Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06490


This item is only available as the following downloads:


Full Text
knno VXX.
i o p//4n/>publici-se todos us dial que nao
rnrrm do guarda. O preco da assignatura he
f., i|0(0rs por quartel, papoadianladoi. Os
t, uncios dos asslgnanlcs sao inseridos a
Vio de 2" rs. por liuha, 40 rs. fin typo dlT-
Tr.rfnic. eas repcticdcs pela metade. Os nao
tenantes P.gaf o 80 rs. por linha e 160 r
fui typodlfferaute, por cada publicacao.
PHASES DA OJA NO MEZ DF. MAIO.
Ilaiicr.el3,a7.4 horae47mlri.da manh
IwnVuanie. a ib. 8lloras e 11 ...in.da manh
I? nova 22.s5horas e 17 mln.domaiili
UrJc.ccn'e,,*2ts9 horas e 4 ruin.da tard.
Sahbado 19
PARTIDA DOS CORRETOS.
Golanna e Parahiba, s stgs. e sextas-felras.
Uio-G.-do-Horle, quintas-feiras ao.neo-dla.
Cabo, SerinhSem, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no 1 a 11 e 21 de cada mez.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s qu ntas-feiras.
Oliuda, todos os dias.
PUF.AMAR DE 1193V..
Primcira, s 2 horas e 6 minutos da Urd.
iegunda^s^ horas e 30 minutos da manh.
de Malo de 1849.
N. III.

das da semana.
14 Segunda. S. Gil. Aud. do J. dos orph.do
J. docivel edo J. M. da2.v.
15 Terca. S. Isidoro. Aub. do J. dociv. da 1.
v. c do J. de paz. do 2.duu> de t.
1G Quarta. S. JoSe Nepomuceno. Aud. do J.
doc. da 2. v.edoJ. de pai do2. dit. de t.
17 Quinta. SB* Asceru-So do Scnhor. S. Pas-
choal I' avian.
18 Sexta. S. Venancio. Aud. do J. dociv. e do
J. depazdol. dist.de t.
19 Sabbado. S. Pedro Celestino. Aud.doJ.do
clv. da 1. v. e do J. de pas do 2. dist. de t.
20 Domingo. S. Bernardino de Sena.
CAMBIOS NO DA 18 DE MAIO.

Sobre landres a 25 d. por J/000 r. a 60 dias.
Pars 355 a 360.
f Lisboa 110 por cento de premio.
> Rib-de-Janeiro ao par.
Dase, de letL do boas firmas a 1 X ">*
Acedes da comp. de Heberibe, 50f rs. ao p.
Oro.Oncas hcspanhnlas. 31/500 a 31/800
. Moras deoWRr. 17/400 a 1760P
. de 6/400 n. 16/400 a 16/6
de 4/000....
ProlaPataces brasileiros
Pesos conminarlos.
Ditos mexicanos.....
9/iOO a WKv*
2/1)00 a 2/W
2A>C0 a 2/020
1/100 a I/W0
f AfttE OFFIC1AL
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDlESTE DO DA 2 DE MAIO.
Officlo.Ao commandante das armas.Conyindo avi-
ar os inconvenientes que A srguem da ajiresenlacao de
lucimientos Irregulares informes de despezas feils
oiii a swfenlacao das forcas de guardas nacime em
lopcracOcs nesla provincia, tcnlio resolvido determinaf
guui de tae despezas ; devendo-se abonar a cada pra-
( uina racao de farinha e carne pelo preco da tabella,
aleni dos venciiiienlos regulares dos prets ; Meando os
respectivos coinmaudantes obligados a salitfaier coin
accresciuio laes documentos.
O que coiuinuBlco a V. F.xc. para que assim o faca
constara lodos us commandanlfs de filrc.is, prrveiiin-
dii-o de que nesla data lenho expedido as convenientes
ordrns pagadorla para que assim se observe. Nea-
le sentido olliciou-se pagadura militar. -
Dito. Ao"lnesini>, duendo que faz-sc preciso que
S. F.xc mande extrahir do respectivo>Iivro-meslre e re-
inelta presidencia a fe. d'officio do alferes do quinto
balalho de fuzileiros Joaquim Jos Gomes de Mcnezes,
morto em combate nesla provincia.
Dito. Ao iiiesmb, declarando; qtr*. para cumprir
o aviso do.-29 demarco ultimo lie misler que S. Etc.
(ac ctMhlr e remella a presidencia a guia do soldado
ilo corpa fixo de S.-Paulo Manocl.Ferrelra de Brillo, que
outi'ara pertenceu ao quinto balalhun de fuiileiros.
Dito. Ao mesmo, Communicando que por decreto
Lie li de abril ultimo S. M. o Imperador dignra-se de
liiuincar para o lugar de capeilao do acato balalhao de
I fuiileiros a Fr. Francisco da Sanobsima Trindade.Scl-
Icntificou-se o inspector da pagiWora militar.
Dito. Ao mesmo, Iransuiilindo o processo verbal
Ifeito so reo Antonio Joaquim Segundo, soldado do olla-
(lavo batalhao de catadores, afim de que S. F.xc mande
lexceutara senlenca ohi proferida pelo cnucellin supre-
mo militar de justica.
litio. Ao mesmo, participando que por decreto de
[ 12 de abjsjl ultimo S. M o Imperador dignra-se de con,
ceder ptsagcm para a-priuieira cumpauliia do corpb li-
I vo de cacadores da provincia do l'iaUby ao capilo do
quinto batalhao de fuzileiros Angelo Kartista Mendes.
I i.'oiiiuiiuiicoii-se ao inspector da pagadura militar.
[ Dito Ao inesino. diendu que, para ser riinipi idu u
aviso da guerra de 16 de abril ultimo, torna se necessa-
[ rio que S. Exc. ioforiuc acerca do cometido lio rrquerl-
mriiio-que remelle, uo qual I). Josefa Theresa Franca
pede que pela corte se Ihe continu a pagar a sold de
1 si-u marido o teuenle reformado Ltiit Guucalves Rodri-
I gues Franca, que actualmente se acha nesta provincia.
Dito. Ao mrsiuo, reconmi'endaudo, em virtude da
rrquisieo do Exm. presideule da provincia das Al.i-
go.is, baja de dar suas ordeus para que se recolha ca-
pital daqnella provincia a guarda nacional a ella penen-
i ir i. Ce i|u pdfvenlura aluda exista em Agna-1'reia ; u.-iu
devendo, poim, succeder o mesmo com o segundo ba-
t.ilho de paradores, porque em coesequencia de or-
dena do govrVno imperial se ihe (leve leunii- o contin-
gente do mismo balalhao que anteriormente viera pa-
ira esta provincia, e tcm estado addido ao sexto da mes-
|iua arma.
Dito. Ao commandante da divisan naval, recom-
Inundando faca transportar para aParahyba a bordo da
embarcaciio de guerra, que tem de ir rendeT a quealli
Ise acha, dous presos criminosos de nomes Virginio An-
I ionio Pereira e Antonio Mariins Pedriuha, as quacs Me
serio entregues por parte do chefe dp polica. Olllci-
| ou-se ueste sentido ao inriu 1 mado chele.
Dito. Ao inspector da tlicsouraria da fazrnda, com-
Imunicando que S. M. o Imperador, por portara de 10
Ide abril ultiino, dignra-se de conceder niais >eis inezes
I de liccnca com melado do ordenado ao bacharel l.ou-
renfo t aelaiiatiuln. juls de direito do civel da comar-
ca do l.imoeitjflntjii de tratar de sua sade. -- Scicnli-
icou-sc o presidente da rela^ao.
Dito. Ao mesiiin, dizemlo que o concelho dcadiui-
luisiracao naval, ao solicitar presidencia que Irausuiit-
lissc ao, I xm. ministra la maiiuha una represcnla9o
iceiea da iusiillieiencia da quula votada para as despe-
l/is da forja naval nesla provincia cm o corrtnle anuo
I linaiiceiro, pedio ordenassa aquella ihesouraria fosse
Isuppiindo a mencin.ida quoia com as quauliaja abso-J
lutameiite iudispensaveis ; e que, aiiiiuiudoaeaje pedi-
do, recoinmeiida a S. S. baja de providenciar para que
se verifique tal supprliueulo al ulterior deliberaciio do
goveruo imperial. -- luleiiou-se o referido concelho.
Dito. Ao inspector do arsenal de niarinha, remet-
iendo a relar.au das madeiras de"cunstruc(ao trazidas
das Magdas pelo patacho l'impama, afim de que as
mande desembarcar e acondicionar ; v declarando que
essas. madeiras devem de servir paia um dos brigues
que, na forma das unli-ns liuperiacs, se bao de fabricar
naquelle arsenal. "(este senlido olliciou-se ao preai-
deuto da referida provincia c ao couiinandaiile do mea-
mo patacho.
Dito. Ao Inspector da pagadoria militar, detcrini-
I naiidu baja de providenciar para que ao particular pri-
liuriro sargento Mauoel Jos" da Silva seja entiegue, por
lamela, a qnaiitia de 4.000/D0O rs., aflu de que elle le-
''* lenenie-^cronel Jos Ferrelra de Asevcdo, com-
naaiilaiile do Urceuo baiallio de artilbarla a pe, que
lu niln para despezas com o (brneciiiieulo do mesmo
*
dita fortaleza, e na inria-agoa da mesraa casa que dei-
la para o largo do arsenal de niarinha, haja de intimar
a Irmandade dquella Igreja que fica sein efleilo a per-
muta que, por autorlicao dogovernador e capillo-ge-
neral desta provincia de 4 dejulhode 17b6, se navio
felto da mencionada cata pela parle MVea do consisto-
rio que Ihe havia sido tomada \*ra uso da loralea, de-
vendo ella eolendcr-se com o inspector do arsenal de
niarinha para a troc das chaves. ~ Ncsle sentido offi-
ciou-se ao inspector da thesouraria da fazenda e ao do
arsenal de niarinha.
DEM DO DIA 3.
Oftieio. Ao commandante das armas, communican-
do que S. M. o Imperador dignra-se de determinar que
seguisse para estar^Pbvincia, ..fin de ser conveniente-
mente e'mpregado, nella, o alferes do tercelro balalhao
de fuiileiros Jesusa Mariins dos Santos Vianna.
Dito; Ao director do montc-pio geral, iransiniltin-
do uina letlra da quantia de 501/862 rs., sacada por
Gandino Agostiolio de Barros sobre Tinoco & Medelro.
e a favor do thrsourelro daquelle monte-pt. pela Im-
portancia do que se arrecadou dos respectivos conlri-
buintes pea thesouraria de faienda dosla provincia at
31 de abril ultimo. Sclentlflcou-se o Inspector da mes-
illa thesouraria.
DEM DO DIA 4.
Ollicio. Ao coiiiinaulanay das armas, coiiiinunican
do ter deferido a prelcncao J Jacob Manod Corsinii, ca-
bo de esquadra da segunda companhia do quarto bala-
lhao de ai liili.H ia a p, de dar como subslitulo a Mano-
el Pedro de Ilarr s pudendo S. Exc. mandar assentar
praca a eate, c passar escusa a aquclle.
Dito. Ao mesmo, declarando que, para poder satis-
fairr a requiicao do Fxin. presidente do Maranhuo, he
inisicr que S. Exc. faja extrahir a remella preriden-
cia a f d'offlcio do soldado Francisco Barbosa, que, leu-
do servido no quinto balalhao de fuzileiros, faz boje
parle do corpo fixo doPlauhy, e acha-se naquella pro-
vincia.
Dito.Ao inspector da thesouraria de fazrnda, trans-
inittindo o aviso de una leltra da quantia de quinhen-
losmllre'is, sacada pela themuraria de fazenda do Rio-
Giande-do-Norle sobre essa e a ftavor de Antonio liento
da Casia. Partidpou-se ao presidente da referida pro-
vincia-
Dito.Ao mesmo, transinltllndo o saque de uina lel-
tra da quantia de 1.308,000 res, feilo poL thesouraria
do RIo-Graode-do-Norte sobre essa e favor de Barraca
& Pinheiro lnleirou-se o presidente da>snencionada
nroviucia. _
Dito.Ao mesmo, recominendaiido baja d* dfr suas
ordens aliui de que n'aquella thesouraria se abra a*ren-
tamentn de praja ao clariin Martlnho Jos de Sinuelra
que se acha engajado para servir no esquMrao de ca-
vallaria da guarda nacional dcsle municipio.Scienlifi-
cou-se o cun mandan te superior respectivo.
Dito.Ao iispeclor interino da thesouraria da fazen-
da provincial, remetiendo, para que tenha o convenien-
te deatino, a rrlaco dos seiihores membros da assem-
bla legislativa provincial que assistiram sesso ordi-
naria no mes de abril rindo.Cominunicou-sc ao pri-
ineiro secretario da referida assrmbla.
Dito.Ao mesmo, determinando mande adiantar ao
administrador da obra do theatro publico desta cidade a
quantia de dous contos de rcis, para que possa elle oc-
corrers despezas que tcui de fazer como pagamento de
leiias dos opranos oceupados na mrsina obra, bem
como com a compra de cal, lijlo e madeiras. Intcirou-
seo'iuesino administrador.
Di lo.Ao inspector da pagadoria aHMar, remellendo
copia do aviso de 8 de niarcn ultiao, pelo qual o Exin.
Sr. ministro da guerra, ao passo ajue declara como deve
ser f-ito o abono da etapc concedida em lempo de paz a
ollicialidade dos corpos do exercito pelo art. 6. 15 da
lei de'28 de outuliro de t848, manda que fique cm vigor
a q\ie acerca desic objeclo dispe o aviso circular de 5
le dezmbro desse auno.Parlicipou-se ao comiiian-
danle das armas. ^H
Dito. Ao mesmo, declarando que convem averiguar
nos prets da guarda nacin il e qualquer outra Torca i|iic
uo fi de priiueir^iimli se os respectivos couunandan-
tes receberaiii srgtrrnas racfs em gneros, em que lu-
gar e por queni fOram fm uecidas, seiu o que se nao abo-
narlo as ditas ruedes cm dinliefro conforme a ordem de
2 do corrente; licando S. me prevenido de que, no caso
allirinaiivo, se llies devem abonar as quauias com que
lio de ser pagos os gneros fornecidos, sagundo a la-
bella, islo he, I libra de carne na rasan de 120 ris e
1/135 de farinha pelo preco medio do mercado, c no ne-
gativo nada se Ihes abonar.
Dito.A cmara municipal desta cidade, dizendo que,
para poder resolver a respeito do requeriinrolo dos pro-
prietarios de acmigues na ra do Ilangel. releva que de-
clare qual o nial que provt'm da conservaran dos
acongnes n'aquella ra, sr a sua estada all prejudca a
salnln idade publica desta cidade ou cancorre para que
a limpeza dcllea nao seja devidavcnle liscalisada c como.
DEM DO DIA 5.
Oftieio.Ao Exin. blsflo diocesano, participando que
S. M. o Imperador, aitendendo ao que Ihe renuercra o
l)r. Francisco Joaquim das Chagas, deao da s de Oliuda
e trnte -d curso jurdico da mesilla cidade, houve por.
bem dispAS lo da residencia coral na sobredita t,
sbb condrpB de residir no coro durante as ferias da
semana sania e natal e com permlssao de, nao obstante
isto, pereeber os respectivos veiiciinenios, exceptiiadns
nia deatc porto.Expcdlrani-sc as convenientes pai tici-
paces.
Dito.Ao contador de niarinha.declarando, em eum-
j.i iinenio do aviso da niarinha de 21 de abril ultimo,que
sSo inadmissiveis as proposlccs conleiidas em oIRcio
que S me. dirigi a aquella secretaria de estado,
timbrando a conveniencia de fica/ a cargo do concelho
de administrara", creado pelo decreto n. 540 de .11 de-
yeinlii n de 1847, o (orneciuicuto de todo os objeclos de
despeza da repartiiio da inaiuha. e de augmentar no
numero dos membros do referido concelho as provin-
cias com o pagador, ou na falta desie, com o almuxari-
fe, e Isto porque seuiclhanlcs proposices, aliu de se-
ren contra a lei expressa, ferem o prei*ito do decreto
citado, que de cerlo uao seria promulgado aem maduro
exaine da parle do governo.
Dito.Ao inaector da pagadoria militar, ordenando
que mande entregar ao lenle quartel-mestrc Luii Je-
ronymo Ignacio dos Santos a quantia de 2:500,000 rcis
para completar o pagamento da fbrea da guarda nacio-
nal destacada na comarca do Rlo-Formoso, na forma In-
dlcaWlpelo commandante das armas, visto que a ordem
para ser dispensada a inesnia guarda s pode ser cum-
prida a 30 de abril prximo passado. Scicntilicou-sc o
(oniiii.iinl.inic das armas.
Com man to dos ; imas.
Quarlel-qeneral doeommantlo dai arma^jtrernamliiiro,
18 d mato de 1849.
OHDRMnODIA.
Aehando-sc rcslabelecida apaz na provincia, e de-
vendo os Srs. comninndanles de enrpos _e compaiihias
derla guarniciio cuidar na eseriplurafo respectiva,
a qual se acha atrasada em coniequencia das ultimas
desordens, ordeno e autoriso os mesmos Srs. couiiiian-
dantes a averbarem em os assentos competentes os com-
bates a que assistiram os officiaes, ofrfeines inferiores, ca-
detes e mais pracas dos seus coiiiniandos, notando os
elogios qne em ordem do dia desle cumulando fOrain
dados a este ou aquclle individuo por sas acedes dis-
tinctas : sobre este objeclo eu chamo a attenco dos,
mesmos Srs. coinmandantcs, rccoinmcndando-lhes o
maior escrpulo e clrcumspeccao, e advirtindo-Ihes
que as verbas fcilas devem eoucordar com aquellas que
rxistem archivadas nesu sccrcuria. Asslgnado, los
Joikimiiii Cotlho.
ORDEM ADDICIONAI. A DO DA 18.
Concedendojo Exm. Sr. presidente da provincia tres
metes de liccnca de favor para Ir provincia do Rio-de-
Janeiro, por despacho de 14 do correte, ao Sr. alfrez
do quinto balalhao de fuzileiros de I.* liuha, Joaquim
Ijjz Tcixclra Lopes Malhciros, que pela inspeccao de
sade, que te proceden no dia 16 do mez prximo
passado, foi julgado incapaido aervico militar S. Exc.
o Sr. inarrchal di; campo graduado, couiuiandanlc das
armas, assim o manda fater publico guarniciio.
Jos Mu Iltitor, ajudantc de ordens interino. .
,_^- .ja; ^miu_jia^g-jcsgg-jgJ-Jti.iMgggtrJ^-'-'
;^ PfNAvfBUCO"'
ASSEMBL4 PUOVNCiAL.
sessaO i;m i:> dk m.mo de 184.
(t'onrfusia.)
ORDEM DO DIA.
Prlmeira diicusso do projeclo numero 38 do auno
passado que concede nina prnsao ao cidado Jacobina
Jnior uo s para concluir ses estudns malhemalicos
na universidade de Coimbia, seno lainbcni para ao
depois viajar em diversos paizes daEuiopa.
O Sr. Machi Nonltiro :-Sr. presidente, pareee-me
que esla assembla nao pode votar sobre a malcra cm
discussao; c, mesmo se o pude, que jamis o leve fazer
sem-que seja Ilustrada por iiformacdes que alias nao
Ihe fram subministradas. .
Senhores, trata-ic.de melhorar a contlicao de um in-
dividuo, de um iiiembro da sociedade, e isso a cusa la
inesnia sociedade. Quer-se dar um auxilio pecuniario
a um Brasileiio, acho isso louvavel porem que se exi-
ja da sociedade luda um sacrificio a bem de mu so de
seus membros, cTn.que me nao parece adinissivel. bu
sempre estou muho disposto a fatoiecer as lellras ;
mas, Isto nao obstante, emendo que o corpo legislativo
sdeve aulo.isar a medida em queslao depois que se
houver provado que csse individuo, que ainda he inulto
novo, se tem assignalado por inultos talentos -depois
que se houve deinoiistrado que elle nao tem ineospaia
continuar coiu os seus esludos.
I. aiud.i assim, senhoies, bao que duer sobre o pro-
Ir F.uropa concluir
um contrato que
O .Sr. iMiirianfer ;Sr. presidente, levanlou-me para
lustentvr esle projeclo que orase aprsenla em discus-
sao nesla casa. Eu acho nuil ponderosas as rases que
espendeu o itobre depulailn que me preceden, acho
multo bom o sru pensamenlo : sea provincia quer ter
cidadaos h ibililados as ciencias, se quer que elles ve-
iiliam espnlhaiim paii as lutrs que adquirlrein, he pre-
ciso que se facam'alguns sacrificios: mas dalii para o
caso em queslao estamos um pouco longe ; porque, se
ca.e ,,n p, ii, iinento podesse j. ser convertido em lei.
nao aproveilava a este mlividuo. porque nao poda en-
trar no temblado concurso: depois disso he preciso que
nos atendamos que este*todivldun, lnao estando por
assim dlzerno caso de ter direito positivo, est couitudo
lio de merecer uina especie de condescendencia da casa,
ltenla a defleencia, eui|ie esl o pait, de bons enge-
nheiros de que alias uveeseila muilo e mullo ,- depoia
nelle se daoosrcqucsilosque o nobre depuladn disse se-
ren necrssarioi para se fazer essa excepciio no principio
geral; porque aa-se,.eoiuo lodos nos sabeincs.ialalla de
meios pecuniarios pata coucliisao desses esludos, por-
(iuanto ua familia j dispo/. lodos os de quepmliadispr:
da parle do esiudante da-se bom eoutport.imenlo civil,
e mrito litfcrai in, como se prova com os docuuienlos
qiK'acompauliaiaiii a pelieao:o. quars dcmonstrain que
este estillante leve premio de distinccttou de tcctttU
nos dous primen n, anuos,c foi preuiiado uotereeiro.slo
he, no auno mais dilli.il e pesado do cuido a que elle
se dedicou : C nole-se que na universidade de t-oiinbra,
na faculdadc de inallieuialica, nao se passjn atteslados.
nem se conccdeni premios assim por favor : uao, senho-
res: .u l cslive, e carecc-se ser muilo bom cMudantc
para os obter.
Olanlo, poam, ao nutro queslla, islo he, ,-is garan-
tas que o individuo deve. dar ao paiz de que dever
vastar, para nelle ensinar e pratiearo que houver apren-
dido, digo que isso he muilo justo : o palz paga, deve
ser retribuido ; mais islo siipponho que, se no esta de
lodo prevenido, au mena* est indicado, e podcaAser
iiielhurailo- na segunda discussao. Esl aqu o artigo
4:* que (lia : (le"j coinludo pude inclliorar-se, c com o
que lenho dito, parecc-me que -lenho de algum modo
removido as objeccoes ,que se teem apretcnlado, e por-
lanto voto a favor do projeclo
O Sr. Jos ferfro :Sr.presidente, eu lambem vol
pelo projecto, e o motivo que a islo mtv impelte he o
suppr que a coniinlsso que o redigio leve einavistas a
espeeialidade da materia que faz o objeclo do esludo
dease individuo.
Ki sabemos quanto esta provincia esl balda de en-
genheiros: n;iu ha nella militas pessoas aptaa para ex-
ereerein a engenharia o governu ordinariainenlc se
acha em grandes flnbaracos quando traa de colber os
esclarecimeiilos Se que carecejyara cuidar nos melho-
ramentns materiaes ilo pal/ : pareie-me, pois, que a
aisembla deve de concorrer da sita parte para promo-
ver o augmento dessa elasse
O nobre depulado que linpugnou o projecto, disse
que a concessao felta, ou que se pretende fazer ao esiu-
dante Jacobina Jnior era uina cigepeo regra geral,
pela raso de que a esustilulco iiim garante a instrue-
co secundaria, nem tilo pouca a suprilorj c que essa
despeza recahirja sobre todos os contribuintcs. ao passo
que apenas tendera a collocar esse individuo u una po-
slco especial, que mui Ihe devia aproveltar; accrescen-
tando que paia se fazer essa excepeo regra geral seria
precia prnvar que o estudanle de que se trata, acha-sr
em tal estado de aproveilament, que della se torna
jjjj. -- Parlicipou-se ao coinmaiidanle das armas. I sbmente aa dstribuiedes maiiuaes.Neate sentido oHl-
iltu-, "O mesuio, resolvcidoque, emquanlo o con-' ciou-se ao referido deao c au inspector da thesouraria
rio nao Ibr dcteruiijiado pelo governu imperial, a
alta por tnolivaftatlriidiveis de duplcala dos documen-
tos de deapezaeWpie n.io frcm de vencimenlos, fcilas
eoin aaHeasquc esliverniu em operatOes contra a re-
Ivolla,-aejainpprida, como sua mere/ propoc, por um
I ccrliUcadn. lavrado com as precisas clarezas pelo escri-
vau Uaipelia pagadura, e nu qual a parte iiiteressa^la
passar recibo, igual ao que devera cuiitcr o dociiuieii-
toporeJIa apreseulado deveudo esse ce i tilicado fica r
[em uiu do thrsourciro da tlicsouraria de l'aaciida a
Iquem lie incumbido o |iagameuto das referidas des-
|l" tas ; c declarando que, quanto aos viuchiici
que llveieni direitu os curpos que coipozerain as men-
cionadas loicas e que, segundo a pratlca, sao papos
por prait, folbas e rclacbe* ^ uiostra, dcveao os du-
eiiuieuujos ser por duplcala.
Dilar Ao juiz dos lei ios da faienda, declarando que,
Krndo ser demolida, em conlorinidadc das ordeus do
,,..;cruo imperial,! a fortaleza do Sr. liom-Jesin-das-
i'oriaa* suas 9epHxftmel", que consistein na casa icr-
iea lp callabouco que -fica oeste da Igreja contigua tario da inspeccao do arsenal de niarinha desta provin-
' iuspi
de l'i/.enda.
Dito.Ao Exm. presidento da provincia do Cear, re-
metiendo a conla dos arligos que em consequeucia da
requisieo de S. F.xc. se maiidaram aprnmptar uo arsenal
de guerra desta provincia,e rogando a S. Exc. haja de pro-
videnciar para que a mencionada repartico seja iiidem-
nisada da importancia da referida cunta, isto he, 376,080
ris.lntehrou-se o director do sobredito arsenal.
Dito.Ao presidente, da relaco. coiiiiniinicando que,
Sur decretos de 14 de abi.it ultimo, S. M. o Imperador
louve por bem nouiear desemliargador daqnella rclactio
o juiz de direito Antonio Tilomas de Luna Freir, bem
como remover o juiz de direito do civel da comarca do
Rlo-Formoso, Custodio Mauoel da Silva Guimatcs, para
a vara civel desta cidade, e desta para a da capital da
provincia da Parahiba o juiz de direito Urbano Sabino
Peasoa de Mello Fizeram-se as parlicipaces do ejlylo.
J)ito. Ao bacbarel TtfOui t'ernaiidea, de Catiro Ma-
deira, determinando que mande solicitar ua secretarla
de estado dos negocios da niarinha o seu titulo de secrc-
jeelo em dlscussn. inin...... ;
Nos paizes adoleaoentes nat sciencias, mas guiados fjg0 m|1, sillli porq
pelo seiitimeuto do bem publico, prestase ao tlenlo a i,,,,,,,,,, dislinclo i
prolecco que ora se quer liberali.sar ao Si Jacobina J-
nior; mas como? Aulorisa-se o governo a abrir um
concurso a que comparec m os mocos que se propoem a
Ireni esludar em Ierras eslraiigeiras, aliui de que u cu-
tre elles se cscollia o que urna hbil se mostrar. Siga-
mos, pois, cate exemplo saltilari autonse-sc <">"""-
nislrador da provmcia a abrir um concurso seiiieaiu.,,- f -.s |alllbcin 50 procedem os
aquellc dos Peruambucaoos que mais se u.slii j,mi ) i lanto a islo mslrou o nobre depulado
e acto v para a Europa esludar a cusa aos com ^^ rfjla (li./iM. al(,ul|)a cu sore o con
digno, bem como que as suas circunstancias pecunia-
rias o nao lubllltain a terminar seus estuds a expensas
propras.
-llcverdade que a constituicao no garante a Instru-
yo iroundaria, nem a scienlilica ; mas lodos nos sabe-
mos que os dispendios fritos com essa instiuccao nao
sao compensados pelas matriculas, ou contribiiicocs
que os individuos pagam actualmente ; logo os cores
pblicos cuiicorrem mui poilcrosainenie para que os
mocos que se dedicam i sciencla se conslituam em
estado do aprovrilarrn a si mesmos, c em ultimo re-
sultado ao paiz. Que mal provira, poto, de que se gaste
mais algunia cousa com esse individuo/ Nao sei: se
fosse possivel provar que aquillo H" dJj'^e ""
a insrucciio secundaria e seieuliltoM lie pago pelos
alumnos, enlao .liria eu que de facto esse individuo la
ficar fra da regia nal mas se nao se P"va'slo, se
anexar da cnnslilui5io do esudo nao garantir tal espa-
cie de inslruccSo, todava o paiz gasta muilo com ella,
mr parece que esta asjeuibla obrara cm regra autori-
risando un.a despe/.a qne tenha por m habilitar o
cidado Jacobina Jnior a adquirir marr somiiia de co-
uliecimentos atiiii de se tornar mais mil a si eu provin-
cia a qual. segundo hei nolado, .tanto se. resente da
taita de linmciis professos na scicncia a que se elle de-
pica.
Examinemos agora se o prctendenle, pelas das ha-
billacrs, esli no caso de merecer a atteneao dadasa.
---ue elle nao so foi considerado es-
nos priineiro e segundo anuos, se-
i lanrbrm premiado no tercelro. Acha-se. por-
tanto, remnvida a duvida que a respeito inanifestou o
nobre depulado que respondo,
Olanlo s suas circumslncias pecuniaria, us sabe-
mos de quem este mocil he filho, que se pal acha-e inle-
llznienle imposslbililado de continuar a manierio lora
--ocedem os escrpulos
e
nesse
provineiaes
Ainda mais;
concursus e
ranlir por via
curso qne,
ina o nobre diputado,devia obrlr-se, afim que
s quando o governu mandar fa/... ,."' rrcoiliecessc qual dos nossos joven
pen .illir esse. meios, lambem se deve ga- po neio u para dar-se ao eludo a
ia de ..... contrato; poique do contrario, pa r .coa,i m aii ^^.^ ',,, ,bono ja verdade,
.levo de onfessar que a idria l,e_...ui.o boaj ua.jre.o
c
suppo.iha V. Exc, Sr presdeme, que esse lime ..que
fe os seus esludos cusa do ove.no, Pe,,a "' "'
na uao volla, e diz como XloV: hgo lum papa'. ..
bu posso vver onde quizer, e ir para outra qualquer
parle, c ha algum meio obligatorio __,.. .,
' Diz o hornen : Eu sou engeuheiro de pontea e ci-
tadas, c vou para Guatemalla. para e Mxico, para o
Peru.Ouaea os meios queo obriga rao a vollar para esta
provincia, que alias Ihe liberali.ou os meios de se ins-
truir, de concluir sua carreira scienlilica ?_ fcnliio, nesse
asa, esla le que o mandou esludar, c niooobrgou a
pada.be um verdadeiro palroualo.( Apoiflduj.)
Se a asseuil
cer essa ------
teca-se um concurso e diga-se : Quem
: o e-'Kr"que a idei. he muilo boa .....i creio
irnicinciite que, s se abri.se tal eonciiro, e o Sr. Ja-
b na i odesse comparecer a elle, serla certamen te o
..refA.I .rllenlas as habiliacoe. queja te.n.-atte.it. a
rrputacade que gota rntre os seu. preceptores e con-
discpulos. ,._.
Finalmente. Sr. presdeme, estou convencidrrd* que
o nosso comprovinciano se nao negara a garantir a sua
volla para esta provincia, quaesquer que seja... as.ron-
dicoes iiuc a respeito" niponlioin; pois que nao pos-
so siippur que, para sua residencia, dcixe elle de prefe-
1
r

'
, verdadeiro patronato^ Apoiadi..) tt*SXUK'tt*n* ende na.eeu, lauto'mal.
sseuiblaqulter. cui su alta bedoria, ^^*S^XSSSS que ll.e deve de ser summmente
MUTILADO
ZQ.



2
~t



,.
ailc|iiiir urna dat lucidores posicoes sociacs, como com
rlleito he a de un hoincm profisslonal em ciigenhara.
Voto pelo projecto, conforme ja disse.
r.nceriase a discusso; e, subincttido volacao, lie o
projecto approvado cm priincira discusso para passar
segunda.
Segunda discusso do projecto n. 7, que considera
com ilii. i i. a ser jubilado o professor de priineiras le-
Iras da freguezia de Saii-Fici-Pedro-Goncalvci.
Obr. llego Itarrofi--Como ninguna pedio a palavra,
c eu carera de algumas explicacdes, vou, contra meu
costuine, oceupar a altcnco da casa por algum tempo.
I 11 qnizera que a coininisso me dissesse se esle indivi-
duo reqiicrVu ao governo ; porque me parece que ha
urna le; que regula a materia das aposentndorias e ju-
bilaces dos prufessores ; e, te cssa lei existe, cscusado
he que a assembla gaste tempo com osas especialida-
des, porque rnto nos veremos perseguidos com nego-
cios partcula es nesta casa, e pouco tempo uos restara.
Espero, poli, que algum dos meinbros da commisso
me tli essas ioformacoes, para emo continuar.
Continuar-S-ria. )
iihiii i)EPEx.ii!ri:n.
*ICIl't, lt 91 MAIO Dt 1S9.
A assembla legislativa provincial approvou hoje a
ultima redarco do projecto n 3, beni como diversos
pareceres de romiuisso ; e em priincira discusso nao
s o projecto do o {amento provincial, scnfio tambeiu
que cria una cadeira ilc priinciras Irtlras em Papacara ;
a|>reciando igualmente, al o artigo i9 do titulo 1, as
posturas da cmara municipal do Recite,
A ordem do da para a scsso da amanha lie a sc-
guinte:
Leitura de projectos e pareceres;priincira discus-
s.io do projecto numero 9, que orea a receila e l'ua n
despea municipal para o anuo futuro ;--terecira do de
nttmero 7,acerca da jubiladlo do profc9orde primeias
lettras de San-Frei-Pcdru-Goncalvrs ;--conliniiaco da
segundadas posturas da cmara municipal do Kccife.
por isto se ir.in.sl. i id a mesina arrematadlo p ra sabba-
do, 19 do correte me/, s horas dn cosiuine. .Secretaria
da administrarn do patrimonio dosorphos, 18 de maio
de 1819. Jo.io francisco de Chalnj, secretario.
Pela subdelegada de Santo-Antonio fram reco-
lliidos cadefa desta cidade os escravn9 seguintes : An-
lonro, que diz perlencer ao coronel Vimiia ; Joo que
diz estar fgido ha mais de doze annoi do poder do pro-
pietario do engenho Caeliocira, na comarca de Goiau-
na '. e Mondo, Mossambiquc, que representa ler 25 ali-
os de idade, cque nao declara a quem pertence. O
subdelegado supplente, t. J. femanis llarroi.
= INa subdelegada da freguezia da Varzea acha-sc
urna poreo de roupa, tanto de hoinein com de miilher,
que foi tomada urna lavadeira por furlada, cuja lava-
deira diz que Ihe foi ter s iniios a dita roupa por enga-
o : quem se ulg.ir com direilo a ella, comprela na
inesma subdelegacia, que, mostrando ser sua, Ihe sera
entregue. Subdelegacia de polica da freguezia da Var-
zea, l5 de maio de 1849. 0 subdelegado, Francisco Ma-
ehado.
= Tendo o arsenal de marinha de admittir para os
srus traballios serventes at o numero de 40, com o
jornal de SO rs. prefei indo se os livres a escravos ; as -
slin manda o Illin. Sr. inspector fazer publico, para co-
nliecimento dos que possa iuleressar ; devendo, os pre-
tendentes apresentar-sc-lhe com toda a brevidade. Se-1
N 12 Sympbouiac cavatina da opera
11 Finio Estanislao,
de Verdl, ejecutada pela msica do corpn de polica.
N. 13. !& ST. execntado pelas msicas do2., do 5."edo(i." batallies,
c do c'orpode polica, que formaran assim una forja
de mais de cem exrculore.
Principiar as 8 horas da noile,
ou -
COM A CHEGADA DE SUAS EXCELLENCIAS. -
O resto do bjlhetesse acliain a venda na casa do be
neliciado, nor-Piii, na ra da Litigela, n. 3, e na
noite do espectculo, no mesmo thcatrn, aos precos se-
guitilcs :
Camarotes. 12/000 rs.
Caleras. 3/000 rs.
Platea..... 2f000rs.
Avisos maritiiuos.
OabaUoaisignado, por ter-se perdido um iclll
da quantia decent e quarenta mil res, passada nr
Sr. Francisco Rufino Crrela de Mello a favor do Se V
toulo Pereira de Souza Barroso, com o pertence >aT
ao abaixo assignado, ej vencida, na ultimo desetri,
bro .prximo passado. faz pelo presente an nuncio vera
pjssador, o Sr. Francisco Itnfiiv Cuircia de Mello, ,..,
niio pague drl'r lettra a quem qur quc*a aprsente', f
n.lo'tcr o competente p assim Como lambem faz ver a quem a tenha adiado '
a entregar ao mesmo abaixo assignado, ou ao fscr'wj0
do criiue, na villa de Iguarass, Adolphd Manorl c',"
indio de Mello ( Aranjo. -- Manorl Cavjleante di Al.
qaerqui Tini.
,- Quem annunclou querer comprar oTIsiot, ahiji.,,
a ra Nova, n.tJ. e
'- Precisa-sealugar urna ama que tenha bom e a,Ul
dante leite, e que seja cuidadosa :prefere-se captiva, t
sendo paga-seliem : na ra do Qqcliuado, esqua a,
becco da Congrcgaciio, n. 39Airgundo .indar.
Prccisa-se de una ama de lelle que o tenha bom
bastante, que saiba tratar e velar de urna enanca (.,
seja forra, irm molestia e achstfoeaVa tratar a qusHqr.
hora do dia, na ra larga do*Ro*rlo, n. 38, por cita4.
armazem de louca.
Luiz Lopes Teixein Moni So Jnior, estudantt d
curso jurdico, residente cm Oliuda, na ra de Mithta.
or brevl- f>rreira, da a graticaco e dez mil res a quein achoii
Correspondencia.
retalia da inspeceo do arsenal de marinha de Pernaiu- : V f"ion.iraahaa cftra sale,, com a maio, u.c, Wrrelra, da a gratlc*Cft- .
Meo, 10 de n.aio de 1849. 0 secretario, Thom Ftrnan- dal,e P"'*''* ? ,"",aCa J}"10 ^ar'n"' \ ?"* carBa.e e liver consclencia de restituir urna carleira. contad
passageiros trata se com Novaes t Companhia, na tua do -^^f, elll todul.s, sendo urna de 20/000 e otra de 1^
Srnharri tteduclores : Hoje (18 do corrente) val ,i sec-
na o importante trama Rita a Hespanhola sb a
direecao do Sr. Dupr, que pela ultima vez pretende oc-
-mpara altencao do publico comas suas excdleiites re-
jiresenlacoes. Temos noticia desse drama pelo naver-
inos lido, e em verdade podemos assegurar que lie un
dos mais iiiteressantes que conhece a lilteratura fran-
ceza ; he un drama chelo de sentimento e de morali-
dade.
O Sr. Dupr. consta-nos, que vai faier o papel de .?-
/irnrto, uin dos mais dilliceis papis dramticos, e no
qual os scntiiiicntos de vinganca o de arrepndimento
sao desenvolvidos cm una grande escala. papel de
Rita he, sem duvida, de um interesse jnuneiiso, porque
aprsenla o carcter de urna mulher que nn meio das
seduccs sabe conservar a dignidade de scit sexo, e sabe
confundir aquclles que, abusando das vautageus do se-
xo, pretendiam feri-la em sua rcpulaco; e he a Sra.
Alejandre quem deve executar este papel.
O Sr. Dupr tem sido acabrunliado por urna guerra
vil, feita pelos artistas que, chegandn esta provincia,
uo [crin querido prestar-lhe us servifos que se ha-
viam compromettido, e que prociiram inipossibilita-lo
de continuar no dcsempeiiho da direecao, para dali tl-
rarem motivo para desacredila-lo maso publico, que
conhecede quem partem tao immoraes tramas, nao dri-
zar deTazer Justica ao Sr Dupr, J como director, j
como artista. E, pois, fazemos uin ultimo apello para
agenernsidade da uossa populacao, e convidamos espe-
cialmente aos jovens acadmicos de Olinda, para que
demos aoSr. Dupr urna ultima prova de nossa conside-
racao e estima; esta corporacao pertence mostrar
que ella sabe aprecia? o merrciuicnlo dnquelles que
no se dao de vencer al maiores dilliculdades para a-
brirem entre nos nina pica a homo llieatro decaliido.
Klles que conhecein a Imgoa de llucioe, Coiueilli, Ali-
xandre Dumas, e outros, s.o os mais proprios para apre-
dareiii as rcpresentacoc.> da couipauliia Iranccza.
COMMERCIOi
A.FANDEGA.Rendimento do dia 18 .
Oncarrtgam hoje, 19 de maio.
PatachoCurioso mercaduras.
Ilarca Soteretgne dem,
arca Navarre dem.
Patacho Uovrrnor-Carver familia.,
15:734/7-20
CONSULADO GEIUL.
Rendimento do dia 18....... .
Diversas provincias..........
.6:142^4110
. 49/003
0:191/903
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 18............2:857/083
Movimenlo do Porto.
Aaw'M tnlraiai no di,, !8.
Ierra-Tiov44dia, brigue inglez Ihrnld, de 202 tone-
afflo*i c,l?"ao Jo1"' Harren, equipagein 13, carga
X.m barricas con. bacall.o a Me. Calmont & Com-
pannia.
"JiuT ; 4ed!a-' Raliola ho""'lea Clharina, de 100
toneladas, eaj.iiuo K. II. Dick, equipagein 7, carea fa-
^^rt' "?' '" "o ,^iz a Ash'e,"
^ppenbek e"sa*e>"- Klward Nolke, W. Augusto
TTadas "Dlrto V?,Kbrl,,,e ng'" Cami"a- dc ,:i7 ,one-
laaa, capltao V\ Kewley, equipagem 12 cari?a 2 700
ponT." "" "aC,"ha0 ; a a'"" tobT Com-
del Uadcira de Catiro.
THE\TH D AFOLLO.
Granle c extraordinario espectculo.
//o;c. 19 de maio de 1849,
llavera tuna rcpiesciitaco extraordinaria, eoinposta de
tres i"Yis novas, c assim distribuidas :
1UI A AlIKSPAMIOLA
ou
A Torre de Koatwen,
drama em tres actos, a carcter e de grande espect-
culo. J
O Sr. Dupr I ara O papel do conde llenriquc de Ven-
d rey.
GRANDE PIIANTASIA DE BERIOT,
desempenhada na rabeca pelo Sr. Alexandre.
MOUAIKUR ET HDAME GALOGHARD,
a 11
O jardinriro de .ui'i XIV,
vaudeville jocoso c Intermediado de oantn, eui um acto.
CINTO.
(irande nria de Hernani, uinsica de Verdi, cantada pela
Sra. Alexandre.
DANCA.
La Seviglia, dancada pela Sra. Camoin.
A VI )A DE NAPOLEAO,
Contada em urna feita de aldeia,
scena episdica e jocosa, representada pelo Sr. Lamber-
ty e as Sra*. Maria, Alexandre e Camoin.
U director tem a honra de prevenir o publico que esta
he irrevogavilinenle a ultima das renrescntavei da
coinpanlla franceza nesta cidade, e que para o sen
completo desempenho tem elle envidado todos os seus
lili uno m ACOLLO.
QlIINTA-FEIRA, 2i DE MAIO DE 18*9.
CltANDE E EXIRAORUINaIIU BEPaESENTAgO
Em beneficio de
Augusto l.uiz Moeser,
concertista junto as curtes de SS. Mil. os reis da Prus-
tia e de Dinamarca, que nesta noite Jar a suu pri-
meira e nica apparico.
Alin das pecas que o >r. A. /.. Moeser exeeutai na
rabeca, a insigne cantora */. Alejandre cantar por es-
pe. 1 11 obiequio duas grandes arias italianas, com acum-
paiiliauento de (oda a 01 diestra.
Para tornar mais brilhaute esta noite, hatera umareu-
ni.10 das prindpaes bandas militares da guariiicao, que
execiilaru varias pefas das operas as mais acreditadas,
formando assim um
CONCERT MONSTRO
Trapiche, n. 34. | e inais um nielo billicte da actual lotera do thealro Z'
~7M\b3,n'* '"r'o-*anf<)iahclmpretcrivelinente para blico, a qual carleira eacapolio d.i algibelra de urna
a cidade dn Porto no da 6 de juul.o prximo : quem na brecasaca que eslava ao sol em urna Janelra da coBvrT
mesina qulzer cartegar, ou ir de pasiagcm, para o que ,0 de San-rrancisco, em Oliuda.
tem os mais nsselados commodos, dlrlia-se aoseucou-l ,. .... ...
signatario, Francisco Alves da Cunha.ua ra do Vigaro. i "O^rs. Virlssl.no dos Sanios Slnu.lra. OwldoCa,.
n II, primero andar rea Lima, Joaquliniorrela da Silva Jnior, Seterlno
= Para Lisboa sahe, com a maior brevidade pnsslvel,
obligue portugus Anna-Adelaide, forrado e encavilha-
do de cobre : recebe carga e passageiros, para os quac
tem excedentes commodos : a tratar com o consignata-
rio, Joaquim f'eireir.i >>lendes Guimaraes, na ra da
Cruz, n. 49, nucom o capito, Ignacio Jos de Araujo,
na praca do Commerclo.
-- Para o Itio-de-Janeiro segu viagem, no dia 2Q do
corrente, a bem c nhecda barca /Vujk;, capito ur-
Henrique de Castro Pimentel, Antonio Jos de Souia r
coronel Jos de llar ros Falco queiram Ir ou mandar
receber unas cartas na ra larga do Hozarlo, n. 20.
? Jos Fernandet Povoai val a Macelo tratar de scus
negocios.
Retira-se para fura do imperio Jos Maria Darboia
e sua familia.
Francisco Joo do Pilar, morador natpovoacio do
Pilar da Iba de Ilomarac, ruga ao Exin. e Rvm. r,
lleelaracrs.
-.O abaixo assignado, secretario da
pal da cidade (*
reir GusmSo
Morda Marq
Minara muid-
edeOlinda, avisa aos Srs.M;,:;'',^'-;:
ao, Francisco das Chagas Meudan 1 -
que,, D. Francisca A ngciica"eote?Lc"
eD Mara Ignacia de Je.us, que da publlc.cao d", '
lj das improrogaveis comparecam s sess.s desta e.
MU, paraass.gnarem termo de reconhecimento da, nro.
priedades que compraran,, cujos solos sao loreiro, i
randa l'X?' PCna da le' '"'"""' ^"l""" '>'''
ADMINISTRACAO' DO PATRIMOKIO DOS ORPHAOS
f.ier .?MiIStra"0 d Palrin"">lo dos orphos manda
dn nArt. ,. 1 qUe P0"- '"""venientes que uceorreram
ucsd.. ZhS"A0 dia '.(id0 "esen, "cao dai rendas dos piedlos do mesmo patrimonio :
de mais de cem executores.
Prograiuma.
PARTE I.
N. 1. Grande ouve tura da opera
de Douizrtti.
N. 2. Andante a duaivuei, cadencia com acompaiiha-
mento e vaiiajocs, sobre o motivo italiano
O CARNAVAL DE VENEZA,
composto pelo imiuoi tal Pagannini, executado pelo Sr
A. /.. Moeser. '
N. 3. Marcha bullanle eitrahida da opera
de Verdi, executada pela msica do sexto balalhao de
catadores.
IL 4. A grande ana da opera
HERNN I.
de Verdi, cantada em italiano pela A'r* Alexandre.
N. 5. tima bullanle v ilcu original
composta pelo Sr. Manorl Augusto de Meneies Costa
nicstre da banda d>- segundo balalhao de artilharia a p'
executada pela mesma banda.
N. 6. /n/roJuccilo, Ihema, tariacoet e final, original,
composla c executada em
LIMA SO' CORDA
da sua rabeca [a 4."] prloSr. A. L. Moeser.
S. II. Antes de principiar esta pera o Sr. Moeser tira-
ra u outias cerdas do Instrumento peame o publico
PAUTE U.
N. 7. Ouverlura da opera
O CAVALLO DE BKONZE,
do mestre Auber.
V. 8 O PAO b'ASSUCAR,
ou A valsa das Fluminenm, grande valsa caracterstica
composta pelo Sr. A. *; tloeser no Rio-de-Janeiro'
executada pela msica do coi po de polica.
N. 9. A grande aria da
Fillia do Regiment,
de Doiiizelli, cantada pela Sra. Alexandre.
I. .10 Marcha extrahida da o|iera .
I AIARNODIERE,
dorVcsrtl' "ceu,ada l*,a '""sica do C. batilhao de cata-
nb"cido,uoTvo';,or,uR^'r' Variaf0" iuble hc>" "J
co,r,o,U,^prc.,a.etc e, Lisboa c executada.Jpelo
-- Para o Rio-Grande-do-Sul pretende sabir breve o
patacho Dous-de-Marco, capito Antonio Monleiro deAI-
melda, o qual recebe escravos e passageiros : quem
pretender, pode entender se com o dilo capito, ou Com
us consignatarios. Aiiiorim Iruiaos, ra da Cadeia, nu-
mero 39. m
-- Frcla-se para a Costa-d'Africa. ou para o Rio-da-
Prala, a polaca italiana (irilto : trata-se com o scu capi-
lao a bordo, 011 na ra da Crui, n. 45, em casa de Nas-
enni uto rv Amoriiii.
--Para a llalli sepue milito hrevo o" pajhabote
S.-Antonio-Vencedor, foirado tle cobro o nimio ve-
luiro : j tem e maior parle le sua carga prompll,
para o resto Irata-se com J0S0 Francisco da Cruz ,
na ra da Cruz, n. 3.
Para Lisboa parlir, com a maior bieviJnde,
o patacho portuguez Maria c oaquina forrado e
eneavilliado de cobro e. de boa marcha de lolo dn
7,500 arrobas ; tem mclaile da carga protnpla : para
o restante e passageiros, para o que oferece muito
bous commodos : a tratar com o consignatario, Fir-
tninoJ. K. da Rosa, na ra do Trapiche, 11. 44, ou
com o cspililo Manoel da Costa e Silva na praca do
do C.irpiiSatilo.
Para o Rio-Grande-do-Sul pretende sahlr breve o
veleiro patacho Emiliana, capito Valcnlini Ribeiro dos
Sanios, o qual anda recebe carga : quem 110 mesmo qui-
zer carregar, embarcar escravos ou ir de passngem, po-
de contratar com Amoriin t Iruios, ra da Cadeia,
n. 39.
= O briguc-esruna nacional Olinda segu, com bre-
vidade, para o Rio-de-Janeiro por ter parle de sua car-
ga engajada : para o reslo, passageiros ou escravos a
frete, trata-ie toiu Machado & Pinheiro, na ra do Vi-
gario, n. 19, segnudo andar, ou com o capito na praca.
= Para o Rio-de-Jaiieirn segu, com umita brevida-
de, o brigue nacional aurora ; tem a maior parte do car-
regamenio prompta : para o reslo e escravos a frete,
trata-sc com Joo Francisco da Cruz, na ra da Cruz,
II11111 el o 3
= Para o Rio Grande-do-Sul sahe, Iniprelcrivelmenle
no dia 20 do crtente, o patacho nacional liulerpe, capi-
to Manoel Luizdos Santos: ainda pode receber algunia
carga a frete, escravos e passageiros: para urna c outra
eotisa trata-se com o niesnio capito ou com Luiz Jos
de S Araujo, na ra da Cruz, 11. 33.
<=Para Lisboa sabe, Impreteriielmente nodia6de ju-
nho vindouro.o brigue portuguez Velos, capillo Antonio
Pedro de 1'ie.in nedo: recebe carga a frete, bem como
passageiros, para os quaes tem os mais excellenles com-
modos, c alianca-'SC o bom tralamento : qutm preten-
der dirija-sc aos consignalarios.Oliveira h unios Si C, na
rua da t.ruz n. 9, ou ao referido capito na praca do
Comuiercio.
Leiloes.
GRaNDE LEILAO.
(Sem limitu em rteos. )
De llvros nidiamente, novos, de urna colleccao de
bellas lilhngraphias e de ricos apparelhos de porcella-
na pintados e dourados para cha c mesa ; ter lugar, por
interveneo do correlor Olivelra hoje 19 do cor-
rente, s 10 horas da manba, em o armazem de J. P.
Adoiir I Cuuipanhia, rua da t.'adria, n. 52, onde os pre-
lendeiites pdem, desde j, mandar receber gratis os
competentes catlogos.
Entre os nomes dos autores das obras emitidas em di-
tos catlogos sobreniaudra realcam, como historiadores,
Thiers, Gui/ot, Villeniain, Ihiirry, Norvins, ele. ; como
poetas, romancistas e dramticos, Scribe, E. Sue, V.
Hugo, A. Dumas, Chateaubriand. C. Delavignc, C. No-
dier, La Mennals. llalrac, Paul de Kock, ele; e uo de
lenos illiislrc fama sao os amores das mais oulras p-
timas obras em medicina, cirurgla c diversas (ciencias,
cujos iiomes nao se declaram para evitar faier mais ex-
tenso o prsenle annuncio.
= Russcll MellorsJi Conipanhia faro lellao, por in-
terveneo do correlor Olivera, de esplendido aortinieu-
lo de faxendaa inglesas : segunda fciia. i do corrente.
as 10 horas da maiilia, no seu armazem, rua^a Alfan-
dega-Velha.
Avisos diversos.
= Ofr. fiscal dobalrro do Reclfe queira laucar suas
vistas sobre certas casas do beceo do Abren, com espe-
clalidade para a de um tal I.,., que tem por costme,
milito principalmente quandn chore, de laucar da va-
randa, mesmo de dia, agua 011.... tu ptrida c onnun-
da, que lauto incnuiuioda a vizinhaiica, a ponto de obrl-
gar oanniiiiciante a recorrer ao prelo para, assim por
termo a una das ihfraccoes das posturas da 1 lima, c-
mara municipal.
Quem innunciot querer comprar o
curso de philoxoplwa por Dainirun qttei
ra apparecer na rua larga do Rozario, por
cima dloja do Sr. Lodi, depoisdas onze
horas. %
Quem precisar do presumo de um rapaz brasileiro
de menor idade para caixeiro de loja ou de ru* que d
fiadora sua conducta, dirija-e a rua deS.-Goncalo, n.
34, ou aununcie sua morada.
tivos justos.
Quem precisar de urna ama de leite forra, que
o tem em umita quantidade o bom dirija-se a nn
de S -Tbcreza, n. 6.
Qu em annunciou querer vender urna venda bem
afreguezada lano para Ierra nomo para o mallo
diiija-sea rua Atigusla, sobrado de um andar con-
fionle ao amarello.
-- I uiz do llego Falcii, senbordo engenho hW-
Ji sus nn provincia das Algoas, avisa ao Sr. Mniiool
Gregorio do engenho Cajabuc, que u JI se arha um
seu escravo fgido pedindo para que o oomprajje,
o para betipcio do mesmo st'tihor alli o conseryi'
e nilo lera duvida corra-lo por prego rasoavel: pi-
ra esclarejlfiriento dcs negocio, o dito Sr. podo en-
tender-s com Manoel Ignacio de Oliveira, no Reci-
fe ceno d que se nilo responsabilis por qualquer
acnteciiiienlo que possa baver com o dilo escravo,
--Das 4 para 6 horas da tarde dn dia 17 do Br-
rente, roubaram de denlro da alcova do sobrado do
abaiso assignado um relogio de ouro gralMe, com
vidro, mostrador de ouro.de repeticao e que tambero
d horas por si, com um trancelim e outro pequeo
com urna chave tanibem de ouro ; um Menino-lieos
de vullo de um palmo, cora, coros, urnas poucasde
vollas di coido lino com um pequea cruz de pe-
dras e ti 111 u bandeir, ludo de ouro. Este roubc te
descunlia ter sido fei|.o por algum acraro rT6ga-se 1
qualquer pessoa a quem fr oirerecido quslqucr
destesobjectos, que o tome e-leve-o ao Aterro-di-
Iloa-Visu, 11. 17, que ser gratificado. PrttUrico
Chutes.
- Ka tua da Piaia, n. 14, deseja-se fallar com 01
Srs. Antonio Vello/.o da Silveira, Dumiugos Jos
Viantia Antonio dos Sanios Almeida, Monoel Mar-
ques dos Sanios Francisco Luiz remandes da Cos-
a, ou a quem suas vezes fizer, a negocio de seus
interesses.
D0o-se 250,000 rs. a premio de um e meio por
cento sobre penhores de ouro e prata: 110 pleo
do Carino, n. 9.
Hoje, pelas 4 horas da tarde, porta do Sr. dou-
tor juiz do civel da 2." vara.so ha de arrematar 1 es-
cravo penhorado aos herdeiros de Francisco Xavier
da l'onseca Coutinlio, por execueflo do coronel Cli-
by, |i.orsura ultima praci.
Aluga-so o segundo andar do sobrado da rus do
Caldeireiro : a tratar 110 palco do Carino, u. 9. se-
gundo andar.
-- Domingos da Silva Teixcira retira-se para Eu-
ropa e deixa por sua primeira procuradora 1 sua
mulher, [). Anua Benodicla da Rocha^Silva, e por
seu segundo procurador o Sr. Antonio Domingues
Pinte. *
-- liomingos'da Silva Teixeira relira-se jiara 1 V
Europa: e, cohio se ada incommodadode sua sa-
de nilo se pode despedir de todos os sous amigos,
o que faz pelo presente pedindo-lhes que o hsjatn de
descul|ir.
". -- Precisa-sealugar urna preta para todo o servico
de una casa : no pateo do Terco, 11. 139.
Alugu-se urna preta escrava para cozinlisr e
sabir a rua quuudo fr preciso: a-se bom IraU-
menlo: na ptacinliado Llvramenlo, luja de fazen-
das, 11. 45.
Aluga-seo primeiro andar do sobrado da rua
larga do Hozado, 11. 48 : a tratar no mesmo.
_ O Sr. Antonio Jos! Gomes tenha a bondade derr-
rormarseus inos coslumes e pagar a cunta que deve a
casmie Manoel JoatiuimUoiicalvcse Silva, sob pena de
seren esses publicados por esta folha. lus de UM
Klbuqucrquc Montenegro.
Precisa-so de um caixeiio brasileiro ou por-
tuguez ou amassudor tle parlara, que queira suli-
jeilar-sea enliegar pfio com um preip : no pateo da
S -Ciuz, padaria n. 6.
U Sr. Antonio Jos llibeire Guimaraes nilo pode
ntirar-se desta provincia, sem pagar o que .deve
na rua doCabug, n. 11.
Kuga-seaolllm Sr. chefe de polica e msis au-
toridades, niio consininiii snliir .tusU provincia u
Portuguez Francisco Soares Pereira, sem so mostrar
Itvre e desembarazado, visto o mesmo se adiar de-
vendo ao abaixo assignado duas leltrajj ja vencidas,
uuui da quaulia del40,000 rs. e outra do 30,600 rs.
I az-sc opreseiite annuncio por constar que o- dito
Soares Pereira quer-se retirar para Macei. Mi-
xandrino Muximo Leal de llar ro
~a iSl' J""0"0 Espirito-Santo Braca tenha a bonda-
de de vir pagar a coma que deve a casa de Manoel Joa-
quim Goncalves Bltva,*iite( de sua retirada para fura
do imperio, como aiuiuncffporrsic jornal, sb pena ae
ae cmpregarein os meios fara aic-lo pagar. vi *
*o MOuquerque Monleneyr. ?
"" |,,''ec}a"*e Ue ""' caixeiro : na reftnaco da rua d
Senzalla-Rova, u. 4. f'
- Aluga( urna casa terrea na rua do Padre-Floria-
no, n. 41: tratar na rua larga do Rozarlo, n. 39, le-
guudo andar.
MUTILADO I



Retratos de Degarrcotvpo.
G. F. Wallter tira retratos de deRarreotypo, tanto
Pin dias do CIIUVA cornos* sol, afiancando quo os
Diestros retratos nunca dosmere#Jr3o. Os pretcn-
Vntesdirijam-serua da Cadeia de S. Antonio, n.
C, Wrceiro andar.'
.- Amonio Joaquim d Soma Araujo, subdito portu-
ourz, diixou de ser caixrlro doiSrs. Campos & Morcira,
e trauspoita-se para Angola.
8S nossons que conduzcn mcl. egoardente, azeite
&o para o mercado desta cidade em ancoras; -e que
inda nao aferiram.que quanlo antes venham arerir,
uns o tempo da afericiio estfca acahar-se,e os fiscaes
respectivos passarRq a dar as corridas Jo costume, e
aauellas que enotflirarem sem estar ateridas nesto
anuo de 1849,sera"o mumlas em 2,000 ris cada urna,
o abrigadas a afeAtt assim como previne aos senho-
res de Injas.qTO^t^Jo prximo o tempo d rovi-
sao, n3o Ins | assaa^verfca de.revisSo, sem que es-
lejam oxaclas com o padrSo da cmara, e para esse
lnii j le preparado una porcSo de'vuras e covados
ja alaridos para aquellas que precisaren).
Novo pao de Provenca.
Na padaria do boceo das arroiras e no de-
posito da Estrella, no Atorro-da-Boa-Vista, n.
3i), fabnca-se o novo pSo de Provenca, 0 qual
be fabricado pelo' methodo do sou primeiro
introductor que veio a esta provincia o com
2 as melliores fa rindas que lia no mercado, o as-
' scio quede possivcl: da mesma sorte so fa-
r tiricam as faliasda falnda do llespanha bo-
l indos, blscoulos, biscoutinlios, fatias, cava-
'- cas i ludo do mellior goslo possivcl e proprio
; para cb ; lamhem ha bolacdinba de Lisboa
: em ialas.de a libras, por proco commudo ;
Q ainendoas confeiladas e do varias qualidades. f
J I
%mmm* Precisa-sede um trabaldador do enxada, para
ui sitio pcrlo desta praca : na praca da Indepen-
dencia, livraria ns. 6e8.
|>a-se dinheiro a premio sobre penbores de ou-
roe prata : na ra doCabtrg, loja n 5.
Aloga-se o segundo andar e solo corrido do
solirado amarello da ra Augusta : tambem se aluga
o sillo da estrada do Cordeirq, pr*prio par nego-
ciante eatrangriro dous mitro sitios, e varias pe-
queas casas na campia e ra da Casa-Tone : na
ra do Amorim, n. 15.
s Srs. Jos de Araujo Roso Danin Marcos An-
tonio llodrigues do Souza Sos Joaquim llezerra ,
Jos Rodrigues do Passo Jnior e Marlindo da Silva
Costa, dirijam-so a livraria di esquina do Collegio,
a negocio ilc seus interesses.
-- O at'eidor, em coiifoi mi-
dade do artigo 8." du regularaenlo da cmara, roga
ans Srs. liscaes, que estando a lindar-so o tempo da
al'eiicao anda n*o appareceu individuo algum para
uferir regoas de 10 palmos, craveiras que sao obri-
gados af&sarem todos os mesires podreiros, carpi-
nas, ranteiros, vendedores de madeiras e todo a-
quelle q iie le ni necessidade desaa medida, alim de
que venosa ateri-las, do contrario ser prejudica-
do em sua arre malaca 0,41
SfcCHAPEOS DESOL
Ra do Passeio, n. 5.
Od! que petincha para o amavel e respoilavcl pu-
blico : novas sedas da tnelhor qualidado que se p-
de fabricar, por sorem de incommenda e da mellior
fabrica de Franca, recedidaa agora.
O fabricantedeste estabclecimento adverte ao res-
peilavel publico desta cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sorlimento de chapeos de sol,
assim como chapos de sol de seda furta-cores, dos
oais ricos que teem apparecido noste mercado, e de
cores condecidas ; ditos para senrtoras de iom tom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas de retro/, ludo que lem do 11.ais moderno c do
ineldor goslo; um completo soitimiiito de chapeos
de sol de pannindo de todas as cAres e de todos os
lamanhos, para homens, sendoras e meninos : ha
lamhem igual sorlimento de fazendas para cobrir ar-
maccs, lano de sedas de cAres, como de panuinbos
trancados e |isus imitando seda. Adverte-se que os
freguezea sero servidos com brevidade, e so acha-
rolo satisfeitos da boa qualidade, do bom gosto o do
bom preco.
== Precisa-te lugar urna prela para o servico de una
rasa: na ra da Guia, n. G4, segundo andar.
= Queui liver adiado um butilao com quillia, algu-
111a cousa arruinado na prda, com prepares para andar
a vola c lugar para remos, que a eheia do rio carregou
no domingo, 13 do corrcnle, do sitio do Sr. Gabriel An-
tonio, no Cordeiro, querrndo entrrga-lo, pode fazer no
inesmo sitio, ou narua do Trapiche, 11. II, que ser
gratificado.
Alejandre Rodrigues dos Anjos incumbe-sede
despachos de navios o do quaesquer outros marti-
mos : para orna e oulra cousa podera ser procurado,
pelas pessoas que so dignaren) bon>a-lo com a sua
conNanea na casa de sua residencia, na ra da Sen-
zalla-Velha.n. 142, junto a do Sr. tenenle-coronel
leal, das 6 s 9 horas da mandila, ou na ra da
Cruz, botica n. 50, do Sr. iuiz P ilro das Neves.
l)l)r. Feneira, medico do munici-
pio, mudou-se da tita Direita pata o pa-
lco do Livramenlo, n. 33.
Desencminbou-sp, do porto da ra ra Nova,
at o Moulelro um liouxa do roupa (|ue ia pura se
lavar sendo a maior parte deila marcada com as
leilras A. J. S. A. : quem della suuber d parle na
la do.Queimado, 11. 32, quo ser recompensad*
Narua du (Juemiado, 11. 14, se dita quem d di-
nheiro a pieiuio. Na mesma casa compra-so ouro e
piata.
D-se dinheiro a juros em pequeas quantias,
sobra penhores de ouro e prata : tambem se com-
pra ourne prata aein leitio : as Cinco-I'ontas, n.
25, sc.dii quem'da.
Guilbcrme Augusto |{odrigu.es Set-
tc pela segunda vez torna aoedir a lodos
os seus devedoiesque llic venliain pagar,,
( visto que quisi nada lem Yccebido an-
da) no Aleno-da-JJa-Viaja, n^ 10, ou o
laca aos seus cobradora ; do contrario
o anntiucianle ver-se-lia Coreado a fazer
oque iiodeaeja.
-7 Na ra da Cruz n. 49 deseja-so fallar ao Sur.
Antonio dos Sal^FTcrreira a negocio que lhe diz
respeito-
Lotera do theatro publico.
O estado da venda dos bilhelc desta lotera, pouco
adiantada depols do ultimo annunclo, nao habiltou o
ttiesourciro para realisar, como desejava, no dia 87 do
prximo Ando inrz o andamento das respectivas rodas ;
porm, esperanzado de que desta vez inultos desejarao
entrar ni um jogo de bom agouro peta proximidad
das sortes de San-Joo, tenta nvamente designar o da
19 do corrcnle para o dito andamento das rodas,, quasi
convencido da iofallibilidade dvsse dia. fie, porm, an-
tes disto a venda se ultimar, cntoscr anticipado o an-
damento referido com vantagein doa que arriscaram.
-'Meliao Antonio Kh' de narros, tidadao brasleiro,
relira-se para a villa de Porlo-das-Pedras, levando em
la cotnpanhiaa sua rserava, de nonie Catharina.
' JoUo Antonio da Rocha retira-so para fra do
imperio.
D.Jos de Gaza, subdito hespanbol, relira-so
para fra da provincia.
Compras,
Compra-se urna preta robusta e de boa condue-
la que saiba lavar bem e otigommar liso : no trapi-
che da companhia.
Compra-se urna commoda de amar.ello, cm
meio uso e que niloseja niuito grande : na ra do
Rangel, n. 9.
Compra-se um par do brincos4p ouro ds le, sem
feitio : na roa do Gabug, loja de mludezas, n. 5.
Compram-se molcques de 16 a 20 annos : agr
dando, pagam-so hem: na tna do Crespo, n. 10.
Ve-nilte.

Vendem-so duas moradas de casas terreas fi-
las na povoaQo do Montciro, sendo urna de podra
e cal e a nutra do taipa ambas juntas, proprias para
pasaamenloda f*sta : a de ped a c cal tem portan :
bem como tun oulra moradinha de cass, com quin-
ta I e arvoredos de fruclo, cuja casa pode com algum
tralamento olTerecer recreio : trata-se com Jos Ma-
riano de Albuquerque na ra da Uniflo.
-Vende-so un bonito caviillinlio proprio para
menino, por pre?o commodo: na ra do Pogo ,
n. 47.
~ Vende-se um escravo pera, crioulo de 32 an-
nos pouco mais ou menos, proprio para o servico
decampo por ter viudo do mallo para um paga-
mento : na ra do Queimado, n. 39, loja de GustnSo
Jnior & lrm9o.
Vende-se urna escrava de naco, de 25 annos
pouco mais ou menos com urna cria de 2 mezes e
tantos dias a preta tem boas qualidades : na praca
da Independencia, n. 27, se dir Jtiein vendo.
= Vendem-se eslojos de navalhas nglezas para
barba, do melhoraco que lem vindo a este mercado,
garantidas pelo vendedor; oculos para todas ns ida-
des, o melhorcrysta I possivcl; peines G^pretos
para alisar caivetes para pennas de 1, 27^1' 4 fo-
Ihas, finos ; meiaa grossas de nlgodt feilas a agu-
Iha as quaess.lo recommendadas pela medicina;
tinieiros de crystal do cores, de nova invenciio : lu-
do barato para apurar dinheiro ; bom como um mo-
loque de 13 minos, muilo lindo, proprio para pren-
der qualquer ofllcio : vende-se barato, por seu dono
relirar-se : na ra larga doKozario, n. 3."., |oja do
l.ody.
Na na do Cre&p >, n. 1^, loja
de Jos Frnciso Dias ,
vende-se superior brim tramado escuro de puro l-
nho, a mil rs. o corle de caiga ; ricos corles de fus-
tAes para cohetes, a 1,280 rs.
Vende-se superior vinho da Madeira, em harris :
no caes da AlfaTidega 4 armazem do Itacelar.
Collecco de lci.".
Vcnjle-se urna colle'ccao complots da legisUco
portuguoza do desembaagador Delgado, em 9 volu-
ntes, com tendo 3supplementosdesde 1750 at 1820,
o mais dous dos ltimos supplementos avulsos, che-
gados ha pouco de l.isbAa : no palco do Collogio, lu-
ja de livros n. 6, de J. da C. Dourado.
Vende-se um moleque do 20 annos, forte e ro-
busto para todo o servico por ter trabalhidoem en-
genho ,e que tambem cozulia : na ra do Queima-
do, n. 14, segundo andar.
Vende-se azrelo em barris de 112 libras; pre-
gos de gelozia ; dobradi^as para portas de cimillos;
loques da China para tdeatro ordinarios; ditos
francezes, ricos; e varias miudezas muilo em coti-
la : na ra do Amorim, n. 15.
.Vende-se, por seu sendor retirar-so, um mula-
11 ulio de 12 a 14 anuos : na ra Nova, n. 3, venda do
A. !'. Lima. d
Panno fino barato
Vende-so panno fino de varias cAres o muilo
superior, pelo hiralo preco de 4,000 rs. o en- H
vado; dito pittu de todas as qualidades, aos :f
preQos de 3,500 al 10.000 rs. o covado : na g
ra do Queimado, loja do sobrado amare!- I
lo, ii. 29.
Vende-se um relogio de caixs de prata, muilo
bom regulador, proprio parase ter em casa, por ser
antlgo : i a pra^a da Independencia, n. 3.
Contina-se a vender boa manlfiiga a 400, 500,
600, 700 e 800 rs ; cdA dysson a 2.000 is. ; cafem
grflo, a 120 rs. ;f\lo mado a 160 rs? ; cevada nova,
8,80 rs. ; passas, a 240 rs. ; bolacdinba ingleza, a 200
rs. ; lamilla do alaranhRo a 100 rs. ; dil deararula,
a 200 rs ; 'rap Meuron a 1,040 rs.; ca.tas do tra-
ques, a 24o rs ; aletria, a 280 rs. ; vas do carnau-
ba d 6, 7 e 8 em libra a 280 rs ; esperniacete de 6
em libra do Maranho a 700 rs., do .francez a 800
rs., o do americano a 900rs. ; arroz do vapor a 80
rs. a libra ; vinho tinto a 160, 200, 240 a 280 rs. a
garrala jqueijos frescacs. a 1,440 rs. ; no pateo do
Carmo, esquina da ra de dorias, loja do sobrado
novo, n. 2,
Na livrarin da esquina do Col-
legio ,
vende-so Guia homeccpalhica dos fazendeiros do to-
das as classes do povo, ou honireopalhia domestica,
coiitendo a bygiene e origem durante o tralamento
das molestias e a thorapeulica homiropalhica, pelo
doutor Bigel traduzida do francoz por um homoSO-
palha brasleiro, 1 v., 1848 ; Compendio de theologia
moral,pelo padre Manoel do M, llodrigues de Araujo,
segunda edicto, 3 v.; Diccionario de geographia en-
liga e moderna por Mcissasel Mchelo!, 1 v., 1847
Aos fumantes do b>m goslo
No armazem de melliadns atrs do Carpo-Santo, n.
Oli, ha cfl'ectivaiurnte para vender cigarrilhos liespa-
nlies e ditos de palha de niillio, os mais superiores
I 11 ; i ii i tem vindo: assim coiu superiores charutos da
Habla, de varias qualidades: ludo por preco mais com-
modo que em outra qualquer parte.
= \ ende-se una escrava de 14 annos, com principio)
de habilidades ; una dila de l annos, milito boa en-
goiuinadcira e costurrira ; 2 ditas de bonitas lisuras c
qutandeiras ; 3 molcques, de 17 n 20 annos ; um preto,
de boa ligura, para lodo servico : no pateo da matriz de
Santo-Antonio, sobrado n. 4, se dir quem vende-
Vende-se, ou permuta-se
por oulro ou mesmo por predios tiesta praca o
engenho d'agoa Piabas-de-Cima, sito a margem do
rio de Una, com cujas agoas moe mandioca o serra
do invern e verilo com a maior abundancia (erras
proprias c demarcadas com bons sitios de lavra-
dor e proporcAt's para outro engenho a moer com
outras agoas muilo bem obiado ilo ludo nnantoso
pode desojar, sendo at os assucares repartidos nos
andaimrsdonde passam no mesmo edificio para a
estufa, boas Ierras e ceicado at para'sola, boa
borla e mellior passadio, pola Hlnindancia do peixa
ilo mesmo rio ondo cmbnrcaui os asalteares n dis-
tancia de tima legoa do engenho : em summa he um
rico predio preparado, crm lodos os commodos e al
elegancia : na travessa da Concordia sobrado n_>,
se dir o motivo porque se vende.
Vendein-se 12 rscravos sendo : 4 lindos mo-
loques do 12 a 18 annos ; 2 escravos de meia idade ;
6 escravas mocas, do bnnilffi bguras que cosem e
engommam : na ra Direila, n 3.
Vendem-se muilo hons cobertores de algotllio,
a 640 rs. cada um ; riscados proprios para roupa de
escravos a 140 rs 'o covado ; clnla muito encorpa-
da a 120 rs. o covado : na ra do Crespo, loja n. 6.
Vende-se e tambem permu-
ta-se por casa nesla pruc,a, ou escravos.todo o sitio do
lleliruque fui do fallcciilo Cunda Machado, ou par-i
te conlend duas casas contiguas, viveiros e caes|
na frenlo : ftnlo a venda como a permuta faz-se re-
cebendo parle do dinheiro avista e o majs a paga-
mento : na ttavessa da Concordia, n. 5.
Vendem-se, por preqo commodo, os sobrados
de dous andares da ra do Collegio, II. 1, com fren-
te para o caes p o da ra da Aurota n. 10 ; as casas
terreas da ra do Seve n. 1 A, na Cambna-do-Car-
tno,n. 12, ruado rogo, n. 13, ra do Marisco, n.
6, ra da AssuinpQlo, D. 44, ra Imperial, n. 104 : a
tratar na ra do Crespo, n 11.
, .. Vondem-sn duas cscravas sendo urna
do nagilo, por 350,000 rs., que cozii.ha 6
Ima conduela : na ra do Pogo, n, 23, se dir
vendo.
Gnardaiiapos de Imlio.
Vendem-se bons guardanaposdo puro lindo, gran-
des a 800 v.; ditos pequeos de novo gosto para
cha, u 400 rs. ; bonetes bordados para liomeni,
C\ IAiV .,,< >.l >.> Inllll-,.- ilil ni I J.i c.'ifi... '1 O "i
Chegnem fregoezes, ao
barato.
Vendem sf chitas escuras, rouxas c deoutras co-
res muilo linas o cAres fijas, co-n muito pouco
mAfo a 160 rs. o covado ; superiores cortes de cas-
sa-cliitas, muito finas romas e do todas as cores
lixas e coi-i II covadna^C'lodirnjaotn preco *imo
rs. ocrte, a a 200 rs. o covado; chitas oscuras
fineezns, com 4 palmos e meio de largura, pelo
diminuto prer;o de 240 rs. o covado^ eambraia fran-
cez deiistras.a 1,200 rs. o crt.i de 7Vras, e a
vara aSOOrs corles do brim trancadi" pardo de
lindo a 1,000 rs.; ditos cAr de ganga de superior
qualidade, a 1,600 rs.; ditos de brim ttanc,ado de
algodilo a 700 rs. o corle ; princoza preta muito fi-
na do 4 palmos de largura, a 1,000 rs. o covado;
sarja desoa de duas larguras, a 640 rs. o covado ;
fazonda muito fim de algod5odn listras com 4 pal-
mos de largura e muito fixa a 240 rs. o covado ;
algodflo azul do vai a de largura -um rs. O covado;
dilo trancado alviiilio muito cucorpado e do muiln
duraglo a 200 rs. o covado ; lencos brancos e cAr
ile lirio, muito grandes c imitando seda, a 320 rs. :
do todas estas fazimdas so dito moslras irvliro o com-
petente pendo"1: na rus do Crespo, n. 1 4, loja de Jo-
s francisco Dias.
-- Vendem-se ou perniutain-sc por outros que nao
sejam na comarca do Rio-Koruioso os ngeuhos Garra-
pato e Harlanna, com (afras, Din na freguesa do Rlo-
t'oruioso e outro na fieguczia de Scinhaem: anillos
bons de agoa e de terreno, pertos do porto de embar-
que : tamlicm se periuulain por proprledades. tiesta pra-
ca. Quem convier,dirjase a ra do Crespo, n. 9, que
l achara com quem se deve Halar.
-- Vendcin-IC, no armazem da nula Madre-de-Hens,
ao lado da iliuel.^i, B..31, garrafas com esseucia de
anit a 500 cada una, de sopeiioi qualidade.
- Vendem-se ijpbertores de algotlo
americano cncotpados e rrrandes a du s
patacas : na ra. do Crespo, loja da es-
quina que volla para a Cadeia. -
= Ven.l*-sr pecas de bretanlia de rolo com i0 va-
ras, a !>4U<^ ditas linas, a l#T(U) ; prcas de madapolao
limpas com 20varas, a .V00 .leucos linos de cambian
com bonitas palmas, a 400 r. : narua do Passeio, loja
n. 17.
Vendem-se tecidos de algodilo ta
fabrica de Todos-os-Satilos : em casa de
J. I\ \dour & Conipanliia, na ra Ai
Cadeia do Mecil'e, n. 5a.
- Vende se um guindaste de ferro de
frca.Ie too artoUS, j esp rimentada :
na i un to Apollo, n. m.
No Atterro-da-Poa-Vi'sta, n. I,na casa de modas fran-
oe/.as de madama Millochau, alcm do sorlimento de
flores finas, bicns-lltas. eambraia bordada, capeltasde
noivas, gravatas.TIransas, reojiefifes, 4c. (ce. as se-
nlniras acharo um lindo sorttmento de manteletes uo
lodas as modas novas, de seda prela e de cores ricos
chapeos de seda, lindas toncas de sarao, capcllas ricas
para bailes, luvas'de pellica e de seda, camisinhas bor-
dadas, Irncnhos de seda, eambraia de linho inulto
transparente, garca de seda de lodas corea, filos de seda
bordados brancos e pretos, ntremelos de eambraia bor-
dados, cortes de garca. casia e seda.boiictes de montara
c chapitas de palha lindamente cnfetailos ; tambem it-
icm-sc continuadamente chapeos, louca* vestidos para
senboras, de goslo recente c a prefo bara.
m^^
dolas
he de
quem
MI
<
Vendem-se cAttcs de,! aleas do mcia casimira e
1,1 a, a 2,000 rs. cada corle ; riscados francezes a
200 rs. o covado ; chita franceza laiga a 280, 340 e
360 rs. o covado ; cortos de cassa-cluta, a 2 000 rs. ;
riscados largos para camisa, de tnuitu bonitos gos-
los a 300 ts. o covado ; e outrss nitiii-.s fazendas
baratas : na ra do Queimado, loja do sobrado ama-
relio ,m 29.
Vemlem-se cuites de cassa-seda pelo barato
proco de 6,000 rs. o coi le; ditos imitando cassa-seda,
padrfles inleiramente novos, a 4,000 rs. o coito de
6 varas : na ra do Queimado, Foja do sobrado ama-
rello, n. 29.
CHA' URASII.EIUO.
Vende-se ptimo cha brasleiro, produzido em
.S" -Paulo, por preco commodo : na ra da Cadoia do
Itccife, n. 25, defronle do Uccco-Uirgo.
. Vende-se urna mulalinda de 12 annos, com
principios.do costura e coziuda e que labe tratar
do meninos e de muilo diligente cm ludo o servico
da urna casa: narua de S.-itita, n. 91, a qualquer
dora do da.
. Vonde-sc urna columna pequea de metal, quo
reprsenla perleitaineule a que se anda em urna das
pracasdo Paris, obra mu curiosa e delirada pois
mostra em si lodas as batalhas do gratule homem :
no Alerro-da-Bua-Vista, loja franceza de F. Ilubarry
Vundc-be^iu bonito mtilafinli.o, de 17 anuos,:
com p*icipios de carpina sem vicios neui acha-j
ques, e por isso proprio par pagem : no Alerro-da-
Boa-Vista, fabrica de licores, n. 17.
2,400 rs.; ptimos lencos de seda de cAres, a 2,500
rs.; ditos a 1,000 rs.; setim maco a 2,000 rs. ; di-
to mellior, a 5,000 rs. 0 covado ; cassa transparente
para mosqueteiros o cortinados com lecido de filo,
a 2,600 rs. a peca ; alpaca do seda a 800 rs. ; pti-
mo velludo preto, a 4,000j-s. o covado ; e um com-
pleto sorlimento de fazendas linas o grossas : na ra
do Queimado n. 27, no novo armazem de fazendas
de Itaymundo Carlos I.eite.
Jos de Medeiros lavares como se retira ven-
de o seu moleque cozinlioiro, de nomo Candido, do
18 annos.
Vende-se urna escrava tifio feia., rom algumaa
habilidades, tanto para a praca cu no para o mallo :
na ra Helia casa n. 19.
fa ra do Crespo, loja de quatio portas n 12,
vendem-so superiores corles do brim trancado par-
lo do puro lindo, a 1,000 rs.
Vendem-se, na ra Direila, n. 27, quoijos de
Minas superiores a 440 rs cada um ; aletria a
220 as.; tnacarrilo ,a 220 rs. Na mesma venda, so
dii quem da 100,000 Jrs. a premio sobro penhores
de ouro.
Na ruada Cruz, aimazem,
vendem-se superiores queijos do
muito ftescaes, pelo barato preco
n. 33,
seilao
de 4 o o
rs. n libra, tendo queijos de todos os ta-
maitos.
Vendem-se apales cm branco, de duas solas e de
boa qualidade : na praca da Independencia, n. .
' VrndMC una mesa de'iueio desala de Jacaranda
nova e de bom goslo : no pateo de >an -Pedro, ii. iz.
- Vende-se um bom e bonito cavallo por pirco com-
modo : quem .. pretender, dirlja-se a ra da (.adea-\ c-
Iha, n. 50, loja de ferragrus.
distribuidor do Diario, cm Ulin-
da, vende j.or preco commodo os livros
secuinles: Borges Carneiro, Silvestre
Pinheiro, Kamonsales, Puffendorf e Bur-
latnaque. '
* Vendem-se quatro escravos mannlieiroi, bonitas
figur.s, ebcunailios: a tratar com Manoel Ignacio de
Olrveira, na praca do Commercio, u. b.
t
| Vcndom-e riscados monstros de novos
~'A padrees, a 300 rs. o covado; cortes do ^
cassa do cAros fixas a 2,240 rs. cada um ; HP
leuijos de se '/l tes de calcas de casimira a 4,560 rs. : na i
m ra do Queimado nos quatro-cantos lo- p)
'[ (!) ja do sobrado amarello, n. 99.
... Vende-se, na ra do Amorim, n. 44, una preta de
18annos, de bonita figura, qu cozinha o diario c tem
principios de costura c cngoinniado -. tambem be boa
qiiitaiidcira : ao comprador se dir o motivo por que te
VC Illlf*
a Vendem-se superiores queijos de Minas a 5t>0 rs.,
ditos flameugos a 1,000 rs., ditos muilo frescaes a I,'00
rs., manteiga hamburgueza a -iO rs., um oculo de al-
cance mana pequea e outros mullos gneros, tildo por
commodo pceo : na ra Dimita, venda u. 18.
Vendem-se dous pianos fortes, de boas vozes : lio
escriplorin de Le Hrelou cbranim & C, Ma OO Trapi-
che, n. 17.
AO BARATO.
i>i m do Crespo, loja n. ,
vendem-se cortes de brim pardo de puro lindo.a
I 000 rs. cada um ; ditos do fustao para collotes a
l'->00 rs ; ditos do velludo, a I.Ooe 3,000 rs. o cor-
te cortes de c.....braia a I ,S00, 2,000 o 2,300 ; ditos
de cassa-cdila com sote varas a 2,000 rs.; ricos cor-
tes de lalagarca, a 4,000 rs. ; riscados do lindo, pro-
prios para jaqueta a 300 o covado; riscados mons-
tros de superiores qualidades o com cinco palmos da
largura a 300 rs o covado ; o Otilias uiu'tas Tazen-
dasoor muilo barato preco.
HIJA NOVA, N. 10.
Recrbrii pelo ultimo navio vindo de Franca um lindo
torilmente de franjas, transas e roqucufes de todas as
cores para vestidos c manteletes, laquee rico de ma-
dreperola c inailiin. coi tes de seda para vestido, blcos
de blonde, eapcllas para noiva e para bailea. pcnles de
lai tarue i para prender cabellos e marrafaa, meias de
seda brancas e pelas, luvas e calcados de todas as qua-
lidades, encerados de todas as largura* c de lindos pa-
diocs i, ira mesas c pianos, calungas de porcrllana para
botar espirito : ludo muito rico c por cotitmodos pre-
co*. I*a mesma loja h.i para vender um pistilo, urna
trampa, llamas e raberas.
Vigiles, fabrica ule de pianos,
na ra do Qicimado, n.12,
tem pianos de novo modelo, feitos de proposito para
esle paiz ; 3o ri<|iiiS5iiiios, edeinacninismo e voica su-
nerlore, o que se aiianca aos compradores : tambem
em pianos iiielezes, que sao pouco usados. Conceala
r alia pianos com tolla a perflcfio vende coTdaa, ca-
inursas c todos os aviainenlos iieccssarioa para dllos
nslitimeiitos, c msicas novas, dos lucidores autore :
tudo por preco coiuinodo.
- Vende-se um preto do naco, muito robusto ,
moco, bom trabalhador do campo sem vicios nem.
achaques: no Alerro-da-Boa-V'ista, n. 36, segundo
andar, das Cas 8 horas da manha o das 3 as 6 da
tarde. ,
--Vondem-se 12escravos, sendo 4 molecotes de
12 a 18 anuos, leudo um titiles principios do ferrei-
ro, o outro du sapaleiio; dous escravos do meta
idade seis escrHVas de bonitas figuras de 17 a 22
em-e alias cabra eum bode,:*Sac_,LM.!",lid"|iinos',*feohi varias habilidades" na ra
boas leitelras, e acostumadas a dareni leile: na ra
Rosarlo estrella, n. l5.
n. 3.
_



9



m
fl.
L.L.
ja*


No artnazem do bffratiro, na porta
da Alfahdrga, n 20, vmdein-se gig "is com
batatas a 3,000 3,5oors., cer;; la de Lisboa a i,7.o rs. ,
& i! ceas com feijo branco de Lisboa e a-
mendoas, farinha de trigo gallega em bar-
ricas e meias ditas, superiores queijos de
prato por menor prero do que em outra
qualquer parte, e oulros mnitos gneros
de estima : ludo muito em conta.
Taixas para engenho.
Na fuinl(,no de forro da ra do Brum, aeaba-sc de
recebar um completo sorlimento de taixas de 4 a 8
oalmos (le bocea as quaes acham-se a venda por
prego comenodo e com promptidao embnrcam-se,
ou carregam-seem carros sem deipezos ao com-
prador. *
Vendem-se sellins nglezes e camas
de ferro : na ra daSenzalIa-nova, n. l\i.
Carnauba.
Vende-se, na ra da Cruz, n. 21, una porreo de
cera de carnauba de superior qualidade, e por to-
do o prego.
Vende-se cal virgem de Lisboa de superior
qualidade em barris de 4 arrobas, rhegada neste
mez pelo brigue Mura-Jote: a tratar na la ato
Ilrum, armazem do Antonio Augusto da Fonseca ,
ou na ra do Vigario, n. 19.
fadeira de pinito.
Ta ra de Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mot-
il lia um terceiro armazem com madeira de pjnbo
da nielbor qualidade que tem vindo a fsle mercado,
e serrada de todas ns grossuras e com rinu-nto:
vende-se pelo menor prego que he possivel.
Potassa.
Dcsembarcou lia poucos dias urna por-
r5o de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acbam a venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia- Veibu,
armazem de jBaltar&Oliveiro, n. ia.
Cha barato
Vende-se muito boni che, pelo preco de 500 rs. a
libra : na ra do Crespo, 11 23.
para escravos, por ser molo forte e largo, a ICO
rs. o covado ; lencos de cambraia pintados, borda-
dos com list jse guarnecidos de bioos, muito fi-
nos e 1 i-:> 111 i< para senhora, a 400 c 5110 rs. ; casimi-
ra de um s cor verde e azul-escura iie duas largu-
ras piopria ara caltjas o palitos, a 1,600 ra. o cova-
do ; fusliio branco liso com nlcochoado para colle-
tes, a 500 rs. o corte ; e outras umitas fazendas que
esUr.lo patnteseos frrguezes. D3o-s-amoslras com
os competentes penliores.
Nesta lojt vendem-se mantas de seda de j
superior qualidade e psdies os mais boni-
los a 9,000 rs. ; chitas ile cores fixas, a 140
rs.; e mitras muitas fazendas por baiuto
prego para fechar contas.
Vende-sa urna venda bastante afreguezada para
a trra e para o mallo : com a vista se podea a valiar
a -11.1 boudade : o motivo por que se vende so dir
ao comprador j quein a pretender niiuncie.
--Vcndcni-sc^ia la Direita taberna 11. 53, sac-
eos com um alqueirc de millio, a 3,500 rs. ; u lodos
os 111 is gneros $or prego mais com modo do que
em ouira quahjuer paite.
D< psito da fabrica de Todos-
os-Santrs na llahia.
Vende-se em easa de N. O. Itieber & C., na ra
da Cruz, n. 4, algodflo trangado daquclla fabtica,
muito pioprio para saceos de assucar e para roupa
de escravos loa prigos de 270, 300 e 320 rs. a va-
ra conforme as qualidades.
Feijo.
Vendem-se snccas com feijflo miilatinho novo e
proprio pura "sement no caes da Alfandega ar-
mazem n. 1, o primeiro indo da ponte.
Chocolate amargo de musgo
islndico, ou thsoin o do pi i-
lo, preparado por Mr. t. C, C.
A tosse, esta doenca liio commum quanto descui-
dada 13o graves sao suas consequencias qnanto pa-
rece ligeira em seu principio 1:1,1 matadora por si
so como todas as outras doengas que consomem a
especie humana. nilo tinlia para combate-la e des-
tru-la un medicamento especial o nico. Todas ns
paslilhase xaroi.es que teem p|arcrido al lioje ,
teem sido impolontes.
Mo tem acontecido isto com o chocolate de mus-
go, O principio que forma a sua buso principal olio-
rece proprledaccs incontcslaveis e recuiihecidas dc-
pois de muito lempo, e ninguem ignora os felices re-
sultados da sua applicacSo em todas as phleugma-
siaa agudas ou chronicas do pulmSo tllecgOcs do
peilo, phtysica, dtlluxos, loces, etc. para dar tom
ao estomago, abrir vontade de comer, conservar
as gengivas c o bom aIKo, matar as lombrigas, prin-
cipalroenle as mangas. Vende-se nicamente na
ra do Queimado, 11.17.
Chfguem ao barato antes que
se acabe.
Na liern conde ida loja n. 5 A, na ra do Crespo,
ao p do arco de S.-Antonio, vendem-se para liqui-
dago s seguintesfazendas ; corles de cassa do e
0 varas c de cores lixas, a 1,600 e 2,000 rs. ; ditos em-
papelados, ir iiitii linos de cores c padrOPS agrada-
veis muito (ixas e com sete varas, a 2,500 rs ; ditos
de barras bordadas, brancos, de cures o de padres
novos, a 3,500 rs.; lencos de < assa de cores para
grvala, a 160 rs. cada um; linas de algodSo de
cores lauto para homem com para sentara a 120
rs. o par; coi les de setim do cores para colletes ,
muito boa lazenda a 3,000 rs.; ea"%sa lisa lina a
400 e 500 rs. a vara; dita mais ordinal la uiiu rs.;
panuode algodSo grosso de cores escuras, proprio
Quem os vir nilo deixar du comprar.
i Cortes de cassa-chita de lindos padrees e
I cores seguras, pelo baratissimo prego de
rae sete patacas: na ruado Queimado, qua-
tro-cantos, loja do sobrado amarello, n. 29.
Vendem-se muito boas uvas moscateis, por pre-
go commodo : na ra do Cotovollo, n. 31.
Copos de jalea de marmelo ,
a400rs.,
vendem-se no armazem de molliados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66 aondo tambem ha superior marme-
lada em latas que se vendem por prego commodo.
Freguezia.
Vende-se vinho da Figueira de superior quali-
dade a 1N0 a garrafa c a 1,360 rs. a caada : no
paleo do Tergo venda u. 7.
Ao barato.
Vendem-se pegas de zoarle do 18jardas, lendo
quasi urna vara de largura proprio para roupa de
escravos a 3,500 rs. a pega c a 160 rs. o covado ;
picote azul, a 190 rs. a jarda e.n pegas de 31 jardas,
e a 160 rs. o covado ; haniburgo bom- de 60 varas,
a 260 rs. ; hrim americano do bonitos padres para
caigas a 200 rs. o covado e em pegas de 31 jardas ,
a 210 rs. ; pegas de ganga amarella, a 1,000 rs.; sac-
eos para 6 arrobas de assucar, feitosde boa estopa,
a 400 rs. cada um ; bonitos merinos de cores escu-
ras e com duas larguras prop ios para vestidos do
montaru ,- 2,000 rs o cevado; dito com um peque-
no loque de avaria a 500 rs o covado; casimira pie-
la lina ptima para caigas, a 1,200 rs. o covado;
pannos finos baratos ; sarja hcspaiihola e franceza ;
cortes de seda de cores claras e escuras do ultimo
goslo para vellidos : tudo fazenda nova e por barato
prego : no novo armazem de fazendas, de llavniun-
do Cailos Loite, na ra do Queimado, n. 27.
Vendem-se queijos do Minas, os mais novos
possiveis a 480 rs. cada um; aramia, a 160 rs.;
bolacha ingle/a grande a 160 rs : na ra Direita,
venda n. 14, na esquina do becco de S.-I'cdro, que
telh lampeflo.
-- Na venda que fui de Jos da I'enha na ra Di-
reita n 23, vende-se toucinho, a 120 e 160 rs. a
libra ; fcijiio grugutuba,*320 rs. a cuia ; milho a 160
rs. a cuia em saceos a 3.200 rs ; cha brasileiro ,
a 1,920, 1,600 c 1,280 rs. a libra; e ludo o mais minio
em conta. Quem annunciou querer vender urna ta-
berna, falle na mesma venda.
Vende-se um terreno no Aterro-dos-Afogados,
com minios | es de cuqueiros proprio para se edi-
car qualquer predio por nilo licar muito longe ,
pouco mais ou menos, liea defioule da latinea do sa-
lan por barato prego : na ra do Queimado, n. 7
Vende-se um prelo crinlo, mogo, sem vicios
nem achaques : vende-se por precisio ;'bem como
3 rotulas deamarelh
ra Imperial, n. 25.
Vende-se, por 500,000 rs., nm pequeo sitio
com varios [s de I ruten as boa rasa de aiorada ,
ns lugar do llaibulbo i na ra do l'ires, n. 19.
No Hecifo, ra da Guia, n. 36, primeiro andar,
vendem-se, por junto ou por miudo, sapa los de
couro de lustro e de duiaqoc para senhoia ; ditos de
pol i unnin.sa | aloes de i olimeuto;borzeguins de du-
raque para homem, tudo do ultimo gusto e bem
acabado : lau bem se vende um bali giamlo e um
pequen o HVoS : oque ludo | nde-.se ver ale as 8 ti*
iii.-inr.ii; e das 6 da tarde em diante.
--Vende-se una cscrava de 25 annos, que cose,
marca, faz Isvariulo, engonuna e cozinha tudo com
pcil'eigiio ; una dita de 18 annos, que engoinma e
cozinha ; um dita da mesa-a i.lado, que cozinha, la-
va c vende na ra ; um lindo molecote de nagilo
Costa de muito boa conducta ; urna parda por prego
muito commodo ; duas pretas de incia iJade; dous
prelos de mei.i idade: na ra das Laiangcras, n.
14, segundo andar.
~ Vende-se um grande sitio no lugar do Mangui-
nd que lica defionte do sitio do Sr. Carnciro, com
grande casa de 4 agoas de vivenda grande sen-
zalla, epeheira, estribara baixa de capim que sus-
tenta 3 a 4 cavallos grande cacimba com tanque
c bomba, bstanlesarvoidlos do lruclo:na ruada
Concordia, primoiio sobrado novo de um andar.
Itezeiro iriicoz.
Vende-so urna duzia de pedes de bezerro francez
superior, por prego commodo: na ra do Amo-
rini, n 36.
Vende-se urna morada de casa de 2 andares, con
duas tojas, giande quintal proprio para qualquer
trafico sita na roa Direita desta cidade com com-
modos para grande familia: faz-se lodo o negocio
em vnlagem do comprador sendo que chegue ao
prego que lambeni be rasoavel: a vista se darito ou-
tras explienges : na ra do Cadeireiro n. 62, a
qualquer hora.
- Veinle-se urna escrava ciioula de 18 ahnos de
bonita figura e com habilidades : no becco'do Sa-
rapalel sobrado n. 12.
Vendem-se piesuntos o conservas inglozas e
francezes queijos loodriuos biscoulos inglezcs ,
rhcolale fino do canella latas de marmclada, bata-
tas iqglezas em gigos: ludo de superior qualidade c
por prego commodo : na ra da Cadeia, n. 2.
Vende-se fariiha de mandioca
a bordo da sumaca S.-Atilpnio-rtc-l'atlua, de muito
boa qualidade, por prego comino.lo, por ler de ser
desca regada at o dia 18 do correle.
Vendem-se, na ra da Cruz, n. 2],pedrasde mar-
more fraueczas para mesas redondas e consolos.
1 u-iitha de trigo-SSSF
de superior qualidade o nova ; dita americana, em
meias barricas; dita gallega, em meias barricas ;
cal virgen) de Lisbtf) ; vinho do l'oito, ern pipase
barris de quaito e oTlavo soperior c mais inferiora
[echaduras para porla de armazem ; superior cria
liysson nacional eS.-l'auloi familia de mandioca ,
emsaccas, por preco commodo : na la do Viga-
rio, armazem n-11, de Francisco Alves da Cunta.
Na ra do Queimado, vindo do Kozario, segun-
da loja, n. 18, vendera-sa chapeos de sol, de seda,
para homem, a 5,000rs.; ditos para senhora e meni-
nas, a 3,000 rs. ; lencos prelos de seda para grvala,
a 500 rs.; ditos de lila floridos e com franja para tiom-
ros.de senhora a 500 rs. ; longos de cambraia de
seda para grvala a 500 rs.; riscados francezes, a
160, o e 210 rs. o covado ; alpaca de linhn a 400
rs. o covado; lencos brancos aberlos em roda", para
rnOo de senhora, a 280 rs. ; cortes de colletes de vel-
ludo, a 3,000 rs ; ditos de fuslflo muito lino, a 2,400
rs. ; lindos cortes de casimira, a 7/000 rs. ; e outras
inuilas fazendas por prego commodo.
A 5oo res.
Vendem-se superiores pente* para marrafa, de tar-
taruga : na ra larga doBozario, n. 24.
Vinho barato.
Acha-so estabelccido na ra daMadre-de-Deos ,
n. 36, um armazem de
Vinhos da Figueira
de'optima qualidade a prego de 1,360 rs. a cana-
da ,e a 180 rs. a garrafa ,e para n.lo haver dolo do
comprador serflo lacradas as garrafas e com rotu-
lo, recebendo-se a garrafa v.asia e dando-se imme-
diamente a outra cheia: tembem ha barris muito
pequeos, proprios para quem passa a festa. O prr>
prietario deste estabelecimenlo pedo encarecida-
mente que se nloilludam avallando pelo diminuto
prego e sem conheciment de causa"a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga ; elle conta que quem
urna vez provar continuar com gosto e sem arre-
pendimento. F. o bom prego.'! A todo o expasto
accresco o asseio e bom acondicionamento, o que tu-
do se poder verificar em dito estabelecimenlo.
Para liquidacao.
Na loja da ra do Crespo, n. 5 A. ao pn do arco do
S.-Aninnio vendem-so mantas de garga com tecido
de soda de muito lindos padriles, a 1,000 rs.,
propiias para meninas ; chitasde ramagens e deco-
res fixas, a 120 rs. o covado e em pega a 4,000 rs.;
lengos para grvala de bom selim de cores, a 1,600
rs. intuiros ; pannos finos superiores prelo, verde,
azul e cor de caf, de 3 a 4,000 rs. o covado ; chales
de chita de cores escurase grandes, a 800 rs,, ditos
pequeos, proprios para meninas a 500 rs.; corles
de colletes de gorgurfio escuro, a 200 rs. ; ditos de
fuslflo, a 500 rs. ; merino prelo e lino, a 2,500 rs- o
covado; casimira preta muilo lina, a 2,500 rs.; dita
preta dcjislras, a 5,000 rs.
CIIA'BKASJLEIRO.
Vende-se.on armazem do molhados atrs do
Corpo-Santo n. 66, o mais excellenle ch produzi-
do cinS.-Paulo, que tom vindo a esle mercado
por prego muito commodo. ,
Agencia da fiindieao
Lo^paAloor, ra da Scnzalla-
nova, n. 42.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sorlimento de moendas
e meias moendas, para engenb.05 ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
co '.(Id, de todos os tamanhq.s, para dito.
A 5.400 rs.
Vendem-sc chitas de cores muito fixas a 5,400
rs. a pega e a 160 rs. a retalho proprias para escra-
vos ; Imlias grossas muito fortes urna quarta por
na la do Caes, loja n. 17.
200 rs.
IUJA DOTKAPICFlE,\\ 44,
eticriptorio de Firmiiio
J.F.da Roza,
deposito da fabrica de Todo-os-Santos
na Jaliia,
Alli vende-se ulgodno trangado daquella fabrica,aos
pregos seguintes : largo, a 320 rs. a vara; eslreito
menos urna pollegadu, a 300 rs.; mais ordinario, a
270 rs.
Vende-se o engenho Novo do Cabo para paga-
mento da iiypolheca que nelle lem o Sr. Joiio Vieira
da Cunt : quem o pretender dirija-seao mesmo en-
genho a trata, com Francisco Jos da Costa.
Vendem se presuntos nglezes para fiambre ;'
latas com bolachinhas de Lisboa ; ditas de araruta ;
ditas de ii.armcla.la de 1, 2 e 4 libras ; ditas de sar-
diuhas ; ditas de bervilhas ; ditas de chocolate de
Lisboa ; frascos de conservas ; dttoe dagoa de flor
de laranja ; barris com azeitonas brancas de Klvas ;
garrafas com vinho moscatel de Selubal e da ala-
deira ; queijos de pialo, fresca es : tudo novo e
chegado ulliinamente do Lisb : na ra da Cruz ,
no Itecife, n. 46.
Folha de Flandres.
Vondem-iae caixas com folha de Flandres: cm
easa dej. J. Tasso Jnior : na ra do Amorim, n. 35.
Alm dos baratos cortes de vestidos de bar-
ras de 2,000 a 3,000 rs. meias de cores pa-
| ra senhora a 1,800 rs. a duzia ditas i na
j meninas n 1,200 rs. a dozia su| cosorios,
a 1,200 rs. ii dozia f bolOes de duraque, a
400 rs. a grosa que se lem annunciado, ha
modernos lengos de seda para algibeia e
hombros do senhora a 1,000, 1,120, 1,280,
1,440. 1,600, 1,760, 1,900, 2,000, 2,210, 2,560
e 2,720 rs. ; brelauha de'liuho, muilo su-
perior e de qualro palmos e meio de largura,
a 14,800 e 18,500 rs. a pega; um caixflozi-
nbocom ferros de fazer flores, por 90.000
rs. : no pateo do Caimo, u. 18, segundo
andar.
-- Vende-se um piano inglez sem defeiloe pti-
mo rara se aprender : na ra Nova, loja de trastes do
Sr. Pinlo.
SSSF
Manoel da Silva Santos inda contina a vender
farinha do trigo da mais superior qualidade e recan-
temento chegada a'este mercado no caes da Alfin.
dega armazem de Antonio Anuos.
Cigarrilhos de palha de
milito. "
Vendem-se cigarrilhos de palha de milho, por pre-
go commodo : na ra do Mdre-de-l)eos, n. 5.
-- Vende-se um linvpardo de elegante figura
de 18 annos de ejemplar conducta, sem vicios ntn
achaques ; 1 lindos molequM de10a 20 annos; g
prelos de 24 annos; urna pfw de meia idade, qUo
cozinha muito bem, cose soffriveljp ejj|omma ; um
parda ooa lavadeira, e que he*^>pQnTara o cam-
po ; bem come oulros inuitos ^aeraros : na ro do
Vigario, n. 44.
-- Vendem-se casaes de pombos muito bom bate-
dores, grandes, bonitos e da melhor raga que existe
nesla provincia por prego muito commodo : na rui
da Florentina, n. 16.
Vendem-se, na ra das Crutes, n. 22, segundo
andar, 5 escravos sendo : uiua mulalinba urna
crioula, urna preta de oacto< de meia idade, cun
habilidades," urna preta quitandeira e um preto
para lodo o servigo de sitio.
Vendem-se 5 lindos moleques de (9 a 18 annos,
sendo um dellesoflicial de carpira; dous pretosda
SO annos ; 2 pardos de 16 a 25 annos ; urna uiulnlinha
de 15 annos, com algumas habilidades : na rui do
Collegio, h. 3,se dir quem vendo.
Vende-se urna loja de miudezas, com poucos
fundos, sita na ra do Queimado, a prazocom boas
firmas, ou a dinheiro, conforme a voMMedo com-
prador: na ra do Cabug, n. 1 D, loja de miude-
zas.
Vendem-se 5 escravos que vieran do matto pi-
ra pagamento sendo : dous ptimos crioulos de
18 a 22 annos ; um pardo de boa figura para pagem,
de 20 anuos'; urna parda de ptima figura, com al-
gumas hahli ladc:.; urna negriuha do 10anuos : ni
ra do Queimado, n. 27, se dir quem vende por pre-
go commodo.
Jos Saporiti anda tem para vender lijlos de'
marmore azucs # brancos, de 10 a 12pollegadas
q na.hadas, por prego commodo : na ruado Trapi-
che-Novo, n. 18, segundo andar
Jos SaporitfVvendo encerados proprios pan
cobrir cargas de assusar, de boa luna grandes e
por prego commodo : na ra do Trapiche-Novo u.
18, segundo andar.
Escravos Fiigj:d0s
a
a]
Queijos de (jrato,
d*mais superiorqualidado e muilos fresca es vin-
dos ltimamente du llollanda : no caes da Alfande-
ga, armazem de Antonio Aunes
Vende-seo engenho Amazonas, silo na fre-
guezia de Ipojuca, moenle o crrenle, de ptima
producgflo, boas mallas e bom cercado ; he muito
uianeh-o com quanto csteja novo, j boje est co-
ullecido por um dus n elhores engenhOSdo bom as-
sucar : vende-se barato, sendo a dinheiro envista,
ou a prazo com boas firmas : a fallar na Soledude ,
silio de Jos Gomes dos Sautos l'oreira de tirito.
Desappareceu, no dia 11 do crranle, un mo le
quecrioulo, do nomo Benedicto de altura regu-
lar secco do corro de 18 a 19 anuo, rosto com-
prido.olhos grandes.e um tanto vcrmclhos; lem
ao p do nariz nina marca de bexiga o o mismo lio
u:n Unto grosso, na palma da mXo esquerda lem
urna costura proveniente de um tumor; lovou ca-
misa velha de madapolilo o caigas de riscido tam-
bem valhas Roga-se as autaajidades policiaes, que o
apprehondain e levem-no ra Velha, n. 26, que se
licar obrigado.
Ilesappareceu, vindo da ribeira pela* roa Direi-
ta, no dia 7 do coi rente um Dioleque crioulo, de
nome Joaquim, de 12 annos ; levou calcas de algo-
d3o azul, camisa de dito brancoe bonete da panno
preto; he cboio do corpo, pes grandes e chatos, infles
grossas, bocea e denles grandes e estes bem alvos,
ollios grandes ; lem urna marca de ferida na lesli
junto ao cabello : quem o pegar leve-o ra Augus-
ta, n. 20, a Soverina Francisca da Costa, que grati-
ficar.
Fugio, no dia 11 do corrente, o preto Januario,
de 22 annos sem barba cor tula ; he crioulo, eos-
tuina a Irahalhar em cerrlos no caes da Alfafidega s
nos armazens de assucar: quem o pegar, ou do
mesmo der uoi/cias dirija-se ra Nova, a Jos
Lu/ Pereira que gratificar.
Fugiram, no dia 7 do corrente, do engenho Ser-
rara na freguezia de JaboalHo, 3 escravos: o l. de
nome Mariano, crioulo, do 30 annos pouco-mais on
menos alto, secco do corpo sem barba, rosto des-
carriado ccomprido cor um pouco fula; tem fall
de denles na frente: o 2. de nome Aulouio, cr ou-
lo, haixo, grosso, bem preba, rosto clrato, bem
barbado, denles perfeltos ; enrpequeno qoebroii um
perna,quei>o andar mostra nlgum geito: a 3.* de
nome li. Hia, cabra, de 20 anuos, rosto regular,
falta-lhe um dente na frente ; ho um pouco secca ,
altura regular : quem os pegar leve-os ao dito en-
genho, que ser gratificado com em mil rs.
- Fugio, no dia primeiro do corrente do silio
liongy, freguezia dos Afogados, o escravo crioulo,
de nome Fiippe, cabega secca, cor fula,'denles alvos
eacangulados, baixo, grosso, peinas linas ;julga-
sc ler ido para as parles da Lapa : quem o pegar le-
ve-o ao dilo sitio, pue ser recompensado.
Fugio, no dia 16 do corrente, a prelo Antonio,
fula, alta, secca, bem i arcoida de .20 annos pouco
mais ou menos, crioula; tem urnas lettias azues
csciiptas no brago direilo ; levou panno da Cosli
com listras azues o encarnadas, com franja, vestido
encarnado ; quem a pegar levo-a a ra do S.-Fian-
cisco a sua senhora, D. Mara Thereza de Mpraes
llayer.
Roga-se encarecidamente as autoridades poli-
ciaes conmandantes de destacamento! capilfle
decampo equaosquer pessoas hajap de apprehen-
der o escravo Jos que fugio no dia 17 do correle,
o qual tem os signaes seguintes : cabra,secco e alto,
cabellos um tanto sollos, olhos uai tanto grandes e
verinelhns rosto secco e -com pannos, orclhas pe-
queas, bocea grande ; levou caigas brancas de al-
godflo trangado jaqueta do riscadinho escuro, des-
ses pannos A caigas ; costama inhlular-sc forro e
andar com cartas inculcando-se de ir cobrar dinhi-
ros alheios, para com estas cartas poder seguir.
Quemo pegar e o levar ao. paleo do Carmo, sobrado
n.9, ouaoCiqua, piimeiro silio, ao passardo en-
genho ser recoij-enado.
--Fugio, nod 15do correle, o pardo Bernar-
do, de coi clara "losto comprido estatura regular;
lem una pinliu de cabellos brancos na fon te direita.
liste pardo he natural do sertSo eesteve aqu pea-
la praga eiffcasa do Sr. Luiz Antonio de Siqueira
para ser vendido. Itoga.-se a todos os eniprcgados da
polica e capitfles de campo, que o nppreheiidaffl
levem-no a praca da Boa-Vista casa Je Luiz Anto-
nio Rodrigues de Almeida, quo grUttcir.
Feun. : ^A TYP. DE
FAMA ,B49
MELHOR EXEMPLAI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDUQW69W8_V8A4K4 INGEST_TIME 2013-04-13T01:39:02Z PACKAGE AA00011611_06490
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES