Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06481


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\nno XXV.
Ter9a-fera 8
O n/.IB'flpublica-selodososdiasque nao
I forem de guarda. O-preco da asignatura he
I lannunoios dos assignantes sao inseridos
rasao de 20 rs. por liiiha, 40 r. ein tvpo dlf-
ferrriie, o a repelc.cs pela metade. O nao
atugoantr pagaru 80 rs. por liuha e 160 ri.
I ni typodierentc, por cada publicaco.
PHASES DA LA NO HEZ DE MAIO.
I na chela, a 7, 4 hora e 47 mln. da manh-
Mingoanle, a 15, 8 Loras e 11 mia. da manh-
I,ua nova, a 22, a5hora e 17 min.damanli-
(.recente,a28,9b.orase4 min.da Wrd-
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahlba, egs. e aeitM-felraa.
Rio-G.-do-Norle, qulntas'-feiras ao inoio-dia.
Caho. Serinhem, Rlo-Pormoso, Porto-Calvo
Macei, no I.' a 11 e 21 de cada rnez.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
jloa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s qulntas-felras.
Oliuda, todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, Vi horas c 18 minutos da manh.
Segunda, s 5 horas e 42 minutos da Urd.
de II a ir de 1849.
1
N. 102.
DAS DA SEMANA.
7 Segunda. S. Estanislao. Aud. doJ. dos or-
ph.do J. doclveledo J. M. da.v.
8 Terca. S. Heladio. Aub. d,o J. doclv. da 1.
r. e do de paz do 2.dist. de t.
9 Quarta. S. Gregorio. Aud. do J. do c. da 2.
v. e do J. de pai do2. dist. de t.
10 Quinta. S. Antonio. Aud. do J. dos orph.
e do J. M .da 1. v.
11 Sexta. S.Anastado. Aud. do l. doclv. e do
i. de paz rio 1. dlst.de t:
12 Sabbado. 8. Joanoa. Aud. do J. do clv. da
1. v. e do J. de pat do 2. dist. de t.
13 Domingo. NonaSenhorade Maityres.
wmm
CAMBIOS NO DU6DE MAIO.
Sobre Londres 20 ri. por 1/090 rs. a0*) das.
. Pars 356 a 960.
Lisboa 100 por cento de premio.
Hin-dc-Jaueiro ao par.
Desc. de lelt. da boas firmas a /, X ao mea.
Acces da coiop. de Reberibe, a 50/ rs. ao p.
Oaro.-MWa hespanholas. 31/500 a 31/800
Moldas de #400 v. 17/200 a I7#40f'
de B/400 n. 18/200 a 16/40**
de4/000.... 9/OO a /HOU
PraM-l'atacdesbraallelro 2/000 a 2/WO
Pesos coluinoarios. 1/980 a 2/OOI'
Ditos meatcano*..... 1/100 a 1/WO
MBUCO
<.
PARTE 0FFIC1AI.
h
( ra tinha offrrecido ao papa un cmprestlmo de 15,000,000
I c urna legiao irlandeta, isto com o designio de se apos-
s.ir da Italia asslin como se possra da India. Qual,
perguntou elle, dever ser o comportamento do ejerci-
to e do poro, que no dia tO da deiemhro votaram a ao-
nullnco dos tratados de 1815, vendo fue o herdeiio do
dalta-
CommAiido das armas.
Ouco, a malo rte 1K*V. Franca na Italia seria urna violacan, ass ni do decreto da
OI10IM DO DIA.
assembla de 24 de malo, como lambe) do artigo 5.
dasua constituirn.
Mr. Lamartine,
dor, considerou
que falln depois do precedente ora-
a diplomacia, quando jira ti cari a s ca-
Siia.Esc. o Sr. marren! de campo graduado,com m.in-
danle da arma, manda publicar para conhrcimento
daguaruico a copia aballo transcripta do aviso da se- ras do alto da IrbuaT colno extremamente perigosa.
errtaria de estado dos negocios da guerra, de 8 de mar- J Blle dase que terla permanecido silencioso, senSo se
, mo crreme anno, que pelo Rxin Sr. presidente da sentlsse obrlgado a explicar os trechos do manifest de
provincia Ihe fol reinclt.da em oIBcio de 4 de malo ( Iliarc que MM. Burlgnler e Ledru Rollin se tinham
roncte, e pelo qual o Exm. Sr. ministro e/ecretarlo relerMo. Elle sustentou que desse trechos n3o se se-
de estado interino dos negocios da gnerra, ao passo que guia que a Franca fosse obrigada a fazer por toda a par-
declara o como deve ser frito o abono de etape conrt- te causa commum com todos os revolucionario. O ma-
dida un tempodepai officialidade dos corpos do nilesto deelarava que a Franca nao ennhecia outro *r-
exrrcito pelo artigo sexto 15 da. Ici de 28 outubro de ii,,o que da justlca dodirelto e da liberdade das nacfles
1848, manila que fique rin vigor o que acerca deste oh- Elle dlsse que nao se tlnha felto nenhuma promessa
Jrcto dispdeoaviso circular de o de dezembro deise llalla, a qual uo tivesse sido cuinprlda que era ver-
nno. | dade que o governo provisorio atsegurra ao Piemontr
Copla.Tcrceira seccao.Illin e ExriR Sr.Tendo-; que, e a Italia, Invadida por rstrangeiros ou ameacada
se suscitado algumas duvidas a respeito do abono de era suas transformarles interna, prdisse a Intervencao
i-iape enneeriiila em lempo de pas nlnclalidade dos armada da Franca, esta eslava prompta para enviar un
corpos do exerrito pelo artigo sexto 15 da lei de 28 de exercilo em seu soccorro, e com este designio coticen -
nutubro de 1848; lenho a declarar a V. Exc, para seu trro 60,000 homens ao p dos Alpes. Porm que ne-
ronhrciuirnlo i I.', que teem direlto etape os ofnciaes' uhiiin pedido deste genero fdra frito Franca, que pelo
do rstario-nialor, e deengenheiros emprrgados em re-' contrario de urna extremldade da pennsula at a outra
partirnos civis, cointanto que o sejam em servico militar, uin grito unnime se ergura contra a intervrncao fran
e bem asslm os dos deposito de i-ecriiias. 2o, que nao te- ceza; portantn a Franca nao tlnha illudido a Italia.
nha a ella direiio os dos cor|xs fixos.e aqueiles que ei- Quanto ao que se chama repblica romana, elle disse
veiem emprrgailoa nos arsenaes. armazrn de arilgos' que, ao inesmo tempo que sVrnvergonharla de ver o
bellicos, fortalezas, corpos ou compinhias de artfices, seu governo"contestar o direlto de un povo a adoptar a
hospilaes, asylos de invallidos e fabricas: 3 \ Qnal- forma de governo que bem Ihe |>arecer, nao considera-
mente que fica em vigor o que acerca deste objuo dis- j va a Fran9a rmperlosaiiienie condemnada a f^zer alllan
poe o aviso circular de 5 de dezembro de 1848.Dos c com toda a naco que julgasse conveniente chamar-
guarric a V. I c. Palacio do Kl-de-Janeiro em 8 de
marco de 1849 Manat Feliiardo di Souza e ff//o.--Sr.
e republicana, Depois d mostrar a dimculdadc liga-
. da com o ajustamento da quastao romana, Mr. Lamarii-
presidcnlc da provincia de ernainbuco --Cumpra-sc e nt propoz que aJTrnnca declaraste i Europa qjie ella
rrgislre-sePalacio do governo de Pernambuco, 30 de nao pennittiria nenhuma intervtnco estrangeira na
abril de 1849 -Tolla Conforme.O ofncial-maior, Fio-
rianno Corra de Hritio
Joii Pedro Ueiior, ajudante de ordens
TRIBUNAL DA HELAGAO.
SESSAO EM 5 DE MAIO DE 1849.
MHtflIDRNCU DO EXM. SKI, CONCRLflEIRO AZEVKUO.
Italia, e ofleracesse reunir toda as potencias catholicas
em un congreo para o Hu de regular a quesillo da li-
berdade do povo romano, e a independencia e dignida-
de, elle nnrrdiria do soberano, porm do pontifica.
O general Cavaignac, fallando depois de Mr. Lamarti-
ne, sustentou que nenhuru acto de sua administraran
esti vera nunca em epposlfao, nem com o manifest do
governo provisorio, uem com o decreto de 24 de malo,
que elle nao engaara a assernblca, nem o paiz, como
Mr. Lamartine havla insinuado, dliendo que entre a
A's de horas da manliai, achando-se presentes os ua poltica e a de seus tuceiiore houvara toda a exten-
~ 4__^...l.____._.____ t____^_ \':il______T_?. l,..i. ll.. ..."... .1... ft 1^... L-ll.. I.__I..*... Jannla q>,a,hl* m.a
Srs. desemliargadores Ramo, Villares. LeSo, Rebello e o
Sr. juiz de direlto j'ereira Vtonteiro, faltando con cansa
os Srs. dctembargailores Ponce, Bastos e Souza, o Sr.
presidente declarou nao haver sessao por falta de nume-
ro para formar mesa.
EXTERIOR
A POLTICA EXTERNA DA REPBLICA FRAN'EZA.
Na sessao de 8 de marco da as.nubl.i nacional de
Krauoa Mr. Iluvlgnier disse que os nrgocins-estrangeiros
apresenlavaui un asticcto verdarieiramente asiustador ;
que uiovimeiito de trapas llnhaiu lugar principalmente
na Allemauha; que territorio tinham sirio invadi-
dos,' e que era evidente que urna nova liga dos despotas
do norle se eslava formando contra a nafocs hvres do
sul. Elle accresceutou que a guarda avan;ada da nova
santa allianva ja eslava aimacaiulo a Italia; que o estado
i|ile un |iai tirio na Franca, o q'ual so constrangidaii|en-
te aceitara a repblica, havla drpuii conspirado contra
ella e centava actualmente com a intervencao estrangei-
ra para restaurar a uionarchia ; que o governo era con-
nivente constate partido e tcitamente adinittia a exis-
tencia do* tratados de 1815, pols deixra os Austracos
leciijtarrn Ferrara sem que nem sequr houvcsse un
]notesto da parte da Franca ; que em vez de receber fra-
ternalmente os enviarlos da repblica romana, o gover-
no francez obstinadamente recusara reconheccr outro
enviado que uo o nuncio do papa, cujo poder j tinha
ilcixadode exlatir ; finalmente que o governo fraucez tl-
nha tratado de igual modo nova repblica toscana.
>lr. Buvlgnier sustentou depois que, misino dado o caso
de que os tratado de 1815 eitivesaem em pleno vigor,
ncnbuuia das potencias que nelles tomaram parte tinha
o direlto de.fntervir em Roma, nem em Toscana, uem
m Vneta. Elle sustentou que a assembla nao poda
revocar o decreto que publicara em 4 de malo de 1848
ciu fnror da emancipado da llalla, pela qul a honra
da Franca eslava eiupenhada, nem violar o artigo 5." do
- i cambla da couitituico pelo qual a Franca he obrl-
ada a respeitar as nacionalidades estrangeiras, e a nun-
sao dos Alpes. Elle lembroii depois assembla que
com plena approvacao sua tinha declarado que faria to-
dos os esCoi-cos para salvar o pas da guerra, c aliudio a
certas manobras praticadas pelo governo provisorio pa-
ra o tiiu d excitar as'nacdrs vizinhas a desiruirem os
seus governos.
Mr. Lamartine, subindo tribuna outra vez, protes-
to u sobre sua honra que nem elle, nem neuhum dos
seus collegas do governo provisorio tinham consentido
na tentativa frita pelos demagogos de Leo para separar
Salila do Piemonte, elles nio tinham fomentado, nrui
tolerado, nem deseulpado esta tentativa. Elle disseque
Mr. Arago, connni.sai io do governo naijuella cidade, ao
saber que um tal plano se proemraexecutar, immrdia-
lamenie Ihe dera parte de tudo, e que no meiiiio instan-
te fram expedidas de Paris para Leao as mais peremp
lorias orden, alini d impedir a expedico, e que se
nao obstante Isso, ella scinpre leve lugar, o governo nao
deve ser censurado, |iois nesle lempo elle iiiio tinha aV
sua riisposiriio 580,000 liomens para assegurar a execu-
i. .10 de suas ordens
Mr. Arago conlirniou depois a narracao de Mr. Lamar-
tine.
Mr. Sarrans pedio ao mini-tro dos negocios rstrangei-
ros houvessc de declarar qual seria o proccdimrnto da
Frauca, se as potencias oalhuticas inlerviessrin em fa-
vor do papa, ou se a Austria, invocando um allegado di -
relio, reversan da Toscana, invadlsseestr ducado?
Mr. Droiivn de Lhuys responden que, se elle declaras-
se que em iiertiium caso a Franca no fnterveria, isto se-
ria umafaniuacfto para as potencias estrangeiras, e que
Igualmente, se deelarasse que a Franca ae opporia a toda
a intervencao, seria isto um ru'ui bclli, proposto seni
nenhuma necessidade.
Depois de al-innas consiileraciies fritas por Mr. Man-
guin, julgou-se a materia siirncirntemente discutida. -
MM. Martin de Mraburgoe Latrade lizeraiu a ieguin-
te pro|iosta.
a A assembla, convencida de que o governo far res-
peitar o direilo que tem toda a nacao de regular seus
negocios internos, como julgar conveniente, p'assa
oiilein do dia,
Mr. Julio Favrc fez tambein a seguinle proposla:
A assembla, persuadida de que o governo, assegu-
a empreg.rsua. frcas contra a liberdade de en.U.ira"i";i<^^^ril^"f!^(;( 'i'P'".^""!? "Piri-
a sancvHo ao referido decreto de 24 de malo A va,seilbllli poililll, approvou por m conlra 3<|
Mr. Diouj n de Lhuys, iniuislro dos negocios eslran-
griros, retpondeu que o governo. do aecrdo com os de
voto que ae jiassasse siinplesmente ordemdo dia, re-
PthNAMBUCJ.
BALANgO DA RECBII'A E DESPEZA DOS ESTAMELE-
MRIDaDES, verificadas no mkz
. .MEMOS DE
DE ABRHL DE

iS-i'.l.
flenla.
ciod Vs.7 ,i i ,' T 6 ,". ... i.- jeitaudo as dua prop-.las cima.
sejos da assembla nacional, tinha adoptado a poltica J (
pprovada |>or varios votos da misma coiporacao, o
unliaya que ella nao se contradira adoptando urna re-
olucao contraria.
Mr. Ledru Rollin levantou-se enlo e disse nue prom-
ana explicar a poltica seguida pelo governo a respeilo
a Italia. Elle referi em poucas palavras o que se tinha
iasado na Europa depois da publicaco do manifest
e Mr. Lamartine, e irifclsiio fm leinenie nao s em que
ussem sustentados o principios que elle proclmala,
icnao tamben, que fosse levada a effeilo a resouco da
assembla nacional de 24 de malo, a qual recomiiienda-*Vor saldo em Si do passado'
ll,?. '*iai Traalci"" aAllamanha. o resta- Recebido de Cel.no 'da Coala
eleeiiuento da Polonia ta emancipacao da llalla, n Pelo
manifrito do governo provisorio a Franca se enmpro-
"iiettra nao tmenle a oppr-se loda a Intervencao e-
irangrlra, sean tambem a defender com as suas armas
i'iuellas osedra que livrtsem aisegurado a sua Indrpcn-
'cncia. M. Ledru Rollin leu depois varias trechos de
m discurso pronunciado por Vr Odiilon narro! em
8.11 para o ftn de pftr o proerdimento actual deste Sr.
nijapposieaa com os seutimentos que eafressra na-
uerle periodo a respeito do poder temporal do papa.
He disse que Huma ilnha seguido o exemplo da Fran-
(The Tiwei.)

~
145*887
Moreira, tcstamrnteiro c in-
veniaii.inie do linadii Hernar-
diuO Jos de Souza Monteiro,
importancia dos legados que
deisouodilo fallecidoaos es-
labeleciiiieiilos de cu iilaile, a
saber : ao grande hospital. .
ao hospital dos Usaros.
casa dos expuslos
360/000
26-i/VOO
200/000
e que aqurlle. que negavaui ao Romanos o direilo I
ee"53|lr#*" oberano temporal, negavaui aos Fran-
epfj-raireiio de cxpellir Lulz Pilippe; que a lugUler-
Saldo a favor do ihesoureiro.
820/000
4:173/782
~5?I39/Sir
Dupeta.
Pago s amas da casa dos exposlos, que
compareceran no acto do pagamento,
suas mcnsalidades al 31 de dexembro.
Aos enfenneiros c cosinlieiros do hospi-
tal de caridade, seus salario de Janei-
ro a marco prximo passado.
Ao regente do hospital rio lazaros, Im-
portancia" da dcapeza que fez em mar-
co dito......'
Ao dito da casa dos exposlo, idem.
Ao inesino.jior 590 libras de carne verde
que coniproii.......
A Veitch, Bravo & C., por medicamento
que vrnderam para a botica do gran-
de hospital........
A Vicente Jos de Brito, dem. .
A Francisco Joaquim da Costa Fialho.
por taho alo e loo d"obra das pralelei-
ras fellas na dispensa da casa dos ex-
noslos.......
A Manuel FigucirOade Faria por diversas
impressoes. ....
A Joo Baptista Fragozo, importancia
de Inica para a casa dos expostos.
Ao dito, dem para o hospital dos lazaros.
A A-Inmsou lluwie i C., por 44 pecas de
hamburgo a 350 a vara. 365/830
Por23peci,dechltaa8/r!00. 197/800
781/630
Descont de 5 por ceulo. 39/180
A Jos Antonio de Magalhaes Bastos por
lOalqurircs de farinha.
A J. J. Tasso Jnior por 4l arrobase
26 libras de arroz pilado branco a
1/800......7fi#-24
271 libras de sabao a 120. 32/:V20
Ao reverendo regente do grande hospital
de caridade, Importancia da despezi
frita em marco.
Aos emprrgados dos estabeleclmentos
de caridarir, os seus ordenados venci-
dos de Janeiro a marco dito.
Pago a Vicente Jos de Biilo, por medi-
camentos que venden para a botica do
rande hospital.
. J. daC. Amorimporlresbarrisdc
vinagre a 11/500. 34/500
Duas jarras vidradas a 7/000 14/000
A Novae &C. por 32alqueires de farinha.
A Antonio Joaquim Vidal por loiifa de
ferro para casa dos exposlos.
Ao dito idem para o grande hospital. .
A Angelo Custodio dos Santospor 16 li-
bra de cera.....
A Eduardo II. Uyait, Importancia de fa-
cas, garfos e oolheres | ara o hospital
dos lazaros.
Ao dito, idem para casados expostas
A Manoel Carnclro Leal, por louca de
folln para a botica. ''
A Mnoel Antonio de Jezus por .>9 arro-
bas e 8 libras de pao e bolacha, que
forneceu aos estabeleclmentos de ca-
ridade no iiiczde marco p, p 22/l4J
A batimento de 5 por ceulo. ^Ii/2j7
881/953
154/500
193/43)
158/880
112/120
185/520
92(1788
:ii/ooo
30/000
2:1/080
24/000
744/450
40/000
107/765
513/500
l:3l8/.26
8/360
48/500
- 140/800
11/280
46/200
200480
10/000
6/150
13280
213/887
5:139/669
Admitiistraro ge/al dos estabelecimeiilos de ca-
riilaile, 2 do maio.lo I89.
Jos Pires terrena,
Thesnureiro.
i4nfonio Jos Gomes to Corireio,
Esciivo.
^ 1UMM< tm iiiliiiiil'--,'-'-r"*''',1"E"
IHAtt10 DE PERMAMBTCII.
BtCirt, 7DKHA10 DE 1S9.
Hoieronlinuou, na assembla legislativa provincial, a
discusso do rcquerimeiito rio Sr. Jos Caetano de Me-
drlros.
OSr. Ciinha r'ignciredo coiiibatcu o parecer, mas le-
ve de ser conlradictado jiclo Sr. Mendes da Lunha.
A disrnssao ainda ficou adiada pela hora.
O Sr. Joaquim Villela he o prlmeiro deputado que lle-
ve de fallar ainanhiia sobre a materia.
NOTICIAS ISTRANGBIRAS.
A barca Columbui. entrada honteni no porto des!, ci-
larie. trouxe-nos 16 nmeros do limt, datados de SI de
marco a 7 de abril prximo passado. As noticias iiia.s
linporlaiitc com que nelles deparamos acerca dos .Di-
ferentes estados da Europa sao as seguintes :
Inglaterra.
Este reino (cara em pai, e nada de extraordinario
bavia nellc occorrido. .
As novas ltimamente recebida da India llnMW
enchido de astisfacao > todos os ingleses. Com eit.i-
lo no dia 21 de frvereiro lord Goiigh, o general da
tropas britannlcas, como tivesse concluido os pre-
parativos nrcessarios para o conflioto, atacnu o ex-
ercilo inimigo cm lodos os pontos que oceunava,
e alinal conseguio derrola-lo coinplrlaiiienie. bnere
Singh, o cabrea dos slkhs, fugio, deixando em poder
dos vencedores urna grande quaniidade de armamento
e mullican.
O parlamento prosegua regularmente em eus tra-
balhos. discutinrio diversos projeclos, entre os quaes
se faz nolavel um que providencia acerca da*, cdicoe.
Os eomoli ficaram de 92 i/8 a 9 1/4 as apolioes do
banco, ric 197 s 199 ; os ires e um quarto por cento.
de 91 172 a 91 3/4 ; os fundos brasileiros. de 9 1/4
a 80; os uuatro por cento portuguezes a 28 os cinco
por cenio herpanhes a 16 3/4 ; e os dous e meio por
cento bollandeze, de 50 a 50 1/4.
Portugal i Herpanka.
O primelro dcstes dous paizes licra perfeilamente
tranquillo al o dia 20 de marco, r no havla receins|dr
que a ordem publica fosse perturbada. As chuvas j ti-
nham ciiuu-cario a caliu c comquanto nao fossem ainda
geraes, nemliundantes, todava o trigo j tiuha balxado
de preco coi Lisbda.
No segundo conlinuava ainda a guerra civil, nao
obstante as repetidas victorias atrancadas pelas tropas
da ramlia Olozaga tlnha-se reeolhldo a Madrid, ej
havia luuiado assento como deputado na respectiva c-
mara.
'raara.
Nenhuma desordem tlnha ltimamente occorrido nes-
le paiz
A assembla nacional aluda conlinuava cm leu lia-
balhos. Na rruniao da coniinissao dos negocios ettran-
geiros rio dia 5 de abril Uvera lugar urna discusso ca-
lorosa sobre os seguinles ohjcctos : o oITcrecioiento fri-
to ao re: Ja Prussia pela dieta de Frankfort, o armisti-
cio do Piruiontr, a attiludr assumida pelo poro de
Genova, e a recusa do governo provisorio de Palenno a
aceitar as propostas olFerccidas pelos almirantes Ingle/,
c liancez porm nenhuma esoluco definitiva fol ado-
ptada.
O sun/emo tribunal de usiica absolreu o general
Cnurtais, Degr, Bornes, Thomas. Vilain el.arget, ac-
eiisados de haverrm tomarlo parte na insurreifao de
junlio, r. conde.....ou a Floltc, Quentin, Raspail, Sobrier,
(llanqui, Barbes e Albrrt; os dous primrjros a ripeo
anuos de priso, o lercciro a seis annos de desterro, o
quarto a sete, o quinto (le, c o dous ltimos a des
ierro por toda a vida. Conforme noticia urna carta de
Inln.a, os votos para os mrinbros da cmara munici-
pal daquella cidade, na cleirao que ltimamente se
proeedeu fram dividido entic os dill'erentcs partidos
polticos as srgulntes proporcoe : os partidarios de
llrnrique V e do conde de Paris 16,202 votos ; o parti-
darios de Ledru-Rollin 8,306 votos ; e o amigos de Lulz
Vapulean Bonaparte 1,608 votos.
I ni individuo de nomo Vaissc communicra assem-
bla que tinha descollrtu um meio infallivel de extin-
gu i- o pauprrlsmo, e que eslava promplo para apli-
car o seu s\ Sicilia aos representantes do jtovo, com tan-
to que estes Ihe concedesseui urna audiencia de uina
hora tres vezes na semana.
Nd da 2t de marco o general Petlt enlregou a Jero-
n\ mu Bonaparte no Hotel-dos-Invalidos algunt artigos
de valor que Ihe tinham sido confiados, isto lie : a ca-
pada que o Imperador Piapoleao tinha cinta no dia da
batalha de Auslerlitz, o chapeo que tralla, e o seu eor-
i/iin' da legiAo de honra ; a cora Imperial que Ihe fol
prosr iite.-ula prlos halliunles de Currbiirgo ; a cora de
miro que servir no dia de sua coroaefio ; as chaves do
tmulo em que suas cimas rrpousain ; o pallo adornado
com os emblemas do imperio,em que eslava involvidO o
cofre que fra trazldo de Santa-Helena; e 52 estandartes
tomados cm Austerlilz.
Italia.
Grandes c importantes saccessos leeiu Udo lugar nesu
paiz.
Carlos Alberto, lia vendo declarado lindo" o armisticio
entre a Austria e a Sardenha, marchou frente de seu
exercilo para a Lombardia com o designio de renovar
as hostilidades, porm b marechal Uadeiik), coinmau-
ilantc das Tri-as austracas, nao julgando conveniente
limitar-se defensiva, invadi o territorio piemonlez
por dous pontos ditlerenlcs, r, atacando o exercilo sardo
em Novora, odrstroeou la o completamente, que Carlos
Alberto, pe alendo todas as esperanzas de poder conti-
nuar a guerra, abdicou a cora na pesaos descufilhoo
duque de s iboi.-i. Em a noiie do dia da batalha, diz a
i'.ilriV, g monarcha sardo, triste, porem calmo, vollouao
palacio Bellinl. Pelas nove horas mandou elle cbamar
os duques de Saboia c Genova, o coininandante em cBe-
fr, o ministro Cadorna, c os tcuentcs-gcncraes ecom-
iii i mi unos de divisan que se acliavam em Novora. O ru-
mor de sua abdicacao j se tinha espalhado en palacio,
e, quaiirio elle entrou na sala em que o concelho estava
reunido, a cinocao sentida pelas pessoas presentes deu
a conhecer que haviain penetrado o seu degredo. O
re, dando com dignidade alguns passos para diante,
dlsse
Senhores, a fortuna Irahio vossa coragem e mi-
nlias esperanfas; nosso exercilo ost dissolvidp; lie im
nossivel prolongar a lula. Miuha tarefa esta completa,
e pens que larri um importante servico ao mea
|iaiz, abdicando em favor de mcu Aillo Viclor Einma-
nuel, duque de Saboia. Elle obter da Austria condi-
cues de paz que ella recusara se tratasse cominigo.
Todas as pessoas que estavam presentes se debulharaui
em lagrimas; porm nenhuma einocau foi visivel na
face de Carlos Alberto, e todos os esforcos_que fez o
duque de Saboia para o dissuadir da i rsuluc/io que ha-
via tomado, fram baldados. O rci abracou os seus
dous lilhos e a todos quantos estavam presentes, agra-
deccu-lhes os servicos que Ihe haviain prestado, e disse:
. Senhores, cu j nao sou vosso rei; sede fiel e dedi-
cados a meu filho, lieui c.imo o lia veis sirio a niini. >
No dia 27 de inarc" n ministro do interior, M. l'uielli,
cominunlcou assembla o seguiute documento :
Armiilieiu conHuido entre S N. o rei ile SarJenlia, Vctor
Kmmanuel, e o mareehal de ampo ll-idrizkij, no Ha fi di
marro, depiii da abdicacao de Carloi Alberto.
O rei de Sardenha d nina solemne e positiva segu-
ranca de que concluir, tanto quanlo fr consistente
com a sua honra, um tratado de pax sobre as seguintes
bases :
Art. I. O rei de Sardenha licenciar 10 corpos mi-
litares compostos de Hngaros, Polacos e Lombardos,
licando livre a S. Magestade o conaervar em seu servico
aquellesjjfficiaes destes corno* que Ihe agradaran!.
Art. 2." O conde Radetsky pedir a S. M. o impera-
dor que conceda nina inteira amnista aos soldados hn-
garos, polacos e lombardos, subditos de S M. imperial.
. Art 3. O rei de Sardenha concede que um corpo
de i8,000 hoinan* de infamarla c 2,000 de cavallana oc-
cupe o territorio comprehendido entre o P, o Ticno e
o Seria, e qus a metade da guarnico da fortaleza de
Alejandra srja compnsta de tropas austracas' ( ffttron-
doo murmurio na aiumbla e nai galeriai publicas. ) Esta
occnpac.i'i nao intervir de nrnhum modo com a aduii-
nislracao civil e judiciaria da provincia de Novora:
3,000 soldados austracos comporno a metade da guarul-
cao da cidade c fortaleza de Alcxandria, e oulrns tantos
soldados piemontetes compora* a outra nieadc.
Austracos deverau ter urna livre cominunicacito entre
Alcxandria e Ijioirllina or meio de Valcnia. Una coin-
Imisto militar mixta ser noineada para prover na ma-
! nutenv'io das tropas austracas. As tropas sarda* eva-

! MUTILADO




cuaro ot ductdoi de Modcna, Placenza e Toicana, sto
'"', 09 territorio* que antes da guerra uo pertcnciam
ao Peinonte.
Art. 4." Senil impoulvel <|uc a melade da guarni-
cao austraca de Alrxandria chcgue antes de qualro das.
sua admisso na fortaleza ser garantida pelo govcruo
(ardo.
Art. 5." A untada arda evacuar o Adritico cnm
todos ns .. no espac. o de 'Ti das; c os Pic-
inonlezc n 1, 1 ni Y'encza rccehero ordrm do
vollarao p .1/.,, mro do mesmo espaco de lempo.
Art. 6." U rei Vctor Kinnianiiel promelte concluir
urna proinpla e duradoura paz, c reduzir o scu exercito
ao p i-iii <|i|p eslava antes da guerra.
Art. 7.' O re de Sardenha considera inviolavels to-
das as condiciVs cima estipuladas.
- Art. S Ambas as parles enviarn plenipotenciarios
aquella cidade que for lixada para a concluso de 11111
tratado definitivo de pa/
Art. 9 A paz ser concluida ndepcndentcinentc
das cstipolacdcs do prsenle armisticio.
Art. 10. Se a paz uo for concluida, a Ccssaco do ar-
misticio ser aiiuunciada 10 das ames di rrnovaco das
linslilidadc*.
Art. II. Todos 01 prslnncirns rio guerra serfio ui-
iiieiliatainrnte entregues por ambas as paites.
Art. '2.JTodos os Austiiacos que 11 atravessaiain o
Seria totnaro a entrar nos limites cima mencionados,
( Assignailos. ) Chrxanowiky t Radtltkf
DepolS de um violento dbale a assembla adoplou
a proposta de M Lanza, a qual derla.a o 1 milsiisio in-
niistitiiciou.il, C que 11 goveruo i|iie o exeeutasse vio*
Liria o paci fundamental da naco. Clin se declarou
1 mili, ni mi scsso permanente, resolvcu enviar urna
depul ii.iii ao rei para o fim de intrira-lu dos scnliineii-
tos de que se jctMMr .'.nuii.'J, e de coohoeer su.as roaos
intcncies I malln ;,. ollV decidlo que, so o luinisle-
------mt,doiman as V.".r\i austracas entraren) na fortaleza
de Alejandra atilesque o armisticio fosse apprnradu
pelo parlamento, oiiYdji.se ordenl para que a armada
sarda se lyctirassc d Adritico, fosse declarado crini-
nojo de ali\i trair
A "
rei
COIU
maullados do costume, leu OOin vo/. firme o seguinle ju-
ramento :
/T.111 presenra de Dos uro observar fielmente a
*/ristitiieo, exercer .1 aulnrdaile real omento ein vir*
ynde das leis, r de coiiformdadr coiu o que ellas pres-
f creveih, fazer ntica a todos, e governar leudo em vis-
ta s......-ule o interesse, prosperidade c honra da naco.
Acabada esta leilura, Sua Magostado pronunciou a se-
gnlnte (alia :
Ao tomar as redeas do estado debaixo de cirriims-
tnncias cuja gravidade c
ci, j infnrinri
te nede*. A conso
cierne*, a soguranca o honra de nossa cuminiim patria.
10 de altVi trairao. ^J
K 29 de Hitaron, .'runidas ambas as cmaras, o novo
se apresooV/u para prestar o juramento do eslylo
iislituieo do paii. S ., sendo receliido coiu as for-
is redeas do estado debaixo de cirriims- cami.ir a miiina nonra, que en
avidade c amargura plciiaiuenft* apre-jluepodere lembrar e inorar
iiaco de quacs lejam as minhas in- j lhe lario penler qiulqiicr con
alidacn de nossas instiui'eoos conslltu- j uha ayancado entre as pessoa
pontos de n5o podar c.ilcar-mr, e lo pouco andar cnm
a devida ostentaco, fui impellldo. para terminar to
acerbo mal, a lubmeltcr-nie doloro9 operacao da ex-
traceSo da 1111I1.1, a qual fni coin o inalor acert, me-
lindre e delicadeza pracada pelo referido Sr. Dr Hos-
coso, ajudadq 1.. In Si Dr. Pontes, lio hospital militara
carpo do segundo batalho'de artilharla, em 10 de mar-
co ultimo, tirando este pouros dias depois .ligninas par-
tculas que havlam ficado ; e, gracasninda aos cuidados
e tratamento desses honrados facultativos paraoaper-
feii 1..mu um da clcatrisaco, boje me acho Inteiramenle
boin, restando-uic a*scgu>ar a rssesSr. que firmaran!
eiu nieu enraco umdireito irrcfragavcl de met eterno
recoiihcciineuto e aiulzade, e que em qualquer parte
que a fortuna me fufa laucar, acharo em miiuun fiel
e dedicado amigo. Possa o Omnipotente segurar a cs-
ses benemritos Srsv prspera fortuna e bens, para glo-
ria de mis,., patria, que sao justamente os incus mais
."i ili.-ies desejos. o Io cadete h'tanklim do ftgn Ca-
vulciinle Albuqucrque Uiirrot. Hrcife, I" de maio de 1849.
Sri. fedacloret. Tem chegado aos meiis ouvidos i|ue
o Sr. Jos Antonio Pereira de Urilo assoalha nessa ci-
dade que eu ii iiIhi sido un de seus perseguidores, c
que at fui ao seu engelibo denoiuluado Santa-Cruz, e
autigamente (abeca-de-Porco. para llie tirar tres caval-
los, indicando que eu assim coiuiuetlia um furto He
na rerdade grande petulancia que se nao pode solfrer ;
masen devo smenle asseverar, debaixo de juramento,
que he CfrtO que na OCCasila da revolta, cm que geral-
niente consta haver o Sr. tirito tomada parle, fui man-
dado ao dito engeuho pelo Sr. coronel Jos Antonio Pes-
soa de Mello, ento comiiiand.iiitc ger.il das frcas em
operacoi's, para dalli conduzir os referidos cavados, que
entregue! lieliucnle ao mesino Sr. coronel, o qual del
les dispoz para o servico publico. Kisto nao houve,
puis, um acto llicito, e eu mo liz mal* que cumprir
Ulna ordem superior.
Talvrz 0S1. I rito srqiieixe de iiiiin, porque em de-
zembro de 184T concn i para se tirarcm de seu engenho
Saulllnhi) dous escravus c|iie all se acbavaui occultados
i' occiipadns no servico do niesmo ciigenlio, leudo fgi-
do das casas de seus senlinres, segundo be de crr, ha
longo tempo. riti que entre aquelles escravos havia
urna preta que quandn fugio lerou urna cria, c na oc-
casiao de ser apprelieudiila eslava j coiu du.it crias !
Bsse* escravos fram restituidos aos seus legtimos se-
nliores Jos (.'andido itamos, (iroprielario do engenho
Pereira. e Jos Manoel de Barros VVanderlcy, proprie-
tario do engenho lluas-Roccas
A' vista disto quem ter couiineltido Um furto, e fur-
to vergoiihosissiino ?! (Jiicni dever merecer crdito
quando imputa a outiem ms accoes .'!
O inelhor he que o Sr. Ilrito e cale, e deixe de abo-
canhar a iiiinha honra, que eminentemente przo, por-
r militas indignidades que
cello que porveutura tc-
. essoas que vvriladeirauente o
lo couheceiii : isto aconselho para o seu proprio beue-
serio > objei tu constante de meus pensameiitus, e me- 'icio, pelo que bem mostr que o nao procuro porso-
diante a ajuda da Divina Providencia, e a volca conpe- K"if-
ra.o, espero ser nelle bem succedido. (.'onhecendo ) .'ueirain, Sis. Redactores, ler a bomlade de publicar
plenamente a gravidade de meus deveres, tenho Coin-'*! Hutas, por cujo obsequio ser agradecido o seu
plelado em vossa presenca o solemne acto de prestar O '"._ Ilio-Korinoso, 2fi de abril de 1849.Pedro francisca
juramento que ha de dirigir nieu futuro proced1111ento.11
Findoque fui este pequeo discurso, o re rclrou-se
e o ministro do inteiior comniunicou mio assembla
un decreto real, o qual ailiava o parlamento por al
guns das afim de que o ministerio Uves-e lempo pora
examinar a verdadeira situaco dos negocios, para po-
der fazer s cmaras as convenientes coiiiinuucares.
O novo ministerio sardo acha-sc orgauisado da ina-
neira seguinte:
Presidente do concelho e ministro dos negocios es-
trangeiros, M. Delaunay; ministro do interior, M. I'i-
nelli; ministro da juslifa e negocios ecclesi.islicos, M.
de Margherita; ministro da gu rra e niariiiba, M. Mo-
rozzo delaRocca; ministro da fa/enda, M.Nigra; mi-
nistro das obras publicas, agricultura e comuiercio, M.
Galvaguo; ministro da nslruccao publica, M. Mamelli;
nddido ao gabinete sem pasta, M. o abbade Vicenzo Go-
berti.
lorreu em Roma o rdeaI Mrzzoufaiiti.
Allemanha.
No da -2S de marco, reunida a assembla nacional em
Frankfnrt, o presidente convidou a cada inembio
de Mello.
AI.KANDEOA.Rendimento do da 7 .
feicarreqam hoje, 8 de mato.
Ilrlguc Paulina mercaderas.
Ilrigue Jiival ferro,
(ialera Culumbus mercaduras.
Hiato Kxiilaco dem.
Brigue Linnea dem.
Ilrigue Puluam dem.
i' i! i' in. -.l/'M ni '. Joaquina vinho.
8:117/001
IMPOliTACAO.
Linnea, brigue surco, viudo de Antuerpia, entrado no
u-/ prximo passadu, consignado a N. O. Iliebcr & Oom-
panliia iiianifcsiou o seguinte :
7 fardos papel colorido, 2 caixas armas, 1 dita carta-
xos ; a 1 a "en Si t.onipanhia.
1 calis ngulhas ; a Wolphopp & Companhia.
allcmao que dtsejava ver asseut.ido A frente do I tupe- .1: barril prego*, 2 eaixas lio de lalfio, 4 barricas bacias
rio, o linda a ceremonia achou-sc que o re da Prussia de lalfio ; a I.iitckens.
fura quem oblivera a maioria de yutos, (liando a no-I 2 fardos fazendas para Calcas; a Scliaflieiilen St
iiciada escollia da assembia se oube na cidade, o po- Toliler.
vo percorrrii as mas dando eiiihiisiastlcoa vivas, e os j 121 barril prrgos. 73 caixas papel para escrevor c im-
sino das igrejas ropicarain. fp.iinir. I calta agullias, 46 ditas o I barrica ferragrn,
7 caixas limas, 2 ditas tesouras, 2 lilas sernites, 31 ditas
armas ; a Brrndi r a Kraodii.
N. II O resto da carga he destinada para aliadla.
ICinelij, brigue france, viudo do Havre, entrado no
mea prximo pastados consignado a Croco 811 iiiipanhi.i,
maiiifestou o segtrnle :
I caixa la/e odas de seda o algodo ; ordein.
(i voluiui s fazendas de seda e algodo, 11 ditos ditas de
algodo, ditos ditas de seda ; a Kalkiiniin cV Irinos.
3 voluiiies fazendas ile algoilao, 1 dito ditas de seda e
algodo, 4 ditos boloes, I dito papel : a J. Keller & '0111-
dividualmente a que pronuuciasse o lime do principe!
Ue dtsejava ver assentado a frente do ipe-
l.ma deputacao de 24 Hembras, presidida pelo presi
dente da assrmbla, se dirig a I eilini para oll'erocer a
corda Imperial da Alleinaula ao re da Prussia, poim
corra que Sua Magos.ade, alleudendn a diversas ra-
sos, nao aceitarla a cora que llic era nOerecida.
Corrcspoiiloicias.
Sn. Iledaelorei. Sempre que se pralicarom accoes
inerilorias c dignas da alinelo do publico, por essa
011 aquella pessoa, em ininlia liumiMo opinila acho que panhla.
so deve manifesta-las, para de alguuia sorle despenar ', voliime fa/.endas de algodo ; a K. lolly.
omi nossa populaco tenlliiiento* nobre* e dignos do
elegios ; assm, pols, sendo cu Icsteiiiuiiha oanmjiador
lo genio hospltaleiro o coraeo bem forinudo do lllin
Sr. Manoel de Son/.1 I.eo, prnpnolaiio do engenho no-
vo da Concelfo, nao desojo que fique em olvido o mo-
do e maoelras cariciosas coin que ful tratado um cadete
leme Manoel de Jesiis, natural da provincia do Pa-,
r, que por nerasio do passar a fdrea .10 mando do Sr. j dliot siispruso ios, I dito dilo diversos olijoeto, I di-
leen te-curonel Ate vedo, no dia 7 do marco p. p., pelo' to Perfumaras, pon tes o biiouteiias falsas, I dito cartas
son engenho, fieou dooiile. do cuja molestia don alma I'1""'1 jog", 5 ditos chapeos, 1 dilo pellos, 2 ditos Invas o
ao 1 reador nu dia 10 do abril p. findo. No decurso de sua ",ires, 1 dito botdcs, 2 ditos perfumarlas, dito pannos,
iiiiile-iia o Sr. Sotiza, oom o genio que I lie he propiio, ''"" Uierlll, I dito fa/.endas de la, I dito chapeos de
envidoii todos os esfurcos que eslavain asen alcance ,0'* Croco It ('oiupanliia.
4 vnluiiies objectos de cliapeleiro ; a A. I.. Slrauss.
1 V' lllllie obras de piala ; a l.iveror.
10 voluntes fa/eniiis de algodo; a Scliafheillon o;
Tuhl.r.
2 voliimes pellos de oarnciro ; a N. O. I ieber & C0111-
pauhia.
2 voluntes latenda de algodo, 2 ditos dita; de seda.
para p-lo boin, uo poupando o seu dioheiro, j coin
o medico que por varias vezes mandn consulta-lo, j
coin botica em que sua costa mandava aviar as rtceitas,
j finalmente coiu um tratamento serio que um boiu pai
pode applcar a um fillio enfermo, o o que mais o aflli
130 caixas qiieijos ; a II. I.asserro i l'.nnipaiilii 1.
I volunte f sendas de la. 1 dito pe fumarias, 1 dito
agua de Colonia, 2 ditos chapeos de shI de algodo, 1 di-
to quinralhariai, 1 dito couroi, I dito tecidos para cha-
pos, I dilo pellos de marroip iiu, I dilo fazendas do. lo-
gia era nao apparecr a inelhora do doenie, a qual elle: da, I dito bijoiileiias falsas, 1 fardiuho livroi i a Manoel
tanto desej.iva. Como bom chrislo, lo|*quc vio o inf, liz! Joaquhn Itamos o Silva.
11090 perigir, maiiduii vir um sacerdote para confessa- l'auliivi, brigue franeez. vindo de Marseillo, entrado
lo o dar-lhe t. dos os sacramentos, o linaliiienle tensi- n" eorrente inez, consignado a I.. Itruguicre, iiianilcslou
liilisou-se bastante coiu a nimle delle, tratando de dar- seguinte :
Ihp sepultura coin a iimpeza que permute o lugar,! 20 fardos fio de vela, 40 quartolas vioho tinto, 60 bar-
mandando coiiduzir o seu cadver para a capilla do en-! ri* ,lil" manco, 200 caltas mass.as, l.'KJ barricas fainha
genho Giirja-de-Cma, aondo Jas. Qnanto ger.i esta de trigo, 22 lardos aniendoas, 10 barril alvaiadr, 30 cai-
Kitiei.a siieeiiiniinlora para o pai ancio que existe no j* papel, Ki glgOS garrafas valias, I caita cevatliiilia, 1
Para '... F.u fato Ideia ; porcm deve eonsolar le, que, I cofre de ferro, 6 caixas fazendas de seda, I dita uiensis
e distante comoestava de sen lilho, nao poda prodigaii. : para relogios, 51 barr* ajeite-doce, 12 caixas vinagre,
sar-lbe os i arinhos de pai. achou quem o subsutuisso to 30 barril oleo de liiihaca, 20U caixas chumbo de iiiiui
bem, que a esto respeto nada devo lam'ni.ir. Receba i cao, 100 caixas sabo, 130 caita* panas, lOOmeias dita
toneladas, capIlSo. Thomas Walters, equlpagcm 12,
carga 2,100 barricas coin bacalho ; ao capltao.
' Ifavioi n/lrf/is no MttsM dia.
frica ; brigue portuguez Leo, capilo Antonio Igna-
cio do Rogo, carga vinho c ago'ardente. Passageiroi,
Vicente Thoinaz do* Santos, Antonio Porto Jnior,
Portiiguezet. ....
Cear ; escuna brasileira A/nrin-Firmin/i, capitn Joao
Heanlo da Roa, carga varios gneros. Passageiros,
Manoel Antonio da Rocha Jnior. Jos Antonio da Sil-
va, Francisco Kidolis l'.arrozn, Francisco I im Salgado,
Manoel Nunei de Mello, Joaquina Jos llarboza, Ma-
noel Antonio Torres Portugal, 1). Francisco Leal Mi-
randa comsua familia, D. Joanna Maria de Jess, Hra-
lilciros.
pul, oSr. Sou a 01 lonvorei e encomioi d s Pernain-
liucano* amamos da hoipitalidade ; crea que accSes
laes sempre engraudecero o seu nomo, o continu a
outcrga-los a quem dellas ir quizer utilisar. que no
outro mundu achara o premio de to assignalae..s ser-
vico* humanidad.-. Nenhuina consldeaco levou-me
a publicar esta* llohai leno fater publica* as bai ac-
eoes de quem a* praticar, como cima disse. Hescnl-
pt-me o Sr. Souza se eom islo oliendo sua modestia
poli nao fajo mais do que pagar um tributo verdade!
Queiram, Srs. Redactores, publicar citas liuhai Ido
sen constante leitor c. L
Sr$. Redacto. Pennittam que me sirva hojo das
columnas do sou mili eonceituado Diario para manifes-
tar ao publico os sentimental do gratidao de que me
acho possuido pelo ni resse que sobre minha molestia
loinaram es Sn. Dr*. crurgiao-mr Pedro Lobo Moacoio e cirurglo-ajudanle Adriano da Silva
Pontes ; pul que, padecendo ha doui anuos de tuna
iinha cncravada no dedo pollegar do pe esquerdo, a
tas
ditas, 94 caixas volas osteaiiuas, 40 fardos alfazema, I
dito leutilhas, 2 caixas man, I dita ago'ardente, I fardo
Cobertores, 1 caixa chapeos deso, I dita sapatoi; ao
niesmo consignataiio.
CONSULADO GERAI,
Rendimento to dia 7.........
Diversas provincias ..........
. 3;33022;>
. 187/U
3:317/280
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 7............2:939/438
Atetas entrtido no dia 7.
Tsrra-Nova ; 29 diai, brigue iuglet Runnymtde, de 200
Olllm. Sr. primeiro eseripturarlo servindode ins
pretor da thesouraria da f.izeiida provincial, cm virlu-
de da resoliico do tribunal administrativo, manda fa-
ter publico que noi dial 8, 9 e 10 de malo protimo vin-
douro na oapr.-n 1 peranto o mesmo tribunal, para icrein
arrematado a quem por menos lizer, 01 concert! da
ponte de Santo-Amaro, sobas clausulas especiaos abaixo
transcriptas e pelo preco de 3:245,000.
Ai pessoas que se propozerem a osla arrematacao
comparecam na sala das sesioes do sobredilo tribunal
nos dias cima indicados, pelo meu-dia, competente-
mente habilitadas.
K para constar *e mandn allixar o presente c publicar
pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da hienda provincial de
Pernambuco, l(i de abril de 1849.O segundo escriptu-
rario, Antonio t'erreira da /Innuneinfrio.
CLAUSULASJtSPECIARS DA ARREMATACAO.
Estrada do norte, arcse pontei.
.-. calanlento da ponte de Santo-Amar.
I.3 As obras do acabamento da ponte de Santo-Ama-
to seo leiii-, pela forma, lb as condicocs e do modo
indicado no Difmenlo, cnoi riicoi geraei e de deta-
Ihc approvado pelo Exiu Sr. presidente da provincia,
pelo proco de tres eolitos dusentose quarenta e cinco
mil ris.
2.* As obras princpiaro no prazo de um met e serao
concluidas 110 de cinco mozos, ainboi contados ein
confuriuidade do art. 10. do rrgulamento das arrema-
tarnos.
3.aDurante aetecueio das obras, dever ser dirigido
o serven do modo tal, que baja icinpre um transito f-
cil, construitido-se um pass idie.i provisorio,
4 O pagamento far-se-ha conforme ao art. 15.f do pre-
citado regnlamcnto, sendo de seis inezes o prazo de res-
poiiiahilid.ide.
5. Para ludo o mais que nao oil determlnado na*
prsenles clausulas especiaos seguir-sc-ha nteiranicnie,
0 que dispoe o precitado regulainenlo de 11 dejulho
de 1843.
Obras publicas, 5 do abril de 1849.O cngenbelro, J.
/.. Viciar Liiuthier.
--O lllin. Se. primen o eseriptiirai io lervindo de inspee
tor da thesouraria da fazcuda provincial, em virtude da
rrsoluco do tribunal administrativo, manda fazer pu-
blico que nos dias 8, 9 e 10 de maio prximo vindouro
ir a praca perante omrsino tribunal, para ser arrema-
tada a quem por menos li/.-r, a obra da ponteziuha da
(anilina dos A1 rumbados, sob as clausulas especiad a-
baixo transc iptas, epelo proco de 2:798,994 rls.
As pessoas que se propozerem esta arrematacao,
comparecam na sala das sessdes do sobredito tribunal
aos dias cima indicados, pelo ineio-dia, competente-
mente habilitadas.
1. pai a constar se inandou allixar o presente e publicar
pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial de l'er-
nambueo, 16 de abril de 849. O segundo escriptura-
rio, Antonio t'errrira de Annunciacao.
CLAUSULAS ESPEtlAES DA ARRF.MATACA'O.
itradat do norC, arcos e pontee.
Pontcslnha da caniba doi Arrumbado*.
I." As obras da ponteiinha da candna do* Arromba-
dos soro feitu, pela forma, sb as condiedes e do mo-
do indicado no oreaiiienio, o us riscos goraes c de dea-
llie, approvados pelo Etm. Sr. prciidrnle da piovincia,
pelo (ireco de dous conlos selocenlose nvenla coito mil
nove ceios o noventa o qualro ris.
2. As obras principiarlo 110 prazo de um inez, soro
concluidas no do sois mozos, ambos contarlos em con-
foriiiidade do artigo 10 d rrgulaiuenlo das ai leinaia-
coes.
3. "O pagamento far-sc-lia conforme o artigo 15 do
precitado regtllaiuento, sendo de umanno o prazo de
1 espoiis.ilillidaile.
4." Durante a execucao da* obras, devora ler dirigi-
do o servico de mancha ral, que baja sempre um trans
to fcil.
5.* Para ludo o mais que nao est determinado as
presentes clausulas, seguir-se-ha iiiirlrameiile o que
dlspoe o precitado regulaiuento de II de iulho de 18*3.
Obras publicas, 5 de abril de 1849. -- O engenheiro,
J. I. Viciar l.icutier.
r^ O III111. Sr. primeiro esciipliirario tervlndo de ins
pretor na thesouraria da fazenda provincial, em virtude
da rrsoluco do tribunal administrativo, manda fazer
publico que nos das 22, 23 c 24 do eorrente, ao melo-
da, peante o iiiesuio tribunal se lio de arrematar cm
hasta publica, a quem por menos lizer, por lempo de
3 anuos, a contar do I. dejulho deste auno at 30 de
jiiiihu-de 1852 os contratos da illuminaro publica se-
guiutei:
Do caos do collegio e palacio do governo, ava-
hado o eotteio diario de cada lanipeo por 232
F/eguetia do llocife dem por 180
Dita de S.-amonio ideiu por 180
Dita do S.-Jos dem por 180
Dita da Ba-VIlla dem por l80
Povoaco dos Afogados dem por 1(2
l-'roginvia da S de t H'iid.i idciu por '42
Dita de S.-I'i drn-Marlvr idi'iii pr 142
As pessoas que te "propozerem a osla* arrcmtacoes
comparecam na sala das sessrs do inosino tribunal nos
dias cima indicados, competentemente habilitada*.
E para constar se inandou aOixar o prsenle, e publi-
car polo Diario.
Secretarla da thesouraria da fazenda provincial do
Pernambuco. 4 de maio de 1849. O 2." cicriplurio, ,4n
Ionio f'errrira li'Annunriacu,
O I Um. Sr. primeiro esciipluraro srrvindo de ins-
pector da thesiuiraria da fazenda provincial, em cura*
priiueulo da rrsolncn dolribiioal 1 dinlnislralivo, man
da fazer publico que nos illa* 5, 6 e 8 de Junho prximo
futuro, ao nirio-dia, perante o mesmo tribunal se ha
de arrematar a quem mal* olTereeer, fn lempo de 3
anuos a contar do l.( dejulho de 1849 at 30 de junho
de 1852, o imposto seguinte:
Tato ila b irroira da estrada e ponte do^Biquia,
avali ida animalmente por 6:601,000
Dita dita da Magdalena, avallada animalmen-
te pr 3:301,000
I im dita do Motocolomb, avahada anuiial-
niciitc por 2.900,000
Pita da ponte de Uuraiy,avallada annualmen-
to por 662.000
Dita da ponte do (achanga, avallada annual-
niontepor 1:201.000
As pessoas que se propozerem a estas arremaiaciirs,
cnnipaiicaiu na sala das sesse* do niesmo tribunal us
das cima Indicados, coiiineloiilemcute habilitadas
F. para constar se uiandou allixar o presento e publi-
car pelo Diario.
Secretarla da thesouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 4 de maio de 1849.O J. escriplurario,
Antonio Perreira i'Annunciacao.
Miguel Archanjo Montiiro di Andrade, oflcial da imperio
nrdetn da Roa, cavlleiroda de Chriito e inspector da al-
fandega de Pernambuco, por S. M. Imperial, tic. ,|c, "
Faz labor que no dia ifl do eorrente mez, ao meio-dl*
na porta da mesilla, *e hode arrematar em haita pnbll.'
ca 32 libras dr la em fio 110 valor de 60,000 rs luinu^
nadas pelo guarda Francisco Rodrigues Pinheiro, no
despacho por factura *b n. 4884; sendo a arrematacao
snlijcia a dirrito*.
Alfandcga, 7 de maio do 1849. fiouel Archanjo /,.
Iriro de Andrade.
' MfgerArchijo Itonleiro de Andrade, fce.
Faro sabor que no dia 10 do eorrente ao melo-JIa, na
porta da inesma, se bao de arrematar em hasta publica
tres jogos de molas para carro no valor de 150.000 rs
impugnadas pelo guarda Manoel da Fnnscca de Araujo
pacho por factura n. 4,855; sendo a arre-
Luna, no despacl:
matacn sub cita a dirrito*.
1849.
Miguel Archanjo .Montara di Andrade.
- arre.
Alfandcga, 7 de maio de
Declarnces.
f^jj O III111 Sr. primeiro escriptnrarn, tervlndo rlP
nspeelor da thesouraria da fazenda provincial, manta.
fazer publico qiie no dia 8 do eorrente se pagain o or.
donados vencidos no miz de abril prximo panado, ,.
mais dospoias provineiaei. Secretarla da thesouraria
da fa/.onda provincial, 4 do maio de 1849. O segundo
eseripturarlo, .(nimiin Perreira ifAnnanciaco. j
= Tondo o arsenal de marinha de admillir para 01
sen* traballios serventes, preferindo-sc os livres a ei-
oravoi, coin o jornal de 560 rs. ; assim manda o II1 m
Sr. intprctnr fazer publico para conhecimento dos qUf
possa iuteressar, devendo 01 pietendonlrs aprestnlar.
se-lhe coin toda a brevidade. Secretaria da inipeceodo
arsenal de marinha de Pernambuco, I de malo de 1849.
O bacharcl, Thomi Pemandei de Castro Mudara. .
\ 1 >ni 1 MSTIi Ai.AO DO PATRIMONIO DOS ORPHAS.
Perante a administrarn do patrimonio doi orphaoi
se ho de arrematar a quem mal* der, c por lempo de
3 anuos que hode ter principio do primeiro de julho
do crreme auno ao fim do junho de 1852, as rendas das
seguimos casas pertenceutes ao mesmo pauimonio : o
segundo andar da cata n. I no largo do Collegio, e ai
dua* lujas da meima casa do lado da ra do Qtieimado
n. 33 ; ns esa* iminei ns 23 na ra do Collegio, 9 na 111.1
do Crespo, 29 110 largo do Paraim, 17 na ra da* Laran-
geiras, 58 na ra do Rangel, 13praca da lina-Vista, .1:
na ra Velha dita, 22 o 24 na ra de S.-Goncalo din,
3 na ra do l'cbo dita. 39 na ra do Pires dila. 60 ni
ra do hozaro dila, 44, 53, 57, 59 e 61 11.1 ra da Cadrii
do Recifo, 1, 9, 2, 4, 6. 8, 10, 12, 14, 16. 18, 20, S,
24 e 26 na ra da Madre-de-Dos, 14, I6e 18 na tuado
Torres, 11 e 2 na ra da Lapa, le 3 na ra do Co-
dorniz, 17, 41,'43 c ina ra da Moeda, 52, 54, 5Se
47 na ra do Auiorim. As pessoas que se propo-
zerem a arrematar dita* rondas, podrro compare-
cer na casa das srssoes da dila admiiiislrac.no nos (lias
10, 16 o 24 do prsenle mez as 4 horas da larde coin
os leus fiadores ; adverlindo-sc que ie ettrituaro no
dia 10 do eorrente a arrematacao de todas as casai al a
de n. 60 na ra do Rozarlo 0.1 lla-Vna ; eque se nao
aeel tai no l.ancns 1I.1.| Melles 1 lia] u 11 linot que *C nao aili.i-
rem eorrente* em seus pagamentos, Secretarla da ad-
minstracHO do patrimonio dos orphos, 4 de maio
de 1849. Joan Francisco dt Chaby, secretario.
Pela subdelegarla de S.- Antonio loi reeolhido
Cadela o porto Romo, M. {.ambique, de 25 a 30 anuos
de idade, por te suppr irr escravoe andar fgido: re-
queren subdelegada rain o nonie de Romo Joaqiiiin
da Sdva para as-cinar pra(a na armada nacional, de-
clarou drpols ter vindo do li m-C. 1 ande- do-Snl 00 brigue
Leo, e iiliiniaimme que he soldado do oilnvo baUUiu:
quem o quizer recia mar como forro ou captivo, dirija-sc
inesma subdelegada.
I anilieni se acha reeolhido cadeia o prrlo Antonio
Massangaua, que diz sor escravo do coronal Antonio Al-
ves Vianna.--Recifa, 7 de maio de 1849.
= Acha-se reeolhido cadeia pela subdelegaal 1 de
S de Olinila, Antonio, nacao Congo: representa ler fu
aunos, o dis ser escravo de Jos Filippe Cuedes, senhofl
do engenho Lagoa-d'Anla na comarca de Notaretli.
Maria, naco Congo, di'ser rscrava de mu tal J0.1-
qiiiiH, o que a setihora rbama-se Candida, idade de 40
anuos pouoos 011 menos, tem na perna esquerda um si-
tial de qu< madura, e o p aleijado proveniente da mei-
ma, 11111 oulro sigual de qiieiiuadura no biaco dirollo,
face lisa, e falla bom explicada. -Joaquim Caralcanleii
/llbuqnerqne. delegado do termo de (Unida.
= OSr. Jos Soaros, piloto escrivo que fui do cter
Eiperanea-de-lleberihe, compareca na contadura de ma-
rinha no prazo de tres dias para aprrsentar sua* contal.
Contadura de marinha de Periiaiubuco, 7 de maio de
1849.Manoel I olio de Miranda llenriquet.

Sao convocados os Srs. accionistas da companhia de
lleberibe para se rounlrem em assembla, geral no dia
15 do crlenle, pilas 10 horas da manlia no eicrlptorio
da inesma companhia, afim de ser eleita nova adinuiii-
traeo," o de se dar cumpriinento disposicao do arllgo
17 dos estatutos.--O director, Francisco Antonio di OH-
veira.
a O brlgue-escuna de guerra PirajYecebe as mslas
para o Maranhoe Harahlba hojef8 j*4 hoias da tarde
inipretci ivclmeiilc.
T1IEATR0 DE APOLLO
llaje, 8 de mato di 1849.
Representa^o extraordinaria em beneficio do Sr. e di
Sra. Al. 'anille.
Concoilo distribuid.! pela inaneira seguinte :
INDlAiNA F.CARLOS MAGNO
ou
na mu/r (/c baile malcarado
Vaudevllle jocoso a carcter e n'um acto.
UXNCA.
Um passonobre, danzado pela Sra. Camoin.
, Grandephantasia em rabrea polo Sr. Alexandre.
1 CANTO.
A grande arla do Scgredo, cavatina de Hernani, mu-
lica de Verdi ; cantada 0111 italiano pela Sra. Alejandre.
Urna filha trrrivel, vaudevllle jugoso, a pedido de va-
ria* pessoas.
A giande aria da Filha dn regiment, msica de Doni
tetti, cantada pela Sra Alexandre.
4 chava abaleas flora, romance cantado'pela ira. Ale-
xandre.
Hondo rusio'f leriot, locado em violo pelo Sr. Itte
xandrc/ v
Comecar s 8 horas da noite.
MUTILADO 1


Publicarlo liUerarir.
Acaba lt* apparecer no Ro-dc-Janclro, e brevemente
aqu sexpori vonda-o 'miliario do HraSll de I81/-sc-
gnn'lo annn|deata publlcacao-1 vnl.de673 paginascm mu
ntida iuipressn, comprchcndendn quatro partes dedi-
cadas separadamente ii poltica, historia, elalisllca c
a necrologa das pessoas Ilustradas do Urasil, a some-
Ihanca do Annual Registe!-, em Inglaterra, e Annuairc
11 i -1 | ti de Lcstir, em Franca.
O publico tem j reconheeido as vaulagens de una
resenta annual, que oficrece por exteuso os relatnos
dos ministros, o resumo dos debates da cmaras, o
/|uadrodoscntecimentos histricos, o progressos da
rstatlsliea commercial o agrcola, estabelecendo gra-
dualmente um verdadeiro archivo nacional.
Subiicreve-se para o numero dos cxemplaresquedeve-
ro vir 5,000 riHs pagos rccepc.an de cada um: no At
trro da Boa-Vista, n. 3, e na praca d Independencia
ns. 0 e 8.

Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro sahe, mpreterivolmente
no dia 12 do corrente, a veleira escuna Galanle-
Marin : inda pode receber alguma carga assim
como escravos a Trele : a tratar na ra da Moda ,
n. II.
-- Espera-sc do Rio-de-Janeiro at 7 do corrente ,
n h'igue porluguez Vel onptlilo Antonio Pedro de
l'igueiredo e segu para Lisboa com a maior bre-
vidade possivel : quem no mesmo qtiizer carregar,
nu ir to psssagem para o quo tetn exocllciites com-
inodos, dirija-se a os setis consignstarnos, Oliveira
lrmilns& Companhia na ra da Cruz. n. 9.
Para o Aracaty tem de sahi.' at i4 do corrente o
liiate Atwo-Mlnvfo, mestre Antonio Jo* Vlanna : anda
pode receber alguma carga iniuda c passageiros, para o
pie trata-se com o mesnio mestre no Trapiche-Piovo,
ou na ra da Oadeia-Velha, n. I", segundo andar.
= Para o Ass sahe, no din 13 do corrente, o brlgue
nacional Soeitdade, capito Manoel Joaquim Lobato : re-
cebe carga a frete conunodos trata-se com Jos Mar-
cellino daRoza, no largo da Alfandoga, arinazein n 3,
e na rua do Vigario, n. 25, primeiro andar, com Jos
Raptisla da Fonsec.i Jnior.
Para o porto alie com a maior brevidade possivel
a veleira barca Espirito-Santo, por ter a maior parte do
ara carregamento prompta : quem na, inclina quier
carregar, ou ir de passagem, para oque tem os mala
asseiados commodos, dirija-se ao sen consignatario,
Francisco Alves ria lamba, na rua do Vigario, n. II.
Pllra o Havre a barca franceza Y.itia, capito De-
hiin.-i)'. segu iinpreterivelmente no dia 20 do corrente
me/,. Tem elocuentes commodos para pasiageirus. l)i-
rijani-se aos consignatarios, J. P. Adour & C, rua da Ca-
dela do Recio-. n. 52
r= O briguo Paquete-de-Pernambueo segu para o Rio-
(ranile-d'i-Siil no dia 13 do corrente: tem asseiados
comniodos para passageiros e recebe ejeravos a frote :
quem pretender qualqucr das cousas, dirija-se a ruada
Molda, ii. 7.
Para Lisbou sahe, com a maior brevidade possivel,
o brlgue porluguez Annn-Adelaide, forrado e encavilha-
do de cobre : recebe carga c passageiros, para os quaea
tom exccllentes commodos : a tratar com o consignata-
rio, Joaiiuin Ferreira Momios Cuinares, na rus d
Cruz, n. 4'l, nu com o capilao, Ignacio Jos de Araujn,
na praca do Coinmereio.
Para o Rio-de-Janeiro segu vlagcm, com umita
brevidade, a milito veleira e conhecida barca Firmeta :
quem pretender carregar ou ir de passagem, para oque
tem excedentes cninmodns, iliiij-i-.se ao caes da Alfan-
dega a tratar cun Manoel Francisco da Silva, ou na ru
da Madre-dr-Dros, casa n. 3. terceirn andar.
-- O brlgue-escuna nacional (linda segu, com bre-
vidade, para o Rio-de-Janeiro por ter parle de ua car-
ga engajada : para o resto, passageiros on eacravna a
frote, trata-se com Machado & Piuheiro, na rua do Vi-
gario, i). 19, segnndo andar, ou coin o capito na praca.
Para o Rlo-dc-Janelrn segu, com multa brevida-
de, o brlgue nacional Aurora ; tem a maior parte do car-
rrgainciito prompta : para o resto e escravos a frete,
ir.ii i-so com Joo Francisco da Cruz, na rua da Cruz,
numero 3
f> eipiiio da barca nacional Tenlaliva-FeH anuun-
oia que aalie impreterivelineiile para Mossamedes no dia
20 domado; que todos os objeotos que liouverein de car-
pegar na inesma licaroa bordo al o dia 12 ; e que no
dia da sabida niin adniiltc pessna idguma a bordo srno
oque lroin de passagem ; par Issn rceoinnienda a to-
dos facam em torra as snas despedidas.
Para Lisboa, com escala pela ilha de San-Miguel, a
barca portogueza Tejo, capito Sllvcrio Manoel dos Res,
sabe cun a inalur brevidade possivel: quem na niesma
qulzer carregar para qualqucr dos dous portos, dirja-
se aos consignatario i, Ol vi ira l> unios & C, na ruada
uiercio.
Para Santa-Calharina sahe com brevidade o pata-
cho nacional jVoro-/.Mz: he limito veleiro, c tem bous
ciiiiiinodus para passageiros: taiubem pode aeicber al-
gii|ua carga a frete : quem pretender embarcar alguma
i .iiga. ou ir de passagem, trate coin o capitn, Fraucrs-
co de Paula da ronseca, ou com o consignatario, Manoel
Ignacio de Oliveira, na praca do i'ouiiiiorcio, n- 6.
-- l'era o llio-Cmude-do-Sul segu no dia 13 do
mrenle o briguo nacional Despique : recebe carga-
passageiros e escravos a frete : trata-so com Macha,
lo eV l'intieiro, na la do Vigario, n. 19, .segundo
mi lar ou com o capiliio a bordo.
Lciloes.
--Ocorrelor Oliveira continuara a fazer leililo,
por nrdem do respectivo juizo das fazendss da loja
do fallido Anloniu Jos Anlunes GuimBrilcs ; assiot
oomod'outrasmuilas (zondas mglezas,*econlemen-
te importadas, e que serflo vendidas a prazo esem li-
mites ile precos : boje, 8 do corrente, s 10 horas
da mantilla no son arma/em da rua da L'adeia.
Adolpho Vi licii.-uii fura leililo, por interven-
cao do corrotor Oliveira de lodos os escravos, car-
ies, muiios cavallos tsnio em parclhas para carros
como pma motilara ,e mais pertences de sen esta-
lielerimeiito silo no lugar lio nreial do Kra-de-
l'ortas onde lera lugar quinla-feira 10 do corren-
te s 10 horas da manhfia em ponty.
Avisos diversos.
--O abalxo assignado roga encarecidamente ao !-'r.en-
genbeiro das pomos r estradas, ou a quem competir,
se digne do mandar reparar duas da> pjntes da estrada
nova re Ollnda, que esto em verdadenu estado de rui-
na, e de grande perlgo, pelo que mullos dos seus collc-
gaa teeni-se adiado na impossihiliilade de frequenur
a aoi ilomia, ao passo que parece dever cr destinado o
pedaglo, que ora ali se cobra, para tara comerlos, e
i onservacao das inesmas. O acadmico.
Para evitar duvidas e conlestacei futuras, pre-
vlno-ic que ningiieui compre, neui negocie ab qual-
,11er furnia com Francisco Pereira Pinto Cavaliaulc
hii ou cousas poi'teiiconios hrranca do rinad Ignacio
lorela do Mello; pois que, leudo havido aenteuca s-
i!
direito algum a baa do finado, visto que a perd e
ben porsentenca, dados motivos legitimo, pode i
decretar-se,e nunca por ampliares arbitrarias,tmdo '
nenie a aenteuca que houve versado sobre o pagamenj
do sello, e nada mais e o sello he cousa inuito dlttlncta
da peda dos incmoa ben legados perda que, senrto
nina pena, no pode ter lugar por mera vontade de par-
licularra; calm disto Pinto nao he a fazeoda, nem
agente scu.
= Chegaram pelo vapor S.-.VditWor, entrado do norte,
os excedentes qu'ijo dequalha muitn superiores e fres-
cae : quem o pretender comprar dirija-se a rua da
Crin do Recife, n. 33, armazem de Sa Aranjo.
= JSo Rio de-Janeiro carregou Jo Mendes de 1' rol-
las cinco quartola ferradas de arcos de ferro no pata-
cho Euterpc : roga-se a oueiii pertencarein dirija-se a rua
da Cruz do Recife. n. 33. armaiem de S Araujo, pera
pagar o frete e mala despezas.
r= Um moco, habilitado em partidas dobradas e singe
las, oHerccc-se para tomar onta da escripia de qual-
quer casa de negocio : quem do inesmo precisar procu-
re na rua da Unio da Bua-Vista, n. I, que achara cora
quem tratar.
q Quem de urna maneira a maii simples e fcil a
comprehenso tem conseguido ensinar traduiir, fallar
e eicrevcr correctamente o francez e inglez, ensinando
igualmente grammatlca portugurza e geographia, "e"
rece scu presumo a quem o procurar na praca da Boa-
Visla, botica do Sr. Ignacio de Couto, ou na do >r.
Moura.
= Precisa-se de um caixeiro de idade de 14 a 15 annos,
que entenila de venda e que d liador a ua conduela:
cin Fra-de-Porlas, primeira venda, n. 147.__
= lloje, 8 do corrente, he a arrematadlo por venda
da paite de um sitio, com boa casa de vivenda, na es-
trada do Afflictos, a qual eacha avadada em em re
800/000 : he pela primeira vara, depois da audiencia.
= Permuta-se um terco de um sobrado de um andar,
aito no balrro da Santo-Antonio, que rende annualmen-
te o terco 90^000, por urna cscrava b6a cnzlnheira e cn-
gommadeira,vollando-se oque f3r rasoavel : a quem
couvier annuncie.
= Prccisa-se de um caixeiro que tenha alguma prali-
ca de padarla e retinacao, e que d fiador ua conduc-
ta : na praca da lloa-Vista, n. 7.
= Aluga-sc o primeiro andar do sobrado n DO da rua
Nova, com bastantes conunodos : a tratar na niesma
rua, n. 63.
o Precisa-se de urna senhora que tenha bon coitu-
mc e que saiba cozer, bordar e locar piano, preferin-
do-ic a que souber grammalica portugueza e franceza,
para ensinar duas meninas fiira desta praca: a pessna
que a isso se dedicar, annuncie sua morada, ou dirja-
se ao Aterro-da-Boa-Visla, n. 44, onde achara coin quem
tratar.
a Francisco Jos Dutra relira-se para fra do impe-
rio : quem com elle liver negocio appareca na rua da
Praia, breco do Carioca.
= Vicente Thomaz doSanto auscnta-se.deste impe-
rio por algum lempo, e deixa todos os seus negocios in-
cumbidos ao seu particular amigo Francisco Joo de
Marro*.
. = Francisco Jos Tcixeira llastos retirou-sc para a
lu upa. licaudo em ludo por seu bastante procurador
Francisco Joo de barros.
r= Vicente Tiloma/, dos Santos, rctirando-se desta pro-
vincia por algum lempo, nao pode d-iar de agradecer
as allences e obsequios recebido de militas pessoas e
amigos, pedindo a entes o desculpem de no ser pessoal
mi sua desprdida, como desejava, mas que seus muitos
afazores Ihc nao permlttiram.
fca Manoel l.abral de Medeiros, lubdito portugei, reli-
ra-se para fon do imperio.
= Relira-se para frica Jos Gonc.alves da Silva Soa-
res, subdito porluguei.
= Francisco Goncalves da Silva, tendo de ii a Lisboa
na barca Tej, prxima a sabir, e nao podendo, pelo cur
lo espaco de lempo que tem, e mesnio por nao estar in-
da bem restabrletido da doenca que soffreu, despedir-
se de lodosos seus amigos, c das possoas aqiiem dove
atlencrie, o faz por este meio, rog"udo-lbe o descul-
pem delta involuntaria omissao, e ofirreccndo-lhcsseu
diminuto prestiino naquella cidade.
--Antonio Serafim dos Santos roiira-so para forado
imperio com sua inulher.
J. P. Adour & C. iuzem sciente
que mudarsm sen escriplorio para a rua
da Cadeia do Hecife, n. 52.
Maria Isabel e seus filhos menores rcliram-se
para l.isbOa
Domingos de Oliveira Piulo rctira-se para fra
do imperio,
-Julo Diinnelly, leudo de fnzei urna vingem aos
Rilado Unidos, deixa sua luja n mais negocios en-
caircgaiios ao seu lilim al sua yolla.
~ Antonio Jos* llihoiro (traga Portiiguez, reti-
ra-se para fia ilo impciio.
Manoel l'erromi dos Santos, com pallarla un
A!erro-da-Uoa-Visla rclia-so para a cidade do
l'oilu.
-- Jos de Medeiros Tavares roga a quem se julgar
sen credor de apio.senl.ir sua coma, uestes oito das,
para ser paga.
Agencia de passaporles.
fo paleo da malriz de Santo-Amonio, sobrado n. 4,
lirain-se passaporles para dentro e fura do imperio, as-
Mn. como dcspachani-se escravos.
Avisa-ar a qualqucr prssoa que esliver em nego-
cio com o eugonho Araguari na ribeira do tina, que 1).
Auna Joaquina de Jess, viuva do fallecido Vicente Je-
riinj um do Caivalho do engenho Mangibura. lm nina
parle de (3:000,000 ) tre couios de ris em dita proprie
dado* por isso se l\v. sciente ao publico.
Ollerece-sc nina ama para casa de homeiii solteiro,
ou de pouca familia : na rua do burgos, junio ao boceo
Vio Moronda, defroute do fundo do armazem doSr. Fran-
cisco Alves da Con lia.
ss Tiram se passaporles, folhas corrida e drspacham-
se eacravo, com toda a promptidao e presteza : no pa-
leo do Collcgioua loja dc.lo.io da Costallourado se dir
quem lira.
= Na rua da Cruz, n. 21, precisa-se de um eacravo pa-
ra o servico de casa.
Cerlo.Ilho que, indo com oiltro loja da rua Nova
n, 42, dofrontc da Conceico, levou por engao, ou......
una poca de lencos de seda com qualro ou cinco, quei-
ra mandar entregar iiiimediatamenlc na dita loja, pois
que se sabe que elle mora na boa-Vista < tambem se
Ihc conhecc o nome, o qual se no declara por oa.
Dcsappareceu da praca do Coinmereio um cavado
rodado claro com una carga de assucar brauco e um
couro cobriudo a inesma carga: roga-se, porlanto
pes&oa que o ti ver achado, quelia-o levar na rua do Li-
vramento, n. 20, ou no ngenho Dous-Bracosde-Ciina,
ao Sr. F.stevo Rodrigues da Silva, que recompensar e
pagar as despezas.
Precisa-sede um feitoi para um sitio perto da
prac i : na rua de S.-Amaro, n. 8.
Descontam-se toldos dos Srs. olliciaes da lercei
ra e quinta classes : em a venda confronte a cadeia
so dia quem Taz este negocio.
Troca-so urna imagem de pedra de S. Domin-
gos e um oratorio com as suas imagens : na rua
Vi llia, u. 78. Na mesma casa vende-se urna carlcira.
Antonio Ferreira l.ima vai a F2uropa e leva em
sua ciiin| ;inina sua mullid', I). Antonia Maria de
Jess, 8 lilhos menores una criada parda, Rita
Mana das .Morros son pioi, Jos Fernandos dos
Sanios esvu mano, Joaquim Ferreira l.ima.
--Olllm.Sr.Jtr. Alvato Itarbalho Ucha Qival-
nionle drclarand.i haver obrigaco de paga o sello de | cante queira ter a lioiulade do procurar urna Carta
mjj.ieg-ado que hara comprado, nao tem dito Pinto I na rua Nova, n. 6.
I
Precisa-se de um menino de 19 a 1* annos, pa-
ra caixeiro de venda o qual d fiador a sua conduc-
ta : no Aterro-da-Boa-Vista venda n 20.
--Precisa-so de urna ama seera que eugomme ,
cozinhe'e Cica as compras do urna casa de pouca fa-
milia : na rua Direita, sobrado de varanda de pao,
n. 45.
--Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponco de l.e.1o
embarca para fra da provincia o seu eseravo Mar-
linlio.
OSr. Henrique Ellsiario da Silva tem urna car-
ta, viuda da Babia na rua do Trapiche, n. 1*.
Precisa-se de um homem hbil para adminis-
trador de um engenho distante desta praca 3 leguas,
e que tem boa fabrica : na loja da esquina quo volts
da ponte para a rua do Collegio, n. 5.
Para as pessoas que i rucio-
liara seguir viajera.
Na rua do Bangel, n. 9, conlinuam-sea tirar pas-
saporles paA dentro e fra do imperio despanham-
seescravos e correm-se folhas: ludo com brevida-
de e proco muito coaimodo como so tem dado exu-
berante pro va no decurso do 8 annos
- Precisa-se alugar urna preta ou parda captiva, para
fazer algum servico de casa de pouca familia : a fallar
com I. Dubois quedir queuiquer.
= FirminoJ. F. da Rota, com escripterio na rua do
Trapiche, n. 44, acaba de receber pelo hiate /'ortuiia
novo sortimenlo do algndo trancado da fabrica de lo-
dos-os-Santos da Baha, de qualidade larga a 320 rs. c
do eslreito a 300 rs : tainbem leni de qualidade mais
Inferior por precn cnuunodo.
Terca-feirii, 8 do corrente be o arrematlC.lo da
escrava Isabel que se acha no deposito geral cu-
jas prac.as leem sido interrompidas por cnican do
ejecutado.
Aviso.
Itoga-se ao lllm. Sr. tliesoureiro que niio pague
0 premie que a sorte-der ao n eio bilbete n. 1,093 da
ultima terca parle da decima oilava lotera a bene-
ficio do thealtro publico, o qual, por haver-sc ex-
traviado preyme-se que est firmado no verso com
os nomes Jos l.niz da Costa pertonee a JoHo Bap-
tisla da Costa.
_ Precisa-seda um rapaz para csixeirodo loja de
miudezas: no Atciro-da-ltoa-Vista, n. 84.
Agencia de passaporles.
Na rua do Collegio, n. 10, e no Alerro-da-Boa-
Vista lojas ns. 48 e 7, continuam-sc a tirar pasa-
portes, lano para donlro como para lora do imperio,
assim como despacham-se escravos: ludo com hro-
vidade
Arrendarse um engenho meente e corrente, com
fabrica preferc-.se o que fr d'agoa al ."> legoas
listante desla praca e sendo mais louge, si) com
embarque porto o tamhem se comprar a safra quo
houver; na ron do Collegio, n. 18. tereeiro andar
Jos Tranciscodo llego Itangel leni de ir aos ser-
les da provincia do Ceara a tratar de algunas co-
branzas : por isso se offerece a quem do seu presu-
mo se quizer iililisar para lal inisler podendo pro-
cura-lo na rua Nova n. 52, primeiro andar.
I/Olera do teatro publico.
O eslado da venda dos bilhelos desta lotera, pouco
ailianl ula depuis do ultimo annuiicio, nao habililnii o
tliosiiiiioiiiipiiin-alis.il-, como desejava, no dia 27 do
prximo lindo inez o andamento das respectivas rodas ;
porcui, esporancado de que desla vez mnitoi desojaran
on i ra em um jogo de liniii agouro pela proxiinidade
da ortos de Sau-Joao, lenta novamente designar o dia
19 do crreme para o dito andamento das rodas, quasl
convencido da Infallibilidadc desae lia. Se, pon'm, an-
tes dislo a venda se ultimar, enlaoser anticipado o an-
damento referido coin vaniagemdos que arriscaram.
Precisa-se de um refinador do assucar, ferro ou
captivo : no Atcrro-da-Biia-Vista n. 41.
lantisslma, e restando um pequeo numero o excel-
ente livrinho o JvV mes di Marn, impresso de pro|
ito para ser vendido pelo diminuto precodelnil r fin de rhesai seu u'o a todas at classes, convidase a
-- Cnmprin-se as Ordena cito-I dn reino em meio
uso: na rujdi) (Jueim iili n. 7, primeir.i andar.
Cninprn-se, no Chura-Menino, n. 3, una halan-
fa'de pao litio pequea em Imili Osl ido e C0II1 lo-
dos os pesos de dual arrobas para l> >ixo ; un taix-i
grande, ou do tamanbn niodiaqti; latas granos que
siivam para guardar aisucar,estando luduem bom
oslado e sen lo por preco commodo.
-- ConipiMin.-se i palmos de omino grosso que
tenliam do 12a 16 oiluvas: na la da Madre-.le-D-os,
n. 16.
Compram-se, vo-idom-so e lomam-se deeom-
missoes escravos pina o que se ol' lven toda SO-
guranca : n Illa das l.niaiigeir.is u. II, SO^undn
andar.
Compra-s um diccionario do pronuncia inglezA,
por Walker: no Alorro-da-Boa-Visla, n. 31, mi an-
nuncie,
Conipra-se um mnlatinlio de 12 a 16 anuos ,
sem vicios nem achaques: paga-se bem: na ruada
Cadeia-Velha, botica n. SI.
^'a rua Augusta, n 2, segundo andar, compra
se um eseravo de nacQo de 20 a 21 annos, que te-
nha cilicio do pedrei.io ou carpinloiro sendo de boa
conducta e sadio : paga-se bem, ou trocase por urna
p rola do nacan anda mocil com una cria de S
annos.
e a-
:ai-
33 ya>3.a5ai>.
F.tlando prximo o mea de malo, dedicado a Mana
Sanlliabna, e restando um pequeo numero e e
leu
sil
afim de obega. ..
qiiein inda nao compioii para fuer, ante que se acabe.
na Certeza que sao os ramos adoptados pelos reyeren-
dissimos padres de M. Senhora da Ponha. desta cidade.
Dlrijiin-se praca da Independencia, MineroaS e.
Na rua da Criti. armaiem de Si Araujo, n. 38, ha su-
perior farinlia de mandioca em sacra para vender.
Vendem-se qualro escravos marinheiro, bonitas
figuras, e bem adii a tratar coin Manoel Ignacio ite
Oliveira, na praca do' Cnmmercio, n. (5.
= Vende-se una escrava de 14 annos, com principios
de habilidades urna dita de 1(> annos, muitn boa en-
gninmadch-a e cosiureira : 2 ditas de bonitas figurase
quitandeiras ; 3 moloques, de 17 a 20 annos ; um prelo,
de boa figura, para iodo servico : no pateo da matriz de
Santo-Anlonto, sobrado n. 4, se dir quem vende.
Ven sias : no armazeni de Antonio Anuos, no
oes ta AHtnilcga.
-- Vendein-so dou eseravo moco, de lionitis figu-
ras, eproprios para qualquer servio o: na rila dilCa-
deia-Volli.i, n. 33.
SALSA PaBRII.UA DESANOS.
t) abaivo assignado, nico agente do llr. Sands, fu pu-
blico quo he chegndo novo provinionto deste vulnera-
rlo e inaravilliosn remedio, o qual lio parn rrnnirrr e eii-
NT radicalmente todat at interinidades i/ueprocedan da im-
pureza do operando coiulaniemonio curas quasi impossiveit de
molestias quo procedein da impureza do s.ingue. A in-
feliz, victima do moleslias hereditarias, como glndulas
cubadas, ervos encolliidos. e os ossos meio arruinado,
licou rosiaboleeida coin inda sin saude e lorfas. O do-
enic escrofuloso, coberto do obagat, causando unjo .-i
si mi-sino o a quem o servia, licou perfeito. Centena-
res do pessoas que tinliam snllrido ( por auno, a ponto
de desesperare da sua sorte ) molestias cutneas, gln-
dulas, i ohoiim Mismo cha nico, e inultas oubas enfer-
midade procedentes do desarr.nijo dos orgiios de c-
crecao e da circulacao, trem-sc erguido quasi que mi-
lagrosamente do leilo da morle, o boje com ronstitui-
coe regeneradas com prazer attestam a rlficaeia desla
inesliiuivel propaiaciio. Com quanlo icnham appare-
cido grandes curas ale aqui produzidas pelo uso desla
estlmavel medicina, com ludo a experiencia diaria a-
presenta resultados mais notavoiie que bem demottram
aprsente declararo do llr. lien: Johnstun, ablusado
medico do llin-do Janeiro.
" Rio-de-Janeiro, 27 de dalo de 1848.
" Sr. Fiedcrira Southicorlh.
Aprsenle (em por flm certificar que a preparacao
de salta parrillas da a < li. Sands he urna das melnorea
queexistein. .\ao smente lie limito proveitosa paraapu-
rilicacSo dosanguc e para rorlilioar o estouiogo, mas
tambem em milita* das enferinidades a que esla ub-
jeita a hiinianidade. Diiranlo a iniulia clnica tenhn
Constantemente recommendado este remedio, e vi o
proveito que doliese tira. Aconselho, portanlo, a todas
aspesoas que soiTrein por causa da Impureza do ali-
gue, molestia de ervos nu da pede, de fuercm uso el-
le. Como prova da uiinha convica.i direl que comproi
seis garrafas para o mea proprio uso durante a miiiha
viagem aos Kstados-I'nidos.
"Gen: Johnston,
" Medico.
" lleeoiihecoverdadeiro osignal suprn. Rio. 27 de maio
do 1848. Km testeiiiuuho da verdade.-Jo oi/im Joi.de
Castro.,.
nlco doposilo e agencia ucsta cidade he na rua ua
Cadeia, botica n.til, deVJ.de l'.iito.
--Vende-so urna venda na praca da Boa-VisU, coin
os fundos de 400,000 rs. i a iratar no Merro-da-Boa-
VlsU, n. 81.
Feijilo.
Vendem-so saccas coin foijAo niulatinho novo ,
proprio para sement : no caes da Alfandega ar-
mazn) n. 1, 0 primeiro indo da ponte.
Vende-so una mesa propria psra aliaisle, coin
duas gavclas, um lileiro de amarcllo 8 CsiXIjhos
dn vidrac : tambem de amartillo e envernizsdos :
Indo por preco commodo : na ru-i da Coi1CCl(RO da
Boa-Vista, n. 1.
A bordo do briguc Espirito-Santo, fundeado ap p
da rampa, vende-se bom sebo em rama e a preco em
en lili.
Vendem-se, por seu dono se retirar para fura da
provincia, dous jogo do mesa de Jacaranda, duas ditas
de meio de sala, um lear de bordar, marqueta, jogos
de bancas, diversas fcrraincnlas e mais diversos trastes :
na rua das Cruzrs, n. IG.
No armazem da Alfandega, n. 20, vendem-se gigos com
batatas a 2,000 rs saccas com milho a
3,f)Oois. cevada tle Lisboa a l,7oo rs.
s ceas com feijao branCO de hsboa "
mendoas, farinln de trigo galleg em
ricas e meias ditas, .superiores queijos d-
prato por menor pceo do que cm oulia
qualquer parte, e otilros muitos gneros
de estima : ludo muito em conla.
-- Na olaria da rua da Gloria, contigua ao hospi-
tal militar vendem-se i canoas, por inuilo com-
modo preco sendo que a maior pega de 000 a 1,000
lijlos grossos o sobre ser muito forte e bem cons-
truida esl com o fundo novo de bom amarello;
tamborn se pode tratar no Chora-Menino, n. 3.
Ka rua Nova, loja d rerragons do foat|iilni da
Costa iMv*, rerobcu-se novamentn um sortimonto
de ricos ppsrellios psraeha, sendo bules, caletoi-
raa assiicsreirs, montelgueirss, leitenas, ligellss,
jarrse badas ludo de me'sl brsnt e o-maisfi-
no que lem viudo ao mercado
.. Na esquina da ruada laulfia para o neo de S.-
\ntonio achar-se-hs hoja de mantilla um cavallo
rodulo muito novo o bom Cello, com alguns anda-
res 0 e'xcellente gallopydor para vendor-se por
preco commodo .....
.- Vende-se lolha de I'landres de superior quali-
dade por ireco muito commodo, lauto em caixa
como a retalho : na praca do Commercio, n. 2.
Fregiiczii.
Vende-se vinhn da Figueira do superior qualida-
de a 180 rs. a garrafa ; arroz do vapor do Mara-
nhilo a 2200 rs. a arroba, e a 70 rs. a libra ; ha-
ralhao bom, de meia amiba para cima, a 2,500 rs. ,
cu sois a libra; cha superior, n 2,500, 2.210 t>
1,280 is. ; cha do S.-I'aulo a 2,000 rs. ; papel al-
maco a/u I a 2,400 rs. a resma ; e todos os mus g-
neros por preco fommodo ; no paleo do Terco, venda
n. 7.
Veudem-se coln lores de algodao,
bastante giau.ies, a duas palaeas ; e pe-
ras de lircttili/i de rolo, com lo varas, a
seis patacas: ni rua do Crespo, loja da.
esquina que volta para a Cadeia.
Vende-se una carroca de boi em bom estado : a
tratar na rua do Rozarlo da Hoa-\ isla, n. 27.
Veudem-se ou pe-inutam-se por outros que nao
seiam na comarca do llio-Formoso os engolillo Carra-
patoc Marlanna, com safras, um na freguezia do Rlo-
r'oi inoso e outro na freguezia de Scrinhncm: ambos
bons de agoa e de terreno, perlas do porto de embar-
que : tainuciii se pcrinutain por proprledade nrslapra-
ea. Quem couvier,dirija se a rua do Crespo, n. 9, que;
l achara com quem e deve tratar.
'-'



A
Vende-se,en

CHA' BRASILEIRO.
de
Iderno, por menos de seus valores : na ra das Cru-
rlc .en !rm"zem de molhados atrs do re*, n. 31, loja de marceneiro defronle da lypogra-
Corpo-Santo, n. 66, o miis excellente ch produzi- phia. yp 8
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado
por prego muito commodo.
Agencia da hindieao
Low-Moor, rua da IlOYH II / *
H i ii ,. |hy*sonncornaldS.-PaUlo;farnha
Reste estabelecinieiito continua a ha-em saccas, por precocommodo na
ver um completo sortimento de moendaa
e meias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
~ Esl venda um novo compendio de grsmma-
Farnha de trigo SSSF
de superior qualidade e nova ; dita americana, em
meias barricas; dita gallega, em meias barricas ;
cal virgem de Lisboa; vinho do Porto em pipas e
| harria de quarto e oitavo superior e mais inferior ;
tachaduras para porta de armazem ; superior cha
de mandioca ,
rua do Viga-
armazemn. ti, de Francisco Alves da Cunlia.
rio
5oo
i compendio ue gramma
tica porlugueza, obra Teja para os alumnos de ins-
truccfio primaria, no quai conten as precisas regras
da grammatica de urna maneira a mais clara possivei
a comphrehensao dos meninos: no pateo do Collegio,
loja do Sr Honrado ; na praga da Independencia ,
Imanaos. 6e 8; no Itecife, loja do Sr. Cardozo
Avres.
A :><><> res.
Vendem-se superiores penles para marrafa, de lar-
taruga : na rua larga do Rozario, n. 2*.
Vinho barato.
Acha-soestabelccido na rua da Madre-de-Deos ,
n. .16, um armazem de .
Vnhos da Figueira
de oplima qualiiladea prego de 1,:i60is. a, Cana-
d e a 180 rs. a garrafa e para nilo haver dolo do
comprador serfio lacradas as garrafas c com rotu-
lo, recebendo-se a garrafa vasia e dando-se imme-
diamente a outrn cheia : tenjbem ha barris muito
Vendem-se duas prelas, sendo una crioula, de
10 annos que cose, engomma, cozinha faz Uva-,
rintfle marca tudo co.n pertoigfio ; e a nutra de na-' pequeos, proprios para quem passa a tosta. O pro-
CM, boa quitandeira, e que engomma liso, lava de! fretario deste eslabelecimento pede encarceida-
sabao e cozinha o diario da una casa: na ruada mente que se nloilludam avallando pelo diminuto
Cruz no Recite, n. 49.
-- Vende-s urna balanga grande com correnlcs
je ferro, braco e 10 arroba de pesos i na travessa
da Madre-de-Heiis n. 9.
Vendc-se, ou permuta-se
por outro engenho prximo desla cidade ou por
predios neslacidade, o engenho Piabas-du-Baixo ,
silo na freguezia da ribeira de Una, muito bom
dagoa.depassadioe de Ierras para plantagoes, com
Doas obras, malta virgem e bastantes fruleiras:
na rua do Livrameoto, n. 29.
AIMDO TRAPICHE,. 44,
eseriptorio de Firntino
I.F.da Roza,
deposito da fabrica de Todo-os-Santos
na Babia.
Alli vende-sealgod3otrancBdodaquella fabrica.aos
pregos.scguintcs : largo, a 320 rs. a vara; estrello
menos urna pollegaila, a 300 rs. ; mais ordinario, a
370 rs.
-- Vende-se o engenho Novo do Cabo para paga-
mento da hypolheca que nelle tem o Sr. Joilo Vieira
da Cunha : quem o pretender dirjase ao mesmo en-
genho a trata, com Francisco Jos da Costa.
Vendem se presuntos inglezes para Hambre;
latas com bolacbinhas de Lisboa ditas de araruta ;
prego e sem conhccimcntn de causa a qualidadede
sua fazenda digna por certo da eslima dos verda-
deros amantes da bou pinga ; elle conta que quem
urna vez provar continuar com gosto o sem arre-
pentimiento. F. o bom proco.'! A lodo o exposto
accresce o asseio e bom acondicionamento. o que lu-
do se peder verificar em dito eslabelecimento.
Vendem-se apparelbos de metal fino para cha,
modelos muito modernos; cadeados de leltras,
grandes e pequeas ; sellins inglezes, para monta-
ra de senhora ; ditos elsticos de patente, gran-
dcs e pequeo, para montariade homem ; caheca-
das finas com peiloral e sem elle ; bezerros inglezes,
grandes, para cobnr carros : tudo receiileinenle che-
gado : em casa de Geo : Kenworthy & Companhia
na ruada Cruz, n. 2.
Na rua do Trapiche, n. 44, primeiro andar, ven-
d-se fumo em folba para charutos, tanto para ca-
pas como para milo, da melhor qualidade que
produz a provincia da Babia, e receulcmenle che-
gado pelo hiale Fortuna.
A 5,400 rs.
Vendem-se chilas de cores muito fixas a 5,400
rs a pega e a 160 rs. a relalho proprias para escra-
vos ; lindas grossas imiiio fortes, urna quarta por
00 rs. : na la du Caes, loja n. 17.
Para liquidaran.
Na loja (la rua do Crespo, n. 5 A. ao pe do arco de
s.-.\ nioiiio vendem-sc manas de garifa com tecido
ditasdo marinelada de l,2e4libras ; ditas de sar-Mc soda, de muito lindos padrOes, a 1,000 rs.
dinhas ; ditas de hervilhas ; ditas de clmcolale de
Lisboa ; frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
le laranja ; harriscom azeitonas brancas de Klvas ;
garrafas com vinho moscatel de Selubal e da Ma-
deira ; queijos de prato, frescaes : tudo novo e
chegado ullimamente de Lisbi : na rua da Cruz ,
no Itecife, o. 46.
Ycndem-se sellins inglezes e canias
de ferro : na rua da Senzalla-nova, n. 4*.
o I ha de Fia nd res.
Vendem-se caixas com follia deFlandres: em
casa de i. I. Tasso Jnior : na rua do Amorim, n. 35.
Carnauba.
Vende-se, na rua da Cruz, n. 21, urna porfo de
cera de carnauba de superior qualidade, e por to-
do o pr 50.
IB
Quem os vir nflo deixaidecompiar.
Cortes de cassa-chita de lindos iaW5es e
cotes seguras, pelo baratissimo prego de
selu patacas: na ruado Queimado, qua-
tro-canlos, loja do sobrado amarelh), n. 29.
Vende-se cal virgem do l.isbOa de superior
(alidade em barris de 4 arrobas, chegada nesle
mez pelo brigue Maria-Jot: a Iralar na rua do
Brum armazem de Antonio Augusto da Fonseca ,
'i Di rua de Vigario, n. 19.
Vinho barato.
O propietario deste estabelecimenlo, desejando
conservar os seus freguezes cn*io lhe sendo possi-
vei pelo prego de 160 is. a garrafa visto ter o ge-
nero subido cerca de 20,000 rs. por pipa, em rasAo
de nao ter viudo ao mercado,fbem contra a sua von-
taaej v-se na dura precisao de augmentar o pre-
*'" p pelas rasrtt'.s apontadas, conla que seus fre-
guezes lhe faro Justina e se nao escandalisarflo
Madeira de piuho.
ra rua de Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um lerceiro8rmazer com madeira de piuho
da melhor qualidade que tem vindo a esle mercado,
e serrada de tollas as grossuras e comprime ntos :
ende-se pelo menorprego que he possivei.
Potassa.
Jeaembarcou ba poucos das tima por-
cao de barra pequeos, com muito aova
e superior potassa, e se acliam a venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se vendia, na rua da Cadeia-Velha,
armazem de Baltar&Uliveira, n. 12.
Cha baralo-
Vende-se muito bom cha, pelo prego de 500 rs. a
libra : na rua do Crespo, 11. 23.
Taixas para engenho.
Na fund<;5o de ferro da rua dollrum, acaba-se de
receber um completo sortimento de taixas de 4 a 8
oalmos de bocea as quaes acbam-se a venda por
prego commodo e com promplidflo embarcam-se,
cu carregam-se em carros sem despezas ao com-
prador.
. Vendem-se cadeiras e marque/as de oleo com
assonlo de palhinha, lavatorios, meias commodas,
mesas pequeas, tudo de amarello, e outros ob-
jectos, ludo de forte construcgSo e de gusto 1110-
prop las para meninas ; chilasde ramagens e de co-
res fixas. a 120 rs. o covado e em peca a 4,000 rs.;
lengos para grvala de bom selim de cores, a 1,600
is. luirnos pannos finos superiores prelo, verde,
azul e c6r de caf, de 3 a 4,000 rs. o covado ; chales
de chita de cores escuras e grandes, a 800 rs., ditos
pequeos, proprios para meninas a 500 rs.; cortes
de colleles de gorgurlo escuro, a 200 rs. ; uilos de
fustao, a 500 rs. ; merino preto e fino, a 2,500 rs. o
covado ; casimira pretil muito fina, a 2,500 rs.; dita
pela do lislras, a 5,000 rs.
Vendem-se, na rua da Cruz, n. 21,pedrasde mar-
more francezas para mesas redondas e consolos.
lgodo da Ierra.
Vende-se muito hom algodao da Ierra por prego
commodo : na ruado Crespo, n. 23.
.llilhu novo, a 5,500 rs. a sacca
No Passeio-Tulilico, n. 15, vende-se milho mullo
superior, a 3,500 rs. a sacca de alqueiru.
Vendem-se queijos de Minas a 600 rs. ; dilos
flamencos, a 1,200 i's. ; dilos milito frescaes a 1,760
rs. : na rua Uiieila, venda n. 18.
Veudem-se 5 bonitos molecoles de uagilo ; um
preto de 22 anuos, bom cozuiheiro ; um dito com
ollicio (ie sapaieuo ; um pardo bom Irabalhador de
enxada c que eulendc de iralar de sitio; um pre-
to Ue ineia dille ; una preta de 22 anuos, que cose,
engomma e cozinha ludo com perl'eicflo; urna di-
ta que engomma e cozinha, rom tuda a perfeiQo ;
urna dita de ineia idade; urna parda: na rua das
l.arangciras n. 14, segundo andar.
Vendc-se um pail de amaiello, que leva cen
alqueiresde farinha muilo peifeito ; urna canoa de
oonduzr agoa, em muito bom estado, e que leva
7,000 rs d'agoa : na la de S.-Francisco, no pa-
lacete al as 8 huas.
Arroz quebrado do Maranho,
a 1,200 ris por arroba.
Vende-se no armazem que fui do f.He-
rido Biaguez, ao pe do arco da Concei-
cao.
Nilo ha nada tflo barato.
Vendem-se corles de calcas de casimira els-
tica padrOes novos pelo barato prego de
5,000 rs. : na rua do Queimado, loja do So-
brado amarello n. 29.
~ Vendem-se machinas para fzer caf; bujes e
cafeteirasde metal ; um novo soitmenlo de panfi-
las, chaleiras c cassarolas de ferro Tonadas de lou-
CS; na rua Nova, leja de ferragens, u. 16, do Jos
Luiz Pereira.
Vende-se 1 farda, 1 barretina com chorno, i
banda pasta e canana para oflicial ou inforinr de
cavallaria : estes ohjetlos inda nao fram servidos,
ese venderlo baratos, a volitado do comprador:
na rua Nova, n. 16.
Vendem-se algumas libras do uvas moscateis:
na praQ da S -Cruz, padaria de urna s porta.
Na rua do Queimado, vindo do Rozario, segun-
da loja n. 18, vendem-se chai eos de sol, de soda ,
para liomem, a 5,000 rs.; dilos para senhora e meni-
nas, a 3,000 rs..; lenQOS prelos de seda para grvala,
a 500 rs ; ditos de Ifla floridos e com franja para hom-
ros de senhora a 500 rs. lencos de cambraia do
seda para graval',a 500 rs. ; nsralos francezes a
160, 200 o 210 rs. o covado ; alpaca de linho a 400
rs. o covado ; leoQns.lirancos alenos em toda para
mflo de senhora, a 280 rs. ; corles de colleles de vel-
ludo, a 3,000 rs.; ditos de fustSo muito fino a 2,400
rs. ; lindos cortes de casimira, a 7^000 rs. ; e outras
muitaa fazendas por preco commodo.
Vende-se urna linda escrava de 18 annos pro-
pria para mucama por ser recolhida, e saber coser,
engommar cozinhare fazer o mais arranjo de urna
casa : no pateo do Carmn, n. 24.
Vende-se um morada de casa nova, travejads,
com um grande telheiro no fundo o terreno para ou-
tra igual casa no fundo da mesma com porto de
embarque e desembarque propria para restilatjo,
mioiitro eslabelecimento em ponto grande : 114 rua
da l'raia-de-S.-Itita defronte da ribeira, n. 15 ; bem
como pas de filtrar agoa.
No armazem de rancho do Sr. Rufino, na fu
da Conceicfloda Boa-Vista, vende-se urna parda com
urna cria, muito sadia; que engomma, cozinha, co-
se, faz renda he boa lavadeira ; he muito humilde,
para o que d-se conhecimento nesta praca : vende-
se por barato pieco.
Vende-se> por muito commodo preco um si-
tio milito porto da praca, com casa de dedra e cal,
com commodos para familia arvoredos de fructo,
terreno com suficiencia de so plantar e ler-se 12
vnecas com urna olaria no mesmo sitio com bar-
ro para toda obra e proprio para quem quizer ler
alguns escravosempregados pelas muitas propor-
(,'oi's que offerece o sillo : na rua do Queimado, n.
7, primeiro andar.
Vende-se salitre refinado por menos preco do
quoem outra qualquer parle : na rua da Cadeia do
Recito, n. 56.
Vende-se um piano inelez, sem defeito, ptimo
para se aprender : na rua Nova, loja de trastes do Sr.
Pinto.
f. Can moni, fabricante docandieiros e doura-
dor, com loja na rua Nova n. 52, participa aos seus
freguezes que acaba de receber de Franca um bo-
nito sortimento de castices, turibules, navetas, cru-
cilixios e caldeirinhas de hrnnze dourade e do mui-
to lindos gustos os quaes sao recommendados para
igrejas por seren de modelos proprios e de muila
duraeo pela forlidSo eo bem trabalhado da obra ,
por prego muito commodo; e sendo que nSo se venda
al o fim do corrente mez de maio serio rometlidos
para o Rio-de-Janeiro para onde fram encom-
meudados.
Vende-sc a faien^a de gados no lugar do Ju, 6 le-
Koas ao puente da povoa;ao de Barra-dr-Natuba, com
2 easas de lelhas, cercado para jimia, curral com meia
Icgoa de Ierra em quadro, parle da quol he lavradia e
de muila prodcelo, por seren sorra, com lOOcabe-
cas de gado vaceum entre grandes e pequeos, mais de
outras cen de gado ovellium c cabruin, um casal de es-
oraros mocos, applieadus em vaquejar esses gados, no
que se lem portado com multo zelo cvergoulia, dando
multo boa conta de dita fazenda u seu srunnr, com agoi
permanente em grande acude : vende-tc tudo isto por
5.0110/000 rs. nioda, ou prrmuta-se por escravos ou
predios nesla pracn, 011 suas vUinhanjns : trata-sc com
sen pioprielario Joaquim Alves Camello de Araujo Pe-
ri'ii 1, 0111 teu rngrnlio M.ichados, termo de Iguarass,
u com seu correspondenle Francisco de Paula Pereira
ds Andrade, neita prara, na rua da Crin, 11. 50, primei-
ro andar.
Vende-se, no Chora-Menino n. 3, por preco
commodo urna escellenle carroca e dous carrinhos
de torro de mflo.
Vende-se um resto de gesso do melhor que ha,
por ter vindo da Italia : 1 a rua estrella do Rozario,
n. 8.
Vende-se superior vinho brauco da Madeira:
110 armazem do Bacelar no caes da Alfandega.
Alm dos baratos coi tes de vestidos de bar-
ras de 2,000 a 3,000 rs. moias de cores pa-
ra senhora a 1,800 rs. a duzia -ditas para
meninas a 1,2on rs. a duzia supensorios,
a 1,200 rs. a duzia bolOi-s do duraque, a
400 rs. ag'OSi, que se tem annunciadn, ha
modernos leiiQus do seda para -algibeitl e
hombros do senhora a 1,000 1,120, 1,280,
1,440, 1,600, 1.760; 1,900, 2,000, 2,210, 2,560
e 2,720 rs ; brelanna de linho muilo su-
perior e ile quatio palmos e meio de largura,
a 14,800 e 18,500 rs. a peca; um caixiVi/.i-
nho com ferros de fa/cr llores, por 90,000
rs. : no paleo do Carmo, n. 18, segundo
andar.
la
>a rua do Crespo, loj* n. Jl,
vendem-se corles de biim pardo de puro linho, a
1,000 rs. cada corlo ; riscaJos monstros com 5 pal-
mos do largura a 300 rs. o cova lo ; riscadinhos de
linho, a'400 rs. o covado ; brim trancado de crese
de linho puro a t,000 rs. a vara; cortes de cambraia
de cores pelo barato prego de 2,000 e 2,500 rs. ; di-
tos de cassa-chita com 7 varas cada corle, a 2,240
rs.; camhraias de cores, pelo barato prego de 280
rs. o covado ; c outias muitas fazendas por commo-
do prego.
Aviso a pobreza.
Na rua larga do Rozario padaria 11, 48, vende-sc
bolacha de farinha do milho, muilo saborosa e dej
bom paladar, pelo prego de 80 rs a libra.
-- Vendem-se amarras de Ierro e ancorotes : na
rua da Senzalla-Nova 11 42.
Vende so urna preta de 22 a 24 anuos de bonita
figura boa vendedeira de fazendas e de nutra qual-
quer cousa e que engomma liso, cozinha o diario
du urna casa o l'iz. minio boai qualquitr renda que
se llieoll'i lega : no paleo 1I0 Torco, n 20,_ primeiro
andar.
-- Vende-se una preta de 20 annos cozinheira o
vendedeira de rua ; um molequede 12 anuos : ven-
dem-se para liquidagilo, por isso dflo em conta : na
rua laiva do Hozarlo, loja n. 35.
Sellins inglezes e chicotea para carro.
Km casa de Adamsou llowie & Companhia na rua
do Trapiche, n. 42, existe um ptimo soi ti ment de
sellins inglezes para montara de homem e senhora ,
e um pequeo resto de chicles para carro, oque
tudo se vender por trego commodo.
Farinha de mandioca
doHo-dc-Janero, superior, em barricas e saccas,
vende-se por prego commodo : na rua Dircila, n. 17,
C na lUa da Madre-de-lieos, 11 31.
Vende-se urna canoa de carreira e urna bom-
ba de ferro, com todos os perlonces: na rua du Hos-
picio, 11. i.
a vendada estrella, na ribeira da Roa-Visla ,
conlinuam-se a vender excellentes velas de sebo,
fabricadas em Montevideo que nito fnzem differon- j
ga do espermacele tanto na eflr como na luz a 4(i0
rs. a libra; boa hanha de poico, a 36l> rs. a libra;
boa carne do Cear, a 120 rs.; toucinlio de Santos ,
a 180 rs. ; farinha de araruta a 180 rs.; mauteiga
se 111 sal chegada de llamburgo, propria paca duen-
tes, a 640 rs.; dita Ingleza muito boa 800 rg .
dita franceza ; feijio de todas as qualidades : ludo
por prego commodo.
Na loja da rua do Rozario, n. 20, de Ilenrique
Camilo Ferreir, vendem-se caixas com linha de
linho, proprias para bordar ; capachos de todos os
tamanhos compridose.redondos; um lindo prese-
pe ;e outras muilas miudezas por prego commodo.
Vende-se urna caixa, 011 burra de ferro batido
grandee da mais completa seguranga : na ruada'
Cadeia do Recito, n. 52, onde podo ser vista e exa-
minada.
--Vende-se urna cadeira do arruar: na ruadeS.-
Amaro, n. 8.
vende-se o engenho Bello-Prado, de extraordi-
naria producgflo sito na comarca do Rio-Formoso ,
por prego commodo : na rua do Sebo a fallar com
o funilelro Antonio Jos Dias.
Loteria do llio de-Janeiro.
\os 20:000^000 de ris.
Bilhetes da quarta loteria concedida para a in-
demnisagflodo Ihcsouro publico, pela prestado
com que auxilia Joflo Caetano dos Santos, cujas lis-
las devem chegar no primeiro vapor : vendem-se ha
rua da Cadeia do Recito (loja n. 51.
^0 DAiS^
*-r I a^^
^
fl/jl JY01C1 O dono doslo eslabelecimento pelo prsenlo an-
nuncio aVisa ao respeilavel publico que lem em-
pregado todo* os esforgos para montar o sen depo-
sito com as melhores qualidades de charutos que
se fabricem na provincia da Bahia para por esle
meio merecor as sympathias do publico, e por
achar-se este deposito prvido de um rico sortimen-
to las maisestimaveis qualidades de charutos que
pdem apparecer no morcado, por sso avisa aos
seus freguezes que o sortimento he o seguinte :
Saquarema;
llepulados; .
Venus;
Quem-fumar- saliera;
Cavalleiros de lallavan;
Beija-Flor.
Gyiagol.
Regala de diversas qualidades;
S.-Felix.
e outras mais qualidades que serlo patentes aos
freguezos.
Vende-se urna carrnga nova e pintsda, a me-
lhor obra que ha neste genero pela forte conslruc-
gflo das rodas : na 'rua da Florentina, n. 16.
Vcndcm-se riscados encorpados de lislras, a
sete vintn.-; o covado ; elidas encornadas, a seis vin-
lenso covado: tudo proprio para roupa de prelos:
chilas de 1 Toes do lions padrOes a Sete vintens o
covado : na rua do Crespo, loja da esquina que volta
para a cadeia.
Vendem-se dous alambiques de cobre um in-
glez o outro francej este levando a caldeira 45 ca-
lladas de liquido e o oulro levando 28 caadas ;
aclum-seem muito bum eslado e com pouco nao,
elevam o alcool de 38 a 40 graos da piimeira dealila-
i.'o o se acliam uioiiiados para os compradores
verem : vendem-se em consequencia de nao se con-
tinuar com a mesma destila can : no Atorro-da-Bua-
Vista n. 17, fabrica de licores.
Vende- se u o a parda de 25 annos, sem schaques
nem vicios e que cozinha, engomma, lava e faz o
mais servico de urna casa de familia rom urna filha
de um mez e tantos dias ou sem ella ; tembem
tem bom leite : no Aterro-da-Boa-Visla, fabrica de
1 cores, n. 17.
Vende-se, na rua eslreita do Rozario, n. 8, Retiro
espiritual; Feliz independenle ; o F.vangelho em
Inumpho ; os SerniOes de Fi. Bento da Ti indade ; as
obras completas do Bocago ; Moral ue l.arraga pelo
Pm mese ; dila pelo Monte ; Diccionario theolugicu
do abbade Aquile ; Diurnos tmanos.
Bom e baralo.
Na rua Dircita, taberna n. 23, vende-se feijio gril-
lo ha, a 320 is. a cuia ; milho em saccas a 4,000 rs ,
e a cu a a 160 rs. ; loucinho de Santos ; a 120 e 1(0
n. a libra; cha brasileo, a 1,920, 1,600 e 1,380 rs. a
libra ; e outros mullos gneros.
Vende-so urna escrava de 16 annos P propria
para mucama por ser recolhida e saber engom-
mar fazer lavurinto o coser ; urna dila pe ita en-
gommadeira ^cozinheira ; nina dita de nagao Cos-
to propria para vender na rua, ou trabalharde en-
xada ; urna Jila moga oplima para enxada ; urna
dila engommadeira e cozinheira ; um molecote do 18
anuos, de boa conduela ; um dito bom cozinheiro ;
um pardo bom carien o ; um mnlalinho de 13 anuos,
pioprio para pagem por ser muilo lindo : na rua
Nova, n. 5.
Escravos Fgidos
Paula, parda de 20 annos bem disposla de
bonita figura com uns pannos na pelle do peicoco
e tamben pelo peilos, cabellos cacheados, or
natural do pardo anda calgada ; tem visos le for-
ra ; lie natural de Cururipe, e la fui vendida a Cons-
tantino Comes du Carvalho de Porto Calvo, que a
vendou a Antonio Leal dd Barros, seu legilimose-
nhor; fugio a 18 da setembro du auno passado,
siiluzdi por um embarcadigo, de uome Cosme
luiarie Ribeiro que fui para o Aracaly em um bar-
co de Jos Manuel Marlins ; o dito Ribeiro he filho
da Parahiba ac'aboclado e inoil queim|do do sol :
quem a pegar leve-a ao Passo-de-Camaragibe, a An-
tonio le de Barros ou a esta praga, a Manuel
Ignaciti do Oliveira.
ConliiiH a estar fgido o pardo Jacob, de 18
anuos si eco do coi po, cabello estirado ; tem talla
de um dente na frente e um pequeo talho na magaa
do rosto; o mais vnivel sigua I lie a marca da um
caustico as costas; fugio a 21 de dezembro de 1147:
quem u pegar leve-o a rua Nuva, a Jos Luiz Pereira,
que gratificar.
Em 5 do correnlo maio, dcsappareceram la casi
de Jos da Cunha dous prelos da Cosa, bstanles
robustos um do nome francisco e o outro Roberto;
sujipi'icin-se ilesenranintuidos, o que se procura des-
cubrir : quiMi os pegar leve-os ao aunuuciinte, que
lecumpeusai.
FeRN. : NA TYP. DE M F. W FAMA1^9'
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJ62LYL0H_U8CCJP INGEST_TIME 2013-04-12T23:59:44Z PACKAGE AA00011611_06481
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES