastante afreguezada pi-
ra a praga e para o mallo : s com a vista se poda-
r avahar a sua bondade : o motivo da venda se di-
r ao comprador, e he bastante comraoda a quem
a pretender: na ra das Flores, n. 17, se dir cora
quem se de ve tralar.
Vendem-se sapatos de couro de luatro para bo-
mem, a 3,000 o 3,500 rs.; ditos para meninos, a 2,000
e 2,500 rs.; ditos para senhora a 1,20 rs.; ditos
de niarroquim, para homem e senhora a 1,000 rs.:
na ru da Cadeia do Itecfe n. 9.
Vende-se urna collego de estampas finas da rli-
aacra : na ra da Cadeia du Rccife loja n. 31.
Vendem-se duas lindas inuiatiiibas de II a IS
annos, boas costureirus, o que tambera engominaa;
um nrulatinhode 11 anuos ; tretas de 18 a lan-
nos ptimas para todo o servigo ; a prdas com ha-
bilidades sendo urna das quaes boa para o servigo
decampo: no pateo da matriz de -S.-Antonio so-
brado n. 4. se dir qnem vende..
Continua-se a vender boa manteiga, a 800, 800
e 1,000 rs. a libra ; espermacete de 6 era libra, a TOO,
800 e 900 rs. ; bom eli, a 2,000 rs. j Cafe em grao ',
a 120 rs. ; dito moldo, a 160 rs.; bolacbmha ingleis,
a 200 rs. ; dila da trra doce, a 200 rs. ; toucinlio
de Lisboa a 240 rs. ; queijos, a 1,440 rs. f no patee
do Carmo, venda nova n. 2.
Vendem-se novos cortes do cassa com listras de
seda a 8,000 rs. ; ditos de cambraia branca con
islras de cores gustos muilo modernos lengos da
seda da India a 1,000 rs ; ditos supeiiores, a 2,000
e 2,240 rs.; o outras muilas fazendas Osas, por pre
go muito ont corra : na ra do Queimado, loja do
sobrado amarello, n. 29.
Na ra catreita do llozario,
n. 4,
vendem-se os seguintes livros: Plutarco brasileiro,
1 v.; Historia da America, 2 ?.; dila do Brasil, I
v. ;lnsti(uiges oratorias de Quintiliano, 2 v.: |H-
reito publico, 1 v.; Ferrer direilo natural, 1 f.
Eloquencia de Carvalho, I v. ; Alegebra de Lacroii,
IV.; Geometra 1 v.; dita da Legendre.t v.;
Pnilosophia de Couain 3 v.; Arilhmetica de Besoul,
1 T.; Diccionario da fbula I v.; Oragdes de Cice-
ro 2 v, ; Tilo Livio, 1 v. ; Virgilio 9 v. ; Salustio,
1 v.; Macarronea, 1 v.; Horacio 2 v.; Thomson,
1 v.; Mirabeau ; Letres a Sophie ,4 v.; Quinlino
IHirvard, 4 v. ; o Kspio do campo neutral, 4 r. ; i
Sagrada biblia, I v.
Kscravos Fgidos
quintal por picgo muito em corita na travessa do
Sarapatel n. 16.
fende-se urna mel'agea, fcila a moderna sita
no becco da Camboa-do-Carmo, ou troca-se por urna
escrava : ua ra uo Nogueira, sobrado do um andar
u. 39.
Vende-se urna parda quo engomma, cose, co-
zinha e lava desabito evarrella com uma cria de
3 mezes, o com bastante leito: no Alerro-da-Uoa-Vis-
la, n 62.
-- No armazem de Francisco Dias Ferreira e no de
Hoga-se encarecidamente as autoridades poli-
ciaes commandantes de destacamentos, capules
de campo equaesquer pessoas hajairi da apprehen-
der o escravo Jos que fuglo no da 17 do correte,
o qual tem os signaes seguintes : cabra.secco e alio
cabellos um Unto sollos, olhos um lano grandes e
vermelhos rosto secco e com pannos, orellus pe-
qnenas, bocea grande levou caigas brancas de ll-
godiJo irancado jaqueta de riscadinho escuro, des-
ses puos de- caigas ; cosluma inlilular-se forro i
andar com carias inculcando-sarde ir cobrardlnliei-
ros alheios, para corn eslaa cartas poder seguir.
Quemo pegar eolevarao paleo do Carmo, sobrado
n. 9, ouaoCiqui, primeiro sitio, ao pasear do en-
genho ser recompensado.
Fugo, no dia 20 do crrente, indo do engenho
de S.-Auna para S.-Amarinho, da freguezia d Ver-
zea o escravo Miguel de/iagflo Congo, do estatu-
ra regular, cor preta, barbadu, ollios grandes, bei-
gos.grossos, peilas e pomas cabelludos pea fcios;
desconlia-seque anda pela freguezia de S.-Amaro-
Jaboatilo. Koga-se as autoridades polielses e cai-
tiles do campo, que o appreheudsm e levem-no o
dito engenho S.-Anna, que sero gratificados.
Fugio, no da 19 du correute mez, do engs-
nho Pal mena, do Sr. Joflo Coellro da Silva, o preto
Antonio, de uagito Angula, de estatura alta pe"
um pouoo euiiasem proporgOo do curp 1>reio ; tem louca baiba cara grande, beicos gro*-
suse grandis. Lsie preto veio ha poucos nites de
Aiagas : quem o pegar love-oaq mesmo engenho,
ou uesla praga, ua ra do Crespo, n. 17.
Fugio, no dia 19 de Janeiro do conecte snno o
escravo Pauloi. de estatura ordinaria, secco do cor-
no, | es grandes, pamas linas com todos os dentei
ua trente, falla branda, beicos glosaos, com peque-
nos lalboa uu rosto, por ser da costa tt'Africa ; repre-
senta ter M anuos entenJode carrear : quem o pe-
gar leve-u a cidade e Macei u .. ni...r Fran-
Macei, a seu senhor, Frn-
tisco de S.-Mana dos Anjos, que recompensar.
------
*, KMvm.*** .ico*;a.p.r.eUc.i,i-J.u,,,;;;;r.er;-,z;JioT;S, iZXffSlS&^ZSXSriaZW.,ur^Tii -.",. M ;M-m9
MELHOR EXEMPLAF


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERHLHPILT_233W3D INGEST_TIME 2013-04-12T22:45:42Z PACKAGE AA00011611_06494
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES