Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06470


This item is only available as the following downloads:


Full Text


A mo XXV.
Terya-eira 24
O l>M8/0|">l'lc3-iet forcni d guarda. O irtaa da assignatura he
de4#0flflrs pnriiiiarlel, ingosaitinntadoi. Os
annuncios (tus assignanles sao inseridos
i irft-*- '0 r*. por liuba, 40 r>. em typo dif-
ireme, < ns repelinos pela motad*. Os nao
asiignantes pagaran 80 rs. por liuha e lfl ra.
en trpodiUereolc, por cada publicado.
PHASES DA LA NO MF.Z DF. ABRIL.
, 17, I hora e 30 mln. da tard.
telal5,s4liorase48iiilu. oalard.
-, a 2, as horas e 34 ma. da tard.
rote, a, 29s 11 hora c48min.da inauli.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Golannae Parehlba, ii segs. e aslaa-felras.
Hio-G.-do-NoTlc, quintss-feiras ao melo-dl.
Cal>o. Serlnbein, Rio-Formoso, Porto-t'alvo
Macelo, no l. a 11 e 21 de cada mea.
Garanhuus e Bonito, a 8 e 23.
ISoa-Vitta Flores, a 13 e 28.
Victoria, s qulntas-felras.
Olioda, todo* o dias.
PREAMAR DE HOJE.
Prlmeira, s 0 horas e 0 minutos da manh.
Segunda, s Choras e 30 minutos da tard.
de Abril de 1810.
!>I4W SEMANA.
23 .Segunda. S. Jorge. And. do J. dosorph ,
du J. docirri e do J. M.da2.v.
24 Terca. S. Fdclis de Siguiaiinga Aud. do J,
do c. da 1. v. edo J. de paz do 2. dist. de I.
25 Quarla. S.Marcos. Aud. do J. do c. da 2.
v.e do J. de na do2.-dist.de t.
2G Quinta. S. Pedro Ralis. Aud. do J. dos
orph. edo J. M. da I. .
27 Sexta. S. Tertuliano. Aud. do J. do clv. e
du J. depazdol. dist.de t.
28 Sabbado. S. Vital. Aud. do J. do clv. da I.
v. e do J. de pai do 2. dist. de t.
29 Domingo. Fgida de N'ossaSenhora.

N. !.
CAMBIOS NO DA 23 DE ABRIL.
Sobre Londres a 27'/, d. por l/00a rs. a 60 d.
Pars 350
Lisboa ICO por cento de premio.
Rlo-de-Jaoelro ao par.
Dcsc.de leu. d boas Armas a 1'/, % ao mei.
Acedes da comp. de Bcberibe, a 60| rs. ao i.
aro.-Oncashespanholas. 30/800 31/000
Modas de 8/400 v. 17/200 17/4'
. de 6/400 u. 16/200 a
de 4/000.... 9/900 a
Prela-Patacoesbrasilelros 2/900 a
Petos columnariot. 1/U80
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1
PARTE OFFIC1A1.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 20 PE ABRIL.
Officio.Ao couimandano das armas, recommendan-
do a expedlco de suas orden para que estoja proinpin
a seguir para a Itahia o contingente do I. botalnao rtc
irlilrurla a p.; e para a corte o do 1. regiment de ca-
vallaria ligelra. cerlo de que se lliea uiandou pagar os
respectivos sidos, c apromptar as comodonas.
Dito.Ao nirsiun, reconiincndanilo naja de dar as
convenientes ordens para que do 1. de uiaio prximo
futuro em diante se nao abonrui as vantagens da ler-
ceira parle de campanha o a raco em genero s (urcas
existentes neita provincia, visto acbar-sc conciuida a
pacilioaco; ficando S. Exc. certo de que nesta data
fatein-I as convenientes coimuuniea'ces ao Sr. mluislra
di guerra c ao inspector da pagadoria militar.
Dito.Aolnspoctor da (besnuraria da fazenda, trans-
i,i, itindo o aviso da thesouraria do RIo-Grandc-do-Nor-
ir, commiiiiicando o saque de una lellra da quanlia de
uiu cont de ris. feito por aquella thesouraria sobre
essa a cargo de S. S. e favor de Francisco Paulino de
(asiro Barroca.--Participou-se ao presidente da mencio-
nla provincia.
Dito.Ao inesino, transinlttlndo o aviso de urna lel-
li-n da qiiantia de 500,000 ris, sacada pela thesouraria
do IU**rande- los de Alcntara Defio. Scientilicou-e o presidente
iln(|iiella provincia.
Dito.Ao mesino, Iransinitlindo o saque de tima l< t-
tra da quanlia de 200.000 rls, feito pola thesouraria do
Hio-Tirande-do-iNorte sobre aquella e a favor de Joaqiiiui
Itcmo Seabra de Mello.Inteiruu-sc o presidente da
referida pro* incia.
Hito.Ao ini'smn, IronsiiilU'nido o aviso de urna le-
da da quanlia de 000,000 ris.sacada pela thesouraria do
lllo-Grailde-do-Norle sobre aquella c a favor de PedroJos
de Alcntara Deo Comniunlcou-sc ao presidente da
mencionada provincia.
DitoAo coininaiidaiiic da tilia de Fernando, remel-
tendo copla do aviso expedido ao Exiu. presidente do
Para, coiiimiiiiloando baver S. l. o Imperador indefe-
rldo a periodo de graoa do ex-alferes do exercito Jos
Prudencio lillancourt! qie se acha n'aquclla illia cum-
1" indf a W"a Je degredo perpetuo.
DfirXAo eontador de uiariulia, ordenando mande
pracessar n'aquella reparlicao os documentos das des-
fi** feltas eih vrrtnde de o'rdem de presidencia pelo ar-
senal de marinlia nao so coin o sustento dos piislonei-
ros que estiveram a bordo do patacho Ptrnpama e foraui
enviados para a ilha de Fernando, mas tambein como
da tropa que os escoltou at a referida Iba.Scienlili-
cou-c o inspector do referido arsenal.
Dito.Ao administrador do crrelo, determinando
que continu a mandar para a provincia da Parahlba,
lina cimiio para a villa de (aranhuns os enrreios torres-
lies daqurll.i repartirn.
Dito.ao inspector da pagadoria militar, declarando
que o (rneiilc-coronel coniuiandante do I." Ii.il ilho da
guarda nacional do municipio do Bonito, Francisco An-
tonio de Hsrros o Silva, partieipou presidencia que au
torlsra a Candido Jos da Silveira para ante aquella pa-
gadoria, prestar contas da quanlia de dous conlos de
rii qoe na qualidade de delegado supplenle do referi-
do termo elle reerbera em dias de deiembro do auno
prximo pastado, e rccoiumciidando haja S. me. di
ajustar comas i-un o incncioiado Silvelia. cieulill-
cou-se o dito coinmandanlc.
Dito Ao director do arsenal d guerra, aulorisando
a despender quanlia de 3*,500 rls coin a compra de
una ealdeira de 'ferro balido para cincuenta pracas,
constante do pedido, qiie devolve, do 5." halalliao de
fu'ileirot. Jiilrlrou-sc o inspector da pagadoria mi-
litar.
Dltoj^A* adinluistivTo dos Cktabclecimrnlos de can-
dado, ordenando bajado expedir as convenientes or-
dens jara que soja recolliidu o Halado uo hospital de
caiidade o preso Mauoel Jos dos Santos que Ibes ser
enviado polo couiinandantc do corno de polica -Com-
iiiuiilcou-!c ao ciiiiiuiaudanto do referido corpo.
Dito.Ao inspector da lliosouiaria da fa/enda provin-
(ial, 4l7.endo que o art. 103 da le de 3 de outubro de
1831, citado pelo procuradot-lhcal c 'rea da duvida que
S, me. trouxc ao conliecinienlo da presidencia, nao teiu
applicaca aos militares, e que por isso compre que
S...me. mande salisfaier a fullia dus omciae.s do corpo de
polica, perlenccnlc ao iiic de marco ultimo.
TMM.Ao cnmiiiandaiiic do corpo de polica, decla-
rando que.iendo cessadoos motivos pelos quaesse liuha
ponto o corno de seu eliminando disposico do rom-
mandaute das armas, haja'8. me. d'oia em diante d
eulender-sc direclaiuente com o goveruo tbre objeclos
do tci vico. Parli( i|.ou-,e ao commandantc tas armas.
Circular aos commandantes superiores da guarda na-
cional. Acliaudo-sc com luida a pacieaeo da provin-
cla, lem cestada a conveniencia de llcar a guarda nacio-
nal dcotacaila a dlspusieao do general comuiandaiitc das
anuas, Cii'niprc, pois, que uesta nlclligoucia V. me.
enieiida-se ilirrciamento coin o goveruo sobre quaes-
quer objeclos do^servico.
Por esla occaslo cuiniiiiinlco a V. me. que d'ora em
di.(ule se nao abonaio tnais toldot ou vi Huilientos
guarda nacional, devendo u'aqucllet lugares onde cxls-
leui dcttacameiitos haver sempre, se isso l'iir neeetta-
rlo, urna forja de promplido para qualquer oceurren-
cia de inoinenio.
iniltindo o aviso de nina lellra da quanlia de 33.'l,40
ris, sacada pela Iheiouraria do Rio-Grandc-do-^orte
sobre essa e a favor de Amonio Ccrqiirira Carvalho tt C.
Participou-se ao presidente da referida provincia.
Dito.Ao chefo de polica, diy.endo que concorda nao
s em que pela alfandega continu a deapachar-se inde-
pendeute de ordem da' presidencia salitre e cnxofre, e
que no mercado se. vcnJa llvicmenle plvora e chumbo,
mas lambein que teja entregue a seus donoa a pnrcSo
dus referidos gneros que foi anprehendida em diversas
casas c rccollilda ao'arsenal de guerra; c declarando
3uc ncsle temido passa a expedir as convenientes or-
en*.Ncste sentido ofliciou-se ao inspector da alfan-
deii.i e ao director do arsenal de guerra.
Dito Ao director do arsenal de guerra, concedeudo
a autorisaco que pedio para despender quantia de
439,200 ris, sendo 300,000 rls com a compra de dtias
bulas de assoalhd de amai ello, quatro ditas de taboas
de lotiro e una do costado de pao d'oleo para os trap-
illos das olliclnas de prlmeira e segunda classes daquel-
le arsenal, e 79.200 rls para proiiiptificaro dos arreos
de que traa o pedido do couiinandamc da companhia
ti va de cavallaria.cientilicoii-sc o inspector da paga-
doria tuilitar.
nominando das armas.
Quaftel-generai do-caminando dat arma em l'trnam-
buco, 23 de abril de 1819
. 0IIDF.M DO PA.
Tejido recebido do F.xtn Sr. presidente da provincia
un ofliclo,_ em qbe me he ordenado expedir ordem ter-
minantes para que no prazo improrogavel de 15 dias
(que seriio contados da data desta) sejam appresenlados
na pagadoria militar, para seren lequidados, os prets c
cuntas de desposas felta: poloi Srs. commandantes de
frcas durante a rebelliao findo o qual nao serio rec-
balos laet tilulos de dspotas, asslm como que os refe-
ridos Srt. commandantes de forjas doein declararao
esplicita do numero de pracas, que llverain, ou teein
anda siib seu couimando, devendo dispensar-so qual-
quer (orea, que nao for a de prlmeira linha ; mando
publicar ipiit-wrbii o mencionado olHcio, recomendan-
do aos un sinos Sonborrs a inais religiosa observancia
das ordens comidas no tiietmo ouiclo que segu.
lllm. e Exm. SrF.xpeca V. Exc. terminantes or-
dens para que no prazo Improrogavel de 15 dias apr-
sentelo todos os cominandanles de fdreas de qualquer
n.-iiure/.a que tejainutprelt e con las das despezas que ba-
jan feito durante a rabelliao, para seren liquidados pela
pagadoria militar,dcclarando-lhea que nao ser aceilas
as que se nao apresentareni no prazo mareado. Ontro
siin, convin que V. F.xc. elija de lodos esses comman-
dantes de frcas declararn explcita do numero do pracas
Jue liveram ou leein anda sb seu (-ominando, deven-
o logo dispensarse do servlco qualquer frcaque nao
seja de prlmeira linha, teguudo as ordens que tenlio
expedido e de queja deconheciineulo a V. F.xc Dos
guarde a V. Exc. falacio do governo de Pernainbiico,
em 2l de abril de 1849.Manoel Titira TMlm. lllm. c
Exm. S Jos Joaqun Coelho, mareclial de campo
graduado, coiiimanilanle das armas
Igiialmente faoo publico qne S. M. o Imperador, por
decreto de :G de mareo ultimo,houve por bein conceder
ao segundo lente do lerceiro batallin de ai Dlliari.i
apAnlmilo Fernandet Sudr e Silva a doinissao que
pedio do tervico do exercito, o que foi participado a
presidencia desta provincia por avino da secretaria do
estado dos negocios da guerra do primeiro do crreme,
e por esla a esle coinmnulo em oiTicin de 22 do correte,
c previno ao Sr. capllao coiiimandanle da companhia de
guardas na ionaes destacados Jos Goncalves da Silva,
que deve arranjar as emitas e inals papis pertccenles a
referida companhia. porque, p.wsada a mosira, deve ella
ser dispensa do sorvieo. Assiguado. Jote Jonnuim
t.'velko.
EXTERIOR.
PKO LUUlO DA PRESSE AO POVO DE PAR POR
OCC\SIA- DOS MOVIMIENTOS DO MF.Z DE JANEIRO
PRXIMO PASSiDO.
Povo de Fran;a He rosta ruo que dirigimos oslas
iinhas. dictadas pelo temor de que a oclosidade o mise-
ria de olio iiiezea vos possam desgarrar.
Toda a revoluco he una decepeo. Ouem coiiheec
isto nielhor do que vos mrtmos? Una Boas* reyolueao,
em vez de .minorar vossos tpRVImenln;, nao fara man
que. aggrava-lot ella reabrirla voasas mal cicatrua-
das feridas, e retardarla o termo de vossas screvas pri-
Deinis, para que lim Tares una nova revoluco?Ser
para cunseguirde* um inalor grao do liberdaile ? Vos
1.1o carecis de Ilberdade, scnSo de irabalho Presento-
monte as revoluedes cspaiitam o Irabalho en vez de con-
ciiia-lo. ,
Ser para logrardes prosperidade sein irabair.o i a-
-i que sein o tralialho, o qual fmclili.a a trra, vivilica
a industria, e be para o crdito o que o corpo he para a
alma, e para o diuhelro fque o coradlo lio para osan-
gue, nao pode haver prosperidade.
Ser paia assegurardrs o triuuipho de jdeias sympa-
thicas ?Sabel que o campo das ideias nao he a lorca, *c-
no a discussao. it ideias falsas e estrela poden dis-
pensar a cultura c a maUridade.
cedo ou mais tarde ha de raiar, trazendo a restauacao
do trabalho e a diitiinuIcSo da miseria.
Dina nova revoluco so poder tor lugar resuscilando
o poder arbitrarlo, (inmolando a Ilberdade c juslifican-
dii aquellos que faltamente pretenden que ella torna
iinpossivel toda a forma de governo.
Una nova revoluco smente se completarla despojn-
dolos das conquistas de que sois devedores a ulllma
revoluco.
Paciencia paciencia! Nio ha duvida que o lempo
que e passa no sotTrunrntn e na suspensao parece longo;
porin a impaciencia nao pode abrevia-lo e militas vezes
aggrava o nial.
Paciencia! paciencia Porque, se exislem homem que
sejan de coraeo aleicoados e dedicados i" cansa que
defendis, e cujos esplritos lonhaui sido amadurecidos
pela observaco dos factos, pela invesllgaco das causas,
pelo estudo das questoes, pela meditaeao da verdade, pe-
lo amor da justica, o sulDaglo universal nos d o dirci-
lo de etcolh-los e o poder de noniea-los.
Paciencia! paciencia! Porque a elernidado vos per-
lence !
Desafiardes a Cr^m bruta o o poder arbitrario he lan-
oar-vos em suas nios, e tnrna-lns logiiimos. lio isto o
que queris ell'riluar '
Queris que a liberdade da iinprensa, ja lanas ve;es
suspensa, seja de novo arriscada, e porveulura longa-
llienle suppi iinid i '
Queris que as prisoes anula nao brin esvatiadas se
enchain outra ves?
Queris fazer con que novos desgrarados van para a
clcela ?
Queris expr a repblica ao risco de ser eMinola por
um golpe de estado, n afogada oin um mar de sangue ?
Finalmente, queris perder ou conservar ludas as
garantas que haveis adquirido cusa de tres rovolu-
ces? Se realmente estis determinados a perders ga-
rantas que o futuro vos oll'orecc podis entregar-vos i
vossa impaciencia Poim, se queris ciins/rva-las, con-
suli ii a vossa raso.
Povo I A voz que vos falla nunca vos adulou, e fre-
queiileniente vos teil avisado j credo, porlanto, na ver-
dade de sua assereo. A rasao constilue a frca.
ESBOCO DA CONSTITdigO DADA PEI.O RE DE A-
PLES A' 11.11 \ I)(: SI : 11.1 v.
O re ser representado por um vicc-rci, baver.i na
Sicilia, um ministerio local, cujos memhrot tero ret-
pontavois, e* um ministro siciliano em aples. O po-
der judiciari.i ser ludopendentc. llavera um orea-
monto separado. O parlamento da Sicilia ser com-
poslo de diias cmaras, --- una de pares, e outra de
coiiimiins, eleita de quatro em quatro anuos. Qtian-
do um adlamriilo oii.uuia dissolucao livor lugar, a
nova reunio do parlamento nao poder ser esparada
por mais de um anuo. As. duas cmaras terao convo-
cadas ao uieiuio lempo ; ellas comecaio e acabarn
sua sess.i no niesnio periodo. O parlamento exercera
i unjiiiiciaincnie com o rci o podr legislativo. As dis-
cusscs as cmaras sero publicas, excepto quando
ti ni. mi de rcsulvcr-se em coiniiiisso secreta. Os pa-
res cio vitalicios c Horneados prlo roi, seu numero se-
r Ilimitado ; uingiiem, porm, poder ser nomoado par,
menos (|ue lonlia qiiaronta anuos de idado. A cmara,
din coiuiiiiins ser couiposta dos dopulados dos ymte
e quatro distriolos, dos que freui eleilol pelas univor-
iiinln da Sicilia, de Palermo, Uesslna c Caanla e dos
das coiiiuiuiias, conforme o numero rsla|olccido pela
couslituico de i8I2. O modo de elegir os represen-
tantes ser o que foi esta belculo por esta inesina
coiistililica. Os representamos de mu dislrlclo na c-
mara dos doputados sero elcilos por lodos aquellos
que possuiem nesse distrklo tuna renda liquida de
loucas por auno. Os representantes do mu distiicto,
porm, devoran ter nina renda liquida do 300 oncas por
anuo. S pudero rcprosoiitar a cidade do Palermo
aquellos que livcrcm -na Sicilia una renda liquida de
5IK) oncas annuaes. Podero, porm, representar qual-
quer outra cidade do territorio parlamentarlo lodos
aquellos que possiiirem una renda liquidado 150 on-
cas por anuo.
m...... ni ai mu i~i------------".
FE..NAMBUC \
comparecer para lomar assento, por se acbar preso nn
eslado-inainr do corpo de polica Inleirada.
Onlro do presidente do concelhn de salTibrldade pu-
blica, remetiendo ,%exemplares do irabalho do ennrr-
Iho gei al de salubridade, durante o lereelro anuo de sua
creaeo. Inleirada.
I ni requerimentn de Joaquim dos Res Gomes, arre-
matante das casinhat do mercado da nbeira da Boa-Vis-
ta, pedindo que, atientas as rascles que allega, se llio la-
ca o abalimento de 200/000 .iniiii lmenle no proco do
contrato. A' comniissaode rendas municipaes.
Onlro do Jos Joaqun deOliveira Baduem. solicitan-
do o lugar de continuo da assembla. A' coinmissao
de polica.
Oulro de Joaquim Lobato Ferreira, proprielario de
urna deslillacao c alambique atscutado na un da Sen
lalla-Velha, da parte da mar pequen, pedindo que a
assembla tome nina deliberaeao acercadas posturas da
cmara iininicip.il desta cidade, approvadas interina-
mente pelo governo. A' coinmissao de posturas.
Outro de Antonio Malhetis Rangcl, pedindo que se
llie faca um abalimento no pirco por que arrem.it.m a
eolleoloria da villa do l.imoeiro, em vista das rasos
que allega. A' coinmissao do remenlo.
Ontro de Salvador lleurique de Alhuqucrquc, au-
tor do resumo da Historia do Brasil, pedindo que a
assembla autorise o governo da provincia par. man-
dar comprar una porco de exeniplares da dita obra.
aiim de seren disdiliiiidos e adoptados como com-
pendio pelas aulas da provincia.A' coinmissao de ius-
truceo publica.'
Onlro do vigario collado na freguezia do Seuhor-
Boiu-Jesus-ilos-Allliolos da Faionda-Grande villa da
Florosia, comarca de Flores, solicitando que, por una
medida legislativa, so confirme o despacho do reveren-
do visitador, que mandn lieassein pcrlencendo i (re-
De V. me. Oeste sentido as ordens convenientes, par-
ticipando o ciiniprinienio que dra esta ordcin.Coni-
iniiiiicou-se ao coiumandante das armas.
DEM nn mi ai jjliiho?Oquc gaobaiieis com u"na nova lula anda
IDbH DO DA 21. mosmo que ficaseis victoriosos ? Se a victoria vos con-
(iiTi.-lo n -loiiiion.i.... a fe isse o poder, o que farieis vos com elle ? Quando era
OIU..IO.-AO aomuiandanic das armas, reco.iiinendan- ,VMtei lias inos, nao ficastcs lao
do baja do expedir loui.names ordens para .po no prazo 'r'.'ro P.fs com elle cmno fica o sol lado, que entra
H sciommoando-os do que nao sero aceitas as que se nao P?dcr ",eios de or''*a-,a .fc *e.u.e..seJ..,". ]". *
fe,_____________________.....,,
primeii, (tolla segundo aT^lT. nu se teen expedido "-J'" c .
o de .a a fnqliaiili dtu% cKubaciraeuto a S. Exc. I ,,Ums nova rcsolucio uosoraeute aggravaria os males
Dilo.Ao inspector da thesouraria da fasenda, traot- qu soIlVeis, senao lambcni retardara o dia que man
ASSEUBLlU PROVINCIA.
SF.SSAO E'.l 2:1 DE ABRIL DE 1819.
Presidencia do .cr. Sowa Teixeira.
SI MMARIT).rxPEiiiaNTR. l'artrer di mmmitiiio d- tr-
UfiSu rtrea da frtltaco de Antonio da Sil-
va (uimo. Projrelot Amiito doi
Srt. depulado* tupplenlet f'raneiten Joaquim
de /forro l.'orrtia t rtetrendo Semetio de
SanJaio Cnalbtrlo. Hequcrimeniot.
Kttiro detegundo tecrelnrio. pela.re irada
do Sr. Carneiro da Cunta. -Approvaeao, em
primtira ditcmulo, das posturas da cmara
municipal do Rteife.
As 11 horas da inanlia, relia a chamada, verilica-so
eslarrm prsenles 22 Srt. dopulados.
O.Sr. Presidente declara abena a sessad. _
O Sr. i* Secretario l a acia da ulilna sessao, a qual n<-
approvada, assim como as das reuniies que nos din an-
teriores houveram lugar na casa.
O Sr. 1." Secretario d conla do segninle
EXPEDIENTE.
I'ni ollieio do secrcarioda presidencia, lomelleiido as
emitas das cmaras municipaes do Recife, Saiilo-Anlao,
r.oianua, l'o-d'Alho. Garanhuus e Ex. A' coinmis-
sao de contas municipaes
Outro do mosmo, enviando o relatorio da cmara mu-
nicipal do Po-d'Alho. A' cominisso de examo de
posturas das cmaras.
Outro do niesnio, traii*iiiitl'uido um odelo da cmara
municipal de Nazareth, aeompanhado do balancn da
respectiva receita e despezi em o auno municipal findo,
ao qual viiiham anelos varios documentos. A' coin-
missao de contas municipaes. .
Outro do uiesino, aecusando remeta das posturas das
cmaras municipaes da Ila-Vista e Ex. A" couimii-
sao de exame de posturas. '
Outro do mesmo, acoinpanhando 30 excniplares do ic-
latorio que S. Exc. leo a assembla legislativa provin-
cial, na installaco da presente sesso. Inleirada.
Onlro de Jos Joaquim Pacheco de Albuquerque Ma-
ranho, depulado supplenle, participando nao poder
lenla do siipplicanlc os moradores da sorra de I una
lugares vi/.inlios, parochia de Sorra-Talhada.A'
commisso de eslatislica.
Onlro em que Francisco Duartc Coelho, 2o olUoial
di secretaria da assembla, apoiado ci.i o art. I79i3
e 28 do cdigo poltico desle imperio, e contando como
Ricial de lazenda 32 anuos de exercicio nao Interrum-
pido, emprogados em o servico publico, e copio assim
con dirollo adquirido c fundado para poder obter sua
aposemaduria, solicita da uirsuia assembla a coiicrs-
so da merc' referida a aposrnladnria, j regulada po-
la le provincial n 82 de 4 de maio de 1840 ; porquaiilo.
sendo o snpplioante empregado de unmeaco da assem-
bla, parece que s a ella compete o direilo de o apo-
sentar com son ordenado por Inteiro, visto contar de
sci vii o mais 7 anuos do que aquellos que a citad i le
exige para a mencionada aposcnladorla. A' coiumisum
de peticOes.
Outro em que os proprietarios das padarias desta ci-
dade reqiicrem, ou que seja abrogado o art. 4" do tlt.
5" das posturas da cmara municipal desta inesina ci-
dade de2i (lejuiilio do auno p. p, approvadas interi-
namente pelo govrrnn da provincia, e mandadas cum-
plir por edilal da dita cunara de 19 de selonil.ro do
mosmo auno, on enlao que seTlhes conceda espaco de
3 airaos para fazerema mudanca de que trata o mosmo
artigo, face dus fundamentos por elles allegados.A'
coiiiinisso de posturas.
Oulro em que Jos Lucio l.ins e oulros. marchantes
d sta cidade, pedem que lique de neiihum cllilo o ar-
tigo das posturas municipaes, approvadas Interinamen-
te pelo goveruo da provincia, que determina a reino-
eSo dos acougiies das frogiuuias de 'auto-Antonio eS.-
Jos para o palco do Paris e casiuhas da libeira do
mercado. A' coinmissao de posturas.
Foi lido c appruvado o seguinte parecer:
A coinmissao de pelicoos, lendo examinado a peti-
(o que ,i esta assembla diiigio Antonio da Silva Gus-
uiu, loiiibrando alguus iiielhorameiitoa qne elle julga
iiiili-prnsaveis na llluminaro publica desla cidade, e of-
ferecendo-se para elleilua-lus medanle certas condi-
res, emende que a proposta do sunfilicaulc he digna da
atlciico da assembla ; mas, como os melhoramentos
Iciubiadus acarreteui um augmento na despeza publi-
ca, e a coiuiiiitsao iioTslej habilitada para conhecer se
o e.-lado dos cofres provineiaes o pode comportar, abs-
icin-sc de piopr assembla qualquer arbitrio a tal
respoito, e c de parecer que seja dita petl(o reinetll-
d. coinmissao de lazenda c or.-araenlo, para que, to-
mando-a na devida cousiderac.io, e tendo em vista aa
posses do cofres pblicos, d sobre ella a sua opi-
fiiiio. ,
(i Paco da assembla provincial de Pernanibuco, era 17
de abril do 1849.Patt Barreta. Sehaitiao do Regn.Si-
ssdss
Sao lidos, apniados, julgados objocto de deliberar.o, e
mandados imprimir os seguintes projeetot:
ii A assembla logllasliva provincial decreta :
i Art. I." Fio derogada a lei provincial n. 229 de,5de
setemoro de 1848 _
. Art. 2." Os limites da freguezia dcSerinhaem e Ipo-
juca seriaos weauWMUeiosu anles da lei provincial
u. 225, que lica derogada.
a Ai l. 3." Fica instaurada a fi ogueiia de Barreiros, cora
os mesuins limites que linha.
Arl. I Os limites das freguezias de l'ana c Rlo-For-
inu-ii serio os uiesmos que eiam antes da lei provincial
n. i.'il.
Arl 5.* r'icain derogadas as leis en contrario.
Sala das sesses, 18 do abril de 1849.-F. X. Paet llar-
reto
i A assembla legislativa provincial decreta :
n Ai l I.- t-ica exliocia a freguezia do Pasmado, e ins-
taurada a de Maranguape, coin os iiiesnios limites que
lilil <-
k Art. 2. O territorio incorporado fregiu ala de pas-
mado ser restituido s freguezias s quaes porioiiea,
e cuja divisao civil, ecclcsiaslica e judo lana, seta a
un. i., i que era anles da lei provincial n. IW.
ii Arl. 3." Ficam blidos os dislriclos creados pela le
provincial n. 224. ... .. ons ..
Art. 4." Fraaieui elloilo a lei pn.viuoial u. 204 que
c
creo. municipio de Crrente ,c l. ansio, io para essa
povoKcao a sdc da freguezia de I'ala,:,a- .
. Art 5 Ficam derogadas as Iris em oonlrano.
. Safa das sessoes, .8de abril de 184. Cr.e.ro -
C"."^assembla legislativa provincial decreta :
' ."7.0 co'il.ecin.omo do. feiu.s da lazenda pro-
vincial i'iea de novo per.eoccudo ao jubo especial dos
fciio, da fi^jStM os ajudante. do procraaidor-
liscal esro nomcadoi pelo presidente da provincia,
ib n'ioposta do procura.lor-liseal quando lor mister.
dudantes provisorios e especiaes, veucendo a gratifi-


I
.CO.


-
=,


i
9.193o que lor arbitrada confurme os > ". 2 c M.' arl.
11 la le geral de !) de novcmhro de 1841.
Arl. 3.*Ficam derogadas as Icis em contrario.
Sala das sessOes, ISdcabril de \%\9.NabHm de .Irau-
jo Beptsta,*
A asseinblea legislativa provincial decreta :
Art. l.'Fica extinctaa caixa de economa e loccor-
ro, creada pela le provincial 11. 19(i
vrt. 2." Seriio restituidas a qiiem competir as con-
trilnin.irs i|ue na mesmacaixa exislircin.
Sala das lessici, 18 de abril de 1849. Carnriro
Canto.
( C-ii fin mi r-ir-nn. )
u
DIARIO BE PERNAMBIJCO.
EOirc, 33 DIABItlI DE 18*9.
A assembla legislativa provincial discutir amaiihaa,
pela segunda ves, as posturas da cmara municipal do
Rccifc, bem como os artigo addicionaes ;s mesinas
Iiosturas; sendo que para estas liouve dispensa de 11-
lerstloio,
Falleceu e lo i sepultado hoje em urna das catacumbas
da igreja matriz de Santo-Antonio do llccfc o capilao
do '." bal al bao de arlilhariaa p Alfonso Honorato Bastos.
Ilontem quasi noite voltou-se no anenradonro deste
porto 11 ni bote em que se achavam virios individuos, dos
quaes apenas falleceu o Portuguez F.iluirdo Das Itraga;
sendo que sesalvarnm ns demais.
Em a noite de 22 do crreme, l'oi mohada a loja de
1.u, odas de Manoel Antonio de Azevcdo, sita no A-
frro-da-rlfja-Vista.
A historia deste roubo be un punco curiosa ; e, pois,
vimos referl-la tal como no-la narrou o dono do esta-
Jjclcchnento.
Anda nao eraiu 10 horas da noite, e achava-se a p o
caixeiro da loja, de nome t ustodio Jos de t arvalho
t.iiimares, conservando aberta untadas portas que dei-
tain para o quintal da casa ; sen.o quando, tres sujeitos
saltan do muro que divide o inesiuo quintal dos que
Ihe cam annexos. lancam se sobre Ouimaraes, alam-
liie os pulsos ((un nina corda, e o conduzcm para ao p
de una cama, onde j dorma o outro raixeiro, que he
11111)-1 (id de Azevcdo.
Feito isto, om dos salteadores vollou para o quintal ;
o outro llcou de entinella ao caixeiro amarrado e ao que
ilorniia ; o terceiro dirigio-se para a carteira, abrio-a
mili fcilmente e sem que a frrasse, tirou della aquan-
lia de ris 2.'664/K)0 em ouro, prata e notas, inciten esti
iifin insignincaiilc soinuia na algibeira, e ao depois pas-
sou-se para loja, gaveta de cujo balean fui aluda bus-
car 7#ris em sedulas.
Ohtido dest'arte todo o diuheiro que birla na casa,
aquella que o rccolhrn, apressou-se em unir-se aos
dous socios, e, apagada a vela^evadio-sc com elle por
una das portas da frente, dcixando as Ir ral e espa-
voiidos os dous miseros caixeiros.
Apenas estes_ se virain livresde perigo, proroinperaiu
eia gritos Kiiiiio actidiram os pretos da viuva Carioca,
e cortaran! a corda que ligava os pulsos de Ouimaraes
It'ahia a poucoi momentos, a|>pareceram varias pes-
soas, e por maiores que fdsscm as suas diligencias, coad-
juvada pelas de una patrullia do corpo policial que
imi.i ilrss.-is pcssas fra pedir ao quartei do mesiun cor-
po, nao poderam descoliriro escondrijo dos mais que 011-
sados ladrn.
canailras ajJaM, 9 cestas nozei. 00 temos cstos ; a Jo-
s Alfonso Moreira.
45 pataches brasileiros ; a Antonio Marlins de Car-
vallio.
250 patacos brasileiros, 80 pesos, 354 cadeiras de pao
preto e oleo ; a Jos Antonio de Carvalho.
27 rudas d'arcos de pao e frites ditos, 25 llaca de
vimes ; a Domingos Rodrigues Hamos.
14 caitas fechaduras, 3 cndeles loures, 8 calxas li-
nhas, 4 ditas caixas e pentes de chifre, 7 ditas fio por-
rele, 2 fardos peneiras, 18 barril pregos, 1 ennhete frelo,
I caixa candielros e ferros de engouiuiar, de linio, -4o
canastras alhos, 2 caixas llnti.11 c marcas, 2 ditas cera
em velas, 40 aneoretas ateitonas ; a A. V. da Silva l'ar-
roea.
150 cadeiras de pao preto e oleo, I cannap de pao
d'oleo, 4 tofs de dito dito, 8 mesas de dito preto e oleo,
1 caixa obras de prata ; a Jos Antonio da Cunba li-
maos.
2 caixas lindas e tramoias, 1 dita masas para chapeos,
2 fardos camisas de la ; a Lourenfo Fernandos do Car-
ino.
I caixa miiiili'/is ; a Antonio Joaqun Va de Al-
incida.
I caixa obras de chumbo, 110 cestos, 3 temo de con-
decs ; a Jos Carlos Ferreira Soares.
II voluntes drogas a Jos < ardoso da Silva Pinto.''
I caixa brides c pentes de ferro ; a Manuel Jos Soa-
res.
1 caixa cascos para chapeos, 2 volumes obras de pra-
ta ; ni .Iriii.
1 caixa doce, coturnos e incias de lindo ; a Jos Ala-
laquias Leal.
4 caitas cascos para chapeos, volantes c rendas de
palhi'la c pentes de chifle ; a Manuel Antonio Montei-
ro dos Santoi.
I caixotc iinagens, lOO caixas velas de sebo, :". ditas
pomada : a Manoel Joaquini Hamos e Silva.
1 embruiho laa e larlatana ; a Vicente Alves de Son-
ta Carvalho.
10 saceas cevada, I barril presunto ; a Paulo Jos Al-
ves da Silva.
1 barril presunto e liiiguica ; a Jos Mara Thomas
di Silva.
0 caitas fecbaduros, 2 ditas lnhas, 2 ditas coeiros de
algodao, 2 ditas pomada, I fardo peneira.s, 5 barris pre-
gos, 4 cimbeles macliados, 1 pacotc fio porrele, 2 bar-
ris salpicn, 7 aneoretas aiciionas ; a lienrique lier-
nardes de Oliveira.
caitas pomada, 30 barris ceblas; a Antonio Joa-
quiui de Souza llibeiro.
CONSULADO (ERAL.
Rendimento do da '23........
. 4;5002I3
romimiiiicado
^
Milito convencido dos lenlimentos que animain o Sr.
editor do Marta de l'ern.imlmco. vou pcdir-lbe a pulid -
i.H'ni da seguiute experiencia,por iiiiin uiesuio verifica-
da mais de urna vez, e proj.alada por dilfcrenlcs pessois
da iiiiulia auiizade, e de ipie algiimas leein tirado pro-
veito. la rio que os Sis. facultativos, em ve/, de censu-
lar-mc se applaiiiludo de Ineu desembarazo.
Assombrado acora, inesiuo que acabo de lr o /lino
11. 88, por deparar nelle, na rclai ,u dos bitos desla fre-
guezia de s.-Antonio, com o numero de 5 fallecidos, no
iin'i de marco ultimo, de espasmo e totano, alm de
.'1 mais de cnnvulscs, apreiso-me a publicar o presu-
mo do fedegoso para estas molestias. Nao entro na dis
lincean ti clnica desles males, por nao me caber csse ira-
balho, nein vir ao caso : basta f.izer me entendido em-
applicacao desle simples. Para
Diversas provincias.............1(35/909
4:680/128
CONSULADO l'KOVIMCJAI..
Rendimentodo da 23............2:322/341
Vovtnenio do Porto,
Obras publicas, .1 de abril de 1849.-0 engenbeiro, [
L. fictor Lieulhier.
-O Illin. Sr. primelro eicriplurario servindo de inspee
tor da thesouraria da faxenda provincial, em virtude da
resoluedo do tribunal administrativo, manda f.w.cr pu-
blico que nos (lias 8, 9 e 10 de mao prximo vindouro
ir a praca perantc omesmo tribunal, para 1er arrema-
tada a quem por menos fizer, a obra da pontezinha da
camboa dos Arrombados, sb as clausulas especiacs a-
ii.iko tranicriptas, e pelo preco de 2:798,994 ris.
As peisoas que se propozerein a esta irreinitaco,
comparcfitn na tala das seisoei do lobredito tribunal
nos das cima Indicados, pelo meio-dia, competente-
mente habilitadas.
i; pai a constar se mandou afRxar o presente e publicar
pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da faienda provincial de Per-
niinbueo, 16de abril de 1849. O legundo escritura-
rio, 111 ton 10 Ferrrira di Annunciaciio.
CLAUSULAS KSPECIAES DA ARRF.MATACA'O.
k'itrnda do norte, reos e pontei.
Pontcsiuha.da camboa dos Arrombados.
I." As obras da ponteslnha da cainba doi Arromba-
dos serio feitas, pela forma, sb as condices e do mo-
do indicado no orcamenlo, e noi riscos geraes c de deta-
Ihe, approvados pelo Exm. Sr. presidente da provincia,
pelo preco de dous contos setecenlose noventa coito mil
nove 1 culos e noventa e quatro ris.
2. As obras prlncipiario 110 prazo de 11111 Inez, scrao
concluidas no de seii metes, ambos contados em con-
furuiidade do artigo 10 do regulamento das arremaia-
ces.
3. "O pagamento far-se-ha conforme o artigo 15 do
precitado regulamento, lendo de um auno o praio de
respnnsabilidadc.
i.- Durante a execujao das obras, deveri ler dirigi-
do o servifo de maneira tal, que haja sempre um trami-
to fcil.
5." Para tudo o mais que nao est determinado nai
presentes clausulas, seguir-se-ha inleiramente o que
dispe o precitado regulamento de II dejulhode 18*3.
Obras publicas, 5 de abril de 1849. D engenbeiro,
J. L. Virlor Liculier.
Deca raides.
Navioi mirados no din 23.
Caiuaragibe ;2 dial, diatc brasileiro Novo-Deilino, de 21
toneladas, capitao F.stcvao Ribciro, ci|iiipagein 3, car-
ga assucar ; a Jos Mauorl Martins. Passageiros, o ca-
pitao Jos de llarros l'ion un 1 com fu familia, Fran-
cisco Ferrrira da Silva, Jos Alves Percha.
M 11 ( 10 ; i das, barca ingleza Htalriee, de 278 toneladas,
oapitao Josepb Me. Coy, equipagein 14, carga algo-
dao a Deanc Youle b tumpauhia.
Sergipe; 10 das, sumaca brasileira Sanio-nlonio-dt-
/'ii./iin, de "G toneladas, capitao Florencio Ferreira
Marques, equipagein 8, carga farinha de mandioca ; a
Lula Horgesdc Cerquelra.
Navioi inhidoi no meimo dia.
Liverpool; barca inglesa Htalriee, capitao I. Me. Coy.
carga a mesma que trouxe.
Lisboa ; barca porttigueza l.igeira, capito Antonio Joa-
quini Itodrigiies, carga assucar. Paisagplroi, D. Mc-
iiienlina de nluraes Sarniento com 3 tildas menores,
Francesa ; Hernardu Jos Vieira Coutiuho com la fa-
milia, Silvestre Joaquim do Nassimeiilo com I criado,
Francisco Jos leiteira llaslos com sua senliora c nina
fiIba menor, D. Candida Aiitunes do Oliven a c Silva
com 2 lildos menores e una criada, llrasileirul ; Ma-
noel dos Santos, Ernesto Augusto Conrado, Portu-
guezei.
Oibrallar ; escuna ingleza ll'oif, capitao W. O/.anne, car-
ga assucar.
Falinouth ; litigue inglez Mary-lleun$ell, capitao J. Ba-
ker, carga assucar.
lialdo, nem virao caso : basta l.izcr me entendido em-1 ker carel aiuer i""" "
iiiianto applicacao desle simples. Para os receinnas. I r...'. i'.. .... '. t> c .-
. idos appllca se una colh.r de clU de niela en, niela hora, at estab.lecer-se a evajlico V'","r!,i'* an,"s' f" r*a ."I"Mr' .'ro* '"" 8e-
P.,r a via superior c inferior, depois disto m.....t.a-Ve- \SS^*&!rT&**!^ A"T
l>or a va supe
llie a inesuia colher de eb de hora em hora, suspen-
dendo a applicacao logo que se reconherain inelhoras
noiavels. Em proporc.io augmentam-se as dses nos
mais velhos, ca miudo de vinte em viule minutos, 011
de quarto em iiuai l*> d'hora. Prepara-se o sueco do
ledegoso, pisando a planta inleira com railes, lavadas
da ierra, em un gral 011 pilo; se a planta nao contm
suecos suficientes addiciona-sc-lbc algiima agna ; a
massa mette-se em um panno grosso e csprenic.se at
pioduiir todo o liquido que coiilenlia. D resultado favo-
ravel as 1 naneas tem sido constante as applica-
Ves que tendo lido uccasiiio de fazer at boje. Y1 tta-
no produtidopor feridaso tenho applicado tambem duas
ve/es, e em amba resolveu couilelauiente a molestia,
rom celeridade espantosa.
I-11 seria bem criminoso se nao me prevaiecesse de
sua boinladi', Sr. edictur, para fazer publicar u resul-
tado de semclhantc remedio, e assim rogo-lhe mande
inserir o presente no seu Diario os dias que julgar
Instantes. Sou seu, biC.Pilippe I/.una Callado da ton-
lOME*G5>.
AI.FANDF.GA.-Rendimento do dia 23 8:283^508
Oeicarregam hoje, 2i rfo correatt.
Brigue _.Wai,i-eV,is_ albos. <
Hriguc Marv-1'djfiiir mrrcidorias.
IHiguc -l.raenle barricas vasias.
barca leja viudo eviuagre.
IMPOIITACO.
MarmFeliz. In igue portuguez, vindo do Porto en-
tiado no corrente mes, consignado a Antonio Joaquim
do S011/.1 1,iln iro, ni inil'i ,k.ii o seguiute :
40 rodas d'arcos de pao ; a Bailar &. Oliveira
:ir0 liaeai de vimes ; a Francisco Doiningues'Alfonso.
Ionio l-orgcs com sua mulher, 2 lilhos menores c I
siibrinlio, Antonio Jos de Araujo Vieira, Portugue-
es; Manoel Pvixolo de Freitns Guimaiacs, lirasi-
leiro.
Maranh.io brlguc-esctina brasileiro Laura, capitao An-
tonio Ferreira da Silva Santos, caiga assucar. Passa-
geiros, Francisco Jos Pereira de Urito, Manoel Mar-
tins de Vasconcelos Porto, Manoel da Costa Morelra
Arantes, Maximiann Ferreira Hnrgei, Antonio de Mou-
>a Molin, Manoel Cavalcanie de Albuquerque, Tho-
ina/. de Aducida Antunes, .1 nvenal Augusto Cezar de
S iinpain, Jos San ico, Manuel Ferreira Ramos, lilho.
KDITAKH.
o lllin. Sr. primeiro escripturario servindo de ins-
pector da thesouraria da fazenda provincial, em virtu-
de da resolilco do tribunal administrativo, manda fa-
er publico que nos dias 8, 9 e 10 de ma 10 prximo vin-
douro 11.i oapiae.a perantc o inesiuo liibunal, para seren
arrematado a quem por menos lizer, os concert! da
ponte de Santo-Amaro, sobas clausulas especiaes abaixo
transcriptas c pelo pree.0 de 3:245,000.
As pessoas que se propozerein a esta arremata(o
cumpa 11 e un na aala das sesses do sobredito tribunal
nos dias cima indicados, pelo meio-dia, competente-
mente habilitadas.
K para constar se mandou allixar o presente c publicar
pelo Diario.
Secretaria da tl.esoiiraria da fazenda provincial de
Pernaiiibueo, ludo abril de 1849.O segundo escriptu-
rario, Antonio Ferreira da Annuneiaro.
CLAUSULAS ESPECIAES DA ARREMATACAO.
Estrada do norte, areo 1 pontee..
Acabanieuto da poule de Santo-Ania'o.
1.a As obras do acabamenlo da ponte de Santo-Ama-
ro scro leitas, pela forma, sb ascoudicea do modo
indicado 110 01 (amento, e nos riscos geraes c de deta-
,n_ iB.io uc un- pelo pceo de tres cotilos dusentose qiiarenta* e cinco
mil rcis.
2." As obras prlncipiarao no prazo de um mes e sero
concluidas no de cinco mezes, ambos contados eut
confurmidade do art. 10." do regulamento das arrema-
laccs.
".' Durante a etecucao das obras, dcver.i ser dirigido
O sirvico do modo tal, que baja senipic um n.nsito la--
cil, coiiatriiiudo-se um passadi(o provisorio,
4 0 pagameuio far-se-ha confurm
I barril salpicOes, 143 palacors brasileiros; a Frai
va Moreira Piulo Rarbosa.
ti calas chapoa de lia ; a Domingos Alves Matlieus.
8 barris pregos, I dito vinho ; a Manoel Francisco
Marque!.
20 canastrai albos ; a Manoel Duarte Rodrigues.
M5 rodas d'arcos de pao ; a Joao Domiiigucs Ramos.
5barris pregos, iO feites e 100 rodas d'ircos de pi ;
a Joaquim Jos de Ainorim
S. Exc. o Sr. presidente da provincia d audiencia
todos os dias uteU das duas horai da larde em dianle.
-O arsenal de guerra compra duas duzias de taboas
de assoalho-dc amarcllo, de 28 palmos de coinpriinenlo
e dous ditos de largura ; quatro duzias de.taboas de as-
soallin de louro, de 28 palmos de comprlinento e 12 a
lli pollegadas de largura; cumaduzia de costados de
pao d'oleo, de 28 palmos de comprimen c dous ditos
de largura : quem o mesino genero se propoier a ven-
der, pode comparecer na sala da directora do mismo
arsenal, pelas II horas do dia 25 do corrente mez, tia-
zendo sua proposla, com declaraco do ultimo preco
por que poder dar, em caria fechada. Arsenal de guer-
ra, 23 de abril de 1849. O escripturario, Francisco Se-
rfico de Asiis Carvalho.
Peanlo a ndmi>istra(3o to patrimonio dos er-
pli.os se lio de arrematar a quem mais der, e por
lempo de 3 annos que litio de ler principio do pri-
meiro de junlio do (Jrrenle anuo ao lim de juuho
de 1852, as rundas das seguiuleg nasas, pertenecalos
ao inosmo patrimonio, a saber : largo do Collcgio,
11.1, segundo andar ; ni do Crespo, n 9 ; largo do
Panizo, n 29 ; ra dag l.arangoiras n. 17; ruado
Kangel, n. 58 ; pra^a da lloa-V'isla, n. 13; ra \Clin,
n. 32 ; dita de S.-Conclo, ns. 22 e 2; dila do Sebo,
11. 3; dita do Pires, n. 39;|dita do Kozario da Uoa-Vis-
la,n. 60. As pessoas que se propozerein arrematar di-
las rendas pdenlo comparecer na casa das sessOes
de dila administrar;'!, nos dias 26 do correle,2 o 10
do prximo mez do mato, as 4 horas da tarde, cbm
leus fiadores ; adverlindo-se que se mo aceitaran
lances daquelles iuquiliuos que se nio acharen,
correntes em seu pagamentos. Secretaria da ad-
aiinii.trac.itu do patrimonio dos orphflos, 21 de abril
de 18*9. Jote Francisco de Chai)y, secretario.
Pela subdelegada da freguezia de S.-Frei-Pcdro-
Gonr.alves fui apprehcndido, no dia. 15 do corrente, a
larde, um cavallo alaso que vagava pelas ras s : quem
fr seu dono diiija-se .1 iiiemia subdelegacia, que dan-
do os siguaes crrlos, ser entregue. Subdelegacia da
(resuella de S.-rreiPedio-Goncalves do Reiil'c, 20 de
abril de 1849. -- Francisco Mamede de Almeida, subdele-
gado tuppleiitc,
TllEATKO DE APOLLO
l'.ncci 1 amento das represenlaccs sob a dliecko do
Sr. Dupr.
Quinla-feira, 26 de abril de 1849.
UMa REPRKSF^TACA'O EXTRAORDINARIA,
em beneficio do Sr. Lamberir.
A PEDIDO CLU Al.
VKNKZUM
OU
0 Carrasco de Vneta,
drama em 5 actos, carcter e a guinde espectculo.
DXNCA.
LE JAMO,
danea do pela Si a. Camoin.
Aria nova de Iteriot,
execulada em rabeca pelo Sr. Alexaudre.
Grande arta italiana mmica de Verdi, cantada pela
Sra, Aleandrc.
TRISE! TE,
vainli v illc novo em um acto.
Principiar s 8 limas.
Avisos mar i limos.
iil'orme ao arl. I5.1" do prc-
- -------------------- .. 1*. 1,11 "i,i >' liti u>,
lpacote flo, I barril vlnbo, 20 roda, darco. de pao, ,po.a'brdd^",0, "'"0 "' "U """"" Pr" *" "*"
MjUtac. de vimes; .Joaquim FerreiraMei.de, Gui-, 5. Para tudo o mai. que n^o e.t determinado .a.
o.^^aS-^o^^o.^^
O patacho nacional Franeelina legue para oRio-
de-Janeiro no dia 26 do correo/e : pode receber alguns
e-cravos .1 fete, paia oque trata-se com Machado &
l'indeii o, na 111a do Vigatlo, n. 19. segundo andar.
Para o Aracaly pretende sabir at (i do vindouro o
hiate Noto-Olinda, por ter a umior parte de sua carga
tratada: quem nelle perteuder carregar e ir de passa-
o,ciii, se entender com o ilustre do mesino, Antonio
Jos Viaiina.no Trapiche-Novo, ou na ra da Cadeia-Ve-
llia. n. 17, segundo andar.
^= Para o Rio-tle-Janelro segu viagem em poucos
dias o brigue nacional Despiiue, por ler parte de seu
carregamentn prompla: para o resto da carga, passa-
geiros e eicravoi, trala-sc com Machado & Piuliciro, na
ra do Vigario, n. 19, segundo andar, uu com o capitao
a bordo.
Para o Rio de-Janeiro sabe imprelerivelmenle no
dia 26 do corrente, o patacho Diligente: recebe anda
alguiua carga iiiiuda, passageiros c eacravos, para o irue
tem rtedenles coiniiiodos : a tratar na ra do Vigario,
n. 3.
Para a Rabia sabe em poucos dias o hiate S.-Jolu:
para o resto da carga e passageiros, trata-ie com No-
vaes &t C, na ra do Trapiche, n. 34.
Para o Maranbio, tocandojno Cear, saldr em pou-
cos dias o brigue-escuiia Laura : para o resto da carga e
passageiros, raan: com o capitao na playa, ou coja
Novaes l< C, na ra do Trapiche, u. 34.
Parn o' Rio-Grende-do-Sul prolende J,r em
poucos dina o nrign Deot-te-Guanle, pnr ter a sua
carga prompla ; iras ainda pode receber alguma
carga a frele asaim como escravos : os rretetiVn-
les ilirijam-se a Bailar & Olivira na rita da Cadaii-
Velha, armazem n. 18.
Frelam-se duas barcacas ama de 24 e outra de
30 caixas, para o Ceara ou AracaLy : os pretenden-
tes, drjtim-so ra da Cadeia do Uecife loja de
ferrageng n. 59.
Para a llaliia segu, no da 26 do conenL
patacho S.-('rui: uara o resto da carga o
ros, trala-se ao lado do C'orpo-Sanlo, loja ae 1
mes, n. 25.
Est a cliegar do Rio-de-Janeiro a bem eonhe-
cida e veleira blata Ktpiriio-Semto, qual vem a
este porto acabir de carregar, e deva com mullo
pouca demora seguir pira a cidadn do Porlo, por
issoseavisaa quem se quizer Irinsporlirde prni-
gem para aquella cidaile e quizer ler esta dimi-
nua demora achanto na referida barca os mais
excellenles commodog nilo s pala grande camr
que lenicomo o lombadilhotquein com antecedencij
quizer conlratir a sua passagem ou carregar fre-
lo, dirija-seao seu consignatario Franctwt Altes
da Cunha na ra do Vigario, n. II primeiro
andar.
Espera-so do ltio-ilc-Janciro,al 13 do corrale
o brigue portuguez Terceira capullo Jos Antonio
llibeiro de Freilas.e segu para aailliasde S>lliguel e
Torceir, com a maior brevidade nogsivel; t rece-
be passageiros para os quie offerece excellen-
les commodos : quem quizer ir de passagem, diri-
ja-se aos consignatarios, Olivoira Irmaos & Corapa-
uhia, na ra da Cruz, n. 9.
Pira illia dos Azores e Lisboa saho impreleri-
veltnente, no dia 2* de abril, a polaca Soeieadtle-
lii, por se adiar com o carregameulo quasi comple-
to : para o resto da carga c alguns passsgeiroa, aoi
quaes oflerece bons commodos, IraU-so com Joao
lavares Cordeiro, na ra do Vigario, 11.8. >^
Para o Rio-de-Janeiro pretende sabir breve o
origue Mercantil, por ter una pBrto do carregaoten-
lo : quem no mesmo quizer carregar, embarcar 'es-
cravos, ou ir de passagem, enten la-se com os con-
signatarios, Amorim Irmuos, na ra da Cadeia, nu-
mero 39.
Le i loes.

Avisos diversos.

= O corroctor Oliveira far leilao de grande portan
de mobilia, consistindo em consol!, mesas redondas
para meio de sala, ditai para Jogo, jolas, espelhos, lou-
e.olores, cadeiras de minias qualidadei, inarquezas, dif-
ferentei secretarias, armarios, quadrol lindisiimut
com molduras douradas, carleira grande c oulrai pe-
quenas, estantes para livros, e balcao para escriplorio,
cannaps, una burra grande de ferro e uiuescravo inul-
to fiel, c que por inultos annos fol guarda da caa, e con-
lideravel quantidade de uniros objeclos, nao menciona-
dos para evitar a extemao deile annuncio: quarla-fri-
1 a, 25 do corrente, s 10 doras da uianbaa, no armare 111
e primeiro andar da casa n. 52, ra da Cadeia do Reeife.
= Arrial Frercs fardo leilao, por intervencao do cor-
rctor Oliveira, de 95 caixas de vinho niciloc, 4 ditas uius-
catel, 8 glgostlc champanba, 7 caixai de tuacai leccas,
12 barris de tintas branca, verde e pida, e 1 farda de I i-
iilm em rama : quinla-feira, 26 do corrale, s 10 horas
da manli.i, no icu aruiaiem, ra da Crus.
O proprictario do litio denominadoCampo-Ver-
de contiguo ao Corredor-do-Bispu, avisa aos senhores
i| ue a lora 1.1 ni terrenos em dito sitio, e que anda nao
sa11-li/.ei a,n as rniiiliedos do al'oiamento, que tcnhain a
bondade de comparecer al o da 30 do correle em
a ra Dirrila, no primeiro andar do sobrado n. 89, fin
de ciiniprii em ns condlfes que le subjeilaram; na afr-
leza de que acrao os ditos lenos alorados d(vo a
ouiroi prelendentes, se. poi ventura se cxliniraaV de ver : Isto al o da indicado.
Soeiedade Apolliuea.
A dlrec(.:3o convida aos Srs. socios, para coinprccc-
rein 110 dia 2 do corrente pelas doras da tarde, na
casa da soeiedade, para, em sesso eeral, ie tratar de
negocios transcendentes mesma soeiedade : adversa-
do que aquelles dos Srs. iocoi que nao se acharaiu cor-
rentes com a mesma deixarao de ler voto, e de ler con-
templados como tal, c ihn julgadni eliminado!.
Silvestre Joaquim do Naicimento, na sua ausencia
para Lisboa, a tratar da sua saudc, deixa encarrregada
do giro de sua caa, e de receber os alugueis das suai
casas e engenho, sua seuhora f). Vicncia Fertelra de
Albuquerque, no mesmo sobrado em que morava.
Eu abaixo assignado, prctendendo retirarme para f-
ra do imperio, ejulgando do met dever uo drixar no es-
quecimento a duplicada licnevolencia que recebi do
lllm. Sr. Jos Peres Campcllo. seulior do engenho Can-
gass, d.iiiilo-llie os agradec memos de todas e militas
gratificaces que me fez, assim como do Iralainenloque
11 eelii durante os 7 annoi que fui seu caixeiro ; por isso
desde j Ihe dirijo os meus divdese reipeitoioi agrade-
1 imeiitos, filhos da Jilliocfao c all'abilidade com que S.
S. me iratou : ilrva-ie, pols, V. S. aceitar com benig-
no acolbimento as inhibas puras cxprcisdei de atl'rclue
submissa obediencia, bem como o corafo sinerru e
agradecido desle que tem n honra de sei de V, S. subdito
e profundamente reipcilador O Portuguez Jlnatvl
Emygdio de Medciros.
No cno.i olio limanlnieui acham-se alguns cavallm
dos que foram lomado! para couduzirein a bagagem da
columna que coiniiiandava o coronel Joao do Reg
Barril 1 quem se julgar com dircilo a cllci v ou niandr
ao mesmo engenho.
Preclsa-se de um leitor para um sillo per lo dcjla
praca : na Iravessa do Veras, n. 15.
~ Manoel Antonio Monleiro dos Sanios, subdito por-
tugus, vi i ao Cen,i.
Manoel Marlins, Porlugue/., relira-sc paria Rabil.
--Ileni ique Amante Chave ainc, Frauces de uacao, re-
tirase drsla cidade rom sua inulbei eftilo lildos ineiio-
res, em consequencia de ler que seguir para > onlrvi-
deo: pin (amo, le algurm se julgar seu credor queia
aprrsentar suas conlas em sua casa a qualquer bou do
dia para ser embolsado.
II1 iiia-.se para oCrar F. W. Nashr.
Na padaria frauurza do Atierro da lloa-Vilti, n. 50,
prrcisa-ie de um amassador que seja perito em leu 0II1-
110 ; c de um pelo, por alugurl, que tambem rulcuua
de masseira.
O abaixo assignado, leudo de rclirar-se para fura
da provincia com toda sua familia, roga a todos que me
deveiu que Ihe venham pagar 110 prazo de quilUK dias,
do contrario se usar dos meios judicial s: asslmcoino
rogaa lodos aos icnhores que se julgarein seus credons
que liaj.ini de apresruiar suai cuntas no uiesaio pra-
so. Anlunio Jos llabillo Uuimariiis.
Roga-sc ao lllm. Sr. Di. Loureuco Fraaclseo je
,\ I no ida 1 alan lio de anuuuclar por es folba a casa uc
sua residencia uesla praca, para ser procurado, afitu Ue
Iratar-se negocio de Intcresse paitlcular. ,
--Manoel Fianeiico Bastos, Portugus, Tal pa" ***" *
ceio, levando em sua coiiipanhla a lamida.
= Francisco Joaquim Duaiie, Hoiluguez, aai a Ma-
celo, levando em sua couipanhia una escrava.
Na ra da Cruz, o. i, luccisa se Ue uw rfiraTS pa-
ra o aervico de casa.


*?
r- -. _-j------i-jar
s Irsnciico Antonio Xavic.-, do corpo de voluntarios,
tendn ildo-gravemente fcrido no combate do dia I de fe-
vriclro, e havrndo sido tratado pelo Illm. Sr. Dr. Fran-
cisco Ooncalves de Moraes, clrtirgio-iii\r do infamo
cot", vem por este molo dirigir llie seus sinceros agra-
ilrciincntos, e proteslar-ltie um eterno reconheclmento
pela cura que llie Rzera coin todo desvelo, e cuidado por
opaco de dous msese olio dias, sendo todos o reme-
dila cuita do ineaino Sr.
= Precisa-se do um caiieiro de 12 a M anuos : ua ra
da Florentina, n. 30.
O Dr. Sarment mudou-sedorlos-
|)icapara a ruado Queiinado, n 4*>-
" rtciencaininhou-se, desde o porto da ra Nova ate! o
Monteii o, uina trousa de roupa, sendo a maior parle
della marcada coro ai seguimos lettras A. I..S. A.: quem
der noticia delta, leril generosamente recompensado na
ra do Queiinado, n. 31,
Precisa-se de oliciaea de tanoeiro:
na ni do Santa-Hita, n. 85.
-- Quem quizer dar roupa para lvar e engommar
porpreco muitocommodo ,dirija-sea ra da Con-
ceigaeda Boa-Vista, n. 46.
-Mr. N Dupr avisa ao reipeilavel publico que se
relira para tora do l'ernambuco com urna parto de
sua companha Mr- l.amborly Mr. Alexandre ,
Madamas Camoin e N Alexandre.
Francisco Cabra 1 da Costa retira-so para illia de
S.-Miguel,coma sua familia.
Francisco Rodrigues Pereira, subJito pnrlu-
guea, retira-se para Portugal a tratar do sua sa le.
AJoga-seuma preta para vender fazendas : na
travess do Veras, n. 9.
Manoel de F.spindola Mondonga, subdito porlu-
guoz, relira-se para forado imperio, com sue fa-
milia
-- l>eseja-se fallar com Joaquim Peixoto deSouza,
natural de Seuzella, lugar do Moreira, bispado to
Parto, em Portugal: so existe nesta praca, anniincie
sua morada, ou dirija-se ac lado do Corpo-Santo,
ii. 2 >, para ler noticia de sua familia.
o dia 25 do corrciite, na casa das audiencias,
perarrte o Sr. doutorjuiz municipal da segunda vara,
se ha de arrematar, por ser a ullima praca a cas
de ilotis andares e sotilu n. 16, sita na ra de Apol-
lo com armazejn no fundo terreno e o mais l
siMis pertcnces, por exocugilo doSabasliSo Mauricio
Waoderley contra os berdeiros do finado Jos Ma-
nocl Fiuza a valiada em 2i:000,000 de rs.: carto-
riodo escrivao Molla.
-- Ausenlou-so, da casa do abaixo assignado um
Africana livio, de nome Manuel, de 9 annos, pouco
mais ou lucilos : falla ja niuiln explicado; tem os
olhosgraodese um pouco aboloados para fina ; he
um tanto cambado dos ps ; costuma trocar o nome
pelo de JoSo; lovou camisa e calcas do slgolilo
trancado com listras azues : quem o pegar leve-o a
rua de Apollo, n. 16, primeiro andar, ou ruado
Trapiche, annazem n. 13. = Jote Pedro do llega.
Joaquini l'ereira Arantos roga aos seus devedo-
res que venham p-igar-lbe s'uas cuntas lomando ein
cmsideraciloqueealoados se compra dinheiro,
e os mesmos srs. estilo muito atrasados nos seus,
pagamentos.
Aluga-seum primoiro andar na ruada Apollo:
a tratar com bandido l.obo, no seu armazem.
a ra do Queiinado loja n. 27, se diz quem
trata de cavallos, a 320 rs. por dia e noite
Hiecisa-se de urna ama cscrava ou lorra, para o
servico de ama casa : na ra da Praia, n. 49, segun-
do andar.
--Quem precisar do umPortuguez para caixeiro,
ou administrador de engeuho o qual tem todos os
conhecimentos dirija-se a ruada Ciuz, botiqun)
n. 28.
A crioula Maria Antonia do Rozario rctira-se
para a cidade do Natal, provincia do Cesr.
Comes Evans, rfbdito inglez, relira-se para Ve-
nexuella com escala por l'hiladolphia.
Precisa-sj de um, ou dous pretos para o servico
de panda e assistirem em um sitio'perlo da praca:
quem os liver, dirija-se ra da Sen/alia, no boti-
qun) l.'-|ior,iiii;n n. 126.
Fortunato Antonio Coelho relira-se para a pro-
vincia da Paraliiba.
Protonde-se comprar o sitio da povoacilo do
Monteiro. na estrada qu va i paraoArraial flndan-
dqna la Ion a do Mudo pertoocenle ao Sr, Jos Ro-
drigues de Mello : qu m se julgar com alguma liy-
polheca sobre o mosmo ou oulro qualquer direito
que embarace dito negocio, queira annuuciar por
esta ful ha isto no prazo do 3 dias: do contrario, o
cnmpradognii'.-so rcsponsabilisa por nenhuma re-
clamacilo que hajam de fazer.
-- Quem tiyer um nioleque que queira mandar
ei siuai a fazer charutos ,* tlirija-so a ra larga do
lluzario, n. 32.
-=0 padre Manoel Nunes Martina, subdito portugurz,
rolira-se para Lisboa, rom o seu criado Lu/. Antonio
nucalves, taiubrm l'orlugucz.
Alugr-so urna casa propria para padaiia: no
beoeo daa Barreiras, n. 7.
0 abaixo assignado avisa a todas as pessoas que
licaram devendo conlas a Manoel Rodrigues Pinto
hajam de as ir salisfazer na na do Collcgio, botica
n. l islo no | razo dr 15 das contados desla dala;
do contrario, pussar a publicar por esta folha os
seas noincs por extenso. Como procurador do
inesmo cima, Jonquim Horiguei l'iiilo.
-- Traspassam-se as chaves do armazem n. 53 da
rua da Prala com lodos os seus pertences: na ra
das Florea n. 25, se dir quem Taz esle negocio.
\ pessoa a quem fr oficrecida urna nauta de
bano com aunis, bomba e 5 chaves de prala, quei-
ra appiehende-la o annuuciar, ou-dirija-ye a rua
do Nogueira, n 6, pois fo extraviada de urna loja
no da 8 do correle, dentro de urna caiXinha de
madera queaei gratificad)) generosamente.
Iloga-se sos Srs. Francisco Euzebio deFarias,
< assiano Alberto Pimenta deSouia Peres, Francisco
Ju**|yes Gama e Manoel Jos Ribeiro Cavalcante,
u> em no Alcrro-da-lloa-Visla, n. 10, ou matida-
**' reaposta das caitas que receberam.
Na roadoQueimaOo, n. 14, se dir quem da d-
nbeiro a prenou Na incsma casa vendem-se brincos
lo ouro, mcilaliwg, traneelins, crlenles, annelOos,
ri Ligios, 2coras 2 ores de prala pura cabeca de
aeiiliora.umpirde livelas urna colcha da India,
uii.aMjandeira nacional, o um galheleiro.
Ilanoel lleseude Reg, subdito poituguez, reli-
la-se para fofa do imperio.
-- Joaquim Jos Ferreira subdito porluguez ,
relira-se para foia do imperio.
I*ara as pessoas que tcncio-
nam seguir viagem.
Na.iua do Kangel, u 9, continuam-se a lirar pas-
aapoitra para dnlio n fura do imperio despacham-
seescravoaeorrem-aefolhas: ludo com brevjda-
tie e proco imiltoeommodo como se tem da lo ox-
reRente pwait0 uec0rsw Ue 6 anuos.
w---------- 1 -.
\ O abaixo.asslgriado agradece as pessoas a |Un dls-
Iribuio cartas pedlndo esmolas para a procissao do
Senhor Rom Jess das Cbagm, no domingo de Ramos,
e que se dlgnaram subscrever para o brillKintlimo deste
acto religioso. K com quanto persuadido de que o mes-
uio Senhor alo delsari de remunerar os devotos que
asslin concorrerain para sua maior honra e gloria, o
abaixo assignado faltarla a um llover, se pelo presente
se Ibes nao confeisassc eternamente agradecido
Joo Fernanda dt Crut._
Relacao das pcisoas que concorreram para a piocissao
das Cbagas, c a quem se refere o aununclo snpra
Esmofai im dinheiro.
Joao Jos de Carvalho Moraes.
Jaarquiu) I'inhelro Jacoine.
Joao Carlos Augusto da Silva.
Jos Gonsalvcs da Fonte.
Antonio (unsalvcs da Silva.
Bcrnardlno Freir de Figuelrcdo Abrru e (astro.
Joao Francisco Marques.
Jos Martins deCouto Vianna.
Jos da Silva Laranja.
Francisco Joaqun) Pedro da Costa.
Gaudlno Agostinbo de Pareos.
Salustiano de Aquino Ferreira
Jos Antonio de Araujo.
Joao Rodrigues Ncvei.
Joao Tavares Cordel ro.
Domingos Martius Ponles.
Manoel Pedro.
Um devoto.
Jos Joaquim Dial Fernandos.
Francisco Jos Leile.
Joao da Silva Una Vista.
Domingos Alfonso Nery Ferreira.
Manoel Francisco Pontes.
Francisco Joi da Silva Marcieira.
Domingo! da Silva Hoa-Vista.
lino i.pos Nash.
Manoel Ramos Ponles.
Domingos da Silva Campos.
Joaqniui Henriques da Silva,
Joaqun) Feilx da Moza.
Justino Antonio Pinto.
Francisco Gomes de Carvalho
Manoel Estanislao da Costa.
Quintiliano Henrlque da Silva Primavera
Manoel Joaquim Gomes.
Joao Antonio de Moraes.
Firmiano Jos Rodrigues Ferreira.
Domingos Gonsalves de Moraes.
Antonio Gonsalves doi Santos.
Manuel Gomalves dos Santos.
Francisco Gousalves dos Santos.
Aliguel Jos Barbosa Guiuiares.
Jos Roberto da Silva.
Joao Carlos Mnriuho Palharcs
Francisco de Paula e Silva Llns.
Antonio Jos Rihelro Giiimarcs.
Manoel Jos de S Araujo.
Ksmofai em brandoes.
Manoel Ignacio Piuhelro Jnior
Antonio Francisco de I.ima Guimares.
Florencio Jos llarb< a.
Joao Manoel de Castro.
10,000
S000
f.,000
5,000
1,000
2.000
2,000
2,000
2,000
2.0tH)
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2.000
2.0U0
2,000
2,000
2,000
1,280
1,000
1,000
1.000
1,000
1,000
1,000
,000
1,000
1,000
1,000
1.000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
i.onl
1,000
1,000
1,000
1.000
1,000
1.000
1,000
1,000
500
Rs. 85,780
Reccbl do Sr, Joao Fernandos da Cruz, das cartas que
enlregou para a procissao do Senhor Rom Jess das Cha-
gas, que leve lugar no primoiro de abril, em dinheiro
ni tonta e cinco mil e adecentle oltenla ris, em cera 5
brandoes. Consistorio, 19 de abril de 1849.
Rs. 85,780. Antonio Jacintho Carneiro,
Escrivo da ii mandado
Joo Maria dn Silva e Bcnlo l'ereira de Resen-
des, subditos de S M. Fidelissima retiram-se para a
cosa d'Africa.
Jos Fci nandes Ferreira, lendo de retirar-se pa-
ra fui a do imperio avisa nos seus credoies que Ihes
apresentem suas conlas at o pimeiro de maio, para
serem pagas.
Um administrador perito e sem familia se
pro i 0e a administrar qualquer engenho, pois o que
tem lodos os eonhecinrentos precisos n pratica para
o que d conhecimentodesua capacidad" pelos Srs.
milis probos : qoem de seu prest nio se quizer utili-
sar, dirija-se rua du Praia, armazain n. 9
-Antonio Joaquim Ferreira da Silva dexon de
vender bebidas espirituosas do produccilo brasileira
na sua venda da rua doCollegio, ti. 16.
Precisa-so de um caixeiro que tenha pralica de
couros: no Forle-do-Matlos, prensa de algodflo,
de Jos Ribeiro de llrito.
-- No pateo da matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4
tiram-se passaporles para dentro e fra do imperio,
assim como despacham-se escravos, por pre?o com-
modo.
-A viuva & Filhosde Jo.lo Carlos Pereira de llur-
gos Punce de l.eon vendem, anda mesmo a prazo ,
ou a troco do escravos as rasas terreas leudo cada
urna 2 salas, 2quartos, cozinha fra quntale ca-
cimba, sitas na Iravossa do Marisco, defrontc da
nova matriz do.S. Jos: no pateo do Carino, sobra-
don. 18
Pcrmiila-se por um engenho um dos memores
sitios desla cidade, tanto pela elegancia, como pe-
las commodidades que desojar-se pode, sito no Ar-
raial, pciteiiceiilea Viuva & Filhos do Joilo Carlos
Pereira do Burgos Punce de l.eon : lrala-se no paleo
do Carino, sobrado n. 18.
Preciso-se de urna ama de leile que saina lia-
lar de uina enanca e do quo llie diz respeilo : na
rua da AssumpcSo, n. 36, segundo andar.
-- p.ecisa-sedcum criado: na ruado Hospicio,
U. 9. .
Quem se propozer a fornecer capim para ai-
guns ravalios, trazendo-o diariamente rua do Hos-
picio, n. 9, baja de ahi apparecer para se convencrio-
uar a respeilo. m ,
Carlos Claudio Tresso, fabricante de orgaos c
realejos na rua da Flores, n. 19, avisa ao respeila-
vcl publico quo concerla orgflos e realejos, pa
marchas modernas desle paiz concerta pianos ,ga-
ranas, caixas de msicas accordflo* e qualquer ins-
trumento que app.irei.-a: tambem faz obras novas ,
e vende um orgflo proprio para capella, ou alta-mor,
com boas vozos, por preco commodo.
Jos Baptista da Konseca Jnior tem para ven-
der no armazem do Bacelar dcf(pnte da escadinha
daalfanlega ou na rua do Vigario, n. 25, a me-
Ihorfarinha emsaccasque ha no morcado, a preco
menor que nonhuin oulro possuidor..
-- Oaferidor. eiiiconrormi-
dade do artigo 8. do regulamenlo da cmara, roga
aos Srs.. fiscaes, que estando a lindar-so o lempo da
afeiicno anda nflo ap|>areccu individuo algum para
aferir regoas de 10 palmos, craveiras que silo obri-
gados a usaron) todos os mestres pedreiros, carpi-
uas, ranteiros, vendodores de madeiras e lodo a-
quelle que lem neceasidade dessa medida, aliin de
quevenbam afen-las, do contrario sera prejuJica-
do em sua arremataefio.
Lotera dv Iheatro publico.
Eslando vendida quasi melade dos bilheles da ul-
iima terca parle da 18.a lotaiia do Ihoatro publico,
e apparncendo com a paciliccSo da proy.incia algu-
ma influencia na compra dos bilheles fui reatara, o
respectivo thesoureiro, levado por esta infiuenca
que espera nflo ser arrcfoeJa, designa o dia 37 de
abril correnle para o andamento dasrodas, c confia
nos amadores deste jogn que o coadjuvaro na rcali-
sac.to do referido andamento.
Fabrica de Todos-os-Santos.
Frmino Jos Flix da Roza, com escrplorio na
rua do Trapiche, n. 44 avisa aos seus freguezes que
acaba do recebar pela escuna Curioxa novo sorti-
mento do excellente panno de algodilo entraado
daquella fabrica, ptimo para ensaccar assucar e
para roupa de escravos. O annunciante couta que,
alm da fazenda o desejo de animar o desenvol-
vimenlo de urna fabrica inteiramentb nacional, pro-
mover o prompto consumo da sua receita.
\vi?o ao rcspcitavel publico
Guilbermo Frederico W'aller, comotonha de de-
roorar-se por mais algum lempo, pela bstanle con-
currencia que tem lido avisa as pessoas que o tem
fallado para tirar retratos quo apparecam quanto
antes nestes 10 a I2dias, O annunciante tem fiis re-
tratos do dosembargador NNES MACHADO, tirados
a dagarreolhypo, e que vender por pregos com-.
modos.
f mm m mmmmmmmmm m mm>mm***9
Novo pflo de Provencn.
Na padaria do becco das llarreirns e no de-
posito da Estrella, no Alerro-da-Boa-Vista, ti-
39, fahrica-se o novo pilo de Provenga, o qual g
he fabricado pelo inelhodo do seu piimciro
? introductor me veio a esta provincia o com
as nielhorcs farinhas que ha no mercado, e as- .
fseio que he possivel: da niesma sorte so fa- |
hriea ni as fatias da rainha de llespanha bo- j?
* linlios liiscotilos, biscoulinhos, latas, cava- i?
* cas : ludo do melhor gosto possivel e proprio |
S para cha ; tambem ha bolachinha de Lisboa *
$ em latas de 8 libras, por prego commudo ; %;
$ uniendo is confeiladas e de varias qualidadcs.
9
Na casa do modas francezas do madama Millo-
chau io Alerro-da-Roa-Visla n. I, defronte do
rhafariz recebeu-se rolo ultimo navio, viiiajo de
Franca um lindo escolhimenlo das ultimas modas,
comosejam : collerinbus ecamisinhas de cambraia
bordada, muito ricos ; cabcces de bicos bordados ;
cortes de vestidos de seda de barogu de garca de
cassa e do cambraia ; lencos muito lindos, para
grvala de senhora ; garca de seda, lisa e de todas
as cores ; fil de I i ulio o de soda brinco e piolo;
ricas llores para enfeitcs de balese casa ilion tos ;
plumas para chapeos de sonhora ; entre-meios bor-
lados do cambraia fina ; cambala do liiiho ; ricos
manteletes de seda do cores, muito ricos ; dilos pro-
tos enfeitndos de tranga e franja; lengos de milo ,
de cambraia de lindo ; filas muito lindas e ricas ;
Irangas de seda de tudas as cores para enfeites d
vestidos; esparlildos para senhora; luvas de pel-
ica cuitas e compridas ; ditas de maia aherla ,
muito finas; trancas de algo I u para enfeites de rou-
poes de menino ; bicos de I m lio Mundo e de seda ;
larlalanas ; manteletes de bico prelo; chapeos de
seda e de palha para senhora < meninas ; gu.uini s
de botoes para vestidos de senhora ; rendas lisas de
linho c do seda ; mantas de lila o seda de muitu
bonitas cores; toncas para senhora. Na mestna ca-
sa se lazem eOeciivamente vestidos, chapeos e ton-
cas de senhora da ullima moda e a preco mdico.
== Compra-ie uina sacada de raulaiia de Portugal:
quem a liver annuncie ou dirija-se a rua da Aurora,
i. A.
Compra-sc urna batanea grande com pesos de
urna libra at 4 ai robas, estando em bom estado:
na na larga do Rozario, n. 32.
Compram-sedilTercnles lomos de breviarios,
em qualquer estado com lano que llie no o fallcm
folhfis : na rua eslrcila do Rozario, n. 8.
Compia-sc un sobrado tic um ou
dotts andares, sendo nos bairros de San-
lo-Antonioou Boa-Vista, e tpie soja as
principaeJ ras a tratar na rua Nova
sobrado de mu andar, n \"X.
--Compra-sc urna correnle de ouro para pescugo
da senhora I na rua do Rozario. segundo andar, n. 1
*-- Comprase umcavallo para sella, lendo bous
ndalos baixos : na rua do Trapiche, ti. 4t.
Compra-so uina canoa do amarello de um s
pao, c de 8 a 10 caixas, ou urna barcacade.10 a 12
pouco maisou menos : na la da Cadea du Reeifo,
ii. 59 loja de ferragorts.
Compram-sc garrafas vnsias, sendo limpas a
80 rs. cada una : no armazem da rua da Madre-de-
Dcos, ii. 36.
Cnmpram-so loneis e qtiarlolas mesmo es-
tando abatidos que sirvatn para agoa : ua rua da
.Muela, n. II.
Compra-se urna preta, ou parda que cozinhe
beme engomme, e seja desembarcada : n;1o se
olha a preco : na rua do Vigario, n. 24.
__Vende-se um sitio distante desta praca tres quar-
tos dr legoas, com grande casa de pedra e cal e bona
coiiiinodos, com alvoredn. terreno frtil para planta-
ces, com sufficieiula de se pu,d frite, olaria e barro para toda a qualidade de nictrial, c
bom porto de embarque, com una vrteme d'agoa que
corre todo anuo, proprio para qualquer pessoa que
queira empregar alguna escravos pelas proporces que
o un sino oll'erece, tanto de se poder plantar, como ter
vaccas de leile e olaria, como por ser multo pe lo do
Berife: a tratar na rua do Queiinado, n 7, priineiro
andar.
i\ova pcchiiicli.
Vendein-si esleirs de Angola, grandes a 1/000, nei-
aas a 640 e pequeas a 320 rs. por ser a dinheiro :
quem aa pretender, v ao armazem da allandega. de-
Ironte do chalarl/, antes que ic acaben).
~ Vende se um lindo adereco por pre-
co muito commodo: na ni do Kangel,
n. 17, se dir.
fd Para llquidacao e pagamento, se vende o sitio
Mondego ao p de Lulz Gomes Ferreira, coui um bom
sobrado no fundo, urna casa terrea un frente, o sitio
todo murado, e dividtdo por muros de pedra c cal,
caaa de prctos, com bauho no fundo salgado, c doce
ua tuar vasia, chao propris, com todas as qualidadcs
de arvoredo de fructo, e multo perlo desta cidade ; a
tractar ua rua Nova com Joao Ribeiro da Cuaba, u.
A\, segundo andar
QEIJOS DE PRATO
milito frescaes e de superior qualidade, chegado* re-
centemente da Hollanda, vendem-se no ariuaaem de
Antonio Aunes, no caes da Alfandega.
-- Vendcin-se os gneros de uina venda que cuesier,
inclulndo tambem una porco de vinho do Porto rii-
garrafado, muito superior; ludo por preco cominooo,
e a vontade do comprador : na esquina do caes ao
Ramos.
Yendcui-se as parle* qu prrtencem ao proprieta-
rlo em um sitio de trras proprlas de plantadles, coin
urna pequea baixa, que divide coin una levada, caun
casa de laipa arruinada, e alguns arvoredos de rruclo,
una pouca de inadeira nova, e portas e janella. para
reedificaran da mesilla na rua do Mondego, n. 90.
Pra?a da Independencia,
numero 57.
Aos 20:000^000.
Riibrtes e meios dilos, quarloa, oitavos e vigsimos
das lolerias do llio-de-Janeiro : a elle* antes, que se
acaben).
Vinho mi:ii\as;i branco.
Acaba de chegar de Lisboa urna pequea porcao
desle delicado e dellciosisslmo vinho, em barris de 7 em
pipa : vendem-se no caes da Allandega. armaTem n. 7,
de loas Ferreira, a vinte mil rs., e por menos alguma
cousa .1 < i o o ni comprar mais de um barril.
Vendcm-se quatro lindos molecoles de iSa20 au-
noi, sem vicio nem molestia; um lindo pardo de ele-
gante lisura, de 18 anuos, de boa conduela; tres prelus
de 20 a 30 anuos, bem reforcados, bom para todo o ser-
vico ; um prelo de niela idade, bom para litio ; una
preta de 30 anuos, que cosinha pcrfeilamenle, faz doce
de todas as qualidadcs e vende na rua ; urna cabra. Ia
para campo; urna preta de meia idade, que cozinha
bem, lava roupa, engonmia sorl'rivel e cose: na rua do
Vigario, n. ii.
Vende-se um moleque de a annos,
pouco mais ou menos, sem vicios nem a-
rbaques : na rm do Crespo, loja n. a A,
se dir quem vende.
Vende-ge a taberna da travessa Jos Remedios ,
na Passagem-da-Magdalena cujo local he o melhor
daquella estrada ; he muito ufreguozada com pou-
nos fondos commo lo para familia e barato o alu-
guel: na rua da Cadea do Recife, n 31
Vende-se um cabrinlia de 13 a 14 annos. sem
vicios nem achaques e que he proprio para pagein,
ou para aprender qualquer ofTicio : em Olinda, ven-
la dol nulo da cadeia.
Vendem-se 3 molequesde 12 a 18 annos; 2 ne-
grinims de 13 a 16annos; 2escravos de meia ida-
de, proprins para sitio ; 1 pardo de 22 annos, pro-
prio para todo o servico de campo; 3 escravas mocas
para lodo o servico : na rua Direila, n. 3
Vende-se urna cadeira de arruar, por prego
commodo : na rua de S -Amaro, n.8.
Vende-se tinta muito lina, de diversas corea ,
em lalas de 20 a 25 libras por prego commodo : na
rua da Cadeia do Recife, n 48.
Vendem-se gigos com champanhe em meias
garrafas, fabricado pelos verdadeirosauleres Lancon
Pete & Fils : na rua da Cadea do Recife, n. 48.
No armazem do Bacelar, vende-a auperior fa-
rinha em saccas grandes | or preco commodo:
tratar no meamo armazem ou com Novaes & C., na
rua do Tsapiche, n. 34.
No armazem de Dias Ferreira no caes da Al-
arndega vendem-se os seguiutes gneros : farnha
de mandioca muito superior em saccas ; potassa
ue iiiuooHHd iiiuiio supoiiui i -- i r~--------
desembarcada ha poucos dias, em barricas peque-
as ; arcos de ferro muito baratos; toucinho de San-
ios em harris; fumo em folha para .capas de cha-
rutos muito superior.
Sellim para montara de senhora.
Km casa de Adamson llowie & Companha, na rua
do Trapiche, n. 42, exista de resto um excellenlo
sellim inglez para montara do senhora, quo se ven-
der mais em conla para liqoidacfio de factura.
ticos de Ijloude.
Vendem-se Ol verdadeiios bicos de blonde : na
rua do Crespo, n. 9.
Vendem-se, por prego commodo, 4 duziaS de
laboas de lamanqneira madelra eata do Para, mili-
to bou para so fazer obra : na rua do Trapicho, n. 44,
onde tambem ha cxccllente carne de vacca salgadd,
em biirris.
Vende-se a venda da ma da s.-Cruz, n 3, a di-
nheiro, ou com boas lirmas : a tratar na mesma
venda,
COl.i.ECCAOnKl.KIS.
Vende-se urna colleccilo completa da legislaco
portuguesa do desembargador l.elgadc em nove
volumes, conleiidolres supplementos desde 17&0
al 1820, o mais dous dos ltimos supplementos
avulsos,chegados ha pouco de l.ishi: na rua es-
trella do Rozario, n 19.
Vendem-se queijos do scrlo muito
superiores e frescos, chegados pelo ulti-
mo vapor to Ocar : n8 rua da Cruz, ar-
mazem de S Araujo, n. 3J.
Vendem-se 50 aege-es da companha de lleberi-
be por menos do seu valor, por seu dono retirar-
se para fra do imperio : na rua larga do Bozario, lo-
ja n. 35.
-- Vendem-se 4 lindos moloques de 12 a 18 annos;
dous pretos do 25 a 30 anuos; 2 pardos de 18 a 25
anuos; urna negrinha de 12 annos; urna mulalinlia
de 16 annos, com principios de habiliJades ; urna
preta de 20 annos, < om algumas habilidades: na
ua do Collegio, n 3, se dir quem vende.
Vende-se, para lora da provincia, urna prela de
nagilo sem virios nem achaques : ao comprador se
dir o motivo por que se vende: na rua da Cuia,
n 61, segundo andar.
Salitie relinado.
No armazem do drogas, na rua da Madre-dc-lleos,
n. I, vende-so salitre relinado do primeira sorle.
-- .Na ma do Queiinado vindo do Rozario .segun-
da loja n. 18, vende-so alpaca de linho de diversas
cores, a 400 rs.: dita lisa de una s cor Ijwni.,
liscndos monst.os a 240 rs. ; longos de camb.raa
de linho para grvala, a 800 rs.; hto****
proprio para vestidos de senhora e """V1" de."';...
nios P!,r ser do urna s cor. ff-ffJSO^
o'da TsO r'rXes d lL "seda de bonilos gos-
os. a' 5,000 rs!'; ^'oulras muit.s fazend.s por com-
,,,0d0VenTs'e um carro de quatro rodas com todos
.Voui nertenees, para um cavallo, multo bem 6008-
S.KtW pouco uso e com co-nmodos pa-
StXJmZ : Aterro-da-Boa-Vista, CM. do
Sr. Miguel, que est autorido para o vender por
prego commodo.
.go.



Vendem-se cadeiras e marquezss de oleo com
nssunto de palliinhi, lavatorios, meias commodas,
mesas pequeas, tudo do amarello, e uniros ob-
jeclos, ludo de Corlo conslrucglo e de gusto mo-
derno, por menos de seus valores: na rua das Cru-
zes, n. 31, loja de marconeiro defronlo da lypogra-
phia.
Farinha de trigo'SSSF
de superior qualiilidee nova; dita americana, em
meias barricas; dita gallega, em meias barricas;
cal virgem de Lisboa; vinho do Porto em pipas e
barrisdequarto eoitavo superior e mais inferior:
fechaduras para porta de armazem ; superior cha
hysson nacional deS.-Paulo; familia de mandioca ,
em saccas, por preco commodo : na ra do Viga-
rio armazem n- 1t, de Francisco Alves da Cunha.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
llahia,
muito proprio para saceos de assuear e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Itieber & Com-
Panhia, na ra da Cruz, n. *.
Contlnuam-se vender cortes de vestidos de
camtiraia com lindas barras brancas e de
cores, queja poucos resta m ; meias compra-
das para senhora e meninas, azues, msela-
das, rouxas, esverdeadas e pretas, a 120, .,
160 e 200 rs. ; botes de duraque prelo a 2
40 rs. a duzia : no paleo do Carmo n 18
secundo andar.
Mmmmmmmsssmxmmmm
-- Vende-se cera de Lisboa, em grumo, o em bo-
gias de 6 9 mo em libra baslanle alva ; assim como
tintas para pinturas grossas e linas ; pilo de ouro em
livros grandes e pequeos ; cevada nova; e outras
drogas recentemente chegadas, por prego commodo:
na ra estreita do Kozari botica n. 10.
Na ra Nova, n. iiO,
vendem-se encerados de todas as larguras, muito
finos, com pinturas tambem finas, para mesas e
pianos, por preco commodo.
Ch colate desaude, fabricado
no Alaranbao por Luiz Bot-
tentut & Companhia.
De todas as substancias alinientares que, sendo
mi seu principio considerardas como cousas de lu-
so, lornam-se pelo tempo adiantedu um uso geral,
o chocolate podo, sem conlradicc.no, oceupar o pri-
meiro lugar.
ETeclivamente, quantas pessoas nflo vemos nos
preferir hoja ao uso do quente caf o uso do choco-
late, e uisto segmr a opini.lo dos mdicos mais c-
lebres, que, de commum aecrdo sobre sitas precio-
sas qualidades, o indicam como um dos nossos me-
lhores estomticos aquellas pessoas cuja saude lie
dbil e delicada I.. I'rescrevem-no aos seus doen-
tes aconselham-no aos velhos e o recommendam
as mQis de familia para seus fillios. Km una palavia,
0 consumo verdadeiramenle extraordinario que to-
das as clasies da sociedade fazem desto alimento,
he o mais bello elogio que nos Ihe podemos fazer.
Vende-se na ra da Cadcia do Hecife, n. 25, dc-
fronte do Boceo-Largo, a 800 rs. a libia, aondo se
dai So amostras para se experimentar.
A 5oo r9.
Vendem-se superiores pentei para marrafn, de tar-
taruga : na ra larga do Rozarlo, n. 2*.
SSSF
AJanoel da Silva Santos vende multo
superior farinha de trigo, ciiegada lti-
mamente a este mercado.
ttencao ao barato
Na ra do I.mmenlo, n. 14, vendem-se lencos do
f. da do cores, paia homein e senliora pelo barato
piego i!e 1,280 rs. cada um ; um completo sortimen-
to de chitas linas, a 160, 180 e 200 rs. ; ditas escar-
ales a 220 rs. ; riscados de linho para calcas o ja-
queles ; madapolOes finos, a 4,000 o 4,200 rs. ; o ou-
tras muilas fazendas que a vista faia vontade ao
comprador.
-- Vendem-se, por prego commodo, 16 duzias de
assoalho delouro, e algum custadu para fechar
ronlas em duzias ou a relalho : no armazem de ca-
1 un da esquina da ra das Flores, n. 1.
Farinha e milho.
No caes do Ramos armazem das casas encama-
dos, vemlem-se saccas de tres quartas, por 3/ rs.
rada urna e de alqueirc a 4/rs. e sendo em por-
gflo de 10 saccas para rima se dar por menos : afiaii-
ga-se a boa qualidade de ambos os gneros.
Vendem-se saccas com milho novo, a 3,000 rs.
cada urna e por menos sendo poreflo: no caes da
Alfandega, armazem n. 1, junto ao arco da Concei-
gflo.
Vendem-se 2 pretas com habilidades ; urna par-
da do 16 anuos ; um molequede 18 anuos, de na-
lo ; um dilocrioulo,de 8 annos;uin dito de 20Bn-
iios.bom olcialdeouiives; um pretodemeia ida-
lo, por preso commodo: no pateo da matriz de
b -Antonio, u. 4, segundo andar, se dir quem
vende.
Vende-se cid virgem de Lisboa, de superior
qualidade, em barris de 4 arrobas, ciiegada ueste
niez pelo bnpue Maria-Joi: a tratar na ra do
Itrum armazem do Antonio Augusto da Fonseca .
ou na ruu do Vigario, n. 19.
Tiii.Y.ispaiaeiioenlio.
Na fundigflo de ferro da iua iloUrum, acaha-se de
leceher um complete soi tmenlo de laixas de 4 a 8
unimos de horca as quaes acham-se a venda por
prego commodo e com proniptidtlo embarcam-se,
ou earregam-ae em carros sem despezas ao com-
prador.
Vendem-se duas obras completas de Carnees ,
em 3 v., da ultima e mais nitida odigflo por prego
multo commodo : na ra Nova, loja n. 56. #
Vinho barato.
Acha-so estabelecido na ra da Madre-de-Deos ,
n. S, um armazem de
Vinhos da Figueira
de ptima qualidade a prego de 1,360 rs. a rana-
-a e a icio rs. a gnala para nflo haver dolo do
comprador, serflo lacradas as garrafas a con rotu-
-i.
lo, recebendo-se a garrafa vasia o dando-se imme-
diamente a Outra cheia : tembem ha barris muito
pequeos, proprios para quem passa a Testa. O pro-
prietario desto ealahelecimento pedo encarecida-
mente que se ntio illudam avaando pelo diminuto
preco e sem conhecimento de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da eslima dos verda-l nao s da fazenda como das circunvizinhancas, que
deiroa amantes da boa pinga ; elle contaque quem I vive ludo farto, e tem de mais a mais lugares nro-
de Cariry-de-Fra do nomo Noruega com terlente
d'agoa permanente, ea molhor trra que se conh-v
ce para criar e plantar, com extensflo par tres fa-
zendas sendo o seu nico elogio* a gravldade de
nlto hffverseccs que mato o gado Visto que a qiia-
lidado do pasto he tal, e a abundancia d'agoa
urna vez provar continuar com gosto o sem arre-
pondimento. E o bom prego.'! A lodo o exposto
accresce o asseio e bom acondicionamenlo, o que tu-
do se poder verificar em dito estabelecimento.
Madeira de pioho.
na ra de Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um terceiro armazem com madeira de piuho
da melhor qualidade que lem viudo a este mercado,
e serrada de todas as grossuras e comprime ntos:
ende-sa pelo menorprego que he possivel.
Ao* fumantes de hoingosto.
No armazem de moldados atrs do Corpo-Santo,
n. 66, recebe-se por todos os vapores vindos do sul
porgflo de cigarrilhos hespanhes ditos de palha-de
milho assim como superiores charutos de varios
qualidades : tudo se vende por prego mais barato do
que em outra qualquer parle.
Vende-se o cngeuhn Novo do Cabo para paga-
mento da hypothcca que nelle tem o Sr. Joflo Vieira
da Cunha : quem o pretender dirija-se ao mesmo en-
genho a tratar com Francisco Jos da Coste.
--Vendem-se presuntos inglozes para fiambre;
latas com holachinhas ilc Lisboa ; ditas de araruta ;
litas de marinelada de 1, 2 e 4 libras ; ditas do sar-
dinhas; ditas de hervilhas ; ditas de chocolate de
Lisboa ; frascos do conservas ; ditos d'agoa do flor
de laranja ; barris com azeitonas blancas de F.lvas ;
garrafas com vinho moscatel de Setubal e da Ma-
deira; queijos do prato, frescaes : tudo novo e
chegado ltimamente do Lisboa : na ra da Cruz ,
no Recite, n. 46.
CHA* BRASIL-FURO.
Vende-se.ou armazem de molhados, atrs do
Corpo-Santo n. 66, o mais excelleute ch produzi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por prego muito commodo.
Agencia da fundicao
I/OW-Moor, rua da Mpnzalla-
nova, n. 42.
Nesle estabelecimento contina a ha-
ver nm cdii.pele sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho ma-
chinas de vapor,e taclias de Ierro batido e
roulo, de todos os tamaitos, para dito.
Vinho barato.
O proprielario (leste estahehcimento, desejando
conservar os seus freguezrs eno Ihe sendo possi-
vel pelo prego de 160 rs. a garrafa visto ler o ge-
nero subido cerca de 20,000 rs. por pipa em raso
de nio ter vindo ao mercado,(lium contra a sua von-
tadej v-se na dura prerisflo de augmentar o pre-
go e pelas rasOes apontadas, conta que seus fre-
guezesllic faro fustiga esc nSo cscandalisario.
I,uvas de pellica-
Vendem-se luvas de pellica para senhora da me-
lhor qualidade | ossivel; oculos de difiranles graos e
vidros : na rua larga do Rozario, n. 24,
Potassa.
Desembarcou lia poucos (lias tima por-
co de barris pequeos, com muito nova
e superior potast>a, e se acbam a venda,
por preco mais batato do que ltima-
mente se venda, na rua da Cadeia-Velba,
armazem de Bailar r*()lvcira, n. n.
Vendem-se, na la da Ciuz, n. 21,pedrasde mar-
more francezas pura mesas redondas e contlos.
Vendem-se, na rua Direlta taberna n. 53, sac-
cas com um alqueire de milho novo, a 3,500 rs. ; di-
tas com arroz, pilado ;|dils com cal; ditas com"
feijflo ; c tos os mais tintos do venda mus barato do
que *ni oulra qualquer paite ; beiu como urna pio-
eflo-de madeira de louro e oleo para marecneiro, e
iraves de diversas grossuras.
Vcndem-sc sellins inglczes e camas
de ferro : na rua da Senzalla-nova, n. 4?-
Vendem-se setins de todas as cores, proprios
para armagOes de igrejas e para forros, por prego
limito em conta : na ruado Queimado, loja do so-
brado amarello, n. 29.
lo! ha de Fia o ti res.
Vendem-so caixas com folha de Flandres : em
casa de J. J. Tasso Jnior : na rua do Amorim, n. 35.
No armazem do Bacelar, vende-se arroz de va-
por a 1,400 rs. a arroba.
Carnauba.
Vende-se, na rua da Cruz, n. 21, urna porg.to de
cera de carnauba de superior qualidade, o por to-
do o pr. go.
Presuntos.
prios para soltas, creados quasi pela natureza. Urna
prnpriodade propria para criar gado de toda a qua-
lidade no lugar da Pitombeira no Cariry-de-Fra,
junto ao Bodocong. Um engenho na comarca de
Goianna pprtoda cidade, sito em trras muito fer-
iis margem do Sirigy com extehso para dous
grandes ongenhos, um marcado prximo so outro
que Ihe empresta a melhor commodidade desvian-
do em ptima e plana estrada para a cidado, com
maltas sufllcientes e multo maneiro por estar de-
prusio ha alguns annos ,peln que necessita de certos
reparos as obras que com quinto sejam de lijlo e
arueira todava se tem arruinado. Faz-se qualquer
negocio por urna propriedade na comarca de algum
lugar de areias com ordinaria udlciencia para edifi-
car-so um engenho, segundo a bondade o mesmo
dimenso doterreno : os pretendentes dirijsm-se
rua larga do Rozario, n. 48, segundo andar.
Chocolate amargo de musgo
islndico,o i thesonro do pe-
to, preparado por Mr. J G.C.
A tosse, esta doenga tilo commum quando descui-
dada, ifo graves silo suas consequencias quanto pa-
rece ligcia em seu princi, tilo matadora por si s
como ludas as oulrasdoengas que consomem a es-
pecie humana nflo linha para combato-la e des-
trui-la um medicamento especial e nico. Todas as
paslilhas o charapes que teem apparecido al boje ,
teem sido impotentes. Nflo lem acontecido istocum
o chocolate do musgo. O principio que forma a aua
base principal ofierece propriedades incontestaveis
reconheciilas depois de muito lempo, e ningoem
ignora os felizes resultados da sua applicagfto em
as phleugmasias agudas, ou chronicas do pulmlto,
alTccglo do pcito phlysiea, delluxo tosses, etc. ,
para dar tom ao estomago, abrir a vontaite de co-
mer, conservar as gengivas e o bom alito, matar
as lombrices, principalmente as criangas.
Vende-se nicamente na rua do Queimado, n. 17.
A dinbeiro Bm
Vendem-se sapatAes inflezea; ditos de Ninles;
ditos de Paria ; ditos do Aricaty ; e tolo o
calgado que se fax preciso tanto para hornero
para senhora.e criangas; assim romo s se
amostras com o competente penhor, para s or
fiados : na praga da Independencia, ns. 13 e 15. '
Latas de marmelada e copos
de jalea de fuarmelq, 4W.
Indosdo Rio-de-Janeiro pelo ultimo vapor, e-
dem-se no armazem do molhados atrs uo torno -
Santo, n. 66, la^aaauaaaaSLV
Nflo ha nada to barata^
Vendem-se cortes de caigas de eashnira els-
tica padres novos pelo barato areco de
5,000 rs. : na rua do Queimado, loja do so-
brado amarello, n. 29.
Vendem-se superiores presuntos inglezes para
fiamlirc chegados no ultimo navio: no armazem
do Braguez ao p do arcoda,Conceigflo.
Na loja de miudcias de quatro por-
tas da rua do Cabug, do Duailc, ven-
dem-se franjas de relroz, para mantele-
tes ; requifiles de seda ; cerdo de ele-
gantes croes, preptio .para enfeites de
vestidos de senbora, e ioii| a de meni-
nos
Na loja de miudcis de qinlro por-
tas da rua do Cabug, do Duarle, ven-
dem-se meias de seda preta do 1,-Ihi.i ;
ditas inglezas ; ditos de lino linho, e de
lio da Escocia; Crocos de cores; Lucas
ieitas no Uio-de-Janeiro, e mantas para
meninas a t,ooo rs.; pecas de fitas com
um toque de uvaria, conlendo 24 varas,
Vendem-se corles de cambraia de cores e
modernos padrfles; riscados francezes linos ;
chitas francezas largas e de novos padres;
riscados largos, proprios para camisas; cas-
sas finas e de cics, goslos inleiraincnto no-
vos ; hrimde puro linho, de cores e bran-
cosdelistras; casimiras francezas de novos
padies ; Icngosde seda da India; e outras
muitas fazendas linas : tudo por prego de 1
agradar aos compradores : na rua do Quei- j
mailo quatro-Cf ntos, loja do sobrado ama-
rello 11. 29.
Para liquidacao.
Na loja da rua do Crespo, ao p do arco de S.-An-
tonio n. 5 A, vemlem-se corles de cassa para vesti-
dos de cores fixas a 1,600 e 2,000 r., bonitos pa-
drfles ; cortes de casimiras elsticas'para caigas, a
5,000 rs. ; ditos de fazenda de algodo para caigas.,
de cies escurase muito encorpadas a 1,000 rs. ;
una porgflo de chitas escuras, bous pannos, a 120
rs o covado ; chapeos do sol, de seda linos a 5/
rs.; chales de garga, a 2,0004-s.; lengos- para mflos,
de cassa pintada e arrendados a 240 rs. ; e outras
muitas fazendas que a vista se paleutearflo aos fre-
guezes.
Carne fresca muito gorda.
No paleo do Paraso, agougue novo, n. 27,
coma frente amarella, haver todos os das Carne
fresca da primeira snite, e os pesos serflo fetos
vinitii.lt' dos compradores, indo a prime ira vez, con-
tinen) a ir pelo agrado que acharflosempre no ven-
dedor, assim como lamhem haver carneiro nos do-
mingos gordos e dias santos.
Vende-se urna linda cscrava de nagiio, de lean-
nos de muito boa conduela, ptima para mucama,
por saber engommar, coser e cozinbar ; um bonito
molecto de nagiio Cosa, de18annus, sem o me-
nor virio, e que he bomganhador de rua ; .um dito
de nagiio, bom para o irahalho decampo ; um prelo
de 22 anuos boui cozinheiro ; um dito da mesma
idade com oflieio Je sapateiro; um dito de meia
idado bom para estar em algum sitio: na rua das
l.aiangeiras, n. 14, segundo andar.
Vende-be um bom cavallo para sella : na rua
largado Rozario, padaria n. 18.
Vende-se algndio da trra a 200 is. a vara : na
rua i!o Queimado, loja do sobrado amarello, 11. 29.
Cha barato-
Vende-so muito bom cha, pelo prego de 500 rs. a
ibra : na rua do Crespo, u. 23.
Vende-se um cavallo bastante gordo, bom car-
regador baixoe meio : no Aterro-da-Roa-Vista, von-
da n. 2, se dir quem vende.
Vende-se urna porgflo de lenha do cajueiro,
propria para olaria por prego commodo : na ruada
Senzslla, no boliquim F.spersnga, n. 126.
Vendem-se libras de relroz preto, azul-ierre!
e de cores sorli las da melhor qualidade que hoje
existe na mercado por piego commodo na |
da Independencia, ns. 24,26 o 28.
Vende-se o brigue nacional Aurora, de
trucg.lo brasileira, em muito bom estado, tanto!
casco como o apparolho e panno: para o vsr.
frente do caes da Alfanlega, aonJe est ancor
o para tratar do ajuste, com Jo;o Krancisco'da Cruz
na rua da Cruz, n. 3.
-- Vende-se loiicinho de Santos a 18o rs. a libra,
em porgflo e a relalho, a 200 rs., por se estar aca-
bando : na rua Direila, 11. 14, esquina do boceo da
S.-Pedro, onde tom o-faftipeao.
S S5
4>
tfi
c I o a.
" fe *
o
*
E =

>.-'/!
O

. w
SS
.S.S-2
2a.i
_-*S ??
. 1- <- ., !
Jir
2?.
.5 "
ce
o =
Mi
.2 *
i Js
*- "
>- c I 2
tem
r 0'= =
>- e% sra -
Cf lat SI
o
' u. o
"* M M
__
- -o
-8*1
Ib8
l\
la
SS 2 .f
1=1
1f.= r.e.g*
S
-S.5o.t2 S-
Nf|l!*!-*|5*
-o
M
cg o
.- ti
t
sSsell
Ao barato.
Vendem-se cortes de cambraia de cttres.a 3,000 rs
ditos de cassa a 2,000 rs.; riscados francezes,
200 rs. o covado : na rua do Queimado, quatro-can-
tos, loja do sobrado amaiello, 11. 29.
Na rua do Crespo, toja de
quatro portas ti. i'2,
vendem-se os mais modernos cortes de colletcs de
SPtim bordados a agulha .delicados para nolvos ou
bailes ; ditos de chamalote de cores e gnrgurSo, tu-
do de seda e de bonitos goslos ; ricos corles do cum-
braia-seda ; chitas francezas asmis modernas ; um
completo sortimento de mantas de seda e de lila o
seda para senhora c meninas; chales de seda deco-
res e prctos, fazenda de peso; lengos de selim para
gayata -, pretoi e de cores ; vos de fil de seda pa-
ra chapeos; lengos de muito boa seda para algibei-
ra ; rasjmlra dos niolhores goslos ; chai os do mas-
sa francezes do bonitas formas ; meias de seda
brancas e pretas ; e oulias muilas fazendas do boa
qualidade o gosto, que serflo vend'das por prego que
liflo de agiadar aos compradores ; ass-m como anda
reslam alguns chapeus de castor que para se con-
cluirse veuderfloa 4,000 is.
.Na rua Nova, n. 5,
vende-se um pardo de 32 anuos bom carreiro e
li almlliador de fouce c machado ; um moleculo do | peusaiio cun 5U,000 is.
ISnitos, de boa conducta, o queso afianca ao
o o a p O C 9 m n
Vende-se urna escrava crioula, de 33 annos
pouen mais ou menos, quo cozinhs o diario de urna
casa, lava dcsuhflo e varrelta compra vendo e faz
com perfeigilo o servigode urna casa sem vicios e
muito fiel : o motivo por que se vende sa dir ao
comprador : na rua do l.ivramento, luja de calgado,
n. 19.
-- Vendem-se, na rua estreitajo Rozario n. 4, ps
seguintes livros : Grammatica franceza por Seveae,
nova, por 4,500 rs. ; Telemaco, 1 v., por 1,280 rs. ;
Fbulas de La Ivontaine, 1 v., por 1,509 rs.Afwft
d'cuvre de VolUiro, 5 v., por 2,000 rs. ; Manual dos
bandos do mar, 1 v., por 1,600 rs. ; Cuia da con-
versagflo, 1 v., por 1,000 rs. ; gengraphia deCautior,
1 v. novo, por 1,600 rs. ; Mytliologia d mocidade,
com ricas estampas, por 2,560 rs. ; Sintaxe -do Dan-
tas, 1 v. novo por 1,280 rs.; Diccionario portilguei
de Fonseca, I v. novo, por 2 000 rs. ; Salustio, novo,
por 1,500 rs. ; metliodo de lia uta novo, por Vianna,
l>or 3,200 rs.; una (lauta nova do urna chave, por
1,500 rs.
Na rua da Moda, no aceito, n. 19, s 'gundo an-
dar vende-se urna mohilia do Jacaranda em bom
uso 2 commodas 1 guarda-loug, urna banqui-
uha, 12 cadeiras americanas j usadas nina diu da
luilango um loticador una mesa do japtar, una
dita de cozinlia, um relogio de parede, um laxo de
cobre pequeo, e outras muilas cousas que tudo se
vende por seu dono retirar-se, o qul pedo a qtiem
precisar desles objeclos que apparega qanto antes,
pois est resolvido a vender por lodo o dinbeiro.
Vende-se um bonito escravo'du 17 iinnus bom
ofilcial de mareenoiro, o qual se da ao einuprador
para o experimentar : no Alerro-da-lioa-Visla, ven-
da n. 9.
Vende-se urna vacca muito boa de leile e muito
mansa : na rua das Mores, n. II.
Vende-se um jogo de breviarios, que anda nJo
fram servidos; um violao de excellentes toie;
atrs da matriz da lioa-Vista, n. 26.
Vendem-se bancas de jogo, de Jacaranda e an-
gico ; ditas domlo de sala ; commodas de amanil-
lo bancas; camas; leriamenla paia mareeaeiio :
ludo por prego commodo por ter o vendedor de
retirar-so para fra do imperio : na rua das O uzea,
n. 16.
Kscravos Fgidos
------------------------------------------------------------------------------------------., .i -
Fugio, no dia 20 do eorrcnle, um oiel'qn*
crioulo de nome Joaquim de 16 annos, cor preti,
roste redondo, olhos pequeos; tem as oass le-
das cortadas de chicote e encalombadae; be bai-
xo, sece do corpo ; tuvou 3 parea de calcas "l"a
branca de biim trancado 3 camisas brancas, urna
jaquela branca ; fui comprado no dia 16 do ntren-
lo ao Sr. Antonio da Silva Porcina, aioradw no
l'ogo-Rednndo, comarca do Bonito; descontia-s
que o dito inoleque fosse seduzdo paia o mesaio lu-
gar : quem o pegar leve-o a rua Direila n. 3, que
ser gratificado
No dia 23 do eorrcnle, desappareceu, palas7 ho-
ras da manhfla, um moleque Ue nyiue FilipM>de
nacido Angola, de 19 armo* poae mais ou n loa,
teve hexigas ha pouco lempa e por iso anda ten
pelo roslo e corpo siguapa derlas : quem O pf-fr]e-
ve-o praga do Coiiiinercio u. 15, qae
a uOO riS. comprador; una prelada nagflo Costa propria pa-j
Vende-se urna fazenda de gado as cabeceirss'ra vender na rua, ou trabalhar docnxada. | I'ean
NA T1P. DIN. 1"


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6MS6W8XL_6V9UXQ INGEST_TIME 2013-04-12T23:09:10Z PACKAGE AA00011611_06470
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES