Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06480


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"
' '
Anno XXV.
Segunda-fejra 5T

O /'/.4/f/(Jpublca-etodoosdiaique nao
forcm de guarda. O proco da asignatura he
de 4JOCO ra. norquartel, pagos adiantodos. O
annunclos dos assignantes sao inseridos
raso de 20 rs. por linlia, 40 rs. ein trpo dlf-
fcrente, e as repelleOes pela inetade. Oa nao
assignantes pagarn 80 rs. por linha e 160 ra.
em lypodiflereotc, por cada publicacao.
PIIASES DA LA NO MEZ DE MAIO.
I .na chela, a 7, s 4 hora e 47 min. da manir
Mingoaute, a 15, as 8lioras e 11 mio.da manir
Lu ">"va, a 22, s5horas e 17 mln.damann-
Creicenle,a28,s9horae 4 mln.da lard.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahiba, s segs. e sexias-feirss.
P.o-G.-do-Norte, qnintas-feiras aomcio-dia.
Cabo, Serlnhem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
MaeA, no 1. a 11 e 21 de cada mez.
Garanhuos e Bonito, a 8 e 23.
Iloa-V ista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s qulntat-fciraa.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, 2 horas e 54 minuto* da tard.
Segunda, s 3 horas e 18 minutos da manh.
deMaiodeI849.
N. 101
DAS DA SEMANA.
7 Segunda. S. Estanislao. Aud. doJ. dos or-
ph.,do J. docivel edo J. M. da2.v.
8 Terca. S.Heladio. Aub. do i. do civ. da 1.
v. e do J. de paz do 2.disi. de t.
9 Qmarta. S. Gregorio And. do J. do c. da 2.
v. e do J. de pai do i. dist. de t.
10 Quinta. S. Antonio. Aud. do J. dos orph.
e do J. M. da 1. v.
11 Sexta. S.Anastacio. Aud.do J.dociv. c do
J. depazdol.dist.det.
12 Sabbado. S. Joanna. Aud. do J. do civ. da
1. r. e do J. de pas do 2. dist. de t.
13 Domingo. Notsa Senhora de Maityres.
CAMBIOS NO DI A 5 DE MAIO.
Sobre Londres a 26 d. por 1/000 rs. a 60 dias.
. Paria 355 a 360.
Lisboa 100 por cento de premio.
> Rio-de-Janeiro ao par.
Desc. de Ir tt. de boas urinas a Va X ao mee.
Acedes da comp. de Beberibr, a 500 rs. ao p.
(Juro. Oncas hespaholas. 31/500 a 31/800
Mocdas do 6/400 v. 17/200 a 17/40"
de 6/400 n. 16/200 a 16/4
de4/000.... 9/200 a 9/100
JYaia-Patacoes brasllelros 2/000 a /020
o Pesos columnarios. 1/980 a 2/000
Ditos mexicano!..... l/%0 a
1/920
MAMBUC
PARTE OFFICIAl.
MINISTERIO DA FAZENDA.
^EXTRACTO DO EXPEDIENTE DO DA 11 DE ABRIL.
A' Ihesouraria do Rlo-de-Janeiro, respondendo ao
ouicio de 16de marco, a respeito da sisa de inetade de
una legenda que licou pertencendo a Manoel Jacintho
.Miares Vivas, em vii indo de un contracto da socledade
ell'ectuada com Manoel Francisco Bernardes, se declara
que ueste caso-hduve descaminho de sisa, tendo-se os
contrllenles sublrahido ao pagamento della, e deve-se
proceder s diligencias para indeinnltaco da fazenda
nacional. Os meios para easa ndemnisacno, na Talla de
pravas positiva* e claras *> preco de que se deve dedu-
ziratia. deve serdaquantia que o menino Vivas de-
clarar e fr razoavel, quando ainlgavelraebte sa preste
a fan'-lo ; e no caso de nao querer faz-lo, ou ser noto-
riamente lesiva a declaraco que fizer, ou de nrgar-se
nlirlgaco de pagar a tiza, seja ento demandaito pelos
meins e em juizo competente, propondo-se por pirco
regulador do pagamento da siza aquello por que fui ar-
rematada a melad* da faienda, pela inorte do oiMro
socio l'rrnardcs
Circular.-Conforme parecer da seceo de fazenda do
concedi de estado, resolvida a l7 de marco, se declara
rrvogada a circular do I.* de malo de )847, que s man-
dn attender s delarace de accrcscimos ou dlmlnul-
c oes nos inanifeslos quando justificados por frca maior,
continuando em vigor a pralica anterior nos termos dos
decretos de 22 de julh >, circular de 5 de agosto, eor-
ili-in 'lo 9 de setembro de 1842.
Dita.Declara-se que, tendo os parochos das pro-
vincias djreilo de seren pagos de suas respectivas con-
gruas pela renda geral desde 3 de novembrd do 1848,
data da publicacao da lei do orcameato vigente,
naquollas lliesourarias em que nada se liver anula des-
pendido rom as ditas congruas deve romecar o anpee-
tivo pagameuto a contar do i.'de Janeiro do crreme
aano, ndemnisando-*e os cofre* provinclae* do que
esle lionverem despendido com as congruas dos paro-
chos desde a publicacao da lei supraeilada at o fin de
ile/.embro do anno prximo passado.
DA 12.
Ao inspector da alfandega, em oluco ao que repre-
.vi ;_____ .. ... a"""
Sr presidcnlo da provincia, e reinettida ao Exm. Sr. emigrados rpassagriros que assistiram ao ataquedodia
marcchal de campofgraduado, commandante das armas, 2. Lanca elle o* mais torpes vituperios ao F.xm. Sr. Tos-
em ofticlo de 2 do corrente, no processo verbal feito ao ta, cuja vida acha tan ennegrecida de actos violentos c
soldado do oitavo balalho de lacadores Antonio Joa- injustos, que nao o escoimam da responsabilidadc do
quim Segundo. | assassinalo ; falla em desacatos commetlidos contra o
Reformam a sentenca do concelho de guerra, e cadver de um collega de S. Ex. ; allinna que o chefe
condemnain o roo ms penas do art prlmelro da *c- de polica para examinar o corpo movia'-o com o
guma descrean simples da ordenanca de 9 de abril de poique ao passar pelas casas dos amigos gritava : lio
1805; visto nao existirem circumsianclas que aggra-:elle mesmo, morreu o malvado, o salteador utios ;e
vem a desereao, segundo se v da parte a folhas 10, e quo assim fol o corpo conduzido at palacio c depois
depoimentos das tcstemunhas.--Rlo, 28 |de marco de mandado expor na igreja de S.-Francisco, onde un frade
1849Conde do Rio-Pardo tforira.-- Karrila.Snga. de nome Capistrano; prostituindo o carcter sacerdotal,
.. I______ --__ kalaa raan nrllll t i < *! t ( -I il i V o
ftlascarenhae.BriU:
o cobrlo de horrlveis improperios ; qur
cram fuzilados
Jos Pedro tiritar, ajudaute de ordena interino.
>" r^^r.^^^-ii^^^^"^- v.^^r^,^- ^oU^.V^. O.e^" O st^o
& C pelos dlreilos de reexportaco de vetas para Bue-
nos-Arres, desembarcadas de Montevideo, se declara que
a letra deve ser annullada na todo, se ellos mostraram.
na (orinado art. 840. 1." e art. 241, que'aicaixa* de
velas fram dcscarrrgda em Montevideo ; nao obstan-
te a dautrina do 4.'do arl. 240, que s he applicavel
no cato em que a mercadura nao liver desembarcado em
porto estrangeiro. As palavras destina qualquer
de que se serve o art. 240 deuotam claramente que se
precisa, para que semelhantct letras srjam annullada,
que as m creador as reexportadas desembarque ni nq
porto para que foram despai hadas.
NINISTKRIO DA MAR. MI A.'
EXTRACTO DO EXCEDIENTE DO1 DA l2 DE MARCO
Ao ministerio da guerra, communican lo haver-se do-
lo inliudo que os praticantes dos navios morcante* se-
jam Isentos do leciuiaineiiio de mar e trra, euiquanto
estlverem eQoctvainenle empregados nesse servico, o
que devero ompruvar com documento passado pelas
capitanas dos portos, c subjeitos ao competen tevisto-
de tres em tres mezes Fez-se igual communicacu ao
ijii irtol-goneral da inariiilia.
lommando das armas.
(luarlel-ftneral do eomaiando da armas de Pernamdiico,
4 de maio de 1849.
ORDEM DO DA.
O F.xm. Sr. marrona! de campo graduado, comman-
dante dos armas da provincia, manda fater publico
a gnamicao, que por ofncio do Exm. Sr. presidente
da provincia, de J do corrente mez, Ihe fol participa-
do haver S. M. o Imperador, por decreto* de >2, com-
iniinicadosein aviso da secretarla de estado dos negocios
da guerra te 16, ludo de abril prximo lindo, se digna-
do conceder passagem para a primeira companhia do
ebrpo 6xo de caradores da provincia de l'lauhy ao Sr.
capillo do quinto batalho de fn/.ileiros Angelo (iaptUta
Mondes, e nomear para o lugar de capelo do texto ba-
t lilao de fuzileiros a fre. Francisco da Santitiiina'Trin-
dade.
Igualmente sendo, pela circular expedida pclamesma
secretarla de estado nos negocios da guerra de II. pe-
dida* Informcoes minuciosas sobre as habitacoes
de cada um dos cirurgiort militares existentes nesta
provincia, ordena o mesmo Exm. Sr.marcchal de cam-
!io graduado, commandante das armas, que os referido*
ir, i ruipioes remciiam quatito antes a este quarlel
general as ccrlidSrs ou copias de seus diplomas aca-
dmicos, alim de *c dar ctuapilinelo referida cir-
cular.
Huiro lim.o mesmo Exns. Sr. manda publicar o officlo
aii.iixo tiauscipto, que polo Exm. Sr. presidente da
provincia Ihe fol remetlido.
lllin. e Exm. .Sr.(.oiivinilo evitar os inconreni-
ontet que se srguem da apresrutaco de documentos
iriogularra e Informes de despezas fritas oow a suston-
lacaodn fOTfnde guarda* nacioriaes cm operarfles nesta
provincia, tenho resolvido determinar que d'ora em
di.into ae nao pague mal* documento algum de taes des-
p xatt devendo-te abonar a cada praca nina racao de
l.iriuha*carne pelo prreo da tabella, al'm dos venci-
ineiitos regulare dot preis, llcanJo u* respectivos com-
mandantes obrlgados a satisfazer com rsse accressiuro
taes documentos.
a O que cominunlco a V. Ec. para' que assiu o/aca
constar a (odot os couiinandimirs de fArfas, preveoio-
ilo-o de que nesta data tenho expedido as convenientes
ordens pagadura, para que asslm te observe.__Dos
guarde a V. Eic. Palacio do governo de Pernambuco,
"2 do maio de 1849. Manuel Vttira 7'cixln. Illm. e Exm.
Sr. mal eohal coiiiiuaudautc das armas da provincia
Finalmente faz constar, para ter a devida exoeucao, a
''uciica proferida pelo conccltao supremo militar de
.i;a, irantmlllida 'por aviso da secretaria de estado
Jos negocio* da guerra de 29 de marco ultimo ao Exui.
EXTERIOR.
humen, inermes na prrsenc* do presidente no largo do
palaoio ; que multaros de pessons existem as prises e
pni.nsdiis uavios de guerra, onde san maltratadas, cs-
bonlnadas'r morrem asph> liadas, sendo que os grave-
mente feridoa licaiu semcurativos, &c.
V. S., que ter naturalmente recebldo cartas de
SIIMMAR10 DEUMA NOTA DIRIGID* PELO MINI-TRO seus Miiigos, e mesmo de alguns presos, deve saber
DOS NEGOCIOS ESI RANGEIROS DE ROV1A A TODAS ue Cm'ludo Isso nao lia nem sombra de verdade. Em
ASPOTENCrA-, COM DATA UE 3 DE MARCO PROXI- occaalo opportuna inoslrarei em publico a falsdade
MO PASSADO. [ que ha em cada urna daq'uellas palavras nio he a V. S.
a. A. calumnia, que tren, sido e.palhada. contra a re- que pretendo convencer". poUque Mta lao bem inlorma-
voluco romana, obrigam a esle governo a ceulradit-. d
Ins. A nacun italiana, a qual linha concebido asmis
bem fundadas esperanzas de recuperar a sua liberdade
na lula que ltimamente travra contra a Austria, vio
frustradas suas expectaces pelo proprio homem que as
linha excitado; este homem, condemnaudo a guerra no
lia 29 de abril do anno prximo passado, lempo em que
ella eslava ein sen maior furor, suflocou no espirito do
povo a ideia de nacionalidad!1. Desde este momento cu-
mecou urna opposlcao silenciosa, porm terrirel e fatal;
os desastres da l.oinliai da, sendo em grande parle de-
vidos desereao do papa, geraram a convieco de que a
Inslituico do papado como soberana temporal era in-
compalivel com a liberdade. A insurrclcao de nnvom-
bro foi o resultado desta convieco o papa, cuja vida
nuuca fra ameacada, fugiu de liorna, e esta fgida fol
urna segunda desereao da causa que elle a principio
obracira;o poro,examinando anda com paciencia se um
principe constitucional poda abandonar asslm o scu es-
tado, conbrceu que a constituicao nao passava de urna
falsa mateara. Elle pcrgunlra quein tinha sido delxa-
ilo pelo soberano para governar durante a sua ausencia,
e smenle achou urna pequea carta na qual Pi IX re-
coinmendava ao* Romanos poupastein as vidas dos seus
domsticos. O poro foi ainda paciente ; urna junta go
era inconstitucional i a jaula recusou aceitar o poder,
e o povo ainda assim nao calilo em anarchia. A cmara
do* deputados protestou contra o acto que nomera a
junta govcrnadora.por nao estar asslgnado por neuhuiu
iniuisiro. Urna mcnsageiu foi enviada ao papa pelo con-
celho supremo e pelos magistrados ; mas esta mcnsa-
geiu foi repellida. O p*ovo fez um ultimo esforco.
O presidente da junta nomeada pelo papa, o cardeal
(Jaslracani, envin urna nova mensagem a Gaeta, porm
sem neiiliutu e'eilo. O pal* entao, vendo-te sem chefe,
nomeou nina jimia de estado para prevenir a anarchia ;
esta junta convocou urna asscmbla conslltuintc. a ni-
ca que podia supprir a falla de um poder supremo. O
papa que linha fgido, e que linha deixado egorerno
sem chefe,respondeu ko acto da couvocacao excommun-
gando a assembla conslituinle.
A assembla conslituinle fui inaugurada; 200,000
votos contribuiram para sua elcir.no. Depois de madu-
ramente cousiderar o* facto* precedente*, e o estadb do
paiz, a assembla declarou a queda do papa, e procla-
inou a repblica. Os calumniadores desta repblica nao
pdeni accuta-la de nenhum acto reprehensivel, qual-
(|iier que elle soja ; ella honra a Italia, e he digna da ci-
datle eterna. A Europa que a julgue.
Euiquanto o papa se motlrou amigo da indepen-
dencia italiana, povo romano etteve a leu lado ; po-
rm, quando elle deterlou desta causa, sua soberana
temporal foi repudiada, lie bem que a Europa tenha
um ineiii pelo qual possa calcular o destino com que a
lepuhlica romana csl.i ameacada ; destino (jucos ho-
inens que ailri^em encoutraro sem presumpeo nem
temor, com a dignidade do homons que se teem sacrifi
cado ao bem da teajp ein que nascerah, e que pdenlo
scinpre dizer Europa com orgulho e conlianc: Nos
temos feito pelo menos um acto glorioso. Nos det-
t luimos o dominio temporal dos papas.
INTERIOR.
RIO-DE-JANEIRO.
NEGOCIOS DE PERPTAMBUCO.
Nao se tendo oSr. Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello
dignado* rrsponder, nem por escrlpio nem verbalmen-
tc, urna carta que Ihe dirig cm dala de 13 do corren-
te, convidando o a discutir pela imprensa sobre a rc-
volla de Pernambuco, recorro ao expediente de dar pu-
bliciaMe essa carta, no Intuito de provocar a devida
resposta de S. *.
Rio, 20 de abril de Is49.
F. Raphael de Mello Reg.
Illm. Sr. Dr. Urbano Sabino Pcssoade Mello.Che-
gado ha poneos dias da provincia de Pcruambuco, onde
eslive em servico desde o dia da posso do Exm. Sr. Tos-
la, achel-mc como que maravilliado com perguntas
que me fizeram alguns amigos sobre factos relativos
rebelda, referidos pelo Comi Mercantil, quo eu Intel-
rameiilc iguorava, nao obsuaulr estar bem Inteirado
de lodos os acoiilecimentns : isso excilou em iiitu o de-
sojo de ler os* artigo* daquelie jornal, e de factp dcl-me
a esse trabadlo....Parece imposslvel que facto aconte-
cido* publicamente naqnolla provincia', vista de mi-
Ihart's de pessoas, possam ser attiin adultetadoi tem a
menor atienco e respeito rerdade '.) luxoda menti-
ra ( permita-ce a exprestau ) chega 'hi a um excesso
de que nao. ha cxemplo nos facas da impreusa (luuii-
nen.se !
Nao me he precito ir inulto longe para provar esta
assereo : lea V." S os Mercantil de honlem e lio je. Nao
pode l-los a sangue-frlo que Ai, como V. 5. e eu, co-
nliece. causa, marcha, e ltimamente o desfecbo da
rebelda pwleira. Ditein elles, rr exemplo, renovan-
do a miseravel calumnia do assassinato do desembarga-
dor Nunes atochado, que lito eslava framente prepa-
rado, que multo dinhero te havla gatto para se lim,
t que empregava-se todo* os meios, 4cO que ludo
tabe o sincero autor do* artiga* por confidencias de
Malignos e gratuitos inimigos de V. S. nao dnvidam
dar-lhe a paternidade de to escandalosas publlcaces;
cu, porm, apreciador da lealdodc de V. S conhecedor
do carcter franco e generoso que o distingue, e, mais
que ludo, do profundo amor que, consagra verdade,
recuso obstinadamente crer cm semelhantc aioivVisia.
Nao: aquellos artigos nao pcidem sabir da iumi.n lilaila
penna de V. S. : estas narraces falsas c calumniosas
em que os caracteres mais dislinclos, as rcpiuaces mais
minadas da nossa provincia saoabocanhados pf la ma-
neira mais revoltante c cynica, nao pdem ser follas por
homem algum, em cujo eoracao se abrigue qualquer
diminua parcella de honra e amor verdade. E ainda
quando nao existlssem es** rasos, por domis valio-
sas, nina nuil a ha de milito peso, que faz crer que
V. S. he inteiraiiiente rttraulio ,i publicacao desses ar-
tigos, ein os quaes Borges da Fonseca he considerado
como um cidadao lislim-t. respeitavel pela fldrlidade
(tome V. S. nota destafldelldadee note tambem que
Borges era membro do directorio ) com que sustenta os
principios que profeisa Ora, estando en bem lembrado
do que V. S. disse desse homem na sesaao de 14 de ju-
lho do anno passado, nao po*o, sem irrogar una inju-
ria ao carcter de V. S. suppr que o iereuii*io (o
termo nao he ineit'que pruvocoil a matanfa de 26 e 27
dejiinlin, possa pareeer-lhe distinto e respeitavel pela
li leliil.ule com que sustenta seus principios, quando pro-
curar anarct.isar (1 paiz.
Bem longe de' miin, pols, est o pensamenlo de s,o-
brecarregar a V. S. com a responsabilidadc do que se
tem escripto no Mcraantil, e multo menos nessas folhas
proueninae que frmam a cauda deste. Entretanto, for-
jlo he reconheccr que V. S. nao pode nem deve ficnr
estranho ao que se lia dito, qur na impreina, qur na
tribuna provincial; e fol neste presupposlo que resolv
drigtr-me aV. S. conviilando-o a una discussao fran-
ca c leal sobre a rebelda praieira, ema qual cada um
de nos assuinir na imprensa responsabilidadc Indi-
vidual, brillando os artigos com o nome por extenso.
No quero discutir cornos redactores do Mercantil, ou,
para melhor dizer, com o scriba dos artigos a que Me
redro : to ignorante se mostr elle dos aconleciinenlos
de Pernambuco, lo grosselras falsidados commetle.
que nao se loma merecedor de nina rrlutaco seria ;
aleta de que, duvidando elle de ludo que nao seja as
liiformacoet o cnnlidenci is de certos emigrados, nunca,
se contestar vencido. Si lio Mercantil de hoje suppoe
apoorypha a ordem do dia dada polo directorio, relativa
ao ataque da cidade. En, porm, airino V. S que vi
o aulographo, nao s dessa ordem do dia como de inul-
tas oulras, escripias pelo puuho do bacharel Abren e
Lima, secretario militar do Sr. Pexolo de Billo. J
tambem inulto* outros documentos importantes que
II com multa atlencao, c de que farei uso quando mor
de discutir com V. S. ; documentos adiados em Memos
(nao fol no Brojode-Arela) onda haviam os rebeldes del-
xdo loda a sua correspondencia em utn pequeo ba!:u
eftlcrrado na cavalarica : ludo liso vi o examinii, e he
necessario dizer alguina cousa a respeito.
V. S. e eu, como Pernambucanos ainnlea da nossa
provincia, temos necessidado de rectificar os factos, es-
clarecer o publico, e evitar o fatal transviameiito da opi-
niao do pai* ; irausviaiiienlo sempre perigoso, quacs-
quor que sejam as circumslancias, como muito bem o
dcinonstrou, na sessiio de 19 de julho do anno pas-
sado, um nobre senador, eja auloridade niio lie sus-
Escuso entrar cm largas consldera{es tendentes a
demonstrar a conveniencia c vaniagein da discussao para
que o convido : lo obvias sao, que sallaiu aos olhos de
todos. ,
. tonc'ulndo direi que nao me entra no animo o Ue-
tejo de ollendor ou molestar a V. S. com esta minlia
caria se alguma expretsao etcapnu-me que possa finir"
sua siisceplibilidade, e.tou prompto a retira-la.
Aprovrito a opporlunidade para sprcsenlar-lhe
mous respeito., leudo a honra de subscreyer-me
De V S. muito atiento venerador e criado.
. Frnciic* Raphael de Mello Rego.n
\lZz:: -
PEUNAMBUC0.
ASSEMHLKA PROVINCIAL.
SESSAO KM 4 DK MAIO DE 18*
t
(ConciWio.)
ORDEM DO DA.
Conlimiaoao da segunda*discussao das posturas da c-
mara municipal do Recife.Titulo 3."
a Art. 4. Nenhum morador laucara, nem mandara
laucar as ras ou lugares pblicos, que nao lorem para
este din designados, lixos ou iininundicc, ou qualquer
cousa que possa incoinmodar, ou causar damno ao pu-
blico sob pena de 6,090 ris de mulla, sendo conslran-
gidos a 24 horas de prisaoos.escravos ou criado que por
ordem dos senhoresnu amos o d'erem.
He approvado com a seguinte emenda:
a Seja a multa de 2,000 rls, e supprima-se a prisao.
S. R.Momojit.
Art. b Quando, para moderar o estrepito que cau
laucar alguma porco de palha, porque delie pode pro -
vir incommodn ou perigo a qualquer doonto, s sera
permittido laz-lo com licenca de alguma autorldadc di'
polica, sendo removida a palha logo que se lorne in-
til : os infractores serio multados em 3,000 ris. n
He approvado sem discussao.
Art. 6. Todos os moradores serao ohrigados a ler a
frente de suas casas sem lixo ou mmundice, varrendo-
as, pelos menos, de tro. em tres dias : o infractores
crao multados em 3,000 ris. i
Depois de alguina reflexdes dos Sr. Mjvgnor, Paes
ilarrelo e Aquino, he encerrada a discussao, siibniolti-
do o arligo a votaciio e rejellado.
Art. T. Ninguein poner laucar agoa limpa na ra.
da miranda abaixo, de dia ; e mesmo noito s o podoi.i
(atardepoll de II horas: os infractores, alcm ilo daiu-
nu causado que pagarao, seio multados ein 0,000 ris.
So a agoa fr suja e infecta, a multa ser de l.iiiiu reis.
lie approvado. sendo rejeitada a seguiole emenda :
Onde diz6,000 rs.diga-se3,000 rs. Onde di/.
12.000 rs diga-se8.000 rs. -J/arionier.
Passa-se a discutir o titulo 4."
Art. 1. Ninguein poder matar c rsquarlejar rozes
para o consumo do povo sean nos acougues pblicos
ou particulare, com I-cenca da cmara ; b pena de
ser multado em 16,000 rs. e na porda da carne.
He approvado sem discussao.
- Arl. 2. Ninguein poder picar rez alguma, senio
ilopois do sen arrobamento com assistencia dos exacto-
res dos dii'itos, para que depois seus dono possam
vend-la, como Ihe*parecer; sob pena de 2,000n. de-
limita.
Val mesa, e he apoiada para entrar cm duciuiao, a
seguinte emenda : *
" Em lugar de 2,000 rs.diga-sc-lO.OOO rs.-S. R.
una,
r.neeri ul.i a discussao, he o artigo approvado, sendo
rejeitada a emenda.
Entra na sala a depulacao que lora cumplimentar aS.
Exc. o Sr pi-eiIdcnle da provincia..
O Sr. Maciel Monleiro, como membro relator da depii-
lac.o, participa que ella cumpri'ra a sua. inisso, e le nao
s o discurso que recitara leno tambem aquello com
que 8. Exc. Ihe responder.
OSr Preiidenti:A nstembla recebe com especial
agrado a resposta de S. Exc.
Conlinaa segunda discussao do Ululo 4.' das postu-
ras da cmara municipal do Berife.
" Art, 3. A matanca do gado or folla desde a seis
horas ot as 10 da manhSa. o desde aaqualro al atarla
da tarde : os infractores sero multados em 10,000 ris.
e na reincidencia, alcm da multa ilohr.ida, sollreriio
Iros dias de prisao. A cmara municipal poder todava
alterar a hora da matanca, se alguma medida sanitaria
o exigir.
He approvado sem discussao.
ii Art. 4. Os exactores dos direitos nao poder.10 oppor
a menor duvida na matanca das rezes cm horas compe-
tentes, sob pena de seren multados em 2,000 r-, alvo
ge houver molestia na re.
He approvado com a seguinte emenda :
ii Suppriniatn-te a palavrasdos direitos.O mais
como no artigo. C Figueiredo. *
* Art. 5. Ninguein abrir acougne que nao seja nos
lugares designados pela cmara municipal por meto dr
clin.es ; ot infractoret ero multados em 2d,000 rs.
Vai mesa aaeguintc emenda :
Accrescrnte-tc :-A disposico dette artigo te deve-
r entender i respeito dos acougues que do novo so
abrlrein. Mofla Silveira.
Apoiada entra em discussao.
Depois de brevitiimat observacoes do* Srt. Molla Sil-
veira, Jos Pedro, Aquino c Mavignier, encerra-se u
discussao, sendo approvdo o seguinte roquermento :
Fique adiado o arligo i do tlt. 4. para o din.Pai$
Brrelo.
Em seguida lo approvado* sem discutsao os segua-
les anigos :
. Art. 0. Ninguein poder pendurar as carnes nos
nconguos .pblicos ou particulare*, MU paredet, tenSo
encostadas em pannos hrancos e limpos que deverao
ser mudados todos os dias, para a conservaco do deri-
ricando suspenso o uso do machado, appcado este so-
monte nos otaos das articiilaccs, afim de nao macerar
aseamos: os coinprehendidos em qualquer distas In-
froeces pagarao 10,000 rs.
n Art. 7. As carnet scriio condutidas para o talhos
i ni carrocat, cobertat com panno branco e liAipo ; li
cando absnlulamrnte prohibida a conduccao de oulro
mi ilqner modo, sh pena de WifiDO rs.
Ait. 8. Os administradores dos matadoiiros pbli-
cos ou particulares serao obligados a fazc-los lavar todos
os dias depois da matanca dos gados, alim de *e con-
servaren! limpos, c sem mo cheiro, sob pena de paga-
ren! 10.000 rs. '
< Arl. 9. Ninguein poder matar roes doentes, ou
mandar esfolarc csquarlrjar as que appaiecerem moras:
os donos das reze, ou por elles seus administradores
serao militados em 30,000 rs. -
Art. 10. Todas as rezes que morrorem no transpor-
te para a praca, em qualquer lugar que seja dentro des-
te municipio, devcrSoser enterradas logo pelo conduc-
tor da bofada cusa do seu dono, e no lugar ein quo^r
cmara houver destinado : os infractores sero mulla-
dos em 10,000 r.
rntracm discussao o art. II, redlgido assim :
Art. II. Os conductores da boladas que vlerem do
fra para os curraes das i.tnto-Punlas, deverao entrar
com ellas pelo corlumc do Coclhos, e quando, por im-
pedimento das maros, nao possam por all passar, so
podrrao conduzi-las por dentro da cidade da meia-noilo
at as seis hora da inanha ; hora esta que deverao es-
lar nos curraos, tendo todo o cuidado a que nao cau-
lein dainos por onde iransilarem : o infladores pa-
garao a mulla de 4,000 rs. o
Depois di encerrada a discussao, he approvado o se-
cutle artigo substitutivo: .
Os conductores de boladas devero entrar cora ella,
e recolht-Ia aot curraet das Cinco-Ponas, da moia-noi-
leal'as 6 horas da inanha: ot infractoret pagarao a
mulla do 4,000 rs. Jii Pedro.n
Fica projudlcada a emenda teguinte .
. Supprima-se desde a. palavra. -- devero entrar -
al u patarras l*>r all passar O ...ais como no ar-
"Eutram em -..citso e tem ella sio approvado, o* ,e-
guintet artigo! :
Art. 12. Nao somatar re alguma fatigada, nem
. Arl. 5 Quando, para moderar o estrepito que cau-1 Art. i*. d, 5 delcan90 fican(,n
sam os carro* que pasiam as ras calcada, se queira corrida, ten.io aepois uc u u



,2
i
iif i

I
I '
i


I

1 1


l
;
I
'
.
bsotutainente privado os brinqurdoi de toreamentos
ae bois em qualquer parte, sh pena de 20,00o rs. e tres
utas de prisao que soflrer o que torear..
Art. 13. a cunara municipal designar por editaos
os lugares em que sero rMahelecdos os inatadoinros:
os que o edificaren, fra d'esses lugares sero multados
em 30,000 rs., c a obra ser demolida su* cusa..
Entra em discusso o seguate :
Art. 14. As reses sero lirin sangradas, c sem o ac-
re in nao podero er esfoladas : os infractores sero mul-
tado* em 6,000 rs, por cada nina.
OSr. Jote Pedro fazalgumas refiexes, e manda me-
sa o seguinte artigo subslitulivo:
As rezos que no frem bein sangradas, nao pode-
ro ser vmdldas; os Infractores serao multados tm 6
rs. M Pedro,,
Dcpois de apiada, entra cjn discuisao e he afinal ap-
provada, ficandn prrjudicado o artigo.
Artigo 15. Nao se vender carne ou pelxe, ou intes-
tinos de rezes, sem que seja debaixo de u Huiros, para
que nao estejanif xposlos an sol ou chuva : os infrac-
tores serao multados nu, 2,00(1 rs.
Vio mesa sSo anotadas, entram cin discusso com
o artigo as scguinles emendas:
Siippriuiam-ac as palavras para que nao cstoiam
expostos ao sol ou chuva Jos Pedro.
Supprima-se o artigo l5. Molla Sihtira.
- Depoii da palavra -- chuva accreseeule-se e
quando algum desses gneros fr vendido pelas ras,
devera conservar-sc caberlo por pannos liinpos. S. B.
Ai/uino.
Os que venderem carne,pelxe ou intestinos em mer-
cados pblicos, devero te-Ios debaixo de coberta. O
infractores sriao multados em ig rs. Joie Pedro.

Em lugar de debaixo de telhciros diga-se de-
baixo de coberta. Paes Hrtelo.
Dcpois de breves observaces de alguns Sis. deputa-
dos, he o artigo approvad,., assim como a primeira
emenda do Sr. Jos Pedro e as dos Sis. Aquino e Paes
arrete'.sendo rejeUada a segunda do Sr. Jos Pedro
lo Sr. Motta Silvia.
D a hora.
O Sr: Presidente Ir-vanu a scsso dcpois de haver de-
signado a ordem do dia.
SF.SSAOEU 5 |)K MAIO HE 1849.
Presidencia do Sr. Souta Tlixeira.
SH.MMAH 10.i ifiimni. Adiar/lento, pela hora, do re-
querimento do Sr. Medeiros e do projeela n. I
(ule aun.
A II horas e'/, da manha, feita a chamada, verifl-
ca-sc acharem-se presentes25 Sis. depulados.
OSr. Presidente declara aberta a sessao.
O Sr. i. Secretario l a acta da sessao antecedente, a
qual he approvada.
O Sr. 1.' Secretario menciona o scguiulo
EXPEDIENTE.
Um rnelo do secretario da presidencia, remetiendo o
rrlatorio do concelho geral de salubridade publica.
A' cohimisso de sade publica.
Outro do niesmu, participando haver transmittidn
Ihesouraria da fasenda provincial a rrlaco dos Sis.
ni. nilii ns da assembla que asslsliram respectiva ses-
sao nidiara no mes de abril iiliiuio Inlcirada.
Lili rcqucrlmeulo de llcrmeiiegildo Marccllino de \li-
randa, amauuense do lyco, pedindo assembla que
marque quola na le do orcamenlo para pagamento
do ordenado de secretario do mesmo lyco, relativo ao
lempo em que excrceu tal lugar. a' commlsso do
"remenlo.
(Conliauor-sc-ha. )
Cmara municipal do Recife.
SKSSAO EXTRAORDINARIA EM 97 DE MARCO
DK 1849.
'residencia do Sr. Carntiro Monlefro.
Presentes os Srs. Egidio Ferreira, Harala, Mamede e
\ i mu.i, fallando com causa participada di Srs. Uceo Al-
buquerque caudino, e sem ella oSr. Barros, por nao
ter sido avisado por estar fra da cidade, abrio-se a ses-
sao, sendo liria e approvada a acta da antecedente).
6 secrctariofez a leilura dos dous seguales ofncios
do F.xin. presidente da provincia :
Cm, uiandaudoque a camararxpedisse diplomas a 2(i
E serao tambem admillidas as procuraedes cujos
poderes frem sem tempa determinado, com tanto
que em cada exercicio se apresentem publicas-fr-
mas dessas proouractoa, r certides do vida dos cons-
lilunles nas pocas competentes.
Elles, poli, devem de licar sauendo que. nao obstan-
te tal disposieo, a cobrakea dos juros c a transferen-
cia das apolices da divida publica scgueiir na caixa da
amorlisacao o mesmo processo, at aqu adoptado,
O Dr. Manoel Joaquim de Macedo f6>a Horneado lente
de historia amiga do colleglo de Pedro II.
S. M. o Imperador dignra-se de condecorar com o
"llicialato da Rosa a Francisco Pinto de Itessa Waozcl-
ler.
O Correio da Tarde annunclra que o supremo tribu-
nal de justica pronunciara pilso e livrainento. em
erime inaancavel o ex-presldente da provincia de
Sci cipe, Dr. Joaquim Jos Teixeira.
.Simiente para completar a transc'ripcao das varias pe-
ras ofliciaes que se lian publicado pro e contra a revolu-
co de Roma, exaramos ueste numero do nrio o samma-
ri'o da nota dirigida pelo ministro dos negocios tlrangeiros
drssepait a lodosas potencias. Entretanto nao podemos dei-
xarile p.otestar contra as aecusacoes, a nosso ver Injus-
tas, que hise'fazem Sua Sanlidade, o papa Pi IX,
a qucmsatidmos com entliusiasmo, apenas nos cheguu
a noticia dos principios governalivos que elle enuncia-
ra do alto da cadeira de San-Pedro, quando uina aureo-
la de gloria o cercava, quando todas as naces o ap-
plaudiam como ao novo enviado do Senknr ;a quein
ainda mais admiramos, e acatamos na desgraca, por
sabrmos a resiguarao evanglica, a Torra de espirito,
a disposicao quasi sobre-humana, com que teui sabido
Mippi.l l.l-l'l. '
Sua Su ii (ida di quebrou os ferros que agrilhoaram cs-
se povo, (in lime do qual lio hoje utrajado, e o priva-
vani de caminhar desiuipecadamente na carrrira do vrr-
d.idi 11 ii progresto ciiniuzio-u, como pela nulo, essa
carreira da qual quasi todos os icus predecessorrs se es-
forcaram por desvia-lo ; proporcionou-llic benclicios
iiue elle desde limito desejra,' e que ale cutio uio po-
dera a ir.11, .ir, mo grado as extraordinarias diligencias
que empregra para cousegui-los : em paga, porc'm, de
ludo isto, em tcslcinunbo de rccouhecimento a to pa-
lernaes cuidados, o que fez esse mesmo povo, ou urna
grande parte delle? Assasslnou-lbeo primeiro ministro,
aquelle a quem Sua Sanlidade mais estimava, e que
to digno era de sua estima ; poi-lne em sitio o pro-
prio palacio ; levou a morte c adevastaco at as sa-
las do Quirinal E, nestecaso.o que restava a um Boberas
no que nao quera derramar o sanguedosseus subditos,
que nao quera reconquistar^) poder por via das armas?
Abandona-los; para que, entregues a si meamos, recn-
nhecessem toda a profundidade do abysino que estavam
cavando com as proprias inaos.e se dessein pressa a des-
viar-se delle. Fui justamente isto o que'praticou o'vcnera-
vel Pi IX: os males que dahi seseguirain nao sau obra
sua;-pertencrm todos aos agitadores das massas,
quelles que s eslo sailsfeilps, so dcixam de conspirar
contra a ordem publica, s se dizem eiu seguranca,
quando piidem dlspr da vida, dos beus eda honra de
scus inimigos pessoacs, quem, para perseguir mais
vontade, appellidaui de tuiterjurioi polticos, como se
iliis tivcssem um pensameuto poltico a realisar, como
se andassrm em cala de alguma cuusa alm dos seus iu-
tei esses individuacs, alm de uina posicio excedente,
anda que momentnea.
Sua Sanlidade, porlanlu, nada menos he do que uina
prova viva e couvinccnte da iugralidao dos hoinens,
d i que mu documento ineoiurastavel dacreii(aem que
sempre temos estado de que nio he ueste mundo que os
apostlos da verdade oblcem o galardo dos beus que fa-
zcui a seus irnios ; e, pois, o tal suuimario que uos
referimos cm priucipio, ueuhuui cll'eilo pi odii/i, a con
Ira elle nos cora;ocs In-in formados.
Viulios......dem de ilO a 120,000 rs. porplp .'ca de Verdl ; canuda em italiano pela Sra: Alex,ndre.
do da Figucira.
Ficaram no pbrto 77 embarcaces, a saber : 4 america-
nas. 3 austraca, 89 braslleims, 1 4>rcmense, 3 dinamar-
quezas 4 francesas, l hespanhola, 8 inglezas, 8 portu-
guesas, 2 sicilianas, 3 sardas e I sueca.
m
Moriniento- do Porto,
Navio entrada no dia 5.
Ilaliia ; 3 dial, vapor de guerra inglez Alecto, coinman-
danle Vicente A. Massingberd. -- Fecha a mala para
Inglaterra terca-feira n tarde.
Navios sahidos no mesmo dia.
I.isbda ; brigue portuguez Terceira, capilao Jos Anlu-
nes Roberto de Frcilas, carga assucar. Passageiros,
Jos da Costa e Silva, Joaquim de Souza Olivelra, Por-
tugueses.
Canal com escala pela Parahiba,; barca ingleza Quren,
capilao VVilliain Payne, carga assucar.
Rio-Grande-do-Sul ; brigue-brasileiro Deos-le-Guarde,
capilao Ludano Jaciiilno de Carvalbo, carga sal,
ago'ardente e assucar.
I'ni (ns do norle ; vapor brasileiro llohiana, commandan-
le J. Mein y Otlen. Alm dos passageiros que trouxe
dos portos do sul para os do norte leva a seu bordo :
para o Rio-Grande-do-Nortc, Camill Furlado de
Mendonca com 1 escravo ; para o Para, Luiz >os Ro-
drigues, D. Mara Josefa Ferreira da Costa com urna
criada, Joo Fernandes Generoso.
Canal : barca sueca Innocencia, capilao Samuel Peterson,
carga assucar.
A'uiu'o mirado no dia t.
Liverpool ; 27 lias, galera Inglesa Columbus, de 320 to-
neladas, capitn Daniel Green, equlpagem 20, carga
razendas ; a Me. Calmnnt & Companhia.
Navios sahidos no inrono dia.
Rio-Grande-do-Sul pelo Rio-de-Janriro ; patacho bra-
sileiro Regulo, capilao Jos Maria Viauna, carga as-
sucar.
Marselles ; biigue francs Nehj-Uathilde, capito G. P.
Parquet, carga assucar.
Para; brigue-escun de guerra Leopoldina, commandan-
te o capitio-tenente Jos Maria Galhardo. .
Urna filka terrivel, vaudevllle jogoso, a pedido de v.
ras pessoas.
A rande arfa d' niKaTi refment, msica de Doni
telli, cantada pela Sra. Alexandrc.
A nuva abate ai lores, minnnee cantado pcla-'r. A|f.
xandre
Hondo russo de Beriol, locadb em violo pelo Sr. Ale-
xandre
Coinecar s 8 horas da nolte.
Avisos martimos.
tf>Sf.MERCI<
AI.FANDEGA. Reiullmento do dia u ,J4'.(RV2&S
Descarregam hoje, 7 de rnaio.
Itriguc Paulina mcrcadorias.
llrgue Putuam bolacha, blachinha- e trinha de
trigo.
Ilriguc Rival ferro bruto.
Hrigue Olinda pipas vastas.
Patacho Si aria & Jouauinu vlnho.
Hrigue Linnea mercaduras.
PatachoEulerpe fumo.
IMI'OIITACAO.
Eleonor, hiate americano, viudo de Ballimore, cnlra-
supplente dedepmados provlnciaes que se acharen do "? trrenle me, consignado a Henry rorsterStC.
drsimpedidos, al'.,., deque possa ler lugar a inslallacao '"" eguinte :
- ,.......ngar a Inslallac
da assembla provincial, visto como nas scsses prepa-
ratorias s se tii.lia.i. reunido 10 de seus nembrus.
Que se respondesse e se expedissem os diplomas.
Outro, designando a terceira domiuga do miz de majo
vin.louro para a reunio das juntas de qualillcaco que
delxaam de formarse na terceira domiuga de Janeiro
dcsle anuo. Oue se aecusasse a recepeo, e se expe-
dissem as cm, ven icnics ordens aos juizes de paz mais vo-
tados das freguizias do municipio.
Nao havendii nada mais a tratar levantou-se- a sessao.
F.u. Jalo Jos Ferreira de Jguiar, secretario a subscreri.
Carntiro M nteiro, nr-pres,dente. Dr. Nery da
Fonseca. trala. ('nimii. Ferreira.
-- I
iiiAiuii )en!\.\iih;u.
BICHE, SDK MAIO O* 1849
Enlrou hontem em discusso, na atseAbla legisla-
tiva provincial, o rrquerimento do Sr. Jos Caelai.o de
Medeiros, inserido no Diario n. 100.
Suslentouu requcriiiKiilooSr. Jos Antonio de Figuei-
icdo.
Durante o seu discurso, esle Sr. deputado apenas foi
inna i ni..pido por poucos apartes a certas piopotices
que de algumino do riiziam particularmente respeilo
a varios dusseus collegas ao den.ais, ouvirau-no com
toda a aitenro, nao s na sala, como nas galeras, as
"l"" ratavaiu numerosas
Trudo, porm.esu discusso licado adiada pela hora,
passou-se a considerar o projrcto u. 1 desle auno que
reyoga a lei de 1848, pela qual foi reinstaurada a ca-
''''adegr.iiimiaiica latina da villa do Po-do-Alho.
Ollcrcci-raiii-se diversas emendas a semclhaue pro-
jecto;iuas doxou de haver votacin respeilo, porque.
Ha, vcrilii iii.-se que a casa nao e-
ao ir-se proceder e
lava completa.
A ordem do da para a sessao d' a
que eslava designada para hontem.
se que a casa nao es
tanha he a iiiesma
Temos vista peridicos mlnelros at 14, e paulistas
at 17 de al.; il,- l.cui como um dos exeniplares do Jornal do
Commercio, publicados a 25 desse mez.
Minas e Sau-Paulo estavam em plena paz.
Aa corte nada decorrra de eilraoidiarlo.
Deferiudo supplica de varios caplulistascpegociantes
daquclla praca, sr. ministro da fazenda declarara que a
clausula final do art. 3." da ordem do tribunal do u.e'-
souro de 30 de mareo ultimo, Irausuripla em o o. 99
desle Diario, acerca das procuraedes a apresen lar ua
caixa d'ainorilsaca), nao he extensiva a eobranca dos
juros das apolices. nein a quaesquei operajes pei'ten-
centes transferencia dellas.
Os leitores vecordar-se-bao, stiu duvida, dcquecssi
clausula nio he outra acno a seguinte :
100 barris mauteiga de pnreo, 300 -eaxas fogo da Chi-
na, 10 mcias ditas cha, 050 barrica* fariuha de trigo ;
aos consignatarios.
Carolina, barca an.encana, viuda de Rustan, entruda
no crlenle n.ct, consignada a Iieury Porster St C, uu-
uifestou o seguinte :
i taboas de lavar, 4 escovas, 6 vassouras, 1 carrinho
c I cadeira para menino, I caixa livros em branco, 1 bar-
ril cimlicirus, 3 meias barricas l'ariuha de trlgu, I caixa
gengibre, 1457 l'eixcs d'arcos, 90 barris Lampos de bar-
ricas, 1538 barricas abatidas, 1 caixa musgo irlands,^
dita potassa, 1 dita pregos de peudurar roupa, 2 ditas
foges e |" i (enees, I dita diversos objectas, uicia dita
cha, 10 ;an,elaa de lavar ; a Hcnry Forsier st C
350 banicas Dacalbo, I dita taca de prala, 30 barris
pe.ixe ; a O. 6. Lae Jnior.
Putuam, brigue americano, rindo de Philarielphia,
entrado uo crreme mez, consignado a Ufane Youle &
C, manifestou o seguinte :
1100 barricas fariuha de trigo, 100 barris mauteiga de
porco, 250 caixas fogo da India, 50 barricas bolacha,
300 ditas blachinha, 100 presumo!, 135 voluntes l'azen-
das de algodo ; a Deanc Youle & Counp.
CONSULADO (.KIIM.,
Rendimenlo do dia 5........ .
Diversas provincias........, .
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimeuto do dia 5..........
'.2:739>46,i
. 145/474
"2:884/9*7
1:803/840
PBACA IR) IIECIFE, 5 DE MAfp DE 1849,
AS 3 IIKAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios---------- lioure saques sobre Londres a 26
d. por 1,000 rs.
Algodo----... Knti aran 775 sacas. O de -pri-
uicira sortc ve...leu-so de 4,400 a
4 500 rs. por arroba.
Assucar ------ Os piceos fraui os inesmos da se-
mana anlecedentc. O depusito be
diminuto. Vieraan ao morcado
237 caix.s
Carne-secca Ficaram em ser 60,000 arrobas.
As vendas liveram por base os Hici-
mos pucos qaie noticiamos na re-
vista anterior.
Apenas exialem por vender 100 bar
_ ricas.
reno mglcz-------Vcndeu-te de 6.500 a 7.0C0 rs o
quintal em barra. .
Manleiga ------ ilitUi a 700 rs- ,ior lU)ra da ioe\ezli I
a retalho.
IDITAL.
------------------------1-------------------------,r-
O Dr. Joaquim Villela \de Castro Tavarts.juit de pat dafre-
guesia de San-Jos do Recife, em virtude da lei, etc. .
Tendo-me sido expedidas p.rla cmara municipal as
precisas ordens, para que no dia 3 de juuho prximo
futuro lenhaiii lugar as eleices de juizes de paz e ve-
readores, convoco em virtude do art. 94 os.eleitorca .-
supplenles abaixo declarados, para que comparceam
ni.se da s 9 horas da mahaa no coi-po da igreja da
Scnliora-ilo-Tereo, alim de proceder-se r-innaco da
mesa parocliial : e bein assim os cidadaos qualilicados
volantes na ulllma reviso, alim de Irem dar o seu vo-
to : advertindo que, se nao coutpareccrein sem impedi-
mento legitimo, ficain subjeitos multa comminada na
citada lei.
~ Bleilores.
s senhores : Hygino dos Sanios Aragao, padreTho-
nic Ignacio Gomes, Jos Fernando da ruz, Antonio
Furreira d'Annuuciafo, Francisco Antonio das Cha-,
gas, Manoel Florencio Alves de .Muraos, Francisco Se-
rfico de Assis Carrallio, Ignacio Francisco da Sil-
va, Aprigio Jos da Silva, Amonio Jos Pestaa, An-
tonio Muniz Tavares, Domingos de Aseredo Coulinho,
Francisco Jos da Costa <.ampollo, Faustino Jos dos
Santos, Amonio Joaquim de Oliveira Baduein, Jos
Cunegundes da Silva, Dlogo Raptlsla Fernandes, Joo
Manoel Ribeiro de Couto, Manoel Antonio de Souza
Maitos, Jos dos Santos Lages, Rufino da Costa Pinto,
Manoel Antonio Nunes Machado, Pedro Antonio Teixei-
ra Guimares, Jo Baptisla Ferreira d'Annuuclacio,
Goucalo Francisco Martins, Jos Virissnio dos AnjoS,
Sevoii.u.u Jos de Moura, Antonio Jos de Oliveira.
Supplenles.
Oa Srs. : Joaquim Antonio de Castro Nunes, Torqualo
Henriques da Silva, Francisco da Costa Anuda e-.Vel|o,
Joaquim Francisco de Mello Santos, Scralim Jos de
Souza Ribeiro, Jos Ignacio Peieira Dulra, Joaquim Jo-
s de S.iiii'Ann.i, Maximiano Francisco das Nevos, Ma-
noel Antonio dos Santos, Floriannn Jos de Carvalho,
Antonio Lopes Percira de Carvalho, Bcrnardino de Oli-
veira Corageiu, Antonio da Silva Kego, padre Joa Ma-
lillas Ribeiro, Manoel Joaquim Ferreira Esteves, Joo
Francisca Regs dos Anjos, Luiz Francisco de Mello
Santos, Jos Maria de Castro Nunes, Jacob de Santiago,
Joo w.-.re Mino Ribeiro, Jos Ignacio Ribeiro, Antonio
Joaquim t;m.calvos de Morios, Carlos Augusto de Arau-
jo, Uernardino de Sena Ferreira Lelle, Manoel Joa Tei-
xeira bastos, Joaquim Maria de Carvalho,
K para constar mandei lzcr o presente para aeT alu-
zado nos lugares pblicos, epublicado pela Imprensa.
Dado e pa'ssado m-sta freguezia de San-Jos do Recife,
aos 3 de ...a.o de 1849. Eu, Jos liuncalues de S, esc i-
vno interino o escrei. Dr. Joaquim filela de Castro
lavarte.
Para o Rio-de-Janeiro sihe, impretcrivelmenla
no dia 12 do corrento, n veleira escuna Colome.
Maria: ainda pode receber algum* carga, assim
"comoescravosafrele : a tratar na ra da Mnj, .
n. II.
Espcra-se do Rio-de-Janciro a,le 7 do corrento,
o b'igue portuguez Vel capltBo Antonio Pedro d
Figueire.lo e segu para Lisboa com a maior bre-
vidade possivel : quem no mesmo quizar carregir
ou ir de passagem para o que tem escolenles com-
niodos, dirija-se aos seus consignatarnos, Oliveira.
11 nifms & Companltia na ra da Cruz, n. 9.
= Para o Aracaly tem de sabir at l4 do correle o
hiato AToro-Olimla, mostr Antonio Jos Vianna : aluda
pode receber alguma carga miuda c passageiros, para o
que i rata-so com o mesmo niestrc no Trapiche-Novo, ,
ou na ru da Cadea-Velha, n. 17, segundo andar. /
Para o Ass sabe, no dia 13 do corrente, o brigue
nacional Sociedad!, capito Manoel Joaquina Lobato : re-
cebe carga a frelcs commodoa : irau-se com Jos Mar-
cellino da Roza, no largo da Alfandega, arinazein n 3,
e na ra do Vlgario, n. 25, primeiro andar, com Joa
Baplista da Fonseca Jnior.
5= Para Lisboa sahe, com a maior brevidade poisivel,
o brigue-porluguez ^ana-.Iilruid, forrado e encsvilkj;
do de cobre : recebe carga c passageiros, para os qaaes
inii ezcellenlea commodos : a tratar com o eonsiguata-
rio, Joaquim Ferreira MendsJ) Cuimariea, na ra da
Cruz, o. 49, oucoin o capilao, Ignacio Jote de Araajo,
na praca do Cdtnmercio.
=* Para o Rio-de-Janeiro segu vlagern, com malta
brevidade, a ibuUo veleira e conhecida barca F'irmiu :
quem pretender carregar ou ir depasaagem, para oque
tein excellenies commodos, dirja-se ao caes da Alfan-
dega a tratar com Manoel Francisco da Silva, ou na rus
da Uadre-de-Deos, casa n. 3, lerceiro andar.
= O briguc-escuna nacional Olinda segu, com bre-
vidade, para o Rio-dc-Janeiro por ter parle de aua car-
a engajada : para o resto, passageiros oa escravos a
rete, Irala-te com Machado & Plnheiro, na ra do Vi-
gaiioi n. 19, segnndo andar, ou com o capilao na prifa.
= Para.o Rio-de-Jauelrn segu, com multa brevida-
de, o brigue nacional aurora ; tem a maior parte do car-
regamento prompia: para o resto e escravos a frele,
trata-se com Joao Francisco da Cruz, na ra da Cre,
nun,o. o 3.
O capito da barca nacional JViila/iua-Ff/ii anuun-
cia que sahe imprcterivelmeule para Mossainedes no dia
20 de malo; que todos os objectoaque houvcrein de car-
regar na uiesma licaroa bordo ate o dia 12 ; e que na
dia da sabida nao admilte pessoa alguma a bordo senle
os que foreni de pasaagem ; por isso recommruda a la-
dos faeaiu em trra as suas despedidas.
Para Lisboa, com escala pela Iba de San-Miguel, a
barca portuguesa Tejo, capilao Silverio Manoel dos Re,
sali com a maior brevidade possivel: quem na uiesina
qulzer carregar para qualquer dos dous portos, dirja-
se aos consignatarios, Oliveira limaos k C, ua ra da
Cruz, n. 9, ou ao referido capilao, na praca do Coui-
mercio.
Par.a Stiua-Catharina sahe com brevidade o pala-
cho nacional Novo-Lm; he inulMtveleiro, e tem bou
commodoa para passageiros: tainbein pode aeceber al-
guma carga a frele : queui preteud/r embarcar alguint
carga, ou ir de passagem, trate com o capito, Francis-
co de Paula da Fonseca, ou com o consignatario, Manoel
Ignacio de Oliveira, ua praca do Coiniuerci, n- 6..
Para o Itio-Craride-du-Sul segu, no dia 13 do
correnle o brigue nucional Despique : recebe carga-
passageiros e escravos a frete : trata-se com Macha,
doot l'inheiro, na run do Vigario n. 19, segundo
andar, ou com o cupilflo a bordo.
Para o Porto saho, com a maior breviJade pos-
sivel a licm condecida e veleira barca /spiriio-Sim
lo para o que ja (em a bordo meia carga : quem na
mesma quizercarregar, ou ir de passagem, para o
que leiu asseiados coinniodos,.dirija-se ao ten con-
signatario, Francisco Alves da Cunha: ua ra do
Vigario, n. II, primeiro andar.

lleola ra$es.
exlra-
ono Jos
A i ani.li a municipal dcsta cidajfe faz sessao
ordlnaia boje, 7 do correnle. O srurc(ario, Jon
Ferreira de Aguiar.
O lll.n Sr. primeiro escriturario, serriodo de
inspector da ihesouraria da fazenda provinclaL manda
fazer publico que uo dia 8 do correnta je pagam os r-
dcaadua vencidos no mez de abril prximo passado, e
mais despeas provlnciaes. Secretaria da ihesouraria
da fazenda provincial, 4 de malo de 1849. O segundo
escriptiirarlo, Antonio Ferreira d'Annunciaco.
Sao convoca
Heberibc para se rennirem m assemblca, geral no da
15 do correnle, pi las 10 horas da mauha no escrlptorio
da iiiesma companbia, alim de ser cleita nova adminis-
trarn, ede se dar cumplimento disposicao do artigo
17 dos estatutos.-O director, Francisco entumo de Uli-
ptira.
THErVTR DE APOLLO
Tetra eir, 8 de rnaio de 1849.
Rcpresenlaco extraordinaria em beneficio do Sr. e da
Sra. Alexandrc.
Concert distrikiiido pela manelra seguiule :
INDIANA E CARLOS MAGN
Hacalho----------- -
Lciloes.
= U'corrotor Oliveira Jar leilo publico, por ordem
e em pros enea do lllm. Sr. jui respectivo, de grande
porco de cadelras de todas as qnalldades, bancas de
jugo, ditas de tocio de sala, sofs, canias e mullos ou-
tros trastes proprios, tanto para particulares como para
lujas de maicrnciros i assim como de cloc escravos,
sendo quatro ofliciaes de marcenciro e um com princi-
pio do mesmo ollieio : ludo per(encente ao casal do fina-
do Jos Carlos de Lomos : boje, 7 do correnle, s 10 ho-
ras da manlia, na ra da Allandesjja-Vclha, armazeiu o.
9, por balso do hotel Francisco,
Ocorretor Oliveira continuar a fazer leilSo,
por ordem do respectivo jujzo das fazeodas da lj
do fallido Antonio Jos Aniunes Gu i martes issim
como d'outrasoluitas fazendas inglezas, recenleoieiy
to importadas, e que serilo vendidas a prazo o sefli li-
mites da preoos : tcrra-feira, 8 do corrente, s 10
horas d maubila no seu aimazem da ra da Ca-
deia.
Adolpbo Volicliard'far leillo, por interven-
a q do corretor Oliveira de lodos os escravos, car-
ros, muilos cavallos lano em parolhas para carros
como pa.a montara e mais perleaccs de seu csli-
belecimento, silo no lugar do areial de Fr-de-
Porlas ondeter lugar quinta-feira 10 do corren-
te ns 10 horas da manhSa em pono.
ni' r i i
Avisos diversos..
Urna noiu de baile mascarada
S
Vaudcville jocoso a carcter e n'iim aclo.
iiauca.
L'm pateo nobre, dancado pela Sra. Carnario.
Granatepkanfaiia em rabota pelo Sr. Alexandrc.
canto. ^
A grande aria do Stgrtdo, cavatina de Uernani,
T Em resposta ao annunclo do Sr. Vicente Ferreira
da Costa, no iario de Pernambuco, n, 100, de 5 do cor- |
reme, digo que, se zesse tenco retirar-me sem Ihe
fisgar, naoofarla antea de ru annunclo, e que nunca
ai demandado por divida alguma ; abi esli oa cari-
nos para continuar o que digo, e talvea que o annun-
ciado lano nao possa diter de si. Foi na manha c nao os
larda do dia 30de abril p. p. que paguri ao auuunciailu :
caso negado que o pagamento fosse fello na tarde ih'H*
dia ilepnls de Tollo o aiiouncio, linha o anuuciailo lem-
po de fazer susur a sua publlcaco, ou participar-1<
na vecasio do pagamento para e evlla-l, aflu de uo
^^H.ta em duvida a uiinha reputarn ; e porque- nao
fez aniiuuciadn uina un outra cousa, fdeixoU ser pu-
blicado o annuiicio, nao s uina como irra veies, e se
no fosse o incU annunclo anda continuarla, a. ana pu-
bllcaco ? Foi c'sse annunclo positivo com o din de
deseooceltuar-mr, sendo por isso o annuuciado crian'"
noso perante a lei. A legislaco tem ulahelecid* *
indos peloaquam se devem arrecadar oa dbitos qttei*' il
os judiclaes, e nao anauncloa que por seren odiosos "e|^
por isso que o annuuciado diz ser roelhor.
mu-' Anltnio Francisco ioi Santoi.

MUTILADO


.3
s FurUram on fuglo da porta de ama venda da ra
nirella um caTallo preto, com cangalhaide tre cordaje
tem ni joelho inrhado, urna estrella na tetta e he c-
nido : quein otiver pegado, qrleira leva-le ao Afogado
ni Si-, I ttano que tem cata de rancho, ou na Ponte-
dos-Catvalhota Andr Germano, que gratificar.
PRRGUNTA QTJg NAO OFFF.NDE.
Pergunla-se ie he permittido a um coinmandante de
fertalea mandar receber o sold do destacamento e
mipregar ein gneros de molhados para lorlimcnto de
una venda da dito coinmandante, e ticarem os toldados
no descmuolco dos seus odos quatro cinco dalas, co-
mo bem agora no mes de abril p. passado : ha oulro es-
cullalo, dando-se ordem ao destacamento que compro
oiii sua venda, so com o flu das pracas nao reeeicirem
dinheiro. e flearem indeinnlsados os effellot da venda.
(lueira.Sr. Redactor, dar publlcldade a estas nhas pa-
ra coiieclmenlo de quein pertencer e do publico, bou,
Sr. Redactor, ele. Vm toldado veUrano.
= Acha-sedeposlUda no deposito geral a quanlla de
17025de laudemio sobre o preco, por que fot arremata-
da a casa terrea n. 50. na ra por delrai da matriz da
Boa-VUta, penhorada pela faxenda provincial Mher-
deirosde Anloulo Marque da da segunda vara do clvel, escrlvao Reg, para ser levan-
tado por quein direito livr:
Natravessa da Madre-de-Deos, pri-
meiro sobrado, n. 18, precisare de urna
ama eslr.ngeira para dirigir urna casa de
portas a dentro
= Manoel Cabral de Medeiros, subdito porlugei, reti-
rare para fur* do Imperio.
= Dio-te 550/000 a premio obre hypotheca da urna
caa : quem pretender, dlrija-te.ao Aterro-dal!oa-V li-
ta, n. 63, qu l te dir quem faz este negocio.
-.= Aluga-te um famoso sillo para criar, o qual tcm
pasiagem paratrlnU vaccas de lelte : a fallar com o seu
iiroprieurio 110 engenho da Torre.
~r Na inanimado dia 6 do correnle, do tercelro andar
do sobrado da ra do Crespo n 14, voou um papagalo
com um pedaco de correte no p. o qual falla nlguma
cousa : quem o achou, qaereodo rettitui-lo, dirija-te ao
iiiesmo sobrado,qbe se dar o adiado. '
= Retlra-se para frica J ose Goncalvee da Silva Soa-
res, subdito portugus. >.
_= Preclaa-se alngar urna ama>rrsJjai captiva, que
teoha bailante leile : ta ra dtTOnlSo, terecira cata,
quem vem da esquina, 4a parle da mar.
Preclsa-se de um calielro de i2 a 14 annot de ida-
de : na ra da Senialla-Vellia, n. 96.
= Francisco Goncalves da Silva, tendode ii a Lisboa
na barca rejo, prxima a sahir, e nao podendo, pela cur-
to espaco de lempo que tem, e memia pac nao estar In-
da bem restabelecido da doenca quff-soflreu, despedir-
se de todos os seus amigos, e das petsoas a quem deve
atieucoei, o faz por esle mcio, rogrndo-Ibet o descul-
pein desla Involuntaria omlsso, e orlerecendo-lhes teu
diminuto presiono naquella cldade.
-= O abalxo assignado, tendo de mudar a sua residen-
cia desla freguexia de Jaboato para a de Serinliaem,
penetrado do mait vivo reconheclmenlo se detpede de
todot os seut amigos e vixinhos, agradecendo-llics o bom
acolhuncnto-que ha tretannos lhe pretlam, e com espe-
cialidad da Ilustre familia de Garana fin quem encon-
tion a mait generosa hospltalidade : o abaixo astlgnado,
nao tendo expressdes com que agradera a sua generosa
bcinfeiiora.e lllma. Sra. D. Theresa de Jetus Sou os conaideraveit favoresque coirfelle tem prodigalisado,
roga-llie, Sr. Redactor, que por especial favor d lugar
ein sua follia a otas linhas, ein testeinuiiho de sea eter-
no rceonhccimento; pelo que inui grato lhe sera o teu
aliento venerador e asebjaanle. Joio Florentino envol-
cante dt Albuquerqae.
= Manoel Jote Pacheco de Mello. Braslleiro adoptivo,
vai para a illia de San-Miguel tratar de tua sade, leva
em sua companbia sua senhora e dout dados, e deixa
por teiit battantet procuradores durante a tua ausen-
cia, em primeiro lugar o Sr. rancitco Jote Raposo,
ein tegundo o Sr. Manuel Uaetano llorges e Silva, e e
lerceiro o Sr. Jote Autunio Crrela Jnior.
= Eu' abaixo atslgnada, para entrar no coiihcsiinento
daquellas pessoas que linliain peuhores na inodeminha
llnada filha Cordilla Maria Glaudina do Espirito Santo,
peco-Ibes liajain de ot vlr tirar da dala desle a 15 das ;
polsqnc j lindou-sc o Inventario, e Mein que te fazer
as partilhat. Elletae achaiii na metma residencia,
no segundo andar da ra do Rosario eslreita, n. 16. b
tundra Mara da Conceico. ^
Antonio Serallni dos Santos retira-te para tora do
imperio com tua inulher. -_ '
= Antonia Vieir Marlint val para a ilha'de b.n-Ml-
gri tratar de tua sade, levando em tua companhia um
alunado c um criado, e roga ao iiietmo lempo a todas as
pessoas com quem tcm tido negocios, ou te por esciue-
eimenlo deve alguma cousa, o que Julga o contrario,
que liajam de apresentar-lhe suas coulas al o dia 10 do
correnle mez parase tirar qualquer duvida. atsim como
delxa por seus bastantes procuradores, durante a tua
ausencia, ein prlnieiro lugar ao Sr. Francisco Jos Ra-
poso, em segundo ao Sr. Antonio lavares Ferreira em
terceiro ao Sr. Jos Antonio Crrela Jnior.
__Francisco Jos da Silva Lopes, subdito de S. M F.,
ratira-sc para fura do imperio.
Manoel Vital, subdito portugus, rcllra-sc para
fura do imperio. aj
Thom Pompllio da Fonseca relira-se para fora da
provincia.
-- Francisco Goncalve da Silva relira-se para Portu-
gal, c deixa durante a tua ausencia por teusprocura-
doret urtla praca aos Srs. liveira Irnios Ik C.
Retlra-se para fora do imperio o cldado portu-
guez Jos Rodrigues de Catiro* tua familia, compotla
de inulher, cinco filhos e dous criados, Joo Francisco
Itibeiro e Manoel Justino Cuimares. .
J. P. Adour & C. faiem sciente
que niudarain seU escriplorio para a ra
da Cdeia do Becife, n. 52.
Manoel Jos Pacheco de Mello fat-sciente a lodos
os seus credores para se apreseularem at o dia 10 cr-
reme mes,, com suat conlat legaet, para terem pago:
o me sino aviso fas aot teut devedores para lhe pagarein
no metma prazo, do contrario utar dos irruios que a
lei lb< concede.
Maria Isabel e seus flhos menores reliram-so
paia Lisboa
Domingos de Oliveira Pinto relira-se para fora
do imperio.
-JoSoDonnelly, tendode fazer uma viagem aos
Eslado-Unidds, deixa a sua loj e mais negocios en-
rarregados aoseu lilho at sua volta.
Bom negocio para quem quer
principiar coiu pouco di
nh iro
TSo botiqdu da Esperanza precisa-se
de nm bom cozinlu-iro para tomar corita
do menino catabelecimento por balanco,
an qual se dar interesse nos lucros :
meemo negocio se m rom outraoui
quer pessoa que se que.ira encarre^ar do
subredito estabeleciiDenlo, tendo bastan-
te urlica : a casa acha-se bem monta .a,
t lem bastantes freguezes bofa pagadores,
visto as boai comidas que costuma a-
presntar. Faz-se este negocio por mofi*
vo de molestia : a tratar no mesmo boti-
qun), ra da SenzalU-Velha do llecife,
n. ti6..
OtTerece-se um rapaz para caixeiro de qualquer
onarnho: quem de seu presumo se quizar utilisar
annuneie. ,
r)Hsencarmnhou-8e, do porto da ra ra Nova,
al o Montoiro, um trouxa de roupa que ia para se
lavar, sendo a maior parte dalla marcada com s
lettras A. J. S. A. : quem della suuber d parle na
ra doQueirnailo, n. 32, que ser recompensado.
Precisa-se alugar uma preta captiva para o
servico da uma casa : em Fra-de-Portas r n. 143.
Preciaa-se alugar um preto para diversos servi-
cos : paga-se bem e d-se o sustento : na ra larga
do Rozario, padaria n. 48.
precisa-sede um feitor, natural das ilhas,sen-
do casado melhor : na travessa do Veras,*. 15.
Precisa-sede uma pessoa que va a Coianna le-
var uma carta e tratera resposta : no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 10.
Da-se pSo de vendagem a protas, com respon-
stbilidadedeseus senhores: na ra Itireila, pada-
ria n. 86. .
Precisarse de um refinador de assucaja, forro o
captivo : no Aterro-da-Boa-Vista n. 44. *
Precisa--Volugar um preto para trabalhar de
enxada em um pequeo sitio : na ra da Cadeia de
S.-Antonio, n. 10.
Antonio Jos Ribeiro Braga Portuguez, reti-
ra-se p* fra do imperio. ^
Manoel Ferreira dos Santos, co: padaria no
Aterro-da-Boa-Vista rolira-se para a cidade do
Porto.
No dia 2 do correnle, furtararo do pnmeiro an-
dar da casa n". 2, da praca do Commercio, um chapeo,
de massa franceza ainda novo, com a competente
caixaazul, a qual tinna por cima as lettras M. A. C.
Roga.se a pessoaf que por acaso soja orTareci.lo,
ou o tenha comprado, de maridar a sobredita casa ,
que ser recompensada ou tftjatisfara a quantia
que despendeu- .,
Abrem-ae firmas para bilhetes de visita, em
atiaesquer caracteres, con) tarjas e enlaces, ou sem
estes, com delicadeza ef or prerjo commodo : na ra
larga do Rozarlo, n. 48, sefcbndo andar.
-- Alugam-sedouou 3 andares da casa da ra da
Cruz.n. *>t tratar no escriplorio do pnmeiro
andar. '
l'reci|-*ie uma arria ptra tratar de um bo-
merrf sem Wmllia : na venda defronte da cadeia s
dir quem preciai
OabaO assignado tMi constituido a Joaquim
Candido da Crut Siqueira nesta praca. Fronciico Joafuim Duarle.
Jos de Medeiros TayaresSouza roga a quem se
julgar seu credor de apresentar sua cunta neste
oilo dias, para ser paga.
Aluga-se o'primeiro andar do sobrado amarcllo
da ra do Queimado n. 29 proprio para escripto-
riode dvogado : a tratar na loja do mesmo sobrado.
-- Pela segunda vez rog^a-se aos Srs. Francisco
Eusebio de Faria Francisco Jos Alees Gama e Ma-
noel Jos Ribeiro Gavalcanle, de ireni ao*terro-da-
Boa-Vista, n. lO.oumandarempagaro que l de-
vem. *
Precisa-se de um foroeiro : na ra Direita, pa-
daria n. 26.
Precisa-se de uma ama de leile, que seja pan-
da de pouco tempo, sem Olho e sem vicios nom
achaques, que seja moca e tonha bastante leite,
sendo forra : na ra do llozario, n. 28, por cima do
armazem de louea, a qutlquerhora do da.
io da Silva relira-se p
ara fra
Ilenrique Elisiar'ro
da provincia. ,
Antonio Basques retira-se para fra do imperio,
com sua familia.
Jos Pedro Leile dos Anjos, cidadSo porluguez,
relira-se para fra do imepriu.
Espirito de curiosidade.
I)eseja-se saber se o anuuncio do Diario n. 96, que
diz Manoel Ferreira dos Santos B/asileiro vai a
cidade do Porto, se enlende com o que leve pa-
daria no Aterro-da-Boa-Vista ; visto, que esse he
Porluguez e nSo Brasileiro.
Quem annunciou querer comprar ou arrendar
um sitio de peucamonla, dirija-sea ra do Mundo-
Novo, n. 30.
Aluga-se uma casa terrea, na ra da Praia-do-
Caldeireiro, II. 13 : a tratar na ra do Cabug, junto
a botica.
Qaem liver um Santo-Lenho com sua aulhen-
lica que qu'eira trocar, dirija-se ra do Queima-
do 2. loja n. 18, onde se dir quem o pretende.
-JoSo Leile da Costa, subdito portuguez relira-
se para costa d'Africa.
Jos Manoel de Araujo, subdito portuguez, re-
tira-separa forado irhperio.
l'recisa-sc atugar uma ama secca de
bous cos tunes, para urna casi de pouc>
familia. Dirigir-se. na do Rozario lar-
ga, n. 36, segundo andar.
- Na ra da Madre-de-Deos, n. 3, sobrado de 3
andares deseja-ae tallar aos Srs. Marcolino Ferrei-
ra da Silva Juvencio Paulino da Silva Antonio
l.uiz Vieira e Jos Machado Soares. *
Precisa-seda um pequeo para caixeiro, que
d fiador a aua conducta : nos quatro-canlos da
Boa-Viala, ra da Gloria, n. 114.
l\apc l'rinceza.
Acaba de cheg.tr ao deposito de
rap Andarahy e Imperial, na $
ra da Cruz, n. 63, o novo rap
l'rinceza da fabrica de Joao Pe-
reira de Andrade, o qual be o
mal* superior rap que at o pre-
sentelem apparecido Os aman-
tes daflia pitado pdein experi-
menta-lo no referido deposito,
aonde se acha sempre um bote
aberto para amostra.
- Quando hornera embriagado de ambicio quer en-1 Arrenda-se um sitio que no seja distante dea-
riquecer a todo cusi, esquece-seda rjoafa e coinmetie|ta praca mais de 3 legoaa e que lenna uom cerw
infimiat. corno ha pralicado o Sr. Jlo Evangelista dalj^ 0u lugar de so fazerem boas trras de planli 510 o
mallas para coreado ; na ra do Sebo, loja, de nini-
leiro de Antonio/os Diaa.ou annuneie.
-Precisa-sealugar un proto para o ervi?o or-
dinario de padaria pag oqueseajuatar:no piteo da S.-Cruz, padaria de
uma s porta. ._ .-
-Aluga-se uma preta j idos para oservieo de
casa : na ra da Guia* n. 46.
=. 0 padre Mano* db Vera-Cruz, procurador da ir-
mandade de San-Pedro, declara aot devedores da aat-
ina Irmandade quv niio paguein o qfte te acharen! a ae
ver senaoaoinesmo procurador, vitto senavereni per-
dido alguns recibos por elle firmado.
I JIPttHPg-MI
Cotia e Silva, o que faco publico para constar em lodo
o lampo. J he sabido que ot ineut bent detpertarain
a coblca desse monstro biforme a seduilr mlnha mu-
"Jj O. Anna Francisca dos Res Miranda, que alra de
intrnala he triaoenarla, para fuglr da casa comimim,
denols de siiblrahTr ao casal todas as preciosidades que
ja publique!, afim de Ir para sua companhia : teguio-te
o fazer elle quantas trampolines e patifarias pode para
obter um divorcio que lhe seguraste a potse de quanto
ella levou e o mais que lhe tocaste em partllha : nio
lhe valendoot grandrt emptmhot nem o dlnhelro que el-
la levara, largamente despendido, para dobrar ot eximios
e rectos juliet que todos lrain justos e inflctivelt. tri-
uraphou a ratao ; e quando'o aballo assignado te dls-
punha a exigir do Sr. JoSo Evangelista tudo que clan-
destinamente tlnha em si, tratou elle de drtfazer-te da
mesma senhora que te achava depositada a seus rogos
c empenho, e para cumulo de sua amhicao chamou a
um tabellio, lendo antes ditposto testeniunlias lio ho-
nestas como elle, e seducido a mesma senhora I). Auna
Francisca dos Res Miranda para fazer um testamento
cerrado, como o fez, no qual uomeia herdeira da sua
terca a Maria Francisca da Cotia e Silva, inullier do Sr.
Joao Evangelista da 1 osta e Silva : concluido esse do-
loso testamento, flcou sobre a guarda do inesmo Sr.
Joao Evangelista : he contra esse aeto millo que desde
j protesto, e declaro que a referida mlnha mulher,
alm de ser reconhecidamente intntala,-cunta U4 an-
nos de idade, seus nicos herdeifrmao feut tret Rlhot
e ineus enteados, Pedro Ignacio dearllranda, l)r. Joao
Paula de Miranda e n. Maria Guilbfrmintrcasada com
Joao dos Santos Porto, e nunca a intrata Maria Frarfcis-
Ca, mulher do Sr. loan Evangelista da Costa e Silva,
que se acha nesae doloso testamento, o qual protesto
-nnulUr para que ineus dignos enteados uto tejajii rou-
bados de sna heranea em beneficio do intru^^r Joflo
KvangeUtta da Costa c Silva, que tanto teniflrJttacia^
0 1 e arfuinado o meu casal. ^iwonio Jfkaoef *
1 .ej de AtVttui'ln Pimrnlr!.
Precisa-se alugar uma preta ou parda captiva, para
fi'i'r al|>uin trrvii o de casa de pouca familia : a fallar
Cilio, i. Uttboit que dir quem quer.
Aluga-te o primeiro andar do sobrado amarello
do ra Augutla; o sitio da estrada do Cordeiro, su pro
jirio para algum negociante cslrangeiro; um grande si-
llo na campia da Casa-Forte,e oulro na ra respectiva,
. Iieni assim multas casinhas baralas : a tratar na ra
do Ainui'ini, n. i.V
Firminii .1. F. da Roa, com escripte/io na ra do
Trapiche, n. 44, acaba de receber pe|b hlate Fortuna
"nnvo sortlinento de algodo trancado da fabrica de I o-
dus-os-Samoda Rabia, de qualidade larga a .'120 rs. e
do ettreito a 300 rt. : tambem tem de qualidade mais
Inferior por prtco commodo.
Ao respcitrivcl publico
Guilhrrme Frederico Walter tem a honra de annun-
ciar que acaba de receber de l'aris novas machinas de
dagarreolypo, bm cuino mui ricos e variados appare-
Ihos, laes como caitas do ultimo gotto, alllneles e re-
domas de ouro, mu proprios para receberem retratos.
O annuiicianleespera dos habitantes de Pernambuco
a continuaco da prolecco com que at hsje o teem el-
le penhorado, c adveate que est prxima a ('poca que
Da usado para a sua retirada desla capital.
Elle lem uma verdadeira machina de Vufgtlaender, a-
eompanhada de todot os apparelhos, a qual vender por
preco commodo, obrig>ndu-te> a entinar ao comprador,
mediante uma recompensa ratoavrl, lodos os segredos
da arle que prufetsa. .
Terca-feir, 8 do crranle he e arrnmalacfio da
escrava Isabel, que se acha no deposito geral cu-
jas pracas teem sido interrompidas por chicana do
executado.
Aviso.,
Itoga-se ao lllm. Sr. thesoreiro que no pague
o premio que' a sorte der ao rreio bilhele n. 1,093 da
ultima terqa parle da decima oilava lotera a bene-
ficio do Ihealtro publico, o qual, por haver-so ex-
traviado previne-se que est firmado no verso com
os nomes Jos Luizda Costa perlence a Jo.lo'Uap-
tista d Costa.
~ Precisa-se do uma moca branca desimpedida c
de boa conducta tilo smente para tratar de dous
meninos em companhia de seu pal : ha ra deS.
Francisco, 11. 68.
Precisa-se da um rapaz para caixeiro de loja de
miudezas : no Atcrro-da-Boa-Vista, n. 84
Agencia ele passaportes.
Ma ra do Collegio, n. 10 e no Alerro-da-Boa-
Vista lujas ns. 48 e 78, continuam-sc a tirar passa-
portes, (aulo para dentro como para fra do imperio,
assim como desnacham-se escravos: ludo com bre-
vidade.
Arrenda-se um engenliemoealee correnle, com
fabrica prefre-seo que fr d'agoa al S legoas
distinta desla prac* e sendo mais longe, so com
embarquoperto.e tambem se comprar a safra que
houver,-Ta ra do Collegio n. 15
Jos Tranciscodo llego llangel tem de ir aos ser-
tOesda orov.incia do Cear a tratar de algurnas co-
bra ncs: por isso se olTerece a quem do seu presu-
mo se quizer utilisar para tal misler podendo pro-
curado na ra Nova n. 52, primeiro andar.
Aluga-se um escravo bom tratador de cavallos
o do mais servico de casa : paga-so bom : na ra do
Sol, n. 15,13 andar.
Porfirio Antonio F.steves da Silva, como admi-
nistrador de sua mulher, embarca para o Rio-de-
Janeiro a escrava Catharina.de ncelo Angola.
s l'rcclsa-se de um amassador que saiba cortar mas-
i na rua Dlrella, padaria n. 82.
= Preclsa-se de uma ama de leile forra ou captiva
na rua do Queimado, u. 6.
Lotera do Iheatro publico
O estado da venda dos bilhetes desta lotera, pouco
adianiada depoi do ultimo aiiiiuucio, nao habllilou o
thesoreiro para rcalisar, como desejava, no lia 27 do
prximo rindo mea o andamento das respectivas rodas ;
Compras.
i Compra-se, no Chora-Menino, n. 3, omd balan-
ce de pao ntle pequena em bom ostdO e com lo-
dos os pesos de duis arrobas para baixo ; um taixo
grande, ou do tamanho mediano ; latas grandes que
sirvampara guardar assucar, estando ludoem bom
estado e sendo por prego commodo.
Ccjoipram-se tomos diferentes de breviarios
Idlurnos, com tanto que nao Ibes allfim follias : na
ru< eslreita do Rozario, n. 8.
^Compram-se4palmos de cordilo grossp que
tenlram de lia 16 oitavas: narua da Mat,ra-dO;Deos,
n.36.
Compra-se umsellim inglezem meio uso; na
rua da ConceiQlo da Boa-Vista, 11 9.
Compram-se,veulem-se e tomam-se deeom-
missoes escravos para o que se offerece lo I se-
giiranga : na lu das l.arangeiras, n. 14, sogun4o
andar. .
--Compra-se um diccionario do pronuncia ingle/a,
por Walker : no Alerro-da-Bo-Visla, 11. 34, ou an-
nuneie,
Compra-se um mulatinbo de 12 a 16 annos ,
sem vicios nem achaques : paga-se bem : na rua da
Cadeia-Velha, botica n. 61. _
Compram-se 4 escravos, ou escravas de 12 o 2i
annos : ns rua Direita, n 3, se dir quem compra.
-Compra-se um preto de bonita ligurq, sem acha-
ques, e que sirva para oservieo de campo : na rua do
l.ivramento n, 4. Na mesma casa vende-se uma
crinla do 15 annos, que ongomma liso, cozinha o
diario de urna casa, compra inuiio bem na rua-, ha
muilo fiel e sem aohaques: s se vende para o mallo.
Na ru Augusta, n. 2, segn lo andar, compra-
se um escravo de nagao de 20 a 24 annoa, que te-
lilla officio de pedreiJO ou carpinteiro sendo de boa
conducta e sadio : paga-se bem, ou troca-se por uma
prelada natjfio,ainda mo?a com urna cria de >
annos.
Vendas.
prximo Iinuo uicx o iiuamcmu wa <-,".-... --_. ,
norim, etperancado de que desla vez mullos desejarao
entrar em um jogo de bom agpuro pela proximidade
das sortes de Sau-Joao, lenta novamenle designar o da
19 do crreme para o dilo andamento das rodas, quasi
convencido da infallibilidade desse dia. Se, porin, an-
tes disto a venda se ultimar, enlojera anticipado o an-
damento referido com vantagem dos que arriscanu
=. Pao-te 300^000 a premio sobre penliorvs : piraiar
no largo do I'arai/.o, sobrado n. 1, segundo andar. Tam-
bem se vendem dous consolos de Jacaranda com lampo
dei.edramarmore.uin jogo de banca modernas e um
sof de dito: ludo por preco commodo, por seu dono
Mr deretirar-sc para fra.
RUA NOVA," N. 10.
Recebeu pelu ultimo navio de Franca ricos lequet ac
madre-perola, crtet de.teda para ^e9ldo,,,.,. '
blond, capelat para nolva, pentct
de
prender carbello e marraras, eucerado de todas
. mZ 11--a---------i^u ..aa mim-it f Iil .1II fiS. Ilielaf dtf
* Precisa-se-d um feitor que saiba tratar de lior-
ta pomar e enchertar: no Aterro-da-Boa-Vista-,
n. 43..
.- Aluga-se um primeiro andar no Recie quem
t i ver traga sua proposta por escripia mencio-
nando o preco, a esta lypographia.
tartaruga para
at lar-
guras e de lindos padrdes para inesat c piano, meiai de
seda branca e prtta, luvat e calcado de toda ai quali-
dade, calungade.poroellana parabolar espirito : tudo
muilo rico e por oouimudot pretor
= Aluga-te uia aitio no principio da estrada de San
lo-Amaro, indo para Helin, jonloao litio do Sr. Dr. Gui-
uaraes : a traUr uo paleo da malrit de Maulo-Autonio,
tobrado n. 4.
A bordo do briguc Fipirito-Sanio, fuodeado ao p
da rampa, vende-te bom sebo em rama e a preco em
con la.
-. Vendcm-sc, por eu dono te retirar para fora da
provincia, dout jogot de mesa de Jacaranda, duas ditas
de meio de sala, um Mar de bordar, marquetas, jogot
de bancas, diversas ferratuentat e inait divertot trattes :
ia rua das Cruzet, n. 16.
N'o armazem do lir*leiro. na porta
da Alfandeg-i, n. ao, vendem-se gigos com
ltalas a a,ooo rs. saccas com milito a
3,5oors., cevada de Lisboa a i,7oo rs. ,
si ceas com feijo branco de Lisboa e a-
mendoas, firinba de trigo gallega em bar-
ricas e meias ditas, superiores queijos de
prato por menor preco do que em outra
qualquer parte, c otilros mullos gneros
de estima : ludo muito em conla.
Na olaria da rua da Oloria. contigua ao hospi-
tal militar, vendem-so 3 canoas, por muito com-
modo preco sendo que a maior pega de 900 a 1,000
lijlos grossos e sobre sor muilo forte e bem cons-
truida est com o fundo novo de bom amarello;
lamben) se pode tratar no Chora -Menino, n 3.
Vcnde-se uma escrava de 16 annos, propna
para mucama por ser reeolhida e saber engom-
mar, fazer lavariuto o coser ; urna dila penU n-
gommadeira ecozinheira ; urna dila de nac3o Cos-
o propria para vender na rua, ou trabalhar de en-
xa(i ; uma dita mota, oplima ptra enxada ; urna
dita engoinmadeira e cozinheira ; um molecote de 18
anuos de boa conducta ; um dito bom Cozmbeiro ;
um pardo bom carreiro; um mnlalinho de 13 annos,
proprio para pagem por ser muilo lindo : na rua.
Nova, n. 5, ..
Vende-so folna do Flandres de superior quali-
dade por preco muito commodo lano m caix*
como a retelho : na praca do Comm rcio, n. 2
Bom e barato.
Na rua Direita, la liorna n. 23, vende-se feijUogru-
luba a 320 rs. a euia ; milhoem aaccas a 4,000 rs.,
e a cia a 160 rs.; toucinho de 8anlos ; a 120 o 160
rs. a libr; cha brasileiro, a 1,920, l,600e 1,280 rs. a
libra e outros nimios gneros.
-Vende-se, na rua 1 streiU do Rozario, n. 8, Retiro
espiritual : Feliz independenle; o F.vangeirio em.
triumpho ; os SermesdeFr. Benloda Tnndade ; as
obras completos de Bocage ; Moral Ue Larraga pelo
l'ortuense ; dila pelo Monte; Diccionario Ideolgico
do abbade Aqulle ; Diurnos romanos.
-Vende-so uma venda na praca da Boa-Vista, com
os fundos de. 400,000 rs.: a iraUr no AUrro-da-Uoa-
Vista, n. 84.
Foijao.
Vendem-se saccas com feijfio mujatinho novo,
proprio para semenle : no caes da Alfandega ar-
mazem n. 1, o primeiro indo da ponte.
Vende-se uma meaa propria para alfaiate, com
duas gavetas, um liteird de amarello 8 caixillios
de vidraca : lambem de amarello o envernizados
tudo por preso commodo : na rua da Conceieao ua
Boa-Vista, n. 4. ... ; ftm
Veudem-se canoas do milheiro de arma a i.uuw
uoslo no porto do becco das Bsrrciras : a l
lar na venda da estrella na ribeira da Boa-Visl.
Freguezia
Venq>-.e viudo da Figueira $ s^0^"!^:
,,aTSors.a garrafa ; '"* J "J0' '
nl.no a 2,200 ra. a arroba, e a 71 rs. a
de
dito
Roga-e pettoa que por engao tirou do crrelo I ch, ,ia s.-l'aulo a i
na carta vlnda do Marauhao, pelo vapor S.-5aft.ador,l '. ., aeors. a resma
1 ,,. 2746 dirija-se ao abaixo assignado. a entrega-la 1 m commodO.
una
de
^,r^.T;;.^.^?.^r:T!is,?f;
2,000 rs. ; papel al-
e todos os mais ge-
e a 80 rs a
na rua dat Cruies, n. 12.f randteo boncalvu Ferie
eros por preso 1
=____
-


m
1------------------ ____ ______
Vende-se o cngenho Novo do Cabo para paga-
mento da hypotheca que nelle tem o Sr. Joflo Vieira
da Cunha : quem o.pretender dirija-.se ao mesmo en-
genho a tratar com Francisco Joso da Costa.
--Vendom-se presuntos inglczos para fiambre ;
latas com bolacliinhas de Lisboa ; ditas da ararutn ;
ditas oe marmclada de 1, 2 o 4 libras ; ditas de sar-
dinhas; ditas de herv I has ; ditas de chocolate de
Lisboa ; frascos do conservas ; ditos d'agoa de flor
de iaranja ; barris com azeitonas brancas do Klvas ;
Sarrafas com viudo moscatel de jetubal e da Ma-
eira; queijos do prato, frescaes : ludo novo e
ebegado ltimamente do Lishs : na ra da Cruz ,
no Recife, n. 46.
Vcndem-se sellins inglezes e camas
de ferro : na ma daSenzalIa-nova, n. 4*.
1 o!ha de Flandies.

rusa
Vendam-se cnixas com folda de Flandreg : em, l'ru,lor- .
su de 1. i. Tasso Jnior : na cua do Amorim, n. 35. '" Vendem-ae caderas e marquezas de oleo com
asscnlo de paldinha, lavatorios, meiaa commodas,
Car ii a liba.
Vende-se, na ma da Cruz, n. 21 urna porgiio de
cera de carnauba de superior qualidade, o por to-
do o pr. 50. -7
CHA'BRASII.EIRO.
vende-se.ou armazem de ninlhados atrs do
t.orpo-Sjanto n. 66, o mais cxcellente ch a produzi-
do enrS.-Paiiln, que tem viudo a este mercado ,
por pfeco muito commodo.
Agencia da fiimiiciio
i.ow-lloor, rua da ttenziilla-
nova, n. fi*i.
Nesle cstabclecimento contina a ha-
ver un completo srtimento de moen.las
c meias moendas, paro engeoho; ma-
chinasde vapor,e taclias de Ierro batido e
cosdo, de todos os tamaitos, para dito.
ICst venda um novo compendio de gramma-
tica portugueza, ubra feita para os alumnos de ins-
truoeflo primaria, no qual con tem as precisas regras
da grammalica de una maneiraa mais clara possivel
romplirehensao dos meninos: no paleo do Collegio,
luja 1I0 Sr liniirailo ; na praga da Independencia,
livrarians. 6 e 8; no llecife, toja do Sr. Cardo)
A yres.
Vniilcm-se doss pretas, sendo una criolita, de
t!)annns que cose, engommu, cozinha, faz Uv-
nnlo e marca ludo co.n peifcigflo ; e a oulra do 11a-
CflO, boa quilandeira, e que engoinnia liso, lava dfl
snbfloecozinba o diario de urna casa: na ruada
Cruz 110 Hecifo, n. 49.
-- Vende-se urna balanca grande, com torrentes
do fero, braco e 10 arroba de pe-os : na tretessfl
da Mailrr-ilr-i'eos n. 9.
Vende-se, ou permuta-s
poroutro engenho prximo dcsta cidade 011 por
predios nestacidade, o engolillo Piabas-dc-Baixo ,
alto na freguezia da ribeira de lina, n.uito bom
o agoa, da passadioo de Ierras para plantagocs, com
boas obras, malta virgem e bastantes "frutelras:
nu rua do livramento, n. 29.
BfJA DOTI.AP)C..E,\. 44,
escriptoiio de Finiriuo
. F. da \\ 07.-.I,
deposito da fabrica de ToMo-os-Sanlos
na Baha,
5,000 re. ; ditos de fazenda de algodfo para caigas ,
de cores escuras e muito encorpadas ,,V 1,000 rs. ;
urna piiu-au de chitas escuras bona pannos, a 120
rs o covado; chapeos do sol, de seda finos a 5/
rs j chales de garca, a 2,00* rs.; lencos para mflos,
do cassa pintada e arrendados, n 240 rs. ; e oulras
muitas fazendas que a yista se patanteaso aos fre-
gones.
Cha barato.
Vende-se muito bom ch*, pelo prego de 500 rs. a
libra : na rua do Crespo, u, 23.
Ta i xa s \m ra e n e n h o.
Na funriigao de ferro* da rua doBrum, acaba-se de
receber um completo sorlimento de taixas de 4 a 8
oalmos de bocea as qunes acdBm-se a venda por
prego commodo e'com promptidflo embarcam-se,
ou carregam-se em carros sem despezas ao com-
prador.
All vende-se algodflo trancado daquella fabrica,!
pregos;segunitcs : largo, a 320 rs. a vara; eslrci
menos urna pollegada, a 300 rs.; mais ordinario,
270 rs. '
aos
ito
a
i.iuemos vir nflo deixai decotnp'ar.
Cortes de cassa-cbila de lindos podroes e
cies seguras, pelo baratissimo prego de
sele patacas: na ruado Queimado, qua-
tro-cantos, loja do sobrado amarello, n. 29.
Ha ira toja de Maja Hamos &
C na na N va, fl,
encerados para cima de mesa, de 5a 6 palmos de
Jarguia a 2,000 rs. o covado.
Vende-se urna venda com os fundos de 200,000
rs. pouro mais ou menos, bstanle afreguezada ,
sita na Paasagcni-da-Magdalena, antes de ebegar a
cslradanova: o motivo porqoo se vndese dir ao
comprador a tratar no mesmo lugar n. 74.
Vende-se cal virgen) de Lisboa, de supeiior
qualidade em barris de 4 arrobas ebegada neste
me pelo brigue Karia-Joi: a tratar na rua do
liium ,armazem de Antonio Augusto da Fonseca ,
ou na rua do Vigario, n. 19.
Vinho barato.
O proprielario destersladehcimento, desejando
conservaros seus fteguezes c nflo lite sendo possi-
vel pelo prego de 160 is. a garrafa vi.xto ler o ge-
neroaullidocerca de.20,OS)0 rs. por pipa ', .em rasflo
le nflo ler viudo ao mercado.fbem contra a sua von-
ladej vi^-se na dura precisflo de augmentar o pre-
go e pelas rases apontadas, conla que seus fre-
guezes Ide faro justiga e se nao escandalisarflo
Madeira de pinito.
Tta1 rua do Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um lerceiroariuaxem cu01 madeira de pinbo
ua meldor qualidade que lem \indo a este mercado,
c serrada de ledas as grossuras e con,prime nlos :
ende-se pelo menorprego que de possivel.
Polassa.
Desembarcou lia poucos das urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
i: superior potassa, e se acbam a venda,
por preco mais batato do que ltima-
mente se venda, na rua da Cadcia-Velha,
armazem de Bailar ckUliveira, n. 1 >
Para liquiiacao.
Na loja da rua do Crespo, ao p do arco de S.-An-
tomo n. 5 A, vendem-se corles de cassa para vesti-
dos oe cores lixas a 1,600 e 2,000 rs., bonitos pa-
melas pequeas, ludo de amarello, e outros ob-
jectos, ludo de furto construcgflo e de gosto mo-
derno, por menos de seus valores : na rua das Cru-
zcs, n. 31, loja do marecneiro defronlo da lypogra-
pbia.
I'irinlia detrito SSSF
ile superior qualidade e nova ; dita americana, em
lucias barricas; dita gallega, em meias barricas
cal virgem de Lisboa ; vinlio do Porto em pipas e
barris de q uarlo c oitavo superior e mais nfeiior ;
fccbniluras para porta do armazem ; superior cha
hysson nacional de S.-Psulo ; farinha de mandioca ,
em saccas por preco commodo : na rua do Viga-
rio armazem n. 11, lie Francisco Alves da Cunha.
A 5oo ris.
Vendcm-sc superiores pentes para marrara, de lat-
tarugn : ua rua larga do'ltozario, n. 24.
" a I s de marmelada e copos
de jalea de marmelo,
viudos do Rio-dc-Janeiro pelo ultimo vapor, ven-
dcni-se no armazem de moldados atrs do Cor'po-
Sanlo 11. 66.
Vnho barato.
Acha-sc cstalirlceiilo na rua da Ma*Jre-dc-flcos
11. 36, um armazem du
Viiihos da Fi^ueira
do ptima qiialiiladcaprcgo.de 1,360 rs. a cana-
da e a 180 ra, a ganal'n e para nflo haver dolo do
comprador ,sflrilo lacradas as'garrafas a com rolu-
fo, recehendo-so a garrafa vasia e dando-se imine-
diameote a -nutra edeia : lenibem ha barris muito
pequeos, proprlos para qnem passa a festa. O pro-
prielario djste eslaholeriinenlo pedo encarecida-
mente que se no illudam- avahando pelo diminuto
prego o sem conhecinienjo do causa a qualidade de
sua fazenda digna porcerloi'a estima dos verdea
deiros a 11 mies da boa pinga ; elle conla que quem
un a vez provar conliniiaia com gosto o sem arre-
pendinento. R o bom prego.'! A lodo o exposto
acciesce o asseio e bm aroiidicionamcnlo, o que lu-
do se poder verilicar em dito estahclecimenlo,
Vcndem-se apparclhos do metal fino para cha,
mo(jefos muito modernos; cadcadi.s de leltras,
giandes o pequeas ; sellins nglezes, para motila-
ra de senbura ; ditos clsticos de patente, gran-
des e pequeos, para moulariade domem ; cadga-
das linas com priloral e sem elle ; hezerros inglezes.
grandes, paiacohrir carros : ludo recentemenlo che-
gado : em casa de Ceo : Kenwbrlhy & Companhia :
na rua da Cruz, n. 2
Vende-se a muito acreditada e superior farinha
de ti goda marca Baronaiue, ebegada ullimamenle
do Havre, por prego commodo : a tratar com Jos
Joaqiiiiu Das h'cruandcs, 110 seu armazem da traver-
sa da Madre-de-Ucos, n. 12 ou na rua larga do Ro-
zario, n. 50.
- Na rua do Trapiche n. 44, primeiro andar, ven-
de-se fumo em tulla para chai utos, lano para ca-
pas como paia milo, da melhor qualidade (fue
produz a provincia da Babia e recentcmenle che-
gado 1 elo dale Fortuna.
\ endear-gaajuejos de Minas a 600 rs.; dito
flamengos, a 1,200 ra.; ditos muito frescaes a 1,760
rs. : na rua Diroita, venda n. 18.
-- Vendem-e 5 bonitos molecotes de naco ; um
prelo de22annos, bom cozinheirb; um dito com
ollicio de sapateiro ; nm pardo bom trabalhador do
enxada e que enlende de tratar de sitio; um pre-
todemeia idade; urna prelado 22annos, que cose,
engomma e cozinha tudo com perfeglo ; urna di-
ta que engomma e cozinha, com toda a perfeigSo;
urna dita de meia idade; urna parda: na rua das
Larangeiras, n. 14, segundo andar.
Riscados monstros.
Vendem-se riscados monstros com vara de largu-
ra pelo barato prego de 300 rs. o covado ; na rua
Nova, n. 42, defronte da igreja da ConceicHo doi
militares., loja de Tinoco* Rocha.
--Anda xistem na loja de Joflo Donneley. na rua
da Cadeia-Velha, n. 16, algunsdos palitos de 3,200
rs. e tamhem alguna colletes do 640 rs. cada um.(
Vendem-se dous lindos moloques de 12 a 18
annos sendo um delles oflicial de carpina ; um pre-
lo de 30 annos ; urna negrinha de 12 annos; urna mu
Inunda de 16 annos com algumas habilidades : na
ruado Collegio, n. 3, se dir quem vende.
Vondem-so 3 molecotes oe nagAo, de 20 annos;
2 pretos de 20a 30 annos ptimos para o campo;
urna preta de 30 annos perfeta engommadeira e
rozinheira, e que cose soffrivelmente; urna dita
bem reforgada que he perita cozinheira faz doces
de todas as qualidades o refina assucar a qual se
acha gravidude 7 a 8 mezes; urna preta de meia ida-
de que eozioha bem cose soflVivel, engomma e
con pa muito bom na rua ; urna cabra do 35 annos ,
perfeta lavadeira e que he ptima para o campo;
bem como outros muilos escravos : na rua do Viga-
rio, n. 24.
~ Vende-se um pail do amarello, quo leva cem
alqueires do farinha muito perfeilo ; urna canoa de
canduzir agoa, em muito bom estado, 0 qua leva
7,000 rs d'agoa : na rua de S.-Francisco, no pa-
lacete at as 8 horsib
Vendem-se duaS casas na cilade de Olnda, urna
nos Qualro-Canlos, n. 20, e a oulra'em S.-I'edro-
Martyr, n. 18, em chfios proprios : na rua airas da
matriz da Boa-Visia, n. 52.
Arroz quebrado do Maranho,
a 1*200 ris por arrobfa.
Vendc-se no armazem que foi do f Jle-
cido Bragucz, ao p do arco^da C'oncei-
c3o.
' NTn ha nada tilo borato.
Vendem-se cortes de caigas de casimira els-
tica pndroes nnvos pelo barato prego de
5,000 rs. i na rua do Queimado, loja do so-
brado amarello I), 29.
A 5,400 rs.
d% cores muito
Vendem-se chitas di cores muito fixas a 5.400
rs. a pega c a 160 js. a retkllio proprias para escra-
vos ; lindas grossas muilo fu res urna qua i la por
200 rs. : na ma do Caes, loja n. 17.
-- Vende-se urna carroga de carregar pipas : na
rua lia Concordia,..ultimo armazem de tfiadeiras;
bem como una burrra hcspanhula muito nova1.
Conllnuam-se a vendar cilOs de vestidos de
i cambraia com lindas barras, brancas e de
I cures, a 2,000 rs'.; ditos mais linos, a 3,000
rs. ; suspensorios linos de meia a 100 rs. o
1 pai r a 1,000 rs. a duzia; meias compri-
' das para senhora azues prclas esverdea-
j das, mescladas, a ICOrs. o par, oa 1,800rs.
$- a duzia ; ditas para meninas al 8 annos a
*i 120 rs. o par c a 1,200 rs. a duzia : estas
u.eas silolSo baratas que val o Irabaldo de
I incurtii-las, para domem e menino ; 'boles
i de duraque e frunklioi para jaquetas de l'a-
I /elidas de lia a 40 rs. a duziu, e a 400rs. a
I groZa :no pateo, do t:rmo, n. 18, segundo
andar.
Para liquidaeao.
Na loja da rua do Crespo, 11. 5 A. ao p do arco do
S.-Anlonio vendem-so mantas ue gargo com tecido
de seda do muilo lindos padrdes, a 1,000 rs.,
propiias para meninas ; rlnlasde ramagens e deco-
res fraba. a lO rs. o covado e em peca a 4,000 rs.;
lengos para grvala de bom setim do: cOres, a 1,600
rs inteios ; pannos finos superiores prelo, verde,
azul e cor de caf, de i a 4,000 rs. o covado ; chales
de chita de cores escuras e grandes, a 800 rs. < ditos
pequeos, proprios para meninas a 500 rs.; corles
de col lelo de gorgu 1 lo escuro, a 200 rs. ; Uilos do
lu-tao, u 500 rs. ; merino preto o tino, a 2,500 rs. o
covado ; casimira preta minio lina, a 2,500 rs.; dita
preta dclistras'a 5,P00 rs.
Vendem-se, na rua da Cruz, 11. 2l,pcdrasde mar.
more franco/as para mesas redundas o consolos.
lgodo da trra.
Vende-se muilo bom algodflo da Ierra por prego
commodo : rfa rua do Crespo, n. 23.
.liilhu novo, a 5,300 rs. a sacea
No Pesseio-I'ublico, i(. 15, vende-se mlho muilo
Venifm-se na rua do Crespo, n. 11, os se-
guinles livros : Diccionario fiancez-portuguez, pelo"
captlilo Manoel de Souza, 2 v. ; dito portuguez fran-
cezefrancez portuguez, por Fonseca, 2 v. ; dito
por Constancio, em portuguez por 8, 10 o 12,000
rs ; dito de Moraeg 2 v. ; dito do theologia, pelo
ahbade liergier, 8 v. ; Mestrc nglez de Constancio ;
grammaticu ingleza do Re'go ; dila franceza de Se-
veneeMoiite-Verde ; lulo barato ; tambem se ven-
de o resto da bella composgaojnusical do papa Po
IX, a 1,000 rs. cada um.
Vende-se cha nacional, a* 2,000 rs. a libra : no
pateo do Collegio, n. 2, loja de livros.
-- Vendem-se machinas para fazer caf; bules e
cafeteiras de metal; um novo sorlimento de panel-
las, chaleirat o cassarolas de ferro forradas de lou-
ga; na rua Nova, loja de ferragens, 11.16, do Jos
l.uiz Pereira.
Vende-se 1- farda, 1 barretina com chorno, 1
banda pasta e canana para oflicial ou inferior de
cavallara : estes objertos inda nflo fram servidos,
e se venderflo baratos a VQiHadc do comprador:
n a rua Nova, n. 16.
dies; cortea le casimiras elsticas para caigas, a Isuperior, a 3,500 rs. a sacca de alquoire.
Vende-se urna preta crioula,
de 18 annos ponen mais ou menos, que cozinha, lava,
cose, o he muito boa quitnndeita: no paleo do Tergo,
n. 36.
=^Vende-se urna carroga de carregar pipas urna
burra hespanola e um quarlo de sella : nu rua da
Concordia ultimo armazem de madeiras.
Vendem-se algumas libras do uvas, moscateis:
na praga da S.-Croz, padaria de urna s porta.
Vondem-so uvas moscateis de muito boa quali-
dado: na roa da' Conceigflo da Boa-Vista, n. 20.
Vende-se urna farda nova, de panno lino .--Taita
para o liatalliao de v iluntanos : na travesaa do L-
vramento primeira loja do alfaiale 11. 2, das 9 ho-
ras em dianle..
Vendem-se 10 escravos sendo: 2 moleques de
12a 18annos ; dous escravos, sendo um delles coz-
nheiro; um dito do servigo de campo ; 6 escravas de
18 a 30 annos, de bonitas figuras, e com varias ha-
bilidades : na rua Oireila, 1. 3.
Sa rua do Queimado, vindo do Rozario, segun-
da loja, n. 18, vendem-se chapeos de sol, de seda ,'
para homem, a 5,000 rs.; ditos para senhora e meni-
nas, a 3,000 rs. ; lengos prelos de seda para grvala,
a 500 rs ; ditos de lila floridose com franja para hm-
eos de senhora u 500 rs. ; lengos de cambraia da
seda para graval* a500 rs.; riscados francezes, a
160, 200 o2t0 rs. o covado; alpaca de lindo a 400
rs. o covado ; lengos orticos a herios em roda para
mito de senhora, a 280 rs. ; corles do colletes do vel-
ludo, a 3,000 rs ; ditos de fustflo multo lino a 2t400
ra. ; lindas corles de casimira a 7/000 rs. ; e oulras
muitas fazendas por prego comino.lo.
Vende-se urna linda eicrava de 18 annos pro-
pria pora mucama por ser recolhida, e saber coser,
entornillar cozinliar e fazer o mus arrat^u do urna
casa : no paleo do Carino, n. 24.
Vcnde-se um morada de casa naja; travojada,
com un grande lolheiro no fundo o teTOno para ou-
lra igual casa 110 fundo da mesma com porlo de
embarque a desembarque propria paia rcslilagflo,
ou oulro cslabeleciment em ponto grande : ua rua
da l'raia-dc-S.-Rita defronle da ribeira, n. 15 bem
cumo pas de filtrar agoa.
No armazem de rancho do Sr. Rufina), na rua*
da Conceigflo da Boa-Vista, vende-se uina parda com
nina cna, muito sadia, que engomma, cozinha, co-
so, faz renda-, he boa lavadeira ; lio muito bu nilde,
para o que da-se conheciiieiilu nesta praga: vende-
se por barato pleg.
_ Vendo-so, por muilo commodo prego um si-
coro commodos para familia arvoredos de fruclo
terreno com suficiencia de so plantar o ter-se l
vaccas, com urna olariano mesmo sitio com bar
ro para toda obra e proprio para quem quizar tsi
alguna eseravos empregados pelas muitas propor
goes que ofTerece o sitio : na rua do Queimado
7, primeiro andar. '
Vende-se salitre refinado por menos prego n
que em outra qualquor parte : na rua da Cideia do
Recife, n. 56. .
Vende-se um eseravo martnheiro e canoeiro
de bonita figura : ha rua Imperial, n 65.
Vende-se um piano nglez, sem defeito, ptimo
para se'aprender : na rua Nova, loja de trasteado Sr
Pinto.
P. Caumont, fabricante de candieiros e door.
dor, com loja na rua Nova, n. 59, participa aos teu
freguezesque acaba de receber de Franga um bo-
nito sorlimento decastigaes, turbulos, navetas, cru-
cilixios e caldeirinhas de bronze dourado e de mui-
to lindos gostos os quaessflo recommendados para
igrejas, porserem de modelos proprios e de muit
duraeflo pela forlidfio eo bem Irabalhado da obra
por prego muilo commodo; e sendo que nSo se venda'
al o (m do correte mez de maio serflo remedidos
para o Rio-de-Janeiro para onde fram encom-
mendados.
No largo do Livramento, deposito
de charutos e tabaco, n. 34, vendem-se
alguidares vidrados, proprios para bi-J
olios de enancas.
Vende-se, por motivos, urna escravs de nigo
del8annos.com muitas habilidades entre ellas
daengommar: na Roa-Vista, rua da Mangueiri
p. 16.
Vende-se urna escrava crioula, de 17 a 18 an-
uos recolhida com algumas habilidades e quo he
propria para urna casa de familia : na travessa do
Sarapatal, n. 16.
-- Na villa deMamnguope da provincia da Para-
hiba do Nurte^tvende-se o engenho Pindobinha,
distante daquIW villa duas legoas onde ha bom
potto de embarque, o qual uoha-se moenle e cor-
rente fcilo lia 3 annos, com moenda de ferro,casa
de viyenda 4J0 purgar e do rngenbo, com urna
lcgo|de Ierra propria em quadro, 2 vertentes. bons
alagadigos, grandes varzeas de reg, tendo criada t
safra para rr.aHtde 800 pfles e querendo o compra,
dor tambem vendem-se bestas e bois com carro, pro-
prios e feilos ao servigo : ludo por prego commodo
a tratar com o dono do mesmo, naquelle lugar.
JNo largo do Livramento, loja de
urna port, n. 34, vcndem-se charutos,
rap, tabaco si monte, rolao grosso e fino:
tudo de boa qualidade e barato.
'Vende-se a fazenda de gados no lugar do Jua, 0 li-
goas ao puente da puvoa;au de Barra-de-Naluba, coia
tasas de lellias, cercado para junta, corral com meia
legoa de Ierra em quadro, parle da qual he lavradiae
de mulla producco, pol* serem serra, com lOOcabc-
t-.-is dejado vkciiiii entre grande e pequeos, mais de
outrai cen de gado oveldum e cabrum', um casal de ci-
craroa mocos, opplieados em vaqurjar rsses gados, no
que se tem portado com omito telo e vergonda, danilo
mullo lioa canta de dita fa/enda a sea tenhor, com agoa
permanente rin grande acude : vende-se ludo isto por
5.000/000 rs. i oioda, 011 prrmuta-se por escravos ou
predios nestaflfaca, 011 suas vitinliancas : trata-se com
seu proprietarlo Joaquini Alve Camello de Arauju Pe-
reira, em seu engenlio Macdados, terina de Igusrass,
ou com seu correspondente' Francisco de Paula Pervlra
ds Audradc, nesta pra9a, na rua da Crus, n. 50, primei-
ro andar.
No largo do Livramento, loja de
urna porta, n 3 deposito de chralos
e tabaco, vende-se fumo em lolha a reta-
Iho e a troco de charutos.
AGOA DR TINGIR CAIIEI.LO.
Conlinua-s.c a vender na 111a do Queimado, n. 31. 0
metliodo daopplicar, acompanda os videos.
-- Vende-se, no Chora-Menino 11. 3, por preto
commodo urna excellentu carroga e don carrinlioi
de ferro, de mo.
Vende-se um rcslo de gesso do melhor que ni
por ler vindo da Italia : ua rua estrella do Rozarlo
n. 8.
Vend e-se superior vinho Lranco da Madeira;
o armazem do Bacelar no caes da Alfandega.
*
Escravos Fgidos
. 1'ugio, no da 28 de abril, um preto de noane
Joio.de naglo Angola, de 19 a 20 annos, estatura
a lia chelo do rorpo bem fallante, que parece ser
ci ionio ; levou caigas de algodlo trangado azul j
rotas nos joelhos, camisa de madapolao ; ha no-
ticias que tem andados Roa-Vista : quem o pegar
leve-o a I'assagcin-da-.Magdalcna padaria SO f- ds
ponte, que ser recompensado.
Paula, parda de 20 annos bem disposta, lis
bonita figura com uns pannos na pelle do pescogo
e tumbom pelo peilos, cabellos cacheados, cor
natural de pardo ; anda colgada ; tem visos de for-
ra ; lie natura] du Cururipo, e l foi vendida a Cons-
tantino Comeado Carvalho de Porto Clvo, quea
vendeu a Antonio Leal d.i Barros, seu legitimo te-
nhor ; fugioa 18 da sefemuro do anuo passado,
seduzda por um emba -cdigo, do nomo Cosms
Hilarle llibeiio que fui para O Aracatv em um bar-
co de Jos Man-el Martins; o dito Ribeiro he filho
da Parahiba acaboclado e muit < queimado do sol:
quem a pegar leve-a ao l'asso-de-Camaragibe, a An-
tonio Leal de Barros ou a esta praga, a Manoel
Ignacio deUliveira.
No di a primeiro do correte, fugio-.'do sitio Bon-
gy, um eseravo de nome Filippe, criulu, bsizo a
yrusso cor fula, cabega pequena. rosto comprids
e ilsearnado, perns linas ; quando anda puxa um
tanto por um quarto;suppoe-se que foi pora as partes
da I .apa; levou camisa de riscado azul, caigas de
cor com lislras azues lencol novo do algodUoiinho,
e chapeo do palha. Itoga-se as autoridades policlaes,
capimes de campo e pessoas pftlieulaies, que o
apprehendam e recolliuui a cudeia desla Cidade do
Recife ou levem-oaO dilc sillo, quo sero grali-*
iciHos.
I'ugio, da case de Km. Bidoulac, em Ponle-de-
I'clida na madrugada do da 5 do coi rente o prelo
Jos, de nagflo Angola, bastante ladino,, de 35 an-
uos potreo mais ou menos ; levou caigas de riscado o
jaquotadtcr Itoga-se as autoridades polieiaes e
capitSes de campo, que o apprebcndain > levem-nu
a rua do Vigario, u. 4, que serflo beui recouipeu-
lio muilo perlo*da praca, com casa do dedra ecal,|r*UlN. ; >A TVP. DE M. f. va fahU Jqy
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4RCSIL2M_54V5ZC INGEST_TIME 2013-04-13T02:32:51Z PACKAGE AA00011611_06480
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES