Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06479


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'-
Anno XXV.
Sabbado 5
)
0 DLtMOpublleaietodios'dlaiqtieho
f orrm de guarda. O preco da assigna tura he
de-ijWOrs. porquartel, pagos adianlados. Ot
annuncios dos asslgnantes sao inseridos
ratao de 20 rs. por linba, 40 rs. em typo dif-
ireme, eas repelieses pela metade. Os nao
asignantes pagaran 80 rs. por linlia e 160 rs.
en> typodifl'erentc, por cada publlcacao.
PHASES DA LA NO MEZ DF. MAIO.
La chela, a 7, s 4 hora e 47 min. da manir
Mingoante, a 15, sSllorase II tilia.da inanh-
La nova, a 22, s5 horas e 17 mln.damanh-
Creicentc,a28,s91iorat c 4 min.da tard.
m PARTIDA DOS CORREIOS.
Golanna e Parahiba, s segl. e sextas-feiras.
RIo-G.-do-Norle, quintas-feiras ao mcio-dia.
Cabo, Serinhem, Rlo-Formoso, Porto-Cairo
Macei.oso 1. a 1 i e 21 de cada mez.
Garanhuna e Bonito, a 8 e 23.
Roa-Vista e Florea, a 13 28.
Victoria, s qulntas-fciras.
Olinda, todos os das.
PRF.AMAR DF. HOJE.
Primeira, s 2horas e 54 minutos Segunda, s 3 horas e 18 minutos da manh.
de f ai o de 1849.
H. loo.

1HA8 DA SEMANA.
30 Segunda. 8. .Catharlna de Sena Aud. doJ.
dos orph.,do J. docivel e do J. M. da2.v.
1 Terca. s. Phllipc e S. Tiago.
2 Quarta. S.Ataoazlo. And. do J. do c. da 2.
t. e do J. de pat do2. dist. de t.
3 Quinta. Inrenco da Santa Cruz.
4 Sexta. K. Monica. Aud. doJ. do clv. c do
J. de paz do 1. dist. de t.
5 Sabbado. S. Pi. Aud. do J. do lv. da 1.
v. e do t. de pai do 2. dist. de t.
6 Domingo. Maternidad.- de NoiSB Senhora.
CAMBIOS NO DA 4 DE MAIO.
Sobre Londres a 26 d. por l/i H) i rs. a 60 das.
Paste 355 a 360.
Lisboa 100 por cento de premio.
Kio-dc-I.anoiro ao par.
Desc. delett. de boas firmas a'/s % ""
Accerda comp. dcBeberibe, a50(f rs. ao n.
Ouro.Oncas bespanholas. 30/800 a 31/000
Modas de 6/400 v. 17/2GO '7/401'
. de 6/400 n. 16/200 a 16/40"
. d 4/000.... 9/J00 a 9/400
Peala-Patacoe* brasilciros l/)80 a 2/000
tesos colutnnarloi. 1/980 a 2/000
Ditos mexicanos..... 1/880 a 1/900
IARIO
PARTE OFFICIAl.
MINISTERIO DA JST1CA.
Decreto de 16 de abril de 1849, reconduxindo o con-
N ccllielro detemburgador Joo Capistrano Rebollo no
'lugar de presidente da relaco do Maranbio, por lempo
de 3 annos.
dem idea, iaiendo merce a Joaquina Jos Paos
Sarment da serventa vitalicia dos ollicios de tabelllo
publico judicial e notaseeteriro docivel, crlme.de
orphos, capellas c residuos da villa da Barra-do-Rio
Negro, no Para,
, dem dem, removendo o barbare 1 Joaquina Fer-
nando da Fonseca dos lugares dJuix dedirelto da cn-
iarca de Curaba e cliefe de polica da provincia de Mat
lo-Groito para juiz de direlto da 7'comarca da provin-
cia deS.-Paulo.
IJrm de21 de abril, icmovcntlo o bacharel Anto-
nio Horges Lea* Castello-Hranco do logar de juli dedi-
relto da comarca de S.-Goncalo, no Plauhy, para a do
Krrjo de Ara, na Parahiba.
GOVEHNO DA PROVINCIA.
Illm. e Exm. Sr. Tenho a talhfaco de communi-
ear V. Exc. que esta provincia se acha tranquilla.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do gorerno da Babia,
1 de maio de 1849. Illm. e Exm. Sr. presidente da
provincia de Pernambuco. Francisco toncalvti Marlim.
Illm. e Exm. Sr. Tenho a honra de communicar
V. Exc. que esta provincia contina a gotar de perfeita
tranquillidade.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do governo em Macei,
3 de malo da 1849. Illm. e Exm. Sr. cnncelheiro Ma-
iioel Vleira Tosta, presidente d provincia de Pernam-
buco. O presidente, Antonio fiunes de Aguiar.
THESOIURIA DA FAZKNBA PROVINCIAL.
Vemonslragao do laldj exilenle na caixa do exercicio~<
pudo em 30 de abril de 1819.
enm urna imprenta desenrolla que s .canearas tusten- paes em tribunal censor, ou lscalisador dos actot da
tara o direlto de resistencia, e concltava ai massas: sullb- t administracao provincial : prescindamos de prevencrs
cou, porcm.a eita, e agora est|deseinbaracado, livre em e ideias de partido, encaremos ns cousas debaixo de seu
sua accao, e forte de poder. j rdadeiro aspecto ; nao queiramos asaiin caminhar cc-
Hem o disse eu em dezembroque o movimento pral- gimentc para a confuo e anarchla. Vejo muilo relaxa-
tiro velo dar mais larca e vigora ministerio ; e per- das as molas desse nosso organismo.. Quelra Dos que
l-n !ii.\<-,iil il'iUi -i it n 11 i I imi'ii I .\
nitta lieos que coin tao tremenda licao tiquein nos-
sos partidos polticos ( polticos ?. .. ) bem amestra-
dos e abandonen! para sempre o fatal recurso das ar-
mas.
nao proceda d'ahi aulquilamcnto da sociedade.
Quanto 4 S.-Paulo, a Ilustrada administracao do Pi-
res da Molla tein neutralisado at a ira de seu* inimigas
pessoaes ltimamente houve ua asscinblc.i provincial
Saldo em 31 de marco p. p
Receita do corren te mez.
Degpeza do correnle mez ,
-v -$
Em
cobre
notas ,
13:201,812
.3:204,812
1:065,310
Saldo 12:139,602
........ 9,602
........12:130,000 12:139,602
Tkoma Joti da Silva Guimo Jnior,
luis de Pinho Jorges.
= 81
9 r^ j
me* o
nf> jj.
S" <* c">
CO I 0<
-* r*
SO t~
CQ o*

->!
rs "9. *
(O
!
s
8-2 I
1" i
^of
o !
m
o
o
311
O
1|
< o
> o
o
os et
2 I
I
2
R
I 5
i
*2S
o> o !
o O CJ ? I
sans;
- I

i
3|
4
3
9

?
E

3
" te
I'.,:

s
Sfc
_. O
"o
vs
g-f
ai
I
4
Aiii
> ai
"a. -
"
do Rio-Fonnoso, Custodio Guimaraes. Aqu occorre-me
urna observarlo. Nao tenho vista a le de 3 de dezem-
bro ; mas parece-me que ella dlspde que devein consi-
derarle extlnctas as varat civeis em queje der vaga por
uiorte ou remocao do juiz respectivo. E se me na en-
gao, o ministerio Verguelro fui censurado pela oppo-
sico de ento por ter obrado em contrario a isso. Ora,
so assim he, crelo que se vlolou a lei ; inasr tendo sido o
Euzebio um dos fautores della, e devendo saber brin
qual he o seu espirito, nao duvido que baja engao de
ininha parte ; tanto mais que a imprensa da opposico
ainda nada disse a respeito, o que prora'que o acto nao
ful Ilegal.
Por decreto da mesma dala fol nomeado desem-
bargados para a vaga que deixou o Nunes Machado, o
bacharel Antonio Thomaz de Luna Freir.
No Jornal de 15 do cnente publicou-se a remocho
de varios julses municipaes, cujos nomes nao mencio-
liare!, por desnecessario, visto nao ter de Pernambuco
tenn uin, o de Konito, do queja ahi derem (star intei-
radoa.
0 nosso enviado extraordinario na curte da Rusta,
Paulo Barbosa da Silva, fol removido daquella para a de
Vicnua de Austria.
F.ui virttide da aposentadora, concedida ao bario de
Cayr,- de ollicial-inaior da secretaria de estrangeiros,
fui nomeado.para o substituir o olncial Joaquim Mara
Nascentes de Arawbuja, que j se achara serviudo in-
terinamente.
Por falte cimento do oflicial-maior da secretarla da ina-
rinha, Manoel Garneiro de Campos, pasin taiubem a
ellectivo o ollicial-maior graduado Francisco Xavier
Bomtempo
As ultimas noticias que temo* do Etpirito-Santo dam
not por tuttbcado a isurreiciio que te manifestara
alli.
Ai dalas que temos de Buenos-Ayret tao de 5 do cor-
renle, trazidat pelo vapor de guerra Alecto, quaxegiie
para Inglaterra. Nada dizeui de inleress*: apenas al-
gumas cartas particulares referem que o almirante
francez ainda alli te achara, e tinha aceitado um pro-
jecto ile tratado oll'ererdo pelo general Rotat, o qual
era remettido pelo .ltelo para ser submettido appro-
vaco do seu governo.*
lie espantoso o numero dt* Californias( assim chamam
aqi tos americanos e mais estrangeiros que eiuigram
para o pas daquelle nouie } que ulliinameiitc leciii pas-
tado e demorado aqui.
De l3i embarcacet que ao mez pastado tahiram em
viagem de longo curso, 34 te dlrigiam qurlle paii ;
sendo que tmente dita* destat sahiram propriauenle
do uosto porto ; at mata de patsagein aqui tocaram pa
ra faier aguada, e refazertle de alguns gneros, o
que por certo nao deixou de dar maior animaco ao
uosso mercado. A emlgracaa actualmente, para aquella
parte da America, be a mais extraordinaria que se teiu
visto segundo me informain sobe ella ja, emtopouco
lempo, a 100 mil almas I Toda rasa gente va cavar
ouro ou buscar ouro ; e por Itto ilIVonlain viagens dif-
licultosas, subaeitam-so a mil Moininodos c privacocs,
Inditpeusavels em um paiz em que os recursos uo cs-
tavaui dispostos para uina populaeao tao crescida, ex-
poodo-se at s consecuencias de urna epidemia qual
quer, que pode detenvolver-te pela accuimilacao de fa-
milias diversas, nao aiteitas ao clima... l:em dizla 04
poeta latino : quid non morlalia pecora toga, ncrafamei
auri! E os anligos sabiain muito mais do que nos l!
Este nosso mundo be do ouro, e o que nao fr de ouro
nada vale.
- J. -i 1 3 I 1 KIUIIIV I I limx ^i.r\, > J 1 I* l'ium .,.!..
Por decreto de 14 do crtente fol remrido o Urbano urna discustao um pouco calorosa, e alias Importante,
dejult dedirelto da primeira vara civel dessa capital. motivada por mn requerlmento do Dr. Brotero, que
",a i' '>ara,1,l>*i sendo subsltu|do pelo juiz do civel peda ao governo da provincia cxpllcacdes sobre dcmis-
soes de certns nfilcaes da guarda nacional, e a raiio
porque linviam ido demando*.
O deputado Mlveira da Molla (mano do que ah fui se-
cretario) muilo se destinguio nessa discussao, comba-
tendo o rcquerimrnlo, e negando asscinbla o direild
de pedir ao presidente a raso de seus actos. O debate
havla cahldo 110 vasto ocano da poltica geral, e como
tivesse viudo discussao o pi notio de cada Aia da oppo-
ticao, (negocios de Pernambuco) elle exprobrou t etta
seu compurtamento, por adherir s ideias dos revolto-
sos ; e muito hem censurou a manera por que a m.no-
ria (a asposicao etl em maiorla na assembla provin-
cial) havia respondido coiumunieacao que hVcra o pre-
sidente do triumpho da legalidade no da 2 de feverei-
ro ; lato he, que era recebida coin eapecial agrado na
forma do regiment.n O governo, diz o orador, vos prt>-
porcionou nina occaslao solemne de justilicardes o par-
tido da opposicao da inputacao de tolidai'iedadc coin o
rabelliau de Prruainbuco, c vt a perdettes : e se vos
regeitait a cumplicidade da rcbelliu pcriKinbugana,
porque nao rrlribuittcs ao governo as congratulacdes
que elles vos dirigi ? Nao era esta occaslao opportuna
s
a
&3T S
s
s.
9 B
- u. *
8iiS'-
E
tal
INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUCt
Kod+Jantiro, 23 di abril di 1849.
A familia Imperial contina a estar em Prtropolls : o
Imperador re para a cidade todos os tabbados de ina-
nhaa, para dar audiencia, e rolta no domingo s raes-
mas horas.
O vapor Pemambueana, ue dahi sabio no da 2 do
correte, aquiahCgmi na tflUhaa de 18, havendo depois
IlahTa arribadsQq
No teu importante retlrotpecto continencia! fat o Jor-
nal do Commercio abrumas conslderacfies em referencia
ao decreto de 27 de fevereiro, que mandn observar pro-
rlsorfamMte nat alfandegas'do Rio e Babia os norot re-
gulamenlot tobre despachos por factura, consumos,
ararias c dainos as mercadoilas, redigidos pela coin-
misso nomrada para reformar o regulamento das al-
fandegas ; na confeccio dos quaes julga ter-se tido em
vista principalmente os interestes do fisco tem inereoe-
rem grande altencao oa do commercio. Sauccionou-
se, accrescenta, em grande parte o systema de dilacSo,
de desconlianfa e de veamos que tanto pesam sobre as
transaecos inercaiilis, 4 futo se deu um passo lio verda-
dero camlnho do progresa*), a Porm o carcter provi-J
sor o que o governo deu a esse regulamento rerela a
sua intencao : quer que a experiencia aponte os defei-
tos para ento seren corrlgldos, deixandn que a prtica
de alguns mezes.demonstre a inconveniencia ou injusti-
*a das disposicOt delle.
At noticias que temos de. Minas e S.-Paulo diio cssts
duat provincial 00 gozo de perleita tranquillidade ; e
potto v primeira inoitraue a iinprensa alguma irri-
ta9o de animo, nenhuin leceio havia de que fnste ella
alterada em ponto algum. Em rlrtude da deliberacao
do governo geral, mandando suspender a cxocucfio da
lei provincial que d vilaliciedade aot ofticiaes da guarda
nacional, o presidente Soma Ramos demittio l um co-
ronel destlegto e nomeoii outro. O deuaitb'do, que he
um tal Virialo Olympio t.'atao, respondeu coin alguma
iqtoleuda ao presidente dizendu que bem poda retislir
ao acto deS. Exc, mat que, conhecendoo flu que havia
amada de votsos correligionarios de Pernambuco ?
Alyvni Membra* da MaiOria: Nt deploramos os
aconteclmentos de Pernambuco
O Orador : He preciso que nao os deploris smeme:
he preciso que os reproveis altamente. Masnem mes-
1110 agora queris dar um slgnal de rcpjovaeao, apeiar
de eu vos proporcionar esta ocasiao solemne para vos
justilicardes? Acha^s porventura que seria desusada
urna manifestacao destat. a respeito de successos polti-
co* da lana importancia? Em 1834, quando o governo
franco/, fazia bombardear I.yao, unu das prlncinaes ri-
dades manufaclureiras do reino, as cmaras legislativas
estavam reunidas : e sabis qual fol n sen comporta-
ment? Ambas ai cmaras em corporaajn, levando seus
presidentes frente, dlrlglram-se ao tfirono do re, e fi-
zeram una manifestacao de reprovacao dos inovimentot
revolucionario! de Lyo, c ott'ereceram ao seu governo
todo o seu concuo moral.
Em verdade dereria ter eise o comporta monto de to-
da e qualquer opposJcao que dssesse constitucional;
mas entre nos tem acontecido o contrario; os-nossos
partidos teem tomado por norma 111 varia ve I dizercm
sim quando o governo diz nao e vice-versa.
ltimamente suscitou o Mercantil unta qiieslo que,
no met entender, he a mais importante de quanlas elle
tem discutido. Trala-se de saber se a elejeo que se tem
de proceder deve ser feita pela qualncaco do anno pas-
tado, 011 pola actual : sustenta aquella folha, e em ar-
ligos nimio bem eicrlptos, o rom rasos muilo bem de-
duzdas, que a primeira hypolbcse he a vrrdadelra, dc-
duiida da expess5o da le. A queslo est pendente,
anda nao fol resolvida pelo governo. que nao se como
entender a lei- Esta, (a lei) he tal que,resolva-se a ques-
t.-io 011 de urna* ou de outra manera, o acto pode ser jus-
tificado coin a disposicao dol 1.
No que, entretanto, dou raso ao Salles, he na queixa
que faz de nao rrsponderem coin decencia ao seu pain-
phlct, e desmandarein-se esa descomposturas sua pes-
soa. Na verdade um jomadlo que diz querer respon-
der-lhc, dcsenvolveu um inimenso prembulo, em que
conta quem foi a mal do Salles e o pai, padre assassi-
no que produslo somelliante ente. Eit 7'iminitro, diz
o jornal, fiquem lodos o conhterndn eamaldicondo teja
aquelle que. pistando por rile, n4o Ihe rurpr na cara. De sor-
le que eu me confesso amaldicoado; porque, tendo en
contrado c fallado muilas veirs rom o Salles, nao Ihe
cuspi na cara, porque seria preciso estar louen para o
l.i/ci Ora realmente isto nao he decenio.
N<* roneluirei esla sem fallar-lhes de urna caria que
um ollicial, F. Raphael de Mello llego, que ahi servio
de .liad une de ordena da presidencia, dirigi .10 Urba-
no, desaliando -o a discutir pela imprensa sobre os ac-
conlocimeiilos de Pernambuco, assuuiindo cada iuji a
responsabilida'de individual, firmando os artigos com o
nomo por extenso ; e como aquelle Ihe nao rrspondesse.
fe-la elle publicar no Jorni-i/o-".>mmrri-i.>. nr ,-, vn
mais formal que tenho visto : sintoquo srja essa carta
extensa e nao a potsa transcrever aqui. Parece-me, e
coniinigo pensam lodos, que muito nial llca n l'rbann
recusando nina discussao seria como estn para que foi
convidado. A caria he escripta em eslylo milito decen-
te, e concebida em termos graves : arho minio notavrl
a manera por que o sen autor quer convencer aopro-
prin Urbano que S. S. nao 1-c quem escreve os arligns
do mercantil.
Os amigos to governo .-ipid.-iudiran mullo a. lembran-
f'a do desafio, e os tuziai learam irritados pelo arrojo
coin que mu simples segundo (cuente, csludante da es.
cola militar, quer discutir coin pessoa to superior a
elle. Eu no quereria estar na pelle do tal lenle coni
de manifeitardei ao governo que a rosta opposicilo he [estes de/. 011 doze jarnaes pequeninos, como elle Ihes cha-
piir.aueiiie conslilucinnal, e que reprovait a resistencia I'" te sabir da ItaHT arrlbadaSquelle porto para reparar
certo detarranjo que loitreu no inachinlsmo: Irouxe-
ii os a importan le noticia da priso de Uoraes.da Fon-
seca, o que causa*) grande alegra aos amigos da or-
den) ; pois le fra de duvida que a rVvolta est mora
rbem mona. Oproprio Hercantil que, no tocante aos
negocios de Pernambuco, era a incredulMade perso-
nificada, parece j ter perdido todas as suas douradat
illuses, e, contestando aquella priso, acredita termi-
nada a guerra dril, faltando-lhe uat do cheftt muti
aetivot ( de maii nao. Que famoso epigrama rerolta !
o chefe de taott lino 1 Nunca espere! que o Ar-
um cerlo lempo duda.
Nao lei entretanto cenn entender o governo a lei.
O Salles Torres Hoiiiem appareceu novamente pelo
If.rcaalil, em um xlensissimo artigo, sb aeplgrapbe
de provaca-lo a isso. ceda protetlando contra a viola-, quando quit que houvetse quallucacOesannuacs, tem
cao da Icl jjue Ibe garanlia o posto vitalicio. .lf*>ndo vm ceito lemvo duda.
que o gorerno obrou muito bem mandando suspender
a execuco da le : em urna das minhaa enras-passadas,
dando noticia da promulgado dessa lei, eu diss* logo
que a assembla provincial mineira exceda as atribui-
coes conferidas pejo acto addicional, legislando tobra
material da competencia dos poderes geraest e nao
convem que pastem laes precedentes.
Urna das cmara munleipaet, por ene motivo, diri-
glo-se ao pretidenla) faiendo-lhe adinoetlacdet, Indl-
caudo-rhe o caminho que devla teguir, e como que o
chamando ao cumprimento de teus devero* : o A#reun-
Longo tcrla expor a|ui as valiosas rasdes em que am-
bas as oplnlSes te fuadam: se.porem, lora e o gover-
no, sem o menor rscrnpulo determinara que a elelco
fOsse frita pela quallficaao desteanno; porque eslou
convencido que asslig, ainda quando podesse nao estar
de aecrdo coin a palavra da le, ficaria em harmona
coin a mente do legislador, e espirito da lei. Diz o arti-
go em questao : no caso de dissolncao, proceder-sc-ha
a eleico ptlaquatificacao ullimamrnli feita.
Dlzem os qu siislenlam a opiniao contrara ininha,
afl'errando-se ao adverbio iili'mamtnle: tendo sido a
cmara dissolvida em 18 de fevereiro, tempo em que
qualilicaco nao eslava concluida, he claro que a ultima
he de Janeiro passado : logo a deslc anno nao pude ser-
vir. Essa raso faz-me recordar a anedoctn que se conla
de certo advngado ingles: a lei diz, arguinenlava rile,
ijue he criminoso o homein que catar coin ditas uinlhe-
res; mas o ihou cliente casou coirl tres: conseguinle-
inenle nao est na lettrada lei, e no pode ser crimino*
so. Ncsse vicio cabem aquellos que s sabem entender
as Icis i><> lilteris, sem atteuder ao seu pensamsnto.
A lei o que leve em vistas foi evilar que se lisesse
urna qualificaco especial no cato da dissnluco por-
quanto, sendo aquellas annuac e peridicas, pelas rasoet
que sao de simples intuico, reputo o legislador que
em malo,-poca regular das dissoluces era ocioso
fazer-se nina nova qualificaco em que os partidos te-
riam mais ilcrciseein nfastar da urna eleiloral ns seu
contrarios Esse pensamento he eminentemente libe-
ral, o Mat, dir-me-ho, a lei he imprvidenle. pois que
nao considera que a cmara poderla ser ditsolvidaem
Janeiro ou fevereiro, como agora se d Concordo nis;
so; concordem, purera, igualmente que isso nao sera
motivo siillioiente para destruir-se e violarse todo o
espirito da lei; porque assim ficariam inhibidos de vo-
lar as eleiedes, n que se ha de proceder lodos aquellos
que de Janeiro do anno passado para c se lenham ha-
bilitado, c tenham sido qualificados neste anno; oque
por cerlo destroe o pensamento que tvc o legitlador
Todava, elle fe bem, porque pelo menos o silencio
do Urbano importa a uielhor rrsposia aos artlgos do
Mercaniil; e prova que elle, posto seja o autor desses
ai-ligns, 11:10 ousa moslrar-se como tal por ter couscien-
ciaque icniescripto falsidades.
dem, 24 de abril.
Aprcsse-ine a deilar 110 confo a que honlem escre-
vi, persuadido que o Bahiana sahisse na madrugada de
boje, como se havia annuiiciado ; no eolanlo que pe-
los jornars desta manlia vejo que houve transferencia
de sabida para as 4 horas da Urde.
Qaall que poderla dispensar me de escrever mala es-
tas linhas, porque muilo poueo tenho a additar ao que
j disse : salvo se pretender fallar em boatos que di-
zem respeito exisleucla ministerial, o que de alguma
lorie nao ser fastidioso paraos tritures.
Assim i pois, direi que o Mercantil de hoje, louvando-
se em taes boatos, procura dar-lhes vulto dizendo que
as rtvrioeot dos mluisterlaes do-lhc frca, e o silencio
dos orgos inuitleriaes fatem naacer tuapeitas ; e en-
to pede rspllcncoos. Como podeiia, porm, a Im-
prenta mioliierial ter-se oceupado coin isso se tao di-
rersas sao as edices, e alias pouco correntes ?
1* edico. O ministerio ser modificado, sahindo
os don-: vise ondes. e entrando o Paulino e Honorio ; (he
rdiro liiuito antiga, e agora reimpressaj
" edico. O ministerio completa-se, entrando o
llollanda < avallante para a pasta da inarinha, para
acoiiipanhai S. M. na viagcui que prelendc fa/.er agora
a Pernambuco, locando na Babia, onde se demorar
por poucos das ; (he vertao nteiramonte nova, cjde nao
muito ntida iinprcsso.)
3' edicao. O Ministerio dissnlve-se. Essa he a mais
antiga de todas ; tein sido rcimpressa mais de dez ve-
res. .
Edicao ininha. 0 Imperador nao prelendc ir agora
a Pernambuco ; o ministerio ser o mesmo, c conti-
nuar a viver como dantrs, dando pouca importancia,
s lluses, mais ou menos lsongeiras, que a niagna-
cao dos partidos cosluina crear. V-se que eu discord
iilriramrnte dos dentis inipressores : o futuro mos-
trar quem foi o exacto.
Pelo 7Vido-oi-Sanlo, entrado netle porlo no da 21,
lemos noticias do Rio-Grande at 14 do correte, c de
Saula-Calharna al 8 : ambas gozavam de tocego. O
Jornal do Commercio referndose i primeira dit : As
ultimas noticias do presidente davam-o em y-l.abriel,
onde encontrara o cxeicilo para passar-lhe revista. S.
Exc DO leu regreito para I caplin fora aonneao de
S.-Viccntc examinar o deposito da cavtlbada i era es-
perado em Porlo-Alegrc no da 20. Da fronte-ira de San-
ta-Hoi-ja Timos carias al 22 de marco, ^inha all che-
do o illa 13 um ollicial superior do Paraguay para
Ter nina entrevista coin o presidente da p.ovineia : con-
seguido o sen fim, rcgrcss.ira no da |b a Assumpeao.
0 oroncl Delegardc tinha sabido Igualmente de Sanla-
Iterja para o Paraguay.
Ouanlo a segunda Iranscrcvc o inclino Jornal um
aria dando conla de um desaguisado biv.do entre
da cidade e UM r.ili/oini Libello do Povo. Faz inuilai citacoes para provar que.
ein todos os lempos sempre foi permitiido oocuparem-
teoietcrlploreicoiii vida e cosliinies dos reis : coinx
pila ViUmain, Duvergiir d'Uaurenne, at carias de Ju-
niui ele, que apretentam como excmplos o que se tein
dito at da raiuha Vlclpria. em Inglaterra, o palt cls-
tico da monarebia. Nao contesto que asilm tenha. n-
cantil tal ditseite. l<7 aqui transcreveu o oflieto. applaudlo ene proced- coulecldo ; o que conltito he que seja necessario ensi-
Looga deve ter agora rida do roinliterio. De alguma memo, e acnnaelnou as demais cmaras que nse.sem I nar tato ao nosso povo : ena nossa mana de querermos
sorte te achara elle de bracos amarrados, lutando com 00 tro Unto. 4jR*JU qizera que me inottratsein a le I farero que faxemos outros poros, De que nos na de ma-
a rebbria mal* forte do que ao principio pareceu,' ou dispoMcto UajgPlira que erija as caaaarat munici-ltar.
habitantes
ne
fie
pz lernio ao conflicto.
os
o
gocio a poni de correr rungue de ambss os Udos e
ar mono 11111 desle. A inlervencao da tftrea publia
so. Daquella pr......v... ., ,---------------",.
dial: d-nos noticia de Kr sabido dalli no din / o im-
perador.
Os ornaes do Rio-Grande, referindo-se a canas de Bue-
nos-i yres, dlzem achar-se all o ex-depulado neg Mon-
Cpublcaram-sc ltimamente tres despachos de barao,
sendo que um delles, Jos Manoel Fernn de I erelTa
fot no uno passado candidato do fiM *"" "
ncipa!, e tanta sra .offreu, <|uc sahio primeiro nqs.
- Dua. palavra'. trmtndro -, fxitUc^iido osen ~ ^Fol'ionJtaaaJa, pelo prlineiro Wl*n4!^^)*SK
uicipal da segunda vara, a.pronuncia jonlrao Dr.Jotc
Thomaz dequlno, pela laltineaelo do testamento do
finado Miguel Gneales. darsuccessor ao ac-
''^Ide'ne-rC.a.oucoJnd^m varias pe.-
tual
soas
pie
mas, nomo enienaVr, icm fundamento.
HVdr^.c^ranios aqu o vapor do norte.
r
la.





PERNAMBUCf.
ASSEMBLKA PROVINCIAL.
SESSAO EM 4 E MAIO DE 1849.
Presidencia do Sr. Sousa Ttixeira.
SnMMARIO.KiFEbiiNTE. Approvac* di um parecer
da eommiuo di leglslaciio.ttiquirimento
do Sr. lote Catlano tle Medeiros. para t/nc
ti prcain i'jri'.'U informarais ao governo. A-
diamtnto dille requirimedlo a pedid do
Sr. Mendrs da Cunha.Sahida da deputacao
cucarrcgadatlc cumpriiQtntar o Exm.presidia-
ti d ra do nu diicurio e da ritpo.ila di Ai. Exc
DitcuitaO das posturas da cmara municipal
do llecifi al o arl. Ibdolitlulo i.1'
Ai 11 horas e Vid1 uianhaa, fcita a chamada, vcrifi-
ca-sc acharoin-se presentes 27 Srs. deputados.
O.Sr. Prtsidenti declara aberta a sesso.
0 Sr. 2. Secretario l a acta da scssio antecedente, a
<|ual he appruvada.
(I Sr. 1." Serrelario iiienciona o seguinte
EXPEDIENTE.
1 ni requerimrnlo de James Crablrec |& |C, pedin-
10 qu e a assemblea mande a thesoiir.iria da fazenda
provincial pagar-lhcs a quantia de 4:340,550 rila, mc-
tade da soturna ile 8:693,0119 retaque a fazenda provin-
cial devia a Jus Antonin l'rreira, e boje leve aos sup-
pilcantes.A' comuiissao de orea nimio provincial.
Outro de Ale,.indi mu Ayres da Paixao, professor pu
lilini ilr [iiiinrii s lettras da povoaco de Paralbe, pe-
dindo assemblea a graca de Ihc conceder licenca para
11 iijii in i ir ai aula da academia de Olinda, detxando ein
cu lugar, durante os me/cs los trabadlos acadmicos,
una pessa apta que o substitua, approvada pela cma-
ra do respectivo municipio.A' conniusso (le iislrue-
cao publica.
Outro do profossores de primchas lettras desta ci-
dade, pedindo a revogaco da le provincial n. 1!K5 que
creon a caixa de economa, ou socorro da provincia.
V commisso a (|Uo fol remettido o projeetn u 4.
Outro dos emprrgados da cmara municipal desta
cidade, pedindo a revogaco da lei provincial u. 196 que
creou a caixa de economa ou snecorro da provincia.
A'cuiitmssu a que fui rciucttido o piojccto n. 4 deste
ano,
Fol lido e approvado o seguinte parecer :
| [ A cninmiasilo de legislaran, leudo rellectido sobre
o requerimento de Antonio Mximo de Marros Leite,
professor de primeira ledras da cidade de Goianna, o
qu.il pede que esta assemblea lite mande pagar a gratn-
cacao concedida pela lei de 15 de ouliibro de 1827 desde
o anuo de "1841, lempo em que elle completara dozc
annos de servico, ala 1846 ein que elle cominecou a rece-
ber a dita gralificaco, convonceu se de que o peticio-
narlo nao teni rasao e juslica ; por quanto, ruudaudo-se
elle mu que a li i provincial de 18 de novembro de 1846,
como lii explicativa da le citada de i5de ooluhro de
1827, est no caso de ter efioto retroactivo atea data da
le que explicou, achou a eoiniiiissu nao er verdadei-
ra e conveniente esta rasan ; pelo contrario, tem ella
como nina verdade inconcussa queale de 15 de outubro
de 1827, sendo uina lei geral, c por consegninle seinap-
plicacfio, depuis do acto addicional, a objectos proviu-
ciaes, o art. 10 d.iquella mesma le nao se pode conside-
rar ein vigor senao depois que a lei provincial de 18 de
novembro de 1840 ndoptou a sua disposicao, e fez del I*
ama disposicao provincial, pelo que he depois da pu-
blicaran desta lei provincial que devidamente ae deve
considerar exijtr o beneficio da gratificacio correspon-
dente i terca parte do ordenado para aquelles pro-
lessores que contaren) 12 annos de servieos, e eslive-
rem na condicocs da citada lei: portanto he a com-
mi -s.tr de legislacao de parecer que a pelicao seja inde-
ferida.
Sala das comuiisses da assemhla provincial, 4 de
maio de 1849.l)r. Itaptiita.liutrra. a
As ll horas c trrsquatlos, sane da sala a coinmissan
que linha de ir felicitar a S. Exc. o Sr. presidente da
provincia pela pacilicacao da mesma.
He ldo e apoiado para entrar rm discusso, o seguin-
te requerimento:
o Requciro que se pecam ao governo as seguntes n-
formaces :
.. Primeira. O que deu lugar prso dos distribui-
dores do Diario-!Sovo no dia 24 de abril prximo passado.
Segunda. Por quein fol decretada a plisan destes
individuos, e por que manrira fo executada.
_ i. Terceira. O motivo por que foi preso o Sr. deputado
Cordeiro depois de ter tomado aasento uesla casa, e o
Sr. deputado supplentc ITmbclino Femeira Clao. -- Jo-
s Callana di Medeiros.
He adiado para amanha a requerimento do Sr. Mon-
de da t'unlia.
fiel de tae sentimentos, nao offcreceise .1 V. Ec. urn
voto de seu profundo reconhccmeulo, c e nesta oc-
casiiio nao exprmisse taubem as sympathlas que todos
os habitantes deta provincia votaui ao exerclto c ina-
rinha nacionaes, cuja fidelidade e bravura na defensdo
do throno, da lei e da liberdade, ao inclino lempo que
auxiliaran! eflicaiuiente a sabias e patriticas medidas
da presidencia, deram tamauho lustre ao soldado bra-
ileiro.
lie esta, Kxm. Senhor. a iiiisso que a meima as-
aembla nos encarregou de cumprir, nomeando-nos pa-
ra i ni depulaco solemne vir depr as nios de V. Exc.
a exprrsso de tan espontneos seutimentos ; inisso es-
ta que nos he particularmente tanto mais grata, quanto
em aua sigoificaco se coiiipreheudem lambeiu os aen-
timentoa que pessoalmenlc nos animain para coni V.
F.xc. ,-ciijos rrlevanles servicoa em prol deata provincia
nos aabemos reconhecer eapregoar.
I.ogo que o Sr. Maciel Monteiro acabou de'fallar, o
Exin. Sr. presidente reapoudcu-lhe nos seguinlea
termos t
tSenhoren:
i O dia de li"j#he o mais venturoso dos de toda a mi
nha vida, porque he aquellc ein que o Ilustres repre-
-iiii ni i(la heroica provincia de Pernambuco, prestan-
do o mais solemne testemunhn do sen subido aprejo
pelo restabelecimento da ordeui e da paz publica, o pe-
la inanuteneo do throno e das inaliluiedea do palz, ae
diguaram associar meu nome aos nomos de tantos c
tao ditinetos cidadaos, s glorias do exercito e da ma
rinha nacin es, que tan nnbrenienlc se eiupenharaiii na
(lefeaa de una causa justa c santa.
A lealdade di inimensa maioria desta bella provin-
cia, dedicacao e herosmo de sen tllhos, s aabhs e
rflicaiea providencias do governo Imperial, aavalore fi-
delidade do exercito e inarinha/ae drve o ii iuinphu dea
ta i a u -a sagrada, (juanio a inlin, paguei sinenlc o tribu-
to que devia ao meu paix coui os pei|uenos servicos que
elle me exigi
o Ku serei o interprete Bel dos sentiiiienlos daasseni-
bla para coiu os bravos do unsso exercito e marinha, e
para coiu todos os Icaes defensores da ordem ; e posso
aliancar-vos que a mauilesla.io desses sen ti meu los he a
mais alta recompensa que elle poderiain desejar.
Pceo-vos, seuliores, que vos dignis faier presente
attemblea legislativa provincial a expressiio cordial c
sincera do meo eterno recouhecimenlo pelo voto coiu
iiuc em nenie da provincia se ilignou honrar-Hie. Eu
procurare! merecer a sua couliinca, devolaiido-uic lu-
teirameute ao servico da provincia para consolidar a paz
e a ordem, e para eleva-la ao grao de prosperidade
(pie he destinada pela l'rovideneia, c que llie afiarlcam a
ndole e illustracao dos Periiaiiibucauos. E vos, seulio-
res, recebe! particularmente ns protesto de iiiiuha es-
tima, consideraciio e amizade. a
A ordem do dia para a esao d'amanhaa dtt aiscin-
bla legislativa piovincial he a coutiuuacio da que es-
lava designada para hoje.
(Conlinu or-ie-ha. )

DIARIO UlPgitMJBFCfl.
atciri, DZMAIO BE 18(9.
Segundo eslava resolvido, hoje ao inein-dia o Exm.
Sr. M iniii'l Vieira Tosta recebeu em a sala principal do
palacio do governo a deputacao que a assembli'a legisla-
tiva provincial incumbir de fclicita-lo pela pacilicaeo
desta provincia.
Como oaleitore aabem, a depiilacan conipiinha-se doi
Srs. Antonio Peregrino Maciel Monteiro, Jos liento da
Cunba r FigueiM'do, Joaquini Villela de Casno Tavares,
Jos fedro da Silva e I-rancheo Ferreirat Brrelo.
Ao Sr. Maciel Monteiro, na qualidadc de orador, cou-
be o proferir ante S. F.xc. a seguinte allocuco :
c Illm. n s:.rm. fSeitfior!
Qunndo um paizestremecido pelas discordias civis,
c ensangiientado por nina guerra desastrosa, v esten-
der-se-lbc o braco firme c vigoroso do governo que o
defende e que o salva ; o reconliecinienio do povo para
coiu rsse governo lem tanto de sagrado, cuino tem de
uubre a sua uianifcsiaco.
Grave c asust-ddra era por certo asilua9.n0 desta
provincia, conflagrada em alguns pontos pelo acervo de
materias iiiilanimavela ipie Ine depositara 110 seio uina
poltica dearegrada e febril, e que 00 armo do egosmo
c da clera rsinperam em mediinli.i'exp'oso ; ese por
um lado os ampios recursna do partido da ordem, to
forte pela lantidade da causa, tao lurte pela superiori-
dade do numero, aliaucavain o restabelecimento da
paz publica e o triumplio da conslituicn do estado ; por
outro a inisao de reunir e encamiuliar taca 1 ocursos,
.u.iui como de ciiiprogar opportunaiuente os que inl-
niatrava a f0r(a ajinada, que tao bem merecen da patria
neaia ennjunctura suprema, s podia ser sabiaiueiilc
desempenhada por um administrador que, elevando-ac
aluna daaituacao, dsac un exemplo conspicuo e pea-
oal de zolo, de dedicacao, de patriotismo c Bate administrador, Exm. Seubor, a sabedona do
overno imperial no-lo deparuu em V. Exc. que lao
abilmente comprehendeii a tarefa que tiuha de secu-
tar, e tao felizmente executou a taiefa que havia coiu-
prebendido.
Hoje,_ porin, que os Peraambucanos, no remanso
da paz e sombra tutelar dat inslitiiicocs que sos Mies
perinitieiu repouao e prosperidade, aboreain o Inicio
de taes benelrcios, e couteinplaiii em V. Exc. o princi-
pal autor de tao gloriosa obra; a asaembla legislativa
da provincia julgaria faltar ao dever que Ihe iuipc_a
opiuio do paiz, se ponentina, constituindo-se orgo
Pelo vapor Hahiana, chega.lo hoje dos porlos do aul,
recebinoi jornaes rlo-gramlenses, (liimincnses e ba-
hianos : os primeiros al i4do abril lindo, os segun-
dos al 24 desse inez, e os ltimos ate1 um dn crreme.
Coiu esses periodlcns nos foram tambiim entregues as
duas cartas que nos dirigir o nosao correspondente da
corle, c que os Icitores tero. visto sb a rubrica com-
petente.
Au que as cartas se conten accreserntaremos, quan-
to ao lUo-Grande, que em Porlo-Wegre apparecra a-
vultada porcao de notas falsas de 5u/e 100/000 rs.
Alm disto, julgamos neceasariu copiar do Jornnl-do-
Cammircit a carta paiticular que o correapondenle
se refere quando trata de corto desaguisado entre os
Californias e os habitantes da capital de Sanla-Catharliia;
afim deque os nossos subscriptores pnssam avallar ine-
lhor scmelhante acuntecimenlo. Ei-la:
Tocaram aqni em viagem i 11 a a California oito na-
vios americanos com 700 a 800 passagelros. Daijuelles
que domingo, |5do correlo, desembarcaran) na cida-
de oinbriagaram-se alguns e cominelteram seus desa-
catos. A gente do pala, que Ules tiolia licado com zanga
desde o primeiro dia em que pnzeram p cm Ierra, e
flseranl desordena, reunin-sc em grupos, armoii-sc e
nccoiniiietteu os desordeiros. Estes apreseniaram lam-
i bem armas ; Iravou-se a lua c o resultado fol llcar um
'Americano minio e quatro gravemente feridns, e da
gente da Ierra lambem tres uuqualro gravemente fe-
' ridos.
>i Apenas coniecou a desordem, ordenou o presidente
: que acudisse a fOrca policial, os pedestres ca guarda
nacional que se podesse reunir. Perseguidos entilo de
' porto, os Americanos refugiaram-se em um hotel, e all
se fecharan!, cercando logo a frca armada o mosino ho
: le, que s se abri no dia seguinte de manha voz das
1 autoridades.
a O povo conservava se, pnrm, reunido as iinme-
diaces do hotel, o, como se manifestasse algiiina agi-
I tacan promovida por cortos exaltados que se atavian!
' com o : 1 inli> de patriotas, foi adiiiocstado para que
' dispersasse e se recolhrsse a sus casas mas os
, tacs exaltados recusaram obedecer, levantaran) altos
' brados contra o presidente, c amoacaram-o cou't
fras por proteger ostrangeiros com ollensa da
nacionaliilade, nao obstante tercm-sc lomado todas as
providencias, oslaren) presos o Americanos, e terse
procedido a interrogatorio de tosteinuuhas !
Terminado o proeesso, nao se pude formar culpa a
nenlium por provar-se que s um, que nao se conhece,
deu principio a desordem. o que todos os outros nada
uiais lizeram do que defender-sc.
< Na assembla provincial, onde ha tamben) gente
esturrada, declamou-ie minio contra o presidente, que-
rendo-se que elle taucasso'iniio de medidas violentas c
me haver empenbado quanto ein minhas frcaa coube
pala causa dothrono, da constlttilco jurada c da nte-
Sridadc do Imperio levo a consolacio de ter arris-
cado em mais de urna vez a mlnha vida por essa causa
tao justa como santa ; vou. emfim, diiposto acorrer
anda os azares dos mais renhidos combates, se porven-
tui.i asslm o exigireu. os'interesses rcaes do paiz onde
me ufano de haver naso! do.
. Coiniiiunique-iiic V. cees, c permita que eu deponha ante V. Exc osnieus
protestos da mais alta consideracao. do)nU) suputo
""leos guarde a V. Exc. Quartelda mlnha residencia,
no liairro da Ba-Visla da ddade o Uecifc, 1 de mato
de |84. Illm. e Exm. Sr. tnarcclial Jos Joaqun) Coe-
Iho, coininandante das arma da provincia. J011 uon-
lalvn da Silva, capilao.
0OMMEACIO.
AI.FANDEGA.Rendimento do dia 4
Ducarrigam hoj, 5 di maio.
Brigue Paulina mercadot>jas.
Urigue Puluam dem.
Escuna Manj-Eleonor dem.
Patacho Euterpe' pipas vastas.
Brigue Sociedadt: ferragens.
Brigue Olinda mercadorias.
Barca Rosndole carvao.
9:842/440
CONSULADO GEHAI..
Hendimonto do dia 4.........
Diversas provincias ..........
:
. 2:954/047
. I/08I
3:120/728
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 4 ..........1:887/191
RIO-DE-.IANEIHO.
c.fxaioa No da 23 ni: abril.
Cambios sobre Londres ... 25a25'|i-
Paria...... 375.
" llamburgo .... 675. .,,..
Metacs. Oncas liespauhlas .... 31/700 a 3 900.
a da patria..... 30/800 a 31/000.
Prcas de 6/400, velhas 18/000 a 18/500.
Pesos llespanhes .... 1/980 a 2/000.
da patria..... 1/980 a l/90.
Palacflcs........ 1/980 a 1*990.
Apolices de 6por cento '. 87 a 87 '/a-
>. provinciacs....... nominal.
(Jornal do Commtrcio.)
11AHIA.
CAMBIOS NO OU 30 DE i mili .
Londres......... 26'/, a 26%.
Paris.......... 360.
Mam burgo......... 700.*
Lisboa c Porto....... 110 p.%.
Metacs. Oncas hespaniilas 31* no a 31/(100.
mexicanas. 31/300 a 31/500.
a Pecas de 6/400 17/300 a 17/500.
> s novas 16/500 a 17/000.
Modas de 4/000. 9/400 a 9/600
Pal a, i H-. Iirasil.-iros 1/980 a 2/000.
hcspaiihoes 1/980 a 2/000.
a mexicanos. 1/960 a 1/980.
( Mercantil. )
mmammBmss^mmmmeBmmms^mBsmmmmm^
.'?loviaiento do Porto.
Navio mirado no dia 4.
Porlos do sul ; 9 dia e 16 horas, e de Macei 15 horas,
vapor brasileiro Onhian, de240 tonelada, comman-
dtnte Olten, de 240 tonelada, equipagem 28. l'assa-
geiros : para esta provincia, o Dr. Joao Pedro Ma-
duro da Fonseca, Antonio Ubnoel llarboza, o Dr.
Francisco Fogaca de HiUnsxinrt com l escravo, o Dr.
Leandro Rlboiro de Siqneira Maciel con> 1 escravo, o
Dr, Pedro Epfanio Soarea. Jos Pereira dos Santos
Silva, o Dr. Juo do Keis Snuza Dantas com. I escra-
vo, o Dr. M mor Pinto de, Soiwa Dantas, o Dr. Joao
Ricardo da Costa llruinond, Procopio Marques de A-
raujo i.nrs, Fr. Joao Lucas do Mmue-llar.....lio eom 1
escravo, o Krancez Rafael Antonio do Valle, o1 Africa-
no Rafael Jos Machadof>o Inglcz W. Hadfield com
sua senhora e uma-criada ; para o norte, o alferes Jos*
J o i.[o un de Figueiredo, Manuel Jos de Albuquerque,
o Francex Vctor lllen.
Navios sahidni no mismo dia.
Rahia ; brigue americano ArgyU, capilao Thmnas S.
Murphy, carga a mesma que trouxe.
Ki.i-dc-.l iin'ii o brigue brasileiro Minerva, capito
i)hristovu Pedro de Carvalbo, carga farinha de trigo.
Passageiro, Jos Goncalves Turres, Rrasleiro.
Vaii-Drinai ii I.....d biigue inglz /i'iiii/.-, cnpilao Wll-
liam Palrickson, carga assucar. Passageiro, Guilher-
' me Viclch, luglet.
Can 1 ; brigue inglcz Sparlan, capilao .Andrew .^pitlle,
carga assucar.
=--------- j:--------------&
O vapor Bahianna Techa as malas para
o8portosdo norte hoje (5),aillho-
x wt/Jimir ns so so r^coborSo as crJrrespon-
*^,VilMt^LBa' ciencias com o porto dobrado, at ao
meio-dia impretcrivelmente.
TI1KATR0 DE SAN-FRANCISCO.
NOTICIA.
Domingo, 6 de malo de 849, ter lugaro aegulnte, no-
vo e variado espectculo.
Depois de sor exrculada pela[grande oicbeaira a 0pi-
ni.i syniphonia:
NABUC0DONOZ0R
msica, do clebre G. Verd! representar-se-ba
A VISA'O DO CARCERE, ou O DOUDO MONOLOGUE,
drama em um acto pelos membros da companbla fran-
ecza, a quera oSr. chefe de polica permiitio represen-
taren) nosle theatro.
No fim deste drama a joven Felisinina Mecutar a gr.
riosa daiiia
JALE'O.
Finda a danca srguir-se-ha vin vaudeville jocoso pfJ
los mesmos senhoros da compnilna franicexa.
Ao depois seguir a comedia em um acto em quadros
intitulada
O MARIDO DA VIUVA.
por Alcxandre Durnas, executada pela companhia na-
No fim do primeiro quadro Santa Rosa, a pedido de
alguns seus amigos, cantar a jocosa aria que (ein por
"lUl A NEGRA QUITANDT.IRA DA BAHlA.
Seguir-se-ba o segundo quadro da coinmedia.
Dar fian ao espectaeulo a linda tragi-farca de com-
poslelo caccao nacional, vindado Rio-de-Janeiro, de-
nominada
O DILETANTE
A accao fol passadana corte do Rlo-de-Jiajielro em 1844:
he composlcao do autor da uue tem por mulo -O Jiidy
em sabbado de alltluia.
O annunciante, ao paso que mullo agradece ao res-
peiiavrl publico a indulgencia com que tem rrcebidoos
espectculos sb sua direccao, nao pode deltar de irib-
taruin lesteniunho de profundo reconhecimento a varias
familias que de nove.coiiiecaiu a frequcnlar o theairo
de San-Francisco.
0 direlor, leudo reconhecido o gosto c talento do Sr.
Jorge Jnior, tomn a resolucaodeencarregar-lhe oeo-
aaio da companhia dramalica : esle Sr., dando maisuma
prov.i de sua benignidade e de seu amor scena, dig-
nou-se de aceitar setnelhante mitaao, e certo a derm-
penhar de maneira a nada desmentir o crdito de que
tao merecidamente goza.
Os senhnrrs assignautes e mais pessoas que pretende-
ren) camarotes pdem mandar receber os carios na ca-
sa annexaao incauto theairo, residencia do director.
Principiara o divertimento as oito e niela hora da nol-
te com a chegada das autoridades.
THEATRO DE APOLLO.
AVISO AO PUBLICO.
Por indisposicao, o espectaeulo em beneficio de Mr. e
madama Alcxandre, a un iniciado para boje (5), sera
transferido pura terc,a-feria prxima (8 do crreme).
j-j____m~. -
KOITVL.
Miguel Arektmjo Monteiro di Andrade, offlcial da impiria
ordem da lata, cavillciroda de Chritto e inspector daal-
fandrgu di Pirnambuco, por S. M. Imperial, ele. le.
Faco saber que no dia 7 do crreme, ao irteio-dia, na
extra-legaes contra os Auiei-icaiios. Foliimeiite serenou porta da mesina, se hao de arrematar em hasta publica
a tormenta, a cidade fica rrauquilia e os Americanos re- 38 duzias de lencos de seda para pescoco, sendo 20 du-
colliidos a bordo. | zias com franjas, para senhora, e 18 ditas para homem,
* A opinio geral he que cortos exaltados quizeram no valor de 530/000 ; 8 duiias de mantas de seda para
servir-so (leste desagrailavel aCMiiecimeiito para lins po- s.nliora, no valor de280/000; 36 duzias de lencos de
lllicns. Seu nico olijeclo pareca ser o de aterrar o pre- cassa bordados, no valor de 130/000 ; 42 duiias de tiras
sdeute para esle llies conse varo dominio eiiirc-meios de cassa burdadas com 1,312 varas, no va-
A'cerca da Rabia, podemos asseverar aos leitorosque lor de 220/000 ; 29 caxas com lOuduziaa de latas,* cou-
a provincia fu ara em perfeita paz. servas de leguine, no valor de 410/000 : ludo iuipugna-
O l'orreio-Mirranlit de 28do passado transcreve algu- do pelo guarda Manuel da Fonseca de Araujo lama no
mas linli.i. do Liverpoul-Courritr de 5 de mar(o, das despacho por factura n. 4,760: sendo a ari.iuacau sub-
quaes se deduz que OS ailpprlairntOS de assucar es I rail- jeila a ilircilos. Alfaudega, 2 de maio de 1849.
gero uiiiigoavaui consideravelu aquella galota ae publica ; sendo que do da nossa pro-
vincia apenas havia 600 saccas do brauco inferior, cu-
jo proco fluctuara entre 21 chel. 6 d. e 24 chcl.
-.~w n v*.. '.-.7a, j*Liauaj*ai t'j i ria.Tmtfr-fl
a
Dcclara^oes.
l'uiiicacso u pedido.
Illm. c F.xni. Sr. Dando inleiro 'cuinpriinrnto or-
dem de V. Exc, acabo de dissolver a compaiihia de
guardas nacionaes destacados qtie lve a honra (le com-
mand.ir por mais desos mezes, luclusive aijuolles ein
que a revolla, ora dobellaila, mais atrevida c petulante
se .....ilion nesta bella provineia.
A" V. Exc. nao sao cortamente eslraiihos os servicos
que os meu. ion.idos guardas prestara*!! durante essa cri-
se arriscada ; o, bom general, ha de aquilata los de-
vidamente : dispense-me, pois, do enumera-los, e de
chamar a esclarecida atlenca de V. Exc. para os esfor-
vos de liomens que, aoouvirem o primeiro grito do re-
voltoso, prouiptos acccdcram ao clianianieiito do gover-
no. e presurosos trocaran! os hbitos da vida quieta c
pacifica do paisano pelo lidar couluuo c perlgoso do
soldado eiiMcmpo de guerra.
i'aliaiii-uie rxpresses para agradecer V. Exc. a bon-
dade com que tempre se dignou de tratar-me, e com a
qual adquiri pe fi-itissiuio dreito ininha gralido,
meu i. i iinliri-iuu nio
Ao reculber-me miaba residencia, levo o prazer de
ADSI1MSTIIACAO DO PATRIMONIO DOS ORPUAOS.
Peraulo a administracao do patrimonio dos orphos
se lio de arrematar a quem mais der, e porfeinpo de
3 anuos i|uc hao de ter principio do primeiro de julho
do crrente auno ao fim de julho de 1852, as rendas das
seguimos casas pertoncentes ao incsnio patilmonlo : o
si-.;uuJo andar da casa n. 1 no largo do Collegio, e as
dnasTiijas da mesma casa do lado da ra d0.neuiadii
n. 33 ; ns esas nmeros 23 na ra do Collegictr 9 na ra
d
I
o Crespo, 29 no largo do Paraito, 17 na ruadas Laran-
oinis, 58 na ra do Rangol, 13 praca da Boa-Vista, 3;
na ra Velha dita, 22 e 24 na raa de S.-Goncalo dita,
3 na ra do Cebo dita, 39 na ra do Pires dita. 60 na
ra do lloiario dita, 44, 53, 57, 59 e 61 na ra da Cadeia
do Recife, 1, 9, 2, 4, 6, 8, 10, 12, M,'l6, 18, 20, 22,
24 e 26 na ra da Madrc-de-Deos. As pessoas que se
propoicrein a arrematar ditas rendas), podran compare-
cer na casa das sesses da dita administracao nos das
2, 10 e Mi do fuiuro inei maio, as 4 horas da tarde com
os seus fiadores i advertiiido-se que se nao aceilarao
Uncos daquelles inquillioos que se mi acham corrente's
ein seus pagamenios, Secretaria da adhiinistra[o do
patrimonio dos orphos, 28 de abril de 1849.Jado
frdnciico di Chaby, secretarlo.
Avisos martimos.
- ParaoRioGrande-do-Sifsegtie no dia 13 do
correnle o brigue nacional Deipiqu : recebe carga,
passageiroseescravosa frete : trata-se cora Macha-
do & Pinheiro, na ra do Vi gario n. 19, segundo
andar ou com o capito a bordo.
Para Sanla-Galharina sabe com brevldade o pata-
cho nacional A'ovo-Lu: he milito velero, e tem bons
commodos para passagelros: tambera pode aeceber al-
giim'a carga a frete : quem pretender embarcar alguna
carga, ou ir de passagem, trate com o capito, Francis-
co de Paula da Fonseca, ou com o consignatario, Manocl
Ign ocio de Olivcira, na praca do ComuJercio, n. (i.
Leiloes.

= Ocorrctor Olivera far leilao de toda a loufa exia-
tenle no armazem da casa u. 1. to Aterro-da-Ba-Visla,
adjudicada senhora D. Thereaa Gon;alvrs de Jezm
.\/.'.-v .-dn,+1UI-o de ni de quem se'vende: sabbado, 5 do
correte, s 10 horas da manha, no referido arinazciii
e ra.
= O corretorOllvelra faro leilao publico, por ordem
e em prrsencado Illm. Sr. jui respectivo, de granda
pul cao de (-.uleias deludas as qualidailcs, bancas de
Jogo, ditas de nielo, de sala, sofs, camas e mullos ou-
tros trastes proprlos, tanto para particulares como para
lujas de inarceneiros ; assim como de cinco escravos,
sendo quatro ofnciaes de marcenen o c uin com princi-
pio do inesnio ortelo : ludo pertenconte ao casal do fina-
do Jos Carlos de Lemos : segupda-feira, 7 do correnle.
s 10 horas da manha, na ra da Alfandega-Vrlha, ar-
mazn) n. 9, por baixo do hotel Francisco.
Ocorrelor Olivcira continuar a fazer leilo,
por ordem do respectivo juizo, das fzemlas da l"j
do fallido Antonio Jos Autunea Guimargs: assim
como d'outras mu tas razendasjiiglezas, rffljWeman-
te 1111,1111 lailas, e quesorilo venlida*a pciApsem li-
mites de precos : terQa-feira, 8 ilu corrfrH, I"
horas da rnanhiia no seu armazem da rui da Ca-
deia. ^_____-
Avisos diversos*
-
O abalxo assiguado, tendo em 1824 emigrado para
o Hrasil, transido de horror pela tyraunla do governo ile
I). Joao VI, que brbaramente rasgava o scio da paira,
Sm-se no pan classico da liberdade d sbito oppruu-
o p. lamis injusta prisao desde o dia 3 de fevcrelro
at 2 do crreme : ueste rnsejo nao pode deisar-oe
consagrar aos telosos defensores da constltuif,ao bran-
lelra o ingenuo e tenue tributo da sua acrisolada gra-
tidao pelas provas de generoso afn e interesse que H-
beralisaiain em prol de sua soltura ; finesas essas que
subiram de ponto pelos valiosos soccorros prestados a
sua consternada familia durante esse lempo. Declarar
os nomos de lodos us seus protectores he erigir um iu-
delevel padro magostosa honra e honeatidade dol
briosos Pernambucanos que sabemjoeirar o criinc da
innocencia e a liiiin.iiiid.ide da. ijraniiia. E como dr-
xar de agradecer a todos os pal.ludo, oDcaea e dign-
simo couimandante do corft niuuicjpaY o bom agaaa-
ilio que me prestaran! ? Como esquecer-me do li'r-
Sr. Gustavo Jos do Higo, que. voando cm meu auxilio,
trouxera do r.xni. presdeme nina portara para que ea
nao fosse transferido dessa prisao ? Como deixar de
louvar a suave harmona que renou entre os meus coni-
panheiros de infortunio? Como nao admirar as cvi-
cas virtudes dos Illins. Srs, commendador Manuel Man
Caruelro da Cunba, Jos Marques da Costa Soares e M-
colo Arlerv ? 0 motivo da imnha prisao nio me des-
dotira, por.iue praticar uuia aeco virtuosa nao he In-
fringir as iris do paiz, e alan manifestar o quanto ha de
puro c sacrosanto no cdigo eterno do cbrisllanistuo.
iodo Frtderico.Abrtu Higo
Precisa-se alugar uina preta ou parda apliva, p>*
fazer algum servicio de casa de pouca fatnilta a falla* *
com J. Dubois que dir quem quer. *.



1
e
hsw
Precisa-se alugar urna atin secca de
D.inscoslumes, para urna cas de pouca
familia. Dirigir-se na do Rozario lar-
:.;;i, n. 36,8egundo andar.
Joo Fernando Generoso responde ao annuncio
de Paula Jote de Almeida, que a lellra de .20.800
ris que este Ihe aceilou, fo por liaver recebido abaiio assignado o sen valor como da mesma lellra
rousla, sendo que nu fo s esta vei que o abaixo assig-
nado deu dinlielrn, e uem pode calar ovildado, assim i
ssbilidadedescus senhores: na ra Direita,
ria n. 26.
Precisa-se de um refinador de assucar, forro ou
captivo : no Aterro-da-Boa-Vista n. 44.
Mu rin Isabel e seus fi I los menores reti
para Lisboa.
Quem annuneiou querer comprar dous pares de
(..mo um vale de 121,000 ris que o mcsino "r. devia ao lanternes de vidro dirija-se a ra do Hospicio, so-
abaixo assignado, e s Ihe resta a quantla de 24,000 res lirado junto, a venda do lefio de ouro.
-- Domingos de Oliveira Pinto retira-se para fora
do imperio.
Precisa-se alugar um prelo par trabalhar de
enxada em um pequeo sitio-: na ra da Cadeia de
3
-Precisa-sede urna pessoa que v a Coianna le- blicoe principalmente aos Srs. relojoei-
varuma carta e t'aier* resposta : no Aterro-da- fOS ^^ nQ c&sq (.g j^ gfr 0fferec\0
B0A"n'-Je p'flo10d'e vondagem a pretas, com raspad tsl relogio, o apprehend m e levem-o a
psda-
do nicsnio vale, pois nilo lem tanto crdito a firmado
aceitante, que podesse com ella faier favor ao abano
asiignado ; que elle recebeudiuheirodoabaixo assigna-
do nao s se prova com a mesma lettr, como com as
reslemunhai; pols basta rellccllr que, se fosse por favor, ._,_:. n {lt
.l.rtc inim n almiio asiienado rebata a teltr e passarla I S.-Antpnio n. 10.
ciarVia^iSeamo acri!anie.-.7o*o F.rIMnd CLro,o. Joao Donnelly, tendo de .azer urna viagem aos
= Tiram-se passaportes, folhas corridas e despachan!- Estado-Unidos, deixa a sua lojs e mais negocios cn-
.seescravos, com toda a promptidao e presteza : opa- carregados 80 seu filho al sua volta.
> t > a __ ila fn Ja i n i I TVr% aa aailn c 11 i r i
teo do Colleglona toja de Juo da Costa Dourado se dir
quem tira.
e= 0 padre Manoel da Vera-Cruz, procurador da Ir-
mandade de San-Pedro, declara aos devedores da nes-
na Innandade que nao psguem o que se acharen! a de-
ver scniio ao inesmoprocurador, visto se haverein per-
dido alguns recibos por elle firmados.
Aluga-se um sitio no principio da estrada de San
tn-Ainaro, indo para Hrlin, junto ao sitio do Sr. l)r. Qui-
ntarles : a tratar no pateo da matriz de Santo-Antonio,
sobrado n. 4.
Agencia de passapor.es.
Vi puro da matriz de Sanio-Antonio, sobrado n. 4,
tiram-se pasaportes para dentro e fura do Imperio, as-
sim como despacham-se escravos.
.- Avia-se n qualquer pesaoa qne estiver em nego-
cio coVio engenho Araguari na ribeira de Una, que D.
Auna Joaquina de Jess, viuva du fallecido Vicente Je-
roiiynio de Carvalho do engenho Mangbura, tcm una
arle de (3:000,000 ) tres coutos de ris em dita propric
u\lr por isso se faz scieute ao publico.
V Na ra da Uuiao, n. 5, precisa-se de alugar urna ama
deleite.
Quem annuneiou querer comprar plpaaque fram
de argoardenle, querendo tres qu foraiii de mel, v i
venda atrs da matriz de Santo-Antonio, que Id achara
com quem tratar.
Roga-se pessna que por engao tirou do crrelo
nina caria, vinda do Maranho, pelo vapor S.-Salvador,
.le n. 2748 dirija-se ao abalxo assignado, a entrega-la
na ruadasCruzes, n. 12.Francisco Ooncalvti Fort
Pedc-se ao Sr. fiscal do bairro de Santo-Antonio
hajadedeitar sin vistassobre um cano que sahe deum
quintal no becco da Cainboa-do-Carmo, pols a porcarla
e fedilo iiiniio incoinmodain o publicoquc por alli passa;
isto continuadamente, e occaside* ha, que nao se pode
atravessara ra com a iinundicc que sahe dedito cano.
= Precisa-se fallar ao reverendo padre Manoel Nuiles,
vindoha pnucos das domatto.- e como se*ignore sua
residencia nesta cidade. roga-llie queira annunciarrsua
morada, on ler a bondade de ir na praca do Corpo San-
o, ao arinazem de JoSo Francisco de Carvalho.
Antonio Jos llibeiro Braga, Portuguez, roti-
ra-se para fra do imperio.
Manoel Fcrreira dos Santos, com padaria no
Alerro-da-Boa-Visla retira-se para a cidade do
Porto.
No dia 2 do corrente, furtaram do primeiro an-
Jar da rasa n. 9, da praca do Commercio, um chapeo
de niiissa franceza anda novo, com a competente
raixa azul, a qual tinlia por cima as lettras M. A. C.
Uogi-se a pessoa a quem por acaso soja oTbreciJo,
ou o trnha comprado, de maular a sobredila casa ,
qae sesa. Recompensada ,'ou se satisfar a quanlia
qtie depettde.
Abreime firmas para bilbctes do visita, em
qnaesquer caracteres, com tarjas e enlaces, ou sem
estes com delicadeza e por prego commodo : na ra
larga do Itozario n. 48, segundo andar.
--0 abaixo assignado nilo pode deixar de apre-
gentarde maneira a mais positiva os signaos do seu
rornnhceimenioao lllm. Sr. Juilo Pedro do Araujo
A^uiar, iiijor ilo artilharia o inspector do trein ,
pelo excelleute comportamento com que se te ni
semprehavidu em sua importante toparticSo para
com todas as pessoas quo trabalrinm, ou exercem
seusempregosdebaxo da direccilo do mesmo lllm.
Sr. Aguiar. O abaixo assignado, despedido daquella
iep*ilio3o. nfloporcemprehendido em fallas, o nem
lelo lllm. Sr. inspector, mas porque alguom o quiz,
l'nlga de prestar as devidas gracas ao Sr. Aguiar pe-
la tirbanidadee melindre com que se dignou traa-
lo, .Nao podendo mais do que patentearem honra do
benemrito Sr. inspector oque acabqu de expender,
elle o sada, e oa fdrea de sua gralidflo se compraz
de Ihe dirigir estas liuhas. JoAodo Cotia Palma.
-- Alugam-se dous ou 3 andares da casa da ra da
Cruz n. 40 : a tratar no escriplorio do primeiro
andar.
Madama Porta mu.Ion a sua residencia de AXer-
ro-da-Boa-Vista para defronle da dita casa n. 6, pri-
niliiro andar, por cima da loja franceza do -Sur. Du-
barry.
-- l'rerisa-edirtima amo para tratar de um |io-
ineni sem familia : na venda defronle da cadeia se
lina i|iicin precisa
-^jjia pessoa bastanteliabilitada na lingoa fran-
ceza pPpOe-se a dar lit.0es da dita lingoa, por m-
dica recompensa : quem do seu presumo so quizer
ulilisar, dirija-se ao largo-das Cinco-Pontas, n. 124.
0 abaixo assignado tem constituido a Joaiiuun
Candido da Cruz Siqueira para recebar suas dividas
nesta prafa. Francisco Joaquim uarle.
O abaixo assignado, respOndenilo ao annuncio
do Sr. Antonio Francisco dos Santos, declara que,
lendo exigido dest-'Sr. esta quanlia desde que elle
vendeu a venda nilo Ihe tinha sido possivel rece-
be-la e como vssh o annuncio em quo ello dizi
rctirar-se ao'iou quesera melhor leuibrar-lhe pelo
Diario o seu debito do que chmna-lo a jui/.o por
ISo ridicula quanlia : e como o annuncio lu (mia-
do no dia 30 de inanhSa e neste mesmo dia de lar-
de rsle Sr. fui pagvr, e como nilo huuve lempo de
rrtirar-se o dilo annuncio fot a raso blicado depois do pagamento. Vicente Ferreira ta
Cotia.
Jos de Medeiros. Tavare* Souza roga a quem se
julgar sen credur df aprcseiilar sua Corita nestes
uito dias, para ser paga.
Aluga-ae o piimt/o andar do sobrado amarello
da ra do Qucnua lo n. 29 proprio para escriplo-
riodoadvogado: a tratar na loja do mesmo sobrado.
lima MnMra quo segu com brevidado para
Lisboa precisa de urna criada tir.-uica para a servir e
acompuiihar na viagem : quemaesliver neslas cir-
cumstaiicias,diiija-se ao llutel-Fraueisco ,jUs 10
horas da manliia at ao meio-dia.
Pela segunda vez roga-se aos Srs. Francisco
Eusebio de Karia Francisco Jos .Vives Gama e Ma-
noel Jos Rbeiro Cavalcanle, de irem ao Alerro-da-
Uuii-Visla, n. 10 ou inandarem pagar o que l de-
vem.
Precisa-sede um forneiro.: na ra Direita, pa-
daria n. 26.
O Sr. Jos Pedro Leite lendo annunciado que se
retira para fra do imperio nilo o poder fazer sem
que primeiro va pagara quanlia de 13,760 rs., de que
he devedor a Antonio Martina Puerto : por isso ro-
ga-se ao lllm. Sr. douior chufe de polica que nilo
conceda passaporte aodito Sr. Leite.
IRMANDADF. DA GLORIOSA S.-RITA-DE-CASSIA.
Sendo marcado pelo compromlsso desta innandade o
dia domingo prximo futuro para a elelcao dos novos
funccionarlos, a mesa regidora convida pelo presente
a todos os maos em geral. para que comparecam no
conslslorlo da mesma igreja no da cima pelas oiu> ho-
ras da inanlia. ,
O abaixo assignado, Nuno Mara de Seixas, a quem
o governo imperial mandara cassar o exequtur para
poder excrcer nesta provincia os empregos de vicecn-
sul de llespanba e do da coofederacao Argentina, pre-
vine ao conunereio desta praca e aos capilaes de navios
que se deslinareui aos portol daquelles estados, que
elle he o nico habilitado para legalisar os papis, etc.
que drvain ser apresentados s estacAea publicas da-
quelles ditos estados; enlamo que as autoridades com-
petentes nao i'acam novas iiomeacfies para aquelles em-
pregos. JVuno htaria Ai Srxai.
Aluga-ae o primelm andar do sobrado amarello
da ni.-f Augusta; o sitio da estrada do Cordeiro, s pro-
prio para alguin negocianteeslrangelro; um grande si-
tio na campia da Casa-Forte.e outro na ra respectiva,
c bem assim umitas casinhas baratas : i
do Aniorim, n. I.V
Francisco Jos da Silva Lopes, subdito de S. M r.,
retira-se para fra do imperio.
Manoel Vital, subdito portuguez, rclira-sc para
fra do imperio.
Thom Pompilio da Fonseca rellra-se para fora da
provincia.
Francisco Goncalvcs da Silva retira-se para Portu-
gal, e deixa durante a sua ausencia por seos procura-
dores nesta praca aos Srs. Oliveira lrinos & C.
-- Retira-se para fra do imperio o cidadao portu-
guez Jos Rodrigues de Castro e sua familia, cnniposta
de inullier, cinco filhos e dous criados, Joao Francisco
Ribeiro e Manoel Justino Cuimaraes.
Offerece-se um rapaz para caixeiro de qualquer
engenho: quem de seu prestimo se quizer ulilisar
annunrie.
Desencaminhou-se, do porto da ra ra Nova,
al o Monteiro, um trouxa de roupa que ia para se
lavar sendo a maior parte delta marcada com as
leltras A. i. S. A : quem della souber d parle na
ra do Queimado, n. 32, que ser recompensado.
Precisa-se alugar urna preta captiva para o
servico de urna casa : em Fra-de-Portas n. .143.
Precisa-so alugar um preto para diversos servi-
cos : psga-se bem e d-se o sustento i na rira larga
do Rozario, padaria n. 48.
Ni na-Nova, n. 35, loja de alfaia-
te, precisa-sede nnj featil contra-meslre.
Precisa-se de um feitor, natural das Ibas, sen-
do casado melhor : na Iravessa do Veras, n. 15.
Furtaram, da sala do primeiro andar do Aler-
re-da-ltoa-Visla, n. 33, um ca'ntical de prata lavrada,
o qual so desatarracha do p. Roga-se a quem fr
oil'er eci lo que tenlia a bondade de o tomar e levar
a dita casa, que se satisfai toda a despeza.
-- Os lierderos do fallecido JoSo Mara Seve, se
quizererri comprar a posse do terreno em que silo
foreiros, dirijam-se casa em que morou o falleci-
do Caetano da Silva Azevedo na ra da Madre-de-
Dos, primeiro andar. Na mesma casa se vendo um
terreno, ou Iroca-se por urna casa lerrea na estra-
da nova de S.-Amaro.
Quem tiver urna clarineta de bfi em segunda
miV> .em Iki'ii estado, que tenlia boas vozes, e a
quizer vender, dirija-se a ra do Monlego n. 107 ,
ou annuncie.
Precisa-se de
2 serventes pora o
paga*se bem : na
servico de urna casa ;
ni da Sanzallii-Velha, n. ia6.
aa Firmino J. F. da Roa, com eso pierio na ra do
Trapiche, n. 44, acaba de receber pelo hiate /uriana
novo sortimento de algodao trancado da fabrica' de I o-
ilos-os-Santoa da Baha, de quahdade larga a 320 rs. e
do estreilo a 300 rs. : taiabeiu tem dequalidade mais
inferior por preco coiuinodo.
c= Na iravessa do Queimado, venda n. 5, precisa-se
de um caixeiro que enleuda da uiesuia c di conjicci-
menio de sua conducta.
Ao respcitavcl publico.
Guilherme Frederlco Walter tem a honra de annun-
ciar que acaba de receber de Pars novas machinas de
dagarreoiypo, bem como mu ricos e variados appare-
Ihos, taes como caixas do ultimo gosto, alnrtes e re-
domas de ouro, inui proprios para receberem retratos.
O annunciante espera dos habitantes de Pernambuco
a continuaran da proteccao combine ale hoje o teem ri-
les penhorado, c adverte que esta prxima a poca que
ha tixiido para a sua retirada desla capital, .
Elle tem urna verdadeira machina de Voigtlaender, n-
conipanhada d todos os apparelhos, a qual vender por
preco commodo, obrigandur-se atnslnar ao comprador,
mediante una recompensa rasoavrl, lodos os segrtdos
da arte que profetsa.
--Precisa-sude um rapaz de 16 a 18'annos, que
etnha pralica de venda : no pateo Ja S.-Cruz, n. 2.
Na ra ifo Queimado, n 14, se dir quem d dt-
nlinro a premio. Na mesma casa se vondem dous re-
logios varias obras de ouro, um colcha da India e
urna handeii a nacional.
No boliquim da ra larga do Rozario, n. 27, pre-
cisa-se de un caixeiro para o servico do mosino bo-
liquim.
No dia a8 de abril prximo pausado
furtaram da loja dama larga do Hozario,
n. aa, um i elogio eoin caixa de nrala,
patente iiiglez, tendo dentro, por cima da
dita loja, que receberSo 80,000 ris de
gratificaran ; porm para isso lie pre-
ciso que se tenha conhecim nto do au-
tor de semelbante roubo.
es Precisa-se de um amassador que saiba corlar mas
fas : na rus Dirclta, padaria n. 82.
'= Precisa-sc de una ama de leite forra ou capuya,
na ra do Queimado, u. 6.
Lotera do Iheatro publico.
O estado da venda dos bilhetes desta lotera, pouco
adiantada depois do ultimo annuncio, nao habilitou o
thesourelro pararcalisar, como desejava, no dia 27 do
prximo lindo mex o andamento das respectivas rodas ;
porm, esperanzado de que desta vez mullos desrjarao
entrar em um jugo d bom agonro pela proximd.'ide
das sortes de San-Joao, lenta novamenle designar o da
19 do corrente para o dito andamento das rodas, quasl
convencido da inrallibilidadedessc dia. Se, porfen, an-
tes dislo a venda se ultimar, cntaoscr anticipado o an-
damento referido com vantagem dos que arriscaram
= Dao-sc 300/1)00 a premio sobre penhores : a tratar
no largo do Paraizo, sobrado n. 1, segundo andar. Tam-
bem se vendein dous consoios de Jacaranda com lampo
de ped a iiiamiore, um jogo de bancas modernas e um
sof de dito : tudo por preco commodo, por seu dono
ter de relirar-sc para fra.
RA NOVA, N. 10.
Recebcu pelo ultimo navio de Franca ricos leques de
madre-perola, cortes de seda para vestidos, bicns de
blnnd, capell ii para noiva, pentes de tartaruga para
prender cabello c marrafas, encerados de todas as lar-
guras e de lindos padrdes para mesas e planos, uieias de
seda brancas e pretas. luvas e calcado de todas as quall-
dades, calungasde porcellana para botar espirito : tudo
milito rico c por coiiimodos pr eos.
loiii negocio pira (uciii quer
principiar coiu pouco di-
nh iro
No botiqnim da Esperanra precisa-se
de um bom cozinlieiro para tomar conta
do mesmo catabeleciinento por balanco,
an i j ni I se dar interesse nos lucros :
mes'mo negocio se far com outra qual-
quer pessoa que se queira encarrfgar to
sobredilo eslabelecimento, tendo bastan-
te pralica : a casa acba-se bem monta a,
tem bastantes freguezes bons pagadores,
visto as boas comidas que costuma a
presentar. l;az-se te negocio por moti-
vo de molestia : a tratar no mesmo boli-
quim, ra ta Senzalla-Velha do Recite,
n, i >.(>.
Precisa-sede um pequeo para caixeiro, quo
de fiador a aua conducta : nos qualro-canlos da
Boa-Visla, ra da Gloria, n. 114.
Na ra da Madre-de-Deos, n. 3, sobrado de 3
ndares, deseja-se tallar aos Srs. Marcelino Ferrei-
ra da Silva Juvenco Paulino da Silva, Antonio
l.uiz Vielra e Jos Machado Soares.
Theatro de Apollo.
Por deliberacao d'asseuibla geral de accionistas do
theatro d'Apollo sao os meamos convidados a reiinireui-
se nos domingos, as 10 horas da manliaa, no salo do
dito iheatro, at final discassao do projecto de estatuios
que teem de regera associacao.
Manoel Jos Pacheco de Mello Osa scirnlc a todos
os scus credores para se apresenlarein at o dia 10 cr-
reme mes, com suas comas legars, para seren pagos:
o mesmo aviso fas aos seus devedures para llie pagareni
no mesmo prazo, do contrario usar dos Irruios que a
lei Ihe concede.
Offerece-sc urna ama para cas de lionirn solteiro,
ou de pouca familia : na ra do llurgos, junto ao becco
do N o india, defronte do finido do ariliazeui doSr. fran-
cisco Alves da Cuuha.
Para as pessoas cpie Icncio-
ii.'ini seguir viagem.
Na ra do Rangel, n. 9, conlituiam-sea tirar pas-
saportes psra dentro a fra ilo imperio despacliam-
se escravos e correm-se folhas : ludo com brevida-
ilc e proco muito-enmmodo como se tem dado exu-
berante prova no decurso de 8 anuos
Precisa-sc de um pequeo poilti-
Iguez que queira ser caixeiro de urna ven
da : a tratar na na do Crespa, Inja n. 10.
Precisa-se do una ama de leite, que seja pari-
da de pouco lampo sem filho e sem vicios non.
achaques quo seja moca e tenha bastante leite,
sendo forra : na ra do Hozario n. 28, por cima do
armazem de louca, a qualquer hora do din.
Ilenrique Elisiaeio da Silva relira-se
da provincia. .
Antonio Basques retira-se para fora do imperio,
com sua familia.
Precisa-se alugar um preto para lodo o servico
de urna cusa no psteo do Terco, n. 14.
-- Jos Pedro Leite dos Anjos, cidadao portuguez,
r> lira-se para fra do imeprio.
Espirito de curiosidade.
Iioseja-se saber se o annuncio do Diario n. 96, que
diz Manoel Feneir dos Sanios Brasileiro vat a
cidade do Porlo, se emende com oque leve pa-
llara no Alerro-da-Boa-Visla ; visir, quo esse li
Portuguez e nSo Brasileiro-
mi A rrrnda-se ou vende-se um ptimo sitio na estra-
da de Sanio-Amaro para Drlin, sendo o teicciro pas-
saudoa ponte, com muilo boa casa para familia, bs-
tanles arvoredos de frucio de lodas a< qiialidadrs, ier-
ra para plantaco, lendo j parto da inesuiaplantada e
pode ter duas a lies vacias de leite. Taiubein se vendem
tres vacos de leite com crias, lilh.is do pasto e por pre-
co commodo : a tratar no nicsnio sitio, ou na ra d
Kangel, n. 17. .
-- Quem annuneiou querer comprar ou arrendar
um sitio de peuca monta, dirija-se a ra do Mundo-
Novo, n. 30. _
--Aluga-se urna casa terrea, na na da praia-do-
Caldcireiro, n. 13 : a tralar na ra do Cabuga, junio
a botica. ,.
Quem tiver um Santo-I.enho com sua authen-
tica que queira irocur, dirija-so ra do Queima-
do 2.' loja n. 18, onde se dir quem o pretende.
-- JoSo Leite da Cosa, subdito portuguez retira
dfl, ou lugar de se fazerem boas trras de ptaoiMjtoe
maltas ^ara coreado : na ra do Sebo, toja de funi-
leiro de Antonio Jos Dias, oti annunrie.
-Procis-se alugar un preto para o somco or-
dinario de padaria pagando-se-llie todos os mezes
oqueseajustar: no pateo da S.-Cruz. padaria de
urna s porta. .
Prerisa-se de um feitor que saiba Ir.ilar de nor-
te pomar e enchertar: no Alerro-da-Boa-Vista ,
n. 43. .
-- Precisa-se de um feitor para um engenho iln
pouca fabrica porto da praca : no Alorro-ua-Koa-
LVsta, n. 49, segundo andar
--Aluga-se urna preta j idosa para o servico de
cas : na ra da Guia, n. 4fi.
c= I.uii Manoel Fernaudes Chavea, Poriuguez, retira-
se para fra do imperio.
BernardnoJo^ de Be."sa GuimarSes, subdito
portuguez, ielra-se para fra do imperio.
PnilippoFeldel, Mlemao, vai fazer una viagem
a Europa.
-- Joflo Donnelly relira-se para fra dn provin-
cia.
O doutor C. Ambrosioni vai fazer urna viagem a
Italia.
Antonio Coutinbo de Azeve.lo Jnior retira-se
para fra dn imperio rom sua mullier.
-- Jos Gonealvea Torres|Junior vai a Uaceio.
Manoel Das Fernn les e Jjaquim Diis Fernan-
drs vilo ao Passo-de^Camaragibe, provincia das Ala-
gas Iratar de seus negocios.
Joan Cyrillo de Souza Carneiro Urasilciro ,
vai fazer urna viagem a Europa, firando encarre-
do deseos negocios 0 seu socio, o Sr. Jo.lo Domin-
gues llamos.
Manuel Jos .le Souza Carneiro, llrasileiro adop-
tivo vai l.rzcr urna viagem a Europa, a t rilar de
sua sade lie indo encarregados lo activo n passivo
do sua rasa os Srs. Francisco Alves da Cunha, Jo'io
Malheus c Nicolao llailniv.
= Na ra da Cruz, n. 21, precisa-sc de un cscravo pa-
ra o servido de casa.
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 7 da ra da
Moda :a tratar nainmma
para fra
Precisa-se de um fellor que saiba tratar de horuse
pomar, e de enchertar : no Ateiro-da-U6a-Vsta, n.T3.
Aluga-se um primeiro andar no llrtrife : quem
livor traga a sua proposla por escripia mencio-
nando o preco, a osla lypographla.
Ceno lllu'-o que, indo com outro a loja da ra Nova,
n. 42, defronte da Ciinceicao, levou porengauo, ou......
una peca de lencos de seda com quatru ou cinco, quei-
ra mandar entregar inmediatamente na dila loja, pols
que se sabe que elle mora na Moa-Vista e tanibem se
Ihe conhecc o iiome, o qual se nao declara por ora.
Dcsapparcceii da praca do Commercio mn cavallo
rodado claro com una carga de assucar bramo o uin
como cobrindo* a mesma carga: roga-se. pnanlo, a
pessoa que o tiver adiado, quei'a-o levar na rua do Li-
vrainento, n. 20, ou no engrudo Doiis-Uracos-dc-Uma,
ao Sr. Eslevao llodrigucs da Silva, que recompensara e
pagar as drspezas.
- O aferldor, em conformi-
dado do artigo 8." do regulamento da cmara, roga
aos Srs. fiscaes, que estando a lindar-se o lempo da
sfericBo ainda uno appareceu individuo algum para
aferir regoas de 10 palmos, craveiras que silo obri-
gados a usarom todos os mosires podreiros, carpi-
nas, eanteiros, vendedores de madeiras* e lodo- a-
quelle que lem necessidade dessa medida, ahm de
quevenhamaferi-las, do contrario ser prejudica-
do em sua arrematado. ____
Compras,
Coinprnm-se duas colleecies do Panorama ;
orna llautiado bano de urna chave: na prac do
Commercio, n. i, primeiro andar.
Compram-se,voiidcm-se e lomam-se ilerom-
misses escravos para o quo so oilerere lods se-
guranza : na rua das l.arangeiras, n. I, segundo
andar.
= Compra-so um lalso grande que sirva para User
varrrlla, em Hielo uso: quem o liver, dirl]a-se a i na dn
Cabng. n. >. .,
Compram-se tonelse pipas vastas de azeiie : na
Jestilacfio da iravessa da Conoordla,
Compra-se um diccionario do pronuncia ingleza,
por Walker : no Aterro-da-lloa-V'ists, n. 34, ou an-
nuncie.
Compra-se um mnhitinlio de 12 a 16 anuos,
sem vicios nem achaques : paga-se bem : na rua du
Cadeia-Velba, botica n.l.
Compram-se 4 escravos, ou escravas de 12 a 2
tinos : na rua Direita. n* 3, se dir quem compra.
Compra-so um preto de bonita figura, sem acha-
ques, e quesiiva para oservico decampo : na rua do
l.ivramento fi n. i. Na mesma cssa vende-se urna
criolita do 15 anuos, qnccrigomma liso, cozmha o
diario de urna casa compra muiio bem na |rua he
milito lid e sem achaques: s se vende para o mallo.
Na rua Augusta, n 2, segn lo andar, compra-
mi um escravu de nagilo do 20 a 2* annos que te-
nha ullicio de pedreiJO oU carpinteiro sendo de boa
conducta e sadio : paga-se bem, ou troca-se por urna
preta de nacilo, anda moca, com urna cria de .
nnos.
Vendas.
LO
berta
o
nome do fabricante, Ab."
Jackson, e o n. 8,957, em Liverpool
previne-se, portento, ao respeitavel pu- u praca mais de 3 legoss e que tenha bom cerca-
se para costa d'Africa.
-- Jos Manoel de Araujo, subdito portuguez,
tira-se para fra do imperio.
Arrenda-se um sitio que nSo seja
re-
distante des-
Kitarldo prximo o inri de malo, dedicado -, Marta
Sanllssma, c restando um pequeo numero do cxcel-
lenlc livrinlioo Novo mtz de Mara, iinprcsso dc prof-
sito para ser vendido prlo diminuto preco de mil rls.
am de cliegar seu uso a todas as classes, convlda-se a
quem inda nao eoinp'iou para fazer, anttaque se acabe,
na certeza que sao os mrsmos adoptados pelos reveren-
dsimos padres de N. Srnliiira da Penha, desta oldade.
D.. i, un si piafa da Independencia, nmeros 6 c 8.
-. Acaba de cliegar pel vapor S.-ialvador, entrado do
norte, no.a porfo de superiore queljos de cualha, fa-
bricados'noCeari, muilo frescaes: quem pretender com-
prar pode dlrigir-se a ruada Cruz do Recite, n. 33, ar-
mazem de > Araujo.
... Na rua da Crin, armazem de S Araujo, n. Ai, ha su-
perior farinha de mandioca em sacras para vender.
Vendem-se qualro escravos marinheiroi, bonita*
figuras, e bem sadios: a iratar com Manoel Ignacio de
Oliveira, na praca do Commercio, n. ti-
.- Vende-se urna eserava de 14 annos, com principio
de habilidades ; urna dita de 16 annos, inulto boa en-
goiiiumdelia ecostureira; 2 ditas de bonitas figurase
quitandeiras ; 3 moleqiies, de 17 a 20 annos ; um preto.
de boa figura, para lodo servico : no pateo da matriz de
danto-Antonio, sobrado n. 4, se dir quem vende.
Vendem-se gigoj de ^arralas va-
sias: no armazem de Antonio Anne, no
caes da AH'andega.
Vendem-sc dous escravos mocos, de bonitas figu-
ras, e proprios para qualquer servico: na rua da Ca-
deia-Velba, n. 33.
aSM



*3e
-r V.endem-so presuntos inglozes para fiambro ;
latas com bolachinhas de Lisboa ditas de araruta ;
ditas de mermelada de 1,2o* libras ; ditas de sar-
i ka8 s de hervilhss J ditas de checolate do
I.isba ; frascos do conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja ; barris com azeitonas brancas de Elvas ;
garraas com vinho moscatel de Setubil e da Ma- 5,000 fs. ; ditos do fazenda de algodf para calcas ,
oetra ; queijos de prato, fresca es : ludo novo e'de cores escurase muito encorpadas a 1,000 rs.;
cnegado ltimamente do Lisbt : na ra da Cruz urna por?3o de chitas escuras, hons pannos, a 20
no Recifo, n. 46. | rs 0 povado; chapeos do sol, de seda finos
Vara liquidaco.
| Na loj ila ra do Crespo, ao pe do arco do S.-An-
tonio n. A, vendem-se cortos do cassa para vesti-
dos de cores fixas a 1,600 o 2,000 rs., bonitos pa-
drOes ; cortes de casimiras elsticas para calen.;, a
5,000 rs. ; ditos do fazenda de algod;'
' de cores escuras o muito encorpadas ,
| urna porc,3o de chitas escuras, hons
de
Vendem-se sellins inglezes e camas > cn,,M de 8"rC8. a 2'000 rs- lenC08 PRr ma8'
i.. o iiD de cassa pintada e arrendados, a 2*0 rs. ; e outras
ierro na na da N'nznlla-nova, n. 4*-4 mistas fazendas que a vista se patentcarSo aos fre-
1 o ha de landres.
Vendem-se canas com folha de Flandres : em
casa de J.J.Tasso Jnior : na ra do Amorim, n. 35.
Vende-se o engenho Novo do Cabo para paga-
mento da hypotheca que nelle tein o Sr. Joflo Vieira
da (.miliii : quem o pretender dirija-se ao mesmo en-
genho a tratar com Francisco Jusc da Costa.
Carnaiba.
Vende-se, na ra da Cruz, n. 21, urna porc!1o do
cera de carnauba de superior qualidade, o por to-
do o prreo.
CIIA'BRASII.EIHO.
Vende-se,ou armazem de molhados atrs do
Corpo-Santo n. 66, o mais excellente cb produzi-
Uo emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por proco muito commodo.
Agencia da fundicao
l-ow-Af or, ra da 8enzatla-
nova, n. 43.
Nesle estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimenlo de moendas
e rucias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
copulo, de todos os tamanhos, para dito.
RICA TOALI1A
Vcnde-se urna bonita toalha toda de
lavarinto, e com bico : na na Augusta
dcnwnte da casa n 17.
Esl venda um novo compendio de gramma-
tica portugueza, obra feila para os alumnos de ins-
trticcflo primaria, no qual conten as precisas regias
da grammalira de urna maneira a mais clara possivel
a|comphrrhens9o dos meninos: no paleo do Collrgio,
luja do Sr Dourado ; na praca da Independencia ,
liviana ns. 6 e 8; no llecife, loja do Sr. Carduzo
A yres.
Vendem-se duas pretas, sendo uma crioula, de
19 anuos que coso, engomma, cozinha, faz Uva-
rinto e marca ludo co.n perfeigilo ; e a oulra de na-
clo, boa quitandeira, e que engomma liso, lav de
sabflo e cozinha o diario de urna casa: na ruada
Cruz no llecire, n. *9.
Vendem-se casaes de pombos, a
64o rs. cada um ; e tomando todos, a 5oo
rs.: no Manguinho, no sitio do sobradi-
nho junto a capella.
Na ra do Crespo, n. 8, vendem-
se superiores redes, de diljjerenles cores,
e por muito commodo preco.
BIJA DO TRAPICHE, \ 44,
eseriptorio de Frniino.
J.P.ria Hoz,
deposito da fbrica de Todo-os-Snntos
na Bahi .
All vende-se nlgodlo trancado daquella fabrica,aos
precos;segumtes : largo, a .120 rs. a vara; estreito
menos uma pollegada, a .100 rs.; mais ord-iuario, u
270 rs
guezes.
Cha barato-
Vende-se muito bom cha, pelo preco de 500 rs. a
libra : na ra do Crespo, n. 23.
Tai xas
>ara engenho.
Na funiiiclo de ferro da ra dollrum, acaba-so de
receber um completo sortimenlo de taixas de* a 8
oaIrnos de bocea as quaes aeham-se a venda por
preco dftmmodo e com promptid3o embarcam-se,
ou carregam-se em carros sem despezas ao com-
prador.
Vendem-se radeiras emarquezas de oleo com
asscnlo de palhinha, lavatorios, meias commodas,
mesas pequeas, tudo de amarcllo, e outros ob-
jectos, ludo de lorio construcqo e de gosto mo-
derno, por menos de seus valores : na ra das Cru-
zes, n. 31, loja de marceneiro defronto da lypogra-
phia.
Farinha de trigo SSSF
de superior qualidade c nova ; dita americana, em
meias barricas ; dita gallega, em meias barricas
cal virgem de I.isba ; vinho do Poilo em pipas o
barris de quarlo e oilavo superior o mais inferior;
fechaduraa para porta de armazem ; superior cha
hysson nacional de S.-Paulo ; familia de mandioca ,
em saccas por preco commodo : na la do Viga-
rio armazem n- 11, de Francisco Alves da Cunlia.
A 5oo ris.
Vendem-se superiores pentes para marrafa, de lar-
taruga : na ra larga do Itozario, n. 2*.
Latas de niai nielarla c copos
ric jalea de marmclo,
virolos do Rio-dc-Janeiro pelo ultimo vapor, ven-
dem-sc no armazem de moldados airas do Corpo-
Santo n. fifi.
S
m
i
Quem os vir nilo dcixar de compiar.
Corles de cassa-chita de lindos padres e
coies seguras, pelo haralissiino preco do
seto patacas: na ruado Queimado, qua-
tro-cantos, loja do sobrado amacollo, n. 29.
Ifa na 1
C
i ojo (JeTMaya Ramos
na na N. va, (i,
&
encerados para aima de mesa, de 5a 6 palmos de
largura a 2,000 rs. o covado.
Vende-se uma venda rom os fundos de 200,000
rs. pouco mais cu menos bstanle afreguezada ,
sita na Passagcm-da-.Magdalcna, antes de chegar a
estrada nova: o motivo por que se vndese dir ao
comprador: a tratar no mesmo lugarf n. 71.
Vende-se cal virgem de I.isba de superior
qualidade em barris de* arrobas allegarla nesle
mez pelo brigue Uaria-Jot : a tratar na ra do
llrum armazem de Antonio Augusto da Fonseca
ou na. ra do Vigario, n. 19.
Vinho barato.
O proprietario desteeslalielocimento, desojando
conservar os seus freguezes c nilo Ihe sendo possi-
vel pelo preQo.de ICO rs. a garrafa, visto ter o ge-
nero subido cerca de 20,000 rs. por pipa em rasflo
de nao ter vindo ao mercado,(bem contra a sua von-
tadej ve-se na dura precisSo de augmentar o pre-
co e pelas rasOes aponladas, conla que seus fre-
guezes Ihe farSo justica c se nilo escandalisarflo
fadeira de pitillo.
rw ra de Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um lerceiro armazem rom madeira de pinlio
da melhnr qualidade que tem vindo a este mercado,
e serrada de toda as grossuras e com primo ritos :
ende-so pelo menorpreco que he possivel.
Potassa.
Desemharcou ha poucos di as uma por-
cao de barris pequeos, com muito nov*
e superior potassa, e se acha) a venda,
por preco ma# barato do que ltima-
mente se venda, na rua da Cadeia-Vclho,
armazem de fialtarckOliveira, n. la.
Vinho ha rato.
ra da Madre-de-Deos
-o
O >
-5s
o
a-8-
fl*
o 2
o> c c c w
e|IsS
*<= o
3
g5
ffiifj
= B >.2
S a E !: o
2
Acha-sc cstahelcciilo na
n. 3C, un armazem do
Vitihos da Figueira
do ptima qualidade a preco de 1,360 rs. a caria-
da e a 180 rs. a garrafa e para tifio haver dolo do
comprador serilo lacradas as [garrafas e com rotu-
lo, refiebendo-se a garrafa vasia e dando-se i ni me-
diamente a oulra ebeia : tembem ha barris muito
pequeos, proprios para quem passa a fasta. O pio-
prietario deste cslahelecimenlo pede encarecida-
mente que se nao illudam avallando pelo .'diminuto
prec e sem cunbecimenlo do causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo ra eslima dos verda-
deros amantes da bou pinga ; elle conla que quem
urna vez provar conlinuar com gosto e sem arre-
pondirnento. K o bom prer;o .'! A todo O exposto
accresce o asseio e bom acondicionamento, o que lu-
do so poder verificar' em dilo esUbelecimento.
~ Vcnde-se o engenho de cunnas, moente e cor-
rele com urna safia para 2,000 pues, corr lodos
os utensilios necessarios muito boas Ierras i tani-
hem se vende o gado vaceum e cavallar perlencen-
lo ao dilo engenho o qual he sito na cidade da Vic-
toria duaslegoas para o sul : a tratar no dito enge-
nho com seu proprietario, Domingos da Cunha
Silva.
Vcndcm-so apparclhos de melal fino para cha,
modelos ii nilo modernos; cadeados de lellras,
grandes e pequcuxs ; sellins inglezes, para monla-
i i,i iie si niii,i a ; ditos eluslicos de patele, gran-
des e pequeos, para montara de homern ; cabeza-
das linas com peitoral e sem elle; bezerros inglezes,
grandes, paracobrir carros : tudo recenlomenie chd-
gado : em casa de Cro : Konworlhy & Companhia :
na ra da Cruz, n. 2
Vende-se a muilo acreditada e superior farinba
de trigo Ua marca Haronaine, chegada ulliriiamente
do I la mi', por pieco commodo : a tratar com Jos
Joaquim Das Fernandcs, no seu armazem da Iraves-
sa da Madre-de-Ucos, u. 12 ou na ra larga do Ito-
zario, n. 50.
Na ra do Trapiche i n. *4, primeiro andar, ven^
de-se fumo em folha para charutos, tamo para c0c'"lP(!OS ('o molas, a
pequeos, proprios para meninas a 500 rs.; cortes
de rollles de gorgurfio escuro, a 200 rs. ; ditos de
instilo, a 500 rs. ; merino pretoe fino, a 3,500 rs-o
covado ; casimira preta muito fina, a 2,500 rs.; dita
pteta do lislras, a 5,000 rs.
Praca da Independencia,
numero 57.
Aos 20:000^000.
Pulirles e ineios ditos, (|liarlo, oitavos e vigsimos
das loiciias do llio-de-Janeiro : a cllcs antes, que se
acbenla
--Vendem-se, na ra da Cruz, n. 21,pedrade mar-
more francezas para mesas redondas e consoles.
Algodao da trra.
Vcnde-se muito bom algodflo da Ierra por prego
commodo : na ra do Crespo, n. 23.
llilho novo, a 5,800 rs. a sacca
No Passeio-Publico, n. 15, vende-se milho muito
superior, a 3,500 rs. a sacca de alqueire.
Vendem-se queijos de Minas a 600 rs. ; ditos
flamengos, a 1,200 rs.; ditos muito frescaes a 1,760
rs. : na ra Direita, venda n. 18.
Vendem-se 5 bonitos molecoles de nacflo ; um
prelo dc22annos, bom cozinheiro; um dito com
oflicio de sapaloiro ; um pardo bom Irabalbador le
i-iixaila e que cntende do tratar de sitio; um pre-
to de meia idade ; uma preta do 22 annos, que cose,
engomma e cozinha ludo com perfeiqo ; urna di-
ta quo engomma e cozinha, com toda a perfei?3o;
urna dita de meia idad; uma parda: na ra das
l.arangciras n. 1*, segundo andar.
ftiscados monstros.
Vendem-se riscados monstros com vara de largu-
ra pelo barato preco de 300 r. o covado ; na ra
Nova, n. 42, defronte da igreja da ConceicSo dos
militares, loja de Tinoco & Itocha.
Anda existem na loja de Jofo Donneley. na ra
da Cadeia-Velha, n. 16, algunsdos palitos de 3,800
rs. e tamhem alguns rolletes de 6*0 rs. cada um.
Vendem-se dous lindos molcques de 12, a 18
annos sendo um delles olTicial de carpina ; um pre-
lo de 30 annos ; umanegrinha de 12 annos; uma mu-
latinha de 16 annos, com algumas habilidades: na
ra do Collegio, n. 3, se dir quem vende.

c.5
E2
c >
' o
llji-if SU
O C O rz
-3 u.
W3.
v -i'5-i
=
II
M z j:
O)

o
(U c
N O
2o
a. C
H
"o"." a "o a o*
m S a S *
3 p-. r- v m
' 5-1.2 o
2
com
Ifj
o c
c B
.. 3
" s ti
o 1
-o
SS
-O S > Ee /^
Q. & 2
3 t -300
f S-" "
i T3 a -3 -v
3= fe- U Jlj* g .
= 5 6
e-5 :|i5|5
:e> v
Vendem-se duas casas na cidade de ((linda, urna
nos Qualro-Cantos, n. 20, o a oulra em S.-I'edro-
Mariyr, n. 18, em clios proprios : na ra airas da
matriz da Doa-Visja, u. 52.
Arroz quebrado do Maranho,
a 1,200 ris'por arroba.
Vende-se no armazem que foi do fille-
Bragnez, ao pe do arco da Concei-
Nilo ba nada tflojiarato.
Vendem-se corles do calcas de casimira els-
tica padres nnvos polo barato proco de
5,000 rs. : na ra do Qucimado, loja do so-
brado amarello n. 29.
pas cuino para milo, da melhor qualidade que
produz a provincia da aliia e recentemente chc-
(lailu elii liiate /-'mliin i
A 5,*00 rs.
Vendem-se chitas de cores muito fixas a 5,*00
rs a i'' ca e a 160 rs. a retalho, propriag para cscra-
vos ; iinbas grossas muito fortes, uma quarta por
200-rs. : na a do Caes, lojan. 17.
Vende-se uma carruca do carregar pipas: na
ra da Coucoidia, ulliiiio armazem de madoiras;
bem como uma burrra hespanhola muito nova.
Continuam-se a vendor cortes de vestidos de
i camliraia rom lindas barras, brancas e de
i cores, a 2,000 rs.; ditos mais linos, a 3,000
I rs. ; suspensorios finos de meia a 100 rs. o
' par, ea 1,000 is. a duzia ; meias compri-
i das para senhora azucs protas esverdea-
das, mcsclhilas, a 160 rs. upar, ea l,800rs.
a duzia ; ditas para meninas al 8 annos, a
120 rs. o par ,e a 1,200 rs. a duzia ; estas
n eiassffo (fio baratas quo val o Irabalho do
incuria-las, para homom e menino ; botes
de duraque efraiiklim para jaquetas de l'a-
zendus de a a 40 rs. a duzia, o a *00 rs. a
groza : no pateo do Carmo n. 18, segundo
mular.
Para liquidaeo.
Na loja da ra do Crespo, n. 5 A. ao pe do arco do
S.-Antonio vetdem-sc mantas to garga com tecido
de sada de mnilo lindos padres, a 1,000 rs.,
prnpiias para meninas ; cbitasderamagens e de co-
les llx*s, 120 rs. o covado o em peca a *,00O is.;
lencos para grvala de bom selim de cores, a 1,6Q
is inteiros ; pannos finos superiores prelo, verde,
azul c cor de caf, de 3 a *,000 rs. o ovado ; chales
de chila de cores escurase grandes, a 800 rs., ditos
Vendem-se
6,000 rs.
na prafa da Inde-
pendencia, ns 7 e 9.
Vendom-se, na ra do Crespo, n. 11, os se-
guiles livros : Diccionario fiancez-porttrgucz, pelo
capillo Manoel de Souza, 2 v.; dito portuguez fran-
cez e francez portuguez por I'onseca 2 v. ; dito
por Constancio, em portuguez por 8, 10 o 12,000
rs. dito doMoraea 2 v. ; dito de theologia, pelo
ahbado llergiar, 8 v. ; Meslrc inglez de Constancio ;
grammatica ingleza do llego ; dita franceza de Se-
vene o Monte-Verde ; tu 'o barato : tambem se ven-
de o resto da bella composiQo musical do papa Pi
IX a 1,000 rs. rada um.
Vcnde-se cha nacional, a 2,000 rs. a libra : no
pateo do Collegio, n. 2, loja de livros.
Vendem-se machinas para fazer caf; bulos e
cafeteiras de metal; um novo sorlimento de panel-
las, chaleiras e cassarplas de ferro forradas de lau-
ca : na ra Nova, loja de ferragens, n. 16, de Jos
l.uiz 1'ere.ira.
-- Vcnde-se 1 farda, 1 barretina com choriTo, 1
banda pasta e canana para lcial ou inferior de
caYflllaria : estes objectos ifida nilo fram servidos ,
e se vi n,le ao baratos n volitado do comprador :
n a ra Nova, n. 16.
Vende se nina preta erioula,
de 18 annos pouco mais ou menos, que cozinha, lava,
cose, o he muito boa quitaadeira: no pateo do Terco,
n. 36.
=^V*nde-seuma carroca de carregar pipas urna
burra hespanola e um quArlo de sella : na ra da
Concordia, ultimo armazem de madeiras.
Vendem-se algumas libras do uvas moscateis:
na prac da S -Cruz, padaria de uma s porla.
Vondein-se uvs mosetleis de muito boa quali-
dade : na ra da ConceicSo da Boa-Vista, n. 20.
Vende-se uma farda nova, de panno lino feita
para o batilhfln do viluntarios: na travesaa do t.j-
wmenlo pinucir loja do alfaiato ir: 2, das 9 ho-
ras em dianle.
Veodem-se lOescravos sendo: 2 moloques de
12 a 18 annos ; dous escravos, stndo um delles cozi-
nheiro; um dito do sorvico de oampo ; 6 escravas do
18 a 30 annos, de bonitas figuras, e com varias ha-
bilidades : na ra llireita, i. 3.
Na rua do Queimado, vindo do Rozarlo/aegun-
da loja n. 18, vendem-aa chapeos de sol, de seda
para nomem, a 5,000 rs.; ditos para senhora e meni-
nas, a 3,000 rs. ; lencos pretos de seda para grvala
a 500 rs ; ditos de lila floridos e com franja pra hom-
ros de senhora a 500 rs. ; loncos de cambraia de
seda para gravis, a 500 rs.; riscados francezes
160, 200 e 2*0 rs. o covado; alpaca de linho ,' io0
rs. o covado ; lencos brancos aberlos em roda Par,
m3o de senhora, a 280 rs.; corles de colletes de vel-
ludo, a 3,000 rs ; ditos de instilo muito lino, i)4qq
ra. ; lindos cortes de casimira, a 7/000 rs.; e outrai
muitas fazendas por preco commodo.
Vende-se uma linda eacrava de 18 annos pro-
pria para mucama por ser recolhida, o saber coser,,
engommar cozinhar e fazer o mais arranjo de umi'
casa : no pateo do Carmo, n. 2*.
- Vende-se um morada de casa ora, travejadt
com um grando telheiro no fundo e terreno para ou-
lra igual casa no fundo da mesma com porto de
embarque e desembarque pro'pria para restilacJo,
ou oulro esUbelecimento em ponto grande : na rua
da Praia-de-S.-Rita dofronte da ribeira, n. 15; b.ein
comopiasde filtrar agoa.
No armazem de rancho do Sr. Rufino, ni rua
da Concerno da Boa-Vista, vende-se uma parda com
uma cria muilo sadia, que engomma, cozinha, oo-
se, faz renda he boa lavadeira ; lie, muito humilde,
para o que d-se conheciment nesta prags vende-
se por lia ral o pieco.
Vende-se, por muito commodo preco, um si-
tio muito pe lo da praca com casa de ledra e cal,
com commodos para familia arvoredos d fruclo,
terreno com sufficiencia de so plantar e ter-se \%
vaccas com uma olaria no mesmo sitio com bar-
ro para toda obra e proprio para quem quizer ter
alguns escravosempregados pelss muitas propor-
ces que offerece o silio : na*rua do Queimado ,>.
7, primeiro andar.
Vende-se salitre refinado por menos precedo
quo em oulra qualquer parle : oa rua da Cadeia do
Recife, n. 56.
-- Vende-se um escravo marinheiro e canoeiro,
de bonita figura : na rua Imperial, n 65.
Vende-se um piano inglez, sem deleito, ptimo
para se aprender : na rua Nova, loja de trastes do Sr.
Pinto.
V. Caumonl, fabricante do candieiros e doura-
ilor, com loja na rua Nova, n. 52, participa aos seus
freguezes quo acaba da receber de Franca um bo-
nito sortimenlo de rustieses, turibules, navetas, cru-
cifixios e caldeirinhas de bronze dourado e de mui-
to lindos gostos os quaes sao rec.omiiiGiidados para
igrejas porserem do modelos proprios e de muila
durac-lo pela forlid.'o e o bem trabalhado da obra,
por preco muito commodo; o sendo que nSo se venda
at o liui do correte mez de maio serflo remelllos
para o. Rio-de-Janeiro para onde fram encom-
mendaflos.
------No largo do Livramento, deposito
de charutos e tabaco, n. 34, vendem-se
alguidares vichados, proprios para l>-
nhtfs de enancas.
Vende-se, por motivos, uma escrava de aacSo.
de 18 annos, com muitas habilidades entre ollas a
da engommar: na Boa-Vista, rua da Mangueira ,
n. 16. -
Vende-se uma escrva crioula. de 17 a 18 an-
nos recolhida com algumas habilidades e quo ho
propria para uma casa de familia: na travesaa do
Sarapiil.il, II. 16.
Na villa deMamanguape da provincia da Para-
hiba do Norte, vende-se o engenho Pindobinha,
distante daquella villa duas leguas, onde ha bom
porto de embarque, o qual acha-se moente e cor-
rente feilo ha 3 annos ,'com moenda de ferro, casa
devivenda, do. .purgar e de engenho, com uma
legoa de Ierra p ropria em quadro, 2 verlenles, bons
alagadicos, gran des varzeas do rogo, tendo criada 1
safra para mais de 800 piles c querendo o compra-
dor ta I em vendem-se besas e bois com carra, pro-
prios e feilos ao servico : ludo por proco commodo :
a tratar com o dono do mesmo, naquelle Jugar.
INo largo do Livramento, loja de
uma porta, n. 34, vendem-se charutos,
rap, tabaco simonle, rologrosso e fino:
tudo de boa qualidade e barato.
Vende-se a fazenda de garios no lugar do Ju, 6 l(-
goai ao puente da puvoa9u de Barra-dc-Natuba, com
2 casas de tedias, cercado para junta, curral com meia
legoa de trra em quadro, parte da qual he lavradba
de muila produeco, por ser em erra, com loOcaDe-
cas de gado vaceum entre grandes e pequeos, inaii'de
outraa cen de gado ovellium c cabrum, um casal de es-
cravos mo;os, applieados em vaqnejar esses gados, o*
que se tem portado com inulto /.,,| j vergonlia, dando
multo boa cunta de dita fazenda u ss senbor, com agoa
permanente em grande acude : vende-se ludo i i por
fi.OO/OOO rs. moda, ou pcrinuta-se por eajaros ou
predios nesta praca, ou suas vitiuhaiifas : tralBc eoin
seu proprietario Joaquim Alvcs Camello de Araujo fie-
reira, rin seu cugenlio Macliatfos, Icruio de Iguarass,
ou com seu correspondente Francisco de Paula Pendra
di Andaade, nesta praca, na rua da Crui, a. 00, primei-
ro andar.
No largo do Livramento, loja de
urna porta, n 3), deposito de charutos
e tabaco, vende-se fumo em iolha a reta-
lho e a tioco de charutos.
AGOA DE TINGIR CABELLO.
Cantlnaa.se a vender na rua do Queimado, n. 31. 0
inethodo d< appiicar, acompanha o vidros.
Escravos Futidos
-- rugi, no din 28 de abril, um preto de nome
Jofio, de nacffo Angola.de 19*80 annos, estatura
alta ebeio do corpo bem fallante, que parece ser
ci ionio ; levoo ralbas de algodlo -trancado azul ja
rotas nos joelhos, camisa de madapolSo; ha no-
ticias que lem andado na lloa-Vista : quem o pegar
leve-o a Passagcm-da-i*grialcna patlaiia ao pe da
ponto que ser recompensado.
Continua a cslar fgido o pardo Jacob, de 18
a'nnoffrsrcco do corpo cabello estirado ; tem falla
de inReiite na frente e um pequeo lalli na mac^a
do rosto, o mais visivel sigual he a, marca de um
caustico as costas; fugio a 21 de dez'embro de 1847 :
quem o pegar leve-o a rua Nuya, a Jos Luiz Pereira,
quo gratificar.
PERN. : NA TVP. D M. F. Dl FAMA1^49
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1WZNDIOQ_MKSFAM INGEST_TIME 2013-04-13T00:46:07Z PACKAGE AA00011611_06479
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES